Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:03817


This item is only available as the following downloads:


Full Text
wno >e i841 Sexta Fkir v
Tudo agen depende dt nos mesmoi; da nosta prudencia, modera*
cao, aairgia : eon'nueiuos earno principiamos, a Mraiaoi apontados
con adciracAo antra aa Naces mais cultas;
Proclamadlo da Asaemblea (eral do Brasil]
M*
Suhaerave-se para esta folba a 3fooo por qu artel pagos adiantado
aeata Trpograna ra das Grutas 0.3 a na Praga da Independen-
eia, n. it-j e 38, onde se recebe na correspondencias legaliaadas a an-
nuncios msirindo-se estes gratis sendo dos proprios assignantes, a
viudo asagnadot.
PARTIDAS DOS CORREIOS TERRESTRESj
Ctdade da Parabiba a Villas da su preteneio .
Dita do Rio Grande do Norte, a Villas dem.
MU da Fortalesa o Villas Idea..... .
Cjdade do Goianna ........... .. ,
CdadO da Otinda................
Villa daS. Anto......... ......
Dita de GaraiUiuns a Povoacio do Bonito -. ,
Ditas do Cabo, Serinbaem, ftin fcsr
Ojiado -jaw slstsai, a do ~
ViHa do Faja* da Floras-------
'ntlot os Correioi parem ao meio dia.
VSAlUtO !D3
4 DE JNIO. NM. J 19.


>
Sa*. Sealaiyeias-
. Todos os dlaij
. Quintal fairaa.
.10, aHdoc-daaaos
o si dato dito
PBASBS DA LOA NO MEZ, DB JUN.
Loo Chata a 4 < h. e I j m. da man.
Quart. miug. n o 5 h. a 36 a. da mas.
Loo Nova a iu X o. a Si ai. da man.
Quart. erase, a i5 i as 8 h. e 15 m. da Urd.
Marc nka^pmraj di 4 de Ju*ho.
As i horas e 5* minutos do tardo.
As 3 horas e 18 minutos da manli.
CAMBIOS. Juan) 3
Londres......3i d. por i^ooo ced.
Lisboa......8o por o|o premio por metal ofTereci lo.
Franca ;.....31* res por franco. Conep. Venda.
O1O- Moedade6|4oo roia, velhas H$5m UBioo
,, Dita* n -? Mfaoo i4|6m
Ditas delfoooreis, Kfaoo tyioo
J?RATA PaUe&es Brasilairoo ifStio if Pexos Coluisloariot-----------iJ55 Ditos Meeane .--------------ijsSo if8p
UisUa. -.----------igkko i|46o
Disc. de bilb. da Alfandega i i|8 por loo ao mes. I ojo
Idam de letras de bios raaas s> '1 i,i a i M
Moeda de cobre i por 100 da disc. ao par
Sedidas do pequeo olor Ip ojo a 1 >| o
DAS da semana.
3i Segunda + -r. oitava S. Petronilla VJ
i Terca >< a. cita va S. Firmo.
a Qoarta S. Marcelino M. Aud. do Juizde D. da 3. vara.'
3 Quinta S. OvideoB. Audiencia do Juiso de Direito da a. vira.
4 Sexta S. Quirino B. ~ Anuencia do Juii de D da i. v.
5 Sabbado a. Haruno M. Reliado a audiencia da Juiz de D.
datSMk
6 Domingo da 5S. Trindade S. Noberio B.

RIO DE JANEIRO.
ASSEMBLEA GERAL LEGISLATIVA,
CMARA DOS SR8. DEPOT A DOS.
Sessio em de Maio de ir?4i.
Conlinusdodo n. antecedente.
O Sr. Moura Magalhes cbserva que todas
as veses que na cansara se Irasa de tencas sus-
cia-se a ouesto se o assento do conselho
ultramarino he ou nao le e a maioria da
cmara decide que he, epor Uso approva as
tencas i se essas tencas veis cmara be por
nao estar fixado o quantum. Observa que a
commisso referindo-se a todos esses actos
repetidos tem ja,determinada. Admira que
os nobres depulados que querem conlionar
por um simples costume como diiem, a vo-
tar sobre cada huma das tencas, repugaem
votar por bum principio determinado.
ola que nao t xou ocorpo legislativo, de
negligente, sdisse que esses negocios par-
ticulares dormio us pastas e com eteito
assim acontece, porque a cmara tem de se
ocr upar de negocios de tnaior monta. Anda
que a assenblea teuba grandes desejos an-
da que a commisso trabalhe apuradamente ,
nao se podem approvjr todas as tencas em
buma sesso5 he por isso, e poique a as-
semidea be a propria que ttm reconbecido
que os actos do governo a respeito das tancas
sao conforme! a lei e s vm a cmara para
ter a sa necio do costume, he por isso que elle
orador julga que o corpo legislativo pode de-
miliir de si a prerogativa de saneconar as
tencas } o governo a vista da le as, con-
ceda.
A respeito do abuso que o governo pode
commetter neste negocio. diz que tambero
pode ba ver vindp as tensas receber a saneco
da assembiea geral, porque j-ode o governo
deixar de concedel-as a quem as merecer ;
dernais quando esse buso se der, tem o
nilitar o diieitode queixar-se, de represen-
tar.
Finalmente quauto. ao argumento, of-
recido pelo bar. Libino de se tratar desla
materia quando se discutir o augmento do tol-
do, dii que os militares est|o na posse de te-
rem tuat tencas, e uenhum motivo ba para
seeem esbulbados dellas.
O Sur. Coelbo cede da palavra por naj es-
tar presente o Sor. Viaona.
O Sur. Lima e Silva diz que como alguna,
nobres deputados aptsjr das leis que se
tem citado, tem posto em dufida o direito
dos militares a esta ren.uueraco de ser vitos,
elle orador, alem dessas leis, apiesenta o re-
gmeplo das mens e l o priueirq artigo.
Ltii ai pede aos mismos nobres depulados
que leifo as collectjes das leis ieiles pelo
bur, Nabuco, e l eucontraro o direito que
os militares lem a remyueraco de seu* ser-
Pelo que ouvio a bum nobre depulado ,
parece-lhe que esse nobre depulado quer que
a remunerar,u dos serycos militares se limi-
te pos sidos, de modo que parece querer
remunerar os servil os ieitos ptlos alteres do
mesmo modo que ps feitos pelos 'generaes.
ua sub-
sistencia pora p seq tralameoto *, a larda
de bum teuepte general cusa 5ooU res em
quanto que a de bum alferes cusa 5o } as
dragonas de bum otficial geiiejral importa em
3ooUoooreis e as do alferes em 3o ; bum
general em campauba tem obrigaco de au9-
lenlar o seo ajudante de ordeas,, o seu secre-
tario, em quanto o alferes sustenta o seu ca-
ntarada. Por todas essas rasSes be que os
sidos sao proporctonaes as patentes ; e que
as lencas nada tem com islo, por qu sao
remuneracss de ser.vicos.
O Snr.Cavalcante de Lacerdi diz que a
commisso quando apresentou a resoluto ,
nio se fez cargo de examinar se as tencas mar-
cadas na tarifa ero as mais convenientes. A
commisso .nao descoobeceu., que o assento
do couselbo ultramarino nao constitua lei
entre nos mas quiz- conhecel-o como lei ,
e para isso appreseutou bum projeclo. Tan-
to a tarifa nao be reputada lei em vigor, que o
governo coosla lilemente manda ouvir o.pro-
curador da coroa sobre as tenga* e, depois
de sua informaco be que as concede. A
commisso encarou a queslo debaixo de ou -
Iro p,onto de vista mili diverso $ considerou
que ufo bavia militar que pedisse huma ten-
ca que nao a oblivesse, que nao bavia exem-
plo de ter-se regeitado oa cmara ou o sa-
nado buma s<5 tenca ; que, se em alguma oc-
casio lm-se deixado de approvar alguma,
he isso devido a falta de alleuco, tauto que
na sesso seguate he ella approvada.
Ora estando ai cousas nesse estado, jujgou
a commisso que er;* muito mais conveniente
que por huma srez se Gxasse a inteligencia
desse asssento do. conselho ultramarino que
se deca rasse que era elle le, a fim delirar
do corpo legislativo bum tra^alho intil. Sa-
be-se que esforcos sao precisos para entraren
as tencas em discusslo porque ha negocios
mais urgentes que nodeveai ser retardados
por esses particulares } he por_ isso que os
projectos de tencas dormem nao as pastas
da commisso mas sobre a .mesa ; e daqui
vem que s sao approvadas as que tem al-
guns membros da assembiea geral que por
ellas se interessio. Admira que os nebres
depulados que declaro nao negar nunca os
seus votos as ten9as, repugnem votar pela re-
6qlu9o que marca a*, circunstancias em que
as lentas devem ser concedidas.
Depois de breves reflexes dos Snrs. Mou-
ra Mgalhes e Andrada Machado., d-se
por discuiida a resoluco.
He approvada adoptada e reonettida a
commisso de redaccio*
(Continua).
P'ERUMBv.
GOVERNO DA PROVINCIA.
Expediente do da 19 do passado.
Officio Ao Com mandante das Armas ,
devolvendo-Ihe o requerimeuto do Alteres
de Commisso Maooel da Cunba Wander-
lei Lins vindo do Msranbo, em que pede
que a prestacio que deixou a sua familia nesia
Provincia quando della parti seja elevada
a aaU reis ; e significando loe que nao pjde
spr atteodlda a pretencao do suplicante visto
nao bayer touimunica^ooicial na Secieta-
taiia das Armas do posto que lbe foi cofe-
lido uem haver certesa de que seja c.oirma-
do segundo informa em seu omcio desla da-
ta.
Dito Ao Inspector da Thcsourana das
Rendas Provinciaes, ordenaiido-lhe que em
aiteii'.o ao que lbe represenlou o lleverendo
Vigario daFteguesia dei. S. duRosaiiode
Goianna, que entregue ao mesmo Reverendo
Vigario a quantia de itoooUooo reis, que o
artigo i7 da Lei Provincial numero 87. man-
dn dar respectiva Matriz, como indem-
nisa^o dos concert.os que a cargo dos par-
ticulares se fizero na mesma Matriz; deven-
do prestar flanea idnea e ficar obrigtdo a
dar contas do em prego que der a referida
quantia.
Dito Ao mesmo, para semelhantemen-
te entregar ao Reverendo Vigario da Fregu-
sia deN.S da Conceico de Nazaretb a
qtiaolia de a;oooU reis para os reparos da
respectiva Matriz.
Dlo Ao.Commandante Superior da G.
Nacional do Recife, communicando-lhe q' foi
approvada a proposta dos postos vagos do pri-
meiro Batalho, que remetteo com o seo of-
ficio de 18 do crrante, devendj fazsl-a pu-
blicar, e ordenar aos proauviJjs, que solli-
citern as suas patentes.
Ditu Ao Inspector Geral das obras Pu-
blicas, approvando as condieces com que
devem .ser arrema>Uados. os reparos da parte
da mujuli oovm Jo Pao. da Albo dos Ja a ana
embocadura no largo, da Magdalena al a
travessa d> Caldeireiro.
Dito Ao Administrador das obras Publi-
cas aullioi isando- 3 para fazer psssar a sua
Repartir. para o primeiro andar da casa da
J. Viegas, com o qua'l dever tratar acerca
do arrendameuto ; e para faser novo ajuste
con o proprietario da casa em qua actuaU
mente se acba a mesm 1 Re^articaj para ter
principio depois dos colicortos que elle vai fa-
zer,
Dito Ao Inspector do Arsenal de Miri-
nha significando-liie que nao conviudo,
qie seja demorado ueste Porto o Navio que
transporta o qainto Batalho de Cacadores
para o Rio de Janeiro cumpre que drn;a
' as 1 juchas que forem necesarias pira se por
abjrdo a guarda, e o mais que sem requisita-
I do o respectivo Commandante
Dito- Ao Juiz de Direito interino da pri-
meira vara doCivel, qnviando-lhe o requeri-
meuto da Irmandade de N. S. do Pilar de
ltamaracj pedindo a eonSrmajio do respec-
tivo compromissu, que igualmente se lbe re-
mette, a fim de que como Juizde Capellis
d o seo parecer declarando se o dito Com-
promisso est organisado segundo as leis.
Portara -- Ap Director do Arsenal de
Guerra para fomecer por imprestimo ao Te-
nante Corronel Francisco Mamede de Aim'ei-
di Commandante do primeiro Batalhio da
Guarda National quiuze espadas com 'bii-
nbas das que exilem no mesmo Arsenal per-
te nr entes ao Corpo de Polica, de vendo o
mesiEO'Tenente Coronel restituil-as no esta-
do em que as receber.
Ollicio Ao relerido Tenente Coronel,
communicando-lhe o conteudo na Portara
piecednte.
dem do dia ao.
Officio Ao Commante das Armas para
maridar um Cirurgio a bordo do Navio I11-
glez Corato de Lio examinar se os solda-
dos que se ach'j doeules podem sem risco
, seguir viageai para o Rio de Janeiro e sea
' molestia ne contagiosa', deveiido o mesmo
Cirurgio remelter immediaUmeute os remo-
! dios que forem precisos os quaes sero pa-
gos a vista da respectiva conla.
: Dito o DSutor 1. Medico do extincto
Hospital Militar para derigir-se immedia-
tamenie a bordo dj Navio de que trata o pre-
cedente officio e proceder ao e\am> ordena-
do no mesmo ofticio dando as providencias
que jnlgar convenientes-
Portara Ao Inspector do Areenal de
Marinha para mandar desembarcar e re-
melter para o Hospital Rudimental, os sal-
dados do 6 Balalba:n de pagadores qua se
acha doentes a bordo do N.ivij-Corico da
Liq.
dem do dia ai.
Officio -- Ao Inspector da Tbstauraria do
Fazenda oartecioando-'be que por Aviso
da Secretaria d'Estado dos Nejx-ios da Fa-
zenda de 14 de Abril uli-yo foi approvada
a nomeaco de Jozs Garren Lial parn o eta-
preg de Guarda da Vlea J i Consulado
Dito Ao 'mesmo com re u nica n lo -Uin
queS. M. o Imperadjr hiu^e por bern ,
por Portara de 19 de Abril ultimo prorogar
por mais trez mezes a Ijcenga com quo es o
Bacharel Joaqun Piulo Brasil Profesor
substituto de PhilosopV. Go-'meir'u do
Collegio das A res.
Dito Ao Director Vuleriu do Cursa Ju-
rdico de OJioda comroa.'iicm 1j -fae o cot*
leudo no precedente otILto.
Dito--Ao Inspector di T!iejuraru das
Rendas Provinciaei pirtecioanlo-lha a chrgi-
da dosOogeobeiros Mord P. ruar, e Buessard,
engajados para o servido da Provincia e
enviando-lbe* as copias dos respectivos con-
trarise a conta do que se Jespendep com este
engajamento importando em franco 5 5o6,
Dito -- Ao mesmo para eai coujtJeracj
do que represenlou a Com, Administ.' dos
Hospitaes, mandar enirejar a mes na a im-
portancia da quota pertenceute caza dos Ex-
postos e a Hospital dos Lizaros correspon-
dente aos mezes de Abril .Vlaio e Junho
docorrente ando aioa do occorrer as respec-
tivas despezas.'
Dito A Administrrco dos llospit *es da
Caridade communicindo-Ihe a expeli gao
daordem sup'ra.
Dito Ao Commandante Ge'al de Poli-
ca ,' respendendo-lbe qu o Major do mesmo
Corpo Maooel Bizerra do Valle que a pouco
fora oomesdo pira Sub-prfeito da Fregoezia
de Santo Antonio pole coatiuuir a servir
no dito Corpo visto que nao ha inco opaie-
bilidade de fxercer conjunctameiite ambos os
etnpregos.
dem do dia %2.
Officio Ao Co Jimnidante das Armas ,
communicando lbe que 3. M. o I operador
houVpor be transferir pira o di 1 18 de
Julno prximo futuro o acto soUemne de sua
Coroago e Sagraco ; e que por tanto fjco
sobrestadas as ordens expadidas para os tes-
tejos do mesmo acto no di a$ do correle*
Iguaes comhiu:iicacdes foro derigidis ao
Presidenta da Relacio, Com n, Superior
da G. N do Recite Chele da Legio de ti-
ln! 1 Cmara Municipal, Cmiules &:. cc.
Dito Ao Inspector da Tuezouraria de
Fazenda envituio a relacio dos objecios
que ora sao re.nettidoi ao Etn. Pretidento
do Cear em vina Je Ai re uisico do mes-
mo iupjrlauJo eja res u:*;8U s jo afim
d qua la^a debitar por esli qua na a Ttie-
zouraria da|uelta Pro.'iitCta.
' Dito Ao Prefeilo da Ci umarca para or->
denar que as Patrullas \\i-, r> (li> iu r< do Recite girem ou Irddd.'a.-M '! ':Jj*s
do Forte do .latos e pr,-.. :j i \tfaaJega ,
afi.n de velar que aigUoST sa h&O ilf'u*i2i
em dita Repirttvo ^ lo' 111$*: eaJ ou. chio


wm


;.<

fclXfclo bE PERNAMBCO
rsrfe dt coberta de om dos | respectrvos r-
mateos*
-Dilo Ao Inspector'-d a Alfandega com-
er unicornio-lbe a expediccao da ordem
sopra.
Dilo Ao Director do Lyco respoo-
deudo-lbe que pode farer eftectivo o Con-
cuo das Cadeiras de Latina das Commarcas
dePaodo Albo e Bonito em urna das sallas
do Palacio conforme exige em seo oficio de
aif do corrente.
Portara Ao Director do Arcenal de
Guerra jara lencetier ao Inspector do de
Maiii.ha os Caixces cono fardanento que ten
de eerem rtmettidos para a Provincia do
Cear.
Oficio Ao Inspector do Areenalde Ma-
i ir.ha para feaer emba car no Palbabote O-
linda que segu para o Ceai os Caixes de
faldamento indicados na precedente Por-
tar.
Dha Ao Commandante Geral do Corpo
de Polica para lser reuder a Guarnicio
da Praga no dia a3 do correte pelo Corpo de
seo Cono mando.
Cficicio A o Con mandante das Armas
cominuuicande-lhe a expediccao da ordem
tupia.
Portara Ao Commandante do Biigue
Eicuna Gararapes para dar baixa aos segn,
dos Grumetes FeiippeS. Tiago Jote Igna-
cio da Penba, e Tbomaz Antonio d'Araujo,
e aos Marinbeiros Costodio dos Santos e
Antonio Jote os quaes forao julgados in-
capares de lenir pela Insptccad da Saude.
Oficio Ao Inspector do Arcenal de Ma-
rimba communicando-lbe o conten do na
precedente loriara.
dem do dia {
Oficio Ao tommandante das Armas ,
pan mandar demittir o recruta Jos Roque
rindo da* Alagoas visto assioa requisitar o
Exm. f recidente d'aquella Provincia em
roiisequoncie de ter sido elle indebidamente
rccr otado.
Dito Ao mesmo ordenando-lbe, que
mande uovaroenle assentar praca na 1. Linha
a Wodes o Antonio de Moraes e Silva at-
iento o que eUe representou e sobre o que
iofotmou e> mesmo Commandante das Ar-
mas em oficio de 19 do correte.
Dito Ao Commandante do Brigue Escu-
na Gararapes para dar Guia de desembarque
c remetter ao Commandante das Armas a
Praca de que trata o precedente oficio.
Dito Ao Inspector da Tbesourarie das
Rendas Provinciaes para mandar pagar ao
Padre Joao Jos da Cunha Ribeiro o que Ihe
coro 1 eiir pelo lempo em que regeo interina-
mente a Cadevra de Grammatica Latina da
Fregueia de S. Fr. Pedro Gooc,alves do Re-
rife.
Lito Ao mesmo enviando-lbe a nota da
filiacio do Corneta do Bataibin da G. N. do
Bonito i. B, de Otiveira, a fia de que lbe
mande abrir os competentes assentainenios*
Dito Ao mesmo para entregar ao Re-
verendo Vigario da Freguezia da Sorra Ta-
11 da a quantia de i.oooTJ reis para as des-
leas dos concertos da respectiva Matriz de-
vendo prestar nanea idnea dar tontas da
reierida despeta*
Dito Ao mesmo para mandar pagar o
que se esliver devendo do aluguer da cata
lertencenle a Cmara Municipal do Limoeiro
10 que se ada aquarteilado o destacamento
lolicield'aquella Comarca.
Lito Ao Prefeiio da Comarca do Limo-
eiro roen. nica udi-lhe a expedicio da ordem
lupra*
Dilo Ao Juit Je Direilo do Civel da 1.
Vara enviando-ll Ierial Avito de uode Marco ultimo urna co-
pia do lera o de ajuste que eslipulou eassi-
ntu no dia 18 do referido mezo Sr Ministro
dos lSe6orioa Esurangeiros com. o Euviado
Extreoidiuaiio e Ministro Plenpoienciaiio
de S. M. 1 idelissima fixando o meio de se-
ren ietif.rocttB.enUi cumplidas *s Cartas Pre-
aloiias cu Itogaloias que houteiem de
diiigir-seas Autboiidades de ambos os Pai-
tes.
Jgusfs cfficios forao expedidos a todos
os Juites de Direilo do Ci*el da Piovincia.
Lito Commandante Gtr*l do Lorjode
Polica respondendo-lbe, que pode ordenar
ao lenle Tbomaa Pereira Pinto que reco-
iba a TLezouraria das lleudas Provinciaes a
quantia de 5gGUooo res, que bavia iccebido
uo Collectoi da Comarca da Boavista em Maio
do anno p. p. para pagamento das Pracas do
respectivo Destacan ento nos metes de Juni.o,
Julbo e Agosto do dito anno visto nao ter
sido prenso lascar mi deste diobeiro romo
participa em ieu offirio de 19 do correte*
liio =- A Casara Aiunicipal do Uecife.
signi6cando-lbe 'qne tendo a Presidencia de
dar exerucio a L.ei Provincial N. 89 qne
mandou*pr em arrematacfo por um triennio
a venda das carnes verdes que te consona-
ren! nos Monicipias do Recife e OKnda e
sendo -conveniente saber-se que numero de
retes te consom neste Municipio Ihe orde-
na que d ama exacta i nfor anaci a tal res-
peito.
Dito A Cmara Municipal de Chinda ,
-exigindo igual infortDac,io.
Dito A Cmara Municipal de Goiarma .
respondendo-lhe, que o Juit de Pac da Paro-
cina de S. Lourenco nio o pode ser igual-
mente da Capella Curada de Tejocnp ipo ; e
que Cmara compete marcar os districtos
dos Juizei de Paz nos termos do Art. a. do
Cdigo do Processo Criminal*
Dito A Meta da Irmandade de N. S. do
Lmamento reapondendo ao seo oficio de 90
du correirte que de ve dirigir-se ao Inspector
da Thezooreria de Faaenda aquem es ia-
1 u 11 bida a exeetjcae da Le que estabeleceu o
Imposto de 8 por ceolo sobre as Loteras,
dem do dia a5.
Oficio Ao Commandante das Armas ,
para faterdar baixa ao soldado do 3. Batalhio
de Artilberia Ignacio Francisco visto nio
estar no raso de servir na 1. Linha por ser
61 lio nico de viuva como pruvou.
Dito -- Ao mesmo para fater recolber a u-
ma daa prsoes da Fortaleza do Brum o solda-
do sentenciado do dito Corpo Raimundo No-
nato Cavalcanle t conforme requisita o res-
pectiro Commandante Geral.
Dito Ao Commandante Geral do Corpo
de Polica communicando-lbe o couteudo no
precedente oficio.
Dito Ao Coronel Chele de Legio d.
G. N. deOlinda rommuuieando-lbe a ap-
provacio da proposta dos postes vagos para o
1. Batalhio que acompanhou o seu oficio
de 2 i de Marco ultimo ; devendo fazel-a pu-
blicar em ordem do Da e ordenar aos l'romo-
vidos que soliciten! suaa Patentes pela Secre-
taria da Provincia.
Dito Ao Prefeito da Comarca do Bonito ,
ordenando-lbe que quando houver de re-
quintar Guardas para faterem o servico da
Polica esubpleca urna escalla entre os douj
Batalhes de sua Comarca a 6m de que o
servido nio venha a tocar aomento sobre um
como actualmente accoatoce> e represeata o
Commandante do Batalhio da Fregmezia d'a-
quella Villa.
Dilo Ao Teen te Coronel Chcfe do Ba-
talhio da G. Iv. da Freguetia do-Benito, com-
municando-lbe o conteudo no precedente of-
ficio.
Dito Ao Juia de Direilo da 1. Vara do
Civel, enviando-lhe orna copia da Le Pro-
vincial N. 91, concedendo a Irmandade de
N. S. do Rozarlo dos uomens pretos da Fre-
gue>i* da Boavista desta Cidade urna Lotera
de 64 0O ^ reis Pr esP*C0 de 6 anuos a bene-
ficio da retdiBcacao de sua Igreja a fim de
que lbe f-ca dar a devida execucio como Juit
de OpcllM.
Dito Ao Juit de Direilo do Civel da Co-
marca do Cabo enviando-lbe urna colleccio
completa das Leis Regulsmentos e Uecises
do G o ver no do anno de 83U que marca a
(orma da publicacio dos Actos Legislativos.
Dito Ao Prezidente da Cmara Munici-
dadas as convenientes providencias*
Illm. Sr. Respondendj ao oficio que
V S. me dirigi em data de t a d j corrente ,
cumpre significar-lhe que pode entrar no ex-
ercciode Gerente do Consulado da Frang,
Picando na intelligencia de que vSa ser expe-
didas as necessarias cornmunieaces s Authj -
ridades com quem V. S. tem de tratar* A-
gradecendo V. S. as expressoes do seo obse-
quio sirvo-me desta occasiio para patenter
a V* S. os meus respeitoa e consideraco. Dos
Guarde a V. S. Palacio do Geverno de Per-
nambuco 16 de Mao de 1841. M. de S.
Teixeira .-Sr. Loiz Afiboso Baudoux.
Dito -- Ao Commandante do Brigue Escu-
na Gararapes, recommeadando -Ihe de con-
formidade com a reqaisico do prefeito da
Comarca a fiel exeeucfo das ordens da Pre-
rtdenca, para que nenhum escravo possa
embarcar sena mostrar o desembarace da pj-
licia e da Meta do Consulado ne.u Entran-
eiro para fora da Provincia e Brasileiru
para fora do imperio sem passaporte do Gj-
verno.
Dito Ao Prefeito da Comarca commu-
nicando-lbe o conteudo no precedente oficio,
dem do dia 17*
Oficio Ao Commandante dis Armas,
communicando-lhe que attendendo a l'rez-
dencia ao que lbe representou o soldado de
Artilheiia Mareolino Antonio Xavier e ten-
do em vistas a sua informacio dada em ofi-
cio de 36 do corrente lbe concedeo licenca
para continuar os seos estudos preparatorios
00 Collegio das Artes,
Dito Ao Inspector da Thesouraria de
Fazenda siguificando-lhe que tendo sido
tratado no Hospital Militar do Maraobio o
Capillo Antonio Benedicto de Acaujo Per-
namb'uco ; desde ao de Desembro de 1840 a-
l 4 de F evereiro deste anno e nao ha vendo
pago o meio sold correspondente a 46 dias,
pelos motivos constantes da copia que se lbe
remelle; cumpre que faca descontar a men-
cionada divida dos sidos que o mesmo Gapi-
tio tem de reeeher, segundo a participado
do Exm. Presidente daquella Provincia.
Dito-- Ao mesmo, ommunieando-lbe,
que tendo o Dr. Felippe Jansen de Cisiro e
Albuquerque Lente do Curso Jurdico e
Contribuinte du Monte rio Geral dos Servi-
dores do Estado 'elevado a soflama de i:*oo(J
reis com que se achara inscripto, a impor-
tancia de a:4ooU reis e havendo feito seo
respectivo Cofre todaa as entradas faltando*
lbe apenas para completar o 6. anno da sara-
ma total a quantia de 3oU reis ; cumpre que
a faca descontar assim como as quotas que
se seguirem do 1. de Julbo p. futuro em di-
ante a rasio de laoU reis por anno confor-
me requinta o Director Secretario do mencio-
nado Eslabelecimento.
Dito Ao Coronel Chefe da Legio da
G* N. de Serinbaem respondendo-lhe que
por ora nao lbe pode aer torneado o arma-
mento Bandeiras Cornetas e outros objec-
tos que requesita para ni cornos da mesma
Legio em consequencia de se nio achar o
Arsenal de Guerra em estado de 01 poder aa-
lisfazer o que ser leito opportunamente*
Dito ao Commandante Geral do corpo
de Polieia ordenando-lbe que faca seguir
para a Comarca do Cabo um Destacameuto
de 16 Prayas e um oficial para ser era-
pal do Bonito. respondendo-lbe que ao \ pregado no Servico Policial d aquella Co-
Professor interino da Cedeira de primeiras marca*
Letras d'aquella Villa ser pago o venc ment Dito a o Prefeito da Comarca do Cabo ,
que por direilo lbe competir durante o lempo commuuicando-lhe a expediejao da ordem
em que esliver regendo a dita Cadeira* jsupra e determinando-lbe que faca des-
Portaria Ao Director do Arsenal de pedir o Destacamento de G. N.
Guerra para mandar desarmar a talla do Do' Dito ao Reverendo Vigario da Fre-
cel.
dem do dia 26*
Oficio Ao Commandante das Armas ,
guezia da Iugateira para proporcionar os
commodos meros de conduccio do Religioso
Capuxinbo que requisilou para ser empre-
comm nicando-ltie que loi mandado recolner gado na Cathequese dos Indios.
ao respectivo Corpo o Destacamento de pjcia j Uito A Cmara Municipal de Pao du
que se achara na Comarca do Cabe sendo Albo aecusando a recepcao do seo oficio,
substituido por outra da G. F, d aquella Co- partecipaudo ter resol vido edificar o novo As-
marca* sougue no lugar em que se acha urna peque-
Lito Ao Inspector da Thetouraria da na casa denominada Hospital que lora Jm-
Fatenda communicando-lhe que leudo- xada por um Lidadio para azilo dos Pobres ,
se retirado desta Provincia o Cnsul da Fran- e signi6cando-lhe em reaposta que a Presi-
9a P. M. A* Barrer deixou em seo lugar dencu nio pode approvar semilhauteresolu-
por auctorisaco do Governo Imperial ao ci-
Uadio L, A baudoux na qualidade de Geren-
te do Consulado.
Igual communicacio foi dirigida aos
luspeciesda Alfaudega e do Aisenal de
alarinha ; e ao Prefeito da Comarca.
Diio Ao Preleito da Comarca de r'lores
L. B. de S. Cavalcanle para te recolber a sua
Comaica a fim de exereer as fuurc,6es de seo-
cargo quando assim o permita o seu estado
de saude e quando nio seja possivel partir
logo ou a sua molestia seja prolongada bar
ja de dar j arte a Presidencia a fim de serem
cao, pois que nio devendo a dita casa ser des-
ira ida do pro fim para que foi destinada ,
compria Cmara fatel-a antes conservar em
bom estado para servir de aeilo aos misera-
veis segundo exige a humauidade d j que
dar-he urna applicaco inteiramente contra-
ria a sua inilituicio.
Portara Ao Commandante Geral do
corpo de Polica ordenando-Ii.e que faca
regressar para a Comarca do Pao do Albo o
Destacamento Policial. que bavia sido man-
dado retirar e recolber ao corpo.
Oficio r Ao Preleito da Comarca do Pao
do Alho communicando-lhi a expediccaoda
ordem sapra*
Portara N.meando o Cidadio Miguel
Thomu de Araujo pira o cargo de Sub-Pre-
feitoda Freguetia de Taquartnga.
Oficio Ao Prefeito da Cjmarca do Li-
moeiro communicando-lbe a Nameiciosu-
pra e enviando-lbe o Titulo do Noneaii ,
afim de o fater entrar loga em exereicij*
dem do dia 8S
Oficio Ao Inspector da Thesouraria ,
para remeter a Secretaria urna copia authen-
lica das eondieces coa que foi passado a H.
A* da Silva o Titnlo de aforamento do ter-
reno de que faa menea j o Inspector Geral
das obtas Publicas. no ofucio que se lbe re-
melle*
Dito Ao Inspector do Arsenal de Ma-
rinha significan io-lbe que constando a S.
VI. O I* ter apnarecido sobre a Costa da Pro-
vincia de S* Paulo um Pirata que apre-
sionara n'aquea altura um Patacho Nacio-
nal e se julga ser o que andar ni Costado
Maranbo e havendo saido dous vasos da
Guerra afim de aprehende re m nio s aquel-
te mu quaesqoer outros Piratas que in-
festarem o literal do Imperio cumpre qua
passe a tomar as medidas preventivas e
as providencias que estiverera a seo alcan-
ce, afim de evitar alguna tentativa, que por
ventura laes Piratas posso emprehender
nesta Provincia.
Igual oficio foi expedito ao Commandan-
te do Brigue Escuna Gararape.
Dito A Meta da Irnaaoiade do Sant-
simo Sacramento da Boa-vista significau-
do-lbe que nio pode ser opprovado o Pa*
no da Lotera que renetteo por nio estar
organisado de co'iformidade com a Le Pro-
vincial N. *$l que coocedeu urna Lotera
annual por lempo de 6 anuos no valor de
5uaoofooo reis ; cumpre que seja reforma-
do o dito Plano limitaodo-se ao referida
valor do qual deverio ser deduzidos tantos 01
1 a por cunto a beoecio d s obras da Matrit,
como os 8 por ceolo que a Le Geral man-
da arrecadar para a Fazenda ; o quinto ao
mais que requer Meta que se dirija ao
Inspector da Tbetouraria da rateada a quem
est incumbida _a execuco da citada Le
Geral*
dem do dia 39.
Oficio -- Ao Commandante das Armis,
enviando-lhe. em cumprineutodo Imperial
Aviso de 4 do corren'e mea, um exemplar da
Falla com que S. VI. O Imperador Abrios
Sesso da Assemblet Geral Legislativa.
Igual remessa foi eita ; ao presidente di
Relaco e aos Juizes de Direito das Comarcas
da provincia.
Dito Ao Inspector da Tbetourarir da
Faxenda enviindo-lbe aconta legtlitada dos
medicamentos fornecidos pelo Boticario Josa
Mara Freir Gameiro pira o ultimo Con-
tingente de Tropas que seguro para a pro-
vincia do Rio Grande do Sut; a fin de mm-
dal-a satisfater no caso de estar conforma ,
como requesita o Commandante das Armas.
Dito -- Ao Inspector da Alfandegs or-
denando-lbe em cumprimento do Imperial
Aviso de 1 a do correte met que quando
houver de dirigir-sn a presidencii o faga
por intermedio do Inspector da Thesouraria ,
a fim de que este tin'ia conhecimento de tudo
sobre que oficiar, e po3sa a lempo re jresen -
tar o que for abem do Servico e da i-calisa-
cao das Reo Jas publicas.
Iguaes oficios forao expedidos dos Admi-
nistradores da Viesa do Consulado, e da Me-
za das Rendas Iiternas Geraes.
Olio Ao Cngenbeiro L. L Wauthier.
para fater construir uo quiutal do E lificio em
que se acha o Lyceo urna latra*, para ser-
venta dos que necesdtarem deste recurso ,
conforme requisita o Director do rnesnu
Lyceo.
Uito Ao Director do Lyceo commu*
nicandj-lhe a expeilccao da ordem supra.
Dito A Cmara Municipal do Recife ,
signilcando-lbe que leudo Manoel Duarte
Rodrigese outros dado principio a edifica-
i}io de rredioa por detraz da ra de Fora de
Portas do lado da mar pequea sem se ter
anda procedido ao devido alinhamento se-
gundo representou o inspector do Arsenal de
ivlarinha em oth.-io de ad do correute cum-
pre que a (Jamara d a tal respuito as conve-
nientes providencias.
Dito Aos Agentes da Companhia dos
Paquetes de Vapor, para ordenaron ao
Cjunmaadaute do Vapor Paraease que
se dinj t boje sem falta at o meio dia a Toe-
zouraria de FazenUa a fim de recebar a qum-
tia de i;ooo|'oj> res, que tem da ser re-^


1ARI0 h E PENAUCO
%
Bellida a Tberouraria da provincia da r-a-
rahiba.
Dito es mesroos respondendo-lbes ,
que podem fater sair a Barca paraense
para os Portos do Norte depois de comple-
tadas as quarenta e oito horas na forma do
respectivo Regulamento.
COMMANDO DAS ARMAS
Expediente do da 5 do passado.
Officio Ao Exm. Presidente, signiR-
rando-lhe em resposta ao seu officio de bon-
tem que o soldado Joie Roque Martyr fo-
ra de sua ordena communicada em officio de 4
do corrente demitlido em conseqaencia de
ser menor de i8annos, e julgado porsuas
molestias iucapat do servico em inspeccio da
Junta de Saude.
Dito Ao mesmo Exm. Sr., duendo Ihe,
que ou vira ao Commandante interino do Es-
quadro, a cerca da pretencode Silvestre de
Rezende e cono sua informacio que lh'apre-
sentava em proprio original fieava prehen-
chido o seu despacho de aa do corrente.
Dito__Ao mesmo Etna. Sr., ponderan-
do-lUe a conveniencia da espediccio de suas
ordens para a passagem de Modesto A. de M.
e STa da Escuna de Guerra Gararapes ,
para o Deposito, Meando sem efiito a ordena
que tivera par* Ib'asseutar novamente praca
do mesmo Deposito, d'onde havia j eito
passagem para a referida Escuna na espe-
ra nca de entregar-se aos estudos da Escolla de
Marinba o que nao Ibe i permitlidoem ra-
so de sua idade.
Dito Ao Director interino do Arcenal de
Guerra remettendo-lhe urna represeiitajo
do Commandante do Forte do Buraco sobre
pagamento de fretes de objeclosconduiidos do
Arcenal papa o Forte do seu con i mando e
sobre a requisigio que 6iera de sacos de bae-
ti:ha para caituxos de salvas afimdeqoe
desse a respeto as precisas providencias,
dem do dia 26.
Officio Ao Exm. Presidente deprecan
do-lhe esclarecimeotos a cerca das autorida-
des de quem devia receber os reci utas, e mi-
dando-lhe apresentar dous, remettidos pelo
Pr feito interino da Commarca de Santo An-
tio t que P*'as noU8 ^ue acolDP,Dhtro
nao podio e nem deviio ser recebidos as
fileiras do Exercito.
Dito Ao mesmo Exm. Sr. remetten-
do-lhe informado o requerimento do soldad
d'Arlilheria Marcolino Antonio Xavier que
pedia licenca para continuar seus estudos no
Collegio das Arte da Cidade d'OUuda oude
se denava ja matriculado antes de assentar
praca neste anno.
Dit0__Ao Commandante do Forte do Bu-
raco respoudendo ao seu officio de 25 do
correte, que tialava dos fretes dos objectos
coodutid'os do Arcenal e dos sacos de bae-
tilha destinados para canutos de salvas e
di/endo-lhe em resposta a outro seo officio ,
que as velas de carnauba requisadas para
a illuminaco de ad deste mex, fo*sem reser-
vadas para a de 18 de Julho em consecuen-
cia da transferencia do Acto da Coroaco e
Sagracio de S. M. o., daquelle para este
da.
Portaria Ao Commandante interino do
Deposito mandando receber com guia de
passagem da Escuna de Guerra Gararapes pa-
ra o mesmo a M. A. de M. e Silva.
Dita Ao Commandante interino do 3.
Batalbo de Artilberia, remetlendo-lbe a
jusliGcasiu, que peraute o Auditor Je Guer-
ra deo o soldado da 8. Companbia Francisco
do Reg Barros Barreno a 6m de proceder
Conselho de Direcio na forma do Airar
de 16 de Marco de 17^7.
Dita -- Ao mesmo mandando d'ordem
da Presidencia communicada em officio de
honlem datado dar demisso ao soldado Ig-
nacio Francisco por ser filbo uuico de Viu-
va e nao estar as circunstancias de servir
na Tiopa deLiuha.
THEZOURARIA DE FA^ENDA.
Expediente do dia a4 de Maio.
Officio Ao Exm. Presidente da Provn-
iuformande o icquerimenl de Joaquim
rente acompanhando huma Letra da quantia
de *66Ui*7 r*. <* de vict"
rio Pereira Maia a 10 dip, sobre M.
Calmont & Companhia, proveniente de 1 por
cento de Armasenagem addicional arrecadado
por a mesma Provincia at aquella data.
Portaria -- Mandando carregar em Recol-
ta ao Tbeioureiro de Fatends no Livro Cai-
xa do Rendimenlo de hum por cento de Ar-
masenagem addicioual applicado ao pagamen-
to da Divida externa a quantia de que trata
o precedente officio.
Diversas Kepartices
I.ao ultimo de Junbo vinlouro dentro do
qual comparecers nao s para o pagamento
da Decima Urbana do a. semestre do corrente
annoGoanceirode 1840 a i84f como tam-
bera para qualquer outra impstelo a seo car-
go e que estejao a dever \ findo o qual pro-
ceder executivamenu contra o* omraissos,
como he de seo rigoroso dever : e para conhe
cimento de todos, e nio allegaren ignoran-
cia maodou fater publico pelo presente e
por Editaos afixados nos logares mais pbli-
cos do Municipio. Collectoria de Olinda 27
de Maio de 1841*
O Escrivo loao Gonoalves Rodrigues Franca.
desculpandolalguna* faltas; mesma de or-
thographia n. que caofesso que nao son
forte. Seu constante leitor. k
O Jeiuita de Paruj
Cor res pondencia.
1

ALFANDEG V DAS FAZENDAS.
Rendimento d'Alfandegade Peroambuco no
mee de Maio p. p.
na:553TT7i5
7t447U88i
3:5a875o
9439O000
7b56o
ia;47oUo97
S78UJJ1
aj 7a6i69
a:55iU8ai
i6Q:7U8ab
laUrjfo
400U000
Direitos de 15 por cento. .
,j de 48 e II* por cento.
de 5o por cento da
plvora.
de 5o porcento do
cha.
ReexportacaS a por cento.
Fxpediente de i lia por cento.
Armateoagem de M porceuto.
ddcional 3 l|a
por centj.
Premio de 1 por cento ao mes.
Emolumentos de certidoes.
Multas avulsas.
Reis.
169:786^68
Alfandega a de Junho de 8'%^
O EscrivaS da Allaodjfca
Jacome Gerardo Mana Lumachffie Mello.
OBRAS PUBLICAS.
Pela Administrado Fiscal das obras pu-
blicas se avisa a todas as pessoas, que rece-
bero eocomenda das madeiras para o concer-
t da ponte do Recife a qmes quer outras
pessoas que quiserem aprontar ditas madeiras,
que aquellas que vierem al o dia 5ode Ju-
nbo prximo vindouro nao s serlo inedia-
tamente pagas, para o que o Exm. Sor.
Presidente lem dado as necessarias providen-
cias j COllO t bem serio paga com %5 pot
cen'o sobre os pregos porque se comprarao
ltimamente as que forio precisas para
acabaroento da ponte da Boa-visla : isto be
as linhas e esiivas e os esleios sero pagos
a 45Uooo ; tendo siJo pagos a 4oU res os
que se comprarao para a sobredita ponte da
Boa vista} cora a condico porem que aquel-
la pessoa que trocer 4 estivas dever traser ou
ca IMIW 1-------i------ ,
de Oliveira e Soma pedindo por afor-men-
to o terreno aliagado correspondente a largu-
ra das tres propriedadea de casas, que possue
na ra do atierro da Boavistva.
Dito Ao mesmo Exm. Presidente in-
formando o requerimenlo de Joxe Ferreira
liamos pedindo S. M. o I. ser recompen-
sado dos servitos, qne preslou no lugar de U.
da extiucia Meta da Estiva d'Allandega desta
i'rovincia.
Dito Ao Inspector da Tbeiourana de
Faieuda da Provincia da Parabiba acen-
sando a recepto do seu oficia de ai do cor-
uma linha ou um esleio sem o que nao
se Ibe comprarao as estivas que vieren sem
teracompanhadasde alum dos paos jrossos 4
O qoe nio suceder a quem troucer tao so-
mente os p-os grossos.
AdminisiraVj Fiscal das obras publicas ab
de Maio de 1841. Moara, Administrador
Fiscal*
AN NUNCIOS.
O Illm. Sr. Inspector do Arsenal de Mari-
nba manda faser publico que se tecn de por
em arrematacJo no dia 16 de Junho prximo,
powquem menos fiter os fornecimenlos de
bolaxa pi carne verde assucar cale e
agoardente. por lempo de um anuo a con-
tar do 1. de Julho do corrente em dianle } e
os fornecimentos de farinha aaeite doce di-
to de coco dito de carrapato, arros fejlo ,
toucioho, vinagre, lenha, sal, bacaibo,
e galinbas para a Enfermara pelo tempo de
tres meres a contar do referido da 1. de
Juluo. O mesmo lllm Sr. Inspector convi-
da as pessoas a quem taes fornecimentos pos-
sao convir a comparecer* com suas pro-
postas em cartas feixadas al as 11 horas da
manbi do indicado dia 16 de Junbo depa-
rando nellaa os uomes dos seos respectivos fia-
dores e os presos menores porque poderao
fazer cada nm dos ditos fornecimentos ; cerlos
de que urna das coudices essencues he de
serem aempre fornecidos os gneros da melbor
qualidade na falta de que serio recambiados
e comprados ontros a cuela dos fornecedores
Inspeccio do Arsenal de Marinba 8 de Ma
de I841.
Alexandre Rodrigues dos Aojos,
ecreUno.
O Collector da Detfima e mais impostos do
Municipio de Oliuda } las consur a todo os
Mus Colleclados que o praso designado na
Lei de V) de Agosto de 18Jo Art. 9. p
cobranca pasma a boca do cofre, conta-se do
Snrs. Redactores.
Gosto de ler jomaos, porem jornaes que
de alguma maneira interessem, e nao como
o roco e dissonante Echo da Religiio e do Im-
perio 1 folha lio dispresivel, que nio valle
mesmo apena se fallar nella, e muito menos
responder aos insnUos arligoa, que aervem
para certificar aos que a leem de quanto os
seus redactores se regalio de serem ignoran-
tes 1 porem vamos adianto. Nio lelo o tal
papeluxo ; deiiei-me desea asneira logo que
conheci o fin a que elle se dirige, e so la de
lempos a lempos be que oueo diser a hum ou
outro : o Echo disae isto, o Echo disse aqui-
lo etc. i e isto quase sempre 8, 15 e mau d-
as depois que saie o numero a que se rferem;
e he justamente oque acooteceo*me agora.
Encontr! a hum amigo que a das nio va,
e depois dos comprimentos do costume di-
rigi-lhe a infalivel pergunta do iempo o
que ha de novo ? a respandeo-me o meo
amigo, a nio ser a correspondencia assigoa-
da hum militar que vera no Echo con-
tra o Commandante das Armas, por ter m-
meado ao Francisco do Reg para representar
a clatse militar desta Provincia no acto da
Coroacio de S. M. o Imperador l diseodo que
nao tinha dado o seo voto para huma tal no-
meacio, e porisso nao se entendesse que era
toda a classe militar que tinba concorrido
para ella ? etc. etc. Ora a vista disto nio pu-
de deixar de dar huma grande gargalbada e
logo fiquei fasendo idea de que a tal corres-
pondencia, nio podia deixar de er o resul-
tado immundo, de alguma ruin fardfa mal
dirigida e porisso digna de total des-
preso \ mala nao pude resistir ao dse jo de di-J
Ter doaa palavriobas ao seo digno autor.
Pensar o tal Sor. Melitar que a classe de
que fas parle be algum Corno colectivo, ou
deliberante que para hum tal fim he preciso
que cada hum d o seu voto ? pensar l pen-
sar l tio asno ser como isao 1 Nio sabe es-
se paternal que o Sr. Commandante das Ar-
mas pelo faci de ser Commandante das Ar-
mas representa em taes actos a classe meli-
tar ? e que visto baver impossibilidade de
pessoalmenie comparecer, pode delegar os
seus poderes em outro ? nio \ isto nio entra
no engordurado, e rancoto bestunto do nosso
Bleliuio} e quando entre se fas desentendi-
do porque o seu principal fim be taire* re-
provar a nomeaeid leita na pessoa do Exm.
Sr Francisco do llego, porque emfim, o
E>m. Sr. Reg na mente do Sr. Militar do
Echo nio lem aa qualidades precitas para um
tal fim i nio ser salves bastante *' Catbego-
rico, Orlhodoxo e Solemne qualidades
sine qua niose pode desempenhar bem huma
tal missio.....ser Uto Sr. Militar o que
V. S. que: diaer na sua ? Ora v que seja ,
porem sempre quera dar-lhe hum coacelbo ,
econcelho de amigo j sabe qual be ? *. he
que V. S. nio aeja tio asno .....lome-oe
caludaj nao envergonhe a sua claase, quan-
do o Chefe d'ella preteude honral a.
Deixe porem o Sr. Commandante das Ar-
mas tunar o tal Militar } deiae que o Echo
00 meij de suas immundices apreteute as
Correspondencias do Sr. Militare outras mais
" Italiauadas *' que o detrahem entregue
ludo ao soberano despreso i nio ser de certo
o Echo, nem os aeus Militares" e nem
as lialianadas que nelle aoparecem que
ho de desacreditar o Snr. Sa Brrelo } cuja
circnospecco probidide, e telo no desem-
peuho de seus deveres j como particular ,
ia como empregado publico, nio deixaem du-
vida ao publico sensato de Pernambuco 1 as
bellas qualidades do Sr. Antonio Pedro de S
Brrelo e os bous servicos por elle presta-
dos ao Brasil, rio tactos qoe tallio mais alto
que o Echo, qne o Sr. Militar e que as I-
lalianadas \ deixe o Sr. Sa Brrelo em fim
trotar a sua vonlade a sucia que o detrabe ,
hum dia e telvea nao esteja muito longe dei-
aar de ser por ella injustamente mal-
tratado.
QueiraS Srs. Redactotes imprimir em sua
cstimavel folha estas mal uacedas linhas t
L0TERI1 DO SEMINARIO;
O Reitor do Seminario de Oliuda convida
os amantes desta jogo a conpra dos btlbetes
dt* parte da 17.* Lotera, cujo plano
id foi publicada e as rodas andarao no cor-
rente me dependendo o dia di concorrencia
da venda : Os bilhetes acho-se as casas se-
guintes ** Recife ra daCidoia laja de Cam-
bio do Snr. Vieira, S. Antonio ra do Ca-
bula loja do Snr. Bandaira Boa-vista bo-
tica defronte da Matrit do Snr. Moreira, em
Olioda nos qualro cantos venda do Snr. Jo-
s Manoel dos Santos.
SOCIEDVDE EUnillPl.NX.
Convida-se aos Sun. Macabros Jd Com-
missio Administra lora, a reuuiram-se em
Sesso ) boje pelas 6 oras da tarde.
O primeiro Secretario,'
e00a
SOCEDADE EUPHROSINAv
A Commissio Administrativa, convida aos
Socios da mesma, a reunirem-sse hoje para
elleicioda nova Mata.
A.visos Diversos.
Adverte-se a certo Hrpncrita ," que
hoje somente vire em indar de loja em loja
fallando da vida alheia, e desacreditando
pessoas nio dignas do q)de elle Ibe emputa ,
mormente caixeiros que jamis se lembro
de tio horrenda figura t que por amor do
prximo, ponha cobro em sua infernal lin-
gua ; na certeta de que se continuar se Ihe
afrauqar o castado com um bom arroxo, pa-
ra se saborear d j quanto cdsta a ser calum-
niador.
tsr A meta actual da Irmandade do San-
tissimo Sacramento do Corpo Santo, pelo
frsente avita a todos os Irmios da mesma
rmandade para comparecerem no prximo
Domingo 6 do corrente no consistorio da
mesma para se proeeder a Elleijio das dTOS
Metanos ....
tas*" O abaixo assignado desejaado mino3
rar o prejuito que Ihe accarreta o pouco xello
e cuidado com que muitas vetes se procede a
amarracio das alvarengas e lanxas, ou seja
pela impropriedade da hora ou pela preci-
pitaco com que se fat este prooesso: previno
aos Srs. Negociantes desta Praca quer Nacio-
naes quer Estrangeiros pira imporem aos
Capites dos Navios de seu mando a rigoroza
obrigacia de entregarem as ditas alvarengas
ou laaxas ainda de dia com todos os seu
pertenece da forma que foro recebidos, is-
to a mesma pessoa que Ihe fet a entrega e
3ue existir na con ptente lugar sob pena
e ser paga em continente todi a parda e ava-
ra que se experimentar.
Manuel Cardoto da Fonceca;
r O 1. Secretario da Sociedade Panen-
, avita aos Snrs. Socios em geral, para
comparecerem hoje a reunio da mesma,
pelas 6 horas da tarde a fim da ter lugar
a nova elleicio.
ur* A quem coavier comprar urnas trras
com maltas para tirar leohas e madeiras ,
com urna casa j damnificad no lugar da
Bibiribe, junto ao parto da madeira; diri-
ja-se a Olindi, ra do Amparo, D. i5 on-.
de achara com quem tratar desle negocio.
ajar Na quina da ra das Outes junto a
praca da Independencia se continua a rece-
ber encomnendts de diversas iguarias de mas-
sas e bandejts ornadas para cha \ doces e
bolinhos tuJo a vontade dos preteudentes,
e rasoaveis procos e mais em conta que en
outra alguma parte (segundo a experiencia) j
e lambem se prepira algum desses prece-
deudo ajuste e descri.-.;io dos ob)ectos que
deverio servir para coupotico e e ornato do
mesmo. ,
OT Vende-se saccj visios a ajo e cha
uovo a a.ooo i na esfuma di ra do Aragio,
""__1 Precita-se alugtr um sobrado de dois
! andares, que o seu aluguel nao exceda de
I dote mil res meneis cads um e que nao
seja em ras esquetitas ; quem o tiver, au-
nuncie ou dinja-se a ra da Peuha no uo-
do doLivrameulo na 4. sobrada o I.
andar.
OT Aluga-se o segundo andar deumso.
brado na rut d Alati>el Cojo D. 5 t
Luem o pretender, dirija-se a ras do La3
bugal, a litar cam Jjs Lopai liaza,
i


D I A R I
MBDCO
- H. G
O abaixo signado avisa a quem
possa iuteressar que a sociedade entre elle e
Diogo Burnett negociando nesta Cidade de-
baixo da tirite de Diogo Burnett & Compa-
nha oi dissal'vida por consentunenlo mu-
tuo no da 3i de Marco do correnle auno e
que est inteiramente desonerado de toda res-
ponsabelidade por transacoecs de qualquei
natureza feita pela dita firma em conformi-
dade com claresas passadas a elle pelo dito
Diogo Burnett n'cima mencionada data
Alacei 16 de Vlaio de 1841. H.
Denuiss.
tST O abano assignado faz publico pn
esta folha que pessoa alguma deve comprar
as trras do Torno da cal que i'oro annun-
ciadas no diaiio 11. 113, sem que e entenda
com o abaixo assignado, visto ser sacio das
ditas trras e fazer ver as complicacuens, e
os estregaos para se evitar questoens futuras ,
urna vez que as ierras da Sociedade extrema
com mais ierras do sobi edito abaixo assigna-
do. Mancel Joo de Miranda.
tsr O Ministro da Veneravel Ordem Ter-
cena de S. Franci.'Cj da Cidade de Olinda,
roga a todos os Irmos da mesma Ordem ,
que queiro compaiecer no consistorio da
mesma no dia 5 do trrenle pelas 4 horas da
torde, a fim de se (ratarem em Mesa obje'clos
que dizem respeilo ao bem da mesma ordem.
fST Antonio de Souza Maia faz certo a os
Srs, com quem tem lido transacoens aquel-
es que se achare m na qualidade de credores
do mesmo de qualquer quantia que for,
queiro ir ou mandal-as receber al o dia lo
do crtente no armazem de assucar n. 'in na
ra do aieile de peixe.
BT Precisa-se de um can'o que saiba
serrar urnas hombieiras de podra de Portu-
gal na ra da Vigario n. 7,
3T Quem quiser dar 4oo,ooo com hypo-
theca em urna casa em logar proprio de se
passar a festa que rende pelo lempo da mes-
ma joo.coo ficando de posse da casa em
descont dos jures dirija-se ao forte doma-
tos a fallar com Antonio Joaquina de Oliveira
Baduem que dir quem pretende.
I3r Precisa-se de 3co 000 a juros com
seguranca em pinhores deouro j quem quiser
darannuncie.
ty o-sea premio de cem mil rs. a um
cont de res e em ^e.jueuas quanlias, so-
bre pinbores de ouro prala ou brilbanles ;
ua ra do sebo casa terrea com solo de urna
ssy Precisa5-se de 3oo,ooo a premio com
seguranca em pinhores de ouro no pateo da
S. Cruztendade carpios.
X? W ovo armazem de madeiras atraz do
Carino ra da palma onde ha travs encha-
rnela de diversas grandezas mos travessas ,
caibrds de Jo e 4o ripas lijlos lelhas e
outros maleriaes de obras no mesmo lia ca-
noas de alugnel por lempo e por viageus e
tatr.bem se faz ajuste para uterrar o botar
arcia.
5Sff* Antonio Vallentim dos Sanios, avisa
ao espcitavtl publico, para quem precisar de
alugar ornatos para armaco de Igreja, e jun-
tamente para actos fnebres tanto de vestir
aojos como defuntos crnicas paia condu-
elo dosmesmos 5 e pieles fardados ; no pa-
teo do Hospital do Paruiso jasa de porta de
eexeira L). 19.
coe chave da foja sita na ra nova D. 4 de-
fronte do oilo da Matrix na occsiSo do
leilo se faro as condicoens.
or Que na presenca Jdo Chancelier do
consulado de franca e por conta de auero
pertencer faz L. Bruguiere no eu armacem
da ra da Cruz D. 10 boje 4 d correnle as j
10 horas da manb por intervenci do Cor-
retor Oliveira de ao duziasde. pelles de car-
neiras de cores proveniente do navio fran-
cs Renard naufragado na costa da Ingla-
terra e trazido pelo navio Casemir de La
Vigne do Havre.
Compras
%sr Escravos de ambos os sexos de idade
de 1? a ao annos para tora .-da provincia ;-na
ra da Moeda n. i4? fallar com Antonio
Francisco dos Santas Braga'
tST Urna carte'tra pequea de urna s face
quem ti ver annuncie.
KT Um.ca vallo de ambas as sellas; na pra-i
ca da Independencia n 33 e 34* j
tsr Os pretenrs de urna casa de fazer fa-
rinba de mandioca ; na ra da cadeia a fal-
lar com Maooel Antonio da Silva Molla ,
D.6.
car* Moloques de idade de 15 a 18 anuos ,
de bonitas figuras ereoulos ou de angola ;
no armazem de socar assucar defronte do Cor-
po Santo D. 4*
tsr 300 ou 3oo caibros novos ou tizados
para audaimes; na ra do Vgario n. 7.
tsr Escravos prelos ladinos de idade de
is a ao anuo-, para fora da provincia e
alguns com officio de carpina ou pedreiro ; na
praga do Comraercio casa de Maooel Ignacio
de Oliveira.
tsr Urna e&crava que saiba cozinhar en-
gommar, e comprar na ra, e seja de be-
nita figura 5 na pracinha do Livrameuto so-
brado por cima da loja que foi do Sur. Her-
eulano e boje do Sor. Bastos.
ro com casa da viuva Costa & Filhos para
dar desobriga de urna divida a que o enge-
nta esl obrigado ; trata-se com o propieta-
rio do mesmo Joo Francisca Santos de Di-
qnieira no mesmo enpenho t ou no engenho
Perereca no destricto do RioFormoso.
ao m pianno de muito boas votes, pro-
rio para se aprender a tocar por preco
muito coirmoJo; as 5 ponas D. 18 passan-
lo o beco do marisco no primeiro sobrado.
gr Urna duzia de cadeiras, duas mezas
oequenas urna dita demeio de sala tuda
de Jacaranda e em muito bor estado, urna
negra boa coiinbeira e com urna cria ; no
largo de palacio no segundo andar do sobra-
do junto ao do Sr. Vlagalhes Bastos.
tsr Riscados largos muito finos a 2oo o
covado cambraias adamascadas a 4403'a Pe_
idade de 11 anuos ptimo .para pageos; na
ra de agoas verdes O. 38.
tsr Urna cabra com dous cabritos ; no p_
teo da peoha casa terrea ao p do ferreiro.
ar Perfumaras chegadas de franca ; en
fora de partas loja de miudezis.
ss" Urna cas terrea em Olinda na ra de
S. Benton. 11 ; a (aliar com Alexaudre Jos
Lopes no Recife rus da moeda ou na taa U
ta na rila da trempe.
fscravos Futidos
Ca .' ditas lisas a 4ooo ditas bordadas de co-
res a 35oo chitas de muito bons pannos e
Vendas
tsr Um pardo escura de Wade de 3o an-
nos bom pescador d rede e tarrafa ; na ra
do Vigario n. 3.
tsr Um preto de angola aibds mogo e ro-
busto com oficio de cozinheiro e chapeleiro;
na travessa do Hozario no primeiro andar do
cores fixas a 160 180 e aoo res o cova-
|do cassa lisa fina a 48o a vara pninho a
44 1 cassasde quadrosa 3a'o e 480 breta-
ohade linho a 4^0 lencos"brancas de' cano-
braia a 36o ditos com embanhado largo a 5 >o,
ditos de cassa branca e de cores a aoo e a 4"
algodaoznho a i4o e 160, dito encorpado
americano a 180 chita a i43 covado, brias
de listras de linho puro brancos e de cores a
800 rs. a vara ditos de algodo a '48o, pecas
de madapulo a aSoo e 3aoo dito fino a jooo
e superfino enfestadj a 5aoo, e a vara a 16),
180 aoo ajo e 180 casemiras mesela-
lada a 800 o covado, panno preto a 3100 ,
chales de casemira a a8 jo pecas de bretanha
dealjodo com 10 varas a 1600, esguioens
de linho chapeos deso de seda para homem
e senhora los de linho brancos casemiras
e panos de cores da melhor qualidade possi-
vel meLs pretas de algodo luvas de se-,
da para senhora brins de Hamburgo lis j ,
e alern destas outras muitas fazendas por pro-
co barato e se do as amostras para os com-
pradores conhecerem as boas qualidades ; na
ra do Queimado D. 1 primeira tloja viudo
d ra do Crespo*
Um sitio com casa do sobrad ar-
vores de fructo, e porto de embarque na
passagem da Magdalena entre as duas pon tes;
tenenos com arvoredosde fruc o e porto de
embarque, no mesmo logar ,.um alambique
grande com lodos os seus perleuces e cem
pipas e darnos para garapa no cageos de
narria 6 bois decarro, seis parrles do pas
sobrado onde mora o -Sr. Sampayo.
tsr Vinho verde de superior qualidade a jl0 1 e dols carros.$ na ra da Gloria sobrado
200 rs a garrafa dito de tost a 6$o dita i H 3o.
quartosd'ecaixas de pessas ditos de peras
scoas e tamboreles de fijos ; na ra nova
D. a5.
tsr Um moleque de idade de 16anuos,
por preco mulo commodo na ra direita
j.adaria do \lachado
ssir Urna duzia de cadeiras de palhinba ,
e duas me/ is ja uzadas na ra da Floren-
lina 9.
tsr Uta terreno no logar da capunga com
170 palmos de frente e 2a5 de undo por
preco commodo ; na ra do rollegio O. 8.
t^ Urna casa -ten a no logar do poco da
panella peito do banho com duas sallas ,
ires quartos cozmha fora quintal mu/ado,
e no lundo com um pequeo quarto para pre-
A Escuna Americana Elisa Carolina
construida em Baltimore dos mlhores ma-
teriacs forrada e enravilbada de cobr de
loe de 117 toneladas muito velleira e prosi-
ta para qualquer viagem ; trata-se com os
consignatarios L G. F. & Mansfield.
4-* ptimas bichas em porcao e a reta-
lho ; ua ra do Vigario D. a6.
Avisos Martimos.
PARA LISBOA segu viagem com muila
bievidade o Brigue Portuguez Oliveira por
ter parte do carregamenlo prompto., para
carga e passageiros trata-se com Mendes k
Oliveira na ra do Vigario n* 15.
PARA O ARACATY com brevidade por
ja eslar enm o seu carregamenlo quasi prom-
pto o Patacho Lautnima Brasileiraj quem
quiser canegar ou ir de passagem dirija-se
ao seu proprietario Lourenco Jos das Heves,
na ruada Cruz n. a ou com o Capito do
mesmo Antonio Germano das JNeves.
PARA SAMTOs com toda a brevidade
bem conhecido e velleiro Patacho Macionai
JPicano de superior marcha ; quem quiser
canegar ou ir de passagem dirija-se a Gau-
dino /\gostinbode Barros, atraz do Crpo S.
D 67 ou com o Capito a bordo.
tos ; quem a pretender annuncie.
s_- Jos AnUnio Gomes Jnior continua
a vender no seo escriptorio no Recife ra da
Cruz U. la sacas com superior faiiuha de
mandioca muito fina e alva feita na Alori-
beca por preco mais em conta do que em
outra qualquer parle.
^j-i* Sacas com fannha de mandioca do
Rio de Janeiro assim como de Sorui e de
Mag supeiior a d Muribeca ; no. armazem
de Antonio Francisco dos Santos Braga na ra
da moeda n. 14a.
t=> Urna negra de nacao de l annos ,
sabe engomar co/er cozinoar, e ensaboar:
ua pracinha do Livrameuto por ci.ua da loja
que ioi do Sr. 11er cu 11110.
tsr Cem palmos de terreno com 6oo di-
to de fundo, arruado di) laraneiras na
ponlede uclioa pegidoa Antonio Bapiisla
Riheito de Faiia ; ua ra da Fio. entina so-
biaJo novo ao p da mar.
ilt Um preto moco de idade de 20 annos,
jLea o
Que fazem L. G. Ferreira & Mans-
fitld por inlervencu do Conetor Uhveira ,
de um completo soi lmenlo de fazendas in-
glesas e americanas ue prompla txliaco, sexta
itira 4 doxoirente a .0 hora da manha no
eu armazem na iu da caceta.
tsr Faz-b leiao por miervenco do Cor-
it-tor Oliveia nodia de Junhu, da arma-
Bichas pretas muito boas e por pre- | proprio para iodo o servico na ra nova loja
co coamodo ; e milho alpista ytio o quar- de fazendas ao p da ponte,
teiio ; no pateo do Carino veiida de JNarciso
Jos da Costa.
tsr Duzia e meia de cadeiras um sola de
Jacaranda Com assento de palhinha bem le
tas e modernas com ponco tuo 3 mezas da
a arelo bem feilas e proprias para aluma
reparticio um relogie de bonito quadro ,
bom regulador, e com boai pessas de msi-
ca 5 no segundo sobrado e o primeiro de um
andar no principio da ra do rUngel a es-
querda entrando pela pracinha do Livra-
meuto.
tsr Urna negrirrha de idade de 14 anuos ,
com principio de cozinba e cose efea e um
moleque de idade de 18 auno, rtfirial de
lniLeiio e proprio para pagem, ambos cie-
uulos na ra do (Jollegio O. 3.
tsr u arrenda-se em ultimo caso o en-
genta) Pirangi na comarca do Rio Formoso ,
com todas es propurcoens para plantacoens ,
trabalha com animces e se acb* moente e
correnle sem nada Ihe faltar e fax-se u ne-
gocio com a safia que se est criaudo e deve
botar para mais de aooo pes quem o pre-
SS9" oos inoleques proprios para qnal-
quer officio um negro rubusto e duas ue-
gias i na ra nova delionte da Igreja c|
Conceico n. ioi.
tsr Bolax a aooo a arroba ; na ra das
Cruzes L) g.
*^r Urna padaria com pou'cos fundos, no
principio do ateiro do allomados junto ao so-
bra uo onde raoieu o tallecido Baptisla ; a
tiatar ua mesma.
sr Tits negruihas de cUde de ia a ij
anuos, duas pretas engommao. cozioba ,
iavode aabo, nut moleque de idade de
,5 aiinos umapardiuba de ittade de ao an-
uos j cosiuieira engomaradeira coz.inheira
e !<>/. holiuitos de ioa duloj ... tti do Uoauo a 5.
Si# u.u joniu (.aielln da escravos de
Idade de ao anuos deus moleques de idade
de ida 1 Bonuos o esclavos para o servico
de lampo dou moleques e uoas molecas ,
um boui esclava de idade de ao anuos mes-
uecarreiro duas lidas molalinhas 3 es-?
ciavas de bonitas figuras com liabelidades ,
Ausentou-seda casa do annuaciaale
no dia 6 de Abril p. p ama escravade noaie
Vlargarida de naco gabo de idade de so
annos batxa tem falta de um deoie da par-
te d cima rosto comprido com bastante
carne em cima do* olhos caneca afunilada,
grossuTd regular ps apalheitados no peito
esciuerdo tem um oito de letra de conta es-
ta escrava he bem cotihecida por ser acostn-
madi a vender aceite de tarde e leite de
manh quandoera de Raimundo Jos Pereira
Helio quem a peg r leve ao pate> dj I'erco
no segundo andar d j sobrado O 03 que ser
recompensado.
tsr Fugio no dia 3 do passaio urna es-
crava de nome \laria Benedicta de naci
calabar bastante alta cabello arricado feii
d.; cara com alguns denles d^ menos na fren-
te bem lirada de corpo, pi grandes com
calcanhares bastantes grandes ; quem a pa-
gar leve a ra do fogo ao p do Hozario D.
a5 que ser recompensado.
t-r No dia 17 fugio um moleque de no-
me Joj de naco beoguella de idade de
18 annos, corpo regola r, olhos grandes
cor fulla bem fallante foi escravo do fal-
lecido Dr. Rocha ; quem o pegar leve a
ra da Crux n. 7 que ser recompensado.
tsr No dia 8 de Abril desapareceo do po*
der de Francisco Severiano Rabello; um es-
cravo de nome Domingoi de idade de ao a
ai annos com pouca ou nenhumi barba ,
estatura alta cor fulla olhos grandes ees-
bugalhados e muito bem parecido, falla que
parece creoulo tem cicatrizes as pernas lo-
go a cima do tornozelo e tem officij de ca
noeiro como nao tenha at agora havido no-
ticias delle sup'ie-se qu lera hido pira o
malto pede-se a os capites de campo ba-
jo de o procurar e agarral-o e leral o ao
sobredilo no forte do mallo ua a casi de
Francisco Rodrigues da C uz ni ra dos
Quarteis que ser'recompensado,
tsr Em 19 de Marco fugio da Cidade de
Olinda um escravo de no ne Valerio creoulo
dol'ar*, alto magro representa a5 annos
de idade ,* cor fulla signaes de bechigas na
rosto e sem barba costura iva andar be.u
vestido e calcado de spalos falla um tanto
fanhoso mas coa clares consta andar pdoi
contornos de Olinda e algumas vees pelo
bairroda boa vista e suas i ame .acoeus in-
culcando-se por forro 4 quen o pegar leve ao
escriotorij do Sr. iWanoel Joaquim Rimse
Silva que gratificar com 4 000.
ssr No dia 3 do ps-uado fugio um negn
de nome F ir mino de naco angola de ida-
de de ti annos estatura regular ch-io do
corpo, cor bem preta tem no queixo da
parte esquerda um signal de crcilriz as per-
nas um tanto arquiadas para fora ps gran-
des be muito ladino que parece creoulo ne
muilo locador de p 111 tetro e he cozinheiro
quem o pegar tove a ra lirg do Kjuiij U.
4 que ser recompensado,
Jloviitiito do Porto
tender por compra se dever enunder priaei- urna diu boa lavudeiia e uui pardiuho de
CONTlMAg\0' DAS SAHIDAS DO
DO DIA a.
Macei Barca logleza Prisvilh Cap. Jo-
hn Tatlor carga assucar.
ENTRAUONOLIV 3.
Porto; 3j dias Brigue r'ortu^uv. Piima-
vera de 187 tonel Cap Jos Carlos Fer-
reira Soares equip. \j carga, vinho e
&c. ; a Mendes & Oliveira.
Lisboa, J'j dias Patacho Portujuee Paque-
te da Terceira de la7 tonel.. Cap Joi-
quim Maria Silveira, e|uip. 10 carga vi-
nho pedra e &c, j a l'humiz de Aquino
Fonseca,
iVlarseilles ; 61 dias Luguer Francs Rapad
de iyo tonel., Cap. Loureno Aune,
equip. ti carga vinho, azeite doce, 9
&c, a lYianoel do Nascimentj Pereira.
SA lili JAS NO Mi^ VIO DA
Londres, barca inglezt Caled onun Cap.
John vc Caicieeu carga a asesas que
trouxe da Nova Hollaoda.
RECITE NA TtP. DE M. F. UE F. -.1841


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID E4HNSUZHQ_O6M0M0 INGEST_TIME 2013-03-29T16:23:10Z PACKAGE AA00011611_03817
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES