Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:03739


This item is only available as the following downloads:


Full Text
q
V.
mm *
rv
lit DS i839. QARTA FEIRA
CAMBIOS:
Ferertiro 18
Londres So 1/3 5o 3/4 Df. St. por ifooo eed.
Lisboa 8o por ioo premio, por metal. oflVrecido
Franca 3ao a 3a5 Rs. por franco.
Rio ce Janeiro aopar. ,-
Moedas de6|4oo t#70o as velhai noval i 4fo 8/iooa 8f j oo
pesos Columna ros i|6io a i|65o
Pillos Mexicanos ifooo a 1/610
Pataches Brasileiros i#6 Premios das Letras, por snex 1 i|4 a 1 ita por loo;
Cobre ao par
PARTIDAS DOSCORREIOSTERRESTBS;

1 1
2%
^Vereiro. JMEn 4 i.
Toso agora depende do no* mesmos ; da nossa prudenei
paoderacto e energa: continuamos como principiamos,
O serenaos apuntado* eosn admira; o antro a* Maces roais cnl-
ProelanucSo da Assemblea Coral do Brasil.
Subaereve-se para asta folba 13|ooo rs. por quartel, pago* aifl-
antadoe nesta Typografi, roa das Crasos U. 3, e ua Prafa
da Independencia D. ij o 58, onde so receben correspon-
dencias legalisadas, a annuocios: iosirindo-se estes gratis
sendo dospropros asrifnantes, e vindosassignado.
Cidade da Parafba t Tillas de sua pretendi
Cidade do Rio 'rrade do Norte, a villas Ideas) .
Cidade da Fortaleza e Tillas Idea.....
Villa de Goianna......... .
Cidade de Olinda............
Villa de Santo Anto...........
Pita deGaranhoni e Povoaco do Bonito. ....
putas do Cabo Serinhaem, Rio Formlo, Porto Calvo
Cidade das A lagoas, e Villa de Macei. .....
Villa de Pajan do Floros...........
Todos os correios partera ao meio da.
* } Segundas Sextas foiraaj
Todos os >
Suintas feiras.
as 10, e 34 decada asaz.
dem 1 11, o i dittodido.
dem idem.
dem i5, dittodiUo
OAS DA SEMANA;
18 Segunda S. Theoionio Prior. Audiencia do J. da Direito d 9. vara de 1
anhS.
19 Tarca S. Conrado F. R. de manh a aud. do J. de D. da 1. Tara de manh.
ao Qua'rta Tmpora. S Eleuterio B. M. Seatio da Tbesourara Quarto cresc. as 5 hor.
e 17 minutos da tarde.
91 Quinta S. Maximiauo B. RelacSo e aud. do J. de D. da a. vara de manhS. ,
11 Sexta Temp. O mist. da Paix. de N. S. j. C. Ses. da T. c aud. de J. de D. da i. v. de m.
ib Sabbado S. Lat.ro Monfc. Ral. de manh. e aud. do V. G. de t. era Olinda
34 Domingo a.da Qnaieanm. S. Mathias Ap.
Mare ebeia para odia 19 de Fevereiro.
As o horas e 18 minutoeda manli. As 9 horas e 42 minutos da Urde.
'
BOH
sm
PARTE OFFlCIAL.
PERNAMBUCO.
GOVERNO DA PROVINCIA.
Expediente do dio 16 de Fevereiro de
1839.
Ofici Ao Inspector da Thesouraria,
bommunicsndo-lhe que por determidacio
do Governo Imperial, expedida etn Ati-
zo da Secretaria de Estado dos Negocios
da Guerra de 5 de Desamoro do anuo fin-
do acba-se a compaubia de aitiice des-
ligada do quarto Corpo de Artilheria, e de
baxo do Commando do Director do Ar-
senal Je Guerra.
DitoAo meimo, ordenando que faca
fediantar as praeas do destacamento de Po-
lica da Comarca da Boa-vista os rodos
dos meses de Marco, Abril, e Miio deste
unno a vista dos prets que he deverio ser
apresentados pelo Commandante Geral do
Corpo de Polica qu asslm o requesita
pela difficuldade de se remetieren mental-
mente ditos sidos pela distancia gratule
que ha desla Cidade a aquella Comaica.
Dito Ao Commandtinte Geral do Cor-
po do Polica, communicahdo-lhe a ex pe-
dicelo da ordem stpra.
Dito Ao Commandafate Superior da
Guarda Nacional do Recife, ordenatido-
Ihe que expeca as convenientes ordens para
que seja despensado do artico da mesma
Guarda o Alfires do segundo Bstalhlo Ma-
noel Francisco de Moura Almoxarifedo
Arsenal de Marinha conforme requesi-
ta o respectivo inspector.
Dito Ao Prefeito da Comarca de
Flores ordenando Ihe em resposta ao seu
oficio de a3 de Janeiro ultimo, que sus-
penda a ordem que Ihe foi expedida em
15 de Desembro do anno pissado, de fa-
ser partir paro a Comarca da Boa vista par-
te do Destacamento de Polica de sua Co-
marca, para acompanhar os recrutas que
o Prefeito daquella houversse de remet-
ter.
Dito Ao Chefe da Legiio da Guarda
Nscisnsl de Flores, crdenaudo-ibe qss
enri a Presidencia urna* lista de todos os
Guardas do Servico ordinario moradores
110 Municipio da Boavista a fim
de que a vista do seu numero possa a
mesma Presidencia determinar se se deve
ou nao ali formar tima Legiio ou somente
huma BatalhiO.
Dito Ao Commandante Superior da
Guarda Nacional de Flores, communicau-
do-lbe em resposta ao seu oficio de ai de
Janeiro ultimo, que nesta data foi expedi-
da ordeiu ao Chefe da Legiio daquelle
Municipio para enviar una listados Guar-
das do servico ordinario residentes no
Municipio da Boa visU a fim de ver-se
pelo seu numero se ae de ve, ou nlo Crear
ah orna Legiio ou somente aoi Bstalhlo;
quo em consequeucia devo-ae igualmente
itsaeuerigaalhfta doa habitantes do Mu-
nicipio de Flores que poderem prestar-te
so-servico ordinario para que se possio
do meamo modo organiaar as respectivas
LegiSes, ficando na inteligencia de in-
formar quaea os destrictos dos Batalboea
e Legies, e quaes as pessoas que de-
ven Bcar-lhe pertencendo ; o final-
mente que em quanto ae nio fuer esta or-
ginisacio devera' continuar no Comman-
do Superior do Municipio do Flores t-
mente.
Dito Ao Chefe da Legiio da Guarda
Nacioosl de Olinda, ordenando, que fa-
ca marchar no da ai do crrente lima
guarda de honra do primeiro Batalhio pa-
ra acompanhsr a primira Procissio do
Deposito do Senbor dos Passos, e na tar-
de do dia aa, todo o Batlhi para acom-
panhar a segunda Procissio de recolhimen-
to do msmo Sen hor.
Dito Ao Provcdor e Msanos da !r-
mandade do Senhor dos Passos m Olinda,
commonicando-lhet a expedicelo da or-
dem stpra.
Dito Ao Commandante da Cbarraa
Amphitrite ordenando-lhe a vista do que
represen too o Cam mandante daa Armas,
que entregue ad Inspector do Arsenal d
Marinha 17 Praeas do Batalhlo Exped-
cionarid que se schsfi doetites, e em es-
lado de serem recolhidas ao Hospital por
nlo poderem seguir o seu destino tea
perigo de vida ficando na inteligencia de
que pelo referido Commandante das Ar-
mas Ibe aera' apresentada a relaclo daa di-
tas Praeas.
Portsria Ao Inspector do Arsenal de
Marinha, para faier receber do Comman-
dante da Charra Amphitrite o remetter
em urna lancha para o Hospital Rgi-
men tal do Hospicio as 17 PrsCat de que
trata o precedente oficio.
Oficio Ao Commandante dat Armas,
commtnicando-lhe a expedici das ordens
precedentes.
Portara Ao Director do Arsenal de
Guerra para entregar a ordem do Coiri-
mandante Superior da Guarda Nacional de
Florea a Bandiras, 3 Estandartes, seis
Cornetas de toque e tres trombetas.
Oficio Ao Commandante Superior
da Guarda Nacional de Floreas, om-
sssicsr.ds-lhs a expedidlo da orden* su-
pra.
Dito Ao Administrador Fiscal dat
obraa publicas, respondendo ao seu oficio
em que partecipa ter maridado recolher
aoa armasens de sua Repartidlo o material
que aW achava no quartel da Companhia
Montada de poliria que deVe com o mes-
nao material fornecer as Obras publicas
provincial, feilss por adminitracio valo
nio convir que s elle deteriore.
Portara Nomeando o Joit de Direito
do Crime do Comarca da Boa vista Jlo
Qurino RodriguesCsrneiro da Silva pa-
ra servir na Comarca do Brjo visto es-
tar a lindar-se a liceoca queobteve, o a
chsrem-se impedidos os Juizes de Direito,
do rime e docivel da mesma Comarca
do lirejo.
Portara Ao conrmandsnte Geral do
corpo de polica para remetter] pretd en-
ca um mappa demonstran vo da terca do
dito corpo declarando quintas praeas so a*
chlo empregadaa nos Destacamentos dat
diversas comarcas.
(Conlinuar-se-.ha)
THEZOURARIA DA PROVINCIA.
Expediedte do dia 16 do Fevereiro de
l83g.
Oficio Ao Prcnrador'Fitcal comas
cootas do taejs'e cha5 devendo Faienda
Publica aa Cmaras do Recife Goian-
na e Olinda afim de em pregar as deli-
gnciaa que esto ao aeu alcance para que
seja a mesma Faxenda endemniada doa
meamos debito*.
Portara Ao ei Collcctor do" Municipio
d Iguarass, Jote Antonio Serpa parteci-
paodo-lbe a entrega na mesma Tbesourara
por mo de Antonio Tbeodoro Serpa do
seu Cilicio-do i. do correnie mez com o
Livros Letras Conhecimentoa, e guias
constantea da relacaS que o acompanhou..
Expediente do da 18.
Oficio Ao Inspector da Thetourara
da Provincia do Marnhlo lecussndo a re-
cepcio do seu oficio de 11 de Janeiro p.
p. que servio de aviso do nq'lie de huma
Letra de 4-5ooj'rt., o pedindo-Ihe para
que hija de nio autoriaar mais a continu-
adlo de outros saque!, por que em cum-
primelo do Aviso do Exm. Menislro e
Secretario de Estado dos Negocios da Fa
senda de 4 ^e Novem'bro derigdo ao
Ei. Presidente desta Provincia se aclo
suspensos os suprmanlos que te faaio i
Provincia do Par.
Portara Ao Theioureiro da Fasenda
mandando aceitar e pagar no dia do ^en-
cmenlo huma Letra de *o:ooo|ooo rs. aa-
cada pelo Thezoureiro Geral do ThezoUro
Publico Nacional favor de.Simlo Ssrd.
Diversas Repartijoens.
1 t
ALFANDEGA DAS FAZENDAS
a.

O Brigue Ingles Fanny rindo de Ha-
lifax 1 entrado em 18 do correte Capilad
Joze Here consignado a Me. Calaaont
*C
ManifeftoB o Seguinto.
a: 11$ Barricas com bacalho, 5oo Pe
de tabeado do pinho, 000 Barricas to-
sas.
MEZA DO CONSULADO.
J. A Pauta he a mesTns do num. 3g
CORREIO.
O Piqueta Ir/gler Sinft, recebe u malas
para a Babia e Rio de Janeiro boje o
u 10 horas da manhai.
OBRAS PUBLICAS.
Pela AdministracsS Fiscal daa Obrat Pu-
blicaa compra-te a madeira seguinte : a sa-
ber 15 esteiot de 48 a 5o palmos de cpm-
prido o 14 16 polegids de face em qua-
dro de grosso : 3i linhaa de 46 palmos da
com pr i do; o 3i ditos de 3b palmos de com,-
prido e ambos com la polegads de face em
quadro de grosso: 8 vasos de 46 palmos
de comprido, o 10 polegadaa de face eda
qnadro de grosso : st pessoa que a quita-
ren! vender podem comparecerem na Salla
da dita Admnistraca6 todos os din utea ,
a horas do Expediente para tractar do seo
juste.
Amaro Francisco de Moura.
Administrador Fiscal.
O Administrador Fiscal das Obrat Pu-
blicas aviza aos Snrs Joto Francisco de
Faria Sales ; Manol Gontalvet da Silva ;
Jote Machado Soares ; Manoel Correa Ma-
ciel ; Gonsalo Francisco Chavier Cavalcad-
ti Ucha ; e Joa6 Paulo de Andrade que
empreitirao avenda de madeiras para a di-
ta Repartidlo; ossinco piimeiros Snrs. em
3o de Abril do anno p. p. o o ultimo no
primeiro de Jonbo du msmo anno ; obri-
gando-te a dar dita madeira no prazo de
seis metes contados do dia om que assig'-
nailo o papel de tracto ; que tendo a mul-
to lempo findado o dito prazo de 6 meses ;
hsjlo de remeter ss madeiras que tratarlo ,
as quaes se fstem de urgente necessidad
para at Obras para que forio encomenda-
das ; coja falta faz-se mito aprejudicial
coniiuuaco das mesmas Obraa.
Amaro Francisco de Moura.
Administrador Fiscal.
PREFEITRA.
Parl do dia 17 de Fevereiro do 1839.
Illm. a Exm. Sor. ForaS presos Iion-
tem a minha ordem e tivered boje desti-
no : Pedro Francisco, Florencio Gomes
da Silva o Joi5 Nepomuceno pardoa ,
e joiocaeauaw ,' StciO eacfvo u5 aCSc
te Coronel Varejio pelo Sub-Prefeilo da
Freguezia da Boa-vista, oi., e a.
por nlo s le em querido prestar ao Servico
de polica o 3. por ter insultado a un
Commissaro da Policial, estando este
em exereicio de snas funeces, e o ultimo,
por estar fgido ; e Simio preto escra-
vo do D. Mara Hypolito pela primira
Patruiha do districto do Mondego por ter
furlado urna preta um veslido.
E' o consta das parles hoja recebida
nesta Secretaria.
Dos Guard a V. Exc. Prefeitura dA
Comarca do Recife 17 de Fevereiro de
i83p> Illm. e Kxm. Sr- Francisco do Re
go Barros Presidente da Provincja
Francisco Antonio de S
faite da Comarca.
Barrote Prt-
MIITII AO
1
<3


Y
T
f-
3
\

#
DIARIO D^FEIMAMBUflO
I
Parte do da 18.

Jllm. e Exm. Sor. Consta das par-
tea hoje recebidaa n'esta Secretaria que
forio presos honteni a minha ordem, pi-
ra terem o devido destino : Manoel Jos
quim preto pelo Sub-prefeito da Fre-
gus do Recife, por denuncia de haver
elle sedosido a um escravo de Luis Antonio
Barbosa de Briio, para fugir de casa ; Jo-
*e Aleixo pardo claro pelo Sub-prefeito
da Freguezia de Santo Antonio por ter
sido encontrado pela meia noite agachado
junto ao um porlad na ra do Caldereiro '
e fazer-se suspeiio ; Antonio Joaqun
tamben pardo, pelo Capitam de Engenhei,
ros A. C. Leio po* insulto ella feilo ,5
Francisco e Matheos pretos escravos
de Antonio Joze da Costa pelo Comrain-
danie da Guarda Princip..! por estarem
en desordem defr<>nte da mesma Guarda ;
e Joio Francisco Frazio pardo e Mu-,
noel Francisco, preto pelo Sub-prefeito
da Freguezia da Boa-vista por terem sido
encontrados fora de horas no lugar da Ce-
punga e em ana casa de suspeita.
Nao cccorre roais novdade.
Dos Guarde a V. Exc. Pre fritura d*
Comarca do Recife 18 de Fevereiro de
1839, 4e.
RELATORIO.
Jllm. e Exi
Sr.
A Congregacio do Lyceo em comprimen
to do 4 do an. 4- do Cap lulo 1. das Ins
trucces Reglamentares de 26 de Outubro
de 183J1 Ten submelter a consideraco de
V. Exc. o quadro das aulas publicas e par-
ticulares desta Provincia com as observa-
ces por ella feitas no decurso do anno pr-
ximo passado sobre materia de tio elevada
importancia.
Lyceo do R rife.
Ex s tem providas no Lyceo asCideiras
de Rhetorica e l'oetica Histor a eGeogra-
fa l'hylosofia Ricional e Mor I, Latino ,
Francez, Inglez Dezenbo Geometra,
Calculo, e Fronomia; echad se porem
creadas a de Physica interinamente regid*
palo Doutor Simplicio Antonio Mavignier,
e a de Commercio, que se conserva vaga.
Carecedor d'hum sistema d'estudo con-
veniente s diversas classea ociaes este esta-
belecimento apenas compde-se de Caderaa
soladas de dierentes disciplinas sera for-
marem por isto curso algum especial.
Fsta circunstancia deploravel na verde-
de lem de idguma maneira debilitado o in-
teresse, quetaes inslituicdes coslumsd pro
mt-lter ; e a educaco da rnocidade pernam-
bucana, credora da solicitude paternal do
Governo permanece estacionaria aperar
do sacrificio da Provincia.
Nio sendo admitlidos em Curso algum
do Brasil os exames feitos no Lyceo do Re-
cife os esludanles negad-se de ordinario a
essa formalidade importante, que deve de
contrastaros ex forcos loiivsveis dosProfes-
ores respectivos e a utilidade caracters-
tica do estabelecimento ; os candidatos a
matricula do Curso Jurdico d'Olinda prej
ferem mesmo (a experiencia o tem mos-
trado) estudar n'aquella Cidade onde Ihes
nio he difficil adquirir relacda* provetosss
toa seos intentos; e muitas vesea desertad
das aulas, cujos Profssoree adoptad me-
tbodo ou compendio diverso dos que pro
Veuueuie ueveui ucicvir nos aeus pr-
ximos exemes.
A fim de ser mais frequentado, e leva
por esse meo snas preciosas vaatagens a
hum circulo mais dilatado o Lyceo >em a
pesar da Congregacio he Coreado a seguir
d'alguroa maneira as pitadas do Collegin
das Arles do Curso Jurdico da Olinda n. disciplinas preparatorias d'esle deixando
assim de tratar da grande reforma dos seos
amigos e defeituosof compendios dando
O espirito da juventude direeco mais con-
forme s ideiss luminosas do secuto; s
ecessidadea e forcas do Pas
Para remover pois lio grave inconveni-
ente seo todava desconcertar o plano* dos
aspirantes ao Curso Jurdico cumpre no
parecer de Congregacio, completar o cur-
so de Bellas Letras do Lyceo com buma Ga-
feira de Gramtica Filosfica da Liogoa
Portuguesa e segreftr" o ehsfce de H lito
ra do de Geografa, inoorsrrftdoi boje
hum s Professor. O esttWfrntet aproba-
dos n'esse corso alcailoario hum diploma
de aptidio conferido pela Congregacio a
favor do qual alem de alguna* sempcSes ,
e prerogalivas Provincia** auctoriadas pe-
la Atsemblea respectiva se pedia- rolic'ltar da
Assemblea Geral o privilegio concedido pe-
la Le de 96 de Agosto de 183o eos- fincha-
reis em Letras das Escollas de Franca e ao*
aproVrtdos n'ellas em Coimbra,
A rnocidade estudiosa animada por to
poderoso incentivo, e apreciando d'mte
man a utilidade real de suas nobrej fadigas
afluir salisfcita para o Lyceo, que alem de'
garilur assim muito em considerara mais
til se tornar Provincia compensando'
msmo a crescida despera de soa conserva-
cao com o imposto das matriculas, diplo-
mas e exarae-.
Motivos igualmente ponderosos levad es-
la Congregacio faeer idntica refl'x5s a
res pe i to das Cadeiras de Calculo, Frono-
mia, e Physica a ultima das q-nes nem
gabinete organisado pdssue para as expe
riehcias mais indispensaveis asna titeara 5
e qaasi todas permanecen*, feixadas a mor
parre do terapo lectivo por'rXta absotot de
esludanles que as frpqnentem.
Com pequeo sacrificio r>"i *m pode esta
Provincia utilsar a qqsntia dispendida an-
nualmente com taes Cadeiras, aproveitan-
do-is com a de Geometra par* os nteres'
antes Cursos de Nutica e Pootes a Calaa-
dal. Ellas pois (a excepcio da de Physica)
e duas outras, em huma das quaes se ensi-
nasse Trigonometra, Esfrica, ptica ,
Astronomia e suas aplicacea a Geodesia ,
Topografa e Nsvegacio, e n'outra Tc-
tica e Manobre Naval; Aplicacio de Arte-
Iharia e Marinha drganisapio de derrotas
por estima ; forroariad o- primeiro curso ,
que deva de habilitar esta Provincia a Un-
cir d'esde joa fundamentos d'huma Mari-
nha civil, a lirar partido de sus posicio
geogrfica tio caroavel ao utilissimo com-
mercio d cabotagem.
As Cadeiras j creadas de Geometra,
Calculo, D*senho, Physica, e duas mais
em que aefexplicassem as propriedades ge-
raes dos materiaes empreados as pontes,
calcadas, portos, diques, nivellsmentos,
construccio de estacamentos e engradi-
ment dos alicerces dessas obra, consti-
luiria por si o Curso d engenhara de
Pontes e Calsadas.
A carencia de pilotos, deque tanto se
ressente o commercio nacional n'esta Pro-
vincia, bastara para assegurar a quem se
aplicasse com aproveitamento ao Curso de
Naitica hum porvir esperancoso e honesto;
e essa lsongeira esperanca sbejara tal ver
para garantir ao Lyceo grande copia de a-
alurr.nos estimaveis.
As numerosas e importantes obras, de
qoe carece Pernambuco habilitariad sempfe
o Governo Provincial a empregar de ma-
neira conveniente qnem no Corso de Pon-
tes e Calsadas desse provas de talento e ap
plica rio.
A rnocidade entfo certa de formar "es-
Parte buma carrera br i I lian te e lucrativa
segundo seos go&tos e propensdes particu-
lares quando a superabundancia de Sa-
chareis em Direito tem revelado a oecessi-
dade de se applicarem a outras sciencias e
oceupaedes professionaes, eproveitar com
prazero ensejo de cultivar assim as letras e
destinarse ao nobreservico da Naci.
-O Lyceo, organisado d'esse modo estn
der sua influencia benfica mesmo as Pro-
vincias vsinhis, que caradoras de. meios
maisazados para instruir seosfilbos, rnan-
dal-os-hio em grande numero para Per-
nambuco, contribuindo assim directa o vo
lunariamente para o engrandec ment da
Lyceo cujos rendimentos augmentars na
rasin directa da afluencia des alamnos.
O resultado porem de tio bellas iosttui-
ces, depende sobre ludo da eapacidade
das pesaos* encarregadaa da sua direeco.
Debalde empenhar se-ha esta Provincia pa-
ra alcancar a* vaatagens reaes, que est*
Congregacio antolba da reforma proposta,
se nova* Cadeiras forem inconsiderada-
mente confiadas a pessoas meaos habis ou
dealeiaadaa; e o meio seguro de empenhar
as mais adaptadas a solicitaren*, essss func-
edes onerosas, he por certo a garanta de
recompensas proporcionadas a utilidad* de
seos serricos. 5oo' ou 6ooj'ooo res, qoe
tem prtsenrtmein d* honorario o Profes-
sor (fe Lyceo quando- se acha no exercico
do mb ertptegb setMo insuficientes para a
satlsfscio das ne-iitades da vida n'esta
Cidade, ondn tudo est por preco exorbi-
tante y descoi'ocoe- sem dnvida quem me-
llior poder instrnir a rnocidade e cujos
talento destinfro* encontrad logo em outra
ProlWsfo nfelP'diais seguros e igualmente
deeorosJs de promover seos verdadeiros in
jareases.
Gusta muito a ConRregacio tocar n'esta
materia que particularmente a respeita :
mas forca I lie he fallar d'esta sortea fim
de evitar que o magisterio seja *m Per na m
buco, com grave prejuizo do Publico e
afronta a civilsimo do Brasil, o patrimo-
nio exclusivo da ignorancia dispresiVel ou
vulgar mediocridade.
O Concurso da Cadeir* de Commercio
do Lyceo foi suspendido em consequencia
das ordena de V. Exc.
Esta Congregacio levou o anno prximo
passado a sonsideracio doEtm. Vice Pro-
sidente da Provihela oiem1>areos creis
eom que por fatalidad* luctava para eJrami-
nar convenientemente os candidatos respe-
ctivos; ecom quanto entio se Iheordenas-
se em resposta r observa ci fiel dos Estatu-
tos da Academia de Lisboa, mandadosexe-
cutar pele Alv. de ... d ... de ., el-
la no duvida de aprovetar anda esta oc-
casiatoopportona para manifestar a V. Exc,
suas incertezas.
Creada essa cadeira pela Lei Provincial
de 10 de Junho de 18J7 e posta compe-
tentemente em concurso cumpra entio a
Congregacio organiaar os pontos, sobre
que havia de versar o exime ; convidar os
arguenles respectivos, e avaliar pbr fim
em justo preco a eapacidade absoluta, e
relativa do* oppostores.
Como porem desempenharaCingregacio
esst-s variados deveres ? O pomposo ttulo
de Commercio com que a Assembldi
Provincial revestios nova Cadeira provan-
do dsobejo (aosolhos da Congregacio) a
intencao legislativa de exigir do candidato
seguros conhecimentos dos seos destnelos e
complicados ramos, tirava-lhe todo o arbi-
trio de preferir apenas alguns d'entre es-
tes.
Forca era pois que os pontos compreheo-
dessem nos termos da supracitada lei nio s
a escriptoraco mercantil, indispensavel a
todo o negociante, mas sinda as diversas
operaedes arithmeticas ; os sistemas mone-
tarios e de pesos e medidas das Nacdss que
se a chao mais em contacto com o Brasil; o
Direito Commarcial e Martimo, cujo es-
ludo regular como se possa de al uma ma-
neira dispensar nos Estudantes d'Aula de
commercio deve-se de exigir por isto
mesmo no Professor respectivo que lem
de suprir da cadeira essa falta, mostran-
do-Ibes com clareza os direilos e obrigaedes
inherentes todos os actos mercante*.
Esse parecer ajustado aosolhos da Con-
gregacio encontrava todava na pratica to
graves diGculdades, que o dennnciavad
como a vesso as vistas luminosas dos Legisla-
dores provinciaes.
Ninguem em Pernambuco reuna em
grao elevado esses conhecimentos importan-
tes para transmottil-os com prove lo a rno-
cidade estudiosa ; e se alguem por ventura
se aplaudisse d'essa fortuna consideravel de
balde procurara dous examinadores asss
habilitados para interrgalo no concurso.
Vencido porem esse embaraco mil ou-
tros se oppunbad anda ao exercieio da ca-
deira de commercio. Em que lempo, e
de que maneira ensinaria o novo professor
materias tio destnelas e importantes ? co
proprias psrs educar a rnocidade Pe.rnam-
bucana; e cujos inexperados provimentos
reriad por certo a embaracar sobremodo a
organisacio posterior do Curso regular de
Commercio.
S taes considrsedes pois roerecessem a
preciosa attencio de V Exc. a Congregacio
vera anda a poatifoilidade de enriquecer o
Lyceo do Recife com aereacio desejadado
curso d commercio pelo qual altamente
clamad os justos aterrases d'esta importan-
te provincia.
Em tal caso seria a Congregacio de p.
recer quo se procurasen os futuros mestre
dentro ou lora do Imperio onde se eneon*
trassem pessoas asss habilitadas para o en-
sino ds materia pois s assim se livra-
rad ella e o Governo provincial da dura
colsio de na escoiha dos candidatos, cir-
cumscrever-se a hum circulo sobremodo
lemitado.
Procedo-se e* Dezembro prximo pu-
jado ao Concurso do lugar de Substituto
daa Cadeiras de Latm d'esta Cidade vi.
go pela jubilacio do Reverendo Lino Joie
d*Olivelra Esta Congregarlo tevejaahon-
ra de submeter a concideracio de V. Exa.
quanto occorreo entio a esse respeito.
Permanece vsgo o lugar de Bedel do Ly.
ceo creado pelas Jnstrucd*s Il-gulamenii-
res de a5 de Outubro dfe 18J7. A neces-
sidade d'esse empregado be mgente, e re*
clamas sua nomeacio.
Frequentario as aulas do Lyceo o anno
psssado 175 estudantes matriculados e 10
ouvintes ; as de Latim dos Bairroa do Re-
cife a Boa vina contario ia4 alumno*: po-
pulacoesta muito;inferior a de i83^ tal-
vez por influencia funesta da Le Provinci-
al de 10 de Junho 1837, que sem iog-
mentar o interesse de estabelecimento* lin-
cou o imposto das matriculas e mandou-as
encerrar logo no mez de Marco.
Aulas izoladas primeiras Lttras e Latim.
mo, por mais babil e zeloso qoe fosse ,
havia elle deocenpar seos numerosos disc-
pulos da escripluraco dos diversos livros
d'huma casa de commercio ; dos pezos e
medid*.: ; redceos-, e valores das moeda
das Naces mais cultas e commerciaotes ;
das diversas especies de a varias ; das van-
tagens dos seguros e obrigaedes dos segura-
dores esmbios, recambios etc. etc. ele
no decorso do mesmo anno lectivo, a fim
de receber noseguinte novos Alumnos P
Limitar porem os pontos as simplices o-
peraedea arithmeticas e a escriptoraco
material de livros como pareca indicar o
honorario commum dos rrofessores do Ly-
ceo era sobrecarregar piovinca d'buma
deapeza pouco productiva,- e auctorisar pa-
ra o magisterio pessoas decididamente im-
Acerca das aulss extranhas ao Lyco ests
Congregi9io leve occasiio de empenhar o
sello de V. Exa. no seo Relalorio do a nao
passado para alcanssr dos Prefeito e Pre-
side n tes daa Cama ras Mu nicpaes as precisas
intormaees sobre a actividade e conducta
dos Professores de suas Commsrcas, Infelis
mente porem mui |poucos respeitario esa
obrigacio legal; e esses mesraos exigersrio
demasiado o metbodo do ensino eapaci-
dade dos Mestres e aproveitamento dos
alumnos.
Por essa razio pois da 60 aulas de Pri-
meiras Letras para o sexo masculino em
exercieio na Provincia penas coust a
Congregacio por via dos Profeisoro'* res-
pectivos que 4a forio frequeatadis o an
no passado por 1617 alumnos e de que pi-
ra o sexo feminino 6 contario 169 alunnai.
Confia pois a Congregacio que avshosi
inlervencio de V. En, obrigara os Prefei-
tos e Presidentes das Cmaras do interior
a menistrar-lhe no anno correte os ele*
mentes propros para formar econmuoicar
ao Governo Provincial hum juizo segsro
sobre o progresso da iostrueco primaris
em Pernambuco.
Talve mesmo conviease auctorisir pi-
ra inspeccionarem as aulas Publicas da*
Comarcas os Juizes de Direito e Promo.
tores Pblicos respectivos cujo zello
illustracio garanten, por certo a jostics
de suas observedes.. Entre Unto a Con
gregacio lembra a V. Ex. como medid
necessaria a execucio na Thetourari* P*o-
viocial do artigo 114 daa Iustuicdes *"
pracitadas afim de habiltala melhor a cu-
ohecer da populacio ordinaria e economis
interna das Aulas Publicas da Provincia.
O metbodo de ensino adoptado as Es-
collas de Primeiras Letras be anda o sin-
gular, contra o qual esta Congregacio
leve o anno passado occasiio de pronun-
ciar-so lembrando para substiluilo o enti-
no mutuo ou methodo de Lmcaster.
Hum jjovem Pernambucano maodado S
Europa para estudalo prcticamente cedo
transplaniaria n'sta Provincia tio mara-
vilhoro sistema e huma escolla normal
dengida entio por elle na Capital fcil-
mente preparara os Professores do iote-
rior para vulgarizarem suas preciosas "**
lagens bis Coramarcas respectivas,
A aula de Primeiras Letras da B0""*''1^
foi frequenUda o aqoo passado por i5t>
alumnos; em comformidade pois' do srt.



/
rr
^"


D I A R 6 DE PRNAMtOO
i i i

T^V
__
' ..'. .
5 Cap, 8 da Le Provincial Ha 10 de J'u-
nlio de 1837 a Congregacio propoera a
V. Et. seriarlo d'outra Cadeira da mes-
ial deciplina naquelle Bairro a fio de
evitar que o nell. e rJOtdTia'capacida'de do
l'rofessor actual succumba era" prejuiz do
Publico ao numero extraordinario dos se
01 dlscipaloS.
A'exldneo c prtetelo dos t Biirros
(1,'sta Cidad, torna tambem indspensavel
pm cada hato a creacio de outra Cade-ira
de Primeiras Letras para o sexo fm'inio;
pits nao he justo nem conforme aos vpt-
dadeirot interesses da Provincia que fi-
quem primada do beneficio das escollas
puh'icas as familias menos abastadas que
morlo mais distantes das Professorts Be-
tunes.
Tendo de admetir as aulas respectivas
qiiem no dscUrsso do anno lectivo se qu-
zer matricular, os Professores d'esta Ci-
dad cujas aulas se acliio se gregada?
do Lyco vem se na rigorosa necessi
dade de alugar para os accommodar cazas
assj espicosas cujos alaguis elevados
absorvem a melhor parte de seos mesqui-
nhos ordennads. Justo be pois vista a
falta absoluta de edificios pblicos desti-
nados para esse fino qu se Ibes arbitre
li mu gratificacio capaz de poupar-lhes
esse verdadeiro sacrificio.
Por ommissio dos Prefeitos das Com
marcas e Presidentes das Cmaras Mu-
nicipal apenas a Congregacio sabe que
de 10 Cadeiras de Gramtica Latina exis-
lentes fbra do Lyco cinco forlo fre-
qientdar o anno prximo psssado por
71 csenil ires : ella espera todava da ac-
lividade dessas ductridades milhores es-
clarec memos est atin para submeter
a concideraclo de V. Ex. no aeguinte
Rea torio sufcs dlas a respeito da utilida-
d de taes cadeiras no centro d Pro
vincia.
Exlstem por provr 4 cadeiras de Pri-
meiras Letras para o sexo masculino e du-
B.t para o femenino. A Congregacio
entende que a mesqinhex dos or-
denados respectivos nfo convida os
candidatos a trocaren saplisfeitos as co-
modidades da Cidade pela intoleravel in-
sipidez d'esses lugares onde nio dispon -
1 ario anda os primeii-os raios da civil!-
sacio.
He pois de misler suprir a disigual-
dade notavel das cirenstancias loeaes'pelo
proporcionado augmento das vantagens
do erarprego, as quaes no parecer da
Congregacio s dvifo de elevar na ra-
zio directa da distancia di Capital e falta
de recursos da Villa ou Povoacio, que
tem de habitar o Professor.
Aulas particulares.
F.xistem n'esta Cidade muitas aulas par-
ticulares de Primeiras Letras Latim ,
1'Vances, Ingles, Rethorica, Lgica,
Geografa e Pintura algumas das quaes
asss acreditadas.
A Congregacio apezar de obrigada pelo
art. 113 das Instrucoes Regulmentaies a
formar sobre ellas hutm juizo segnro deixou
de vizitar-las o anno passado como con-
vinba, receioza de que a deficiencia de mei-
os coercitivos de sua parte nfb annimasse
os Mestres a negar-lhe os esclarecmentos
necessarios.
Para salva-la porem dessa contingencia
deploravel e garantir aos Pais d familias
o sello e babelidade dos Professores par-
ticular es a Congregacio dsejara que hu-
ma medida Legislativa Provincial auctori-
z.ndo para esssa inspeccio constrangsse
os que assim se propoem a instruir a moc-
dadea hnm exame previo, frcando-os mes
rao a feixar as aulas respectivas logo que
por irrecularidade de conducta fossem de
clarados incapszes de continuar no exer-
cicio dellas. O Goveruo Provincial exer-
cendo d'esta sorte saudavel influxo nVsses
estabelecimentos literarios teria ao seo al-
canse meios mais seguros de formar os
costumes do povo e preparar a mecida-
le esperanzosa pata assegurar bum da
os destinos da Patria.
Taes sao Exiti. Secr. as observscoes
que a Congregacio do Lyc >algou dig-
nas da particular alinelo do Governo pro-
vincial V. Exa. pois lomando-as na devida
onsideracio e levando-as na parte carece-
uora de medidas legislativas o conbeci-
mento da Assemblea Provincial dar decidi-
damente saudavel impulso a instrucco
Publica sdquerindo novos ttulos sincera
estima e eterna gratidio dos honrados Per-
iiiibueanos.
Lyceo do Recifegde Fevereiro. 1889
P* Laurentino Antonio Moreira de Carvalho
Director.
Padre Francisco do Reg Barros.
Secretarios

S0CIED4DE THEATRAL.
O Thesoareiro da Soeiedade Theatral
convida os Socios da snesma a comparece-
rm no da aa do corrento mi eaa casa de
Herculano Jos de Freitas na Pracinha do
Livramento para receberem os bilhtes da
recita de a3 e pagaiem assuas entradas.
COLLEGIO PRNAMBUCANO.
Direito Commercial e Martimo.
O Bacharel Jlo Carlos Pereira Ibiapi-
oa cootractado cosa o Director do Colle-
gio Pernambueano para ali ensinar o Di-
reito Commercial e Martimo n'aquellas
partes que forem essencialmente necessaras
aos negociantes e mais pessoas do Coromer-
cio evita ao Publico que a matrcula desta
aula comecara no da ao do corrente; fi-
cando assim notavelmente ampliado o
Curso theorico e pratico do Commercio
que ja seach'a creado no tnesmo Collegio.
Sao admittidos como externos alumnos
maiores de i3 annos.
Avisos Diversos,
_ Alberto Lavenere previne a todos os
seus Alumnos e a todas aquellas pessoaa
que quiserem aprender o Idioma Francez ,
e a Geografa que elle tem a sua Aula a-
hTta desde o dia i4 do correnle na rus. da
Florentina segunda casa do defunto Jlo
Zurrich.
_ Prcza-se de'ama mulber de da-
de que queia sugeitar-ie a fazer oservi-
co d portas a dentro para ama caza
de mu pequea familia r na ra do Li-
vramento foja I). 4' *endo do meio dia
th as doas horas da larde que acbarlo
com quem tratar.
_ Os Pas e Mlis de familia que de
seja ver os seus Glhos bem adiantados,
em ler, escrever, e contar, coser, fazer
laberintos, e marcar de todas asqualida-
des e' tambem se recebem crias de ambos
os sexos u ensina-se com toda a perfeicio
e aptidlo possivet a dootrna, a ajudar
Misa e tambem se recebem meninos pen-
sionistas, e da-seo maior trato e esmero
possivel, se os Pais se convencionarem no
ajuste, econdices, tanto da praca, como
do mato; alias para assistirem toda a smana,
e irem nosabbado ou vespera de Santos ;
ludo slo se ajustar muito cmodo: quem
quiser se utiisar de todo isto, dirija-ae por
detraz de S. Jos da parte do sul D. 4-
r Troca-sep6r um escravo ou escrava
aptos pira servido, din mulatinho de 11
annos pouco mais ou menos : a tratar no
Forte do Mallos com Firmino Jos F. da
Rosa.
_Deseja-se fallar encarecidamente ao Sr.
JoiO Antonio de Sequeira e ao Sr. Jos
Tarares Cajueiro queirfn tr a hnndaHp
de annuncarem por este Diario as suas
moradas.
_ O Senhor que escolbeo difieren tes
plantas na casa de Ramel ras Nova, no
emporte de sessenla mil res; e que deixou
cincoenta mil res de penbor, e nlo veio
buscar; qfieir* ir pela sua encomend ou
por ssu dinhero.
Na rus do crespo D. i5 ha para
vender hnma porclo de cobertores proprios
para escravalara' por serem muito encorpa
dos e de duracio, e nlo se dbvida dar por
preco cmodo.
_ Pelo Juizo do Cvel da segunda Vara
s ha de arrematar a quem mais der por
urna'caza terrea sita na rnn do'Cotovello
D. 3 e a pouro acabada ; sendo a ultima
Pract no dia a5 do corrente.
Quem precisar de folbas corridas ou
passaportes, tanto para dentro do Imperio,
como para fora delle, e por preco acomo-
dado, dirija-se a rus da Guia caca D. 1* ,
que ah achara quem disso se quer incum-
bir.
A annunciante abaixo assignada pre-
vine ao publico para que ninguem compre
bens do padre Francisco do Rgo Birros ,
tanto pelo estado era que elle se acla ;
quanto por que tem filhos legitimados le-
gehaente que slo os seos herdeiros que
tem direito ao* bena, e anullar qualquer
alit nacfio que s faca em prejuizo dos mes-
moa.
Joanna Francisca da Trindade.
Precisa-sede um andar OU caza ter-
na para pequea familia e nio se olh*
prece aed.. as roes Deretas Orlas, e
Agoas verdes, no Fote do Mallos na pren-
ca do Bastes achara com q iem tratar.
Preciza-se de alugar-se orna escrava
para o ser vico externo e instrno de
urna caza de pnuea familia no forte do
mato prenca do Bast $ qu se Ihe dir quem
quer.
Roga-se ao Snr. qu romprou na roa
do Livramento roja de faznnda D. 8 dezt-
iove covados de chita cor de ganga com
palmas roixas a quatro eentos rs. ao cova-
do em mez de Fevereiro de i838 que
quanto antes venina pagar ; do contrario
ver o seo nome por estenco lembrando-se
que a chita alo desboteu pira o mpsmo Sr.
esquece-se de vir pagar por isso se Ihe avi-
r.a que basta um anno.
Anda se contina aforar os ter-
renos situados na- estrada da solidada para
o mangoinho, defronte mesmo da ponte ,
e da parte da estrada qne s^frue do raan-
gunh cando logo do' fim das casas novss do De-
r.embargador Maciel Monteiro conlendo o
fundo decida palmos que se afora lao pal
mos ditos, e na razio de 3?.o rs. cada um
palmos advertindo porem que um e ou-
tro terreno, he todo enchuto e beneficiado,
proraptos para logse edificarem propie-
dades, dependente do outro qualquer
trahalho, quando pelo contraaio sucede com
outros terrenos por aquellas isamediac')* ,
que em lamacal, se tem aforado pelo mes-
mo preco j os prelendentes entendio-se
como Escrlvlo Almeida que est munido
d poderes1 para fax r os aforamentos.
Quem percisar de um homem para
fetor, ou administrador de qualquer obra
de pedreiro; oa a trros lamo dentro da
praca como em algum cilio ros arrebaldes
da meima ; procure o Tenente Coronel
Varejlo atrs da Boa vista, que se Ib* dir
quem he.
Apesso que qnizer comprar 1 dzia
de cadeira e 1 camap dourados de pali-
nba a banqainhaa de abrir de vilete,
loqaadros grandes, 1 meio aparelho de
louca azul, 1 globo grande de meio de
sala 3 marquecas, 9 camas de cazado
eom colxoens hunsbaos, caixas, ecai-
xoens grandes d louro e de pinho, ta-
boas grandes, e pqueaas de costado de ama -
relo, j usodas urna grande trempe de
ferro com des lugares para poren-se pa-
nelas ludo por preco cmodo em Olinda
dfront* do Carmo, no sitio que foi do
Doutor Bernardo.
_ Precisa-se alugar sale serventes pars
trabtharem as escavaces que se esli fa-
zendo no Reducto do Bom Jezus das Por-
tas pagando-se por cada um 64o reis por
dia quem tiver ditos serventes o parte
deltes pode di igir-se a ra do Livramen-
to do lado da roa Direita no terceiro andar
do sobrado D. iS. que lachara com quem
tratar.
_ Aluga-se o segundo andar de um so
brsdo do Forte do Matos para ppquena
familia : na roa do Crespo loja D. 11.
_ Arrenda se hum Vinculo de Ierras
lavradias e de creado na liba de S. Mi-
gue! : no pateo da Magdalena, sitio da vio-
va D. ('a t ha ria.
No Armasera de Fernendo Jos Bre-
gues ao pe do arco da conceieio ha para
vender-se toucinho de mui superior quali-
dade em vlmea grandes e pequeos, e
as arroubas.
Na ru do crespo D. 8, lado do Sul,
ha para vender-se huma boa mulata sa-
di e com habeldades proprios pira ser-
vir em casa d'familia declarase que se
vende pai fofa d Terra pois a vista de
centpraftor se dir o motiv d m'esrn
venda.
Na mesma casa cima precisa-se de ama
malher de idade que queira ir para um
Engenho tratar da esclavatura doente.
-- Precisa-se comprar 5o a 100 saccas com
arroz de Santos assim como lao de ove-
Iba. Qiiem tiver destes dous gneros pa-
ra vendrr, annuncie para ser procurado ,
ou dirrija a ra nova D. 19-
Precisase comprar urna cabra bixo
que pelo menos d urna garrafa de leitos, e
tamb ra se trocara, por outra de casta do
Alentejo anda nova a quem convier al-
gum destn negocio annuncie, oa queira
ter a boodade de dirigr-se a ra nova n.
io3.
Precisa-se de dous a quatro he-
mena que trabalhem de cachada para tra-
balbarem em httm otio perto desta praca :
os mesmos dirjm-se a esta Typogra-
phia.
Na ra do crespo D, a precsa-se de um
bom padeiro, e'ae for preto, escravo, sei
preferido.
_ Quem quiser dar aooUooo.a jaros so-
bre hypoteca em hama casa livre, aunan*
ce.
Qaera precisar de um rapaz portu-
guez de idade de ao annos para caixeiro de
Loja de fasanda ou de ferragem o mes-
mo sabe bem ler, escrever e contar e an-
da mesmo para tomar conla de qualquer
casa de negocio de molhado por balanco,
pois tem os coi iheci asen tos do mesmo; po-
de ni procura-lo na travesa do Hosario D.
i4 Loja de bjlaxa que achara com quem
tratar.
O Snr. que anda a procura da Sara,
de um escravo furtado que existe em Mara-
nbio, tenha a bondade de r outra ves a
mesma casa na ra da Conceieio da Ba
vista D 6.
O Snr. Adriano Manoel Soares que
annunciou morar em Olinda Rus de
Mathias Ferreira N. 4- dirija se a ru
do Queimado loja de fasenda D. 1. recebar
asencommendas vindas doMaranhio ja an-
aunciadas vindo para isso manido com o
seu competente eonhtcimento.
Quem echar dentro de um chales de
tres pontas sele varas debretanba Portu-
guesa cortadas, para se faser um len<,-ol,
querendo restitu las dirija-se ao P Carmo no segando andar D. 9 que rece-
bera' o achado.
Dezapareceo da Praa junto a Serrara
doCardial deus paos de Louro, com 3o
palmos de comprido com as marcas se-
gaintea : I S-- MS -- quem delle tiver no-
ticia os podera' entregar na mesma Serra-
ra, que sera' gratificado do seu traha-
lho.
Na mesma cima ha para vender 14 cw-
xa para socar assucar felas de amalello
e pelo preco de 7,000 rs. cada huma. As-
sim um terreno com 19 palmos de frente
e 3oo de comprido, com algumas bemfeito-
rias cito na ra da Praa na frente da Ri-
beira do peixe. ,
Na 1 a detrs da Matriz em o Bair-
ro da Boa vista casa D. 14 coni lodo
zelo e por preco commodo ensina-se me-
ninos a ler escrever, contar por Arme-
thica Geometra pratica e Gramtica da
Lingaa materna j por isso todos os Pais de
familia que se quiserem ulilisar deste an-
nuncio : dirija-se a casa cima dita.
-- A lloga-seum terceiro andar de sobra-
do, com bastantes coramodospara huma pe-
quena familii ; quem o p-rtender dirja-
se ia ra Nova D 3a a fallar como o pro-
pnctario. Assim comoRfa-se um cvalo
de estribara bom carregador e gordo,
de ved i dos em doze bilbetes, a des mil rs.
cada um : na mesma casa.
t^> Na ra do Rangel D. 9 lado do
nascente, lavam se meias de seda e tus-
trio se por preco commodo. "
Precisa-se de alugar huma casa terrea,
que tenha quintal e cacimba, as immedia-
cues da ra Nova annuncie, ou dirija-se
a ra Nova Loja de Frederico Chaves
D. 5.
Antonio Soares da Costa, convida
todos os seus credores para que comparece
no dia terca feira 19 do corrente em sua
casa as dez horas da manhi com as coatas
de seu debito a couhecerem o estado de
sua casa.
Precisa-se de urna negra para o ler-
vico de urna casa de pouca familia diri*
ja-se ao hospicio na casa que era a igreja
Inglesa.


Y
w*
^T
*W

\
DIARIO
DS PRNAMBUCO.
Jote Mara Placido de Magalhies ,
cono credor de Vicente Jos d Siqaeira ,
faz tcieatn a o maia Sra. credores que no
da 90 do con ente pelas 4 horas da tarde
tenblo a bondade de comparecer as 5
puntas con as suas cotilas legalisadas na
venda que foi do mesmo Vicente para ae
fazer o rateio.
A pessoa que quer fallar com Jlo
da Silva Oli reir dirija-le a roa de Har-
tas sobrado pegado a Igreja dos Martirios.
Quem perdeo no dia 8 do crreme
mez un embrulho de edulas na lojx de li-
vros praca da Independencia n. J e 38 ,
dirija-se ao mesmo lagar que dando os
aigoaes evidentes se Ibe entregar.
Bartbolomeo Francisco de Souzi par-
tecipa seos amigos, que Ibe deru cartas,
r alguraas pequeas eocomendas para Pa-
ria assim como outros q'ue Ihe derlo
dinheiros, roapas e odtros dbjectos para
fazer entrega na mestna Cidade, que lendo
elle urna penosa e perigosa viaguem
de 64 das, t altura de i'lymoult de-
sembarcara era um pequeo barco de pes-
cara que por asar a visin ; deixando seus
behus e tudo o maisa bordo ; a fim de se
transportar pira o Havre em um vapor e
la esperar pelo navio entretanto tendo de-
corrido i o dias ( t 3 de Dezembro ) s*m
que o dito tenba llegado (azendo suspeitar
ter dado a costa em virtude da grande
tempestada que houve depois de sua sahida,
manda facer publico o exposto psra ficarem
scieutes que se senlo verificar a entrega
doa objetos, nio he por culpa do aunun-
ciantn,
Quem precisar de um bom forneiro ,
dirija-se a ra dos. Quarleis, casa dt pasto.
_ Arrendarse animalmente nma boa
morada de casa terrea sita no lugar do
manguinbo confronte ao sitio da Senho-
va D. Lauriana aqualtem4 bons quar-
tos boas sallas estribara e quintal
murado : os prelendentes entendise com
o escrivo Almeida que est munido de
poderes para fazer tal arrendamento.
JL O abaixo assigeado fas sciente ao
respeitavel publico que tendo um escra-
vo de nome Germano do gento de an-
gola, de idade pouco mais ou menos de
a5 annos e que falla muito mal portu-
gus, fugira esseno dia 8 de Dezembro
do anno p. p. do lugar Mara farinha ,
e sendo acbado em Olinda em esa do Snr.
Felippe Jos do Etpii ito Santo Merinho
eral do Ecclesiaslico a qaem dando to-
dos us signaes duvids neoboma poz de
entregar dito escravo e para sal vacio do
crdito do ditoSr. faco o presente an'nun-
cio passaudo o recibo do mencionado es-
cfvo petante 3 teiternunhss era i de Fe~
vereiio presente. Joo Gomes de Mello.
Declaro ter recebo do Sri Merinho Ge-
ral Felippe Jos do Espirito Santo o meo
escravo de nome Germano, que em 8 de
Dezembro do anno p. p. fugira do lugar
de Mara farinha para a Cidkde de Olinda
casa do Sr. Merinho Geral de quem reci
bi peante i lestimunhas fidedignas abaixo
assignxdas e para constar pssso o presen-
te de minba letra e signal, Olinda i de
Fevereirode i83g JooGome-de Mel
lo : como testemuubas Andi Cavalcan-
ti de Albuquerque, Jos Pedro da Silva ,
Jos de Oliveira dos Prazeres, Msjor re-
formado.
__, Desapareced" no dia i3 do corrente
a tarde do sitio de Francisco Antonio de
Oliveira na ponte do Ucboa um caxorro
branco muito magrinho com aa orelhas
cor de caff com leite barriga fina per-
sas muito fiuas e compridas por ser da ras-
* 5'eB" > s ^'tnasae petit ; quem del le
sonber he favor pariecipnr nd mesmo sitio ,
ou no atierro da Boa vista pascando a pon-
te do lado esqoerdo terceiro sobrado onde
tambera poderser entregue que generosa-
mente ser recompensado.
_ O abaixo essignado nSo ssbendo on-
de mora oa berdeiros e testimenteiro da
fallecida L). Auna Joaquina Clemente de
Almeida Sarinbo por uso faz publico a
os ditos berdeiros e teatamenteiro que a
casa da dita Mecida da ra da Boa hora Ibe
est bypotliecadn por 4o,ooo e se vence
a bypolheca em ab" de Fevereiro de i83).
Joio Peretra da Silva GuimarS s.
O abaixo assignado fez sciente ao
respeitavel publico que no dia 8 do cor-
rente a partou a sociedade que leve em seu
ri'goctecoia Ensebio Pmto, e desde esse
dia envante que fica assgnatura s de seu
nome e fica responsavel a pagar a todos
os credores, t receber dos devedores que
devem a sociedade por ter pago b que
pertence ao dito socio como consta de seu
recibe que pessou na occaaiio do a parla-
mento da Sociedade. Antonio Jos Fer
nandes da Costa.
Avisos Martimos
PARA AMSTEBDAM* a Galiota Holn-
deza H. L. de primeira marchas quem oel-
la quiser carregar, dirija-se a seu consigna-
tario H. E. Brender de Braadis ra da
Cruz D 4.
PARA. OHAVREa Barca FrancezaCa
melia, Capillo Giiillebert sahir ate' 38
do met coi rente ; quem quiser 'carregar ,
uu bir de passageoa para o que tea excel
lentes com modos dirija ?e nos seus con-
signatarios Lenoir Besucbet z Puget.
l'ARA o ACARACD o Hiate Nacional
Quem Quiser, sahir at a de Marco ;
quem quiser car regar, dirija-se a Domingos
Jos Vieira na praca do commercio, ou
no trapiche da companhia.
PARA LIVERPOOL a beta conbecido
Brigue Ingles Cybele forrado e entavi-
Ihadode cobre Capillo Armsirony; quem
quiser carregar ou hir de passagem dirija
se a Me. Calmont & Companhia.
JLcil ao
_ Que fas o Corretor gerl Oliveira ,
de grande diversidad de fazendss liropas ,
eavalladas Quinta feira sil do corrente ,
pelas 10 horas da manhi no seu rmasem
da ra d Conceicio n. 34 00 prmeiro
andar.
C o mpras
_ t6covadosde lila branca para capa
da ordem Teiceira de Carmo : na eamboa
do Carmo L). 8.
_ Um qdarto que seja bom e em
boas carnes : ni ra do Raugel D. 3a, no
a. andar.
_ Um talho de cortar carne e um ne-
gro carniceiro, ou mesmo sem pficio : na
ra do Raogel D y.
Vendas
Grande qoanlidade de bichas vindas
ltimamente do porto pelo Brigne Ventu-
ra Feliz a saberos ceios si 90,000, a mi-
Iheiros 16,000 e a retalhoa 3ao rs. cada
urna e ainda assuri sedar alguno abate a
os precos mencionados : na ra Direita
D a.
b. Urna escrava parda de boa figiira ,
com annos de idade sem vicio alguna ,
urna 4
tendo
fiad
e (lijas filhas simibrancaj
unos e a outra a annos pejaaa com
mais de 6 mezes sabe coser, engommar,
cozinhar e com principios de bordar ,
a vista do comprador se dir o motiv :
oa praca da Independencia n. ai e ?a\
Pedras de muinhos muito boas e por
preco com modo e Bichas do Porto ltima-
mente chegadas a Sao rs. cada huma aa
v enda da 1 aa do Collegio D. 10.
_ Potassa Russiana em barriz pequeo*
de mnio boa qualidade: na ra do Vigario
escriptorio do Coronel Menezes n. i5.
__ Urna morada de Casa terrea acabada
de novo de gOsto moderno bem repar-
tida e propna para pequea familia, e
outra ainda em aiiio sitas na ra do as-
mi m que fica por detras de igreja de 5.
Oonsalo : tratar na ra da Gloria Dci-
ma 18.
4 carvallos de estribara e um quar*
to, como tamben roilho em sacas na
padaria da ra do Peixoto das o pontas.
_ O Engenho de serrar madeira movi-
do por agoa silo no Mooteiro sucepti-
vel de pequeo conserto no assentaoien-
to e nio na maquina qu est apta para
se trabalbar com ella para o q'ual ae achad
os matariaes prompto*; os prelendentes
podem dirigr-ae ao escriptorio de O.
Bieber& Companhia, na ra da Cruz, ou
a ra dos Quarteis D. 4, 1. andar, es-
criptorio da companhia geral exlincla.
O novo e bem Construido Brigue Es-
cuna Inglez Falcon forrado e encavilhado
de cobre prompto para seguir viagem ;
a tratar com Me. Calmont dt Companhia.
_ Urna renda ha praca da Boa vista ,
laddopoente D. 6, com fundos sufici
entes para familia tamben se vende pei-
xe tum salgado rindo do Porto : a tratar
aa asesina.
Urna preta de nac o de boa figura ,
e moca roxinha o diario de urna casa ,
ensabea, lava de varrella e tem principios
de engommado : na ra das Flores na ul-
tima casa junto a cocheira.
_ Para pagamento da companhU geral
extincta O engenho. Abura sito na co-
marca de Goianna o qual tem urna le-
goa de frente n 3 de fundo e confina com
o* engenho Bananeiras e P que vira e
com o rio Parahiba : os prelendentes po-
dem dirigir-se a ra dos Quarteis D. 4 >
no 1. andar.
_ Um negro com officio de padeiro ,
de idade de *4 annos sem vicio algdm, e
tambem se troca por dois moleques de ida-
de do la a pannos, inda nio sendo mui-
to ladinos, Culo negro gnha 16,000 men-
saes, nio se vende por deffcito algam 5
qaem pretender diiija-se para o ver arda
das larangeiras D. 5, e para o ajuste na
ra de Hortas sobrado junto a Igreja dos
Mal-lirios.
Urna preta de idade de 1 g a o snnos
cosnha o diario de dma casa, cose cbi
com perfeico engomma liso e ensaboa:
na travesss ds ra do Rozario para o Quei-
mado Ibja de miudezas D. to.
O sobrado de" dois sndres tito na
roa larga do Rozario D. 7 : a tratar na ra
da Cruz n. a4*
Urna preta de naci cabinda, lava
de sabio e varrella boa- quitandeira e
propria para o servios de campo por ter
disso pratica : na rea do Livramnto do
lado da ra Direita no terceiroandar do so-
brado D. 18.
Una adereco de brilhantes e perols ,
contendo um par de brincos ma cruz ,
um par de atacas e dois anis : no atierro
na Boa vista casa de Joaquim Jos de Ol -
veia.
Urna prensa de fazer perequito para
abertura de hornera : nesa Typografia.
_ Una escrava parda de idade de 3o
annos, boa cozinheira lavadeira en-
gomma liso: no beco do padre vndo do
Livramnto lado direilo sobrado de um un
dar pintado de verde
_ Duas neg inhas tendo urna idado de
16 annos e aontra to creoulas, e pro-
pri.-Spara mubandas : no largo do Livra-
mnto D. 16 fabrica de chapeos.
Urna porciode barricas vszias e fei-
xos por preco commodo e urna morada
de casa de Um andar no Bairro de S. Anto-
nio : ha roa da Crus n. i8.
__ Para fora da provincia urna boa es-
crava moca bem parecida engomma o
muflo gl para todo o tervico a vista do
comprador se dir o motivo ; na ra uova
armasen do Sr. Viliaca
_ Um molque creoulo de idade de i3
annos proprio para todo o serveo e com
principio de c.-zinbeiro : no largo do Li
vramenlo armasera 0. 10.
Rap princeza de Lisboa em libras e
as oitavas a 4o rs., dito areia preta da Ba-
bia dito de Pernambuco dito imperial,
rolo fiancez engarrafas de libra, cha isson
de primeira sorte dilo perola dito im-
perial lucos finos largos e eslreit'os ren
das largas e estrellas ditos daa mestnas
uarios para eofeitas de
de guarnicao de bom
goslo dils mais estrellas peo'es de tar-
taruga para marrafas stojos de duas n'a-
vallixH (isouriuhas para uuha ludo fino
e inglez pentes fines de matfim, ditos de
alisar finos de balheia esvovas paia den-
tes ditas para rupa e cbelo caixnhas
de jogo de oteria chamado vspora tinta
fina de esertver preta e efacarnada bo-
loes de vidro para colete eslrelas e globos
para efficiaea de G. N. e inferiores tira
logo de varias qu ilidades e urna das qua-
es nunca visto aqu peonas deescrever a
300 o quarteirao as verdadeiraa pilula da
familia nfrascos de 5o e loo com o seu
competente folheto, superiores bichas che-
largura, masordiua
vestidos, ricas nlu
gadas ltimamente tudo se vende a precd
barato; na praca da Independencia a, ao
e na ra dos Quarleis D. 5.
_ Sacas com alqueira da medidas ve
de feijio molatinho e branco : 00 armase
de Fernando Jos Braguez na ra da ca-
deiado Recife.
_ Dois escravos de 18 a ao annos pti-
mos para todo o servico tanto da prac
como do malto ; eum moleque de ia aa
nos de idade bom cozinbeiro do diario de
dma casa: na ra de agoas verdes casa ter*
rea D. 3j.
1 '
Escravos Fgidos
Fogio no da Quarta feira de cinza ,
de Olinda um escravo creoulo de noai
Joio bastante alto pernas muito linas,'
ps grandes e beices muito altos lie ban-
zeiro no andar ; quem o pegar leva 00
mesmo lugar, ra do Ampirocasa o. a8.
_ Da Villa do Urejo da Madre de Dos*
fugid na noite do dia o de Janeiro do cor-
rente um creoulo de nome Jacob, de ida-
de de 18 a ao anuos, official de sapateiro;
01 ps esparragados, nariz chato, sobre o
buco ds barba tem urna pequea sicatriz
junto ao nariz 5 quem o pegar pode levar
a dita Villa a aeu Senbor Bernardo Jos da
Barros Correia que se obriga a pagar to-
da a despza, ou nesta Cidade a Jos Fran-
cisco do Reg Rangel, que ser genero*
smente recompensado.
4 Ko da i5 do corrente fugio um es-
cravo com os signes seguintes : Joaquim
de riaclo cambiuda estatura baxa secco
do coi po cor preta muito retinta, beicos
vermelhos e o deb.iixo cabido que seo-
pre traz ferido, levou vestido camisae cal-
sa de algodf o da trra e chapeo de palo*
pintado de preto ; roga-ae as authorida-
des policiss c'apities de campo e outra
qualquer pessoa que o aprehender de man-
dar entregar no lugar da trempe na sitio
da cisa de sobrado que tem j portas defren-
te que ser recompensado.
NAVIOS SAHIDOS NO DIA 18
FLMOUTHj 45 dias, Paquete Ingle
Surift, Commandante D. Vvelcli j pas<
sageiro M. Henriques; fundiou 110 la*
meirio.
DA NOVA ZEDANDIA ; 60 dias, Ba-
lieira American Conrilhia de 5o3 tonel.
Cap. Beijamim A. Gardeur, carga azei-
te : ao mesmo Capilio fundiou 110 la-
meiro e segu para Bristol.
LIVERPOOL; a8 das, Barca Ingleza
Prescilla de -118 tonel, Capil 'luylor ,
carga vanos gneros : a B. Lasserre,
deu fundo as laminhas.
TERRA NOVA; 4j) dias Brigue Ingles
Fleyua de l5o tonel.. Capilo James
Flochart carga bcalhao: a Me. Cal*
monte & Companhia ficou fundudo ua
lameiio.
BARCELONA ; 3o dias Patacho ras-
panhul de 90 tonel. Capitao Salvador
Milhor c-rga varios gneros : a Nioo
Maiia de Seixas ficou fudiado ao la*
meirio.
ASS*; 11 dias Brigue Nac. S. Manoel
Auguro de a46 tonel. Capilo Anlo-
ioCardozo A y res carga sal a Ber-
nardo Antonio de Miranda fuadiou no
la meirio.
DITO; 14 dias, Brigue Escuna Nac. Di-
liberacio de a 10 tonel. Cap. Jos Lu-
ciano Domado*, segu para o Rio Gran-
de do Sul, com escala pelos porlos do
sut : a Rosa & rmao ; pas.ageiros o
Vigario dos Touro Flix Alves da Cruz,
e in criado.
OBSERVACOENS.
Ficd'u no Lameirio para refrescar e segu
para o Norte da America a Galera Baliei-
ra Jenus, Cap. Tabir carga azule : *
mesmo Capitao.

Pbm. wi Txr. db n. r. di ti *- t83oV
-
MU


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EEX3KZBBG_BP7IIO INGEST_TIME 2013-03-29T18:10:19Z PACKAGE AA00011611_03739
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES