Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:03887


This item is only available as the following downloads:


Full Text

ANND D 1839. TERgAFERA.
CAMBIOS!
Jolito 19. y
Londres 30 por if 000 sed.
Uibo po por 95 premio, por metal, offereeido.
Franca 3ao 3i5reis por fraaco.
Rio de Janeiro 3 por 100 p.
Moedas de fifoo i5?qoo as reinas, oras 1S/S00.
4fooo 8|((5oo a 9M-.
Petos Columnaros 1^720 tfl-bo.
Diltos Mevicam ijJ6 Pataces Bralileiros 1166o a l|o8o.
Premios das Icli as, por mez 1 i/( 11 171 por 100.
PARTIDAS DOSCORREIOSTERRESTESj
3
1
i
a a
Cidade da Paraiba e Villas de sua pretendi r
Cdade d Rio Grande do Norte, e Villas dem
Cidade da Forulea e villas dem ....
Villa de Goianna
Cidade de Olinda 2 $ ; { ] '{ 1 )
Villa de Santo AotSo '.! 5 7 S V 3
Dita da Garanhons e Povoaeio do Bonito. V
Dittas do Cabo, Serinhaea, Rio Formse-, Porto Calvo
Cidade das AlagoM, o Villa da Maeai. .
Villa de Pajau' da Flores. ; i 3 3
Todos os correios prtete ao aeeios dia.
! I Segundas e Sextas feiraj
Todos os das:
Quintas feiras.
Dia 10, a 34 da cada 1
dem 1 11, a 11 ditUdiUoJ
dem idam.
dem i3, dittoditte
AlftlERO
Tudo agora dependa de nos mcsmos; da nossa prudencia
moderacSo, e energa : continuemos Como principiamos
e seremos apootados coro, admiracio entre as ft'aces mas
cultas.
Proclamaf&o da Jtiembloa Gwaldo Briuil.
Subscreve-se para esta folha a 5/ooo por quartel pagos adi 1
antados nesta Ty potra fie, ra das Cruxes 5, e na P.ac
da Independencia 07 e 38, onde se receben correspon-
dencias fegalisadas e annuncios; insirindo-se estes gtat u,
sendo dosproprios assignantes, e viudos assrgoados.
DAS DA SEMANA.
so Seeunda S. Marina V. Ses. da Thet. eaud. doJ. de D. da 1. v. de m.
ffi S. Rufino M. Ral. audiencia do J. de D. da .. vara de maoh.
3i Ouarta Itrnacio de Loiolla Fundador, bessao da 1. V.
1 f Aposto. Quinta S. Pedro ad vincula. Re. e aud. do J. da D. de 2. v. de m.nna
s Sosia N.S. dosAoies M. SessSo da Tbas. a aud. do Ju.x de Dir. da i. vara da e*J
3 S.bbado S. Lidie. Re. e aud. do I. de D. da 3. vara de ananh.
4 Domingo S. Domingos de Gusmo Palnaca.
maro cuela para o dia 3o de Julho.
Ai 9 horas e 18 minutos da mach. As 9 horas e a minutos da tarde.
PERNAMBUCO.
GOVERNO DA PROVINCIA;
Expediente do da a3 do crrante.
Oficio Ao Commandmte da Armat res-
pondend' -Ihe, que nfo he possivel atsfaser
reqoisicio que Tez do armamento do adar-
me 17 para o terreiro Batalhlo de Artilhe-
ria en coosequencia de o nio baver despooi-
vd no Arsenal de (unn.
Dito Ao Prefeito da Comarca de G ra-
tiliuns, respondendo llie que fot expedida
ordem ao Inspector da Thesouraria l'rovin-
cial par entregar a toa ordem qimniia de
i:oobUooo res para o concert da Cade*
d'aquella Villa visto tilo poder no estado
em que se seba efferecer devida segnranca,
Bcindo na intelligencia deqae devera' pro-
proceder ao mencionado concert e prestar
contas a referida Thesouraria nlo ao' da
quaotia que seIhe consigna como desque
por ventura se houverem de dir psra o me-
tno un.
Dilo Ao mesmo sulhorisindo-3 para
elevar o Destacamento de sua Comarca ao
numero deqnsrenta Pracas ?it do qoe
repreieota em sea olricia de l5 do corrente
mes.
Dito Ao Inspector da Alfandega para
fiser desembircar com a possival brevidade
a fsrramenta e rnais objectos pertencentes a
Companbia de Trabelhadc-res mandados en-
gajar na Europa.
/Dito Ao Chefe interino da Legllo de O-
linda, communicandc-lhe que foi expedi-
da ordem ao Director do Arsenal de Guerra
para satisfazer a reqoisicio que fet de um
abomba, e caixa para o primeiro Baialbio
de sua Legiio.
Dilo Ao Director do Arsenal de Guerra
para por a despstela do Engenheiro Auguto
Htrstmg aoo cobertores de li para sarem ap-
plicadof ao uso dos trabalhadores que scabio
de chegar da Europa na Galtra DinBmar-
queza Crele.
Dito- Ao Engenheiro Angosto Hersting
communicandc-lhe a expedicio da ordem
suppra.
Dito Ao Inspector do Arsenal de Mart-
illa, ordenando-lbe que ponba a despoei
ca6 do Hengenheiro Augusto Heratiog um
dos qoartos desponiveia do mesm Araenal,
a fim de que poasa alie, como encanegado dos
arranjos do trabalhadores engajado a li
assisiir em qnanto elles nio lomo es con-
geniantes destinos.
Dito- Aosobredito Engenheiro Augusto
Herating, commuoicando-lhe o conteudo no
precedente oficio, e encarregando-o da di-
iccco da Companbia de trabalhadores enga-
jados.
Dito Ao Jais de Direito do Crimo da
Comarca de Santo Ailo, ordenaBdo-lbe
que faca remetter a Cmara Municipal do
Bonito os termos ou seoten$as condem-
' Hateras dos jurados multados peitencentes
aquella Municipio pois qoe tees ^*li,i,
davem pertencer a Cmara a cujo Municipio
pertencer o multado, a nio lio putativas da
ua cibeca da Comarca.
Dito A Cmara Municipal do Bonito
approvando a nomeacio do Pharmat*niico
Luir Fernandes Portella para enesrregado da
destribaicio do pux vaccinieo em sea Muni-
cipio.
Expediente do dia 34.
( Oficio-Ao Inspector da TtieaouratU da
Rendas Provinciaes ordenando qna mande
por a desposicio do Prefeito da Comarca de
Gar. a quanta da i:oooU de r*,a fim de ser
applicado ao conserto da Cadi d'aquella Vil-
la, ficando na intelligencia de que o mesmo
Prefeito devera' prestar contas nfo a desta
qaantia, como das que houver de recebar pa-
ra o aaesmo fim.
Dito Ao mesmo parteepando-Uie, que a
Presidencia por deapacbo desta data tem ap-
prevado o Regulamento, que argani'.ou e
reinal leu com seo officio de ao do correnta pa-
ra execacio do artigo 8. da Lei Proin-
cial numero <]3 da 3o de Abril doste
anno.
Dito Ao Commandaiite Supperior daG.
N. dnRfcife, significaodo-!he qoe tendo
o Director do Lireo representado que os A-
lumnos da Aula do Dexcnbo que slo Gnaa-
das Nacionaes nenhuma applicacio apresen-
tio e aem comparece a sua Aula ; cuoc-
pre que os chame para o servico da masma
Guarda excetuando o Eatudaote Joaqun
Das de Stnta Amia, por aer cuidadoso em
stos deveres e de boa conducta.
Dito A o mesmo ordenando que mande
dispensar do servico da Guarda Nscionai
Francisco Antunea Ferreira Guarda da ter-
ceira Companbia do primeiro Batalhlo deate
Municipio por ea achar nomeado Commia
ss'io da Policie*
Officio Ao Prefeito da Comarca do Reci-
te communieando Ihe a expedicio da ordem
aupra.
Dito-Ao Prefeito da Comarca do Rio
Formoso, partecipando-lhe que a Presiden
cia ooneou o Cid dio Antonio Mor eir de
Car valho Gouv in Cast-o para Sub-P. da Frt-
gueaia d* Agoa Preta e enviando-lhe o respe-
ctivo Titulo, a fim de o fazer entrar logo em
exercicio.
U.to-Ao Inspector da Alfandega rei-
pondendo-lhe que deve mandar entregar ao
Inspector geral dss Obras Publicas toda a
fef rarrenla dos artifices e trabalhadotes recen-
te mente chegados que se despachar na dita
Alfandega, e debitar oa Cofrea P.ovinciaes
pela importancia dos Direitos qae a dita fer-
ramenta houver ds pagar ae ass m o exigir
o Governo Imperial.
Dito-Ao Inspector Geral das obns Pu-
bl cas para mandar despachar e receber na
Alfandega a Tarramenta deque trata o offi-
cio precedente, daodo-lhe o conveniente des-
ino na forma das ordens da Presidencia.
Dito Ao Director do Liceo, approvando
a resolucio tomada pela Congregado do mes-
no Liceo, de screm'excluidos das Aulas os
Estudaotea que por anas relaxatSes, efal*
ta de applicacio ae fizerem merecedores daste
castigo; e communicando-lbe qae foi expe-
dida ordem ao Commandante Superior da
Guarda Nacional para faser chamar para o
servico os alumnos da Aula do Derenbo que
slo Guardas Nacionaes, que nenhuma appli-
cacio tem, a nao comparecer na referida
Aula.
Dito A Cama ra Municipal do Bonito,
approvando o artigo addicional aa respecti-
vas Posturas, quejolgou necessario parae*
vitar os dainnos, que os animaas canso as
lavouras j e observando-I he que para a co-
bran?* das multas, se devera' proceder na
forma das Leis.
Expediente do dia a6
Officio Ao Inspector da Thesouraria Ge-
ral da Provincia ordenando que mande a-
jiiitar ai contas o pagar o que se deyer *o
Coronel Joae Joaquim Coelho como Corr-
mandante de Brigada na Povincia do Rio
Grande do Sal at o fim de Junho do cor-
renta anno.
Dito- Ao Inspector Geral das obras Pu
blieas partecipando-lhe que a Presidencia
tem dispensado da Commissio em que se
achava rmoregado em sua Repsrlicii, ao
Captio confirmado Jlo Baptista do Amara
e Mello.
Dito Ao Administrador Fiscal das Obras
Publicas, commuoicando-lhe o conteudo no
precedente officio.
Dito-Ao Presidente da Cmara Munici-
pal do Pao do Allio, approvando a nomeacio
que fitVra dos Cidadlos Jlo Mathias Pa-
dilha Jos Eduardo de Sonsa Lendim,
para sobstituirem o primeiro a Cadeira de
priroeirs Lettras da,Villa, n o segundo a da
Lagoa do Carro durante o impedimento dos
respectivo Profeaaores que forlo suspen-
sos.
Dito Ao Inspector da Thesoursna das
Randas Proviociaes, communieando Ihe ocon-
tfodo no precedente officio,
Expedierte do dia v \
Officio Ao Prefeito da Comarca do Rio
Formozo, reapondendo-lhe que nio pode
ter lugar a nomeacio do Cidadlo Manoel Jo-
ae de Soma Luna para Commaodar o Dea-
tacamento daqaella Companhia, por dever se-
melhanta nomeacio ser feita d'entre os ofici-
aos 4a Guarda Nacional.
Dito Ao moimo declarando-lhe em
resposta so seo officio em q'pede authorisacio
para eogajar algn* individuos que faci
o servico daGaarniclo d Villa ; que de-
vendo os destac ment* dss Comarcas ser
formados de Guardas Nacionaes segundo
as ultimas ordens da Presidencia nlo he ad*
misaivel o sobredito engajamento.
Dito Ao Inspector Geral das Obras Pu-
blica, respondendo-se qae fca entregar ao
Engenbeiro Augusto Hersting, a ierra-
menta doa Artifices e trabslhadores enga-
jados.
Dito Ao Inspector do Arsenal de Mar-
rinba ordenando que ngaje um Pratico
para levar a Provincia do Para' o Brigue Ge-
neral Nepamoceno, que foi fretado a fim
decondoxir varios objectos Diviso Naval
ni d ti Provincia.
Dito Ao mesmo, devolvendo-lhe dispa-
cha da para ser satisfeita pelo Arsenal de
Guerra, a requesicio dos objectos precisos
para o armamento do Cter Esperance, de
Bebeiibe,
Dito Ao mesmo, para mandar por a des-
posicio do Engenbeiro Jalio Boyer um dos
Guindastes de ferro que ex;te no mesmo Ar-
aenal, a fim de ser eollocado no lugar do de-
sembarque do Arsenal de Guerra.
Dito Ao Engenheiro Julio Boyer com-
municando-lbe a expedicelo da otdem au-
pra
Dito Ao Inapector da Alfandega j para
enviar a Secretaria orna copia do Balanco, e
Mappas de Receita e Daspesa, de sua Repar-
tiese como Rosumo do Ponto de seos Empre-
gados no primeiro semestre do snno finan
ceiro p. p.
D to Ao Administrador da Mesa do Coa-
aalado exigindo a ramease da urna segunda
va do Balanco da Receita e despeaa de aua
Repartico, com o ponto de aena empregadoa,
tudo relativo ao anno financeiro prximo ps-
Pottaria -. Ao Inapector do Arsenal de M*
rinha para faser despedir lodos os oficiaos
e serventes escravos, queestiverem emprega-
doa as diferentes oficinas, fasendo os subs-
tituir por homens livres, para o que devera'
convidar pir meio de annuncios as foi rus
publicas, aos que qaiserem servir, dando
parte logo qua aisim o tanha cumprjd j.
Iguaes Portaras com as devidas alteracoas
forlo expedidas ao Direetor do Arsenal de
Guerra Inspector Geral das Obras Publicas,
e Engenheiros Augusto Hersting, a Julio
Boyar. "
Dita -7 Ao Ao Commandante do Briguo
General Nepomoceno para, receber a seo
bordo e trsnsportar para a Provincia do P
r o soldado Amandio Jos Cardoso qua
Ihe sera' remettido ,'pelo Inspector do Aratfbat
de Marinha.
Officio-Ao Inapector do Arsenal da Ma-
rinha, para remetter ao Commandante do
Brigue General Nepomceno o Soldada
de que trata a portara aupra.
Diversas Repartiyoens.
ALFANDEGA DAS FAZENDAS.
ED1TAL.
Vicente Thomax Prea de Figueiredo Ca-
margo, Inspector da Alfandega faz saber
qua se hade arrematar em hasta publica
na porta da mesma no dia 1. do Agosto : *
o seguiote : i3 e calieres velhos dnas caixas
grandes 6 canaps e huma cadeira da en-
cost.
Alfandega de Pernambnco a) de Julho da
i83q.
Vicente Thomax Pires de Figueiredo Camirgoa
ANNUNCIOS.
Precisa-se comprar para os concertos e re-
paros d' A'fande o seguinte : Seis
marretss de 6 a 8 libras esda huma com ea-
bos 8 ferros d'asento 8 picaretaa sorli-
das a4 paz de ferro ao enchadas comple-
tas a4 tinas, 3 escadis de ma, 8 carrinbos
manchegos 1 aparelho singeb com cabo
de 3 nolegadas a pipas Tasias e huma por.
ca5 de tijolo e cal es concorrentes dirijeS-ae
a Alfandega pata contractarem com o Illau
Sor. Inspector, a viata das rsferidas amostra.)
O D rector da Obra.
M. C. Cintra.
Engaja5-se para os concertos d'Alfandega
pedreiros e serventes preferindo-ae sem-
pre o que forem 1 mes : oe concorrentes di-
njaS-se a Alfandega daa 9 aa a horas ou arua
da Praia cata do director da obra para tra-1
tarem do ajuste;
M. C. Cintra;
As arrematacoen ja annunciadas tera6 lu-
gar hoie 3o docorrente impreterivelmente.
MKZA DOCOMSLADO.
_A Pauta he a mesma do numero i5
CORREIO.
O Pataxo Portugus Bom Successo de qu ^
be meatre Francisco Jos da Silva sai para
Angola no dia 3 de Agoato prox. futuro.
ARSENAL DE MARINHA.
Tendo de ae serem despedidos todos os
Officiaes e Serventes escravos em servico des-
te Arsenal, em cunsequencia de assim basar
erdenado o Exm, Snr. Preaidente j o Jilm.
Sor. Inspector convida a todas as pessoas h
vres qae queirio substituir a usa Officiaas ,
oServon*i con oa jornaes estipulados, a
MUTILADO


v-
r
DIARIO
D E
wmmm
P E R/'NA MBUCO
.

compa eccrero u'csle mcsroo Arsenal coro to-
da brevidadu, afim de seren admiltid. s.
lis cccs do Arsenal de Marinha da Per-
r.aab .co em 27 de Jullio de iS'Jg,
Alexandre Rodrigus dos A-ijo?.
Secretario.
OBRAS PUBLICAS.
m observancia a. ordens do Fxra. Sur.
Presidente da Provincia o Inspector das O-
bras Publicas convida aos Officiaes de Car-
I K!( iro Carpira e Pedreiros livres, e bero
assirn aos simples trabalhndores timbero l-
vres a virem trabtlhar as difieren!? obras
cii'jjilu mismo 1 sperlor para o qu* se
ibe apresentar para sereiu admitlidos ao
Ira Millo.
Insprccay das Obras Publicas 27 de Julho
de 18.'9.
Maraes Ancora.
I\r ordr-in do Exra. Spr. P.csi'iento so
despedidos das tinas do Caes t.dooi offici-
aes, e snvenle* captivo, por isso precisa-
se de qu.m substitu. polo que convid-38 a
tcd.s1 as Desloa! queso quiseiera tm pregar
M dita obra dirij G-se ao Eogenheiro Boyar.
roasia Pacavii-a pelo crime de omicidio feito aaoo, Joaquim Lop^s de Sduzi Ripon ero roni diferenla dos oulros povosda Europa;
emanado de Alrneida j o Jury achou-im]ta- ', 2000a rs. Joaquim Antonio de Oveira era e soffedor fl-ugmat.co m. quyido e-Se,
ra para aecusaca. 20003 rs., o Rev. Jernimo Barreiroa Rsng'd gota e toSumeuto no lia taze-lo wW,
Suma.o ex officio contra Francisco Moois ero aoooo rs. Lauroneo Jos Tavares era rs. porque, por assim d.Mr c tambera fieugv
IV I!
de Paiva e Antonio Marcelino do Espirito Manoel do Barro* da Roxa Vanderlei ero reis
Santo pflo crime de ameassas, e armas de aoooo Manos! CavalcantJ era 4>000 re" 1
defesas ; o Jury nao achou miteria paca ac-1 Manoel Ferreira de Maraes era 20000
cuzaco.
Jury Je Sentenca.
Sumario ex ofcio contra Jos Joiquim da
Costa pelo crime de omicidio feito em Joi-
quim de tal ; foi cnd mnailo em 7 annos
Manoel Claudio Ringel ero 23000 rs. Mano
el Mendonca e Silva em 20,000 ra. Manoel
Oiis Ferreira em'* :00o rs. Pedro Francisco
de Mello.etn 20000 rs. Pedro Francisco de
Albuquerque ero aoooo reis, Vicente Elias
de prisa simples grao mnimo do artJ 19$ Cifalcante em 20000 rs. Forio dispensados
do Cdigo do Peoal era que foi jugado ini| por terero probado movtivo sufficiente paran-
curso pelo Jury de conformidade com o art
49 do mesma Cdigo.
S ssio do di.t 27.
Jury de Sentenca.
Sumario *x officio contra Francisco Mano-
el Rodrigues da Silva pelo crime de furto de
escravos foi b>olvido.
le es Jury os Snrs. Juises de Facto seguintet :
Antonio Maria de Vasconcellos Borboo, An-
tonio Josa da Silva, Gusma Bmdos San-
tos Calado Bento Leile Cavalcante Dj-
min ;os Eernandes de jSiu.a Bandera, Fran-
cisco Birja Machado Francisco Xivier Ma-
rinho, Francisco Cavdcanle de Albuquerque,
PREFEIUTRV.
' Parte do dia 28 de Julho de i83q.
lllm. e Exra. Snr-_ Fu prender'liontem
a minha ordem o preto Cosme Damiad Fer-
reira e a parda, Anna Mara do Sacramen-
to por baveiem oceultado em sua casa a eu
tro preto que fugira perseguido pela Po
licia Benedicta, preta escrdva djelo
Carnero da Cuuha o Joaquina tambem pre-
to ercravo da viuva do Cirurgii Peixoto,
pelo Sub-Prefeito da Freguesia de S. Anto-
nio, este por ter desene.aminhado duas caixs
deCli, pertencentes Belisardo Satornino
daSouto, a aquella a requerimanto deseo
senhor ; Macis do Roza rio, tambeoa preta ,
por om soldado de Polica por estar fgida ;
Manoel Joaquim e Antonio Das tarrbem
pretos pela 2 patrulla do districo da R.bei-
ra, por seren encontrados ero. um Estalero
e suppol-os fgidos j e Joo Ignacio Correa,
semi branco pelo Sub-Prcfeilo dos Atfbga-
dos por ter q-ai imado cora oro buscap ,
o caballo e ejequeta de um cdadio pro-
preUrio que enio passava con sua familia ;
cujos presos tverio "competente destino.
h' oque consta das parteshoie lacebidas
n'esla Secretaria.
Dos Guarde a V. Exc. P.foiUlfl da Ce
marca do Recife 28 de Julho de 1839. Il,in
Exm.Snr. Francisco do Reg B.i
zJente da Provincia. Francisco A
Denuncia tonuda pela Justici contra Joa- Francisco Aflonco de Aguiar Joo Luir de
Barros Vasconcellos Jos Culumbino de A-
raujo Lima Jis Francisco Aciolis Jo5
Baplista Jo.i Ricardo Fari Tlieodoro Ferreira Joo Luis de Cr valho
quim Jos Alvares pelo crime da roubo foi
absolvido.
SessoSo do da 28.
Juiy da Accusaclo.
Sumario ax officio contra Francisco Anto-
nio Callado pelo crime de omicidio feito em
Miguel Coboinho; o Jury achou materia
para iccusaca.
Devassa ex of6cio contra Fideles da Ro-
cha; Manoel do Nascimento de Jess Jo>5
Paes do Nascimento Mnoricio Paes do as-
cimento, pelo crime de omicidio feito ero
Maria Lucia j o Jury achou materia para ac-
cosica.
Jan de Sentenca.
Sumario ex officio contra Joaquina Mara
do Espirito Santo pelo crime de omicidio fe i-
(o em Maria Joaquina; foi absclvida.
Denuncia tomada pela Justina contra Fren-
cisco Rodrigues Vilella Manoel Rodrigues
Vilella Goncalo de tal Calisto pardo, An-
tonio e Felis pretos, escravos do primeiro De-
nunciado pelo crime de ferimentos ; foi ab-
solvido.
Sessf o do dia 29.
Jury da Sentenca.
Sumario ex officio contra Theodorio Fran-
cisco da Rassurreica5 pelo crime de omicidio
feito em Miguel da Rocha e Silva ; foi ab-
solvido.
Samarlo ex officio contra Antonio Pinto
de Lisboa pelo crime de omicidio feito em
itos Pr-
ndente da Provincia. Francisco Antonia
S Brrelo, Prefeito da Comarca.
de
de
do
da Si
uva.
EDITAL.
A Cmara Muocip>I da Cid sto Termo, etc.
Faz saber, que nj dia 3 do prximo futu-
ro mez de Agosto se hade arrematar por
quem menos fi.e;, o fornecimento de azate
ealgodio para as cinco luzes d> Cdeia desta
t^idade ; os prelendentes dever comparecer
em casa dasuas Sessoens no mencionado dia,
habilitados com fiadores idneos na forma da
Lei.
E para que chegue a3 conhecimento
todos manda publicar o presente.
Paco da Cmara Municipal da Cuida
Recife 27 de Julho de 1839^
Jcae Alaciado Freir Perera
Pro Presidente.
Francisco Amancio Mirtina.
Secretario interino."
Tribunal dos Jurados da Comarca do Rio
Formse
a. Sessa ordaaria que tere principio em
i5 de Juubo da 1839, facerrou-se em 20
do mesmo mez.
Sessa do da a5 de Junho.
Jury de Accusaio.
Sumario ex cilicio centra Jos Joaquim da
Costa per crime de omicidio feito em Joa-
quim da tal ; o Jury acbea materia para ac
cussco.
Sumario ex officio contra Joaquina Mara
do EspiritoSaoto por crime de omicidio Jeito
( em Maria Joaquina; o Jury achou materia pa-
l>ra aecusacao.
Sumtrio ex officio contra Theodorio Fran-
^ cisco da Reaurrtica por ciime de cmicidio
feito em Manoel da Rocha e Silva; o Jury
achou materia pira aecuxacio.
Sumario ex cffieio contra Francisco Mano
el Rodrigues da Silia pelo crittie de furto
de escravos ; o Jury n5 acbou materia paia
accui9ad.
Sessa do dia 26'.
Jury de Aecusacao.
Luiz Francisco; foi coDdwmnsdo em g*f
perpetuas grau maxiin o do art. iq3 em
que foi julgado incurso pelo Jury.
Sumario ex officio contra Jos Mauricio de
Moura pelo crime de omicidio feito em An-
tonio Perera ; foi condemnado em 14 annos
de prisa simples grau medio do a.t, 193 da
Cdigo Penal, ea que foi julgado incurso
pelojuiy, de conformidade com o art. 4q
do mesmo Cdigo.
Denuncia de Ignacio Joaquim da Silva con-
tra Silvestre Rodrigues Pinto pelo crime d
etlrupo feito na fitha do Denunciaste ; fo<
julgada perenpta aecusaca na oonformidar
dedo art. aai do Cdigo do Procssso Cri*.
rainal.
RioFcrmoso 1. de "Julho de 1839.
O Escrivio.
Jos Gomes Coimbra.
EDIALT.
O Doutor Manoel Teixeira Pezolo Juiz de
Dueito do Crime e Presidente do Tribu-
nal dos Juarados da Comarca do Rio Fo -
moso pelo Begente em Nome do Imperador
Constitucional o Sur. D. Pedro 2
Dos Guarde &c.
que
Faco saber aos que o presente vjrem
que na leguJtd Seasfo ordinaria dos Jura
dos desta Comarca que te ve principio no di
i5 de Julho p. p. eomparecero com ssdui
dade os Senhores Juizesde Facto seguioUs :
Felippe de Lima Raimundo Francisco d
Souza Ribeiro Ignacio Ferreira Tiuncedo
Joa Chrisoslomo de Gusma e Mello Jo
Lopes dos Santos, Luiz Vieira Fidho Jnior
VJanoel Teixeira Lima, Minoal Cavalcant
Barreto, Manoel Honorato da Bjrros, Ma
noel Marquas da Cota Suare, comprecro
2 diis Manoel da Rocha Vieira S Ivestre
de Cirvalho Alrneida. Forio multados por
no trem prorado perante o Ju-y motivos
suficientes os Snrs. Juises de Facto seguinte :
Antonio JoseCoelbo VanderJei na quactia de
4o,ooo rs. Antonio Perera Guimaraans na
quantia de ao,ooors, Antonio Feij Caval-
Manoel Francisco da Silva Manoel Sabas
tia de Mendonca Lins Manoel Xavier Paes
Barreto Manoel de Barros liehrique Van
derlei o Rev. Paulo Zidanis Paulo Velo-
zo de Albuquerque Sebrstia Antonia Ario-
hs Lins Zeferino Veloso de Silveira. Fe-
rio iliminados por 0I0 terem a renda da Lei,
Manoel de Almeida e Silva e Urbano Men-
desXives. Forio chamados para suprirem
a falta dos Juizes de Facto sortiados os seguin-
tes : Antonio Perera da Cuaba Antonio
Joaquim Teixeira Rev. Antonio Alves da
Silva Freir Custodio Gomes Ferreira E-
dutrdo Jos Teixeira, Francisco da Roxa
Vanderlei, Francisco Jos de Aranjo Lopes ,
Francisco Xtvier Lopes Manriques Luiz de
Almeida J0S0 Salgado de Castro Acides ,
J0S0 Mauricio de Barros Vanderlei, Jos
Marcelino de Barres Franco J> a > Senhori-
nho Bizerra de Va'concellos Joaquim Ame-
lis Vanderlei, Jos Luiz da Silva Guimares,
Jos da Fonceca Guimartens Jnior, Joa-
quim Jos Ribeiro, Joa Jos Marques de
Araujo, Jo-e Perera Lins, Joaquim An-
tonio da Silva Jos Pereira Lira Jos
Goccalvcs de Farias. Jos Carneiro de Fari-
as Ignacio Alves da Silva Saulta Jnior,
Tgnicio de Barros Vanderlei Ignacio Jo c
Cavalcanle L^mrenca Jos d Srlvs Mano-
el Henrique Vanderlei Manoel Galdino
Vanderlei, Rev. Mi noel Jos de Oliveira
Manoel Jos de Castro Araujo Mano I
Mearles Bandeira, Manoel Prancisco Pereira
Mancel Jos de 5ooza Lunk (Pedrq Afexan-
drino Ortis Camafgo Tborca. Cavafcanto d
Silveira Lins Doutor Herculano Goncalves
daRdxi, Muoel de Olmda Perigrino,
Francisco Macimano. de Siabra e Sales,' Mi-
guel Peres de Azevedo Joio Civalcante A-
riolesLinrr^ Jtaqim Perera da Costa, Jos
Joaquim de Mirar.da, Joe Luiz de Catdas
Lies. For. mlrados- por n teem pr'ova-
domutivo sufficiente piante oJu;VoS Snrs.
Jusosde F..ctostguirit ; Jco Salgado do
Castro Acjo es,, i:a,qu>ntra de,(2o,oo reis,
'Jo>6 Vlavricio de rHrros V.nderlti. Forio
inscriptos na Lista Geral per deelta do Jury
3s Cidadas Francisco 'Atciotes de Govei
Lins Francisco Maximiana de Sirb'a e
Sales.
Passado nesta Villa Comarca do Ho For-
moso Provincia de Pernambaco l. de
Julho de 1839. E eu Jos Gomes Cjimbra,
Escriva o sob e^crevi.
Manoel Teixeira P.xoto. .
1
milico nos exressos.
Transcrevernos abstando-nos por ora de
mais reflexts, alguos extractos do Couriei;
de Londres os qoies parecer justificar es-
tes nossos presenlimentos sfio os sep,uines:
Petico dos Cliarlisles Ing'ezesOs mem-
bres da Convenci Nacional reuuirase esta
manb na sua sallado Fleet-Street para le-
var a policio nacional a caz de M. T. Alwo.
od, que a ba ds spresentar Cmara dos
Communs. A peticio foi collecada ero urra
especie de nicho canduxido em cima de urna
c-rrog"ro. A polica tomava lodo o cu dada
em afi'astara multidSo que se apinhata ao re-|
dor da carroagem. Esta peticio lera 3jia
pi de comprirberto e eonlem i,a5o;ooo as-
srgnsturas. Enrolada era forma de Cyndro
tero tres ps de dimetro e nove ps de cir-
cumferencia e tio pezida que foi preciso
que nove homens a eodocass^m no nicho. JkL,
T. O' Conner lormou todos os merabros em
ar de procissio, e depois de haver collocado a
peticio em cima de um cirro ornado con
bandeiraa, parlirao torios para caza de M.
Atlwood. A mullidio prorompeo em estron-
dosos applausos quando cotlocara a peticiono
carro, que foi accompaahado por dnzentasa
trezentas pessoas. (Courier)
Os Cbartistes raa Cidade de Londres Hon-
lera noite os Charlistes tivera urna assem-
b'a em Smitlifield mas jascas as medidas
tomadas pela polica da Cidade nao Iiouve %
mais pequea desordem. A assemblea reuni-
se ero Filabuiy Square a mde ouvio o dis-
curso de um chimado Jaliaro Mirney. Na
mesma occ-fsioculra scena mui diQWente se
passava em Cheapside entre a polidia da Cida-
de e Un corpo de perto de 200 Clurlstes. A's
nove horas da noite grande mullidio depa$..
soas atravessava Cheapside dando vivas j ape-
nas cliagarn a King-Slreet diiijio sa a elles
um agente de polica dizendoquo o seupKce;
dimentoaquellas rjoras causava grande-nquie-
taco aos habitantes pacficos. Foi logo ro-
deodo e ameaesdo mas mostrando as suai
insignias iatimou rnulliuo q'io se disper-
atase. Odeste terops chegarap nuil agentes da
polica que, declarado quu se nio se dispersa-
va passava a osar da Ibrca. E^ta declara-
cio foi recbida entre apupadas e asscrioj,
Voado pota a polica que nao se quem sepa- '
rar prenden cinco, dos principies agitadores
e os coiidaizia ao corpo daguarda. Fuern os
comp'nheiros urna lentaliva para os libertar,
mas no o podero conseguir. No dia se-
guinte fora os presos levados presenca de
Lord Mitre, que depois de os reprehender
speramente e da receber d'e, les a prornesa
que nio toi nari.o a pertu bar a tranquillidade
publica os mandou soltar. (Courier.)

1

Noticias Estran^ciras.
ente em Jo,coo rs. Joaquim Antonio da S.l-
Sumario ex offitio contra ltin n;,nt, '" tm "'ose A,e""re dos Santos em lempo 1 m si
d* Verccs FfH, seo Intcnin ? "' t M rancsco Diniz ^""0 em rs. clamadas tal
* *'",eo ActtBw Pr Bto-|a,coo, J;:c Rufino Uitio Fi!ow tS-. nU-sbe J)e
: -*-.----------------------------------------
Os Cbaitistcs lngfezes.
Pelas ultimas noticias receidas de IngUter-
ra vemjs que grande a irrifeio popular a
qualsem duvda ilgum se deve atlrjbuir ao
pouco zello do govtroo em acudir i ntcessi
dides de um pavo que come?1 agora a sentir
o pezo de urna anstecracia poderosa e sobarba.
Pelo que se collige de todos esses movimentos
nio deve haver a menor duvida da que se es
bomens que,* te.11 collado frente das re-
formas, fosse* msis francos epatriolis, tal
vez nio eslivesse a IngUeira ameacada de u-
ma cnse cujas co:,sequencas ningem pode
prever. Os chamados Chartiates appirecem
por toda a parle ero numero respeitavtl : j
resistem s auctoridades e dio motivo a mo-
*
de tropas ; e se no acudirem a
satifdzer preteoes justamente re.
'vez vejamos Lvrar um incendio
que site Veo aerde p.."r : o pbv fugU
Carta que Mr. O* Connvll dpigiu ao pavr
Irland. z por, occasii) da d inisso dj \Ii-
1 nislerio Ma'bouroe, o cbaroaraento do Wel-
IngtoaePeel.
Urna nova calamhladeac>ba de aeputar nos-
sos pas; Urna dor profunda pesa sobre ele;
Oisioiveo se o nico ministerio que ero sete-
cunloj annos tem deseropenliado mas fuuc-
ces cem instiga e iropa-cialidade respeito i
llanda, Intil examinar neste momento,
a que loucur intriga,, ou ahrnelo se deve
sua queda. Brsta-nos saber que sofire nosso
paiz tio fatal oVaajgraca. A fcelo Orangisti a
quem coa UnU dificuldade liavia tido dio-
t rite o miui.-terio Melbourne est ero vesporas
de ap :dedi m do poder cum todos os symp-
tamasdu queMai atnz intolleravel, A su-
gaicio em que tem estado ltimamente s ser-
-oiu-easj esU'ear *u*s perversas paixes e fa-
zel-a mais malvada anda. Agora que pode
ra de* nfrear se a sou sabor no ops falta-
r j beilos discursos em que 00* recommen*
dem a ro. deratio e iroparcialidade. Nio .-
sua iuciioico uatural a vagas promessas, qu
^ por si s forma ara rasgo caracterstico daJto*
[- j berio Paei, mas tem ss exigencias de.uas po-
sicea, o co'locara no du^lo compromjio de
appelar para lodos os recurso da hypocrisia,
e para todos os sophismos que podem extra*
viar e engaar advirtindo que eut e os'lo-
lis IugUzes, os ha que querero ser engaa-
do, porem o partido de Peel na Irlanda,
sa confederados Orangistai, homens que
odeia o pavo Irlandez e sua religio, em urna
palavra cssa facco atroz se rira' des sopbi -
mas de Peel, e de sua hypocrisia e o tratar
como rruisalto despreao. Certoa do novo
da iroj-uiudade nao deixario os Orangista
de renovar es mesmos ultrages. locendiira
casas, devasura cidades suas. orgias esp*.
''ez Ihsrtft o alijme pila cld&des as mntbw$


mmm
DIARIO D E P E RNM B U CO________
mk
desaogue e Irario asuas mais ferdas,e inani-
madas os filhos que ahiraS a brincar coma
acaba do acontecer em Mollyach. *
No podemos occullar-nos a nos ni'smin ,
concidados, que a fice5 que solreao poder
a que nos ha marcodo cura o neme de es-
trangeiros\, e chamado ao nosso veneravel
clero ladree^ com sobreptliz a obscena ido
latra a nossa santa religio. Desee partido
- t conservar-seno P-irlar.' into seiu o Irium-
lio da furrio Orangista ta Irlanda. Tumi-
ve! por re lo o futuro que nos espera a qual
quer menos a tai que temos aloancado ja
rn'us di iS, anda que sabiames de reito (pi-
sque! e estado de cousas nao pasa U dn tal
rpecha. Ruem padera' centeroplu- sendo e
aem um profundo dasgosto a prrfanaco (las
altas funece que sera' forcosa consequencia
da restauMclo tor'y? Dos sabe que tilo tero
sido muitas as occasies que temos litio de
elogiar os nossos juizes lories e no sei que
orgaS algom db povo Irlandez os teiha felici-
tado nunca ; porem taes como sSo, parecem
arijos de lu/. se os comparo com os que pro-
Vavelmente os virio succeder. Chegou a ho-
m dos liomens ornis ferczss, hypocrilas ,
e s;ntarr6es, Talvez nomeario bem bieve a\l-
ftu c tholico qu (enba ajoelhido diante do
Ofangismo anda no seio de sua obseurida-
de.
Como inevitavel resultado da dominacfo 0-
rsitgista pulnlarlS na magistratura liomens cu-
jar vis piixSes que pronunciaras logo que v-
ra estabelecer-so um systema mrarcial e
qne per hypccfis?t faiSo traiclo a' sua cons-
eiencia acerca' da propriedade, liberdade e vi
da dos catholicos da Irlanda ; era sera' s
nos tribunaes superiores onde se senta a virt-
lencia do partido Orangista. Nao ha um na
gis'r.'do Orangsta nem cura an^licano jus-
lamente' separado pela commisflo de pas que
nlottteja seguro' da sua re-ntegfacaS ver-
darde qne re nao tem feito rnoito para exporgar
magistratura. A protcclo que cbtet o
poro Irlandez do ultimo ministerio con tsti
em um grande numero dejuizes estipendio-
dos ; o na vigilancia continuamente exercida
pulo ministerio publico sobr a conducta de.
cada juiz de paz.
Pjrem qtiando esta vigilancia se lance na
outra concha da batanea e proteja 03 magistra-
dos Orangistas da pobre Irlanda que honi-
tel quadro presenta seu futuro Apparece-
ro de noTO e oom dobrado vigor a loges
OraBgistai, qn? se organisan e augmenta-
ras na ausencia do seus antigos chefes e an-
da dorante a administraclo Melboarne. Suas
procisses armadas aterrarte o piiz e o cu-
brirs de sangue humano. Urna pandilha ar-
mada de lavradores Orsngistas voa provocar ,
e emprear de novo todes os insultas para o
brigar o povo a nma rtbeilioinsonsata, e
sempro prejudicial.
Mas anda que lo c o.solador se nos oEfera
ca o porvir se me perguntaes concidadioj,
se eu me abandono desesperadlo 'vos res-
veres a nossa sgitaaca constitucional. O po-
vo Irlandez patenteou quaSsanl era ganhar
scus auffragios e fez ver o anhpllo com que
se presiave as tentativas d- conci!icaS.
Nunca estere a Irlanda mais tranquilla ,
obtido o assenso eral. Estou impaciente como debaixo do governo de Lord Norb.im-
na verdade por a'car o grito para convidar by r e de seu successor Lord Ebriglon. E
renniio; porem es'perarei at ver se he escu- la n'liir.o tirar era um memento tres regi-
tdo o chamamntiqun f ico aoi qie tem tra mentos da Inlanda pira evitar os niovimnt.s
valheires loraem sua posico nacional, e emi-
nente frente do povo Irlandez. Que as con-
dices da agsociaco se fixnn expressamento ;
que ec nao alent nenhuma opinilo extrema ;
que r.o se admita principio figura sera ter
n maioria Ingleza dos partidarios de Roberto Silbado de accordo com o duque de Lensler t rom que ameacavam o paiz os exercilos csrlis
Peel, esse partido que nao pode absoluiamen- em cuja caso, pronuncindose simultanea- j tas e declarou que poda disdor de ou'lros
mente (porque d'outro modo seria intil) 0 tres remenlos. No descuidumos nehuma
patriotismo dest^s prsonagns, posso pro- precauci pira impedir que a faccio Oran
meller em vosso nomn concid'dos qu9i gista faca que necessite o ministerio iory en-
nos m-straremos laaes e fiis com os alliados i viar e^ses seij regimntos Irli'ndi e deslucar
cuja salutar aclividadn leiiha despertado d |um r-forco para sp^ziguar a desgracia irri
novo a Irlanda. Porem'se como nlo pro tafo que produzir ali o resiabelecimento
vavel, fesse estril msu-
asse a inercia que tem d bitado a honrad z | ve Ibe prev.jr as consequencias do um coti-
e intgrdade poltica de tanto conrrdario de; ducia oppressiva. Os precursores com seus
classe elevada, se nao considerassem o amor preceitos e exemp'o deven evitar teda a ten-
pela patria senS como urna paixlo ama.vi I. dencia ars alvorotos e sos crimes. Eu irei
sem util'dade ainda no desesperara.
A! inmediatamente a IrUnd? a apoiarectas d;u-
io-
As
naco Irlandeza tem sumeientes recursos para trinis com as rasSes qu encontr mais po-
fazer frente a ledos os acontecimsnlOs. i derosas e eoro tede a minba influencia.
Eis iqui meu segundo plano: Precursores circunstancias sao ma a cs!amdd que nos
levantai ves.' Enve cida pnrecnia da lilandaj amesca grande porem sej o povo Irlandez
sua lista de Precursores j era qinze dias i s | lio soflrido como patricia e espere das mais
tivemos peticoes assicnadas por 630,000 I/lar.
dixes, suppiidando % Cinara dos CcBnuin
impeca que a f cio Grangista Volte ao poder:
porque no havemos de Vr em outroa quinze
dias 600,000 p't cursores? Nao ha rasio para
quesedeixe de fazer oolhtamento dos pre-
cnfsores em quanto buscaS o duque de L^-
inster e seas cooperadores a opportunidade de
formar com opDvo unja sociedad^ geral paa
assegurar o pr^grsso da cansa da reforma.
Adoptando meu plano, os precursores pode-
rlo imir-se a eiles fcilmente, e dse mudo
os Leinsteristas (para explicarme com um
palavra que ciracterise a emprez) nes 'assego
rarlo seu legal apoio; porem com o povo, e
com os precursores com que eu cont ; diri-
girei minba carta a tedas as Parochias de Ir-
landa. E exporto oa habitantes de todas el-
las para que declfem que esto dispostos a
naS submetter-se a' tirannia e craeldade dos
fezes.
Drate el vos met rebus srvale, secundis.
Desojando recrutar novos prcarsorus e re-
unir os LeimterisKis son e ferei sempre ,
queridos compitriolis vosso Bel servido
Daniel O' Connell.
Loodrpg 8 de Maio de i83f).
(Njcional de Lisboa de 8 de Junho^
Dicussodo Sr. Depa'ado Rpgo M:teiro,
por occiziio da discussio da inte- 1-;-
tacio do Ac'.o Addcional.
das diisidencias de Pernatnbuco, e da recente
revolta do Maranhlo Sr. presidente, eu
conttsto a ambas s cousas. Pe nambuco go-
za de socego e em verdade o deve em gran-
de parle a rsia le que deu roeros ao gover-
no para cbnrcora promplH; podem ha-
vr prefeitos qur? mal cumpro com os s?na
de ve res e qie abureni mesno j mis ha o
correctivo do presidente es dimitir o res-
ponsilulisa-loi ; e nem s ? diga qua essa lei
fez a perturbico do Marariho por que eu
pnrguntarei quem a fez na i! Ir. 1 ao Para ,
e no Rio Grande ?
Oulr-s sao s esusas que cumpre invsli
gar e nao lanca-Us adrede sobre essa lei. Mas,
concclida essa ir.te'pretsc cessar por
ventura ns exorbitanciis das assembiaj pro*
vmciies NaS linhaS ellas 'imites para nao
nhraps-a-era ; eussim como se d z que abu-
saras, naS podem continuar P Perigoso he o
.medio dado e hn mesmo inelficaz, por
que a assim ser e a diverse cerceiar as a'.ti i-
buices de qual quar corpo coltectivo quo
abuse enlio exiing*-se a magistratura por
que ella tambera tem abusado ou cefeei !%$
o seu poder, emboa o damno imminen'p
seguranca publica e prospni lade do cda-
dlu restrinja-e lodas as altribuicSos (I4A-C.
das aos differentes corpos que enmpoera o
nosso estado social nca< alten Ja-se que o acto
addicion-1 nao quz fazer das assercb'eis
provinc;ics meros corpos approvadores de
posturas rnunicipaes por que autoiisou a
cresco de bum senador provincial e sera
(.'lvido para eutiar na confecio de suis leis,
que naS podio ser sub;e cbjectos de lo
poued monta. (Continua.)
Avisos Diversos.
- Compra-se um Silho Francz sendo
estej em bom uzo ; as Cinco Ponas casa
D.'43.
__ Quem anunneou querer dar hi'racon^
:-Sr. presidente, tendo me de oppr a
qne passe o projecto interpretativo, que eu
sempre chimara teformador do acto -d j'icio
nal 6ca evidente que votare! e me prenuh-
ciarei pe'o requerimento do Sr. deputado Al-j to do res a premio, com' l.yoateca em casa,
vares Machado que o reputo verdadeiro em j nesta pra;a por I'.sso de hum anuo an-
Oranis'as. Tedaa pessoa que detesle a res- qU,sj lodost os seus fundamentos; e antes! r.uncie.
tatwacaS do Orangismo corra a incorporar se J que entre na materia permita se me que en __ Preeisa-se de um feitor que onlend da
a' sociadade precursora. Importa muito pro- 1 faca |,uma digresslo sobre a pouca importan-! plan I ac s para um silio perlo da nraca : os
j, -J 1 V l>a^.^_A f ~-----_ T ~ a> W Afta kb. ------.>>!.
pro va de nosso patriotismo ; eu estarei na so- dea de huma lei ordinaria,
dedada precursora o mais breve que me seja
possivel. No dia em que fiquo organsada a
tyrannia partire para a Irlanda. E' roui pro-
vavel a dissoluCaSdo Parlamento, e naS po-
de ser til ao partido popular senaS multi-
plicando-se c precursores por todo o paz.
l'ergunlar-me hiS acaso porqae nao dou des-
de ja o grito da uniaS. Responder! sincera
huma lei?es no Loja do sobrado D. 8 defroote do
vulgar supprimindo o titulo cu de- Cartorio do Esciivo P--dro Ignacio da
nominaeo do seto addicional cons- Cunlia.
tituico do imperio. Tambera ju'go de Perdeo-se qu3tro chaves pequeas, tres
ver declarar caraira que sou firme em mena
principios de monarrhia constitucional e in-
tegrdade do imperio e que no quero mais
do que sustenta los; sustentando sssim acons-
lituico doirojierio, que nao deve ser o lu-
pondarei : NioJ nnnea lie um Deo no I funda minba convicco ueste particular devo
mente. Os ulllmos acontecimentos fortifica-1 dibrio dos partidos para altera-la quindo
raS minha conviecaS de qne a Irlanda ru8 po-, convier aos seus inleresses. Quero respeilo
dera'cbtef juitica completa sem que appelle' por ella e livra-la das impurezas dos espe-
para a unio. Po m por isso que to pro- culadores.
Ceo e valentes Irlandezes na trra f por s.-o
no desesperare!: ao Contrario vos grito com
nma vez forte e enrgica : juntai vos pela Ir-
landa Irlindezes : juntai-vos em favor da
anliga Irlanda ; o espirito de libes dade reina
fra, no desanimis; no vos deixeis inti-
midar : juntai-vos cutra vez em torno da Ier-
ra querida de vosses antepassados.
Qua o que pedimos ? Us direitos, fran-
quas e liberdade de que gczi a Gil Breta,
nha a applicaco do dizimo das trras ex
ecuco da lei dos mendigos sem prejuizo dos
direitos adquiridos 1 ou antes da medo que
olTereca urna justa compensacio aos direitos
adquiridos.
Unmonos, pois a este fim t e excitemos
o paiz todo a luncar um grito !ii> 1 ni>,i twtri
lo importante objeclo ; que haja tal allianca
na Irlanda que sa veja Toreados os tortea a
abandonar seu poder mal adquirido, a por
conseguinle abusivo. Associemo-nos pois,
com todos os reformistas sinceros firmes e
cipizes de Inglaterra e Escocia, e o que temos
feito urna vez, podemos faze-lo de novo. Re-
duziado os Tories impossibilidide de con-
servar o poder, coatribuiremos a reslabelecer
e consolidar urna admiinstraco realmente li-
beral que fugindo s praocupaces da oli-
garrhia podera dirigir com tranquillidade e
firmeza o movimento popular para millioras
sabias esibidos augtueato de franquas t
ccnsolidacaS da liberdade civil e religiosa.
Eis aqu pois meus projectos.
Que a nobreza alta e baixa que em urna
recente occasiio se junton no iheatro de Do-
clin se rena de novo, ese ponha frente
da causa do povo qne o duque de Leinster,
ser mais firme e circunspecto em recommen-
dar ao povo a agitaco e O movimento.
Uma vez comecado no podera' parar, e
no temos de principiar com colera nem vio-
lencia : e* preciso marchar com sisudeza com
energa 0 com prudencia, perm com passo
Sr. presidente nenhuffla dovida tenbo
em que a redaeco eslaja conforme ao venci-
do no he contra isso que me vou oppor;
opponho me por que o vencido he coatra a
constiloicio do imperio e por conseguinte
absurdo e inconstitucional. As feridas ,
es golpes mortaes qne o proj co d no arto
fi me* Sei por experiencia que nada *f>ga! addicional so patentes ; elles tem sida de-
tanto os Irlandezes com o chsmtmento a' u- monstrados, e eu no cancarei mais acama-
nilo e muito provavel qne dentro dealgu-
mas semanas seja forcoso alear esse grito
ra em tal demonstradlo ; huma commiso
da ass' mbla legislativa de l'eiu mbueo tam
que nao deix'ra' de prodotir seu effeito, gra-' bem os deraonstrou cora toda a evidencia em
cas a moderaceo e sideza dos que o bao de a-! hum longo e bem deduzido parecer que
poiar. Tractamcs de ver deque modo ho. corre rmpresso 5 por so me julgo dispensa-
de combinar sesexsorcos os reformistas bon- do de o facer sendo com ludo de admirar
o con
dedeChar'enunt
radoa d* I l?r tanha ; vejamos qual sera'o
ponto de reunio que assignalem os Ingleses e
Escoceses amigos da liberdade constitucional.
Vejmosse podemos identficar nossa causa
com arsua. Tenhamos prsenle que o nico
meio delahear a perder a nossa e de com-
praserrom os orargistts 6 violar a lei. Nao
alteremos no irais ccinimo a erdera publica
nem cometlarnrs a menor desobediencia a' lei.
Sejsnaos submi-sos e fiis a' joven e amavel
soberana, que cinge a coroa do reino unido.
Ella cumpriu com o seu dever franca e no-
bremente e susteritou seus amigos da Llanda
todo o lempo qua Iho permittiu as d .senc s
que as raz s que apresento os Srs. depula
dos reformadores que so sem duvida jus-
ta s'jo em pregadas em occasio que se no
traa de jare constituendo, mas sim de jure
c nstituio ; ellas seriio mu attendiveis e
altrahtrio meu voto e eslivessemos authori-
sades para reformar a constituicio ; mas pa-
ra isso nao temos poder constitucional, e no
devenios por conseguinte exorbitar das regras
de huma verdadeira interprelacio* E no
s< r reforma Srs. alterarmos os limites e
aitribuicea respectivas dos poderes, como
reeonhece a constituicio do estado no art.
178 ? Mas se diz que a inlerpretacio he ne-
Ioucuvhs que tem- rebenlado entre o partido; cessaria que he o remidi de sanar tantas
reformista- E' urna consol 1916 o pen*aT que dimeuldades e por termo a tantas leisexor
o povo Irlandez tem em sua joven rainha uma
amiga cujo carinhoe amor nnS o abandona-
ra' nunca.
Porem ai nao pode serviilhe ti com-
p'etamenle como desejara.
Jamis fallara' nossa obediencia. A eub-
missaS salis em toda a extensaS de sna di-
e oulros nobres e ca- pes'cSoes drverai' aeom|Min48r como ootras
hitantes e develemos per isso rrduri-l.ts a
esqueletos cu simulacros do poder ? Con-, ir
isso ftcer sem attender a maneira e o lempo ?
No podaremos para evitar hom mal cahir em
outro maior e em hum lampo em que se
busco pretextes pira agitacas ? Mas se diz
qne a lei doa prefeitos ha m e que tem a
carretado immensos males ; que be a origem
amarradas em hum pedasso do cordlo da me-
tal, e hum pedsco de corda 1 de metal, e
humas lia, desde ama direita al o Rec-
fe : quem as achar que la por hondada f-
selas entregar ao dono na ra do Vigario
Sobrado D. 21, segundo andar, ousnnun-
cie>
Qariu precisar de um creado Portuguez
pata casa particular tanto para praca como
para fora della: diiija-se a ra do Rosario es-
treila em homa Tmda D. a4
. Quem nnunciou no Diario de 27 de
Juiho querer dar Sociedad-^ em hura nego-
cio de interece cujo estabelecimento so acha
piompto dirija si a ra do Vigario nu-
mero 14 que achar*' com quera coulra*
lar.
- Qusra annunciou no Diario de Sabba>
do ">"] do corrente querer alugar hura silio
na C-pum^a parto onde tenha hanho di-
rija se a ra do Cabuga' Loja de Ourivea
D. 1.
- Manoel Francisco Ponles, faz publico
que lera comprado por conta e ordem do
Snr. fticardo Alves da Silva Talaija do
Para' hura Bilhete da primeira parte da 16.
Lotera do Seminario de Ooda numero 4196
3 outro de conta do Snr. Francisco Carneiro ,
Passos, do Maranhio da mes na Lotetio nu-
mero 3i5i.
D.j!eja-se fallar com os Srs. Jos Gonsalres
da Rosa Bernardo da VeigaLeill>, Felip-
pe Ners de Mendonpa e Francisco Nunes;
os mesmos Senbores queirlo annunciarem
sua moradia.
- Perci-3e de huma negra para Iratar
de f.to' e vender, a pessoa que liver anuncie
ou dirija- e a roa do Rangol sobrado va- '
randa de pao D. 4> dando-se 40"3 res da- '
rios.
a. No da da chiia deshppareceo do silio
Remedio uma canoa de carieir* pintada cu-
jas tin'.as se achavuS bastante desboladas.
Quem a qoieer enlregar ou avisar onde sa
aeha dirija-se a ra Direita D. 11 3. andar
ou a Olinda sobrado, que faz frente para o
Convenio d)8 Freirs, quesera' bem teeonv
pensadci



DIARIO DE PERMAMBOCOi
Frar cisco Aires de Soma roga i leus
credores o obsequio de Iha ipresenlarem sihs
cotilas na prasode dois das ; assirn como.as
do gneros que compro-i pira venda do
Sr. Joaqun Jo de Mello.
_ Quena precisar o servico de urna cs, dirijasa a travesa de
S. Jote casa terrea O- 6.
_ Quera precisar de loo a 800,000 a pre-
mio de dois por cento ao miz cora pinhores
de ouro dirija-se a ra da Conceicio da Boa
vista D. 34.
-i De cima da mesa da Secretaria da Pre-
feilura de.-ta comarca do Recife tirarlo no
dia a6 do corrente umacma de tabaco d'
tartaruga de forillo f apherica a qual tem na
.tropa urna pequea chapinba de oiro com as
letras fliciies l". B. F. e o aro quebrado ;
(juem I quiser entregar tendo-a a poder
levar a dita Steretaua, onde sei compenstdo.
_ Peigunta-aa ao Sr. Joaquim Mancel do
Reg Baruto a quem pagou o billiete de cem
milis, passado por sui letra e firma a \
rcezes como anuuca te lo feto do Diario
n. 158 de a3 do corrente ; parece ser soubo
do Sr. Btrreto, pois que ele bhete exista
na mi de quem omts-noSr, o passou por
e'Jbta de mtior quanta.
_ Roga-se au Illro. Sr. Promotor publico
queira pata lera da umanidade meter ntsta
Sfisio de Juradts a memorsvel Maris Clara da
Boa Ora conh-cid por Borboa a qual se
cha pronunciada pelociime de tentativa de
aorta e sola por htb.as corpus desde o sa-
no de i834 zoabsndo sssim da lei e da
juslica ; pois assim o espera O P. cenle.
Avisos Martimos
PARA LOANDA segu com a maior brevi-
dade pos-vt! o Brgue Brasileo Uniio ;
quem quispi carregar falle com Elias Baptista
u i Silva na ra do Cabug ou com o Ca-
pitio Antonio Jos de Araujo.
PARA O RIO DE JANEIRO o Brigue Es-
cbSos no beco do qaiabo da mesma poveacio;
annurr/e.
A lija de couros e sipatos na ra do
Livremento D. ?o e un fardiroeoto para
G. N. : a tratar no sobrado por cima da dita,
_ Ura pianno perpecdicular, com 6 oi-
tavas e neis de urna construteio maito for-
te por preco assas commodo: na roa da
Florentina D. 9.
A venda na roa do fogo da quina do
beco do aarapatel, com pouecs fuudos i
tritar as 5 oontas D. 19-
Cortes de casst de cor Boa a 33oo ,
bicos de 4 lisas de 2400 e 9880 chitas finas de 180
e 300 rs. lencos finissimosenesreadosa a8o
macedonia fina a yao, fusilo fino de 1000,
e muitas outras fazendas para ctlsas ; assim
como muito boas chitas de coberta a aao o
oovario : na roa do Crespo D. 5 leja que foi
do Sr. Pinto Baodeira.
_ Urna molata de idade de a3 anuos, bo-
nita 6gura, e muito robusta propria para
todo o servico de urna casa de familia com
priocipio de costura engomma e ensaboa :
na ra da S. Cruz da Boa vista casa terrea de
janellss de vidrassas, junto a um sobrado,
das 7 as 8 horas da manhi e das 3 as 5 da
Urde.
Urna molata de bonita figura cpsb ,
engomma e r-ozioha urna preta
meso-as habilidades
com ss
; orna dita boa quitan-
deira e ensaboadeira ; utna malatinha de
10 a 1 a aonos com principios de costura :
duas molecis proprias para se mandar ens e dris negros pec's, proprios para qualquer
servico: ha ra larga do Rozario D 7 do
ptimeira andar.
Urna canoa pequea meia aberta an-
da nova por ter tido muito pooco uzo, a qual
carrega 3'0 lijlos ese acha no porto da
ra nova .- na ra nova D. 19.
_ Bre'anhas de linho em pecas de 6 va
raa ; em 1 isa. de Hermanos Mahrtens roa
da Cruz 1 a3.
Um sobrado de um andar em chaos
proprios, com quintal murado e cacimba s
cuna Naciooal Nova Anisada, que esl prom- to na ra .Ja senzsla nova : a tratar na ra do
pl a reetber carga ; quem quiser carregar ou
hir de psssagem dirija-se a Gaudinho A.
de Barros pn-cinha do Corpo Sanio D. 67,
ou a bordo no Capitio Francisco Marques.
PARA O RIO DE JANEIRO segu via-
gero a batea Amer tura Osela al o fim do
crtente, (rudo *xc-iientes commodos para
pass'geircs ; quem quiser ir de passagem
dirija-se acs seus consignaarius Yhthtoj
Austios & Ccmpanhia na ra da Cruz nu-
mero 56
Leilo
_ Que fazem Bernardo Lssserru & Com-
paithu, por ntervmtio do Correlor Oliveira,
de um b^m soi lmenlo de fazenUas ingltzas
limpas e avahadas quaita feira 3l do cor-
r-rile pelas 10 horas da mauti no stu r-
maseos na ra da senzsla.
Coji p ras
_ Um moleque dejdade de 16 a 19 annos,
queseja bacante ladino e Uuha boa figura:
na la do Crespo D. 8.
Urna esa terrea na ra de agoas verdes,
que deite portio p>ra a de lorias ou lam-
hem se treca por ouira no mesmo Bairro de
S. Antonio : na ra de agoas verdes casa ter-
rea D. 37.
Clll
las
. Um moleque creoulo de idade de 10
annos, bastante esperto, a ptimo para
aprender qualquer cinco ; na ra Direita
D. ao lado do Lvrameoto.
_ Urna negrinba de naci, de idade de
la a 14 annes com principios de costuras ,
he muilu esperta, e geilosa para andar com
I enancas : na ra du Crespo luja D. ia.
Uois escraves anco* Je bonitas figu-
ras e ptimos para todo o servico, umi ne-
gra e idade de 3o anuos por 3So,ooo bou
gura cczittha Uva roupa, e be boa qui-
andeira una moUts de ao .anms de idade ,
cote ii'gcatm* e cozinha e urna negr*
iib* de 1 2 i-ucs de idade bea figura coi**
nii- e j ci(,ou.ai alguma coisa : na rust Ot
tgot rodos cas* teitea D. 37.
_ Urna paite de umi casa terrea >*
iua Dmiu O penaco dos *Togad/ e 3
Encantamento armasem de assucar n. o
Ou t.-cca-se por alguma casa n<' bairro
da Boavisia ou S Antonio nao sendo em
ruasesquesitas um sitio de trras proprias ,
sercado de limao na estrada de Jofo da Bar-
ros com grande casa de vivenda de petfraf e
cal, coutendo 4 sallas 4 quartos costaba
fora, botcscimba baixa para espira ter-
renos para plantarles e arrorea de frocto ;
e urna casa terrea sita na ra do cotovelo em
chios proprios com quintal cacimba e
alguns arvoredos : a tratar na ra do coloro.
lo casa c nironto a urna pintada de amarelo.
Urna porcio de eocbame** de ao
palmos de cotnprido : no mundo nov
de S. Amaro a fallar com Jos Marques Vi
anns.
Assucar branco superior arroba a a88o
ea 100a libra, e docede gciaba em caixott
de n libres a prtcj commodo : na la do
Rangel D. i4.
_ Licores de diversas qualidadas proa-
ptos para embarricar para fora da provincia; ,
em poiques pelo mdico preco de 180 a gar-
nfa e tamben se recebe encomendas Je
gatrafesde sgoa aideuto de aniz a 35oo ca-
da um em porcoes de 10 ; oa ra da reda
D. i5.
Botina
31
mi
mem
, retos ditos
e de menino
, sa patos psra so-
por preco commodo e
chegados ltimamente de Lisboa : na pracs
da Independencia n. 6.
Uma venda de quina t sita em um dos
melhores lugar com commodos para fami-
lia e com peucos fundos : a tratar no pateo
do Hospital do paraso D. ai.
__ ManUiga a a4o e a 3ao a
libra.
e ea
Iha D. 14 anda tem alguns trastes novo* de
mogno do gosto o mais moderno como se-
cretarios armarios acfs : mesas pira so-
tar e de meio de salla por preco commodo.
Umaescravaja ladina, de muito boa
figura : na ra astreita do Rozario no tercei-
ro anejar do sobrado D. 29.
Um moleque sspsteiro de idade de 19
annos, e de afio angola : na roa de S.
Theresa D. i\.
Uma canoa de conduzir ou carregar
lijlos be 11: construida e de ptimas rea-
deirss e carrega pelo menos um mitheiro:
s tratar com o Sr. t^gueiredono seu estaleiro
por detraz da Igreja dos Mi'tirios.
Urna escrava de naci cacange de
idade do 18annos bonita figura, sabe co-
lindar propria para todo o servico: na pra-
cinha do Lirramento loja de fazendas Deci-
ma 33.
_ A historia universal em bom uzo ; na
praca da Independencia loja de chapeos nu-
mero 19.
Urna propriedade de ca>a terrea a pou-
co edeficada e a moderna com fundo de
600 palmos inclusive a cisa no lugar de fo-
ra de portas lado da msre pequea :
a tratar na mesma ruin, a 14 de manhi at
as 8 h&ras e a tarde das 3 as 6.
Um preto de idade de 18 annos offi-
cial de sipaleiro, e proprio para todo o ser-
vico : na ra da Cadei* 14.
Uma loja de fszendascom muito poneos
fundos 1 e sita em umt das principiar ras -.
quem quiser anutincie.
_ Quatro osera vos de naci, entre ell-s
um cozmheiro mu to fiel e sem vicio ; uma
moleca de naci benguela de idade de 18
aonos fsz todo o servico de umi casa ; uma
dita de naci baca de id de de i5 annos, tima
dita de 10 annos, todos de mui lindas figu-
ras todos estes rscravos se dio a contento,
e se afiaoca boas vendas: na roa de agoas
rtrdes no prmero andar dosobradjD, 38.
_ Uma canoa aberta que pega em 600
lijlos de alvenaria muito propria para con-
duzir intulho para atierro, por ser muilo ma-
neira bem conatrnida e com pouco uzo,
por ter apenas um anno de fcila : no tanque
d'agoa junto a oasa da opera.
_ Duas raccas toui inas paridas de pro-
simo dio bastante leite muito mansas por
serem criadas na corda e Gibas do pasto :
a diente da Igreja: de 9. Jrsr do Mdnguioho ,
do lado da lgreja.no segundo por lo.
_ Um sitio com caza de podra e cal na
estrada da ponte d'Uchoa com onze quar-
tos tres salss, cosinha fora, estribara
para seis cavailos, senzalla para negros e
caza toda envidrscada, duas bajas para
o pegar ou der noticia certa onda o ditoexisif
Mti bsm recompensado por Joaquim Jos da
Silva Bairio, na roa da cadeia do Recife
Do engenho Macaxeira ni Ilha de Iu'ma
rac fugio um p^eto creoulo de nome An."
Ionio de idade de 35 annos, altura rjr,.
lar barbado, g'igueja alguma coisa no fa
lar nariz chato tem alguns signaes no ros"
I procedidos de quemadura de mel ttm no
pello e por cima de orna sobrsncelha qma
costura esta procedida de um coace de ca
ralla | quem o pegar leve ao mesmo engenb
ouocsta praca a Fraocisco X.vier Martina
Bastos, roa do encantamento que ser
nerOiamente recompensado.
_ Da pad.ria e refinsclo do forte do ma.
to, D. 43 fug.o no di. ,6 par. i7 do corrente
um preto de nome Luis alto, bonica figura
he muito conhectdo porqua gosta ntuilo de
andar pelas Igrfjs tocando sinos levoa ves.
tidocalsa de brim grossso o suja e camisa
da mesma form> foi visto de noite na fejta
do Carmo visto com os mesmos irsges e com
ira bon de pann na cabeca ; qusm o pegar
leve a dita casa que ser recompeossdo,
- No dia a4 de Maio p p. pelas duas ha.
ras da tarde desapareceo um prato de nome
Manool de naci Quijsim alto, chaio do
corpo bem pre o rosio redondo sem bir-
la e um tanto bucal, tem em um dos ps
uma sicatriz cima do toruozelo e o mesmo
p mais grosso que o outro o qual era ser-
vente do arsenal de Marioha ; quem o pegar
leve na ra da Concedi do Recle loja D.
3l queterj de graoficapao 100,000.
M Pede-se sos Sors. Prefeitjs e Sub-Pre-
feitos todas as sulhorid.des, capdias de
campo, e de embaresces de lanaareinsuas
vistas sobre um negro qu fugio no dia 1. da
Maio do corrente de nome Roque e cons-
ta ter mudado para o de Antonio cim oficio
de seleiro e colchoeiro, de dada de a4 anuos,
estatura alta magro pouca barba levou
camisa e calsa de estopa ; quem o pegar leve
a ra nova D. i3 e i4 que gratificara'
Os negros Augusto e Mal he es, o
pi imeiro mucambique canoeiro, com cor-
rente em um dos ps gordo, sem barba, ros-
to redondo, com um --S no peito, fugio esa
3o de Junho p. e he natural andar vagando
por algumas das praias em que he canoeiro;
o segundo de angola ,
rilhas, barba serrada
lito
ve-
capim, bsotante terreno para plantscdes
ou vacas deleite, arvores de frocto de toda
a qualidade: quem o pretender dirija-se a
ra Direita D a : na mesma se arrenda ou
tro mais pequeo com a caza tambe* de
pedia e cal, e terreno para planlacoes, a
arvores de frurto.
Esclavos Fgidos
;-
Fugio no dia aj do corrate um preto
de nome Gregorio estatura ordinaria re-
forcado do corpo ; cara e cabeca graode ,
cogote, e cantos de cabeca rapados a nava-
Iba, denles abortos falla muito groase re-
presenta ter 4o anuos de idade diz ser natu-
ral do Arncatr levou seroula de algodio da
(erra ; e camisa de biela encarnada tudo no-
vo ; que o pegar leve-o a seu Senbor Jote
Francisco da Rccha Goedes no engenho Ara-
riba do Pimentel e nesta praca a Joao Pinto
da Leaos quesera recompeussdo.
No dia $4 do corrate, (fio da roa do
barril a aou rs. queijos 800, toacinho de Sao- K-re,P caj* d Jos Joaquina da Silva Maia
tos aoo is. a libra, vinho bom 160 a prt*f un Pre, de nome Manoel Beato levando
g^j
encanada nao bichas 3ao cada u
tioca-se as que rio pegaren : na ra do Ro-
/ario vend da quina defroute da
D. 15.
Bezerroa franceses msrroquins bo-
tins e mtios ditos de Lisboa para humera sa-
pa Jos a botinados ditos de duraque de caros
para Senhora udo por preco commodo 1 no
atierro da Boa vista D. 9.
Dois eicravos pecas de muilo boas fi-
guras sem vicio algum e proprios para to-
lo o servico: na ra do Itogueira sebradode
um ai.dar D. 6.
_ Uma ruinada de casa terrea na Matriz
da Vaisea na principal ra e a escolber
piiUe 5 e aoo a 3oo pares de espatos pro-
pr.es paia tropa tudo se rende por preco
1 rraodo 1 no largo da Penha venda ds qui-
na se dir.
^ N loja de cliapeo di raa da cdejs yebi
vestido calsa de fasenda de li e algodio lis-
trado ds azul he de corpo regular e foi
escravo do Padre Benlo ; quem o pegar lave
a mesma casa que ser recompensado.
Da-ss 5o,000 a quem pegar um preto
de naci de idade de aa aonos de nome
Joiomaco, com principios de pedreiro fu-
gio a 14 do corrente ; na roa do Crespo Da-
cima ia.
_ Desapareceo no dia a5 de Junho, do si-
tio do cajueiro da passagem da Magdalena ,
um moleqoede nome Felisberto do gento
de angola olbos grandes, cara redonda ,
pesreco grosso, peruaa alguma coisa arquia*
das, a a direita mete para dentro e tem no
peito esla letra _L p3 grandes e tem al-
gumas sicstrizes pelas costes, levando vestido
urna esmisa velha de estoupa e siroula dita ,
tem uma mi alguma coisa incbada a alguna
dios nos ps, ter de dada 16 sanos; quem
rendido das
rosto eomprido e ma-
neo muito ladino, que partea cceoulo he
vindodo MaranJiio para ser vendido; quem
oa pegar leve a ra do Vigario D. ia casa de
Nuno Marra de Seixas que gratificar
_ No dia a3 do corrento fugio um arelo
de nome Manoel, de afio angolla de ida-
de de ao annos grosso do corpo altura re-
galar bgicos grossos, olbos grandes, o
lem uma costura de taino no rosto pequea e
do lado direito meio fulla, leven, calsa de
brim pardo, e suspensorio de presidiado
botiru, jsquetade assenio preto com riscas
brancas; quem o pegar leve a ra da penha
D 1 r, que ser gratificado.
-, Fugo um negro anda bucil, de ne-
me Jofo de naci congo tem na testa duas
carreiras de calombitabos uui pedsco lirado
na orelha esqueida eso um dos peites uma
quncha branca sigues de sua tena levou
vestido camisa de panno de colxio soja calsa
de brim rota, bonet velbo de panno fino azul;
quem o pegar leve a ra estreita do Rozario
D 28 no prmero andar que ser recom-
pensado.
Moviuiento do Porto


NAVIO ENTRADO NO DIA 98.
LTSROA

, Brigua Portugus 0-
veira de 3o3 tonel., equip. 18, Capillo
Paulo Antonio da Rocha rarga varios ge*
eros : Mendes a Oliveira ; passsgeiro
um portugus.
DITA NO DIA a9
LIVERPOOL; iadias, Barca InglesaTho-
maz Mellors, Cap. H. Hutehincon carga
fazendas : a Russel Mellors.
ERRATAS
No preco corrente de Lisboa publicado no
Disrio de ontem em lgsr do preco do Al-
godio ser de a6o a libra, leia-se 160.
PERN, NA TTP, DE M. F.DE FARlA 1839
MUTILADO
1


CORRESPONDENCIA.
Snrs. Redactores.
Sirvo-se Vmcs. cnserirem no seu Peridico os
dous documentos que Ibes envo para iazer ver o
Publico a razio que tivc para defender a minha Tu-
telada a menor Paulina na qualidade de eeu Tutor
contra a perlinas incislencia dos Snrs. Antonio da
Silva & Comp., e Coronel Gaspar de Mener.es Ves-
concello de Drumond, para conlinuarem na admi-
nistradlo da casa do fallecido Manuel Malinas de
Freitas, pai da minha Tutellada, depois de estar es-
ta habilitada, e ter esperado o bienuio, que era o
tempo quesmente podia duiar a administracio dos
ditos Snrs. Finalmente, Snrs. Redactores, conse-
gu que a justica da dita menor loase atendida, e
tillando at ge exigia que por meos hers pagasse as
distas d'esse justo pleito, que sustenlei contra os re-
feridos administradores, ficando-me a saliafacio de
ver que triunfarlo os fundamentos que ali expend,
e reconhecida a intruseo, e illigilimidade d'essa ad-
ministracio, que se lem>rou ( caso raro, e desconfe-
pido as I.eis de todos os Paizes cultos ) de dar por
lallido lium negociante morto .' Com a inserco, que
Ibes rogo, muito obrigaro ao
Seu muito atiento ven. e criado
Francisco Ludgro da Pau
Jllm. e Exnu Sr. Presidente da Relacio-Dis
francisco Ludgro da Paz, que elle precisa por cer-
lidio o theor da sentenca do Supremo Tribunal de
Jusiiea, que llieconcedeo revista nos autos era que he
Recorrente, e Recorridos Antonio da Silva e Com-
J ania, viudos de Pernambuco. Pede a V. Exo. te
igne mandar passar a dita certidfo. E receber mer-
c Passe, Rio 6 de Marco de 1839. Pinto, Presi-
dente. Francisco Lopes de Oliveira Araujo, actual
Pserivio de hum dosOflieioa do Joiio de AppelUces
Civeis e Crimea do Tribunal da Relacio desta Corte
&c. Certifico, que revendo o autos de que faz raen-
elo a petico retro que se achlo em meo poder e
Carlorio, nos meamos a fl. 4 do processo de Revista
se acba a Sentenca do Supremo Tribunal de Justi-
cia, de que tarobeni a petico retro faz menclo, a qual
o seq theor be o segrate. Vistos, exposloe, e re-
latados estes autos na forma da Lei, entre partes,
Recorreote, Francisco Ludgro da Pai, e Recorridos,
os Administradores da caza do finado Manoel Ma
thiaa de Freilas, concedem a Revista por nullidade,
e injustica ; por nullidade porque sendo o Curador
no Arcordo follias cora igual razio deveria ser on
vido nos Embargos a folhas e o nio foi; por injusti-
ca porque aiuda que tumultuariamente losse remo-
vido o Tutor a folhas, alias ptla Portara folhas
com todo deprehende-ie dos autos que por sua
froxidio eescandaluza ommso o razal da sua Tu-
teilada fura consideravflraenle desfalcado pela tai
gerencia dos Administradores a rjuem deera ter cha-
mado a cotilas, e nio chamou seria iniquo que se
restituirse Tutora, ese mismo Tutor que vem
a er responsavel bem como os AdminiMiai'oiis pelos
prejuizos que se cauzaifo ao seu caza I pela indolen-
cia com que se conservarlo na mi de arrematantes
ti considerareis sommas, que por sua fallencia u
qnebra de crdito senio podeni solver ; pre-
juizo que nio sofra a Orfaa se os Adronstradcres,
011 o dito Tutor tivessera desempenhado os seug J*.
veres. Portento remella -se os autos a R. lacio do
Rio de Janeiro que designio para novo juramen-
to na forma da Lei. Rio 5 de Fevereiro de ic(3p.
Viaconde de Congonhas do Campo Fiagozo Petra
Queiroe Doutor Figueredo Freitai Cosa A-
guiar Medeir.is Nabuco. Nada mais contiena em
a dito mencionado Sentenca que assim se arhava da-
da e proferida em o dito mencionado processo de
Revista ao qual me reporto d'onde bem e fielmen-
te lie passar a presente certidio em observancia da
Portara do Exm. Sr. Presidente do Tiibunal da
Relacio proferido no alio da pet/co onde esta prin-
cipia e por adiar em tudo conforme, sem coiza al-
guroa que duvida foca sobscrevi c assignei nesta Cor-
le do Rio de Janeiro aos 6das do mez de Marco do
anno do Nascimen de i83o,, Eeu Francisco Lopes de Oliveira Araujo o
subacrevi e assignei Francisco Lopes de Oliveira
Araujo -Feitio quindenios e quarenta res Sello
rento e yinle res Somma seis centos e sessen:a rs.
Nada mais continha em dita pelicio, despsebo e cer-
tidio aqu copiado que por reconhecer verdadeiro
deque dou f fiz copiar bem e fielmente do proprio
Original que me foi aprezentado ao qual me reporto
em publica forma e vai sera coisa que duvida laca
conferida e concertada na forma do estillo subscrip-
to e assignado em publico e raso nesta Cidade de
Pernambuco aos 5 dias do mes de Julho de i83g.
Fis escrevere assignei. Em teetemunho de vci-dade
O Tabello Publico, Manoel Antonio Coelho de
Oliveira-Corcigo Francisco Jos do Reg.
Illm. e Exm. Sr. Presidente da Relacio. Diz
Francisco Ludgro da Paz, Tutor da menor Paulina,
que elle precisa por certidio o theor do Accordo
da Relacio proferido, era grao de revista, nos autos
em que foi racorrennte o Supplicante, e recorridos
os Administradores da Casa do finado Manoel Malin-
as de Freitas, cujos autos viero da Relacio de Per-
nambuco-Pede a V. Exc. se digne mandar passar
a dita certidio-E receber uierc. Passe. Rio iq
de Jraio de i83g.-Pinto, Presidente. Prancisco


J
()
Lopes de Ol Trira Araujo actual Eicrivao de hura dos
Officios do Juizo de Appellacoens Civeis e Ci imes do
^Tribunal da Relaco desta Corle die. Certifico que
lerendo os autos de Revista Civel viudo de Peruana-
buco de que faz mensio a peticlo retro eiu que he
Recurrente o Suplicante, e Recorridos os Adminis-
tradores da caza do finado Manoel Malinas de Freitas
nos mesmos no processo de Revista seacha proferido
o Accordo do Tribunal da Relacao desta Corte de
que a mesma policio retro faz mensio qual o seu
tbeor be o seguinte- Accordo era Relacio &o. que
vistos e relatados os autos ua forma da Le com os
Juises .sorteados abaixo assignados raoslra-se da
peticlo fl. 3 dirigida ao Juiz de Oifios do Recife re-
qtierer D. Ignacia Joaquina Lopes viuva de Mano-
el Malhias de Freitas, inventario, e nomeacio de
lium Curador ao postumo declarando estar grvida,
e pedindo huma Administracio para liquidar a caza
de seu finado marido e vender era hasta publica os
bens assim movis como simovenLea e promover a
cobraoca das dividas. Nomeados os Administradores
foio approvados a folhas 3i verco; e tomarlo
posse a i3 de Sttemhrode i83i, como se v a fl.
3i Terco, e daCerlidoa fl. 98 verco frita a nome-
aco de Curador, este prestou o juramento a 11. 5, e
se procedeo diseripcio dos beus de fl. 7 a fl. 1.4,
vendidas varias caixas de assucar, como se v a fl.
26, ficando o producto cm poder du Arrematante
Antonio Marques da Costa Soares por concenlmenlo
dos Admnisliadores, ut fl. 133 verco. Foiio igual-
mente arrematados outros bens, ut fl. 4;, fl. 48,
e fl. 66. Motra-#* da Sentenca fl. 91 verco ter sido
julgada a menor Paulina filha natural de Manoel
Malhias de Freitas; e requerendo a jnelo desta
Sentenca aos autos Francisco Manoel de Almeida,
que declarou Tutor da referida menor nio s na
peticlo fl. 74, como tambera na de fl. 81 para con*
ciliaclo. Finalmente 1r.0slra.se da peticlo fl. g5 ha-
ver requerido Antonio Gomes Villar por seu bastan-
te Procurador ao respectivo Juiz dos Orfaos que tos-
iera os Administradores compelalos a dar contas ;
c os autos remettidos ao Juizo dos ausentes, porque
erlu passados dois annos da Administracio, do que
etn vii lude do que expedio-se o mandado fl. 13i, ex-
arando o Juis dos Orfaos a Portara fl. 129, que
removeo da Tutella ao Tutor Francisco Manoel de
Almeida ; e dando por extincta a Administracio pe-
las Sentencas fl. i.{i, e fl. ao4, que forlo reforma-
das pelos Accordios fl. 3 r 4 ver?u, e ^- 3oi verco,
de que se iuterpox Revista a fl. 333 verco. O que
visto be sera duvida que a Administracio aprovada
* fl. 3l veroo devia julgar-se extinta, por isso mesura
que tomando della conU os Administradores ni Se-
tembro do i83i, comoselefl. 3i verco, e do do*
cumento 11. 98, e proceguirlo nesta Administracio
por m;is de quatro annos contra a dispolicio do Al-
?ara de 17 de Junhode 17665* que manda dar
por extinctas quacs quer Administracoens, findos
dous annos; dispoziclo esta, que he tambem exprs-
a no Alvar com forca de Lei de a6 de Setembro de
1815, que tanto mais eslava habilitada a menor Pau-
lina com a Sentenca ex fl. 91 veroo devia aeu Tu-
tor promover a arrecadaco dos bens, e nio os Ad-
?Ministradores Recorridos Marnente depois dao*
tificaciofl. i3i nffo era licita os mesmos Recorridos
faierem stetpeus sem authorizaclo do Juiz de Or-
ftos ouvino o Tutor, e Curador na forma da Lei,
#uanto mais que taes despezas uto se acolo itmUtu-
"i poi isso nio podem ser aprovada as ConU*
de fl. 14 u H tambera manifest que o Tutor Fran-
cisco Manoel de Almeida Citando devia ser removido
da Tutella oomooloi pela Portara fl. lag.e Sen-
tenca fl. ao4, e fl. ao.$ verco pelo desle 10. que os
Autos patntelo, j deixaudo de requei-er ao respec-
tivo Juiz de Orfios que bouvesse por extiwcla a
Administracio, logo que soube serem findos os dous
annos, j porque nio prora.>veo os interes-.es da sua
Tutelada depois de habeliuda com a Senteooa fl. 91
verco, conaontindo que fieassem os dinheiros e pro-
ductos das Arrema I acSes em mi do* Arremtame',
a platicando outro, factos expandidos a fl. 307 ver-
co e fl. 3o8, termos, ein que devia ser removido da
Tutella, e obi gado a preslacio de contas na con for-
mulada da Od. Liv. 1. Til. 88. 5o. Portsnto
pelo maisdos Aulose Oispozrc5:s de ireito nes'e
caso com que se confu mi julgio extincta a Admi-
nistracio que fura appro>ada a fl. 3i ver>o: Man-
dio que os Administradores Recorridos prestara no-
vas cuntas por nio eaUrem legalizadas as de fl. 13 a
fl. 14' no acto da piolacao dellas serlo desaten-
didas a despeas feitas depois da notificado fl. l3i.
Outro sira maudio que subsista a remocio do Tutor
Francisco Manoel de Almeida Catando, como foi a
fl. 39 determinado, sendo este notificado para prea-
tar contas'da Tutella era termo breve, qua o res-
pectivo Ju;f dos Oilioa assignar com a pena da Lei
a peguen os Recorridos as Cusas. Rio de Janeiro
8 de Mata de 1839 Pinto, Presidente Lisboa Pin-
to Chichorro Vesneque Carneiro Pantoja Na-
da mais consta va em o dilo e mencionado Accordio
que assim se acluva assim dado e proferido em os di-
tos autos de Revista aos quaes me reporto donde
bem e fielmente fu passar a prezente Cerlidio em
observancia da Parlara do Exro. Presidente do T.i-
buual da Relacio deia Corte proferido no alto da
peticlo onde esla principia, e por adiar em tudo
conforme sem coiza alguma que duvida faca a soba-
crevi e assignei em esta muito Leal e Heroica Cida-
de de S. Sebastilo do Rio de Janeiro e Corte do Im-
perio Constitucional do Rrazil aos 29 dias do mez de
Maio do auno do Nascimento de Nosso Seuhor Jeius
Christo de 1839. E eu Francisco Lopes de Oliveira
Araujo osubscrevi e aisignei Francisco Lopes de
Oliveira Araujo Feitio mil e quatrocentos reis. Na-
da mais continua em dita peticlo, Despacho e cei-
dlo, que euTabeliio abaijo assignado fiz piasar em
publica forma do proprio original que me foi apre-
zentado, ao qual me reporto, e vai sem coisa que du-
vida faca, conferido e concertado na forma do estil-
lo. Subscripto e assiguado em publico e raso de
que uzo nesta Cidade do Recife de Pernarabuco aaj
9 dias do mez de Jullio de 18J9. Fz escrever e assig.
nei-Em testemunbo de verdade-O Tabeliio Pj.
blico, Manoel Antonio Coelbo de Oliveira. Comi-
go Francisco Jote do Reg.
Pera, na Tjrp. de M. F. d; Faria. 1839.


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EDOTYYPHB_KMURUV INGEST_TIME 2013-03-29T18:31:39Z PACKAGE AA00011611_03887
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES