Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:03775


This item is only available as the following downloads:


Full Text

n
ANNO DE i839.. QUINTA FIRA
CAMBIOS.
Marco 6 .
Londres 5o l'/i 3o 3/4 Di. St. por ifooo ced.
Lisboa 8o por ioo premio, por metal, oilerccido
Franca 3ao a 3a5 Rs. por franco.
Rio de Janeiro aopar.
Moedas de 61400 ti700 as vclhai noval i<#4o.
,, 4f000 8/oo a 8^3oo
Peo Coluranarioi i|6oo a i|66o
Ditto* Beazicaoo* ifbio a ifbao
Pataces Brasileiroi i|64o a i|66o
Premio* da* Letra*, por mu 1 i|4 >r> por toe;
Cobra ao par
PARTIDAS DOS CORREIOS TERRESTES.
Cidada da Paraiba a villa* da ana preteaco .
Cidada do Rio (randa do Norte, a illa* Ideal .
Cidada da Fortalea a villa* dem ......
Tilla de Goianna............
Cidada de Olinda ............
Villa de Santo AntSo...........
Dita de Ganaban* a PovoacSo do Bonito. ....
Dittas do Cabo Serinhaem, Kio Formo, e Porto Calto
Cidada da* Alagoai, e Villa de Macei. .....
Villa de Pajaupde Floras..........
Todo*oa eorreio* partcm ao meio da.
7 DE MARCO. NUMERO 55,
Tudo agora depende de nos mesmos ; da nossa pniden* r
moderacio a energa: continuemos como i>> iicipiaroo*),
a seremos apontados cora admiraco entra as tteeo>i roaii cui-
tas.
Proelamaco da Assemblca (jaral do (ratil.
Sabsereve-se para asta folha a^ooo r. por cuartel, paos adl-
anUdos oesta Tipografa, ra da* Cruza O. 3, La Prara
da Independencia 1). 37 e 38, onde se recebera correspon-
dencias legalisadas, canuuncios: insirindo-te ei'.es gratis
lando dos proprio* assignantes, viados assignadoi.
I Segunda** Sexta* fairaU
Todos es das.
Quintas feira*.
Diat 10, o 34 dcada mes;
dem 1 11, e 11 ditto dido.
dem idera.
dem 13, ditto ditto
DAS DA SEMANA;
4 Segunda S. Cazimiro Re Audiencia do J. de Direito dn a. vara re manh.
5 Terca S. Theofilo B. Re. de manh e aud. do J. de O. da 1. vara de manh.
6 Quarta S. Olltgario B. Sesslo da Thesourasia P.
7 Quinta S. Thomai d'Aquino Doutor. Ilelaco e aud. do J. de D. da 1. vara
8 Sest* S. Joo de eo Fundador. Ses. da T. e aud. da J. de I), da 1. v. ile iu.
a* 11 hor. e 9 minutos da manh.
9 Sabbado S. Francisca Romana Viuva. Re. de manh. e aud. do V. 6. de t. cm Olinda
10 Domingo 4.da Quaresma. S. Melito. e 3g Cora. Mm.
.
Mar cheia para o din 7 de Marco.
As 10 boras e (> minotos'da manh. As 10 horas e 3o minutos da tarde.
8
de minrtS.
Quart. m.
bujiio k wmmmAM
PERNAMBUCO.
Continuaca da Falla com que o Exa.
Snr. Francisco do Reg Barros Presi-
dente desta Provincia, abri a Assem-
bla Legislativa Provincial no da pri-
meiro de Marco do correte auno.
Admnistracio da Justica.
Este ramo do Servico Pablico continua
apresentur os mesmos inconvenientes, que
notei no meu pastado Relatorio, pois a-
inda subsistem a mesma imponidide nos
criminosos as cauzas que lite dio logar,
e aa eonsequencas desastrosas, que nenes-
sanamente se Ibes seguem. Pelos mappas
Juntos e exposigio que os -companha
orinareis ampia ideia djs 'rabalhos da
Justica Criminal entren*, durante o au-
no de 1838 ; e tereis a mais plena pro va
do que tenbo proferido.
Sem contar, Snrs. no numero dos in-
convenientes, que encontr, a justica Crimi-
nal, a falta de Cadeins seguras, limpas e
arejadas que contendi os presos, e de
Caaas em que os jurados po suas funeces, creio que impunidade dos
criminosos depende em geral das nos-
sas leis, relativamente a organisacio dos
Cornos de delictos, formacio d,< culps, e
julgaroentos dos Jury*. E com effeito, leu-
do a Lei de 14 de Abril de i836 deter-
minado que os Voianos Gsessem os Cor*
pos de delictos, estes empregados oudei-
xao de o faser, ou os fasem com moita ir-
regularidade, e impericia; e posto que
na falta dos Corpos de delicio directos, se
deva e possa procedei pelos indirectos ,
todavia nem estes tem o mesmo pezo na
censura do Direito, nem be muito fcil a-
cbar depois de ceito lempo testemunhas
presenciaes do facto mxime quando he
praticado por poderosos ou assassinos de
prefissio, pelo temor que ellas tem de ju-
rar contra taes individuos, e expor-se as
suas viogancas.
A falta de officiaes de Justcs, que faci
s notficaces das leslemuohaa e Jurados,
< foi necio os elementos necessarios para
lormar a culpa e proceder ao jligamen-
to dos criminosos, seguudo informio os
Juises de Direito Criniinaes be tambera
hum dos inconvenientes que encontr
Justica paraobom desempeobo dosse-
us de veres. Sendo quasi todos os processos
de Reos pobres, e nao podeude por
i*so obterem-se vantagens algumas, nin-
guem ae anima a acceitar olu^ardeUffi-
>'*l de Justica, e sem tae Empregados di-
fcil be conbtcerem os Juises oficialmente
dos crimes coa.au nidos em suas Gomar
css ; por quinto as notficaces feitas pe-
los Encarrilados da Polica, requesicio
dos mesmos' Juises aos Reos e testemu-
nhas uo os obrigio face da Lei
comparecer; e he, demais,' urgente que a
Justica nlo dependa de Autoridades diver-
8, para satisfaaer aoa aeus deveres e
leuda toda a influencia sobre os agentes, que
em prega para essefim. Alem disso ac-
conlecu que ds falta de comparecimento
das tpstemuuhas e Jurados resulta demo-
rarem-se os processos; e por conseguate
todos os males provenientes da demora
dos castigos que devem seguir de perto
ao crime, na o pimo de todos os crimina-
listas. t
Os Jurados nf o trabtlhario em todas as
Comarcas as veses determinadas pelo nosao
Cdigo do Processo, e na de Garanhons,
nao houve huma s reuniio. Tem aconte-
cido, que as Sesses somente se abri oitn
das depois do que fora marcado pelos Ju-
ses de Direito. Este inconveniente provem,
sem duvida de ter o Cdigo do Processo
Criminal determinado, que os Jurados que
faltassem as Sss6*s, fossem multados pe-
lo Conselho dos Jurados (que te nio pode
formar em caso alguna com menos de qua-
renta pessoas ) e de bavur-se admittido ao
Foro a pratica de serem abiol v do em
huma Sessfo os Juises de Faeto multa-
dos na anterior.
A impunidade que resulta de todas es-
tas cauzas reunidas, vem anda augmentar-
se pelos defeitos de nossa Legiilacio Cri
rainal, relativamente aos Cri mes de furto,
e de armas defesas. O primeiro destes fi-
ce quasi sempre impune ; porque, sendo
considersdo comocrime particaiar,e nio po-
dendo os seus autores serem presos, nem
ecusados pela Justica,ae nio em flagrante,
em virtudedo que deleeminio os rtigos
73 e 74 6. do Cdigo do Processo Crimi
nal, us offendidos nio acazio por con-
tentarem-se com a intrega da couza fu ria-
da ; ou, querellando do Reo, nio compa-
recer nos Jurados, e dio tugar que el-
le fique livre para comtaetter novos cri
mes, por ter de ficar perempto o proces-
so em tal caso salvo quando o Autor he
julgado misera vel. O uzo inveterado de an-
darem os Cidadios armados no meio da
raaior paz e que he cauza prxima de
muitos fermenlos e asaissinstoa, nio
pode ser devidamente reprimido em quan-
to subsistir a pena, que as nsas Leis
contra elle tem fulminado, e que o torna
affiancsvel em virtude das mesaaas Leis.
Finalmente, Sars. o patronato que
muitoa Cidadfos prestan a criminosos de
profisso,dequem algumas vesessio vitimas,
yem aggravar ainda os tristes effeitos da
impunidade. Seria conveniente que en-
tre nos se adoptas-e a Reaolucio de 11 de
Uesembro de i83o, feita para a provincia
do Maranhio,' punindo aos propietario*
das trras, que nellas consentirem homens,
a titulo de aggregadoa, 00 debaixo de ou-
tro qualqner especioso sem que mos-
que elles se eragrfgio em
trem
oc-
cupacao honesta elem genero de vida ou
emprego decente, que subsisti.
Tenho exposto o estado da Admnistra-
cio da Justica Criminal entre nir a fim de
que deis as providencias que estiverem
dentro de vossa aleada, ou as pecaes por
meio de representaedes Assemblea Geral
Legislativa em caso opposlo ; entretanto
nio concluirei este artigo, sem acrecen-
tar mais algumas palavras a respeito delle.
A Lei de 19 de Abril do anno passado,
sob o. %} nao destruo como foi de vo-
s intencio, os inconvenientes, at entio
existentes, sobre a substituicio dosJuizes
impedidos ou suspeitos ; porquanto deter-
minando que na Comarca do Recife os Jui-
xesdoCivel nfo seria substitutos dos do
Crine, nem estes d'aquelles ; e parecendo
dar a entender que subsista legislacio an-
terior dos Decretos de 3 e 15 de Outubro
de 1833, declarou todavia no Art. xi ,
que na falta ou impedimento de qual-
quer dos Juizes, seriad estes interina-
mente substituidos por quem a Presidencia
interinsmente nomeasse a por causa da
letra expressa do Art., os Juises do Crime
e do Civil tem ent ndido, que nio sio
substitutos dos re-pectivos Compsnheiros ,
mas que na falta ou impedimento de algum
dVlles devera os Autos passar ao Juiz no-
meadoe juramentado pela Presidencia. A'
vista da letra da Lei, a Presidencia en ten-
deo do mesmo modo ; mas parece, que el-
la deve ser reformada quanto antes, por-
que taes Juizes (que s devem servir em
casos argentes) nio offerecem as garantas
iiecessarias para darm as suas Sentencas
com a precisa justica e independencia e
pode algueno suppor que elles fora no-
meados para esta ou aquella causa, fim
de sentenciaren! pro ou contra huma das
partes.
Foi executada a Lei Provincial n. 58 de
19 de Abril do anno passado que suppr-
mio a Comarca do Bonito ecreou a Villa
e Comarca da Boayista. ElegeraS-se os
respectivos Juizes de Paz, e Vereadores ,
e nomearaS se todas as outras Authorida-
dea, que devem cuidar da admnistracio
dos Povos. Sgundo as partecipsces, que
me bio feito ditas Autboridades e os in-
formaces particulares que tenho obtido,
sio ptimos os resultados d'aquelle vosso
acto legislativo visto que muilos crimino-
sos que al entio passeava impunes ou
forao punidos de seus alternados pelo Jury,
ou se achad presos, ou vivem foragidos
pelo temor da Justica.
Pela Lei Provincial de ide Abril de
i8J( determinou-se que bsveria em cada
Comarca dous Juizes de Direito hum do
Civel eoutro do Gime ; mas, teodo pro-
curado conhecer os trabalhos destes Magis-
trados dentro do anno passado, conbeci
que nio erad tantos, que hum s Juiz nfo
fosse sufficiente para decidir todas as ques-
l-s de justica de huma Comaica. Pelo
nu.neto das Cauzas julgadas as Sesses do
Jury, e pelo dos Reos que fora pronun-
ciados ou que o deixara cle ser por falta
de pi u va combinado com o das Causas
Civeis e Inventarios feitos e processados
em cada. Comarca, podereis con vencer-vos,
Srs., da verdade d'esta ssercio. Para
destruir pois entidades desuecessarias ao
andamento da Justica as Comarcas /evitar
despezas em bum tempo, era q Provinciaes se ai-luo desfalcados, e aug-
mentar a autboridade dos Magistrados,
concentrando-a, parece-me conveniente
determinarle que nio seja prvidos os
Lagares de Magistratura que v;>jrem ,
at que smente ha ja hum l Juiz pira cada
Comarca ebegando-s- por e>ta lorma ao
que seacha determinado no Cod. do Proc.
Crim.
Nio concluirei Srs., este Artigo sem
pedir-vos novamente, que'marquis o tem-
po maneira e casos, era que devem ser
removidos os Magistrados d' humas para
outras ComareMj fim de que oGoverno
Provincial jamis possa ser laxado de arbi-
trario, quando ju!gr conveniente exercer
esta facu.'dado que Ilio couferem a (Jons-
tituicio Cod. do Proc. Crim,, e mais
Leis em vigor.
(Continua.)
ASSEMBLEA LEGISLATIVA PROVIN-
CIAL.
Acta da 2. Sessio ordinaria da Assrmblea
Legislativa Provincial em 2 de Marco
de 1839.
Presidencia do Snr. Maciel Monteio.
Feita a chamada e schando se prsenles
26 Snrs. Deputados, 'faltando com caoza
participada o Sor. Manoel Cnvalcanti, e
sem ella os Snrs. Mello e Doutor Cintra,
Snr. Presidente, abri S'esso e lida
e approvada a Acta da antecedente, houv<
lugar o ex ped cute : leo o Snr. 1. Secreta-
rii hum oficio do pimeiro Secretario da
Assemblca Provincial de Piauhi, remetien-
do os Actos Legislativos da mesma Ass m-
b'ea na Sesso ordinaria de 1837 : oulro
do primeiro Stcret.uio da As>ercblea Pro-
vincial do Rio Grande do Norte remetien-
do as Actas Legislativas deila em Sejsj de
i836 e 1837. Eotraiido-se em a orderu do
da, forao elleitos para a G-mmi.> !..
Conslituica e Poderes os Snrs, Meira ,
coij 20 votos, Doutor Mend's com \9,
Paula Cavalcant com 17: para a .ie Fe-
senda e Orcamenlo os bnrs. Peixulo com
19, Dr. Pedro Cavalcanti com 18, l!e{;o
Monteiro com 18 ; paro a do Contase des-
pesas Provincia es os Snrs. iNfii Ferreira
com 20, Carneiro Leio cora 17, Peixoto
de Brito cora 1? : para a de Lorararrcio,
Agricultura Altes, Estradsa, N'avegacao,
Collooisaija, e Obras Publicas, os Snrs.
Izidro com 20, Mello Cavalcanti cora 18,
Doutor Cintia com 16 : para a de R-da-
cca do Leis os Snrs. Lopes Gama cora ig,
Dr. Pedro Cavalcanl e Reg Dantas com
18 : para a de Inatrucca Publica e Esta-
beleciraentos proprios a prcmovel-a os Srs.
Lopes Gama com 21 Rafael e Monte com
20 : para a de Estilstica, Dms* Civil,
Judiciaria os Snrs. Biserra Cavalcanti com
a3, Padre Cbfistovio, t D u 1 brito com
17 : para a de Justica Civil e Criminal os
Snrs. U.bdiio, eNabuco de Araujo cora t8;
e Vieira de Mello cora 17 ; para a de ne-
gocios Ecclesiastico os S:.rs. Motc e Dou-
tor Mendcs com 17, e Dr. Chaga com
15; para a de Exme do Postur.s R.pr..-
Uf5e*, e Negocios das Camaias \lunicipaes
osSnis. Mello com 22, Machado II i os cora
2f, e Pcreira Monteiro cam 19 j_ yra a da
Rendas Municipaes, Oro*mentes,
triol d3s Cataar* Manioques os 5nrs. Juiq
ILEGIVEL


1

2
DIARIO D Jt PE 11,4 M B C O

Francisco Cavatcanti com 19, Paula Ca-
vslcanti e Carneiro L?o cora 18 ; para
a de ,S.iui)e Publica os Srs Doutor Brito
com 23, Doutor Cintra eTiburlino com 30;
para de Petico 09 Snrs. Carralho de
Menn'onca corh 2 1 Mello c >m as, Pe-
reira Monteiro com 17: para a de Lpgis-
UcaS o* Sor*. Meira com aa, fj'bmo com
3i,eR-,giDin'u com io; |wn a de Or-
denados os Snrs. >'eri Ferreira Isidro, e
Vieira d* Mello era 21 ; concluida a el.
leicaddas Coramiss'S permanentes reque
reo o Snr R'-go Monteiro que se noraeasse
huma Com uiso especial pira afixac'de
For$a Policial, e discutido e Hpp'ovado o
requerimento fora elleitos para ella os Srs.
Carvalho de Mendonccom 19 T>hurtino
cim 18, PauU Cavalcanti com if : o Se
Presidente levantou a Sessa a huma hora
" roeia da tarde, dando para ordem do da;
Lituras de Parecer de Commisso *
Projectos de Lei, 'a. Djeussio do
Projecto n.37 de iS.ti, 1. do Projecto
n. 3, a. do Project 5. a. do Pro-
jecto n. 19 de 187, a." dos projectos
ns. 4.' e 13, ei." de n. a3 de |83S.
Thomaz Antonio Maciel Monteiro,
Presidente.
Antonio da Costa Reg Monteiro,
I. Secretario.
Joze Tbomaz Nabuco de Araujo Jnior,
1. Secretario.
Acta da 3 Sesso d'Assembli Legislativa
Provincial de Pernambuco aos 4 de Mar*
90 de 183g.
Presidencia doSr. Maciel Monteiro.
Feila a chamada e estando presentes
26 Srs. Deputados, fallando com causa
partecipada os Srs. Nbuc d'Araujo, Mel-
lo e Pereira de Brito, leo se a Acta da
Sesso antecedente, e foi approvada.
OSr. 1. Secretario mencionou hum Of
ficio ds Cmara Municipal de S. Anta,
que pedia authorisaco desta Assernbl* ao
contracto, que fez como Cirurgio Joto
Elias do Reg Dantas sobre o curativo dos
presos pobres, e pessoas misera veis :
Commisso dos Negocios das Cmaras.
Bum requerimento do Reverendo Ignacio
d'Almeida Fortuna que pretende ser pro
vido substituto das Caderas de Grammatica
Latina desta Cidade, sendo dispensado de
novo concurso por j ter sido Profesa or ap-
provado da Cadeira de Itamarac Comis-
.sao de Instruccj Publica. Outro reque-
rimento de Manoel Caetano Paz que pre-
tende levantar hum Engenbo as trras
pertencentes aos Indios da Freguezia da
Escida : a Comissode Comercio, e Agri-
cu'lura. O Sr. 1 Secretario leo hum seo
Projecto criando nesta Cidade huma Cauca
de circulaco e de descontos denomina-
da Banco de Pernambuco que sendo
apoiado e julgado objecto de deliberago
foi a imprimir -se. Leo-se o Parecer da
Comisso de Polica proponilo para o lugar
vago de Continuo desta Assemblea a Fran-
cisco Xavier da Silva Mendoza que foi
approvado. Hum Projecto do Sr. Reg
Dantas erigindo em Freguezia a Vill. ao
Bonito, que sendo apoiado, e julgado cb-
jecto de deliberar-So foi a imp imr-se.
Ordem do Dia.
Entrou em primeira discusso o Projec
to N. 3 de 18J7. O Sr. Lopes Gama man-
dou Meza o requerimento seguinte Re-
queiro que este Projecto seia remedido
Comissode Instrucco Publica, a fim de
que combinando o com a Falla do Exm.
Presidente org^nise outro Projecto, que
seja accommodado s nossas circunstancias:
fui approvado. Primeira discusso do Pro-
jecto N. a3 do anno passado. O Sr. Reg
Monteiro requereo-que ficasse addiado al
o comparecimento do seo Authoi : foi p-
.provado o adiamento. Entrou em segun-
da discusso o Projecto N. 37 de i836 O
Sr. Meira pedio adiamento por 3 di .s at
consultar o Regulamento do Porto, que
talvez providencie a respeito ; fot approva-
do. Era segunda discusso entrou do Pro-
jecto N. 19 de 18J7 o artigo 1. O Sr. Lo-
pes Gama pedio adiamento do Projecto at
o comparecimento do seo Author, foi re
geitado, continuando a d scussfo o Sr.
3arneiro Leo requreo que o Projecto loa-
se rcaeltdo Comsalo -de Instrucco Pu-
blica para aprsenla/ hum outro Projecto .
authnrinndo o Goterno engajar onde
for mais conveniente hum Mostr, que ex-
ercile nesta Provincia o ensino mutuo foi
rprovad.->, e jufg*ndp-se a materia t-offi-
cientementa discutida, foi approvado o ar-
ligital, e qual. Entrou em discusso o
artiga a. O Sr. Pedro Cavalcanti mandnu
Meza a emenda substitutiva seguinte Os
M eos escollados sero obrigados a prestar
fianca p las despera, que hOuvprem de
fazer, e logo que se harem habi'itad'-s
serio obrigados a ensinar nesta Provincia ,
devendo pag-T'hom cont de res se nao cumprirem esta condiclo a cujo
cumprimento prestarlo tambera Ginct ,
salva a re>Ucc*o : foi approvada. Ao ar-
tigo 3. o Sr. Reg Dantas mandou emen-
da seguinte Depois das palavras pnraei
ras letras diga-se desta Cidade, que foi
approvada, sendo regeitada eatr'ootra do
mesmo Sr. Accrescenle-se no fim do ar-
tigo Com oa mesmos ordenados, que ti-
verem. Entrou em discusso o artigo 4-
O Sr. Carvalho de Mendonca mandn esta
ornen la Em lugar das palavras sera ser
novamente examinado diga se seta ap-
presentar attestados do Proffessordo ensino
mutuo de que esto habilitados pa cicio, que foi approvada- O artigo 5. fi-
cou adi..do pela hora. O Sr. Presidente
deo para Ordem do dia. Conlinuacfo das
materias j dadas. Proj-ctos, e Pareceres
de Comissoes. Segunda discusso do Pro-
jecto N. 5. de i835. Segunda do N. i5
do mesmo anno. Primeira do N. 91 do
mesmo anno. Primeira do N 77 do mes-
mo anno. Primeira do N. 39 do mesmo
anno. Seguuda do N. 1. de" 1837. Pri-
meira do N. 15 de |838. Primeira do JN.
18, primeira do N. 20, primeira do N.
23 todos do anno de 1838.
Levntoa.8e a Sesso as duaa horas e
dez minlos.
Thomaz Antonio Maciel Monteiro,
Presidente.
Antonio da Coala Reg Monteiro,
1. Secretario.
Joze Thomaz Nabuco de Araujo Jnior,
a. Secretario interino.
EXPEDIENTE DA ASSEMBLEA.
Illm. Snr. -- A Assemblea Legislativa
Provincial, tendo approvado o parecer
por copia incluzo da Commisso decontas
e orcamenlos dado sobre urna tepresenta*
cao da Cmara Municipal do Brejo en-
derezada a mesma Assemblea na Sessa de
1837 ; manda e n vial -o a V. S. a fim de ser
presente ao Exm. Sur. Presidente da Pro-
vincia para ser transmettido a mencionada
Cmara.
Dees Guarde a V. S. Secretaria da As-
semblea Legislativa Provincial de Pernam-
buco|6 de Marco de 1839. '"m- Snr. Je-
rnimo Martiniano Figueira de Mello Se-
cretario da Provincia. Antonio ds Costa
Reg Monteiro 1. btaelario.
Illm. Snr. A Assemblea Legislativa
Provincial para poder deferir o requeri-
mento incluso de Bnmardino de Sena re-
solveo, qae fosae ouvida a Cmara Muni-
cipal deita Cidade 1 oque V. S. levara' ao
conhecimento do Exm. Snr. Presidente pa-
expedir a conveniente ordem
Dos Guarde a V. S Secretaria da As-
semblea Legislativa Provincial de Pernam-
buco 6 d Marco de i83g. Illoa. Snr
Jernimo Martiniano Figueira de Mello
Secretario da Provincia. Antonio da
Costa Reg Monteiro, i. Secretario.
com declaracao das respectivas quantias,
e nomes dea Procuradores a quem sfo en
treges conforme requisita o Commandan-
te das Armas.
Dito Ao -Cnsamandante das Armas
commumcando-lhe a expedici da ordem
supra.
Dito Ao Inspector da Thesouraria ,
com*unicando*lhe, que o Regente em No-
me do Imperador por Decreto de 7 de De-
zembro do auno p. p. concedeu a Francia-
co Xvier Cavaleante a penso de 100U000
Mis annnaes, como iudemnisacao da per-
da do of ficio de Juiz da Batanea da Alian-
dega desta Cidade.
Dito Ao Commandante Superior da
G. N doRer.ife, para ordenar que hum
dos Botalboens da mesma G. N acompa-
nhe a 'i. cissao do Snr. Bom Jezus dos
Martirios que no dia 17 do corren te t>m
de sair da Igreja deNoss-* Sanbora do Ro
zario como pedio a Irmandade do Mesmo
Senlior.
Dito Ao Director do Arsenal deGu-r
ra retpondendo Ihe que a mostra da
Companbia d'Artifices ser passad no dia
6 do correte aaez e qae fies mareado 43
primeiro dia tt para o mesmo fim. *
Dito A Cmara Municipal do Cabo ,
disendo-lhe que nao tendo ella remedido
as anas contas para serem presentadas a
Assemblea Legislativa Provincial em seo
devido lempo, como Ihe foi recommenda
dado em offkio da a4 de Outub-'o do an
no passado, acompanhando os modellos pe-
los quaes deverifo organiaar Unto o ba
lanco de sua reeeita e despesa como o
Orcamento; compre que sem perda de
tempo faca pronta remessa das menciona-
das contas, sendo para extranhar que as
sim se esqueeesse dos deveres que a Lei
lile incumba.
Igual officio foi derigido a Cmara
Municipal do Pi do Albo.
Dito Ao Presidente interino da Rela-
ca communicando-lhe que attenden-
do a Presidencia ao que lh represpntou
o Escrivn de Appellacoes Antonio Igna-
cio de Torres Bandeira e a informado
dada pelo Presidente da mesma retacad',
orden o u por Dea pacho de a8 de Fe ver i ro
ultimo, que os Procestos que existem em
poder do dito Escrivlo feitos no extincto
Juizo da Ouvedoria Geral do Crime fossem
entregues aoJuiz da 1. Vara do Civel ,
para oa -faser archivar no Cartorio do res-
pectivo Escrivio.
Dito- Ao Chefe da LegiaS das G. N.
de Garanbuns, respoodendo-ihe que o as-
senlamento de praea do Corneta Jos Vi-
ciara Ferreira engajado para a 5. Compa-
nhia do 3. Batalho da mesma Legio
foi remedido a Thesouraria ; e quanto a
escolla em que o mencionado Corneta deve
ser instruido que o mande para esta Cida-
de afim de appticar-Se na escolla do Corpo
Policial*
Portara Nomeando ao Bacharel An-
tonio Pereira Barroso de Moraes para ser-
vir intu i! ament o Lugar de Juiz da 3. "
Vara do Civel em quanto durar o impedi-
mento do Bacharel Felis Peixoto de Brito
e Mello.
Officio Ao Bachare! Antonio Pereira
So Ferreira de Moraes por sssim con vi r 1
utilidade Publica.
Officio Ao Prefeito da Comarca de
Garanbuns communicando-lhe a deoissao
supra e ordnando-lhe que para substi-
tuir ao demitlido faca a necessaria proposta
em lista trplice devendo entanto nomear
pegsoa devidamente habilitada que sirva o
dito cargo de Sub Piefeito at final deciso
da Presidencia.
Dito Do Secretario r da Provincia eo
da Assemblea Legislativa Provincial env.
ando-lhe de ordem de S. Exc o Snr. Pre-
zidente para serem presentes a mesma As-
semblea as contas das Cmaras Muniri-
paes da Provincia menos as das Cantaras
do Cabo e Pao do Alho que ainda nao
foro recibidas na Secreta ra jda Presiden-
cia,
GOVERNO DA PROVINCIA.
Expediente do dia 4 de Marco de 1839.
Officio Ao Inspector da Thesouraria ,
communicando-lhe, que convindo, que
do i. do torrente mez em diante seja
cobradaa pelo 4- Corpo d'ArtUheria todas
as prestacoeni que os Officises e mais
Praca da Tropa Expediccionaria ao Para
e Rio Grande do Sol deizara as suas fa-
milias nesta Provincia campre que oeste
sentido expeca as precisa ordens deven-
do remetter com a possivel brevidado
a Se-
cretaria Militar urna relaco das preatacoes
que sao pagas pora mesma Thesouraria ,' Prefeito da Freguesia de Garanbuns a Jo-
Barroso de Moraes enviando-lhe a Porta-
ra supra o ordenando Ihe que compa-
rece na Secretaria para prestar o devido
juramento e entrar em exercicio.
Dito Ao Presidente da Relaca com-
municaudo-lhe a Nomeacao supra.
Igual communicacafoi dirigida ao
Inspector da Thesouraria.
Dito Ao Prefeito da Comarca de Ga-
ranbuns Juao de AlbuquerqneCavalcante ,
communicando-lhe que a Presidencia Ihe
tem consedido a demiga que pedir* do
referido Cargo nomeando para o substi-
tuir ao Cidado Apollioario Florentino de
Albuquerque Maraoho.
Dito Ao Cidauad Apollioario Floren-
tino de Albuquerque Maranhe com-
municando-lhe que se acha nomeado Pre
feto da Comarca de Garanbuns, cnm.
priado que sotlicite o respectivo Titulo pela
Secretaria, e venba prestar o devido jura-
min'oafim de entrar em exercicio.
DUo Ao Inspector da Thesouraria ,
communicando-lhe a demisso, e nomeacao
de que tratfo os dous precedentes officios.
Portara Demittindo do Cargo de Sub-
COMMANDO DAS ARMAS.
Expediente do dia 1. de Marco de 1839.
Officio Ao Exm. Presidente, disen-
do-lhe que no Deposito existi un reerrj-
ta de nomo Felippe Nery Santiago que
ohtendo passagem para o 4- Corpo de
Artilheria 7deJiaeiro do corrate an.
no ; desertou a ao do p. p mez e que
sendo como supunha este o Individuo de
quem tractva o Prefeito da Comarca de
Santo Anta em seo officio de 26 de Feve-
relro ultimo ja n5 era possivel faser ef-
fectivas as medidas ds seguranca que el-
le reclamava.
Dito Ao Commandante interino do
Batalho Provisorio de Cassadores, remet-
tendo-lhe para que Sssentassn voluntaria*
mente praca ao paisano Thomaz d'A-
quino Lopes que para o servico do Exer*
cito se tinha offerecido.
Portara Ao Major Commandante do
Deposito mandando em virtude d'ordem
do Exm. Presidente communicada em of-
ficio de 27 do p. p. mez dar demica ao
recrota Manoel Evangelista da Silva, filh o
de Joao Evangelista natural de Ipojaca ,
por ter sido em vista das Instroccoes de
lodeJunho de i8ta incompetentemente
recrutado.
Expediente do dia a.
Officio Ao Exm. Presidente enea-
minhando, e infernando favor-ivelraente o
requerimento da Luiz Salazar Moscoso de
Mello Veiga Pessoa filho do CapitaS J.
VI. I. J. da Veiga Pessoa que tendo as-
sentado voluntariamente praca no 4-
Corpo d'Artilheria pedia faculdade para
continuar a frequentar os estudos prepa-
ratorios Picando para esse fim dispensa-
do do servico e obrigado somente a elle
as grandes ferias.
Dito Ao Commandante interino do
Batalho provisorio da cassadores disendo-
Ihe em resposta ao seo officio de 30 do mez
antecedente que bavia merecido a suaap-
provaco o systema de escripturaca, e
ContabeLdade que estabclecera no extincto
corpo d'Engajados e louvando-o pela
economa zelo e interesse que tomara
pela boa ordem e prosperidade dos cor
pos que erso confiados ao seo commando.
Dito Ao Commandante interino do
4. Corpo d'Artilheria remetiendo Iba
em orna nota os esclarecmentos que fo-
ra6 deprecados ao Exm. presidente das A-
lagoas acerca dos Soldados Jos Joaquim
dos Santos e Manoel Alberto Lins.
Diversas Reparti^oens.
ALFANDEGA DAS FAZENDAS.
A arremataco daa cmodas annuuciadas
para o dia 5 ficao' transferidas pera o
dia 8 impreterivelmente,
MEZA DO CONSULADO.
A Pauta he a meama do num. 44'
OBRAS PUBLICAS.
As pessoas que quiserem trabalhar de
Serventes na obra doQuartel do Hosp"'
dirijo-se ao Snr. Tenente Joaquim Js
de Farias Neves na Praca da Boa-vista oa
__


II I
DIARIO DE PERNAMHCA
5
*
no Quartel das Cinco Ponas, que Ibes dar
servico.
Inspecco das Obras Publicas 4 de Mar-
ca de i83g.
Moraea Ancora.
PREFEITRA.
Parte do dia 6 de Mareo de i83g.
Illm. e Ecm. Sor. Fora6 presos hon-
tem rainlia ordpm e ti verlo 'destino :
Antonio Joaquim de Snta Anni pardo ,
pela i. palrulh* do distrieto do porto das
canoas por ter insultado a uma familia ;
Jos Amonio de Lima, tambem pardo,
e Maria preta escrav* de Antonio Rosa ,
pelo Sub-prefeito da Freguesia de Sinto
Antonio esta por aer encontrada tarde da
noite, e supl-a fgida, e aquella por con-
tra vencaS de Posturas; T'heresa Joaquina,
tambem preta, pela primeira Patrulha do
distrieto da Ribrira por estara gritar pelas
ras conrencommodo da visinh mea ; An-
tonio Francisco de Lacerda tarobnm ore-
to p lo Suh prefeito da Freguecia da Boa
vista por estar em desordem ter dade
urna bofetada em seo lio j e Marcos Anto-
nio branco, e Marcolino Antonio, par-
do pelo Sub Piefeit da Freguezia de Ita-
marac por serem de pessima conducta.
E' o que consta das partes boje recebi -
das n'esia Secretaria.
Dos Guarde a V. Eic. Prefeitura da
Comarca do Recife 6 de Mareo de
18J9. lita, e Ecm. Sr- Francisco do Re
go Barros Preaidente da Provincia.
Francisco Antonio de S Barrean Pre-
feito da Comarca. '
TRIBUNAL DOS JURADOS.
Svsiafido dia 5 de Marco de 18J9.
Jory de Aceuzacio.
Denuncia de Manoel Antunes Villaca
contra Ignacio Jos AI vea por reducir pes-
aos livre a eseravida8 ; o Jqr'y acbou mate-
ria para accuzaccso.
Summario ex offico contra Jos Rodri-
gues Seixas semi branco solteiro por feri-
mentos em um preto Antonio Sipriano o
Jury acbou materia para accuzaccio.
Jury de Senlenca do mesrao dia.
Sumario es officio que se procedeo con-
tra Manoel Pereira da Fonceca e oulro
por fu'ti de esciavo acensado o primeiro
foi absolvido.
CRISE MraiSTRIAL.
Alguna peridicos desta cidade se afadi-
ga5 em proclamar que estamos em orna eri-
ce que s pode terminasse pela dssolucco
do gabinete ; apoiados na declaraca do
Sur. Lopes Gama de que em o 1.
de Janeiro bavia os actuses ministros
dado anas demissoens affirraio que he
impossivel a conlinuacio do gabinete ; por
que a manifestado da existencia desaa des-
harmona privou o ministerio da forca mo-
ral e da cunfianca.
Nao sabemos se houve ou nio desaveoca
entre os Exms. ministros ignoramos se ,
a ter existido teve por cama algunos me
dida de poltica, ou se tio somente foi mo-
tivada por assumptos particulares : partin-
do porem mesmo da existencia d'easa
desaveoca, nao vemos como se pode ir ale
a conclusao que embora baja desappare-
cido embora nunca influste na marcha
da administracaS e na sdopcaS destaa ou
daqueilas medidas embora nunca se re-
sentase sua influencia embora mesmo ja
nao exista, e continu, pelo contrario,
como dantes a reinar a concordia as de-
terminacoens do gabinete tem ella abala-
do o crdito do ministerio e ameaca sua
disolucao.
Na 5 he a primeira vez que em paiz cons-
titucional factos de mnito maior gravidade
do que esses que podem baver occorrido
o gabinete brasileiro tem dado lugar a
crise de naturesa dessa cuja existencia
nos foj relevada acontecendo mesmo que
casa dissoluca5 espontanea do ministerio se
prolongue anda mais duradoura do que
foi* uossa 5 e, no entinto temos visto
muitas veses congrassarem-se os membros
desses ministerios, e a adroinstraca con-
tinuar por' diante como dantes. Anda
nao vimos que nesses paizes, maisdo que
o nosso acostumados ndole do systema
representativo, e pratica de sens princi-
pios encarem os polticos por mais aves
sos que sejio ao gabinete essa ephemera
perturbacio de harmona como de vemos
trazer a dissoluca do ministerio e como
sendo sua contiouca8 perigosa anomala.
Pactos recentes occorridos em Franca ,
poderiamos trazer em prova do 'qun avan-
zamos se de. exemploa fosse muter em
materia que de sobejo ,*provio a refle-
xi e o racionio.
Com tanto que se haja restabelecido 0
continu a harmona; com tanto que a no-
vem de desconfianza se tenha desfeto ante
a prudencia e o patriotismo nada ha que
exija nem mesmo que justifique ama dis-
soluca -
Coro tanto que a marcha da administra -
cao nunca se tenha mostrado vacUite edu-
bia ; com tanto que sua poltica nao ten ha
soffi do tergiversacoens, que ante a na-
ci cont"ue unido e persistente o gabinete
que nunca se mostrou incertoou dividido;
nao pode a, man i festaca 5 deque, em um
dia ja pussado urna circunstancia que foi
e he de todos ignorada deo lugar a urna
divergencia de que se nao soube sena
muito de pois de haver desapparecido, in-
fluir no-crdito do ministerio e abalara
con fianca nacional.
( Correio Oficial. )
De huma Carta fidedigna do Ro de Ja-
neiro extractamos o seguinte A escan-
dalosa desavenes entre o Ministro Vascon-
cellos e seus Colegas deo motivo a que o
da Marn ha pedase a so* oVmissao no I.
de Janeiro o mesmo fez o Vasconcelos
assim os mais. No mesmo da o Regente
chamou o honrado Dezembargador Caeta-
no Maria Lopes Gama, e o encerregoa de
organsar hura novo Ministerio ficando
com a pasta do Imperio e convidando pa-
ra a da Justica ao Desea bsrgador Mano-
el Ignacio de Lacerda. Logo que os mais
Ministros d'Estado souberfo destis pessot,
foraS ter com o Torres (o da Marinha )
e taes couzas fiserio que conseguira5 re-
concilial-o, ao menos osteneivamente com
o Vasconcellos e Ha I i forao todos pedir a
a reintegraca ao Regente que devia fi-
car espantado de to n-olto proceder.
D'ahi a das porem appareceo no 7 de
Abril urna diatribe contra o virtuoso, e mu
digno Brazileiro o D*sembargador Lopes
Gama pondo-o d'impostor, que abuza
d'amizade do Regeofe para inculcar-se or-
ganizador de Ministerios, &c. &c. O Lo-
pes Gama tirn disto huma desforra com-
pleta : respondeo no Jornal do Comtfiercio
expondo todo o acontecido. auctorisado
para isso pelo proprio Regente. Eis o fa-
do tal e qusl que encheo de rouita
gloria ao Lopes Gama e tem chamado a-
inda maior odozidade contra o Vasconcel-
los. Tudo, que por ah se contar
contrario ou diverso do que veoho
de relatar-lhe, mea Amigo he fora da
verdade..... O Lopes Gama faz
honra sua Patria.
LOTERA DO SEMINARIO.
O Retor do Seminario Episcopal de O-
linda faz sciente aos amantes da Lotera ,
3ue as rodas da Loteria concedida a favor
a insti ucefo dos Estudantes pobres andad
impretervelmente em o dia 18 docorrente
no Consistorio da Igreja de Nosa Senbora
do Bosario.
TINTURA DE VENUS.
Para fingir oa cabellos da cor que se desejar.
Esta maravilhosa composicio inventada
pVlo famoso Kelper, chimico de Berln ,
tem merecido a geral spprovacio de toda a
Allemanha, assim como tem tido em Fran-
ca boma nteira preferencia, as outras
invencoes desta especie, pelas immensas
vsntagens que sobre tod-s ellas tena 1.
De exigir penco tempo para producir o seo
effeito. a. De dar aos cabellos a cor que
se deja. 3. De vigorisar o sea erescimen-
to, em lagar de producir, assim como
muitas ou 1 ras, a dureza e cada delles. 4 *
emfim, de ser duradoura por muito mais
lempo.
Maneira de se servir da dita Tintura.
Lavar-se-h primeramente bem os ca-
bellos com agoa moma, e immedatamente
ao depoia, com a mesma e sabio. Isto
feito enxigoar- se-hao bem os cabellos com
agoa lmpa e tomando hatea gema de ovo
bem batida, esfregar-se hio perfectamente
com a dita; e sendo tirada teda gordura
natural, ou artificial, que pnd6 conter ,
lavar-ae-ho de novo com agoa ate qu*
elles fiqnem perfeitamente limpos, e logo
queelles e ihea-ha a Tintura de Venas, pela forma ,
e da maneira aeguinte.
Deitar se-ha em hum pires, huma pe-
quena porcio da supradita Tintura e c m
adjutorio de hum pequeo pincel de b^rb ,
molhadoem Jila, dar-se ha com igualdade
nos cabbllos a saber huma nica vez.
ae os quzer aloarados, duas veces m acas-
taahados, e 3 >a 4 vezes, em fim, se se
desojar que fiquem mais ou monos negros ;
devendo tomar sentido a reSpeito d>s suis-
sas, e otros cabellos prximos ao rosto ,
00 pescoco, de esfregar as partes da pel-
la visinha com alguma substancia anctao-
sa (bem como banha, ou outra) a fim de
evitar que alguma tintura se despegando
por acaso (qorando anda nao aeccaJ do
pincel, ou do proprio cabelle, nio venha
manchar o rosto.
A operado acabada, eos cabellos seceos,
impar se-ha a gordura do rosto esfregan-
do os logares com huma toalha e, detan-
do emfim nos cabellos hum pouco de oleo
oa banha pode se sahir a roa ; tendo atu-
rado toda a operaeio iwnos de huma hora.
Esta tintura que como ja dase, he mui-
to atarativa, resiste alem disso aos mais
fortes detergentes, de sorte que nio se
corre o mnimo risco de >ujar com o suor,
nem oraste, nem a roUpa.
O deposito na Pernembuco dos frascos
de Tintara da Venus, achs-se na toja de
J. Meroz Relojoero r-raca da Independen-
cia pelo preco de dez mil reta cada fras-
co.
Avisos Diversos.
m O abaixo aasignado, encarregado
pelo Eim. Commaadante daa Armas de
promover a compra de 16 cavallos necesa-
rios ao Esqnadrio d'Ariilharia cavado ,
que se vai organsar debatxo de sua direc-
to ; convida aa pessoas que tverem caval-
los gordos capados de t a 7 palmos de
altura, de dade de 5 a 7 annos, e man-
sos de freio e sella, hajao de comparecer
na casa de sua residencia Ra do Hospi-
cio com os referidos aniones a fim de
que depois de experimentados, e jutgados
proprios para o servico a que se destinad ,
se trete de facer os competentes ajustes-
Jos Maria Ildefonco Jacome da Veiga
Pessoa, Capillo d'Ariilharia.
__ Queru est'iver na9 circunstan-
cias de poder ser admiltido a Novi-
90 da Ordem do Carino comparez-
ca perante o Padre Provincial do
Convento do Carme- do Recife.
_ Quemqaiser hipotecar urna motada
de casa terrea livre e desembancada sita
na povoscio dos {Togados, dirija-se ao
principio do atierro venda D. 4, que a-
char com quena tratar.
_ O abaixo assignado ama ao respei-
tsvel publico, que ninguem contracta a
compra, nem bvpolheca de quaeaquer
bens com seo filho Justiniano Antonio da
.Fonceca, por os ter elle havido com os
Vos do finado irmo Silvestre Marcelino da
Fonceca a acher-ee o abaixo assignado de-
mandando o dito seo filho justiniano para
Ih'osentregar todos, como he de Lei; e
toda a siza paga posterior a este annuncio
sejulgara nulla por qualquer negocio de
trato que fizer o dito seo filho, ficando sem
vigor, visto achsr-se at o presenta des-
t mbaracados os seos bens, e a pessoa qne
com elle tiver semellwntes negocios protesta
o mesmo snnunciante hir sobre ella, e an-
millar qualquer convenci pois be calibe-
adamente falsa.
Francisco Antonio da Fonceca.
_ O abaixo assignado, faz sciente aos
Srs. do seu coahecimento e amizade que
mudou a sua residencia d is 5 rontas para
a roa da penha D. 3., terceiro andar.
Francisco Jos dos prazeresCamboim.
_ precisa-se de ama ama de leita forra,~
oa captiva : na pracinha do Lirraniento
por cima da leja do Sr. Hercolano.
_ No dia 5 do correte pelas 3 horas
da t -rde fartara da venda da roa Direita
D i6om relogio de praia com cha re e fita
preta jf uzado: quem do mesmo tiver no*
ticia ou Ihe for ofTerecido para comprar,
o poder lomar, e entregar na renda cima
que ser gratificado.
_ perdeo-se no da 3 do corrate desde
a Madre de Dos at o beco do Noronha u-
ma croe de oiro enfiada em hum maco de
contas a7Ues : quem a arhar leve-a ao For-
te do Mallos em caza de Joaquim jos de
Figiieiredo, que promplamenle pftio
echado.
O Ulm. Sr. Francisco Ludgero da
Paz Joo Ribeiro de Vasconcellos Pessoa,
Francisco jos pereira qneira fazer o
favor mandar buscar humas cartas rindas
ds Villa da Granja no beco da Liogocta
na venda de joaquim j s Rabello, pois o
portador que as trouxe ignora a morada dos
meamos Senhores.
_ Aluga-se o arm'acem e i\. andar da*
caca da ra da Moeda N. ltimamente ree-
dificada : a tractar na ra do Vigario D.
_ Aluga5-se doas cazas terreas, urna
na roa d'Alegria e outra no principio do
atierro dos A (Togados: qoem as pretender
dirija se a Jos Higino de Miranda.
_ Aluga-se um preto que saiba plan-
tar em sitio, anda qne nfo seja muito
moco, e da-se pelo sea alluguel 3?.o res:
quem tiver dirija-se a roa do Arago
D. 17.
Qaem precisar de urna ama secca pa-
ra casa de homem solteiro : annunce
O Reverendsimo Sr. padre Ignacio
de Almeida Fortuna queira fazer obsequio
de mandar a bordo do patacho Lial Cons-
tante receber da mi do Mestre Joaquim
/os de Acevedo Serra huma encommenda
vinda da Villa da Granja pois a carta ,
qoeacompanhava a mesma encommenda,
ja ae hV manden entregar.
_ Quem quiser comprar hum preto da
ncio, muito fiel, dirija-se a roa do Tra-
pico novo n. 1 i a tratar.
O Folheto ou manifest do modo de
corar com segu anca a molestia capitulada
Morfea se da gratuito quem delte preci-
sar : na ra Nova D. 19-
Urna pessoa que tem os conhecimentos
nessarios propoem-se a entinar primeiras
letras com toda a perfeicfo e cuidado ene
seus alumnos todo o pai de familia que se
qoeira'utlisar de sen presiimo, dirija se a
fu de Santa Thereaa D. 13.
Precisa se de urna pessoa, que tenha
letra inteligvel, para copiar Comedias ,
sendo estas ponco volumosas, e pagsn-
do-se i|ooo cada ama ; nesta Tipografa
ae dir'.
_ O abaixo assignado faz sciente aoresH
peitavel publico que no dia 8 do p. p. a-
partou a sociedade que teve na lo ja de ma*
desas da ra do Queimado D. 5 com o Sr.
Antonio Jos Fernandes da Costa e des-
de esse dia ficou a luja por conta do dito
Snr. e de sua firma s ficando obrigado a
pagar todos os credores da loja os quaes
podcmapresentar-lhe suas coritas para se*
rem em boleados da extinta firma de Euze-
bio Pinto & Comp. no praso de quatroMias
da data por cujo motivo lte fica perten-
cendo a cobranca e recebimentos dos deve-
dores na mesma loja por isso que estou
inteirado da parte que tinha em dita socie-
dade como consta do recibo que psssei a
dito Snr. Costa. Euzebio Pinto.
_ Na 1 ua do Padre Floriano casa terrea
de uma porta e duas janellas ensina-se
meninas a ler escrever, e contar e to-
das as qualidades de costuras por preco
muito commodo e tambem se recebe mi-
ninas gratuitas que suas miis nio tenhio
possessoens para pagar : as pessoas que
quiserem podem vir a dita casa que cha-
rio com quem tratar.
Aluga-ee oa arrendase um bom ar-
ome* proprio para qualquer eslabeleci-
mento: na n-a do Rozaro estrella D. i5,
os peitendentcs dirijao a rus do (ueimado
loja D. a.


^M
'
w~-^m
4
DIARIO DE PRNAMBCO
Carao d'InstruccSo Primaria.
No dia i. de Marco na ra da Cadeia
do Recife, D. 3; ; teve principio este
Curso lio inteiessonle como necessario a
todas as classes da sociedade ; porque alera
de fornecera os .meninos coabecimentos
nais que suficientes da lingoa materna ;
abrange os objectos mais importantes do
Ensino Primario.
Consta de duai Aulas com os seus res-
pectivos Professores.
i. Comprehende ier, escreTer contar,
e dontrina Cbristf
a. Grammatica portuguesa, licio dos
melhores classicos tanto poetas como pro-
sistas a analyse lgica. Nocoes geraes da
historia Brasileira e Portugueza, e da
geogra6a noticia da mythologia para h-
telligencia dos poetas ect. Callygraphia .
arithmetica e Calhecisoao da Doutriua
Christi.
A matricala da primeira aula Gca aberta
por todo anno ; porem a da segunda t, du-
ra at o Gm de Maio. Na segunda aula
fflatriculio-se os meninos-que ja se acbem
instruidos nos objectos da primeira.
Sao admittidos na casa supracitada cerno
pensionistas ou meios pencionistas os me-
ninos que pela distancia do lugar nao
posso ali ir tsludar, ou os que desejem
obter maior grao d'&proveitamentu. Na
mesma casa se acbio tambem abortos as au-
las de lalim e philosophia ja annuuciadas,
alem de otaras particulares paraos pensio-
nistas e meios pensionistas,
Precisase alug.tr um andar de sobra-
do as principaes ras do bairro de Santo
Antonio para urna grande familia qu*
vem de seo engenbo para esta praca nao
se olha preco : na ra de agoas verdes D>-
ciraa 36 ou anouucie.
Um bomem natural desta provincia,
prope-se a ser a com modado no mallo de
caixeiro de engenbo ou mesmo pra ins-
truir as primeirat letras antinneitiica
e grammatica portugueza^ cu jo ajuste
commodo pois que nao tem familia e da
r abonador a sua couducta : tambera, i -
cara n'esla Cidade se Ihe convier, pois que
escaeve e con la bem; quem de seu pr es-
timo se quiser ulibsar, pode-se entender
no forte do mallos com Sur. Lima que
dar aviso para se entender com opreteu-
dento.
Jos Teixeira Bastos comprou por
conta de dois amigos um bilhete inteiro de
n. 2867 da Lotera a favor do Seminoriu
de Ounda
M Desapareceo no dia 3 da correte ,
pelas 6 horas da maubf um molatino for-
ro de nome Manoel de idaue de n pata 8
annos cabello castanbo olhos pardos ,
a facer daqui era diante as transaces da
mesma casa en seu nome visto 6car com
fundos suficientes para poder girar t e isto
por ter o abaixo assignado de hir a Euro-
pa a negocio de sea inleresse. Bernar-
dio Antonio Domingues.
_ Aluga-se um sitio grande, com mu
tos arvoredot de fructos e terreno para
plan tacos com cisa de vi venda t-om mui-
tos commodos coxeira para carrifiho e
mais trranjos na estrada do manguind
defroote de S.Jos : a tratar com Mariana
TJiereza de JeznsSeqaeire em sua casa na
ra nova defronte do porto,
O Sr. que annuncion no Diario de 6
do corrente urna propriedade de trras a
margena do rio capibaribe proprio para
ola na e com boa agoa de beber, dirija-se a
ruadapraia cerrara de Constantino Jos
Raposo.
Aloga-se ama casa limpa com frquar
los sendo 3 envidrassados 2 boas sallas ,
cozinha fora e quarlos para pretos ci
cimba e quintal murado, sita no meio do
atierro dos alogados : a tratar na ra Di-
reita D. 34>
O Sr. que tirn de Correio urna car-
ta por engaso para Jos Netto Naves Juni
or queira ter a bondade de a entregar no
heco do azeite do peixe armasem de Mon-
teire <& Companbia.
Avisos Martimos
PARA A BAHA sabe a 11 do correute
a Escuna l5om Jesuz de Camarag quiser carregar dirija.se a Manoel Jo
quim Pedro da Costa, na ra da cadeia
numero 1.
1
sci
tost abocetado bucos grossos, e nariz
chato com camisa de madapolio e des-
calso ,* quem delle tiver noticia dirija-se ao
pateo do Carmo no primeiro andar do so-
brado junto ao be. Dr. Jos Narciso,
_ Joio dos Sanios Porto aluga o seo
sitio na estrada de S. Jos do Mauguinbo ;
quem pretender dirija-se a sua prensa de
algodi na ra da Madre de Deus n. 35 ,
e vende duas parelhas de cavallos de carro ,
uma russa e oulra castauba os quaes se
acbio no mesme sitio
_ Quem piecisar de um pequeo para
caixeiro de qualquer negocio, annunce.
Um rapaz biasileiro se offerece para
criado de alguma pessoa que for para fran-
9a ou Inglaterra ; quem o pretender diri-
ja-se a venda do beco da lingoela do Sr.
Fontes.
_ OSr. que annunciou ter 30 escra-
vos entre gtaudes e pequeos para vender
a 40o000 um Pe'* oulros dirija-se
a casa de Antonio Luiz Ribeiro de Brito, ou
anouucie a sua morada.
_ A pessoa que quer fallar ao Vgaro
de Pajau' Felis Joi Marques Bacalho ,
dirija-se a ra velba sobrado O. 4o.
_. Aluga-se o armasem dobaixo do so-
brado da Senhora D. lzabel Mara IVrrei-
no fundo da loja de Joaquim Gonsalvea
Cascaa ; quem o pretender dirija-se a mes-
ma loja nu roa da Cadeia n. 45.
_ O abaixo assignado con vid seus
credorts para lUeapreaentarem suas con la
ateo dia i5 do correte para seren pagas
assim como faz scienle ao respeitavel publi-
co que tem traspassado sua venda da ra
a Penba a seu caixeiro Francisco Jos da
Lidia O
_ Que farena Jones & Edwards por
intervencao do Corrector Oliveira, de uma
grande porcio de fazendaa averiadas e
Iiuib aortimento de outras limpas, sexta fei-
ra 9 do corren te pelas 10 horas da ma-
dlt no armasen de sua casa nova defron-
te do trapiche novo.
Que pretende fazer G. C. Cox pe-
las 11 horas da manb do dia quinta feira
7 do correute de mobilha de casa e ou
iros objectos na sua residencia perto da
ponte du Manguind.
Que fas o Corretor Oliveira, de uma
grande por cao de livros, principalmente
no idioma ingles e de varios trastea no
dia sabbado 9 do corrente pelas 10 horas
da manli. no 1. andar da casa D. 53,
ra da Cruz por cima da loja de niude-
zasdoSr. Antonio Roberto.
Compras
Uma casa terrea em quilquer ra do
bairro de S. Antonio que nio exceda de
tfjo'ooo ; quem tiver ammncie.
Um cavallo que tenba carregos e em
boas carnes, para viagem e que nio exce-
da o seu preco de ot'uoo na ra Di re na
D. 34.
Vendas
_ Um sitio na povoacio dos alogados
com duas grandes propriedades de casas
tencas leudo uma solio que he o mes-
rao que um andar defronte da igreja do
Rozario da mesma povoacio com sabida
para a estrada da Piranga coa um bom
viveiro, lugar para otaria bastante barro
para ujolo baixa para capia mais de
5 uo. psele coqueiros, larangeiras ctju-
eiros e outras arvores dnas cacimbas ,
sendo uma de excelleute agoa de beber e
ouiro com bomba e tanque para bando ,
com a vista do comprador se mostrara me-
Ihor o que mala tem, como seja estribara ,
sanzallae &c. e tambera se troca o dito
sitio por oulra propriedade nesta praca e
da-se a preso: a tratar na ra da cadaia
n. 39, ou no mesmo sitio. .
Um cscaler com todos os seos per-
tences muito forte e novo
_ Sement* de ortalica e hiedas che-
garlas prximamente : na praca da Boa vis-
ta D. 16.
Um negro de naci da costa moco,
robu-lo e sadio proprio para todo o ser-
vico : na ra do collegio armasem do Aze-
vedoD 9.
Meios bilhetes da LoteiU do Semina-
rio a 38oo : as 5 pontas D. 9.
Uma rica armacio de uma loja sita
na ra nova com arrendamento que anda
tem de decorrer 9 annos e tem commo-
dos suficientes para uma grande familia ;
huma bonita moleca de naci loanda,
de idade de 17 a ib* annot muito sadia
sem vicio algum ; nma escrava de naci,
co ta muito fiel e paga por dia 480 e
um moleque de naci benguella deaidade
de ia 13 annos, livre de becbigas passan-
do a Igreja dos Martirios no primeiro an-
dar do primeiro sobrado.
_ Um cavallo castanbo, grande pos
sante, e carregador baixo : na tua nova
loja de calderciro IV 14.
Uma porcio de pi de prata pilu-
las da familia chegadas prximamente do
porto e saga' de primeira sorte : na pra-
ca da Boa vista venda D. 9
Duas moradas de casas terreas sita-
ra ra da palma por detraz da ordeui 'ler-
cera do Carmo desta Cidade, bem cons-
truidas novas, com bom quintal, cacim-
ba e em chaos foreiros por muito de-
minuto preco : na ra da Penba venda
D. sa.
* A collecio dos Diarios de Pernam-
buco desde a poca ees que se imprimi
em formato grande, estando jaencaderna-
dos o primeiro volume e todos os ma
is dispostos por sua ordena at boje por
preco commodo: na roa da Florentina na
casa oltima junto ao sobrado do Sr. Eiras.
Por preco commodo ot livros seguin-
tes: Virgilio Fdlice, fardessus, Acgnan,
Martin* Storch Pollwur Vatel B.
Sary Catbecismo do mesmo : da praca
da Boa vista D. io.
Espe|hos grandes proprios para se
botaren em sala, e com douradouras finas:
na casa de Hermano Mebrtens na ra da
Cruz D. a3.
Um pianno muito bom para se a-
prender: por 70,000 is. 1 no Hospital de
Caridade.
_ Barris de vioho feitoria tinto e
branco de 4 at taem pipa : na ra do
crespo D. 9.
Uma escrava de angola de bonita fi-
gura engomma cozinha cose cbi e
propra para todo o servico : na ra do
Livramento D. i indo da pracinha.
Novo sortimento de taboado de p-
nho de todas as larguras e compnmentos ,
e uma porcio mais ordinaria; no armasem
junto ao sobrado atraz da casa da 0-
pera.
_ Bom rap de Lisboa ebegado ulti
mmente por preco commodo : na ra da
cadeia velba n. 10.
_ Uma loja francesa, sita na ra no-
ua D. 19: a tratar na mesma.
Rap princeza de Lisboa em libras e
as oitavas a 4o rs., dito areia preta da Ba-
ha dito de Pernambuco dito imperial,
rolio fraucez engarrafas de libra, cha issorl
de primeira sorte dito perola, dito im-
perial bicos finos largos e estreitos ren-
das largas e estreitas, ditos das mesmas
-^ ____
brancos e pretos meias de seda preta a
branca para bomem e mulber 'ricos cor
las de vestidos de l, seda e de cambraia
sarjas e sedas pretas e de cores lualhas e
guardanapos de liuho e panno de algodio
para cnbrir mezas : na ra do Crespo D. 5
lado do norte.
Escravos Futidos
N dia quinta feira ai do pasudo
mee pelas 7 horas da noite desapareceo da
casa de Manoel Jos da Silva Neiva na roa
estreita do Rozario S"brado de dois anda*
res que tem por baixo tenda de barbero,
um moleque meio novo na ierra que poo.
co sabe fallar apelidado pelo nome da
Gaspar e sendo pelo de Joio no poder da
Manoel Adriano da Costa morador nu 5
pitillas quando d'antes o pouuio, tem mu.
ta boa figura bem parecido. tem dois
denles da frente da parte de cima abeitos
para os lados e agengi vas dos debaixo
alguma ecuza roixa representa ter de ida-
de r 5 annos pouco mais ou menos fuj
vestido com camisa de paninbo ja velba e
rota pelas costas na parle esquerda ecil.
sa de brim pardo de listras ja desbolada e
remendada no assento com chita de pinta-
ras encarnadas ; qoem o tiver recolhido
talvez por ve lo vgnbutido ou delle tiver
noticias certas dirija-se a casa a cima dita
que receber 15o,000 res.
Na vespera de festa do anno de i835
fugio do poder do abaixo assignado uma
sua escrava de nome lzabel, de naci Lo-
anda muito ladina bem fallante, cor
bastante preta estatura regular, dentes
abertos e limados olhos pretos e muito
vivos 'os ps seceos e compridos com os
dedos mnimos de ambos os ps virados pa-
ra dentro que parecer cortados as costas
com urnas poucas de marcas muito alevan-
tadas este he o melhoi- signal pira conhe-
ce-la que parecem ter sido siuatrzes de
chicote, decorpo cheia e cadeiras ale-
vantadas e quandoanda rebola-se toda ,
ella entitula-se forra, e pode ser que tenha
ja mudado de nome, rogarse en arecids-
mente a todas as aulhoridades policiaes co-
mo civis e militares; assim como os ca-
pities de campo e mais pessoas particu-
lares que s pegar leve a jua Direita D. 53
no segundo andar que recebea 100,000
de gratificacio*
Desapareceo no dia i5 de Feverei-
ro, bum negro de nome Pedro, de
naci representa ter 3o annos de dade ,
estatura ordinaria tem barba calta de
brim camisa de algodf ozinho e levou
uma correle no p, lendo no mesmo ubi
signal da mesma corrente, quem o pegar
leve a ra de S. Gonsalo D. 11 que ser
recompeusado.
Mu vi ment do Porto
, uno iur gilva Mayer ficando o mesmo autborisado | Independencia n. 39.
largura mais ordinarios para enfeitas de
vestidos, ricas fitas de guarnicfo de bom
gosto ditas mais estreitas pentes de tar-
taruga para marrafai estojos de duas na-
valhaa lisoorinhas para unha ludo fino
e inglez pentes finos de marfim, ditos de
a'isar finos de baldis escovas para den-
tes ditas para roupa e cbelo caixinhav
de jogo de lotera chamado vispora tints
lina de escrever preta e encarnada bo-
toes de vidro para colete estrelas e globos
para officiues Je G. N. e inferiores, tira
logo de varias quilidadps e uma dasqua-
es nunca visto aqu peonas de escrever a
aoo o quarleirio as verdaderas pilulas de
familia ntraseos de 5o e loo com o seu
competente folheto, superiores bichas che-
gadas ltimamente ludo se vende a preco
barato : na praca da Independencia D. ao,
e na ra dos Quarteis D. 3.
m Los de Fil de linho brancos e pre-
tos e de {todos os tamaitos lencos e
gols mantas pretas tambera de fil de li-
nho, fi lisos e bordados, rendas e bicos
NAVIO ENTRADO NO DIA 5.
ANGOLA ; a5 das Sumaca Portugue-
za S. Jos de 75 tonel. M. Manoel Jo-
s de Oliveira, em lastro: ao mesmo
Mestie.
SAHIDOS NO MESMO DIA
GOIANNA; Hiate Nac. Conceicio do Pilar,
M. Antonio de SoQza Louro carga va-
rios gneros.
BAHA e Mace i ; Barca de Vapor Nac. S.
Salvador Cap. Joio Nuthura passa-
geiros 4> '
OBSERVACOENS
Sabio para o Norte da America a Galera
Americana Francisca Henriete que esla-
va no lameirio.
Deo fundo no lameirio a Polaca Sarda Vir-
go o Pteos vem do Estreito em 34
das, Capitio Andr Bregante carga
' varios gneros : a Schramm.
Fez su de relia pina Babia o Patacho Nc.
I. Conceicio, Commandanle o i.Te*
nenie Jos Joaquim'de Aguiar cooduz.
, madeiras e *5 recruias, e 3 desertores,
veto de Macei em 3 das.
PER3,, NA TYP. DE fo.F.DEF. i83a
______


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EXOFONONV_EVNB51 INGEST_TIME 2013-03-29T18:10:27Z PACKAGE AA00011611_03775
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES