Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:03920


This item is only available as the following downloads:


Full Text
Anno de 1839. Sabba&o
Yodo agora depende de ris mwn>os; da norte prudencia, modera.
- e,enerP,a : continuemos corno principiamos e sereno* apontadoi
vom adnirecao entre as Nacoes roas cultas.

Prclamaco da Asstmblta Geral do Brazil.
\t
Suhscreve-9e,pare esta folha a 3#ooo por quartel paces disntados
Yirsia lypografia, ra das Cru?es t). 5, e va I'nc da Independencia
V.-j e 58, onde e rrcebem coirespoudencias lepa!isadns, eannuucios;
nsinudo-sc estes gratis, sendo dtspropnos assitnanles, e vindosassis-
nados. 8
Partidas dos Correios Terrestres.
Cidadeda Paradina e Villas lie sua prete> co.....
Dita do Rio Grande do Norte, e Villas Idm.
TVl A- Forlol- _\7:lu u__ ___
rt/!i H................................ '
Cioade d calinda...........,
Villa deS. Anlo.................,................QuinUs .
Dila de daraiitiuns e Pvosc:io do Benito............ f|. j_ / j.__1
Ditas do Cabo .erini.aen. llio Forntozo. .' Porto Calvo .' .* l ] ] '. ] \ \ [ & *? t^t^.
Vr n"d5 dn TO. ^ *,aCei6.........................em "*
Vill-deP.iaud.Hor.1............ ...................ldein j^ dt0 dto#
rodos os Corretos partem ao meto da. .
12 ftt? Outsro. Numero $23
CAMBIOS.
TBBO. II,
Londres...... 34 por liona cr.l. no-i.in.il.
L'*'*......._3>> por 0/0 jre-r.io. pji metal oflerecido.'
r ranea.......5oo rito por franco uora.
nio de Janeiro ao par.
OUHO Mocdas de 6f4oo rs., Vell.as i * ~.u* > > Nova litf.o a 1**00*
Ditas de 4000 rs.. KW, *.,
PR ATA -- Petacn Kraxilei:t---------- iftMt a
Pezos Columnarius----------------i,#5oo a
Aitos Mexicano*--------------------i'jfaXo a
Premios das Letras, |x>r mez I ijS a 1 i|ipor loo
Moeda de cobre i por 100. de disc.
IJJO
I ii
*5oo
O ex -\
'....................(c .
...___..... rSeraml
Das da Semana.
ai e Sextas Fciras.
, Todo os das.
2 Segunda -
Terca--------
9 Cuarta------
10 Quinta
11 Sexta -------
la Sabtiado -
13 Domingo- -
S. Marcos P. --;------------.
S. B, ii/iila Vio va ,-----------
Dioi'io B.-----_-----.
S. Francisco de Uorja-------
S. Fumino B. -- -
' S. Cypriano B. ---------- -
Patrocinio de S. Jos. -
-----,._, rjj. ooj, uo .,. a.-i i. vara de manli
Audiencia do J. He I), da a. v. de manli3.
-- Re ieuio da Th.-z. e and. do I. de da a
- Seuae da Tnez e aud. -Ir. J. de U. da 1 n "
- Re. e aud. dj J. de D. da 3. vira.
Alare chela para o da 1 a de Outubro.
Asghorase i8minutos da Urde As 9 horas e 4a minutos da manhj.
na*
l
l>
5
RIO DE JANEIRO.
ASSEMBLF.A GERAL LEGISLATIVA.
SENADO.
Sesso em a) de Agosto de i8ty.
Presidencia do Sr. Diogo Anlonio Feij.
Decreto prorogando a sesso da assemblea
geral;
Reunido suficiente numero de Snrs. sena-
dores abre-se a sesso, e lida a acta da ante-
rior, approvada
E' mandado ; commisso da meza um re-
queriineulo de ledro lose Vieira de Andrade,
|M:dindo ser nomeado continuo d'esta augusta
cmara.
O Sur. primeiro secretario partecipa que
os Snrs. senadores Mrquez de Marica Cu-
nha, e Vasconcellos nocomparecem por in-
commodado : fien o senado inteirado.
Ordem dodia.
O Snr. presidente declara que o senado vae
tradalhar em sesso secreta, por ser esla a pri-
meira parte da ordem dodia e suspende a
sesso publica as onze hoias da manhS.
Anma hora, e tres quirtos, tornando-se
publica a sesso Je-se um officio do ministro
interino do imperio remetiendo a copia do
decreto, datado de bontetn prorogando por
um mez a presente sessfl'da assemblea geral:
fica o senado iuleiradu.
_ O Snr. presidente d para ordem do dia a
discttso do project de lei sobre o contracto
de casamento da princeza imperial a Snra.
1). Januaria terceira discussai) da resoluco
annulando a lei do Varanho, que reuni
em um s magistrado os empregos de juiz mu-
nicipal e de orlaos ; primeira e segunda dis-
cusso da resoluco que concede a oo Gomes
Netto firivilegio para estabelecer a navegaco
por vapor em varios ros"da Baha
Le yanta-se a sesso as duas horas da tarde.
ISaJT 'TvUSaf'i ^rr da Pr- e emenda que aopoiada -Os 5oo reis nao
CMARA
DO*
DEPUTADOS.
I
f
Sesso em 3o de Agosto.
Presidencia do Snr. Henriques de Rczende.
' As 10 horas da manb faz-se a ebumada ,
e logo que se rene numero legal de Snrs. de-
putados abre-se a sesso, le-se e approva-
se a acta da antecedente.
O Snr. primeiro secretario d conla do ex-
pediente lendo os seguinles officius :
Do ministro do imperio, acompanbando a
copia do decreto de a8 do correte pelo qual
o Regente em Nome do Imperador o Senbor
D. Fedro Segundo houve por bem proro-
1 gar por um mez a presente sesso da assem-
^ blea geral legislativa. Fica a cmara intei-
rada.
Do mesm ministro, remetiendo os esclare-
cimentos que lhe foro exigidos sobre a obra
^ misso de commercio, aggricultura, indus-
9. tria e artes.
Do secretario do senado participando que
o senado adoptou e vai dirigir ; sancgfio im-
perial as resluijOes desta cmara que auto-
riso 0 governo a mandar passar cartas de na-
turalisaco de cidado brasileiro a Bernardo
Xavier Pinto de Souza e a Francisco Fer-
reira Uorges. Fica a cmara inteirada.
J.'o ministro da marinba, remetiendo a con-
ta relativamente as quantias recebidas pela
repartico a seo car;o dos crditos concedi-
dos pelas resoluces de 6 de outubro de 1817
c 12 de outubro de 18J8. A' quem fez a re-
quisico.
Do ministro da fazenda } enriando as copi-
vincia do Piauhy em 3 de setembro e'i5
de outubro de iH 6 relativas a inteligen-
cia do 4 do artigo 1. drt lei de i 1 deoutu-
bro de 16 5, e providencias dadas sobre a
materia; A' commisso do orcame^ito da fa-
zenda.
o mesmo ministro expondo que em addi-
tamenlo aos seos avisos de 99 de Julbo. eaa
docorrenlc se remelle a inclusa rclaco as-
signada acompnnhada dos dotimentof que
a legalisao, e assignad pelo contador interino
do test-uro na importancia de >j ^qttyiq
reis de credores que n.io Ibro incluidos nos
ditos o Icios. A' primeira c lerceira commis-
ses de fazenda. ,
Vae.'i meza o requerimenlo de Manocl da
Costa'Passos e ; commisso do orcamento
da fazenda o mappademonslralivo da substi-
co eassignatura do papel motila,
Le-se, e approva-so o seguinlo s
A commisso de diplomacia precisa saber:
1. Se no tratado de ajuste de coritas entre o
Brasil e ortugal, ullimamentc leilo em Lon-
dres aos 10 de Junhode iH;y o nao rati-
ficado pelo governo brasileiro se teve em
consideraro as reciprocas reclamarles sobres
transportes de tropas e despesas fei tas comas
mesmas tropas
a. Se taes reclamaces foro ja apresenladas
commisso mixta que em virlude do artigo
i, da convenco addicional ao tratado de m
de agosto de ia5, tem de as liquidar, ;
quantosobem ellas, e o estado em que seacba
a iquidaco
3. Qual o motivo Jiorque nao foi calificad)
aquelle tratado e se os dous governos trato
deajuntar novamente as duaseonlas.
Por tanto requer a commisso que a este1
respeito se peco circunstanciadamente infor-
maces ao governo, se ellas poderem ser dadas
sem inconveniente do servico publico.
Paco da cmara dos deputados jq de
lo de 18 9. Aureliano de Souza e O
[Coitinho. Eutatjuio Adolfo de Mello e Males
E' approvado um requer ment do Snr.
Vianna para que as tres commisses do orca-
mento se reunao para redigitem as emendas
do orcamento das despezas ele.
Primeira parle da ordem dodia.
misso nunca excedesse melade da despeza"
oreada em cada mez a. queosbillietes nao
podem ter maior prazo que o de tres mezes :
i. que nao podem ser reformados. Lima
ve/ por tanto que (aes clauzulas Icnbo sido ob-
servadas enlende a eommiso que o supra-
dit artigo l8 da Id nao foi violado.
E' maniftsto que a inlenco do corp legis-
laligo quando munioogoveruodaqiiella con-
cesso, fora dar lhe meios de anlecipar as ren-
das a fim de que por falta dellas nao pade-
cesse o servico publico: era por tanlo um
meio subsidiario para supprir o dficit (tal
rendas caso estas nao cliegassem para as des-
do o requerimenlo junto do Snr. depulado. pesas votadas na lei do orcamento Ecomo
Monleztima e a informa o que acerca d'el-um (al dficit pode ter-se verificado,
ledeooExm, Snr. ministrada fazenda, en- conse..|uencia necessaria que as rendas ordi-
temle ... narias nao poderao mais rescatar os biliie-
1. (Jueo artigo 18 da lei de u de outu- tes emitlidos: e estes vi rao a formar Urna d-
brodc J.7 esli't vigor mo se devendo con- \ vida flticluante al que fiosso ser pagos pe-
consid.erar revogado pelo artigo fj da lei de lo excedente das rendas ordinarias ou impo-
-o de novembro de tbJ8. A desnosi o do sicoes extraordinarias
comprebende o meio sold que llie coinpelle
por lei.
uSnr. Coelho Bastos otTcrece a seguinle
Fic.io approvadasas pensoes cencetlidas pe-
lo f;overno ale 3o de setembro desle anuo etc
IV o a [.otada.
Depois de algum debate julga-se discutida
a materia.
A resoluco approvada* adoptada, e re-
mellida a commisso de redoeco 5 e a emenda
do Snr. Nunes fachado regeilada.
Entra em discussoo seguinle parecer:
A terceira commisso de fazenda examman-
lespost ao
ou se|o convertidos
outras
genero d
primeiro artigo citado autorisa omiaistroda em divida fundada como se pratica em
l'a/enda a emillir desde logo bilheles do te- naces que nos tem precedido n'este gen
soaro para occorrer .-'rs necessidades do serri- operaeocs fmanceiras
eo publico quando a receita for deeienlc. i A'commisso nao deve dicimular t cmara q"
Aclauzula desde ja-- mos.Ira que desde o smelliante aulorisacs eovolve virtualmenll
momento emque foi sanceionada a dita lei, aconcesso de um crdito constante aogover-
eompetia ao ministro fnn-v uso da faculdade no, o qual pode Ser maior ou menor, seputx-
eoneedtda, isto desde i de outubro de do o orcamento das despezas de cada ciz o
:6:,n : e como oanno fmanceiro da lei era de como estas se podem iraccnniulando lodos'OS1
i8t a iH 9, deve-se inferir tue desde 11 mezes este crdito vira'.a ser iluminado c in-
do outubro de 18Jy at o fim de junbo de defiyJo Julga por tanto arriscada a subsis-
t.Sj) os ministros da fazenda estavo autori- tencia de semellianln disposieo legisMva
zados a fa/cr uso daquclla faculdade. pelos abtizos a que pode dar lugar. 'oriss>
A lei de ao de outubro de iM3 i, no artigo cnlendequca autorisaco de emillir bilbeles
\p revogando o artigo ta da oulra lei su- do tesouro deve ser quart.tdo pr modo tal
prariada accrescenla que todas as maistlis- que todava se nao recuscm ao governo os
posi oes da mesma lei .que nao versarem pre- mcios indispensaveis deotcorfer asmis ur-
eisameule sobre a reeeila ou fixaco de des- gentes despezas do estado :^e ao mesmo pass 1
peza, fieoem vigor. Compre agora e\ami- lhe qo fique o arbitrio de emillie na circula-
nar se aquella aulcnsaro para emillir bilbe- cao quanlas sommas lbe approuver a pro-
agos- les do lesouro, vera precisamente sobrero-- texto de serem melade da des peza oreada n;t
ieira ceita ou lixa;o de despeza. trimestre, ou em cada mez. por tanto de pa-
No versa sobre reeeila ,, porque o meio de recer que no project de lei de orcamento qua
(anticipar a renda nao artigo de reeeila, mas se discutlte se insira o seguinle arti-o nas dis-
um e\|iedienle linanceiro para receberem-se, pqsices geraes
antes de vencidos os impostos votados, e au- A autorisaco concedida ao governo peloar-
torisados na lei annual do orcamento ; etal re- ligo 18 da lei de 1 1 de outubro do 18J- para
curso nao pode cliamar precisamente se reeeila, emitir bilbeles drt tesouro, quando a receit l
hnlraem primeira discusso o project nu- neni como tal figura nos artigos das nossas leis for dellicienle deve ser cumprida de maneiVi
;ro ai oeste anuo sobre as pIpi^'kc Al. ^ ,i __, ,.m,n u '___________ ..,, _
e 01 uimento. queasomma dos bilbetes em circulacao nun-
'J auibeni seno pode dizer que o citado arli- ca exceda a quarla parte da renda annual, ob-
\flo 8 verse precisamente sobre a fixaco de servando-sc demais todas as outras condices
-
despeza 5 porquanto ninguem dir' que au- prescritas no dito u ligo.
te?5r n imiao de bilbeles do tesouro seja Pace da cam1'' des dcpudus 3 de
fixar urna despeza. Diro que esta emisso en- de i85rj. b'ouza \iarlins. J. J. pat
mero c>3 deste anuo sobre as eleiccs de se
nadores, e deputados ; assi mblea 'eral le-
gislativa e membros das assembleas provine
ciaes.
E' sem debate approvado para passar a se-
gunda discusso i
Segue-se a discusso das emendas do senado volvea necessidadede pagarosdcscontosdcbilbc-
as desta cmara sobre a fixaco das forcas de
trra.
E' approvado um requerimenlo do Snr.
Ramiro para que se convide o Snr. minis-
tro da guerra para assistir a esla discusso.
Fica porconseguinle addiada a discusso.
Passa-sea discutir a seguinle resoluco ;
Aassqjnblea geral legislaliva resolv; :
Artigo nico. Fica
.'00U reis conferida
neiro deste anno
I
Voto separado.
O meo voto o seguinle
agmit
Pacheco.
les emitlidos semduvida masessa despeza nao,
ai fixada antes fica completamente indelcr- j Quanto ao i. quesilo entendo que 0 arli-
minada, e a arbitrio do governo ; nem o ar- go 18 da lei de 1 de outubro de 18J7 di/-
ligo toca levemente em tal Logo brea respeito reeeila ou fixaco da despeza, poriss.i
concluir que elle nao versa precisamente sobre que, facultando ao governo o poder de emit-
a fixaco da despeza como era de rigor para tir bilbeles do thesouro a prazo para cre-
se considerar revogado pelo artigo &<} da Lei despeza, quando a receita fosse defitetaiS
de o deoulubrade i88. Nao versando pois em um ououtromez, nao s<> por este mez
rt!i,p', i^T HlU'lla disposieo do artigo 18, nem sobre aulorisou a contrair emprcslimo. como fixou 1
.J.Z pr v *l SL'^f*, rece,ta ,m'm l,lc,lsamenle sobre a fixaco da despeza dos premios ou desenlos' tos bilbefc-4
-menor Ll.za >|dePlQlM>! despeza, deve reputar-sa urna d aquellas dis- que cmitlisse 00
Carapeba incluida nejla o meio sold que! posiees permanentes, que seacho em in-
esta percebendo em remunenuo dos ser- teito vigor.
Em a. lugar a commisso enlende que a-
quclla autorisaco foi um recurso concedi-
do pela lei para o ministro poder anlecipar as
rendasdecadan.cz, 011 mesmo de cada anuo.
coma entrada immediata das rendas dos tte-
mezes seguintes autorisaco limitada pelas
condi oes ai prescritas a saber : i. p que a e-
vicos prestados na guerra de Panellas e Ja-
cuipe por seo nae o faleseido capilao Jos
Francisco V az de Pinbo Carapeba.
Paco da cmara dos deputados u8 de maio
de '8-9. M. J. avalcanti de Laccrda.___
Joaquitn Manoel Carneiro da Cunha.
O Snr. Nunes Machado offerecc a seguin-
que cmitlisse o que sem qneslo um aug-
mento de despeza para o qual s o referido ar-
tigo o bavia autorizado e cu i mareba ficoa
lepjndente da qtiantia em bilbeles que fossu
necessaria descontar ; e segundo consta a des-
peza com os referidos desenlo*' no auno quo
findou nao foi menor de 5o;oooU reis Se-
melbantc autorisaco sendo da maior impor-
tancia no primeiro caso para o crdito d<>
paiz de pensar que sj um artigo positiv
I



DIARIO DE PE
R N
l
'MBIICO
MHHk.--j^~;

devia continuar a faculdade dada ao governo,
enao-se presuma ella incluida emuma dis-
posico banal que existe cm todas as leis an-
nuaes qual a do artigo ij da le de yo de
outubro de 18 7
Quanto ao t. qoesilo, no caso que- se con-
sidere em vigor o artigo 18 da le i de 11 de
outubro de 18 S-j. ilirei que autorisando o di-
to artigo a emisso de bilheles al a melade
dadespeza oreada no me/. quando a receita
do mesmo me/, losse A chriente, nao fez a at-
tenco renda mensa I, e si m a renda animal
mas s dentro do anno financeiro era licitoe-
mitlir e pagar osbitlietes, com anteciparo da
renda qne se va arrecadar e que pe a le
eslava consignada e nunca se devia emittir
hillietesem um anno para serem pagos em 011-
tro anuo financeiro cuja importancia unida
receita arrecadada, e ao crdito decretado o
anno p. p est muilo alem do crdito total
concedido ao governo para as despezas do anno
findo em junlio docorrente. Tal prpeedimen-
oem minha opiuio nao s contrario n-
dole da le financeira como iperigosissimo
paraopaiz entendido o artigo orno queros
meo Ilustres collega*.
A' vista d> exposio, concilio que o artigo 18
da lei de
PERNAMBUCO.
GOVERNO DA PROVINCIA.
EXPEDIENTE DO DA 7
O.Ticio-Ao Inspector da Thezouraria da Fa-
zenda para mandar pagar ao Commandanle
('.eral doCorpo de Polica o Prel das forra-
gens vencidas pelos cavados do Esquadro de
('avallara de i. I.inlia que se acho reco-
Ihidos a aquelle Corpo.
Dito-Ao Commandante Geral do Corpo de
Polica communicando-lbe o conteudo no
precedente otficio
l>ito-Ao Prefeilo da Comarca do Recife ,
enviando-lbe a relacode 19 pre/.os sent ci-
ados para a liba de Fernando vindos da Pro-
vincia da Parahiha a fun de os fazer recolbcr
a Cadeia, e remelter para aquella Ilha quan-
do se proporcionar occasio.
Dito-Ao Inspector Geral das Obras Publicas
communicando-lbe que se mandou [>argar ab
Arrematante do 1. lanco da estrada do Sul a
ultima preslaco que I he compete visto ter
concluido a obra na forma do contracto', e or-
denando-lhe que mande tomar conta da mes-
ma obra por cuja conservaco lica o dito Ar-
1 deoutnbro de 18.S7 nao se acha rematante responsa\ el segundo o mencionado
contracto
Dtto-Ao Inspector d'Alfandega communi-
cnndo-lbe que avista da parte.-ipacao fela
en seo oficio de 16 de Agosto p p a Presi-
dencia demitlindo Lugar de Guarda da mes-
ma Alfandega a SiKaao i'heotoni Jorge tes-
soa
Dito-A Administrador dos Fstabelecimen-
tos de ( aridade respondendo ao seo o'bcio
em oue representa os dainos que so1 re a liba
do Nogueira pela continua exlracco que se fa/.
do pe,Iras nos arrecifes fronteiras a mesmi I
Pa'oda cmara dos depntados aos 3 de a-
gostode 8 O Snr. Viauna prope o addiamenlo deste
parecer at adiscussodo or amento.
Oadd'amento apoiado, e a discussao do
addiamenlo Sea addiada
Acbando-se na sala immediata o Snr. mi-
nistro da guerra, recebido com as forma-
lidades do estilo oceupa o competente lu-
gar.
Segunda parte da ordem do da.
Discussao do Orcamento.
Continua a discusco sobre a fixacao das
despeza para o ministerio da gnerra e as se-
guinles emendas apoiadas.
Ao8. Para a lerceira discussao sej
calculida pela competente commissao a quanlia
relativa s forragens na raso de 480 rs cada
urna.
No mesmo : Seja igualmente calcula-
da a elape na raso de 3?o res diarios.
No^iS Diga-se : A gratilicaco dos
directores dos 4 arsenaes de guerra da Pabia ,
Pernambuco Pata e Rio Grande do Sul fi-
ca elevada a 8U reis mensaese\rluindo o sol-
do da palele ea-olJ re a dos vice-d i rec-
tores com a mesma exeluso. Sal a a redac-
cao.
No 17 : Km lugar de 5o:3ooII rs como
prope a commissao para obras militares, d-
gn-sc 5-:3ooU rs como pede o governo,
sendo os oilo conlos para a edificaoo de um
quartel de tropas em Pernambuco. Vega
Pessoa >
Emenda da commissao ao |5.
Restaheleca-se os 4o contos que se suppri-
m i rao para a compra de materias primas dos
ars E apoiada e, uinle inenda :
Ao fe 1 airiocente-se : para pagamento
dos sidos dos oficies comprehendidos na re-
solucao de i3 de setembro de 18 .1 w.oooU rs.
Carvalbo de Mendonca.
Tpma parte ira discussao os Srs. Alvares
Vachado, Hemique de Re/ende ministro da
guerra Lima e Silva Vianna Coelho Bas-
tos e Vega Pessoa.
Muiros Srs. deputados pedem votos, eta
materia julga-se discutida.
O Snr. ministro relira-se com a mesma for-
malidade com que entrn.
VOTACAO'.
Sao approvados todos os da proposta que
nao sofrera emenda da commissao sendo
estas approvadas e aquelles regeitados.
tr1 1 1 j *
li >upiuvauS a cmcnr.a i.' ccmmiSSG, c
bem assima do Sr. Carvalbo de Mendonca e
regetada em todas as suas partes a do Sr. Ve-
ga Pessoa.
i U;i-se por concluida asegunda discussao da
pro osla e approva-se para passar a terceira.
O Sr. presidente d para ordem do dia lei
tura de projectos e indirates continuarlo
Regulamento de 10 de Abril de i83 noj 9- Do Alvar cima roeirt-onado. Na
que diz respeLto as declaracoens que se devem1 mesma penna de nullidade incorrera as ven-
fazernas Guias dos officiaes! das dos Escravos ladinos, que s fizremsem
o pagamento da meia siza e serlo alem disto
multados os vendedores e compradores em
igual parte na perda do vallor do escravo ,
sendo a metade para o denunciante se o bou-
Ver a outra ou toda nao o havendo pa-
ra a Mihha Real Pazenda. ,
O i. Escripturario.
JozeGuedes Salgueiro.
Thom Pereira Lagos Arrematante do
Imposto de ao por cento do consumo das Ago-
as ardenles de'produca Rrazileira viza a
todos os Snrs que devem dito Imposto vo pa-
gar al o dia i5 do corrente na ra das Cinco
Ponas em caza do Escripturario do mesmo
Contracto Amaro Beriedito de Souza visto
que ja foro avisados por esta folba e o nao
tem feito findo o prazo o supplicante contra sua
vontade proceder na forma da Leu
Recfe 7 de Outubro de i83q.
Thom Pereira Lagos
Arrematante.
Uta que foro dadas as providencias necessa-
rias
Dito-Ao Juizde Dreito do Civel da Co-
marca de Flores partecipando-lbe que a
Presidencia concedeo demisso do olicio d Es-
crivo de Orfaos rime e Civel e abel-
liao Publico de Notas da mesma Comarca ao
Cidado Manocl Dominguesde Andrade no-
meando para o suhslisuir ao Scrvenlnario In-
terino do mesmo officio Antonio Domingues
de'Andrade.
Igual parlecipaco foi 'erigida ao Juiz
de Dreito do Crime da referida Comarca.
Dito-Ao Director interino do Arsenal de
Gperra auctorisahdo-o fiara elevara 800 rs
THEZOURARIA PROVINCIAL. '
EDI TAL.
O Inspector da Thezouraria das Rendas
Provincias faz publico que a arremata'a5 dos
97 Cavallosda Companbia de Cavallaria do
Corpo Policial annunciada para odian do
corrente perante a 1. Vara do Civel ter lu-
gar perante a mesma Thezouraria no dia 1
pelas horas da larde conforme as ordens
do Exm. Presidente.
Thezouraria das Rendas Provinciaes de Per-
nambuco 11 de Outubro de SJq.
Joao Baptista Pereira Lobo Jnior.
Diversas Reparticoens.
ALFANDEGA DAS FAZENDAS.
- A Pauta be a mesma do numero i83.
MEZA DO CONSULADO.
A Pauta he a mesma do numero 115.'
O Arsenal de Mario ha em virtude d'ordem
superior tem de fretar huma Embarcaco para j 0 balalho a'quartellado em Itapucur-m-
conduzir mantimentos a Ilha de Fernando ,: rm ? arromhra e roubra as casas do de-
sendo de 300 toneladas para mais : em con-: pU|ado Joaquim Vieira de sua mi D. Mara
sequencia convida-se a quem semelhanle fre- Clara ; c de seu cunhado Jos Borja Coquei-
tamento possa convir a que compareca na caza r0>
da Inspeccio do mesmo Arsenal com sua pro- j Consta-nos que um grupo de rebeldes viera
posta por escrito em a qual se declare o no- a prangi e ah assassnra tres individuos
me, e qualidade de Embarcaco e o menor (ao que nos dicera feitores), exercendo sobre
proco porque pode fazer o fretamento : istono esscs nfelfcea toda a sorte de atrocidade antes
dia \i do corrente as 1 1 horas da manhaa. I e os acabarem Abrira-lhes as solas dos ps,
Inspecqao do Arsenal de] Marinha de Per- melera-lhes pedrinhas as feridas obrig
MARANHAO.
(*
Na Chronica N, i65 l-se o seguinte :
Vimos cartas de Pirangi que referem que
tendo viudo quelledistricto m destacamento
nambuco ) de Outubro de 189.
Alexandre Rodrigues dos Anjos.
Secretario.
PREFEITURA.
* j
PAUTE DO DIA I I .
lllm. e Exm. Snr.Foro prezos^ hon tem de todo os acaba rao O Sr. Major Henriques
minha ordem e tiverao boje destino Ma- sabendo que os rebeldes se achava em Piran-
ra-nos a correr neste estado nao obstante o*
gritos esupplicas dos miseraveis que pedia a
morte como um favor ; e nao salisfetos simi-
lliantes canibaes com os tormentos inauditos
que baviao feito padecer as suas victimas,
constrangera-nos anda a preparar-Ibes o co-
mer, esnomeio dessa infernal orgia que
por ter insultado a outra pfeta prollerindo as e porque o feitor prelo recsasse abrir
obscenidades; francisco, prelo escravo de porta de urna dellas, arromhon-a. Como a
Floriano de Carvalbo : por um soldado de Po- tropa se dspozesse a seguir os rebeldes que se
licia pedido de seo senhor por estar ha havia passado para outras fazendas e se a-
baslante tempofgido; Escolstica Relir.ira chasse mal prvida de vveres pela pressa com
ria Felippa da Conceico prela e Bernar- ) fe7 inmediatamente sahir urna forca para
dina Maria das Dores, branca pelo Sub-Pre- laicl-os. Esta como os nao encjntrasse j ,
feito de Santo Antonio esta por ser insultan- receiandoque el les estivessem escondidos den-
os jomaes de 6^0 reis que penebem os 4 ma- te e inquietadora da vizinhanca c aquella tro da#casas mandou abrir as portas de to-
lhadores da otbcina de Ferreiro.
Portaria-Ao Commandanle do Brigue Es-
cuna Ncthero para concervar a seu bor-
do os dez recrulasde Marinba que lhc scro
remellidos pelo Commandanle Geral do Cor-
po de Policia.
Dila-Ao inesmo para entregar ao '"om-
niandante do Brigue Constan a o lecruta Ig-
nacio Antonio viudo da l'urahiba, visto ser
deseitor do mesmo Brigue. *
Officio-Ao Commandanle do Brigue Cifis-
lanca communicando-lbe
ordem supra.
Porta ria-Vandando passar Prov'sode A
manuense do Arsenal de Guerra a Joo Ricar-. cas deligencias ,
do da Silva.
a expediegao da Sub-Prefeilo dos
cido na di
lante ebrio e em desordem e aquella por culta as atrocidadese violencias platicadas pe-
eslar laml.em ebria e profTerindo obscenida- los rebeldes em Pirangi carrega todesapie-
prelo pelo dadamente a mo sobre esse procedimento da
des; Manoel Andre Avelino
reitodos Affogados por ter appare- lropa da legalidade!
.la Fregucsia baslanle fendo tffe sempre fomos
immen-
pessoal-
..pre tomos a versos a todo o genero de
Part-cipo V. Ex. que depois de immen- violencias e lone de fecharmos os olhos -
TUEZOURARJA DA FAZENDA.
EXPEDIENTE DO DIA 5 DO COnRF.HTE,
Officio-Ao Exm. Presidente da Provincia
onge
pcsquizas que pessoal- qUeIlas que debaixo de Mialquer pretexto fo-
mente fez o Sub-Prefeilo de Olinda no lu- rem exercidas pelos defeRores da causa legal,
zeri
por
ac ni
3 do corrente me/ 5 foro encontrados pelo mas os factos^elatados pelo collega em desa-
mesmo Sulj-Prefeito o hacamarte com que bono das forcas do governo ou se acbau nola-
I01 assassinado o dito Joze bizerra lum len- velmente desfigurados ou nunca de outrem
com o ponto dos Em pregados da me ma The- ^ code seda prelo ja uzado e um resto de 0s ouvimos seno delle.
zoura ria dos mezes de Julho Sctembro ulti plvora, c moni o dentro de urna meia bran-
mos.
Dito-Ao Inspector do Arsenal da Marinha ,
remellendo-lie o odiciodo Exm. Presidente Rizerra
As casas (por exemplo) incendiadas na po-
ca ecurla, ludo perlencenle ao pardo trigue- voaco de S. Miguel eracertas casas palba-
nio l.iogo escravo do referido Joze cas, das quaes os'rebeldes fazia fogo sobre as
o qual depois de prezo pelo o so- tropas do governo e nao hava oulro meo de
desalojal-os se nao esse visto nao terem os
nosSOS arii'liaiia su Quanlo aos roubos da casa do cidado Mi-
do a cerca do pagamento dos vencimentos Tas thor de semelhante crime assim o confessou -Uel Domingues dos Santos das galinhas A
pracas de marinhagem dos Navios d'A mada franca e publicamente de que se lavrou o papagaos palos de Icat esses smente os
tanto engajadas como voluntarias ;. fim de competente termo. ;svra 0 ^^ debaxo de sua palavra hon-
que baja de dar-lhe a devida execue ao. O dito pre/o dea recolhido Cadeia e vai' rada.
da discus&a 1 do addiamenlo do p recer da t -
ceira commissao de fazenda a reso u o sobre
Portaria-Ao ORicial encarregado da Conta- ser passado disposico da Justica para ser
bilidade Militar remelendo-lie por copia puuido de to orroroso crime.
dous oflicios do Exm Presidente da Provin-
cia da dala de 4 do corr nte determinando em O Snr Esciivo e Administrador da Mr-
eformado I rantisco de ^ za de Rendas Provinciaes manda fa/er publico
* perceba dora cm'a fim de chegar ao conheumenlo deqffrm pos-
as cotilas da cmara municipal, a resolucan '[ hum que o Tenenle
obre >er exonerado Antonio Caetnno da Cruz,1 Paula '.Meira Lima
da terca parte di rcndimcnlo do o!F;c:o dees- diante o Sold de sua Patente como refor- sa aproveitar a seguinle disposico da Lei Pro-
crivo dos ordos sobre a penso concedida' Diado ea gr lificacam de Insliuclor do 1 c vincial n 73 do , aos illios doconsclheiro randa; parecer da Ralalliam de G N. de Goianna e n'outro no, e do AI vara de i de Jnnho de ifoq.
comissao das assemhleas prvinraes sobre lommunicando as des|>o-ices do \vizo c.xpe-. Art. 4' d* lei Provincial.Do dia da
1 que se exigen para a eligililida- dido ocla Secretaria do Estado dos Negocios I licaco desla Lei a seis mezes improrogavei
rgo de deputacki provincial a r solu- da (i-u-rra de 5 de -'eleiubi-o p. p. Mere dos serlo' pagas as meias sizas dos Fscravos qm
mimeni o esle anno sobre duas aposenlador- venciir.entos q d^em ler os orbciac; *):- se estuerem a dever e findo este praio ni 11
e quando cingue o ministro, diseclo da iar-s ;iie deJUWmo Servico por molestia a Meza de Pendas Internan Provinciaes e
emen la do senado, e levanta sesso as duas ou li'vn a, e dos que 101 < 111 chamados pelo os Colleclores poderlo receber siza quc avist
hora-t meia da tarde.
I Governo Itn|>eral ou Pro\i
' dando a exacta obserrauci
noial, e recomen-
do arligo 11 do
do papel de venda se queira par
posteriores a sua dacta.
3o
pil-
is
ue
neni
nem
a
dias
Noduvidamos que algumas violencias de
pequea monta se hajao commettido e esta-
mos at convencidos que quasi impossivel e-
vitar o rouho de um pato, ou de urna gali-
nha apesarda mais severa disciplina milito
principalmente se se attender qu as nossas
for as marcha muilas ve/es por destriclos re-
( ) Este grupo de rebeldes que infesta va
as vsinbancas de S. Miguel, minios dos
quaes (segundo nos informa.", indios daqurlla
povoaco) roubava e aseaseinavao os nassa-
geros e entre outras atrocidades e violencias
assassinra brbaramente a nove individuos ,
e roubra urna canoa grande carregad de
mantimenlos que o governo mandava para o
Itapucur Minm.


DIARIO
D R
PERNAMBUCO
- jv^r -r yw* *
*
bellados cujos habitantes se nega a vender-
Ibes vveres como aconteca no Icat ; o que
notamos .que o collega que guarda de or-
dinario um modesto silencio sobre os roubos ,
assassinatos., e violencias e atrocidades in-y
auditas praticadas a todo o momento pelos re-
beldes desfigure certos factos e improvise
para langar o odioso sobre os defensores da
causa legal.
Movimcnto das forjas legaes.
No dia i." do corrente (setembro) marchou o
Sr. Major Leal com seu batalbao para a Var-
gera Grande pela estrada das boladas.
Nesse mesmo dia marchou o Sr. Tenente
Cabra 1 com duzentas e vinte pracas pela mar-
een direita d Uapucur sobre Pirapemas. A
par da forga do Sr. Cabral segu urna canho-
neira rio cima.
No dia tres marchava o Sr. Capito Ernes-
to com o seu batalbao para o Coroat pelos
campos de Cantanhede cobrindo o Mearim ,
a enconlrar-se com os rebeldes Raimundo Go-
mes e Coque que (segundo se dizia) tentava
descer por aqelle lado. Consta-nos mais que
o destino deste batalbao marchar tambem so-
bre Caxias, a fim de operar de acord com as
forcas do Piauhy.
O Sr. commandante das (breas contina a
estabelccer o seu quarlel na Villa do Itipucu-
r-niirim que seacha guarnecido pelo bata-
lbao do Sr. Major Henriques.
Consta-nos que as forgas que marcharas so-
bre o Gaiolla j nao encontrra ahi os re-
beldes.
(Investigador Constitucional, j,
Vimos cartas da Vargem-Grande de data
de dez do corrente donde extrah irnos as se-
gninles noticias. O batalbao de Pernamhuco,
do cumulando do major Leal al i se acbava ,
a mui pouca distancia do acampamento dos
rebeldes assentudo em Boavista onde era
commandante um tal Alxandre Gomes da
Costa. Os rebeldes tinhao pequeos grupos
em oulros differentes pontos as immediaces
deste, e a sua forca total disem que subia a
quatrucentos homens. O major Leal omciou
ao chele rebelde para que se viesse entregar
com toda a sua gente e armamento que scria
perdoados; elle responden que acceitava o
perdo mas que conservariao as armas e
iiuerrudinheiro para pagamento dos seus sol-
dos. O major respndeu-lhe negativamente ,
e comecou a fazer as suas disposices para o a-
taque e consta-nos jaque um piquete dos
rebeldes fora batido. Os rebeldes tinhao em
seu poder varios lavradores mas ocapilo
Manuel Alves d'Abreu que com achegada
da forca legal, bavia podido esquivar-se ao
dominio rebelde, tinha prestado aos nossos
todos os auxilios fornecendo a tropa de gados,
farinli3 arroz sal &c. cuja falta se senliria
grandemente a nao ser 4fc. U major Leal,
e o chefe rebelde Iraclava quasi de igual a
O commandante das forgas tnandou ao Co-
roal o tenenle-coronel Jos Antonio Marlins
para abrir com Raimundo Gomes e Coque as
mesrnas negociacoes ; o tenenle-coronel con-
seguio libertar un)a cfka grande e a sua equi-
pa^em e varias familias queali seachavao
retidas ; mas Raimundo Gomes e o seu insig-
nificante grupo (Jo a 4o homens) haviao to-
mado oufra dircego depois do revez que sof-
freuem S.Jos, e Coque a quem resta va
mui poucos partidarios respondeu que esta-
va pelo ajuste mas que era mister que se lhe
mandassem duzenlos homens commandados pe-
lo lente-coronel Severino Capieiro pes-
soa com quem se entenda a fim de violen-
tar os que eslivessem de m vontade c porque
entre os seus commandados, talvez nao hou-
vesse tres dos mesmos sentimentos que elle, e
qVv 'o" que iGssc cgimGCo o tfacauo uii
pareeeriao grandes vantagens. E concluindo,
assigna-se aida major do 4.* batalbao.
Encendemos queassaz era proclamar s mas-
sas rebelladas que depozessem as armas se-
gundo certas e determinadas medidas policiacs;
por quanto os individuos que estivessem com
as lences nao deixaria de apresentar-se ,
como tantos oulros o fiserao no Vlunim ; mas
as for as legaes nao devio parar dH'ronte dos
rebeldes, espera dos'officios dos seus om-
nrandanles cheios anda de expresses inso-
lentes, e de exigencias criminosas. Quanto
mais que algunsdoscommandantes s respon-
den! por si e moslra a sua completa nnlli-
dade pedindo o auxilio da lona legal para
snl>meller os seus pro|ii ios. A prompla d-
posic das armas deve ser a nica condico
com que posea os rebeldes obter o perdo ,
que alias impossivel nao seja excepcional ; os
que quisercm procrastinar as negociacoes de-
vera ser mmedialamente atacados e balidos.
Isto mesmo necessario para que se nonuti- muitos dos que elles se haviao unido se tem
sem os resultados colhidos no Icat ; pois se j appre/entado as forcas legaes.
os resultados nao soffrerem algum grande re- i Dos .lomaos de Maranho e mesmo de car-
fez tprnar-se hao mais que nunca insolen- tas particulares nada consta sobre restaura-
tes talvez tornem a ornar a offensiva os cao de Caxias annunciada na carta escripia da
queja deposera5 as armas atributado o pro- Parnahiba que publicamos no nosso n. 110 e
cedment do governo flaqueza podem no- com efeito o factode se atlribuir naquella car-
vamente revoltar-se ou ex pon teos, ouar- ta restauraco aosesforcos do Major Falcar
rastados por alguma forga invasora. ; nos faz duvidar da veracidade da noticia vis-
Pode ser que alguns dos chefes dos rebeldes to ter elle tomado parle na Acco do Icat ; a
nao lenhao outro fim, senlo ganhar tempo ; e o mesmo tempo porem um individuo chegado
devemos advertir que entrando o invern hontem de Piranhas confirma a mesma noticia
(eremos de lutar com novas e immensas dif- referindo alguns detalhes e attrihue esse re-
ficuldades. Consta-nos que o Sr presidente levantissimo servico um outro Cidado.
da provincia tem expedido repetidas ordens j Dado pois que nao seja verdica a noticia ,
para que as operaces militares nao soffrao na- confiamos que muilo breve Caxias ser salva
da com estas negociacoes, ej mais que das garras desdes monstros que a assollaro ,
lempo que a legalidade fa2a conliecer rebol- nao s porque as forcas da legalidade aug-
diadeque se nao devasta impunemente urna mentadas pelo reforco que recebero ultima-
provincia, j to florescente. Derrotem-sej mente de l'ernambuco e do Para sao muito
os rebeldes reunidos em grupos ; a indulgen- bastante, para aniquilal-os como porque
m
JL
m
cia depois ter logar para com os desgragados ,
a quem a sua miseravel pozigo social mais
que mitra qualquer causa, arrastou para a
carreira'do crime.
Chegara a esta cidade noticias de que urna
forca rebelde de cem homens pouco mais ou
menos, apparecera no logar das Pombinhas,
dirigindo-se para o Mearim. O governo logo
que disto son be expedio ordens para o interior
a fim de que marebassem tropas a batel-os ,
e amanha sahem ondas desla capital para o
mesmo fim. O governo dirigio-se aos cida-
dus Maciel Prente e Jorge influentes no
Me irim para que reunissem gente.
Estamos- informados de que tem havido
alguns tiroteios entre os pontos avancados' das
forgas postadas em Boa-vista. Tivemos j um
soldado morto, e um alferes ferido ] os
passava por certo mesmo no Maranho que
grahde numero dos malvados que entrarao em
Caxias fartos de roubo se tinhao debandado,
e que por disputas na diviso da preza muitos
se tem reciprocamente assassinado.
(Do Dezeseis de Dezembro de i de Setembro.)
Correspondencias
rebeldes tem soffrido maior estrago, e per-
dera j um dos seus commandantes. De Ita-
pucur-mirim marchara novos reforcos, e
segundo as noticias recebidas, hOje deve ter
logar a ac ao.
Presume-se que Caxias j ter sido oc-
cupada pelas forcas do Piauhy ao mando do
major Clementino.
A tropa do chefe Livio estava reduzida a
menos de i oo homens.
(Chronici Maranhense.de a6 de Setembro.'1
checo Ozorio 3oUoo*, Juliao Portella i o li-
bras de Cera Amaro Francisco hum pranxo
de amarello -, e na qualidade de Thesoureiro
daCommissao encarregada da Adminislraco
da Obra da Igreja ; Manoel Vaz de Oliveira
por mo de seo man Joao Vaz 3oUooo An-
ua Rtta ooo Joaquim Maxado Carneiro
Ros iooo lijlos de al venara j o Coronel
\maro Francisco de .Moma aa^o dealvenaria.
Antonio Marcalino ba Canoa de areia
como alguns malvolos tem-me querido tos-
quinbar dizendoque houverao maisesmollas
do que estas eu rogo e dezaf.o a toda equal
quer pessoa que alem destas deo mais em
dito lempo alguma esmolla publiquem por
este mesmo Diario qual fo ella, por qne a
apparecer eu me darei por convencido mas
a nao apparecer ficaro confundidos meus
gratuitos detractores e dezenganados que eu
sou Thesoureiro por servir ; e alguns servem
para ser Thesoureiro e que julga oladro
por seu coraco eu sou Senhores Redactore
Seu Conslanle Leitor ,
Luiz Gons^a.
MARANHO' al de Setembro.
PRECOS COR RENTES.
Algodo i. qualid.
Di lo de Serra-------
Agoardente da trra
Arroz de vapor
de outras fahr.
em casca
Altanados-----------
arr.
Snrs. Redactores Por huma Postura da
Cmara Municipal do Recif se prohibe) mui
terminantemente o brnquedo. ou toireamen- Azeite de carra pato
to de Bois quer nesta mesma Cidade quer ^arne seca do grajo
nos suburbios d'ella : e na verdade
ninguem
Acara
cu-------
Pela barca de Vapar Pernambucana rece-
bemos cartas e jomaos de Maranho. A ca-
pital se acha felizmente desassombrada do
perigo eminente em que estava pelo grande
numero de rebeldes que oceupavo o Icat
a 8 legoas de distancia e que por vezes havio
opposto forte rezistencia s forcas da legalida-
de. Gracas a actividade e energia do Exm.
Sr. Manoel Felisardo j desappareceo e-sa
nuvem densa que amea ava a bella e rica
Cidade de S. Luiz O digno Presidente ba-
via dado suas ordens para contramarchar so-
bre o Icat um dos Batalhesda Brigada que
seguia sobre Caxias o qual commandado
pelo bravo Major Falco, reunise ao Ba-
laliiam do Commando do ('apilan Ernesto ,
distante duas legoas do Icat e reunido-se
e*ta forca nodulo Exm. Presidente coma
G. N., frente da qual,marchou da Capital,
elevou-se toda forca a mais de laoo homens ,
e com ella no dia g do passado altara rao os
facciosos por mar por trra. Os malvados
protegidos por fortes trincheiras oppo/ero
vigoroza resistencia mas finalmente abando-
narlo o posto fugindo precipitadamente em
pequeos grupos.
Cara custou a victoria legalidade por que
temos de lamentar a perda de i4 bravos en-
tre os quaesos valentes e distinelos Capito
Aranlia da Polica e o Alferes da < om-
misso desla Provincia Francisco de Oliveira
pantos, alem de i4 firidos dos quaes ape-
nas 6 gravemente. O bravo ^ajor- Falco foi
idinueiii Mutuo mas levemente e chava-se
j reslabelecdo. Ah! malvados! tantas des-
gracaSf lanos sacrificios, t nto sangue der-
ramado tantas victimas innocentes sacrifica-
das as vossas brutaes paixes tudo clama
haver a meo ver que conteste a utlidde Chifres de Ro-------
e vantagem de huma semelhanle disposica de < ouros salgados -
nossa Cmara: alem d isso parece-me que Cabra curtidos-----
certos barbarismos devio ser por nos boje bem Farinha de Mandioca
esquecidos independente de Lei que a isso Feijo da trra-------
nos obngasse a querermos campar de civili- Fumo de molho--
zados. O brnquedo de Boi he por sua nato- F"um0 de corda-------
reza to brbaro e infame, e traz comsigo Gengibre amarcllo-
tanlas ms consequencias que eu me julgo Gomma ---------.
dispensado desenvolvel-as ; enlre tanto aquel- Grude de peixe -
les mesmos que mais se devio empenhar em M'ho-----------------
promover o es kiquelles mesmos que por obrigaco devem cu- ^an0 l'algod. largo
Frar da execuco daquella^lisposico Municipal,
sao os proprios que acinte a infringem con-
sentem e dao auxilios para que se ella in-
frinja.
estrello-------
Sabo da trra-------
Sal em paneiro------
Tabeado de costado
Bacori-------
Cedro-------
Lo uro-------
Paparaba
tilJooo a 6U600
5Uoooa 5L'4oo ,,
55Uooo a 76U000 pipa
iU6do arr.
1U00
1U000 a iU3oo alq.
Ui4oa Ui5o lib.
U4Ho a U 5o qit.
aUboo a JUooo arr.
aUioo a 4L'ooo ,,
aL'000 a aUaoo cent
UiJoaUJi lib.
Uaoo a L <4o um
U800 a 1U000 alq.
3U5oo a 4Ur:oo
8U000 a taooo arr.
4L 000 a 1 aUooo
U900 a 1U000
3Uooo a 3L'too alq.
U5ooaU6oo lib.
lUoooa lUaoo alq.
U .(jo a Uvoo qrt.'
ariUooo a ai^lJooo rolo
a4Uooo a a o II000
Uooo a iUsoo arr.
Uaoo a Ua4o al
I 1 ;o a L ,00 pa
aoUooo a 24U000 duz.
i5Uooo a id I ooo-
10U000 a iil.iiuo
5U6oo a ^L'ooo
o.
al.
Eis o que hoje se ye na Povoaco dos Affo-
gados : os chefes ou antes os barbaros au-
tores d'esse brnquedo nao podendo effectu-
al-o nesla Cidade seja porque motivo for ,
acharo campo vasto acharo acolhimento,
acharo finalmente a mais criminosa proteco
noSub-l'refeiio, e Fiscal d aquella l'ovoaco,
onde todos *os Domingos se d esse terrivel e
atroz espetaculo., Digo, Snrs. Redactores,
que os Snrs. Sub-Prefeito e Fiscal presto- 'miode letras por mez 1 1/a a 3 por c.
seaessa infraecode I ei, porque sei perfei- T. A're,e*'
lamente, que an les do dia marcado elles sao Para Lisboa I orlo Inglaterra, Frapca.
avisados e do a respetosua ullima diciso. y' arr* ^00
o espetaculo he dado na principal ra da ^r,'0/-"
quella Povoaco onde mor os referidos Se- }
nhores. Se isso nao importasse huma afronta a'luc as
a Lei e as autoridades expecialmente a do onia al 1* "' -/
CAMBIOS.
Londres---------Jl p. 1,000 a 60 das franco.
Portugal-------yo por 100
Franga----------5io por franco.
Rio de Janeiro p. c. dilo.
5 00
a 00
i.aoo
J-o
vinganra! os Ceos nao preuiito que fiqueis
impunes. O Exm. Sr. Manoel Felisardo as-
sistio a Acco participando por isso dos loiros
da victoria e no meio das halaos com toda a
coragem e prezenca de espirito nao cessava de
animar os leaes deffensores da cau/.a da hu-
nianklade e da lei.
Depois da glorioza Acco do dia q em
diversas exploraces tem sido batidos alguns
grupos de 5o a 100 facciozos com grande per-
da desles e sem algum prejuizo da legali-
dade Calculava-se em mais de aoo o numero
de* facciosos morios no espaco de 11 m mez era
diversos attaques. O Ralnlbo de Pernam-
buco que se acha no Ilapicur Mirm tem fei-
to relevantes servicos nao deixando reunir os
facciosos, e baendo-os conslantemente e
expecia
Illm. Snr. Prefeito que bem certo estou nao
sabe que isso se pratica sem duvida que
eu me nao dara ao trablbo de rabscar para
o seo Diario Srs. Reda lores Porem como o
objeclo segundo eu pens, val a sensura eu
nao possodeixar passar em silencio to precio-
zo abuzo. Praza aos ('eos que esses Snrs.
Sub-Prefeito e Fiscal se abstenbo de pro-
cederem to reprehensivelmente a fim de
que se nao possa di/.er que a anarcha que
fazem as Authoridades be nconlestavelmen-
te mais temivel ecriminosa que a do Povo.
t'om a inseico d'eslas mal tracadas lindas ,
Snrs. Redaclores, muito obrigar ao seo
consianie ieiior
Hum izempto do recrulamento.
Srs. Redactores. Como seja dever do ho-
mem probo quando se v ahocanbado em seu
crdito defender-se ; rogo-lbe aincerco das
prezentes demonstraeco para dezengano do
respeitavel Publico, para quem nicamente
appello.
Desde 18 le Fevereiro cl"ifi3** at utubro
do ditoanno fui Thesoureiro tanto da Irman-
dade de N. S. do Livramento; como da Obra
da Igreja da mesma Sra. ; e durante este es-
Sa-.o dero desmola os Senhores Francisco
Javier das Chagas 5oo lijlos de alvenaria ,
Mara Joaquina Mari o/ por mo do Padre Ren-
to Perera ao'000 Antonio Raptista Ribero
de Farias por mo de Nicolu Rodrigues da
Cimba aoU4yo ^,anoel Vaz dOliveira por
m5o d'Juliao l'orlella 3ollooo Joaquim Jos
Ferreira 3oUooo ba Sra. que nao quis qui-
se deelarasce seo nome-4U4l!o Antonio Pa-
O.JO
a5o
a4
80
5oo
(Investigador Constitucional.)
TIJEATRO PUBLICO.
Dia i5 do Corrente.
A Beneficio do Ador Sebaslio Anuda.
Depois da Ouvertura A F'esta d Roza.
Se reprezenlar a sublime Peca
CATHARUNA HOVVARD.
H desnecessario lecer elogios a esta grande
Peca pois o Publico por mais de huma vu lbtt
tem prodigatisado os seus aplauzos
Pela grande extenco da Peca nao haver
Farca rematando o expeclaculo o gracioso tu
elo VOU A A BARCA DE AAPOR.
SOCIEDADE THEaTRAL.
O Emprezario tara reprezentar para a II-
lustreSociedade a mni judiciosa Peca nova-
A Reconciliago composla pelo Dr Soares ,
autborda Pega Espozo Pintor e outras de
excellenlegoslo ejudicioso criterio. A far-
ca da Abcllia Mestra. Seo Emprezario es-
tiver melhor do estado enlrmo em que sea-
cha se caular um novo Duelo pringues -
O mesmo j mandou pintar urna nova uta do
grande Palacio do Doge de Veneza para una
Pega nova que ser annunciada para a So-
cedade : inda allao tres locares a preencher ,
os prelendenles dirijao-se ao Sr Tliezouicio.
Avisos Diversos.
tSF" Quem quiser com/irar urna Tenda,
falecom Manoel Francisco Lagpa com ven-
da no Atierro da Boa Vista para tra:ar do
afuste.
ILEGIVEL



DIARIO DE PERNAMBCCO

rws
S_l
ts?' Precia-se de urna casa terca ou loja
arue nao exceda o seu aluguel de 7 a l-ooo ,
m bora tenha mucos com 11 iodos da-se fia-
dor a conteni com lano que seja no baiiro
de S Antonio; quem liverannuncie.
_? OHerece-se um rapaz brasileo para
caixeirode cobrancas ou armazem e lam-
ff sugeita a cobrar dividas pagando-se por
cento do que rcceber ; quera o precisar an-
nuncie.
l>- recisa-se de 5oo a (ioo.000 por 6 me-
zes sobre hvpotheca de um escravo eanoeiro;
quem quiser Iazer esle negocio annuncie
_-p Quem precisar de um rapaz portugiiez
para caixeirode armazein de assucar ou mi-
tro qualquer negocio, dando fiador a sua con-
duela annuncie.
tSf Prema-se de um minino brasileiro ,
ou portuguez para caixeiro de urna loja de
fa/endas ; na ra da Concek-o da Boa vista
D.5.
_S7"0s Srs. Joaquim de AlbuquerqueFer-
nandes Gama e Antonio Clemente Estoves
de'Larras, dirijao-se a ra na D. 11 no
terceiio andar a negocio de interesse.
__?- Precisa-se de urna cisa terrea para
pequea familia cm qualqncr dos l'airros
e que seu aluguel nao nao exceda de oito mil
ris ; quem ti ver annuncie.
_S_f* Por ordem do Ilm Snr. Juiz do Civel
da terceira vara, se bao de arrematar cm asta
publica a porta do niesmo Ministro findos
os di s da le ; 1. os rendimenlos das balan-
cas de pezar assucer nos trapiebes dj Recife
querem volun-.es grandes, querem pequeos
pertenerntes que croos ditos rendimenlos a
Cmara Municipal de Olinda ; avallados em
1 aoo,ooo por anno ; i c os rendimenlos ou
aluguel da casa e armazein que a mesma
Cmara possuia na ra do Yigario delionte da
Igreja do Corpo Sanio avallados em .^'0,000
por auno; 5. OS rendimentos ou aluguel
tos dois armazens da casa petcnconte a mesma
Cmara na ra do varadonro em.Olinda, jun-
to a l'rmida de S Schastio avallados em
5o,ooo por anuos; .os rendimentos ou
aluguel das casas que foro di plvora pcrlen-
enles a mesma Cmara uu iugar do man-
uinho avaliadosem 1 coo por auno; cuja
arremata ose vai la/cr porexecuco de sen-
tenca de que be escrivo Souza, e Exequen-
te Manocl Luiz da \ eiga.
S_r Arrenda-se para pausar a fesla ou
por por anuo, o sitio do Pi/a com grande
casa de vivenda casss pequeas para alugar,
tenas para planlacoens arvoredos c banbo
dentro de casa por preco commodo ; a tra-
tar na ra da Cadeia de S. A nIonio j. andar
do sobrado pie oi do Mayer.
__?" Roga-se ao Senbor J- J. P. niorador
na ra nova que annunciou ter para ven-
dermetbodo para envernisar cabellos ; e
os outros aulbores que por varias vezes
tcm annunciado varias caixas de poz pa-
ra o mesmo firt hajo de annunciar que me-
thodo ba para iazer nascer cabellos a quem os
nao letn
__r- O Sr. Pispo Diocesano queira mandar
mudar da Ireguezia de N. S. da Conceicao ,
Cidade das Alagoas o leverendo Francisco
Marques da Silva ; attendendo o que se re-
presentou contra o dito Reverendo Marque*.'
Esncra-se poi tanto nozello encansavel de S.
Exc. Rcveiendissima como Pastor da Igreja,
queira emquantoanlcs dar providencias a tal
respiilo nao tendo o menor escrpulo.
Sjf OTbesoureiro do Ter ..o pela nica
Tez responde ao Sr Juiz da mesma Irmanda-
de que bem certo esl de nenbum egerencia
mai's ti r com as asignaturas das patentes ou
oulro qualquer nugocio ledenles a Irm.inda-|
de desde *-, dcSeteinbro p. p. nao por ter
sido demitlido de seu emprego por del be- j
raco de alguma mesa ; mas sim de sua es- j
pontanca vontade, pois nao qui/. enemquer!
servir cuiii ynSCi
in mi.
ini expulso !K>r
duas mesas por falsificador da firma do Tbe-
sourciro } e como nao eslava para cumprir or-
dens llegaos motivo porque oi entregue as
liares. Pergunto agora ao Sr. Juiz que mesa
i'oi que me toniou conlas durante o teinpo de
minba serventa e quem est de posse das
joias., ouro e prata pertenecntes a Igreja?
E sendo sto assim como me trata por intitula-
do Tbesouieiro ; nesta parte ten lio respondi-
do. Peiyunto oais ao Sur. Juiz quem autho-
lisou a S. S. para mandar imprimir carias pa-
ra esmollas da lesla da Senbora excluindo das
aasioMlnros das nx-smas r mesarios Ser
o -nao uuererem combinar com arbitrarieda-
des ? E que mesa lamben ou quelei o au-
. OI,OIJ itfer urna Irmandadesem nella ha-
;cr Tbcs<;...vi,o (con diz) b os Procuradores.
B a, nusarios a cima dilos ? Lm fin. Snr. Juiz
.nuitacouzaliuhaadizer po.e.n nao quero
u,fadar o Public com rosa, une so serven,
ara do-credito da nos Irmandade.
SST Nanoitedodia i4 do p. p furtaro
do sitio na Boa vista que faz frente para a ra
do Hospicio o para a ra dos Pires um ca-
| vallo castanbo escuro com frente aberla e
! tres pea valsados bom carregador estradeiro
] tem 4 a unos a marca cnl rente- i quem
pegar leve ao mesmo sitio que ser recom-
pensado.
C3" Roga-se ao Snr. Capito Joo Baplista
doAmarale Mello, de dirigir-se a ra do
Fogo l). fi parase tratar negocio de seu in-
teresse
cy- Quem precisar de um perito forneiro
annuncie.
sy Precisa-se alugar um primeiro an-
dar de um sobrado as ras principaes de S.
Antonio-, quem.tiver annuncie.
y O abati assignado neixa a desposi-
go ebom juiso do respeilavel publico, o
conlra annunciofeilo pelo Snr. Luiz Ignacio
Possoa de Vello no Diario de do corrente ,
a respeitode outroqueo abaixo assignado fez
! para qualquer pessoa a quem elle livesse em-
penbado ou vendido varias joias de sua mu-
lber fosse receber scus valores em casa do
annunciunle pois ditas pecas eslavo bypo-
ibecadas, assim como ludo quanto o dito
Mello possue presente e ucturo : urna vez que
o (I i lo Snr. he bem conhecido nesta praca ,
quanto porem dizer o annunciante que ditas
joas apa rcenlo na carleira que se acba em sua
leja quando esta Ibe foi en trege cnconsequen-
cia do iUegal mandado (|ue conseguio ; pois
que com islo prova que nunca as joias de sua
mulber eslivero na casa de commercio de seu
marido e que depois que elle as tirou d onde
eslavo empenhadas he que ali as recolbeu ,
3llanto mais o annunciante nao perdeo a ideia
e que ouvesse algum arleficio no arsapo par
onde sedece para a loja apesar desla eslar fei-
xada porem como seno abrir-se nem fez-se
nella algum exame segue-se que pndia te-lo
aberlo meter na loja. ou tirar tudo quanto
quizesse estando o dilo morando na dita ca-
sa. Joo Carlos i ereira de Burgos Ponte de
Len.
C?- Alnga-se um sobrado de um andar e
solo no principio do alieno dos a (logados ,
pegado ao Snr Silvestre Joaquim do Nasci-
mento ; a tratar no mesmo ; assim como ven-
de-se urna cabra mo a cozinha engomma ,
e com mais babeli Jados
ssy Quem quiser assentar praa por ou
tro no terceira batalbo de ai tilheria diri- j
ja-se a ra do INogueira D. 1 .
%Sg- Precisa-sede v: 000 000 a juros de um|
por ccnlo ao niez hypolhecando-se para se-j
guranca predios nesla pra a sem baver em-
barasso ; quem quiser dar annuncie.
Zy Arrenda-se urna das maiores olarias
que existe nesla praca com todas as propor-
coens e vanlagens que se exige nesleeslabe-
Iccinieiilo o que com a vista se vdr tendo
casa de vivenda de sobrado, e oito seuzalaa
para escravos a qu?.l se arrenda por preco;
coinmodo quem a pretender dirija-se a
Joo Francisco Santos de Siqueira na ra ve-.
Iba de manb at oito horas e a tarde al as
4; o mesmo Siqueira tcm para alugar pelo,
tempo de festa urna casa terrea no lugar do I
monteiro junio ao seu sobrado com bstanle,
commodos estribara para dois cavallos, sen-
zal para escravos sabida para o banbo in-
dedendente ; e um sobrado a margem do rio
capil aribe lodoenvidrassado e muilo per-
lo do banbo estribara para um (-avallo e
muilo proprio para rapases solleiros por ter
para isso ptimas proporcoens.
V^y- Em resposla ao annunciode Gaskell
Johnson & Companhia inserido no Diario n.
tft, Chrislovo Diestel por seu bstanle pro-
curador faz publico que nao pode ser de ma-
neira alguma responsavel p;>r a inculcada al-
sificaco que diz o Sr. Gaskell ler-se encon-
trado na taradas caixas de assucar compradas
iielo dilo Sr ao anniii/ciante visto que foro
ditas caixas inspetadas na repartico compe-
tente c nao pode o annunciante responder
por um faci que lbe nao pe tence e nem
podia ser por elle pralicado ; alein de que
vencidas as letras rigoroso dever do aceitan-
te he paga-la urna vez nao pro ve falsidade ,
ou quitaco o que faz o annunciante publico
somente para desvanecer qualquer impresso
dcsayoravel que por ventura se tenha feilo a
seu respeilo.
jy Deseja-sc saber das moradas dos Snrs.
Narciso de raujo e Silva, iVanoel Jos dos
Sanios, Jos Francisco da Costa Jos Lopes
Jnior v anoel Carneiro essoa e Fran-
cisco Xavier de .Vjaltos a fin de screm pro-
curadas
ty Aluga-se urna casa propria pra as-
sougue no lugar da rilieii a do peixe do bairro
de S. Antonio ; a fallar na praca da Boa vista
D. i.
tSf Precisc-se de 100,000 a juros sobre
pinhores de ouro por lempo de 6 mezes 5
quem quiser dar annuncie.
S37" Precisa-se de urna mulber que nao se-
ja mo-a que engomme e cozinbe ; na ra
do collegio D. 6.
. Avisos Martimos.
PARA ILiVANAe Matanzas a Escuna Hes-
panbola I'.speranca Leo ; quem na mesma
quiser carregar ou ir de passagem dirija-se
ao Capilo a bordo ou na ra da Cruz nu-
mero >7.
PARA O HAVRE a Barca Camelia, pre-
tende sabir no fim do corrente; quem na mes-
ma quiser carregar ou ir de passagem diri-
ja-se a seu consignatario L. A. Dubourcq ,
ruado Vgario 11. t.
jL e i 1 & o
SE?" Que faz o Corretor Oliveira de um sor-
timcnlo grande de ferragens de diversas qua-
lidades e muilo vendaveis perlencenles a
Alexandre Mackav 6 Companhia sexta fei-
ra 1 do corren le as o horas da man lia no
seu arma andar.
tET" Que fazcm Crablree Heyworth & Com-
panhia, por intervenco do Corretor Oliveira,
de urna porco de chitas e estopas avariadas
por conla de quem pertencer e de grande
variedadede fa/endas limpas perlcncentes a
casa e que ser entregues inlalivelmenle
pelo maior lause ; quarla fciru 16 do corrente
e principiar pelas fazendas avaridas as o
horas da manb sein falla 110 seu armazein
do forte do matos.
C o 111 ) V il s
ITT Cronometro de patente que seja bem
regular c justificando o seu andamento justo ;
no lado do Corpo Santo n <:(
\Zf Urna marqueza ou sof de angico ,
ou Jacaranda; quem livor annuncie
tSt Doismethodoode flauta-; quem tiyer
annuncie.
Vendas
Cachoeira ; na ra do Cabug loja do Snr
Bandeira.
tST Um bom relogio de parede de pndula
real caixa com a grandes vid ros boa cam-
pa e que repete oras duas vezes e meias
horas ; na ra de agoas verdes por cima do
assogue.
Sj- Um preto crcoulo de idadede 4 annos
muito sadio proprio para todo o servi o e
entende de cozinha ; na ra da Gloria fabrica
dedistilatoD.' .10.
SS?" Una barretinha em bom uzo paia ofi-
cial de arlilheria por prejo commodo : na
ra velha D. ii.
tsr" Urna canoa de amarello, que carrega
5 cajxa de assucar com todos os seus perten-
ces ; na ra do collegio 14.
SST Urna (lauta de bano de 4 chaves, mu
boa ; no armazem de vidro ao lado da cadeia.
ssr Rap de Lisboa de superior qualidade,
chegado ltimamente no Brigue Mrquez de
Pombal; na ra da Cruz armazem de trastes
n 4*
S3F" Assucar refinado a aj ao em arrobas;
na ra da senzala nova ) 7.
Q> Rap de Lisboa chegado ltimamente ,
e por preco commodo ; na pracinba do Livra-
menlo loja D. 19.
SET m preto remador proprio para o ser-
vi o de alvrengas e botes; na ruada Paz
casa do 1 ampian.
S2F" Urna excellente' casa terrea ratificada
de novo ao goslo moderno sita na ra de
agoas verdes 6. 5 ; eum sobrado no lugar do
varadouro com tcommodos para urna grande
lamilia com excellente banheiro de pedra e
cal; a tratar na ra dos Quarleis D. 5.
S3y- JNa praga da Independencia loja n. 11
en, vidros de purgantes de Ajanoel' Lopes ,
bandas finas para olhcias e sargentos talins
como distenlivo de l'edro II ditos de car-
rancas ; barretinas para otliciaes e soldados ,
relioz camesim para bandas 'choroens de
pennas finas e plumas para officiaes e sar-
gentos tudo ltimamente chegado do Rio de
Janeiro, por preco commodo.
Escravos Fu dos
!CF" Urna casa na ruada Alegria ; a tratar
com o Sr. Antonio Carneiro Machados Rios ,
defronte da ribeira da Boa vista.
IS" Urna porco de madeira de amarello ,
em praochoes ; na ra nova loja de ferragens
D. 10.
C?- Um molato de idade de iR a >o annos,
bom para pagem ; no atierro da Boa vista lo-
ja de Jos Ignacio do Monte.
iZf Urna cscrava de naco hcnguella de
bonita figura engomma liso cozinha o di-
ario de urna casa lava bem de varrella e sa-
bao se a Ranea 10 comprador nao ter vicios ;
na ra ireila I). o lado do Livramento.
JT Um carrinbo de duas rodas com ar-
reios para um cavallo muilo maneiro e
por preco commodo ; na praca da Uoa vista
botica 1 i.
X-y lom taboado de louro de 15 palmos de
comprido e dois de largo ; na serrara e esla-
leirode Joo Tbomaz l'ereira junto ao arma-
zem do sa' do fallecido Bcnto Jos da Cosa.
SST Um relogio de cima de mesa que re-
luga muilo bem e por preco commodo ; na
ra do Rozario botica de Joo Pcreira.
ISf" Um cscrava de o annos de dade, com
urna linda cria mulatinha com mezes de ida-
dade he pcrl'eita cozinheira e engomma-
deira urna dita de 19 annos de idade cose,
e engomma com pereico ; um escravo Tle
meia idade proprio para sitio ; dois ditos
muito mocos e trabalhadores de campo e
um molalinho ptimo para pagem ; na ra de
agoas verdes I). 5t>.
UT Por preco commodo um grande sitio
na estrada da Ponte de Ucha com trez sar
las grandes 11 quartos copiar casa de
I.inulta eslrevaria para 6 cavallos senza-
la para 5 cavallos. duas baixas para capim ,
muito terreno para plantac5es e arvoredos de
toda qualidade de fructo, vende-se metade
a vista e metade a praso ; na ra Direita
1). i, e na mesma se atuga oulro mais peque-
no com casa nova todas de pedra e cal e
Ierras de planlacoens.
XZT Chitas francezas encarnadas com flor
ama rea sem defeito a a o o covado ; na
loja de Antonio da Cimba Soares Guimares.
na ra do crespo D. 5 lado do norte.
SSt- i'or preco commodo urna canoa aberta
usada muilo propria para carregar cnlulho,;
na ru? de agoas verdes por cima do assougue.
t3^ Ynho da Figueira muilo superior a
14^0 a caada ; na ruada senzala velha ar-
mazem D. l.
C?" Superiores charutos da Havana e di
Xs7' Narcisa creoula a" cabralhada com
perlo de o annos de idade alta ps gran-
des com as mos foveiras boca grande ,
beigos grossos desdentada, foi escra va da
viuva do fallecido Barreto Sr do engenho Bu-
ranhe.lreguesradoCabo e de Joanna Liba-
nia nesta praca e de D. Catharina no sito do
Boto em S. nto supe-se ler hido para o
engenho Molinotc ou Arariba debaixo aqnde
temo marido escravo de um lavrador do dilo
engenho e est acostumada a vender fazen-
das e miudezas pelos mesmos lugares fgida
no primeiro do corrente e indica ter sahido
com miudezas ; quem a pegar traga a esta
Typografia que ser recompensado
S3~ Fuio 110 diaVdo corrente um molato
de nome Sabino de dade de > o annos, bai-
xo cara larga cabellos corrides nemas dr-
quiadas levou Aimisa de algododa trra e
calsa de brim escuro liso remetido do Assu'
or Manoel Lins YVanderley ; quem o pegar
eve a ra da senzala veihan 78, ou na ra
da cadeia n. o que se#giatificado.
^ No dia 7 do corrente desapareceo um
negro de idade de 18 annos de naco S.
Tiiohi de nome Joo altura mediana ,
grosso do corpo andava vendendo nao pelos
lugares dos A ogados molocolomb'.r, e Gi-
qui ; quem o pegar leve a ra Direita de-
f ron te das catacumbas do Livramento casa de
dois sobrados entre duas casas terreas que
ser recompensado.
ey Nos ltimos dias do p. p. desapareceo
desla Cidade um preto de nome Manoe ca-
bra levando camisa e seroula de algodo ,
he de altura muilo baixa ja bastante velho,
sup5e-se que a titulo de pobre ande pelas
praias a pedir esmolas; quem o pegar ieve a
praca da Boa vista botica i.
itfovitueBto do Porto
;
NAVIOS ENTRADOS NO DIA 11.
HAV'BURGO; 6*dias Brigue Hamburgus
Polidora de 176 tonel Mestre H. Hedleld,
equip. a carga varios gneros ; a JN. O.
Bieber; passageiros 6 Alemaes ea fami-
lia de um.
SAHIDOS NO MESMO DIA.
PORTOS DO SUL; Paquete V. \ac Mara-
nliense, Commandante o Capito de Mar
e Guerra B. llayden leva varios passa-
geiros.__________________
ERRATAS
Diario n. aaa pag linhas fo cuja caria
veio-nos por Garanhuns lea-se a qual nos
veio por Garanhuns.
RECIFE ti\TYP. DE M. t. DE k. i83o
ILE6IVEL
i

i
1
t
Al
V


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EJBFXS3U0_P37YT4 INGEST_TIME 2013-03-29T14:59:57Z PACKAGE AA00011611_03920
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES