Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:03796


This item is only available as the following downloads:


Full Text
\vs<* de 1841. Sexta Fkira
Tudo arra depende da nos mesiinj ; da nossa prndanea, modera-
do, o eoartfia i eor.nuejBos carao principiarnos, t seremos aponfado
aa adawracio entre as IVaces toisculUi.
Proelamaco da Assemblca Geral do Brasil.
?
Suhrwreve-se para esta fclha a OfTooo por quartel pago adianUdo*
nsUa Typogrsa ra das Cruzes J.3, e na Praca da Independen-
cia, n. ->7 e 33, onde s recerion correspondencias legalisadas e an-
uuncios, insirm:Jo-se estes gratis i sendo aos proprios assignantes, e
viudo a agnados.
PARTIDAS DOSCORREIOS TERRESTRESi
Ctc*de da Parahiba a Villas da sua preteneo \
- do Rio Granda dj JNorte, Villas dem. .'.....f B .
Ota da Fort ik M e VUlas ideo,..............I***' S,"u* '""'
ida da Gotanoa...................../
. ide de Oiinda............(......... Todos os das,
l de 5. Anuo....................... Quintal letras.
Dita deGirantiuns Povoaco do Bonito.........lo, e ?i da cada mes
J.issdoCaoo, Senntiaein, Rio Farinoso, e Parto Cairo, i, II, t ii dito .lo
J;dcie das Alagoes a de* Maceio............dem 1 'sin
/lila da Paja de' Floros...................... dem lo, dito dito
Todos os Correio parem ao meto dia.
PHASES DA LOA NO MEZ DE M.UO.'
La Cheia a 5 as n b. a i m. da naan.
Quart.rning. a i3- as r b. a Si m. da tard.
La Nova a 20 as q h. a 2a m. da tard
Quart. cresc. a 37 t as 0 h. e 17 m. da maa.
Alare tiicia para o dio. 7 dt Ulaio.
Ai 5 bo'fts e 13 minutos di tarle.
As 5 turas e 43 niatos da inmh.
7 DE Mao, NM. 5)8.
CAMBIOS. Miao 6
Londres.....'. Si d. por 1 jooo eed.
Lisboa......80 per 010 premio por metal offereeif&J
Frates......31o reis por frauco. Comp. Vendas
OhO Moeda de 6? Wtas no-jas i4j5oo liyoo-
Ditas de 4fooo res, Hf?oo 8#4oo
PRATA PaUcei trasileiros ---'... i^o ig-00
Petos Columnarios----------iffiSo 1/700
Ditos Mexicanos-------------IJ600 i#ao
Miu-la.-------..-.--------i.?,6\> igtf>
r--s. de bilb. da Aifanda>a 1 i|8 por loo .11 tnesu 1 0|o
Meto de letras df boas (irritas 1 i|ia 1 1-4
51 i* da cobre ? por 100 de dise. ao par
SduUs de pequeo valor i-i ojo a 1 o\o
DAS da semana,
3 Segn.11 >X< Inrenco da Sinta-^Cruz.
i Terca S Ploilano M Rellano e audieacia do Jui deJOIreito da I J
vara. *
5 Quarta 3. Pi 5 P.--Audiencia do Jais d. I), da 3. vara,
t Quinta S. J')5oauteportam-Latina;a -- Audiencia do i ji da Direito
da 3. vara.
7 Sexta S. Estanislao B II. Anuencia do Juiz de O da 1. sr.
8 Sabbado Aparicio de Miguel ftreanjo. -- Kellacio audiencia da Juiz
de da 3 vara.
9 Domingo S. Gregorio NanzUnzeao
I1IO DE JANEIRO. Par,ic3onspoCargo, que nao forem de abso-
| lula necessidade.
Dito Ao Director rio Arsenal de Guer-
MINSTERIO DO IMPF.RIO.
Ilm e Exm. Snr;Tendo Sui Mases-
re para mandar collocar na Fortaleza do
Rrum tima Cabrilha com a precisa capaci-
tade o Imperador designado odia %5 de Main : dade pira montar e desmontar pegis de
dj corrente anno para o Aclo Solemne da J grosso calibre, conforme requesita o Cam-
sii'i Coroacao e Ssgraco ; assim o communi- mandante das Armas.
coaV. Ex para seo conliecimentu. Dito Ao Commandaute das Armas,
DeosGnaraV. Ex. Palacio do Rio de Ja- communicaadi-llia a expediegio da ordeaa
neiro eo 29 de Maco de 1841 Candido supra.
Jcse de Araujo Vianna Sr. Presidente da
Provincia de Pernambuco.
PERNA MBUCO.
GOVERNO DA PROVINCIA.
COMMANDO DAS ARMAS.
Expediente do dia a; do p. p.
0(Hcio-Ao Exm. Presidente, mandan-
do-lhe a presentar a Jos Tbomaz de Moraes
que Ihe fora de sua ordem remetli lo para as-
' sentar praca, por ter j; o mesmo Moraes ser-
Em consequencia do Aviso supra se expe- vJt> n* qualidade de s-gunlo Cadete e l-
diro a todas as Cmaras Municipaes da do demico pela sua incjrrigibilidde no ser-
Provincia cfBcios circulares, commanieaudo- v'5o motivada pao seo desarranjo cerebral ,
Ibes o conteudo no mesmo olBcio. tendo-se por tal motivo deixado d'asseitar of-
n ,. .. I ferecimentos que tem feito para marchar em
L'.xpedieiite ao da 2Q do oassado. j- j- ,x
*. ,-, -y uu pussauu. diversas expedtecoes mandadas a outras Pro-
L/Iiil-io Ao s-ommandante das Armas,':__:..
pm ero cutrpr.mento do Imoer.al Avso de Dt0 Ao mesmo Exm. Sr. devolvido -
*o de Marco ultimo expedido pela Secretaria |he nform1,,o o requerimento do Padre
da Guerra mandar demitlir do servteo mi- Chrisl0Tj de 0!anda Cavalcante que pe-
litar o Cadele deC.vall.ria de prtme.ra h- dh ser do M de G [[io \ _
nha Francisco de bouiaHegoM011te.ro. i cwiro Halal,lo de Artith.ria a p vag3
Dito-Ao mesmo com,nuicando-lhe que b fll|eciaieQtC) doCapello Rodrigues
b. ul. o Imperador por decreto do 1. do cor- pranca>
Dito Ao Comraandante Geral d3 Cor-
pode polica disendo-llie em resposta ao seu
o.lii'io desta dala que ao Exm, Snr. Presi-
Dito-Ao mesmo partecipando-lheseme- dente ,flh, mandado apresentar para ter des-
Ibantemeote a JW-sao do Coronel ora- linoJose Til0in de Morae5# pjr sso qi|e
renle mez 11 orneou Commandaute das Armas
da Provincia doCeaio Liii/.adeiro Josa Joa-
quim Coeliio. -
mente e por necessidade o oftacio de sangra-
dor, e barbeiro do me*mo Hospital dando-
P.e o ( irurgio Vlanoel Filippe de Faria de
sus gratiicaco sem a dever, a de 8U000 rais
rnensae*. e como qu?r que nenhum sangrador
ebaibeirose quisesse prestar ao servico do
Hospital por menos de vinte mil res mensies,
proposera em i5 da Pesembro do anno pas-
sado a Presidencia para mandar abonar ao
referido eufermeiro de a do mesmo mez
em diante unra gratiicaco mencal de 10U000
reis remnnerando-se assim seos servicos,
coro os quaes o hospital lucrava ; porem que
nao se tendo a respeilo tomado deliberacao al-
guma nao obstante ter sido pedida em o li -
ci de 18 de Fevereiro deste auno rogava a
S. Ex. houvesse de mandar abonar a gftt*
rkaco designada ao Eufermeiro desde o
suptacitado dia a de Desembro at 19 da Fe-
vereiro em que foi escuso do servico, e do
1. deMaioem diante ; por que se compro*
metia a continuar a prestar se mesmo na qua-
lidade de pas > no.
Portara Ao Commandante interino do
Esquadro mandando proceder a Conselho
d irecco sobre a Justificarlo que dera de
sua nobresa perante o Auditor de Guerra o
Soldado da primeira Companhia Jos de i\e-
greiro de Aimeida Sariaba .
O Brigoe Portogues Africano, recebe a
malla jiara Lisboa amanbi (8) ao mth
da.
Retidimento da M* de Rendas Internas Gi-
raes no mez da Abril prximo passsido, a
saber.
Segunda Dcima de mo morta
Direilos Novos e Veliios
Ditos de Chancellara
Decima da mesan
Taxa da 2U000 reis por escrivo
Impostes de letns ajuisadjs
Matricula do Curso Jurdico
Foros da Terrenos da Miriuha
Laudemios
Selo de Herancas e legados.
Sisa dos bensde raz
Impostes de lojas abertas
Direitos de Sejes e (Jarrinhos
Taxa de 1U000 ptr Escravo
Sello do papel*
a48U74
744U481
jUjo
ioUocao
i5Uoo)
IldUilQ
ajooo
aUojo
5iUoia.
l-,9aiU3q5
:ai7Uo9j
aj-ioUicp
4aado3
flUOJ.
6J1U900
i3joo5Uiii
----------*!
dnado Fiaiuisco Jos Martina para Comman-
dante das Armas da Provincia do Maranho.
Dito Ao mesmo para em observancia do
11 perial Aviso ue 24 de .arco ultimo en-
viar cepias aulhenlica das li de olh'iode
tedes os officiaea de primeira e segunda Lmh
da Provincia que veucem soiuo a fim de
serem enviadas a Secretaria de Estado dosNe
gccios da Gueira.
elle era inteiram^nte incapaz do servico das
Armas do qu ti fora demettido em 5 de Ou-
tuhrn de 56 por mentecapto e iucorre-
givel.
Dita Ao Commandante interino do ter-
ceiro Bataiho de Artilhera procurando
saber por que repartid) f iro forcecidas na
organisico do Hospital Regimeatal as cin-
co jarras de madeira e tres Candieiros de
uno- Ao inspector da Thesourar.a de cobre de que tratava o othcial Agente em su
i.iformacodei; de Marco.
Portera Ao Commandante interino do
terceiro Uatalho de Artilherit, mandando :n
sa-
precedote omcio, e ordenando-lne que
lisiaba us requtsicoes que lhe lizr o Co:u-
naiidante d.s Armas para a promptihea- CUmprimento a Lei, dar demico aoCabod,
ao da, meationauas Fe* a omcio. Eaq.-Jra da oitava Compaa. Joo Jos de
Lito-Ao mesmo, iden-udo-lhe que Arruda ; por ter finaiisado o seo engavamea-
n.0de entregar a qua.uia de 800U000 re. l0, e nao uerer continuar.
como ajuua de custo para seu transporte ao jdem do d(a 2g
Exm Presidente orneado para Provincia do QlEcio Ao Exm. Presidente, reouisi-
.', JV ,,* .. v tando-lhe urna Cabrilha para a Fortalesa do
Uito--.io Exm. Presidente INomeadopa- ijiu1,# v
a Provincia do Ceara', commu'nicando o m,' An mM. i?- o..
........ .V uno ao mesmo fcxm. anr. remelteo-
r THSSOURARIA PROVINCIAL.
O Illm. Sr. Inspector da Thesouraria das
Rendas l'rovinciaes manda fazer publico
que em virtude da Le perante o Tribu-
nal da mesan Thesouraria se ho de arre-
matar em hasta publica a quem raais der
nos diasS .7 e 8 de Maio prximo vin-
douro pelas f I horas da manh os seguin -
les impostos ;
1. Doas mil reis por cabega de gado que
for consumrctdo.
2. Uizimo de gado vaceum e cavallar.
A arremalacao de cada un destes rendi-
mentos ser feita por lempo de tres anuos
coitadcsrol de Jnlho de idji a dodeJu-
nho de 184 i e dividida segundo os diversos
Municipios da Provincia, reuninda se ao de
Flores o Julgado de Tacarat e ao da Boa-
Vista o de Cabrob.
As oessoas que se proposerem a estas arre-
mataces, compareca 111 Sala das Sesses do
mesmo Tribunal nos das a cima indicados ,
munidas de Fiadores idneos.
E para constar mandou o mesmo Sr. Ins-
pector altixar o presente e publicar pela
iciprensa.
Secretaria da Thesouraria das Rendas
Proviuciaea de Pernambuco 1. de Margo de
1641.
O Secretario
Luiz da Costa Portocarreiro.
sul.ao.
Dito o Alnspector do Arsenal de Mari-
nha lespnueodo-lne que visto nao iiava-
iem pifcaeiitemenle r'raticps da Custa do iVJa-
lauliao quepaic ali conduzo o Bugue-
Tiex de ikteio deve engatar uui Prattco que.
portaoc
aaianuense do mesmo iiospit^i como para q'
mensalmente se fornecesse ao outor J. E. G.
encairegado inlerinamente do Hospital os ob-
jetes que se disignario para o expedientej por
quanto tendo elle resignado a graiibcaco que
CORREIO.
O Hiale, Flor de Lerangeira, de qua he
. por Lei Ihecompetia," nao seUqueria "otrar MetW Jos Alves de Souza recebe a-malla
itveiio loiigueateoCara, a hm de rece- Com despesas q' sao feitas por tonta de seme- f1"" d bttb,a uil 9 UJ orreiile pelas 11
Derail outro queoconduza ao Maranho. lhanle gratificaco horas da manh.
M ZZ7ti\raTcQ^bT:T^nt ,, DUJ A0tm Exm' Snr- ^ad^0' I O Bngue Triunfo Americano de que he
iTela^ mez.xpe- he que o soldado Enlernaeiro doHos.oital R. Mestre Alexandre Jos A Ivs recebe amalla
nidu pela aecrtUiu da iVlarint.a aobre estar LulI ,vloreira Correu, alem do servtcoqee lhe para llhade S. Wieuel hoie (n) oelas 5 horas
tai toaaa ai ciiras mandada, aser pela Ite- lucumb.a o seo empreo exerceo cooLlame- L u de g (7) P
Recehedoria 4 de Maio da 1841.
O Escrivo
Estanislao Pereira de Oliveira;
OBRAS PUBLICAS.
Pela Administraba o Fiscal das obras pu-
blicas se avUa a tod*s as pessoas que se en-
carregara de apromptar as rnaJeiras para o
concert da ponto do Recit que as trago
quanto antes, na cerlesa de serem i nediau-
menle pagos ; para o que o Illm. e Exm.Sr.
Presidente tem dado as necessarias providen-
cias,
Administraeo Fiscal das obras publicas 5
de Maioda iSi. Moara Almiuistiador
Fiscal.
PREFEITURA.
Parte do dia 1. do corrente.
Illm. e Exm.Sr. Fora hontem presos
pelo Sub-prefeito desla Freguesia, o pardo
Simo Crrela por eslar us circunstancias
de ser recrutado ; foi remetlido ao inspector
do Arsenal de Mariaba ., em conformidade
das ordens a respeilo ; e a preta Mara Jos
dos Praseres por suool-a fgida ; ioi solu ;
pela primeira patrulba do deslricto do Carmo
os pardos Cirilo Celestino e Felis [VJarques
da Cruz, por briga ; tivero igual desuno.
E'o que consta das parles boje recebidas
nesla Secretaria.
ED1TAL.
A Cmara Municipal da Cidade do Recife
e seo Termo etc.
Fax saber que por oficio do Exm. Presi-
dente da Provincia daelado de 5 do correnta
Pie fora eommunicado ter Sua Magestade o
Imperador o Snr. D Pedro Segundo Desig-
nado o dia J de Maio corrente para o Acto
Solemne de Sua Coroacao e Ssgraco se-
gundo lhe havia sido parlecipado pela Secre-
taria de Estado dos negocios do Imperio em
Aviso de 29 de Marco ultimo ; e deseiaudo
a mesuaa Cian festejar esse dia nota toiasas
demonstraces de jubilo e praser, rjgt aos
habitantes desla Cidade hajo de illuminar as
frentes de suas casas uos das al 2^o a>d<.
correule inez.
E pata que chegue ao conhecimenio de tojos
mandou passar o presente que aor pubiieadp
pala ircprensa.

i


DIARIO DE I E R N A M B U C O


Paco da Caro oa Municipal da Cidade do i essas suspenses escandalosas dadas na poca cia ,
io das eleices essas desordena cm diferentes curv
Becife en Sesso extraordinaria de 5 de Ma
de 1841.
Jos de Barros Falclo de Lacerda, Pro-
Prasidonte.
Francisco Antonio Babello de Carvalbo,
"Secretario interino.
Correspondencia.
e amor a verdadeira liberdada el les s;1
varin aquaesquer deliberares ainda
pontos da Provincia esses destacamentos ar- mpsmo ille^aes e caprichosas que da Pre-
roados emuniciadosj essas victimas sacri-sidencia bouvessem de partir a semelhante
ficadas ao furor eleitoral do Sr. Mascareabas. respeito. Os resultados fora urna prova de
Documentes exislem em meo poder que com-
prova a verdde de quanto venho de dedu-
zir : em lempo eu Ibes darei a debida publi-
quanto elle se il'uJiu. No dia marcado para
as eleices, constando do Edital abaixo
transcripto, que o sobredito Fonceca linha
Srs. Redactores*
Em difierentes Ns do seo estimavel Diario
tenho Jido diversos artigos sobre os excessos
e violencias ccrotcettidas pelos Srs. Aleucar ,
e Franca Presidentes das Provincias, cer-
tirotnte infelises, rio Cear e Parahiba, Tal.
vez d'ahi alguem upponha que no Norte
sao esses dous Srs. os nicos oppressores de
seos coi.cdados ; os nicos Lachos que
com o manto respeitoso da manutencio dos di
reitos m agesta ticos da guarda da Constitu -
Cap e das Leis e da seguranca, e tranqui-
lidade publica tetn abusado de seos ciis sa-
grados deveres, vilipendiando nimiamente o
lio carcter de Delegados do Monarcta ras-
o o Cdigo Fundamental do Estado, e
levado a desordena a perseguigo e a roorte,
aaquelles que tnha decidido a prcte:co e
deieza : nao sao int'elismenle s esses Srs.
Redactores os que constiluindo-se cegos
instrumentos de homens reropre reconbecidos
liostis s itslituices do Paiz sempre inten-
ses a r'cnirthia tem dessolado a sua Patria!
lio: ura outro !; que. supposto nao baja
igualado aos Francas e Alentares em seus
desvarios, tem todava exercido ltimamente
nio poucas violencias e perseguices em u-
ma Provincia que, ontr'ora pacifica se v
boje norteada pelo capricho e victima do
aivedri d'oquelles, que, guerreando ainda
fc pouco o poder e depondo por urna ma-
neira 8troz um dos Delegados do Imperador ,
se dizem de presente os Monarchistasexclus-.
vos es verdadairos amigos do Paiz. Fallo
do Presidente da Provincia do Rio Grande do
Norte o Sr. D. Rlanoel de Assis Mascare-
nbas. Quando o Sr. D. Manoel tomou o
mando daquella Provincia, os bons Ro-gran-
denses se rcngratulara por ver a sua testa
um bomem que deo de si as rae 1 Lores rantjas: as suas maneiras e intelligencia
virad alies seguros penbores de urna Admi-
nistracao imparcial, cjusliceira. Com o vol-
ver dos das porem se /oi descortinando no a-
nimo do Sr. D. Manoel certa irresoluco e
timidez bem improprias de um Chele d
Provincia e de urna Provincia que oca La-
va de ver repetir-se em tua capital a parte
xoais triste da scena de que a Cidade de Be-
Jrm fora tbeatro Em as decesses fisyolo-
pitas qne os inimiges do crine fazia ao
Sr. Dotn Mancel, attribuia uns a sua con-
ducta cu loriga de fleuma singular de sua
coropleicao cu terror demasiado de que
S. Ex. se deixara apoderar logo que se in-
formara do estado e circunstancias da Pro-
vincia : outros porem talvez por entendidos
nos principios de Gall negava ao coraco
de S. Ex. o prcgrnmma de sua Administra-
cao ; e olbando para o futuro e combinando
tem as Inslituicoes do Paiz o carcter de certa
gente da Provincia a posico do Sr. D. Ma-
ncel, as suas circunstancias, reconhecia
esse procedimento injusto e exceisivo do Sr. j por exercer a Vara de Juiz de Paz estando
D. Manoel; sobre a sua mui directa e im- j pronunciado e que a pezar de tao legiti-
mo impedimento quera presidir as raes mas
eleices, protestou contra isto o Poro reunida
mediata interferencia as eleices; sobre a
parte activissima que em seu beneficio elle
toniou nos suffragios dos Bio-Grandenses : eu
expenderei por bora dous fados que deci-
dem de quanto fot capaz o actual Presi-
dente do Rio Grande do Norte. De-
signado o dia 7 de Septembro pastado para a
eleico dos Juizes de Paz e Vereadores e-
leicio ru {'residencia pelo quo respeita
aos priraeiros em toda a Provincia e quanto
eos ltimos na Capital entendeo importante
para fcil e prompto tonsegnimento de seos
desejos, se reuni para ella na Villa da
Princesa o respectivo l'ovo. Presidida a Me-
za pelo Juiz de Paz Francisco Xavier da Cu -
nba sao approvados os Secretarios por elie
propostos de rrordo coa o respectivo Pam-
cho ; e nao roimndo estes nos dous Escruta-
dores por nao recahir a nomeacSo em pesso-
bs de seu partido sSo el les pprovados p3'a
Asseroblea Eleitoral. Escandalizado disto o
Parodio nao duvida abandonar a Meta e
retirar-se ; e o Juij de Paz coutiuua em seos
trabalhos ; persuadido de que existindo a
maioria se nao poderia laxar de illegal a
rnesma Meza e de ludo d circunstanciada }
conta ao Presdeme da Provincial O Sr. D.
Manoel informado do negocio, e certo da le-
galidade com que nelle se proceder ap-
prova o procedimento do dito Juiz e ai elei-
ces referidas. Vendo assim os desordeiros
perdidas as suas esperanzas ; urden quantos
tramas pode suggerir a m e a intriga :
fazem persuadir ao Presidente que o lado
vencedor, corcposto todo da gente chamada
do Norte nao poda corresponder as cuas es-
perances na eleico geral, e que elles do
partido do Sul nenhum outro candidato ti-
nha do que oSr. D- Manoel. Desconfiando
ento este dos sentimentos eleitoraes do lado
do N orla cujo procedimento n&s referidas
Eleices a Presidencia havia ha poucojulga-
do regular ; e acreditando nos protestos do
Partido do Sul quanto a candidatura ; acon-
no logar para ella designado ; e quando se
suppoz que entrando em si, elie cedesse
de seos caprichos, viu-se descarregar de por-
ta do Parocbo da Freguezia contra cidados,
que inermes se acbara pacificamente reuni-
dos para exercicio de um de seos imprtanles
direitos, difierentP3 armas assustados e
receanda perder a vida recolhem-v; quasi
todos aprcssadam8nte a Igreja Matriz diri-
gindo-se outros a suas cazas a buscar as armas
que nellas conserva va : a pezar de recolhidos
ao sanctuario abi roesmo sao elles victimas
perlencer a um marquezado nfo pode au.
thariza-lo para affrjntar aquellos que naj ii_
vera a ventura de serem adaptados par al-
gim Titular : essa sua suputa nobreza nao
pode justificar os seus excessos contra os que
em vez de um reconhecem ambos os seus ps#'
Quereria anda, Srs, Redactores.continmr
a referir outros factos semelhantes di actual
Presidente do Ria Grande da Norte quere-
ria ainda mostrar ao Publica par intermedia
do seo preciozo Jornal as injusticas violen.
cas, e oppressoens queda parte da Presi-
dencia se exercera alii contra os bons Cida-
dos quereria fazer ebegar por esse meia os
meus e os clamores dos sempre amigas da,
ordena sempre verdadeiras delfensore* da
-VJonrcha na quella Provincia ao p do Trono
Imperial ; afim de que o Chele da Naci
Brasilcira sediguaso retirar a sua confianca
de um Delegada que ha ultrapassada tanto 03
seus deveres hoslilisando o mrito a pro-
hijada e'a honra, ecurando s de seus
particulares interesaes mas eu recua ante a
prolixidatl que tenho dado as minhas ideas
alentando-me sa na lisongeira recordaco ,
da S. M. o Imperador que nao pode que-
rer o infortunio de seus subditos prover
de prompto os males que soffrem os qua
pertenceaa a familia dos Bio-Grandenses do
Norte. Com a inserso do expendido fagao
Vms. Srs Redactores um especial ser vico a
Provincia do Rio-Grande e um valioso obze-
da malvadera de homens que julgad ser a
baila o mcio mais justo de chamar os cidados
a obediencia illegal e caprichosa e da per-
versidade de outros que sem attenderem
ao seu carcter sagrado constntem t que se
perpetren) crimes no Templo do Dos da
que sao Ministros \ 1 Comecando ento o fj-
;o de parte a parte Goncalo L ordena a dous filhos 5 um sobrinbo qua
alirem sobre a reunio ; e estes descarregando
as armast fora ferir e deitar pjr trra a dous EDITAL.
Tos, o Tenente Jos Varella Barca, e
Francisco Vrela 5. o primeiro leve apenas
urna perna quebrada e o segundo expirou
inmediatamente. Vivamente rcagoados por
um aconleciraento to triste ; e receando per-
der a vida pela reconbecida pertinacia e fu-
ror dos desordeiros j o Po Matriz, abandona as eleices e procura a-
Joo Martns de S Juiz Municipal Interi-
no da Villa da Princeza e sea termo coa
aleada no Crime eCivel caro Jurisdict)
cumulativa na Polica em virtude da
Ley. &c.
Faco saber que ero execuca da Artigo
i-j do Cdigo do Processo Criminal me
selha urna Representacio a Asseroblea Pro- i Ihidos em suas casas
charem suas casas um asilo sagrado contra a f0 remetlJa pelo Juiz de Paz desta Villa,
perversidade dos assassinos. Senhores do tres Processos por crimes de resoonsabildade,
campo reuoem-se elles na casa da Cmara [,um contra o Presidente da Ctmara Mano-
e ahi leva a effeito o objecto principal de 0| Lins Wanderley, e o Veriadar Luiz da
seos desejos e a eleico feita sub a presi- Fonceca Silva que Foro suspensas de seus
dencia de um Juiz incompetente e nullo e Empresas Pblicos, par Pranuncia de 3i de
no meio do susto e do terror dos habitantes utubro deste anno nutro contra Joze di
do Ass l Cheios de garLo pelo triumpho ob- Foncaca Silva, Juiz de Paz Suplente desta
tido com p sacrificio dapaz publica coma Villa e foi pronunciado a 29 de Ouiuhro ,
perda de Cidados prestantes os desordeiros 3 suspenso de dito empreo e outro contra
da Villa : os Cidados, que se achava reco-' o mesmo Presidente da Cmara Manoel Lins
vincial pedindo a nullidade das mesmas elei-'ultimo momento ; as familias assustaa-se ; e Baptista de Oliveira Moateiro e Jao Pega-
ces. Assim se faz ; ea Asscmblea com- 1 elles em seos gritos limita-se a insultar os do de Siquei
< prximo o seo Wanderley e os Vereadores da rnesha i Joa
Oliveira Ylo.ileiro e Jao Pega-
ra Cortes e o Secretario Manoel
posta dos amigos do Sr. Mascarenhas dos que conservando a dignidade de homens e Lins Caldas, que foro tobem suspensas de
Sulistas mais influentes nao duvida por um guardanJo s leis a obediencia devida, se seus Em presos par pranuncia de 17 de Na-
Parecer que se approvou, annullar as men- nao hava prestado ao reconhecimento de u- vembro deste anno. Outro sim fai-roe ta-
cionadas eleices, sem que fosse ouvido o res* ma Autl-oridade Ilegitima e incompetente 1 bem remettido pelo Juiz de Paz das Oli iras,
pectivo Juiz de Paz ou a Cmara ou mes- No dia seguinte subiu de ponto o excesso dos hum Processo por crime de respansabiiidada
mo a Presidencia jnlgando-se para isso au- iacciosos : elles se nao julga satisfeilos com contra o mesmo Juiz de Paz Suplente Joze da
tborisada pelo principio de que a ella com- i as injurias com os im,ro erios, com os cri- j Fonceca Silva que toi pronunciaba em 9 do
te vigiar na guarda da Constituico edas mes perpetrados no anterior. Insaciaveis em carrente roez, com a pena de supeusaadedi-
Bernet'.ido o Parecer a Presidencia ; sua colera elles resolvem perturbar de novo t0 Em prego de Juiz de Paz Suplente desta
Villa cuja pronuncia senda-lhe intimida a
ella se nao quiz sueitar seguudo me com-
pete v
Leis.
nelle um botcem .simulado e julgava seus
actos fallidos todos de vistas futuras. Corre-
rlo os u-mpis, e te nos ultimas mezes de
1840 se veioacbar a demonstra^io da verd-
de do segundo pensamento : s ento que se
fez patente b lona a luz o principio oceulto ,
a nanita que dirigir es actos anteriores de
S. bx. : o ento que te pode cenherer
que a Eleiio era t a tcenina de seos olhos ,
e que tudo mais que se Ihe nao rele is, di-
recta cu izitiieclaatule nenhuma entidade
tuiha |>aia a Presidencia da Pronincia.
Sr. D. Manoel nao loi curar por tanto dos in-
tereises da Provincia do Bio Grande do Nor-
te nao ihe en.Lbiac,cu <> ciime itrnvel pou-
co antes perpetrado j nenhuma n<,a produ-
io em seo espirito o estado melanclico do
Rio Grande, o definhamento de seus recur-
sos o atiazo de sua civihsaco j elle loi s
lazer s trltntes ; elle loi soempregar a loi-
ca para 1 Lanar -obie si es luifragioa tos Ros
Oiaudtuses ; elle ioi taier-se a ai n.esmo L'e-
putado 1 Os lacios isis. hed&clores ,
lalls em favor da conciuso que deduzi: o
b. l. vianctl iniiou os brancas, e Altu-
c-its ; e supposto o nao presuma tao mal-
vado e conompiuo como Utstes se lem di-
to, tirei tcdavic que fallcu a toiihanca pu-
blica 5 aLusou lelamente ce sua authendaue ,
e viulou a Cwjsu.uijao a *s Leis em Lene-
ficio ^s|us p&rljcujarta ihltrtt ( Da
esta o cumpre immediatamente, e manda o tepousodas familias, eaugmentar mesma o
tlf.r de nenhum eeito o acto que pouco numero dos infelizes. Depois de enxova-
anles julgara justo e legalissimo !. O- Iharem a muitos Cidados distinctos, ampa-
ra, se f ssa disposicco do Acto Addicional cando-os com as armas que impunhava ,
BOireptivel de tamanho elasterio, e verda- proferem contra mim sentenca do morle:
ceira em sentido absoluto teremos de ver cerca a roinha casa ; arromba as portas e
es Ajssemhleas Provinciaes resolvendo os ne- nao me achando protestad vngar-se na pri-
gccios de qualquer especie e natureza de- meira occasio. Certos de que estava nssira
cidindo pontos da Administraco da Fazenda, completamente satisfe1tas as vistas do Sr. D.
e rerorrendo-se para ella as Provincias das Manoel Ihe communica i m mediata me 11 te o
decisces presidenciaes quanto a Marioha e feliz resultado. Penborada pelos protestos
Guerra. Nem ao menos attendeo o Sr. D. que repelira os sullistas da Sr. D. Manoel,
Manoel ao ridiculo que lngara sobre si ap- de ser elle o Candidato para a Deputago Ge-
provando quasi actnesmo lempo um mesmo ral, o Sr. D. Wanoel nao se. envergonhou de
acto e sugeitando-se a urna usurpaco que deixar a Capital da provincia, e apparecer ta
de seos poderes fez a Assemblea da Provincia, Assu' com urna Forca de polica de mais de
a qrcm dopois da Lei de 11 de Maie de 1840 duzentas pracas com grande dispendio do Ca-
faltava authoridade para conhecer da exacta lr provincial a pretexto de ranuter a orde-.o
cu inexacta execucod;s Leis Geraes. Mais publica ; e ahi, nada obstante o estado con-
escandalos ainda loi a medida, qne sobre vulsivodos habitantes, nada obstante os sa-
as novas eleices na sohiedita Villa em conse- crificios perpetrados no Templo da Dos vivo,
quencia da nullidade das primeiras; tomou se preslou o Sr. D. Mancel a qur.n'.o delle e-
obr. D. Manoel, Foi marcado para ellas o xigira os facciosos j augmenlau-se o numero
dia 13 de Dezemhro e appareceo em h'us de dos Eleilores ; os que nao partilhara de urna
NovemLro arrogando a ai o exercicio de eleico to tumultuaria, e criminosamente
Juiz de i'uz Supplente Jos da Fonceca e Sil- ieita fora injuriados, e enxovalhados de
va apezer da 1 renuncia que se Ihe deo por publico pelo presidente da provincia -, eu fui
crince de responsabilidad* O legitimo Juiz urna das primeiras victimas de sua maledi-
de Paz liaitcisco Xavier daCuni.a coinmu- cenca; a iiinua honra foi sobremaneira a-
mca a I residencia to inslito procedimento, bocanbada por o Sr D. Manoel mesmo es
eiede providencias; equaes dara oSr* D, quecido de que sem duvida descia assim da
blanoei ? nada retolve acerca da usurpaoao ; sua dignidade e se aviltava grandemente e
t suspende o Juiz ue Paz Xavier da Cuaba 1 de que sabiudo da ordem de suas attribuices,
Os documentos juntos comprova oque ve. seexpunhaa aer relorquido coui todo o fun-
11L0 e i fu ir Cjuaudo o Sr, D. Manoel lo- damenio e justa a ; pas que s sobre o Sr,
a.cu senieihante lesolu^o sujjpoz talvez ). Manuel que rec&he com verdadn quanto
em seus juitoa nimiamente piisuaiiimes os elle avaucou de indecoroso, e degrdame
litfbitaiiii* do Ass ou Villa da Piinceza, contra seus subordinados A qualidade
qui I eu >e acuou penuadir, que tem uHeigen- [de u,ue Uuto se jacta o br. D. Manoel, d
ta e continua a exercer as fumjes de dito
Emprego ; assim como alguns dos outros pro-
nunciados no que nada menos tazeua do que
cometieren novo Crime, querenda assim
transtornar a ordem e perturbar a tran>iui-
lidade publica e a paz das familias ; e co-
mo o do Art.35 da Cdigo do Processa
Criminal me impoean o dever de exercer a
Jurisdico Policial e paia que reine a paz ,
e nao appareca desordens e canflict33 man-
dei lavrar o presente para que os habitantes
desta Villa e Termo, inteiraaos do exposto
nao cumpro nem obedeci as rdeos, que
emmanarem de dilas Fmpregados, par S9 a-
charem processados, e suspensos de seu. em-
pregos, t que pelo Triounal do Jury se
moslrem livres de ditas pronuncias.
E para que chegue o nalicia a lados raan-
dei alixar o prsenle nos lugares dacostume
Villa da Priuceza xa de Deerubro ds 1840.
Joo Mariins de S.
Uzando da faculdade que me concede o
8. o Ait. 5. da Liei de 3deOutubrode
183 i hei Por DC'U suspender a Fraoeiseo
Xavier da Cuuha do exercicio das funccON
de Juiz de Paz e Vereador cid Gainara iViu-
nicipal da Villa da Priuceza, por assim o ex-
igir a iranquillidade publicada mesiua Villa.
Palacio do Governo do Bio Grando '
Norte em 27 de Novembro de 1640.
D. Manca de Assiz Mascareabas.
da
(Os documentos cima transcriptos eslavao
reconuecidosij
tv<


DIARIO DE PER.N AMBCO

NOTICIAS DO RIO DA PRATA.
DOCCMEHTOS CPFItlAF.S.
Os extrartos daquelles q-ie foraS publicados
esta semana sao os spguintes:
A Gaceta de sabbado foi de daas folhas.
Conten lium officio datado de Binchina em
22 de Janeiro de J. V. Guerrero para o go-
bernador da provincia de S.Juan, em que
Ihe participa que a causa da federa!o havia
sido proclamada naquelle departamento en-
tre os reiterados vivas do pavo.
Hum officio datado de S. Jos de Flores,
sd 17 do passado de J. E. Martnez ao go-
vernador pedindo-lhe permisso para se
reunir ao e3quadro de cavallara que se esta
organisando debaixo do commando do capilo
Cervaso Espinla e marchar com elle para
Entre-Ros para ser encorporado com o e-
sercilo do general Erhague a im de o poder
ajudar a libertar o paiz dos vii unitarios/
Tres proclamaces do general Celedonio
Gutirrez aos habitantes da provincia de Tu-
curcan annunciando-Ihes as victorias sobre
os unitarios m Sauce-grande Quebrachito,
Quijadas, Sanalas e Llanos de la Rioja,
especificando as atrocidades commettidas e
instigando os seus compatriotas tucumanos a
levantaiem-se contra os detestareis revolucio-
narios e seguraiem a sua independencia,
Hum officio datado em 3o de Janeiro do
general Filippe lbarri, governador da pro-
vincia de Santiago del Estero ao general O-
iibe annunciundo-lhe que no dia anteri-
or havia recebido noticia de que 5oo Tucu-
rcanos tinbo invadido o departamento do
]Norte da provincia e que os officiaes alli es-
tacionados eccodero eo pedido da diviso de
Gorrientinos que se tinha passado dos uni-
tarios de sahir a combater os invasores ; e
que a diviso, em companbia de alguns San-
tigennos derrotara completamente por
cujo comporlaaiento da parte dos Corrienti.
ncs se havia sproveitado da proclamaco do
general Rosas e Ihes pernailtira marcharen
para o seu paiz.
Hum officio datado em Tala em 37 de ja-
&.Ksta desgracia cessro quando o exercito zos o nossa Ministerio teve 3 insultos ner- mo engarre. Scnti'vof dher a infame* no*
de Buenos-Ayres t_ sob o commando do pre- voso* que dero cuidada e esteve quasi a licia de que o di de EofI do* este am*? eat
fazer o sen testamenta-, e se na (dise a gr3n-1 dia da peine, mas o de esperar se tattKra pro-
de porco de sanguisugas que lhe deria da videncias pan se camar carne ser rrro ecw-
Botica de S. Benta e uns causticas, que promettermos com S, Mafrita* Apostle, qnw
sidenle legal do Estado Oriental obriga-
deiro .Vlanoel Oribe e o general Pacheco en-
trro em Cordova e restabelecero os seas
direitos ; e que o poderoso braco que havia
occasionado isto e preservado inviolada a
honra e digndade da Confederaco Argenti-
na as mais criticas circunstancias era o
do hroe do secuto, o illustre restaurador das
leis o brigadeiro Juan Manuel Rosas e seus
heroicos companheiros. Portinto a cma-
ra havia ordenado e decretado acedes de gra-
cas ao Todo Poderoso par ter salvado a pro-
vincia de Cordova de hum abysmo de males ,
que se celebrasse missa cantada e Te-Deura ,
e que se decarasse a cidade por tres das suc-
cessivos, illuminando-se por tres noites, &c
Hum decreto do goveruo da provincia da
Entre-Rios datado de Paran em 31 de de-
zembro declarando que 09 crimes de Iraigao
e rebellio em que incorrro varios habitan-
tes da paovincia de Entre-Rios que se bavia
reunido ao vil assassino Lavalle 6c:., &c.,
merecem castigo summario e que he muito
justo que se indemnisem da propriedade do9
revolucionarios os dignos cidados que solfe-
rao grandes perdas e (icario arruinados pela
invasa de Entre-Rios. Ordena-se portanta
que seja confiscada a propriedade dos crimi-
nosos. &c, &o.
A Gazeta de la do corrente contem noticias
di varios donativos fetos ao governo para o
ajudar na guerra contra os
Juan Lavalle, Lamadrid
Fructuoso Rivera.
vis unitarios
e o pardojou
(Brilish Packet.)
(Do Despertador.)
Despedida do anno velho e entrada do anno
novo, no 1 de Janeiro de 18.41.
que
Com o dia de hontem 3i de Dezembro se
fechu o anno de i84 1ue muita gente viu
entrar e nao viu sahir. Ja assim se espera va:
e boje principia e entra o novo anno de 1841
que Dos fade bem se for sua divina vonta-
de porque se nao far nada feito. A gen-
te que lhe ha de fazer ? nada. Dos nosso
, Senhcr felizmente gaverua como quer e
retro do comraandante corrientino Bartolo- desde o primeiro pronuuciaraeuto que cer-
ic Rarcirez ao governador Ibarra annun-; tos Anjos progressistas fizero no Reino do
cittdo lhe que na tarde anterior He e as Ceo vai ha bem lempo e no qual por sig-
tiO|)s corrieotinas de seu commando bavio nal ficro mal, nao consta ao menos que
abandonado a diviso
pelo coronel Acha
de S
que o governador Ibarra Ibes 'aria huma ge- : Temos porlanto a fallar do anno velho e
neosa recepso. Huma carta interceptada tambem 00 anno novo : do velho pelo que
dotada em Rioja em 29 de Janeiro, de Juan se vin e do novo pelo que nos informa Ma-
tdernera dirigida ao general Juan Laval- dama Astronoma. Tractaremos primeiro do
le, em que lhe parlecipa que est a ponto de anno velho en obsequiad sua idade por-
lomar u commando da diviso de Villela an- que em tudo se quer ordem : nada de con-
tes que se perca de todo, pois nao obedece a tosi,
unitaria commandada nos saibamos que por la se lenliio repetido
, e entrando no territorio os patriotismos ca de baixo ; o que tal vez se-
antiwgo del Estero ; e que confia va em ja devido a serem la os Empregos inamoviveis.
xuiiguetn e qpe s aquelles que a tem visto
poi-m formar idea da sua miseria ; e que,
o lomar sobre si este commando, ser hum
des maiores sacrificios que elle jamis lez em
O anno velho, meus Srs. lo ;o que appa-
receu fai baptisado pelas tolhinhas e reper-
torios por anno de mau ocinho e com elei
to nao foi elle mullo bom. Foi mau para a
tempo algum. Rainha Christina a que os Hespanhoes po-
liuii'd curta interceptada datada de Rioja zero lora d'Hespanha a toque de caixa, per-
em it dejaueiro, de 1 homaz Brizuela a dendo a Regencia das Hespanbas e das Indi-
Oiegcrio Araos de la Madrid na qual falla jas. Foi mu para Meliemet-.Ui Pai do I-
dos apuros a que o (raue general Alio a tem brahim Bach, que esleve por um triz a per-
leUuzulu, e que o ultimo entrou com huma der o governo do Egypto (cando somente
diviso na provincia de Rioja. 1 com a Syria por muito favor. Foi mau para
Hum officio datado em 4 do passado do Luis Filippe que esteve quasi a ser assassi-
gcvernadoi ibarra ao general Oribe ein que nado pelo Patriota Darme*. Tambem foi
Jlie diz que huma pt-ssoa respeitavel, que a-
chbava de ihegur de Salla coutiimava a no-
ticia da nomc-dco de hum novo governador
daqueila provincia o qual tinha recebido
ommunicaces do malvado Lavalle pedia-
d-lbe gente armas e diuheiro ; mas que
liavia ii-.cebido em ie-posta que a provincia
de baila tstava destituida de armas quedi-
nbeiro uiuguem o adiantaria nem mesmo
osmdis vioieiitus partidarios i equearespsi-
to de gente os cheles dos departamentos ba-
\iau unanimeicente declarado que nao mar-
chaiij paia paite alguma.
Algn ducumentus de Cordova relativos
occupaigo uaquella cidade pelas tropas tini-
tarits sua ex^ulso ulleiior inclunido um
decreto da ca:a dos lepresentantes daqueila
provincia datado de Lotdova em 20 de de-
/tiiibi o 110 qual u da lo de outubro de 1840
lie uenomiitauo o da mais fatal em tempo al-
gum experimentado por Cordova. releve
tato sujeila a huiu ^oe:uo revolucionario
tspolito que i.u intsiuo tempo desonrava o
pala 1 e Ihecausava inLommensuravel inise-
11a j que lie DOaeiurio que as geracoes lulu-
ias saibao que actos lo n.laata loro perpe-
UUos por udiguos naluraes de Cordova,
li.es cuu.o 1' laiiciscu Alvares e sens compa-
bLeuus os Oiatravcia Lavalle e La Mhtid.
mau para o Rei de Dinamarca que fez o
anuos justa. Tambem nao foi bom para o
da Hollaiida que abdicou o Scptro para ca-
sar com urna Londessa, fSo foi nada bom
para Luis buonaparte que esteve em risco de
perder o nielhor traste que ludia a cabra-a ,
por causa do Pronuncia. 1 ento Imperial em
liolonha. Tambem nao foi bom para a nossa
Rainha que eleve quasi morte. En m
se ns losemos a mnumerar pesmas
elle foi fatal nao havia papel
a
que
quem
nos chegasse.
Deixaudo pois no silencio o estrago que elle
fez no mar e na trra como ventos chuvas,
teainestades monea repentinas fallas de
dinheiro e oulras couzas graves diremos
smente que o tal anno nao foi nada bom no
notsonaitj isto politicamente fallando. Em
Agoslo cuve um lufo de vento ojimsleriai
lao lorie que apagou os feriodicas iodos ,
e apenas o Diario couservou o morro aceso
a iiuprensa estete as escuras e uiuguem se
va nem entenda, Abiuj-se s cataratas
l'ariameulares e houvn um diluvio de Lsis
Iras, que hiero gelar asumas, o Jury,
os lypos e quasi todas as plantas exticas e
conslilucionaes que o iiorielo de uou^-as
pialara no terreno da Liberdade. Alcm u es -
la desgrana que causou immeosos prejui-
lhe lancau o Dr. Miguel Augusto teria ido
para os Anjinhos na tbr da sua idade sem
lhe valer a muita agaa de Inglaterra
bebeu,
Alera destes males entrou a gragar ama
molestia contagiosa que os Facultativos ca-
pituli) com o nome de Transferencias
a qual ataca os Juizes de Direito e empre-
gadas de Justica molestia clebre que os faz
dancar sem msica, e cantra sua vontade.
Tambera muita gente que at aqu andava
muito ligeira senliu este auno urna especie
de paralysia pblica que atrapalhou o pro-
gresso dos seus pasaos. E como diz o dictada,
quando a fortuna desanda tuda corre mal ,
o nosso thesouro levou urna sangra ingleza
que o deixou cadavrico e alfectou os m-
pregados pblicos, Egressas Freirs e os
mais que mamava no thesouro; e finalmen-
te parseranno de zanguinha, atnasmet-
leu em carniza de onze varas can os nossos vi-
zinhos, e retirou-se. Dos queira que o seu
successor seje mais benigno e maie normal.
A vista do exposto e do mais que fica na
tinteiro parece-na que os nossos leitores
nao devem ter mudas saudades do tal anno
de 1840 muita mais se se lembrarem que
foi ueste anno desastroso que perdemos a
nossa amavel Prima a Vedeta da Liberdade ,
e que o Physico de Luis Filippe nos obsequi-
ou com a sua Hidrulica. Porm como "spi-
ritus qui vadil non redit temos a certeza
de que o tal anno na tornar e apenas te-
remos ds sorer-lhe a sement que elle c
deixou para o seu successor se divertir. Va-
mos a elle,
181.
Este anno pelo que se v e pelo qne se
deixa ver deve ser muito bom para os com-
roissarios de vveres e transpartes Toda a
Europa se arma e se prepara e at nos ,
apesar de sermo3 um povo fraco na ,( opino
casielhana '<, preparamos os nossos muios de
defesa e tocamos a rebate. A nossa visinha
tambem toma as suas medidas bellicosas I
brevemente veremos em que paro as modas ,
e se o caso serio ou larga, como alguem diz.
A Europa de certo se nao prepara por causa
do opio da China nem do enxofre de ap-
les : quem sabe se a mo de Izabel segunda
acender urna guerra europea? Na a pri-
meira vez que par causa de mulheres se tem
a gente degolado, como se fsse por urna cou-
sa muito boa. Troya ardeu por causa da Sra
D. Helena : quem sabe se tetemos mais
Troyas ?
Mas perguntar-nos-hao e que temos nos
com que a Izbel segunda case com este ou
com aquelle ? Isto muito bom de diier,
mas quem sabe se entraremos nisto por tabel-
la? se os Inglezes se oopozerem ao casamen-
to com o hlho de Luis Filippe e houver por
isso guerra nos de certo nao (acaremos com
as mos debaixo do braco. Demais o Rei de
Suecia esta' muito velho e seu successor o
Principe Osear tem um competidor e perten-
denle a Carda o Principe Wasal l Luis Fi-
lippe tambem est maduro de mais e todos
sabem que de Bordeus e o Luis Napoleo,
aquelle com os pergaminhos de seus Avs e
este com a fama de seu To, disputo o Thro -
no de Franca ao Duque de Orleans! D. Mi
guci anida nao mastigou bem o osso de Evo-
ra-.vioute, e D. Carlos aiuda olha para os '
Pyreneos, e o Sanlissimo Padre parece q' nos
quer rieixir.
Ora se nos juntarmos a este orcamentode
successos passives o calculo das caberas demo-
crticas que planisa sem cessar a queda dos
Xhronos tal vez de vamos esperar que este
novo anno seja politicamente tempestuoso.
Comtudo o Juizo do auno porque lodosos
aunos tem Juizo de opinia que o anno
ha de ser benigno por issa que o Sur. J-
piter Commendador da Ordem do Raio
o Senhor dominante neste novo anno, qu;
constar de doze mezes, Esle Planeta de
qualidides temperadas pertence aos mode-
rados e tal vez mesmo seja ordeiro. Alm
disao um Planeta casado e sua mulher a
luida Venus tem parte na Regencia e todos
sabem que a tal Snra. Veuu exerce urna
inllueiiLia benigna sobre os homeus e mes-
uro sobre as tuulderes.
A' vista d'islo Madame Astrologia de opi-
niao que o auno ser temperada e que uas'.-e-
rau adultos rapazes e rapariga! ; e qua ha ver
abundancia de feijes imluo triga ceva-
o causador desta novidade. Pode aer e/c
os Inglezes irrtervenhia ueste negociov Te-
mos lambern esle anno seis eclypses qwtta
do sol, c dotis da la oque n&rdeiavde
ser bera boa ajuda de costo no estada de 6"
naneas miseravei em que estamiM. Emiva
saia oque sahir, e seja oque Deas ^uizer !
o que certo que o Peridico doe Pobres
contiii.i mais este anno o rae?rao forma-
to e o mesrnn Programmc; quemo pudor
lerdegraca, far urna asneira sj o comprar!
Temos concluida vamos a Empreza e Dcu
super omnia.
(Do Peridico dos Pobrea do Porto;
EXPORTADO/
Para fars do Imperio i:1? mez d'Abr d'tSiti
SacajdeAlgodaa ,6aJcjm 20,0^7 ar, a G,
Assucar Caixas 4>Go^l
Feixes 3511 cot 35.7,439 ir-?
Barricas 10,0191 robase '.
Sacas 6,i4JJ
Agoardente-Qaart. a5-com3,28acaaada?j
Couros Salgadas l,i.jt-
447 Ia *
32-cam 1,990 cansda^J
2,44o-* Quintaci.
aa- Tabaas,
B80- M.-i.i:.
A exportaca aciraa fai effectuada en 3?
Navios; senda 5 Americanos, 4 Austria-
eos 3 Dinamarquezes, 3 Hespanhoes 10
Doces
Melaca Barriz
Pao Brazil
Costado d'amarelo
Vaquetas
Inglezes, 1 Portuguez, 2 Suecos, e 2 Sir*i
dos; contendo todos 8 jai 11 Taaeladis ,
tripulados com 34 f pessoas.
O Excesso das sabidas dos navios nests r-3j"
em comparaco aos de Abril da anno passado
de 7 navios,
A expartago foi avallada secunda 09
pregos do mercado em *774;*87_s'6j3 epi-
garo-se de Direitas j6;5a^'o;)a, Assim foi
o accresrimo desle mez em relaca ao de Abril
da anno passado de ai^sG^os'itS: sendo o
principal motivo deste accreacimo o augmento
de ioj'2aa ar. que teve a exportaco do algo-
do e de 71 j'Sg ar. que tere a do assucar.
S bouve exportaco de moeda nestt- mez
par Liverpool, pelo Brigue Columbus, co-
ja somma mootou a Jraibs'yJa,
THEATflO.
Domingo 9 da corrente quarta Recita dos)
Snrs, assignanles se reprezanta a bnlfianto
pega Henrique quinto Rei de Icglaterra
~ O Duelo da Castiga e o jocoso En-
tremez ~ O Homem de trez Cores prin^
cipiar as horas do Custume : A Direc;o
com a Cbegadi de Mr. Robert, cauri Ja os
amantes dos Expectaculos Estrangeiros pa-
ra assignar a primeira ordem de Camarote*!
a i2j'ooo reis e da ordem iVobre a tbsaao
res por me-, para poderem ter preferencia
aos Cimoret nos expectaculos do ditto iu-
signe artisla.
Avisos Diversos,
da centeio
, uwimg v 1111,0 ,
ueus \ jssj 5enhor
periona
azeile mu e seda.
, que o verdadeiro Re-
peraullu que Madaise Astrologia se
er* Aluga-se por auno um sitio no ps-
sagem da Magdalena a margem do rio CipH
baribe com muito boa casa coxeira, estri-j
buia casa para criado dita p..ra feitor,
dita para escravos, galinheira jardim,arH
vores de fructo e b.ixa cam capim de pann
ta ; quem o pretender, dirija-se a Manat
Gousalves Pereii 1 Lima, ra Nova junto a
ponte da Boa-vista.
ar Arrenda-se um sitio na lugar di Man-
teiro a vista se dir os commodas que tam :
quem os psrteuJar dirija-s aa Traptcbe da
Companhia que achuru cara quem tratar.
ty Quem precisar de um administrador
para engenho oji oatra qualqusr fabrica, a-;
nuncie por esta f;lli.
ar Precisa-se comprar um bjts!*3> eo-
ma rede de arrasto at vinte bragas: na rua
do FaguaJea D. ai, indo do lado da Ri-
beira a dtreita,
tsr Quem pracisir de um bom canheiro
para alguma casa particular; annuacie.
ar Quenquiser comprar urna renda con
poneos tuodoa no lugar da A.-rambad e.a
lindi j dinja-se ao logar acimidita a fi-
lar com JoaO 6dbiuo de Lias^,


DIARI O BE PBBNAMBCO
nsga
G5- Troc-ie uro nudeque denacSo, de
Sdade 15 annos, bonita BgON que sabe la-
re i todo o servico de casa, e bom para cria-
do per urna oegra roossa e bonita figura ,
que saiba cosinbir engonmar e seja re-
colhida de caa : quem a tiver e quizer fs*er
esla troca dirija-se a ra do Cabug loja
de niiude/a junto a boii i.
ST Alluga-se !iua armasem coro duss
poitos de frente com sessenta palmos de fundo
e VDte seis dfe largura na ra do Colegio de-
Ironle do Caes os preteodentes dirija-se a
ra do Crespo, leja de Joaquim Viejas.
C3"Ouera precisar de cem a seiscentcs mil
rtis a juros sobre penbores de euro e pra a
ou firma que agrado 5 nesta Tjp. se dir
quero es d;i
UT Ju; Carnero de Albuquerque M
ho pretende retirar-se jura o maflo por
j, a bero de sen interesses/e
10 teoba cootas d i com diversas
pe s e mesmo outres dividas de que eitis-
tem ttulos jor aso roga a os seus/redores
queira apresenlar as su*s conlas o mai breve
pottivel na loja de Joaquim Gonsalves Cas-
cona ruad cadeia I). f5 ira se darordero
a seren embolsados*
tST Precisarse de ama ama para
posea familia ; na ra da Cruz a, 28 ven-
da de Pedro Marciano.
tST lio^a-se ao Sr. ourivesq' lhe fero en-
tregues duas caixas de praia para concertar ,
pelo fallecido Joa*o Carlos ereira de Burgos
Punce de Len baja de levar a loj da Viuva
de burdos & Filhos que se he pagar o
Irabalbo*
*JP" O mesmo remedio que hontem sabio
no Diario para tengir cbelos por tioo, se
o IWel coro armaco aonde tero fabri-l oromio\ issem dores urna ntgrlnto e
Rebneos "e isto rom permisso do pro-um raolerp.e de idade de i a I, annos e
. ...... JLL ..* ... *Pa urna treta propria para campo; na ra do
logo o o do Horario I). j5.
py Um rjonleque de iJaie
prielarir. da roesroa casa com litio que seja
apessoaqued comcimenlo aos a loguis .
que se forero venceudo ; a tratar ua mesma
loJa j
tsrOferece-sc una ama para casa de pou-
ca familia ou de homaro solteiro : no be^o
do sarapatel na loja do sobrado de um andar
com veranda de Ierro. '.
t> A casa dos expostos desta Culade .
precisa de amas ie leite, e paga alariamente a
,)2j rs. ale:n da comedjria.
Avisos
rtanos.
PARA O MARANHAO* abe ironreteri-
velmente sabbado o Brigue Escuna S. J s
quem quiser ir de passagen dirija-te a Del-
fino Gonsalves Pereira Lima, na na nova
D. aa ouo Capilo Ricardo da Silva Ne-
ves
i'ARV LIVERPOOL a '"arca In seanna Capillo Hu O'] de P"
raclasse, ede prmeira viagem sin-
ri com toda brevida te lend > a maior parte
da carga proruta; quem quiser carregar,
oo irdepasssgemdirija-sea os (ousignaia-
809 Me- Calmont & Co J ia.
PARA O RIO UE JANRO, sai coro
le o bem conhecido Brigue Brasfletro
Santa Maria '"'a Sort Uo M* ",!ltt Jds
Joaquim Das dos Praseres quem no mesmo
quiser carregar, ou mandar scravos de pas-
sagem dirija-se a ruada Cadeia do Recre
"45 a tratar cora Joze Gonealves Caseao ,
o com o mesmo Commandanw, na praea do
Commercio.
cy Uromuieque ue uade de ia annos,
na ra dasenzala velba padaria n. >).
cy Un terreno con ceno palmos de fren-
te e oerto de dous mil de fundo, com um
vivViro ja oovssi !j e tolo quasi atterrado
pa se poder plantar livr de igoi aslgada
eorna grande camboa para condu'ir os me-
ter aea, p^ra edificar qualquer edificio .tero
meaco de un oillo da casa nova do Sr Re-
belo uo atierro dos aflogados defronte dos co-
queirosdo Sr. Moii { a tratar no mesmo
|0"ar na fabrica de sabao : assin como um
cavailo melado carregador al meio.
i^!- IJm negra de bonita lisura, coznba
cose, e lava rou^a ; 11* ra do Livrao-.ento
D 5.
XST D.ius temos de pe;os u:na
olaria e posto a porta do comprador pelo ura-
co regular e oom alguma fola no pagameu-
to ; na ra dos Quitis D. 5.
OT Um pianno de muilo bos vozes para
s'ensinar a tocar e por commodo prepj ; aii
5 nontis 1. sobrado D. 18 lado direitj ,
passando o becco do marisco.
tiir -Sacos vasios de boa quali lade, par
nreco co.n b ido ; no atierro da bai vista f4-
bTict de farinlia.
vt Urra escrava de idade de a5 annos,
nropria para todo o servico de urna casa 5 a%
ra das trinebeiras ). ir>.
S23T Tellia lijlo da alvenaria e tipa-
mento na olaria ou posto no pono mais
imedialo da obra ; para ver e tratar na pra-
ea da Independencia D. lo.
cy Um temo de peso de brome com 6
arrobas sendo dous de duas arrobas um do
urna dita outrode meia era pe*os mludoa ,
na ra nova loja de (ateridas de Luu da Cos -
l;?' 1
ta Muoiz*
XT Uma cama de angico pin casal com
poucouzi, e por preco commolo ; na ra
do Vgario n. 3 no primeiio and ir.
tsr" Urna escrava de idada de ao annos,
boacoainheira e ven edeira de fatenda
p I temos ue siesos u;u ;am"li .....
pr.^, par. banbo ; por detaa da ra do ta Lene, a ,m da ponte da boa vt,
f,nndes na serrara de Joo Antonio Baplis- ** Vta e n-?o angola ^ mu,-
lo bontta ptima para" mumbmda com
principios de costara efastodoo servico de
urna cata om guarda louoa da vid ros e
(Vita a moderna urna mesa r-dondi de meiu
de sala ; na Casa de Joao Mara Sve
|ede or Urna escrava moca do gento cooh,
O eri,hora ir para o Cear e ter o drarro de urna casa e usa boa e vende Fa-
por querw r endas j na ra de 5. hila nova J. 3 lado do
preciso de dinhtiro ; na ra do r..ure 1 iu- | >
riannn ca'd aonde mora o Padre Marinbo. poeute. ..... .
rranno ca.a donue ui Taboado de pinbo de costado costa.
BT Urna preta crenla, moca sate bem *jr M90alhodV, 3 polegadasde' gros-
ensabo.r.en^ommar conn 1 fa, doces, ^ ^ *, J
eeo^.lgnmacoaaa ; ."/*" de grossur. proprio pira forro de cauas o
ta sobrado da quina que tem o oilao e entra- f ^^ ^ ^ l.plf0llU9 fI, ;,. ,,,
da doladodo viveirodo Mumz.
.... --------- ,,
fundos de barricas vergoutaa de pinho da
de mandioca de superior Sueoa d nfwm qualidade urna baiaoca
deScuz'a queiro ir jscebr urnas cartas
viadas do Porto no ullcrro dos affogados do
lado esijuerdo D 96.
6^> .No dia 3 uo corrente appareceo um
qoarto no sitio do conedor da Torre, o qual
fez '.randa destruico 110 mesmo sitio quero |
forseudono dirija-se ao mesmo, a fim de1
pagar a deslruuo e as despesas que se forero
fatendo com o me^mo cavailo a destruico
ki avahada era io,uoo.
icravos Futidos
rdemssagem, dirija-se lanos de fundo na ponte de cboa pega.
o sen proprietario Leu, neo Jote das Se\es, I do a ..noel Jos da Silva Moiu amura-
STSJSS n.3a, oucomoCapi.odo|do,comformdavelcaes, loda armado de
mesmo Antonio Germano d*s Neves a bor- larangoiras, j.queiras lue'r" Im ^ Ni# da 6 do sa;lo de9,pareceo um
a r ...TranJi'hiinnvo da lorenlina sobrado novo ao pe a mare. H 3 r
do conf^nie ao rrapi Sbe novo. Urna casa terrea na ladeira do va- preto creoulo de noae Antonio, ora lal di
radouro em Oliada do lado do poente ; a P"'tor .d *** de a"n,, de Presenle
iratar na ra das Trincheras D. .8 cartorio vedli P30 na h "** ten| os.s,,,ses **~
doescrivo Ferreira. u,"!ei 5 eceo.do CjrP ""? desrarna,Jo
^ INoio^ar da trempe para se fazer casas orel"JS gandes pouca? Darbr ruaos pe.
e A&o
C p m p r > s
iiarrere Cnsul uu Franca que se retira com
-^ \ np*(v> rup en'.rou em a;ustodaca?a .. .,
Ij- a pesso. i,ue ui.iuj j hcenca do scu boverno.
da ra dos martirios n. 9 e que nc.u de ul- ;
timar o negocio e nao ie:u aparecido, quei-
ra no ca=o fleestar a inda resol v ido acompral a
comparecer no primeiro andar do sobrado de-
fionle da n:aliii por cima ua botica ci
Moreira.
SST Aluga-?e uro solado ue uro andar
S0t2o com janelias .ara a ra 00 baino da
bea vista .' na ra Formosa com mu
tsy Man e ho de sapaleiro era ncellos de
urna quarta ; na ra da moeda casa n. 1 \ ,
Siim como garrafas com essencia de anrz.
^y Arrozbranco superior a ai,000 j na
ribeira venda de garepa L). i
- Sendo por preco comi-.-odo um palan- ^^ Saca-: de larelo superior; no arma-
'quiro de rebucoem bom estado quem tiver em do lira^uez no aico da Concei;o.
aununcie. OT" Sement de orlalice cuegada proxi-
- Um ocu'.ode ver ao longe ; quem ti-
ver ann 111.
ssj- U u baliode abertura um cordo e
commodos.etemnmacoiiera p.J ouJ ~ J b;r de bjm ooM
carros } quem o pretender d.r.ja-se.o sterro| JkQ narUa direit. 49 o primeiro
da b-ja vista s..rajo ib. .
tT Snr. iManoel Jo. Delgado qutia r'aar*
dirigir-se alraz dos Adartiiios cusa de i portas
\eioes. .
S5T Carlos Va ISes tero a honra de notici-
ar so respeitatel publica que pode aci
qoatro discpulos que quem a ser lecciona-
dos ras suas pio|uiab eoss, j* 9 horas ule
o meio da e de u:eio dra as o ua larde
como iguaiaenie Lude receber na sus babi-
taco tres ou 4 &rs. que desejio aproveilar as
horas da noile para aprender a lingos fran-
cesa inglesa, e hrtpanbola como os Srs,
Eatraogtuosquequeiio aprender a lil
ntfcioualj narua ua ortutina defronie da
labiica de cainauba
PT O Sr. Biranoel da biiva Luyo quena
tu bondade ue entregar ao abarxo assig
,jo ova caria que Um, Muda do Vlarauio
brigue Escuua MicaelU,- IManoel Frao-
., .oce 5.,i.d ianloa,
T Tiasposaa-se a loja do sabtado da ra
Ven as
135- Tabossde pmho da America largase
compridas : no ara azem por baixo do Snr.
Caldoso., junto a cadea e alraz do thealro
a tallar com ocaixeiro do Sr. Juo Malheos ,
Joaquim Lopes de Al neidi.
KL^- Lr.;a sseada lijoia quem a preten-
der annuncie.
tT Duas bancas de ulico nm aparelbo
de lenca pintada, urna lina oliada ,..ha ba-
nbe -3 ua ra direila O 49 n0 p'^eiro an-
dar.
CT Pesos HespanbiSes ; em casa de Hen-
ry Forster cCornpiiiua.
jr uia para mo.a momina, cose ,
e casnha aiguma couza urna pela moca ,
mu robusta ambas u.ira fora da provincia ,
las prctus de bouilu figuras, coz.nba en- V*** em ^*n,M na
mmente de Lisboa no brigue Felis Desliuo j
na piuca da boa vista O. 10.
T Um luquete bordado em boro uzo e
: por jileco commodo j na ra da (onceico
ua boa -vista i) 9.
%T O verdadeiro Robe anli sifiltico de
Lateiteur, chegado j roximamei.to de fran-
ca em casa de Aiauoel Jos Gonsalves lira-
da junto ao arco de S. Antonio.
t_ Farinbade mandioca em sacas che-
ada reientemeiiie do Rio de i ineiro ; no ar
m&zem de Anionil Francisco dos Santos lira-
da na ra da n.ceda n. 14'
\.j- Ua;a escrava moca sem vicio sabe
coznhar tn^omiar coser e ensaboar; na
prscioba do Livramento no sobrado por cima
da loja do Sr. lia-tos.
par Um mulecote e urna molecota anjus
para jouo o serv ico ; na 1 ua de 1 jr las D. 11.
SjSJT bichas de boa qualidade semeute de
brlalae de tuda qualidade Dervilha de an-
gola uiuilo nova ludo por preco commodo ;
na ra Ui eila U. b venda por baixo da nio-
radia do Juiz de Fax.
w* Excellente lilos de alvenaria grossa ,
83** JN'o dia ta de Ab.it fugid ou furta-
ro da praia um eei ravo de naeao lienguela ,
de idade de 4 J -^ anuos pouco falla de
uorae Caetano alio bstanle rosta com-
pudo, ^rossura mediana, bucos cabidos,
co n a cpela do olho direito cnida para uai-
xo ceui a mrrea no peito direto que e um
J Co.u um travtssao ; levou vestido uns
Calcas de brm paido relio e si.ja canina
ue madapolo laiub^m velba e suja chapeo
bra'jco de castor veliio ; quem o pegar leva a
ra da p:aia senaria do Oardial quo iecj-
bei 40,000 de gralificaco.
j" Fugo no da 3 do frrenle as 7 horas
da noile o preto AgOStinbo de naci angola,
de Idade Ue a2amn08 aho magro, sem bar-
ba levou caicas de aigodo trancado e ca-
misa ue riscudo azul lem dous signaes uai
ao p do oibo diretlo e oulro ua leu*, qu :n-
do unua arraata bastante os p y quem o p-
gir leve a ra da Guia l). 2y ou na ra da .
Ciuz O. 4b.
-T i\o dia 11 de Marco fugio um mole-
que da costa de nume tieiiedie o audav*
venendo fa/endas e miudesas em um tabo-
leiro levou vestido camisa de panno de li-
11I10 com pregas cuicas debnm brauco no-
va, be ue aupor-se Ue ler mudado de traj.-s,
de boa estatura bonita
figura ,
grossa
do
carpo bem leiio de idade de % \ anOOS j
(juem o pegar leve a casa de Jos bernardiuo
Leal, que gratificara.
RCiF A Ti'F, UL 11. t\ VE h\ i4i
K


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EKPI5X1IO_J72IDS INGEST_TIME 2013-03-29T14:57:16Z PACKAGE AA00011611_03796
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES