Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:03891


This item is only available as the following downloads:


Full Text
f
AOTO DK 1839
TERCA FIR.
.*} Juh 5.
Lomares agpor -
Lisboa q5 por loo premio, por metal, oHereaao,
Frane*'5o a 3i5reis pon franco. ?
Rio Janeiro 3 por 100 p. ,. \
Moedas de 6? Woob /jtt 3#ipo.
Pezos Columnarios iftooa ^y120-
Diltos Mejicano? i#6f* a 'i/f^jo.
Pntaces Br'aiiieiros ijfaoo a i^ito. ^
Premios das Ult as, por mea 1.1/8 a 1 1/3 por 100.'
PARTIDAS DOS CORHEIOS TERRESTES;
Cdarfe da Pal aiba e Villas de sua prtfenrAi ; i 5
Tidide da Rio Cidade da Fortaleza e Tillas
Villa de Goianna ....
9 ..' W a* 3 s a /
*
4 DE JtJNHQ NUMERO i2t*
ITT
Tudo agora j!enende de nos mesmos
2o eW
motierac*
seremcs
Cuitas/
; da pwsM.TJrodenci'a
rgia : cohtinuemos tomo priocipimo*
apontados ona admiraciD entre as Sncbts aja
Proctumaoo da Aitembiea Geral do Brasil.
folha
a 3ffoop' por quartel pagos fif-
ias Eruaas U. 3 w e na Prafli
Sobscreve-se para.esS
amados nafta TyprjgraTiasj ra di
da Independencia D. 7 38, onde se recbeos correspop-
dencias legsMisadas, e anoiunciosj insiri sendo dos proprios assignante/, vtndos astigdlBos. %
DAS 1)A SEMAWJC; ix
3 3
a
c

Cidade da Olinda .' ,
Villa deSanto Anto '. : '.
Dita daGaranbuos e PovoacSo do Bonito.
Distas do Cabo Serinhaem,* Rio Formojo, e Porto Calvo
Gidade das Al.-goas e Villa de Maeai. .J .'
Villa de Pajau' d Flores......3 i! 3
Todos os correios pnrtcm ao meros dia.
Todos os dis.
Quintas feiras,-
Das 10, e jffle cada mes
dem 1 11, e*Vl dirto dittoj;*
dem jdera. 'fjL
dem i3, diUoditu.^| *

5 Segunda S^ Ordeo B. Ses. da The t and do J. de D. da t. vara de manli.
audiencia do J. de D. da 1.
i d* manir.
' 4 Terca S. Er^ncisco Caracioli. Re. e andieneia do i. de di 1. var;
:, X)uarta S. Marciano- B. Sesso da T. P. *
6 Quinta .jejumS. Woberto ti. Sesso da Thcz. e aud. do Juix de Dir. da 3. vara de m,"
2' Sexta <>S. Coraco de Jess. 4 \ .,
Sahbado S.Salustiano B. RaJ. dejnanh .aact. do/, aVtt de m.
9 Domiagb S.-PSiaoe Feliciano JMoT ^ m
1 *"\ sr
Mari cheia para o dia 4 de .lunho^ ,
s 10 horas 54 minutos da manhS. As 11 horas 18 minutos da tard.' *
DE JANEIRO.
ASSEMBLEA GERAL LEGISLATIVA.
SENADO.
a, Sesso em 6 da
Maio
f
do 639.
Presidencia do Sr. Diogo Antonio Feij.
Aberta a sesso com 35 senbores sena-
dores, tendo comparecido os Snrs. mar-
quez de Marica' e Antonio da Cunha Vas-
concellos leo-se e approvou-se a acta da
Bte.rior.
O Sor. primoiro Secretario da' cOnta do
seguate expediente.
(Ja oficio do ministro interino do m-
psrioijt com data de ao de fevereiro desle
auno, remetiendo 3 authografos da reso-
luces sanccionidas*; duas approvando a
pnelo concedida a D. Conslanca Rosa de
Souza Ribeiro : e algumas desposrc5es da
resplufio da Astemblea legislativa da pro
viocirt de S. Paalb, pUa qual foi concedi-
do Agaiar Viuva efillios e comp, e Piatt
Red privilegio exclusivo para construir
urna estrada de fen o da referida provincia:
e ama anlliorisando o governo a maaAr
correr tres loteras que indemisem o que
su roubou ao cofre dos orfios do municipio
da corte.
Ootro do ministro da fasenda, con da-
la de 18 de ontobrodo antio prosimo pas-
eado, acompanhando um dos antbografos
saneconads da lei do orcamento para o
armo financ-iro de 18J1) a B^oJ
Fica o senado inteirado e pjitecipa-se a
cmara dos Sor. deputados. '
coma copia do decreto "d i3 de outubro
do anno pastado pelo qual o regente em
nome do Imperador conceders pessaas
constantes da relelo annexa, a titulo de
Um do presidente da provincia ^P^i
hauhy, remeltendo exempiares dis ftlsjprt>jr|
vinciaes ns. %v a 8g, qun tiveri) hifjar na
reunifo da assem. legislativa da mesma pro-
vincia no anno passado, e falla que ento
Ihe dirigi.
Oulro do presidente da nrovincia da Pa-
raitrt, remeltendo copias auttanlacs dos
actos legislativos ns. I a 3 da assemblea da
mesma provincia promulgados no anno
pastado na primeira sssio da segunda le-
gislatura.
Forio a commisio d assembleas pro-
vinciaes. %
Um oficio do primeiro secretario da as-
semblea legislativa provincial de Gsyaz,
rettendo a representaco da mesma assem-
blea em que pede qu a freguesia de
Cairos seja desmembrada do bispado de
l'ernarnbuco e incorporada ao da Goyaz :
commisssio de negocios eclesisticos.
Outro de mesa da assemblea legislativa
provincial de Minas* Geraes, que acompa-
riba a representaco da mesma assemblea ,
pedindo alguma modifioaco na lei de 7 de
novembro de i83i. A' commissioj dele-
gislaco
fendo carta di naturalisaca3 ao padre An-
tonio Gomes Coalbp, Bjni;ne Josade Car-
valho,. Antoiito 4oce> Pereira Duartg, e
Simplicio Ensebio No^ueira ; terceira da
resolucio mandando p|gar o qut sede
xer a Francisca Xivir Caval^-anli de"%Io-
raes Lins.
Levanta-se a sesso.as duas horas da
t*rd.
BERNAMBCO.
GOVERNO
Expediente do dia'19 de Maio
D\ PROVINCAJ
Offiio Ao Amnistrador Fiscal das o-
bras publicas, respondendo-lbe que do-
ve contar os vencionanios da Joaquina da
Fonceca Soares de Figueiredo encarregado
da estrada da Escada, do dia docampra-se
da respectiva nomeaco e que lbe deve a-
bonar a gratificapo addicional como se
tam praiicado com semelhantes emprega-
mesmo para mandar satis-
anambuuo
Tfaesourarta Provincial de
10 de Maio^ie i83p.
O Contador.
f Joa Baptisiu Pereira Lobo Jnior.
-------1---------- -!LjB-----------------------r-------sari
Diversas liepart^oens,
o ~i-------------------------^-=-
ALFANDEGA DAS FAZENDAS.
Rendimeoto da AITaftdegad^ avernambuco
no mez de Maio p. p. ,.
dos.
Dito Ao
Direilos de i5 porcento de
consummo
Direitos de 5o por cento
da Plvora ,
Ditos de 3o por cento do
Cha
Ditos de a por cento de
Reexportaca
Expediente.de 1 ipporoento n:ai4U5>
Armazensgem de i|4 por
cento ao mez
j Dita Addicioqal de 3 ip
por cento
*>4;,93r34*
2:1390396
1:44Uoco
35ft579
llrft^etUa LJllV ^ *W UIG9U1U pasa* -uauuva mananav- --
Urna represenilefq da cmara municipal fase* a Francisco de Paula Nunes, dono Premio de ip por cento ao
da cidade do Serr, pedindo qne na lei do de urna lavra de nanas em hum sitio no !
orcamento do' anejo futuro se aatorise o lugar de Tigipi por onde tem de passar
governo a conceder acata que servio de a noa estrada de Santo Anteo \ m quantia
risidencia dos superintendentes do ouro,! de 45Uooo reii por indenisaco* dfl canas
para se fundar n'el|a um hospicio, aonde qUa devem ser arrancadas.
se presten) soccorros ans indigentes eofer- Dito Ao Inspector Geral das Obras
mo : a commisso de fasenda. Publicas communicando-lhe a expedicao da
Um requerimento d,o majoj: reformado ordum supra. *
Francisco Correa de Castro, porteiio do
tribunal do conselho supremo militar pe-
diodo ser iguslajdo em ordenado aos portei-
Outrodo ministro interino do imperio, ros das secretarias de estado > as commis-
ses de marinha e guerra e Je f. Continuado a numeaco das commisses,
sao eleitos pava a de catbequese e colonisa-
efe; os Snrs : 1narqu> z d* S. Joo da Pl-
peoslo e vencimento que percebio, cor- cna, com i3 votos-, Jardim, com 9
respondnUs as suadra^as, em conside- CpOta-Ferreia com 9} tendo tambera sai -
racfo os bous servicos que prestaro j do empatado enn 9 votos o Sur. Ferreira
a caaza da b-galidode na Provincia da B<- de Mello qne ficou excluido pela s'orte
hia. *,
Outro dq'mesmo ministro, acompanba-
do da copia do decreto de 9 de Marco des-
te anno que concede ao coroJcl'de arti-
lheria Jofe Eduardo PereiraObUco Ama-
do atenea annual de 2otUooo reii, cor*
respndanle ao seu posto.
Outro ig mesmo, com a copia do decre-
to de I a de novembro do aono p. passado,
concedendo a Pcdro*da Silva, que foi sol-
dado do esqusdr&y de cavalaria da Legiloj
de S. Paulo, a penso anntfal de......
36U3 'o seis correspondente ao sold de
su* p>ac as commisses de guerra e de
fasenda.
Um oficio do'presidente da provincia de
G' yaz, rafiallerido copias autenticas dos
aotoi legislativos d assemblea da mesma
provincia, que tivero lugar na sesso or-
dinaria do anno passado, eompreh|nd-
dos sob ns*. 1 a la, e dan resoluces sab ns.
1 e 2, conlendo posturas de cacaras mu-
nicipscs.. f

Acto%lcgiaktllll das assembleas provin-
ciaes ; o SH. Lopes Gama ce% 17 voy
tos; Vergneiro com i5, o Alenear,oi>fa
12. '.2 J
*0 Sflv? prellfcnW declara qee'a ontra
pite da ordem dVdta sao trabalhos de com-
mnto f suspende a sesaio ls.li feoras e
mtia d manh, ', v
As 1 horas o Snr. presidente #t* paa
ordem do dia 1 CoutinuSco da terci'ira
discusso d6 projecto B 11 de lMt, sdbre
filhos illegilimos ; primeira e segunda di
resoluco da auemblea legislativa 'de i853,
declarndolo modo de observar-se a Aspo-
si^op rovisoria acerca da administrado da
justica crvl, fanecionada pelt lei de a9 de
novembro don83a primeira e segunda
da resolucio n. 19 de i834| declarando
comprenendidos na dafcpjico do decelo
de. 9 de abril de 181 os pronuneiados ou
coudemnadosemqualquer procees^o orga-
oisado pele revolti da Babia em i834 j
nimcira e segunda da resoluces
SU
Expediente do dia 3l.
Oficio Ao Commindandedas Armas,
para dar o seu parecer a'cerca do que re-
presenta o Director do Arsenal de Guer-
ra no olficio, que.SK lbe remelle.
Dito Ao le/pector Geral das Obras
Publicas, respondando-lbe, que faca 'subs-
tituir por outra nova-, a estiva que par-
teripou acbar-se partida na ponte do Re-
cife,
_:_____t^------------_
HEZOURARIA DA PROVINCIA.
EDITAL.
1
O Illm. Snr* Inspector "da Thesouraria
das Rendas Provinciaes manda lser pu-
blico que nos dis 11 14 e 16 de Junha>
prximo futuro se ha de arrematar em asta
Publica por tempo de 3 annos contados do
i, de Julho-de 189 a 3o de Junho de
,184 o imposte d% 4 reis pos cihada de
bisftidas espirituosas a>> consumo *na Pro*
viocia excepto a agoaedente dh fabrico
Nacional; sendo esta arrecadjtca feria nos
Maii>icipios do Recife e Olinda. V*
As Pessoasque proposerem a estaear-
remat.cso Compareci na Salla das Sessdes
'da mesma Tliesouraria nos das indicados
c)jcpotentemente habelitadas.
V% para coaatar se mlrndqu affixar o*pre-
zepte e publictl-o pelo Prelo
Multas de S por cento cal-
culadas nos Despachos
Emolumentos da Certido-
ens como do Livro respe-
ctivo a (1. t
Multas Avulsas como do
Livro respectivo a l.
8 v.a 9 v.
i35U745
S*:r3iUo&>;
i:863l,46a
SrJU^rf.
i45:759Ua98
1
. 7Uao
v ,
i:5o88%
i4ra75U3x>3
1. de Jd-
Alfandega de Pernambuco
nho de 1839.
O EscrivaS.
Jacome Gerardo Maria Lumachi de Mello.
MEZA DO CONSULADO.
_ A Pauta he a mesma do nqm. iac '
OBRAS PUBLICAS. S

Tem de ir a praca nos das 14, i5, e 17 .
do mex de'Junho prximo futuro aacxtx
pajte da estrada de S. Anlo calculada rn
rs. 17:1730360. Oa Licitantes dejremF>
competentemente habilitados ve Fiador i.-<
idoneda, comparecer aos referido dias ,'
ao meip dia a offereaerem os se^s linces
na' Repartica da$- Ouras Publicas aVOnde t
esacho patentes o respectivo Orcamento,
Descripc. 5 e Cgndicoens para p'efos pr-;
tendentes serem examinados eni qualquer. 'm
dia trl s horas do pjpidiente. "
Inipocco das Obras Pblicas 37 do M.3
detf839. >
Moraes Ancora. ^ .
EFEITRA. '".
Partero dia 1 de Junho de t^ig-
Illm. e*Exm. Snr.u, Das partes hoje ra^
LAR ENCONTRADO

M
r


r*%
DIARI
t*
uv fon hor.l-10 p>ei* pelo Su! Pr f. .
,| p.F!>nii de S. A l oio a parda Iibel
Mamo da C-nC'C'O por#ser .1- conducta
m, vial t*e conyenieoM destino.
DontGur'l" V.jEao Pr*-f. itura d*
Comarca do R-nfe de Jaoho d-.'
1839. Hlm. e Ei*. S-. iVaneiv-o do Re-
g Barros Presidente da Provincia
F-s-eisco A-iionio de Si Brrelo Pte-
f lo da Cumarca.
P*rte do dia 3.
Illa.' e Exm. Snr. Fora presos hon-
tem a minha o;dera e t'vsrao dilTetentcs
desunes : Francisco A",0,,io t- Antonio ,
pelos, este escravo de Francisco Marlias
da Cesto, pelo Sub-P efeito da Fre^uesia
de S. Amonio o 1. por ser encontra-
do pelas 3 hor.'j da tarde cora una faca de
poDla a qual elle lancou'fora n oto d
ser preso e o a. porter ido urna ta-
berna insultar o dono d'ella h querer ar-
Iba com um toco ; e Joaquim Manuel do
Nascimenlo, pedo, pela 1. pairutba do
do dstricto do Garujo por estar espso-
candoa ana preta.
Partectpo a V. Exc. que hontem pelas
11 horas da ratnbaa coas a grande en-
vernada que tem.havido desapruwou ,
e veio abaixoquasi toda a casa do de dois andares que se esta' cooitru-
iodo oa ra Augusta deste Bai/ro de San-
to Antonio par leocente Jos Icaria Pla-
cido de Magalbaens, deitando tambera ;
bixo duas casa berreas contigua*- ao di-
ta sobrado, dtbaixo de u-na dasquaes ca-
zas Bcario desgrapadamenta vanas pessoa*
das quaes foro todava salvas trez pels
preslesa com qne acudi ao lugar o res-
pectivo SobPrefito ea fer lirar d'a-
quellas ruinas, ficando as ditas trez p.s
soas someota un pouro maltiact'd.is ; sen-
do mais para lastimar urna crianca He 6
para 7 annos que tara bero fal-
iaiceo, e foi encontrada dtbaixo das ree-
i'eridas ruinas.
E' o que consta das parles hija recebi-
d&t nesta Secretaria.
Dos Guarde a V. Exc. Prefeifura da
Comarca do Recfe 3 de Junbo da 1839.
ANNUNCIO. '
3i5
3,a
3o8
a95
ap3
*73
370
aH6
%m
a65
*a5p
a43
JV. S'b li-odo Reg Burda
) F. .cisco EUus d/^R-gai DaD*M
C-pili Antonio Goare Leal
;lr. Jj.quio Maooel V^r de Mello
jOontor Francisco Xavff'Pereira da
pBrito
! Antonio da Costa Reg Monteiri
fUr. Antonio Peregrino Mciel Mon-
te-ira
I Padrv Lu*- Ignaci d'Andra'de Lima 376
Di. Joa Mauricio Cavalcanle da Ro-
xa Wandeilei
Tibiutino Pinto d'Almeida
! Dr. Francisco J'oa Caroeiro da Cu-
nha ij.
Dr. Simplicio Antonio Mavignier.
Arttonio Carneiro Vlatado Ros
P-dre Joaquina Rafael Ha Sila.
P.dieChris.to>5 de Hotaiia Caval-
i ente
Leonsrdo Biterra da Squ. ira CavaU
cante
Manool Jos da Costa
Major Antonin J-se i* Oli'eira
Francisco- da Paula Cvale.ule Ltcer*
da
An onio C f. Joao Joae Ferreira de Agaiar
Senadores.
baw para qne dernsse part a cmara,
O nlaritlh ag"e boje coto 5 canho-
rx-iras aro cada uma das qnap* mandn
melter orooboz, a m da boutbirdear c
tal forle ttodo escollii lo par o com
mando d'ella 5 do mis (iislinelos otn-
ciites do-a>a'inba, qu<) st acha5 aqu e
no S. Goncalo a s*uer os primeiro te*
lente Uolbinns Jo Ricarda,; Pos-
snlU e o dnus irmios DeUmares. Co-
mo a emiirea he de grande risc^ p*r-
27 $ milla DelM que no na5 fique l pelas cui-
ta* siluro dVstes denodados mancebos,
Ta'nbem vae urna pc de. a^ bum
grande obuz para se collonafem na ilha do
Junco, fronteira ao Itap'io; medida esta
que dizoMarietb ter propasto a S. Ez. ha
ao dias par obstar o lerantaroento do
forte ; mais que S. Ez. se nao dignou de
a63 adoptar ens6, e qua agor recommenda
jad nmmo Mri h como fructo de sua
a63 cienc O ministro, appnas chegou capital ,
fez (egnir pva o S. Conpalo a fim de
te innorporarem a columna dos Canudos ,
ata a foreas da 'cavallaria dos bravo* Juca
4j Orives e Propi'cJo que, em rasaS das
a38 miserias porque passava na Picada on-
,' do o Snr. Elisiario acintemente as conser-
va vii. soffio continuadas d^s"rc5es.' O
Coronel Francisco Je Paula Cavalcante
de Albuquerque 5ap 7 '-Blalha6 da cadores embarcou no
Dezembargador Ttbmaz Antonio Maei-jdi5 docorrenta para Port9 Aleg el Monteiro 3pi attrihtio a ida d'esta gente a necessidade ,
Advogado Antonio Joaqaim de Mello 34$ qu* ha, de faser sair de Porto Alegre um*
oIoCavleanie do Albtjnanquo aS7 forpa respeitavel na occsfs6 ena que a
Dezembargador C^etano Mara Lope I ftapo*" for assaltada por ootr forca qne
Gma 179 tambem d**e ser grande. Esta plano ha
Coronel Joe do Barros Faltfa de La- de naturalmente w do ministro porque
cetd*. '49 o Eliziario nlo o abracara s6 por ter ido
o que Cero geneial Cunba qoando e_m
1836 tomn ao farra pos nao s<5 Ofofte He
ftapoi .corno mais outros dois que alies
ali linho.
E' quanto ha da noticias por ora ;
qUe mirs for oaeorraodo Ule partenarei.
(Carta particuUr.)
Pedro com l5> cavleros e uma forp de
infantera a desembarcar uo Camaquam,
e prender a Bento G)nsalves que arrt de-
via e^tar em cjnferencia com o chafe do
Lanches em um dia marcado.
Anda se ignora o resultado desta irapor.
tanta Ompres que quando menos Irara' a
vint'gem da seiem queimados os lanchos
inimigos.
Se nao esta'- na provincia o patritico e
intulli-rente ministro, o Elisiario tinna a-
tacado < Itapo, o a legalidade teria per-
dido ou urna batalha ou o ponto d capital,
por que era plano da Bento Manoel cha~
mar-nos a hum cmbate em Itapoi, eaco.
melter as trincheiras de P. A. opinara que
sa cai>se no lapo isto que se utacasse o
I uno !
A vista da grande opinilo que gosa o
Sara creio que ser o etcolhido |>ra CjjI
inundante das armas.
Toda os elogios fetos ao helio com por-
lamento do Ezm. ministro da g ierra nesta
provincia, nao si o anda bstanles para ex-
ptessar a synpalhia qu lite (i i > teadj
lodos os partidos da gente da legalidade.
D que mais ocorrer re dtitdo noticia.
P. S. Agora mesmovem entrando uma
escuna que se su|i'ue ser a Lebre.
Carta particular.

t
RIO GRANDE
7 de abril de l83g>
O Snr. Colleojor da Collectora Gira I
das Rendas Internas Provnciaes manda
faser publico que do dia 1. do mez
nroximo vindouro principia a lser a co-
branpa na E$tapa5 competente do 1. se-
mestre financeiro do corrente *anoo de
i838ai8J9 da Dfcima dos Predios Ur-
banos dos Bairras do Recife S. Antonio ,
Boa-vista e Affogados e assim to baoi os
mais Imposto Proviociaej, e igualmente
que principiara'a robraupa execuliva do a-
trazado ceso se ultime o praso da 3o dias,
e os Propriatarios se coniinuepi anegar
a ella.
Collectora Geral da Ueml's I tiernas
l'rovinciaes 7 de Main da 1839
O EscripturfcMO.
Jos Cur.des Si'j.'ui-ii.v.
Lista doaCdadns votados para Diputa-
do* Provinciaes ero todos os Collegioa
eleiioraes da Provigcia com t'3ice}ic5
do Collegio de Cabrofc.
votos.
Francisco de Paula Cavalcanle* de
Albuquerque SfPS
Dr. Pedro Francisco de Paula Caval-
canle 5io
Dontor Jernimo Marlioianuo Figuei-
ra de Mello 5o5
Padre Antonio da Tnudide Anluoes
Meira. 4^'
Dezembargador Thomaz Antonio Ma-
ciel Montei'0 4 Dr. Francisco do Rfto Bsrros a53
Dr. Uibano Sabino Pessoa de Mello 4iA
Antonio Joaquim de Mello. 4*3
Dr. alanoel Francisco de Paula Ca-
valcante de Albuquerque 396
Dr. Flu Pexoto de Brilo e Mello 367
Dr. IVfanoal Mandea da Cunba 35(j
rjoionel Lonreopo Bizerra Cavalcante 3j8
J/iUro I lanciico de Paula Metquita 3a3
Ir. AAfio Barbalho Uxoa Cavalcante 3|8
p4re lvJ>^ui do Sacidmanto Lopes
L. *. 31 >
Meo.amigo e Sr. Tendo o presidente ,
em Uma segunda ordena para pastar para a
cipanba a columna da margerh direita do S.
Goocalo reprovad a deliberac5 do con-
selho dosofficiaes de que Ibe fallei era
uma do miabas cartas; tal ordem nlo foi
cumplida por incompativnl e sbsiird

o Grande i3 da abrlj de i839.
Meo amigo nr. Duas vesas Iba son
grto pela publicacaS de minhas mal ali-
nbavadas cartas a resbeito dos negocios de
e o general Sears rom r*5 se escandili- minba iofelii patria uma, pela ben^vQ.
sou do* termos menos delicados com croe lahea ,*com que apesar-do tosco fla liq-
ai o trato" S Ez. S** a* ,H,n adimltido na *ua folha;
Passads qumze dia* depois do rer.l>- ioutr* pelo beneficio que com isso tem
manto d'esta ordem ais eme Chega hum feilo aos intereei do oosso pa.z robaran-
eitensMimo officio da S. Ez. recbeado da do-*s com o* seos enargicos 0 pitriotico
sslfacoens no qual deiWirolvendo artigo que U-ra feito o governo abrir os
como Mas, rouns das ideas, qoa havia si- folho* obra o precipicio em que si i a-
do emittidas pelo sobredito conselbo de of- bis.nar esta provincia si por desjracanlo
ficia^s reconheee (agora!) que a aaobi- l*a*e -vindo o Sebastiio da'Rego ou um
lidcdedo inimigo he espantosa e em Paidi te.
consequencia ordena a rpida reliada la N-U dada nenhumi oida^o* cons.-
2a.de abril.
Meo amigo e Snr. A ezpedicio do
tYravaXhica Pedra. no Camaqytam ni) fui
moitjfeli* co'4|uaoto s perdesiemos
i borneas roorto, e o ioiuigo i4 carca-
mans morios e a5 feridos : digo que i.ao
'foi muito feliz porque nSo se consegua a
qneima dos Ianch6as por eauza do mespe-
do aparecidiento de huma fo'r'pa ioimiga
soperior e alera disto ser ferido o nosso co-
mandante no braco direito que esta' en
visso de ser cortad!.
A nosu columna esta' na Orqueta" onde
a deixou aioistro d gnerra, que foi nel-
ta receido com entbusiasmo gerul.
Coma nesta oceaaiio vUe o ministro ella
informar-' a cmara do estado da provn-
ciaw, e oqnelhe posso assegurtr que nada
mais precisa legalidade para vencer do
que um novo presidente, vista dagrande
torca que temos.
dem.
(Diario do Re d* J.)
colnmoa, que elle ja considerara era cam-
po !
* No caso fie term sido comprdas as pri-
meiras ordens, a da retirada la I ver. chegas
se 'arde ; e'se prr desgrca estive**H a
relumna denotada-, feria o Snr. Ehsurio um lula lio desastrosa em lodosos senil-
recair toda a colpa no commandante e mais <
cieDCf so e de carcter iedependenta de
xou-de fser ver ao tainfro a oecatsidade
daiemocadi Eliaiario e elle a todos
presiouati.nc*o a quaifov.de bom agou-
ro para quanto* querem ver terminada
olnciaes d'ella. Por causa d'este e de on-
hros f.iclc ja nioguem pode tirar 'da ca-
bepa da nossa gente de cavailnria qne S.
Ex. procura de proposito sacrifical-a.
Aoch-gar ao Itapoi o vapor -_ Agui
que cenduzia para o Porto Ahgre o minis-
tro da guerra, os (arrapos fizerad Ibe mili-
to fego. va tilheria de um forte, qUe
ali levantar' 5 protegidos pela incuria do
basbaque do nosso presideote. O vapor
os pode porisso ir a diante e o minis-
tro leve de embarcar-se em um etcalbr ,
a'se pastar para bordo de uma canboelra,
que o conduiio capital, allravessando
por um iieju.no canalete so Loo me-idio-
nal.da Itgoa dos Patos por onde i po-
drm psssar embarcapoens, que dem
dem menos de 6 palmos d'ago*.
Na < ccaiia do fogo ppaiecera ,- se-
gundo se diz quatro lanebies de guerra
dos farrapos e rre. t*;em ai' os muzicos dos permanentes se
armario para ajudarem a iepellil-a. O
ministro e o bravo Luit Alvos de Lima
portrio-se com extraordinario denodo e
valeotia aquello depois de fardar-se ,
con aua espada o com um trabuco na
ma<&, conservou-se firme a com muito
sangue fro sobre o convez pesar das
instancias rtiteiddas do commaudaote d./_
Dapois de minha ultima carta escri-
pia ba quatro ou cinco dias nada mais
lera oicorrido que maree' altenca : as-,
tw todos anciosos por noticias de Porto
Alegre e do itapoi.
Ciejo que o ministro nio assistir a a-
berl-ira das cambras porque o negocio do
Itapoi. deve ter transloi na lo o eo plano
de viagem* dem.
Rio Grande.ao de abril da 1839.
Meu amigo a Snr. No di 18 as olio
I) 1 as la noite chegoo da capital a esta ci-
dade o F.xib. ministro da guerra, o qual
parte a man ha, para o acampamento da ex-
rxercito quejaseacba do ootro lado do
S. (joiisallo na estancia de D. Antonia,
O nobre ministro mandou em Porto Ale-
gre faser-se uma. sortida, d qual resultou
rgatar-se a cauhoneira o. 9 prederem-
se doze farrspos a entre ellts huui irmio
Je canavarro, e Gnalmaule lomar-Mi toda
bagaa/m do Netio e iodos os papis do
quartel Jgeaadal defexercito da repilha. pe-
los quaes e sabe hoja com exactidao a forpa
real do inimigo seo esudo e recursos, o
que mais a planos que liaba em vista
con!' a IrgaUdade. P .; ^ !"*ifi-
Asiim b.behudo, envin o bravo Chico
Gwrapuceiro.
As noftsas EleictT/s pcfjularos.
Em chegando essa qtiadra suspendem-s
entre nos todas as garantas da honra da
probidade, e ffamis.d': enlo o pai atiai-
c,*,s o filbo a#ibo a o pa, o irmio a o r-
mo, ecada As cuida na traca, e nos
majos, porque |a de suplantar aos mais
concurrente*, candidatos. Oue espe-
ranQa Iludidas Que promesas hurladas !
OueenVedos. qu-. ilrigaa que calumnias,
que pfr6dis As chapas ou lilas dos E-
jeitores p'a/ecrtm cartas preparad.s por des-
tros plotiqueiros ; porque a tctica he ap-
pre.sentarara nella os nomes d'aquelles,
cujos votos deseja' pilhar ; os outros f.zem
o mesmoaes^es, eo resultado heemburri-
eerem-se reciprccamenie e mmts ficarem
mamados.
He para ver e para rir a sem c> reroonia,
ou antes descarameoto com que mutos
pedem a o Eleitores os contcmplem ns
suas listas. Roberto, por ex he hura
tolleiro, al.e.lupido he; roas deseja
mimo ser Deputado ; porqoe est pobre, e
fallo de meios de subiistencta e quer ,
Iha deem a Deputacio pelo amor di
Dos como huma esroola. E o que se po-
de esperar desle pelintra ', que vai repre-
sentar nio a Naci mas a sua .rbiseravel
bolsa? S^r muito provavelmenla hum es-
cravo bumilissimo do Governo a favor do
qual votar sempre}'porque espera, e um
prometsa d'algum osso para roer. Fagun-
de mal abe assignar o eo nome ; he hum
bestalhio cnhecido por ul; mas anda em
carta roda pertence ceto partido e de-
ve por sao ser eleito representante da
Naci, ou da Proviucia. _
Loco que a aproximaS os.das da Elei-
co as Caitas d'empenhos pulul6 de to-
das as pactes e sujeilo ha que ntio so
ILEGVEL
Mi________________^^_____.__________


7T^
r\
DIARIO DE PEN AMBC
VAR1ED1DE.
Resposta guda d'hma ruslico d'Arabia
lium Califa.
. O Califa Vlahadi era ap4xonadssimo pe-
la c nho en seguimenlo d'b.irn fera eneou-
trOu hum campon'ez ,* quem pedio de be-
ber por ir fatigado '' inmediatamente ua C1* treme boma
jarra defer prosa vinhe; Mahadi depora
d lnvr bebido alg'ins golf, perguntou-
Mie _Conhcces-me? #to, Sr., respon-
den o rabe. Ao que toroou o Califa _
Admira-ole ; porque sou lium dos princi-
paes senhores da Corte de Mahadi; a be
herido ontro gole dM nao confieces ? Vos mesmo. rpsoondeoo
rustico, j'roe tende dicto qoero'sois. Sa-
bei, accresceotou Mahadi, que nio too la-
so s ; porem mais, do que tos hei dito ;
< tornando tomar outfo go'e proseguio
He nbssivel, que nio conhecas'quem aou ?
O caropor"/., j aborrecido da impro-
dencia respe n leo (he* V mesmo j me
haris dicto pjr duas reres quem soja ; eo
Vos ouri diier qoi-a eris hum senhor prin-
cipal di Corte do Califa : ecomo podereis
ser mais que principal p Es resposta de
tal aorta encolerisou a Mahadi quo Ibe
diste' Nfo obstante "o que ite bei dicfo ,
anda nio declare b m quem sou; pirque
a toa rustie Jad* mejd a entender que ou
me na condeces cu me ni o qoerea eo-
becer : digo-t pois ,'e te edvrto, que
sou o mesmo Califa d'Arabia, parante
quem toda o mundo se proatra.
Dicto iito, o bom do peizano sem temor
algum era vez do tirar o turbante, e faier
a reverencia ceremonialmente devida i Ma
gestad M pelo contraro arretietou-the a jar-
ra e precipitadamente correo com ella pa-
ra a sjaa caaa.
Atnito o Califa com este fleto ^ imtgi-
nou que o rustico fogifa eom o vaso Ou-
vergonhado, e temeroso de Iha nio ter dos.
prestado a derida .dorado : e asain que- Vista de Pana em Frauce tomada da
rendo a*tgurar-lhe, qije*1lcva pwHoie a ponte d*Ien. ,, ,
constitue bum Araba do deserto; porque
montado em bom cevllo percorrefodo ess
centro traspde as serranas.dos nossos ser
tps e de coHegio em collewio vai mmj.u-
[undo' rotos, como hum Franciscano pe-
dera esmollas de f.iji >, de assucar d'al-
godfo &c. Alguna deases especuladores po-
litico nio se contentad de suplicar rotos
para si, tambera insta para que jeja ex-
cluido este ou aquello de seus inimigos ,
equantos pertencatn a qualquer parcialida-
dediflerente da sua. Nestas occasioes he
que apparecem em campo as paixdes igno-
miniosas, as maia porcas intrigas, as per-
fidias mais irritantes e o mais he que
ludo se cohonesta so!> a cor do bem publi-
c i, e amor da Patria A, tal ponto chega
erofirn a indignidad);, que em alguns col
gioa sujeitos dos qua compa a aaeza eleito-
ral tem habilid te ou d'aquelte para os repartir l pelos
seus amigos, e atildados: talrec seja esta a
emaa principal de haver tanta gente oipe-
nhada era peitencer a essa meza onda os
votos'e^tio suj it is a Mes peltfticas /
E venh- i embacar-me com o palavraa-
do de rontade geral, e representantes da
Naci. Toda essa nomenclatura he rigoro-
samente huma fi'co ; ha lod tera ser ; mas de Lelo com poocas e hon-
rosas excepcews oseleitos nio sao, nem j <
mais seriad escolbidos pela rontada livre.,
e espontanea dos Povos ; que. en a ra nao veramos com magoa tanto bajoojo
tanto animal qussi irracional constituido
Representante da Naci, ou da Provincia.
U profundo Macbiovel ,. a depois dalle o
sabir Montesquieu estabel'ceraS o princi-
pio da qua o Povo tem hum oiterio admi-
ravel em suas eleicSea: mas com o devido
respeito, ou essea grandes horneas nio sa-
hi.o o qua era as caballas ou referiad-se
a Poroa mu diferentes dos notaos a este
respeito. Na j tomos soheja experiencia';
e o que be que vemos todoe oa das ? Que
huma grande parte das elatvas-receem so-
bre a gente menos digna sobre os mais es-
peculadoras, e intrigantes, entretanto que
muilos cidadios probos, illustrados, edig-
nissimo sao deslumhrados ; porque ale* pas-
sa por principio correte e iacontroveuo,
que sem caballar nioguem cont segura a
sua tleicao.
Anda apezar d'incancavel diligenen a-
pezar de ridiculas bajulacesa taea tapa
i'otencias bUitoraes, apezar de cartas dVm
ppnl3 mais numerosas do qua a que. se
fazem para enterramentos, muitoi can-
didatos sio bigodeados e perdem quan
to adiantarad na tsp-cuUcao. jiinJo j
conta seguro o pescado da Deputacio : j
diz glorioso Copto com a votacao uuaui-
nie dos Colegios tas e tes.: os d"4'a e
d'aquella comarca sio meua &-. Ai! m-
sero pexote, quaiUo le Ilude D-ixa vi-
re m asustas, e veia como falbra as
promessos, cjrno ootros mais girios te r. '-
rao a corda como se baldara*} as las mais
doces esperarlas. CftnSiste em promet'
melos de amigos ? Paleta! Anda h:
em amigos, quando se Ir^la de pleiroes ?
Es por ventura caudilho de partido ? Tens
sabido mesurar a taex, e ta'es su ['-itos influ-
entes nos Colegios ? Soubeste mentir, in-
trigar, e calumniar ? Senada d'aq dlld a,
se nida disto fizeate, como cuntas por certa
a tua eleicio ?
Estas vio em progresso espantosa de ca-
ballas ; porque os candidatos crescem da dia
em dia e m cuusas levt5 geito dos prelen-
denles disputarero-se os votos d raao ar-
mada ; e fe verem os socos nos colegios e
talvez at se recorra ao veneno, ao baca-
marte, e espedita faca, qne tem mais
lotea, que qu!q>>er Dicrelo. Pobre Po-
vo, como vive illudido' Hameni, que
obtiveraSaelPicio per meios to va e ver
gooosos, di.-.em-se teua delegados, teua
repre-eutantes; quando, a fallar a verda-
de tu ti veste tama parte em semelbnte es
colha como podara ter Preste Joio das
Indias. O que datera ser he letra aorta.,
que existe estampada ah por esaes livros ;
mas o que acontece he bem diffarente. O
governo desle mundo existe de faci (com
poucasexcepces) nao em tos maia honra-
dos mais virtuosos e mais digno, po
rtmsim nos mais ooecarides nos aaaia r-
penos e velliacos : os tollos tiabulha os
sbidos sio os qne diafructi. T*i he a h\>je /^ Ao corrate,
c< lidelo quasi gara] dette vale de lagrimas. A' beneficio de Joio Jet Lo pea Casaca,
actor doTheatro se representa a mui a-
preciavel Peca Nava- Castro m dos
raelhore* Du'os e a Farca O Taful
f*a de lempo.
A' hjras do costuaae.

COSMORAMA.
Segunda Subscripto.
Oitava e ultima exposicio.
Desde sabbado passado que ex stira na
exposrio as vistas sngnintes, que serio
mpretervelmeotu mudadas no sabbado 8
do corrente.
Comb te entre soldados de cavallara
(Dragona) do Papa e buns salteadores Ita-
liapos.
A conuVio de hum salteador Italiano,
rabes no seo acampamento.
Cavrtlcators, ou Gaucho Hespinhol, per-
aegnndo hujo boi selvegem.
Ealas 4 v*,as obras do f francez <> immortal Horacio Vernet, tem
merecido daa Ilustres personagena da pr-
meira subcr|pcio os maiorea louvores.
Grande Cax>eira do Rio Nigara hum
dos bracos do S. Looreneo. Eale oudalo-
ao e eminente rio ae precipita de huma al-
tura prodigiosa.
Erupcio do Etna famoso volcaj ds Si-
cilia a violencia com que sahem da buca
deste volcio at chamas os (oohedos derre-
tidos as lavas rdanles ,. at as nuveos o
aspecto meUneolico da Cidada de Palerma ,
o dos seos foragidos habta.ntaa augmen-
tado pelo olTuscado reaplendor 4% la, fa-
zem deste quadro terrivei hum medonho
ohjecto digno porem da curiosidad dos
amadores da naiureza fielmente reprodiui-
da.
Combate martima de Navanno 08 hor-
rores de semelhanle aorte de combata nio
podem ser maia natualinele representa
dos.
flllvjguratfi-lhe, q
transgreaaio da Lei do Profeta Mafoma ,
que prohibe o uso do rinh foi-ae apos
tile e Ihe diste folla 5 'que a pela of-
ferta que me fizest "oonTO qne se 1 eani-
marap as m'uhaa j debilitadas forcaa le
pordoastim ocistign qu% merecas pela
violaco da L-;i cojo prevjeitfi quebrHat-
te como a bita de reverencia devida
minht pessoa. _
Nao he por isao diz o jodicoso campo-
nez; mas sm porque temi qu* se bebe.
ses mSs outro gola do rneu vmho ttlvez
me qnizesseis persiisrfir, qn*i eris o Pro-
feta Mafoma ; > continoando a beha*rriear
at estancar a jarra,, talvez me prelendvs-
seis encasqueatr,'que eris 0 mesmo-Dos,
quando ero d'huma nem d'oulfa conaa
me devera capacitar. Alem disto se s,
que sois lium senhor to principal como
dizeis nio observaes e li do,tw*to Profe-
ta devendo dar o exemnlo ; porque teme-
rei quebrntala eo que v Aprceot Unto o Cilifa a respeeta dente
rustico que Ihe fea um rjrtindioaopreaan-
le. (Solanob-.)SS
ANCDOTA.
N'huma Sexta fera *de PassoaJ. subindr
hum Pregador'ao pulpito por ccCso da
Pmciisio do'encontro, depoit de d sjfeaj
bellas cousas assim continiK m sem rtff^'
monia-. Era to amante a VI1 do Filho ,
e o Filho da Hfi, que a Mi sempre anda-
va atraz do Fifho } e o Filho aira da Mi.
tar diri ja-sn a casa cima dita.
_ Um hrajleiro carado, de boa con*
docta, tem se proposto a entinar o. nume-
ro de quinze meninos', a ler, esrraver,
contar Grammaiica Portugueza e termos
de civilidadJ com todo o zelo .iptido ,
cuidado, e decencia possivel, por men-.a
do preco estabelecido : qu<.*m de stu presu-
mo se quizer utilizar dirija-se a ra de S. A-
maro nobairro de Sanio Antonio dolado
esquerdo a penltima caza pesada o ul-
timo sobrado buscando mu pequea,
que ahi achara om quem tratar.
_ Mtnoel Jos de Fontes Braga & C.
com estabeleciment na ra dos T^noeiros
aviza para otellgencia de quem convier ,
qua o mesmo eatabeleciment pasaou para
a ra da Cruz caaa n. i3 a* andar no
dia 1* do corrente.
_ Precsa-se de urna ama que tenha bom
leite, seja forra ou escrava ; na roa do
Haogrl aa a* andar.
_ Precisa.se de um rapaz pequea para
caixeiro de venda : m urna venda nova no
Hospicio.
X Um* preta de asaenlo se oHertce
para ama de casa de humera sottino a
qual engoma perfectamente, cosinha o di-
ario de urna casa e coze : quem precisar
da seo prastiioo annuncie a sua morada para
ser procurado.
_ Vende se urna preta do 18 a 20 an-
uos bonita figura boaeogomadeira; o-
sinbeira costureira da cortar e faaer carni-
zas da homem a vestidos de Senhora ; u-
ma mulata de ao anuos bonita figura cod-
ito, engoma, cosinha; urna" prt-ta de 18
apnoa crin as mesroaa habilidades urna
mulatinha ola 8 annoa, bastante clra boa
para aer educada : na ra d'Agoas vetdea
caza tarrea D. 37.
j. Precisa-se de alugir urna casa terrea
no bairro deSaoto Antonio, com cmodos
para pequea familia lando quintal ca-
cimba e nio eacedendo o alugol meual
a oitorail rea : qnem.a ttver anuuncie paiu
aer procurado.
_ Quem precisar de 4""'oors. a juroa
dando ptnhores ou firmas a contento : di-
riia-ro a esta Typografia, que ae di. qaca
o, d.
_ Qaem qaiizer hum Profeasof para en-
sinar.P'imeiras Letras, Gramroatica Lati-
na Rlielorica e MuMcinm algum En-
gaito ou mesmo no Sorteo : anuuucie.
Rogase a qualquer aulhoridade po-
Vista da Cidade e pono de Lisboa.
Vista da Cidade do Porto em Portugal.
Sarralno do GraV Visir em Smyi oe.
Vista da amiga e gohica ca pella do Gao
S. Nicolao em Heapanli ; o nalural^desta
vstase rocomendaao amadores do bom.
O Cosmoramn acba-se aborto todos os
diaadis 6 ala as p-hvus da larde ; o preeo : |c|, de appree"der um c.eotaliubo for-
sempre omeamo a aaber, 1 fooo reisea-
da pessoa*
Avisos Diversos.
____________a..______
_ Preeia-e de um homem que v dis-
tante desta Prca levar urnas cartas : quem
sliver nestas circunatancina dmja-se ra
da Cadeia velba n. 5p ,. andir.
_ Oabaixo ass;nadopede aos morado-
res do atierro da Boa visir J Praca erua
ro da noroe Noberto de idade de 14
annos seccodo corpo, beta preto bo-
cudo peroas finas e zaimbras pi mu
compridos, e apalhetades por ler aido
muito cambado ausentan--" no dia a7 do
passsdo, com calsa de estopa, e jqueu
de brim escuro e hia para leuda q -e es
lava aprendendo o officio de sapateiro m
mesmo se roga eos capities de naviji ni)
o oomprem por" ser forro; quem dell^ sou-
ber partecipe na ra do Fagunde IJ. A.
_ Arrenda-se urna Olera a margeno di
Rio Capibaribs no In^ar do Mouteiro, nes-
da 1'V-ia do Orago da mesan l-'regueza j todas as porpacoen com u n sobado qm
LOTERA OO LIVRAMENTO.
As rodas da serte .da 3. Lotera a fa-
vor das Obras da Igreja d Nosia Senhora
do Livi amento andad ^mpreterivelmante
no da ao do correle mez conforme re-
solveoa Mtzada Ir manda de da Mea m a Se-
nhora.
THEATRO PUBLICO.
queia por sua devocio e obsequio Ilu-
minan m a frente de suas^eszas na vetpora
e dia da rnesrna fe>lidade que vem a
sr na quarta e quinta feira 6 do corrente ,
aastrn como os que poderem urna fogueira
no alinhamtuto das que se fierern na fren-
te da Igreja.
O Tlitzoureiro da mema Irmandade.
_ Pilo Juiao da 1. Vara.doCirel e
Orfoi desta Cidade, Escruo Francisco
Joaquina Pereira de Carvalhu, anda em
praca para ser arrematada de renda trienal,
indo os das da lei, a quem maia der urna
morada de casa du sobrado D. 4' "' na
ra da Cadeia velh do bairio do Recife,
avahada no de renda anoual em'doo.ooo,
pertencenentes a viuva e lierdeiros de An-
tonio Jo- Qtwreama.
__ Urna Senhora viuva que a mais de
9 anuos su dedica a educacie.de meninas ,
particularmente em sua casa no (.ateo do
Tueco D. 4 j faz publico pelo present* pa-
ra inteligencia dos Pais de familia, que se
quicerem utilisar de sea prestio : certifi-
cando o bom rgimen da ana Aul, o me-
ihodo, pelo eosino Mutuo ; o a delicadeza
ato Iraiamento civil e moral para com suas
alomnaa, he irrecomendavel : por t*nto aa
pessoas que com a sobrediu quizerem trac-
serve de casa da vivenda com serizaltiaa
para .despeis escravos e mais : quena <
nerlender po'le eniender-s^ comeu don
Joio Francisco Santos du Siqueira n* ru*
velba do lado do Sol nico s.hr.iii deslf
ledo do dos andares.
Vende-a? um escravo : nuiua da Praa
ees cca de Jos Lua.
_. Troce-se a morad 1a de urna casa pe-
quena, sita na ra do Jardru de preco
commodo, por outra grande que
tenha bom quintal, ou mesmo por um
1. ou a. andar que o aluguel uio ex-
ceda de 10LJ000 res mensaes sendo na .
Bairro de Smlo Antonio ; a quem Ibe
convier este negocio annuncie declarando
a mocad ie.
Arrpnda-se qma grande Otaria a mar-
gena do C pibaribe no lugar do Moleiro
com toda, os porpocoens qua S X'ge d.l
Olaria que avala se ver ejo casa de vi-
venda de aobrado e senzalla por biixo do
mesmo para 16 oi maia escrtvos : quem
a pertender entenda se com Joj Fr.iucisco
Santos de Siqueira na ra telo*.
_. Vende-se urna mulatinha de idade
de 7 pera 8 annos, sem vicio, muito s-
dia : no Hospicio em urna venda nov.;
oa mesma ae vende garrafas vziaa.
1



4
DIARIO DE PERNAMBUCO;
'
_ Precisa-se de quii ama de leiie forra rancia do Sr. Francisco Lope Lima, qosn-
-______r____... r 3C A .\flii,i(lnni fninirKi il NiTiri-lh Ha
ou captiva: as 5 pontaa D. 36.
captiva : ns a pumas u. u\j. uj .sw u ^.. -------------.
_ O Vapor Todos os Santo* devechegar Malta a pretexto de mandar paasar una
no dia 4 do correte e depois de ae de- pudata aobre urna demanda que mova
morar 48 horas segu para o Rio de Janeiro antea relaciodesta provincia, e como ja
tocando em Mecei e Babia aa possoas maia tenha viudo a sua noticia o resoltado
que quiserem carregar ou ir de pasMgem, dete papal, por isso desde ja declara, que
J:.::*~ ....u..;.i.>ii>il Rmu r dirijio-se ao escriptorio do Rosas t Barga
ra do Vigario D. 5.
, oio se responsabelisa por qualquer letra
oa papel que aparecer passa com o aeu
I ao igrio V. J. UM papo* f" -r-'------ r------- -----------
_ Deseja-se alugar um sobrado da uto .nome assigoado desde 1835 atea data des-
andar que tenba commodos su6cientea te ; visto que em o decurso deste tempo
para urna familia nlo se olha a ra com nenbuma letra oo papel tem passado.
.. _.______s ...:. i,J,.na nam nn R*r. Manftfl Camello Valcacer.
tanto que nao seja em bucos nem no Bar
ro do Recife e para isso se offereca luva
rO UO IXCCIie C pul lU OO UU^:-^ .- __ lUiai uuu..-.-..- ------------------ -;-j -
ao dono da casa ou a pcs morar e d-se fiador ou meies a dilata-
dos : oa ra das Flores sobrado da quina
Decima 1.
;cima 1. usi'cir<.^' c" ""? -- -----------
_, O Secretario da Sociedade Minervina do Recife o. 45, um deposito destas fasen
. aa> m .____. !____. _- t. .. ..L.fl^ !n.,nlmonfa InklQ
convida aosSis. Socios para se reunirera na
salla de suas sesses do dia 4 do ccrreule as
horas do cosame.
_ Exisle urna caria vinda da Cidide do
Porto para Jos Joaqun, de Abreu Rocha ,
na mu*a da Independencia n. a.
_ Roga-se ao Sr.< Joaquim Correia de
Araujo Sr- do Engettho Panedo debaixe ,
de annunciar a sua morada.
_, Quem quiser alugir um a dois escra-
vos proprios para qualquer ervico.
porserem muito. ladinos e fiis e um del
les sabe cozinhar o diario de nm casa di-
rija-se a ra estreita do Rozado D. ao no
Btjgundo andar- *>
_. Antonio Francisco Ribeiro mora na
ra da Cruz a. 3^ defronte do beco das al
mas.
_ O Sor. TiburciO Germaoo Carneuo
Mooteiro queira annunciar sua morada ,
que se Ibe d'eja fallar'/
_ Quem precita* de um caixeiro para
cobranca, ou para escriptorio anuncie'
mi.1 murada* '
_ Quem annunciou no Diario do I. do
correte querer um cont de reis dando por
bypotheca om casa e alem disto 4 escra-
vos querendo menos quanlia aobre os
escravos por espaco de 3 anuos, ficando os
escravos no poder de qoem d o dinheiro .
pelo que se justar e meamo se dar toda
a qnantia dando mais escravos dirjale
a esta Typogra6a.
_ Quem annanciou qaerrer um cont
de reia, a premio, dirija-se o roa das Cru-
zes obrado de om andar D. 18.
_ Quem precisar de .uma ama para casa
de um bomem solteiro que faz todo o ser-
vico dirija-se a ra da Florentina asa da
quina D 7.
_ Quem precisar de dinheiro a.premio
sobre escravos ficando os ser?icos dos di-
tos pelo premio Sondo os mesmos era
poder de quem d Idinhairo correndo o
risco o seu dono e havendo por escriptuta
as condices que se tenha de tratar, tanto
eraseguranca deqoem recabar o dinheiro
como de quem d dirija-se a esta Typo-
grafia que se dir
Aluga se urna morada de casa de om
andar e loja na ra Direita com quin
tale cacimba dependente com acOodi
co que prope a proprietara moradora
na ra de S. Francisco na casa onde resi-
dio o falecido escrivio Peres.
_ Francisco de Sales t'-ndo aceitado urna
letra da qu.nlia de cem mil rs. ve-cida a
3o de Maio do correte Bono a Jlo An-
tonio Nogueira nao foi al o presente a
presentada paia a pagar e por S30 avisa a
pessoe que a ti ver a aprsenle pira ser paga,
pois nio quet 'p-'gar premio depois do
vencimento por omissio do saodor.
_ Alug'-se um giande armasem pro-
prio para recolher ou para assucar, na ra
do Apolo D. 4 tratar na,rua da Madre de
Dos n. 24.
_ Quem precisar de um caixeiro por-
lti"u-z de idade de 16 anuos para loja cu
cobranca annuncie.
A pesoa que annunciou precisar de
um cont ders. dtrija-aea ra do Crespo
]oj< de Antonio Xavierda Silva.
_ Quem p ecisar de um caixeiro portu'
{uci de ao annos de idade-, para arroasem
kjucobranca e d fiador a sua couducta,
duna-sea ru do colb-gio D. t.
_ O -tbaixo assignado querendo prev
nir iiuvida, que para O facturo possao apa
r.eOr, t morn>eiile i^.norando~que destino
j 1. ni*, d.dj a urna folha de papel que
o aimuuci.u.e cm b ^nco, ttguvu a in-.
do Advogado na Comarca de Naxareth di
Manoel Camello Valcacer.
_ Mrs. Bonnefond Faux & Mauvernay ,
qualidades, tem a honra da annunciar aos
Srs. logizas desta praca., que acabam de
estabelecer em Pernambuco rui da Cadeia
das e que la >e adiar igualmente (obje-
ctos os roais modernos de Pariz ; assim co-
mo tudo o que for de melhor gosto e da
ultima moda.
Avisos Muritiius
PARA O RIO GRANDE DO SL n>
gue via^eiij cnm toda brevidade com e^ca
la por 8. Catbarin o Patacho Flores^ quem
quiser carregar ou hir do passa^em dirja-
se a caaa de Araorim IrmSos cu a bardo
ao Capitfio Jo PARA ANGOLA oBrigua Escuna Ara-
caty GapitiS Joa6 Antonio da Silva; tem
a maibr'prte da crga prVmpta ; quem
sercarrejar ou hir de passagem dirija-
se o memo CapiuS ou a Autoio Joa-
quina de Sou7,R beiro.
PAR O ARACATYiohiri al 16 d
corrarnte a Sumc- Emilia Mestre Jer-
nimo de Soun ; quem quiser carregar ou
hir de passugem dirija se ao dito Mestre ,
oo a Antonio Joiqulm de Sou Ribeiro.
Jjeilo
Que faiem Me. Olmont & Coropa
nhia p >r inlervencio do Correlor OHvei-
ra la um completo ortimenlo d faren-
dasittglezas recenfmente despachadas, ter-
ca feira 4 do Crreme pelas 10 horas da
manhi no en armasem da roa da Cadeia
O. 36.
_ Qii'e faiemGeorge Kenworthy & C.
por Btervancio do Corretor Qh'vetra de
nm aortimento regular de f.zendas inglesas,
Quinta feira 6 do corrente pela 10 horas
da manhi no*seu armasem na roa da Cruz
D.64-
. Coiqi'p ras
__ Prata velhae oiro dito ; quem ti ver
annuncie.
_> Garrafas valias : na ra da cadeia
vellu D. 17.
V e n d a s
_ Uma barretina ainda nova com todo
o seu aparelbo novo para o lerceiro Batalho
da Boa vis'a por preco commodo : na
travesa de S. Jos as lojas do sobrado De-
cima 17.
_ 5 moradas decasas de taipacom quin
laeseSrvoredos sitas na povoacio da casa
forte ^ urna escrava de 18 annos de idade ,
de bonita figura e um preto canoeiro com
ana eanos que pega 3oo lijlos de alvenaria
prosssa eumamoehda para engenbo: na
ra do Queimad loja D. il.
__ Canarios de imperio nascidos em
Pernambuco, e excellenlescasaes de pom
bos por serem rouilos batedores : na ra
da Couceicoda Boa vista casa dec tauoeiro
D.4.
, SfCis de farinba para negro a a4o
asaca: na ra das Cruzas D 18.
_ Uma porcio d^ sacos vajios novo ,
que caem 5 arrobas de assucar e tambem
HKvem paraalqueire de faoha : eaV-cata
de Harmano Mehiten roa da Crua De-
cima a 3.
_ Una propriedtde de caa de um au-
par na roa velha : a tratar na roa do cebo muilo nova t viudas prximamente do
casa: junto a do Sr. Livra.
_ Uma escrava do gento de angola ,
de idade que representa a5 a a8 annos bo-
nita sadia e sena vicios propria para
vender na roa : na solidado casa n. i}5.
Uma porcio de cera de carnahuba :
a fallar com Manoel Francisco da Silva, em
sua lojalta pracinha do L'vraraento.
__ Uma cnoa aborta que carrega mil
lijlos de alvenaria grossa : no estaleiro de
Joiode Brito Correia
_, Uma linda molatinha mumbinda re-
colhida de idade de 16 annos com boas
hahelidajes e he muilo b^m educada ;
uma negra da mesma idade faz todo o
servico da uma casa ; um negro de 35 an-
nos de idade born servente de urna casa por
280,000 ; uma escrava parda -reolhida de
idade 20 annos de elegante figura e de
muito boa conduela cose bem chi e tem
principios de engommailo ; e uma negri-
nha do i5 annos cose bem e tem milito
linda figura ; duas neRrinhas de idade de
liaijunnos, ensera mui bem, de bo
nitas figuras e se afianpa n.o tereno Vici-
os ; um uioUcote de i4 a l5 annos ptimo
p>ra se nm pregar em qualquer coisa; euma
mobilia comp'ela com mui,lo pouco uzo ,
toda de Jacaranda, tudo com flanea de boas
vendas.- passando a Igreja dos Martirios no
primeiro andar Vio primeiro obrado.
_ Rap IDmburguez conservas de
todas a qulidades chegadas ltimamente
da franca agoa de Seltz: n* "* *** cdi
D/17.
- No Recife roa da Cruz escriptorio de
Jos Antonio Gomes Jnior sacas com
irioha muilo fina de mandioca feta na
Moribeca e superior* do Maga'.
_ Uma veoda sita no porto das canoas,
com pontos fundos : a tratar na aua doa
Turres 11. 116.
__ Um reloeio de abonte orisontal ,
muito hom regulador seado pessoa conhe-
cida da se a contento eos livroa oguin-
les : S. Clair Manth Gil Brai, tesouro
de meninos, caverna da morte : n ruada
Craz armasem n. 4l. '
_ Uma escrava robusta com abelida-
d& cozinha o diario d'uma casa lava
snfrivelmente de sabio evarrella ongom-
m mariscadeira e Iripeira : qum a
prelender dirija-se aflata Typographi que,
fe dir quem vende.
_ J7 duzias o meia de pranchee de
sedro 5 ditas o meia de costadnho de a5
palmos o'15 Jilas de costadnho do. 20
palmos 4' ditta de as*oHio 24 ditas de
forro tudo de sedro 35 dusia meta
de assoalho de canella e paroba g5 e meia
de costadnho de ditos : na ra do Tor-
res em casa de Beroardo Anlomio de Mi-
randa.
_ Um preto sapateiro e r.ozinheiro,
de bonita figura-: oa ra do Rangel no I.
andar do penltimo sobrado junto ai di-
versas rendas.
_ Um bom carro de duas roda In-
glez que sendo de duas i-odas tem o ne-
cessanos arranjos para dois covallos, o qual
se acha petfeito de ludo ,'e-tendo doia ar-
reios inda nioserridos ; quem o preten-
der annuncie.
_ Uru barcaca aparelhada com todos,
os seus perlences carrvga g a 10 caixas ,
por preco' commodo : na ra pur detraz
dos Martirios no porto das canoas.
_ Uma burra de Ierro cuado muito
bem construida e nova ; a fallar com An-
tonio Jos G'inaesdo Correio oa com Jo-
o Francisco Santos de Siqueira ua ra ve-
lha.
_ A quem queira sahir para fora com
negocio-, uma pottao de praia 01ro., em
obras feias ,por preco commodo, e tam-
aifeulho, e urtn p.irelha d* tabolhela : ua
ra Direita loja de ourives D. 54-
__ 'Uma carteira com os |eus perlences,
Um guaid louca, uma comod.., duas ban-
cas de jogo', uma secreiarin duas camas ,
nm gu*rda roupa ) todas estas obras de
moito bom gosto: na ra das laraogeias
na loja do sobrado D. 10.
__ Uma cnoa que carrega uo patacas de
agoa e he muito leve para mais peque-
aas : n ra Augusta D. 1.
Talhas de Guimares, de boa qua-
lidade e de-diversos tamauhos : na ra do
collegio loja da quina jante ao Passo.
Porto : na ra do Collegio botica D. 3 de
Cyprisno Luiz dt Paz.
_ Rap areia preta e de Lisboa as [j.
bras e as oitavas, e roupa feita de toda a
qaalidade : na ra do Queimado D. 11.
3 barris vasiss, 'i livros em branco
e pautados sendo diario razio e abe-
dario um papagaio muito fallador 1 re-
logio uma quitarra I caixa de tartaruga,
um pente de dito uma ampulheta : urna
rica agullia de marir, um m-'io de sola,
uma suriare7.a com lao bracas, dois pe-
zos um de duas I bras e um da 8 ditas ,
um plumo com 8 libras um dito com ifj
ditas de chumbo duas pecas de cabos da
linho a sedado sendo um de 3e meia e a
outia de, duas polgadas uma peca de dito
arre bem uma dita de lona uma dita de
lnha de barca, 5 ditas do berlim 7 ditas
de fio de vella a mirretas a tratos um
serrote dois ferros de c .fate, e uma por-
cio de pregos de cobre para costado de na-
vio : no pateo do Terco D. 67 no a. an-
dar.
O Num. loen do Carapuceiro: na
praca da Independencia loja de livros n.
37 e 38.
_ Rape de Lisboa novo a 3aoo a libra
dito da Bihia a 1080, cha isson de primei-
ra sorte a 1600 a libra, linha parda, preta,
e azul ferrete a libra a 1600, e sendo en
porcio de 10 I bras para cima se far o a In-
tmenlo de 5b rs., canutilho em ciixas ,
crespo de todas >s qulidades e dito liso ,
latru amarel a em libra que tem 4o folhas,
peonas de' escrever a aoo rs. ao quarteirio,
tinta de escrever a aoo rs. meias garrafas ,
eem potes a i6j sag' de primeira soito
a 400 a libra pentes travessis de tartaru-
ga bichas grandes de Lisboa chegadas l-
timamente, : na praca da independencia n.
ao e na roa dos Quarteis loja D. 3.
Kscravos Rugidos

a noite de 26 do p. p. fugio um
negro de nome Domingos, do sitio da Croz
de Almas baixo groo com ferro no
pescoca alejado de um braco qua o tem
mais curto com uma icatris de om gran-
de taino transversal na barriga he bucal,
mas finge-so ainda mais bucal do que he ,
foi visto adiante de Bebiribe j quem o pe-
gar lave ao dito sitio, que foi da Congrega-
cao ,on na ra dos Quarteis D. a ter
boas alvicaras.
_ Detapareceo ou furtario no dia 29
de Abril om moleque de nome Joio de
idade de 14 annos, pouco mais ou menos,
altura proporcional a idade rosto compri-
do chelo denles grandes e rasos
por natuiesa cor preta bracos grossos ,
e tem de um lado da cabeca uma pequea
falta de cabellos qoe serve de ignal mais
evideote reforcado alguma coisa do cor-
no tere bixos nos ps do que tem as mar-
cas, levon vestido calsa de uma fazenda de
algodao a immilac5 de toalhado emen-
dada as duas pernas camisa de chila azul
com hetras encimadas ja desbotada e uma
filaamarella no pescoco com duas consta
ames ; quem o pegar leve a ra da Cadeia
loja de J-aquim GonsaUes Casca, qu9
receber i5o,ooo de gratificado.
Aluviuieuto do Porto
NAVIO ENTRADO NO DIA
PHILADELPHIA ; 36 di.s Brigue .Aro-
ric.no Navarro de a4a tonel. l*P"\
A. D. Evuns, carga dilTereules gene"
a Tremansuel.
SAHIUOS WO MESMO DIA.
RIO DE JANEIRO; P-lacho Nac. Paq"e
te do Rio.Capio Manoel Antonio
Silva carga vmho e farinba de
dioca ; passageiro Jos Antonio de
OSSERVACOENS. .,
No dia a suspendeo duraiite a opile o
eue Amaneaoo Navarro e seguio o
destino f e amauhaceo lundiado o t
cho Nac. Paquete do Rio.
ja j
man*
M*
legio loja da quina janto ao fasso. |lVp ng M p iir'. iJS
J As Udadeira piluUs da familia, PER4N. HA JYP. L M. *;. *.


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EWJBW33HA_YGU8OC INGEST_TIME 2013-03-29T17:11:40Z PACKAGE AA00011611_03891
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES