Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:03917


This item is only available as the following downloads:


Full Text
*Yff>
DE
'QRATAVpm
W ni i ..U!-------u

_Tue.o*r>or depende fie nos mesmos; da nssa prudencia, modera.
y"* e h*rpi : conirniieliios como principiamos e seremos apontados
com dmitac.'.oentre as ISares mascullas.

apontados
O
Proclamacao da Assembka Ceral do Bra-.il.
--------XH ______J________

___
Sobscfeve-se per* esta follia 'tyooo por quartl pagos adiantados
Yirsia'l'ypografia, ra das Cruzes D. 5, era Iraca da Independencia
D. 37 e 58, onde se recebem coirespoudenciaslegalisadas, eaniHiuctosj
nsnndo-*e estes gratis, sendo dosproprios assigttames, e vindosssi"-
nados.
Partidas dos Correios Terrestres.
Cid a de da Para h I ha e Villas de sua pretenro...................
Dita do Rio Grande doflforte. e Villas Jdro. .. ;................
Dita da Fortaleza e Villas dem..........................
Villa ce Goiann...................................,
t'.d.ad dr pbnda..................................Todos os dias.
D ni OnTTujo." Tyumrro
n

cam
I IfRtlO, 8.
Londres...... 31 por Ifooo red. h I
Lisboa....... So p p3r metaloftertMitla.
rra>n<3....... Joo res por tranco nom.
lijo le .l:ru'iri> ao par.
OUBO Vocd.s . Volitas if.oo *
""'' ., Novas i4.-oo a
.. Hitas re S0.00 ri. Jtyoon
PKATA PVacrs i ,, IVzos Colnmnarios---------... (fSoo
/)ios Mexicano*
m
Premios (Ja*Letras, |ior mo: I i/.S 1 ii^po*
Moeda de cobre 4 Pul'mo. de dte
Dias da Semana.
a

a
180 a
too
lHofi
tMoo
Mr.O
Ijffitn
\ Secundas e Sextas F<
Villa deS. AntSo
Dita de Garantuins e PovoacSo do Bonito
..............
i/na um uai iiiiiihs c rivuco fio nniini.........>,.
Ditas do Cali, Serinbaem, Rio Formozo, e Porto Calvo...........
Cidade d,as Alagoas, e Villa de Macei.......................
Villa de Paja de Flores...............................
'Todos os Correios partan ao meto dio.
Quintas letras.
Uias lo, e ii de cada
dem 1 ti, e 21 dito
dem dem
dem 1;>, dito dito.
7 Secunda -
cifas. 0 1 erca
9 Onarta------
O < >'iMt:i--------
11 Sexta--------
11 Solidado -
mex. 13 Domingo -
dito.
As 6 horas e 54
S. Marcos P.------------
S. /frgida Vii'va. --*---
Dionizio b.-----------------
S. Francisco de I'orj -
S. Kimono B. -- -
S. Cvpriano B.------ -
O Patrocinio de S. Jos. -
-- fie-nao da Tbex.eAud.doJ.de U.dai. r. de m.
-- Relaco. e Aud. do J. de D. d.. 1. vara -- Audiencia do J del), da a. v. de mpnhg.
--Re *ess3o da Tbex. ead. do J. de da 1. v
- Sessao da Tbex e aud. do J. de I), da 1. vara.
- Re. e aud. do J. de l). da 5. vara.
Man chet'a para o da 9 de Outubr.
minutos da tardo As 7 horas e 18 minutos da manli.
-----------
RIO DE JANEIRO.
ASSEMBLEA GERAL LEGISLATIVA.
SENADO.

Sessao em a? de Agosto do i83q.
Presidencia do Sr, Diogo Antonio Feij.
Reunido sufHcienle numero de Snrs. sena-
dores abre-se a sessao, e (ida 1 acta da ante-
rior, approvada.
Expediente.
O Snr. primeiro secretario l um officio do
presidente da provincia do Espirito Santo re-
metiendo copias auttenlicas dos actos legis-
lativos da assemblea da mesma provincia pro-
mulgados na sessao ordinaria do corren te au-
no commisso de assemblcas provinciaes.
O Snr. Paraiso partecipa que o Snr. Sena-
dor Oliveira nao comparece por incommodado
fita o senado inteiradado.
Ordem dodia.
Sao approvadaaem segunda discusso, para
passar terceira a resoliu:o que approva a
tenca concedida ao capilo de fragata Anlonio
Pedro de Canalhrr*-, e m terceira discusso.
para serem remettidas a saneco imperial, as
resoliicoes que aucloriso ao governo para con-
ceder caria de naturali/aco de cidado Brasi-
lero a Bernardo Xavier Pinlo dcSouza ea
Francisco Ferreira BotgeS.
Ason/.e liotas, o Snr. presidente suspende
a sessao publica, a fim de continuar a se-
creta., .
As dtias horas, e vinlc minutos continu-
ando a sessao publica o Snr. Presidente d
para ordem dodia trabalbos de comniisses e
levanta a sessao.
CMARA DOS DEPUTADOSi

Sessao em a8 de Agosto.
Presidencia do Snr. Marcelino de Brtto.
As 10 horas da manb laz-se a cbamada ,
e logo que se rene numero legal de Snrs. de
pillados ahre-se a sessao, le-se e approva-
se a acta da anteoedente.
O Snr. terceiro secretario, servindo de pr-
meiro, d conta do expediente leudo os se*-
guintes officios :
Do secretario do senado, participando que
o senado adoptou, a fin ileditigirasanccao im-
perial a resolu>.o desla cmara que approva
a pensoconcedida a Antonio Joaquim Nunes.
Fica a cmara inleirada.
Do mesmo secretario enviando a propo-
ico do senado criando um curso de estudos
elementares em todo o imperio. -Aimpri-
41111'.
Do ministerio do imperio remetiendo aco-
pia do decrelo le 17 do corrente, e documen-
tos que Ihe sao relativos pelo qual se concede
a 1). Rila de Cassia Rodrigues, c D. Jose-
,i de Leonissa Rodrigues, Sidas do lente ge-
iieral Manoel Jorge Rodrigues e D. IVJaria
da Conceico Rodtigues como consionaras
de seos paes pelo que pertenceaos servicos de
seofalecido irmo ocapito Jernimo Uercu-
lano Rodrigues, a penco annual de 4^
ieis a cada urna. A commisso da penso e
ordenados.
\o a imprimir e depois a commisso das
assembleas provinciaes os actos legislativos da
assemblea da provincia da Paraiba promulga-
dos no corrente atino. Tem o mesmo destino
osados legislativos da assemblea provincial
das Alagoas promulgados na sessao do corrate
uno
Voo a commisso de pelicocs para I be dar o
conveniente destino os reqnmmentos dos des-*
emJargadores Francisco da Franca Miranda,
e Manoel da Assumpco e Silva, o outros.
Le-se, e approva-se o requeriment da
commisso tle agricultura, cotnmercio indus-
tria enres para que se exi|o do governo, 1.
urna copia do contracto celebrado em *4 de n-
Abril de 18 G com a casa de Tarrande
Thoma/, a respeilo (la eompanbia dos 'aque-
les de vapor : a. urna conta demonstrativa
das qtinnlias a que tem monlndo os portes
das cartas conduzidas pelos paquetes d'eSta
Coi [te pata as provincias al o Para e vico*
versa.
Le se e approva-se o parecer da commis-
so de diplomaeia sobre dous offieios do V.xm.
ministro e secretario de esado dos negocios cs-
trangeitos, datado de v5 de maio e ti de
agosto do col-rente auno ;oi. cobrindo a co-
pia de urna proposta queem majeo do mes-
mo auno fi/.era ;!s cortes porlu;ue/as o respec-
tivo minislro Visconde de S da Handeira a
fim de ser babelitado com o crdito necessa-
rio para paj;amciUo aos .subditos brasileiros
das quanlias liquidadas pela commisso mix-
(a brnsileira, e portugtte/a em virtttde to
tratado de >() de agosto de 1 #35 ; e bem assim
tos juros vencidos e que se Tencerem ; eo
segundo cobrindo tambem por copia urna no-
la sobre o mesmo objeeto, da legaco poilu-
gue/.a dcsta Corte, reclamando o nlesmo pa-
gamento aos subditos de S. M. F. e fa/endo
rellexes sobre o parecer que a tal respeito lle-
ra em v.(j de seteml.ro do anuo passatlo a cf>-
missode diplomaeia tendente a habilitar o go-
verno. imperial para o pagamento das re-
clamaroes em questo.
A commiasJi depois de expender as rauta
om que tunda o seu parecer, cotjiue que na-
da lem de novo a propor seno'(|iie enlic em
discusso at|uelle parecer de 26 de selembro
do anno prximo passado nao s para que
tenba plena execusso o tratado celebrado en-
tre as duas coroas, como tambem para evitar
mata tomar una del ibera cao sobre este nogo-
negocos estrangeiros dir-lbe-ia para fazef
avisos ao governo itif{l, que nos nao ftsta-
mos resolvidos a continuar rom o tratado de
cotnmercio com aquella nacn. O Snr. Son/a
Maitinsqite com ate a emenda do Snr Maria
do \ 111.11 .i 1 e defiende a proposta do governo ;
o Snr Oltoni que vota COntrfl n proposta e
approva a emenda do Sur. Amaral : oSnr.
Marinbo que vola igualmente pela emert
ila
m no-
de.
e muito eslranba que no senado 1
bre senador dissesse que a cmara dos nepu-
dos anarquisava o povo ; quando elle depttta-
do se persuade que querrt anarquisa o povo
aquello governo que nao cunipre com os seos
din eres : o Sr. .A mirada MHchado, que lastima
gocio, o qual dove ser lomado por ella em con-
sideraco.
A urgencia apoiada.
OSnr A mirada Machado appro\ar; o re-
rtuerinienlo de urgencia se acaso o seo autor
Ihe quiser farr urna motlificaco isto que
iii;;enca tera' lugar depois de acabada a
tliscusso daselei i's de Sergipe : sendo as-
sim Ihe d as roaos e vola pela urgencia.
O Sur. Alvares Machado declara qtte vota-
r pela urgencia com alimitaco proposta pe-
lo Snr, Anlrada Machado.
l.e-se o seguinle requerimento.
Requeiro que depOS de concluida a djscus-
so do parecer sobre a eleiro de Sei;;ipe. se a-circunstancias emque nos adiamos S respe'-4
trille immrdtatamente do parecer da comniis- to do ipie se tem esiallia'do sobre orgnnisacao
sao de diplomacia sobre as reclamaces dos tle ministerio, desejandn o nohre dfpulado quo
subditos portugucices e brasileiros. -Na- exista um ministerio que respeite a ronslitui-
varro cao, porque assifli ha de ter a maioria desla
ti Snr. Carneiro da Cunba julga que mais cmara. (Apoiudos.) Cr.'- que todos tem bas-
ttrgente, quedejiois da discusso das eleicoes tanle prudencia para nao l'nsercm-caso de pe-
de Sergipe se trate a discutir a lei das elei- quenas divergencias (Apoiados). I'epois do
ces para deputados geraes. falhirem mais solt a materia os Snrs. Souza
OSnr. Alvares \'achado observa que se a Matlins. Carneiro Leo, e Carneiro da Cu-
camara nao for prorogada nao havera' j; nba jttlga-se sulKcientemente discutida,
lempo de tratar de cou/a alguma; mas se o go- OsV*, a e .1 da proposta do governo
verti entender em sita sabedoria que dove pro- sao approyatlos. OS, regeitado ; e nppro-
rogar acamara ento baver lempo parase va-se a emenda do Snr. Maria do Amaral fi-
1!isi nlir o objeeto sobre o qual o Snr Na cando prejudicada a da Commisso.
varro pede a urgencia ; baver lempo para ,lulga-se concluida asegunda discusso, e
se determinar coni a discusso da lei do or- approva-se fiara passar a terceira.
camenlo, e discnlirem-se nutras bus como as O Sur. presidente d para ordem do dia
emendas do senado fuaeo das forras de ter a resol ti o numero 4desleanno que appro-
tas etc. Seo governo pois estiver"convenc- va a penso concedida viuva do senador
do das nci^ssidades do pai/., ha do proro- Lucio Soares Tcxcira detouveia, a resolu-
gar a caan pof lodo o lempo que jul;ar ne- cao numero 7 desle mesmo anno autorisan-
ei"--ario. do o governo a pagar a Anlonio Ferreira s,'ou-
O Snr. Navarro sustenta o seo requerimen- lo. e outros herdeiros do faleseido Antonio
lo, cmoslraa necessidade dse decidir esta Ferreira tle Sonto a quanlia de 1 q5oLJ res
qnestfio
urna resol ti o nao mpressa ; as emendas do
.ovas uieixas da parte da legaco portugue-
/a que sem dttvda se ter ti ahstiio de as ma-
nifestar se melhor hotivesse attendido s cau-
sas, extraordinarias que lem eslorvado a con-
cluso d'esle, negocio apezar dos esforcos do
governo brasileiro em terminal-o etc.
Le-se, e approva-se um requerimento do
Snr. Carneiro da t Ai nba pedindo ao gover*
no que remeta a esla augusta cmara as co-
pias dos reltenos dos .S.ofhcaes que lomaian
cotilas a Alhit^u Gomes Guerra dos anuos de
821 a 8aGiese consta, a existencia na con-
tadoria dos pajjeis reinctlidos cmara fio
depulados apresenlados na mesma pelofc'nr.
Jos Clemente Pcreita, ludo com urgencia.
Remelle-se a mesa por volaco ta cmara,
uma indicaco do Sur Castro e Silva emque
declara que acbando-se quasi concluida a
sessao do presente anno ea inda nao estando
concluida a discusso do projecto de lei do or-
cament da desptsa de cada um minislro .
que ja passaram pela segunda disscusso en-
Iremetu terceira e concluida ella rcmclla-se
para o senado a im de'que o mesmo possa ir
fa/endo a discusso e poder 110 pouco tem-
po que resta concluir este trabalbo*
O Snr. Navarro pede a palavra pela ordem,
e prope a urgencia para que entre em dis-
aosso o parecer que se acaba de ler da com-
misso de diplomacia, mostrando o direilo que
teta as partes inteicssadas de baveretn essts
quanlias de que ha tanto lempo se acho pri-
vadas, >Iostra a uecesudade que hadaca-
Julga-sc disculida a urgencia eposla a vo- senado sobre a ftxa o tlaforca de trra; ao meio
s cao approvada. tlia, a discusso do ortjamento do ministerio ta
c levanta a sessao pelas tres horas da.
Primeira parle da ordem dodia
l'.leicoes de Sergipe.
Continua a disetisfiO do parecer da com-
misso especial, e emendas.
O Sur. presidente deixa a radeira ta presi-
dencia, que ocettpada pelo Snr te ice i 10 se-
cretario que serve tle primeiro e toma par-
le na disecuiso, e responde s rcllexoes que;
i/era as anteriores sesgues o Snr. PacbetO.
Mu i los Snrs. depulados pctlein. votos.
DaHK por discutida a materia.
afierra
larde.
PERNAMBUCO.
GOVERNO DA PROVINCIA.
EXPED1ENTK DO UIA 5.
Ollicto Ao Commandante das Armas,
siniicando-lhe em rcsposla ao seoolKco do
rosto a Otos o parecer da commisso, ere- 1 to corrente que pede mandar demiltir o
gritado, soldado de Ar O voto (enerado eflorecido ramo emenda do I oposito Jo/e hodrigues do O' Marcelino
>e!o Snr. Hilji.ii,> de A-mirada iguahuenle *fi Anlonio e WtfeisS & .""O.u/a Chaves que
geilado folio )ul;ados imapa/cs do serviio militar pe-
Da emenda do Snr. Carneiro da Cunda se la Junta de .Saude.
apptova o seguinle 1 Dito- \o mesnio para mandar receber do
Sao millas as eleicoes l'eilas em lR3fi na Commandante do lrigtie Kscitna Niltlieroy .<
provincia tle Sergipe, pata a actual legisla- pra as tle Artilhera e Caradores viuda- da
ra c alo seje cnmmniunicadoao governo pa- Provincia do Rio (irandedo Norte edar-Ibes
raque mande proceder a nomeaco de novos o conveniente destino.
I'ot'lai ia-Ao Commandante do Brigtie Es-
cuna Aictheroy para entregar a disposico
do Commandante das Armas as vate tre/ pra-
cas que conduzio da Provincia do Rio Grande
to Norte.
I )hcio-Ao Commandante Superior da CJ.
N. doRcfile, signiiciiido-llie rjue repre-
seulaudo o I i.inmandaMle das Armas, oue
a (1. N. deveadodar boje Guaraicafi da,
Pra a, naoapparecaraono lugar cempetente
as Placas precisas para este fim Ihe lecom-
nenda que baja de dar as convenientes provi-
den'i;.-a im deque nao continen.a appa-
eleitores.
A emenda do Snr. Pacheco fica prejudi-
cada.
Segunda parte da ordem do dia.
Discusso do Orcanienlo.
CoutB>a a dificosco sobre a fivaco dit
despe/a do ministerio dos negocios estrangeiros,
e emendas apoiada
OSnr. minislro dos negocios estrangeiros
lamhcni nao comparece boje por incoinniodado
i'oino parte na discusso o Snr. Carneiro
Lato que sustenta a emenda da commisso,
e que se estivesse prcsvjiie o Sur. ministro doi


2
DIAR
I ol
DE PERN
es
t
r*ceiscmelhantes faltas to prejudlcite ao
Lom andamento c regularidade do servico ;
devendo informar de quem proveio a falta de
que se (rala.
Dilo-Ao Administrador Fiscal das Obra
Publicas o;ivando-lhe a coala da despe/a
frita pelo Arsenal de Marinhicom a Compa-
iihiodus Operarios Encajados desde 18 ao ul-
timo Se Setembro p |. ', a fin de que mande
satisfazer ao Almoxari'.e do mesmo Arsenal.
Dilo-Ao Inspector do Arsenal de Marinha
Gommunicando-lhe a expediccio da ordem su-
pra.
|)IO-Ao mesmo ord -naiido-llie que man-
de fazer no Brigue ons mica somante oscon-
cerlosque forem absolutamente ndispenaaveis
para que nao continu a deteriore r-se^, fican-
do na Inteligencia de que-a Presidencia se vai
iierigir ao C.ovemo Imperial a tn de provi-
denciar acuca do eslado de ruina do mesmo
Brigue.
Poilaria-Ao Comandante Cecal do CorpO
de Polica ordenando-lhc (ue laca entrar
ho'u' o mi smo ('orno de Guarnic o na praca ,
tteandn na inlelligeneia de que as rondas de
noite ssr.to cilas ocla Companhia d'Arltfi-
THEZOURARIA l'ROVIV JAI.
IsiKlUEVCF. DO 1)1* 70 ORsE:! Mino.
Porlaria-Ao Coedordo Vuni :ipe do Bre-
. > di'ici iiiiiiaiid) cni conformidad* co.n a or-
den (l,i Exni. presidente de ig O corrcnle ,
ipiH proceda aulinraineiito da Dcima naqucl-
l,i Villa por i|'i cilo no seo arn menlo se
, i':viicm o n. legal de predios para que soja
< II i dev a.
Ollicio-Ao Exm. Presidente da Provincia,
ioforinando sobiea represe >lnc'0 do Pm.-ui-a-
d.ir i i>tu!j a re peil i da e igencia >or elle fei-
la do alie- ado | ara opagamenlo do Cai o d ,
S (foliada*
Ola S.
Oilici.i-\o Exm. Presidente da Provincia,
informando sobre o requer ment de Joaquina
Leocadio de Kreitas Prol'cssor Publico de
l'i nucirs Letras da Povoai o de Bizarros.
L/iio-Ao Doulor Procurad.>r Fiscal d.i The
zoiii'arii mandando suspender o proie linionto
indiciarlo cnica Jo/.o Jusliuo Fernandas de
Sou/.a ,, Arn-iiiatante da obra da Cape la Mor
da Vlalr'v de S. Pedro Mrtir em Olinda em
vista do oficio do Exm. Presidente que por
copia transmute inclii/o e exegin lo que de-
uroKa a cuntaf e documentos, (ue se llie
enviarao.
Dilo-Ao Administrador Fiscal da* Obras
Publicas coinmunicando-llie em resposla ao
seo olhcio de 2o do corrente que tauo dadas
as convenientes ordens para a suspensa*) do
procedimculo judiciario que man Ion inten-
tar contra o arrcnialante da obra da CapelU
Mr de!S. Pedro Mrtir d'Olinda como do
precedente oticio.
Dilo-Ao Contador da Tbczoutaria roumu-
nicando llie a suspendi do proc mu ntJ ju-
diciario conslanie do precedente otiu*
* [da a/,.
Porlaria-O Inspe tor da Tbezouraria das
riendas l rovinciaes exlrannando o procedi-
Micnio do Sur. Colleetor dos Vluirioibios do
Bre oe C mi res n ir admitir l.elj.s no paga-
inanto da meia sua dos Escravos, llie as de-
volve para que reali/.e a sua rapor un a e
com ella enlre para a Tbezouraria sob sua res-
ponsabelidade servindo-llic 'dregra, que
achando-se alterado o Artigo 10 d) Regula-
mento de ii de Janeiro de i pela Pro-
vizo de a a de Marco de 1*33, devem sem-
pre pagar-se, e cobrar-se por inleiro as
quanlias da meia siza que se deverem dos con-
tracto., e arrcinataeoes dos escravos anda que
se nao pague a visla a importancia dessas ar-
ifir.alacoes f conlraclos ; e oulro sirn que
nesla The/ouraria nao se llie bao de ad-
milir Letras que houver receb-do em paga-
mento de quaesquer imposlos Provinciaes n.i
scudo expressamenle determinado,
ni V '
Porlar a.-VTandando carrejar em Receila ao
Tliezoureiro das Pendas l'rovinciaes i5;ooo'
de rs. em Notas, que nesta data recebeo do
Cofre da Thezouraria da Provincia por conta
dos 15o ooos' de raa consignados pela Eei do
' 'remenlo Geral para o supprimento do D-
ficit Provincial.
i oa 26.
Portaria-Ao Tliezoureiro das Pendas Pro-
vinciaes mandando pagar a J. i!. Lasserre Ca-
pilod.i Barca Casemir Delavigne a quanlia de
iis'fore- valVRdn Ireie das diis Caixas
fwn Livros v:::dos pura o uzp do Eiieo desla
t.idade.
ni a sf.
Offick>Aoilim. Jn da T! ezouraiin
Provincial das Alagoas, aecu/.ando ter rece-'
bido 'o seo officio de 9 do corrate em que par-
lecipa a installnco da mesma Tbezouraria ,
e congratulando-se nao so pela creacao da
mesma Bepnrli, ao como tamban pela acerta-
da escolha da sua nomeaefio.
nia 3o
Offieio-Ao Contador da Tbezouraria remet-
iendo por copia o othcio do Ivxm. Presidente
da Provincia em o qual p:irleeipa"ter nomeado
paiao Lugar de i. Escriplurario da Goutauo-
ria ao Amanuense da mesma Joo Cavalcan-
te de Mello e Albuquerque e para o de A-
manuense a Antonio Cardozo de Qiieiro/. Foa-
ceca Jnior.
Porlaria-Mandando carregar em Feceila ao
Tlie/.onreiro das Rendas Provinciaes os 16 por
c-nto dos dcscontos nos vencmentos dos Eai-
Uregados pagos em moeda de piala pela Tbe-
zouraria no referido mez.
Dita-Mandando alionar ao mesmo Tnezou-
reiro as despeas por elle feilas cunos Ein-
pregados e mais despezas Provinciaes no predilo
mez.
Diversas ReparicM'it
ALFANDEGA DAS FAZRNDAS.
- A Pauta be a mesma do ni mero i83.
t
MEZA DO CNSUL A DD.
A Pauta be a mesma do nunvro a 15
CORHIIO.
O Palaxo Mara bu nacio Marques perlende sabir no diaao do
corrente.
C\MARA MUNICIPAL DA GtB&DB DO
HKC1FE.
SKSSA EXTUAOnDlKAlUA UE 17 08 AGOSTO DK
i839.
Presidencia do Snr Barros.
Comparec.'rao os Sc.nliorcs Oliveira ,cou-
za l'iguciflo Chaves ; faltando com cali-
za o- mais Snrs.
Abcila a Sesso c lida a Acia da antece-
denle foi a|)provada.
6 Sccrclario dando conla do expediente
mencionou os seguinles ofHeios.
Um do Prefeiro desla Comarca pedindo,que
fosse iluminado da Lisia dos Jurados o t.i-
(iadao Manuel MachadoTeeir < avalcinlc ,
pin ser domiciliario da Comarca do Rio For
niozo ; inlcirada.
Oulro da Cmara da Villa da Boa-visla re-
mellendo duas copias das aulbenlicas do Col-
\ep,\o r.leitoral deCabrobd resol* eo a (amara
que se respondesse (pie nao compele a esla
Cmara receber (lilas copias por ja baver rece-
bido oulras iguaes do mesmo ('ol'egio, cuan-
do deo principio a apnracao dos votos para uin
Senador e Depulados Provinciaes deven-
do ellas serem remetlidas a Assemhlea Legis-
lativa Provincial, em vi rinde das novas or-
dcas em vigor as quaes em lemp breve se-
r.) enviadas por esla Cmara a mesma As-
seinlilea.
Oulro do Juiz da Direito interino da j. Va-
ra do Crime remellendo a lisia dos Juizes de
Fado, queserviro na 4 Sesso de ip de
Jullio prximo passada e dos que foro mul-
tados : inlcirada,
Oulro do Fiscul (-csle Pairio pe lindo que
mandasse pagar ao l)r. Fclippe ISeri Rodrigo
de Carvallio a qnantiia de ivjffftoq rs. de i
corridas de Sande qu '<' cora o mesmo Fis-
cal, as tabernas, e issoagues do mesmo llair-
10 nos das i^deJunbo, 5 ('e Jullio 7
e 8 de Agosto do corrate anno : que se pacas-
se mandado*
Oulro do mesmo solicitando o pagamento da
quanlia de ()i' r -s a fnn de que seja pago o
Tliezoureiro Ja Igreja de JNossa Scnbora do
Ro/ario importancia de <) Cornos que fo-
rao enterrados naqtdla Igrija i que se pa-
casse mandado.
Oulro do Fiscal do Bairro da Boa-visla |
parlecipando ter feilo a corrida de porcos l
que rendeira ios lio rs., c d duzidas as des-|
pesas qu fiera liquido a quanlia de 1 1, (io
rs. a qual entregan ao Procurador para esse
dar-lbe odesliuo macado no^i.'Iil. (i. da.
Posturas Mupicipaes : a Cmara n sol vea que
se olliciasse 1 Adminislraoao do l'ospilal de
Caridade para mandar receber do Procurador
dila (|iarlia.
Oulro do mesmo Fiscal partecpandp, que
lendo bido cumprir o despacho desla Cma-
ra prol'endo 110 requerimenlB de Hafloel
Pinto du ('.rvaliio a respeilo de seo sitio na
estrada da (JaptKnga, adiara un) pedaco de
(,-!(m no nie-;no silio dinianxda do lado (h-
iriloda mesma estrada e que indagando del-
le (c:i bouvessadesmamado a Metfla res-
pondera ter sido o Fiscal Almeida do Munici-
pio de Olinda a pedidos de Manoel Luit QBn
calves, e que conhecendo a juslica que as-
sisiia ao dito Pinto e baver aquellis Fiscal
ultrapassa 1 o os limites de sua junsdicao pra-
licando actos illegaes, por esse motivo fe/ re-
por a cerca no mesmo logar o que o me9mo
Propriclario fez em sua presenta sem alterar a
dimencao da mesma estrada demarcada re-
solveo a ('amara que se ofticiaSse a de Olin-
da nesse ifies'mo s:ntido.
O Sur, Vcreador Souza requereo que
ficasse sem effeito a resoluco lomada na Sessio
passada para se nao appellar da sentenccontra
ella proferida na cauza de Libellp que con-
tra esta Cmara encaminba Antonio Joze de
Magalhaes Haslos e que achando-se app'ell-
da a dila senlenca se tuosegui-se nos lemos
da Appellaco e da Cauza al o ultimo re
curso cujo requerimenlb ficou addiado por
sersuspeilo oSr.Cha,es.
1 Compareceoo Cidadao Joaquim Joze .Este-
Ves Borneado Ajudantc do Promotor da O.
Nacional dcsle Muuicipio o qual preslou ju^-
ranienlodo referido Cargo. ^^^
l'espacbarao-se alguns requerimnlos, e
pin ser dada a hora li vantou-se SessSo ;
e mandafo faxer n presente em que ssigria-
rao. E eu Francisca Antonio Rebello de
Carvalbo. Secrelario interino a escrevi. Bar-
ros Pro-Presidente. Chaves, Souza Oli-
veira, Figueiredo. Est conforme.
Francisco Antonio Rebello de Carvalbo.
Secrelario interino.
O Sur. Eserivao e Administrador da Me-
za de Rendas Provinciaes manda fazer publico
a lim de ebegar ao conhecimento dc(pi(Mn pos-
sa aproveilar a s-guinle disposicao da Lei Pro-
vincial n. 73 de .to de Abril do corrente an-
no, e do AI vara de < de Junho de iHoq.
Art. 4'i da Lei Provincial.Do dia da pu-
blicaco desla Lei a seis mezes imprOrOgfcveis
sero pagas as meiassizas dos Escravos que
se estiverem a dever e findo esle praio nem
a Mer de Rendas Interna Pniviiuiaese nem
os Col lectores podero receber siza que avista
do papel de venda se queira pagar 3o das
posteriores a sua dada.
<^ <_). Po AI vara cima mencionado. Na
mesma pedal de nullidade ineorreno as ven-
das dos Escravos ladinos, que se fizerem sem
o pagamento da meia siza e serao alem disto
multados os vendedores e compradores em
igual parte na perda do faltar do escravo |
sendo a melade pira o denunciante se o bou-
ver ea oulra ou toda nao o bavendo pa-
ra a Minba Real Fazenda
O i. Escriplurario
Joze (iuedes Salgueiro.
Thom Pereira LagOs Arrematante do
Imposlo de 20 por cento do consumo das Ago-
as ardenles de produca Brazileira aviza
lodos os Snrs (pie devem dilo Imposto vao pa-
gar al o dia i5 do corrente na ra das Cinco
Ponas em caza do Escriplurario do mesmo
Contracto Amaro Renedito de Souza visto
que ja fono avisados por esta ha e o nao
lem Feito findo o prazo o supplicanle contra sua
vonlade prncerler na forma da Lei.
Recil'e 7 dcOulubio de i83c>.
'J bom Pereira Lagos
Arrematante
NOTICIAS ROVINCIAFS,
As Provincias do Rio de Janeiro, de Minas,
da Rabia, ede Sergipe segundo as folhas r -
ecllidas, da primen-a at 17 de Setembro da
segunda al :">, da lerceira al 3o e da (piar-
la at 4 do dilo mez, go/.o de paz, e Iraiiquil-
lidade.
Sania Calbarina O General Ahdrea ti-
ntn uilimado os preparativos para acommet-
(er os rebeldes na Laguna no' da 5 do p.p.
O Espirito publico, e a coniarK-a no general,
e as fcr.asdo s u comn ando presagiva ia vi-
ctoria completa mas com algum sacrificio,
porque os rebeldes por sua parte selinbo Cor-
til.cado com esforco e eslavo promplos a de-
fenderem-se
SANTA CATHARINA.
Quartel General do Desterro aJ de Agost de
18V
Ordem do diaN. i.
Na qualidadede mareclial de campo e com-
mandanle da forra empregada na deleza desla
Provincia ordeno o seguinle :
Para Ajudanle de ordens da pessoa nomeio
ao Sur capila do regimeiilo n. 1 de Caval-
lai ia do c.vcrcito Daniel Aureliano Parado
Enierrabodes*
A illia *anla Calbarina ficfi dividida em
trez com mandos militares a saber: o pri-
m< tro (. i! 11 ai t'o militar (< vn\ rell< rrder;' u ca-
pital e todo o destricto. da Freguexia de
Senbo a do Desterro ; o segundo caminando
compreltender todo o districto das freguezias
do Kibeiro e da Lagoa ; o terceiro comman-
do compreh -lera o distrlos das freguezias de
S Amo i., Rio ermelho Ca av eiras. O
Snr. Pnente Coronel Joze da Silva Maira fi-
lar encarregado doprimeiro commando mili-
tar ; o Snr. Major Joaquim Jo/.e Ribeiro Mj-
ialo fica encarregado do a." commando militar;
o Sr. Capillo Joo Antonio Ribeiro Branco fi-
ca encarregado do 3." commando militar, os
Snrs. comroandantes militares sero os com-
mandantes dos corpos que segundo suas ins-
truccoes tiverem de formar com destacanicn-
tos da G. nacional 011 coni os contingentes dos
de 1. linha empregados dentro dos su? destri-
ctos qurido para iss tiverem ordexti', ou Ci-
tes contingentes nao estejo ligados outra o -
fanisaco. i) Snr commandante militar ta
capital ser ocommandantede todos os desla-
icamenfos contingentes de tropas de 1. linba
que vierem a esta provincia am quanto riao
Ibrmarem parte de algum corpo orgamsado
provisoriamenle quaesquer que sejao as suas
armas; sera felpo asaVel pela cbnlabilidade
de lodos esles contingentes, at que as suas
guias sejo entregues ios corpos para onde prs-
sarem. O Snr. Coronel Joaquim Fclippe
Lampreia Mimoso fica por esta ordem encarre-
gado do commando mililar da villa e districto
de S. Joze e tomar o commando de um ba-
lalho, que fica encarregado de organisar ,
composlo de todos os contingentes da .. linba
que se acho empregados na defeza da villa de
S. Joze e Passo de Trombudo, e das mais pra-
cas que para esSe fim lbe forem enviadas ,
bem como das pracas da (juaitla nacional que
lbe forem dadas em rea o. Este ballho
tomar o nome de batalbo da Boa-vista.
O Sf. Tenente Coronel Jos Fernandcs dos
Sanios tomar o commando de m balalhao ,
que fica encarregado de organisar, composto
dos contingentes de primeira linba empregados
boje na defesa do morro dos Cavados e I ncea-
da de Brito, e das mais pracas destacadas da
'guanta nacional que se llie derem em relaco.
Este batalbo tomur o nome de batalbo da
Son a.
O Sr. Capilo Jos dos Santos Pereira to-
mar intci mmenle o commando de hum bala-
lhao que fica encarregado de organisar, com-
poslo de todas as pragas de 1. Linha qu se
acbaram na capital exceptuando os emprega-
dos em diversos ser\icos, eos inhabeis (que
entregar ao Sr. commandante militar do 1
districto}-, e das pragas destacadas da guarda
nacional que se lbe derem em relaco. Esle
batalbo lomar o nome de batalbo do Des-
terro*
Na organisaco d< s batalbes de infantera
nao sero comprebendidas as pracas de caval-
laria, que ficanio por em quanto cor -sujetadas
como contingentes nem as de arlilheria que
servitem como taes que tero o mesmo des-
tino.
O vencimento dos Srs-'commandantes mili-
tares que nao reunirem o commando de cor-
po ser o correspondente s suas patentes co-
mo officiaes do estado maior empregados em
quarleis generaes e segundo as leis e ordens
existentes
Pelas disposices desla ordem Picando sbp-=
primida importantecommisso do Excl. Sr.
Brigadeiro Franciscode Albuqturquee Mello,
que se achava encarregado da defeza de t -da a
liba e que tomn sobre si esla responsabili-
dade na occasio mais critica be do mcu de-
ver rogar a S. Ex. se digne demittir-se dcsta
commisso e agradecer-lhe os estceos |ue
empregou para conservar a ordtto, e dar tmn-
(piillidadeaos babilaules da liba espetando
com ludo que nao deixar de U s continuar
seus importantes servicos logo q e se tornem
neccssaiios
Bem que o Excel. Sr. chefe de esquadra
Miguel de Souza Mello e Alvim livesse j ei -
trege o commando e defesa da parte naval de
que se encairegou no momento de mais peri-
go cabe aqui fazer mem-o deste importante
servico epedir-lbe o soccorro de seus con-
selbos e da sua bem mohecida indiligencia
durante minba administradlo.
O Sr. Major Patricio Antonio de Sepulveda
Evi cara befe dispensado do exeteicio de CJuar-
lel MesiM-Ccueral deque fora encarregado,
devendo continuar as commisses que estavao
a seu cargo.
As atlribuicoes do Major da praca Iicao a
competencia dos omciaes superioirs do da no
que loca ao servico para que sero chamados
alguns dos Sis. omcia< s .dormades, e a do
Sr. Aldante de ordens no que toca aos dela-^
Ibes.
Frn. i 1 o Jcs de Souza SoaiCs d'Aiidra ,
Presidente e t ommandanle da lorca.
(Coztta Comn.crcial da Bahia._)


nt A RIO
I) E
PKRNAMflfc
LISBOA 18 DE JULHO.
Um importante facto politiro comeca a rea-
lisar-se contra todas as'prohalidadcs mora-
'es. O Governo de urna Naco Ilustrada e
poderosa ac ha mente offensiv do Dtreiio das Gentes, contra
oulra Naco a sua mais fiel e antiga alliadi.
Pelas noticias do ultimo Paquete salamos om
profunda magoa que finalmente apresentra
Lord Palmerston no Parlamento, um Bill pe-
lo qua I a Navegaco Portugueza fica mere ,
e dependente jjo mero arbitrio dos Cruzado-
res Ingleses \ investidos da anthorisaco abso-
luta de visitar quaesquer Navios Portugueses
i.vi que se presuma que se faz, ou pdefazer-
se o trafico daescravatura. # Urna tal medida
i|uc Su evia ser tomada por acord entre as
(luas Naes porque o seu objcto nao pide
ser reculado pelo Direito Publico interno de
urna s, mas pelos principios de Direito inter-
nacional Um acontecimento extraordinario
na Europa de hoje
Quaesquer-que fossem as circunstancias que
nduzissem o Governo Britnico a um proce
dimen'o excepcional, antigs relaces sempre
mantillas com lealdad davam a Portugal o di-
reito d esperar ab menos que nunca sera
a excepcb em seu desfavor.
O Ggvento Portugus tem constantemente
mostrado bdesejo"sincero da abolicao da escra-
vatura e ainda nao deixou de empregar os
meios ao seu alcance para lva-la a efteito
Todas as nccusaces que em contrario se lhe fa-
canl sao desmentidas por fados consecutivos e
autbenticos. No Tejo tem feilo exercer a mais
rigorosa fisealisaco para evitar que ahi se ap-
prelhem vasos pata'esse brbaro commereio,
<>s seus navios cruzam nasdirecbes mais pro-
prias para o evitar. Todas as Autboridades
que se leem tornado suspeilas de o proteger, ou
de menos activas emb cohibir lem sidodemit-
tidas e os Documentos Officiaes da sua demis-
so nllestam que Governo tem sido inexora-
vcl ; e finalmente se um Tracto definitivo a tal
rspeit se nao acha concluido e firmado entre
Portugal e a Gr-Bretanha porque esta
recusando-se a assignar o que se achava acor-
dado pertendfeu introduzir-lhe condices in-
admi*siveis e incomportaveis com o decoro da
Naco Portugueza.' Nao obstante isto o Gover-
no Britnico suppta ter motivos que authori-
sam o seu procedimento porque dando urna
interprelacao gratuita aos Tractados e :s Esti-
pulacfes relativas a este objeeta inculca ter
comprado o direito denos obrigara tudo quan-
to elle perlender que focamos para acabar com
a esclavatura as Provincias Ultramarinas Por-
thguezas. O preco porque o Governo Inglez
nssegiira que obteveeste direito a somma
de 900 mil libras que Portugal recebera. En-
tretanto os Documento em que se tracla da ap-
peacoe recbimento dos difiranles parcellas
desla somma provam asss que ella foi dada
por outros motivos.
Em Janeiro de 1815 dous Tractados foram
celebrados em Vienna ; pelo primeiro de 11
daquelle mez 300 mil libras foram estipula-
das como indemnisaco para os navios Portii-
gezes a maior parte pertencent ao porto da
Babia tomados individamente pelos cruzei-
ros Britannicos at ao dia 1.' de Janeiro de
t8i4 ; pelo segundo o resto das (ioo mil libras
que proccdiam do emprestimo feilo em 1 de
Abril de 1800. pelo Governo Portuguez., para
a compra de munictas de guerra quando pele-
javamos ao lado das forcas alliadas na Penn-
sula e de cu a somma Portugal havia j pago
quasi a quparta parte em prestaces, foi-lhe
adjudicado em corrpensaco da Guiana cedida
aoS Erancer.es com o condicao da abolicao
progressiva do trafico ao norte db Equador ,
condicao que se mostea haver-se preenchido.
Drsapparce assim b primeiro e mais foile
fundamento em que o Governo Brilannino per-
tendeapoiara medida proposta tuja flagran-
te injuslica em todas as snas relactas podera-
mos demonstrar largamente agora, senao ten-
cionassemos tomar a este importante assum-
pto sobre 0 qual com tudo nao podemos de-
xar de fazer ainda algumas breves considera-
res.
Em quanlo o Governo Britannico qursu-
jetara navegaco Portugueza, em ludibrio de
seu pavilbo, ao capricho dos cruzeiros Ingle-
ses, que sero ao mismo tempo partes e juizes
na preza porque uo manda elle fazer para
igual fin revista em navios de outras na>oes,
fallanca, da Russia e dos Estados-Uui-
dos ? Pizcr-seque ha de evitar o abuso n-
diHerente porque a offensa est essencial-
mente no principio. Fm um dos portos re
Inglaterra existe um navio Russlanb qtife fra
apresado com escravos : navios Americanos dos
Estados-Unidos foram ltimamente tomados .
per igual molivo, e mandados a Nva-YorK ;
Iorqne em circumiUncias idnticas nao proce-
de a Inglaterra dojnesrno*modo ? Ser porque
Portugal nao tem um exercito de'diizetas mil
homens e oilenla nfti de linha ? Nao pode-
mos acreditar urna rasSo de tal maneira inju-
riosa ao ca racter generoso da Gr-Bretanha.
mostrao ,' qu

m
Mas desg ni cadamente os fclos
M. Duperr.-Nada.
M. Passy. E vos Cnin-Gridaine ?
M. Cunin-Gridaine. Nada,
M. Passy. Nada nada Entretanto
preciso fizer alguma coisa. Temos muti
celres cidades da Europa e collocada em-
ma das mais bellos posicoes to. Universo ; con-
struida em 'ampliteotro sobre 'um bra^od
'mar.
Tornada da cidadella d'Antuerpia pelos
Temos multas
qu.stes na ordem do dia ; a questo do Uri- Frauczes em 183a-Entre os combatenles
eslanossa anliga alijada^ parece que se acha 'jente a questo hespinhola, aqeslSo dosas- dstinSuem-sc perfeitame'nte b's dois filhos de
Lui? lelippe-o duque d'rleans, e o de
Vcmoiirs.
.No\o c o mais executado painel reprezen-
tando a cidade de Lisboa, vista emgeral, e
respeito de todas estas quest5es tanto ma
que o publico espera nossos actos. Conwemo;
alguem qUecomprehenda a questodoOrienle.
M. Gunin-Gridaine. En por tnim nao.
M. Schheider Nem en.
!\!. Soult. Ah si fosse a bat-lba *-
ue Te
nossas Provincfias Ultramarinas tem sido a ban-
deira Porlu;;ueza alfrontada por Arcas Ingle-
zas ; m Bolama se apresentaram ellas em a-
bertahostilidade ; em alguns pintos da India
em[>enham-secm menoscabar e indispr o no-
me da Nago cujos feilos naqnclla parte do
mundo forao to gloriosos e que tantos anuos 1
alli precederam o dominio Britannico a que
de eerto lhe abriram o caminho.
Ser este proceder revelaco ou antes a I
confirmiico do pensamento de um dominio ex-! 0' Jr'enfi.
elusivo as Indias ? Nao podemos acreditar i Todos. Nada.
que urna Naco que se ufana de caminhar ; M. passv. BrtVO Passemos agora que-
Irenteda civilisaco qneira alropellar direi-l sts0 hespai.'hola ; que faremos relativamente
tos sagrados, para ampliar seu poder e n- esta iuteressante nneslo ?
lersses. A Inglaterra pbr isso mesmo que I Todos. Coisa"nenhurna.,
eminentemente Ilustrada nao desconhece de'
losa____
M. Passy.-Senhoras, ponho em votaco
o que devemos fazer relativamente quest >
tomada'da Junqueira- foi offerecido ao Sr.
pela questo do Oriente. Vejamos se ha q'ui re D. .Too iu pelo famoso Henry L'evcque :
este he um dos mais helios paineis que o Cos-
morama tem apresentado.
Genova chamada a solierba por causa da
magniricriiCia ue seos edificios, situada partf
em um plano .parte sobre umacollina o que A
faz que ela aprsente a espectador urna vista ^
encantadora.
Ha"ero mais 6 paineis escolhidos entre os
melhores das colleccoes pausadas.
O Director aviza 'a publico que contina a
recetar subscriptores para estas novas vistas
Elo preco de 4,000 reis pagos d'antcmo -
da subscriptor tem direito alegar sua Se-
M. Passy. Bom Passemos questo dos nhora sem por isso ter a papar mais. O ( os-
cerlo que nenhum predominio subsistente,: assucares mmn Mi sem ter por base a juslica ; e ella que foi o M. Cunin-Gridaine. Isso commigo. Ha
primeiro instrumento daanniquillacao dopo- vinteannos que estndo esta questo.
der clossal de Buonaparle nao pr'ide esquecer
as lices que den ao mundo o captivo de Sania
Hellena.
O Governo de Sua Magestade Fidelissima
podera ter publicado ha muilo os documentos
relativos s ngociacoes sobre o trafico da es-
cravtura e apparecer justificado 5 nao o fez,
por deferencia para com o Governo Britannico;
julgou que nao devia lmar a luva ; mas en-
tende que lhe cumpre levanlal-a. Esses do-
cumentos vo ser yuiblicados ; .0 Governo da
Rainha deseja ser por elles jnlgado ; appel-
la para ojuizo. e para o carcter generoso da
Naco Britannica mas applla tambem para
o da Europa cuja opinio o Jury supremo
as cbnlebdas das Nages.
(Do Diario do Governo de Lisboa.)
/ APPLICO EL CUENTO.
Publica-se em Pariz um peridico com o ti-
tulo Le Corsaire, e um amigo nos facultou
alguns nmeros cuja tetura muito nos de-
leitan. Em o numero 64n de 3 de junho
d'este anno foi estampado um ortigo, que,
com pequeas alteragoes nos pode ser appli- m0s todos pelo mesmo rumo,
cado: fizemos a tradueco e ai vae correr
M. Passy. Enlo que propondes ?
M. Cunin-Gridaine, Nada.
M. Passv. Perfeitamente vamos aos ca-
minhosde ferro.
M. Hufaure. E' a minha especia Iidade.
M. Passy. Visto isso tendes profundado a
qiioslao da margem direila e da margem es-
querda.
M. Hufaure. Oh l l
M. Passy. E que tendes decido.
M. Hufaure. -Coisa nenhuma.
v'. Passy. Senhores faco-vos meoscom-
primentos. Si vamos assim
nossa passagem por actos....
M. Dufaure. Oh a proposito e con-
versaodas rendas vos que fallnes que ten-
des feilo a respeito da converso das rendas ?
M. Passy. E'justo. Convenho que como
ministro das (naneas devo ter urna opinio a
este respeito.
M. Dufaure. E que opinio tendesp
M. Passv. Nem urna.
M. Dufaure. E que queris fazer ?
M. Passv. Nada.
M. Dufaure.-Parece, Senhores, que va-
morama est aberlo das 6 horas da tarde at
s 9. -
COMPANHIA DO BEB1RIBE.
Acbando-se quasi a espirar o segundo pras
marcado pelo Cunseiho Didibcralivo da Com-
panhia para a entrada dos 4 por o'o, por
conta da primeir prestaco sobre o valor das
Acetas dcstrihuidas ; convida-se'aos Sis. sub-
scriptores que ainda nao realisaro as snas en-
tradas para que (1 facao al o dia 10 do cor-
rente certas de que esto rcalisadas mais de
8:000 Acetas pertencentes a mais de .'00 Ac-
cionistas e que lindo aquelle prazo se far
assignalaremos chamada nominal. O i* Secretario da Com-
panhia B. Jos Fernandes de Barros.
111111 ido.
OS ACTOS DO MirCISTEMO.
Avisos Diversos.
1__________________________________________________
cy Quem quizer comprar um Violto: diri-
ia-se a esta Typografia.
tsf O Emprezario doTheatro jiede ao Sr.
que lhe levou binas Comedias e um peridi-
co dos Pobres de Lisboa queira ir recetar li-
ma ordem saccada de Lisboa contra elle Em-
prezario ; a qual vinha iicluza as ditas co-
medias laz este avizo por nao saber a quem
hade pagar nem conhecer o portador que
lhe parece ser da casa do Sr. Amorim.
S37* A pessoa que aun unca ter em sua caza
urna escrava nova que nao sabe dizer quem
he o Sr. sendo de idade de oito a doze an-
uos lid le na ra do Livramento D. 7 ou
M. Soult. Ah excepto en. Tive j a
honra de dizer-vos que quem linha g.inho a
batalha de Tolosa....
M. Passv. Elle nos conveliera em burri-
(E3ta sesso a mais importante de todas eos com a batalha de Tolosa....
pela gravidade dos oh ectos discutidos urna M. Soult. Sim quem foi vencedor....
das que liverao lugar em ausencia do rei.) M. Passv. Apezar de tudo isso, nossa si-
JM. Passv. Senhores estamos se ; pode- tuaco nao das melhores. Dissemos ao publi- nnnuncie a sua caza,
mos discutir livremente e vontade entrar co :' Espere nossos actos para julgar-nos, e p7" A GommissSo Administrativa da Soci-
na questo de nossos actos. Dissemos ao publi- 0s actos nao apparecem. E' bestilidade de dade Terpsicore convida aos Srs. Socios da
co que esperasse por nossos actos para julgar- niais. mesma reurtirem-se boje 9 do crrante pelas
nos: cumpre combinarmo-nos, e entender- M. Duchtel. Pelo contrario, o quepo- *>e 1/a horas da tarde.
mo-nos a respeito de nossos actos. demos fazer de mais poltico, e judicioso. O CT O Sr. Dr. Thodoro Gomes Ferreira
M. Cunin Gridaine. Isso que enten- puz espera nossos actos para critical-os nao Velloso de Olmda se servir comparecer na
damo-nos a respeito de nossos actos. ,i assim P Pois tam, ahstemo-nos de pralica- rua da Alfandega Velha N. 9 para se llie en-
M. Passy. Alguem tem que propor algu- los, e por consequencia escapamos a toda a Jregar urna caa vmdu da Baha pelo juiquete ,
Inglez Sbeldracke, chegado honlem.
ma cousa ? (Dirigndo-se a M. Soult.) Veja- critica, e assim embacemos a opposico A
opposico nao pode dizer que fazmos ma
por isso mesmo que nada fazemos.
icy Faz-se sciente 00 publico, que boje
q do corrente mez, ha de ser arrematada em
M. Passy. Isto que se chama machine- hasta publica pelo Juiz do Civel da secunda
po o lismo. varo, o sobrado de dous andares D. 17 na rua
Todos. Eis o que tergmio doutrinario! lo Codorniz, pertencenle a D. Mara Fi a-
inos marechal pertence-vos a iniciativa.
M. Souit. O que ?
M. Passv. Pertence-vos a iniciativa.
M. Soult. Nao conheco. Si por exem
fosse a batalha de Tolosa..... Todos. fcis o que e ter g
M. Passv. Marecha! deixae por um pou- (\1. Duchtel martyrpadj com apertos de *&* Bernardina Torres, para pagamento da
co vossa batalha de Tolosa si pssivel. Di- mTo.) dividas da mesma Senhora, emuito pnncipal-
go-vos que tendes a iniciativa isto que M. Soult. Nao talo de todo. Mas. que m^le a divida de que he credora D. Joaqui-
impjrta ? gosto ainda mais da I atalha de To- n N'r':' Km eir V ianna, a cuja senhora esta
losa. (Diario do Rio.) hypolecada a mesma proprifedade.
____________ V~T Arrenda-separa se prtssar a festa, um
J^OTERIA DO LIVRAMENTO sobrado com bastantes commodos ecouxfeira
vos compele o comecar. Entendis?
M. Soult Pois nao ptimamente !
M. Passy Est bom ento por onde co-
mecacs ?
M. Soult. Eu comeco pela batalha de To-
losa.
M. Passy. Marechal, vos nos ma
horrivelmenle com a vossa batalha
Pergurtta-9-vosai tendes que propor alg
coisa alguma ideia....
M. Soult. Em verbo ideia nao vejo seno preter ve! d andamento das roda;,
a batalha de Tolosa.
M. Passv. E vos Duchtel tendes al-
ideia ?
!\!. Dchaleh Confesso-vos por minha
honra que nao sei bem si tenho.
M. Passy. E vos Tesle ?
M. Tesle. Nao me tenho oceupado d'isso.
do na venda dos Para carrinlio estribara para 4 cavallos ; 110
guma
VI. Passy. Dufaure, estou ccrlO que ten- Franca; faz-se nolavel sua magnifica ponte
des rtlguma eois qiie propr-nos. d'arcnria lan ada sehre o Loira quic a
M. Dufaure. Eu ? nada.
M. Passv. -t E vos Vellemain ?
M. Vellemain. Nada.
M. Passv. E vos Si bneider ?
M. Schneider. Nada.
M. Passy. E vos Puperr ?
jojfo para qi._
dos hilheles a fim de se poder marcar o di im- o corrente mez se ha de arrematar 0 qurm
mais der urna caza de sobrado de dois ai d-
res com sotao sita na rua da Senzalla velha .
n. 38 ; chaos propribs com a fenlo para les- ^
te e fundo para o Este cuja caza rende qua-
trcenlos e cincoenta mil reis annuaes avo-
liada em seis contos de reis ; por execuco de
senlenca d 3o3o Vaz de Oliveira contra Fran-
cisco Jos Pllern.
t> A pessoa que quizer cem mil res a
juros sobre penbores dirijase ama Direita
loja de couros D. 18 ipie sedinquem os da.
ty Cede-se a posse de um terreno no Ca-
xang, de cmodo foro, com .(i palmos d
frente lendo o alicerce da mesma frente feita.
o fundo at o rio oplimo nar edificar um
boa caza : a rua de Hortas D. 14.
COSMORAMA
Novos Paineis*
Sahbado ficara m exposi^o os seguinles
paineis ;
A cidade de Tours, cliamada pelos Roma-
nos Cezarodonum urna das mais lindas de
, mais bella da Europa neste genero.
O convento dos Jero>ino< em Lisboa junto
ao Tejo, d'archiieclura gtica um dos mais
nol.-iveis em Portugal ; tanto pelas recordactas
histricas, como pela regidiv. da arte.
( 011 Imlinopo um dis maiores e mos


DIARIO
' fc
D E
ui'wimm
PER^AMBLCO
>
Costa Araujo1, e Francisco Jos da Costa A-
raujo por cscripLura publica no carlorio do
Tabelio Coelho em o de Setembro p.p. ,
que girar com a firma de Cosa Araujo &
Irmo ; e^consequencia. flois se obriga desse
dia em diantc por qualqjyw transaco tendente
a mesma sociedade selebrada pelo socio Anto-
nio Jos la Costa Araujo encarregado do
andamento da mesma. Lco|>oldo Jos da Cos-
a Araujo.
13" Na tarde do Domingo 6 do corrente
arrombaro de cima para baixo o terceiro
py Precisa-se alugar um primeiro andar
de:iim sobrado as principies mas de S. An-
lonio eque tenba coinmodos para urna fami-
lia ; quem tiver annuncie.
15- A pessoa que aununciou no Diario de
segunda leii a 7 do corrente ter aparecido pn
sua casa urna preta que ainda nao sabe dizer
quem be seo r. declare sua morada.
cy" Quem annunciou no Diario de hontem
precisar de urna casa terrea, ou loja que o
sen aluguel nao exceda de 7 a i-000 sendo
3ueira urna loja na ra de Hortas dando fia-
or a contento, dirija-se a ra do Livramen-
to I). 20 no primeiro andar.
SSf Offereee-se um rapaz brasileiro de
idade de o anuos para caixeiro de bolequim ,
ou venda do que lem bastante piatica e
nao duvida ltir para alguma loja de lazenda .
dando aigum lempo sem iuteresse tanto na
praca como pata o inatto e d fiador a sua
conducta ; quem precisar annuncie ou diri-
ja-se a ra nova junio a |>onle D. 36.
C5~ O Conimandaiite Geral do Corpo de
Polica avisa ao publico que pelo Juiso da
rimcira vara do Civel se ho de arremataren)
asta publica no dia n do corrente, vinle e
6ctte cavallos da companhia de cavallaria do to ; levando com sigo eoleira de sola em que
mcsnio corpo. prenda a corrente com que eslava preso ; ro-
$ZJ- No dia 3 do corrente o Snr. Jos de iga-scaqucm o pegar de mandar entregar no
Souza Peres, vcio reclamar na loja de J. silio Tacaruna estrada de Bclem que ser
Cbardon urna carleira que elle dizia ter es- recompensado.
e seguudo andar da casa do annunciante e
lite furlaro de ouro cada um com diamante urna cruz
de ouro 16 colberes 3 garfos e 5 facas
de prata algumas pecas de obras de pedras
ordinal ias q"ue servido para enfeites de peitos
de anios para procissoeus cu jo n. se ignora ;
quem descolorir o roultador ser recompensado
Francisco Xavier VariisBastos.
Uf Aluga-se una canoa que carreue 8 a
10,000 dagoa, pugando-se adiantado ; na
ra nova venda D. a.
%Sf S'o dia n do p. p. dcsapareceo um cao
de filia de cor a marelloescuro locinbo pro-
segu ule
quecido sobre o balco ; no da 5
nm annuncio inserto no Diario reproduz o
dito facto dando a entender que a carleira
leria sido subtraida por pessoa da casa de J.
Cbardon, queoauthor do annuncio a firma
Avisos Martimos.
PARA LOAINDA ; o Brigue Porluguez
novo Abismo sahir no dia a o do corrente por
conbecer e a qual apesar disto o Snr. Jos de jateramaior parle de sua carga prompta;
Souza Peres promete segredo e urna recom- quem quiser carregar dirija-se a Francisco
jHnsa. Jos Corrcia no largo da praca ou na ra
J. Cbardon admira-se muito de que em da Cruz n. ^7.
lugar de prometer o segredo e urna recompen- j PARA O RIO DE JANEIRO segu via-
sa aoautlior conhecido do pretendido roubo pem com muita brevidade a velleira Escuna
o Sr. Jos de Souza t eres nao o ten ha deseo- Jzabel ; quem no mesma quiser carrejar, po-
bertoe feitoimmediatamente conbecer a elle de tratar comoCaptlao Joaquim Antonio Ga-
Chardon ou ao publico ou as aulhoridades dre a bordo ou com Amorim Irmaos, na ra
Judiciaes. Enconsequencia J Cbardon, tan- da cadeia do Recife.
to em seu nome como em nomo das pessoas de i,__________________
Uro preto creerlo deidade de a4 aii- pitaes decampo i c pasoas part. ap-
nuito sadio proprio para qualquer preenco de Um creoulo de nomeJoa>Barriga,
na ruada, natural de IJniia do engetdio Tin luga que
foideJoo Eirmino Barradas cup cpmprou
noe muito satlio prop
servico e entende de cozinha
Gloria fadrica de dislilaco D. 5o.
CT Urna por ao le madeira de marello, a seu lilho Ignacio Lunes Barradas ..giosso,
em pranxoens 5 na ra nova loja de Ierra-; aixo cara cheia nariz chato ^ solnaocfli,
gens D. to.
sua casa declara que esta conducta eslranba ,
dando-lhe lugar de duvidar da sinceridade do
annuncio, e fazendellie couciderar como
Li e i I -o
---------

"
X^-. Tn-s negrinbas de idade de 13.annos ,
um molalinho de idade de 4 anuos e outras
escravas com habelidades as quaes diroao
comprador ; na ra de agoas verdes D 38.
CT OHiate S. Sebastiao, ene Ibado, no
forte do matos; a tratar com M a noel Jos Gon-
salves Braga junto ao arco de S. Antonio.
t2r~ Um terreno no aliamento da ra da
Aurora com t5o palmos de frente e fundo
at a estrada do Hospicio ja com algum be-
neficio ; na ra da ordem casa D. 5 na mes-
ma 6 arrobas de doce de caj' com calda.
3=3 Um bom escravo da costa de mina, com
muito bonita figura, muito mo;o ,, sem o me-
nor deleito e ter de idade 19 annos; na ra
estreita do Rozarlo D. a1 no terceiro andar.
ES" 1,'arris de manteiga ingleza sol rvel por
io,(>oo cada barril ; no armazem de Fernan-
des Jos Braguez ao p do arco da Conceicao.
i^r Urna porco de frexaes de .'o palmos
de eomprido, por preco commodo ; na ra
por detraz da do Fagundes casa do Vianna
lar Una molatinha de idade de la anuos
bastante robusta e muito ex perla, com prin-
cipio le cozinha engommado e cose cha" ;
na ra do Rozario estreita no primeiro andar
do sobrado pie fica confronte a ra das laran-
geiras por cima da venda de garapa adver-
le-equc nao se pode dar por menos de 45o ^ .
cy Ou permuta-se por predios nesla pra-
ca 43 palmos de terreno foreiro a Irman-
dade deS. Pedro a o riso palmo no lu-
gar do pocinhoda panela cujo terreno prin-
cipia do norte para o sul e ja est a maior
parle alterrado ; a tratar na pracinha do Li-
vramento sobrado D. aa.
&5F" Na praca la Independencia loja n. 11
e 11 vdrosde purgantes de Manoel Lopes,
! bandas finas para officias e sargentos talins
com o dstenlivo de I edro II ditos de car-
rancas ; barretinas para officiaes e soldados .
retroz carmesm para bandas choroens de
peonas finas e plumas para officiaes e sar-
gentos, tudo ltimamente chegado do Rio de
Ibas grossas tora scatri*e? em ura hracp que
aparepem toma tabaco .ps curtos e grossas
SSF- Que faz o Corrotor Oli^eira de um sor-
mui duvidoso o esquecimenlo da dita carleira timento grande de fniragensde liversas qua-
11a sua loja leclaraqueconcideraroannnn- Hdades e muito vendaves pertencentes a
ci Je 5 lo corrente como nao existente, se Alexandre Mackay & Companhia sexta fei-
|ielo Diario d'amanh ou depois o Sr. Jo- ra do corrente as 1 o horas da manha no
s de Souza Peres nao declarar por inteiro o seu armazem ra da Conceicao n. 34 primeiro dir o motivo ; na ra do sebo casa tt;rrea com
nome do aulhor do pretendido roubo que a andar. sotao ao p do sobrado que se esl lazendo.
firma conbecer. t2T" (Ruarla feira 9 lo corrente continua o | t" Rap llamburguez bamado rolo ,
cr Precisa-se arrendar um sitio perto da Leilo annuncado 110 armazem da ra Nova chegado ltimamente ; na ra nova D. 1, a, e
de vivenda arvoredos
Janeiro, por preco commodo.
tT Urna escrava moca boa quitandeira ,
que d por dia i patacas, ao comprador Se
deidodede a8 aonos fugio no dia lO.dop.
p. ; quem o pegar leve a ra do Rozario a ca-
sa de Francisco Antonio de Carvalho Siqueira,
que ser recompensado.
i-/* Fugio mo dia 4 do corrente um negro
de nome Jos de naco costa ,'de. idade, de
o anuos, estatura regular, mqte o joelho
direito de encontr ao esquerdo ps bastante
grandes, levou vestido calsa de chila azul,
levando um bahu com calsas brancas azueg ,
camisas ; quem o pegar leve a ra de Hortas
sobrado de um andar do lado do pente D. 47,
que ser recompensado.
53^- ]No dia :> do corrente fugio urna negra
de na ocalabar cara pequea olbosdito,
baixa com a cabeca meia calva com marcas
de quisila da sua trra de idade de 4o a 5o
annos de nome Mara Cajoeira., levou ves-
tido azul ja rolo e panno da costa azul le-
vou com sigo urna bandeja com as armas do
Imperio, Ibi eserava do mestre pedrero Joo
Francisco da Conceicao ; quem a pegar lerea
ra da AJoeda 11. i5i que ser recompen-
sado.
t^> No dia 7 do corrente desaparecen um
negro de idade de 18 annos de naco S.
Thom de nome Joao altura mediana ,
grosso do corpo andava vendendo pao pe|os
ligares dos Ailogado motocolomba e Gi-
qui ; quem o pegar leve a rua Direita de-
froule das catacumbas do Livramento casa de
dois sobrados entre duas casas terreas que-
sera recompensado.
CT Fugio no da 3 do corrente um molato
de nome Sabino de idade de xo., cara larga, cabellos corrides flemas ar-
(juiadas levou camisa de al;jgdoda. trra e
calsa le brim esei.ro liso remetido do Assu'
por Slanoel Lins Wanderley qiiem o pegar
IfiFe aruada scnzalavclba.il. 78, ou na rua
da cadeia n- o que ser gratificado.
SST No dia 1 < de ezembrode iS38 des-
appareceo um negro com idade de 3o a 10 an-
uos com os signaes seguintes ; estatura re-
gular, nariz chato com algumas mareas de
I ecliigasno rosto, urna pequea nevoa em um
olho tem urnas pequeas glandulus no pes-
coco que so se conbecem a palpando com" a
mo seu nome he Antonio e por
alcunho-
praca com casa ue vivenaa arvoreaos e j)# .-,4 de riquissimos alfinetesde brilhantes,
meios para ter 3 vaccas de leite efectivamente; obras de ouro e prata entrando um aparHho
quem tiver annuncie ou dirija-se a ruado de x ; um dito de meza, azul, eoutro de.xde
Crespo loja do Cunha D. 6 lado do norte. porcolaua com 70 pares de mangas de vidro ;
CT Deseja-se saber das moradas dos Srs. um rico lustre para alguma sociedade ou cn/a
Joo Pereira da Silva Gu maraes Francisco particular; e movis de todas as qualidades ,
Alves de Oliveira Joo Romo de vVoura entrando dois panos sendo um muito bom ,
Francisco Xavier \ a* da Silva Antonio Jo- e 0 oulro inglez em meio uzo assim como
s Pedroso, Anlonio Jos Teixeira Aires, Via- outros muitos objeclos jue sero patenlcs.
noel Netto Ferreira Joaquim Pedro de Li- $3^- Que aze'in Joinston Pater A Compa-
xna Manoel Cipriano Ferreira Rabello, An- n|,a por inlervcnco do Correlor Oliveira,
tonio Francisco da Costa Braga o procura- de um encllente e variado soetimento de fa-
dor das propriedades pertencentes a S. Anna zendas inglezas consislindo em plalilhas, e
do Cabo a fim de seren procurados. bretanbas de linho muito finas brins mili-
tT" Precisa-sede urna ama de leile para \ares cassasdo bom tom paninbos de di-
criar sendo Ibrra ou captiva -, na rua no- versas qualidades riseados modernos para
va loja de ferragens D. 10. Maquetas e mutas outras qualidades de al-
5^-Quem aununciou precisar de 1:600,000 cados d'esta nalureza de prompta e lucraliva
a 1-800,000, e oulro de oo 000 a premio, venda para os Srs. logilas ; Quarla feira 9 do
lirija-se ao paleo de palacio venda da quina. correntc as dez horas da manh no seu antigo
tW Aluga-se um sobrado de um andar armazem da rua da Madre de reo.
com a loja, bom quintal estribara que i $~j- Quarla feira 9 do corrente pelas 10
acommoda cavallos cacimba, muilas plan- horas da manh no armazem da rua nova D.
.14 das obras seguntes : Oeuvres complets
de Mirabeau g voumes idem de Voliiey 8
viilumes idem de D. Alembert 5 grossos
volumes, geogrofia de Casado Giraldes 4
grandes voumes Elucidario em folio Uri-
gem dos Cultosde l^upuy 4 grossos volumes ,
Lava'.er Oeuvres complot; 5 grossos vulumes.
he conhecido por i\iajor ; quem o pegar levo
a seu Sr. Francisco Rodrigues da Cruz na
t?- Vinho do Porto de superior qualidade ru.a s Quarlcis que gratificara com cem
na rua da cadeia velha D. 17
t e na rua do collogio I), a.
In-
tas comoparreiral e &c. na praca da
dependencia lo,a 11.4., e 5.
E3" A pessoa que precisa de i:f 00,000 a
premio dirija-se ao atierro da Boa visla casa
do Coronel Brederodes D. 5*.
' ts- Os Sis. aos de familia residentes em
(dimla. que quiserem matricular seos filh*
tanto de um cmodo outro sexo, em urna au-
la pai licular de primeiras letras entendo-
se com o Sr. Thomaz da Uuuha Lima Cantua
1 tu prolessor de msica do Collegio dos Orlaos,
na ladoia do varadouro casa piulada de
a marello.
Sur Carlos Van Ney tem a honra de rogar
a pessoa quelite pedio emprestado umjogo
de Diccionarios das litigoa's franceza, ingleza e
l.Cfcpanlwla se digno tornar a restituir os di-
tos, poisde outra lrnia se publicar o seu
nome para coiihociiiienlo do publico, poi este
be o terceiro annuncio que se faz.
XST A Ingase una canoa grande de carre-
jar lijlos: quem a pn tender dirija-se a rua
que fica por delraz da do l'aguude casa do
Aianna.
t^- O abaixe assignado sem contraliido
uniusociedade.toU'flt'U'ui0-Aolwiio ii Ju
c
o 111 p r a s
H--------
SS5" Um (carrinho de duas rodas, novo ,
ou com pouco uzo e com o seu competente
cavallo ; quem tiver annuncie.
SST Duas loriadas de pedra que tenho
largura e altura conforme jnandoas Postu-
ras da Cmara na rua nova venda D. a.
---------r-t
oin caixa
S5" Caixas le sebo lo Porto de 6 em li-
bra por preco commodo ; na rua das Cru-
zes I. p.
5S5" Por preco commodo um grande sitio
na estrada da Ponte de Ucha com trez sa-
las grandes 11 quartos copiar casa de
larinha estrevaria para ti cavaUos senza-
la para 5 cavallos duas baixas para capm ,
muito terreno para plaiitaces e 1 arvoredos de
toda qualidade de fructo vende-se inetade
a visla e melade a praso na rua Direita
D. 9, e na mesma sealuga oulro mais peque-'
no com casa nova todas de pedia e cal e
trras de planlacoens.
O" A venda da rua estreita do Rozario I).
>.\ com poneos fundos com telheiio no |uin-
lal com resllaro tem commodos para mo-
rar familia. eoluguelhe muito barato, e
nao se duvida dar a praso com seguranca ; pi-
pas vastas e barricas que I o rao de farinha do
reino ; as 6 ponas venda D. 3-,
13F Sevadinha em jarros de :\ libras cada
um por preco commodo e chegados prxi-
mamente de Liverpool, e bolaxa Hamburgue-
za a t patacas a arroba ; na rua da Alfandega
velha D. 3.
l_v' Duas partes de una casa ientsi uui
soto e quintal com grande fundo, sila ao
entrar da rua de Hortas lado direito de-
fronte do beco' de S. Pedro ; a tralar na
mesma.
I mil res.
i_r Vcio do lugar do Maria farinha para
esta praca procurar Sr. unta parda de nome
Joanna de bom corpo alta peilos gran-
des cor de canella clara ;.aludlos pelos e
corridos e corlados um signal de una es-
locada pequea na lesta, com H annos de ida-
de auzenlou-scda casa de seu Sr. Leonardo
Sezeffa ; quem a pegar ou a.quiser com-,
r utenda-se com Lourenco Jos das Keves.
p. desapare
Oliveira na
Vendas
--
-----------. __ .
ts?" Um escravo de naco de idade de a5
anuos, com bonita figura tem bastante pra-
lica de padaria por ter estado em urna a anaos;
na rua l'iioila 1). s-o lado do Livramento.
aW Garrafas com caldas de tamarindos '
le maracuj ; no beco do azeile de peixc na
ailana de Manoel Ignacio da Silva Twxeira.
lscravos Futidos
iS" Roga-se as Aulhoridades policiaes e
capites de campo a preenco de um escravo
creoulo de nome Pedro Lauque official de
sapateiro alto, secco rosto eomprido an-
da por esta Cidade e da de Olinda enculcan-
lo-se de forro ; quem o pegar leve a casa de.
anoel Jos Gonsalves Braga junto ao arco
de S Antonio ou a seu Sr. Cactano Fran-
cisco de Barros Wanderley no engenbo ca-
xooira de Serinbaem de quem recbenlo
20,000 de gralificaco.
CF lloga-se as aulhoridades policiaes ca-
pral
tST Na noite do dia 9,4 do p
ceo do sitio de Joaquim Jos de
passagem da Magdalena um escravo de no-
me Joaquim de na.o bengulla represen-
ta ter 3o annos de idade, ce^o do olho esijuer-
do com a fistola de um talho do lado direito
do rosto altura regular barbado nariz
chalo pernas finas grossura regular, le-
vou vestido camisa de Baela verde calsa de
estopa, e chapeo branco de pello; quemo
pegar leve a rua do Queimaqo, loja de 3 por-
tas defronte do beco la Congregaco D. 10,
que ser recompensado.

Moviinento do Porto
-----------, .....--------_^_---------^_.-----L_i_----------------------
t iv irn onni
-* 1 V /v '.
N AMOS ENTRADOS NO DIA 8.
4ylM, iriguo iuiez tTirr
-limoriliam de 19910110!., \Jelre M., equip.
11 carga diversos gneros a Lextion E#
CUTINGUIBA; 7dias, Hate Nac.: Esp-
culador de 34 tonel. M. Bernardo de Sou~
za, equip. 5, carga lastro ; a Joaquim Do-
mingues de Souza passagein 1.
OBSIillVACUEiNS
Apareceo ao ^o^teo Brigue de Guerra In-r
* glez Cameleon e seguio para o Sul.
ERRATAS
No Communicado inserto em o numero 218
linhas 14 acha-se leia-se acho-se ; linha
4 prosperidade propriedade ; linhas 19 nos
ser dado leia-se nao nos ser dado ; linhas
9 dou desojando Ipudejando ; linhas 49
n sebus in robus : linhas 5g aprender
leia-se aprendero.
RBCUTE JN ATYP. DE M. F. DE F.: i9


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EWOPRCS9L_NILMJ4 INGEST_TIME 2013-03-29T18:28:36Z PACKAGE AA00011611_03917
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES