Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:03852


This item is only available as the following downloads:


Full Text


f
Aniso de 1841. Ter?a Feira
Tudo agcra depende de nos meamos ; da nosia prudencia, modera-
do, i> energa : continuemos como priaeipiamos, a seremos apontados
tom admiraceo entre as Naeoes maii cultas.
Proelamaco da Asscmblea Geral do BrasilJ
'iil'
Sohjereve-se para esta folha a 3ooo por auartel pasos adjuntado*
asta rvpojrrafia ra das Cruces D.3, e na Praca da Independen-
cia, n. 57 c 38, onde se recebem correspondencias' legalisadas e an-
nuncioa, insirindo-sc sus gratis; sendo dos proprios assianantes. e
tiado assgnadoi.
PARTIDAS DOS GORREIOS TERRESTRES.
Cidadeda Parahiba e Villas de su pretcaeo ......\
Dita do Rio Grande do Norte, c Villas dem. .
Dita da Fortalcxa e Villas dem.....,.....
Cidade de Goianna..................
Cidade da Oiinda...................
Villa deS. Anto....................
Dita de Garanhuns c Povoaco do lonito.........lo, e i4 de cada mes
Ditas do Cabo, Serinhaem, Rio Formozo, e Porto Calvo, i, II, e ai dito dito
Cidade das Alagoas, e de Macei............dem dem
Villa de Paja de Flores.....................dem 13, dito dte
Todos os Correio partem ao meto dio.
20 dk Jumo. N<>m. 154-
CAMBIOS. Ju
Londres......3i d. por tjfooocel.
Lishca......8o por o|o premio por
Franca......31o rei por franco.
CURO Moeda de 6/ftoo reis, reinas
Ditas ., "'
Ditas de |ooo res,
PRATA. PaUces Brasileiros--------
Pesos Coluranarios ------
Ditos Mexicanos -------
., MiuJa. ------------
Disc. de bilh. da Alfandeea i i|8 por I
ldn de letras de boas firmas
Moeda de cobr por 100 de disc.
lh.i 19
metal ollereci 'n.
Conip. Venca.
U/C) k> U'Koo
M400 Ufrjjo
8*100 8#.^oo
. i^io -
if6io -
ic'oo -
i#4oo -
00 ao me.
i
i,6o
ifrJfto
l/*tizo
1HU0
1 0|o
ip 1 Mi
ao par
PHASER DA LA NO MEZ K JUN.
* >Se. e Seilai'farias.
:)
. Todos os diasj
. Quintas feras.
La Cheia a 4 '
Quart. raing. a ia as
La Nova a 10 M
Quart. cresc. a a5 as
1 h. 1.) m. da man.
5 b. e 35 rn. da man.
4 h. e 5a m. da man.
8 h. e 15 m. da lard.
ftlarc tlicia para o da ao de Julho
As 6 horas e 6 minutos da tarde.
As 6 boras e 5o minutos da raanli.
DAS DA SEMANA.
1 g Segunda S. Vicente de Peala. Audiencia do Juic de Direito da a
vara,
ao Terca Elias Profeta. Relar-o e audiencia do Juiz de Direito da
1. vara-
ai Quarla S. Prxedes vigem. ~ Aud.do Jnit da D da 3. vara.
i'i Quinta S. Maria Madalena. Auaieucia do Juilde Direito da a,'
vara.
a3 Sexta S. Apolinario B- M. Audiencia do .luis de D. da I. v.
a'i Sabbado S. Clinslina V. M. Rea audiencia do Ju 1 da D. da 3.
vara.
a5 Domingo S. Tiago Ap.
^fe
RIO DE JANEIRO.
fASSEMBLEA GERAL LEGISLATIVA, SDpprimido na votaco
CMARA DOS SRS. DEBUTADOS .
Sessao de a4 de Maio de i.r,
1 Estas relaces tero per districto a de S. corrente a companhia de Artfices com um
Paulo oterritoria desta provincia, e a de parque.
Minas o seu territorio. Tendo-se-lne o mais Dito A> Commandante Superior da C
Nacional dj Recife. communicando-lhe ,
Presidencia do Sr. vice-presidente Henrique
de Rezende.
A's Jpz horas e meia da manhi faz-se a
emenda do Snr. Miranda Ribeiro ap-' que a Grande Parada do dia 18 docorrente ,
provada al a palavra -requereieaa -eo res-
to regeilado.
Asoulrss emendas foro prejudicadas.
Entra em discusso o seguinle :
Artigo 3 Cada urna destas relaces sera'
n. 9 uti iiuaa j lutria un uiniifia |d-SB a Ti-. i I
___1 .1 c j j composta de cito raembros, aleru do presiaen-
chmadae reunidos osSrs. deputados em nu- .K. ... ..._.,'; AnM ~,;nnfti
mero legal, abie-se a sessao, le-se e appro-
va-se a acta da antecedente.
O Snr primeiro secretario d conta do ex-
pediente fusendo mensodo requerimento do
pri'vedor e mesa da. Santa casa da Misericor-
dia da cidade da Victoria, provincia do Espiri-
to Santo, que remettido a commisso de as-
sembleas proviociies.
Remette-se a commisso de constiluigo
nma representarlo dos mora.lores da Iregue-
sia doCarmo da provincia de Minas Ge-
raes.
Juiga-se cbjecto de deliberarn e vai a im-
primir uro projecto de resoluco da commis-
so de constituico qne autorisa o governo
a mandar pssar carta de naluralisato deci-
dado brasileiro nos padres portugueses Joj
Joaquim Ferretra de Aguiar e Jos Homero
de Almeida, ao Subdito britnico frei Mileseo
Prenderlas!, hispo catholico da Caturia e
aos portuguses Jos Antonio Gousalves e Jo-
aquim Antonio da Silva.
O Snr. Peixoto de Alencar tero a palavra ,
e manda a mesa o seguhile requerimento :
Requeiro que se peca inbimages ao go-
verno 1. si verda.de que o ex-presidente
do Ceai Francisco de Sousa Martina de-
po3 de ter cumprido o decreto imperial da
non eaco do porteiro da alfandega desta pro-
vincia o mandou cassar estando j revista-
do em todas as eslac.'s, e pagos os repecli
vos direitos, a. quaes us rases que teve o ex-
presidenle para assim obiur Peixoto de A-
lencsr.
Ha discusso solre a mateiia deste reque-
rimento em que o seo nobro autor no muo
de seu discuiso chama ao Sr. Souza Marius,
ex presidente do Ceai escravo de u>n par-
tido o que occaMoua que alguus Snrs de-
putados o chamen) a ordem.
Continua urna discusso um pouco calloro-
sa em que tomo parle os Surs. Carneiro Le-
so Ottcni Ribeiro de Audrade, Carneiro
da Lunha e 60usa Alai lins, que explica o acto
que praticou como presidente do Ceor e se
iuslitica.
A discusso fica adiada.
Primeira parte da oidem do dia.
Continua u discusso do segundo artigo do
|>rojeclo sobre lelavoes e emendas apoudas ,
--BVfWXlojfiualmenle a seguiute I
O destriaoV-'Mis relaces ser por agora o
ternlu 10 das pi.>cia* para ondw foru cria-
das, focando o go>eruoautorisado para aone-
xai-lhe o das provincias confinantes que assim
lequeiem mostrando a conveniencia tiesta
medida.
Cmara dos depulados a4 da maio de 1841
M ir anua Hibeiru.
Depois de tallar a favor desta emenda o
Snr. Andrada ftiachadu, julga-se a malc-
ra discutida.
E' apijiovauo o artigo substitutivo da corn-
il isso &i> arligo 2., bcondo concebido uesle
termos
le della, e ter um secielario dous continuos
e um porteiro
OSnr. Limpo de A breo falla sobre este ar-
tigo, e ru.'iula a mesa a se^uinte emenda.
Artigo substitutivo ao artigo i.
Cada urna destas relaces nao podera' ser
composta de mais de oito membros aiem do
presidente della, e ter um secretario, dous
continuos e um porteiro.
Paco da cmara dos deputados em 25 de
maiode iB.'ii Limpo de Abreo.
E' apoiada e entra em discusso que Qca a-
diada para su passar a outro objecto.
Segunda parle da ordem dia.
Continua a discusso do voto de gragas e
emendas apoiadas.
O Sr. Cerueiro Leo faz um longo discur-
so respondendoa diversos tpicos do proferi-
do pelo 5nr. Andrada Machado em oulra
stsso. Censura com tud* a euergia a polti-
ca da transatica ad., laxando -a to.no poltica
de man.j), relativamente a eleices. Cen-
deve ser forread 1. pe miuein que Ihe foi
indicada em officio de 11 de Maio ultimo;
e^que nesla conformidade expeca as conveni-
entes ordens.
Igual officio foi dirigido ao Coronel Che-
fe da Legio da G. N. de Oiinda.
Dito Ao Commandanle Geral do Corpo
de Policia communicando-lhe que o mes-
mo Corpo dever marchar na Grande Parada
do dia 18 docorrente pena maueirj, que lhe
foi ordenada em officio de la de Maio ultimo.
Dito Ao Prefeito da Comarca do Pao do
AI ho concedendo-lhe os 1 a diis de liceoca que
pedio em seo officio de 11 do correte para vir
a esta Cida.ie
Portara -Ao Commandante do Brigue En-
cuna Gararapes, ordenando-lua que de urna
salva de at tiros as seis boras da tarde do 17
do correnle-, tres no dia 18, e oulras tantas
110 da 19.
Uno Ao Director interino d 1 Arsenal de
Guerra, para mandar fomecer por erupres-
umo ao Commandante interino do terceiro
Uatalho da Gmrda Nacional desle Municipio
seis cornetas de toque para a marcha do dia
18 do corrente.
Dita Ao Administrador Fiscal das obras
Publicas, ordenando-lhe, que laca pjr a dis-
u as laudes e violencias que se predica- posico da Commisso Administradora dis o-
iestu corte na occasio das eleices, em tiras do Theatro Provincial, u pedra de Cen-
suro
rao nesla corte na occasio das eleig
que homens empreados no Arsenal de guerra
e as obras publicas, armados de cceles se
espalbaro em grupos pelas portas de dife-
rentes Ireguesias para se opporein a que ciia-
dos pacilicos votassem as eleices, uzisse u
de um direito legitimo que Ibes garantido
pela constituico do imperio, e nota que o
guverno transado sabendo de ludo isto nao
dera providencia algumi.
A discusso fica adduUa pela bora.
O Sor presidente a ordem do dia e le-
vanta sessao uepois das duas horas di Urde.
PERNAMBCO.
GOVERNO DA I ROVINCIA.
Expediente do dia id do corrente.
C lucio Ao Exm. Presidente das Alagoas,
communicando-lhe que tendo a presidencia
desta Provincia creado na cidade de Macei
um Agente para a arrecedaco dos Direilos
do Algodo desta mesma Provincia, com as
incumbencias marcadas no Regulamerito ,
que se lhe remelle por copia ; lhe roga baja
ue expedir as ordens, que ihe parecerem con-
venientes para que o cito regulameuto seja a-
li executado,
Lito Ao Exm. Presidente da Provincia
da Peraiba partee pando-fue que a bor-
do do tingue Escuna de guerra Gararapes
ebegaro a esta Provincia us cera recruias e
ai Pracas do Exeicilo assim como os cinco
liecj utas de Marmita, que remelleo, os quaes
vo ter o con veniente destino .
Dito -Ao Commandanle das Armas para
ordenar, que as Fortalesas do brum e bu-
raco deem urna salva de ai MMpeUs O ura>
da urde do dia 17 o> eurieuiu tres no dia
10 e uulras tantas no Uia 19.
Dito Ao mesmo urdtnaudo-lhe que fa-
ca uiaicLar na Grande Parada do Li ib do
lana vinda de Santo Amaro, que se acba em
Palario Velbo.
Officio- Ao Negociante F. A. de Oliveira
Membro da Commisso Administradora das
obras do i'healro cominumcaudo-lha a ex-
pediego da ordem supra.
dem do dia i4>
Officio -Ao Commandante das Armas, com-
municando-lhe que a Presidencia atlendeudo
aoq'lbe represeutouo Vlaj.Eruestro Kmeliano
de Aledeiros leja ordenado ao Inspector da
Thesouraria da Fasenda que mande pa-
gar a familia deste utficial os sidos e grati-
hcaco addicioual, que se lhe estiver a dever
e for venceudo al que o contrario seja deter-
minado.
Dito Ao Inspector da Thesouraria das
Rendas Proviuciaes, enviando as filiaces dos
Cmelas engajados p*ra os Lorpos da Le-
gio da Guarda Nacioual de danto Anto oa
coutormidade da Le Provincial N. 90, artigo
2a, a tim de que Ibes faja abrir os compe-
tentes asseutameuios.
Dito Ae Coronel Cbefd da Legio da
Guarda Nacioual de Sanio Anto com-
iuuiii audo-lbe o couleudo no precedente of-
cio.
Diio Commandante Superior interino
da Guarda Wacioual de Goianna, para man
dar postar as tres boras da tarde do dia 24 de
Agosto lucturo uo Pateo dalgreja do Car-
mo daquella Cidade urna Guarda de hou-
ra tirada do primeiro liatalho a m de a-
compaubar a j>rocissso da Senbora da lioa-
morie que a respectiva Irmandade preteude
lser
Dito Ao Provedor da rmaudade da >e-
nhora da boa-Jiorle da Cidade Ue Gomos ,
coi.uunicaudo-lue o conteudo no precedeu-
lo uilicio.
Dito Ao Prefeito da Comarca do Recife ,
coinmumcaudo lhe que pode deferir o re-
querimento que se lhe remelle do presi sen-
tenciado Bernardo Jernimo de Carvilbo,
que pretende ser o issuL da lorales t das 5
pontas para a do Brum.
Dito Ao Presidente da Relapo, exigindo
a sua informaco e parecer acerca do re-
querimento do li.clnrel Manoel Teixeira
Peixoto que tendo estado no exercicio do
Juiz de Direito do Crime da Comarca do Rio
Farinoso n > obstante ter sido despa-
chado oelo Goveruo Imperial, paroste lu-
gar o Machare! Alvaro Barballio Uxoa Ci-
valcsnte e delle tomado posse em a5 de F-
vereiro deste anno, pede ser p gj do orde-
nado que tem vencido e igualmente u-na
deciso a seu repeito.
Dito Ao Inspector do Arsenal de Mui-
nha respendendo-lhe que pode prover o
Lugar de Administrador da Enfermara do
mesmo Arsenal, que se acha vago pelo fallec-
ment de Adellino Jorge Coellio da Silva.
Dito A Cmara Municipal do Pao do A-
lho corumuuicaudo-lhe que a Presidencia
annuindo ao qu>) Ibe represen'.o.i a mesma.
Cmara em officio de 16 de Juutio ultimo,
tem por portara de 1 a do correle mez creado
urna Caneira de primeiras lettras para meni-
nas naquella Villa.
Di(o--Ao Iu Rendas provinciaes, comuuicaudo-lhe o cou-
leudo no precedente olfi-io.
Portara Ao Commandante do Brigue Es-
cuna Gararapes ordenandolhe qu laca eo-
locar no da it docojreute o mesmo Brigue
Eiiuui em frente do Urgo de Palacio.
Dita Ao Eugeuheiro A. Kerstiug, orde-
nando-lhe que faca vender pelo preoo que
valieren as tenas das duas Casta de taipa,
que foro compradas loaquuu Sergio da
Conceico por ticarem sobre o nono lan jo
da estrada de Santo A ni io recolli udo-se o
seo producto a caixi da Repartirlo das obras
publicas.
Purtaria Ao Admini.lrad.ir Fiscal das
obras publicas commuiacaudo-iho o couleu-
do no precdeme om.uo,
Oi versas ftpai'tiCJtjs
CORREIO.
O Brigue Relmpago receba a malla par
o Rio de Janeiro boje ( ao ) as 4 horas da
Urde.
PREFEIPURV.
us das
dade,
'7
e 18 nao octorrej novi-
EDITAL.
A Cmara Municipal da Cidade h Recifd &-
Faz saber que pelo Doutor Juiz de D:-
reito interino da a. Vara do Crime desta
Commarco Antonio Joaquim de Vlaraes e
Silva lhe lora feila a devida participado de
haver designado odia 7 de Agosto p.viudoo.ro
por as 10 noras da mauna para dar prin-
cipio a 4> sessao ordinaria dos jurados des-
te corrente anuo, na caa de auas aesses
em ccnseqUencia do que tondo-se feilo o sor-
liamenlo na couformidade do Cdigo do Pru-
cesso Criminal (oro soriudos os (i > jurado ,
que Sao os seguiules Srs.
i Joaquim Jos Redrigues Souxs.
a Amato Fernaudes lutini.
MUTILADO
v

mm



2
h I A R O DE PEIINAMBCCO
3 Joaqnim Francisco de Paula Esleves C-
rcenle.
4 Wnoel Goces d'Aroca.
5 Jof Gomes,
r Jos" da S iva Brnfs,
r I .ornas Lilis Sonto.
i) rene o Jos Lerretr,1
y FiUpi e I.'iiiii.
10 Antonio Pinto de Barro*.
11 Jo-<: Fu.neisco Pinto Cuimaraens.
u Antonio I emendes Velloso d* ailveira.
ti Jernimo Perira fiustorpf.
4 pi aasco da Silva.
I'> .! -'.' V ernandes Fir;,s.
i6 Ahcharel Autonio Jote Pereira Barroso.
17 1 i*iz Antonio de Siqueiis.
i 8 i. so A i.-Ionio Ri'eiro.
jo i hiiaiovo Jos I'reir,
>..> hriflovfo d'Olanda Cavbante.
2. J Biancoited'Aniaranle.
us 1 ri ente Coronel Jcs Liento da Costa.
j Major Filipue Duarte Percha.
1*4 P*< Eoiiigos dos Passos de Miranda.
?d Joaqun Jos Ptssoa de Mello,
afi Antui.io de Sou/a Pavolide.
i-j Teen te Jos Bogeiio Marcerlino.
58 Jcaquim Luiz Vires.
i.j Joaqun Coelho Cintra.
30 ."> 11 ionio Jos le Mello.
31 Antcnio Joaquina da Trin'dade.
3a Mar cel Jos Teixeira Bastos.
.' i 1 aulo Leilio loureiro de Albuquerque.
34 -!t Maiques V launa.
3-, Antonio Jos do Espirito Santo Barata.
!rj ftlajcr Francisco u'Olanda Cavalcantede
AHuquerque,
37 Jv Jcaquim de Lima.
3j Joso Baptirta de Silva IVarguin'ho.
g I enter Jcs dos Anjos Vletra d'Amorim,
40 cao Fereba dts Santos,
41 Con' go Manoel Fereir,
42 Loeingos Ferreira Jorge,
/. r> SiUtstie Consalves dos Santos Jnior,
44 Jo? Ignacio d'Assumpio.
ib Padie Mauricio Borges da Costa.
4 nai U-to Antonio de Moracs.
47 Jco Luiz da Silva Pinto,
4o Joaquina. Y rneisco Duarte,
49 Lcningc de Souza Lio.
50 Pudre 1 ento Manoel de Souza Castro,
51 3o-e l stevo de Barios Lobo,
$i Joo'lhecdoro d Albuqueique.
53 Jos GonsaUes Gloria*
54 Coronel Jos de Brito Ingle*.
65 Manoei Joaquina Gomes,
5rj Joo da Silva Loureiro.
tj Joo Cavbante d'Albuquerque.
5o Evaristo .\ie es da Cunba Azevedo.
9 Luiz Antonio da Silva.
tu Jos Gonsal v es de Fonles,
Os quaes sao os que devero servir em dila
sesso stndo para cujo fino em virlude do
artigo 'i'b do a t sido Cdigo convidados
pelo piesenle, bem como lodos os mais inte-
itssaos a comparecerem noriia e bora desig-
Lado sob as nenas da le se iallarem.
Keciieem jj oe Julbo de 1841.
Jos tlt barios t alcao de Lacerda.
Piu-Biesidenie.
Fulgencio luante d'Albuquerque e Mello.
Secretario*
A Caliera rxunicipal dcsta Cidade do
Recite &c,
Fstaber, que em virtudedo artigo 51 da
lei picvintial N. tBdeste anno esta autho-
liztda a contratar um empieslimode qua-
i*nlfl rontcs de itie as pessoas que esiive-
lerr. as ciicunstancias t'olaier poder a-
pitseutar suas londiies no praio dequinxe
das, tentados dudada deaie. E para que
-cfcfgue ao cenhecimento de quena convier ,
mai.uou a Ornara publicar o piesenle, lie-
dle em i5 de Julbo de 1841,
Jos de Barios Fako de Lacerda.
Po-Presidente.
Fulgencio luante d'Albuquerque e Mello,
Secretario.
do coro os terriveiseiTeitos da caresta de hum
,;enero, que I lie consom a maior parte das
uas rendas gastas cm sua subsistencia. Va-
ros a questo.
I'esaprova o Snr. Correspondente a devilo
I di 3 Muui-.ipios que fez o F.xm. Prezidente,
y para exei uto do conlrato, e d< qUe mol or
lora, que sedividissem esles Municipios em
cito ramos,porque 1. dahi resultara o desipa-
rein,eiilo dos reccios que teria o productor
de ter hum scomprador e as*im dnixaria
aquelle de firorurar outro mercado ; 1. con-
seguir-se-bia ter carne mais barata pelosalu-
lular efleilo do principio da concurrencia en-
tre os anemaiairtes 5 5. finalmente porque
t.uma sconipanhia, 011 arrematante nao te;o
matante pagando as rezes que por su ci>nta
a Cmara ou o seu Presidente mandar ta-
Ihar em lu<;ar das que elle deixou de matar,
e sorTrendoalem d3to huma multa que tosse
o equivalente dolrabalboda Cimara ou do
seu Presidente,,- Nao possoconvir, que
a falta de gado por qualquer motivo nao
possa ser prevenida pelo arrematante e que
elle nao leve isto mesmo em calculo qun-
do se deliberar a contratar, para depois ale-
gar que nao foi por culpa propria, pais beaa
sabido que as secas proiiibetn o transito do
gido be>n como que outros mercados ba pa-
ra onde podem Inr os criadores caso na 1 Ihe
queiro pagar o preco necessario pelo seu ge-
nero. Entretanto eu conviria que a multa
a p.ssiLilidade rie abranger lugares distantes, fosse comopropoenn o Sr. Correspondente
t- salisfazer as precixes locaes comj o faria : e fosse exequivel a meoid de suprir a Ca
iquelle que. lesidisse no lug,r qUe lera de mar ou o se.u Prusidenle o gado que o ar-
prover. JNo esluu pea opinj,, d., Sr. Cor- remalanti deichasse de matdrj mas, como
lespondenie e nem pela providencia do re- todos n6fl sabemos nao na Cidade e fa- toubo que respeilar no mai* lulo as expres.5-
gulamento, p-m lgo que ambos esto1 cilmente que se obteria %nd) pra suprir e-.sas I es de S. E\c na narmea d* sua grande -
concordes; o i^i:l^enli) divide contrato! faltas { e por isso quandj elle encarecesse e t>ra. S. Exc. quebrou a lorca das partidos
grande obra da qualtinha em resultarlo sea
bem positivo 1 par issa nao passo soffrer que
se illuda ao publica, como se por examoio es-
sa submissao genrica fosse grangiad pe*
jusJica e prudencia de S. Exc. ou que to
bem se persuada alguemque Exc; ficoii
geraimente estimado.
Verdade lie que S. Exc, confessa ser Mi-
litar cuja oUsse a despeito de tulaquanto
fax ( com onradissimas excepjes ) semore
tem por disculpa obedecer ao Gaverna. Bam
mostra da grande duciolini conqu^S. E linba o exercito, e a jiro npiidio ou q' elle era
saworrido em suas psr.-ise o ale/iute que
fez o Oe* tica ment da Iropa de 1,* Lintia
no Upiciiru-inirioi e agrande deserco le
avia ni* Tropas
e se a Dscalisacia e ecoao-
fosse exequivel a medida d suprir a Ca- ma de S Exc na dispesa da guerra foi
eoi ludo o miii como n venda dos remedia
da i.lica do Grande tiodiuho para a Na,o.
eco) parles, ou ram,., .a0 osup^oe indivi- tivesse o arrematante grjnde prejuizoem la -
siel como ci? o Sr Correspondile, e o Sr, Ibal-o, deicharia sempre de o faer certa
no Maranlio ? i'ela imparcialidade dt S,
Exc. ambos elles o caadjuvo ? He c0usa
Correspondente etn 8 : por tanto as raxes a-de que a Cmara nao o paderia tambem u- galante. >">e todos sabern que S. Exc
presentadas pe|0 Snr. CorreSooodente con-
tra o contrato indivisivel s > lavoraveis no seu
t;into o contrato dividido em 3 ramos e
par isso nao tara de ver verificados os seus re-
ceios os quaes perrnitla-ine que Ihe diga ,
Mipi onbo infundados. Sem duvida rontes-
sj-r o Snr. Correspondente que o receio de
ficar o productor com hum s comprador ,
caso fosse indivssivel o contrato nao o poda
prejudicar e por isso nao tera de aventurar-
se a outro mercado ; por quanto a mesma Lei,
impondo a mulla, providencia o damuo que
o comprador poderla iaier ao productor ,
en pondo-1 he o preco. Pela multa se dirigi-
r pois o preduelor psra resistir ao compra-
dor quaudo nao Ihe quiser dar o preco ne-
cesario ; e o compradjr temeado-a submet-
ler- se ha ao preco que der a concurrencia dos
productores para nao ficar sem gado,
Quanto asegunda raso. nao ha duvida
que sendo o contrato diiidido em mu los ra-
mos e por ronseguinte cada hum delles me-
nor muilossero os pretendentes que se
apresentaia5 porque assim pequeos cap-
laes podem ser sulhcientes para a arremalaco
de cada hum dos ramos, e dahi resultar a
competencia e conseguintemen'e a barateza
da carne pois levar os ramos aquelle que
por menos a talbar : mas nao saber o Snr.
Correspondente que a Lei foi feita para de-
sspossar os monopolizadores que se es labe-
lecendo fortemente podro lcncar fora deste
negocio a quantos se achavo Traeos em re-
cuisos, e capitaes, para atravessarem e
compraren) todo, ou quasi todo gado que
codesse apparecer, como elles o fazio ou
fasem inda ? Como querer pois que essas
pequeas companbias, desligadas comosero,
lenho a forca para conseguir a exlincco
desses ponopolizadores, e providenciar alem
disto com os seus pequeos capitaes para
os casos em que Ibes seja difficil obter gado?
demais nao estaro dependentes dos grandes
capitaes ai pastagens que lalvez seja preciso
Ihar, aa menos para suprir > totali.iade d>
falla ; e assim viria o arrematante a perder
menos, do que perderla se fizesse o que da-
via : logo elle prefera sofrer a multa da
que darexemeo ao contrato, e lornar-se-
hia por issa nullo o etfeito d; multa. E' p.->i^
preciso que a multa sej super',r a toda e
qualquer perda para que seja comprid* o
contrato por ronseguinte que Baja hu na
pecuniaria a bem da perda do excesso da
preco do gado, que a Cmara houver de
matar, para suprir a filia. Se alj-uin defei
lo ha no reglamento a este respeito o sei
a multa igual para ainbos os Vluocipioa na
estando por cou^eguinte en proporco com as
perdas que devem occasionar o consumo de
gado caro nesses Muid jios <>or isso lmente
a aeiio injusta. JNo direi nada a respailo d
saiislaco da niuiti' no caso da fdta d-' huma
erez, porque snpponbo vina o Sr. Corres-
oondenle esl engaado, O regulamenta mi-
da impor a mulla quando a falta fer d* de-
cima parte de re/.es ou dahi para cima,
Nluito respeito a opinia do Sr. Correspan-
de'nte e bem quizera que a raioha soliente
produzisse nelle o dse,o de h uto esclarec -
ment ou o exciasse amuliar o que j
disse com o que muilo aproveitaria o pu-
blico.
Cjueiro Snrs. Redactores dar publicidade
a e.ias mal trayadas linhas que muito obri -
gado ficar Ouiro que tsmbem dezeja
os bons elleitos da Lei de 3o de Abril do cor-
reate auno.
5nrs.rRedactores.
Lendo o seu Diario de 1 de Junbo sob n.
136, nelle encontrei o sublime relatoria com
que se quiz disoidir o Ex n. Presidente di
.Maranlio e Snr. Luiz Alves de Lima : Eu
espanteime Snr. Redactor quando vi tanto
servbso, tanta aensiridade e nao tenlio re-
medio seuo lo bem rabncar dando-tbe um
novo emiado para sua foiba Sendo o mea
no
principio de seo Gavernocaurordou em indo
com as Cdbjnos e no fien lel'e coan os
ien'.ivis por que estes linhia de dar asearlas
n s El'eicoes ; como he que se espalho no-
ticiss lao boas, lo favaraveis e inuoceu-
les ? como be^uc a troco de mu euteresse
qua'quer e caassacra o povo e depoij co;n
huma lofti" "cantadora se perlenda morti-
ficar a pa ie"',a UOi niai Ctdadaos pra se
obter na t>HU4 secn mereciraenlo I Eslj na
verdade S. bem recompensado co-
mo confessa ; i preila qaaS. VI.
1. Ihe conseda novas gracas co no tanto anhe-
la e para o que tanto fax saber seussuppos-
tos sai riucios. S. Exc. como se lora um Na-
polen relere o grande numero de rebeldes
que venceo a torne a peste e par baver
S. M. I. dado Annislia : mas parque me
nao conste as batalhas que S. Ex?, venceo,
e seus Generis ; firmando- ue no que ge-
ratmente se diz que a duraco da guerra pro-
veio da oppresso e malvadesa dos primeiros,
e mais grandes ofluciaes da Provincia do Ma-
ranbo e Piauhy por isso que a elles convi-
nbo ganbar lempo para inrequicer tavore-
cendo
por tanto a re
bellic
e matando da
eslabelecer para deposito do gado que tem dizigno esclarecer ao publico sobre certos pan-
de suprir as taitas em circunstancias desfavo-
raveis ; bem como o crdito das companbias
tos da fala de S. Exc. ao actual Prezidente
do Maranhao darmi-ei ao trabalho de pro-
para com os produtores; as despe/as com a- curar em toda ella o necessario para nao ser
gentes, que tem de deligenciar em todo i nfadonboao mesmo publico. Todos os Che-
taso, a corepra do gado 5 os dinberosadian- ,fas da rebelio do Maranhao foro morios ,
lados &c. ic. Se isto assim deve-me presos e enviados para fora da Provincia? !
conceder o Snr. Correspondente que o con-
trato indevisivel seria o melbor e nao creia,
ou S. Exc. se h engaado ou nada sabe
miudamentedo resultado de suas expedices.
que os preros por isso serio muito altos pois Foro na verdade parte delles presos, morios,
os que se acho marcados no regulamento tal- | e deportados mas nao todos : Os mais cri-
o pos.-o descer mais, qualquer que se-
ja a ccncorrenca dos arrematantes.
Nao sei o que quer dizer o Sr. Correspon-
rrinoos os que cavaro a ruina do Mara-
nhao so axo tranquilos no centro da Pro-
vincia vendo o resultado de suas obras e
Correspondencias.
Senbores Redactores,
Felo sesmo olivo que noveo o Sr. que
deieja ver leus fleitos da Lei Provincial de
3o de Atril do corren te anno, medetermi-
1 < 1 a laier algunas reflexces sobre a sua opi-
uic a teica do rrgulameolo dado para exe-
ruco da ideiida Lei. Lom tteilo nao po-
da eu ficar tm silencio ouvindo o Sr. Coires-
j.crotiite quando tenso que a sua opinio
uto lundaaa, e que pela declaracao do que
julgo a tal espeito peder appaiecer a ver-
fluue e rcnseguinleiteiite as piecaujoespa-
im Loa ejtru.o de huma Le, que lem de
t'euefcciar o lageludo publico, j lo conga?
denle na sua tercena razo, quando diz, -ipie quanto pode a proteceo dicidida que os apa-
buma s companbia nao poder abianger lu- drmhou. ...
Noentanlo que homens casados propre-
larios ; uns innocentes eoulros que entra-
lo torcadamente na revoluco, foro morios,
roubados e muito perseguidos ou fousse
isso divido aum Uiogo a um Severiwno
ou fosse recommendado por S Exc. (o que
muila gente nao duvida, ) cazo to notoria ,
que uegalo seria o maior dos absurdos : e Se
de S. Exc, por alguma circunstancia os nao
conheceo j se mesmo elies procuro iliudir ao
Governo cercando-o depois de o aver com-
proueitdo, e sacrificado; fique intendido
5. Exc. do engao em que cabio ; e conhe-
co elles que nao ho feto calar a todos, A-
promplido com que ioi S. Exc. obedecido ,
e respeilado de ambos os partidos no Mara-
nhao e em um lempo Calamitoso ioi a
un ida ao iuteresso que diziavolveu na es-
tabtlidade do mais frentico dispotismo, para
User alicerce sob o qual devia Qrnar a
gares distantes ; se falla da execuco do con-
trato e iscalisato dos inleresses dos arre-
matantes creio que nao duvidara que por
seus agentes as companhias sempre conse-
guirn quanto quizero, e isto lo commum,
que a nao ser a&sim nenbuma e.iipreza com-
oiercial se faria moroienle de hum para ou-
tro paiz.
Liz mais o Sr, Correspondente a respeito
do art. 4. ; que o arrematante someute dei-
xar de matar o numero do re/.es a que o-
brigado quaudo inconvenientes superiores
as suas torcas o obstar ; quaudo por ex. os
gados forem levados para oulios lugares ou
quando as secas probibirem o seu transito &c.
por isso que sempre elle querer ganbar e
o seu ganbo est na razo directa do consumo.
Dal conclue o Snr. Correspondente que a
multa imposta pelo regulamento despropor-
cionada t e que muiiu punido ficaria o arre-
maneira mais actr*, e oppressora os infeli-
ses que se aprezentavo para disammar aos
outros que liohao igua>s dezejos, direi sem-
pre que quando nao seje exaggera-
do o numero dos rebeldes, foi sem duvida
muito menor o sacrificio que sofreo S Exc.
paia os enc no de S. VI. I. Foi de muila boa f que S.
Exc estabalesceu HospUnes em lodos os h-
caaipamenlos e nem mesmo duvido que S.
Exc. desejaria que nelles se praticassem todas
osados de bumanidade com os infelises ; pa-
rem qual foi o resultada delles, pelos Empre-
gados corruptos e ingratos que os derigiro?
Escusado he responder, poraue S. Exc. len-
do feto huma fala lo proltxa omoseper-
tendesse nada esquecer de seus servissos ao
vlaranhaf, sinto que omillisse o numero d s
que escaparo l Tao bem sabemos que das
mil e quinheota pracas qus S. Exc. man-
dou para o Sul muila gento vai morreado ;
e que mesmo nos Navios que os coudusiro ,
esses traficantes, e oppressores da humanida-
de ho cumprida as orden* dos Carneiros ,
Sergios e Herneslos Dos Marques dos
Sousas Se Campanillas as drogas do Ga-
dinho ali existem: e a Na:io paga luda isso?l
Ao laclo como estamos dos acoiitecinontos do
Piauhy seria moiio para admirar que S.
Exc. asss soccor-esse a dila Provincia com
tropas, inunicdes, diuheiros Scc. senosou-
bessemos as relaooes intimas da ftmilia de S,
Exc. com a do Baro da Paruabiba : o f icio
das Elleices daquella Provincia desde a f-
poca da Independencia que lem tornado em
numa negociaca reciproca de ambas as fimi- .
lias, aquiilo que muito convelo agora animar
para milbor iutimidade de affeices entre el-
las ; Para isso com efito muiio coaxioha ojim^.-.
primir como rebeldes lodos aqjie-ies que pu
dio e poden iazer-lhes jlposico logo qvSr
queiro j Era pois necessario essas traniac-
es e socorros, porque com ludo pode os di-
uheiros pblicos; e a despeilo de se conciuhi-
lem os dezejos mas frenticos e oppressores;
a disneiio mesmo de se ver praticado actos
indignos e malevo los contra pessoas ali-
as merecedoras de toda a cousideraco e res-
peito se iliude ao publico com relatnos,
lo desuecessarios na menle das pessoas que
nao iixongeio e nem fasem iranzaco para
subir,; a maneira que appelecem agente que
se intitula til a fatna. Nao qutira pas .
Exc, supporque todos le ucaro muiloa-
v\


rD*I A R I
O DB rfibNAMfillCO
3
i
radrci-fo pelo trabalho de sna exposico ,
islo que eu entro no numero dos que a desa-
Iir ova, porque nao conten 09 fados to veril i-
eiros como ae passaro.o q' muilo he desairoso
huma pessoa de alta calhegoria. j
Sou Snrs, Redactores Seo A (ten- (
tendo Venerador.
inimigo da Impostura,
Noticias jEstrangeiras
ICarta de Luiz Filippe escripia duiante a
( euiigraco.
Parece nao haver duvida que as cartas pu-
blicadas pela "Garete de France", e escripias
durante a emigrago de "Luiz Filippe sao
genuinas, e propriamente suas ; mas naoas-
sim as publicadas pelo mesmo jorna4 e fei-
las depcis de sua subida no throno...,, A se-
guime rana foi escripia ao Llandoff.
Tivickenkam 28 de Jullio de 180 i. Meu
querido Loid. Estou cerio que vossa elevada
sima sentira urna justa indignacio;pelo atroz
assassiiiio de meu infeliz primo (o Duque de
Enghieni. Sua mi era minha lia e depois
da niiu irmo era este o prente a quem eu
mais ttmava. Lomos com pun he iros insepara-
\ts nos no.-sos primeiros anuos, e bem pod-
is acreditar que este acontecimenlo foi um
j>olne bem ciue' nara mim.
A sua surte tan.bem urna advertencia pa-
ra todos nos deven os lembrar-nos que a Cor-
so Usurpador, nao descaucar em quanto nao
njdlar toda a nossa luiuilia.
lito me faz conbecer cada vez mais, se mais
fiOSbivt-1 o valor que tem a prulecco gene-
rosa que o voso magnnimo paiz nos concede.
Eu shi da oilhha patria eru urna idade to
teura "que ajenas tere algum costuraedos
liaucerts e posso dizer com toda a verdade
que estou unido a Inglaterra, au s por gra-
Udo, as at por voiilade e ntlinaco. Por
este motivo com toda a siiuendade do meu
coiacu nao dtix.Jiei jamis esta ierra bos-
pilaleira.
Jas isio nao s por mero senlimento pes-
soal porque lomo um vivo interesse na telici-
dade e bem estar da Inglaterra tomo ho-
mem.
A siilvacao da Europa, do muudo mesmo ;
a lelicidade c independencia futura da espe-
cie humana dependen daealvaco e inde-
pendencia da Inglaterra e esta a honrosa
causa do edio de bonaparte e dos seus se-
quazes contra Vos.
r.-z aos Cos que a Divina Providencia des-
manche seus iniquios projectos, e conserve es-
te pai* no seu prospero e venturoso estado !
liste o desejo do meu coraco e o objecto
dos meus ojIS menles votos. Eu sou &:.
Luiz Filippe de Uileans.
A iradurco lateral, e lomada ao N. 134
do uai lerly Kevieu. ( Eco del Cooi.J
(O Nacional.)

lotera den. s. do rosario da
boa-vista.
O Tl.ezoureiro da Lotera convida aos de-
votos da mesma Seniora hajo de com-
prar bilhetas pois alem dopro\eito que po-
den) tirar no gaubo dos premios que Ine Cou-
ber por sorte, concorrem para um bem que
be o de poder a irmandade continuar com a
obra e cubrir a Igreja que se acha exposta ao
rigor das estaces ; e a nao ser a prumpta ex-
traeco desta primeira parte que se acba a
venda, de certo continuar a ruina e fica-
r as lmagens que se acho collocadas na Ca-
pelia Mor ( nico lugar que tem em bom
estado ) expostas a indecencias. Os burie-
les acbao-se a venda no Recife roa da Ca-
deia na toja de Cambio do Snr. Francisco
Amonio Vieira da Silva em Santo Amo-
nio ra do Collegio na loja de fazenda do
Sur. Jos de Ylenezes Jnior ra do Cabu-
e na bolica do Sor. Joo Moreira Marques ,
e na boa-vista no Atiero loja de lerra-
gem e miudezas do Snr. Manuel de bouza
K e pozo. ___________
COLLEGIO PERNAMBUCANO.
ATEBRO DA BOA-VISTA, M. 6.
CURSO DHISrOlUA ,
l. anno ;
SECCA d'hTOBIA {AGRADA ,
pfofesaado
por
fernardino Freir de t igueiredo Abreu
e Castro.
a. anno :
sicrA d'historia gbeoa t B MYTUOI.OGIA.
protestado
por
Jozo Soares d'Aievedo.
3. anno:
8ECCA0 d'historia romara ;
profanado
por
Antonio Herculano de Souza Baudeirai
4. anno t
sr.eea5 d'historia oderwa,
prolessado
por
Jdze-Soares d'Azevedo.
Lie, oes diarias em cada 1111% das Aulas ,
desde as 8 horss emeia di mmhi at s lo.
As pes3oas que desejarera inserever-se como
alumnos para qualquer dos anno* podera
dirigir-se ao mesmo Collegio a qualquer hora.
oa as Bssembleas publicas nao ser
pelos meios acma declarados, contar t
referir, oa indicar qualquer destes fac-
tos criminosos pratirados pelo mesmo bai-
xo assignado o qual nao s em sua defeca ,
como pelo amor da justica e da verdade ro-
ga a qualquer que delles noticia -'.ver o
faga publicar protestando que nenian
vinganca tomar nem outro partido seguir
em casos taes que nao seja o de defender-te
pelas mesmas vias por onde for aecusado-
Rogo alem disto ao Srs. Redactores se dignein,
por amor da mesma Justica e do bem publi-
co dar lugar na sua folha ao presente an-
nuncio que Ihe agradicer seu venerador
Francisco Luiz liellro Vellozo.
SOCIEDADE APOLLINi.
O Secretario declara aos Srs; Socios que
se acho em divida rom a 5nried*de queiro
ir caza r3o Snr. Thezoureiro no pra?o de
8 dias, contados do dia 15 do ferrante em di-
ante oaber os seus dbitos; findos os quaes
se considerars como desodidos da Socie-
dad segundo o disoosto nos estatutos e a
rezoluco tomada em acta de 13 do corren-
te mez.
AO PUBICO.
Nenhum Cidad&o e anda mais, nenhum
individuo qualquer ( a menos que o spu co-
raco ja eslea deluido pelo lodo do vicio, e
da corrupeo ) h qu* tossa ser indiferente a
sua reputaco. A calumnia posto que ira-
ca arma dos malvados com ludo muttos tri-
umpbos, tem feito em detrimento da honra ,
e da reputaco. Sendo isto pois certo por
hum lado e por oulro que o cidado aboca-
nhado pela mal licencia fies exposto a execra
cao e odio publico quando ferido pela ca-
lumnia se deixa em apathia estar sem procu-
rar defender-se o ab-ixo assignado conhe-
do quanto iniqua e maliciosamente alguns
dos seus inimigos tem procurado desacredta-
lo para com o publico invetivando-o e ar-
ouindo-lbe fados criminosos que jamis foi
capae de perpetrar vem peranie o mesmo
publico justificar sua conducta. Sim ao mes-
mo abaixo assignado nao he oculto, que
muitos mal intencionados dos seus inimigos
hbilmente tem manejado a intriga e a id
disposico para fazer crer que elle seus
irmus, e prenles tem sido oulbores de mui-
tos e horrorosos crimes que lem a parecido
na Commarca do lirejo emuito principal-
mente na fasenda denominada Tabocas e
seus contornos onde ella he morador. To-
dos saben quam rpidos sao os passaros da
lama e por quantos lugares longiquos em
pouco lempo se dilato as noliciiS que ella
couduz em sus azas : poristo pois e pelo
que se lem exforcado os calumniadores do ebii-
xo assignado e de muitos merabros de sua
familia eile nao duvida que nao s dentro
desla Commarca como na Capital da Pro-
vincia e em outras partes do Urazil, factos
deshonro/os se Ihe lenbo imputado e mes-
mo ocre i por que a sua noticia o ebegio ,
a priucipalmeose depois que infelizmente por
motivos Jesconhecidos pode grangear inimi-
gos de cerle porte e he por isto } e nao pe-
lo temor da conscienciaque o abaixo assignado
se pressaapresentar ao publico a innocencia
de sua conducta. Elle est pereuadido que
qualquer que seja o seu detrator represente
mais ou menos na sociedade inculque hon-
ra e probidade, nao passa de h mentiroso,
h inlriganta e hum inimigo da honra ,
por que se tlie hoje vivendo como tem vivido,
a sombra da le amando e respeitando as
aulboridades sem pralicar aeces, que a mes-
ma lei se opoem, irabalhando por adquirir al-
guma fortuna tal ou qual que aprsenla pelos
meics lcitos, nao consta de crimes pelos quaes
tenba sido aecusado perante as justicas, e au-
lboridades locaes, be sem duvida, que quan-
to dizer-se posa e tenba-se dito em seu
discredilo sem que o faci provar nao he,
nem pode ser seno obra da impostura e da
maledicencia. Dezejando por tanto ultimo
resultado o abaixo assignado por a sua repu*
taco salvo de qualquer suspeiU, que a
menoscabe cara com o publico conviua a
qualquer habitante da sua Commarca ou
lora della para que no prelixo termo de
quinze dias denuncie perante as aulboridades
competentes ou por meio do prelode qual-
quer faci criminoso praiicado por elle seus
umos, ou paremes prximos de sua familia,
quer recente quer mais anligos, soh pena
de se haver considerado por mentiroso e ca-
.luroniador lodo aquelle que em particular
Avisos OiversH.
t^" Segunda vez, roga-se aos Snrs. Ir-
mos, e mais fiis a quem por cartas se
pediro umi esmola para o levantamento
da nova frente di Igreja Matriz da Boavisli ,
que por caridade, e cimoiixi > bajo de
darem urna decisio final, a fim de que os
encarregidos desta arrecadaco ola perco
lempo, que com tanto gisto emprego neste
servico faltandi muiUs vezes como se
queixo, aos seus interesses pois dizem que
nao undena ir repetidas vee* a urna e outra
caza. Por esta occasio se faz sciente aos
mesmos Snrs. Irmos que a obra j princi-
piou e nao h com que se faco as tenis.
^.SSf A pessoa que annunciou querer com-
prar uns livros de medicina querendo com-
prar um tratado de medicina domestica em
quatro volumes dirija-se a rua direila boti-
ca D. 53.
tsr Vende-se um negro de nagio com i\
annosde idade canoeiro e' bom trabalbador
I de luchada sem molestia e sem achaques ,
por oreco cmodo ; e ao comprador se dir o
motivo por que se vende e tambera se venJe
farelos de trigo da fabrica do atierro da Boa-
vilta na rua JNova D. 1(5.
SSP Quem acbou urna fivela de casqui-
nbo querendo entregar receber o acbado
igu! ao valor della dirija-se a praca da In-
dependencia n. j ei.
tT Precisa-se de urna mulher para ama
de caza de pouca familia a pessoa que esliver
nesla circunstancias dirija-se ;a rua do Ara-
go fabrica de charutos que achara com quera
tratar.
tsr Vende-se garafas vazias qur forio de
serveja a 55oo o sent e checoiate superior
a 240 a libra ruado Arago venda da qui-
na D. i.
SSff" Aluga-se a segundo andar e solocem
bastante cmodos quintal e cacimba na
rua do Fagundes eo segundo andar do so-
brado da rua direila decima 2a ; quera os
pretender dirija-se a rua do Crespo loja de fa-
zenda U 7 ludo do su l.
\ST Quem tiver um dicionario Magnum
Lexicn em meio uo e por preco cmodo
nnuucie ou dirija-se a rua do Palacete :
lado direito junto do sobrado do Sr. Jos
vlarii Placido Magalbes caza terrea alem
dolaupio.
tar A qualquer pessoa a quem for offeri-
cido duas colheres de soupa e urna de cb
todas de prala de tamanho ordinario e
liz&s roga.se queira conserva-las em seo po-
der e aununciar ou dirigir-se a rua do
Palacete caza terrea alem do lampio lado di-
reito a diante do sobrado do Sr. Jos Mara
Placido Vlagalhes qua se recompensar.
tar No sitia cora caza de sobrado entre as
duas pontes da Magdalena apareceo no da
3 de IVaio p. p. urna vacca com cria a qual
iez grande destruico no mesmo sitio no
que se procedeo vistoria legalmente quem
lor seu dono dirija-se ao mesrao sitio que dan-
do os signaes e pagando todas as dispezas Ibe
ser entregue adverando que com este be
quinto anuuncio por isso se nao responsa-
bilisa pelo extravio de ditta vacca.
ssr* Arrenda-se para se passar a festa ou
mencalmente um decenle sobrado todo en-
vidiado entre as duas pontes da Magda-
nela com bstanles cmodos para grande fa-
milia, estribara para dous cavallos com ba-
nno a traz da mesma caza boa cacimba de
agua de beber ; a Iractar no mesmo ou no
quai'lel docorpj de i'olicia com o cirurgio
aiudanledo mesmo,
ssr Vende-se urna prela da costa de ida-
de de a5 annos muilo rebusla e boa iraba-
Ibadeira de inxada ; no quallel de polica a
tratar com o brigada.
ssr rrecisu-se alugar urna prela ou mo-
leque para vender na rua verduras pigan-
o-se de mil res meucais dando-*e o susien-
iu, no quarlel de polica a tratar com o cirur-
gio ajudaoltr.
tST Traspa-se a chave da loj.t de couros
na rua direita dcima 18 com a ai macan
e caxilios, e com poucos fundos nuera pre-
tender dirija-se a ruados quarteis D' 3 que
achara cora quem tratar.
tsr* Precis'-se de um hornera que tenha
boa letra e entend de escritorio ; quera es-
liver nesta circunstancias dirija-se a atterro
dos Affogadoa ialar com Silvestre Joaqun do
Nascimenlo.
tST Roga-se encarecidamente a pessoa
que axou vara e roeia e tres quartase moia
de cordio e urna perna de brinco com diaman-
te e urna 6;uinha pequea metida no dito or-
do perdeu-se desde a rua da rola al o pi-
lar; a pessoa que o axou querendo o resti-
tuir darse o valor de tudo e dirija-se a rua d*
roda D. 8,
ssy Aluga-se bara om terea cana boas
commodos, quintal murado, e cacimba u >
atierro ao p do Viveiro do Mouiz D. 11 ,
asslD como urna meia agot com commodos
para huma pe iupim familia na rui do Ale-
ma por detra/. do Snr, Fiscal ltrata,
quem as pretender dirijr-se a rua do Vigario
>N. 5o.
tST O Sur. que annunciou no Diario de iq
do crrente que deseja lallar n Ignacio An-
tonio Rodrigues Machado; dirija-se hoje as g
lioras sera fdlta aos Uarreiros em Cisa de Jo-
s Antonio Alves da Silva.
ssr Quem precisar de urna ama pira ser-
vico de casa de pouca familia procure na rua
da Moeds sobrado de hura and^r na quiua do
becodoSnr. Aiexandre, junto a vinvi do
Leal de Marros.
er* Precisa-se de Alugir hum Escravo que
saiba cOsinhar odiariode huma casa, e sai-
b< tambera comprar nao se "duvida pagar
bem : quem o tiver annuncie ou procure
nos Alo'J.idos sobrado junio o do Siu. Sives-
In Joaaum do Nascimenlo.
tJV Hoje ao do crrenle mez de Jul'io
contioua-se arre nalar em praca Publi-
ca pelas qualro horas da tarde na rua
da Aurora na porta do Illn. Snr. Doulor
Juiz de ireilo e orfos Rocha Bastos, por
ser as ultimas pracas tres moradas de casas
terreas sendo urna na rua do Aljube e du-
as na Boa-ora da Cidade de OUnda perten-
cenles ao finado Francisco de Almeida L'errev-
ra quem as mesmas perleuder Uncir com-
pareci em ditas Pracas
*/ Manoel Pereira Lemos, estranba bas-
tante que houvesse quem em seo nome pro*
curasse dnheiro (1:000^000 rs. ) a premio ,
como se v em um anuuncio no Diario da
Sabbado ijdocorrente Julbo portento o
dito Lemos declara que quem pertenda (al
negocio he Antonio Pinto, proprietario e
morador do sobrado novo } na rna da Praia ,
jauto da casa do Escrivo do falecido Mi-
randa.
aso- Luis da Boaventura Salerno, aviza
a quem convier que esla assistindo na rua
de Agoas-verdes, D. ao.
C9- Manoel Bapliata Duarte faz seieolo
ao respeitavel publico, quo M retira para o
Rio de Janeiro.
ssr Quem achou um menino de idada
8 annos por nome Bernardino, vestido cora,
uniforme de ganga amarella ; desapareceo a
noite 18 do correte, no largo de Palacio ;
rea
rs
mo
a, que nao exceda o seu auguel de 7 a 8ooj
. e as ras das Flores Lamboa do Car-
* r\ j___.._ ii.ni. Tnorsia. Trin
Santa Tnereza, Trin-
annuncia
xeiras, Larangairas,
ou dirija-se a rua das flores,
Pateo do mesmo,
e Cruzes-,
pelo Diario .
D. 5 que achara com quem tratar
tsr Na rua Nova loja da Hypolito S.
Martin & Companhia lem grande sort-
mento de cordas para violo e rabeca cne-
gad.s de Italia novamente.
Aluga-se a toja do sobrado da rua do
Rosario estrella: a tallar com o seu proprie-
tario Antonio da Silva Gusmo, rua do
Qaeimado.
t> Urna escrava mossa, excallente figu-
ra sabando cozinbar o diario de urna casa .
panda de 4 mezes com urna linda cria o
com muio bom lene oplima part ser boce-
leira, por ser muilo possante e vende -so
por preco commodo na rua das Agoaaver-
des D. a.
ivr O.lerece-se urna ama seca para c tm de
iiomem aolteiro, ou de pouca familia sendo
ie parias a dentro: quem precisar de seu
piestirao dirjanse a la dos QuarteU D-
cima 12.
> Na rua do Crespo loja de Joaquina
Viegas precisvse ue um* aoi, que te-
1^ uha bom kilo.
I
MUTILADO


DIARIO J>B PEBNAMBOCO
cr Quem precisar de urna ama de casa t
que-alie cozinhar o diario de urna casa co-
ser cl'S e eogommar dirjanse a ra di-
reita D. ?p.
tsr O Padre Antonio Luiz Ventura abre a
19 do correte aula de oanto-chio na Madre
d Cea ; quem quiser apiender apresenle-se
lodos os das Jde trabalho de manh.
tsr A pessoa que Ihe contier tomar conta
de urna sitio cuja trra be de muiloboa pro-
dueo e est todo aereado dirija-se a Ma-
gdalena a tratar con Miguel Crrela de Mi-
randa pois o mesmo f eiige o cuidado em
algum arvoredo que ha|a de plantar.
t3r Quem deseja saber a moradia da Se-
nbora Felicianna Miquelina t'avalcanli
de Albuquerque dirija-se a cua do Cabu-
g loja de lerendas D. i.
tsr O abaixo assignado deixou de ser co-
brador das dividas pertencentes ao Sr. Fran-
cisco Mamede de Almeida desde o dia ,j
do correte. Joo Alves de Soma.
aK> OtTerece se um sitio para lavrador,
em um engenbo perto desta praca a qual-
do comente as 10 horas da manh, no seu
armatem da ra da Crui n. 1.
tsr Que fazem Smitb & Corbett, por in-
tervenco do Corretor Oliveira e por conta
de quem pretencer de cerca de 5oo barricas
de farinha de trigo e loo de biscoito no es-
tado em que se acho sendo o resto das vin-
das pela Barca Inglesa Science coa destino a
Novo Holanda e regularmente condemnada
neste porto ; qnarta eira ai do correte as
lo horas da manh no forte do mallos jun-
to a prensa do Sr. Mendonca.
tsr Que faz Joaquina Osear Eider por in-
tervenco do Corretor Oliveira de rama ca-
xa de facas avariadas desembarcada do Bri -
gue Russiono Elizabeth na sua retente tia-
gem de Hamburgo para este porto quarta
feira ai do corrente as 10 horas da manh na
ruado V gario D..5.
Compran
tsr Urna canoa de conduzir agoa, ou alu-
ga-se 5 na ra da Florentina sobrado novo ao
quer Snr. que v trabalhar cona 10 escravos p da naar.
Tridentino em latim e
quem tiver annuncie.
, O Consilio
porluguez
Vendas
tsr Um chapeo armado ora milito pouco
uzo com sua csixa de flandres, por prego
cora modo ; na ra larga do Rozario D. 7.
tsr Urna cadeiriuha de bracos em multo
bom estado ecom as suas competentes cor-
reias ; na ra Augusta jcasa de R. Barata
de Almeida.
tsr Sementes de repolbo, e de couve man-
teig a 28oocenlo ; defronte da Matriz de S.
Antonio loja de colxoeus di quem tem.
tsr Urna cavallo ac cor de rosa com bo-
nita figura novo, bom carregador; assim co-
mo um bom violo ; na ra Av usta na quina
do beco do Peixoto casa confronte ao do Car*
ralbo.
ES?" Piannos ingleses de Jacaranda e ma-
gno orisontaes ; na ra da Cruz n. 7.
kst Sacas com feijo proprio para escravos
pelo mdico preco de 1000 cada urna ; no ar-
matem de Joaquim Gonsalves Pereira Gui-
mares junto ao arco da Conceico ou em ca-
sa de F. M. Rodrigues & Irmos na ra do
trapiche a. 12.
ssr Urna canoa aberta propria para car-
regar familia ; noestaleirode Joo de Brito
Correia atraz da ribeira.
sar Duas partes de trra em beberibe no
sobrado que foi do fallecido Soto um re-
logio de cima de mesa, e um caldeiro de
ferro ainda novo ; na ra de hortas sobrado
de um andar D. 3J.
ssr Colheres garfos caixa para rap,

na
o alto pouca _
em ciaa e outrof
fumacados urrl
arcas de feridasf
.,rul 14 : miem a'
para mais ; quem pretender annuncie
tsr Aluga-se um sobradinho de um so
andar e soio na ra da penha com quintal,
e bom arranja para urna familia pequea ;
quem o pretender dirija-se a ra do nicho do
Livramento casa O 3. CAUTELLASda Sociedade FORTUNA
ssr As Cautellas firmadas por Correia TYPOGRAFICA subdivididas na vigsima
daa Lotera que bou ver* de correr da data parte de bilhetes da Lotera do THfiATRO cabos de faca resplandores para imagens,
deste em diante, sao pagas dos respectivos pre- que tem o seu mpreterivel andamento no dia j e outras bras de prata crucifixo e cordao de
mos em proporco dos que forem extrahidos, 16 de Agosta, cabendo ra sorte de cinco con- ouro corazes aneis de diamantes um re-
e publicado as listas geroes, em consequen- tos de res duientos e c.-.coenta mil res a 'S' de sabonete inglez cora caxa de prata ,
ca das alteracoens que tivero os planos das preco de 460; nesta Typografia na praca alhraele de peo, de diamantes e de ouroes-
Loteras do Theatro Seminario e Matriz da Independencia n. ao na ra larga do maltado ; as 5 pontas a3.
da Boa vista ; ficando sem vigor ademons- Rozario loja de miudezas D. 7, na ra do! > Um sitio bastante grande em beberi-
traco dos premios que ellas continuo a ter Collegio loja do Sr. Menezes e nade relo- be debaixo com casa, muitos arvoredos de
no verso tanto a subdivididas em decima joeiro. I fructo e bom terreuo para plantacoens, nao
como as de vigsima parte. tsr Urna escrava de naco de idade de s pela boa qualidade como pelo muito tem-
er Aluga-se o segundo andar e soto do a5 anuos, cozinha, lava e faz todo o mais ser- po que est em descauco *, nesta Tvpografia
sobrado D. z5 da roa do Fagundes que fica vico de urna casa 3 na ra direita D. ao lado sr Dous escravos um bom serrador e
confronte a ra do niebo do Livramento ; a do Livramento. com bom principio de carpina, de idade de aj
tratar no primeiro andar do mesmo. tsr Urna preta da costa de idade de a5 annos o segundo ainda bucal e sem barba 5
tsr O abaixo assignado prevenindo ao annos, muito robusta, e boa trabalhadeira na ra do Crespo D. n.
Sr. Manoel do Amparo Caj, que nao pague deenchada; a tratar no Quartel de polica cr Urna escrava de naco congo cozmha
aoSr. Antonio Ferreira Braga ou a oulra com o brigada do mesmo corpo. o diario de urna casa he lavadeira e qutan-
qualq'uer pessoa que ihe apresentar as s- tsr Potassa b'anca americana em barrs deira; na rus da Alegra U. 4
animes letras sendo duas de aoo.ooa cada urna grandes e pequeos sacas e barricas com fa- tsr Urna casa de sobrado com bom quintal
e a oulra de 100,000 todas tres a vencer no relo barricas com fumo para charutos, pea- e cacimba na ra das trinebeiras j a tratar na
dia ao do corrente 3 assim como previue tam- tes de marrafa e gangas amarella. ludo de ra da cadea do Recife u. la.
bem a todos os Sr. aue devem a casa do boa qualidade e por preco commodo era ca- tsr O sitio da lbura que fica junto do si-
mesmo Antonio Ferreira Braga & Compa- sa de Malheus Austin & Companha, na ra lio denominado estiva confronte a proprie-
nhia nao peguera conta alguma ao dito Snr. do trapiche novo n. sa. dade do Passo com trras proprias planta-
netn a oulra qualquer pessoa que em seu no- tsr Tres escravos sendo um creoulo de do de couqneiros e outras }arvores de fructo ,
me v receber nem mesmo ao abaixo assi- idadb de a5 anuos outro do genlio de da- com ierras para plantacoens de cana baixa
enado sem que baja liquidaco de coalas, o de 4o annos, e outro moleque de idade de para capim tambera admite vaccas de leile
qual logo se far ver por esta folba assim que 10 annos; no segundo andar do sobrado tem mais joo bragas de n
haia liquidaio dat ditas col tas o mesmo junto a escada da cadeia D. a. as madeiras de construco a tratar
abaixo assignado nao se responsabelisa por tsrDuas casas terreas sendo urna no baino D, j no oito da Malria de S. Antonio.
nefiocio algum que o dito Antonio Feneira do Recife becodo moUcolomb n. ai eoutra ver Transelim preto de borracha para re-
Braga tenba feo debaixo da firma da casa no bairro de S. Antonio na ra dos cupiares logio a 3aocda um } na ra nova
desde o (lia primeiro do corrente |al a data de n. 10 ; a tratar na ra da Guia g, | Matiiz D. 7
boje e nem d'agcra envaule pois que esta-
para fora, os ps grandes, gosta muito
tocar pandeiro foi visto na casa forte e ^
la passsgem por isso julga-se estar por ah
acoitado em algum sitio em compsnhia de
urna preta que lava roupa na casa forte1 oa
posso ; quem o pegar leve a ra larga do tlo-
zario D. 4. Jos Joaqun Pinto Martins.
tsr No dia 10 corrente desapareceo un|
escravo de nomo Antonio de naco angola
mas parece creoulo por ser muito antigo
terrfi, com oficio de seleiro alio pon
barba com um dente tirado em
em baixo na frente olhos af
tanto beicudo com urnas marcas
as pernas ps e mies compridas ; quem o
pegar leve a ra direita O. 19.
tsr Desapareceo no dia primeiro do pas-
sado Junho um preto bucal de nomo Do-
mingos de nayo cassange alto, olhos afu-
macidos, pouca barba com um dente do
queito superior quebrado e c >m algomas
sicatriies as pernas e'uma estrela por cima
do bico do peito direito, e no mesmo peito
urnas veas levantadas mais do ordinario;
quem o pegar leve a Olinda ra da bequinha
do S. Pedro casa de Vicente Ferreira Mari-
nbo, que sera generosamente recompensado.
tsr Desaparece no dia i4 do corrente urna
negra de nome Maria de natjo angola cor
preta com urna especie de bordadura nos
bracos signal de sua trra ; quema pegarle-
ve a ra da Ct uz a seu Seohor Pedro Mari-
anno, armazera n. 28.
tsr Fugio um escravo de norae Tubias ,
no dia i8deJulho comossignaes seguintes;
estatura regular de idade da 11 annos le-
vou vestido calcas camisa e ceroulas de ris-
cado, e urna trouxa de roupa de servico de-
baixo do brago e tem urna lerida na canela
da perna esqueida ; quem a pegar leve ao
beco da lingoeta n. 1 no segundo andar que
ser recompensado.
fe* No dia .0 do corrente fugio urna ne-
gra de nome Francisca de idide de a5 an-
nos de na j angola alta cor fulla ros-
to algum tanto comprido queixo saliente #
falla groisa meia bucal na ordem inferi-
or dos denles tem um ,mais crecido por de-
traz de outro uns pannos brancas espilha-
dos pelos hombros a proximando-se ao rosto ,
com urna sicairiz em urna das pernas, ps
cora os loruo/elos e juanetes torcidos para den-
tro levuu vestido encarnado coa
pTelos e beticos e panno da costa
\
na
lado da,
moa em liquids5o. Bernardo Jos Lopes.
Avisos Martimos.
PARA O PORTO a Barca Portugueza Es-
pirito Santo forrada e encavilhada de co-
der annuncie.
^ tsr Meios chales de cassa da india borda-
dos de coi eo pescocinhos para senboras e
meninas de muito bom costo a 1000 corles
bre, sahe com brevidade j quem quiser car- decabSa Ucom ti covadcs e meio a a4uo
regarouirdepassagem para o que tem os |ut # rfe bretailha fiu(1
nielhorescommodos,dir.].-8ea ra estre.la com 5 varase meia a ia8o e outras muitas
do fioiano a fallar com Franc. Altea da tu- hMndM eso Commodo ; na praca da
nha ou.com o Capillo na praca do Ummer- lodependenca n, 4, iado do norle>
Ci0^>.n. mmi n n n rar* 5oo palmos de terreno em chaos pro-
PABA LISBOA o Brigue Porluguez Con- -^ 0a 1000 de fundo, na estrada
ceico i-lor de Lisboa forrado e pregado de de ^ os paia de thoj| lddo do nQr_
cobre, de superior marcha de que be Ce- ^ tQo ldIllad de dr?iedoS, ajrua nota
pito Vicente Anastacio Rodrigues preten- ^ ^ (^
de sabir ateo fim do corrente pur ter maior
parte de seu carregamento promplo ; quera
quiser carregar ou ir de passagem para o que
letn excelleutes commodos dirija-te aos seus
consignatarios Meudes & Oliveira na ra
do Vigario L>. i5 ou ao rtfendo Capito.
tsr Duassortesde ierras cada urna com tsr Dous negros robustos para lodo traba-
duHS legoas nos sertoens dos Careris velhos lho duas negras e urna negriuha de idade
ptimas para criar gado vaceum ^e cavallar de la annosj na ra nova defronle da Concei-
por terem ptimos logradores ; quem preten- cao n. lo3.
-Lei o
Que fazem l'ornvefond A. Faux & C.
por intervenco do Correlor Oliveia de um
esplendido surtimenlo de fazendas francezas
uilimameutecbegadas consistindu era cha-
les de seda de touas as qualidades dilos de
fil blancos t ;.rtios mantas de seda e de
fil,, seluia para vestidos grog de naples
vtludos Uvrados e lisos, coleles li-os iu-
vas de lodaa os qualidades meias de seda
pura bou.ta e senbora, ditas de algodo pre-
las e brancas grvalas de seda chapeos de
sol de todas as qualidades, sapa toa e iio-
teguins para rnhora floiea finas leques ,
espingardas pi>tia (ke*1 terca feira ao
tsr Um moleque de idade de ao annos, do
gento de angola ; as o ponas j'i,
tsr Urna cabra parida a poucos dins d
hablante leile e de cor preta ; na solidade
o. 44a ao Pe di' muro do sitio do Herculano.
tsr 6 pelas wocas, lozinbo engorr-
iiio e lavo roupa urna molala de ao au-
no* de idade cose engomma e veste urna
senhera 4 escravos para todo o servigo, um
cii.o bom coziubeiro e comprador ua ra de
agoas vaidescasa terreaD. j.
tsr Um escravo de buniu fi,;ura ptimo
para lodo o serico na ra das trincueiras
L) a 1 no segundo andar.
tsr Um molatuibo de idade de 16 anuos,
coznba o diario de urna casa iava de sobo
t ptimo paia pagem oa praciniia do Li-
viaoieuto loja D. 19.
S^> Urna negriuha creoula recclhida de
iQttiiede ib annos cosecha, engomma so-
tiivel e he o>uno dehgenle para o stivico
ue una casa na 1 ua uO ^ueiiutio luja de
faaendas U. 4,
K3T Conleitose amendoas confeitadas de
cores o mais perfeito que aqu tem apareci-
do em caixas da ao libras -, na ra da ca-
deia loja do Bourgard.
tsr Um escravo de idade de n6 annos de
bonita figura; na ra do Luame uto loja no-
va que faz lente para a ra do Rangel.
Kscravo Fgidos
olhiiitioa
com lis-
tras brancas e azues ; quera a pegar leve a
ra do iio.-picio ni quarta casa que sei re-
compensado.
tsr No dia 6 do presente Julhode 18\i
indo cortar varas no eugeuho Pauliita fu-
' gio um escravo de nome Joo de Angola qua
matli cora muito bo- y ., ,,. 1
loi comprado a Aianoel Vianua morador 110
Rio Grande do notte pescador no alto de
idade de mais de 5o anuos grussu d j corp > ,
estatura media lera urna pinna de cbelos
brancos na cabeca e urna pequea fstula
entre s duas vias abelidoso para ludo que
se propouhe a fater em lodos os oracios me-
cnicos ; quem o pegar leve a seo seiibar o
Padre Fepe Neri de Faria, morador no
Jang, Freguesia de Alarauguipe termo de
Olinda.
tsr No dia 5 de Julho fugio urna preta de
nome Theresa de nai:o esiatura alia, gros-
sa do corpo cor alguma cousa lula pea
grandes lera os dedos de ambo* os pas ao p
dos mnimos mais pi|ueuos do que os anui-
mos e.u lora de portas a ular cora Alauoi.
da Silva iNeves.
No da 11 do corrente depois das nove
horas da noite furlaro urna negra crioula
por nome .Marimba que representa 16 an-
uos muita ladina e muito couhecida por
andar sempre venciendo na ra e nunca fu-
gio he seca do corpo baixa bem preta e
muito esperta roga-se por tanto as auto-
ridades Policiaes e a todas as ptsois que ti-
verem couhecimento de semelbaule furto ,
que faco lodo o possivei afim de que a dita
negra volle a mo de seu seubor que mora
no Recife ra do Apolo D. 1 j era casa de Jo-
s Antonio de Souza Maraoho.
tsr fugio um molatiuho de nome Joa-
quim a um mez pouco mais ou menos de
idade de 10 annos com calcas e camisa de
aigjdo i quem o pegar leve a ra larga do
tijio i). 7 no le cetro andar que seta ge-
ueicsameule lecouipensado.
tsv O abaixo assignado gratiQca com 5o
mil is a quem desconrir uin escravo fgido
desde o da de iMaiocora os signaes segua-
les ue nome Firintuo de uigao angola ,
de idde de ai annos muito ladino que pa-
rece creoulo es'.ura regular, ccr bem prela,
ieui no queixo da ^at te esquerda um {sigual
de sicatris *$ p^tnaa um |aUio arquiadas
Moviinento do iJorto
NAVIOS ENfRAU'JS NO Dll 17.
Sedney ; 90 dias Barca ngeza rabe de
ago tonel., Cap. W. Westmorland, equip
17 carga l e azeite de baleia ; ao dito
Capito passageiros li.
SAH1D0 NO tati VIO DA.
Liverpool} Urigue Inglez Ciceljr Cap. E-
vander Al. Ctoud, carga a mesma que
trouxe, passageiros t.
EN PRADOS NO DIA. 18
Rio de Janeiro i 14 dias, Brigue Inglez Eli-
zabeth de 87 touel. Cap. Josepu Price ,
equip. 11 carga lastro } a Crabtree H. &
Curapaiibia.
Dito } 9 dias Brigue Sardo Dous de Julho
de 170 tonel. Cap. Paulo Solari, equip.
ii carra Uslro 5 a T. de A. Fonseca.
SAHIuOS NO MES MU DIA
Lisboa ; Brigue Escuna Porluguez Novo Con-
gresso Cap. Manotl Jo lales carga asr
sucar.
J
T
1
t
!
RJSCIF? NA TlfP. DE M. F. DE F. *84
\


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EZK3MLIHX_I0MZRQ INGEST_TIME 2013-03-29T17:36:20Z PACKAGE AA00011611_03852
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES