Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:03793


This item is only available as the following downloads:


Full Text
Anno de 1341. Tmg* Feira
Tudo aicra depende de nos meamos ; da noss prudencia, nuciera-
cd, e energa : continuemos como principiamos, e seremos acontados
rvn admiracMO entre as Kaces mais cultas;
eo:a adoiracao
Proclamado da Assemblea Gerel do Hrasili
II
Subsereve-se para esta folha a 30ooo por quartel pagos achantado*
nesta Typografia ra das Cruzes t>.3, e na Praea da Independen-
ia n. 37 e 38, onde se recebem correspondencias legalizadas e an-
nuncios, rnsirindo-e estes gratis; sendo dos proprios assignantes, e
viudo assgnados.
PARTIDAS DOS CORREIOS TERRESTRES!
Cidade da Parahiba e Villas de sna preteneSo ,\
DU* do Rio Grande do Norte, e Vdlas laem.......f s SexlM f:is.
DiU da Fortalexa e Villas dem..............
Cidide de Goianna ....*. /
Cidade de Olinda...................... Todos os dlasj
Villa deS. Anto....................... Quintas feira.
Dita de Garanbune e PovoacSo do Bonito .........lo, e i4 de cda mes
Ditas do Cabo, Serinhaem, Rio Formoio, e Porto Calvo. 1, II, e 11 dito dito
Cidade das Alagoas, e de Macei............dem dem
Villa de Paia d Flores.....................*dem 13, dito dito
1 odot os Correioi partcm ao meio dia.
4 DE MaIO. POM.
PHATA


n
P.iASES DA LA RO MEZ, DE M.VIJ
La C'-ieia a 5 ai i\ h. e 41 tn. da man.
Quart.ming. a i3- ai 1 b. t >i rn. da Urd.
La Nova ao as Q h. e jo m. da tard.
Quart. cresc. a 17 as 0 h. e 17 m. da mar.
Mart theia para odia \ tte Maio.
As 1 horas e 51 minutos da tarde.
As 3 horas c 18 minutos da ininli.
CAMBIOS. Abril
Londres...".;. Si d. por l|ooo ced.
Lishca ......80 por o|o premio por metal offtfeetdoJ
Franca......31o reis por franco. Coeap, Ve--- I
(JURO Moeda de 6jjl4oo reis, velbas I 700 tg< '
Ditas ,, >, novas
Ditas de A#ooo reis, H4oo
- Pataccs Hrasilciros ----- ,' ; 1 i';oj
Pos Columnarios----------Iffio
Ditos Mejicanos ----- 1 00 iao
Maula. -........------ij| 60 -
Dotc. de bilh. da AUandegl 1 |8 por
dem de letras doboas firmas 1 IJ1 a f i|4
M >eda de cobre 1 por 100 de dise ::
Sedulas 1I0 pequeo valor ip "10 a l
DAS DA SEMANA.
3 Segund >{< InvencSo da San'i Cuz.
4 Terca 3. Florimo M. Rellaco e audiencia Jo Juia de Direito da l
vara.
5 Quarta S. Pi 5 P. Audiencia do Juiz d !). d > 5 vara.
6 Quinta S. Joo antc-por'-.m-Latinaii -- Av'iensia vio Juii de Direito
da 3. vv4.
7 Seiti S. Estanislao B M. -- Audiencia do Juil de D >'* l. T
8 Sabbado Aparicio de Miguel Arcanjo. -- Rellaco e audiencia do Jit
de D. da 3 vara,
g Domingo S. Gregorio fyanstanzeao
ASSEMBLEA LEGISLATIVA PROVIN-
CIAL DEPERNAMBUCO.
Acta da 3t. Sesso ordinaria da Assemblea
Legislativa Provincial de Pernambuco aos
'xi de Abril de l84>
Presidencia do Snr. Dezembargador Maciel
Monteiro.
Feita a chamada acharo-se presentes aa
Snrs. Deputados, faltando os Snrs. Mendes,
Manoel Cavalcante Alvaro Brito, Wan-
derlei Carneiro da Cunha Netto> Pedro
Cavalcante e Pendra Monteiro.
Lida a acta da Sesso anterior, fui ap pro -
vada, tendo o Snr. Presidente aberto a ses-
so
Expediente t -O Snr. primeiro Secretario
deo coiita de htim requerimento de D. Anna
da Cunha Scares de Miranda, viuva do fi-
nado Manoel Isidro de Miranda pedindo a
deciso de urna pretengo que apresentou a
tsta Assemblea no anno de l83g-A'Com-
irisso respectiva : outro de Joo Hilario de
Btaos, pedindo providencias sobre a priso
que se acha sofrendo a tres para quatro meses
pela a assignatura de un deposito da Fasenda
de 149U000 reis que nao tem podido sat9faser
- ; Commisso de Justica Civil e Criminal :
uro parecer da Commisso de peligo com uro
projecto, concedeodo quatro loteras de
(J4:oooTJ reis cada urna em favor doLivra-
rnenlo Foi julgado objecto dedeiiberaco ;
outro da Commisso de Cmaras, concedendo
a Francisco Lopes de Vas'oncellos Galvo ,
procurador da Cmara do Limoeiro urna
gratificaco de i5oUooo reis- Approvado:
outro da Commisso de instruco publica a
respeiloda creaco de varias Cadeiras de pri-
roeiras Letras Addiado por conservaren, a
palavra alguns Snrs. Deputados,
Ordem do da.
Entrou em terctira discussSo o projeclo
numero 8 : o Snr. Silva mandou a seguinte
emenda que depois retirou-a Depois da
palavra contracto supprimo-se as que se
seguero ; o Snr. Mello a seguinte substitu-
tiva do projecto Artigo 1, O Presidente da
Provincia ordenara'as Cmaras Mnnicipaes
desta Cidade d'Olinda que taxem em se-
mestre o prego pelo qual sera' vendida a car-
ne verde ao l'ovo nao excedendo a a56o a
arroba : Artigo 3. Fica tambem o Presiden-
te aulborisado a tomar todas as medidas lega-
es para que nao falte o genero no mercado e
para lser estabelerer com urgencia pe'as di-
tas Cmaras pastagens, e cercados suffici-
ntes para os creedores de gados Nao foi
aioiado-, pessando o projecto em terceira
disrusso. Foio approvadas as redactes das
Leis do oicamento da que concede a Lote-
ra o Rosario da Boa-vista e da que es-
tablece o contracto das carnes. O Sr. Mei-
ra mandou o seguinte requerimento que foi
apoiado e approvado Pesso urgencia parase
tratar do projecto da Lotera da Boa-
vista o Sr. Mello o seguine que foi
trprovado-Requeiro que entre ja em discus-
so oprojeclo n. j que anda na ordem do da
._ e tendo-se discutido o sobredilo projeclo,
foi approvado em terceira discusso cum o ar-
tipo addilivo da Commisso, lendo obnr.
luavignier obtido licenta para retirar as,suas
-metidas cerecidas em segunda disotisso.
E por nao ha ver numero legal o Snr.
Presidente levantou a Sesso um quarto an-

tes das duas horas dando para ordem do
da, a da presente sesso, a segunda discus-
so do proiecto numero 11, e primeira dis-
cusso do projecto numero 4 do auno pas-
sado.
Thomaz Antonio Maciel Monteiro, Presi-
dente.
O Padre Joaquim Rafael da Silva, primei-
ro Secretario Suplente.
Joo Jos Eerreir de Aguiar, segundo 19-
cretario Suplente.
Acta 32 Sesso da Assemblea Legislativa
Provincial de Pernambuco aos a4 de ^Dr''
de 1841.
Presidencia do Snr. Maciel Monteiro.
Feita a chamada, charo-se presentes 19
Srs. Dep. faltando os Srs. Christovo Wan-
derley, M.Cavalcsnte, Peixoto, Gama, Mendes
Vieira, Alvaro, C. da Cunha, Pedro Caval-
cante, Firmino Dantas, e Joo Fran-
cisco.
Aberta a Sesso, leo-se e approvou-se acta
da antecedente^
Expediente : O Snr. primeiro Secretario
deo conta deumofHcio doSecretarb da Pro-
vincia acompanhado das informaces que
se pediro ao Exm. Ordinario sobre o re-
querimento de Anto Alves de Sonsa, e outros
moradores da Ribeira de Moxot, Freguesia
do Bnique A' Commisso de Estatistica j
urna memoria sobre o Horto Botnico, ode-
recida pelo Cidado Felippe Menna Callado
da Fonceca recebida com agorado Um re-
querimento do Padre Ignacio de Almeida
ortuna pedindo a deciso de sua jubila-.
cao ou deciso de q' interinamente Ibe com-
pete o ordenado de SuhstitutJ de ltiro inde-
visame/ite A Commisso de Inslrucco pu-
blica : Leo-se, e approvou-se aredaecoda
Lei da creaco do cemiterio Leo-se um pa-
recer de Commisso de Estatistica sobre o re-
querimento de Jos deS Albuquerque Mel-
lo Gadelha dando providencias para que
fosse reintregrado e conservado no lugar de
)uii de Paz da Parochia de S. Lourenco de
Tejucnpapo ; tendo pedindo o Snr. Nello a
palevra ficou addiado poiemoSnr. Mel-
lo mandou o seguinte requerimento Re-
queiro urgencia para se discutir o parecer -
foi approvado ficando regeitado u u outro
do Snr. Notto que pedia se addiasse at a
Sesso seguinte e posto em discusso loi
approvado, regeitado o reiuerimento seguin-
te do Snr. Netto Requeiro que ss ouca a
Cmara Municipal de Goianna acerca do
requerimento do Cidado Jos de S Albu -
querque Mello Gadelha requerendo a final
o mesmo Snr. Deputadoque se declarasse na
Acta, ter votado contra 3 parecer. Un
da Commisso de Negjcios da Cmaras coii- 1 s
cedendo urna gratiGcucj de aoojoo reis a
Antonio Vieira Teiieira, Fiscal da Cmara d-
Cidade de Goianna foi approvado -outro da
acerca da abertura e navegaco entre os rtoe.
Pao e Boiss conforme a indicaco do Snr.
Deputado Azevedo e parecer da Cammisso
de Commereio Agricultura Navegaco e
Artes em dacta de a.3 de Abril do dito anno
- Requeiro que se repita a Presidencia da
Provincia o pedido da informicio da Cmara
Municipal desta Cidade ; sobre nao ter apu-
rado os votos do Collegio do Bonito em con-
formidade do primeiro requerimento.
Ordem do dia.
Entro em discusso o projecto numero 4 anno paasado Foi approvadj. O Snr. Net-
to Requeiro urgencia e despensa da im-
presso para discutir-se o parecer da Com-
misso de Petices acerca da Lotera pedida
pela Irmandade de Nossa Senhora do Livra-
mento foi approvada. E'itrou en discusso
o Projecto numero ndeste anuo, aoqual
mandn o Sur. Netto o seguinte artigo addili-
vo era esta Lotera nem outra qualquer
concedida nesta Provincia fica sugeita ao
imposto de oito por 100 estabecido pela Lei
vigente do orcamento geral foi apoiado o
Snr. barroso mandou a seguinte substitutiva
- Em lugar de 10 Loteras diga-se duas de
cento e vinle contos cada urna foi apoiada
- O Snr. Silva o seguinte substitutivo ao art -
go 1. Fico concedidas a Irmandade do
Santissimo Sacramento da Boa-vista cinco
Loteras de 6"o;o3oUooo reis cada urna foi
apoiado.
E por nio haver numero, o Snr. Presiden-
te levantou a sesso, dando para ordem do
dia, Leiturade projectos, Indicaces, e pa-
recen! de commisses ; primeira do projecto
nuero 16 desle anno ; segunda do numero 33
do anno de 18J9 : segunda do numero 2 1 do
anno prximo passado.
Thoma Antonio Maciel Monteiro Presi-
dente.
O Padre Jjaquim Rafael da Silva, primei-
ro Secretario .Suplente
Joo Jos Ferreira de Aguiar, segundo Se-
cretario Supleule,
uoo
EXPEDIENTE D'ASSEMBLE.A.
lllm Snr.S. Ex. o Si. Presidente da
Provincia a quem foi presente o seu olhciode
6 do corrente manda remetter a V. S. para
ser presente a Assemblea Legislativa Pro-
vincial.o o.liio por c.i u iti ra |J; pela
Presidencia foi dirigido ao Prefeito desta
Comarca para tomar conhecimenlo das lo-
teras particulares prohibidas em direito, e
proceder immediatamente contra os seus au-
tores, como for de Lei.
Dos Guarde a V. S. .Secretaria da Pro-
vincia de Pernambuco i4 de Abril de 1841.
Illm. Senhor Bacharel Firmino Perei-
ra Monteiro, Primeiro Secretario di As-
i semidea Legislativa Provincial. Francisco
Alunu 'Lavares,
Illm. Snr. Nao havenio Lei que autori-
v*iaaae ue ooianna iui oupioTau^-"... -1
da Commisso de Peticces concluind, 4ue seas Lotera particulares antes sendo e,ls
olliciasse ao Presidente R1ra mandar pagar ao equiparadas os jogos de -sar, que sao ab,o-
Bacharel Antonio d'Assumpcio Cabral o que lui-meuteprohibidos em direito ,"*-
se Ihe iicou a dever como l'rele.to interino da do pelas Fol.ias publ.es que preaeiiteoien -
Comarca do Limoe.ro approvado oulro da le se fasetu lolerus particulares ; ordeno a V.
mesma Commi^o sobre o Hospital da Mi- S. que tone coiitiecimeiito desse licto e
eeikordia de Olinda Ficou addiado por pe- proceda i.i,medulameule contra os seus au-
dir a palavra o Sor. Brito O Snr. Mello : lore* como or de Le.
mandou a Mesa os seguinles requerimentos que \ Dos Uuarde a V. S Palacio do Governo
ioro approvados Keque.ro que se pessa a de 1 ernambuco o de 1-evereiro de id4i
Preildeocia da Provincia as inloimacoes pe- : l- raocisco do Reg Barros Sr. Preleito des-
didas por esta Assemblea no anuo de itij {ta Comarca Francisco Antonio de Sa Brrelo.[
j--Conforme. No impn.li'uento do Oiricial
Maior o OBcid di Secretaria, Francisco
Xavier e Silva.
COMMANDODVS A.RMAS.
Expediente do da ti do Abril.
Illm. e Exm. Sr. -- A terrive! nidomia
das bexiga9 tem nestes ltimos lempo feito
seos estragos no deposito, e dado a morte a
nao pequeo numero de soldados. Estes sol-
dados recebera o sepultura na Igreia di Cin-
clelo dos Vlilitare?, e occapadas orno sea-
chao da mui recente dita l id ., is sepulturas,
em algumis d !3 quies jien dom e mais
cadveres, nao possivel, C0H3 raa re ir-
senla a Meza Regedora di Ir mandada dar
neste anno sepultura as pravas i\ws houveren
de fillerer. A mesmi Mesa Regaln prjcu-
rou contractar coa outra qualquer Irni'i la le
o enterramanto dos Militares, laelimleuij
quanlitalivo rasoavel, e a penis o Convento
de S. Francisco annuio que Ijsen enterra-
dos no ce nilerio respectivo dv>d u Irman-
dade da Co.'iceico a quantia de OUioj rs. por
cada cova condiccio que a \feia acceitou ,
levada s nenie das circuostaacias 5 mis qua
nao Ibe possivel oliservar poi* muili (ea.io,
em raso de seos dnioutos ren limen tas*, e
do crescido numero desoda!) que todos os
anuos l'allecem. Neste estado paJe a Me Regedora urna providencia ie em
todos os Hospi:aes deve haver u^i cemiterio ,
ou camposanto onde se enterre .: ,>i morios,
principalmente aos que faleoern de contigiosas
molestias. Em 1 d3r) qumli no Deposito
se desenvolveo a peste da bexigis e saratn-
po eu me propuz a erigir un cemiterio den-
tro dos muros do quartel do Hospicio ; solici
lei eobtiye do Delegado de S, Ex. R-ua. li-
ma licenca para se benztr o terreno c pjr
olficiode 3o deOutubro subm-iUi ei'.o rajo
projecto a approvacao desia rresi lencii, oj~
dindo no caso d'afirmativa a eipaJici d'or-
ilens para a fatura de un ligeiro muro que
pozesse o campo santo vedado a oj'.ro misterj
Consideraces que enlSo se lirera e.n rela-
co ao tsrreno que no invern coitiima a ala-
gar e ao nfecciona-nsTilo das agms dos po-
cos dos sitios minaos, rootivara a ai) rea-
Iis19i0d1med1.i1 proposta e outro campa
em Santo Amaro foi procurado pira es>o fim ;
porem infeliz .nenio a projiriatarii nu o qu
ceder, e as cousas ficara no mesmo aiticto,
crescendo todava a necesiidade de dir-so se-
pultura aos morios, lato posto, e nao po-
dendo tambem a Igreja di Coajre^icio pjlj
sua acanbadi capacidade, dar azigo aos mor-
tos, eu proponho a V. Ex. arili medida ju apontadt a Jo d'Oatubro dt* rHij ,
pira a creceoda u n ce nilerio no qairtel d
Hospicio, dando V. Ex suas ordens pira ser
amurado o lugar destinado, a manos qua V.
Ex. com a urgeucii que o caso pele, iij pro-
mov outro meio que Baar pjssa o mean
veniente que la*, o objecto da piesente re-
presenlij-o. Leos Guarde a V. G. -i^aar-
lel do Comanu lo das Armis de l'oiniiuou:o
al de Abril de 104>. III u.u E\n. Sr. .Vla-
noel de Souza l'eueira, Antoaw Pedro di
S Brrelo Commaudanle dis Anus.
O.:io. Ao mesmo Lxn. Si., remellen-
do-llie informado o re |uerOieuto de delditJ
Antonio de Moraes e Silva qua pelu pass* -
gem do Deposito para a Mariuaa ,
dem do dia %\.
Otlicu- Ao Exm, Presidente aprasenlau-
1,


t> A R O BE PERNAMBBCO
do-ll>e informado o requerimento que a S. M.
I. FiifiiminliavR o capito d'ariilheria Alfonso
Honorato Bastos pedindo a rrerc de Caval-
leiroda Orden Imperial do Cruzeiro.
Dito-A o reesmo Exm. Sr., rerceltendo-llie
competentemente informado o requerimenlo
do raajor M anoel d'Azcvedo do JNascimenlo
que a S. M, o 1. supplicava melhoramento de
Reforma.
tz Dito Ao mesmo Exm* Sr., significando-
Ibeem exeeuco ao despacho de ai e a5 do
corrente que Honorato Jos de Mello con-
sorte de Ignacia Rita de Moura e Vlanoel
Luiz Carlos Raymundo ambos soldados do
Deposito embarcante para a Provincia de S.
Pedro do Sul no da ai.
Dito Ao mesmo l'.xm. Sr. p->nderan-
do-lhe o estado de nudez em que se acba o
contingente de tropa que raarebou cora o
capilo de commissao Izidorod'Olheira para
o Maranbo eque aportando ao Cear a-
i\ Gcara a servido da Provincia e 1 em asiim
o atrazo de seos pagamentos pedia que a
espeilo se tomasse urna providencia que po-
zssse esse contingente a abrigo deslas necessi-
dades.
Dito Ao mesmo Exm. Sr* lembrando-
lbe a requisico que a Presidencia bavia fei-
to em 3o de Marco ultimo para ser retelha-
da a coberta do quartel dacompanhia d'arli-
flces.
Dito Ao Inspector do Arsenal de Mari-
ana dizendo Ibe que o soldado J. J. Ja Sil-
va embarcara para o Sul no dia 2a do cor-
Tente nao podendo por tanto ser prcenebida
sua requisico.
Dito Ao mesmo para que houvesse de
promover o desembarque dos offiriaes e de
l4 piacas o destacamento de I miando por
ter arribado a este Porto a embarcarlo que as
conduzia.
Dito Ao tenente coronel Manoel fose* de
Castro dizendo-lhe que ia ser desembarcado
o destacamento de Fernando e que os offi-
ciaespedie lanfero desembarcar, Picando
na inlelligeneia que nes'es dous ou lies dias
tornaria a seo destine.
Portara Ao commandHnte interino do
depozito mandando em exeeuco aosofficios
da Presidencia de a2 e a3 do torsenle dala-
dos dar dtmhso aos toldados Ignacio Fran-
cisco da Silva Joao Romualdo e Boavenlu-
ra dos Santos os dous piimeiros por nao es-
tarci as circunstancias de servir uo Exerci-
to e o terceiro por ser escravo de D, Tbe-
reza de Jtzus, a quem de vi., ser entregue.
TIIESOURARIADE FASENDA.
Expediente do dia 2i do passado.
CfEcio Ao Exm. Presidente da Provin-
cia informando o requerimenlo de Francisco
Jos dos Santos pedindo a S. M. o Imperador
jrelharamenlo de reforma que ob'.eve no
lugar de Guarda da Mesa do Consulado.
Dito Ao (.'enmendante das Armas,
informando a epeca desde quando principiou
a ter lugar o pagamento das elapes segundo
o valor marrado para o torrente semestre.
Dito Ao Inspector da Tbesouraria de
Fmula da Provincia do Maranbo envian-
dc-lhe por conta do suprimento mensal de
ao:cttl de rtis duas leltras no valor de vin-
te ( ules de reis a io d|p do saque da irmi-
no Jo:e Felisda Rosa, abonado porFrancis-
eo Jcse liarbcsa, sendo urna ce oito coulos de
rtis, sobre Jos Ferreira da Silva & Irmo,
e tutra de dose conloa de reis sobre Antonio
Ptdro des Santos.
Lito Ao Director do Arsenal de Guer-
ra j idii.do-ll.e para remetter huma relaco
dosrbjcctos que falta rao na reslituico dos
q' Capilo Fibncifto Xavier Carneiro Lins
havia rtcebido do mesmo Arsenal na sua
marcha para o Liu cairo, tom declarado dos
seus valores*
dem do dia aa.
ClV.cio-- Aolns|ectoi das obras publicas,
rcmettendo-lbe o requera.tutu de 1* raucisco
Xavier Pereira de Brilo par a proceder a de-
snarraco, e avaliaco co tcneno de Marinha
que por a foramen lo ibe ioi concedido.
dem do dia 23.
Lito Ao Inspector do Arsenal de Mari-
r.l.a tclii dc-.'be para por a dtSLOsicoo do
Administrador da Mesa do consulado as em-
barneces que o rresruo rtquisitar para
o embarque do Pao brasil, que vai ser
i ntnido para Londres no Brigue Inglez
\ti-ta txigindo-lbc dejis a impoilancia das
desiesas que se feiem tomo se tem prati-
cado em outras occasioes.
1 ito Ao Administrador da Mesa do con-
sulado partccipando-lLc o couleudo no pre-
edente otbcio.
Jos da Silva Guimares Jnior aos quaes
todos convido em virtude do citado artigo a
quecomparecja na Salla das Sessoes dos Ju-
rados s dez horas do dia cinco do corrente
mes, sob as penas da Lei debaixo das
quaes dever tambem comparecer todos os
interessados no dia e hora acim designados.
E para que chegue ao ronliecimvnto de todos
e ninguem se possa chamar a ignorancia man-
dei publicar o presente pelo Di crio : e eu
Felippe Benitio Cava lean te de Albuquer-
que, Escrivo subscrevi,
Dr. Casimiro Jos de Moraes Sarment.
dem do dia at.
Officio -'Ao Exm. Presidente da Provincia
informando acerca do fretamento (ieito pelo
Inspector do Arsenal de Marinha da Barca
portugueza Mara i.
Dito Ao mesmo Exm. Presidente infor-
mando acerca da arrecadacao do imposto so-
bre as letras.
Dito Ao Director do Arsenal de Guerra
com o requerimenlo de Jos da Suva Mea-
da n ha para se dignar de informar a res-
peito.
THESORARIA PROVINCIAL.
O Illm. Sr. Inspector da Tbesouraria das
Rendas Frovinciaes manda fazer publico
que em virtude da Lei perante o Tribu-
nal da mesa Tbesouraria se ho de arre-
matar em hasta publica a quem mais der
nos dias 5 7 t e 8 de Maio prximo vin-
douro pelas II horas da manh os segua-
les Impostos :
1. Dous mil reis por cabeca de gado que
for consummido.
2. JJizimo de gado vaceum e cavallarj
A arremataco de cada un desles rendi-
menios ser feita por lempo de tres anuos
contados do 1. de Julho de ib" 1 a 3o de Ju-
ndo de 1844 e dividida seguudo os diversos
Municipios da Provincia* reunindo se ao de
Flores, o JulgadodeTacaral eaoda Boa-
Vista o de Cabrob. } concliacjes, ou aos julgamentos que nao
As pessoas que se proposerem a estas arre- excedan a 5oU rs., nenuma impossibilidade
mataces, conapareca na Sala das Sesses do e encentra em serem os lugares de Juiz
mesmo Tribunal nos dias a cima indicados ,' de Faz e de Empregado exercidos por
munidas de Fiadores idneos. umk g pessoa que a9 audiencias deste jui-
E para constar mandou o mesmo Sr. Ins- 10 fazem-se uas quartas e sabhados tarde ,
pector atfixar o presente e publicar pela quando o Empregado tem a mu ito sabido de
Correspondencia*
Srs. Redactores.
Tendo lido nos seos Diarios a Orden do
Ministro da Fazenda de ao de Fevereiro do
corrente sobre a impossibilidade de exercerem
os Empregos de Rep.11 ligues de Fazenda coo-
>juoctamente o Em prego de Juiz de Paz ; a
Carta do Inimigo dos mos exemplos ; e
a resposta por Vais, dada sobre o assuraplo ;
assento que esta resposta exige bem do
Publico e para acert e desresponsabilida-
de dos execulores da Orden ser rectificada.
A' e^te lim diguem-se attender as seguintes
observages.
Vms. responden que do estado em que
se achao lugar de Juiz de Paz reduzo s as
Jm prensa.
Secretaria da Tbesouraria das Rendas
Frovinciaes de Pernambuco 1. de Marco de
l84l.
O Secretario
Luiz da Costa Portocarreiro.
Diversas jUeparticoes
PREFEITRA.
Parte do dia 3o do p. p.
ua reparticao : e concluem que a Ordem
nao pode ser applicavel ao actual Juiz de Pa:
da Freguezia do SS. Sacramento do Uairro
de Sanio Amonio que conjunctameiile serve
o Emprego de Feitor da Alf<*ndega.
Mas o raciocinio dos Srs. Redactares assen-
ta na ignorancia do Ministro sobre a nalureza,
e importancia jurdica do Emprego de Juiz
de Paz nesta Cidade. E diga-me : fazem
Vms. scieutemenle esta injuria ao Ministro ,
ou ao Governo de o supporem ignorante di
Legislacjo Provincial que regula asattri-
Illm. e Exm. Sr. Fora kontem presos buices dos Juizes de Paz entre nos, e seo es-
relo Sub-Prefeito da Freguezia do Rerifeos tado ? certo que nao. Pois a Ordem be d-
pretos Cornelio escravo de Joaquina Ferrei- rgida direcUmeule a esta Provincia como
ra Ramos Manoel, escravo de Francisco deila se v Declara ao Sr. Inspector da The-
Gomasde Oliveira* Romio escravo de Jza- zouraria da Provincia de Pernambuca &c. _
bel de lal Joio escravo de Joao Barroso Logo se Vms. nao fazem ao Ministro ainju-
Rohno. escravo de Manoel Concalves da Sil- ria da ignorancia da Legudacao que regula o
va e Joaquim escravo de D. Conslanca de Juizado de Paz em l'ernambuco turca he
tal, esle por ter furlado no armazem d'Adol confessarem que o Ministro obrou com co-
l Scharaiom urnas pecas deteneos de seda nhecimento de causa e com *ellj tio servico,
e aquelles porestarem fexados em urna caza e que ninguem mais de que elle est habili-
jrgando cartas diuheire ; fora remetiidos tado para couhecer se ha impossibilidade na
seos Srs.: pelo Sub Prefeito d'esta Fre- acrumulacjo dos dous Empregos em huma s
guezia o preto Jos, escravo de Joaquim Cor pessoa ou nao: logo a Ordem he legal e
rea d'Araujo por estar fgido ; leve igual ajustada} e daqui tambem a conclusao (in-
dcstino: pelo official de Polica de primeira versa da que Vms. tirara) que a ordem be
ronda a parda Mara daConceisio, por es- applicavel, e deve ser religiosamente cum-
iar ebria e proierindo obscenidades i e pelo pnda.
ub Prefeito da Boavista o preto AUxandre A Legislaco Proviucial de Pernambuco ,
existe no
Ministro he
membeo \ existe uo Governo j foi lida em
vista na proposico discussj e saneco da
Lei interprelaiiva do Acto Addicional ; mul-
las veres tem sahido bailha em discusses ,
outras as Cmaras Legislativas mormente
essa Lei lo fallada to aggredida por uus ,
e defendida for outros de 14 de Abril de
10J, que aiterou a Legislaco anterior do
Juizado de Paz, ieduzindo-0 ao estado actu-
al emque Vms. se iundara para a sua es-
peala de nao applirabilidade da Ordem .' por
tanto es'a procedeo na intelligeucia de ludo
Manoel por ter dado urna biietada em um bem como as das outras Provincias
a qual o lancou por Ierra j fora Corpo Legislativo de que
menino
sollos.
E* o que consta das Parles boje recebidas.
EDITAL,
O Dr. Casimiro Jo< de Moraes Sarment ,
Juiz de Direito interino da 1. V-ara do
Gime da Comarca do Recife de Pernam-
buco etc.
lago saber que nao se tendo reunido nu-
mero legal dos Juizes de Facto sorteados para
esla Sesso dos jurados procedeo-se ide-
gencias determinadas no artigo 3i 5 do C-
digo Criminal e fora nomeados peles Jui-
zes de Fado presentes os Senhores Antonio
da Silva Gusmo, Joaquim Claudio Montei-
ro os Doutores Jos Bernardo Galve Al-
canforado Casimiro de Sena Madureira ,
A tomo Vicente do Nascimeulo Fetesa Co-
ronel Manoel Antonio de Almeida Manoel
Florencio Alves de Moraes, Joze Higino Fer-
reira Jos Machado Freir Pereua da silva
Amonio Jos Piulo Jos Esleves ViannaJ
Barlbolomeo Francisco de Souza Manoel
Felippe da Fonceca Ignacio Antonio Bor-
gts Jos Antonio Maia, Francisco Simes
da Silva Francisco A11 temo de Souza Jo-
aquim Luiz de Mello Carioca Joao Moreira
Marques Manoel Bezerra do Valle Jos
Tbomaz de Campos (uaresma Jos Mana
de Amorim Guslavo Jos do Reg Heuri-
queJorge, Francisco de Paula Comes dos
Santos, Joao Antonio Villa 5cca, belis Fran-
cisco de souza Magalhts Job INarcuo Ca-
mello Jo Rabetlo Padilha Jos Mara
Freir Gaateiio, CaeUoo de Miranda Castro
islo e mesmo no estado actual do Emprego
de Juiz de Paz he que o Governo tem decidi-
do que ha impossibilidade de o serviris
conjunetamente os Empregadosde Fazenda.
A Ordem he decisiva da incompatibiUdade:
nao commette a uinguem esta deciso; nao diz
v. g., que no caso de aqu em Pernambuco
coiiiiectr-se que a impossibilidade da reuaio
dos Empregos em urna pessoa existe, eniran-
do-se para esle conUtcimento no devido exa-
me se proceda cutio na suspenso da ser-
venta do Emprego de Fazenda suspeuden-
do-lhe os oideuados j intelligencia que pa-
rece ser a dos Srs. Kedaciores mas que en-
volveudo mu grosseiro absurdo de nenhuiu
porque a entender-
ou aumoestadora a
modo he admhuivel,
se assim s perrnissiva
a. por
Ordem seria ociosa mu frivola
que, como j disse, ella coulem poaitiva-
menie a decuao da impossibilidade da aecu-
iLulago e com esle luudamemo he que de-
termina a suspenso do Emprego e dos orde-
nados, quaudu obmprtgado junlameinl Ju-
iz de Paz deste nao peca escusa e assim o
prefira servir. Que me dizem Vms. a isto ?
Ao Inspector da Tbesouraria he commet-
ti-Ja aexecugo da Ordem pelo que diz res-
peito ao Em prego de Fasenda e seus venci.
mentos : a Ordem nao deslingue entre Ju
de Paz do Cdigo do Frocesso e Juiz de Paz
da nossa Lei de 14 de Abril 1 e se onde a Lei
nao desVingue nos uo devenios destinguir
com que aulhoridade e raso se deve raet-
ter o Inspector a fazer esta des ti necio e ob-
star exeeuco ?
Este negocio envolve o direiio dos Juizes de
Paz suppleutes e por isto deve haver lent
em nao prejudicar esles j com duplicada pro-
lecco quelle alem de ludo o mais no as-
sumpto que reclama toda a circumspecco ,
e imparcialidade nos execulores, e Prezideo-
cia da Provincia.
Por ultimo : o Juiz de Paz Feitor da Al-
tandega mora e he Juiz em urna Freguezia,
e vai exercer o Emprego e Feitor n'outr. ,
para onde se destaca desde as 9 da manh ata
a e 1 ja 3 e mais segundo crcorrer proroga-
So as horas do expediente na Alfandega : a
m lodo este espaco eslo a Freguezia e as
Paites sen Juiz; porque elle nao pode nem
deve despachar na Alfandega, que he em
Freguezia diversa onde nao exerce Jurisdi-
co nem pede dar os seos despachos e ou
os nao hade dar, ou despachando na Fregue-
zia de S. Frei Pedro Gonsalves hade ( com
ialsidade) declarar no despacho Freguezia
de S. A nloiiio ou s despachara as poucas
horas do dia, que I lie resto fora da Alfan-
dega e livres da comida tracto, descan-
so uecessario.
Demais no Juizo de Paz tambem se fazem
arrestoi, pinhoras buscas e outras deli-
gencias urgentes para as quaes se devem
aproveitar os momentos tavoraveis da occazio-
mas, como se s as tardes est o Juiz de pie
disponivel e aiuda oblendu-se um despacho
de embargo a larde nesta he a Audiencia do
Juiz e nella est o Escrivo embaragado pa-
ra passar o Mandado e os omciaes para o
executarem podendo s isto teriucar-se 110
outro dia quando mullo ? Eis aqui a iu-
compalibilida le da reumaj dos Empregos :
temse leremos assim s Juiz de Paz....
quantas horas antes de sabir para a Alfan'Je-
ga ? E (luantas depois de voltar della e jan-,
lar?
A tudo isto be que eu pe^o aos Srs. Reda-
ctores resposta seudo-lhes possivel, e que-
rendo para que se obre com acert as Or-
dens superiores seja bem entendidas e nao
escandalosamente illudidis-, e se d o seu a
cada um.
Sou, Srs. Redactores
Seo atiento e creado
O Amigo da lutica.
Para saplisfazer ao nosso corresoondente do
Diario n. 9a demos nossa opinio a respeito de
seu contheudo e supomoi tel-o feto breve e
simplesmente segundo nos dictou a nca ra-
zio que mui fra do calor das paixc;sloi
francaemenunciar-se. Maso nosso presen-
te correspondente a quem nao agradou o que
dissemos quer gratuitamente criminar-nos
por termos '* sentado o nosso racic :inio na
ignorancia do Ministro. ,, Confessamos, que
nao foi esta a nossa men cao ; mas se do que
dissemos indirectamente tai se pode concluir *
nao islo um crime de ** leso Ministerio, ;
I"os todos os Ministros tem errado mais ou
menos ese assim nao suc ideve diriamos,
que til ou tal Ministro tinba p.-rdidj o ser de
homem e se linha metamorpboseado em di
viudade. Isto toverdade, que uas As-
sembleas altamente se grita contra Ministros ,
os papis pblicos ( IJeo nos acuda i ) fazem
apodos a quanlos Ministros exiuiro exis-
ten' e ho de existir; e o nosso illustre
Correspondente mesmo quanlas *: quintas ve-
ces nao ter ce becado contra Ministros?
Mas dir o nosso illustre Correspondente ;
O svstema do iari) de Pernambuco nao
criticar os erros de Ministerio algum. L'
urna verdade
lo nos honra
esta p ilavra 4* opp^sicj "siguita eutre nos
* iazer guerra ao Ministerio que nao con-
vem ao nosso partido sem allender as suas bas
qualidades, |>ois s bom Ministro, boa
aucloridade aquelte ente que por nos, em-
bora nos queirames a dissoluco dos la^os so-
ciaes. isto quanlo a experiencia nos tem
eolia":lilemente ensinado e islo o que te ms
visto firaticado, na mudanca dos .Vlinuleno,
contra os Ministros na occasio de elleiyes^
contra 0$ Juizes de Faz, ou auctoridadesa.
quem perlonce dirigir esie uegocio, ou, me-
luor, "est, uegocuda. e o Mioisiro,
ou Auclonda^e verUadeiramentecoosliiu-
t
, que conlessamos e que mui-
, lauto mais quanlo vemos que


DIARIO
DE PBRNAUBCO
3
KJOI
wMMWty
cional i "* louvores Ibes damos se erra ,
nao fatarG dinunciantei, Oxal dinuncias-
5em clles sempre com verdade e despedidos
le paixes e entrigazinhas particulares.
Constantes pois nestes principios, que muito
nos bonrio e no9 accredito como pretende-
ramos os fater scientemente esta inju-
ria ao Exra. Ministro da Fazenda ? Bem po-
da ell<- encarar este negocio por um lado de-
ferente daqueile por onde nos o encaramos ,
e eis-nos de differente opinio sem que ,
com tudo, nos perteudessemos ferir nem le-
vemente o seu crdito. Isto feito passamos
inda a responder do mesmo modo.
O Juiz de Paz de S. Antonio pode conti-
nuar no exercicio deste logar conjunctamente
com o do logar, que exerce na Alfandega ,
pois esse processo de embargo nao se la* com
celeridad?, que suppeonosso illuslre Cor-
respondente o que bem prova o ter o dito
Juiz de Pai a quatro annos e Untos mezes ( se
nos nao engaemos) exercido ambo os empre-
es sem a menor nota, ou queixa e sem
que nos conste apparecesse m tribunal supe-
Tior alguna illegalidade de proceso. Tal
o homo pt risar no qual estamos firmes ; pe-
lo que rogamos ao nosso Ilustre Correspon-
dente nao nos torne a pedir o nosso sentir ,
pois sempre ser o mesmo, ficando cerlo que
s paginas do nosso jornal contiuuar a re-
ceber as suas correspondencias, ainda mesmo,
que ellas como esta tenbo alguma cousa
d pungente contra nos.
V B Os RR.
Noticias Estrangeiras.
INGLATERRA. '
Liverpool 8 de Margo de i84
Chegou hontem de Nova-York a este porto
o Wcstchester Capito Ferris depois **u-
raa bella viagem de dezoito das. Se por-
tantes tinho sido as noticias trasidaa pelos
paquetes Jeorge Washington e Estados U-
nidos que chegaro no dia ,f anda mais
importantes sao as que trouxe o Westches-
ter. As relacoes entre os Estados Unidas e a
Gr Bretanha havio do formalmente apre-
sentadas ao Congresso no Relatorio da Com-
misso de Relages exteriores a ^uem tinha
9'do remettida a correspondencia entre Mr.
Fox Ministro nosso em Washington, e Mr.
Forsylh Secretario de Estado Americano ,
relativa destruigj do vapor Ciroline ,
e da priso e deten ci de Mr. M'Leod in-
diciado pelos crimes d'incendio e mjrte. O
Relatorio da Commisso um documento
muito ameacador ou antes insultante, e de
pouco crdito para os estadistas dos Estados
Unidos que o tracaro ou para squelles que
sancionarlo a sua violencia e ameaci. No*
anda nos pegamos esperanca de que a con-
troversia entre a Inglaterra e a Americi a
qual com pezar o dizemos, se toma de di
em dia mais complicada, ainda se poder
compur sem se recorrer ao duvidoso arbitrio
das armas : todava mister confessar-mos,
que o tom adoptado pelo Congresso para com
este pait to insultaran e a conducta dos
arraianos to violenta que nao deixamos de
conceber serios receios dd que ocorra algt
causa que torne impossivel a manutenco de
pac 'icas relacoes, e que involva os dous pai-
te! n'uma sanguinosa guerra. Pelo meaos
evidente que o estado actual de nossas rela-
coes, acha-se em grandissimo risco. Porm
nao podemos agora estender mo-nos sobre este
-i-_________Ul
'a paz e dignidade d'um Estado, s por* mediante Ranea idnea: quem pretender ,
que subdito da Gr Bretanba ou porque dirija-se ao sen proprietario naruadotiai-
RIO DE JANEIRO.
Tendo-ae alguns cidados lembrado de
coadjuvar o governo no empenbo em que se
acha de acabar com a revolta que infelizmen-
te existe na provincia do Rio Grande assen-
tro de pagar o sold ao numero de pracas
com que for possivel a cada cidado concor-
rer, e para esse fina abriro no dia 5 do cor-
rete husma subscripeo f cujo prospecto be o
segunde :
' Os. abaixo assgnados querendo cura-
prir pela forma que Ihes he possivel a obri-
gacoqjiieo artigo i45 da conslituico do es-
tado irope a todos os Brasileros de pegarnm
em armas para sustentar a independencia e
intecridade de imperio, e defendel-o dos,
LSnimigos externos ou internos ; vendo T ] *'""o a pronuncra do jury el e
que se prolonga a guerra que mesma inde- |<> recouduz.do a pnsao por ordem ao T-
importautissimo assurn,.to e remellemos os
nossos leilores o resumo do Relatorio e do de-
bate, que se suscitou pela sua apresentaco
A materia para aecusago contra Mr. M'-
Leod pelo crime de morte havia sido achada
por dezanove jurados tirados de vinte. O
prezo foi trazido perante o tribunal a t do p.
p. ( Fevereiro ) ao meto dia e depois de
Ibe tersid) intimada pelo Promotor |_ /\llor-
commetio o crime por suggeslo ou sob a
aulhoridade de omciaes provinciaes Inglezes ;
muito menos sabemos de lei alga que justi-
ficasse o Presidente no caso de enlrega-lo sem
processo, por exigencia ou simples asser-
co em quanto aos factos de qualquer agente
do Governo loglez.
O relatorio passa depois a argir o ponto de
leis internacional oncernente ao caso de Mr.
M'Leod ; sustentando que o crime de que
elle era aecusadj no caso em questio ha-
vendo sido comuettido em lempo de paz e
dizendo respeilo sa individuos era pura-
mente contra a lex loci i e que cahia ex-
clusivamente dent da aleada criminal de
Nova York. A Commisso argumenta que
quando coma no caso de M'Leod se faz
urna exigencia nao de preos que fogem
juslica d'uma potencia extrangeira mas da
soltura d'u n lio nem recusad j de crimes con-
tra a paz e dignidade d'um dos proprios Esta-
dos ont que a exigencia por extremo
preposler i. *
* A vossa commisso, dii o relatorio, jul-
ga perigoso exercer o Executivo qualquer ju-
risdiego sobre objectos que nao Ihe fossem
conferidos por iradado ou em qualquer caso
de conflicto con ajurisdiego dos Estados ;
uso seria uma usurpaco. Porm a vossa
Commisso se abstm por ora de insistir mais
sobre estes pjntos e nao teria dito Unto so-
bre questes t j claras de lei internacional ,
se acaso a exigenei i de soltura nao tivesse si-
do lita pelo acreditado agente d'uma grande
Potencia e em circunstancias de particular
agravaco e excitamento. '
Os paragrapbos finaes do relatorio sao os
mais importantes. Elles contm o que mui
bem se pode denominar ~ decreto de pro-
nuncia contra a Gr Bretanha V -- proferido
pela commisso de Relacoes Exteriores da Ca-
za dos Representantes dos Estados Unidos.
A leitura do relatorio foi segunda d'um in-
leressanle debate. Um cavalueiro que tornou
parle na discu:>so caracterisou o relatorio co-
mo importando em nada manos do que u-
oa deolaraco de guerra. De faci assim
foi geralmeule considerado.
( Albiou, )
pendencia e integridade e ao throno do nos-
so adorado imferador faiem os rebeldes da
provincia de S. Pedro do Rio Grande do Sul;
e senlindo que o seu estado e circunstancias
os impossibilitem. de empunharem pessolal-
mente as armas pelo presente se obrigo a
contribuir com as. quantias necessarias para
ser pago o sold ao numero de soldados da in-
fantaria da 1. iinha com que cada hum subs-
crevepor tempo le hum anno. ,,
rodemos assrgurar que j ha assignada
quanlia superior ao sold de 400 praSrtS
teudo-se alguna cidados obrigado aop.ga-
menio do saldo de vinte prsfas e muitos o
de dez.
bunal, al a prxima sesso do,, Oyer e Ter-
miner que hade comecar a %t do corren-
te tempo em que com toda a probabilidade le-
ra lugar o sen processo.
O DONATIVO DO SNR. MOREIRA
PINTO.
O Snr. Antonio Joze Moreira Pinto offere-
ceu como don.aiivo, aogoxerno imperial a
quantia de 4oo >*' rs. para serm applicadas
s dt-spezas- da guerra do Sul. Esta aecj de
generoso patriotismo, este exemplo de amor
o ilirono imperial a integridade e paz do
imperio, *:o populaco do Bi azil, e ainda mais no respei-
tavel corpo* do o immercio que mais padece e
mais sollre em lempos de desordem e guerra
civil. Temos loda a coohanca que o gover-
no empenbar t< odos os seus esforcus exigi-
r da-naco todi )s os tacriBcios para terminar
em breve -essa luta encarniyada que dura ha
quasi seis aniioci. O ensejo he tavoravel : o
povo est cans ido da guerra e prompto a
sacriGcar-e pa: radar o ultimo golpe rebel-
lio armada. Derrotar os rebeldes do Rio
Grande he a questo de vida ou de morte
para os goverai >s do Brazil: Acarnos que a
udministraco a ctual nao desprezar o ensejo,
e por meio de huma poltica forte e enrgica
conseguir pac bear a provincia.
Receba o Si ir. Antonio Joze Moreira Pin-
to os sinceros ; .gradecimento que Ihe tributa-
mos por por cerlo as ul .timas linhas que escreveremos
dando os mere cidos elogios a acc;s que de
sobeio nrovo a. uobreza e lealdade de quem
a> piaiiiy,
(Do Jornal do Commercio. )
-i ^^^
REVISTA MERCANTIL.
CAMBIO Sem alteraco a 3i d. } nao
consta terem havido tracsocges de grande
monta.
ALGODAO' Tena regulado as vendas
a 6,f'6oo.
ASSUGAR Tem-se offerecido a venda
acuris lotes a 75o, ealgumas piqueras tran-
saeces se tem eflectuado a 700 rs. por ar-
roba sobre o ferro.
COUROS Tem afrouxado haftndo-sa
oflerecido a venda pelos precos colados
CANE UECHARQUE Poucas ven-
das tem havido no decurso da semana 5 che-
gou bum carregamento que pouco augmentou
o deposito.
BAlALHAO Chegou hum carrega-
mento de atd5 barricas de S. Joo que cons-
ta ter-se vendido a ioj'900 rs. por barrica.
FAliINHA Chegaro 3oo barricas da
America de Cabo verde que se tem vendido
a io\'>oo, e outro de loo barri.as de Ri-
chmoud que seguio para Babia*
THEATRO.
Relatorio da Commisso da negocios estran-
geiros*
A Commisso de Negocios Estrangeiros ,
a quem havia sida remeitiJa a Mensagem do
Presidente transmiltindo uma correspon-
dencia com o Ministro lnglez relativamente
ao iucendiodo Barco de Vapor Caroline44 ,
e a exigencia feita a respeilo da soltura de Mr.
Alexandre M'Leod, apresentou a ij do
mez p p. Cazados Representantes o seu
relatorio sobre os assumptos que assim ti-
nho sido postos a seu cargo. O relatorio
anda impresso as foi lias : porm, por ser
sobriamente longo daremos apenas a subs-
tancia delle.
O relatorio princioia recapitulando os fac-
tos relativos distruico do ** Caroline ,
no mez de ezembro de 187. Depois passa
a Commisso a disorrer sobre os mesmos
factos occorridos, e contraverte as opinies
emillidas pelo Ministro lnglez na sua corres-
pondencia com o Secretario de tintado Ame-
ricano sobre o caso. Ella nega, que o Ca-
roline *4fosse, como havia allegado .Vlr. Fox*',
un barco de piralaria, *'e sustenta que ain-
da que o fosse '' no momento em que tocou
o slo dos Estados Unidos cahio debaixo da
sua soberana e que nenh poder da Ierra
podia ter dirito de o acmettet'.
O relatorio passa depois ao segundo ponto
apreseutado na correspondencia entre Mr.
I'oxeMr. Forsyth, a saber, a exigencia
feita para a soltura de Mr. Alexuidre M'-
Leod. A Commisso expressa a sua per su -
a lomado e incendiado como referi na parte
precedente do seu relatorio j que um cidado
ou cidados de Nova Yoik unbo. sido morios
no confliclo ; e que havia ruzes que uidui-
oacrr, que Mr. M'Leod havia sido "par-
ticipes criminis. ,,
' Nos nao con l.ecemos diz a Commisso,
lei alga das naces que exima de prisu e ar Aluga-se o segundo andar da caz 1 na
deienvao qualquer bomem que tenha sido ra Oireireila l). j com commodos sul
aecuaudo uo iiavcr commettido crimes cjutra 1 civuics para familia, por proco commodo ,
A Dirego faz publico que chegou Mr. Ro-
ert ; bem conhecidos sao os seus trabalhos
de Jogos, Phizica e Mgica que to a-
ulaudidos tem sido ouir'ora neste Theatro j e
para que os Senbores Assignantes tenbo to-
da a preferencia a outras quaesquer pesso-
as que pretenderen), camarotes dignem-se
mandar o emporte daquellas fungoe a que
tem de assisiii- a fim de nao haver duvida al-
guma com o andamento das Recitas da As-
signatura i Assim como quem pretender a-
inda assignar 5 dirija-se ao Theatro a qual-
quer dos Membros da Dirego.
Antonio inopes Ribeiro.
Joo Jos Lopes.
Joaquim Jos da Gama.
Avisos Diversos.
tsr Roga-se ao Snr. Joze da Costa d'Al*
buquerque e Mello de vir a Gamboa do
Carmo i), a Gm de effecluar um ne-
gocio.
picio ultimo sobrad j a direita.
SF* Roga-se aos Credores de Joo Joze
Ferreira de Mello & Companhia de appre-
sentarem suas contas can-entes, noescriplo-
rio de Lenoir Puget & Companliia, at o dia
5 do corrente a fin de se ultimar com bre-
vidade a exeeucSo que se move cantra os
ditos Mello iiCampanhia.
%ST Aluga-se o sobrado de dous andares e
solio, e armasen) para estabelecirneuto re-
ceto-edificad 3 na ru* Augusta ; a tratar na
ra do Vigaria no Recfe u,
tST Preciza-se de um bomem que entcn-
da de olaria p ira se encarregar do cozimen-
t dos fornos e do mais trafico da mesma o-
laria acompauhadj de 11 escravosi o que
se achar as circunstancias dirija-se a ra
dos Quarteis, 1). 5 que achra com quera
tratar. Na mesma caza acim preciza-se de
um padeiro branca que entenda bem do tra-
uco para ajudar o administrar o trabilbo
da mesma.
tsf No dia ao do corrente desaparece j
do porto detraz doTlieilro, uma canoa a-
berta de carregar 70J lyjollos, j u n pouco
velha tendo d'um lidj un rombo, e no
meio tem 3 casas de cavernas miis juntas, por
causa do mesmo rombo e corrida d'alca-
trale de madeira de barab c ten um pola-
co de corrente grossa na poupa ; quem della
souber e a quiser denunciar duij i-se a ra
dos Quarteis padeiria D. 5 que ser bem
recompensado.
^ Uma mulher de bons costumes, se of-
ferece para servir de companbia a qu rlquer
familia que pretenda retirar-se para fora da
Provincia, ou para o mato : quem do seo ol-
ferecimento se quiser approveitar dirija-se
a Cidade d'Olinda nos 4 cantos sobrado
da esquina da parte direita junto ao sobra-:
do, D.27.
cr Quem precizar de uma ama para o
servico de porta dentro ; dirija-se a ra de
Hortas O. 1 1.
tST A pessoa que aununciou querer sabsr
a moradia de Anna Joaquina de Oliveira ;
dirija-se as 5 ponas, sobrado lado do po-
ente D. 3i que l se dir quem .
VST Da-se cincoenta mil rs. a premio so-
bre penhores de ouro ou prala : uesta Typo-
grapbia se dir quem os d.
ar Manoel Pinto da Cunda, retira-se
para o Porto a tratar de sua saude e i ixa
por seu procurador o Snr. Antonio Francisco
Maia.
IV Em Onda ra de S. Rento junto a
cata do Senbor Francisco Teixeira ha uma de
leile, soltuira livre e deiembaragada.
IST" Um rapas brasileiro de idade ti an-
nos oflerece-se pira qualquer servico fora da
praca para caxeiro ou feilor de qualquer o-
bra tudo que seja fora da praca dando fi-
ador a sua conducta ; qualquer Snr. que do
seu presumo se quizer ulilisar, annuncie pa-
ra ser procurado a fim de fazer o seu ajuste ,
o mesmo sabe ler escreve-, e contar.
SW A pessoa que aun" "i >u no Diario de
3o do p. p. pie i: arde um fabricante de pol-;
vora para o serto dirija -se as Cinco pontes ,
fabrica de chapeos D. \.
CT* Quem precisar de uma ama para o
servico de uma caza de pequea familia di-
rija-se a ra do Livrameuto n. 23.
Comprad-se duasescravasde meia ida-
de de naco para Engenlio no muro da
Penha D. seis defronte do nicho.
O Procurador Fiscal Antonio Joaquim
de Mello mora na ra Direita lado do Pu-
ente n. 37 segundo audar.
Bernardo Jos da Costa Major de
Angola relira-se para Portugal com sua fa-
milia.
No dia 10 do corrente vai praga pe<
raute obr. Dr. Juiz da Uireito da segunda
VaradoCivel pjr urrendamento o Engenho
Gongacari: as pessoas que quizerem lancar
compareca am cazi do dito Juiz pelas i ho-
ras da tarde.
O Coronel Agostinho Jos Thomaz de
Aquino a vista da rapidez com que se retira
para a sua provincia, por aproveitar o Vapor,
nao se pode despedir dos seos amigos pessoal-
mente o que por este faz pedindo-lhes as
suas ordens para a mesma provincia, Recife
a de Maio 1811.
tsr Alluga-se hum armasem com duas
portas de frente com sessenta palmos de fundo
e vinte seis de largura na ra do Colegio em
frente do Caes ; os pretendentes dirija-se a
ra do Crespo, loia de Joaquim Viegas.
KST A pessoa que aununciou querer com-
prar uma balanga ordinaria para pezar capim
dirija-se aira* do Tueairo armasum de w-
boas de piuho.
I


"*
D I A R I O
J5 E PBRNAMBCO
t^Respondendo-se aoannuncioda Senhora
D. Joaquina Maria Pereira Vianna inserto
no Diario n. 90 do correte anno, se diz ,
que : se 08 Advocados e Procuradores, que
a mesma tem constituido em Juizo para a
defenderem em suas causas nao the mere- -
cem confianca, que eonstitu* outros : por) t. brev.dade por ja te Jrttde
que nao estando os Srs. Escrives ,a restricta gamen.o promp.o quem q. e c.rreg.r ou
ir de passagem dirija-se ao seu Capito Uo-
de passagem dirija-se amia da cadeia doRe-
cie loja n. 17. .
PARA LOANDA com escala por Benguel-
la o Bergantn rasileiro Temerario ene-
jado prximamente de Lisboa he a pnmeirs
vez que se destina a A lrica sahir com aui-
t?y Tjma caza terrea em jduito bam esta-
do, sita na ra velha da Boavista : quema
pretender, dirija-se a ra dos Qiiarteis D.
5 onde se lite dir com quem se deve en-
tender.
qor prego commodo por o mesmo esta* def-
feituoso ; na ra do Vigario D. 12.
er Excellente lijlos de al venar ia grossa,
tanto em qualidade como em tamanho; na
olaria e posto a porta do comprador pelo pre-
tsr
Um escravo de bonita figura opti- co regular e com algunas folga no paganaen-
obrigacao de inlim \rein as rroprias parles as
sentencas e despachos do Juizo elles o po-
dem fazer a os Ptocuradores perqu a le
manda que se intimem ditas sentencas as par-
les ou a seus Procuradores e de qualquer
sorte que o faco tem cumpridocom a lei e
nao esl isso na voutade nem no arbitrio de
nenhuma das partes litigantes. Conslilua
jpois a Senhora D. Joaquina novos Procura-
dores, se os que tero em Juizo nao Ihe me-
recerem confianca porque he mais natural
queoSr. Escrivo Santos parase livrar de
respoiisohilidade de autos faca as intima
coens a os Procuradores para nao passar pelo
inconveniente e vex%oie porque passou o
Sr. Esrrivao Francisco Haplista de Almeida ,
que ja nao querendo confiar autos a mesma
Senhora, pedio ella ao Sr. Antonio 1'ernandes
de Azevedo para ir pedir uns autos em con-
fianca ao Sr. Almeida oue corriao com a
Fazenda a dila Senhora e com os Srs Car-
jieiro da Cuaba que elles foro chamados ,
e os ditos autos se de-emeaminharo ate* boje,
confiando-cs o Sr. Fernandes de Azevcdo ;
raesma Senhora e responsavel para com o
Sr. Lsciivo Baptista de Almeida passou ou
ha de passar pelo enccmmodo e despeza da
reorrua dos ditos antos.
igos Francisco da Silva ou a Manoel
Krauscisco Ponles na ra da senzala velha.
i e 11 a o
tsr Que faz Joao Donnelly em casa de sua
residencia em fora de portas na ra de S. A
maro nova de urna mobilia de casa e uus
quadros muito elegantes e mais urna cama de
ferro grande e outra pequea de lato e cu-
iras varias cousas urna banca de carpina e
mais objectos pertencentes ao mesmo, urna
canoa grande que pega 800 lijlos; terca
(eir 4 de Maio as 10 horas da manh.
C3" Que fazem Crahtree Heyworth & G. ,
por inlerveneo do Corretor Oliveira de va-
rias fazendas avariadas e outras limpas ,
em continuadlo do annunciado que nao te-
ve xito era consequencia da chuva ; terca
feira i de Maio as 10 horas da manh nO
seu arm-.zem da ra da Cruz.
tsr Que fazem Russeli Mellors & C. de
urnas poucas de caixas de fazendas inglezas ,
para fechar una corita, terca leira 4 de Maio
us 10 horas da manh no seu armazem da
ra da cadeia velha n. 18.
ST Que faiem Latham & Ilibbert por
i> Quem precisar de um padeiro diri- 1 inlerveneo do Corretor Oliveira de muito
ja-se a ra dos Quarteis casa de pasto D. a, j hom sortimento de fazendas inglezas todas de
SST U Sr. negociante do Cear que rece- lei, limpas e avariadas quarla feira 5 de
Leo uma conta,cor rente de Pernambuco fe-
Vlaio as 10 horas da manh no seu an.ua-
chada em 13 de Dezembro de 1 H3(^ trate de cem ra da aifandega velha.
mandar pagar o saldo dellu e o premio pela tsr Que fazem Goeskell Johnson & Com-
deraora, sen 2o quiser ver o seu nome deca- panltia por inlerveneo do Correlor li-
rado por este Diario. veira de um esplendido sortimento de fer-
tST Quem aununciou querer vender urna j ragem cuja qualidade he garantida e as
negra que cozinha e he boa lavadeira quaes ser vendidas sem limites em quanto
dirija-se ao atierro da Boa vista venda Deti- os piecos quinta (eir 6 do correnle as 10
ma D. 3g. horas da manh em ponto no armazem da
^tsr A pessoa que precisa de um caixeiro ra da Cruz primeiro andar.
pan tomar conta de um venda por hulanco ,
dirijase a ra da Conceico da boa vista De-
cima 2 4.
tSS* Quem precisar de um rapaz poriu-
guez que sabe 1er esi-rever e contar e
da fiador a sua conducta, para caixeiro, e
mesmo para ensinar meninos fora da praca ,
alirijase a venda da ra do Hospicio ou na
ra eslreita do Roza rio venda D. 16.
mopara qualquer servico e enteode de co-
zinha e tem principios de canceiro urna
escrava de naco ptima quitandeira ; na
ra direita D. 17 loja de couros.
t^- Urna escrava moca sem vicio sabe
cotinhar engoromar e coser ao compra-
dor se dir o motiro ; na Camboa do Carmo
D. 10
tsr Farinbade mandioca em sacas che-
gada recentemente do Rio de Janeiro ; no ar-
mazem de Antonio Francisco dos Santos Bra-
ga na ra da raoeda n. i< r.
er Um pianno de muito boas vozes pira
s'ensinar a tocar e por commodo preco ; as
5 oontas 1. sobrado D. 18 lado dneito ,
passando o becco do marisco.
8S3- Palha de coqueiro e cocos ; no sitio
do Major Mayer no corredor do Bispo ; assim
como capim de plantan 80 rs a arroba, indo-
se l cortar de duas arrobas para cima.
ssr Uma pouca de prata de boa qualidade,
urna gamela grande larga e forrada uma
rotula para porta, um i.rueifixo de bom ouro,
um jarro de prata de deilar agoa as raaos ,
um anel de diamantes um alfinete de peito
de bom ouro, e outro de diamenles um re-
logio de cima de mesa e um realejo que toca
dando-se corda 5 as 5 ponas D. ai oude
tem lampiu.
tsr Uma armacodeuma loja propria pa-
ra qualquer estabelecimenlo de fazendas ou
miudezas na ra da Madre de Dos D. o ;
a tratar na mesma.
K^- Um negro creoulo corpulento de
bonita figura de idade de 25 annos, e pti-
mo para todo o servico ; na praca do Com-
mercio casa de Domingos Jos Vieira.
Uma venda com os lundos de um con-
t ; na ra dos Quarteis D. 5.
13?" Uma boa casa de campo com porto de
embarque, com todos oscomraodos para gran
de familia em muito bom logar e perto da
praca ou troca-se por outra no Recife a
tratar na ra do Crespo lado do norte loja D-
cima 3.
er Fumo em folha de superior qualida-
de para charutos vindo da Baha prxi-
mamente ; na ra da senzala velha em casa
de Manoel Francisco Pontes.
Cf Uma escrava de nacobenguella, mo-
ca e de bonita figura boa cozinheira e
lavadeira com urna cria de dous mezes
tem muito bom leite ; na ra da trempe para
o Mondego no sitio que tem a casa com a fren-
te amarella.
G9" Um excellente guarda roupa de jaca-
randa ; na praca da Boa vista no sebrado de
um andar no correr do Coronel Almeidi.
K5T Umj escrava anda moca cozinha o
diario de uma casa e lis boa quitandeira }
na ra da cadeia do Recife venda do Pitotnba-
Escravos Fgido
tsr Fugio no da agdo passado, um preto
de nome Joze ou por alcunho Zuza, estatura
baixa secco do corpo olhos vivos falla
muilo fina e embarassada que custa-se a
entender o que diz peruas finas sabio
com camisa e ceroulas de algodo da trra e
com um len^o amarrado na cabeca ; quem o
pegar le-e ao atierro da boa vista loja de fa-
zendas D. 5 que ser gratificado.
txr No da 16 do passado fugio uma ne-
gra de nome Anna representa ter 2o ani
Compras
dade
Para obra do theatro publico desta Ci-
vinle travs de embiriba massaran-
IIOS
de idade bstanle baixa cor muito preta ,
to de ris, a dinheiro ou apraso ; na praca da grossa do corpo caru comprida olhos pe-
boa vista D. 6. quenos e vivos boca grande beicos grossos,
tsr Um preto moco, de bonita figura tientes limados, peitos pequeos, bracos
bom cozinheiro e socador de assucar ; na ra grossos mos bem fetas p* grandes e
da cadeia do Becife n. 5o. apalhetados lilla fina parece creoula tem
tssr Os Diccionarios de Moraes al a quar- o andar sacudido eintitula-se forra; quem
ta edico dito de fbulas noticia de metho- a pegar leve a ra d*s trixeiras D. 18.
logia Gil Uraz com estampas finas altas mo- *ar Fugio uma negra de naco com ves-
uerno alfabeto pitoresco dos monumentos de tido de metim verde e pao ha costa he
Paiizcomai eslampas em colorido e o ka- magrinhai iuem a pegar leve ao paleo do
tratar na mesma obra.
BT Uma escrava moca que saiba cozi-
nbar e engommar ou troca-se por outra
l> Precisa-se de um menino portuguez ; de maior idade com as mesmas habelidades ,
de idade de 12 annos para uma venda 5 as n0 alieno da boa vista D. 3q.
b ponas D. 41. -----------------\r----------3^
tur Umii moco brasileirode boa escripia V 6 H lS
para qualquer esenptorio e fazer qualquer
tscripturaco se offerece por algumas horas tsr Perfeitissimas Imagens de N. S. da
diariamenle j quem precisar annuncie. IConceijo, e do Menino Dos, mui bem
cr O aclual contador e desliibuidor de i douradas e feilas pelo melhor escultor da
> ----- j jai 1 1 muconm estampas em cotonuo, e o Ka- ujafjiimia, '("" i'cSa( >cc 00 pumo uo
uuba ou pao d arco de do a S palmos de jendar0 das perS0Iia;ens celebres do 17 e 18. Terco 1 no segundo andar que ser recom-
compndo e de palmo e coito de grosura ; a seru|os ^^ ^b ^^^ em co|or(Jo | penSado.
Jiuviiieuto do Portt?
assim com tres lindos alfiueles de peito, de
ouro do ultimo goslo de Lisboa ludo novo ; <
na pracinha do JLivramento loja de fazendas
tsr Tres tomos de Virgilio Cornelio,
Salustio, um diccionario de fbulas, um dito COKTUNUACAO' DAS ENTRADAS DO
Magnum Lexicn ; na camboa do Carmo no DO DI.V 29 DO PA-SSADO
estanque de tabaco.
tsr Sacos com larinha ; na ra de Hor- LONDRES ; 5o dias Brigue Inglez Ellisa
tas venda de duas portas, de 20c) tonel. Cap. Join Bell, equip.
notas e contador des Juizes de orlaos e
provedoria desta Comarca, avisa a quem
convier que de ora em diante o devem pro-
curar no Cartorio do Kscrivo Reg na ra
das Trincheiras em as horas dos costume.
CT Fxiste na ra do Queimado D. i3
uma barrica de cu li, leuiuiiidu da Babia ,
para o Sr. Jos Joaquiro de Almeida Quedes ,
que a dever procurar.
SET Quem anuuniiou precisar de um cai-
xeiro uinja-se ao poitodas canoas n. 1.
tsr Os abaixo asignados encarregades poi
procuraco bastante dos credores d<; maior
quantia de Antonio Xavier da Silva, deela-
ro que uinguem compre era (aya nego-
cio algum roa 5 motadas de casas que o
mesiLo silva tem na puvoatodos allogadoi,
assim tomo duas cscravas que ludo se acha
hypolhectdo a Antonio Baplisla Ribeiro de
I*aria pois tiles querem juditialmente pro-
var como he nulla a dita Lypolheca assim
como que nao pode le etilo a doaco de um
sitio no lugar da l'iranga que o mesmo Xa-
vier da Suva fez a sua tia uo mez de No-
vembru de ib/jo epocha em que elle a ti-
nha contrahido o seu debito. N. O. bieber
ti Compandia, Lenoir Puget C Companhia.
*-v> Os diccionarios da academia de fran-
jo, carga plvora e fazendas 5 a Me. Cai-
Avisos Martimos.
PARA O MARANHAO* sahe em poucoi
das o litigue Escuna S. Jos quem quiser
carregar ou ir de passagem diiija-se a Del-
finoQoisalvcs Pereira Lima, na ra nova
D. 22 ou a Firmino Jos Feiis da Reza.
PARA O ARACATY iaiie impreterivel-
icente al 4 de Maio, o lliaic Flor da Laran-
reira loriado de cobre e de primeira mar-
tlia, ja est carregado e tem mais de meia
carga prcmj ta ; quem quiser carugar ou 4ir
Cidade do l'orlo ; na ra da cadeia velha nu-
mero 16.
tT Um terreno com cem palmos de fren-
te e perto de 2000 ditos de fundo com um
viveiro ja comecado quasi todo atterrado ,
e livre de agoa salgada tem uma grande
camboa para conduzir os materiaes para se
edificar qualquer propriedade na frente tem
meaco em um oilo da casa nova do Sr* Ra-
bello no atierro dos alTogados defronte dos
coqueiros do Sr. Muniz j a tratar uo mesmo
logar na fabrica de sabo.
tsr Urna casa em Olinda junto a casa da
opera com 4 "artos cozinha fora e
um grande quintal ; a tratar na mesma Cida-
de la de Matbias Ferrcira n. ^o.
tsr Urna preta de naco compra e ven-i
de na na, ensaboa cozinha o diario do
uma casa, a vista do comprador se dir o mo-
tivo ; na la das trincheiras sobrado D. 21.
tsr Alpisla no a 880 o quaiteiro ; na
Iravessa doRozario D. 12.
sssr Um completo sortimento de figuras
mui adequadas para presepios chegadas
agora do Porto bacias para barbeiro e vi-
dros para lampadas -, no armazem de louca
finaatrazdo Corpo Santo n. titi de Antonio
DiasSouto.
tT Um escravo moco bom oficial de
raipinteiro i ditos ptimos para todo o tra-
balho e um be bom cozinheiro, dous mola-
tos de idade de 18 aunes um d'elles he bom
pagem e bolieiro 3 moleques de idade de
12 a 16 anuos 3 preta9 com boas habelida-
des e um molalo oilkial de capateiro na
ra de .-igoas verdes casa terrea D, 3?.
t-S*" I' urno em folha para charutos, de
superior qualidade, a preco coramoUo j no
armazem de Fernaude Jos tlirague< u. 9 ,1
na ra da cadeia, I
ca por preco commodo ; na ra eslreita do moni & Companbia.
Hozario D. 27 no terceiro andar. 'GUEBNShY, 45 dias Barca Ingleza Mo-
tsr Cartas francezas de superior qualida-j uarch de 2J3 tonel., Cap. William Le
de tanto em papel como era pinturas, os, Lacheur equip 14 car<>a lastro: ao di-
verdadeiros charutos de raanilha rap ro- | to Capito.
!o Hamburguez tanto em garrafas como em RlCli.VlOND- 47 dias Patucho Americano
meias ditas caixas de agoa de lavandi com Naumakanta de i85 toiuel. Cap. Ro-
a garrafas, pelo cmodo preco de 4000> oa bert Norri equip. 7 ca,rga farinha do
ra da cadeia do Ketife loja D 7. trigo ; ao dito Capito.
tsT Sacas com farinba de alimpadura por MALAQA por Qibraltar; 3; dias, Polaca II.
prego commodo; no armazem de Antonio Paciega de (32 tonel. Cap, Jos Matas ,
equip g, carga vinho, aiei le doce e fru-
Joaquim Pereira defronte da escadiuha da
aifandega.
tsr lira caninho de. duas rodas em muito
bom estado e por preco commodo uma
curreca para ca vallo e uma canoa decarrei
ro quasi nova ; na ra nova loja de azendas
de Luis da Costa Leite, junto a ponte.
tsr Abotuaduras com llores de veludo, es-
pingardas de espoleta a 384o peutes de tar-
taruga pira marrafa ditos de marfim de ti-
rar piolbos bicos finos de todas as larguras ,
filas de todas as qualidades ferro de asso
para engommar estojos de navalhas eou-
iras multas miudezas por preco commodo; na
ra do cabug n. .}.
IS9- Um selim inglez quasi novo com to-
dos os arreios para montana de senhora ; no
paleo do Terco D. 9 no primeiro andar.
tsr Um braco de baianca com conxas de
madeira e um relogio de sabonete, meia
paleule ; na ra do Rangel loja de cera De-
cima 37.
tsr Chapeos de sol de seda a 25oo ; na
ra do Crespo D. l.
PT lia c de Lisboa muito fresco chega-
do no I.ngue Atncino em libras e as oi-
taVas ; uo atierro da Boa vistaloja de. fazen -
das D. 5.
istf' Um negro creoulo de bonita figura ,
cas; a Scbramm.
BAHlA 5 6 dias Patacho rasileiro Beja
Flor de 112 tonel. lip. Manoel Jos Ma-
chado equip. 11 carga carne secca : a
Manoel Al ves Querr.
SAHIDO NO MESMO DA
ASSU'; Brigue BrasiieiroS. Manoel Augus-
to Cap. iWauoel Simos carga lastro.
ACARACU'; Patucho Brasileiro Emulaco ,
Cap. Antonio Gomes Pereiira carga di-
versos gneros.
PARAlilB.Vj Barca Ingleza Monarch, Cap.
William Le Lacheur carga, lastro.
IIA VAN A ; Polaca HcspanUoU Desaojada ,
Cap. Joo Maristany carga a mesma que
tmu.vj de Montevideo.
BAHA Patacho Americano Mabmakinta ,
Cap. Robert Norri carga a mesma que
trouxL'de Richimond.
ENTRADOS NO DA 3o
NOVA HOLLANDA ; 63 dias Galera In-
gleza Calculta de 5oo tonul. Cap. t
Ghaimeis equip. 2; carga a.zeile de pei-
xe ; ao dito Capito vera rofrescar e se-
que para Londres.
RECIFE NA TYP. DE M. F. JJE F. 84-



1PPA
>
DOS
Enfermos, e Expostos, que entraro, shiro, e morrerao, desde o
1. de Maio a 30 de Setembro do correte anno, e dos que fi-
cao existindo para o 1. de Outubro prximo fuluro.
prximo fuluro.
| Sexo Masculino. | Sexo Feminino.
HFUNDE HOSPITAL. |

I I
! ? i I 'I J
t | 14

5
3
.2
l<3
o

o

o
2 i s
h I .*
Maio. |4I 9I 3|23| 8| 2 0| 2| 8
Junho. |j3| 7 | i0| 3 | 17 | 8 | 7 | 4 1 a| 9
Julho. | 17 | 17 | | 3 | 23 | 9 | -2| t i 4 1 6
Agosto. | *3 t 7 | 5-| 1 | 94-1 6 61 1 | 1 | 10
Setembro. | 24 | 8 | 5 | 2 1 a5 | tO | 4| 2 1 | 11
Somina. I | 60 j 37 ) xa j | | 2, | | 10 |

HOSPITAL DOS LAZAROS.
I
I o
'3
'*
Sexo Masculino.
Sexo Feminino.
i l-f. I I I 11 I |Tf 1 I
Maio. 1 6| o| 1 1 0 'j ( !2 | l 0 0 12
junho. i5 0 o| T | 14 | 12 | 0 0 0 12
Julho. 1 i4 1 0 1 o| 0 14 | 12 o| 1 0 1 12
Agosto. 4 1 0 0 0 | 14 12 0 0 10 12
Setembro. 1 4 1 0 1 0| o 14 12 | 1 0 0 i3
So n una. 1 1 0 i 1 1 1 1 1 0 0 1

CAZA DOS EXPOSTOS.
Maio.
Sexo Masculino. | Sexo Feminino.
I Jl\\ I i \4 l !|ll s
111 I '81 '8 4 J 1 '8
|_khj 1 cg 1 ^ I t2 I 3 i cg I 5 fea
I 5o I 3 I ~i I 4 I 4 I <> 14 I l i
Junho.
I 48! 2 I 2 I i I 47 l<>7 I
o

Julho.
I 47 I 3 I 2 I 3 I 45 I fifi 1 3 I

Agosto.
j 45 I 2 I 3| 0 I 44 I 0*101
77T
Setembro.
Somma.
| 44 I 2 1 3 1 2 1 41 1 o j o 1 2 1 o 1 b
10 l
12
11
i9 i4
,-
N. B. As Columnas que tero os dizeres Existio e exitem ro sao somma las po
tas representa o n de doentes que existia no lim de cada mez, e aquellas o qu. paa av i
principio dos mesmos
Salla da das Sessoesda AdministracSo dos Estabelecimenios deCaiidade 3ode Setembro de 84i.
F. A. Cavalcanti Cousseir
Efcripturari*.


I
Co&Wl lia fUcaita t Despeza da Adminstracfio dot Estabeleci-
i84u RECEITA.
Msie f Pela importancia recebida do ex Thesoureire Antonio Joto' Pires era 69 le-
tras a vencer de 28 de Abril de 184a 7 de Outubro de 1846..... Iq:$(jj\J y
3l Recabidos do Procarador da Administrado dos] rendimenloa arrecadados
neite mez segundo consta do Livro respectivo......... 97U800
Juche 3 Da Thetouraria das Rendas Provinciaes, do subsidio per (encent a casa dos
Expostas, vencido do 1 de Abril ao ultimo de Junho, j5oUooo
Da tnesma iden do Hospital dos Lasaros idem.......... 750U00
4 Do Procurador da Cmara Municipal desta Cidade de corridas de porcos ,
em beneficio do H. dos Lasaros. i........... 83io
t De Jote de Barros Pimentel, pelo tratamenio de hutn escravo paido do
nome Jlo de 8 a 3a de Junho crrante i'a8o res por dia. i^Uao
*S De Francisco Ribeiro Pires, de bum anno do eogajamento da Exposta Jo
snna Mara vencido em a3 do corrente. ,. ..... 3oUoo
Se Do Procarador da Administradlo dos reudimentos arrecadados neste mes
segundo consta do Livro respectivo* 1 j6Uyo
Jfelb* l4 Do Pon uguet Josa da Silva e Uliveira pelo seo trata ment no Hospital des
de 4 i 19 de Junho prximo paasado, 11 f 44 ms Por di*..... *3Uo4
a De Antonio Jos de Castro peto tratamento de huma sua escrava de noma
Thereza de 8 17 de Julho prximo paseado a iJ'a8o reis por dia. 1 iU5i
a> 18 Do Procurador da Cmara Municipal desta Cidade produto de corridas de
porcos a beneficio do H. dos Lasaros. ........... i3U5i
e so Do Doutor Francisco de Paula Bapttsta, pelas comedorias de seu irmio Anto-
nio Baptista da Conceiclo, de 1% dias a razio de 5oo reis por dia. 6Uooa
So Do Procurador da Cmara Municipal desta Cidade produto de corridas de
porcos, a beneficio do H. dos Lasaros........... 34U8ao
a || Do Procurador da Administrado. importancia do randimento arrecadada
aeste roes legando confiado Litro respectivo. ...... t^jdUfi
4"a>4LStt


I

mentos de Caridde desde 8 de Maiot 30 de Setembro de 1841.
1841.
Jutiho




Julho






Agosto
DESPEZA.
I Pagos aos Empregados e Amas da Caza dos Expostos dos mus or-
denados vencidos cm Abril e Maio prximo passado l
4 Aos ditos da Administradlo dein dem. ....... 2
dem ideo) do G. Hospital idcm dem. 3
8 Ao Comprador dos Estabelecimentos de Caridde por diversos gneros
comprados para os mesmos no me/, de Maio prximo passado. 4
9 A Domingos Joze Kodrigues de Azevedo por diversas obras que fe
no Grande Hospital. ............. 5
lo A Candido Francisco do Rozario mestre pintor por tintas e pin-
turas feitas no mesoio Hospital............6
A Joze Maria da Cruz ex Escripturario da Administradlo do seu
ordenado a 2oo$'ooo reis annuaes, que venceo do i. de Abril a 7
de Maio, dia anterior ao em que se demetio....... 7
14 Ao Reverendo Antonio de Faria Neves, ex Regente do Grande Hospi-
tal do sen ordenado a 3ooooo reis por anno vencido do i.
de Abril a 7 de Maio dia anterior ao em que deixoa de exercer o
referido emprego. ........ o
i5 Aa Regente do mesmo Hospital, oRevereddo Joaquina Joze Barrito,
por diversas despezas que fez no mez pp. incluzive as despezas
milicias diarias......... 9
28 A Manoel JuvenciodeSaboia ex Dispenceiro doG. Hospital, do sen
ordenado a i4o,fooo reis por anno, e racao a aoo reis por dia ven-
cido do 1. de Abril a 11 de Maio ; dia anterior ao em que pedio
demissfo. ..........._.......,0
i A Bartholomeo & Ramos, pelos medicamentos fornecidos para os Estabele-
cimento de Caridde desde Julho prximo passado, t oi. de Ja-
neiro do correle com o abate de 4o Por /0' '
Aos Empregados e Amas da Caza dos Expostos de seus ordenados ven-
cidos ern Junho prximo passado......^......J
2 dem dem da Administraco idem idem.....i3
dem dem do Grande Hospital idem idem......l4
Ao Capelo do Hospital dos Lazaros, o Reverendo J0S0 Tavares de Mello,
de seu ordenado a a5oso.'0 reis por anno vencido do 1. de
Marco a 3i de Maio prximo passado descorita ndp-se i5so6o de
5 missas que deixou de celebrar.............>>
A Jernimo Francisco da Cunha por conla do concert da caza n.
53, na forma do contrato. ...... it>
A Benedicto das Chagas, p )r galinhas e ovos que forneceo para o G. Hos-
pital do i. de Abril t gdeMaio......... ll
10 A Francisco Xavier da Silveira ex 1. Emfermeiro do G. Hospital,
do seu ordenado a 120000 reis por anno e raco a 200 res por
dia que venceo do I. de Abril a 20 de Maio dia anterior ao em
que foi demetido.......... l
Ao Reverendo Regente do G. Hospital, por diversas despezas feitas no
raer de Junho prximo passado incluzive as despezas diarias. 19
Ao Regente interino dos Expostos por diversas despezas feitas de 6 ao
ultimo de Junho prximo passado .,... ao
a4 Aoex Regente da caza dos Expostos Joaquim Vital do Amaral por di-
versas despezas que fez do 1. de Maio a 5 de Junho pp- 21
Ao mesmo Regente e a Regente da mesma caza dos seus ordenados
vencidos do 1. a 5 de Junho prximo passado em que se de-
, .....22
muirlo. .....
A Anna Pticia do Patrocinio ex Rodeira da caza dos Expastos, do seu
ordenado 485000 por anno e raco a 200 reis por dia venci-
do do 1. a 5'de Junho dem idem.....
51 A Joze dos Santos Lages ex Porteiro do G. Hospital do seu ordenado
a io4fooo por anno e racio a 200 reis por da que venceo do
1. 9 de Junho prximo passado, dia anterior ao em que dei-
xoa o exercicio daquelle emprego....... 24
A Joaquim Joze Themoteo Pinto Pinto por Livros papel, e huma
pasta para Administracio. / V*
I Aos Empregados e amas da caza dos Expostos, dos seus ordenados
vencidos em Julho projsimo passado. ; 2 ; ab
2721)343
85U5/3
22lUo3o
67U62O
5'Uioo
4756o
2oU5C4
3oU833
131U720
24U143
i:i5785o
228754
54U170
ia8U836
47U44o
3oUooo
11 iU;4
26666
118U740
3653o
28U420
4U862
1U666
4U4oo
2711600
H9U004
3?o9oi74


114 a BECEITA,
^
Transpone. 2r ^.i^U.la?
Agosto 6 Recelados do Procurador da Cmara Municipal desta Cidade, produlo do
corridas de porcos a beneficio do H. dos Lazos........ ^J3oo
k Da Tliezouraria das Rendas Provinciaes de subsidio pertenccnle ao II. de
Caridade vencido no mea de Julho prximo pausado. ....... 5ooU o*
Da mesma idem da raza dos Ex pontos idem......... a5o(Jouo
dem idem do Hospital dos Lasaros kidem............ a5uUooo
l3 De Caetano da Costa Moreira da'multa que pagou por nao lia ver feito
os concertos que se obrigou na caza da ruados Burgos n. 5"j aooooo
k 3i Do Procurador desta Administradlo importancia do rendimento arrecadado
no correte mez segundo consta do Livro respectivo. ...... 486U966
Setembro 4 De Custodio Jote de Carvalho pelo tratamento no Hospital'de hum se so-
brinho, desde a5 de Julboj 3i de Agosto prximo passado 1 s'4-
por dia............,...*.... 53Ua8o
3o Do Procurador da Administradlo importancia do rendimento arrecadado
ueste mez, segundo constado Li vi o respectivo. .>>.. anU8oo
k Saldo a favor do Tbeioureiro............ i-.ioUa^

J7.-3o3i(it*
Msaoel da Ifasciment*
Prttl
X 1
Aleixo Jote
Etcri
Antonio Mar
Thesou
Patricio Jore Bor

Jota Joaquin


J
i84<.
despeza;
Agosto





Trahrporle.
6 P.fgosao; Eirpregados d'Administiaco dos seus ordenados vencidos no
mfz de Julho provimo passado. a........27
Ais dem do G. Hcspila dem idem.........28
7 Ao Regente do G. Hospital por diversas d spezas que fez no mrz de Ju-
Ibo prximo pagado incluzive as despeza9 miudas diarias ... 29
Ao idem da caza dos Ex postos idem. ..*.-... .'. 3o
A Ignacio Adriano Monteiro pelo fornrcimento da carne feito 110 mea
de Ja I lio prximo passado. .........31
AoCorapiadord.s Estabelecimentos de Caridade por diveis >s genero*
comprados no mez de Junho pera os mismos Estabelecimentos. 3a
a Ao medito idem idern do mez de Julho.......* 33
A Mancel Ferreira Lima, pelos gneros qu ibrnereo nos metes de
Junl o e Jullio prox'mo passado. .......34
Setembrn 1 Aos Emplegados e atoas da caa dos Expostos dos seus 01 denados ven-
f idos em Agosto prximo passado. ......35
3 Aos dem da Administraclo idem idem.........36
dem dem do G. IlosptaI|idcm idem.....37
4 Ao Regente dos Expostos por di tersas despezas feitas no mez de Ago-
to prximo passado. i : ....... 38
A o Regente doG. Hospital dem dem........ 39
Ao Regente interino dos Lazaios por diversas despegas miudas noj
mezes de Julho e Agosto prximo passado........4
6 A Francisco Xavier da Fonceca Coutinlio, pelo fornecimento da car-
ne no mea de Janeiro prximo passad<..........41
Ao mesmo dem dem do mez de Fevereiro. .... 4a
dem dem de Marco........, .... 4*
dem dem de Abril........ 44
dem dem de Maio.............4^
dem dem de Junho.............4t>
11 A Manoel Antonio de Jezus pelo pao ibrnecido de Sutembro do anno
p.p. a Maio docorrenle anuo rom o abate de a5 puro/o. 47
Ao Capelllo do Hospital dos Lazaros do sen ordenado vencido do 1.
de Junho ao ultimo de Agosto prximo passado. ..... 4^
18 A Ignacio Adriano Monteiro, pela carne fornerida no mea de Agoslopp. 49
Ao Comprador dos Elabel cimento de Caridade, pela compra do di-
versos gneros no mez de Agosto prximo passado. ... .5o
ai A Domingos Antonio de Siqueira pe'os 'jios de a anuos daa cazaa
n^jQ, e 4<> vencidos em Jun/10 do corrente atino. ... 5l
k A Manoel Figueira de Faria, pela >mpres das Contas da Rectita e Despeza da tranzada Administraclo do
trimestre de Marco e mez de Abril prximo passado. 5a
Ao Encarregadode diversas obras feitas no G. Hospital, por materia*
es comprados para as mesmas obras, e feria dos ORiciaes
serventes de pedreiro, segundo a conta que apresentou. 63
m Pela impotencia de 62 letras a vencer de 27 de Settmbro d 184 a
7 deOutubro de 1846..............
3.09017
54Ui65
i2bU538
i45U34a
5iUioo
i8oUa5o
ao8Uo6o
i8U5(o
*$3U5i5
159U085
S4i65T
ayUoii
38Uaio
43U710
10U960
3i4U64o
a8375.
33iUoao
3(3Uuo
39811980
aijoUS^o
6455io
6Uq
1790270
105U700
9U600
6aU
000
a65U46o
7.9G0976
9:334X1199
i7:3o3ib
da Costa MoutViro
dtnle.
de Olireira
vo.
tins Ribero
rtiro,
jes de Freilas.
Pereira.


Demonstrado do debito contrahido no tempo da tranzacta Admi-
nistrago e pago pela actual, desde 8 de Maio at 30 de
Setembro de 1841.
Jnnho i Pelo que se pagou ao Empregados e amas da caza do Exposlos dos seus
ordenados vencidos era Abril. ^............ i
4 dem dem aos ditos da Administrado idem...... a
dem dem do G. Hospital idem...........3
i a dem idem ao ex Escripturario Joze Mara da Cruz idem. ... 7
14 dem idem ao ex Regente o Reverendo Antonio de F. Neves idem. 8
28 dem idem ao ex Dispenceiro Manoel J. S. idem......10
Julho 1 dem idem a Bartholomeo & Ramos.....!
c a dem idem ao Reverendo Capelo do Lazaros do seu ordenado
de Marco e Abril. I ...........,i5
3 dem idem a Benedicto das Chagas. ; '. .;.... 17
Setembro 6 dem idem a Francisco Xavier da Fonceca Coutinho, pelo forneci-
mento da carne verde, dol. de Fevereiro ao ultimo de Abril p.
p.Cden. 41 44)............. 4*
t 11 dem a Manoel Antonio de Jezus pelo po fornecido de Setembro da 1840
a Abril do correnle...............47
a2 dem a Manoel F. de Faria por diversas impressSes. ; 5a
152U577
37U499
iooUgia
16U666
aSUooo
i6Ut66
1:1670850
aoU834
111U700
i:a^.\U5io
56oUoio
6aUooo
3:5o7Ua34
N. B; A importancia de 3:5o7Ua34 ,* constante desta demonstrado; acha-se incluida na Des-
peza retro como se evidencia das datas dos seus pagamentos, e n0' respectivos nlo concordando porem
todas as quantias aqui demonstradas ( com aquellas ) por serem estas t o 6m de Abril nicamente.
Salla das Sesses d'Administrac.lo dos Estabelecimentos de Caridade 5o de Setembro de 1841.
F. A. Cavalcanti Cousseiro.
Escripturario.


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EAA7K29CD_V7IBPR INGEST_TIME 2013-03-29T15:10:55Z PACKAGE AA00011611_03793
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES