Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:03831


This item is only available as the following downloads:


Full Text
g |>NNbE841. QARTA FeIRA
Todo aicra dcpeode da nos mesmos; da nossa prudaneia, modera-
acrgia : ootinuenaos eamo principiamos, aeramos aponanos
d-niracSo antxe as Naees mais cultas.
lom
Proclamadlo da Asseniblea (eral do Brasil.
m
Sub*erve-aa pra esta folha a 3ooo por quartel pagos achantado*
nest Typoi?rafia ra das Cruies 0.5, e na Praca da lndepeuden-
lia. n. $7 53, onda m recebem corrspondenc:ns le>aliadas
e an-
[ nuncio;, rnsirindo-s stes gratis ,
Tiudo assgnadoc.
sendo dos proprics assignantei, e
PARTIDAS DOS CORREIOS TERRESTRES,
Cldadeda Parahiba a Villas da sua praUneo ;....*
Dita do Rio Granda do Norta, Villas dem......
Dita da Fortaleza Villas ldm............
Cidade dt Goianna .*........
Ciclad da Ulinda..............
Villa deS. Anto.............t ..... -
Di deGaranhuns c Povoaeo do Bonito ......... lo, e ii dei cada m
Ditas do Cabo, Serinb.e.n, dio Formoio, a Porto C.ivo. ., .... *i dito d.to
Cid>d da. Alago. a de M.cei..,.........Mam lien
TiiU U P)A da Floral.............-.......LAmm la*
Todos os Oorreoi parttmao meto da.
FrUSES DA LOA HO MEZ. UE JN.
[sa*. Sexta.s'.loria.s.
/
i Todos os dlasl
Quintas fairas.
i... ("kea a i ib.i lm.dsBnn.
Qu.rt?S* a .! 3 b. a 3b da ma*.
Lu Nova < n' *3 ** d mal'
Quart.crasc.a,5... h. e ll m. da tard.
Mare'theia para da i3 e Alisto.
As 7 boras a <5 minutos da tarde.
As 8 b,raj c 6 minutos da manh.
7i
'.i
a3
ai
25
a6
gg db Junho. Nom. 135
CAMBIOS. Jomhj aa,
ffirrir.fc1 pr^o'/r.o^r meta. offerecMo.
IWa...... 31o reis por franco. Comp. Venda.
rS- V-W.de W reis, tribu |I8M 5g
n;i. ,. navas 140000 lafow
I,' S: dalftaorriV. ^oo 8f^
: j&"^/~/:: fe: fe
Di*, de bilh. d, Vlfaodawi i|8 por loo .0 me. o|.
Id,, de letra, de bs firmas 1 lia a 1 M*
MoeJa de cobre 1 por 00 de disc. jo P
Sdalas de pequeo valor ir ow a 1 i
DAS DA SEMANAi
Segunda 3. Laiz &ga. Audiencia do Jaiz de Direito da a. v.r.:
Terca S. P.ulin, B.--Rel.cSo e audiencia do Juii de Direito da
O-.rt.'sT S.cerdote. -And do Juizd. D. da 3. vara.
Quinta Nascimenlo do S. Joa3 Bapt:sU.
u S C.iCI'ipme Ab.--AiHiercia do Juii de D. da l.v.
S S lL o Paulo Ira. M. -R-Us^k. .-... do Ju.z de
D. da 3 vara.
DU|> A. V*<< -t- N. S.
PERNAMBUCO
LE N. 90 DE 5 DE MAIO DE 1841.
Manuel de Souia Teixeira Presidente da
Provincia de Pernambuco. Faco saber
todos os seus Habitantes que a Assemblea
Legislativa Provincial Decretou e eu
Sanccionei a Lei seguinte :
Continuado do n. antecedente. (
TITULO IV.
Dispoiiges Geraes,
Artigo 4o. A arrecadaco dos Inaposlos dos
paragrapbos sete oito e nove do artigo trin-
ta e oito ser eflectuada pela Mgn do Con-
Bulado.
Artigo 4i. A arrecadaco dos impostos des-
criptos nos paragraphos doze quime de-
zeseis deeesele deioito dzeno\e, vinte,
vinte e dou, vinte e tres, viole e quatro ,
vinlee cinco, vinle e seis do Hrligo trinta e
cito se faii na Meza das Rendas Internas
Provinciaes.
Artigo 4a. Ficoem inteiro vigor os arli-
gos quarenta e cinco quarenta e seis qua-
renta e oito quarenta e nove, e cincoenta da
Lei do orcaroento de trinta de Abril de mil
oitocentos e irinta e nove em tudo que
nao lena sido derogado pelas Lea posterio-
res.
Ai ligo 43. Os Colleclores o quaea can-
tinuaro subsistir na Cidade de Onda, na
de Goianna, e as villas e povoacSes desta
Provincia, psraiaserem a airecadaco na for-
ma estabelecida pelas eis assina como os
seos Escrives, liro sujitos as leis de Dep-
sitos Judiciaes respeito de dinbetro, li-
vros, e papis a seu cargo.
Artigo 44. A arrecadaco que se costuma
fazer de seiscenlos mil reis por cada liizerro ,
e de mil e duzento, reis por cada animal ca-
vallar, que sobra quando se deduz o dizi-
mo de tae* gados em toda a Provincia, fica
reduzida quando se 6ndar a prsenle arre-
matico cem reis por cada Bizerra e a
quatro ceios reis por Cida animal cavillar,
Artigo 45. O Presidente da Provincia Oca
autliorisado a contractar com pirliculares o
deseccamento do paulano de Olioda e de oa-
tros existentes nassuas circumvisinhangas, e
as da Cidade do Recife sob as condicces,
que maia iavoraveis foiem assim para o
publico, como para as rendas da Provincia e
do Municipio, a que perlencerem.
Arligo 46. Fica o presidente da provincia
aulbonsado a mandar pagar ao Guardiao do
Comento de bajito Antonio desta Cidade a
quanlia annual de oitenta mil reis, como gra-
tibcaco do terreno occupado com o IJarra-
co, que servio de quartel a L'oupanhia
moniaua do Corpo de polica, durante a di-
ta occupaco } assim como para vender, ou
dar oulio qualquer conveniente deslino Co-
xia da exmela Companhia Policial mon-
tada.
Artigo 47. Fica o presidente da provincia
aullicnsado a mandar resumir aos vigarus
as Congruas que deixaro de cobrar por vir-
tude d disposi^o do Artigo vinte e cinco di
Xei d.o ore-amento de seis de Maio de mil oi-
tocentos e quarenla.
Artigo 4c. A Cmara Jminicipal desta Ci-
clad* tica ovrcente aulliorisacra a contractar
a venda da c*M que serve de Cadeia, e suas
epeadeiicias, com previa approvaco do gOf
vernoda provincia, acerca das condieges del
contracto. .
Arligo 49 A quanlia resultante dest
venda, assim como todas as sobras que pa.-
ra o fuctur existirem nos Cofres da mesma
Cmara, e o producto do Imposto do artijjo
qnarenta e dous paiagrapho prime.ro da
Lei do orcaroento de nove de Junbo de mil
cilocento. e trinta e sete, sero destes ja appli-
cados construeco de urna nova Cadeia ,
que tenba capacidade para gnardar os presos
e servir para as sessSes da mesroa Cmara ; U
cando o seu plano dependente da approviSao
do eoverno. ..
Arligo 5o. Fica autborisada a cmara Mu-
nicipal desta Capital empregar a quantu
existente no seo Cofre de vinte cantos de res.
no concert, e melhoramento dos predios,
que formo o seo patrimonio, no nivela-
menlo, e lixpesa das Pracas e ras da Ci-
dade e no engajament.o de um ..ngenneiro
com o ordenado de um cont e dantos mil
reis, Bcandoparaoa Cofres-da Cmara os e-
molumenlosdasliceacas. ecordeacoes.
Artigo 5i. Fica finalmente aothonssda a
Cmara Municipal desta Capital a coutrar
um emprestimo sob condicces favoraveis que serao sob-
mettidas approvaco do presidente da pro-
vincia para a compra dos predios indicados
em sua ultima represenlagio.
Artigo 52. Fico em vigor as di-posigSes
da Lei do Ornamento de seis de Maio de mil
oitocentos a quarenta que nao forera expres-
samenie revogada spela presente Ld
Mando por tanto todas as Aothoridades ,
a quem o conhecimento e pxecuso di refe-
rida Lei pertencer que a cumpro, e la-
(ho cumprir lio inteiraroenle como nella
seconlem. O Secretario desta Provincia a
faca imprimir, pnblicar e correr. Cidada do
Recife de Pernambuco em cinco de Maio de
mil oitocentos e quarenta e um, vigessimoda
Independencia e do Imperio.
la S.
Mauotl de Souza Teixeira.
Carla de Lei, pelaqual V. E\. manda ex-
ecular o e.-relo da Assertblea Legislativa
Provincial, que houve por bem saciionar ,
oreando a receila e Gxando a despea para
o auno financeiro que hade correr do pri iei-
ro de Julbo de mil oilocenlos equare.ua a
um aoulliaio de Junlio de mu oitocentos
e quarenta e dous na t'jrma cima declara-
da.
Para Vossa Ex. ver.
jse Xavier Faustino Ramos a fez.
Revistada al'. 148 do Livro a. de L'iis
Provinciaes. Secremri* da Provincia de Per-
nambuco em 10 de Maio de 841.
Francisco Xavier e Silva.
Sellada e publicada nssta Secretaria di
Proviucia de Pernambuco em 10 de Maio de
184*
Francisco Muftz Tava res.
THEZOURARIA DEFAZENDA
EBITAL.
Perante a Thesourana de Fasenla desta
'Provincia, se ha de vender em hasl>i publi-
! ea a quem maior preco otlerccer viola ca-
vallos perlencentes ao Esquadro f. 4 tie
Cavallarij Ligeira, que eitbircou com des-
tino a Corte do Imperio,
As pessoas que se propojerem a dila ar-
rPinataca-o, devero comparecer na mesma
Thesouraria as 11 boras da rnanh do da a
do correnle mez
Secretaria da Trresonrana de Fasenda de
Pernambuco a2 de Juribo de i84
Joaquim Francisco Bastos
Official maior.
Diversas kepartices
MEZA DO CONSULADO.
EDlTiX.
WiauA Arcan'jo Manteiro de Andrade. Ca-
v'alleiroda ordera de Gbristo e Adminis-
trador da Mesa da Consulado etc.
Faz saber que no dia *8 d> carrete se lia
de arrematar na porta da mesma huma caixa
de asaucar branca numero 4 8P?rhen?'d*
pelos respectivos Empregados do Trapiche
do Angelo por inexatido da tara em cup
dia se findo os prasos marcados no Regula-
ment, sendo a arrematado livre de despesas
ao arrematante. nnn
E para que chegir a milna^ Ja-
vier mandei afixir o presente Edital n. por-
ta desta administraco e publicar pela im-
PrMeVa do Conjulado de Pernambuco aa de
Junio d l8il. j 1
Miguel Arcmp Moaleio de Andrade.
CORREIJ.
0 Brigue Passs e Victoria de qua he Mas -
tre Manoel Jjse Ribeiro sae p.ra o Rio de
Janeiro no dia 3o do crreme.
Oficios existeites no correio Geral, de tu-
leresse paiticular para as pessoas abiixo dacla-
1 oficio do Presidente ao Ministro da lus -
tica iateresse de R. Franciico Jos da Silva.
1 Dito do Dito ao Ministro da Fasenda ia-
teresse de Jos Jernimo Limoelro
1 Dito do Dito ao Dito dito interesse de Ja-
se Gregorio de Albuquerque.
1 itodoDito ao Ministro di Guerra in-
teresse de Damio Jase de Albu^erqua.
ARSENAL DE GUERRA.
A Directora da Arsenai de Guerra, preci-
sa comprar porca de brins proprias para se
faserem Jaqueis para soldados, e pira caifas
e Jagueis dos educandos, riscados, brins par^a
lences pauo asul para fardas, e cuicas ,
cano preto para polainas tudo islo para os
mesmos Educaodos quem tiver estas fasendis
compareca no dia ao do correnle as u boras
da niaab n salla do expediente da meamo
cora suas amostras, e ulma preco en carta
feixad.
Arsenal de Guerra 31 de Junho de 1841.
Burlamaique
Diiecior interino.
h N NUNCIO
D'oraem do Illm. Snr. Inspector se taz pu-
blico que a arremaiaco de diferentes lor-
neciraenios, aiinunciada par* bee, fica
transferida para odia aS do correle pilas
10 horas da raann em couie^uancia de
terem aparecido poucos concorrenles j e que
no I jrnecimento ue diversos objeclos pelo lem-
po da tres roezes ( ou pelo de seis se os
prevos convidaren ) e.itrarao mais os seguio-
es : spermacele velas de sebo sbo li-
jlos inglwes aguraraz tima branca dita
pela tatuado de pinho, secante uonets,
lijlos de alvenaria cal preta arcos de pi-
pa ditos de tonel eraros de barrica di-
tos de pipa ditos de tonel broxas ou pin-
cela surtidos.
Inspeccaido Arcenal de Marinba de Per-
nambuco 16 de Junho i8$i.
Alexandre Rodrigue das Anjos.
Secretario
PREFEITRA.
Nos dias 20 e ai nao occarrea naviiade al-
guma-,
Parte do dia ai.
Illm. eExm. Sur, -Das partes hoje re-
ceidas consta somente que fora hontem pre-
so por um soldado da Corpa Policial o par-
do Francisco Jos de Santa Anna por estar
em briga com outro o quat, na occasiao da
ser preso espancou e feria na beca ao aa-
bredito soldado de qua se mandau preceder
nos termos da Lei i foi recolhido aCaleu.
TRIBUNAL DOS JURADOS.
Dia 19.
Jury d'accusato.
Sumario contra o ex-prefeilo da Comarca
Francisco Antonio de S Brrelo, dos ex -sub-
prefeitos Luiz Francisca Barbalho, Manoel
Antonio Martina Pereira, e Amonio Annes
Jacome Pires par crime de abusa de au-
thoridade i O Jury nio acbau materia para
accusaccn
Jury deSenten;a
Dito conUa Antoaio Cardaso de Aguiar
como cumplice de furto de escravoi} faiab-
solvido.
Diaar.
Jury de Sentenca;
Sumario ex-otficio contra Agostinho Jase
Biserra, por ter ferido gravemente o parda
Joo Evangelista de qualhe resoltou a mr-
le i foi absalvida,
EDITA L.
Manoel Jos Ferrera do Nascimento ; Fis-
cal da Freguezia da S d'Olmda em vir-...
lude da Lei &c.
Faz lembrar aos seus Comparoquianas que
em observancia ao Artigo aa das Posturas
ida Cmara Municipal, prohibe loga lolto
pelas ras e Povoacoes, pena de 3oj'aoaTeif,
e 8 dias d prio ; e para que nao baja igno-
rancia a respeito maudo publicar o presenta
pelas folhas, e afixar nos Ingares mais p-
blicos da sua Freguezia. Olinda 18 de Ju-
nho de 1841. Manoel Jos Ferreira do Nas-
cimento.
ADMIMISTRACVO DO PATRIMONIO
DOS ORFA OS.
Petante a Administraco do Patrimonio
dos Orfos se bo-de arrematar a quem mais
der as reodas da casa numero ao* na ra da
Madre de Dos do Bairro do Recife ; as pes-
soas que se preposerem a arremata-ils pode-
ro comparecer na casa das Sess5es da mes-
ma Administraco nos diis 16, al e a do
correnle mea as 4 horas da tarde can seus fi-
adores.
Salla dasSess6es da AdminisWagi da Pa-
trimonio doi Orlaos em 15 de Junho de 1841
J. M, da Cruz.
Consulado da Confederaco Helvtica em
Pernambuco.
Sendo que exista nesta Provincia o Cids-
MUTILADO


TT
E
lAUlo Di ERNMBC
m
o ?uisso Jean Jacques Hlmr filho de
* are, nascido em ScIjW'i'dfi Cantal) de
llaris, o qual foi esabelecido em Londres
ilomez deOutubro de |8J5, qneira por
i rio comparecer ueste Consta hidu, Ra do
icrnise.
Commumicado.
lAdrriristraeffb Prcv'mral,
Pifio podemos drizar dt tributar louvorr>
po Exmp. Snr. iVancel de Sonsa Teixeira pelo
f^orh acert, coro que s vai Hirigitido' na aV-
'ua tarefa da Presidencia desla Provincia.
gando o Embargante as cusas em TJtre o tfoiyfc
derono, Cidade do Reeife a de Junhode r84n*
Jos Francisco d* Parva JArior.
Snrs. RetMctaiMf.
Trapxe novo D. iS para negocio de sen in- Qoando lemos a corrfespoodenrta dVE**
pectador introducida em urna dW orto moas
de seu Jornal, n.* i3a, sobf* a'arrtfitftaieib
dos trabalhos da Capatazia, procnpVrrlcWBtfiw
xo as reflexoes, que V. Mees. dtrerfofVW'j
pois ella fere directamente, quantb Iwftfdita'e'
publicado em nmeros passados mis con*
V. Mies, por motivos, qe ignoro, o nao \&-
obio querido fazer, concedi-me licenca',
para que, por esta vez os substitu.
O Sr. Espectador'' chama gratuito e es-
pecioso tudo qoanto se publicou e se disse
em os n. j ? ai de Vlak p p. De duas u-
tna, ou o Sr. "Expectador" ignora a forca do*
dou9 Vermes gratuitos e especioso ou es-
t lombando do publico*
; Gratuito significa feito concedido ,
(U/ln dfi livre vontade. sera onrrgac-o- e "es-
peciosa", querer dizer bem ass"8rribrado ,
que tem boa appirenci *'plausirel mas
engaosa'' Vamos agora ver se forlo bem
appl'icirios ests eptetos ao qoe Vossas Mes.
dissero rom tanta vfrdae j e firmados em
documentos e a esses meamos documentos ,
que o Snr' Gomes Ibes remetteo, como Ihe
cumpria para que nao persasse o publico ,
que Vosias Mes. linbo faUaito sem conlieci-
renlo de catssa.
Se Vossas Mes. fallarao "gratuitamente" e
de vontade livre, obrarao secn paixo sem
pedido, sera recompensa, e por consegua-
te por este lado ba toda a probabilidad? ,
de que fallarao a verdade (o que nao se pode
dizer dos que desejao agarrar Capatazia ou
i lado honesto, judicioso, e probo elle be
r\tranho a partidos, p> a mira na Le, e t-
'ios oaseus esforcos dinge'rn-s a acertar,
ai mantera Provincia em paz. He juslaaerj-
le o qoe quer Pernambuco, e o que devana
querer todas as l^ovineias do Imperio. A
vida, e profficridaJc detlo di iivlem toim-
lmente da sua uniao, e da mais frrme, e
!cal adbeso ao Thrnno Constitucional do
Sur. D. PEDRO 11. Toda a ida de dessr-
n.onia entre bs PfoV tortas*, tudo qu nio for
streitar os Jacos da mais estrella uniao entre
ratas, ea Capital do Imperio be a maior, a
nais funesta das nossas calamidades, he que-
rer dat cabo do Brasil,
t\ 9,*s rscarmentado des propris deTaneios,
ronscio de que os prorootera* de revolujSes
5o es mais infensos inimigos do Povo, Per-
r: a tabuco deseja que haja paz que o
licixrm lirre, e desempacado em seu com-
roerro, e indostria. A propria experiencia o
b convencido deque a sua prosperidade ae-
'i> drpendante dcstrs elementos ; pois o seu
grande pregresso no hedevido a outro prin-
cipio. J pef ejed felfcmeate Muguen er
no paUvnssdo da eef toa e*ptfnladors poli.*
"nos, que 99 arrogio o rtalo de patriotas, s
(,'ue prpmovern desordena para ver, se dlias
(elbem algorra vanta^em : Ja qualijar ho~
rrem ajnda dos menos cultivados tean o hom
tenso da afirmar (depcis d'huraa doloros ex--
tata ha prerJMadQ pelo Preridente da Pro-
vincia q ti en* 11 id i faz he nrocssndie
persigwldo cateo nsairtodo s porque nao
adula a qnena he1 adoptado por bum Secular,
por' esse motivo he'qM-esto hoja encarre-
g'ados-os Patoehoa* paW^rect utarem menos o
serripre digfrt e lova*e1" Florencio Gomes de
Oiveiraj porqne-esse h^je muito honra a seu
Uarjto; ni si Snrs. Redactores, como o
Snr. D, M-an^l, cotamette abuzos se nilhan-
les elle proeede assim porque contava cora
a impUrliitsKfe ; mas hojs que o Ministerio ac
lual tem dado todas as demonstracoes do amor
a oriero, e respeilo a le, eu devo crer ,
que elle nao consentir que htm seu Delega-
do abuze tanto da autboridade que Ihe foi
confiada e continu a fazer em seu proprio
beneficio e particular interesse as maiores ve-
x^ces e violencias que lem praticado, e
Dos queira que o nosso Augusto Monar-
cba ollie para aquelli infeliz Provincia que
parece estar constituida morgadi do< raivoios.
Sou Snrs. Redactores seu constante leitor
11 um Assuense.
Snrs. Redactores.
Para qoe os Jmeos inimigjs se tornem mais
commecttdas e:n me ullrajarem -e o respei-
tavel publico couhe;a a iujusttya cj-n que fui
opprimido no Cear na poca actuil rogo-
lhs queirio imprimir os seis documentos
juntos (depois do que tornarei publicar a
narr.'cioda trotnnta que antes do temp per-
meditado me conduiio de novo a esta Cidsde.
Sou Snr Redactores. Seu Atiento Vene-
rador. Livio Lopos Castello-lirancj.
Jlo f ernandes Barros Bachirel For-
mado em ireito e Juis de'Uirtitj eClie
le de J*oticia desta Fadelissima Ctl>d Janu -
aria de Aearac por Sua .Vlagesiade Imperi-
al e Conslifucional, que Dees guarde etc
Atiesto qa o Sur. Livio Liopes Casteo bran
co natural e morador uo Piauhi durante o
tempo que ae demorou nesta Cid*de ,
por motivos de arranjos de sus casi como
me /ez constar houve-se de mmeir* a
mais befl comportada siptisfasenda todos os
por faz eu por nefas ) ; e se fallarlo a vista
de documentos, ento nao pdeni ser taclia-
dos de espetiosos [de nso"do plausivel e en i-
nosoj; porque argumentos pro vados nao po-
den ser tae, Em qmanto a>os documentos,
um consta da informado dad i pato befe (bt
rep urna represeutaco do respeitavel corpa do
feriara) que r.o est para servir da" de- I Commercio } ora ehamar a estes dosume.'itosUeveres de Udado ptciBco e respeitador de
sjfo para os rcais trrparan. Dos foijbundos' 6'"os e especiosos chamar o dia rtoite. [Leis, pelo <\u* roereci* a eslima dos melhores
d-magoges, que por anu gira veo, e deridiSo! *! Snr' Redactores,, o fin da eart* no hrbitanles desla Ctdade. E por todo o refe-
rido ser.verdade e esta me ser pedida passei
Sob a minba respotiabelidade. Cidade de
Januaria quiuze de Ma;o de mil oito ceios a
<|UrefkU 4 bum m lo b'ur.n,ic-. Barro..
-- Atiesto a onde coavier que o Senhor
Alferes Livio Lopes Cistello-branco e Sil-
va por ires meses que tem estado nesta Ci -
dade Januaria no crrante anno em nada
Um desmerecido a sua boa conducta e no le n
oilendido ao estada pseirico deata mesma Ci-
dade antis se lem evietsdo de concorrer pa-
ra qul quer arguico conlra sua pessoa, vin-
ih aqui como publico iractar com al-
guna membros e sui numerosa familia de sjjs
negocios dumuslicos ; e para constar Ihe dei
esta por me ser pedida, Cdsde de Januiria
do Acrrat. desaceis de Maio de mil oito cen -
tos e quarenta e bum -- Francisco de PauU
Pessoa -- Coronel, e Commandaute geral da
Com marca.
O Desenlei'esvdo.
Snrs. Rsdactores.
Nao me pareeendo de Justita, que fiquem
no esquecimento os excesso do actual Presi-
dente do Rio Grande do Norte obre arjuelia
pescar peixe g
revolucionarios, relirarao-e dos mmes da cosluma.
potica, e hoje s curio de renservar o q"e
rolbero. Todos qacrem socego, lodos de-
rejio a paz,
Crriveiirdo detas verdadrs o Exno Snr.
Mtmcvl de Soura Teixcira conserva a Pro-
vinria em bea crdem, Yai admiaistrando-a nialfadada Provincia, o mesnio lempo, que
rc modereco, e prudenra, nunca apar- e tem dado ao prelo os dos d oulras Pravio-
;ai:dc-seda Lei, que deve ser lodo o esmero cias' ro0'ihw queo publicar mais pelo
^ quero governa. Mo podia o sabio Gover- 8eu oteressarfte Diario o que a cerca do re-
.;o de S. M, o Imperador dar-nos melbor,crutaaieHl0 fez Gradu Prndente,
uccvssor ao Fxroo. 5nr. Francisca do RegoJ Protestando vinganga contra aquelies, que
,\quelle regu a prlitira dcste, be dominado sustentando a digaidade de homens probjs ,
do mesmos principios de ordtm, tem os mes- no llie preslario seus sufragios na Elleieao
.?os desejos de felicitar o seu paiz, e conse- |elle H'senlio que fossem recrutadas Cidadioa
'^intrnente Pernamfcuco est contente com que Pr toda9 as ^" se acha0 ue
- pacifiaa, e arenada Presidencia do Exmo. crutameoto, como fosse Joze d
*/.
ar. Souza Teixcira. Nao se aparte S. Exa.
tia senda, qoe vai trilbando, qoe mercela
js sympatbias, e os louvores de rodos os bous
i'ernarol'Ufanos.
Correspondencias,
Snrs. Reiladoref.
f-oriiido-me as Scnten^as que Vroces
Ve seivnao de puLfir*r, h reco pedido, em
Jjo Paulo de Miranda Ao Sello Valle
Seu Sello ex cima Miranda.
-- Atiesto que o Supp'icants Livio Lopet
Castetlo-braoo e Silva, desJe vinte quitro)
de Fevereiro deste anno que aqui xegiu da
Pernambuco atbe o presente tem apresent-
do ptima conducta, civil, moral; respsi-
tandi as autiioi idt les conslitui loi e awL^is
do Paiz, pelo que ten grangiad i a estima pu-
blica. No obstante paren e sem se axar
criminoso, foi prnjo por orden do Kicellen-
tissimo Presi lente d* Provincia, eeonlud]
para bordo da Escuna Victoria qu indi ja se
retira va pira Pernambuso a pretexta d* ser
pertg-ota sua estada na Provincia. O referido
. verdade e afirmo em l da meu cirgo, Ce-
ar tres da Juu'io de mil oilo ceios e quaren-
ta e hum -- Joao Paulo de Wirani.
lliustrissino Excellentisiimo Senhor-.
Dis o Alfares Livio Lopes Castelb Branco
e Silva da Provincia do Piiulai, de presen-
te morador est estabelecido asla, que ten-
do-se aprlsentado a Vasta ISxcellencia pU
publicaco do Decrelo da Amnestia Geral,
que conceda Sua iMajjestaiso Imperador en
trou no goio de seos dtreitosj por isso pr.'le o-
de ir toe a Capital do Cfar por onde man-
dota vir sui familia pira conduzila pira esta
Provincia por no coavir aiS ipplicante estar
de presente no Piaubi ; e par que precisa li-
cenca ou pasaporte p.ra o dita tina. Pele a
vossa Excellencia llluslris.tmo Excefleutit-
i no Senhor Presidenta da Provincia a con-
ceda na forma di Lei attendeudo a causa que
oSupplicaute alega K recebar mer.-o --
Pode seuir viatm. Pilacio do Governo da
Periuuibu'jo nove da Fevereirj de mil oito
ceios qti:reula e hun -- Reg.
(3 Teneute Miguel Fran*** do VIonte,
Juis de Pas desta Fedeliss na Ciiada Jaouaria
do Acar.ac por oo niacao Lejal eU*. Faco
saber aos Illuslrissisaas Sanbor Juizes de Paz,
e mais Autboridades., a quem o conber oento
deste baja de periencer, que dasta Cidade se-
gu Praca de Pernambuco a sao neocio
Livio Lopes Caslello bran -o e Silva bramo
casado, com vinte e sele anuos deidide, es,
latura ordinaria se?o do corpo, cbelbspre-
las olhoscastanlios naris atilado, barbado,
no tem faltada denles na Irotileira o qua
p ir se axr sera tulpa, me requereo a presan-
te ; rogo as Authoridades supraditas o deixe
seguir Uvremente sua viagera. CildeJ*iiu-
,ci dujon-la rio Main dn mil nil O ceiltOS (| U 1-
renta e bum -- Ku Poiicarpo Fransco da
Souza Escrivo do Juizo de fai, o escrivi ^->
iVliguel Francisco o Monto.
Lstavo recoabecidos.
?
Ferreira que alera de ser cazado e sustentar
seus hlhos tem mais de 4<> anuos de ofi-
cial de alliiate e de mais bem proced lo ,
Au Ionio Pedro Soaras que, leudo jo ari-
llos he doente que por esse motivo deo
baixa da antigs Melicias e boma das pes-
soas bem procedidas daquelle Municipio ; e
para se soltar foi pietijo dar qualrocentos mil
rs. mandou cercar 1 caza de Joze Antonio
da Fouceca um dos proprietarios da pro
viuda com 3o pravas de polica e eatra-
remptos do re- Instumento de ressslva, que no Juizo de
a Circumcizo ireito de Comarca da Cidade da Fortaleza ,
RIO DE JANEIRO.
As testemuuhas materiies pressaciadoras d
Coroaco,
Dotado de huma alma em que sstnpre as
bellas-artes tivero aoreco e apaitonaJo cul-
to no havia eu po lid a 1er sem m >goi huma
correspondencia inserta no Despsrtador de 16
de abril deste anno na qual hum q e se
! d por xeloso do crdito da ordom terceira do
'o L'iaiio de s'6 de Malo prximo lindo, n. ro lres fi,hos ^^uelle Cidado escolta-dos,
lio, a Trsleito da oppcsicao, que lem feito e lorio recolhidos Cadeia sendo hum del-
les de \o a'nnoa Elleitor de Parorhia e j
< Snr. Hen'tc'Joic' da Cosa a que nao corra
' m Prdca a rendo triannal do Epgenho cu-
proprietario por s ; finalmente boje a n-elhor
t^do, e a propiie^ade cunbe, Ibes rogo a geme ba que te v assaltada piara recruta ,
r.bliaco do despacho que expedio a Ap- quando-oa assassinos and'So as tropas e sao
boje os rapias os que S. Ex. chama homens
i ublicaco do despacho que expedio a Ap
(tlbco interposta as ditas Seotenc'as jpu-
i cadas, e da 5rnten(a contra os Embargos,
de bem ebegou ja a roizerir a tanta que
i.ue elle epoz a nova noliGcaco para nonaia- do Francisco Carneiro de Araujo a Villa de
i80 de nitros-, avuliaco das sobrediias l Angicus ahi foi prezo pelo Vigaiio Vlanoel
i ropiiedsdts ludo abnixo transcripto, e co- Januario e seu eicra.ro bruno e remanido
iif.dos dos propris Autos; pelo que rauito para a Villa, e sendo tomado em cainiuho
:iigdo Ibes ser o seu assignante Jos depois de estar recolhido em cartera privado
J..ruim 13. Lavalcanli. Por o dlo Vigario por no ler sido prezo
iMpacbp -- Exprea-se a Appelaco para '*,gimente o Jui* de Direito o Municipio,
u tuperior Tribunal da Rellajo, no eVito;oatJe foi tomada a preza do Vigano inte ,
irvototivo sbenle, com a dillacro do Es- que n3^ 8^'a como daria semiloaute parUci-
<>, ti'adas s parles, cu seus procuiadores. l'a?o5 supponho por ser a pruo do Vigario,
i tce at de Atitl de io*4i. e que lew occorrido foi sef cercada a cz do
D. Sarment. Compadre Alexawdre Lopes, ha'm ancio
5pn(t.nc -**em En.bargo dos Krehargos, respeitavel por haser denuncia que ah se
- e fio reveha per ?rt a sraa nmitria impere- cbava o cidadao Amonio Joaqun horado
c*ettj rrcsigu a rana em' seus termos, pa- |-orqu estatey ua e^ocha e.n que q-uem
se passou a Livio Lopes Castello-branco e
Silva que segu desla para a Provincia, de
Pernambuco no Vapar Pernambucano co-
mo abaixo se declara o Doutor Joio Paulo
de Miranda J Cidade da Fortaleza do oear e nella Ctiefe
de Poltcia por oua Mugestade Imperial e
Constitaiciortal que Dos guarde etc. Faco sa-
ber a todas as Aulhendadts aquero e>ta lar
apresentada que teudo por ordeaa do Excel-
lenlissimo Prezidente desla Provincia Livio
Lopes Castello-*branco e Silva assignado
neste Juizo termo de se retirar para a Pro-
vincia da Pernambuco onde deve resedir ,
por julgar sua Exrelleiicia perigoza o estado
do iuo Livio, nesta Psovincia e tranquili-
dade publica por haer sido bum dos envolvi-
do na revolu.o do Mirantio, e liaubi, pa-
ra desla arle poder gozar da-anestia concedida
pelo decielo de vinte dous d- Agosto do anno
passado por isso curopre-me declarar que o
mencionado Livio nentium crime lem nesta
Provincia, e segu para a de Pernambuco ,
sollo j e livre e como tal o deixera transitar
na quella Provincia : E para que canste aon-
de convier Ihe mandei passar a piesenle resal-
va na qual assigno com o meu inleiro, o Sel-
lada soin o Selio deste Juizo que vellio ssu
Sello ex ?auza nesta Cidads de Fortaleza do
(_ear aosquatro de Juubo do nmu do nasr-
mento de iNosso Senhor Jess (brillo da mil
oilo ceios e quarenla e hum anuos: vigessi-
rao da Indej.enencia doi:npi.ru : H'u .Umo-
el Lopea de Soua liserivo queoeienvi --
Carmo lastima e sensura o estado e aspe do frontispicio da igreja da dita orden pe*
sua cor escura de antiguidaia i acomelhindo
a administra^o della 9 manda-la por como
nova para o grande dia da coroaco do au-
gusto monarcha brazileiro ; pareeendo talvez
ao autor desae escripto que nsssa occasiao o
dito templo muilo mal figurar na funecio
com a sua cara de velho e melbor eslar com
a de moco. K no mesmo dia passando eu
lardj defronte da mesma igreja depois da
haver olbado para e'la e contemplado toda
a magestade respeitaVel qua aaresen'.a esse sen
vener ndo aspecti de anciaidade zngalo
pela i.lea qua as almas vulgires t'izi'in sim-
pre do que be velho eu dizi comigo : Qae
iiomeas e mulheres haja lio tolos que se eu-
vsrgonhem de apparecere.n aos mais como
elles sao e la se embellezem emplastando a
cara com fingidis cares estuques e betumes
de eabellr*?eiro, a tira de parecerom mais boni-
tos e mai* ocos, nao be de eslrarihir-se ,
porque de gamenlios falsos e lolos desde os
tempoi do sapientissi no Solomio sempre
infinilo foi o numero (*,) s i'to be cora elles
mesmos que nao deiurpa e no esirago se-
noasi e ao que he seu. Mas que alo-
lice gamen'nict e falsrUde cliejju.'ra a poni
de quurerera lazer a mesma operago do re-
moi^amento exterior al s pedras e obras uo-
numeiitas era que o carcter e aspectoile
auliguidada he hum dos nais bellos rituios
que os rexoramen lo iso he cousa que se
uo pode suportar e ifue revolla a lodo es-
( ) Stullorura iniiilus esi uuraerus.


:
-


prito e corncSo pbilosophico e amante das | !he poca de escravido e de cadeis ; rnis-
fllas-nrtes, Que querer o econselhador | peco em. que no paiz havia mais ouro mais
da administrado da ordena 3. do Carmo ? i trauquilid ule e mais seguranza e sabrpludo
(?ue quprer elle huma igreja lodo de pedra de cantara? em que nao havia sim papelorios mastam-
Querer que o mande lavar con agua e sa- uem nao havia rusgis; poca em que a honra,
b5o ou com agua de Colonia on que o

I
i
a fama e O pao quolidiano do bom c\ la lo ,
do empreado publico e das authori i i des nio
estavo como hoje expostos merca e bel
prazer de qualquer fedelho vadio e peral-
vilho de qual uer penna malvola e enti-
zada que cobre de lam e de bildSas tu lo o
que ha de mais respeiUval e sagrad.), e in-
cendiando as cabegas irrell;ctidas e pervar-
tendo os coraces pertubi a paz dis fimili*
as dos bairros das aldeas das villas e das
cidades, jeodo o resultado final ds suas vi-
sees das suas pronessas intrigas, cen-
suras guerrilhas e presumpees a desor-
den, o sangue a morte ea desolu;ao con-
sequenciHS funestas e infalliveis d pihm-ni-
ca das fac5es. Nessa 'oaa o cididio fal-
lava menos em seus dgitos e cuidava mais
no? seus- deveres: menos direitos tinha no
papel e mxior mimero delles dedructava de
laclo, porque os pousos que a lei eos cus-
turnes Ibe garanliid iodi i mais ou menos con -
tarcom elles oque nao be boje de algn
dessa eniada dalles que a magna lei lhe pro-
(uette e assegura e que a fia estado de desmoralisaco geral o dcleix) das
autoridades, a fraque, dellas e das leu, i-
co redutid ;s a vas palavras. Nessa poc ,
o cidado tinha em geral certa gravid-tde ,
certo respeilo de si e dos mais, que smquan-
tootornavo repeilavel a estes oinclmavao
levao ao respeito dos outros. Hoje quil ,
he o individuo qual a carporacao quila
classe qual emfina cousa que seja respei-
tada, e q' por respaiiavtl sej tida ? Nao lla-
vera razo para cbaraav a essa anliga id ida
poca de solidez de forga e gTavidide e-
poca de virtudes e bens reas inda que ella
a nao seja da liberdads como a enlendem
os nossos lempos ? Essa poca que cerla-
raenle nunca temar} e que de cerlo niode-
sej remos que volle em toda a su i essencia ,
com os vicise deleito* que tluba misturados
com os bens e as virtudes masque nao he
e nunca foi lo (eia e lo ruim como a pin-
lp escriptores p.uciaes e malvolos essa -
poca que deixa monumentos magestosos e
duradouros de grandeza religio e huau-
nidida i essa poca de cuja historia de
cujo siso seriedade e C3iacier nacional pode
anda a uossa aproveitar uleis h^oes ser ,
no grande dia da coroacio > representada aos
oihos do IJrazileiro nieditador pe'o velbo ,
n cllior artista isso fazem quando se iraia de f io e escuro mes solido e firme frontispicio
construir edilirios e gaslo somm;:s enormes
para la/erem hum monumento de pedra e cal
que allctbe pcsleridade sua ignoran; i a dos
iiieceilos da ai le e seu j.essimo ou pouco
bom {;usio. JNo se importe a admita istraco
com es gii'os dos que tallosem saber como ,
e cont que todo espriio nao vulgar longe de
estranbar q.ue a cara de hum grave anuo as-
sista briliianle ceremonia da corea gao do se-
gunde imperador do liraz, achara antes nis-
60sua conveniencia esublimidade. Com ef-
leito o monarca que vai ser coroado inda
que ilui joveu representa os seulimenloi e
os interesses de todas as ideas, e nelle se con-
centro as esperances de menino Jo adoles-
cente do bomem feilo do velbo e at do
decrepito; be ellequem liga no Brasil o pas-
sado ao presente, e o presente ao futuro.
Que mal que hum represntame material de
huma das varias idads e de huma dessas po-
cas assista tambem elle de hum ladoaess-
Liili.ante funreo coui a sua cara de ancio do
tempo dos vice-reis ? Elle ali se acbara ao la -
do ue oulro representante como elle de
huma iude que passou, pjre:n mais recente,
e ambos tero ao i^do hum que ptrlence o -
peca ailual junta enle com outros neu-
liuai dos quaes ali esiar ocioso e iuuiilsem
representar alguir.a cousa alguma idea in-
lei.ssaiilf, e uigna de attrahir aallcngoe
medilago do esudista e do pbilosopbo. A
casuahdade lera icunido neasa occasiao no
aei^o lugar cdithuos mouumtiuios tes-
tea unias materiao mui signilicauvo re-
pre&tiiluudo cada hum e pelo seu lempo e
pelo stu car-' ler huma poca hum sysle-
kua un ici.s e piiucipijs moraes e pouli-
cos.
1 eia sino por sua cor escura e aspecto rus-
tico e aiuipits ii ais luua de boa pedra de
cuiiUna a igieja dos lerceiros do Laruio a-
preseniai mala aaura ,
manden caiar como hum edificio ordinario,
'pr.ra depois ser borrado pela chuva e pelo ven-
to ? ou que o mandem emplastar de tinta de
o'o e agua-rz como as bombreiras da por-
ta de huma loja ou betequim mavmorisado ?
ou querer que o mandem descascar a cinzel e
roeilello, como fizero ao pobre chaaru do
largo do Paco o qual nunca sonbou em su
vida que, por ter cara de vedho, e hum pou-
co escura teria de soffrer o castigo de EVIar-
sias e o martyrio de S. liartholomau grabas
ao bom gosto e gauio econmico da noss era,
que rcuito se oceupa e muilo temoo e dinbei -
ro gasta para remocar tudo at s ppdras ?
Se nada disto lhe serve ento querer certa-
mente que mandem farer ao dito frontispicio
hun. camisa de lebaque com cal de marisco ,
que o pioleja do vento, do (rio edabumi-
tade con o 09 inlelizes arcos do aqueducto
di Carioca aos quaes como pretexto de os
conservar per longos anuos tirro precisa-
mente a cara de longos anuos que linbo e
privandu-osde todo o seu bello aspecto mu.-'
iiutueiilal de anliguidade secular e histrica ,
os emparelharo con asmis outras ruins o-
bras vulgares dos nossos d>as gastan lo-sa
talvs imjso m>is tempo e cliubeiro que na
sua edicaai.
Assim fallando pedamos a nossa Senbora
doCarn.o pr.ra que sedignasse inspirar il-
lustre adminislraco da sua ordem i,i0 que
nao ouvisse os consclbos do embelecador de
velhos, e deixasse icar a frente da sua igre-
ja coi a lr e aspecto de anliguidade que tem,
por ser esta a que mais lhe couvem e que
mais falla imuginaco e so e-pirilo religioso
e pliilosobico dos fiis. Contente-se uizia
tu, Bjudieiosa administraco com mandar
tirar algumas ervinhas e uncluosidade de lu-
minarius que baja nas cornijas e nunca gas-
te oinheiru p..ra tirar ao seu templo o que
lie tem de melhor visto a sua arcbiteclura
ser pouca cousa e nao corresponder a gran-
deza material da obra e das sommas que ella
dve ter custado ; mil que elle tem commum)
rom a obra collossal da Candelaria ecom
quasi todas as outras do pait quer publicas^
qutr privadas por isso ^ue de arcbiteclura ,
como de medicina e poltica todos querem
entender j e nem seiapre os que para fazerena
huma casaca e hum calcado procuraiioo
principiavo a eivar-lhe a pelle e as car-
nes.
f Continuar-se-.)
mus solidez e gravi-
dae : seiuo giganlf leio mas lorie, da
lUCJ" colonial poca que os esuivii.hadoies
de ptncdicos es laiedotes de croclamafea ,
e es agitadores aas musaas socm piular
com ioits mu ncjias e uijles, achaudo-
do lempo da ordem i. do armo o qual,
como acontece com as comas veltias e as ligues
do passada ficar posto de hu.u lado respec-
tivamente ao lg ir da fuuc-ao.
A' direita delie o edificio di capaila imperi -
al que parece seu bonito mas pequeo li-
lbo estara ali com cores mais claras e for-
mas hum pouco mais elegantes, miis menos
grvese menos varonis. Verdadeiro velho,
com testa e traje de moco apresentar seu
aniigo corpo tambem de pedra de cantara
at acimalha lodo coberto pela cap vulgar
de huma moderna caiadura para irmini-
lo com seu fronto de lijlos coberlos com
reboque caiado. Com o aspecto de hum edi-
ficio ordinario que de regio s ten o iiome ,
eile bem representar a poca que succedeu
do rrgimem colonial precedeu a do impe-
rio poca que pouco mais bem lez ao lirazil
do que por-lbe huma capa hum pouco mais
linda e alegre e que conservando moos doi
males e vici03 antigos e senciaes do rgimen
colonial e absoluto deu sinente ao systema
de governo hum aspecto exterior menos teio, e
em fugar do melhoiar e Ijrtalecar o liratll ,
o lurnou peior mas fraco e mais pobre do
que era ; poca de mistura do velbo com o
uovo do noure co n o vil ; verdadeiro lem-
po de lijlos, cal aii e reboqu s no qual
nad i de solido firme realmente grande e
elevado sa pode eslabelecer e comniuar em
huma coi le corrompida que trou.xura para o
Urazil lodo oorgulho, ignorancia, piejui-
zos e mais vicios da aniigicoiie de Lisboa,
sem esses meios de lausto e grandeza que po-
dio emeobrir ou tornar mais tolera ve l a sua
asquerosa deformidad. Cojo ludo apar do
t'dihcioqud a representa essa poca tuitu
anda algumos das cousas boas do lempo au-
tigo. A co;rup',o nao bav* principiado se-
nao pelas alias classes e ainda nao chegava
as inferite*, as quaes couseivavad multas
das virtudes aang.s, e principalmente essa
gravidade e caracier que dlsliuguio os ho
mens daquelles lempos. I odu se dizer que
o amago da ua.o couservava alud a sua an.i-
ga sauau e que os ma.les moderaos sj
LOTERIV D3 SEMINARIO.
Reitor do Seminario de Olitda convida
os amantes desta jo ;i a compra dos bilhetes
da,- parte da 17. Loteria cujo plano
j foi publicad), e as rolas andar no cor-
rente mez dep^nlenda odia daconcorreneia
da venda : O bilhetes acho-se as casas se-
ffuntei-- Reifi ra daCadoii loja de Cam-
bio d) Sur. Vieira S. Antonio ra do Ca-
bagloja d> Snr. andeira Boa-vista bo-
Ica def.onte da Matriz do Snr. Moreira, em
Onla n quilro cantos ve.ida do Snr Jo-
sa .Mainel dos Sntos
ruBLiCAgio LirrEiiARiAj
Ser publicad com toda a brevidada o 1,
n. d'um Jornrfl intitulad)-Aurora Prnarn-
buema- para cujo Jornal se recebem desde
ai asignaturas na ra Direita lojas de
chaojs. n. 5tf j e de fazsndis n,4i praca
da Independencia loja de livros n. 37 e i8,
e miulezas n, 30 o pre^o da assignatura 100
rs p>r n. n, avulso i2o } publicado todos
os sibbados com 8 paginas de impresso e
com os melhores ar igjs dis artes sciencias ,
e oIB-jj &:. recebem-se para so iuseriren
gratis no dito Joroll tolas as correpjnden-
ciis e annuncios nao sendo oilensivos a
moral publica, e pertencentes aos Ss. As-
si nuiles sendo dirigidos a loja d cupoi,
ra Direita n 5*3
TMEATRO.
Mr. Robert est einlraetado com Direc-
ca do Theatro por dez expectaculos. ten ja
exacutaJo seis, e lhe falto quatro : que sao
os seguintes. beneficio do Joven Ducipu lo
Je Vladame Robert, cono grande expectaculo
no dia 16 Madime, trabalhir sobre as
barras de ferro em braza, no dia de S. Pedro
a i'j Lavar-so-ha em chumbo derretido no
dia 4 de Julbo, eo ultimo expectaculo de
Mr, Robert em seu beneficio no dia 6. De
maneira, que o Snr. Sultoo poda contratar-
se no dia o 1U6 mui prximo est purem se
o Snr. Sulion est lo apressado por traba-
Ihar, Mr. e .Vtadame Robert de commum a-
cordo com a Direc?ao, e Emprezario, lhe 33-
dem o Theatro, fasenio apenas a recita an-
nu:i. i ida para Sbado 26 a fira da nao ter
iudesposico alguma com o Snr. Sulton, mos-
trindo-liie desta sorte o seu detinteresse, e
cordialidtde para coa o novo artista
NOVA S03IEDADE EUPHROSINA.'
A Commisslo Administrativa aos Snrs. So-
cios di mesma, convida a virem receber os
seus convites para a sua partida do dia at do
oriente amanli puls 10 horas do dia na
caza de suas sesees ra do Colegio.
Avisos Diversos
Ae snnuncio inserto em o u. i3a
assignado por -- O que lhe deo o dinheiro
respOnde-sa o seguinte,
Deixando eu abaixo assignado, de ser socio
da so 'iedade Recreio & nstruc;ao, discos-
foso de ver reinar ali a m ordem e as in-
trigas, fui instado pelo Snr. Gaspar da S,
["roes para que novamente me quizesse as-
sociar, ao que eu nao annui, e elle segunda
vez me tornou a fallar ; e como, para ter
um motivo plausivel, me tivesse disculpado,
allegando a falta de dinheiro por me achar
desempregado, o mesmo S ir. Fras dirigi-
se sua gaveta, e tirando i5Uoao rs. mos
olfereceo para pagar a joia, o que eu accei-
tei com acondico porem de Ihos pagar logo
que polesse ao que elle conveio tambem.
Dal i pensando com madureza, no dia 16
fexei em urna carta o ditos tUooo rs. e a
parte, que mi toca va representar e deixei-a
na mo do caixeiro do Snr. Arantes para en-
tregar ao dito Snr. Fres, a qual esteve em
seu poder quatro cias sem ser entregue.
lNo da 19 recebi do Snr. L-'res alguns
insultos diante de pessoas a quem elledevia
lesoeitar, (falta de c,.......) corr a buscar a
carta loja do Snr. Arantes, e a entreguei ao
Sur. F, S. de Resende para inlregar-ine, o
que nao leve etfeilo. No dia aa noile que
o Snr. F1 tas, na porta do lheatro, novaaaeii-
t atacar-me (nao reparando qne enera mi-
nino, e qne qoem rom meninos se mete sai
mej.-tdo), e ento ea dirigime ao camarote d
dito Snr. Fres e lhe entreguei 03 i5Uooo rs.
e como elle por desprezo mos atirass ao rosto,
eu Ihos rasguei, e Ihosatirei tambem; pagado
insulto com insulto* Da certo esta uarraco,
que he a verdadeira he mui diversa do cele-
bre annuncio que tomo o trabslho de refu-
tar.
Daniel de Barros e Silva.
tssr Hoje pelas 4 horas da tarde se ada
arrematar por ser a ultima prda j sobrado
da ruado Arago e a casa de Bcbiribe j-
annunciada no Diario de 4* feira passada quo
por motivos nao se pode eieciuar nesse di; g
a praca perante o Juiz da 3. vara na ru*
do Rangel,
ssr Simen Daniels, suhdito Britnico ,'
roga aoautbor do annuncio inserto no Di rio
de Terca feira ai da corrrente mez n. iHa r'
debaixo do titulo ou firma o que Ibe deo o
dinheiro tiaj Ar. tteclar&r se v.l nnunci
ou avi?o compre!i"nde a sua passoa.
t^ Di-se iooUooo ou aooUooo rs. a juras
de a por cento ao mez : quem os quizer ,
dirija-se a ra do muro da Penha caza ter-
rea D. 17 das rj t as 8 horas da manh ,
e das 3 t as6 da tarde.
ssr Preciza-se d'um rapaz destes chegados
agora, pira urna venda: oa ru 1 do Amo/im, na
venda da Antonio Joo Ramo;.
f^> A pessoa que annunciou querer com-
prar escravos do 10 a ao annos e sem de-
leitos ; dirija-se a o fin da ra dosabo dt
lioa-vista em sobrado da 1 andar parede mai*
do Capito Luiz da Pinbo Borges, que axir i
un. sem o menor deleito e que se venda
por grande necessidade.-, e para se remir cr-
dito
ssy Preciza-sa de 400,003 a premios a djij
por cento ao mez, com hypotheca flm umi
casa terrea no bairro de Santo Antonio; quem
os quizer d ir annun ie pan ser procurado.
wj* Preciza-se de alugar urna preta ou
moleque que seja fiel e deiigente pira ven-
der na mi ; a quem convier, dirija -se anu
da Sin ti Rita nova, casa terrea D. 18 lado d>
nascente, ou anuncie.
ssr Em o dia ai do carrente tem lugar a
1. praca do pardo (Ignacio m:o ooiim 1
ollicial de pedreiro boi figura e excellenta
escravo avallado em jooliooo rs e panho-
rado ao Capito Antonio Mirlios Ribairo. Ai
pessoas que nelle quiserem lanzar co upara-
co no indicado dia pelas 3 horas da tarda ,
as casas da residencia do Sr. Dr. Juiz Subs-
tituto.
SST* O abaixo assignado tendo da ir a Cor-
te do Rio de Janeiro, nao lhe foi possivel da; -
pedir-se pela pressa de sua viagem de to -
dos aquelles com quem mantem relacoe* da a-
misade j e por isto o faz por raeio deste a
pede igualmente que o desculpe n desta filt
involuntaria.
Joze Francisc3 Arruds Cmara.)
Um bom oEcial de carpina oerece-'
para trabalhar fora desta praca; quem precisar
anuuncie.
- Quem paecisar de 100U000 res apremio*
dedois por canto ao mes : dando peohores de
ouro ou prata dirija-se ao palio da Santa
Cruz padaria ; D. 4*
tsr O pequeo que tirou huma carta vio J s
do Maranho cliegada ueste porto an .1
corrente com o numero da lista de 5o.5a 9
por engao, uome de D. Rita Benedita 'le-
quelinadeAzevedo, hajide a entregar n
ra Nova veuda D. 36, ao p da ponte.
SST- No Botequim Cova da Or.pa -ha-
r nao de Vacoa amanb dia de S. Joo Ba-
ptista.
ssr* Hnma senhora prop5e-se a engomar ,
com toda a promplido e accio por preco
mais cmodo que em qualquer outra pirte ;
quem do seu presumo se quiser utilisar diri-
ja-se a ra daPraia por delraz di ra do Fa-
gundes casa verde junto ao sobrado de dous
andares,
ar Ninguem contrate negocio com o terre-
no annunciado no Diario iJo do lugar
bongi, com 58 bragas de fren.a, e taa da
fundo visto baver berdeiro que pretende dis-
putar judicialmente com o anuuncianle.
ssr Na Boa-vista, se recolae carros, eta
I huma cocheira grande e aceiada, pelo pre$o
de dous mil rea por mea eada iuai carro ta-
le na rna das Laraugeiras na coxeire da casi
de Peixoto.
Aluga-se ou vende-se urna mulata que
sabe fazer lodo o serviea de umacua te i
2o annos, quem prVizar, dirija-se a ra do
cabula, loja do Sr. Garca, junto a do SrJ
I Joo Moreira.
j
MUTILADO


4
DIARI
O DE PERNAMBCO
t?7* Preti$a-fe alujar um sobrado ou casa
irrrca rti/Jooo, sendo em boa rua nesta
Ty posrafia.
WT Precisa-se alnir una preta para o
rrrvico interno e fxterne de urna casa 5 quena
tiver nniinrie.
cr Co-se 3oo 003 a juros coro pinhores
r-rara ta Independencia loja de ourives se
dir*
SSS"" Desapareceo no dia -4 docorronte um
rao d'agoa todo brencocom urna malha as
cosas pardi; qucm o pegar leve a ra da ca-
de ia do Recife D. 5? que ser generosamente
ifcjmpensado.
t?- Na ra do Vigario D 15 preciza-se
-.fallar com o Sr. Francisco Raimundo dos San-
tos,
tST Aluga-se o sobrado de 1 miares e
fot2o com nrmazem para estabelecimenlo ,
Tecem-edincado na ra Agusla lambem
Malaga o Wrceiro andar da casa da rua da
IXOeda, e vende-se ntn prelo par milito com-
TOcdo preco ; a Iratar na ra do Vigario De-
tima la.
ijr A Inga-se no forte doroettos urna pro-
Tiedade de sobrado e erirszem ir.uilopro-
1 rio.para recolher vohirr.es de qastquer gene-
ro tanto no armneem romo no roes m o s brado
por Mlai em Bailo f.e perlo do embarque
trata-se no narstro logar na prenea de lian
1 seo Ribeiro de Brit >.
t9~ Oiitm cthci utnc:n;eiro no .!ia s
lo eorreule pelas .': horas da Urde, todo
Lraneo tem o olbo diteito vssnio as onbas
dos p= grandes e be mocho; leve a rua do
nicho do Nota D. 55 que sar; gratificado.
SS" Precisa-s fallar ao Sr. Bernardo Fer-
iiandesGima cuja moradia se ignora, qiiei-
ja ter a bondade de annuncial a.
ct" Uti senhora propSe-sea abrir aula
pnia spplicac.o da moiid.de, coser com per-
iei:ao 1er escrever, e contar corretarnenle
al pesseas que se quiserem servir de sen pres-
timo, diii'o-sc a rua Augusto casa junio ao
S. Teen la Alxeda.
tsr Deseja-se ssber se existe resta C'idade
o Sr. Jiao Joaquim Gomes que ero Agosto
doar.no passado se /achara tm llimlurgo,
ende r.esta Cid :de ixestia pessoa de sua fa-
milia a quex se possa rommunic&r a respeito
ao do Sur. Gomes, quera annunriar a sua
jnoieda cu dirija-se a na da cadih do Re-
cife priroeiro miar da ees-, n 18.
jjg- Quero quiser arrematar urna boa cnsa
de um sudar na roa do Arago, e urna ex-
cellente casa envidracada t com quintal mu-
radoquevei ;ii o no beberibe, que fui do
Padre Mantel Aires de Aguiar dirija-se a
praca do Sr. Dr. AlT-roco Juizda tercena
vara na rua do Rangel casa onde mura o
Sr. JoodeCa'valho.
%gr Jio?a-se ao Snr- Manocl Esleves de
Abreu de ir a fora de portas n. 23 a negocio
de seu ir.fcresse.
835- A Senhora D. Rita Benedicta Me-
r.uelina de A/cedo, Reiere.idissiooo Gaspar
fe Sequen a e Queiroz e bernardo Jcs de
Tarros, queirfio mandara casa de F. M Ro-
drigues & Irmos na rua do fra| folie qui
11a da des tanutiros n. ia rccebtr urnas
caitas rindas do Maranho eo Sr. Antonio
Jns de Siuzaque resedio ero Cachh,sja-
ra negocio de seu interesse.
tr- Oabaixoassigi.ado rog.1 ao Sr. Mana-
t Jos de (jliveira e >ello prcnrietario do
engenho Morojo o'aror de ver se o escravo
que faz r.eroco >eu anuuncio tem os signaes
srguintes de nome Malucos lepreseuta ter
tle idade 45 anno secco do orpo de boa
altura, alguroa couza gago, de naco an-
rico este escraro fugio em Lezembro de
;i83o, de beberibe do sitio gasinh* sendo
seja de o mandar conducir ao Kecife a iv.sa do
annujiciante que pagai todo a despeza. ftla-
noel Antonio da Silva Motta,
t3T Antonio Do 1 iuges l'into tem elabele-
tido no Monteiro urna maquina de serrar ma-
deira ir.cvida 101 agoa o laboado he ser-
iado com tal peifeitao que quasi se pode
iazer a obra com elle sem levar plaina o de-
posito da madeira serrada lie as casas do Sr
Cunba deroiile da Ordero Terceia de S
FranrsOO por baixo da casa da Sociedade
Apolnea, em cojo deposito se vender la-
loado ie todas rs quahdades e groasur^s ,
e por menos ptdodequetm oulra qualquei
serralia os prelendentes podem dirigir-se ao
>re:i o aime/em do fim de torrente mez ero
fiaiite e presentemente na rua nova U. lo ,
urr.lfm se admitiem^medcirus de particuUies
|)*r* serrar*
: Ilcgs-se a ce eredorea de Dorringos
IViiisrdes \ iarn.a de compaiecerem no u
crrente as 11 horas da mbnli no es-
li de i.tsir Pt'g 1 S i : n pa- ^
ra deliberaren o que julgarem conveniente, moderno^ esero^itio; na venda da quina
vistoqueoroestno Vianna seacha coro a loja
feixada par exncuco que |contra elle movem
da Cunha na rua estreili do Rozario U. i7
ou na praca do Commercio ao Capilo.
PARA O RIO VE JANEIRO o Patacho
lliasileiro Saruiva temo seu canegamento
completo e .' recebe escravos e passageiros
para os quaes tem optimes commodos ; tra-
ta-se cora Antonio Francisco dos Santos lira
ga na rua da moe.da n. 1*3
Leii o
Tendo de roudar-se no Hm do correnle mez
a firma da caza de Crabtree lieywjrth & C ,
e estes aro a venda para liquidneo de con-
tas per inlervcncjo da Correlor.Uliveira ,
do mais explendido sorlinaento de lazendas
inglesas e as mais proprias desle mercado
como .lid i se nao tem posto ero Lviao ; e
entre elias se vender por precos muilo ra-
soaveis uaetilhas decores, plalilhas d'algo*-
do brancas e variedade de pannos pretus ,
de qualidades tj superiores en quaulo a sua
urabilidade como da bot cor capaz de
resistir influencia do sol e da chuva cir-
cunstancia esla que bem pode toroprovar-se
oro sumo de iiroo esprimido em cima do
paoo o qual se depon de posto ao sol p>r
alguus minutos, nao tnudnr para a cor parda
ou de rap ser verdadeira. Crabtree lley-
worlh & Coxpanbia espero que seus tre-
geles concorrerd a aproveitar lo grandes
vautagens quarla fera ai do corrate s 10
horas da manila ero ponto no seu armazero
rua da Cruz.
C o m p r i .>
US" Escravos de ambo* os sexos de idade
de 10 a ao annos com habilidades ou sem
ellas assim como urna negra que seja inoj-a,
e que seja boa engoxmadeira e costuren a, nao
se oilia a prec.o e uiu prelo mofo boro niar-
c 1111 iro ou e 11,. un para fora da provincia,
a follar coro Antonio Francisco dos Santos
liraga na ma da Moeda n. l4*
t^ Uro par de esporas de prala, de uto
alguns de seus credores.
S3rPrecisa-se de uro feitor que siibi po-
dar para trabalhar em uro sitio perto da
praca ; ns rus direita padaria do Machado.^
Avisos Martimos.
PAR \ O RIO DE JANEIRO, segu via-
fjem al : fin do correnle mer, o Briguebar-
''a Brazileiro Firmeza f.ir-ado encarilhuio
He cobre e de 1 chasp, pode ainda receber
pequea pircao de car{ja e escravos ; assim
'fimo 8nda tem lugir para 4 passageiros ,
para os qunes tero superiores commodos t a
tratar-se com Antonio Francisco dosSantos
lirsga na rua da Mopda n. 14.
PARA O ARACATY com rauitabrevi-
dnde por ja se adiar com seu cirreament>
quasi pronipto o velleiro Patacho Nachnal
/.aurenlina Rrasilei.-a, Capito Antonio Ger-
mano das Neves para carga e passageiros
trata-se com o seu proprietario Lourenco Jo-
das Neves ni ruada Crut n 3a ou com
o Capito do mes tro.
PARA O RIO DE JANEIRO com muita
breridade o Patacho Nacional Aguia de Man-
g raliba atiero quiser carregar ou irdepas-
sagem dirija -se a Giudino Agnstiohode Ijc-
rc.s a'.razdo Corpo San'o I) 67
PARA O MARANI1A0' segu viajero nl
o fm do presente mez o lirigue Escuna Laura
de bem conhectda qualidade tanto de ve'la e
se^uranc como commedidades psra pacsi-
geiros tendo ja a maior parle de seu carre-
gamenlo engajado ainda recebe alguroa car-
;;i a frote os prelendentes dirijo-se ao Ca-
pilo Luis F. da Silva Santos ou a Firmi-
no Jos Felis da Roza na rua da moe'ta De-
cima i.p.
RIO DE JANIRO segu com muita bre-
vid de o Patacho Nacional Josephina de
boa marcha ; quero qui-er ctrregar ou ir de
pissagero dirija-se a Gaudioo Agoslinbo de
barros, na piacinha do ("orpo Santo D. 67.
PARA O MARANHiO* segu viagetn
com muita brevidide por lera maior parle de
seu carregaroento proroplo o Patacho S
Joo forrado e pregado de cob^e e de r-
pida marcha 5 quem quiser carregar ou ir de
/lassagem e niamlr escravos dirija-ser o
F. M Rodrigues & Jrmos ; na rua do 1ra-
piche quina da d s tanueiro> n. I 2.
PARA O PORTO com a raaior brevidode
possivel a velleira Barca Portuguezt Espi-
rito Santo forrada e encavilliada de cobre ,
com excellenles commodos para passageiros ;
quem quiser c.rreg'r ou ir de passagem di-
rija-se ao seu consignatario Francisco Alves
lo beco do peix? frito
tsr Escravos deamins os spxjs j de ida-
de de ia a a5 annos : na rui do fogo ao p
do Roiario D. a5.
s?^- Uro bolao.de abertura e uro par de
brincos tuio de boro ouro e sero leitio j na
'ui de [lorias D. 0*3. _________
Ve 11 ( a s
KS^ Acasos da fortuna 011 livro de sortea
divertidos augmentado cim uro methoda de
Iazer mais de mil deHmas nicamente coro o
trabadlo de lancar dous dadas ; u-c tratad
las sinos ou dos etfeitas e pronostico dos
doze signos do anno ; pelo preco de duas pa-
tacas i na Praca da Independencia loja de
livros n. 37 e 58
K3T Taixas para engenb.o a loo rs. a libra
e serveja a retaio ; no armazem de ferra-
gens de Johnston Pater & Coropanhia na
rua da Madre de Dos.
S3T Uro alambique de cobre estanhado,
proprio para botica ; no atierro da boa vista
D. 4o.
tsS" Sal de Cadis a bordo da Kscona A-
mericana Celerily por preco cororoodo ; a
trat >r coro os consignatarios h> G. Ferreira
& Mausfield.
s^" Arroz pilarlo tanto ero siccas como a
rrtalbo por prego cmodo : ni pracinha do
Livramenlo venda D. a5.
Gf" Hum Espelho novoe mais duas fir-
dis de panno fino uro nova que serve pira
Guarda Nacional ; na rua Qucimado D. |5.
K2P Urna grande casa com s;tlo porta 1 ,
quintal cacimba 8 quartos na rua do
Kagundes ; a tratar na rua direita sobrado
largo defionte do beco da pen'ia ou na rua
do Colegio loja de re!ojreiro,
S-Sy Sacas com farinh do Rio de Janeiro ,
assim como de Soruy e IV]age superior a da
Moribeca cl.egada recenteroente no arma-
zero de Antonio Francisco dos Santos Braga
na rua da rooeda n. 14a.
SSf Urna casaca de panno preto, nova ,
por nao servir a seu dono por aperlada na
rua direita loja de fazendas n. 4i.
G7" Um preto de naco, ainda mogo, e
anoeiro
*~~ -.31
niroo do p direilo meio torto para o mesmi j
lado direito ; di?ero estar occultaaaanle ser-f
vindo em certa caza fora do Recife ; o mesrool
abaixo assignado adverle a essa pessoa ( sv
assim ) uzar dos meios que Ihe faculta a le ;
ficando a mesroa pessoa responsavel pala dita
preta e dias de serrico ; assiro coroo pejj
aos Capiles de campo, a apreheucSo da
referida preta pois generozamente ser re-
compensado do seu trabalno.
Manoel Alves da Cruj.
C5" Domingo ao do corrente desapsreceo
da casa de Francisco Bizerra de Vasconcelloj,
na]rua de Apollo; uro cabra de nome Francis-
co de estatura baixa, um pouco ebeiodo corpo,
sem barba de idade ao annos pouco mais ou
menos, vestido de caigas pardas o carniza e
chita dvsbotada este escravo foi veudo a,
annunciinte a relroaberlo pelo Snr. Tenenlt*
Jo?e Antonio de Medeiros Chaves, morador
na Villa Propria da Provinvii de Sergipe e
consta estar ainda nesta cidade. Quero 0
apprehender ser recompanyado coniuna-
do-o a casa do annunciante.
r?y Andr com boa cor boro cabello ,
bonito de cara, e de boa altura cheb do
corpo, bem empernado, fugio no da 9 do
Crranle Jonho as 5 horas da ininhi levan-
do um quart j casl-inho escuro curto e ffros-
so bastante carnudo, e con una estrelU
na testa sellado enfreiado e com mircas ,
escravo do Capito-mor Joo Covalcanti da
Albuquerque o qu.l offerosse bia recom-
pensa aquero o Irouer e ao ai s no teropo ro-
ga a todas as Authoridades ctvis e militares ,
e mesroo aqu .Iqu8r pessoa do pivo que fas-
sao quanlo for possivel para ser o dito es:ravj
cantorado, nao poupinlo para isto diligen-
cias e despetas, contando coro o S'u etern
agradeciroento. Oulro sim o mulato veio
u.uiii'j passado do Ico para a jui Onde ii
vendido e he muilo de crer que elle tenu
procurado o lugar do seu nasciroento,
tsr Sbado 19 do correnle uro Molati-
nho de noroe Joaquina i la le 11 annos pou.'u
mais ou menos, lev ou calcas bru-cas multo su-
a Jaquelo de ris'a iinlio se u ciium e tem os
seguintes sinaes ; p> cambidos de bixis fal-
ta de uro denle na frente cara larga cabel-
los meio acabocolaio e cou alguns arranbo^s
de bonita figura boro ranoeiro serrador ,, na cara ; roga-se a quemo aprehender de o
sendo para engenho ou fora da praga se dar trazer na becco da Lingueta a seu Senhor
na ru ila prnia Kprraiia da I Joaquim .Jota flahalla4 L- Sergio Angola de iJade de 18 an-
nos cor fulla baixo rosto chato othjs
grandes veslido coro carniza e ceroula d'Algo-
uapor.
US* Um relogio do parece e urna mesi
com gavetas ludo em meio tizo e por pre-
co commodo ; na rua do callabouco velho na
ultima casa a eiquerda.
tS" Urna porco de sola do serto cou-
ros de bezerro e de cabra 5 a allar con r-
cenlo Fortnalo da Silva ou no armazem
I
I
viovieiito do i'urto
dio da Ierra tero sido visto pelo chora-me-
ninos Magdalena lora u\; portas. Hypo-
iito lambem ce Angola de idade de iiaia
annos rosto coropndo estatura pejuena e
bero retinto di cor falla correniemente pa-
de essucar de Antonio Francisco \Jaii na rua recendo creoulo, levou veslido carniza e ceroiH
do Vigario. las de algodo di trra suponhe-ss ter si Jo
tsy Urna escrava de naco ja ladina por desencaminhado por algum s;dutor, fgido no
preco cmodo ero fora de porlas do lado do da de Juuho 111 occ^sio que ia para o sitio,
mar grande casa 11 197 pegado ao sobrado quero deltes ler noticia ; dirija-se a seu Se
que por baixo tero urna loja de charutos. Dhor Nuno Mara de Seixas Rua do Vigario ,
Car* Um molalo moco bem a pessoado sa- ou ll0 seu sjii0 Cordeiro
dio, sem vicite oIBcial de pedreiro 5 o mo-
tivo sa dir ao comprador; sobrado de esqui-
na da rua da Penba primeiro andar por cima
da venda de garapa.
t^> Pianos Jngle.es de Jacaranda e de
mogno de armauo e orisontal j na ruada
Cruz n. 7
IST Um chronomtro de superior quali-1
dade uro citante boro e mais o'ojectos per-
teitcentes a nutico na pracinha do Livia-
nenlo no sobrado da quina por cima da loja
do Sr. Bastos,
HJ~ Cortes de superior chita de bel los pi-
dris e cores lisas a 4jo > ; ditos coro io co-
vados a j oo ; chita tina d"assentos escuros a
160 rs. o corado : na rua do Cabug, loja de
fasendas D. 4 defronle do cerieiro.
t^p* Urna morada de casa sita nos A Boga-
dos na rua deS. Miguel coro commodos pre-
cizos para una familia e chaos proprios ; a
tratar na rua da Gloria D. /,(.
SSST Urna toallia de cambraela bordada ,
por preco cmodo na rua de Orlas U ti.
s&T Um sobrado de 2 andares com chaos
propnos paredes dobradas precisando de
alguroa reedificaco cujo sobrado pe tense
a 4 herdeiros e lie silo na luada liurgo
n. 1 j diiija-se a iuu de S. Jos D. ia do la-
do do nasceiile.
jiiscravos
i<'tl-iaoS
6^ Fugio a 3 annos pouco mais ou roe-
nos da la das Flotes L). 5 doabaixo as-
signado urna preta de geu.io, de nome Au-
na rom o> biguaes seguintes ; delgada do
corpo, uuia legular ts.nalroada dos pel-
los, aliapibda O.i Imgua nomuiioie-
linta da cor,

NAVIOS ENTRDOS NO DA 19.
S Matheus ; n dias Sumaca Brasileira Des-
empeubo de o tonel Cap. Antonio Ro-
drigues '|ui|i 9, carga farinha do man-
dioca ; a G. A. de Barros.
Rio de Janeiro ; i4 dias, Brigue Escuna b\
Tito de 108 tonel.. Cap. Antonio Pes-
soa e<|uip. 11 car;;a carne secca ; a A.
& Irmos.
Dito 13 dial, Patacho Brasileiro Austral de
200 tonel. Cap. Jos Francisco dos San-
tos equip. 9 carga farinba de mandioca}
a Amonm & Irmos.
SABIDOS N0MESV10 DA.
Liverpool j Barca Ingleza Aikcoriblet, Cap
Roberts Dombrill, carga a mesma qu Irouxe.
Boston 5 Brigue Dinamarquez Chrisliano,
Cap. M. Cornelinsow carga assucar.
Havre j barca Frauceza Casimir Delavgne ,
Cap. Lasserre carga aigodo e assucar
Maranho j Biigue Escuna Brasileiro Caro-
lina Cap. Francisco Bernardo de Matos ,
caiga assucar,
Ro de Janeiro 5 Charra Brasileira Carioca ,
Commandanle o Cap. Tenenle Luiz Cae-
Lino de Alxeda,couduz a tropa que Irou-
xe do Maranho.
o maior sign'al c ler o dedo u.i- RECIFE NA TYP. DE M. F. DE F. t!


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EQINMKFQS_TOKLC6 INGEST_TIME 2013-03-29T18:28:03Z PACKAGE AA00011611_03831
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES