Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:03919


This item is only available as the following downloads:


Full Text
Anno de 1839. Sexta Feira

Tudo agora depende do nos mesmos; da nossa prudencia, modera-
co, e energa : continuemos como principiamos e seremos apontados ISTI
cora admiracSo entre as Naces mas cultas.
Proclamaco'da Asstmbka Geral do Bra-.il.
n n ii i ___________ ^j
Subscreve-se para esta folha a 3ooo por quartel pagos adiantados
nesta Typografia, ra das Cruzes l). 5, e na Traca da JndrpeBdencia
D. 37 e58, onde se recebem coirespoudenciasUalisadas, eaunuucios;
i nsiriudo-se estes gtatis, sendo des proprios assignanles, e viudos assig-
nados. "f.
Partidas dos Correios Terrestres.
Cidadeda Parahiba e Villas desua pretendi................ >
Dita do Rio Grande do Norte, e Villas dem...............* f
D.ita da Fortaleza c Villas dem......................./ \ ?Segundas e Sextas Feiras
Villa ce Goianna............................." ..'..". /
M."d5 t ?U -d................................ T**1 *
Villa da. Anlao...................................Quintas (iras.
D,ta deGaranl.uns a Povoac..o do Rnn.lo.......... .........., ,0p e 2 decs(|(, m
Ditas do Cabo..berinliaem lt,o Formozo, e Porto Calvo............ide, 11, e ai dito d.lo
Cidade das Alagoas, e Villa de Marino......;................>> dem dem
Villa de Paja de Flores........... ...............".... lde.a l.\ dito dito.
I odos os Crrelos partem ao meio da.
II

Qurur.Ro. Numero 222.
CAMBIOS.
O minti. 10.
Londres...... r.l por Ifonn Cfld. nominal.
Lislwa....... So pir 0/0 pter.io. por metaloilcroeldo.
Flanea....... 5 o res p;irlraiiCo noiit.
Iiio de Janeiri) o par.
OCHO Moedaa de 6#>..o r., Vrll.as 14f.no a
Dt.-.s ",, ., Noval
I)iias de 4*' oa r-.. ,
PUATA ['atacos flraiil iros--------------
,, Peros Cohimnarios----------------
/)itos Mexicanos--------------------
Premios das Letras, por mez 1 1/8 a i
Mcela de cobre 4 Por ioo.de dic
tijfooo a
i. i n .,
"#a a
i|i por loo
\iBioa
tiioo
Pg> l#jjO
Dias da Semana.
7 Sequnda------S. MarcosP. --------
8 Terca----------S. Zn igi g Onarta--------Dhnizio B.-------------------
10 Quinta-------S. Francisco ile llorja------
11 Sexta----------S. Firiniio B. ------------
1 a Sabbado------S. Cipriano B--------------------Uel. e aud. dj J. de 1). da 5.
i3 Domingo O Patrocinio de S. Jos. -
------Sess-o da Tlie?.. e And. do '. de D.dal. v. de m,
-----Relaco, e Aud. doJ.de I), d. 1. vara de inanli.
- Audiencia do J. le I). da 1. v. de manila.
-----del; ,'csli da Tli'-z. e aud, do J. de D. da 1. j.
Sessao da Thes e aud. do J. de I), da 1. vara.
Uel. e aud. dj J. de D. da 3. vara.
Mare cheia para o dia 11 de Outubro.
As 8 borase 5o minutos da tarde As 8 horas e minutos 5} da manlS.

PERNAMBUCO.
Diversas Reparticoens.
ALFANQEGA DAS FAZENDAS,
[ A Pauta he a mesma do numero i83.
MEZA DO CONSULADO:
- A Pauta he a mesma 'lo numero a 15.
CORREIO.
Existe urna carta segura para Francisco Rer-
thou Metiera golisla Francez.
O Vapor Varanhensc recebe as malas pa-
ra o Rio de Janeiro Pabia, Macei e A-
lagos hoje 11 a 1 hora da tarde.
O Arsenal de Guerra compra vinte qttin-
taes de barras de ferro Suecia de 5 e p pole-
gadas sortidas quem pertender fomecer o di-
to genero coro pareja nesta Repartidlo as 11
horas do di* 11 do corrente para tratar do a-
j ust.
A ricial de Guerra la do'Oqtubro rte-rWg.
Joze Joaquim Coelho.
O Arsenal de Marinha em vi rinde d'ordeni
superior le tu ue frea r huma CiuhtrcacSo pata
couduzir mautimeqtos a llha de Fernando ,
sendo de 200 toneladas para mais : em con-
seqttencia convida-se a (uem semelhaale fre-
tainento possa convir a que compareca na ca/.a
da Inspecco do mesmo Arsenal com sita pro-
posta por escrito em a qual se declare ono-
me e qualidade de Embarcaeao e o menor
preco porque pode l'azer o fretamento ; islono
dia 12 do corrale as t 1 horas da manha.
Inspecco do Arsenal de iVJarinba de Per-
namhuco 9 de Outubro de 1H _'c>
Alexandre Rodrigues dos Anjos.
Secretario
Em virtude do art. 46 da Lei Provincial n.
7 i de .*o de Abril p. p. pela Adminislrarao
Fiscal das Obras Publicas se hade comprar a
quem por menos vender os gneros seguintes ,
Iiara a obra da Thezouraria Provincial a sa-
ter: cinco duzias de taboas de forro de sedro, 3
tahuas de distado de sedro duas dn/.ias de
assualho de loiro 8 la boas de forro de louro,
trez mil pregos de forro de salla
A. F de \loura.
A. F.
tabclecimcnlos de Caridade p de Outubro de
i839. J. 'M. da Cr-iz.
Escripturario.
Tbom Percira Lagos Arrematante do
Imposto de 20 por cento do consumo das Ago-
la ardenles de produca Rrazilcira,, aviza a
todos os Snrs que devem dito Imposto vo pa-
earot odia 15 do corrente na ra das Cinco
Ponas em caza do Escripturario do dwsmo
Contracto Amaro Renedilo de Souza ..islo
quejaforo avisados por esta folha e o nao
tem rento Mudo o prazo o supplicanle contra sua
vontade proceder na forma da Lei.
Recife 7 de Outubro de 18J9,
'J'liomt- Peretra Lagos
Arrematante.
fisica e contando segura a sua salvacao. |cou-sp pediodo dia o hora para o rcrehmienlo
Enviada a Mensagem; no seguale dia. da mesma. No seguate diaoGoverno res-
NOTICIAS PROVINCIAES.
CEARA'.
quandoa Assemblea-continuavq em os seas
I raba ih os Legislativos, eis que de sbito se v
assanada 5 e inlerrompida pelos tropeis de
cavalios tenidos e ajrraslamento de espadas
(jtie 11 pateo ante-sala e galeras fasio
cxlraramartatonfuso. OAjudanted'ordens
do Gobern armado c acoropanhado de mul-
los militares levanta o repesleiro e gritan-
do diz que condusia um officio do presi-
dente adiando a Asscmblca.
Psla deixadenarrara V !\I, e C. ludo
quanto occorreo nesta ocrasio : basta diser ,
que os i epatadoshoseaterrarao vtstado apa-
rato marcial desenvolvido por esle mancebo
que s i queresrondos e desordens: mas a As-
sembleaprocurando nao aggravar essaanarcliia
mansa emque quase >. nanos vive a Pro-
vincia obedeceo immediatamenlc ; Sortaria
do (iovfmo ( corral ludo se ver por copia jun-
ta ) nao obstante eslar persuadida que he ella
inconstitucional e subversiva de lodos os pria-
i Por na carta particular que nos dirigiro do e m por
Ceara. recebemos a representaco seguinte, de balonetas. quando nenhu resistencia se
dirigida pela Assemblea Leg.laliva Pmvinti- oppbz, Epata que lautos eslroados lanos
al contra o hxm I residente motivada pelos movimenln.de tropas; ea violencia queso
r-conteetmentos de 1 i de selembro que lam- fez entrando-se armado no Recinto dos Legis-
bem publicamos. hdores da Provincia i
. Senhor! este joven, que ainda carece decu-
,!1,r* ,A.Asseml)Iea Legislativa Provin- rador, tem por sistema envenenar tudo ; c
ctal do Ceara anda alga de sen rigoroso de- com bstanle impavidez costuma esriover e
ver levar ao Trono Augusto de V. \i. I eC fallar em sentido diamctralmenle opnosto ao
o procedimenlo ultimo do actual presidente, queprocetle assim esta Assemblea previne a
Senh
A Assemblea nao podendo observar silen- V. Ai. 1 c C
o .
que elle nao icm escPopulo
ctosa a marcha desvairada de um mancebo em o5%ider a verdade, comanlo qued'ahi
indiscreto ede genio estravagante deiigio- jnlgtie Ihc profir algum bem particular.
IhtMim officio ped ario dia chora para recebera Senlu-r A Assemblea P. nao deseja a
Depytaco, que tinha de apresentar-lhe a desordem S o Dr Joao .aloniodo Miran-
^'cnsagem ( riue por copia esta Assemblea re- da a pimovc e apregoa que lie solicito e
V. M. I. )i\o da seguinte elle nada lem a perder -os Representantes da Pro-
pende.^ que rom -excessivo- prazer recelierufl
a Meosageni peta huma hora da tarde. Km
consequencia o Sr. Padre Lourenco reqnof
que a Deputaco sejajjpmpcsta de seis Mem-
l.ros ; eoSr. I'residen le nomca os V garios
Eouren'jo Correa de S;, Mano-I Pacheco P-
ntenle] e Domingos Carlos de Saboia *e Ca-
pilo-mor Juaquim Jos1 Karbosa, e L'r. Jcs
Lourcir o de Castro e Silva.
A hora marcada a i epnlaco se dirige ;
Palacio : abi ebegando encontrou lodosos in-
dicios de ser a residencia de S. Exc. mas
ninguen appareceo Rctirando-se ao Paco o
Sr, Dr. Jos I ourenco como Relator declara ,
(ue marcando S. Exc. a hora do rccehimenlo ,
nao marcou o lugar onde s^acbava : por con-
seguidle a Deputaco di rigi-se casa em
queS. E\. at odia antecedente oceupava ;
havendo pois cumplido o dever imposto pela
Assemblea restava a mesma enviar por o
ci a Meaaagetn : assim se veact>o. Poneos
instantes depois cliegou o Ajudante d Ordena
de S. Eft.
o sargento
de 1. Linba tJanoel-
V'oreira ecomraunicoa aoSr. primero Se-
cretario queS. Kx. meia noite do da aii!e-
cedente procurara a casa de Jos* Antonio Ma-
chado e que ahiesperaxa a Deputaco Sns-
cilou-se nova qtteslo, e por fin a Assemblea
decidi que havendo a Deputaco cumprdo
com o sen dever era indecoroso sabir de 110
copfra ir bsvqr a Vlensagcm, (ue a Assem-
blea i havia rOBolvido caviar por officio.
Nodia immedialodscuta-se bum Parecer
da Commisso quando tropeis de cavalios ti
nidos e airastanientosde espadas na ante-salla
inlerrompiTao o Se, primeiio Secretario, que
ora va. u Sr. segundo Secretorio manda pelo
continuo ver se a ante-sala (ora convertida niui-
1'REFtlTUriA.
PARTE DO OA I O.
]llm. e Exm. Snr.Consta somente das
partes hoje por mim receladas qire forao pre-
zos bontem minha ordem 'Nanocl Tei-
xeira dos Reis branco e Izidoro Marques
da Silva, pardo pelo Sub-P. da reguezia de
S Antonio, por estarem em desrodem, cujos
prezos tiverao destiao.
Peraate a Admiaistracao dos Eslabeleci-
meatos de Caridade se hade arrematar a quem
mais der as rendas do sobrado e t lojas da ca-
za que oatrora foi oceupado pelos expostos ;
( cujo sobrado acha-se sem iaquiliao ) e bem
assim s de n. 11 na ra do Amorim e 180
em Fura de Portas ; as pessoas que as quize-
rem arrematar poder comparecer qo Grao-
de Hospital desta Cidade no dia 11 do corren-
te mez as 4 horas d tarde com seos fiadores
Salla das Scssyes d'Admiuislraco dos Es-
(jodeposse do aotographo quelite foi en- viuda e os 1. earerices em geral, tem
trege por um escripturario que por duas to a perder c ludo faro bem da ordem c
veses tem rouhado os mais imporlanles docti- suslenlaco do Trono < onstilticional Repre-
mentos para entregal-os ao actual presidente ) sen tatito. Mas ser prudente que o G overeo
respondeo que -comexcessivo praser recebe- de V. 1U I. e C. mande presidentes, que
na a leputacao a hora da larde Em offereco garantas aos Cididos que respei-
conseqaencia parlio esla hora aprasada ; e tem as : eis : que nao sejo lacis inslrumen-
dengindo-se a Palacio soubc da scntinella que tos dos partidos; e sobre tudo que lenbao
presidente pela meia noite mudara-se para a bomsenso. Homns que vem procurar Ibr-
easa oceupada por Jos Antonio Machado, tuna, 011 arrasaros inimigos desse maldito
Vollandoa Depata o por ao lheserdeco- sistemando regresso nao podem bemgover-
roso andar em procara do presidente, qae nao nar ; em os Cearenses querem feitores. Sao
leudo domicilio certo tinha por derer marcar ses otque promovem a'desordem as Pro-
lainbem q lup,ar de sua residencia a Assem- viadas e ameaco a Integridade do imperio,
biea resoiveo mandar em officio dita Mensa- Sr. foao Antonio de. Miranda alera (lena
Gem ter predicado algum para bem administrar
A Assemblea procurando somente exp-'-r o, u I rovincia. nem mesmo hu pequea asso-
(]ti(^ ba de real deixar de referir os meios ciaco ; he fallo desse senso que caraelcrisa
ignobeis projeetados pelos partidistas do pre- o geral dos homens.
stdenle para insultarem e .... mesmo assas- A Assemblea mtiilo teria a diser se llic
aos dctalhcs do sea
io estovado e extrava-
representar mais sobre
tresloucada e immo-
sinarem a um dos V'embros da Deputaco-----fosse permtttido entrar
Paslaqueesla Assemblea diga a V. M. l.eC. proeedimeato e genii
que lodosos parlidis(as.do joven presidente fo- gante 1 e protesta nao p
rao chamados para cercarem-no nesse dia ; os a innrc'a anarchica traiuuuura ^ .......u-
officiaesdaG. N. mais fanatisados concorre- ral do actual presidente o Dr. Joo Antonio
rao armados a nova residencia do Govcmo de N iraflda Pa oda Asscmblca Provincial
(alias oceupada tambem pelo mesmodono); do Cear q de Setembrode 18J9.
e a tropa esteve em quarteise promptaao 1.
sigua!.
lie isto o que ha de verdadeiro e que pelo
seu aparato arrasta o espirito a acreditar as
revelaces que depois foro feilas ; qae de
em deve ser referido : mas releva que
esla Assemblea declare, que tudo arredila
por que tem dados bastantes para acreditar ,'
que o Dr. Joo Antonio de Miranda be capa/
de todos os alicatados tendo da sua parle a loica
Jor.5 Facundo de Castro Menea lente.
loao Paulo de Miranda 1. Secretario.
l.oureittodeCastroaSilva, i.Secretario.
Na Scsso do dia i3 do corrente o Sr. Dr.
Jos Loaren o apresentou huma Mensagem
para ser enviada ao Governo Provincial. p-
provada ella no dia 17 por rei|iierimenlo do
mesmo Sr. oSr. Presidente nomeou aires
Diputados para levaran -na a S. Exc, eotli-
-pi;Ka (farias-. \ tillando diz que o Aja-
daiite d'Ordens do Goveroo trazia Imm Officio,
e que quera entregar ao primeiro Secrelario :
esle responde que depois que acabasse de fal-
lar ira recebar. Poneos (iistnli depois o
Ajndanle ahrindo o repesleiro e (buido hum
passo para dentro do Recinto da Assemblea o
armado, gritou S. Exc. manda eH*. Officio
'mosliando) addiundo a Assemblea O Sur.
Dr. Jos Lou renco (cota precipitaco e vehe-
mencia) Agente de hum Covern6 que tudo
profana retirai-voi e nao euzeis perturbar
nossos trabalbus cun picediiaentu lo ienu-
bil....
_0 Ajudante (perturbado) maadem recebera
'iliiiio, que S. Ex. isto ncstno ordciunt-me..
(GrilOS de ordem, ordem; lodos grilac lai-
ln ao mesmo lempo)
O Sr. Costa Barros (gritando) entre, est
addiada a Scsso ; S. Ex assiia ordenou.___
O Presidente (depois de chamar inuitas vc-
zcsaordeirro Sr. Cosa lanos) declarou t\v.o
o Sr. iepuladu ao eslava em estado de deli-
berar.
O Ajudante (ainda com a mao estendida
mostrando o Officio)
OSr. Jus Loureiico (baendo com Corea so-
brea meza) agente do Poder ditei-lhe qae
para poder ser respeilado t';i:<1 preciso ,
(|ite nos Kspeile: dizei-lhe mais, (m: 1. .
sao os setts cstrondos, neiit suas bravatas;
quenioso as suas baionelas que nos fw
largar nosso posto com indigaidade (numero-
sos o repetidos apoiados)
estes aparatos marcioes
tem conscieucia de sua digoidade (apoiados
geraes.)
OSr; Cosa larras ainda icsniuaga falla
, dizei-lbe ainda qae
nao atierran a quena
ILEGIVEL



D l
ARIO
EaBBMHH
DE
PERNAMB'UCO
:
e grita (Novas inlerrupces; e por alguns mi-
f putos gritos de ordem e palavras, que par-
lero de lodos os lados interrampem a discus-
saio.)
O Presidente restalidecendo a ordem de-
clara anida que o Sr. Cosa Barros, nao est em
estado de deliberar.
, O Sr. Miranda (lirijjiudose ao Continuo)
I v: receber aquelle Olhco ; e diga aos Srs.
Militares que nao llies he permillido entrar
aimados nesla caza*
Ilurr. deslcs (gritando) vientos por ordem do
TOi-erno enossa divisa lie a espada. .. (or-
dem ordem)
O Sr. Jos Lourengo (com vehemencia e
batendo o pe) He da piule (io (loverno 1c toda a desordem $ he elle que fomenta essa
anarchia que por nossos e.vforeos tem sido
mansa Manda homuns armados perturbar
nossos traha I los suppondo, que os Repre-
sentanles da Provincia se deixa5 arrestar pelo
niedo... Kssas espadas traspassar nossos
pe los ; mas nossos coraees nao cslremecer.
O Sr. l>r Miranda-Sr. Presiden le Eu
fui interrumpido em meo discurso pelo Aju-
dante d'nrdcns do (invern que ousou impu-
nemente invadir armado es'e recinto s para
declarar que ennduzia huin ofticio de adiaco
desla respeilavel Assemblea oficio que regu-
larmente deva ser remedido |>elo Continuo ou
Ordenanca de S. Exc. Eu aealiarei o meu
discurso ; mas seja-nie antes permitdo fallar
sSbre o horroroso fado pie acaba de pralicar
esse agente do Poder ; facto nunca relatado,
que servir de espanto, quando apparecer
, laucado nos annaes Brazilciros.
n Nao san as espadas, Sr. Presidente, que
lllii estao ('(ira ; nao san as haionetas nao s i
los canhes nem os fuzs que se preparad ,
'iqtie bao de su (Tocar os resentimenlos aos re-
Arcsentanles do povoCearense que de muilo
lirada pelos seos direitos calcados eespe/inba-
los : nao sao as espadas eu o repilo nao sao
Bis haionetas que pelo menos a mim la rao
Halar e dcixar de fazer patentes a esla Ilustre
{Assemblea o a IocIds que me ouvem os er-
,s, disvarios, e a m administradlo do Pre-
sidente que em vez de promover a ordem e
*m estar da Pro vi ocia pelo contrario se
lem lomado a causa motora i!e todas as per-
irbacoes que a agitad !
Eu me darei por adiado Sr. Presidente ,
tas antes rpie se encerr esla sesso quero
inda gosar do. indulto (pie me oulorga o Acto
fddicional a irresponsabilidad':, a inviola-
nlidade em me exprimir ; (piero manifestara
iusa.de semelliautc adiamento : mandem-me
ira o poro dessa embarraeo que se aelia no
*orto ; aasjssinem-me muiloembora, r\\w. al-
tuem haver que viugue minbas cin/as Sr.
'residente, a causa principal, e nica desle
So preconiado adiamento Ib i a enrgica e
franca mensagera que esta Ilustre Assefn-
lea dirigi hontem ao Presidente para que
lle arripiasse a mareba desenfreada de sua
sadministraco : pcrmillindoa Providencia que
1 a Ucputaco, enearregada de levar a mensa-
gem, nao eneontrasse 110 Palacio a S. Exc. ;
que na noite antecedente se havia mudado para
a caza do Coronel Machado a fim de que tai-
vez com mais franqueza, podesse, por aquel-
fies que o rodeavao e que de proposito fora
chamados, fa/.er algum desacato a to respei-
taveis Cidados nao leudo S. Exc. eulro algum
iiK-io de vinganca em vez de agradecer a lem-
hranca da Assemblea que, com toda a mo-
deraco ediscernimento o aconselhou para
que elle entraste na linlia de seus deveres fez,
com inaudito eslrondo adiar a Assemblea ,
pan fazer acreditar (encobrindo assim suas
maldades), qftedesta Ilustre \ semidea par-
t tu lodosos niales que infelizmente elle tem
levado a todos os ngulos da Provincia Com
elidi Sr. Presidente tomo,- poderia esta
cas, a fim de a vencer como aconteceo na
Villa do Crato c. no Collegio do Jardim ,
onde o Secretario do Presidente apresenlou-se
com hum bando de Cabras, armados de pu-
nhaes ,- davinas, bacamarles &c e all
fzera com que cincoenta e tantos elelores
produzissem mais de yo votos ; alm de outras
manobras, que oulros differenles agentes do
Poder zerao em uniros differenles Colle-
gios ? I
Factos lo revollantes,tao attentatorios das
garantas que nos concede a nossa Constitui-
dlo nao podem agradar nao podem c.i'.ar-se
coin ossenlimentos de pessoasque nascera li-
vres ou que sendo outr'ora dependentes do
dominio estrangeiro, podera com grandes
sacrificios, com sacrificio at de vidas, desa-
lar-se do iugo, tornando-se em i\aco livre ,
e independenle Mu los oulros factos revol-
tantes do (loverno Provincial, Sr Presidente,
cu poderia agora referir mas j me vou tor-
nando enfadoubo por isso aguardo essa trela
para os meos campanlieirns e passarei a con-
clusaodomco primeiro discurso.
E entrando o mesmo Sr. Deputado na ma-
teria em discusso conrluio votando pelo pa-
'1
havia mudado para a casa de Jos Antonio nanles a linguagem pura da xerd.ule e se
Machado Escusado he repetir o que todos j I estes querem sinceramente o bem dos Ko
sbete____ Premeditava-se lser huma des- cumpre tambera ouvir sem dcspeito ar
feila aos Representantes da Provincia c hum 'cao de seus erras c arbitrariedades e reco-
dos Membros da Ucputaco, Sr. Presidente nheecndo-osemendal-os para salvar o fais,
teria de papar com a vida os sacrificios que tem que Ibes foi condado ecua tranquilidad
ledo para sustentar a reput icao dos lions i_ea-
renses, a honra e dgnidade desla Assemblea ,
recer da Commisso ; e que depois de appro-
vado elle se tratasse do ollicio de adiamento
pelo qual elle orador tambem volava.
O Sr. Costa Barros Est adiada a Assem-
blea.
P Sr. Jos Lourenco (com forca) Nao est
anda, Sr Deputado! Asimples declaraeo
do A pdanle d'Ordens nao he sufhciente para a
Assemblea darse por addiada. He preciso
primeiramente que ven ha Mea esse Olli-
cio ; e depois que ella o abrir e remeder
Commissotompelente para dar seu parecer ,
enlo deliberaremos
O A pdanle d'Ordens foi muito abelhudo
em fazer semelliautc declaraeo quando o of-
flpio, (piedle ennduzia vinlia fexado. O
Sr. Presidente nao deve admiltir mais discus-
so sobre a materia de hum oflicio que nao
foi anda .iberio : estamos 110 expediente ; e
(piando chegar a sua vez discutiremos.
Concluida a diseussab sobre o parecer da
Commisso de Constitu o que desfazia as ra-
i s a presentadas pelo (loverno para negara
saneco ao Projecfo de Le N. J7 foi este a-
doplado |ior mais de dois tercos.
coi ahertoo o (fie i o que addiava a Assem- com recru
lih'i at o da o. de Dezembro prox
remedido Commisso de Const
deres. lie assim que seg
O Sr. Costa Barros (pela ordem) dos Cidados ? !
quasedois anuos ludibrio de administradores
verdaderos perturbadores da paz publica
Quando nehnuma certeza tivessemos do*assas-
snio, e desfeila premeditada baslava obser-
varmos o aparato bellico que hontem e bo-
je principalmente se desenvolveo. Poi's cinco
Cidados inermes vclhos pacficos apenas
cncarregados de levaren a Ueusagcm era mo-
tivo para se fazer dse ivoiver tanto aparato,
permanecendo a tropa aquaijtellada e de baiso
d'armas ? Sr. Presidente eu que semprc te-
nho proclamado a ordem eu que s aconse-
Iho hum pouco mais de sollrimento seria
o primeiro a gritar guerra de morle a hum
Govemo demonio que deo corpo calma ao
demonio do espirito de partido se os Repre-
sentantes da Provincia soffressem algum in-
sulto desses homens que tem feilo fortuna de-
pois de ip de Setcml.ro.
e e
bemgcral deve seroohjccto principal de seus
mais ardentes votos. .
O Govemo de S. M. o IMPERADOR
Constitucional considerando o pengo, que
ameacava esta Provincia com a continua ao
da marcha subversiva e immoral do ex presi-
dente Manuel Felisardo'de Souzh e Mello,
noraeoa a V. Ex. para substitu-lo. Cjual-
quer que tenha um pouco de hom senso se
penetrar da convccao de que o Governo de
S.
noel
Ma-
ca ; e
pier que tenha um pouco de hom s
Btrar da convccao de que o (iov
''. Imperial reconheced que o Snr.
1 eiizarlo era fatal i ordem publii
que todo aquelle que adoplasse a nicsma niur-
dia subversiva soffreria com mais intensidade
huma decidida opposieao por que a Lei o
nao o frivolodeve ser a norma dosGovernan-
tes V Ex norem antes mesmo de tomar conta
da adminislracocreou sinis'ras apreliencoens
nosespiritosdosCearenses tao dispostos a fa-
vor de V. Ex. i Pertode B das a Provincia
continuou a serVresidda pelo Snr. AI. F. nao
Nem oulra cousa se deveria esperar do man- obstante a represenlacao de alguns Depulados
cebo enthusiasmado que emprege-u meios in- aq esidenles [no da la de Fevereuo ]
(ames para acabar com a nica folha que 0\ortando a V. Ex. para apressar sua pos-
puhlicava as violacoes de Leis c os sofl'ri-* so ? e assim por termo a tantas persegui^oens
melos do Povo: Srs.! Se o Presidente fosse qUe 0 partido do S>r. M. F. promova 5 e y.
amigo da ordem, da paz; equizesse acabar. Ex, soquiz tomar as redeaJ do GvernO 10 .da
eV.
i
com essa intriga que elle tanto aecusa : a- 5 tend0 chegadoa esla apital no da 8 !
cabaudo coma folha da opposieao nao con- por-, Has o expediente ordinario, da Secreta-
senliria jamis, que aquella, que existede^ ra esleve parado, pois s se trabalhava em
baixo de sua influenci 1, atassalhasse a honra jaVrar portaras dedemissoes. No da da pos-
dos seus adversarios provocando-os todos os se,|0V. Ex. quando todos o acompanliavo,
dins !... Depois que cessou o Crrelo, ella 0ff(.os de demissoes foro entregues *m0 em
requintnos apodos, injurias, e infamias. Palacio, lodos os officiaes da G. N. desta
Como deixarei de faier opposiefio a S. Ex. se cidade e os novos eletos contra a pratica e
S. Ex em vez de castigar os traidores os rea- i,. cx,,ressa foro inmediatamente reconheci-
nima na pralica de actos infames. dos pela Guarda de honra quando o Bati-
O esenpturario desta Secretaria sendo en- ihj0 devia ser reunido para esse reccnheci-
carre;ado por mim para passar limpo o pa- ment. '
recer da Commisso Especial enearregada (le 'l'ndo isto foi presente a V. Ex e os reque-
manifestar seu pensamenlo sobre a falla de S. rime.-ilos dormem anda somno prolundo na
Exc. s escondidas leva este trabalho .S. Pasta de V. Ex. Alguns Officiaes de oulros
Exc traindo assim o segredo da Secretaria, liares, que por esquecimento escaparan um
Bogue fe/. S. Ex. ? mandn chamar o im- n,ez depois da sabida do Sr vi. F. recehero
pressor da Typograna ) e depois deameacal-o (.onl dala atrazada essas Portaras que o an-
rutamenlo c at assassinio ohrigou-o tecCssor de V. Ex. [ por cautella] deixou .-ssi-
factos
iva a Assem- com recrutamento e ate assassinio obrigou-o tecCssor de V. Ex. [ por cautella] oeixou nssi-
oxinio, e he a largar sua mulher e mais familia seu car- miadas V. Ex. soube de alguns factos,
tuico e l'o- go e hoje vive errante fugndo perseguico. que ustilicavo ignaes-bontos ; mas a Assem-
Ile assim quesegovema que se quer a paz y,,;, |embrar um que tirar todas as duvi-
|>az blea lembrar um qi
das que posso apparecer.
Um individuo do
O Sr. Jos Lourenco (com preciptaco)! O mesmo Sr depois de ou I ras mais rases municipio do Aquilas i legoas distantes desta
Sr. Presidente as ordens de V. Exc. devem | Ico a seguinle Proclamaco : Capital, 1 mezes depois da saluda1 do Snr. M.
ser respeiladas V. Exc. depois de chamar I F. recebeo uma.patente q'arvorava-o em Te-
ordem ao Sr. C. Barros e por muitas vezesj Cearenses Os vossos representantes a for- nenie...
sem ser obedecido disse o Sr. Deputado C. 5a d'armas foro repelidos do Becinlo onde A. Assemblea deixa de mencionar outras
n. nao est em estado de deliberar e o Sr. celebravo suas Sess&es t mas a Assemblea Le- faCl0s cscandolosos que revolto arazado
Costa Barros nao quiz cumprir a determina, o. gislaliva Provincial 110 momento de dar por verdadeiro amigo da Alonarchia Constitucio-
clo Regiment. Cumpre pois que V. Exc. nao este addiamento, ordenado com ponas de hai- na| e Repre/enlaliva. Dois meses osCearenses
deixc o Sr.-I'eputado fallar sem que a Assem- netas vos recommenda hum pouco mais de permanecerSo silenciosos, pois -
bla resolva se pode ou nao fallar. I a mi- soflrirnento pois nao estoesgotados os mei- que experimentaras com a re
as sensacoes ,
remocao do Sur.
pon
Assemblea tornar-se ndifferente a tanta pre-
potencia a lauto arbitrio a lano despotis-
mo ?
Peder merecer as sympaihas desla As-
semblea e dos habitantes deluda a Provin-
cia o proced ment do Presidente que con-
xnte (quandu nao mande) (pese roubcni as
malas de < lorreos para seren abei tas em sua
prcsenc.i as cutas particulares com mainfes-
ta nfraero da nossa Consliluico (pie garante
a nviohihil Iwde das (artas ? Merecer svm-,
patinas hum Presidente que i'r/. su florar a Im-
Inensa que no Paz Constitucin! be o ba-
uarle da Libenb.de e que mui expressa-
ineiile he garantida pela nossa Consliluico,
l'izcndo que o impressor se ranba fugitivo,
pena de ser enviado recentado para Mara-
nhao nao obstante ser cazado e ter (amilia
l quem sustenta ? Ser de svmpatbas para o
P >vo hum Presideute que de propozlo man
\ iva a Liherdade !
Viva o Imperador Constitucional !
I I
V ivo os leaes Cearenses !
Pa(jo da Assemblea Provincial do Ceara*
1 ) de SetembriJe 18 *. .
Joo Facundo de Caslr
lempo das sessoes Falle Sr. Pepulado (le
vanlandoa voz) ; falle; preste seus servicos
ao Poder que eu saberci baldo
O Sr. Costa Barros (levanlando-se) sebe
assim eu me retiro. O Sr. Pidas o acom-
panba dizejido e eu tambem.
Algumas vozes. V-se anarebista, par- dente,
tidisla de Piulo Madcira. Joo Paulo de Miranda, primeiro
Todos em seus assentos esperara" pelo Tare- lario .
cer da Commisso que vollando pouco depois Jos Lourcmo
disse em concluso..... Secretario.
Pelas rases expendidas julga a Commisso'
nenhuma garanta de ordem offereciao por
que squerendo mando exclusivo presegnio
com nimia crueldadeos seus contrarios fasio
perdoar algunas verduras e irrellevVs Sim,
dois mezes os Cearenses viverao em huma Hu-
iro Mcnezes, Presi- dida expectativa lanas promessas chuma si'
revindicaeSo de direidos V. Ex, nao quiz.
Sccre- (azer Todava lodos guardar morno silen-
ci e procuravo su'ocar seus justos ressenti-
de Castro Silva, segundo mcnlos.
Huma
que o Exm. Presidente pclo^eArt. do Acto Mensagem que no dia 18 de Agosto foi de- 0 Snr. M. lili
Addcional por elle citado nao pode addiar a rgida ao prezidcnlc da Provincia o Bachaiel seu amor orden
sesso ordinaria e site a extraordinaria rom' Joo Antonio de Miranda, nda resn,.!
ludo be de parecer a bem do socego e trauqu-j Assemblea" Legislativa Provincial ; inde
lidade publica 5 vista do apparato bellico Dep. laco os \ garios Lourenco Correia (
sesso ordinaria e sim a extraordinaria rom ; Joo Antonio de Miranda. i>e!a i-esn..i,ivel
io em
le S
que se observa que a Assemba se submella ( \ isilador da Provincia) Manuel Pacheco
.1 ordem do Exni. Presidente, e que leve ao Pinenlel e Domingos Carlos de Saboa ; o
conhecimento do Governo de S. M. o Impera-, (apilad mor oaquim Joze Barbosa, eo IJr.
dorC. o procedimento do seu Delegado para Joze Lourenco de lastro e Silva,
providenciar com a piomplido <)ue ocaso ex-i lllm e Exm. Snr A Assemblea Legisla-
ge. Salla dasCommisses I9 fie Setembro tiva Provincial tem contemplado absorta a
de i83q. Joaquim Jos Barbosa, JooF'ran- marcha admiostractiva de V. Ex* a nao
klim de Lima. deudo por mais lempo guardar ti profun-
O Sr. Jos Lourenco Nao foi de balde do silencio vae aproentar a V. Kx "um
Sr. Presidente, que hontem forao chamados succinto mais verdadeiro quadro do estado
os Em pregados P. da feliz comminiho os critico da Provincia para V. Ex. vista delie
Officiaes da G. N. e mais partidistas desla meditar era lempo e nao mais continuar na
nova ordem de coisas para cercarem a S. Ex. sua tortuosa marcha, que arraslar nfali-
110 momento-; em que a Deputa.io enviada vdmente o males que esta Assemblea mto-
pores(4 4s$teblea Iheapras utasse a Mensa- cura evitar, e (|ue V. Ex. Ulives sappouha
gem fiama e enrgica que j Ihe fui dirigida, extinguir com esse novo sistema de p.ovemar ,
i roMiIcncia que vela sobre nos permit- men ament deKonbecfdo entre asMaceesli-
(l.i o seu Secretario com poderes Ilimitados pa- lio, que S. Exc. marcando o dia e hora para vres e independentas.
e perturbar mesmo o socego no o rece ment del la se esqoecesse de dizer-
iiuiucuto de eleco para Depulados i'rovin- uos que noeia hora da noite anleccdculc
se
Elm. Sur. as calamidades publicas
cumpre aos bous (ida'auna fallar aosGove:-
declaracafi de V. Ex. era motivo
suflicienle para resollar a Opposieao que
(tardo creou ; mas he tal o
ordem que apenas a poz cm reserva.
C:.- V P C.- ..qj, o.w.,p ; ijiinn; '. ida-
das indigitadot como onpo*:cionislas que
troiixcra fortes recommendacoes do ex-minis-
tro da justica B. P. x ascoucellos para ann-
quilare mesmo arrasar essa Opposieao que
os desvarios erros e arhitraridade do Snr.
M. I ilisardo fizero levantar, Bem se yia
no procedimento de V. Ex. que algunia coi/a
ha\ia desinislro e que motivos se procura-
vo para se romp ir as ordens desse ministro
estragador, que abulou os prtnoipaes funda-
mentos da Mcnarchia Cnstilucional e Repre-
sentativa, pondo cm conllagraco lorias as Pro-
vincias do Imperio para sobre as ruinas da
Constituirlo levantar o seu sistema doregr.
que outra coi/a nao he que o absolutismo.
Kle-api eren,,,; a noticia lalal do Mmnham
chega a esta ( idadee com ella O inlnimano A n-
dra. \ narrara,) q'este mesmo lev de sen- bar-
baros l'eilosenlrsiasmou a V. Ex. huma presidencia para vir massacrar a Cid.'.-
dosque V. Kx ilc-conbccia e que
po felizes com V. Ex.
i
em lera
niililaio dcbaixo das


**5r
I
DIARIO
1
fi

bandeiras do Partido denominado por se UB
1 principios de ordem e justLa-Moderado-e que
lanos exforcos fez para sustentar o Throno
Constitucional deS. M. o IMPERADOR boje
ameacado a ser convert lo em Tlirono de fer-
ro em Tlirono anni(|uilador da Constiluico do
Imperio; edas Inslituioes livres proclamadas
pela Naco.
A noticia do Maranho que faria mais re-
servado a un administrador prudente e cir-
cunspecto prodiuio eleito contrario em V. I'a
A Capital do Maranho e as nossas fronlei-
ras esto ameacadas por nina horda cruel de
desordeiros --grilaro lodos : e V. Ex em
vez de destruir as aprbenedes sinistras que j;
havia creado; em vez de fazer acreditar que
nao quera constituir-se chefe de partido al-
gn ; em vez de seguir a moderaco aconse-
lliada pelo actual Ministerio em pleno I-
juncto em palacio declarou nue ia romper
com a oposico e governal a ferro e ;
pau To inslita declara cao surprehendeo
muilos, e todos poz em observancia.
A Assemblea deixa-se de entrar na indi-
alidad d'algun< c ;s de V Ex e m<-
. dispensa-se de descer aos detalhes das
..laneiras para nao fazer demasiadamente lon-
go to tnstequadro. V Ex. enviando pre-
cipitadamente io5 homesn, no geral hisonhos,
ao Maranham, cometteo muitas Ilegalida-
des e calcou mesmo a pes algumas Leis :
c a remessa deste fraco soccorro o modo com
que bi enviado loi proclamado como supe-
rior a comprebenco humana 5 quando mais
prudencia faria produzir mais proveitoso soc-
corro com satisfaco de lodos.
Com a deelaraco de V Ex. homensque ne-
nhuma gara lia de ordem olferecio de pron-
to entaio na nlimidade de V.Ex. eem vez de
disculirem b melhor modo de salvar a Provin-
cia. Iratou-se somenlede intrigar a bons ci-
dados, que fcilmente foro ingeniados de
Palacio que desde entao foro rnente fre-
quentados pelos que mais precipitaran o an-
tecessor de V.Ex. A viagem que V. Ex.
muito antes da no!cia do Maranho preme-
ditava foi apressada ; e fazendo V. Ex.
precipitadas jornadas chegou as 8 horas da
noite na villa do Sobral cercado de pessoas
nue pelos trajes e armas despertarlo vivas
desconliancas que hem depressa se converte-
ro em crues consterna;es. Na verdade ;
qual nao seria a expelaco dos Sobralenses ,
piando poneos instantes depois da entrada
de V. Ex ouvir o assuslador toque do reba-
te !! ? As familias que a fresca da noite passe-
vagaro perdidas pelas ras; todos
D R
PERNAMBUCO

avao
i(
perguntavo aflliclos omolivo deste alarma,
e a alguns se dinahouvero taes e taes
assassinos Ah V. Ex. se recordar da des-
orden uue semelhantc rebate cauzou nos cs-
piritos dos Sobralenses, a quem por algumas
horas de proposito se fez oceultar o ver-
ladeiro motivo de tanta confusao Tal vez c-
ra a satisfaco qu os companbeiros de via-
gem de V. Ex. senlio com este espetaculo
plenamente reprovado no tribunal do senso
commum.
Esta Assemhlea deixa de fazer huma rela-
eo circunstanciada de todas as parcialidades
que ali V. Ex. commeteo V. Ex. mais que nin-
'guim se recordar do quanto cooperou para
crear vivos e iterminaveis des;ostos em todos a
I quelles que erao oppostos ar> modo de pensar
dos que cercavo a V. Ex. Depois de V. Ex.
crear quase geral descontentamente fez partir
um pequeo numero de individuos que pou-
co lempo depois ou deserta rao ou foro despe-
didos pelo prefeito da Parnabiba, porque
com cceles c chucos nao podio batler-se
com inimigos hem armados.
Os celebres assassinos Moiroes foro arvora-
dos em Commandant s poderes discricionari-
os foro dados outros rancorosos inimijjos e
como V. Ex. se nueixa da oposico e comes-
SpeCid'-J-^nju.juLiiua juc I_,A n ionio 111
dispoz com procedimenlolo revollante ? V.
Exc. depois dasamelcas que fez nesta Capital
chega aquella Villa com ar hostil e assim se
comporlou com todos aquelles que nao se;u-
roocred) dos partidarios lo Snr. M. l'e'i-
zardo. Sim : V. Ex. despresou os Cidados
que mais proveitosos podio ser cauza ptf
1,1 ira e que deixaro de se offerecerem por
nao quererem icar de bmixo dasordens de sous
figadaes inimigos revestidos por V. Ex. de ple-
nos poderos.
V. Ex. manifestando vivas simpathias pelo
partido que preri pilono Snr. M. I-'i llardo ,
de modo algum poda exigir to grandes sacri-
ficios dos que foro privados das gracas de V.
Ex. Domis um Ralalbo inteiro foi dissol-
vido pelo simples laclo de pedir respetosa-
mente a V. Ex. a reintegraran de son bravo
t ommandanle aeintosamente demottido pelo
de fazer acreditar que he elle connivente com
os Balaios !
Com este sistema em vez de se fazerem ad-
miradores augamenta-se o numero dos inimi-
gos por que quanto mais por.-eguico mais
sympathias se dospertaro a favor dos opri-
midos. Os Vereadores da Cmara por terem
dado cumplimento Lei da G. N. sancionada
por esta Assemhlea' sao sentenciados a M das
de priso por um Jui/. inlruzo : a V. Ex. rc-
correid e mostro a illegalidadc da condemna-
co e o dolo com que foro privados do re-
curso de appellaco que interposero e V.
Ex em vez de castigar esses pegenos mand-
os de quem tanto se queixaemseu relatorio,
ao contrario rcvesle a este Juiz intruzo de po-
deres discricionarios fazendo que os Vereado-
res sollressem to injusta e illegal prizo E
como a vista de taes procedimenlos quera V.
Ex. que todos se preslassem a marchar
debaixodas ordensde quem havia nascido pa-
ra obedecer nunca para mandar ? Como ?
se de mais a ma ero inimigos r moorosos Co-
mo S. e V. Ex .mesmo promovia tanla desu-
nio nao podia exigir sarificios de quem es-
lava separado da communlio.
Talvez que mliofs soccorros fossem envia-
dos a l'arnahiba ; se V. Ex. nao fosse pesso-
almente excitar um clamor geral; ou se com
prudencia, discro. e imparcialidade se
comporlas.se mas V Ex. manifeslando-se
favor de alguns queria que os mais todos se
submeltessem vara de ferro de sua vontade
Para fazer mais eslrondo foi V.Ex mesmo
a Parnabiba e oque fezem toda esta jorna-
da ?. Toda a Provincia ja eslihio facto de tudo
quanto V Ex. obrou nessa extraordinaria via-
gem que s males produsio aos amigos sin-
ceros da VIonarchia Constitucional Represen-
tativa.
Todos huma voz dizia em vez de pro
mover-se o exterminio dos guerrbas s se
trata de cabalas e Rinda se ignora va o dia das
Eleicoens ? ..
V. Ex* aqui chegando pouco tempo depois
enviou agen'es para quas >. to as as partea in-
do para os a principaes Colegios fortes desta-
camentos. A Assemhlea deixa de referir os
actos rovolfanles praticados por alguns de-ies
agentes e apenas se limitara a diser a V. Ex
que ordenando as Instru oes de aCi le Mar o
de 18 "4 1 nue '5 dias antes as Cmaras con-
vocario os Eleitores succedeo que a desla
Capital cas das Villas do Aquiras Cascavel
Ratutrite, Crato, Sobral e S. Joo do Prin-
cipe recebessem os OHicios de V. Ex. 10,
P 4 e i dias antes do di marcado para a
El ico e a da Villa de Me;eana distante des-
ta Cidade a legoas somente o recebeo 3 dias
antes ; e a Cmara convorou aquellos dos su-
plentes que mais cahiro em suas sympathias
com excluso dos propietarios residentes no
Municipio, e de alguns Supplentes mais vo-
tados O Tenente Coronel F, X. Torres de-
vendo mais tenjpo partir para Granja on-
de se la/.ia to, necessario e paraonde V.
Ex. mandn pelo contrario chega a Sobral 4
dias antes da Eleico e na vespora cerca as
cazas de alguns Eleitores afugeuta-os ; e no
ten pedido a V. Ex. huma forca para se oppor
nwis!) dosguerrilhas de Piauhi prximos
aquella Comarca : e lia vendo tantas pracas
para se devidirem pelos Colegios mais impor-
tantes e onde nao existem receios de invaza
alguma V. Ex nem a menos envin luiina
praca Comarca do Jnbamuns, que ainda re-
ceia de ser assaltada.
Cumpre que esta Assemhlea lembre a V.
Ex. que por ter sido apresenlado naquella Vil-
la prximo ao lia da Eleico o oficio le V.
Ex. o Vigario l'rutuoso ( um dos Candidatos
Deputaco )estando muito de posse dille .
somente entregou-o ao presidente da Cmara
Municipal 4 dias antes da Eleico recelando e
rom raso de nao reunir suficientes votos para
si: eseus amigos polticos. A penas i Elei-
tores de 18 que existen, poderoser avisados;
e nao havendo por conseguidle volaco oeste
circulo, e estanto um terco las Eleilos com
di il'erenca dos supplentes de 5 a 10 votos,
asilas esto as eleicous que por oulros fados
nao esto lgaos. A Assemhlea nao querea-
do narrar outros actos menos subersivos lem-
hrara a V. Ex. o que sucedeo 110 Colegio de
S. Matheus.
PROCLAMACAO.
do nestedia como b'atalho de Pernamhuc
commandado pelo Major Leal pora a fregneia
lo Rosario.
- Junqueia c Krusse ficaro estacionados
n> Miinim com ajbr ade3oo e tantos ho-
niens, .-umposto do primeiro hatalho e das
liaras pie viero na charra cybolle.
O Captlao Ernesto achava-se com o seu hata-
lho no'dia aa na Caxoeira, e no dia a4 em
Timb)-tiba.
a 8 do tilo.
Neste dia desembarcarlo na cidade aoo
praras, viudas la Habia na curveta Dous do
.1 iillio, com las bocas de fogo commandadas
pelo Major Rezerra.
1. de Setemhro.
Neste dia marchou o Major Leal com o seu
hatalho para a \ argem Grande pela estrada
das hoiadas e o Tenejite Cabral com 1 <>
pracas pela margem direita do Itapirm .1 so-
bie Pirapemas eapardeta forca seguio a
canboeira pelo Rio cima.
Xdo dito.
Marchou o Capito Ernesto com o seu ha-
lalbo para o Croata pelos campos de ( ata
nhede cohrindo o Mearim a eneontrar-se
com os Rebeldes Raimundo Gomes e Coque,
que (segundo sedi/.ia) tcntavo descer por
aquello lado : esle batalho levava tambem
o destino de marchar sobre Caxias a 'un
de operar de acord com as foreas de t'iauhy.
As forcas que tinlrio marchado sobre o
Goiolla ja nao encontraro ahi os rebeldes.
11 do dito.
Neste dia linho chegado da Parnabiba 6
pii/ioneiros de um grupo de rebeldes, que
tinha sido destroeailo pelo Maior das Guar-
das Nacionaes do Sobral Joaquina Ribeiro
da Silva. Mas a pesar disto a Parnaibacon-
Cearenses O Governo julgou conveniente
aos interes,ses da Provincia addiar a Assem-
hlea Legislativa Provincial Hoje foi execu-
tada a Portaria do Governo, a quem circuns-
tancias mui serias impelliro uzar de sua
prerogrtiva constitucional que debaixo da
maior ordem, e sombra lamis desvlala
prudencia foi em fim exercitada a pesar das
tentativas e pareceres anarrbicos de um pu-
gilo de descontentes, que deelararo ceder
torca urna obediencia, que a Lei do Estado,' tinuava a ser ameacada por outros grupos de
a ordem publica os seos deveres imperiosa- rebeldes.
mente delles exigio. Cearenses o proce- Havia de sabir para ali o palbabole ?.8 de
dimonto anticonstitucional, e caprixozo de Julho conduzindo a seu bordo 40 piaras, 80
urna maioria desvairada da verdadeira senda granadeiras e alguma munieo de guerra,
do patriotismo e do dever ; os insultos, os U Tenente Coronel Severino DiasCarnei-
pesados halchjes as virulentas declaraces ro tinba podido escapar do poder dos rebeldes
com qnc cada instante aguilhoavo a paci- em Croata e fugio para Ipucur-Mirim com
encia de hum Presidente que Ri- um piquete dos mesmos, que o quiscro ac-
do tem feito c tudo sacrificar tran- companbar.
quilidade da Provincia, e ao Governo de S. Os prisionciros que seachavo em poder
M. o Senhor D. Pedro Segundo ; as conti- dos rebeldes em Croata' tinho tambem fgido
nuas provocacoes de desobediencia aos actos para o Ilapicur com osimlividuos, que os
da Adminstratelo ; tudo despertou no l'resi- guartlivn.
dentella provincia o imperioso dever de obs- Contava,.,que o rebelde Raimundo Gomes,
tara continuadlo dos lrabalhos da Assemblea, acossado pelas forcas legaes fugira no-
a fim de evitar irremediaveis conflictos que vamente para Caxias donde tinha sabido,
nfalivelmentc oceorrerio por se noacnar
elle desposto dcixar-se dominar por urna fal- Eolgamos de publicar o artigo d'a carta
sa maioria, que todas as consideraces, totlos escripia por pessoa, que se undo nos infor-
os principios suplanta para fazer triunfar u- mo '; digna de todo o ^rdito cuja carta
ma poltica errada, eopposla aos verdadeiros veio-nos por Garanhuns.
interresses do Imperio e da Unio. Cearen- Riaxam-fundo 4 de Selembro.
ses A Assemblea provincial concluir os Recebi as mais satisfatorias noticias, dadas
seos trahal hos no fim do auno: a Provincia pelo nosso prente o apito Joo Jos Coe-
no ficara' privada de alguns hns que ayj- 'lio que con la tel-as do Rarao de Piauhi.
da lho possa offereccr no momento em que Na villa de Caxias foi posto em sitio por
a violencia das paixoes, cedendo prudencia, tropas de Pornambuco Maranho e Piauhi
reflexo der luaar que se faco o nojonto Cara-nreta com a sua su< a ; depois
Avisos Diversos.
antecessor de V. Ex. ; e V. Ex. anda nao sa-
fc.'1 tisfeilo com isto o persejue e agora trata-se
e a rellexao er tugar
leis, que vos conduzo fruico das vanta- de tres semanas de cerco, ja nao reslava na vil-
dia segqinle manda btima forra embalada pos- gens conslilucionacs, e nao leis. que empeco la um sanimal, que nao livesse sido^ comido
tar-se no pateo do Colegio: e como resto do a vossa marcha e cavem a vossa ruina, pelos faosos. Pediro capitulacao ; mas
mmi destacamento de 80 pracas permanece em par da guerra de morte que ainda boje na nao Ihe foi concedido se nao que -se entregjs-
formaemtodo o tempo da Elei o. A hum salados trahal hos legislativos se declarou con- se desposieo dos ci liantes. Elle respondo ,
advogado confia deis pracas para ir reuuir-se Ira um Presidente quem doestaro cornos qe nao; nue em tal caso romperiao o cerco <
aos Moiroscm Villa Nova, onde muilos se epilhetos de despota e de assassino contra acommetendo pcnleo umita gente, e foi preso
humilharo em presenca dos punbaes soirren- um Presidente cujo crime qntrer or- com toda a sua sucia,
do resignados que se lessem nomes de pesso- dem, soguranca, c Monarchia, nao pelos mei-
as em quem nao tinho votado Ao logistajos, que os disculos proclamo mas por a-
Joze Pi Machado em quem V. Ex. tanto se quelles. que a lei tem esta elecido, e que o
con fia va tambem foro entregues deis pracas actual estado de melindrosas circunstancia ex- ,. ------------------------------------------------^-------
paja ir cabalar em Villa Vi goza. jigedos verdadeiros amigos do Brasil. Cea-; ST7" Um rapaz brazilero isenlo de G. N. ,
Tantos abu/.os e propotencias Exm.Snr. renses nao consiutaes, que a refalsada no-, de muito boa conducta e bastante c-onbecido
forocomettidos pelos partidarios de V Ex. tcia de um incidente, quenem a menor sen- nesta praca olTerece-se para caixeijo tle loja
que trahindo a conliama de V. Ex. deixaro- sarao cauzou no publico da Capital, artoi- de tazendas ou de ra o qual de tudb isto
se ficar at agora em um pouto que nao offe- ramnte espalhada pelos difierenles pontos tem bastante pralica ; cedendo os seus ser vicos
leiiaperigo, quando dcviJo voar eui sotxor- u ro das I'reixeiras e Parnabiba. 'ordem: Un i- vos ao Governo ; encarai sisu- 4a casa de Ourives.
ttr O Snr. Bernardo Ignacio d Azevedo ,
queira annunciar sua morada que se Ihe deze-
ja lidiar a negocio de seo enleresse.
SST Na ra do Coto vello, caza D. 27, ha
quem se proponha a lomar algumas enancas
j desmamadas para se acabarem de criar com
todo o mimo e amor ; tambem se reecbcm as
que tiverem ama para secriarem com Icite
na mesma caza lava-se rodpa engoma-se e
coze-sc toda a qualidade de costuras horda-
dos / lavarintos e tambem se marca tudo
com muito asseio perfeico e preco eoirimo-
do.
7- Quem precizar de um homem para
caixeiro de ra, ou feitorisar alguma obra .
o qual l fiador a ia conduela, annuncie
por esta foi ha.
1 r Prccisa-se le hum Portuguez que
cnt'iida (loortalicc para hum cilio perto da
pra a quem juizer anuncie.
Outro militar foi enviado por V. Ex. com dos a desagradavel scena que se representa
huma forca ao Cralo : passando pela Villa do em nossa visinhanca ; cumpre nao se deixar
Ico levou comsigo o destacamento que ahi se vencer pelas suggeslocs dos inimigos do pu-
acbava para se reunir ao do Ciato fasen lo ao hlico socego a fim de que no appareco ma-
lodo um corpo forte de com pracas. Releva les, que a unio, e o vt-rdadeirol nteresse
que a Assemblea lembre a V. Ex. que 175 E- pela cansa publica facilmi
leilores devio se-reunir ueste circulo para ex- Palacio do Cear aos 1
ercer o acto soberano outorgado pela Contri- 18H0.
tuicodo Im[ierio ; e que nenhum receio ex-
istia tle que tal ponto fosse invadido pelos re-
brilles lo Mar.inbam postasdos em'extraor-
dinaria distancia O Secretario do Gover-
no desengaado de nada poder conseguir para
coiwerter os Eleitores abre um acuitlo recru-
tamento e faz conducir, amanados como fa-
c norosbs pelas ras ta Villa a Citiatlios*,
sendo 1 (i casados o alguns albas 1 Eleitores )
que recusarla o dsero que nao votario
amis em 01 seua advertaroa polticos.
As autoridades dos Jiihamuns muito que
mente suflbeo.
9 de Setembro de
Viva a integridade do imperio !
Viva S, M. o Imperador o Senhor D. Pe-
dro Segundo!
Viva o Regente em Nome do imperador !
\ iva a Assemblea Geral Legislativa !
Viva a unio dos Cearenses !
Joo Antonio de Miranda,
MARANHO'.
24 d Agosto.
O Commandanlc das torcas tinha marJia-
MUTILADO


DIARIO
DE .PERNAMBCO
-a
GS O Commandante. Geral do Corpo de
Polica avisa ao publico que pelo Juiso rimeira vara do Civel se ho de arrematar em
asa publica no da i do correntc vinte e
elte cavollos da companhia de cavallaria do
mesmo corpo.
ts^~ Quem precisar de chapeos de homem ,
como de senhora com todo asseio e tam-
bem para insertar que se faz com prpmpti-
do e preijo commodo dirija-se a ra i-
reila loja de chapeos D. 11 na mesma se
precisa alugar urna casa terrea ou sobrado ,
que seja no bairro de S. Antonio.
Z3" Quem precisar de um rapaz portuguez
para caixeiro de armazem de assucar ou ou-
tro qualquer negocio, dando fiador a sua con-
ducta annuncie.
tSF" Perdeo-se no dia 3o d3 passado um
ponteiro liso trosido no meio com urna vol-
ta de cordo de palmo e meio ludo de ouro ,
da ra de Hortas a 5 ponas at a ra Direita ;
quem achou dirija-se as 5 ponas D. 3i que
ser recompensado
C5" A mesa re;edora da Irmandade dos
Gloriosos S. Crispina e S. Crispiano avisa
Manoel Jos Tarares, Manoel Duarle Ferro,
Jos de Souza Garcia Vcnceslu Machado
Freir da Silva Jos da < osta Albuqucrque
e Mello Anlonio Rodrigues da Cruz e ou-
tros e dentro da carleira estavo as pecas
mencionadas no calunioso annuncio publicado
no Diario n. i.4 de dois do corren le e por
consequencia est inteiramenle em seu vigoi a
resposta do abaixo assignado no Diario n. ai5
de < do correntc- Luiz Ignacio Pessoa de
Mello.
C3" Um Sr. que nesta praca foi incumbido
por Luiz Jos Pereira morador em l'ajau' de
urna questo judicial, e cujo nome nao se tm
presente dirija-se a casa do Dr. Francisco
de Paula Baptista a tratar sobre negocio de
interesse.
' XS3" Luiza Maria da Conceicao avisa a
3uemconvier que tendo ella oblido sen te a
e divorcio contra seu marido Vicente Ferrei-
ra de Mello e lendo-lhe locado em parlilha,
o que (zia o total do casal por motivos ale-
gados em dita canza nao existe mais paraos
credores futuros de dito seu marido a garanta,
quedantes existia, isto he esles poneos bens,
ao respeilavel publico que a fesla dos mesmos [ confiados nos quaes elle ainda se animava a
- contrair dividas e para que ninguem seja
il I infido e se chame a ignorancia aannun-
Sanlos fica transferida do dia 37 para a8 do
correntc.
S2T O Sr. Ignacio Jos de Moracs tenha a
bondade de ir ou mandar tomar conta de 7
travs de que deu a guardar no armazem de
sal da ra da praia no dia 11 de Novcmbro
de 1818.
ciante iulga fazer um servico a quem ignorar
esta circunstancia coma publica ..o do pre-
zente annuncio. ^
sry Desapareceo da Cidade de Olinda no
dia *4 de Setembro um escravo de nome Gre-
^ A pessoa que quer comprar urna ca-gorio da Cosa de idadede 4o a 45 annos ,
noade 3o palmos de comprtdo dirija-se a alto secco, canela muito fina bem preto
ra da praia armazem do sal. | um dedo de una das mos aleijada os ps
S2?" abaixo assignado tendo lulo 110 Di- cheios falto de dentes bem fallante, e
ario n. aao um officio do Fiscal da Boa vista ,! muito pachola; quem o pegar traga a esta Ty-
noqual faz ver que a pedido de Manoel Luiz pografia ou na Cidade de Olinda ra da bi-
Gonsalves o Fiscal de Olinda fez bular abai-: Ca de S. Pedro a casa de Vicente Ferreira \ la-
xo a serca do sitio de Manoel Pinto de arva- rinho.
lho, na capunga, o que muito se admira pois ----- -----
Avisos Martimos.
na capunga
o abaixo assignado nao conhece o dito
Fiscal
e nemo propnelario do dito sitio e foi lugar
aoiule nunca foi por isso fazo presente an-
PARA LOANDA 5 o Brigue
Portuguez
nuncio para certificar ao publico que nao he novo Abismo saldr no dia o do corrente por
He de quem trata o sobredito officio. Manoel ja ter a maior parle de sua carga prompta ;
^uiz Gonsalvcs quem quiser carregar dirija-se a Francisco
Precisa-se de urna casa terea ou loja Jos* Corroa no largo da praca ou na ra
e
L
C3"
que nao exceda o seu aluguel de 7 a t-'ooo da Cruz n. i>i.
em bora tenha poneos commodos da-se fia- PARA O RIO DE JANEIRO segu via
dor a contento
de S Antonio
cora tanto que seja no bairro
quem tiver annuncie.
gem com
Izabel
muita brevidade a Velleira Escuna
. quem na mesma quiser-carregar, P-
Gaskell Jahnson & Companhia tendo de tratar com o Capilo Joaqun) Antonio Ga-
eomprado a os Srs Chrislovo liestel cem d re a bordo ou com Amorim Irmos, na ra
cai xas de assucar por ordem conta, e risco da cadeia do Recife.
delLvon & Parkinson da Baha sucedeo que PARA ILlVANA e Matanzas a Escuna Hes-
sendo oitenla deslas caixas rcmettidas por or- panhola Esperanca Leo ; quem na mesma
dem de um dos Socios d'aquella casa para quiser carregar ou ir de passageni dirija-se
aouella 01 ac foro estas na mesa do Con- ao Capito a bordo ou na ra da Cruz nu-
sulado reconhecidas'ejulgadas falciicadas as mero:;.
taras e apreendidas para pagaren) a multa ,
e nenas impostas por as lcis e porque os an- lende sabir no fim do correnle; quem na mes-
nunciantes por o valor das ditas caixas aceita- ma quiser carregar ou ir de passagem diri-
rao letras dos ditos vendedores que declara- ja-se a seu consignatario L. A. Dubourcq ,
rao ser proveniente de valor le assucar e tem ruado Vigario n. 16.
reclamaccs a lazerem ; declaro que nao pa-
gao ditas letras em quanto as reclamacoens nao
lorem decedidas para que ningnem fafcal---
neocio com as mesmas letras. t~T" Que faz o Corretor Oliveira de um sor-
S7" Ollerce-se um rapaz brasileiro para tmenlo grande de ferragens de diversas qua-
caixeiro de cobrancas ou armazem e lam- fidades e muilo vendaveis pertencentes a
se sugeita a cobrar dividas pagando-se por Alexandre Mackay & Companhia sexta fei-
cento do que receber j quem o precisar an- ra 11 do correntc as >o horas da manha no
nuncie. seu arma.em ra da Conceicao n. 34 primero
tsr- t recisa-se de 5oo a 600,000 por 6 me-1 andar.
sobre h-vpotbeca de um escravo canoeiro;
quem quiser fazer este negocio annuncie.
jy Lima pessoa chegada a pouco da pro-
vincia de Alagoas precisa saber a residencia
do Sr. Ignacio Passos Jnior, por isso roga-
se queira annuncia-la.
fgT Nacamboa do Carino casa que tem
padaria precisa-se fallar com o Sr. Jos Pe-
dro morador nes atlogados sobre negocio
de Cypriano Miguel Velozo de Alagoas.
* Ma adaria Ha rifftT)ireila 1.1. csa-sa de um forneiro.
Mf Quem precisar de um feitor para qual-
quer sitio, sendo para cuidar em plan taces
deortalicaem que he bastante hbil ; dirja-
se a ra o Rozar io botequim do Albuquei-
S2 Alugo-se dois andares da casa da ra
da Cruz U. i3 i a tralar no primeiroandar do
mesmo. .
tt?~ O abaixo assignado tem a satisfagao de
annunciarao respeilavel publico que couM-
fUo abrir houlem legalmente a sua loja a
Lslada |.or seu sogro Joo Carlos Pereira de
hunos e por consequencia fica sem ueiihum
eeito a aleivosias e mentiras que o dito
Burdos se tinha valido para o dito a resto as-
9m fllao abri a sua loja e cartera na pre-
zencadosSrs. Sererino .Gaudenc.o Antonio
Jos Pereira Guimarles Antonio Jos l.an-
adeVeHo, Anjelo Cu.lodio dos Santos,
da casa 6,000 mensaes tem commodos para
familia ; a tratar na ra do Hospicio em urna
venda nova.
t2T Pennas de ac de superior qualidade ..
e um pianito cm muito bom uzo, para a pren-
der na ra da cadeia velha n. 53.
SST Bretanhasde linbo em pecas de 6 va-
ras ; em casa de Hermano Mehrtens ra da
C.uz D. a j.
SSf 5o varas de panno de algodo da tr-
ra ; na pracinha do Livramento loja de lazen-
das D. a
CT Chitas francezas encarnadas com flor
amarela sem defeito a 3io o covado ; na
loja de Antonio da Cunha Soares Guimares.
na ra do crespo D. b lado do norte.
ts*^ Um preto de naco angico de dade
de ai annos ptimo a massador de padaria 5
na ra Direita casa terrea J). 53.
CT Urna escrava de naco moca sadia ,
ptima para o servico de campo: na camboa
do Carmo padaria ao pedo estanque de tahaco.
XSf Um cavallo alizo, novo, em Iwas
carnes, e de bonita figura, carregador b ixo,
e com principios de esquipado ; no collegio
dos orlaos em Olinda.
srr Urna molatinha deidade de 13 annos
bastante robusta e muito experta, com prin-
cipio de cozinha engommado e cose cha ;
na ruadoRozario estreila no primero andar
do sobrado (pie fica confronte a ra das laran-
geiras por cima da venda de garapa adver-
te-se que nao se pode dar por menos de 450 ti
tu- Na ra do Queimado loja D. 7 duas
negrinhas e dois moleques de dade de la a
ib annos.
Sy" Agoa ardentede franca a 4oo ris a
garrafa assucar brancoa a'ifioa arroba gi-
gos com batatas passas muito novas, cuma
porco de gengibre; na ra nova venda De-
cima 3.
ty Na ra estreita do Rozarlo D. 12. mei-
as barricas de larinha de tri;o biscolo do
Porto, sevada cm libras, e arrobas, bar-
ris de cbourissos peneiras de rame d lalo
para penetrar larinha nina salva de piala ,
urna banda para offlcial condecas grandes e
pequeas bichas hotoens de osso preto e
urna porco de canuto de prata tudo por
preco commodo.
&ry Urna carioca nova de dois beis assim
como a sua competente junta de'hois ou cada
coisa de per si ; na pracinha do Livramento
U. 19, ou no passo do Giqui.
tSF Carne secca a bordo do Brigue Brasi-
leiro S. Joo Baptisla ancorado na praia do
colleglo junto a ponte ; Q tratar na ra da ca-
deia n, 4b ou a bordo.
fc?" Ou permuta-se por predios nesla pra-
ca i>3 palmos de terreno foreiro a Irman-
PARA O HAVRE Barca Camelia pie- dade de S. Pedro a .io ris o palmo no lu-
gar do pocinho da panela cujo terreno prin-
cipia do norte para o sul e ja est a maior
parte alienado -, a tratar na pracinha do Li-
vramento sobrado D. aa.
5^" Na praf da Independencia loja n 11
H;n, vidrosde purgantes de Manoel Lopes,
bandas finas para othcias e sargentos (alia
com o distentivo de edro II ditos de car-
rancas ; barretinas para officiaes e soldados ,
relroz carmesim para bandas chorocos de
pennas finas e plumas para officiaes e sar-
gentos tudo ltimamente cliegado do Rio de
Janeiro, por preco commodo.
CJ* Duas partes de una casa terrea com
sotao e quintal com grande fundo, sita ao
entrar da ra de Dorias lado direito de-
ronte do beco de S. Pedro ; a tratar na
mesma.
tO*- Urna porco de frexaes de 3o palmos
de coinprido, por preco commodo ; na ra
por detraz da do Fagundes casa.do Vianna.
S?* *o pecas de cordas de embira propria
para andamesou sacas dd algodo a 4 ris
esda urna ; defronte da ribeira da Boa vista
D. ,
S2?" Urna canoa aberta bem construida que
carregaiaoo tijolos de alvenaria grossa ; no
estaleirode Joo de Brto Correia, alraz da
ribeira.
CJ~ Urna excellente casa terrea ratificada
de novo ao gosto moderno si la na ra de
agoas verdes D. 5 ; eum sobrado no lugar do
varadouro com commodos para urna grande
lanilia, com excellente banleiro de pedra e
cal 5 a tralar na ra dos Quarles D. 5,
ts~ Urna negra moca robusta e propria
para todo o servico ? em fora de portas n. m.
*27" Um cabra de bonita figura ; na loja de
cera da ra do Cabug.
Ssy Um oratorio com urna e boa talha ,
proprioparaseselebrar missa ; as 5 -pontas
venda D. 10.
C^" Ou troca-seum cavallo ruco grande,
bonito com lodos andares liberal ; no quin-
renda no lugar do Mondego sendo aluguel tsy Pennas de escrever de muito boa qua-
lidade para secretaria e ditas mais ordinari-
as ; na praca da Independencia n. -C)
J25- Um quarto novo, com algum carrego,
e urna negra de bonita figura ; na padaria da
ra do eixoto das 5 pontas.
S^T Potassa em barris grandes e pequOnos
barricas com semas ltimamente chegadas em
casa de V atheus Austin t\t Comp ruada Cru
uum. 56.
SS^" 4 tomos de Breviarios em bom uzo 6
por preco commodo ; na praca da Indepen-
dencia loja de encadernador n. a6.
Leildo
C?" Que fazem Crabtree Heyworth & Com-
panhia, por inlervenco do Corretor Oliveira,
de urna porco de chitas e estopas avariadas
por conta de quem perteneer e de grande
variedadede lazendas limpas pertencentes a
casa e que ser entregues infalivelmente
pelo maior lause ; quarta leira 16 do correntc
e principiar pelas fazendas avaridas as 10
horas da manh sem falta no seu armazem
do forte do matos.
C o m p r a s
XSS" Um negro velho que possa fazer algum
servico de casa ; na ra das Cruzes D. 4.
i~y Ummoleque ladino de idade de i
a 1S annos, que nao tenha vicios ; quem o
tiver annuncie.
SET Um banco de marcineiro em bom uzo ;
na ra da cadeia velha n* 53.
Vendas
*^ Duas duzias de chicaras, e pires dou-
rados e pratos para bolos obra a mais rica
possivel sendo urna duzia para cha e ou-
Ira para caf ; nesla Tvpografia se dir.
Vij' Gencbra da Holanda de superior qua-
lidade em frasqueiras ; na ra da Cruz D.
6 1 no segundo andar.
S_>" Por preco commodo uiua armaco de
^wimv wm IUUUS llUlt III i l .11 I
tal do Rufino ra da Conceicao.
Escravos Futidos
527" Em q do corrente sahio do sitio dos
Afilelos um negro de nome Jos de,naco
benguela estatura regular bem civilisado ,
por ter viudo pequeo o qual t o presente
nunca fugio e sendo de confian a servia de
feitor a os outros mas tendo-se dido urna
escrava a seu arbitrio e o castigo levou tam-
bera urnas poucas de reilhadas castigo que
nunca tinha sofrido e por isso he de supo1*
fosse procurar quem o comprasse; quem o pe 1
gar leve a seu Sr. Anlonio Manoel de Moraesr^
(jue gratificar.
IZJ~ Desapareceo na noite de 7 do corrente
ou supoc-seser furtdo um prelo ainda bu
gal de nome Vicente, de naco Benguela ,
do sitio da viuva "do Coronel lienlo Jos da
Costa na ponte de Ucha cujo prelo ali
apareceo a lempos, como se annunciou por esta
mesma foi ha e como nao tenha al boje ap-
parecido dono por isso se laz o presente an-
nuncio para enteligencia de quem quer que
for proprielario do referido preto.
t^~ Fugio mo dia do corrente um negro
de nome Jos de naco costa de idade de
>o annos, estatura regular, mete o joelho
direito de encontr ao esquerdo ps bstanle
grandes levou vestido calsa de chita azul,
levando um bahu com calsas brancas azues .
camisas ;. quem o pegar leve a ra de Hortas
sobrado de um andar do lado do poente D. 47>
que ser recompensado.
C3~ No da a.< de Dezembrode iS38 des-
apparecco um negro com idade de 3o a o an-
nos com os Biguaes seguintes ; estatura re-
gular, nariz chato, com algumas marcas de
bechigas no rosto, urna pequea nevoaem um
olho tem urnas pequeas glndulas no pes
coco, que s se conheceni a palpando com a
mao seu nome he Anlonio e por alcunbo
he condecido por Major ; quem o pegar leve
a seu Sr. Francisco Rodrigues da Cruz na
ra dos Quarleis que gratificar com cem
mil ris.
C5" No dia 25 de Agosto fugio ou furta-
eo um prelo de nome Gregorio de naco
rebolo de idadede 45 annos altura regu-
lar, olhos pequeos eaxermelhados nariz
chato pouca barba grosso do corpo per-
nas bambas e mete alguraa coisa os joelhos
para dentro ps apa I helados tornozelos
grossos falla descansada, e palavras como
de malulo levou camisa de estopa calsa
velha com 1 istias desbotadas e rotas nos joelhos
e amarradas pelas vrilhas foi captivo na
Alagoa grande onde era casado com urna
pela forra de quem lera dois filhos a nao ser
iurtado supoe-se ter hido para a companhia
da mulber 5 quera o pegar leve a ra da Ma-
dre de Deosn 4 ou atrazda Matriz da Uoa
vista casa terrea pegado ao i. sobrado que ser
recompensado.
&~r No dia primeiro do corrente desapa-
receo urna negnnha de nome I omingas de
idade de vo annos levou vestido de chita
verde, e camisa de algodoznho,e saia de
sarja preta as orelbas argolas de ouro re-
dondas e lisas no pescoco urnas mi angas ,
e urna figa de estatura regular ebeia do
corpo e anda nao falla bem a lingoa do paiz
e tambem levou panno da costa ; quem a pe-
gar leve a ru?i dci roda l); B que receber;i dez
mil ris de gralificaco 5 outro sim sup'e se
que ella foi seduzida e no caso que se entre
no verdadero conhecmento se protesta pro-
ceder criminalmente contra quem a tiver oc-
culla.
Moviinento do Porto
NAVIOS ENTRADOS NO DIA 1 o.
LIVERPOOL; Jodias, Barca Inglesa Cam-
piode 304 tonel. M. William Wrigbie,
equin-i5, carga carvo de pedra ; a Rosa
i Braga. ,
SAHIDOS NO MESMO DIA.
ACARaCU' ; Sumaca Feliz Americana M.
Joo Antonio 'Gomes carga varios gene-
ros passageiros 6 brasileiros e dois por-
tugueses._________^__^_^^^_
RECIT n ATYP. DE M. F. DE F. 1839
MUTILADO


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EKT2SR76U_YJ6NSG INGEST_TIME 2013-03-29T18:27:47Z PACKAGE AA00011611_03919
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES