Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:03779


This item is only available as the following downloads:


Full Text
r
i.
ANUO DE i83o.
TERCA FEIRA
CAMBIOS.
s Marco n
Londres *> /t a 3i Di. St. por tfooo eed.
Lisboa 8o por 100 premio, por metal, offerecido
Franca 3ao a 3a5 Rs. por franco
Rio de Janeiro ao par.
Mocdaa de6|4oo H>po u reinas noval 14/700.
4/000 8/100 a 8/3oo
Pesos Coluro na r ios 1/6S0 a 1/670
Di ttoa liericanos i/6ao a i/63o
Pata coas Braiilairoi i/65o a 1/670
Premios dai Letras, por met 1 i4 a 1 ip por loo.
Cobro ao par
PARTIDAS DOS CORRE10S TER RESTES.
Cidade da Paraiba a Tilla! da fu preteneo .' ;
Cidada do Rio (randa do Norte, a villas Idea .' .
Cidade da r'ortalea o villas Idern.......
Villa da (ioianna............
Cidade de Olinda............
Villa de Santo Anto...........
Dita deGaranhuns a Poto9o do Bonito. ....
Dittas do Cabo Sarinhacm, Rio Formoso, a Porto Calvo
Cidade das Alagoas, e Villa de Macelo......
Villa da Pajau^de Floral..........
Todoi os correioi partam ao meio da.
12 DEMARCO. NUMERO 59.
Tudo agora dependa da os mesmoi; da n< sse prudencif
moderaco o energa: continuemos como principian
a seremos apontados coro adrairscio entre as INace nei aul
tas.
Proclamacio da Aieemblee Uaral do Brasil.
SoMcrave-se para esta folha ao/ooo rs. por quartsl, pagos adl-
anUdos nasta Typograa, ra das Cruses D. 3, un Praea
da Independencia D. 37 e 38, onde se recebaos correspon-
dencias legalisada, o annuncios: iosirindo-se estes gratis
ando dos proprios assignantes, e vindoi assignadoi.
DAS DA SEMANA.
Segundas Se*tal fairas:
Todos os dial.
Suintal feiras.
las 10, a 4 dcada mas.
dem t 11, vi ditto dido.
dem idea,
dem i3, dittoditto
ii Segunda S. Candido M. Audiencia do J. da Direito da a. vara de manhff.
1 a Terca S. Gregorio P. L)r. de manbl e aud. do J. da D. da 1. vara de raanlil.
3 Quarta S. Rodrigo M. Sesso da Thesouraria P.
14 Quinta S. Mathildes Rainha. Relacoeaud. do J. de D. d 1. vira de manh.
15 Sen Coramemoracio de N. S. Jess Christo. Ses. da T. a aud. de J. da D. da 1. v. da m.
La Nova as 11 hor. e 5o minutos da manh.
16 Sabbado S. Cirflb M. Re. de manh. e and. do V. G. de t. em Olinda
17 Domingo da Paixo S. Patricio Ap. da irlanda. 1
Maro cheia para o da ta da Marco.
Al a horas e 6 minutos da manh. As 2 horas a 3o minutos da tarde.
IfAMBl?
PERNAMBCO.
Continuaca da Falla com que o Exm.
Sor. Francisco do Reg Barros Preii
dente desta Provincia, abri a Assem-
blea Legislativa Provincial no dia pri-
meiro de Marco do correnta anno.
Sutistica.
A reeonhecida necessidade de rfticns
Statitica Provincial, e as difficuldides com
que oGoverno luta para organiza! a do
melhor modo possivel, meobrigio a pe-
dir segunda vez osnecesssrios meios pira
aconfeciode urna obra de tinta magnitude
sobre ss bases, quo tos forio aposentadas
no psssado R Catorro. OGoverno Provin-
cial deu aos Vigarios e Juisea de Direito os
modellos dos mappas que devenio re.
metter os primeiroi de todos os essamen-
tos bitos o bsptisados que tiveram lugar
em suas Freguesias e os segundos de lo-
dos os Reos, que por elles forfo julgados
definitivamente ou nfo pronunciados por
falta de prova 00 levados ao 1. e a
jury em suas Comarcas fim de que,
viudo uniformes os mappas podessem
er orgaaisados os mappas geraes com ai
indicaces qUe forio ju'gadas necease-
ras. Esa ouiro lugar vos lorio presentes
os mappas relUtivos a jusrica Criminal,
agora vos aprsenlo os dos casamentas,
bitos e esposados que ti vers luga 1 na Pro.
vinria durante os unos de |836 18J7, e
i>38 ns maior parle das Freguesias.
Quanto ao Mappa Slatistieoda Popularlo
da t'rovincia da que vos apresento o que
ae organiaou na SecreUria da Presidencia,
podiio os Prefeilos das Comarcas, depois
de immeos demora; remetier os qoe disi
4o respailo as suas Comarcas. Euosjul-
go imperfeilissimos, porque apresentio
a* sua toiaudade menor populadlo do
que a constante dos mappas organisados em
l89> e Be de suppor, que a fe. tilidade do
nosao solo, asalabridade do clima' ea
faeihdade, com que se adquirvm entre
nos os meios d subsistencia, fonte prin-
cipal da popu lacio, nauito ten ha concor-
ndo para o augmento da uoti. O Go-
vfciuo l'ioviiicui pretende, para unior
r os tiabalbos Statislicos neta paite ,
dar aos Preieos os pecisos modellos.
Um dos trabalbos que pretendo man-
dar proceder logo que leona engajado
Eogenbeiro. habis, lio a comfeccio da
Una Topogrfica da Proviuoia pois a
quepicsenUmente eiisto com preen de
osiug.ir prximo a Costa, euiodisi-
gne com exactido a sua posieio geogra-
l'inca tomo unto be mister em objeetos
disu natuieza.
de aposentadoria sob as bases que pro-
puz o atino plisado ou sob as que a vos-
sa Sabedoria houvesse de adoptar como
mais convenientes, utilitaria muto i Ad-
ministrscio Publica e primaria os serv
gos qoe osera pregados de boa nota presta-
vio a Provincia.
(Continua.)
ASSEMBLEA LEGISLATIVA PROVIN-
CIAL.
Acta da 7. Sesso ordinaria da Assemblea
Legislativa Provincial em 8 de Marco
de 18J9.
Presidencia do Sor. Maciel Monteiro.
Feita a chamada e adiando se presentes
a? Snrs. Deputados, faltando com cauta
participada os Snrs. Lopes Gama, Dou-
tor Cintra, e Manoel Cavalcanti, o Snr.
Presidente abri a Sesso e lida e appro-
vada a Acta da antecedente, deu o Snr.
1. Secretan 1 conta do expediente: hum
officio do Srcretario do Govorno paMeci-
pando que remeltera a Cmara de Olinda
o parecer da Commisilo de contas e orca-
mentos das Cmaras sobre o requerimenlo
do Secretario da sobredi ta Cmara em que
pedia approvacio doauRmento de ordenado;
ficou 1 Assemblea inteirada. Hum requeri-
menlo do Doutor Simplicio Antonio Ma-
vigiier pediodo h v rdaJeira iuttlligencia
do artigo 3. das Disposicdes Gerses da Lei
de a de Maio de i834 por duvidas que a
Thesouraria Provincial tinha suscitado a
respeilo : a Commissio de Lngislir;io.
I. parle da ordem do dia.
Foi lido hum projecto do Snr. Viera
de Mello dispeosmdo que o termo da Vil-
la de Nassrelh que segundo a sua criaclo
secomprehende uns limites das Freguesias
de Ti acunhem e Larangeiras abrangei
todas a oulra porclo de terreno que de-
pois de sus divisio se ti ver aanexsdo ou
para o facturo se annexar aquellas duas
Freguesias : foi julgado objecto de delibe-
rarlo, e mandou ae imprimir.
2. parte da ordem do dia.
Continua a segunda disciissio addisds
do projecto n. 16 de 1838 dispondo que o
Presidente da Provincis em a nomeacio.
reforma e sobre os quss nu5 tem sido le-
gislado pela Aasemblea ; o Sor. Nabuco
de Araujo a seguinte emeoda sccrescen-
te se depois da Palavra Reforma Cons-
titucional e pela Lei de 3 de Oulubro de
i834 foi o Projecto approvado com t e-
menda do Snr. Dr Pedro Cavalcanti e re-
jeitados o requerimenlo do Snr. Peiioto de
lirito, o artigo additivo e emenda do Snr.
fabuco de Araujo. Declarara os Snrs.
Peixoto de Brilj, -urbano, Pereira Mon-
teiro, e Nabuco de Araujo que votava
contra o Pn-jecto. Fu rao consecutivamen-
te spprovados esa primeira discussa o p'O-
j'clo n. 3a de 1835, mandando que as
rendas do extinto convento dos Thereseos
fiquem aplicadas para a sustent*cio dos
01 los do respectivo Seminario, e n. i"j
da i88 dspcusauiu que os i JuisiS do
Civel da Comarca do Itecife nlo ezerco
mais jurisdiccio commulatira as caas dos
orfui, Provedoria e Fasenda Publica e
distribuiodo a mesmi jurisdicao pelos so-
brediiosJuises. Foi regeitadoem primeira
diacussuo projecto n. ago mesmo anno.
Entrando em primen a ducussio os projec-
tos ns. 3, e 4 deste anno, aquelle dispen
do que nenhum Deputado Provincial podes
e ser promovido em mptego Provincial
durante a respectiva Legislatura a excep-
clo dos empregosque Ihe tocsssem por sc-
cesso, e este : que os Porochos, e Curas
dVmas podessem psssar certido s de Bi
ptismo, Cssamenlo, e bitos, e oulros pa-
pis do seu officio independente de despa-
cho de Autoridade Ecclesiastic, forio o,
primeiro addiado ate ocompatecimento de
seu autor a requerimenlo do Sor. Doutoi
Pedro Csvalcanti, e o segundo aprovsdo.
Scguio-se finalmente a segunda discos i.
do l'rojecto numero 6 do anno prximo
pasado, e depois a primeira do Regule-
mento dascbrss publicas, e foi aquelle ad-
diado para qu. A idicciouaes da Cmara Municipal do Re<
cife e este por ter dado a hora. O Sur.
Presidente levsnlou a Sessa dando para
ordem do dia Leitura de Projectos, in-
dxsces, e pareceres de Commissio, con-
tinuacio da mateiia ja designada, primeira
discusso do projecto n. 3, do correte an-
no, segunda dos ni. ai 3 dei83u,
terceira do n i 5 de 1836, primeira do n.
a deste anno, segundadas Posturas Ad-
diccionaes da Cmara Munioinal do Recife
piai na barra do Riaxio e ir gira'"et
a barra da Jangada inclusive e da hi vol-
lara* pela margem direita do Ro Pirangi,
passara' o Rio de Una, e seguir' at o
Engeoho Hita de Flores incluzive, e da
hi Tollar al a Cova da Defuncta onde
voltara' procurando a Serra dos Mor* ,
seguindo pelo cume d. ro-sraa descera'
em rumo as nacencm do Riaxio e se*
gira' pelo mesmo rio ate' a sua barra.
Artigo 3. Fieara' pertencendo a Fre-
guesia dos Biserros todo o mais restante da
aoliga Freguesia.
Artigo 4 Ao Parorho da Fieguesia no-
vamente criada pertencera' a mesma con-
grua e emolumentos marcados por Lei sos
oulros Parochos.
Artigo 5. Felo derrogadas todis as
fjjjrsr oisposicoes ero contrario.
Paco da Asserr.blea Legislativa Provin-
cial de Pernmbuco 4 ,le Clareo de 1839.
Bego Dantas.
i839- PROJFXTO- N. a.
A Aisemblea Legislativa da Provincia de
Perumbuco.
DECRETA.
Art. i. Est'beliecer-ie ha nesta Ci-
dade urna Caixa de CirrulacaS e de D^s-
co
utos denominada B
amo
de I
eriim-
Empngsdos Pblicos.
Segunda vez, Senhores, chamarei a
ossa allencio sobra a Classe de Cidadios,
que se emprego no servico Pobli-
'o da Proviucia e pefo-vos qae de um
"""oceitoe permanenteassigneis o seu fu-
turo de mai Viuru e filhvt, Urna Le
remoco, suspeucio, e demisso dos empre
gados Pblicos exeicesse a mesma aulori- com o Projecto n. 6 de i838.
dade, e pela mesma maneira que com-
pela ao Governo Proviucial e ao Gersl
antes de Reforma da Conitituicio ; com o
artigo additivo do Sur. N.ibuco de Arau-
jo : A remocio dos Magistrados durar
de 1 a 4 annus e os Magistrados removi-
dos servirlo com a mesma posse,e jura-
mento ; o Snr. Peixoto de Brito mandou a
i esa o stguinle requerimenlo que o
Pi ojelo seja remeitido a CommiisaS de
LegiilacaS a fim de que organiae bum no-
vo Projecto de conformidade com .0 pata
grafo 11 do artigo iodo Acto Addiconal; o
Sor. Oou or Pedro Cavaleanti -- a seguin-
le emenda depois das palavaas provine!
aei aci esesnte se que ja txisliad antes da
Francisco de Paula Cavalcanti de Albu-
querque.
Vice-Piesidente.
Antonio da Cosa Reg Monteiro,
I. Secietario.
Joze Thomat Nabuco de Araujo Jnior,
a Secretario.
1838- PROJECTO -. N. 1.
A Assemblea Legislativa Provincial de Per
nambuco resolve.
Artigo 1. Fica erecta em Fregaesia a
Villa do Bonito desmembrando-se da dos
Biserros da maneira seguinte :
Artigo a, A Fregus do Bonito princi-
buco existir por deze anuos contados
do comeco de suas eperac/iens.
Art. a. O Fim do Estabell*cimento he
proteger o animar a Agricultura
e o Commercio facilitando Ibes me-
ios de tirarse de embargeos ou de leular
melhurias.
Art. 3. O seu Capital poder ser el-
ievado a mil conloa de re.is porem logo
quechegar a cem contos entrar em so 13
uaroajsss<
Art. 4- Este Capiul se- realisado em
Accoens de ciucoeula mil reis pagos em
moeda crtente ; e he permittido enlrar
com o numero das Accoens, que cada um
convier.
Art. 5'. O Governo da Provincia fie.
Hutorisado a entrar para o Banco com o ii.*
de Accoens qu o excesso da Receita
Provincial sobre sua Despezi pe 111 i t ir,
nunca porem com mais de-uazenias AccSes
por anno, em quanlo se nao prcencher o
completo do Banco
Art. (i. O Banco he autorisado a emit-
tir v|les ou bilheu-s de crdito de dez a
cincoeiila mil reis pagaveis ao portador ,
mais essa emissad sei em rebe5 do bum
quarto do Capital das Accoem que so fo-
iem verifiando Quando porern o valor
dss N'.'ltss em circulacad, ou inoeda cor-
rente igualar ao valor legal da moeda d'ouro
e prala poder s emissa dos bilheto ou
valles ser ellevada al o valor tff-ctivo das
Accoens urna vez que se realisem na mes-
ma moeda preciosa lego que para ts;u
fin sijao ppiesentados ptlos portadores.
Ari. 7. Os Fundos do Banco sera
appbcados em emprestar aos Agru-ulton
neabecades em Eil~beliecimeiitus Ru:*es,
o aog Negociantes maliculados atsim co-
mo em diiconUr pelo cambio correte os
ILEGIVEL


s
DIARIO DIPBIA'MBUG
ir
>
==
bilhetes das Alfandegas e lettras pagareis
neia Cidade quetenhio pelo menos da-
as firmas recoohecidamente abonadas e
que nioexcedd o praxo de seis meses.
Ait. 8. Os Emprestimos se faraScom
preferencia sobre pinbores de ouro pra-
ta diamantes, ou pedras precio-as : se
farS tambara por meio de hypolhecas ,
ou por outros de spgmvnc* sobre predios
Uibaos e rustios e quaesquer bens OU
lilulos qae oflerecaS prompla ra!isac<6
e solida garanta nao excedendo as quan
tas emprestadas a trez quartos do valor
d.i couza olf-rerida eo garanta, e spiis
prasos a um anno que poder ser poro-
gado, praticando-se as segurancis recom-
mendadas. Os jaron desses emprestimos
serio de drz por cenio ao ano.
Art. g. O Banco nao possuira heos
alguns e quando os houver de adquirir
era virtude de cessu delles para pagamen
tode seas emprestimos conclazaS de hi-
pothecas ou vas judiciarias serio Ten-
didos em hasta publica as portas da Salla
das Sessoens perante os Directores, ea Me
za d'Assembla Geral dos Accionistas que
deliberars se conven espassar a ai rema
tacaS caso o valor eflorecido oio seja cor-
. respndante au valor real. A Junta entS
^ arri'ndai a propriedade temporariamente.
Art. io Os Accionistas poderS rie
gociar e traspassar suas Accorns pondo
as costas das respectivas Apolices os per-
lances quesera5 registados pelo Guarda
Livri's e as sssignaturaa reconocidas
por TabelliaS Publico. Quando perderem
suas Apolices recorrers a Junta que
mandar passar outras com as devidas riol
tas e pondo se as competentes verbas.
Art- ii. As AccSea nio ficaS sujetos a
prnitoras c ni ao Banco quando seus
possuidores com elle contrahirem di vidas,
o ents enlraro para os Fundos do 15.n
co. O Accionista pjiern que, ti ver mais
de 10 Acto s s guiar do indulto para o
referido numero.
Art. 12. O Banco be representado por
saus Agentes em todas assuts transaccSes,
que serio 3 Directores, dos quies um sea
0 Caix j que alienar de 4 ern 4 llaver 3 DireclOies aupplentes para os
Substuuirem em propt>TU*rj que rsefrWli-
vos forem eropedidos. Iltvfli i Guarda
Livros encarregado de toda a escrjpturacio.
e os Caixeiros que a Viez d'Asseroblea
Geral dos Accionistas resolver preceden-
do proposta dos Directores, que Romears
os Caixeiros e os despidira, quando nao
comprirem com os seus deveres parUci-
pando misma Meza: ella s dimittiro
Guarda Livros porcauza motivada, e cum-
municada pelos Directores. A Meza mar-
car o Ordenado do Guarda Livros e Cai-
xeiros sel) proposta dos Directores.
Art. i3. A Meza sei composta da i
Presidente a Secretarios 4 Fiscaea, e
e. appresentario os Directores o Btlan
cete de 4 em 4 mezes para o rever, o inle
rar-se da fhcalisacaS e estado do Cofre.
A Mesa se reunir ordinariamente em 3
r podas finas Vm cada anno para leceber
os referidos Bilancetes examinal-os e
approvil-os. Adiando nelles erros in-
sanaveis ou fraude convoca* extrordi-
nariamentea Assemblea Geral dos Accio-
nistas para ella providenciar.
Art. i4 A Mesa se reunir exlraor
dinariamente quando assirn o julgar, e exi
gi' dos Directores um B.lauco do esUd
do Cofre, e inforruacoena necesarias,
procedendo a quilquer i-xanie e iscalisa-
caS que llie ser facilitado pelos Dire-
ctores.
Art. i5- Constue Assemblea Geral o
comparecimenlo de um numero de Arcio
instas que represente a 4-' parle dos fu
dos do Banco. Ella se reuni lodosos
onn.os nos dias 1 5 e aG de Julbo. No di
1 5 os Directores appresentat o Bala neo
do anno Godo em 3o de Junho, que ja
tei sido revisto pela Mesa e logo ser e-
leits urna Commi.io de j Membros para
o conferir, o verificar. A este Bilanco
aeompanbai um fiel.tono no quil oj-
Directores alem de infurmarem sobre o
estado do Banco e seu desenvoh ment ,
informaido Imbein das necessid.ides que
ella de va provide ciar. No da a(ja Com
tnissio uppresentai resultado do leu
exime que sei approvado pela Assem
Art. 16 No referido dia proceder-se
lia eleicaS dos Directores e da Meza po-
deudo ser reel.-itoi os existentes.
Art. 17. Os Eleifos entrars na geren-
cia do Estalieledment no dia 1. {dn \-
gosto, tomando possee respnnsabdidade ,
de que se fr; o competente Termo.
Art. 18. Tero direito de votar o Asci-
onista que tiver 5 o'u mais Accoens,
contndose os votot na razio de 1 porca-
da 5 de maneira que o Accionista que
tiver 5 AccSes Ipr um voto O de dez a
e assim sucesivamente nio podwrfo cora
t'udo accumular mais de 10 votos S pe-
ders porem ser votados os que tiverem
mais da 10 Accoens. O n<>mes dos Acci
onistas, que tivtrem o numero d AccSes
ditas alem de ser inscriptos .no Livro 1 es-
pectro serio levados a uwa Pauta que
ser posta na Salla ds S-ssSes para co-
iihecimeiito dos plantes.
Art. 19. O Acc:onista podf-.- compa-
recer por si 011 seu'Prrcurador feralmen-
te constituido maso Procurador spide-
r votar, quando o Sen conslituinte tiver
mais de 10 Ac^Sea ou quando o numero
dos constituirles que representar preG
zer das 10 A<*coens.
Att. 26, A Thzeouraria Provincial se
for Accionista nrandai o respectivo Fis
cal e na falta 11 ni O ricial ptra assistif
a Assemblea o qual votar conjnetamente
com os mais Accionist'S, edarnesmi ma-
neirn qae elfes e ser Memb^d da Com-
missaS Kxaminadoura do Hdahco : o re-
ferido En pregado ser munido dd aniori-
r. co do Inspector.
Art. it ra ser Director he decessario
ler bens de rarz e erde recontiecida ca-
pacidade inteireza e cnceito. A As-
semblea. elegor 6 Directores', dos quaes
3 mais votados compoi a Junta nos
Directores e os 3 laimediatps serlo os
Supplentes, segundo a orden, da vota-
cao.
Art. 3a. O Directores em gestio ficto
raspn.a veis em suas pessoas b'ni', p^
las mal versanoens ea bazos que commel
lerem Unto n omiss^S do crdito d"sig
nado, como as mais funreoens qaelhes
sao confiada*.
Art. ?5. Os emprestimos qae se bou
verem de tff-etuar as Apolices dadas aos
Accionistas, eqoaesquer Ttulos serio as-
signsdo pela Junta dos Directores assig
ando o Caixa em primeiro lug*r e slibs-
crevendo o Guardo Livros. Nos hibetes
porem de crdito que emillir o Banco ,
ou Valles, elles rubricars.
Art. a4 Oj Directores fare tetfa as
despesas com ordenados do Guarda Livros,
e Caixeiros esctpt>irci5 alugirefs de
casa, proitestos deletlras, despeSs jud-
ciaes e quaesquer outras do Barco.
Ait. a5. Para pagamento das despezts
rima e commisso aos 3 Directores que
eativerem na gerencia do Bmco a As-
semblea Geral dos Accionistas destinar a
quolU equivaliente.
Ait. a6. Urna Commisso de 5 Mem
bros d'Abtemblea Geral dos Accionistas
ser eleit* loo qne ella se installar para
organisar Regiment, eprovidenciar os
cazos ommissos na prezenle Le. A' esta
Commisso pe*lencera' tambem o Presi-
dente da Meta, que sera' o Pnzidente
della e os 3 Directores um dos quars
sera* o Relatar.
Ari. i-]. O Regiment acim. ,* qusl
quer Regula ment que a Commisso a-
doptar sera' appreseiitado o G jvefno
Provincial, que julgando confotrtie o
approva' e submeiiera' com suas rrfl-
xoens a Assemblea Legislativa Provincial
Assemblea Geral dos Accionistas e en-.
'rar no circulo de suas funccSes o Gover -
no Provincial orneara' interinamente os
Directores, ffdara' as mais p-ovidencias,
para que aprsente L"i sja executad.
Art. 3d. Fic#> revogadas todas as des-
pozicoens lejislati*Ba que forera contra-
rias a prezente Le.
Silla das SessSa d'Assemblea Legislativa
de Marco atel83p.
A. Ja Costa Reg Monteiro.
1839 --Projecto N. 3.
A Assemblea Legixlaiiva Provincial de Per
oambuco
DECRETA:
Arligo 1. Nenbum Deputado Provinci-
al podera' ser promovido em Emprego Pro-
vincial dorante a Lgisl le for Depalada : exceptua8-se porem a
quelles empregos. que em virtude de algu -
mi lei devio tooar-lhe por accesso, ou ei
calla.
Artigo a. O Deputado Provincial fica
inhibido de exercer Emprego Provincial,
cuja creaco livesse lugar no lempa desua
Deputacio.
Artigo 3i Fido revogad nestaProvIrr-
cia todas as Leis e DisposicSes em con-
trario.
Salla das SessSes da Assemblea Legisla-
tiva Provincial de Pernambuco 5 de Marco
dei859.
Lopes Gama.
i839-PROJECTP --N.4.
A Assemblea Legislativa. Pioviucial
PREFEITRA.
Parta do dia 10 de Marco da i83g.
IIIm. a Exm. Sajr. P.'rleeipo y.
Exc. que durante o dia de hontem naS hou.
ve novidade.
Dos Guarde a V. Exc. Prefeilura di
Comarca do Recife 10 de Marco de
i83g. Illm. e Exm.Sr- Francisco do R.
go Barros Presidente da Provincia,
Francisco Antonio de S Brrelo Pre.
leito da Comarca.
TRfBUNAL DOS JURADOS.
Sestado dia 7 de Marco da 18J9,
Ja-y deSentenca.
Assemblea Legislativa. Pi'-i
liesolve:
lovincial
Denuncia do- Doutor Promotor contri
Manoel Aires da Fonceea e tlro t pe|0
assassino da parda Loorenca 5 foi cot,
demnado em j|3 anoos e 4 meiei de
przio.
Recurso de Elias Martina soldado.do
Corpo Municipal ; da sentenca do conse-
Iho militar por fagida de presos pro-
nunciado no art. a6p> o Jury o coudem-
ucu em 1 codo de galea ; appellou.
EDITAL.
Francisco de Barros FalcajS de Lacerda,
Fiscal daFieguesia dt Bja-vista.
i
Faz saber, ao Marclwie- 4ai V/Pgae
zia da Boa-visU que deboj* em dianle ,
n5 devera' sabir Boi ajgnm. do Curral,
paca as Fregueaias do P.eqfe e Santo An-
tonio sem que leven duas cordas,
urna as galhas e oul no p e todas
as pessoas que infrigirem o presente Edi-
tai. serti<> raultadas com, as .pena coniiui-
nadas e>s Poaiuias M|unicip.es,
Epara que o ref*irido cona.a. nnde^on-
vier mapdi publicar o presen!* p*lo 'Dia-
rio. 4 ;:iniL .
B.irro da Boa-isU y de ftarco de
Francifco de Barros Falco de Laeajrd*.

Oiaro do Penmnihtict.

.-. 1
blea seo|u!gar e entaS ae di-teriuinai
o dividendo itspeciivu cada Acclo.
pua as tamireiti consideraclo.
Ait. 28. O Governo Provincial nome-
ar*' quando jolgar necessario, urna Com
miss'S que examine o estado do Cofre a
exHctida desua fscriploracio n emissio
de Valles ou bilbetes de crdito em con-
forroidade com o art. 6 e'que se fm-
ponlia finalmente de todas as Iransaccoen.-
do Banco para levar ao c nhecimento do
raesoo Goveroo qu se descobrir mal
versacor ns, suspender' es Directores
que aa pralicarem chamando oaSupplen
tes para os substituir at que se aproxime
a poca das eleicSes ou que a Assemblea
Legislativa Pievmcial se rena para provi
-ieuciar conforme for a gravidade do
mal.
Ai!. 9- Lm quinte se nio fniaUtr a
viando o Bdanco da Receita e Utispesa
Geral desta Provincia do mez de Novembro
ultime.
Dito- AoEzm. Prezidenleda Provin-
cia pedlndo para transmitir ao Tribunal
do Thezouro o precedente oficio.
Dito Ao mesmo Exm. Sur., envi-
ando com as contis d.is d< spesas feitas nos-
la Provincia nos mezes de Novembro e De-
zembro do corrente anno fin ineciro com, os
Ministerios da Guerra e Mariuba as do
i. semestre do mesmo anno.
1-------1 ........ .......... L
Diversas Ileparticoens.
' '"* '' "~T "Ti- r-rrr i-n't -
ALFANDEGA DAS FAZENDAS.
As arreraatacoens annunciadas para o
dia 11 lorio lugar hoje impreterivelmente,
MEZA DO CONSULADO.
_ A Pauta be a raeama do num. 5c>.
ARSENAL DE MAR1NHA,
EDIT AL.

0< Parnos, e Curas d'almag desla Pro-
vincia fro autorisados a passar certidSeB
de Bautismo, Calamento, bitos, e outras
propras to seu i.lEcio independente de
Despacho daAutoridade Eeclesiastca.
Paco d'Assemblea Legislativa Provinci-
al de Pernambuco aos 6 de Marco de 18J9
Pereii de BrilQ.
_^-------------B-StS
TIIEZOHRAHIA DA PROVINCIA.
Expediente do dia 9 de Brrd de 1839.
Officio Ao Exm,. Prezidente do Tri- Publicamos u Projectoa de-n/i a av*
banal do Tbesouro Publico Nacional, en- \. da Assemblea Legislan a (Provincial, e
continuaremos < publicar ladea os que se
foiem apresentando para queaqiwliea dos
nossos Lr-itore que nao poderem aasistir
s suas ses-Ses tenbaS urna! idea perfeita
de" seus trabalbos.
i." em que se resolve a erefcen da
Villa do Booilo em Fregueaia nos parn
juelo, tanto mais porque estamos onves-
cidos da ulilidade espiritual, qu proveai
da divisan das Jreguesias, pois as grandes
mo poden ser-curadas t nomo eonverna
bem das almas maa toda prevencin nos
parece haldada, em qoanto oa Pnrocoiie
nio Ii mbrarem que -lies sao Ministros
de um Deus fiujo^ reino nio e t deste
mundo.
Acuris l'arocos, esquecidos deste ede
cutros muiloA preceitos 16 lem posta a
mira noa lendiraentos da Igreja que se
propoe,
similhautes esses homens esto-
D'ordem do Illm. Snr. Inspeetor do Ar-
senal de Marioha previne-ae aos Capalases
das M'SbSens dos Por tos que de amanhia
em diante dever.,S faser comparecer nesu
Reparticio todas as pessoas empregada.s 00
trafico das embarcacuens pequeas, que. a-
indi nao esliverem matriculadas a fin
de que o H-jao na conforinidade do ai liga
3. do respectivo Regulamento; isto s< b
a mais vtricia respoi.sabilidade pdaexecu
cifl do que hora se Urea ditermina.
InSpiccio do Arsenal de Mariano, de
Peniambuco 11 de Marco de 1HJ9
Alexsadre Rodrigues dos Aojos.
Secretario.
pidos, evadios, que s prooura ca"
cora mulher rica para taren: de-que -
va impoi lando-Ibes poeco, ou nada,
que mulher, que escolheraS falleci
outras condicoes essenciaes-
Nos eslamo* convencidos de que a maior
parle, para nio duermo, todas as des*
gracas, edesordens, que auccadem po
esses matos, eseri-s se devem a o crimi-
noso descuido dos Paroeos, que embalan-
do-se em urna rede, sesperando, qua*
orfa, a a viuva Ibes vnba5 entregar o*
proprios brincos que tirora das orelhs
para lerem com que posss dar aepuliaia
sciozas deaup*i, ou de seu marido,
lazem ciicunscrever todo* os seos deveres
no acanhado < ircolo de atiza* missa <">*
fessar czar baptizar, e enCinmuidar,
porque de lado islo se tira proveilo ; rnaS
ensinar a doutriua pregar o Evangelbo,
esle Irabaiho fica para o Rra. Diocesano,
que asiduamente (mas em vio) d a os seas
Coadjutores exemplu cureprindo eo
mais excedente, e ura dea mais sagrades
deseas de veres.

BBBI



T

y
biARld 6b Fl b n a mIC o
n i -ii i ii i i
M
t.
5
!
Quando femos o proced ment da cerlos
Sirocos parece-nos, qn estes estu di rao
Theolog' por algum c >npe ndio truncado ,
pois lembrnda-se ellos Uis p.lavras Btp
li.aritos eos i ni nomiriH Puris,, et. F>lii el
Spiriiui sancti nao moslra tete lido
aquellas vlutareS ptlavru que as preae-
dem Eunles ii universuui proa-licil E-
vngelium omni crealun
Eitamos convencido;*/aegunda. *%z edi-
zeraos), e com nosco lodos aquell-s que
conhecema nflu-uicid da moral na socieda-
dt, de que a nao do estado nio se tarta .
tintas vezes., fisto entrega a deacripcio
de lio tempestuosas oid.is se os Parocos
dessem o exemplo de urna mor4 por*;
curoprissem exactamente os sagrad o deve-
res que se ligaraS quando se esposa
rao cora a Igreja.; e pregassero o Evange-
lio, como Ibes ordena, na pesio de Tito
o Apostlo S. Paulo (Epist, o*p I i )
Exm. e Rm. Sr.,. temos agora occasio
de rogarmos a V. Ex. lim. Unce suns
paternaes vistas sobre o deploravel estado
de alguns Sacerdutes. Jiio-com o exem-
plo que V. Ex. llies ajitolha iiem cora
evanglicas palavras, que podo medicar
chigas lio cancerosas : no phisico cortaS-
se as psrtes que se achaS afleclaa deste
mal. Que vale, qua V. Ex coenrisco de
-^
e admiravel nvencio ser recebida com a-
grado.
Sota,, e ser i
n uf f '
Sen constante Leitor.
-----------------1-----1\< ,!'-------
mi a i '
Variedad e.
ilL________: ___!

CQ&V1QRAMA LITERARIO.

sua vida cu jos das sao de lo grande? pre
co para esta Diocese y corra, exposto aos
rigores dis estaces vencendo aa'ditEcul
dades de nos^as inlrartit.iveis estradas de
u.maoutro limite, da sua juriditcio<*; fe,
(piando volla, as coih s tomiS o s-*uanligo
estajo, ? Ah! Senos podassemas trazar ,
era espirito, a V. Ex. a Os lugares,'ara
que, mailas... veze*,, alguna, Sacerdotes,
com escndalo dos circunnWnle, tiueatio-
m sobre p tamaobo de urna rila sobre o
prejcO.de urna confina aobce a olTirfca de
un baptizado sobre o diaheiro da liceo
ci.. .. E, se se trata de jurisdiceo que
vergpoha Exm. Sr,.,!, Dois griipan,-oaa
pos tos de Ministros de ura Dus de paz, de
um Deas de concordia que lano preguva
no lemph entre os Doctorea,' como oes
campos entra" o povo de toda a qtaatidade .
e coudiccao a ilisputarem-se (e com que
algazarra '.) um palmo de ierra, emesrao
rt faculdade de cantar, um subvanite ;
um honrado ., e mu religioso eidado .
com o coraeaomagoada, lera daa dores ,
lilbas do amor, e da rasso einda asis
das occasibnadas por um fcoU, e indiano
capricho, temando ver chegada a occasiio,
t "i que os reatos de sua cara consorte fus
sera an aneados do jxigo onda estafa ,
par* antro-lugar fim de-levar trez hiso--
pidas e darem-se quatro. gaita daa da-uro
desafinado canto-chao..., de certo uro
proo-dimeiM" i)e; improprio de urna
corporacio lio respeitavel! Oxal nunca
exisiissem lio tristes e lam*n'aveis faetos,
porque ep.'ip. najo temosos nos (o qu bem
nos peza !) occasif o de m nal coraciode V. Ex. Rm. ( i )
O 3. Pr jeclo | de unta utilidade lio
saliente, que desnecessuno fazer-lbe a
apologja ; prineipalmeulH appiesentando
elle a os agricultores e. negociantes o awio
de te livrarem nag suas precines das
voraces garras dos usurarios esperamos
da sabedoria e patriotismo da Atacmblea
a emenda de. alguns atligos que nos pare-
cera menos bous.
O i." pinta fi.-lme.nte. o carcter patriti-
co de seu autor, e O quanlo deseja ella ver
longe dos respeitaveis membros da Assem-
l sobre ella a menor suspeita de vena|idde.
facihlar
negocios.
4 presenta oos urna uiilidade que
a o povp o indaoatnlo do seas
.- .ii/-,


------'------i--------------------------------,-------------1------r-r
Correspoudencia.
-*- i-TT-r
Srs. Redactores, Como apparecem -
vete, algumas Variedades no seu jq-
dieiosp jornal, achei, que esta quelites
fflereco erfueextrahi das obras do ira-
moilarCook, mereria, por sua randada,
_
,11,
(') Jess Cbriato comia cora os pu
blicantii ; e cit Os pescadores (Matbeot,
'X, 11) e os Padres ce urna mt-sma reii-
Rjo QiyJSftUlafi jnutott parque utrs itrrd
Matrii, e ouUos de^. Pedro / l

i Quando a luzesprincipiarao a derramar-
se por q paa de Edn, quando seus raios
luminosos principiarais a embocar por to-
dos os ngulos dessa bella cidade, qnand >
da noite pira o dia via5 se pular Escolas' de
>odos os tamanhos e de todas as cores1,
quando asKodjaa principiaras a pnltilar ,
al metmo dn outros paiites veio dis mar-
g'ms daRio Eupliates una dos mais celebre
K.odjide seu teiapo} sjaj para cumulo da
felicidade de Edn eofcstituio um desses
estalieleciteotos que faz honra ao enf;-
nho burauo y debaix* do titulo de Cos-
os o rama Literario % ou M*tbodo de apWh*-
der todas as ciencias ; eurt), com a sim-
ples vista do mundo literario.
En fui testemunba ecciilar desse nobre ,
e, bem pode di zar-so, miraculoso estabe-
lecimertto poi:os alumnos repentinamen-
te e .'-oom. urna asta fMsngieh* ficarafr
Kodjaa, oaflio o proprlb Kbdj. E ,'para
admiracio dos vinduro, -vio contar1 o
i)ue vi em alguns das eni que tive a hon-
ra de ser admiltido na sala da inslrucco.
EstavA-o K.od4- oteda no sea co*w d
vellido verde, orlado da gario1 daDUrO^'e
em urna pasi^io tal que podesae ser visto
de todos o circunstantes, qoe estavaS em
astantos mais baixos. Depoi- de fazer al-
gumas venias, aacau por ura Uvreco, e
anpres'ntou-o direndo : Agora ver- s
Grammatica. Rbilcosoplsicat, por otrde apref
deo fallar a lingos naateraa um roQdoa
Oalivitate. A -
Depois fie guardar o Itpco na caixvdorj
rada donde o tinka liraak>,< sacn por as-
tro niaior, e mais grosso ,' e ranstrando^
p-,,disse : Agorai vct.< a Graasunatrca.
g>'ral, en. que esto apinbtdos os prece
>os de todas fcs"lingos vivss e moras ;
l'oi por ellei, q^a-aiBurr da Babam apxen-
deo o id>ma om qpeae qriou dis des.
apiedada cbicotadas qu ibe dava o pro-
feta, i.
Depois fo. tirando diforenles livres da
difieren tes tamaitos, e diferentes enea
dernaces ; e, proporcio que os bia
mostrando hia duendo assim : Agora
vero a Caligrapkia d Carsta'irs : foi por
ella, que nosso p< Adi aprendeo a as-
signar seu nome.
pendio de GeograpliM : por ella aprendeo
0 Imperador No a dividir o rI bo terres-
tre pelos tres rra,> seus fillius, Sem,
Chana e Japhel. *
Agora ver ehteadmiaaaret tratado de
Clwauologia, or ondeo defanta Mandarra
man-ou a dilferenles pocas, em (fue de-
veria. do ppan cer es estroadosos acconte-
cimentos, por elle proferidos, a
u Agora ver este excellinte compaadio
de. Historia amiga e,moderna, oVrde>se
leem a historia do invencivel Carlos Magno,
a da donzella Tbeodora a da Thereza phi
losojiha, a de Fsublaa, a outres qne
taes, onde se aprende a moral a m.ws pu-
r*' p
Agora vero o Oninlih.no capado ,
por onde oa Brutos Cassios Marats ,
1 Jauto ns, Robspierres e prender ti o a mo-
ver os nimos da populaca. m
K Agora ver o extracto daa quatro po-
ticas por cuja I icio se fizera os atmor-
laes poemas da Wartinbada e do Capitulo
Geral (Jos I'rancihcanos.
Agora vero o aselbor compendio de
philosophia do seclo 17; ella fax racioci
aar os quadrupedes ; camella um doido
ficou em seu perfeito juuoj e um burro
d< fendt'oconclns-i magnas.
Agora vero o insigne compendio de
IVJatbeopalicas onda eslo reunidos lodos
os sistemas de Euclides K'ppler New-
ton Cliirant, Maupartuis. Rezout, Con
dorcet, Ihderot etc. etc. por elle, que
um menino s> m mios aprundeo conlai
pelos,dedos; por elle, que oa oaroiaa -
prenderlo a construir maquinas par- fa
sa-laa s-bir ao ar na> noil>a oju^s teligio-

Depois arraocou por duss grandes be
xlgas, a, appresentando-as dsse : A-
gora ver as duas bexigas cosa que No ,
e Deucaleon apreoderao a ulilissiraa scien-
ciada Natacio; e por cajo auxilio 6cra5
isentos de morrerem alTogados aquella no
iluvio universal, e este no da Thessa-
s. )
Infelizmente toco'u urna campa cujo
som oK'djaselevsntou e fazando Igu-
mssveniss do mesmo modo, que no prin-
cipio do curso retirou-se e eu que ti-
nha de continuar as minhas via<;ena nio
pode tornar ali segunda vez; mas oque
posto affirmar 6, que na sabida alguns dos
es'udantes com quem vim at a caza de
minha residencia, TllaraS sobre squellas
materias como e as tivssem ealudado
rriuito" annos; que me pareceo urna* es-
pecie de miiagre, concedido someple a fa-
vor daquella gente ; porque, em quanto a
miro nenliuma idea nova adquir, olem
daque'llas que me souberaS imprimir bons
mestres ptimos compendios e muilo
annos de spplicaco..
(Trsduzid
o de Cook.)
LOTERA DO'SEA
OReitor do Seminario Episcopal de 0-
lindaTar sciente aos amantes da Lotera
que aa rodas da Loteeia concedida- arfaro
dsinstiuccio dos Estudante pobres anda
i m preter v*lrherrte fiA"d dia 10 docorrente
no Consistorio da Igxeja da N osa Se a hora
do Rosario.
..i'.l toa ibiI
--.i) n
-------
tbbutro;
O Emprez.-irio vendo preencl.idos os
seus drtejos na decencia a boa ordpm com
que leas-podido desempenhar fatitftoria-
menle os Expectsculos convida aos aman-
tesda Scena pafa outr^ Sociedada, que cla-
vera ser de trez metas i a, tre Recitas cada
mez ; que preftz o humero de nove Reci-
tas., pela metma quantia de 3i fono res :
sendo porem 5o Socios pois tantos sao os
Ctraroti?s,;rservdtfdoo do Exm. Sr, Pr
siderita, *'b''dVPoea, : tocar a, cada S
ere 5'bilh'tes de plai fie indo esta redu-
zida a ig5 assentos rm lujar de 3oq, pa-
fniir divsivd pdf- 5o ; desla forma o Era
prWrid vert a abalar em cada Reciis
qasntt de 5 1 s'ood"reis em attencio a nio
serem R-eias rie Quaresrna ,' em que a des-
za be muilo roaior : as Sociedades serio de
Abril, Miio e J uiho Julbo Agosto,
o SHembro 1-Outgbfo, PToverobro,, e De
zemb.o-. A ltima sei composta de Pre-
sepio tirado do1 Sagrado Texto f e apropia-
da a Kpoea do Nascimento de Jezus, aic
a Degoleeio do Riptisla _. os Srs. que
forem Socios lodo o .n,0 tero a f do
Presepio gratis.
Pecas para o 1* trimestre =: Portuguezes'
'psB rg-I Rtorth 'de CaroSes Legitima
!Hdere do Throno D. Diogo de M-s-
quita Morte de Gomes Freir Os Tre^
Viciosos, ou destino, e Educcao 3o
Anuos de hura jogador 5 Annos de huma
Actriz ir) Annos de pariz ou o hornera de
MsH pervertido.
Os pretndanles podem dirigirse aos
SrS. j mencionados, membros da Com
missao da actual Suciedade.
COtLEGlOP PfiRNAMBDCANO.
O Coilegio Pernambuclno encerra em
sea quadr o todos os preparatorios que a le
exige para as escolas de Direito e de Medi-
cina do Imperio, assim como o Curso
completo do Com memo para os que se
destinad a esta profisslo a Comee,ar desde
primis letras.
Os prufessores das dlT rentes aulas sio
de um mrito reconhecido.
----------------',.
----------1_
Avisos Diversos.
-------------------
_ O abaixo asignado, encarrrgsdo
pelo Ex n. Comroandante das Armas de
promover a compra de 16 cavallo necessa-
1 ios ao Etqoadrio d'Artilharia cav.dlo .
11ne se val orgimsar dnbsixo de sua direc-
cio : coBVMta as peasoas que tvei era cava'
ios-gordos, eapadoa,
i
llura, da idade da 5 a 7 annos, e man-
sos de freio e sella bajaS de comparecer
na casa de sua residencia Roa do Hospi-
cio com os referidos animaes, a fin de
que depois da experimentados e julgados
proprios para o servico a que se destinas ,
se trete de fazer os competentes ajustas.
Jos Mara llkTouco Jacorae da Veiga
Pessoa, Capilio d'Arlilbaria.
A pessoa que possuir a'gum mole-
3oinbo e idade de 8 ale 10 annos, sem
elle perceber lucro nenl'um et quiter
alugar por mee, ou por semana, para 'ser
erapregado em ser vicos proprios da sua ida-
de, cerno seja comprar as vendas, a no
assougue ero distancia de (it 10 bracas
o mais e enchutar para dentro algumas
ebras do anuunci.-nte que p sis aso igual
distancia de sua morada ,. annuncie ; .-d-
verte-se que se d sustento a 1 o reis
diarios.
_. Compra-se lelha volhs al aooo
compra-se 'i a 3 carros de mi, novos 00
uz dos : na ro de Agoas verdea sob D; 3t
"*_ Hum professor. deGrammatica Lati-
na examinado e approvado e qnetem
Instante exercicio de ensiuar esta Liogoa ,
se offirece para ir ensiuar em qualquer Eu>
genbo ou mesmo no Sarlio : quea o pero
tender* dirija-te a rus da paz por detrae da
das Flores indo para a ponte casa segunda
depois da fundico. >< _ precisa se de urna ama de Lite forrt,
ou captiva, cora Unto que tenh ssUde e
se paga b m pago; aa ra do Cabug caan
de os' Bernardo Fernandes Gama.
_ Cj(tem, precisar de Capeilo nasta
pract annunCe, ou dirija se a esta Typ,
que se dir o preteridente.
_ Quem quiser comprar urna srmacio-
de venda com todos, os seus pertence.s ,
no atierro dos Atogados defronte dq virti-
ro do Muuiz dirija se as Stuco-ponUs 1).
_ Compra-se um escravo sem ticios;
na ra da Cruz N. 6a. [_ :,|,
_ "Precisase alugar qrna caza Jtfrroa,con>
coromodos para, pequea familia tendo
quintal e cacimba, e nio excedendo oae.u
a'luguel a 8s'ooo reis mensaes embora seja
era ra menos publica; neala Typ. se dir
quem precisa. .
;fT Quero tirer urna preta cativa para a-
lngrr que saiba bem cosir e engomar ;
duija-se a Intendencia da Mantilla* >
Quem precisar do um minino Rrasilei-
ro deidad la annos para Caixeiro de
loja de fasend.is ou ferragera o qual d
hum anpo gratis para praticir : aunuu-
cie.
r- Quem precisar de urna, mulberpara
ama de casa de bomem sofleiro auuun-
cie.
_Um rapaz Portuguez de 16 a lan-
nos de idade desejando admitlir-se a loja.
de faseoda oa armasem por nio se agra-
dai do negocio era que esta oqngando-se
a dar 1 3 meses grslis senda dar loja o
qual escreve e coota sofrivelmenla e ja nio
igupra o negocio : quem de seu prestimo
precisar dirija-se ao beco do Porto das
Canoas a segnnda venda autes de chegar
a casa de Pasto, ou annuncie para ser pro-
curado.
Precisa-se de al lugar huma casa ier-
ras, no Rairro de Santo Antonio e cita
tm o 1. a. cu 3. destriclo ; dan-
do-se alguns meses adiantados ; nesta Tipo
grafa se dir quem a quer.
Huma pessoa que sabe bem ler, escre-
ver e contar offrrecesse para eusioar me-
ninos fora desta piaca e prefere-se o ir
para o certio e mesmo, para qualquer cai-
xp.-ia : quem do seu prestimo precisar an-
uncie a moisdis,
O Sur. Psdre Eduardo Marcos de A-
raojo que prximamente veio da Para i ha
qoeira annunciar a sua rooradia a fim de
ser.procurado oa dirija sea ra do Cret-a
po na Loge D. 5 lado do norte, a fallar
com Jos Joaquim de Freitas Guimaries.
Frela-se para qua'qner porio d'Eu-
ropa o bem conhecdw Rigaa Ingles Mdi-
um Cpita Thomas key de iq8 tonela-
das da primeira classe Consignatarioa
Jobnston Pater Corop. : na ra da Ma
dre de Dos.
_ Quem quiser comprar ama armece
de venda com todos os pertances vinho
de Lisboa a 112o vinagre a 5oo reis ,

buj-s de giftrbra a atjrrrs. : drrTja-F f"
dio 1 7 palmos de r us do Rang 1 D q, ledo do namnW.
J MUTILADO



DIARIO DE
PfiN
AHfiUGO.
-_ A;* odia i5 docorrent-Jrihira luz
itio da Pratica de Pascoil Jos de
Mella Freir t portento os Sis 5. annistas
podereo procura-la depoi* de di ero
OJmda nos 4 cantos em casa do Bjcharel
Antonio Jos de Sonza Gonei.
~" N* r'ie do Queimado D. 3 des")-M
Tallar aoSr. Antonio Cataicante de Albu
querque a negocio de seo nteres*.
Valentim izidoro que (o correio
do Evtido se disj/6- a ser paitcular le-
vando rus para qualquer parte que le
offjreca os pretendentes dirijo-se a ra
Direita casa do Sr. Jaques.
Precisa-se de ura homem para enrher
canoas de areia na caroa : na ra da Flo-
rentina sobrado noro ao p da mar.
"~ O Sr. Manoel do Carmo que ja ira
b*lliou na reparticao das obras publi aa ,
queira annuociar a aua morada que se Ibe
dcseja lallar.
u Precisa-se de un menino portugus
de idadede 10 a ra aonjs que de fiador
a iii conduca para caixeiro de unta v,n-
da na ra reda n. 19.
Precisa-se de urna ama pirda ou pre-
ta, que sirva para cozinhar o diario de
urna casa, o comprar na rus, ou de um
apret Torro que sirva para o mesmo fim ,
com tanto que sejlo idoso-: na ra das
Cruses no primeiro andar do sobrado D. 7,
e tambera precisa de um feitor para um en-
genlio.
Precisa-te'de um crUdo para distan-
te desta praca 5 leguas: na pract da Inde-
pendencia loja n. 1.
A paasoa que annunciou querer ser
ama de urna casa de um bomem solteiro ,
dinja-se a ra das Cruzes no 1. andar do
sobrado D. 7.
Precisa-se de um bom cozinlieiro ,
livre ou eacravo que d fitdora sus con
duela : dirijad-se ao collegio Pernambuca-
no na Uoa vista ra nova da viracio.
Quem precisar de ura raptz brasilei -
ro de 15 anuos de idade e de muito boa
conducta para caixeiro de loja de lazend*s,
ferragem ou mesmo para praticar em al
guisa botica dirjanse a esta Typografia ,
que te dir.
11 "Quem quiaer manda lavar, engom-
mar, a coser tudo com muito asseio, prom
ptidlo e pre 90 commodo dirjase a ra
do cotovelo O. 27.
. O accisomsta daa cautelas correspon-
dente as 3 Loteras fas ocente que a do Se-
minario corre impreleirvelmente no da 18
do corrente conforme ja anuunciou o Sr.
Thesoureiro 5 por ieso avisa aos amadores
destejogo que concn ao a comprar, pois
s reala um pepueno numero das ditas na
casa de sua residencia, ra de N. >. do
Terco D. 9 e nua lugares ja anuuociados,
na mesma casa veade-se meios bilhctes a
0,8jo e no beco largo.
_ Precisa-se alugar dois pretos para an-
darem com taboleiros de miudes.-s pela
ra : na ra nova loja do Snr. Frederico
Chaves D. 5, ou auuuncie,
_i Troca-se um moleque muito esperto
de idade de i4 a i5 anuos, sem vicios nem
molestias naci mucambique faz tudo
o tervico de urna cisa e propiio para a-
prender qualquer oticio por umt uegra
creotfla ou de fora que saiba coser e en
gommsr a quem convier este negocio, di-
iija-se a ra de Araoriiu uo lucio arma-
sem do Sr. Reg.
_ Precisa-sede 3:5oo,ooo a juros por
lempo de 2 anuos dando se um sobrado
de bypolbeca; quem este negocio quiser
fazer annuncie.
_ Pergunta-se ao-Snr. R. Provincial do
Carmo a vistado seo anuncio para a demis-
sto de novicos ae aquella que se propo-
zer a entrar na sua cumrauuidade deve far-
dar-se e dar alem disso a titulo de comedo
sabe at odia- aa do corrente; quem qui-
ser carregar dirija-se ao Capillo a bordo,
Baltarar Jos dos neis ou ao proprietario
Jos Goosalves Ferreira Costa na ra da
Cruz.
PAR\ O ARACATY o Patacho Maris
Luiza Mestre Ignacio Marques, forrado
de cobre a muito velleiio ; quem quiser
earregarou hir de passagem para o que
lem excedentes commodos dirija-se ao
dito Mestre a bardo ou ao proprietario .
Antonio Joaquim de Souza Rib :ro.
PAR A LUANDA o Brigue Portoguez
Josefa sabir at o da ao do corrente
mes, trata-se com o Capillo Manoel dos
Passos Gomes ou na ra da Cruz nume
rt>57
PARA O HAVRE a Barca Francesa Ca-
melia Capillo Guillebert, partir i IV
livelmente quarta feira i3 do corrente;
quem quiser bir de passagem para o que
tem osmelbores commodus possiveis, diri-
ja ie aos consgnala! ios Lmoir Besucbet &
i'ugot.
PARA O PORTO o Patacho Portugus
Mara Feliz, Capillo' Antonio Luiz Go-
mes forrado de cobre e muito veJeiro ;
quem no mesmo quiser carregar ou bir de
passagem dirija-se ao dito Capillo na pra-
ca ou a Antonio Joaqim de Souza Ribsiro
4 annos fbi construida : a tratar no pateo
do Hospital do Paraso casa terrea O. 17.
Um sobrado de um andar em chos
proprio com quntale cacimba sito na
a tratar na roa do
Compras
_ Urna Grammatica franceza por Lbo
mond: nesta Typografia.
Urna Cruz pendentefd'A viz: na pra-
cs da Independencia loja n. 9.
Urna duzia de c.dei as duas banca,
um s< f;i ludo de Jacaranda e ja com algn
izo : na ra do c*bug loja de miudezas
junto a botica.
Vendas
ras urna nao pequea so mina ; porque a
ser assim um pretndeme preleie a respei-
tavel Ordem Fraocucana que nao lirado
engenbo nlo possuindo outros bens e
vivando someole de esmoias, nao fazem
os seus l'ielados pesadas exigencias para
admettir um novico ; com a r< aposta do
mesmo Sr. Revereudo Proveucial tomata
sua resoluciu Ujq que dcseja ser Fraile
Urna negra de idade dea5 annos, h-
bil para todo o sei vico de umi casa ; e cha-
rutos de Habana e da Babia : na rus da
cadeia velha D. 14-
mm Urna duzia de cadeiras um camap
de assento de palinha e douradaa duas
btnquinhaS de abrir mel parelho de
mesa de louca azul urna cmoda da am-
lelo urna marqueza de Jacaranda, trea
grandes jarros de louca azul para flores ,
uma urna de cobre eslanhsda para caff ,
urna grande campoteira de vidro que levo
roeia arroba de doce um baba coberto de
couro, duss camas de amarelo uma com
armacio e outra sem ella e uns caix-s
de Icuroe um deamarello, ludo per pre-
90 commodo; em Olmda defronlt do Car
mo no sitio que foi do Dr. Bernardo.
loquadros grandes de molduras
douradas : na luada Cadei, velha luja nu-
mero 10.
J Uma escrava moca engomo, eozi-
nha cose lava roupa e orna molau
de 16 a 18 annos de idade :osebem, en
gomma, e cozinha : oa raa de agoas ver
des casa terrea D. i-.
- Ums casa de pedra e cal na Cidade
de Olmda na ra do j0go da bola : a tratar
delronte do Jardim casa fi. a.
6 cadeiras do assento de palinha
a uma meia cmoda tudo em boro ate, e
por preco commodo : na ra Direita venda
de 3 poitaa D. 14.
Bicos pretos de hnlio largos e es
treitot e ditos brancos 1 na praca da In-
depend. ncia D. a3e %i.
- Uma escrava cabra de bonita figura ,
representa ler a 5 annos de idade: na ra
do Collegio no 3. andar do sobrado nu-
mero 9.
- Uma escrva creoula, de bail* 6g.
, engomma cozinha, o cose, por
proco commodo em razio do '
para fora da provincia
pendencia loja 11. a i e 24
- Uma prupiiedade deplan lar e criar
ra dasanzalla nova
encantamento n. 99
Arroz branco feijlo mulatinho, ra-
Iho em medidas ou em sacaa e uns paos
de sngice : na padaria da ra do Peixlo
das 5 ponas.
Uma rica armacio de ama loja sita
na ra nova com arrendameato que anda
tem de deoorrer 9 annoa e lem commo-
dos suficientes para uma grande familia ;
uma escrava de nacfobengiitla tem 16 a
18 annos de idade, propria para muraban -
da por ser de bonita figura nao tea vicio
nem achaque alguro engomma, cose su-
frivelmente, orna dita da costa muito ro-
busta fiel e ganha por dia 481 tem
a4 annos; uma dita de ao annos faz ledo
o servic.) de uma casa ; e ura bonito mo-
leque de idade de i3 annos de naci lo-
anda ; pissando a Ijjr. ja dos Martirioj 00
l. andar do 1 sobrado. P
Um sitio na povoaQo dos arTogados
com duas grandes propriedades de casas
terreas leudo uma solio que he o raes
oque um andar defronte da Igreja do
Rozarlo da mesma povoado com sehds
para a estrada da Piranga com um bom
viveiro lugar para otaria bastante barro
para lijlo baixa para capim mas de
5oo ps de coqueiros, larangeiraa cju
eiroa e outras arvorea duas cacimbas ,
sendo uma de excedente agoa de beber e
outra com bomba e tanque para banho ,
com a vista do comprador se mostrara me-
Ibor o que mai tem, como seja estribara ,
sanzalla e Ac. e tambem se troca o dito
sitio por ouirs prooriedade nesta praca, e
da -se a preso : e tratar na ra .da cadeia
n. 9f), 00 no mesmo sitio.
Na passagem da Magdalena ao enlrar
para o Remedio primeia sitio do lado di
leito capim de planta a arroba a tao rs.,
muito bem pessdo.
Um oratorio em bom ozo proprio
fiara msala : na ra do Qaeifflado De-
cima 6.
_ Um pianno de armario de urna das
melhere fabricas de Pariz com excelentes
vozes e proprio pera ornamento de salla,
por ser muito rico, e de um gosto muito
moderno, assim como outros pianno para
vender e arugar : na raa da Cruz n. to.

da creonlo de nomo Minoel de ds#
de 4o annos estatura regular, rendido
de ama verilha nouca barba cara, det.
carnada o dito escravo he morador en
salgadinho Termodo Brfjo da Madre da
Dpos ; quem o pegar leve ao forte do osa.
lo na prenca df Joiquim Jos Ferreira q>
ser bem recompensado. '
No dia quinta feira ai do paisado
mez pelas 7 horaa da noite desaparecen da
casa de Manoel Jos da Sil va Neiva na rus
eslreita do Rozario sobrado de'dois ando
res, que tem por baixo tenda de batbeiro
um moleque meio novo ni trra qu pouf
co sabe fallar apelidado pelo uome de
Gaspar e sendo pelo de Joto no poder d
Manoel Adriano da Costa morador as 5
ponas miando d'anles o possuio, lem aiui.
ta boa Ggura bem parecida, tem dois
Jenles da frente da parte de cima abeiiot
paia os lados e as gengivas dos debis
Igumaccuza roira representa ter de ida-
de 15 annos pouco mtis ou menos f
vestido com camisa de paninho ja velha a
rota pelas costas na parle esquerda ecs|.
sa de bnm paulo de iistrs ja desbotad e
remendada no assento com chita de pinta-
res encarnadas ; quem o liver recolbido
talvez por e lo vagabundo ou delle tirer
noticias certas, dirtjs-se a casa a cima dita
que receber 15o,000 ris.
Fugionodiaai de Janeiro p. am
preto de na^io congo de nome Jo bai-
xo, meio fullo e alguma coisa barrigudo ,
levou vestido calva de ll com quadros bran-
cos e pretos camisa branca e jtqueta de
chita preta desbotada ; quem o pegar leve
a roa da alfandega velba n. 3 que ter de
gratifica ci 5 0,000.
Em das de Fe ver i ro p. p. fugiodo
engertho covas da extincta freguezia da Luz
usn eseravode nome Manoel, e apelida-
do Goianna representa ter mais de Jo an>
oes de idade c >r fulla bsixo corpo re-
gular olhos brancos, muito parlador,
lem o vicio de beber, e passs a embriagar
se e constando andar nesta praca servio-
do em ama obra depedreirb em lugar ve-
sinhoao convento da Carmo ; roga-se as
aulhondades pohciaes capules de campo ,
e mi amo peasoas particulares queirlo deli-
gndara sua prisio e entregando na rus
velha entiendo por detrae da Matriz dolado
esqoerdo primeiro sobrado a Antonio da
Cruz, que recompensar.
jEscravos Fgidos
ra
Sr. retirar-se
na praca da lude-
Avisos Martimos
PARA O ASSU'o Brigue B ventura ,
no lugar denominado Irepia, na ribei.a
de 1 apibaribe Termo e Comarca do Breio
da Madie de Dos aislante deata praca 3
legoaa com aa commodidadea seguinies-
tem esse terreno 3oo br-cas de frente
uma legoa de fundo com aereado e cor-
rar para gado v.ccum ama grande casa .
de Tirela pera una grande familia que I p. um eecravode Francisco Xivier dt Oiin-
No dia 16 de Setembro de 1838 de-
sapareci um moatinhode cor escura de
idade de 14 annos, da nome Jlo nato
ral da Barra grande, com os signaos se-
guintes : cabeca grande o mal feita cbe-
lo preto e cortado todo igual olhos gran-
des, sebranceihas fexadase meiosarolbo ,
nariz afilado, orelhas grandes e moles, bo-
ca grande beicos fiaos denles com prin-
cipios de podres bixo grosso do corpo,
barrigudo, asaos grandes e speras, ps
grandes e apalbetados e chegados a bichos ,
lem uma sicatriz junto ao jo lbo de denta-
da de cao e aa mesmas nos tornozelos ,
muito ugeito asomno foi escravo de Jo-
auna Fiancisea da Conceicio viava do fa-
letido Antonio Gomes Bizerra ambos na
luraesda barra grande, e presentemente
he escravo de Miguel Gonsalves Rodrigues
Franca tem sido seu guia por muitas ve-
zes andava vendendo azeile quando fugio
levon um flande com ama caada de azei
le, vestido com camisa de estopa de man-
gas cunas ja suja do dito azeite y calsa
de panno da coala ja velha; quem o pegar
leve a casa do sen Sr. no beco da ra do
Rangt-I que confronta com o do carca eiro
que sera gratificado.
Fugio as 9 horas da noite do dia 8
de Mateo da roa que vai para o Hospicio ,
uma negra de nome Dimisaiana, represen-
la ter io annos de idade meia estatura ,
secca do corpo falta de denles d. biixo,
penias finas, cabello ltimamente cortado,
levou toda sua roupa costuma levar panno
da costa azul com listras encarnadas e bor-
dad com franja branca quema pegar
levara ra a cima na 4- casa nova de Jos
Carlos ser recompensado.
_ Fugio no mez de Agosto do anuo p.

Movimento do Porto
NAVIO SAHIDONO DIA 9.

RIOG DOSUL; BrigUe Nac Bom Fia,
Capillo Manoel da Silva Couto carga
sal.
ENTRADO NO DIA 10
1LHA DE FERNANDO ; 4 das Brigue
Nac. Bu-ventura M: Baila zar Jos dos
Reis, em lastro t ao proprietario Jo>
Gonsalves Ferreira, passigeiros Jos Jo-
aquiaa Cavalcant de Aibuquerque com
uma filha, Antonio Manoel Ettevo,
e por ordem superior 3 soldadas e 1 a
individuos que acabirlo decumprir suis
seotenoaa.
SAHIDOS NO MESMO DIA
LISBOA; Patacho Portaguez Dois Irfflfos,
Cap. Jos Francisco Lessa, craga g-
neros do Paiz.
RIO DE JANEIRO ; Palacho Nac. Auro-
ra M. Jos Francisco da Silveira car-
ga varios gneros ; paasagviros, o por-
tugus Jos Teixeira da Silva, e The-
resa de Jess.
HVLIFAX; Patacho Inglez Falcon, Mes-
tre H. Diesson em lastro.
I'ORTO; Brigue Portuguez Fama do Don-
ro M. Jos Ignacio de Souza, carga
gneros do paiz ; passageiros os brasilei-
ros adoptivos Manoel Jos de Figueire-
do Silvestre Marques de l'igu<"edo .
Jlo Jos da Cuoba, e Manoel de Fonles.
PERS, NA TYP, DE M. F, DE F. i839


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EHOAWOEQW_U3RF13 INGEST_TIME 2013-03-29T18:10:58Z PACKAGE AA00011611_03779
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES