Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:03902


This item is only available as the following downloads:


Full Text
X
NNO D! 1839 QUARTA FfclRA
CAMBIOS)
Junlio 18.
Londres 39Pr i foc sed.
Lisboa QJ por '00 premio, por metal, oflerecido.
r'ranea "3ao a 3i5 reis por franco.
Hio de Janeiro 3 por loo p.
Moedas de 60oo i5ioo as velbas, novas Ufgoo.
tl 4S000 Sjpoo a Sfioo.
Pexos Columnario #700 ijftio.
DiUOs Mecab*s i#6oo a 1^670.
Pataces Braieiros f I700 a i#J7-
Premios das leu as, por mes 1 1/8 a t 1/1 por 100.
PARTIDAS DOSCORREIOSTERRESTISJ
CiHde da Pal aiba e Villas de sua pretenco .33.
Cidade da Rio Grande do Norte, e Villas dem a I
Cidade da Fortaleza e villas dem ....al
Villa de Goianna .......,;.. j)
Cidade d Olinda .: -.; g
Villa de Santo Anto ..'.' V, 3
Dita daGaranhuns Povoaeo do Bonito. 3 t .'
Hutas do Cabo Serinhaem, Rio Form6so, Porto Calvo
Cidade das Alagoas, e Villa de Maeai. .
Villa de Pajau'de Floras......-. .
Todos os correios partcm ao meios dia.
7
19 DE JUNHO HUMERO 131.
T
Tudo agora depende de dos roesaaos; Ha nossa prudencia
moderar&o, e energa : continuemos como principiamos
e seremos apontiuos com admirarao entro as JNaces mas
cultas.
Proclumaco da Asamblea Geral do Brttzil.
m
Segundaste Sextajjfeira.-;
Todos os dial,: ..
QuinUs lairas;
Qias 10, a a< de cada mes
dem i ii, e si diUodilto;]
dem dem.
Hem i3, dittoditte
. i
Si.hscreve-se para esta folha a 3f ooo por qoartel pagos adi ^
anlados nesta Typoerafia, ra das Cruies L). 3 e na Praca
da Independencia D. 37 e 38, onde se recebeaa correspon-
dencias legalisadas, e annuncios; insirindo-se estes gratis
sendo dos proprios assignantes, e vindos assigoadoa.

DAS da semana.
17 Sijrunda S. Theresa Rainba. Ses. da Thet e and do J. de D. da a. vara de manh.
18 Tarca S. Leoncio Al. R|. t audiencia do J. de D. da 1. vara de manh.
19 Osarla S. .lulWnna de Falconiere. SessSo da T. P.
ao Quinta S. Silverio P. Re. eaud. do J. de D. da a. vara de manh.
71 Snt S. Luiz Gonugt. Sesso da Thet. e aud. do Juis de Dir. da i vara de os.
31 SJabado jejumS. Paulino B. Ral. de manbS e aud. do J. de D. da aa.
j3 Leaaingo &. Joo Sacerdote.
Al ti horas e A
Mere eheia pare o dia 19 de Junho.
da manh!. As 1a horas a 6 minutos da tarde
PERNAMBUCO.
LE PROVINCIAL N. 79.
1:00o U 000
b'ooUooo
1: aooUooo
5ooUooo
Francisco do Reg Barros Presidente, da
Provincia de Peroambuco. Faco saber
a todos os seas habitantes, que a Assem-
btea Legislativa Provincial Decretou, e
eu sanecionei a Le seguinte.
TITULO I.
CAPITULO I.
Despetas Manicipses.
Artigo 1. As Cmaras Municipnes n-
baixo declaradas sSo authorisadas a des-
pender no anno Gnanceiro do primeiro de
OiHubro de 1839 ao ultimo da Setembro
de l84o as quantias seguintes.
Artigo a. A Cmara Municipal da Cida-
de do Recife despender :
1. Com o Secretario .
a. Com o Porteiro .
3. Com os tres Ajndantes
do Porteiro, sendo o ordena-
do de cada bum /JooUooo rs.
4. Com o Professor de
Partido ......
5. Com os tres Fiscaes das
Fi-eguetiaa de Santo Antonio
Recife e Boa-visla, sendo o
ordenado da de Santo An-
tonio 600U000 reis, e das do
Recife e Boa-vista 5ooU rs.
cada hum .....i:6ooUooo
ti. Com o Advogado da
Cmara ...... i5oUuoo
7. Com o expedienteo des-
petas miudas i5oooo
8. Com o aluguel da casa
desuas sesses .... 366U670
9. Com a decima dos Pre-
dios .......546U970
to. Com a limpesa de mu
e poetes ... .
it. Com o Tribanal do
Jury.......
ta. Com as cuscas dos Pro-
cesaos decididos por oceusa-
cio do Promotor Publico
i3. Com as cusas por 0-
fraceio de Postoras .
14. Com eleicoes repa-
ros de predios, e despeaas e-
ventuaes......
i5. Com o Procurador os
seis por canto na forma da lei
e msis aooooo reis de gra-
tificado, que ja percebe.
CAPITULO II.
Artigo 3. A Cmara Muni-
cipal da Cidade de Olinda
despenden' :
i. Com o Secretario .
2. Com o Porteiro -
i. Com os dons Ajudan-
tes do Porteiro, sendo o or-
denado de cada bum 6jU rs.
4- Com o Adfugado da Ca-
stra .....
5; Com os dons Fiscaes
disFregueziasda S e S. Pe-
pro Marty r, sendo o.ordenado
iico .
por io-
i5oUooo
190U000
45oUooo
140U000
i:oooUooo

600U000
140U000
120U000
3ooUooo
1
de cada hatn taoUooo res
o. Com o Cirurgiio de Par-
tido ....
7. Com o expediente e. des-
pesas miadas .....
0. i^om as costas dos Pro-
cesaos decahidos por aecusa-
cio do Promotor Publi
9 Com as cusas
fracelo de Posturas
10. Com es despesas da
cadea.......
11. Com eleicoes repa-
ros do calcetamento da Bica
de S. Pedro Mrtir, Bicas, o-
bras e d-spezas eventuaes .
la. Como Procurador os
seis por cont na forma da
Lei.......
CAPITULO III.
Artigo 4. A Cmara Muni-
cipal da Villa de Iguarasiu'
despender' :
1. Com o Secretario .
a, Com o Porteiro .
3. Com o Ajudante do Por-
iteiro.......
4. Com o expediente e des-
petas miudas.....
5 Com as decimas dos pred*
6. Com a Fesla dos Ssntos
Padroeiros da Villa .
7. Com as ordinarias do Es-
crivfo da Cmara .
8. Com eleiqas reparos dos
predios, limpesa das ras, e
despesas eveotoaes .
9. Com o Procurador os
seis por cento na forma da Lei
CAPITULO IV.
Artigo 5. A Cmara Mu-
nicipal da Villa de llamara-
ca' despender' t
l. Como Secretario .
3. Com o Porteiro. .
3. Com o Procurador seis
por cento na forma da Lei
CAPITULO V.
Artigo 6. A Cmara Muni-
cipal da Villa de Goianna des-
pender :
I. Com o Secretario .
a. Com o Porteiro da C-
mara ..... .
3. Com o Porteiro do Au-
ditorio. ......
4. Comas cusas dos Pro-
cessas decabidos por acensa-
$io do Promotor Publico .
5. Com o Tribanal do Jury
(j. Com o curativo dos
preses pobres. .
7. Com o expediente e des-
pesas miudas ....
8. Com o aluguel da casa
9. Com os foros dos Chaos
oceupados pela Cidoia, Quar*
teis e Cnrraes.
10. Com eleicoes, conserlos,
obras, e despessa eventuaes
II. Com o Procurador o
a4uUooo
aooUooo
40U000
aooUooo
5oUooo
58Uooo
l :ooolJ 000
U
aooUooo
60U000
5oUooo
aoUooo
i6Ub33
9Uooo
aSUooo
3ooUooo
U '
. IOCJOO
5oUooo
u
4 00 U 000
5oUooo
1SU000
80U000
16U000
16U000
2oUooo
64U000
aoUooo
aooUooo
seis pot cento na forma da
Lei do primeiro de Outubro
de i8a3 suprimi do-se a
gratifiesfio de 3ooUooo rea
por ser contra a citada Lei
. CAPITULO VK
Artiga 7. A Cmara Mu-
nicipal ih Villa de Nasaretb
despender 1
1. Como Secretario .
a. Com o Porteiro .
3. Com o continuo .
4- Com o aluguel da casa
de auis sess&es ....
5. Com as custas dos Pro
cessoa decabidos por aecusa-
cio do Promotor Publico .
6. Com o Advogado da
Cmara......
7. Com o expediente e
despesas miudas ....
8. Com o Tribanal do Ju-
ry.........
9. Com eleicoes, obras, re-
paros, e despesas eventuaes
10. Com o Procurador os
seis por cento na forma da
Lei.......
CAPITULO VII.
Artigo 8. A Cmara Mu-
nicipal da Villa do Limoeiro
despender':
1. Com o Secretario.
a. Com o Porteiro
3. Com o Advogado da
Cmara
4- Com o expediente e des*
pesas miadas.
5. Com o Tribunal do Jury
6. Com as costas dos pro-
cessps decados por acensa-
cas do Promotor Publico
7. Com eleicoes e despe-
sas eventuaes.
8. Com o Procurador os
seis por cento na forma da
Lei do i" de 8br. de 1828,
ficando aupprimida a g'-
tificaclo por aer contra a ci-
tada Lei
CAPITULO VIII.
Artigo 9. A Cmara Mu-
nicipal da Villa, do Pao do
Albo despender':
1. Com o Secretario
a. Com o Porteiro
3. Com o expedieute e
despeaos miudas
4. Com os foros dos terre-
nos doacougue, e casada
Cmara
5. Com o aluguel do
Quartel
6. Com eleicoes, obras,
consertos, o despesas even-
tuaes
7. Com .0 Procurador oa
seis por ceios na forma da
CAPITULO IX.
Artigo 10 A Canuta Mu-.
U
aooUooo
60U000
5oUooo
96U000
80U000
80U000
20U000
16U000
400U000
U
300U000
5oUooo
80U000
aoUooo
10U000
80U000
100U000
25 >Uooo
8oUooe
U
160U000
4o u 000
3oUooo
6U3io
i5U36o
aooUooo
U
nicipal da Villa do Santo
Anto despender':
1. Com o Secretario fi-
cando approvrado o augmen-
to de 5oUooo reis sobre sua
gratiicacaS
a. Com o porteiro
3. Com o Cirurgiio da
Cmara, ficando approvado
o cootraeto feito pela respec-
tiva Cmara com o Cirur-
giio Joio Eliaa do Reg
Dantas
4. Com o espediente e
despesas miudas
5. Com o Tribanal do Ja-
y
6. Com ss costas dos pro-
cessos decabidos por accasa-
cio do Promotor Publico
7. Com eleicoes, obras,
consertos, limpezes das toas,
e despesas eventuaes
8. Com o Procurador os
seis por cento na forma da
Lei
9. Com o Advogado da
Cmara
CAPITULO X.
Artigo 11. A Cmara Mu-
nicipal da Vida do Bonito
despender' :
1. Com o Secretario
a. Com o Porteiro
3. Com o expediente e des-
pesss miudas
4. Com eleicoes, obras, cen-
ceos, e despesas eventuaes
5. Com o Procurador oa
seis por cento na forma da
CAPITULO XI.
Artigla. A Cmara Mu-
nicipal da Villa do Brejo des-
pender' t
1. Com o Secretario
a. Com o Porteiro
3. Com o expediente e des-
pesas miudas
4. Com o Tribunal do Ju-
'1
5* Com as costas dos Po-
cestos decabidoi por accoea-
do Promotor publico
6. Com eleicoes, obras e
despesas eventuaes
7. Com o Procurador os
seis por cento na forma da
Lei
CAPITULO XII.
Art. i3 A Cmara Municipal da Villa
de Flores despender :
I Com o Secretario
a Com o Porteiro
3 Com o expediente e des-
pesas miudas
4 Com o Tribunal do Jury
5 Com as cusas dos Pro-
cesaos decabidos por aecusacao
do Promotor Publico
6 Com delegeos, obras,
aooUooo
3oUooo
16U000
80U000
100U000
U
80U000
100U000
5 o U joo
10U000
5oUooo
U

.
i5oUooo
a4Uooo
10U000
16U000
80U000
100U000
u
15oUooo
4oUoo
10U000
16U000
8cUooo

MUTILADO
~"


\


2
DIARIO
r
E PMNAMPC 0.:
rancertos, e despesas eventases SoUooo
7- Como Procurador fia Ca-
nun os 6 por cento na forma
da Le.' U
CAPTULO XIII.
Artiga 1 -\ Cm ira Munici-
pal da Villa de Cimbres despea-
der :
1 Con o Secretario 15oUpoo
a Con o Porteira 10U000
3 Com o expediente e des-
pesas miudas 10U000
4 Con eleices obras e
despesas e ventases 5oUooo
5 Com o Procurador os 6
por cento na forma d> I,p. II
CAPITULO XIV.
Artigo 15. A Cmara Mu ni
ripal da Villa de Gsraohnns
despender :
1 Com o Secretario 5<>looo
7. Oro o Porteira. a5Uuoo
3 Coa o expediente e des-
pesas miadas 10U000
4 Coa as castas dos Pro-
ces&os decahidos por ac usa-
ca do Promotor Publico 80U000
5 Com o Procudor os 6 por
cento na forma da Le. U
CAPITULO. XV.
Art. 16. A Cmara Muni-
cipal da Villa da Boa-vista
despender :
1 Com o Secretario 5illjoo
3 Com o Porteiro 4<-U 3 Com o A judante do Por-
teiro aoUooo
4 Com o expediente e des-
pesas miud s xoUooo
5 Com o Tribunal do Ju>y 1S0U000
(i Com as custas dos Proces-
sos decahidcs por accusacao
do Promotor Publico 5oUxoo
7 Com eleicuens, obras e
lesnesas eventoaes 60U000
8 Com o Procurador os 6
por cento na forma da Lei U
CAPITULO XVI.
Artigo 17. A Cmara Ylu-
cipal da Villa de SeriniWm
despender:
1 Com o Secretario laiUooo
2 Com o Porteiro 5oUooo
3. Com o expediente e des*
ptass miudas 11U000
4 Com as cusas dos Proces -
sos decahidos por accusacao
do Promotor Publico ^olooo
5 Com elcicoens obras e
despesas eventuaes 5iUooo
6 Com o Procurador os 6
por cento na forma da Lei U
CAPITULO XVII.
Artigo 18. A Cmara Mu-
nicipal da Villa do Rio For-
moso despender :
1 Com o Secretario 121U000
a Com o Porteiro SoUooo
3 Com o expediente e des
pesas miudas 10'Uooo
4 Com o Tribunal do Jury 16U000
5, Com as custas dos Pro-
cassos decahidos por accusa-
cao do Promotor Publico 4uUooo
6 Com eleicoens obras e
despesas eventuaes 5oUooo
7 Com o Procurador os 6
por cento na forma da Lei U
CAPITULO XVIII.
Artigo 19. A Cmara Mu-
nicipal da Villa do Cabo des
pender:
1 Com o Secretario i5oUooo
^ Cota o Porteiro *5Uooo
3 Com o expediente e des-
pesas miadas loUooo
4 Com ss custas dos Pro-
cessos decahidos por aecusa-
r 5 do Promotor Publico 4L Uooo
5 Com leicoens, obras ,
e despesas eventuaes *6Uooo
(j Com o Procurador os 6
por cento a forma da Lei U
1 vnc'a reinviindo-llie o of&do ds Director
do rea-nal de Guerra. que acampeubara
o seo de 3t do mezr p. p., e ditvndo-lhe
que se conformaba coas a representacaS do
roesmo Director a respeito de fiaren no
Arsenal para erem concertadas duas das
Pecas V Calibre 6 do.Parque < 5.
B.rariffo d'Artilhera,* recaladas ao
mesm,f p4rque as outra* dots loigu.il
Calibre.
Dito-f Ao Inspector do Arsenal/e M-
rinlu eoviando-lbe a relaca das mnlrW-
res das Pracit Expedicionarias a< Mara-
abio fue aeompaishavib seos maridos ,
a fio de serem cpportu namente rcbidis
a bordo do Briyue Orestes que as
devia transportar.
Dito Aompsmo, disendo-lbe que a-Lj
tarde tinha5 de serem transportados para
bordo do Brigue Orestes lados os
objecfos ou volumes do Batallia Expe-
diccionario, eqw para isso S. S. hou-
vesse de dar suss ordens nfim de que as
Portara Ao Major Commandante da
Expedicca snandando recooliecer 1.
Cadete ao soldado do Bata!hio Provisorio
loseTbosnaz Flenriqaes Jnior em vista
sio Cooselho de Direcca que Iho remetlia.
THEZOURARIA DA PROVINCIA.
Continaaca do Expediente do dia i5
de Junho.

Oficio Ao Exm. Presidente da Pro-
vincia informando o requerimiento de An-
tonio Rodrigues Samico.
Expediente do da 17.
Officio A o mesmo informando re.
qaierimento do 'Pnente Francisco C mel-
lo Pessoa de Lacerda.
. Dito _. Ao raes rao informando o reque-
rimento dos Proprietarios de tabernas des-
tancfms os fossem recelier junto a Fortalesa la Cidade
do Brum pelo lado da mar grande. 00
pequ-na como mais commodo fosse e
no eso de que rsto se nao. .podesae con-
seguir se era possivel fretarem-se pefo
Arsenal as canoas necessarias para .con-
ducho.
Dito Ao Major Jos Thomax hVnrr-
ques disendo-llia que tendo o soldado
Dito A o Procurador Fiscal com urna
Letra de 100,000 rs. sacada por Luiz Jos
da Silv; Gui rurseos acceita. por Sebas-
tii Antonio de Mello Reg, eodossa-
da por Jlo Jos de Moura a fim de fa-
zel os executar pela dita importancia e
mais despeas do protesto.
Dito Ao dito com outra Ltra de SooJ1
do Batalha do seoCommando Mantel h- 'sacada por Joi5 Nepontocenn Carheiro da
cinto do Nascimento provado com a soa t Cunha e acceita por Clara Cesar Bandeira
d'Ollicio ,' guia que depois tos remitida de Mello para o mesmo fim declarado no
do Rio G. do N., terassentado praea vo- precedente officio.
luntariamente em 11 de Desembrods i834 Dito Ao mesmo com outra letra de
e que tinha concluido o seo engajsmento 600 rs. sacada por Joa5 Ctvalcante d'AI-
em 11 de Desembro de i838 continan* buquerque e acceita por Joaqaim Fran-
do todava no servico sem novo contracto.' cisco Ciraleante de Mello para o fim refa-
bouvesse para elle de tirar eonformemen- do no antecedente.
teaProvisaS Imperial de 10 de Novem- ______'_______ _;__________'
bro de 1837 mais ocio sold desde o da "' _J *
la de Desembro do referidoanno de i838 Di VerSUlS Repartlt^OeilS
em i!', nti-, advirtindo que no caso de que-
rer elle novamente engajar-se por 4 annos ,
o recebesse como tal e llie abonasse sol-
do dobrado.
Dito Ao mesmo, authorisando-o,
em soluca ao seo officio desta data a ti-
rar para as pracas voluntarias, viudas da
Pa rali iba a gratificca de meio sold qu
por Lei Iht s competa visto que lalvez
por falta de conbecimento da Lrislacao a
MEZA DO CONSULADO.
A Pauta he a mesma do nao. 1 ao.
OBRAS PUBLICAS.
IVa5 tendo-se realisado no dia 16 de
Miio p. p., a venda em asta publica dos
Agostirdio Pereira da Silva; soldado da.
3, CompanhU do Corpo de Pulida por
extravio da dinheiros publicas, foj coa.,
deramado a re ve! i a em parda do emprego ,
ar) mezes da prirfo e multa de Sjf a na
indemnir cao da 5a,200.
Sessa do dia 14.
Jury de Aacaaaea.
Denuncia do Padre M*noel Moreiva da
Costa contra Jernimo Dntas Timb,
pelo crime de ameacas ; o Jury acltoSt mi '
teria ptara aecuaacio.
Dita de Jo*quim Aurelio de Carvalb. .
como administrador de sua filha menor
Lobioa contra Frederico Antonio de Mel-
lo por crime de strupo ; o Jury aehou
materia para acc.usacs.
Sumario ex officio contra Malhers Josa
Gomes, porachada de hom ferro depon-
a aguda ; o Jury aehou materia para ac-
cu-a^a.
Seasa do dia i5. \ \
Jury de Accuzca5.
Denunciada Maria Pessoa de MelloStboia,
contra Manoel Goncalves de Mede.rus ;
por crime de estilioaato ; o Jury aehou
materia para aecusaca.
Dita de Joaquim Antonio dos Santos
cmtra Jos Antonio Moreira por crimo
de bofetada em um menor irmad daquel-
le ; o Jury a chou materia para aecr-
ca5.
Sessfo do dia 7-
Jury de Sentenca.
Denuncia de Luis Piras Faereira con-
tra Leonardo Graciano de Ara ojo por
furto de um escravo ) fui condernnado
em 8 annos de gales multa a indemn'
zafio ; protestou por novo julgamento.
Erros populares relativos saude.
Parcere personio, dicere de vitiis.
respeito deixaraS elles de ser abonados de' p5 paos vellios, tirados da ponte da Boa-
sem i'I liante gratificaca5.
Dito Ao mesmo disendo-lbe em
soluca aoseo officio desta dala que o
estado completo do Batalbio deviria ser
regulado pela nota qae Ihe enviva ; t\ue os
Inferiores so podiao ser rebaixados por um
concurso composto do Major Ajudante ,
e Commandate da Companhia do Inferior,
como era de Lei e nunca a arbitrio do C-
mand.ate do Corpo e finalmente que po-
da prehenxer as vagas dos Inferiores que
faltavnd para o completo do Batalhf se
para isso houveue no mesmo pessoas ap-
tas.
Dito Ao mesmo disendo-lhe que
as vaotageus de Campanha dos Officiaes ,
e mais Pracas da ExpedicaS deviriaS ter
principio do dia 6 desta mes e que as
prestacoens que algumas Pracas deisaS em
soccorro de suas familias nesla Capital.
principiarifo a ser abonadas do 1.
Outubro deste anno em diante por
(conlfnuar-se-ha. )
COMMANDO DAS ARMAS.
Expediento do dia 8 de Jimho.
Cirio Ao Exm. Presidente di Pro-1 e Piacas de P>et de 1. Liaba.
0 de
isso
que taes Pracas hia5 pagas de todos os
seos vencimentos ate o ultimo de Setsm-
bro.
Dito Ao mesmo, remettendo-lhe a
justificaca do soldada Antonio d'Olanda
Cavalcanle d'Albuquerque, para que sobre
ella procedesse o Conselho de Direcea6,
como determina a Lei.
Dito Ao mesmo : ordenando-lhe a
remessa de urna relaea das Pracas rindas
da Paraiba ; que deixario ali prestacoens
a seas familias declarando que quanti-
tativo diixara qeaes os seos Procura-
dores,
Dito Ao Inspector da Thesouraria ,
enviando-lhe as guias pasudas pela The-
souraria da Paraiba sos quatro Offieiaes
que d'ali vieran afim da que a ellas dee-
sa con v ente n te d ireccaS.
Dito Ao Commandandante do Corpo
de Polica remettendo-lhe em satisfacao
ao seo olficio desta data urna nota dos ven- j
cimeatos que compettaS a um subalterno j
vista por motiros imprevistos que oc-
conera faz-sesciente ao Publico qu di-
ta venda se hade realisar no dia ao do
corrente na Salla d'AdministraciS Fiscal
das Obras Publicas onde dererS concor-
rer os pertendentes do meto dia at duas
horas da tarde ;" declarndose que os di-
tos paos foro avahados pelo Mestre Car -
pnteiro em 64o rs. cada um ; e se ach o
arrumados em huma tulba, atraa da casa
da Re|aca5 em Palacio velho onde po-
derd hir ver-la os que apertenderam com-
prar.
A. F. de Moura.
A. F.
.
PREFEITURAi
Parte do dia 18- de Junbo de 1839.
Illm. e Exm. Snr. Forafi presos hon-
tem a minha ordem a (iverio boje des-
tino : Antonio Das Guerreiro e Jos
Gomes pardo e Jos do Rosario ,
pieto pelo Sub-Prefeito do Recife ,0 1.
por ser desertor de Marinha o a. por
estar vestido com urna farda do Batalbio
Provisorio, e faser-se suspeito j 10 3.
por ter espancado a urna mulher, com
quera eslava aqual encmmodava a visi-
nhanea com os -gritos, que dava.
E' o que consta das partes boje* recebi-
das nesta Secretaria.
Dos Guarde a V. Exc4 Preftitura da
Comarca do Recife 18 de Junbo de
1839. Illm. e Exm. Sr. Francisco do Re-
g Barros Presidente da Provincia.
Francisco Antonio da S Barreto Pre-
feito da Comarca.
TRIBUNAL DOS JURADOS.
Sessfo do dia ia de Junho de 1839.
lury de Sentanci.
Denuncia do JDotttof Promotor centra
Se a saude o primeiro dos bens; se em
falta della a vida he sem prazer, indubiu.
vel he que, tudo quanto concorrer para a
sua conserraco dove merecer a maior so-
licitado dos homeosem geral, e dos gover-
nos em particular. Huma Naci enervada
pelo loxo estragada pelos deboxes roda
pelas molestias comeca o seu aniquil imen-
to pela falta de sua representac j moral, a
termina por sua destruico pbisiea. Aco-
ragem que faz valer o amor da Patria, ;
inteligencia que prepara o seu esplendor
carecem de ser escorados por huma robusta
saude pra podarem existir conveniente-
mente. D'aqui o cuidado, eom qne oa
melhores Legisladores tem sempre tido en
vista a salubridade publica como o meio
mais seguro de ter bons cidados. Esparla
a Roma Venexa e Alhenas o attesta exu-
berantemente. Se pois a saude he hum
bem inapreciavel, se ao Medico, por sua
especial misso, incumbe mais que a outros
de a derigir e conservar raao he bastan-
te para que nos, aproveitando o tedio que
o Publico comeca a demonstrar pala leilura
de folhas polticas, vamos chamando a sua
alinelo para objectos do interesses real e
permanente para a humanidad** Sa olvi-
dado ata sgora pelo I susurro dos embales
polticos nio tem o po vo sido atiento a al-
gumas produeces soienlificas, a mesmo
industriaos ; que de lempos a lempos tea
a imprensa produzido, nlo segu se que
elle o ser sempre. E se a rasio, como be
presura i vel, tero j nelle feilo algum pro-
gresso para a verdade, chegado bu o tes"
po do desengao-, para que o til empe-
nhe mais doqua o agrada vel. Entretanto,
nos o eremos, asse phrenesi da poltica,
essa illuso magioa, esli j sem prestigio *
e nio ser difficil orientar a curiosidade de
hum povo dcil. Dever be este de todos
os tem pos para o horneo., que quer o bem
da humanidade a que a desoja illustrsdd.
Noasa memoria he ainda fresca do numero
de Jornaes que tem sido levados ao aniqai-
Umenlo, apenas nascidos, por falta do
preciso elemento de sua duracio. S a Re-
vista Medica tem podido sobrevver a todos
os furaces} s ella tem podido mao gra-
do o enjo geral, sobsislir no graode ban-
quete da imprensa poltica. A idea da vi-
da o interesan da existencia sem duvida
tem feito doradoura easa apatbiaa simpa-
lhia,que arrasta a viste para este Jornal. He
justo, he mesmo ueoesssrio, qus ^aista**;
>
MUTILADO


'.' sr '
1) I A R r O DE PERNAMBUCO
5
'

mos os ( verdade seceos e soporosos^ ar-
tigo* dediscujses., puramente medicas 1
guas consideraces genes sobre objeclos,
que na s abranja5 o interesje d lodos ,
come que t todos agr de m peje lgacio ,
rnais ou menos iramediata que ellas teoha
rom os habito neceseidades gostos ti-
rio e propeosea do povo:, destx. Coco* a-
dotados coro o sal do criterio e da inopia,
ir o pavo lente e a grada val mente bsbendo
a tenues sor vos solida instruccio ducou,
ss, que Ihe cumpre evitar edaquellat,
que Ihe cumpre adquirir ou consejar.
Nao temos a pretencio de fonu.tr hura
Cdigo systematico dos erros que m ferla O poo era relela a toa, saude : t
tissima ha a materia pan encher nosso de-
ejo.
C"o, porem nos anana a realo, e nlo
sella, que a cardade bem ordenada co-
mees por casa tomaremos pelo, prlmeiro
dos Erros populares relativos i saude __
a existencia dos Charraties __ a por elles
principiaremos nosso eiame sobre os erroa
do novo em rebelo ;> su* saude.
Entendemos, geni diente, porcharlallo
o homem, que. alardee abe, que nio
pnasue,* qu*, ostentando huma ceu.
duela misterios faz crer qun elle potsue
saber seereto neita ou naquella ciencia ou
arle. Todos os paite ; as naces enliga
e as modernas, os povos mais civiKsados ,
assim como oa mais ignorantes todos tea
tido, e tem para nata elass e de homens bu
masympalhis lio forte que rasfo ha para
que, antes de tratamos delira, buaquemos nue cada huma emprega, pare elcVne
ea Asocia meios diversee. A primei
conhecer e origen dq sua influencia, e
meios de que se servem par* adquirida. O
misterio ease veo impenetraeel, que aasim
como encobre ea verdades mais sublimes ,
subtrahe os erroa mais groaseires ; o mis-
terio que assim como revella o poder su-
premo que ordena os Astros revolve a
trra, e agita o Ocano ... q misterio que
em si envolve a forca e a vontade do Su-
premo Ser que ludo rege, he tambora o
talismn que atraha o respeito o temer ,
a venerarlo que os povos preste aos
obarlates .' Assim os mais nescios curan-
deiros aquellos que pela simples enuncia-
ro pela rudes de suas eiprasses se ftria
conhecidos por ignorantes, sabem de tal
maneira se paramenta/ de certos alavioj ,
que o homem mais sagas, e inlelligente,
o mais prevenido at se elle nio he hum
Medico se deixa fascinar pelo reu miste
rise saber { ti mido para cora o Medico ins-
truido se entrega sem restricco ao capri
cho ceg de taes embusteiros. Vedfl-ue
por toda a parte na Corte, ou na Aldea,
na praca, ou no seio das familias elles
tem todos a meama pbisionomia, a mesma
phraseologia : a vl-oa dir-so ha que 6-
llios todos de um s paifel|esse tem educado
todos em huma mesma sela. Se elles
se acba em ba circulo de homens cir-
cunspectos ou instruidos ei-los articulan-
do com cusi palabras intercorladas pres-
tando huma alinelo reflectivs a ludo quao-
to ouvem, gesticulando irnicamente, ora
em e provocico ora em desdem affec-
tendo que as mais serias combinapqes vol-
vero-se em sua mente, e entretanto nada
mais he que o charlatanismo, encobarte
debaxo de misteriosas epparencas. Com
este simulada atiene!o, con esta reticente
continencia affectafi elles profunda mo -
deslia e nio poucaa vezes sao acclamados
boaens de profundidade, pelea proprioa
homens de instruccio, pondo d'est'arle em
contribuirlo at a prebidade e o saber .'
Cusa a crer, mas he verdade demonstrada,
que homens de lino, eboa instruccio tem
chegadoas maieres bumiliacoea sia presen-
ea de huma cura promettida por taes em-
busteiros. um ce fax ir a p descalco e
aoneieda noite, epanfcar em hum ceaite-
rio certa planta, com a qual iofalli velmeo-
te se curar de sua ophlaliuia : oulro faa
trisar sus pobre coosorte cerpo eingido
com a medida de altura de hum cadver,
as vistes de a curar da hum cancro no ule-
ro; aquello com os olhoa fi tos na la de ve
beber a urina ale menino impber, para
curar sua ictericia. Esl'outro deve, sob o
cume de hum copim, expor ao tempo por
longo anaco, a decoccio da butua at a
fermentarlo para se curar da opilacio j e
outras muilas cousas que esto ao alcance
de todo o mundo : sen Jo certo que at
mesmo a uelles que de taes cousss se ri-
era presta-so com lado a fazel-as, se
chega, sua ves.
Temo, pois demonstrado que be mis-
terio a origem da influencia que tem o
charlanistismo entre o pov0, resta-nos age,.
ra psquisar os m*o, de que se serven
os charialies para so fasarem reeoranaenda-
ve, easraaoesplausiveis, al corte pon-
to que desoulpaS a credulidad* do poro.
Pilas sio, as maneara pelas qisaes a io-
njc5 ordinariamente os cbachtiea > ou ex-
tramamente loquases, ou nimiamente eje-*
unspoQiesi N Italia, nt Fmucs pouco
vanearla Kuneharlatfo nodo, na Ingla-
terra morreria de fome hum charla lio par-
Mor, no Brasil, ao contrario huns, e
eulros vivem e prosperad as mil mart
Ibas; o ponto be abantar a proposito o
momento rife fazeree o sen a debut
uue alcancado, eonta-ae com a victoria.
Nlo faremoa o retrato de nieguen) t elles
sio. vi vos eo tre nos n poli I ice na til tera-
tora; t\>% scieneias, e na arles : spptiqoe
cada hum ao individuo da se escolha oa
caracteres, ou traeos que vanaos esboear, e
fcilmente leeoaWecer hum eharlatio em
qualquea dos ramos que havemos aponte-
do ; e se sua pesquisa for por dini* ate os
encontrar no seio das familias, e no recin-
to dos claustros elo. etc j por toda a parte
o* achar semelhantes, amigos, e unidos.
Elles se reconheoem ao menor contacto. Co-
mo, a classe dos charialies mdicos (pois
que s d'elles trataremos) se divide logo em
dua ordeus, fsl-as-bemes conbenidas, por
ncar in-
_ primeira or-
fiem.brange os etarlatles titulades ; isto
be, aquelles que contentes com hum Di-
ploma mal dquiido, praguicosos, ou
mesmo destifuidos d tlenlo toda a sua
aptidlo consiste na ostentaclo que faura
do son Titulq dos meios ignobeis de
qae lancaS mi para o faaerem valer. Ver
dad piro entulho da sociedade, elles obstru
em todos os canses i por ende o merec men-
t pode chegar ao sen destino e formaS
assim huma verdadeira ealamidade publica.
Audases proporclo da sua maior igno-
rancia elles ataca5 todas as suas capacida-
des e acobardados com o Titulo irnico de
seu saber elles se auhtrahem i vigilancia ,
poder das Auctoridades. De pois que s
Imprenss se tem feito mais familiar acha-
r0 os charialies meios mais facis de se os-
tentarera. Ati com hum Iraco de penn
alies faserp mais do que es sculos nlo tem
podido abranger. Vede aquello, com que
dextreaa cura molestias at agora sujeitas
so nico dominio da Cimrgii com huma
aimples ^ frcelo, algomas pillas, etc. ,
ohservai est'oulroeomo tange pera as bre-
nhasessa hedionda molestia, que ro o ta-
bernculo das geracoes Eneirai aquelbi,
;|ue com baa linda e singella flor teas
eito recuar a phisics d'entre na! Ah co-
mo vio em diminuicio as erisipelas os
rheumaiismos j as Artrelis ote. E tudo isto
a quem se dave ? A genios transcenden-
tes que todos os diss philsntropicamente
espalhao ou pelos Jornaes, ou a favor
dos seos amigos oa espantosos feitos de suas
descocerlas. Inimigos da ostentaclo vaido-
sa singellos como a verdade, vede-os
que acaulelladamente veda i curiosidade
publica o conbecimento dos beneficiados ;
e christios que elles sio fases* O be-
neficio, e orcuJls a mo que oa prodigali-
aa. Eis aqu pois os meios ordinarios do
que se sabem aproveitar os charlallra para
captsrep a benevolencia publica t illsqueao
sua boa f ; xcita sua credulidad* por
meics capciosos e abiertos ex isa) huma
atmosphera densa e tprva entre o poro o os
homens de merecimeoto e ao abrigo das
Ir ras que elles sos estabilice marchan
a puso seguro a su fin
Temos feito conhecer a primeira ordea
dos charialies pelo caracteres que Ihe sio
particulares ; temos demostrado os meios
mais ordinarios de que as serven pare iren
aaeoafins; daremos agora o quadro ios
charialies do segunda orden. Nem por
que estes scspresenta5 ao publico nonos
apadrinbadoa de circu:stancis que auc-
lorisem seu exerejeio ; nem porque a mais
era asa ignorancia se retrato em sua pbisio-
nomia em suas palavras em auap obras,
deixava este orden de V optimameote a-
colhd.1; e, ou eja pqr cunpsixlo para
c m elle seja por salyra aos Mdicos,
hum grao mais elevado de considerado pa-
ra opa o desta orden. Como he admira-
veU. e maravilboso ver boaens, omites
Tetes ignorantes dos rudimentos da lingua ,
ea que Ulla5 exercitarea coa acert a
mais di fliiil daa scia" cas Como a na ture-
ga que Ibes nio proporciooou aeios de
cultivarera seu espirito os dote de. hum o-
Iho lio perspicaz de hum tino lio jndieio-
so que sob ropas sao os mais abalisados Kip-
pocrates? O misterio e o maravilboso sio
meios cotnmuns as duaj ordena de charla-
ties : aos da segunda acrosee maior im-
postura com que buseaS acobertar sua ig-
norancia. J suas panaceas alo o resultado
de tradiccoea anliquissimax, devidas aos
desvellos de seo 4* av : j sio medicinas
de algura illustre nome da mnior antigoida-
dw, asbadas em corto fivro raro; j reve-
Iscdes dos aborgenas, e muitos ouiros
meios equvocos. O fanatismo ou asu-
perslicaS ne>. deix5 de vir ajualar-lha al
gum valor; e assim ou e Santa F. ou o
Santo B. loma pela maior parte daa veces ,
O maior quinhaS de gloria na cura obtida.
Cono os da primeira ordem atea nt di-
xa de declarar o doente no maior auge da
molestia,, e noi dhcil sua cura : entre-
tanto a penac* se mistura e se por ven-
tura ella adapteva-se a molestia, e eslava
esta em ponto de a* curar, a a cura se se
oblea abr va at os cornos da loa o re-
medio eocurandeiro.e nao falta velhaco,ou
simples q'lhes preste alicatado justificativo.
Os cbarlatlea desta ordea sio grandemente
dimnosos porque pela maior parte das
vezea ellas per ver tem es aoleitias aais sim-
ples, tornando as complicadas, e nio
poucas vetes incursveis, subtrahen se as
pesquizas daa auctoridades, e produzem
malea extraordinarios. Bula. Nio faremos
parada en prol dos Mdicos sobre os
desmanchos dos charbuiea; alto e bom
aom falla! seos feilos, at recentes para
que nos seja preciso esclarecd-o, e por-
que elles sejaS apreciados como devemos
por aquelles que primeiros os devem te-
mer. Ns faremoa a enumeracaS nominal
dos cssos em que o poder de taes charialies
tem sido bem ostentedo nesla Corte -, na5
le ai bra remos mesmo aquelles en que pa-
ra a auctoridade elles tem sido mais hum
obstculo para o eonheeimento da verda-
de. Diremos somente, e ea fia que a
existencia e o grande numere de charla-
lies nesta Corte compoem hum doa sens fla-
gsllos, e que credulidade, q' o poro Ibes
presta cooatitue bum dos grandes erroa
centra a ana saude. Se ua6 temos aboca-
do perfeitamente o quadro do charlatanis-
mo se nao temos demonstrado cabalmente
os meios, do que se serven e os fins a
que attingen ; se nao teos em fia ,
traclado a materia cono con vea fal-
ta bo de nosao entendinento, o na5 do
nona vontade. Creaos todava ter dito
bastante para despertar attencafi publica, e
aais para provar Ihe que na eapenbo a
que nos damos, nada punoeremos, para
O esclarecermoi do que Ihe cuovem ea re-
laca a sua saude. Z.
(Transcripto da Reviste Medica Flumi-
nenie do nex d'Abril de 1839.)
THEATRO.
A Companha Gjanastica iviza eos Srs.
que atsigaara camarotes para a representi-
ca de sexta feira ai, dignem-se mndalos
boscar na quera feira : ba ba camarote
de frente nobro, de bona pessoa que o
Isrgou por esta noite .* quen o pretender
procur no botequim da Nevo ou no Tbe-
Steo.
Avisos Diversos.
Precisa-se alogar hum preto e buma
preta ainda que sejs de idade, con
tinto que sejaS rebastos .* quen os tiver ,
e quiser alugar annunce ou dirija-se a to-
ja do Snr. Lody na ra do Ros ario larga
D. 7.
O Sur. que por engracado lirou da
venda de Manoel Joae Carneiro na atier-
ro dos A Bogados urna barrica de bacalho
na noite do da 17 as 7 oras da noute aja-de
mandar entregar do contrario veri o seu
nome publicado e se proceder' contra
o mesmo com todo rigor da Lei.
A passoa que tem annucisdo por
este Diario estar pronto a faser viagens ao
mato, pagando-se-lbe o seu trabaiho:
dirija-ae ao pateo do Hospital do Paraso ,
0.33.
_ Quem annuacou querer 700,000 rs.
a premio sobre pinhores de ouro : dirija -
se as 5 Ponas D. 3a lado do poenle 1,1a
so dir quem os da.
..Quem tiver para vender cera ama-
rella do 5erta5 .* annuncie a sua morada
para ser procurada.
Na ra do Queimado loja D. 7 ven-
de-se huma negra e um moleque de la a
14 annoa.
Qaem precisar de um criado r.o-tu-
gnes cum pratca d cosnbeiro ou psgam
queira annunciar.
Veude-sc Urna canoa aberla, bastante
grande, quecoudu. ou<-,rregi, hum
milheiro de t-olios e acha-se em bom
oto, e he de bom fabrico: os pertenden-
tes entenda-se com Josa Mara de Fi-
gueredo 00 Porto daa canoas dos Mar-
tirios.
_ Vende-se huma caraira porttil ,
samada carteira da viagem obra rica do
madeira de mogao, com xapas de metal a-
marell
o para m*ior consistencia n cora
todo o arranjo de um rico estojo da barba
e escovas para falo : quem a perteader di-
rija-se a ra do Queimado loja D. 3.
Quem precisar do um rapaz Brasi-
leiro de idade ao annos para ixeiro da
alguma casa de negocio sendo de eslran -
geiro ; annuncie.
Quem precisar de urna mulher p^ra
ama seca de casa de homem solteiro : an-
nuncie.
Offerece-se para caixeiro de ra A
casa de estrangeira bum rapaz brasileiro
de bins costutnes e que da fiador a .->ua
conducta : quem o petleorier anuuncu
para ser procurado.
Vende-se 94 oitevas de ouro bom :
na Boavista ao p do armazem de sal em
casa do Sr. Mendouca.
Compra-se os livros segninles : Or.
denaces obras comphtas de Correa Te-
la; Processo orfanologico de Jos Pereira
decarvalho; Testamento do Gouvea Pin-
to 5 Direilo civil de Borges c irneiro; dito
mercantil de Silva Lisboa : quem os tiver ,
annuncie.
Na ra do Vigario D. 18 deseja-se
fallar a negocio de importancia no o Sr.
Quinteiro que morou em Goiana, e de
presante be empregado publico nesta cida-
de.
_ Quen quiser dar 700^000 reis a pre-
mio sobre penhores de ouro, annuncie pa-
ra ser procurado.
_ O accionista das canlellas correspon-
dentes as 3 loteras fax sciente que a do
Livramento corre iapreterivelmente no
dia ao do correte, conforme annunciou
o Sr. Thesoureiro e por isso roga aos
amadora que con corri a compraras di-
as cautelias pois vende-se nos lugares
ja annunciados.
_ Precisa se de ums ama de leite : no
pateo do Hospital do Paraiso no segundo
andar do aobrado de mirante.
Desapareceo do lugsr do porto das
Canoas do Moirio ao p donde mora ,
Machado, huma canoa meia eberta, com
ossignaes seguintes a saber, no banco ou
Vella ten urna cadeira suposta com seos
bracos, coa primeiro e segundo paneiro
tendo o mamo segundo paneiro hum esco*
tilhiozinbo pequeo, con tampa efeixa-
dura pintada de verde, cuja canoa esta'
sumida a porto do dois meses e oflerece a
qual quer pessoa que a trocer vinte mil
res, de gratificacio, emeau de Joaquim
Joae da Silva Bairio na rna da Cadeia do
Racife.
Oflerece-se para Caixeiro de rna de
can estrangeira ba rapaz brasileiro do
bous cosiumes, o que di fiador a soa con-
ducta : quem o pertender annuncie para
ser procurado.
_ Aloga-se s salla do 1. andar da ra
do Vigario numere 19 excedente para
ascriptorio, quem a pertender dirija se
a mesma.


'<'
*
DIARIO DE PERNAMBUCOJ
Qaem annuncoa querer Tend*
urna lojade fazendas dirija-te a praca
da Independencia D. 17.
_ A pesio* qoe annunciou querer ier
clsiroou feitor dirija-te a pracinha do
Livramento loja D. 19:
_ Quem annuncoa querer comprar
uma negr.i de ao annos de idade qoe sai-
ba cosinhar engommar e &c dirja-
se a ra da praia sobradinho de varaada
cor de chumbo D. 26 da mesma forma ,
quem annuociou querer vender urna loja
de fasendag.
_ A pessoa que annuncoa querer
700,000 a premio sobre pinhores de oro ,
dirija-se ao pateo do Terco D. 67 no se-
gundo andar.
_ Quem precisar alujar un primeiro
andar e armasen], annancie.
_ Quena sn quiser propor a ser ama
do urna casa da pouca familia, dando fia-
dor a su-, conducta dirija-se a ra da ca-
deia vellta venda de Jos Gonsalves da
Fonte que dir quem precisa.
_ A rnuier da casa terrel do beco da
smala vH!n que annunciou querer ser
ama de urna casa du i ja-se a camboa do
Carms a58.
Arreiid3-se o sitio Jacar um pouco
a diante da C; uz d'Almas com muito boa
cata de vivanda de pedra eca!, nova casa
lo farinha cavallarice para 8 cavallos
com grande pomar do larangeiras, coquei-
tos e mais arrores de fructo muito bo-
as biix'-s e sercado pelo fundo com os
os riachos jacar eagoa fra tem capa-
cidade de sustentar \ a 6 vaecas de leite ;
quom o pretender dirija-se ao mesmo sitio
ou na ra das Cruzas D. 18.
_ Quem precisar de urna ama de le*
te diriie-M a leuda de alfaiate na ra
estreita do Rosario casa junto a Igreja.
_ Quom annuncoa querer comprar a
obra demonstra ci da existencia de Dos,
pelo Padre iVJestre J0S0 Rodrigues de A-
raujo, dii iji-se a ra da Cadeia do Red-
1.: n. 59.
Kstabelece-se um ensno de desenho,
e pintura a oleo e ininiatnra e paitis,
estudo de desenbo da prsnatura aoode a-
prender perfeitamente a retratar, A pro-
iessor se obriga a dar prompto, e capaz
de bem desampenhar suas obras em dois
annos um anuo de desenho e ontro de
pintura ; quem quiser ter o tea retrato
perfeitamente copia fiel, dirija-se a ra
Jas flores O. id.
Precisa-sede 100,000ajaros por 4
rcezes da-se firmas a contento; quem qui-
scr dar nnnuncie.
_ Hoja 19 do corrente as 4 horas da
tarde, pela lerceira vara do Civel Dr.
Felis I'eixoto de Crito Mello, escrivlo
bauza se lia d arrematar urna casa ter-
rea de meia agoa sita no beeo do lamba
110 bairro da Boa vista pinhorada por
exacucio do Jio Xtver Carneiro da Ca-
lina contra o uta devedor Jos da As-
sumpcio Rfgo e sm mulher.
_ Quem annunciou querer vender
urna loja de faccnda, dirija-se a ra do
Queimado I-ja da Firmiauo Jos Rodri-
gues Ferien a-
_ Urna rm.lher de bons costumes pro-
pe-se a servir em urna casa preferindo
b bour.a cteiro ; quem a pretender di
t ja-se no S'giinuoand. r do sobrado no pa-
too do Hospital do paraso.
_ Qti.in quiser dr.r 400,000 a premio
com firmas a conleulo, dirija-se a esta
Typografia que as dn qaem precisa.
_ Q do caldcreiro <- eordeiro entenda-se com
c arrematante das ditas na passagem do
caldereiro.
_ Alberto Livcnero, boticario fran-
cs com deposito dos verdaderos- pos
parisienses, estando a retirar-so para a
Franca com sua familia tem a honra
de partteipar ao respeitavel publico qoe
de ordem e por conta dos mesmoi deposi-
tadores, tem feito entrega do deposito dos
ditos pos parisienses ao Sor. Heariqae A-
maniu Chaves Am francez a qaem de-
verio de boje em diante dirigirem se ai
pesaoasque quiserem comprar os verda-
deros poz parisienses.
_ Dett-ja-se fallar ao Sr. Quintarles ,
que leve loja do trates na roa aova diri-
ja-se a meaau ra loja da seleiro O. a4
De3j -je a filiar soSr, Jos Alaria
Schefler Jnior na ra nova botica De-
cima 27.
Quem quiser alugar um sobrado de
dois andares ou mesmo da um, tendo bons
commodos e sendo em algumat das prin-
cipaes roas do Bairro do Recife a da-se
algamas lavas ; quem tiver dirija sa a esta
Typografit.
_ Na ra Direita sobrado da um andar
ao p de dois ditos de varandas dooradas
D. 15 defronte do nincho fat-se toda a
qaalidade de bolinhos e bolos para o dia
de S. Jlo enfeitadoi com alfioin.
__ A pessoa que quiser trocar a mo-
radia de urna casa na ra v. Iba por ou
tra as ruaa da Conceica*o, Rosario, e
Gloria e no Bairro de S* Antonio na de
Hortas agoas verdes e trincheiras, ten
du a casa do annunciante duas sals 3
quartos, cosinha fora, e posso qoe no
exceda de 8000 tanto paga o annuncian-
te a tratar na roa velha D. a4.
Avisa-se aos Srs. vandelhes que
nao deera amostra de man'.eiga na ves pera
de S. Jlo pois ha quem queira fazer
bolo a costa desta mgica.
O Sr. Augusto de tal qoe moravft na
ra da Alegra foi qaem mtndou copiar as
msicas para a sociedade Eu ter pin a, que a
sua importancia be i3,ooo, cujas msicas
foro tocadas na mesma sociedade.
Avisos Martimos
~~~~~
PARA MACEIO' segae viagem at o
dia 3o do crrante o Patacho Rainha dos
Aojos : quem quiser carregar dirija-se
a M a noel Joaquim Pedro da Costa na ra
da cadeia n. i.
PARA FRETAR o Brigae Htmburguez
Johannes para qaalqaer porto da euro-
pa forrada, e cavilhado de cobre e de
superior marcha qaem o pretender di*
rija-se os seas consignatarios N- O. Bieber
di Companbia ra da Cruz n. 63.
na
I j e i 1 a (>
_ Que faz Luis Jos Marques de 4o
duziaa de tabeado de louro e amarello, ser-
rado no vapor ni dia 32 do corrente as
3 horas da larda, no armasem da mesma
serrarla.
_ Que faz o Corretor Oliveira, da um
completo sortimento de faceodas Inglesas e
Francesas, compreendendo urna porcio
de chillas cadiaa e coromandeis casacas,
e sobrecasacaa de panno fiao calsas, ja-
ponas e bons de borracha impenetravel a
chava, Qaarta feira 19 do corrente pelas 10
horaa da mauhi no seu armasem na roa
da Conceicio D. 3^ primeiro andar.
_ Qaefaaem S- Martin Irmios do sea
estabetecimento que tem na quina da roa
do Cabula defronte do SS. Sacramento da
S. Antonio do modo seguinte: loja com
fazendas dividas e dois esoravoe no
dia 1 de Julho *, os pretendentes pode-
ro antes do dia du arre malaca o irem exa-
minar o sobre dito estabelecimeoto como
lambem as condices do pagamento.
Compras
Urna morada de casa terrea at um
cont de ris ou se hypotheca pelo preg
quo fizer conta a ambos : na praca da In-
pependencia n. 26.
Uma lgica de Genuense, traduzi-
da por Coelho ; quem tiver annancie.
_ Um quarto possaote que esteja
gordo; quem tiver annuncie.
Um preto velho quo aioda possa pres-
tar algum servico : aa ra nova ao p da
ponte armasem onde se vende q uartinhaa e
fatendas baratas.
A plices da exiincta companbia : na
leja de Santos Naves.
Vendas
m. Meios bilbetes da Lotera do Livra-
mento : na ra doCabng loja de relojo-
eiro jauto 10 Sr. Bandeira.
Dais mil patacSes Mexicanos
rus da Cruz D. 60 nO segundo andar.
__ O* livros segaintes Direito natu-
ral por Felice dito por Poffendorff di-
to por M. J. Bentham lgica por Antonio
Genuenci, rhetbrce com um tomo de Ca-
ntos ama potica e um compendio de
Geometra de Euclides : em O'.inda roa
da bica de S. Pedro D. 4i.
__ Um sobrado de um andar com bons
commodos, sitio na ra do aragio da Boa
vista por prreo commodo t a tratar na
ra nova D. 34.
_ Meios bilbetes da Lotera do Livra-
ment a 3ooo : na ras Direita D. 8.
Matos bilbetes da Lotera do Livra-
mento 3ioo : na praca da Boa vista De*
cima 16.
Uma eserava hbil cozinheira, e boa
engommadeira, e lavadaira : na camboa
do Carmo caa qoe foi estanque de tabaco.
Uma preta de naci muito moca ;
e de bonita figura cotinha o diario de
uma casa com moita habelidade para cos-
tara de que tem bom principios, e excel-
ente ponto de agulha : em fora de portas
n. su quasi defronte do arsenal de Ma-
rinha de mtnhl at as 9 horas e de tir
de das 3 as 6.
a Urna porcio de pedras em broto a-
matistas grisolitas a pingos d'agoa: na
ra da cadeia n* 46
_ Um Hiate novo, com todo o panno
e aparelho preciso para navegar j e oega
1000 arrobas de carne : na roa do Quei-
mado D. 14 loja de ferregensde Jos An-
tonio de Magalhies B.sto & Companbia.
_ Meios bilhetes da Lotera do Livra-
ment : as 5 pontas n. 9 e na ra do
Crespo D. 5.
- Meios bilbetes da Lotera do Livra-
ment, a 3too : na roa do cabuga* loja
junto a botica.
Um molatinho de idade de 12 para
13 annos lindo e bastante esperto pti-
mo para pagem; no sobrado de um an-
dar na ra do Liv rmenlo junto a loja de
fazendas baratas de Joio Carlos de Burgos.
Meios bilhetes da Ltteria do Livra-
mento I na ra da Cabng loja de miude -
zas junto aos oarives.
TJma porcio de cha proas de louro e
amarello por preco commodo : na ra de
S. Rita nova O. 19.
_ Um escravo de ao annos de idade ,
bom cfficial desapateiro : na roa do Ca-
buga botica de Joio Morera, ou no pa-
teo do Terco em casa de Joio Gomes Mar-
tina.
_ Meios bilhetes de Lotera do Livra-
mento : napracinba do Livramento De-
ca a/|-
m Uma eserava cozinheira e engom-
madeira : na ra Direita D. aa.
_ Uma cabra bicho com um filho e
eom bastante leite para criar por ser moito
mansa : na rna de agoas verdes n. 80.
_ Uma eserava creoula de idade de 8
a 9 annos pouco mais ou menos : na tra-
vesa do Rosario D. i3 defronte da padaria
do Sr. Jos Gomes da Silva.
_. Meios bilbetes da Loteria do Livra-
mento ; na laja de miudezas jarrto ao arco
de S. Antonio.
_ Uma canoa aborta de carreira em
bom uro e por preco commodo : no at-
ierro da Boa vista sobrado que tem loja da
oarives francez do lado do sul junto
ponte, das 6 horas at as 9 da manbi e
das 4 as 6 da Urde.
_ 37 dunas e meia de prancboes da
sedro 5 ditas e meia de eostadinho de a5
palmos e l5 ditas de eostadinho de ao
ialmos, 41 ditas de aasoalho 1$ ditas de
orro todo de sedro e 35 dasias e meia
de assoalbo de canells e paraba, 95 e meia
de cottadidho de ditos : na ra dos Tor-
rea em casa de Bernardo Antonio de Mi-
randa.
Urna moleca de 9 a 10 annos de bo-
nita figura com principios de fazer renda
ecoser ; um tnoleque de 11 a la annos ,
muilo esperto para todo o servico de uma
casa; e ama negra de idade de ao a aa an-
nos 5 ama renda com poneos fundos no
mundo novo ; e um pianno da bom gosto :
na ra larga do Rosario D. 7.
_ Tres moieques de lindas ligaras, de
naci loanda de idade de la a t3 annos,
omito ladinos ; uma linda moleca de idade
de 15 a 16 annos moito ladina e propris
para mUmbanda; uma escraya de 3o a 35
annos ptopria para todo o servifo da uma
casa por 3o,ooo ; uma dita de idade de
a5 annos engomma liso, tioziriha o diario
de nma casa Com perfeicio, a fianCa-se nlo
terem vicios, ludo com flanea de boas ven-
das : na roa de agoas verdes no primeiro
andar do sobrado D. 38.
_ Sevadinha em brris de a arrobas:
na ra da Croz O. 4.
_ Um escravo do gento de angola ,
de bonita figura e ptimo para todo ov
servico : na roa da Florentina sobrado de
dois andares, das 6 horas as 9 da manlia ,
ou no estado maior do corpo de polica.
' Um raolcqae de bonita figura de
idade de 16 a '18' annos saba cotinhir o
diario de ama casa ; na roa da Madre de
Osos n. i5.
_ Uma venda na roa ds's Cruzes D* 7
a praso com baas firmas : a tratar na mes-
ma roa D. 9.
lisera vos Fgidos
-..----------------------------.
_ No da 9 do corrente fagio um ne-
gro de nome Miguel, naci cacine le-
vou roupa muito aoja beicos muito gros-
sos a orelba direita cortada um padaco ;
quem o pagar leve a ra aova D. 16 que
ser recompens a do.
No dia 9 do corrente fugio do sitio
da ponte do Ucht da viava do Coronel
Bnnio Jos da-Costa, uma molata de nome
Mara que representa ter ao annos de
dada bem parecida de estatura ordina-
ria magra pi compridos e seceos ,
foi eserava de Joaquim Jos Estoves e
ejosta que fora vista na povoacio de Pas-
mado ; quem a pegar leve ao mesmo sitio
a entregar a Jos Martins Ferreira ,' que
gratificar.
_ Joaguim de naci cabund fugio no
mezde Marco do presente anno da idade
de 3o e tantos anuos, sem cabello algum
branco na cabeca sem barba cabello ra-
lo no alto da cabeca estatura ordinaria ,
ps grandes, tem todos os dentes da fren-
te da boca, mas separados uns dos outros,
com uma sicatris de am talho em o p di-
reito junto ao dedo grande, tem muitos
annos de trra e por isso ladino ; dizem
que anda ganhando pela Roa vista, e 5
pontas ora catando casas outras veses
carregando e mesmo tirando caranguei-
jos e algons veses tem sido encontredo
tora do Recife': roga-se aos Srs. encarre-
gados da Policia e avisa-se aos capites
decampo bajo d; mandar appraender di-
to escravo, e levar a Cidade de Olinda ao
Sr. Dr. Chagas seohor do dito escravo ,
e no Recife ao Sr. Antonio Anoes Jaco me,
os quaes recompensar.
No dia i5 do corrente fugio urna mo-
latinba baixa cheia do corpo prenha
de seis mezes cbelo pegado no casco ,
ama marca no meio da cabeca quo nao cria
cabello, outra marca em cima de uma
mo, am signal preto as costas nariz
chato, pern.is arquiadas, ps apalhetados,
C3m idade de aa annos -, quem a pegar
levo ao forte do mattos em csa da viuva
do Srbastiioi
Moviuieiito do *Vorto
NAVIOS SAHIDOS NO DIA 17.
TRIESTE com escala por Clok; Barca.
Inglesa Eles Jonesbtou M. Atexandre
P. carga aasucar.
MARANHAO' i Escuna B. Jovina, VL
Joio Antonio dos S-ulos carga assu-
car e doces.
ENTRADO NO DIA 17
RIO DE JANEIRO ; 19 diaa Patacho Ii.
Uniio de n5 tonel., M. Joio da Silva,
carga carne : a Gaud.no Agostinbo de
Barros.
PERN* NA TYP. DE M. F.DE F. i839


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EDQ63LTIP_0PE5KL INGEST_TIME 2013-03-29T17:28:07Z PACKAGE AA00011611_03902
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES