Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:03761


This item is only available as the following downloads:


Full Text
M
-
Ann* de 1841. QARTA FlIR V
Tud agora depatid da dos masmos ; da nossa prudencia, modara-
c ' son admiraco entra as Nacoss mais cultas.
ProelamacSo da Assemblea Garal do Brasil)
<
Sabaerave-se para esta folha a 5?ooo por quartel pagos adiantadoa
Beata Typografia ra das Cruzes L). 3 e na Praca da Independen-
cia, n. 37 e 38, onde se receben) correspondencias legalisadas e an-
ouncios, insirindo-M stes gratis sendo dos proprios assignantes,
vindo assgoado.
PARTIDAS DOS CORREIOS TERRESTRES!
21 de Abhil. Mom. 80.
Cidade da Parahiba c Villas da sna preteneo '.'
Dita do Rio Grande do Norte, e Villas dem.......
Dita da Fortaleza e Villas dem..............
Cichde de Goianna.....................
Cdade da Olinda ......... ....... ......
Villa deS. Anto ......................
Dita de Garanhuns e Povoaco do iionito.........
Ditas do Cabo, Serinhaem, Rio Formozo, e Porto Calvo.
Cidade das Alagoas, a de Macei............dem
Villa da Paia de Flores..........>......... dem
'Iodos os Correioi partem ao meio dia.
CAMBIOS. Abril ao
Londres...... ti d. por 1f000 ced.
Lisboa ...... 80 por o|o premio por metal offeraeide 3
Franca......51 reis por franco. Comp. Vendas
CURO Moedad6f4oo reis, vainas 14*700 lafooo
Ditas navas i Ditas da afooo reis, t*&Oo ojioo
PRATA Pataedas Brasilairos 5 i#G8o iftoa
PetosColumftarios ---... 1J680 tfyco
Ditos Mexicanos -----. ijrtoo i#6ao
-iu!a. ............i#46o i#4
DesC. da bilb. da Alfandega 1 i|8 por loo no mes. I ojo
dem de letra 1 deboas firmas 1 i|i a 11|(
Moeda da cobre 1 por 100 de dise. ao par
Dedulas de pequeo valor l|i ojo a I ojo
DAS da semana.
PHASES DA LOA NO HEZ DB ABR. 19 Seganda N. S. dos Praieres -- Audiencia do Juil de Dircilo da aj
Seg. e Sextas ferias;
Todos os das]
Quintas feiras.
lo, e 14 de cxda mes
1, 11, e ai dito dito
dem
13, dito dito
La Cheia a 5 as n h. e 8 m. da tard.
Quart.ming. at3-as 7 b. e {a La Nova a ai as 0 b. e 10 m. da man.
Quart. cresc. a a8 1 as t h. e 36 m. da man.
Alare tkcia para o da ai dt Abril.
As a horas s 3o minutos da manhj
As 4 torase 1 i minutos da Urde.
vara
ao Terca S liildegonJa. Rellac'.o e audiencia do Juiz dt Direito da 1.
vara
ai Quarta 5. Anselmo *.rc. Audiencia do Juizde D. da 3. vara.
aa QuinU S. Sjter e Caio Mm. Auuiencia do Juil de Dircilo da 3.
val a.
a3 Sexta S. Jorgo M. Au iiencia do Juit de I) da 1. v.
i Sabbado S. Fiel de Sigmiringa. -- Rellaco audiencia dJuiz de D.
da 3 vara.
18 Domingo do lijn Pastor S. Marcos Evang.
assemblea leglslatvi provin-
cial DE PERNAMBCO.
Acta da a6. Sesso ordinaria da Assemblea
legislativa Provincial de Pernambuco aos
i5 de Abril de 1841.
Pcesidencia do Snr. Deiembargador Maciel
Monteiro.
Feila a chamada acharo-se presentes a5
Snrs. Deputados, faltando os Snrs. Meira ,
Alvaro, Peregrino,! Wanderley, Tiburiino ,
Carueiro da Cunha Barrozo Mello Pa-
dre Christovo eMesquita.
Fot lida e approvada a acia da Sesso an-
tecedente.
Expediente 1 O Snr* primeiro Secrelaro
deo conla de um requerimento de Felis Jos
do ISomfim ajudante do porteiro da Cmara
de Olinda pedindo connrmaco da gratifi-
caco, que llie foi dada : foi a commisso de
orcamento das Cmaras. De outro da ir-
roa ndade daSenhorado Livramento reque-
rendo mais qualro Loteras de to:oooU para
a conlinuacaodas obras da sua Igreja : c6-
missode peticoea. Entrouern discusso hum
parecer da Cocunaisso de Paseada e ornamen-
to sobre o requerimento de Joaquim da Fon-
teca Soares de Figueredo, encarregado do
levantamento de plantas topogrficas desta
Provincia no qual a commisso entende que
deve receber o requerente a gratificaco men-
tal de 3oU rs alem dos seus veocimeotos, em
qnanto se achar naquclle exercicio 5 foi ap-
provado. Foi lido bum parecer das Comen is-
aea de Inslrucca publica e de orcamento u-
nidas, o qual dava huma nova forma ao
plano da organisaco do Liceo dado pela Pre-
sidencia e por ella mesma ampliado; apresen-
lando o sobredito plano debaixo de bum so
artigo com varios paragraphos ; icot addiado
esie-pa*ecer pot divirgiiem os Merubros das
ditas commisses. Antes de entrar a ordem
do dia o Snr. Lopes Gama mandou a mesa o
segable requerimento Requeiro que o pro-
veci n. 8desleanno que trata da arrema-
co das carnes verdes em os Municipios do
Recile e Olinda e se acba na ordem do dia,
aeja discutido antes da lei do Orjamento e
de outra qual quer materia loi approvado;
e havendo-se suscitado huma discu:sode 01-
cusso mandou o Snr. Aguiar a seguinte e-
menda em lugar de ia;oooU diga-se -
ii'.oooU -o qual depois de apoiada foi relira-
da a pedido do seo autor, e substituida por
esta que tambero foi apoiada Inclusive
,oooU para cumprimento do contracto feito
a respeito da estalistica da Provincia, com
o Bacharel Jernimo Marliniano Fgueira de
Mello 1 i;cooU. S. a R. Posto a votarlo
fot approvado e a emenda do Snr. Peixoto
de Brito jugada prejudicada a do Snr, A-
guiar, e regeitado o artigo do Snr. Lopes
Nelto Ao ai t. Sj com 09 posto em ds-
cusso viero as seguate^ emendas : do Snr.
Lopes Netto Suprima-se os paragraphos ao
e 29 do Snr. Peixoto de Brito guprima-
no 11. as palavras ficando at o fim -
do Sr. Brito-suprima-se o 9. do mesmo
Sr. Accrescenle-se depois das palavras -
Predios Urbanos cando os proprielarios i-
xentos de pagar de todo ou parte do predio ,
que habitaren) do Sr. Mavigoier O i a
seja substituido por o seguinte ; a5U rs* por
fabrica de tabaco charuto e cigarros :
5oU rs. pbr fabricas de chpeos e cazas de
cambioPosto votarlo o art. foi appro-
vado com a emenda do Sr. Peixoto de lirito ,
e regeitadas as outras.
Por ter dado a hora o Sur. Presidente
marcando para ordem do dia da Sessio se-
gu le a continuaco da de boje, e a terceira
discussio do Projecto numero 45 do anno de
1SJ9, levautou a Sesso asiduas horas da
tarde.
Ibomaz Antonio Maciel Monteiro, Prest
dente.
Firmino Pereira Monteiro, primeiro Se-
cretario.
O Padre Joaquim Rafael da Silva, Secreta-*
lio Jupenle.
PARECER.
A Con ruis sao de postuias de Cmaras Mu--
nicipats foi remellida a inclusa da Cinara
desta Capital que determina, que s Unha
lujar a mdttanca de gado para consumo neste
Municipio desde as 5 horas aleas nove da
manti a qual foi interinamente approvada
pela Presidencia da Provincia.
Ascauzas que inolivaio a dita Postura fo-
lio que teudo a Cmara resolvido, instada
dem sobre a inlelligetuia do requerimento pelo clamor publico, que a m.taca geral do
declarouo seo autor que a sua uieute era que g-do do consumo losse inspeccionada por uui
se di-cutisse o projecto n. dale o meio da | F-aculutivo em companbia do Fiscal por-
ieropo em que devia entrar a discusso do lando ambos por le a asststencia eoresul-
jteamento. Nesla couformidade eulrou em Udo do exame diaiio j vu-se 1 necessidadt-
paragrafo 8. do artigo 66 da Lei do 1. de Ou-
tubro de 1828 ; e suppondo a Commisso por
outro lado, que a crise epidmica que no
sentir da Cmara reclama a Postura lem
cessado: he de pirecer, que esU seja sup-
primida ; continuando todava a Camera em
sua vigilancia sobre a salubridade do ge-
nero exposlo venda para o que se nao
devem pon par as despejas necesrarias.
Salla d*s Commisses 3i de Abril de 18*1.
Mello.
Oliveira.
Approvado_ em Sesso de 16 de Abril de
1841.
COMMANDO DAS ARMAS.
Expediente do dia 8 do corrente.
OIBcio -- Ao Exm. Presidente remelten-
do-lhe em duplicado o mappa da farca effec-
liva dosCorposde Linba existentes nr Pro-
vincia perlencente ao mea de Marco ulti-
mo ; e bem assim o da Guarda Nacional des-
tacada tas differentes Comarcas a servico da
Polica.
dem do da'i4>
Oficio Ao Exm. Presidente, conau-
nicando-lhe que tendo intimado ao Audi-
tor de Guerra a ordem de S. M. o Imperador,
para que bou vesse de solicitar da Secretaria
de Estado dos Negocios da Guerra o compe-
tente Titulo fcando no entretanto privado
dos seus veiicirneiitjs, em quanto nao appre-
sentasse o mesmo Auditor Ihe oficiar di-
sendo que esta ordem Ihe nao poda ser ap-
plicavel, por ser Juiz Substituto e conse-
guintemente Auditor interino, em conse- denado ao Tenenie Coronel Hego Monteiro t
quencia do que pedia se expedisse ordem para de quem para esse 6a devia receber todos as
a continuaco do abono de seus veacimentos, ustrucc5es e ordens; pjr sso que Bcava
o que Ibe parecendo rasoavel requisitava encanegado da cobrauca, e pagamento dos
de sua Ex. novas determinac5es a semelhante vencimeulos da Guarda Nacional destacad
respeito. as diversas Comarcas.
DIj Ao mesmo Exm. Snr. communi- Uito Ao mesmo remetlendo-llie 03 pa^
cando-lhe que tendo-se arruinado o mastrj peis de Cunlabelidade da destacamento di Ca-
da Ba.ideira do Forte Pao-ama re lo, encar- marca de Garauhuns pertenceutes ao mez
regara ao Couimandanle respectivo de man- de Selembrodo anno prximo passada qua
dar preparar uro novo mastro naquelle lugar, tinho devolvida ao prefetto para osrefjr-
por ser menos dispendioso e que adiando- orar.
se o mastro preparado, e entregue pe* quao- Dito Ao Prefeito da Comarca de Gara-
lia de 36Uooj reis-, como constara do recibo nbuns aecusando recebida o seo oficio de
que reoielia houvesse de dar suas ordens a iil de Marco qua acounpanhou os papis da
Ttiesouraria para que dita quantia fosse paga Contabclidade do mez de Setembro do auno
a Manuel Cvalcanie de Albu juerque Cade- 6ndo e disendo-ltie pela terceira vez qua
Iba. as cotilas do destacamento tinho sido justas
Dito--Ao mesmo Exm. Snr. ponderan- aleo fin de Ueseoobro coro o priaieiro C5-
seguudj sui autho-
postona Regia portara de 1 9 de Marco da
1817.
Dito Ao mesmo enviando-ihe a con-
ta do que se estava a dever da fardamentos al
Desembro do anno prximo passado ao Sar-
gento Ajudante Jorge llodrigues Sidreira a
fim de ser sna importancia entregue ao Cora-
mandante do Deposito,
Uito Ao mesmo para que houvesse do
mandar pagar ao Oficial nomeado para cin-
dusir o Contingente de Tropas ao Rio Gran *
de do Sul, tres meses de vencimeutoj addi-
antados inclusive os de Campanba.
Dito Ao mesmo, commuicaudo-lbe, qua
o Capito Antonio l'aes Cor tez estava encar -
regado da cobranca e pagamento dos ven-
cimentos da Guarda Nacional destacad 1 na
dillerenias Comarcas i servico da Polica, du-
rante o empedimento de moUstia do 'Pnente-
Coronel Reg Monteiro.
Dito Ao Commandante interino do Der
psito comm un cando-Ibe que a conta da
fardamentos divido* ao Sargento Ajudante,
J. R. & s fora remettida a Tbesouraria a
que da mesma dia mandar receber sua im-
portancia carregando-a na guia que liaba
de passar-lhs.
Dito Ao mesmo, disendo-lhe que o sar-
gento Ajudante J. R. S. devia recalher-sa
ao seo Batalho e embarcar com o Contigenr
te de Tropas que se destinara ao Rio Grande
do Sul.
Dito Ao mesmo remettando-lhe 03 par
peis de contabelidade do Destacamento da
Comarca do Bonito pertenceotes ao mez de
Marco ultimo, para que fossem conveniente-
mente pagos pela maneira que se tinba or-
li.n.s ig0a:doProtectonuii.ero 8;derestringir a laculdade coucedida pela po>- do-llie, queezistindo ordem de S. M. olm- mandante Cimpelb ~6
1- tura aduuioualarligo a. do til. a. de matar-I petador para que o primeiro Cadete J. M. rsaco, e que o mesmo receoera por sjldo a
geiladas as emendas e approvado o ai ligo.
Enlroueua discusso o ai ligo d. que cou ad-
diado por ser meio dia e pedir-se a paiavra.
Ordem do dia.
em quanto gravassein as epidemias; o que de appiv aiio de cotnmunicir este proced- Portara Ao Commandante interina da
ludo se le no incluso oficio della por copia a ment ao Exm. Viiislro da Guerra. Deposito mandj considerar prapas do naes-
Presideucia da Provincia. V-se por tanto, | Dilo Ao mesmo Exm. Snr., remmet- mo, \l viadas da Parama do Njrle, cujas
tiue o poopar despesa foi o maco tun da pos- ; tendo-Ibe competteolemeule iuformado o re- guias se llie remellia.
Entrou em discuti o artigo 36 da lei do lura. T*'!?*a tj^ult C*a,ttl? dd |~" TSOURAUIA DA FASEN DA.
e emendas do nr. Peixoto de A' Commisso parece, que a permissao de bataluao de Artilhena Mauoel Joaquim de Expediente do dia a do corrente.
se niatlar o gado somente das 5 at as 9 horas Laslro Madetia que pedia iicenca para se
da manh pode deminuir a abastan?* do matricular e esludar a liugoa Francesa no Oficio Ao Exm. Presidente da Provn-
aeicado e elevar o preco deixando as cas- Liceo desta Cidade. cia informando o requerimento de Manoel
ses indigentes sem o necessano provimento | Dito Ao Inspector da Thesouraria, pa- Ribeiio Noia padiudo melaorameuto na re-
orcamento ,
ti'itoaddiada da Sesso antecedente. U 5nr.
Lotes Nelto manduu o seguinte addilivo pa-
ra sBr collocado, ende couvier OI residente
da Provincia nao poder lser no anno fiuau-
ceiro, que hade co.rerdo t. de Julho de
i84i aleo ultimo de Junho de 184a, despe-
ca alguma que nao esliver consignada na
preswte lei = depois deste appotado e em dws
(o que ja se tem experimentado^ e dificultar, ra que mandasse abonar ao sunente Sebasli- iorma que se lite deo no lugar da-Guarda da
se nao impedir muitas veses aos criadores o ao LopesGuimares ;do Esquadro numero 4 Alfandega da mesma Proviucia.
talharem o seu gado ao povo, o que alias Ihes i de Cavaltaria, a quantia ae 90000 reis pa- Dito Ao Procurador Fiscal significan-
deveser rnuilo laciltlado, mesmo a vista da ira compra deum Cavallo t couforme o dts- do-lhe constar a Thesouraria ter falecidosem


r> A R i O DE peinamco
i
testamento o Ff verendo Ignacio Jos de Que-
ro* a fin de proceder no caso de ser isto ex-
m jo corso fcr conveniente a Fasenda Pu-
Fortaria Ao Tbesoureiro dos Ordenados I Salvador de Souza Braga,
pcndo-o na roteltigencia de que os Emprega- Tenente Sebastio Lopes Guimares.
da fleperlico da Saude, quem pela
Capillo Severino Henriques de Castro Pi
meulel.
Silvano A Ivs Rodrigues.
Dr. Simplicio Antonio Mnvignier.
ict
Iti do Orcemenio de a6 de Sctembro de i84o
se ccnredeu augmento de vencimentos, nao
podcm receber este augmento emquanto uo
tiverem pago delle o importe de 5 p. C.
dem do da 3*
Officio Ao Comrxandante das Armas
reta o requerimento de Jos Paulo ex sol-
dado de avallara de Linba para se dig-
nar de mandar cobrar e pagar-!he pela ma-
neira adoptada os vencimentos militares, que
se Ibe esto a dever.
Portara Ao Collector do Bonito de-
clarando-lhe em resposta ao seo omo de a
de Fevereiro p. p. pelo qual em vista da
Tabella de 8 de utubro de i33 e do ar-
tigo Bullas Pontificiaes ede seus Delega-
dos pede a definico de oratorios pblicos .
e particulares se todos devem pagar a laxa
de aoU rt. e se esta paga deve ser por hu-
ma s vez ou annualmente ; que por Ca-
pella te entende toda e qualquer lgreja ou
logar destinado oraco e as f uneces do
Culto, que nao for Cathedral, Ctllegiada ,
Matriz, Abbadia, ou Priorado: que estas
Cepedas chama-se publicas quando segundo
a intenco dos Fundadores a todos he permil-
tido o gozo j e particulares ou oratorios
quando o seu uio te restringe s pessoas e
lamillas, em cu jo beneficio fora erigidas :
e que taes Capellas ou sejso publicas, ou
parliculaies nunca se unda sem proceder
Bulla Apostlica a qual carece de Benepl-
cito iu.j e i.il e por taes Bullas be que se
deve pagar a laxa de acU rs.
-I-
JDiversas iiepartices
ALFAEDEGA DAS FAZENDAS.
EDITA I.
Vicente Thomaz Pires de Figueiredo Ca-
irargo, Cavalleiro da Ordem deChrislo, e
inspector d'Alfandega f a2 do coirente se hio de arrematar em basta
publica no Trapiche dcsla Aliandega, ao
meio dia e em coniormidade do que dispoem
o ait, a63 4. do Regulamento da mesma ,
duientos eixes de pelles decarneiro j cinco-
tnla e cinco ditos de touro de vacca e qua-
trocenlos e cincoenta couros de dita a varia-
dos, e pertenceutes la Crabtree Hejwortb &
C. Allandega ao de Abril de 1841.
Vicente Thorxaz Pies [de Figueiredo Ca-
margo.
MFZA DO CONSULADO.
Pauta do preco corrente do assucar algodo
e mais gneros do Paiz que se despachao
lia Meza do Consulado de Pernambuco na
semana de ao a 5 do mez de Abril de
Simplicio Jos de Mello.
Sebastio Antonio do Reg Cavalcanli.]
Simplicio Xavier da Fonceca.
Salvador da Rocha,
Silvestre Goncalve dos Santos Jnior.
Sebastio Jos da Silva Braga.
Silvestre Gonealves dos Santos.
Silvestre Antonio de Ligos Jnior*
Sebastio Antonio do Reg Mello. S. L. M.
Sebastio Ignacio Accble Lins,
Tborr Pereira Lagos.
Tbeodoro Mazado Freir Pereira da Silva.
Thomaz d'Aquino Fonceca.
Padre Thom da Silva Guimares.
lito Fiock Romano.
Thomaz Pereira l'into.
Thomaz Jos da Silva Gusmo.
Thom.z Feneira Ramos.
Thomaz Jos da Silva Guamo Jnior*
Trajano Ceiar Burlamack.
Timoteo Pinto Leal.
Thomaz Dias Sauto
Proessor Trajano Baptisla da Silvera
la marac.
Thomaz de Carvalbo de Souza Brando. A-
fogados.
Thom Correia de Aran jo,
Tiophilo de Souza Jardim.
Bacharel Vicente Ferreira Gomes Jnior.
Vicente Ferreira Gomes.
Vicente Gomes Coimbra.
Vicente Ferreira Rodrigues Leite.'
Vicente Antonio do Espirito Santo.
Victorino Jos de Souza Travasso.
Venceslao Mazado Freir Pereira da Silva.
Umbelino Ferreira Caio.
Verissimo d;>s Santos Siqueir.
Padre Vicente Pereira da Silva Guimares.
Vicente Jos de Brito.
Vicente Pereira Gusmo. Iguarass.
Vicente Ferreira da Silva.
Vicente Ferreira Guedes. Itamarac.
Vicente Ferreira da Cuuha. Pogo.
Vicente Pereira do Reg. S. P. M.
Vicente Jos de Carvalho.
Vtenle Ferreira Maxad.
Vicente Ferreire- da Paz. Jaboalo,'
Virginio Rodrigues Campello,
\ cente de Araujo Pnheiro.
Pre.reitura da Comarcado Recife 4 de Mar-
io de i84i
Aisiguado Francisco Antonio de Sa Bar-
reto.
E para que chegue ao conheci ment de to-
do mandou a Camira publicar o presenta E-
dital-
Recife em fessi de sa de Marco de 1841,
Manoel de Sousa T ixeira Presidente.
Fi Igene ,Infante d'Albuq ierque Mello ,
Secrelario
1MI
frer alg cousa a os creadores : concedemos
Mas por ventura nao aollrem elles tanto no
estado actual, sena que deste sotl'riment o pro-
venga o menor bem ao pobre povo qu9 ,
por sua boa ndole nao obra como outros
costumao de obrar era taes casos, o que mui-
to Ihe louvamos ? Logo o mal nao tal qual
se nos quer inculcar. A diiculdade que ,
no dosso humilde intender pode somonte
antolhar-se nao houverem arrematantes ,
que dvn a garanta uecessaria para comple-
mento do contrato.
Esta materia merece ser tratada ex proles
so e com a maior publicidade para que o
povo fi.iue conhecendo as vaalagens, ou des-
vantagens de tal medida e por isto hora se-
ria que os Snrs. Depulados Provinciaes
que lhe tem feilo a 0>>.>sigdu emittio do
modo o mais explcito suas ideias, para o que
(hes otlerecemos ( gratis ) as paginas deste
Diario como a todos que quizerem tratar
deste to importante objecto.
1 1 ----------------
Hontem pelas 4 horas da tarde embarcara
para o Rio de Janeiro no Brigue Escuna Nic-
iheroy os Exms. Srs. Dr. Pedro d'Araujo Li-
ma Ur Francisco do Reg Barros, r.
Antonio Peregrino Macel Monteiro e mais
clguns Srs. Deputados,
Noticias Provinciaes.
1841.
Assucar B. novo 1. S. ar.
a* <
3. ti
85o 4. te
5. 11
6. tt
Dito M. novo 1. s. <(
95 a. ti
Dito B. velho I. s. M
a. i
3. t
Seo 4- tt
5. - <<
6. a 1
Bito M. velho 1. s. II
5o j a. ti
ai5o)
ao5o) ao5o 1 Q.
ip5o)
ico)
i65o)if65oa. d,
i5ooj
1800)
1700) 1^7001, d.
1600)
145o)
i3oo) 1 s'3co "i. d.
n5o)
IMO)|(
Algodo em pluma
1
9
3. 405o
Jos Maria Cesar do Amaral
Antonio Bento Froes.
Ftitores e Ccnlerentes,
C05CZ.CZA DA
LISTA
tcs'Cidsdcs ta Comarca do Reeife que es-
li ras circunstancia* de ser Jurados no
j resfi.ic auno de 1841*
Ccnlinuado do n. antecedente.
Qtcrino Artcnio do Espirito S Redoli Joao lUryl de Alrreida,
Ruf:no A torio Este es da Silva.
Refino Jts Ceneia de Airceida,
)( ii-o Ciiresda I ontrea.
h.i ,.i Jiiinund. llnalo de Araujo;
BoLerto Gorres 1 Fraga.
Sin plitio Lina de cuia Fontcs.
HttoCoiiea Cevalcanli Mucaabira
Silvestre Jce<]i!in> do ^^6:^meulo.
PR0JECT0 DA CARNE.
Est em segunda discusso o Projecto para
a Arremala9o da carne verde para consumo
desta cidade e de Olinda.
Urna medida tao salutar tem sofrido fi
gr-andeopposico, e lutado com debates e ar-
gumentos forlissimog pro e contra a pezar
do bem conbecido ptoveito que della deve
resultar ao povo, que, para dar prova
da parte que celia toma tem em graude nu-
mero coneorrido s galarias dos diaa, em que
se trata dwle negocio.
Hs desearamos que os que dizem ser
esta medida opposta ao bem publico nos eusi-
nassem o meio de remediar este mal, que tem
900) l0 ,# a sua origen, nao as secas nem dbs enfer-
So'ite ar. 6U65o I midades que costumao atacar os gados, mas
5Liti5o [na srdida ambicio que domina a os com-
pradores ; pois que existii.do as mesmas cau-
sas, osannos pasiado-i, com ludo a carne nao
rbegou ao preco excessivo de que tem gozado
este onno. Verdad* que pouco gado tem
deseido fera nestea ltimos mezes } mas
quem a isto deo causa seno a reuniodos
compradores, que, s tendo em vistas o seu
bem particular unem-se para impor a le a
os vendedores ? Eiitre elles aparece um, que
o'erece por exeroplo iaj'000 res por cabeya ,
os outros ollreceu menoi, e tis o pobre ven-
dedor na estricta necessidade de entregar o
;tu gado pelo preco que lhe prometi o pri-
B>ero que deceno uo corresponde a o pre-
co da carne nesta cidade. Gado de 8 a 10
aircbas se vendeo na eira (segundo uosin-
luiu o ) no invern passado a 10 e a i'2_sooo
1 eis e nao obstante o pre?o da carne regulou
sempie de 8 a 10 patacas,
lalvez nos queiro di/er que a arrema-
BAHA.
Recebemos folhas desta proviaca al o dia
3 do corrente.
O Echo da Bahia Jornal da opposigao
ministerial diz en o n. 7 que a salvaco
publica o move a chamar a attenco do publi-
co sobre os tr3tssi>nos boatos d'a nova re-
voluto e esta precedida de um grande nu-
mero do assassnatos em os vares mais cons-
picuos por seu carcter firme e inabalavel em
lavor do throno, e da integridade do imperio.
Dizia-se, que o Exm. Presidente quer
pedir a sua demissio
No dia a; do passado Fevereiro entrou na
Bahia o Brigue Nova Aurora, que d'elia ha-
via sabido no dia a3 a.-ompnhadoda Cr-
vela Ingleza Rosse trasendo arvorado o pa-
vilhao inglez. Este Brigue pertencente au
Sr. Malhado fasia viagem com distino
costa d'Africa levando carregamento licito
e tendo com sigo todos os despichos compe-
tentes em forma regular. Tratando logo seo
proprietario de evitar um injusto prejuizo ,
dirigio-se ao Exc. presidente, qne inleirado
de nao ser o Brigue destinado ao traGco pro-
hibido olfiriuu ao Sur. Cnsul Inglez, exi-
gindo ser ouvido quando houvesse S. S. de
deliberar a tal respeito e leve em resposta ,
que ate aquella hora nada tintia sida commu-
nicado ao referido Consulado. Consta-nos
por ultimo quedepois de examinada a car-
ga do Brigue pelo commamiaule da Curveta ,
este o mandara laser-se de vela responden-
do ao Sr. Cnsul Ingle que procurara ser
informado do occorrido que sua auctoridade
se limitava a ierra, e que era elle o uuico res-
ponsavel pelo proceditnenlo da Curveta.
A Baha tambera lamenta como nos, os
continuados assassiuios, que ah tem succe-
dido. No dia a7 de Fevereiro p. p. pelas 4
e ineia horas da tarde foi assasiinado o cida-
do Manoel Loureucu Seixas. No dia a de
Marco o 15ii;adeiro Joze Eioe Pessoj tinha
sido assassinado em sua ro9a uo ra ver-
melho com um tiro que despararo de don-
tro de uns cafezeiros contra elle que eslava
em urna vaianda juntamente com sua mu-
luer, que uo foi otleudida,
SERGIPE.
Recebemos folhas desia Provincia, que
alcanco at 6 de Margo, O que nellas en-
contramos de mais notavel foi o assassinio
commeltido contra o Juiz de Paz Joze Ai ves
Pereira pelo Dr. Manoel Joze da Silva Porto.
Sao to barbaras a circunstancias deste hor-
rivel allentado, que pertendemos extrabil-as
fielmente do Correio Sergipeuse ; o que la-
remos amanha ; pois nao temos mais espayo
para tanto.
Correspondencia,
Srs. Redactores.
O modo acrimonioso com que o Sr., quo
sob o annimo de Bibliophilo Szam oulro ~
no seu Diario n. 73 de sexta feira a d'Abril
desapprova o proceder do Sr. Cnsul Barre-
re, quando se dirigir ao Exm. Presidente
desta Provincia -, e por haver pedido a iaser-
,30 do mesmo ofacio como da ola que ao Sr.
IWo Rouen dirigi o Exm, Ministro do
larga resposta teria seno eouhecesse ^ua
tal extranheza da parte do Sr. Bibliophilo \
illr ou de Seren) encornmeniad) ou de
odio pessoal, ou de bairrisrm que nutre con-
tra o Sr. Cnsul Barrera. Querer o Sr. Bi-
bliophilo leccioaar por ventura o Publico en
questdes de Direito Publica ou das Gen-
tes ? .. Assim o parece porque alias dei-
xaria ao Ministerio de S. M. o Imperador do
Brasil decidir o negocio de compstir ou no
ao fioverno perante quem sao acreditados os
09 Cnsules ou Ministros Diplomticos fazer
expulsar do Imperio qualquer subdito de na-
ces amigas que insulte como o Sr. Bretn aoa
seus Cnsules : e nao se i com que carcter ,
e com que m9so quer o Sr, Bibliophilo
anathematizar a conducta do Ex n. Ministro
dos Negocios Extrangeros por haver requi-
eitado do Exm. Ministro da Justiga dita ex-
pulsao. Estamos pois em perfeito desacord
eu e on i 1 finito numero de pessoas sensatas ;
suitentam >s que a medida de expulsas pro-
vinda da causa que foi bem merecida 0
que se deber empregar sempre que surja
casos taes.
O Sr. Bibliophilo Szam outro digno conti-
nuador dos insultos irrogados pelo Sr. Im-
parcial do Diario n. 67. E que o Sr. Justi.
ceiro do Dierio n. 7 J mu i bem responden ,
uisi-te em que o Sr. C. Barrer quinera pre-
judicar urna casa Commercial no seu crdito ;
e na quantia de 11 oojII rs. I 1 Tenho an-
da a dizer sobre isto que falsissimo quo taes
onze cornos de res lhe fossem padiJos: o era
queoSr.C. Barrera reluctou foi emiulgar
legaes cuntas prestadas por essaCaza no que
anda insiste e umitas pessja* que al^uma
cousa enteodem de materias commerciaes
etnbora tenha'esse documento obtido por sal-
do de con las que talvez pJr dignidadeao
lhe uo anemia pois que todos os das appr-
recem casos em que um recibo de saldj se poie
anuular qudnJo se recouliecer haver le-
zo engao-etc.
Se o Consulado Francez prestou-se a dar
urna copia il'um documento atroz que alta-
meute depunba cjntra quem o escraveo e
assignou ese verdade que elle eslava na
Cuanceilaria e fora dado a pedido d'algueai
extrauhar-se-ha que fosse dida esia copia
que depunha altamente contra um hornera
que atrozmente bavia desacreditada esse Che-
le da Chancellara e o mais he depondo
no publico cousas secretas que ainda que
fossem verdadeiras (caso negado) iad ferir o
melindre da Senhora do mesmo Sr. Barrer ,
que al pelo seu sexo lhe deveri merecer ou-
tra comemplaco ? 1 Se pois o Sur. Biblio-
philo he to impassivel que colocado na pusi-
co do Sr. C. Barrer nao ministrara do-
cumentos em seu poder contra um seu ioi-
m> i regoaije-se que se torne assira la j su-
perior ao commum dos morlaes.
Embora o Sr. Bibliophilo diga que nao i
amigo do Sr. Bretn e que nao iniraigo do
Sr. C. Barrete a maneira porque ataca o ul-
timo mostra amizade intima ao primeiro ,
e odio rancoroso ao segundo-, eso lhe direi
que ataque a oulrem que nao seja o Contul
de Franca pelo mo lo que o fez aquello ; e
eulo veta a espada da Justica pezar ssb sua
cabeca. Nao os iucommodo mais por agora
Srs. Redactores ; mas desde j Ihes pey um
cantiuho em seu bem conceituado Diario,
para ir acompanhaudo os detractores do Sr.
C. Barrer em quauto approsentarem laxi-
dades que nfo sao capazes de provar e que
escripias em estilo llo nao fazem mais do
que provar o odio que lhe cousagra. o
OZ,
Memoria e Projecto |d'Encanameoto de agoaa
pota veis para o fornecimento da Cidade do
Recife de Pernambuco.
Continuado JN. antecedente.
A Cidade do Recife em vista do numero
dos seus fogos pode ler de 40 a 5o mil habi-
tantes o paiz he quente e a agoa he co-
mo em todo o Brazil a bebida ordinaria ,
existen] e devem augmentar em numero olb-
cinas que fazem consideravel despeza de a-
goas : por oulra parte grande numero de po-
cos fornece agoa apropriada para muitos usos
domsticos ; parece por tauto necessirio e suf-
ficiente o volume de hum barril diario para
cada habitante, Hum barril dos usuaes des-
ta Cidade contera dous palmos cbicos ou
oito medidas da corte mas como esta quan-
tidaJe de agoa he lomada ordinariamente du-
rante as 13 horas do dia ven a ser neeessa-
rio q'os canos seja capazes de cduzir ipiln js
cbicos por cada segundo o que vera a dir
as 13 horas 93.600 palmos cbicos, ou
46,800 barriz e as 4 horas 172,800 pal-
imos cbicos, ou 86.400 barriz, A agoa
jiiM- do toituiiiudu carnf zode Uier 50/"^ j^egocioi Earangeiro deste Imperio, maiss^ue traanta peb cinj d^raate o tenpj oj^
-fisrrv


mmm*mm
t) I A ft I O DE PERNAMiCo
s
s
>
qus as bicas nao eslo em ser vico he empre-
gada em elevar o nivel do Heservatorio e
pode ser utilisada para fornecimento dos par
titulares, por meio de canos ramaes que le-
vem a agoa as casas durante a noite vindo
deste modo a baver a correspondente diminui-
do de affluencia de gente aos chafantes ; por
conseguinte os canos que condutirem dous
palmos cbicos de agoa por segundo poder
abastecer huma populaco industriosa por
meio de Resrvatenos de conveniente capa-
cidade para mais de 80.000 habitantes.
A altura do Acude actual da Prata he de
44 palmos cima dos lugares mais altos do so-
lo da Cidade elevando a reprea mais dez
palmos na forma j tracada, a fita de nao
delatar demasiadamente o Acude nem com-
primir nascentes baixas vem a haer huma
altura de 54 ps de que abatendo -se a altu-
ra das bicas cima do solo, vem a fcar 4B
palmos ; e faiendo a Caixa d'agoa no largo
da Matriz da Roavista e no lugar marcado
na Planta o desenvolvimeato do cano he de
quasi 5.700 bracas at a dita caixa ou Heser-
vatorio ainda mesmo segaiado pelas sinuo-
sidades das estradas actuaes; mas obtendo-se
algumas passagens por dentro de terrenos
particulares ou convencionando-se com o
Governo Provincial a reformado algumas di-
recces que fcilmente se podem corregir
este desenvolvimento ser talves reduzido a
5.200 bb.; calcularemos porem sobre o de-
aenuolvimeoto actual, e adoptando hura di-
metro de 11 pollegadas ingieras teremos com
cutas condiccoes huma altura de 8 palmos d a-
goa cima das bicas no Reservatorio ou Cai-
xa d'agoa. Se quizessemos hum encauamen-
to duplo os dimetros seria de 8 11a pole-
;adis inglesas para cada hum dos tubos : fal.
amos em encanamento duplo porque assim
ee tem usado em alguns panes se beua que
pela maior parte das vezes se prefere o enca-
namento simples que he mais barato 30 por
cento no cuato dos canos o que com a com-
pareci das despezas de colocaco pode subir
a economa notada a a5 ou mesmo So por
cento. Por outra parte o encanamento duplo
facilita maisosconcertos que possad ser ne tenos o que comtudo o mal nao he sem re-
medio fcil nos eucauamentos simples pois
que a carga superior nao sendo muito consi-
deiavel em o nosso caso nos lugares em que
for necessario alguma reparacao substitue-
se durante os trabalhos preparatorios mangas
de sola aos canos tiendo a substituirlo dos
canos feita com tanta rapidez que a agoa do
Reservatorio pode manter a uorrenteza neces-
saiia as bicas no entretaulo. Esta circuns-
tancia unida a ecouomia e a maior durago
comparativa dos canos de grosso dimetro ea
que a agoa transita com maior velocidade ,
fazem com que proponhamos o encanamento
simples, adoptando o duplo sement as
passagens das pon les aoude as interrupedes
poder ser mais frecuentes.
Vamos a fazer huma breve descripeo do
Encanamento desde a sua origem ate aos cha*
farizes.
O Acude da Prata ser sustentado por hum
maraeno de trra de altura de, 14 palmoscima
da superficie actual da agoa, e ter de compri-
menlo o mesrao marachio to bb. na direcco
E. O., que aimvessa a boca do vale no lugar
designado na Planta 5 a grossura deste ma-
tacho deve ser de ia a iti palmos aparte
auperior e convenientemente taludado para
a parte de fora do At,ude, Isa extremidade
oriental do mesmo Acude havera huma aber-
ta de lo palmos de largura e 4 de altura ,
aemndo de saogradouro para despejo das a-
goas excedentes as uecessidades do encana-
mento que se conservar com a altura cons-
tante de 10 palmos cima do nivel d'agod ac-
tual com seinelhante obra. Este sangradouro
deve ser todo revestido com boa alvenariade
tijolo com soleira e laces de pedra lageada ;
a parte exterior por onde as agoas excedentes
ee devein laucar no amigo leito deve ser or-
temenle construida ecum hum talude exte-
rior em forma de quarlo de circulo para que
as agoas transiten!, e se encamiuhem para o
anligo leilo do Rio sem elecluar choque que
possa damnificar o saogradouro.
(Continua.)
SOCIEDADE SUPERFINA.
Hoie as 6 bor&s da tarda ha Sesso da Com-
missao Administradora, U 1. Secretario.
Avisos Diversos,
tsr O mez passado furtro do armazam
de KeiiWorihy c Brender a Brandis, doze
diamantes para cortar vidro dos quaes j
quuiro forau appreiiendidoj pelo Sor. J>ub-
manbadas 6 as 8 e de tarde das tres as
quatro.
tsr Precisa-se de quatro caxeiros para ho-
ja de fazendas pouco distante da praca com
idade cada um de ia a 14 annos que sai-
bo ler t o escrever e tenho boa conduc-
ta ; as cinco Pontas D. a 8 loja de fa-
senda defrunte de um Imaginario.
C> A pessoa que no Diario de quarta fei-
ra 14 do crreme annunciou querer com-
prar o tratado de Le Roy ; dirija-se a fora de
Portas casa, numero ai4 no principio da
ra.
tar Quem quiser ser feitor de um Eoge-
uho distante desta praca b legoa9 preferin-
do-se marinheiro solteiro mosso ou velho
robusto a talar com Jos bicerra de liirros
Cavalcante ; na ra da Gloria na ultima casa
pegado a um sobrado, que volta para a ponte
Velha, que ahi se dir quem quer.
Aluga-se um primeiro, ou segundo an-
dar de um sobrado, sendo em boas ras, dan-
do-se pelo aluguer athe aoojfooo reis annu-
aes ; quem o tiver dirija-se a praca da In-
dependencia n. J3, e3*, ou annuncie
para ser procurado*
tsr Aluga-se um pequeo armazem 00 en-
trar da ra do Faguades proprio para nego-
cio ou officio de qual quer natureca ; por
preco commodo na venda junto ao mesmo ,
na esquina do Lampio : na mesma venda
tem para vender, em porces autores, e me-
nores ml d'abelha Urucu por pre9o fa-
voravel.
tsr Bernardo Georg Adolfo Lindenbarg ,
natural do Reino de iJavierre, retira-9a desta
Cidade para o Rio de Janeiro.
tsr Justino Thomar Fernando Kuchler ,
natural de Bavierre j retira-ae desta Cidade
para o Rio de Janeiro.
or Urna Snra. de bons costumes, se pro-
poem a tomar criancas com ama para se cri-
arem com leite impedidas e dezempe-
didas, e taiubem se recebe as que estiverem
j desmamadas para se acabarem de criar
com todo o mimo, e amor; na rm da Penha
no fundo do Livramento, no terceiro sobra-
do, terceiro andar.
CP* Fasem-se cazacas de superior pao
preto e verde a 28,ooo rs., sobrecazacos de
dito dito a Ja,000 rs., calcas de pao preto a
i4i*oors. 1 coleles de setim preto com flo-
res a 6,000 rs. na loja do Alfaiate no at -
trro da boa-vista, de Alanoei Joaquim Ve-
nancio de ouza.
et Offerece-se um homem Portuguez de
boa couduta para feitor de alguma obra
dentro desta Cidade, ou para algum sitio
distante athe urna legoa ; quem o pretender
annuncie sua morada para ser procurado.
tsr Aluga-se huma canoa que ca regu
1 ,ooo tijolos de alvenaria grossa; quem a per-
tender dirija-se a ra da Praia terceiro ar-
mazem vindo da Ribeira.
isr A pessoa que perdeo no dia 10 do cor-
rente um alneite de peito ; dirija-se a fora
de Portas na ra de Santo Amaro casa de-
cima 5 que dando os signaes certos lhe ser
entregue.
tsr Qual quer Sur. que tenha gado tan-
to em corda como em sercado que lhe fal-
tar urna vaca parida; dirija-se a ra Augus-
ta easa do Paxco que dando os signaes cer-
tos se lhe dar noticia da dita vaca aonde
existe.
sa" Roga-se a pessoa que aununciou ter
em seo poder dois prancbes adiados de-
cale o seo nome pois que pela decima nao
se pode achar a dita casa*
Joaquim Luiz de Mello Carioca faz Pu-
blico que tem associado em seu negocio ao
seu ex primeiro caixeiro Guilherme Augusto
Rodrigues Sette girando agora a sua casa
desde o da 15 do crrente sob a hrma Ca-
eta Ck Selle -4 tjcaudo pora ato motivo ex-
cao, fica ainda a cargo do sobredito sea socio
realizar; dando solugio como aths aqui
a todo o activo e passivo do seu trnzalo es-
tabelecimento. Declara m s o infrascripto ,
Prefeito deSanto Antonio ; e como de sup-. tinta a sua amiga firma ; e paralizadas,
por que o ladro contine a Tendero resto : todas as tranzacoens da mesma cuja lequida-
roga-se a qualquer pessoa a quem seja ofie-
recidos, baja d'os apprehender juntamente
com o vendedor, que se julga ser algum pre-
to ganhador.
tar* Troca-se um sobrado na ra dos Mar-
tirios por urna casa terrea em qualquer rna
deste Bairro e que seu aluguel nao exceda a
1 ojjfooo reis advertindo-ie que dito sobrado
6ca confrontando a Igreja, e tem suficientes
commodos para grande familia e seu alu-
guel be 1 a|ooo reis, quem o pretender di-
rija-se ao mesmo.
tar Offerece-se urna Snra. pira todo ser
vico de qualquer casa ; quem a pretender ,
dirija-se a camboa do Carmo ; no eco que
confronta com o estanque.
tsr" O Cirurgio Joio Francisco de Olivei -
ra mudou sua rezidencia para a rui dj Li-
vramento, casan, ais. da parte do nascente;
elle continua a dar audiencia a pobreza de
*
que durante o espapo de seis annos ; o seu
boje socio o servia cama sea primeiro cai-
xeiro sempre com todo o zelb e fedelidide
ao |que lhe he summamente grato e obri-
gado
car Nos abaixo assignados aErmamos ter
verificado o jgo d'espada moderno entina-
do por Francisco Gayrel, Prcfessor de Naco
Kranceza, e muito convencidos estamos, que
este jogo tem grande vaotagem sobre todis as
armas braneis de que temos sciencia ha
parecido: julgamos por tanto dever convi-
dar a todos os Brazileiros e poittivamente
nossos Irmos d'Armas pira se aproveitarem
das lices do sobredito Professor.
Babia 19 de Marco de i2 \o.
J. S. B. Cmara Joze Eloy Pessoa.
Antonio Joaquim de Magilhes e Cistro.
Manoel Rolemberg d'Almeila. Francisco
Lopes Jequiric. -- Pedro Ferreira de Oli-
veira.
Aula d'Esgrima;
tar O Professcr da sobredtta Aula esta-
belecida na ra dj Hospicio tnm ha muito
annunciado por este Diario, que o jogo d'Es-
pado moderno vence a todo jogo antigo d'ar-
ma branca e mu-amo ao Cavelleiro de qual-
quer d'estas armas de que esteja munido ; i-
gualmente tem annunciado que ensina a a-
tirar a pistola em 5 ou 6 lices tornando os
Discpulos i&o aptos para atirarem como se
tivessem a pratici de ao annos. O ensino da
pistola habilita ao individuo a vencer a a-
gressao do ioimigo tendo sempre a certera de
empreger-lhe o tiro. A experiencia tem
mostrado a vaotagem deste ensino. Para fa-
zer-se juslica ao que o Prcfessor ha dito,
convida aos conbecedores, e cariozos d'Es-
grima para se deseaganirem co n os Discpu-
los que tem tido a henra de formar. Pelo
que diz respeito aojogo d'Espadao ser com
os Discpulos Brazileiros, e pelo que diz res-
peito pistola com varios Negociantes Ingle-
ses e alguns Senhores Brazileiros. Os Srs.
Militares, a quem a Naci confia urna espa-
da sao os que mais devem abracar o ensino
d'Espadao, sabendo-se, que nao sendo a Es-
pada objecto de mero luto e ornato deve
sempre ser empunhada em efeza da mesma
Naco e de si proprios, poie que a espada
& arma que Ibes especial para airozameu-
te defender o seu melindre
tar Aluga-se o primeiro andar do sobrado
pintado de amarello defronte da Matriz da
Boavista : por detraz da mesma Matriz ao
brado onda morou a Senhcra Viuva Pires,
4^ Precisarse de cem mil rs. a a por cen-
to ao mez, por espaco do um anuo dando-
do-se urna morada de caza de banca: quem
quizer dar, annuncie
tsr Quem precisar de urna ama para caza
de homem solteiro ou com pouc*. familia ;
dirija-se ao beco do Rosario t no bairro de
Santo Antonio D. 5.
tsfr Cjuem tiver para vender quatro ban-
binelas para janelas ; dirija-se a ra da Ca-
deia velha, no Recite n. 18.
tar Da-se Soj'ooo rs. a premio i sobre
penhores d'ouro j neita Xypographia se dir
quem os d.
vr Mr. Kissel relojjeiro no Atterro da
Boavis compra relojos de boa qualidade em
segunda mo e tambem vende em coma y
e faz-se troca afiancando-se aos compra-
dores.
tsr Achou-se no Atterro do Affogado um
cordo d'ouro : quem for seo dono dando
os signaes certos lhe ser entregue na ra
das Flores, sobrado da quina D. 1.
tsr Alu*a-se o 3. andar da casa de 4 in-
dares da ra da Moeda t os pretendeates ,
dirijio se a ra do Vigario D. laa
tv 'l'rausierio-sa o Escriptorio da Com-
panbia Geral extincla da ra dos Cluarteis
para o Atterro da Boavista na segunda caza
indo da ponte a esquerda,
liar Preciza-se de urna pessoa, que tenha
boa letra e queira fazer urna escripturaco ,
em casa particular ; procure na loja da qui-
na da ra do Crespo, que vira para o CJuei-
mado que dir quem .
tsr Pelo Juiz de Paz do 1. Destricto da
Villa de Ctete desta Provincia da Bahia ,
se faz publico, que ua cadeia da mesma Vil-
la } se acha prezo Clemente, mestice ou
tapuiado fgido a mais de quatorze aunos ,
diz que e escravo de Antonio da Cruz Neves ,
morador na Fazeuda da Quizaba Municipio
de Quibrabo ou da Vaia da Barra do Bom
Jariui l'roviucu do l'erujoibucot
5 del'tvtruro de i*4l.
** O abaixo assignado previne ao publi-
co que pessoa alguma faca transad > com
bilhetes de cobre letras, obrigacoins e
outros pjpei Srmidos pelo abaixo assignido
at aS de Janeiro de 18^7 par estes lhe se-
ren tirados como provou perante o Snr. Juiz
de Paz dj estrict9 de Sania Antonio na
conciliaco que fez com Joze da Silva Olivei-
ra e para evitar duvidas pira o fucturo, faz
o prezente annuncio pois que naia deve a
pessoa alguma, aexcepgo d'a-iuellas pos-
soas que com elle negociia licita nente;
Luiz Jora M irques.-
tar O vizinho da Igreja de Santa Rita
Nova que se julgava escandslizado tor-
na-se arrependidj do que ped j; par issa a-
visa aos mesmos Sars* que tanto gosto das
janellas da dita Igreja que poiem connuar
como vio em devirtir-se ca-n as plantas das
quintaos alheios.
Um morador que muito tem gostado;
t3T Urna Soahora solteira do boas costu-
mes aviza aos Pais da familias qUe abri a
sua Aula da primeiras letras, oaIe eusini a
ler, escrever, contar Arithmettca cozer,
bordar, marcar, tufo com perfeicio ; tam-
bem usina meninas e meninos que raer.
fora desta praea j onde prooetta todo o las-
vello e cuidado, que estiver n0 seu ilcauce y
os pais de familias que quisereo utilizar-sa
de seu presumo j dirijo-se a ra Direita ,
terceiro andar do sobrado defronte do becco
do Serigado D. i-]. Na mesan cas* copiaos
se muzicas para pianno e cantonas.
tar Manoel de Madeiros Tararea; retira-
se para a Illia de Sio Miguel a tratar da
seus negocios.
**T O homem roterano cazado c eom fa-:
milia, que se propoem a ensiuar meninos
em Villa Povoaca ou Eugenio perto des-
ta Capital: dirija-se a ra velha n. 45;
tar Furtro de dentro de umi canoa, no
logar da ribeira dois iucerados novos ten-
do de comprimento cada um cincoenta pal-
mos e da largura da lona, in Ja nao esta-
vo embanhades; supooem-sa terem sido
furtados por algum canoero de canoa de val-
la : quem der noticia dos referidos iucerados
tem 8j'ooo rs. de gratificaco ; e reuomm;n-
dt-se a qualquer pessoa a quem forem of-
ferecidos que os tome para entregar ao seo,
dono na pracinha do Livramento 19 ,
e receber a referida graticico,
tar Alugo-so duas cazas terreas i un
na ra dos Qaarteis t e a outra em San-
to Amaro; qnem as pretender, falle ea
Santo Amaro na entrada de Bolem com
Joo fiaptista Claudio Tressa, no seu sitio.
lar O abaixo assignado az saienle ao res-
peitavel publico, que retira-se para a Ciix-t
de da Babia,
Joze Pddro de Medciroa.
tar Pede-se aoSr. Sub-Prefeito do bair-
ro do Recie qU8 tenha a boudade da lancar
suas vistas piedosas para um velho, que
mora na ra de Madre de Dos, o qusl todos
os dias insulta em altos alaridos s pessoas
que lhe passo pela porta e mesmo aos vi-
zinhos e isto com palavras obsenas, e o-
femivas moral publica.
t^> Quem precisar de um homem para
tomar conta de urna veuda pois tem bas-i
tante pratica do negocio, ed fiador a su
conducta: quem do seu prastimo se quiser
utilizar dirija-se ao patio do Paraizo n
venda da quina d ra da Roda : na mesma
se vende um cadello atravessado e muito
novo.
WST Quem precisar de um criado tanto
para aqui, como para ouira qualquer Pro-
vincia: annuncie.
tar O tiutureiro que morava na esquina
da ra do Nixo do Livramento mudou a
sua residencia para a ra do Nixo defronte do
muro da Penha D. ia aonde tem um re-
tabulo por cima das portas e continua a tin-
gir com perfeico todas as qualidades de fa-?
zendas, por precos muito commodos at
mesma caza ha hum homem que se offereca
para administrar qualquer obra ou armizem;
e tambem para escriptorio ou cobrancas de
ra ou para qaalquer occupa;> que se oli'e-
recer, sendo a seco.
tar Urna Senbora branca de bons costu-
mes deseja sabir para fora ensiuar meninos
de ambos os sexos, a ler, escrever, e contar
todas is especies Arithmelics, Grammatica
Pertugneza cozer cha, borda- de linha, da
susto e veo fazer lavarinto e mus ca~
cuud marcar, e faser vistido de senbora ;
quem do seu prestimo se quiser ulilisar di-
rija-se a ra do Fagundes D. 17., que se in-
dicara a pessoa.
Precisa-se comprar urna parelba de c.-;
vallo. para carro muita boas. ensinaios ou
Calote po' easiuar preforiuJo-t* a tdr ru j
qutu 0 (iver auuuurw.
i
"


DIARI O
BE PERNAMBCO
*
3
Sr A Barca logleza Ellen arribada a este
porto com agoa aberU na viagecn de Bomba y
para Liverpool precisa de fundos para os
concerfos necessarios para seguir a sua via-
pem para Liverpool em lastro por nao estar
em estado de ir com a carga ; quera quiser
adiantar os ditos fundos com seguranca sobre
o casco da rnesroa Barca dirija-se aos Consi-
gnatarios Crablree Heywortb & Companbia ,
ra da Cruz n. \i.
Avisos Maritiiuos.
PARA O RIO DE JANEIRO at o dia
a5 do corrente impreleruelroenle o Patacho
Nacional Bella Carlota ; (juera quiser carre-
garoulr de passagem dirija-se a Ganduio
Agostinbode Barros oepracnhade Corpo
Santo D. 67 ou ao Capito Francisco Jos
da Silva a bordo.
PARA O RIO DE JANEIRO segu eow
brevidade o Brigue Fscuna Navegante, a inda
recebe algurua carga bem como e&cravos a
rete passageiros j quem quiser carregar
on ir de passagem dirija-se a ra da cadeia
a fallar cora os consgnala, os Amurra limaos
ou com o Capilio a bordo
JL e i i i>. 1
ganhando a vigsima parte dos premios, ca-
bendo na sorte de 6000,000 tresentos mil res,
a preco de 46o; nesta Typografia na praca
da Independencia n. ao, na ra larga do
Rozario loia de miudezas D. 7 na ra do
Coliegio loja de fazendas D. a do Sur. Mene-
les e na de relojoeiro.
S3S- Unas bancas de angico um apare-
Ibo de louca pintada urna lina oliada pira
banho ludo por preco commodo ; na ra
direita I) 49 n0 pr'uneiro andar
ur
Uma negra de idade de 19 aunos ,
po
ssr (^)ue l'azem Gaskell Johnston & C ,
r intervenco do Correlor Oliveira do
de
naco Quicam ; na ra do Vigario n. 7.
fea>> Arroz da trra superior em porco
earetalhoj na venda da quiua defronte da
Penha.
tsr Urna escrava creouU moca e sadia ,
enaaboa bem engoman cozinba fai do-
ces ecose alguma eousa ; no fin di ra
Augusta sobrado da quina que lem o oilo e
entrada do lado do viveiro do Muniz.
K5- Por o dono relirar-se una venda de
mulhados em lora de portas, lado esquerdo
da Igreja do pilar ; a tratar US nesna.
X&r Um pianni) inglez de milito boas vo-
;.es libras de retroz azul ferrete fio o de
primeira sorte resmas do papel de peso azul;
na praca da Independencia n. 3p.
tff Saras com fardo a aajo, barrica! com
salitre refinado ditas com breu e meias
dits com fariuba.
i. r Por 36,ooo urna du/ia de cadeiras
americanas de assento de palbiuba ; no paleo
mais esplendido eoriinzenlo de ferragens linas
e des meP.ores gosios e mais proprios para da Penha casa de i portas verdes.
este mercado as quaes se venderlo sem li-
tar Urna escrava moca sem vicio sabe
n ites ero quanto a preces, sendo esta cir- cotinbar, engommar e coser ao compra
cunslancia e a de suas boas qualidades re- dor se dii o motiro ; na preciaba do Civra-
comeniac,Jo las an'.e para animar os compra-j ment sobrado por cima da loja que loi do
doies principalmente os caivetes, navalhasISr. lle.culano.
de baiba lhesours lindos faqueiros de j t&- Urna escrava de naco costa, cora urna
mogno conlendo aparelhos de lacas e garfos de ciia de idade de 2 annos a escrava sabe bem
cabos de prala alema &c. sabbado 34 do cor- lavar de varrella e he perfeila quilaudeiraj
na ra da cadeia 49 p'imeiro andar ,
dares e soto em chaos proprios sita na
ra do Collegio junto ao do Snr. Manoel de
Carvalho a tratar na ra de agoas verdes
D. 36.
tsr Vinho de Bordeaux em quartolas 5 na
ra do Vigario L). 16.
tsff" Um escravo canoeiro de idade de ao
annos ; na ra de S. Amaro ultimo sobrado
a esquerda entrando pela ra nova do bairro
de S. Antonio. .
tsr Urna preta de boa figura perfeita co-
zioheira engororaadeira doceira e ente-
boa urna dita cora babelidades para lora
da provincia e um preto multo robusto para
todo osemeo ; na ra do fogo ao pe do Ro-
zarlo sobrado D. a5.
tss" Um orgo inglez com as pecas seguin-
tes -Rory o mar, Jennv Jones L*sf of Gon-
rie Live and cove loyelher Rite K-arney ,
Louve'-i Ritornella, Bircarole, Light of other
days Welcomeme honvra Hid save tbe
Queen ; 11 oarmazem de K-nnorlfiy & Breo-
der a Brindis ra da Cruz D. 6*
sy Charutos da mellior qualidade ; na
ra do Livraraento O. la.
IST Urna venda com os fundos de 800,00:,
a dinbeiroou a nraso com boas fir.ms sita
pras
O. ao : tratar aa
na ra do Livraiueuto
mesma.
SST Urna escrava de naco moc en
gomma cozinba e faz todo o ser vico de
urna casa; na praca di Independencia De-
cima 2.
Bf Guardas roupas cadeiras e mezas de
mogno; na ruada Cruz U. 4 ,lt) gando
andar.
*3r Um negro creoulo de bonita figura ,
por preco muio commodo por o preto ser del -
feiluozo ; na ra do Vigario is.
ssr O lliale Hrasileiro S. Antonio Flor
do lirasil de construeco brasileira, e de
excedente marcha ; a tratar na ra da Cruz
I da ruanh no OU armaien a da cadeia U. 4g no prime.ro andar I > 46 ou a bordo do mesmo deronte do arial
da ra da Cruz. Adverte-se que Sle leilo ou no beco da lingoela venda de Joaquim Jo- ue 'ora de portas,
be em continuaco do ellectuado no dia 2o. s Rebebo. | *T P[]> Hnburgo grandes
cv Que lazem Crablree Heywortb & Kr Um escravo de naco mocambique, de baratas; na ma do Vigario n. ab.
Com panilla por intervenco do Correlor i bonito figura bom coiinbeiro e urna escra- W Urna casa terrea de pedra e cal sita no
Oliveira.dos seguintes arlgos desembarca- va de idade de ao annos engomma liso co-' ^0 da panella, contigua a casa que fo do
dos de bordo da barca IneUza lielen arriba- zinl.a o diaiiode urna casa; na ra direita finado Dr. Jos Luu de Meudonpa, com 4
da a este po. to com agoa aberta na sua actual D. ao lado do Livramento. | quarlof > duas las e c0"nha 0M > com um
SST Um escravo de naco cabinda cano- quintal espacoso com alguus arvoredos de
bezerros peiU de cabra ouros seceos e eiro e pescador urna escrava de naco co- '" feom um quartoao p ; a tratar na
algodo em rama stndo parle desles aUigos se cozinba e engoroma ; na rui eslreila rua da V.Ioria D. 19.
praca.
viagemde Uombaim a Li\erpool a s-.ber ;
; eiro e pescador urna escrava de nacao co-
se cozinba e engoroma ; na rua eslreila rua da <
avariados e parte em bom estado uuaria! do Rozario D. di. | t'arelj mw prPrio P*ra ?>.
feira ai do cor. ente pelas 11 horas da ma-| tsr Um sobrado de um andar novo acaba- | iv' sac de arrobas no atierro da boa
ubi no sslao grande da allaudega nova desta do a pouco lempo, sito na rua de Santo A- vlsta na labrica defarinha.^
,a, maro em fora de portas, este sobrado tem I W Um cravo de nacao de bonita B-
tr Que faz J-O. Elsler por intervengo as lojas um deposito de agoa ao pedo so- 6ura. de idade de ao annos um dito bom
;orretor Oliveira quinta eira a a do cor- brado tem a palmos de terreno prompto pa- carreiro 5 ditos de idade de 94 annos, opli-
rente de lazeudas como sejo chales escar- ra se edificar urna propriedade este terreno moa Pa" ervicode campo, dous moleques,
Jales, duraques lilas, selinetas, pannos or- vai a baixa-mar, com mil palmos de fundo : UDaa moleca f4, negra boa quitandeira ,
diarlos e enl.efinos, lencos pa. a tabaco, brins a tratar na rua de Agoas verdes casa D. d7. urna dita prenba boa cozmbeira e cnadeira
trancados chitas sarjas veludos bracos ef- K^ Bicos finos largos e estreiios ,# gra- Por 4> 000 una parda noca por dio.ooo ,
chales de seda preta seda de coi es lencos a! vatas de selim a 000 e 1000 suspensorios de c
setinados para grvalas e oulras qualidades, burracha tinta de escrever preta a 100
rs.
de agoa verdes D. i.
diversas, as 10 horas da manh ua ma
.Vigario D. 55.
do
otfra>co encarnada e azul a 160, fitas de gar- |
ia e sarjadaa peules de tartaiuga para mar- i
scravos Fgidos
Na mesma casa e as mesmas horas do dia rafas abotuaduras de retroz e de selim para I
sexta feira ti do correule ha ver leilo por! casacas, primas para violoa 60 rs ma- sar No dia iodo corrente euzentou-se da
intervenco do mesmo Uliveira das seguin-' casia perola a 3ao o frasco bicos de prala e casado annunciante urna escrava de norae Mar-
tes ferragens e miudezas ; iacoeos caixas pa- douraUo e oulras muilas miudezas por pre- garida, de naco a qual he beio conhecida por
ra rap ; agulbas, esporas, biidas estribos co commodo ; na rua do Cabug i). ,. conter os seguintes .-ignaes lera falta de 11ra
espelhos de jogo de damas lamparines, agu- fcv" Euchans de a8 a So palmos e urna denle da parle de cima baixa ebeia do coi-
Iheiros oculos, canulilhos, linleiios e ari- poito de cera de carnauba; na rua du rua da po levou vellido de riscado de chita no
pescoco urnas coutas douradas com urna cruz ,
IV Urna rica gaiola de rame viuda de e as orelhas urnas rozetas de pedras brancas
alemanba toda coriida de sinos em roda e liancezas foi comprada a Raimundo Jos Pe-
oulias mullas quiuquelbe.ias e miudezastu- eira Bello a pouco lempo e no poder deste
o por preco co.i modo ; na rua direita luja venda azeile decarrapato; quem a pegar leve
nova L>. ag e na mesma so cobrea chapeos ao pateo do Terco sobrado D. 6S no segundo
de sol desede e paninho por haver muito nadar, que ser recompensado.
No dia 10 ou 1 a do corrente fugiro
dous moleques, um de idade 16 annos, e
alguma couza doente dos olhos, e o outrode
idade de 18 annos, be bastante magro e
ambos bucaes ; quem os pcg le'6 aa, atter-
ro dos affogados casa de Joo Ferreira dos
Santos ou a rua do Crespo 7 lado do sul
que ser recompensado.
S3^ Fugio urna negra de naco cosa da
mina ja velha secca do corpo nariz chato,
can urna marca dt ferro por cima o dado
polegar da mo direita aleijado ese intitula
forra ; quem a pegar leve aa Sr. Kissel re-
lojoeiro em Pernarabuco que dar de grati-
ficaco 5o,000.
OT No dia 18 do corrente fugio um cre-
oulo de nome Gaspar alto, magro, sapa-
teiro sabe ler, lem vicio na fala. cara cora-
prida com urna marca de letid enliga ao
lado do oll.o esquerdo, cora um signal do
golpe no beico superior a u.ha gran le do
p di.eito enrugidi e na junta do dedo n-
dex di mo esquerda com umi mirc du gol-
pe ; quem o pegar leve a casi do Dr, Libanio
na rua da Aurora.
iP Ao amanhece^r do dia 19 do corrente,
desapareceo um moleque de .1 otne Vluximiana
de idade de la anuos creoulo levou ves-
tido calcas brancas camisa de chilla azul,
jaquele de panno a.ul e chapeo de palha ,
letou com sigo seu sr. moc de idade de lo
anuos de nome Joaquiua braneo, com cal-
cas de bii.u pardo, camisa, sera jauele
nem chapeo quem o pegar leve a rua nova
O, o" i que ser recompensado.
tsr No dia i do corrente fugio urna es-
crava de nome Rosa do genlio de angola ,
rosto redondo cor fula lem alguna denles
faltos de idade de 3a aunos estatura bai-
xa um lauto grossa do corpo, ps pequa-
nos e uo falla muito explicada levou saia
e vestido de chita com loressollas muilo des-
botada lem de coslume andar pelas vendas
embreagando-se e isto mais frequentemente
pelo bairro de fora de portas, diseudoque anda
em ser vico de seu Sr* quem a pegar leve em
fora de portas do lado esquerdo terceira casa
passando o ultimo beco onde lem escola de
meninas que ahi tem recoraendaco de seu
Sr. para a receberem e gratificar ao portador.
cr- No dia sabbado de Aleluia 10 do cor-
rele desaoareceo um preto do genlio de an-
gola de nome Joaquina, aiuda bucal levou
vestido camisa de algodo, e ceroulas de brim,
bem parecido de rosto olhos vivos estatura
mediana aleijado do braco direilo por causa
de um tiro a perna direita bastante fiua a
vista da outra e manqueja da perua ten
sicatrizes pelas costas quo em algum lempo te-
ve e de presente acha-se com grande quau-
tidade de sarnas por todo o corpo na larde do
referido dia fui encontrado com camisa de du-
la e um quarto de porco na cabeca conduzdo
por um rapia a cavallo qne o couduzia ao
Recife ; quem o pegar leve ao direcior do
Joruim de Oliuda que gratificar,
Jluviuieuto do Porto
tiros cartas Irancczas e porluguezas, facas e piaia casa do Vianua.
garfos colheres e cultos muuos objeclos.
Com p r i s
boas sedas e tambem se tingem toda a qua-
idude lie lazeudas e roupa leila de qual
&f Joo de naco angioo grosso do cor-
po e beicos ps grandes e tem a cabera
Jo dedo grande eminimo de um dos pes cor-
lodos bastante eonbec.do por ser paiieiro e
Um pianno que sirva para aprender ,
equesejaper pie(.o txmmodo ; quem liver
anuuncie.
fST Urna lipoia e um escravo carpina ^ a
fallar na loja da quina da la do Crespo que juerco
vira para a do Queimado. W, *W O seguintes livros ; dicciouaiio in-
i2y A obra da l.iiioiia Sagrada 5 quem ti- glea-porluguex portugus-ingle por Viei- trabalhar em muitas paderaa.j quem o pe-
vtr fcnnuncie. '' historia da grecia en ingles 1 Po^e, ele- gar leve a rua dos Martirios D. 11 que se.
Cir Cargas de limoens margas, e ma-, meulos de geometra por Ltgendie, bossuct lecouj pensado.
ra cujees ve. des para doce; na proca da la- j dturso aobiea bialo.ia un.ve.sal Putfcu- | l^" i^o dia i4do corrente fugio urna ne-
dtpeudencia ioja n. 2i e aa. doif, direilo da natura, Vatel direilo das creoula de dide de 9$ anuos, estatura re-
cy Um uiuppa geogiahco ; na rua dirti-, gentes roliecoens de cnsluicoens ; na ira- guiar cor luila peitjs cabidos, sintura
t| I, 5^. j vesaa co Rozarlo para a rua do C^ueimado loja lina cbelo grande ; quem a pegar leve ao
fcy Vuccas vitellas, carneiros e porcos ue livros. ; paleo do Hospital do Paraso U. ao.
fSt Urna escrava de angola, de idade de izjt Dtsapa.eceo sabbado de Aleluia um
ao anuos Ui todo o ser tico de urna casa e preto de nome Jos baixo com ponta de
lem principio de engommar e costura a vis- i barba de idade de uo a 24 anuos ladino ,
xsT Um Lolao de ouro para abertura, sem u uo comprador se dn o motivo ; no auer- | de uayo angola lefou vestido calcas bran-
.10, e um par de hiiucos de OUTO } na iua io ua Loa ^ isla na piitiieira venda que tica por cas de estopa, camisa branca anenvudada
biixo o aubi aUo amareo.
V Urna morada de casa tenea sita na
mados Martirios D. y com 6 porlasdefieute,
duas salas i quartos soto, e urna meia
agoa 1.0 lundo do quintal que bota para ma
uo caldereiro leude 18.000 por mes ; a Ira-
lr uo atierro da boa vista na botica do Sur.
-viciara.
que sejo gordos, ii-se buscar ale na distan-
cia de kegoal ; a tratar uo assougue defron-
ia cecina.
ei!a I). ,) no primeiio andar.
vssr Um diicionario ingles dos grandes por
.tra ; na ma d olona sobrdo i), jo.
e ii u a s
cr CATELLAS da Sociedade Fortuna
Tipogrfica, da Lotera da THEATRO que
corta ioipielMvelu.en.e no dia 5 de Maio ,
r, Urna propriedade de sobrado de j an- nado \), 6 que sei recompensado.
as costas ; quem o pegar leve a rua u Cruz
u. aa que sera recompensado.
UT No dia i\ do p. p. fugio um moleque
creoulo de nome Joo conhecido por auluu-
nomazia Macona oe iiade de 16 auuus cor
preta, lem ua cabeca um talho ou falla de
cabello, be sapaleiro levou um ferro no
pescoyo ; quem o pegar leve a rua do C^uei-
NAVIOS SAHIOOS NO Vl\ i7
CF.ARV ; Sumaca Brasileira Conceico Flor
do Mar, Cap AatonioJos Vianna car-
ga difieren tes eneros.
ASSU' ; Brigue Escuna Nac. Boa Esperauca;
Cap. Antonio Jos Vieira em lastro.
ENT1UD0S NO DIA 18
MARSEILHtS ; 47 dias Brigue Sueco
Aciifde 194 tonel. Cap. Nicolu Jern ,
equip. 11 carga vinhos e fariulia d tri-
ga ; a N. O. Bieber & Companbia.
L1S..0A, 6das Brigua Portu;;uez Feliz
Destino de a4 tonel. Cap. Jos Francis-
co Lessa equip. 18 carga vinho e vina-
gre ; a Francisco Severiauo Rabelo.
SALUDOS NO MliS.MO DA
PARAPESoA ; Galera Americana Herald ,
Cap. Josepb Reynolds, carga a mesma
que trouxe.
GENOVA ; Brigue Sardo Margarita Cap-
A. Vacraro carga assucar.
EN T a ADS N O DI A 9
BAHA} ladias lliale Nac. Flor da La-
rangeira Cap. Jos d'Arago carga va-
rios geueroa ; a Bernardo de Souza.
NEW LO.NDON ; 9 mezes Briue Escuna
Ameaicano Columbes Cap. C. llolt, car-
ga azeile de peixe ; ao Capito veio rc-
Irescar.
BAHA ; i a dias Brigue Iuglez Neston ,
Cap. George Shedver, carga lastro j ao
Capito.
SAU1D0S NO MESMO DIA.
LONDriES; Brigue Inglez Helen, Cap.
'iiomuz l'aylor caiga pao brasil.
GENOVA ; Brigue Sardo Hercules Cap
_JV1. Nagio carga assucar.
Afcla ,m 'r J ** **" Kan 7 *
<


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EURCABQ5M_RQBHKM INGEST_TIME 2013-03-29T18:34:34Z PACKAGE AA00011611_03761
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES