Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:03923


This item is only available as the following downloads:


Full Text


Anxo de 1830. Quabta FeRf-' */ '
'Judo rnra depfnde de nos mesn-os; de nossa prudencia, modera-
t"f, e energa :' continen)** como principiamos e seremos apernado*
Com admiac.'io entre as ftaroe mascullas.
''Frolamacao da Asscmblea Geral do Bratil,
Suhfcrcve-se para esta follia a 3j?ooo por qnsrtel papes adiantados
tirs'a Tipografa, na das Cruzes 1). 5, e na Iraca da independencia
I). 37 c 38, onde te receben) coircspoiulcnciaslega'lisadas, eannuucios;
insiritido-se este gratis, sendo disproprios assignantes, e vindpsassig-
uarios. 4
Partidas dos Corretos Terrestres.
Cidaueua Fariilii'na e Vi Has Dita do Ilio (iianrie do Norte, e Villasldem...................( c .
Dra da Prtale eVillas dem..........................Segundas Sextas Fc.ras.
Villa ce Goianna.....................,............/
Cidade 'I Ulinda...................,..............Todos os das.
Villa deS. AntSo..................................(Quintas t'eiras.
Dita deGaranhuns e Povoaco do Bonito.....................l>ias lo, e a4 decaa mez.
Diias do Cano, Serinhaem, Rio Formozo, e Porto Calvo............dem 1 11, e ai dito dito.
Cidade das Alajoas, e Villa de Macci.........................dem dem
VikU de Paja de Flores .................................dem 13, dito dito.
Todos os Corrcios parlan ao mcio da.
DH OuTUIMO.*' Nt/^tKRO 226J
1G
On-rmiio.
Londres......
I. -sl'.oa.......
Franca..
CAMBIOS.
VJ- I
34 a'St'e i/S por lfooo ced. nominal.
3o por 0/0 premio, por metal ollerecido.
... > 1.1 res pnr I raneo uom.
Iiio de Janeiro .10 par. t
UR'J Moedas de 6^00 rs., Vclhaa .i<#Soo a
,. IWa ., Novas i4.*6.)o a
n Hitas de igoati rs., Mino a
PHATA Patacoes Hianl-iros --.....ifi a
,, Pezos Coliimnarios-----------------i/So h
/)i'os Mexicanos..........fyyi0 a
Premios das Letras, por inez 1 1/8 a 1 ip por loo
Mocdn de cobre 3 por loo. de disc.
I
15^ooo
l'Soo
8,y ir 600
#j6o
Das da Semana,
14 Segunda -
15 Terca -
IG Qua'rta------
17-Quinta------
18 Sexta--------
19 Sai,Lado -
20 Domingo-
- S, CaKsto P.........
- S. Tliccza de Jezus V. -
- S. Martiuiano M.-
- S. Heduviges Dufueza.--
- S. Lucas livaug.
-- S. Pedrod'Alcantara M.-
- S. Joj Cancio
- liisiio da Thez.
- -- Rclaco, e Aud.
- assiio da Tii.'z
- ^tel e and d
------Sessao da Tl.cz
- Re. e and. d>
e And do T. de
do I. de D. da
Audiencia do J.
o J. de I) da 1.
, e aml. 1I0 J. de
J. de U. da 3. v
O.dai. v. de rnV *
t+var.i de 111 anli.
de l. da a. v. de m>
V
D. di 1. vara,
ara.
Alare che a para o da 16 de
As 12 horas e 30 minutos da tarde As 12
Oulubro.
horas e 54 minutos
da manila*.
RIO DE JANEIRO.
ASSEMBLEA GERAL LEGISLATIVA.
SENADO.
#
Sessao em 3i de Agosto de i83cj.
Presidencia do Sr. Diogo Anlonio I-'eij.
Reunido suliciente numero de Snrs. sena-
dores abrese, a sessao, e lida a acia da anlc-
rior, approvada.
Expediente.
O. Snr. primeiro secretario l um officio do
primeirosecretario da cmara dos Snrs. dipu-
tados, parlecipando que a mesma camaiar|-;
doptou, afirn de dirigir a saneco imperial > a
rctolu<,o que approra a pensao concedida a
D!*M a ria Rosaura Rodrigues de GouYi'a jil-
ea senado inleirado.
O mesmo Snr. primeiro secretario parleci-
pa que o Snr. Carneirode ("ampos nao pode
comparecer por incommodado ; fica o senado
inleirado
Ordem do da.
Continua a discusso addiada pela liora
na ultima sessao do parecer das commisse
de commercio e fazenda Z de 1838 que
prop5e a regeiro da resoluco da cmara dos
SnEg. deputados que concede a 'oo Gomes
Netto o privilegio exclu/vo da navegaco por
vapor em varios rios da provincia da Baha,
O Sur. Mello e Mallos manda a meza ose-
guinte requerimenlo :
Requeiro que volte a resoluco novamen-
te s comtnissoes para que estas se limittem as
concesses e pedidos nos termos que julga-
rcm convenientes e nao v com o despresa
da resoluco desanimar-se o espirito da em-
presa que, com tanta dilicldade principia
a desenvolver-se.
E' apoiado e posto em discusso Picando
suspensa a dismsso do parecer.
Teudo dado meio dia, fita adiada a discus-
so
O Snr. presidente convida o senado a oc-
cuparem-se em trahalhos de commisso, e
d para a ordem do dia a continuadlo da dis-
cusso addiada, c depois a continuaco da se-
gunda discusso do projecto que interpreta
alguns artigos do acto addicional.
Levanta-se a sessao a mcia hora da tarde.
CMARA DOS DEPUTADOS.

Presidencia do Snr. Henrique de Rezende.
As 10 horas da maulla faz-se a chamada ,
e logo que se rene numero legal de Snrs. de-
putados abre-se a sessao, le-se e approva-
se a acta da antecedente.
O Snr. primeiro secretario d conta do ex-
pediente leudo os seguintes officios :
Do secretario do Senado .parlecipando que
por officio do ministro do mperjo conslou ao
mesmo senado que o regente em nome do
Imperador consente na resoluco que af>pro-
va a pensao animal de a4oU reis concedida a
Antonio Joaquim Nunes : e a de 400U reis
e Alagoasy qjje remelto ao tesouro as inor-
macocs exigidas sobre as conveniencias ou
desconveniencias dos almoxarifados das ctda-
des de S. Paulo e Santos, e da capital da
provincia das Alagoas A' quem fez a rc-
quisiio.
Do mesmo ministro remettendo a infor-
mafo da conladoria gcral de 37 de agosjo ul-
timo relativo receita geral da provincia de
Minas Gentes oreada, e arrematada poste-
riormente a leide 8 de oulubro de loii ele
A quem fe/, a nquisico,
Le-se o parecer da commisso reunidas de
iKtniha c guerra, que depois de teivm exa-
minado os planos, memorias, e parecer Jo cn-
genbeiro Boyer, marecliaes Andreas e Cor-
deiro. c coronel Conrado ludo relativo ao
melboramenlo do podo de Pernambuco e
de terem exposto as rases em que fitiido o
parecer ,concIue olerccendo a seguinle c-
monda.
Com o em prego de urna maquina da esca-
vago <; mclhoiamento do porto de Pernam-
buco 4o:oooU reis etc.
Fica sobre a meza para ser apoiado como
emenda ao orcamento da marinba.
Le-se, e approva-se oseguinte :
Ruipiciio quo se peca ao governo pe-
la secretaria d estado dos negocios cslrangeiros
lodos os officios e instruccoes que pela secre-
taria se expedirn ao encarregado ueucgocios
do Brasil, em Monte \ ideo assim como ao
presidente da provincia do Rio Grande do Sul
desde 20 de fevereiro de 1837 at i(j de maio
do mesmo auno
Paco da cmara dos depnlados a de setem-
de 18 {9. I.impo de Abreo.
Primeira parte da ordem do dia.
Entra em discusso a resoluco do anno pas-
sado que approva o decreto de n de maio de
i838 que exonerando a Antonio Caetano da
Cruz escrivo de orfos do municipio d esfa
corte do pagamento azenda publica da
terca parte do rendimento do seo officio
O Snr. f'erreiraPena ulga que devia pre-
ferir a este projeclo o que trata sobre a com-
panbia de paquetes de vapr, por ser mate-
ria mullo importante e a qual convem quan-
to antes dicidir-se.
E' apoiada a seguinte emenda.
Aspessoas prvidas em officio dejuslicado
municipio da corte depois da lei de 11 de ou-
lubro de 18a-, nao devem preslaco algu-
ma a favor da fazenda publica, eos que a ti-
verem pago, cao dora emulante exonerados
d ella. S. a 11. Carneiro Leo.
Depois de um curto debate julga-se discu-
tida a materia e a resoluco posta a votos,
e approyada.
^emenda regeitada e a resoluco sendo
adoptada remellada a commisso de redac-
to.
Entra em discusso o seguinte.
Modificacoes e alleraces a que se refere o de-
creto d esta dala, relativas condieces dos
paquetes de vapor contrariados para nave-
gar do porto do Rio de Janeiro para o norte
do imperio.
" A companba fica obrgad" a zer sa-
gmento ; ^porem o pagamento do aciescimo ora
ieito n ssa consignaco, smenle lera' lugar
depois de sua approvaco pela assemblea ge-
ral legislativa.
5 E' permctlido aos paquetes o locarem em
qualquer porto do imperio entre o desta eaoi-
pilal, e da capital (la provincia da Babia .
quando a isso sejo obligados para se refazerem
de cumbustivel
4- p A demora dos paquetes no porto de
Macei fica I indiada ao lempo necessario pura
a entrega das ma'as que elles ebnduzirem,
tanto as suas viaj;ens para o norte como no'
seo regresso para a capital do imperio.
5. w Os paquetes fico obligados a trans-
portar al qualro passageiros do estado, (pian-
do acoutera nao ter bavido laes
em duas viagens susossivas.
5. Corpo da armada e cla-
ses annexns. ,
6. Dito d'artilberia .
7. Intendencias .
8. Arsenaes ....
q. Hospital .
10. navios armados. .
11. Ditos desarmados .
:>. Iransportes .
13. Fardes
14. Obras nacionaes .
15. Academia de marinba
if>. Escolas ....
17, Reformados.
18. Licspe/as extraordinarias
Emendas da commissio.
i6';q43UPo
i55;3io8o
74-,.r)'Lrooo
7; o;af(jl;-;3o
19:0 1U0OO
|,oo;3a() 76; '8775 i
b"9;i85CP4/5i
l3:oi(( i)-5
a3;fooUooo
3;6'olJooo
53;93l<35
laS^GoLioorj
|WSSflgKIIOS
a. Quarlel general .
5. Corpo da armada, e
1',745110 JO
6*0 governo podera' mandar examinar elasses annexas
as con las d
a companhia de cinco em cinco
anuos',o diminuir a preslaco se assim julgar
conveniente.
7. p No caso de que venba a ter lugar a di-
minuico ou a abolieo dos direitos que acta-
almenlo paga o carvode pedra, esla diminu-
ico nao appiovcitara' companbia'a respei-
to do que ella importar para o consumo dos
seos paquetes
6.
lito de arlilberia .
7. Intendencia ....
8. Arsenaes.....
9. Hospitacs ....
10. Navios armados. .
11. Ditos desarmados .
13. 4'"are8 ....
17. lielorniadiis
18. Despezas extraordinarias
Paco da cmara dos deputados 'q dejullio"
de 18 <). Coellio. Lima e Silva. M.
i6i;655U5o4
1 7;0-iolH->o>
03803UOOO
79',84UJd
iQ:o35Uooa
i,348;(;vyU OJ
(h);00 U4J0
5,c,05Uo,6'
5J;493Lh3S
3o,oooUooo
8. p Subsistemem seo pleno vigor as mili-
tas e mais condieces que se acho estatuidas,
e nao sao modificadas ou alteradas pelas prc Amaral.
sen tes. E' apoiada a emenda das duas commis-
I alacio do Rio de Janeiro em 1a de agosto s6es reunidas, bem como as de outros Snm
de 18 'g. Francisco de Paula d'Almeida Al- deputados
buquerque.
Parecer,
Tomo parte na discusso os Snrs. .Vivare
Machado, ministro davmarinha Reg Mon-
Artigo 1. Fico appprovadas as alleraces teiro Montesuma, e Coelho e adiscussu
e modificacoes feilas pelo governo, conforme fica addiada pela hora.
o decreto de 1a de agosto de 1 8 >q, no con-j O Sur. ministro retira-sccom a mesma for-
traclo ccllebiado em Ji de marco de 1807 com malidade com que enlrou.
a companhia brasileira dos daquetes 4e vapor, O Snr. primeiro secretario d; conta de um
admittindo-se as seguintes emendas. officio do senado em resposta ao desta cmara,
l. Os dous pai|uetes exlraordinarios sai- em que partecipa que para cumprimento do
rao n.'is pocas que o governo determinar. artigo 61 da constiluitodo imperio, o senado
3. p No caso de que venha a ter lugar a di- recebera amanh pelo meio dia a deputaco
minui.'o, ou abolieo dos direitos queao- da cmara dos Snrs. deputados. Ficaacama-
cualmente paga o carvo de pedra deduzir- ra inteirada
se-ba da consignaco com que concorre ote- Faz-se mensao de um officio do presiden!
souro a quantia correspondente a essa deminu- desta cmara oSnr. Camlido Josc de Arajjr*
ico, calculada sobre o consumo que fizerem os Via una parlecipando acbar-sc de nojo era
paquetes da companhia^ | consequncia do fallesciment de seo filbo.
Paco da cmara dos deputados a.6 de agosto A requerimenlo do Sin. Audrada !\ achado,
dei8Jy. Ferreira Penna. F. Gomes de, manda-sedesanojav o Snr. presidente Araujo
Campos, J. A. de Lemos, j Yianna.
Uepoisde tallarcm sobre a materia os Snrs j O Snr, presidente d para ordem do dia .i
Paula Candido Gomes de Campos, e Hen- mesma materia, e levanta a sessao depois das
rique de Rezende, fica a discusso addiada pe- duas horas da tarde,
la liora.
concedida ao capieo das guardas nacionaes Jo- 1.
ze Ignacio da SilvaOurivcs. Fica acamara ir smente um paquete em cada mez no prin-
cipio d'elle ; e alcm d'isso mais dous u^que-
zc Ignacio
inteirada.
Do mesmo secretario, remetiendo a prdposi-
co do senado approvando a tenca de i^oUrs
concedida ao capito de fragata Antonio Pe-
dro Carvalho. A'irflprimir.
Do ministro da fazenda, participando riu
naquelladala (Ji de agosto ultimo) ordea-
ra as
tes extraordinarios um -em marco e outro
em selembro de cada auno.
a. p A consignaco que se ada estabelecida
Lfica elevado quantia dequatorze cantos de res
por viagem redonda, acontar desde a terceira
que tem feilo os paquetes da companhia em
s tesourarias das provincias de S, Pauo aiaaie seado aquella incluida ueste au-
Acbando-sc na sala immediala o Sur. mi-
nistro da marinha, recebidocom as forma-
lidades do estilo, e^pccfpa o competente lu-
gar.
Segunda parte da ordem do dia.
Discusso do Orcamento.
Entra em discusso o seguinte :
PROJOSTA.
Parte relativa ao ministro dos negocios da
marinba.
Artigo 5, O ministro e secretario de estada-
do dos negocios da* marinba aulorisado para
despender com os objeclos designados nos se-
guintes pargrafos a quantia de reis ....
2>75483U753 a saber:
1. Secretaria desudo 28;G85Uo,oo
a. Quarlel general 3;a55U(JJo
3. tfcpnselbo supremo mi-
Rar .... "*ai65aUoooJ
2p4oUooo
4< Auditoria
PERNAMBUCO.
THEZOURARJA PROVIJNCIAL;
ANNUNCIO.
A Thezouraria Provincial paga aos Em-
pregados que nao tem emolumentos os seos
ordenados do mez de Julho p. p. tdo em
prata.
Thezouraria Provincial de Pernambuco i5*
de Oulubro de i83q.
Joao Manoel Mendes da (.'india Azeredo,
Thezoureiro,
Diversas Keparticoens.
ALFANDEGA DAS FAZEKDAS.
-A Pauta be a mesma do numero i83.





D I
1.
A R 1 O .PE P g *j K.H? U
C O
MEZA DO CONSULADO.
- A Paula he a mesma do numero ai5.
* Tendo esta Repartiro necessidade de cora-
l>rar com a maior brevidade buma porco de
arinlia de mandioca ; olllm. Snr. Inspector
milla a aquellas pessoas que tal genero li-
taren: a eoni|iarccci%m com as respectivas a-
nostras em o dia 17 do corren te pelas 11 ho-
ces da manba, munidas das competentes
ro postas.
Inspeccao do Arsenal de Marinha de Per-
nambuco 1 i de Oulubro de 18J<).
^Alexandrc Rodrigues dos Anjos.
m iecrelario.
CMARA MUNICIPAL DA CIDADE
RECIPE,
DO
SKSSA E\TR101lDlI*.\nn DE it DE AGOSTO DE
i8)y.
^* Presidencia do Snr. Barros.
Comparecer. os Senliores Oliveira Sou-


I
PRftFElfURA.
succedido ? Urna 1 ei que ton vitalicios lacs
'empregados inclusive o porteiro eo con-
paiite do du 15. |tinu he prejudicial aos inleresses publico.,,
Illm.e Exm. Snr.Foro prezos hontem ,e anosuppor a Assemblea bastanlemer.ie
minha ordem e livero l>oje deslino : Pay- imbuida neslas theorias eu me dara ao tra-
___i_ j */ ... 1_____ ..i ..LProfci. MialluHp as desenvolver nrolixamente. Mi-
za Chaves e Vlainede 5 fallando com cali-
za ovyiais Snrs
ATWrta a Sessao e lida a Acia da antece-
dente foi approvatta.
O Secretario dando conta do expediente
menciouou os seguintcs othcios.
Um do Exm. Presidente exigindo urna copia
uthentica da Tabella dos emolumentos sq pago pelas lcen$aa concedidas por esla C-
mara : resol veo a niesma que se ofliciasse
respondendo que em vista do $ a. Ululo 7.
das Pusluras Mu.uicipaes nao concede liccn-
cos por paga a pessoa alguma a excepcao das
Boceteir.is e Mscales em conformidade do
imposto cstalclecido no art. 3i) da Le Provin-
cial de a ile Maio do correnle anno.
Ontro do mesmo Em Presidente determi-
nando que em virlude da Re. \erno Imperial de 1 \ de Novembro de 188 ,
que despeca o Secretario desta t amara do
Logar de Vejeador no caso del le se achar
nesle exercicio : a Cmara h'cou inleirada e
dcliherou que se respondiese ao Exm. Pre-
sidente duendo, que o Secretario desta C-
mara nao lie Vereador.
ulrodo Fiscal do Recife pedindo que
mandasse pagar ao Cirurgio Joao Domingues,
quanlia de i)s'(joo res de linas corridas de
Saude que tez com o mesino Fiscal nos dias
i de Julho e y do concille e juntamente
ia,qaors., que despndela com o en|flna-
menlode7 cada veres: que se pacasse man-
dado.
* Outro doTenenle Coronal Engenheiro Fir-
miuo Herculano de Moraes Ancora requisi-
tando a chave da salla da cadeia desta Cidade
onde esla Cmara celebra va outr'ora as suas
Sesses a fin de l'a/.er-se os concerlos que a
dita salla preci/.asse e servir para as Audien-
cias dos JuizesCriminaes como Ihe lora or-
denado pelo Exm Presidente a Cmara re-
'solveo, que se respondesse que estando o
negocio afelo a Assemblea Legislativa Pro-
vincial e nao tendo sido ainda decidido e
juntamente nao havendo o Exm. Presidente
oficiado a esta Cmara em cuja posse se acha
a niesma salla por isso duvida entregar a
mesma chave-.
Outro do Escrivo da 1. Vara do Civel, ci-
tando a esta Cmara para seguimenlo e mais
termo da Appellaco nlerposta nos autos de
Libello que rontra a mesma encaminba An-
tonio Joze de Magalbes Pastos : deliberou a
Cmara, que o Procurador diepsse ao Escri-
Tfto^ que podia passar a Cerlido.
O Snr. Vereador Souza propoz, que se
ordenaste ao Procurador, que fizesse arreca-
dar o valor que foi avaliado o Caes velho da
RP-eira do Pe'**" dcsle Rairro de S. Antonio .
a que ficaro obrigados os edificadores dos no-
vos Predios : a Cmara resolveo que o Secre-
tario apreseutasse o ort amentona Sessao seguin-
te-
O Procurador appresenton as cantas do 1.
quartel do anno financeiro Municipal e foro
nomeados para o exame das mesmas oa'Surs
Pessoa e Soasa.
A tmara deliberou que se fixasse Edita-
es fazeodo-se publico pelo Diari 1 que nos
dias it>, 17 e i8deSelemhro prximo fu-
turo terijjp principio arrematacao annnal de
lodos os non tractos e Predios de seo Patri-
monio.
Dcspacharo-se alguna requerimentos e
por ser dada a hora, lcvantou-se Sessao ;
t, mai i a presente em que asigna-
ro. : en Francisco Antonio Rebello de
Carvalbo, Secretan* Interino a escrevi. Bar-
ros Pro-Presidenie. t haves, Souza Oli-
veira, Uamede. Est conforme.
runcisco Antonio Rehelio de larvalho.
iecretario interino.
mundo da*Costa branco jielo Sub-Prefei-
todeS Antonio, por querer assassinar com
um punbal a Manoel Pacheco Barbosa $ Joze
Con al ves dos Reis tambem branco pelo,
meo Ordenanca por infraccao de Posturas ;
Mara preta escrava de Serafina de tal ,
por um soldado de Policia por estar bastante
ebria : e Jlo Evangelista branco pelo Sub
Prefeitode laboato por lhe ter sido appre-
hendido um carneiro furtado.
O Suh-Prefeito de S. Antonio partecipa
qe hontem pelas 10 horas da noite otivirao-
se dois estallos na casa do sobrado D. 6 sita
no lugar do Pateo do Terco a qual ameaca
ruina visto ter ja urna grande fenda na pa-
rede que faz fundo para a ra dos Martirios,
E' o que consta das partes hoje recebidas
n'esla Secretaria
No dia 17 do corrente pelas 10 horas da
manha se hade faer Leilb d arrematacao
de urna venda cita no largo de NossaSenhora
do Terco, c os gneros que n'ella existem |>er-
tencenles ao fallecido subdito Portuguez Anto-
nio Joze Passos da Silva. O Inventario se ae-
char patcnle no acto do Leilao, o as mais
condices d arrematacao.
Consulado de Portugal em Pernambueo aos
i4 de Oulubro de iS.ij.
O Cnsul.
Joaquim Baplista l\'oreira.
halho de as desenvolver prolixamente. Mi-
randa. ---------
N. iJ.
A Assemblea Legislativa Provincial do Ceara
TIESOLVE.
Art. i. Os Offieiaes de Companhia ou
ou Scelo de Companhia dos Corpos existen-
tes das Guardas Nacionaes e dos que se hou-
verem de criar, sero eleitos pelos hleitores
dos respectivos Municipios, pre/.ididos pelo
Jui de Paz 5 commecando a eleico pelo mais
graduado, a escrutino individual, esecreloea
aioria absolutade votos, servindo de escruta-
dor, e Secretario dois eleilores prooostos pelo
Presidente da meza, e approvados poraC-
clamaco. Nao reunindo algum maioria abso-
luta de votos no primeiro escrutino entraraS
em segundo os dois mais votados ; decidindo a
sorle miando liouver empate
Art. a. Anomeaco do Tenenle Coronel j
d'Assemblea Provincial do Ceani o legislar
sobre este objeclo for esta tambem de mi
nhas altribui oes o concorrer com a minba
saneco que sena n esse
nenhuma
caso
temeraria ,' attentatoria dos lacos da unio .
dos attribulos dos Poderes Supremos. Se at
agora tem a Assemblea legislado sobre a Gu-
arda Nacional om lal preceden le nao deve
servir de obstculo a observancia fiel das Leis
Conslitucionaes, cuja execuco devo promo-
ver e sustentar por dever por coasciencia.
Miranda.
NOTICIAS PROVINCIAES.
CEARA'
N. .a.
Assemblea Legislativa Provincial do Ceani.
RFSOLVE.
Art. nico. O artigo a. da Lei n. 3a de
16 de Sclemhro de 18 J6 poz fora das attribui-
ces do Presidente da Provincia a demissao dos
em pregados no mesmo arligo referidos; e
por isso le de nenhum efleito a demissao do
Thesoureiro Joze Raimundo Pessoa que pela
prsenle Lei Pica restituido ao seo emprego
com o respectivo ordenado desde que do
mesmo foi esbulhado ficando sem efleito as
disposicoes em contrario.
Paco d'Assemblea Provincial do Cear 5 de
setenihro de 189Joo Facundo de Castro
Noticias Fstrangeiras
HESPANHA.
(Porhum expresso)
(Do nosso proprio Correspondente.)
Agosto 3o.
Na primeira occasio que se me deparou ,.e
na carta de hoje eu vos parlicipei, que tanto o
povo como os proprios soldados Carlistas esta-
vao anciosos por verem a presente lula lermi-
( befe do Patalbo do Major e Ajudantc do'nada : que ellesestavaS nao so promplos a a-
RalalMo, ea do Alferes Porta Pandeira, e; bnr m5o da causa de D Carlos, como tam-
Alferes Secretario sen? feita pelos Offieiaes bem impacientes por se verem livre delle pon-
como determina o artigo 54 da Lei de .8 d'A- do-o fora das provincias. -Cada vez me con-
nosto de ib" ji e pela forma estabelecida no venco mais de que esta minha assercao foi ex-
>' .. j',_ acta: com efleito os Bascos so procuras hum
rtico antecedente. r
Art J NodiaftdeDezemhrodocorren- pretexto honroso para largarem as armas: o
tcann'o se nroceden em toda a Provincia a que sobre ludo porem he de lamentar he que
eleico dos Offieiaes, de que trata o arlif-o esla assoladora guerra vil nao houvesseexpi-
, o e n0 dia 1 do mesmo mez a dos Offi- rado em Durango onde diz-se que os Chefes
ciaes'mencionados no art. a. para o que dos dous exercilos contendores estiverao em
Cmara respectiva far convocar os Eleitores conferencia.
e denois os Offieiaes com a devida anteceden- Ignoro as condi<,oes propostas por Maroto ,
cia devendo todos os Offieiaes nomeados pres- salvo de ouvir dizer, o que pode ser inexacto,
tar juramento, e tomar posse peante a Ca- porem em Bilbao, e em S Sebast.ao a op.niao
marao dia 7 de Janeiro do anno seguinte. publica he que Espartero he mais censuravel
Tanto de humas como de outras eleices se do que Maroto cujas est.pulacoes se funda-
lavrar a competente acta, em um livro ,. va principalmente no d.reito de conservaren!
fornecido pela 'amara, que ser conservado no os Bascos seus foros ou pelo menos naquel-
archivo do qual far a mesma Cmara exlrabir la importante clausulados foros que desone-
uma copi- aquthentica, e a remetiera ao Presi- ra dscamponezes Bascos da le da conscr.pcao.
dente da Provincia. EslC he o poni de vista em que todos os Chfi-
Art A o O Presidente da Provincia, logo fes Carlistas tem representado a falta de .,ego-
que recebera copia da acta referida mandar ciaco entre Marolo.e Espartero-e isto sem
passar na Secretaria Diplomas aos Offieiaes duvida tem lido grande influencia para cornos
Seito por cujos tilulos se nrrecadar ali camponezes nduz.ndo-os a continuar a lula
oito mil reis do Alferes, de* mil reis do Te- por obediencia aos seos offieiaes que se tem
--___ A~ i-^:i5n lav^r^wtnrtaenarracOes exaseradas das atro-
nente uoze
"IS UU nni:ita u^. ..... >v (----------------------- ,
loze mil e oito ceios do Capito favorecido das narracoes exageran
deseseismifreis do Major do Tenenle < oro- cidades referidas e que du-ae jj!^8 ">
nelvinte mil reis, devendo recolberao Cofre PTlU_lp* _*?-*# J ^^
setenihro de 83q Joo Facundo de Castro nel vinte mil res devenao recomen u v.u..c |--r'" l ."niP volii tem sido an-
Vlenezes-Presidente Joze Lourenco de Castro Provincial o producto dessas contr.hu.coes em Navarra, cuja ^l ;"a te ^VJ
Silva- ,. Secretario-Joze de Castro Silva que lhe servini de recei.a. Os Offieiaes as- plaud.da por isso !te ""^"^
Jnior a. Secretario.
Volte a Assemblea Legislativa Provincial,
alacio do Governo da Provincia do Cear aos
i de Setembro de i83q-Joo Antonio de
Miranda.
Por isso que esla Resoluco nicamente
a de ter forca de Lei depois de sanecionada
e publicada e s de ento em diante he que
principiar vigorar a disposico de que os
empregados da Tnesouraria Provincial sao vi-
talicios he clara a inconslitucionalidade d'
ella quando determinando a nullidadc de
urna demissao dada pelo Governo ha um
anno em virlude de urna Lei, restiue ao
emprego demitlido. A nomeacao de Joze
Raimundo Pessoa para o Emprego de The-
soureiro ou a revogoco de sua demissao ,
heallribuiooevidentissima do Poder Execu-
livo. As'Assembleas Provinciaes podem legis-
lar sobre os casos e a forma por que pode
rao os Presidentes npmear suspender ,' e de-
miltir os empregados Provinciaes mas essa
attribuico naoinvolve o poder de nomear ,
ou de revogar essa nopeacao ou demissao.
Nem eu posso em consequencia compadecer-
me com um excesso das attribuices da As-
cmblea nem com urna usurpaco de minbas
attribuices.
Se ha empregados no Imperio que nao de-
vera gozar do carcter da vitaliciedade en-
tre elles eslo 011 devem estar indubitavel-
mente os de Fasenda que devem ser da ple-
na con fia 11c do Governo de sua livre nomea-
cao e demissao. Em urna quadra em que
poneos recursos lem a Aulhoridade para pu-
nir as prevariacoes dos empregados, seria
triste a posicao de um Presidente, que ti-
vesse urna Secretaria ( como he considerada a
Thesouraria Provincial) j nao digo, cujo
Chefe mas cujo continuo cujo porteiro fos-
se vitalicio epor tanto quasi independentes.
Que meio teria o Covei-no para fazer que se
nao ressentissem os inleresses pblicos por a-
mordeuma disintelligenria um desagui-
sado.de urna inimisadegraluita,'de urna dispo-
sico premidilada de disconceiluar o Governo,
de 11 m espirito caprichoso de'opposiciiO> Que me-
io ler-a para manler a ordem, e a harmona nos
trabalhos, _se aos difleientes empregados
aniuiassem differentcs inleresses, como tem
1*- --------- \/
sim 'ihuadosserviro sempre gozando das a retirar-se de Elio, e dos enfurecidos cam-
honras e prerogolivas inherenles a seos Pos- ponezes Navarrenses. ,
' O seguinte tpico de huma proclamacao do
Art. 5." Quando aconleca morrer ou mu- Ceneral F^parlero datada a a6 deste cadente
dar-sedo Municipio qualquer Official, se pro- mez e publicada aos ^J"**.
ceder na substitu o segundo prescrevem os avancarem sobre Bergara "ulou tac ger.1-
arlicos.. ea. Official porem que mente por todas as parles das Prounc.as que
for substituido por se haver mudado do Mu- ainda hoje permanece no poder d "^J Jj
rSrimc, nem por isso perder as honras cor- Espartero manifestou estes sen ti raen tos fo yie
ndenle,".o^Poslo f que deixou de exer- eu estou disposto a ^^f
cer eser addido ao Corno do Municipio tornou-se reo ...... .luI*aame"le '""V
aonde for morar tou as potencias all.adas da Hespanha e pro-
Art 6.0 Os'Offieiaes inferiores de .. vocou sem necessidade os Bascos a se conserva-
Sargento athe Caho sera-oda nomeacao dos rem em armas contra a aulhond.*denidpa "J1"
Commandantes de Companhia e approvados nha. Elle asiera '^f^.-^f^
pelo Chefe do Batalho respectivo sendo da todas as relacoes com os Cheles Cari stas que
-mpelencia dos mesmos Commandantes pas- me Pizera conceher esperaneas de ^mediata
sar titnlos aos approvados. pacificailo porque pedem agora ""*-
Art 7 Annearao de Sargento Ajo- cao de prev.leg.os que eu nao Ibes posso con
dante. Sargento Ouartel Mestre e Cirur- ceder he necessano aP,ie llar de ^pm
gio Aldanle do Estado V'aior ser feita pelo armas, e com ellas ellecluar inmediatamente
Chefe do l'atalha-o respectivo, como dter- a term i naSo da guerra sem dependencia ue
mina o arligo'6 da citada Lei de 18 d'Agoslo inlervencio ou mediacao estrangeira Ote.
de t83i e lhes servir de titulo Portarla de &c. Esta lingoagem como dice acuna e
nomeacao c0"10 havia d,cl a,lles' Un azeddt, a
Art. 8. o Todos os Empregados a excep- faego, que agora se acha em armas contra a
Cao dos Juizes de I dreito e Secretario do Go- causa da Rainlia. Aqu nada ha de concilia-
verno, poderlo ser nomeados Offieiaes da G11- dor ; nenhuma pio.nessa se .az sojre que-,
arda Nacional, e.ter nella exercicio nao po- les possao descancar e certamente Lspartero
dendo com tudo lef exercicio posto que pos- j irroga hum insulto indirecto a aquelles poiie-
so ser nomeados, os empregados que lenhao res que lem sido incansave.s em trabalhar
direito de requisitar forca armada, d#ranle o para que os Bascos se reconc.liem com o go-
tempo que servirem em taes empregos. Os verno da Rainha e com a Consl.tnicao de i5,.
Offieiaes impedidos sero substituidos interi- Em huma caria de Bilbao que me Im mostra-
namente pelos seos immedialos. da >a entre outias importantes inlormacoesi,
Art q. Ficao derrocadas as Leis de .9 de a seguinte notavel pasaagem 1 ergunwimo
Setembro de ,8> sob n? 16 e todas as mais se-lne (a Espartero) de que linguagcm no to-
t .:. j:-----:.-.,.--------.__: canle a conservaco ou modincacao dos ioros ,
quando nos exforcassemos para reconciliar o
povo com o governo e com a constiluicao ,
desorte que o nao podessemos lludir, res-
pondeu arrogantemente I
Leis e disposicoes em con ti ario
Paca d'Assemblea Provincial do Cearj5 de
Setembro de 183q-Joo Facundo de Castro
e IV'enezes-Presidente Joao Paulo de Mi-
randa i. Secretario Joze Lourenco de
Castro Silva a. Secretario.
Volte a Assemblea Legislativa Provincial.
Palacio do Governo'da Provincia do Cear aos
15 de -etembro de i83gJoao Antonio de
Hirand .
A Guarda Nacional he um ohjecto geral^
sobre que s pode legislar a Assemblea Geral
Legilativa. Visto estar fo.a das attribuices
diencia ao throno de babel segunda a aulho-
ridade da Rainha Mae, e a Consliluicao de
i8J7 que he tudo qoanto elle necess.ta Eu
menciono todas estas colisas a fim de que se
Ibrpossivcl, se>6 desmentidas, e isto por
causa da imnresso que scmelbante linguagem
tem produzido no espirito des Bascos e prin-
cipalmente no de alguns dos mais 1 icos de Bil-
ILEGIVEL
,


"'..


DIARIO
D E

P ERNA M BUCO
bao Uto lio qne Espartcio so ambiciona
conquistar e nao pacificar as provincias ; o
que ineontestavelmente he nao fazer bom u-
zo dos seus ltimos successos. O corlo he que
ha {jrandissimas dithculdades na maneira de
conceder os foros ou em coniraler tanto quan-
to pode ser exigido p.'los Carlistas: porem
continuando a identificar os Bascos cora a causa
de C. Carlos depois de o haverem virtual-
mente abandonado he foreal-os a resistir : e
a duvidosa questo dos toros deixar sementes
de dissenso, revolta as provincias anda
por muito tempo depois que o partido Car-
lista houver sido lansado co paiz. Por outro
lado, si os foros forem concedidos ou promel-
tidos sao obvias as immediatas vantagens ,
que resultao para a causa da Rainha. A mor
parle do exercito do Duque ser destacado e
em breve ser debellada a rebellio que rai-
\a agora em Arago e Catalunba. O que ho-
je he mais para temer he que os mui gentes
sentimentos dos Bascos prol dos seus
previlegios nao unao a todos os foristas ou
do bando da Rainha ou sectarios da bandei
de D. Carlos : por que be fcil de prever
hbil falla de Espartero as suas tropas, na-
qual elle recapitula fi* felfees resultados d'ejla
camj)anba ; principiando dos movimentos pa-
ra Ramales e acabando com a sua triump-
hante entrada em Durango. Em (onseqnencia
Espartero attribue todos estes succtssos ao seu
admiravel generalado e ao valor das suas tro-
pas. Mas o que nao padece duvida be que
elle nestas suas empresas soccorreu-se a huma
conferencia com o principal general inimigo ,
a qual hahihtou-o a derigir as operaces exis-
tentes entre elles pelo appoio e patrocinio dos
agentes do Govemo Inglez na Espanha Em
segundo lugar M a roto favorecen cumprindo
as condices da concordata hav ida com o Con-
de de Lcanna. Foi felicidade cyje se em-
ticias como autenticas das provincias Bascas.
Uum importante tractad foi concluido
entre Espartero e Marolo sob a interven-
go de Lord J. Hay. No momento em que D.
Carlos ia assigna!-o elle despedacou todas
as convences escripias protestando contra
toda equalquer dcciso que houvesse sido
tomada sem seu conbecimento; contra o d-
reito de suas -teaes preten oes. Esta violen-
cia foi provocada pelo ultimo artigo do tracta-
do que pronunciava a difinitiva exeluso e o
banimento de D Carlos e de todos os membros
de sua familia* Todas as informacesque re-
cebemos do como positivas as negociaces lia-
vidas entre Maroto Monea l Zarategui ,
Semon Torre Iturriaga e Elio do que se
de de J_.ucanna. ro reiiciunuc i^c ^"- #.. ------- --,- --,
nrepassem taes meos para terminar huma lu- infere que o ultimo nao perder de vista D.
" i ~_ c___ _____^n.ni .l.ailn fnrln e nrevomra sua nenco ao nenuenfl
ra
uc jl/ VMii.ua uui uug lie iui.il uc picici ,
que depois da expulso do Pretendente, o es-
tandarte da revolta ser o dos foros ; em cujo
caso os Bascos contendendo por seus direilos
polticos acarear-se-ho mais sympathias do
que hoje tena Eu confesso que o dever-se
adoptar o tom conciliador para com os Bascos,
me parece to claro como a muitas oulras
iessoasKilos lihra as suas esperancas na
orea natural do seu pau quic nimiamente
9abcrbo para ser amedrantado ea mais
prudente e por cerlo a mais humana carrei-
ra que agora cumpre seguir he offerecer-lbes a
paz com taes condices, que desairrague todos
os mais sentimentos e concilio as opinies.
Si Espartero disser O exercito da Bainha es-
t, a;ora apossado do vosso paiz mas nos pre-
ferimos ver-vos unidos comnosco a vos con-
siderarmos por mais tempo nossds inimigos
reconbecei os justos di re tos da Rainha Iza bel
a. a Constitu 3ao e a Regencia da Rainha
Christina e em recompensa gosareis huma
modificacao nos vossos anligos privilegios ; co-
lhereis vantagens d.i Constitu cao que anda
nao gozasteis interessa-vos exfor,ar-vos em
amalgamar u Constituico com os vossos previ-
legios sob a legitima coroa da vossa amada Ra-
inha do que em mergulbar o vosso caro pa-
iz, n'um deluvio de sangue fazendo vaas len-
talivas para elevar ao throno hum usurpador
contra a vontadeda Nai,o. Tal lingoagem si
fosse adoptada por Espartero, induziria os
Bascos a largarem as armas ou tal vez a reu-
nirem muitos soldados Carlistas ao exercito do
Duque da Victoria?, e deste modo seria abafa-
da a rebellio de Arago e Catalunba.
Madrid ; Agosto 3o.
(Do nosso proprio Correspondente. )
Continua-se a receber aqu a mais favora-
vel e importante intelligencia do Exercito do
IJorle. Ante ontem foro publicados trez des-
pachos e huma falla dirigida as tropas por
Espartero em hum supplemento extraordi-
nario a Caseta mas tam tarde que nao vos
pude noticiar, primeiro destes documentos
conten os promenores das operaces de Leo
em Solana, eaoccupaode Alio, Dicastil-
lo e Avellano por aquelle general. Pa-
rece que elle experimntala pouca resistencia
ou nenhuma da parte do inimigo na tomada
d'essas dificultosas e interessanlissimas po-
zices as quaes ate en to se julgavo inacces-
siveisas tropas da Rainha. Alem do simples
facto da lomada d'essas praca s nada vejo que
mereca vos seja transmettido por inteiro
.O segundo he do Major General Achevala,
Commandanle geral de Alav, dirigido a Es-
partero o qual d huma breve noticia da to-
mada de Sodupe, Areta e dos reductos de La
T?A am **r*n\t*n/>5r\ frvrn (^51CSSt^ndH. rP7.
dias de huma marcha labor iosissima e al-
gunia mui fraca o p pos i cao do inimigo foi lu-
do quanto a ocupaco d'eslas mportantissimis
posices custaro aos dous generaes por quem
ellas foro tomadas. Nem anda ha a menor
relfcren,a a huma s vida perdida naquella
occasio. Grande quantidade de munico ,
algumas pecas e alguns outros fleilos de
arilharia caiiro as mos das tropas^da Ra-
inha nao obstante haverem os inimigos pe-
cado fogo no armazem de Arela. As forlifica-
ies de Areta foro defendidas pelos batalhoes
Carlistas que pouco depois parecero ter
cedido ao enlhuziasmo dos seus adversarios
Chrislinos. .
O terceiro he de Villora corroborando, as
palavrasdo Estado maiordo rhefe Espartero,
a tomada de todupe, c Arcla^ ^Arecha-
vala e raiaida e
ta, cuja decisosi fosse tam somenle deixada as
armas poda durar ainda muitos annos.
Tudo quanto all pode colher me d bem fun-
dadas e:perancas de que as negociaces do
Commandanle em Chefe com Maroto sus-
tentada pelogoverno Inglez traraaesta ler-
fivel luta feliz acabamento. Das cartas aqui
recebida cntem do quarlel General doG Len
parece que a maior confuso e o maior des-
preso do Pretendente, existe em todas as
parres do exercito Carlista. Fm Tolosa ne-
garo-lhe entrada os seus cavalhos lhe foro
agora roubados por huma porco de tropa que
lhe tinhasido dada para accompanhal-o pela
estrada ate Vera.
Os fundos conservavo at ante bontem o
seu preco de 5 por cento.
Hoje Mr. II. Southern encarregado de ne-
gocios de S. M. Britnica na Corte de Madrid,
recebe huma depulaco da corporaco da capi-
tal a fim de appresentar huma nota agrade-
cendo ao Conde de Clarendon o discurso que
sobre os negocios da Hespanha elle recitou na
Cmara dos Lords.
Segundo hum calculo exatissimo do numero
relativo dos Moderados e Progressistas que
voltaro as presentes ellei oes eu assento
que o Congresso ser composto de 15 i dos
segundos e de 5o dos primeiros na sua re-
unio na proxma scmana.-As subsequenles ou
as segundas eleicens podem variar hum pou-
co estas proprocoens
Os Ministros se emprego de da e de
noute nos negocios doNorte^ Trez Correios,
nao menos toro despachados por elles antes
Carlos e prevenir sua penco ao pequen*
ncleo dos insurgentes em Vera se elle for
capaz de semelhante acto de resolu o. ( iz-
se qne Espartero mandara hum Ajudante de
Campo a Madrid e que as cousas se conser-
vario suspensas at a sua volta. Maroto ti-
nha -se reunido a Espurtero com 18 batalhoes
de Joo Vaz de Olivara a FfancUco Jos Bel-
lem avadadas em seis con los de reis
car Precisa-se a juros de una- por cento a
quafflia de dos contos de reis, daodo-s or
seguranca bous predios nesta Cidade, sem em-
baraco : annuncie.
qi' Um rapaz portuguez deseja arranjar-
se de creado para qualquer Senhor, que per
tonda sabir de barra fura para qualquer porto,
profanado o da Cidade de Loanda : quem
precisar annuncie.
\ZF Quem quiser urna pessoa para o serv- P
co de portas dentro de urna caza cuja pessoa
obriga-se a servir pelo lempo em que possa
ganhar a quanla de cento e dezeseis mil res -\
a qual he para resgale de urna sua carta de al <
Corra que como se vencesse o tempo nao
a leve para satisCazer por cuja raso sujeita-
8e ao negocio que propoem ficando a dita
caria em mo dcfquem der o dinheiro durante
o tempo, que conveneonar para a sua paga ;
djrija-se ao armazem de Joo Thomaz Pereira
ra da Praia junio ao armazem do sal.
tar A qualquer pessoa a quem lhe fox of-
nna-se reunido a r.sp!iriero com m oaiainoes ~T ----1- i ;i -
(ExtrahidasdoMomingCbronicle de 6 de, Crecido para comprar um v.dro de b
;. era nne ova meia arroba ronase
e lorol-
bocl^Pr-
Setembro. ]
LOTERA 10 LtVRAMENTO
O Thezoureiro da Lotera de N. Senhora do
Livramento declara ao publico que achan-
do-se adiantada a exlracgo dos bilheles tem
de annunciar brevemenle o dia do andamento
ga que leva meia arroba roga-se o tome ,
e traga botica de Joo Pereira da Silveira ,
3ue lhe dar urna gratificarlo pois foi furU- ,
o no dia rezc deste mez.
X3T Os Srs. Manoel Antonio Pereira na-
tural do Arcebispadode Hraga, filho do Snr.
Custodio Pereira dos Santos e Joo Jos da
Silva natural da Ciliado de Lisboa filho do
Sr. Felippe Neris queira ter a bondade de
das rodas: mas dependendo a proximidade
desse annuncio islo sobre o andamento -
das rodas, de urna maior exlraoco dos mes-, annunciar por este Diario as suas moradas pa-
.... I II..,. I. Il-ir
alvicaras. Acabara5-se os
de hontcm.
UU5 ItKIas uc urna iiiaiui i\ii,iu ,ni 11119 uno ..
mos bilheles: roga aos amadores dosle iogo ra ^ ",c^ ,allar-
u.-.- .i________-______,. r.~ u Cj- Bravos.
.elhos tudo he moco ; porque temos agoa
para empretecer os cabellos brancos verme-

i
hajade concorrer para este fim.
THEATRO PUBLICO.
Joaquim Jo da Gama, ador vindo do Ma- >, &c e lentes art.ficaes : ah s. ti-
rando, tendodefazeroseu beneficio no dia vermos quem tire enrugas ; lava, a natu.eza
,7,enao podendo repartir os bilheles, j contrad.toria. Porem e.s quando me lembro
por se achar encarregado do cargo de ensaiador, dodiclado de meu mulque-voc esta enga-
i por nao ter conhecimentos espera que os nado., aleado- t~~~~J.
* K i- __ ts A Conv Adm. da aocieuade Icrpsico-
seus benignos protectores sedignem concorrer, ,-*'n., c ,
oc ',' ". ,... r rnnvda aos Srs, Socios da mesma para
papando porta esse numero de bilheles que re ; nu" ,. v ,,/_
I .,, ii r nJiirem a discussao dos novos Lslatutos em
a puns de seus amigos se tem dignado repartir; assisurtm uim.um u
" ", .u n A a ifi do corrente as horas do coslume.
ficando de sua parle apresen ar-llics o novo oaiaiououjimivM
iM.auuu ic i r ... rr?- ()llftm nuiser alupar um armazem com
Expeclacu o com toda a perfeicao e bnlhanlis- t5^ vuem quiici J,uo
1 ^ 3 bastante fundo na ra da S^nzalla velha ,
m0*______________________________________ dirja-se' a paderia de Joaquim' Antonio i
A vi^ns I )I VCrSOS Vasconeellos na mesma ra N. fo.
AV1SUS ""CI8W- ^^ QHem precisar de ama para o servico
tar O Patucho Laurentina Broaileira sahe de portas dentro dirija-se ao Mundo Novo
Sao Sebastio 3, de Ago: K^l^lbJL'lt Tola T! ** ^ Aluga-se para passar a fesla urna caza
Chegou esta noute a ^^rca ^ va Por Izabel 0^*J ^d m ^ d 0 JlT0 ^^ d Joo
a qual a medida quejassa^por ^'^V^i feitTd algum^itio ou para coznhar diri- Rodrues de Mirand, com cmodos baslan-
outros portos Carlistas ao longo da cosa bis t, r para urna familia na mesma caza,
cvense elles arvorava bandeu a branca 0( ^""^^S "A quem lhe faltar um resplandor de
pioloque veio a bordo da I,^ ^^ ^7TKrU ^ na Caza forte onro, pjure no pateo de S edro .1 seis,
que Simn Torre, Urbis^ que se lomou da mo de um mole ,ue que
SSEdiuffo povo de Bilbao se Wfr .^$1* ** ^ ^ Deseja-se fallar ao Sr. Bernardo Jos
por occasio de se haver entrado nos prel.mi- ruado pliegue aza u; a^ ,,_ pedro> naUral de Lisboa e ao Sr. Jos Luir.
nTres da paz. Estas noticias sao confirmadas | BT A S^JA ,"" a" ^...e a rua GonSalves natural do Porto que em algum
em parte por, cartaid.,h> ^J^.ffi^?^M & M *> aon- lempo morou na freguezia dos Bezerros n^
bao escripta a pressa ante liontem as tres oras ^____.!' ..rollante.
da tarde a qual tamli
Torre, e Urbistondo
Rainha huma conferencie!,
hgencia com os Carlistas da nossa trente aon- \ nrecisa-se de um ho- C5" Quem annunciou querer comprar di-
de'tivessemos probabiiidade d. leroudo ..* sohrado^- ^rT^K" 1?n um versas cifras de ouro e enlre ellas *, brin-
O boato de haverem as tropas B bandonado Maroto e vollado para suas casas, sitio na nranga ^ ^ ^ ^^ ^ ^.^ ^
como na miaba carta de ante bontem commu- da WP^^J^,, Caza da Mseri- V l'eseja-se fallar rom o Sr Jos Joa-
nuquei, V^^JE^^^^^ quim de Olveira Jnior negocio de seu
sido contestado. *ao temos tido not c,a nem rU "? dc|lberaoo da respectiva IV'eu se ho inleresse ; annuncie a sua morada ou diri-
de Elio e nem dos h.,.II,|. H- ^J^ 1 a l'ugar no d a? 7 do ie mez por meio ja-se a loja de tres portas defronte do bR
fiTtiSTATn^.-rdordi^ ^Spr^uma prenda deexpremer
Lord John Hay nao recebe despachos de Ma-.pred.os ^e mesma^Sauta^Caza possi.en^ r^ P> ^ J. F & ^ ^
rolo. um soladoT e urna caza terrea na rua Nova ; venda de Domingos da Boza ou anuiuc**-
A Sentiella de Bayonna traz huma carta umid,.a a.raz:do Ap- i J^/^os "JfSli !(!" urna caza combos
das fronteiras de Hespanha, de Jo do mej pro- %ggJf %J iT.Vade" a'da comaos e bom quintal no aterro do A ffogado
ximofindo, aqualamrmaque ,ef/ U; d to f e uma caza terrea na rua alem do viveiro do Mus: quem a t.ver
mareado com os seus bat.ll.oe. ^JUemtm J.be r. umjj e u ^ ^
esidoconvoaida anincados S^^'^'^^^^ Bqunha ; qua-| f> Aluga5-se a ou 3 Conoas d agua que
JKmW-To^ ^^.Pento; uma dita j. (. teja estanques; quem ,,er e
lxC(.ii- logar do Carur ; queira por esta folha an-
a q'ual tambem certifica que S.oj ^^^^^^ para vaccas de le- nu'noar as suas moLas. ^ ,
^ nne The foi co ice- te Terlo da praca, com muito bom pasto t^ O menino de doz.e a quatorze annos q
ia que lhe loi conce- _____P ^ ^^ q Mq mu(o r^ ^ offcreceo para ^ixetT0 dc |0|a de m.udezas ,
*
Affirmava-se em S. Arrombados. Todas as pessoas po.s a quem
&nasllTqutinl.a-!ycoiicludo hum armis-ponver alugar por um ou mais annos agum
SpTq/e das. Infcriu-se de 3o des-Bos referidqspredios deven, comparecer na
STdeSeri que foro ouvidas que dita Santa Caza no da cima declarado ..nove
nStTnbTsido'cuocWdo Alto 'Kdainjnh.-^ .P^ ado-
ouvia-se tndem os sinos ^^T^^ 0[^ '5 ^ ST jt Fe^eira ,
1,^ dS :l:^'ue7uTput.^ aTpla J-S p ft /.erivoda Sania Caza
Pnad A Baudeira branra lretnohVi as li- t^ No da .8 do corrente mez de Ou\u-
ShSrl.t. Alunrtotcs, que saudarobro na Praca publica do Ju.z de Dire.lo da
. rSt&.V^Urtr a S.primeira\ara do C.vel seh.de arrematara
. Arela, por Arecha- o vanom h **. |, |ia eplrarquem mais der uma morada de ca/a de so-
Caslaneda'. e acrcsrenlando.que ^'^^^^"^ sita na rua da Senzalla
Carlistas eslavo concentrando suas forsa, em o-porlo^ endo q p^J ^ ^.^ vc|ha N. JR c|l5os propr.os com frente pa-
'Jolosa. ia CorrJodcBordeauxd asseguintes no-ra oLestee fundo para oEsle ,.. por execucao
Estes despachos foro seguidos por uuma
queira fazer este negocio dirija-se a Rna Nova
U. 34. T
d^ Aluga-se um cilio para se passar
fesla com as commodidades seguinles : boa
casa de pedraecal, envidravada bastante ele-
vada, com trra o na frente cosinha fora,
estribara para dous cavallo, lodo cercado ,
com boas aivorcs de fruto, mudas flores .
algumas verduras cacimba e tanque para a-
guar as plantas e gasto da casa perto do han! o,
pouco distante desta praca e em lugar mu
publico, por ser a casaq beira da estrada e
com oulras muitas casas visiuhas ; quem o
pertender dirija-se a rua de S. Bila nava D.
18, lado donasceBte.




4
darto de
1-------- %r
ERNABUCO
*
91
i.
S~y O Sr. .T.TSoJYnncisco Dins da Provin-'
ciadoCcar ;:naunric a sua morada para
lr entregue de (loas cartas, quclhc vicro
H>elo\apor aranhcnse oque pr gualda-
de de neme 'orao liradas ; bcm como outras
do penltimo \apor, que foro entregues
heras .1 pcsoa de seo conhccimcnto.
tS7" Urna agulha de marir propria jwira
marcar terrasj tjuem tiver oniiuncic.
V e n d a s
*W O Corretor Oliveira tem a venda vinlio
de Tenerife de qualidade mnito superior ao
5T IioHnoGoir.es da Fonscca faz sriente|que poralii se chama excellenle Madeira ,
ii publico que desde o dia i < do corren te
dlixou de ser seucaixeiro Manoel Carneiro, e
por isso nao fiea responsavel por transacao al-
guma pelo dito seu eaixeiro daquellc dia en-
\ante. %
Sr" Aabaixoassignada em resposta aoan-
miniio (!> 8 do corrente sobre a" pinhora da
rasa da ra da roda da viuva do fallecido Fci-
j que a casa nunca foi do fallecido Tho-
maz BodriguesTelles. massim de suas fdh s,
que herdaro de um prente que tal nao he
1>orquc a casa era terrea e Tetros f.-i quem a
evaulou de sobrado e sendo a pinbora Ici-
ta por alugucis de casas em qne nioravo as
filhas comopai I ojo es l ao na obrigaco de
pa|| oalu(;uel e quanto a mais que se
tehWdizcr a seu lempo se mostrar qi.n Tclles
loiquema lcvanlou a dita casa -Joaquina
Alaria Pcrcira Vianna.
Jjp: Aluga-sc a loa da ra estreita do To-
zal 10 D. -4 a quem comprar a armaco c
um telficiro que existe no quintal os pre-
tendentes dinjo-se as 5 ponas D. a i na
misma vende-se pipas que foro de agoa ar-
ticule e barricas que foro de. farinha de
trigo e dois escravos mocos
SZJ~ No dia iG do corrente pelo Juiz do Ci-
vel da segunda vara em asta publica urna
morada de casa le rea sita na Boa vista na ra
do colovello D. 3, Lem construida salla
forrada c em chaos proprios.
i~?" Quem precisar de um caixeico para
cn;enho que d fiador a sua cunduca an-
nuncie.
C? Precisa-se de escravos de ambos os se-
xos para venderem pes na ra, dando os*seus
Sis. fiadores e pagando-se a vendegem do
costme; quem tiver annuncie.
SSf* No dia ib do correntese hade arrema- I una molata com as mesinas harelid;>des, opli-
tar por ser a ultima praca na porta do Juiz ma para tomar con la de urna casa 5 um mole-
do Civel da segunda vara no atierro da loa quede idade de 10 annos, ptimo para ser-
visti j o sobrado de dois andares e solo com vir a urna casa ; na ra de agoas verdes Le-
terrac,o puchado lora estribarla ludo cons- cima ij.
truidode novo na ruada roda I). 14 pe S^T Cravo da india muilo novo, sebo do
U'ueentes a os badeiros do lulleuido Antonio Porlo em vellasde t em libra, licor fia ncez,
3o?0 l'cij. sag de pi'imi.-ii'ii sarta coniinho muilo novo,
sahonele de barba, charutos da Halda em cai4
xas cha isson de superior qualidade hisco-
to do porto spalmacetecm caixa e a relalho
PARA O MARANHAG' segu viagem o1 ludo por preco commodo ; na ra das Cruzo!
Ri igue Brasileo Mrquez de Rombal de que D. 7.
reinando Jos de Al | SST Duas escravasde idade de a5 anuos.
em quartos de pipas e meias ditas, e tem aiu
da meia pipa de vinho Madeira de qualidade
tal como, nin ;ii"m aqu lem importado de
ng aterra seno elle e he restante' de una
por ao do que ltimamente tem .vendido.
C5 Um escravo de ?o anuos sem vicios ,
proprio para lodo o servi.o ; a ra do Ran-
gel quina do heco do Liceo.
1 y Chapeos de castor massa c de bor-
racha da ultima forma e por preco com modo;
na ra do Queiinado D. i3, e pracinha do
Livramento l). a'>.
fcy Tinta inglcza em potes, de muilo boa
qualidade ; na praca da Independencia nu-
mero 3p.
t^r Sacas de cijao molatinbo novo a 4oO
a saca ; no armazem de Antonia Joaquim Pe-
reir defronte da escadinha do caes da al-
fandega.
tsy Um terreno no al amento d ra da
Aurora com 1 5o palmos de frente, e fundos
al a estrada do Hospicio com algum beme-
ficio 5 a tratar na ra da ordem D. 5. assim
como 6 arrobas de doce de caj com calda.
Sy Na loja de ferragem da ra do Quei-
mado L). iK um excellenle sorlimento de
mui boa qualidade de lrragens pcrlencenles
a ourives a saber ; tornos finos de mo, e de
lianca agarras tizouras buris limas de
lodas as qualidades fieiras damasquilhos ,
alicates surtidos ditos de cortat, corlaunhas
de mola arquiacoens de serias ruge es-
tojos da limpar denles, ditos completos para
fjfr Una escrava mora lavadeira cozi-
nba o diario de urna casa, he (juilandeira e
ptima para todo o servico ; na ra nova bo-
lea U., _*],
3C^ Os engenhos canoinba e melade da
a de Rufino Jos Concia -cilio de meio ambos moenus e correles
na fregue/ia de Unna ; a fallar com os seus
na ra doRoznrio estreila no primeird andar
do sobrado que ica confronte a ra das laran-
geiras por cima da venda de garapa.
pr Urna niolala de idade de 20 annos ,
bastante robusta engomma liso e cose ; na
1 a da S. Cruz em casa
de AI me ida.
S2F' Carne de porco c de vacca salgada
Americana e potassa em Larris grandes e
pequeos ludo chegado agora ira Barca
Clobe ; em casa de L. G. Fcrreira & Mans-
field.
S^y Urna venda no principio do atterro'das
5 pontas com poneos diodos e commodos
para familia a dinheiroou.a praso ; a tra-
tar na mesma. <
tST- Um^erreno alagado no seguimenlo
da ruada Aurora com 1 5o palmos de frente
e 1 5oo de fundos pagando de (pro 3o fs ao
palmo e lambem se vende em pequeas por-
eoens ; na ra de S. Gonsalo D. 1 1.
tsr Pegas de oliado prelo de boa qualida-
de de t covados c 3 quarlas 6000 a peca 5
propietarios viuva de Cosa e I ilbos.
Escravos^ FWidos
CS" Fugionodiai3de Agosto p p, urna
escrava creoula de nome Luiza cor fulla
puchando a cabra olhos grandes beieuda ,'
baua e gorda s ps pequeos tem urna si-
catnzna maca cure.ta do rosto be muilo re-
KrtAfc inlla-se forra anda calsada e
de challes trassado as pessoas que della sou-
bcrem ou a pegarem podero ir ao forte
do mallo na pionca de Joaquim Francisco de
MelM Cavaleante ou na ra do Padre Flo-
nano no sobrado da quina do heco da Carva-
llo que ser gratificado,
no forte do malos ruada moeda I). 1 ,1 ; as- cS" A quem csliver tralialhando um ne/rro
sim como algunas canoas pequeas. de nome Antonio angola canoeiro marro
CF- Urna escrava de bonita figura, de ida- -alto Icio, cor fulla e cara de qum toma
de de 18 annos, boa engommadeira cose, sua moafa com um brinco de our com um
coraco pendurado ou se o tiver tirado ter
oburaconaorelhaesquerda; calsa decidla
azul ou algodo da Ierra 011 de fora cami-
cozinba o diario de urna casa lavadesabJf,
eda-se a conteni ao comprador ; na ra L-
reila t). vo lado do Livramcnlo
. -v----------------------------- J' lua tij
Urna escrava de nacao, moca cozntia sa desle jaquela de la parda e colete de
lavadeira e qui-(da por fav
o diario de urna casa boa la
or o mande agarrar, e
se-
levar a
landeira ; na ra do Queimado D. 19 no se- p0nie velba a entregar ao fiho do'Sr. Cato ,
gundo andar. j que gratificar e nao se ignorando onde elle
_j- Urna canoa aberta bem construida que se c|a trabalhando espera-se que em trez"
carregaiaoo lijlos de alvenaria grossa ; no dias da publicacao deste annuncio
para desenlio
iMathemathiea ditos
eirurgia bolicoens chaves para denles e
duas cariocas novas para boi e cvalo,
ey J cscravas mocas de boas figuras boas
cn.iommadeiras coslureiras e cozinheiras j
estaleirode Joo de Brilo Concia, alraz da
ribeira,
t^* Potassa em barris grandes e pequeos
barricas com semas ltimamente chegadas em
casado Vatlicus Austin & Comp ruada Qnii
(lilis num 56.
isy 4 tomos de Breviarios em bom uzo e
por preco commodo ; na praca da Indepen-
dencia loja de encadernador n. at.
Avisos Martimos.
ne Capillo e pralico
incida i para carga c passageiros Irata-se com de boas figuras e com todas as habelidades
o Capitao ou com Jos Ramos de Oliveira ,
lia ra da Cruz.
PARA LOAKDAcom brevidade o Patacho
o mesmo
negro sera entregue e se o quiser comprar
apareca a seu dono.
SST No dia a 1 do p.'p.Tuio da Villa do
Pombal comarca da Parahiba um escravo de
nome Antonio intitulado por Demetrio al*
to seceo rosto comprido lem urna velida .
em um ollio ps grandes ; quem o pegar le-
ve a Olinda ra de Malinas Ferreira n "
que ser recompensado.
sy No dia 1 a do corrente mez fugio urna
ijy No armazem de Francisco Oas Ferrei-
ra ao p da alfandega barrisinhos de man- prelade nome Joanna, de naci c
leiga chamada de pralo desembarcada nes- nejada de corpo regular cor algnm colsa'
tes ltimos das. fulla, dentes limados boca acam-ulada as
K3- Um sitio na estrada de Joo de Barros, costas com calombos maos e ps pequeos
com boa casa de pedra e cal bastantes arvo- levou vestido de riscado azul, ou de chita corn
redos de ruclo, tena propria, boa agoa ramanens encarnadas e verdes
ha xa liara eapim o acoiYimoua vaoas do loilcj
a tratar no mesmo sitio
i^y Corles de coleles de seda do ultimo
gosto, e proprios para bailes; ne atierro da
boa vista loja de alfaiate D. 17.
. quem a pe-
gar leve a ra do Aragao venda da quina do
beco de Joo Francisco D. 13 que ser re-
compensado.
tSF- Nos ltimos dias do p. p. desapareceo
desla Cidade um preto de nome Manoe' ca-
precisas ; urna dila de idade dc-i5 annos
tsy Urna negra creoula de idadedeaaan- bra levando camisa e seroula Je a, j-
nos, coz.nha engomma erase j na loja de he de altura muilo baixa ja bastante velhol
cabos de Maduro, bonsecae Im ao p do 8lip5eHie que a tilu|0 de pobre ande ,J
Porluguez S. Jos por lera maior parte de
sua carga prompta ; quem quiser carregar ou
,ir de passagem dirija-sea ra da Cruz n.
'b; ou ao Capilo
VARA O ASSU'a sabir at o im do cr-
lenle o Patacho Rainhados Anjos M. Izido-
rio da Silva, recebe carga para os Touros ,
Caissara e Guamar 5 quem quiser carre-
gar ou ir de passagem dirija-sc ao Capilo
u buido ou em casa da viuva Gonsalm Fer-
reira \ Filhos,
de linda figura ; um prcto de meia idade ,
tiabalhahor de camp ; e um molatinbo de engomma sufrivel
Corpo Sanio
sxy Urna negra de angola He idade de 3o j)raca da Boa vista botica D. i.
boa lavadeira, coznha, e, ^ No dia 5 do corrente fugio urna ne-
de idade de 35 PM ^ ?sm(,as.'' (l.uem PeGar leve a

L e i 1 o
t^7" Que fazcm Crabtree Heyworth & Com-
p8hia, por iulerveuco do Corretor Oliveira,
de urna porco de chitas e estopas a variadas
jHjrcontado quem prlencer, e de grande
variedade de fazendas limpas perlencenles a
ca*|Pf e que sero entregues iufalivelmente
pelo maior lause ; (|uarla,feira it do corrente
e pricipiai pelas fuendas avaladas as 10
Loras da maidi sein falla 110 seu armazem
do forte do matos.
1U/' Leilo (|ue faz Mano( 1 Toaqnim Pedro
da Costa de > 9 sacas com feijo de Lisboa in-
da em superior estado por conla de Guilhcr-
nie Piqio da Silva no dia iG do corrente no
.ii.ii.i^n de Antonio Joaqun Pcrcira, no
cu6 da alandega.
C o 111 j) r a s
l.'ma casa ik> Bairro da Boa vista na ra
do Aia^o ou na ra velba que nao exce-
da de um cont de ris ; quem tiver aiinun-
tie.
-y- A dinbeiroa vista um moleque ereou-
lo ou airicano que SCja ladino, masque
iuio tciiha viiioalgitn e que nao exceda de
quia/.c a viule anuos de idade; na'se-
gunda lo u paatando obeco da congregaco la-
do do poculc.
idade de 1 i anuos ptimo para pagem ; na
ra de agoas verdes D 38.
kS" Os seguintes livros de medecina em
francez ; observacoens e extraordinarias so-
bre a pi edico das crizes pelo pulso um v. 1
instituico mclhodica e cirurgica por Capu-
ront -i v. tratados das doenqus nervosas par-
ticularmente da uteria e ipocondria por Vel-
lomay > v. tratado dos primeiros denles edes
enfermiaades que dcllcs provem por Baumes't
v. tratado da tisica pulmonar por Baumes a
v. tratado dascoiiviicoensda infancia e das
suascau/as, sen tratamento por Baumes 1
v. tratado fsico e moral do homem 1 v. avi-
so c preceilos de medecina por Mead 1 v. -a-
natomia das plantas 1 v. medecina do es-
pirito por Le Camus a y. molestias' ipieon-
dricas e esteris 1 v. tratado das enfernikla-
des venreas v. tratado das enfermedades
onaes com estampas t v ; na ra da Floren-
tina casa ultima junto ao sobrado do Eiras.
SS5" uiia aiTiugc do Sur. eiliuo mu
galante nova com resplandor de prata re-
doma de vidro peanha, e um pardo botoeiis
de ouro pequeo para punho de ornato da
mesma Imagem ; na ra de S. Rila nova D.
il lado norte.
&^y Um sobrado de um andar em chaos
proprios com quintal c cacimba sito na ra
da senzala nova por preco de a;ooo,ooo 5 a
tratar na ra da Cruz armazem jde assucar de;
los Anlunes Guimares.
CT Um negro de idade de ai anuos ; e ba
gos de zimbro ; na ra da cadeia velha Dci-
ma 17.
tsy Urna preta de idade de 35 annos, la-
vadeira engomma sufrivel ecozinha o di-
ario de urna casa na ra das Cruzes l) t.
tzr Um 'preto moro canoeiro ; ea Olin-
da ra da Lica de S. Pedro n. o.
I ma niolalinha de idade de 13 annos
; quem quiser annuncie
tir Farcllos em sacas : na ra d
d. lo.
- C7" Urna excellenle casa terrea ralifirada
c novo ao goslo moderno sita na ra d
gra de naco calabar cara pequea olhos
Cl uz dilos baixa com marcas as mos de qui-
sila de sua terra^- meia calva de nome Ma-
ra do Hoza rio apelidada Maria Cajueira ,
, sita na ra de levando com sigo urna bandei.a com as armas
rado no lugar do do imperio ella no dia 7 foi apprecndida
ara urna grande pe|a polica sendo encontrada a urna hora
agoas verdes L) 5 ; e um sobi
taro,douro com commodos pa
lunilia com excellenle banl.eiro de pedra e da'rtartb junto com outras prctasTazendo
^ SS Z Q r D i5" ILarulh e dePis so,,ou-se "do ella pr
4 a Urna boa escrava creou'a ptima pa- desculpa que andava vendendo ; quem a ,L
na lodo o servico; na ra do Padre 1- loriano Gar leve aVua da moeda n. .51. F
._. rv 1 11 S!?* Roga-se encarecidamente a todas as
i^ Ou arrenda-se urna casa de pdra e' aulhordades polieiaes capitesde campo "
ca s.la o lugardocaldere.ro, luRar perto [)PSSOas p.niculares que vircm ou soEem
M:;:i!ril,J!IC,0n;.fIU,Utal 8af,1VeI' nar^!gdoTAbrilde,85, deidade de a5 an-
nos bom ottlcial de alfaiate estatura baixa ,
cheio do corp nariz bastante grosso den-
les desapartados ps grossos e chatos mui-
to^ regrisla sersiado na pona da lingoa su-
poe-se que hoje saber 1er escrever apren-
aeo o omcio'de alfaiate na loia do Pier.te! '
junto ao arco d S. Antonio o dilo tem mal
de nome Ignacia moradora na ponte velha des-
ta Cidade, ja foi visto para as partes de S.
Anto ; quem o pegar leve a Olinda nos 4
caigos L). 18, ou na ra da Conceieo da
Boa vista D. 34 que receber 100,000 de
gratificaco.
Manoel coco U. 4.
Siy Um escravo multo moco da costa ,
alto com bonita figura e sein menor acha-
que ; na ra estreita do Rozario 20 no ter-
ceiro andar.
>^ Uina casa terrea em S.^maro na
estiada de Liz do Reg da-se muilo cncoii-
ta, adinheiro ou a nraso na ra Direita
loja de lzendas U. 35
praso
Per preco commodo 800 lijlos df ca-
os quaes se acho na sol idade ; na
cimba
ma de S. Gonsalo D. 11.
tV Rapf Hamburguez chamado Rolo ,
chegado llimameiite ; na ra nova D. 1, a,
e b
C?
em ruadocollegio l). 2.
um
Um moleque creoulo de la annos ,
cruxificio de ouro vara e meia de colar um
anclad um par de rosetas de diamantes e
j<) oitavas de prata de galo : na ra do Ran-
gei I). 5.
tsr Na ra estreita do Rozario D. 17 b-
chas pelas grandes e pequeas una salva
de prata urna banda de seda paraofficial, pe-
nciras de rame de lato para pneirar farinha
con^ei.as grandes e pequeas hiscolodo pr-
to meias barricas de farinha de trigo, sevadu
bastante robusta e murto experta, com pi i n-1 nova por arroba ou libras, por preco com-
cipio de cozinha cngmniado e cose cha J modo.
Movimento do Porto
NAVIOS ENTRADOS NO DIA 15.
GUAIAQUIL; 71 dias, Brigue Iuglez Tlio-
mazde i78 tonel. Cap. Francisco Libas,
equip. onze carga cacu ; a Me. Calmont
& Conipanhia.
TENERIFE i 4o dias, Brigue Hespanho
5Indio Oriental do i/o tonel. Cap. Floren-
cio A rata ; a Chrislopbus t Koop.
REC1IE JNATYP, DE M. F. DE FT^T9


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EJ3RPFEVS_CBXK5V INGEST_TIME 2013-03-29T17:24:12Z PACKAGE AA00011611_03923
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES