Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:03716


This item is only available as the following downloads:


Full Text
le Julho
de 1852.
-._ -_ '5 .-, -.:.----
N. 1G2.
PEMAMBMO.
,jisrn*r a
riiroo A -uncmroAo.
PlO>MNTO ADIAHTiDO.
..(trimestre............
rr,cmeslre.............
rm anno .......>>
POOOIM0 DOrlE8T.
f ^ainnuKiimw.'
,i 3ilc Julho Mina... 26 deMaio
u.raha'o. 9 de Jilo 'S.Paulo. 8 de Jnnlio
Xr .. isdedlto R.deJ.. H de Julho
'inhiba ig ie Julho Kahia... al de Junho
4/000
8/000
15/000
4/500
DI!- DI IIII1N1 lUDIUOlll,
10 Seg. S. Wseuto. | Julio da Orphao
20 Tere. 9> Jsouj-uio, e5.e lOhorai.
Kinlliaao. I varado civil-
21 iiinti s. Prxedes..1. e 6. o mcio-dia.
22 Oulut. S Maria M. Patenta.
23 Set. S. A pollina- 3. e6. s 10 horai.
riob, 2. vara do arel.
2Sab. S. Christina. 4. csabadoaao melod,
25 Dom. 8. 8. Thiago Rtlmeao.
ap. Tercas e s ib.dos.
rumalgii.
Creiceate i 24, a i hora e II minuto! da m.
Chela a 3l aoa7 mlautoa da inaoba.
Mlngoante 9, aa 5 boraa e 4 minutos da m.
Nova 17, a I hora 46 minutos da manhaa.
raiiainni aOJl
Primeira as9 horas e IS uiinutoa da manhaa.
Segunda as 'J horas 42 minutos da tarde.
rinTiDii aoa ooebiioi.
Qoiaafta e Parahiba, s legunda < aeitaa-
felraa.
RIo-Crande-do-Norte e Victoria ai qulataa
Mraa
Bonito,Caruarn.e Oaranhuna no le lidecad
mar.
florea,Ouricury.F.xu c Boa-VIfta i 13 28.
linda, todoaos diaa.
Todos os Corrrioa partemaomelo-dla.
rOTIOIAl IITBlNOEIBil.
Portugal
Hespanha
Franca ..
Blgica.*.
Italia....
Al. ni.un .i.
Prussia ...
Dinamarca
Russia..
Turqua.
isde Junho
8 de dito
8 de dito
5 de dito
1 de dito
2 de dito
2 dedito
30 deMaio
28 de dito
26 de dito
Austria.. 2de Junho
sur.... .. i dedito.
Suecla... i de Maio
Inglaterra SdeJnoho
E.-nidos23de Malo.
Mexli ..... 9 de dito
California I de dito
Chlil. '0 de Abril
Huenos-A. de Julho
Montevideo 5de dito
CAMBIO! BI 32 BS JOIBO
Sobre Londrea.a 27 27 '|, por d. i/OOO
Parla, 345
Lisboa, 100 por canto,
KUI,
Ouro.Oncaiheipanholai............ SO/DdO
loedaa de 60O velhaa.........16/0U"
. .le- liMlKl nova......... lB/00n
> de4/000............... >/00
Prata.Patac8eabrasllelros........... JlgJ
Pesos columoarios............ V!~
Dltoa meiicanoa.............. 1/80U
PAUTE OFF1CIAL
MINISTERIO Da JUST1GA.
llavenJo sido lerminaila diplomaticamen-
lo n queatlo entre o governo imperial e o
dos Estados Unidos, a que doo lugar a pn-
slo o processo do olcial de marinha dos
mesmos Estados Alonso Bcrtrand Davis pe-
|(s occorrencias do 31 de outubro de 18*6,
ajustaiido-sequoesse asstimpto fosse lin-
eado em rompilo esquecimento ; e tendo,
mo obslanlt-, aquello processo sido levado
no tribunal .los jurados, n qual eondcmnou
o referido oflicial revolia, em tres mnos
o quatro mezes do ptisflo com trahallio:
lici por bem, cm virtuiio do artigo 101^8,
.la ronsliluico, que fique sea. elloitu n im-
poiicfio dessi penna, afimdeque o sobre-
dilo ajuste nilo solTra quebra o continu o
e>queciment quo foi concordado.Jos II-
d'elonso de.Souza Ramos, do tneu conscllio,
ministro a secretario de oslado dos nego-
cios da juslica, assim o lonba entendido c
l Palacio do llio de Janeiro, 22 de maio de
I8J^, 31-* da itidnpon.lencia a do Imperio.
Coma rubrica de S. M. o Imperador. os
l'ilclonso de Soma liamos.
MINISTEKIO DA GUERRA.
llci por bem promover por antiguidade
o loneutc-coronel graduado do estado-!
maiur do primeira classe ManoolFcliiardn
doSnuia o.Mello eTTOctividadc do mesmo
pollo. O conaelho supremo militar o lenlia
as-iiu entendido, o expeca os despachos ue-
i-.'-jiiio... Palacio do Rio de Janeiro, em
19 le junho de 185-2, trigsimo da indepen-
dencia do imperio. Com a rubrica do Sua ,
UageaUda o Imperador. Joaquim lose Ho-
ilrujms Torres.
r.l.LACA IKIS OFFICIAES 1)0 ESTADO'
MAIOR IMS PRIMEIRA CLASSE, PROMOV-
IIUS POR DECRETO DESTA DATA.
Para lonentea-coronaii, os majores Ale-
\andre Manuel Abino de Carvallio, Manoel
paixolo de Azcvodo, Jos Pereira Das, por
anliguidade.
Para majores, o major gradalo Manoel
Lope) Teixcir, os capilScs Manoel Ignacio
Brfio, Sebaatio Francisco do Oliveira Cha-
cas, Francisco de A da Carvalho, Luiz Cuilhermo Woll, Sergio
Maroondes do-Andrado, Jos Mana do Cas-
tro, Jos Manoel da Silva, Gaalfio l.uiz llcn-
riquo de F.scragnoll", por anliguidailc.
Para canilles, oseapit3es graduados An-
Innio Mana Cabral de Mello, Francisco Egy-
din Moreira do 8. Pedro, os tenenttS Joa-
quim Jos Cabral, Isaltino Jos Menlonca
ile Carvalho, Antonio l'olro Lecor, Fran-
klim Antonio da Costa Forroira, Joilo do
SouU da Fonsoca Cost, Thomaz lleraclio
dcOliveira Fontoura, Jos do Miranda da Sil-
va llcis, Joaquim de Almei.la Cama Lobo
d'Eca, ElesliHo Mana da Silva llitancourt,
Jlo Curios l.eouoldo r.ontrciras c Figuoi-
rm.'iahuco Araujo, Manoel Francisco Coe-
llin deOlivi'ira Soaro-, Joaquim Jeronymo
llarrJo, Jos Paulino do Almoida Albuqucr-
que.
Para tenentes, os alleres Francisoo Jos
Cardlo, Francisco Rapliael de Mello Rogo,
e lnihelino Alberto de Campos l.impo.
Palacio do Rio de Janeiro, em 19 deju-
Hl'0 de 1852. Vunocl Fclizardo (le Scuzau
Mello. Conforme. Ubanio Augusto da Cu-
nhi Mallos
GOVERN DA PROVINCIA.
O presidente da provincia para psccucTo
do artigo 41 da lei provincial n. 300, ordena
que se observe o seguinte
RECULAMENTO.
Ailigo I. A ariccadajao dos ben co cvenl*
i r.i fi-ita pelo culleclurrs das rendas provin-
riacs. Sao bens do evento os escravos, gados
qq i...... aebadOI *eu se alenlo senhur ol
dono quem perieneain. Para ser arrecada os
inllectores lero us livrns seguinies :
S 1. O livro de airccadacao, em que se lan a-
roo dia, mea e anno da achada, o nomc, nalu-
rnliclade, lilade c lignaes dos escravos achadua
con. todas as declarar oca, que dellcs se pude-
rem haver ;a cor e slgnacs do tado ou bcst.it,
0 nomc de quem al achou, o o lugar onde fo-
rain achados, c bem assim a quautia, em que
loram avahados. -
2. O livro de termos, em que se hincaro
as avaliaces dos escravos, gado e bestas acha-
ilns, c os de arrematares, c das icmcssas do
producto tliesouraria.
t; 3. O livro dos depsitos, em que se l.m, i-
raii as verbas de eutrada e sabida dos ditos *s- I
travos, gado, bcsias do evento, que licaro sob
a guarda e responsabilidade do collector.
Art. 2. Logo que forem aprescntailns os es-1
cravos, gado e beslas achados, e pelas diligcu-j
i lai e averiguaedrs que se proceder, se nao ,
lonscgiiir abe> quem pertcncem, lar-se-ha
iiniiirdiatamente a avallarlo, cm que intervi-
i.ni louvados chamados pelo collector, prel't-1
rmilu ns que coslumain intervir na avaliaces |
judiciaes, e verificado lannaineiilo nos termos j
ilo arl. I" 1, se remllenlo para o depo-
sito.
Art. 3. Iinniediatamcnle se passarao editucs,
porque se chmenlas pessoas, que tiverein di-
roilo aos escravos, bestas e gado adiados do
evento, sendo de 00 das para o escravos, c 15
para o gado ou beatas, publicando-sc pela Im-
prenta, ondea houver, c mesmo quaudo a nao
baja no lugar, publicar-sc-ha pela que iiear
ni .i- pioxiina, se Tur possivel.
Art. 4. Fiodn o praso dos edilacs, serao ar-
irinatados peranle o collector os e.crsvos c
cados do evento, aiinunciando-sc o dia e hora
ila arremaUcao por edilacs aHitados na porta
da 11 .-<:(. 11 e no lugar mais publico e,
dcpols de deduaidas as despcaas, ser o produc-
to da arrematarlo lecolhido thesouraria com
a 'I' iiiii-, i. ma da collcctoria em lempo com-
pleme.
Arl. i. Se, depois de concluida a arremata-
cao, recolhido o producto a ihesouraria com-
parecer o dono do escravo ou animal achado
do evento, e justificar o scu dominio uesse es-
cravo ou animal ser-lhe -ha entregue a quantla
ii. i.Un ib.11 con dedueco da porcentagem de-
villa collectoria. Se o producto ainda csliver
na collectoria, aera entregue pelo collector,
preccdendoordein da ihesouraria.
Arl. U. Se comparecer o dono, antes da ar-
rematado, c justificar o jeu dominio, e a
identidade do escravo ou animal, ser-lhe-ha
miregue, pagas as drspea feitas, reincitcn-
dn-se o processo Ihesouraria.
Arl. 7. As juslificacae erao leila perante
" jui;. municipal do dlstrlclo da collectoria, ou-
vidoo collector, ficando salvo s parles os re-
cursos, que a leii facultam. As despe/as cor-
rerle por coma da parte, que vier i Jalao jus-
tificar o seu dominio.
Art. 8. Este regulamento be applicavel aos
lieas do evento, que lorem apprehendidos nes-
u cidade e leu termo, cuja arremalaco lera
I lugar perante a Ihesouraria provincial, a qual
proceder, como se determina nos artigo an-
tecedeutes, no que for applicavel, e as aulori-
dades, que tiverein noticia da exislcncia desse
bens, providenciado sobre a sua apprehensao
como est ein pratica, e logo farao ihesoura-
ria a precisa parliclpacesc s collectorias.
Art. 0. I> livro de depsitos, de que trata o
art. I 3. poder ser substituido por verbas
leilas no livro de arrecadacao ou lancainento,
se assim parecer conveniente.
Art. 10. Rcvogam-se a disposifes cm con-
trario.
Palacio do enverno de Pcrnambuco, cm 17
dejulho de I85J.
Francia" Antnni ilwiro.
EXPEDIENTE DO DIA 13 DE JULHO.
Ollicio.Ao Extn. presidente da Piralii-
ba dizendo que pala Io vapor qne passar pa-
ra o norte, serio enviados i 8. Eic. para o
que ficamj expedidas as convenientes or-
dens, os livros do quo trata o ollicio "le 26
do maio ultimo, os quaos segundo a conta
quo remello, custnrim 88,000 rs nillciuu-
80 rospeito a Ihesouraria de fazenda.
Dito.Ao commandante do vapor Colfi-
nho declarando que ja so expeli or lem
ao cliefe do polica pira no vapor ao mando
doS. Me. romctler smenle o preso de jns-
tica Lucaa, com doslino a provincia do Ma-
r nliSo, bem assim ao inspeclor do arsenal
domarinha para rcmetler para bordo do
mesmo vapor as racAes quo forem necessa-
rias ao sustento do dito prozo.Expedi-
r m-se as ordens de que trata o ollicio a
cima,
Hilo.A tliosouraria de fazenda intoiran-
d.i-a do haver appruvado o contrato quo
pretendo fazer o soldado da compannia lixa
do cavallaria, JoSo Alvos da Cunha, pira
continuar no sorvigo do ejercito por mais
quatro annos, o recoinmendando que man-
de alionar ao referido soldado, de confor-
miilade enrn as orlens da,prosi loncii o pre-
mio do 130,000 rs., que Ihe ro proposto pe-
lo niareclial coniinandanto das armas.
Communicou-so esle.
Dito.,\ Ihesouraria do fazenda provin-
cial intoirando a do haver nomealo o ha-
chare! l.uiz do S. Boa-Ventura Salermo para
O tugar do ajudante do procurador fiscal da
lliesouraria da fazenda provincial na villa de
Igusrass.
Dito.A mesma para man.lar a lianlar ao
commanlanlo do corpo do polica, medan-
le urna caulella, por ello assignada, a quan-
tia de 3:950,000 rs., pan pagamento de 3
mozes de sold, contados do II do corrente
dos oflicUes o pracas do mosmo corpo que
so acliam dosticados nasfiomarcas rio Rrojo
eCaianhuns, devendo cssa quanlia sor de-
du/i.la lo opporlunainento dos respectivos
pros.Communicou-se ao marcchal com-
maudauto das armis.
Dito.A mesma inteirinJo-i do haver
nomoado a Minoel ilo Barros Rarreto para
um dos lugares do angenheiro di directora
das obras publicaa. Fizoram-so respeito
as oco sariascommunicaces.
Dito.Ao contador de marinha. Tenho
presme o ollicio de honlom. com que Vmc.
trazando ao meu conhccimenlo os docu-
mentos que dovolvo, solicita em I lugar o
meu parecer sobre a compra do carvSo do
podr paraos vaporcs.o navios do gtiorra que
locarom nesto porta, isto lio se deve contra-
tar-so o carvilo que for preciso, por lempo
marcado ou comprar-se no mercado a por-
C.^o de ques for precisando, al que so pos-
sa to'mar una medida mais econmica, vis-
lo estar csse genero presentemente por su-
bido proco, o em segundo lugar demonstra
Vmc com referencia aos regulamentos do
13 do Janeiro de 1834, ede19 de maio do
1846, sorda atlribuicSodos impecloros dos
arsenaos rizaran compras para fonieeiinou-
to dos armazens, precedendo annunc.is c
termos Rospondondo poisao citado oflicio
occorre-mo dizcr-llie, quanto a I." parto
quo be mis conveniente comprar-so no
mercado o carvilo, de quo houver necessi-
dado : o a cerca da 2 quo adiando-so esla-
belecida pelos citados regulamenlus a ma- l
ncira porquo devem sor fcilas semelhantes
compras de gneros, cumpro quo se ohier-
vem as disposisos a tal respeito, e *obre
tu lo o mais quo tstiver provenido.
Portara.- Mandando em vista duque re-.
querou 0 ilr. Braz Florentino llonrique de |
Souza, quo fique sem elloilo a portara, pe-;
la qual rol nomeado o mesmo Dr. para exer-
ccr as (unecues do cargo do pn curador lis
cal da tbeaourarla de fazenda, no libello
que pelo juizo dos fcilos, move I). Luiran
na Roza Candida Rigueira contra a fazenda
nacional, a Santa Casa do Misericordia do
Ro de Janeiro, e outros o nomeando o ba-
charel Luiz Felippe do Souza l.eo pira sor-
viro mosmo cargo nilos om dito libello,
mas tambom nos autos de justilicacuo quo
perante o juiz municipal da 2." vara dcsta
cidado, produzo.Manoel Francisco Duirte,
como arrematante dos servicos do quatro
africanos livres, visto tor-se averbado do
suspeito o procurador fiscal interino, Anto-
niude Vasconcellos Msnezes de Drumond.
Nsle sentido Hzeram-se as convenientes
communicacOos
DEM 1)0 DIA U.
Ollicio.--Ao comman lauto do vapor l, >l-
finho communicaiido que fcain oxpodidas
as convenientes ordena para Ihe sor foroe-
cido, nSo so o carvSo do pe Ira que S. Me.
rcqusitoti para sua viagom ao Maranho,
mas lambem o pratico, que dev guiar o
navio aob seu cominando at o porto d'a-
quclla cidado. Expediriin-so as urdens pre-
cisas.
Hilo.A Ihesouraria da fazenda provin-
cial pnia quo a visla do eerlilicado passalo
pe'o director dus obras publicas, mande pa-
gara Jos Francisco l'eroira da Silva, arre-
matante d..s obras da ponte sobro o rio Una,
a importancia a que olla tcm direilo, visto
acharem-ae concluidas al inenoiouadas o-
bras.Cominunicon-se ao referido direc-
tor.
Dito. -Aojizdo paz da povoaco da la-
zonda Grande accaandti recebida a lista
geral dos votantes d'aquella Ireguezia.
(orlarla.Ao iuspoctur do arsenal do ma-
rinlia para faz .r entregar a Antonio Jos Bi-
lancourt, procurador da viuva Mschadu &
Filaos, as ni i i ii -s que i ir.nn depositadas
ne mesmo arsenal, tondo em vista o dispos-
lo no aviso quo so Ihe reinotteu por copia
cm o 1 de auril deslo auno.
Dils.Removendo a Antonio de Sooxa
Marinho da priafiO da cadeia desla cidade
para a do quarlel do co'po do poiicii, vistti
ler elle provudo ser alferes da guarda na-
cionil do municipio de Goianna.Gommu-
nicou-se ao ebefe de policia e ao marcchal
commindante das armas.
Dita.Concedendo a licenca quo pedio
lien-ulann Jos Marroquim para conluzir
para esta cidade 271 pranchOes de amarollo,
que Ihefaltam pira o completo da madeira
quo fez cortar em eumprimeoto do aviso
da marinha de 29 de setembro da 1819, e re-
commendindo as autoridades locaes, quo
jnSo ponham emharaco algum a conducho
idos referidos princlides, tondo porm o
' maior cui lado para quo se no deem abu
sji por occasiSo d< semelhante llcenQi.
Communicou-se ao inspoclor do arsenal de
marinha.
DEM DO DIA 15.
OllicioAo Exm. conseltieiro presidente
Dito. A mesma, transiniilndo, com copia tros ; appellados, Antonio Pereira de Sou-
do aviso da reparticao do imperio de 16 de ju- za e outros.
nho ultimo, um olhclo do director das obra Passou do Sr. desembargador Souza ao
publicas acompanhado do plano e orcamcnlo jjr jeseml)drgadc)r Robello a soguinte ap-
da obra do caes do Apollo, afim dequeinfor- pe||icSo Pm que gflo :
me sobre o conteudo do mesmo olTieio, deca- apellante, Jofle Tavares Cordeiro ; appel-
rando se ospronrictanos das casas silas nasina- "FK""- > "J!... s>..>.
rlnhas frontelrasao dito caes f.iram obrlgado. a ldo. JOSO Concalves ltollr.lo.
construir o caes fronteiro s suas propiedades. Passiram do Sr. desembargador Rebollo
Dito. Ao brigadeiro Jos i.en.- Pachc- ao Sr. desombargador Luna Froiro as se-
co, intelrando-n de haver expedido as conve- gumtes appollaces em que lio :
nlentei ordens, oao s o agente da companhla Appellanlos, Jos Francisco da Trindadn por
daa barca de vapor para mandar dar passagem g como R,|miiiislra.lor de sou lilho ;
para a provincia das Alagoas a S. S., ao seu aju- | tppe||,a0( Paulino Minoel Thom Caboi-
1.1 o.
dante de ordens c a quatro pracas de prct, co-
mo luir no .i Ihesouraria de fazenda para man
d.r abonar-lhe e ao se
venclmentos do corrente mci. i-.\|
a respeito as convenientes ordens.
Dito__Ao contador de marinha, intelrando-o
/-lo pedindo contingentes a qualquer das
provincias, assim como tamhom as poder
diminuir se as julgar excessiva em nume-
ro ou o'ganisiQSo,
16 Sera das attribuices do Encarregido
dis i; i indios Exteriores regular a navegacSn
dos ros interiores da Repblica, de mudo
quo se .conserven! os inleresses e a seguran
ca do territorio o das rendas fiscaes;adminis
trar os correios, crear e melhorar is estri-
las publicas e as postas de bol para o trans-
porto das mercaderas,
17. Sendo conveniente, para miior res-
peito e acert dos actos do Encirregido das
uV!uTanTd\ro\rdYnnsao, Ap.eTlaiite, o juiz de diroito ; appellado.l Relatos Kxlenoros, na direccSo dos neg-
le liiei. -Eipcdiram-sc ,' Concillo JosdeSouza. cios nacionaos, duranto o periodo consli-
oisriiiiiuieoKs. jtuinle, o ler junto de sua pessoa um conse-
Ao Sr. desembargidor Kistos o seguin- Iho de eslido com o quil possa consultar
do supremo tr'uUn"' u" jusuca, iransmit-f Ae hjver ,ulorUado a meMurarla de fae"da t9 aggravo om quo silo : I nos casos que Ihe parecam graves, tica au-
tindo resposta dada polo juli douireilo <"alIIlln(lBr ,llljfl,cr ,jUC fur absolutamente lo- I Agoravanle Jos dos Santos de Souza Lins ; lorisado o rnesmo Exm.sonlior paraconsti-
comarca do Bonito aportara que S. Exc. dlspensavcl para as rubricas mencionadas em jg-raM(| juse ||,r|t Goncalves Ramos. !tui-lo nomeando oscidadSos argentinos que
- -- por seu saber o prudencia possam desompe-
nhar dignamente elle elevado cargo, sem
limite de numero.
Ihe dirigi por intermedio da preUdencia.-Ije,M***-^""01! APP-il.nf, Fil.ppe Ribero Sorvulo de Lima
acerca da quota para pagamento das despezas, I Cavalcantl; appellado, O jallo.
dosembargalor Leilo a seguin-
Communicou-se ao referido juiz.
DitoAocommandn das armas, dizendo,
em resposta 10 seu odlcio de 18 do mno
desto inno, que, segundo o aviso do pri-
meiro de abril de 1848, podom ler baixa,
por estar concluido o seu lempa do servico.
taas pracas quantas se cootiverem no
quociento do numero total dosrecrutasipu-
rados.dividido por teros; e tendoso em vis-
ti esso numero contato desde i data do
aviso, a as baixas que tiverem sido dadas,
podor-se-na allender aos que prestarem suas
escusas, consiliando-se a justicia dos seus
pedidos com as necossidades do servico pu-
blico, e oo se poniendo de vista, que o
servico forcado das praoaa, que teom aca-
bado o seu lempo, concurra necossariamen-
la para afaslar os voluntarios; convindu,
portanto, que se d cumprimenlo ao aviso,
logo que sua excoucJo no cause detrimen-
to causa publica,
D1I0--A Ihesouraria do fazenda inteirando-a
de haver concodidotrintadiasile licenca com
melado dos vencimeotos ao coipregado ad-
dido administracSo do correio, Eduardo
Firmino da Silva.Communicou-so aoad-
minislrador do mesmo correio.
DitoA' mesma, dizendo que, em vista
que correm por lacs rubricas, devendo S. me
representar ao mesmo governo com precisao
sobre o objecto do scu citado oIBcio. Neste
sentido ofRciou-se a mencionada ihesouraria
DI10. Ao administrador do correio, duen-
do que, vista da infonnaco que remelle por
copia, da Ihesouraria de fazenda, deve S. me.
representar ao governo imperial sobre a neces- |
Ao Sr.
te appellacao em que s3o :
Appellantes, Antonio FabiSo de Mendonca o
sua mull.-i' ; appellados, Eslevflo Jos
Paes Brrelo e sua mullier.
Ao Sr. desembargador Souza a soguin-
i le appellac3o em quo s3o :
iriinridi ao Lovcrnu iiniicii.ii mm a lices- i -- .',,.' n.j
sidade do augmento da conslgnaco para paga- Appellanles, Pontea e .Sampaio ; appellado,
melo dos empregados d'aquella administra- Jos Antonio de Leo.
cao. Ao sr. desembargador Rebollo a seguin-
Portarla. Ao agente da coinpanhia das liar- < te appellacSo em quo silo :
cas de vapor, para mandar dar passagem para | Appellanto, o juizo do ausentes ; appellados,
a corte, no pnmeiro vapor que passar para o | An,0j0 pereira do Miranda e outro.
Sli le*se g" ViS0' A" Sr- desembargador Luna Freir a so-
IDEU DO DIA 19. I guinte appellacao omquo sao:
Ofilcio. A ihesouraria de faienda. Sendo Appollanto, o juizo ,la fazouda do Recife ;
neeessario, para regularidado do aervico, e ef-
fectivldade da llscalisaco incumbida o gover-
no da provinciae a lhe*ouraria da licnda, que
appollaJos, os lierJci'os do Manoel Jos
Vianna.
No lu.un julgadososdu mais foitoscom
nenhuma despeza, procedente de contrato fei- ja aisigitailo por haver faltado a sossjo os
10 por qualquer reparticao, te tenha por legal .^ uusembargadores cima mencionados,
sem previa auloiisacao ou approvacao do mes- ,,,vantou.4fi ses5J0 UOpos do meio da
1110 contrato, e bem assim que os pedidos leitos
pelas dillcrentes rcparlicde nao tenham resul-
tado sem approvacao do governo ou da ihesou-
raria, conforme perlenccr aquello ou a esta a
ua approvacao, demoustrando-sc sua necessl-
dade, e sendo esla demonstraco acompanliada
INTERIOR.
RIO DE JANEIRO 3 DE JULHO.
Entrn esla ininha o vapor do guerra
razileiro Affonso co-n a insignia do Sr. vi-
18. Atientas as importantes attribuices
que por oslo convenio rocobo o Exm. En-
carregado das R'laccs Exteriores resol-
vou-so que o sen tiluloseja o de
DIRECTOR PROVISORIO DA CONFEDERA-
CAO ARGENTINA.
19. Para sati.sf'azer as despezas que neces-
sita a alrninistrac.n'o dos negocios nicio-
naos declarados ueste accordo.as provinciis
concorrorilo proporcionalmenlo com o pro-
ducto das suas alfaudegas exteriores, at n
1.1-1 i.rc.io das autoridnies constitucionan,,
a quom oxclusivamento competir o osta-
belecimeato permaooole doi i m postes na-
cionaes.
I iva a co)i/eilera3o argentina.
Arligo addieional o coordo entre os Exms.
gnvernaloros das provincias argentinas
reunidos em S. Nicolao dos Arroyos.
Os govornos o provincias quo 11S0 hnjam
concorrido para o ........1 le celebrado nesta
carta, 011 que no tenham sido representa-
dos nelle, serio convidados a aJhorir polo
director provisorio da ConfedcracSo Argen-
tina, fazendo-lhos a esle rospeito as exi-
gencias a que dio diroito o interesso e 11
pacto nacionaes.
A |iii!'liro""in desdo accordo causou em
Bu inos-Ayros a mais profunda sensaegao.
tlgovernaior Lopoz n.lo tiulia podido sala
poderos para celebrar iquelli convenci,
como o lizeram os governadores de outra.s
provincias, em virtude do umi circular do
Urquiza.
O accordo de S. Nicolao viola o picto da
Mgi litoral de 4 de Janeiro, quo alias invoca
CoriH I itigo hospicio dos Santos Lugares uesia nuaue. ammiiuis, i)uo nvuirou uuip """'">" como sua lei fundamental, e crea urna dic-
Dito-Ao vicecnsul de Luheck nesta ci- Uno.- Aochcfe de polica, remetiendo um Aoc para sobre ello dar o seu parecer. Con- [,dur,i embora conferida ao genenlUr-
dade. dizendo licar inteirado de haver S. S. omciodo delegado do primeira dlstrlclo deste t,va-se que a cmara dos repeosentanlcs ap- jza
encarrogado Joaquim Jos de Amorim de ,cr.'no-!,,ra a sua H Taes foram 0s motivos porque a sala e os
do durante a sua viagem ao Rio da Prata, e j, requKtar a demobeo da casa, cujo oito esP""?,'^'.n" a'" e os Debates, redigidos por dous dos mais
provonindo-o do quo n.sli dala oxpedo as jdesabounodia lv do crreme, causando amor- yem d.. p.ips.i(,om no //"' <> sr p-0-- distinrtOl oradores da sala.so pronuuciariui
cnveniontcs participaces as estacOes com- w de um prelo e os rerlmcnlos de mais cinco nel de engennen os 11. jo,o liara itey s com- CQm ca|0r conira 0 accordo.
P"t-iiles, devendo, porm, o roferido en- I pessoas, duas das quacs jchani-sc em perigo de [ mistarlo do governo oriental para a dcinar- A s,|a chimon o ministerio sna barra
carregado apreseotar no praso do tres me- vida. Olliclou-se acamara municipal desta cacao dos limites do tratado do 12 de ou- explicir-lbe o proced ment do go-
zos o^exequtur imperial.- Expediram-se cidade, para inlormar ,e os rcspeclivoshsc.es tubro. vernador Lpez, no caso de serauthentica a
as commuiuccocs nocessarias SB^^'r^SA ol"-
D lo-Aocoaimaiidanlo do brigue-escu-i., nir ,.mi.i|.au,.. desasir do minislro plciupoi. nc ano ua t.onto itra cial u0 m,.nc,un.ido accordo.
na AHdorinha, declarando qne lic.m W-\m-"Zwu!ntoto*** provin- \f> Argontint nesta curie nao nMiA 0 millstcnocomparoceu. llov utna dia-
didas as convenientes ordens, 11S0 s para [cal, ara mandar pagar a Joo da Cost. Dou- i/""10, comoso es lerava. m ar. m. 1 era 101. pussin muit0 animada o leinpesluosi, da
llieser ipresonladoo pritico que Smc. re-'radoa quisila, para guiar o navio sob seu com- conta que remelle, depcndeu-ic com diversos
mando ao porto do Maranho, mas tambem objectos precisos para a directora geral da us-
acerca do destino quo dovem ter os tros pre- "u^" PbUoa. Ceinuumieou-N ao respec-
sos de juslica, de qe traa o sou olTicio .^ZV.Tme.m,. transminndo por copia
13 do corrente, cnmprindn que Sin. os man- um o|Iic|o uo ,uu(iC|Caao du prmeiro dlsiric-
de entregar com brevidado ao chele de po- l0 ja |reguczia do bonito, e o resultado da de-
licia.Olliciou-se respeito ao capilou do marcacao, que se maudou proceder, dos li-
porlo e ao mesmo chelo de policia. miles daquella villa, deulro dos quacs se deve
DiloA Ihesouraria da fazenda provincial arrecadar o imposto da dcima urbana
do quo aquella thesourarn expoz em ollicioido documCtUi quc comprove a l.lla dos ob-
de 7 do corrente, cumpro que as conlas do jectoa pedidos na reparticao, que o requisita;
du ex-mestre uo patacho Pirapamo Jose|i,.ronneV. S., qual sej* a pralicaat hoje adop-, bra/neuo aaaa coi, ,uiB,.. u, .,-
Lourenco de Araujo, Ciltinuem a sor toma-lada esae respeito, e como se condus essa ce-almirante rurenrell. Vein de Monlevi-
dss pola contailona do marinha, al que o [ihesouraria no pagamento de taes deipezas, e 1 leo, donde sabio na Urdo do 27 do pas-
grjverno imperial dolermine definitivamon-i" fr"ec'"'"' *? taes pedilos. Indicando o sido.
i0 niollio-onri do; 3 art I do decreto n 11U luc P"ecer ials conveniente aos nteres-1 o Estado Oriental conservava-sn em per-
;; 3 do regulamen.o de .9 de maio do twn^Tu^'^Vr^Z'"^..^ 'ftttZS&ft, L dV. I
devendo 1 mesmo tbesourana representar da presidencia una copia do termo de avalla- do 15 do inno prximo pissado. 0'f,
a respeito ao lrioun.il da Ihesouraria na- cao do terreno, que constltue o quintal do au- Pssou o projecto para a cimaia dos ropro-
ninngl [tlgo hospicio dos Santos Lugares nesta cidade. sentantes, que nomeou urna commissao ad
o. A incsina, para mandar pagar Jos los govo.-nadorcs de Entro Rise
Ayres.e de quo minio rcsumidimonta va- em cuja aus,.cia se passavim essas canas,
moa dar conta. a sala delibera e ordena ao poder execu-
No dia 31 do maio celobrou se um accor- ,vo n3o cumpra nenhuma ordem ama-
do ntreos governadores das provincias naJa,|as jjjposic,3M desse accordo ; ao quo
munidos em S. Nic ilao, estn lo presentes rMO0(1j0 0 ministerio com o intempestivo
b. ..... .. ..r. I I. i.t i-.. I' 1 m, ii. nl..mn ,_. -a, ____..___ dizendo licir inteirado deque o juiz do paz provaodo adespeta de 87/900, que S. rae. diz rod 1831.
para nutra provincia, d'i todos os gneros
nacionaes e estrangeiros
do tereciro auno da freguezia do Bom-Jar- ter feilo com os reparos da poolezlulia da cs-
dim vai proco ler a reviso da lista dos vo- i">" do Pao d'Ali.o. Comuiuuicou.se a nie-
lantes/, mesma freguezia no d,a 18 do ^^^l^a!.!^
correte. do Uunilto, aecusando lecebido a copia, que S.
DEM DO DIA 16. me. remetteu, da qualiticafo dos volantes da-
OllicioA'Ihesouraria do fazendi, devol- quella freguctia.
vendo OS papis do terreno de marinha que Dito. ~ A cmara inuuicipal do Ouricury,
pode por aforamonto Manoel Estinislo da para informar porque nao ten leito arrecadara
!:o.U.P.nm de que proced i respailo dessa ffi^3Sl\:%***
protencao nos temos de sua inlormacSo. '" v________________'
Dito-A' mosmi, pira que, avista dos pa- TB|ijUNAL DA KELACAU'.
peis quedovolve, mando passar ttulos dos .,,, no a na 1111 un hf ',v,i
sua .i'lha as propriod.dos sitas em ditos ter- }gj*ffi2 S' ? w/Xtr.
Dlto-Ao contador de marinha, dizendo presidente declara aborta a sessao.
." ^o^a^^f^r oVg" n1s,r p:!a Appol.ante, Gas^ donezes^^concello,
de Drumond ; appellado, Manoel lonilo
Guorra. Conlirmaram asontjnra.
Appollanle, o juizo; appellado, Jos Miria
1I0 Reg.Mandaram com vista ao doutor
procurador da egroa e fazenda.
o accordo
do nma
justifica o havc-lo
tabella de 10 de fevereiro ultimo para paga-
mento das comodonas dos ofliciacs do ma-
rinha perlencenlos aos navios da armada
surlos neste porlo.
DilOAo mesmo, para mandar liquidar .
o quo se deve ao capitn de fragata Ceta- Aggravanlc, lgn.Cio ,ul\ ," : "l^f
uo Alves do Souza Filgueiras at 14 do maio vado, Antonio da Silva Forrera. Nega-
ran] provimento.
UESIClIyOES.
Appellanto, Jos da Rocha Paranhos; ap-
pellado, Uiisses Cookles Cavalcantl de
Mello
Appellanto*, a viuva & lilho de Caudino A-
gostinho de Barros ; appellado, Jos Can-
dido Carvalho Medeiros.
Appollanle, Antonio Jos Soaros do Avcllar ;
appellados, Antonio Cermano Rigueira
Pinto e outros.
Appellaute, o juizo ; appellados, Manoel
Carnoiro L01I e outros.
bivisOes.
Passou do Sr. desembargador Bastos
ao Sr. desembargador LeSo a seguinte ap-
pellacao em quo silo :
Appellanlos, Carlota Lucia de Rrilo e ou-
tros en juizo ; appellado, o mesmo juizo.
i'assaram do Sr. desembarga Jor Le3o ao
Sr. desembargador Souza as seguimos ap-
pellacOcs em que s3o :
Appellinle, o doutor juiz dodireito; appel-
l.i lo, Luiz Soares Villola.
Appellantes, Jos Corroa de Araujo Furtado
e sua mullier; appellados, Joao Baptiita
Cuilhermo o sua mullier.
Appollanto, Joaquim Francisco Diniz ; ap-
pellado, Luiz Joao da Cosa.
Appellantes, Joaquim Jos de Menezes e ou-
ultimo, ilim do ser elle pago de sau sollo,
conforme pedio no requcrimonlo .-obre que
Smc. informou.
DitoAo |Uiz relator da junt de juslica,
transmittin lo, para ser relatado em sessilo
da 01. siiia jiini 1, o processo verbal foitoao
soldado do 9. batallio do iufinlaiia, Joa-
quim Estanislao For.eir. Communicou-se
ao comnian.lo das armas.
Dilo -Ao presidente .10 conselho goral de
salubriilado,remeltondo por copia o aviso do
ministerio do imperio, de 29 de maio ulti-
mo, afim do quo preste as inlormacoes exi-
gidas no fin a I do citado aviso, s > h 1 o esta-
do sanitario desta provincia.
Portara Gonce lendu a Antonio dos San-
tos Fcrreira a licenca quo pedio, afim de
que, pagos os direitos do e>tylo, possa ven-
der asegunda parte do terreno de marinha
sito na ra da Concordia, de quo lio foreiro
a fazenda nacional.Communicou-se a Ihe-
souraria do fazenda.
DEM 1)0 DIA 17.
Ollicio, A' Ihesouraria de fazenda, aulori-
s.indo-ae o visla de sux Infonnaco, a mandar
bollar, pela maneira j r*iabeleclda. ao solda-
do da companhla de arlillces, Bclarmino Mea-
de, que pretende conlraiar-se por mais oito an-
nos para o servico do ejercito, o premio de 280/
proposto pelo marechal cominandaotc das ar-
mas. Cominunlcou-se a cite.
nota em quo explica
assignado.
Com esta concoico foila pelo general llr-
, quiza acalmou-so um pouco a agitacao que
3." Ser chegado o caso prov sto pelo art. ro ,U),ira a noticia daquclle documento o
16 do tratado de 4 do Janeiro, do ajustar por > lomara symplomas revolucionarios,
meio ile umcongressorodoral a administra- rao dia I comecou a discussSo sobre o
5S0 geral do paiz. ccordo, que conlinuou a sor fortemonto
*.o Quo a reuniaodessocongrcssosofara u ',| elos S-s. Mitre o Sansliold, ro-
o mez do agosto prximo futuro, para cu- f^ Jo. We6(j jo fim so proceder ja a el-icao de deputa-, s mii,jslros delendoram com calor o io-
dos, quo virSo tnoniJosde plenos poderos )Q e alc 0 dia 22 pola manhaa espora-
para dcc'clarom a constituyo federal. 1 g sa|a ceJoj,e. Mas na sessSo da-
5." Que cada provincia dar dou. depu- .!,,* jj, i10UVa dobato muilo animado,
tados. ..... I manifoslaces dos espectadores, polas quaos
6. Que a constituido sera sanccionada qs injnlslro3 so doclaravam coaclos. Diz-so
por maiuria do votos. sa|idicorreu perigo a vida dos m-
7. Que o congrosso sera convocado para, -u,
a cidade do Ssnta F.po Ionio depois desig- n consqUencia desti sessao tumullua-
Dinciladoqu mais apropnadi Iho paro- (ja'o doscxcessos quose attnbuom aosos-
cer para suas scssOes. | npci .,irel, 0s ministros o o proorio gover-
S.oQuo sanccionada a conslituicSo.epro-, J^^ Qpel renu0ciarao. A salla accilou a
lo constitucional da repblica, eocongresso na, xTovuruador provisorio da provincia do
se dissolveri.
9. Que o general Urquiza, como general j
om ebefe dos oxcrcilos da Coufeder.sao, to-j
se dissolveri.
9. Queog
omchefe dos exercu-us uai.uuicuei.v", ">- .e(.|,rar qUo os oppositores ma
r o commandojlo todas as '^'f^^ J|-1 imp rt.ntea rec.iminendararn resignicSu.
9^o Queo general Urquiza, como general | "aSto J|J,'qB|l ou nao pude resistir, e
.. ii-.i.' Mili
lualmento loin o-n po cada umi dis provin
cias da Confedorarjao.
liaremos na sua integra os domis arti
gos
os opposilores mais
idaratn resignsc3o.
Os"representantes protestaran! contra a
suadisiolucjioquinioja havia intorvindoa
Ogenarsl Urquizanao PO ^ ^
mando elTectivo de todas as forcas militaros rMtj,., -~f ,70lir, de .presentar
quo actualmente lem en. po cada provincia. Exm. Sr -Ten s
s quaes serdo consideradas d'oN em .lian- a V. ^"fj; augusto sobera-
to corno partes integrantes do exordio ..1-, Imperador do Braz,I,. B ^.^ ^
cional. O generalera chelo d.ra a estas fur- nom HJ "1" |tlonip0lncia r...
caso destino que julgir convonionlo para o Iraordinario o ihm
serviSo nacional.a se para cumprir seus lins junto.apoa.oa .; JeS8a mijsao e
julgar neeessario augmenti-lis, poder* fa-l A eievau m.6
\
J
\
*?


*-*
ordena do mou augusto soberano par o de-
.empenbo deUa, sao maia urna urova do
quanto deseja S. U. I. estrellar as relaces
na melhor iutclligeocia c harmona entre o
Imperio do Brazil e a Confederacao Argeo-
tina ; ao Difamo lempo que desto modo S.
M. I. d um testemutiho claro dos mais 111-
varlavas sentimentos de conaideraeSo, esli-
ma eaoiizado pela pessa de V. l.x.
Quanto a niim, Exm. Sr., serei fiel aos
ni.Mi" antecedentes.
Na exi ni i; ,1o das sabias determinaces
de meu augusto soberano tivea feliz e hon-
rosa nec i- i.'hi de assignar o convenio de 20
de maiode 1551.
Hccurdo-nie igualmenlo quo tambem
tive a honra e a fortuna do saudar respeito-
sammte a V. Ex. a pouc distancia da cida-
do do .Montevideo, quando sobre os horizon-
tes do l'rata assoinmava a brillianle aurora
precursora do sol reaplanJecenle, que ein
Monte-Caseros illuminoj depois a espada
de V. Ex. e das armas da ellianca.
Leal, pois, aos mcus antecedentes, ob-
.sorvador escrupuloso das ordons de S. M. o
luiporador, mau augusto soberano, o san-
pro recontiocido beoignidade com qu>< V.
Ex. tem h bondade de distinguir-aje, asse-
guro que ein pregarci lodos os meus chor-
ros possiveis para alcanqar e satislaier a ele-
vada cotifiauca de meu augusto soberauo, e
justa apreciado de. V. Ex.
O Sr. general f rquiza, cncarrogado das
RelacOes Exteriores, respoudeu com as se-
guintes palavras :
Sr. ministro plenipotenciario,
a S: he e sempre sera paia iniui um mo-
tivo do honra e de saii.srac.ao receber o re-
presentan! do uma nac&o amiga o gran le,
posso as>egurar a V. Ei. que esta salisfaco
toma linjo pro'porcflps maiores, quando con-
sidero que a. carta queo aciodita yem das
reai s roaos do soberano de um p*iz ameri-
cano que se acha unido a Confederac.So Ar-
gentina por latos ost'eilos ; cojas armas hri-
Iharam juntas nos campos de batslha, e de-
idin a lber Jado a duas repblicas que g'-
11,tani debaixo do peso de uma dura tyra
na.
ncarrogado de dirigir as reUcflcs ex-
teriores da Repblica Aig.'iilina, meu pri-
nieiro anhelo sera fortalecer por toJos os
meios possiveis as relajos de arnizade
com lodos os governos amigos, emuilo es-
ppcialmenlo com o .lo impjiio do Brazil,
procurando quo a concordia e boa inlel-
ligencia com elles periuanucam inaltera-
veis.
i: nutro a lir.no esperance de que S. SI. o
Imperador do Itmzil. p*ra conseguir estes
inloressantcsotijectos, nao poda fazer urna
esculla maisaceitada que a que fez Bornean-
do pira representante urna persouageui que,
como V. Ex., por seus ttulos especiaes a
coii9dcrarao do goveruo argentino) e uma
garanta sulida da perfeila inlelligoiicia que
devo reinar ontre o Imperio, dignamente
representado por 1. Ex., o a ConreJerasao
Argentina..
Po.leis licar certo, Sr. ministro, que da
nimba parte empregarei tu 10 o esmero ni
tornar fcil c proficua a ci nal ou particular,en tuJo quo disser res-
pailo ao bem-estar, paz e prosdeiilade ue
ambas as naques..
Fclicitamo-nos, diz o Vrogresso de 21,
do tormos entre nos o Sr. Poiilus.quc asif-
liou o Convenio de 29 do un de 1851, o
nao duvidamos que por son intermedio se
estrellariO mais .e da ein da os lagos de
auiizadee boi iiitelligeucia quo deen ois-
l'r ontre dous gnvornos quo lia pouco un-
ram suasbandeiras na santa cruzada da li-
berdade, o quo lirmaram sua alliaiiQa, con-
Uimliu lu scusangue no campo da batalna
Saud-imo-lo sinceramente, e desejamos-llic
urna longa e feliz residencia entre nos.
80i>:000|i)iiO
OaiOOlttOOO
12:000/000
8:0o0/0o0
ioi:0i,e.f0(i0
UlOoO/OOO
00:000/0oii
(MOoJOOO
3:2i
oO/OII
i OOOfOOO
2S:80iinnn
ili:u0n/0i>0
213:920*000
300:240/000
rcriniiiou lionlem (fi de julho) na cmara dos
deputados a discussao do orcainenlo du impe-
rio. Foi approvado o segiiinte:
Dolac'iii de S. M. u Imperador
n.ij dcS. SI. a lo,pe.un/
Alimentos da prlnoesa Imperial a
Scnhora l). Isabel.
Olios ,i.i punce/1 i .Senil"! D. Leo-
poldina f
llotaco da princea a Scnhora I).
i uni tu t. e i ii i i de casas.
Alim'i.P" ,|j pruiceza a Scnhora
U. II.ni i Amelia
HolacaodeS.ll. a impcralrir. do
Brasil, viuva, a duqueza de llra-
gau;a
Alimenlos do principe o Senhor I).
Lula
Hilos da princea a Scnhora II. Ma-
ra Isabel
Ditos do principe o Senhor D. I'i-
lippe
tlidcuados dos nicslrcs da familia
imperial
Secretaria de estado
tiahiucie imperial
i.'onscllio de estado
Presidencias de provincia
(.'amara dos senadores c secretaria,
deducido o subsidio de qualro
senadores, cuja falla he provavel
se d ni sessan
Dita dos deputados, dem
Cursos jurdicos, incluida a quan-
lia de iOOOJfvGO para acquisicao
de obras novas p..ra a biblloihe-
ca ,1, iiiinii i. e ni 11-- l-ii ,i...... li-
caudo o ordenado e gralilicacao
do professor de Ingle efrance?
de S.ni P,mi igualado ao de Olin-
da e aos dos oulros professores,
c deducida a despeza coiu nieda-
lliai para premius que nunca se
distrlbucui
l'.scolas de medicina, dando-se
2:000/ para acquisicao dasobrjs
novas para as bibliotecas,las es-
colas, c deduzindo-se a despeza
correspondente a qualro metes
de um leulc quo he senador
Academia das bellas artes
Museo
ll/gicne publica
Lmpregados de visitas de saudc dos
portos
Lazaretos
Instituto vaccinieo
Archivo publico
Crrelo geral c paquetes de npor
Uommissa de engculieiroi
iii,,,-. poules, estradas e oulras
obras publicas geraes, sendo -j00
cotilos para minorar os males da
secca ero varias pravincias do
norte,2n0 conlos para ser iniprc-
gados lias obras pro|iriaiuentc
provlnclaes que o governo julgar
mala convenientes, e a quantia
precisa para a obra da poule do
llcclfe.pic lera couiceo desde j
Ctecbeae e civillsaco de Indios
Colonias militares
lstabelecliiicnto de educandas no
Par
I velllll II
Ai. municipio da corle.
Kscola menores de,lusiruccao pu-
blica, suppriinida a aula de la-
chygraphia
Hiblioteca publica, augmenlanrto-
sc com a:850/os veucimeulos dos
cinpregados, e separando-sc cate
* augmento do orcainento eni pro-
iceto separado
Jardn botnico da Laa de llo-
drigo de Freilas
Dito no passeio publico
Instituir, histrico e geograpbico
brasileiro
Imperial academia de Medicina
.Sociedade auxiliadora da Induilria
nacional
Hispid! dos lazaros
obra publicas
RIO CRANM DO STJL.
Quarlcl-general do commando em chele do
exercito, na cidade do Rio Grande, 26 de junho
de 18.V.
ORDKM DO |IA.
Flcam dlssolvldas as dlvTses e brigadas do
esercilo, o qual passara lera seguate orga-
nlsacao:
Prtmelra brigada, ao mando do Sr. Drigadei-
ro Jos Fernandesdos Santos Perelra, que con-
tinuar do coinmando da guarnico e fronicira
do Dio Grande, compor-se-lia dos hatalhrs
:', V, e 11* de Infamara, e 1" regiment de ar-
tilharia a cavallo.
Segunda dita, ao mando do Sr. brlgadebo
Francisco Frlir da Fonseca Perelra Pinlo, dos
lu iili i 3. 6c 7 de infanlaria.
Tirceira dita, ao mando do Sr. coronel 9evero
Luiz da Costa Labarrda Pratcs, dos balalbfies 4,
8, e 13 de Inlantarla.
i.i.i ,1 i.i dita, ao mando do Sr. coronel Luiz
Slanoel de Lima e Silva, dos batalhes M e 15
de lufanlarl*.
Quima dita, ao mando ido Sr. coronel Jo!o
Propicio Sleuna Barreto, do regiuientos l* de
anilliaria a cavallo, e 4* de cavallarla ligeira.
Sola dlia, ao mand.i do Sr. coronel Slanoel
Luis Osorio. dos 2 e 3o regimenlos de cavalla-
rla ligeira.
Toda a guarda nacional em destacamento li-
car sob o couiuiaudo do Sr. coronel coinman-
dantc superior da mesma guarda, David Ca-
na barro.
Reverte aoesercicio n;ue anteriormente tinlia,
de inspector das tropas de primelra liaba c da
guarda nacional ein destacamento, o Sr. mare-
cbal Joao Frederico Caldwell.
Passs a <',mu.ui'i.ir a fronteira 'de Jagua-
rao, o Sr. brlgadeiro Francisco Felii da Fuusc-
ca Perelra Pinto c a de Bag, o Sr. coronel
Joo Propicio Menii.i Brrelo.
Siio dispensados dos cnipregos que excrcl.nn
de ajudaute-gencral, o .sr. tcuente-coronel do
cslad.i-malor deprlineira classe. Jos Slarlano
de Slaltos, cujas Innccoes passain a ser desem-
penbadas pelo Sr. tenentc-coronel do estado
ni ii n de segunda classe Joaquim Procoplo
Puno C Indi." i.i ; de quartel-mestre-general, o
Sr. uiajor do caiado-maior de prnneiraclasse
Alexan.'.rc Slanoel Albiuo de Carvalbo, que se-
r substituido pelo Sr. major da mesma arma
Gaetano illanocl de Faria c Albuqucrque ; de
cugenbelros do evercilo juolo ao quarlel-ge-
neral, o Sr. capllao do imperial corpo de en-
geulieiros Antonio Pedro d'Alcucaslro; de au-
ditor interino do exercito, o Sr. capitao do pr-
in.ii,i iiiilalhao de arlilharia a p Antonio de
Castro Vianna j deajuoanlc d'ordeus serviado
de secretario interino do couiiuaudo eiulcbefc,
o Sr. lenle do mesino corpo Jos Basilco
Weves Gonxai;.! : de olliclal-maior da secrelaria
mular, o Sr. capilao da guarda naciodal Jos
de Miranda e Castro ; de ajudanlcs d'ordens de
peiisoa, o Sr. lenle do esiado-uiaior de pri
u ii i classe Joao de Souza da Fouseca Cosa
c de ajudiule d'ordens do commando ein che-
fe, os Sis. capiliei da guarda nacional Jos de
Olivcira Bueno, prlineiro leocutcdo primeiro
lialalho de arlilharia ap Jos Tliomai de Al-
inciila Per ira Vlenle, c teneule do prime!,o
regiment de cavallaiia ligeira Carlos netbeza
de tlliveira Nery ; devendo reverter corle a-
quellcs ojue d'ali vierain.
i'oruaudo-se desitecesiarios os serv90S do
Sr. uiajor eugajado para o eslado-maior. conde
Florcslau Uozvadowski, fica igualmente dis-
pensado do exeicicio que ni.i na rcparti(So
do Sr. quarlel-meslre-geueral, para se reco-
Iher ao Hio de Janeiro.
leudo de seguir para a corte a tomar assen-
lo na asscmlila legislativa como seuador do
imperio dnxo eucarregado do commando ein
chele do exercito, al ulterior deliberaco do
governo imperial, ao Sr. marecbal baro de
Porto alegre.
Conhecc lodo o exercito as dislinctas qualida-
des do benemrito general que passa a coin-
iii ni.) i .:, : Icio elle sido seu mseparavel com*
paubeiro na boa como na in fortuna ; nao re-
lie iii.i pois quao digno u considero de sua con-
liauca, amilane e respeito.
Apreciador das virtudes militares, moralida-
Ic c disciplicina, que to rccomincudaveis e
di-iin, i. tornan) os bravos do exercito do Sul,
taiiiLcm Ihcs li.i recomineudarei deveres que
uma louga experiencia me tem feito conbecer
que se acbaiu gravados em seus coraces, e ao
iucapazes de faltar a elles. Esia lo lisongeira
quilo pi,,lam, conviccao minora em p .re a
viva saudade que experimento m se parar-me
de lao bous amigos e digaos compauheiros
d'armas.
Srs. generaos! Srs. chefes c oBiciacs do ex-
ercito c repartiedes mililarcs Recebe!, todos,
mcus cordiaca agradeciineiitos pela valiosa, leal
e frauca coadjuvajo que de vos recebi; e con-
tal sempre com o vosso verda.leiro amigo c
companbeiro d'anuas, que de vos conservar a
mais grata c duradoura recordacJo.
CONllL DE CaXIXS.
^Entretanto ambas estas qoestles tem de
?jsssir i.indii pelea formulas parlamentares,
ebemque ante-bontom uma della, a pri-
meira, experimentisse em uma das cmaras
am revez, nm por isso so dutida termina-la
em assembls geral.
Na sessfio de 10 do Rasgado da cmara
dos repiesentant'.'sdeu-se conta daeoguinte
nota do governo :
A nova situadlo em que foi enllocada a
divida publica pela convencSo de erucres
limo pecuniario colebrada com o governo
do Brasil, tornando desnecessaria a con-
sieracao dos projectos de lei apresiinU-
dos pelo govorno en 30 de marco, exTgc
que elle se prepare para entender-se com
os credores, o para este lim propOe a sanc-
K (Soda II C. o projecto junto.
ii Para apreciar em parle os motivos por
que o governo aconselha a sua adopcSo,
aprsenla os relatorios ns. 1 e 5, que ins-
imitan a cmara da maior parto da di-
vida do Estado o de suee rendas, etc.
Eis em resumo estos relatorios:
1.a Dividas contrahidas sobre as rendas
do Estado at 8de outubru de 1851,5,682,809
pesos.
2. Divida contrahida sobre as rendas do
Estado depois de 8 de outubro do mesmo an-
no, 468,481 pesos.
3." Calculo approximativo da divida
pendente da repblica em 15 de Janeiro des-
le auno, 18,970,934 pesos.
4 Calculo approximativo do producto
das rendas do Estado no anno crrante,
1,613,800 pesos.
a 5. Rendas do Estado que estSo aliena-
das, e caleulo approximativo do sau rend
ment annual, 65,500 pesos.
No mesmo da so deu conta na cmara do
oic.ixeiilo ,l,i despoza garal para 1853.
Nclle flguram as verbas seguintea :
Despezas.
Corpo legislativo. 67,265 posos
Repartido do interior
2
>
negocios estrangeiros. . 506,199
dem dafazenda . 245,399
976,891 a
Total 1,795,755
Ktceita.
a Alfandega do Slonte-
vido 1200,000 pesos
a Imposto municipal . 180,000 a
Papel sellado, patentes
e alcavelas........., 150,000 a
Capitana do porto. . 8,000 a
Polica do Slontevido . 30,000 M
< Correios........ 9,000 11
a Direitos doscurraes do
tlontovi ico......... 36,000 11
Secretaria to tribunal
800

Total 1:613,800 >
Neslc on;imentn n.ln so incluotn os pro-
ductos das recebelonas do campo, direitos
dos curracs dos depat lamentos e arremata-
cao da passagom dos ros.
Entre as rcsolucSes importantes adopta-
das pela cmara, osla a que saneconou no
da 22, relalivamenle a juros ou usura, ron-
cebi la nosseguiotcs termos :
t Considerando que a trraior parto dos ha-
bitantes d> repblica se acharam sob o peso
do uma calainiJade insuperavel durante a
iuta que acaba de terminar ;
Que asa calamidade causou o abalo e a
ruina da propnedade, tanto territorial como
industrial o commercial;
a Quealem disso envolveu as pessoss e
inhabilitou-as para o cumprimonto, nao 10
das obrigaces anteriormente contraliidss,
senSo liiiiili.vii das que, originadas durante
a mesma Iuta, so acharam sujeitass infinitas
contingencias,.impossiveis de prever ou de
superar, que a complicarlo dos successos
polticos i' iixo comsigo ;'
Que he da principio cm jiirisprndcncia
quo o caso fortuito incnlpavel nao deve pre-
jinlicar aos impedidos e impossbilila-
dos :
O senado e cmara, etc., di crelam :
Art. 1 Toda a questao de juros occor-
rida entre o da 6 do dezetnbro de 1842 o 8
de ciiii.nl,ni de ISil, ou seja que as obriga-
cfle fosem contrahilas, ou tomadas exigi-
veis antes ou durante a poca marcada, fi-
< -i n sujeilas para sua resulu^ao aos princi-
pios oslabelecidos pelas leis para os casos
RIO DE JANEIRO 11 DE JULHO HE 1S52.
Enlrou honlein do Rio da l'rata o paquete
Princr. Traz datas de Montevideo ate 5 e de
liii.nos-AVres al 3 do corrento. -
Como se esparava approvou a cmara dos fortuitos e de Ton; maior.
representamos do Estado-Oriental os trata- 2 A presente le oSo co (prebende as
dos celebrados com o Brasil, mas appro- quesUJes que se suscitarem sobre obriga-
yinm vacio pura c simples do snalo necrescen- ces ja ciimpndas, ou que depois.le 8 de
'i to, ,or13contra9 votos, oseguintepream- outubro do 1851 se letiham coiilrahido, ou
-00o00n' bulo- aue 'on'18"" sillu delinilivamento resolvidas
Com esperan;* de ulteriores modifica- por snnlensa executiva.
cOesque ponham de accordo as estipula- 3,'Communique-se.otc.
eflos dos tratados de 13 de outubro de 1851 A discussSo desla le deu lugar a um ca-
com os verdadeiros interesses da repu- lorosojebatn. Sustentava a minora que os,
88. O/'oo
8S:4l3/<34
7'J:3b>0U0
liioliiKIO
23:iO/000
|2:I0I#W)0
20:0110/0110
I4:lii0^'(in
7:42n/niPi
8ll:OUll/O00
5:700j000
O poder cxecutlro opportunamenle deu
conheclmento do ficto honrada cmara do
senado; e em vlrtude do mesmo, o sea pleni-
potenciario assignou, em 15 do correte inez o
que tem a honra do acotupanbar a V. 11., com
a acta de garanta da parle do goveruo argen-
tino segundo est estipulado.
,. O P. E. ere que nelle se consullaram os
melborcs interesses da repblica ; e capera que
V. II Ihe prestar sua approvacao, conforme o
cdigo constitucin!.
a Entretanto o P. I-. agradeceu ja ao gover-
no argentino o passo .mu;iv. I e recommenda-
v, 1 da sua mediaco.
O p. 15. tem a honra de saudar a V. II. com
A maior coualderacao.
,. Honrada asseinbla geral.
Joan F- Jiro*.
n Flortntino Castellanos, u
A simples leilura desla cominunicacao pou-
co inihiiii do animo dos representantes que
apolavatn o prembulo, e este passou. Hon-
tem reinelteu-se ao senado esta aancco, ejul-
ga-se que este se oceupar delta linuiediaia-
uienle.
A resolucao do dia x poderla crear urna al-
luaco dlflicll ao governo ac chegasse a ser lei
da asscinbla. O governo nao poderia retroce-
der depois da solucao que se deu questao no
da 13 de malo, e sem ser exagerados julgamos
que sua posicao pode ser difHcil a respeito do
lu.i/ii. Comtudo este incidente nao iulluir
para que o governo deixe de prosseguir na
marcha clrcumspecla que adoptou depois des-
te facto, e pela qual o palx Ibe esl reconhecl-
do.
Em lluenos-Ayres, mo grado as medidas
violentas, a trauquillidadc publica continua,
, a forca militar que o general Urquiza fez
.iii limpiar nao leve occaslo de travar colli-
ses.
No existindo boje orgaos pblicos na im-
prensa daquella cidade, nao podemos conhe-
c,r o catniaho que vai tomando a opinio do
pais, ii. ni si Per os tactos queamoveui.
As ultimas cartas recebidas honlein pelo
Prittce abnndam em noticias mais ou meaos
exageradas a respeito da situaco da campa-
nba. Algumas fallam etn um pronunciaincn-
to que leve lugar' em Corrientes no da 21 de
Juaboem alguns departamentos contra o go-
vernador Vlrasoro, que se diz ter sua frente
o coronel I). Nicanor Caceres. Accrescenta-se
que a sabldaj do general Galn no dia 1*, no
vapor UerceA, para a Concordia ( Entre Rios ),
era motivada por aquelle successo, e dixia-se
tambem qne sabirla com o inesnio deslino o
goveroador Virasoro.
Por decreto do |e de julho nomeou o gover-
no de buenos Ayrcs um conseibo de linanca
composto de nove cidados.
>a mesma dala expediu oulro decreto per-
iiiiiiin.Pi j pittilieae.io .ios diarios, poimesla-
eleceudo urna commissao de censura compos-
ta de tres individuos.
Do resto da repblica nadase sabe dlreclu-
inente que sirva para 'orinar uin juizo exacto
a respeito de seu estado depois doaccordo.
11c de esperar, nao obstaute, que a organl-
s.ir.in ..:i.|in le paiz nao seja retardada, e que
utua vez aceito por todos o acord de a* I de
malo se proceda a reunio do congresso que
|na cessar o estado provisorio em que se acba a
naco argentina.
, Jornal do Cominerc).
CORRESPONDENCIA 1)0 DIARIO DE PER-
NAMBUCO.
flii 19 dejunho de I8s1.
Meu querido Liborio,aindaque eu te o nao
dissesae na ininha ultima, creio que boje j has
de saber, que a cmara dos deputados elevou a
dote cootos de res o ordenado dos ministros
de estado ; eDtre cinco e oilo o dos presidentes
de provincia ; a quatro o dos membros do su-
premo tribunal .le jn.n. i ;a tres o dos desem-
bargadores das rclaces, alin de gratifleaces
que elevou o daquelles a seis contos de reis. e
dos ltimos a qualro. Realmente erara mes-
quiuhos os ordenados anteriores ; mas corta o
coracan ver, em ves de responsabilisar e pu-
nir umJ..... e alguns oulros, augmenlar-se-
Ihes ordenado em premio de suas prevaric-
cocs! Paraos ladrdes neohum ordenado, por
ni.ns elevado que seja. salislar a infame lome
de oiro, nein eneber o abysmo horroroso des-
as alma corrompidas : os bons, os ntegros e
justiceiros lam com restricta economa vivendo,
e esperando melhores tempos para as rendas
publicas: he isto verdade mas tambem era
duro, era cruel delxar que a probldade fosse
uin continuado marlyrlo, urna foote de pade-
cimentos para elles.
Tambem ters sabido que o conselheiro Ho-
norio Hernilo Carnciro Leao, que lu ah terias
visto, pequeuo de estatura, velo do Rio da
Praia com ares de Palagao, com mais dous
palmos de allura bem iludidos, poique esl
visconde com grandeza proporciooada ao rio
Paran. 0 conde de Gaxlas deu tambem um
pulo, porque esl marqnez. O senador Llropo
de Abrcusollreu alguma injusllca, porque ape-
nas sahio Gran-Gruz, quando lhe cabia ser
GranCrucifuo. Siio cousas deste mundo.
A lei da ns n,.in das forcas de trra tem sof-
frido uma renhida discussao, por causa de uns
arligos addltivosda couiinlsso, que quer pu-
char as brasas para sua sardonia. A cmara
approvou ludo etn segunda discussao, apezar
das raides com que foram elles combatidos,
por ludo quanlo
(icio construido no lempo de el
destinado para thesouro da can
co ou uin quarto desle velho
cupado pela secretarla do imi
nica parte bem conservada j
nunca foi de todo acabado neis
fora, e como esquecida pela
bivel Iinprerldencla do goverrlo
ili/eni que
il, jtlm ler-
llicla eraooa
. e era a
irtals que
liocajsjo por
hiconse-
iir mais se
porque vai como carnciro .
propocm as commissoes em aparente accordo
com o governo ; mas na terceira discussao des-
maocbuu parle da igrejiiha, approvando uma
aauseTdtios.queaigunsiaxaramderetroacr^ Veml"^minMTo'e ianiVa'
tivos, n3o deviam entender-so scno entro JJue parecenuc ou 0 ministro quiz iliudir a
lemlirava deslugar ediQfios paslitallaiei para
algumas repartieses, cluir este; ornis, digo era oceupado pela re-
partico das obras publicas, e por mullas fa-
milias pobres, ou a esse Ululo. Eram 10 ho-
ras de manlii, quando se manlfeston o incen-
dio, c cm poucas horas eslava Mido em clnxa.
8alvaram-se todos os papis de ambas as re-
partieres ; mas houve perdas de vida, e ou-
lras desgracas, segundo ouco neste momento.
O senador Montesuma despenado, quanto
.iiiiim, por haver o senado approvado por
grande malorla o projecto da estrada de ferro
entre esta cidade, ecerlos municipios de Mi-
nas c S. Paulo, propotuin projeclo autorlsan-
do o governo a mandar faser aos precisos exames
para uma eslra.la de ferro, ou esplnba dorcal
de ferro, que cortasse todo o Brazil de norte
a sul; e rice que propnnha este projecto pa-
ra mostrar s provincias do norte, que ellas
n.'. eram esquecidas pelos supremos poderes
do estado. O senado leve o bom senso de rejel-
i n esse projecto, e de nao gastar o tempo com
utopias. E comefleilo era suppor o norte lao
bronco, que rccebcssc como um carinho em
vex do ovos scorpioes. O norte precisa de
oulros beneficios mais reaes, e effecllvos. Es-
e quelhcdesejva Impingir o Sr. Monlesumi,
hade vir com o andar dos anuos, e esl reser-
vado para as geracoes vlndouras. Com que
capilaes se euipreheudcria essa obra ? Donde
comecaiiaella ? Se do sul, como era natural,
era um motivo de mil Intrigas, de mil ciu-
mes. ,
Finalmente chegou o conde, hnje marques
de Caxias com o seu estado maior delxando
oexcrclro todo /ecolhido ao territorio do im-
perio. Agora talvez leuha lugar o grande bai-
le que se preparava em Nllheroy para os trl-
iiinphns do Rio da Prata. Para isso escre-
veu-se inuitas cartas pedindo subscrlpfes,
..te eu... Olha boa romaria fas quetn esl
em sua casa em paz, nao facas agora comlgo
de D. Quizle, que se enfadava com os ada-
gios de cancho Pauta Mas como la dlzcndo :
at eu ful vilima j eslava uin da na casa, de
que tanto tenno-te fallado, com oulras umi-
tas pessoas, e els que entra o tal pelado dos
meus pecados arranjando a subscripto e com
ar de mofa alira-se amlm Padre meslre,
Sao Francisco pede esmola c d esmola : quan-
to d Vossa caridade. Oh .' que nao sei de no-
jo como o cont! E-fiel, e fui Ibc mostrando
o serfico cordao ; ielitmcntc acodiu com sua
coslumada generosidade o dono da casa, di-
zciiilu a qui niugucm fica mal, pelo irinao
Andre pago eu, e cnlrcgou logo vate mil rs.
Agradec, e sahl fazeodo volos de nao voltar
nula para me ufo encontrar com o maldito
pelado. Porein .piaulo custa a perder os
inos hbitos! Vollcl e torne! a voltar, meu
querido Liborio, at que o nosso serfico pa-
triarca me faca acontecer alguma, que me
faja goslar inais mais do meu convento.
Jul/io i.
O mundo vai de mala pelor! A honrada sa-
la em Huenos-Ayres.deu motivo a que o gover-
nadorc ministros dessem a sua demissao, que
el 11 iieii.,ii porm veio Urqusa com lorcas
dissolvcu a honrada sala, e prendeu algum dos
representantes. Se elle se fizer mole, perder
a sua obra. Buenos-Ayres, aberta a navegacao
dos rios, perde o monopolio do commcrclo cs-
irangeiro, c ha de cuslar a acommodar-se. Os
oulros estados ribeirinhos, urna ves adquirida
a vantagein do commercio direito, nao o hao
de querer perder em proveito de lluenos-Ay-
res, e por multo lempo essa queslao ha de agi-
lar all os espirito ; mas relo, que jamis o
monopolio vollar Bucnos-Ayres.
As princesas leem sido atacadas de Inter-
mitentes era Petronolis; o que deu mollvo a
que o imperador vietse tomar casa em Anda-
rahy, duas legoas distante desla corle, e lalvez
quarta-feira 7, ahi estrjaa familia imperial.
Iloje ein solemne piocisso, que correu al-
gumas ras, sabio o Sacramento da igreja da
Sania Casa para a capella do novo hospital, col-
locado no zimborio central desle magnifico
edificio. Esleve bonita a procissao, e i .. ..m
parte do prestito noventa e tamas recolhidas
da Misericordia vestidas de branco, luvas de
pellica, sapalos de seda, etc.
KstcJos Clemente Perelra tem qoeda para
estas obras, e receiam alguns que inorto elle
fique um vaslo difcil deencher, oulros porein
diiem queuo lia que reciar, por que se est
creando no desembargador Joo Antonio de
Miranda um snbsliluto salisfalorio. Mas qual!!
o Jos Clemente he o Petrus ioctinclis be o
n,un plus ulltra. I unen si ei elle cabendo-
Ihe uns vinlc contos de reis, devinlena como
icstaincntciro de uma miscravel D. Lniza,
que deixou seus benspara a Santa Caza, elle os-
cedeo ein beneficio, dizem da nova casa dos
expostos,: isto tem seu mrito; digo la o que
quizerem, chamem-lhe rolha quaniai veies
Ibes der na cabeca; o ceno he que elle nao
arrolbou os vtule contos.
9 Chegou hoje o vapor inglcz, e com
elle o baro da boa vista: mas vale larde do que
nunca, quanto mais que velo bem atempo
para a discussao das mais importantes leis das
forcas de mar, e trra, e do oicamcnto. E lindo
aqu por que amanha sabe o Paraence. Adeus.
nao le esqueoas nunca do
Ir. Andre.
Tinha pois de voltar a approvacao, assim
emendada a cmara dos s-nadores, o se ali os particulares, a mamita, pelo contrario,
tifio fosse aceita reunir-sa-hiam as duas ca- sustonlava que tambem devia coinprche.i-
maiasem assemblca geral, e por duas ler- der o governo, o a emendaorc;)arirti/a-
cas partes de votos dectJir-sc-liia a quostao "i = foi rejeitada por 12 contra II votos
definitivamente. Falta a esta le a sanccSo do senado.
Seja qual lor a decisSo do senado ou da Em sesso de 29 a cinara dos represen-
assemblca geral, os tratados csl3o approva- tantes sancciouou vanas leis l uma deltas
dos por ambas as cmaras. A questao do applica ospetialmonle nmorlizacao da di-
preatnbulo a iprovado pela cmara dos re- vida geral do Estado todas as torras e pro-
prestntantes lio puramente interna, em na- pnodades publicas, licando absolutamente
da alTecla a questao internacional. prohibida to la a alienacao dellas, e man-
Segundo algumas carias quo temos vis- dando proceder a uma mcdicao goral.
t, era opiniSo das pessoas mais bem infor-...............
maiias nue em asseuibla geral serta adopta- ..
,la a p, rovacao .ura o simples. f ao que a mesma cmara evo no da ----r--^ nci ,cm 0,Jlro moll.
lim Buonos-Ayres nao linha sido altera- 2 do co renta, para oceupar-so dos tratados n" como ii!cse bem mc lem.
'a I tranquillniado publica. Corriam boa- "" B,azl1. ^enjos debatos demos hon-
tos de desrdeos na cami anha a cm Coi-fien- !em auen"s u'n '.'T0 ""Clp.
que parece que ou o ministro q
coimnisso al o lim, para enlao fater cahlr as
emendas, ou realmente a discussao o csclare-
ceu alguma cousa, e por ahi se pode ver quau-
to he til no parlamento uma opposico consti-
tucional c cooscleociosa. Foi assim que ouvi
estar fallando na tal casa, que costumo fre-
quentar.
Grande discussao misturada com alguma ir-
i .i.i,, .ni lem causado a emenda que propunlia
que o recrulaucnlo fosse diatribuido pelas pro-
vincias na proporcao do numero dos seus de-
putados: essa emenda cabio hoje 28, quanto
sem nenhuma rasao plauslvel, porque me pa-
rece comer ella um grande fundo de rasao e de
juillca, ao menos para impedir, que cada um
ande a caprixo pedindo mais um, mais dous de-
RIO DE JANEIRO.
Reiwno da extracco dos premio ia V lote-
ra concedida para a conclwlo da igre'ta
matriz de S. oao fapli'ta da Lnija, extra-
hida em 7 de iitlho de 1852.
1 N. 3781...........20:000*000
foi muito
tesViaTacreilTlava^ importante. A minora com balen a i neo
destituidos de luoilan.e.ilo. venencia, e talvez o prejuizo que poderla
NSose conflroia noticia doler sido re- fearretar^o pa.z oprembulo proposlo pe-
vogada a ordem dada aos representantes pro- a commisso ; austentou que.approvado el-
viticiaes Mitre, Sarslicl I, l'oilela o Ortiz Vo- ". ,li, so poderiam trocir as ratilicacaes no
lez para sahircm do territorio da ConfcJe- termo marcado
ranfla Dous de'.los, os Srs. Prtela e Velez, A inaiona suslontoii o prembulo cnca-
estavamjaemM.i..teviilo no dia*. Os ou- ""' ? tambem a questao do principios,
" si i. i 11 l. -. i I, u i -. i'" mil ( :i n .1 ti i ni .1 i i'M i
iros eram esperados por aquellos das. Por lim foi saiicciouidi a o?inilo da com-
No dia 30 do cassa.o chegaiam a Buenos- missao especial por 13 votos contra 9
Avr.S os governadores do halla c Jujui, que A opiniSo, quanto a approv5ao do trata-
f pula grande distancia cm quo estn suas do de 15 de mato, era uniforme ; a uivor-
' provincias mo puderam rsslstiras confo- enca exista na clausula, na esperanca que
ronCIssdeS. Nicolao. Anirmava-se que ti- QOeria a maiona que constara, de inodili-
nham adncriJo ao accordo colebiado na- caedes ulteriores, mo obstante ter dito a
1 quella villa minora quo isso mesmo eslava ja estipula-
Corra de plano em liucnos-Ayres que os do no art. 3." dosso tratado,
governadores do S. Juan e de Tucuman ti- r-sle assumplo assim resolvllo importa
.0(1:0011/000 nbam sido de, ostos pelas respectivas assom- uma censura ao ministerio em uma ques-
toini.O'. oo biasprovinciaes einquanto so achavam ein em .ue linha empregado tempo o tino
u00tl#U00is. Sicolao. Ambos haviam silo Horneados para Taze-la ch.-gar a solucao que alcancou
sob a ofloencia do general llosas. Us seus coi 15 de maio. Talvez a pane da cmara
successores pertencom ao partido que sem- que eslava pejo prembulo modificase o seu
pro esteva ein opposico com o ex-diclador. JnlIO wo ministerio Uvosso sustentado .
I)zia-si tambem em lluenos-Ayres que sua obra, conjunctaroeiito com os doputa-
de Santa Fe oda Eutre-Rios saba m forcas dos quo eombatiam o prembulo, demotis-
47:isej000 para o norte do Buenos Ayres e para Cor- fanuo os compromissos am que tinha en-
ren tai irado desdo 13 do msio. N3osaouvio po-
Noseguinto extracto do rotrospecto on- rcm ali a voz do governo, e apenas por in-
contraro os leitorcs tudo o que lia de in- "l lenta conhoceu acamara a nota do poder
,"" ejecutivo ao senado submetter-llio o trata-
_ do. Essa nota merece ser conbacida Ei-la-
As duas grandes quesloes quo preoecupa- aqu :
ram os anftnos ha mezes, a dos tratados MONTEVIDEO, 3i DE MAIO DE isu.
com o Brasil o a linanceira, desappareceram P presdeme da repblica achou era exe-
2:000#000
2j:0ii/0oo
12:099/000
I0:620j000
3:049/000
bro, a ainbiso possoal. Tal provincia d, por
exemplo, ciuco deputados, mas tu, que teas
I1COI1- milita pressa de seres senador, e t suppcs no
caso de vir na lista, vaes, c propdes mais um
deputado, porque assim a la provincia, que
dava dous senadores, vem a dar tres, e eis-le
ahi cabalando para vires na lisia. Nao te quero
dizer o que por ahi houve na discussao de sul c
de norte, de inlegridade, e nao inlcgiidade do
Imperio, porque, como bem sabes, sempre fui
avesso a tacs dlscusses, e remelta-le para o
Joma/ do Commercio.
Diien que a febre aniarclla vai declinando:
diiem que a inferinidade do tenente general
Pinto Peixolo, que esl inclino, foram palpili-
ein do coraco, e do Ramiro, oulra mu difte-
30,__Oh! Meu querido Liborio, que bellas
tem estado estas duas noites! Nao que a la le-
nh.i sido to brilhante como l uesse bello palz
em que vives, porm o mais que se pdc ter no
Rio de Janeiro. O co nao apreseuta uma li-
geira nuvem, que prrliibc o ail puro e en-
cantador, a nao ter sido o fumo produzido pelo
logo dos n ii r iquclrus do campo de Sant'Anoa,
onde elles lem estado abarracados, como cos-
tumam, desde* diado Espirito Saoto.veudcndo
bugearias e peloticas ao bom povo Ilumnense.
O madamisron, como sempre, no tem perdido
vasa. Ha tres di.a tainbcjn que o magnifico no-
vo hospital da misericordia lem sido o chama-
riz de tudo oque ha de grande e .le pequeo
no Rio de Janeiro : foi bcu.ido aule-hoiiiem e
honlein aberlo aos visitantes. Hoje devem ter
passado para elle os doentes do velho pardiei-
ro : agoiro bem desla mudanza para mullos,
sen.i.i pan lodosos iufermos ; ares ainda puros
e casa que alegra ocoracao, sao quanto a iniii,
muilo mais valioso medicamento do qne tudo
diz de suas centesimas millonsimas parles a
I 2053...........I
1 a 3259 ...........
1 5573 ...........
6 37-53U-2579-3G12-3752I
5332............|
10 a 81- (M8--1274--242928001
4058d08J4601402857801
20 i. 137- .'105- 503- 747- 8981
1370I697--18(>4--I87t2i54l
2l40-3l3l"3-208-373-392l (
4O28-44I2-4707-4853 -5089'
60 s u 130 2i)4 232 255
472- 478- 574- 004- 078
680- 710- 73?1056Il61
1220-1421--I4G3-1554-I7UII
2022-202S-2078-5309--215H f
262-2061-2S30"2!l02-3ll:i3
3i.VJ-.36ou36il-.-3743-3758 '
3832-3928-39193950-41)11
4079-4511-4585 -46204658
474348314910-4996-5027
5106- 5172-537453955 422
516i-5620-.'i696-5702-5705
100 de..............
1800 de..............
0:000/000
400P/000
2000>U00
1:000/000
400/000
200/000
100/000
40/000
20/000
2000 premios.
O pagamento dos premios desla lotera prin-
cipia no sexla-feira 9 do correle, cm casa do
tlies,mu i i', Joao Pedro da Veiga, ra Quitan-
da n. 144. O cscrivo, Francisco de Atiir Ta-
ares.
(Jornal do Commercio.)
DIARIO DEMIIBDGO.
preteuclosa homceopathia.
Mas, oh! dor! O mal anda sempre paredes
rucias do bem. Hoje presencie! do alio .minen
P.ECIFE 22 DE Jfl.HO DE t^8.i2.
K-ntroQ hojo do sul o vapor IViraense, tra-
zendo-nos jomaos do lito do Janciio do 27
do passado at 12 do corrente, dallahiade
12 do corrente ale 19, o de Macei do 6
al 20.
Em ouiro lugar encontrarlo os loilores,
extrahidas do jornal do Commercio as parti-
cularidades dos importantes successos, que
liverain lugar em Uuenos-Ayres.
Ao que contem a carta do nosso corres-
pon lente, tambem exarada em lugar com-
petente, cabe-nos accrescentar o seguinte.
SS. HM. II. tinham regressado de Petropo-
rial.o linha aido igualmente, aceomtnttj(ja
no dia 37 do passado de um accesso de fe.
bre, que durou todo o dia, e renovou-S9
ainda por algumai va/es.
Terminou na cmara dos deputados, no
dia 9 do corrente, a terceira discusso 0,,
proJHCIoque marca novos ordenados aoso,.
nistroa de estado, presidentes de provincia
etc., sendo o mesmo approvado com i|g.
masemenJas. ICm seguida conlinuou ad5.
cussSo do orcamento da Justina.
Ho senado foi apresenlado, no dia 9 d0
corrente, pelo Sr. Hollanda Cavalcaoti, um
projecto para que so proceda ntreos ros
S. Francisco, Maranho o o Tocautins e a la.
titode de 10 e 15 graos sul, ao reconheci^
ment de'um terreno quo rena as necessi-
riHS condiccOes para a funda(9oda capital
do imperio.
No dia 5 approvou a mesma ca mira eui
segu! la ili.-cu.ss.il) um projecto do Sr. nlt
creando um ministerio publico no in.perio
para iotervir nos negocint e procesaos t
tninslrativos civis e criminaos.
o dia 28 do passado foi regeitado em pn.
meira discussSo o projecto sobre estradas de
ferro apresenlado peloSr. Monlezuma.
Conurmaram-se as noineacOes do Sr. con-
de de Caxias para marquez do mesmo i.
tulo ; do Sr. Carneiro l.eo para viscondeilu
Paran, com grandeza ; do Sr. I.impo de
Abren para tir.To-cruz da ordomde Chrlsto,
Foram mais condecorados ; o Sr. conss.
Incito Rodrigo de Souza Pinto com a digna-
taria da ordem da llosa ; o Sr. Or. Jos Ma-
ra da Silva Paranhos coma colimen la aa
mesma ord m ; o Sr. Carlos Pinto de P|.
gueiredo com o habito de cavslleito .
dita.
Foram Horneados, por decretos de 30 fc
passado, segundos ofliciaes da secretariad
estado dos negocios dafazenda es Incln .
Luiz Alvares de Azcvedo Mscedo, TiislSod)
Alencar Araripe, e los Pedro Wernek Ri-
beirode ARuilar.
O Sr. Juo Carlos Pereira Pinto foi nomea-
do cnsul geral do llrasil na Confederado
Argentina.
O Sr. Manuel Hureira de Cistro, cnsul
geral das republicss do Uraguay c parsguav
foi encarregado pelo governo desta ultima
de urna missSo especial junto ao nosso ^o-
verno.
Suicidou-se na corte, com um Uro de pis.
tola ao in.vi.I,i, o enligo corrector da-
quella praca Frederico Secretan, maior de
en niuns.
Pouco depois da chegaJa do vapor Seren
ao ftio foi preso um passagoiro chamido Do-
mingos Garca Pugas, por sus'ieita de impor-
tador de notas falsas. Sendo o inesmu in-
dividuo cnnduziilo a secretaria do polica,
em presenca do respectivo chefe, dou-se-Hi
uma rigorosa busca na bagagem e en sua
pessoa, porm nada se encotitrou. Tolnia
foi recolhido a casa de correcto, onde li-
cava eocommunicavel.
Lu-se no Diario do Rio Grande de juulio o
seguinto :
Escrevem de l'inlinim em data de 31 de
maio :
O mez de maio tem sido este anno asu-,
go para o municipio Piratinim.
Nodia primoiro fui assassinado XistoMe-
dina em Canguss.
a No dia 3 suicidou-se o velho Seralim
Ventura.
Erna noito de II para .1! -iiicnlnii-,..
na cadoia do Canguss' Jovino BeltrSo do
Ilorja, iodlgltldo assassinode Xisto.
.. Ilontem linalmenio, pelas 5 horas da
tarde, .Manuel Francisco l'edroso matou com
um Uro, dentro desta villa, a Jos Pruden-
cio l)utrqqueantns de ferido dera cinco (i-
cadas no sou contendor, sendo uma rooital
sobre ocstoinpgD, a qual tem do profutidi-
dade cinco pologadas
No dia 28 Jo passado nsufragou, na baria
dos r .i valeos, n brigue austraco CimleZr-
chi, capitao Mullico Capaitich.em viagem
do-Rio de Janeiro para a lialiia. O brigue
vmlia em lastro, ea tripulai;.1osalvou-su.
Lc-se no Mercantil dallatna do 13 do cor-
rente :
Sesuc ama.iiiSa para o Rio de Janeiro
no vapor Amazonas o Sr. general Jos Joa-
quim Coelho, commandantedas armas des-
ta provincia, afim de lomar assenlo nacauu-
teinputaria, como deputado supplcnte (or
l'e iiiiiIhiim, em lugar do Sr. conselheiro
Sebaslio do llego larros. Prospera via-
gem desojamos ao illuitre gcneral,e qoeom
brove seja restituido Babia, onde como
honrado, bravo e liel soldado lem adquirido
as mais vivas sympathias.
Durante a sua ausencia lica nocomman-
du das armas o Sr. brigadeiro Luiz da llan-
ca Pinto Garcoz.
A alfandega da Baha tinha rendido do I.
a 17 do corrente 162:775,576 rs.
O mesmo jornal em seu nutneio 17 noti-
cia o seguinte:
Ilontem foi sepultado na igreja de 8.
Francisco, com todas as nonias iseVldaaa
sua posigSo social, o Rvd. conogo I)r. Joa-
qun) de Almoida, desembargador da rels-
co metropolitana, pregador imperial, eia-
minador sinodal, oviario da freguezia de
\ossi Seniora da Victoria, a
Em Macei encerrou se no dia 26 do pas-
sado, a priincira sessSo da assembla pro-
vincial alagoana.
I.c-se no Tempo de 13 do corrente:
Ha presentemente na Lagc do Canlilo
uma febre opidemicacom carcter parti-
cularquo vai ceilando suas victimas, mes-
mo depois de algumas applicaces ministra-
das por pessoas curiosas; o seamos de tan-
to fundamento a informacao cxtrshida H
urna carta, quo abl deixan.os lal qual nos
foi iransmiltida.
Os doentes accommetlidosda febre rei-
nante apresnlamos symptoinasseguintcs:
deduxo fobro, dflr ce cabeca dr no
coratjAo, vmitos de materias biliosas, ma-
relias ou osverdinliadas, vmitos que se
i.iiii m rebeldes, tanto que os doentes nao
podem conservar no estomago alimento al-
gum, e diarrheade materias sanguinolei-
tas, que depois tomam a cor eaferdlnhaal
a doraeflo da enfermi lade he de 12 -
dias : leem sido accoinmettidos para mais
de 200 individuos; e leem morrido maisdi
vinte.
Correspondencia.
Senhor Rolector. At bem poneos dias
eslava convencido de quo quem allegav
era quem devia provar; que a quem all''
mava a existencia do um facto era, qu' cor-
ra a obrigaco de exhibir a sin prova, po-
rm dopois que li o artigo publicado na /
nrenia u. 15jdol9 lo corrento soba rubri-
ca de Crrelo da Provincia ja vejo que
aquello principio cabio em desuzo, e lemos
cou?,a nova.
Com elleito Pois eu quo neg, qu" "
livessemdado os fados publicidos pe --
Imprenta como acontecidos na freguezn
do Poco da Panoli,.isto lie ; que ahi se cooi-
mettam frequentes furtos o roubos; quo os
objectos furtadoa sejam depositsdos m um
dos sitios do Sr. Nuno Mara do Senas
Casa-Forte ; que exista na freguein uma
quadrilba organisada, queso tivesse ten-
tado roubar a uma mulher moradora tm-
bem na Casa-Forte uma certa somma que
ella hsvia tirado na lotera etc., como lina"
2:000/000 rrdi COD,o iodos sabem, terminou com o ajus- "' ';,'" a's Xvid.i, ,,e b.vi.n, sobr cTuvcnto um.'caiastiophc maie lasii.uosa, doj,^ 0 ..navam-se no Andarahv pequeo, I publicado a mprensa em outro numerei.n
4-nAuinno 'e de 13 de maio e com a celobracao no da cxeiiulbllidade desappareceram felixmen- ,'que a do teatro de S. Pedro Je Alcaiura o 0ndo se demorarlo por algumas semanas terior ; eu que aguarda va a prova ue
t'ooooou 15, do tratado de molilicaco do limites; e ,c por um accordo amigavel. e pela mediado no passado, porque houve desgracas. que nao. | a(j comp|elo a convalecenca das Se- faltos positivos, serei quom ova pro
n'iniiia(liil) a segunda com o pedido que fez o governo e.pontanea e olciosa do eoverno encarrega- bouveram enuo. .... .... renissimas princezas, pois que S. A. a Se-, que elles nunca existiram i Isto naco
u.unoiuiiu ... ,.Jro,rlluro ,,ir,riar a nntrar a/ ,1a. nlarei exteriores da conlederaco Abano do nosso convenio ha urna ra cna ---- ni,i;. A| ,?, k h,. I minea viata. O Sr. Mrr Mor do CorrVO
100:01 W|0U0
a segunda com o peutuu que ir. o^utuinu espontanea e oiuciosa uo governo encarrega- ""i-;--------- hl ...,,. ., ci... i renissimas princesas, pois que 9. a. a se- qun enos uuu. .. uiinm.
issemhla goral para o autorisar a entrar do dat relajees eiieriores da conlederarao Abaivo J ""."'," ;,lui :iadeedi-i nliora Leopoldina foi, como S. A. topo-' nunca vista. O Sr. escriptor do
em ajustes com os credores do Estado. argentina. imaaauuaiuai ,
em ajustes


JWWg

.

Mlustralocomo he (pelo dedo se conhece o
ricaste),lem 8,bo> 1ue era elle 1ueln esl,vi
Jo rigoroso dcver de provar os fcto, que
referi do indicar s pessoas, que tem sof-
frido osses furto* ou roubos; de mencionar
as que virara os objectos furhdos serem
depositados no tal sitip.de nomear essa nu-
llier, que tiroudinheiro na lotera etc, E
nosta occasio direi, que as chavos de am-
bos os sitios, que oSr. NpjflO possue D* Ca-
sa-forte, acham-se em poder do Sr. Joo de
ginll Monica Lima, Inspector do terceiro
qusrloiro, que foi comeado pelo fallecido
Jlo Ignacio llibeiro Roma, oom quom ser-
vio c qua no pode ser averbido de suspei-
(.'olleasaevera, qua tena hiilo omitas ve-
jes'ios mencionados sitios, que esto sua
guarda, tanto antes como depois da publica-
ro fnita pela Imprima, e nunca descobrioo
nieoor vestigio do quaahise guardissem
ou dcpositaisem os objectos uenuncia-
Acoirclads produzids pelo Ilustrado es-
criptor do Comi exigindo de mioi a
pruva do que neg, bem revela a sua edil-
es posicSo, e a sua fdlta absoluta de recur-
sos para provar o que dice ; porm o meu
pasmo subi de ponto, quando o vi trazer
para profi dos fados acontec Jos ua Casa-
Knrle a historia de tcr sido assassina.lo
facadas, noitido 8. Joo, um pobre homom
cm uma planta de capim da outra banda do
no Coi assassinado um hornera do ou~
Iro lado do rio : o'go esta provado, que na
Casi-fortese cornniettem furtos e roubos !
Se o Sr. escriptor do Comi no quer
que a historia desseassassinato timbera no
pas-o de urna historia, publique o nome
desse infeliz, sua morada, S"us signses ca-
ractersticos, quom o fez enterrar, o onde
ol sepultado, pois islo dev) constar e n0o
pO le ser olijecto de segredo : alen disto de-
cl ire a parage-.n corla, em que esse IMMti-
nalo leve lugar ; pois que perleucer.do o
nutro lado do Capibaribe, naquella altura,
.1 freguezia da Varzea, e apenas fazetrJu
parlo da freguezia do Poco urna poquena
nesga, que comprehende o sitio do Sr. I)r.
Alvaro RarbalhoUchoa Cavalcanti, o do fal
lecidoRoma.eodo Sr. Miia, nos quaes so
arham as unirs plaiitac,OcS de capim, que,
segundo me consla, peitencem ao Poto, he
claro que n3o leudo o faci succeJido era
algum desles sitios, que alias teria silo in-
dicado, MDlO em um destricto diverso, no
pJeser por clles responsavel a polica do
poco i e se o Sr. escriptor do Correio
no sabe positivamente ond o fado succe-
"8eu como qur por ello rosponsabilisar a
polica desU freguezia o no a di Vaizea T
A prudencia e o amor da venale aconselha-
v.ini, que estas circunstancias fossetn pre
viaim utocsamuadas.
Mas su i ha o Sr. escriptor do Correio ,
que anda ilesla vez o sou amigo, lalvez
mal iuformado, o enganou; e que seme-
Ihantc assassinato nunca tevo lugar. No-
nhuina pessoa da freguezia do poco tem
seicncia do tal homicidio ; eo proprjo os-
crivo da subdelegacia,o Sr, Jeronymo Frei
redo tana l'edrosa,quo lambem no he sus
peito, assevera,quo lendo-se informado des-
se fado, veio aoconhecimento de que elle
era inteiramcnte falso.
lie vrrdade, que no Pojo no ha destaca-
mento ; porcm.que culpa Disto tem o mu
digno e liorna :n sobdelegade, que o tem
tantasvezos exigido 1 Feliz,Denlo essa falta
na ctualidade no lera sido muito seiisrvel
K em resposla ao que acerca do mesoio sub-
delegado disse n Sr. escriptor doCorreio
soincnte direi que elle mora em um lugar
liein publico, e que urna s vez anda no
i ilion a sua presen;* onde fosse precisa.
Senhor Redactor, posto que por prolisso
rsteja habituado aspolcmicas do foro, d-
lo.-1 i todava as dos jornaes ; porque rulo
gui do jogar as armas que Jo ordinario
ncllos so ompregam ; mus o amor da verda -
do dio i.iin; o nesla bem contra a minha
vontado;eo publico decidua do que lado
es a a nsfio o a ver lado.
Sim,f u appello para a conscirncia publi-
ca, c para a dos habitantes daquella fregue-
zia ; mas para que est"S i o-- m duvida-
mente julgar-nos, cunipi i >, que o Sr. es
criplor do = Correio = declarasse o nome
desse amigo que Ihc tem leito tos revela
cOes.
Termino agradecendo cordialmenle ao
Ilustra lo Sr. escriptor do --Correio a ttr-
'mnidade e corleiiu com quo mo trata, o a
i -i i. raco.cni que diz ler o meu nome; e
ileclarolhe, que ello a nuda mo da direito, c
i|uesa verdade moda o direito do expn-
mir-me como sempro costumo.
Sirva-se, Senhor Redactor, de darainda
lugar era suas paginas a catas linhas; pois
1 iive/. no mais contioue a incommo-
a-lo.
Sou scu attoulo venerador.
.!. J. de oran $:!ta.
Recife 21 .le Jll.Il i, de IV.,:.
Art. 16. Tambem aera feriado o da de
agoato, da de Sanio-Allbnso, padroeiro do
collegio.
Art. 17. Ol alumno do co|lefeio fario acui
tianit! na academia, depoii de vencldaa aa
materias do casino.
Recife, 5 dejunho de 1852.
Affoiuo Joi di Oliveira.
Em vlrtude do art. 4Sdo rcgularacnlo de 11
de malo do anno prximo paando, approvo oa
preaentes estatuios, lrectoria geral da Ina-
truccao publica, 11 de Julho de i.'.'-',
Miguel do Sacramtnt0 Lope Gama.
Director eral Interino da lnilruccao P.
COMMERCIO.
Raneo de Pernambuco.
Os descontos da semana quo decorre de
5
Deseja-se saber com urgencia a certe-
za.se anda existe Rosa alaria de Lima, ca-
sada com o portuguez Joflo Francisco Furta-
ALFANIIEC.A.
Rend menta do da 1 a SI. .
dem do dia 22......
.206:032,258
. 4:877,748
210:910,006
Desearreaam hoje 23 de julho.
Brigue escuna brasileiro -- Gracioea mer-
cadoriaa.
Polaca brssileira ~ Santissima Trindaie
merendonas.
lmporlacao.
(oil.'lila brasilcira SS. Trindlde, viuda do
Rio de Janeiro, consignada a Francisco Al-
ves da Cunta, manifestou o seguinte :
I caixa o 2 caixotes me'cadorias diversas,
12 barra salitre, 5 barricas e 7 caixas dro-
gas, 5 caixOeg chapeos, 2S0 caixas sabio,
I e 1/2 barrica eb-i suecas caf, ISI jacales
batatas, 1 caixote rap, I caixo mercado-
has, 188 rolos fumo, 4 vasos plantas; a
ordeni.
I cabrilha, 48 harris plvora, 23 caixOea
o 10 fardos armamento e tiutros objec'os
militares; dilpOfiflflO do Exm Sr. presi-
dente da provincia.
l ii'-i do manifest.
1 burro ; a Arsnnio Fortunato da Silva.
CONSULAUOtiKRAL.
Rendimentodo dia 1 a 21. .27:841,410
dem do da 23........ 439,257
88:280,667
Quemlprerisar de ama ama de boa con-
ducta, para ctsa estrangeira : annuncie.
Serafim Alves da Rocha Bastos e Jos
comprarara ao senbor
Moreira Puntes, a sua luja de
ra da Cadeia n. 17.
cou-ie a ensioar meninos. Teveella u ir- Desappareceu de uma tenda de sspaloi-
mo de nome Florentino Velloso Mootelro ro as Cinco Ponas, um menino, pardo, de
Accioly Rolim de sloura da Fonseca, e foraii idade de 6 a 7 annos, em camisa, e chinellos
moradores em Nazareth, Cabo de Santo A- nos ps, o qoal tem dous denles faltos na
gostinho : quem dola souher e der noticia frente, e leve sarampo ha poucosdias, por
se podera entender na ra do Vigario, casa cujo motivo tem o cabello rolado; descon-
" lia-so que est oceulto por pessoa que o
Precisa-se de uma ama forra ou capti- quer reduzir a escravido, sendo ello livre
va, para o servico de uma casa de pouca fa- desde o berfo : quem delle soubcr queira
milla, que compre e cosinhe bem ; na ra dar parte na ra dos Assouguinhos n. 1.
Nova n. 5, loja.
19 a 24 de inlh, so os de seis por oento ao "' Portuguez Joo Francisco Furia- SeriOm Alves d,
anno para as letras a vencer at o flm de ou- > lh' 1"e'0'd ??rd,,?,a?' "* M"ia Loarenco da Cru ,
tubroie para as a vencer at seis mezas do d '"e Jos Velloso Muntoiro, braoco. Aplomo Jos Moreira
oito por cenloao anno. (soltelro, que dando baixa desoldado appli- miudezas, sita na rui
Companhia de Beberibe.
A administrarlo da companhia do Bebe-
ribe contrata com quera mais der e raelho-
res garantas olferecor, a cobranca da tacha
do 20 ris por balde d'agoa,vendido no< cha-
farizes ; acceila propnstas para o contrato
de toda a arrecadaejio, ou de cada um dos
bairros da cidade; as quaes devem ser en-
tregues om carta fechada no escriptorioda Nova n. 5, loja. O ahaixo assignado, embarcando boje
companhia ateo ultimo do correnlo mez, e a|*n dxar-se-ha o contralo no dia quesera an- aa o ur^llanoel Joaquim Fernandos Ei- 9 de seu inlerosse, no pode deixar de agra-
nunciado no principio do mez futuro.
O director, Joo Pinto de l.emos
Pola segunda secfo da mesa do con'
sulado provincial se faz publico, que dn da
2 do em rent- mez se principia a cobrar o
imposto de 20 por cento do oonsumo d.-is
agoas-ardenles de prodcelo brasileira do
egundo semestre do anuo Huanceiro de
1851 a 1852.
O arsenal dn marinha admitte seis pri-
meiros officiaes do ctrpiua, pirilos no seu
trabalho, nssim cuno oitocanteirosou can-
tos; os individuos que cstiverem nestas
circumstancias comparecam na secretaria
para tratnrnm com o senhor inspector.__
decera todos os scus amigos quo se digna
ram obsequia-lo.para poder levar a effeito a
-- Por engao sabio o annuncin que se
venda rapHeuron na ra da Cadeia do Re-
cife n. 15 a l,i 00 rs. a libia,e a 560 rs. nielas
libras, fcandu de hoje em diante a 1,120 a
560, e 20 rs. a oitava.
Aluga-se o to'ceiro andar da casa da
ra do Queimado n. 9: a tratar na loja.
-- Precisa-se de uma raulher para vender
fazeridi sem companhia de uma prela, pa-
gando-se 10,000 rs. mcnsaes.e que d fiador
a sua conducta : na ra Velha n. 39.
Eu abaixo assignado, declaro terdis-
solvido a socielade que tinha com o senhor
Antonio Rodrigues Costa Campos no arma-
zem do carne secca que girava debaixo da
lirma de Magallies & Campos fleando o
abaixo assignado responsavel pelo activo s
passivo.
Manoril Rodrigues Costa MagalhSss.
O i ir. Joo Jos Pinto, tendo necessida-
de de rorar-se por algum lempo para
DIVERSAS PROVINCIAS
Rondimentododia 1 a 21 .1:155,262
dem do dia 22.......
Avisos martimos.___
Vendse a barcada denominarla Flu-
minense, quecarrega vinte equatro oaixas
regulares, com todo os perlences, e capaz
de viajar-, os pretndanles dirijam-se para
examina-l*, no Forte do Mallo,o para tratar
na ra da Cadeia do Recife, armazem n. 62
Cara o ltio de Janeiro.
O brigue escuna nacional Olin-
da, seguc no dia 3i do corrntc ,
recebe caga e escra vos afrete, of-
ferecendo a estes o melhor agasa-
llio possivel: trata-se com os con-
signatarios Machado & Pinheiro
M,6W n-f|ia j0 vgario n. 19, segun-
1:204,925'do andar, ou com o capilao M. Al.
Exoortae-mo l'erreira, napraca.
Aracaty, hiato nacional xhalaco, do' ^f 0R10 do Janeiro sahe com mu.la
37 toneladas, conduzio o seguinte: brev.dade, t. patacho brasilero Rolla Anm-
3 c.ixas chapeos, 10 ditas-passas, 4 ditas ta, anida podo rcceber alguns passageiros e
canolli, 2 fardos cravo, 10 barricas bolaxi-
nhas, 19 cnxas erva-doce, 25 garrafes, 6
caixas niatsas, 25 barricas farinlia dn trigo,
I barril chouricas, I barrica graxa, 14 bar-
ra vinho, 4 caixas espingardas, 9 pipas
vinho. 50 volumes Pendas e miudezas, 4 com a |Iia01. brevidade possivel ,
caixas garrafas de vinho, 4 barricas nxa- '
das, 252 barras de ferro, 34 cunhotes lorra- O pal 11 lio nacin I Valentc, ca-
oseravos a Ircle: trata-se com o consigna-
tario Hanoel Alves Guerra Jnior, na ra rio
Trapiche n. 14, oucom ocapitoManocl Jo-
s de Seiiua Martns, na p 1 : >
Para o Rio 3e Janeiro sabe
gens, 5 caixas papel, 2 ditas couros de lus- p,ijj0 francisco Nicolao de Aran-
tro, 4 Icrnos do condoca, 2 saccas cravo, F .
4 cmasiras alhos, so caixas sabio. O- para carga, passageiros e es-
iasce- cravosa frete, trata-se com o mes-
236 857 mo ^apitSo, na prac do (Jommer-
recerf.doria de rendas internas CE- cravosa fretfi, trata-se com o mes-
RAES HE PERNAMBUCO.
Rendimento do dia 22.....
CONSULADO PROVINCIAL.
Rendimento do di'i 22 ,
ci, ou com os consignatarios No-
jj)' vaes & Companhia na ra do
Trapichen. 34-
Para o Rio de Janeiro sabe
rom a matar brevidade possivel, o
brigue nacional RO Ave, capitao
Movimcato do porto.
Navios entrados no dia 22.
Camaragibe 21 horas, hiale brasileiro No-
vo Deslino, ilo 21 toneladas, mesire Es-
tevio Ribeiro, equipagom 3, carga assu- Jjas Jos Alves: para carga, pus-
car; a JosuManoel Martiiis. Passageiros, *
Jos Joaquim do itego, Mmoei dosPassos sageiros e escravos a I rete, trata-
Llns, Pedro Jos dn Mello, Jos Aloxandre se com o mesmo capitao, na praca
da Silva, Thoniaz Comes do Almeida, c2 ..
escravos a entregar. "o Lomuiercio, ou com os con-
signatarios Novaes &c Companhia,
na ra do Trapiche n. 34-
Para Lisboa sahe no : rimen n do agosto
o biigue portuguez l.aia do que he capilo
Jos Jo Alo cu ; para o resto da carga ou pas
ras, relirando-sa para o Rio de Janei- )
V ro, despede-se de todas aquellas pes- i
soas de sua araizade.que por falta de sua viagerh, o no s a estes como a todos 'Lisboa em coosequ'encia dse torera' exacor-
H tempo no ple faze-lo pessoalmen-9 se olforece para cumprir assuas ordens na-lbado seus antigos padecimenlos, e no Ihe
* te, eolTeicce os scus prestimos na- a quelle lugar, onde lera de se demorar por asado possivol em razilodoscu ostado, des-
quella corte. <# poueo lempo. ipedir-se do todos os seus amigos o faz pelo
9-Jt*S9999Jm9B9m Eduardo Firmino da Si la. I presente annuncio, ofTereceodo alli o seu di-
Precisa-se alujar uma prela quesaiba .- Joo Francisco iavier Pies Barreto.ro- minuto preslimo.
vender e que sejadiligente e fiel; quem ti- ga a qnalquer pssoa quo tiver recebido ou' Aluga-se o primeiro andar de um so-
ver annuncio ou dirija-se a ra da Soledade receber alguma carta para elle viuda do Rio lirado om Fra de Porlas,prompto e aceiado:
n. 42. ou na travessa da Trempe n 9. ou de oulra provincia, o obsequio do man- a fallar na mesma ra, venda n. 86.
A possoa quehontem rteixou poresque- da-la entregar ao senhor Gustavo Jos do Miguel Luiz Duarte Amaral, subdito
cimento na pra?a da Independencia n. 6 e8, Reg, na ra da Aurora. portuguez, retira-so para fra da provincia,
um emhrulho cora metal amarello.quetra ir Desappareceu no dia 21 de junho da Jos da Vivciros Benevi les subdito
busca lo. casa do abaixo assignado, um escravo, ere- porlugue.rctira-se para fflra da provincia.
~ Desappareceu no dia 19 docorrente um oulo, do nome Domingos', le idado de 25 a Precisa-se alugar uma escrava, quo
escravo de nome Filippe, creoulo, com es- 28 annos; estatura regular, secco do corpo, saiba fazer lodo o servico do uma caa do
pocie do caboclo, cabello grosso e alguma cr fula, cara regular, som barba, ps pe- pouca familia; sendo de agrado paga-s
cousa crespo, de idade 30 annos; estatura quonos e apalhelados, pernas finas, levando bem: dofronto do theatro de S. Francis-
regular, nariz chato, pouca barba, diaden- vestido calca de algodosinho branco,cam- con 8.
tido, n ln'ii'ii de cima pequeo, o nutro sa do mesmo par.no, chapeo de palha, e por Aluga-se o terceiro andar e solio da
maior,feic8s feias.tcm uma cicatriz em uma t maior signal ho rendido do uma venilla, e casa n. 7 da ra da moeda.com muitos cont-
orna de um coice de cavallo ; levou, ca-;suppOe-se quo o dito fugira para o engenho modoso bem fresca : a tratar no segundo
misado nlgodosinlio liso, calca de dito llrejo ou llhitas, por ser Bino doste lugar, e andar da mesma casa,
trancado azul, e chapeo do palha ; Foi visto he bem fallante; por issoroga-se as autorl- Dos Dsp5e.
jara do capturaren!, o levare* a seu senhor Acau l,e he"r 'lo "io Janeiro- tradu"
Kraocisco da Rocha, morador na cidade do 'l'0 ein, POrt""W. excellente romance de
Rro-Formoso, ou ..osla prSa ao abaixo as- Alexandre Dum.s.que tem por t.tulo.Ueos
sigilado, morador na ra Nova n. 58, que
s.'r generosamente recompensado.
Joo da Rocha Wanderlcy Lins.
Casa de commissao de escravos.
$a ra Direta, sobrado de 3 an-
lares, delrontedo beccodeS. Pe-
no Afogado : roga-se pelo presente asauto-jdades policiaes e captes de campo que .'m-
ridades civis e militares.capilcs decampo.
Publicado a pedido.
hSTATI'TOS
Do colltgio Sanio Afronto.
Dirigido pelo abaixo assignadu professor jul>i-
lao nacadeira de geographla e historia do
Ijccu do recife.
Art. I. O >-ollfgio-SAMO-AFFO>SO tem
por liin ainslruccao ila uiocidade.
Arl. 2. Melle ensinar-ac-nSo os mcsnioa prc-
paraiorios que no collcgio dai arica do curao
juridico.
Art. 3. Para o ensino3as respectivas malc-
naa serao nomcados j roicssoies de reconhe-
cldo mrito.
Arl. t. OCollegio recebe pensionitas, ineio
pcDSlODlalaa, c alumnos catemos.
Art. 5. Os ]u iisiioii-i.i. pagarlo 2 ne o-a..-, sernprc adientados; os meio-pensio-
nistas 17/urio ra. e oa externos, de latiin,
i-......r., c dos outros prrparaloitos ^OOOra.
Art. ti. O Cullegio nao d roupa lavada, nem
ruigoiiiada, c aquelles que a quitereni receber
(lidie, pagaro mais 5000 ra.
Art* 7. Os pensionistas tero, regularmente,
por alinoco, cha ou caf prelo, pao torrado c
uanteiga ao jamar, sopa, coaldo, assado c
blltf, doce ou Ilutas do tempu; c cela o
meiino que 110 alilo: havendo feijoada a
pio.i n feiras, c mo de vaca aos domingos.
Os meios-pensloniatas tero o mesmo trata-
nento na parle que Ibeadiz reapello.
Arl. 8, O Collegio tambem Har luzes de vc-
la |)ara o eatudo nolte, e banbo aos alumnos
ai quartai c aabadoa.
An. As despezaa com molestias, e outraa
niiprcvisias acro por coma dos paes dos alum-
nos.
Art, 10. N.iiilniio pensionista ou meio pen-
>"innta ser conservado no collegio delvando
,! pagar as suaa inensalfdadea, segundo o
ritabrlecldo no arl. 5, e bem asjlni ser des-
pedido aquelle alumno de qual quer elasse que
,l'J>. que deutro em tre inciea. se mostrar
'"apto para o aprendizado, ou de inn proce-
liiiiciitn reprehensivel e Incorregivel.
Arl. II. o alluiimo, urna vez matriculado,
-' :.i siij, un ao pagamento de suas uieusa-
hdades, e o collegio nao admillc deiconto al-
gum aob qual quer pretexto que seja. O mez
principiado cmende-se vencido para aeu paga-
mento.
Art. 12. Cada pensionista (rara aeu baln
cun roupa suflicienle de uso, cama de valo,
"peino, pinna e teanura de unhaa, cscova de
"tnlca e de fado, baca de rollo.
Art. 13. Pieinlium penaionlata poder aablr
u.pi i- accompanbdo por pessoa de sua con-
liaofa.
Art. il. o Collegio trabalhar todos os das
utciidemanha e urde.
Art. 16, Sao feriados no collegio, alem dos
!' ongos e das santos, os tres dlaa de entru-
"o al a quarla feira de cinza inclusive; de
'l'iarta-felra de Irevaa al a ultima oitava de
paichoa; e oa das 25 de marco, 7 de septem-
uro, e 2 de dezembro, e de 2o de dezembro al
0 de Janeiro de cada auno.
Rio Grande do Sol 22 dias patacho bn-
.-il oro D os deMarco, de 109 toneladas ,
capito Izidorio Ssrrao, cquipagem 10,
carga 5830 arrobas de carne secca; a Bal-
thar & Oliveira.
Rio de Janeiro e portes intermedies 10
dias, vapor hrasilcirol'aracnse, de 200 to- sageiros, trala-sc com o inesmo c*pnoo_ns
noladss, conimandanle o capito de fra-
gata Cosa percira, cquipagem 30. Traz
a scu bordo, para esta provincia, capito
M o" I Lopes Maciel, Hiplito Cassiano
Pamplona Y. Alcxandre, Juam Caime,
Jos Heme, Jos Antonio de Miran la o 1
lilho menor, EJuardo Fcrreira Raltar, D.
Clara .Maria Wanderlcy, Dr. Rodrigo Net-
to Ferineniano de Moracs e I escravo, pa-
dre Cetulio Vespaniano Augusto da Cos-
pi iic..i ou abordo, ou com os seus consigna-
tarios.
-- Para o Aracaly segu em poucos dias o
hiale Ligeiro; para o resto da carga trata-se
na i ii i do Vigario n. 5.
I'ara a Babia
Sahe com a presteza do costumo a velei-
ra ej bem condecida escuna brasileira Ade
laide : quem nella quizer carregar, queira
dirigir-se a ra da Cadeia do Recite n. 23,
la, Antonio Ribeiro de liz Teixeira com ou a do Trapicho Novo n. 16, segundo au-
sua senhora o 1 filho menor, Jos Joa- jar.
quim do UVeira, 0 1 soldado do dicimo *mmmmmmmmmmmmm**^tmmmm^mmmmm
batalho; para o Cear,2 ex-soldados pa-
ra o Maranho.Cezar Augusto Sudr Vidi-
"2 c cx-soldado ; psrt O Ptra ocr: "----------------------------------------------------
viuda armada Jos Maria da Costa Pi- -- Por ordem do senhor doulor juiz mu-
montel, despenseiro da dita Francisco de nicipal supplenle da segunda vara do civel
Paula Tolentino. primeiro tenenle da ar- e do commorcio, sa fara leilo, a requeri-
Leilao.
tilliaria Tiburcio Hilario da Silva Tava-
res e 1 ex-soldado.
Terra Nova ~ 35 dias, brigue ingloz Mnry
Il'iunsell, de 18* toneladas, capito Da-
niel l.o Page, cquipagem lo, carga 2134
barricas do bacalhao ; a N. O. Bieber ct
Companhia.
Navio sahiih no mesmo dia.
Southamplon e portos internadlos vapor
inglez Scvern, comimndante Chapman.
I.cva a *eu bordo, II
ment dos adiiilnistradores da massa falli-
da de Marcelino Jos Ribeiro, o por inter-
medio do ag 'lite Oliveira, de to las as forra-
gens, miudezas, e de nlgumas fazendas das
lujas de dita massa, sitas na ra do Quei-
iii.i o. ns. *9 o 65, em um ou mais lotes,
vontade dos pretendentes: sabbado, 24 do
correte, as 10 horas da manha, as indi-
cadas lujas.
O currclor Miguel Caruoiro, far leilo
Ir. Pavion, J. M. Ilor- no dia sexlaleira 23 do corronlo, as 10 ho-
;e, J. V. da Azevedo, J. J. Pinto, SI. C. S. ras da nianliaa, no sen armazem na ra do
C. Monteiro, Frederico Voule, com sua se- Trapicho n. 38, do varias mobilias, proprias
nhora, 1 fillia o 1 criada.
EjDITAEH.
Pela inspectora da alfandega so faz
publico, que no dia 26 do correte, depois
do :n- i.> dia, se ho de arrematar em has-
ta publica, i porta da reparlico, 38 cha-
pos de sol cobertos do sala, no valor do
266.000; o 20 libras desabnete, novator
do 30,000 rs., aprehendidos pelos oscrip-
turarios por aectescimo ao manifest do
brigue sueco Franklira, sendo a arrendata-
rio livre de direitos ao asrematante.
Alfandega de Poruambuco 22 do julho de
1852.O inspector interino, Bcnto Jos Fer-
nandos Barros.
para sala, gabinete, quarlos, sala de jamar,
cosinha, ele. ; assiiu como um balcu o uma
carteira do amarcllo, propria para quslquur
estibelucimenlo,ricos cortinados com guar-
nieres domadas para sala; lOUCS, vinos,
candieiros, quadros com estampas sendo em
papel, panno, chapa de metal e outros mui-
tos objectos : e ao meio dia om poni ir a
leilo urra porco de sil refinado.
Avisos diversos.
-- OITercco-se um homom quo d fiador a
sua conducta para correio particular, abrir
viveiros, valados, camhas etc. : quem de
, sou presumo se quizer ulilisar annuncie
| pur este Diario.
-- Precisa-se do um caixeiro portuguez de
112 a 18 annos de i I ole, para caixeiro de
uma venda : na praca ua Roa-Vista n. 5.
-- No dia 21 do corronlo desappareceu do
j aterro da Roa-Vista um cachorro inglez to-
Do ordomdo sonlior doutor juiz do di-,do amarello alnzalo, orolhas cortadas c
roito interino, presidente do tribunal do ju- muito manso : quem delle der noticia ou lo-
Deciaracoes.
ry, so faz publico, que do dia 27 do corren-
te om diante, devero apresentar-sc para
responder a Chimada diaria do mesmo tri-
bunal todos os reos allianeados, cujos pro-
cesaos teem de ser julgados na presento ses-
sfo.
-- O arsenal do marinha compra mil .-li-
qenes de cal pr< la do Itamarac, poslos do
lado da ciare grande em uma das rampas do
mesmo arsenal, duzentas folhas de cobre de
forro de dezaseis oncas, dez arrobas do cola
da Rahia, dez arrobas de algodo era rama,
scno de segunda soite, equatro caneas om
estado pcrfeilo.que possara pegar cada uma
na carga de dez toneladas ioglezas para
mais, sendo estas construidas de madelra de
lei; as peasoas que taes objectos liverem de-
vero apresentar as suaa propostas om car-
tas fechadas, e as competentes amostras na
secretaria da inspeccilo do mesmo arsenal,
no dia 23 do crrante ao meio da, devend j
va-loa ra do Crespn. 17, sera gratifi-
cado.
Pedc-se ao IIIm. Sr. fiscal da freguezia
de S. Jos, o favor do mandar que o dono la
casa que volla do largo da Ribeira pira a
ra de S. Jos, faca a calcada no oito da
mesma casa, porque no he possivel transi-
tar por alli, em consequencia da muita agua
o lana quo so junta no mesmo lugar, c bem
sabe S. S. quo os moradores das casas das
tres quinas, fon m obrigadus a levantaras
calcadas, pura ofloreenrom cominodo aspes-
soas que por all morara, c passam : assioi
Ihe pedo o Incnmmodado.
O senhor Francisco Jos Vianna, mora-
dor no Arraial, queira vir pagar a quantia
que me deve dos alugueis da casa em que
morou, do contrario se publicar lodo o ne-
gocio Joaquim Concalves Rasto*.
Aancmat*o dos beus annunciados
por cxecuc.oes da fazonda provincial annun-
as canoas serem upresantadas m frente do ciados, tcr o lugar liojo na audiencia is ho-
arsenal, afirn de serem examinadas. *ris do costumo.
ouqualquer pessoa do povo, a captura do
mesmo, sendo conduzido a ra do Collegio
n. 16, quo ser gratificado.
O agente Antunes faz sciente ao res-
peitavel publico, que mudouasui rasado
le I Os para a ra do Trapiche armazem n.
14, pnr.baixo do escriptorio do senhor Sla-
nool Alves Guerra Jnior.
A pessoa que diz precisar fallar ao
abaixo assignado, na roa do l.ivramento n
4, fique sabendo que a sua morada he na
ra dn Solcda te, ondeo pode procurar.
Manoel Man" le da Silva Costa.
'Precisa-se arrendar um sitio porto da
praca, que Icnha cacimba e commodi .ades
para tres vaccas de Me, anda quo a casa
nao seja limito ho i,;o eloi nolo-se na F.slrada
Nova ou Luca : na tua de Dorias n. 40; on-
do tambem se vende um moinho prompto
para muer milho.
Cavallo fgido.
Sabbado, 17 do correnle, desappareceu do
sitio do abaixo assignado, na Punte de U-
cha, um cavallo russo pedrez, facca, e bai-
lante selado, cora uma blido n'um olno :
quom o livcr adiado queira entroga-lo no
mesmo sitio, ou no Recife, ni ra do Amo-
nto n. 35.J. J. Tasso Junior.
O abaixo assigna lo declara ao senhor
Alevn.I- mo Cczardc Mello, arrematante do
disimo do capim da cmara de Olinda, que
deixou de ven ler capim des le o primeiro
do correnle mez.Jos da Caca Torres.
Alluga-se urna salla com um quarto,
no segundo andar do sobrado n. 22, ua ra
das Aguas-Verdes; a tratar no inesmo.
Fugio no dia 21 do corrento, o preto
JOO, de ida lo a vanea la, lie baiXO 6 grOS-
so, tem pomas arquea las e os ps foios, he
vagaroso quando an la, cosluma trazer as
caltas regaijadas; levnu chapeo da palha ve-
Iho o roupa azul: no mesmo da fugio um
molequo do nome Luiz, cor fulla e bonita
ligura, l udo no lado direito do rosto um
tilho in lelevel, do uma queda; lem olhos
vivse* bastante espertos, ps poquonos; le-
vou camisa de riscado e caifa do.list'as; ho
muito astucioso, pois qua j'commetteu
igual criino o iliudio lgumas pessoas com
o titulo de ser livro; he natural do Cara-
nhuns: porlanto, roga-.ic a todas as auto
lidades, capules de campo e a qualquer
pessoa que os pegar do os levar na ra Di-
reta ii. 76 ou 78, venda d^ Joaquim Anlu-
nes da Silva, ou no deposito de assucar de
Jos Francisco de Lima, quo serio genero-
samente recompensados.
Ba do Collogio n. 9
Lotera do llio de Janeiro,
0.11: o(in.non T
15.' lotera da Caridade.
Pelo vapor inglez Serrn, sabido do Rio
de Janeiro cm 16 docoirente, receberam-
se bilhete e cautelas desta lotera, cuja nu
me acau no muito sympatiiica.
Do eogenho Cocal, freguezia de Una,
fugio no fin de de/embio passado o oscia-
vo Valentim, creoulo fula, com alucio de
sapsteiro, de boa estatura, ps apalhotados,
secco do corpo, ollios brancos, cora ida
pouco mais 011 menos do 28 annnos: osle
escravo foi comprado ao Sr. Salguciro, da
cida le do Olinda, he de inferir quo se 011-
contre pola Casa-Forte, onde existe a mai
do referido negro, ou em Olinda, mata de S.
Rento at llcbnibc : roga-so, pois, s auto-
ridades poliolael c capiles de campo a cap
tura do mencionado escravo, pudendo con-
duzi-lo an dito engonho cima, ou nestn
prec,a a entregar a Virissimo Antonio da
Cruz Soares, quo recompensar generosa-
mente lodo esse Irabalho.
OITerece-se uma mulher do i lado me-
d 1, sem vicios nem achaques, para servic>
de casa de liomcni soltciro ou casado sem
peosfio de enancas, a qual sahe cosinliar
um ludo, e faz massis o docos; e tambem
entende do cosinha estrangeira : quem a
pretender dirija-se a rus da Guia donlro do
liento, Casi n. 7.
-- Troca-so um bom cabriulet usado,mui-
to manoiro.e cora lodos os seus apparelhos,
por um piano forte, embora usado, mrs iju-
seja bom : u quem convier este negocio fal-
le cora o dono da loja do chapeos de sol, no
aterro da Roa-Vista u. 22. Na dita luja ha
um globo ou can licro baixo pequeo o
moderno, novo traste o bonito para ulunnar
una si|.i; o qual ha para ven ler.
O abaixo assignado, vendo um annun-
cio no Echo Pernanibucano de 20 do corren-
to, sob a ei.ygrapho nolicias da. patria
emprasa tea aulor, a provar uma nica das
a.-sercOes que levo a bandado de dirigir-lho,
o assignar scu nome ; se o no lizer flcara
(ido como, o mais infame o vil calumniapor.
Gabriel Antonio do Castro Quinlaes.
-- O alia i vi. assinnado faz publico que ten-
do alugado no d'a 17 do corrento um caval-
lo.com condi^o do voltar no mesmo dia, so
senhor Antonio Francisco ue Alm, esto at
o presento no mais Ihe aapareccu com dito
cavallo, quo pelo presento pedo seja resti-
tuido por aquelle seuhor com o aluguel, e
mais o que deo causa,sob pena do proceder-
so cootra olle, com todo o rigor das lois co-
mo protesta.
Mano. I Tavircs de Aquino.
Est justa a compra da casa n. 4, sita
na rui da Alegra, com o senhor Francisco
Ribeiro de Brito: se ha algum embanco
uiesina, appareca por este Diario no praso
de tres das, indos os quaes ser passadi a
escriplura.
Roga-sc io reverendo Sr. Joo Henri-
que da Silva, o obzeguo de se dirigir i ra
da Praia O8, Rita casa n. I, afirn de tritur
a negocio de scu inleresso.
Dispfle, vende-se na livraiia da praca da In-
dependencia n, u os, a 8,000rs. constando
de 6 volunte*.
Compras.
Compra-so cm segunda mo, a novella
i i' J.l.- ..... i intitulada moreninha: oa rui das Cruzos a.
dro n. i, recebe-n-se escr.ivos de 18 |orceiro ,nJlir
iinlni os sexos, pitra se venderem Compra-so uma preta que soja moga o
de eon.mis.So, nao se levando por JglttttSSEStiEtU
esse trabalho mais do que i por dir quem ompra.
cento, esem se levar cousa alguma ** ru "> Sonzalla Velhs, Jofroote do
' v | Sr. M unos, pintor, comprara-so todas as
de comedonas; olterecentlo-se pa- quaiidados de ferros veltios ometaesdeto-
ra isto toda a segur-anca precisa dasasqualdades, assim como ourelosde
... pannos finos, casimiras e todas asquali-
para OS ditos escravos. uaues do n-mlambos, qua servirem pira fa-
Precisa-se de uma ama forra, para uma zer papel; assim como cabos velaos, lo-
casi estrangeira i.e pouca familia : na ra as, ect.
da Aurora n 8, segundo indar. Compra-so uma tnobilia em bom csta-
Precisa-se de um foilor pin engonho: do : quem tiver annuncie.
quem esliver nestas circunstancias, din- .. Compra-so pennas decaa em grande
ja-so a ra do Livramento n. 20. pcqueua porco : na praca da liidepondott-
Precisa-so do 500,000 rs. a premio, cora ,-,., n. ib
seguranca om um pre lio : a quera esto ne- .. Compra-se um oscravo mogo o robus-
gocio convier, dirija-se atrs da matriz de to, o quo seja de botis coslumcs ; pigi-se
S. Antonion. 11, que l so dir quom pre- bem; na ra do Amorira n. 41, segundo
cisa. andar.
-O abaixo assignado, tendo dado prin- Compram-so couros de lustro a 24,000
cipio ao inventaro do seu casal pelo fallo- rs. a du-zia : quem livor annuncio para ser
cimento .le sua mulher I). Leopoldina Emi- procurado.
lia de Sloraes Cisnciro, no juizo do or.ihos -. Compram-so escravos do ambos os ss-
desta cidade, avisa a todos osseus credores xos, de bonitas figuras, de 10 a 25 annos,
para quo comparecam no mesmo juio jus- tanto para s provincia como para fra, pa-
lilicar sous preditos, afirn de na partilha se gam-so bem : ni ra da Cacimba n. II, on-
separarcm bons para o seu pagamento.-Luiz j0 morou o finado vigario do Recife.
Pires Ferreira. Compra-se toda a qualidade de metal
Lotera de N.Senhora do Rozario. velho na ra Nova dofronto da Conceico
\ rodus desta lotera andam,"
no dia ai) do correnle, o rc.ito dos
muirles estao a venda nos lugares
do costume.
Uma pessoa residente em um primeiro
andar, no uielnor local da ra cslreilado
Rozario, com duas salas, ilcova o quarto,
quintal e ba cacimba, pagando 12,000 rs
Vendas.
VonJe-so 1 nmrqucza do amarello nov;
na ra da Cadeia n. 3.
Vende-se sement de coentro a 100 rs.
garrafa-: na ra da Trompe n. 5. Na mes-
meusaes, troca esta moradVa por uina casa nu casa lambem se vendo um bcrco do an-
lerroa, na Camboa do Carmo, pateo do di-
to, principio da ra de 11 irlas e ra das Cru-
zos, cuja casa tenha quintal e cacimba, e
no exceda o seu aluguel de 10,000 rs.
quem convier este negocio, annuncie.
U cautelista ialustiano de
Aquino Ferreira, avisa ao respai-
lare! publico, que vendeu em vi-
gsimos o premio de 10:000,000
de rs.,em o n. 1166 da lotera a fa-
vor do lio. pitai le 8. redro de Al-
cntara da cidade de Goyaz, e pa-
ga em continente logo que receber
as listas que deve boje chegar
pelo vapor da companhia brasilei-
ra, ou pelo vapor inglez Severn '
os premios sao pagos, na praca da
Independencia n. i3 e i5, loja tic
calcado do Arantes e na rua da
Cadeia do Recife n. /i6, loja de
miudezas de Jos Fortunato dos
Santos l'orto.
Tomem nota pira no esquec ir.
Por falla do cravos no se deixa de casar,
mast os das antes "0*1 dovo cnconimcndar
na essa n.70 da Soledade ; o ple encontrar
lambem bonitos ps de sipolis para plan-
tar.
O tonento cncarregado da medievo o
dO'..arca(o los terrenos de marinha, con-
vida aj senhor Manoel Alves Cuorra Jnior,
para comparecer na casa de sua residencia,
na 1 o.1 Direiti n. 78, alim dse Ihe marcar
o di i, em quo lem do assistr a medico do
terreno, que llio foi c.incodido por afora-
manto, no Ii uno da lina-Vista, cm fronte ao
quartel do Hospicio.
Precisa-so alugar 1:111 sobrado de um
andar ou um sogundo.quc tenha solio o que
seja no blirro do Santo Antonio; quem li-
ver alnum desoecupado ou na-a seuesoecu-
pr, dirija-se a rua da Ordem Terceira do S.
Kraucisco n. C, ou no Manguinho, casa junto
a padaria do senhor. Lapa.
gico em bom estado.
Vende-so uma negra de 13 a 14 annos :
na rua do Collcgio n. 10.
Von le-se uma escrava, parda, por que-
rer s.T vendida, do idado de 20 annos, com
muita hatiilidalo: quom a quizer venha
tratar com seu senhor no segundo andar do
sobrado junio da 1 groja dos Martirios, sendo
o primeiro andar do varanda de ferro, pin-
tada de encarnado.
Vende-so um borro novo, o de boa ri-
ca na COOheiri da rua da loo entina
-- Vende-se cha hysson muito novo o o
mais superior quo ha no mercado, por preco
o 1 n nodo,o em 1 oles a vontido dos compra-
dores : na escriptorio de Matheus Austin &
Companhia, na rua do Trapiche n. 36.
-- Vende-se o verddeiro rap Paulo 'or-
deiro, pelo preco de 1,440 rs.: na pra?i di
lu lo, endnela, loja do miudezas n, 5.
Sentido! 3;; A iie ao p do liozazio
de Santo Antonio.
Quem le mnndou esto doce. Perguntava
em uma mesa um hospedo a seu amigo ; de
tantos amigos, ainda nonhum mo mandn,
que se compare com este, Ihe tornou o ami-
go, om abono da verdadu que s ainda o sa-
lioriei igual a esle, comprado ao J. i. Men-
dos da Silva n. 39 A da rua cstreita do Ro-
zario ; amigo, satisfazei o appetite que este
l foi comprado j tambem por me o lerem
informado. Carlssimos loitores.sendoo hos-
pede meu amigo,commtinicou-mo o que re-
lato icima, o ou para que o rospoitavol pu-
blico possa apreem a boa qualidade o dar
crdito a sinceridade com que Ihe filio, os
convido a quo venham antes que so acabe,
jun'miente a muilo acreditada l'olacrnu/ a
de araruta,biscoitinlios,fatiis, e nutras mui-
ta* quaiidados, como sojam amendoas con-
feitadas na Ierra,bolinhos fnncezes e amen-
doas finas de coros, lulo por commodo pre
cu, como he de costume no 39 A.
Fazeuda da moda.
Vondem-se superiores cortes de cimbran
le salpioos brancos do cor, pelo diminuto
prego de 3,500 rs.: ni rua do Crespo, loja
n. 6.
Vendo-so na rua do Pillar n. 113, uma
preta de na cao, propria para o malo ou al-
gum ongenho, por ser reforjada.
-- Vende-so efectivamente cal preta e
branca muito fina, assim como vende-se o
cortase vi'Iros de tod.s is dimensOos: ns
rua do Arago n. 8.
vende-so uma escrava do naci, moca,
do bonita figura, sem vicios nem achaques,
ptimo cosinhnira, enpomma leira, e ludo o
mais ten i 'lito an servico do urna casi; a
tratar na roa do Arago n. 10.
Vonde->o madapolo com uma poquo-
na avaria, muito largo, a 3,200 o 3,500 rs. a
peca ; na na do Queimado n 23.
-- Vendem-se doze cadoiras do asseoto de
palhinlia, uma cama de armaco, tres ban-
quinhas, um armario ja usado em bom es-
tado, por o dono ter de retirar-se ; tudo por
75,000 rs ; lambem se vende cada objeelo do
per si: na rua do Arago n. 12.
-- Veudo-eoualuga-si um escravo mui-
to fiel, sera vicios nem achaques : a tratar
na rua do Vigario n, 29, armazem.
Vendem se catecismos roma-
nos, conforme o decreto do conci-
lio tridentino m.mil ido publicar
pelo S. S. Padre S. Po V., e ver-
tido em lingoa vulgar, pelo reve-
len lo Domingos Lopes da Costa e
Cruz : na loja da rua do Crespo
n. 33, de Joaquim Ferreira Ra-
mos, c na rua do Kncantamento ar-
mazem n. 11 : adverte-se que o
preco dos cncadernados he de
a,5o rs. e dos de brochura
3,000 rs.
Vende-se vinho de champa-
nhe legitimo e de superior quali-
dade : em casa de J. Kelfer &
Companl*'* na rua da Cruz n.
i


Vloinhos de vento
com bombes de repuxo pan regrar hurtas
o beixesdcceptm na fundicSodo D. \V. Bow-
inamne ra do ltrura na.6,8 o 10.
CHA l'KTO
Vende-se superior cha preto,
em caixas de 3o libras cada urna :
enicasadeJ- J. Tasso Jnior, na
ra do Amorim n. 35.
% **t^*s' **?*'!'!f'"r "*';?
ARAUS AMERICANOS.
a- Vcndem-se arados ame- 4
0 ri canos, chegados dos Esta- t
dos Unidos, pelo barato pre-
j 90 de 40,000 rs. cadaum: na
*, ra do Trapiclie n. 8. *.
**f *#*** **********
farinha de trigo
SSSF.
s- Fontana.
No armasen de J. J. Tasso J-
nior, na ra do Amorim n. 35.
Deposito de cal e potassa.
No armazem da ra da Cadeia
do Recite n. 12, lia muito supe-
rior cal de Lisboa, em pedra, as-
sim como potassa cbcgada ltima-
mente, a precos muito rasoaveis.
Armazem de vinbos.
Na ruada Senzalla Velba n. 48,
vcndem-se vinhos de Lisboa e Fi-
gueira, dos mais superiores que ha
no mercado pelo diminuto preco
de aoo c a4 rs- a garrafa, e 1 r5oo
a 1,80o rs. a caada : para confir-
mar d-se a provar, e para ver da-
se a beber ; he baratiulio, a elle
freguezes que lie bom vinho.
Deposito de cal virgem.
Cunta & Amorim, na ra da Cadeia do
Recite, n. 50, veude-se barris com supe-
rior cal 0111 podra, cliegada pelo ultimo
navio de Lisboa, por menos preto do que
em outra qualqner parle?
L'otassa americana.
No antigo deposito da cadeia velba, n.
12 oxlste- urna pequea porc3o de potassa
americana, cliegada reccnlciiieiite quopor
superior rivalisa com adaltussia: vnde-
se por proco razoavel.
Agencia de Edvvin Maw.
Vi r iia moDlSt Coinpaubia, acha-se conaianteinenie
bous oortiinenloe de talxa de ferro coadoe
balido, lano rasa como fundas, moendasin-
ciraa todas de ferro para aninaes, agoa, ele ,
ditas para armar em madeira de todos os ta-
nianhos c madelloa o mais moderno, machina
borilODUl para vapor, com iotfa de 4 caval-
los, coucos, passadeiras de ferro estanliado
para casa de pulgar, por menos prejo que os
derobre, eacovena para navios, ferro inglez
lauto em barrascoino em arcos folhas, etudo
por barato nrero.
'-* familia de mandioca
Vende-se, por preto rasoavcl, la- ^g
1. rinba do 8. Matheus a mais nova ^.
;> quo existe no.sto morcado : nn ra ;> da Cruz n. 3i, delronte da l.ingoela. <;
AMA&Mii.)%& AAAAAAAA
AGENCIA
da fundicao Low-Moor.
RA DA SENZALLA NOVA N. 42;
Ncste estabelccimenlo conli-
11 1.1 a haver um completo sorti-
inciilo de moendas o meias moen-
das para engenho, machinas de
vapor, e taixas de ferro batido e
coado, de todos os tamaitos, pa-
ta do.
A iao rs. cada um.
Na ra do Queimado h. 3. defronte do
lieceo do Peixe-Frilo, vende-so lcncinbns
de caubraia pintados, para mfioi de.sonho-
ras, pelo baratissimo preto de sds vintens
cada um.
~ Vondom-sc os verdadeiros selins in-
glezos, palonte, de molla e sem ella : na
ra da Senzalla Nova 11. 42.
Vuiie'sc Qaijip lCVo, Vtiiua ui-
tiinanienlc de Lisboa : na ra da Cruz 11.
46, defronte do Sr. Ilr. Cosme.
Vendcm-se relogios de ou-
10 eprta, patente inglez : na ra
Ja Senzalla Nova n. /12.
\rados de ferro.
Na'uudicaoda Aurora, em S. Amaro,
vendem-se eradosdeferrode diversos mo-
delos.
Deposito de panno de algodao da
febrica Todos os Santos da Ba-
nhia.
Vende-se por preco commodo
0 bem conhecido panno de algo-
dao desta fabrica ; em pessa, a
vontade do comprador no escrip-
torio de Novaes** Companhia, na
ra do Trapichen. 34.
Venom-so asseguintes sementes :
nabns.rabanos.rabanetesencarnadose bran-
cos, sebola, couvo Irinxuda alface ala-
ma, repulhuda.cbeoria, senoulas, feijao
carrapato de tres qualidedes, ervilha torta e
lircila, fava, coonlro de touccita, alca, to-
mates grandes, repolho, couve lombarda,
sabois, e muslarda : na ra da Cruz n. 46,
defrouie do Sr. doulor Cosme.
Com toque de mofo.
Na ra do Crespo loja da esquina que vol-
11 para a cadeia,vende-se cbitas escuras com
pequeo toque de mofo a 5.500 rs. a peto.eo
1 mv.mI 1 a 160 rs.
a 280 rs. o covado
Hel'rnntn do beeso do Peixc-Frito, loja n.
3, vende-se alpaca de algodao pelo btalo
preco de qualorze vintens o covado; esta
fazeuda torna-so recouiinendavel nflo s
rara vestidos de senliora, como taoibem
para palitos e casacas de liumem.
Tulxm pora engenho
Na fundicao de ferro de D.
W. Bowman na ra do tirum,
passando o chafariz contina a
liaver um completo sortimento
de taixas de ferro fundido e ba-
tido, de 3 a 8 palmos de bocea,
as quaes acham-se a venda por
preco commodo e com prompti-
dao,' erabarcam-se, ou carregam-
se em carros, sem despezas ao com-
prador.
A a,o rs. o covado.
Defronte do becco do Peixe Frito, loja n.
3, vonde-se cassa chita, cOres fixaa, de lin-
dos padroes, pelo barato preco de dze vin-
tens o covado j bem como chitas baratas
e outras, fazendas mais.
Veridem-seamarrosdeferro: na "ia da
Senzalla Nova n. 42.
1>. lio-no da lubrica le Todos os
Santos na Italila.
Vende-se,emeasa deN. O.ltieborA ('..,
na ra da Cruz n. 4, algodao transado -
quellarabrica.muitoproprioparasaccosde
assucsrcroupadeescravos.pnrprecocom-
modu.
Vendom-se lonas, brinzSo, biin
meias lonas da Russla ; no armazem de .
O. Bleber & Companhia, na ra da Crui
a. A.
Na ra do Crespo, loja n. 5, vendom-
se corles de meia-casimira de pura ISa, e
gostosmuito bonitos, pelomod.co preco de
2,560 rs. o corte; brim pardo de linho, su-
perior fazenda, a 640 rs. avara.
Algodao para loupa de escravos.
Vende-se algo dSo muito encorpado, pro-
priopararoupa de escravos, com pequeo
toque de avaria, a 140 rs. a jarda ; dito
liuipo a 180 rs. : na ra do Crespo n. 5.
Sortimentos de panos tinos e case-
miras de todas as qualidades
.4
XCIDADEDF.PAIIN.
Kua do Lollegio n. 4-
J. Falque, dono da fabrica cima mencio-
nada, participa an respeitavel publico de
arnambuco, e principalmente a seus fre-
rfuezes, que elle recebeu pelos ltimos na-
vios, vindos da Fronte, um grande e rico
lorlitnento dos mclhores chapeos do sol de
seda, quetem vinrto a esta preta, pioprios
paraa estacAo do invern, e parasenhores
de engenho, por serem muito fortes ; sor-
tmenlo de chapeos de sol de seda de dille-
rentes qualidades de 5,000 rs. para cima,
lindo sortimento do chapeos de sol de seda
para senboras, de lodos os feitios e tama-
nbos, quo vende multo emeonta ; ditos de
panno para meninos de 1,500 a 3,000 rs.; di-
tos para homem de ferro e de balea de
2,000 rs. para cima ; ditos de junco de 1,500
rs. para cima; grande c escolhidosoitimeo-
lo de chamelotes, sedase pannos em peca,
Para latoeiros e funileiros. t Elixir tnico
Vendo-sena ra Nuva n. 38, defronte da I witi-llciiiiiatiro,
CoDceicaocailinbosden. laten. 40 a 120 \peio Sr r. ui||ie, medico da facol-lade
rs o numero are.a de moldar, tbezouras de ,,,rjs memhro de varias sociedades
grandes, minio boas, vidro. para vidrata, dj im nacioolies coino ertrin.
tant,. em ea>a como a ret.lho. muito bar.- ?.,... ca|heiro da real ordem da Lo-
tos, oleo de linhaca, tezouras pequeas, mo
las pura esporas, rozetas para as ditas, ver-
111/ copal, folha de liendres om caixa, o e
relalho mais barato do que em outra qttsl-
quer parte.
Folha de fia nd res.
Vendo-se folha do liendres de toJas es
qualidades e grossuras, tanto em porcSo
como om retalbo, por proco muito raroavol:
na ra Nova, loja de ferragens n. 6 de Va-
lentim da Silva & Companhia ; e tembom se
compra cobre e latao velho.
Desenlio.
Vende-se tinta de differentes coros muito
fina.creOes, pepel do superior qnalidade,
formato grende, no peleo do Collegio, loja
n. 6 de J0S0 da Costa ourado.
~ Vonde-se nma prela moca boa lavadei-
ra c vendedeira de ra, he em conta, porque
seu senhor quo he preto da Co.vta se disgos-
tou dola por a mesme o n8o querer servir:
na 1111 -larga do Rozerio o. 35.
-- Vende-se um Ierro de fazer hostias.
geirss
gi.'i" de I Inlii a (VC.
(upont, pbarmaceutico, em Paris,
ra Tiquetonne 11. 14. )
O nico deposito vordadeiro deste elixir
he estabelecido pelo meemo autor na botica
do Sr. Jos da Hocha Haranhos, ra Direita
n. 88, em Pernambuco.
O elixir anti-fleugmatico he esencial-
mente tnico, reanima o principio vital e
di ivnv.-i as lii"as, destaca os humores vis-
cosos, os precipita em baixo, aviva o ape-
tite e fortifica o estomago.
Pde-so administrar na maistenra infan-
cia como na velhice; nada he mais doce
que o seu cffeito: funde, dissnlve os hu-
mores e Ihes d sahida sem alguma agita-
CSo, sem suspendor as occupacOes, nem
mudar os hbitos : se pode tomer deste cfli-
cezmente urna colher dcmenhSa em jejum,
particularmente no invern e nos tempos
hmidos.
Os asthmaticos, gotosos, hydropicos,
squelles cuja* fibra he molle, licam setis
---1 II 11 t-17 U 1(1 IDIIU <*\J |I(CI lino (.tas t F e
obra superior, por preco commodo : no' ltos,d?n9eu. uso} bem como os que sof-
pesseio Public, loja n. 11. I '?em leinuxSo caterrel do pe.to, ezedumes
OOyOQ000<3QGQOOOOOd0 cs,tom80, syncopes e palpitacOes do
yvvvvvwvyvvvvvY coraeSn. en ira. emninrran. palarrn da ho-
Na ra do Crespo loja da esquina que vci- j p(ra corjr|r armacoes servidas, belcias de
te para a cadeia,vende-sc panos finos prelos i()jas,8 larguras e tamanhos, para vestidos
e 2,800, 3,200,3,500,4,000, 5,000 rs., erran- e espartillios perasenhore; fazem-se um-
cez muito superior a 6,000 rs., o covado, 01- mUu para igreja; concerta-sc toda e qual-
to verde a 2,800 rs. diloa.ul a 2,880. 3,500, qUBr qua|jdadede chapos de sol, ludo por
4,000 o covado, corles de calca i!e csenme muito menos preQo do que em outra quel-
preta enfestado a 5,000 e 6,000 rs., dita fran- qUer prl0_ Vende-se em porcllo e a reta-
coza elstica a 8,000, 9,000 e 10,000 o corle, )ho No mesmo eslabelecimento ache-se
e outras muitas fazendes por preco com- um |,onllo SOrtimeiilo de bengalas,
modo. (l virgem.
Cortes de brim de puro linho. Vende-secal de Lisboa a mais nova do
Na ra do Crespo luje da esquina que vol- mer(.au0 na rua do Vigario n. 19, primei-
te peree cadeia, vende-se corles de calce de ,ani),ri escriptorio deT. de Aquino Fonseca
brim de quadros, e listras de puro linho a ^ p,\fIO ouna rua jo Trapiche, amazem de
1,280 e2,000 rs.,diloinlclro pardo e 1.280e Anton0 Augusto da Fonseca,
2,000 rs. o corle, riscado do linho do lislra ^. ja|,os fei,os> _fi=1
720 rs. o corte. |llonro p A* N "ua Nosa n- 26 lem Pra vender-ge
Cambraias de salpico bionco e oe pa|jtosde ,,anno verde 0 preto muito bem
cor, lencos de cambreia de teitos, e mais barato do que em outra qual-
, quer parte; a clles Bntes que seecabem.
Na"ruado Crespo loja da esquina que vol- Tudo sao pechinclias.
te para acadeia, vende-se corlesde cambreie Vendem-ae chitas linas a 120,140.160,180. um Jb sorlirri;',0- ,, ruupas (eil^' IsiticacOes.osaccidentes que poderlam ac.11-
de salpico bratico a 4.0CO rs., duodo cora e900rsf^fUf^ SJS'Ef'* paiz evindasde Inglaterra da ulti na moda, tecer, e arr.star a cobica dos falsificadores,
4,500 rs., lencos de cambreia del.nho a oOO 5,500. f.,500, e 7,000 rs.; eblUs pin cober-1 Jg qMM M veode||0 p,,, ,odo| u| precos o publico he prevenido que cede garrafa
e GUU rs fi'i'i um ; la de cor tiX a juu fs. ; cortes de cjiiqa to
HOeudna superiores. ,brim do cora l.OOO e 1,200 rs. com trese
O na praca da Independencia n. 17. g < ""merar.
flflOO 3QGO0 OOOaSOQOO Este. medicamento salutnr tem produzdo
y v j.. m nV. l 1. M ma s fevoraveis efTeitos nos casos, para
-VendMaoiM muei e linda'"? I ..m dizer, desesperados. Desta rte.
parda, de 18 annos de dede s.dla e rece- rf f proscripto por lodos os
jada, propr 1 pera muc.mbe : na rua do med|cos i|luflrr e os successos quotidia-
Queimado, loja 1. 39. uog oblem> ,an,0 em pr- como nog
Igual pechincha nunca se vio a!p8iles estrangeiros, formem o Belbor elo-
l4o rs. O covado .' t> QU8 deslo possa fezer-se, o a prova deslo
Vendem-se chitas escarales muito finas he f.r"e "l'a a"e este m.ravilhoso
de ramagens para cobertas a 110 rs cada remedio tem tido nes provincias do Brasil,
um covado : na rua do Crespo n. 14, loja i principalmente na Baha e Uto .le Janeiro,
de Jos Erancisco ias onde ,,a tanl'?,' us_lIt?les..m,e "'
- Vendc-se urna preta de meior idede.i *VI!,Y CSsfc.NCiAl..
muito servicel: quem quizor dirija-so e rua tDeve-se emente inteira confianca s gar-
do Aragfio n 9 i':|,IIS auc ll'rl" uma maree que leve a tirma
-Joao'lion'ne'llyinglez.comlojadealfaiate,?0'11""". etnelhante aquella queseveeai
neruadaCedeiedoRecifon. 16,eehe-se com |balxo-. bmlim, pare evitar o pcrlgo dasfal-
Tachas de ferro.
Na fundicao da Aurora em Santo Amaro
e tambem no deposito na rua do Hrum \0
na entrada, e defronte do arsenal de niari.
nba ha sempre um grande sortimento ^
tachas tanto de febrica nacional como.
trangeire, batidas, fundidas, grandes, ne"
quenas, rezas efundes; e em smbosos|n!
geresexisten) guindastes, pera carregarea!
noaa ou cerros, llivres de despeze : os precni
sao os mei) commodos. *
Vonde-se pera a praca ou mesmo par,
o mato utia boa escrava creoule muito sa.
dia, bOa lavndeira cuten le de cosinha, e >i-
est propria pare o servico de algum ,..,.'.
nho; as pessoas que a quizerem comprj
poderlo dirigir-.se a rua de S. Ih r,s, n
46, e ao comprador se dir o motivo porqu
se vende.

Escravos fgidos.
Starrc Companhia, imeio covados, corles do afamado ganibreSo
1 1 1 1 1 > 1 1 1 1 1 1 > 1 1 .... 1 ...... t......... r*-"*
deveseracompatllladad^lnlainstruccaoim-|cPlur(lull,lVS,^,,vu'.iuem.op'ea, lc,
pressa que iudica a meueire de empregar!8 rua N.ov obrado n. 58, primeno sudar
este medicamento, compilado peloSr. Guil- *><"> ser8 bem recompensado
lie com a sua firma, e impreso 0111 Pars por 100,000 rs. d' gratificacao.
Desappareceu no dia 7 do tnaio prjimo
aos&Companhia vcndem-se ptimos es- fa./eI)|)as por preeos extraordinariamente
pelbos, com moldura, e sem ella, chegados
ltimamente da Franca, por preco dimi-
nuto.
Farinha de mandioca a 1,600 rs. a
sacca.
Noerniazemdc J. J. Tesso Jnior : na rua
do Amorim n. 35.
Toda attencSoao barateiro !
Rua do Crespo 11. i4, loja de Jos
Francisco Das
Existo um delicado sortimento do inissi-
quacs se venJorflo por lo los us precos
dinhoiro.
Na rua da Cadeia do Kecifc n. 16, exis-
te viudo de Inglaterra de prximo urna pur-
CIo do palitos, calcas 6 Colote!de todas as
qualidades de fazendas e goslos modernos. j Sr- Goetschy; carecieres cssenciaes para
-- Vrnde-se um pcato creoulo, muito bom V''" a fraudo. _______ __
pescador : na rua do Queimado n.3l, loja ??V??Wf Vtfff f V v 5 %
de ferragens. |* Deposito de tecidos da labri-JI
-- No esctplorio do abeixo assignado, na ,* __ m %_____c._- s
rua da Cruz do Itecife n. 52, primein, an-!"> ca de Tortos os an'S, j
dar, existe uma grande quanlidade dos maisi ? na Baha. 2
linos charutos de S. Flix, vindos pela escu- p. vende-se em casa do Domingos \\-m
na Adelaide a presos rasoaveis. omm-'^ Tes Matheus, na rua da Cruz do Re-f
Brim trancado de puro linho a J20 gos a ves Matheus. i cife n. 52, primeiro andar, algodao*
-Vende-se urna casa terrea na rua do Pa- ;> iransadodequcllefebrice, muilopro-^
dreFloneno, no becco lepado decime 34 11. r> pro pera saceos e roupa He cscra-^
8. com pequeo quintal: quem a pretender i* V()s> ;s8mcoll)010 proprio pera re-^
des de poseer e pevios para vellas,
baratos: na loja da estrella de rua do (}uei-
mado n. 7, confronte ao becco do- l'eixe
Frito.
rs. o covado
, Na rua do Crespo loja da esquina que vol-
ita para cadea vondo-se brin trancado par-
do de linho puro a 320 rs. o covado.
Chita para coberta, cor lixe a
2oo rcis covado.
comprar, procure ao senhor ThomazdeA- 5?
quino fonseca, na rua do V.garlo, que est ^ por proco muito commodo.
eu.ons.do a vender por commodo preco. ^MMA*. ^V 4AM*4*
fia rua do Cruspo.loja da esquina que vol
ta para a Cadeia, vende-se dula para cobcr- da, um carro de mo, ume mese grande pro-
-'"v "'" ..^....-v -w..........----.......--- ,ld para a *,aueia, vi-iinr-sc unan para euuur- ---------------------'----------------------,
simas chiles do cores com salpioos, os mais ,, o novos paJroes e crtr lixe a 200 rs., o pria para jantar, ou outra qualquer cousa
lindos gostos quo tem vindo ao mercado e cova(jl)_ por ser bastante comprida e larga : na rua
VenJem-se um guarda-louca lodo en-
yidracaio.douscajxOesdearmacSode ven- Aiiligo deposito de rape pnnceza
de Gasse do Hio de Janeiro ,
210 rs. o covado, ditas cores de vinho o caf,
muito miudiuhasdc novosdesenhos e cores
muito lixas a 200 rs. o covado, ditas de dif-
A nnr> e Moda 11. 52.
i\ 3,000 r.s. __ vellje.se para fola ja provincia, 011 pe-
Supcriorcs chapeos do sol de seda ingle- ra algum engenho, um negro creoulo de'
grosso, me 10 grosso c fino na
rua da Cruz do Recifc n >.'>.
Viuva l'ereira da Cunta, encar-
imitando cbamalote de seda a 1,100 rs. o zinhe.ro de boa conduela,.!que se abane, so um pequeo, mes mimosamente.sorltdo. pedidos, tem estabelecido ser pro-
Covado.crtesdecasemiras de 13a eelgodSolduas mulatas mocas de I... las figuras, 1 no- armazem de louce do Porto, de differenles Tj '
de lindos gostos a 1,600 rs. o corte, os mais gra boa cosuilieira, e muito robusta e sali cores c delicados gostos: e vende-se por me- Vldo O deposito mensa I ni en le com
uores brinsdc puro linho e de riquis- lavar roupe de sabao o vatrella, um mulata nos do que em outra quelquer perte; a elle remessas feitas pelos vapores da
serrador, edous negrosde trabalho di. en- poisque he pechincha. j c
xada na rua larga do Rozario n. 22. r -\cide-se uma escrava, creoule, moca, Carreira, e assim poderao SetlS Ire-
A 160 rs. cadaum. de bonita figura, a qual be pe.feia costu- guezes ter rap muito lresco, cir-
Defronte do becco do Feuc Fri- ^:^^^^:^^^ cumstancia a ...ais escencial sup-
lo, toja n. vendem-se lencinhos da Boa-Vista n. 21. pudo pois regularmente este dc-
supe
simas cores a 1,280 is. a vare, brins do puro
linho de un.a s cor, fazenda propria para
palitos a 320 rs. o covado, as verdadeiras
breialiasderolodc 10 varas a 1,800 rs. a
pece, dem de 5 vares, fazenda muito encor-
pada a 1,000 rs. a peca, assim como muitas
outras fazendes que se vndenlo por muito
menos preco do que em outra qualquer
parte, ,
-Vcn.lem-so esleirs dopalhe decarnau- bonitos desenhos, pelo hratissi- Roris, dita de caheca encarnada, chapeos do 8e tornar recommendavcl a tod
bi. regulares c gruidos, de varas de com-I ,___ Chille grandes, ditus pequeos orJinarios,
primcnio; chapeos do paiha a8,ouo rs. o mo prcr;o de mcia pataca cada um; dltOT ^.qucnj ,nuit0 |inS> ccra em vc[a os tomantes : os precos sao os de
cento; peiles de cabra a 20,000 rs. ocen- dar-se-hao as amostras com o com- do bom sortimento, fecheduras lisas, gran- seu principio estabelecidos de 128o
lo,chegados agora do Arscaly : na rua da des e pequonas.ditas de broce grandes o pe-,. j..., nrimriras finalidades
Cedeia do Recifon. 49, segundo andar. ptente peniior. quenas : na rua do Trepiche n. 34. rs.,asauas primenas quaiitiaues
tir. |i.0.n Pul.linAi. m Iniailc ^ 120 TS. O COVado. -- No armazem do caes da alfau loga n. 7, e QOO TS. a lll tima, SClldo de 5 II-
o 1 asseio rnblico n. i7,lojae. ^ ^ dafronle ,am P"r8 ve,,,ler seg,linte: v,nho ''or-' hraa nara rima.
anortas. i a c "'', Inmuno uperiureo oarns ue ?.', 5,"c 8.: .
Vendem-se chales de ISa e seda o mclhor do becco do fexe Trito, loja n. J, pregos de construec.lo cl virgem de Lis- Vende-se cal virgem em pe-
que se tem vislo ueste increado pelo barsto vetnle- ,-e riscadinllO azul, COlll a boa: a tratar no mismo armazem, ou com ,|ra cabecil de C-irneiro .- no ar-
preco de 3,200 rs.; ditos de 1.1a a 1,000 rs.; i Novaes & Companhia, na rua do Trapiche .,. ,,
Sitos deluriaun a i.ooo.., cortes de cas- largura de tres palmos, pelo bara- 3t. mazem de assucar da Viuva l'e-
sa-cinta, bonitos padrees, a 1,800rs.; chi- tissimo preco de seis vintens o co- Attencao. reir da Cunha, na rua da Cruz do
?^\"..6^ Na fibrica de Je *> no'Reciten. ,3.
meias mendavel aos senhores cheles de aterro da Boa-Vista n. aa, Oleo especifico para curar a
duzia familia; d-se as amostras com
2,200 rs., par 200 rs.; onns do linho pro- | '
prio para palitos, a 240, c300rs., o cova- penllOr.
de cambraia pintados, para mao de M escriptorio .le Novaes & Companhia psito com rap assim fresco, he
* .. tem para vender por proco commodo o se- r ,
meninas e senlioras de muitos gu,nie : panno de linho muito fino, linha do para alurmar que esta boa pitada
os
do; cortes para coleto de lila e seda a 800 rs.;
lencinhos para man de senhora com biOO em
volta a 280, o 320 rs., e outras muitas fazen-
das por precos cmodos.
padaria
lie uma pechincba.
Vendo-se a dinheiroou praso a padaria do
largo das Cinco Puntas o. 154,assim como so
d o necessariosuppnmento dcfarinhas.sco
comprador der a nicessaria gerentia ; tam-
bem so arrenda : a tralar com J. J. Tasso J-
nior, na ru do Amorim n. 35.
No Hotel ('...'rile, ma do Trapiche n. 5,
vende-se farinha de mandioca por 2,000 rs.
a sacca, ho muito nova c de boa qualidade.
Vendo-se uma taberna com poucos
fundos, sita ue estrada nova da Soledado ,
que val para o .Manguinho : e tralar com i.
1. Tasso Jnior, na rua do Amorim n. 35;
Vendem-se novas cassas chitas de lin-
dos gostos a 2,240 rs. o corto, casss de qua-
dros fina a 280 rs. a vara : na rua do Crespo,
lojn da esquina quo volta para a Cadeia.
Palitos a 13,000 rs.
Vendom-se palitos feitos, de panno mes-
ciado, polo iiaratissimo preco de 1-2,000 rs.
ciiilii 11111: na 1 na 1I11 oiiriniailii, loja do so-
brado amarello n 29
Vende-sea excellenl: typo-
graphia do Diario Novo estando
bem montada, tanto de bons pre-
los, como de lypus : quem a pre-
tender, dirija-sc a rua da Praia
n 55, a tratar com a Viuva Roma.
Ancoras para navios.
Vendom-se em casa de Ricardo l'.uyle, na
ru de Cdele Velhe ti. 37, encoras de supe-
rior quelidede, o por commodo preco.
Vcndem-se superior chempegne.vinhos
finos engarrafados de diversas quelidades,
flanella muito encorpala, e bolacliincha de
ptima farinha, cliegada ltimamente de
Lisboa, por commodos precos : na rua do
Vigario n. 19, primeiro andar.
Continua-se a vender batatas de Lis-
boa, novas a 1,000 ris a arrobe ; na rua da
Cadeia do Recifo n, 85.
Na loja das 6 pirtas.
Chitas escuras a seis vintens, sete, meia
Reccbeu-se um novo e lindo sortimento caspa .contina a vender-sc, na
(le chapeos de sol do ultimo gusto, tanto de j i> 1 r/
seda como do panninho pare homem,o ven-; rua ao "ngel n. Oq..
dem-sc por menos que em outra parto;tam-,^1,^38 ,fe superor qualidade
bem tem para vender um grande sin tunen-! '
pataca o dous'tusloes," lentos Trancos para to de sedas de todas as co'rcs e qualidades,, calcadns deaco.
man de senhora o meninas a dous tustfles penninhos pare cobrir armafet servidas, Vendem-so em barriquinhes de 100, por
(loncos pequeos para meninos a quatro vin- baleias para vestidos de senhora, c so con-; muito commodo preco, no armazem de Bar
itens.o multas outras fazendas por precos ra- corta chapeos volhos; ludo isto cima dito' roca & Castro: na rua da Madre de fleos nu-
soaveis. f,z por menos preco do quo em outra' mero 26.
/ a 1.'- r- -. qualquer parle. -. Vendc-se um quadro da revolucSo do
tasa da fortuna, na rua Direrla A 3 0Q rs Q crtp< Mjnh0( ricilmente encixilhad. por proco
"'7- Vcndem-so meias cesemiras pera calca de! comm'ln: na >-""lo aterro da Roe Vista, lo-
Na ru cima e na praca da Independen- ricos pajres a 3,000 rs. o corte, alperca do|JI' **' ., ,.
cia, loja do senhor Fortnalo, osla vonda cor para palitos do homem o menino a 640' Algodao da trra,
um completo sortimento d" cautelas n hi- rs. o covado: na rua do Queimado n. 9. Vende-Se, por PreCO Commodo*
Hielos da lotera de Nossa Senhora do Hoza- Vende-. jm cahriolot com cavallo e' ,, v y .,
rio, cujas rodas audain no da 29 do cor- seus competentes arreios, tudo em muito na rua do Orespo n. ad.
rente.
liilbelcs 8,000
Meios 4,000
yuartos 2,200
Pccimos 1,000
Vigsimos 500
> Vendc-se um forte piano no-
vo, com excellentes vozes, e de
Calcado.
Sapalos de rouro de lustro, francezes o
de Lisboa, para sonriera, a 1,280 rs. o par;
na praca da Independencia, loja do Arantes
n. 13 15.
.Novo sortimento de fazendas, na
loja da rua do Crespo n. G.
Superiores corles de cassa-cliita.do novos
di senhos, a 2,240e 2,500 ; can.braiis lian- ole N por preco commodo: ua rua
cezal decores a 410 a vara; dula para co- larga do lioz-ino 11. 36.
berta, do tintas seguras, a 200 rs. o covado; M "^ I
cassas lavradas a 2,400 a |e?a ; dita de fio-' l'lOVldades.
res, com 8 o 1/2 vares, propria para corti- Vondom-se lencos de grvala de seda a
nado do cama, a 3,500 a peen ; camhraia de 480 rs. ; chitas a 120, 140 o 160 rs. ; cam-
salpicos, tanto brancos como do cores, a breia frenceza a 800 rs. a vara ; manteletes,
4,500 a peca ; lencos do caubraia de linho sedas bmic-s, sarjas o oulras fazendas : na
a 480 o 560 ; pecas do chitas escuras a 5,000 rua Nova n. 42.
cortes de brim de listras, depuro linho, a Vendo-se um escravo muito moco e de
2,000ocoite; dito liso a 1.440 e 1800; ris- bonita figura, com o odlcio de canoeiro: na
cado da linho e 180 ocovedo; ditlu de algo- rua da Senzalla Velba n. 20.
bom estado, e 0 cavallo muito bem cnsina-|
du ; na rua da Cruz n. 5, armazem
- Ven le-se um bonilo relogio para cima vu> t""' "--;'";< <>
de mesa de mel do salla, pels barato prego; um celebre autor : no armizem do
de^50,OJO rs: na pnl da Independencia cor,.etr geral ,U. CarneilO na
Venilom-sedous moleques de bonitas rua (lo Trapiche 11. 38.
figuras, assim como uma negra : ne ruada) Vndese um ptimo piano
(,a loia do Roe fe .1. 7. 1' 1
-- Vendem-so farellos os mais novos que, de Jacaranda, de autor milito acre-
ha no mercado, o por preco commodo: ne'ditado, muito bem acabado, por
travessa doOucimado, venda n. 3. 1. j 1 .
- Vende-se urna porco de : ter ,do d^ encommenda, o mot-
lhnd.es e botijas que fo'ram de v0 da vend9 hc '"tallecido a pes-
da o, proprio para escravos, a 160 o I8u o
covado; pin no preto a 3,000 c 4000 o cova-
do : e muitas oulras fazendas, por proco
commodo.
Cesso,
,5oo
l'auna preto fino a a
o covado.
Vendc-se panno pelo
rs. o covado : na
rs.
lino, a
o covado : na loja de
Vende-se gesso embarrices, chegedo ul- l,|ores & H, na rua da Cadeia do
timamente : em casa do 1. Kelleroi Compe- .. ...
nhia, na rua da Cruz n. 55. Ivecile.
soa a quem era destinado, por es-
ta rozao dispert a attencao das
pessoas que desejarem possuir um
1,111 lindo, como importante instru-
mento : dirijam se a rua da Cruz ,
armazem 11. 48 ; no mesmo tam-
bem ha nlgumas muzicas pira
pianos dos mollinees autores.
Calcado.
s.ipal-sde lustro para homem e meni-
nos todos pregados, ditos do brim, ditos
do'Aracaty : sapatos de lustro e setim
passsdo, o pardo Loonardo, de i.lado 18 an-
nos, pouco mais ou menos, e tem os sigmo<
soguintes :baixo.o peito um tanto meltida
para dentro, cabello cara: mln.l e at n
meio da test, e falla do vagar. Este escrero
vinha todos os dias vender leito no Recifa,
de um sitio da Roaviagem, pertencentea
iimiii.i Maris dos Passos, de quom foiescra-
vo : quem o apprehender o levara rua di
Senzella Velhe, defronte o n. 144, segundo
andar, receben a gralicaco cima.
50,000 rs. de grattlicaco
fio engenho Santos Mondes, no dia luda
junho, ausentou-se a escrava Maria.de 'fi
annos, creoula, fula, de boa estatura, e bom
corpo, os pos carnudos, tem alguns cabellos
no buco, bem ladine, com desembarsco di
felle ; trejos, sais de chita encarnsde, catn-
C&Vde cessa, chele de La rnuxo, p.le mu-
dar os trajos; o andar da dila nogra he pisar
duro, e he desfarcada, denles perfeitos, fot
visla na ribeira de Pao-d'Alho : roga-soa
apprehentSo da mesma oscrava.e sua entre-
ga no dito engenho, ou nesta cidade na pri-
ta do Qvajmerciu 11. 6, a Manoel Ignacio da
oliveire.-
Desappareceu no dia 8 do
presente niez, um escravo de ri-
me Jos que representa ter 4'1
annos, grosso do corpo bastinle
gordo, meio fulo; nariz chato, de
naco, tem uma perna grossa, um
escroto grande, que eslava em cu-
rativo, levou vestido uma calca a-
zul de ganga, camisa branca, cha-
peo de couro, foi escravo do capi-
lozinho : rogi-se as autoridades
policiaes e cnpitaes de campo, a
captura do mesmo a entregar a
seu senhor, na rua da Aladre Deo.s,
Joaquim da Silva Lopes.
Boa gretificatao.
Gralifica-sc com 50,000 rs. e qaenippre*
hender um muleque crilo, por oomvMi
guel, de ululo de 15 a 16 annos, in.-i
desde sexta-leira 28 de maio prximo pas-
sado, de gancho eo pesc.ico,secco do corpo,
oi'.r bem preta, beico inferior grosso, coin
marees de chicote pelas costas, vestido de
camisa dealgodSo hranco com mangas cur-
tas, calcasdo algodaosinhode listras azues;
ho bastante ladino, tem falta de cabellosm
cabete por ter andado vndenlo frucUs
mandioca, macaxoira pela rua ; eslo mole-
que quandi) Ihe fallam, este sempre con. us
olhos inquietos, e fazendomovimeotoscnia
os dedos das m3os. P le ser que se intitu-
lo de forro, c quo di outro nomo, corneja
tirou o gancho do pescte que linha quan-
do fugio do cesa. Porlanto rogase a todas
as auloridados policiaes, espitaos de camnis
o mais pessoas, que fatam todas es dlligM-
ciaa do capturar esto moleque, o mauda-lu
enlregar a seu senhor, Jos Saporili, mo-
rador no principio da estrada dos Afilelos
Da fabrica docaldereiro da rua do Hrum
u. 28 ausontaram-se, no dia 10 do passilo,
o preto Antonio de mi;an C.ihni ln, estatura
regular, cabellos um pouco brancos, cho.o (
do corpo e muito cabelludo nos peilos, ros-
to cairegado; costuma em suas fgidas fre-
quenlar a Solidado, Manquinlio o Afoga-
dos, e em sua ultima fgida foi pegado no
engenho Cuca districto do Rio Formse: a
no da 13 docorrenteo protn Alexandre, do
DialoS. Thom, alto, corpo reforfadu, a
alegre, e ja foi escravo do Sr. Bolly e do
fraucez Melequer, morador no Rio Doce, lu-
gar que o mesmo oscravn costuma frijuen-
ler nes diversas fgidas quo ha feilo:
roga-scas autoridades policiaes o a qucoi
quer que dalles der noticias, dinjao-saa
mesma fabrica quesera rocomponsado.
50,000 rs. de r;ial li.-.i.."m
Desappareceu no dia 25 de dezetnbrodo
anno prximo passado, do poder do seubor
Francisco Ignacio Momios,do Rio de Janeiro,
o seu escravo Alexandre, do nat-lo Cacangc,
estatura regular, o qual linha sido aqu do
Recifo, do senhor Lun Carlos Fredonco do
Sampeio, que por intermedio dos senhores
Amorim IrmSos, o havia remllelo para a-
quella corte ao sonhor Jus Antonio .le Ki-
gueiredo Jnior, quo all o veodeu cm 17 il^
jimiMi de 1818 ao referido senhor alendes,
em poder de quem dilo escrevo love bexi-
ges, que Ihe occssiuuaram urna belideoni
um 01I10, nao se sabe so to direito ou no es-
querdb, ignorando-so l .iiilu-in ao corlo qual
quem o po,;ar le-
sera
i III'
-- Desappareceu do abaixo assignad,. un,
escrevo por nome Vctor, cabra, escuro, dg
Idede de 20annos: levou calce branca .' ,.
quete escura, be ofliciel do sapateiro.altun
reguler, bom fellanle ; desappareceu desde
odia terce-felra 13do crrente : quemle,
varna rua do Queimado n. 13, ser graliQ.
cedo,Antonio Conexivos da Silva.
--Aindaacha-se fgida a negra escrava l
nome f)elfina,que desappareceu no principio
de maio passado,a qual foi cmprale ao Sr.
Manoel Joaquim Pascoal Ramos, tem os sig-
naos seguintes t ida le 50 annos pouco raa.
ou menos, levando um vestido, docilita e
outro de liscado, he alta o magra, ecorn
poucos denles na frente, levou com sigo
um panno de Costa tem de costume as
vezes andar vendondo agoa e tambem fruc-
tes. Roga-sea todos es autoridades policiaes
e capillos de cempoou quelquer peesoa qua
dola tiver noticie a maulo apprehender g
levar ne ru do Apollo emeasa do Sr. \ u 1, -.
Joaquim Jos Guedee. Existindo suspellas
que esl oceultade.
--No die 13 do corrento as 7 horas di
noile fugio do engenbo caxoeira doScri-
nheem o escrevo ilatheus.levou uma argolla
no pescoto.calca dealgodSo delistre ecaroo
sa da madapolSo ; e tem os signaos segua-
les : estatura regular, espadedo.ps seceos,
porom acholados com csllorde ftagdu.e cotg
sicetrizes as nadigas ; a tal argolla se olla
livor tirado devo tor a morca no pescoco.tom
mais esses signaes: cara curta porem boniti,
beicos grossos e muito rogrisla, roga-seas
iiilhnridados policiaes e capitSes de cam
. dos
melhores"para seuhorase meninas : no al--a idadeque representa
trro de Boa-Visla-lojo n. 58, junto eo sel- p ve-o a rua do Vigaiio, casa n 7, onde 1
leiro. > promptatnenlelpagu da gralificacao e
-- No pateo do Carino, taberna n. 1, ven-1 indicada,
de-se um prolo de idade de 25 a 26 a irnos,Jo J _______^_______
bonita figura, proprio para todo servico. I PBaN. Tip. ue M. Y. uk I'ahu.
_ 185a.
w*r<


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EGQKWHYJA_NP6XKI INGEST_TIME 2013-03-29T17:10:11Z PACKAGE AA00011611_03716
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES