Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:03913


This item is only available as the following downloads:


Full Text
NNO DE83& SeXTaFeTIU
^ Tudo gaora dcpt rule -dc rre> mesroos; rfa nossa prudencia, modcra-
tmo, c energa conlinurmos como principiamos e seiemot apontado
com admirado entre as Naces roas cultas.
Procfamtteao da Assemhlea Geral do Bratii.
o a n -------------------
Suhfcreve-s para esta folha a 3jfooo por quartel papes adiantados
*rsia*'J'ypografia, ru das Cribes 1). 5, e na Praca da Independencia
O. 37 e 58, onde te iccebem correspondenciasleoa'lisadss, eannuucioi,
tnsiritido-ae estes giatis, sendo desproprios assignanles, e vindosassig-
Uados.
Partidas dos Crrelos Terrestres
'Ciclarle da Parnliiha e Villas de sna pretenro............... .
Rita do Kio Grande do Norte, e Villas dem...................<,
Hila d Fnrtaliza e \ illas dem..........................\
Villa ne (ioianna................................../
Cidade d Olindu >................................Todos os da;.
Villa deS. Anto......................... -....., Quintas eiras.
Dila deGaraiihnns e l'ovoaro do [Imito..................... Das lo, e i$ decada mez.
Ditas do Cabo, bcrinhaem. Itio Formozo, e Porto Calvo............dem 1 11, o ai dita dito
Cidade das Alagoas, e Villa de iMacei.........................dem dem
Villa de Pajuil de Flores.................................dem i~>, dito dito.
Todos os Correios partan ao meto da.
4 pe Oruiiao. ffnMEttfl 2 i&.
CAMBIO*.
OoTTJIlItO. 3.
Londres......3"> por Ifooo ced. nominal.
Lisboa....... So por 0/0 premio, por mcial offerecid.
Franca.......3oo reis por franco nom.
hio de Janeiro a par. l
OUHO Moedas de 6#*oo rs., Velhas ijjnoo a till*
,, B' Ditas de igooo rs., jjfooo a 8iiob
PU ATA -i- Patc6cs !lraxiliros.......i^ifjo t ,^(j0
,, Pezos Columnarios........i#45o a i/ftS
Oitos Mexicanos -.........ijCio iftoe
Premios das Letras, por mez 1 1/81I i| por too
Moeda de cobre 4 por 100. de di se.
Das da Semana.
3o Segunda S. Jernimo Dout.---------- Sesso da Tlier.. e And. do J. de I>. di. v. de n;
Terca--------- S. Verissimo M. -- --------------Relaco, e And. doJ.de D. da 1. vara de manb.
a Qurta-------- Os Aujosda Guarda.- -----------Audiencia do J. de l). da a. v. de manli.
3 Quinta-------S. Candido M. ------------------- Re tesso da Tliez. e and. do J. de D. da 7. v.
4 Sexta----------S Francisco de Assis Patriaca. Sess&oxia Tliez e ud. do J. de D. da 1. vara.
5 Sabbado -- S. P acido e seos Comp. Ylm. Kel. e aud. dj J. de D. da 3. vara.
6 Domingo------(PbS. Rosario de N, 6. -
Mare ckeia para o da 4 de Oulubro.
As a horas e 54 minutos da tarde -- As 5 horaj lt 18 minutos da manliS.
PERNAMBUCO.
GOVERNO DA PROVINCIA.
EXPEnlENTB DODIA t.
Officio Ao Inspeclbr da Thezouraria das
Rendas Provinciaes, para mandar addiantar
00 lerceiro Coinmandante da qtiarta Compa-
nhia do Corpo de Polica aciano Quintino
Galhardo, que se acha nomcado para subs-
tituir no Oomniando do i'csiacamento da Co-
marca deGaranhuns, ao lerceiro Coinmandan-
te Joo de Alemoda Cmara Cisneiro, dous
me7.es dos seos vencimentos conforme requi-
sita o respectivo Gmimandanle Geral.
Dito Ao Commatrdante ficral do Cor-
de Polica ,. st ientificando-o da expediccao da
ordem sopra
Dito Ao Prcfeilo da Comarca de Goian-
na. ordenando-lhe que exija do Coronel An-
tonio Alves Yianna a machina de abrir Fon les
Artesianas, que se acha em seo poder, e a
ramcia. para esta Cidade com lodo o cuidado
afim de que em caminho nao slita alguma
a\aria, ^5 soja recolhlda a luspec o das obras
Publicas.
Dito A o Coronel Chele da Legio da
Guarda Nacional do Limoeiro concedendo-
lhe mais dous niezes de licenca como reque-
reu em seo ofilcio de 3o de Setembro ulti-
mo, v.
Dito Ao Administrador Fiscal das obras
publicas, comninnicando-lbe que tendo'a
Presidencia anclorisado ao Engcnheiro Augus-
to Kersting para conlraclar com Joaqtiim Jo-
rede Albuquerque sobre a iiidemnisaco de
oito eoqueiros que forao destruidos na di-
reco da estrada nova de Sanio Antao, e com
Manoel Thomaz Cavalcante de Albuquerque
sobre a indeinnisaco de 3oo bananeiras e
q Cajueiros que tamban foro destruidos na
direc .o da estrada 5 e havendo sido arbitrada
ao prmeiro dos ditos proprietarios a quantia
de 4oUooo reis e ao segundo ac)[Jooo reis ;
Ihe ordena que mande papar as referidas
quantias com as formalidades lo estilo.
Dito Ao Director Interino do Arsenal
de Guerra, ordclando-Hie, que pode ex-
cluir Felippe de Santiago do numero dos
educandos do mesmo Arsenal visto haver
delle desertado conforme parlccipa em seo
cilicio de aSdo passado mee.
Diversas Reparicoens.
TRIBUNAL DA RELIA CAO.
sessa po Da 3 di ol-tubro.
Nos Autos de Revista civel I ccorrenti; Joao
Cantista Falco, e Recorrido Antonio Cam-
i)cllo Escrivo < baves ; se tomou conbeci-
mento reformando-se a sentenra recorrida e
condemnado o Hecorrente as rustas.
Na Appella o Civel do Jui/odo Civel des-
ta Cidade, Appellante Alaria Izahel Gon-
calves L'-vanfielista e Appellado Francisco
Antonio de Souza, Escrivo l'ostbumo; se
iulpou pela confirmacao da sentenca appellada.
Os Embarcos de Joze Francisco Monteiro
opuostos ao yVccordo contra elle proferido na
Ca.iza de Appellaco Civel em que lhe he
parte Lourenco Antonio d'Albuquerque Es-
crivo Posthumo j foro desprezados.
ALFANDEGA DAS FAZENDAS.
Bendimentos d'Alfandega de Pernambuco no
medeSetembroi|roxinio jvissado.
nireitosde i5 por caito de
consumo
lilos de 5o por cento'de
bebidas espirituozas
Ditos de fo por cento da
plvora
Ditos de 3o por cento do
Cha
Ditos de 1 por cento de Re-
exportajao
Excediente de p. por cento
/Yrmazenafjem 'le ij j por
cento ao mez
frita Addicional de 3 p
por cento
Premio de, 1 p por cento
ao mez .-
Multas de 5 por cento cal-
culadas nos Despachos
Emolumentos de cerlides
rnmn do lvro rouoetvn
a fl 3.
Multas avulsas como do
livro respectivo a fl. 2.
i45;taoU57i
i;*0SP75a
3;>6jU6oo
109UR64
i5;3aio5
Serinhaem oreada em reis 6:5i8Uo20, Os
citantes devendo aprezentar as suas h-
bil i taces e dos seus "Fiadores at ao pri-
ineiio dia de praca devero nelles comp;iic-
cei- aomciodiaa oflerecer os seus lances na
Repartico das obias Publicas onde seacbo
patentes os respectivos Orcamcnto Descrip-
co e Condigoes para serem examinados em
qualquer dia til s horas do expediente. Ins-
peccao dus Obras Publicas 57 de f-'ctembro
de 1 83y Moras Ancora.
I10U840
34;6iU5i6
9^i7654
6Ua?o Ionio; Antonio Xoj;ueira, branco e Vicen-
2o6;356Ua87
PREFEITURA.
PARTE DO DIA 3 DEt)UTtJBRO.
lIlm.eExm Sor.Das partes boje rece-
bidas consta que foro prezos hontem a u-
tida ordi>m pelo Sub-Prefeito de Santo An-
te e Leonardo ,
pelos
7U56o
116TJR80
Rs. iifyijVOivj
Alfadepa de Pernambuco a de Outuhro de
i83t).
O Escrivo.
Jacome Gerardo Maria Lumachi de Mello.
- A Pauta he a mesma do numero i83.
MEZA DO CONSULADO.
Rendimento da Meza do Consulado de Per-
nambuco 110 mez de Setembro p. p.
Pireitos de 7 por cento de
Exportaco
Ditos de 1 por cento d dila
Ditos de aneora^em
Ditos depozilados'que exec-
dera do anno
Emolumentos de Certides
Papel de Passaportes Im-
periaes
Peiidimeulo das Provincias.
Dizimo do assucar das Ala-
f'oas ,. *
Dito do ab;odo de dita
Dito de dito da Paralaba
Dito do assucar desta Provin-
cia
Dito doalgododedita
I iloCa
Dito do fumo
Disconto dos 16 por crntjfr
dos ordenados de Agos^Bh
Taxa de \o reis por sacca ae
al^odao nspectado
Dito de 160 por caixa de as-
sucar dito
Dita de os por feixo de
dito dito
I la de ao rs. por barrica
e sacca de dilo *
a3:8i4[JR{
7UGS8
3:i4U ao
ii7'oi'
3U4'Jo
U 00
.r()iU6.|8
41650
41D784
3i5t7U7o8
a;58U-6o
ioU47Q
Uoog
84Ua47
i32U24o
75U84
4Ua4o
103U760
este cscravo de Ma-
rta de tal e aquelle de Antonio Monteiro ,
01. por haver maltractadq a urna preta, c
insultarlo a Snra. da inesma o a. por se ter
mt'rodusido na casa do Negociante Inglez Cr-
btjee Heyworth e o ultimo por estar etn de-
sordem,
O Sub-Prefeito da Frciucsia de Santo An-
tonio parlecipa- que na noite do dia 1. do cor-
rente pelas 7 horas Coi ferido no pescoco e no
braco direito o padeiro Antonio Joaquim da
Costa natural de Portugal, e morador as 5
Tontas por um pardo que vestido cerla-
nc|a o foi procurar em sua padaria pre-
texto de lhe comprar holaxas e n'essa occasi-
lo o ferio com urna navalha, que para esse
elfeito coinsi.-'.o Irazia cujos assassino sendo
perseguido pelo ferido ( que nao corre risco
de vida ) que contra elle clamava pode com
tudo fugir c desapparecer semque conhe-
(ido fosse >' nem perseguido pela gente do po-
yo que cnto se reuni.
O Sub-Prefeito d'Olinda partecipa (jual-
menle quedepoisdas o horas da tarde do
dia 1. do corrente mez foi assassinado com um
tiro no seo sitio da floresta em occasio ,em
que se diriga para sua casa na ra do Cxo,
(, ( idado Joze Bizerra d'Albuquerque Mello
. Montenegro, cujo tiro lhe foi dadode dentro da
caica do sitio da proprietaria de outro sitio ,
denominado Agoa de Lupe onde forao en-
contrados os vestigios de semilhante crime, que
por ser premeditado com cautela e perpetra-
do favor dos bastos e frandosos arvoredos,
que alli exislem nao pode ser descobertoem
tempo conveniente e deo lugar que o assas-
sino se podesse retirar a seu salvo sem
que visto lbsse e nem preso a pezar das
diligencias e perspicacia d'aquelle Sub-Pre-
feito ; tendo-se tanto respeito desle como
; do outro acontecimento procedido nos ter-
mos da Lei.
Nao occorreo mais novidade.
35;6?oU6a
Pernambuco o l. de Outubro de i6.\g,
Miguel Arcanjo Monteiro de Audrade.
- A Pauta be a mesma do numero ai5.
Nos dias 15, 16 e ib do prximo vjn-
douro nfez de Outubro tem de ir^rarjaa
reedicaco da ponte do Anjo sobte v rio
CMARA MUNICIPAL DA CIDADE DO
BECIFE.
SES8AODE l3ltJI.HODE i83o>
Presidencia do Snr. Barros.
Comparecero os Senhores Souza, Mame-
de Oliveira e Figueiredo } faltando com
cauza o' mais Snrs. ... ,
A berta Sesso e lida Acta da antece-
dente foi approvada.
O Secretario dando conta do expediente
mencionou os seguintes officios.
Um do Inspector Geral das Obras Publicas
exigindo que esta Cmara mandasse aprom-
ptar os marcos, quenaform* das Instrucea
de 14 de Novembro de i83a devem ser eolio*
rados nos terrenos exigidos pora mesma C-
mara para logradouros pblicos do Porto das
Canoas junto Ponte da Roa-vista, e da Pon-
te velha : ;'t Cmara deliberou que se en
carregasse ao Procurador pata preparar os
marcos; e que quando eslives era promptos ,
parlwipasse para se fazer sciente ao Inspector.
Outro do fiscal l'arala exigindo quantia
de 3 .^o reis que se desjiendeo com o concert
da calsada da Praca da Independencia ao sa-
bir para a ra do Rozario ecom o enterra
metilo de um corpo como se via dos docu-
mentos que uiitoii ; que sepacasse mandado.
Outro do mesmo Fiscal paruripandoter | to.
cedido na deligencia d'aprehenco dos Porcos,
e na laura dos Caxorros, sendo o producto da
quantia de 37,460 reis c deduzidas as des
petap de ambas as operaces e a porcenta-
gem do Procurador restou a quantia de 9,7 a5
rs. que ficou a cargo do mesmo procurador : a
Cmara fcando inte i rada resol veo que o Pro-
curador entregasse referida quantia Ad-
ministradlo do Hospital dos Lazaros.
Outro do Fiscal Barros remetiendo a relia-
cao das pessoas multadas em seo l'airro nos 3
mezes de Abril Maio e Junho do corrento
anno, que importou na quantia de 9,600 rs
de i corridas de saude. que fez com o Doutor
Felippe Neri nos dias 3 4> e 8 do corrente :
a Cmara fcando.inteirada mandou, que so
pacasse mandado
Entrando em discusso o officio do mesmo
I'iscal que se achava addidodesde a Sesso
passada deliberou Cmara que se mandas-
s passar mandado da quantia de < ^oi para
sattsfazer Manoel da Cunha d'Oliveira de
a3 dias de a carrocas que alugou ao *dito
Fiscal para limpeza de alguns becos do seo
Bairro.
A Commisso encarregada de examinar ai
contas do Procurador da receita e despeza do
1. quartel do corrente anno financeiro a pre
zentou o seo parecer para que fossem apprc
vadas visto estarem conforme : cujo parecer
entrando em discusso foi an pro vado
A Commisso encarregada de dar seo pare-
cer respeito do consumo das agoas arden tes de'
produco Brazileira he tle opinio, que sej*
coflectada em 4 00 rs A caada visto ser o
termo medio pelo qual he consumida no mer-
cado; cujo parecer foi approvado, edeliberou
Cmara, que se fizesse publico por Editaes.
O Procurador apresentou as contas da re*
ccita, e despeza pertencente ao a. trimes
tu- aocoiicinc ;;;.i" uuauu.uu. v. .c~u .; >_iu
misso dos Surs. Souza e Figueiredo para
exa mi nal-as.
, TendooAjudantedo ProtaotOr da Guarda
Nacional deste Municipio Manoel Marques
Grangeiro requerido esta Cmara demis-
so do referido posto por sua avancada idade
e ruinoso estado de saude foi concedida
demisso ; fcando addiada para outra Sessa
respectiva nomeaco.
E por ser dada a bora levantou-se Sessio;
e mandar o faaer a presente em que assigna-
ro. E eu Francisco Amando Martins, Se-
cretario interino escrevi. Barros, Pro-Pre-
sidente. Souza Mamede Oliveira > H-^
gueiredo. Est conforme
Francisco A manejo Martins.
Secretario
Rendimento da Meza de Rendas Proviaciae
no mez de Setembro p p.
Divida Activa de l833 i934 >'


-
Dcima Urbana
iK3i ; iHJ5.
Decima Urbana
18*5 iB<6
Fecima ('(tama
iHIri Hiy,
Pecima L'rbam.i
< Haras
( anota
Pee" ma Urbana
Otaras
itf3 i'g.
Dcima Urbana
Olarias
Auno financciro correntc.
IMi'ia Siza
Novos e vellios dir!los
Passportes de Polica
Sello Despachos (!;>s .Navios
Ttulo dos Officiacs.
Da Guarda Nacional
Taxas das IVinles
Taxas do assucar
Tilo do algodo
Lila de esclavos exportad >3
7yU.JS
18 Uliij
I
4o.U'.37
aMJoooo
761)200
i :o ii l' i 1o,
aUc'oo
;(iCoo
Irc Communicanle E seuguadro se bem que
lodo bello em apparcnct soffrcu nessa Kirie
um escuro feio que murto desmaioii todo o sea
h.ilho!
Nesse interessante Jornal e nesse elegante
e palhelieo artigo de que tallamos', lem-se
esl.is palavras queso serlo indiferentes aos^
inimigos da represen lacio Nds nos dirigi-
remos a o Corpo Legislativo, e lhe fallaremos
na linguagem franca e sincera com que re-
presentaras alguns Cidados Resneitavcis di
Cidade da Babia Vem-se depois pilados
dois dos mais vigorosos, mais enrgicos, %
' 4:tfo i [Jr'ic)^ mais verdaderos tpicos em que Coi concebi-
da a Rcprescnlaco, e por ultimo exclama a
hbil penna digna de sen digno Redactor-
Prasa Deui mjc os Legisladores oucao estas
palavras dictad is sem duvida pelo patriotismo,
e intima allliccio em que lodos slamos
Linguagem sincera c l'gjnca dcscobreni
i,; i, que justifica em si todos os meios posta extrema do dilemma, que <
de que uze para o complemento de sua missfo Cesta e decidida parcialidade ou
71 [Jobo
QUaoo
GU.00
3',li.n.f,
9 U i J;
ac
oU8{o
aioL'4lo
i J ioo
4ci *o
G5Uooo
8:7ioUii
RcciCe i. de Oulubro de iR8q.
Luiz Franci$co de Mello Cavalcante.
* Escrivo e Administrador.
'erante a Adminislraco dos Estabeleci-
mentos de Caridade se bade arrematar a quem
mais der as ren las do sobrado e 8 tojas da
ca/a que out ora Coi urrupado pelos exposlos
e bem assim as de n. i n na ra do Amorim,
154 na da Moeda 180 em Fora de Portas ,
e 13a na ra da Gloriada Roa-vista : as pes-
soas que as quizerem arremattar pdenlo com-
parecer 110 Grande Hospital desla Cidade no
dia 4 do correte mez as 4 horas da tarde com
seos fiadores.
Salla das Sessoes d'Admislraco" dos Eta-
belecimcnlos de Caridade 1. de Uutubro de
lo3g. J. M. da Cruz.
Correspondencias
Srs. Redactores.
........O juizo quero
De quem^com juizo, sem paixocs me leia.
Ferreira.
E' sob esta epgrafe, que pretendemos res-
ponder mais duas palavras ao A. dos Commu-
nirados publicados em seus nmeros 186 e 103.
E' esta a condico, sine qua non, nao importu-
naramos ainda urna vez oPuhlico respeitavel
e sensato, e nem de novo Cariamos tambem
gemer o prlo com o enCadonho pezo de linhas
3ue repetem um assumpto queja Coi por nos
eCendido e em contrario batido nos Cooimu-
nicados a que nos referimos. Segundamos ,
mau grado nosso, aqueslo, nao porque en-
contremos tambem em seu montono debate a-
3uella transcendente utilidade que de forca
esafia os nimos a aturada rellexfb de todos;
e nem porque to pouco tenbamos em valia a
^ pelemica caprichosa e insulsa, que para su-
k raidos spiritos apenas presta ; mas porque vi-
' aioscomdespeito contrariados os nossos senti-
fc mentos debellados os nossos raciocinios com
rasoes em apparencia novas que demanda
todas honesto exame. E quando assim nao
) foramos provocados quando mesmo Corea nao
fora responder, talvez que por oceurrencias
futuras por satisfarn propria pegassemos in-
da na penna para ratificar as nossas ideias.
Mas o ensejo nos foi deparado o nosso anta-
gonista no-lo deo. Em o ultimo Commifnica-
doseu Ilustre Auctor confirmou o pensar que
emitliu em o primeiro, insista na 'precipita-
co e imprudencia da Representac^Io da Babia,
B. s de resto defendeu-se dp urna r*ncrfi ou in
consequenria que lhe irrogamos ou que por
ventura deduzimos do col locado de suas ideias.
Em opposico todo o primeiro tpico do seu,
discurso lembramos primeirainente ao Ilustre
Communicanle quanto dicemos em nosso scri-
jito passado : dicemos e laJv'ez com presenti-
mentos mu vivos que ignoravamos as rases da
vulgansada queda da Representajo e que
mam
Ofensiva e
na grvida- desmarcada contumacia em susteiilar-sc aquil-
de das conjunclu inde de lodos os pre- lo de que quic se nao sleja convencido. Ilon-
eeitos e re;';ras Iriviaes de Iirrito reeonhecendo ra pois seja (rila gloria muila aos rcspeilaveis
agentes da Representarlo que i
que uze para o rampl
e na urgencia das cirenastancias
no principio da salvara > publica o nico supe-
rior a primeira de todas as Icis. Esse mes-
no Coi o principio recbnbecido que allegara os
Representanteem sua pclieao.com elle la-
vemos-nos defender os nossos Comprovincia-
nos das injustas increparles de desassizados,
da peh severa e impropria de precipitados.
Cao ineptas nao Cazemos nos a injusli^a de
suppor as pessas que formarao*o bem concebi-
do pi ojelo da Rcprescnlaco que as julgas- folha para q
ideias a|>oiadas na Tribuna Urasileira or dois
de seus dignos Representantes, que de ha pou-
co viera de dar a prova amis cabal do seu
rlenle patriotismo. E nos hemos salvado
aos nossos Comprovincianos do deshonesto 0-
difso que se iancou sobre seu feilo dos in-
decorosos epithelos com que fui vilipendiada a
sua Reprsenla .o. O limitado spa o de urna
tem screvemos.
obliga nos a
sernos desconheci r que o resultado do seu di- cerdear o nosso discurso : por isso e por que
re'lo peticionario enconlrava resistencia em al- abjuramos a polmica facemos ponto em nossas
gnus de nossos arligos Conslilucioftaes : mas reflexoes tcncionando que sejao estas as ulti-
Representantes que melbor do'que nin- mas linhas que sobre o nosso propo/ito en-
guem, conhecia a intensidade dp seus pro- viemos para o prlo e declarando por ullimo
ns, (c nos com elles) naTx/ucssa.) da Peti- prios males e comnrehendia tambem a for- ao nosso Ilustre Collega que nao combatemos
raodoslaln'anos: linu 1 ;nn imprudenlc e pa das necessidades de seu pai*:, attentarao na s por amor de vencer senao pelo tnumpho
rleassrzada lhe denomina ouli-os Palavras extrema vacillaco de sua sorle'; pzarao a da verdade pela forca da conviccao E para
-liel idas pelo patriotismo o alllic, ao veem giavidade das circunstancias conbecera em termo do nosso scriplo pedimos ae nosso adver-
os (e nos com elles; na Representaco dos C- fim que Ibes era imposto o mistev de salvar sario, que nos permita concluir com1 um tre-
dadlos da Babia : palavras escripias pela pen- sua patria ccom ella sua vida sua. honra, cho no inverso das suas palavras, da leigo
11 .- i- ^^^.. ^......i,. ,.=.. ^-meiro Communica-
nn da- imprudencia e precipitacSo enxergao e seus bens e sob a egide de una* entend- porque enrelou osen pn
oulros na mesma Repie-entaco! Famoso con- da e bem dictada politica levaran em sua do Com prazer ouvimos q a Representago
traste de to exlranbo paralello Osexlremos rtblico ao seio da Reprsenla o Nacional a nao cau,e muilo nos doia, que ein urna e oulra
- iinn-uarem sincera e franca do patrolismo e da Cmara nao fosse lida a justa Pcti^o dos Ba-
loca-se c cada qua! mais notavcl em sen ge
nen
ero!! Aqu cabe respeilar o pensar albeio alllicco commum. O dcsassizado o impru- hianos, que aos ouvidos dos nossos Legislado-
para ser o nosso n speilad > : mas releva lam- dente e o precipitado que nesse passo viu o res nao chegasse a voz sincera e fraca do pa-
bem assegurar ao illustje A. dos Communica- antagonista da Rcprcseniacao o justo, o triotismo e da alllicco deque erao orgos
dos, que si pile conccbcu prazer cmLora Cal- acertado, o verdadeiramnte poltico e Con- fleis ezelosos Respcitaveis Cidados da Proviu-
so, embora apparente pela snpposla quedada sliluciohal, que nos descubrimos; o sagrado cia da Provincia da Babia.-
Rcprescnlaco, de ponto subiu o nosso in- direilo de pctiijo opporluna e legtimamente Em as columnas de sua conceiluada folha,
(l/.i\el Ibi o nosso jubilo e tanto mais verde- exercido ; em siimma aquelle mesmo feito dignem-se os Sis. Redactores de dar anda u-
deiroe real qnanta a imporlancia em que que elevou seus aurlores cima do mais subido ma vez logar s desalinhadas linhas de.
temosa certeza do progrisso da mesma Repre- encomio, e que nos desperla em raconhecida Oulro A. Baniano.
senlaco. Dice o nosso respeitavel Collega gratido a rcnder-lbes asnossas infinitas g ra-
que j: reconheceu j: con'essou verdades in- cas, a prodigali/ar-lbes os nossos mais since- 1 Srs. Redactores,
conlraslaveis na Represenlaco em ?jucsto ros vivas. Dous prazeres concebemos nos em Bastante injoados deixou-nos a leilnra de u-
mas que lodo o se 'ipo de sua aecusaco se fun- ultima analvse do quanl levamos dicto e do ma correspondencia publicada no ji. aoo desta
da na exigencia de impossiveis, de coisas que quanto inda convem dizer.-i rcspeilo do assum- folha, e assignada por um dos (fue assistira
naaclualidade maniCcsIao impossivel execuco: po, que lano nosempenba, e sao, que ao Concurso; tantos sao os absurdos, tantas
declarou mais que nao laxara a Representago quanto a nos temos o orgulbo de dizer que. as asneiras que ali ;eiicontramos que quasi lhe
de imprudentee precipitada pelo simples C nao somos singulares na maneira porque nao damos resposla ,,e se o Cazemos he si> para
nico feilo d'ella nao rea liza r-se porm por- pensamos e quanto-aos dignos Representan- que o tal Sr. se nao persuada que fiearao enco-
que a repulava inexequivel, inadmissivel mes- les qus temos a honra de defender que nao heras suas compridas orlbas.
mo vista de taes e lees disposiges de Direi- s lambem nao o fora em seu assumplo ante- Dir Ihe-hemos em primeiro lugar que ose-
inte ; sua concep o se nao que poste- mi-examinado nao tem lulo parle nos aniiun-
.-nte o nao slo sendo esle mesmo as- cios al ho;c publicados: mostrando assim gug
po depois dn ronrebWlo. Fallem por nos despreza as Injurias e improperios que pon Ira
posicoe
lo. O illuslrc collega fez nislo consistir tod) a normen
forca de seus rrefraftaves argumentos : elle riorme
anulit.m oplimamoiil alguna >.:
Conslilucionaes contra (nem
pi-esc nlaro e buscando lalvez
l)os, achou em resultado um p
nmiiiiU
latidos
nem
ho:e
jogava a Re- dois dignos Representantes da Psaco que si se ha vomitado bem cerlo de que os I
conciliar a am- honra Cazem ao seu paiz e ao elevado logar ; do cao nao o'luscao a claridade da La.
onto manifest pie oceupa .fallem por mis o uobre Senador Dir-lhe-bemos em segundo logar qni
de resistencia legal encontrn urna liuha dia- o Sr. Lopes Gama e o Ilustre Deputado o elle nem oulro qualquer conseguir lio.e
metralmentc opposla entre o espirito de urna e Sr. Nunes Machado. Ah st; o primeiro na desacreditar o s<-mi-examinado ; seu nome be
outra entidade. Porcm si o nosso Collega nao ('amara Vitalicia Com um rcqiierimento ap- conhecido* nesta Cidade seus Lentes lhe fa-
pde conciliar a queslo com o Direilu, e del- provado, para que se nomeie urna Gommlssa nem gYandes elogios consta que o mesmo
le nao quiz prescindir, nos a concillamos mu special que conjunclamenle com taes e taes Examinador d* Olinda que cei ament lhe
bem com a Politica que lo i sem pre o lado ministros da Coroa olereca as medidas mais nao he allei oado tem sido obrigado a con-
porque a encaramos e julgamos ipie devia ser necessarias queasaetuaes circunstancias re- fessar.- muilas pessoas que elle he instruido
entendida. Longe de nos esse nimio rigor clama") para salvar 0 imperio da at.arcbia e na Sricmia das grandezas.
de to avaro se nos nao aecu/.c para com nossos da guerra civil que vai I aviando em todos os Dir-lhe-benios em i lugar que menlio des-
Comprovincianos : muito mais generosos nos seos pontos &c. Ah 'esta o segundo na Ca- peladamente quando disse pie ao semi-exami-
prezamos de havermos sido tiara com el les mar Temporaria pendrado dos senlimenlos os nado se nao linba dado problema algum ; po-
imputal-a inculcada precipitaco.
houve : desv.einluu-sc a falsiddHe o
I'al se
i successo
confirmou os nossos presenlimentos e a reali-
dade veio por cumulo ao nosso jubilo Com
vivo prazer vimos em um artigo que aqui foi
transcripto de um dos/ornaes da Corle sobre a
crise actual do Brasil que a mencionada Re-
.presentago nao caiu e nao fa I tarad em con-
iieacia as iudigitadas assignaturas dos Res-
f. /"i_j?__j_____ii- d__.:_,.:. r*.,
iveb Cidados daquell.- Pro i'incia. Com-. do, mais ou menos duradouro dessa prospe-
lieto j nao foi por esse lado o prazer do litis
prezamos de havermos sido para com el les mar lemporana jieiicli
cujo passo nos fizemos cargo defender e no mais patriticos e conslituconaes^, e como que
qual alem das sympatbias vimos em primeiro correspondendo ao hobre Senador propondo
lugar a raso, a juslica e a equidade As bel- para que em sua respectiva Cmara, e pelas
las e communs theorias de direilo esse sagra- mesmas rasoes se imite o que pralicou o Sena-
rem sim certos dados para organisar I proble-
ma (1. baixide cerla hynolhese; oq%e prova bem
pirla tacita confisso delbdos os que sobre elle
tem Callado e nos lhe declaramos que nao ig-
noramos sua soluco como aleivosamente alfir-
ludo isso em nosso Craco entender, para b entre oulras nmitas medidas proveilosas ase- mou, e que pelo eniilraro o sabemos resolver
do, emalleravel rcspeilo pela Lei aproveito do en, del'eza do imperio,, eollerecendo emfim
stado normal das coisas convm ao curso re- guinte indicarlo para que ehhm Deputa- mu i bem de quatro modo differentes Dir-
gular das instiluices assenta em fim no an- do se relire do seu poslo sem qu selenha dis- Ihe-hemos em .j" lugar que se nao responde-
(lamenlo ordinario # na marcha gradual da cutido as Iris reclamadas ara asalvago do mos as oulras lalsidades que se leem em sua
Suprema-machina-Social. Mas quando o em- Slado &c. F nao ser isso, propor oes guar- correspondencia he porque nao podendo nos^
bate das circunstancias superior quando a dadas o mesmo ou quasi o mesmo que recia apresenlar documentos poder sempre elle ne-
machina perde os seus eixos e com elleso marao os Cidados da Rabia advognde- em gar que d cernios eos que nao assistira ao
curso necessario e progressivo de sua marcha causa propria pedndo o bem commum? I or concurso ficaro sempre suspensos em seos jui-
que inda pxproba-los ? ponpie a gratuita p- zos. Dir-lbemos em 5 lugar que querendo
cha de desassizados ?' -Si desassizados fora OS campar de Malhematico espichou-se disendo
Auctoresda petico, de/assi/ados por idenli- que eslava cerlo de que o Examinador de Olio-
1 >* '
quando em fim desa'pparece de todo o eslado
normal, e substituido immediatamente pelo
de crise J" querer em to diversa quadra, que-
rer nossa mudanca sensivel e violenta de itado dade de razoes hade o nosso Collego concordar, ] cia nao consentira que se dicesse que a ideia t\o
conservar em um as leis o sistema s proprio que tambem loia os dois Parlamentares que infinito malhematico era negativa ; que a ideia
de outro ignorar o principio motor das coi-.similhanlemenle opinarao que requercrao ; do infinito positivo be concebida em Matbe-
? j despft!>bofr a rerdadeira le do progres- bem de sea paiz. E .' mo wiiCcl.i.e! '' Pude muin-a i-uua pasto esc wiui nao fosse o
ser livre ao illuslre Depul^*h; requerer para nmeros inicuos nao poderia ser infinita
que nem um Representante da'Naco aliando- menle grandes as Craccoes infuiilamenle pe-
so querer perder ludo e que a macluna
v" descompassadamenle rollando at que de
todo se desmorone, si ao extremo dos males se
nao applicar o extremo dos'remedios.
Eis com fracas cdTes o nosso stado actual i
elle lodo critico, par lodos oslados, e por
todos os modos se clama sobre a medonha po-
zico em que stamos sobre a triste figura que
o commettiamos a injustica de cegamenle lazemos na scena social. Com vistas pois
ludo isso com a mira as terriveis circuns-
tancias que affta o nosso quadro poltico
que devemos altentar nos meios de salvar-nos ,
as medidas que afugenlem o spcclro que nos
assombra o espantoso perigo que nos ameaca.
Na ordem dos pifinentos sociaes a Polilica ,
que se acha em contacto1 immediato com a pros-
peridade dos povos que ministra os meios
mais seguros para o gozo mais ou menos rapi-
ridade desconliece voz imperiosa que sobre
nasse o seu posto stj|i que se curasse dos meios
de salvar o paiz e o ser permillido o mes-
mo aos l'eticionarios da Rabia sem incorrerem
na immerecida censura de dezassi/adiis im-
prudentes, e precipitados ? J nao ser dado
aos mandantes enderecarem-se aos mandata-
rios j tomar-Ibes conta doman cairegode
sen mandato j desperla-los do vergonioso
olvido, do criminoso desmazlo com que curad
os interesses Conidios? Que lei, que direilo
o nroqihe ? Que consideradlo, que dever im-
poe a constancia de sollrer o exlremo primeiro
/pie se alce a voz para recommendar a eminen-
cia do mal a urgencia do perigo ? Si slo nao
<' consunimada inconsequencia ignoramos, o
ja ; nas (onfessamos, que oulra nao
vemos que possa ser a dedueco dos principios
Cxpostg^ a menos que nao vamos duea op-
quenas que nao se faria ideia do encdnlro das
parallelas da tangente ti gonemetrica infini-
ta ; que na Algebra a liacro (^o representa a
grandeza positiva maior possivel ou o infini-
to &c &c.
Pasmamos Snrs. Fedacloresde ver o des-
ciramenlo com qu em huma folha que corre
toda Provincia e Imperio se publica lana
asucir principalmente disendo-se que absur-
dos taes sao ideias d'um Lente de Geometra de
nossa Ierra.
JS's porcm qlie nao juramos as nalavras a-
Iheas, que nos tfcmbs accoslumadoa guiar-
nos pela rasan e nao por anthoi uia.b s que
somos eclcticosde-profisso nao jios curvamos
opinio do Examinador deOlinda, e dire-
mos ao Sur um dos que assisliro ao concur-
so que scuikj todo rumie ro composto de un-



D1 A RIO
J) E
'
PERNAMBUCO
?5
lares e sendo sempre possivel
gran le que seja um numero ajmitarl!ic um:i
unula.le e ler assim nm amen) maior nato
ha nena pode liaver numero nliuitu e do con-
trari segnir-se-hia o grande absurdo de ser o
infinito composto do finito o que nV> tem li-
mites do que as tem tic. ic. Uirems mais
que sendo toda Crac o menor que a unidade
lie grande asneira diser elle que a exprsale
(|o he urna fraeco infinita isto liemaior que
a grandeza positiva maior possivel. Diremos
mais que como urna fraeco augmente de va-
lor ;i medida que cresee sen numerador fican-
do constante o denominador a intitulada
fraeco b|o seria menor do que 7o esta menor
que 8|o\c. e como todas ellas tem secundo a
douctrina que combalemos um valor infinito,
Virti a existir infinitos maiores que outras ,
que absurdo !
Se este Snr. tivesse alguma ideia de Algebra
nao (liria que a expressio tqo lie urna fraeco
infinita elle saberia que esta expresso be
um simbolocom que ella moslra o absurdo de
certas quesles ecerlo q'o valord'unia expresso
fraccionaria sendo tanto maior quanto menor
be seo denominador vira elle a ser infinita-
mente grande quando o denominador for urna
quantidade infinitamente pequea"5 mas que-
reroSnr. um dos que assistiro ao concurso
que seja zero esta quantidade infinitamente
pequea ? atlrever-se-ha diser que zero he
quantidade? tudo poder di/.er porq' elle ze-
ro as Sciencias Malhemalicas.
Dir-lhe-hcmos em 6, lugar que deixamos
de fallar no absurdo do encontr das parallelas,
da tangente trigonomtrica innita &c para
nos nao tornar demasiadamente extencos, e
que para lbe taparmos a bocea vamos copiar a-
qui oque a respeito do infinito matbemalico
sede no n. <>< paginas 81 dos Elementos d Al-
gebra de Lacroix traducidos em vulgar e
impressos em
Miniar,
por ib
para o substituir ; porem nao quorendo-
se conformar o ex-Escrivo de tal pena reti-
rou-se para nao assignar o Termo, e menos
entregar qjj Livros que se achavoa seo car-
go 1 pelo que decidi o Juiz que se latrusse
termo em papel separado, para ser transcri-
pto no Livro respectivo, logo que fosse en-
tregue.
183o para o uso d'Academia
Este Auctor ha vendo resol vido um proble-
ma e tendo chegado as equacoens finaes x-
ab/bc y ac/bc as (|uaes se tornad em x ah'o,
e y ac/o quando nclla se faz b-c diz V-te
fcilmente que diminuindo o divisor ; medida
que se faz menor a differenca dos nmeros b ,
e, c, oblem-se valores cada vez maiores. En-
treanlo como por quo pequea seja urna
quantidade ella nunca poderla sor lomada por
zero segue-se que por quo pouco dilferentes
sesuppunqao os numeros'represcntados-por b,
ce, epor quo grandes fossem conseguinte-
mente os valores de x, e y resultantes nunca
se cltegaria aquel les que correspondem ao caso
de b-c Befes ltimos nao podendo represen-
tar-se poralgum numeru por grande que se
supponba se chamao infinitos e toda expres-
so da forma m/o cujo denominador be zero se
considera como o smbolo do infinito. Este
exemplo (continua elle) mostra que o infinito
malhematico be urna ideia negativa pois que
s se chega elle pela impossibilidade de as-
sinar urna quantidade que possa resolver a
questo O que dir; a isto o Sr. um dos que
assistiro ao concurso ? Ser positiva ou ne-
gativa a ideia do infinito malhematico ? Con-
sentir ou nao o Examinador de Olin.la que
se diga que ella he negativa ? das duas una
o-i Lacroix Ibi um grande tolo e lolos sao to-
dos os que por elle ensinao ou en to o Sr.
um dos que assistiro ao concurso expichou-se
completamente mostrou que be um grande
impostor e que nada pesca de Mathematica.
Publiquen Srs. RK. estas toscas linhas
|>ara que o publico conheca a nullidade do tal
Sr. um dos que assistiro ao concurso
promelle nao imporluna-los mais
Olnimigo da Impostura.
No diaseguinte mandou o Juiz buscar os
Livros, respondeo, que n'oulro dia os man-
de va, e faltando com a entrega dos Livros,
remetteo ao Juiz hum oficio requeren lo urna
ios : Ahmet-Fethi Pacha embaixtfn'or ac-
osos : AftnSet-Fetlii Hacha embaixfflor ac- O magestoso fronslipicio deste edificio ins-J
Wa\ da -Porta Oltomana junto da corle de pira ao observador o mais profundo respef^
r ranee; Hossein Pacha que foi ^grande al- aquel les restos da arle, que afij boje aiadaj
se acliSb em grande parte pcrfeilamcnte intac-
tos a que infclisnicnlecxislo no sen interi-
or entibos, e cavidades profundas tendo de-1
saparecido com o lempo essas sobernas escadasl
oue fasiao seu ornamento devisando-se ain- |
(la os alicci-ces que assim mesmo olferecem aos
furiosos a subida, se bem que incommoda.
Esta obra prim se linha conservado perfeita i
alh o lempo de Mahamed (|iie primeiro
a
el
F
mirante.
Saind-Pacb, genro do Sulto Mahmond
II eactual seraskior \Iust if-N'ouri-Pacha,
ex-governador de Andrinoplis : Hafiz Pacha
general do exercito que se arhnva fazendo
fenle a Ihrahim-Pacli : Rifait-Rey em
baador em Vienna &c.
Abdiil-Mediid assislia com todos osagass
lices do serYaho e se dislinguia por urna in-

Meza Geral sendo este adrente d'aquelle, leligencia pouco comragrn. Alem disso re- profanan o sancluario da arle ,' maiidafla
ou por motivo de molestia otfieiou ao pro- cebia de seo pa i tieestem todos os ramos de,
voliosos com o intento de fazer que o edificio
noprestasse mais para o futuro igual servico.
Esses mesmos rabes derribaro quasi todo o
_ os ramos de .demoUr quatro arcadas da entrada principal
curador Geral para exercer as fuicces de ensino e at exeinpos ; pois que, como c em rasio de ali se I oren fortificado rabes re-
Juiz, esle designou o dia i*i para a dita \Ie- sabido Mahmond nao ignorava nada de ta-
za reuniro-sequarenta e tantos Iranios no' i do quanto podia fazer a lelicida le de seo po-
dia marcado e principiando os traballios, o vo.
procurador Geral poz a volaco se approva-j Abdul-VIedjid tem muit amor ao exer- primeiro andar tirando pedras 'com que se
vio ou nao a deciso da Meza do dia 19, cito c- por.elle querido. Os partidarios ma-defendeSo dos sitiantes, e com o andar dos
foi decedido pela afirmativa com Ircs quartoa. is furibundos da antiga orden de colisas tive- lempos, os mesmos particulares principiaran |
do numero dos Irmos, que seachavao presen- rain que dobrar-se a seo pesar, influencia Ja utilisar-sedc seus n-.ateriaes para a constru- J
les. Ainda assim o ex-Escrivo nao confor- da reforma e bem certo que o Sullo Ab- < 9o de edeficios e casas que ornao a misera-
me com esta deciso, quiz discutir com frivo- diil-Mcdjid triunfar de todas as oppozi-^el cidade situada pcrlo d'esta obracolossal
los pretextos, dando assim lugar a que ficas- cues que possa suscitar ainda a memoria das dos Romanos que da qui poucos lempos
se coacto o Procurador Geral e revivesse innovacots feitas por seo defunto pai Mah- talvez nem mostr vestigios de sua primitka
magnificencia
Todas as pedras de que be construido o
Amphilhealro sao de igual grandeza, o seu
novas discusses as quacs o actual The- mond
zoureiro pedio que se exigissedo ex-Escrivo Longe de ser um joven dbil e apoucado,
o Livro das entradas para serem conferidas as igual, se nao superior maior parte dos
Patentes falsificadas o que jamis o ex-Es- principes de tua idade, que se acham eolio- todo guarda sempre huma forma simples, e
re columnas bem ordenadas o
medio do gosto Drico Egipcio ,
os espitis folbas bem trabalbadas
:rivo quiz annuir tal pedido, e por muilos cados nos graus dos thronos da Europa. Sua nobre, sua
jx for eos da parte do Thezoureiro, resol veo- educaco foi esmerada ; sabeogre;o, o per- conservo o
ie o ex-Escrivo a hir buscar em su 1 casa o sa, eo francez com a mesma perfeigo que bordndoos
Livro e logo que a presentado foi, passaro o seo idioma nativo; destingue-se muito por de Loto que coadisem mais com o asiKcto
os Irmos a examinal-o, viro com efieito sua superioridade uos excrcicios ginasticos sublime do edeficio que as do Acantho ar-
Jueasfl. 20 se achava lancado por Irmo oque d sempre um grau de prestijzio aos lio- ranjadas confoi me a Arehilelura Corintia '
ose Zeferino da Silva em *y de Agosto do mens da sua raca. Abdul-Me Ijid nao igno- Qtieretn alguna que ueste lugar lamben
corrente auno, cuja foi ha pertencia a escrip- ravanhuma das ideas de civilisaco a mais a- Vivessem havido ^aumachia o cello beque
tura.lQ, de Agosto do anuo passadj lempo jdiantada. Os bonicos que constantemente o no meio do circo percebe-se huma concavida-
em que elle nao era Escrivao e que bem se tem rodeado sao os que representam em Cons- de, obra de Pedreiro que affirma Sbaw
conhecia ser folba nova, e viciada. Masqual lanlinopla todas as ideas de Progresso, eos que ter sustentado o pilar que era costume l-
0 resultado do exame no l.ivro? Foi (lesa- por seos profundos conhecimentos na poltica gar-se o-Velarum que aeobertava os es-
parecer a ordem, apresentar-se as ameacas ecostumes europeos eslo na millior posico portadores, livrando-os da ebuva e dos ar-
e dirigir-se palavras insulta ales ao actual para completar a.dir do Sullo Mihmoiid e dores do Sol, mas isso nao he veridicq por
Thezoureiro, que bem se podia fazer dellas para superar as di (Hculdadus com que tem que termos descoberto que desse lugar parta
presente ao ex-Escrivo e este servindo-se luctar a Turqua. hum cano ath o Susa que dista dez leguas,
desl'arte para lbe deixarem o campo franco,! O melhor partido pois, que poder lo como qu temos rasef para supor anlcs ser
julgou-se victorioso e coreado de louro. mar a Franca aconselhar o joven Sulto que hum Aqncduclo.
Passou o Jui a exercer o seo cargo, der- continu depositando sua confian 5a nos i I Tus Escavaeoes mu malderigidas lem ah sido
rogando, ou reformando a pena que defin- Irados homens de Estado que seu pai havia empregadas e assim mesmo se tem encontra-
livamente duas Mezas havia commuta lo ao escolhido tanto no interior, como no exte- (' muilos objectos preciosos pedrarias ,
ex-F.scrivo pelo que o actual Thezoureiro rior para governar e representar o imperio lampadas^de prata restos da anl';a l'bisdnis.
foi prudentemente entregar as chaves que ti- turco; estes homens sao os nicos que lem in- e',e mui provavel .pie encerr ainda em sen
.L. _-.__. --___...'...I T r_ ,l_ ,..11! ._.. I_____~ r_ *!A -- _l-.!!.. _..?. _!____._ _.!_______I
nha a seo cargo ao mencionado Juiz. fazendo- telligencia e previso.
ie ver que nao servia com um Escrivao il-
legal, e bem assim por nao existir a maior
parte dos membros da Meza Regedora que
por desconlentamento se demilirem.
Snrs Redactores he este laclo que me 0-
brigou dar puhlicidade em sua folba a fim
le (|ue
ridades J para que estas posso
(Nacional de Lisboa.)
O Decreto de i de Agosto.
seio esta planicie muita riqueza, e toda aquel-
1
la parte d'Africa.
U Amphitheatro consta pouco mais ou
menos de jo ps de cumprimcnlo e '00 de '
Urgura nao allirmamos com certeza o seu
Remunerar servcos prestados Naco verdadeiro tamanho em raso de ser difcil
sem duvida um dever sagrado em um Go- a sua dinienco. Alem do niara vil hoso ede-
cliegue ao conhecimento das Autho- verno justo ; mas quando esses servicos prin- ficio (|ue acallamos de referir acho-sn em El -
Judicarias, para quecstas posso c- cipiam por commetter um acto, que mais se l'.jemm ruinas de muilos templos, c mesmo
vitara Adminstraco intru/a de quatro a'cin- assemellia ao de pirataria pela m ineira refal- de casis particulares entre as quaes notamos
"oi realisado o de que vamos Ira- militas coisas admiravris pida materia], e mo
que
co membros da Igreja de Nossa Senhora do sada por que foi
Terco., muito principalmente possuin lo a lar, sem conlradicco urna licenca para a d obra
May de Dos o patrimonio de' urna morada de reproduco de taes actos deshonrosos para quem
casa e boas joias de ouro e prata. Um os pralica e para quem os remunera. O De- j
Irmo, que he Rrasileiro. creto que deixamos publicado, peloqualsub
. __,. 1 1 r proposta do Ministro respectivo se concede o
A pnmeira destas Correspondencias nos foi ,', .n ,. '. ,, ""-\'c
,__'.. m -,. r .11'. Habito da torne el.snada ao Commandante --------
entrej'uc a muilos das. Us lt;t. ,. .,.,
___5_____________,_______________________ apresador do oergalim Mana Virginia :
um tcslemuiiho do(|'ie avancamos eoiiven-
algumas quasi enterradas.
( Tradusido )
Avisos, Diversos.
Curioso promenores sobre o nofo Sullo.
O joven principe Abdul-Medjid que ac- cidos deqneofacto recontado em o nosso n.
imado imperador nascen a lo a5 verdadeiro. Somos ha muito de opini-
4^ Quem precisar de cem mil rcis a juros
dando penhores de piala 011 ouro dirijase a
ra da IVnha l>. tre/e lerceiro andar.
\^f Cjuem pretizar de ama de caza para co-

ha de ser proclamado imperaior nascen a 19
de Abril de 18a <, e segundo o anligo coslu- ao que o trafico da escravatura deve findar ;
me passou sua infancia no serralho enten- louvamos o governo por todas as providen- zinbar engomar, dirija-so ao beco do la- m
deudo-se por este orne o palacio do Sulto, cias que expedir para esse fim, mas deseja- dre caza D. 3.
o nao a residencia das mulheres do Gro-Se- mos que a nossa marinha se nao manche,1 X^" Manoel do Nascimento aviza ao Vh,-
nhor como gcralmente sejulga. devende s em pregar a forca, os meios licilos, blico que na sua Fabrica de rea r assucar na
Logo que o principe ehegou idade de co- e decentes para levar a cfl'eito as ordens do go- Ruada Guia N. i/f se acha sempre promp-
Snrs. Redactores. Para poder pagar o
trbulo que merece a virtude misler que
seja declarado o crime ; porisso rogo a Vms.
queiio iianscrever peia pnmeira vez em seo
conceituado Diario' as seguintes linhas:
Tcndo-se queixado o actual Tbesoureiro da
Irmandadede Nossa Senhora do Terco ifesa
Cidade, Pedro Antonio Teixeira Guimares,
ao respectivo Juiz do Escrivao Manoel da
RessureicSo Cardozo, por baver este passado
tres i>alenls (lasque serven aos Irmos, (pie
seallitlo napiella Irmandade, '.ira seren
mocar sua educaco se lbe deram mestres de verno.
toda a elasse. Ilavia no serralho, um syste-
ma completo de ensino organisado para os
filhos das primeiras filhas do Impera lor. Um
numero consideravel desles ovens a quem se
dava o nomo de agas divididos em Ircs clas-
(Paquete do Ultramar.)
(dem.)
Ruinas de Thisdrus.
sos gerarchicas que eram as de Seferli, de Existe em-El Djemm-, antiga Trisdrus
to em pequeas e grandes porcoes assucar arcan-
do assucar cande e urdala ; ludo por
preco com modo Tamben) seaprompla com
todaaperfeico qualquercncommeuda de dos-
ses que exceda a cincoeuta mil res *!
avizado com antecipaco
G^> Roga-se ao Sr. M. R. C. inleri
sos gerarchicas que eram as de >el#rli, de .xisieem- r.i ijjemm antiga 1 nsnrus o-^ noga-se ao ar, ni, r. c. intenoq
Kilardi, ede IJazneli, assisliam por turno ao dos Romanos o celebre Ainpbilbcalio que Escrivao da I. de N. S. do T, que baja de
ensino (las lingiis turcas^^rabe e persa; d*creveo Shaw e em nossosdias M. Doah entregar ao lie.sportivo Tbesoureiro o produe-
demu/ii.i, dezenho, e eifuitaeo ; excrcit 1- cnsul Americano A analise de cada hum to de ib bilbetcsao Beneficio feito 110 Thea-
vam-se no manejo do adjerid (especie de dar- delles nao nos satisfaz cabalmente e em al- tro afavor das obras da Igreja de N. S. do
do) da espada arco, e pistola 1 receliiam guns pontos ella se afiela do verdadeiro, o Terco os quacs deatrihuio
noces empoesia c historia e sc;ni,im um que nos faz crer que esses homens nao o ad- HT Faz-se scicnte ao publico que no dia
curso completo de geografa. Estes agas do mirarlo pessoalmente, e que seusescritos; sfi -9 do corrente mez, ;i de ser arrematada
si -9 do correnl
ar ba-ia niiblici
publica pelo Juiz d) C:\el d
n
nada
" na ni.1
cor se era ou na > verdadeiro O dito' do The-
zoureiro reunida a Meza os Membros delta
passaro acriminar o fado,
reconlieeidos como taes foro falsificadas na serralho passavam logo a oceupar os primeiros nascem de vagas tradices 5 ellesdisem 8rW
natura do Thezoureiro. em c >ise jueii- posto no commandodos exerenos na admi- o edeficio hum pe leiio circulo qusndo elle vara, o sobrado de dousandan-s D.
cia ce sua qucua reuni o Juiz a Meza no ; nistra:-o publica, e m ui frequcntemenlecbe- he pelo contrario oval como lodosos Amphi- do Cordiniz, pertcnecnte a I). Mara I'ran-
dia in do correnle. composta de qualorze gavo a oceupar os primciroseljiprcgos do Es- tbealros do Mundo e firmado sobre i ar- cisca Bernardina Torres, para pagamento das
Membros, eoEacrivIo, a fim de se confie- lado, cadas, e mui mnavclmente cmlasse ao prin- dividas da mesma Senhora, e muito principal-
Di-sla escolla verdadeiramenle imperial na cipio quatro Ordena de columnas e bem (pie monte a divida de que he credora '>. Joaqui-
qnal se conlavam n-.ais de / mil educandos, boje si 1 existi tres ; lodos concordan ter sido na Mara Pcreira Vi;:n:ia, a ruja senhora est
concluida al gu- sairlo varias personagens nolaveis v -cojua no- elle construido por Gordio, que al: i lora pro- hypolecada a mesma propriedade. 1
distusses conheceroser verdadeira a ac- fes chearilo a ser europeos; ntreos mais clamado Im>erador, j^- Quem livor equizer alugnr hum
lusacao feila pelo Thezoureiro, fomando-se fiOnhocdos citaremos o aneio Kosrew Pacha O de >ero pouco axceda-lbe em grandea proto ou prora para andar com hum lobo-
adidiliera lo-depois da volaco, ser o ivleri- que foi duas vzea seraikier, generali^imo o lie tido pelos llislonadores como segundo do lfiro do faeenda, < do Kscrir'o api i'lo dcslc cargo, eelieito o pro- do imperio grande almirante e por uilimo fJnivewo oocupando o primeiro t edistin.lo r.to por dia soca : procure no I argo do Ter-
curador Antoii i i Sarinen-jj-isir enja dignidade excree ha qufrcnla .jugar o Colico em Rodau. ,90 |ja fi paeda L. 8.


""r
w
IARIO D R PERAMBUCO *
nwiiiMMMwiwiw-r"
d^Mf
tsy Deseja-sc saber das moradas dos Snrs
''arejsodc Araujo c Silva. Manoet Jos dos
lidK Jos Francisco da Costa Jos Lopes:
Jnior, VJanoel arneiro Pessoa e Fran-J
aro Xavier de .Mallos, a fim de seren pro-j
irados.
tsy Aluga-se urna casa propa para as-
rf)U"ae no lugar da ribeira do peixedo hairro
le S. Antonio ; a fallar na praca da Boa vis-
fccrtica D. 3.
tST" Um rapa* brasileirode idadede 18
fannos com bons principios de arilhmetica ,
Keescripturaco izento de G. N. propoe-se
' a ser caixeiro de qualqufr loja de fazendas, on
miudezas nesta praca ed fiador a sua con-
fducla ; quem o precisar annuncie.
S_/- Roga-seao Sr. F. J. C. B. baja de ir
Jpagar a certa sociedad* oque deve do con-
strio ver o seu nome publicado por exten o.
Xsjr O lintureiro que mora va na ra Direi-
, -ta mudou a sua residencia para o principio do
atierro dos a'togados ao p do Silvestre, que
tem armazem de agoa anlente; todas as pessoas
que tem obras e fazendas para fingir po-
jttero ir buscar ; o mesmo continua a tingir
[toda qualidade de fazendas.
X3" Precisa-se de too.ooo a juros sobre
dois cscravos por tempo de um auno fican-
dos sercicos dos ditos pelos juros; quem
: quiser dar annuncie.
SZ?' EwGlinda na ma da bca de S. Pedro
casa n ~o se deseja fallar ao dono do escaler
mucunam.
jy Ricardo l'into de Almcida mora na
ra do nincho do ftoa casa D. a5.
cr [). Joaquina Micaella de Castro mora
na solidade no principio da estrada que vai
i para a cpela de Joo de l'arros.
SST A cominisso administra
'; dade Pastoril convida a seus socios para s
velba ; ttjo Ieilo he a continua o"
principiado em a do corrente.
do
a
C' o ni p r a s______
tsr Urna marqueza ou sof de angico .
ou conduru' em bom uzo annuncie.
S2T Urna canoa destas que tem chegado do
sul queseja bem feila e s que tenha 33
palmos de comprida pelo menos e trez de
boca reforcados para mais ; quem tiver an-
nuncie.
XZr- Um moinho de reliar milho com to-
dos os seus utencilios e, anda com falta de
alguns nesla Typografia se dir.
tSJ" Urna estante para livros ; quem tirer
annuncie.
Vendas
tSr 167 palmos de trra a beira- da estra-
da da f apunga perto da estrada do mangui-
nho e do rio capibaribe com roo palmos
de fundo e bastantes arvoredos de (rucio ; a
tratar no sitio do Dr. Jacobina.
tsr Vin'o madeira secca e tenefe de
m'uito superior qualidade em meias pipase
barris chegados ltimamente de Londres ;
no escriptorio de Jos Ramos de Oliveira ou
a Francisco Gomes de Oliveira, ao p da
Conceico.
S^* Urna negra de idade de 3o annos a-
vista do comprador se dir as babelidades ; de-
fronte do arco grande da ribeira da Boa vista.
tsy Urna porcao de travs de mangue, de
24 a 3o palmos ; na ra da Florentina sobra-
do ao p da mar.
%Sf Chitas finas de cores fixas a i5o, 160,
iPo. ea aoors. o covado, bioos de largura
de um dedo a S, de tas a fo -algodo tnansado muito largo a 3->o
ris a vara scadinhos escuros francezes pro-
prio para jaquetas a ajo riscadospara iri-
sas chapeos de caslor fino muito barato ,
fil de linho liso e bordado por prero commo-
do lila transada muito fina e muito proprio
tsr Meios bilhetes da Lotera da Boa vista ;
na ra nova loja de ferragem I). lo.
tg- Urna venda na ra. das Cruzes D. 7 a
praso com boas firmas 5 a tratar na mesma ra
t?y Urna casa de sobrado com dois andares ,...........- -r,
e soto construida a pouco e com I ons para qualquer veste do que a lisa ; na ra do
commodos com cacimba propria '. e estriba- Crespo loja D 5 qne foi de Pinto Pnndeira.
ria para 3 ou 4 cavallos; no paleo da Matriz C7' Um terreno alagado no seguimento da
de S Antonio do Rece l>. 9. na da Aurora com 1 'o palmos de frente e
527" Apossedeum terreno na estrada de 15oo de fundo pagando 3o ris de foro ao
S Amaro com 00 palmos de frente e 600 palmo; a tratar na ra de S. Gonsalo O. 11.
de fundo que pafta de foro Po ris o palmo ; I r^- Tinta para escrever, de superior qua-
na ra estrellado Rozario D trinta. lidade a 4oo rs. a garrafa levando o casco e
j-j. Urna flauta de bano de chaves, no- 4"Po sem este ; em casa de Mancel Soares de
va e muito boa; no armazem de vidros ao Souza Galvo na ra larga do Rozario de-
lado du cadeia. fronte do beco do peixe frito sobrado de um
^y Umaporco de frexaes de mangue andar por cima da venda de Manoel Jos de
A cominisso administrativa da Socie- por preco commodo ; na ra por detr.y. da ra Fran a.
dade Pastoril convida a seus socios para se do Fagundes lado da mare casa do \ i.nna | cr Urna venda bem a freguezada na r.u
reunirem na cusa de suas sessoes Domingo 6 ST Essenc.a de Basas de zimbro, por pre- da senzala velha na quina do beco do Cun-
do corrente pelas 4 horas da larde para ses- Ico commodo ; na ma da cadeia velha I. 57. pello ; a Iran- na mesma.
- t aidiiaa tsr O enanillo canoinha : e metade do SST Urnas letras com abale de menos de seo
a^rBoga-seencareScidamenlenes!a praca engenho sitiono meio ambos moentes e cor- valor sendo estas de boas firmas ; na ra do
ao correspondente de Manoel de Paria Mari- rentes, na fregues.a de Unna ; a falar com Alccrim casa junio do fallecido Monte.ro.
1 os novos proprietaos viuva Cosa e Filbos. I r> Urna cabra bicho minio boa leileira ;
SS" Na casa !>. 5 da ra da ordem 6 ar- na ra de S. Gonsallo confronte a oito da
robas de doce de caj'em calda. Igreja.
o armazem de Antonio Joaquim e- S27- Grande sorf ment de bijoutenas de
ouro da pmeira distincaoe das mais a moda.
tsr Ciiaropes sonidos de superior' quali-
dade ; na ra nova D. 7 e ai.
ssy Semen les de horlalica prximamente'
chegadas ; na roa da cadeia D. t.
CT Por preg commodo um grande sitio
na estrada da Ponte de Ucha com trez sa-
las grandes 11 quartos copiar casa de'
farinha estrevaria para t cavallos senza-
la para 5 cavallos, duas baixas para capim ,-
muito terreno para plantacoes e arvoredos de'
toda qualidade de fructo, vende-se metade
a vista e Saciada a praso ; na ra Direita
D. a, e na mesma se aluga outro mais peque-
no com casa nova todas de pedia e cal e
Ierras de planlacoens.
tSF" Na ruadas larangeiras D. 3 as seguin-
tes obras novas de bom gosto a camas de an-
gico urna dita de conduru' urna marque-
za de angico urna dita de conduru', i me-
zas de jantar urna banca de meio de salla a
bancas de angico e urna secretaria.
Escravos Fu idos
nho natural de Pcrnambuco C morador na
.^Cidade de Loanda ; baja de andamiar sua mo
rada a fim de se tratar negocio de nleresse
tty Quem precisar de um rapaz brasileiro
de idade de 18 annos para caixeiro de loa de
*ry tJucm precisar ac um rapaz nrasnciro *-^ *'......-*..... ,. ,-----, iV j- j __1,
Ldeiidede.e annos nara caixeiro de loja de reir delronte das escadmbns da al andega ouro da pr.me.ra distincaoe das mais a moda.
rfazendasonfeiragens', e d fiador a sua con- por preco commodo um c.cc.onar.0 de Mora- brincos cor.en.es de .elogios.para homem e
1 .',o raes, novo da ultima edicao. senbora ancis e alfinelesde bullanles e de
duela annuncie.
%gf Roj'.a-se encarecidamente a todas as
novo da ultima edicao. senbora. ancis e alfinetes de brilhantes e de ,
ftu^ Boa tinta de escrever engarrafada ;. oulros cossoulas brocbos ou alfineiles para;
.. .,.n InU n .i XSr Ro-a-se encarecidamente a todas as *^* iioainii wtob c..r,-...u ,, -- -------~------..... ,---
.nesgas a q .em for olerecido um relogio de na ra nova loja D. 4 defronle do o.tao da, senbora com cassoulas ca.xas para tabaco de
pessoas a qutin ................ ........i, douradas relogio de ouro e prata ,
' piala uourada 10111 urna cadeia de ouro, mo-
derna de oapreender para por favor entre-
Malrx, piala e douradas relogio de ouro e prala ,
V^r" Os livros se^ninlcs em muito bom es- orisoulars, patente inlez e suissos da pri-
rn.1..__** ,1 n.i!n'i>(\ (V'innn-. .lliA moliNi .11 i 1 idriili' na run nava I). 1 I.
KU1HIC3 CIU iiiuhw uuill ^.1 Vi i.-uuiuia *" ^ "^i *-* ? -" ^~ '
rrse.riegilimodono'abaixo assignado, com tado ; Telemaco diccionario Irancez dilo meira qualidade ; na ra nova I). ...
Poja de marcineiro na na estrella do Rozario latino Magnum Lexicn tabola -labula- UT On permuta-sepor pi-ed.os.nesla jpra-
S^- u 01. HJumn.1 j{;iiu.ii/ uu k/ii.u i|wi
morouna roa velha da lioa vista, queiraan-Ibotica.
nunciar a sua morada.
jsy- A pessoa que deseja alugar um sobra-
do de um andar na Boa vista ; dija-se a
praca da Independencia loja n. 4 e 5.
%&r Precisa-se de um l'eilor Fara um sitio
Bcaau e entendido no olHcio e que d fiador
a sua conducta ; na ra dos Quarteis I). dois.
'0=^ Avisa-se a quem convier que est mar-
cado o dia 4 de Outuhro p. f. para segunda
sesso judiciaa na Cmara do Limoeiro.
Avisos Martimos.
RA-
PARA O ARACATY segu viaguem no
dia K) docorrente o velleiro alacho t auren-
lioa rasileira forrado e pregado de cobre ;
quem quiscr carregar ou ir de passagem
para o que tem excelientes commodos ; dirja-
se ao seu proprietario Lou renco Jos das Ne-
r*es na da Cruz n. .< ou ao Capilo do
iremo Antonio Germano das Neves. a bordo
confronte ao trapiche do pelourino.
PARA LOANuA o BriguePortugus No-
vo Abismo saldr com toda,, brevidade por
ler prompla a maior parle de sua carga; quem
quiser carregar ou ir de passagem dirija-se
a Francisco Jos Correia ou a ra da Cruz
n. 57.
PARA O ASSU segu viagem o Brigue
Nacional Feliz Destino de que Capitao Lu-
i Gor.usdcFigueiredo; quem quiser carre-
jar ou ii r passagem dirija-se a casa de Ro-
zas & Irmo a sabida iinprelevclmente
no dia H do corrente.
ij e i I a o
%ST Que fazem Gcorge Deane & Crmpi-
nhia porinleivtiiclodoCorfelor Oveua ,
de um completo sorliiuenlo de lazendas ingle-
as. sepundo leira 7 do corrente pelas o bors --
pnmSa, no seu a.maaem iua'da allande^a cs.dade ; na camboa do Carmo D. la.
lca> \zf Um ravallo ruco novo muito bom
^r No Recife ra da Cruz escriptorio de andador haixo e esquipador ; na ra da
s Antonio Gomes Jnior continua a ven- Gloria i). 11.
der-se sacas com fanl a muito fina da mu-, CT 3 escravas que sabem fazer todo o ser-
ribeca o barris de farellosde trigo. vico de urna casa pipas que Torao de agoa
S?T Urna escrava moca vendedeira de fru- ardcnlc barris que loro de farinha do re-
das, e propria para todo o servico de sitio; no, e urna venda na ra estrella do Rozario
na ruado Livramenlo O. 18 ou na pracinha D. a4 com arranjode restila.ao,e commodo
do mesmo loja l>. at. para familia ; as 5 ponas l >. 3.
SST Meios KilbelesdaLoteada Poa vista XZT Um cavallo caslanhobom carregador;
ta a , cima a. Sf Polassa Russiana de primeira sorte ,
t^r 48o pecas de cordas de embira, pro- chegada ltimamente por preco commodo ;
prias paraandames ou para sacas de algo- em casa de Joo Rufino da Silva Ramos, ou
do a preco de/o ris cada urna; defronte na loja de Joaquim Yiegas.
da ribeira da Boa vista I). a8. JET Urna venda no largo do Terco, com
8^* feil escravos a saber duas pretas mo- poneos Jundos e tem commodos para familia;
cas com boas babelidades urna dita de meia a tratar na mesma a.
idade por prego commodo urna molala de vo! XS" Um carnho de duas rodas com ar-
amios cose engomma cozinha e ptima \ reios | ara um cacallo por preco commodo ;
para lomar conta de urna casa 5 um preto de na praca da Boa vista botica 1). 3.
meia idade por :joo.ooo e um moleqne de ii !" Pichas pretas chegadas prximamente,
annes de idade ; e urna escrava com urna fillia por pceo commodo ; no atierro da Boa vista
D. 19.
C7" Urna negra de naco ahgola de idade
de iba 10 annos, cozinha o diario de urna
casa engomma e faz doces ; na ra nova
loja de calderero D. 17.
CS- Urna venda com muito poucos fundos .
e a casa tem commodos para um pequea fa-
milia nolugarde N. S. do Terco D. 2 ; a
tratar na mesma.
tT Ou aluga-se duas canoas abertas de
carga de 800 lijlos ; no beco da polD. t.
Cf Urna negra moca de boa figura en-
gomma e cose; na ra estreita*do Rozario
sobrado do lado da Igreja que tem tenda de
barbeiro.
t-f Tres moradas do casas sendo urna de
taipa e duas de pedra eeal nma das ditas
tem quartos cozinha fora, fugo inglez
de ferro e a outra tem venda no Gigui do
lado direilo ; a tratar na mesma.
de dois annos com muito bom leite para cri-
ar ; na ra de agoas verdes casa terrea D. 7.
SST Urna canoa de carreia com muita ca-
pacidade para conducao de familia ; na ra
da Cruz n. 57.
SS5" Urna morada de sobrado de um andar
e soto, com quntale porto sita na ra de
Horlas D. trinta e trez ; a tratar na ra do
Queimado loja de ferragem D. ir!.
X3T Meios Pilhctcs da Matriz da Boa vista ;
na ra do Cabug loja de relojoeiro junto do
Sr. Bandira.
cy y eios bilheles da Lotera da Boa vista,
a .' 800 ; as 5 ponas D. 9.
tSJ- Um escravo moco sem vicio proprio
para servico de campo ; na ra Direita sbra-
lo de nndares I), ao das 7 horas a 8 da ma-
lla e das 1 as t da tarde.
tsy U mansera va boa vendedeira por ne-
SS"- Narcisa creoula a cabralhada com
perlo de 5o annos altadocorpo, ps gran-
des e feios com as mos foveiras desdenta-
da foi escrava da viuva do fallecido Bareto
senhor do engenho Bursnhem fgida no
dia pmeiro do corrente consta que foi para
o engenho Mcliuole na ffeguesia do Cabo ;
quem a pegar traga a esta Typografia que
ser recompensado.
CF* Desapareceo no dia '.7 do p.. um negri-
nba de nome Joaquina de naco songo de
idade de 9 annos, levou vestido de chilla azul
todo felpado por haixo com um S no
peilo de sua naco cambada rom os dedos
dos ps arrebitados ', boxeixas grandes, olhos
grandes, cabello cortado rente levou panno
da costa; quem a pegar leve ao Capilo re-
formado Joo Antonio da Silva morador na
ruado nincho da penha D. 8 que ser gra-
tificado.
S2?- Caelana de naco baixa representa
a4 ahilos de idade lem a banda direita do
rosto mais grossa que a esquerda que parece
inchaco e na mesma ama sicatriz procedida
de dor de dentes que teve fugio em 17 do
correnle levando panno preto saia de lila ,
e vestido de chila cor de gan;;a com flores Tre-
tas ludo ja uzado ; quem a pegar leve .1 ra
do Padra Floriano casa D. 7, que ser recom-
pensado.
Sry Urna molatinba de idade de 13 annos ,
muito robusta bastante esperta de nome
Felicia tem as mos e ps pequeos fugio
no dia 3 do corrente ; quem a pegar leve a ra
estreita do Rozario no pmeiro andar do so-
brado que Pica defronte da ra das larangeiras
per cima da venda de garapa que receber
2 o 000 de g ratificag o.
t5=- No dia 27 do psssado da ra do Viga-
rio fugio um preto de nome Felipe levou
camisa e casa de estopa estatura baixa, ps
pequeos o'.hos grandes com falta de den-
les na frente do lado, superior nariz chato,
e rosto largo ; quem o pegar leve ao trapiche
novo da allandega velha que ser recompen-
sado.
cy No dia 16 de Julho fugio da Villa de
Macei urna escrava de nome Catharina de
naco angola levou saia de chita uzada e
camisa de riscado azul panno fino preto ja ve
lho representa ler o annos pouco mais ou
menos rosto descarnado lem falla de dois
ou i denles na frente da parle de cima esta-
tura regular, secca do corpo tem algumas
marcas de icio ras costas na testa ao p do
cabello tem urna sicatriz lem os ps muito
largos cuja escrava dicen estar nesla Cidade;
quem a pegar leva a ra do Crespo loja D. (i
lado do Sul ou na dita Villa ao seu Sr. An-
tonio Joaquim Veras que ser recompen-
sado.
Aluvimento NAVIOS SAHID0S NO DIA 3.
BAHA; Patacho Nac Dois Amigos, M,
Jos I aula dos Reis carga varios gneros^
passageiros 4 brasileiros, e duas escra-
vas .
ENTRADO NO DIA 3.
RIO DEJAINEIRO ; ao das Patacho Nac.
Oliveira de i.3 tone'. M Antonio Jos de
I.emos equip. 10 carga carne secca ;
Gaudino Agoslinlw de Barros.____________
ERRATAS
Na lista dos Jurados sortiados publicada
hontem em lugar d Bernardo Florentino
Manco da Cosa Reis, leia-se Bernardo Tolen-
lino Manco da Costa Reis. .
No N.do Diario de hontem cm lugar de ia5
ai5.
RECIFE NATUVUn*. *'# DE F. 18 <9


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID E8J49QITS_BJK975 INGEST_TIME 2013-03-29T17:20:32Z PACKAGE AA00011611_03913
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES