Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:03785


This item is only available as the following downloads:


Full Text
,PL10 D i339. QUARTA FE1R
.CAMBIOS.
Marco 18
iLoodrt 3o >/a jiox ifooo cd.
Lisboa 80 por 100 gremio, por metal, otlerecido
' franca 3io 3a5 Rs. por franco.
Rio de Janeiro ao par.
iooadt6i4oo i5fioo as ralbas nova 1 14/90.
4/000 8/100 a 8#3oo
Peso Columnarios i#6So a /67o
Uiitoa Mexicanos i|63a a i/65o
Pateces BraiiUiroi i/65o a 1/670
Premios das Letras, por mas 1 i|i a 1 lia por 10a.
Cobra ao par
PARTIDAS DOS CORRE10S TERRESTES.
20 DK MA11CO. NUMERO 65.
'ludo agora dependa dt nos roesrooi; da noui prudencu
modcrarao e energa: continuemos cvtuv fji iiie i| itu.cs
seremos eponlados eom admiracSo entre as Nafoes niaisol
tas.
Proclamadlo da Assemblea teral do Brasil.
Cidadl da Paraiba villas de la pretendo .
Cidade do Rio Grande do Norte, e villas Idea .
Cidade da Fortaleza e illas dem......
Villa de Goianna............
Cidade di Olinda.............
Villa de Santo Antio............
Dita dearanhuns Povoaco do Bonito. ....
Dittas do Cabo Serinhaem, Kio Formoao, Porto Cairo
(Jidade das Alagoas, a Villa da Macai......
Villa de Pajau de Flores..........
Todos os eorreos partan ao meio da.
( Segunda* Saltas feirai;
Todos os das.
Quintas feiras.
Das 10, e a4 de cada aos.
dem i 11, o ai ditto didfl
dem idem.
dam i3, ditto ditto
, Sunsereve-se para esta folba a 3*ooo rs. por eraarttl, pagas adl-
nudos nesta Typograia, ra das Cruxes i'. 3, e oa Prata
da Independencia D. ij M, onda sa recebaos correspo-
dancias legalisadaa aannuucios: insirinoo-se estes gratis
lando dos proprios assignantas, a vindosassignados.
DAS DA SEMANA.
H Segunda S. Cabriel Are. Audiencia do 1. de Direito da a. ara da manh.
19 Terca >j< S. Joie Esposo deN. S.
au Quarta S. Mariinlio Dumiense Are. Sesso da Tbesouraria P.
n Quinta. S. Bento Ab. Retaceo e aud. do J. de L). da 1. vara de manh.
aa Seita s Dores de N. S. Sei. da T. eaud. do J. de D. da 1. de m. Quurtos cre*c;
as 3 lior. e a3 Sabbado S. Felis e seus Comp. Mm. Re. de mano, e aud. do V. G. de t. em Olinda
a4 Domingo de tiauns S. Agapilo B.
As q horas e 18
Marcbeia para odia 30 de Marro.
dii\utos da inaub. As 9 boras e 'J minutos da tarde.


PERNAMBUCO.
ASSEMBLEA LEGISLATIVA PROVIN-
CIAL.
Acta da 11. SessSo ordinaria da Assemblea
Legislativa Provincial era |5 de Marco
' de 18J9. '
Presidencia do Sor. Macal Montciro.
Faite a chamada e adiando se presentes
26 Snrs. Depuladoa, faltando coa cau-
sa partecipada os Se 11 h o res U1 bao Ha
fac, Izidro, e Manuel Ca*alcanti, o fiar
Presidente ebrio a Sesso e lida e approva-
da a Acta da antecedente, o Sor. 1. Se-
cretaria dea coate do expediente : bum
Otfieio do Secretario do Goveroo remet-
iendo a inorni-cio do Director do Liceo
sobre a conducta escolar de Jos Cbrispim
da Assumiicio a qual fura exigida pela As
semblea arequeritneoto da Commissio de
lastruccio Publica :.foi rernetiido a mrsma
Commissio : bum requerimeuto de Virie-
simo Jos de Siqueira, Cirurgiio Ajudao-
te doCorpo Policial pediudo que o seu sol-
do fosse igualado ao ti js terceiros Com-
mandantt e que se Ihe condesse a gratifi-
cacao arbitrada pelo artigo 77 do Regi-
ment de 17 de Feveieiio de t83a como
ja se conceder ao Cirurgiio Mor do mes
mo Corno: Commissio da Forca Poli-
cial.
1. parte da ordera do dia.
Foi lido bum parecer da Commissio de
Pelices attenurndo ao Reqoerimr-nlo de
Mauoel Paulo Quinlella, Oili.nl ALior da
Secretario do Governo e oeiecendo a
respeil bum projecto de Le dispondo :
que o Artigu 4- da Lsi Provincial de
9 de Junlio de i83? 16 elterou distribu-
cao dos emolumentos da Secretaria feita
pela Tabella de 11 de Favereiro do mes-
mo auno, a que s tem direito aos mesmos
emolumentos os eiupregado que ja o linhio
ute da Le de i a de Juoho de 1B.6 ; foi
u piojecio julgado materia de deliberado
e u,.uUuu-se imuriojir.
Outro Parecer da mesma Commissio so-
bre o requerimeuto de Alexsudre Juse
C-onsalves Guerra concluindo que a vis.
ta co artigo j da Lei do i. ae Outu-
bro deib-aSo mesmo Requerimeuto devia
de ser enviado ao Exm. Pieaidenle para que
oruenaase a Camard Municipal de Nasa-
itib que- lesUbelecasse de facto o amigo
c.uiiiilio, eservidio particular que mau-
uou extinguir salvos aos recorridos os mei-
slegaes que para sua extinecio Ihe
competiste; foi eddiado por oposicio do
b*l, \ lena de Mello.
Outro da Commissio de Negocios Eclesi-
sticos exigiodo para dar o seu Parecer
sobre o requenmento de Jos Mara doEspi-
' to Santo Pires, a outros moradores da
Pofoacio do Pilar pedindo a remocao da
Matris da Coneeicio da Villa de llamara
ra para a sobredita Povoaco, que fosse
consultado o Exm. Bispo : approvado.
Outrada Comuiitsio de Agricultura &.
ex i {indo para dar o seo parecer sobre o
requerimento de Mauoel C que fosse consultado o I)jutor Juix do Ci-
vel da respectiva Comarca a quem compete
a adminisi racio das trras dos Indios que o
Supplicaote pietendo por afforamento : ap-
provado.
a. parte da ordem do dia.
Continua a discussio addiada do Titulo
4. das Posturas da Cmara Municipal do
Recife coa a emenda do Sor. Carueiro
Leio 5 esubemeudas dos Snrs Tiburtino
Nabuco de Araujo : o Sar Paula Caval-
caoti mandou a mesa o seguinle requeri-
mento que sendo approvado 6cou a dis-
cus.-io adiada: requeiroqueo Titulo 4.
das Posturas da Cmara Municipal com o
Projecio qii* Iheseive de emenda j a as
Posturas Addiciouaee respectivas aejio re-
mettidas a Commissio para organiear hum
novo Tiiua 4. das Posturas. O Snr.
Carvalbo de Mendonca ollerecen o seguin
te requerimento que depois de alguma dis-
cus*i*retirou-o com o coosentmenle da
Assemblea que se peca ao Goveruo o
Piano deedificacio que a Cmara Munici-
pal do It-cile. Ibe remetteo. Segaio-se a
terceira discussio do projecio u. a6 de
1838 ; dispondo que o Presidente ds Pro-
vincia ea a oomeavio, remocao, suspeasio,
e demissio dos Empieg^dos Proviociaes
xercesse a mesma atiribuicio e pela ih-
uia maueira que competa ao Governo Pro-
i vmcial, e ao Geral antes da Lei da Refor-
ma com a emenda additiva do Sur. Pedro
Cavalcanli ; o Sur. Nabuco de Araujo
mandou a mesa huma emenda suppressi-
va Elimine-se a palavra remocao, e
est'outra edditiva Acrescente-ae depois
da palavra Reforma Constitucional -e pela
Le de 3 de Oulubro de 18+ i Pr0"
iecto regeitado com as emendas cuereadas.
Eairou tambtim em terceira discussio o
Projecto.N. a3 do aono p. p sobre os ca-
sos de suspeieio dos Juises doCivel eCrime
desia Comarca coa a emeuda ad
ditiva do Senbor Nabuco de Araujo ; o Sr.
Carueiio Leio mandou a mesa a seguinle
i emenda substitutiva : Nos casos ue sus-
I peicio dos Juises do Citel e Crime da
Comarca do Recife passario ascau-
IjtM pra o Juiz Companheiro onoim-
; pedimento destes para aquelles que o Go-
; eroo nomaiar 5 foi regeiUda ; e continu-
aude e discussio foi tembem irjnitsdo o
[ Projecto. Em primeira discussao furio
successivaroenle appiovados os Projeclos
ns. a, 6> 7, 8, e 9 do correnta auno, ha-
veado o Sur. Metra retirado com o con-
lenttmento da Assemblea o requerimento
seguinte que olb-recera a respeito do Pro-
jecto numero 8; Requeiro que eje o proje-
cto adiado al o coropireeimentodo sed au
tor. Ficou addiada pela hora, leudo a pa-
lavra o Sur. Reg Alonteiro segunda dis-
cussio da ProjeCto n. i5 de i838. O Sor.
Presidente lavantou a Sessa dando para
ordem do dia: Leilura d Projeclos ,
{Indicaces, e Pareceres de Commissio ;
j continuscio da segunda discussio do Pro-
jecto n. 10 de 1838, primeira discussio
do projecto n. ie terceira do projecto n. ai
de 1838, segunda discussio das Posturas
das Cmaras Monicipaes de Olinda, Flo-
res Goiana. Limoeiro, Rio Formoso,
Naaareth, a Bonito, primeira discussio dos
Regiment! das obras publicas, da Sacre
cretaria do Governo e da Inspeccio do es-
suca r a algodio.
Tbomai Antonio Maciel Monteiro,
Presidente.
Antonio da Costa "liego Monteiro,
1. Secretario.
Joze Tbomat Nabuco de Araujo Jnior,
a. Secretario.
i83g PROJECTO -N. 10.
A Assemblea Legalatia Provincial de Per-
nambuco
DECRETA i
Art. 1. Fbio extinetss es actuies ad-
ministrecoei do Grande Hospital de Can-
dado e dos bees dos 01 los, criados pe-
loa Decretos de i3 de .Outubro a 11 de
Novembro de i83u
Art. 2. Osbeose EsUbelecimentos res-
pectivos seiio administrados por huma
peasoa idouee nomeada de 3 em 3 anuo
pelo Presidente da Provincia coa o orde-
nado de i;8ooi'ooo rs., podeodo ser demil-
udo antes deste lempo ee perder a con-
fianca do Goerno.
Art. 3. A este Administrador^compete ;
promover a cobranca, e aagmeuto das ren |
das dos dous Patrimonios, couserva* I
ci a conseno dos predios e vigiar sobre |
a conducta dos chefes e Empregados de
cada uiu dos Eslaheleciaentos os quaes Ibes
Gcio subordinados de vendo dar conta dalles
aensalmenie ao Presidente da Provincia,
j providenciar sobre o aceio, economa, e re-;
I guleridade dos meamos Estabelecimeotos,
a tizital-os pelo menos boma ex por se-
mana.
As ordens e providencias do Presiden-
te da provincia sobre cada bum dos Esta- (
belecimentos serio dadas por intei medio '
do Administrador.
Artigo 4. llavera' tamben hum Thesou-
reiro que aera' o mesmo Cobrador das Ren-
das dos ben com o ordenado de 800|ooo
prestando nanea idone.i e hum Escritu-
Mriocom (joos'ooo.
Art. 5. Os bens posioe qUe reunidos
sob huma s Administracio conservario o
destino que Ibe derem as precitadas Leis,
maisos oidenados dos Empregados dosar-
ligos antecedentes serio dedundos di som-
oa geral das reudas dt bum e outro Pa-
trimonio.
A escripturscio de receita e despesa de
hum e outro estaxlucment se fara' em
separado.
Art. ti. O Administrador prestara' con-
tas todos os annoa parante a Tbesouraria
Provincial da receita o despesa.
Art. 7. Logo qne ascontae forem re-
medidas Thesouraria o Contidor depois
de aa examinar ede dar bataneo no Co-
fre 1 efectivo as enviara' com as Notas que
Ihe pereceiera convenientes sobre a sua ex-
actidio ao Juix dos orfios o qual mandan-
do-as autoar e d ndo vista della ao Cura-
dor Gerei proceder' a respeilo como pro-
cede uss Coatas dos Tutores e Curadores.
Art. 8. Tomadas as Cuntas e havendo
alcance, se o alcance provier de existir em
Cofre menos do que lora carteg>do ao
Thetonreiro e que se nao mostr despen-
dido por ordem do administrador, contra o
Thesouieiro proceder' o Juix dos orfios
conforme aOrd. L. f\. T, 10a. 69 mas se o
alcance provier de deapesas glosadas ao Ad-
ministrador contra este proceder o sobre-
dito Juis pelo mesmo modo.
Nio ba recurso das decic5es dos Juises
dos orfios nestes casos.
Art. 9. O Juiz dos orfios remetiera ao
Presidente da Provincia bum lie la torio
do resultado das coolaa em 48 boras depoia
de esjulgar, psrrcendo ao Presidente que
aa despesas que o Juiz glosou fco bem
faitas partreipara' ao mesmo Juiz |>ara que
suspenda o procedimento executivo contra
0 Administrador.
Atr. 10. Recabida pelo Juiz dos orfios
a partecipacao eicial n juma aos aulos
considerar- se-ha o Administrador desone-
rado das CobUs continuando porem O
procedimento executivo contra elle se a par-
ticiparlo nio corapreheiider todas as tas glosadas.
Art. 11. Alem das cuntas aanuaes sem-
pre que o Administrador, e Thesonrciro Fo-
rana removidos dario conta e de 3 em 5
meses o Administrador obligado a remet-
terao Presidente da Prouncia hum batan-
eo de receita e despesa do trimestre, ajun-
tando-lhes huma lnl'ormacao sobra o esta-
do de lodos os e ubelieeimentos adminis-
trados, o qual ser tauib.-rn publicado pe-
la Imprenss.
Art. 12 A permuta dos bens de raiz de
hum e outro patrimonio s (era lugar por
mandado do Juiz d*s orlaos, convindo o
Admiaistrsdor, e o Curador Geral ; eeme-
Ihantemente se fara' pera ule o memos Juiz a
arrematacio due arrendamentos dos Pie-
dios.
Aft. 13. O Administrador fica obriga-
do promover por meio das aices compe-
tentes a nullidade de lodos os contratos le-
sivos que fossem*cellebrsdoa pelas anterio-
res Admiuistraces, e pelos antigos postui-
dores.
Art. 14. A nomeacio de empreados pa-
ra cada hus dos Estabelecimemos compe-
te ao presidente da Provincia sob propost
do Administrador, >Q qual so pe tenee no-
meiar e despedir os Serventes Enfer-
memos eCosinheiro. dos mesmos Estaba-
leciaeutos.
Art. i5. O Presidente da Provincia
Hornear huma Commissio composta de em-
pregados pblicos vencendo huma gralifi-
cacio rasoavel para tomar contas as Adtni-
nistraces actuaes, e tomadas as tontas a
1 Comaiisso as remetiera' ao Juiz do- 01 laos
que a respeito procedei como detTminio'
os axtigos 7. 8. r 9. ,e 10.
_


1

3
DIARIO D1PB*NAMBUG
Mtacsayy
Art. 16. Eica o Presidente da Provincia
autorisado para dar hum regularoento a es-
ta nova Administraco para fixaro numero
de Eopregados de cada hum dos Estabele-
cimento, e marcar-Ibes os ordenados,. sul>
mettendo toda approvacio da Assem-
Llea.
Art. 17. Fica i>n vigor o Decreto de i3
de Outohro de i83i na parte em qne por
esta Le nio Toi alterado, e derrogadas as
Leis em contrario.
Nabuco d'Araujo.
GOVERNO DA PROVINCIA.
Expediente do dia \,\ de Marco de i83g.
OEcio__ Ao Exm. Snr. Hispo Dpocesa-
rto, convidando-o para concorrer ao Corte-
jo e assiaiir a Grande Parada que terad lu-
gar no dia a5 do correnta mez Anniver
aario do Juramento a Constituicad Poltica
do Imperio.
Iguaes convites fora derigidos aos
Reputados Provinciaea, Desembargadores
da Rellacad Lentes do Curso .luridico ,
Juizes de Direito, Juiz de Pz Emprega-
dos e Chefes das Reparticoeos Pubhcas ,
Reverendo Cabido Cmara Municipal da
Capital, Prelados das Ordena Religiosas ,
Peasoas Titulares e Cnsules das Nacoens
Estrangeiras.
Dito Ao Inspector da Thesoursria ,
para em conformidade do Imperial Aviso
de 10 de Janeiro do correte anno envi-
ara Presidencia com a brevidada possivel
oorcitnenlo das despesas que devem te<
lugar com o Curso Jurdico de Olinda no
anno financeiro de 1840 a 1 r 4 a.
Dito Ao Presidente da Beilaco asi"
indo em conformidade da Imperial De-
terminacao constante do Aviso que por co-
pia ae Ihe remelle, urna circunstanciada jn-
lormacfo das cauzas, que nesta Provincia
obstio a boa Administra co da Justica a-
comptnhada das refl.ex.oens que Ibe pa-
recarem mais convenientes sobre os roe-
Iborameotos deque possa5 sersucepliveis
taes cauzas.
Dito Ao Director interino do Curso
Jurdico para informar com a brevidade
possivel, quaes os trabalbos do mesmo
Curso desde o principio do anno passado
ate o presente com declaraca das aqoi-
zoens que tem tido dentro deste periodo,
e dos melboramentos que se fasern neces-
sarios; afina de ser ludo enviado ao Go-
verno Imperial como determina o A viso de
8 de Janeiro do corrente anno.
Dito Ao Cbefe interino da L-giio da
G. N. do Olinda respondendo-lhe que no
pode ter lugar a baixa que requisita para
o Guarda do 2. Batalhad da mesma Le-
giad Antono Sancho Salgado que tora
recrutadb para a l'rimeira Linba visto nio
estar elle comprehendido na disposicad do
Art. i. do Decreto de 13 de Outubro de
18.7.
Dito Ao Director do Arsenal de Guer-
ra auctorisando o para comprar as 2
duzias de taboas de forro de amarello de
qua neces-ita o mesmo Arsenal.
Dito A Cmara Municipal de Pi do
Albo, communicando-lbe que nao ten-
do acompanhado ao s*>n oficio de 12 do
corrente o Bataneo da Receiti a D^speza
dorante o anno financeiro de i83j a i838
como Ibe havia sido recoromendado; curo-
pre quejo remella com a maior brevidade
com todas as declaracoens mencianadas
no modello que Ibe fui enviado e com
os documentos comprobatorios das des
pasta*
Dito As Cmaras Municipaes do Re-
cife e Goianna enviando-Ibes dous ex-
emplare* do Peridico menea! (^publicado
na Corte do Rio de Janeiro pela Socie-
dada Auxiliadora da Industria Nacional ,
pertenceutes aos mezea de Outubro e No-
vembro do anno passado aGm de seren
conservados no Archivo das mesmas C-
maras i a franqueada a leitura dos seos
importantes arltgos aos Lav adores que os
quiaerem consultar*
Dito Do Secretario da Provincia ao
da Assemblea Legislativa Provincial envi-
ando-lbe a iniormaca dada pelo Director
do Liceo sobre a conducta scoliar do ['.il-
dante Josa Crispim d'Assumpra ; aim de
cr lavada ao conbecimaoto da mesma As-
stmLea.
Ao Eas. Snr. Francisco do Reg Barros,
Presidente da Provincia de Pernarobuco."
Em resposta ao officio de V. Ese. pe-
dindo a corita da despesa feita no Ctes da
Qib-ira tenhoa honra de Ihe communi-
car a conta apresentada pelo Almoxarifado
do Arsenal, por queuThe paga toda esta
despeza.
Importancia do sold do EngenHeiro *
deseo Ajudante desde J11II10 de 18)8, ate
o fim de Janeiro de 1839.
Sold do Engangeiro Boyer,
e gratifioaca.
dem do Ajudante Carneiro
Monteiro.
1:6K6,ooo
t
100,000
Total 1:786,000
Despesa do Caes da Ribeira
em material, gneros com -
pradoa sidos dos Ope-
rarios e ootros empre-
pregados, at o Gm de Ja-
neiro de i83y.
Estado da Obra.
7:136745
8:91a,745
Conta da despesa feita pelo Arsenal deMa-
rinba por conta do milhoi amento do
Porto, desde Jul bode i838 ale o ulti-
mo de Janeiro do corrente anno.
Importancia de sidos ao Snr. Engenhei-
ro e seu Ajudaute gneros comprados ,
e supridos por este Arsenal feriss aos
Operarios do dito Caes sidos aos Mari
nuciros do Escaler ta5 bemahi empragados,
aguadas 8:9-12,745
N. B. He incluidos nesta conta todos
os soldoa que V. S. tem recolhido desde
Julho de 1^38 sendo o.primero recebi-
mento da 286,666 e dahi para c.
Est confirme.
Manoel Paulo Quntela.
i835
'"oa ,
, e ,834,
nos annos financeiros da i83i
1833 e pela- Leis da j833
para a totalidade de auas despeza Provin.'
caos nos annos, financeiros da 1834 a
835.
-. Dito Ao Inspector da Thesooraria.d
Provincia do S Pedio do Sul arcozandu*
recppco do seo officio de 3 de Desenrbro
p. p. q" acoaapanhou segunda |.
tima relacsd do numero, Series, eAsiigna.
lariosdas Notas do Novo Pidrad que tea
de ser emittidas na mesma Provincia.
THEZOURARIA DA PROVINCIA.
Expediente do dia 14 de Marco de 1839
Officio Ao Exm. Presidente da Pro-
vinria informando o requerimento de Jo-
a Evangelista Bello.
Dito Ao Procurador Fiscal interino ,
para em conformidade do art. 9 das Ir.s-
truccoens de i4 de Novembro de 18 >a ,
prbpor queaa substitua o bjgar do fallecido
Manoel do Carmo da Cunha Avabador
dos terrenos de Marinha.
Dito Ao Inspector d'Alfsndega paro
remetter orna copia da informacad que
em 1 a de Janeiro deste anno den a respeito
do Guarda. Avul-o Antonio Soa-es da Cu-
nha afm de ser resolvida a reprsenlaca
que dirigi em data de 16 de Fevereiro
ultimo sobre a continuacad dos vencimen-
tos do ni'-srao Guarda.
Dito Ao mesmo partecipando o indi-
ferimento da pretencad da Galliola Hillan-
deza H Z para ser dispensado da sau'ta
que Ihe foi imposta pela falta de ao har-
ria de mtnleiga, e duaa csixinhas de quei-
jos que se encontrou na conferencia do
Manifest.
Dito Ao Inspector do Arsenal de Ma-
rinha disendo-lbe que achando-se a bordo
do Brigue Boa-ventura vndo da liba d
Fernando os arligoa constantes da rellscao
a elle inclusa pertenceutes aos salvados da
Barca Fruncesa Bougaoiville, os faca de
/.embarcar recolher aos armaseis do mes-
mo Arsenal e immediatamente vender em
hasta publica para o seu producto ser ap-
plicado as despesas da sal vacad do referido
Biigue a pedindo-Ihe informaqn do que
existir 011 souber a respeito de outros
dos feridos artigos que anteriormente vi
ero da mesma Ilha pelo Brigue Eugenio
e Escuna de Goerra Nacional Lebre.
Expediente do dia i5.
A' obra do Caas da Ribeira principia-
da no mez de No vembro do i838 des do
p ds ponte do Recife, segu huma direc-
ca perpendicular dita ponte huma
distancia de 4 palmos al o eanto do Isrgo
de Palacio. A parade que sustenta o
dito Caea, est feita de lijlos ; mas para
dar mais seguranca a obra julguei conveni-
ente por ao p da ponte 3 enfiadas de pe
dras da cantara no lugar onde a corrente
za das sgoas he maior.
Os alicorees desta parta do Caes tero
pouco fundo porque existem dabiixo do
terreno que 'ja est de naturesa muito
firme certas pedras enterradas ha tempos
para ell'ertuar o projeclo do Caes que te-
nho de por em execucaS.
Outraa rasoens anda me determinara a
nio cavar mais os alicerces elles recehem
dos depsitos formados pelas agoas que
deixa cada dia ari, alternado aisim ,
e protegendo os ditos alicerces.
Por fora destas enfiadas que formo a
parede levarao sexos o pedras miudts en-
costadas a parede, nio s para ajudar a
forca da resistencia das sapatas do Cars ,
como para desviar deste a correnteca das a-
goas dirgindo-a para o maio do leito do
rio ; nisto ve-se o beneficio do Caes.
Esta Dudanca de correnleza vem dar
mais forca vem justificar a opiniio que
tenbo imitido na minba memoria sobren
porto; a para se convencer disto basta olhar
a direeca das agoas as mares vasaotes.
Passando a parede de cantara segu en-
Ia5 de timlos at o canto do largo do Pa-
lacio ; os alicerces n'esta parte tem at 10
palmos de largura a parede principiou a
o p em 7 palmos com bum talada de 1/8
para a parte de fora.
Todo o Caes est ornado de bum cardad
de cantara.
Chegando ao canto do largo do Palacio ,
vem a direcca da rimpa o desembarque
perpendicular ; a primeira eu a fis sabir
fora ata a distancia de 5o palmos fim de
adiar fundo suficiente no rio para huma
lancha poder atracar em todas as horas das
mares.
Hum parapeito de trez palmos da altnra
a da a da grossnra segu o Caes na aua
extencao ate a rampa que vem ornar urna
grada de farro af ormosiando muito a 0-
bra.
No total tanho feito 5oo palmos de Caes,
meio de cantara e tijolo, trabalhaodo aem- sinda resta da Consignarlo marcada na
pre dentro d'agoa em hum espace de do-
na meses e meio', eso com rs. 7:136,745
de despesa.
V.' Exc. tomar am considersca o con-
sideraval atierro que eu fiz importando
mais de 1000 toneladas de entulho.
Mausalmente rametterei V. Exc. orna
descripca exacta da obra e a importan-
cia da despasa.
" Dos Guirde a V, Esc. Recife 4 de
Marco de 1839. J. Boyer, Eagenheiro
do Porto. Est conforme. Manoel Pau-
0 Quiotea.
Oficio Ao Esm. Presidente da Provin-
cia com os Pontos dos Empregadosda The
zonrana Geral e Provincial e da Alfan-
dega do mez de Janeiro p. p. e com o do
i. Semestre do corrente anno fiuanceiro
Dito Ao mesmo informando qu*nto
ainda resta da ConsignacaS mareada para
o Jardim Botnico no corrente anno fioan-
ceiro.
Dito Ao Director do Arsennl de Guer-
ra disendo-lne a vista do que expoz a res-
pailo dos paos de Jangada que se achad no
lugar de Fora de Portas que deve msn
dar diligenciar a compra de ootros com as
proporcoens necessarias devendo ser ero n.
de 16, como requisita o Commandanleda
liba de Fernando de Noronha.
Expediente do dia 16
Oficio A o Exm. Presidente da Pro-
vincia informaodo qaal a quantia que
I i Provincial num. 63, para as'Obras
Publicas no corrente auno financeiro.
Dito Ao mesmo informando o reque-
rimento de Francisco Joaquina de Barros
Corris.
Dito Ao mesmo com a conta dos sal
dos que a Thesouraiia desta Provincia
compete receber em virtude do art* 39 d*
Carta de Le de ao de Outubro de i838,
para preeneber as quaatias, que Ibe fo-
ra cooaignadas pelaa Leis do Orcamento
de 18J0 i83i,ei83a, para a cons
trucad de prisoeas e outraa obras publicas
Diversas Reparticoens.
MEZA DO CONSULADO.
A Pauta he a mesma do num. 56.
CORREIO.
A Barca Partugueza Activa recebe a
mala para Lisboa amanilla 20 do corren
te pelas 5 horas da tarde.
ARSENAL DE GUERRA.
O Arsenal de Guerra compra envpor.
cao cobertores de papa, sapatos para a tro.
pa, pao, oa gazemira preU ordinaria,
e ferro Ingles em ve'g&lhSes de diferentes
polgtdas cujos gneros ja foro annun-
ciados, e nfotendo aparecido concorrentes
torna a faser o presente annuncio.
Arsenal de Guerra 18 de Marco de
1839.
Jase Carlos Teixeira.
OBRAS PUBLICAS.
Os oficiaos de Pedreiro, e Serventes qne
quiserea trabslhar na obra do aqueducto
da estrada dos Afilelos dirijuo-se so En-
ea rregado da mesma obra qua Ihes di*
r trabalho.
Inspccio das Obras Publicas 16 de Mir-
to de 1839.
Mora es Ancora.
Pela Administrado Fiscal das Obras Pu-
blicas se hade comprar em asta publica
quem por menor preco vender os enje-
rtos seguintes : dois buscavidas de 5 den-
tes quatro gatos com sapctilhos du argolaa para xumbar que tenhio 6pol-
gadas de dimetro e 5/4 de grossura se-
is foices de dois gumes, dois crdenles
de dois gomes e 12 pulgadas, e bionzi
ados dois moit5s d"e hum gome huma
peca de cabo de linho de a*||'J polgadas de
grosso quarent bracas de arrebens : as
passoas que perlenderem vender podan
comparecer na Sala da dita Administrado
no dia aa de corrente do meio dia as 1
horas, para tratar do seo ajuste, e com-
prarse a quem por menos vendar.
Amaro Francisco de Moura.
Administrador Fiscal.
PREFEITUBA.
Parte do dia 17 de Marco de 1839.
Illm. a Exm. Snr. Partecipo a V.
Exc. que das parles hoja recebidas cons-
ta n8 ler occorrido novidade.
Dos Guarde a V. Exc. Prefeitara da
Comarca do Recife 17 de Maceo de
1839. Illm. e Exm. Sr- Francisco do Re-
g Barros Presidente
Francisco Antonio de S
Feito da Comarca
da Provincia,
Brrelo Pre-
ANNUNCIO.
O Sub-Prefeito da Fregaezi ds Boa-
vista annunca a quam convier queseachao
recolhidos ao Depozt Geral cinco cavai-
loa farlados por elle a ppren hendidos ao
pardo Agostinho Manoel do Sacramento ,
no lugar de Belemj assim como uro pre-
10 escravo um trancelim de oiro o que ss
acba na Secretaria da Prefeituia.
Diario de Perna^iibuco-
As sterradoras noticias que'se divulga-
rs5 do Rio de Janeiro pelo mo sacceiso ,
que timad as armas da legalidale no R">-


DIARIO l)B f>tRNAM||C
5
Grande fora r cabidas, e repercutidas ,
como nos parec, segundo o rao de amiza-
de, ou inimizad*,que o nnunciantn tem pro,
ou contra oPrcsidrnt.- Ehsiario. O Tacto,com
bem pezar odizemus, tem o cunlio da ver
dad-*, raas as negras cores coru que uns
o prnta e os panos quentes perraitta-se-
nos a expressio c ira que muros pertendem
modificar nos as dores fazem sentir a os
mants da causa do Brasil a necessidade ,
que era tudo apparece de unio, e de a-
mi/.ade. A patria geme o sangue corre ,
os Brasileiros espino ocrime triunfa...
Mas en firn nada, nada pode unir a ca tos
iiomens cujos patricios sao s' os do seu
partido!
Os jornaes recebidos do Rio de Janei-
ro, coja data chega at 3 do eorrente, d
nos a importaste, mas tristissima noticia
de que os rebeldes paisando Arroios eaete-
ra pique as canhoneiras e cahindo so-
bre a retaguarda doexercito da Legalidad*,
commandado pelo Presidente General fize-
rad un horroroso estrago : < isim te expri-
m o Cidadio.
Urna carta porem, com data da a de Fe-
vereira, inserta no Diario do Rio de Ja.
neiro n 47 narrando os accontecimentos,
anteriores a o desastre diz, que a Colum-
na de Santa Catharina composta ale 1,100
homens marchar com grande risco e por
isto coadjuvada das preces, que se fazia
em todaa aa igrejas, pois temia-se mo
resultado do negocio, porque Canavarro ,
e liento Manuel a esperaran i frente de
1,700 farrapos. a
utra carta em data de 3, diz, que Ca-
nararro, com urna forca de 1,000 homens
esperaba, sen facer caso, pela forca da
iegalidade, collocado as imaediacdes de
Santo Antonio, que Bento M a noel se ti-
nlu passado eos 800 iiomens para Morra-
les.
Sejs ou nio vprdadeiras estas antece-
dencias o certo que no Jornal do Com-
roercio de x- de Fevereiro apparece orna
Carta de Porto-Alegre em data de 5 do di-
to que diz, que depois de estar a calum-
na do passo do A marico alero da Canalla,
tere de retroceder, porque Bante Manuel
veio logo em soccorro de Canararro, e as-
sim psssou Taquiry. Tare o Presidente
noticia disto, e poz-se logo em retirada pa-
r Porto Alegre, e se assim nio fizasse se-
ria infallivelmenle batido, porque Bento
Manuel se dirigi logo aopaaso do Cehy
(no Martina) e altacou as canhoneiras que
ali se acharad. A canhoneira n 7 deque
era commandante o bravo Bellico fei a
pique, depois de haver suecumbido essa
?alante oficial, etoda a sua guarnilo, e
depois de haver gasto o seu ultimo cartu-
cho. A d9, coaomandada pelo Cunha ,
ficuu prisiooeira. Este oficial apenas deo
um tiro e foi-se para a caza de Martins.
Bento Manuel maodou-o depois para esta
cidade. Estamos con sitio fechado, e com
receios de ataque sobre esta Capital, por-
que Bento Manuel assim o diz.
Que se dizia trazer elle trez bstalbes da
Candores e a cavallara de Joio Antonio:
<|iiea columna se retirara com ordem e
que fizera urna carga sobre os inimigos ,
que os obrigara a correr em debandada um
quarlo da legos ; mas que os notaos estallos
nio dera para mais; e que a causa dasta
perda era a economa, que tinha o Presi-
denta em comprar carsllos.
O Quenista copiando estss noticias lou-
v a habilidade com que o Presidenta fez a
retirada, com ordem e ssm prejuizo;
chega a explicar-se assim: Louvores
pois a o nosso haroe cujo cemportameato
*eio salvar o brio brasileiro. Sm sinta-
mos a sua morie (o commsndaate da canho-
neira n 7 o Bellico) mas em fia conso*
iemo-nos que o sangue dos bravos a se-
ment de novos bravos : a mora de Bellico
dar-nos-ha mu tos Bellicos, que Ihaa siga
as pizadss. INoaccontacimen'e de que dos
oocupamos aa mal vemos, sem duvida
consideravel, na porem tamanbo como
o inculcad es terroristas; a perda da forca
moral, e o desanimo. a
Esta pouio Ora a vista de ti* diferen-
te modo de dar as mesmss noticias como
fazer um juizo certo sobre lio triste secn-
enrnento ? O oerto que o aasme
Corearan teme que Bento Manuel con-
ie5undo assim repellir de novo o Pres-
dale pareo interior da Porto Alegre vira
etn dunda apartar o asaedio; mas que isto
nio para tamer-se atienta a fortificacao
da cidade ; que a um mal se poda temer
desta retirada do Presidente qua vera a
perda da columna que de Santa Calhari-
h vem pelas Torres a unir-se a divisio de
Porto Alegre.
A" vista do exposto, e do que abaixo
transcrevemos ajuizem os nossos Leilores
do estado daqualla infeliz Provincia;
queira a Providencia que vela sobre a sor-
te dos imparios nio lenhamos a infeiici
dade de Vermol-a separada para serapre do
circulo das oulras.
Chega at 11 do crrante Marco os jor-
naes que recebemos da Baha e de suas
columnss ss conhtee que a tranquillida-
de ali o resultado do cuidado e bom go-
verne das Auctoridades; peis, segundo
as amargas qoaixas do Legalista ede seus
correspondentes, nova, e mais medonha
Novembrisada tei ia rebentado, se se podes-
sam verificar es insultantes proraessas dos
que escaparan espida da justca.
Preparava-se grandes festejos pira
da 16 do eorrente, aniaadversario do em
no tinha taqueado o partido dos rebeldes,
mui difirante anoaaa opiniio. Nota*
chamos muto poltico, eat muito huma-
no, quoea ties victorias sa faca o me-
nor mal possival a os vencidos; e que se
lance sobre taes accontecimentos um
pesso veo.
{
O Sr. Dr. Bernardo de Souza Franco
vae tomar conta da Presidencia do Para
Os seus conhecimentos e as suss virtudes
sociaes Ihe adquirirlo de certo a estima dos
seus comprovincianos,- e queira a Provi-
dencia que a fortuna respeilando-lhe os
seus mritos, Ihe nao seja avessa.
P1KTE OFFICIAL.
Ministerio da Guerra.
Illm. e Exm. Snr. Cumpre-me par-
ticipar a V. Exc., para- que se digne levar
ao conhecimento do Regente em nome do
Imperador, que nodia 11 de Janeiro come
cei a marchar do Hinco contra o inimigo
que sitiava Porto Alegre, sendo meo pri-
mero fim reunir a forca dispersa das abas
da Serra: e com eflalo chegando ao arroio
do Pt>rtio se me apresntou o m< jor Simas
com 3o homens do Faxinal, eo capillo
Manoel Bento coa 3o brasileiros e 54 alie-
mies atravesando o rio dos Sinos que
fura logo abandonado pelos rebeldes ; segai
porSapucaia, e junto da Aldeia dos Ao-
jos, nodisap, e me reuni o capillo
Jos Ignacio da Silva Ourives, com 270
pracas de cavallara mal armadas de mo-
do que, leodo minha forca cutio o nume-
ro de 1,600 pracas das 3 armas, segar pa-
ra a capella do ViamSo n'esse mesmo da ,
ordenando qoe a guan i co de Porlo Ale-
gre sortisse, para simultneamente aerea
afirontados os sitiantes ; alies porem, al-
ientos aos movimentos, e eanerancados qoe
Bento Manoel viesse do Rio Pardo coa for-
c de mais de 1.000 homens tomra a
retirada para o lado da Fazenda da Boa
Vista, a favor de boa e numerosa caraiba-
da que possoem ; ea quinto eu por esse
lado da provincia pouea ten lio, essa mes-
ma me foi miater tres meses snccessirossn-
dar em passeios militares com a infantera
para baver cavallos dos rebeldes qaando
elles os sbandonava por serem corridos
pala nossa Torca e assim mesmo desdes
Aldeia dos Anjos por diante fora sempre
elles rebeldes em retirada violenta, c acos-
ssdos pala nossa guarda da frente.
Conhecendo eu aer o seu fim gsnhsr o
lempo, para que Bento Mnoel ehegssse,
e stbendo no 1* do eorrente mez a noite que
a vanguarda d'elle no da og eslava na mar-
gena do rio Taquary retroced com o fim
de evitar, se anda podesse, a pasasgem
de Bento Manoel no Cahy onda j hamo
duas canhoneiras : porem elle no lia 3i de
madrugada veiocom a infantera earti-
Iberia margem do ro Cahy a azendo fo
go violento as duas canhoneiras, e um hin-
chi ali estacionados. mataodo-lhes parte
das guarnices, e o commandante de urna,
eomestre de oulra conseguio tomal-as
per ja nfo haver quena fizesse fogo.
Eu, ubendo isto entrei ea Porta A-
legre a a do eorrente as 3 horas da manbl,
sem que do decurso de ama extensa mar-
cha houvessem mais de 9 feridos, qoasi
todos levemente, nio obstante haver fogo
vivo dis dias em que o inimigo perdee
gente bastante. Mande b dias bascar o
i. batalho a S. Goncallo, visto Bento Ma
noel, eas Turcas insurgentes, carregarem
pare asta lado da provincia onde ora ter
talvez tres mil homens.
Deludo isto o que muito mo foi, por
dar muita filaucia ao inimigo oterero-
sa perdido as canhoneiras e o lanchlo ; por
quanto a forea com que ea sai, e a qoe sor-
lia da cidade fez fugir o inimigo, batendo-
0 sempre e at boje nio tornou para as
iamediacoee da cidade, mas qoe antea de
tres dias de certo pora o sitio de novo.
Bento Manoel, buscando os meiot de
melhor Iludir a gente legal faz-lhe indi-
rectamente conbecer, que circunstancias o
conducirs a tornar-se rebelde e ha anda
quem de boa T -e capacite d'isto; e seos
com pan hei ros da anarchia previne de que
este jogo para nos engaar : por tanto do
rigor das armas e s d'elle que a Iegali-
dade deve esperar o fia d'esta ensanguen-
ladn lula.
Oeus Guarde a V. Exc. Palacio do go-
vernu em Porto Alegre, 3 de Fevereiro de
1839. Illm. Exui' Sr. ministro e secre-
tario d lado dos negocios da guerra.
Antoni Elisiario de Miranda e Brito. (*)
(*) O presidente procura no seo oficio
atenuar o reres, que soflVeo : naepparen-
cia nao foi grande; mas nos seos resultados
ser tul ve* Instante sensi val., Nio nos pa-
rece porem qae elle deve causar dssani-
moaos imperialistas, aa Torcas legaes de
Ierra esto inclumes: mas aperar d'isso os
nimos dos legalistas ficarao quebrantados.
Prass aos ceos que os planos ulteriores do
presidente seja5 melhor pensados.
(Diario do Rio de Janeiro.)
Communicado
Non ego mordaci distrioxi carmina
queaqaam.
Ovid. Trist. Liv. II. 563.
Escodado pelos mesmos sentimentos,
que animara5 a o celebre auctor dos < Tris-
tes nio minha ntencio doestar a f.
ma e a opinio alheia. O amor, que
i-empre consagrei instructio publica de
parelha com o desejo, que me anima de
ver a minha patria rivalisar coa as nace
sabias da Europa, movero-me a fa;er al-
gumas refiexes sobre a Le de i de Ju-
nbo de 1836 : se forea bem acceitas foi
garei de ser til, mas se nio forem pa-
ciencia !
Em virtud* da supra-ritsda Lei Provin-
cial Ait. i" que permilte qualquer pes-
soa a liherdade de organisar Compendios,
qae conlenha os principios de Calligrsfia,
Doutrina Chrislia, Gramaaiica Portafaa-
u Arithmelica e nocas geraes de Geo-
metra prslica conata-ae, que alguna ci-
dadlos Brasileiros se dera a o trabalho de
subaetter so conhecimeato da Asseabla
alguna compendios para que Ella, na
conformidsde do Arl. a'da citada Lei, es-
colhesse, eapprovasse aquellea qoe me-
lhor desempenhassea o d- sejado fim.
Nio creio ser verdsdeira a noticia, qae
vaga de qua alguns de seus auctorea tem
pretendido, com supplicss, e importunos
rogos, a lean car a preferencia, cada um
para o seu coapendio ; isto parsce-me svr
mordscidade ; e de mais a Assembla que
obra sempre pelos conselhos de sus sabedo
ria e pelo impulso de sua liherdade, far
recahir escolha sobre o melhor dos que te
Ihe ofierecerem.
Fazer am compendio qae completaaeo
te preencha os fins para qoe foi destinado ,
ua trabalho mais dificultaso, do qua ge-
ramenle se er. Resumir urna sciencia ,
ou arte de modo que se contenha em pe-
queo numero de folhas ludo, quanlo a
materia, emqueslio, tem de mais essen-
cial; exprimirmo-nos de um modo claro,
eaccommodado capacdade dosestudan-
tes -, Tazermcs com que ss materias seja
naturalmente dcstrbuidat de roanelrs que
as primsiras regras sirva de base a dm
esclarecimentos it segundas estas as ter-
ceras, e assim progressivs mente nio
isto proprio senio dos homens favorecidos
de Minerva.
Se n haremos de admittir compendios,
cuja utilidad* anda para ni um proble-
ma nio ser mais acertado, que conti-
nuemos coa os que eiiitem? t O destruir
(i\\t.\, Harpe tratando d's reformadoseslu-
dos) sempre ama necessidade penosa; esta
tem sempre um inconveniente gersl, qua
se nio pode negar-; pois por experiencia
se eonbeeem os vicios eas vantagens da-
qullo que existe mas do que existir, s
se pode conbecer por theora. Ora em lu-
do o que depende da accio doa homens, a
theora sempre menos aegura, que a ex-
periencia.
Nio quero rom isto vanear, que a cita-
da Lei de i4 roa pelo contraro sum-
mmenle boa; maa (iesejaria, que os nos-
sos Depulados obrsssem, como tem por
costume, coa circunspecto, e stbedoria,
nio admitiindo compendios que nio pre-
encino melhor que os existentes n uti-
lissimo fim, que se deseja; e para seguri-
dade dests negocio achava acertado que
se incumbase esta ardua empresa urna
sociedad* de Literatos, a
,' para mim urna verdade demonstrada ,
que o producto dos trab'lhos que fossem
incumbidos pela Aasemb'i a os S's. An-
tean Lopes Gama, Fr. Carlos, Monte,
e outros muitos,' que bem conhecidos nos
so, de veris s*m contradicho ser pre-
ferido a o trabaihos desle ou dsquelle in-
dividuo que, de*">nhecido no mundo li-
terario e s pela msnis que hoje pre-
domina de fazer compendios (se nio leva-
do pelas lisongeiras promessas do An. 4* da
mesas Lei), s se d a o trabalho de di-
zar, de bom, oque j sescha dito, e,
de mo tudo quanto parto seu ; anda
nio melando em linha de conta a m diges-
tio, com que tudo isto se publica.
Avisos Diversos.
_ Preciaa-se de bqaa Eraba reacio para
levar 7000 ath 14000 arrobas ds Car rio
de Pedro para o porto do Caar iaaede-
alaaente, quem Ihe romi r aparece em
Caza de Me. Calaoot & C. Ra da Cadeia
VeJhs.
_ A va va de Jote Ignsco Buarquea-
viza aos credores do seu finado marido ,
que tem de se proceder o Inventario nos
bens do cazal na Villa de Porto Calvo,
logo na primeira semana d'Abrl prximo
a que assim se dignem legalizar seus crdi-
tos e jaslifical-as com prora plrrh como
he de custume para na part.bi do mes-
mo Inventario serem atendidos nos seus
pagamentos, a adverle que taes justifica-
ces judicaes nao se fau-o mister se no
caesl nio ouvessem orfias porque aioda
existe a boa f da cj as peasoas de seos
herdeiros.
_ Quslquer pessoa qua liver urna Bur-
ra de ferro para gusidar dinheiro,e qae
precize rendel-a queira annunciar aua mo-
rada para ser procurada.
Quem tiver para alugar bum mole-
que que tenba i3 para i4 annos: de-
rija-se a esta Typographia qoe achara coa
quem tratar.
_ Preciaa se de orna prela ott, que
saiba cozinhar o diario de urna caza de pe-
quena familia (3 peasoas); e que seja livre
de filhos e d'outros inconvenientes: a
que estiver as circunstancias, dirija-te
ra do Nogusira D. 19.
_ Quea precisar de um rapaz brszileiro
psra servente de-urna csza, e para page ,
dirija-se a ra da Roda D. 3.
Algua rapaz nalural desta Provincia,
de b* figura que saiba ler, e escrever,
que se queira eapregsr em boma das Ty-
pografias na Cidade ds Babia, falle com a
pessoa para sso eocarregada, asistenta na
roa do Rosario, loja de miudesas D. 7.
_ Alaga se aa sitio uo logar da Estan-
cia alwm da Boavists, cujo portio con-
fronta coa o oitio da Igreja ra-
querda: a fallar oa 1 os doa Martynos alem
ds Igreja no segando sobrado.
_ >eseja-se Tillar c /m os Srs. Alferes
snlonio Corris Feio e Cirurgiio Joa
Francisco do Sacramento Peixoto negocio
da seu interesse.



........
_ D'seja-sc saber se a par-i-, de
DIARIO DI PRNMBDC.
nome
Marta Baptiada en Olioda na Capaila d-
N. S. do O', lba d Jos Amonio Panto*
morador na alagoe do carro fin laptissda
por forraou captiva, forio pidriuhos Fran-
cisco Jos Bezerra a Anna Fernandas a
'j os i i iubos daclara a mesroa parda
ter doiaIrisaos un de nomo Felipe Jo
de Moura c Joaquina que sea'pai ho-
ra boa condecido do Capilo Muael Bar-
bosa e dos negociante Jos HaroiM Guima-
les Francisco do Rago Barro*.
*, Fax sciente o abaixo antiguado ao
Sr. Theaoureiro da Lotera do Seminario
que no oso de aabir primiado um nieto b-
ibetaden. 178a da segunda parte da i5.
Lotera qae no pegu/J Beiiio ao annunei-
ante, que be oseu pioprio dono. "mui do
feecrameuto Silva.
_ De-ae 0,000 a 3jo,ooo a juro sobre
pinbores de ouro 011 piala : n.i ra uo-
va loja de Frederico Chavea aa dir.
- Um moco portugus se ofereea para
qualqaer occu paci nida mesmo da criado;
quem o precisar dirija-ae a ra da Alegra
venda D. 7.
__ De-ae a jaros de dois por eento ao
mex sobre firma a contento, oa pinbores
de ouro 400,000 : oeste Tyuografia
_ Aireada se sitio Chacn no poco
da panela, pelo lampo da 6 -annos, cosn
otaria urna formidavel baixa para capim ,
aereado para vaccas i voredos de frucios,
boa casa de viveuda cacimba com goa de
beber ama formidaval sanxalla com 11
quartoa aalribaria para t carelios, enfer-
mara tudo novo ; quem pretender diri
ja-se ao eugeiibo Araiipe u meio a fallar
com Francisco de ilolUndaCevaleanti.
_ Na ra larga do Roxario venda de
JosJoaquim Piolo Msitins, existe ama
carta viada de angola para o Sr. Joio Anto-
nio Fernandas.
__ Precisa-se de ama snulher para todo
o servico de urna casa de pouca familia: aa
roa nova O. 11 no segundo andar.
Mana da Pas escrava de Jlo Paulo
Moreira Temporal, fax seieoteaoSr. I be
eoareiro da Lotera do Seminario da Olio-
da que tendo ella pe d ido um meio bilbe-
ib de n. i'iit que se salar algum premio
no dito numero o nao pagoe senio a ella
cajo bilhete e*ti escripto no veno e jus
tificer com a peaaoe por quem ella mandoo
assentar.
* Da-s* a juros a quanlia de 4>o,ooo
com bypoiheca n algum predio lvn ou
pinbores de ouro : ua ru do Collegio D.
8 00 segundo andar.
O abaixo aesigeado morador em lo-
ra da portas partecipe ao publico que
ninguem compre a sua atulher Auna Mara,
dois escravos um tnolato de nomo Ma-
noel bem eita de idade de aa anuos, e
claro ; e urna negra de nome Patricia, bem
preta neitos grandes, altura regular, ida-
da de *4 *nnu e f*n *lue oinGue,n
cbamea ignorancia fax o, presente aunun-
cio. Jo* Gomes.
_ Quem quiser roupa larada e en-
gommada com lodo o asseio e por proco
commodo : na ra Direite segundo andar
do sobrado defronta da torre d Igreja do
Terco D-Gi.
_ Jo-quim da Mello Carioca quer com -
prar ao Sr. Ignacio Tolentino um solo de
ierras na povoacio dos AU'ogadus por da-
trax da Igreja da Fax onde leui 4 vasas
suas tendo seospre pago o loro dol ao mes-
mu Sr. a cima se ha pessoa que se opo-
nba a dita compra qaeira eonunciar.
Avisos Martimos
PARA OCEARA', Maraohio Para,
Barca de Vapor B*tit*an, ahita huje com
a mor de tarde quem quiser carregar ou
bir de passagem dinja-se a Me Caimout i
Campaohia ra da cadeia velhe.
FRETA SE para qualquar porto da Eu-
ropa o brigue inglex Porcia da primen a
ciasen multo velleiro e forrado de co-
bra, de lote de 180 tonelada* quem pre-
tender dirija-sanos seus consignatario N.
O. Bieber ra de Cruz a. 63.
PARA MACEIO* o Paiecuo Bom Fm
Flor de Amiaade a ealiir com toda
bravidada, anda recabe alguma carga ;
quem quiaer carregar ou bir de paswgera
1>*a o quo tea expelientes commodo, di-
rija-te ao Cap to a bordo ou a foaquim
Piobairo Jacomo na ra da axaita de pei-
4-
xen.

L\ lo .... ----------------------------*1
_ Hoja I no do correata as 11 oras
da inaah da ama porcio do taboado de
piano na caen da alfandaga.
_ Que fas o Corretor Oliveire .do um
bonito aoriimnnto de faltadas inglesas e
francesas limpas a averiadas no sea ar-
mae*m da roa da Coaceiclo D. 34 Quer-
a faira ao do correte pela 10 hora da
ruanbi.
e ama porcio de feixe de albos no-
vo t viudos preximrmente do Porto em o
navio Tentadora no armaoam do Fernan-
do Jos Brgaos, boje palas 10 horas da
manila.
_ Quo fax Rosas S Braga por inler-
enco do corretor Oliira do um bom
sortinentodefaxendasde algodio linho,
e de If limpas e algomas averiadas, quinta
i'eira ai do correnta pela 10 horas da ma-
nila, no mu armaaem defronta da Igreja do
Corpo Santa.
Compras
Para fora da provincia, ama escrava
preta ou parda quo saiba bem coser, en-
gommar, o bordar : na ra do Qneimado
em casa da Antonio da Silva Gusmo.
Vendas
_ Urna escrava d costa com um filho
de 3 auno de idade, muito galante,
outra ei'rova de angola com urna filha ero-
oul de idade de 10 anuos com princi-
pios de costura e nimio esperta: na iui
da aguas verdas casa terrea O. %].
_ Urna escrava de naci angola co
zinha, engomma lava, fax pao de l .
bolinbosedtc. : na ra do Colegio O. 8
no segundo andar*
_ Urna negra da Costa de bonita figu-
ra da idade de 18 a ao auno, lava, en-
gomma, coxioha a be boa qUitaudeira :
na 5 ponas venda O. 10.
__ Um lerreno no mundo novo com 93
palmos de frente n ai6de fando al ra
do sol, com'alicoree o mait forte possivet,
sgaos milbeiros de lijlos cal a barro ,
dois telbeiros um de telba e ontro de ta-
boas, todo no mesmo terreno a 5o taboas
grossas praa estacada : na ra des Cruxes
D |8 niose duvida vender a preso.
_ Sacas com fariuba de mandioca de
S. Matbeus a a56o, dita mais fioa a 3So
dita a 44" e l4n3ueiu ojuio superior de
mag urna porcio da sacos vanos, e axei-
te de carrapato a 1600 pelo miudo ; ua ra
do collegio armasen D. 11 13.
.a, A dinheiro para fexar contas, por
muito menos do cuaio o resto das faxen-
das de urna loja conaistindo em bicoa,
fita* madapoldas, cxssas meias ,
e outras mimas faxenda inglexa a
xas or atacado ou a relalho : na
pon
Duai morada da casa terrea litas
na ra da Palsnaj, por detrat da ordem ter-
ootra da Carmo deata Cidade bem cous-
truidaa, o novas com 3 qoartes quin-
tal murado caeimba e coxinba fora : a
tratar na ra da Peuba D. 1 a.
_. A poaea de um terraao-para se edifi
ca urna boa casa no atierro dos allegados
da parte do ateante com a5 palmos de
freate, e um obrado novo de um andar ,
com commodoa suficientes eom ais de
aoo palmo de funda para quintal: no pa-
teo do Terco loja de fasendaa D. 8,
_ Um wlie ingles para montara de
Senbora urna mesa para janter, algumjj
camas da l'eiro, e outros movis da casa ludo
ooi bom estado t na ra da Crux n. 55.
__ Urna esrrava de naci da bonita
figura engomma, eoxiuha, o Uva roopa ;
e urna molalinha de it annoa da idide, co-
te engomma e fax todo o aervico : na
ra de agoas verdes D. 37.
.t. Tres escravo de naofo de 18 a ao
tnnoe mui liados e ptimos para palauquim
ou serrana por arem de boa altura, e nao
tem vicio oem achaque a escrava de
naci, da idade de 19 a no annos de
mui lindas figuras e ptimas para todo o
servico: passando a Igreja dea Martirios 00
I. andar do 1 sobrado.
_ fcaibros, eaehams, mo travesas,
e tra< amentos de lodoso comprimen tos :
no srmasam de Jos lligino de Miranda.
_. Um melata e urna negra de angola,
muito moca a de bonita figura coiiuha
bam engomma e lava roopa a o mo-
Uto tem boa figura e official de alfaiate,
ao comprador se dir o motivo : na ra do
Queimado D. 5.
Umpreto creoulo de idade de 18 a
ao annos, bonita figura para pegem ; na
pracinha do Livrameuto D. Jos Domingues da Costa Cardial.
_ Um alambique de cobre de pitante :
oa ru do trapiche novo o. i5.
_ Um par de espora de prata com
corrente eniransada : na praca da Boa vis-
ta botica D. 10.
_ Urna canoa de carreira acabada a mo-
derna para condnxir familia: aa ra da
cadeia volba loja de fazendaa D. 34.
_ Urna venda com poneos fundos, naa
4 canto da Boa viata a fallar com Joa
Al es de Carvalbo Porto on com Maadel
Teixeira Barcttar.
_ Um tefe com o trasssdo por ia,ooo
ris : na rna.das Triochairas O. 6.
_ Canela muito nova em porcio e a re-
lalho : na randa do pateo de S. Jos D-
cima i*
luves ,
frenoe-
rua do
- ,.-. --------------------- -
Hospicio naquarla cata terrea do kxm. dr.
Jos Carlos Maribck.
al i5miUchaada lenlia da man-
gue urna porcio do cavernas para canoas
grandes, e outra dita de travs do mangue
de a5 at 36 palmos, tudo por preco com-
modo : na ra da Floreulina sobrado ao-
vo j noto a mar.
Axeita doce fino engarrafado em cai
xaa daduxiaa 4800 ; na ruada Crus ar-
maaem n. 4a
__ Um cavailo rosilbo, com muitoa bons
aodarea, bstanlo gordo, o ornaa taboas
da pinho f na ra do Crespo loja D. a.
Um cavailo Com bona andarea : aa
ra do Queimado D. 7.
_ Urna cabra bicho com a cabrito ,
meia duna de cadeiras de aogico um par
de mangas da vidro lavradas um par de
casticaesde casquiobo: na ra do JNoguei-
ra sobrado D. t a um cvalo caataubo.
j_ Na Boa vista urna venda que tem
commodo para familia, a diubairo ou a
praao: a tratar no forte do mallos na pren-
sa da Franciaco Ribeiro da Bnto.
__ Travs de 36 e palmo e torno de
grosaura de hiog poico amarello : nos
arrombados venda da quine.
_- Rap princesa superior e novo em
caixaa da ao libras, boles de libras a mei-
aa dita e vinho do cbampagnbe; ua ra
doa barbeiroa n. 8.
_ Trea moradaa de casas novameate
acabad, sitas na ra de 8. Amaro em fo
ra de Portas cada urna coutendo dua sa-
las aeudo urna na freute e ouli a na tra-
seira com quatro quartoa anuexoa aames-
maa, e cosinha no paleo; igualmente ma>
5 moradas da caa, na ineama ra dua
daa quaea sao de a andsies e 3 de um
s. Aapropriedades cima se echad em
mu eatado completo e aio edificadas com
os melhores materiaes com excellente vis-
ta, e com prospera visinhanca. O veude-
dor nao lera dilficuldude em receber parte
da sua importancia em letras a 3 a t meses,
com boas firmas. O Annuuciaute apro-
veita esla ocasiio para informar ao Sr. que
olfereceo aeis con tos de res por duas das
propriedadea, que tem decidido de as uao
vender separadas em consequeocia de 3
serem unida*, mas aim de as vender em
um ou dous lotes de 3 e 5 cata. Para os
mais particulares dinja e a ra da Cadeia
do Recifa S. J7 n inesina se veude u-
ma canoa nova uem piolada que carrega
oilo a des pessoas.
Escravos Fuiridos
No da 10 do corrente fugio de om
sitio da Ctux do Almas um uegro de sngo-
la de nome Domingos meio bucal, e que
o afecta ser mais alejado do braco dirnto
00 cotovello de aorte que o tem mais cur-
to do qu o br?o tsquerdo e una s-cjtm
de grande cotilada na barriga transversal.
mente levou cobertor de algodio rajado
chapeo pequeo de palha ; camisa de esto-
pa seroula ainda nova elle be baixo ,
giosso, p pequeo, perna bem feita e
representa 3o annos de idide, prometle-se
boa al viraras a quem o pegar elevar 0
sitio naqui-lle lugar que fu da Madre de
Dos nesla Cidade ua rus das Quinis
0. a.
No da quinta feira 11 do passado
mes pelas 7 horas da noite doaapareceo da
casa de Manuel Jos da Silva Neiva na ra
estreita do Rosario sobrado de dois anda-
re, que tem por baixo teuda de barbeirn,
um moleque meio novo na trra que pou*
co sabe fallar apelidado pelo nome da
Gaspar e sendo pelo de Jao no poder de
Manoel Adriano da Costa morador naa 5
pontas qusndo d'anteso possuio, tem mul-
ta boa figura bem parecido, tem dois
deules da frente da parte de cima abeilos
pata os lados e aa gengivas dos debaixo
alguma ce uta roixa representa ter de ida*
de 15 annos pouco maia ou menos foi
vestido com camisa de paninbo ja velba a
rota pelas costas na parte esquerda e cal-
sa de bnm pardo de titiras ja desbolada e
remendada no aasento com chita de pintu-
ras encarnadas ; quem tirar recolhido
talves por velo vagabundo ou delle livor
noticias certas, dirije-ae a casa a cima dila
que receber 15o,000 rea.
NAVIOS ENTRADOS NO DA 16.
BAHA } 10 das Brigue Nac. Profiro da
195 tonel., M. Autonio Mendes Pecio,
carga carne secca: ao mesmo Mestre.
ACARACU'; 3tdiaa, Patacho Nsc. Jo-
anna Elisa de loo tonel., M. Custodio
Jos Ribeiro cargi varios gneros: a
Manoel Gonsalves da Silva ; irouxe um
escravo a entregar.
SAHIDOS NO MESMO DA
TRIESTE i Brigue Austriaco Pcoltb Jo-
aucliemb, M. Antonio Bussauich car-
ga asaucar; vai de passagem a familia
do Mestre.
ENTRADO NO DA 17
RIO DE J. pelos portos intermedios; 14
das, Barca de Vapor Nac. Badiana,
Commandante o 1. Tenente da A. Nac.
llenrick Hofsmith-, pasiageiros o Coro-
nel Autonio Joaquina de Frelas Com-
mandante dss Armas para o Par, o I-
peclor da alfandega para a mema Joio
Baptistade Figueiredo Arauha, o Con-
de Npt Secretario da Legacio Fran-
cesa oa Corte e mais 8 pasaageiros e 3
criados, e a familia do Commandante
da Armas.
SAHIDOS NO DA 17
LISBOA por S. Miguel ; Brigue Eacnaa
Portuguex Amelia Cspilio Joio Igna-
cio de Medeiioa carga gneros do paii ;
passageifos 3 b..sileiros, e 3 eslrangei-
ros.
ANGOLA ; Brigue EaCiiM Portugus
Eugenio, Cap. Manoel Jos da Silva Ha-
mos carga gneros do Pis p*g""
ros 3 brasileiro e ia portugueses.
OBSERVAgOENS
No dia t amsohtceo fu odiado no Umeirfo
inda se conserva um Brigue Fraucet.
Dilo : entrn para o mosqueiro o Brigue
Americano Obuom viudo da Costa da
Affria em 23 dias Capillo Dsscton ,
caiga taboado de pinho : a Ferreira
Mansfield. ,
No da 17 fundiou no lamfirio o Brigo
Inglex lausou vindo de Halifax em "
das Cap. W. Rsimond carga baca-
lhu : a Me. Calmool & Companbia.
*
PERN. NA TYP. DE M. F. DE F. |83? I



Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID ER2KXU44I_0529PJ INGEST_TIME 2013-03-29T15:16:22Z PACKAGE AA00011611_03785
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES