Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:03725


This item is only available as the following downloads:


Full Text

NHO DE 1839: SClABA. rtttL
CAMBIOS:
Janeiro 5i
Londrts 3e 1;i 3o 3/i Di. St. por ifooo cd.
Lisboa 80 por 100 premio, por metal. Mona,
branca 3ao 3i5 Rs. por franco.
Rio de Janeiro ao par. ...
Moedas de 6|4oo 1 4#5oo relhas noval i4floe.
,fooo8|iooa 8faoo
Pesos Coluranarios l|6lo a i#6*>
Dittos Meaicauos i#S8 a i|6oo
Putaces Bratileiroi i|6ao a if6{o
Premios das Letras, por mez 1 a i|< por feto;
Cobre ao par
PARTIDAS DOS CORREOS TERRESTES.
Cidade da Para iba e Tilles de ana prteneSo .' V
Cidade do Rio *C:dade da Fortaleza e villas dem .......
.Villa do (oinnna..........
Cidade de Olinda .. ....... .
.Villa de Sanio Aino............
Pita de Garanbuos e PovoacSo do Bonito. ....
Dittas do Cabo Senhhem, Rio Formoso, e Porto Cairo
* Cidade das Alagoas, e Villa de Macei. .....*
) Vla de Pajaa' de Flore........ .
Todos es corteios parteni ao socio da.
'J
i DE FEVEkEIRO. NUMERO .
Todo agora dependa de nos msanos j da nosaa pmdeneft
modeaco e energa z- continueiuos MaM princiMBSDM,
t seremos apontados cora admiracio entre as Macos asis al-
tas.
procl.raacio da Assemblea Geral do Brasil;
I Segundas a Seatta e*ra*
Todos os dias.
Quintas feiras.
Dias 10, endcada mas;
dem 1 11, 11 dittodido.
dem idem.
dem 13, dittoditte
. Subscreve-se para asta folba a3#ooo rs. por quartel, patos all-
antados nesla Tipografa, ra das Cruxc t. \ e ua Praea
da Independencia 13. 37 38, onde se receben* correspon-
dencias legalisadas, eannuncios: iiisiriado-t*, estes gratis
sendo dos prOprios assif nautas, o vindos assignados.
das da semana:
4 Segunda S. Ai'dr Corsno C. Audiencia do J. da Direilo da 1. Yara de mnh!.
5 Terca S. gueda V. M. R. de manh e aud. do J de D. da 1. vara de n >>,.
6 Quarta As CliagasdeChristo. Sessoda Thesourana de manbi. Q. roing. as 4 lior. e t
minutos da mauh.
7 Quinta S. Romualdo Ab. Relatan e aud. do J. de D. da 1 vara de manlii.
8 Sesta S. Jobo da Malta Fundador. Se-, da Thes. eud. de J. de IJ. da 1. v dea.
g Sabbado S. Apol na V M. Re. de manh. e aud. do V. G. de t. ein Olinda
10 Domingo da Quinquagesima. S Escolas lea V.
Mari ebea para o da { de Fe vereiro. i
As o horas e 18 minutos da raanhi. As o boras c 1 minutos da tarde.
PARTE OFFICIAL,
U t I ---------L-
PERNAMBUC.
GOVERNO DA PROVINCIA.
Eipediente do dia 29 de Janeiro de
1839.'
Oficio Ao Inspector de Thesouraria,
ordenando que faca entregar a Jos Fer-
rund s Coelho procurador di Cmara Mu-
nicipal de Santo Antio a quantia de ..
880U20 resto da prestici de tres contoi
de res que a presidencia (he mandou
dar para a conclusio da obra da nova Ca-
deia d'aquella Villa,
Oito A Cmara Municipal da Villa de
SmtoAnto, commuicando-lhe a ex pe
dicio da ordem supra.
Dito Ao Commandante Geral de Po-
lica communicando Ihe em resposta ao
seu oficio de 19 do proatitno passado mez
ecompanhado, do q'lhe remetleu o Cidado
Joaquim Jjse Esleves relativamente a in-
demnisacio. que I he foi exigida, em conse-
quencia de nao ler cumprido o contracto q
tez para sustentacio de alguus dos Gsvallo
da Companhiade Ca vallara, que a vista das
rases expendidas pelo mesmo Comman
dtnte Geral nao devem aeraeceitas con
licc,-o -s que o mencionado Cidado pro-
pe para nio ser ebrigado a pagar agora
a exigida ind-'mnisacio.
Dio Ao Inspector Geral das Obras Pu-
blicas, ordenando-lhe a vista do que ex
peemsejj oficio de ai do crrente acotn
paobado do orcamento da despesa com os
consertos que precisa o Quartel da Compa-
nbia montada do Corpo de Polica impor-
tando na quintia de 319U400 reis que
mande faser os mencionados consertos com
a brevidade possivel, recommendando-lhe
que d as necessarias providencias para que
a despesa desta obra nio exceda a quantia
oreada.
Dito Ao Inspector da Tbesoiraria,
comtnuntcaodo-lhe o conteudo no prece-
dente dicio (cando na inteligencia de
qwe a referida dspesa dever ser feita por
"Opta da nnneiitn.prt marrada nara ron-
cerlos do quartel do Corpo de Polica, ou
por conta das despesas evenctuaes no caso
de que aquella nio chegoe.
Dito Ao Commandante da Escuna Le-
bre, ordenando Ihe avista do qoe infor-
ma em seu oficio de ?5 do corrente que
mande entregar ao Vice Cnsul de S. Vi.
Catbolica o Marinbeiro Joio Croaan con-
forme requesita o dito Vice Consol visto
ser subdito Hespanbol, e por consecuen-
cia nio poder ser obrigado a servir em
Navios da Armada Brasileira.
Dito Ao Vice Cnsul de S. M. Ca-
tbolica nesta Cidade, communicando-lhe
a expedico da ordem supra.
Dito A Commissio Administradora
dos Hospitaes de Caridade para enviar com
* pdanvel brevidade ama eirconstaneiadi n
formacio do estado actual dos referidos
Hopilaea e seu patrimonio.
Dito A Administracio dos B n dos
Orfios exigindo com a possivel brevidade
urna informado circunstanciada do estado
em que se acba actualmente o pUriraouio
dos orfios.
Dilo Ao Director do Collegio dos or-
fios para enviar com brevidade urna cir-
cunstanciada informaco do estado do mes-
mo Collegio..
Dito-- A Mesa daSanta Casa da Mise-
ricordia de Olinda, exigindo com a bre-
vidade possivel uma informacio exacta
sobre quaes sejio os B*ns que constituem
o seu Patrimonio ; qud seja a imporianca
dos rendimenlos dessusbens ; qual o modo
porque so administrados e embregados os
ditos beni, e reudimentoi ; emlmente ,
qual a importancia das desposas qoe fa-
sem com os doentes do respectivo H>spi-
tal, ou com qoaesquer outrosobjectos a aeu
cargo. 1
Dito -- A Cmara Municipal de Olinda,
em resposta ao seu oficio da 17 d zam
bro do anno passado, requesitanda um o
rurgo encarregado da varcioa no seu Mu-
nicipio ; que proponlia de entre os l'ro-
fessores aquello que mais apto for, a Gm
de se llie conferir o necesario titulo.
Portara-- Ao Cirurgiioenc Vaccina nesta Cidade para remetter a Se-
cretaria urna circunstanciada informacio so-
bre o progresso que tiver feito a propaga-
cao da Vaccina no prximo p declarando quantas pessoas lera sido Vac
cinadas em eda mez, e o mais que constar
de seusassentos ; eb-m assim qual a mi-
neira porque lem deslribido o pus que Ihe
tem sido enviado, e quaes as ioformacoes
que tem tido dos diversos Vaccinsdores das
Villas desla Provincia.
Expediente do dia 3o.
Oficio Ao Inspector do Arsenal de
Marioha di-emlo Ihe em resposta ao seu
oficio de ig do corrente pedindo dispensa
do servico da Gusrda Nacional pan o Al-
moxarife de sua repirlicio, que occaps
x> posto de alferes do segundo Bat por anteriores ordens da Presidencia ja
seacha dispensado uia so este como outros
eapfegadi,. eqs s:^ jasis nSs^fsrss,
revogadas nio lie mster que sejio nova
mtinte expedidas.
Dito -- Ao Commandante Geral do Cor-
po de Polica, communicando Ihe que foi
expedida ordem ao Inspector Geral das o-*
btas Publicas para mandar faser os con-
certos que precisa o Quartel da Campanilla
montada do mesmo Corpo conforme reque-
siiou o Commandante Garal interino em
oficio de i 8 do corrente.
Dito Ao mesmo, communicando ihe
que achudo-s ja recolhida a Forca do
seu commando quemarebou em delligencia
para a Comarca do Rio Formoso, e ten Jo
por conseguiote cessado o motivo porque
guarda d'a Cadeia tem sido for noci-
da palos Cornos da Guarnicio ; compre
que do dia 3i m diantt ontinm a for-
necer pelo referido Corpo a dita Guarda
na forma esiabelecida.
Dito Ao Comn^ndante das Armas
comraunicando-lbe a expsdicio da ordem
supra.
Dito-- Ao Comandante Superior da G
N. do Recife participando Ihe que do dia
31 do corrente em diante lem cess ecuskio da ordem pela <|u>l a Guardi Na-
cional, se achio dando a Guardi da C<-
deia nos das em que entra de Guamgio
a Praca, viato que a referida Guarda da
Cad>ia va ser como dantes fornecida pelo
Corpo l'olieitl.
D lo -- A o Inspector Geral das obras
l'ublicas, priecipando lli.e que a Presi-
dencia tem cjncdido a Minoel Joaquim
Pascoal Ranos arremattante dis^Jo bra-
cas da estrada do Sul prorogacio de lem-
po al o fim de Favereiro atroximo fucturo,
para conclusa j da mesms obra.
Dito Ao mesmo comauncan*dolhe
em resposta ao seu oficio d '2g do cor-
rento que o segundo Sargento da Cora-
panbis de Artfices Jos de Birros Caval-
cante pode continuar na direccio das obras
dos Quarteis das Cinco Ponas e Hospicio,
em quanto se nio acha um oficial de Car-
pina que a substitu ; devendo porem
presentar se ao Director do Arsenal de
Guerra sob cujo Commando esta a refe-
rid 1 Companhia.
Dito -.-Ao Director Interino do Arsenal
de Guerra, intellignciando-o do conteudo
no antecedente oficio.
Dito Ao mesmo commuoicando-lhe
em resposta ao seu oficio de 39 do corren-
te mez, que deve considerar o Capitio da
l ompanhi 1 de Artfices Joio Nepomuceno
da SiIvh Portella como destacido na Pro-
vicia di Babia em quanto se nio mandar o
contrario.
Dito Ao Administrador Fiscil das o-
bras Publicas, reipondendo Uja^ que a
despesa que se luuer de t*tfmm a re-
noci dos matei iaes do Quartel do Corpo
de Polica pira os Armtsens dis referidas
obras, deve ser por conta da Caixa d sua
Repartidlo.
T.HEZOURARIA DA PROVINCIA.
tf___j:._ J- J:- 3.
Aitl/CUICUIQ uv uia /,*
Oficio Ao Exm. Presidente di Pro-
vincia com o Ponto dos Empregidos da
Alfandega dos meses de Novembro e
Dezembro do anno passado.
Dilo A<> Inspector d' Alfandega recom-
mendando-lhe em cumprimento da or-
dem do Tribunal do l'hesouro n. 100 do
anno p. p. qua lenbi lodo o cuidado,
p d despacho para a do Rio Grande do Sul
por baldea^ ad ou roexpprtacaS de pl-
vora rmaa e quiesquer prelecbos de
guerra, por assim convir ao servico Pu
buco.
Dito-Ao Administrador da Mesa do
Consulado fasendo a meim raaomanda-
fitdo prwtdailt oftaio.
Dito Ao Ad-nifisiradorrs do I api-
.tal da Caridade com 01 reqoeiim-nt >s di
Ricaido de Sousa Ramos e Joze D asGui-
marans p 11 iuf Dito A Francisco Mam-d d 'Almeda
pura facilitar ao 1. Tenente do 4- 3 Co- po
d'Artelheria An..cielo L pes de Santa An-
ua encarregido da demarcarlo e avaha*
c<5 dos prupi i-is Nacionaes a entra.la na
Fortaleza do Rom Jess que 1 tem arren-
dado a fnn de poder faser os exames ,
que sao necestanos. ,
O.lino A 1 Inspctor interino da The
zouraria da Provincia d Rio Grande do
Norte, disejidollie em respaila ao seu
oficio de 15 do corrente m z que o esta-
do dos Cofres da Th- zouraria .desla Provin-
cia em consequenciados avultados saqnes
do Thezouro e de outias drspesas extra-
ordinarios que lem occorrido Ihe nfo
peroaitte despender de momento a somma
de 10:000$' 'oo rs que requesita em viilu-
de d,a authorisacio que leve pela orJem
do Tribunal do Tiiesouro Publico da 6 di
D -sembr ultimo para occorrer o dfi-
cit da Renda Geral da mesma Provincia ,
mas que devendo satisfajer-se esta sua
reqiiisicso no mais que fr possivel, todas
as deligencias serio empreadas para qu
Ihe seja remeltida a quantia de dtz conloa
de rs. em ola* do Novo Padreo.
Dito Ao Inspector d'\lfandega com a
ola que foi enviada pelo Escrivfo inte-
rino da mesma para moitrar a diff-reiic
dse haver lineado na Guiados ren
mentos recolhidosem 26 do corren'e como.
Receita Geral a quantia de 1:64trj996 rea
que partencia a Renda com applicacio es*
pecial para emendar este engao man-
dando faser na Guia do resto dos rendi-
menlos do corrente mex as convenientes al-
terac-iens.
Dito Illm. Sur. Em vista do seu ofi-
cio de 19 do passado em que sobre a exe-
cuclo do artigp 3. do Decreto d 11 da
Outubro p. p. e do arl. 11 da L i de o
do mesmo mee e Tabella que -lia so
refere pede os seguntes esclarn-1 mentos :
1. se nova Tabella deve em ludo subs-
tituir a amiga dos novos e velhoa Direi*.
tos e Chancellara oo ae ambas d-v-ro
ter ao mesmo lempo exerucio : a. se 119
caso de prevalecer nova Tabella a antgi ,
_. 1:. :.- >
-3 pr:.;o; que p--ij-,ru o umwin nena
mencionadas esto aentas de pagarem 00
direilos de Chancellara valo o titulo da-
do a nova T..bello compreheiider. sses D -
re i los: 3. se no mesmo caso de preval---,
cer a nova T b-lla ficand a anliga de
nenlium vigor v quaes os direilo* que de,
vem pagar as Provisea d Tulrlla nao
compre hendidas na nova T'belb e sim
na enliga : 4 quaes os Oficias Geraes de
Justina existentes nesta Provincia que es-
li siijeitos a Usa marcada no art. 1. da,
nova Tabella : f 6. finalmente se eitea
direitos conlinuio a ter a applicacio dada
ala ao presente para aa despesas Geraes ,
ese o imposto de i\% por cento das Letras
Iaiaisadas Umhem devem-ter a aaasma.ap-
piicrci5 : lenho a dizer-lhe. de conformida-,
4 aem ptreeer Fisoal q*u^io M |.

-aa.
.



DRIOBIP M MAM? Pfl
.' i
*.queos quanlitstiros eipecificasloe na
cania Tabella abrange o Noros Ve-
lhos Direito* e o da i haneellai ia a
que eU mesma Taballa substilue ante-
cedentes naquclle* orados, Carta Pro-
tisoens, e ttulos, dequetraela, pelo que
raapaito a Renda Garel quinto ao 3. qae
M a ultima Tabella nao contempla aa Pro-
tisoens da TolelU ba claro, que esus
por ella nada detern pagar a aim pelas
antigs que nlo ae achio no todo derroga-
daa t por que nlo harendo disposices l-
gaos posteriores qua isenlem doa utos
Velhoa Diraitoa a da Chancellara toes
Protisoens os de vena psgar como danles :
Juanto ao 4- 9,ue ocio. Gerae* de
uslica existentes nests Provincia, sao oa de
Deaembargadores tisis do Acto Addi-
consl da Constituido; e quanto ao 5.
finalmente que todos os imposto de que
trata o art. 3. do Decreto de i a de uiu
bro, a art. n da Ley de ao do mesmo
mes sio applieados a Dcapesa Geral.
Dos Guarde a V. S. Thezouraria de
Pernambuco3i de Janeiro da 189 Ja
fo Goocaltez da Silta Illm. Sin. Admi-
nistrador da Recebedoria de Rendas iuier
as.
Expediente do dia 1 de Feteieiro.
Oficio -=-Ao Inspector da Thesouraria
da Protincia da Parabba pedindo pira en-
viar cotn toda breviJ*de a respeto do
oficio de 17 de Desembro ultimo ,- que Ibe
foi derigido a respeilo dos saques que em
tirtode das ordens do Tribunal do rbosou-
ro detem ser eitos sobre a mesma Ttiezou
raria pelas sobras da aua H-eeia Gr ral.
Dito Ao Inspector das Obras Publicas
para informar que obras perteucaute ao
Administracfo Geral ae achio presente-
mente a cargo da mesma Repaiticio e
qua ordens as tem auctorisado.
Portara Ao Tbezoureiro dos ordena-
dos mandando pagar ao a. Escriplurario
da Contadura da roesma Thesouraria Joze
m Henriques Machado aqu'aulia de 58U33J
rs. do sau ordenado do mez de J neiro
p. p.
Dita Ao dito mandando tambera pagai
ao a. Escriplurano da mesma C .iftadoru
aposentado Luis Jote da Silta Guimaraues
a mesma quanlia de 58U JJ3 rs. do MI or-
denado do referido mes.
!
I
procedente, e deserta a appallacsto
Na Appellaca civel do Juizo da Direito
destaCidadeeAppehW Adaainistra-
dores da casa de Manoel Mitheos do ^re-
tas e Appellado Antonio Gome* Villar,
Escrivio Posthumo foi confirmada a Sen-
tenca appellada.
Na AppelUcio citel do Juxi do Citel
deata Cuade Apellante Manod Luis da
Veiga e Appellado Antonio Joze Gomas
E.ciitio Bmdeira foi confirmada a ScB-
tenga eppellada.
Na Appellaca citel do Juito dn Direito
da Comarca do Ass App-liado Francisco
1.opea de Azjvedo e Appellado Antonio
Texeira Escritio Chatea : foi julgada pela
reforma da se o tenca.
ALFANDEGA DAS FAZENDAS.
Rendiraento da Alfandega de Pernambuco,
no mez de Janeiro prximo pastado.
Di 1 eitos de 15 por ceoto de
cousuro rao.....I07:3361914
Dito dito de 5o por cento da
plvora.....i
D to dit) de 3o por cento do
Cha. .......
Dito dito de a por ceoto de
Reexportarlo.....
Dito dito de a por cento le
Bilducao......
Expediente de 1 i/a poreento in366,#JJ9
Armvz-magem de i[4 por cen*
lo ao miz..... b4,fio3
Dita Addicional de 3 ip por
cento. .... a5:448fa93
Premio de ipporc. ao mes i.8i)4'i84
Multas de 5 por cento calcula
dis nos Despachos. 4*710
r:o36$'7i7
4:5ir),s'3oo
35f7i5
134 f4
Emolumentos de curtido-s co-
mo do Litro respectivo a
11. 4- *
Muir s Aoilcas cmodo Litro
resp ctito a fl 4 e 5
i5i:835,?3i5
6'o8j
3i4i'a<)3
Res. fia: 1 Sit**
tmlhada meaaaYrafuesi., por estar eln
desOrdem.
E' oque consta das partes hoje recebi-
das nesta Secretaria.
Dos Guarde a V. Exc. Prefeitara da
Comarca do Reeife Si de Janeiro de
i83o. Illm. e Kxm. Sr- Francisco do Re
iro Barros Presidente da Protincia.
Francisco Antonio de S
eito da Comarca.
Barreto Pre-
if
Diversas jfteparticoens.
TRIBUNAL DARELLACAO'.
Setsio de 1 da Fetereiro do 1839'
Os Embargos de Manoel Cietano Gotea
na Appellaca que despula com Lua Mar-
tins de Paula do Juizo do civel da Cilia-
do da Fortaleza EscritoO Ferreira forio re-
cebidos o reformado o Accordo embar-
gado e Seotensa appeilada.
Na Appellaca citel dn Juizo do citel
desta Cidade Appeltanle D. Maria Joaqui-
na da Grac* e oulra e AppelUdo Mauoel
Joze Pereiru Feruandea de Mello represen-
tado por seu Tutor Escrivo Bandeira ;
te iu'gou pela reforma de Sonlenca appei-
lada.
Na Appellaca citel do Juizo do citel ds
Villa de S.|Barlholomeo Appeilante Vecen-
cia Maria de Jess e Appeilada Anua de
Brilo Leila F.alivio Rebello: foi confir-
mada a Seulenca appeilada.
Na Appellaca citel do Juizo de Direito
da Comarca de Goiauua Appeliaote Luiza
Saraita da Silva e Appellado Eranciscu
de Paula Nuberto de Audiada como admi-
nistrador de sua mulher Emiti Ferreira
ae julgou pela reforma da Senlenca appei-
lada.
Na Appellacam citel do Juiso de Direito
des'a Cunde Appellanles D. Rita Mara do
Crmo Meudooca e Bazilio Altes de Mi-
randa Varejio a Appeilada Angela Ma-
ria Francisca do Rozarlo ; Etcnva Rtbel-
lo foi confirmada a Senteaca appeilada.
Os Embargo de Jos Vas Salgado oppos-
tos ao Accornao a fator de Frauc co Este-
va* de A breo Escntio Ferreira foio dea-
presados.
Carta de dia de aparecer do Juiso de Di-
reito de Macei de Elena Maria de Jezna
.contra Antonio Barbota Cabra!; se jalgoa
Alfandega 1 de Fetereiro de 1839.
Como Escrivio
Jeouino Joxe Tatares.
ANNUNCiO.
As meicadoriae annunciadas para o dia
lado mes p. p. ficio transferidas para
o da 4 do crrante impieteritelmenle.
MEZA DO CONSULADO.
_ A Paula be a mesma do num. a7.
ARSENAL DE GUERRA.
O Arsenal de Guerra tem de remetler
para a Protincia do Cear af'O j bailas do
ad. 17 : as pestoas a quem contier fa*er
em alguma emba cacao tal condurca ,
queiro comparecer no mesmo Arsenal pa-
ra con racjjjt o ajustes, e prefirir-seaquem
por me'iitfr iYete quizar letal-os.
Arsenal de Guerra 31 de Janeiro de
1839.
Joa Arceno Barbosa.
Director interino.
PREFEITURA.
Parte do dia 3i da Janeiro'de i83g.
Illm. e Exm. Snr. Fora presos hon-
t-m a minha ordem e titea hoje dia-
tino : Manoel das Merces, preto pelo
Comandante da Feriales do Brom por
ler divulgado a falsa noticia de que o Bata-
Ihim Protiseiio de Cxssadores rmbsicivs
para o Sul, o que deo motivo i desercio de
varios individuos do mesmo Batalham ;
Rafael Antonio tambera preto e Josefa
Maria parda pelo Sub-Prefeito da Fre-
guezia de S. Antonio por esterero dis-
putando com a tisi 11 banca : Joxe e Del-
fina preto* escravos do Reverendo Vi-
gario Luiz Joze Cataleante d'Albuqoerque,
pelo Sub-Prefeito da Freguesia da Boavis
ta por ettsremem desordem, e acorados
em urna casa suspeita } e Theodora Maria
daConaeica, parda, pela pnnwira P-
ANNUNCIO.
O Sub Prefeito da Freguexia de S. An-
tonio e_enesrregado tabero de Policia do
Bairro do Recife fax publico que na noite
do da 37 do correte fora aprehendido
pelo Cabo de Policia ; Manoel Joaquim de
Albuquerque cinco sscas cora assucar e
huma trouxa grande cheia lambes* de as-
sucar : quem pois for seo dono hija de
comparecer na Prefeitura desta CeoBrca
pare Ihe er entregue, dando a signaes
cartea*
Sub Prefeitura de S. Antonio do Reci-
fe 3o de Janeiro 1839.
Lus Francisco Bi[J)ilho.
3. C, e Sub-1'refeito.
Administrado do Patrimonio dos Ofios.
Perante a Adminrstrscf o do Patrimonio
dos Oiflos se hade arremattar a quem ma
i der as tendas da casa n. la esta na roa
do Cebo do Burro da Boavista pelo tem
po, e com s condicos que serio prezen-
tn no acto d'arrem'tavio; as pessoes que
n lia quizerem laucar poderlo comparecer
no dia 6 do correte mez as 4 horas da
tarde na casa da S-sses da mesma Admi
nistracio com seus fiadores
Salla das Sesses da Administraead do
Patrimonio dos Orlaos 1 de Fetereiro
1839.
Joze Maria da Cruz.
Inspector.
ANNUNCIO.
O Cnsul de Portugal ama s pessoas
que tiataro quererem ajustar-se para irem
para Angola na qualidade de Aguardantei
ros e Mestres de Assucar, hajio de compa-
recerem na Chancellara do Coosullado pa-
ra tratar-se do difioitito ajuste, edoamais
a ranjos necessarios.
Diario de Pernambuco.
Contina nesta Protincia o feliz estado de
quietismo, sendo de esperar- se que elle
ser duradouro tista a agradare! face que
rpidamente vio tomando os negicios p-
blicos. Outi'ora criavio-se sociedades pri-
vadas com o intuito de se nella traiarem os
meios de depor as auctoi idades e de de
bellar o partido dominante ; era dali que
emanatio os deci etos de p'oscripcio e de
mora : hoje porera (folgamos de dzel o! )
hs sociedades publicas e particulars cu-
rio lio somente de socoorrer sos desgrea-
dos de beni llciar humanidad'', de afor-
ra osear e augmentar o p'iz; e, quando
menos, de dar aos seus socios honestos
passatempos epertando deata arte mais es-
Ueitamente oa lacos sociaes.
As nossas estradas que, por este lempo
erio infestadas de ladrea hoje slo cru-
zadas toda hora sera que os passageiro
sufri o menor insuflo em seus bens ou
preso. conseqnei cia de que a policia te-
la pelo socego puMco. Comparera agora
os nossos Leitores o estado actual desta Ci-
dade com aquellas pocas desgranadas, em
que tantos males se pralicatio para bem
dixermos impunemente ; e deste exame
conhecei o quanto temos melborado. A
nossa primeira obrigacio na sociedade o
procurarmos o oosso bem-estar e o dos
que com nosco titem .* ora ninguem pode-
r crer que da violacio da lei da deso-
bediencia s aucloridades do roubo do
assassinio em fino daanarebia possa -re-
sultar a felicidade a que detemos aspi-
rar.
Concedemos qu para coneluir-se s
muda09a de um goterno seja necessario ,
por desgreca humana, algum lempo de
per tur bivio a da desordem publica t mus
emfim conecM Pernstnb'uco i que a sua
grande obra eatava concluida e que s
Ihe restata o sea aperfeicoamento r que
este s podia alcancar-se, nlo com a desor-
dem mas com a ordem"; nio com a for-
c aaa com o lempo ; nlo com o fogo
dos'canhea mas coa as I uses do espiri-
to ; nio com o ponhel, mas com a pala-
vra ; nao destruiudo, m. em fia conheceo Pernambuco que mo-
ralisando os seu coslumes applicando-se
s sciencia, e s artes mtregand-se so
trabalho forc-jando por adquirir um re-
nome entre as naces cultas, s assim po-
den alcancar urna lorluna mais du-sdou-
ra para si, e para os seus descendentes.
Interior.
RIO GRANDE DO SUL.
Trsncrevemos 'do Chronista as segua
tes caites que se nfo sao desusan impor-
tancia tem em todo o caso algum inte-
resse pelo seu... chamer-lhe-bemta ex-
traordinario conteudo
Illm e Exm. Snr. Bento Gonsalves da
Silva Meo pati icio Certo pelo que de V.
Ex. me afirma o noeso compatriota Pedro-
so de Albuquerque e me assigura o nosso
amigo Caltet, esebreludo o qoe V. Ex.
escreteu a meu finado irmio de hnrala
memoria, me resolv a dirigir-me a V. E.
para rogar-Ibe que trabslhe da sua parle a-
fim de sesbar com o derrmenlo de san-
gue brasileiro. O lempo me parece precio.
so para o que proponho. E d-ejo toda-
va mais que niuguem a seguranca e hon-
ra dos Rio Grandens.a; msis dezejo qoe
cantinue a int^g'idade do Imperio e que
nio neja quebra em seu brio lito q uer d-
zer que todas as condic<,8es que nio fo-
rero oppestas a dignidade nacional e a u-
niio e int-gridade dest>* bello paiz, e que
V. Ex julgar necesociai para garantir os
seus terio em mim prompto ticolbimen-
to, e as assegorarei com a minha cabeea,
Velhocorao estou e precisado de socego.
nio duvido com ludo ir a esse p-iz, a
plantar o ramo de oliteira e aser que os
ir mos se abrcelo com seus irmios Sa
V. Ex. be fiel como espero, s suss pro-
messas coolo com a sua adhezlo e pod V. Ex. communicafests carta ao meu boa
comprovinciano Benlo Manoel a quem
dia' que bum Paubsta deseja de otitro
Paulisla cooperaclo leal e franca para lio
til arcio. Com a sua resposta % huma tez
que concordemos, me appreientarei ad
goterno, e sem fallar do que enlre rs
tem occorrido, exigirei planos poderes pa-
ra levar a efifeito o que bou termos ajustado
com meu consentimento ; e nio temo que
se me negu o que exigir pois este goter-
no vacillante necesita do meo sppoio e dos
meus oqual perder, se continuar a po-
lilici lusitana de asaolar o paiz. Queira V.
E. acreiur, etc. ANTONIO CARLOS
RIBE1R0DEANDRADA MACHADO E
SILVA.
Alem destacarla timos oulra de que
hatia extracto, a que tambem fielmente
traduzimos do hespanhol.
Exm. Sr. Bento Goncaltes da Silva.
Rio de Janeiro ai de m. tomou assenlo na cmara dos deputado* An-
tonio Carlos. O gresligio devidoa seos vas-
to conheciaientos, consommada experien-
cia e servr'cos que tem prestado ao Brasil ,
o tem collocado em huma posicio digna por
certo de inveja. Fui viite-lo e, fallan-
do-Ib rom empenho Ihe manifealei a ter-
dadeira origem da revolucio da nossa pro
viuda e as causas da sua prolongacio. Ao
nosso amigo Cartalho deto a fioeza de ba-
ter-me apresentado. Elle outio, o, to-
mando o maior interesse em nossos soffri*
mentos me fez as seguinles pergunta :
He possivel, conservando a inlegridade do
imperio, huma composicfo enlre os Rio-
Grandenses eo m u compatriotss t Esi
em minha mos, poseoeu coocorrer par*
con-egui-la ? !.-----A ambas respond com
prudencia, porque coasertata em lem-
branca as palavr.s do seu manifest de ao
de setembro e as ultimas contersaces a tal
retpeito, e porque sabia quanto os meas pa-
tricios aprecia o nome brazileiro. Toda-
tia Ihe ponderei que, quaesquar que foa-
sem condices da huma conciliacio, era
-
_
'
-


Diario de ternamboco
priaaeira e eslencisl qu fosS diana e !i'n
ro pr o* Rio-Grandensus porqu de
outr modo prefeririift soles morror c'orrr
ai armas na mi. Ponderei tara, bem a dif
ficuld de que havia na gsraniU desdas ron
dico* eporcuj* raiia no' potfAro s
Rio G ndeme* fiar se as paUvrat e pro
mes** do governo que por tantas vetes
os ten *lraicoado e faltado s maia solem-
nes con rences, feita em seu norae por
seas delegado*. E^sas minhas objpcc^s
fora rebatidas por elle duendo me que;
quando a conciliacio se podeese effectar .
Mra elle a canelo de toda* as condices ;
qu<3 barendo constantemente recusado des-
des poca da nossa independencia acceitar
al hoje qualquer emprego neste caso iri*
offai ec< r-se para conciliar o* Rio Gcanden
se, dndo-lhe a naci ampios poderes pa-
ta aemelhante fim. Destruidas assim mi
vihas objerces, s restara sbr se os
Rio-Grandenaes queriad a conciliacio e
coffl que condicS'i. Se d'pendesse de mim
resoler esta questio, sem duvida o teria
feito no mesmo instante ; mas como nio
me he dado, pedi-lhe que escrevesse a V. E.
e junto achara a carta.
Exijo segredo nfo porque tema com-
prme) tmenlo algum pessoal nomo sabe.
tire receio de manifestar opinides, etc.
Se eu me per?u ao de setembro for* feita com designio fir-
mal de separar a provincia o que era isso
ventajoso ; ae me conrencease qun ella a
poderia constituir com os elemento* de que
lie coaposta e f la das naedes por ce rio nio buscara meio
de concilia-la com o Brasil, continuando a
fazer parte delle : mas como e.-tou con
vencido da difnculd. de constituir-se a provincia e formar huma
naci hvre e independenle; convencido
que o acto de sepsracio, longe d ser pre-
meditado em 20 de setembr foi conse-
quencia necessaria da falta de f na* pro-
messas do go-erno geral, e da perseguico
e aleivosia de seus delegados para lodos a-
quelles que tivera a boa f de acreditar em
seus protesto* do deaprezo e abatimento
em que cahio a nacionalidade pela infa-
me faccf o lusitana de que, para vergonha
do Brasil tem feito paite tantos Brasileiros
com appeilido de l>-galista ; finalmente
convencido que destaa verdades esli bem
penetradoa os nossos patricios, e persuadi-
do por tudo ito que longe de haver re-
negado o nome bra^ileiro, o aprecian e
nio desistem delle; folguei de ter lio boa
occasiio de eflv.itusr huma conciliacio hon-
rosa. Peco V. Eic. poisque, em nomi-
da patria aproveile esta occasiio e cnsul
te nossos patricios sobre as condices B bate
com que deve fazer sea onciliaef. Man
deeasascondic5s.com toda a cauvella por
intermedio do nosso amigo Marciano ; t-
o inte que, se nao ofi*-i>d rem a iileiida
de e dignidade da naci serio ecceiios pelo
veneravel Brathiro que quer ter a gloria
de efleituar huma conciliacio e com ella
fazer Iriumphar a ncionalidade sobre essa
infame farco lusitana que tanta prepon-
derancia tem ganhado no Brasil e tantos
males Ihf tem feito a despert da antipa-
thia e resistencia que a aes progressos op-
pottempre. esse honrado Brasil, iro e todos
os membros da sua familia. Nio perca
lempo (se. por ventora meus patricios que
rem huma conciliario honrosa), nlo o per-
ca agora que as armas livrea ahi esli tri-
umphantes, e por isso ser mais honrosa
a conciliacio etc., etc., etc. J. de P. M
Cairel.
Antonio Candido Ferreira, dirigindo a
Beulo Gnncalvea as suas cartas anteceden-
tes Ihe lemhra as seguintes bases de con
alucio:
Que propon ha ao imperio esqqecimento
de lodo o passado com garantas extraordi-
narias, para que os empregados fiquem esa
pos e dos empregos que ti r esse m no dia da
convenci.
Que fique presidindo provincia do
Rio Grande Bento Goncalvea ou qualquer
ouiro'chete dos revolucionario*.
Que nenhoma responsabilidade ser ex-
iga* pela* innorace* e disposicSes at ho-
je tomadas pelos republicanos.
Que as leis do Rio Grande serlo fritas
por boma cmara de representante* que pa-
r esse fim ser eleita; e o presidente ds
mesma ser eleito pluralidade de votos
f *U casMia poresn sena que pos ter elai-
fthffunfqtl nio teja natural da-provin-
cia.
E nesta conformidsde se poder aceres
tentar oiitros artigas etc.
(Disperudor d* 't deDezembro.)

PROVINCIA DE MINAS GERAES.
O Presidente da Provincia, ha vendo re-
eebido Oficio do Sr. Dr. Juiz de Direito
Substituto oChefe de Polica da Comarca
do Parahyhuna datad de a do correle, e
acompanbado de outro do Juiz Municipal
do Termo da Villa da Pomba, em que f ver que no dia a8 do mez passado ae reu-
ni na mesma Villa um grande numero de
pessoas, qu* segundo se diz tinha por
fim insurgir a escravatura e soltar os pre-
sos e bem assim que pelas idis subver-
sivas que propalavaS, pareciaS danoslos
aanarquisar aquclle ponto da Prvncia ;
pelo que o Juiz de Paz respectivo dissolveo
o ajuntamento com forct armada, e o re
ferido Juiz Municipal era virtnde de re
queriraenlo do Promotor Publico prenda
e fea seguir para esta Capital om doa Cabe-
cas .Jos Ribeiro do Valle R-boucas; por
cujos motivos o Sr. Jais de Direito recia-
mou n d'essa Villa e da Pomba tem vindo condu-
zindo presos, como igualmente o aograen-
tar-se o destacamento d'esta ultima Villa ,
reaolveo resnonder-lha que acaba de expe-
dir ordem ao Major Coromandanle do Cor
no Policial para que faca regressar imme-
diatamenle as Praeas que vieraS da Villa
de Barbacena e para que pralique o mes-
mo a respeitodas da Pomba logo que che-
(jarem : E porque convem que oGovein
esteja habilitado para dar toda* as provi-
dencias que forem precisas para mantr
a tranquilldade publica deve o Sr. Dr.
Juiz de Direito informar muilo circunstan-
ciadamente sobre ludo, que tiver occorri-
do na Pomba, na ii.telligencia de que Ihe
cumpre no caso da precisio tancar mi
do servico da Guarda Nacional, que ser
pago em vista do Pret assignado pelo res-
pectivo Chefe, logo que o meemo servico
exceda a Ir* das ; mas esta providencia s
pode' durar al que se augmente o Desta-
camento do Corpo Policial na referida Villa
da Pomba e o Sr. Dr. Juiz de Direito ,
quando d'ella lance mi, dxi aconta imme-
diatamente ao Governo. Ouro Prelo, Pa
lacio do Governo em 5 de Novemb- o de
1838. Bernardo Jacintho da Veiga. _
Ao Sr. Juiz de Direito Substituto e Cheft
de Polica da Cornaca do Parahyhune.
(Sete d'Abfil.)
SOCIEDADI'. THEaTRAL.
Os Socios i reunidos conhecendo que
nao era pnssivei dividir* Irez ordena de
Camarotes na cinc* repretenttcee de
Quaresms com igualdad** pelos Socios o*
qutes ficario prejudicadot recebando
liuns Camarotes de melhor ordem do que
oulros : combinarlo com o empresario, pa-
ra que em lugar de sinco d sei repre-
zenlac-s : para o'e*la forma tocar dois C-
marotes da i. ordem dois da e
doia da 3. igualmente a cada socio, com
os seus competentes bilhete* de Platea e
Veranda* ; dando para isto mais dous mil
res cads socio. As pessoas que pretende-
ren entrar de socios o tario athe o dia 6
de Fevereiro de cujo dia em vante a So-
cede.de principia os seus ti balboa i eco-
sao alguma* pessoas se reservlo para com-
praren hilhetes, ou Camarotes para as re
preaentacottS a Sociedad* faz cerlo que
nao s* vender, nem camarotes, nem bi-
Iheles de maneira .Iguma; pois que o The-
atro pasea a ser partcula. e so da Soce
dade. O* prolendenles drijio-se casa das
pessoas j annunciadaa por osla folha.
Avisos Diversos.
_ Preci-se fallar sobre negocio de seu
ntoressee, aoaSenhore* Domingo* Gon
salve* da SiUa, Jos Luiz de Moura M-
noel Pereira Martins. Aotoak Barbosa da
Amortan Jos Pinheiro Saigado, Dezem-
bargador Jlo da Froitaa Albnquefque ,
Maeolda Arnuja de Atevcdo Albuquarqoa,
Manoeld- Araujo de Azevedo Cbristovi
Pies de Mellofilho de Jlo Pae* Barreta ;
Eugenio Joiquim de Amorim Ignacio d^
Mello da Silta Gusmio, Fraeciseo M >mr
Tarares Jacinto Paos Meodooc* Tbo-
m Joiquim da Veiga Figuri ido Chris-
tova5 da Racha Vandeilei, Mauoel Anto-
nio A'ves D. Jitanna Maria Correa Fran-
cisco Gome* da Silveim, Mauoel Alves de
Mello, Antonio Francisco de Mendone* ,
Amaro Banco Francisca Goaveia Freio.
Manoel Ferreira Lima Joa Joaquina do
Rog, Joio Antonio da Fonceca Dama-
zia Maria de Carvalho, Manuel Jos de
Carvalho, Manoel Pereira do* Sinto*,
Bernardo Pereira de Azevedo Joio Leile
de Sampaio Manoel de Oliveira Ramos,
e Joio Pedro Ferreira. E como ae ignore *s
suas residencias, rogase-Ibes encarecida-
mente aa annunciem.
Botnica e Agr i cultora.
O Snr. Ramal fio isla membro do soci-
edadereal de, agricultura de Franca tem
a honra de avisar aos Snrs. amadores que
elle acaba de ch-gar a esta capitl cjm um
sortimenlo de lod< a quahdade d'arvares,
arbusto* una queso da flores oulros fruc-
tos como rosas do Japlo, ou camelias,
magnolias, detrs, dapheas, Rhodundrum,
Kaiaias, jasmins, peonas, arbrea metro
eideros, audiomeda, araleas, a roseires mais de aoo variedades ceblas a fljrfct
como jacintho*, tulepas, jonquilhos, nar-
ciso* tuberosas, lirios, amarilis dalias
rainunculos e anemonas Semeules de
orlabre e flores arvo- es de fiucto, como
pei'eiras, macieiras ameixeiras, perceguei-
ios, damasqueiros, ceregeiroa, amendo-
eiras, groselheiraa, nbes preto, arelan-
zeiros nogueiras, castanheiros, (mutrou*)
vinhas das melhores especies de Frsnca, t
-um grande numero de oulras plantas, cu-
jo deulhe se tornarla mui longo, q ie
serio vendidas ao mais mdico pnco.
N- B. O sobredile Ramel roga aos Snrs.
amadorea de agricultura e b)lanica de o
nao confundiris com osCharlalaens qut-
lio indignamente abusarlo ha dias de sua
confianc g
Alera de queellealreve-sealisongear.se
que merecer a confianc* doa conhecedo
res pela fresquidio bom arranjo e aparen-
cia de seus vegetar* e o zelo que pora a
prehencher os des jos desses senhores.
O Snr. Ramel encarrega-se tambem d
mandar vird* Eu opa as ncommendas q'
Ibefizerem. Elle se transportar a ea-a das
p-oas que Ihe fizerem honra de o mand- chamar. Os encaixam nlos para o interior
f r-se.|iio com toda cautella que ^xigej
as ubrediiaa mercadoiias. O s. u deposito
lieiuiu* INj> h 17, na livraria Fran-
ceza.
O Btcharel Antonio Vicente do as
cimento Feitos abe aa suas aulas de Filo-
aophia e Geometra no dia 4 de Feverei
ro, conforme j nnunciou. As pessoas
pois que quitertro frequenlar estas faculda
des dirijaQ se al o dia 3 a o seu Eacripe
torio na travesa do Rosario 1* andar de
aobrado onde mora o Sr. Serafim.
_ Precisa se de 4os' res a juro* dan
do-se boas firmas: annunr-ie.
mm l'erdeo-se no dia 31 de Janeiro pp.
um bilhete da quantia de dezoito mil res
passado por o Cobrador da Administradlo
dosOrphios, que existia em i83a contra
Domin osFernandes Visan* e como este
precisa do dito bilhete roga pesso* qun o
acbou de Ih'o entregar na ra da Madre de
Dos ou annuncie, do que Iba ficar as-
saz agradecido.
Precsa-se fallara vio va do Sr. Ma-
noel Ignacio de Alhuquarque ou a pesso*,
que as suaa vrzes fizer.
_ NeaUk Typografia existe duaa cartas.
para o Snr. Manoel Ferreira d Amo
rim morador qua foi 00 be da Boa-vista
na ra dos Pires, cujas fora viadaa da um
Cert 5 mui remolo, ha ja passado* alguna
saezes, que por se ignorar quena sejaS oa di-
tos Snrs. se ss bao demorado sea a* as no-
tregar, apesar da ja se tat anaonouda poi
varias vete*.
A petaca que anancioa no Diario m. a(>
de precisar de i cen4o* mil res* ajaros .
querrndaa do** noff canta ao mes. s*>ndc
ata* firma* le pesso Segara* derija-*a r
ruadaSaoaalla velha venda n. i3 aa di
iqumod.
Offerecesse huma pesaos qua se acia o
treguada urna venda, para tomar ooam
de nutra sendo o dono pessoa capaz ; po
i* larga a em que eii por motives qne o
que se oferesa* podei decujaar 1 o,
pr cisarannuoc* po *1* anario paras r
pr.cur do.
* Pieciss-se de allogar buraa casa ter-
rea com cmodos para prOyOena familia .
lendo quintal e cacimba e nio eac-dendo
a ipfrs. mensaes : que** tiver annun-
cie.
Perdeo-se no dia 37 do cirrent* aa
fes tu da N. .$. da Con C" icio e u U biribe
huma tai xa de piala j usada lend* em
huma beira da lampa as seguinte* letras R.
A. S. i perno* que acbar e quizer res-
tituir pode dirigir-** aoa Senhore* Maia ,
ou Jote Velloso Soares em B<-beribe ; e Re-
vende A'r s da Silva no R< ciTe ra da
S.nalU Velha loja de Marciueiro con-
frontando ao b'-co do Qusresma que ur&
recompensado; roga-se as pessoas a quena
a dita caixa for ofereeiea a t->mem, e man
dem entregar nos lugares j assim 1 declara-
do*.
Aluga se um sitio, ou caza con
quintal, as estradas da Solidade, Man-
guinbo, Ponte de Uxoa ou passagem
da Magdalena : quem tiver anoencie, ou
dirija-se ra do Qutimado loja de Fer-
ragem D a.
-- Qual quer Snr. Negociante, que per*
cisar de hura portugus, de i a le pira
servico ou de Escritorio, deque tem pra-
tica bastante, e m mo de ra, o qual fa -
a sem desembanco a lingos Francs.,
dirija se a casado Bu-harel Gervasio Luis
de Sa' Carnero, assistenle na ra eslruita
do Rozario D. i primeiro andar, de-
fr.iiile da ra di larangtira,
Qassiouista das caulellas correspou-
dentea atLoteras do Seminario, Lis-
nenl e-B>* vista, f .zsciente ao amadores,
pie a do Livramento corre impreteiivel-
menle no da 4 d* Fevereiro conforme an-
nunciou o Snr. Theaoureiro pois Ihe rea-
-a > um piqueno num- ro de cautelas cor-
respondente a dita L 'leria por isso avisa
aoa apachonados concorrip comprar an-
tes que ae acabem na casa de sua resi-
dencia ra de Nossa Senhora do Terco D.
9 da paria) do ateante a no* lugares ja
annunciados.
- Quem tivr para allugar boma es
crava para o servico interno de boma caza,
naga ae 3ao reis por dia, dndose almo*
cujunt r e rea .- dirija-te a fora de portas,
cas* numero 98 lado do poenle que axa-
r toril quem tratar; na mesma casa ha
para vend-.r hum cscravo canoero moco
do gento de angola, e vende-se por pre?o
commodo.
n^9> Qualquer Proprietario de Fasenda
de criar ou de Eogcnbo, que de hum
homem capaz precisar, para enainar aos
seus filh is a ler, escrever e contar arilb-
metimente e com toda a perficio do
que tem lido bastante pratica nest prsca 5
annuncie para ser procurado, e tratara*
10 ajuste advertindo se que quem a isso
se prope ni" dispensara a dar aoa aeu*
alumno* algomas noces de Geografa U-
nirersal Grammatica da Lingo* materna,
e o mais que poder e couber no possirel do
sua circunstancias.
__ Huma Senhora prope-se a curar ,
mesmo em sua casa, quesilla, 00 molestia
de prelos os quses a Irasem de suas ier-
ra, advertindo porem que a dita senho-
ra proposta a isto j tem curado, n pol-
lo bom a muilo* preto* porisso que esi
rauito pratica nos mesmos curativos, ep
que a muitns snnos labuta neste trafico : as
peaoaa que do seu presumo se qui-erem u-
lilisar podearo 1 dirigir se a ra di-
raita, vindo das cinco pontis, lado es-
querro, sobrado de hum andar D. i4-
Hum rapaz bneilelro oUerc**** para
eaxeiro de qualquer parle excepto venda
quem o pertender derija-te *o Forte do
Vlallo Padaria D. 43, adv*rte<-se q-ie esta
peuoa exento de primeira linti e de
G. N.
_ Quem quser comprar mesmo pm
fora da 1'rovinci* huma milala defrintae
lano* annon. boa corinlieira ecom pr 0a
ci.iioa eV costura drija-te a ru* do Rosa-
rio larga D- i5 primeiro andar, a dir-se-
lia o mativo po>nue se vende.
Deteja te fallar com o Snr. J'.aqutm
de Barros mas ignora-se a moradi* o
mesmo queira ler a bondad* de annueeiSf
por asU folst*.
/



mmm*

SkSSio tf frliift-&&.
'"w-ifr
\
r
'.i
Objecto d'instruccio.
Al Aalai de L'ilioa e de Philosophia
rasional e moral, annuirciadas no Diario
numera i 3, 8 e ostros achia se ja
bertas na ra ds cadeia do Recife perlo
do arco D. 37 primeiro andar ; nio na
casa de nev como antes se hara annun-
ciado. Tambemali se admitan alguns
meninos como pensionistas. Aos Pas de
familias residen'es Tora d'esta Pi-act que
desejem proporcionar a seos filhos os meios
dama bem ajustada edtfcaclo se dirige
mais especialmente esta segunda parte. a
casi sopradicta se distribue gratuitamente
os pretendentes un impresso em qaeap-
parecem designadas as materias doensino ,
as con di cues.
_ O Sr. Jlo Jacinto Soares qnera
nnunciar sos orada para se tratar ne-
gocio de sen iateresse.
Deseja-se fallar com o Snr. Manoel
Rodrigues Campello d'Albuquerque que
foi morador no engenho Collegio ou pes-
soa que nesta pra9a esteja encarregido dos
seas negocios para inleresse do mesmo ;
annuncie sua morada.
j. Precisarse de ama ama de leite forra,
oa captiva ; annuncie sua morada.
mm Quem tiver una negra boa vende -
deira na roa e a queira alugar dirja-
se a padaria de Bento Antonio Domingues
na ra ora que dir quem quer
* O Sr. Joio Caetano de Albuqaerque
queira no praso ds 8 diaa tratar de pass r
escriptura da propriedade do que est
bem ofacto e nio o fazendo neste lempo
se dar parte aothoridade competente para
tomar conbeciment istotheavisa e pede
o Espiio de Agoa Fia.
- Alaga se un andar com mui tos com -
modos na ra nova D. 11, di roesro-
casa se vendo um pianno novo com muito
boas vozea e por preco commodo.
Pertende-se ama casa terrea que te
nha quintal, em um destes lugares: roa das
_ Sihindoda roa do nogueira ou be-
codo do Lssa, paran norte da roa da
praia lado esquerdo terceira casa terrea ,
en si na-Se meninas de qualqaer cor oque
custumio aprenderem na escola'( menos
conta e taboada ) pelo praco mensal de mil
rs. etaurbem se se ajustar dar-se-ha de
comer.
Flores csmboa do Carao largo do dito
ra das trinxeiras tarangeras estreita
do Rosario, por preco de 14,000; quem,
livor annuncie.
_ Precisa-se fallar a negocio de infe-
resseeoni o Sr. Antonio Moreira por tu
guez natural da fregueaia de Molledo o
qual lempos residi nesta Cidade, e como
f eoio sabe onde presentemente existe, quei
ra annunciar sua morada ou dirija sea
praca doCorpo Santo D. 5 juntamente
roga-se a qualquer pessoa qoe dele lenln
noticia o favor de declarar se o referido an-
da existe.
O Padre Felippe Neri de Faria avi-
sa ao respeitavel publico qoe a 3o anuos
I at remeca de leite poro pelos seus escra
vos para essa praca dando as providen
cas necesarias a fira de nio ser viciado o
dito leite, e como agora de presente apa-
nden) alguns vendedores de leite no lugar
onde seus escravos tem costme venderero
por isso faz sciente para inteligencia dos
Sit. que costumio mandar comprar leite
por seus escravos, se saberem baver, quin-
do baja slgum vicio no leite.
Os Srs. Luiz Antonio Rodrigues Es
leves. Francisco Antonio Ramos Fran-
cisco Zumban de Almeida Pires ,* Mano-
el da Silva Leite roga-se pela terceira vez
para que vio oa mandem pessoa authorisa-
da a concluir o negocio de que estio bem o
facto para que nio caoze esta demora
rnaiorencommodo e com prejuiso qae o
depois vera recabir sobre os meamos Srs.:
drijo se a fora de portas n. io.{ das 6 as
7 horas da manbf e das 5 da tarde em
diana*.
Na ra do Vigario D. 39 defronte do
Consalado Ft snc? conti-as se s despa-
char navios tirar passaportes e guias de
eacravos, ludo por mdico preco
O Reverendo Provincial do Carmo
desta Cidade do Recife faz certo a qnem
quer que conlractou com o ex-Prior do
Carmo de Goianna Fr. Francisco de S Ma
rianna, venda de parle das trras da fazen-
da de gados denominada Pendencia per-
lencente ao mesmo convento, que eta ven
da be oulla nio s por falta de uotoriaa-
eo do vendedor, e-mo por especial D cre-
to de 183o que a prohibe o que se f
ri ver e se ras publico por este annun
ci para o comprador senfo chamar a igno-
rancia na occasiio da revendietcio a qua
sxa lesopo son veniente se proceder
Avisos Martimos
PARA LOANDA o Brgue Portugus
Josefa principia a car regar boje 4 do
corrent e pertende sabir al ao e para
carga ou passagtiroa trata-se com o Capitio
Manoel dos Pistos Gomes e Oliveira ou
na ra da Cruz n. 57.
PARA LO\NDAsahir at odia 5do
correte o bem construido e muito ve-
leiro Brigue Escuna Portuguez Eugenio ;
quem nelle quiser carrear ou hir de pas-
sagem pa o que tem exc -lenles com-
modos dirija-sea D'Andrade & Compa-
nhia roa djsQurteis D. 1. ou ao Capi-
tio do mesmo Manoel Jos da Silva Ramos,
na prac*.
FRETA-SE para qualquer porto da Eu-
ropa a superior Barca Prucian. Freedericb
Cap. L. F. Fisrher inteiramente nova,
forrada de cobre por fretameoto com-
modo quem a pretender dirija se aos se-
us consignatarios N. O. Bieber & Compa-
nliia ra da Cruz n 6J.
FRETA-SE para qualquer porto o su
perior Brigue Ingles Arthusa, Capitio Wa-
kefiela de primeira classe forrado e en-
cavilhado de cob'e : a tratar c >m os consi
gnalarios Vlc. Calmont A Companhia ra
da esdeia.
Le i 1 o
_ Q-i-* fatem M;. Calmont & Compa-
nliia por va di corretor geral Oliveira.
de varias fazendas limpas e avariad** no
sea arerw. m da roa da cadeaD 63, Q-iar-
ta f-irrtj lo correte, pelas IO horas da
raanlia em continuacao ao ja principiado
em 19 de Janeiro ultimo.
Ve ndas
Bichas prximamente chegada de
Lisboa, de muito boa qualidade grandes
e pequen-s : no beco da Lingoeta n. 4.
_ Um moleque de idade de 18 a ao
annos aein vicios nem achaques : na ra
do Aragio quina do beco de Joio Francis-
co 13.
-. Pentes de imrnf s de muito baa tar-
taruga e de muito bonita Cor : na Boa vista
casa de duas porta e um* jsnella no meio,
no principio da roa da Santa Craz, defron
te da venda do Sr. Molla ; adverte-se que
quem trabafha he o mesmo que Irabilha-
va no atierro da Boa vista, o qaal fas e
concerta toda e qualquer obra que for de
tartaruga serVindo com toda brevidade
possivel.
Urna venda sita na praca da Boa vis-
ta do lado do poente Com poocos fundos ,
e tem com modos para famila : a tratar na
rnesraa D. 6.
Meios bilhetes da Lotera do Livra-
mento : na ra do Cabug loja de relojoei-
ro junto a loja do Baadeira.
Um moleque de naci cabinda de
mui linda figura tem 14 i5 annos de
idade sem vicios nem achaques tem 6 pal-
ma? C sois ds llura uuas moecis de
na^io lonuda urna tem i5 annos e a ou
ira 11} e um bom eacravo muito ladino s
fiel de naci rebolo, e de a antros pas
sai.do a Igreja dos Martirios no i. an-
dar do primeiro sobrada.
Urna canoa aherfa em bom estado,
que condus 5oo lijlos da alvonaria : a tra-
tar no eslaleiro de Francisco Jos Maris,
defronte-de S Francisco.
Bretaohas delinho e potassa Ras-'
sian.i em birru de 4 errabas na roa da
Crus D, a3.'
Oobres de oaro antigode 90.000 ca-
da um ; a fallar com o corretor S. Daniels.
- Urna bonita escra va de ao, a 98 annos
de idida cozinha diario de ama casa ,
engomma e fas todo o mais servico : na
rus Direita do lado da Igreja do Li vi amen-
to sobrado D. ao.
Meios bilhetes da Lotera do Livra-
mento a preco de 3ooo : as 5 ponas
venda O. 9, e na ra dasansala no neife
venda da quinado beco largo.
_ Um sitio perto da praca no lugar da
estrada do espinheiro com casa e terreno
proprio para lavoura : a tratar com Jos
Bernardo de Ai-aiijo na ra do maro da
PenhaD. i7.
Urna moleca de naci benguella de
idade de la annos, faz lodo o ser vico de
urna casa, o ptima para se Ihe encinar
qualquer hahelidade : no pateo de i>. Pe-
dro sobrado de um andar D. 8>
As seguidles obras novas cliegadas de
Lisboa: o archivo popular 1.0 a. collecio
jornal com esrampas o ramalbete jornal
tambera om estampas finas para encaixi.
Ihar a caverna da morte o salliador de
Vneta o sino das a horas ou a noite fa
tn| ArmindaeTheolonio, Saint Clair das
ilhas ou os desterrados da Ilha da Barra .
e outras novelat e comedias novas, assim
como os a amigos comdia, Asenday Ab-
ziro ou os Amaramos, Tragedias oava
rento comedia o Imperador Joj a. t
sitando os carceres e outras comedias no
vas por preco commodo : no fira da ra da
Cadeia loja d fasendas o atravessar para o
Co'po Santo.
-_ Aseite de coco muito limpo : nesla
Typografia achara com quem tratar.
-- Meios bilhetes ds Lotera do Livra-
mento : na ruado Cabug D. 4 'j de
miuderas.
Ou alaga-se e troca.se diariamente
vellas de cera de meia quarta at leucheie
ro por preco commodo: na roa do Rao
gel D. p sobrado de um andar.
m negro de idade de a8 annos,
bom padeiro ; e a vista do comprador se
dir : na rea Direita sobrado de dois an
dares entre duas terreas defronte das ca-
tacumbas do L'vramento.
_ Meios bilhete* da Lotera do Livra-
mento : na ra do Cabug loja de miude-
/.as junto a bolina
Bolina de Lisboa meios ditos s-
palos i botinados de bom beserro sapato*
de duraque para Senhoraa o meninos, di-
tos de cordavlo ditos de duraque setim,
emarroqnim franceses botinsinhos e sa
patinhos pira mehinos chinelas para ho-
meih sapatos de beterro francs de sola
finaegrossa, chapeo do Chile de todas as
quilidades e bichas de boa' qualidade .
tudo preco commodo. na praca da Inde-
pendencia n. J, e 8.
Escravos Fgidos
Sr. no Brejo que ser generosamente re-
compensado.
_ No dia ai do p. fugio um eseravsd
nome Jos de naci congo bsiso alga-
ma coisa barrigudo cor fulla repre-
senta ter a8 annos de idade, olh'os enco-
vadoe, levou vestido camisa branca ca|-
sa de li de quadrns brincos e pretos ia-
quela de cinta preta desbotada sem cha*
peo, e levou um taboleiro; quem o pe.
g ir leve a ra da alfandega armasen n. 3 ,
que ser generosamente recompensado.
Fugiriopela madrugada do dia a5
do passado do lugtrdos apipueos 4 ne-
gros de nornea G.spar Miguel Zeferi-
no e Manoel cornos signaes seguiotes i
Gaspar, baixo e grosso do carpo e bem
preto ; Miguel biixo fulla e pouco
grosso; Z ferino cr<*oulo bastante alto,
grosso em porporcio cor muito preta ,
e olhos grandes Manoel a cabralhado es-
tatura ordinaria grosso do corpo tem
orelba esqaerda partida a muitos annos ,
levou este ultima 16000 sendo 8000 em co-
bre e 8000 em sedlas e em sua compa-
nhia urna molalinha ; quem 0-1 pagar lev
a apipuc s em casa de Joio Ignacio Rebei-
ao Roma que gratificar.
~~ No dia ab do Janeiro fugio um no
gro de na^io congo levou vestido calsa
eseroala dealgodioda trra, idade pouca
mais ou menos jo annos, cara comprida,
olhoa grandes denles da frente abertos ,
orelhas pequeas baixo he alguma coi-
sa bucal ; quem o pegar leve em casa de
Luis Jos Marques, que receber 5j,ooo
rs.de gratificacio.
Movimento do Porto
NAVIOS ENTRADOS NO DIA 3o DO P.
BARCELONA e Malaga; 43 das do ul-
timo porto, Polaca liespanhola Esperan-
ce de lio tonel. Capiiio Rtimuudo
Manos, carga varios gneros: a Me.
Calmont & Companhia veio arribada a
e-te porto a fira de faser agrada o sed
destino he para o Rio de Janeiro.
SAHIDOSNODIA 3i
PHiLADELPHIA- Buca Americana G!o
be Cap. James li. A carga varios ge-
n-ros.
TRIESTE; Brigue InglesTliomaz Lych,
Capiiio Me. Gaull carga assucir.
GENOVA; Galera Sarda Doislrmaos, Cap;
Giacomo Bosio carga a&sucir.
LOANDA, Patacho .'orluguez O zdeJa-
neiio ; Cap. Jos Ferreira Dias carga
varios gneros ; pitsageiro o po tugues
Manoel Gonsalves de Campos.
No dia a4 do passad desspareceo
ama negra de nome Joanna de naci ,
de estalara baixa cor folla falta de c-
belos na cab'ca, o rosto com alg'inas man-
chas o dedo polegar da mo dir> ita com
un penegrco amb scatrises esta escra va tem um silbo mola-
tnho aprenda de oitrives e como o
mestre fosse para o sertio vender ohr.is .
he de sopor se que ella fosse no seguimen-
to do filho levou vestido de riscado e
pao da costa nsado e um laso dn cobre
que tnha ludo buscar em" B--biribe ; quem
o pegar leve ao b-co do encantamento so-
brado de um andar onde tem aula de me-
nas onde sera generosamente recompen-
sado.
Roga-se as aalhordades policiaes ,
capities de campo e pessoas particulares
desta e mais coma re ib, bajio de em pregar
assnas vistas sobre um escra vo creoulo de
n me Eduardo de 3o a 3a annos de idade,
ofBcialdesapateiro, altura regular seCco
do corpO; bem preto, cara lisa |dentes al-
vos, quando fall se infitula por forro, e muda o nome para
oulro qualqaer quando anda fogido e
gosta multo de andar a cavallo fgido a
aH de Novembro de 183 j este escravo
foi do Sr. Tliomas Ferreira Ranos e lio
je he de Justino Candido Mmdelo mora-
dor no Brejo da Madre d Dos ; a pessoa
que o pegar oa delle der noticia certa quei
ra dirigir-se a roa do Rangel ou no for-
te do mallos preosa de algodio a fallar
con Elias Francisco Mindelo, cu ao sea | Pkrs. fa Trr. van. r.
ENTRADOS NO DA i.
HAMBRIZ; 4o dis, Brigue Escuna Por
tugues Mara Rita de 95 tonel., Capitio
Feliciano Alexandrino Gomes Jnior ,
en lastro : a Julo Jos Ribeiro d >s S.
RIO DEJiNElRO; 17 das, Brigue Nac.
Bom Fim de 189 tonel Capiiio Ma-
noel da Si va (Jouto, em lisiro: ao m^s-
mo Capitio ; deo fundo no limeirio pa
ra receber pralico e segu para p Assu'.
PHlLADELPHIA porC^bo Verde; trasen-
do it dias do ultimo porto, Gal ra Ame-
ricana Tuscany, Cap. Joaa Henrique
Simith carga tiboado : ao mesmo ca-
pitio ; vem arribado com agoa abarla.
5 AH DOS NO MESMO DA
MAKANtJAO'; BarC Inglesa J'homas
Mellor Capitio Henrique Hutchisen ,
era lastro.
LISI10 ^; B igue Portoguet F- lis Deslino,
Capitio Manoel da Silva Bello carga
assucir, e coaros.
OBSERVAgOENS

o dia 3o do pissado deo fundo no I.imei-
raoa Galera Americana AmssonS de318
tanel., Cap Jbn Me. Eubar, cargaasei-
te do Mar Pac fico, anda a pesca, veio
este porto refrescar ; consignado ao
mesmo Capitio. J_________________
di r.- r83fu


'
j


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID E8OVW2AYQ_EWLRZN INGEST_TIME 2013-03-29T18:45:56Z PACKAGE AA00011611_03725
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES