Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:03833


This item is only available as the following downloads:


Full Text
i
A^o^de1841. Sarbad
V Tudo ajara depende da nos meamos ; da nona prudencia, modera*
Ai o, aawrgia : eontinnemos como principiamos, aeramos apontados
eom admiracM entre ai Naces maii culu;
Proclamarlo da Aucmblea Geral do Brasil;

Bobeerere-ee para esta folba a 3/000 por miarte! pagos adiantadorf
Cita Tvpografia ruadasGruzes D. 3, e na Praca da Indepeaden-
, n. 3; e 33, onde se recebem eorrespondcneias legaliaadas e au-
unci, fnsirindo-se estes gratis ; sendo dos proprios assigoantes, e
indo asagnados.
i
PARTIDAS DOS CORREIOS TERRESTRES*
Cidade da Parahiba e Villas de soa preUnco
Dita do Rio Grande
Dita da Fortaleza
Cidade de Goianna
Cidade de Oiiada..................; i Todoe os dlasl
.Villa deS. Anlo ...... ....... ....,'.... Quintas fairas.
Diu de Garanbuns e Povoacio do Bonito.........lo, e 34 de cada mes
Ditas do Cabo, Serinbaem, Rio Formoso, e Porto Caito. 1, 11, e ai dito dito
Cidade das Alagos, e de Macai............dem Mesa
Villa de Paja* de Florea.....................Ideaa li, lito
Todos ew Correio partem ao meto dio.

m c Villas de soa pretenco j i '.. : f\
de do Norte, e Villas dem. '.; .(
e Villas dem..............1
ia ... /
Sor. Sejttatjfaftaai
PUAS8 DA LOA NO MBZ DB JL'N:
Lia Cheia 1 < 1 h. e I9 m. daman;
Quart. ming. a n as 5 h. e 38 m. da maa.
La Nova a 10 as 4 h 5a m. da man.
Quart. creso, a a5 as 8 b. e 15 m. da tard.
Afare theia para o da 26 de Junho.
Aa 10 horas e 6 minutos da tarde.
As te horas e 3 minutos da mana.
26 DE JNIIO. JXtJJVI. 135.______
I __ I II T----------i~
CAMBIOS. Juwiro a5*
Londres.;:;7; 3i d. por 1^000 ced.
Lisboa......80 por o|o premio por metal offerecilo.
Franca......31o reis por franco. Corop. Venda.
RO- Moedade64oo reis, velhas itfgoo t5fnao
Ditas h "* M600 M*
Ditas de flooo reis, 8/200 #oo
PRATA PaUces Brasileiros 5 1/640 i| Pesos Columnarios----------- iJ6'ia ifooo
Ditos Mexicanos ------- ifooo i#6ao
lida. ............l|403 #'*
Disc. de bilb. da Alfandega r i|8 por loo ao mes. > |o
Idsm de letras de baas firmas 1 ija a i|4
Moeda de cobre 1 por 100 de disc. a P*r
Sedulas de pequeo valor l|l ojo a 1 o\o
DAS da semana.
al Segunda S. Luis Gizaga. Audiencia do Jais de Direito da 9. rara
aa Terca S. Paulina B. Relacio e audiencia do Juix de Direito do
i.vara.
a3 QoarU S. co Sacerdote. Aud. do Juizds D. da 5. vara.'
a.'i Quinta >f< Nasciraento de S. Joa Baptista.
25 Sexta S. G-uil!ie-me Ab. AiHiencia do Juis de D. da 1.
a6 Sabbado S. Joo c Paulo Irs. M. Rellaco e audiencia do Juit d
D. da 5 Tara.
jn Domingo A Puresa de N. S.
PERNAMBUCO.
LE N. 9a DE 8 DE MAIO DE 1841.
Manoel de Soasa Teixeira P residente da
Provincia de Pernambuco. Fuco saber
todos os seuc Habitantes que a Assemblea
Legislativa Provincial Decretou e eu
Sanccionei a Lei seguinte 1
Artigo 1. Fica concedida a Irmandade de
Nosaa Senbora do Rosario dos bomens pretos
da Freguesia da Boa* vista des (a Cidade u-
na Loteria animal de sessenta e quatrocontos
de reis por espaco de seis annos na con-
formidade do plano junto a qual poder ser
devidida em meias Loteras,
Art. a. O Lenififio de la por cento extrado
do Capital da referida Loteria ser applicado
reedilicago da Igreja da mesma Senhora ; e
das respeclivss despesas dar contas no Juiso
de Capellas a referida Irmandade.
Artigo 5. Fico revogadas todas as Leis
e Disposicces em contrario.
Mando por tanto t'iii-is aa A ntlinri jodoo ,
n quena o conhecimento e execusso da refe-
rida Lei pertencer que a cumpro, e fa-
co cumprir tio inteiramenle como nella
eecontem. O Secretario desta Provincia a
faca imprimir, publicar e correr. Cidade do
liedle de Pernambuco em oito de Maio de
mil oitocentos e quarenta e un, vigessimoda
Independencia e do Imperio,
L.S.
Mauoel do Souza Teixeira
' Carta de Lei, pela qual V. Ex. manda ex-
ecutar o Decreto daAsserrblea Legislativa
Provincial que houve por b?m sanecionar ,
concedendo a Irmandade de Nossa Senbora do
Rosario da Freguesia da Boa-vista desta Ci-
dade urna Loleria de sessenta e quatro contos
de reis, por espaco de seis annos na forma
cima de Jurada.
Pora Vossa Ex. ver.
jse Xavier Faustino lunes a fez.
Registada a f. 160 do Lirro 1. de Leis
Provinriaes. Secretaria da Provincia de Per-
nambuco em 11 de Maio de 1841.
Francisco Xavier e Silva.
Sellada e publicada nesta Secretaria da
Provincia de Pernambuco em 11 de Maio de
1841
Francisco Muniz Tavares.
PLANO,
A que se refere o artigo i.
8,000 bilbetes a BUooo 64;oooUooo
Beneficio de i2 p. c. j;b"c'oUooo
Oito por c. na for-
ma de Lei geral de
s 1 de Outubro de
iM/ 5;i2Uooo1;boUooo
Liquido
1 Bilbetecom
1 Dito. .
1 Dito, i
1 Ditos de 1
4 ditos de
10 Ditos de
ao Ditos de
40 ditos de
loo Ditos de .
k8ao Ditos de .
% Ditos 1. e
ultimo
fe-'
Rs (
o premio de
joooUooo .
500 U00,)
aooUooo.
100U000 ,
40U000. ,
aoUoso. ,
10U00U .
aooUooo 400^000
3001 bilbetes premiados Rs. 5i',aooTJooo
5999 Dito br ancos.
8000 Total dos bilbetes.
O Oficial Maior, Rufino Jos Creia de
Almeida.
COMMANDO DAS ARvjAS.
Expepiente do da 11 do corrate;
Officio Ao Exm. Presidente devol-
vendo-lhe informado o requermento de An-
tonio Sampaiu Neves, q' pedia demissa, e se
acbava no terceiro Batalho de Artilheria com
o iiome de Antonio Jos Correia.
Dito Ao Commandante interino da For-
talesa do Brnm communicando-lhe que
em ordem addicional a do dia de hojeo tinha
nomeado vogal da Commissio que devia to-
mar contas ao Majar F. J. C. M. da Caixa
das Etapes e forragens da Fsquadrio que
embarcara para a Corte, ficando na inteli-
gencia de que a Commissio se reunira na
manb do dia ta noquartel do Hospicio, on-
de se devia acbar.
Portara Ao Commandante interino do
terceiro Batalho de Artilheria, mandando
desligar do mesmo. e remetter com guia
de passagem para o Deposito a quitro sol-
dados.
Dita Ao Commandante do Deposito au-
thorisando-o a receber com passagem aos
quatro Soldados mencionados na antecedente
portara.
Dito Ao Capito Commandante da Cotn-
panhia de Artfices mandando desligar da
mesma, com guias de passagem para o ter-
ceiro Batalho de Artilheria a tres proras ,
cujos nomes se Ihe indicout
Dita Ao Commandate interino do terceiro
Batalho de Artilheria, authorisando-o a
receber com passagem para o mesmo as
tres pracas designadas ns anterior portaria-
ldem do dia ta.
Oficio Ao Exm. Presidente ponderan-
do-I he em resposta ao seu oilicio d9 honlena,
qne pesto tivesseembarcado a Tropa de linha
p-. istente na Provincia, nao sessou a necessi-
dade de providenciar-se a resucito do enter-
ramento dos Soldados por quinto o Hospi-
tal contava sempre de 5o a 60 doentes a mor
parte de bexigas e o Deposito bia constante-
mente recebendo novos recrutas nao t desta
como de outras Provincias que acometidos
da peste das bexigas falecio as veses dous e
tres por dia.
Dito Ao mesmo Exm. Snr. devolvendo-
Ihe informado o requerimento de Prudencio
Manoel que pedia demico por ler sido
iliegalmente recrutado.
Dito Ao mesmo Exm. Snr., represen -
tando-lhe a impossibelid&de de embarcar ii
com o Batalho para a Corte o Capito A.
H. Bastos, por ter de desonerar-se e prestar
contas em diversas Uepartices de tudo quan-
to se achava a seu cargo e iudicando-lbe a
conveniencia de t car elle para o dito lina, se-
guindo depois de haver prestado ditas con-
tas.
Dito- Ao Juiz de Direito da segunda Vara
do crime, procurando s.ber se ja fora sen-
tenciado no Tribunal do Jury o uLnn Car-
los bose de Santa Anna e pela afirmativa
em que dia e qual a senteuca.
Portara)- Ao Commandante de Artilheria;
5i;aooUooo
i2j00oUooo
doouooo
i5;ooo(Jooo
MjOOUjOO
a 000U000
a,oooUooo
2jockjUooo
l .jlUooo
ajoouUooo
i8;aooUooo
remettendo-Ihe para assentar praca volunta-
ria n mesmo Batalho o Paizano Marciano
dos Reis, com direito as vantagens marcadas
as Instrucces, que acompanbaro o Decre-
to de 6 de Abr deste atino.
DitaAo Commandante uterino do Es-
quadro remeltendo-lhe o Conseibo de Di-
receo feto ao Sallado da primeira compa-
nbia Joaquim Ignacio Clemente de Almeida
Sarinho.'e determinando, que o mesmo
soldado fosse reconhecido primeiro Cadete na
forma do Alvar de t de Marco de 1757 cu-
jas disposices prebenxera.
Dita AoComraanJante interino do Bata-
lho de Artilheria, mandando excluir duas
pracas que como eOectivas contava na Provin-
cia do Rio Grande do Norte, devendo enviar
suas guias a Secretaria Militar.
Dita Ao Botecario J. M. F. Gameiro ,
para que aprontasse a ambulanra que tinha
de acompanhar a Tropa a Capital do Imperio
devendo constar dos medicamentos disignados
na rellac,o que Ibe remette.
THEZOU RARiA. DE.FAZENDA.
Expediente do dia i4 de Junho.
Officio Ao Exm. Presidente da Provincia
informando sobra as representares do Ad-
ministrador da Mesa do Consulado, e do Ins-
nector da Thesouraria das Rendas Provin-
cae, relativas ao Fiel da Balanca nomeado
para o Trapiche novamente edificado por Joo
Pinto de Lemos, Angelo Francisco Carneiro,
e Elias Baptista da Silva, no terreno d'anti-
ga Alfandega velha.
Dito Ao mesmo Exm. Presidente infor-
mando sobre a representar.) d'A'SOciaco
Commercal, contra a postura da Cmara,
que tolbe rom multa o empachamento das
ras com quiesquer volumes por mais de 4
horas, incluiudo no numero destes as caixas
de assucar, que tem de ser despachadas, e
examinadas na occasio do embarque.
Dito An Commandante das Armas infor-
mando o requerimento de Jos Cardoso M..r-
ques.
Dito Ao Procurador Fiscal significando-
lhe, que trido, em conformidade da delibe-
racao tomada em Sesso da Thesouraria, de-
rgido na mesma data Recebedoria de Ren-
das Internas o officio da copia que junta a-
companhara, se dgnsse de fazer constar ao
Solicitador da Fasenda o seu conteudo, afirn
de que o mesmo o observe na parte que Ihe
respeita.
Dito Ao Inspector d'Alfandega disendo-
Ihe em resposta ao seu Officio de 39 do pas-
sado que acorapanhou os documentos rela-
tivos s embircacoes, que se otkiecem, ven-
da para substituir a Barca da Barreta do Sul,
que se acba inteiramente arruinada, que con-
cordando a Thesouraria com a sua opinio de
que a Sumaca Livianiento parece preferivet
as outras, houvesse de effeituar a compra
della, proredendo a venda da dita Barca ar-
ruinada logo que assim fosse conveniente.
Dito-Ao Administrador das Rendas In-
ternas diseudo-lhe, que em consequencia da
deltberacao lomada em sesso da T.iesoura-
ria, cumpria que na mesma Recbelo; u se
observasse novamenle a Portara de o de
Agosto de itv'g, que mandou entregir ao
Solicitador da L- asenda os mandadas lirados
contra os devedotes, qu indo se liresse de se-
guir os termos da ex^cugo, paando este as
Uespess ja lenas tcando assim de nenuusn
elicito as o.dens posteriores a este respeito,
tendo-se em vista, que para a raferida entrega
devero organisar-se duas rela:e), a fin de
ficar huma no arquivo da R;cebedora assig-
nnda pelo dito Solicitador, e outra em poder
deste com o recibo da quantia paga ; e ou-
tro sim que nao obste incluir-se ordinaria-
mente na guia das quanlias arrecadadas des-
ses mandados as despesas do Juizo, se lance
em livro especial estas despesas, para no (im
de cada met entrar para o cofre com guia se-
parada dos mais Rendimentos.
Diversas Reparticcs
ALFANDEGA DAS FAZENDAS.
FDITL.
Vicente Thomsz Pires de Figuereda Cimaf-
go, Cavaleiroda Ordem de Christo, Ins-
pector da Alfandega porS, M. I. etc.
Faz saber que nia tendo Antonio Gadi-
nbo di Cruz pago o preeo por que arreui-
tou os cunheles de chumbo em pasta impug-
nadas pelo Amanuense Domingos d> S'iva
Guimares, nos despichos por factura da
Meuron i Comp vo os referidas cunhetes
: novamenle a praca no dia a8 do frrente ao
|meiodia pelo preco de taoUaoo reis sendo
divididos em dous lotes, e pelo nmeros doa
despachos. E o arrematante ser su^eilo ao
pagamento dos Uireitos, e expediente,
Alfandega 25 de J un lio de 18 1.
V. T, P. de F. Catnargo.
MEZA DO CONSULADO.
EOITAL.
Miguel Arcanjo Mameiro de Andride, Ca-
valleiroda ordem de C'iristo e Adminis-
trador da Mesa do Consulado etc.
Faz saber que no dia a de Julho do cor-
rente anno se liad de arrematar duas caixas
de assucar branca numero 3, e outra mas-
cavado numero 10, 4 aprehendidas pelos res-,
peclivos Etnpregados do Trapiche do Pe-
loirinho por inexalida das taras em cujo
dia se (indio os prasos marcados no Regula-
mento, sendo a unemataco lvre de despesas
ao arrematante.
E para que chegue a noticia a quem con-
vier mandei afixar o presente Edital na por-
ta desta adminisiraco e publicar pela im-
prensa.
Mesa do Consulado de Pernambuco a 5 de
Junho de 1841.
Miguel Arcanja Monteiro de Andrade.
CORREIO.
O Patacho Lsurentina de que he Capito
Antonio Germano das Neves sai para o Ara-
cati em 29 reccbjnda a malla em ao* pelas 5
horas da larde.
O Patacho Saraiva recebe a malla para o
Rio de Janeiro boje ('itj as quatro horas da
tarde,
PREFEITRA.
Illrn. e Exm. Snr. Participo V. Exa.
que foro houtem presos pelo Comissario de
Polica da Districto da ra da Cruz da Recite
o preto Francisco, escravo de U. Joajuina
Pereira Viantu, por ler insultada as pessoas,
que tran^itavo, e ddsobeiecer ao meiOij Co-
missario j oi detento no Cillabaujo,
Pela Guarda da corpo Policial, estaciona,
da no largo de Palacio velho o preta Jaao Vie-
gas, por estar proferiodo palivras obicema
em disputa com urna preta, e dar urna bot'e-
N
:r
MUTILADO


T I Ato i O
wcnH
DE ? EttNA,MB Ut
da na *f ntinella, por esta o ter advertido de
foi
as
tre j principiados ; que poderlo ser co-
nhecidos sem sello devendo este s ter lu-
gar aos livroi novos.
Artigo a. A mesroa tsxa e sello posto
pelo sobredito meihodo e no prato de dous
mezes nesta corte e provincia e de seis
mezes em as capitanas drste estado, e do-
aue tbrava real ero assim se comportar I
lerretlido para a Csda. E pelas Patrulh
tordflrtrs, e Agentes de Policia as seguintes :
Jos Flix d'Assuirpco, Simplicio Cerdoso
Reg, Joo Flix. Mareono X*vier d Oli-
veira, Antonio Jos de Mello, AnaslacioGo-
rres, Daniel das Seres, Joo Domingues da
Silva Porto, Bento Femandes Vianna, Pru-
dencio Francisco da Silva, Bonoel Antonio,
Fideles Jcaqurm Leocadio, Francisco Fer- minios ultramarinos a excepcao dosd Ana ,
andes de Souia. Lucio dos Anjos Torres, (contados da publicado deste Airara, serlo
sugeilos os livros ds Cmaras os de notas
de tabetiaes os das Irmandades corol'ri-
i tas e ordens leiceiras os do asientos dos
baptismo cataroenlos e bito de todas as
parochias e os que fuelles lendo o prazo
do lempo estabelecido escret erem ou con-
tinuarem a escrever sem o devida pagamento
Pedro Lelo de lirito, Pedro Alvos das Cha-
gas,, Sabino Henilque Lins, Francisco Jos
C-alvo, Manoel Candido lienrique, Luiz Jo-
t Nones, Francisco de Paula Theodoro B-
jala, Tbeodoro B3irelo. Jos Pinto dos Satos
Marcelino da Cesta, Jote Noberto, Manoel
Ambrosio, Antonio Martina de Oliveira, A-,
ttt.ro Francisco d'Oliveira, Jos, escravo de ido sello incorrero na pena de cena mil res.
tramarinosj a. exepco dos d'Aria ficandol ver.ra que s restara niquelle dis.trirlo um
porem exeptuado desta laxa todos os reais l- i onerrilbeiro de prestigio ntreos seu9 socios ,
vros auxuliares e o mtsmo Diario, e Mes- j o perverso Damio por al cu n lio o ? Azeilei-
ro mas que esperava que elle tivesse i-
gualsorte, pela conlia.ica que Ihe merecii a
l'orga do seu commando que toda se lia -
va comportado dignamente e com especia-
lidade o Coronel F. Romo de Goes da Ba-
talliSo Nacional de Bja e o CapitSo Caslel-
lo Braoco de Cavallaria 3 nao spela sua
aclividadee valor como pelo conbecimento
que tem do terreno.
( Diario do 'Governo. )
JoSo de Dos Baptsta Manoel, escravo de
Francisco Joaqnim Pereira Lobo, Antonio
Alves de Oliveira, Carlos, escravo, Manoel
Pnrlella da Silva, Lucio Joe da Silva, Pe-
dro, escravo de Antonio Vieira Coelho, Cy-
piiano, escravo de Manoel Antonio da Silva
Res, Franrisco Xaxier da Silva Paulino
Antonio, Jos Francisco da Silva Jos Xi-
vier Caidoio Pedro Jos de L'arros Joa-
quim escravo Boaventura escravo, Jo-
s Flcy do Esperito Sanio Angelo Miguel
do Esmerilo Santo, Pcningos, escravo, Al-
berto, escravo, Joc Manoel do Vallo JYla-
ncel Francisco e Francisco Jos N^bre os
quaes loro presos por terem soltado fogo
proibido pelas pcs'.urvs da Cmara Municipal,
e sollos hoje por terem pago a competente
multa, em conforniidade das mesmas Pos-
turas,
Parte do da 25.
II hm. Exm. Sr. Foro hontem presos por
terem soltado logo prohibido pelas Postu-
ras da Cmara iVunicipal deMa Cidade os
individuos seguintes -Manoel da C. Pereira ,
J\!arjcel Jos Meoties Bastos Vicente Fran-
cisco de Souza M'galbes, Henlo Jos Bar-
n iros, Msncel Tiiomaz de Souia Alagalhes,
Pedio das Cliegas, Manoel Francisco, e Ma-
ncel Goteia, o quaes loro boje 6ollos por
terem pago a respeniva mnll.'S.
Partecipo a V. Px. que hontem suicidou-
te o Lidado Antcnio Joaquim de :Youra
morador no Uairro da lSoa-\isla, e que por
isso se procedeo a compeltenle vistoria em seo
Cadver.
TRIBUNAL DOS JURADOS.
Dia a3.
Juiy de Accusaco.
Denuncia do Dcrotor Promotor PnbH co,
centra Jos Vidal Nones mmreiio da Ca
dera desta eidede porinjuiias verbaes ao
Preeito, e Sub-Pieleitos: o Jury nao a--
cl cu materia para accusaco..
O Administrador da meza das Rendas In-
ternas Geraes lindo por rruifas vezes cha-
mado a todcs cs Srs negociantes, e merca-
dores de relalho tanto brasiieiros, como es-
frngenos para se.lareru es livros deriomi-
rnel de para a Real Fazenda e metade para
o denunciante alem do perdimenlo d otlicio
em que ficaro incursos os tscrivaens das Ca-
rearas e os tabelies que o contrario fue-
rero.
Surs. Pedactores.
Li no Diario de 16 'o orrente uro annun-
cio, em que se pede certo G. N. v ti-
rar huma escovinh.^dourada, que er.penhou,
quando esteve de guarda no Arceial de !Via-
rinha. Nao me admirei de saber disto por
que vejo, que s se qualifi o pessoas que
noesto as circunstancias de ser G. N. ,
os quaes scTrendo de mais maishumser-
igo atropellado, sao obrigados, para se
uslentarem e s suas pobres familias,
prcrederem d'essa maneira quando monto
guarda. Teremos de ver por mais de hu-
ma vez 1 aparecer similbanle procedimento
ate que se qualifiquein pe-soas abastadis ,
que nao venba deshonrar urna lo les^ei-
t'vel classe e a' que quehaja urna autiio-
tidade, que olbe para elia com atlenco de-
vida.
Um assignaute.
dem ai de Abril.
compra
venda.
Ouro Prata e Ttulos
do Governo.
Papel moeda ; 65 ija 6a i|
Patacas Hespanbolas 915 f)io
Patacas Mexicanas 81) 5 po5
Patacas Brazileiras 900 Po
Oncas Hespanholas i460 i47ao
Ouro por dita va i ipio iqio
Pecas de 7,5oo rs. 7660 768o
Soberanos ... i 4"i4o 44"
nscripces .... -----
Apolices com joros 4 p. 100 ~-
Acces do Banco comercial ai^f ai8jf
Lisboa
5 i iia-p. 1000 rs god, t.
53 3| j- 3o d. v. I.
42 i|i-por 4oo,, 3 m. d.
47 3|4-p 1000 d.
5s8 d 53oi p. 3 fi n. d.
45o e p. florim ,, d.
53 1 e 53i 1 p. 3 ir., 100 d.
Cambios Porto
Londres 54 i(a
Amster;
la mb. -6-
Genova
Trieste .
Pariz... -
Noticias strangeiras4
LISBOA 5 DE AERIL.
Hoje pela modrugada falleceu S. Ex. o
Sr. Manoel Gonc,alves de Miranda Minis-
tro e Secretario d'Estado dos Negocios da Ma-
rinba. To Ilustre por seus talentos, e vasto
saber como por sua integridade o Sr. Mi-
randa, tinha um dos primtiros logires enlre
as illuslracces da sua patria a quem presta-
ra longos e honrosos servicos. A tiberdade
perdeu ntlle um de seus m gos. A sua morte sera verdaderamente sen-
tida por todos os homens de hem. Espera-
mos obler algumas potas b'ograBcas acerca
deste btneberito Cidado e nao tadaren.os
tm| publicalas j porque o seu rime um
ejemplo deudo ao iuturo como o rname
nades diario rrestre 5 >ssim como os livros l0 da j)0ca em que 0 Paiz lo ultimawente se
crurcs das Cmaras os de notas de labe- servju j0 seu prebumo.
*m^>mt
HESPANHA.
Folhas at 3i. Deoito Senadores assig-
naro um protesto contra as injurias enjilli-
das no Manifest de Novembro da Regencia
con iva as maiorias das Cmaras : loi Com.
para esse fim nomeada.
A carta de Linage abaixo transcripta tem
servido de iheroa aos peridicos, e julgi-
do um manifest de que o Duque quer ser
Regente nico.
Na Caroarn dos Deputados leu o Ministro
do interior urna proposta sobre a reforma dos
loros vascongadas. Lunoz fez urna propo-
sito para se pedir ao governo o ornamento ,
e ser discutido com preferencia a tudo. A-
poiou esta propesigo n'um discurso em que
descreveu a miseria dos povos e os males
que Ibes tero acarretado os differenles minis-
terios ; e como as tribunas dessem siguaes
d'approvago, o Presidente as charnou a or-
dena. Depois do M, da Fazenda declarar que
essaseio as iutences do governo, a propj-
tsicao loi mandada s commisses por 7 re-
os contra 57.
( Diar. do Gov. )
Segundo noticios cfficiaes recebidas pelo
Crrelo de hoje as guerrillias que in'estavao
o Laixo Alemljo esto dispersas ou quasi
jextinctas.
O General Commandante da 8. Diviso
' Militar participa em a do ccirenle que em
lies osda Irmane'ade comfi arias, eor-
dens tereeirps e dos assenlos dos Bapiismos ,
^ e c^zamentos t e tiles de todas as paroquias ,
apenas o Reverendo Vigario ua Iregueiia de
S. Antonio Luiz Jos de Altuq^erque Ca-
valc.anle Linz reno respeitador da lei foi
qutru maudou sellar es livros da sua paro-
cbia e mais nimguem ; e por uso pela ul-
tima vez avisa que ihe o fim do correte t^ Q rfo aifa de Q Ccroiiel do ,. o
ir esjera que todos es mesmos venbao cum- Rfginien,0 de Lanceiros, A. P. da 1 esta No-
pnmem com o que ne ermmaale e pkra jro|iba C0ininflndan(jo unia Columna de Ca-
que nao aleguen desculpas abaixo vai trans- 1 yal,Bra e lnfanleria % para percorrer aquelle
fcriptooAlvar. distrietc e expuiga-lo das gueirilbas, c que
Fiancisco Xavier Cavalcantede Albuqufrque. !ando 0 roSai0 Coronel dividir a sua forca
Artigo 1. Cs mcs denominado diario, assim occupar 0 au e pouer conse-ui.
mtstre des neceantes e mereadorts de re- v.anlt,gem degte njovimenlo coubera trac-
talbos, Itm tiioosdocumeniosdellesex- (5odoccmiardodoTe|ieilleReuas> de Cl
trados itio millas, e de oeml.um eltilo Tal|aiia w# 5> 0 encontr d'uma partida de
emjuuo, sm que seus dtncs ter Jiao pago 16Uerrl|has a CdVaj|0 que foro cairegdos e
a laxa de vinle rtispor cada lolba, eooo ie- !tculi|ados, deixando tres monos no campo ,
arba detuninado no parrlo bum do Alvara e ,. re|,endendo-se-!hS cinco cavailos ( co-
rte vinle olio de Abril de lboa uaia cs livros u0 se les cona,ar 0 J\. '. deste Jornal) ,
de pepel ordinario perde-se o sello ot ftii- ique no ffiesa,0 dia 0 ^lieies liamos de Caval-
nbas Petes Aiims na ollima lolha o livio Ura 6 ^ Commandanle de uulia racco, en-
cmb luna \tiba cin que se decate o (.a6a- Cnlrou qualro guen libas mouda e tr roa-
ir-, nio que se fu, e o nuntro de lolbas os ^ ||M do s M tta,o ,rios e loroa-
i,iie oncaclnrocerlem tuainoo a i.ul-1^, os cavalib tm (.ue toohlavao 5 sendo o
hide unuenenle lelie as pessoas a quem 'IMU|,ai|0 aa pi.eri, cpeatudo menciona^
Htreli.artesiivros et Ui.c.rem, e que es i.s0 do Coionel, a ao.le de sets malvados em
ti.vercm felo sellaiem para u'tllis prinei- lu0JtI0 se CCIllc cS (ucuicrcsus P-
t.?rn, a mi* i.'d.pmraeo logo depois da pu_ ,^^0 SaLino e 1 ola" que asiassiuo o
l Ktuo e?it /tM.u, Unto i.csta l.lte Jofel Afieles Lagos lie C,\ia,ia3.
|,DMBHiad 1.10 < e J. 1 -iro icao tm luc, O Ceneu 1 * fcsrsfiunias o'cm. sudo, e dominios ul- ^haor quMiuo Ihe fa tW paiIiunVcio aM-
Carta de Linage.
Srs, Redactores do Eco do Commercio.--
Meus Senbores. O Duque da Victoria eu o
artigo de fundo que Vms. publicio no seu
numero de hontem sobre a Regencia, e co-
rro a avanto ter dados para atrincar a opiuiio
e o de?ejo que acerca da dicta queslo mani-
festara em circuios d amigos ha julg.do de
ver confirmar tudo quanto est em harmo-
na com seus principios e.indigitar a parle
em que se dilfere de seus sentimenlos e pro-
psitos j pois assim coasidero fazer uro bem
naco por cuja liberdade e iudependencia
nao pupado n.eu ou sacrificio.
Authcrisado pelo n.esmo Duque ratifico
o juizo de que seu desejo o de retirar-se dos
negocios pubiieos e descancarem seus lares ,
disposto sempre a desembamlnr a espada
quando a patria a chame para defender sua
liberdide e independencia. E lambem que
nao obstante este desejo se acha dispasio a 0-
btdecer e fazer que se obedeca resolucao das
Cnessobe o numero de pessoas que naja de
compr a Regencia } porem a nao lomar nel-
la a parle que as mesroas Ihe ndiquero se o
que determinaren! nao fot conforme sua o-
pinio e ao que em seu pensar necessauo
para salvar o paz uas actuaes circumstancias:
em outro caso.tera urna occasio honrosa para
re ti ra-se como desoja sem fallar em nada ao
que deve sua patria o Ihe restaudo ou-
tro anhelo senao a lfer-te engaado em sua
opinio e ver inalleravet a paz. UD!-o 0-
bp;cio de todos seus desvelo* esubelecida a or-
dem que km e fazer lelie esta uii,o magn-
nima e assegurada para sembr sua Uoei-
Uaue e inuepciiueiioia.
Sirtao-se Vma, uarcabidd etn seu aptecia-
vel periedico a esta manifestico e ficar '
reconhecido seu alfectuosissiroD &C. Fran-rf j
cisco Linage. 4
Madride 37 de Marco 18} 1.
PROTESTOD DE 18 SENADORES ES4
PANHOES.
Ao Senado.'
" Os Sensdores abaixo BSignac1o9 que j| ]
o eramos as cortes do anm prximo passadoi
e geralmpnte votavam^s com a nmeros*
msioria do senado esperavamo9 ancosamen. ,
te que chegase a occasio oppqrtona de l-
vantar-mos noss voz contra as falsas aecuss-
c5es dirigidas s maiorins dos corpos cole^is-
Indrres e por conse^uinte contra a repre-
senlaco nacional. Houveramos dado este
passo ha msis temno aproveilanJo a primei-
ra sesso ,do senado seconsiderages de alta
p.ilitica, que sem duvida saber appreciara
s raio nio os aconselhassern sacrificar ao
bem publico os nossos mais vivos desejoa.
iroputaces que a revolucio de Selerobro nos I
prodigalisoo em peridicos em folhas vo-
lantes e em discuasos publicados por algu-
mas corporales pooulares : a sua qualiSca-
co pertence e nos a deixamos so juizo im-
parcial da verdadedira opinii public-i.
u Obrga-nossmente a fallar cmo u-
riieo decumento que merece a n js^a refutaco,
o manifest de a de Novembro dirigido aos i
hespanhoes pelo onselho de ministros qoa
provisoriamente governa o reino, no qu ti
manifest por urna singular inecnsequeneia,
ao mesmo tempo que se decidiu abertamente
pela permanencia do senado conforase a Cons-
tituido compromettendo-nos assim, equa-
lificando-nos de bons para continu irmos nos
nossos logares imprima a regencia todava
as notaveis passagem snguintes
' A ningem pareca \ possivel que ana-
cao se salvasse da rede em qu a tindo in-
volvida os inimigos dos seus direitos tinho
oceupadas todas as molas e me i os de governo t
dominando exclusivamente nos corpos legisla-*)
tivos por raeio de maiorias ficticias artificio-
samente combinadas; entregues os ministe-
iios a cegos scravos seus : eo que era anda
mais triste sedozido fjrca de sujgestes
insidiosas o poder supremo doesladj. J os
Uespaulioes vilo cheg^r o momento desere-
ru ocsv.'.iiui-lo da annode 14 parit d-
canco de 7 annos de fadigas e de combites e
em recompensa da su 1 conslanci 6delidada
e servicos se contemplavo atados outra vez
ao jugo da servidlo coco as prisdes forma-
das pela sua mesan lealdade.
" Nos outros como inviolaveis, por nossas
opinies e votos no exercicio de nossa encardo
conforme C->nsiituco nao reconheceroos
no conselbo de ministros que governa agora
u reino nem em algirn outre goverooodi-
reito de acedarnos por isso No outros nao
tivemos antes nem havemos tido depois, ne-
nbnroa outra noticia, nem havemos visto a
menor prva de que exulisseessa rede em que
se suppe iuvolta a naco pelos inimigjs da
seus direitos nem de qua se intentaste re-
petir o escndalo do auna 14 para at-la da
novo ao jgo da servido. Ns outroi nao
podemosonceber cano possao charoar-se fic-
ticias as imenensas muiorias dos representantes
da nago legal e constilucionalmente eleiios ,
nomiados e admiltidos. No outros pela par-
le que nos toca e roesroo eremos poder asse-
gurar outro tanta ero no ue de nossos aatigos
com|ianlieiroi repelliroos e rejeilamos to
altamente como podemos a falsa assercio de
que os inimigos das direitos da naglo domi-
navio exclasivatnenle na< corpas legislativos
por roeio dessaa maioriass q' -perteucemos. Wo
ctitros por tanta protestamos anle a naco eO
mundo inleiro contra essas eoutras injuriosas
re^Timinaces d-: qoe se nao ha dido nem
possivel que se d ptva algmaa : protesta-
moa igualmente que noisas uau intimas can-
vic^es e otestemualu d^ osia conscieiicia
nos asseguro ter cumpri lo b. ro elielmeiite
os deveres de uosso cargo luver guardado
religiosamente a Corisliluico da monarcliu
que juramos, e lia ver sido Gersemtudoa
nossos jur.tinentos. *
' A nossa honra offendidaj exigia de nos
esta satislaeo ante o senado ao qusl anda
pertencemos t e a exiga tarnliem o inleresse t
a eslabilidad8 das nossa lustiluuijes. .Ma-
drid a? do Marco de lo4. ( Segutnu as
assiguaturas ;
Madrid 8 de Abril,
-Hontem uoile a lgreja dea.Sebistiia foi
iheatro de uro grete e lameutave ecando-
lo. Litando a clcbrar-seos olhcios divinal,
proprios 00 da eooce^ro varios joVtrnf-.
que iormuvo um ^r upo deuiro da uesuia H


i
DIARIO I>E r'UNAiBHCi'
I
rre^A -cupir e a commetter mitras irreve-
rencias. A indi^nacio que produziu este he-
lo lo i to*xtraordinaria qae apesar da au-
dacia dos leus authores fora. estes expulsas do
templo pela) pessoas queelli estavo entre
ellas um Sacerdote que nao p;d ro tolerar
i to grande profanarcio. Isto porra fez que se
nter rom pesse a sngrada ceriroouia e al-
preja ficoo quasi disorta* Anude vamos pa-
rar ? que o que se quer ? Oude estamos
que taes allenlados se reproduzem e p:tsso
estranhos as amtboridades ? Pois nao bastara
essf folhelin do Huracn de terca feia que
fez estremecer as pessoas mais despreoccupa-
das mas anda era preciso profanar a santa
religiao de nossos paes por vias do faoto ? \
verdade que So possivel adevinhar aonde
nos condusem. A Deputaco provincial de
Albacete ameaca o Summo Pontfice coco
novos Luleros; o Huracn insulta o Principe
da lgreja e falla da sua sagrada Pessoa em
termos que seiio fortes se se dirignsem a um
alcaide quaiquer i o Madrid se profanSo
ps Templos com cuspidos edesordens as
solemnidades mais augustas e maiores da
eligio Caiho'i'-a : e apezar de tamanhos e
de lo transcendentes acontecimentos, nao s
se nao lazcso mas que se cito com re-
comncendaijao e com louvor. Algum dia ,
qnando o mal lr to grande que perigue a
existencia se querer remediar mas lalvez
que eulo seja tarde. ( Correio Racional. )
de no em quinto ao de demais. audo aos abarrar e leval-a a casa do sua Sen hora na
de pao w q ________ Ran_i n_ =,. j ){ TavaresCaju.
Miln -i d'Abril.
S. Jd. a Raiitha Christina chegcu a-
cui no di. 3o de Marco s quatro huras da
tarde. Apeou-se no Hotel-de-la-Ville on-
de achou urna guarda d honra que despediu
quasi immediatameule depois da sua cliegada.
As Auiboridades civis e militares viro cum-
pi ment-le. ,
Hornera S. M. foi Scala onde se ihe ha-
via preparado um espectculo extraordinario ,
coa posto de dous bailetes e de diversas pe-
jas de cantoria. A Raioba, ainda que nini-
to fatigada s seretirou-no fim de ludo.
S. M. viaja incoguita com o nome de
ConJessaad Vista Alegre. Depois da sua en-
trada na Lomfc>rdia lera sido oobjeito de mui-
tos respeilos e alemeles da parle das aulhori-
Snrs., eos estimo de todo o coraco, e que
este sira me fico todo inteiro.
( Peridico dos Pobres na Porto. )
COLLEGIO PEllNAMBCANO.
ATERRO DA B0-V-TI8TA H. 6.
CURSO DE GEOGRAPHIA ,
PROFESSAOO
por
Fr, Joo Capistrano de Menflonca
Lente substituto Bernardino Freir de Fi-
gueiredo Abreu e Castro.
Abre-se de novo este Curso no I. de T-
Iho prximo. As pessoas que se quizerea
matricular como alumnos, podem dirigir
se ao Collegio Pernambucano a qaajuelr
hora.
LOTERA DO SEMINARIO.
Reitor do Seminario d Oliud.i convida
os amantes desta jogo n compra dos bilhetes
da 2.a parte da 17. fl Lotera, cujo plano
foi publicado e as rodas andnrd no cor-
rente mez dependen lo o dia da concorrencia
da venda : Os bUhetes acho-sa as casas se-
guntes Recifr ra da Cadcia loja d- Cru-
bio do Snr. Vieira S. Antonio ruadoCa-
bug loja do Snr. liandeira Boa-vista bo-
tica defronteda Matriz do Snr, Morera, em
Otinda nos quatro cantos venda do Sur. Jo-
s Manuel dos Santos.
THEATRO.
Heje a6 do corrtnte beneleio do peque-
no discpulo de Mr. Robert, Expectaculo no-
vo. |. parte, Mr. J. Robert prestigiador .
e mapico ter honra de p/inciniar esta
graude funcao por urna grande variedade de
Jdgos de phuica mgicas sortes e des-
trezas as mais surprehendunte?, com as quites
est certissimo de deixar satisfeilo e admirado
o respilavel publico. 2. parte, a Compa-
nhia Dramtica representar a graciosa pega
do grande Antonio Xivier intitulada o
dades; eoo todasas Lid;idesem que ella se de- O Marido Zelozo 3- parle, Mr. Robert
mora, os delegados das provincias e os com- ter a satisaco de concluir este graude Ex-
as suas homenagens o naquellas por onde
epssava as aullioiidades se ajjpresenlavo
UI<
dmUquU tto* uo todito Gurproliuntlviitc
nunca visto ueste Thealro e que se deno-
mina em Francez La gran IJallet des Sor-
de uniforme poslinhnla da carruagem pa- j ciers em que dancar com muita aplido
ra rectbeiem as suas ordens.
S. M. partiu boje para Come j nao volta-
r aqui, e nicamente atravessar Turin.
( Jolln, dos Deb. )
VUEDAD&
Guarda JNacional de Pars*
Conielho de Disciplina.
O Presidente chama o un usado e appare-
te um homem de capa a quem o presdanle
interroga nesles lemos :
Snr Veimontier. Vra. accuiado de resis-
tir a lser o stivicoda Guarna JNacional,
V. Sim Snr. j feu roe liego absolutamente ,
nunca as minhas mos (;egaro em urna arma.
P. E porque ?
V, Forque nao olho para osSrs. com bons
cibos.
P. Nos o obrigeremos a marchar.
V. baldado empenho l ja u-ass deitarei um
palraz do outro.
P. U que Vm, diz inconveniente
V. De modo uenhumj nao lato mais que ex-
presar que eslou lorio do estado militar.
1*. forque 1 asi !
V. Poique tie ogosto de receber Ires bala-
ios debaixo do 1 ^raoso clima de Italia.
P. iis;a urna i'a.,...
V. Alem isso na Russia deixei hum bra-
co e uro olbo e nao lenbo queu l v bsca-
los (riso geralj
P. Devla Vm. tel-o dito.
V Tentio laiiibem um dedo de um p no
Hospital do Vale lia Graja ; e me leero lhr-
mado que recolliidosouira vez oscedos ilo
se divotve o seu valor.
P. isto mais que suficiente para,. .,
V. 5 i>so nao bistasssj leuUO "lem disid
um dedo da mo esquerdl no Fgyplo ej
denles em Vienoa Ausliia j o Govcmo que
os leclame.
O Presdanle rindo-se deldrmi.ia que se
risijue, e enlo o invalido d^ ii si.-i da Legio e
acensadj diz ;
Ja vteoa os Shrs. que eu tinb rasa o para
diser que nao via os )ltCS com bens ollus, por
sso quo me laltava um j quej mais me pi es-
tana-a fegsrem urinas as n,os,porisso i| nao
tti;p.u as.tlo*s ^ que nunca deilaiid um pe a-
azdtfcmrb ," jJUsioquu leiiim uma jirOT
e sero tantas e se multiplicaro as persona-
gens do baile, que enrherao a bocea do Tnea-
tro. No dia de S. Pedro alem do outro no-
vo eescolbido Espectculo, est Madame lio-
beit se preparando p*ra trabalhar sobre barras
de ferro em braza como a enviada do Re do
fogo.
Principiar a? horas docoslume.
Avisos Jji versos.
ST Quem precizarde um moco Portuguea
chegadoa pouco para caxeiro de ra ou de
qualquer armazem de atacado prestando ll-
anca necesssria, annunce.
tST Quem precisar de uma mullier capaz,
e activa para o servico iulurto de uma casa ;
dirija-seao Atierro defronte do viveirodo Sr
AtUioilj caza t). ii, que so Ibe dir que.o he.
tsr l'erdeo-se uma caixa de prala lavradi,
na note do dia i3 du torrente desde o beco
da pol hindo pela ra do Crespo the o
tanque d'a^ua da ra da Cadeia, quena achar
queiendo restitiii-G ao seo dono j- dirija-se
a iui dos Quarteis D. 3 gue ser geue-
rozamenle recompeucado.
tur Na noite do dia 23 para 24 do cor-
rente apareceo no silio do Snr. Joaquim For-
ua 11 des de Azevedo deronte do Pombal um
cavallo cora cangjlbas com um par de Cas-
simbas ; quem for seo dono duido os sigo iei
serlos e pagando-llie a destruico que u di-
to fez as lavoras Ihe sera entregue e ad-
vtrle-se qu nao responde por qu*t quer des-
caminho que o dito ievar.
&tr A pessoa, que poisuindo 8 a 10 es-
clavos, e llie Hzer cunta administrar u;n ea-
enho que se est ievanlando, entrando
com os duos escravos por engajamenlo 5 a
tallar com o ^r, do eiigenho Matas, d.i Fre-
guezu do Cabo uiomuor na i ua do Roiario
.-rga venda L>. 4. ^
BT vi' uta io do correute Junho furta-
lo da caza do aba 1x0 asiiguadu u,ua escra-
va de uome Feltrdi cuoua uu ca-
nellus braucoi na cabera e lamben ua barba
lem a perna dueil um^tanl.^uixada, as cos-
USCot marca de rtlh esia acoitumada em
ceno sino 00 Arraiai, ou em tenas uo euge-
nbo S. Jozo ;ru,ja-se n ra d.i Rangel, D. 5l. J >'.h TavaresCaiu.
a^p- A pessoa que annnn-io querer fallar
com Nono Camello Cavalcan'.e Pessoa ; diri-
ja-se ao escriptorio de Joo Pinto de Lemos.
c&" Aluga-se annuilmente urna morada
de caza terrea com duis portase duasjanel-
1as, e um quintal grande com varios arvo-
redos na Cidade de Olinda ro do Vara-
douro : quem a pretender dirija-se a esta
Cidade na ra de S. Francisco a fallar
com o sea proprietario Manoel Antonio Coe-
Ihode Oliveira.
ty O abaixo assignado mmliu a sua re-
sidencia para a ra do Rozario estreita 3.
andar do sobrado junto ao em que mora o Sr.
Dr. Moraes Sarment, e ah offerece seu
prasliroo aos Srs. pas de familias que qui-
terem mandar ensinar primeiras letras a seos
filhos.
Emilio Xavier Sobreira de Mello.
Mr Na paderia de Joo Lopes Lima pre-
ciza-se de um ou dous miceirs forros ou
captivo*, sen lo peritos, nao se repara o
prego; tambem preciza-se de um caixero
para tomar conla de uma ca-a por bataneo ,
dando fiador a-sua conducta.
sr Os Snrs. Francisco Augusto d'Aeeve-
do e Silva e Theo Joro Augusto de \ze*edo e
Silva lena uma carta na loja de Carioca &
beite ra do Queimado D. i3.
iS1" Aluga-se uma preta para ama de cria-
co a quai nao lem Sitio : quem a preten-
der dirija-se a ra do ColIe,;io, D B que
se dir onde mora o Snr. da dita pretu.
%&,' Rjga-se ao Sur, Nuno Gmelo Pes-
soa Cavalonii, ou a quem as suas vetea fizer,
de dirigir-se a ra do Queiondo loja D. 5,
para se Ihe dar noticia de um seu escravo que
an Ja fgido e quo esl em riscode o per-
der se nao der as suas ordens coro prona -
tnlao,
tsf Aluga-se um prineiro andar de uma
casa com cmodos para grande familia .
quintal e cacimba ; assi.n como um grande
armazem por baixo do dito todo ladrilhado
de pedras e por ler o embarque na porta to-
da hora : us cazas de Joaquim Pereira de
Mendonca na la da praia a diaute da ri-
beita d>> peixe.
tS3^ Roga-se ao Snr, Joaquim da Foncfca
Soares de f'igueiredo de dirigir-se a ra
do Qieiruado loia 13. 3 para negocio de
seu mteresae.
SSfcv- Dezeja-se atugar uma caza em Olinda,
as ras seguintes : de Vlithias Ferreira, I5i-
quinba de S Pedro ladeira do Varadouro :
quem liver annuncie ; adverte-se tambem
que o seu aluguel nao hade exceder de 4*/ rs.
isr Quem precizir de um rapaz portu-
guez para feitor de um engenbo do que tem
bstente pralica ; annuncie por esta foi na ,
para ser procurado.
tS9" Preciza-se de 4uoDooo rs. a premio
de 1 por cento com hypotheca em escravos 1
quem os quizer dar annuncie para ser pro-
curado.
%gr Preciza-se de um mestre de Francez ,
para ensinar a fallar : na ra Nova O. 99.
ss/" A pessoa que annunciou que se pro-
poem a ensinar a ler escrever e contar fo-
ra da praca ; dirija-se a ra Nova loja de
calJereiro D. iJ.
S37* Ainga5-se duas casas terreas defronte
de b. Joze do Manguinho: quemas preten-
a ra d'\<: .as-verde D. M qae et fcoa
recompeneadi.
t^ A pes*oi qne quer es^-v-irta-w^ e*-
bra de idade *o anno ^*h" wiff-
rnar cozinhar, e laaf ; m o mvro4t%
par meninos e se vende or preet ; dw-
riia-se a ra do Livranaenta caza l). 11
que se dir quem o dono para et-m Ua
tratar negocio,
sf PretenJe-se alugar um sobrado de aiam
andar com bastantes comaaodo e quiatal,^
nos birros de Santo Antonio oa B>aita
dando-se de aluguel al a quantia de trezea-
tos mil rs. anonas ; quem o ti-er annun-
cie para ser procurado*
33* Quem quiser comprar a-n viola, e*
muito bom eslado e por preoa coaamida ;
dirija-se a praca da Independencia loja ds
encaderuador*
%ST Albino Joze Ferreira da Cuoha, cota-
prou ddi raeioi bilhetes da a. parle da 17.
Lotera do Seminario de Olin la de n. 3*85
e 3189 por conla de Jote de Carvalbo M-
deiros
T* Uma pessoa de boa conducta se oae-
rece para cobrar dividas fora desta praca ,
sendo somente para o norte e para isto d
cohecimento de sua capacidade, em quanto
o ajusle far-se-ha a violada quaro quizer a-
lisar-se de seu presumo ; o pretndante*
dirijo-se a praga da ioavista que acharo
om quem tratar aa botica de Braulio Ro
drigues Texeira.
GT- Quem quiser comprar um porcio da
carrafas o-etas por preco muito caonodo j
na esquina da ra do Af*g<3 vend D. 2,
tsr Aluga-se uma grande loja na ra Dt-
reita, no ndo da lgrej do Li-ra nenio,
naquil sempreteve toja de miudezas; e por
isso esl bom afreguezada | os pre'.ea laatea
dirijo-se a ra do Qaeimalo D. 1 que
se tratarjdo ajuste.
isy Preciza-se de 5ooUoo) rs; a premio
de dous por cento com hjrpaMoa en do.n es-
cravos t quem livar annuncie para ser pro-
curado
t^* Preciza-se de duzentos mil rs. a pre-,
mi por seis letea ; quem liver annuncie.
ssr Q'im quizer lene boa e puro, se n
uma gota d'egoa pelo raesmo preco que geral-
msnte st vende de 5 piucas ; procure no lar-
go do Terco no sobrado d um andar que tea*
loja de miuiazas oe3 d > Anai n Jde a-
manh sabbado a6 do correte em diante ,
devendo estar prompto as 7 boros da mana
t> A pessoa que annunciou querer com-
prar escravos de 10 a ao anuo e sem de-
fetos ; dirija-se ao fim da ra do sebo da
Boa vista em sobrado de 1 andar parede meia
do Capito Luiz de Pinho Borgei, que axar
um sem o menor defeilo e que se venda
por grande necessidade e para se remir cre-i
dito,
%&" As pessoas que prelender9in comprar
as mideiras do ex-Theatro de Otinda, e mais
pertences nelle existente podem contratar
com o Snr. Lourenco Antonio de Albuquer-
qu<5 e Mello morador na mesma Cidade.
S3T" A Barca lnleza Science Capit
Richard Vlarman. chegada a este porto co n*-
guaabrta-na sua Viagem deiVew York a No-
va Uollanda precisa de dinheiro a risco sobre
o casco e carga para faser os consertos necesn-
rios de seguir sua visgem quem quise r faser
este negocio poder eniender-se com o Capi-
der dirija-se a ra Nova loja de Calderei-hao em casa de Smiio & Corbelt nJ ruido
do Tr.apixe Novo n. i5.
ly Huma sen hora prope-se a engordar .
com toda a promptido e a ocio pr pre?o
maiscomodo que em qualquer outra parle (
quem do seu presumo se quiser ulilisar din-,
ia-se a ra daPraia por detraz di ra do Fa-
gundes casa verde junto ao sobrado de dous
andares.
tsr No dia 8 de Marco dezapareceo do po-
der de Francisco Severiano Uabatlo > um .es-
cravo por nome Domingos representa ler da
idade ao a 24 annos, pouca ou nenhuma
barba estatura alta, cor fulla olhosgran-
des e esbogalhados he mullo bem parecido,;
tem cicatrizes as pernas logo cima do lorno-
zello, e falla que oarece creoulo : tem omcio>
de canoeiro e como at agora uo tenba ha
vido noticias djlle ; supem-se que teuia ido
para o millo ; roga-se aos capitesde campo
liajo de o procurar e agrralo e lvalo a
casa do sobredio uo forte do Mallos, ou a ca-
sa de Francisco Rodrigues da Cruz ; na ra.
dos Quarteis que sero bem recoaaen-j
sados
Vende-se 36 globos de vidro. 4o bancos
de doze palmos cada um muitis tibois. que
servem para lampos de ataviaras caiuros ,
Bocaaoieia e tabeas d levfai as grossoras,
coia inuiusdbratli .la e nutres arranjos U
es tbeatro de Oiiuda, ludo pur peoo co>nmo -
ro, D. I64
SSW Ruga-se ao Srs, Antonio Joze Antu-
nes Ouimarus, e a Jote Ignacio de Oiivei-
ra de viiem receber urnas cartas viudas
do Porto : na ra Nova, U. ij.
tST N. O. Bieber i& Companhia e Le-
noir Pu j,et & Companhia ua qaalidade de
Administradores dos tullidos Joo Joze Fer-
reira de Mello & Companhia oiferecem
venda por intervenuao do Corretor Oliveira ,
os arligos que compunho a loja de ditas
Mello & Coinpinnia, consislindo em um
completo soilimento proprio para s'estabeile-
icr uma nova loja de miudezis : os preten-
denles dirijo-se ao dito Corretor o qual
apresenlara relaco dos arligos mencionados,
cujos podero ser ex tramados em o armase m
de ditos Lenoir Puget & Companhia, ra da
Cruz.
i^* Quem quiser dar 3.oooUooo rs. a ju-
ros com ivpoiueca em uoia caza, sia ik
bairro de.danto Antonio j anuuucie para sci
procurado.
US" Aluga-se ou vende-se uma escrava
mulata que sabe fazer iodo o seivico de uma
caza idade i-j aunos pouco mais ou menos ;
quem precisar annuncie ou dirija-se a ru>
do Cabiig luja do Sr. Garca junto do
dr. Joo Moreira.
4ar Quem liver o Diario de Peruambuto
uo ; a lal Li n Rtiilti uv ltatro pub.ic.
*A
MUTILADO


DIARIO BE PERNAMBCO
mm
r Perlende-se fallar ao Sr. Joio Mar-
ques Ferreira quira annunciar a sua nao-
ruda.
A visos Ma ri t iinos.
porcao de pedra pomc e zeitona a a4<> a cima toda cnvidrarada envernisala e inda
RIO DE JANURO egue com muita bre-
vidde o Patacho Nacional Josephina de
boa marcha ; quera qui passagero dirija-se a Gaudino Agostinbo de
Parros. na prncinha do . 67-
PARA O MARANHIO' segu viajera
cora muita brevidade por ter a matar parte de
ti cairtgaroento prompto o Patacho S
Joo, fmado e pregado de cobre e de r-
bida marcha ; quera quiser carregar ou ir de
passagera e mandar escravos dirija-se a
F M Rodrigues & Irmos ; na ra do tra-
piche quina d dos lanaeiros n. 1 3.
PARA OXEARA' o rigue Escuna Rai
riba dos Anjos sabe com a roaior brevida-
de pnssivel por ter roaior parte de sou carre-
gamenlo promulo : quera quiser cariegar ou
ir de passagem dirija-se a Manoel Joaquina
Pedro da llosti na ra da cadeia do Recit*
L e j i o
tar Que em presenca do Cbanceller ds
Consulado de Franca se far por intervenco
do Corretor Oliveira d urna raixa contendo
j6 duzias de carneiras a variadas, embate 1-
das a bordo do navio Francez Menard nau-
fragado na costa de Inglaterra e reembarca-
dos depois no Havre a bordo do navio Fran-
z Casemir Delnvigne para este porto ; se-
cunda leira a8 do correte as 10 boras da
roanli no armarem de Manoel Joaqui.n Ra-
nos e Silva na ruada Cruz.
\ar Que fazcm N. O. Bieber 8 C, por
intervengo do Corretor Oliveira de um
grir.de soriimenlo de ferragens finas e gros-
sas entre estas mudas espingardas de di -
Arenles qualidades e de inultas miudezas
pata l'eixar facturas ; quinta feira primeiro
de Julbo as 10 horas da manh era ponto no
seu armazero da ra da Cruz.
tsr Que fzem Jones Paln & Compan'iia
cor interveneo do Corretor Oliveira, do
mais completo soriimenlo de azendas ingle-
sas mui proprias deste mercado e entre ellas
de urna porcao de coLertoies av.iii.nlos, que
serao vendidos por lodo o pi60 e por cotila
de quen pretemer quaila leira 3o do cor-
rente as io horas da manh era poni no seu
armazem da ra do trariebe novo.
garrafa : na ra nova D. a5.
tsr Um casal de escravos sendo o preto
bora serrador e carpinleiro e a negra eoxi-
nha o diario de urna casa na ra nova D-
cima 16.
KST Quatro duzias de assualho de louro ja
serrado com 3o palmos de comprido e mais de
* de comprido ; na serrara de Joo serra-
dor ra da praia.
ar lira preto de naco de idade de a4 an-
uos da-se muito em conla por seu Snr. re-
tirar-se para fora da provincia 3 na ra do
collegio O. 4*
tsr Sacas con farelo de superior qualida-
de ; emeasa de Matbeus Auitin & Corapa-
uhinba na ra do Trapiche novo ti. ia.
tsr Urna escrava de bonita figura de
idade de 14 anuos ; na ra Augusta O. ta.
ssr Um ternode medidas de pjy um bra-
co de batanea um terreno de pesos da mera
arroba al meia quarta ; na ra do Calderei-
ro D. 26,
Sal de Cdiz a bordo da Escuna A-
C o m p r 1 &
Escravos de ambo? os sexos de idade
de 10 a ao anuos com habelidades ou sem
ellas nsaim como urna negra que seja moga,
equeseja boa engoxmadeira e coslureira, nao
e olha a preco e um preto moco bom mar-
cineiroou carj na para lora da provincia;
a fallar com Antonio Francisco dos Sanios
Braga na ra da ]\]ceda n. t4.
tsr Uuas escravas creoulas ou de naco,
de idade de na aa anuos sendo para erige-
nl'.o ; na. ra direita D. 2o lado do Livra-
txento.
Vendas
Escravos de ambos os sexos e niesmo
coro officios 3 para lora da provincia 3 era ia-
sa de Gaudino Agostinhode barros, na pra-
inba do Corpo Santo I?, I7.
ssy- L'ma porcao de 1000 a 1300 pedras
pnra ladrilho de marroore 3 quera liver an-
nuncie.
SST Um selim em meio uso com os ar-
reios 3 quem tiver annuncie.
tsr Leile puro sem Bgoa principia hoje
a vender no largo do Terco sobrado de um an-
dar junto ao do Snr. Amorira as 7 horas
da n mi a a preco de cinco p. lacas a caada;
quem quiser dirija-se ao mcsie logar que
sero Lera servidos.
sar Penetras de rame, e balanzas para
sssougue ludo muito em conla ; na iua no-
va V). 17.
tsy-Uma morada de casa terrea em excel-
len'e locar por ser em urna quina de duas r-
as das prir.cipaes da boa vista com oiloens
dtbrados com alicerces que se pode levan-
tit umexceiienle subiado de dous andares,
pela sua prolundidade e largura ; a tratar
ua ra da Cuneeno da boa visto i), i,
ur Lina negrinba de idade de 10 annos ,
cese sotnvtlmeiile muito esperta e bcra pa-
recida ; na pratinha do Liviaroento 1 i.
Sij~ V int.u veide engarrafado a u6a, e sem
parrafea aoo is, quailodecaixi de passa ,
inrelas de figos dos ntliious que existem
o a relulbo grao de bicu muito novo, e urna
mcricana Celenly ; a tratar cora os consigna-
tarios L. G. Ferreira& Mansfield.
tST" Uro pardo escuro de idade de a5 an-
nos bom pescador de tarrafa na ra do
Vigario n. 7.
sssr Urna murada de casa de sobrado de 3
andares na ra da Cruz do bairro do Recule ,
D. 7 e outra dita de dous andares ,na ra lar-
ga do llmtrio 1). 1 a tratar no atterio da
boa vista aa,
t-y Urna morada de casa terrea sita na
soledade D. 38 era chaos proprios a tra-
tar na ra de Hurtas D. 5,9.
US" Urna bonita escrava de naco angola ,
de idade de ao annos, cose, engoirraa e
cozinha o diario de urna cisa } na ra da ca-
deia do Recife n. 1a.
S3f Caluros, pedacos de cordas que po-
dem servir para andames seis arcos para
portas de varaudas e trez caixas para caixi-
jlhos de janellas. por pre9o commodo } na
ra das Crines D. 9.
K39~ Garrafas com mel de abelha oruca
i 5Go com a g-rrafa e sem ella a 480 ; na ra
do Codorniz n. 7.
tsr Um telogio de cima de mesa, bom re-
gulador por ao.ooo na trerope no sobra-
do que li-.n aula publica.
S57" Ou aluga-se urna casa de pedra e cal ,
com rnuitos comroodos quintal grande ca -
cimba com excedente ngoa de beber na es-
trada da soiidade que volla para o mangui-
nd ao f. do ferrtiro j a tratar na mema
tenda de ferreiro.
cr Um corrame de lustro em meio uzo ,
por muito commodo preco 3 na ra do Ara-
gao la.
xsr Dous chechees cantadores 3 cases de
rolas de Ilaroburgo um casal dita galegas ,
e um dito de Fernando; na ra de agoas ver-
des O- 33.
tsr Dous cavallos de carga muito novos ,
i por preco commodo ; na ra do Cabug luja
i D- I'
fcsy Um moieque de naco de idade de 14
annos ; era lora de portas na venda por bai-
vo do sobiadinho iiindo para o pilar a es-
querda
KT7* Um sitio no arraial com boas laran-
geiras mangueiras ejaqueiras baixa pa-
ia capim bastaute terreno para plantacoens
e para ler 8 vaccas de leite ; e metade de
urna casa na ra do cotovello o sitio be o
que loi do Marroquim ; a tratar na ra nova
cura Domingos Anlunes Viliaca
sssr barricas com {arelo a 5ooo ; na praca
da boa vista venda U. 9 e no armazem de-
ironleda escadinha da alfandega,
lij- Lima armaco de Joja do couros e sa-
patos na tua direita U. por baixo do so-
brado do Sr. barbalho ; a traUr na mesma
1 ua toja de azendas l). 41.
SSr Um esciavo de naco mocambique ,
de idade de j(j anuos bom ofcul de pe-
drtiro 3 na ra do Crespo D. 12.
tsr Um carro de 4 rodas ebegado de In-
glaterra novo e de gosto moderno muito
lorie e maueiro ao mesmo lempo cora ar-
reius completos para dous civallus 3 no alt r-
10 da boa vista em casa do segeiro Miguel,
tsr Qualro colecoeus do Panorama en-
cadernauos e completos des de o primeiro
nuii.1 ru ai u u'u t 10 jo e um volume do
mu*eu porluense 5 na 1 ua dos Quarleis D-
cima 5.
tsr 44 meias barriquinhas de assucar
biauco Lera secco e acondicionadas 3 na ra
do colegio D' 7 por cima da loja de livros.
T Salitre refinado em barril de isa li-
bras por preco commodo j no armaxem da
iua da senzala velba n. at>.
tsr Urna comm0da com urna eslante ero
nova da-se bera em conta na trempe so-
brado parede e meia aoCapilo Luis de Pi-
tillo Bordes.
t^ Una armacode loja par preco com-
modo na entrada da ru 1 direita defroute do
oito da Igreja do Livraraenlo D. a5 alu-
ga-se tamben a loja ; a fallar na ra da sen-
zala velha n. a6
f^> (Juna negra de naco de idade de ao
dnnos e um moleiue de bonita figura de
idade de 14 annos, vende-se por seu Sur.
relirar-e para fora da provincia ; na ra do
colegio D, 10.
tsr Taixas para engeuho a lo3 rs. a libra
e servej a a retalho 3 no armazem de Ierra-
gens de Johnstou Pater & Companhia na
ra da Madre de Dos.
*sa" Arroz pilado tanto em saccas como a
relalbo por prego cmodo : ua pracinha do
Livj-smento venda D. a5.
ar Sacas com farinba do Rio de Janeiro ,
assimecrao deSoruy e Mag superior a da
Vloribeca cl.egada recenteraente > no arma-
zem de Antonio Francisco dos Santos Braga
na ra da moeda n. 4a' ,
ar Cautellas da Lotera do Seminario ,
ganbandoa vigsima parte dos premios, ca .
bendo na sorte dos 4 000,000 duzeutos e os
mais premios em proporco : as lojas dos
Snrs. Quaresma praca da Independencia ,
Victorino ra dos Quarleis D. Claudio
relojoeiro rna do cabug Caetano atierro
da boa vista n. ao ? em Olinda ra de
Mathias Ferreira n.4 Sauza Pinto Bal-
tar e Dias & Cunba na roa da cadeia ve-
lha e e casa do Caixa na mesma ra n.
54 ondehiver sempre bom soriimenlo de
nmeros, levando urna camella gratis o com-
prador de i5.
tsr Um escravo de idade de ao annos ,
paraqualquer servico j na ra do Crespa lo-
ja D. il. !
tsr Genebra em frasqueiras de doze fras-
cos 1 da- priraeira quaitdaJe por 4o )0 j na
ra da Cruz D. 4* 1
tsr Um preto moco com principios de car-
pina e serrador : na ra das larangeiras casa
de dous andares que tem coxeira.
tsr Urna escrava boa lavadeira, cozinha o
diario de urna casa pelo preco de a5o,ooo :
na ra de borlas no segundo andar pegado a
Igreia dos Martirios.
tsr Quatro pipas com agoa-ardsnte, bran-
ca de muito boa qualidade no largo do Livra-
mento Armazem de louca l). 10
tsr Um (fallo russo bonita figura passei-
ro muito bom carregador e esquipa ; na
estrada de Joo de barros sitio do Snr. Lou-
bato antes de ebegar o beco do espinbeiro que
acbain com quem tratar.
tsr Dois moleques pessas de nago ida-
de i a 15 annos sem vicios nem achaques de
bonitas figuras urna escrava de boa condu-
cta idade ao annos he recolhida, sabendo per-
leramente engommar, cozer, lazer lavariuto;
urna dita idade 22 annos boa engommadeira, e
cosinheira urna dita por 3Bo,ooo idade 18
annos faz todo o servico de urna casa urna
linda moleca e 1 moieque de idade de la annos
Ireaescravo e um molatinho proprio para
pagero 3 vende-se por muita precizo na
na 1 nade Agoas verdes D. 33
JhJscravo Fgidos
%
> No dia 8 do correte fugio um escra-
vo de nome Manoel crilo de idade de ao
annos estatura regular figura proporciona-
da cor fula sem barba com ollicia de sa-
pateiro levou vestido carniza de riscado e
calcas de la com listras he filho de lagoa no-
va fugio da Parahiba e julga-se andar
pelo Recife ; quem o pegar leve a ra da cruz
u. 60 que ser muito bem recompensado.
f^> No dia ao de Junho do correte fu-
gio um preto de nome Manoel de gento de
lienguella, cem os signaes seguintes, alto
cor meia fula tem urna sicatril no beico de ua
pancada camisa de estopa ja velba calca de
algodo de correr chapeo de palba 3 quem
o prender leve na ra das 5 ponas D. 14
que ser recompensado do seo imbolbo
tsr* No dia 18 de Junho do correte fugiu
um negro bucal de nome Francisco cujo tem
os signaes seguintes ; alto sem barba bem
preto, supoem-se ler levado vestido camisa e
calcas de algodo e levou em sua companhia
oulro tambem bucal, a pessoa que os apre-
hender ievara la do Livramento lado do
Poente D. 19 confronte a Igreja alera do re-
ohecimenlo ser generosamente recompen-
sado.
tsr Fugio no dia 2% do correte um ne-
gro de nacao de nome Jos idade 3o anuos
pouco mais ou menos, tem os signaes se-
gundes, cor bem prela, ebeio do corpo, altura
regular, p-i pe-tuenos, est C3tn o cabello cor1-.
lado a poucos dias costura quando foge dizet
que he forro, levou vestido calcas do algo J
dozinhs trancado ja encardido camisa dtf
madapdo uzadi chapeo de massi ja velba
toma c.iximbo e anda com elle na cinta es-'
te escravo ja foi pegado na caja forte quii
que vira para o poco, por isso o abaixo asi-
gnado protesta contra qualquer pessoa que o
tiver em sua casa acoitado e (be pagar 6(0 por
dia desde o dia que elle ausentou-se de casa
por isso rogo a todas authori lides palciaes e
Capites de campo de aprehndelo e lvalo na
travessa de S. Jos D i5 que se gratificar
fora a despesa que ouver feito.
Joaquina Antonio de S. Tiago Lessa,
tsr Fugio em 5 de Junho de 1838 di ra
do catete de casa do Doutor Geral do Cirirgi-
o y estando al alujada um escravo cabri.
nha de 7 annos de idade de noaie Joo,
tem no rosto um signal de couce de cavallo ,
os denles abruma coara limados, o falar des-
cansado e junta espuma nos cautos da bocc
ruando falla os ps chatos e foi escravo de
Jos Antonio de Andrade Advogado mor
na ra dos Litoeros ao qual fugio en pi-
quen!) indo em um tropa parar na casa do
Sargento mor Godis e dahi esteve prezo oa
Villa de Rezende onde eu o ompei e ali 0
vendi a um fulano Brilo de quem o toraei
a receber por o nao pagar; hoje escravo do Ca-
pillo Jacintho Marcal Loreti; Agora par no-
ticias dos criados do Senbor Maciel Moaleiro
sabe-se que oi vislo pelos mesmos em Per-
nambuco no lugar do Recife e boa-visU, d-
aeodoser forro e estar alagado a um Snr.
Mathias : Ora como pode ser que elle mu le
o nome por isso qualquer destes signaes fa-
r conhecer ser o proprio: Rog-se por tanto
a todas aulhori-ladea policiaes e Capites de
campo a aprehenco do dito escravo ; quemo
pegar leve a ra da cadeia do Recife loja da
ferragesn. 4i } ou no Rio de Janeiro na
ra do catete n. 119, que generosamente
ser recompensado. Da mesma casa cima
n. 119. fugio outro escravo da mesma ida-
de e da mesma cor de nome Domingos e
por isso se faz scieote, porque poJe aconte-
cer o escravo que loi visto nesta pelos criados
do Snr Maciel Monteiro nao ser o a cima
meocionado mas sim este ; qoe o pegar,
leveo nesta ra da cadeia do Recife n. 4l
ou no Rio de Janeiro a casa a cima mencio-
nada que serl generosamentu rouBpoasda.
%sr Domingo ao do corrente desaparece.)
da casa de Fraucsco Bizerra de Vasconcelloi,
na ra de Apollo, um cabra de nome Francis-
co de estatura baixa, um pouco cheio do corpo,
sem barba de idade ao annos pouco mais ou
menos vestido de caigas pardas e carniza da
chita desbolada este escravo foi veudido ao
annuncianle a retro aberto pelo Snr. Tenente
Joze Antonio de Medeiros Chaves morador
na Villa Propria da Provinvia de Sergipe e
consta eslar ainda nesta Cidade ; quem o
aprehender ser recompeusido cooduxiodo-
0 a casa do annunciante,
tsr D abaixo assignado e de sua fazeada
da Macambira termo da Villa do Fes^ueiroa
Comarca do Brejo da Madre de Dos lugi,
em dias de Setembro p. p. o escravo Joaqun),
filho do mesmo serta o, o qual o bouve por
heranca do seu sogro o finado Jos Cordeiro
Mana Falco os signaes do escravo sao os
seguintes ; alto cheio do corpo cor bem
prela, perms bastantemente grossas, falla
algum tan".o rouca temo vicio de embria-
gue he bastante pratico as estradas do ser-
lo pois em outras fgidas tem-se din-
do para os sertoens da Parabiba. Tem sido
vito na povoaco de S. Bento e Cacimbio,
termo ds Garanhuns e ltimamente que to-
mara para panelas de Miranda 3 quem o pe-
gar leve ao atierro da boa vista que lera ce
mil rs. de gratificaco. -^ Francisco Xavier
Pereira de Brito.
*-* Fugio a 2 annos pouco mais ou ma-
nos da ra das Flores 5 do abaixo as-
signado, urna preta de gento, de nome An-
ua com os signaes seguintes ; delgada do
corpo, altura regular, esmalmada dos pel-
los atrapslbada da lingua nao muito re-
tinta da cor o maior sigoal ter o dedo mi-,
nimo do p direito meia torio para o mesmo
lado direito ; direm estar occullamente ser-
vindo em certa caza fora do Recife ; o mesmo
abaixo assignado adverte a essa pessoa ( sa
assira ) uzar dos meios que lhe (acuita a le i
ficando a mesma pessoa responsavel pela dita
preta e dias de servico ; assim como peda
aos Capites de campo, a aprehenco da
referida preta pois generozameule ser re-
compensado do seu trobalho.
__________________Manoel Alves da Crut._
REC1FF NA TYP, DE M. F. PE F,-.i84
<


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EDT5KAFUC_KKA4XP INGEST_TIME 2013-03-29T16:30:42Z PACKAGE AA00011611_03833
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES