Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:03805


This item is only available as the following downloads:


Full Text
Anno be 1841. Te^a Feirv
Tudo agora depende de nos meamos ; da nossa prudencia, madera-
ru, e energa : continuemos como principiamos, e seremos apontados
com admiraco entre ai i\ aces maia c altas.
ProeJanaaco da Assemblea Geral do Brasil]
'i
Saucera-ac pera esta folba a 3ooo por quartel pagos adiantado*
Beata Typograna ra des Cruses D. 3 e na Praca da Independen-
lie, n. S7 e 58, onde se recbeos correspondencias legalisadas e an-
nuncios (nsirindo-se estes gratis; sendo dos proprios assignantes, e
viudo assgnados.
PARTIDAS DOS CORREIOS TERRESTRESi
1$ DE M/VlO. NuM. JO?.
. 1 -
*
V
f

Cidade da Parabiba e Villas de sna pretcneo ......
Dita do Rio Grande do Norte, e Villas ideen......,
Dita da Fortaleza e Villas dem .............,
Cidade de Goianna........... |.....,
Cidade de Olinda.................4..,
Villa deS. Anuo.................J...,
Dita de Garanbuns e Povoaco do Bonito .........
Ditas do Cabo, Serinhaem, Rio Forntozo, e Porto Calvo.
Cidade das Alagoas, c de Maeei............
Villa de Paiad de Flores.....................Idea 15
Todot os Corrtiol partcm ao meio dio
Seg. e Seitai'fai leu
Todos oa das]
Quintas letras,
lo, e ai de cada mes
1, 11, e 31 dito dito
dem Ident
dito dito
PHASBS DA LOA NO MEZ. DE M UO;
La Cheia a 5 -as n b. e (3 oa. daan.
Quart;ming. a x3- as 1 h. e(58 m. da tard;
La Nova a ao as g h. e 3o a. da tard.
Quart. cresc. a 37 1 as 0 h. e 47 m. da maa.
hlarc thtia para o da 1H ds Mato,
As 3 horas e 6 minutos 4a tarde.
As 3 hars e 3o minutos da manli.
CAMBIOS. Miao 17.
Londres. ir;".". i d. por lgooo ced.
Lisboa '..,... 80 por oo premio por metal offereeiibJ
Franea......31o reis por franco. Comp, Vendas
UR- Moada de 6J4oo reis, val has Ijjfto lf7*>
h Ditas ., "Tas Uflioo r4l&
m Dius de Jfooo res, 8#3oo 8'4oo
pn ATA Pataces Braleiros ijSSo lfioo
Petos Goiunrnarios ------ 1/0S0 1/600
Ditos aexieanos ------- i5*)o i|58o
Hiuea. ...........i#4 if46
Dees, de bilb. da Alfandega 1 118 por loo ao mu I op
Idees de letras deboas firmas 1 i|3 a 1 ni
Mosda de eabre 3 por 100 de diae. ao pac
Sed o de pesjueno valor l|i 0|o a 1 o|0
DAS da semana.
17 Sefcund S. Pascoal 9r'o F. -- Audiencia do Juix .de'Direito |da 3
vara
i3 Terca S. Venaucio M, Rellacioe audiencia do Juis de Direito da 1.
vara.
19 Qaarta S. Pe 1ro Celestino M.~ Audiencia do Juizde D. da 3. vara.1
30 Quinta >f< Asctnco d > Snr.
31 Sexta S. Mantos B. Audiencia do Juis de D da 1. v.
31 Saneado S. Rita de Caisia Viu. Rellacio audiencia de Juii de D.
da 3 vara.
33 Domingo S. Basilio Aro.
PERNA MBUCO
GOVERNO DA PROVINCIA.
Expediente do da 1% do correte.
D'afco Ao Inspector da Thesouraria das
Rendas Provincias enviando-lbe a conta
da despesa feita pelo Prefeito interino
da Comarca de Goiaoa com luzes da Cadeia
daquella Comarca nos meses de Fevereiro ,
Marco eAbril, a fina deque mande pagar
Officio Ao Commandante das Armas, sua importancia;
para mandar apresentar ao Prefeito da Co- Dito--Ao Prefeito da Comarca de Goi-
marca dous ordenancas montados 1 fin de ana commanicando-lhe a expedieco da or-
serem empreados no servico da Prefeitura. dem upra.
Dito Ao Prefeito da Comarca do Becife, Dito ~ Ao Inspector da Thesouraria das
commuoicando-lhe a expedieco da ordem Rendas Provinciaes, para pagar as pessoas
supra. autborisada pelo Prefeito da Comarcas do Rio
Dito Ao mesmo, comunicando-lbe que Formoso a importancia das despeas que
a Presidencia tendo demittido aos Sub-Pre- fez 0 tnesmo Prefeito com o sustento dor pre-
feitos das tres Freguesias desta Cidade, cum- sos pobres nos mases de Marco e Abril ul-
pre, que assim Ibes faca constar propondo timos, constantes das contas que te Ihe re-
quera os substitua. Imeiiem.
DitoAo Inspector da Thesouraria das j DitoAo Prefeito da Comarca do Rio
Rendas Provinciaes, approvando a arrema- I Formoso, communicando-lhe a expedico da
tafio dos mpostos constantes da relaco que ordem supra.
acompanbou o seu officio de 10 docorrente Dito Ao Commandante Superior da
pelos precos nelli indicados. Guarda Nacional do Recife partecipando-
Lilo Ao mesmo respondendo-lhe que Ihe que a Presidencia attendendo ao que Ihe
deve por em execuco o artigo 35 da Le Pro- represento! Antonio de S Leito Capillo
vincial numero 87 de 6 de Maio de 184o ,
na parte em que estabeileceo a illuminaco
dos Atogados, fasendo arrematal-a at Junbo
de 164J.
Dito Ao Commandante Superior da
da sexta Compaohia do segundo Batalhio,
e a informaco dada em seo officio de 4 de
Abril ultimo Ihe tem concedido reforma
no mesmo posto em couformidade da Lei.
Dito Ao Coronel Cbefe da Legio da
com-
Hospital Regimeatal para ser conveniente-
mente tratado o Furriel Reformado Anto-
nio Francisco da Silva e que ao Comman-
mandante do terceiro Uatalhlo de Artilheria
se ordenara, que a respeito posase em execu-
co o Artigo to do Regulameoto de 17 de Fe-
vereirode i83i.
Dito Ao Commandante uterino do De-
posito, comnnicando-llie, que a Presidencia
tinha mandido ahornar ao Prefeito da Co-
marca de Garanbuns por conta dos veoci-
mentos do destacamento ali existente a quan-
tia de 1 joooU reis, e determinando que do
1. deste mes em diante deixasse de tirar ven-
cimentos para o mesmo destacamento, ala que
recebesse aviso contrario.
Dito Ae Prefeito da Comarca de Gara-
nbuns, tcientificando-o de que se Ihe farne-
necia a quantia de itoooU reis por conta dos
vencimentos do destamente os quaes deira-
vlo de ser cobrados do primeiro dste mei em
diente devendo todava continuar na re-
messa de contabelidade deste, e dos metes
vindouros, os quaes serveriao para na The-
souraria se levar em conta a quinta abo-
nada.
Dito Ao Prefeito da Comarca de Santo
Anto recommendando-lhe a prisio de um
soldado de Cavalalia que se ausentou uo da
7 do corrale vespora do embarque que fi-
tero varias pracas da mesn arma para a
Capital do Imperio.
Dito Ao Commandante do Forte Pao-A-
marello, disendo-lbe que a Thesouraria -
dar pagar a Manoel Cavalcante de Albuquer-
qneGadelha a |quanlia de 36Uooo reis im-
portancia de hum mattro, que de ordem do
Commandante das Armas mandou faser para
a baodeira do Forte do Pao Amarello, cons-
tante do recibo que incluso acompa-
nhava.
dem do da 1 f.
Dito A Isaac Goldmid, King S Tomp-
soa de Londres envia'ndo-lhes o conheci-
menlo de 3:38a quintes de Pao Brasil, que
Ihe foro remettidos pelo Brigue Inglez Vesi 1
de que he Cipito George Scbcaver.
Guarda Nacional do Recife, significando- Guarda Nacional de Santo Anto,
Ihe, que a Grande parada do dia a3 do cor- municando-lhe que tendo a Cmara Muni-
rente dever compor-se dos Corpos da pri- 'cpal daquella Villa de festejar com a maior
meira e segunda Legies desle Municipio, pompa possivel o dia a3 do correte, que
do primeiro Batalho de Ulinda do Corpo Sua Magestade o Imperador Houve por b*m nha ja recebido ordem para o pagamento do
de Polica, e da Companhia de Artfices e Designar para o Acto Solemne de Sua Coro-
Pracas de Artilheria com o respectivo Pr- j aco e Sagrao ; cumpre qne expeca as pre-
que, e que a Guarnijo daPrafa no refer- cisas ordens, para que os festejos da referida
ao dia e no anterior ser feiu pelo quar- Cmara sejo acompanhados de Grande pa-
to Batalho deste Municipio e segundo de O- rada composla dos Corpos da mesma Le-
llnda. 'gio.
DitoAo Coronel Chefe da Legio da; Dilo A Cmara Municipal de Santo An-
Guarda Nacional de Ulinda para ordenar, to, communicando-lhe o conteudo uo pre-
que o primeiro Batalho da mesma Legio cedente oficio,
faca parte da Graude parada do dia a3 do Dito Ao Administrador da Mesa do Con-
corrente naandando-o apresentar ao Com- 1 sulado, communicando-lhe, que lorio leva-
mandante Superior da Guarda Nacional do dos ao conhecimenlo o Governo Imperial
Becife as nove horas da manh. 10s embaracos que tem encontrado o mesmo
Dito Ao Comnjanddnte Geral do Corpo Administrador na execuco das ordens lmpe-
de Policia para marchar com o mesmo Cor- riaea que marco a maneira de organisar as
po na Grande parada do dia 93 do correnle. 1 matriculas das Embarcaces Brazileiras.
Dito Ao Commandante das Armas I Portara Mandandado suspender do ex-
commuuicando-lhe o conteudo nos preceden- ercicio de seos postos aos terceiros Comman-
tes officios. j d0 Corpo de Policia Luir Francisco Barbalbo
Dito~Ao Coronel Chefe da Legilo da e Manoel Antonio Martina Pereira, em con-
Guarda Nacional de Santo Anto, respon- isequencia da seacharem pronunciados a Li-
dendo-lhe que maridando o Artigo ?2 Copi- | vraraento palos excessos platicados como Sub-
tulo 5. da Lei Provincial numero 87 de o de Prefeitos com os dous Subditos Portugueses.
Majo de ib4o, reduzr a tres os Cometa d'a-
quelle Municipio nao pode ter lugar ,
pagar-se a tres Cornetas por cada Bata-
lho.
dem do dia i3.
Officio Ao Inspector da Thesouraria de
C0Y1MAND0 DAS ARMAS.
Expediente do dia rj do correnle.
Officia Ao Commandante interino do De-
Fasenda, enviando-lbe urna copiado Avi- psito, remettendo-lhe os papis de cantabe-
zo, de a de Abril de 1840 expedido pela Se* ', ldade do destacamento da Comarca de Ga-
cretaria da Guerra, peloqnal foi chamado a ranbuns, no mez de Abril prximo passa-
Corle o Coronel Graduado Francisco Jos do, e mandando que a importancia dos mes-
Marlins, a lio de qne avista mes uo do Aviso 1 mos fosse entregue ao primeiro Commaudan-
se la gao as competentes notas nos assenles do
dilo Coronel
Dito Ao mesmo, enviando-lbe a ordem
do Tribuuar do Thesouro publico Nacional
sob numero a5 de ii de Marco prximo pas- o seo do I. do correnle.
sado coucedeudo mais tres meses de licenca dem do dia 10,
te 1. dos R. C
Dito Ao Prefeito da Comarca de Gara-
nhuns, commuoicando-lhe o ex posto no of-
ficio precedente, com o que Gcava respondido
sem vencimento ao Feitor Conferenle da Mesa
to Consulado Joo Francisco JJuarie.
Offioio-Ao Inspector da Thesouraria, com-
rnuicaudo-lhe | e bqniavia sdo recebido no
mastro da bandeira, e que disso fisesse sciente
a Manoel Cavalcante de Albuquerque Gade-
lha que o preparou.
Dilo Ao Commandante interino do ter-
ceiro Batalho de Artilheria, mandando por
em liberdade o soldado L A. B conside-
rando-o recolhido da deligencia em que es-
lava e ordenando -Ihe qne outro soldado
inlelligente fosse apresenrado ao Coronel de
Engenlieiros Moraes Ancora, a quem deTia
partecipar o recolhimento do sold Z. A. B.
Dito- Ao Commandante interino da For-
talesa de ltamarac, aecusaudo recebidos os
seus officios de 9 do correnle, que acompi-
nharo o Soldado Z. A- Barbosa preso par
suspeitas de estar deseortor* .
THESOURARIA DE FAZENDA.
Expediente do dia 11 do corrente.
Officio- Ao Inspector da Alfandega autho-
risando-o em vista do seu officio de 13 do
corrente para mandar aser a compra da col-
leccio das Leis dos annos de i83g a 1840,
e exemplares do Regulameoto das Alfande-
gas e inuir esta despesa na do expediente
da mesma Alfandega.
Dito Ao Administrador da Mesa do Con-
sulado participando-Ihe terem sido aprovadas
por aviso de i8e aa de Marco ultimo as no-
meaedes dos Gnardas da mesma Mesa Joa-
qun) de Albuqueerque e Mello, e Joo Alha-
iiasio Bolelho.
Dilo Ao Director do Arsenal de Guerra,
remeliendo-lhe o requevimeuto de Jos Bento
de Moura, pedindo ser pago do frete da Ca-
noa, que condusio do mesmo Arsenal para &
Cidade de Goianna ceno, armas com todos os
seus pertt-nces a lia do que sendo exacto
se digne de mandar-lbe faser o pagamento,
dem do dia ia.'
Dito Ao mesmo para se dignar de man-
Di versas lie par tiques
EDITAL.
Miguel Arohanjo Monteiro d'Andrade Ca
valleiro da Ordem de Christo e Admitas*
trador da Meta do Consulado por S. M. 1.
que Daos Guacde*
Fas saber que no dia 3 \ do corrente mez
se ha da arrematar na porta da mesma duas
arrobas a oito libras de fumo hum salo-
mi ca de cas tan has de caj. nove cai-
xes com rate e selle libras de doce de goia-
ba trez barriscom deeoito libras Je doce da
calda sette e meio alqueires de farinba da
mandioca, equatro barricas vazias tudo
aprehendido 00 acto do embarque pelo Guar-
da Jos Ignacio da Cesta Monteiro por lalsir
Gcaco dos geoerqs sendo a arrematago li-
v"r de Direttos ao arrematante. E para que
chegoea noticia a quem convier uiandei afi-
xar opresonte Ediral na porta desta Admi-
nistraelo e publicar pela imprensa* Me/a
do Consolado 17 de sfaio de 1841*
Miguel Arcbaojo Monteiro de Andrada.
ANNNCJO.
Pelo Arsenal de Marinha &e fas publico,
qne no dia 19 do corrente se proceder a
compra de urna embarcaco de lote de oiten 1- '
ta a cem toneladas, pouco mais ou mcnd9 f
para o servico da Alfaudega desta Cidade.
As pessoas a quem este negocio convier (
sao convidadas pelo illm. Sur. luspector pa-
ra comparecerem com as suas propostas n
indicado dia pelas 11 horas da m mi i.
Inspacco do Arsenal de Mariuha de Per-
nambuco 1 \ de Maio d 1841.
Alexaodre Bodriues dos Anjos.
Secretario*
OBRAS PUBLICAS.
Pela Administraco Fiscal das obras pu-
blicas se avisa a todas as pessoas, que rece-*
bero encomenda das madeires para o concer-
t da ponte do llecife, e a quaes quer outras
possoasque quiserem aprontar ditas madeiras,
que aquellas que vierem al o da 5o de Ju-
nbo prximo vindouro nao s serio i media-
tamente pagas, para o que o i'.xai. Snr*
Presidente tem dado as neeessarias providen-
cias ; como Umbem sero pagas com 5 por
cento sobre os pregos porque se comprar
ltimamente as que torio precisas para
acabamento da ponte da Boa-vista : isto ha
as linhas e estivas ; e os esleios sero pagos
a 45Uooo ; tendo si Jo pagos a 4uLT res us
que se comprarlo para a sohrediu ponte d.
Uoa-vista,
Administraco Fiscal das obras publicas 17
de Maio da l ti\ 1, ~j- Moura, Adiuiuisiradjr
Fiscal,
1
.n


itn n-"*i0 c o
NOTICIAS PROVINCIA ES.
RIO PE JANEIRO.
Reculemos /olb^s at 37 do pp A corte
est tranquilla e toda occupada as festivi-
dades para a s^rac^o de S. M O Impera-
dor cujas disposic.es publicaremos ama-
nh.
No da 3 5 do passado teve logar Ses-
sio Preparatoria na Cmara do Srs. Dipu-
tados ,e no dia a6 a 2. Seseo sendo Pre-
sidente o Sr. Marrellino de Brito ; e por
Carta particular sabemos que os princspaes
Icpicos da Falla do Thicno sfio Reforma da
Lei de Elcices creacp do Conseino de
Estado, cinta Jas providencias dadas so-
bre negocios do Rio Glande do iml.
Fora coceados pela Assemi)lea Legislan*!
? para exerceren o cargo de rice-presidente
os Srs, :
ir. Thouidt Gomes dos Santos.
Deiexburci(jr Jos Clemente Peieiraj
Lr. Jo Olidas Vignpa.
Deseobergador Honorio lie: meto Carneiro
Leo.
J)r. Joo Artonio de Miranda.
.Desear ba.g/.dcr Antonio Pereira Brrelo
Pedroso.
A sobstripcio Vita dlo cororrerci.i (o Rio
do Janeiro para a sustenlacao de um rorpo de
tropa, que va Cttmbfer i rebeiheo do Ri
Grande monta j a 38;i6oJ
-------------- ^ ---------f
perdo ; a. Que para prora da sua submis-
so restituio a frota ottomana a quol de-
pois de ter sido confiada ao commissario de
as ccmmumracesque'entre si lizerao es re-
presentantes das quatro potencias alliadas e
o ministro da Sublime Porta.
D'estas comojunicaces resulta :
ce-tera ', so passo que os perisps se aproxima-
rem da Inglaterra el!a roesrca augmentar
a vossa liberdade (Estrondosos applaaiso*. )
Hasta laucar mus as vistas ao redor de nos
iid-Js que'na sua retirada Kzero en postr.g
um destacamento de Mexicanos coramandados
por um Francs chamado Bausoo. Havia
desgasto de Bastamente, e fallava-se d'uma
nova revolueo. Todava cuma tinha ebe-
restriecoao seu soberano e aollicilou o seu j imperador da China ; este ensaio bera longe i gado a Londres algum dinheiro pira se dar
por conta dos juros da divida Mexicana pa-.
recia baver mais conlentamento.
( dem. )
i. Que MeHemet-Ali se subroeUea sem Faz-se uan ftil tentativa par derrubar o
-----------------; 7 -------- ..... "
de ser feliz, acarreto desastres innumeraveis, 1
os nossos soldados moribundos a guerra ga-
nhando maior intensi Ja lo therouros e san-
5. A. j parti do porto de Alexandria e gue derramad o cora nrofozlo e tudo isto
entrou Da baha de Marmorice ; 3. Que
toda a Syria foi evacuada pelas tropas egip-
cias ;
4. Que a autoridade legal do sultn ge u-
cha restabelecida na Syria assim como na i-
llia de Canda ;
5. Que S. A. o Sulto se dignou de ac-
ceitar a submisso de Webemet, concedendo-
Ibe e a seno filiaos um completo perdi ;
por cousas aceras, Eis o que vemos
*' A Inglaterra a quem o seu actual domi-
nio nao satisfaz, leva a guerra s .Indias; e
comquauto a intrepidez das tropas Ingieras
tenba conquistado para ella um immenso ter-
ritorio bastara urna hora para arruinar-se
o seu poder porque sao iudispensaveis uovos
appellos de fundos e de gente para sustenta -
e mais perto de nos os triunfos de nessus
Escreve-sa de Constantinopla a a.J de Feve
reiro
o seguate:
6. Que S. A. aceedeado aoebnselho dos soldados e da nossa marinha na Syria nao sao
RIO GR ANDE.
As noticias do Rio Grande ibegave6(na
Corte ) at i3 e de Santa petherina at *i de
Abril.
*' O Exm. presidente e o Sr. conde do Rio
Pardo ebegaraa ao iio Gfande en iodo cor-
rente, eaien^c^irarab oSr, Alvares Ala-
chado 1 qna seguio eom Si> Ex a. para Porto
"Alegre uu dia i4> As netas euiboridades
lor coito bem terebidas no Rio Granda.
A hrijeda do ca-vaisrio do coronsi fiedei-J
ros e o 3. bxtalb'o e caacoros s deataca-
dea u divisad do cc-ta&aanu&nte em bale,
cbegsra a Pelletas uo dia > do abril; Qzerao
all icco co> e.brigada de cavaliaria do
ce nel Sita Tevafes e 1. batalhao de cac-
is esef,u.r o rer-ir-? to exorcito no
1 ^. Os Srs. brigadore ara e Bittan-
t; rt, coros., I Luixde Prense e ".eneote co-
jonel viscos e Cae acccap&ub eta
ioijOt {^e se sabia cem exsctidio o ponto
que oceup-va a divi^j do Sr. Joio Paulo ,
mss djzia-se que fistava i>o Passo dos Enfor-
onde
Pel-
seus alliados, manifeslou a intenco d2 r lalieUeccr vlebemet as suas fungues de Pa-
cb do Egypto, concedendo-lbe ao mesmo
tempo o direito de successo para os seos des-
cendeotea.
Acba-se assim preench'rdas as condices
coudas na instruccio assigoada em Londres
a 15 de Outubro e no memorndum de 14 de
Novembro; o Pacha doEgypto sajeltou-se ;
restituio a frota ; evacuuu odisirktu de Ada
na a Syria ea ilba.de Canda ; deq ai or-
dens neissarias para a restitnico das cidades
santas ; emfim obteve o seu perdi deneis
de baver rollado aos ^eus deveres e obedien-
cia*
Est igualmente satisfeita a expeclaco ma-
mois do que um vo sonbo. Mehemet Ali
acaba de ser insultado pela offeria de um
poder hereditario verdaderamente irrisorio.
Chamo-lbe irrisorio porque sob a apparen-
cia de concessao hereditaria na familia do Pa-
cha s'occultaaeTeutualidade oferecida ao Glho
talvez o mais indigno de s*er sseolhido pela Por
ta. A Inglatrra desconheceo a atnizade da
Franca j ella coulrahio urna allianca com o
monstro autcrata das Russias, lio cruel co-
mo ero e como a iocleciano dado per-
taguicioda i catholica. Que fec este mons-
tro ? Despovoou Varsovia ; aRi, a espada
destruidora nao poupou sexo nem idade e
iianondou de S3ngue as rua, e aldeas d'ar-
redor. O Franci-t encolrisado pede satisfa-
nifestada" na nota collectira remetlida a io de 1. -jao cn grande) bradoi. A Franca conta ho-
Janeiroa Schekib eendi*
Os couselbos que tinbam dudo os repre^
sentantes das quatro cortes lora acolhidos
rom a confianca que lbe havia inspirado o*
;ieiiiiro8t05 de amitade e a efficaz rooperaco
de sens ai Hados.
E coaseqnencia d'esta conBanca alie de-
clarou a iolenslo de fazer redigir utoi nrtnau
peio qual 8 concedaria a Mehemet Ali a in-
vestidura hereditaria do paclielito do Egypto.
em onformidade das condi?es insertas no
acto abnexo a convtnco de i5 de Julho,
Ese rman depois de baver recebido a san-
co de S. A. devia ser communicado ao em-
baixador Otlomano em Londres e levado ao
je em armas 5oo,ooo homens de tropa de li-
aba a5o,ooo guardas naciouaes o um lor-
midavel exercito de reserva e cadi um desles
soldados clama viaganca contra a Inglaterra I
A mais ordinaria circunstancia poder' arras-
tara Inglaterra urna guerra intenrinavel
com a Franca. Na America aquestod*s
Lronieiras do NoMe ainda est longe de resol-
vcr-ne e j outra qneso que interessa a
sore d'umsabdilo (nglez pode levar a In-
glaterra a um rompimento com os Estados-
Unidus. QualoitD de todat estas decla-
rajies ? Eu quero fazer saber Inglaterra ,
pelo orgo da imprensa que antes da adop-
9S0 do bil de Stalley algu^ grave aconteci-
'* O Barco de vapor Austraco Ferdinan-
do Primo traz-nos da Bevrouth urna no-
ticia sinistra : i.*5oo soldados Atbauezes psr-
tencentes ,!guarnico Turca d'aquella cidaile
comettero ha pouco d'afuelles monstruosos
excessos que iegitimo as mais sanguinolentas
represalias. Aquellos miseraveis saliendo
que um certo numero de Carinaos estavao
reunidos n'ama igreja onda tiuho levado su-
as mulberei e filhas para assistirem ao olbcio.
divino, fizero ii rupeo no sancluario e de-
pois de tercm expedido d'elle os homens, en-
lreg.iro-se :s mais covardes e sacrilegas vi-
olencias. Os montanhezes depois d'uaia lu-
la intil contra esles salteadores armados tor-
narn; u ganhar os seus roebedus dando bra -
dos de luorui e de vinganca. Este negocio
nao pode dcixar de trazer os miis funestos
resultados. Logo que a Porta foi informada
do acontecido do ordein de puuir os culp*-
dos. Se as autoridades nao cheg irem a acal-
maros esoiritos, a insurreico do Libino po-
de tornar a coraecur amauhi con'.r os Tur-
cos e d'esia ver. os revoltados nao terj da
procurar longe armas a muuices, '
( dem. )
Corres pon dericias.
catos e que marchara robre Baj,
de
conbecimento dos repisentantes das quatro ment poder obri<;ar o me&mo Stanley a ab-
cortea. ster-seda sua insolencia para com os Irlando-
JN'este estado de coosas os plecipolenci- *es. Certamente a Inglaterra nao poder ao
rios das Cortes alliadas em silencio s cir- j mesmo lempo faxer a guerra a China,
cunstancia que motivaras a partida dos con- -ranea ou America e continuar a gue.--
devia rcuuir-se-lhe a fosca sabida
lew*!
o mais que sebre estos Provincias eacon-
trarxos iremos publicando.
o le i as
Listrangeiras.
PRSSIA,
Armamentos Est'arigiroa
Perlin r5 de Ferereiro. O casos bel
est sempre em pres^ectivi
vas pegnciaes,
Fala-se de nc-
e da con Itjso de uro uovo
tratado ein Londres ede caries paiticulares
sules das quatro poleadas para Alexandria ,
juigara oppcrtuna a occasio de fazer vollar
ttea agentes ao seu posto.
Os representantes das quatro cortes em
Constantinopla se enlender para este eifeilo
com a Sublima Porta a fim de determinar o
icoirento em que estes ajenies se bao do a-
untar todos em Alexaadra,
** (Assignados) fc.*e:bazi Neuman Pal-
rcernton
desta cidade que assegurara r,:ie os ai mamen"
tosj que se azem en; inglaleira bao mtis ioi-
sideraveis, que ersm ia ^t annos< Com
estt n olivo alla-i-c i". n posta do rei da-
da cutro dia a urna dcpu'.oc,3 de reslau ,
que vtio a l'erliin para pedir licenca para
t:;i"iciii,ho de ferro St>u grande parti-
di.: des canuibos de ierro, disseS.M. e
1 vi.h(, se construir um miuba costa, tt
a z se coniervar, ix-as ec caso coutrazio ,
piciisittos dinheilO patiuulra cou^a.
QGazilic de Ci!u% :;e. )
Ll 17 <1 cv?reiro. temaoa pasf
tuui |)Toc*deO-a ro Leadgrawal n Hesse-
. ourg so rtc MBeoto para couipleUr o
ngecie^ e ir car as tesaivaa de guerra.
(Ai'.rcure de Son*be.)
Frenckiort ij tic Levereirot A auibo-
ndbde ahilar da noasa cdauo recebeu ordena.
de dirigir urna rejacan ca3 armas necesser-ies a
reaerta de guwn debomuconthjentai, eda
}r rm t-ci estado. Utarmaueirtoa-oov*
linee m Lidet j
(fio Nacional e Liaboa.)
1 r,Tj>--.-..
"franca.
Pariz aa de M reo. O prelccello de il
de Mario. Os |fteuip0teitciafhis das CoiiCi
ofAuatria, aa Gs- ;a
t 1 citt HoaMBa r*ui,;r<=-^L' a o 0e >;jr^<
j.tra ti 1.:
,fS rilillfia de u :..:...., 6 fllM
ii i.i# 11 < .t- ., Cf L a t t; i ; o a:...... u
Bnlow } Rruuuw b:hekib.'"
(Le Commerce.)
ii nBi ex
H E S P A N H A.
MADBlD i5 CE MARfO.
Hovera so um oa trez Regentes ?
a queslo que preoecupa qoasi exclusivamen
te os espiritos em Madrid. Cartas d'esta ri-
dude disem que a Regencia triplica paree: ter
uo Sanado numexesos uarlidarios e que i
os exaltados da Cmara dos Diputados reuni-
dos em numero de 3i nos escritorios do pe-
ridico 4 el Huracn', se tem pronunciado
unauetse mente no mesmo sentido. Porcm
isto seria apenas urna menora bem iraca ; a-
ietn de que quer o Duque da Victoria seja o
nico egenle cuer seja o presidente d'uraa
Regencia trina uem por isso ser menor a
sua influencia sobre aiteccogovernameatal.
AcreJita-se que para se evitar os embaracos
da redaeco d'um discurso do throuo v se a-
brir a Seaso depois da simples leiiura do
decreto de convocavo.
Cerno na Hespauha mister caracterisar
cada opinio pelo nome dos seus keclarios ,
j se appellida de unitarios os defeussns
da Regencia nica j e os que querem trfc Re-
re-ir com a Irlanda^ Releva que antes de
declarar a guerra ao estrangeiro faca a paz
com a Irlanda. (Estronlosos applausos.) A
in ;'"Ierra nunca fez concesses Irianda se-
niu qnndn se vio forgada a isso pelo modo.
(dem,)
im'h^^-------------
SUISSA.
O Courrier Soisse parece-nos mal informa-
do por annunciar que OS gabinetes de Vienna
e das Tuilherias tem enunciado a toda a
idea de iulervengao na questo da suppresso
c inventos d'ArgOvrt. Pelo contrario sa-
bemos que as conferencias que ba algumas
^^ manas lera lido o Conde de Appony con M
_ Guizoi
'ios d
nao sao
Suissa
inleiramente estranbasaos
e que quinta feira pas-
sada loo depois da ebegada do correio da le-
a i; a o
;o 'ii
cenes terao por
rios.
conseguinle
os irtMtu-
(Iden )
cao traneexa de Herne portador do dis-
, curso d'abertura da Diela Helvtica o Em-
idor d'Auslria e M. Guiznt eslivero ea
i conferencia por mais d'uma hora para de-
liberar cerca dos passos ulteriores que os
dous gabiuetes dar cada um da sua parte
pare alcancar o fim proposto. Parece que o
GovVruo Francs esl tanto mais decedidos a
sustentaras reclamacesdo Imperador d'Aus-
lria qu uito a ardilea da primeira Sesso
da Dieta Suissa iai prever ai mu se:i* opposi-
u dos canlues de ri > Scbwilz Zug, Bn-
dervalden Friburgo eNeucatel contra a
aupresso em questo. Al se navio dizer ao
deputado de Neucbail que este negocio lor-
nava uecessaria a intervengo 'armas es-
irangeiras. Quando 6e rellecie sobre a es
treita iigasp que existe tnl.e Neuchaiel ea
Corte da Pr'uftsta, com prebende-se fcilmen-
te o acntido d'estas palavrsa.
C dem. )
IRLANDA.
pouco
Eis o que dizia o representante da Irlanda ,
DtVf. O'Conne n'um .jadiar que ba
. i (o oKiecido em Cunvurh .-
'* Talrcz uunca a li}&nd- tivesse maii ra-
to de rcnrsbei esperouo.is do qua fc^qra
ne a sua aiiiv^ seiihorta v,o rodeada at pe-
] g> OfrepheUtf con* utDj inai
WEXiCO.
Cbegaro a Londres noticias do Mxico de
s8 de 1-evart.iro. TetiafiOB OH Indios l.v,-
ao leilo urca nova exonrso sobre o le-
lexifrano e linho all conasaetlido ler-
, assolaSOes. Fah;.va-se de Coo pes*oas
norts4| e e ifio uio.fca raptadas por estta i-uii-
Srs. Redactores.
Quaudo vejo fallar em caitas d'assucar &c.
sempre gosto de meter a miaba coberada ,
visto ser hura Assucareiro que tiobem fago as
i minhas Caxinhas. A Corrcspon ieocia do
j Sur. Ilheo me parece em parte justa e
1 posso assigurar a Vms. que o tal Sr. 'J.ixeirr
i val muito mais do que as iatalas que coiie
ao Pairo mesmo a vaneara dizer, que :n
i minha opinio ral tanto de m-ii> do que o
! Protector dos (ianoeiros esse seo Correspon-
dente do Diario n. 101, a quem passo a res:
ponder.
Quer elle que se execute a todo panas o
! Regulamento da Me:* do Consol rio quer
que se pezem grande quaniidide di Cus is
em lodos os Trapiches e que noexiitar
caixasde Assuear'na ra II So o Sur. Cj;i-
tioentista be que pensa deste modo (naiura-
meule para nao esbarrar com o nariz em al-
gum cautetro de caixas, quando vaipira
caza.) Ora dija-meSnr. Couiiiienlista uio
querendo os Trapicheiros por forma alguma ,
logo que peezo as caixs conservaitas nos
seus Trapicties o nao tendo a Provincia ds-
pozitos para esle geiiero, e s pequeos ar-
mazens que para nada chego. Onde se ho
de por as caixts > Ni Igrja do Corpom-
to? Diga-rae ms (dada a hypoihese que
huvensem bastantes armazen ) Sibe essa
qniantidada de caixns do pezo e ven hum a-
goaeeiro, deve-se encanteirar as caixas na ra
e cobul-ascom enserados ou continuar com
o trabalno a Chuva ex por. do as caixas a per-
ii total, preju Jitando assim o dono ea
Qacio dos duetlos ? Va-ana anda duendo
mais, j que Voi. tanto atrooella o Hlm Sr.
Administrados para por o Kegulamento em
execocio. Se as caixas nao estiverein sadS
na ra (porque a alii be que o podem estarj
como be que so lude por em exeoaco os ar-
:igos 154 e i5t> do Kegalamento para sa pro-
ceder o examedos gneros pelo Felor ? ties-
ponda-iue i*te e esleja persuadido, que
caixas de assucar nao sao caixas de cnita Nd-
niiuin uegocianle leu caixas na roa por es-
peculaco anles nisso soffr< m prejuuo, mas
a ueiessidade assim os obliga.
Esiou certo que se os Directores da As-
seCMfio repressnUiaSem ao lioveruo o ejabi-
rasso e atropello que soi're o Coajiaercio
com as multas da oaanara Municipal a dous
anuos paraca ; ja iua Eacalleacta nba sa*
mediado eaie mal ; pois mullo emboa* seja
das Po&iuras da Cacaaras : as cazotiiis expen-
dida aetio attendireis jorque a froviucid
nao tem capseidede, nem liupoiiloa ira a
eaormequanlidaiij de geneos de xpoilacJ. '
iiugo Ibes Os. Redactores o ozequio de
.du.iiiir e:ias liabas no seu bettCOneaiKanM -
L'iario, ii-ii* coiisulo
' Do Folbalos.


DIARIO DE PERNAMBCO
.1
Snrs. Redactores.
Instigado por o Snr. Jos de Barros Fal -
rao me vejo obrgado a responder ao seo an-
r. unci publicado no Diario n. 74 do correa-
te enno eiD reposta ao meo inserido no a
j3 nao paia sustentar polmicas com o Snr.'
Marros mas para saptisfacao ao Publico, vis-
to que o Sur. Barros se;n o maior peijo se a-
treve aconstestar o meo annuncio com falci-
d-des uro laclo que comprovo com duas tes-
tt-munbas presentes o que passa a expor .
jara que peaso aus Sars. Redactores alguaza
aiencao de ouvir-rne e publicar no seo
Diario
Dormiado orna noie em. casa do Sur. Bar-
ros na ra Nova quando no outra (lia me
\esti nao axei o rceo relogio e o procurando,
ixe respondeo u Snr. Barros que u liaba
mandado cousertar o que (acimente fai de
acreditar porque de faci precisava de con-
cert poreui pasaado dias e nao me sendo
entregue tiaclej de saber quul seo destino ,
e ltimamente qual nao lu miaba surpreza
sabendo que o Snr. Barros o haria empenba-
do por 605*000 reis ? Mas ainda assira trac-
tei ele calar um fucto que em nada bonrava ao
Snr. ar&os, e aumente exilia saber a pea-
oa tro cuja moestiesso o meo relogio para
o.remir e como jamis me loase possivel ,
toruaudo-se pura iniui um objeeto nigaiatico.
e leudo de pe 1er um liaste de cenlo e tanto
mil icis; lato mais do duplo porque loi ein-
peabado me vi toreado a Lzer aquello ao-
nunci a ver se por esiu meio poda ver u
neo relogio. Lis Sota. Kedacloies como se
pasiou esie fado, uaudo motivos a que o Sur.
lanosme euxessede baldbes e roe calumni-
arse dispeijamenle pondo asim ea decizo
qual dos tioases aanuuciua fosse o verdadciro ,
oque mubugou a emportuua-los cp esta
expendo ecm *ngeleza u verdade e sendo
testero unbas do que dijo que prsenle eala-
%o, oafenis. Jouquiu La.ne.ro d'Araujo 5
Atexanare Francisca Faiiota.
Agora Vana, e o respeiuvel Publica quu
fuflUecD seo juico a vala do que acabo d.- ex-
j.euder conciundo-aie para atooSur. Bar-
roa nao para alai diar-me de seo corres-
pondente e aumente justificar-me de sua
calumnia, faseado cliegar a verdade aos OUt'i-
dos de tolos o que Ue bom grado omitiria ,
se nfo lora ogrtdido pelo seo acrimonioso e
pungente animucio dando assim a coubecer
ais de peno suus capacidades : rogo por lan-
o aos Snis. Redactaras d'admitir esta as pa-
ginas do seo Jidiio, asseverando-lbe que nao
lomare! niais a sustentar polmicas com o
2>nr. burros a tal letpejto eoiregando u'o-
la em diaule ludo a dispiezo e aj ti uucioj
Sou dos Suri, liedactoiea seo obriado ci-
ado.
Jos do Reg Barros.
nesta Provincia Dr. Casimiro Jos4 de Ma-
raes Sarment, Juiz de Direita Substitua
das Varas do Crimea Civel.
Illm. Sr. Tive a honra d recebar o Of-
ficio de V. S.com data de ando correntona
qual V. S. roe pede baja de loe ministrar as
proras e esclareeimentai que par ventura eu
po&a* ter obtido uelas violencias e excessas
oralicados pelo Prefeito da Catnarca os tres
Sub-Prefaitos desta Cidadc e o Commissa-
rio de Polica Autonio Grandd contra Josa
Goncalves Braga e Alaria DelGua subditos
da miaba Naco a fim de extorquirem a
estes huma coufissa sobre o rouba que Va-
nos! Estoves residente n'esta Cidade da-
se ibe bavia feilo de hum bilbete que possuia
da Lo'.eria de Vienua d'Austria, a quem par
s^rie liaba sahido o maior premio da mesma.
D. es les excesao* e diligencias exsra-leg~.es
practicados pelo Prefeito da Comarca, e mais
Eicpregados ja citados nao tenbo eu pravas ,
e nein esclareeimeatos sigilas alea das De-
. ...1 jcCies que em dsempeiiho do msu dever
acceitei e fueva 11'esle Coasutada Jos
Goncalves Braga Mestre Baibeiro basa
o offendidos, e Francisca Augusto de Quiu-
tella seu aprendiz eseri imujjsivei obter
testemunbas e provas desses roesmas exeessos,
e videncias practicadas quitada todas os lacios
parece Cjne fora meditados cam cuidado e
feitosem lagar eriaa y e lora das vistas do
,... i,o o cobertos COffl o man o da noute
[)a:-, que escap.isssm as pes ui^us d. Justiea,
Si poiem as pravas d'esses fictos na verda-
de clamo, osos ito se podem prduzr lano
por parte dos oilendidas co.no pela m'inbd que
nao exergo jurisdieco ao Paiz: outro tanto
nao acontecer coa hum Juiz recto e vigilan-
te c:
da Porta de S. Martinho Paris.
do PoEzouli aples,
de Cjrmou Hespanha.
d'uma cheia em Franca,
da Fonte-nova Paris.
de S. Petesbourgo Russij.
de Kdimbourgo Escocia,
do Templo de Venos aples,
da volid de Napolelo da ba d'Elbs,
do Ciyro Egipto,
de Obervezel sobre o Rbeno.
Eutrada 5ooreis os meninos com menos
de 10 armas pagaro someote meia entrada.
A.visos Oiversos.
tsr No dia prirneiro da prximo futuro
mei de Juaba, abrir-sa-ba urna AuL de pri-
meiras letras, na ra di Gloria D. 4'i em
cuja ensiao guardar-se-ha o metboio saguin-
to : A aula se dividar em 8 sesses, ou cas -
sea., que comprebendero as materias se-
guales.
i."3 Classa. Aprenden! a conheceras
letras e a formar astes simoleces, e campas-
tas pira o que usaro de ardasus ; a coubecer
os caracteres numricos e a farma-os.
3. Classe. Passo a formar sillabas ,
e a canahiuar o caracteres numricos ou a
formar nmeros at miibares ; escrever sabr
papel.
o Classe. CoatiauSa na formaco das
sillabis, combiuaca dos nmeros das milha-
res par diante e eacrevem ligacoes, e bas-
t-ida.
4. ^ Classe. -- Aprendem a gjletrar, pas-
so a somnaaT esub'.rair coaliuua a es-
crever bastarda,
5. s Classe. C mliauao a salotrar, prin-
TUBLICASA Ar PDIOa.
Illm, Sr* tlarendo-me 5. Ex. o Sor.
Presidente da Piovincia remettido o otiicio em
que V. S. se quoix.ua do Prefeito da ClDar-
ca dos lies &ub-l''refeito9 desta Cidade e
do Coaircissario de Poiicia Antonio Grande ,
por violencias 9 eexceasos queconslava a V.
S. esles Lmpregadus loii^es praclicana em
ias de 'evereiro deale iiiu contra Subditos
de S. Ai. b'idelissima a iia de que eu proceda
contra os piedictos Empreados como lor de
d 11 ello us estou suuimariaiidu ecomo.ipe-
iiaa V. S. dccumeuUra a sus queixa com as
declaravcs que no Consulado de Portugal ,
uera duus viulenlados e -to nao ijia sen-
ciente paru turad-los suspeitos da crime ua
verdade cldmuioso que liea he imputado j
e niagueui mbor do que V. S. puasa minii-
traf us^irovas e csciaieciiuenlos necesaarios ,
tligue-ae V. S. de iranstuitlir-me com a maior
possivei brevidade es documenlos que pjr
Vtulura V. S. possa lev u cerca de to :iuj,ui"-
luiiie objecto ou pslo Buoi de indicarme
ta j'eaauas que virao preseuciaraj ou por
cidro qualquer mudo sabeut co pracedimealo
ua uiacioaada Ero pregados.
Eiaou^eio-iie decid que V. S. se prest-
is ae Uuu grado a aniiii^cf esta minua re-
qulsicao uu aia poiqce o aegocio loca a cju-
poliiwiase V. 5. por cujos direilos V. S se
icm mostrado iao nobreaieole zcusj cooio
U.-utiii jui'uus u calo uijaj us babiliiara
j.au que cu segura e tundameaUdamcaie
OessariegUe a espada Ua Justina paulo en
que luaus os l.ouic.a e bOu (levwa ler o
It-iiui' inleieasu.
Apptuktiio este ensejo para apprtfeeatar a
V. "S stnumeulos uc catMee e muiia uou-
Siaeracat) t^ue krtomo a pejsoa ue v. d.
Lis. ouo^j a V. i. .o: muKua anuos, iic-
citeaoueni de o.|i. tlat. r. ----
oiiim i.Jt.cisu kuieir, Lousut ut v.
entrar miuda e escruPulo>imenta naaven-
guayo de^aas acircunstancias atcbtgar
ao conheciment d vareada.
E senda V. S. que^ o Exra. Sr. Presi-
dente da Provincia eucarregau desta Sum-
roaria importante nao podebaver prova mais
al)at de qua V. S, pela rectido de seus
principios, pela imparcial uslica .que admi-
nistro e pelo bom coaceito que gasa na bri-
lbaale cureira dv AJagistratura do Paiz su
altender ao ireilo e escudada n'elle dis-
tribuir justica a quea a tiver.
Agradcreudo cordealmente a V. S. as ex-
pressss de obzetjuio cem que m boara eu
I folgo de ter esti occasio para roim grata de
paienteara V*S. os sinceros senfimentos da
miaba mais constante eslima e apreco pela
sua pessua.
Dos Guarde a V. S. Consalada de Portu-
gal em Pernambuco aos 2i de Abril de 1S4I.
Illm. Sr. l)r\ Casimira Jos de Alardes
Sarment -Juiz de Direito interino da 1.
Vara du v.'ii^ie Joaquim Bapliati .'iloreira ,
Cjiu.
exercita a sua jurisdieco e usa da
na euihoMdadeea toda a plenuude do Di- cipi, oesmdo da Aatbmetica eescrevem
reno que as Leis ihe cooeedem : que Po.:c bastardinho.
fi. a Classe. -- Principia a leitura sem
saletrar passo a moitiplicapSo e divisa ,
continuo a escrever bastardinbo.
j. a Classe. Continuo na mesma lei-
tura aprendem os preceitos da Grammatica
Nacional, cantiauaa o esulo de Arilbmetica,
e passo a eacrever cursiva.
t." Classe. Couliaua o estado de Gram-
matica Najaad, c de Arilbmetica at as pro-
porces inclusive. Appiica-se a Leitura de
iivros classicos aiulise Grammiticalda liagua
'orlugueid et^licaca da Doutriua cbris-
tla e continuo a escrever cursivo. Alem
d iso eosiaar-se-ba um curso elementar de
Geographia e Historia ; e Francez para a-
quclles que quizerem. As materias deensiao
pecuparao as manbas e as lardes leudo o
Prolessar todo o cuidado de os dividir de sor-
te que da sua coinplicaca nao resulte o de-
sapproveitamanto de seo Discipuros. Elle
i-Tu-'-iie todo o zelo na Elucaca j dos meni-
nos que lbe fore.a conGados. O preco do
niinc be de igooo reis maulis pagos sem-
pre adiautados para os das primeiras letras ,
e de 400 re>s pagos da mesma forma para
os outros. O curso de Geograpbia be dado
grates os de primeiras Letras.
OT Ao ajuutamento publico que nesta
data teve lujar na Sala da Associaco Com-
mercial desta Cidade: ^-^
Os abaixo assignados negociantes emprega-
dos principalmente 110 Comercio Uritanuico
de Pernambuco, ialeirameate convencidos da \
granee necessidade que bada se tomarem al-
Curnas medidas tendentes a regular meibor o
sistema dos crditos que se coucedem na ven-
da de ''acudas resolvern adoptar o plano
quu \m encorporado na seguale sesaliico ,
e para o seu uleuo cumprimeuto palo pre-
sento se obriga e concorda :
(^ue ao 1. dia de Julho em diante todas
as vendas a crdito sero taitas por Letras lio-
samente, venteado as mesmas o jura da bum
e meio ;ur cento ao mez depois do da do seu
veacimeata o que ser declarado no corpa
da Letra e os qua se desviarem deste plano,
rouliddos na quautia de a:u cont da res por
Cada vez.
Pernambuco la da Maio de 1841*
i\lc, Cdlmout Se C. dussell Mellors & C. -
G .:kefl Jobasoa ii C Smilb e Corboll -
James Cocksbot fie C. H. Cbristopbers e
Cas, Raape Lalbam e iiibbert Janes Pa-
ter fi: C- Deane i^oule fie t.- Crabtree ley -
! Wartb fie C. Aleiandre Alackay fie C. A.
o.Iir-imia. Jobustou i'aler fi: C.
f S abaixo assigaadas anauncio ao
pblica, que leeiu estaoelecidj ua ra do Vi-
gario n. irj um ai mise ou caza de Loi-
les, imitacSa da9 do Rio de Janeiro 1 eou-
THEATRO.
Quinta feira dia santo de guarda 2o do
corrente IVlaio a beneficio da I. Dama Jj-
anna Maria de Frailas Gamboa Os proles-
sores da orcbeslra executaro a bellissima O-
verlur.t Eduardo e Cbrisiina. Seguir-se-
ba a represeniaco da brilhante e bellissima
pega nova intitulada Ruy Braz ou U
Alaria de Neuburgo Rainba de H;spaaba.-
Composico do insigne esociptor dramtico ,
Viclor Hugo du Canee, divivida em 5 actos
com as denoraiuaces seguiules : Acta 1. D.
Saiuslio. Acto a. a Riiuha de Hespanba.
Acta i. Ruy Braz. Acto 4. o Trigue e Ole-
o. Rematando lodo o Expeciaculo comu-
ma graciosa farca intitulada Os Cazadas da
Bom toro. A peca ser adornada do riooa ves-
tuarios aovos feitos ao carcter o de todo
o briinanlisuQO que recommeada o traductor.
A Leaticiada nao Iba soaJo possivel cj
cousequencia dos seus ucuiios alazares, ir
pessoaimeale repartiros seus Camarotes es-
pera da benevolencia oi seus b:iazos C'anci-
dadas se Siguen uiandal-os bascar ao I Lea-
lio e igualuieote retribuir ua mesma uouta
aos camarotes com acuella geuarozd.ido que
por mais d'uma vez le lem prodiga'iuadil ,
favor este que tem guardado e coaliauara
a gUui'tial" SUU CO.aOaj dgTduUCliO. -
Principiara as horas da caslume.
GALERA PTICA PICT3RESC.1
BA NOVA 4.
Segunda feira 1 ^ do corrate abrir-se-ha
esteuovo Cosmorama toa os seguiules pai-jtrs graudes pracasj alli se recebam para
neis, > visto aesia cidada uividjaos vender seja em particular ou em Lei.ueus
Las da raris.
a auaunciddos com anlecipacia, to-
1 i&i. .j Csstdll 1... ^......, o Jg > SeGene- ua a ... i j Faseudas Gneros, o-
br*- -. prata e ouro t^ata uavds cono acudas.
moris, escrarai &?.&?. Eite estibeled-
ment torni-s do vital iateress;> e in mna
praca de to extensa Caann^rcio c> n be h*-
je Peraa sabuco; pais facilita aos Se* acia ate*
d'attacda e retalho o pjlsrera realtstr cer-
tas fazendas muita mais de pressada qaeo
Viio em suas cana ; um porque teni" pe-
queas parcaeas oioquerem facer Lailaea*
particulares; e oatros por ditas faenarla* \*
nao serem da moda parem ^ue
inda o sao e'3 oatras aiaitas partes :om tanta
que os compradores a-j eocaatrem reuaii
eu um paa'.a certa ; aconteoendo o mesou
com escravos, e outros muitas obiectofl qua
expostos em porefio o'um !:i le L-iia on-
de devem concorrer mitos pretendentes, de
certo podem ebegar a meibor pre$o da qua
vendidos em particular,
Baudftus & Guimar. s.
sar Jos Bereira ;,I, -> j
qno deixou de aer caixeir de Prancisea Al-
ves da Cunan oevie o da rji rr a:,'.
Qnem precisar ..- um bi Fei-
tar de algu j sitia ou cl ,
qqalqner servieo, annoacie por < 1 ilbaoa
dirija-se a ruade Agoas erd conf m as
tribunas de S. Pedro casi rom numero nem
decima. Quemseoffistece bepassoa casada.
mas sem i 1 na,
C^ Qua preoisar da um bamem casad-,
com pouoa dar jj
qualquer fase ida oa aui..'
belocimeato ra dessa praca; a ,n
morada para se." | uradu.
tssr Quem pr* d*ea-
tulbo ; diii; i-.. i). 1 i.
sar Precisa-se de 1S0J ra.aju ',ra
seguran?a em .. que 1 Ur,
dirija-se a loja do ene ir o 1 prai .1 da
Iudependeucia ; D. 2 qua se di,
os quer.
sss" Quem precisar de ameaicefrobrasi-
ieiro cazado a qual isba ei-, escrever -, e
contar correiaroeuta pira anal uar acoupacio,
inda mesma pira essa Cidad; auuuucia -ia-
ra ser procurado,
VST O Bacbarel Vicente Pereira di Rogo ,
aviza s pessoas qua se quicerem servir ia s^o
presuma como advogado, ijua o poder pro-
curar das 10 boras da manb, ia
tarde na caza da sua reatdeneia ra da CV.-
legio D. 10 pri.aer. a andar.
ssr Da-se dez tnii rs. da gratificacio a
quem descobrir urna canoa aben de estregar
70a tijolios pouca mais ou menos, ja azada,
tenda d'um lada um ramba e ao meio S ca-
sas de cavernas juntas por causa do mesma
rombo ; corrida d'alcatraie da aadeira da
barab e tam um peiajo de carrate grossi
na poupa: na roa das Quarteis paderia D.
5 adiar com quem tratar.
SE** precisase de um mo;a de idade de i5
a ao auuos qua saibi fater b-.rba, cartar
cabellos e amollar bem ; a pessoa que estiver
nestas circuattancias e quiccr ir para a ea-
rabiba dirija-sa a cata de Jasa Gomes di
Silva, ra estreita do Razara 2, andar de-
iroute da ra das Laraugeiras, o tracto be o
seguiute ; assegura-e cem mii reis a cauta e
ciacoaata palo prirneiro anua e depoi a
vista de seu presuma e agrado se Iba tara
maior inUresse.
B^ Dasappareceo da ra d'A pollo no po:
tos das canoas, detroute dj Sr. Cialaca uj
a, andar no dia 14 ^ corrale das 10 pi-
ra 11 boras da manda um cao d'agoa tala
branca rabo com urna caaina grande pardi
as costas cabello corlada do meio da carpa
paraocab): quemo pagir, diija-so aa es-
criptoria de Jaso J. Ribeiro ra da Caiai 1 ,
n. 4 andar ou na mesma casa d'onis
o cao desjpoareceo qua ser gaaarosameut-J
recompensado.
B" O abaixo assigoado Procura lar a
Cmara Municipal da Cidade de Obnda a-
visa aos foreiros da mesma Cam iva que se
acba prompto nesta Cidid<: a recebar os loras
todas as Sextas feiras das 9 boras da un-,
nb al as i da Urda na ra di Crespo
loja D.7, ladadasulj e naqaella tidadl
todos os mais das na ra dj liomum
ai. Antonio Nunca da Mello.
SST" No dia 4 do coneuie apareceo u.ni
vaca com urna cria no sitio com casi de sai
biado entre as duas pai.tes da Magdalena a
qoiil fez grjuda dnsiraijo ua masmo sitio
leudo,j d3timunbad< na preseaca da Ca.a-

missana du Policia da mesma lugar ,
for sen daaa dirija-se jj mesma sitia i
lender-jj co .: o .c.i^o.."j do mesma a fim Jj
pagar o destruioo e daada os sigaaes -
tos lbe ser e< ; nj mesma sitio se ar-
rend i urna la ... qaartoi + d
salas ecoziiiba; cu .1-
gar trabdiuaiores d.. iuxada, forras, ou
captivos, pagajido-se izs'au res --.!
ddlld ;(0,
' 1
s


D
(ARIO 3E PERWAMBUCO
5
cr Nanoi'edodia 16 do corrente vindo
de bebiribe urna preta junio com um preto ,
sucede que esta se perdeo da companhia do
dito preto e como a mesma nao sabe dizer
quem seja seu Snr. e nem o caminho roga-
se a quero a liver recolhida de a levar a ra
do Cabug a qual ter 5o annos de idade ,
levou vestido de.\illa, camisa de algodo e
panno da costa, e de noroe Suzana.
SST Offerece-se um estrangeiro para cria-
do ou pagem, e da conbecimento a sua
conducta ; na ra das Cruzes D. 3.
SST Quem precisar de urna ama para casa
de um bomem solteiro dirija-se a ra da Glo-
ria na loja do sobrado de Ignacio de Jess
Bandeira.
tST Deseja-se fallar com um dos passa-
geirosque sahiro no dia 4 de Maio para S.
Antonio Grande que veio na barca de Ma-
rimiano ; na ra do l.ivramenlo D. a5.
KST Quem precisar de um criado para casa
particular ou mesmo para bolieiro, ou pa-
ra o matto dirija-se ao pateo da Matriz de
S. Autonio D. 9.
*sr Ao dia 16 do correte pelas nove ho-
ras da noite desapareceo da camboa do Carmo,
um preto ganbador coro una mesa e um
baLuzjnlio em cima duas cobertas dous
travisseiros, um grande e outro pequeuo I
4 quadros um delles tero o vidro quebrado ,
sileira Capilo Antonio Germano das Ne-
v ; quem quiser carregar ou ir de passagem
paraoquetem bons commodos dirija-se ao
seu proprietario Lourenco'Joi das Neves, na
ra da Cruz 11. 3a ou ao dito Capilo.
PARA O RIO G. DO SUL no fin do
corrente rnez o Patacho Beija Flor recebe
carga a frete, e passageios 5 a tratar no es-
criptorio de Manoel Alves Guerra na ra
do Vigarion. 7.
L e 3! o
Que fazem Me. Calmont ai Compa-
nl.ia por inteivenco do Corretor Oliveira ,
de boro sortiroento geral de fazendas inglezas
muito vendaveis quarta feira 19 do corren-
te imprelerivelmente as 10 horas da oan ha
no seu armazem na ra da cadeia.
Compras
tsr O primeiro tomo do indi-e das leis
militares por Cunba Mattos ; quem tiver an-
nunrie.
Vendas
tsr Bichas pretas muito boas e por pre-
co eommodo; e milho alpista a 960 o quar-
meea bia amarrada com urna corda para se te''a Pa*o d<> Ca*>o "nda de *"rcl8
gurarobahuquetinha as seRuintes pecas ; Jose d ^osl8
Urna venda na pracada Boa vista a
que unha as segumtes pee ,
a vestidos um de seda e la com bico no talho
e mangas e ooutrodecambraia pintada taro
lem cum bico, 4 de chita um bonet azul,
urna casaca preta quatro coletes um preto,
e outro de seda de urna fazenda immirando a
praso de um auno, ou a dinheiro a vista coro
discontode 15 por rento ; a tratar defronte
da ribeira da boa vista O. 3o.
tST Vinho de Bordeaux branco e tinto
torruroe.nn.H-f.r^t T, "uu",a,,U de superior qualidade, e champaguhe da cese podas e ne mestre sapateiro para
EK J.la.:e.OSlJ dC i''"8' 6 "f *T marea Jolv : na ra da Cruz n. 60! S "ra da provincia e uro caxorro de fila filho
outra qualidade ; no armazam de Jos Rodri-
gues Pereira & Companhia no beco do ca-
pim. .,
tsr Duas escravas de naco urna de ida-
de de 16 annos, que sabe engommar coser,
ensaboar e cozinhar e a outra de idade
den cozinha e ensaboa ; na pracioha do
Livramento sobrado por cima da loja que foi
do Sr. Herculano.
tsr Urna preta creoula moca e sadia ,
eosaboa engoroma cozinha faz doces e
cese alguma coma no fina da ra Augusta
sobrado da quina que tero o oito e entrada
do lado do vi vi rodo Muniz.
tgr L de cana propria para encher col-
xoens e travisseiros ; ua ra das Cruzes ven-
da D. 4.
tsr Bichas de Hamburgo grandes, e por
preco eommodo ; na ra do Vigario venda
n.atj.
fC Man em caixinhas de 16 libras fio
para sapateiro ero nvelos de meia quarta ,
garrafas com essencia de aniz a dinheiro ou
apraso ; ua ra da moeda 1). i4
tST Na loja de Carioca & Sette ra do
Queimado D. i3 chitas pretas a 100 rs o
covado e ditas mui finas a l4o e 160 cassas
chitas de lidos padroens a 160 e a 2oo rs, o
covado*
ssr Um sitio com duas grandes moradas
de casas no logar dos affogados com gran-
do viveiro boas bailas para capim, boa agoa
de beber e outras muitas couzas que com a
vista melhor se ver ; a tratar no Recifc com
> viuva de Anacieto Antonio de IVloraes.
tsr Um negro moco de excellente figura ,
ptimo eozinheiro de forno e massa faz do-
ces e podios be mestre sapateiro para
- V. de -~'-T J ^-.6.. ^ |1|a> ,
testamento, e vanos .__________. V c:> V '
mola urna copia de um
assentcs e papis de importancia
verdes D. a.
tsr* Uma casa sita na ra de S. Jos O. i3
a tratar na ra Augusta casa do Tmente Al-
Uma escrava moca de bonita figura meda.
bridas I -"ZT^ Z"?u 7 "" rV~ >iinha u diario de urna casa cose, faz bo- BT Uma molatado idade de a* annos ,
reculas alguroas dasditas pecas de apnreben- e nao de lo entrama com oerfei- com uma cria cozinha cose, engoroma,
derepaneupar no dito logar que ser grati- ; ^ ;'^JJ^00""** "" ^ e faz todo o mais servico de urna'casa"
praia armazem de Jos da Silva Campos,
quem,r ..
souber onde o dito preto guardou este roubo ,' ^f ^"^ d- 0,r\nd,oca em sac" 5 na
partecipe na ra da praia na Tvpagralia icn- rua ,arSa.do Roiar, D* *
parcial ; assim como roga-se a quem lor cffe-
*9
c cao na ma vema u. 40. |" *~VJ "T""j *** """*** ---------Y~ Ua
1 iv i- 1 a 11 j a 1 x ssy Um sitio coro casa de sobrado arvo- negra de idade de a a aonos com duas crias
ssr JNo da i4 t>. j.. i-ii res de fructo porto de embarque na passa- ue;H17 anno* sane coztnnar o aiarm ue
IJernaidino Lial desapareceo um menino de "" 5 1 j unUrii pip .nnnim. p trata de m"-
^-^.,a .i ..1 I u.. 1 r- eero da Magdalena, entre as duas pontes : uma casa cose engomma e iraia ae mt
ja anuos, natural do Porto, o qual loi a 6 f r n;n. mura Him pnula dp idade de ao com
_ mor,A' An ,. ___ .'*, terrenos coro arvoredos de fructo no mesmo nios, outra ana creouia ue aaue ue o coiu
nm mandado, e al o prseme nao tem apa- ,___________,_k._.......j j_ __u_______ as mpSma habida, t na rua nova D. i e 8
um mandado e ate o prseme nao tem apa- ,, aa mB.ma i,al>l recido; quem delle souber partecipe na casa N! ^ alambique grande de cobre para ^^\^m' ^ 1
defronte da Igreja dos Martirios, .7. destilar uma pipa de agoa ardente ero 4 bo- efrouUido oitao da M.
& Manoel Francisco dos Sa'ntos e Silva ,' 9 todos os P"Paro8 e va90S fara &' JZ?9 Soim.tr. e co nbeir.
, ... c, .ana ate 100 pipas e ilornes, o mais 15o bar- principios ae engommaueira e lu/uih(.ii4 ,
senvao actual da Jrmundade do Divino Es- J.^ ", v v 3 n ma dn Hiipimuln Inia A fazendas Daci-
- rjlt 6 bois mancos 3 garro es do pasto ca- na rua ao ^ueimauo loja ae uzenaas ueti
iritoSanto, luz sciente a todos os rmao *'*' j B j j mu m
..A.m. r*^* Pm A**>an*An n Ai pazes de amangas 3 vaccas do pasto, duas '9- ________ .___________ .
esen
P
que a mesa raedora lem designado o dia P--" *** a- r. rv neerrn* duas nperas. dous
^ ", j naridas, e uma sem cria e dous cirros apa- uou9 "%'< e au,s "fe,?/ UUS
qu.naie.raao do cor ente para se proceder P' na rua da G|o;a Sobrado D. 3o1; moleques e duas negrinhas de diferentes
aselleicoensdanova Mesa, uma vez que/ L excellente pianno com muito idades um. dita com principios de costura,
do mencionado dia,
tsr Aluga-se por teuipo de 3 metes um
eseravo cozinheiro de profisso por ser o
tempo qual seu Sr. se demorar nesta praia ;
quem couier ( prefere-se antes casa de pasto)
dirija-se a rua do Padre Floriono sobrado de na rua *&>
J --&. lima mnnill Ha
dous andares L), a7 das 7 as nove horas ta
que achara com quem tratar. *-" ma J* de ro com algun-as miu-
tsr Uma escraya moleca do gentio de an- dps e sua competente arroacao tudo no
folla naco conga com principio de cos- valor de a4o,ooo sita na rua direita D.4
eensaboada com tres annos de trra-, Iral" na rua do Aragao D. 37.
manila e das 4 as 6da tarde*
tsr
O Snr. que deseja saber a moradia de
nha ,
id
t^> Uma morada de casa terrea D. 34,
i'ita na rua velba da Boa vista : os pretenden-
tes dirijao-se a rua dos Quarteis I). 5 011-
Escravos Futidos
Manoel Jos Fernandes Barros queia an
nunciar a sua para ser procurada pelo dito
Barros.
ty Da-se 4o,ooo a premio sobre pinho
res ; no attearo da boa vista l). 9.
S^" A pessoa que annunciou querer ser
ama de uma casa dirija-se a rua das Cruzes
D. 7 no teiceiro andar.
tsr O Snr. que levou da rua direita D.
/g um jogo de bancas de angico, e deixou de
j inlior umanelo e at o presente nao tem
aparecido, haja^no praso de 3 das irrimil-o
do contrario sei vendido pata pagamento das
i'.itas bancas. __________
Avisos Martimos.
PARA I.OANDA com escala por beaguela
o Bergantim Brasileiro Temerario ebegado
prximamente de Lisboa he a prioseira vez
que se deslina a A lrica sah ir com multa
brevidade ; quem quiser carregar ou ir de
rasagem dirija-se a seu Capito Domingos
Fiancisco da Silva ou a jManoel Franci.co
Pontra na rua da senzala velba.
PARA MARA1SHAO' sahii com muita
Irevidade por ter roaior parte de sua carga
lrcmpia a Suiraca Nacjpnal Circulante ;
tetm quiser carregar ou ir de passagem dr-
ija-se ba seu Capillo ou a Manoel francisco
entes na iuada senzala velba.
eePARAOARACA'lYcom brevidade por
djia adiar em meia carga o iem conhecido
Phqeiro Patacho Narional Laurealina Bra- |
S^* Do sitio do Medico Pereira de Brito ,
fugio um eseravo de noroe Joo .acange de
de se dir com quem se deve entender.
5^- Uma negrinha de naco de idade de "'"" alta cara coro marcas de bechigas ,
15 annos, cose cha, engomma liso, e he coro urna belida no olhodireito boca grande,
recolhida, eumesciavode naco mocambi- com falta de alguni denles na trente, tem
que ambos se do a4 contento } assim como uma uicera l6> na Perna dre,la /1a!,
alianca-se a boa conducta j na rua direita D. lem tornada mais grossa, he bem conhecido
20, lado do Livramento. > JCidade e suburbios, he Uieiro de
CT Tiescasasdeaipano logar da cosa fugir e nunca se arreda das visiohancas da
forte com quiniaes sercados de limo com Pra?a pois cosluma as fgidas cortar capim
diversos arvoredos de fructo boa cacimba de e vende-lo na boa vista ignora-se a roupa
agoa de beber a dinheiro ou troca-se "m que se evadi na manba de segunda lei-
por escravos, cem palmos de pedra U- ra 17 do correte; quem o pegar leve ao^al-
vrada cora cordio para soleira de portas uma
escrava boa vendedeira de rua e de boa fi-
gura por 35o,ooo ecaixilhosnovos de ama-
icio para 4 janellas portas e janelas noval
de arxarello e louro tudo por preco com-
ear Uma preta moc. com bom le te pa-
rida de um uiez ; na rua do azeite de peixe ,
armazem do Carneiro Monteiro.
t^> Os livros seguintes ; noticia de me-
tbeologia ou historia do paganismo diccio-
nario de fbula atlas moderno almocreve
de petas Loziadas de Camoeos orthogra-
(ia de Madureira os dous Robsons Corne-
lia ou a victima da inquisico ^noites Roma-
nas no sepulcro dos Scipioens, as ruinas dos
imperios, e as medrtacoenk do Dr. Hervev ,
tudo por preco eommodo; na | praoinba do
Livramento laja de fazendas D. 26.
4^r- Uma burriuha, um burrinho, e uma
canoa ; na rna das Cruzes sobrado da quina
na do Paraso.
Farinlia de mandioca de Maje e de
Ierro da boa vista na residencia do dito Me-
dico que gratificar.
er No da ib do corronte fugio uma pre-
ta de nome Anna de naco baca de idade
de i5 a 3o annos, estatura mediana cheia
do corpo cor fulla levou vestido de chita
rouxa e panno aa costa 5 quem a pegar leve
ao terteiro andar da casa de Manoel de Car
vallio na rua do Collegio que ser recom-
pensado.
tsr No dia 14 de Dezembrodo passado fu-
gio um eseravo de nome Antonio foi esera-
vo do Sr. Coronel Leonardo morador, na co-
marca de pea jueira o qual eseravo tem pa-
e mi no logar do saranit e que se julga
estar no me&mo logar e tem os signae se-
guales ; altura regular giosso do corpo,
rosto picado das bechig** cor fula olhos
grandes com alguns capelos braueos barba
tecliaaa cara comprida ; quem o pegar leve
as 5 ponas i). 4 que ser recompensado!
tsr Xendo-se comprado em 1 de Outu-
bro de i335 ao Sr. Joaqun Mauricio Wan-
derley um creoulo( cabra negro ) de nome
Ancelmo com idade ( nessa ocasio ) de 8 a
10 annos pouco mais ou menos a conteceoo
mesmo fugir em o dia a de Junho de i836 ,
e consta achar-se em casa de certa pessoa mo-
radora no logar das barreiras em Unna de
onde o referido eseravo he natural, os signa-
es sao os seguintes ; lera alguroas marcas da
bechigas 110 rosto nariz e boca regular, bei-
cos finos rosto comprido secco do corpo ,
pernas finas ps direitos e bem feitos e he
muito esperto. Este eseravo ja foi de Agos-
linho Jos* Panasco Arco Verde morador tam-
bera ero dito logar ,0 que se declara por
que talvet esta circunstancia seja proveitosa
saber-se. O annuncianle nao querendo por
hora lancar mo de outros meios mais decisi-
vos, para a captura do referido escraro faz
o presente para que quem quer que seja
essa pessoa o mande restituir certo de que
quem conduzir ser pago de ce n mil rs. pelo
trabalho, assegurando-se que a nao lhe ser
entregue por esta forma recorrer ento a os
meios que a le faculta ; roga-se igualmente
a authoridade policial do referido logar suas
vistas sobre tai objecto.
tST O abaixo assignado faz publico que no
dia 3 do corrente lhe fugio um preto de ame
Luiz alto bonita figura ebeio do corpo ,
parece creoulo denles grandes olhos meios
vermelhote esbugalhados muito regrista ,
levou vestido ceroulas ds estopa compridis ,
camisa do mesmo panno outra dita de ris-
cado chapeo de palba velbo tero sido en-
contrado algumas vezes em Olitida e tam-
be m no caminho do Reeife, e dic que est
trabalbando para pagar semana e como o
dito eseravo entende de padaria e refinada ,
0 abaixo assignado protesta contra toda e
qualquer pessoa que debaixo de qualquer
pretexto se esleja servindo do dito preto paga.
1 ooo por dia des de a sua sabida, e segun-
do as deligencias que se esto fazeodo e for
descoberto denunciado o mesmo agarrado
em qualquer eslabelecimento se proceder
segundo for de direilo, assim coma se otfe-
rece 20,000 de gralificaco a quero o pegar ou
descobrir onde com certeza eneja trabalban-
do guardando-se ao denunciante um invi.-;
larel segredo. Joo Manoel Pinto Chaves
ssr Roga-se a qualquer authoridade po-
licial de qualquer provincia, comarca ou
destriclo deste Imperio coadjuvero a apreben-
code um molaliuho de nome Andr bem
claro que parece branco cbelo liso e algu-
ma couza castanho de idade de 16 a 17 an-
nos secco do corpo trabalba de tanoeiro ,
fugio no dia 9 do crreme de casa de Jos
Antonio Gomes Jnior levou calcas de gan-
ga azul camisa de madapolo quando an-
da nao assenta bem o caicanhar, esteve na
manh do dia 10 na venda do Sur. Joo ni ar-
ques Alendes defronle da Matriz da Boa vista
o qual nao o prendeo por ignorar sua fuga ,
e assim supe-se andar por aquello bairro ,
be bem conhecido nesta praca por ser acos-
tumado a andar comprando barris de 4 ero
pipa -, quem o pegar leve a rua da Cruz D.
la aue ser recompensado.
car No dia la de Abril fugio ou furia
rao da praia um eseravo de nacao Benguela ,
de idade de -4 a& anuos pouco falla de
nome Caetauo alto bastante rosto com-
prido grossura mediana beicos cabidos ,
com a cpela do olho direito cabida para bai-
\o, com a marca no peito direito que be um
- S com um travesso ; levou vestido urnas
calca, de brioi pardo reina e sujas camisa
de madapolo tambem velba e su|a chapeo
branco de castor velbo ; quem o pegar leve a
rua da praia herrara do Lardial que recs-r
ber 40,000 de gralificaco.

Vluvuueuto do Portti
NAVIOS SUIDOS NO DIA t5.
NEW YORK Patacho Americano Francis
Ano Cap. i'enbody carga assucar.
ENTRADOS NO DIA i5
ANGOLA j ati dias Barca Brasileira Flor
do Tejo de 17a tonel., Cap. Joaquim Ri-
beiro equip. 14 carga lastro j a Ange-
lo Francisco Carneiro.
BOSTON ; 44 dus Brigue Escuna Ame-
ricano Wilam Da vis de 173 tonel. Cap.
J. Cornisb equip. 8 carga bacalbo a
llenry Forst & Companhia.
BAHA ; 9 dias, Brigue Brasileiro Nova So-
ciedade de 17a tonel. Cap. Manoel Igna-
cio Correia epuip. 17, carga assucar e
call ; a Jos Antonio Gomes Jnior.______
SECIFE-NA~TYPrDE M. PDE F'&M*


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EIMR0O9D7_1CCUN3 INGEST_TIME 2013-03-29T17:38:19Z PACKAGE AA00011611_03805
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES