Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:03801


This item is only available as the following downloads:


Full Text
Anno de 1841. Quinta Feir
Tudo a/fora dependa dt nos mesraos ; da nosta pradtncia; modera-
$5o, t energa : continenlos carao principiamos, a seremos apontados
om adnraco entre as Naces ais cultas.
Proelamaco da Assemblaa Geral do Brasil]
9
BSobwreve-M para esta folha a 3fooo por cru artel paros adianUdof
oesta Typoffrana ra da* Cruzes .5, e na Praca da Independen-
(ia, n. 7 e 53, onde se recetara correspondencias legalisadas e n-
ouncios, insinndo-M estes gratis; sendo dos proprios assignantes, e,
viudo sugnados.
PARTIDAS DOS CORREIOS TERRESTRES
13 de Maio. Nm. J03.
CAMBIOS. Miao 1a.
Londres. i..;.' 1 d. por i/000 etd.
Lisbca ...... 80 por *|o premio por
Franca ...:?. 31o reis por franco.
OK'- Moedade6#4oo '. velh
Ditas ;,' m" "?as
-1 -u1 ^
,,; iuaa
* Ditas de Jooo reis
PU ATA Pataces Brasilciros -
Pesos Coluannarios -----
Ditos Mexicanos ------
i, MiuJa........----.
[Jete, de bllb. da Alfandega r i|8 por I
(den de letras deboas firmas
M^eHa de cobre 1 por 100 de dice
SeduUs de pequeo valor
metal o?'er*; '; Comp, Vendu
U7oo HBcfoo
4/500 1/yoo
J$aoo 8|4oo
i/6Sa 1*703
- jfiSo -
l.1':i''i -
I/460 -
oooioei. I 0|0
1 i|ia 1 i|4
ao par
l|i ojo a i o|C
lro
I foto
if8a
Cdadsda Parahiba e Vi!l*s de sua pretenei ,....,
Dita do Rio Grande do Norte, e Villas dem.......
Dita da Fortaleza c Villas Idtra...... ......
Cidade de Goianna..............a ..... ,
Ciade de Olinda......................
Villa deS. Anto.....................
Dita de Garanhuns e Povoaco do Bonito.........
Ditas do Cabo, berinhaem, (lio Formlo, e Porto Calvo.
Cidade das Alagoas, e de Maceio.
'Sag. e Sextas^faia*.
Todos os das]
(Quintas feras.
lo, e 74 de cada mes
1, 11, e ai dito dito
dem I.lem
Villa de Paja de Flores.....................dem 13, dito dito
Todos os Corre o partera ao meio da.
PH4SES DA LOA NO MEA DS M VIO;
La (Jtaia a 5 as 11 h. 4i m. da man.
Quart. raing. a l3 as f b. 58 m. da tarfi.
La Nova a ao as 9 b. e ao m da tan!.
Quart. cresc. a i-j as O h. c 7 ra. da mjn.
Mare theia para o dia\ I 1 de Mato i
As 10 horas e 6 minutos da tarde.
As lo lioras e 3) minutes da imnli.
das da semana.
o Segund S. Anttonij Are. Audiencia do u's ds^Direito da a
' rara
il Terca 3 Anastacio M Redacto e audiencia do Juiz de Dircito d,a 1 J
vara,
la QaarU 9. Joann.i Princesa. Audiencia do Jalad* D. da 5. vara."
15 Quinta S. N. dos Martirios --'Audiencia do Juiz de Uireitoda 3.'
vara.
l'i Sexta S. Gril Anuencia do Juis de D da 1. v.
i5 Sabbado S Izidor) Lavrador. ~ Reliac au liencia Jda luizda D
da 3 vara.
16 Diminga 3. J0S0 -Ycpomoceiio M.
PER NA MBUCO.
COMMANDO DAS ARMAS.
Expediente do da 5 do cor rente.
Officioo Exm. Presidente da Pro-
vincia, rpmeltendo-lhe rompettenteroente in-
formando o requerimento de Manoel Tho-
rc de Miranda, soldado do Deposito, que
pedia dernico do servico, em consequencia
de ser casado e sustentar sita familia e haver
porissosido recrutado contra a Le.
Dito Ao rr.esmo Exm. Senhor, remetten-
do-lbe para ser presente a S. M. o Impera-
dor o requerimento do primeiro Tenente
.Antonio Jos de Mello que supplicava a
nierr do Habito da ordem Imperial do Cru-
zeiro, em remuneraco de seus servicos.
Dito Ao mesmo Exm. Sor., remet-
tendo-lbe na mesma conlorroidade o requeri-
mento do primeiro Tenente Manoel Ferreira
de Almeida, que pedia igual Graca.
Dito Ao mesmo Exm. Snr., remetten-
do-lbe compettentemente informado o reque-
rimento do segundo Tenento da Companhia
do Ailifices Joo Marinbo Paes Brrelo ,
que impetrava a S. M. I. a merc de ser re-
formado na confurvidade da Lei numero 41
de ao de Setembro de i838, allegando que
por molestias est iurapaz do servico activo.
Dito Ao mesmo Exm >nr devolvendo-
1 lie informado o requerimento de Mara Eran-
cisca que pedia dernico para seu hlho Jo-
o de Barros soldado do Deposito allegando
ter j cutro seo Gibo de nome JoseDomiu-
gos Antonio, com praca no Exercito.
Dito Ao mesmo Exm. Sr. devolven-
do-lhe o requerimento de Antonia Vlaria Jo-
s e informando que Dionisio Estevo de
Barros para quem pedia baixa, nao liaba
praga em neunum dos (Jorpos da Guarni-
co.
Dito Ao Inspector da Tbesouraria, c-
rcunicando-lbe, que doi.de Julhoemdi-
nnle se passava a cobrar pela folhas das pres-
tacoes, a consignacao men^al de;Uoors.
que em soccorro de sus familia deixou ties-
ta C-pilal ; o primeiro Tenente do lerceiro
BalalhoJ. C. de Mello Padilba em servico
ua Provincia do Ceata.
Dito Ao mesmo para que bouvesse de
mandar abonar ao Tente de Lacadores J.
D. de Camargo dous meses de sold adiauta-
dcs assim < un o as comedorias de embarque,
por ler o mesmo Tenente de seguir para a Ca-
pital do Impeli, tonduziudo uiu Ccntingeu-
le de Tropa de CbTolaria.
Dita Ao Commandante interino do De-
posito, devolvendo-lhe as les d omcio dos of-
iciaes, para aa pausar separadimeute e nao
tnglobadas como viero.
, Uilo Ao mesmo, remetttendo-lbe os pa-
pis de contabeiidade do destacamento da Co-
marca do Limoeiro perteucentes ao mez de
Abril prximo passao e ordenando-lhe ,
que a respectiva importancia fosse entregue
ao Furriel F. J. Ci. Alcanlorado.
Dito Ao Prefeito da tionsarca do Limo-
eiro communiaando-Uie o exposto no pie-
cedenle othcio, com oque ficava respoudido o
seo do 1. do correte.
Dito Ao Major Commandante da Forla-
lesade Tamandai, respoiidendo aoseoolli-
cio do 1. do crreme diseudo-lhe que ao
Alvorad Jcse Candido de Miranda se tinbo
?nlngue depois de rubricados para surero, co-
brados, os papis de contabelidade do desta-
camento perteucentes ao mez de Abril pr-
ximo p.
Dito Ao Commandante interino da for-
taleza de Itamarac, respondido ao seo of-
cio de 3 do corren te edisendo-lhe que ao
Sargento Belxior dos Reis Borges se entrega-
ra depois de rubricados os papis de con-
tabelidade do destacamento relativos a ? mez
de Abril, para serem cobrados.
Portara Ao Commandante interino do
Deposito mandando excluir com guia de
passagem para o Esqnadro, aos soldados Jo-
o Felippe do Nascimento. Braz Jos Limo-
eiro, e Manoel Martins.
Dita Ao Commandante interino do Es-
quadro authorisando-o a receber as pra-
cas constantes da portara precedente,
ann i 1
THEZORARIA PROVINCIAL.
EDITA!.
O Illm. Sr. Inspector da Tbesouraria das
Rendas Provinciaes, manda fazer publico
que as Rendas postas em arremataco peraute
a mesma Tbesoursria nos dias 5 7 e 8 do
corrente pelo Edital do i. de Marco prximo
lindo e que ainda nao forad arrematadas por
nao apparecerem Licitantes passad a ser no-
vamente postas em leilo pelo prepo medio
dos trez aunos anteriores conforme a disposi-
co do Decreto de 14 de Novembro de 180J ,
e oteio do Exm. Presidente de 10 do presen-
te mez no da 1 do mesmo a saber :
i.* Imposto de a Uooo por cabeca de Ga-
do dos Municipios do Limoeiro e do ilrejo.
, Dizimo do Gado Vacum e (Javallar
dos Municipios de Garanbuns, Flores e Ta-
cara l e Boa-VisU e Cabrob.
E para constar se mandou athxir o preseute
e publicar pela Imprensa.
Secrataria da Tbesouraria das Rendas Pro-
vinciaes de Pernambuco 11 de Maio da ib.fl.
O Secretario
Luis da Costa Portocarreiro.
Diversas Keparticoes
ALFAEDEGA DAS FAZENDAS.
EDITAL.
Vicente Tboraaz Pires de Figueiredo Ca-
margo Cavalleiro da Ordem de Cbristo e
Inspector da Alfandega por S. M. I. que
Dos Guarde etc. Faz saber que no dia
14 do corrente pelo meio dia, e na porta
da mesma, se ba de arrematar em basta pu-
blica dusentos e trinta e sete Chales de seda
no valor de i;8ooUooo, impugnados pelo
Guarda Thomaz Jos da Costa e >, no des-
pacho por factura de Adour & Comp. e
mais viole e quatro Cbales tambem de
seda impugnados pelo Guarda Joo Manoel
de Castro no despacho por factura de Ma-
noel Joaquina Ramos e Silva, sendo o arre-
maltanle sugeito ao pagamento dos direi-
tos.
Alfaudega ia de Maio de 18 ji.
V. T. P. de F. Cmargo.
OBRAS PUBLICAS.
Pela Administraco Fiscal das obras pu-
blicas se avisa a todas as pessoas que se en-
carregaro de apromptar as maJeiras para o
concert da ponte do Reciie que as trego
quanto antes, na certesa de serem imediaia-
mente pagos j para o que o Illm. e Exm.Sr*
Presidente tem did > as necessarias providen-
cias,
Administrico Fiscal das obras publicas 5
de Maio de 181. Moara Administrador
Fiscal.
PREEEITRA.
Parte do dia 11 do corrente.
Illm. e Exm. Sr. Participo V. Ex; que
hontem nao occorreo novidade.
Dos Guarde a V. Ex. Prefeitura da Co-
marca do Recife 11 de Maio de 1841. Illm.
e Exm. Sr. Manoel de Sousa Teixaira, Pre-
sidente da Provincia Francisco Domingues
da Silva Prefeito interino da Comarca.
CMARA MUNICIPAL DA CIDADE DO
RECIFE.
EDITAL.
A Cmara Municipal da Cidade do Recife e
feo Termo etc,
Faz saber, que pelo Doutor Juiz de Direi-
to interino da segunda vara do crime desta
Comarca Antonio Joaquim de Moraes e Silva
Ibe fora feita a parlecipac/o designanando o
4-i Jos Martins Pereira.
44 Antonio Roberto da Suva.
45 Caetano Gomes de Si.
46 Antonio Teixeira d'Avila.
47 Luis da Costa Porto Carreiro.
48 Vicente Ferreira Rodrigues Leite.
49 Manoel Jos dos Santos.
50 Onore Joseda Costa Jnior.
5i AntonioTexeira Lnpes.
5a Joo de Au.-lra le Lima.
53 Angelo Custodio da Silva Ferreira;
54 Tenente Coronel Manoel Josa da Costi.
55 Joaquim Jase da Costa Oliveira.
5t Virissinao Gomes Coimbra.
57 Francisco Manoel da Cruz Coutj.
58 Joaquim Correa d'Arauj j.
g Antonio Jos dos Santos.
60 Joaquim dos Santos Azevedo.'
CMARA MUNICIPAL DA CIDADE DE
OLINDA.
r"
Segunda Sesso ordinaria em aS de Ja-
neiro de 1841.
Presidencia do Snr. GneJes.
Foi aberta a sesso estando presentes 01
Snrs. Vereadores Liage Jnior, Padre Perei-
dia a de Junho prximo vindouro, por asio.'ra, Leal, e Passos, faltando omcaus os
horas da manb, para dar principio a segunda
sesso ordinaria dos Jurados deste crrante
anno na casa de suas sesses; em consequen-
cia do que tendo-se feito o sorteamente na
conformidade do Cdigo do Processo Crimi-
nal lorio sorteados os 60 Jurados, que sao
os seguintes Snrs.
1 Manoel Jos Tavares da Silva
2 Jos (ioncalves dos Santos.
3 Manoel Rodrigues dos Passos<
4 Manoel Pereira Braudo.
5 T. C. Joaquim Cavalcante de Albuquarq.
6 Francisco Joaquim Ribeiro de Brito
7 Manoel Jos Chalassa
8 Padre Manoel Xavier da Trindade.
9 Joo Miguel da Costa,
10 Jos Antonio dos Santos.
lf Joaquim Ferreira Ramos.
la Antonio J.-se Duarte.
i5 Jos Xavier de Oliveira.
14 Joo Manoel de Jess da Matta
15 (iemnii.no de Oliveira Mello
irj Francisco Amaro Barbosa.
17 Autonio Xavier da Silva.
16 Francisco Xavier de Miranda
19 Joo Peixoto de Araujo e Sonza
ao Gaspar Jos dos Reis.
mais Snrs.
Lita a acta da antecedente foi approvada.
O Secretario dando conta do expediente
mencionou hura, oficio do Juiz de Paz do Po-
co da Panella parteciuando que nlo sendo
possivel o actual Escrivo do seu Juiso conti-
nuar a servir por causa de molestia que o ira -
possibelita a pontos de pedir a sin dernico
como mostrava com o proprio o!h.-io que o
mesmo Ihe tinha enderecido, e aq .elle Juiz
tuih* Juramentado para servir intenaaraente
o dilo lugar o Cidado Eiancisco de Jos Al-
ves Gama a quem propnnha pjra ser ap-
provado por asta Cmara e que occorrii n
pessoa do proposto aptido intelligencia
para o mencionado tugar, a Cmara resolver
que se ofikiasse ao proposto para comparecer,
a liai de tomar posse e pretlar o juramento ni
forma da Lei,
Outro oilicio do Cidado Jos de Pinho
Borges parteci pando adiar-se eucoaamol ido
e que porisso deixava de compajecer pira to-
mar posse de Juiz de Paz da Capallt Filial
da Conceico dos Mibgres, o que tan* lo;o
que milborar de saude a Cmara resalveo
que fosse chamado o irameliat-t em votos.
Outro officio do Juiz de Paz da Beberibe p
a 1 Cap. Boavenlura de Mello Castello Branca disendo que se achava desde o dia sete do cor*
aa Antonio de Sousa Leo.
ai Antonio Joaquim de Barros.
a4 Jos Candido de Carvalbo Medeiros.
a Joaquim de Sousa Pinto.
at Manoel Tbomaz de Barros Campello
37 Jos Alaria Cezar do Amaral.
10' Jos Camello Pessoa.
jg Domingos Pires Ferreira.
Ju Dr. Felippe Lopes Nelto Jnior.
di Francisco Ignacio da Silva.
Jos Cicilio Carneiro Monteiro.
i Antonio Pinto de Barros.
34 Jos Alexandre Ferreira.
35 Adrio Jos dos Santos.
36 Padre Ignacio Francisco dos Santos.
ij Jos Amonio Corren Jnior.
3o Francisco Xavier Dias,
g Coronel Francisco
Leo. *
40 Antonio Manoel d'Arago e Mello.
41 Manoel Marques Grangeiro.
4 j Jos tiaptisia Ribeiro do Faria.
rente Janeiro de posse de Juiz da Paz, e que
para bem prebeucher as funcedes enhenreities
ao seu cargo necessilava que esta Cunara des-
se os esclarecimentos precisos acerca da ex-
tenco e limites do dito Distrito a ra de
que possa faser valer os seus poderes, e ja
mais del les exceder hum s lapso a Cma-
ra resolveo que se esciarecesse a respeito. Ou-
tro officio do primeiro Secretario do Cnllegio
Eleitoral deste Municipio, partecipando por
ordem da Mesa do mesmo Coklegio que reme-
ta os quatro officios, os quaes na conformi-
dade das Instruccoer de ao de Marco de i84
e mais Leise respeito deve.n acompinna* as
copias aulhenticas das actas do mesmo Coi-
legio Eleitoral, que na contornada das rel'c-
! ridas lustrucges o mais Leis, ho-de ser re-
Antonio de Souza mettidas por esta Cmara a Secretaria de Es-
tado a Presidencia de Provincia, e a Cuna-
ra Municipal da Cidade do Recife que tam
bem remettia o Livro das actas do referido
Cellegio, a Cmara ficou inteirada. AC*-

I
*
< 1
1


D I A R 1 O DE PERNAMB UOO
**araresolveoquese chamaste dous Suplen-
es por se acharem espedidos os dous Varea-
dores, Francisco Jos do Amaral, a Joaquim
Cavalcanle de Aibuquerque
Nesta Sessso toma rao possa e prestar
Juramento os dous Fiscaes da Freguesia de
S Pedro Mrtir e da Freguesia da S, a
do mesmo modo tambera prestarlo Juramento
os dous Suplentes, cujos nomes se acho de-
clarados no Livro compettente.
Houvero requerimentos de parles a foro
despachados e dada a hora o Sor. Presiden-
te levantou a sesso, de que para constar flz
a presente acta em que assignaro e eu Joo
Paulo Fenreira Secretario a escrevi. Gue-
des P -Padre Pereira Leal-Passos Laage
Jnior.
EDITAL.
A Cmara Municipal da Cidadede linda e
seo Termo em virlude da Lei ele*
Fas saber, que por offici de Sua Fxcellen-
cia o Sr. Presidente da Provincia datado de
> do corrente Ibe fora communicado ter Sua
Magestade o Imperador do brasil o Senhor
Dom Pedro Segundo designado o da a de
Maio corrente para o Acto Solemne de Sua
Coroacao eSagraco segundo Ibe havia sido
partecipado pela Secretaria de Estado dos
Negocios do Imperio, ero Aviso de 39 de
a\lan,o ultimo } e desejando esta Cmara es-
tejar o mencionado dia a5 de Maio corrente
com aquella pompa que he devida a Au-
gusta Pessoa do Nosso Soberauo ; porisso
pede, e roga aos habitantes do seo Munici-
pio bejao de illuninar as frentes de suas casas
iius dias m, a5 e a4 do presente mex,
E para chegar ao conhecimento de todos
mandou passar o presente que ser publi-
Lliodo nos lugares do eostume, e pela
ico prensa*
Cidade de Olinda 10 de Maio de 1841.
Fu Joo Paulo Ferrejra, Secretario o es-
emi;
Jos Joaquim de Almeida Guedes.
Presidente.
Jos Eustaquio Maciel Mcnteiro,
Silvestre Antonio de Laage Jnior.
Jos Tavaras Gomes da Silva,
Mancel Antonio dos Pasaos e Silva.
Por intermedio do Ulm. e Exm. Sr. Pre-
sidenta desta Frovincia oll'erereo Josepb Fa-
cbinetti Compositor Italiano a Su/ Mages-
tade Imperial hum novo Te Deum e
hora,Hymno Marcial jpara serem ejecutados
no Uia fausta da Coroago do Mesmo Au-
gusto Senbor. O liviano tambem se acha
posto em acompaubamento de piano forte e
j ico presto na ofhcina de Mr, P. Laforge
no Rio de Janeiro : quem o quizer pode dalli
manda-lo vir Sua poesa eomposico do
Ulna, e Km. Sr. J. M. F, P, he a seguate.
HYMNO.
A face do Ceo e Terra
Pedro Segundo aclamamos
Por elle pelo Brazil
Dar a vida boje juramos.
Coro.
Viva a Patria o Brazil viva ,
E viva a Constituico ,
Viva de Pedro Segundo
A feliz Coroacao.
EUe juiou sustentar
O Santo Calholicismo;
Nos juramos repellir
Qualquer outro Cathecismo,
Viva a Patria etc.
Elle jurou defender
Do Brasil a integridade ;
]Nos juramos augmenUr
De Seu Solio a Magestade,
Viva a Patria etc.
Elle emfim jurou manter
I>osso Imperio Liberal;
JNs emboa tambem juramos
Fazer Seu iNorne immortal.
Viva a Patria etc.
Fuja d'America austral,
Onde assoma o Imperio ovante.
Despotismo insociavel,
Democracia oscillante.
Viva a Patria etc.
Gracas mil ao Ceo rendamos
Por tamano beneficio :
J no Throno diamantino
l'ossuimos um i/airitio.
Viv* a Patria etc.
Seu coraco caroavel,
soda no be 1-5o infantil
Foi por Jove reiormado
Pelo molde do Brazil.
,Viva a Patria etc.
Dos do Brazil, esrutai-aos l
A sua alma illumina.;
Dai-lhe amigos que uo destes
A seu malfadado Pai {
Viva a Patria u-.c.
Livrai da Demagogia,
Esta emena Regio ,
Onde Cabral arvorou
O Signal da Redempgao.
Viva a Patria etc.
O nosso Governo livre
Sempre sempre defendei ,
Proprio do Clima e costumt
Da Braziliana Grei.
Viva a Patria etc.
Governo em que pela torca
De sistema divinal,
Pode o Cbefe da Naco
S fazer bem nunca mal!
Viva a Patria etc.
Doce Rgimen Paterno
Gozai, Sabios Brasileiros I
Em quanto tristes Visinbos
Sao pastos de Aventuraros.
Viva a Patrie etc.
r/ossivel, a a t tengan do Corpo Legislativo 5
querurcpria porm nao deixar no entanlo o
pi desarmado e sujeito assim a receber a
l>i de quaiquar naco etlsangeira ; e que par
psta rasao entenda a Co-nmisso que as bases
1 proposta do Governo devia ser adopta-
cao dos direitos differenciaes, que o alvo
da seha economista. Escrpulo e conscien-
cia nao ha a esperar de quem mandou saceos
de ouro para Londres, e regulamentos da
Douro para Madrid ; devia-se pois ter pre-
venido a repetiqo da ooncesso sobre os di
das ; porisio converteo a mesma proposta reitos differenciaes a nagoens, que podessero.
em tudo suplantar-nos no transporte de suas
mercadortas.
Noticias Estrangeiras.
em projeclo de ici.
Diferentes Cmaras Municipios do Reino,
I untas de p'arochia e outras corporacSes con-
tinuav-rn 1 dirigir s Corts repiesentaces
contra as milicias.
O peridico Revolugo de Setembro -
havia sido pronunciado na Relaco de Lisboa,
da aecusago que Ibe fuera o ministerio pu-
blico ; assim como a Relago do Porto havia
decidido favoravelmente o recurso interposto
pele impressor do Athleta contra a intimaco
do Juiz que mandou suspender a publicaco
d'esle jornal por se achar pronunciado o seu
editor.
O Nacional de Lisboa d canta d'uiaa rao-
dificago que bouve finalmente no Gabinete
Portuguez nos seguiutes termos :
' Depois de iniinitos boatos, e de rana-
das tcn:al.vas para recompr alterar med
ficar o ministerio de at> de Novembro depjis
PORTUGAL.
Temos vista mais alguns nmeros do Na-
cional de Lisboa at 18 do p. p., os quaes
pouco adiantu ao que temos publicado d'a-
quelle Reino ; todava extractaremos o que
nos parecer digno de ler-se. As noticias da
Hespanba alcancad a 9 de Marco ; as de
Franca a 4 ; e as de Inglaterra a 6.
Lo-se no Nacional o seguiute : Cartas
das provincias prova que os roubos os as-
sassinatos e as desordens crescem com lorca
prodigiosa e que devem altribuir-se s mr
elidas adoptadas pelo Governo. sobre o recru-
lamento e as milicias .,,
Os guerrilhas no lemteje e no Algarve ,
apparecenamo s nos casaes e as heriades ,
mas ate* em povoaces considera veis-, e frai-
lea sem misericordia levando comsigo ga-
dos dinheiros tabaco e o mais que p-
dem apanhar. Dizem que ha omciaes para
os commandar e inslruccoes para se regula-
O outro inconveniente do tratado a falta
de urna declaraco em favor das excep^oens ,
e beneficios a que o lirasil tem js ndispen^
savel. A in li lie renca que a Cunara mjstrou
para com as rasoens do Snr. Joaquim Anto-
nio de Magallies, deve produzir umt q.
presso funesta para nos no animo de Gjver-
no Imperial ja um pouco indispono. Os
Brasileiros bao de ressentir-se da pouc con-
sideracio em q* l'oram tidos,e mais provavel
que por culpa da maioria ministerial tenda-
mos de soltrcr no mercado do Rio de Janeiro,
Balda e Maranbo nao pequeas hostilidades
scies nj sd aos nossos viuhos como aos
proJuctos da uossa inluslrrt tabril que pa-
ra all quasi exclusivamente exportamos.
' verdide que os Srs. Depula Jos nao tem
navios, oem pipas de vinbo a exportar j mas
de se ter fallado no Baro de Aibufeira no sim ordenados dj Tnesouro a receuer 1 ea/a-
liarj de Leiria para a Guerra no Sr. A- nana-se todava sup^ondo que d saa incuri%
vila, e n'outros para a Fazenda depois de e na vontade Ibes nao result*r prejuizo.
se ter batido intilmente a umitas portas \ (uaulo mau desastres sotTrer o paiz por su*
correo embm que o Snr. joo de O- causa accreditem que nj crescer o discre-
liveira era contemplado para apasta da Fa- dito do systema representativo que o pava
zeuda uolieia que ninguem quera acredi- acilmeniH distingue d*s pessoas que fiuiam
lar j mas que se venfi.;ou ua Sexta fera (12 j na potitioa, augmentar simplesineule a coa-
de Marco) j vic.;o de que para termos liberdada pro-
44 O Diario do Governo de sabbado (i3) loclo a industria, fiscslisaco econmica e
traz a nomeaco do Baro do Tojat para a Fa- ; reiormas orooso iudispeusavel que os
zeuda do Baro de Aloucorvo para os Bl- Debutados nosejaot estipeududa pelo fue.
trancaros e o Sr. Mauoel Lijinjatvei dd .Vi i- souro.
randa transiendo da importante repartirn
em qu su acbava para a mu secuoians m
ta da iVlariuba '*
Segue-se a summa dos Decretos relativos
a esta* uomeages
(Uiariodu Governo de i2 de Mar;o )
PORTO 13 DE MARgO.
Betrogradaco.
A nossa cmara de l8to tem-se tornad)
notavel por mullas razes : os seuas actos en.
cerram-e todos no programma d retro;ra-
da9ao e este comiste em cercear e rettriogir
as lierdades c dentro e escravisir l fra.
Dentro do paiz tirou a liberdade de otar,
Presidencia do Conselho.
(Uecretaj Em vi. de Marco. Exonerando
, o Conde de liomlim do Cargo de Ministro d* afastando da urna a maioria dos contrib ha-
rem no caso de adqumrem forca sufficiente Mariha que eiercii ialenamente. j ies laocou grilhes imprensa e fez mona-
para tentar algum golpe de mo importante. (dem) Ex9aetado Q Conselheiro Ma- pol.o dela pra a classe onnuienta Xlin
" as outras provincias o recrutamento e MOel Goncalves de Miranda de Ministro da quasi completamente o iurv e deixou 'em oa-
a milicias tem allugenudo os mancebos dos Fazenda, transerindo o mesmo br< para o uer dos ministros a vid. e a fazenda do cida-
trabalhos do campo, andam a monte, e para Car de Mnistro da Marluha. do deU um marla, epeu(lerict
se ahmenlarem nao escrupulisam a tirar aos (ldem) NomeaIldo para 0 Cargo de Mi- do poder judicario restabeleceu os antros
que eneontram nan poucas vezes os metos para nstro da FaMada % fl0 Uaro do lojai. provedores de canselbo privou por tola a
* \U* fS?*^?"* V *o a (lden,) ^ome ? t^? *t F"gn,U/^?ei?!0^ ^a l1" dos Negocios Estrangeiros o Baro da accumulando .10 re o que era do povo.
Esta medida, acrescenla o Nacional, e Nacional de crises mmisieriaes j e diz que o seus cereaes ; e sombra da chamada recipr>
precursora de um voto de conGan?a anda (jorreio declarara que o Si. Antonio Bernar- j cidade immensos sero os contrabauias qua
mais ampio .destinado para comprovar o es- do da Costa Cabral supplicra a S. Magestade os especuladores nos ho de mtroiuzr. Al-
tado que ao Ooverno e a maioria da o exame e a graca de exonera-lo do Cargo de Ministro ra j temos de mais o tratado com os Estados
discussiodo or^mento. Dizem que as Corles da Juslica j o que dava a entender que este ; Unidos que sabe Dos o que vira a ciuiar
se lecheo no da 4 de Abril, sem exami- Ministro era opposto nomeaco do Baro do ao nosso commercio e nao tardar o tratado
oaradespeza, nem faxar a receita publaa ; Tojal : mas que por m houvera urna reco,.- to deseiado e lo ariosamente esperadj
e que o Ministerio ficara habilitado para pro- ciliaco e o Sr. Costa Cabral ae resignara a
cedprccmoiulgaropportuno, soccorrendo-se ficar com a pasta da Juslica.
a hum bil de indemuidade no caso de ser
constrangido a emprestimos e a mais antea-
paces."
Constava que o Mrquez de Saldanha a-
L1SB0A 5 DE MARgo.
Concluiou-se a discusso sobre o tractado
guardava em Madrid a remessa dos fundos nesta Sesso. Us exforcos que se emprega-
necessanos para saldar todas as suas contas e ram para profundar o alcance dos diversos ar-
que apenas tivesse concluido estes arranjos, iig0s foram allogados pelos brados de vo-
immedia lamente se poria a caminho para l'or
tugal.
Morte do guerrlheiro Caga e
seus socios.
Do Telegrao de Coimbra. A S. Ex. o
Ministro do Reino do Administrador Gerel__
Por oficio recebido hoje, do Administrador
tos que se ouviam nos bancos da maioria.
Oque o Snr. J. Lstevo pedia por irona no
fim da Sesso anterior completou-se escanda-
losamente boje pois que o tractado por as-
sim dizer passou em globo sem exame e sem
criterio.
Quando em qualquer paie civilisado se cu-
de Ohveira do Hospital, datado do lugar do ra ua um tractado, costume consultar os 111-
conicto, consta que o infame Ca?a e seus teressados e colher delies informaS6es que
socios, foramortos todos no dia a do cor- servem de base aos trabalbos ulteriores. Mas
rente s 4 horas da tarde, dopois de 18 ho- desta vez encarrgou-se um poeta de accordar
ras de logo aonde morreram asoldado, e as disposices de reciprocidade commercial ,
alguns paizanoa iendos ; o referido Admiuis- e deixou^se de parle a opinio da Associaco
trador ta sendo victima do seu denodo em 5 mercantil, e de oulras corporacoens. To-
de Marco. (Diario do Gov.) dos os documentos que foram presentes Ca-
, mar datam de 8a, quando esteve para
ALommissao de Guerra a quem foi pre- realisar-se um convenio desta natureza entro
sent a proposta do Governo sobre a continua- Portugal e os E.tadt.s-Unidos.
cao provisoria de urna parle dos Corpos Na- Felizmente desta vez negociamos com urna
conaes, mandados crear por Decreto de i potencia conhecida pela iealuade de suas irn-
de Uezembro de 1840 deo o sen parecer saceos e onda podemo euconi'rar um van-
n este sentido} que tomando na mais seria tajoso mercado para os nossos viuhos, sem
consideracao a necessidade de fixar a lor^a que as exportaeoena Amar.cau-s arruinem a
publica que de va awegurar a manuten 3ao da nossa industria. Mas esto tractado fc um pre-
ordem no interior do Reino, e a ludepen- cedeute, e desle precedente se vaier um
dencia XVacional: reconhecia qua era di Governo, como o que tumos, para por ella
aior urgencia que a organwaeo dtoitiva |modelr outro com a togteterM t que luuti-
* da "?s! WP occupase, logo que, fosscl' ut toda a navegaco de Portugal pol, atooli-
com a nossa mais antiga e fiel ailiada.
Ciando os tratados sao ieitos entre na9j?s
que mutuamente se inleressai e ajuiam, e
que tiram vantagens reciprocas cario que
sao mananciaes de riqueza; mas quando.al-
gama estipulaco mal calculada lera a ru'lna
a alguma das partes contratantes sao os tra-
tados equivalentes escravisaco dos lesadoi,
que ba de por forca cumprir as estipulares
no prazo con vencouado,
D'aqui resulta a necessidada de pensir e
ponderar pausadamente as consecuencias da
qualquer tratado. Porm os nossos deputa-
dos de 10 nao o entendem assim e a sua ve-
locidade parlamentar anda na raza:) directa
da graVtdade das questes.
O regulameuto para a navegaco do Douro
foi na cmara dos deputados sujeito s lormu-
las da discusso ; mas aparentemente que
at o di-.se um depulado iniuisierial, Qaau-
do a discusso coinecou ) o regulameuto es-
lava approvado pelos deputados da maioria
sem a mais pequea aberaco e no poulo
em que estere quasi a so'rer mudanza acu-
diu-itia o ministro do remo com um potico
parenlnese. i'assou o regulameuto tal, quilj
e uos senadores foi approvado a vapor.
Agora o tratado com os Estad as-Unidos
atrovessou as casas do nosso parlamento cj.ua
uma sombra ligeira foi um relmpago ja--'
desappareceu loo que seavistou! Acamara
dos senadores ate tez uma sessj ao l>jjh"Jj
e nessa sesso passou o tratado que deve du-
rar por b anuos 1
j\ao duvidaruos que o tratado tenha van-
tagens para nos j mas possivel que lenlia
multas desvantagens t eomo peusa muiN


DIARIO DIS PERNAMBCO
3
pente versada nesta materia. E porque se nao
J.avia de discutir de vagar e com todo o soce-
0 este tratado ? Ser porque j nao havia
lempo ; mas porque nao veio o tratado s
cortes ero tempo ? !
Est visto que se trata de estabelecer o eos
turne de approvar tratados a vapor eem
breve veremos algum outro o favorito ,
para quem se andana arranjando estas vespe-
ras. Esta visto que a canora depois de nos
tirar r dentro a mor parte de nossos foros e
uireitos, nos ser inleiramenle dependentes
l fra.
Este procedimento das cmaras est em
harmona com o do ministerio que ellas apot-
8m ; porque esse menislerio j disse o Snr.
Joaquina Antonio de Magalhes t tem-nos
dado oppresso e miseria c dentro oppro-
brio e vergonha l fra Def. do Athleta.
---------------tux I
Noticia sobre o estado da Barra do Dour0
depois da ultima cheia.
A ultima cheia corlou o Cahdelo na direc-
cao das pedras denominadas Prolongas -, e as
ai.is, que laIIi despegaran) foram formar
uro parcal ao Sul da Barra.
O rio ficou bastantemente entulhado de
ara que formn uro banco do sitio da Por-
ta JSobre o qual se estende qu.>si at meio
rio.
O fundeadouro ordinario das F.mbarcaets.
e o canal por onde ellas passam, eonserva-se
no mesmo estado.
As sondas que se fireram no dia 26 de
* Fevereiro ultimo deram o seguinte resulta-
do :
Sobre o banco a8 palmos de agoa.
Da Marca nova ao Anja para o N., o
mesmo fundo.
I)i;o para o S. ate Marca da Lage de
Avre o fundo vai diminuindu.
Nao se pode sondar ao S. da Lage de A-
vre, por causa do grande mar que all se
levanta va.
C D. do Governo. )
i. m n
SONETO.
Marchando s bordas d'horroroso abysmo ,
Com lomadas visees sonba o Carlista ;
D'esperancas se nutre o Setembrista ,
De bruto, e Cssio invocando o herosmo !.
Montar ainda os degraos do Absolutismo ,
Espera de reserra o realista :
E o Renegado.. o tmido Ordeirista .
Tredo cont vibrar do Despotismo l .
Vai longe a procisso. Ordem sustenta
O sanguneo pendo desenrolado
Na alas.. vo as Cortes de quarenta .
Besvalou. .. l cabiu.. .tudo fiadado. ..
T o ai extremo, que o ser livre alenta .
No pego da Anarcbia foi votado 1...
( Do Nacional de Lisboa.)
---------------i*illlM
INGLATERRA.
Londres 18. Rumores sobre disseluco do
Parlamento. Conlinuam a circular rumo-
res de urna prxima dissolucn do parlamen-
to meditada j pelo governo de Lord Mel-
bcure desde 18J7 principio do novo reina-
do e auxiliada coro todas as vantagens que
para urnas eleicoens geraes Ihe dara o influ-
xo de Palacio.
O fundamento em que se apoiara estes ru-
mores a crenca geral de qae o ministerio se-
r derrotado na questo d bil para a refor-
ma eleitoral da Irlanda, que tornaram a pro-
mover Lord Slauley, e Lord Alorpeth.
Times.
dem. Assegurara que varias pessoas
?sto lasendo apostas de tres contra uro. de
que os actuaes ministros da coroa dissolvem o
parlamento antes de quinze dias. Nao sabe-
mos nem nos importa se ha maior funda-
mento para estas apostas seno meras con-
jeturas porque em todo o caso os conserva-
dores estaro apercebidos para aconlenda.
i'oiem senselhantes conjecturas entre indivi-
duos do club de reforma que sao os que tem
acostado, segundo dueai sao urna prova de
quo poucoapreco fazem dos actuaes minis-
tros os mesmos que melhor deveroconhe-
tel-os.
Hinguem acredita que se chegam a dissol-
ver o parlamento leriho a menor, probabi-
lidade de tirar maioria da Cmara dos Com-
muns e de sustenlar-se por conseguinte uos
seus postos. (Motuing.-Posl )
MU MI
PhaSlA.
Berlim 8 de Fevereiro. A ideia de
fundar na Syria uro reino chrislo-neutral ero
leiusalein que os peridicos ingle/e* tem
indicado encontra muitos patriotistas em nos-
sos circuios politicos. Antes de morrer o nos-
so ultimo monarcha se tinha apresentado ja
urna memoria sobre este assumpto da qual
nao se fez entao muito caso por causa das cir-
cunstancias religiosas em que se achara o pa-
iz. A realisaco deste plano agora mui-
to mais fcil, em rasio a que se ouvedizer
por toda a parte que a Syria se acha actu-
almente entregue a mais completa anarcbia ,
e que para oppor-Ihe tfm dique absoluta-
mente impotente a autboridade do Sul lio.
A vontade dos signatarios do tratado de i5
de Julho bastara par fazer declarar inde-
pender.te urna parte do litoral da Palestina ,
o qual espalharia mais lu"s vivificadoras em
todas asdireccoens com Pnt central da c-
vilisaco europea sobro as nacoens asiticas ,
sendo indubitavel que se se estabelecesse alli
uro governo regular affluiriam ao novo rei-
no capitaes immensos t e se concentrara nel-
le toda a industria do Levante. Porem tam-
ben certo que aquella regio neutral seria a
maca da discordia de todas as naces com-
merciantes pois to depressa os nossos co-
mo os ingleses como os francezes se julga-
riam prejudicados nos seus intereses.
(Correspondant de Hambourg.)
( Do Nacional da Lisboa.)
rss?
1 naouu 1^'
CHILI.
Valparaso, a 3 de fevereiro.
Diz huma carta de Santiago de 19 : O
negocio das prximas eice continua oc-
cu pando seropre os nimos ; e quas todss as
nossas conversaces sao sasonadas com algu-
ma intriga ou manobra eleitoral que de
proposito fazom correr os adeptos de certos
circuios. Comtudo a a g i lacio que preva-
leca no mez passado diminuio notavelmente
no presente ; e aos temores e incerteza de ha
vintedias succedeo certo socego e seguran -
ca que se julga segundo as apparencias ,
que, ero lugar de nos approKmar nos a-
fasta do primeiro de junho. "
Critica depois os jornaes que se esforco
por agitar os nimos e desunir os cidados pa-
cifico*, e conclue elogiando o ministro Montt,
que se acha encarregado de tres pastas e go-
ta da confian; dos seos superiores e concida-
dos ero compensaco dos seus assiduos es-
/orcos para cumplir os muitos misteres que o
obrecarregio. Elogia finalmente o presi-
dente da repblica Dor se oppr s perten-
eces da corte de Roma que quer nornear
bispos para aquelle estado de seu motu-pro-
prio sem serem proposlos pelo governo, que
tem para isso todo o direito
( Do Mercurio* )
REPBLICA PERUANA,
' Valparaso 4 de fevereiro As ul-
timas nolieias do Per confirmo a contra-
revoluco do general D. Miguel San Ro-
ma u
Huma carta de Lima escripia por pessoa
bem relacionada e amiga nossa diz que a
malograda tentativa de Vivaneo leveem re-
sultado segurar aindamis o actual governo.
Se os revoltosos se houvessem sublevado s
contra o ministerio achario talvez alguma
svozpalhia na opinio geral ; porra esta nao
ibes loi favoravel porque elles se declar-
rao a hum tempo contra o congresso a con* -
iitui:o e resiauraco, Mas o que poda re-
sultar de hum plano mal combinado e di-
rigido por hum joven estouvado ? Este suc-
cesso ao passo que anniquilou par-, semprc
a Torricoe Vivanao forlificou sobremanei-
ra no mundo o general Gamarra contra o
qual podemos di/-lo em abono da ve-rda-
de nao se tem pronunciado pessoaalgu.ua
de nota.
O general Castilla sabio de Lima para
Cuzea. O general La-Fuente fez-se de v-
la em o de Janeiro no brigue de guerra
* Constitucin 't junto com a frgil? de
transporte Amalia, leudo a bordo -joho-
nieus do bttalbao Pungan e o commandau-
te Castillo. O coronel Arrieta acompao* va
o general La-Fuente.
A galeota de guerra Libertad" fez-se
de vela do Callao no dia %ti Ue Janeiro U-
rigiudo-se para Anca
La-Fuente esta revestido de poderes ex-
traordinarios para surlocar inteirau^nle a
revo.ucao e castigar erier^icameoie a seus
autores.
No norte reiuava o maior socego o qual
se nos assegura que nj sera perturbad >.
O coronel Cotzale tinha cegaOu a Callao
com a melade. do baiallio (jamara.
O geneial San Koiuan participa de Cu-
ttr era ti 1 queem a noitede iteectuj-
ra a reaeco naquella cidade apoderando-se
dos quarteis e armas da mabr parte dos su-
blevados apprebendead alguns apresen-
tando-se outros e fugindo o rhefe faccioso ,
coronel Boza do tbeatro das suas rapias e
prepotenciis. Ficara prepiraudo-se para
persgair e anniqular os restos desmoralisa-
dos de Boza e Vivaneo;
- 6 de fevereiro,
Depois da reaccao de Cuzco o commandan-
te Lobaton quiz sublevar a provincia de An-
ta contra San Romn j porm a povoaco
de Surite os Indios etc., reunidos em
numero de mais de mil Ihe intimarlo que
se entregasse. Vendo-se cercado d* tanta
gente, ocommandante Lobatoo seentregm
por necessidade e foi conduzido preso a Cu-
zeo com vinta dos seus no meio das accla-
maces de : Viva o general presidente G-
marra l viva a constituico l viva ajordem l
e morro os revolucionarios l
( Do Mercurio.)
( Despertador, )
MONTEVIDEO.
Pelo brigue Campos, entrado em i5 das
de Montevideo nao rectjemos ainda folhas
daquella cidade ; porem chegou a nossa po-
der a noticia seguinte cuja veracidade nao
podemos afiancar nao obstante ser dada co-
mo redigida por um passageiro.
* No dia o chegou a vontevideo o almi-
rante lirown com j brigues 3 patachos e 1
escuna os quaes funder* em distancia da
cidade: no dia jt suspenderlo e vieria
fundear a pouco maior distancia do que a de
tiro de canho Depois de terem fumigado
em linha hum dos brigues, aonde eslava
a bandeira de capitana gou a bandeira 0-
rienlal a salvou com 1; tiros, que forp im-
mediatamente respondidos pelo forte da cida-
de com o mesmo uumero de tiros : e conser-
vou-se com a bandeira oriental todo o dia. "
" No dia 31 pela man ha a esquadra de
Montevideo, composta de 1 brigue a pata-
chos e a escunas fez-se de vela do porto e
fundeon em franqua. Est commandido es-
ta esquadra o coronel Coe que foi o imme-
diato a BroWn em algum tempo. No dia em
que sahimos ouvimos, pela huma hora da
noute, tiros de canho na direceo da es-
quadra de Hrovrn. "
-- Pessoas que recel ro cartas de Monta-
video pela mesma embarcaco, asseguro-nos
que nellas se faz tambera, menco da chegada
da esquadrilha de Buenos-Ayres, comman-
dada por BroWn ; porem que nada dizero. so-
bre asoutras circunstancias referidas na noti-
cia que cima deixamos publicada.
Tambera ainda nao recebemos (provavel-
mente por estar o correio fechado em razio
de ser domingo) as folhas que devemos ter de
Pernambuco e Baha pelas embarcaces en-
tradas boje com escala por aquelles portos ;
mas consta-nos que as mencionadas provin-
cias gozavo de socego
[Do Despertador de 19 de Abril.]
SOCIEDADE THEATRAL RECREIO &
INSTRUQA.
O Secretario faz siente a todos os Snrs. So-
cios que leudo sido marcado pela Commis-
so Administrativa o dia 15 paca levar em
senna a quarta Recita ; queiro comparecer ,
em casa do Snr, Thezoureiro a ]ualquer ora
do dia 14 para comprimnto do 5 do Art.
1 a dos Estatutos.
SOCIEDADE TERPSICHORE.
A Commissio Administrativa da mesma
convida aos socios a reunirem-se a manh 14
do corrente pelas 7 horas da uoite.
Avisos Diversos.
isr A pessoa que precisar de urna parda
roossa de bous costumes para ama. de casa ,
a qual cose engoma e cosioha, tudo com
pefeiCjio ; dirija-se a Solidada D. 4*
tsr* Pergunta-seao Snr. Antonio Viris-
simo da Silva Pimentel se seu cunhado Fe-
li> Antonio Juca pode ou nao vender o si-
tio e as duas casas com o Armazem que tem
ua Estrada da Boa-viagem como ansunciou
em hum Diario e se Narcizo Jos da Costa ,
con venda confronte ao beco da Bomba est
autorizado a fazer dilla venda, isto pergun-
ta urna pessoa que o quer comprar e nao
quer quetes para o futuro.
ssr Tendo no dia 11 do corrente desapa-
recido da ioje D. i do Atierro da oa-
visla urna carteira contendo alguns papis
de importancia e dois mil rei 00 du < se
dulas; roga partanto a qualqitcr pMM achou ou por engao a lvou ; qpfcrii
restituila dirija-se a ras da R.nitla Urs .
vend3 D. 4 que ser benj recjiupOi'di.
pois nao Ihe node servir de utilizaglo vis*
to os dorios dj referidos pipis estafetil pf'
venidos.
taT* Quem precisar de una avente do p*
dreiro ; dirija.se a rui de Orias O. '.
tST Precisa-se alugar urna escrava pif
vender na ra; no atierro da Bja*-vista ,
venda D 3g.
&T Francisco Ribeiro de BritO a tflfllvj
fez scienie ao respeitavel publico, psfs quo
nao contratem negjcio algum coa Antonia
Pereira Tirano, relativamente as cazas dd
que o mesmo Tirano se acha de pssse sitas'
as ras da Alegra da Gloria c bocO d*
Gloria *, por isso qu9 as inesmas cazas por >
ra ainda portencem ao antiuiiciant: o entre
nos existe tracto quo priva ao mesmo Tifa-
no fazer qualquer negicio com as menaori->
das casas; e para nao apparcccrcm duvidis ,
de novo faz scient ao rnsoeitarel publico.
ssr* Alugi-seo primeiro andar dj sobra-
do do pitiode N. S. do Tergo D. rj3 ; a
tratar na loje de terrajera ddbaixo do so-
brado.
ss^ Precisa-se de um menino que queir.
aprender olE:io de carpina quera cstivef
nestas circunstancias : annuncie ou dirija-*
so a vend, D. 11 no largo do Paraizo.
rarr No botequira cova d* Onga na ru
do Rozario larga aprompta-se jantares para
fora com todo o asseio, c mo de vacca eos Do
mingos ; no mesmo precisa-se de um meniu
esperto para caxeiro.
tsr Quera quizar fazer algumas Bande'H
ras Nacionaes; diriji-se ao armazem de Ma*
carne, na ra do Vigario a. 3.
%sr Precisa-se de um, ou dois negro? pt-s
ra se alugar > sendo estes para servir e;n un
sitio ; quem os quizer alujar dirija-se de-
fronte da Ribeira da Boa-visla venda D-
cima 3o.
as-** Antonio Roberto pertende sabir rrar
a Europa com a sua familia.
SSF" O abaixo assignado tendo justo O
contratado a compra de urna casa terrea sita,
na ra das Agoasverdes -4 con- Sur
Antonio Joaquina da Costa herdeiro do fal-
lescido Clemeute Joze Ferreira da Costa ; o
como se ignora se a dita casa ou nao oreira
a alguma pessoa ou se chao proprio: pof
tanto se ouver quem tenba algum dominio
no dito chao, queira declarar pelo Diario, ou.
dirigir-se a ra do Livramento, botica D. 11.
Francisco Antonio das Chagas,
tsT Alugt-se ou arrenda-se um sitio na
estrada do Monteiro com bastantes arvore-
dos de frutos e perto do bando : a tratar n
ra da Conceico di Boavista, D. p. N
mesma casa se vende um Roquete em bou
estado.
ssr Aluga-se urna salla grande e rauib
clara, com um quarto multo bom para um
escritorio, ou pora qualquer hornera sollciro
na ra da Cruz, D. 1, segundo andar junto
ao arco do Bom Jezus.
3> Quera qjiser comprar urna morada
de casa terrea 1). a \ cita na ra velha d
Boavista : os pretendentes dirijao*se a ra.
dos Quarteis D. 5 ondo se dir com quera
se deve entender.
S9T Quem quiser comprar um excellonte
pianno com muito boas vozes e ainda no-
vo, pa preco ; as 5 pontas, primeiro sobrado d una
andar, id, passando o becco do marisco,;
lado direito se dir quem o vende,
tsr Quem anounciou querer comprar u<<
ms morada de casa terrea querendo umt ota
muito boa ra annuncie a su* morada para
ser procurada*
isir Troca-seura moleque de nagio de i-<
dade de 15 annos, bonita lijara bom para
creado sabendo fazer todo o servido de -'ata,
por urna negra que tenha bjnita figura a
que nao tenha deleito algum, sabendo en-
gomar e cosnbar eque seja recoluida: a
possoa a qu i.n. tal negocio convier dirija-sa
a ruadoCabug, loja de miuJeas junto a
botica.
EST" O Sr. que deseja a compra do habitd)
do Terceiro de S. francisco, dirija-se a
Boa-Vista ao pateo Je Santa Cruz cata
junto a Igreja q* l achara com quem tralir.
SST Piecisa-se comorar urna Corneta da
chaves: queraaliver annuucie ou diri-
ja-se a ra da SenzalU Velua sobradiaho
a 77*
tsr Precisa-se allugar huma casa terrea
na ra dtreita, ou paleo do Carino quema
tiver anuncie ou dirija-se na entrad* da
ruadoKangel Lo|* de cera D. ij , char din que u Iratir,
I


DIARIO BE PERNAMBCO
5
tsr TendodesahirnodU 5o do corrente
,>ara a Cidadedb Porto a Barca Bolla Pernam-
burana roga o seu consignatario Tboroaz de
Aquino Fonoeca a os Srs. que na roesroa car-
regaro para se poderem arranjar os malditos manis-
Jestos ; anda recebe a dita Barra passageiros
para o que tere encllenles comcood x,
tr Cancel Custodio Peixoto Soares, re
tira-separa portugal qualquer pessoa que
un o mesrao tenha algum negocio a tratar ,
pode dirigir-se a casado Snr. Manoel Car-
dlo da Fonseca oitao Sur. Joo Antune
Gui maraes.
SST Para evilar a igualdade de nomes que
por vezes tem aparecido as partes da prefei-
tura assim como ltimamente no Diario de
hontem n. lol da j arle dada pelo Wm. Snr.
FrefeUo do dia 7 do correnle ; fes sciente ao
publico Antonio J.i- da Silva que de hoje
i?m dii-r.le se assi^nar por Antonio Jos da
Sd.u Pereira.
^> Um rapar brasileiro de idade de 17
anuos oerece-se para cixiro de alguma
taberna, ou airoazem de tnoihado do que
ia tero pratica e d fiador a sua conduela ;
quem precisar annuncie*
KST Aluga-e uro sobrado tas Cunda, na
ra de S. liento bastante frescos coro bous
cono modo
tsr Sacos vasios de boa qualidade a 200
reis cada um na fabrica de farinha do alter-
ro da Bm vista. ,
tsr Pecas de bretanha de rolo a aooo, ten-
eos branros finos para grvalas a 3ao ca-
berlas para mesa a noo luvas brancas para
guarda nacional a 3ao fil de hnho liso -
larra a 1000 dito estrello a 720 casias
pro'prias para cortinados ditas do bono toa. ,
na ra HoQueimado D. t
SST ma grande porco de selim verde
roovado a 5oo rs. o covado 5 na ra nova la-
do da Matriz D- 9.
tsr Um raoleque creonlo de idade de 7
annes ; na ra lo Crespo loja D. *.
tsr Um grande hanheiro de amarelo uroa
cmoda um casal de caxorros grandes sen -
do um de fila eoulra atravessado um vio-
lan e urna mesa de jantar de 5 panms ; na
ruadeagoas verdes sobrado da quina D, 1.
tsr La de can propria para encher col-
x:lo por preco commodo ; na ra das Lru-
zes venda D. 4- .
tsr Uroa negra parida de primeira barri-
ca r-rim muito bom leite e sera cria ; no
forte do roatto casa de Jos Rodrigues.
tsr 35 palmos de alagado no aiinhamen-
In da ra da Aurora
do untoao terreno
*zr
Um terreno com 60 palmos de Ireute e
mais de 300 de fundo com serrana dous
terrenos de pesos urna pamela mu grande ,
airar da ra do Fagundes na serrara de Jlo
Antonio Baplista Muniz.
tsr Fardo coro fumo ero folha de superior
(jualidade chegado recentemente da Babia ;
,a ra da C'uz D. 18 assimeoro urnas v-
drasst-s para alcova com oilo palios sem
(illa de vidro alguro.
sjt Snalos de Setira de todas as cores
>ara meninas u 56o no alterro da boa vista
D. 16.
CS- Uroa rela ou iroca-se por outra ; em
Olinda na ra do Amparo venda n. 67
tsr- Uro preto de boa figura de idade de
20 annos, muito robusto ptimo para ar-
mazem de assucar serrara ou qualquer ou-
troservico,uma negrnha de idade de i3
annos cose mu bero engomma sofnvel ,
eummoleque de idade de i4 a"ns opliroo
para qualquer otEcio; na ra velha no pri-
meiri sobrado a direita indo da ponte vela
para S. Cruz.
S39- Aparelhos de porcelana dourados e de
boro gosto ditos aiues ditos de he.ra azul .
a fugir consta que o dito moleque tem apa-
recido em Paulista ; quem o pegar leve a ra
da Cruz n. j que ser recompensado.
tsr Fugo no da 5 do corronte um escra-
vo creoulo de nooie VIathas de idade de
11 anuos levou camisa de chilla calcas
de macedonia escura de listras e carapuc,
o qual traballuva ao Sr. Arcenio julg.SQ
ter hido para o mitto de'onde he Glho, por
ter vindj a pouco lempo para a praca ; queil
o pegar leve a preo* de Vlanol Igmcio da
Oliveira Lobo e sendo no ruatto na fazenda,
do poco grande destricto do Limoeiro a Jjse
Ferreira Gomes da Silva, quesera graiificala.
tsr Fu"io no dia 5 do correte uro mo-
leque de idade de 1 i amos creoulo levan-
do vestido calcas de brim grosso c i misa da
clilla azul diaraa-se Joo tem uro sigrul
de ferida na pema direita ; quaro o pegar
ieve a loja de crragens de Dias & Cimba na
ra da cadeia defronte da ra da cacimba ,
que ser gratificado.
ts^ A 2a de Julhode i8iq fugio uro ei-
oravojde nomo Joo, de nacao congo de
dada de -ao annos tero 11a testa duas cirrei-
ras de calombinboi com os mesroos nos pei.
tos uro pedassinho lirado na orelha esjuer-
------P----- .. _.',_ ,ipl; versos OSlos ios um peuissi""" 'i .^..a cs uer,
e ma.s cores, d.tos de me.a de drver o, j,olot ^ ^ ^ ^.^ uma ^^ b
, con, fioo palmos de fon- pratos de muitos padroens ^opuiei meio fu,b^ eslalura regu|ar % e dinda a,
, do Snr. Cunha Macha- | pidadas, garrafas e copos para -goa^, cauces ^ ^ ^^ queaj Q pegir |ev ^ ^
lapidados para vinhode muUo b, gojlc,, ,-- ^^
dos, sala e alcova forrada tem ooli- do j a tratar na ra nova 11. t). | lapiaaaos para nnuo unos tjn_ eslreita do Rozarlo U. -tj no lerceiro
a para o mar, os prele.deutes que- a-^, Urna armaco de loja cim parte en- eopos para champagnhe. lisos ^ue cebera 100,000 de gralificaco.
vel-o pede^ Hie\-o entendenao se vidrassada fiteiros puchados a porta tam-_ teiros de casquinba ditos aa ; ^ Nodaia de Abril fugio ou
and
ua
ir
na vista
lendo .
com o Sr. Francisco da Costa Teixeira no so- bom envidrassados proprios para joja <
mangas c bordadas. globos de
braco junto : a tratar na ra telba a boa fazendlS, ou outro qualquer negocio; no divers
vista com o' crenle Coronel Jo da.Cunha! atierro da boa vista as lojas do sobrado do Por preco commodo na ra
furta-
IWoreira.
Avisos Maritimos.
9 rao da praia um escravo de nacao Benguela ,
lezend ou nutro qualquer negocio j no diversos tamanhos e multas oui o ^ .^^ ^ ^ a ^ anuoJ ^ pouco fa|U ^ ^
Por preco commodo ; na ra nov* j ^^ c>eUn0 ^ a|t0 bastante, rosto com-
louca defronte da Conceico.
Sr. Jos Pires Ferreira. louca delronte da conceico. prido grossura mediana beicos cahidos,
tsr Um escravo de nacao ptimo para to-,' tsr Um sitio na ponte de Uchoa co oa r^ ^ ^ ^ q[[io diniUj cahida para ^_
do o servico e tero principios de cozinha e as* de vivenda casa para pretos (
um relogio para cima da mesa -, na ra do ria cacimba com boa agoa e "*<>**
PARA CURUUIPE cem escala por Macei Faguodes I). 18 defronte do sobrado do Snr. fructo 5 no alterro da boa vista casa de
je xo], com a marca no peito direito que he una
a Sumaca Nacional Carolina pretende sa-
bir at o dia 18 do correnle ; quem quiser
Antonio Annes. nardo Jos Carneiro Monteiro.
tS9- Una negrinhacom alguroas habeli- t&~ Sement de alface, couve nabo, <
tur ale (1 (lia IO uo tJirrnn ; nurui iiuucr -^ ~ u......--------- -u ... n t .m
caTreldW^^^ dades de idade de ,4 a .5 nnos e sem sebo i.nho; ua paac do Go.nerc.0 botequim
Costa na ruada cadeia do IWie. ci algum e um cabra excellenle para pa- do Alme.da.
Vinho de Bordeaux hranco e tinto, de
- S com um travesso levou vestido uojris
calcas de briro pardo r.el/iae tujas, camisa
de madapolo tambsro velha o suja cliapeo
branco de castor velho ; quem o pegar leve a
rui da praia serrara do Cardial que reca-
ber 40,000 de gralificaco,
tsr Em 9 do mez passado fugo urna es-
crava de norae Graca de jjaco benguella ,
baixa bstanle feia conhecida por fanboza,
naris chato ventas e boca grande, desdenta-
da na parte de cima beicos grossos olho*
Jloza. recolhida e um esciavode nacao mocamlu- rebate de i5 por cento ; a tratar derronte da esbu ,haUo} t andar muito apressado e tem
PARA O RIO DF. JANEIRO o Patacho1 qne ambos se do a contento j assim como rioeira da boa v.sH venda o com Jos QC0Slume de tiaia vei por outra lo:iP romo
Reslaurador Feliz, recebe carga e passa^ei- alianca-se a boa condncla ; na ra direila U. Soares Pinto Crrela. quem tem deQuxo no peito bebe fumo, a
ros : os pretendenles entendao-se coro Fir-.1 ao lado do Livramento.' aW Grammatica portugueza. segn la edi- e muilo |adioa repaenla ter 5o annos de
mino Jcs Feliz da Roza. => U escrava d nacao benguela, mo- co a 5oo rs. ; na praca da Independencia idade ,eyou veslido e (jann(J da costa ^
PARA O PORTO o Brigue Porluguez ca e de bonita figura, boa cozmheira e |0Ja de Livros n. 37 e iS e na ra do Livra- do vt.nrl(i banha de manh, e de tarde azei-
Maria Feliz, Capilo Antonio Luis Gomes, lavadera cora urna cria de a mezes e tem ment D 11 no primeiro andar. te decarrapato no dia que fugio levou uroa
forrado de cobre, e muito vtleiro; quem qui- muito leite ; na ra da trompe para o non- BT Dous negros, e duas negras dous aHela de lulba coro uroa caada'de azeite,
ser carregarou ir de passageni para o que .ero dego no sitio que tema (rente da casa pintada moleques duas negrinbas de diferentes medi(la e |Unil esta escrava tea' sido vista
muilo bous comaiodos emendare coro o dito de amarelo. idades urna dita com principios de costero em di[rerenle9 ,ogares desla Gldjde ( e no
L'amto na praca do Cororoercio ou coro ol tsr Barricas com 6 arrobas de brea a 7ooo e engommado na ra nova detronte da 1- resladuvida quelero casa onde se reeolha a
at porque lu seuuzdi e assiro a pessoa em
cuja casa for adiada lera de ver o seu nome
delarado ao publico como acuitador de escra-
vo fgidos e pagar os dos de servicos per-
cas e damnos e acuzado peranle a leij quero
o pegar leve a casa terrea que faz quina com o
beco de S. Pedro junto ao sobraJo em que
cara o Reverendo Tho da Silva Guiroa-
res, quesera gratibeado.
t3T Roga-se as aullioridades polciaes a
ca pitaes de campo pessoas particulares, que
aprenendo por uude for vuia a pretu de no-
me Mara de idade de 40 annos, alta, ma-
gra denles abertus Indina como creoula ,
ides e por
to.
icional Maa Luisa de seva 'Jde de a4
que be Rleslre 1 naci Marques quem no bolaxa do reino a 160 a libra cboroiate a annos de boa estatura bastante forcoso e
nesmo quiser carregar ou ir de passagem 3ao dita charutos superiores a d8o o cenlo proprio p*ra arma.em de assucar ou oulro
i.tenda-se com o dito Mestre ou coro seu cl. aljolar a a4oo, dito perola e isson a ao&oj qualquer servico 5 na ra da cadeia de S.
dono Antonio Joaquim de Souza Ribeio i.a na ra nova venda D. di. Antonio D. 1 por cima da fabrica de chapeo*
ra da cadeia no liedle. a* Um otanta um I. ro taboada para
PARALISlOA com brevidade sabir o nutico e urna escrava para lora da praca
Brigue Nacional Paquete de t crnaml.-uo rozinha e lava ; na ra da praia serrana do
Cardial*
tsr Por 36 000 urna duzia de cadeiras a-
Jcnado e pregado de cobre, e de boa marcha;
quino quiser carregarou ir de passageu para
o que olieiece bci.s rtmmodos, uiiija-je ao
Capitao e proprietario Leojioldo Jo? da Cos-
ta AraujO, lo lorte du aiallos quina da ra d*
Lapa no segundo andar.
jL e 2 i a o
tsr Quem fazem l.atharo & Uibbert por
inlervfinao do Correlor tJve.ra l> rtais
esplendido sortimento de fazendas propras
d'esie aereado testa feia 14 do ron ente as
lo horas da manb em ponto no seu arma
lem na ra da alfandega velha.
ssr Que fazem Lrabtree Hevworih &C. ,
por interver.co do Corretcr Oliveia de
urna porco de algodo da india viudo pela
Larca Irgleza Filen arribdda a e te porlo com
agoa aberta na sua rcenle viagem de Bom-
be, i tu a Liverpool quinta leira :? do crlen-
te as 10 hors da manb noaimazefu pinxi-*
1x0 a alfandega nova.
kw* Urna loja de couros coro algunas miu-
dezas e sua competente armaco ludo no
valor de -240,000 sita na ra direi'.a U. 5 ; a
tratar na ra do Arago l). 7.
tW 6\ palmos e meio de trra em frente ,
meriranas com assenlo de palhioba, em e mais de 5oo de fundo com algumas arvo-
bomuso; no paleo da penha casa de por- res de Iruclo com muro ero 3 iados no be- g^ v~tdo"de M '^"^ *"" ^ "
US verdes. co das barreiras junto *o rio para embarque j res e|icirnadas ( com babados largos foi es-
sar hamos de flores de marisco o mais na rQa do Gloria u. Oe 19. crava de Felipua moradora no Tolo onde he
lindo que se tem visto, e um balanquim ac- j
bado de novo muilo bem domado j na ra
d cadeia do Recite n. 12.
KiT Un.a negrinha creoula de idade de
uo annos ,
que cose e tem principios de lataiiuto j
ppa
casada com o preto Jos cassange e tem um
filliu de nome Vicente em casa de Joo Paulo
Escravos FujL*;tlo>_
^~No da 24 de Abril do correte, fu- Ferreira a diante do G.qui; quem a pe-
^ nm* 1 ,,;, Ho a. car leve a ra larga do ttz*rio casa de rran-
bem parecida sem algum acha- g.o urna negra ae ome ^u"'-1 de Leo Antonio de "arvaiho Siqueira que re-
na cao mocambique heico tuiado alta oasian- 1; 1
e, ecca. rosto pequeo agora he que compensara protesta haver da. de servico.
iuoo os peitos bracos compr- percas e danos de qualquer pe.soa que a Uver
pracinba do Imnenlo U. a*.
tsr larinba de mandioca de superior Ihe vera sehiuao os pe
aualidade por preco commodo no arma- des e finos, mos e pes grandes tem no
zem de Jo.- H.giuo de Miranda. hombro esquerdo urna empinge que parece
BT Urna pela creoula moca e sadia lora do vestido e mais abaiso desla lem ou-
encapada maliciusameuie.
C o m [> r a b
tsr (^uatro librs de tartaiuga cu mes-
bo maor ou rtenor poico ; quem liver an-
nuncie.
V e 11 d a s
MST Bichas de Hamburgo grandes, e por
brecocomvodo j na rui. uo Vigaiio vtnda
a uo.
eosaba engomma cozinha faz doces e ; Ira mats pequea j quera a pegar leve a ra
ccsealguuiacouza 1 r.ofim da ra Augusta de S. Gonsalo ao peda lgreja.
sobrado da quina que lem o oilo e entrada SSS" No da 8 do crreme lugio um escra-
oladouoviveirodo.Vluoiz. vodenacaocabuuda.de nome Antonio e
fcT Liua escravas de nacao uroa de da- por anlhomazia macaco cor lulla, rosto dis-
decie ib annos, que sabe enommar coser, carnado ptrnas finas, lera pelo rosto al-
ensaboar e cozmbar e a oulra de idade gumas mateas de Jjechig^s loi escravo de
deis cozinha e ensaboa i na prado ba do francisco Uuai le morador ua ra de rlor-
Livrameulo sobrado por cima da loja que foi! tas lem ollicio de carraceiro e he bem co.
do Sr. Herculano. I nhecid > na matancas das o pontas e coelhos ,
tur Urna casa de um andar no bairro de
S. Antonio em muilo boa ra em chao
proprio com grande quintal murado e
cacimba rende 24000 por mez ; na ra da
cedeia do Heciie n. 12.
k^- bichas pretas muilo boas e por pre-
co cuiuuiodo no pateu do l armo venda de
Narcito Jos da Costa.
peio nome de Antonio macaco ; quero o pe-
gar leve atraz da Matriz da boa vista casa de
Joo Malheus que gratificar,
J> Fugio no oa 17 de Marco um ,mole-
que de nome Juo de nayo bengnelU de
idade de 18 anuos, corpo regular, olhos gran-
des cor fulla lie bem fallante foi escra-
\o do fallecido Di. Rocha ja he acoquinado
Muviiueuto CO^llNUAtjiAU t&THAAS .\$ UO
DO DA li
BAHA; 14 das, Biigue Dinamarqus
Christiano de 35o tonel. Cap. Mlhias
Cornelinseow equip. 11, carga lastro;
ao dito Capto.
blilDOS NO DIA i a.
LISBOA com escala pela liba de S. Miguel ;
Brigue Brasileiro Triumpho Americano ,
Cap. Alexaudre Jos Alves carga assucar.
MARANHaO'; Brigue Encuna Brasileiro
S. Jos de Pertiaubucj Cup. Ricardo
da Silva Neves carga varios gneros ,
passageiros dous frades capuchinbus.
GENOVA; Brigue Sardo Dario Cap. Ja
come Brugueire carga assucar.
HEC1FENATXP. DEM. F. DE F. 1.841


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID ETBBXLZOZ_IXWIG0 INGEST_TIME 2013-03-29T17:53:40Z PACKAGE AA00011611_03801
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES