Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:03776


This item is only available as the following downloads:


Full Text
AUNO DE 1839. SEX.TA FEIRA
CAMBIOS.
Marco 7
Londres 5o i/i 3o3/4 Di. St. por 1J000 ced.
Lisboa 80 por 10*0 premio, por mUl. o (Te reculo
Franr. 3io a 3a5 Rs. por franco.
Rio de Janeiro ao par.
Moedasdc6#4oo Uf700 as velhas noui i . 4fooo 8/400 a S3oo
Pesos Colnmnarios 1JI640 a i|66o
Dittos Merieauo ifoio a ifoao
Pataces Brasileros l|64o a 1/660
Premios das Letras, por mes 1 i|4 > 'P Por I00
Cobre ao par
PARTIDAS DOS COR REOS TERRESTES;
Cidade da Paraiba e Tillas de loa preterirlo ....
Cidade do Rio grande do Norte, e filias dem 3. ^...SaxtasfeiralJ
Cidade da Fortaleza e Tillas dem....... | *Buua"
Villa de Goianna............
Cidade de Olinda............ Todos os das.
Villa de Santo Anto........... Quintas feiras.
Dita deGaranbuns e Povoaco do Bonito. .... Dias 10, e 4 dcada mes;
Qittas do Cabo Serinhaem, Rio Formoso, e Porto Calvo dem 1 11, ai ditt dido
Cidade das Alagoas, e Villa de Macelo...... dem dem.
Villa de Pajau de Flores.......... dem i3, dittoditte
Todos os cor re ios partem ao meto da.
8 DE MARCO. NUMERO 56;
Todo agora depende de nos mesmos; da nossa prudencia
tnodcraeio energa: continuemos como principiamos,
seremos aponUdos com admiraco entre as Maces uiaiscul-
tas.
Proelamicio da Asscmblaa t era I do niil:

Subsereve-se para esta folha a3fooo rs. por qnartel, pagos avil-
antados nesta Typografia, roa das Cruzcs D. 3, e na l'rifa
da Independencia lj e 38, onde se recebem correspon-
dencias legilisidas e annuncios: insirindo-se estes gratis
sendo dos propros assignantes, aviadosassignados;
DAS DA SEMANA;
4 Segunda S. Casimiro Re Audiencia do J. de Dircito da a. Tara (Te manh:
5 Terca S. Theolilo R. Re. de manh e aud. do J. de D. da i. vara de manh.
6" Qua'rta S. Oiltgario B. Sesslo da Thesouraria P.
7 Quinta S. 1 homar d'Aquino Doutor. RelacSoeaud. do J. de D. da a. Tara de manh:
8 Sexta S. Joo de Dos Fundador. Ses. da T. eaud. da J. de D. da i. v. de m. Quari. m.
as 11 lior. e 9 minutos da manh.
9 Sabbado S. Francisca Romana Viuva. Re. de manh. e aud. do V. G. de t. em Olinda
10 Domingo 4. da Quaresma. S. Melitio. e 39 Com. Mm.
Mar ebeia para o dia 8 de Marco.
As 10 horas e 54 minutosjda manh. As 11 horas e 18 minutos da tarde."
UiMI F
PERNAMBUCO.
ConfinuacaG da Falla com que o Ex.
Sur. Francisco do Reg Barros, Presi-
dente fiesta Provincia, abri a Assem-
blea Legislativa Provincial no dia pri-
oieirc de Marco do corrente auno
Polica e Forca Publica.
Prefecturas.
A indlituico dos Prefei tos, creada pla
Lei Provincial de i4 de Abril de i83ti,
I continua a preslar Servcos a ordem pu-
blica e a seguranca individual dos Cida-
daos em consequencia da maisartiva po-
lica que iiitroduzio na Provincia, e da
prevencio e repressio dos dectos, que
della resulta ; mas precisa ter dorigida de
bum modo uniforme. A Presidencia tra-
balha em organisar hum R*-gulamento,
que conten ha as divertas ordena, que se
derio aos Prefeiloa e todas as mais dis-
posices 1 que a experiencia tem mostrado
dignas de ser adoptadas.
A necessidade de estabelecer-se huma
rasoavel gratificaco ou qualquer outra
vantag'-m aos Sub Piefeitos, eCommissari-
os de Polica como ja tive a honra de
propor-vos em outra occasiio, he geral-
mento reconbecida, e torna-secada vez ma-
is urgente ; e vossa prespicaca e sabe-
dona nSo escapara' que esta vantagem
dar' a Administracio maior facilidade para
encontrar Cidados, que querio encarre-
gar-se do onusdetaes lugares, e tenhio
a precisas qualidades para bem exercel-os.
A Presidencia pelo rrgulainento de ao de
Fevereirodesteanno marcou, em compri-
men lo da Lei Provincial numero 59 os ves-
tiarios dos diversos Empregadus da Policia,
em relacio a ordem jerarchica.
so tr maior numero de officians para os
Destacamentos das Comarcas ; e redur. a
Oorapanhia de Cavallara 27 Prscas pa-
ra as deligencias rpidas da Policia addi-
das a 6. Companhia de Infantera visto
nao ser posfvel tirar della uleis resultados,
tanto fel deficuldade de obter e conservar
bons Cavallos, como por nao eslarem os
seus servicos em proporces com a des-
Corpo de Policia.
Este Corpo continua tambem a prehen-
cher com vantagem as suas f'unccei 5 e pela
regulandade e desciplina, em que ocon-
sw.va o seu digno Com man dan te e mais
omciaes merece todo o Elogio e con-
banca do Governo. Deveudo o seu estado
completo ser de ?3a Prscas, acha-se pre-
sentemente com tito, destiibuidas pelas
Comarcas da Provincia, como veris do
mappa junto sob'n. 1.
Teno poiem cessado as imperiosas cir-
cunstancias, que me impelirlo a pedir-vos
10 augmento da Forca Policial, durante o
iQixeule anno financeiro ; reconheceiido a
neeessidade de economisai- os dmhejros
Provmcises em certos objectos do servico
Publico, a flm de os appbcar a outros ma
importantes ; e existindo presentemente
na Provincia maior forsa de primeira tinha
do Exercito : parece-me, que elle pode-
ra ser reduzido a 53ti Pracas no seo esta-
do completo segundo a orgaoisacio do
"""ppa junto soo numero a, o qual eleva
"urca seis Companbias com b3 Pracas
da huma pata maior economa e discipli-
ua do Corpo, tambem porque he preci-
pesa qne occasiona. Por meio desta re-
forma a Forca Policial em vea de....
ig4:oooUi>oo rs. segundo as disposcas da
Lwi Provincial n. 57 de 19 de Abril do an
no pasado despender' somente a quin-
tia de i45:478Uooo rs., como veris do
Orea roen to, que vos aprsenlo sob nume-
ro 3.
Entretanto como pode acontecer que
circunstancias desgracadus imprevistas
demandem o emprego de maior forca e
he conveniente que o Governo Provinci-
al esteja prevenido para elle com aothori-
sacio legal, julgo acertado o prudente que
na futura Lei deGxacfo da Forca Provin-
cial fixeis o numero de Pracas a que po-
de ser elevado o Corpo de Policia em caso
de necessidade, ou em circunstancias ex-
traordinarias.
Guarda Nacional.
A forca, de que se compoem actual*
mente a Guarda Nacional, he quase a
mesro existente no lempo, em qne tos
apresentei o met passsado Relatorio. Au-
gmentou o numero dos Bitalhes por
terem sidos elevados nteiros os meios Ba-
talbes de Maribeca e Ipojuca, perten-
centes ao Municipio do Cabo, e deminu-
io o dos Commandos Superiores p >r me
parecer que a existencia de hum nao se
compadeca com a letra da Lei de 18 de
Agostos de i83i, que regula a Guarda Na-
cional no Imperio.
A instrueco dos Corpos dos Municipios
do Recife e Olinda acha-se bastante adi-
antada pelo cuidado, zelo, e aetividade dos
respectivos chefes, eporeffeito natural da
emulacfo, que tem os Guardas Naeionaes
de hum acerca de outros BatalhSes ; mas
a dos Corpos de fora continua no mesmo
estado de atrasa, visto subsistiris ainda as
mesmas cautas, que mencione! no mea pss-
sado Relatorio, e talvez por roe ter sido
preciso faser recolher aos seos Corpos os
officiaes de primeira linba de servico activo,
que servio de.Instructores a fim de que
se cumprisse a disposicio da Lei Geral n.
4 qua i manda empregar na Instruc-
co us omciaes de primeira linha Refor
mados ou de milicias, que vencem sol-
do.
A Guarda Nacional tem merecido, e con-
tina a merecer do Governo toda a atten-
co. Assim para evitar os inconvenientes
e irregularidades, que tem apparecido as
Propostas dos Omciaes para preencher os
Postos vagos, expedio a Piesidencia as
Instrucces de i4 de Setembro do anno
passado: e como tinba apparecido ns ve-
zes conflictos entre diveisos Commaudantes
aceres de Guardas Naeionaes nomeados Of-
ficiaes que alguns dos mesmos Comman-
dantes quera facer punir por fallas cora-
mettidas anteriormente fora tambem pu-
blicadas as Instrucces de 18 de Junlio do
mesmo anno determinando, que se nio
passasse Patente Oficial algum na Secre-
taria do Governo, sem que elle aprsenlas
se folha corrida, e altestacf o de nio lia ver
commettido faltas no Servico dos respecti-
vos Corpos pelas quaes se Ibe deva impr
algum castigo. Finalmente pela Portara
de 11 de Outubro do sobredi. anno mar-
cou-se o praso dentro do qual deveriaS os
Omciaes tirar as suss Patentes sob pena
de perder em os Postos ; e determinou-se
que em quanto o nio Gzessem nio po-
dessem entrar no gozo e exercicio dos Pos-
tos para que fora nomeados nem azar
dos correspondentes destinctivos, honras
etc.
A experiencia tem mostrado, que a for-
ma de qualinear os Guardas Naeionaes, a-
doptada pela Lei Provincial de i4 de Abril
dei8.iti, nio he a mais eficaz para obter
as garautias que devem oilerecer os qua
lineados, pois que muitos o tem sido sem
os qaisitos legaes; e nio obstante o recur-
so marcado na citada Lei huns se copser-
vb por falta de meios para uzarem d'elle ,
e outros com vistas de florero escuzos do
recrulamcnto. Parece pois, que seria a-
certado restabeb-cer o modo de qualGcar
prescrito na Lei de 18 de Agosto de i83i,
ou determinar outro, que jalgardos mais
proficuo.
Conatituindo a Guarda Nacional huma
parte essencial da Fot es Publica nos termos
do Art. i45 da Constitoicio, pois que a
sua Organisucio e disciplina pertence ao
Governo Geral, como declaran as Instruc-
ces que acompanhra o Decreto de g
de Dezembro de. i835 ; e devendo ser
feitas custa da Naci todas as despezas,
que a mesma Guarda exige, segundo deter-
mina o Art. 76 da Lei da 18 de Agosto de
l83i ; parece-me, Sis., que se tem feito
recalar sobre a Provincia huma nfo peque-
a despeza pelo modo porque foi entendida
entre nos a mencionada Lei. IN ao me cons-
ta, que alguma outra haja, que mande
passar para as Provincias as despezas cuit,
os Cornetas, Ciaras, e Trombetas da
Guarda Nacional respectiva; e tendo pr-
senles as Leis de multas das Provincias
principaes do Imperio vejo que ellas ne-
nltuma quautia tem consignado para o pa-
gamento dos Sidos d'aquellas Pracas. Em
consequencia pois das rases expostas, que
sujeito vossa consitleracio parece me
que poder-se-bia evitar toda a despeza que
actualmente fazemos com a Guaida Nacio-
nal da Provincia destinando-a para outros
objectos de interesse meramente Provincial.
Nio obstante, poim, esta sninhaopiniio,
fiz contemplar no Oicam nto as quantias ,
que segundo as Leis l'rovinciaes me pa-
recer oecessaras Guarda Nacional, no
caso de coutiuuardes a dar as Leis a mesma
inlelligencta al boje seguida entre nos.
do Governo Provincial tem dado os Viga-
ros das Fregueziss scha se a maior parte
das Igrejas Matrizes em estado de ruinas,
por aerem hoje raras as esmolas com quo
uutr'ora a piedade dos Geis concoma para
a sua ediGcaco e reparo. Conhecendo que
as Rendss Provincaes, pela sua escassez ,
nao chegava para os indispensaveis concer-
tos das CapelUs mores dessas Matrizes, e
que era conveniente evitar quanto antes a
inteira destruicio dos nossos Templos, e o
anniquillamento de hum dos meios mais
sensiveis empregados para excitar a practi-
ca dos deveres religiosos derigi em Abril
do anno passado circulares todos os Paro-
chos as quaes os encarregava- de agen-
ciar huma subscripcao entre os seus Fre-
guezes para reparos das I{',rejas ; mas seja
por falta de deligencia desses Empregados ,
ou por se terem recusado osFieguezes,
e poucos enviara a lista de algumas di-
minutas subscripces.
Da mesma sorto senlem as Igrejas Matri-
zes em geral grande falta dos Ornamentos ,
alfaias e utencis necessarios para celebracio
dos Sacramentos Oficios Divinos, e mais
Actos Religiosos. *
Os baos das Matrizes e Gipellss Fliaes
sao em geral pessimamente administrados ,
c d'dqui resulta, que os seus rendimentos
sejad pooco avultados e nao cheguem pa-
ra as indispensaveis despezas a que esto
aflectos. Os Juizes das CapelUs tem nisto
grande culpa, pois ou nio toroa contas
aos Administradores r Irmandades ouas
veem com grande indiflensMica.
Das 49 Freguezas da Provincia acha-se
providas com Parocbos Collados somente
4a e as oatms com Encommendados. Pa-
rece-me que o numero de Sacerdotes ex-
istentes na Provincia nio be suficiente pa-
ra as necssidades do Culto : Fregueziss
ha que nao tem mais, do que o Parocho ;
e nestas circunstancias he impossivel que
elle por si somente possa satisfazer curopri-
damente os deveres de seo sagrado Ministe-
rio. Para vosso conhecimento aqui vosa-
presento hum mappa de todos os Padres
existentes em 3a Freguezas, com declara-
cao dos que sao Vigarios, Coadjutores,
Admiuistradores de Capellas, ou simplices
Sacerdotes,
(Continua.)
Culto Publico.
Segundo as informacos que por ot (km
ASSEMBLEA. LEGISLATIVA PROVIN-
CIAL.
Acta da 4. Sesslo ordinaria da Assemblea
Legislativa Provincial em 5 de Marco
de 1839.
Presidencia do Snr. Maciel Monteiio.
Feita a chamada e achando se presentes
aq Snrs. Deputados, faltando com csuza
prtecipade os Snrs. Manoel Cavalcant, o
Doutor Cintra o Snr. Presidente abri
a Sessio e lida e approvada a Acta da an-
tecedente, deu conta o Snr. 1. Secretaria
de expediente : bum requerimento dos ha-
bitantes da Freguesit de Uiseiros pedindo


*
T^
Mili
--------V*
O D

II A. M BUG
O
a criaco da huma Comarca naquelle lugar;
Commissio da Estatistica. Outro de Joze
Chritpim d'Assumpcio pedindo ser admi -
tido a matricula d'Aula de Francesa deata
Cdade ; Commissio de Instruccio pu
blica.
i. parte da ordera do dia.
JFoi lido hum projecto off-recido pelo
Sur. Deputado Lope Gama dispondo que
nenhutn Depotado Provincial durante a
Legislatura foise prvido em Empregos
Provincit'es ; foi julgado objecto dn delibe-
racfo e mandou-se imprimir. Foi tam-
bera lido eapprovadoo Parecer da Comis
sao de Negocios daa Cmaras .indiffirindo
o Requermeuto do Secretario di Cmara
Municipal da Olinda em que pedia appro-
vaco do ordenado que Ibe foi dado pela
mesma Cmara. O Snr. Mello requereo
que na Acta se declarasse que votara con-
tra.
3. parte da ordem do dia.
- Entrou em discussio o Artigo 5. do pro
jecto n. 19 de 1837 e foi regeitada fiean-
do tambem prejudicada a emenda segu ri-
le do Snr. Vleira 5 accrescente-se depois
da palavra Providenciara' Chamando
meimo os Subititutos das Cadeiras mais vi-
ainhta que estiverem desocupadas. Houve
Mugar a primeira discussio doprojeclon.
15 de 1838 o Snr. Lopes Gama mandou
a mesa o seguinte requerimento Reqaeiro
que o Projerto em discussio teja remettt-
do a Commissio de Negocios Ecclesisst-
coa," a fim de orgaoisar outro que posaa
aanar os males da m administrado actual
da Santa Cata da Misericordia foi appro-
vado, assim como est'ootro additivo do Sr.
Monte ; Que se addicione a Commissio
Ecclesiastica de que se trata no requeri-
mento do Snr. Lopes Gama, Commissio
de Legislacio. Seguio-se a primeira dis-
cussio do projecto n. a3 de 1818, que de-
pois de alguma discussio, foi aprovado.
Entrando consecutivamente em segunda
discussio oa projeclos na. 5 de 18^7 e 4 d
i838 5 foi este approvado e aquella regen-
tado. Em segunda discussio foi tambero
regeitado o projecto numero 10 de l8'38
e entrando finalmente em primeira discus-
sio o projecto numero 22 do roesmo an-
uo requereo o seu Autor o addiamento at
que se tratasse do requerimento dos Hab*
tantea deBiserros pedindo a criacio de urna
Comarca naquelle lugar, apoiado o adi-
amento, ficou a discussio addiada pela ho-
ra. O Sor. Presidente levantou a Sessa
dando para ordem do dia a m< sma designa-
da na antecedente Sessio?
Tbomaz Antonio Maciel Monteiro,
Presidente.
Antonio da Costa Reg Monteiro,
1. Secretario.
Joze Tbomanajiabuco de Araujo Jnior,
a. Secretario interino.
EXPEDIENTE DA ASSEMBLEA.
Illm. Snr. Tendo a Assemblea Le-
gislativa Provincial, approvado o parecer
da Commissio de conlas e orcamentos das
Cmaras Municipaes dado sobre a lepre-
sentacio da Cmara de Nazareth manda
remetel-o a V. S. para farel-o presente ao
Exm. Snr. Presidente da Provincia a fim
de dar aa auaa ordena a respeito.
Deoa Guarde a V. S. Secretaria da Aa-
sembles Legislativa Provincial de Pernam-
buco 6 de Marco de 1839. Illm. Snr. Je-
rnimo Martinianu Figueira de Mello, Se-
cretario da Provincia. Antonio da Costa
Reg Monteiro 1. xcretatio.
Illm. Snr. -- A Assemblea Legislativa
Provincial tendo approvado o parecer por
copia incluso da Commissio de Coritas
Orcamentos das Cmaras Municipaes, dado
sobre o requerimento que acorapaoha o do
Secretario da Cmara de Olinda Joze Joa-
quim de Figueredo ; manda enviar a V. S.
para levar ao conbeciment do Exm. Snr.
Presidente, da Provincia a fim de ser remet-
lido a mencionada Cmara.
Dos Guarde a V. S.. Secretaria da As-
semblea Legislativa Provincial de Pernam-
buco 6 de Marco de 1839. Illm. Snr.
GOVERNO DA PR0Vtifej6fc\*
Expediente do dia 5 de Marco da l83g.
Officio Ao Inspector GereJ das Obras
Publicas communicando-Ibe em resposta
ao seo officio de i3 do prximo passado
mez que visto naS declarar o art. 11 do
Regularnento do 1. de Setembro de i838
quera dt-ve substituir ao Inspector das Bar-
reiras quando semanalmente vfejr entregar
a importancia da laxa cobrada na Semana
antecedente e nao ser justo obrigaf o a
depozitar a sua confian*;* em algom dos
soldados, ficandoassim sbsolvtda a sua
responsabelidade com repelidas ausencias;
deve a mencionada importancia sercondu-
zida a AdminislracaS Fiscal por umdos!
soldados as mesmas Barrers acomna-
nhado de urna guia e da respectivas fo-'
ihas diarias, em quantoo contrarionio for
determinado.
Dito Ao Admistrador Fiscal das Obrar
Publicas, commuoicando-lhe o contaudo
no precedente officio.
Portara Ao Commandante do lirigue
Cnnstaoca Ordenando-Ibe que largue pa
ra a Parabiba no da 6 do crrante afim
de transportar os recrutas que ali ae a-
cbarem promptos, ejudo o mais que Ibe
for remettido pelo Exm. Presidente respe
ctivo.
Expediente do dia 6.
Officio Ao Commandante das Armas ,
para mandar retirar a Guarda que foi man
dada postar no lugar do Forte do Bom Je-
zus requisica do Inspector da Thesou
rara em quinto estvesse armada a bomba
para os trabalhos da avalaeaS d'aquelle
Predio visto nao ser mais necessaria a
dita Guarda como pariecipa o dito Inspe-
ctor.
Dito Ao Inspector da Thezouraria en-
viando-lbe um officio do Administrador da
Meza do Consulado pedindo providencias
acerca dos continuados engaes as tara*
daa ciixss de atsucar que ae encontrad n
acto do peso das mesmas a fim de qua
baja de dar o seo parecer sobre as pro-
videncias que devem ser applicadas para
obstar aos inconvenientes de que trata o
referido Administrador.
Dito Aomesmopara mandar saptis-
faser os Prets do Destacamento Policial da
Comarca do Brejo dos meses de Marco cr-
rante Abril e Ma futuros orno re-
quisita o Commandante Geral do Corpo de
Polica pela difficnldade de se faser a re
messa dos sidos mensalmente.
Dito Ao Commandante Geral do Cor-
po de Polica communcando-Ihe a exp>-
dicad da ordem aapra.
Dito-. Ao Inspector do Arsenal de Via-
rinha responriendo-the que tendo a
Prezidencia aubmetlido a approvaca do
Governo imperial o Regularnento para os
Praticos da Parra organisado pelo Cap-
la de Fragata Antonio Pedro de Carra-
Iho ; nio pode a mesma Presidencia man-
dal-o por em execuca interinamente como
requizita em seo officio de ao de Fevereiro
ultimo ,' antes que chegue a Imperial de-
cizi. *
Dito Ao Inspector GeVal das Obras
Publicas, communicando Ibe qne repre-
zenttnde o Director do Arsenal de Guerra
que a*5 tem podido sattsfaser a altirna re-
quizicu do mesmo Inspector para as obras
dos Quarteis e Fortalesas, por nio ba ver
pessoa que prontamente receba os gneros
e materna rrquisitados como acontecen
com a remessa que fez de urna canoa de
areia que gastou doos das para ser des-
carregada e de urna outra canoa de cal ,
que nao" houve que.m a recebesse e com o
taboado que se acha pronto a espera de
condcelo ; alen da difficuldade que o
Inspector acha em receber por inteiro as
requisicoens por falta de Armasen* e Fi-
ateriaes palo Araenal de Guerra com os
documentos legaiUidos.
Dito- Ao Director do Arsenal de Guer-
ra communicando-be todo o conteodo
nos dea antecedente officios.
Dita Ao aaoeejo devolvendo-lhe o
requerimento do a. Sargento Ignacio de
Santiago Dias que remelteo com o seo <>f
ficode I7 de Fevereiro ultimo a fim de
que Ibe delira oomo for dejstica, avista
do offeip da Presidencia de ao do referi-
do mez no qaa! ae Ihe declarou que o Sup-
pticante s poderia continuar a servir na
Companhia de Artfices faaendo novo en-
gajameoto.
Portara Nomesndo ao CidadaS Joze
Thomaz de Olveira para o Cargo de Sub
I'referi da Freguesia de Taquaritinga.
Officio A o Prefeito da Comarca do
Lmoeiro communicando Ihe a Nomeacao
supra e enviando-lhe o Titulo do Nome-
ado afim de o faser entrar em exerccio.
Dito A Cmara Municipal do Recife
res pon den do ao seo officio de i3 de De-
zembro do anno passado pedindo que a
Presidencia approvas-e interinamente as
Posturas addicionnes que havh remetti-
do a Sanecia da Assemblea Legislativa
Provincial ; que achaodo-ae reunida a
mesma Assemblea deve esperar pela deci-
xa desta sob'e as mesmas Postaras.
Dita Do Secretar io da Provincia ao
da A.-sembiea Legislativa Provincial en-
viando-lhe para eerem aposentadas a mes-
ma Assemblea as Postaras das Cmaras
Municipaes de Santo AntaS Boa-vista,
Bonito e Goianna.
sa requistasse a viada deste soldado para
ser dimitlido e restituido ao seio de sua
familia
Portara Ao Commandante interino
do 4. Corpo de Artilhera mandando
em virtude de despacho do Exm. Seahor
Presidente dar demicad ao soldado Ca-
lixto Joa Damaceno, filho de Joa Dama-
ceno por estar segundo as Instruccoerjj
de 10 de Julho de 18a a izempto do re.
cr uta ment.
THEZOURARIA DA PROVINCIA.
Expediente do dia 5 de Marco de i83q.
Officio Ao Exm. Sor. Presidente di
Provincia partecipando nio ser mais preci-
za a Guarda militar requisitada em officio
de a5 de fevereiro p. p. para o lugar
do Forte do Bom Jrzus.
Portara Ao Thesoureiro da Faseodi
mandando acceitar e p-gar no dia do ven-
cimento huma Letra de 3:5oo' reis taca-
da pelo Tbesouro Publico Nacional a favor
de Joaquim de Sauza Pinto.
Dita A dito mandando aceitar e pa-
gar no dia do vencimento outra Letra de
i:5oos reis sacada tambem pelo Tbesouro
Publico favor de Manoel Ignacio de Ol-
veira.
Expediente do dia 6.
COM MAN DO DAS ARMAS.
Expediente do dia 4 de Marco de 1839.
eis ; tem nesta data a Presidencia ordena-
do ao Administrador Fiscal das Obras Pu
blicas que feca o fornecimenio preciso para
as ditas obras dos Quarteis exigindo do
referido Director a importancia da des pesa
com oa documentos devidamenta legalisa-
dos.
Dito Ao Administrador Fiscal das
Obras Publicas, ordenando qne de hora
Jernimo Martiniano Figueira de Mello I em diaate mande fornecer os materiaes
Secretario da Provincia. Antonio da I precisos para as obraa dos Quarteis e For- I micio o soldado Manoel DoaainguesJ
CosU Aego Monteiro, 1. Secretario. talezas exigindo o pagamento dos ditos J S. Exc. praticaria um acto de husaanidade,
Officio Ao Exm. Presidente, devol-
vendo-lhe o requerimento de D. Antonia
Izabel Carneiro da Caribe, e de saas ir-
mias que a S. M O I. sapphcavsGa con-
cercaS de urna Pencan com que se podes-
sera honesta man te rmnler em remaneracio
dos servicos relevantes prestados por seo
bis-Av o Mestre de Campo, e Governa-
dor da Parabiba Antonio Bnrges ds Fon-
ceca de seo Avo o Coronel Goveroador do
Cear Antonio Joan Victoriano Borgs da
Fonceca e finalmente de seo Pai o Sar-
gento-asor das Ordenancas da Villa de I.
guarac Joa Carneiro da Conba legados
em favor daa Pretendentes, e informando
que as Supplicantes provavio satiafatori-
amente quantoem seo favor allegavaS e
que pelaa circunstancias em qae se acha-
vio deviad merecer a Conteosplacafi do
Governo Imperial.
Dito AoaseamoExa. Snr., derol-
vendo-Uie o requerimento de Francisco Go-
mes Feit< za que pedia demicad para seo
filho Eogeneo Gomes Feitosa, e infor
mando qae esto seo filho assentara praca
ao Deposito a aa de Agosto*do anno pre-
trito, e qae sol.* de Setemhro fisers
passagem para o 4 Corpo d'At tilheria ,
ende servia cora boa conducta qae Pran-
ciaco Ignacio d'Assis outro filho do Sup-
plicante elistou-ae velutariamante no re-
ferido 4. Corpo a 10 de Mareo de t836
e expaotaneamente marchara para o Rio
Grande do Sol em Outubro do seguate
anno e finalmente que a pretencaS do
Supplicante Ihe pareca attendivel em fa-
ce do qae allega va.
Dito Aa mesmo Exm. Sor. devol-
vendo-lhe o requerimento, qne Rosa Ma-
ra da Coaceica encaminhava a S. M. I.
pedindo demica para seo filho Manoel
Domingues de Santa Anna, soldado do 1.
Batalhio Expedicionario do Rio Grande
doSul, e significando-lha qae em 19
do mez passado bavia informado um igual
requerimento a S Exe. derigido e que
na informacio dicera que o soldado Do-
mingues bavia seguido pouco pareo Rio
de Janeiro com a 3. Companhi.. do refer
do Batalhio e que sua pretencio era tan-
to mais de jas iei quanto outro seo filho
de nome Tertuliano Domingues de Suta
Anna assentara praca sob condiccio de ser
o pnmeiro dimittido, marchara para Cara-
paaha ultima da Babia e nella sendo fe-
rido tornara-ae envalido e que finalmen-
te ae nio podendo verificar por aqai a de- (
Officio Ao Exm. Presidente da Pro-
vincia partecipando o falbicimeoto do So-
licitador da Faaenda Jos Ribeiro do Ama-
ral afim dase dignar nomear pessoa que
o substitu em o dito Emprego que sa acha
servindo interinamente Jos Ribeiro do
Amaral filho do mesmo fallecido com no-
meaca5 do Juiz de Direito do Civel.
Dito Ao Commandante das Armas ,
para expedir as suas ordena a fim de ser
feito pelo respectivo Corpo nos sidos do
soldado de Primeira Linha Manoel Rodri-
gues Cajueiro o descont da quantia de 8$'
rs. que se pagou a quera o prendeo na
Provincia daa Alagoas como desortor.
Dito Ao Inspector da Thesouraria da
Provincia das Alagoas partecipando a ex-
pedica do precedente officio em cont-
quencia do q'dangio em data de 9 da Feve-
reiro ultimo.
Dito A Cmara Municipal da Cda-
de de Olinda para mandar tomar corita da
casa do seu Patrimonio em que eslava coi*
locada a Mesa do Consulado e receber as
chaves na mesma Thesouraria.
Portara Ao Thesoureiro ds Fasendi
msodando pagar ao Depatado por esta Pro-
vincia a Assemblea Geral Legislativa o
Dr. Urbano Sabino Pessoa de Mello, s
quantia de 900^ rs. importancia d'ajuda
de casto para o seu transporte Corte do
Rio do Janeiro a fim de tomar assento
na mesma Assemblea.
Dita Ao Eocarregado da Contabilidt-
de Militar partecipando a expediccio do
olhcio ao Commandante das Armas ptrs o
descont nos sidos do soldado de Primei-
ra Liaba Manoel Rodrigues Cajueiro ds
quantia de reis, qae pela Faaenda Pu-
blica foi paga, na Provincia das Alagoas ,
a quem o prenden por se achar deser-
tor.
.
Diversas Repartitjoens.
MEZA DO CONSULADO.
Pauta do Proco corrente do assucar, o al*
godio, a mais gneros, qae se despa-
chad na meza do consulado de Per*
nambeo, na semana de 7 a 13 do mez
de Marco de 1839.
Ass. B. N. 1. sorte..........
t >'
n 3- >
i5oo ,, '4* M
t >
6. ,,
1. SO!
a. !
Ass. M. N.
......
......
1,100
Algodo
>
>
aU8oo
a70o
2U600
aU45
aU3oo
ai5o
,U6oo
iU5oo
1.
a.
3.
sorte

6V00
513900
Jos Mara Cesar de Amsral.
Joio Francisco Duarte.
Feitores e conferentes.
_


DIARIO DE PE UNA M BUCO
CORREIO.
O Brigae Fama do Doaro recebe a mil-
la pira o Porto boje pelas 11 horas di
machia.
PRBFEITURA.
Parte do dia 7 de Marco de 1839.
llltn. e Eam. Sor. Das parles boje
resebidas n'esta Secretaria tmenla consta
que fora presos hornera a amiba orden ,
e ti vario boje destino : Francisco da
Silva Vieira brinco pela 1. patrolha do
distrieto da Madre de Dos por andar ebrio;
e Mnoel Eugenio do Patrocinio, tambem
brinco per um solaado de Polica por
haver dado humas beogaladas em hum su-
gsilo.
Partecipo V. Exo que hontem pelas
7 horas da noite junto ponte dos Affo
gados daquera foi easassnado com hum
tiro, o eme puohalada o s ddado d'Arti
fice Ignacio de tai por dois individuos,
que no dito lugar estarlo d'emboscada e
Iqiio vistas pelo Sub-Prefeito da Fre
zia dos Aff >gados, que tambem
dito tiro ; pois que elle para alli se havia
dirigido com sua familia i tomar tresco ,
sem que com tudo os podesse cinhecer por
terem logo desaparecido dexando encre-
vsda na cadver do dito soldado urna faca
de poma ; de que se procedeo Auto de
vistura) eque se fica na deligencia de
descubrir quera f'or j os aulhores de ae-
melhante atrocidade.
Dos Guarde a V. Exc. Prefetura da
Comarca do Recife 7 de Marco de
18JI9. Ilion, e Kxm. Sr- Francisco do Re-
g Barros Presidente da Provincia.
Francisco Antonio de Si Barreto Pre-
feito da Comarca.
ue-
ouvio o
Rio Grande t5 da Dezembro.
Entrou do Rio de Janeiro tendo viodo
porS. Catharina umi barca de vapor pa-
ra o servico da legalidade.
1
aa de Dezembro.
O inimigo parece tentar algum taque
sobre a v||a do Norte em consequencia
do que o Sr. Brigadeiro Pita maudou se-
guir para ali o batalhio provisorio deta ci-
dade, afimde guaraece-la.
(Mercantil.)
a8 de Dezembro.
Os rebeldes tinha em vista atacar este
mes por Santa Thereza com as cavallaras ,
e accommelter ao mesmo lempo p*lo S.
Goncalo com as infanteras e artilheria ;
mas tal tem aido a divisfo entre elles que
abortn o plano, *., segando cartas de di-
versos pontos do Estado Oriental estio
por tal modo divididos que be impossivel a
reconcilecfo. Accrece que parece que
Fi neto se desamuou a nosso favor, por
tanto julgo que temos seguro o terreno de
que estamos de pos&e.
(Carta particular.)
31 de Dezembro.
TRIBUNAL DOS JURADOS.
Sesn5 do dia 6 de Marco de 1839.
Jury de Sentenca.
de Mara Joaquina Ferreira
, contra Joaquim de Souza
Denuncia
dos Santos
Coute por crime de bofetada; foi coudem-
nado em 60 das de przao.
Sumario ex oficio contra Manoel do
Naacimento de Jess por crime de con
tuzoens contra Antonio Manoel da Con-
ceic*5 foi condernnado em 3o diss de
prisad.
S. PEDRO DO SUL.
Qoartel General em Porto Alegre,
Dezembro dei 838.
Ordem do dia.
ide
Com jubilo recebeo o presidente e cem-
mandante dae armas d< sla provincia a par-
ticipaco oficial do sr. marechal de campo
com man da me desta guernicio, de que
mandan Jo sabir com 3oo horneas o sr. me-
jor Francisco Pedro de Abroo com o 6m
de resgatar na fregoezia de Santo Amaro o
filustre e bravo sargento mor commandante
do oerpo d eriilbaria a ca vello, o sr. Lopo
de Almeida Henriques Botelho e Mello,
que ali se achure preso deo cbnta desta
honrosa commiesio com o mesmo bro a
galbsrdiacom quu sera pro se coadux em
arriscados conflictos : re.-giudo de ficto o
dito sargento mor d'artilbaria que faz um
dos ai el h ores ornamentos da nosso e xercilo
e aprisionando um tenente e nm sai gento
dos rebeldes e tomando alguna cavalloa,
nao coiisentio o telo do Sr. Francisco Pe-
dro de Abreo limitar a islo seu servico ;
entio elle atravessa o rio Jacuhy o afugen
tando algumas partidas dos rebeldes entra
na picada inclume tr-zendo loo cavados
bons e 4oo rezes de corte, com que muito
Mtisfez os lenes habitantes desta cidsde,
que necessitava de tal soccorro.
Alem do eximio servico do dito Sr. msjor
Abreo, tornar no se dignos de elogios os
Srs. capities de cegadoras Baceltar e Kera-
"ogeos de cavellaria Srs. Merienno, Vc-
tor e Manoel Beato, bem como todas ss
demais pracas que forman ests pequea
expedico, a qil,l foi coadjuveda pela nos.
H prestante merinba. Antonio Eliziario
de Miranda e Brito.
Fat hoja 27 das que nio temos noti-
cias de Porto Alegre : o comboi est vis-
ta mas creo que nio vira a teas no para
I he dar noticias. Os rebeldes andad muito
desunidos 1 e intriga lavra com forca por
entre elles. Havia-se combinado hum pla-
no para que dous bstalboes procUmasiem
urna rscelo entre elles no dia 94 do cor-
rente : este plano, porem, ficou desgra-
cadamente malogrado, pela traiclo de um
doi soldados. ConfessaS, comtudo, os re-
beldes que logo que as forcs imperiaes en-
trera en campan ha, a deiercio aera geral.
As forcea do gnverno deete lado de S
Goocalo nos differeotes acampamentos ,
pesceo de 4 eoo homene bem equipados e
con bons officiaes. R*anir-ee-lhea-he em
meado de Janeiro o b'igedero Caldern
com 800 borne ni de carallaria os quaes ,
iuutos com o 8 beblhlo de 600 homens,
formars um corpo respe tevel para entrar
ero campanha.
Nestas forcee nio vio incluidla as tropas
estacionadas em Porto Alegre, Rio Gran-
de do Norte e Sal, oem ce reforcos que
vamos recebendo todos os das. No dia
a5 i eutrou nove expedico de 310 homens
da Babia. Em summa oa nossoa negocios
aprsenla*) favoravel aspecto.
P. S. As uoicas noticias que traz o com-
boi de Porto Alegre he qae as forcas impe-
riaes tinha feito duae sortdss voltando
com gado, etc. Nada ha va occorrido da
importancia. (Id.)
(Do Correio Mercantil.)
do a forca moral e disciplina qae tanto
Ihe be mister, pare em opportuna occisifo
dar o golpe decisivo sobre os rebeldes.
(Compelo.)
Rio Grande 8 de Janeiro.
Ne campanha ha muita gente legalista e
< esperaS que saia campo UBI forca rea.
peitevcl para se Ihe reunir. Dizeen que
ea rebeldes vio mudar a aua capital de i
ratinim pera Casis pi va por ser este um
ponto, onde mais (acilmante podem defen-
der- e. Tem de gio a 1,000 homeos de
infantina e 3 e 3,5oo de civallara ao todo
de 4,5)o a 5,000 homens do msximo, e es-
te total dividido em 3 classes; 1 s que
est ali por vontade } a., a que est forca
de circunstancias ; e 3. a que est por de-
fender interesses. Comtndo nio deve sa-
bir o nosso exercito com meaos de 6 mil
horneas, bem commandados e com boa
disciplina; porque elles pretendes fazer
guerra de recurso o que ja* principiaras ,
levantando os gados ao norte de S Gonc
lo, para quando o exercite tenha de pae-
ser ter de obter do Estado Oriei tal o ga-
do necessaro. ..
Consta que Bento Goncalves est bastan
te incommodado.
,' (Jornal do Commerco.)
Correspo ndencias.
Srs. Rededores. Hoje fizenS se ne I-
greje do Corpo Santo oa ltimos eofiVegios
pele elme de hume infeliz Senhore que
morreo, au para melhor diter que foi
morta por hum Cirurgifo de oome Miguel
Jos Rodrigues que se intitule perteiro de
nome o quel teodo sido chamado pera ai
sistir ao parto da aesma Senbora decla-
ren depoi* de ter feito auas observarles
que nio achava perigo algum, antes pelo
conirar;o que ludo annuocieva hum porto
feliz tanto porque a creanca *awa ba
posicao appreseotendo a eabeca raoi vie;-
velmente, como porque sendo a Senhore
robusta, nio havia rec io de que Ihe fal-
teasem forcee para expel a.
O tal professor porem em res d'animer
eSenfcore, ou em pregar os meios d'arte
para facilitar o parto, d-lhe huma sao
griaaem que boarease o menor simptoma
de Himorrogie e en vez Jo dar-lha em
hum dos pea (como so Ihe disse) aplica Iba
a hum braco'! E quel foi o resoltado?
ob dor! oh magoa oh triste humanidede
que tantas rezea vctima do Charlelans-
5
dirjase a ra Nova D. 8a, a falar com
seo dono Miguel Bernardo Quntero.
Quem tver para alugar boma caza
terrea com quintal e cacimba no bairro
de Santo Antonio ou no da Boavista que
oo seja muito retirada quera annunciar,
oudirgr-ae e ru Nove loja de Frederco
Chaves D. 5, que echar com quem tratar
_ Traipassa se o arrrendaoaento de um
sitio muito grsnde pertencente aoSr. Fnn-
cisco Goncilves da Rocha situado na ra
da Soledade, tem a frente toda amurada ,
com casa grande de sobrado a qual tem
commodos para numerosa familia e por-
fi grande independente da entrada do so-
brado o primeiro sobrado do lado de N.
Senbora da Jiolidade paseando o sitio do
Sr. Vieira Cambista ; tem grande baxa
plantada de c*pim muitas larangeiras, ca-
fteiros, mangueiras, cijueiros, e multo
bom pirreiral ele nc tres cacimbas de
agoa de beber muito boe, dois tanques pa-
re lavar roupa e tomar banhos, estriba-
ra e coxeira muito grande : a irater no
mesmo sitio dt> 6 horas da msnbS at as
9, e das 4 da tarde em vante nos diis u-
eis; e Domingos e Dias Santos, lodo o
da em qualquer hore.
D-se at frsenlos mil res a juros
sobre bypofheca em casas livres e desemba-
razadas : ua Boavste ra Velha sobrado
D. 4o.
Urna pessoe que tem os conhecimentos
n< cessarios propoem-se a ensinar primeires
letras com toda a perfecao e cuidado era
seus alumnos todo o pai de familia que se
quera utilisar de seu pi estimo, dirija se a.
ra de Santa Theresa D. i3.
Precisa-ae de allugar huma casa ter-
rea, no Bairro de Santo Antonio e cita
em o 1. a. ou
A sumici China nio Irax do Rio Grande
noticia de importancia. Recebemos o Cam-
pefo de Porto Alegre al a a de Dezembro ,
e urna carta particular de 8 do correte.
Eie o que encontramos que merece ser
traoscriplo.
Porto Alegre aa de Dezembro
Differentes sortidae lera feito as forcea
imperiaes sobre os rebeldes, depois que S.
Exc. o Sr. presidenta da provincia chegou
esta cidade sendo todas coroadss dos
melhores resultados, eonsegundo-se a
grande vaatagem de tornar aguerridos os
nossoa soldados, e de tirar eo inimigo a
forca moni, o que bem deixa ver o j co-
mecerem a se apresenler s authoridadee le-
gaes algans iodividuos que, forcados pelas
circunstancias, acompinhiva aos rebel-
des. Nio poueaa sortidas se tem feito so-
bre os rebeldes, mesmo durante a ausencia
de S. Ex. o Sr. presidente, e todas com
tsnta felicidade que um s soldado legal nao
ficou motto ou prisioneiro o que lorma
bem am contraste singular comparendo-o
com aa sortidas fetas em outros sitios em
quo nios ficava morios soldados leaes,
como valeote officiaes, cuja perda anda
boje lamenta a legalidade. Tanta fortuna
se deve attribuira prudencia e circunspec-
ci dae autboridades que es dirigem e fiel
execncfo das ordens que sao transmitidas
aos seos execntoees.
A aoisa tropa tem gradualmente adquiri-
mo A deenle he accomiaettida mme
dlatamente d'afflictvae ancias, cae Ihe eof-
focaraoo corelo, ipparece o fri, desen-
ele-se a febre e finslmente augmentan-
do-ee cede ves raais seus gemidos e angus-
tias prognoslica ella meema o termo breve
de sus existencia. O bruto dis que era ef-
feilo deelgume bebida, qae tomara, me-
nielra-lbe hum cha porem o prognoatco
ee realisa, e em poucos momentos morro,
eceba seos diae a desventurada Senbora :
e o assassino destas duia innocentes victi-
mas anda diese que Ihe pareca efieto de
huma vertigem .' As eombrae della le
persigi por toda a parle. .aaba
ffastem-se dej os miseros raortMle 1
t llem-se os Pas de fa
rarem sem remedio, cotBi
Ao de quatre filhos, que I
Mi em tenra dede.
ro
f l
ICIU-
ra nloj
ficel I P"
^sanesa nai
LOTERA DO SEMINARIO.
O Reitor do Seminario Episcopal de O-
linde faz scieole aoa amantes da Lotera ,
3ue as rodas da Lotera concedida a fevor
a nstruccio dos Estudantes pobres ende
imprelerivelmente era o dia 18 do corrente
oo Consistorio da Igreja de Noea Seobore
do Rosario.
Avisos Diversos.
_ Precisa-se de a5o,ooo rs. a juros por
lempo de des meses dan do-se dois por cento
ao mez, e boa firma: qaem os quser dsr en-
auDcie.
Quem quieer comprar i6cexilhos de
amarello com aeus competentes vidros que
serrein pata janellas ou armaef o de lja 1
3. destricto ; dao-
de-se alguns meses adiaotados; nesta Tipo
grafie se dir quem a quer.
Quem aonunciou querer comprar es-
crevos robustos : dirije-se ao atierro da
Boa-vista loja de trastee de J. Beptsta Hir-
bster.
_ Encarecidemente neate praca deze-
ja-se falar com os Srs Francisco Joaquim
deOlivera, Jos de Souza, e Domingos
Tolo de Souza, para negocio de seu inte-
resse.
Roga-se ao Snr. V......da R. ,. j
P... que no dia 27 de Novembro de 1838
deixou de ser Caixeiro v qunto antes
justar auas conlas e obrigar se a pagar O
alcance em que deixou a cesa.
O abaxo essignsdo avisa ao respaila-
vel publico que nnguem contrate compra
ou outra qualquer tranzaclo com Manoel
Caetano de Mello sobre um sitio com huma
cssa de pedra, e cal dentro do mesmo no
lugar de Estrade do Bomg; pois o abaixo
aisignado se scha com direto no mesmo ,
e va i entrar em letigio com o di-
to Snr. ecime aub pena de ser nulla qual
quer venda, ou tranzeelo a rogo de Mi-
thias de Cimba. Manoel Josa Pereira
Borges Jnior.
Tendo aparecido oeste Engengo Cru-
sab um moleque bem preto que diz ser
escravo de Bernardo Jos Corroa morador
no Brejo da Madre de Deoa fugira no da
a do correle; por isso avisa a qualquer
Capla do Campo que o aprehender traga
a este Engenbo que ser bem recompensado.
O abaixo assignedo fsz scienle ao rea-.
peitavel publico que no dia 8 do p. p. a-
rtou a sociedade que teve na loja de ma-
(teses de ra do Queimado D. 5 com o Sr.
Antonio Jos Femsndes da Costa e des-
de esse dia ficou a loja por conta do dito
Snr. e de sua iirmi s ficando obrigado 5
pagsr todos os credores da loja os quaes
podem spresentar-lhe suas coalas para so*
rem em boleados da extinta firma de Euze-
bo Piolo i Comp. oo praso de quatrojdias
da data por cujo motivo Ihe fica perteo-
cendo a cobranca e recebimentos dos deve-
dores na mesma loja por isso que estou
inteirado da parte que tinha em dte socie-
dade como consta do recibo que passei a
dito Snr. Coste. Euzebio Pinto.
Na ra do Padre Floriano casa terrea
de urna porta e doas janellas eosina-se
meninas e ler escrever, e contar e to*
das as qualidades de costuras por preco
muito commodo e tambem se recebe mi-
ninas gratuitas que suas mus nio teobio
possessoeos para pagar : as pessoaa que
quiserem podem vir a dita casa que cha.
rio com quem tratar.


TWT
DIARIO DE plRNAHBDGOi
_, O professor de philosQphia do olle-
gios das artes do Cursu Jurdico se o fio rece
dar lices particulares d'aquella faculdade,
os Snrs. que se quiserem utilisar de seu
prest i mo dirijio se a casa de sua residen-
cia emOlinda ra deS. Pedro App., nu-
mero a.
_- A pessoa que'tem ancunciado que-
rer ser feitor de sitio com uns escravos ,
dirija-se a roa dos Quarteis D. a.
_ Precisa-te alugar um andar de sobra-
do as priocipaes ras do bairro de Santo
Antonio para urna grande familia que
vem de seo engenho para esta praca nao
se olba proco : na ra de agoas verdes D -
cima 36 ou annuncie.
_ Aluga-se o armasen debaixo do so-
brado da Senhora D. Izabel Mara Ferrei-
no fundo da loja de Joaqun Gonsalves
Gascio ; qoem o pretender dirija-se a raes-
ma loja na ra da Cadeia n. 45.
OSr. JoioGardm, que est ou es-
tere em casa do Sr. Antonio Rodrigues
Vianoa queira procurar no escriptorio de
Rosal & Braga na ra do Vigirio D. 5
urna carta de sua familia.
__ O abaixo assignado professor de
Botnica e Agricultura partecipa ao res
peitavel publico que principia a sua aula
no mesmo da em que se abrirem as aulas
da Academia do Curso Jurdico tiesta Cida
da ; aquellas pessoasque se quicerem uli-
lisar desta sciencia comprtelo na c.tsa
ronteira aoJardim Botnico para se ma
tricularem. O mesmo professor [se, pro-
poe a dar algumas nocues de anatoma phy
siologio gratuitamente a aquellas|pessi as,
qedesejo entrar no conhecimento de Me-
dicina Legal. Joaquim Jernimo Serpa ,
Professor de Botnica e Acricnllura.
_ Precisa-se de urna ama para engom
' mar cozinhar lavar e todo o ruis ser-
vico de urna casa de pouca familia ; quem
estiver nestas circunstancias annuncie.
luga se um prelo cozmbeiro e faz
o servico diario de uma caa; quem opie-
tender dirija-se a ra Cte liorlas sobrado
D. it.
Prec8a-6e de alugar uma preta ca-
tiva que saiba bem cozinhar inda que se-
ja independente de sabir a ra : na ra
da Cacimba n. 4 na mesma casa vende-su
um cavallo gordo por 6o,ooo.
_ Aluga-se um sitio grande, com miji-
tos arvoredos de i rucios e terreno para
plantacoes com casa de vi venda com ami-
tos commodos coxeira para carrinbo e
mais arranos na estrada do manguind
defronte de S. Jos : a tratar com Mariana
Thereza de Jezus Srqueiru em sua casa na
ra nova defronte do porto.
Aluga-se uma casa litnpa com 6 quar-
tos sendo 3 envidrassados boas sallas ,
coziaha fora e quartos para pretos cu
grande porclo de fazendis variarlas e
bom sortimento de outras limpas, sexta fei-
ra g do corrente pelas lo horas da ma-
nila no arma^m de sua casa nova defron-
te do trapiche novo.-
Que faz o Corretor Oliveira, de uma
grande porcio de livros, principalmente
no idioma ingles e de varios trastes, no
diasahbadog do corrente pelas lo horas
da manh. no i. andar da casa D. 53,
ra da Cruz por cima da loja de miudo-
zasdoSr. Antonio Roberto.
Compras
_ Um cavallo que tenha carregos e em
boas carnes, par viagem e que nao exce-
da o seu preco de 6oi'ooo na ra Oireita
D. 34.
Um* canoa feixsda para' tirar barro ,
que nio seja muito pequea, e anda que
S'-ja uzada ; na ra de agoas verdes sobra-
do D. 3.
_ A obra intitulada Pies Smctarum :
no atierro di Boa vista tenda de sapateiro
defronte do beco do ferreiro.
A obra do Direito Natural por Mar-
tino em latino ; quem (ver annuncie.
_ Umaeicrava ladina sem vicios: na
ra da Cruz n. 60.
Vendas
Por preco mdico um terreno Je
propriedade sito no atierro dos {Togados do
__ Um negro com c-fficio de padeiro de
idade d 24 anuos, em cuja oceupacio ga-
nlia 16,000 mensaes sem vicio de quali-
dade algum e da-se contento ou tro-
ca sr por ti s muleque* de i3 a i5 armes
de idade anda nio sendo muito ladinos :
na ra das larangeiras padaria I) 5 para <>
ver, 'e para o ajusto na ra de Hortas so-
brado junto a Igreja dos Martirios.
_ A venda da ra Di rea* D. i4 com os.
fondos de um cont de rii, a quem der
desobriga de 5oo,ooo, eo resto com grande
espera : a tratar na mesma.
_ Na loja de ene-ademador da praca da
Independencia n. a6 os seguintes livros :
obra completa de Volney {$ v. dita de Hel
vecius 3 v. dita de D'Alembert 5 v. dita
polit da Bignon 4 politique natural ? v.
Blasksten 6 v. Anoaes de Tcito a. Chaver
de Mattos 3 v. historia da Grecia dita Ro-
mana Lira Anacreontici, Payel tragedia,
Epstola de H-loyza a Abaylard poesas
escolbidas passa lempo honesto o mili-
tar perseguido nova Castro herosmo
do amor amor da patria carta de Hloiza
Abaclardo definicio da mulher, con-
fisslo publica por Voltaire t Agotinheda
poema heroi-comieo e muitos ntreme
zes comedias e tragedias.
- Excelente taboado de pjho da sue
ca muito limpo e de todas as grossura
de meiaa 3 polgadas, e por preco muito
commodo, e cams de vento cein muito
boa lona : no armasem atraz do theatio.
_ Umexcellente cva||0 bom carrega-
dor e de bonita figura p0r pn,co C()m.
modo : na cavallance do Sr. Bolo no
co do Bom Jess.
a propiedades de
ar-
cimba e quiutal murado, sita 00 meio do
atierro dos aflogados: a ti atar na ra Di-
reita D. 34.
t Aluga-se o primero andar do sobra*
do D. a3 da ra estrella do Rozario; quem
o pretender dirija-se no segundo andar Uo
mesmo.
Avisos Martimos
PARA O ASSU' a Sumaca Temeridad,
com toda brevidade ; quem quiser carregar
on bir de passagem dirija-se a bordo ou
a Francisco Marques Roungues & Jrtuos,
na roa do Irapiclie n. 1a.
PARA O MAKANH.vO sahr com to-
da brevidade por ter a maior parte de seu
carregamento prompto o Brigue Escun*
Virginia bem conliecido pela rapidez de
suas viagens quem quiser carregar e re-
mellar escravos a frele ou bir Oh passa-
gem para o que tem xcellenles commodos,
dirija-se a F. M. Rodrigue & Irmios, ra
do trapiche n. la.
PARA O PORTO o Patacho Portuguez
Mana Feliz Capilio Antonio Luiz Go-
mes forrado Ue cobre e muito veleiro ;
quem no mesmo quiser carregar ou hir de
passagem dirija-se *o dito Capitao na pra-
ca ou a Amonio Joaquim de Souza Ribriro.
te e mais de 3ooo de fundo teodo pro
po'cdespara um grande viveiro : na ru
Direita no terceiro andar do sobrado. De-
cima i3.
Charutos de superior qualidade, m
raixas aretalho: na ra da cadeia ve-
II,a D. l4.
. Por preco commodo um cavallo ala-
zao carregador baixo e esquipador : na
ru das Flores D. 16
_ Um molequ de 4 a i5 annos de
ufada proprio para psgem, e para apren-
der qualquer officio tendo ja principios de
cuznlia: na ra do Livramento no 1. an-
dar do sobrado D. 11 da paite do poente.
D:versos objectos proi>ros para the-
alio : na ra da alfandega velha a fallar
com Jos Torcato Pinna.
Sacos vazios novos para assncar ,
e farinha ; casa de Hermano Mebrtens, ra
da Cruz D. al.
_ Uma canoa de carreira acabada a
moderna propria para conduzir familia ;
na ra da cadeia velha loja de fazendas De-
cima 34*
Um rr.ole.quc de idade de 2a annos ,
com principios de alfaiale : na ra da cadeia
velha D. 17.
Ou troca-se por propiedades de ca-
sas em qualquer dos bairros o sitio de-
nominado espinbeir sito na estrada de
Belem, bastante grande, com casa de li-
jlo e cal para grande familia dita com
aviamentos.de fazer farinha tem O mes-
JLeilao
_ Que fa^em Jones & Edwards por
fnteivenci d?Cunecloi Oliveira, do uma
casas terreas a
lado do nascente, com aao palmos de fren- primeira na ra da Alegra, bastante gran-
de moderna assoalhada, e forrada, coro
solio e trepeira na frente coa varanda de
ferro a segunda no cortume dos Coelhos ,
junto a olaria de Miguel Carneiro da Cu -
nha, edificad* a moderna de oiles do-
brados com grande quintal que vai at
uma camboa que tem nofim do dito, e tem
um terreno ao lado para edeficar-se outr
grande casa ; a terceira na solidado junto
ao sobrado da viuva do carpiotero Martins
com um grande quintal e com arvores
fructferas cacimba, com terreno a mura-
do na frente que se pode edificar duas
grandes casas : a tratar no primero andar
do 1. sobrado passando a igreja dos Mar-
tirios.
_ Huma escrava de naci de u4 annos
de idade routiusta e delgente para todo o
servico cosinha o diario de huma casa, ao
comprador se dir o motivo : na ra do
Rangel no primero andar do sobrado da
Juina do beco do Liceo.
_ Uma escrava propria para todo o ser-
vico : na travessa de S. Jo D. 4*
r* Carne seccado serlio prximamente
chegada na Sumaca Felicidade fandiada na
praia docollegio : a tratar com o Mestre a
bordo ou com Antonio Joaquim de Souza
llibeiro na ra da cadeia velha.
_ Duas cabras bicho com cri's, boas
leiteiras e mancas proprias para criar
menioos uma ptima espingarda de espo-
leta com ebumbeira e polvarinho, e uma
mesa de jantar com aparadores de amarlo :
na ra do calabouce sobrado de um andar
D. 5.
Canoas de diversos tamanhos chega-
das prximamente do sul : a tratar com
FirminoJos Felis da Roza no forte do
mattos.
Um molato muito bom rarreiro e
trabalhador de machado prefere-se para
fora da provincia se dar por menos : na
ra larga do Rozario sobrado da dois anda-
res junto a botica no segundo andar.
Um piar.no da armario de uma das
melliores fabricas dePariz corn excelen-
tes vozes e proprio para ornamento de
quena; adverte-se que todas estas pPci
estio em muito bom estado e sem defl't-i-
to : na ra de S. Rita D. 18 lado do nas-
cente.
_ Na casa de Fox & Stodart, ha um
bom sortimento de maquinas de vapor, da
condensacio e alta pessio e de forc
de4arrobas, eScavallos, tanto para en-
genho de assucar como serraras de raadei.
ras, e outros quaes quer fins a que as quei-
ra o aplicar; igualmente tambera se vende
assentamentos de laxas de ierro tanto coado
como balido de todos os tamanhos e quali.
dades; assim como mais um magnifico
soi ti ment de moendas de ferro para os en.
genhos de todos os tamanhos tanto ver-
tieses como horisonirfl, para animaes
para agoa e da miii superior construcio
das fabricas de Inglaterra ; havendo de
mais a grande vanUgem de se mandar um
engenheiro sendo necessario fater qualqaer
assentamento das referidas maquinas; ven-
de-se mais bombas de ferro vulgares
ditas de patente, chamadas de repucho-
e outras muitas fazendas por preco commo-
do ; os pretendentes dirijo-se a ra da
sanzala nova D. 1.
Escravos Fgidos
losde I
diaft>
mo mais daaaaab ps de larangeiAs que dio
fructo, cuqueiros, j^atu de cajoeiros ,
">U| ^eaiuitaifWos, miogueiras, ma
li,Tm nambre'ros tem uma qoadra
>!< Ss*lta^ue da lenha para o gasto da casa,
sanciente campo para ciiacio de la vaccas
de lete e para plantacoes de rocas e ou-
tras lavouras : coma vista se mostrar la-
do quanto a cima fici dito: a tratar
no mesmo com Silvestre Antonio de Laage.
Um escravo de naci costa de idade
de 16 a ao annos proprio para todo o ser-
vico de engeiiko : na rus do sol 110 arma-
sem do sobrado onde mora o Sr. Gustavo.
Um fardamento completo para um
Guarda Nacional : por preco commodo em
razio do dono se retirar para fora da
provincia : atraz do Corpo Santo i masera
deJoiodos Santos Porto.
Uma escrava da costa lava cozi-
nha, e engomma : no largo do Terco lo-
ja de i-rragem D. 67.
_ Duas escravas de naci mocas e de.
bonitas figuras cozinha engomma *
lavad roupa ; euma negrinha de la annos
de dade com bons principios de lodo o ser-
vico de uma casa : na ra de Agoas verdes
casa terrea D. j.
um salla por ser muito rico e de um
gosto muito moderno e outros pianitos
tanto para vender com para lugar: na ra
da Cruz n. 60.
_ Duas cmodas americanas, cada uma
com 4 gavetas grendi-s e duas pequeas
em cima um carteira toda de amarelo
com armario para por livros em cima es-
caninhos e gavetas dentro e com a com-
petente cadeira de assento de paliaba uma
mesa de jantar de amarelo de abrir para 14
pessoas cora duas gavetas, meio aparelho
de louca fina ail completo cv 12 facas e
garlos com cabos de marfim de marca pe-
A 18 de Julho doanno passada fu<>io
um cabra de nome Francisco o qual foi da
mi do Sr, Pimentel morador em S. An-
lio Administrador do eugeuho Camorim,
o qual deocm pagamento aosertanejo. Ma-
noel R idolfo que o vendeo tiesta praca \
quem o pegar leve ao pateo da ribeira de S
Antonio D. 5 qneser recompensado.
Fugio no da 3 do corrente um ne-
gro de orne Lino creoulo com uma ve-
hda no olho esquerdo uma ferida na per-
na direita levou vestido cajsa de algodio
da Ierra com botoes pretos e camisa de
estopa ; quem o pegar leve a ra da duz
n. 46 que ser recompensado.
Fugio ou furtario da Villa de Ma-
cei no da ao de Fevereiro p. p. um es-
crava de nome Miria representa a5 a a8
annos de idade bem feita de corpo, cora
o rosto um tanto picado de bexigas, o bran-
co dos olhos nos cantos raiados de san-
gue fala inda pouco, levou vestido aaia
azul com flores maretas e pao da Costa
uzado a remendado cabecao de aigo-
diozinbo e uma toalha do mesmo panno ;
roga-se portante as authoridades policiaca
desta Cidade que sendo della tenha noticia
a faci aprehender e manda la entregar
no Recifeemcasa de Antonio Texeira Lo-
pes outro sica he de supor que elle vesse
furtada para esta Cidade por os muitos tra-
ficantes que hoje entelizmente se encontra
nesla oceupacio por isso se roga a quem
ella for oflerecida hajio de denunciar as
authoridades a fim de ser capturada, de
cojo trabalho ser recompensado.
No da 5 do corronte fugio um prelo
de naci angola de nome Antonio, de
idade de a unos sem buba, baixo, g'os-
so bastante barrigudo falla pouco nele-
givel tem principio de trabalhar em pada-
ria levou vestido camisa de rescadiuho ,
e sercula da-se 3o,oop a que o levar na
ra Direita padaria D. 6 de Caetauo de
Souza Percira Brilo.
Movimento do Porto
NAVIOS SAHID0S NO DA 6. .
LIVERPOOL ; Brigue Inglez Arul, Cap.
I liomaz luivltuu > caiga assucar e al-
godio.
BARBADAS; Brigua Inglez Fany Alifax ,
Cap. Joseph Sebere em.laslro.
OBSERVACOENS
Fundiou no lameirio para refrescar, a Ga-
lera Balieira Americana viuda da pesca
em 18 mezes pelo Chile com 60 dias
do ultimo porto Capitio Eduardo M
Barker carga azeite: ao mesmo Capitio
e aegue para Nevr Yoik.
PERN, NA TYP. DE M. F. DE F. 1839
ILEGIVEL


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EU71C5WGX_G329P7 INGEST_TIME 2013-03-29T18:03:44Z PACKAGE AA00011611_03776
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES