Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:03911


This item is only available as the following downloads:


Full Text

Anno de 1839. Qarta Feiba
Tudo agora depende de ros mentios; d nossa prudencia, modera*
Cao, e energa : continuemos como principiamos e seremos apontados
com admiraco entre as IS'aces mas cultas.
Proclamnc&o da Assembha Cera/ do Brattl.
----------------- i 8 8 .....
Subjcreve-se para esta folha a 3ooo por qusrtel pagos adiantados
nesia Typografia, ra das Cruzcs D. 5, enaPracada Judependencia
D. 37 e 38, onde se recebem correspondenciaslegalisadas, eannuucios;
insirindo-se estes giatis, sendo dos proprios assignanles, e vindos assig- *
Vados.
Partidas dos Correios Terrestres.
Cidade da Parahiha e Villas de sua pretenco...................\
Dita do T.io Grande do Norte, e Villas dem...................> Segundas e Sextas Feiras.
Dita da Fortaleza e Villas dem.........................\
Villa Cidade d- Olinda................. ..............Todos os dias.
Villa deS. AntSo.................................Quintas le iras.
Dita deGaranhuns e Povoaco do Bonito.........'............Dias lo, e ai de cada mex i
I) tasdo Cabo, Sarinhaem. "Rio Formlo, e Porto Calvo. ..........dem i n, e ai dito dito.
Cidade das Alagoas, e Villade Macei..........'...............dem dem -
Villa de Paja de Flores.................................dem 13, dito dito.
Todos os Correios partem ao meio dia.
2 de OurtiBRO. Numero 2U
CAMBIOS
Setemho. 5o.
Londres......36 por tfooo ced uominal.
Lisboa....... So por o/o premio, por mcialoaefMido,
Franca.......3oo reis por franco non),
hio de Janeiro ao par. *
OGRO Moedas de 6f4oo rs., Velhas i<#ooo a tifio*
Ditas Novas i .1*800 a ttfooo
Ditas de ifooa rs., 8|ooo a B[?oo
PKATA Pataces Braxileiros.......ij46o a I J|Rtf
#, Pezos Columnarios ---.------ tftSo a l/flSo
flitosMexicanos ---*.*.- i^fo a i#40o
Premios das Letras, por mex I i/8 a 1 isa. por loo
Moeda de cobre 4 por 100. dt disc
Dias da Semana.
3o Segunda S. Jernimo Dout. ----------- Sesso da Tbex. e Aud. doJ. de D. da o. v. d m
i Terca--- S. Verissimo M. -------- Heladio, e Aud. doJ.de D. da i. vara de manta
i On.'rta-------Os Aujosda Guarda.- ------ Audiencia do J. de D. da a. v. de manh.
3 Quinta-------S. Candido M.--------- ^ ----- Re essSo da Thex. e aud. do J. de D. da a. f,
4 Sexta----------S. Francisco de Assis PatrUca. Sesso da Thex e aud. do J. de D. da 1. vara.
5 Sabbado S. P acido e seos Corap. Mm. Hel. e aud. do J. de D. da 3. vara.
6 Domingo O SS. Rosario de Jf. S. -"- *
Alare chela para o dia a de Oulubro.
As i bras e l8 minutos da tarde As i hofas e < minutos da manha.
RIO DE JANEIRO.
ASSEMBLEA GERAL LEGISLATIVA.
CMARA DOS DEPUTADOS.
Sesso em a 3 de Agosto.
Presidencia do Snr. Aiaujo Vianna.
As 10 horas damanh faz-se a chamada ,
e logo que se rene numero legal de Snis. da-
putados abre-se a sesso, le-se e approva-
se a acta da antecedente.
O Snr. primeiro secretario d conta do ex-
dediente lendo es seguintes officios
Do ministro da fazenda partee!pando que
tudo quanto poderla informar em particular a
respeito dos empregados da tesouria da pro-
vincia de S r'aulo elles bem o expendem no
seo" requerimento que o ministro devolve
esta cmara provado com a tabella junta e
com o faci notorio da alleraco que tem tido
as circunstancias depois do eslabelecimento de
seos ordenados. I.imta-se por isso o ministro
a ponderar somente que no caso de merecerem
attenco os supplicantes dejustia fazer
o defirimenlo extensivo a todos os emprega-
dos de todas as tesourarias. A terceira com-
misso de fazenda que pedio as itiforma-
ccs.
Do mesmo ministro remettendo todos os do-
cumentos e mais papis que acompanho
o ofticio da conladoria geral da revisad da-
tada de a a do corrente com o que satisfaz ao
requisitado por esta cmara. A' commisso
do orcamento e,a terceira de fasenda
Do mesmo ministro, enviando a informa-
co da contadoria g a i do corrente por onde se v que o produc-
to do imposto d agurdente despachada pa-
ra comsumo no municipio da corte foi de
70506 Uoo reis no anno financeiro de '8>7
a 18 8, e deb7;84;U6io reis no de i838 a
lS3> ".'''/
A quem fez a requisico.
Do ministro da juslica participando que
tendo-se procedido a exame sobre as ordens
espedidas pelo secretaria d estado dos negocios
da 1 ustica ao presidente da provincia do Pa-
ra nenhuma apparece em que se lhe declaras-
se, que a lei de suspenco de garantas s
teria lugar depois de terminada a lula com
os facciosos. A' quem fez a requisico.
Do ministro do imperio remetiendo a copia
do decreto do 1. do corrente peloqual se con-
cede ao tenenle coronel reformado de arli-
it-i i m: pi ui'';; !:::!:;:, Amaro francisco de
Moma, a tenca amiual d roL'ooo reis. A'
commisso de pensos e ordenados.
Do mesmo ministro acompanhando um of-
icio do director da academia de bellas artes
datado de 19 do corrente, afim de que sen-
do apresentado acamara dos Snrs deputados
possa esta resolver a respeito do olTerecimen-
toque lbe faz a dita academia de um busto
de S. M. o Imperador obra esta que foi
executada pelo lente de gravura de medalhas.
A ollera recebido com agrado.
Julga-se bjeclo de deliberaco, e vae a im-
primir o projecto da commisso de penscs
e ordenados, que approva a penso annual de
00U reis conlerida por decreto deildeju-
lho de Hq ao major Solidonio Jos Anto-
nio Pereira do Lago, em plena remunera-
do dos serviros por elle prestados a causa
da integridadedo imperio na provincia da Ba-
bia, onde Tora gravemente fendo em com-
bate. ,
Le se e approYa-se um requenmento da
commisso do ornamento da fazenda pe-
dindo informaces ao governo sobre a pre-
lenro do parocho e juiz de paz da fregue-
sia do Cabo Verde no municipio de Jacuhy.
Le-se, e fica addiado, por se pedir a pala-
vra o parecer da commisso do orf amento daJ
fazenda sobie aduvida do administrador da re-
celiedoria do municipio.da corte a respeito
dos direitos designados por marcos de pra-
la, jnlgando a commisso que nao procede a
dunda.
Sao apoiados os seguintes reqticrimentos :
Requeiro que se peco informa oes ao go-
to de 18^9. A. P. Limpo de Abreo. J.
vi. de Brito F de S. Marlins, vencido so-
mente quanto ;is reduces do ministerio dos
negocios estrangeiros.
Snr. Moura Magallfes declara que tem
de oflefecer algumasconsideracscmara re-
lativamente consignadlo para a repartico
dos negocios estrangeiros Tal vez que fosse
mais conveniente diz o orador que o cor-
po legislativo cerceasse inleiramente a consi-
gnadlo para despezas do ministro dos negocios
estrangeiros. (Apoiado ) Qual a nullidade
que se tem tirado d'esta reparlico ? Quaes sao
as vantagens que se tem colhido da diploma-
verno acerca da conveniencia, ou desconve-
niencia do almoxarie existente na cidade cia ? Cr tpie ncnliurnas. (Apoiados.) Ha
das Alagoas. Em 32 de agosto de i83g -Dan- de pois votar pela reduco proposla pela com-
as. I misso e votara' mesmo por outras quaes-
Que se peco informagoes ao governo so- quer reducSesque appare o sobre o corpodi-
bre a conveniencia, ou desconveniencia dos plomatico. lVIostra que todas as questes me
almoxarifados das cidades de S Paulo e Uvadas por esta repartico, ou,esto penden-
Santos. Andrada Machado. tes ou o negocio se resol ve contra o gover-
O Snr Montezuma com consentimiento da no brasileiro, como aconteceo com a questo
cmara retira o seo requerimeuto emquepe- da Santa Se. (Apoiados). Se nao pergonta
dia a publicaco da acta da sesso secreta, que emane estado est a questo do governo braj-
teve lugar em 1837, quando elle deputado sileiro com o governo ingle/, acercada ron-
era ministro dos negocios estrangeiros.
Primeira parte da ordem do dia.
Leitura de projeclos, e indicacoes
servatoria inp.leza cuja existencia contra-
ria ,s nossas leis. em que estado est a questo
doOyapok, que anda continua a ser oc-
Julga-se objecto de deliberaco, e vae a im- cupado por forcas estrangeiras ? Daqui ja se
primir o seguinte projecto. v a necessidade que ha de reduzir a quota
A assemblea geral legislativa resol ve : destinada para esta repartico, mesmo para
Artigo nico. Compete ao promotor publico se nao deixar ao governo o arbitrio de nome-
aecusar no crime de furto, nao havendo parle ar ministros plenipotenciarios, eemlaixadp-
aecuzadora. Salva a redaeco Joaquim res extraordinarios para lugares onde nao sao
Nunes Machado. precisos. Que necessidade achou o Snr. mi-
Segunda parle da ordem do da. ntstro dos negocios estrangeiros de noroear
EletcesdeSergipe. um enviado extraordinario para Bue-
OSnr Ottoni como membro da commisso nos-Aires? O nolire ministro bem poda pre-
especial defiende o parecer, e responde' as oh- ver que a nomeaco de um enviado exlraordt-
servacesdo Snr. primeiro secretario Marceli- nario para Buenos-Aires, era nascircunstan-
no de Brito. cas extraordinarias em que nos adiamos um
O Snr. Pacreco tem a palavra sobre a ma- pouco impoltica 5 pqisqueo go\erno^ brasi-
teria, e deffende-se das arguices, que se lhe leiro poder a mostrar com esta nomeaco sim-
fizera# pathias por aqneHe outro governo ; e isto po-
Adscusso fica addiada para se passar aou- deria originar algum ciume para com o go-
tro objecto da ordem do dia. verno Irancez, e retardar com esta forma a so-
Acliando-se na sala immediata o Snr. mi- luco da questo sobre o yapok. Em apoo
nstro e secretario de estado dos negocios es- desle seo juizo mostra segundo a experien-
trangeiros, recebido com as forma idades do cia. que a diplomacia janea rao de lodos os
estilo e oceupa o competente lugar. meios da mais mesquinha intriga, para o
Terceira parle da ordem do dia.
Discusso do Orcamento.
Entra em discusso o seguinte :
fim de fazer prevalecer a sua opinio. De-
clara que a verdadeira poltica do Brazil a
respeito dos Estados Americanos e outras na-
(Repartco dos negocios estrangeiros). 'ces, deve ser urna perfeita neutraltdade: que
O ministro e secretario de estado dos neg- nao nos devemos mtromeler com os nege-
rin iranreiros aulorisadn para despender eios de oulras Naces. Desejava portanto que
com osobjectos designados nos 'seguinies pa- em Buenos-Aires eoutras possessoes Ame-
rapraphos'aquantia dea57 346000 reis a ricanas houvessem so agentes consulares
sajjer Demonstra o orador queda nossa diploma-
1. Secretaria de estado .... a8:348}oo cia resulta algtim desar contra a naco brasi-
2. Commisses mixtas na corte 8:9b6Uooo leira : tal 6 o que acaba de suceder rom o
3. Dita em Serra Lea ao par procedimento do Snr ministro acerca do fa-
de 34 i5. .*...... 6718U700 co arespeilo dos caixeiros das casas de com-
4. Lepa oes e consulados, a- mercio inglezes ; em que o Snr. ministro at-
tendendo notas do encarregado de nego-
cios de S M. Britnica mandou sobrestar na
execusso de um artigo da lei do orcamento.
qui esto Sr. presidente, os papis que lion-
lem viero casa. O orador depois de exami-
cop:a do
e des-
judas de cusi ,
arquivo portuguez
pezas imprevistas ao par
dito...........713:31911500
Sao apoiadas as seguintes emendas da com-
misso.
Ao artigo 4--Em lugar de a57;346Uooo
reis diga-se 34/; ^oDooo reis.
Os J., e ). substitua-se pelo seguinte.
Cgm as commisses mixtas da Serra da Le-
a legaces consulados, ajudas de custo
copia do archivo portuguez e despezas im-
previstas ao par de ai5 i5 aio;o3ioo reis
Paco da cmara dos deputados, aa de agos-
nar a nota do encarregado de negocios de In-
glaterra, depois de examinar o officiodo Snr.
ministro dos negocios eslrangeiros,mostra queo
resultado de toda esta questo foi o Sr. ministro
mandar a seu arbitrio sustar aexecusso da lei.
Notando a expresses deque o Snr. ministro
dos negocios estrangeiros se serve em seo of-
ficio que sao as seguinies s at que esta di-
Gculdade se possa appUnar pelos meios com-
pttentes pegunta quaes sao esses meios
rompettentes ?.. Partecipou o nobre ministro
essasdifnculdades ao corpo legislativo, para
poder resolver a respeito ? Se o nobre ministro
achava que a disposico da lei ia de encontr
ao tratado era do seU rigoroso dever parteci-
pal-o ao corp legislativo. (Apoiados). Mas
semelliante disposico nao tem nada que v
de encontr ao tratado. O orador depois de
ter lido o artigo ao do tratado com a Ingla-
terra continua disendo que para a disposico
da lei ser contraria ao tratado era necessario
que elle fosse privativamente a respeito dos
inglezes; porem ella genrica e compre-
de at as casas de comrtiercio brasileiras : logo
o artigo /O do tratado nao tem fundamento al-
gum que possa ser applicavel ao caso em
questo. O orador passa a ler o artigo 10 do
mesmo tratatado, e a demonstrar que tambem
nao pode ser applicavel ; e nota que as casas
brasileiras tambem pago este imposto ; e que
estes dous arligos do tratado sao miseravel-
mente invocados L a resposta que deo o
Snr. Calmon quando ministro e rende-lhe os-
maior's Ibuvores ; c continua. Depois d'esta
resposta deduzida da verdade, e da literal in-
telligencia do artigo 90, e do artigo 10 do
tratado pode-se fazer este dilema : de duas
urna 011 o Snr. ministro dos negocios es-
trangeiros nao entende a lei, ou a nao quer
executar, em vista do tratado combinado coro,
a disposico Ha lei do orcamento.
O orador l<* tambem a nota do encarregado
de negocios da Inglaterra extranha sobre ma-
neira as expresses com'que essediplomata at-*
taca o corpo legislativo ; e que um semelhante
pocedimento faz irrilar Observa que re-
volvendcse a istorla dos nossos ministros des-
de o tempo de I). Pedro at agora nao se en
contra nenhum facto lo miseravel como este.
(Apoiados). noseapresenta nenhum quete-
nha semelhanca com este facto. ola que o
governo nao poder proprio para sobrestar na
execuco de urna lei; e se havio duvidas so-
bre a sua execuco devia propoUas ao corpo le-
gislativo para as resolver. Mostra que o pri-
meiro dever de um governo ter dema-
siado amor pelo seo paiz. (Apoiados). E*.
preciso que diga ao nobre ministro dos ne-
gocios estrangeiros, que nao se deve levar do
misquinhas comtemplaces que deve fuiet
cumprira-lei da maneira porque ella foi feita
pelo corpo legislativo. Estranha que o nobre
ministro tenna feito consistir toda a sua po-
ltica no interesse das individualidades e nao
no interresse do paiz como lbe competa }
ponanio elle orador ; de votar por *ods s re-
duces que se faca Pede ao nobre ministro,
que faca por em execuco o art da lei do orca-
mento ; porque se os francezes os porlugue-
zes o os brasileiras pago esse imposto, nao
justo que fiquem isentos d'elle os inglezes. (A-
poiados.) Conciue fazendo oulras interpella-
ces ao nobre ministro.
E'npoiada a seguinte emenda do Snr Mara
do Amaral.
Ao art 4 Em lugar de *5;:346,ooo rs.'
diga-se "90:000,000 rs. a saber
" Secretaria de estado
a. Commisses mixlas na corte
" 3. Dita na Serra Lea a par
43 i,5
M 4* Legaces consulados ,
e ajudas de cusi
Copia do arquivo portuguez
8966,00o
6:718,700
i39:466,5oa
o os negocios eslrangeiro
agradece ao nobre deputado de lhe dar esta
occasio do poder justificar do que fora arg -


^
do. Quanto ao primeiro facto islo de ter
mandado suspender a execucao da le relati-
vamente ao imposto sobre os caixeiros mos-
tra que este facto nao teve principio no tempe-
da sua administraco ja o achara quando en-
trou para o ministerio ; rr.ostra que este nego-
cio tem merecido teda a sua attenco ; que se
trata de chamar a urna conciliaco a parte
desdente ; e espera que a lei ha de ter exe-
cueo. Quanto ao calor com que fallou o no-
bre deputado o poe de parte.
O Snr Marinho.Calor do nacionalismo.
O Snr. Ministro dos negocios estrangeiros
responde a outras interpellacoes.
O Snr. Moura Magalbes responde ao Snr.
ministro insistindo na opinio em que est ,
que era de sua rigorosa obrigav-5o cumprir a
lei, e depois representar ao corpo legislativo
-as duvidas que se lh ofierecio para este
resolver como intendesse justo. 'or estaoe-
casio extranha a proposico ayancada por um
nobre senador de qne a cmara dos deputa-
dos incita o povo revolta .. Nao a c-
mara dos deputados a que incita ao povo
revolta. ( numerosos apoiados. )
O Snr. Nuncs Machado concorda com a o-
pinio do nobre deprtado pela Baha seo di-
gno mestre, e alla com bastante calor n'esta
materia extranhando o procedimento do Snr.
ministro dos negocios estrangeiros; mastra que
nao pode deixar de fallar com aquelle calor
com que deve fallar um cidado brasileiro na
cauza do seo paiz. Diz que havia de approvar
urna emenda que supprimissem todas as des-
pezas para a repartico de que se trata. Mos-
tra q' o nobre ministro dos negocios estrangei-
ros ja resolveo a questo. J resalveo a ques-
to quando diz em seo ofhcio que lhe pare-
cem fundas as allegaces do encarregado de
negocios de Inglaterra .. .
O Snr Andrada Machado tambera extra-
nha o procedimento do Snr. ministro.
Fallo mais sobre a materia os Srs. Mara do
Amaral, e Maciel Mouteiro protestando que
se eslivesse no ministerio tena repellido es-
sa pertenco do encarregado de negocios de
Inglaterra, como menos justa.
A dicusso fica adiada pela hora.
O Snr. ministro retira-se com a mesma for-
malidade com que entrou.
O Snr. presidente da para ordem do dia
de segunda feira a mesma materia dala para
ho|e e levanta a sesso pelas 3 horas e meia
da larde.
tancarespondendo-rllic qrte quando se coll*
cluir o fabrico do mesmo Brigue ser expe-
dida ordem ao Commandante das Armas a fim
de remetter para seo bordo as sete pracas, que
requisita.
Dito-A Cmara Municipal de Garanhuns ,
significando-lhe que constando do ofhcio do
Juiz do Civel daquella Comarca e da informa-
cao da mesma Cmara de a do crrente que
a Freguezia de Agoas Bellas seacha sem Ju-
iz de Paz ; lhe ordena, que apenas receber
este officio haja de chamar 'o Suplente a
quem competir na forma do art. 11 da Lei
Provincial n. i3 de <4 de Abril de i836 a
fim de servir dito Lugar de Juiz de Paz em
quanto estiver auzente o respectivo proprie-
tario.
ANNUNCIO
O Exm. Sr. Commandante das Armas man-
da fazer publico que a quantia de Ja Utoo procedente
reis que pelo Snr. Prefeito da Comarca foi
posta a sua desposiclo em i3 de l'ezembro
de 1818 para ser dividida pelas familias das
Pracas de Pret, falecidas no mesmo anuo na
lula da Bahia foi nesta data difinitivamerite
destribuida pela menor Candida filha do
Cabo d'Esquadra d'Aljilheria Manoel Pedro
Correia ; por Anna Joaquina do Espirito
Santo Mai do Sargento de Cacadores Joz
Na appeUacio Civel do Juizo de Direito
da Cidade do Natal em que he appel-
lante Antonio Nogueira por seo Curador e
appellado Francisco Xavier da Lu EscrivSo
Hebello : se julgou que nao tomavo conhe-
cimento da appellaco.
Os Embargos de Antonio Jernimo Lopes
Vianna oppostos ao Accordo contra elle pre-
ferido na Cauza de appellaco Civil EscrivSo
Chaves em que lhe he parte Francisco de Pau-
la Lopes. Vianna*, foro reeebidas e julgadas
provados reformado o Accorflo embargado ,
e a sentenVa.
Na appellaco Civel do Juizo de Direito de
Nazareth appellante Marianna Ferreira do
Espirito Santo e appellado Joaquim Joze
Espinla Escrivo Rebello ; se julgou pela
reforma da sentenca.
O Dia de apparecer de Antonio Fernandes
de Azevedo contra D. Joaqun? Maria Pereira
Vianna, Escrivo Ferreira j foi julgado im-
ALFANDEGA DAS FAZENDAS.
- A Pauta he a mesma do numero i83.
MEZA DO CONSULADO.
- A Pauta he a mesma do numero a 11.
Nos dias i5, 16, e 18 do prximo vin-
cisco pardo, pelo Sub-Prefeito d'Olinda
por estar alienado do juso, cujos preso*
tivero o competente destino
Rendimento da Meza da Recebedoria das
Rendas ieraes Internas no mez de Se-
tembro p. p.
a. Decima de mo morta 1:17711789
Taxa de 'ooo rs. por escravo aoUooo
dem de 1000 rs. dito 5aUooo
Matricula do Curso Junco a5U6oo
Cartas de Hachareis 4U000
Sel os de Herancas e Legados 7 aU 40 *
Direitos novos e velhos ai4U6.fo
Ditos de ChanceHaria hWijo
Dizima da dita 4U85g
Impostos de letras ajuizadas 6y^79 }
Ditos de Caixeiros Estrangeiros i:3roUooo
Ditos de tajas abertas 685U65o
Sello da papel 5i8Uy o
Siza dos bens de raiz 3:a 9U544
7:460^37
-Recebedoria 1. de Outubro de 1 tiig
O Administrador.
Antonio Ferreira Duarte Vellozo.
PROVINCIAS DO.LUL.
Recebemos folhas da corte at 5 do p p.
meft ; e de Minas at a3de Agosto ; e aellas
Gomes dOliveira e por Florinda Cosseiro da douro mez de Outubro tem de ir praca a
Trindade, Mai do Furriel to bem de Caca- reedilicaco da ponte do Anjo sobre o rio
dores Antonio Alves Cosseiro, nicas que Serinhaem oreada em reis 6:5:8Uoao. Os extrahimos as seguintes noticias.
se apresenlaro competentemente habilitadas I citantes devendo aprezentar assuasha-, Riode Janeiro-A Assemblea Geralcontinua-
na forma dosannuncios anteriores a semelhan- bilitaces, e dos seus Fiadores at ao pri- va nos seus trabalhos, e constava que
te respeilo publicados no Diario de Pernam- meiro dia de praca devero nelles compire- seria prorogada por mais um mez,
bnco tocando a cada tima das pessoas cima
referidas, a quantia de 107U100 reis.
Rocifei0 d'Outubrode i8lg.
Francisco Camello Pessoa de Lacerda.
Secretario Militar.
THEZOURARIA PROVINCIAL.
Tem sido
cer aomeiodiaa oWerecer os seus lances na objecto desses trabalhos desde a6d'Agosto at
Repartico das obras Publicas onde se acho 5 de Setembro na Cmara vitalicia algas
patentes os respectivos Orcamento Descrip- penses ; algas naturalizacoes ; tarcas de
cao e Cond9es para serem examina los em mar ; bazes para o contrato do cazamento da
qualquer dia til s horas do expediente. Ins- Princeza Imperial; discusso sobre a inter-
peceo das Obras Publicas 47 de Setembro pretraco do acto addjcional ; annullar-sea
de 1839. Moras Ancora. lei do Maranho que reuni em um sMa-
PERNAMBCO.
GOVERNO DA PROVINCIA.
EXPEDIENTE DO DIA 9.().
Officio-Ao Inspector da Thezouraria da
Fazenda significando-lhe que para a Presi-
dencia poder dar destino a Caza da Cadeia des-
ta Cidade sobre cuja venda represento!! em
seo officio de 16 de Outubro de 1837 decla-
rando que considera va a mesma caza predio
Nacional faz-se misler que remella os escla-
recimentos que concorrem para fundar urna
tal asser o.
Dito-Ao mesmo significando-lhe. que ten-
do e Cidado Joze Pedro Vellozo da Silveira
cedido a beneficio da amortisaco da divida
externa do Imperio todos os vencimenlos ,
que lhe competirem como CommanJante de
urna Forca de operaces na Guerra de Panel-
las e Membro da Assemblea Legislativa Pro-
vincial as duas ultimassesses ; e bem assim
qnaesquer outros vencimenlos, a que para o
futuro possa ter direito ; compre que la a
arrecadar a importancia dos ditos vencimen-
cimentos e darlhe o indicado destino de-
vendo partecipar a quantia em que el les mon-
ta rem.
Dito-Ao Inspector da Thezouraria das Ren-
das Provinciacs partecipando-lhe que ten-
do a Presidencia concedido a demisso que
pedir o Prefeilo da Comarca do Rio Formo-
*> Pedro Velho Barrete nomeo* wra osj!js
it lirao Racharel Formado Alvaro Barbalho
L'xoa Cavalcante.
Dito-Ao Cidado Pedro Velho Barreto, sig-
nificando-lhe que a Presidencia lhe oncede a
d.-missao do Cargo de Prefeito da Comarca do
:o Formozo q' pedio por officiode a do cor-
rente louvando-o pelos Ik>iis servicos que
prestou nesta importante commisso pelo ze-
!<, intelligencia e actividade com que de-
s nipenhou asiespeclivas funeces ; e pirle-
mdo-lhe que para o substituir foi nomeado
o !focharel Formada Alvaro Babalho Uxoa
l'. iva lea nte.
Dito-Ao Bacharel Formado Alvaro Barba-
llnUxoa Cavalcante, communicanio-llie a
Hi (lomeacab para Prefeilo da Comarca do
/;in Formozo e ordenindo-lhe que
111 ,-iar o devido juramento*
Dito-Ao Coinmaudaote do BrigueCoa
ESPEDIENTE DO DIA 10 DB SEtRMBRO.
Officio-Ao Exm Presidente, informando
com o Parecer Fiscal sobre o requerimento ,
quedevolve de Thom Pereira Lagos Ar-
PREFEITURA.
PARTE DO DIA 3o DE SETEMBRO.
gislrado os empregos de Juiz Municipal e de
Orfos : desdeo dia a6 at a9 houve sessso
secreta; eodia 5 tinha sido escolhido para a
reuniSo das Cmaras, a fim de tratar-se so-
bre a fixaco das forjas de trra quanto a o
Illm. e Exm. Snr.Partecipo a V. Ex*c. engajamento dos estrangeiros
rematante do imposto de ao por cento n'go- que foro prezos hontem minha ordem A Cmara electiva trabalhou desde 16
ardente do consumo deste Municipio e tivera hoje destino : Joze Maria d'Oliveira, d'Agosto at 5 de Setembro sobre as eleices
Dito-Ao Thezoureiro das Rendas Provinci- branco pelo Commissario de Polica do Re- deSergipe; fixaco das despezas do ministe-
aes transmitlindo por copia o officio do Exm. cife por estar em dezordem ; Joaquim Joz rio dos negocios estrangeiros -, penses de for-
1 residente de 9 do crrante pelo qual manda 8os Santos Vital, tamhem branco, pela 1 cas de trra ; sobre a Marnha sobre as elei-
fazer o pagamenlo dos empregados Provinciaes Patrulha do districto da Madre de Dos pe $5es de Senadores e Deputados Assemblea
at o fim de Junho doanno financeiro p.p em lo mesmo motivo; Joo Pereira de Carya- Legislativa, e membros da Assemblea Pro-
Notas para sua intelligencia e execucao. Iho, {ambem branco, pela 1 Patrulha vincial ; sobre a creaco d'a nova Provincia
Dito-Ao Contador da Thezouraria, com- das 5 Ponas por ter insultado a um Vigario no alto Amazonas com a denominadlo Pro-
municando-lheo conteudo no officio prece- Manoel, Dreto escravo de Manoel Antonio vincia do Rio Negro; e sobre o parecer da
dente Anna Maria, tambem preta e Maria Ma- commisso docommercioacerca das modifica-
fortaria-0 Inspector da Thezouraria das nola parda pela 1 Patrulha da Ribei- ces do contracto com a companhia de paque-
Rendas Provinciaes em soluco as duvidas ra o 1 por supol-o fgido e as duas tes de vapor : como melhor se ver das actas ,
proposlas pelo Senhor Thezoureiro lhe parle- ultimas por dezordem ; Pedro, tambem pre- que na forma do nosso costume houve-
cipa : quanto a 1., que ja se lhe remelteo por te, escravo de Faustino f'orto pela 1* rem de ser publicadas.
copia para sua intelligencia, a ordem do Exm Patrulha da ra Nova por estar fgido ; O Jornal do Commercio no seu n aob",
Presidenle datada de u do crrante a fim de q' 'oo de Dos Rarroso pardo Severino Joz nos depara um artigo digno da lico d um po-
os pagamentos atrazados e devidos at o fim de Domin^ues Joao Raimundo dos Santos, e vo livre e do theor segunte : ,, Tendo ha
Junho do anno financeiro p p se etTectuasse Antonio pretos, este escravo da Viuva Costa ,, j alguns mezes fallecido o porteiro da c-
todos em Notas,; quanto a a. queja requisi- & Comp. Fructuoso e Pedro tambem pre-
tou nesta data ao Inspector da The/ouraria da tos, este escravo de rsula Maria das Vir-
Provineia o dinheiro que he precizo para fa-' gens e aquelle de Maria Roza Francisco
ba
zer o pagamento das Obras Publicas e Cor-
no Policial que devem de ter lugar ama-
nha podendo por consequencia o Sr. The-
zoureiro derigir-se a mesma Thezouraria para
recel>el-o ; e finalmente q anlo ai que no
caso de se apresentar o crdito atrazado de al-
guns individuos de huma classe nos mesmos
dias anuuuciados para o pagamento de oulra
classe deve de ser pago com preferencia e
euterrupeodos pagamentos annunciados poi
quanto a 1. regra de preferencia eslabelecida
na ordem de a de Agosto consiste na maior
antigiiidade e atrazamento das datas.
da i i.
Officio-Ao Inspector d'/llfandega remetten-
u iicluza a factura dos Livros que viero pa-
ra o uzo do Liceo desta Cidade a fim de man-
da-Ios entregar ao ''orteirodesla Thezouraria
pagando elle as despezas.
Diversas Keparricnens.
Joz Dias, e Joz Joaquim do Nacimento ,
tambem pretos todos pelo Sub-Prefeito da
Roa-vista ; o 1 por ser encontrado depois
das a horas da manh bastante ebrio e dei-
lado em urna calcada o a e 3
por
mar dos Srs. Deputados o ser hoje
( 5 de Setembro ) vendidos em hasta pu-
blica seus bens e entre elles um escravo ,
que elle'havia empregado no servico da
(Jamara U feliz inspiraco apoderou-
se hontem desse misero, e o leyou a pe-
cipilar-se a os ps do digno Presidente o
Sr Araujo Vianna, alguns momentos an-
serem igualmente encontrados s mesmas ho- ,, tes de comecar a sesso pedindo-lhe sua
ras, e se fazerem suspeitos o 4 o e5 |.,, liberdade. O Presidente commovidopor
por serem encontrados depois de 1 hora, e; esteaclo, abri a subscrip o, eaquan-
supol-os fgidos ,06o por lhe ser appre- ,, tia necessaria para essa obra de philantro-
hendida nessa mesma hora a porco de loica ,, piaachou-se immediatainente preenchida
TRIBUNAL DA RELLA^A.
SVSSA DO DIA I.* DE OUTUBRO.
Os Embargos de Joze '"amello ^essoa de
Albuquerque oppostos ao Accordo contra el-
le proferido na Cauza de appella o Civel do
Juizo de Direito da Villa de Goianna Es-
crivo Randeira em que lhe he parte o Doutor
Francisco de Paula < avalcante d'Albuquer-
qne, foro despresados mandaiulo-se cumprir
o Aecordio embargado.
que supoz ser furtada ,07o por lhe
ser apprehendida urna faca de ponta e o
8-S. por ser igualmente encontrado depois das
horas da manh e fazer-se suspeilo ; e
Thcmoleo Francisco preto pelo Sub-Pre-
ielo dos ATogados por ser dezerlor de Marn-
ha.
Nada mais consta das Parles hoje reeebidas
nesla Secretaria
Parte do dia .de Outubro.
Illm. Exm. Snr.Consta das Partes hoje
reeebidas que foro presos hontem minha
ordem os individuos seguintes : Joo Joz de
Santa Anna pardo pelo Sub-Prefeito de
Santo Antonio por ter-se armado de urna
faca de pona contra o seo Commissario de
Polica ; Luis vadiado branco pelo meo
ordenanca por estar affectado do cerebro ;
'danoel Lopes pardo por Bernardo Igna-
cio de Horla por lhe haver furtado urna
caita com roupa e dinheiro a qual foi
lepo'* apprehendida; Joz preto escravo
le Marlinha Gomes 'Vle Rraga pelo Sub-
PrelitQ da l'oa-vista requerimento de sua
Sen Lora por desobediencia e Antonio Fran-
S Paulo-No presidio de Guarapuava ,
destrictoda Villa de Castro, em a noite de
16 para -7 de Junho-, avancou contra a fre-
guezia de Belem um grupo de ladres com-
posto de gente de segunda classe de vadios ,
e aveniureiros ; dero duas descarga* com ar-
mas de fogo na guarda que se achava postada
no quarle da povoaco e nesta occasio d-
ro alguns brados de viva a repblica a
guarda vicse na preciso de repellio aquella
forca e desse choque proviero alguns feri-
mentos. O Commandante de Guarapuava ,
e o Juir de Paz promptamente acodiro e y
perseguindo-os podero prender ahguns, mor-
rendo tam somenle dous que seoppuzero
prizo. O principal distino desses bandidos
era malar as autthoridades e principaes ha-
bitan/es do districto e apossarem-se de suas
familias e bens.
Desgracada repblica que j mais palera
prosperar no Brazil onde os assassinos, e
os ladres para roubarem e malarem sem-
pre em seu nome que o fazem Tristissima
idea faria dessa qualidade de governo o que
de sua natureza quizesse julgar pelo carcter



i
DI A RIO
D E
P E,-R J A .M.kVU C O
dos republicanos, que hoje apparece.n no
Brazil. Mas sirva isto de lico a alguns Bra-
zileiros alias dotados de boas intencSes que
a fortori desejo plantar aarvore%m terreno,
3ue Ihe nao proprio. Que repblica to
Itrente daquella que nos pinta o pbilosopbo
de Genebra nao ser a nossa, onde os seus
membros ho de ser diabos em vez de aujos !
Minas Gosava de tranquilidades
Goyaz tambem eslava em paz, e tinha
sido nomeado para seu Presidente o S. D.
Jos d Assis Mascarenhas, que la substituir
a o Sr Luiz Gonzaga de Carnario Fleury ,
cujas molestias assim cmo as ultimas occur-
rencias depois do assassinato do inspector da
Thesouraria Ihe nao permitlio coutinuar na
administrado da Provincia. "Constava que
o Doujor Manuel de Mello Franco tinha sido
nomeado pelo governo Imperial para analy-
saras agoas thermaes desta Provincia, e ob-
servar seus elTeitos sobre a molestia denomi-
nada elefantiasis.
Santa Callurina No dia 18 de Agosto te-
ve logar o acto da posse do general Andrea,
confiando todos os homens sensatos da Provin-
cia que por suaactividade firmeza", e ener-
ga ver-s-o livres do flagello da guerra ci-
vil e das cruentas garras, da rebeldia. Este
general foi adiaros habitantes da cidade pos-
suilos d'um (error pnico incomprehensivel.
IJizia-se, que a forja dos rebeldes era maior
de 800 homens commandados por David Ca-
navarro. J tinha marchado o tenente coro-
nel Fernandes para o morro dos Cava I los com
forca sumciente a defender aquella passagem ,
e as mais prximas marchavaS mais Coreas
para differentes pontos e estavaS fortificndo-
se as avenidas da cidade. Podemos j desean-
car sol)!''- a sor te daquella cidade, que de cer-
to o general Andrea j a teria adiado em po-
der dos inimigos se acaso ellos se nao tives-
sem ficado em Laguna cuidando de roubar o
que por l acharaS.
Como suppomos, que os nossos Leitores
folgaode ler detalladamente a narracao desses
dierentes successos abaixo copiamos don.*
19. do Diario do Rio urna carta particular so-
bre o parecer do couselho de invesligaco
por motivo da evacuaco da Laguna.
Parecer do Conselho de investigaco sobre a
evacuaco da Laguna. .
A' vista das informaeSes e exames a que
procedeo o conselho de investigado e que^
leve por su Hirientes para tirar inte ira do do fao
to da retirada das forras de linlia. e das de mar
que defendiaS o ponto militar da villa da La
guna, parece manifest ao conselho que no
dia ni de julho do corrente auno apparcccraS
torcas rebeldes na barra da mesma villa, no
lado do sul, que entraran em tiroteto com o
lanchan armado Lagunense e que se retira-
ras quando em soccorro d'este se aproximou a
escuna Itaparica ; que no dia a descerni o
rio Tubaro a cauhoneira Imperial Cathari-
nense fora atacada por forcas rebeldes no
ponto da crnica a urna legua da villa da
Laguna ; que se defender valerosamente e
que tendo gasto at o ultimo cartucho cau-
sando bastante estrago no inimigo o coinman-
dante Ihes (aneara fogo ; que tendo feito sinal
de soccorro esta canhoneira duranteaacpao Ihe
fora mandado esse fim: depois de alguma
hesitado o lancho Lagunense que mal
dirigido, rali i ra em poder doinimigo, que
as forcas rebeldes nao chegariaS a 600 homens;
que as imperiaes, contando as tripulamos dos
navios armados nao era inferiores a este nu-
mero ; que estas esta vaS intactas c animadas
do melhor espirito ; que ainda depois de per-
didas a Imperial Catnarinense e a Lagunense
resta vaS armadas a escuna Itaparica o brgue
escuna Cometa e a canhoneira Santa Anna ;
que tendo o commandante superior convocado
un conselho consultivo no dia 1* de julho s
duas horas da tarde e tendose concordado
nelle em que s se faria a retirada em caso ex-
tremo e quando se nao podesse continuara
resistencia prevenindo-se antes ao corpo do
commercio e familias para se porem em salvo e
seos effeilos sem ninguem ter sido prevenido ,
noin mesmo as autoridades o commandante
se retirou com as forcas de linha a seo mando e
eavallara ricgrandense s q para as 1 o ho-
ras da noile do mencionado dia .; que esta
retirada quando ainda se achava intactas as
for as legaes de terra,quando ainda avia na sua
retaguarda, em Villa Nova, as forcas de caval-
laria e infanlaria da guarda nacional ao man-
do do major Jos da Silva Ramos e em Maru-
hy o destacamento que comman lava o major
Luiz Lobo Bolelho de Lacerda; quando anda
restava tres embarcacSes armadas Je quando
nao havia forcas inimigas em posicio de pode-
rem cortar a retirada segundo o que unan-
povo com o mais vivo reconhecimento.
~- (Carta particular.) -
THEATRO PUBLICO.
A manh em beneficio de Zebedeo Cexar ,
se pora em scena o divertimento seguinte- l'e-
pois de executada a overtura Califa de Bagdad
seguir-se-ha a representaco da insigne peca,
que tanto agradou a Sociedade intitulada -
Os tres Viciosos no fim da qual cantar-se-ha
o Dueto-Os Pombinhos-; rematando todo
o Expectaeulo a graciosa farsa denominada -
A Castanheira.
todas estas forcas se achavaS ainda do outro barricadas nos pontos do Jos Mendes e do
lado da Iaga para o sul sem faserem prepara- Lessa moda das de Paris pondo-lhes guar-
tivos para o atravessarem ; julga o conselho nicSes e commandantes.
ter sido prematura que deo causa a perde- | Quera-tem commandado e ainda est cotn-
rem-se e acharem-se hoje em poder do ni- mandando no Morro dos Cavados o Mello ,
migo a villa e municipio da Laguna e amea- o bom Mello que gostoso se dedicou mas cuja
cacto o resto da provincia e a perderem-se e a- capacidade intellectual e torcas fsicas nao cor-
charem se do mesmo modo dois vasos de guer- respondem ao seo bom desejo e honrados sen-
ra algumas bocas de fogo muitos armamen- timentos. O Guerra tambem se tem prestado
tos, muni Ses de guerra pelrechos sida- gostoso, unido ao Neves que to calumnia-
dos doentes familias que pretendas retirar- do foi pelo presidente e que agora to vali-
se e etfeitos de particulares que talvea se po- sos servicos tem feito a bem da ordem reu-
dessem salvar se ou se fizesse a resistencia nindo os guardas nacionaes de S. Jos, e ani-
que ainda era possivel, ou se dessem para a mando e protegendo a ppulaco assustada do
retirada providencias que a tornassem menos seu municipio. GABINETE LITTERARIO.
desastrosa. Julga por tanto outro sim o Dir-lhe-hei agora o pouco que se sabe de Tendo a Assemblea do Gabinete Litterario
conselho que o tenente coronel Vicente Pai- alm do Massamb depois da vergonhosa fuga de Pernambuco em sessao de 16 de Selem bro-
to d'Olivera Villas Boas, que eslava encarre- do Villas Boas. Apenas esta foi sabida na' fixado a joia de entrada de seus Socios na
gado do commando militar da villa da Laguna, Laguna seguio-se um desalent geral e s quantia de a5,000 rs ; e a Meza de Direccao
e das forcas de trra destinadas sua defesa secuidouem fugir tambem, e grande parte do mesmo Gabinete em sessao de 19 do dito
responsavel pela retirada que fez no dia % de das familias se poz em marcha na direccao mez, fixado em 1,000 reis a conlribuico men-
julho do corrente anno, e pelas suas conse- desta ilha, desprovida de tudo e no estado sal conforme dispoem os 3. e. doart
quencias para por ella responder competen- o mais lastimoso. No dia ai, foi-se dizer aos l6 dos Estatutos 5 a Direccao manda fazer pu-
t emente, rebeldes do outro lado que j nao havia quem blicas estas resolucSes a fim de que os Snrs.
defendesse a villa e ento passraS cousa de Socios compareco em caza do Sur. Thezon-
No dia 14 de julho noite chegou aqui a aoo homens, etomraS conta da escuna ar- reiro Manoel Alves Guerra na ruado Vi-
fatal noticia a 37', estavaS postadas no Morro mada Itaparica, que, tendo encalhado nao gario 11.7, satisfazerem suas joias e contri-
dos Cavallos as tropas de linha retiradas da Pde sahir e l ficou prisioneiro o Ernesto, |buic5es do prezente trimestre a vencer no
Laguna (para mais de oo infantes e 70 e tan- e da lancha Santa Anna tambem armada e ultimo de Novembro vindouro.
tos cavalleros) offieaes e soldados estavaS e<- nde Villas Boas tinha feito embarcar urna pe-
asperados, corridos de pejo lastimando o de- ca de campanha ; igualmente tomaran conta
ver da obediencia ; e a ppulaco exaltada ao de grande quantidade de municSes de guerra ,
ultimo ponto contra o vil commandante. J no petrechos e prisonraS o segundo tenente
dia a6 urna partida de rebeldes de cavallaria Rosa, e soldados doentes que este offical m
tinha ehegado Garopaba e se ahi se nao um saveiro pretenda salvar com algumas mu-
demorara alean caria a desgranada tropa em nicSes. As embarcacSes mercantes em nume-
ro de treze (dizem) tambem foraS presa do ini-
me faria destrono
que lana destrono porque quem foge an-
da que obrigadoseja, nao resiste ; em 37 oe-
cupraSos rebeldes a margem direila do v'as-
samb e ahi se embarca com cinco compa-
oheiros o estouvado Marcelino e apresenta-
se em S. Jos na manha de a*), proclamando
a repblica e toreando a seguil-o os que en-
conlrava asseverando que opasso do Morro
dos Cavallos havia sido toreado e derrotada a
Luiz da Costa Portocarreiro.
I* Secretario.
Avisos Diversos.
tT Precisa-se fallar ao Sr. Miguel Soarei
de Almeida natural de Albergara Velha ,
cujo Sr. veio para esta Provincia a 27 annos ;
migo, e urna sumaca do Bessa ricamente car- queira por tanto annuncar a sua moradia.
regada tendo podido sair a barra, e indo | O" Compra-se urna Grammatica portugue-
ter a Imbituba ali foi apresada. Os rebel- za (quando nao seja nova ainda em bom uzo)
des expedirs logo partidas sob a direego do de Jernimo Soares Barbosa ; annuncie.
tenente coronel Joaquim Teixeira Nunes que \ t^" O Sr. que annunciou querer fallar a
chegraSat Massumb e que passando por Sra. D. Joaquina Micaella de Castro Aciole ,
Villa Nova, e Garopaba, fizeraS retroceder dirija-se a ra da Penha D. treze terceiro
para Laguna tudo quanto vinha fgido. Elles andar, que se dir a sua residencia,
tropa que o defenda por urna columna de seis-'tem espalhado proclamacSes em que concita o K^ Quem precisar de cem mil reis a juros,
centos republicanos :Jque pelo Trombudo des- Pvo a. nir-se-lhes, declarando que nao vem dando ptnhores de prata ou ouro dirija-se a
cia outra de igual torga que elle contava en- conquistar, mas sim proteger ajudar osop- ra da Penha D. treze terceiro andar,
contra? j na villa. primidosa reaquistar seos direitos ; eeis-aqui| 9^> Quem annunciou querer sater are-
Sorpresas assim as autoridades e o povo, algumas amostras desta protecefo, e auxilio : sidencia de Joo Cordeiro de Mallos, dirija-
no oiisraS por as mo no temerario, que trouxeraSc'o carretas vazias tem-nas carre- se ao principio do atierro dos Attogados de-
por ali se conservou at que mandando-se gado e expedido e pagaS o importe do que fronle do sobrado novo do Sr Baptista, ou
Urna pequea forca de linha lodos cobrraS carregaS com' vales a pagar pela cmara da La- esta Typ. para- ser encaminhado ao que deseja
animo, correraS sobre elle ; mas pode esca- gnna. Joaquim Teixeira em Villa Nova affa-i C^" Alfuga-se um sitio na estrada do Mon-
embarcar em fugir, em capitular,; tocou- o mesmo ; mas ludo oque genle do paiz Ihe da da quina da Matriz '. 1.
se a rebate, tudo quanto se podia por em p f5e e o maior trabalho dos seos agarrar os1 C?" A Inga-sea toja da ten
acudi; contrS-se armados bem e mal 700 a qe seausenlaS : tem tomado e feito passar da Aurora ,
Roo homens entrn cheear ente de (ora Para a Laguna todos os cavallos a pretexto um quarto cozmha lora quintal murado e
terceira casa da ra
feito passar da Aurora com duas salas duas alemas, e
entrn chegar gente de fora para a Laguna todos os cavallos a pretexto um quarto, cozmha l<
appareceo a Patagohia com 60 pracas entra- de os prem em seguranca ; mas para seo u- cacimda ; dita loja.
rao tres das embarca-.oes que no dia i haviaS 5 porque viraS mui mal montados ; a fa- I r> Aluga-se hum pnmeiro andar de hum
saidp para a Laguna com a tropa da Bahia e ze'ida deThomaz Jos da Cosa em Massam- sobrado quem opertender dirija-se a praci-
que, tendo ido a mhr-tuba e sahendo ai do h foi por elles inteiramente arruinada : to- nha do livramenln toja 1) %o.
par-se o pnmeiro
se os nimos. inda que a ppulaco da provincia estivesse SST Precisa-se alugar urna escrasa ora o
Um hiate comprado pelo Pardal, armado propensa a seguir a rebello que nao est, servico interno e externo1 de urna caza de pe-
em guerra que comboiava as oulras embarca- isto bastara para a fazer detestar Nao falta quena familia pagando-se-lhe trezentos e
cSesemqueia para a Laguna atropa da Ba- quem espere que os rebeldes evacuars a La- vinte res diarios, e o sustento ; a ra da
iia, alirando alguns tiros a urna partida re- guna, e a parte da provincia que oecupao Guia defronte do porto das canoas sobrado d
beld que appireceo em Ibituba nao pode re- logo que se tenbaS refeito do que necessitavaS, dois andares no pnmeiro andar,
sistir ao choque, abrio-se e submergio-se ; e que se desenganem que nao acha apoto no GT Quem tiver e quizer alugar hum
salvou-5e porem o Hayden que o commanda- paiz ; mas eu creio queso largars apresase preto ou preta para andar com hum tabo-
va e gente que nelle
temos adiado, de mui
de Souza que se encarregou
forcas navaes. As providencias que do presi- wtiwe entre dois fogos logo que a legalidade S3" Preciza-se de bum rapaz para caixeirj
dente se poderaS arrancar no meio da sua con- ganhe qualquer vantagem na campanha. de Armazem de assucar que de l.ador a sua
stante perplexidade e atarantaco foraS : man- O ponto da laguna de alta importancia pa- c
lavden que o commanda- paiz; mas eu creio que s largars apresase preto ou preta para andar com hum tbo-
a. Na crise em que nos a isso forem compellidos pela torca ; apesar de ieiro de fi.zenda com outra daiido-se-Ilie
nuito tem valido o Miguel que estando to longedasua base de opera-64o por dia a seca : procure no largo do 1er-
ncarrepou da direccao das cSes fcilmente podem ser cortados e ada- co toja de fazenda D. 8. # #
dar sair do porto da cidade para o ancoradou- ra a rebeldia ; ali tem um porto de mar pos- largo de Santa Cruz que dir quem perciza
ro da praia de fra as embarcacSes mercantes to qu mo porque anhelavaS ; tem estalei- VST Prec.sa-se alugar urna caza com l>on 1
a nm ae contentar os medroso 1 mservar um ros, constructores, adiaraS qa..lidadc de Remedos e hnm n...r!a!jno iermdo Aoga.!.-
posto de tropa de linha em S. Jos, a que se embarca Ses armadas e desarmadas, aeharaSla lem do vive
encostassem os guardas nacionaes d'este, e do com que armar outra j trouxera marinhei-
municipio de S. Miguel ; reforcar o ponto do ros em dois lancbSes qne saira pela barra do
Morro dos Cavallos e flanqueal-os com duas Tramandahi, e entrou um (perdendo-se o
embarcacSes armadas que ao mesmo lempo outro na costa com toda a genle) pela do ca-
frustrem qualquer tentativa sobre a ilha ; con- macho, parecendo urna e outra cousa incrivel;
servar sobre p as guardas nacionaes do Riliei- e com esles meios nao s poderS inquietar o
rao e eollocar no eslreito a Piraj e a Bella nosso commercio como que fazer jus a algum
Americana mandando a Patagonia cruzar na reconhecimento dos governos republicanos que
barra da Laguna. Os guardas nacionaes de in- nos ladeaS. Cumpre pois que o nosso governo
fantaria e de cavallaria da ilha excepto os do vele sobre isto ; qne nao poupe esfortos para
Ribeiro eslo aquarlellados na cidade Nao enxotar os rebeldes da provincia ; e para isto,
me parece poltico nem praticavel que isto du- alem das forcas de Ierra salta aos olhos a ne-
re ; de estar assim toda a guarda nacional em cessidade de for as de mar, e principalmente
armas resultar necessariamenle desgoslarem- de embarcagSes que demandem pouca agua ,
se e aborrecerem-se e nos morreremos de e que com todas as macis possaS entrar e sa-
fme ; mais praticavel e menos arriscado seria ir na Laguna e nos rios dentro e fra da
formar destacamentos que se revesassem e Iaga.
de esperar que isso faca o novo presidente. Es- Os promptos soccorros que o governo nos
memente affirmaS tr teslemunhas ; quando quecia-me dizer-lhe que o presidente levanlou. tem mandado lem sido recebidos poicsle bom
ro do Monis : quem a liver
anuncie.
E7- Precisa-se de hum Portugus que
entenda deorlalica para hum cilio porto di
pra a quem quizer anuncie. "
C7" Aluga-se urna das milhores cazas na
ra do Monteiro do lado da sombra com
cincoquartos j.cozinha fora quintal com poc
estribara para dous cvalos e rom porta
para o ro: a fallar com seu dono Joo r rau-
t seo dos Santos Siqueira na ra velha n 1
Boa-vislfi.
ST Offerece-se hum rapaz Brasileiro de
idade de 90 anuos para caixeiro de botiquim
ou venda do qne tem bastante pralica e d fi-
ador de sua conducta quem do seo prcsUmo
quiser utilisar dirija-se ao lugar dos Ar -
mhadoi de Olinda em casa de Vanoel Jo .
se
rom!
de
I)
Lima
6,
ou na ra Nova junto a Pont


f m .
DIARIO DE PERNAMBUCO
XST O Tbesoureiro da Irmandade de N. S.
do Tergo faz scicnte ao publico que nin-
mem se inecie por Irmo da mesma Irmanda-
de sem que recebad suas patentes rubricadas
pelo Thesoureiro, restricco esta imposta de
um termo que na mesma Irmandade de ao
de Fevereiro do correnle anno, em que faz de
nenhum etfeito logo que nao timba o quisilo
a cima que be Gdimares e endaguem que
esta rubrica seja legal porque algumas tem
acrecido falaucadas,
%ST Perdeo-se urna chave fornida, e de
regular tamanho desde a ponte de Ucha,
at a rita de S. Rita nova ; que a liver achado
poder entrega-la em a mesma ra casa terrea
I). 18 lado do nasceute que gratificar.
cy Arrenda-se um sitio para passar a fes-
ta com boa casa de pedra e cal envidrassa-
da abeira da estrada distante desta praga
urna legoa todo serrado com banho per lo ,
existientes arvores de fructo, alguma ortalica,
Iwstanles flores estribara segura para dois
ca val los 5 prometendo-se entregar a chave do
mesmo sitio, al o ultimo de Outubro e
podendo-o desfrutar at e fim de Abril do anno
vindouro e sendo agrade a quem nelle pas-
sar a fcsla se arrendar por'mais lempo ;
quem pretender dirija-se a rua deS. Rita
nova casa terrea D. 18 lado nascente.
XST O Sr. Ricardo Pinto de Almeida que
veio do Rio de Janeiro no mez de Abrd ;
qucira annunciar a sua morada.
fc^ Quem quiser alugar um armasem na
rua da senzala velha, dirija-se a padaria de
Joaquim Antonio de Vasconsellos, na mes-
ma rua D. 49 a
tzr- O Bacharel formado Joao Antonio de
Saboia avisa a quem convier, que se acba
advogando na rua do Queimado no primeiro
andar do sobrado em que mora o Snr. Alfaiate
Pimentel.
\3T Precisa-se de um moco nacional ou
estrangeiro para andar em companhia de um
prelo entregando pao no matto dando fiador
a sua conducta na rua Direila padaria de i
sobrados D. i5.
tu" Precisa-se alugar um negro dndo-
se sustento e al visluario conforme o ajus-
ti-, com a condicao de morar em asa ila pes-
sm que o prelente pelo lera\w que estiver
alugudo ; quem quiser fazer este negocio di-
ria-se ao assougue das 5 ponas a fallar com
O Capibaribe
j-y Quem quiser dar um a dois contos de
ris a juros de um e meio por cento ao mez ,
com hypolheca em um bom sitio perto desla
praga anhuncie.
\r^ Findos os dias da lei se arremata a casa
do fallecido Antonio Joao Feij na rua da
roda com dois andares esoto quintal com
estribara e terrasso sobre as coznhas fora ,
e muito fresca por ser ventilada por janellas
nos oiloens com muito boa vista e construi-
do de novo.
tsr Quem liver para alugar urna casa ter-
rea ou sobrado que ten ha bastante com-
modos dirija-se a rua Direila loja de cha-
peleiro D. 11.
tsr Arrenda-se o sitio Jacar pouco dis-
tante da Cruz de almas com boa casa de vi-
renda casa de fazer larinha com lodos os
pertences e urna cavallarice para oito caval-
os quarlo para feitor um grande pomar
de larangeiras e outras arvores todo ser-
cado d*ago e com boas baixas para capim ;
a tratar na rua do Crespo D n.
\e- Precisa-sede urna mulber forra Jou
captiva para todo o servico ; na n:a do Ran-
pel I). .10 ; assim como de urna ama de leite.
d O abaixo assignado faz sciente a quem
tiver em seu poder varias pecas de ouro e
diamantes por enipenho, venda ou bypo-
theca lei la por Luiz Ignacio Pessoa de Vello ,
procure ao annuncianle na quina da pracinha
do Livramento loja D. i, que receber o im-
orle, oa valor do empenho ou vendas das
referidas pegas : visto que as mesmas muilo
se acho hypothecadas ao annuncianle para
segurancade maior quantia, que lhe de-
redor o dito Mello, como consta da escriptura
de hypolheca as notas do esorivo Ferreira,
no que o nao fazendo no termo de trez dias ,
ie vero em circunstancias de perder todo o
dinheiro que por qualquer modo dero ao
dito Mello ; cujas pegas sao as seguintes j um
oraco de diamantes um dito de ouro ,
orna Cnu de oiro urna moeda urna gar-
antilha de filagr transada em aneis um
cordo de relogio um ancl de diamantes
rrandes, trez anele* de oiro trez ditos cer-
cados de diamanies fc urna pulceira de oiro e
um anelo pequeo e mais algumas pecas ,
qe por enjuanto se ignora. Joao Carlos Pe-
dir de Burgos Ponce de Lcon.
tCT Xo tio de Janeiro na rua do Roa-
vio n. 53 existe um deposito de chocolata .
Cnd se achu urna grande .orUraen lo de todas
as qualidades orno amargo para.o peito
( chamado na Europa de Santa) superfino,
uzuoal, amargo de musgo; pastilhas do mes-
mo e paslilha finas tanto a libras com em
porces.
chocolate de musgo he procurado por
toda a europa e pelos primeiro mdicos da
corte e do Imperio do- Brasil ( aonde o seu
authoro tem introduzido por mais de vinte
annos ) tem a virlude de dar tom ao estamago,
tira o fastio conserva a gengjvas e o bom
lito, mata as lombrigas a experiencia mos-
trou o seu bom feito as enancas e as pes-
soas de maior idade ; tambera he aplicado a
os tsicos ;* n'esta corle e na Babia tem tuto
a aprovasao das pessoas que d'elle tem ftito
uzo, e para que nao baja falcficaso leva
a rubrica de seu aulhor Ignacio Gonsalves de
Castro j as pessoas que nao quiserem tomar em
bebida, este excellente chocolate o achara
em pastilhas para.mastigar em jejum, e nos
entervallos da comida. Junto ao mesmo cho-
colate vai a receilaque explica a maneira co-
mo se deve tomar conlorme as idades | e
tambem existe a venda o excellente chocolate
chamadom Franca de Marquis a 14.J0 rs. a
libra, na rua da cadeia n. i. "
8^> Os Srs. amadores de selins elsticos
estufados e mui commodos para montara ,
dirija-se a loja franceza de A. Saint-Martn.
y O accionista das ciutellas correspon-
dentes as tres loteras avisa ao publico que as
rodas da Lotera da Boa vista correm imprete-
rivelmente no da 7 de Outubro conforme
annunciou o Sr. Thesoureiro po& isso avisa
a os apaixonados deste jogo eoncorro a com-
pra das cautellas da mesma Lotera as t> pon-
tas D. 9.
"Avisos Martimos.
PARA OMARANHAO' segu viagem com
toda brevidade o Brigue I rasileir oMarquezde
I ombal do qual be Capilo e pratico Fer-
nando Jos de Almeida ; para carga ou pas-
saeiros trata-se com o mesmo Capilo ou
no escriplorio de Jos Ramos de Oliveira na
rua da Cruz.
IjC i 1 o
t3" Que fazem Jorge Deane & Companhia,
por inlervenco do Corrector Oliveira de
um completo sortimento de fazendas Inglezas ,
qurla 'eira-j de Outuluo pelas 10 horas da
manb. no seu armazem da rua da Alfande-
ga velba.
Jty Que, por intervenco do corretor S
Daniels pertendem fazer Silva & \ iliaca no
seu armazem na rua nova I) i$ na Quinta
I feira trez do crrente de varios objectos,
sendo um requissimo lustro de cristal com 8
lanternas proprio para alguma sociedade ou
casa particular urna requissima cadena de
rua para senbora com os competentes far-
damentos ecaixa um palanquim em meio
uzoderebugo urna pono de vidro lapidado
consistindo em garrafas compoteiras copos
para agoa e vinho 3 candieiros para cima de
mesa sendo dois de vidro e um de bronze,
duas collecoens de ricos quadroscom rica mul-
dura, duas pinturas magnificas de oleo com
relogios e msica, 2 relogios de cima de mesa
sendo um muilo rico e outro mais ordinario .
um modelo de embarcaco de vidro urna rica
figura de pedra representando o desengao
do mundo urna carteirade viagem com todos
os pertences e estojo para barba um apare-
1110 azul para mesa um dito muito rico para
cha com 70 cazaes de pires doirados urna
porco de jarros para flores um pianno in-
glez escravos sendo duas negras e um ne-
gro que a vista dos pretendenles se patentear
as suas babel idades um rico jogo de espelbos
doirados tambem algumas .mesas Luncas ,
cadeiras cmodas camas e muitos outros
artigos.
C 0 111 p r a s
tsw Um moinho de rellar milho com to-
dos osseus utencilios e anda com falla de
alguns ; nesla Typografia se dir.
ts*~ Urna porode pennas para enchimen-
to de colxo ; quem tiver annuncie.
$ST L'ma correnle de oiro que nao seja
muilo grossa ; quem tiver annuncie.
Vendas
C3~ Meios bilhetes da Loteria da Boa vista j
na rua nova loja de ferragemD. 10.
ssy Um moleque de bonita figura de idade
de 15 annos de naco angola urna mole-
r de 15 annos cose bem engomma liso, co-
zinha e recolhida urna escrava de -o an-
nos de agradavel figura faz todo o servico de
urna casa e ma dita de 18 annos com boa
habelidades todos estes escravos se do a con-
tento e se a fianca as boas vendas.
tsy Urna porco de ornamento de missa,
branco com sabaste encarnada rocho com se-
baste verde, e dois ditos ja uzados branco e
outro rocho estolas brancas e rochas para
administradlo do Sacramento urna opa da
Irmandade dos Passos de gurguro rocho ;
na Solidade sobrado contiguo a Igreja a fallar
com o sacristo da mesma Igreja na mesma
casa se faf toda qualidade de ornamento para
Igreja.
t&~ Chitas finas de cores fixas a i5o, 160,
180, ea voors. o covado, bicos de largura
de um dedo a 5, de 10 a 160 rs. a vara (hi-
las a ifc'o algodo transado muilo largo a 3ao
ris a vara liscadinhos escuros franceses pro-
prio para jaquetas a a4o riscadospara cal-
sas chapeos de castor fino muilo barato ,
fil de linbo liso e bordado por preco comfflo-
do lila transada muito fina e muito proprio
para qualquer veste do que a lisa ; na rua do
Crespo luja D. 5 qne foi de Pinto Bandeira.
t5" Urna escrava de naco Benguela de
idade de '.4 anuos co/.inha o diario de urna
casa, engomma, e lava de sabSo; na rua
Di i-cita botica ao p da Igreja do Terco.
KT" Meios bilhetes da Loteria da Boa vis-
ta ; na loja de miudezas junto ao arco de S.
Antonio.
d" Escravos de ambos os sexos pequeos
egrandes com habelidas e sem ellas, por
preco mdico na rua larga do Rozario 7.
SU* Urna negra de naco hbil para todo
o servico ; no pateo do Carmo no primeiro
andar do sobrado em que mora o Tabelio
Guilherme.
tu- Bacas de zimbro para fazer genebra ;
na rua da cadeia velba D. 17.
G?- Barris com paios, ditos com chouneos,
ditos com azeite doce ancoras com vinho PRR
tudo muilo bom e tbegado ltimamente de
Lisboa, nn becado Mouteir junio a casa de
Lui. Jos Varques armazem de Francisco
Antonio Pontual.
SST Grande sortimento de bijoutenas de
ouro da prmeira dstincoe das mais a moda,
brincos correles de relogios para homcm e
senbora \ aneis e alfinetes de brilhantes e de
outros cassoulas brochos ou alfineites para
senbora com cassoulas caixas para tabaco de
prats e douradas relogio de ouro e prata ,
orisontaes patente inglez e suissos da pri-
meira qualidade ; na rua nova D 14,
tsr Meios Bilhetes da Matriz da Boa vista ;
na rua do Cabuga loja de relojoeiro junto do
Sr. Bandeira
C? Duas canoas abertas urna das quaes
carreja 8 a 900 lijlos de alvenaria ea oulra
de 6 a 700 5' um armazem de sal com todos os
seus pertences, e com commodos suficientes
para morar familia quintal para cavallos de
matulos ; urna preta de naco de idade de
a j annos propria para todo o servico 5 as
5 ponas D. .4.
SS3- Meios Bilhetes da Loteria da Boa vista
la a 4000 ; na pracinha do Livramerito De-
cima 24.
tzr Meios bilhetes da I oleria da Boa vista;
na rua do Cabug loja de miudezas junto a
botica.
C?- Chitas encarnada franceza ->oo rs. o
covado, pecas de algodozinbo muilo encor-
padoe de duas larguras a 81-0, dilasaaSto,
ditasaaa^o, madapoloens finos a .000, 4aoo,
e4too, suspensorios elsticos, meias de
linbo finas e grossas e outras muilas fazen-
das por preco commodo; na rua do Crespo
loja p* lado do norte.
WT Panno de linbo e bretanbas de dito em
pecas de 6 varas ; em casa de Hermano Me-
hrtens na rua da Cauz D. 15" 1 (i arrobas de cera de carnahuba ; na
rua da cadeia do Recife n. 20.
ssjr Urna canoa a berta que carreja mil li-
jlos para mais e um negro canoero: na rua
Direila D. a.
t^- (V. eios bilhetes da Loteria da Boa vista,
a 800 5 as 5 ponas D 9.
SST AJeios bilhetes da loteria da Boa vista a
38 .o; na rua do Crespo loja de fazendas l. 4-
CT Meios Bilhcles da Loteria da Boa vista,
a 8 ,o ; na rua Direila venda L). o que foi de
Jos da Penha e na loja de fazendas D. 8.
t3" t. hilas finas de Untas fixas de itio f-o
e 00 ris chilas encorpadas a it-o pani-
nbos finos cassas de lislras e de chadrez pro-
piaspara vestidos chapeos dfi castor finos
baratos panno de linho portuguez e ou-
tras muitas fazendas por preco commodo ; na
rua do Crespo loja D. 1 -a de Francisco Jos
Teixeira Bastos.
C?" Urna escrava creoula de iade de io an-
nos cosecha faz renda cozinha o diario de
urna casa e vende na rua o motivo se dir
ao comprador; na rua de Hortat lado esquer-
do indo para os Martirios primeira casa ter-
rea pequea. #
isr 5 00 palmos de trra quasi toda quadra-
da com a frente para a estrada do espuiheiro ,
com muitas arvores de fructo trras tastn-
tes de planta.ces d outras lavouras, o que tudo
com a vista dos compradores se mostrara, tr-
ras propriase estas mui descancadas perten-
centes ao proprietario Silvestre Antonio de
Laage morador no mesmo silio.
Escravos Fgidos
cy Fugio no dia a4 do passado urna ne-
gra de nome Chatarina, ja com cabellos bran-
cos, com urnas pintas na testa signal de sua
naco fulla muito tabaquista tom urna
marca as costas de ferida levou vestido de
chila azul e panno da costa inda novo; quem
a pegar leve a rua da Florentina D. 9 que
ser recompensado.
tST O abaixo assignada declara ao publico
desta pra a, e pessoas do interior desta Provin-
cia e mui principalmente as autboridades de
policia das provincias da Parahiba Ceara ,
Alagoas e arrebaldes de todas estas provin-
cias qu virem um escravo, alto, de cor pre-
ta e com bstanles alporcas ou granbulas ,
do non.e Miguel, que o faco prender e re-
metle- lo para esta pra a de Pernmbuco a
entregar ao annunciante que o seu legiti-
mo Sr. on partecipa-lhe e que aleni do an-
nunciante ficar assaz agradecido protesta pa-
gar toda a despeza que se fizer o qual escra-
vo foi furtado no dia a de Ago3to do corren
anno, levando cantisa com mangas curtas, c
calsa tudo de algodo transado; o mesmo an-
nuncianle declara e se obriga pelo presente,
que est promplo a pagar e restituir amigavel
o preco pelo qual elle se acbe comprado em
mo de alguma pessoa que o tivesse feito em
boa f e pagar toda e qualquer despeza que
o mesmo fizer do lugar aonde estiver a entre-
gar ao annunciante, cujo importe do escravo ,
e despe/a que fizer ser paga no momento da
entrega eseja qudl for o seu importe; em
quanlo o nome que declaro be o legitimo, mas
pessoa alguma se deve regular sem se pro-
ceder a perguntas por isso que sabido he
por todo o mundo que os ladroens tem a ha-
ielidade de intemidarem os escravos e faze-
os mudar de nome por isso se devem regu-
ar pelos signaes. Antonio da Silva Gusmao.
%~?" Fugio no dia 1 i do passado um negro
de nome Severino de naco cabund de
idade de 90 annos meio bucal, dedos das
mos compridos olhos meios espantados ,
i com urna ferida grande na cabega mas ja es-
' t 5 e nao tem cabellos no lugar da ferida ,
I beicos meios cahidos para baixo ps abertos
fiara as bandas, e grandes, alto, muito ma-
uco levou calsa e camisa de algodo e re
\ mendada ; quem o pegar leve ao beco da lin
I goeta venda de Manoel Gonsalves Pereira, que
receber to 000 de gratificaco.
ey Fugio urna negra de hago angola de
nomeGraca, 110 dia vo do corrente alta,
seca do corpo sem peitos rosto comprido ,
bem preta, com um buraco na orelha esquer-
da bem grande .apalpando-se sobre o peito
acha-se um calombinbo com vestido de chi-
la azul \cilio saia de ganga encarnada; quem
a pegar leve a fora de portas a seu Snr. Do-'
mingos da Silva Mota, n. i7a que ser
recompensado.
ssy Do engenho S. Joo da Matla fugio a
Marcos Bezerra Campello no dia 27 de i\Jaio
um pardo de idade de no annos quasi sem
baiba, rosto ps, e mcs compridas bas-
tante alto com cabellos torcidos, de nome
Boque levou um quarto ruco rodado ca-
pado coma marca \BC um tiacamarte fi-
no e um maca de couro de ovelha cora
roupa ; quem o pegar leve ao dito engenho ,
ou nesta praca ao Capito Maximiano Francis-
co Duarte no beco das barreiras que ser
recompensado.
iiloviuiento do Porto
NAVIOS EPiTB AD0S NO DIA 1.
MALAGA por Barcelona ; 3g dias Sumaca
Hespanhola Camen de ho tonel., M. Alei-
na equip. 10 carga vinho ; emais geue-
ros ; Joo Pinto de Lemos,
SAHIDOSNO MESMO DIA.
PARAHIBA ; e cruzar. Brigue de Guerra
Inglez Camleon Commandanle o Tenen-
te Hunter ; passageiro um Inglez.
UMNA ; Garopeira Nac S. Benedicto, M
Manoel Esmerio Fraga em lastro.
RECIFE NA TYP. DEM. F. DE F. j83g


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EWH6O61YN_0DVB2Y INGEST_TIME 2013-03-29T16:50:57Z PACKAGE AA00011611_03911
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES