Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:03766


This item is only available as the following downloads:


Full Text

Anno de 1841. Tic $k Feira
Tmlo agora dependa da nos mesmos ; da nossa prudencia, modara-
com d-uiracio antre as Naces hus cultas.
Proelamaco da Assemblea Geral do Brasil.
i ni a
Subacrave-te para esta folha a o/ooo por qu artel pagos adiantadoa
-"a Typograiia ruadasCruzes 0.3, e na Praca da indepeuHen-
n. 37 a 58, onde se recetiera correspondencias le^alisadas e an-
nuncioi JVmsirindo-ac astea ralis sendo dos proprios asignantes, a
viudo assgoadoi.
PARTIDAS DOS CORREIOS TERRESTRES*
>e^. a Sextas ferias.
Cidade di Parahiba c Villas de sui preteneo ti.....1
Dita do Rio Grande do Norte, e Villas dem.......I
Dita da Fortaleza e Villas dem............. I
Cklade da (ioianna..................../
Cidade de Oiinda..................... Todos os das]
Villa deS. Anto...................... Quintas feras.
Dita ala Garanhuns e Povoaco do Uon.tu .........lo, e a4 de cada mes
Ditas do Cabo, Serinhaem, (lio Forasoso, e Porto divo, i, n, e ai dito dito
Cidade das Alagoas a de Macet............dem dem
Villa da Paja de Floras......................dem 13, dito dito
Todos as Corrcioi partem ao meto dio.
PHASES DA LOA NO ME'/, UE ABR;
La Chaii a 5-as M b. t 8 m. da tard.
Quart.ming. a i3-as 7 b. e La Nova a ai as 0 h. e io m. da man.
Quart. cresc. a a8 as 6 b. e 36 m. da man.
Alare tkaa para 0 dio 1- te A'irll
As Q horas H minutos da manhi J
Al 9 boras e 4 i minutos na Urde.
27 "K A 15*1 L. NlM. )I
CAMBIOS. A dril a 5
Lxidies...... 3( d. por Ijaoo etd.
Lisboa ......8o por o|o premio por metal oli'caeidai
Frailo...... Mr res por franco, Comp. Vendas
OURO-- Wneda de 6%oo reis, velbas l^-ioa l'iQta
Ditas ,, h novas i<5>o 14700
,, Ditas de tooo reis, Hf*ioo 8|4*>o
PaATA -- Pataccs Bratiieiros ----- 1680 iS;o>
,, Petos Columnarios ------ ifiSo tf-jio
Ditos Mexicanos ------- ijjtioa ifao
Miu.ii. ..--..-..---- ijjf^t'J i*8
Dase, de bilb. da Afl'andega 1 i8 por looao mez. I ojo
dem de letras deboas firmas 1 i|2 a 1 i|
Vn*d* de cobre a por too de disc. ao par
Jedulas de pequeo valor J|a ojo a 1 0(O
DAS da semana.
a5 5igoadaS.Pe.lro de Rate;--Audiencia do Juia de ircilo da a.
vara.
37 Terra S Terluliina t. llellano e audiencia do Juiz de Direitoda I.
vara.
a8 Quarta S. Vital M. -- Audiencia do Juiz da I), da 5. vara,
ag Quinta S. Ped o .M. -- Auliencia do Juit da Direilo da 3. vara.
3o Sexta S. Ca'htri ia de Sea. -- Auliencia da Juiz de I) da 1. v.
1. Sabbado S. Kilippe e S. Tugo. Kellac'to auliencia daJuit, de D.
ila 3 vara.
a Domingo A Mit;rnilade de N. Sra.
P s
R N A MBUCO
GOVERNO DA PROVINCIA.
Expediente do da 20 do correnle.
Officio Ao Commandante das Armas,
para mandar escusar do servico militar ao
Soldado do Deposiloo Marlinho Jos Pereira.
visto ter provado com documenlos que nao es-
t no caso de ser empregndo no mesmo ser-
vido, por ter em seo favor algumas das excep-
coes marcadas oasimtrueges de 10 de Julho
de 182a.
Dito Ao mesmo para mandar igual-
mente demillir do servico militar o recruta-
do Domingos da Silva Jnior pelas mes-
mas rases ponderadas uj piecedeule offi-
cio.
Dilo Ao mesmo, significindo-lhe que a
Presidencia tem concedido licen.a ao Atieres
Ajudante d'ordens da mesma Presidencia Jo-
te Bernardo Femantes Gama para ir a
Corle felicitar a S. M. o Imperador pelo Ac-
u'i sua Coroaco por parle da Cmara Mu-
nicipal de Cimbres.
Dito-- A Inspector da Thesouraria de
Faaenda, communicindo-lhe o conteudo 03
precedente officio.
DI0--A0 Inspector da Tbesouraria das
Rendas Provineiaes parcecipando-lhe que
Assemblea Legislativa Provincial tem re-
volvido mandar urna Depulacao Saudar a
Sua Mgestade o Imperador no Acto deSa
(.'oroacu, e nunaeapa ao Doutor Manoel Man-
des da Cunha Azevedo e Hachareis Felis
I'fixoto de Brito e Mello, e A. U. Ucboa Ca-
valcanle. Jurses de Direilo.
DitoAo Presidente interino da Relaco
eommnnicando-Uie o conieudo no precedente
oficio.
Dito Ao Administrador Fiscal das obras
publicas ordenando-lhe que a vista da iu-
f'ormacro do Inspector da mes mas obras pro-
coda ao ajuste das madeira de que Uala o
aeu o linio de 19 do torrente.
dem do da ai.
Dito Ao Commandante das Armas, pa-
a demillir do ser vi 90 militar como prope
m seu officio de&ta dala ao Cabo F. M. Vi-
anna, e Soldado J. da C. Leile ambos do ler-
ceiro batall.o de Artilheria visto lerem
sido j 11 liados pela Junta de Sande, inca pa-
les do mesmo servico
Dilo Ao luspecior Geral das obras Publi -
cas; approvando a dtscripco e ornamento das
obras dos leparos que precisa a parle da es-
trada nova do Pao do Albo.
Dilo Ao Administrador Fical das obras
publicas authorisando-o par faser eecli-
Ta a compra da madeira ajustada para o for-
necirenlo dos arraasans das mesmas obras.
Dilo Ao Reveituo Gvernador do Bis-
pado enviando-lhe em rousequeucia da
Resolutao da Assembea Legislativa Provin-
cial o requerin*nto do Reverendo Vigariode
Ipojuca Joo W.uiitio da Conctico a fm
de informar a terca de seo conieudo ouvindo
o Hevertndo > igario da fc'reguesi* de heri-
nhaem.
Dilo Ao Directoi do Liceo communicaii-
do-lhe que a Piesideocia alteiideudo as ra-
6es ponderadas em seo officio de 16 dj cur-
enle que servio de inormaco ao reqaeri-
do atbarel Louienio Aveliuo de Albuijucr-
que e Mello mandou prover o mesmo 15a-
fUiel no Emprego de professor da Cideira
de Grammatica Litio 1 dj Ri > Formosi.
dem do dia aa.
Officio Ao Commanrlante das \.r.mas ,
para fazer demillir do Servico ao crioulo
Boaventura escravo de Djna Theres de Je-
ss Mariar que com o norne de 15 inventara
dos Santos asseotou praca, visto ter a mes-
ma D. Tberesa provado ser elly seo es-
cravj.
Dito Ao mesmo para i;;uilmenl > faser
demillir ao Soldado do Deposita Ignacia
Francisco da Silva vistD ser casado e na
estar no caso de servir ni p -imeira Linha .
Dito-- Ao Inspector da Tbesouraria das
Rendas Provincies, parlecipando-llie que ten -
do adoecido o Doulor Manoel Francisco de
Paula Cavalcante uomeadj pela Assemblea
Legislativa Provincial para ir com os domis
Membros da respectiva Deputaco Saudar
a S. iVI. Imperial no Acto de Sua Ciron-a,
nomeou a roesma Assemblea pira o Substi-
tuir ao Djutor Firmino Pereira Mouteiro.
Dito Ao Presidente interino da Belago
communicando-lhe o contenJj 03 precedente
officio*
Dito A Admiuislraco do Patrimonio dos
Orfos parlicidindo Ihe que a Presi leu'ia
tem nesla data prvido ao Revenda Joie
Fianci>co de Arruda noEmpreg) de V:e-
U.rector do Collegio das mesmos orfas.
Dito A Cmara Municipil de Cimbres ,
signiGcando-llie em resposta ao seu o'lL-n
de 8 do crrente que a Presidencia conven
na nomeaco que. fe a mesma Ctmira di
Teuente Coronel Leonardo Bizerrra de S-
queira Caval.-anti edo Alferes Jos Bernar-
do Fernandes Gama, par irem en Cimmis-
so Saudar a S. M. Imperial nj Acio de Sui
Corjacao.
Dito -_ Ao Inspector do Arsenal de Ma-
rinba, para ordenar ao Commandante da Bar-
ca Poituguesi Mara Primeira que co.-i-
dui a Kxpe liceo para o Rio Grande do SjI ,
que dtvn largar lioje na mar de tarde pira
seguir o seu destino.
Dito Do Secreta,i) da provincia ao di
Assemblea Legislativa Provincial enviando
para ser presente a mesma Assemblea a infor-
maco dada pt.la Gorvernador do Bisaado ,
sobre as reprsenlaces de Anto de Soun ,
eoulros habitantes da Ribeira de Mocho
dem do dia 23.
Officio Ao Commaodante das Armas ,
parlecipando-lhe queannuijido a Presiden-
cia ao requerimento do Sol lado do Deposito
Modesto Autinio de Moraes e silva a sua
inloi maco Ihe ordena que o remella ao Ci-
mandanle do Brigue Escuna Gararapes, a
rim de ser efectuada a sua passagem pira a
Marinha.
Portara Ao Coaamandiule da Bri,;u;
I scuua Gararapes para receber a seu bordo o
Soldado de que trata o precedente officio.
Officio A Cmara Municipil do Recife ,
parlrcipando-the que a Assemblea Legisla-
tiva Provincial approvou as comas da Recet-
la e desLesa da mesma Cmara perleucen-
tes aoanno fitiauceiro de iBJija i.Sjo no-
tando todava a respectiva Commissa filiar
no bataneo a declaraco das quanliis parque
no auno anterior faro oreados cada uro do
objeclos que lisero as rendas d Cmara,!
declaraco esta indispensavel para a coiiferen- ,
ca do arrecadado edo dbil., como ro.smo
para fiscalisaco e exames das dilas coutas.
Dilo A Cmara Municipal de Santo An-
ua purtecipando-lbs s que As*emblda Le-
gislativa Provincial approvou as contas de reate, oqusl podia servir de. informici u
Receita e despesa di mesma Cmara relativas, prelenco daSupplicante.
aoannode 1839 a 18^1. Dilo Ao mesma E Dito A Cmara Municioal da Bonita, fa- do-lbe o requerimento do primeiro Cadete
sendo-lbe i^uil cimmunisac). Jafj Cavalcinte da Albuiuerque, quepedi
Ilem da dia a4 a S, M.o Iroparadar a Graea d'o promover
Officio AoCammandinte Superior da a segunda Tenente do lerceiro Hatallin de
Guarda Nacijnal da Recife. ordenan lo que Artilheria e informando orno s8vdjoffi-
mandedespepsar diservigo da Guarnicao ao ci nrecedenle.
Guardada primeira Compin!ia do segunda Dito Ao m-smo Exm. Sor., tranmitliu :
Batalho Joio Cavaleante de Mello e Albu- do-lhe o requerimento do primeira Sargento
querque visto achar-se empre^nda coma Alma.varife da Fortalesa de Taroindan-.Di-
, primeiro Esciipturaria da Contadaria daj miio Jos de Albuqjerqm que a S. M.o
Rendas Provinciaes. Imperador pedia sar pronta vid a .11 paito da
Dito-- Ao Inspector da Thesourarii das seguujj Teuente Ajudante di m^iaa Forta-
Rendas Provinciaes, communicanda Ihe o lesa e informn 1 qua o Suplicante pelos
conieudo no precedente offieia. seas servicos condu-a, e avanoada idale,
llloas. Snrs. fasa-se recommendave', parecen lo-lheen-
Accso a recepcaa do offieio de V, S. em tretanto que o posto de segundo Tenante Ihs
data de 16 do correnle dirigi i j suiscan- devii ser canferida coajniictiaaeii'.s cam asna
gratulaces par ter eu tomada possedi Pre- reforma.
siJencia desta Provincia ; para a quilina- Dita Ao mesmo Exm. Sur., enviando-
ve S. M. o Imperador, Faier-me a honra de informado em sentido iavaravel o re^usrionn-
Nomear ; convidando-me ao mesmj teaapa to do Alferes J. B.F.Giaaa, naq'iilpsdi
para Socio Honoraria desta patritica AJoei jlicenca pira ir r Carie henar a Vl"j de S. M.
aco. Em resposta tenho de significar a V v. [e leli.ital-o p>r pirte di Cimar en rrita ue
S, que muito Ihes agradeco este lestemunho : Cirobres pelo Acto di S.ia Sagraco e Cira-
e sua allences para comigo e quidejaco, e permisio ao msma temp i piradei-
xir seus vencime.itos a sua familia nesta Ca-
pital salido entregue a se > procuradar.
Dito -- .Ao mes.no Ex n. Sr. comajuni-
canda-lbe que linlia contractadi cam o Ci-
SS
de
bom grado aeceitao lugar de Sacio aora-
io que VV. SS meconferem a&incanJ -
Ihes a roinha coadjuvaga por toJosoimens
legaes em beneficio do Cammarcio desla Pro-
vincia.
DeasGuirds a VV. SS. Palacio daGa-
vernade Pernambuco t\ da Abril de i8|i
-Manael de Souza Teixeira Sirs Prest-
dente e Membros d 1 Aisa.-iico Cim n?r.-iii
desta l'r.ivincii
Dito A Commissi Administradora dos
Hispiues de Candida ptr fuer entreg ir
ao Reverenda Prior da Convento di Carina
desta Cidade o corredor d i frente da segau lo
andar do referido Convenio que f :i par
rurgiaij. T. da R. Gil/o pela quantia de
i;oaaU de reii e hir elle acompin laudo o
Contingente de Tropas que ss nnndiva pin
a Provincia do Rio Grands do Sui con a
clasula de eifectuar osau regressa a cusa do
Gaverno, e quederenlo elle levar 1 pajujni
ambulancii piri cuntivo e Intmenla
dis pracas que infar.nas.eai diIMntj a vi-
ge.u ,a linha mludido prepirar em lulo
igual a que acompanhara a expedidlo q le
diqni marciioa em es?mb."o diannipo-
c na do Lyceo elodis ai mais partes quj mo passido, Coacluii paliada suas ordns
estiverem de voluka. ?*t qc-e o Alferes F. P da R.'go Birreta ,
lAilo Ao Reverenlo Prior da Can vento norneado pira Cmmnlai-, ecinJuaira
do Cirma desuCidide, co n nu.ai^an la-lha 1 Tropa ao Sui e u Cirurgiaa GiUa fasse n
o conteudo na prejedeoli oh :ia recebidos abarlo di E.cuna de Guerra di-
quella provincia se se tisesie de vella para a
Corle; poriio que a nbas tialiao de seg lir
para ali,
Dilo--Aa mesma Ex n. S ir. encimi-
iihii I i-l;i; i'ilo.'mui > o leo/ieii neuto do
Soldado do Deoosito Ijnicio Francisco da
Silva, que pedia de.ni:o pa.- ser cidaii, vi-
ver com sua mulher e sustentar sui velha
Mi, ten lo por lulo isj si la recruiadaca-
tra a Lei.
Di'.o Ao Commanlan'.e iaterina da Ei-
quidro, remellen lo lie 35 Canee|taa> di
Deciplina de pracis desertoras do mes-
mo Esquadro osqjias linh nti.'idadofa -
ser pelo lerceiro Batalhla de Arinherii.
Portara Ao Ca.nuiaiidinle interino da
Fortalesa da Brum, pira que apre.entas>e
ao NegOJinle Luiz Gj.nes h'erreiri lolis
as placas destinad is a Fspedieo do Sui ali
aquarleladas a fin da que ede p*s>)aletl-
iniuasse se deulre ellas ejt ivj doi Oie;a-
vos seus.
Dilo Ao Commandante interino do De-
posito minJanJo en execupi ao o'fi-iaai
Presidiada de>u dita dir ileni;a -t^t Sj.-
Jad. Domingos da iylva Junio.-, pj)r ter a u
ssu favor algumas dis excepjes mirci.lo
as Instru.Ges de 10 de Junno de 16a 1.
Dito--A Cmara Municipil da lc/ife
participando-Ihe que leudo a A. L. Provin-
cial resolvido que seja chamados dau> de
seos Membros Supplentes, que maiipe.ta
esteja a fin di suppiren a taita do D.* A.
[>. M Mopteiro, e F. de P. C d'Albuiuar-
que Lacerda ; cumpre que em observancia
desta resolugaexoeca 01 compeientea D.plo-
mas os referidos Supplentes.
Dito A Cmara Municipal do Limaeiro,
parlicipando-liie que a A. L Provincial,
ap^ro.ouagritifi.agi de t5aU rs coiceit-
dida ao Procurador da mesma ,Cmara Fran-
cisco Lipts Galva.
C 3 V1MANDO DAS ARMAS.
Etpedieule do dia ao do crrente.
O.Bcio- Ao Ex n. Presidente, enleressan -
da-lue o requerimento da primeiro Sargento
t'articular Eugenia Lu.z Fiaiuo do lerceiro
Balalho de Ariileria que a S. M. o Im-
perador impelrava a Graca d'o promaver a
a. Teneute pira urna das vagaido dito Bi-
tilmo, e informando, que a respatto do
prehenciment de ties vagas nada linha a a-
trescentar ao que dice em offi-io de 19 do cor-


"

& A R I O DE
PERNAMBCO
_________^--------
THESOURARIA PROVINCIAL.
ra do Rosario por estarem cotias c bri-
e o pardo Jos Vital
O Illm. Sr. Inspector da Thesouraria das (jando ; fora solas ; e o pardo Jos Vital
tondas Provinciaes manda fazer publico IN'unes por ter desobedecido insultado e
|ue em virtude da Lei perante o Tribu- injuriado ao roesmo Sub-Prefeto e ti mina ,
nal da jtesma Thesouraria se ho de arre-
matar (iii basta publica a quera mais der
nosdis5 J t e 8 de Maio prximo vin-
douro pelas 11 horas da manb os s eguin -
tes Impostos :
l. Deus mil eis por cabeya de gado que
cr consuma ido*
2. Dizimo de gado vaccum e cavallar.
A arremalacao lie cada um destes rendi-
irentos sei feitn por lempo de tres annos
cuitados do de Julho de io'|i a 3o de Ju-
nbo de 1844 e dnidida segundo os diversos
Municipios da Provincia, reuniido'fle ao de
Flores, o Julgado de 'f acrala e ao dj Boa-
.Visla o de CabroL.
As pessoas que se proposerem a estas arre-
iralacCes compareced na Sala das Sesses do
mesmo Tribunal nos dias a cima indicados ,
munidas de Fiadores idneos.
E. para constar rctndou o mesmo Sr. Ins-
ector affixar o presente e publicar pela
aprensa.
Secretaria da Thesouraria das Rendas
Provinciaes de Pernambuco 1. de Marco de
1841.
O Secretario
Luiz da Costa Por tocan tiro.
no arto de ser suspenso ; por reiterada faltas,
commetlidas no exercicio de Carcereiro e
pelo deslexo em que eu e o rcomotor pu-
blico interino encontramos a cadeia na occa-
sio de a visitronos ; loi remeltido rwra a
Fortaleza do Brunt, para passar Justica,
j>a;la mais consta.
Correspondencia.
Diversas lepartices
ALFAEDEGA DAS FAZENDAS.
EDITA L.
Jaccme GeTardo Mara I.umsrki de Mello j
Inspector interino da Alfandega faz saber
que no dia a8 do ce trente se hade arrematar
rm basta publica ,e'na poits da raesma ao meio
dia 10 bal s grandes, e 5 ditos pequeos com
pe Humanas no talor de 2 cllooo rs. im-
pugnados pelo Amanuense Domingos da Sil-
va Cu maraes. no Despucho por Factura de
N. O. rifber&C, serbio o Arrematante
sugeilo ao pegamento dos I rulos,
Alandega 26 de Abril de 1841.
Jaccme Gerardo Mara Lumacki de Mello*
O Arsenal de Guerra compra 3on arrobas
de plvora sendo 10 fina e aoo grossas ;
qutm as tiver comparece ao meio dia do
amostra e o ultimo preco em carta feixada.
Este cont ite he feito aos Ncciennes e Eslran-
geircs.f^ Ai seal de Guerra a4 de Abril de
^841* Burlamaque,
Director Interino,
CORREIO.
A Sumaca Belmira recibe a mala para o
Cearj boje (37) as 4 horas da tarde.
Cs interessados venhe pagar o respectivo
porte dos cilicios abaixo declarados, para se-
ren remedidos a seu destino;
C, Do Exui. Pie/idente ao Ministro da
Guerra, kteresse de Risa Maiia do Carmo.
C. do dito no Ministro da Marinha in-
teressede Luis Franca Mello.
C. do dito ao Ministro da Justica inle-
resse de Ilenriques Felis de Dacia.
C. do dito ao Ministro da Guerra inte-
resse de JcSo Sepcmuceno da Cesta Mon-
leiroj
PREFFHLRA.
Parte do dia 24 do corrate.
5IIm. e Exm. Sr. Fora bentem presos
pelo Snb-1 refeito desla Freguczia o portu-
guez Joo Jacinto Cari.eiro, por iufracco das
.Posturas iVuuicipaes e pelo Sub-Prcfeito da
JJoa-Vista Agostinbo Jos Gomes Ferreira ,
e Joaqui.T. Jos de Santa Anua brancos ,
file por negar-se ao ser vico da polica e a-
quelle por ser atravessador dos generes de
piimeira necessidade : fora todos sollos.
Ho cuento mais novidade.
Parte do dia a5 do cerrente.
Illm e txro. Sr. Participo a V. Ex, que
iiontcm nao ocrorreo novidade.
Parle do dia at.
Illm. e Exm, Sr. 1 oio hentem presos
pela prior eir patrulba dodisliicio de Fora
de Portas 1' lamisco Mancel da Cesta ,
irsneo e o pardo Flix Jet da Conceico ,
amLcs maiujos do Brigue Escuna Gararapes,
por estarem tbiios 5 lori lemellidcs seo
itsptclno Ccan.ui.daule 1 t- pelo Sub-Pre-
Jeilo dtsta iiegucsia o pardo Fidehs es
travo do Capilo 1 .'nanlo Duarte Brando ,
O pelo Joaquim ttciavo d'Ai.tonio da l_u-
uba Guimares ror tirir proferido pala-
ws tbsceiia* Icu tnliegues seos Sis. :
i-8 pardas Louunia V.'aria da Conceico, t
Mana Mt:sias da hmarrmjo as pelas Se-
Srs. Redactores.
Multas descobertas se tem fulo nesle mun-
do do meu Deus 1 E' bem veid^de que'umas
nteis e outras iouleis mas nenh tato nulil,
como a modernamente feita pelo Sr. Enge-
nheiro Va^tier na costrueco do noso thealro.
A muilo que vemos nesta provincia eleva-
rem-se grandes edificios templos cora turres.
quase vez quase da altura da de Babel e
islo sobre- terrenos pantanosos sera que cono
tudoisto fosae neeessario que se fizessera os
alicerees tora amalgama maca, galagala ,
(ou como quifcwem chamar); ens, gragas
Deus ? Umosa salisfat de ver esses edi-
ficios estiradinhos e direitinhos como uraa re-
ta. Elles com o auxilio da arte anliga de
construir empossara-se dos pas em que
fora edificados tem zombado do tempo, e
dado-nos urna lico mestra de que se multas
artes e sciencias tem lido. progressivamente
maior |.ereico e melhoramento com luda
nonessa total anniqpill^o do methodo
utico que onsiste o progrqsso das lu:es.
.,..,-------- -*------ I !' l^-
KnBtoffiQasavBsmBavmaaiHBia^BHB^a^Ma^BH f^.*.
para seguranca das indemnisaces que teta
a receber.
A' vista das vantagens alcangsdas pelas for.
gas britannica na India, a Inglaterra possu-
ir em bieve Punjab Lahore e talvea todo
o AUghannistan. Os mesmos jornaes trans-
crevem o discurso pronunciado por Sna Ma-
gestaJe Fidelissima na abertura das nossas
ortej e fazendo sobre elle'diversas rellexej,
ante veena que nao ha nenhuma probabiliJa-
de de uraa guerra con a liespanha.1
Trauscrevem aquelles ornaes o discurso di'
presidente dos Estados-Unidos, o qu.il se fe-
rro ouvio r tractando-se alias de j licita de nao haverem os estudos tomado parta
interesses particulares e nao de iuteresses do alguma na actual crise que agila Europa j
Governo, e aununcia que a questo sobre as ironleiras
Sabemos pesitivamente que a condijo do do .Haine se aclia muito adiantada.
dinheiro ser remettido ao Governo Portuguez Continuara as carairas francezas a discutir
em logar de ser pago nesta aos interessados alguns projectos ds inle resse local. Tnha j
foi exigida pe lo Sr. Byanl ( porque pouco i sido lido o parec-r da com missao sobre as for-
irnporta ao Governo Brusiltiio remeller ou tiScacesde Paris,
pagar nesti aos interessados) oqual natural Era Franca constava ter-se concluido um
obrasse por instrueces que linha, o que a ser trjlado entre esta potencia e a repblica dt
assim mostra que o Governo Portuguez tem Buenos-Ayres ; por conseguinte a paz estar*
do rs,, pagando-se porsuasmos da divida
de Portugal aos subditos Brasileiros, J ve-
mosque o Governo Portugus recebar s-
menle Goo contos, e'|dter de entrar com
4oo contos para corapletir o pagamento aos re-
clamanles. O estado i|o Tbesouro Portu,jurfi
ser tal que possa esperar-se que nao retarde
ao menos o pagamento leises 4 coritos ? A
citada conveuco tera. indisposto contra o Sr.
Bayard todos 03 lecamantes, principalmente
porque a exemplo de todas as Naces qua lera
oblido indemnisacSes do Urasil e cujos inte-
resses foram previamente consultados elle
desejo de se apoderar do dinheiro das naces.
E pois de urgente necessidade que sirai-
lhante convenco nao seja ratificada na parte
restabeleeida entre as duas naces, e a Fran-
ca podia dispor das forcas martimas que
tinba empregado no bloqueio daquellas cestas.
em que obriga o Governo lirasileiro ^a remel- As noticias de Argel sao favoraveis para
ter o dinheiro das reclamaces ; bem como 'Franja. Dizem que A bdel-Kader seach*
que seja mais espadado o praso de seis me/x-s
para o resto das recia mamosa.
HliSPANHA.J
Correspondencia particular de Madrid em da-
ta de ao de Feveriro.
Muilo se falla sobre o que ho de fazer as
Mas emfim concedamos que seja jnellior | P">*l,n? Cortes. Ura dos primeiro* objectos
cercea do. iheatro \svm duv,d'1 tractar da Regencia e sao Untos
para a construccio dos al
que se hea esta maa de preferencia cal e runorM "1
Lia o que .o pod.mos supportar que 1 'mente ,esP'rit ^ P^P^
se esteia gastando lijlo novo e nleiro alera r df* a,S,,iaa esl P^o.
do tempo immenso que se gasta ,em pizal-o Fa.l,li-W vm 1 sera composta de cinco
e
V era gra nde apuro e ialto de recu;^. pr*
manler as suas tropas e por ii:o" havii li-
cenceado e leito propostasde paz.
Tinha-se na Blgica promulgado ama le ,-
pela qual sero punidos de hoje em diante ot
provocadores ao duelo com tres mezes de pri-
so e de 5 a 6,000 francos de multa.
Continua a Suisaa a manifestar-se agitada;
No canto de Soloure ura dos mais peque-
nos tiuha-se modificado a Consiiluicio no
sentido liberal j porm o partido aristocrtico
aneacava o caulo com tentativas reacciona-
rias que podera perturbar a tranquil lui-
do publica.
A maior parte dos carlistas refugiados
que a economa' tambera uraa arte .Pouco vivir 1uem ,l3 presenciar o
mui proveitosa ?
Iresultado desta transcendente questo que em
Ora muito bem se eu tenho raso no que breve^e va| a Je"u!ar na9 Co.rl.es n entfe-
digo espero ser altendido do Sr. Vautier tani bom f na0 .faVS" o espirito,
que amante da raso,, e tanto mais aliando a,lnha ultima apontei alguns jornaes ,
ella e requerida por pane
De um interesiado.
Noticias Estrangeiras.
CoanEsponOEsciA do NaciokaL.
Rio[de Janeiro 14 de Dezerobro de 1840.
<|uo ooitturav a Hojoncia ccrca da
i medida por ella tomada contra as sociedades ;
(hoje accrescehtare que o Ecco tambera im-
pugna a ordera da Regencia era que se pro!ii-
bem as sociedades patriticas e diz que ne3-
- se decreto v a mana que por habito temos
berdtdodo despotismo, que confaridir o u-
les e migrados dirigindo-se para a liespanha.
Por noticias de liorna sabia ter all nugado
na vespora do "jatal a rainha D. 'aa Chrii-
tina, a qual acorapanhada de outras altas par-
so nagens assistira ;s festividades da Nati-,
vidade havendo celebrado o efticio diviuo
no primeirodia a. Sanlidade que ao pre-
sente goza de boi saude,
JNa Alleraanln continuam ns armamentos;
Parece segundo os jornaes allemaes que o
rei de aples elevar o seu exarcilo a 100.009
horaens, e o da Sirdenlia a 7a,000 cwn o tira
so com o abuso : ludo o que nao esl prohi-
bido expressamente pelas ieis se acha entre os nico de podoretn no caso'de rebentar u
O nosso-cofrespondente nos diz o seguinte : direilosdo cidadj e pouco entende de li- guerra entre a Franca e as potencias colli-
O MinistroPortuguei aqui residente acaba berdade o que nao a difiue a faculdade de gadas, melhor asserurar a su neutrnlidade
de celebrar urna convengo com o Governo fazer iuipuuemenle oque as leis nao prol- Dieem que o conde do Appony filhodon-
Imperial referente ao pagamento das recipro- bem. b-iixador de 'Austria era Franca partir cora
cas teclamates de prejuizos particulares por Parece-ma que esta medida da Regencia lo^a a breviJade de Vienna psra Paris a fira
eccasio da separaco dos dous paizes cuja que reconhego como violenta Ihe hade tra- l^e entregar a Mr. Guitot o *' ultimtum ui
convenco j foi enviada para Lisboa no na- zer dissabores e queira Dos que nos nao a- que lue dirige o principe da Metternich, par
viofirmtza. Na nossa opinio e na opnio proxime a novas crizes i jquereduza o exercito francez uniciraente a,
de todos oulros procuradores e interessados Tendo-.se consultado a Regencia sobre o 000,000 boraeni que o numero oro-ido pa-
nas referidas reclamatoes a citada convenco que devii fuer-se com os carlistas que su ''* leinpj de pri; e -"juntim que se a b'ran-
comprcmelte noaais alto ponto os interssses tem apresentadoao indulto e antes oblinha !?a se recusar a sto a Austria e a Prassia
dos reclamantes e al pouco decorosa ao logares e erapregos do governo ella acab forraaro sobre a rjnteir.i diqnallt poVoncia
Governo Portuguez. Ella estabelece o enepn- de resolver que pelo fado de se haverem
tro do importe das reclamaces Brasileirasde- constituido iniraigos da causa nacional o in-
vidas pelo Governo Portuguez no importe das dulto so aaucava o delicio de infidencia e
reclamaces Porlugoezas devidas pelo Gover- 'onsequenUmente que elles deviam fiar como
no Hrasileiio. Estabelece mais que o saldo se- raeros particulares,
r rur.etlido ao Thezouro Portuguez, do qual O Jurado de Madrid absolveu hontera ura
os reclamantes Portuguezes tem de haver o artigo commuuicdo do Correio JNacional que
pagamento das suas respectivas lerlamaces. liulia sido denunciado.
Finalmentefixa o praso de seis mezes para a
ultimaco |das nclanagOes anda pendentes.
Todos esperavam e pietenam cobrar directa-
mente do Governo Brasileiro o importe da3
suas reclamaces e todos receiam que o Go-
(Nacional de Lisboa )
RETROS PECIO POLTICO.
Em Inglaterra continuara os Girtistus ou
para mekUor dizer linham renovado as suis
vemo Portuguez de pesse do dinheiro das re- reunies ( meelings ) } sendo o seu aclual e
clan.aces anleponha difficuldades ao paga- principal objeclo dirigir ao parlamento, l-
menlo dos nteiesaados. Este receio nao des- go que se abra, e ao governo, nmeros is pe-
liluido de fundamento se consideramos o es- uses pedindo a soltura dos coodemnadoa
lado de penuria com que o Governo Portu-
guez lucta com referencia s suas inancas. A
convenci mostra que o Governo do Brasil
Pros, Williams e Jones.
Acbando-se o principe Alberto a paiinhar
no iaigo de Frogmoie, em companbia de sua
nao tem conGanca alguma no de Portugal, do 'esposa a rainba Victoria, urna porco de gelo
contraria nada mais natural nem mais conlor- 'quebrou com o peso do corpo do principa e
me letia e espirlo do Tractado de 29 de A- {este se submergio mas promptos soccorros o
gostodei8a5, que era cada Nacfio pagar o i salvaram sera leso alguma. Comtudo este
que lhe cumpria pagar isto o Governo I successo aleclou de tal sorle S. M. a Rainha,
i'urtuguez aos subditos Brasileos, e o Go- que por alguns momentos houve senas in-
\uno Bratileiio aos subditos Portuguezes.
L ever,do o Goveino do Brasil por exemplo mil
ceios de rs. aos subditos Poitugueies em
(jUanto que o Governo de Portugal dkve uos
uLditos biasiiuros 4o tontos de rs, o Bia-
tin.tr Litio Cu CiiittnOj eJcuqiiu ftj- '' icmetlci a i'oilugal o saldo de 600 contal
quielacjes pela sua vida.
Rtlerem os jornaes inglezes pormenores -
ceica das ultiu a> occoneneas da China, lu-
dia e AflguauniisUti resultando a final a-
chai-se ultimada .a guerra na China hcando
a Inglaterra de poe da illii de Chusa ngem a ulUludu bollitosa em que repfiuiiua u
uraa trplice linha de cor de obidrvagio.
A queito do OmboU estir dciJil*
pois que a Poru revjgi .. _reto da deslitni-
go de Mehemet-Ali coiu tanto qua esta
enlrejue a esquadra evacu a Syru e pro-
mulgue o Hilti-Sniriff,
Dnersas verses correm sobre o ostado de
cousas na Syria. Consta segundo un*.qua -
brdhira Pacn fora derrotado e leito piisio-
neiro n'ura encontr que leve cora os Drusos }
e outrosathrmam que aleaou grandes van-
tagens sobre ura chele du Jzet-.Vleberaet.
Algumas iolhis o davara era Damasco a o da
Uezerabio frente de un exercito de jojo*
ho uens cora a iiitenco de se separar de se.
pai e tratar direclaraenls cora o auJu.0 par*
car soberano na Saris rojkt .1j qua prora-
velmente lhe nao fatj potencias alludis ,
visto que assira ficaria destruido o resultado
da campanha naval dos alrairantes^SloplorJ a
audiera. O ce rio que a Syria se acha di-
vidida em faeces entregue a rapia e vi-
olencia,
Segundo as ultimas fohas de Madrid pi-
rece que terminou toda a probabilidaJe da
guerra cora Portugal vista da dseusso do
regulameuto na Cmara dos Depulados. Ne-
nhuma andida de hosliliiade era movi-
meulo d: tropas unh.i haviJo e.as poucas
medidas preparatorias que te puieiara ora e-
xecuco ua fronleird livera por 0-
--------^


'" '.',
DiRO DEPBRNA
MBCO
3
inesperadamente se collocou o Governo For- os esforcos para segui-los; abri a bolea e
tuguez.
achou que ella conlinha 3oo,f. Elle ento
Os retrgrados esto desesperados com as tomou o seu caminho para a adeia a contar o
eleicces porque veem que em parte aiguma resultado d'este successo extraordinario aos
alcancsro vantagem. Os membros das di-
Tersas Juntas que se insliluiram depois da
revoluco de Selembro sao em toda a parte
incluidos as listas dos progressistas.
Continan os jornaes da opposicao liberal
8 recomroendar as vanta;ens de urna unio
entre Hespnha e Portugal para resistir ao
funesto influxo da Inglaterra que pretende
exhaurir a pennsula.
Ero Portugal continuara os armamentos ,
os vexaraes e a oppresso com furia redobr ida
.. artilham-se linhas, recruta-se e pren-
de .se como dantes.
O silencio dos rcinisteriaes e as confissD-
e9 do Ministerio tem evidenceado no parla-
mento a existencia de um plano para acabar
coro o rgimen constitucional neste Reino
eiBpenbo ero que ter de succumbir o Gover-
no dominante; ,--...
Caiu um do membros da Administrarlo o
Sr. Florido. Dizem que nos ltimos mo-
mentos do poder fez um testamento digno da
suacarria, mandando pBgar certos papis
de creados da Casa Real comprados moen
n0 mercado indemuisando alguns amigos e
promovendo outros.
(Do Nacional de Lisboa do i. deJFevereiroO
NOTICIAS DIVERSAS.
Casamento Mysterioso.
O "F1 mais singular que dar-se pode te-
ve Y 'r na Puco tempo u'uma aldeia de No-
fR_y0rk. Na ultima quinta feira de Janei-
ro p p. pelas II boras do dia estando um
npti bizarro bem apessoado e garboso a
trab*lhr alli n'um campo junio estrada ,
pproximou-se-lbe urna carruagem aberta
puxada por dous formosos caballos e gover-
cadt porum negro contendu um cavalheiro
e ama senbora mu linda e parou justa-
mente defronie do lugar onde eslava o aan-
> So no seu trabalbo.
O cavalbeiro que vinba vestido de pre-
T* | saltou ento para fora do carro ; e o ra-
*a julgando que elle careca de apoio adi-
ntu-sfl para a carruagem a encontrar o es-
tribo cavalbeiro quando teve lugar a sa-
f uinte conversaco.
Cavalheiro Meu joven amiga, tais na-
ado?
Trabalhador Nao, senhor.
Cavalbeiro Querer ieis casar-vos, se a-
cbasse8 urna boa tortuna r1
Trabalhador Sun mas nunca reflec-
\i muilo a ess respeitu.
Cavalbeiro Porem quererieis casar-vos
com ama linda moca que livesse bastante
uinbeiro para sustentar-se a si e a vos com-
modamente pelo resto dos vossus das ?
Trabalhador Sim, julgo que nao se
me dara dsso.
Cavalheiro Pois ento v inde comigo ,
os faiei casar immediatameute com u-
. nbbra que trago n'esta carruagem,
i abalhador Alas esperai, quo eu va
m .ir.jiramente a caza veslir-me.
Cavalbeiro Aii nao, nao vos lembreis
de veslir-vs agora vindej comigo em di-
reitura.
Duendo islo elles se apprcximaro car-
toagem e enio o cavalheiro deo a ino
jotf.41 senbora que eslava mu esplndidamen-
te vestida par* apear-se. Ella apertou a
maoao lara dtpois indagou uude be poderia acharo Minis
tro (Squirej entretanto que urna pequea hu-
uidude assouiou furtivamente a seus olhos ,
peear do seu es'orco para sorrir-se e parecer
al.-gie. O mancebo respondeo que elle guia-
ra o caminho* Encostado no braco uo ca-
ttlbciro, elia chegou a residenciudo Minis-
'' o qual a liguu logo ao mancebo pelos
' .culos do matrimonio. Em quanto ella
' eve no jar ticou mu pallida e derra-
'- ou lagrimas. Depois que se atou o n con-
jugal a senhora pedio e recebeo o cerlitica-
da seda e veiudo e depois loro todos trez
para a carruagem. Quando chegar o a ella ,
eslava ja o bolieiro ovalado iiaalmoaaa e
os cavlos com as cabecas voltadas na direc-
to do lugar donde tinbo viuda ; o cavalei-
*v deo a uao seiihora para montar vollou-
ae rpidamente para o joven marido e mel-
lendo-lhe uma bolea ua mo exclamou com
aiguma energa, A dos teie feliz! nos
luda nos Lavemos de ver outra vez sal-
U>u Lara dentro da carruagem, que loi levada
COLLEGIO DA BOA-VISTA,
PAHA ME.MJTAS,
Em coasequencia \da aQuencia de educar. -
_-. r II-------------------w^u..vi.. umjt.ii\,n tic i;Mu-.au
seus prenles amigos. Por alguns foi elle da9 a Directora transfiri esteCollegio pa-
escarnecido e por outros maltratado pela
sua loucura em deixar escapar-lhe das unbas
a joven senhora.
Ocaso tem produzido grande alvoroco den-
tro e fora do lugar da aeco desde ento. Al-
guns mais maliciosos assevero que a joven
senhora estava enceinte ,, e adoptou a-
quelle plano para salvar-se da deshonra. Ou-
tros di/.era que ella dera este passo eingu-
lar para satisfazer aiguma estranha condicao
inherente heranca d'alguma propriedade de
grande preco ; outros que ella o fizera para
livrar-se de ser constrangida por seus paren-
tes a algum casamento odioso para ella, N'u-
ma palayra tem-se esgotado as conjecturas
para descobrir-se a verdadeira causa d'este
facto. No entretanto o marido diz singela-
menteque esperar mais algum tempo, e que
se ella nao voitar a mandai annunciar pe-
las olhas.
Importante movimento na sciencia Medi-
ca. Sabemos que a Universiiade de Nova-
Yotk tem resolvido valer-se do poder que
possua na sua patente para estabelecer uma
Escola de Medicina, com uma Faculdade
com posta d'alguns dos mdicos mais eminen-
tes do pazV Entre os uomes dos professores
n'esta nova organisaco temos ouvido os do
Doutor Pattion e do Doutor Rever de Phi-
ladelphia mencionados tamben, os do Dou-
tor Mott, do Doutor Bedford e d'outros
d'esta Cidade.
Cremos que este um dos movimentos
mais importantes na
mais se fez n'esle pal
nidos perto de 3ooo esludantes de medicina ,
dos quaes 7#o recorren! animalmente a Phi-
ladetphia para receberem a sua instruccao.
Nova York tem meios facilidades forcas ,
hospitaes casos, e localidades para ser a
principal Escola de Medicina d'este Conti-
nente mas al aqui um baixo systema de
monopolio e de pequea rivalidade a tem im-
pedido de assumir a sua posico. Com a or-
ganisaco d'uma Faculdade debaixo dos aus-
picios da Uuiversidade de Nova York se a-
brir uma nova estrada para a sciencia ins-
iruunao r ourduelfira pwncia uaotitoa quo
produziro grandes resultados.
A verdadeira Aristocracia em Nova York,-
Nao ha n'este paiz verdadeira aristocracia se
nao a dos carniceiros, S elles se assemelho
aristocracia dos bons tempos antigos dos
Carlos e dos Diogos, Todas as oulrs cou-
sas sao livres excepto os privilegios do oQtcio
de carniceiro de derribar o seu boi, de ti-
rar-Ihu lora o couro, e de veoder-lhe os
quartos. Dio^o i. foi tambem o primeiro
monarcha que concedeo monopolios exclusivos
verdadeira aristocracia da Inglaterra. Os
carniceiros n'este paiz possuem o mestno ca-
rcter d'anstocralas porque elles divertem-
se nos mais bellos lorneios, suslento os mais
gordos cavallos caso com as mais lindas
mocas teem os ilbos mais bonitos ; e os
mais d"elles bebem o mais puro viubo, e co-
meta carne melhor do que outra qualquer
tlasse do povo do paiz j nem a grossa vari-
jeira voa em lomo da carne que os caruicai-
ros comem.
(The Wilhly Herald )
ra detraz da Boa-vista casa onda morou a
Senbora viuva do fallescido Gervazio onde
contina a rsceber Pensionistas meias-Pen-
sionistas, e Discipulas exlernas para serem
instruidas as lingoas Ingleza Franceza ; e
Portugus ler escrever Arithmetica ,
Geographia Historia costurar ; e bordar
&c. Os Professores di Grammatica Portu-
guea % Arithmetica Geagraphia e Histo-
ria sao pessoas d'abalisados conhecimentos
Alera d'esle, o Collegio tem Professores de
Marica Dezenho e Danca para aquellas a-
lumnas pe quiserem deicar-sa a estas artes
de recreio.
A Directora tero adquerido a coaijuvaco
de uma Senbora bastante instruida com o
que tica o estabelecimento inteiramente mon-
tado.
CURSO D'INSTRCgAO' RELIGIOSA ,
GRATUITO,
professado
no
COLLEGIO PERNAMBUCANO;
TOUDS OS DOMINGOS E OAS SAHTOS ,
por
Jos Mria Pereira da Silva e Souza ;
Conego da Santa Igreja Metropolitana de
Braga, Bacharel formado em Direito
Cannico pela Universidade de
Coimbraj
O Director do Coilegio Pernambucano ten-
do instituido este Curso para dar aos alumnos
ie.u",.uu,;"ucmus internos e externos do Collegio a instruccao
sciencia medica que ece8,itam na Doutrina Chrisla e em
._ Ha aos Estados C t0(]a9 as verda(le, da Re,gUo CalJ10,ca f
convida a todos os chefes de familia dos tres
bairros do Recife a se aproveitarem do zlo
apostlico do respectivo professor, enviando
alii seos Glbos menores todos os Domingos e
ias Santos do anuo em cujos dias serao
admillidos Instruccao Religiosa todos aquel-
es meninos que a capaeidade do edificio po-
der comportar.
A catecbse comeca s 8 horas da manha ,
e acaba s 10.
Extracto de London Gaeette de a de
marco de i8)l<
Avisa-se que a Sociedade commercial ,
que at agora tem existido entre os negocian-
tes abao assignados sob as 6rmas de Russell,
Mellors o Companhia em Pernambuco, e de
Mellors, Russuell & Com^anbia na Babia ,
foro hoje dissolvidas por mutuo conseuti-
mento em tudo quanto respeita ao abaixo as-
signado William Clark. Datado em 26 de
Fevereiro de 1&4i. Thoroaz Mellor.
James Mellor. p. pro. Samuel Berey.
James .Mellor seu procurador. William
Clark.
quem
raio ;
pira ser
A PDIDOi
SONETO,
Eximio Tiburtino Coronel benigno,
Symbolo da paz da prudenci'amante :
Tens hum peito egregio e rutilante ,
E s bem quisto emnm s probo s Digno.
De aladas e vingancas ; Tu s iudigno
Tu
nao es como duem insidiante l i
Aniesopprsso forte I Mas Tu ovante
Sahisle qual David de Sal maligno 1 .
Com Teu brando Coraco Tens felismenle
Alcaiicado dos bons o bom conceito ;
Eis de que tem a mveja pesar ingente l
Trilha pelo caminho que ja Tens feito ,
E d'elle nao Te aaredes que documente
Tirars, para sempra feliz proveito.
Por A. J. J. M.
SOCIEDADE ETERPINA
ACommisso Administradora manda evi-
tar, que foi derignado o dia primeiro de Maio
para a su t prxima partida ; e recomenda a
lodos os Snrs. Socios a observancia do artigo
45 dos Estatutos que absolutamente prohi-
be as partidas ordinarias o uzo de sedas ,
lans diamantes perulas e outras precio-
sidades a excepeo dos vestidos de seda pre-
ta e roga aos Snrs. Chefes de familias que
forero convidados para as partidas de annui-
rem na determiuaco do mencionado artigo,
O 1, Secretario.
SOCIEDADE TERPSICHORE.
A Coromisso Administrativa da mesma
convida aos Socios a reunirem-se no dia -i"] ,
pelas 7 horas da noite a fim de se proceder
as aprovaces dos candidatos propostos.
Avisos Diversos,
CONSULADO DE PORTUGAL.
A Chancellara do Consulado de Portugal
n'esla Provincia mudou-se da praca do Com-
-1 mercio para a nova caza do lllm. Sr. Com-
iutal*,!Tia<"18 d VenU> a"leS qUe aU"' nadador Angelo Francisco Carneiro ,
uue a Pudse tornara II di surpreza do rua je Apolio no porto das canoas,
"iw vi e ouvu, Julgando-se mulcis todos ---------.
V n
na
jj- Compra-se uma batanea de madeira ,
com pezos ds uma e duas arrobas ; na ru a
da Praia segundo andar do sobrado do Sur.
Jos Higino de Miranda.
w iNa ra da senzalla velha decima
jo precisa-so de um hornero. para pa-
deria.
tsr Se o Sur. Joze Tavares Bastos pre-
tende comprar as ordens de seu mano Joa-
quim Tavares Bastos, asistente em Parai-
ba; dirija-se a ra do Crespo loja D. 5 ,
lado do norte.
*sy Alugo-se duas casas terreas com suf-
icientes commodos para um i uu moros a la- i
milia. sitas na ra Nova, que a paea
Trempe: quero as quiser alogir, lirija-M
ao patio da Santa Ott a fallar oro o seu
proprietirio Joo Sebutifo Perette.
S2T O Sur. Manoel Joze da Costa quei-
ra vir receber duaj cartas que forj lira-l.s
do Corren por engao de igual noroe, ch-
gadas do Porto, pelo Alaria Felis ; ,,a ra d
(ueimado D. 11.
SS" Francisco Joo Carneiro da Cunlia ,
nio podenJo pessoalmenta despedirse djs sa-
us Amigos e das pessous a quero dave atnu-
coens por este meio o fo ; offerece na Cir-
te para onde parte os seus servicos.
s&r Quem precisar de um homaro vinJo
a pouco do Porto para paderia de que
j tem aiguma pratica, ou raesmo para
caixeiro, pois sabe ler, e escrever ; dirja-
se a rna da Moeda no Kecife venda da es-
quina.
s" A pessoa que no dia 10 do correte,
perdi um alnele de paito ; dirija-se a Fo-
ra de portas, na ra de Santo Amaro caza
D. 5 que dando os signaes certos the ser
entregue*
Bir A pessoa que no Diario deSabbad
24, annunciou querer fallar coro Anua Joa-
quina d'OIiveira; dirija-se a ra do Livra-
mento sobrado de i andares, ao p<; da I-
greja lado direito que achara a
Ibe d as inforroacoes.
S^" Quem annunciou no Diario da bontem
precisar de um canta de rs., dando urna 0-
sa por hypotheca ; dirija-se a ra da Sauzal-
la velha n. j5 quo ss dir quero o d.
S^" O Snr. Joe da Fonceca S.
queira annunciar a saa morada
procurado a negocio de seu iuteresse.
precisa-se alugar ura andar do sobrado
que ten ha commodo para pouca familia na
btirrode Santo Antonio que nao exceda o
aluguer a dezoito mil reis meusaes e igual-
mente um prelo que entenda de cozinln ou
lorro ou captivo : quem o tiver auuuucie a
sua mora,] '
-_ O hornero solteiro que annunciou no
Diario de 24 do corrate querer uiu sol.
ouquarto, qaerendo melada de uroacazi
grande, procure na ra do Caldaireiro pas
saudoa venda que tem Umpeao na seguuda
casa que se dir.
- Aluga-se uma loja grande propria pi-'
ra negocio ; na ra estrella do Rosario no
primeiro auJ-ip.
No dia Domingo 2 5 docorrente, es-;
lando um raoleque na praia diz vira ou-i
tro laucar fora lixo e por acaso revolvendj-
o achou uma sedula ; a pessoa que far seu
dono dirija-se a ra da Livramsnio O. 7 ,'
q' dando os signaes certos Ibe ser entregue.
Precisa-se de um hornero que saiba fa-
bricar plvora coro perfeico parai ir ao Cer-
lo, olferecendo-sa interesse ;" quero esse ne-
gocio quiser aununcie sua murdaj
%r Precisa-89 comprar uro Ierro de fosee
ostias que esteja em mui boro estado bin
como duas rolas femeas a d'Angola ; aann-
ete para se procurar.
Prwisa-se de uma Senhora sero fjmi-
lia de meia idade preferin b-sa portugua-
za ou mesmo uacioual para ensiuar no >Jitj
as priaieiraai Letras, e costuras: quem esti-
ver nestas circunstancias dirija-se ao preu-s -
rio Joaquina Jos Ferreira para o ajuste.
Da-sa a juros dous contos, senda da
5oU rs. para cima e recebando-se pjr pe-,
obor ouro prata ,
cadeia do Recite
4*.
ET Uma Senaora branca de bous costa-
mes desoja sabir para fora ensiuar meniui
de ambos os sexos, a ler, escrever, e cantar
todas as especies Arithroatica, raroroalir*
Portugneza cozer cha, bardar de liaba, da
susto, e vea fazer lavarinto a alais car
cundo, marcar, e faser vUtidade sea'uora
quem do seu prestimo se quissr utilis*r di-
rija-sea ra do Eaguudes D. 17., que se ia
dicara a pessoa.
43*" Aluga-se humas casas terreas ura
muitos bans comroodos, quintal e caciniot ,
na ra da Fioreutina ; quem as pretender ,
dirija-se a mesma ra ua ultima lada airei-
to junto a mar.
SST Alluga-se uma casa grande m Afaga-
dj,iiarui do Quiabo, eavidcacad* caro
um meio cilio amurada e bsro plantada j
que a pretender dinja-sa ao Atierra d Boa-
vista 5a.
Perdeo-se no dia 16 do carrenta desdi
a Igreja de S. Pedro at a ra da Cabuc ,
uns oculos de armauo da ouro coro as letras
- Joo Moreira Marques. A pessoa que oj
achou querenda relituir dirija-se a j-
ticadomei.no, qu s.'r geiuroi niuta i-
ctMHpeosade,
ou brilbantes i na ruada
loja de chapeas uu neto


I
DIARIO 3 E P K R N A M B C O
S3T" O ahmo assignado trisa a quem con-
vier que d'ora a vanle nio >e respousabelisa
por quaesquer ubjeclos de mercanca le lo-
ins .vendas, boticas e &c. que forem con-
fiadas a nlgum seu escravo ou a pessoas que
ye qpeir i valer de seu nome para capciosa-
nurile obterem-nos ; a menos que nao apre-
seulero authorisaco firmada pelo propr.o
rumbo do mnuncianle ja no eonlex'o e
la ua assigulura ; visto queseno quer ex-
i/ormais a disproveilosa e dura conlgeocU
de os pagar romo ja lite aconleceo e agora
mesmo acaba ; por honra sua e crdito de o
fizsr* l'' Arruoa da Cmara.
%3r Quem precisar de roupa engommada
cono todoonsseio e promplido, por menos
ulguma couza que as mais er-,;o mo diri-
p-se a ra do Nogueira venda da quina que
lem lampio I). 14.
UV Avisa-se pela segunda vez ao Sr. en-
grapado, que lirou urna carleira cum 100,000
pouco mais ou menos da algiheira da casi-
ta de um Irma 1 que eslava de opa na Igreja
de N. S. da I'enha as 7 luirs da non te do
da 17 do corrente eouvequem presencias -
>e o engrapado levantar a cap) e tirar a car-
ti 11 a e eslo prompto* a jurar e por isso o
ir. engrapado quinto antes v entregar a
dita carleira para nao ler o desgosto de ver o
seu noma pr e\lenco nesle Diario do con-
trario se proceder nos termos da lei.
tST Continua-se a ensinar graromatici.
J.a'.ina a preco de dous mil res por mez t
.ralis a fiihos de pessoas que nao podem
emunerar o trabalhodo annuncianle, oqual
emprega todo o rueio que le be possivel para
0 bom aproveitamento de seus alumnos; o^
pas de lamilla aosquaes converem diri-
io-se a boa vista principio da ra da S Cruz
casa paiede meia a do Sr Hangel.
S3?- A rila do escravo e de outros objectos
romo se pode ver no plano ropresso no verso
dos mesmosbillietes cuja hade correr coai a
segunda paite da sexta Lotera do theatro ,
he de 5 5o billetes conlendo 5 nmeros em
cada bllbete leudo a vantagem de um s
hilbele tirar 5 pieroios 1 listando cada bi-
lbele aoao j acba-se a venda o reslo dos bi-
Ihetes na ra da Cruz botica do Sr. Luiz Ce-
dro das Neves, venda do Sr. Jos i'ereira
o aimazem de socar assucar n. 58 e no be-
,0 da lingoela venda do Sr. Manoel Gunsal-
ves Pereira.
fST C>uem annunciou um solo na ra do
No'Ueira declare com quem se deve Tallar ,
que ha urna pessoa capaz que qutr alugar,
e nao tere lamilla.
tsir Boga-ie segundo vez ao Snr. que na
i:oute de sexta leu da Paixo em S b'ran-
C8C0) seagradou de um chapeo que nao lhe
vertencia de o mandar eniregir na casa do
Juiz de lrmandade do Espirito Santo seno
quer passar pelo desgosto de vero seu norne
publicado.
te~ A pessoa que esliver autliorisado para
receber o ordenado lio Snr. Ur. Dacia desde
Oulubro al Janeiro do frrenle qutira por
favor annunciar a sua morada pois se deseja
allar.
X3T Pede se a cerlo Sr. que receleo o alu-
ruel de urna casa da mo do dnr. Maga'hes
fjastos queira ir entregar na 1 ua estrella do
hoza lio loja de chapeos slo no praso de i
das seno quiser *er o seu nome publicado.
tSf A luga-se o armasen* do sobiudo de
dous andares as 5 pjnlas largo de JN- S.
do leo com o fundo para o beco do Lo-
bato a liatar na ra is'.ieia do Rozario l)
Jl ou na praca da Independencia loja n. a.
tSf A pessoa que quiser uiua CriadJ por-
tupueza demoli uoa conducta, que sabe en-
>;omniai coser e len> muilj geilo para da-
tar de enancas he multo zeloza e capaz de te
entre-'** urna casa quem a pietender hade
pajaro inmsporle da diu criada j no atierro
da boa visla L. "j.
ey Precisa-se de um feitor que Irabalhe,
u enienda de borla e Iratar de vaccas para um
;,itio na Magdalena 5 na ra de agoas verdes
sobrado D. 10.
137- Pela segunda vez se torna avisar a pes-
soa que tem de pinbor um corao de ouro
con unas pecas de cioteiro decriauca, que oi
empeuhado por cera baja de ir tirar quinto
antes do contrario se vender o dito pmhor
l.ara se pigal o valor da cera ; no atierro da
boa vista /Sj.
ST O baixo assigr.ado proprielario do
engenbo Rozario heguesia de Serinbaem .
tai ycieiile a quem convier que lendo ido ao
ao Pierde no da 6 do mez p. p. no regresso
e seu romboio para o dito engenho eocor-
icuia'jot- >.iu> lamulos dous pelos anda
1 uces 1 nao ton 1 1 i' y-btm di.er quem be seu Se-
1l, ,. ii i:soo pieseiilc enuuncio para
quem o for procurar no referido engeuho e
dndoos signaes Ibe ser entregues o mes-
mo declara que nao se responsabelisa por
qualquer sinis'.roque 1'neJ possa a contecer.
Antonio Germano Rigueira Pinto de Souza
xsr Aluga-se una loja grande prooria
para qualquer negocio na ra estrena do Ro-
tarlo : iralai no priroeiro andar.
car Torna-se avisar a pessoa que tero em-
penbado urnas argolinhas de ouro na loja de
cera do atierro da bja vista D. 73 psr ssr ca
>iue as vai tirar do contrario seij vendida,
Avisos Martimos.
PAR\OARAC*.TY com brevidade pir
ja ter parte de seu carregamento nrompio o
Patacho Nicional Laurentina Brasileira for-
rado de cobre Capilo Antonio Germano
das Neves queT no mesmo quiser carregar
ou ir de pass^gem dirija-se ao ku propneta-
rio Lourenco Jos das Neves ra da Cruz
n 32 nu ao Capilo do mesmo a bordo con-
fronte ao trapiche novo
PARA O MAR\NH\0' sabe em poucoa
das o Bri;ue Escuna S. Jos ; quem quiser
carrejar oh ir de passigem dirija-se a Del-
rinoGjosalves Pereira Lina, na na nova
D. 12 ou a Firmino Jos Felis da Hoza
PARA A BAHA o bem conhecido Hiate
Flor da Larangeira de prineira marcha,
forrado de cobre sabe impreterivelmente no
im do corrente quem quiser carregar ou
ir de passagero dirija-se a ra da cadeU do
hecife lojade fazendas n. 17.
ST Urna armacJ de venda cam todos os
utencilios e um novo diccionario di lingoa
portugueza e franceza; no atterro da Boa vis-
ta venda D. 3g.
3ooo a caada em porco de urna caada
para cima ; na ra direita D. i lado do Li-
vramenti.
%SB" Um escravo de nacao mocambiqun, de
r 5 botijas de ginebra, va/.ias e 25 g.r- bonita figura bom coz.nheiro e urna escra-
rafaTdiiM, um lerno de medidas de f.lba va de idade de ao auno, eng)mma liso o-
'" '' .*- ^ 1 j ..i.jftiiiiu'i!' urna casi: na ra dirutU
,,o palto d* S. Cruz \o\* de mircineiro.
SST Uma propriedide de trras ni riber
dj rioSerigi da cjm*rc d^ Ni/.aretl di Mi-
ta ao p do engenho Cmgad 110 lugar chama-
dPira com mil bncis de comprimenU e
35) de largura, ron 4 cazinbis de taip ,
mideiras corladas pira levantar um engenlu
de 6) pilmos casi de caldeira e de purgar .
dem desle terreno lem mais oulros anexos a
mesmi propriedade pertencente ao meimo
dono, que igualmente se vende juntamente
com estas 5 na ra do Vigirio n. 7.
C^ Miscelnea curiosa e prnveitosa ou
eompilaco lirada das melhores obras das na-
ceensestrangairas 7 volumes embio uz) ,
as primeiras 4 come lias de Terencio tradu-
coportu'uza de Leonel da Costa, as eps-
tola de Cicero em la'.im eorequecidas de no-
tas Ilustrativas grammaire desgrammiires,
qusm quiser aonuncie.
tsr Sapalos de bezerro francez de umi so-
la a l44 e ao0 d'lt>1 ^t ^uas so'as a a,M e
zinlia o diario de uma casi; na ra direita
l). ao lado do Livramenlo.
E- Um sitia com chaos proprios e bastan-
t e grande em Uebiribe de baixo com caza
muiloi arvoredos de fructo muito bom ter-
reno para planlaco nao s pela boa quali-
dide como pelo muit tempj que est em
descinco ; nesli Typographia se dir quena
vende.
iy?- Uma morada de casa terre sita ni
ra dos Martirios D. 9 com 3 portas del rente,
duas salas 3 quartos soto e urna meia
ag ji no fundo do quintal que bota para rui
d) caldereiro rende I8,ooo por mer ; a tra-
tar no atierro da b ia vista ua bolL'a do Snr.
Moreira. ^^^
Escravos Futidos
L e i o
Desipireceodo logir do poco di pa-
nela no dia 1^ do orrente un negrinlia de
idaJe da nove pira 10 annn dd naci ben-;
cubila de ama Joa inini cara redonda ,
1a a iaao e aouo uuui uc uuas sumo a >.'u 11 tj"-1*'* w=
*4oo, snalos de marrjquim ordinario pira magrinha olbos granie* orelhas mal p3.
bomemesenh)raa48o, bufias de duraquej quooie e furadas a poiico lempo, e amia
1 _i. _-._______ ntncoKn.n w*\ ra. le ti si visU na cisi tor-
a aooo ditos de ludro e de cordavao por pre
co commodo ricas grvalas pretas de setim ,
conserva o retro'., tem sid visla na casi for-
te monteiro e apipu.os,e julgi-se estar
( CU uiiuiij I leas |ia luvas de pelica mili novas a niio o par, cha- oeculUem alguma cas. ; quem a p-^ir Le.ea
peos brancas sem pello do ullimo goslo a 55oo cas do Sr. Dr. Gomes no po?o d\ naneU qu*
. t^> Que fazem Latham & Hibbert por
intervenco do Corretor Oliveira, de um com- j
pelo sorlimento de fazendas de lei entrando
algumas avariadas terca feira 37 do cor-
rente as 10 horas da manb no seu armazem 1
da ra da alandega velha defronte da lin-|
goela. 1
S3^ De serveja de superior qualidade a
porta do armazem do Snr. Antonio A mies Ja- 1
come Pires defronle das escadinbas terca
feira 37 do corrente.
tsr Que fazem Crablree Hgyworth & C. ,
por conta dos seguradores e por intervep-
co do Cnrrplnr Oliveira. das seguinle la- ,
endas avaridas a saber ; algodozinbos lisos
de at e 4 polegadas ditos enlrancados de
a8 dilas chitas de ramagem cassas de cha- '
drez e de listras, dilas transparentes ma-
dapoloens linos e entrelios lencos de cassa ,
uma porco de platilhas brancas, comalgum
arlo e muilas outras lazendas limpas, en-
tre ellas rendas bicos, chillase &c quarla
feira 28 do corrente as 10 horas da manfla em
ponto com qualquer numero de compradores !
que se acharem prsenles ; 110 seu armaiem
da ra da Cruz.
ES?- Que fazem James Cocksbott & Com-
paa por intervenco do Correlor Olivei-
ra dt um grande sorlimento de ferragens da
mais superior qualidade e de oulros obje-
clos proprios de lojas de ferragens e miudezas,
quinta feira 79 do corrente as 10 horas da
mHDi no seu armaiem defronle do trapiche
novo.
e outras muilas fazendas por preco commodo;
no atierro da boa vista loja I). it.
*39" Uma loja de couros com algumas miu-
dezas com o fundo de 3oo,ooo; ni ra direi-
ta D. 5 ; a tralar na ra do Arago D. 3;.
tST Uma morada de cisa terrea na lua
ser recompensado.
VST No dia 21 de Maroo tugi > ua negro
de nomeLineaco, de nafo cica ag. e t da-
r biixa pernas linis cor vermeiho trai
uma funda na verha di idade de f aa-
noi calcase jaJueta velha co^oi na ca-
SST urna moraua ue cisa terrea na uj ---- j-i ,
visla na ra da Gloria 19 com 3 quar-! baga dacarregir peso um bonel de panno
tos, quintal murado em chaos proprios azul grosm cara hs, sem birba ,^o qual ten
cozinha meeira s a tratar no Manguinho com andado por varios erigen!.-sa vender lazenla,
Manoel Caetano de Souza, ua n. ra do Pa j com o Sr. ; quem o pegar leveas 5 ponas ao
lcele casa de 3 janellas e uma porla junto a pe do beco do marisca sobrado 18 que sa-
umas novas. j r recompensado .
CT Uma escrava moca, sem vicio sabe CT No dia u7 de Junho de .8*4 da re-
cozinhar engommar e coser ao compra-' guesia da escada fug-o um escravo creoulo de
dor se dir o motivo; na Gamboa do Camo nome Corneie de idade de 4* anuos seco
U g docorpo.no muito alio, pernis hnas e
'ur Farinhade mandioca em sacas che-1 um tanto arquiado as pues largas um tin-
gada reien.emente do Rio de Janeiro j no ar. lo barbado e fanho.o na lalU den es Uo,-
mazcm de Amo,, Pnr, du> anio* Ur- : do, .esta lar^i e o cantos me.o, alio* olho.
ga, na ra da moeda n .4.. grandes na flor do rdlto pescopo compndo,
tsr Alpislaa .ooooquarteiro; na ven em a boca me.a berta belfosgrossoj e ver-
da da quinada rui da srnzala velha do porto rnelhos e nariz afilado ha noticia de andar
das canoas. | pelas parles do sul ; qu;m o pegar leve no
tsr U Brigue Escuna Nacional Aracaty ,! engenho Mucupinho (ivguesia de Iguaras^u *
forrada de cobre, de 16 toneladas, fundiado entregar a Francisco Antonio de Sales que
defronle do Trapiche novo a tratar com o dar 100,000 de gralihcj^ao.
oCani.oJooda Silva, a bordo, ou com IST Ja.mes negro mar.nbe.ro ,
Antonio Joiquim de Soura Ribeiro
IO Um molalo bom ofticial ite casaca de
excellenle figura e ptimo pira pagem um
do gea-
io de angola, de liada d Jo annos cor
fulla, estatura regular fugio di bordo do
Brigue .Minerva eoi ao do corrente j quem
C 1111) r a s
S2T" Chapas de cobre polido proprias de
gravurd : na 1 ua do Livramenlo i4-
S- U resumo da historia de Inglaterra
por Goldsmilii em nglez } ni ra do Ca-
bug i ,j. do audeia.
exieuenie 11 :uid e optimu uun piw"i u j. --
preto bom oficial de sap.ie.ro e ptimo co- o pegar leve a Antonio Francisca Sauloi
liobeiro de .nassi e forno e far pod.ns, para Braga na ra ra da moeda n. .4 .
fora da provincia e um caxorro de GiaG'.bo' T RJgi-se aos Srs. Sub-Prefe.tos, e a.i-
das libas ; na ra de agoas verdes I* thor.dade, policiaes desta e mats comarcas ba-
CST Umarededearr-*tocom5 brapas de jao de empregar as suas v.slas sobre un es-
coto prida serve para pescar ni esta, fa- cravo creoulo de nome Ignaco meto .fulla,
er tapagem no ri despescir viveiro com de idade de 3b annos esiatura e grossura r -
,odcsosRperlenc,st j.ng'da, corda, e &C 5 golar carnicero denles grandes e limado*,
defronle do viveiro do viuni U. 1 I.
SST Selins inglezs elasti pjucabarba, lem um caro.oem umacanela
de uma gonma recolliiia p dsce da cravos
fST aelins inaiezis eia>ii'.-u3 ui c "j<- ..... ,
, ... j 6 ,,,.. ,n.i .i., oinrn srosnos pes dos quaes os lem um tiolo
dados, diloue usla turados todos de couro 1* 1 ,r.rpu
1 1 .i<. .i,,,,, nii, mctiad is ; quem o p-.-g ir leve a rui Uireiw
de pono cabecadas robe ia e cliaus oui- 'i re ^
ml>-r mi p n: casa lerre qmsi coalroulrt ao beco do 3engi
dos pintados pro ortos pai a colorir mesa e p.-: .*i
.' '. ,1. iin, onalilail^ 1 do que sera recomiieiis.do.
anuos mu.io largos e de uoa quaujdue 1 1
sipalos de todas as qualidades p na sunhora ,
Vendas
tsr Uma casa nocia agoa sita ua travessa do
pocinbo di panella por 4oo,ooo j na ra de
agoas verdea casa terrea D. 7.
SST Leite sem a menor mistura de agoi ,
o melhor possivelcomo se pode esoerimeniar;
todos os dias de manh no ra larga do Ro-
zario na porta da boli:a dio Sr. Bartholomeo.
ksr Cadeiras camap sof e bancas de
Jacaranda secretaria guarda roupa dito
para lauca cama colxao enxergoeus, es-
pelbos e oulros movis de casa, louca, apa-
relhos de cha, e vidros de meza ludo por pre<
co commudo ; na casa U. o. 35 Ironteira aos
ltimos arcos da ribeira da boa vista ao ir pa-
la S. Consalo.
i.* Pao ua padaria da la de Apolo no
Recife da melhor farinha que ha a tem
res por libra e lambem se vende como al
ao presente se lem vendido a vontade do com
prador.
tT Sal de Lisboa bem alvo e grosso, tra-
ta-se com Antonio Francisco dos Santos Bra-
ga na ra da muida n 1 ji.
I botina para lumem e rapazes sapatosde b-
,zerro de lustro ditos de cordavo para b0-
; mem espadas de roca e sem elli, tilins de
todas as qualidades cananas, e talins pira
officiaes de ca vallara e enfantar.a ditos pira
guarda nacional todos con aparelhos nos
e bina dourados bezerro de lustro para sa-
' patos, corles de sapalo de dilo a 640 bi:bas
, do Porlo grandes e pequeas tudo por pre-
|co commodo ; ni loja de Antonio Ferreira di
:Cosla Braga 113 ra nova D. i3 e i4 que tem
luda (reme pintada de verde.
I3T Bicos de -i dedor de largura a 180, di-
u de dois f. meio a aoo rs. cbda azul a 1 (Jo
luvasde pelid a ltoo iiscados muito Gnus
para vestidos madapobo > 6600 dito>
de varia* qualidades, chiua uo coberta a ato,
ditas de diverjas qujlidades panno de linbo
enfestado a 44<> briol liancados brincos e
pardos meias pelas para senbora a 100 rs.
cortes de coleles do gurgucio a ^5oo e ou-
tras muilas fazendas por preco commodo-, no
I largo do Terco loja de fazendas ii >
ty J'ara lora da proviucia um molato de
idade de a j anuOBj na praca da boa vista Ue-
"arAioite de carrapato sem mistura a RfcCWE NA TYP. 1>B M. P. PEF. S84!
.Tloviiueato o i*orto
NAVIO LN fR A00 NO pa 4
WHITEHAVEV1 6i dias Brigue Inglw
Thomaz Tyson de igStoueh Cap. Tho-
maz Wyhe equip. 10. carga carvo di
pedra a Me Calmont & Companhta.
SAHIOOS NOMhSMODlA
CWS ; Brigue Diuamarquac Midia, Ca;.
Henry Broll carga assu ar.
SAHIOOS NO DIA ao.
RIO OEJANtlRO i Brigue Brasileiro 1.1-
dtanno Cap. Antonio Carlos de Aze-edo
Coulinho carga dillerenles gneros.
RIO G. O SULj Patacho Nac. Nova Ros
Cap. Luiz Jos Pinto carg sal.
LONDRES 5 Brigue lnglez Porcia Cap
W. Uolchard, carga hssucar. -
CANAL ; Brigue lnglez Francis Cap. "
Lussell carga assuca.
OttSEUV'A(OENS
Chegou arribado com 16 das de vioge,n
Brigue Transporte Brasileiio l'erapama^.
Cap. Manoel Francisco da Silva, o qJ
sabio de=l3 Pono no dia b do correte [
a liba de Fernando.


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID E1MJ10KEG_6VA03I INGEST_TIME 2013-03-29T18:09:48Z PACKAGE AA00011611_03766
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES