Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:03912


This item is only available as the following downloads:


Full Text
Almo e 1839. Quinta Peiiu
^Tudo agr/ra depende ft 8$ mesmos"; d tlossa prudencia, Tnoder-
*o, e energa continuemos corno principiamos e seremos aporrtados
ton arimiraco entro as ftacoes mas cultas.
Preclamaco da Atsemblea (eral do Brtaih
a1! > n n i i i i i '
Subscreve-se pera esta folha a 5^ooo por cfuartel pagos adintados
Yiesia Typografia, ra das Cruies 5, e na Praca da J ndepmdencia
D. 37 e 38, onde fe recebem correspondencias legalisa'diis, eannuuciosi
nsrmdo-se estes gratis, sendo dos proprios assigtianfes, e vindos'assig-
tfsdos.
Partidas dos Correios Terrestres
CIHadeda Paradina e Villas desoa pretendi..................,\
Dita doRiotlrandedoNorie, e Villas dem...................Segwd.s e Sexta, Feirss.
Una da Fortalna e Villas dem...... .,..................I
Villa oe Goianna................................../
{Jidade d Olinda...............1 .............. "todos os dias.
Villa deS. Antao.......,......'....................Quintas feiras.
Dita de Garanhtins e Povoac'o do Bonito .................. Dias lo, ai decapa mei.j
Ditas do Cali. Serinhaem, .io Formozo, e Porto Calvo............dem 1 11, e ai dito dito.
"Cidade das Alagoas, e Villa de Mace .........................dem dem
Villa de Paja He Flores................................. dem 13, dito dito.
Todos os Correios partem ao meio da.
- ------------------------------------------------------------------------------- 1
3 pe Ouraimo. Numero Ijf.
CAMBIOS.
OuiBRRO. 3.
Londres......38 por Ifooo eed. nominal.
Lsboa..i.... 4o poro/o premio, por racial o(Iereido<"
Frartc*.......3o'o reis por (rauco ora.
hio de Janeiro ao par.
OUBO Moedas de 6f4oo rs., Velhas irffooo a i^io
a- Ditas Novas i3#8oo a 14/00*
- n Ditas de 4100 n., foooa ,o
PR ATA Piteees Bratilerros--------- 1 J460 a 1 MSo
r, Pezos Columna rio--------------- iftjoa l#<8o
Oiios Mexicanos--------------------'HHo a if{6o
Bremios das Letras, por mez I 1/8 a 1 i nitor 16o
oeda detobfe 4 po"r 10. de disev
Das da Sitoari
3o Segonda <- S. JernimoDout. -......Sesso da Tlies. e And. Ao h le D.di. r. 9t 1.
1 Terca--------S. Verissimo M. -----------------Rclaco, e Aud. doJ.de D. da 1. vara de manb.
x unrla--------Os Aujosda Guarda.- -----------Audiencia do J. de i), da a. v. de manh.
5 Quinta-------S. Candido M.-----------.....Re fessSo da Tiles. O aud. doJ. de D da a. V.
4 Sexta-------- S. Francisco de Assis Patriaca. Sesso da Thez e aud. .lo >. de D. da 1. vara.
3 Sabbado------S. P acido e seo Comp. Itlra. Re. aud. dj 5. de I>. da 3. vara.
6 Domingo- O SS. Rosario de J. S. -
Man chela para o dia 3 de Outubro.
As 1 horas 6 minutos da tardeAsa horas e 3o mioutos da manhS.
_____ ,1 '> 1 '____l_ 1 --------- m
PERNAMBUCO.
GOVERNO DA PROVINCIA.
EXPEDlEHTE DO DA *>T.
Officio Ao Inspector (eral das obras
publicas, signficando-lhc, que lendo a lr-
mandadedo SS Sacramento da Fregnezia do
NossaScnhora da Haz dos Aflogados represen-
tado, que a Igreja Matriz, da dila I reguezia
se aclia em estado de ruina e pedido, que
olla fesseconcertada e acabada ; cumpreque
informe' sobre quars sejo os concertos de que
necessila a respectiva Cape-I la e que remet-
a o enrmenlo das despezas que se devera
azer
Dito Ao Inspector do Arsenal de Mar-
nba, communicando-lbe (|ue para a Presi-
dencia resolver acerca da conslruc o da eslilla
que requisita era seo officio de .8docorren-
te como necessaria a voltecao'tlas madeiras
lie mister que enve o ofeamento da despe-
ja que para dita construcciio be preciso la-
zer-se
I iloA Cmara Municipal do Olinda,
significando-lhe que constando a Presidencia
nao ter a mesma Cmara cumplido ainda a
ordem que lhe Ib i expedida, em offlcio de .7
de Agosto ultimo acerca do requerimento de
D. Marcelina de Castro A guiar e sendo as-
*as scnsuravel um tal proced monto Ibe de-
termina que apenas este receber baja de dar
exacto cumprimento a mencionada ordem sob
pena do responsabelidade que se Ibe fura'
efTecliva -, dando parte immedialamente de
assim o ter feito
Dito Ao, Boleca rio Joaqtiim Jos Pinto
Guimaraes, enviando-lbe o Formulario dos
medicamentos precisos ao Hospital Re;imen-
tal, aimdeque a margein dcada ornmla
arbitre por e.stenco o proco rasoave 1 porque
iode ser pago cada um dos medicamentos so-
ireditos.
Dia 28.
Officio Ao Iivspector da Thezouraria das
Rendas Provinciaes, communicando-lbe que
a Presidencia tem nomeado para o lugar de ter-
ceiro Escriplurario da Contadura da mesma
Tbesouiaria ao Amanuense da mesma Joao
Cavalcante de Albuquerque Mello, e para o de
Amanuense a Antonio Cardozo de Queiroz
Fonceca Jnior.
Dito Ao tnspector Geral das obraspubl.i-
cas, ordenandclbe a vista da sua nforma-
co em resultado do exame a que proecdoona
casa que se esta' edificando na estrada dos
Alflilos, quasi na confrontaco do lieco do es-
pinbero que faca obstar a edificaco da
mencionada casa, mandando proceder a no-
va Cordeaco ou alinbamento a fim de ser
recuada do local em que seaclia, visto ser ge-
ral e nao Municipal a estrada ein pie ella be
collocada.
Dito Ao Inspector do Arsenal de Vari-
nba. reSpondeiKo-lte que podo eectuar a,
troca com o ne;;o:ante Jos Gonsaivcs Cas-
cao das caronudas de calibre ia por igual
numero de Pe as domcsnio calibre, por elle,
recolliidas ao mesmo Arsenal em 18 7.
DitoA Cmara \-unicipal do ccife ,
respondendo-lbe que eleve continuar por Ad-
minisia^a os rendimentosda afferico e re-
vso em todo este Municipio que cons-
tituem parle do patrimonio da mesma Cma-
ra visto nao baver licitante que chegasse a
mautia que rendeo o anuo que se badehn-
dar no fim do corren te me/..
Dito Ao Jttiz de Dircilo iitcrmo do
rrima da segunda ara, nomeando-o para pro- | sentada em sesso da mesma Junta,
sidr ao andamento das rodas da segunda
parte da terceira Lotera' a ftvor das obras da
Matriz da Boa-vista.,
Dito Ao Esaivo da mencionada Lote-
ra, communcando-lhe a nomeaco supra.
i ia 3o
Officio Ao Com manila ule das Armas,
respondendoao seo officio em que requisita o
consertode urna das feixaduras da porta do
Callaboucc dos presos de Juslica na Fortale-
za do Brum ; que devendo ser laes conser-
tos mandados fa/er pelo respectivo Comman-
danlc segundo o desposto no Decreto do %>
de Janeiro de i8ao, cumpre que ordene ao
mesmo comm.indanle qoc (ara"procedcr ao di-
, to conserto, apresentaufJo depois a conla de
sua despesa para ser paga pela Tbesoura-
ra.
Dito-Ao mesmo, partccip&ndo-lbc que
: a Secretaria de Estado dos Negocios ha I- a-
zenda se acba dirigida pelo Fxivt Sr. Manu-
el Alves Branco
i Dito Ao mesmo, communicando-lbe que
o Regente em Nomo do Imperador, dele-rindo
ao requerimento do segundo Tenenle Refor-
mado Silvestre Ilenrique de Pinho pedindo
o pagamento da graliicacao da terca parte
do Sold durante o lempo <|ue servio na guer-
ra de Panellas e Jacuipe ; houve por bem de-
clarar por Aviio da Secretaria da Guerra de
t do corriente mez que o Supplicante duran-
te aquel le periodo tem di re lo aos vencimen-
tos da Tabella de -a8 de Marco de 18 i5, c que
nesla conformidade deve ser pago segunde os
respectivos assentamentos.
Dito Ao mesmo significando-lhe que
requerendo ao Exm Presidente do Rio Grande
doSul, o Cirurgao Ajudante de Commissao
com exercicio no segundo Balalbao de Caca -
dores Jacinto Dornellas Possoa, quedoi.0
deJulbo co crrenle auno cm diante se Ibe
descontasse nos seos vencmenlos o sold com-
peteute e graliicacao addcional a fim de
que tal mesada fosse nesla Provincia entregue
a sua familia e leudo o mesmo Exm. Presi-
dente mandado azer na Pagadoria das Tro-
pas daquella rovincia os necessarios descon-
tos e requesilado qe a I residencia desta
expedisse a este respeito as suas ordens ; cum-
pre que mande abrir os precisos assentos, e
abonara familia do mencionado Cirurgao A-
judanle o referido sold e gralificacj desde
odia por elle requerido.
Dito Ao mesmo parlccipando-lbe que
por Decreto de 19 de Agosto do corren le anuo
boute por bem o Regente em Nome do Impe-
rador nomcar ao Bacbarel Antonio Hercula-
110 de Souza Bandeira para o Lu^ar de Pro-
fessor da Cadeira de Filosofa Racional o
Moral doCollegio das Arles do Cuino Jurdi-
co de Olinda.
Igual communicaeo loi feita ao Director
Intirnodo referido Curso Jurdico.
DitoAo Administrador Fiscal das obras
publicas, commuuicaiido-lhe que tendo a
Presidencia ordenado ao Engenheiro enea ne-
gado da obra do Caes de Palacio, que i/es-
se calcar a parle do mesmo Caes entre os
postes de pedia e parapeitos e col locar na
sua cxlenco oslampies precisos para a il-
lumnar ; lbcordena que maode satisl'a/.er a
importancia desta de lor api-eseirsenlada a n.',-pecli\ii conta lega-
lisada
Dilo AoDeseaibargadorJu/. Relator da
Junta de Juslica, enviando-Ihc o processo
de um reo militar afim de ser visto c apre-
Dito Ao Inspector do Arsenal de Mari-
nba auclorisando-o a nomear d entre os em-
preados que propoz. em seo officio de a8 do
corrente um dos que julgar mais apto para
oceupar-se do encino dos meninos Aprendi-
zes do mesmo Arsenal, marCar-lhe a gralii-
cacao qne devera'vencer, e dar o regu lamen-
to conveniente j suj6ilanlo ludo a approva-
cSo da Presidencia e tendo mnlo em consi-
deracao os interesses da Fazenda Publica.
Dilo Ao'Juiz de Direkodo CrimedaCo*
marca do Rio Formozo eYa*ido-lhe os ex-
emplares do regu la ment do Governo (eral
de numero 18 a numero 4 .incluzive a fim
de completar a eolleecao de i8J^ como reque-
sitou em seo officio de ri do corrente
Dito A Cmara Municipal do Recife ,
rrrdennndo-lhe que enve a Secretaria da
Provincia urna copia authentica das Posturas
que foro ltimamente submeltidas a appro-
vaco da Assemblea Legislaliva Provincial.
COMMANDO DAS ARMAS
. -- ....
F.XPEClF.BTr, 00 DIA a(j.
tffic0'~Ao oronel Director Interino do
Arsenal de Guerra, communicando-lbe, que
eslava destinada no quartel das Cinco
ponas, a casa queoulr'ora servio de Capella,
para o Laboratorio e a reserva da oitava
Companhia para arrecadaco do cartuxame,
e da plvora nertencenle ao mesmo Laborato-
rio que podia ser transferido quando lhe
apirrouresse.
Dilo AoCommandanle intirino do ter-
ceiro Batalho de Artilheria disendo-lhe ,
que posesse a desposico do Director do Arse-
nal oV Guerra a casa que outr'ora servio de
Capella para nella ser estabelecida o Labo-
ratorio e a reserva da oitava companhia pa-
ra deposito lo artuxame, e plvora deven-
do a reserva da dita Companhia ser passada
para oulra parle ou para a reverva geral do
Balalliao, em quanto a Companhia permane-
ca destacada no Brum.
Dilo__A o mesmo, communcando-lhe que
o Arsenal de Guerra tinha ordem para o for-
necimento dos tres Caixes requistados para
a condiiccao do lardamento destinado para o
destacamento da Ilha de Fernando e que in-
cluso acharia a requisieo despachada das pes-
sas de metal quedevio ser augmenladas nOs
reparos das duas B*as de Fogo do Cal. 3. do
Parque do Baialho.
Dito Ao Major Commandantc do DepO-
zito ordenando-lhe remeltesse para a Forta--
lesa lo rtini, a serem ali conservados em se-
guranca, os prezos Manoel Andr Tibnrcio
e Josa I ourenco da Silva.
Dito Ao Commandanle intirino da For-
taleza do Brum. para que recebesse, econser-
vhssi; em segurania os dous presos menciona-
dos no precedente officio.
Dilo Ao mesmo, communicando-lbe qUe
pela Reparlco das obras publicas se man-
dava examinar, se os toneis, e jarras de ma-
deia queservem dedeposito a agoadal'or-
talesa erao suceplves de concert, proce-
dendoa elle no caso deaffirmalva.
I to__Ao mesmo, disendo-lhe qne aug-
menlados nos Reparos das duas Bocas de For-
go de Cal. 3. do Parque do terceiro Batalhso
as pessas de melal que eio necessarias para
o ensino do exercicio de Campanha, lhe serio
remelliilas conforme requisilava o Comman-
diiite do Destacamento.
Dito Ao Gommaudanle intitino do For-
te do l'nracn communicando-lbe que pelas
obras publicas s bia proceder ao concert
dos canlioneiros do Calabouco dos presos de
CorTecco, elo qnarto conlinguo ao Paiol
conforme requisitara em seo officio de ai do
corrente.
Portara Ao Commaiidante interino do
lerceiro Batalho de Artilheria mandando
reconbecer terceifo Cadete ao soldado Ignacio
lose d Assumpco por ha ver provado estar
as creurslancias de ser reconhecido tal pe-
rante o concelho d Averiguacov
Dita AoQuarlel Meslre AITonio Honora-
to Bastos mandando cobrar os vencimentos
que e estavo adever pelo lempo que servi-
ro na guerra de Panellas e Jacuipe, aos Guar-
das Nacionaes, de Unir Joo iVlendes Cha-
ves, Antonio deBrto, Pedro JoaquimdeO-
liveira, Manoel de Jezus do Nascimento, Fe-
lis Jos I orrea Antonio Jos do Espirito
Santo. Jos Pereira, 'ose Marques, SimiaO
Paz de Mendon Jos Martins e Antonio
de l'arros fasendo depois o pagamento ein
conformidade las ordens estabelecidas.
Dia 37.
Officio Ao Exm. rresidente, rerrtetlen-
do-lhe de conformidade com o artigo 00 do
regulamenlo de i^ de Fevereiro de i8.1a o
Formulario dos medicamentos precisos ao Hos-
pital Regimentis afim de ter conveniente di-
reccad.
Dito Ao Comrrtandante interino do ter-
ceiro Batalho de Artilheria ordcttando-lhe
a remessa de urna lequisico para a5o espingar-
das do ad 17, acom pan bando um niappa do
armamento a cargo do Batalho, com cjeclara-
co do que eslava em bom, e ino estado-, assim
como do eslraviado, motivando na observaclo O
extravio.
DivtvsHs ieparticoens.
ALFANDEGA DAS FAZENDAS.
EDI TAES.
Constando-me|ue existem neste Porto al-
gumas embarcacoens miudas sem a desigua-
co determinada no art tM do RegulameniO
d Alfandegas.de novo se ad verte aos seos pro-
prietarios lhe faco escrever em letra bem
perceptivel e no lugar mais patente do casco
a denominaco que o deve distinguir; cor-
tos deque sera multados com as penas mar-
cadas no mesmo a rt. todos os quefindos oitO
dias contados da publicaco desle nao tive
rem saiisfeito esse preceito.
Alfandega de Pernambuco a de Outubro de
1839.
Vicente Thornaz Pires de FigueiteJo Camargoi
Inspector.
Achando-se no ( aes desta Alfandega di-
versas laxas e arreora' de ferro impedindo
livre tranzilo de outras mercadorias se aviza
aos seos proprietarios para no prefixo termo de
oito dias contados da publica o d-ste despa-
charen! as que anda estao por despachar, e
removerem para o lugar que Ibe for mats com
modo e que nenhum inconveniente camo ,
sob pena de serem arrematadas em hasta pu-
blica as primeiras e todas removidas por con-
ta e custa de quem pertenrer t compre-
bendendo na ultima lauzula huma amarra de
piassaba que no mesmo lugar lambem exislc.
Alfadega de Pernambuco de Outubro de
|8J<). r'- 1 r-
\ centeTbomaz Pires de I igudn-doGarnargO.
Insprtior.
NUMERACAO INCORRETA


DIARIO DE PERNAMBUCO
- A Va uta be a mesma do numero 13.1.
MOA DO CONSULADO,
Punta do pirco corrente 3o assucar p algodo
UO UIT
se es
uese espacbo na Me/a do Consulado
de Peruamlwco na semana de 3o de
de Outubro de 1839.
1. Sorl*.........
""ietembro a (i
Assucar bntnco

n
1100
1.
3.
4-
5.
6.
1.

9DOO
ajoo
aJoo
ai5o
CMARA MUNICIPAL DA CIDADE DO
RECIFE.
SKSJA DE 1." JTJLH0 D l83g.
Presidencia do Snr. Barros.
Comparecerao os Senhoras Farros, Rios ,
Souza Chaves e Oliveira ; tallando com
cauza o mais Snrs.
Aberta Sesso e lida Acta da antece-
dente foi approvada.
O Secretario dando conta do expediente
......... 7000 mencionoa os seguintes omcios.
Dito Mase, novo
800 a.
Dito branr-o vpHio!-
a.
Poo 3.
4.
5.
ti.
I uto mase, vcllio 1
Joo
Algodo
1.
1.
a.
3.
.

1
u .
.

I
'< .
.
m
M .
* .
i5o
lioo
noo
3 ICO
aooo
u,oo
i^5o
itiOQ
40
yoo
Jo/e \tlbneo'Vnvira
Antonio bruto Fus
Feitores e Cenferenfes
COR R FIO.
O Biigue l'Vlii Destino sai 1 para o Assu
iO da H do eoirente.
Nos dias i5, iG ( e i>t do prximo vin-
douio me/, de Outubro lem. de ir praca a
reedificao da ponte lo /Rijo sobre o rio
hvriiiltaem oreada em res (i:.r) >8Uoao. Os
Licitantes devendo aprezentar as suas ha-
bilitacoes c dos seus Fiadores al ao pri-
uieiro dia de praca devero nellcs compare-
cer ao meio dia a olrerecei- os. seus lances na
Repartidlo das obras Publicas onde seacho
Um do Exm. Presidente da Provincia par-
tecipando ler ordenado ao Inspector das Obras
l'ublicas para reconhecer medir, e marcar
os iei rVios exigidos por esta Cmara para 10-
gradouros pblicos exeptuando, o que fica
entre ra de Appollo e os novos armazeus
do Arsenal de Marinha t iuleirada.
Ouko do mesmo Exm. Presidente deter-
minando a pontual observancia do art, S* da
le* Provincial n. 79de 4 de Maio prximo
Hoo passado fazendo com que seja remedida ;
Moo Assemblea desta Provincia na futura Sesso,
-Joo copia autbentica das Actas das Elleicoeos dos
4 (o Deputados FVovinciaes que ti verlo luar no
renle anuo deliberou Cmara que se
pedisse esclareciinculos respelo
Outro do .lu/.de Direitodn i. Vara do C.
desta Cidade remetiendo as listas dos Jui7.es ,
que serviro na 3. Sesso dos Jurados
dos que foro multados e dos que
foro dispenses : a Cmara ficou iuleirada e;
resol veo que se pralicasse o que em taes ca-.
zos se costuma fazer.
Oulro do Kiscai do Recife exigindo quanti 1
de o, 00 que dispendeo com duas corridas de
saude que fez. no dia I de Maio e < do
corrente com o Dontor Feli ppe Neri e com
os a peritos que examinaro no dia '4 do
corrente casa pertenecnte i Joze Ferreira
Duarte cita na ra da Moeda : que se pa-
casse mandado.
Outro do mesmo Fiscal exigindo quanlia
patentes os respectivos Ornamento Descri-1 de -9 o reis quedespendeo com enterramen-
cao e Coudices para seren examinados em lo de diversos cadveres, c animis aparecidos
qualquer dia til s horas do expediente. Ins-
peceo das Obras Publicas 97 de Setemhro
v ifl.'.ig. Moras Ancora*
PREFFITl RA.
TARTE UO IIIA 9 DF. Ol'll'BJO,
I Mu. e Exm. Sor.Foro prc/os honlem
110 1 airrodo Recife no dicurso do quarlel fin-
do como provava com documentos : que se
pa asse mandado
Outxo do Fiscal dos Affogadcs exigindo
quantia de 3,aoo rs que despendeo rom' o en-
ten amento de i cadveres apparecidos na bei
ra da praia daquella Freguezia : que se pa-
casse mandado.
Outro do Fiscal Barata informando, que
; minba ordem e tiraran hojn destino : Jo- tendo marcado as ras projectadas no Ierre 10
ao Vieia ilosSanlus pardo, pela 1. patru-jadjacente ra da Aurora por determinaco
litada Madre de eos por eslar bastante e- |desta Cmara marcara ;'t ra de 00 palmos ,
bro ; Francisco Flix d Almeida Joze Ha- que cabe toda sobre o terreno do Cidado Ker-
mes de Oliveira Joze de Carvalho Bastos, nardo Antonio de Miranda que na verdade
e Joo Teixeira Bastse Silva, blancos. Faus- se acha em grande parle beneficiado ; ad-
tiuo Carvalbo e Antonio Joaquim prctos diado.
Joo Candido c Tbomaz lavares de Vcaaas, Outro do Fiscal Barros disendo que fez ;i
pardo* Pedro preto escravo de Nicobo da 1 limpeza nos becos do Arrago Conceicao e
Cruz Malbeos e Joo tambem prelos, c A-ssougue por mandado desla Cmara em
urna Sesso t m que foi Presidente o Si. Ve-
reador farros e assistio como Vereador o Snr.
Sou/a como mui bem poder infernar :
addiado
Despacbaro-se alguns requerimentos e
por ser dada a hora levantou-se i Sesso ;
; Vguel preto escravo de Mi- la mandaro fazer a presente em que assigna-
sRibeiro, e Nicolao tambem pn.-liio. E eu Fulgencio Infante d'Albuqer-
escravoi, este de Antonio la Costa Ferreira ,
e aquello de Ignacio Marques e Francisco
Albanasio pardo todos pelo Suh-Prefeito
de Santo Antonio o ulimo |>or ler (crido a
Joze Julin Camello e os mais por estarcir.
em grande adjunto em urna taberna jogando
os dados
guel 'oz
lo escravo do Tencnte Cruz pela patrulba
daRibeira a |uellc por ler insistido tarde da
uoiic em querer entrar e pernoitar na loia
<|ue e Mello Secretario ; escrevi. Barros,
Pro-Presiden le. Rios liaves Souza e
( diveira. Est conbi me.
Secretario.
EDITAL.
da minha caza sem meo ainsenlimpiilo ej e>le F'ulgcncio Infmtc de Albuquerque a Mello
por estar a pedrejara quem encontrara ; An-
tonio Francisco Maiia Joze Izabel da \ i-
zilaio Alexaddra laiurenca de Jc/us, e Jo-
zefa das Veves pardos, pela i. patrulba do
Carmt) por eslarcm em desordem no irmn/em
onde se recolbcm os mendingos 1 Catuarina ,
pela, escrava de Antonio (ornes Pedroso ,
pnr um Cl>o de Polica por querer furlar
urnas fitas de mil ra nrela e Kcliriano (io-
s tambem preto (iuarda Nacional dcsla-
nies
culona Fortaleza de Ilamarac.i, peloComman-
danle do i. Batallio d'Aitillipria d'ordeni do
Snr. Commandanlp das Armas portar feri-
do a 11 ns pardos.
O Sub-Prefeilo de Santo Antonio partecipa
que hontem pelas inlioras da manba appa-
roceo no lugar do porto das canoas o cadver
de um prelo canoeiro que depois de exa-
se conhecco le fallecido a tingado
A Camua Municipal da Cidade do Recife e
seo Termo*. Src.
Faz saber que pelo Doutor Juiz dij Direi-
to interino da 9. Vara de Ci ime desla Comar-
va Antonio Joifuim de Moraes Suva, p lo-
rio fei lo u devidu parlccipacao. sobre baver
designado odia 14 de (Julubru do corrente,
por as 1 o horas da manba para dar principio
a 5. Sesso ordinaria dos Jurados deste cor-
rente anuo na caza de suas Scsses ; em con-
sequencia do que tendo-sc feito o sorliamen-
to na conlormidade do Cdigo do rocesso
Criminal foro sortiados os Ck> Jurados que
sao osseguintes Scnhores.
minado
Partecipo igual mente V. F'.x que liontem Dr. Simplicio Antonio N'avignier.
me foro remetlidos pelo Prefeiln do Rio For-
Manocl Antonio de Souza.
mozo ira* escravo fnrtados que linvio sido Francisco Paes Brrelo ( do Engcnbo 'uli-
appreiiendidos Francisco Ignicio da Silva | note. )
i 1 pouco fallecido que os hia rondusindo
ra o centro daqoelta Comarca afini de os
l'.'iider corno seos; cu jos earraTOS passei
dispo&icao da <. Vara lo Jnizo do ivcl jior
NrecB perfencentes ; persoas desla Comar-a ,
iwra Ihe dar t-romp-tentp drslino.
Manuel Joze Galvo.
Fstcvo Joze Paes Brrelo.
I cnlo rancisco di- Parias Torres.
1 diente Aiitonio Joze de rouza Couceiro.
Major JozeCameiro Rolri/jnes ampcllo.
Antonio Calda Brandio.
7olo Joze da Silva.
Joo Alve da Silva.
Capillo Manoel Florencio Alvc.de Moraes.
Lourenco de S e Albuquerque.
Joaquim Francisco Baslos.
JozedaCunha do maral.
Padre Antonio Pedro de Souza.
Joo Marinho Paes t-'arreto.
Antonio Sebastio da Silva.
Manoel Antonio "Pereira.
Manoel Cardozo Aire*
Francisco Nicolao de Pontes.
Padre Antonio Tberezo Antunes.
Joaquim (ceibo Cintra.
Manoel Duarte Rodrigues.
Joze Goncalves Gloria.
ProcuradorF'iscal Antonio Joaquim de Mello.
Antonio Teixeira Lopes Jnior.
Francisco Antonio Pessoa.
Joaquim Antonio de Vasconcellos.
Flix Joze da Cmara.
Francisco das Chagas Ferreira Duro.
Joze Antonio Cavalcanle.
Bernardo Florentino \'anco da Costa Reis.
Doutor Jo^e F'elix de Rrilo Macedo.
Joze Pereira da Cunha
Felippe Menna Calado da Fonccci.
Capito Antonio Manoel de Moraes Misquita
Pimente'
Joaquim Cameiro Machado Rios,
Vicente Francisco Mendes das Chagas.
Antonio Simplicio de Barros.
Joo Carlos Bizerra Cvalcante.
Manoel da Fonceca Silva.
Tenente Joze ogero Marcelino.
Capito Manoel Joaquim Antunes Correia.
Joze Roberto de Moraes e Silva,
Francisco Xavier Cvalcante.
Manoel Joze de Azevedo Amorim.
Joze Rodrigues do Passo
Estanislao Pereira d'Oliveira.
'oaquim Joze da Conceicao.
Joo l'aptisla
Joze Francisco Marques.
Joo Pafael Cordeiro
Joze Lino A Ivs Cocino
Joze Francisco Pinto Guimaraens.
Thomaz 'J'Aquino Fonceca.
Joaquim Manoel Carneiro da Cimba.
Padre Miguel do Sacramento Looes Gama.
Jo/e Antonio Pires FalcJo.
Joze Francisco de Soma Lio.
Os quaes sao os que devena servir em dita
Sesso sendo para ciijo fim em virtude do
art. i'6 do mesmo" Cdigo convidados pelo
prezente, bem como todos os mais interessa-
dos comparecerem no dia e hora desig-
nada sobre as penas da Lei se faltarem.
Paco da ( amara Municipal da Cidade do
Recife em SessaSextraordinoriado i.de Ou-
tubro de -ft i)
Joze de Barros Falco de Lcenla.
Pro-Presidente
Francisco Antonio Rabello de arvalho.
Secretcrio interino.
ANNUNCIO.
O abaixo assignado, temi sido em virtude
do art. 'i da Lei Provincial n 7** de 'o de
Abril do corrente anno ; nomeado pelo Snr.
Administrador da Meza de Rendas 1 rovinci-
aes para na conformidade do Regulamcnlo
de 10 de aio do anuo passado arligos 6 ej
proceder o lan amento da I ecima Urbana e
nif's imposlos rovinciaes para o anno finan-
ceiro corrente ; faz sciente a lodos os Surs.
proprietarios de cazas do Bairro de Sanio An-
tonio que no dia 4 do corrente tem de prin-
cipiar o dito lancameiito pelas scguinles mas
Cadeia Colle^io Crupo Qneimado ,
t. ruzes, Cabug /Nova. Trinxeiras La-
rangeiras Rozario I-eco do I eixe frito da
Pol Ra dosQuartcis Pateo do Hospital,
Ordem Terceira de S. Francisco F lorentina,
Becoda mesn-a toda I eco do Hospital.
Ra do Callaboucc I'eco tapado Beco largo
da Matriz dos (, uarteis do Callaboucc ,
Rua das Flores Paz Gamboa do (iarmo ,
1. 7.3. e -C Beco da dita Pateo do Carmo ,
Becos Sarapatel da Bomba Ra do Fogo ,
Beco do Padre Ra do Li\ 1 amento da -
nlia Dircita Beco de S Pedro Largo do
dito, Ruada Viraco. Beco dos peccados
moitues Ra d Agoa-verdc deOrtas dos
Martirios Augusta, l'eco dos Martirios,
Ra de Santa Thereza Peco do Ptdre Loba-
to Ra da Palma da Concordia do Pou-
cinhododilo Praia do dito Ra do Cal-
dtireiro Cinco I ontas por detraz da dita ,
Rcco do marisco FuadoAdique, do Ran-
gel L'eco do Carcerciro dito confronte ao
mesmo, do \ irginio Praia do Rangel, A-
ri;il da I en ha eco do inferno, Ra da Cal-
cada do Padre I loriano Beco da Larvalha.
Ba dos Copiares dos Bairros baixos Beco
do Lobato Ruados Assouguinhos do Ko-
gueira do Ninxo do Livramento, do Fagun"
des, de Santa Rita Praia dp Fagundes, mu-
ro do Falco, Ra de S. Joze do Arial do
Forte das 5 pontas Travessa de S. Joze j
er delraz do dito Beco do arial do Forte ,
lo do dito frente do dito Cortunes pelo
interior do dito, Beco antes do alterro Porta
d'agoa Atterro dos Aflbgados < abanga ,
Pracas da Independencia e do Mercado ; e
para que conste fi>. publicar o prezente.
Meza de Pendas Provinciaes de Perncmbu-
co 1. de Outubro de iRg,
O 9. Esjripturio
Francisco de I aula e Silva.
Perantea Administracao dos Estabeleci-
mentos de Caridade se hade arrematar a quem
mais der as rendas do sobrado e 8 lojas da
ca/a que out ora foi oceupado pelos expostos ,
e bem assim as de n. 1 a na ra do Amorim,
i5f na da Voeda. i8oem Fora de Portas ,
e 1 Ja na roa da Gloria da l?oa-vistd 1 as pes-
soas que as quizerera arremnltar poder com-
parecer no Grande Hospital desta Cidade no
dia i do corrente mez as \ horas da larde com
se is fiadores.
Salla das Sessces d'Admislraco dos Esla-
belecimentos de Caridade 1. de Outubro de
ib"Jo. J. M. da Cruz.
A CRISE MINISTERIAL.
Grandes difficultlades parece que se ha en-
congado na formaco ao gabinete que deve
substituir o actual interino e provisorio Quan-
do o paiz se persuade que vae ler os decretos
de nomeacao dos novos ministros sequioso
de conF.eccr os valentes atblelas que vo to-
mar sobre seos hombros o peso enorme dos ne-
gocios pblicos acha um vacuo horroroso c a
terrivel realidade da coulinuaco d um minis-
terio que s se occiqja do expediente na con-
junclura actual e que mesmo quando qui-
zesse podesse e soubesse nada tara por co-
nhecer sua posi o falsa e destituida de forca.
Diversos boatos se lem espalbado acerca de
novas combinaces ministeriaes a mor parte
<1 elles verdadeiros, diversos cidados lem
sido incumbidos de organisar o gabinete.
Trata-se diurna fuso de lodos os partidos ,
mas a ideia parece ser irrcalisavl: largo e
profundo fsso aberto pela intriga pelas ac-
cusacoes e recriminaces pelo compromel-
mento de seguir certas datas capitaes a que se
lem prestado inleira adbeso e que se nao
podem fundir em umssyslema impede que
os partidos se congrassem e liguem para en-,
t-ar em urna combinaco ministerial, que an-
tes de ludo deve adoptar urq, plano 6*0 para
salisfazer as necessidades publicas. A ideia da
fuso dos partidos regeitada
Novo ministerio se organisa : seo systema A
o da forca c da energa ; economia em lodos
os ramos fia administracao grandes cortes lias
arligos du despeza severa e escrupulosa fisca -
lisa o na cobriua da receita Nem nm mi-
nisterio conviria mais ao paiz do que esse ;
depois de grandes exforcos pecuniarios que a
na o lem feito e quegravo sao> futuro a
populaco toda aplaudira e prestirla seo apoio
administracao que livesse pof pi imeiro dever
de sua .existencia nao fallar-nos maisem novos
cmpreslimos e em impostes novos quando a
rebellio armada invade grande numero de
i provincias, a populaco pacifica e industrio-
sa que noganba com revoluces antes per-
de clama de toda parle forca energia e
o ministerio que se mostrasse forte e enrgico
seria ahencoado por lodosos brasileos. Ba-
te ministerio porm urna utopia irrealisa-
vel nao porque nao hajo homens capazes de
proclamar esses principios e de scguil-os
risca j por honra do paiz devemos confessar
que anda existem homens d essa tempera ,
rwi* infelizmente os seis ministros nao podern
estar ao mesmoHempo em toda parte ; o mi-
nisterio nao d;i o alubuto da ubiquidades ha
necessidade de cmpregar agentes que tenho
coragem amor ao paiz habito da obedien-
cia conliecimeiilos pratico-. em lodosos rumo
da administracao publica e que se convencu
da necessidade do systema do ministerio, c
aonde achar esses agentes ? Temos emprea-
dos probos e inteligentes mas nao sao elles
tantos que possao prehencher lodos os empre-
gos Nao esta a raio mais apropriada para
ensaios: infelizmente em nada temos tido es-
chola todas as classes estao confundidas ,
todos os tlenlos tem tido disuco diversa da
que devino ter.
Como formar um ministerio capaz de fazer
facc revolucoque se vae formando no esta-
do, edeve rebentar mais cedo do que muita
gente pensa de dar-lhe direceo e de solver a
monarqua e as instituicr.es do prrigo que s
ameaca ?



DIARIO
D R
P l? B N A M B U C O
Depois de tudo islo, mesmo autes de se reu-
nirem seis homens futuros ministros, que
difttculdades nao preciso vencer ? Este nao
entra para o ministerio sem aquelle, aquell'
oulro nao entrar se entrar aquelle: assim
necessario satisfazer todos os caprichos to-
das as puerilidades de liomens que se devem
votar ao bem do pa'u!
Oh que nao invejavel a sorte de quem
rege o estado em taes apuros do centro de
nosso obscuro gabinete lastimamos o homem
que a testado paiz quando ha necessidade de
governal-o lem de lutarcom todas essas dif-
hculdades corollarios forjados e irrecusaveis
da orcuipotencia do corpo legislativo que
exige a escoha de ministros em seo seio! e
que aniquila os ministerios que nao sao ins-
trumentos de sua vontade. Tivesse o poder
irresponsavel e o direito de dissolver acamara
dosdeputados ea mor parte das difficuldades ,
queappai-ecem na formacao do novo gabine-
te nao existimo Coragem e resgnac^o -
sao qualidades inuito precisas na quadra
actual. ( Diario do hio de Janeiro.)
RIO GRANDE.
Alein do que publicamos honlem sobre esta
Provincia nada mais encontramos digno da li-
co dos nossos Leitores, que o oHcio de Bento
Manoel que abaixo copiamos dirigido a
Jos arianode Mallos, ministro da guerra
de Piralinim pelo qual se dimille do exercito
dos republicanos o que nao favoravel a
causa da rebellid.
lllm. e Exm. Sr Depois de haver fei-
to sacrificios quasi superiores a'o esforco huma-
no na defesa da integridade do Brasil cm cu-
joaervico havia encanecido ; me vi forcado a
abandonal-os pela ingralido que se usou co-
migo, e sobretudo por nao comportar bum
desaire que a estupidez do brigadeiro Antera e
a perversidade de seus conselheiros me desli-
nava por galardo. Sabe a provincia inleira ,
e sabeni-no al os v isinhos estados. Entretan-
to minha. posico social nao tolemva que fi-
casse eu enlo neutro no meio da vilenla ag-
tai o eirt que estava os espirilos, nem amis
o meu carcter Ihano me perm-llria o figurar
de Iiypocrita ealem disso meus bens (que a-
vulluvao no estado) e a conserva o delles a
bem da minha numerosa familia reclamavao
minlia adheso cansa que comecou a contar
dessa |>oca a maioria do paiz por si. Ped
quei-me pois a ajudar os republicanos, porem
foi meu intento servi-los na classe de simples
cidado sem exercer cargo nlgum. Virao-me
todos prestar meus servi os ao lado do coronel
Joo Antonio, e de Mitras dignos Rio-Gran-
denses, e\ pon do-me as.sini as amargassatyra*
de meus nunigos, sem oulro ohjecl mais t'o
que ser til ao HioGraitIe. Pon fin, nevan-
do regressado de seu exterminio o Exm. Sr.
presidente, nos encontramos no Rio Pardo;
maibamos at o Padre interno, e retrocede-
mos juntos para a villa do Trum|>ho. No
decurso desta jornada oceupei-me smente em
eximimir-medo commando das divises para
que S. Exc. me havia nomeado : j o coracao
presago me annunciava futuros dcssaliorps .
j tantas ingratidoes havia solfrido daquellosn
auem mclhor lenho servido que nao duvi
a va a tiando bre
que
quando brevemente m'as causara") esses
que enlo tanto me lisoiigiava A final saer-
fiquei minha opinio e meus principios a hu-
ma para condescendencia com aquelle. Exm.
Sr Eis que sem distar muito lempo vejo ;
realisados meus presenlimeutos notando com
eslranheza no n. Jn do Povo jornal da re-
publica publicado bum decreto referendado
por V. Ex. onde noma para lenle coronel
e comm ldante do segundo batalho de paga-
dores Frailesco Jos da Rocha desairndo-
me dessa arle aos olhos de lodo o paiz, pois he
geralmente sabido que reprehend speramen-
te'esse insubordinado Bahiano, indiano al
de cingir a banda que desdoira. Dedicado des
de meus primeiros annos a carreira mililar,
me lenho nella avantajado nao pelos meios
de servilismo, seno por accoes de esforcos e
intelligencial, e servindo uesses lempos com os
gencraes D. Diogo de Souza Curado e tan-
t >s oulros que temos o coslume de chamar des-
petas iienhiim delles jamis me desairou.
Ahi estoos Rio Grandenses todos teslemu-
nhas do apre,o e considera,o com que sempre
me honrara, sem que eu souhesse curvar-me
:i prepolencia. Hoje, j prximo sepultura
e clieio de cas ganbadas em arduos servicos
patria prestados nao posso nem itero tolerar
que por hum obscuro Bahiano fira V. Ex. nem
o Ex. governo minha honra e pondunor mili-
lar. Pelo que levo ao conhecimento de V. Ex.
para ana intelligencia que desde a data deste
me reputo demiltido dagraduajo que lenho
da repblica, e exonerado do servico militar ,
ambicionando a honra de ser considerado sem-
pre ionio hum simples cidado Ro-Granden-
se favor a que meus servicos me do algum correm s desgracadas familias os meios porque
jus. Dos guarde a V. Ex. Cachoeira 16! pensad fazer frente s necessidades que as af-
de junhodei8t9.-Illm. e Exm. Sr. coronel fligem. Porque este ou aquelle homem, que
ministroe secretario supposto prelencer a essas sociedades, deixa as
Jos Mariano de Mallos
de estado dos negocios da guerra (Assigna- vezes o tnlho da honestidade, da raso
do) Bento Vlanoel Ribeiro. Est conforme. juslo(condicaode todas as sociedad !)
Sebastio Ribeiro.
Correspondencia do Jornal do Commercio.
edo
f para
involver-se em erros e indignidades pode-
remos nos por esta causa concluir da mal-
dadedessas Sociedades ? Se folgassemos de ar-
gumentar contra as regras da boa Lgica se-
ria necessario borrar grande parte da historia
Ecelesiastica para pdennos respeitar a Igre-
MONTEVIDEO i5d Agosto.
Depois da ultima que Ihes escrevi lem oc-1 ja ; mas como o nosso~me7mdo~'d7raclocmar
corrido algnns successos de importancia. diametralmente opposto a o desse Sacerdote,
O excreto 'la Iba da- Lsbcrdade vai entrar' nos sabemos amar, respeilar e adorar a Jgreja
em operaces nodia ao do correntc. He nu- Catholica Romana, sem que nos deslumhren!
meroso e enthusiasta^ e ludo se espera desta as criminosas aberraces d'alguns Sacerdotes ,
mesmo do alto Clero porque aprendendo a
dar a Peus o que de Deus e a os homens o
( que dos homens, sabemos lamentar ns erros
aos grandes objectos da empreza e as victimas destes e a adorar a grandeza infinita daquel-
de Rosas. le. Para que as portas dos infernos nao pre-
O commandante geral D. Fortunato Silva valecessem necessario foi que um Gan-
destruio o nico corpo anarchista que ao man- Ranelli viesse depois d'Alexandre VI.
do de Leonardo Oliveira percoma o departa-'
atrevida expedidlo. Osseus principaes esqua-
droes chamad-se: Libertadores, Buenos Ay-
res Rodrigues Maza e Cuiten ; alluses
ment de Maldonado A campai)ha nao con-
ten hoje hum s dissidente.
O exercito de Echague que pa-sou o U-
ruguay acha-se eneurralado no Salto e trata
de forlificar-se nesse ponto. Fsl sem cavallos,
pois fizera a invasao contando rom as cavalha-
das que os insurgentes da campanha devia ar-
rebatar. Mas como elles surcumbira*> e o pa-
iz se pronuncia contra os invasores estes tem
de repassar promptamente o Uruguay alias
csto perdidos A esquadra oriental parti pa-
ra ccrtar-lhes a retirada. Esla expe:liro a-
lem das causas indicadas, perder-se-ha
por falla de cavallos pois os que trouxcra
de Entre Rios nao servem para o solo pedrego-
so desle estado ; a porque he composta do
presidarios de Buenos-Ayres de Enlre-Rios
e Indios e he commandada por Ecbague a
Urquiza e nao por hefes orienlars; -4o .
porque arorra o pavilhao tricolor de Entre
Rios em vez do oriental
a nacionaldade porque apenas pisaran
no territorio oriental degolaraS quatro mo-
radores de Sallo por ordem de Echague, o
que annuncia huma guerra de exterminio.
Este barba rao procedimento couson tanta
indigna-So, que o general Ignacio O-
rihe e o coronel Saura (o primeiro irmo eo
segundo amigo de Vanoel Oribe) apresenta-
rao-se ao governo c ollerecera-lhe seus ser-
vicos para repellir os eslrangeiros. O presi-
dente Rivera est em Cerco Largo.
Quanto nao seria mais apostlico e por is-
to mais til a religio de Jezus Christo e a o
estado que esse Sacerdote pregasse contra os
mos Sacerdotes, dos quaps tantos e to ir-
remediaveis males nos provem Nao tema es-
se Sacerdote nem outro qualquer missionario
pregar contra os seus mesmos irmos Sacer-
dotes ; pois o nosso divino Mestre foi o pri-
meiro que nos dco este admiravel ejemplo ,
quando olhando para os seus a discpulos
dissea Pedro: Tirante de diante demim ,
' Satans, que nao tens gosto das consas de
IVus mas sim das dos homens.
Ruina pnpuli magna exparle sacerdotium
fnit. dsse o Apostlo Na verdade que de-
vem lazer os seculares vendo a nlguns sacer-
dotes armados defendendo partidos vestidos
a paizano fazendo fo^o denunciando, pren-
dendo romo so fossem militares ? I'evem fa-
zer o mesmo ; porque os Sacerdotes sJo o sal
da trra e a luz do mundo. le seguirmos
o que muito ofrende j aos Iwns ou a os maos Sacerdotes sempre nos
vero o bem ou o mal Os Espanhoes, que se-
guirn a o sanguinario Valverde, roirbara,
malanio rommetlera as aeces as mais cri-
minosas de que ainda hn;c nos borrorisamos.
quando lomos a historia da America ; mas os
Indios que seguirn a o virtuoso Las Casas ,
fora livres e abracarac, por convierto e
nan forca d'armas a religio de Jezus
Christo.
Eu creio e me nao nwrano que a reforma
se subjuga a mso humana. Mus o mo Sa-
cerdote obra directamente contra a leligiio ,
elle erara o punhal deicida no coracao da es-
poa que Ihe deo Jezus Christo; elle deix*
de ser a .luz do mundo e o sal da ierra et,
si sal evanuerit, in quo salietur ? -
Sacerdotes d'um eus de paz se queris
cumprir com a sublime misso que vos ira-
pe a tremenda dignidad de que estaes re-
vestidos sede sabios e virtuosos; Jezus Chri-
sto depois que abri o entendimenlo a os A -
postlos para alcancarem o sentido das Escrip -
turas (1. Joo cap. XXIV. 45; foi, que lhes
deo ordem de pregar em seu nome a peniten-
cia e remissao dos neceados (idem 47) I-
mitai a vosso divino Mestre de quem sois a
imagen), e o vivo retrato neste mundo. Nio
proprio do sabio avancar proposicoes improva-
veis nem do virtuoso fomentar partidos e
motins!
Veu caro Sempronio tal vez ten ha sido as-
saz extenso nesta minha carta ; mas, quase
sempre somos prolixos, quando queremos pro-
var aquilto, de que estamos convencidos. Fe-
liz do Brazil, se todos os Sacerdotes tivessem
entrado pela porta e nao pelo t el hado da I-
greja [v as infelizmente vemos que alguna
rapazes porque sao inhabeis para os estudos,
e mesmo pra as bellas arles sao como on-
demnados a o Sacerdocio essa dignidade, in-
vejada pelos mesmos Anjos, daqui provem
grande |>arte dos males, que sofremos Os
pulpitosdasmatrizes, pela maior parle, es~
to cheios de pueira e se alguma vez se lim-
pa por causa d'ajguns panegyiicos que
se pagao ; o Evangelho raras vezes ou nun-
ca se explica a o pobre povo e assim simi-
Ihante a o gadoserr. pastor este se desgarra ,
ese perde porque nao ouve a voz de seu
paslor ou quando a ouve lo fraca, e dea-
armoniosa que por ella elle mais se a fasta do
aprisco e mais se desvia do redil. Vale.
e me nao engao
no Clero nos traria um bem inapreciavel e
A corveta de guerra frame/a Cnmille per- um nabalnvel sotego. A persuazo d'um Sa-
dcii-se na "riba dos Lobos mas salvou-se a jeerdote sabio e viituoso vale mnis |ue a for-
arlilharia veHas massame mastros &c. ] n ; a pouco vio Pernambuco quanto porler
O almirante Le Blanc foi para a liba da Li- leve a pala va do nosso Pcocesano entre os rai-
vosos cabanos.
Hoje i|uc tanto se falla em sociedades re|-
herdade om toda a esquadra oxcep'-ao da
fragata Minerva a fim de apoiar as operaces
de Lavalle. giosas que algumas gazetas ap|)arecem s enm
O general D Francisco Reynaf arompn- o fim de persuadir a regiao e u moral ve-
nhado pelos omciaes ('avanillas Gigena jo ludo no mesmo estado; p crTo que tudo
Mozano e nutros partir dentro de pomos valer muito pouco, ou nada ten a reforma
lias em huma e.\|H'dico contra Cordova. nos Sacerdotes Si es medious cura te
(Jorn. do Com.) ipsum. -
A verdadeira sociedade religiosa i a congre-
Papiio sada a Sempronio. gaco de todos os fiis ; esta existe, e existir
I por toda aeternidade elI11 lem os seus redae-
Agora meu caro Sempronio minha no- lores, que sao os Sacerdotes sabios e virtuo-
tieia chega que eerlo Sacei dote em ez de sos, a quem est incumbido por Deus mesmo
pregar o Evangelho a os nossos eamponczss o trabalho da misso evanglica ; osseus jor-
eomo cumpre. segui.do Je>us Christo eos naes sao os Evangelbos sao os psrriplos dos
Apostlos, cura de a presentar-Ibes urna me- Santos Padres e Pouloresda Igrrja ; o lugar
donha pintura dd estado, em q' se axa a paca, de sua reunio o templo de leus ; a tribuna
(I urna fniiira revoluco (que falsidade!), de seus oridores o pulpito : tudo quanto se
proveniente das sociedades secretas que aqu affastar desla constituico divina, secundo o
se reunem. Elle faz ver aos bons e innoepn- meu fraio pensar pouco proveitoso vira a ser.
les homens que dellas provem grandes, e Jezus Christo para pregar a religio nunca es-
irreparaveis males Provincia; chegando o creveo gazetas; appnrecia no templo, as
seu desvario ao ponto de indigilar algumas pracas nos montes, de viva voz, e, mais
pessoas e in-iino Snm dote?, que, por Se- qcido, com o e.u-niplo' prega va a verda-
rem desamparado taes sociedades considerar* a sua vida tanto em perigo, que nao podem Pai; os Apostlos seguira o exemplo de sen
noite, sabir de casa se nao escollados : en- divino mestre ; os nossos primeiros missiona-
ao manifest que por sua tao patente rios para a propagarlo da le. nao pscrpvin
merecera todo o desprezo sv os pernxluos ensinava com a pala va e com
bons eamponez.es est i vessem ao fado do que se o'exemplo'.....com o'exemplo, meu
passa nesla cidade. Mas, como podem ser caro e respeilnvel Collega !
nocivas ao socego de que goza esla Provincia, j Chip aproveilo religio essas sociedades ,
as palavras d'um ministro do Senhor ou vidas p esses peridicos senelles. e nellas falla a
por pessoas de boa f e religiosas ; cumpre- quella uncao divina que necessaria para
nos meu i Ilustre Col lega espaldar es!; s ne- que a palavra de Deus possa calar no coracao
gras e apinhadas nuiens que podem tra- humano! Que aproveita religio essas so-
zernos sobre as nossas ca becas alguma medo- .piedades e esses peridicos, se todos os Sa-
nba lempeslade. icerdotes nosnin derem o exemplo d'uma vida
Nao ni-elendemos conbpccr dos fins dessas .evanglica o d urna moral santa Um s<* Sa-
socipdades ; muilo sobre ella se tem dito pro cerdote mo mais nocivo religio, que
e contra; mas, se pelos effeitos se pode co- j lodosos cscri pos dpssps philosophantps Fs-
nhecer da bondade, ou da maldade das cousas, tes para negarem as verdades de nossa sublime
mui excellentes devem de ser aquellas socie- religio necessita do auxilio dos sophismas,
dades donde emanan tantos soccorros huma- e nao com esla qualidade de argumentos,
nidade ; onde o infeliz cnconlra urna guai ida j que se con vence sim com principios verde
gano la
falsidac
contra as prrtcnces dos malvados ; por onde [deiros, e com legitimas ccnsequtncja que, tecada a mesma propriedade
Avisos l>lvrfVo.
siy O ahaixo assignado se be ni, que tenh j
de levar a presen .a do publico sensato logo
que lhp for possivel, qual tem sido o com por-
tamenlo de seo sogro Joao Carlos Pereira de
Burgos a seo respeiio : rom tudo em respostu
ao seoannuncio publicado no Diario de lion
tem (N. n 1/i) declara que aa peras menciona
das no calumnioso aununcio acha-se na su
loja e noempenhados ou vendidas e lo,.o
que consiga levantar o Ilegal arresto feito na
mesma pelo dilo Burgos as apresentara e
ntio o publico conhecer o quauo elic he H
liimniarlor p a le voso, qualidades rsias pro-
prias do seo genio e se o autor do caluimiioso
annunei') conseguio saber em mo de quem
existe as pecas mencionadas noannuiicio cm
penbadas ou vendidas bom ser qae dada
re do contrario continuar a ser tldo como
mentiroso, e |K*rconse(|uencia capaz d- tudo
Lui/ Ignacio Pessoa de Mello.
IJ" Precisa-se dois andares cm qualquer dos bairros deSanty
Antonio ou Boavisla assim como de uns p-
crava de '^r> a 38 annos que saiba vender na
na ; innuncie.
tSF~ Quem anuuneiou para vender um
cazal de rollas d'Angola annuuciesaa moia
da. ou dirija-se ao principio da ra d'Hospi
ci 4 enza trra.
sr?" Quem preti/ar de hum Caixeiro or
tugue/ para armaiem ra ou scrjpta ,
de que tem bastante platica annuncie sua
morada para ser procurado. t
Cj" Arrenda-se para se passar a festa, um
sobrado com bastantes commedos ecouxeim
fiara carrinho estribara para 4 cavallos ; nu
ugar do olho de vidro na estrada da Ponly
He fj'va que vai para Santa Aana : o mes-
mo.
SZr' Rwcisa-ac de un rapaz da |H a so an-r
nos. para criado de um homem solteiro ; quera
se achar tiestas circunstancias va a ra daCa
deja novn D. 4.
Y?' <)fferecp-se bum rapaz Brasileo de
dudede ao anuos para caixeiro de boliquira
ou venda do que tem bastante prauca e d fi-
ador de sua conducta quem do seo presiimo
sequispr utilisar dirija-se ao lugar dos Ar-
romhados de Olinda em casa Je *'anoel Joao
de Lima : ou na ra .Novm juuto a Ponta
D V,
t&- Fa/.-se scienle ao publico ijue no da
9 do corrate me, dp ser arrematada em
heata publica pelo Juiz do Cml da segond .
vara, o sobrado de dous andares D. 17 na ru*
do Cordiniz, perteneenle a D. Mana Fian
cisca Bprnardina Torres, para pagnmerto.daa
dividas da mesma Stnhora, c muito piincpal-
mpntc a divida de qup he credora L>. .oaqui-
na Pereira Vianna, a coja scnhoia est hypo-
'


HHHHkVfl
DIARIO DE PEftNAMBUC
tss- N'aula de primeiras letras to pateo do
Terco D. 4 continue-se a reoeber meninas
para aprenderem 1er, cscrever contar ,
e de novo recebe-se tambem meninos e en-
ina-se tanlo a un como outros pelo methodo
de Mr. Paulet inventor do ensino mutuo em
Parie.
cy Roga-se ao Sr. F. L. R. C., que por
6ua equidade entregue quanto antes ao Tbe-
soureiro do Terco o producto de i3 cartas
que nicamente ttestribuio para o sepulcro ,
cujas cartas diz ter rendido aijSc.
S55" Roga-se ao Snr. ML R. C., baja por
caridade entregar ao Tbesoureiro do Ter o
J i #000 das diversas contri bu ic.5es que lem
assignado desde -2 5 de Novembro do auno
passado.
t^? Roga-se ao Ilhn. Sr. Fiscal do Bnirro
de S. Anlonio que queira lansar as suas
vistas em um becoda Florentina onde exis-
um cano que a certas horas do dia se torna
foco da epidemia pelas miasmas ptridas que
delle exala : islo lhepede- Um dos mora-
dores.
tur Aluga-se dois pelos mensalmente pa-
ra armazem de assucar ; quem os tiver diri-
ja-se a ra do Torres armazem de Manoel
.los da Silveira Guimarles & Companhia.
E5- L eseja-se saber nesta praca quem sea
n correspondente do Snr. Capillo Manoel Jos
.Serpa morador no engenho Caiana queira
por obsequio anminciar sua morada.
UJT O accionista das cautellas correspon-
dentes as ti es loteras avisa ao publico que as
todas da Lotera da Boa vista correm impretc-
riv cimente no dia 7 de Oulubro conforme
annunciou o Sr. Tbesoureiro por isso avisa
a os apaixonados destejogo concorrao a com-
pra das cautellas da mesma Lotera as 5 pon-
tas i). ().
tT Quem pretender alugar o sitio na Pon-
te de Ucna e outro no arraial pertencen-
tes ao casal de* finado Antonio Marques da
Costa Soares pode dirigir-se ao escriptorio
do mesmo casal na ra da alfandega velha n 7
KT Perdeu-se urna ca teira de algibeira ,
de cor preta de fora de portas at a praiu de
S. Francisco contendo dentro urna sedula de
5ooo e oulra de 1000, e um meio bilhete
da Lotera do Seminario de n. -to, um pa-
pel de compra de um forno de cal e canoa ,
passado por Jos Consalves de Souza e na
dita carteira tem escripto as folhas assento
de divida; quem a tiver adiado diriju-se a
01 inda sitio do jogo da bola de Lourenco An-
tonio de Albuquerque. ou a fora de portas
rasa de Francisco Euzebio de Faria que ser
recompensado
pf A peuea que annunciou precisar de
it (Ki.i i:r"oo,ooo, I), j piiiueiro andar por cima da botica.
jST Lma |essoa de bous costumes e com
akjuma pratica de commcrcio deseja-se arru-
,maiun al^m escriptorio de negociante por-
togncz ou ingles d; fiador 1 sua conducta;
quem o precisar annuncie.
\ t< rpo dos aitogados, com sitio ca>a para pre-
1 1 (illa para leitor coche-ira para dois car-
ros estribara para oilo cavallos ura quin-
tal murado para criarlo com casa dentro para
eiaa se lee ,!.i.(. com viveiro de petxe,
r^pin, para dois tunal los todo auno com as
nielbores fructo banlio eo sitio be lodo
murado quem o pretender procure no | a-
. leo da 1 ibeii a 1 mlrontc as diversas renda em
um sobfedo 011 a Antonio Ribeiro de Brilo.
. t-cr O Sr. que pretende urna casa terrea no
alieno dos (logados, com bons com modos .
iititcpda "* rom Antonio Ribeiro de Brilo no
ateo ca 1 ibeira sobrado confronte a diversas
rendas.
ttf Poga-sreiicarescidamenle nesla praca
ao correspondente de Manoel de Fari Mari-
nho, morador na Cidade de Loanda ; baja de
XST OfTerece-se um rapaz brasileiro de
idade de -o annos para caixeiro de botequim ,
ou venda do que lem bastante p; tica e
naoduvidabirparaalguma loja de fazenda'-
dando algn lempo sem interesse anto na
praca como para o matto e d; fiador a sua
canducta ; ouem precisar annuncie ou diri-
jase a ra nova junto a ponte 3.
J3F- Mr. Kssel relojoeiro Franrez no at-
ierro da Boa vista, acba-se prompto a concer-
tar quolquer relogio que lhe seja confiado,
pelo mais commodo preco ; elle obriga-se res-
tituir o dinheiro que tiver recebido em paga-
mento de qualquer concert que nao for bem
executado ; assim como compra e vende rclo-
gios de algibeira de segunda mo,
8^. A luga-se por anno ou para a festa
um sitio na passagem com muito boa casa ,
senzala para pretos cocheira, e estribara ,
quem o pretender diriju-se a ra do Vigario
n. 6 armazem de macames.
SS~ Perdeo-se no dia 3o do passado um
ponteirode oiro liso, e torcido no meio
com urna voltadecordode um palmo e meio
de comprido de oiro da ra Direita 5
ponas al a ra de dorias a pessoa que o ti-
ver adiado dirija-seas5 pontas D. ji que
ser recompensado.
E#=- O Sr. Reverendo Carlos Augusto ei-
xotodc Alencar queira annunciar sua mora-
da que se lhadeseja fallar.
C71 Precisa-se de 5oo,ooo a juros por tem-
po de fi inezes da-se seguran a em urna ca-
sa em S Amaro na estrada de Luiz do Re;o,
juntamente se d a quem este negocio quiser o
rendimeuto de 000 por me/. que rende dita
casa ; na ra Direita lo;a de fazendas I). 55.
tzJ" A abaixoassignada declara que a casa
da ra da roda que foi de Antonio Joo Fei-
j que tem urna pinhora na dila casa feta
aTbomaz Rodrigues Teliles pelo cartorio
do Escrivo Cunha quando a cuta casa era
do tallecido Telles e quando o fallecido Fei-
j a comprou Ihe.fez partecpante da dita pi-
nbora e laz o presente annuncio para quem
a arrematar nao se chamar a ignorancia. Jo-
aquina aria Pereira \ anua
tf Deseja-se saber onde residem as pes-
soas seguintes ou queirlo procurar a casa
I). 67 na pracinha do (>orpo Santo a fallar
com Gaudno Agoslinho de Barros, para
tratar de negocios que Ibes diz respeito ; An-
tonio Jos da Costa, sobrinbo de Jos Joaquim
da Costa de Coriliba e Rafael A relian jo de
CarvalhoFanfa filho de Joaquim Aives de
Carvalbo Fanfa do porto calvo.
iZf" l'recisa-se de um caixeiro para esla
praca que tenha perfeto conhecimenlo do
servico de um armasem de assucar, dando fi-
ador a sua conduela dirijase a esta Typo-
! graia.
Avisos Martimos.'
palmos e unta tanoa de arfeira com o com-*
priment de /fo palmos inda mesmo sendo
\el as no pateo deS. Pedro L). 8.
Vendas
.
Sy Meios bilhotes da Lotera da Boa vista ;:
na ra nova loja de ferragem D. 10.
cy Urna preta de naco, cozinha o diario
de urna casa 5 na ra de S. Thereza D. 18.
cy Um alicerce quasi todo feito, de nedra
e cal, capaz de se alevantar um sobrado de
um andar ou dois com a 1 palmos de frente
no atterro das *> pontns ; a tratar defronte do
viveiro do Muniz venda f). ou.
K*y~ Ou troca-se por pretos, urna molata
cem dois filhos menores ; na ra de S. Fran-
cisco de fronte do Theatro D. 15.
2T Na ra nova defronte da Igreja de N
S. da onceico ira loja de Joaquim Jos
Pereira D. a a agoa para empretecer os ca-
bellos da barba e da cabe-a e na occasilo da
compra se dir o methodo de aplicar,
SEr' Urna morada de sobrado de um andar
e soto com qnintal e porto sita na ra de
dortas I) trinta e trez; a tratar na ra do
CHieimado loja de ferragem D. 16.
cy Cha isson muito superior selins in-
giezes com seus pertences, lengos de seda pre-
tos de superior qualidade e chepados do Rio de
Janeiro, bicos de linho pretos ebrancos chi-
tas de tintas fixas a 1 o rs o covado estojos
de nnvalhns finas ingtezas e oulras muilas
fazendas a preco barato ; na ra do Ci espo
D.8.
IST- Por pre^-o commodo um grande sitio
na estrada da Ponte de Ucha com trez sa-
las grandes 11 quartos copiar casa de
farinha,, estrevaria para f cavallos, senza-
la para ? cavallos duas haixas piira Capim ,
nnuto terreno para plantaces e arvoredos de
toda qualdade de fructo, vende-se metade
a vista e melada a praso ; na ra Direita
D ', e na mesma sealuga outro mais peque-
no com casa nova todas de pedra e cal e
trras de plantarocns.
SaT" Meios Hilhetps da Lotera da Roa vista
la a 000; na pracinha do Livramento De-
cima i).
SZJ~ Veios bilheles da olera da Boa vista-,
iz* Na lojan. itn da praca da Inde-
pendencia Tidros de poz de Manoel Lopes ,
chegados ltimamente do Rio de Janeiro ta-
lins de carrancas para official de G. N. ban-
das finas para os ditos barretinas de todas as
qualidades choroens e plumas tudo por pre-
co commodo.
XF" Ou permuta-se por.predios nesla pra-
ca, *3 palmos de terreno foreiro a Irmau-
dade deS. Pedro a 5o ris o palmo. no lu-
gar do pocinho da panela cujo terreno prin-
cipia do norte para o sul e ja est a maior
parte atterrado ; a tratar na pracinha do Li-
vramento sobrado D. 2.
SST Urna negra muito moca de bonita fi-
gura sabe bem engommar coser c &c, para
lora da provincia; na ra do Crespo, D. 8 a
fallar com Francisco da Silva Lisboa.
Esc ra vos Fgidos
1S^" No dia 16 de Jullio fugioda Villa de
Macei urna escrava de nome Catharin? de
naci angola levou saia de chita uzada e
camisa de ciscado azul panno fino preto ja ve
lho representa ter o annos pouco mais ou
menos rosto descarnado, tem falla de dois
ou i dentes na frente da parte de cima esta-
tura regular secca do corpo tem algumas
marcas de rcio as cosas na testa ao p do
cabello tem urna sicatriz tem os ps muito
largos cuja escrava di/.em estar nesla Cidade;
quem a pegar leva a ra do Crespo loja D. 6
lado do Sul ou na dita Villa ao seu Sr. An-
lonio Joaquim Veras que ser recompen-
sado,
C7 No dia 9 9 de Julho desapareceo um
negro de nome Joo de naco con;;o, de ida-
de de o anuos, tem na testa duas carfeiras
de calombinhos cornos mesmos nos peitos ,
um pedago tirado na orelha esquerda em
um dos peilos urna mancha branca, meio ful-
lo sem barba estatura regular algum
lano corcovado levou vestido camisa de pa-
o de col xo e calsa de brim rota, e bonet
velho de panno azul este'negro trabalhavu
as obras do caes e lendo trabalhado todo o
dia i9 a noite nao vollou para casa como cos-
lumava oque faz suspeilar ter elle sido dcs-
encaminhado por alguma pessoa por ser ain-
dlllHllni''1 Su
'id de wtterese.
PAR A O ARACATY segu viaguem no
dia u, do eornnle o \el!eiro alacho i auren-
tina ra-ileiri forrado e pregado de cobre ;
quem quiser curregar 011 ir de passagem
1 para o que lem excellenles commodos ; dira-
sc ao sen proprietario Lourenco Jos das iNe-
| ves ra da Cruzn.-i OU ao Capilao do
' mesmo Antonio (le mano das Noves', a bordo
,conlronleao trapiche do pcloiHno.
PAMA O VARAMIAO' segu viafiem com
tod< hrevidaduo Rrgue 1 rasileiro Mrquez de
I oiiihal do qual lc Capillo e pratico 1er-
nanrlo Jos de Almeida 5 para carga ou pas-
sa'eiros trata-secom o mesmo Capillo, ou
no escriptorio de Jos Ramos de Oliveira na
ra da Cruz.
PARAASSU' segu viagem o Brgtie
Nacional Feli Destino de que Capillo Lu-
iz Gomes de Figiieiredo; quem quiser carre-
gar ou ir de passagem di ip-se a casa de Ro-
zas \ irmao a sabida iinpreterivelmenle
no di--; H do eorre&te.
no ra do Cubug loja de miudezas junio ; da algum tanto bucal 5 quem o pegar leve a
ra estreila do Rozario D. 28,' que ser gra-
tificado.
tSP Segunda feira a3 do passado fuglo
umr negra de nome Joaquina alta secca do
corpo, cara larga be icos grosss peilos
grandes na'riz chalo com urna sicalriz na
tcsla enlre as sobranceilhas levou vestido
de panno da cosa julga-se ter sido desenca-
minhada por algiiem e que a tem occulla 5
quem a pegar leve a slu Sr. Francisco Xavier
por preco commodo i Cavakanti de Albuquerque, na ra Uireila
em casa de Joo Rufino da Silva Ramos, 00!! CttM Pe!a, na loja de Joaquim Viegas SS^" Fugio no dia < de Agosto do correnle
tSf Urna venda no largo do Terco com ann0 > UTn moleque de nome Custodio esta-
poucos Iundos ; e tem commodos para familia; luta al,a ^rhado suissas l'cixadas olhos
a tratar na mesma I), a. vesgos eheio do corpo noticias que anda
C?r Os seguintes livros por preco commo- no dcstriclo de Caranhuns sitio do retiro,
do ; collecoens de leis de H se ro?a a qlia'quer authoridade de
o ndice geral guias des colletores e igual- I H'c'a e capitaes de campo que no raso.de
mente das alfamdegas memoria da campanha "'Contrar o leve a casa de seu Sur. Antonio
de i). Pedro-historia de Nipoleao- i teera- ',os ^} ^''va morador no engenho novo da
rio do Rio de Janeiro ao Para e Maranho ^c-'iyo ou nesta praca _em cusa de Luiz
botica.
C3" Na ra das larangeiras D. 3 as seguin-
tes obras novas de bom gosto > camas de an-
gico urna dita de conduru' urna marque-
za de angico urna dita de conduru', A me-
zas de jantar urna banca de meio de salla 1
bancas de angico e urna secretaria.
XST Um cavallo castanhn bom rarregador;
atraz da :\Jutriz da Boa visla 1 <.
S~y Po'lassa Russiana de primeira sorte ,
ebegada ltimamente
com mamas historia da revoluco franco/a -
exame sobre o urv a voz do profeta resu-
mo da hi-toria fialural historia do brasil-
Jos Marques na ra do Rangel, que ser
generosamente recompensado.
S^'' Fugio no dia i3 do passado um negro
ruinas de Yolney -Simio de Nanlua tisou- t'c nome Severino de naco cabund de
rod mininos-alfabetos-guias dos Vlacoenal '^de de o annos, meio bucal, dedos das
da amisada-solitario de m3os mpridos olhos meios espantados,
escocezes a lor a
murcia- Dorothea honrado negociante
Leocadia ressurreico de amor mcslre as-
sassinado dialx) amoroso Ignez de Castro -
conciencia do crime mestre gil assassinos
i mesteriosos Al I redo noiva brasileira Jor-
ca de urna paixo-cruz da ponle-e outros
gOCM. -
%/' C)ueni precisar de um rapaz brsileiro
de idade de .r anuos para caixeiro de loa de
la/cnda^ un feragens e d fiador a sua oon-
rlucn annuncie.
^sy- A luga-se por festa ou por anno, urna
mprada de casa sila no lugar do rarrombado ,
Welionte da que l< in lerrago e varanda de fer-
ro teniendo sala a diante e atraz, doisquar-
fOS co/Hiha lora esla casa pncusajalgum
icerlo mas >c:-;i o aluguel mais (onirnodo
( ,/t..i(io <>s concebios a svia cusa ; quem a pre-
!L,'drrdiii|a-sea i-,.. Ij Crespo D. la ou
rm S. Aona 'le ,em mwo nV0'
>, Fufisa-se de nina anid para casa de
.milia ; atr.zd.iMalrudeS. Anlonio
j) (in - .\higa-cduas tasas terreas com com-
modos pira grande lamilla no sil.o caue.ro:
,em a, preicndei dirija-se a Fram.seo Ri-
}eiro de Br:t .
lovclias
,<....
Li e i I a o
tW C)ue por olerreofio do crrete* S Da-
niels pretende lazer Silva & Mllaca no sen
armazem na ra nova L>. ?4 boje pelas 10
horas da munha dos trastes escravos e &c.
annunciados honlem e juntamente algumas
joias de oiro e piala de bom goslo.
C o 111 o 1? a s
SSr* O Commandaute do ^orpo de Polica
compra cavallos novos. grandes c gordos pa-
ra o esquadro de primen a liuha e compu-
nhia decavallaria do mesmo corm ; quem os
tiver dirija-se a secretaria respectiva das g ho-
ras do dia as duas da tarde
tar l m casal de caes de filia verdadeiro ;
na na Direita podara I). 3 5.
Uv' Pas portas vtlbas com a largura de 6
yn 1111 n 11 i m g
do Vigario n. (>.
y Meios 1 ilhetes da Matriz da Boa vista ;
na ruadoCabuglojade relojoeiro junto do
Sr. Bandira.
lay iV.eios bilhetes da Loleria da Boa visla,
a 38oo ; as 5 pontas I) 9.
OT- Tres propriedades sendo urna na ra
.\ Alegra bstanle grande moderna as-
soalbada com solao e trepeira com varanda
de Ierro e com cano para desagoar as goas
do quintal pan a ra 5 oulra no cortume dos
Coelbosjunloa olaria'do Sr Miguel L'arneiro,
feta a moderna com soto o trepeira ollo
dobrados com grande quintal que vai at a
camhoa e com terreno ao lado para se edificar
oulra grande casa ; eoutra na sol idade junto
do sobrado do viuva do Martins tend um
grande quintal com algnns arvoredos de fru-
clo cacimba com terreno a murado na freu-
le que se pode edificar a grandes casas ; a
tratar na rus de 8% Gonsalo p. 11.
com urna frula grande na cabera mas ja es-.
t < c nao tem cabellos no lugar da l'erida ,
beicos meios cahidos para haixo ps a herios
fiara* 88 bandas, e grandes alio mullo ma-
nco levou calsa e camisa de algodo e re-
mendada ; quem o pegar leve ao becoda fin-
receber fc'o 000 de graliicacao.
itit'vimento do Porto
NAVIOS SABIDOS NO DIA a.
PORTO ; Brigue Porluguez Ventura Feliz ,
M. Anlonio Francisco dos Sanios, carga g-
neros do ''ai* ; passageiros doi portugne/es.
SANTOS ; Brigue escuna Nac. Dclihcracao,
M.Jos Luciano Dourado carga sal e va-
res gneros ; passageiro urna escrava.
Rl GRAN E i O .\OR I E ; Sumaca Nac.
Temeridade M. Jacintho da Rocha Silva
Jnior em lastro ; passageiros trez hia-
zileiros.
REC1FE NA TYP. DE M. F. DE F. i83p>
ILEGIVEL


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID ES0WJ02Q1_BZ5QK0 INGEST_TIME 2013-03-29T18:09:32Z PACKAGE AA00011611_03912
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES