Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:03901


This item is only available as the following downloads:


Full Text
&NNO DE Ytatf TERCA FEIR1
CAMBIO81
Jtfiho ij.
Londres agpr rfooo ed. ^___tJ
-iboa p5 por 1 premio, por irteUI, offimOM.
l*>tnca 5a 3i5 res por franco.
fiio de Janeiro 3 por loo p.
'Mcelas de 6# <|ooo 8f3oo a Sflo.
.Pezoa Cotuinnarios ifcoo a ijftM.
Dittos Meiicannj 1^660 a ifb'70.
Patacoes Bralileiros 1^700 a ii-o:
'Premios das Itlt as, por mes 1 1/8 a t i/a per loe
PARTIDAS DOSCORREIOSTERRESTESj
fidadeda Paiaiba e VHIasde sua pretenco 2 3 1
Cidade do Rio Grande do Norte, 0 Villas dem 3 '.' 3
f'idade da Fortaleza e Tillas dem ....'..'
Villa de Goianna ...... 0 .'.: '.'
Cidadt dt Olinda .' 2 i" K i -5 S 3 8 2 -3 f
Villa de Santo Anto V ".' V 2 ; 2 3
Dita da Garanbuhs t Povoacao do Bonito. 5 .' 2
Distas do Cabo Serinhaera, Rio Formoso, e Porto Calvo
'Cidade das Alagoas e Villa de Naeei. .
Villa da PajauFde Florea..... s t 2 i
Todos os correios partan ao ateios da.
' ', ______________i_____________L_____.. _. ____
.8 D JUMO NUMERO 130.
Tudo agora dependa de nos ^sesmos; da nossa prudencia
moderadlo, energa : oont miemos como principiamos
seremos apontadoc com admiracio entre u fiacocs
PtvelamMcS da Atitmble* Gpraldo Brmtrt.
Subiereve-se pal-a esta foHia a 3jfooo por finarte! pagos adi 1
amados nesta Typografia, ra das Crazes U. 5, e na Praga
da Independencia i), .17 a 38, onde se recebe correspon-
dencias legal isadas, e annuncios; insirindo-se estes gratis
sendo dos proprios assignantes e vindos assigoados.
DAS da semana.
Segundasje Sextas Jfeiraj;
Todos os dias;
Quintas feirns;
Diat io, 54 de cada mes
dem 1 11, e ai ditto diltoj
dem idem.
Idea i3, ditto ditta
17 Segunda S. Tberexa Rainha. Ses. da Thet a aud do J. de D. da 1. vara de m anh.
18 Terca S. Leoncio Al. Re. e audiencia do J. de D. da 1. vara de mauli.
ig Quarta S. Juliinna de Falconiere. Sesso da T. P.
30 Quinta S. Silverio P. Re. eaud. do J. de D. da a. vara demanh.
71 Sexta S. Luiz (iontagi. SessSo da Tliez. aud. do Juiz de Dir. da i Tara de m.
a Sabbado jejuraS. Paulino B. Ral. de manhS e aud. do I. de D. de m.
ao Domingo S. J0S0 Sacerdote.

Mari cheia para odia 18 de Junho:
As lo horas e $4 minutos da manh. As 11 horas 18 minutos da tarda;
RIO DE JANEIRO.
ASSEMBLEA GERAL LEGISLATIVA.
SENADO.
Sesso etn il da Maio da i83o.
Presidencia do Sr. Dogo Antonio Feij.
Aberta a sesso com 33 aenhores sena-
dores, leo-se e approvou-se a acta da an-
terior.
Reme!e-se ai comtnissSes de constituica&
e derommetcio urna resolucio da cmara
dos Snrs. depatadoa aalorisando o goer-
no para conceder a Conrado Jacob da Ni-
emeyer e Pedro de Alcntara Bellegar-
da, a facultado de organiaar ama compa-
nhia para o fim de arrasar o morro do
Castello da cidade do Rio de Janeiro : as-
aim como um requerimenlo de Clemente
Joae de Mondones, pediado a approvaco
de um plano que julgi maia Tinta joto
para o arrasamento do morro do Castalio,
e offeracendo ama memoria sobre esto ob-
jecto.
E' ramettida a commissf o de commercio
Qm requerimenlo de Jlo Baptista Boutay,
propondo a vulgirisacio do sagrado de um
modo de aperfe icoamanto no alambique de
Baglione, debaiio di condicio do se lhe
ratificar este servico, pela segunda ma>
seira estabelecida no artigo 179, 36 da
consiituico do imperio.
Ramete-ae as commissoes de fazenda,
e goerra o requerimenlo do official maier,
effieiaes e mais ampregados na secretaria do
conselbo supremo militar, pedindo aereo
i igualados era Tencimentos aos empregados
. as secretaria de estado.
Vaea commissfo de legislarlo o requeri-
* ment do padre Jos Antonio de Caldea ,
pedindo ser restituido ao goso de c idadio
* Bruileiro.
Ordem do da.
Eotra em teiceira discusslo o projecto \
He le A R, de i836, sobre attribuicSes
do regente do imperio. Dicidindo-se que
se discuta por artigo, passa-se a discutir
o artigo 1 e be approrado o seguinte re-
ouerinjento.
Propon ho que este projecto da at-
I tribuicSes da regencia fique addiado pa-
ra a ssasio seguinte. Rodrigues de Car-
TJ'd0* .... .
He rejeitada emjprimeira discussao da re-
soluto da i835,' amnistiando os crimes
polilicae commetidos as provincias do Pa-
ra' % Maranbi.
Continua a terceira discusslo, addida
em 8 de malo de i838, da resoluco A J ,
de 1837, sobre organisacio dos destacamen.
tos da guarda nacional.
He approrado este reqnerimento :
Proponbo o iddiamento at a sesso
seguinte. Conde de Lages.
assa-se a discatir a resolu?ao da outra
, caara da 1837, que ipprota a tenca de
2o| rs. concedMa ao coronel Carlos Jo-
te dt Mello.
Heapoiado o seguinte req-ierimanto.
Voltea commisso de marinha e guer-
ra para interpor o seu parecer. Sstur-
nio.
Vm a mesa e be apoiada esta e-
menda.
Deca re-se a tenca de major, enja
ptente tere no ejercito. Conde de La-
Disentida a materia, he approvado o re-
querimenlo do Sr. Saturnino.
He rejeitada em primeira discassao a re-
aoluoaS de 1837 que declara no goso dos
direitos deeidadao Brasileiro a Paulo Anto-
nio de Faria.
Finda a ordem do dia, o Snr. pre-
sidente da* para a da sessfo aoajuinte :
primeira diacnasfo da respoata falla do
trono, e terceira discusslo das resolucSes
de i838, sobre as naturaliedes de Simpli-
cio Eusebio de Nogueira Antonio Josa
Pereira Duarte, a Antonio Gomes Coa-
Ibo.
O Senhor presidente levanta a sesso
meio dia, a convida aos Snrs. senadores
para trabalbosde commlsaoes.
PERNAMBUCO.
COMMANDO DAS ARMAS.
Expediente do dia 7 de Junho;
Oficio a- Ao Exm. Presidente ds Pro-
ttcu das Alsgoas reqoisitando-lhe a
jostificacaS que ali dera o Cabo Vicente
Soares de Mello Jnior do BatalbaS Pro-
visorio de Cacadores a fim de ser justifi-
cado Cadete, por isso que tal justificaca5
nao o acompaohara quando regressou
a esta Provincia.
Dito Ao Major Jos Thamas Henri-
que, Com mandante do Bitalhio Provi-
sorio do Cacadores ordenando Ibe a re-
messa de nm mappo demonstractivo do
Pessoal e material da ExpeJicca inclu-
indo logo os aof' cartuxos embalado do
adarme 17 que boatem sa requisitaraS.
Dito Ao Com man dan te do 3. !-
talha d'Artilbaria ordenando-lbe a re-
messa das guias originaos das 31 pracas
viudas do Rio Grande do Norte per-
tencentes ao Batalba 7. de Cavadores ,
que por Portara de 10 de Janeiro do an-
uo fiodo fora5 mandados addir ao do seo
Commando.
Diversas ReparticdBis
MEZA DO CONSULADO.
_ A Panta be a mesma do num. lao.
CORREIO.
O Pataxo Flores recebe a mala para o Rio
de Janeiro a maulia 19 u 9 horas da ma-
nbs.
OBRAS PUBLICAS.
Na5 tendo-se realisado no dia 16 de
Maio p. p.. a venda em asta publica dos
p5 paos velhos, tirados da ponte da Boa-
Tista or motiros imprevistos que re-
corrers fax-se sciente ao Publico que di-
ta Tenda se bde realisar no dia ao do
corrente, na Salla d'Amioistrsca Fiscal
das Obras Publicas onde deTerS concor-
rer os pertendentes, do meio dia at duas
horas da tarde; declarando-se que os di-
tos paos foro avaliados pelo Mestre Car-
pintero em 64 rs. cada um ; e se acbfo
arromados em huma tulha, atrat da casa
da RelacaS era Palacio velho onde po-
derS hir ver-la os qae apertenderem com-
prar.
A. F. da Moura.
A. F.
PREFEITURA*
Parte do dia 16 de Jnaho de 1839.
Illm. e Exm. Ser. Forao presos hon-
tem a miaba ordem o tiverSo boje des*
lino .* Domingos Antonio Caroeiro Lea5 ,
a Joad Luis Teiieira braucos, Jos Fer-
reira pardo e Benedicto preto, es-*
cravo de Josa Pedro de Farias pelo Sub-
Prefeito da Freguesia do Recite o i.
por ter mandado apprseotar ao negocian-
te Adolpho ^chramm urna Letra falsa da
quantia de 878/ res, com o nomo de Vi-
ctorino Pereira Maia ( da Parfhiba ) ; o
a. por ter sido o appreseotador da dita
Letra ; o 3. e 4* por terem tido pou -
co cuidado com urna carroca. carregada
de farinba de trigo, qne elles acompanha-
vao a que pisou o pe a urna preta es-
erar*; e Jos Joaqoim de Santa Anna ,
tambera preto, p9W Sub-Prefeito dos Af-
fogados por ser de pessima conducto.
O Sub-Prefeito do Recife partecipa que
no dia i4 do corrente mex apparecera no
lug ir do Porto das Canoas o cadver de um
individuo cujo norne e cor sa nao pode
conhecer e que da vestoria a que pro-
ceder o Facultativo resultou que p are*
ceo ter sido sfTogado, por na5 appresen-
tar em seo corpo nenbnm indicio do ter
sido assassinado.
E' o que consta da partes hoja receba-
das nesta Secretaria.
Dos Guarde a V. Exc. Prefeitura da
Comarca do Recife 16 de Junho de
1839. Illm. e Exm. Sr. Francisco do Re-
g Barros Presidente da Provincia.
Francisco Antonio da S Barreto Pre-
feito da Comarca.
Parta do dia 17.
Illm. e Exm. Snr. Fora6 presos bon-
ica: a mioha ordem e tiverao boje des-
tino: Antonio Jos branco e Jos Jo-
quim dos Santos semi-braoco pelo >ub
Prefeito da Feguesia do Recife este por
estar em desorden com urna mulher, o
Ui-a ftido com ama garrafa; e aquello a
requerimenlo de Joso Lcianno Dourado ,
por varios crimei; Mreos Luiz Antonio
pardo por nm soldado de Polica por se
comportar mal occasionando nm tumul-
to na occasaS de se soltar o fogo de artifi-
cio na ra do Crespo ; e Francisco Neri
preto pelo Sub-Prefeito da Freguesia da
Boa vista por ser desertor de M.rinhi.
Nada mais consta das partas boje rece-
bidas n'esta Secretaria.
Dos Guarde a V. Exc. Prefeitura da
Comarca do Recife 17 de Junho de 1839.
Diario de Pernambuco.
Vimos folhas do Rio de Janeiro at a da-
ta de ae de Maio p. p. e por ellas podemos
certificar a os nossos Leilores, que esta
Provincia gozara de tranquillidade.
Deveriao partir para o Rio Grande do
Sol, corma Presidente o Dr. Saturnino da
Sooza e Otiveira Inspector d'Affaodega da
Corte, como Commandante da armas o
Tenente-General Manuel Jorge Rodrigues;
e o Chafe de divisfio Grenfefl por Aviso do
a3 foi nomeado chefe das forcas navaes.
No dia 32 tinba sido preso por ordem da
polica um Francs morador no Castello .
fabricador de notas falsas. No acto da pri-
so acfaara5-se-lhe muitas das dirs notas ,
do valor de Ss'ooo rs., j assigoadas, '
juntamente a chapa. O artigo nao declara
os esclarecimentos, por onde sa poisa co-
nhecer a frlsidade das notas. Na ruado
Sr. dos Passos tinha-se adiado a prensa,
que servio para a fabiicscfe das notas.
O n.* 117 do Jornal do 'Commercio de-
parou-nos este artigo.
Do Bemfasejo de Santa Catharina .dr
10 de Maio extractamos o seguinte ;
Da Lages sabemos, que os rebeldes nio
deixa descer nada ; que tem seus fegistos
poslus nos pontos convenientes e que o
capitio Candido Alano, do ponto para
onde se tinba retirado fizera i sorprezs
sobre os rebeldes que o observa vao coa-
seguindo batel-os i mas que a final ambas
as forcas se relirara por enfraquecidas,
nio obstante os rebeldes serem em forca de
200 homens e Candido s ter 60 : tal fo
o choque e a perda dos rebeldes, que o
nao poderad perseguir.
J era Lages se comecaQ a sentir os terri-
Teis effeitos da rebelliSo ; as dissenses en-
tre os dous intitulados cheles parece to em
augmento e o desgranado p0To quem
soffre.^ Pelas noticias que temos alcanga -
do j liberal, e republicanamente fusil.'
rao trez homens : Antonio Ignacio nio quer
iguaes Serafim nio scffre superiores. As
providencias tomadas em os registos, e
guardas j Ibes lem feito sentir filias, e)
nio tarda que se Tejad obrigados a vir pe-
dir misericordia: ets como os imbeceis ,
os que nio en tendera nada de poltica cor-
ta rebellies sem ferro.


V -
\
Comniunicado:
DIARIO DEPEBN \M J3 U C 0.
NJo ba verdad* qne hisfori* tenha
mais cUra e firmprnerte esuhelecido do
qu* segninte: A liberdade he han fru-
cto de difEeil niliu'a ; rou:t3 calma eslor
va-lhe o nascimento o seu ncrerc-nto, e
demasiada SfMscfo o faz murehar e c-
W\r. O ex*ssa d< honanca ood-exci-
tacio na Saciedade Ihe he igualmente daro-
noso. A nimia bnnanca com effeito entor-
pec o espirito, fnz esquecer o homma o
ea nobre destino, a paga nel|e a lembran-
<-a de seus direitos imprescriptiveis, e o
*orna cepo escravo dos caprichos de lnim
ijpspota sanhudo ou astucioso. A nimia
* xc lacio, de outro lado, altennando-llie
ns forjas e causando o aborrcciroento o
eojoio para uro estado de cousas que s
traz consigo tumulto, violencias, espolia
c5*s, e huma cruel incerles em ludo, lao-
<-a tmbenlo hornero na barbaria e cansado
onverte-se elle em fcil e voluntaria pre-
75 do despotismo de quem impetra e espera
sccego em troco da liberdade de q'abuioii.
Tanto hecerlo que a primeira e mais ur-
ente necessidade dos povos lie tranqii'-
lidade mas huma tranquilidade normal,
aUM nem avilte oem canse o espirito ; hu-ra
iraqnidade zelosa ameacadora, no meio
da qual nao se descuida o povo de curar
om ardor e com alguroa suspeicao de se-
'is iot-resses polticos o sociaes e que in-
funda terror a quem quer que ouse violar
ns sus foros.
Si nocorpo pliisico a demasiada acco,
a sua dcnjiouicSo eseessiva, ou cirenca to-
tal produzem a grangrena e a mor*e, na
associaco civil as mesmas causis noa apre-
'ento os meamos eflelos, em menor ou
maior grao, conforme a naturesa do abu-
zo. Beos poderamos ir buscar exemplos
raraprobatorioi de-sa assercionos fastos de
qusi todas as naces antigs e medarnt :
a G'ecia, a Roma, a Franca, a Inglaterra,
si invocasiemos o testemunho de seus an-
naes respectivos, nos ministraran! innu-
meras e valentes provas em apoio dest ob-
servaclo. Mas escusada he esta tarifa a-
lias instructiva, porque todo o hornero bem
educado hoje reconhe esta verdade, e ara-
lia devidameote a sua fqrca ; e de maii
ulvez ningaem nos fosse grato por essa
ostentacio de erudicf! de qua o sabio
ns5 precisa, o ignorante po aprecia assj
f que os malintencionado* ou torcera a seu
(eiio, ou no toda despresto.
Em admoestaco pois no Brasileros,
recordem-se elles qo- a peda da liborda-
de ha sido a misrrima sorte das incoes
que se tem imprudentemente entregado a
um ou a outro desses perniciosas extremos.
Cnmpre, alero disto advertir que a cau-
sa da liberdade no Brasil pariga boje mais
pelo excesso de agtaciq do que de quieta-
co tio necessaria para consolidadlo de
nossas instituices e o desenvolvi-
raento das forcas indnstraes do paiz, e
que se nio arrepiarmos dessa perigosa car-
reir, arrojaremos a patrie e a liberdade
em huma sepultura prematura, donde sqr-
>',ira' o despotismo fers e pesado, como no
dia terceiro se levantou glorioso e re-
fulgente o Cliristo libertador do genero
humano. Por quanto lerobrem-se anda os
Brasileros que nio f para tio negro fina traba Ibero e queou-
tros ha, a quem as irregularidades prati-
cadas tero desacorsoado, que sinceramen-
te affeicoados a patria conscitnciosanente,
e por motivos e com vistas beca diversas
dos primeiros os ajudio nessa, beta que
impa impresa cuidan Jo dest'arte abri-
gar o pas em algum porto ou en,seada oo-
..e salvar se possa. Forcar aquelles a psoro-
recer e disistir da obra liberticida ero que
esto eropenhados por hum asp,ecto cir-
regado mas sereno \ pelo amor e aferr a
ordem, por hum necessario e bem enten-
dido socego, inspirar a estes c-n..fianca na
vontade nacional animo e fieme desigo.io
denlo desesperar da patria he um dever
sagrado para todos nos, alus, tornaremos
a repettir sepullarejsios as nossas liber-
dades em o mesmo tmulo eco que as na-
ces turbolentas e irojirevidentes tero en-
cerrado as suas t fo preciosas cjpao as n-ys-
as, e talvez mais firmemente ejUbe-
. cids.
'''ra siudnvel e epnitante prilica dfste
eoQwV consistir' a felicidftde do Brasil \
aisim seremos fortes e respeUs-do' } sobre
tudo baja unio, coodicco ii*e quanon
de nosaa existencia poltica. O-que sere-
mos n comeffeito divididos, si unido
a somos poneos ? Sfra Franca Hre* bo-
je a invadir o nosso territorio ob pretex-
tos especioaos ; se ella se a (bula a qccopar
militarmente um porco c ooaidiaer do
n.osao sollo, que anda est ern Ulign, sem
que a diplomacia tenha ex'urido lados os
mnos pacficos de ajostar um nego-
cio que pnde de ha tantos annos ; se ella,
o as (Umait potencias d Ejropa ou nos.
insultam ou nos despres* agora qae um
* vs>cnro nos liga, como oroacodeset-
t<9. bajrarca do antigo Scyta sycbh da
forc q que nlofara' ella, e todas ellas,
(jii.rrd ''S virem retaibados em mil '-cJ
fas, em lulta a mil farcps odiando-nos
uns aos outros ? Tristes, terriveia rrflexes
sao estas qoea vista da ana.rquia> snugere !
m'donlio deploravel provir se nos entolha
si a paz se nio resttbelece, *< a oaiio se nio
fortifica O Ceo proteja o Brasil; e arre-
mece p^ra longe os infortunios que nos ame-
co S;reno erisonbocontemple elle aos
seas (sitios.
Brasileros i laes sa6 os votos cordiaes e
fervorosos que releva dirigir ao Supremo
arbitro das colisa humanas. Mas entre
lauto que a historia mai da verdade e da
experiencia nos apoQta os gravissiaoos
itihIps quo a sgitaca abundantementi* gara,
ella continua impvida a sua desastrosa car-
mra e se mostra sarda aos conselbos da
lisibna e aos clamores de alguns poucos
patriotas semeados aqui e acola no vaste
ocano da anarchia como a cara maruja
da. 'rotla Troianna despois da hrrida pro-
celia que accoaimetteo. A obra de des-
tniica5 pro^ride ; os agitadores trabalba
nq edificio do despotismo ao passo que
penci estar construido o temp augusto
di liberdade. No Para o imperio da Ui
apena est replantado; na Babia anar-
chia succedera persiguicoens e as io-
gancas no Rio Grande do Sul emfina ,
os esforcas enrgicos e illastractos do acta*
al governo anda nem conseguirs destru-
ir os elementos de desordem que urna se*
rie nao interrotnfidf de seto de desgo-
verno creou a ambica dus dous Dentos
favoopop % 9 a) impericia do traniactos
ministerios Bteou e ffz lavrar com summa
vio enca, l'oiem no meio deesa tremen-
da commoca que ablou o imperio inlei-
ro una esperanc existe ideia consolado-
ra pa.ra oa verdadeiros patriotas be que
urna eombinacs de energa e brandora sa-
bif m**nte applic'da sulfocara a -desordem ,
pr'vt-mi a eancordiaea paz e que urna
adrainistraci vigorosa prudente es-
claree da l'ar sanar os males feilos, e
nos segurara' um futuro sem nuvens sob
cujea boos auspicios as popnlacoens de-
sengaadas e escarmentadas caminbira5
sem mais tropcos na senda da civilisaca
e da prosperidade de roaos dadas coro a
paz e liberdade. Ettas si as mximas
que o governo deve adoptar este he o tri-
llio que Ihe compre pisar; e cont eom elle
o apoio de Pernarokuco que est prorapto
para faser as maiores sacrificios e a incorrer
os maiores perigos para manter inclumes
as nosaai livree inaiiluicoens. Seja a sua
divisa rdem Liberdade, e Unia.

w
Correspondencia
Sari. Redactores. Nao s a generosa
hospitalidad? que eu recebi do Sor, Fran-
cisco Jfise Martina Tenfnte Coronel Cero-
mandante da liba de Fernando de Noro-
nba durante a a minha injusta depor-
tsci. ocoazionada pela revolta de 7 de
Vovembro na Capital da Provincia da Ba-
bia como o quanto elle se enleressou em
me tornar a dosse liberdade me empoem
o tributo de faser publico as excedentes
qualidades de que sua alma he ornada ;
piiaoipiando pela dossilidade e brandu*
ra caro que acolbeo a lodos os que tive-
ra aoroigo igual sorte de deportaca ; nao
dmaodc de memorar o bem que a todo
tem Uiio, destiuguindo aos mais Ilustra-
dos seccorrepdo aos miietaveis e des-
al idos, consolando aos que Ucritaoso por
9
sua familia laanentafi sua triste sitnaca :
dest'arte n sabendp ser insensivel aos
males alheios a sorte dos infeliies res-
peita e faz respeitar a de quintos a seu
Comraando entrega hum bom ou mao
destino ; a Justina administra com bran-
du >a mas niiuca chusando impune o cri-
ase ; assa a paz consegue e se os mos
em hoos ufo muda ao menos cjm os bons
os liga e doma ; o deciro e a honra
faz manter e assim do Altar e do Tro-
noas Leis Sagradas ; na cultura da liba
a lempo cuida, fasendo-a frVecer o quan-
to pode ; de contino velja fin seus deve-
res : no bem do Estado assas se eoteressa :
ero fim de sua alma s respira o bem e se
taes feitos sa5 dignos de louvor na5 me-
nt o]sera de alta memoria. 4 de Junbo
de 1839.
Jos Antonio de Freitas G-oedes.
Snrs. Redactores. pm Rogo Ibes a insT-
cao tanto da carta que dirig ao Snr, Dr.
Felippe Neri Rodrigo deCarvalho cono
da qoe me dirigi em resposta o mesmo
Snr, Dr. ; e d*ste modo terei respondido
ao Snr. P'ciente dos Caprichos reser-
vando para o Tribunal do Jury a minha
completa defesa de que muito Ihe ficar
obrigado o seo muito venerador.
Francisco Antonio Rabell j de Carvaio.
Ulna. Snr. Dr. Felipn* Neri Rodrigo
dft Carvalho. Para distruio a caluniosa
correspondencia inserta no Diario de t do
correnle a-se-me preciso que V, M.
declare ao p tiesta.
1. Se pas corridas de Saiide que te*
nho feito as tabernas do Burro da Boa*
vista rom V. M. e o Fiscal do mesmo
Bairro Francisco de Barros Falca da La-
cerda se algum lempo, dia hora, ou
vez roguei a jurisdica de Medico da
Saqde qqe exerca V. M* bpj Ba cor-
ridas eom os Fiscaes.
? Qjem examina os gneros no acto
da corrida, se soq eu ou V. M. ,equem
os julga iicapa de aeren} applicidos para
O nzo alimentario. -^
3. Julgados o* genero no aeto da cor-
rida por V. M. corrompidos oa faloi-
ficados quiso be qua Qg mando deitar fo-
ra se son eu ; ou o Fiscal.
4- Se algqut dia eu mandei deitar fo-
ra btn is inteiros de Manteiga Toucinho-
com a cor amarella do sal fidilbo cooj
grao furado Queijos 1 ora roedellas d
rato e Vinagre por ser do estreito.
5. Ss as corridos qoe fiz como Es*
crivaS da Almotacaria em toda esta Cidade,
com os Extioctos Juises Almotaceis, e V.
M. como Medico da Saude se algum dia
roguei mima jurudic. da Arto de V.
M. ou se me opunha as suas delibera-
coen.
Dos Guarde a V. M. Becfe 9 de Ju-
nbo de 189. De V. M. attenco vene-
rador. Francisco Antonio Ribello de Car-
valho.
o
Ilion. Snr. Francisco Antonio Rehello
de Carvalho. Em resposta sua arta de
9 de Junbo do correte anno tenho a
diser que as corridas, que se fasem coca
o Snr. Fiscal da Boa-vista se observo
sempre, oque a Leiordena. Os gneros
venda sao presentados para eu os ver e
examinar se podeco <>u pi prejudicar ,
a saude publica. Quero o requer be o
mesmo Fiscal do birro. Quando eu
julo que elles podem cauar Uamne el-
les sao pala Le laucados fora. V. M.
nenhuma engerencia nisto tem; faz oa
competentes termos de adiada e o Fiscsl
empoem a conderanaci que a Le man-
da. Huus genero aa. man psejudiciaes
do que outros ; mas a Le nio distingas.
Alguns vendedores quando se Ibe acha al*
gum genero 001 rompido costumao diser,
isso bao se vende be para uto domesti-
co como toucinho para derreler e ser-
vir para luz manteira avariada para o
mesmo uso unUiy para gal-nbas Mise-
ravel subterfugio; Eu ate costumo ad-
ven il-os e diaer-lhes : slt gento daqni
das pode corromper-se : deve vende-lo
logo como Bacaibao Queijos. O vina-
gre algumas veses tem sioo lascado fora ;
mas da-lhe ese no me ; ello va5 be vina-
gre sim Agua do pote laftcodjp no aso
que o leve. Este ns5 pode servir otos
para aso calioar ,"' e renos Medicinar*
O le bello xarope daria! Eu sau cha asa-
do por lados os Snrs. Fisc-es talvex por
ser nxais pratico ero t.es Exames. Spr
de Medico da. Saude normado pela Illu.
trissima ('.amar. Quando depois houvo
Guarda Mor da Saude oeservir o mesreo,
log.r. E nesse te*no vinagre chamado %
Queijos Haca'^O e "fji outro gne-
ros a variados se lancarolS, tora, e ara&
conde roados, os que OS tinbio a vend,
Em todo o lempo nao se faz mais do qua
cjmprir a Le. EV. M. isto mesmo vio,
praticar serwodo d Eicriva d'Alm re. Nenhunas conaideracoens, neiihunj
contemplacoens devem haver quando sa,
tracta da Ssude Publica.
Sua Casa, em it de Junbo de iSlg.
En sou seu atiento venerador
Felippe Neri Rodrigo de Carvalho.
Exterior.
PARIZ, 1* d'Abril.
O Monitor publica esta roanhf 1 os se-
guintes Dacretos, datadas do IM.cio dos
Tuilherias m 3i de Marco de 1839 :
Mr. de Gisparim t par de Frailea he
nomeado Secretario de estado da rcuaaico
n interior, em lo^ar da Mr. o Conde de
Montativet, coja demissio foi acceita.
Mr. Gerod (da l'Ain) par de Franca, be
nomeado guarda dos Selos, e ministro Se-
cretaria d'esUdo da reparticio da juslica e
dos cultos em logar de Mr. Barthe cu-
ja demisso foi aceeita.
A demisso de Mr. Conde de Mole, pre-
sidente do conselho dos ministros e minis-
tro 9 secretario a'astado do reparticio dos
negocios ostra ngei ros foi aceeita.
iVlr. o Duque de Montebelro, par da
Franca, he nomeado secretaria d'esUdo
dos negocio eotraogeiros.
Mr. o Teaente-gaaersl Daspans Cuhiers
be nomeado ministro secretario d'estado da
reparticio da guerra ero lugar do T-nente-
general Bario liarnard, ceja demisso foi
aceeita.
Mr. o Bario Tupiaier, roembro da C-
mara do Dnpuledu, he nomeado ministro
e secretario d'estado da repartilo da mari-
nhs o colonias, em logar de Mr. o Vico
Almirante Roaomel, cuja demisso foi ac-
eeita.
Mr. Parant, membro da Cmara dos De-
putadoa, be nomeado ministro e secretario
d'estado da reparticio da instrueco publi-
co ep logar de Mr. de Savaldy cuja da-
missie foi aecoita.
Mr. Gaatier par da Franca be nome-
ado ministro e secretario d'estado da repar-
ticio das financas, em logar de Mr. Lica-
ve-Laplagne cuja demissio foi aceeita.
Mr. de Gaspsrm ministro e secretario
d'estado da reparticio do interior, he eo-
carregado interinamente das funccSes de
ministro e secretario d'estado da reparticio
de irabalhos pblicos, da agricultura e
du commercio, em logar de Mr. Martin (do
Norte) cuja demissio foi aceeita.
CIRCASSIA,
Eicrevem de S. PetersbargQ 12 de Mar-
co o seguinte :
As ultimas noticias de Tili* (Georgia)
nos dizem que a guerra oontra osCi.rcasftia,-
uos est mu lohge do seu termo. O* emis-
sarios que o tenente -general Go'ovine en-
viou a Abasia, para sondar os chefes aas
tribus, 9%ta desabor se elles eslava dis-
postos a fazer a paz reCeberaO a enrgica
resposta que seria mais fcil o Ceo abater*
se e a trra abrir-se do que hum Cucas-
siano tornar se amigo de hum Moscovita.
Os principes Abases enviaran a Conatanti-
nopla plenipotenciarios encarregadoa d"
propor ao Grio Senhor a sua submissfo e
declarar-lhe que elles estavaS promptos s
pagar-lhe hum tributo aonual eco dinieiro,
a lornecer-lhe hum contingente em cavi-
lara e a sustentar ua custa hum gober-
nador turco em a Abasia com a condiclo
de elle os delender contra os Russos. Por
outro lado estes Principes nio tem querido
deixar paitjr Mr. Bell, que elles olbao
como hum representante de'Inglalerra. tu-
les Ibe tem declarado que se a Inglaterra
I


quier soccorrel-os erHcszmente, enviando
]he armas rounices de guerra e fficiaes,
ee,s obt"r;5 ro s a todas lenitivas
que a Russia possa fazes conjra as, Indias
Inglezas mas tambero rqvohffiaQ a Geor-
gia e o Piz dos Coshcoj. Esta noticia ex
asperou de tal roaneira o Imp'-radpr Nico-
lao, que elle deo ordem ao Tenente gena-
rstGorovioeptrerr'.rzer roa guerra deex-
terminb) ac$ Circassianos, a s reduzir to-
da a Ctrcassla a fgo e a sangue evitando
os combates coro os montanhezes ; de aper-
tar o hloqueio das costas ede prometer
grande recompensa* a toda p Circasiano
que trabUse a sua patria a. viesse unir se
dehexp das bandeiraj da Russia. A or-
dem de fa/or esta guerra de de.atruioao
raba depuhcar-se oficialmente em 8. Pe-
terbourg.
(Du Coraroerce.)
PARJZ,6deApril.
Noticia* da Turqua.
Recebemos por vis extraordinaria da
Constantinopla a noticia de qoa o Sisliio,
urdo todas i representadles doa Emba-
xadores estrang-iros, estar firmemente
Cidade. Eiteshomeqj bsvia frito parte
da lego lugleza comraandad* pelo general
Evans.
Eis aqui o que se no Phare de Biyona
de 6 do dito roes. Parece nio sofrer du-
vida qqe os destarados carlistas contando
eom o apoia d Cabrera tomaraS as suas
medidas enp consequeneja. O- principaes
e os mus infl'i-ntes d'e.ptre ellps se derigj-
ra5 a T oubsa para estabetecer hura* corres
panlencia cotn p clief^j aragonez, entretan-
to que os outro ficara no departamento
dos lnixas Perineos. Desta maneira se es-
tal|Hcej^ huma cadeia pela quil .serio
fraosroetlidas noticias e as corresponden-
cias com a maioT celeridade. iVfirma-se
ppr nutro lado que Cobrara nio quer execu-
l*,r asorden que Ibe envi D.Carlos, a-a-
legando que ella est coacto e sem vonta J N
de sua propria. Varoto continua a pren-
der e a perseguir tudo qqanto llie he desa-
fecto. Em qoanto a Espartero be adrqtra-
vel rer a su.* apathia sera emprebennder
nada que vaina a pena de menciohar-se,
sendo as suas forcis numricas superiores as
do migo.
PARIfc, 7 d'Abril,
v*r.1 rn
presente sertifieado, e ass'goar mea mino
a roeu rogo visto o roen estado fizica m
imposibilitar de o faser.
Reeifeai deNovembro de l83j.
Por mea roano Jote Joaquim Lo* y.
Joaquim Jos Lody.
Reconheco verdadeiaa a letra e signal
supra do que don f.
Rexifeaadfl jNoembrode 1837.
Em Testemunho de Verdade. Sgn.al
Publico. O Tabeliam Publico.
Manoel Antonio Coellio de Oiiveira .
Desde o dia 4 do corrente tero havjdo
nesta Capital diversos ajuritamentos fa-
deidido a facer atacar sera demora o exer- j zendo alguns d'elle* diligencia de roubsr a>
cito egypciano; atsim neste momento, as lojas que venden armas, gritando alguna
hostilidades entre a Porta e Mebemet-Ali s armas Vira a repblica eutros canta-
podern ter j.i comecado. I vaij a i\Iarselbesa, s buroa .grande parte
Por outro lado i os lemos no Sai, de delles estavaS vestidos decamizollas aiqes,
Marselha o seguate, eitracto de huma tendo na cibepa hum bonet. l'renderao-se
c-rta de Constantinopla de 19 de Marco 1
No momento de fechar a minha corres-
pondencia sube que hum grande conseltio
tere lugar na Porta em 16, e que elle lava
por objecto a exer cito Knrdistan 5 elle nio
pode j campar em Malatie porque o pa-
iz stesgotado, he preciso que elle avan-
ce, onrecue; fazal-o recuar seria perder a
sua coonideraco o mesmo attacar a mo-
ral do soldado 5 fazel o ..vanear bequaai a-
brr a canapanha e coroaoar as hostilida-
des, porque Ibraim-Pacha nio eaai Ion-
ge. Oconselhosubmettcu aoSultio a de-
cisf0 desta negocio, qaal se espera com
apcedade. Toda* as Iegc5es teta fito
nergicoa protestos contra aa isoluces bel-
licoaas da Porta.
Nos Unos no Correio Fraooec o segain-
te ti
O Ministerio Isglaz tioabem teve a sua
eriza; porem ej)a nao darou trez semanas
como a nocsa. Em Inglaterra o tempo
he muito precioso, e o governo nio fica
nupca vgo. Sexta feira passada, Lord
Melboarne dea a sua demisso -, huma hora
depois cedendo as vivas instancias da Ra-
inha e do partido todo ipteiro r^rrnista ,
o primeiro ministro havia reassumido a d-
recco dos negocios. A presenea de Wf
Ellice de Lord Brougbam e de Lord Lyn-
dburst em Pariz pi ova alem dissq que o
gabinete Wbigno est ameacadjp por go-
mis de 3oodestesindi?iduos quas todos
oqK*es e aprendizes de diversos cfficios ,
dos qnacs huma grande parte for6 sollos.
A final a guirda municipal, a nacional e
alguroa tropa de nha conseguira a dis
perspo deites ajuataroentos o a. Capital as-
ta tranquilla. (Idesja.)
Q 1 arta feira 19 do corrente em bene-
ficio de Joio Jos Splsona & C- as red re-
sentara* a Peca Ca(harina Ward que
tanto* applausos reereoeo do respet**el Pu-
blico desl* Capital. O* Beneficiados nio
e peupardo a fadigas e desperas a fin
esta grande Peca i decorada coro aqueUe
hrilbmiismo proprio do seo caraeter. No
fi do*^Fcto canttT'SO-ha o Duelo do
Z a bu ha Ae este o divartimento oro
que os Beneficia los pretenden entreter ao*
benignos expectadores, d Proteccio e amparo e a quem protestad.
eterna gratido.
Avisos Diversos.
ra
de alguroa sera desgraca.
L-se no Jprnal de IVjsdrid, o Castelha.
DO, de a6 de Marco o seguinte ;
Entrarao em Bermeu porto oceupado
pelos Carlistas 6 navios Franceses condu-
zmdo 3o:ooo capotes 'j5:ooo pares de c-
palos e outros bjctos e municSes ultimo
presente feito sen duvida por Mr. Mole
aos Carlistas.
A correspondencia particular de Barcelo-
na nos informa que depois de tre das de
grande inquietaco em consequencia de di-
versas, e numerosas rennies, e de procla-
ma coes incendiarias, que apparecera etn
'arios pontos daquella capital, se linha re-
cuperado osocego porae haverespalbado
a noticia de que o Bario deVIeer sustentaria
cpm todo o seu poder a depuNclo provincia
eoajuntamento(Municpaiidade) haveodo
se ao mesmo tempo receido por via de V'a-
lenca noticia* de Madrid, ale ha ver o Ce-
ntral Rodil recusado aceitar o cotnmando
da Catalua.
I'ronleiras da Hespanhs.
ti
Bayona G d'Abril Desenove soldados
Ingleaos acaDa de desertar das han de ir a*
do Pretendente, echegarafi Lontm a esta1
TPJKWRO.
^. O Eqjpres,ro do Theatro s.up-
pondo que n*o he membrp da Sociedad
fbeatral o author do inP'dp aranieJt que
comila Juslic e pedantismo se assig
na Quepa o|9s*^e curoprir retirou
desta Tipografa a poltica respostaa que
de,v,er^ ter saido pira sitisfaser a esse Sr.
que por nfo ser S >cio merece que Ihe res-
ponda que a DirecaS nicamente com-
pete tomar-roe conta das infraeces : qoan-
to ao osis respondo-lbe com os seguintes
atestados e com o antigo rifa Italiano ,
e Latino tirado dos Comentarios do nos-
so Palhaco Dancanno, que tantas dorea de
barriga canta aos invejosos, Ridenda
imbecillorum superbi loquencia outro '*
A djspetto dei birbanti il Sol risplende.
Eu abaixo assignado certifico para cons-
tar onde preciso for que o Sor. Fran-
cisco de Freitas Gamboa Empresario do
Theatro da Cidade do Recife de Pernamba-
co seropre foi firme e verdadeiro nos
contracto* que comgo tere relativos ao
seu Tbeatro e em mais negocios particu-
lares e o mesmo me consta que tem ai-
do ero todos o* seos contractos con mul-
tas pessoas desta Cidade sendo como nin-
guem ouzar pegar dotado de boa ndo-
le franqueza e probidade, pelo que
faz-se digno de todo o boro conceito : o
para que nenhum Artista tenba que duvi-
dar de seus contractoa coro o dilo.Senhor ,
Ihe dou este certificado que vai aisignado
de minha Letra conhecida em mu i tas par-
tes da Europa por pode teobo viajada.
Recife de Pernambuco %% do oh de Ou -
tubro de 1837.
Luiz Vally.'. Hercules Espanbol.
Reconheco verdadeiro o signal supra do
que dou i.
Recife 37 de Outubro de 1837. Em
Testemunbo de Verdade. Signal Publi-
co o Tabellia Publico.
Maaoel Antonio Coelho de Oliveir.
Ceitilico que o Sor. Francisco de Frai-
las Gtmboa dignssiroo empresario do The-
atro do Recife de Pernambuco nao s
cumprio o trato que comgo avia feito o
qual de sua naturesa me era nauito van-
tajo* o como tambtfm cedeu em roeu faror
todas as gralicacoen que Iba pertencia ,
e promoveu sempre os meoa aleases 2 *
pelo referido ser verdade mandeij passar o
As 8 horas a noite do dia 14 do
corrente furtario um saco con urna porci o
de roupa lavada entre a qual baviio as
pecas seguste* : duas calsas de hrim de
liitrts miudas ama deltas sem coi ama
dita de riscado azul tambam sem ros um
vestido de habadlo e outros de varias
dualidades, orna camisas de hornero 3
ditas de meninos sendo estas ultimas de
algodotinno alen de outras peca* rujo
saco foi tirado de dentro de um casso que
estava sobre um cavallo na porta de urna
vends ; rOga-se a qualquer pescoa a quero
for offerecida dita roupa queira partei-
par na ra d.a roda D. ai que se r>can-
peosarfi, ad#rte-se que p furto foi feito na
ra larga do Rozarlo na porta da venda do
Sr. VasVnca.
Da-te 100,000 a premio de dois por
cento aq mez sobre pioiwei de ouro na
pret* .* en fora de portaa n. ia.
Qualquer pardo forro que queira
ser criado de ama pesaoa que tem de fa-
zeronaviagen para fora da provincia,
dirija-se a botica de Joaquina Jos Pinto
Gumarfies ra nova n. 37.
Quem quiser fornecer leite para o
Hospital de Candade esa tanto que seje
at as 7 horss pode contar diariamente
com 64o rs. roai* ou menos.
O accionista da cautetlas correspon-
dentes as 3 loteras fas scienta que a do
Livrameoto corre mpreterivelmente no
dia ao do cerrante, conforme annunciou
o Sr. Theaoureiro e por isso roga aos
amadores queconcorroa compraras di-
as cautellas ," pois vende-se nos lugares
ja annunciados.
w Precisa se de ama ama de leite : no
pateo do Hospital do Paraso ne segando
andar do sobrado de mirante.
Dsaapareceo do lugar do porto das
Canoas do VI o i rio ao p donde mera ,
Machado huma canoa meia aberta, con
os signaes seguintes a saber, no banco ou
Vell* tem ama cadeira soposte con seos
bracos, con primeiro e segando paaeiro
tendo o mesmo segundo paneiro hun esco-
tilbiozinho pequeo con lanpa a feixa-
dura pintada ds verde, ceja canoa esta'
sumida a parto de deis meses e oiereee a
qual quer pessoa que a trocer vate mil
res, de gratificacio, encasa de Joaquim
Jos da Silva fiairfo na ra da Cadeia do
Recjfe.
O* negociantes d'esta praca so convi-
dados a comparecerem em um ajuntsmento
geral en casa da residencia dos Snrs. L. G.
I'erreira & Mansfield, no dia terca feira 18
do corrale as 11 horas da nauhi, para dis-
cutir medidas tendentes ao estabelecinenlo
de urna sssoeiaco mercantil ou cinara de
Coromercio, e faz-se este avise para aqael-
les Snrs. que par falta de tempe nio forio
convidados por carta.
Precisa-se comprar ana porcio de
ps de limoeiro pequeos proprios para cer-
ca 1 quem os ti ver annaocie para ser pro-
curado.
O abaixo sssignsdo faz ver ao publi-
co que se mudou para a ra das Agoas ver-
des 1 para o primeiro andar do sobrado D.
394 Jlo Frederico Abreu Reg.
Compra-so uro Pppe ero Francs:
quem o liver e quizer vender dirija-se a
ra das Agoas verdes D- ij.
Desoja se fallar aos Ss. Jos de Jess
Ferreira Antonio Felis Guroes Viauna ,
Antonio Fernandes da Cost>, e Joio An-
tonio de Azevedo, para caito negocio de
interesse : queirad por este Diario annun-
cia# as auss moradias para se Ihes f.llar.
A pessoa que annunciou querer lu-
gar um sobrado de 3 andares na Baavista
dirija-se a ru* do Qaeimado D. 17.
Quem qui'er dar 7o|ooo res a pre-
mio sobre penhores de ouro annuncie pa-
ra ser procurado.
A mesa actual da Irmandade de N.
S. do Rosario deste Bairro de S. Antonio
qoerando publicar na nomes dos Bemfei-
lores da mesma Virgem ; roga aos Snrs.
que de bon grato nos di .s Santos e os
Doming is recebera em occaso da Missa
do da carta entregue por esta Irmanda-
de ; queira comparecer com a resposta
em da*, Domingos n Santos da* g as II
horas do dia; nio sopara publicar, como
para a metna nesa aiber agradecer.
Offsrece-se para caixeiro de roa de
casa de estradgeira bum rapar hrasileiro
de bons costuroes e que d fiador a sua
conducta : quem o perteoder annuncie
para ser procurado.
Offirece-se para Caizsiro de roa de
casa estrangeira hum rapas brasileiro de
hons coslumes, eque da fiador a sua con-
ducta : quem o perleoder annuncie para
ser proenrado.
Da-se 70C1U000 res a juros de 3 por
cento ao mez, con firmas a conteni, an-
nuncie.
Alaga-se a salla doi. andar da ru-
do Vigario numero ag exceilente para
asciptorio quem e perteoder dirija-s
a neama.
Mr. Kissel relojoeiro francez, no
alterco da Boa vista, acba-se proropto a
concertar qualquer relogie que Ihe seja
confiado pelo mai* conmodo preco elle
obriga-se restituir o dinbeiro que liver re-
celado em paganento de qualquer concer-
t quenao for bem execulado.
Quero tver precitio de um preto for-
ro bon trabalhador de ochada, ou ou-
tro qualquer servico do campo sendo pa-
ra parto desta Cidade, dirija-se a ra di-
reita na loja de Cera ao p do Terco para
tractar do ajuste diariamente ou deforma
que melhor convier.
Deseja-se alugar urna rasa terrea,
para pequea familia, no Barro de Sanio
Antonio, dando-se oito mil por mes : an-
naocie.
Pede.*e ao Snr. M. F. D. que to
perito he na arte de avahar terrenos, que
compre o qne avzliou aabbado 15 do cor-
reate a s5'.ooo rs. o palmo no beco das
Barreir-as isto he (correado logo o co-
bre) ou nesmo veja quero porisso queira,
pois que a credora desse terreno que o
seu pagamente, e nio trra, e quando a
queira nao Ihe falla por muito menos, e
esa- ra publica, e de muito coromer-
cio.
*> A pessoa que offereceo os i5s'ooors.
pelos brincos de filagri pode os hir bus-
car ao beco da ordem teicera de S. Fran-
cisco D. a.
Quem quier comprar huma loja coro
faseod* em muito boa ra e a praso
de um a dou* aooos ; annuncie a mora-
da.
Quem precisar de hum homem que
eutende de pedera, dirija-se a ra do*
Quarteis casa de Pasto, q' se dir' quem .
Anda se continua a aforar o restante
dos dois terrenos situados na cordacio
do sitio do Detembargador Maciel Montei-
ro no lugar do Manguinho, eseguimen-
to oa principio da estrada dos aflictos, dan-
do-se aos foreros grandea vantagens para
o adeficamento de propredades sendo os
oiesmos terrenos bastantes enebutos, bene-
ficiados, e pelo preco de 4 rs. e de
oao cada um palno que se aforar : 05 pre-
bndenles entendio-se com o Escrivio Al*
ero ida, que tero poderes para taes.
MUTILADO
f


i .-
-r
\
DIARIO DE P ERN i MB UCO
Um brasileiro catado de bol condu-
cta, tein-se prOposto eniinar o numero
d 15 meninoj aler escrever, cootar, gram-
raatica.portugoez e termos de civilidade,
con iodo zello cuidado aptidio, o de-
ceoeii possvel, por menos do preco es-
tipulado ; quem de sen prestimo se qoiser
utilisardiriji.se a roa de S. Amaro no
brrro de S. Antonio do lado esquerdo, a
penltima casa pegada ao ultimo sobrado
buscando a man pequea.
Precisa-se de um feilor para um si-
tio na povoaclo do affogados que enten-
d de plantajes e trabalhe de enchada t
na ra do Quemado D. 11.
O Sr. Antonio Joaquim Rodrigues ,
queira dirigir se a esta Typografia a fim
tic receber orna carta que loa tirada do cor-
jreio por engao de nomo.
_ O Cozinheiro Portugus que aunun-
ciou querer arranjar-seem urna casa part
eular, pode dirigir-se aoCollegio Pernam-
bucano ra Formosa na Boa vista
qualquer hora,
_ Offerece-se um rapas brasileiro de
idade de ao annos para qualquer casa de
negocio nesta praca ou fora delta e da
fiador a sua conducta ; quem o precisar
annuncie.
Aluga-se um negro padeiro ou-
tro que cotinha o diario de urna casa e
-proprio para o ser vico de um horneas sol-
teiro : na roa do Nogueira D. 6.
_ Quem for rogado par assignar fj-
edc* a lvor de urna viuva que quer conti-
nuar a ser tutora de seus filbos menores ,
oles de cihr nesle Ueo como cabio um
hornera de boa f, e honrado que esta
descartando-ae peca ao Sr. Francisco Jo-
aquim escribi dos orfios que Ibe mostr
os reqnerimenros pelos quaes os prirneiros
fiadores retirio as suas Bancas, e enUo Te-
ja para o que inderectamente vai cooperar,
caso assigne a fianca.
_ Precisase de dois officiaes de sapa-
ieiro: na ra da Cruz na toja de sapateiro ,
que foi de Jos Carlos.
_ Precisa.se alogar um sobrado de do-
is andares oa Boa vista ou em qnalquer
parte, sendo com I ojea al 600,000 o
sendo os dois andares at 5oo,ooo pouco
mais ou menos conforme os commodos
Ja caaa ; e tambera de outro do um so an-
dar al 36o,ooo pouco maia ou menos,
dndose 5o,000de Urna a quem fizer o
negocio* aonuncie.
_ Qoem tiver urna preta para vendar
e que lenha de idade 16 a ao anos com
principios de cozinha e eogoatmar an-
nuncie.
__ Antonio Jos Gomes d* Gormo ,
precisa de nm calalte para calafatar urna
canoa que ae acba ja de eren no logar
da roa da Aurora*
Eatabelece-se um ensino de desecho,
e pintura a oleo e miniatura e paitis,
esludo da desenbo da prlsnature annde a-
prender perfectamente a retratar o pro-
essor se obriga a dar prompto, o capaz
de bem desempenhar snaa obras em dois
annos um anuo da desenbo e outro de
pintura; quem quiser ter o sea retrato
peifeitameute copia fiel, dirija-se a ra
das flores D. i5.
_ Quem precisar de nm oleiro para
?'ualquer servico de olaria e mesma para
nitor annuncie.
w. O Sr. Francisco de Paula Clemente
Este vea dirija se ao Convento de 5io
Francisco a follar com Joaquim Pinto do
Campos, ou annuncie aua morada.
_ Quem precisar de dinheiro a premio
dando os ser vicos dos escravos pelo pre-
mio annuncie adverte*se que pretere-
se a negroa inda mesmo aem habelidades ,
que be para o servico de enchada'
_ Preciaa-se de 100,000 a juros por 4
aseses da-ae firmas a contento; quem qui-
ser dar annuncie.
Avisos Martimos
pa forrado e cavilhado de cobro e de
Superior marcha quem o prelnnder di
rija-aeos seus consignstariosN O. Bieber
&Compsnhia ruada Cruz n. 63.
l m Que fazLuiz Jos Marques de 4o
dorias de tabeado de louro e amarello, ser
rado no vapor no da aa do crrante as
3 horas da tarde, no armasem da mesma
serrarla.
_ Que faz Minoel Jos Lopes j Mes-
Ire da Sumaca Bom fim na porta do tra-
piche da alfandega velha no da 18 do cor-
rente de orna caix com assuear avariada ,
vinda do Rio Ret na mesma Sumaca as
10 horas da manhi.
_ Que faz o Corretor Oliveira, de um
completo sor ti ment da fateodas Iojfjezas a
Francezas compreendendo um* porcio
de chillas cadias e coromandeis, casacas,
sobrecasacis de panno fino, calas, ja-
ponas e boni de burracha impenetravel a
chova, Qaartafeira 19 do correte pelas 10
horas da mauhl no seu armasem na ra
da Conceicio n. 34 primeiro andar.
_ O leilo de urna porcio de barris de
manteiga inglea que se annunciou para
o da aezta feira 14 do correte, fies trans-
ferido para terca feira 18 do presente na
porta da alfandega as 10 horas da manhi.
_ Quefazem S- Martin Irmios do seo
eslabelecimeoto que tem na quina da ra
do Cabutj defroote do SS. Sacramento de
S. Antonio do modo segointe : toja com
fazendas dividas e dois escravos no
dia 1 de Julho; os pretendentes pode
rao antes do diada arremata! i > irem exa-
minar o sobre dito estabeleciment como
tambem as condicoes do pagamento.
C o ubi p ras
Um Telemaco, e um diccionario em
francs, ainda que seja usado : na roa
do Quemado D. i3 ou annuncie.
A obra entitolada Marcial em 'latina,
e os cartas de Cicero em portogoes oa
mesmo em latino ; quera tiver annuncie.
Uma morada de casa terrea at um
cont de ris oa se bypotheca pelo prego
que fizer conta a ambos : na praca da I11-
pependenea n. a6.
Uma lgica de Genuensa tradtizi-
da por Coelho; quem tiver annuncie.
_ Um quarto possanto que esteja
gordo; quem tiver annuncie.
Vendas
PARA MACEIO' segu viagem al o
dia Jo do correle o Patacho Rainba dos
Aojos : quem quiser carregar dirija-se
Alijos : quem quiser carregar uinja-se
a Al noel Joaquiu Pedro da Costa na roa
da cadeia u. 1. veira e segunua son, ano unucu
1'AliA FRETAR o Brigue Himbnrguez j nirio : na praca da Iadepndea:ia
Jobauaes para qualquer porto da euro-, mero iy*
_ O terceiro volme do Curso do Di
reito Publico por Silvestre Pioheiro Fer-
rara o o Projecto de Cdigo Poltico, pe-
lo mesmo autor : na praca da Independen-
cia loja de livros n. 2"j e 38.
Meios bilbetes da Lotera do Livra-
rr.ento t na ra do Cabag loja do relojo-
eiro junto aoSr. Baodeira.
mm Um moleque creonlo de idade de 13
_ i4 annos, de bonita figura o proprio
para aprender qualquer offioo : na ra
do Crespo D. 8.
_ Um moUlioho do idade d ia para
i3 annos liodo e bastante esperta, pti-
mo para pigem .* no sobrado de um an-
dar na ra do Liaramento junto a loja de
fazendas baratas de Jlo Carlos de Burgos.
_ Um molatinho de idade de 7 para 8
annos : no Hospicio em ama venda nova.
_. Dois pretos de naci de ao annos
de idade, muito bonitas figoras boca
caooeiros e ptima parelha para carregar
um palanquim: na ra de agoaa verdes
D.37.
_ Uns ricos quadros de ricas moldu-
ras os quaea o da Hiatoria Romana e
nm ezceiknte pianno 5 quem quiser an-
nuncie.
_ Um escravo de angola de 16 a 18
aonoa de idade de bonita figura e sera
vicios : na ruadoCaldereiro D 26.
Papel almasso muito soperio depri-
mir e aegunda sorte, dito branco ordi-
nu-
M Um civallo muito bom de carro e
tambem de talla: nesta Typografia ae
dir.
Umi casa terrea sita na Boa vista ao
voltar da S. Cruz para a ra do Cotovello
D. 3, bem construida sala forrada e
em chos proprios : a tratar na roa estrel-
la do Rozario loja de encadernador.
M Um negro de idade de ao annos,
e de boa figura : na ra da Peona D. 7 no
spgundo andar.
_ Meios bilhetes da Lotera do Livra-
mento .* na roa da Cabag loja de miude-
zss junto aos ourives.
__ Um escravo de nscio de muito bo-
nita figura, e cozinha o diario de uma ca>
sa ; quem o quiser annuncie.
_ A armacio de uma Venda acabada
ale novo com pasos e medidas, sita na
'-rus dos Bairros baisos D. i4 : tratar na
ra nova D. 7.
_ Dois negros de bonita figuras pro-
prios para qualquer aervico : no armasOm
de recolher de Antonio Jos Pinto, defroo-
te do caes da alfandega.
_ Por commodo preco arroz de casca ,
abanos esleirs grandes do sul, chicaras
esmaltadas finas com aza e uma negrinha
de idade de 14 annos: na venda de Luiz
los Marque*.
_ Um moleque de 10 a 11 annos: na
raa doLivramento fabrica de chapeos Do-
cima 16-
Meios bilhetes da Lotera do Livra-
mento : na loja de miadezas junto ao arco
de S. Antonio.
_ Uma canoa aborta da carreira em
bom uzo e por preco commodo : no at-
ierro da Boa vista sobrado que tem loja de
ourives francez do lado do sul junio a
ponte das 6 horas at as 9 da manhi e
das 4 as 6 da tarde.
Meioe bilhetes da Lotera do Livra-
mento : naa 5 pontas n. 9 e na ra do
Crespo D. 5.
_ Um negro serrador, moco e de
bonita figura; na ra da praia que fica por
delraz da ra do fagondes serrara de Jo-
ao Antonio Baptista Munis.
Uma ptima escrava de naci rebo-
lo de idade pouco mais oa menos de a3
annos cozinha o diario de ama cata, e
lava de sabio : em Olinda na ra dos ar-
romados em casa de Manoel Joo de
Lima.
Meios bilhetes da Lotera do Livra-
mento, a 3joo t na roa do cabug loja
junto a botica.
Por preco commodo bheta de Lo-
tera do Livramento : na raa da Madre
de Dos D. a4.
Uma escrava creoula de idade de 35
annos pouco mais menos cozinhs bem ,
fas doces refina assuear faz renda e
lava de sabio : na ra do Collegio sobra-
do de doias andares junto a casa da C-
mara. *
Meios bilhetes da Loteria do Livra-
mento a 3ooo ; na raa Direita D. 9.
Farioha de trigo chegado ltima-
mente dos Estados Unidos ; e setiffl de
Maco : na ra do Trapiche novo n. 17
casa de Henrv Forster.
Uma mola ti n ha de idade de 1 a an-
nos faz lavarinto e todo o servico de
uma caaa : na roa Direita sobrado D. 3o.
Uma preta de idade de ao annos, com
uma cria : na ruaeatreita do Rozario Da-
cima 31, primeiro andar.
Meios bilhetes da Lotera do Livra-
mento 4 3aoo .* na praca da Boa vista De
cima 16.
_ A praso de um a dois aonos ama
loja com fazendas sita em urna das pria-
cipaes ras desla Cidade ; quem a quiser
annuncie.
Uma escrava, sem achaque nem vicio
algum, e cujas habilidades se diro ao com-
prador, hedenacad, e (em 18 annos de
idade, muito propria para mucamba ; uma
dita com habilidades de naca com ao
anuos tambara sem vicios nem achaques ;
uma raolata que fas todo o servico de caza,
muito bem comportada tem a3 aonoa $
uma negrinha de bonita figura, coae bem
ehi tem 11 a la annos -, uma negra de
3o aonos por aGoi'ooo, inda muito robus-
ta faz todo o aervico tanto de caza como
de raa ludo com fianca de boas vendaa :
na raa de agoas verdes no primeiro andar
do sobrado D. 38.
Urna preta de angola propria para
qualquer servir;3 i na raa de S. G-ontalo .
Arroz pilado superior : no beco do
peixe frito vende D. 4.
_ Sacas cara farinha muito fina e aira,
feita na moribeca propria para mesa: na
roa da Cruz n. 3i.
Escravos Fuglxtos
No dia 11 do correnle fogio nm pr.
to de nome Matheos de naci mucambH
que bstame ladino ter pouca maia ou
meos 5o annos de idade, altura mediana,
olhos a mortecidos nariz afilado, ambas
ss orelhas furadas nm calo no meio da
cabeca do uzo de carregar pouca barba ,
os denles da frents abarlos, boca pequea,
com uma sicatrisem um dos ps proc-ddo
de um lalho de fouo, Uvou vestido caUa
e camisa de algodioziho, e chapeo di
palhi este negro ja fugio e encemi*
nhou-se para pedrasde fogo o he prova-
vel que lenha seguido o mesmo destino }
quem o pegar leve a ra de Hartas D. 77 ,
que ser recompensado.
No dia i3 do correte, fugio da
botica que fica confronte a porta travessi
de N. S. do Terco ns roa Direita nm mo-
leque so por causa de seu Sr. Ibe querer
dar ama Barra largoa-se a correr pela
roa at o presente nao tem aparecido le-
vou consigocilsa o camisa de chilla azul,
be fallo e de cor bem vermelha que pare-
ce creoulo bonitote; bem feito de ps,
e pernae pequeo parece ser bstente
novo, porem he de velbeco o qual he
bastante ladino foi comprado ao Sr. Ma-
noel Joaquim Ramos a 3 annos e 3 mezes \
quemo pegar ou aouber onde existe diri-
ja-se a dita botica que ser recompensa-
do ; juntamente avisa-so a quem em sua
casa o tiver acoitado o nio restiluindo
quanto antes a seo Sr. em sabendo-se te
proceder com todo o rigor da lei.
No dia 15 do correte fogio urna mo-
lalinha baixa cheia do corpo prenhi
de seis mezes cbelo pegado no casco ,
ums marea no meio da cabeca que nio cria
cabello, outra marca em cima de ama
mi f um aignal preto as costas naris
cbato pernas arquiadas, ps apalhetados,
ejoa idade da aa annos ; quem a pegar
lave ao forte do mal tos em casa da vi uva
do Sebastiloi f
Movimento do Porto
NAVIOS SAHIADOS N0DIA 16.
RIO DE JANEIRO ; Fataeho Nac. Pro-
videncia, M. Joaquim Jos No6ueirs
dos Sintos.
DITO; SmscaNac. i4 de Novembro ,
M.Joio Ignacio Ferreia.
DITO $ Sumaca Nac. Providencia M.
Jos Dominguaa Vieira.
03SERVAC0ENS.
No dia 16 as 6 boraa da maohia
fez-so de vella ao Lameirio a Birca In-
glesa Angosta Jersy que hara fundiado
oo mesno afim de refre^car^__________*
~1>. S. = Domingo 16 do correte con
cluioaCamara Municipal dcsta Cidade a
apuracio geral das eleicSss para Senador
em lugar do fallecido Marechal Jos Igna-
cio Bjrgea e obliverio a maioria de vo-
tos em todos os colegios, ( a excepcio do
de Cabrob que n.5 ipareceo, e que nos
diz- m senio reuni. )
QfSenhores
Teotnle Coronel Francisca de Paula
Cavalcanli de Albuquerque 19
DezembargadorTomsz Antonio Ma-
cielMonteiro ^8l
Advogado Antonio Joaquimde Mello ja
ERRATAS
Mais nota veis do u. iig Art. corres-
pondencia lin. 4 lempo -templo ; di'as 17
pescadores. pescadores } ditss 41 *
re. agora ?
Art. Dialogo lio. 4a compral-a -
cmpralo ; diias 4* cooquialal-a- coor
qmsial-o. n m | -,
PERK; NA TP. DE M. F.DE r. i<)'


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EI117JIUZ_SLXH0W INGEST_TIME 2013-03-29T16:10:26Z PACKAGE AA00011611_03901
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES