Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:03807


This item is only available as the following downloads:


Full Text
A'nno de 1841. Sexta Feirv
Tudo agora depende da nos masmot; da nossa prudencia, modera-
cao, enarena : continuemos Cerno principiamos, a sereiuoi aponlados
co.' admiraco entre as MacflS maisculUs.
Proclamaco da Assemblca Geral do Brasil.
' i a a
Sabscieve aa para esta folha a 5|ooo por quartel
nesta Typogratia ra das Cruses 0.5 a na Praca
cia, n. 37 e 53, onde se recebem correspondencias legalisadas a an-
nuncioa losirindo-sa estes gratis, sendo dos proprios assigaantei,
Viudo asignados.
pagos achantado
da Indepcnden-
PARTIDAS DOS CORREIOS TERRESTRES*
?

Cldade da Psrahiba a Villas de so pretanao ....
Dita do Rio Grande do Norte, a Villas dem. ...
Dita da Fortaleza e Villas dem ...........
Cidade de Goianna ........... .......
Cidade d linda .............
Villa de Anto ...........<
Dita de Garanhuns a Pavoaeo do Bonito .........
Ditas do Caoo, Serinhaam, Rio Formoxo, c Porto Calvo. 1, 11, 21
Cidada das Alagoas de Macei............dem I den
Villa da Paia de Flores................... dem I, dito dito
Todas os Oorreioi parem ao meio dio.
[Seg. Sectas;fartel.
. Todos os diau
- Quintas fairas.
lo, a 34 da cada mas
dito dito
PHASES DA LOA NO MEZ. DB MAIO.
La Caea a $ as 11 h. 4a n. da man.
Quart. ming. a 15- as 1 b. eJ5s" m. da tard.
La Nora a 10 as q h,. a ao ai. da tard.
Quart. cresc. a i-j > as 0 u. e 0.7 m. da man.
alare iluta para odian dt Afaio
As 4 horas e 3o minutos da tarde.
As 4 horas e 54 minutos da man.
21 de Maio. Nyivi. 100
CAMBIOS. Mia.0 19.
Londres......3i d. por ijjfooo cei. V.
Lisboa......80 por-o|0 premio por metal oflercH lo.
Frana......5 lo reis por franeo Lonip. V 10 a.'
OUKO- Moedade6f,oo res, reinas UfSoo '4-oo
M Ditas ., -novas i4/ooo ia#6oo
Ditas deefoooreis, Kjhor. -" tfico
PRATA PaUces Brasileos i#58o fc'oo
PacosColumnarios----------- ij5v> H'
Ditos Mexicanos ------- iVo |I58
Muida. --------------------tgkU; ll4C
Dsc. de bilb. da aJindeita 1 i|8 por loo ao me* 1 o|o
Idena de letras de boas firmas 1 i|a a t l4
Moeda de cobre a por 100 de djsc. ao par
Sedufas da pequeo valor f|? o|o a 1 010
das da semana.
17 Segunda S. Pascoal Bs>-13o F. Audiencia do Jais, JdejDireito da a
vara
18 Terca 8. Ven..ucio M. Rellac.oe audiencia do Juis de .reito da t.
vara.
19 QuarU S. l'e 1ro Celestino M. Audiencia do Juiz d 1). da 3. vara.,
10 Quinta >J< Ascencao do Sur.
al Secta S. Mancos B Audiencia do Juii de D da 1. v.
a< Sabbado S. Ri'ia de Caisia Yin. Rellaco a audiencia de Juis da D.
^ da 3 vara.
a3 Domiago S. Bjzilio Are,
PER NA MBUCO
COMMANDO DAS ARMAS.
Expediente do da Tado corrente.
Officio- Ao Commandante interinado De-
posito, remettendo-lhe os papis de contabe-
lidade do destacamento da Comarca do Pao
do Albo relativos ao mee de Fevereiro (1 a
i4\ para que bouvesse de entregar a respe-
ctiva importancia ao Alferes Profiri da Sil-
va Tavaies on a pessoa par elle aulhori-
sada.
dem do da 13.
Oficio- Ao Exm. Presidente disendo-
Ihe era rumprimento ao seo despacho de 10
do crrante que Joo Baplista de Souza -
llio da Viaiva Maria Jos da Conceico nao
tinba praca em nenhum des Corpos da Guar -
Defio.
Dito Ao rr.esmo Exm. Senhor, devolven-
rlo-lhe informados o requerimento do Dr
Luiz de Franca Muniz Tavaies, que pedia
ser reintegrado no lugar de Cirurgio de par-
tido que exercera no terceiro aulhao de Ar-
tilheiia.
Dito Ao mesmo Exm. Snr., remetien-
do- Ihe o requerimento do Tenente de Ca-
padores doMaranho J. G. de Quinhones ,
que pedia prorogaco delicencacom que vi-
era a esta Provincia por mais dous meses
visto nao ter ainda effectuado osananjos in-
dispensaveis para a conducho de sua fami-
lia. .
Dito Ao mesmo Fxm. Snr. trausmulin-
Ihe informado o requerimeuto do Sargento
mor de Melicias Francisco Jos de Mello,
que pedia tres meses de liceuca para hir a
Corte beijar as mos a S. M. o Imperador.
Uiio__Ao Commandante interino do De-
posito, remeltendo-lbe os papis de conlabe-
lidade do destacamento da Comarca de Goi-
Diversas Kepartigoes
TRIBUNAL DA RELLAgAO'.
Sbssa em i3 de maio*
Na appellaco civel desta Cidids appel-
lante os administradores do Hosiilal de Ca-
ridade, appellados Angelo Francisco da Sil-
va Conrado e mais herdeiros do falcado
Luiz Francisco d > Silva escrivo Bandeira ,
se julgou pela confirmarn da sentencia recor-
rida.
Na appellaco civel do Juiso de Direito da
Villa do Aquira/. da Proviacia do Cear ,
appellanles Agostinbo da Silva Neves, sua
mulher e outros appellados Domingos
Francisco de Sjuss, sua mulaer e outros es-
crivo Chaves; se julgou pela reforma da
seotenca appellada.
Os Embargos de Anna Dias da Costa Contra
Rila Maria Dias como Administradora de sua
tilha Rosa Maria Dias na appellaco Civel da
Comarca das Alagoas escrivo C.ioves foro
dispresados mandando-se cumprir o accordo
embargado.
Os embsrgos de Joaquioi Pereira de Men-
donca contra liernardo Antonio de Vlirandi,
aa cauza de appellaco desla CiJad.^ ilsurivaj
f'erreira 5 foro recebidos e julgadj uullo lo -
do o processo por falla de concilugo.
Na appellaco civel deita Cil'Ue, appal-
lanle Vicente Hodrigues Seixas, e appellada
Josefa Rodrigues da Fonceca escrivo HauJei-
a se julgou nulo o procedo de I. uti eiu di-
anlepela sua irregularidade.
JN'd appelUco civel dtssla Cidade apel-
lante a Mesa Regedora da Irmaudade de N.
S, do Livraoieuio appeliado Francisco Jos*;
de Paula Carneiro e outros esciivo Cha-
ves } se julgou pela rtfjrma da senleuca, em
parte e conrmada em paite.
Na appellaco civel desta Cidade appellan-
le Jacome Gerardo Mara Lumachi e \lello
e appeliado Jos Thomsz de Campjs Qu tesma, escrivo Poslhumo ; lu a senteuc,*
reformada.
Os eiiibargos de Maria Hoza da Assump-
anna pertencenles ao mez de Abril prximo
passa e mandando entregar sua importancia
ao Sargento Manat Antonio Porto
Dito Ao mesmo remellendo-lhe os papis cao contra Autonio de Padua Cesar de Mello
de contabelidade do de.tacameoto da Comar- na appellaco desta Cidade, escrivo Poslliu-
ca do Rio Formoso pertemeotes ao mez
de Margo do corrente auno e mandando en-
tregar a importancia dos mesmos a Francisco
Alves Pinto, portador deste.
Dito Ao Prefeilo da Comarca de Goian-
na e Rio Formoso, commanicado-lhes em
resposta aos seos olbcios de t e 10 do cor-
rente* oqueseacha esposio dos dous pre-
cedentes.
Uno Ao Commandante interino do ter-
ceiro atalho de Artilhcria disendo-lbe ,
que era quanto a Fiesidencia nao resolves.se
difinilivamenle acerca dos seus oificios que
tractavaodo fornecimeuto necessaiio para o
eaj-ediente do Hospital ttegimenul. e da gra-
liLcaio que se uevia dar o Fulermeiro, que
exercia o clucio de aangtador e baih.-iro do
n tsmo Hospital, ebonasse nieusalmente ao
do Lntermeiro a quanlia de luUoCo reis, e
foruecesse ao Doulor Gomes o preciso para o
expediente iaseudo taes despesas das Sobras
lio Hospital, devendo lambem por coula uas
lixesmas saiisLser ao Amanuense Viagalhes,
k quanlia de 2'iUa4u> dispeiidida tom ab-
iecls do lipidenle de LtSiUibro do auno
lido a Abi il do coi rente.
mi
mo foro recebidos ejuig dos provados, re-
lurmado o accordo mPargido, e couhrmado
0 processo que se bavia proferido,
ALFAEDEGA DAS FAZENDAS.
A barca Francesa Casimir LeLvi,;ne ,
viuda Havre de Graca, entrada no corrate
mez consignada a .asserre & Coinp maulea-
lou o seguale.
4y4 vuluuies com divergs fasendis, |55
Caixas com vellas lio barricas com farinha,
079 baris com manteiga, ioa meios ditos cum
una, 6 Barrica com ocre, 17 volumes com
drogas, 6 ditos com vomestiveis, 1 barril cooi
viiilio, 1 caixa com dito, i ditas com quei-
jo, 1000 cestos com batatas.
Fora do manifest.
a caixas com fasendas de seda, a paves,
3 caneiios, 4 caixas igaora-se 8 embi ulos,
ignora-se i ditas coji conservas, 1 reiracio,
1 caixa com eslampas, 1 bibu com uiiude-sa,
6 caix.is com Velas,
O Patacho Americano Wm. Davis, vinJo
de BoSlou, timado no coneule aitz consi-
gnado a Henry Fosler O Cump. Alauifcalou o
seguinie.
nou barricas com faiinha, 5o ditas com
kacalbao, to i caixjs sabo, 894 barricas va 4
as, a3 ciixas com cha g ditas com pentes,
l sacococom moeda de ouro, 1 carrinho e
perlences. ao barris com pregos, a caix s com
tixs 3a barricas com charutos, iaembru-
Ihoscom esleirs. 1 caixa com chapeos de pa-
lha, 1 embrulbo com livros, 1 chicote, 1 cai-
xa cem drogas, 1 lu rica com fsforos, 1 cai-
xj com fumo.
Fora do manifest.
1 caix, 1 embrulho iguora-se
CORRFIO.
Existe na Admin. do Crrelo huma carta
segura pir4 D. Mamona FrancisCs Ayres.
ANNKCIO.
D'ordemdo Illm. Sur. Inspector do Arse-
nal de Marinha se faz publico que a compra
da e.nbarcacio pira o servico da Alfandega,
aiinnnciada para boje fica iransteridas pa-
ra o dia a2 do correle pelas 11 horas da ma-
nb, em conse juencia de lerem aparecido mui
pQucos concotrenlds.
Inspecco dj Arsenal d8 Mariuba de Per-
uaaib-ico ly (fe Maio de 184'.
nlexanJre Bodrigaes dos Aojos.
Secretario,
OBRAS PUBLICAS.
Pela Administraco Fiscal das obras pu-
blicasse avi>a a todas as pessoas, que rece-
bero encomend das madeires para o concer-
t da ponte d Recile, e a quaes quer oulras
possoas que quiserem aprontar ditas madeiras,
que aquellas que vierem ai o da 5o de Ju-
nho pioximo viudodio nao s sero i uedia-
tamente pagas, para o que o Exm. Sor.
Presidente lem dado as ncessarias providen-
cias ; cono lambem serj pagas com 5 por
tent sobre os pregos po.qae se comprar}
ltimamente as que foro precisas para
acabsmeniJ da poute da boa-vista : isto he
as lilia e estivas ; e os e^teios sero pagos
a 4Uooo ; leudo si Je pagos a 4j res os
que se compraro para a sooredila pouia da
boa-vista,
Administraca Fiscal das obras publicas 17
de Maio de 1041. ttoara, Adunuisuador
l'iscal.
PREFEirRA.
Parle do dia ij do corrente.
Illm e Exm. Sor. Foro liontem presos
pelo Commissario de Polica do quinto des-
mel da Fregueaii do Recife o porlugue* Ja-
cinto Antonio Jos de Ab.eu, o Ingle John,
o pardo JooFerreira da Silva, iklarinbeiro
do Brigue Escuna Gararapes, e o preto Be-
nedicto Antonio, niarujo da Escuna Mercante
Conceico por estarem em desordem no lu-
casa a qual igualmente
Sa
r do Forte do vi atoa
1. a. e 4- lorio
sollos e o i. remetido aseu respectivo co-
mandante ; e pelo Lo muiss.no de Polica do
quarto Disirivfo da Freguesia d. Uoa-visla
o preto Matueos, escravo da Viuva de Fran-
cisco Felippe de barros por estar em ques-
lo com mu Cidado foi entregue a seo se-
nhor para o I .ser caslijar.
Pak.eupo a V. Ex. que sainJj bontem a
noile pelas uuves Uoias e ti es quarlos roa-
dar pelos lies aiiroa desta Liaide cojjj
ue meo dever, e duigindj me Guarda da
jttesa da Diversa neudas ; eucoiiuea em
es lio de relaxaoao, sem seulinella, apor-
ta da eiurada deste estabellecimouto e que
no mesmo estado se acuava a Guarda da Casa
da Inspecco do Aigodo e a porta da en-
trada da mesma
visilei.
E* o que consta das parles hoje recebidas
nesta Secretaria.
Parte do dia 18.
Illm. e Exm. Sr. -- Partecipo a V. Ex. que
bontem aomeio dia prend, e ru recolher a
Fortalesa do Bruna, por mais sgur^nc a Jo-.,,
se Caetano de Araujo Moris blanco, ca-
sado por se aehar pronuncia'irta oficio o
livraminto, pelo assa Paulino de Olanda Cava'cmte n 'uno la
Villa da Assecablea, Com. da Albaiaia, Pro-
vincia das Alagoas, e tar sido requisltda a
sua captura e remessa pelo Juiso Je i'n da
sobredila Villa, segunda QOMM da K la
que me foi dirigida em quiu;e do corrente p?
lo Juiso da segunda vara do Crime desta ii-
dado.
Partecipo mais que rondando honte*n pe-
las onza horase l>um qaarto da noite no Hair-
ro de S. Fr. Pedro Goosal do Recife ; e,
leudo de passar pelo lugar do Forte do Ma-
tos, encontrei abmdonada e sem seutla, a
porta da eiurada da casa da Inspecco d>> Al-
(jodo ; e em cousequencia ordenei urna
das Patrullias daquelle iiairro qua giras-
se com mais requencia pelo referido lu-,
gar.
Nao occorreo mais uovidade.
Parte do da 19.
Illm e Exm, Senhor Das parte boje re-
cebidas consta somonte que fora ho.ite.preso
pelo Commissai io deipolicu do Dustrictj de
Fora de porta o pirdo Luii Josa da Fonceca;
por ser desodeiro ; foi detento a-J Calaboufo,
Parte do da a o.
Iilm. e Exm. Sr. Forad bontem presos
peloCommissario de Polica di dislriciodo-
Porto das Canoas o preto Ensebio J. s de Li-
ma Simplicio por ser encontrad.) urde Ja
noite dtitaUj iebaixo de un telneiro loi
detidono Callabjur,j de Polica pira *ver-
guar-sesi elle ,'ou a3 ateravq : pe'o Com-
missaru de Polica do 8. dislricto d 1 Pregue-
zia de Santo Antonio o pralo Benedicto Ma-
uoeldo Nascimeato por lar espincado gra-
vemeule a uini preta arrasiaulo-a para fj-
ra de casa ; maniou-se proceder reipsilo ,
e foi recolhido Cadeia para pass^r dis-
posijo do Juizo Criminal: por um soldaio
do Corpo Policial o pardo Fe.iciano Rj^ue
d'As>u,icij pjr ter interrompido as dili-
geuciasda r*oiicia } foi dcleulo uo Cal abou-
prelo Jos escravo de Jos Joiquim par
suppol-o fuido ; foi eulregue seo senhor i
e pelo Commissario de Polica do dislrictq da
Ra da Gloria a preta Mana, escrava da Joio
l\Iariubo Falco por estar iugida ; leve i-
guai destino.
O auu-i'refeitj de Otindi psrticipa que
bontem pelas euM horas do dia foi encontra-
do na pona do mangud da mar peruana ua
cadver com as mos amagadas o qual foi
reconuecido ser de um preto menor escravo
de Anua Uaroara de- iMendo.ict morado-
ra n'aquella Criada, a qual kavia jai
das o tinba mandado a >u Pia;a tnuregar
urna carta com oUjjo rs. em sedulas ; assim
como que, por sacuar o retendo caiver m
estado de deluico dei&ou de auaJUr p.o-
ceder a competente vesloru.
Nao occorreo mais novidadd.
HfSefA U RiNJAS 18S&&&A&.
O Administrador da Mesa d< Jxemb s*.U-
I
\



r\
DIARIO DE PERNAMBCO
ll'W HI13 JJI
es Gereesdesla P., fazscienie a lodosos Srs.
Negociantes, Mercadores de retalho, Cmara
Municipal, Tabelies, Irmandides, confra-
rias, ordera terceiras, e vigarios ; que no
prozode i5 dias, contadados da data deste.j
na conformidade dosarligos i. e a. do Alva-J
r de 17 de Junbo de 1809 roandem pagar a
laxa do Sello respectivo de todos os livros de
que trncto os ditos artigos, e a contar da
data d'aquelle Aivar, at o presente: scb pe-
na de se proceder conforme determnia o
mesmo Alvar' e faser execular judicialmen-
te a ledos os omissos.
Recebedoria l5 de Maiode 184 u
Francisco Xavier Cavalcanlede Albuquerque.
O Administrador da Mesa das Rendas Iu-
ternas Geraes, tendo avisado e tirado man-
dados, para cobrar a decima de mo mora,
at o presente muito poucis irmandades tena
pago e por esta cmissso passa segunda fei-
ra 4 do correte a lser pinhora ; por isso
roga a todas Irr.andades que venho satisfa-
serem para evitarem despesas.
Recebedcria das Rendas Internas Geraes
18 de Maio f 84
francisco Xavier Cavalcante de Albuquerque.

NOTICIAS PROVINCIAES.
Os Jornaes rrcebidos do Rio de Janeiro
pelo Paquete Inglez sadianta dous diaa as
noticias que temos dado e nellea s encon-
trarros de eonriden o seguinte :
O brigue Bella (juiio, entrado bontem do
Rio Grande com 10 dias de viagem nenhu-
zna noticia trer sobre operaces militares.
0 Sr. Aleases jachado, depois de dar pos-
ee ero Pollo Alegra &o novo presidente o Sr.
Dr. Saturnino vottoo ao Rio Grande onde
cl.egcu no da i i do mez pastado a onde se
de.rocit". srcente dous das sahindo nodia
ai para esta corte a bordo do brigue escuna
de guerra Cali' \ 9. (Jorn. do Com.)
----------- ni
Temos folbas e cartas de -Montevideo at a3
do miz passado (Abril) e de Buenos-Ayres
ate 20.
Aos extractos que fizemes temos s a acres-
centnr que no dia a suspendeo a esquadrilha
de Buenos-Ayres do ancoradouro em que es-
lava a poueo mais de tiro dt bala do Montevi-
deo, efoi Tundear mais ao oestt em posi-
co que s podia ser avisada do alta do Ser*
ro.
A esquadrilba oriental estava-se apromp-
Itndo, e dizia-se que sabiria brevemente ao
encontr de Brcwn* (Id.)
1 tt n ti 11 '
A di a ir en to da Sagraco de S, M. o Irx.perador
lemos fundamentes para assegurar que e
ceremonia da sagraco e coroagao de S. M o
Imperador foi adiada para Junbo (tai vez dia
ai ou 39) per ha ver ebegado ao conheci-
menlo do rr emo Augusto Seohor que muitas
ceustructjes e ouiros preparativos dos festejos
com que o eiithusiaso>o nacional quer aug-
r-ntar o brilbo da soierxnidde nao pode-
rito ap:cmtjta;-se com a desejada extenso e
a p.e.i.ti.to, para o dia anteriormente mar-
cado, (Despertador)
MINAS GERAES.
A uhin .s folbas de Minas ebega a ao do
pastadoj -fu-ave anquilla.
BAHA.
Os Jomaes que rece' emos da Baha alcan-
t-a a l oocorrente t nada havia de novo
naque' j provincia.
1 -------------' m 1 ------------
&. PEftO LO SUL,
Coi.ir.uado do n. precedente.
Rio Giande, 6 de abril.
A columna de Joo Paulo seguio de Cassa-
pava para o Pasto dos Entercados a iazer
juneco cem a forca dos Canudos que se a-
cba no Paco do Pavo e sVgue amanh para
o dito Passo dos Enforcedcs,
'lera, tsta loria dous batalres de cacado-
res 1. e 3. n brigada do Silva lavares a
do Vcdcircs e a Hopa do Chito ledro. Os
trigadeiics Stra e Bitai.couit coronel Luiz
da i renca e vitconde de Caan, seguem
cok a sobredita loiu a Gm de se apiesenla-
irm no exercito.
Seara e Lua da Franca tendo seguido de
PorlclAlcgie. para unir-se ao exercito, que
(0 tcLasa o Pato de >. Lourengo, tscap-
Hiiecaliii te tener csufcelcs, quees-
lOuipri eiljC .n-fi-toli: n acuhy em
nup se acha em Rio Pardo se retirou para o
Triompho ; receiando ser suprehendidd, pois
a marcha da columna de Joo Paulo para Cas-.
sapava deixou a dita forca de Felippe Neri
e:-posta, tamhem se retirou do Rio Pardo a
canhoneira do Salom.
Netto est sobre a forra que marcha dos
Canudos, e he provavel que, reforcando-se
com alguma de Bento Goncalves, carregue
sobre esta que ter de retroceder ou hter-
se. A forca dos canudos vai muito ligeira
e sem bagagens. A nica cavalhada que ha
he a da brigada do Silva Tavares, por ter es-
tado sempre nos Canudos. (Carta particular)
11 Je abril.
Chefra ao Rio Grande no dia lo do cor-
rente o presidente Dr. Saturnino e o conde do
Rio Pardo encontrra o ex-presidente que
os esperava e com elle livera huma grande
conferencia nesta cidade.
Pouco ou nada soubera respeito s opera-
ces do exercito ; Alvares Machado eslava 11-
teiramente alheio posico de nosxas torcas ,
porque Joo Paulo roarchou para a campinha,
heando dest'arle cortada a cammunicacao cora
Porto -A legre : julga-se que se allastou mui-
to da base de operates, sem talvez atlender
que ficava isolado dos recursas.
Marchou huma columna JeS. Goncalo pi-
ra o Passo dos Enhorcados commandida pe-
lo Silva Tavares ; dizja-se que o seu fim era
fazer junecao com as forcas que commaaJava
Joo Paulo.
Todas estas noticias sao to confuas que
parece que o exercito eslava inteiramente iso-
lado das communicacoes cora o presidente.
As autoridades toreo bera iccebid? no Rio
Grande ; todos cou6a5 no presidente e gene-
ral. e amanb partem para Porto-Ale^re.
(Id.)
-- ia de abril.
Joao Paulo passou o Jacuhy cora 5,ooi ho-
mens, porm muito faltos de fardamento e
de cavallos ; levou aao con tos em dinheiro ,
e nao se sabe o que intenta fazer. Ao mesmo
presidente Alvares Machado s mandou dizer
que sahia para a campanha, e que depois
Ibe indicara o meio de se communicar cora
elle. Deixou Pjlippe Neri em Rio Pardo,
com ordem de nao deixar oQUial algara cora-
municar-se com o exercito. Elle mesrao cor-
tou as sua communicacoes rom o presidente; e
rom a capital por aquelle lado. Filippe iN'e-
ri, com a pouca I oreja com que ficou j se
retirou para Santo Amaro, porque Joo Pau-
lo o deixou responsavel por Porto Alegre ,
deixando-ihe o arbitrio de se retirar al a
capital se ojalgasse conveniente.
Silva Tavares passou o S.~Gonsallo a reu-
nir-se com huma forca que veio em sua pro-
cura formando todos a,000 homens que
vio procurar Joao Paulo no Passo dos Enhor-
cados t as esbeceiras doCamacuan e assim
fka descoberto o S. Gon?alo que as-novas
autoridades mandad defesjder com forcas de
PROVIDENCIAS PARA O HIO GRANDE.
O ministerio suspendeu por um anno as ga-
rantas individmes na provincia de S. Pedro
do llio Grande do Sul autorisando a entra-
da na casa da cidadio sem as formalidades
nrescriplas na lei, a prisj sera'culpa formi-
da e a deportaco para fra da provincia.
Estas medidis sao do absoluta necessidad e
o corpa legislativo por vezes as tinha autori-
sado : s o ministerio de julho iulgou poder
passar sera ella fiado na sua polilica da con-
ciliaco. O resultado todos sabemos qual foi
Conceden ao presidente a faculdade de ara -
nistiar aquslles que depondo as armas, se
moslrassero arrependidos verdadeiramenie.
Esta medida fillia de un resto de philantro-
pia que ainda existe pelo rebeldes, A
raso a condemna mas o coraco a desculpa 5
pois nein possivel ver sem dor os tristes ef-
feilos de todas as passadas amnistas, era
ver a sangud fri condemuados rreaiissivel-
mente tantos Brasileirjs como sao aquees
que cora as armas na mo diracera as entra-
nhas da patria. Nao nos admira que S. M.
qnizesse anda urar de clemencia : ura pal a-
cln sempre motivos pira atenuar as culpas de
seus i i los.
Pelo ministerio da guerra foi o general au-
torizado a promover no campo da bstaiha at
o poslo" de major oor servigos relevantes de
que se fiesse raenco na orden do dia, A
promo;o era virlude desta autorisaoSo sem
prejuiso da anli;uiddJe doi que sa acharen
em uostos iguaes ou superioras.
raos deve produzir grandes etfeilos.
(Sentinella da vlonarchia.)
RELACA CIRCUNSTANCIADA DO
TFAO' DO DiA 17.
Desde o snoitecer de a6 houve copiosa chu-
va e fo'te trovoada que cessava por peque-
nos intervalloa at que pelas 8 horas do
dia 27 escuiecendo repentinamente o lem-
po huma furiosa trovoad* acompanhada ds
tressuccessivos luratjes de N.0 OSO, e SE
e de abundante ebuva de pedra despejou
sobre esta cidade e a villa de S. Jos do Nor-
te grande porcao de raios desabando algu-
nas casas ficando oulrai quasi destelladas ,
rodas as vidracas fronleiras ao O S O parti-
das e algumas pessoas mortas. O brigue
escuna b. Jos Voador que se achava
no canal da Barca a seguir para a Baha ea
sumaca Flor de Amorim *' fundeada no
Norte foro apique ; bera como mais qua-
tro hiates que se acnavo carregados na por-
to desta cidade, e dous no Norte virados,
Humraioestalou o ne&slro do brigue escuna
naufragado, partio-lhe a verg* e paos de
combate-, outro parti os paos de combate da
c&nhoeira Parker ; outro percorreo todo o
costado do brigue Juno, outro parti o gu-
ropez do brigue "Commercio", de Per-
mar
, e esta cidade com o baialho da Serra | namburo que estava atracado ao caes da
que parti j de Santa Catharina. cmara. A maior parle das embarcaces sur-
Duem alguns que o intenta de Joo Paulo I tas ueste porto se desamarrro e cahiro hu-
be passar o invern na nossa frontera e pa- mas sobre outras e causro muitas avarias
ra isso foi com o exercito mal fardado e mal s canboueiras ns. i e 8 perdendo a pr-
montado } veremos o que pode fazer o novo meira ambos os turcos da popa parte da
general. t'iucheira e o pao da bijarrona e a outra o
Os rebeldes felizmente nao podem atacar as gorupel. Desamarrou-se a pfesiganga e
nossas forcas mas hao de mangar com o Joo perdeo hum ferro e o deposito da plvora ,
Paulo e procurar estragar o nosso exercito arrebentaudo as amarrages, veio atracar
que como sabio nao pode procura-Ios e obri- estacada. Foi enlo geral a consternayo e o
ga-los a hum combate, i.em a evacuarem a susto por continuaren! os raios a cahir pro-
provincia. Netto, que fica pela retaguarda ximos embircajo da plvora ; temia-seal-
donosso exercito, se nao for perseguido a gumaexploso ,. que acaiieaiia milhiresde
lempo ha de procurar algum golpe de mo desgravas novas. Foi debaixo de toda a tem-
ou em Rio Pardo ou sobre o S. Goncalo. Es- panada e perigj que o beucmeriio e ncania,-
(a marcha de Joo Panlo be huma verdadeira vel Sr. inspector do arsenal de manaba Joa-
escaramuga que s nos pode trazer perda de qui Jos Ignacio &e apreseutou cora os i-
ganla e cavallos e em que nada ole alean- hae do arsenal a seu maudo e guarnices
Var de decisivo sbreos rebeldss } se o exer-'idas embarcaces de guerra e lancha de soc-
cito tier de invernar na campanha, ha de j corro a proteger a todos salvando animas
ter huma perda enorme em morios e doenles ; vidas de alguraas desgracadas victimas, bera
que por hao de ir Otando ; be huma loucu- i como as piopriedades dos cidadaos que se ti-
ra rematada sabir para a campanha no priu- cha vio quasi perdidas prodigalisando cabos,
cipiodo invern cum semelhanie torca e em ancoras gente, embarcaces e todtjs os uuii
SANTA CATHARINA.
Desterro 7 de abril as 6 da manha.
O vapor Campista entrou em Santa Catha-
rina com 76 horas de viagem, tendo ido sem-
pre com vento sul e muito mar pela proa :
na altura de Santa Catharina ameacand
hura forte rebojo de sudoeste o Sr. presi-
dente Saturnino mandou arribar quelle por-
to ; e com effeito, logo que deu fundo a b>r-
c.i cabio hum fortisjirao rebojo de sudoeste ,
que durou at o dia 6, No dia 7 de manhaa.
seguio a Campista pela barra do sul pir.t o
Rio Graude. ( Carla particular, )
~ ai de abril de 1841
Onovos chefes para a provincia de S. Pe-
dro arribarlo aq.ui ni Campista a \ deste ,
sahiroaj, e, encontrando no Rio Grande
o Sr. Alvares Machado seguirlo logo todos
para Porto Alegre onde ter de ser celebra-
do o acto da posse. As cartas viudas ni Ita-
hiana, quo entrou a xo a noite asseverio
que a noraeajo do Dr. Saturnino agradoa
geral mente.
F'altavo- al noticias recentes do exercito.
Sabia- se que elle tinha passado o Passo Gran-
de do Jacuhy a-n de nnreo, cora huraa for-
ca de mais de cinco rail horaens mis com
grande mingoa dicavalhadas agjvadaj-no
alera das Pontos de Candiota ni co,ti de
Caraaquan sendo feito recuar o> rebatios
que apresentan lo na sut frente njenoi de
tres mil, conlo, comludo hum eflectivo de
cenlivo para as acces de valor, que juiga- maisdaquatro mil, cora as pirti Ja volantes
que percorrera pela retaguarda e flancos do
exercito imperial, e era pecera por tal nsoJo
as communicat,5es entre elle e o Rio Grande ,
Porto Alegre e Rio Pardo qUB S8 tm pJr
mui Uifcil, sa nao irapossivel que o novo
general em cuela possi ir recebar o cora-
mando.
Se o brigadeiro Joo Paulo antes de o en-
tregar oonseguisse trazer o inimigo que lera
na frente a hu na aeco geral era que o exer-
cito imperial atienta a sua superioriJida
numrica obtivesse vantageus decisivas, nao
s justificara escolha que delle se fez co-
mo qns caria cora a gloria dedeixir. qnan-
do nao decidida ao menos muito adiantada
a deciso da queslo, e depois fcil seria dis-
persar esses bandos que nos ioquieto a re-
taguarda e os Hincos se eles jr si se nao
dispersissem : julga-se porm que os re-
beldes Ingiri como sempre tan fgido ,
de quilquer acgo daquelle genero, salvo
quando Uverem a certeza do bora xito, e quj,
mellior montados deserabiragados de trens
u bagageus e por coiejuencia mais ap-
tos para moviraenlos rpidos conlinuaro
seu systema de guerrilhar-nos e de cansar-
nos com marchas e contramarchas para le-
rem occasio de ganharera vautajens em ac-
tes pirciaes.
Do as noticias todava coma era bons ter-
mos os negocios do Rio Gr juie ; a desmora-
lisaco tera-se intruuzido e progrede as
forjas rebeldes ; as reun jes pouco produ-
ze.-u porque tudo quanto nao he simples
proletario quer paz e descanso os que sao
reunidos era hum dia fogem. no outro e
vo oceulur-se e situar-se ua Serra dos.Tas-
ses; os chefes eslo desiviudos ; liento Gon-
calves que o. oulros caudhos appelltdo
agora por mofa -- juitdepiz --, fji au-
nuil-ido ; sendo desviado do exercito, e redu*
zido s iuu-juotis di presidenta, vaga u'iiun
cairela de puuso em pouso, s;n adiar a quera
presidir, tu porm e coraigo muita giie,
aliitos sennos desvauactlis ..s iujis hen
lundidis esperaneas agairdamos cjusis
tal estado ; I01 hum embaraco mais para o
seu successor,
Netto anda pela Encruziluada cora 700 ho-
mens ; Canavarro est no Formiguairo,
junto a S. Sepe com 1,000 1.oruen e tien-
to Goncalves em Algrete com oulros 1,000
homens, como elies nao podem dar huma ac-
to nao precisad reunir-se autes esi viso convem ao seu fim de cansar o nosso
exercito que nem pode divtdir-se nein pro-
turd-lof nos diverses pantos : 1 tiles divi-
didos em giupos como eitso, auda mais
a attiPl ( ilic tu. 1 e {iMonsia dous 1 movis sem recearem ser balidos j veremos
.itits eal^'.rs soldeos uos qufets logo os em que islo para, (Caita particular.^
jUJ** egoilfiD doub. O Fiiif pe Neri ] (Jornal do (ommerciv.^
misleres para a seguranija de seus navios e,
no impulso iuesm,j da furiosa lerapeatide o
mesrao br. inspector em pessoa grande-
mente se eslorcava e couseguio a seguran-
ca das e a. barca toes e salvamento dos desgra-
vados que eslavo quasi a suecumbir ao pa-
so do luiacao, prestando-se igualmente a es-
te honroso dever de huraauidade o Sr. 1.-
lenle Fernando Jos Possolo que cora a
guambio de sua cauhoeira e a da barca A-
guia, rommaudada pelo Sr. i. lente
ledro Garca muito se empenharo era co-
adjuvar o dito Sr. inspector.
( OConciliidor. )
( Do Despertador, j
reaes para conceParraos da noroessis espe-
ranc-as.
bsla provincia'.^sl com)letaraente desis-
sombrada di preseuQs e. ;uesrao di visin lan-
(ja to im.iiijo : peruanas piTiidis que a ti-
tulo de poU'.iarera o auinctu elle liara ei-
.\ ;j pela Vaccana ao mauao de Aranlia ,
lera sido batidas por AUnagUJo lijpolito,
Padiltia lillas e ouiros comintudames ia-
gaes era cujj relorco inirclioa o lente
coronel Rodrigo com cavallaru e intine; ii ,
abra de segurar da huma vez a legaliiada o
do/intodiquelles temtorios. O presiJau'.e
.inte.o a vista desie estado de causas vil
mandar pira o Rio Grauda por mir jj ci-
cadoies que ja esto embarcados no vapor
faqueie do >al e que j duas vezes siinrao
e anihro por causa da lenporaes e por
trra ,oj Homens de cavallaru. Anda nos j
iicao uucm boo a joo homens da liuba ,
atora as torcas navaes que estoa espara ,. el
assira mesmo esta dimiuuico de loriga toa
causado Uescouteulameulo.
fcsta reatabslecido o correio oara Porta-A-


DIARIO DE PBRNAMBCO
3
I lenre por trra e j a 11 deste recebemos
[caitas d'alli de3i demarco. [Id.]
( Do Jornal do Commercio. )
AS CAPATAZIAS DA ALFANDEGA.
Passou desapercebida huma occurrenca
que se seus effeitos nao tivessem sido judi-
aos! e promptamenle prevenidos oela auto-
ridade competente teria produzido desagr-
daveis resultados era todas as relages da pra-
ca pois que nada menos importava do que
a paralysH^o dos despachos e da sabida de
merradorias da alfandega por hum ou talvez
rouitos dias. Tallamos do abandono em que
os arrematantes das captazias deixro a al-
lundega no dia I 3 do to: rente.
Coreo este objecto he de bastante interesse
para o com roer io t diremos ludo o que ha a
jespeito, fareros algumas observaces.
Desde que os actuaes conlracladore toma-
rlo conta das capatazias (em reinado na al-
iandega a reaior desordem ; nas e marco
para c pode aUbulamente dizer-se que tetn
tido aquella repartico huma verdadaira tor-
re de Babel porque as capatazias nao s nao
empregavo o numero sulficiente de bracos
para acudir ao trab.ilho seno que nem rii-
ut.eiro tinlio para pagar aos que occupavo
O Exm. Snr. L)r. Saturnino procurava eme-
di*r estes males mandando entrar trabaja-
dores que ejo pagos pelo cofre da aliandega,
mas as somrnas assim pagas absorvio no tim
do mez toda ou quasi toda a consigna 0 con*
cedida aos rontractadores e era lacil prever
que semelhante estado de cousas nao poda
continuar.
O Lxro. Snr. Dr. Saturnino fez cbegar ao
conhpcimento do thesouro que uenbuma se-
guranza havia quer para a 'azenda publi-
ca quer para o commercio no contracto
das capatazias por isso que hum dos fiado-
res e principes responsaveis tinha havia
pouco requerido o lugar de guarda d'alfan-
dega t para poder subsistir, e porque o
arrematante tinha feito hum contracto teme-
rario e louco comprometindole a azer o
servico das capatazias por 3:ob5$' rs. mensaes,
quando nao era possivel fazel-o nem por
4 oooi'. Que nestas circunstancias o prejui-
ro do contractadores era infallivel e que
como esse prejuizo vir-ia a final a recahir so-
bre a fazenda publica e sobre o commercio ,
porque 1 o ollerecendo fiadores e contrac-
tadores, garanta alguma, nao poderia a na-
cao ser paga dos adiantamentos que fizesse,
nem as parles indemuisadas das faltas ou a-
vaiias que apparecessem convinha dar por
limio o contracto em junbo deste anuo an-
da mesmo que para isso se conseguir se desse
por equidade aos contractadores algum pe
ciutno augmento de consignado para cobrir
seus prejuizos nos mezes que faltavo para
preeucher o corrente anno financeiro pri-
meiro dos tres da duraco estipulada do sen
tontracto.
O thesouro nao tinha tomado deberacao
alguma quando findo o mez de marco a-
presentou o arrematante o seo recibo para ha-
ver a consignaco daquelle mez O Sr. inspec-
tor inlerinu Macedo man Jou liquidar a con-
ta dos supprimenloi que se linbo feito du-
rante o mes para pagamento dos trabaihado-
res e oulras despezas e conheceo-se ento
que quasi toda a consignaco estava abso vi-
da restando apenas hum saldo de aoif 180,
e esse sujeito a varias reclaojagoes de paites ,
pelo que lu mandado bear em deposito, nao
lecrbendo assim o arrematante hum so real.
faltos de recursos uo podio os contrac-
tadores continuar os trabadlos. Os seus em-
^iiejjados a qufiu devio dous mezes de or-
utiad tiabaliiavo ja de ra vonlade e a
final peiuidas toUas as espeiucas de pa-
gamento recatarlo ir 110 Uia a3oo correle
para seus respectivos lugares.
O Sur. inspector mieiino da alfandega ,
que receova ja este destecho apreseulou-se
na allaiiCtj^a uqueile da as 8 horas di ma-
nha r e COubeceudO os graves inconvenientes
que lesullaiiao a l^zenua publica e ao com-
mercio Ua eslagnaco uo expeieule piopoz
aqutlles epjpiegaUos pagar-Ibes pelo clicos
ui uenados uo ujcz cnente, nao se lazeudo
cai0 os anteriores se tiles vollassem ao
tcivivo, o que anuuio; mauduu admil-
tii o numero ue IrabalbaUores que lossem ue-
tessarios para iciem pagos ta cubera pelo co-
Ire e escoibeo u'tiuie es prepastos da ami-
UUlratao das capauzas hum Ue mais inlelli-
geucia e conbauca a quem eucarregou da
uiiecco dos liabalhos, por isso que nao com-
pareca hum s Uos arieuialanles ou aUuii-
mstradotes. Dadas estas providencias co-
B>e^ou o traba lito da allanUega hora costu-
mada sem o menor embarago h sem que as momento em que Rosas a brsse ou sea-
partes dessem pelo occorrdo. (Jornal do C-) : brisse em sui presenca ; pois que Ihe foi ea-
mi-mm I trege dizendo-se-lhe que era enviad* de
Publicamos este artigo do Jornal do Com- j Dinamarca e que continua diplomis da s>-
tesoessOH I*e d#osdo su Cjsoirnn que se acbaSexpM-
tos visti dos coicurrentes desde segu-iii
feira deila senina, sio t rstlidade digiiM de
r u ni leamos esie arcigo ao jornal uo v^uiu- ( Km.m.iw e que tuuuuiii ipiuM.j> a- mercio po* vir como l dinero a pedir por \ ciedade Archeologica para S Es. O goer-1 attrabir e entreter a curiji.lij^ assina d'.i-
bocca quando nos tratavamos de publicar o nador de Buenos Ayres. A caixa fji e.iviidi quillas pess m qu i t. a vi ijada coma ds
nosso sentir o cerca da arremalaco das Ca- de Montevideo em boa f, pjr p.^sioa a qaem,i que o naj tem pjis que ni) teme o ser esi-
pata/ias da Al'andega das Fazendas desta nos. sem elle disso ter a menor suspeita se desti- | gerado ass? ;ur.j;-.! > que tinto na propria-
sa Provincia. Temamos com tudo ser de nou hum papel imoirtante ne*se drama o-l dada das vista*, on> na delieadeu djs da-
oppinio opposta a actual arremalaco que fernal, fazendo-o intermedio e eucarregado buxas, obra dos pinceis das melb
... .... ----- j. da caisa dos diplomas. A pessaa que a ora- '" |,ri
sentou o raysterioso cofre era um estran^eiro
consideravamos contrarias ao augmento da
(azenda, e ao bem do commercio ; mas qu m-
la nao foi a nossa satisfav'io quandj vimos,
que a auctoridade do illustre Redactor do dito
Jornal vinha fortificara nossa oppinia vi-
nha provar-nos o que pretendamos avan-
car ?
Desse artigo que s copiamos na parte
que diz resuelto aos males provenientes da
arremalaco das Capatazias se conheca ,
quaoto se erra com similhaute raethodo p*ra
executar os servico da All uub'; e que a
fazeuda publica mais gauuana co o urna a l-
ministraco. ivlas como por hora nao se
pode em virlnde da Lei criar sUi admi-
nislraco somos de parecer que rernedi-
ar-se-io todos os rnale, seo actual contra
dor o Sr. Vicente Ferreira Gomes fosse
preferido a levar o ramo por o menor lanco ,
que se otfereiesse ; por quanto nao s a Fa -
zenda publica ganharia com isto, como dahi
resultarla um bem ao Commercio.
Somos de eppinio e co n nosco muitas
pessoas o sao que em taes contratos pe de a
Naco setnpre que se nos antolha o menor
preco que otfeiecem os licitantes e nao o
maior apreco em que deve ser tido o con-
tratador ; e nis:o dilleie este dos oulros con-
tratos. Nestes, logo que a Fazendi est se-
gura pela abonac,o dos liadjres, perca
muitoembora o arrematante ; mas na arre-
malaco das Capatazias requer-se idonsi -
dade no arrematante por cuja falta pa-
deceudo o servido padecer a Fazenda e o
Commercio. E quem nisto levar as lampas
ao Snr. Vicente Ferreira Gomes amestrado
nesses trabalhos a tantos anuos experienle
na ruis prompta exe^uco desses servidos, fi-
el probo e honrado ? Nao somos suspei-
tos quando queimamos incensos virtude ,
e quando poderiamos apresenlar os mais hon-
rosos documentos dos Srs. Inspectores da
Alfjindega (actual e transado ) como a repre-
senlago do nobre corpo do Commercio se
o dito Snr. Gomes nos quizesse intregar para
serem publicados.
E' da eslagnaco do expediente como se
queixa o Jornal do Commercio que tambem
tiramos para c um igual argumento a fi n
de ser o actual arrematante conservado pelo
menor preco que apparecer tanto mais ,
quendo com a retorma do edificio ser neces-
saria urna nova forma no arranjo dos rma-
meos que s pode ser cnvanieutemeute fei-
ta por quem estiver senbor do servigo da-
quella caza.
Quando desejamos que para contento
do Commercio e augmento Uos Direitos ,
d-se a preferencia ao ar. Gomes porque
estamos certos de que muito senhor daquelle
negocio elle nao querera aceitar se lor um
preco tal, que ihe venba cauzar perda j poi*,
aliento o >eu patriotismo e virtudes elle ja
mais querer para ter alguma conveniencia,
que o espediente nao continu admiravel-
menle como al boje, nem que os seus Su-
periores formem delle uma idea desvanlajo-
sa e contraria aquella que tem ale boje
com tanta razo merecido. ^ .
Tal a cerca da arremalaco das Capa-
tazias da AMandega o nosso pensar.
Noticias jEstraugeiras.
BUENOS-AYRES.
Huma machina infernal empregada con-
tra Rosas.
Recebemos folhas de buenos-Ayres at 3o
de marco as quaes nada conlem de impor-
tancia sobre o paii, mais do que ionas lis-
tas de donativos para as despezas da guerra ;
porm foi-nos communicada cop+a de huma
carta de pessoa estrangeira naquella naci r
mas que oceu^a huma uislinela posieso social ,
e goza de muito creJito a qual sendo data-
da de ii de marco, assegura que cinco uis
antes Uaquella Uati lo. a empregada contra
de dislincgo e estava igualmente ignouanie
do conteudo,
Isto pelo que pertenca aa plano e dispjsi-
ges do attenlado ; sobre o reiultado. informa
a men?iunada carta que hun dos apparellios
da (e.o,i.ijj falhiri por nao baisar hum das
caes eooutra por nao pegir fogj a capsula
fulminante
Nao taremos extensas consiJeracjej sobre
este acontecimento, que ulgtmos verdadeiro
e que por si mesmo suscita refiexes to obvias
como ponderosas ; apenas observaremos que
ocmpre.jos de semelbantes recursos d a mais
triste idea da m .ral da ''onfrmga e da forja
do poder que o usa ; e por outra parte serve
para justificar aQs okhos da multido todos os
excessos todos os os meios ini juoi todo o
furor de vinganjas que o aggredidj tenha
usado ou possi ainda uzir se como qua-
si sempre acontece oaltebtado seno con-
summa.
As Libas de Buenas-Ayres, a que cima
nos referimos nao l'aze.n mengodetie acon-
(ecimento extraordinario ; mas este silencio ,
do qual em qualquer outro oaiz se pode-
ria lgicamente induzir a falsidade da noticia,
uaquolte nada prova neste sentido, pr jua a
impiensa all he nicamente a expressi
da vontade de Rosas e a Rosas pJe convir
o silencio debaixo de alguma consideradlo.
(Do Despertaaor.)
RIO DE JANEIRO.
CAMBIOS NO DIA 5 DE VlAlO.
Pregos na ultima hora di praca*
Cambios obre Londres. 3i a iij
,, Pars. 31 i (4
' ,, Hamburgo. 5^3
Metaes, Dobr5:s heso. a6j(55pa 26J630 n.
,, da patria, arjs'ioo a a6|l5o ,,
Pesos hesp. if75o
,, da patria. l|'6So
Pecas de 6s'4oo v. i4f55oa i4j'6jo
,, de ,, novas. i4,ft>eo
Moedas de 4#ooo. 7'90o a 8^000
Frata......j a 70
Apolices de 6 por cento. 73 a 7 i ip.
( Do Jornal do Commercio. )
Bahia 14 de maio de ifvfi.
Londres 31 a3i ip d. p. t,fo30,
Franca 3oo rs. o franco.
Lisboa io p. c.
Rio de Janeiro ao par.
Provincias do Norte dem;
Dobres Hespanhes ajfSoo a aSfooo*
Pecas de fis'joo 4,^oa a 5,fooo.
Moedas de 4000 7,800 a' 8,ooo.
Pesos hespanhoes 76 a 76 p. c|
Prata cunliada 75 p, c.
Papel ,1
Cobre 1 i|J p. c,
(Do Correio Mercantil. )
COLLEGIO DA B0\-VISTA;
PARA MENINAS.
pinceis j melhores artistas
de Paris acharo um e outras um do^e
anoceate recreio. si j as vistas ji au-.
nuocitdas 1 e qua se tj ni a declarar.
Vista do Cislellode Cbillon no lago deGene-.
bra,
di Porta de S. iMirtinho Pars.
do Po ili N > lies.
de C noat .1 unas.
d'um 1 C 1 .l:r "i! i'". ..a : i.
da Ponle-nova Paris.
ue S. Patesbourgo- Russia.
d E lmbourg 1 fiscoc 1.
do T 'toplo 1; Ven >> nles.
di volta de > ipjleio ui ilha d'E!ba,
do Cifro Egipto.
de Obirreze sjorn o rthena.
Entra 11 00res- osmeaiaos com minos
de 10 anuos pagars sosate met eutradi.
sos Diversos.
11

>
11
ti
i
xsr O abaixo assi^nido detejaudo at^au-
telar .jualjuer equivoco, qua Ihe pjjia oc-..
casionar a Mentid ido da nooe ; ve-se ni ne-
cessidade de fazer a presente decara;j da
que as Correipoudenciis, publica!ts n'esto
Diario, pelos Snrs. Jjie da RegJ Birroa e
Joze de Barros, em nada Ihe dizeoa respeto
e nem seus fiIhos ; pois qua o ultimo dos
ditos Snrs. somenle seu parante e ha lem-
po sacha ausentedesta Placa*
Joze de Barros Falco de Lacerda Cavalcintej
OT O abaixo assignado morador na Ci-
dade de Oliuda ra de Malinas Ferreira ,
declara que comprou a retro feixado umi
escrava a Manoella da Trindade, de nomi
Mara, do gento de Angola, que representa
ter 3o anuos de idade pouco mais ou meaos,
e para prevenir qualquer duvida qua paisa
haver para o tuturo lato presente andancio
para que ninguem faga negocio com a referi-
da Manoela da Trindads, sobre a mencio-
nada escrava j pois ella ficou em poder da
annunciada at se findar o tjaru tratado
no papel da relerida compra.
Autonio Joaquim Gueies.
S^ Vende-se uma Burrmln na Bur-
rinlio, e uma canoa aborta de amarello ,
propria para coniuzir familia : ua rui dis
Cruzes, sobrado da a andares na quina dj
becco que va i para o Para izo.
cy OlTerece-se para caixeiro de loja da
fazendas seccas u-n moco brasileiro da 18
anuos de idade solleiro que tom tido pra-
tica desse negocio ha aunos na Cidade da
Bahia donde veio para esta ha poneos dias :
pueru pois de seo preslimo precisar, annun-
cie por esta folba indicauJo sua ouradij parj
ser procurado.
KST Quem precisar de um padeiro branco ,
annuncie ou dirij*-se ao baca do Peixe frito ,
venda de garapa.
tST Joo Vaz de Oveira segunda vez a-
viza por meiodeste Diario a lodosos seus de-
vedores muito principslateolo a acuelles
queem poder do mesmo ten Letras veagiias
a douse. tres auna bajo da dentro dipra-
zodequarenta das vir pagar as mamase
Emeonsequencia da aflneacia de educan- .* lros pois c.eo que jo dave.n estarse-
as, a Directora transfer.o este Collegio pa- t.sle.to, com o abuzo ua m.nha **mut*
fondesceudencu n certeza de que se conti-
uuarem uzarei dos meios que a Li me per-
mille pois com tal abuzo :ae vvjo nis cir-
cunstancias da daclarar seos nemes e quantias
para assim me justificar com os eaeus comi-
tentes de diversas Pracas a quem tenho de
darcou;as. Pernambuco ai de Aiiio da
1841.
s^- A pessoa que quiier comprar um so-
Rosas huma macui iniornat
raa que ia-
O tacto be
inou no momento da execuco.
narrado com as seguintes circunstancias s
A machiua era composta de dezeseis canos
de pistola corregidos a balas, e tinba dous
apporelbos fulminantes era contida em hu-
ma pequea caua, e devia ter o seu eeiio no
das a Directora transleno este Liollegio pa
ra delraz da Boa-vista caza onde morou a
Seahora v iu. do fallecido Gervazio onde
conlini a receber Pensionistas, meias-Pen-
sionistas e Discipulas externas, para serem
instruidas as linguas Injleza Francesa e
Portugueza ler escrever Aritbmetica ,
Geo,raHhia Historia costura e bordar
iic. Os Professores da Grammatica portu-
gueza Arthmelica Geograptua e Histo-
ria sao pessoas d'abalizado conhecimentos.
Alem destes o Collegio tem professores de
Muzica Dzeuho e Dan; para aquellas a-
lumnas que quiserem dedicar.se a estas artes
de recreio.
A Direcco tem adquirido a coadjuvacao
de uma Senbora bastante instruida com ,
que tica,o taiabelecimeuto iuteiramente mon-
tado.
GALERA PTICA PIGTORESCA
RA NOVA U. 4.
Mr. Dutocq tem a honra de annunciar de
novo ao respeiuiel Publico, e psrticalarmen-
brado de um andar con duis maiagois no
fuudo ; defioule do beco d* Molel'a e.n for*
de Portas ; diriid-se a ra do Soguaira qua
acharco^i quem tratar.
ssy Precisa-sede 1 Sol rs. a juros, sobre
segorauca em uui casi : quem os quiser dar,
dinja-se a loja Uo encadernaJor ni praco dt
independencia, D. 2fi que se dir quam
os quer.
tr O Bacbarel Vicente Pereira do Reg,
aviza s pessoas que se quizerem servir do sao
preslimo como advogado, que o podar pro-
curar das 10 horus da 1.1 auna al as S da
tarde na caza da sua residencia ra da CjI-
legio D. 10, primeiro andar*


I
Quera annunciou ter uro casal de
cachorros para vender queira annunciar o
preco que por occupaco nao se lbe pode
a"*r# i A
A. pessoa que em o diario n. 10/ (
. Antonio Cidade ; quero quser carregar
u ir de gassagem dirija-s ao Capito a
bordo ou a Maiioel Gonsalves da Silva na
ra da cadeia.
PARA O RIO DE JANEIRO coro toda
brevidade, ovelleiroe novo Patacho Nacio-
nal Correio do Brasil; quero quiser carre-
jar ou ir de passagem para o que tem excel-
ientes cororaodos dirije-se a Gaudino Agis-
linho de Barros, na pracinha do Corpo San-
to D. 67 ou a bordo ao Capito Domingos Jo-
s Caetano.
Le a o
Que fai o Corretor Oliveira sabba-
do 22 do crtente as 10 horas da manh na
casado fallecido Joo Baplista Branca, no
largo da boa vista de grande porco de tras-
tes consistindo principalmente ero cadeiras ,
armarios, bancas de jogo ditas de meio de
salla cmodas, sofs guarda roupas, es-
leirs para sala um faqueiro contendo duas
duziasde pecas de prata vindo de Lisboa e
rauilos outros objectos dos quaes p'jucos sao
uzados, e os mais inleiramele novog.
correte roer o Patacho Beija Flor recebe
carga a frete e passageios ; a tratar no es-
criptorio de Manoel Aires Guerra na ra
do Vigario n. 7.
PARA GRANJA segu viagem iroprelen-
,8 do correute faz o annuncio da dsapari- vel mente at odia 4 de Junho o Patacho Bra-
cio de um preto que et a noite do dia 16 uleiro O. Franc.sea de qu
por ai 9 horas desapareceo da cambia do Car-
ino com urna mesa um bahuzinho em ci-
ma com coberlas traviseiros quadros e
&c. queira aparecer em o deposito d'agoa jun -
to ao tbealro aonde achara dous qu id ros ,
urna pequea mesa sem gaveta e um pe-
aueno babu aberto e vasio o que foi eacoa-
tradono da 17 as 8 horas da manb entalla-
do entre as canoas amarradas do referido de*
psito.
tsr O Snr. Francisco Ludgero Cancella ,
queira dirigir-se a ra da Cruz n. ti ou
annunciesua morada para negocio de inte-
resse.
ES" Aluga-sa urna ptima casa terrea sita
na ra nova que vai para trempe com pti-
mos commodos para urna numerosa familia ;
quera a pretender dirija-se ao pateo da Santa
Cruz rasa de JoioSebastio Peretti.
tar Roga-se ao Snr. M. A. S, A. que em
cumprimen 10 de seo dever haja de recolher
ao competente cartorio os autos que pedio em
confianca des de o dia 3o de Junho de 18 jo ,
ob pena de se uzar dos mes legaes quando
este annuncio nao produc elidi.
%3T Um moco brasileiro, que tem dado
varios estudos preparatorios se pro;.Ge a
escrever em sua casa para qualquer Sr. escri-
\o ou letrado como tambero a dar algumas
licoens de primeiras letras e latim ; quem
precisar de seu presumo annuocie.
tST O Sr. que levou nm jogo de bancas de
aogico e deixou um anelo de pinhor, e nao
torcou mais por elle haja de ir tirar no pre-
so de 3 dias e nao o lazendo se vender o
dito anelo para pagamento das hincas j na tsr Bichas pretas multo boas e por pre-
rua direila D 49 primeirn andar. co commodo ; e railho alpista a 960 o quar-
tST Da-se um conlo de res a premio de teirao no pateo do < armo venda de Narciso
das por centoao mez com hypotbeca em al- Jos da Costa.
guma casa lenta: na ra por detrac de S. Jos U7* Urna preta moca de bonita fgura ,
Jj, 8. icnzinba o diario de urna casa com perfeico ,
B^ Antonio Ignacio da Rosa faz scienle ao boa quitandeira lavadeira cose engom-
respeilavel publico que Jos Lourenco de Me- mi liso na ra da Conceico da Boa vista
jiezee, e Jos Coelbo Moreira Torres deixi-
ro de serem seus caixeiros
Precisase de urna ama que suba bem
feita na
do
rinha de mandioca mui aira fina
Munbeca e por menos dous mil res
que se tero vendido at o presente.
r Dous pares de lanternas bordadas com
casticaes de vidro um par de mangas tam-
bero bordadas 12 cadeiras e duas banqui-
nhas tudo de Jacaranda no pateo da peona
casa unto a tenda de lerreiro.
SST Um relogio de cima de mesa de fa-
brica americana rouito bom regulador e
valho na ra do Collegio quesera reom
Compras
O livro intitulado o peregrino da A-
merica novo ou uzado quem tiver annuo-
cie*
Vendas
D. 36,
H&v Um negro pjr aoo.ooo bom traba-
jador de encbada e de padaria e um boni-
cbzinbar e engommar ; na serrria de Coas- to moleque e um cavallo ruco ; na pra9a da
tantico Jos Rapoeo
tsg~ Carlos Van Nez profcssor das lingoas
franceza, ingleza, hespanbola e pcrlugueza ,
e presentemente jubilado do liceo desta Ci-
toa vista D. ai.
tsy Um escravo carneceiro, que paga dia-
riamente duas patacas ; na ra da Guia nu-
dade, faz saber que no dia segunda fera pi-
se
at
por preco coromod ; na ra do Rozaiio bo-
tica de Joo Pereira da Silveira.
ssr Pautas bem riscadas e bem pretas, em
papel de hollando a 3oe 60 rs. dicciona-
rio francez-portuguez e vice versa selecta
oomentada dita sem comento Terencio ,
Qaintiliano lat. e o Novo tesmento de J C.
por preco coromod ; na ra direita D. 26 lo-
te de couros
Br Vinho de Bordeaux braoco e tinto
de superior qualidade, e cbampagube da
marca Joly ; na ra da Cruz n. 60.
OT Urna negrinha de nacao de idade de
15 annos cose cha engomma liso e he
recolhida, eumesciavode naco mocamb-
que ambos se do a contento ; assia; como
afianca-se a boa conducta } na ra direita D.
20, lado do Ligamento.
ssp Duas escravas de naci urna de ida-
de de 16 annos que sabe engommar coser,
ensaboar e coziuhar e a outra de idade
de 12 cozinha eensaboa ; na pracinha do
Livramento sobrado por cima da toja que foi
do Sr. Herculano,
.tar Urna preta creoula moca e sadia ,
eosaboa engomma cozinha faz doces e
ccsealguma coma -, no fian da ra Augusta
sobrado da quina que tem o oilo e entrada
do lado do viyeirodo Muniz.
fcjr Por preciso urna vacca mui boa, com
urna cria e parida de poucos dias 5 na pra
ca da Independencia estar uo dia sabbado as
o horas da manh.
&S7* Um escravo de naci entende de
padaria tanto de masseira como de forno e
hecanoeiro urna negrinha de idade de ti
annos ptima para inumbanda cose e faz
o ser vico de urna casa urna espada de roca ,
velUs de sebo e abanos em maior e menor
porco ; em fora de portas n *\\.
VST Fardos com iurao de tolha chegado
recentemente da Babia c de superior quali-
dade; na ra da Cruz D 8, assim cumo urnas
vidrassas para alcova com 8 palmos da lar-
gura sera falta de yidros
ssy Na loja de Carioca & Selte na ra do
Queimado L). 13, pecas de madapolu muito
linas a 4')oj ditas mais ordinalias a 3ooo ,
quim verde coulendo em moeda de papel du- '' direita casa de aiioel Buarque de Al acedo.
ssedulas, urna de ao.ooo, e outra de s\ sar Urna negrada na^o de bonita fi-
mil rs.; quero a acbou querendo fazer o gura perita engommadeira cozinha o dia-
favor de n restituir ao teu proprietario po- \ rio de urna casa e tem principio de costura j
der ficarc.ro urna sedula reaituindo a de ; na ra de S Francisco casa de Antonio da
Cunta Soares Guimaies.
i.lius, e 1
cao
mero 5.
BT U" escravo perito cozinheiro, de da- pecas de algodozinbo largo a 5ooo e .chitas
mo'passada se he extravio des de palacio I de de 20 annos co-n a condico de ser para zue finas a 1 to o covado.
t'ara doHozario urna careira de marro- lalguroa embarcacoou para o serto j na ra tsr Libras de retroz preta de primeira sor-
te dito azul ferrete, e resmas de papel de
reso azul fino de primeira iorle j na Praa
da Independencia n. ig.
S3p Barris com salitre refinado ditos
com breu rolos de fumo barricas com fa-
rinha ordinalia para chapeleiro sacas com
pimenta ditas com farelo ludj por preco
coromod "j na ra das Crues U. 9.
tar L de cana propria para encher col-
xoens e travisseiros \ ua ra das Cruzes ven-
da D. 4.
%sr Bichas de Hamburgo grandes, e por
preco commodo ; na ruu d Vigario venda
n at
tsr Chapeos de palbinha muilo fina t
lavrada para senhora por pre90 commodo }
as 5 ponas loja D 34
tsr O Corretor Oliveira vende a ora e
bem construida armaco da loja^ mandada
fazer de encomenda por J. G. vieira Guima-
res parr ser colocada na quina prxima ao
arco da Conceico e por isso ja bem conhe-
cida ; os pretendentes dirijo-se ao mesmo
Corretor para o ex ame e ajuste certos que se
far a venda por preco rasoavel.
W Urna loja de couros com alguazas miu-
dezas e sua compeUnle armaco tudo no
valor de 240,000 sita na ra direita D. 5 j a
tratar na ra do Aragao L). i").
VST Urna escrava de bonita figura de
nacao angola, boa cozinheira e o.tiaia la-
vadeira e para todo o servico 10 sacas com
farinba ebegadas ltimamente do Rio de J->-
neiro por 5tl,ooo senilo cada urna saca por
58oo em casa de Aianoel Domingos Fer-
nandos.
Kscravos Jbugidos
30,000. que lbe ficar mui agiadecido o
mencionado morador na ra da Fljreuliaa
defronte da fabrica de carnauba.
XST O abaixo assiguado partecipa a os Srs.
que tem pinhores de uuro ou p:ata que os
eeus prasos ja se acbo vencido:, e os piado-
res ja nao ebego para pagar os juros e prin-
cipal hajao dos ir tirar da dacta deste a
lidias, alias se vendero porque essa mes-
jna condico fez com es proprietarios dos di-
tos pinhores e como elle nao quer uzar de
tal procedimento faz o presente annuncio
para seno cbamarem a ignorancia. -ler-
1 ulano Jos de Frenas.
g^> Precisa-se alugar um sobrado de um
andar ou um primeiro andar ou mesmo
rasa terrea que o aluguel nao exceda de lo
a 12,000 ; quem tiver dirija-se a ra estrei-
ta do Hozano quarta casa Lavando o beco
das 1 rangeiias sobrado que tem o marci-
neiro por baixo no seguudo andar ou an-
nuncie*
S2T Jos Antonio Coelbo faz scienta a
quem convier que deixou de ser caixeiro de
Joaqun de Souza Pinto-
OTO Sr. Antonio de Souza Pereira, quei-
ta fazer o favor de dirigir-se a praca da boa
-vista D. 7.
' Avisos Martimos.
PARAOARACATYcom brevidade por
ja se achar em meia carga o bem conbecido
velleiro Patacho Nacional LaureuUi* Bra-
cileira C apilo Antonio Germano das We-
^es ; quem quiser carregar ou ir de passagem
paraoque-tem bou commodos dirijo-Mi no
seu proprietaiio Lourenco Joi das Neves, na
tST Urna junta de bois mancos muito b >ns
para carro ; no pateo do Carmo D. i,
i_y Uma escrava moca de bonita figura ,
corinlia o diario de urna tasa engomma, e
badil para lodo o servido ; na ra do Livra-
nituto L) 9
a-.'" Urna escrava moca de bonita figura ,
rozinba o diario de urna casa cose, faz boli-
o de l e engomma com perfei-
, na ra velba D 4t<
i_y Taxaa para eugenho j no armazem
de le ragens de Jobnslon Pater & C. na ra
da Madre de Dos
93> Uma cadeirinha ja com algura uzo e
necet&a de algum concert uo pateo da S.
Cruz em casa de Joo Sebasti j Perettti.
%lj~ Um escravo para fora da provincia ,
ou para o inatlo canoeiro pescador e tra-
balbador do enchada e alguus trastes uza-
dos na ra das larangeiras no primeiro an-
dar por cima da refinaco.
tsr 1 erleius imagens do Menino Dos
ricamente vestida e da S. da Conceico
feitas pelo melbor escultor da Cidade do Por-
to ; na piaca doCommercio em casa de Do-
mingos Jos Vieira.
ssr* Um moleque de idade de 16 annos ,
com principio de cozinha 6 encllenle pa-
gem j no atierro da boa vista casa onde mora
L). Lauriana.
*-s> TJma negra de nacao angola, de idade
7 annos engomma e coziona bem por
pre.o commodo ; na ra do muro da peua
\). 17.
4.y- Um oratorio grande por pre^o com-
modo } na travessa do Roario D. ia.
ssr j^o Recite na ra da Cruz n. ia es-
cripiorio de Jos Antonio Go nes Jnior se
ru da Cruz 11 3a ou ao dito Capilo.
a-AHAOlllO G. DO SL, no hm d. uuu. a vender saaao oom aiouo do U-
tr No dia 14 do cor ron te fuio urna pre-
ta de nome Auna de nacao baca de idade
de 20 a o anuos estatura mediana cheia
do corpo cor fulla isvou vestido de chita
louxa c panno da cosa j quem a pegar leve
ao terceiro audar da easa da Maool de Car
peusado.
B?- Do abaizo assignadi), e de sua fazen.
da da Macambira termo d Villa do Pes.
queiro, Comarca do Brejoda Madri de Dos,
iugio emdias de Setembro p. p. o escravo
Joaquina filbo do roesmo serto, o qual 0
houve por beranca do seu sogro o finado Jos
Coideiro Monif t^alco os signaes do escra-
vo sao os segnintes alto ebeio do corpo,
cor bem preta pernas bastantemente gros-
sas falla algum tanto rouca tem o vicio de
embriaguez he bastante pratico as estradas
do serto pois em outras fgidas tem-se
dirigido para os sertoens da Parahiba. Ten
sido^isto na povoaco de S Benlo e Cacim-
bo termo de Gaianhuns e ltimamente
que tomara para panellas de Miranda; quain
o pegar leve ao atierro da boa vista que ter
loo.ooode rtifica9o. Fraucisco Xavier
Pereira de Brito.
tjr* O abaixo assiguado iaz publico que no
dia 3 docorrente lbe fugio um preto de noaje
Luiz alto bonila figura ebeio do corpo ,
parece creoulo denles grandes olbos meios
vermelhose esbugaltiados muilo regrista ,
levou vestido ceroulas de estopa coupridss ,
camisa do mesmo panno outra dita de ru-
cado chapeo de palba velbo tem sido en-
contrado algumas veies em Olinda e tam-
bero no caminbo do Recife, e diz que est
trabalbando para pagar semana e como o
dito escravo entende de padaria e refinag ,
o abaixo assignado protesta contra toda e
qualquer pessoa que debaixo de qualquer
pretexto se esleja ser viudo do do preio pag
r 2000 por dia des de a sua sabida, e secun-
do as deligencias que se esto fazendj e or
descoberto denunciado o mesmo agarrad.*
em qualquer estabelcimento se proceder
segundo for de direito a\siu comj su offe-
rece ao.ooo de gratificaco a quera o pegar 04
descobrir onde com certeza esleja traba.lian-
do guardando-se ao denuociante um invio-
la-el segredo. Joo Manoel Pinto Chaves
W No dia 18 do correte d moleque meio bucal de noroe Joaquia do
gento de angola de idade de i4 anuos se-
co do corpo tem esta marca B no peilo es-
querdo levou vestido ceroulas de algado-
ziubo camisa de madapolao fino e chapeo
de seda braneo ; quero o pegr leve a ra di-
reita fabrica de cba peo* qua fica controale ,
Igreja do Terco que ser gratificado,
tsy No dia 14 do correle auseutou-st oui
fugio uro preto de nome Pedro canoeiro,
de nacao rebolo estatura regular muito
pronostico levou vestido camisa de mada-
poio calcas de algodozinbo jaqueta pre-
ta e copeo de palua ; quem o pegar leve a
casa de Gaudiuo A. de Barros, ua pracinha do
Corpo Santo U. 67 quesera gratificado.
sy Fugio no da iti do correute ua mo-
leque de nome Joao creono de idade de
14 annos levou vestido ca Las de brim gros-
so suja de linta camisa de chila azul Umbem
suja gagueija algum tanto quando (alia,
ps apalneilados com umsignal de fd.iaen*
lo ua perua direita rog.-se a todas aulliQ-
ridades polioiaes capitaes de campo, bajJ
de pegare leval-o a ra das Cruces D. J
que ser recompensado*
Movitiiento do Porto
COiSTliNAgAO' DAS ENTRADAS DO
DIA 17
.MONTEVIDEO; 28 dias. PatachoHespa-
nhol Celestina de 90 tonel., Cap. Jayaj*
Alsina equip.9 carga carne secca, sebo,
e vellas ; a Joo Pinto de Lemos & Fi*
iho.
RIO DE JANEIRO } 11 dias Patacho Brar
sileiro Somar de 122 tonel., Cap. Anto-
nio Jos Somar equio. i3 carga fari-
nha de mandioca callee alpista ; a Jj-
quim Baptista Moreira.
DITO} 16 diss Patacho Brasileiro N<>
Sociedadede 81 tonel Cap. Jos Gju-
salves Camacho equip. 8 carga caro
secca ; a Amorim & Irmos.
DITO; ai ds Brigue Brasileiro ftebou
cas de i5i tonel. Cap Joo Jos Peiio*
to equip. 10 carga farinba de mandio-
ca e arroz ; a Gaudino Agostiuho de Bar-
ros.
BAHA ; 5 dias Barca Inglesa Resolulioa
de 093 lonei. Cap. Tnoaiaa. E4rodle ,
equip i carga lastro ; a Rozas Braga,
HECIFF. NA TVP. DE M V ^E F lB>


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID E9LTCCOCJ_DT71VP INGEST_TIME 2013-03-29T15:07:40Z PACKAGE AA00011611_03807
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES