Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:03859


This item is only available as the following downloads:


Full Text
T

I
r-

xr
Anno.de 1341. QAftTA Feira
#a^, *g* **! no. prud.., odera-
ProcUnwcSo da Awemblva Gara I do Brasil
idiantadca
SDb.ertve.se par. esta Wh. a 3#ooo por qu.rtel p~o,
resta Typograna ra das Gruzes D.3, e na Pr.e. ^Independen-
aia, n. $j e 53, onde se recehem correspondencias' legalisadas e n-
ouncios, msirnido-s. sUs gratis sendo dos proprio. ianantes,
Tiodo assgnadot. r ^ '
PARTIDAS DOS CORREIOS TERRESTRES
Cidade d* Parahiba t Villas da su* preteneo .
DiU do Rio Grande do Norte, c Vili.s dem."
Dita da Portaieza e Villas dem........
Cidade de Goianna...............
Cidade d Oiind.................
Villa deS. Aatio...............
DiU deGaranhuns e PovoacSo do Bonito .
rSK. e Sei'.ai^foiiti.
...... Todos os diasi
...... Quintas Tetras.
i erovo.CHo do Bon.to.........lo, i* de adi mes
D.iasdoCaoo, Sennbaem, Rio rormozo, e Porto (J*i,0. i, n, e ai dito d.to
Cidade das Alagoas, e de Macelo............ldam HeiB
illa de Pap de frlores.....................Id.o, |* dito dte
/ odas os Correo partem ao meio dia.
\
PHASES DA LA JNU MEZ DE JUN.
La Che a 4 m h. e Igi m. da man.
Quart. unir, a 11- as 5 b. e 5tii m. da man.
Lua Nova a 19 as 4 h. e 5j ij. da man.
Quart. cresc. a a as 8 h. e I i m. da tard.
Mare thcia para o dia a8 de Julho
A \i horas e 3o minutos da tarde.
As la hura* e 34 aaiaul.Oi da inanu.
2S DE Julho. Ncm. 161.
CAMBIOS. Julho a?
Londics...... 3i i. por i^oooctd.
Lisbca......8o por ojo premio por molal olerecido.
Fraoca......31o reis por franco. Cuno. Venda.
OKO Moeda da 6#oo res, velbas i .Sitio H*<
Pitas ., novas ljtoo i6oo
,. Ditas delfoooreis, Xjioo 8#3oo
PRATA PaUces Krasileiroe r iffio WJo
,. Pexoi Columnarios ------ i'Gj i^'i'to
Ditos Mexicanos-------------- 1*600 1^610
n Miwia. ---------------------iffioo 1/460
Disc. de bilh. da Alfandega 1 i|8 por loo ao mes. 1 o\o
:< .11 de letras de boas firmas 1 ip a I i|
Uocila de cobn por 100 de disc. ao par
DAS DA SEMANA.
a6 Segunda S. Valente B. Audiencia do Jais de Direito da a.
vara.
07 Terca S. PantaliSo Mlico. Relaro e aud. do Juii de Direito da
1. vara.
a8 Quarta S. Innncencio P. Aud. do Jais ay Quinta S. Marlinha V. M.-- Audiencia do Juix de Direito da a
vara.
3o Sexta S. Rufino M. AuJiencia do Jun de D. da I. v.
ji Sahhaao S. Ciiiaerio M. -- RelacSo e audiencia do Juix de D. da 3.'
vara.
I. Domingo S. Ana Mai daMaide Dcos.
BIODE JANtliiO.
o seguinte pare-
ASSEMBLEA GERaL LEGISLATIVA.
CMARA D03 SNRS. SECADORES.
Sesso de a8 de Vlaio de if^^i*
Presidencia do Sor conde de Valenca.
Reunido numero suEciene de Snrs sena-
dores, abre-se a sessso, e lida a acia da an-
terior nprovada.
R^mete-se a commisso de Instrucco pu-
blica uro requerimento dos professores e su-
bstituios da academia das bellas rtes desLi
co'ile pedindo augmenlo de ordenado; e
racesda assignalura preparo e stibstituco
do napel moeda na corte e provincia do Rio
de Janeiro*
Le-se e fica sobre a mesa
eer.
'Af commisso de instruzgio publica leo o
requerimento de Antonio Uuar'.e Silva Va-
len^a estudante da endemia de Oliuda que
allega que nao podendo, por motivo de gra-
ve enlermidade, lser acto do 3. anuo para
que estava habilitado em 18J7 se recolhe-
ra a Babia, sua patria, para trata de sua sau-
de, com tenco de regressarja Pernambuco em
tempo proprio, para faser o referido acto :
contecfndo que palo motivo da revoluco ,
a 7 de novembro, s podesse, apesar das suas
deligeucias, ebegar a Peroamburo depois de
passido o tempo xado para se aserem os ac-
tos t'requeotou seguuda vez o lerceiro auno
como ordinario, e o quarto como voluntario,
em tt j8 j e lendo oblido da cmara dos de-
pulados urna resuluco que o habelitava para
poder l&zer acto do quarto anuo, logo que fos-
se approvado no terceiro acontecer que a
dita esolucocabisse no senado e por isso
recorre segunda ve: a esta augusta cmara
para que em vista dos transtornos que tem ti-
do llie conceda a mesma gtac que o anno
passado Ibe recusou.
A commisso, respeitando a deliberaco do
senado que j > denegou o anno passado a
graca pedida pelo supplicante, e consideran-
do tambem o grande espaeo que decorre de iii
a 41, tempo cerque podia itr frequeado o
quarto anuo como ordinario sem se ver 0-
biigado a requerer urna tal reaX-ico da le,
tiiteiide que nao admissivel o req uerimentu
do supphcante, e que por isso deve ser inde-
ierido.
Paco do senado a5 de maio de it,)' -
Lourenc,o Rodrigue de And rucie J. t, L.
luieiru de Mello Marcos Antonio Moa-
leiio.
Grdem do dia.
Approva-seem leiceira discussao, para ser
remedida a cmara dos Snrs. uepuUdos a
resoluco do senado que approva a penso
concedida ao Sur. Senador t ei;.
Segue-se a primeira discussao da resolu-
co a annodassado que laculta a incor-
porado de urna companlia para navegar por
vapor o rio Amasouas e seus coiiuentes, cum
o privilegio exdusivo por 40 anuos.
i.ende-se que o projectu se mande impri-
mir} beando suspensa a discussao
iJnr. primeiro secretario l um officio do
ministro do imperio participando que dua
]V;agciitade o la perador recebera a manila,
pelo meio dia uo patjo da cidade a depu-
taco o.ue lem de apresentar o voto de gravas
do sena/1.) em resposta a falla do trono ; fica toem que pedia se Ibe mandasse passar a di-
ta patente ; a vista do que devera' remetter
nava proposta na conformidade da Lei.
Dito Ao mesmo, para informar com ur
gencia os motivos porque o quarto IJatal bao
da terceira I.e^-iao nao apresentou as pracas
necessarias para o servicu da guarnico da
Praca nosdias 17 e 18 do corrento, como foi
determinado, a fim de que seja punido quem
deo lugar a semelbante (alta.
o senado inteirado.
O Snr. presidente convida 09 Snr9. sena-
dores a oceuparem-se em trabaPios decom-
misses e d para a ordeno do di p"imeira e
segunda disc da resoluco que mnnda'por em
vi'or o assento do conselho ultaamarino sobre
tengas militares e depoi trabalbos de com-
missoes.
Levanta-se a sesso ao meio dis para se
trabalbar as commisses.
P 11 N A M B U (J C
GOVERNO DA PROVNClA.
Expedient do dia a4 do corrente.
OH'ici i Ao Comnrimlante das Armas,
ordenando-lbe em cumprimento do imperial
Aviso de 16 Junho ultimo que faca apron-
tar a fim de seguirem paxa o Rio de Janeiro
na primeira occaaio ?s pracas do quinto Ba-
talho que (carao doentes no Hospital desta
Cidade.
Dito Ao mesmo, para faser constar ao sar-
gento particular do terceiro Batalho de Ar-
tilheria Eugenio Lui Franco que S. M. o
Imperador nao bouve por beta Atlender ao
requerimento em que pedia ser promovido
ao Posto de segundo Tente, pelas rasSes
expendidas no Imperial Aviso de 16 de Ju-
nio ultimo de que se Ibe remette copia.
Dito- Ao mesmo, para ordenar, que sejo
recebido9 as prises di Fortalesa do Brura
os Soldados Sentenciados, que para alli forem
remedidos pelo'Commandante (eral do Corpo
de Polica conforme este requesita em olficio
desta data.
Dito-Ao Commsndante Geral do Corpo
de Polica communicando-tbe a expedirn
da 01 deas supra.
Dilo Ao Inspector da Thesouraria d3 Fa-
lenda transmittindo-llie para seu conheci-
mento e execusso a ordein do Tribunal do
Tesouro Publico Nacional de nu.nero 4J
Dito Ao mesmo, pera informar expecifi-
cadamente, e com urgencia, quanto se tem des-
pendido at o presente com as obras da Al-
fandega e Casa da Kelatjo.
Dilo Ao mesmo ordenando-lbe em coo-
sequencia de requesico doExm. Presideate
da Provincia de Santa Catbarina que re-
meta a decietatia a Guia do Cirurgio VJor
Sotero Joaquim de Souta de Jesui.
Dito Ao mesmo, ordenando-lhe que
salisgaos pedidos que ibe uzer o Inspector do
Arsenal de iarinba do que for necessariu
para conservaca da barca de escava^o, at
que o Exai. Ministro da .viarinha determine
o que se deve seguir a tal respeito.
Dito- Ao Inspector do Arsenal de Viari-
commuuicaudo-lne o conteudo no preceden-
te otbcio.
D1I0--A0 Inspector da Thesouraria das
Rendas Provinciaes euviando-liie o contrac-
to feto pelo tommandante da Companlua de
Operarios com o Uotecarij l'iauciscode Pau-
la Pires riamos para o fornecimento de me-
dicamentos.
Dito AO Commandante Superior da G.
Nacional do Reule, coannuriicando-lbe, que
nao lendo o Quarlel Aiestre da piimeira Le-
giao Joo Piuio de Lemos Jnior solicitado
o sua t alent dentro do piano marcado no ar-
Ugu primeiro do Uegulameulo de 11 de Outu-
bio uc bjS, l'Ji iueiiridoo seo requerimea-
Porto.
Dito Ao mesmo enviando-lbe para sua
intelligenciaeexecussio, umi copia do Im-
perial Aviso de o de Junho ultimo, acalca
da remessa dos recrutasd*? mari'iba e pracas
para o Corp) de Artilberia d IVlarnba.
Dito Ao mesmo remettendo-lhe em
cumprimento do Imperial Avuo de 1 \ de Ju-
nbo ultimo para sua inlelligencia eexecu-
co uma copia lico dos Neft0'*ios Estrangeiros em data de do dito mez commnnican lo o que S. VI, o
tendosido cumprida a ordem da Presidencia Jmperadir Determine., Dilo Ao Coronel Chele da Legio da G.
Nacional de Olinda, significaudo-lhe, q'
nao
que Ibe (oi dirigida em 19 do corrente deter-
minando que o primeiro Batalho da mesma
doquae9quer K.strimpuros pfteii erem sem
licpnca desembarcar r:Ild >s no lilloral do
Legio fizesse a Guarnico da Praca nos das' Imperio 011 ped re m rfurcilj m e so-corros de
12 e ai, Ihe ordena que informe com ur-
gencia de quem proven semelbante falta, a
bordo das Rmbarcaces de suis Naooi
Dito Ao Director di Arsenal de Guer-
limdequeseja punido quem culpado for; ra da Crte acrusm loa rewpci) de sea ol-
no podendo entreunto deixar de notar, que dv\0 de 7 do correte e ligntficno Ihe ,
uodesse as providencia* que estavo a seu ,,ue a hord0 d> Brigae Indiana, chegarSo o
alcance para que esaa flta tosse remediada.! ia \mrTU ^ 0\tfl>r', ,|u ,,,, lrtU 0s quae*
Dito Ao Prefetto da Comarca do Honuo, | ero remettilos ao E*. Presiento di Pro-
communicando-lhe que as comas da dpeia, | Vlacu 0 r^ Grande di Nirte na primal'a
que menciona em seo officio de 19 do corren-; orcasio ; e que ao Capiti > d dito BrijfiM foi
tedeixarode oacompanhar. i p5o o (rete de 4 rs. por cadi barril.
Dito Ao Prefeito da Comarca de Gara-1 uito Ao !).rertor interina d Arsenal
nhuns, respondendo-lhe que logo que for ,|e Guerra da I'rorincU respndanlo na seu
possivel Presidencia far seguir um viJSi- ofH,., en (J,ie rei,resenta que seo Jodemi-
onano para aquella Comarca para ser empre- nu,,8 ag diarias que pareaban os Educandos
gado na Cathequese dos Indios esperando do mesooa Arsenal; assim como o vemiaen-
entretanto que o mesmo Prefeiio d ae pro- tl) 0 Cirurgio que os cum conve a lazer
videncias que forem necessarias para que se uva augment) a tim de evitar os iriconvem-
elles consevem traquillos. enlBS % qHe B00nt em dito oficio ; que pre-
Dito-Ao Inspector do Arsenal de Viarinha, Senlemente i he possivel atlender a sua re-
respondendo Ibe qne deve continuar a taser presentaeSo.
abonar ao vleslre da Escolla de aprendizesd > Dito Ao Juz e Mezario. di Irmandale
mesmo Arsenal o vencimenta mensal de ao je p|, S. do Livrame ito desti Ciiade ap-
reis, visto que na dcslribuL-o feita pelo Exm. pr0vando o iilar, que omjo Ministro da Mannha para as despezas des- p^rte da 5. Lotera a laior das Obras da
ta Provincia no corrente anno tnameiro, vem reSp0Ctiva Igreja e enviariio-lha u.u. eom
incluida a quantia de a4oUooo reis pira o re- aulheutica do referido plano.
ferido pagamento. __
Dito Ao mesmo, communicando-lhe que
pela ordem do Tribunal do Theaonm Publ.- THEZORAIUA PR JVLNCIAL.
co Nacional dirigida a Tnesourana da Pasea- O Illustrissimo Sur. Iaspector da Thesou-
da da Provincia, loi a mesma Thesauraru rru dis Henda Provnote* miada facer
aulhonsada a despender por contada Henar- publico, que, em viriude d 0.fi:io do Ex-
tico da :lannha no crreme anuonuaoceiro cellentissioo Snr. P.osidente da Provin.-ia
aquautia de Qi,^653 res, a sabsr ; desta data, hir a Praca, peran e a mesma
Como Corpo ua Armada e classes annexas Tbesoura.u nos dias 20. a,, e ai d'A,;)-t..
J,5ooU re, com o Corpo de Artilneiia .. prximo vmdouro, pira ser arremtalo a
ijooc reis, com a Inlendencia ljoooooo rs. qUe.n pi)r menos fu-r o Contracta di Mu-
comoArseual att:oo reis fomosjNd?io9uiinagjdetaCd.de, por lempo da anno
armados 5o,ooo res com Transportes e meij a contar do 1. ds Janeiro da i8a,
aojooolj res, com Fares e barcas de soccor- 3j de Juulu da 184 i.
robja65Uj()5 reis com a escolla a4oUooj As pesso*s que se proposaren a esta arre-
rtis cornos retormkdos jio* res. maugo comp.rec a urediu riiesourana.
Di.o Ao mesmo enviauUo-le para seu n0s das a ciini 111 iica.los munidas da fiad 1-
tonecimento e execusso a copia do Impen- res edoneos e compelenteminte hsbelitados.
i Aviso de 14 de Junno nlli.110 recouimeii- >>ara conUar man 1JU o mesmo Illustris-
danpo-lliea mais ugorosa economa em lo smo Snr. inspector amtar o presento e pu-
os os ramos das despesa do (mesmo Arse- blicar pela 1 upreim.
nal. Secretaria da Phesouriria dit Heas Pro-
Dito-o mesmo enviando para seo co- viaciae* al dd iutiu de iSii.
ii!f uut'i.'.o urna copia da Provisao do Couse-
Ihu dupiemo Militar de 11 de Jumiu uiii.no,
rO Secreiario
Luir, da uosta l'o: tocarreiro.
que uxa o numero dos primeiro Cirurgioea
do jNumero da Armada auuulaauo a nu-
tra f lovisio de ao de Julho de 1016 a 1*1
respailo*
jjilo Ao mesmo ordenando-lhe, que iu -
forme cir>-ui la a desje> mensal com
O i versas ic parti^Oes
COHKEU.
Existe na Adouitistfa^ai ,j Corrsto dasta
a couaervdvao Ua CiiaUe a* Carlas seguras para os Surs J'Ou-
uaicaUe escavacao. e quanlo se poaea des- maz Antala da \mujo, e LusaoiJ Saja-
peuder taabem por m principio aos trabaihos Uo meluoaameul.> do O linua Feliz Viajaue recebe a mala pa-


{3 2"" 2L.~/a
ftlAItlo t>E PERNAMCO
ib a Labia i.oje ( a8 ) as nove Loras da roa-
Iji.
OBBASPUBL1CAS.
Pela A (Ittiiiisrraco Fisrsl das obras publ-
rfis.se av isa tedas as iesoas que te (ropo
eio a construir madeiras para a ponte do
Recite, peles preces prcineUidcs nos diver-
sos eiinulirios kilos pelo Diario desta Cida-
de que sero prgta pelos referidos precos
buellHS que forero apreenlsdas al o dia i5
deAgcsio prximo vindouro coro as cir-
cnnstsnt ias e des cualidades declaradas nn
? namrcenda ; e que as que vieren deposi-
do dito di 15 de Aposto por disnte sero pa-
ras pelos precos paseados porque se compr-a-
lio | fia s ponte da Boa-vista.
Arittii straco Fiscal dos Obras Publicas
ui da Julio de i?4>
Moura.
Administrador Fiscal,
PBEFE1TURA.
[Parte do dia a7 de Julho i?4 '
Iliro. e hxro. Sur. Forio hcnttm pre-
yos pelo I iscal do Bfcirro de Santo Antonio o
nardo Francisco das Chagas Mendonca por
cuiduiir uro boi solt pelas mas da Cidade ,
Ciro infracefo das Posturas da Cmara Mu-
nicipal ; pagou a respectiva multa, e loi sol-
t. E pelo bub-1'releito da Freguezia dos
Al'cgsdos, oulro pardo de nome Jenuario
Alus 1 ereira por ler sido condemnado eia
t> Juiv dtsta Capital pena de 4noose8
mies de priso simples na multa de 8U I.
e as rustas segundo a guia, que sre loi
ien elida pelo Juiro da i. Vara do Crime ;
l roai dado para a Cadeia, para tumprir
i.t lia a dila tenteoca.
E" o que consta das partes boje recebidas
cesta Secretaria.
EDITAL.
Filis Eizwra de Mello Leito Fiscal do Eair-
ro de S. Fri Pedro Gonsalves &c.
este valcndo-se da caza do dito Hollanda,!
que de certo loi quena o salvou da morte, vis-
to a furia rom que hilo aquella chusma a-
inda correrlo a caza do dito HolUnda em ro-
da para vereco seo vio por alguma das par-
les o motivo deste attentado loi o dito Euro-
peo se despedir delle Moreira ditendo que!
nao queria mais trabaIhar em su pequea
Pedera.
No dia 19 de Janeiro do corrente a mes-
ma chusma unidos com dois nettns do finado
Joo Dutra evadir-So o sitio do Snr. Do-
mingos Alves Barboza entrando-lhe pelo
centro, passaro atacar o dito e sua familia
meacando-o com a morte. Chegandoao mes- j
mo ten?no o Commissario Alexandie Jos I'e-
reira este em lugar de prohibir aquella a-;
taque antes i.e uni a elles querendo que o
dito Snr. Barboza passasse huma obrigago
para pagar bum quartao que apareceo erido
no sitio Bnexo do Reverendo Padre Mauricio ; |
sendo o dito quartao do mesmo Padre e co-
mo o dito Snr. Barboza nao se quizesse obri-
gar pelo pagamento dero-lhe a voz de prezo,
e como se relirrose para dentro de caza pas-
sou esta chutma a insulia-lo e se reliraro
por onde bavio entrado estando armados de
facas chugos e cceles nao saplisfeitos
coro este ataque lbe Gzerao segundo e tercei-
rono mesmo dia.
Em hum dos dias do roes de Maio a chus-
ma des Snrs, Moreiras foro atacar o feitor
do sitio do Snr. Jese Antonio Correia i uni-
or todos armados e com o mesmo insulto,
por dito feitor ter scatado huna Cab.vtiha ,
que Ihe eslava egtruindo as plantas.
No dia a3 e 24 de Juahofoi c mesmo nr.
Barboza de novo atacado en seo sitie pela
mesma chusma coro os nesmos ataques c in-
sultos vendo-se o dito Snr. obrigido aban-
donar sua propriedade pare ter au alguna
dias de vida de cuja existencia premsiaxi.-
privallo.
Tendo-se esta chusma inmunizado coni e
abaixo essignado por cuuia des estragos fritos
Pelo presente laco saber aot habitantes do i pelos animaes Cavallares e Cabras as
Tfclericlairroquedeveroter as Irenles das plantas que tenbo ero roao sino,
lugar a minha defeza deste h da resto de to-
da a chusma os quais vendo que nio podt-
o conseguir seo attenlado se reliraro pro-
testando publicamente que dentro de poucos
dias dario embodo abaixo assignado. O -
haixo assignado he hura e para hum i mera de frente a frente e nao para huma
chusma de 8 e 10 ou ia. Illm. Snr Pre-
feilo da Coraroarca de Pernambuco queira
iancar suas vistas sobre estes altenudo* que
nao sao to piucos.
Aquella chusma abuza mofa da Lei que
nos rege \ fazendo pouco as autboridades.
O Commissario da destricto Alexmdre Jos
Pereira fecha os olhos a ludo, e nem ao me-
nos participa ao respectivo Senhcr Sub-
P re fe i 10.
Rogo aos Snrs. Redactores o obsequio de
inserirem em seoestimavel Diario o expandi-
da para conhecimritos das euthoridade e
do respeilavel publico; elheslicai mui a-
gradecido seo conslaute
Venerador e diado.
Framisco Antonio Ramos.
tasas de sees eslabelecimentos ou rooradias
cera acuella liropesa e eseio quee*igea
rendo apoiar os seus feitos : No d:a / de Ja-
neiro do corrente estando onbaisoasiig.il-
Postura Municipal-, e sero resli idamente do emceza do Padre Mauricio *, "era ctie
punidos cem a pena na mesma postura com- toda a chusma doa Moreiris quizare escs-
a rnada aquelles que o nao coroprirem e'trar o seo peder e passani'o a ins-.lt?r-ine
para ru se nao ehartero a ignoramia mando coro palavras indecorozas e alicantes e a-
nublicar o presente* Recile 4 de ^e Jul'' roiacas de morte, metendo-se ao rsarsuo Isr^.-
(ieio'41. Eu Candido de Souza Miranda Cou- po diversas pessoas evilarao tristes resulta
to a escrevri
I-elis Bizerra de Mello I.eito.
Pelo Consulado de Portugal se fez publi-
co que es devederes casa do lalescide Jo-
ze Csrdcso Durares,, subdito de S. M Fide-
jissima, devero pegsr a Jcao Gomes Maitins,
por lbe jertencerem as dividas por ti.ulo le-
gal deste Consulado.
Peinan buco ero a6 de Julho de 184.
Joaquim Baplitas Moieira.
Cnsul.
CONSULADO BRITNICO.
Faz-sesaLer aos subditos Britnicos rMI- eus gtbos para semilhantes atentados,
denles em Pernambuco que no dia Sexta pm Main 1------------- 1------------------ ----------
dos. f carao porisso mui furiosos, o tiaic
velho dezia o meu Cavallo est cellado nc
roe cLfia iazer huma morte e '.ii:-nc para
a Pesqueia : no dia seguinte anda intertu-
ro a laca r-a e em minha caza ; cas aindo quo
sao seis faltou-lbe o aniao; cotssta-msque
botaio varias emboecadas nhuma ooile peas
sities vizinhos e dais viero pela tetrada e
chegando to p de meo sitio apilarlo e se
reuniro no meio da estrada e depoic se re-
liraro.
Snrs. Redactores parece-me que o frsr.
Moieira tem perdido o juizo e a nao ser as-
sim nao consenteria e nem acompanheria a
Em Maio deste anno estando dezocupadoo
cenes em kiiiuluiu >)< ..--- tim luaio ueste anno esianuo uwuc
ra o do corrente mez deJulho, ,t,a'uCurl si anexo ao obaixo assignado leve
ro Consulado de Sua Mageslade a Raiuba de ftJoreiftt a (r8que2a de diiigir-se ao Snr. Car-
da Bretanba ; ia tua do Trapixe Novo ,3^,03 de Medeiros prra Ibo anendar e di-
ajunlarotnto dos di los tubditos a huma hora enQ 4Ue s oarrendava para se vingar do
daquelle dia, para deliberar sobre o assurop- aijajxo assignado e o consegmo e se mo-
to do Cemitcrio Inglez em S. Amaro. I dcu p8ra 0 i{0 em Junbo; conlinuou as Ca-
i ... .. I ... Pnlanirn 1 .____ .i...- ,K., ,- ., /Jnrrit n> e>s\ lAPOfiA A lXl..
Consulado Britnico
2a delulho 1841*
II. AugustusCcwper,
Cnsul.
Coricsponpencia.
Snrs. Redactores.
Como est cu'rerto que as Authoridadesde-
ven saber o que se passa por estes lugares ,
passoa declarar por esta folb. o seguinte: ra na frente da cara.
Estando esta estrada que vai para o Arraial
gozando de alguro sccego e reinava a pa
?ntre es moradores ; he quando vem morar
nella o Snr. Antcnio Moreira da Cosa, por
espaco de alguna rcezes conlinuou o socego ,
he quando vem para suacompaohia tres fi-
lhcs que estvo no Cerlo : principiaro lo-
go ai'bitter ensultos e ameaecs ; unindo-se
es tres filkcs cero ts dois que j c estavo ,
e seu Pai la dos dias do mtz Ce Dezesnbro do anno proxi-
uo pfassado aparecero armados de facas de
I cuta Pistolias e cbvejos pela estrada bum
n;ia mala cutro csinlla o n ais velho nao
trro pelo sitio do Snr, brancisco de Ilol-
efcuaChi.it tn faja aataiim a bum Eu>Ofeo}
hras dos ditos a destruir meo tocado e bai-
xasdeCapim: por trez vezes mandei amar-
rar os Lavallos dos ditos elies os mandaro
buscar e Ihos enlreguei recommendando-
II,e tivessem cautella com seus aniuaes npx
que nao voliassem a distruir minus no-
vidades.
Acontece na semana prxima passads^i-
rem as Cabras dos ditos ao Capias, e man-
dando-as pegar, pegou-se a penas hum Ca-
brito e o mande: amarrar n hum Laroojei-
ra na frente da caza. No tiia 34 lornare as
aetmas Cabras no Capim e mandando-as
pegar a penas se pegou hura, e sendo amar-
rada na mesma Larangeira elles Moreiras aa
aroandaro buscar j poiern nesse mesmo dia
ao meio dia em ponto foi atacado o abaixo as-
signado dentro de sua caza por Antonio Mo
rtira da Costa e seus lilhos Antonio Morei-
ra da Costa Jnior ftlanoel Mcreirada Cos-
a Joo Moieira da Costa Farnuuo Mo-
reira da Costa e dois escravos dos meamos ,
Romo e Jos e hum escravo de Crva-
ihoteMedeiros, de nome Joo todos ar-
mados buus de chucos e facas outros de ta-
cas e cceles grilavo morra este Caba ; e
c,uerendo varar-roe com hum chuco lanoel
Moreira da Oosta foi o mesmo chuco impe-
HESPANHA.
Allocuco do Nosso SS. Padre Gregorio 16
no consistorio secreto do 1. de Marco
de 1841.
Tem decorrido cinco annos Veneraveis
lrmos que nos lamentamos na vossa pre-
sencia o triste estado eva que se achara os ob-
jeclosda Religio na Hespanha e os muitos
decre'.os e ordena queja se tora expedido
centra os dirailes da Igreja e demos pubii-
cidude aquella nossa allocuco cora o fim de
procuKr q-^o e Go7erno de Madrid adoptasse
aelhores eenrelhos ou pelo menos para que
exisse un documente solemne d* nossa de-
Sfnp'ovocaapostlica sobre oque linliaoc-
cenido, Desda eutao que nos temos abstida
d-3 ovlras q^eixas niais severas e publicas ,
naporq3 su tivessa desistido em Hespanha
2 injuriar de novo a Igreja mas por r que
as recia^c:"3s cas Venerareis lrmos Rispos
d'oquelle Reino iinham tido algumas vezes
Jbom xito i e per isso mesmo continuamos
taubera da nossa perie a detfender por meios
roaissuoves a canoa da l^e\zt alentndonos as
esparancas entret&Bto de que pelo decurso
do lempo esta no3S2 C2r.jrosihade nos abrira
uur. sirada aa:s franca para curar alli as
ch: gas de Israel e resti'.niv as causas sagra-
rs seno co sau enligo eiplendof ao me-
co: e um estado decoroso,
flan ter-. succedido c cca'.rr.rio ., Veneraveis
Ir: "es: pois o Gjvsrao de Madrid depais de
ter sucedo ao rn iupsrio as pro7ccias que
tn'.22 lbe r.."o obedecan esle D18SO0 astado
zi>ci~> p:ci:cr> parees qoe toiaou majorca fov-
^2S para pi'.ar o Z :gredos rireitcs da lgrejc
d? Hespwha c desti Sent Bt A este itn ,
entre o'"ir3 so dirrj a ordem recontecieQle
publicada pon qpe as authoridades civls fa-
cer cumpri.' on dscretos peJos quc33 desdo c
anno de 835 i ptobiMdo aoo Bispc-s ordeaa-
rcro in sacris cocs raros ez2c,^i".". ( 1) } Ou-
tra ( 2 ) eu qu3 ce aclara que as dinposiges
anteriormente tecados para a ocaupacode
quasi tedes os conventos di ralijtosos c seus
bens.se er'.end&a trlot ?que!!esq?ic tendo ago-
ra cabido con a3 pro7nciao ea seu poder se
achavero aindeivos. Nemas p'onriaslgrejas
leva oericado, pois so of ecou por outre decre
t (;*) que se-i demora osseci arreraau-los to-
dos' os Temples propos des cenventes, ex-
cep:3o d'aqueJla3 om viz se eoteiaca celcbran-
doos officios divinos, OS quaes pecas era ol-
g'.:ni se poden j calebrar, "Lio o despojo ;ue
de 8<:us bens sz ites fez Acrssco c ludo isfo de
r.owo o decreto (4) publicado sobra a lei que se
deve propr as prozimfts corics p^ra que 0-
c!e:o secular rue ji ha .uiito se acha prive-
do da ''.na grande par"a a les rendas saja
esb libado intei.-araeate dos bens occle3asticos,
, que, r9dv.2do cozno os reiigccs-oo e. urna co-
dido por miufaa Mt, 1 ^aodo H10
roo mercenaria csndico se sustente cora o
estipendio precario ..jua o Goveruo Ibas pro-
melte.
Por mais qua observemos j Karcha do Gc-
verno para con o clero veuos a uos^a con-
tinuao naquelle decreto (5). cota qua n pou
co se perraitu a todos os emi^ndos pela guar-
ra civil que voltassem sua paira, sato oes-
te lcrelo stae.-iie se ancontrer- cucaptuados
todos os ecclesiastico3 era geral. Apesar d'isto
bem sabido qua muitos delles recocraanda-
?ei| por suas virtudes e sua doutriua, forero
expulsos naquella poca do territorio hespa-
(1) Decreto de 10 de Dazembro de 10*4
1^3) De 6 e de i3 de Dezembrode l^o.
(3) De 9 do Dezembro de 1840.
(4; De as de Janeiro de 18/f 1.
{$) De 3o de Novembro de s84o
nhol nao por que reamente qaquella lucia
fvorecesse a causa de algum dos partidos,
D(i sim porque com intrepidez deffendnm a
causa da Igreja contra os exce>soi do gjverno.
Com mag > porm odisemos, nao deiz-itn
dehaver era Hespanha alruns p0U2OS Sacer-
dotes que tem wntiido a benevolencia do
Gjvern de Madrid: isto arjuelles que esque-
cendo-se do seu caracler, e officia nao tera du-
viddo de conspirar com elle par-* opprimir a
Igreja e que vontde do mesmo, gover-
naia as dioceses cojos Bispos lem fallecido ,
ou sido desterrados Neste numero deve entrar
um Sacerdote individuo do cbido raetropo-
liiano de Sevilha que ja antes tioha sida no-
meado pelo Governo para o bispado de Ma-
lag. e por sua vontaie eleito Vigario capi-
tular da mesma Igreja. Este pois, tendo-se
feilp grave-uente suspeilo de betesi por algu-
nas ms doutrinas que verteu em seui discur-
sos, ou escriptos pblicos pelo mesmo cabi-
do de Malaga foi denunciado ao Tribunal do
Arcebispo de Sevilha e pelo mesmo motivo,
accedendo o mesmo Goveruo exigeaeu do
referido Tribunal, foi obrigado a co parecer
nadita cidade, mas tendo depois appellado
paraos juises seculares da provincia acboll
lano favor nao s neles mas as pnmeir,s
aultioridades do Governo que o subtrairatn
ao mencionado T.ihunal ecclesiaslico debat-
xo do pretexto de se lbe ter feilO vwleocia ,
e tle nao ser aquella authoridade competente ,
e o restiiuirans ao Governo da diocese da Ma-
laga declarando-se no decreto, como clausu-
la irrisoria que nao se eotendesse prejudica-
da por esta roerte a causa principal da tie-
resia. Contra urna violaqao tao enorme canso
esta do Sagrado ireito e era um ponto dour
liinal reclaroou o amado Gibo D. Jos Ra-
uiiies de Arellano, Vke-gerente da nossa Nun-
ciatura para o Espiritual em Hespanha, por
meio do um oficio que dirigiu ao Governo
com dala de 2o de Novembro prximo paste*.
do bem como por ouiros de e 17 o mes-
mo mez Urina reclamado por causa de alguns ,
junes do Tribunal da mesma Nunciatura; ou
da Rota Ecclesiastica a quem a auihotidade
civil da villa tinha .suspendido do exercicio do
seu omcio e por causa do Veneravel Liispo
de Caceres i. deve ser de Coria ) e de outros
muitos eccleaiasticos que lem sido aqui, o al-
l maltratados expulsos ou privados da u
oceupaco, sendo substituidos outros pela vio-
lencia uo poder secular e finalmente em con-
sequeucia da nova demarcaco das parochias
em Madrid a que tambera a authoridade ci-
vil se tinha proposto. O Governo Veneraveis
lrmos, estuve to longe de desistir da preten-
dida invaso no direilo ecclesiastico > que
antes pelo contrario indignado com simi-
Ibanies eclamaces e especialmente a qua
tinha relaco com o Preshytero de Sevilha ,
csicecou a encoleris&r-se contra o mesmo Vi-
ce-gerente da nossa Nunciatura. Vos sabis
ludo iste perfeitamente nao s pelos muitos
medus por que se tem divulgado mas pelos
documentos que o mesmo Governo tem dado
u. luz e por esse motivo o repetiremos aqui
em poacas palavras.
tlz m?staa occasio em que os Ministros en-
carregados do Gove.'uo receberam a ultima re-
clamauo, pedir.-.m ao Supremo Tribunal Ci-
vil o seu parecer sobre esto objecto, e partici-
pando isto ao Vice-gerente Ramires lbe or-
denaran! que entretanto se abstivesse de ter
cor: elles outra alguma correspondencia, Pou-.
co depoij, at o rita de Dezambro, determina-
ran, segundo o parecer do Tribunal que o
mesmo amado Gibo Jos Ramires cessasse de
exercec o cargo de Vice-gereute da Nunciatur
M e que cessasse tambera o Tribunal Apos-
tlico da Roa : ainda mais ordeuaram que o
referido Tribunal civil Bzesse subir consultas
inmediatamente cerca da ordena que ddviam
observar os Hespanbues para tratar os negocios
pertencentes Rota como tambera para ob-
ler para o futuro as gracas que se concediam,
pela Nuaciatura, sem preciso de dirigir, para
es alcaucar requerimentos a Roma; ltima-
mente que o mesmo Ramires como criminoso
ofandeudo o Governo com suas injustas in-
decorosas e iltscitas reclama9jes, fosse casti-
gado com o sequestro de todas as rendas qua
percebia assim do Erario como da Igreja e
qua fosse immediatamente expulso do lerrito-
nohejpanhol, Em consequeucia do que, tudo
assim se cumpriu com torca armada e a se-
ria de todos estes acontecimentoi, que foi pu-
blicada pelo Governo no 1. Ue Janeiro attri-
bolou os caraces de lodos os bous catholicos,
Superf.uo nos parece combater aqui o que
contra o direiio da Igrej. se l, lio mal funda-
do, no parecar ou consulta do supremo Tri-
bunal approvado pelo Gocerno. Mas nella se v
claramente que o Tribunal, e os empregados)
do Governo obrara com tanta sereridade con
i
y


!

i) a h i o )E pSnamucS
3
i
n

i
me-sin o poder secular em prejuizodo direito da
Igreja. Mas ai de nos, se no meio de to
grande translorno como all existe as cousas
agradas e de tanta opp'essao como na que se
encentra a liberdade ecclesiaslica nao oppo-
sermos um muro pela Casa de Israel, e que
nem o menos conlenhamas os nossos gemidos
d; ntro dos limites de urna queixa particular.
Alem disto, nos estimula o ulerease da pa-
ternal caridade cora que oiramos a calholica
INaio to beneberita da [greja e desta santa
S, aquem pelo dito transtorno das cousas
eclesisticas vemos no risco da Keligiao.
Le novo levantan os a noasa voz apostlica na
vosa presensa \eneraveis limaos e dando
por testemunhas o Ceo e a trra nos queixa-
mos amargamente urna e niil ver.es de ludo o
que em Iltspanha se um preti ado al .uui ,
e actualmente se est platicando contra o di-
reito da Igreja Queixamo-nos em particular
de qualquer jui?o usurpado pelos seculares as
-*-"--------t>--------- o-----' t .
cebeu plenamente a Igreja do sen Divino
Fundador e ella deve exercer com plena li-
berd-ide nao obstante qualquer opposieao
dos Principes Seculares. Queixamo-uos de
queosTemp'.is do Senlior dos Exer?ilos as
lmagens dos SlDtoi, as alalas, os ornamen-
tos e al cnesmo os instrumentos mus sa-
grados do tremendo Sacrificio leudara sido
convertidos em usos profanos E a um quei-
xaiuo-iios s perversos livros que nao o
iiMiorando as autliorilades, se tem esoalliado
por todas as partes no ReinoCatboliro e dos
ir.uitos Diestres da beresia aqun mais de
uma vez nao lem importado corro '.'.per os sin-
ceros fiis ; e crescendo deste molo a liceuca
dos malvados, as fnnccSes do Culto Divino
tem sido profanadas impunemente co-n at-
earas, tumultos | blasfemias i e mortesdos
Sjcerdotes.
Altemlendo pois a ludo isto cumprindo
cora o de*er que nos impoe o cuidado de lo-
[ Portugil Velho. ]
cousas cine por qualqutr forma pertencam a das as Igrejas que eoa eoubou ao nosso car-
. '... ___.. j. A.. ,1. Idilio i.J.a a n. aoutrina da fe a- qual por mandado de Jess
Chrislo Senhor dos Seohores, e Hei nos neis,
e .pesar das opposices do poder to sceulo ,
desde o pr'oprio lempo dos Apostlos oi an-
nuocieda as Hespanhas e depois debaixo da
eutboiidsde e direcedo desta cadeira apostli-
ca dilatada mais e mais elos sagrados pasto-
res e d.Hendida pelos mesmos com valenta
entre as grandes vecessiludes da oidem publi-
ca. Queuamo-noa de se ler alioycllado a ui-
fnidade de nesso supiemo apostolado na pes-
sca co V,te-gerenle da nossa j\u.;cialura, bem
como no Ti ibuoai da Ilota eslabelecido all
ot>or indulgencia dota Santa S para conhe-
cer as cautas ecclesiasticasou queseappel-
h**e para esta mesma cadeira de cujas apel-
lati.es desde os primeiros secutes da Igieja ex-
eueu o direito o Humano Pontfice tni virtu-
de do seu Primado ( i ). e cujo conhecimento
as causas peilicuiares deiegou nos seus Dele-
gados que de quando em quando iam a iies-
panba () gueixamo-nosdete.emsido sepa-
Vdcs ;,clenu..ene do seu lebaubo mullos
Veneraveis Ira ios equem a ****
all linha posto para go*eror h^^
prohibiniio muitas vezes aos seus Vigar os que
Lmpram asobi'igacoes qne lhes ior.n. impos-
tas : indozindo temerariamente ou obi.g.uto
tamben pela lorca os Conegos das Jgrej.. w-
gas a que confiram o cargo de Viga.iu Can -
fular a pessoa a quem a boveruo BOmeou^blS-
po contra os decretos do segundo concilio de
JLeo(3), confirmadas depois successivamen.e
por ouuaa const.tu.ves e recenlemenle pelos
nuiconbecidos Breves do nosso predecesor
pi 7. (4). gueixamc-nos de que os religiosos
Jossem expulsos dos seus convenios a que ae
tinham retolbido para se-uirem os couseibos
da pereico evanglica e igualmente de que
o clero secular teuba sido perseguido de mul-
tes formas, e at \exauo as causas pe tenien-
tes ao seu sagrado ministerio, Queixamo-nos
de qte o patrimonio d, igreja tenue sido u-
surpado ciuasi inleir-menle, como se elle per-
leoeetse a authoridade rublica da ftavao e se
todas
todas e cada uma dis cousas que as-
s'im nestes cono nos mais pontos perteocen-
tesaodiieito da Igreja tem sidj decretados ,
executados ou de qualquer forma po-.!os em
( rauca pelo Governo de i*i.tdnd ou por
q.iaesiuer outras Autoridades subalternas ,
com a nossa Aultiondade Apostlica a> repro-
varoos e abolimos de.-rogtrnos e de-
claramos, que sam.eseraiu inksirameute nui-
les e de nenhum valor os mesmos decre
tos com todas as suas consequeacias. EeOS
mseos authores delles que se aDgloriain de
ter o nome de filhos d- Igreja Otuolic* .
conjuramos e rogamos em o Seubor que
abr' m uma vez os olhos sobre as teridas que
letn feilo na sua Beneficentisaima Alai : que
tenham alem disso presentes as censuras e
penas es/ inluaes que as Constituales Apos-
tlicas e os decretos dos Concilios geraes im-
poem aos invasores dos dueiios da lreja e
as que inrorrem pso lacio e que por
LOTRRU A F\V>a D\S OIRS DA
IGBEJA MATRIZ DA BOA-VISTA.
A Irmandade tendodo agr.ide.-er ao respei-
tave! Publico o livor com que teconcorri-
do na compra dos Bilbetes d presente Lite-
ria de cuj extrceo esti dependente a col-
lococo e isie.nto da muta cantara que se
ac'ia prompt p tispicio da dita l reja ro^s que da me. n .
maneira se pieste na ora ir* dos reatantes ,
para que quanto antas possi desi ;uar-se o da
do andamento das ro Jas. Os bilbetes acbo-
se venda na Botica do Sur. Joaquim Jos
Moreira no Alten o da Boa-vista j as dos
Snrs. Joao Moreira Marques, e Francisco
Anlcnio das Cbtgas aquella na ra do Ca-
bug e esta na dj Livra ueuto e na loja do
Sur. Jos de AJenezes Jnior n i ra do Colle-
"io e finalmente no Recite n;is loja dos Se-
nliore Vieira na ra da Cadeia.
Avisos Diversas.
sitio com um elegate sobrado toio envi-
dracado com estribara para dous cit dios ,
hauho atraz dj mesmo sitio, entre as data
ponteada agdsleo t ^Mir n0 esmooa
no Quartel de Polica com o Qrurg o-A-
jodaute do mesmo corpa : o mesmo pre.-ua da
u i a preta ou moleque fpem pira vender
verduras pagan I -ae deis mi! rs. men?aes ,
e daodo-se o sustento ; assim como vrnde-se
uma preta di coila a5 anuos de Jal-i,
muito robusta e boa trabalbadeira deeo-
xada e sabe tratar e vender faoto de boi: a
tallar no mesmoQuartel cam o Brigada.
T,-.si).ss*-e ceuto e ciucoenta palmos
do terreno por detrs de S. Francisco, ora
fun i suficiente pira qudquer prooriedade ,
r,u divide-se em partes ; quem o pretender ,
dirija.se ao palio do Hospital, sobradda
esquina Ij. a*.
li?- Jos Antonio Gimes Jnior, conti-
nua .i vender no seo Escriptorio no llecill' ,
ra di Cruz, D. a saccas coa Urinba de
mandica milito lina e alva superior a de
.Vlag e Seruri por ser leita na Viunbecaw
T Antonio Francisco do llego llarroi nao
po-iendo dispedir-se dos seos amigoi ed>-
qnelles Sors. que livero aboiididedeo
vizitar na sua infermi lade o far por meio
desle annuncio agradecendo muito aos mes-
mes Snrs. o cuidado que a seo respailo ti-
vero e effereeendo sea dimuito presu-
mo, para na excraco de suas determiuac j-
es mostrar a sua gratidio.
isr A pesso que precisar di um mole-
que para vender ottaliee ; dirija-sc a ra da
! Francisco no voltar da ordem terceira ,
que achara com quem tratar.
G3- 3uiga-se ter-se perdida era Palacio
t?y O abaixo nssignado como Procura-
d-i r bastante e fiador de seu filho na albea-
cao que llie fez w Snr. Tbomat do Aquino
Mendonca do direito que tinlia de 8 anuos
incompletos de semeo ao prelo africano Joze
Tboraaz que o arrematou em hasta publica ;
declara que no dia 99 de Junbo p. fin do ,
deixou o mencionado preto casa do abaixo
assgnada nesta Cidade e aonde lera estado
desde aquella transacao sem que lhcdesse -j^^'um recibo 'pasado pelo lU-ve-
mo trato e menos CMUgo .Igum mas ,,ra ^mlno JdCd:n9 U^aJ Vig i-
por mera rebelda e seducoes, talve ue SeriI|lu.m pira ,ere:eber diTUe-
pessoas que desde o dominio do dte Sor. JJ^ ^^ ^ to a e untos
Tbomaz de Aqu.no, o fazem crer ser elle urar.. Prom ^ ^ ^ ^ ^ ^^
tregar annuncie uu o faca entregar em a
loj' de livros do Sur. Figueirt i aivertin-
do-se, que o Sur Tnezoureira ] e>U pre-
venido de nao p >gar.
SSg- Alaria Clementioa de Figueredo, Pro-
fossora Publica de primeiras letras desta Ci-
dade ; aviza por esta folha que malou a
sua rezideucia para ra Direila : sobrado O.
44, casa que laz es.juina para o beco do Ser
^u ------ .livre, sem nenhuma atlenc;o Le da loca-
esse motivo cada um delles lenha compaixo j ^o dos africanos como este de que trata o
da sua propria alma presa coa ues gri- I abaixo assignado ; e porgue tem o mesmo a-
Ihoes invisivtis () e reeclindo em que l baixo assignado que dar contas no Juizocorn-
" os esfera um juizo terribiiissiiao uos que I peiente quando Ihe for exigida do sobredito
governam'' () considerem seriamente que o
mais funesto ensaio desle mesmo juuo futu-
ro o delinquir de modo que se d motivo
iusto para ser separado da communicaco da
Oraco da assistencia na Igreja e de todo
o comroercio santo. (4)
EUetanto felicitamos exuberantemente no
Senlior aos Vtneraveis Iraos Arcebispos, e
Bisposde Hespanha pelo cuidado pastoral cora
que t residindo n s sua3 Diocezes ja obn-
Pados a abandonal-as tem procur,do quasi
todos segundo as suas torcas deikner a
causa da Igreja sem se pouparem ou de vi-
va voz, ou por escripto por si, e ale par
outros de admoestar o seu rebanbn sobre os
seus deveres, e loitilical-os contra os pen-
gos da leligio que a rodeara. Elogiamos
tambera como cumpre o resto do clero fi-
el porque nao tem dtix^do de coulribuir pa-
ra sto mesmo com os seus esforcoa. Louva-
africano em virtude da mesma Lei, faz es-
ta deilaraco recommendando aos appreen-
sores a captura do dito africano e de o le-
varemcaza da residencia do abaixo assigua-
do ra do Ran^el, que gratificar a quera
o entregar ; os signaes sao os seguintes : pre-
to, um pomo fulla, na?o calabar dade
ti a a4 anuos barba regular boa altura ,
e de bom corpo tem os pez um tanto gros-
sos
teocesse a^thoridade Pubi.c. O. ; ^igualmente o povo catholico do qual
Esposa Inmaculada de Jess Cli"s o nao S V ^ be ^^ em
^ese um innato diieito de adquirir, e possuir
bens temporaes, e por consequencia como s* os
nossos naiorea devessem ser reprehendidos co-
jlo uns invasores ds dueito aleio por lereui
possuido laes bei-s anda em o remado dos
principes gemios, e de terem aceitado a sub-
sliluko que se lhes impoz luuiu brigagao de
iustica dos mesmos bens pelos mperodoies
que succedeiam aquelles que antes Ihos U-
iiham lirado por seus decretos (5).
(i) Assim receteu o Papa Santo Estevo
a apLellaio de li.silides, a de VJarcial, Bs-
eos de Astorga, e de Alenda de cuja appel-
laco falla S. Cipriano na Episl. O Edicao
Maurina e de balucio.
(a) Assim na causa de certo Sacerdote ,
e de duis Bispos sobre a qual existe a carta
45deS. iegorio Magno, lff lo a S, Joao
e deensor, t
() Cap. 5 de Eleclione n VI.
U) De 5del\overobrodeib4oaoCardeal
Mauy ; de a de Dezemfcro to mesmoi atino a
Avesardo Cotboli, Vigario Capitular da Igre-
ja te rlorenca, e de i de Dezembro de soso
aP.iulo de Astros, Vigario tupiiuiar da J.-
gteja de Pariz. T
t Assim consta da Constilutco dos lm-
perioits Coiislaiitiuo, e Licitiio na Historia
Ecdesiastica de Eusebio liv. 10, cap. > e
tnaLauranio, ou Lucio Cecilio, JDa morte
a maior parte ou quasi todo se conserva em
sua anliga reverencia para com os Bispos e
paslore* subalternos cannicamente colados.
E isto nos laz conceber as inaiore esperancas
de que o Senhor que rico de misericordias ,
ha de olhar com piedade para aquella sua fi-
aba. Vos outros entretanto Veneraveis
Irroos coutinuai como fazeis otlerecen-
do juntamente comnosco incessantes oravs* ,
e supplicas ao benlior por meio de Jezus
CbristO e invocando a piedozissima mter-
cesso da Immacuiada Virgem Mi de Dos,
Palroeira das Hespanhas como dos mais
gloriosos Sanios que naquella JNaso viveraui,
para que assim corno elles em outro lempo
santificaram, e enobreceram a sua plna
com as suas virtudes doutrina,, trabamos ,
e at derramando o seu sangue eni teslemu-
rigado.
i^T Joao Bizerra de Mello tendo apre-
hendido no dia a5 do correnle umescravoda
cor preta o qual nao tem querido declarar
dos perseguidores cap. 48. Veja-se tambera
a Coosliloico do mesmo Conslaolino na vida
desle imperador esenpta por Eusebio liv.
a. cap. 3p.
(1; Concilio Tiidenliuo, Sec. 2o c. ao de
llelormar.
(^j) S. Gregorio Niseno na Oracao, ad-
veisus eos qui castigat aegre feruut,, Tom. b".
de suas obras na Ldicao de Morelly pag.
014.
(3) Sapientiae VII. 6.
(.4J Tertuliano no apologtico cap. igi
e com cravos de bobas.
Francisco A. de S Barreto.
C7" O abaixo assignado, declara ao res-
peitavel publico queoSr. Manuel Francis-
co Mouteiro desde o dia 8 do correnle Ju-
Iho,deixou de ser seo procurador, por ter nes-
le da nomiado oulro procurador e nao ter
com o dito Snr. transaeco alguraa; ficando
sem vigor outro qualquer procurador que
appareca.
Antonio Finnino de Figueiredo Brito.
SS^ Precisa-se de alug>r uma escrava ,
para o tervico de uma casa de pequea fami-
lia, que saiba comprar cosinhar e ensa-
lmar, e que seja fiel ; dando-se-lhe o sus-
tento e dez mil rs. meusaes: na ra das
Flores, casa D. 8.
4^* Aluga-se uma preta criou'a mossa ,
que engo.aiuia coze e coznha o diario de
umacazd, e outras mais habelidades : duem
a pretender diiija-se a roa do llangel, in-
do para a nbeira lado do uasceute 1. sobra
do de um andar prximo ao a. becco.
ttiy A Senbora D. Jozeta Alaria da Fon-
teca e Sju/u queira aiinuuciar sua inorada ,
para se Ihe enliegar urnas cartas viudas do
Certio*
ur Do-se quinlientos mil rs. a premio
sobre hypolheca em predio livre desem'
baracade ou firmas a contento: na ra do
Fagundea sobrado de u a andar, D. 4*
Sr JNo da 9 de Agosto prximo luturo ,
se abur a Aula de Historia Natural do Liceo
Oe.-li Cidade : s pessoas que se quiserem
matricular na diia Aula dirjo-se a S-
creuria do mesmo Lyceo as oras do cos-
mme, at aqueile releridodia.
t&~ Preciza-se de urna ama de leite for-
ra : na ra Nova caza ao p da ponle a. an-
dar do lado esquerdo.
ur No da 2 j do correnle desapareceu um
cao cabe.ludo de rafa da Ierra nova com o
pescogo e mios braucas, e tem bastante l-
0 seo nome nm o de sao Sur. } adverle-sa
pessoas que quizere n a veriguar ; dn-
jo-seasua moradia na Povoafio de Ba-
biribe. ,
V3- Quera quiaer comprar uma escraea da
nacocom ia anuos d'idade, aigumasabilida-,
des, bonita figura \ venae-se por preco c-
modo na ra do Fugunles caza D. 18 : na
mesma um relojo de sima de meza bom re-
gulador.
t^. Aluga-se urna escada propna para
loja de miudezas por ser muilo larga e em
excelente lugar 1 a tratar na ra do Quemado
. 1.
%sr Recem chegado da t? ranea } a ptima
agua francesa bsm conhecida como o millior
ureservactito contra o galiieo e outras moles-
tias venlagiosa evidenlissima contra o ve-
neno das cobras j -- frasquinhos a a:ooo res ,
na loja de louca 3 ra do Livramento.
^j- Precis*-se de um bomem portugue
para Fetor de nm Engeubo perto desta Pra-
ea e que lenna praticado serrico do mesmo;
quem se aehar uas circunscias dirija-sa ao
Pateo do Carmo sobrado da quina da Camboa
do Carmo.
%r Na ra do Fagundes D. l5, conlron-
learua do Nixo do Livraraento segundo
andar coserse costuras de alaiate e de toda
e qualquer qualidade engoma-se tambaos
de toda a qualidade e lava-sede sabio e de
varrela, tuda faz -se per preco cmodo.
tST A pessoa que aonunciou no Diario de
ib' do correnle para vender uma escrava cri-
ouia de dade de ao anuos sabendo coz-
nUar, cozer e engomar dirija-se a ra
Direila sobrado de a andares do lado do
renla, D. ao.
4-^ Arreuda-se um grande sitio no prin-
cipio da estrada do Arraial com bstanles
arvoredos d fructOS e com grande casa da
pedra e calj quem o pretender lal^e cora ftlarj
^lino Jos Lopes.
MUTILADO




4
DIARIO BE

PEENAMBPCO
IUJUIUBIIBW I
%ST A luga-se uid sobrad) em Olinda na
ra de S. bento defronte da ladeira do vara-
dourojunto a academia, e com bastantescoro-
roodos ; a tratar na ra de agoas verdes D.
38 no segundo andar ou em Olinda na ra do
Bom fien U. ai.
dar papis como o necessario para fazer a
barba ; na ra de S. Hita nova L. 18 lado da
Igreja.
- Un negro de idade de 5o a 6o annos ,
que seja sadio j quem tiver nnuncie.
car Lm escravo bom official de carpina '
tsr
Um rapaz que escreve bem se offere- | na ra do Amorira em casa de Machado e
re para copiar quaesquer papis fa/er al-
gnma escripturaco particular e iresmo co-
piar musir ; quem remar dirija-se a ra
nova D. a4 casa rfe selero. .
SST Oabaixoassignadofilho e herdeiro de
Francisco Nicolao de Poi.tes tendo noticia
que algumas pessoas que ficarao devendo a
seu finado Pai, hoje se intitulo dalle ere-
dores faz certo que o dito seu pai morreo
semdever nada a ninguem e que alem de
seus papis isto mesmo declarou antes de mor-
rer, e que elle herdeiro protesta des fazer to-
do monopolio logo que chegue sua May e
mais herdeiros. Manuel Francisco de
Ponles.
Santos.
Vendas
Avisos 31animios.
CAUTFLLASda Sociedad* FORTUNA
TYPOGR\FICA subdivididas na vigsima
parte de bilhetes da Loteria do THATRO
que tem o seu impreterivel andamento no da
16 de Agosto, cabendo ra sorte de cinc con -
tos de reis durentos e cir.coenta mil ris a
preco de 46o i nesta Typografia na praca
da Independencia n. ao na ra larga do :
Rosario toja de roudezas D. 7, na ra do
Collegio loja do Sr. Menezes e na de relo-
joeiro.
C3T* Urna eserava de naco de idade de
SST ma venda com os fuodos que coop-
eran comprador ou s a arraacao. tem
commodos nara familia por ter um granas so-
lio a pupo ou a dinheiro ; na preca da boa
vista I). 6. .
tsr rrn escravade naco congo he boa
quitandeira lava be n de sabio e Mfl?,,a '
p. coTinbaodiiriode urna casa, e um rolles
de follear formigas ; na ra do Alecrn D-
cima 4- ..
tsr Urna escrara de naco angola, de iaa-
dede a5 nnn. cosecha, engoman Uso,
connha o diario de u.na casa Ui doces e he
quitandeira na ra da Conceicao da bol
vista D. ifj. .
r Um sitio em Olinda ao p das bicas
do varadourr com urna exc-dlente casa para
grande familia cora um grande parreira. ,
viveiro um apreciavel banheiro, com mul-
tas arvores de fructo; a tratar na ra do Cres -
po loja D .
GJr Bichas Hamburguesas muilo boas ,
e grandes a todo nreco r-har itos da havana,
_e nacao -
a5 annos cozinha lava e be quitandei- hamburgueses e da cachoeira cha isson su-
ra i na roa direita D. ao hdo do Livramanto perior. cartas^ francezis e portu;iiezas ; na
PARA LISBOA o Brigue Portuguez 5.J 5*3- ma morada de casa terrea sita no ra do Cabugr loja do Pandeira.
Domingos, she no da i5de Agosto por ter Mterro dos affogados do lado do poente con- SJT Ua. cabra bicho comduas cias.com
a traior parte da carga prompta quem qni- fronte a casa do Sr Pavau velho ; as 5 pon- bom ieite e parid-i a poucos ciaB j na ra
ser csrregar ou ir de passagera dirija-se ao tas na ultima casa D. 47- leila O. o.
Capito na praca ou ao Consgnataiio Her- es- la cvdeire.de Jacaranda duas bn- CT" Bichas chegadas de MtbM de supe-
culano Mara l'essone. cas, um sef pequeo, um caar, urna ror qnadade ; na ra direita venda que
PARA O RIO G, DO SUL spgue com comeda ludo uzado e urna cama de angio foi de Jo da Peuha. ,
brevidade a Sumaca Emilia por ter a carga nova ; na ra do Cotovello casa do Sr. Qua- sss- Ou alu^a-se um roolitinno de ida le
prompta mas recebe a Irete alguns escravos resma. de 16 anuos rom principio de (erreiro ,e
para o que trata-se na ra da cadeia L). 2i fsr Barris c-m breu, barricas com farinha cozinha o diario de urna casa 5 na praemha
com os consignatarios Aroorm Irmos. ordinaria, meias ditas de boa, ditas com do Livramento D. 19.
PARA O ARACATY sal.ir no da i4 de salitre papel de peso cha isson sacas com ST Um terno de oeso de ferro sortldos $
Agosto por ter parte de seu oarregamenio pimenta do reino rolos de fumo e saqui- no armaiem de Luiz Jos de Alagalhaes na ra
prompto o Patacho Mara Luiza Mestre nhcscom cravo ; na ra das Cruzes D. 9. daoraia.
Jgnacio Marques ; quem quiser carregar ou gr Duas amarras de ferro de 7 o'avas 3S* Potassa blanca amencina em barrn
ir de passagera dirija-se ao dito Mestre ou duas pecas de ferro coronadas da calibre 12 grandes e pequeos sacas e barricas com la-
a Antonio Joaquina teSouza Ribeiro. tudo por preco commodo para ver no rap- relo barricas com fumo para charutos, nen-
PABA O ASS'com escala Jpor qualquer che da naco e para tratar no armazem de tes de marrara egngas amarellas tudo de
pcTtodotVorteatoCtar, sabe com brevi- Femando Jos Braguez junto ao arco da boa qualidade e por preco commodo em ca-
dadoo l'rigue Escuna Raii.ha dos Aojos, Conceicao. > de Matheus Austin & Gompuihn, 1
M, Joo Antonio da Silva ; quem quiser car-
regar dilija-se ao dito Mestre a bordo.
e 11 o
ente e correte e cot safra a moer $ a tratar
na ra da gloria sobrado D. 3o.
er Cautellas da Loteria do Theatro, subd-
vidades dos originaes Bilbetes em Dcima, e
Vigessima parte gauhendo na sorte dos
Siooo^'ooo detento* e sinooenta mil reis, a
preco de 4tio e 1.000 reis cada urna ; ms
lojas dos Snrs. : Souaa Pinto Baltar e
Dias & Cunha na ra da Gadeu velha ;
Quaresmas Praca da Independila ; Vic-
torino ra dos Qu*rteU O. a; Claudio,
rus doCabuga ; Caetano, aterro da lioa-vis-
ta ; em Olinda ra de Vstalas Ferreira ,
n. 4o* e em caza do Caixa onda baver
sempre bom ortirnento de nmeros levan-
do urna Caulella gratis o comprador de ai,
Nos raesmos lugares cima acho-sn igual-
mente venda Cautellas d Lotera do Sa
miii-rio subdvidid.s e u Vigessim prte.
\_y Moendas Orisoutaes de varios tama-
nhos para ago.i e i-aia animaes, caixas de ier-
ro ruado de lodos os tamangos a 100 re a
libra diltas de Ierro batido a aao res a li-
bra ditas de ferro cuado de beira virada a
Ho reis a libra, caauinas de vapor de 6, 4, e
6 cavdllos cora suas pruprias moendas da
meibor construcj e preco commodo urna
prenca Hyiriulua que serve para empren-
tar algoda i ou mesmo pira t-ncaixar as*ucar j
na ra da sequila nova O, 1 cosiile Jjo
Slodait.
' >
b unidos
ssy iNodia 2 1 do corrente urna negra cro-
oula de nome Vtara levou si i a de paninbo
ou metim preto vesiido de ciiita Graneo j*
desbotad e panno di eoita ha alta bao,
preta olhos grandes e |a he de dade tem
Mdo vista na bia vista ; quem a pe,;ir leve a*
ra velha em casa de vlanoel Alves da Silva
que ser recompensado.
S~ Desapareceo no di* s5 do carrnnte do
logar d.i trempe sitio di Sr. Herculano um
preto de naci, algumi couta bu:al, de
nme Francisco, levou vestido ceroulas e ca-
misa de brim ja suja chapeo palua co-
S Que fazem Smilh & Corbelt, por in-
tervenco do Corretur Oliveira e por conta
de quem perlencer dos seguintes artigos ded?ira ce ra, ven
\indcs pela Barca Ingleza S- eoce ar- isa
Tbada a este porto com agoa aberta na sua re- no de Souza.
cy Urna escrava de nacSo de idade de
36 annoa boa lavadeiaa facteira e ven-
de-se por precso ^ no
rjue ser 1 gr
Por"a4o ra-o volume ; n&i lojas de li- -.-J.f^ TT^ ""h" J<8'aV
dos Srs. Cardoco Aire-, na ra da cadeia Ue tladt ** M cjr fu la baixa see-
teime ra, vende-se por precso no yo. dos ^rs ^ardoco ^- ."*"," do corpo, gago, le por lodo corpo un,..
Bguinboc.se de guapa de Manoel Caeta- doRecfe, de Santo' & C^Pn ; Bnia^ marcas que pire empioges ou sar',,s ie-
A* *ioa a Conceicao no pleo do Coiiegio na ae___ r r o
sendo canaps, mezHs, cadeiras com assen- raos charutos na ra do Livramento D. .a. B^ur^""""flirnlia chp(ridas recenle-|c*be'Md *** enm panno., e de
todepalhint-a, de pao : Qu.rla eira a8 ssr A vende da quinado orincipio do ^ ^ .oa '"nn a cn,' ,'/sr,. um lado do nariz um furo e a8 costi* toda,
. __ 1.....'.i____Zut---------. .*......!. o(f.,.,a,ta 11 ..ma u>rv mente do Rio de J aneiro e fit. arma/em de A. F. dos Santos -""das de flores de sua .cao levan vesii-
do de riscado e panno da co^la; quem a pegar
no
Panno de aUodo da trra rouito en-
no orte do Multo prximo Prenca do Sor. naco lava e cozmba e uro quartao novo; ;'g 1
ajeildoilca. V na pndaria da ma do Peixoto das 5 ponas De- Brega na ra da rooeda n. i4n.
^ One f* Goeskell Johnson & C cima j7. ^ V d* al^0(la0 dft Jj
porintllveruo do Gmetor Oliveira de *3T A renda sita na quina do beco do ou- corp.do a a;o a vara j na ra do Crespo De-
crande Dorco de boas fazendas inglezis ma- vidor delronte do ttiealro publico ; a tratar cima ia
nulacturadas em mais de .0 differentes quali- na mesma ou na ra do Y.g.r.o n. 1. lerreno cora ao palmos de frente,
dades as auaes se vender os prasos que *T A armaco e trasPH>sa-se a ci.ave da J^ com al.cerces e urna porcao de pedacos ,
Bees.ipularion-meamaoccaso segundos as loja de tivros sita na tr.Ve.si do Hoz.rio ame.acaode uro o.tio junto .0 lerreiro no
suas quididades e procura no mercado; quin- excellen.e legar para miudez.s passando-se mundo novo ia l-lar com o dito ferre.ro.
de arrendamento por ^ V de idode de ,7 annos bom
ta leira ao do correrte as ao horas da lu-nh ao comprador um popel de arrendamento p
ero 1 onto no seu arrc.zem di ra da l. ruz. espato de cinco anuos a findar em Julho de
CS- Que fajero Lenoir Puget & Compa- ib4t> lrata se com o Dr. Feitosa to se-
nhia eiN.O. Bitbtr & C. enorregades guodo andar do sobradoU. 11 na ra nova,
da liqudaco da casa de Joao Jo- Ferieir. tur Urna venda coro'aoo a Soo 000 ds fun-
de Mello & C. po: intervenido do (Jotre- dos sila na ra por detraz tie S. Jos, lem
tor Oliveira de um completo sortimento de coromodus para familia independenle di ven-
xniudtzas e lemgeris propriss para o estabe- e oaluguel he muito em conta a prao
Ifciroentode urna loja al quaes se vender ou a dinheiro a tratar na venda da quina
em um lote ou em diversos a vontaue dos dtfrcnie de palacio.
compradores ; alem disto vender-se-ha um %&- Duas negras cozinho, lavo, e en-
ricosoriimento decambr^ias bordadas sedas gommo, e urna tiellas vende na ra, e a ou-
para coletts ler.cos de gaija, rendas de pra- na cose faz renda e lavarinto ; na tua da
ta panuro, casemiras u.anlas pretas de cadeia velha n. 5,
fil bonets para ireniuos esporas de cas- or Urna duzia de cadeiras de angico, du-
quinbae eslunhadas bandeijas espingar-as bancas de abiir e dous hteiros ijjuaes ,
as, colheres de estanho casticaes de bron- coro altura de 9 palmos e largura d-
ze tioltiio, ditos varios movis cbapeos
de palhinba modernos pecinas para escrever,
papel de peso de cor lequissinics quadros da
historia de Kapoleo ; stxla leira Jo do cor-
renteas 10 huras da n au no armazem de
ditos Lencir Puget & Compaubia na ra da
Cruz n. 5.
C o m o r a fe
tj- Eacravos com virios ou sena elies pa-
ra lora da provincia no atterto dos alio;a-
dus a ialiai com Silvestre Joaquina do INasci-
ment*
Bj- fma carttira nova ou em bom uzo ,
no l les.ua o pteciso para esciever e gu.r-
e i e
meio de grossura, proprios para porta de loja,
na cuado Lvramento sobrado l4
ej- i temos de medidas de pu do novo
padio, urna de meia quarta e de saiamim
do velho padeo temos de medidas do lolln
do novo padro balaucas e lernos de pesos
ue o eia arnba meia quarl. } as 6 ponU.
i), -ti onue lu biiipio.
Ue' Lm cavallinho alazo toscado muito
novo e em boas carnes ; na ra da alfaude-
ga vdba 11 9. .
l&" Urna canoa que carrega Ooo lijlos ,
na 1 ua das Cruzes D. 9.
W Urna tatema com 3oo 000 de fundos ,
iita na ra da pr*ia junio a ribeua, a tialar
na ru. nova loja de lerragem U. 18.
official de pe'.eiro ; na ra do Cresoo D ta
i Urna morada de casa em Olinda na
tua de S. joo em chaos oroprios ; a tratar
ua ra da sema la velha venda n. 54-
i^r Urna bonita escrava de id de de ao
anuos engomma cozinha, ecose dous pre-
tos >ara lodo o servido urna preta boa lava-
deira coiinba e be quilandeira urna ne-
gnnha de idade de ja aunoe um preta ca-
noero e cuzinheiro para lora da provincia ;
ua ra do fogo ao p do Rozario D. a5
/- Gnalas de sement de melancia das
cuecuranas a dbo com a girrafa e sera el-*
la a oo rs. ; na ra do Rozario venda da
quina do bei-o do peixe frito
SSlf Stvada a .iioo a artoba e Mcela a
t^tn libra -, na ra nova botica U- "g,
i&* Sai-as com goicma por prego commo-
da ; a bordo da 2u.naca l\nU Clisa fundeada
na praia uo coliegio.
ii* Um escravo de naco, he muito ha-
bfciJso. bom pescadpr do alto e rede de agu-
li aitaiate j n. ra eslreila do Ro.aiio D. 29
no etceiro andar.
c/" Comma Ue ararula de superior qua-
lidaJe cu me uo serto e linguisso. .a pra-
ca da boa vis venda U 9,
ir carneas com farelio a 4^00 no ar-
mazem de Antonio Joaquina Pereira*
.tur O sitio alemo no logar da lbura, com
urna engioboca coustiuida novamenle mo-
leve a ra di Coaieiyo di boa vista 8 ,
quesera graiiiicado.
tar Desapareceo no da t-\ do correte umi
negra de uoma Mari. de n.cjo angola cor
prtta com urna especie de bordadora nos
bracos signa! de su* tena ; quem a pegar le-
ve a ra ta Ci uz a seu Seulior P dro Vlari-
aii.io arei..i(j 1: n. 6
fcyiNodu d'Juili 1 desap^raceoi preta de
nome 'heresa de tucn esiutura alia, gros-
sa do corpo cor aiguma causa lut pes
grandes lem os deio-> dr amoo* os ptfs ao p
Uos minioos man pe|uaoos do que os mni-
mos ; ea tor. de pollas a filiar com Manoel
da Silva Ne-ve..
lar bugu um molatinho de nome Joa-
quina a uiu rni.'z pouoo mais ou menos de
idade de 10 anuos com calcas e ca.nisa de
aigodio \ quem o pegir leve a ra larga do
rijano U. 7 no leiceiro andar queseiga-
nerosamenle recompensado.
i^T Ao mauhecer dj dia %1 do correnle
mezdeJullio, fu^ioda casa do abiixo as-
sijuato um raoleque creoula de nome Anto-
nio de idade de id annos secca do corpo ,
heiu paceciuo pernas finas, olhos eabugi-
Ibados e enfumassados, tem principio* da
sap.ieuo e cozmheiro levou consigo toda e
sua roupj he muito regriila e capadocio ,
e por isso capaz ds ludir a qualquer pe.saa
u.tuulando-se de ser forro para que al-
guem o couduzi para tora Ua provincia co-
mo ja o anuo passado teutn fazel-o ; quemo
pegar ou deile tivsr noticia ter ahondada de
>cieuiicar ao mesmo .bai.o as.ign.do u*
praca da boa vista que alem do gratificar o
irabaibu ficer asss obugido Fi.ncueo
Ignacio deAihahyde.
Rh.CH?> NA i'XP. UC ivl, r. DS P. !


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID ELLR17ACJ_AGYB5I INGEST_TIME 2013-03-29T18:13:06Z PACKAGE AA00011611_03859
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES