Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:03868


This item is only available as the following downloads:


Full Text

AMO DE 1^9 SABBAD
CAMBIOS:
Julho 5.
Londres agir* por ifooo sed.
Lisboa q5 por loo premio, por metal, offerecido.
Franca 3ao a 3i5 res por franco.
Hio de Janeiro 3 por 100 p.
Moedas de 6fo as velbas, novas i5/4oo.
4jooo 8jj(3oo a Sffboo.
Pezos Columnarios i#68o a ijfcoo.
Diltos Mexicartn* i#65o a tgo-jo.
Pataces Braiileiros 1^680 a i#;oo.
Premios das UU as, por me* 1 1/8 a 1 1/2 por 100.
PARTIDAS DOSCORREIOSTERRESTBSJ
Cidade da Paraiba e Villas de sna pretendi 5 S 3 3
Cidade de Rio irande do Norte, e Villas dem i 3
Cidade da Fortaleza e tillas dem i .
Villa de Goianna .... ..!
Cidade 3e Olinda 2 3 3:2VSS32
Villa de Santo Anto '." C 39 S 2" 9
Dita de Garanhuns Povoaco do Bonito. 5 3
Distas do Cabo Strinhaera, Rio Formoso, e Porto Caito
CWad das Alaeoas, e Villa de Maeci. 3
Villa d Pia d* Flores. V '. S a 3.
Todos os correios partera ao meios da.
Segundas e Sextas feira.
Todos os dias.
Quintas fairas.
Diai 10, e 34 de cada mes
dem 1 11, e 11 dittodittoj
Idam idam.
dem 13, diltoditta
1
6 DE JULHO NUMERO iu.
Tudo agora depende de nos mesmos da nossa prudencia
modrrarSo, e energa : continuemos como principia 3 o
e serenes aponlados com admiraejo entre as Maces icas
cultas;
Proclamado da.^ssem.'ea Gemido Brasil.
Sobscreva-se para esta folha a 3|ooo por q-.artel pagos adi-S
antados nestaTy[Ki;i-ali,i, ra d.is Cruzes 1). i, c na Pr.ica
da Independencia D. yj e 38, onde se recebera correspo-
dencias legalisadas, e anuunci.is; insiiimio-se estes grat-
sendo dos proprios assignantes e vindos assiguados.
DAS.DA SEMANA.
i. deJulln. Segunda S. Tbeodorico Ab. Ses. da Thez. eaud. djj.de D.daa.V.dt in.
a Terca S. Visitarlo de N. S. Rcl. e audiencia do J. de U. (da 1. vara de raanh.
3 Quarta S. Jocint'ho M. Sesso da T. P.
4 Quinta S. Iiabet Rainlia Viu. Re. eaud. do J. de D. da 1. vara de rn.inli.
5 Sexta S. Athanazie VI. S?5o da Thez. aud. doJuiz de D.r. da 1. vara de m.
6 Sabbado S. Domingas V. M. Re. eaud. do J. de I), da 3. vara de nianh.
7 Domingo S. Pulquera V.
Mar eheia para odia G de Julho:
As 1 horas e 18 minutos da manhS. As a horas e 42 minutos da "Urde."
i

PERNAMBUCO;
GOVERNO DA PROVINCIA;
Expediente do di 3 de Julho;
Officio Ao Coromindante das Armas, en-
viando I he despachada a requisicio que a-
cotnpanhau o seu officio de doas do corrente,
para ser trocado no Arsenal de guerra oLi-
vro Mestre em banco por ali fornecido ao
Deposito por um dos outros impressrsque
existem no roesmo Arsenal, e pertenciio a
extinta segunda linha.
Dito Ao mesmo, pira ordenar ao Com-
maiuUiite da Fortalesa do Bruro, que devida
as requesices de luz e sgoa que manda
presentar no Arsenal de Guerra, contem-
plando em urna a qnantidade de taes gneros
precisos para o fornecimento dos presos de
rustica e em outra anecessaria paraos de-
ruelle
queiie Arsenal*
Dito Ao Director do Arsenal de Guer-
ra, coramunicando-lhe a expediccio da or-
dem suppra.
Dito Ao Inspector da Theeour, Ge
ral da Provincia ordenando que mande sa-
. tisfaser os prets dos destacamentos da Guar-
da Nacional das Commarcas de Santo An-
to e Goiunua, logo que Ihe forem apresen-
tidos pelo Commandaute Geral do Corpo
de Polica a fim de que os mesmos Destaca-
mentos nao soffio demora no pagamento
dos vencimentos que lhe competirem.
Dito Ao Inspector da Tbesouraria Pro-
vincial, approvando a resolucio que to-
mn de fsser na caza de sna residencia o ex-
pediente de sua Repartilo alientos os mo
ti vos ponderados em seu officio desta data.
Dito Ao Prefeito da Comarca do Recife
para iuformar qual os resultados que tem
tido a ordem que Ihe foi expedida em i/\
do mez prximo passado acerca do reparo
que oecessita a Cadeia desta Cidade.
Dito Ao Inspector Geral das Obras Pu-
blicas, respocdendo-lbe que faca remover a
Gamelera que existe no meio do Rio de Api-
ri m
se ja
COMMANDO DAS ARMAS;
Expediente do tlia a do corrente;
Officio Ao Exm. Presidente pedindo
solucio dos officios que Presidencia tmha
enderecado em 16 de Julho do anno transado
e 9 de Fevereiro do crente acerca do abo-
no de fardamento feito pela caixa Adminis-
trativa do terreiro Bataiho d'Artilheria s
pracas do mesmo que lorio mandadas mar-
char para o Rio Grande do Sul em Novem-
brodei837, edepois desligadas por ordem
do Governo.
Dito Ao mesmo Exm. Snr, communi
cando-lhe que no dia a5 do mez preceden-
te linha mandado sssentar pruna na compa-
nhia de Artfices ao Guarda Nacional do se-
gundo Batalho do Municipio
Ass. B.N.
>>
com guia de pssigem, da Comp'nhia pro-
visoria para o seu Batalho, o soldado J-
lo da Silva que devia destacar para a liba
de Fernando na prmeira occasio.
Dita Ao Commsndante da Fortaleza do
Brum, ordenando Ihe a excluso, e lomessa
para o te ice i ro Batalho d'Artilheria, do sol-
dado mencionado na portara precedente.
9
THEZOTTRARIA DA PROVINCIA.
ContinuaqaS do Expediente do a8 de Jubo.
Officio Ao Contador da mesma The-
1 urat'a remetl-nido Ihe por copia a ordem
do Tribunal do Thesouro Publico Nacional
mira. 65 do corrente ann?.
Portara Mandando carregar em Rece- 1,100
Agoslinhoi ta ao Thesourelro da Fasciida a quantia do Algodso
Jos Ferreira que voluntariamente se ola- cincuenta e oin contos noventa mil sete centos
receu pira servir em dita Companbia. e qainso rs. recebida do Thcsoureiro da The-
nuis da mesma Fortalesa visto assim con- Dilto Ao mesrpo Exm, Sor. rerjuUj- lAur-ari. CcawMaaJ > < j> vurin- I
omu-------i- escTipiu-vv u-a .nuco a troca do Livro da Registro que u raijo entre as duis Thesoui trias ate a nitsma f
Fornecido ao Deposito, por outro mpresso,Idaff."
A Pauta he a mesma do uura. i.j3.
MEZA DO CONSULADO.
Pauta do Preco corrento do assucar e al
godo e mais gneros que se despi-
chan na m/.i do consulado de Per-
nambuco, na semana de 4 a 11 de Jul..
da 1839,
1. sorte.
a.
3.
t*
> t>
i,5oo ,,
Ass! M. N.
4-
5.
6.
1.
a.
j>
j


,1
sorle
1
aU8oa
aU7oo
"I (> n>
3TJ45a
a'Uioo
'.'. U 15!
11 600
iUjoj
>
1.
a.
3.
soito ............. 8Uoco
............. 7U300
...........
6l/j porem em branco, pertencentes aos Corpos
da extincta segunda Linha, que nao (ando
no Arsenal de guerra applicacio serviio
para o registo das pracas do Depoiito.
Dito Ao mesmo Exm. Snr., communi-
cando-lhe que ocommaodante da Guarda
Dita Ao Thesonreiro da Thesouraria
Provincial mandando entregara quaotia cons-
tante da precedente.
Expediente do da 1. de Julho-
Officio Ao Contador da mesma Thesou-
raria partecipando-lhe o augmento de dez mil
da Cadeia por intermedio do oficial do Di, i-^ij concedido ao Medidor dos terrenos de
bavia dado parte que a Cadeia pelo lado da Marinha Rodolfo Jo*5 Barata de Almeida ,
mar soachava arruinada, a ponto de pode- sobre a graliicacaque percebe da vate mil
rem os presos com facilidade perpetrar qual re, muaaaes.
quer arrombamento o que convinha ev-i Dito Ao Inspector das Obras Publicas
lar. ^ t fasendo Ihe a mesma partccipicao da prace-
Dito Ao Inspector da Thesouraria, en- viando-Ihe as guias, que pela Thesouraria Dito Ao Inspector d'Alf*ndpga comba-
do Rio Grande do Sul, forSo passados aos. ncando-lhe ter Jjso Pedro Valioso da u-
Alfores do sexto Batalho de Cacadores, Veira arremattado por tempo de 3 annos con-
Francisco Antonio da Fonceca Galvo e Au-'tados da mesma dtta a 3o da Junho da i$42
Ionio d'Albuquerqus Maranho qua regres- o Kendim 'nto Provincial de 4o rs, por caada
saiSo do exercito por doentes. I de bebidas espirituosas do consumo da Pro-
Dito Ao mesmo, procurando saber se o vncia excapto aagoardente de fabrico Na-
Tenente Ajudante Franc'sco Affjnso Xavier cional e recommendando que facilite ao mes-
Bastos, deixou a sua familia aleen dos sol- mo Arremaitanta, ou seu proposto todo;
dos a gratificarlo adeional ou a de tercas os meios dalle podar fas r dita arrecadaca.
partes de compauhia ; por sso que se sus-1
Josa Mara Cesar de Amara!.
J0S0 Francisco Duarte.
Feitores e Conferenles.
pucos arrancada pela ultima cheia
ella
I
de evitar-se que por outra cheia
arrojada a ponte da Magdalena
Dito Ao mesmo, para mandar subs-
tituir por novas estivas, as que se acbo par-
tidas na ponte dos Afogados.
Diio Ao mesmo, ulhorcando-o para
) mandar pagar aos operararios que trabalha
rio no desempachamento das Lamas e pas-
ilas de capim que por occasiio da ultima cheia
Joiio ter as pontea dos Afogado e Ma-
dag'ena, a gratficaco de metade dos res-
pi ctivcs jornaes conforme propez em seo
. officio de a do corrente.
Dito Ao Inspector do Arsenal de Mar-
Inha respondando-lhe que pode maodar
transferir provisoriamente para o Armazem
a aguada, a officiua de ferrara e cons-
truir" um telheiro qua sirva para serem re-
colhidas as madeiras e fasem-se os mastroa
da Escuna Gararapes.
Dito- Ao Dirtcicr do Arsenal de Guerra,
ordenando que receba no numero dos Edu-
candos do misino, os Exposlos, Francuco,
Artbrozo, ladro, e Thiago, se por ventura
tiverem a idade macada no artigo a. do
Directorio.
D.tos- A Admnstraco dos Estabeltci-
nepUl deCridade, comuiunicando Ihe a ex-
pidifoda orden supri.
citavio duvidas a respeilo pela Presidencia
da Paraiba a cuja guan icio per tan ce este offi-
ca!.
Dito Ao Director do Arsenal da Guerra,
mandando assentir praca voluntaria na
Companbia de Artfices ao paisano Manoel
Diversas Reparticoens:
ALFANDEGA DAS FAZENDAS.
A Barca Portuguesa Viriato, vinda de Lis-
Germano, que acompinhara o seu officio des- boa. entrada em 5 do corrente Canfa An-
ta data. Itonio Gomes da Silva consignadla Manoel
Dito AoCommandante interino do ter- da Silva Goncalves & Comp.
ceiro Batalho d'Artilheria, remettendo-lhe
as guias que acompanharo os soldados do
Manifestou o seguirte.
ao Pipas eom vinagra 4 ditas com
VI-
oilava Batalho de Casiadores Antonio Jos nho 6 meias ditas com dito n5 barricas
de Dos, Jos Antonio Rodrigues, para os com dito 77 ditas com aseita 7 caixotes
quaes devia cobrar os vencimentos que se com dito, i8q birricascom carnes aq ca-
Ihe devia. :x*s com touciuln 28 barricas com bilaxa ,
Dito Ao mesmo remettendo-lhe as 5o ditas com aemeas, 1a ditas com casUnhas,
guias dos Alferes Francisco Antonio di Fon- 9 ditas con noses 10 ditas com familia do
cera Gal vio, e Antonio de AlbuquHrque Ma- liigo II dits com milho, 9 caixas com
ranhio do sexto Batalho de Cacadores, calcado, a bahus com d-to 1 caixa com
quedeviioser considerados addidos ao do seo meis, a ditas com papel 4 ditas com eha-
Commando desde hontem, e doente em seu peas, a ditas con vidros 3 ditas com gui-
quartel o primeiro, e fora da praca em trac- t.rras e violas ; 9 ditas com frutas seccas 1
lamento o segundo. I dita com cera em vallas 3 bahus com ditas
Dito Ao mesmo, ordenando-lhe a re. 5 caixas com rape, a caixas com livros e fo-
messa de urna tabella das pessas de fordam-'ii- Hieles 4 ditas com obras de lati e ferrag^m
(o que pela caixa administrativa do Batalho a dit-s com chocolata 1 dita com miudesas,
do seo Commando sefornecia a um soldado a bahus com fasendas, 1 fado ora dita, 1
no espaco da dous annos, com expscificaco j lata com de ouro ati vclumes com dro-
dos valorea de cada huma dellas, presente-gas, 44 padres da cantaria, bate,
mente. Fora do Maaifetto,
Poilsria Ao mesmo mandando receber' 1 Gaio'a com i canario,
ARSENAL DE GUERRA.
O Arsenal de Guerra compra meios do sol-
e paos de sicupira verdadeira e cumatii
de deferentes comprimentos o grosuras
adverlind.i-se que sao muito compridos, o
por sto facas dse lir.irem; queni os ti ver a
quiser vender dirija-so ao mesmo Arseual
para tratar.
Arsenal de Guorra c. de Julho de i83q.
Jcse Carlos Teixeira.
Director.
ARSENAL DE MARINHA.
EDITAL.
O Illm. Snr. Inspector do ArMoel rje Ma-
rinha manda fasw pub'ioo quotem estaca-
do por litis ao dias contados dadati desta
o praso que em Edital de 8 do corronte mar-
cara a aprfsentacai voluntaria dj tcdis
pessoas quo se quisfrem engajar por hua
dous annos no servico das mbarcscoens di
Guerra Nacionaes mediaDtJ <* gratificua
do ao a 3omil rs. a cda maiinheiro da pro
Gjs e 10 i5 mil rs. a cada individuo ,
que tenilo todava de 4 a5 anuos de idado
queira aplicar-si a vida do mar a bordo da
sobreditas Embireacoens.
Secretaria da Inspecca Mariuha a8 de Junho de i8.io.
Altxandr Rodrigues dos Anjos,
Secretario.
OBRAS PUBLICAS.
Terrenos de Marinha.
Tendo-se da Proceder a medica5 dos Ter-
renos da Marinha do Bairro de S. Autonio
doRtcife, qua ter principio no dia 9 do
errante mez comeesodo ao Arco di dito
Stnto para o lado do Norte a voltar pela ra
da Florentina em continuacao a Ponto da Boa
vista; o MostrissoSor. Iiup> ctor Gsral das
Obs Publicas Encarregado de farer exe-
cutar as referidas m 'dicoens manda con-
vidar a todos es Poasui lores dos s bredto?
terrenos para que bajad de cemparecer por
si ou seos P/ocuradores as Tarcas Quin-
tas e Sahba I a as 6 horas da roanhaa
fi o da rronhecerem o dominio directo da
F.zen Ja N I isf> 1 u das Obris Publicas 4 do Julba
de 1 j'j'J.
Jo35 Francisco Ba3to3;
EscrivaO iultiiad*


D 1 A RI D K P E R NA M B U C O .
M
FREFEIUTRA.
Parte do dia 5 de Julbo de i83q.
Illm. e Exm. Snr. Partecipo a V. Exc.
que da parles hoje rerebidas somente consta
que que forlo presos liontem a minha ordeno,
para terem destino os individuos seguintes i
Jos Luiz branco e MmmI Andre Ti-
burcio pardo pelo Sub-Prefeito da Fre-
do Recife
ter furtado ro
guesia do rtfciie ; este por
lugar do 1'rapiie varios generoa e aqutlle a
requisica do respectivo Meste d'embarcaeaS
por lambem Ibe ter furtado um sarco con-
tendo 5o,oco rs. ero cobre ; e Miguel Ignacio
de Moora prelo por desobediencia.
Deoa Guarde a V. Exc. Preteitnra da Co-
marca do Recife 5 de Julbo de 1839. Illm.
Exm. Snr. Francisco do Reg Barros Pre-
sidente da Provincia. Francisco Antonio de
S Brrelo Prefeito da Comarca;
CONSULADO BRITNICO.
Far.-se saber aos subditos Britnicos resi
entes pm Per na o buco que no dia segar.da
leira 15 do correte mez de Julbo ter lugar
no Ccnsuladode S. M. a Rainba da Gri I3re-
tanha ra do Trapwe Novo o ojuntamenlo
d s Subscritores pa os fins designados no
octo Ge. 4 Cp. ^7 a huma hora daquelle di.
Consolarlo Britnico em .Pernambuco 5 de
Jullio de i8J;j.
Administrarlo do Palrirronro dos Orfaos.
Peranle Admioistraca do Patrimonio dos
Orf*9 se hade arrematar a quem mais der
r o vita 10 do corrente mea as rendas das ca-
as n. a3 na roa da Madre de Dos em que
mora Goncalo Jos da Costa e S, e nura. 54
nado A mor re em que mora igualmente Luiz
Pedro de Mello e Seabra : as pessoas que as
quiserem arremattar podero comparecer na
casa das Sessoens ds mestna Administraran no
dito dia as l\ horas da tarde oom seos (adores.
Salla das Sesses d'AdminislracaS do Pa-
trimonio dos Orfaos em o i. de Julho de
Conr-luio do discurso do Sr. Maciel Mon-
teir<\
Depois de feito o tratado e de haver-iees-
o expediente estipulado no tratado isto he f
a medic da Iogliterr
Algumas pessoas ardendentes e pooco co
tipulado o queacabei de raencienar appare. I nhecedoras da marcha de taes negoaacoens
ceraS as pretencoens da Franca sobre csiai I exprobraraS talvex o gouerno por n8o te
terrn quequiz invadir novamente, e qaan- laucado mi de represalias ; mas eu peco qu
1
18J9.
J. M. da Cruz.
Escripturario.
3
9
.-
1
Diario de Pernambuco
Anda o Maranbio.1
a carta particular, que acabamos agor
de 1er 'enviada do Maranbo porpessoa, que
merece toda a fe nSo s por seu carcter
{por nos assaz conhecido), como porque de
aua roesma exposco se conliece, que elle
pretende diser a verdade, e ufo enca-
sar notando de incertas aquellas noticias;
que bem quesejio por elle dadas, cim todo
el.'e as reesbeo com incerlesa de lecto, nos
vem vigorazar o que havemos dito, mu
principalmerte em o nosso n. 14a
O seu autor, pintando com tristes cores o
estado infeliz da quella Provincia, que se a-
cha cora o centro assolado, e com o Thesou-
ro publico exhaurido, diz, que apesar de se
verem os Maranhenses naquelle estado t des-
grana, com ludo se nao unem os partidos e
que caprichos mal entendidos fa9em com
dure a devastadora euerra; bavendo
do o gflverno petaguez se propanha a re-
pellir essa aggressa5, celebrouse o tratado
1797, com o cavalheiro Araujo, que nao
foi ratificado pelo governo porluguez fican-
do tambera sem eflaito o de Badajoz e Madrid.
Em 1814 no trado de Pafiz Portugal ,
e |a Franca fiseraS novas estipolscoens ,
pelas quaes aquella afio se compromettia a
restituir a Goyana Franceza e consta que D.
Ioa5 VI. levou muito a mal esta restituido
por isso qoe tendoa Franca invadido Por-
tuhal e havendo este derramado tanto san-
aue e feito tantos sacrificios para mantenca
da independencia nacional por-esta restitoi-
cao algunos.- Em 1815 tralou-se de ratifi-
car o estipulado no tra'ado de Pars e n
artigo ir'7 f das conferencias deVienna S.
A. real consentio em restituir a Foyina Fran-
ceza at a embocadura do rio Oyapoclc que
fica entre ,\ e 5 graos lalitude septentrional,
limite este que Portugal sempre consderou.
como o bgilimo. Ja se ve, portanto que
quando o tratado de Utreeht nio fosse ex-
plcito a este respeito a eonvenca de Vien-
na tinha tirado todas as duvrdas acerca da
situaca topogrfica do ponto em qaestao.
Dero faser boma exp'icacad cmara e he
que alem dessa convenci de venna exis-
t 111 arligos secretos que na5 essio na secre-
taria e de que potrea gente tem conheei-
mento. Foi preciso que o governo mandas-
se edaminar nos archivos da Euroaa, e tra-
taste de haver todas as memorias a este res
peito. Todas estas diligencias sen h ores ,
tem sido feitas por aquelle mesmo governo ,
que segundo a expressa de hum nobre se-
nador tem tratado este negocio 'com tanta
negligencia cuno arH'IBara huma folha que
alias foi victoriosamente refutada.
Em 1817, tiatou o governo francez de
exigir a u(lectiva entrega da Goyana France-
za. O cavalhei'O B'ito, qoe era plenipo-
tenciario de Portugal en Pariz Concluo es-
se tratado de 1817. Aqu cabo porem; re-
ferir que se 'gom diplmala merece_*er
tido como hum modelo, como hum pharol
digno de ser imitado no seu patriotismo na
sna nressveranc* he certamente esse digno
cavalheiro. Elle concloio o tratado, mu
depois que esgotou todos 01 meios j siS depois
que foi intimado pelo governo francez e al-
gumas potencias alnadas que se nao con-
cluste o tratado, a Franca tornera a Goya-
oa Francesa pela forca. Nesse tratado se diz
qoe o Governo portugoez restiti e Gi>na
Francesa, e que immediatamenle depois
de sua restitico, se nomeario os commis-
sarios que tem de examinar as localidades e
pronunciar bum juiao seguro sobre os limi-
tes dos respectivos estados ; mas que um an-
no passado sem que se houvesae 1 esolvido esta
questa a Inglaterra ofiertara a sua media-
ca5 para resolver qualquer ouvida oCcerrea-
le na materia dos referidos limites. Essa
doacfo foi acceita pelo 'governo francez e
se atienda a reserva com qoe taes meios de-
ven ser 'empregados e que isto nanea pode
ter lugar em quanto no yestiverena de todo
esgotadas as vias diplomticas (apnado).) O
governo entendeo que devia acstelar-se no
seu direito e que nao devia oxpor o imperio a
novas embaracos : o governo ?ntendeo que
formacao dos Snrs. Loiz Moreira e Rnrende
tem ja mais de metade do numero dos Socios
para a formacao da 3. Sociedade porem iulga
do seu dever parlecipar aos Snrs, Socios da
presante que os que ouverem de querer
entrar na 3. deem os seus nomes em casa do
Snr. Thesooreiro cu na casa da Nev junto
ao Theatro (afim de terem a preferencia )
ho;e na occasi 5 de rfCrberem os sra< bilhe -
Ihetes para a Recita ultima a 7 do corrente.
Na 3. fufara Sociedade entrar o i, actor
do Theatro de Maranbo o Snr. Joaquina
Jos da Gama bem conhecido dos Theatros
nao devia empenhar a nar;5 a huma guerra ] da Lisbo que vem com srus brilhantes ex-
estrangeira que seria frtil em consequeoci-
as desagradteis.
Lisonjeo-me le informar acamara quees-
ss ne^ociaccens pareeem dever 'produzir os
melhores resultados : ao menos sou aulhori-
sadopara communicar a cmara que o ponto
de vista em que o governo imperial encarou
esta importante quegtSo he o mesmo em que
a encarou o governo inglez, que mesmo foi
alem da expectsca5 do gabinete imperial esta -
belecendo o nosso direito no que dia respei-
to aos'imites definitivos do imperio. A me
diaca que se sollicita na6 he oficiosa ella es-
t estipulada nos tratados.
Dsixo ao criterio da cmara o ajuisar se o
gabinete de 19 de setembro comprehendeu
nesta parte as necessidades publicas e publi-
cas e se sio jaitas as arguicoens produsidas
nesta casa e que muito me contristoa ver
rep< tidal na cmara dos sanadores por ho-
s que talvez tivessem obrigacio de co-
ir o negocio era m lis exacl da5, cu se
forcos Dramtico), embelesar a nossa Scena ,
nio s com a sna pessoa, mis com muitas o
eicellentes Pecas.
Avisos Diversos.
Da-se de 100s' a um 1:0005 reisa premio
com firmas a contento ; nesta Typografia se
dir.
. Arrenda se a Casa do dous andares ,
e Loja ni na do Queimado 4 oa 8 'j*
de per si : fallar com Antonio da Silva Gus-
mlo, mesma Ra beco da Congracio.
A pessos que precisar de ham hornera
para feitor de um cilio, engenho 00 ootra
qualqar occupicio de campo o qual en-
tende de todon ser vico da' conhecimen-
to de sua conduta annuncie por este Dia-
rio,
menes devia ler mais circumpecca5 na ven- _. Da-se'a premio de'floas por canto ao
tilac- e exim) de ta5 elevado asumpto
Sio estas as explica^eens que posso dar a
cmara. E volvendo ao tpico em discoss5,
eu o rejeito completamente. Antes de termi-
nar direi que o registro do eslracismo est a-
berto. Cumpre que rada hum Sor. deputado
escreva ou cegu osea rime. Administra
ca5 passada quer justica nicamente (apoia-
dos.) Ella nao espera a ouacao que o nobre
deputado pela provincia da Baha pretenden
preparar Ihe ; mas se por ventura o nobre
deputado sinceramente desejo faser a ovacad
do gabinete de 19 de setembro permita que
Ihe eu diga qoe a rndenme ; sim que Ibe
d o sen voto de coodemnacaS l .... Snrs. !
foi depois de exilado pue Nec/i: entrou em Pa-
riz no meio das acclamacoes popularas, (apo-
iados bravos e applausos. )
Jornal do Commercio.
Correspondencia
que aure a aevastaaora guerra; ....... .. .
lem affirme, que um desses partidos, os portugaez e este art.go foi ate redig.do, pela
Bem-te-vis entre os quaes ha pessoas de propria mo de lord We'iington segundo
comideracipj foi quem Ibe deo prncipi
mas que o que pode elle afirmar eitarem
presentemente irrependidos ,t porque al-
ie gons delles ja tem sido victimas de suas
proprias tramasi
Diz mais a correspondenci a ) que data-
da de ai de Jonb) que neste dia havia che-
gado noticia de terem os rebeldes atacado
Caxias; o que havia cauzado grande con&ter-
esefrt por ser Caxias o foco de todo o com-
mercio do certo, e onde se da' a maor ex-
traclo as mercancas da capital. Que a forca
inimiga distaba psssar de mil homens, eque
a gente da lagalidade tambem psssava de mil,
dividida por diversos pontos ; mas que os
rebeldes tinha"o adoptado um modo de guer-
rir com que vio divididos em goerrilhas,
devastando a Provincia, canendoos da lega-
lidade, e sero.pre fugiodo dos corpos regu-
lares afim de .avilaren o combate.
A vista do exioosto vejo os nossos polticos
de vapor (se anda existe por r algum), a
que multido re males irreparaveis se v6 su-
geila 'orna prov Incia pelo dfiarip daguns ho
wens, 'que, ot 1 por odio ou por ambicio, a-
proveitando-se do nosso estado poitico que
anda, pela jouca idade, varilla em sua
marcha proc irio a perdieio da patria e
por conserjnene, ji a sua propria. Meus caros
Patricios s 1 obdiencia a le, o respeito
as Autoridades,, fia moral para fia religiao
verdadeira e m suma a le, e so a le pode
faser a grande; ds ptrw a nona virda-
deirn ftiicidad /
consta.
Da analyse destes differenles tratados resul-
ta que o Brasil tem direito a cecupar todo o
territorio do Dabo do Norte ate 4 ou 5 graos
de lat lude septentrional, que ja refer ; e
resulta tambem que se bou ver duvda a res-
peito de taes pontos o gouerno inglez ser
o mediador. Houve a revolucaS noPar', e
depois de algamas publcameos feilas em pe-
ridicos de Pars eda discussaS de uuma pro-
posta apresentada peio ministro u* colonias
ao corpo legislativo pedindo crdito sup-
plementar para augmentar a forca da Goyana
o governador dessa colonia passou a occopar
a margen direita do Oyapcck e o parleci-
pou ao presidente do Para fundndole no
tratado d Amiens. Ta ncerto he o direito
da Franca aquelle territorio que o referido
governador deGoiana nem soube citar o tra-
tado em que se fundasse. Pdira6-se algumas
explicacoes Franca que as dea disendo,
bue como o Pira' se achava em commoca ,
que poder ia communicar-se ao territorio fran-
cez tinha mandado aquella forca para em-
bargar a coromuriicacao da revolt* a sna co-
lonia mas que logo que se pacificasse o Pa-
ra farievacuar 01 postos militares que esta-
belerera. Sendo d.ipois feilas novas recia-
micoens ao governo francs mostrando se
que a ja eslava pacfico da e nao se tendo se-
guido resultado algum plausivel o governo
imperial entendeo que iNuroa vez qoe ss suas
reclemacoens nao tinhfo' sido emeases ; ne-
iihuma medida mais ticat Ihe 1 eslava do qu,
Snrs. Redactores; Tendo-me furtado
um escravo meu 8a pecas, ia rcoedas de
M rs. com patacSens e 800,000 rs. em
sedu'as, o que tudo se achava dentro de urna
gaveta coja chave por descuido meo achou
a na"), rerorri ao lira. Snr. Pr feito e
da-cubrindo-se por meio de interrogatorios
ao dito escravo e outros meos que trnhio
sido dados aguard ra ham lab rnei'o do a
(landres feixados immediatamente o Snr.
Sub-Prefeito mellen em uzo a sua transceden -
te actividade e com o maior desvelo e ex-
cessivo zelo arrombando com as sais pro-
prias maSs a caxa do sobredi 13 mea escravo,
e approhendendo e fasendo abrif os filan-
dres t dentro dos q e estava algumas mo-
edas de ouro e em tedulis 800,000 reis ,
poz o risco anda mais cima do do conceto,
que eu delte formava. Ao seu zelo e n
canssvel fadiga devo o tef adquerido toda a
importancia do furto em 19 pecas as do
te moedas de 4,000 rs., 17 patacoens, e urna
dtala. 8(1 nfn sedutas ij na bilhe-
tes deLoteria. Em testemonho pois do mea
reconbecimeoto e por dar ao mrito oculto
qoe Ihe devdo rogo a Vmcs. o favor de
lanpaiem estas lnhas no seu Diario.
Sou de Vmcs. atiento venerador, e servo.
Antonio da Trindade Antunes Meira.
'
LOTERA DO SEMINARIO.
AchaS-se venda nos lugares do costume
emais na Boa-vista em a loja do Snr. Ra-
poso os bilhetes da Lotera do Saminario ;
e como tem sido grande a extraca breve-
mente se marcar o dia impreterivel do an-
damento das rodas.
LOTERA DA BOA VISTA.
O Thesooreiro desta lotera convida aos
apaixonadoa deste jogo a coucorrerem
compra dos Bilhetes, fim de com mais
brevidade marcar a dia impreterivel do anda-
mento das rodas.
(THEATRO.
3. Sociedade Theatral.
O Empresario do Tbeatro segundo a infor
mez aquanta de 3ooUooo, quem pertender
dirija-sea Cidade, de Olioda largo do Am-
paro Sobrado de dous andares, no segun-
dos
w Qualqar estrangeiro que quara ser or-
tela em bum engenho distante desta Praga 5
legoas dirija-se a ra da Cruz no Recife so-
brado de 3 andares defronte do bsco da Lin-
goeta para a justar-se.
-. Convda-se a todos os Snrs., que inda
nio enesminhassem, soas resqectiras Acces
contra a Fasenda Poblica pelo aalor dos
depsitos fei)os na Mesa de diversas rendas,
e qoe d'ali forem roubadas pela guarda M-
ttar colocada pelo GoTti cnjs qu*n-
tias a Thesouraria desta Provicia se recusa a
pagar : mandarem sus documentos em
forma a ra do Vigario D. ia : par se poder
encaminbar o Lidello Fasenda Nacional, e
assim se poderem menerar as deapesat res-
pectivel,
Quem precisar de huma ama capaz de
idade de quarenta annos, parda eviuvfe, para
casa de hornera solteiro ou casado de pouca
fomrlia, annuncie a sua moradia para ser
procurada.
A pessoa que quer ser ama de casa de
bomem solteiro, e tem capacidade dirija-se ao
Livramento D. 19 se Ihe dir' quem per-
dis.
Dezeja-se saber se nesta Cidade existe
o Snr. Domingos Alves Ferreira ou seu
filbo do mesmo nome : a existir lera' a bonda
de de diregr-se a rna do Livramento casa D
la segundo andar para se Ibe annunciar um
recommendacfo voda da Baha*
Quera annunciou querer comprsr ma
escrava, que saiba faser todo o servico de
orna casa dirija-se a ra da praia sobrado
de varanda de cor de chumbo 1). a(> defron-
te dii Serrara.
Aluga-se hum preto padeiro, o qual lera
bastante pratica; dirijio se a roa do Queima
do D. 7.
Quera pertender alagar o armasem da
iza numero aO defronte da Matriz do Corpo
Santo, dirjase ao eicriptoro do^ Css*^ de
falescdo Antonio
marques
res,
Precisa se de huma mnlher para o ier
vico de huma casa de portas a dentro ; quem
esiiver nestas circunstancias dirija-se a ra d'
goas verdes D. 6.
Um braslero casado, de boa cendiic
ta tem-se proposto eosinir particularmen-
te a ler, escre ver, contar, Grammatlca
termos de cvldade at o numaro de qin-
ze meninos por menos do preco que presen-
temente se acba estipulado : qe '
preslimo se quizer utilisar dirija-se a ra de
Santo Amaro no bairro de Santo Antonio,
am a penltimo casa do lado esquerdo pe-
gada ao ultima sobrado, buscando a mar
pequea que ahi achara com quem tratar.
Da-se 3oo,ooo rs. sobre hypoteca de hum
escravo que mais ou menos intenda de La-
noeiro, e do servico de Campo, fien lo o
servico do mesmo perlencente a quem da O
dinbeiro em paga doi juros : na ra da S-n-
zalla velba padaria do Antouio Jos Gomes.
MUTII ADO



I
Ir
.,
DIARIO DG PERNAMBUCO
J
m
O Sr., que annuncioa no Diario da f
Sexta fpira precisar da ama ama para tomar
conta do arranjo de ama caza de hornera sol-
teiro pessoa de capacidade dirija-se a rba
do Ran^el D. 14.
_ A pessoa que pelo Diario da 4 e 5 tem
nnnriciado precisar de urna mulher de capa-
cidade para tomar ronta de ama casa de ho-
rnem solteiro, qaeira publicar sua moradia
para ser procurada ; ou dirija-se a roa de
Santo Amaro na penltima casa dolado es-
quardo junto ao ultimo sobrado, que ah
achara quem o dirija a ama Senbora multo
capaz, que pretende propor-se todito siir-
TCO.
n. Luiz Moreira de Mencione actual Tlie-
zoureiro da Irmandida de S. Jos da Agona
Administradora da Igreja de N. Senhora da
Penha, tendo de entregar em Meza a aua
Thesooraria ao sea Successor no da 7 do
corrente as nove horas do dia aviza ao res-
peitavel pul ico que qoaesqoer Srs. que se
constituirem credores da dita Irmandade du-
rante a sua thesooraria (o que ae ignora) a
presentera as sosa coalas no dito dia em
Meza para serem pagsa e pialado que sejs
este dia nio se responsabilisa por qutlquer
divida que possa apparecer ou cohtrahirm.
_ Offerece-se um brasileiro de boa con-
ducta para todo eqoalquer servico do lavou
ra, assim como entenas de fazer assucar :
quem precisar dirija-se a ra da Gadeia loja
do Sr. M'noel Gonsalves da Silva.
_ Precisa-se alagar ama casa ou sobrad
de um so andar que tenha cmodos sufli-
cientes para urna grande Familia sendo em
alguma das ras requintes: Nova atierro da
Boavista pateo da Matriz, ra do Araglo,
e paleo da Sania Cruz : psga-ae doze mil reis
mensaes : quem a (ver annuncie ou diri
js-.e 1 ra do Padre Floriano D. 17.
_ Perdeu-se no dia 3 do corrente desde
a ra da Paz (oulr'ora do Cano) at roa do
Sol indo pelo porto das canoas e desle at a
'casa do Cosmorama um papel embrttlhado
con ten do dentro o jpguinte oaro; mame-
dalha lavradacom dois diamantas, um cordio
com .iu--si urna vara de comprido e um an-
nellio lavradocom urna chapa em vez de pe*
dra na parte superior para se abrir firma :
quem achou qereodo restituir Uve Typo-
g rafia do Diario, que se lhe diri o dono, o
qoal oflerece melado do valor de ditas obras
pelo achido e roga-se sos Srs. Oorives e
pessoaa particularesqae so Ibas forem eflore-
cidas dilas obras as tornero, e avizern na
referida Typografia;
OfFercce-se um caixeiro portuguez da
15 a 16 annos para loja de iazendas ou mes-
tno para caizeiro de armazem ; o qual d fia
dor sua conducta e tem pratica de nego-
cio : quem o pretender annuncie par ser
procurado.
_ Perdeo-se um cordio de oaro com ama
edalha e urna figa tudo de oaro, na tarda
do dia 37 do mez pasaado, desde a escola de
meninas da roa da Madre de Daos at o pri-
meiro aobradinho de um s andar da ra do
Azeite de peixe, cuja loja tem um marcinei-
ro: quem o tiver achado e quiser restituir
leve i dita casa que ser recompensado.
_ Quem tiver huma escrava da naci,
que a queira vender sabendo engomar, co-
zer'e cozinhar, sendo moca com a condicio
de a deizar experimentar por algons das, >
fin de verificarem-se as ditas qualidades nes-
ta Typ. se dir qaam compra, advertindo-se
que prefere-se urna que for recolnid.
Huma creoula parida de pouco lempo
sera filho Se propSe a crsr : na Cidade de
Diinda biquinha de S. Pedro Marty casa N.
a.
Quem quizar vender hum vi olio de
s cerio de regra, snauscie^
_ Urna Senbora cazada e sem t I h os,
dolada de bons costumes, religiosos, oivis,
e Moraes, propde-ae a receber em sua caza
meninas pensionistas e meio pensionistas,
para Ibes ensinar a ler, esrrever contar as
quatro especies por Aritbmetica Grammati-
ca Portugueza; a cozer toda a qualidade de
costuras, labarintos, bordados brancos, e de
cores, de oiro, e prats, e fazer flores, vesti-
dos, toucados, educar com toda a delicadeza,
a Religiio Cbristf, civilidade poltica e costu-
mes Moraes ; lio bem se eusinar o Fran-
cez, a Musics, a dancar, locar o instrumen-
to que os Pais quiserem convencionando-
se com a Directora das ditas Aluroas ; assim
como ser o ajuste para serem admetlidas as
dilas meninas, conforme igualmente os Pais
quiserem ; ficando os ditos Paia certos que
aero com toda regularidade e desvello no
traclamenlo das meninas prehenzidos es de-
veres a que se propoem a dita Directora.
Os Srs. P.is de familia, tanto da Praca, co-
tilo do Mallo, que se quiserem atibar do sea
prestmo, dirija-so a ru do Rangel ao a* an-
dar da casa D. a.f.
Lembra-se ao Sr. E. F. B., qne quan-
do vier a esta Praca baja de ir aatisfazer am
crdito que deve em certa ciza de negocio ,
ou alias d ordem o seo Correspondente para
o fazer ; cujo crdito foi passado em Dezera-
bro de 1836 para pagar em Agosto de 1837 ,
e at o presente satisfacio alguma tem dado
sobre esle objecto pos consta que o dito Sr.
lem viudo a esta Praca por veres e eu nun-
ca o sei se nio quando j est a caminho para
jua casa. Isto lhe lembra pela primeira vez
o seo Credor paciente.
Jos Marques da Costa Soares, resi-
dente na roa d'Alfandega velha n. 7 desja
fallar ao Sr. Domingos Goncalvcs Cariteiro ,
filho de J0S0 Goncalves Carneiro Mara
Francisca Branca, em negocio qu muito
Ibe interessa, ou a seos herdeiros no caso de
ler fallecido.
_ Precisa-se de nma ama deleite, no pa-
teo do Hospital do Paraiso, a andar do so-
brado de mirante.
*a. Na padaria da ra Direita D. 13 de 3 so
brados, precisa-se de m hornero para m-
ceira, queja tenha pratica, assim como de
um bom forneiro.
A pessoa que annuncioa no Diario de
4 do corrente querer arrendar ania otaria ,
com as proporcoes que exige ha ama com
todas ellas, menos ter o brro dentro porem
que fica parto, sendo a casa de vivenda de
sobrado, e por baizo ito semillas, tendo em
lugar de um Torno dois; cuja otaria he no
logar do Monteiro: sendo que convenha a
quem annunciou pode entender-se com seu
dono na roa Velha, Joio Francisco Santos
de Siqaeira.
_ Quem annunciou no dia 5 do corrente
querer comprar una escrava que suubesse
fazer lodo o servico de urna casa dirija-se a
ra da Florentina na penltima casa antea do
obrado do Sr. Eiraa.
_ Quem annuncioa no Diario de quinta
e sexta feira precisar de urna ama capaz para
o arranjo de ama casa de hornera solteiro ,
queira por obsequio annunciar a sua moradia
para se lhe fallar. "
_ Precisa-se de um fetor para engaito :
na rqa da Gruz N. 6 em casa de Jos Ramos
delivera.
_ Tendo fgido urna canoa abarla em
ponto pequeo, que estava de crena para ser
concertada iaso a mais de 3o das, e lendo-
se fe i 10 tres annuncioa pedindo-se que quem
delta soubesse annunciasse ou maodasse en.
(regar no sitio do Invisivel ao Sr. Antonio
Jos Gomes, qae do mesrao recebera a re-
compensa e como nada em resultado tenbs
appaiecido tornare por issoa rogar o mea-
cionado favor.
Quem annuncioa precisar de ama Ama
para casa de hornera solteiro, procure na ra
do Jardim D. 7.
_ Precisa-se de am menino portugus de
idade de 10 a ia annoi para orna venda na
ra Velha, casa nova que tem venda.
_ A Administracio da caza de Smith & das e pequeas, e meias b
Lencaster pariendo fizar um dividendo de 5 j de trigo, chegadas novamente dos Estados
por 0/0 : os Senhores credores podem apre- Unidos : na casa de Henry Forster Si C., roa
Shakespeare, recebe frete e passageiros :
qura pretender dirija-se aos Consignatarios
L. G. Ferreira & Vfansfield.
PARA O \1ARANH\0* segu com toda
brevidade o bem conhecido Brigue Brasileiro
Olinda por tsr parte de sua carga proofpta ;
quem quiser carregar ou ir de passagem, di-
rija-se a roa d Vigario'eass n. a8 a fallar
com seo proprie'ario Joaqim Gonsalves Fer-
reira, ou com o Capillo do mesnao, Domingos
Francisco da Silva na praca do Commercio.
PARA LIVERPOOL, a barca ingleza Su-
perl, do primeira classe, Capitio Boult,
segu viagam com toda brevidade por ter a
maior parte da sua carga pronta t quem qui-
ser carregar on ir de passacera dirija-se ios
Seus consignatarios Jones & Edwards, D. 16,
Trspixe novo.
PARA PHILADELPHIA o bem cons-
truido brigue americano Navarro, sahir por
estes oito dias : quem quizer ir de passigem ,
porque tem excedentes commodos dirija-se
ao escriptorio de L. G. Ferreira Minsfield.
a1 .- 1 ^^
JLei lSLo
m, Que faz o Corretor Oliveira de um
grande sortimento de fazendas inglezas e fran-
cezas, e de casacas e aobrecazaess de panno
fino qoarta feira 10 do crrante pelas 10
horas da raanb, no seu armazem da ra da
Concicio n. 34 1. andar.
_ Que fazem Russell Mallors & C., por
intervenclo do Correlor Oliveira e por conta
de quem pertancer de am sortimento de fa-
zendas brancas desembarcadas de bordo da
escuna ingleza recentemenle entrada n'aste
porto Jetarvarak terca feira g do corrente pe-
las 10 horas da manh no sea armazem da
ra da Cadeia.
I
C 1111 > r a's
Um e'scravo moco que tenha 1 of'cio
de carpios e que seja bom of&eial; quem o
tiver e o queira vender dirija-se a Praca do
Commercio a Jos Manoel Fiuza.
<_ Um znoleque de oito annos pouco mais
ou menos, e sem vicios, nem schsques;
tambem se negocie o vs'or do mesmo a pre-
mio de 1 por 0/0 ao mez ficando o dilo hy-
polhecado por principal e premio; dirija-se
a es la Typ., que se dir qaam o ann unc-
anle.
Vendas
_ Farinha de trigo americana de superior
fiualidade, chegada notamente dos Estados
Unidos, no srmazem de Joaquim de Souzt
Pinlo ra da Senzalla.
i_ Polassa branca e prela em barricas gran-
rricas de farinha
senlar-se com seus compatentes ttulos de tsr
pa feira 9 do correle em diante na ra dos
Barbeiros ,N.8, para recebrem o mesmo.
_ O Escrivlo da Provedoria desta Cidade
faz cerlo ao respeitsvel Publico, que ha mu-
dado o Cartorio pira a roa de Agota verdes,
e loja do sobrado D. a3.
A Quem annunciou precisar de ama ama
psra casa de homem solteiro, procure na rna
do Jardim D. 11.
m No dia 5 do corrente pela minhi farta-
ra6 urna casaca preta ingleza com os signaes

noas
pffuintes
do Trapiche novo n. 17
u_ ma e?crava moca de (iade de aa a a3
annos, bonita figura boa cozinheira engo-
ma lizo e coze chao ; s qual nao se vende por
vicio algum e ao comprador se dir o moti-
vo : na roa do Livrmento D. 20 1. andar.
_ Ou troca-se por orna escrava moca sem
achaques e que tenha alguma habilidade,
um negro creou'o bom oficial de |capsteiro,
de idade de a 5 annos : a quera con vier diri-
ja-se a ru da Gloria D. I.
_ Urna venda na ra das Crozes D 7 com
a dolado dreito ao sahir da ponte D. 10.
Fsforos de pente para tirar fogo d
muito boa qualidade : na frac* da Indepen-
dencia n. 3g.
"_ Urna escrava de nacfo Cassange, muito
sada e bastante reforcada e muito
robusta, hbil para qualquer servico ,
cosinha engoma liso e he muito boa quiUn-
deira : aos pertendentes se dir o motivo por
qae se vende: na ra do Torres por cima do
armazem dejassocar de Custodio Jos da Silva,
no primeiro andar, se dir quem a preten-
de vender,
_ Sessents caadas de azeite de carrapslo
muito bom, a 1280 reis a caada, medida
velha: na ra do Arago venda D. a.
_ Pipas com agosrdente de ao graos, a
55 mil reis: no Recita ra da Cacimba n.t
109.
Agsropeira S. Benedicto, que rarregaV
mil alqueires de farinha, nova, e muito boa |
de >e'a prompta a navegar : a tratar na ra I
do Rosario streia na botica de Jos da Ro-J
cha Paranhos.
_ Um escravo da nico de idade de 3 j
annos perito bolieiro e tambem entende
de cosinha um dito de naco com 18 a ao I
annos de agradavel figura, muito ladino, has-dj
tante possaute sem achaques nem vicios fh
urna elegante uniera de idade dn 15 annos,
de nato Luanda muito ba'ielidoss, a fian-
9%-se ni ler vicios he propria pira muu*J
banda em razio de ser muito bam educada,
urna dila da mesma naci, de i3 annos del
idade muito linda e ja versada em todo oj
arranjo de umi casa ; um mole jue de a an-
nos, e outro de i3 sem vicios nem acha-
ques: r urna preta boa lavadeira de idadul
de 35 annos por 280,000, tudo com fiancal
de boas vendas na ra de agoas verdes noj
primeiro andar do sobrado D. 38.
_ Urna escrava creoula de muito batuta!
figura de idade de 18 annos, eogomma liso,I
cose bem e cozioha o diario de utna casa ,1
senda para fora da provincia ; na ra DireiMa
do Isdo do Livrmento D. ao.
Escravos Fgidos
" No dia 4 do corrente fnglo am escravoa
de nome Antonio, Bengueila idade ao anJ
nos pouco mais ou menos, estatura regular 9
grossura proporclo cor preta testa relu zenttf, e grande, olhos e relhas pequeasj
nariz alo muito chato beicis grossos, derra
(es slvos pernas em baixo finas e ps ni
muito grandes ; sahio de uniforme branco
ehapao fino, e um chapeo de sol, psrs anda
ao disfarce por ser muito sagaz n velhaco
be oficial de pedreiro j e levou a ferrameoj
que pode, e foi topado no atierro da Iloav
ta, e perguntado para onde ia respond
que para o Manguinho : roga-se todaa^B
pessoas incumbidas da Prefeitura, Pocia ; 1
mesmo pessoas paatculares e don >s do 1 b ra
a quem lie se ollerecer para trabalbar o fs
cao prender e remetter a Joo Leilo Fi-
gueira senhor da dito escravo residente o
sobrado D. ai ilharga da Igrejs do l.ivra.
ment, lado do noenie pr sima da botici
do Biandio que ser recompensado.
por baixo da gola da parte da mi poneos fundos i s prszo e por boas firmas :
direita tem urna nodoa vermelba e os bolsos
por dentro dss abas, de cintura lisa t quem
souber do dito furto' dirija-se ..a esta Typ.,
que rebeber de gratificacio lo^obo do dono,
que se dir quem he.
Avisos Martimos
PAftA LONDRES com escalla pela Para-
hba o aoperior e muito velleiro brigue Tra-
velter da primeira classe, forrado e encavi-
UWo de cobro "quem nelle quiser carregar ,
ou ir de passagem dirija-se a M. Calmont
PARA MARANHAO'. e PARA locando
tambem no Cear o paquete de Vapor S.
Sebastif o, que deve chegar nesle porto do
Rio al o da lia 13 do correle mez : quem
quiser ir nelle de passagem dirija-se a caza de
M. Calmont & C
PARA A BAHA, a escuna americina
na mesma ra D. <;.
_ Urna escrava de 18 annos de idade an-
da um pouco bucal, propria,.. para todo o ser-
vico : quem quizer annuncie.
._ Charutos da muilo boa qualidade che-
gados ltimamente de Hamburgo : na ra
do Cotlegio D. a.
_ Canoas feizadas, e encavernsdas, pro-
prisa para trafico de olaria, por terem sido
desse mesmo trafico : quem as pretender en-
lenda-se com Jlo Frsncisco Santos de Si-
qaeira narua Velhs.
_ Um novo pianno forte de eonstruccao
ingleza de muito boas vozes: quem o preten-
der dirija-se s esta Typ,, que se dir quem o
_ Uns livros de Poltica e Direilo todos
em Francez l quem os pertender dirija-se a
rus Velha caza de Joio Francisco Santos de
Siqueirs. m
__ Unte negra com urna cria de doiS me-
ses, osinha bem, e lava deaabio, br-
rela muito bem : no alterro da Boatista ca-
Movimento do Porto
'
NAVIOS ENTRA DOS NO DIA
RIO DE JANEIRO ; 3o dias ; barca ingles!
S. Jorge de a?.<> torn. ; Mestre \V. Crauj
ford i em la-tro : a Calmont.
BOSTON; 16 dias ; ba>ca americana Eef.
lort de a7l tons.; M. Samuel I?. Hussey J
carga gela : a Ferreira & Mansfield.
SAHDAS WO MESMO DIA.
LO^NDV : o brigue nacional PernambucJ
no; M. Jos Ignacio Pimenta ; carga di
versos genero* ; passsgs. o portoguez Anl
tonio Jos da Costa e o hespanhol Jos
Benio Eelianes.
SANTOS; patacho nacional Providencia!
M. Joaquim Jos Nogueira de S. Anna
carga sal. % m
RIO DE J\NEIRO; sanaca 14 oe Noven!
bro ; M. Joio Ignacio Ferreira com vfj
nhoa.
03SERVAC0ENS.
Fez-se da vela galera americana que
va fundiada no Lameirio para o N.
asta
PERN. NA TYP. DE M. F. DE FAR1A i83


-- -

FllaiV 4 IMPORTADO
GNEROS.
AR TIC LES
e*-
Agode Milo..,
Agoa raz.......
Agoardenlo i5.
AlcatrSo Sueco..
,, Americano.........
Alfazema..................
Alpista.....................
Al vaade...................
Amarra de ferro'conf. suas y.
Amendoa docecom casca mole
A ncoras e ancoretas.........
rame He ferro.............
,, de lato.............
Arcos de ferro............
Arroz pilado estrangeiro......
Azeite doce.................
RACALHAD_...............
Racias de lato..............
Barricas vasias em p........
, ,, abatidas.......
Ralatas.....'>.............
j Rezerros Francezes..........
! Rreu.......................
| Brira,da Russia........._.....
,, ,, a imitar.'o. ...
Bolaxa fina..................
,, ordinaria.............
< Rolaxinli.-i..................
GA ROS de linlio de patente..
Cafc*,..................
Carne secca do Rio-grande
de Montevideo...
,, de vacca salgada
,, de Porco......
Carneiras Krancezcs de cores
Ca rv'o de pedra...........
Cera araarella d'Angolu.....
,, liranca..............
Cha llisson superior........
ptrola..............
Cerveja htania.............
preta................
Chumbo em barra...........
,, em lencol..........
de munico........
Cobre para caldereiro........
forro e megos....
ENGUADAS....
PREgo
Slecl Mitftn............|i3,/oo i4/ooo
Spirils oflwpentine
Brandy 25. .........
'Par Swedisch.........
,, American........
Lavander............
Canarr Secd .........
IVhile lead...........
Cables-chain acc. tosize.
Sweet talmotidi soft shell
Anchor* and grapnels..
ron IV'ir assoited.....
Rrass ,, ,,...........
[ron hoops.........."...
Rice whiie......,......
OH olive.............
Codfith..............
Bras basins............
Finar Barreh..........
di lio shooks.........
Pataloes..............
Cal/ sfiins, French.....
Rossin ...............
Ravens dntk Hastian..
din o i i'tal ion.......
Bread pilot...........
navy............
Crackers..............
Cordage ..............
Crt//e ................
Bee/'dried, Rio gi ande
,, Montevideo
BeefSelled
Pork Salted
Sheep Skins French col.
g?oo
i/25o 1/3 Jo
75oo 8/000
3/ooo 3/5oo
# 4Joo,
io/ooo 12/000
5#aoo 5/5oo
Avaliac
GNEROS
/og5 #100
4#ooo 4/Koo
#100 #120 Lb.
#120 #140
#700 #800
8/5oo g/ooo
5/8 oo 6/000
l#35o iJ3no
10/000 io#Joo #56o SoolLb.
#ooo ifooojh m
#660 #700, ,_
'/6oaAr.
lilooo s8/ooo Ar.
5/ooo 6 #000 Q|.
i3/5oo i4#ooo
11 #000 ujoio
9/000 9#5oo
/ igooo
3/600 4/006
33.(il00 347000
5oou 5/5oo
i/floo i/? o o
160 o a/oo
>5/ooi
3o/ooo
10/000 2/000
9/000
S200
I20#)00
6/ioo
3 "000
a/4oo
3Jjoo
a/5oo
12/800
Coal............'......II6/000 igfooo
\ellow wax...........I #
while
'lea Hyssoa
Pearl.
Ale bottld...
Porler......
Lead in barrs
Sheet
Shot assorled..
Brazien copper-.......
Sheathine aiid nails....
Ha*,..?..............
>>

Enxofre na canudo..........
Epingirdas laurinas........
Estopa.....................
Estando....................
FAKliMlA Amer. nova......
velha.......
Franceza....
Mediterrneo
Bltico.....1
reijao.7....... .,
Celsos abatidos.............
Una de Flandes...........
de ferro Inglez.........
10de vella.................
erro inglcz em Nanas......
da Succia......
Lonca oidiuaria ingleza......
i
>
1
Brims Imu ....
P ir tugese gunt ......
Bagging .............
Pewler...............
Flournew 4mer.......
od dito........
French..........
Mediterranean....
Ballie...........
Beans ...............
Empty llavannaboxes
Tin piales assorted..
Slieei Tron...........
'l'wines saii nutkers...
[ion ti'tg. in bars ..
Swedish.....
arthenwum........
#800
1*100
1II loo
3*ooo
3#So
11#000 I200O
5^000 i6jfoo
iSI/ooo igfooo
t5So |6io
#85o
i)i5o
1^600
ijiiOO
4fooo
F Uo'
3i
Ab.
18000 ao|foio
* 16*000
16^000 i8/o.)o
16)000 18000
# iS.^ooo
4#ooo 10000
#990 1/000
Xot/O.tO 3 1^000
gjjfooo lujo >u
po
5#5oo
9?00<>
i5o a
I #290
2/000
2/600
i4/i)oojDi.
8#ooo To.
|5oJLb.
IJO00 5,
l/300._
3/400
9/600
8/000
GARRAFAS pretas.......
Garrafoens empalhados.....
Genebra em pipas.........
,, em botijas........
f.ONASda Russia larajat...
,, a imttacso.
inglezasestreitas
MANTEIGA ingleza......
Franceza.....
Massas sortidas. ..:,,,...
Millio.................73.
OLEO de linliaca em pipa..
em botijas.......
Papel de peso coroinha.....
almacoasul i.".....
a. 3...
branco..
Ioreie,.rr..........
a ,,....
de etnbrulhar marca g.
11 pequea..
Parnaliibas .... ;3.........
Passas...................
Pimenta-da india.........
Pise da Suecia... ........
Plvora........'.......S..
Potasia d'America. ....'...-
da Russia..........
Pregas caibrar............
,, cairar............
,, ripar do Reino.....
da trra..;.......
,, de construcclo.....
Prezuntos do Porto.".......
de nutras partes. .
OUKIIOS Flamengos...
Nh'RAP da Babia........
ARTICLES
)!
>

Nh
Bottles black.......
Dame-jeannes......
din in pipes........
,, in jars........
Rustan wide.......
,, imita!ion .
Englith narrow
Bulter English .....
French .....,
Maccarroni and verm
fndian Gorn ..'.......
OH linseed in pipes..,
,. injars.....
Paper nter..........
,, almassoblice i...
,. a. e 3.
,, yollow ,
florete.........
> 2. ,,
rVtapping large.
Small..
Germncutlatses.....
Muteatel rasins .....
Blach pipper .. .'.....
Pitch Swedish.......
,, Gunpowder
Pot ash American ..
,, Rustan ....
Nails i in ........
3 .........
PREgO
u
>l
!>
M
M
'1
K.
5'ioLb.
Ql.
,, de Lisboa.........
Retroz................
SABIO' amarello.........
^Saceos vastos.............
NUj.iSalitre bruto..............
retinado ...........
Sal Estrangeiro............
Ab. LSalca parrilba.......,.....
TAUACO ia tepen iim......
Tal) >adu de pinito.........
F; Toucinho do Sa:tos .......
,, f de Lijioa .........
Vinagre de Portugal.......
,, do Vediterraneo...
Viuliode L.sroi tinto PRR.
H outioi autores tinto
11 Mla^i'uccob.p. P.
,, Cette tinto.......
Espantia.........
,, Sicilia......a....
,, Pip. Cat....
Moicatel quartola.....
11 ,1 engarrafado.
,, Bn'deux ,, .....
,, Cbainpague ,, .....
Vidra p. v. Vellasde Spermacete......
decebo.............


H
>
t)
I .........
5 o/o in.....
Hants O porto.....
olhers ... .'
Cheesso dulch ....
Snuf/Baha____..
,, Lisboa. '.
Sewing Silk.......
Soap yellow......
Ba%t ...........
Salpeter raiy ......
rened ...,
Salt..............
Sarsaparilha.......
Tabaco fitaependin
Pinebords.........
Baeon............
Pinegar Poriuguese
., Meditrra 'tea n
Vine Lisbon P. RR...
ol'iers brandi..
Malaga,, P.
Cttle red
Cilalonia
Seailia
Sitan. Pp
Muscalel e hogsh
bottled.........
clare ,, ...
Champa!gne ,,
fPindowg.p. foo sq.J
Caadles spemecety
lallow ....
M

II
II
II
II
ti
>l
II
l>


9*OO0 IO/oOO
#800 #810
Z3go /4oo
50200 3/6oo
28/000 3o/ooo
25/000 26/000
16/000 17/000
#280 #36)
#240 #)8o
5/oo o
a/200
1/600
1/600
3/ioo
3#ooo
a/800
a#5oo
a#ooo
1 #4 00
1 #00
#h"oo
#56o
1 #600
#250
9/000
83
#16
#300
4#ooo 4/aoo Mi.
2/100
1/300
riioo
#1.0
78oo
5#ooo
#563
3/ooo /t
7#5io 8#(
#-5o #1
#400 #<4o Hu
#'4o lito
180 #190
100 1#300
16/000 18/000
3#6oo 4#0'>
o5o #o55
3/ao 3J3->o
5/4* "5#o
lojlooo 46/000
a8/ooo 3o/ooo
110/000 ti5/
80/000 90#000
8o#ooo 85/ooj
70/000 75/000
70/000 71#000
70/000 71/000
6/000 70/000
70/000 75/000
3j(4oo 3/8oo Dz.
5/6oo 6/000
ao/ooo 33/000
5/ooo 6/000
#800
#300 #320
Avaliac
Ar.
Re.
i#5oo
6/000
3/84o
#180
4/800
4/800
#600
lojfooo
7# 7f
3/O00
3/600
4o#ooo
4 >/ooo
80/000
80/000
70/000
70/000
70/000
70/000
70/000
70/000
4/800
4/800
16/000
5oo
800
Ql.
Ar. F.
H Ab.
Lb. F.
As.
Ab
Ab.
Nh
F.
EXPORTAQAO
DIREITO
FRETES
Agurdente de canna a.
AlgodSo, 1. qualidade.
n a. i
Assucar b. encaizado, sobre fer-
ro novo ..................
ti B. ,, 11
M. ,, novo.
M. ,, velbo.
Bruto,, ou embairicado.
Brauco Novo
Mascavado ,,
branco ensacado .......
Conros Secos -- Saldados......
Meios de sola...........,...

)
>>
qualtty.
Rum 2a.
Colln r.

Sugar in eates abovejer-
ros nevr while........
Brouns ,,
od browis
11

>
in bairils whit..
brown..
,, Bags while.....
ry sallad idea......'.
Ilalj tanned ludes......
58# 60/000 Pp.
8/O30 8#30C Ar.
7/300 7/5oo
i#Joo i/55o ia5o ipoo Ar.
11 11
2/800 5/ooo 11 11
1/850 3#ooo 2/700 2jJ!8oo >i 11
#'23 #n5 Lb.
1/800 2#000 ilu
7 P-
12
10
10
10
10
10
10
10
*o
7
7
O|0
II
II
II
I
II
II
l

II
II
II
l
Mi
Pp.
11
Assucar para Amsterdana...' 3 .
Canal........ 3
Genova....... 4 ,,
Hamburgo.... 3
Trie are...... 4

>>
11
tt-
lo
10
Ton. d 70 Ar. e 5 p. 070 de priraagem.

11 "
11

11

'5



AlgodSo
>
1
Couros
11
11
Estados-Unidos 3/4 Centissimos por libra
Portugal...... 3oo a 35o Reis por Ar. sem priraagem
Franca... 5oo ,',' ,',' e to por cenloCarob. 160 R. por
Inglterra...... 3/4d. por libra & 5 poro/o.................
Barcelona..... 4oo Rs. por Ar. e 10 por cento, Camb. 800 Rs. o pezo. .
Inglaterra..... 3 .ioporTon. de 70 r. e 5 por cento.........
Franca....... a4o Reis cada urna e 10 por cento Camb. 160 R. p
Estadjj-nidos 3/4 Centessimo por libra e 5 p. cento.............
F...
OBSERVAJOENS.
( I \ "rcr !>r.v.:eo !5>f. tm tiiln qnalidades cea
os ferros seguintes: ,
Branco 1. Sorte....B. 1 S. Rs.'
/, a.
II 3.
h.
6.
>> t.
Masca v.l
I
a.
i

ii"
,i-
)
11'
.....11
.....>i
11
.......M.
a S.
3 S.
U S.
5 S.
6 S.
1 8.
S.
11
11
11
i
11
i
1 #3 00
.#200
1#IOO
#9J
Uoo
165o
Sjo
'ioo
Vale
i#5oo rs.
sobre es-
tes ferros
O'
0} '75 D-
t^ ubscreve-se na Typ. do Diario, ra das Cruzes
,5 a la^ooo por aftno 7^000 por Semestre, 4#ooopor
aesire; venderse avulso no mesraofugara 400 Rs.ca-
da um ; e sendo para os assignaules a 80 reis.
O Direitos de importaco sao de i5 por oro sobre o valor
da Psua, s erccpcSo do c!i que paga 3o porwiu i Pul-
vor. 1 5o por dito. Acrescem a estes direitos 5 por cento so;
bre os vtores da pauta, os quaes sSo de armazenagens, e
Expediente; e raais um quarto por cento por mez de a ruta-
zeoagem contados depois de 3o das sobre os gneros de ex*
tiva, e quatro me/es sobre fazendas.
Por Decreto de 6 de Maio ultimo fo ordenado que duran-
te o anno fnanceir a c jmecjr do primeiro de Jullio prximo
seguiuteat o primeiro de/ullto de i3*o, os viulios impor-
tados no Brasil e todas as bebidas espirituosas de produeco
estrangeira, pagar na Alfan lega os direitos de 5o por cento,
compreendiddS todas as imposicoens a que estes gneros ero
sugeitos at o prseme, salvo as de armasenagem. Sao exce-
ptuados porem os vinhos e bebidas espirituosas de produe-
co dos Paizes cora quem o Brasil tem tratados cm vigor.
O Despacho dos lquidos emgeial, e da frinlia de trigo
de prodjec^o estrangeira, seri fetos sbreos precos feixados
em urna paula organisada semanalmcnte por urna commisso
de pessoas idneas^ da qual far parte o Inspector da respecti-
va allandega.
CAMBIOS.
jLjoncires, 79 i/a a 3o p. i# rs. ced. 00 das etectiv*
Lisboa 90 a y5 por ojo premio, por metal, oflerecido.
Franca 520 3z5 Rs. por franco uorain.
Rio d Janeiro 3 por 0|0 de premio
Moedasde6#4oo i5#8ooa 15,/aooas v., novas i5#4oo a i5#6oo
Ditas de 4#ooo 8#4oo a 8#5oo
OncasEsp.nhoesa8#oooa 28#3oo nominal Falta
Pezoscolumnarios i#6ao a 1/74
Ditos Mexicanos i#66o a 1/080
Patacoens /*razil*;ros i#6g) i#7io
Premio das Letias, por mez, 1 t|4 a 1 i|ap. 100.
Cobre a 4 p- I de discouto
N. B. Por ulterior delibeaco s ter vigor o acrescimo
de direitos as bebidas espirituosas, que forem embarcadas,
da Europa para este Impeli, depois do ultimo do corrente
mez de Juntto.
IMPRESSO POB M. F. DE FARIA.


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EDMS4ZPRT_5P4X30 INGEST_TIME 2013-03-29T15:26:33Z PACKAGE AA00011611_03868
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES