Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:03687


This item is only available as the following downloads:


Full Text
m
tM
Anno XXVIII
Quarta fera 1G
DIARIO DE
de J un 110 de 1852.
JN. 133.
PEMAMBUCO
4/000
8/000
lO/OO
/OO
vacoo a a. .VBoaioAo.
PASMHBISVO ADIIKT.DO.
for trlme.tr*........... .
Por semeitre ..........
Por aneo ..?...,o a
Pioodiut.o DuTimrsTii.
Coi qusrlr .........V9"** 18Set. fiBOSs Co-
oTioumoliinnio. | raeio de Jess,
para.;-- atdeHato. Minas... 14 de Maio fUSab. S Juliana de
ilaianBaa 21 de dilo S. Paulo, i de dito | Falconleri.
Crart___28 de dito. R.deJ.. 25 de dita 20 Dom. 3. S. Ilrerlo
Israhiba 7 Junlio Hahla... i de di lo p. xa.
DI DA lIMiai IDSIITfOUl,
HSeg. S, Rstlllo. | Jafioes Orakaa
i i 'IVi.-, s. vito j, e5. s lO horas.
ibQuartS. -sureliino.l i. tura do eisvl-
17 o i i i s Nicandro. 3, e 6. ao melo-dla.
faltnta.
I. eS. lia 10 horas.
2. tara do civil.
1. eaabadoaao melod.
aVfaedo.
Tercas e sbados.
IIHIBIUI.
Crracemle 21, ai horas e 28 minutos da I.
Chela a 2^ as 4 boraa e 7 minutos d larde.
aUnsoanfei, aos 4o minutos da Urde.
Rova i 17, aa 2 horas 28 minutos da larde.
a*adhOJB
Primelra al 3 horas e 42 minutos da tarde.
Segunda a a horas e (i mi nulos da inanh.ia.
rintiais atoa eoBBBioa.
Parahiba, s segundas sexras-
e Victoria ai quiatas
Golaan. e
letras.
Rio-G rande-do-Korte
felras
Bonito, Caruaro, e Garanhuns no l'e 15 de cada
. mea.
Florea, Ourlcury, Exu e Boa-Vista 13 e 28.
Ollnda, lodosos das.
Todos os Correios parteinaomelo-dla.
ron o ai rsTiumnnii.
1. de Abril,
i dedlto.
Suecla... -j 6 de!Marco
Inglaterra 7 de Abril.
E.-Unido. 2(ide Fevr
Mxico... 31 de Janr
California 2 de Marco
Dinamarca 30 de Marco Cblli. 2* de Fevr.
Russla... 3l de dito Hornos-A. 6 de Marco
Trirqula. 5 de dito |Mnntevlrier. t) de Ma o
Portugal II de Abril.Austria..
Hespanba lo de dito Suisna....
Franca >3 de dito
Blgica... '' de dito
Italia.... 3 dedlto
A lemn ba. 4 de dito
Prassla ...2 dedlto
cmBloi II 15 a JtJI.no
Sobre Londres, a 27 por d. i/ooo
> Paria, 3*5
Lisboa, 100 por canto.
IT1I1.
Ouro. ticaa hespanholas.........., _
Hoedas de 6/400 relha.......... I
de 61400 oras.........16/000
de 4/000................ /*'
iBesbrasileiro............ I/W
Prata.PatacBes
Pesos columnarlos......... 1/920
DIloa mexicano.......... 1/B00
PARTE OFFICUL.
w
dcs quaes 37 nacionaes, 21 ingleses, 46 poriu-
I guezes c '0 de outras naedes.
No da Hahla Si, dos quaes til dos matricula-
EL.. TORIO APRESENTADO A ASSEMBI E VI d" notlga junta e i* uovos. .....
Ta al i srrisi aTIVA Ni iiriliiv.i< i Rcgniraraiii-ie aqu Igualmente, durante o
w i m?.'vViven) \T IM A PFI (i ,n" f*ma- -nbarcacae. bra.lleira. des-
SaO HA ITAVA LbClMATIJIU, PELO tinadas navegado do alio mar (exceptuadas
MINISTRO E SE' RETAMO DE ESTADO
IHIS NECOCKIS DA IUSTIC \. KUZEBI0 DE
QUEIROZ cai.NIKI MATOSO CMARA.
(Continuacao )
Juites de direito.
Continua a manter ae a maior residencia
que il i.' i no ultimo relatorlo dos juies de di -
i.iin as suas comarcas, que espero v progre-
d.udo proporcao que os magistrados foreiu
praiicanicnic senlindo, que essa, residencia be
do sen Interesse. Concluida a prsenle legis-
latura, a aeran das novas lela, iornaudu-.se
mals gerat, ha de melhor fater scnllr osseus cr-
enos. He entretanto nos que de novo co.ne-
(aui a carrelra que a ac;ao dessas lela deve ter
maior eflicacia e o uumero desiescresce len-
i.i, mas progreaivai.ieole.
Km marco a examinar o numero dos juies
de dlrcilo, ein ejercicio, que se acharam au-
sentes de? suas comarcas, por se acharem era-
pregados ein oulras couiuiissdes, licenciados
nu doentes, e apeoaa havla .2.
De 19 que aluda nao tinhain comecado a ser*
vir as suas comarcal, lo aceitaram, acba.n-sc
ein viagem, e provaveimeole a maior parle de-
ve de estar a esla liora ein eierciclo.
l.iitr. unto em 1848 estavam Tura de seus lu-
. i. rs S9 juies de direito.
Para t.i/.er que, alm de residentes, os Juizes
dedlrelio lejam elfecllramenle os que presl-
dsm s sessdes do jury, evitando a pralica abu-
siva de conservar o eierciclo quasi nominal du
emprego, mandando presidir pelos juisesinii-
nicipaes as sessd:s do jury, eapedlo-seo decre-
to o. St4 de lo de sclembro de l8jl, que os
obrlga. neases casos, passar a vara sos Juies
imuiii'ipaea.
Era urna necessidade geralmenie sentida a
de uui regolamenlo que unlfonnlsassc eexpli-
casse o modo de fazer as crreicdes.
I o algniiias comarcaa ellis uao se faiiain, c
cada Juiz de direito estabelecla urna pralica eH-
pecial. O decreto n. 814 de i de oulubro de
1811 regulou esta materia imporuntisalina; c,
com aa correcjdes que a pralica auggcrlr, deve
de melhorar oonsideravelinente a administra-
ran da juanea.
Sendo numeado desembargador o juiz de di-
reito da vara civel da llaliia, I_ i ella eatlucla, -
as que se einpregaw eacluslvamenie as pesca-
rlas das costas), sendo uina galera, seh barcas,
14 ditas de vapor, b7 brlguea ou liergantlos, 17
brigues-escunas, 74 patachos, 14 escunas, 90
sumacas,24 hiates e II lanchas.
Em Pernainbucn reglslraraiiiase 43. a saber :
ii'ii.i galera, nina barca, 8 brigues, 6 escunas,
dual sumacas, tdhlales, urna polaca e tres lan-
chas.
Na da Bahia registraram-se 123 embarcaedes
de diversas classes.
Kspcdjo-sc a reapejlo dos correctores o re-
(,'n1aifllN%lo''de2 dejlho de Il5l. Reglslraram
seus tltutos 70 cOrrelnres, e rol nameado um de
novo. Fol un delles, aocusado de exercer a
prossSo de commf reante ao inesmo lempo
ue a de correlor, ansolvido por ralla de prova
>i sujeilo a novo processo, que anda pende
pordeprehender-se dos esaines, a que deu lu-
gar o primeiro processo, falta de ordein e de
regularidade na escripluraco.
Ma bahia mairicularam-se tres, eiu Pernara-
buco tres, e uo Maraubo uenhum.
Kipcdio-se o regulaineotode 10 de novembro
para agentes de lellao, e habilitaram-se, nos
termos do artigo 6, oito dos quaes jservtain.
Su appareceu um uuvo a requerer, que rol no-
uieado. No Maranlio duas e na Habla tres.
Tcn assignado termo e lirado lltulo sele dos
traplcheiios e administradurea de arinasens de
deposito, que existain. Km Pernambuco ina-
iriculiram-se 6. Na Baha 3l iraptchelros e 16
adihinistiadores de armaiens.
Expedio-sc Igualmente o regulamento de t7
de novembro para os interpretes do coinmer-
clo, e reifistrarain-se os ttulos dos doui que
exisliam e noioeou-sc um de novo. Ni lianla
um.
O tribunal lein-se oceupado seriamente das
bases para a organisa$ao da estalislica annusl
do commeroio, agticullura, Industria e navagi-
5o ; um trabillio, porcm, desla nalureaa uo
pude ser executado seno mullo de espaf o.
Areceitados einoluiuenlos, no tribunal do
coinmercio da corle, subi durante o auno a
32:406/320, e a despezacom lodo o pessoal e
r...ii.r. i il linporlou em 25:325/877. deisando as-
slm apparecer um saldb de 7:080j453 rs. que
se acha redundo a 4:600/1143 por se ler alean
a enslein doui no llio de Jaoelro, e fado coin o cofre em S; 171/400 o official eocar-
uui no Reoife. Pono Alegre e Para. regado da arrecadacao Joaqun Gullnerme Xa-
Cessarain lambem as cresefles de novas co- vierdcbrilo.ptlbqueroi deiniltido e processad..
marcas, e peto contrario lunm supprimldas a pelo juiz aa prlincira vara crime, que ja o
di llha Grande de Joannes no Para, e a de Para oondeinnou perda do emprego, prlaau por >
em Minas, manireslando asslin essas assemblcas m.ies. mulla de um e mel por cenlo da quan-
oiovinciaes que smente o desejo de acertaras lia extraviada e cusas.
aliara ueasas cresces. | tsia recelta, porin, foi devl la a ser o prlmci-
Is mesinas rasdes que determinaran) a crea- ro auno, c aalluireiii portanto as inamculas r
(.l do crdito de 1 IB conlos de is para Jusli- registros, que constiluein a renda do tribunal.
"i de primelra instancia pelo decreto de II de s annos seguintes, porm, deve ecrescer, e
levereiro de 1851, levaram aerear o inesmo a espericncia dos mezes decorridos desle anno
credllo para o anno nanceilo crreme pelo assiui o demonstra Se, pols, no passar o pro-
decreto n. 945 de 7 de marco desle anno. jecio, ja ollerecido no senado, na parte relativa
A dnuonslraco des uece-sldade vos ser inscripcao das apolicea do seguro no registro
aposentada pelo ministerio da latenda, na toi- do conimcrcio, ha de ser necessarlo tazer pesar
ma dalei n, 5SI de9de selembro de 1850 artigo sobren Ihcsouto as despcaas do tribunal e por
,,.,,.,..,.,,,i,ti.. maloria de raao,s do da Bihlae Peruaiubu-
'l)i'ii..'is do ultimo relalorio roram noineados co, onde a receila he milito menor.
lOiuizesdedlreiloiiovos.quesao: Manoel Go- Na Hahia U\ de b:ti00/bo5, e despeza de
mes Crrela de Miranda, para o Alto Amnonas, 5:717s885: houve.pois, pezar de ser o p.lmeiro
na provincia desle nome; Joo de Souia Nu- anuo apenas o jaldo de I-I8J0O, sendo de nolar
nea Snior, para a Pomb., em Minas ; Hilarlo que os vencimenlos marcados para os emnrc-
Gomes Noeueira Barbosa, para as Tres Poula, gados da .ecretana-deatc tribunal e do de Pcr-
na mesilla provincia; Luiz Gonzaga de riti nambuco foiain em demasa limitados, e care-
nara a Maioridade, no Rio Grande do cem de augmento.
Luis Carlos de PalvaTelaeira. paraOei- I Nio se lem o governo descuidado de prepa-
no Plauby; Francisco de Assis Hezerra, pa- rae o novo regiment de cusas para que o au-
Santareiu, uo Para; Francisco Vlendes da torisasies por decreto n. bo4 de 3 de julho de
Costa Crrela, para Sao Francisco, n li.ihi.i 1851. A uiaiena, porein, lie de lauta iniportan-
ManoellosdaSilvaNelva.paraoHreJodaMa. cia e dimculdade, que nao hesilel eul preferir
dre de Dos, ein Peroambuco Joao Amonio de alguma demora a precipilacao.
Arauio Freltas llenriques, para a Atalaia, ein Nomeada una commissao composla do juli
Alagua: e Balduino Jos Melra, para a comarca de direito clvel, Carlos Antonio de Kuliioes lu-
de Maranbao em oyai i beiro como presidente, dos advogados Jos Ju-
AdmmislraUotiuitcacMI. Ho de Frailas couliuho, e Joao de Siqueira
Guei
norte
ras
Adniinisl
He lisongeiro o i
o cud
i'der aldau^ar-vos que tanto Jfaciros
dos esenves dcdillereoles julios
i(7milMrtWl,ciloOf Vegulainentos ex- Francisco Luis da Silva, da provedorla.Candi-
edidus para sua execucu a tem Udo, ha mals do Marlini dos Sanios Vlanna, dos orphaos, e
o I,m da silva, da provedo
__ns dos Santos Vlanna, dos i .
Jos Leilc Peieira Campos, escrivo dos feitos
conveniencia de dividir em duas a lelacao do
Rio de Janeiro, dc.iiu.ni m urna parao mtinics-
pio, e outra para as olio provincias que formsui
o scu dlslricio.
A lelacao da Bahia enmprehende S provincias
e as de Pernambuco e Miranho quatro.
Guarda nicionat.
A guarda nacional teui continuado a prestar
os mals vollosos servlcos no Sul o enlhuslas-
ma com que se apresentou para entrar em oam-
panlia, e a firmeza com que suportou lodas as
fadigas c privaedes, correspoodeu ao que se
esperava dos briosos Rio Grandenses. Em todaa
as provincias em que o governo appellon para
seu patriotismo, a encontrou sempre oas me-
Ihorea dlsposlcdes, quer para o scrvlco ordina-
rio, quer para o de corposdeslscadus.
Nesia cldade ella raz, ba inultos annos com
pequea Interrupco, todo o servido da guato-
mcJo.
A guarda nacional j est organlsada segun-
do a Ici de 19 de seteiubra de I 50 na lodo, ou
ein paite das provincias do Para, Maraoso,
Piauhy, Ceai, Serglpe, Baha, Espirito Santo,
Bio de Janeiro, Minas, Santa Calnarlna, Rio
Graodedo Norte e Mallo Grusso.
as oulras e nos municipios dessas ein que
anda nao rol levada a eSeiio a nova orxanisa-
c.ao, continan! os trabamos, que lenho pro-
curado iinp ioiir a maior activldade.
O mappa adiante juuto Indica os commandos
superiores, os corpos, armas que perlencem,
a lorca activa e de reserva de cada com-
inandj.
A rcspcilodo Rio Grande do Sul, cuja guarda
nacional ein bravura c disciplina nao lem que
invejar aoa melhores corpos de primelra linha,
aluda subsiste o decreto de 22 de feverelro de
1850.
Por aviso, porm, de II de setembro de I85q
les a coostruccao de iiiiih, segundo o synema
ccllular. a planta encarregada ao teoeme-co-
ronel Iticardo Jos G|imes Jardiin brevemente
vus ser apresenlada, asslm como asconsidera-
(des que a scu respello lez a comiuisso de en-
genheiros.
Para que porm essa cadela jioasa servir para
os preso* antes e depois da senten;a, he indis-
pensavel que tenhf 300 sellas, ouquesecoos-
truam tres cadeas de lOOcada uina.
Serla lambem necessarlo oessv* fiypolhese
que a construeco fosse no centro da cldade, e
como anda inesmo. as de 100 celias exigeiu
grande exiensao de terreno ein vistnhapca do
mar ou rio para facilitar o esgolo, a acquisico
desses terrenos serla multo despendiosa, eap-
pareceriam ns Inconvenientes inseparavels de
grandes accuinulacdes de presos no centro dos
povoados. .....
Multo mals aceitado pbrlanloparece construir
urna cadela de i.vi ou 200 celias nos suburbios
da cidade, e nos di'erentes bairros desta tres
ou qualro pequeas prlsdes com 70 ou 3o cel-
ias que sirvam para simples detenedesdos ac-
cusados. que por se acharem em llvramento,
nao pos..un estar longe dos seus Juizes, procu-
radores, advogados, etc.
He iudlspeusavel, porin, que autoriseis a ac-
quisico do terreno para a grande cadela, que,
deveudo ser construida nos suburbios, deve de
er de preco pouco elevado.
Se na capital do imperio tao grande tein sido
o abandono dasitonslruccdes desta nalureza,
fcil he de conbecer o que se deve esperar do
interior do pais.
A maior parte desses povoados, que se ador-
nam com o pomposo nome de villas e cldades,
e em que se reunem sessdes do tribunal de ju-
rados, nao lem uina oasa construida de propo-
sito para cadela ; oo ollereceiii ellas portanto
fal approvada a deliberarlo do presidente de'amrnor segiiranct, nem servem para presos
couservar nos alistamenlos a distioco de ino- de mediocre Importancia.
veis c fiaos, mas de formar por ora os corpos Sao pouess as provincias cujas assemblas se
iudistlnciamente de unse outros. Al o presen- occupaiu desle objeclo, ecousignain fondos pa-
l nao lem o governo recebido propostas para ra coiistrue.f o de cadeias, e apezar de ser lo
alteracdes no citado decreto, apesar (le se baver evidente a ualuresa municipal desias consiruc-
recoiiimendado que viessem apeuas fosse a ex- (des em algutnas procurara lazrr crer que per-
perieocia demonstrando sua necessidade. lenceinaos poderes geraes e emouiras -ll'gan-
Quauto ao armamento, os esludoae expeiien-( do a falta de meios requerein auxilio dos co-
cas que pela reparlico da guerra se eslo fa- rres geraes.
sendo para coohecer e approveltar os inclbo- Eulretaolo este estado reclama a serla atten-
raueniosmals inorderoos, acunselham que as {So do poder legislativo, e ser necessarlo ap-
encoiuinendas para armar aguarda nacional pilcar diversos me.t>squ,e concorraiii sysiema-
sejain pauladas pelo resultado final dessas ave- ticamente par diminuir a necessidade deslas
rigua;es. O nontrarioUoduiirla a despezasque, conslrucfdes, que alada inesmo muilo reduil-
passado pouco teinpo, podenain toruar-sc das, devciu de consuininir grandes quamias, e
iiiuteis. 'i111' ne talvez peior, limito lempo.
Polica dt corle. I Alguus retoques ein noasa legislacao penal
No relatorlo ullimo Uve a honra de iulor- poderiain substituir com inulta vautagem a
mar-vos que nos 16 meses que decorreram de pena de priso em grande numero de casos por
oulubro de 1849 a feverelro de 1850, entraram oulras penas, e especialmente por degredo com
no porto desta cldade IJ.773estraugelro< e sa- presidios e regolamenlosespeciaes.
mr.iiii 7,04b, lii:;indo um excesso de 6,733. A llha de Feroaodo intimo he suscepllvcl de
Nos 11 mezes que de enlo decorrem ateo importantes mel hordenlos com esse destino,
primeiro de feverelro de 1852 entraram 13.128 A priso simples cuino pena depois da quasi
e sahirain 6.5*9, deixando um eicessode 7,769. univeisal adopeo dosysteraa cellular para to-
lle de notar que de portos oatrangeiros vie- das as prlsdes comeca a ser combatid-; mas,
rain 11,459 e para porlos estraogeiros foram admillindo que uo deva ser proscripta, be pe-
apenas t,872, o que moslra que uo imperio li- lo menos rra de loda a duvida que oa maior
ca .un 9,587, dos que emr.ir.iui ueste porto, parte dos casos he conveniente substitui-la por<
Esta progresso est anda muito longe de priso com irabalho, reduzindo-se o lempo de
corresponder necessidade que temos de attra- sua duraco, oque equivale i diinluulcao dos
lur a eisiigracao europea para o nosso pais; en- presos a guardar.
i re i uno sempre denota algum meluoraueulo, Talvez inesmo conviesse, Imitando a disposi-
iiue espero seja progiessivo. cao do artigo 49 du cdigo criminal, declarar
to rclatnrio que eni 17 de abril me dirigi o que a priso simples loase substituida pela
disiincto magistrado que se acha a testa da po- com Irabalho, diminuindo-st em tal caso a sex-
hcia da corte, fiz Iranscreser e aonexar a esle la parte do lempo porque aquella deverla lui-
a pane relativa tranquillldade, secretarlae por-se.
seus einolumeutus, visita do porto e cadeia. A Em lodo o caso, uina vez que nss prisdes cel-
elle me reporto. lularea que se Ibrem cousiruindo baja o cuida-
A s importautes diligencias a respeito de inoe- do de dar a cada celia o espaco sufficienie para
da falsa, algumas das quaes j produiiram os o irabalho solitario, e os pateos para o eserci-
resultados, que em lugar compleme meiicio- ci, he lo fcil converter essas cadeias em pe-
ne!, e a necessidade de habilitar com recursos nitenclarias pejo svstcma da Philadelpliia que
cilraordinarios alguns presidentes, que de ou- o peusameulo acuna esposlo nao deve paraly-
ira sorte >. I poderla fazer venlicar as Irequen- sar, se nao animar essas cunstruc(des.
les capturas de lautos reos, que loragldos, zom-
bavam da jtistica, obrlgaram a ciear pelo de-
creto de 24 de abril de 1852 um crdito supple-
mentar deoconlos, aio poique estivesseeltec-
livaineule despendida a coosignaco, mas por-
que, estando varias quaulias a disposicao dos
presidemes, e nao se podrodo saber quaes esta-
n un despendidas, nao eia possivel por coma
deltas ordeoar novaa despezas.
Vcrminiates.
Este corpo, a que lao Importantes servifos d -
(Co'.tinu ir-fe-nv.)
Correspondencias.
de simo, sem encontrar os graves embaracos, .
nem moduiir os grandes abalse iucouvenieu- da fazeuda. depois de multas conferencias e
i sauesaonua.iiiisotiaraveis de legislacao no- exames, oerecerain um projeclo de rgimen- _...
vi enmate, ia lo vasta complexa elaspor- lo. que se ada sujelto ao esludo e exame da ve a capital do luiperi., coulava no da 3 de
a em maleiia lao vasta, complexa lespur f du cooselrso de estado, qual abril547 pracas e o7 oIRclaes, para saiiafaier a
1(11''. i i 1 ______'____. i. .. i .1 .... ... I ..1. i .........I .
Continuara a ftinccionar com zelo elolelli- xt'"m".ee-o',,t"u*ueat*?-iiim....
geooia os dillereot trlbunaes do commerclo, Ja e.tao coll.gidos os psrecere. dos presdeo-
e .isjunusque pelo decrelo n. 8M de 17 de no- lea dos trlbunaes de juanea sobre as alc-das e
vrinbro de U5l o governo cslcndeu a todas
i N.oconcluirei esle artigo sem chamar a vos-
' O barodos Kias, depois de haver prestado sa aiien5o sobre o lugar de Ihesoureiro doco-
vsllosos servlcos na presidencia do tribunal do Ir de oiphaos.
coinmercio da Babia, pedio e obleve sua dcmls- IU dilHcil acharquemse sujeila a lana res-
ino, sendo substituido pelo conselhelro Joa- pousabilldade c irabalho aein remuoeracao
quiin Marcellluo de Biitto. equivalente. Parece que seria vantajoso de ler-
A maueira porque lem runcclonado os tribu- minar que algum dos corres pblicos servlsse
naes c confiaoca que inspira seu pessoal, lem lambem de curre dos orphaos, dispensan.lo-ae
tornado muilo senstvel o excesso de prudencia asslm uui Ihesoureiro especial, e havendo de-
que levou a limitar em demasa suas ailribui- mals a vantagem de se abrir diariamente para
iorI, as entradas e sabidas, e nao cornos Intcrvallos
Eni Pernambuco lem-se limitado seus traba- de uso nos cofres de orpbos,
Ihos a matriculas e registro de embarcaedes, Dos quatro labellles de notas que cxislem na
apenas no Rio de Janeiro lein-se elles podido cflrte, Ires erara tambera dojudicial. Essa ac-
uceupar de procesaos, e sempre de ,m uniri riimulaco, lalvez benfica no lempo ein que
vaui josa. farain cicados esses lugares, hoje era pur elles
O do Rio de Janeiro, durante o anno passado, considera-la umverdadeiro onus que osdiMra-
(oi nomeado por couipromisao ou loilva(o das bia de servlfo mals lucrativo ; requereram, pols
pal tas arbitro em seis processos, quatro dos dispensa de servir a pane judicial de seus ol-
quaes j rorara julgados aBnal. helos, o que Ihes loi deferido, mas nao se no-
Na Habla houve um pcocesso por quebra.qtie inearam uovos serveqluanos para os olHcios as-
o tribunal claaaiBcou dW culposa e proounclou sira separados at puique parece conveniente
orco queja fol pelo juls de dlreilo coodem- propor-vos sua coinplela aupprcssao he o
nado segundo o processo da le de 2 de Julho mel de melhorar a sorte dos outros carinos,
de 1850. O roerapessoa mullo bein relacio- alguns dos quaes offerecem muilo puucas van-
nada, e sua condemnaco produiio urna sema- lagens, e o accrcscimo de tabalho que dahl ibes
cao conveniente para servir de esemplo. Uina resulla cabe muito em suas forcai.
das medidas, pols, mals geralmeniereclamadas, I Supremo Irwunal re iiiilfa e relacei.
que mullo agradada ao coinmercio, e cuui ra-| O supremo liibuual de juanea conmina sem
sao seria a de converter os Irlbuuaes do com- alteracao emseu pe-soal. Durante o anno pas-
inercio em iribuoaes de segunda iustancia para sado tomouelle conhecimenlo de 190 proces-
as causas commerciaes. cessos, concedendo 24 revistas, e denegando iob
lodo o se r vi v" pulicial desla cldade, lo populo
sa csobreiudoio extensa.
Oeicessivo irabalho que dessa desproporco
resulla, a repugnancia natural para o rigor da
disciplina militar, ea facllldade de obierjor-
naes aventajados afastam a concorrencia, de
modo que, apezar de uo baver na admisso a
escrpulo a escolha que convida,fallavamain*
da nesse dia 116 pra(as para o estado completo.
O inoviiiielilo de entrada e sabida, no decur-
so do anno de 1851, deu urna diunnui(o de 33
botiiens-
A elevaca dos 160 rs. diarios que concedes-
tes as pravas de prel, e que comecou a ser ef-
fectiva em selembro de 181, produsio a vanta-
gem de fazer cellar esse moviuienio decrescen-
do, pola de oulubro a marco, em vez de dmi-
nulr o numero das pra(al, leve o augmento
de 17.
He porin tao diminuto tite augmento.- que
seria necessarlo empregar outros meios pan
melhorar a posico do soldado, ou pela eleva-
cao doa sidos, que para lerein novo accresci-
mo de 160 rs. diarios exlginam nova despesa de
3o:4l9/i00oupelo emprego de oulras medidas,
que diminuindo o peso do servico, Hzessem
augmentar o numero doa concurrentes, e per-
initlisseui, por cousequencia, uiais apurada es-
culla.
O modo porque est aquartellado o corpo
nao he o inais conveniente a nalureaa do servi-
eo pira o que be destinado.
Em urna cidade lo extensa como a do Rio de
Jaoelro, e que uecessita de roodas e mesmo de
forcas de r. ser va ein lugsres de mals de duas
legoas de distancias dos quarleis, nao deve a
' o destinada estar aquartellada lo
Sr. Hidaclor do Diarlo de Pernambuco.
Querendo dar publicidade a correspondencia
junta as impreosas desla cldade, nao oie foi
possivel por lodas esi.irciu jempenhadas para
que nao publlcassem a mloha corresponden-! oulubro 11J"""
cia e documentos, e a razio be obvia, avista das f no_d,!_de*A. ..."!??-!.
piovas que fazein os documentos ; rato por
lliadores: altesiamoi mals, que alguns atoro
vos sao apontados, porin nao vo ao servico,
e mu vivera empregtdus em servico particu-
lar dos Srs. Lindoiiso, Heniflca, Vleme e ou-
tros ; raiao porque o servico .ouco pode adan-
tan e por ser verdsdeqnanto levamos dito da-
mos o presente que mandamos fazer, e ral s-
mente por nos assignado. Eslreito, 24 de abril
de 1852. Manoel do Carino e Sousa, Balhl-
no Aulonio dos Sanios, Isaac Marinho Fur-
tado c Vasconcellos. A rog de Thomaz de
Aquino r de Florencio Antonio Alve-, Isaac
MaiiohoFurtado e Vasconcellos. A rogo de
Bento Hay mu udo, Manoel do Carme r Souza.
A rogo de Antonio t.hrlplm da Silva, Manoel
do Carino c Soasa. -- Jos Bezerra da Silva.
A rogo de Ignacio Joao e de Joaquini J.ie do
Espirito Sa lo, Jos Hezerra da Silva. A ro-
> do Sr. dsco das Chagasi Sapatelro, Joo
(rreira da Silva.-'-A tosjo dfrneoi pal Joao
Gabriel, Hilarlo Gibrlel dos Santos.--A rogo
de Jos Candido Perelra, Isaac Marinho Fua-
do e Vasconcellos. Miguel Angelo dos els.
-- Dionisio Antonio. Pedro Selisiino Junquri-
ra> A rogo de Joo Francisco da S Iva, An-
tonio Carlus da Silva. A rogo de Jos Frere
Agostlnbo, Jeronyino Jos da Rocha.
N. 2. Extn. Sr. Dli F. que, a bem de
soajustlca e do servico publico, se Ihe faz pre-
ciso que V. Ex. Ihe mande dar por certido, ae
da secretaria da piesidencla consta ler V. Ex
concedido liernea a Jos Carlos Gomes Lindou-
so e Antalo Carlos Llndouso, que aulnrlsasae
selles irein a sua morada sita na ribelia de
Itaplcurum-meiriin.e por quantas ve zea fo rain
concedidas Mes licencas, e a qual delles, e
por quaotns das cada urna das licencas, e se
foram concedidas com vencimento de ordena-
dos ou diarias [.visto que o primeiro supplica-
do he o segundo mestre d abertura do canal do
Estrello,- e o segundo he cabo de scelo, que
vence a diaria de setecentos ri.; e como ne-
nlium delles podiam dalli sahir vencendo or-
denado ou diaria sem licen(a de V. Ex que as-
sira ordenasse por portara : portanto pede a V.
Ex., Illm. Sr, presidente da provincia, se dig-
ne dererlr como requer. E. R. Mee.
Pane do que constar. Palacio do governo
do arauho, em '4de marco de 18ia. O'
Machado. t>
a Certifico cm cumprimento do despacho re-
tro, que do archivo desla secietarla nao cons- p
la, que desde 30'de selembro de l8i0, em que a ser ag
presidencia mandn, proceder a limpesa e aber-! Illm. e Exm. Sr. -Para que chegue ao co-
luro do estrello, qqe cominunica o rio Coquri-, nheclinenlo de V. F.xc. as occorrenciis que
ro com o do Mosquito, teohain obtido licrncA diariamente apparecem na reparlico da aber-
alguma o'l Individuos Jos Carlos Comer Lio-i lura do canal do Eslreito, passo a inenclo-
dobso e Antonio Carlos Llndouso, de que Ira- nal. Naquella reparlico, Eira. Sr., se tiram
tao supplicanle. Secretarla da provincia do; oa escravos que se acham engajados para a-
Maranhao, 29 de marjo dei82.~ O secreta- quelia obra, para servlcos paillculares. bem
rio inlerlno, oio Rufino Marque: a 'como seja para vire- nos seus pesarlos a esta
I cldade os Srs. entregados daquella rrpaincun,
. N 3. Illm. Sr. Inspector.Dls F., que a com esprcialidade lUyunindo Querlno Bem-
hini de sua justlca e do servico publico, se Ihe fica e Manoel V alate entuma, iraiendo os es-
tas preciso que V. S. ordene por seurespelia- cravosque Ihes sao necessarloi ae ren.sdores,
vel despacho, ae Ihe d por certido ao p des- prometiendo aos mesmos de seren aponanos
te sedas Tullas da reparlico da obertura do os das que por aqu eallverem. Maudou-se nin
canal do Eslreito, que devem estar archivadas rscravo de D. Lourenca Leal par Ilaplcuut
nesse Ihesouro, consta que lenba estado all em era companhia de un filbo do Sr. admiuistra-
effecllniscrvIcoJosCarlos Lludousoe Antonio dor ; oinrosescravos sio empregados syn tira-
Carlos Lindouso desde o piimeiro de julho do rem palmitos para sustento de porcoique a-
anno prximo passado al huje, quaes suas uta- quelles senhores conservara encurralados, ou-
rlas. quinto receberain cada um delles na fim Iros escravos que se conaervam empregadoi em
de cada mes, se elles foram os propriol que servaos de casa daquellea senhores, aos quaes
asslanarara as folhas, ou quera as assignuu em se d o nome de criados ; outros se conservam
nome deliea ;tudo com a uielhor clarea possi- em conduco d'agos, em distancia de msis de
vel: portanto pede a V. S. Illm. Bar, iosprelor rucia legua, para aquellos senhores e suas- fa-
dolbesouro publico provincial assim Ihe difira. miilasselavarein, qusndo tem no acampamento
E R. Mee. u,n l0S de excellenle agoa. Consla-ine que
,i* .i* laiiibein se apontam nomes de pessoas livres
. Ccrtifique-se. Thesouro publico provn- jeui |]M e,|e| lraol,oem> ,,, Com gra-e pre-
cial, 6 de marco de 1887. -- ifuairtv. s julio da fazeoda provincial. Ora, aquellei ei-
.. m cumprimento do espacho relro, certi- eraros aaslm dlairahidos do-servico, resalta
ficaueda.fo.hasds trabalhadnre. Ilvre. do grave prejui.o luend. ou aos senhores do.
cana'doCoq aelro, decorrida. de Julho ade.em- escravos. porque se sao apoot.do. soffre fs-
bro do anno lind, consta que. Jo. Carlos Co- nda, ie d.ix.m de '""}>!* r,m
mes Lindnuso. venceu no refido lempo o orde- seus senhore-, por i.so V tic data sa provi-
nado de 2b/000 rs. meosaes, como segundo dencia, a por termo a .emelhaole >''
mestre da obra dodlt. estrello, e que Antonio Deosguarde a V Exc ..... o. annos. Mara-
Carlo.LIndo.uo como lr.ball.ador, com a rila- nhaa ..', de d"""br01d^"I:7 i. nr-T'
ria de seieccntoa ris. recebeu no mez deagos- Sr. r. Eduardo Olimpio Machado, digno pre-
o I6800^r. ?node!eU.nbro !7/5oo ra., no de sldente da provincia Fieo-/io Jo.e Rodri.ue..
node novembro I6jl00rs., Eslava reconhecldo.
Senhoros Redactores. Achando-Bie, "'
tHumeni livres no servir de pal no -fundo do ea-
nal io ett e lo no cor rente auno de H5I
o da i ti de marco trabalharam 16 ir.balba-
d'ares r 1 cabo de srceo, no di. 17 trabalha-
ram 72 e 2 cabos, no dia 18 trabalharam 71 e 2
eabos.no dl 70 trabalharam 25 e 2 cabos, ao
dia 77 trabalharam IOe'1 cabo.no dia 23tra-
balharam 2a e 2 cabos, no da 24 trabalharam
>0e2 cabos, no dia i6 trabalharam i9 e 2 cabos,
no dia 27 trabalharam 21 e 2 cabo', no da 29
trabalharam 2 et caboa, no dia 30 trabalha-
ram 19 e 2 cabos, no dia 3l trabalharam 15 e
2 cabos.
Etcrauot no servico do canal do Eslreito. comps
no Jando do canal noaorrrentc anno da 1852.
No da 16 de marco trbalo.rain 52 trahalha-
dores e3 cabos, que .o Ilvre, no di. 17 traba
rara 5i e3 cabos, no da 18 Irabalhai.m 47. e 4
cabo*, no da 20 trabalharam 38 e'5 cabos, no
d.a 32 trabalharam 3S e 2 cabos, no da ti tra-
balharam 46 e 3 cabos, nu dia 24 trabalharam
57 e 4 canos, no dia 26 trabalharam 57 e 6 ca-
bos, no da 27 trabalharam 39 e6 cabo., no dia
29 trabalharam 39 e 6 cabo., no dia 30 trabalha-
ram 49e5cabos, no da 3l trabalharam 62 e
5 cabos.
Uo documento n. 4 se v que o administra-
dor daquella obra declara que trabalb.m eflec-
tivameuie 90 escravos e 16 homrna livres, na
escav<;ao do canal, quando se v da nota Junta
que nao ha um so da que Irabalhe tal numero
de genie e por Isso diga o administrador em
que se e.npregam a gente que falta para o nu-
mero que deu no ervlco,e queso apparecem
as folhas a que elle se refere para faser nume-
ro, e se chuxar a. ren-ias provinciaes, com no-
mes de pessoas que ali nao apparecem no >er-
viro, licando-se oSr. administrador e seu. ad-
juntos com o produelo que rende os nomes
supposlos ; respondan! a isto inultos do. tra-
b ilha m es eoino se ve do documento n. I, Do
documento n 4, se ve que o administrador diz
nao haver wii olticina, porm existe utn escravo
de D. Lourenca Leal, d nome Flix, ofaclal de
e h mi i, ile ole i I.- j iiiciiD (lo cbrente aouo
oceupado e.n faier portas, janellas, bancas,
bancos, rotulas, armarios, cantooeixas e outras
obras, e outro mulato escravo doSr. coinroen-
dador Joaquim da Costa aadas, officiai de
ali ule, e tem estado sempre oceupado no aeu
oihcio ; sem que fac.m .t-rvivo algum a oaco,
no enlamo sao pago, pelos cofres ptyavin-
ci.es, os di.s de servico a seus seobore; c
vista disto, Sr. redactor, V. S. far as relie -
xdes que julgar de lustica, pelo que multo Ibe
radec.do o seu correspondente.
ssiguando am-
bos ee por seus proprlos punhos os recibos rejis de do8 annos, doente de urna ulcera
.,---- pur nJIO te acharem
multo obrlgar a quera confessa ser seu, stc.
Um dos prejudicados.
Maranbao, 21 de maio de 185a.
AO PUBLICO.
0 que tao obras publieisneslaprov'nciaill
1 publico p*ro'vTn"ca"l do Maranbao, 2o de marea maite ao Illm. Sr. W. Pudro de Alhayiie
de I8M. O secretario, Benrigue de Brito Guil- Lobo Muscnzo, qu empregatvlo cuidadosa
Ion. ei ss bia ment os s-u< gran .es conneciaien-
Illm eEtm Sr. Dli F. que a bem de tos priticos di medicina no meu curativo,
---------- i------------...-- ...... aeio de
V Uue sao uvru fnuii, nc'*u iiivv rK.rn r r 1 hu, c ** -|---- ------------
tioiividainos a allenco do governo e mal sua juilica. e do servlcopubllco se Ihe fai pre- c.iniegUIO salva'-me a viaa por
as Inuov.cde. lie melhor ficar quen do que ma
is do dobro das de Peroambuco e Maranbao ;
;:,,do-='x=^.-p- T'SSrSSiSSSS
XrVrriVr.^^
As pistolas de Infantari. compradas, ba an
dos, e.n varias lojas desta cldade, quando deltas
te precisou, nao sendo lodos uniformes ein pa^
dro, eslo de tal modo arruinadas que he ab-
solutamente preciso auhstitui-las.
Al davinas para a oavallaria esto quasi as
uieamas clrcumslanclas.
CaaoVrsVu,
iraogelres c 22 firmas sociaes, alin ae n, que e .er,...--- .-.--.----,....... caaisas.
regir.r.m.eui Ululo, de matricula aulerlor, a. me.maW^t*^ aadol e. futce :,, que a capital do imper.o nao
,10 lodo 410. *,''.* c ',, J, .Tiia. ue la Uve a boa-! tenha urna pr.ao civil que sirva de cadeia.
Perita o irlbunal ^J^.*^ | ^XaVp^^S^^^^^^ ta I .eeoahece.t. .... -..Id.d. .aturisM-
buco ra.tricularau-se 81 negociantes e urinas, i ra t c.jrw
autoridades desla pruvioeia, sobre os docu-
mentos aballo traoscr.pos de ns. a o. Por el-
les se provam claramente os prejulzos, que con-
tinuada...ente eslo sollrendo as rendas provin-
ciaes e os particulares na linmorlal obra do rio
do Eslrrilu, apootando-se algutnas veies no-
mes de iraoalbadores, que nao vo au servir o ;
cootando-se oulras vezes como presentes a es-
cravos, ne se achain em servico e passeio de
empregadus daquella obra; e, finalmente,
apootando-se como em servico efieclivo a em
pregados que, sem llcenca do goveruo, abao-
dooatn o servifo publico para ire.n para as suas
la/.endas tratar de seus negocios paitlcuiares...
Iiisi.in e-se um processo rigoroso, iuierroguc-
seaoi irabalbadorel livres, que deram o attes-
lado il. I; e oulrosco.no sejaraLucioigncio
de Allisyde, Joo Ferreira da Silva, Jerouy.no
Joa da Rocha e mala viziohos : lenha-se em
vista smenle descobrfr-se a verdade, fechem-
se o. olbo. ao.empenho., patronato, e parti-
dos, que se descobrlr a sine-cura desta nunca
iiii.ilis na obra, da qual nrm ao menos se da a
saber o astado de suas coatas, para o publico
deltas ter conhecimenlo e gloialas.
VmOos prejudicados.
DOCUMENTOS-
N I. Nos aballo assignados alicatamos
e juramos, que o Sr. administrador da nbra do
canal do Estrello, Carlus Joaquim Gomes I.ui-
ilumo, tem por vezes Ido a sua murada na n-
belra de liaplcurum-nielriin, onde se tem de-
morado o lempo que bem Ibe parece, asslm co-
mo o li I lio do mesmo administrador, Jos Cr-
io, '".ornes l.induii/.o, tem por qualro vezes ido
a liapicurii em casa de seu pal, e a negocio
de arabos, levando emsua companhia escravos
alheios engajados para o servico desla obra,
seodo un. driles esoravo de D. Lourenca Leal ;
asslm como lem levado bomens livres, os quaes
lie un sendo aponanos como presentes no ser-
vico, demnr.indu-se all o lempo que Ibe pare-
ce ; asslm lambem atistenlo, e juramos, que
Raymuodo Querloo Uemlica e Manoel Rodri
gue. Valeute, quando Ihe. parecen, vo acid.de,
uude se demora.u o lempo que Ihe. convm ;
e como seja.u elles os encarregados da factura
das l'ulhas cooiemplam-ae nellas como presen-
tes i e para estas viageos levara os escravos que
Ihes parecer para reinadores, tambera se
apuntara nome. de pe.soa. que aqu poucas ou
ueiiliuiii.s vezes apparecem no servico, como
sejaui Malheos de tal e mu irino por ser,.
estes manos da amana do Sr. bcinnca; acores-
cendo mals que o dito Henifica quando val a
cldade recebe dlobeiros de diversos trabaja-
dores, e delles nao d conta, e oflerecc em
pagamento a aquelie. serem .peinados na.
avillanas seguintes, sem que rao ao trabalho,
bastando que apparecam no acto do ponto, at
que se salde o diahelro tirado aos ditos icaba-
clso'que V. Esc. ordene por seu respeitavel de.- operares deltcadll, e iloses hamoeop.tbi-
pacho, ao administrador da abertura do canal Clig bem appliCad.s, qui completaran! O
do Estrello, declare ao pdestaque uumero de mei restabelecimento ao Curto esi.aco do
escravos se achara em efieclivo servico na- ,e dl89 .|,, que sendo um do maissi-
quelle canal ( e quera sei Senhores )Q..anto. > deveres d-s .linas bem furnadai.o
carros. Quanio, os cabos de secedes de.ig- veoho pur esta fazer ao mesmo Sr. Dr..Mi.s-
naodo seus nomes, suas diarias, ou measalida- cozu o mais snl-mne protesto de reconne-
de's Quaniosos cabo, decampo seus no.nes, cimento e gratiddo, no S pelo lelo, CUI-
di.ri.s, ou mensalid.de. Quanlos os officiaea dado, e inlellig^ncia com que se distingui
le earploa, ferreiro, ou de oulras quaraquer n0 mea trai,,ment0, como pelas doc -8.8 af
ollicinas ali empregados, quae. suas diarias- ||1|ine,ras com nU8 consollVa 1 minha
Qaaotos os empregados da chau.ada secretarta^ durante a crise da minha mo-
ileooinioacao dos lugares que occiipain, suas "W ttlinha aslIlTl r Ur Hoscoso estn
.lianas, ou mensalidades, acm-rTomes ludo com lsDa.NftnceJ i* *rm"' ""* .g.,dl.
i melhor ciarets ntinrtvel e rom a mxima bre- pequeo fslemunho ddLmea puro/greae
v.d.de: Por lano Pede a V. F.xc., Illm. Sr. cimento, qtfi des-jo se|a omitrp.tdnte. pira
presidenta da provincia, se digne defl'erlr na qU0 0 rospeitsvel publico desta provincia
forma requerida. -- E. R. M. i
Passe do que constar. Palacio do governo
do M iraiiba.i, em 'de marco de 1852. O/im-
po Machado, i
> E.n vlrtude do despacho retro, declaro que
dos pontos e folhas dos trabalh.dores desla o-
bra, coalta que oella iraballi.nn efl'eetlvamen-
le noventa escravas, inclusive os que se acham
uo Arapapahy, seodo esse numero poucas vezes
aderado. Que perlencem au servico de paz 36
trabalhadores livres, loelusive ns supplenles de
cabos, e o que acoinpaiiba os escravos que con-
duze.nagua. Que exlslem sele cabos de sec-
edes sendo Maaim.ano Lopes Salgado Culraa-
res, JuslinoFraocisco alendes, Vctor de Bar-
ros Sol Poslo, Lcelo Ignacio de Athayde, Ma-
riano Jos de S Anua, Antonio Ray.nundo
Machado, e Joo Ferreira da Coila, vencendo
seta ceios res : que san decampo ou rondan-
tes, Antonio JoodeS. Palo, Jos Carlos Gomes
Modoso, e Manoel Rodilgue. Valiente, com a
diarla de rail res. Que nao exi.te ofllc na al-
guma nrstaobra. Que se acha coadjuvando a
escripluraco Francisco Xavier de Oarvalho,
e como fiel do arin.zem, Antonio Crios Lio-
doio, veuceodo sele centus reis ; bem como
nueexlitem mala no expediente da directora
Julio Jucundo Saralva, lildoro Juvenclo da
Silva Barrelros, vencendo mil reis cada um, e
Ray.nundo Fellppe Lobato sete ceios reis, e
no do Inspector da obra, Antonio Fernsndes
Velga, t er.carrcgadodo armase.n da ext.ocla
obra do Aropapaby, Maooel Jos de Sousa
Leio, e com os escravos que ali se acham, Ma-
noel Jos Rlbeiro, todo com o vencimento de
tete ceolo re. Exista mals uesta obra o Aju-
dante Raymundo Qulrlno Ueinlica. vencendo
irlula mil ra. e o mestre Francisco Pacheco So-
brasa, viote e cloc mil res measaes. Canal
do Esirelto 22 de msreo de 18*2. O admlnis-
trador.tarloi Joaauim Coaiei Undoso
possa bem aquilatar as eminentes qualida
desde to h>0il facultativo como elle he;
e por isso pr;o aoa Srs. Redactores), qurir.m
dr um cautiiiho na paginas do aeu apre-
cnvel jornal, a estas poucas linli -s iio
Seu muilo venerador, creado e ohrigado
Antonio Vertir Piafo dt Furia
Pubhcacjao a pedido.
Ao illm. Sr. lr. Estevio le Albu-
querque e Mello Montenegro,!
norte de sua Irma a Exin." Sr.
I). Tranqullllna sabina te Al.
buqnerque Mello Montenegro,
olTerece o seu amigo la. A. cesa-
rlo tle Azevetto.
Fila summabrevisspem noi vetat incluan lanaam.
H.
Nem sempre a flor surrt cheia de encantos,
Das auras b.fejad. ;
Nem aauroradenuven.ro.lclere
No liorisouie bordada.
Dos veutos ao tufao do tenro galbo
La cahe arreuiessada,
A flor, bem como a aurora nao se inoitra,
De nurensabalada.
Tudo muda na trra : Udo existe
Sujelto i dura sorte.
A poz longo prazer, soffrer connuo,
Depois da vida... a marte.
E lio breve be s vezes I... Quando menos
Ptnsamoi acabar,
u
l

i

MUTILADO 1


"
"5
Dos braco i lt#cli apiree Impli
MM*cmarrealai
Pobre, rico, vmmII* t aobeaasa.
AMtormp* *>'
Nm o iii do wpoH. qu* i''W>
a amorta U*t-
Si i Tilinta pmWi Mil*
Jamis Ihe be possivel ;
Treme, pare M encarar o vlriuoa*
Di niorte o wpectro borrivel.
A tern i mil, mili leal cousorie
J j nao vive... morren/...
lidiando esposo e (litio* conilcr nados,
Divida a flor perdeu.
A corra dos marlyrlos desta vida,
A mullo prrperada,
Ja fol gosir no co sai alma juna,
De aojos coilejada.
Nao choris,.. Quando a forma human- dtia
Virtuosa creatina,
Qual litro, os ceos vpando, li no Einpyreo
Asua alma fulgura.
NIo choris.... P.lem lagrimas vertidas
. gubre a luusa abranda-la?,...
Ou vossa dr, com ehoroi e ais dolidos.
Pretendis uiltgi-la ?!...
NIo ; dedil esae pranto, ene lmenlo,
Que laaMo penalisa
Vossa ilnn, el dr Immeus Je perde-l*
Jmala vossuavisa.
lisAmigo, 9 ineu voto, o mi1* slneejo,
Que a anitsade dictou ;
Que-un grito coraco, lerno e senslvel
Livreinenle soltou.
He pebre, slin, inriquiobo ; aiii he tuda
Quanlo posso oftartar.voa
He a vor de mlolia alma prasa loicos
I'osia ella agraiar.vos,
Parnimbuuo. H deJunho de 1852.
COMMERCIO.
PRACA DORECIFE I5UEJUMI0, AS
3 HURAS DA TARDE.
cotacOes ornases.
Cambio sobre Lou-ires: a27l|td.
Al.KAMlKl.A.
Hendinmnto do dii 15 de junho 15:303,687
DiMcarregam hoje 16 de junho.
Rrigue austr(ici) --Leiibica-- farinhi de
trigo.
Patacho tiespanhol Vre$idenle -- merca-
dorjii.
Ilute brasilriro -- Dueidoto gneros do
pait.
Hlat brasileiro Capibnribe dem.
- liiipoiliH'iiit.
Mate brasileiro lluvidosu, viudo do Ara-
city, msnifeslou oseguinte:
201 molhos de couiiiihus. I barrica cal-
5iJo43 s.wis i-'fj de carnauba, I-ditas al-
go 13o ; Luiz Amonio da Siqueira.
20 sacras algodfui, 31 ranas velas, I bar-
rica calcado, 1 picote sapatus, 200 alt|iiei-
res farinha; a ordem.
Brigue e-cuna brasileiro Douro, vjndoda
Baha, consignado a Manuel Duarte lio Iri-
gues, manifeslou o segrate :
40 harns e 30 moioi ditos manteig j a
Maooel da Silva Santos.
5 ciixas fazenJjs, 1 cofre de ferro ; i J.
H. Gi'eusly.
3 metas pipai lirio; a Meurot & Com-
panhia.
780 caixinhss charutos ;\ Minnel Tavares
Cordairo.
iduzias de Jacaranda ; i Machado & Pi-
nheiro.
90 lalhas de Inuc ; a Luiz Burgas da Si-
qiiein.-
250 caixes charutos ; a Domingos Alves
Matheus.
Pe Ira de lastro; a Mauoel I). Rodrigues.
15 seceos com 45 ai robas de lio de algu-
dio i a Domingos Alves Malhuus.
CONSULADO GEItAL
Rrindimentodo da 1 *14 38:634,338
[fluido di* 15........3.058,919
, 39:693,887
DIVERSAS PROVINCIAS.
Kendimenloilo ilii I a 14
Manido dli 15. .
2:448,407
58,835
2:505,242
Kxpiirliico.
Canil, brigui! dinsmarquez Johun Frede-
rik, de 287 lonrlidas, conduzin 3,200 sac-
eos com 11,600 arrohas do assucir.
CONSULADO PROVINCIAL.
Rendimanto do di* 15.....1:879.758
Movimento do porto.
Jlo Jos de Mofes liseal d* freguaila de
Sta Jos do Reeife.
Fito publico a quem ennvier a art do
lit. I ilas posturas manicipaei vigor,
asilm enmo o|ugr marcado emTlrtude do
mafmo srtigo he a Cibanga e ilba ae Annt
Beterra.
Art I. risa prohibido dwtro da cida.
de o uso deroqueins, bombas e fugo solt
( buscases): a* infractores serlo multados
cm lofooo res, soffrerSo dous das de
prisilo. A cimera por eililaes designar os
lugar** em que possim soltar oa buscaps,
toqueiras e bombas deque Irsta esta ar-
tigo.
E para constar mandel publicar pal* im-
prensa. F'eguezia de San Jos, I* de ju-
nho de 1852. JoBo Jos de Maraes.
Odoutor Jos Raymundo da Costa Meneirs,
juiz muniepal aupplente da segunda vari
e do eommeroio, neila Oidad* do llecift
de PernambuCb por S. M le C. que Deoa
fuarde ele,
ac saber ana que o presente edilal vi-
rem, que da dala delle vinta dias, se hilo
de ariematar por venia em praca publica a
quem mais d- r, um sillo no lugir da Torre,
valiido em 3:000,000 d ris, e uan casa
terrea na ra d* Concelcto da Boa-vista n.
1, avahada em 1:6i>t>,000 rs. penhoradas a
Luiz Antonio Rodrifiurs de Alm-ida e aua
mulner por eierocfi i de Jogo Pinto de Le-
aos & Fllho.
E para que cheguo a noticia de todos se
pasruu o prsenlo, mais dous do mesmo
ttiror, sendo um aliftdo na piacadocoej-
mercio, nulio na casa das audiencias, e ou-
iro publicado pela imorensa, na forma de-
terminado no uligo 538 do rcfulimento o.
732 de 25 de novnoibro de 1850.
Dado ne-ta cldade do Recife de Pernani.-
buco, em 12 dej'inho de 1852.Pedro Ter-
tuliano da Cuma, osen vilo o aubscrevi.
J-isc Hayn,nndo d Costa Menerea.
O III m. Sr. inspector da thesouraria da
fazenda provincial, em cumpnmentoda re-
Suluv3o do tribunil a iminisl-utivo de 3 do
coriente, mmdi fazer publico, que nos diis
l."i, lfi ii 17 do mesmo, io meio da, peante
o mesmo tribuual, se ha de arrematar era
hasta publica i quem mais der o imaoslo de
20 por romo sobre a aguardante que for con-
sumida nos municipios abaizo declarados :
11-cifn avallado annualmenleem 12:501,000
Olinda a em 810,000
Vicioria a em 204,000
A ai i omitirn sor* l'eits por lempo do tre
annos a contar do primeirod julho do cor-
rente iiiin 30 de junhu de Ia55, sendo o
imposto cobrado na razo de 353 rs. a ca
nada.
As passoas que se propozerem a estas ar-
rematacOes comparecam na sala dassessdes
do mesmo tribunal nos dias cima indica-
do-, competantejientp habilitadas.
E para constarse mandou alizar o presea-
te e publicar pelo Diario. Secretnii da tbe-
sournii di fazenda provi cial de Pernam-
buco, 8 de junho de 1852.O secetirio,
Antonio Ferreiri da AnnunciafSo.
0 lllni. Sr. insptetor da-llirsouraria di
fazenda provincial, em cumprimentodi or-
do'.-n do l.xm. Sr. presidente da provincia,
man la fazer publico que nu da 17 do cr-
ranle val novameiit a praea para s'er arre
matad* parante o tribunal dmiinslralivo da
iiirsma lliesouraria, a quem por menos lizer
a obra dos conceitus da casa que serve de
qoaitel e cadeia ni cidade de Nazarethe,
avallada am 699,600 rs.
A *rrem*Uc3o ser frita na forma dos r-
ligos 24 e 27 d* le provincial n. 286 de 17
de maiode I85|, e sob clausulas espe-
ciaes ebaixo copiadas.
As pessoas que se proposerem a esta ar-
remata(flocumpare(8o n* sil* das sessOes
do mesmo tribunal, no da cima meociu-
ii.dn pelo Hiri di*, cotnpelentemente lia-
beliladas.
I-: pura constar se mandn Hilar o pre-
sente e publicar pelo Diario
Secretaria da thesouraria da fazenda pro-
vincial de Pernimbuco 1 de junho dn 1852.
n secrelario.
Antonio Ferrrir* d'Annunciac.3o.
Clausulas eapectaes da arrematarlo.
1.' As obras constantes d'esle concert
seiflo Inias de cooformidadn com o orci-
nienloap.rovado pel lixm. Sr. presidente
d* provincia em dala de 23 do crrente
(abril) na Importancia de 699.600 '8.
2' Estas obras serfio principiadas no pra-
7o de 3o dias, e concluidas no de quatio
mezes, contar da data d'arrematacSo.
3.a A importancia total d'esla rremata-
ro sera paga em urna s preslaclo quindo
r-liverem concluidas todas as obras.
4." Para ludo mais que nBo estiver deter-
minado as prsenles clausulas srguir-se-
ha o que dispOe o resuello a lei provincial
o. 286 de 17 de maio de 1851.Conforme.
O secretarlo.
Antonio l'creir.i d'AnnunriafSo.
Olllm. Sr. Inspector d* thesouraria da
fazenda provincial, em cumprimentoda re-
soluto do tnbunal administrativo de 97 de
eurarla d
buco,*/ de
a faitrtd* frvlae|al de Pernim- Roa da Ci***bi.
junKodo IIM.-Osecetario, W. 5 de 1 indar, e casal Ir-m
Antonio F. da onnnciatBo.
-< Olllm. Sr, insportnr a thesouraria da
flzelia* provinelal, em cuntprimento da re-
sol neg dn inhnnal administrativo de 27 de
mala prximo paaatjo, manda faaar wutili.
co, que nos diis 15,16 e 17 do correle, po-
rania o mesmo tribunal, se ha de inemitar
a quem por menos flzr o fornecimento dos
medicamentos e ut tisis par* enfermarla
da ctdei* desla cidade, pelo lempo de um
annoa contar do 1.a de julho do cor rento an-
uo a 3ii de junho de 1853.
As pessoas que se propozerem a esta *r-
remaler;3o comparecam ni sala das sessOes
rrajgan. (le 10.
Ra dos Bulaos,
Casas tarreas o. isell,
Emol.dJlj|liQ,
RuadoVlgarlo.
N. 92 e 25 de 3 andares, a. 27 da I dito.
Rita Jo EncanlimrBlo,
Casss terreas7o 9; de 2 andares n. II e 18.
Ilua da aenzalla Vellu.
N. 136, 134 e 132 de 2 andares ; n. 16 o 18
. terreas.
, Ra da Gujs.
N. 25 e 27 larreas. <,
Rua do Trapiche.
N. 30 de 3 andares.
As pessoas que se proposerem arrema-
do mes,mo tribunal, nos dias cima men-. tardit** rendas podero comparecer na casa
clonados pelo meiu-dia, competentemente dasseisOes d*admini*tr*(8o, nosdiisici-
bibililidia, que elii achirBo o formulario e na indicados com seus dadores.
condiccOes de arremilacjlo. .1 Secretaria da ailinlnistrico do palrimo-
E para constar ae mandou afllxir o pre- 'niodos ornhflos em 11 de junho de 1852.
sent e publiear pelo Diario. O secretaiio Interino, Manuel Jus de Santa
Secretaria da thesouraria da farenda pro- Anua e Ai aojo,
vinelal de Pernambuco 4 de junho de ~~ Pela secretarla di thesouraria defa-
1852. I zenda drsia'provincia, se fiz publico aspes
O secretario,
Antonio Ferreita d'Annuncac,3o.
finas constantes da relaefloabiixo, pata quu
dirijam-so i musinu repiiti(9o lim de fa-
zerem sellir os docurr.entus, que se acham
ai>pensos a seus requerimenlna.Secretaria da
thesouraiia 12 dnjunhn de 1852 O ofllclal
malur interino Emilio Xavier Sobreira de
O lllni. Sr. inspectoa da thesou-aria d*
f*zenda provincial, em virlude da resolu-
cio do tribunal dminiatrativo, de 3 do
crreme, manda fazer publico, quenosdas Mello.
15, 16 o 17 do n esmo ao meio di, perante Rclaf3o dos requerimentns existentes na
o mesmo tribunal >e ha de arrematar em repartirlo cima.
basta publica, a quera por me os lempo pe Forluoso Alves.
fizer, o contrito da iluniiinacfio publica da Ii JuSu Baptist*. .
cidade deOlioda, a vahado o costino diario I' Luii da Fonseca Conzag*.
do cada lampiSo cm 140 iia. t>* Evaristo Antonio.
A arremata^Bo ser feita por lempo de 6 DaM.nano Antonio
annos, n* roana do art. 2 da lei provincial De Antonio Juaquim Mandes,
n. 289 de 4 do rom-uto o ez. Do (eral lo de Souza.
As pessoas quo so proioierem a esta *r- De Marcelino Antonio de Souza.
rematarlo, comparecam ni sala das sessOes l) Felisberto Marinlio Lizardo.
do raesmo ttibunal, nos dias icln.a indica- De Manuel Joaquim da Coat,
dos, competentemente habilitadas, onde Do Manoel Pedro.
acharBo as condirOes rom que deve ser ef- De Belmiro Joados Sanios.
IVcluado o mesmo conti-ato. De Francisco Antonio da Cruz.
E para constar se man .ou illxir o presen- Da Fnncisco Xavier Ca volcante Lilis,
le e publicar pelo Otario. De Alexitidre Jus do Aiaujo.
Sec oa ia oa Ihosouriiia^Ja farenda pro- De Jos Mauoel do Almeida.
vincial no Pernambuco, 9 de junho de 1852. De Mano -I Jos do Nascim -ntn.
-Osecreiario, Anlouio Ferraira d'Anuun- REAL COMPANHIA ME PAQUETES LNGLEZES
ciacao. A VAPH
- Olllia.Sr. inspector da Iheaouraria da a-a-. No dia 21 ueste mez, espera-
r.zoida pro.ioci.l, em cumpnmenlo di ^SA^ s.-, do Sul oviporTay.com-
ordem do tim. Sr. prosldonte d. provincia, *mc*m? maI1,ial,,0 j,os5 0 depols
de 21 de maio p.oximo p-ss-do. mans fa- *aaa*a^a daenior, Ocostuuie, *egui-
zer publico, que no da 17 do conenle val r piri os poHos d, turop, .,ar, p,,Kel.
novameiilo praca, para .or ai rematado po- r,, trt,-seem cas. d. agencia, na rua do
ranle o tribunal administrativo dinie.n Tripiche Novo n. 42. Adverle-se que rece-
ll.e.ouriru.-i quem m.tor iieco olTeierer be-ndintieiroaara passagem, comoabaixo
>l importancia de 1:400/000 ris por que 98 decan- *
foramdjniicadas a fazenda p.ovinci.l seis o,,,.., hesp'anhlis, a 65shillinescada um*.
mor.dHSdecsssnapovo.caodosAfTog.dos. ou.o americano, eci d 10 palacfles e 40
oseo corie .les compaiocam nodia aci-- ebillines.cada uon.
maitidtcado. aonie.odi.ua salla dasses- Dito francs. Napolen de 20 francos, 15
sOes do mesmo tribunal. shllltnes e .0 pennes, cada um.
E paia constar se mandou allixar o pie- Dilo ,lil0 d9 dllu UK 5 d|los 3 shj||in08 e ,0
senie e publicar pelo Mario. petmes, cada um.
Secret.ri. da Ihesourarl.d* fazenda pro- PatacOns, tirasile.ros. hespanhoes, ou ame-
ncial de Pernambuco, 11 de junho de xicanus, shillioes e 2 pennes, cada un.
;.i i< ,i"n,fl|iinA Aiilnniii iKinrm .4.. r '
rubctcoei litlerariax.
TRATAMENTO hmeo-
PATUICO.
as MousTiaa rieais,
e conselhoaioadoenlH par le curaren,
si mesmo, sem preelsrem de medico,
pelo profiaaor homcaoHtha -
Gosset-Bimont..
Saliloa luz e.eha-se a vonda no cnsul-
tono bomceopatinco da rna das Cruzes n.
28. pelo preco de 1,000 rs.
Publica;o jurdica.
ndice alfaln tico da Legislarlo hrasileir*
promulgad at 1850, com a legislarlo an-
liga a respeito das lela promulgadas, pelo
desembargador JoBo Joaquim da Silva.
NSoteve o autor di-sie ndice em ita
confeccin-r um reprrtoiio de toda legis-
lar-So em vigor, pois que acerca de obieclos
relativos as reparlir;Jes de marmita e guerra
silo apenas indicados os que podetn s-r le-
vados por quslquer motivo ao ounhecimen-
to do poder judicial io e do gove< no provin-
cial fui aeu intuito smeute facilitar sos
juizes, advugadua, em regados pblicos da
justica, lazi-nda e polica, o aoa neiiooian-
tes o meio de connreer a* leis i romulgadss
e *s decisOes do governo al o m doanno
de 1850, cumpreheiidonuo lambein o ndice,
'materias que InteressSo ao clero e aos
cidadlos em geral. Enlendeu, portmtn, o
ulorquosen* de alguu,* ulilidadeasdiOe-
lentes rl.iss-'S da aocie lade a publicario do
seu ndice Alfali lid, que abrsnge extrac-
tos dos spomametitos do Exm. conselheiro
de estado, o Sr. Jusr Antonio da Sivs Maia,
e dlspositoos ainda em rigor de toia anti-
gs, almas e tssentos os exmelas casas
da supplicai.'.'lii
-- Pan a UM Jff. Miguel o patacDo pr.
tugu-H UestiBO para o que tam a maiur p',r.
leduoarga aaompt. nuem no rntsmn i,,,,.
zar cartagaMU hlrde passagejn dirija -
qnanto'inieolos cnsignatirios Tbomiz d?
Aquino Fonsaca 4 Uno na rua do Vigario n
19, priottiro anuir.
Para o Aracaty
sabe com bre>idide o hiato Anglica : tr;.
tar na rua da Cadeia n. 49, segundo andar.
Para o Hio de Janeiro, de-
ve sahir com a maior brevidade
a barca bmsileira Firmeza pr.r
ter a maior parte da carga jj
piompla : para carga e passagei-
ros, trala-se na rua da tiadeia n.
4o, ou com o capitSo Joaquim An-
tonio Goncatves dos Santot, na
praca.
Par* o Porto segu com brevididra
barca portogueza Olimpia : quem ni mcs-is
quizet carregirou ir de passagem, rnten-
da-se com os seus consignatarios T. de a-
quino Funaeca & Filho, ou com o espitan o
Sr. Jos Thomaz de Lima, na pra(*.
Para a Paraliiba.
Segu com brevidade, o novoc
veleiro hiate Santa Cruz, ainda re-
cebe alguma carga: os pretenden-
les dirijam-se a rua da Cadeia di
Kecife n. a3, ou 56 A, ou rua
do Trapiche Novo n.. i6, segundo
andar.
Veude-s por 5,000 rs. na praca da Inde H"* o Aneaty
pendencia, livrana n 6 e 8. S*he com brevidade hule tordo Cururi-
_ pe: a lratar-se na rua a Cadeia n.
l ELEMENTOS. >
r DE I
vine
1852. O secielario, Antonio Ferreira da
AniiunciacBo.
-- O lllni. Sr. inspector di llitsouraria da
f.zend. p'ovincial, em cumplimento da le-
soluQflo do tribunal administrativo, de 9 do
corrcnle, manda fater publico, que no da
Ouru poituguez, pecas de ,400 rs. 30 simu-
nes, cada un a.
Dito de 4,000 rs. 20 sliillines, rida urna.
Associaco commercial.
A dirccgSo desta assuciBo querendo con-
17do mesmo, ao meloda, taranteo mes- rrer quanlu em si couber para u incre-
mo tribunal se ha de arrematar a quem
ment da agricultura desta provincia, com-
Navio entrada nu da 15.
Aracaty 13 dias, biste brasileirn Duvldo-
so, de 43 toneladas, meslre JoBo llriirique
do Almeida, equipagem 6. carga fainhi j ro,io prximo (indo, ui.nd f.zer publico,
e mais gneros ; a Jus Manoel Marlins. qge perante o mesmo tribunal, se ha dear-
Passageiros JoBo Kudrigues branlos ,' rematar us diss 15, 18 e 17 do correte, i
Antonio Rodrigues branles e 3 esciavos quem por menos lizer as impressOes dos Ira
a entregar. ^ balhos das reparcSrs proviuciaes, avalia-
favio tnlmio no mesmo lia dos annualmente em 2:848,000 rs.
Asu pelo Rio Criode do Norte patacho A arrematarlo ser! felta por tempo de um
brasileiro Amargoso, meslre Joaquim Ju- anuo, a contar uol. de julho do rorrete
t Biracbo, caiiii fazendis e mais gene- annoa 30 de junho le 1853.
ros. Passageiros, M'tioel de Paira Dias as pessoas que ae propozerem a esta ar-
Jo-Caetatiu Coclbu, Antonio Alves Mu- ramalacBo comparev*m na sala das sessOes
" a Jos Joaquim F-rm-dea. do niesmo tribunal, nos din cim men-
' cionados pelo meio-dn, comptteniemente
lubilitidas.
mais ofTerecer, por tefapo de 3 annot a con- mun'ca aos senhores do engenhos, fazendei-
tardoprimeiro dejulnodo crtenle auno rose lavra lores que na sal. da mesmi isso-
a 30 de junho de 1855, o imposto da laix. da c|acao se scham modelos de maquinas nu-
ha. reir da ponto do Bujary, lo mudo so vis para o fabrico do ssucsr, para desesro-
por base o olTeiecie onio de Suo/oOO lis Car algodoe ouiroa, qua flgurinni na ex-
loranno, foito peo licuante LuizdaCos- po'Cao de Londres, ludo lemetlido pelo
ta Poitocarieno. tocanvavel a.iiigo dos melhoramenlos do
E para constar se mandou litar o pre- 'r,,l|i ,"ni- 8'- 8turs consol brasileiroem
sent e publicar pelo Ufara. Berlim, e encarregsdo pelo nusso gorerno
Seceaiia da thesnunrla da fazends pro- do assistir a dita exposicBo; e estes objec-
vincil de Pernambuco, II do junho de 1852 los I>odem sli s r vistos, copi .dus, onpor
-Osecelario, Antonio Feneira da'Anoun- ?lr 14lquer form propagados, todos os
liego.
u Sr. Dr, juiz de direilo chefe de policia
interino da provincia manda convidara lo-
dos os senhores negociantes loglas e mais
pessoas desla cidade, que vendem armas,
Uleis das 10 Poras da manliil al is 3
larde, pin o que se fazo presente an-
di
d
nuncio.
Pela delegada do destrlcto do ter-
mo d'esta cidade se acham recolhidos c-
I --' l' .- W 1 .. UV| I, 11 T I 1 i 1 III 11,11 "j ,, ,------------------------------__..
plvora, chumbo, e salitre **comparecerem deadosla cidade o prelo Domingos, que se
nesti lopailicfio no piaso de quinze dias diz escr.vo deSebasliBo dos OculuS Arco-
contados da publicacBo deste, aflm de sorem v^,,,, Pftnmhuco, e pret* Tliereza, que
matriculados n* conformld*de ds ordena *o declara qual aeja o eeu senhor. Quem
existentes, sob peo* deque o nBo fzcndo, sejulgar com uireitoa elles. apresente-se
nBo Ihei. ser! permeltid a venda do taes ob- com seus competentes ttulos de posse e do
jetos. Se-crelaria da polica do Pernambuco D,i"iu- flue er-lues-liBo entregues.
15do maio de 1852.-Antonio Jos de Frettas, t'eio presente se faz scu-nte sos cre-lo-
I aaiamti use. ros do f.llido alaicelmo Jo-e ftibeiro, que
ii uns-no Sr. Mi. juiz de direito chefe por este juizodo commeiciu fot marcado o
de polica interino manda declarar, que (lea da 17 do cosrente junho, para se iratsr do
prorrogado por mais quinze diis, rontidos contracto de uoiBu, e se nomearern admi-
da publicacBo desle, o praso para mitricu- lustradores masa* fallida por isso deve-
la, de que Irata o odital cima, visto nflo se r, os mesmos credores comparecer nu n-
ter ella podidoeffectuarem virtudeda ran- diradodia, as 10 hor-s da manhBa, na cas
fHOMEOPATHIA!
aja fje
9 SAIIIOA LUZ A 3.'E ULTIMA PARTE I
. desta obra composia pelo profrssor de
J liiiniopalliia Cusset ilimont. Cusiera 9
5 5/000 obra inleiri al 30 de junho,
^ dia em que (cari encerrada a assig-
8JI natura Esta obra he til, tanto para
? os n.edicos que se dedicsiem *o es*
0 tu loda nova modicia*, cmo para &*
9, todat as pessoas de boa vontade que *>
# qutzerem convenc-r-se porexueiien- _
9 cas da verdade Jesta doutriua, por *
9 nr ella muito ciar*, e a intelligencia
9 de toilus,
A No consultorio homopalhico rua
T lls Cru/es 0. 28.
-.49, ^o.
Klindo andar.
Para o Mariohio Par segu com tu ta
a brevidade o brigue escuna Duuru : para
carga uu passageirus, dirijam-se a M. D. Ko-
drigues. rj do Trapiche n 28.
Leiltu.
ifiPlTAarJ
(i. Sr. iwSfi
avincial, oJn I
, ._m S. Pra constarse mandou affixir o pre-
ta da 'senie e p"DuMe! pelo Diario,
ila or- -Secretarn da in'SDTS".a di fizendaJiro.
- Olllm. Sr. insuoh^y.ildt/Jheiiourju^
razend. provinrial.j,!, cutnprm0,0 d
"fr8rn*dii ViT-.T ^in-si lenie da provincia de vincial de Pernambuco, 4 de junho de
II do correle, manda fazer publico, que 1852.
nos das 6, 7 o 8 de julho prximo vindou- O secretario,
ro, e lia de arrematar perante o tribunal Antonio Ferreira d'AnnunciacBo.
administrativo da meims thesourari* a O lllm. Sr. inspector da thesouraria da
quem por menos lizer ulna da ponle fazenda provincial, em cumpnmenlo da re-
da Passagem da Magdalena, avallada em solucBo do tribunal idmlnislrativo de 27 de
-J4.8a0.8IU rs. m.iu prximo piasidn, manda f..zr publi-
A irrematscSo urit fejla na frm dos ro, que nos dias 15, lie 17 do correte, se
artigo* 24 a 87 da lai provincial n. 288 de ha de arrematar om hasla publica perante o
17 da maio de 1851. o sob as clausula* espe- niesmo tribunal, a quem por menos lizer o
caos abaixo copia las. servico da cipatasi* do algo iHo, avahado em
A* pessoas que se propozerem a esta arre- 2:500,000 por inno.
matacBo, comparecam na sala das sesso-vs A arrematacBo sei feita por tempo do 3
do mesmo tribunal, nos dias cima m-ncio- anuos, a cuntir do l. de Juilio do correte
nados pelo meio dia, compr lentamente ba- annu 30 de junho de 1855
biluadas. As pesioaa que ae propozerem a ealai arre-
E para constar so mandou afJlxar o pie- maiicoei, ompare-an na sala das lessei do
sent, e publicar pelo Diario. Secrctarii da meinio irlbuu^.niiidlai cima Indleada cotn
thesourari. da la/enda provincial de Per- P'ioie.oeuie h.biWMas.
n.mbuco. 15 dejunho.de 185-2. -O secreta- ^Z'TwUi^'^
audou afnr opreientee
no
Secretarla di ilie.ouraria da fazenda provin-
cial de rernamouco 4 de junho de l85l.
O aecrelarlo,
Antonio Ferreira d'AnnunciacBo.
Olllm. Sr inspector da tbeeouraiia da
de fazenda provincial, em cumplimento da ie-
soluclo. do ti ibunal administrativo de 3 iio
da residencia do Sr. Dr. juiz do couimercio
Jos Raymundo da Cosa Menezes : na rua
da Madre de Daos o. I, primeiro andar, par*
o iiiin lim.
lU O vapor bnsileiro Paiaense,comman-
uiiue o capilSu de fragata, SI F. da Costa
Prreira, devechegar dos pm tos do NortobJ U'.vn', ajuil-m esta empreza o que
brigarl o traductor.
ieafluencia de Irabalhos desla repartir^Bo.
Sec oan* da policia de Pernambuco 12de
junho de 1852. Antonio Jos de Freitas 1.*
amanuense.
Manoel Juaquim da Silva Ribeiro, liscul em
exercicioda freguezia de Santo Antunio
do termo desla cidide, ele. etc.'
Faco publico para conheclmento de quem 20 do crrenle mez dejuho; e seguir pj'
convier o srtigo 6 do litlo 8 das posturas r os doSul no di* seguinteao de suatjo-
muuicipses em vigor. 'irada.
AitisoS. Fice prohibido dentro da od*- |
de o uso de roqueiras, bombas e logo solt j
(buscapsj: os infractores serlo multados
em 10,000 rs e FoffrerBo dous dias de pri-
silo. A Cmara por ediles designan os lu-
gsres em ana possim soltir o buscapes, ro-
queiras e bombas de que trata osl irligpj
E para constar mindei publicar iv.'i'a'im-
prenaa. Krrguezii de Santo Aii/rtmo 12de
junho de 1852. Manoel Je,l,'Unii da Silva
Ribeiro.
fieclarayes.
THEATRO
DE
S. IZABEL,
Recita extraordinaria aj'w
vor dos artistas
Luii Antonio Monteiro e Ua-
Adintnis'rscAo do patrimonio dos orpbflos. ,.
Peante a administraran do patiminino ra Amalia MoilIClfO.-
dosorphlos sehlo de arrematar quem 'quinta feiba 17 DI JUNHO ni- l 8 51.
mais der, e por tempo de 3 annos, que ho .
Antonio Fe rei'i da AnnunciacBo.
Clausulas esficcin'i du arrenataiflo.
1.a Esta punte ser execut.da de cunfor-
midade com o orrmenlo nesta data aure-
senlado a pprovacflo do Exm. Sr. presi-
dente da provincia na importancia
24 880,810 rs.
2.a Estas Obras serSo principiadas no prs- correle, manda fazer publico, que no dia
so de trinta dias,a concluidas no de dez me- 17 do mesmo, ao meio da, perante o mes-
es. mu uibunal se ha de arrematar a quem mais
3.a Durante a execuelo dis obris o arre- oS raoer, por teu-po da tres anuos a contar
matante aera obriga lo a dar livre passagem do primeiro de julho do crrenle atino a 30
ao publico, lauto a p nomo a vallo. de junno de 1855, o imposto da laxa da bar-
4.a A importancia deita irremetaqlo ser reir do Motocolomb, avaliido ouvamenta
paga na forma do irligo 38 da lei provincial por auno em 2.204 000 rs.
n. 286. As pessoa que se propozerem s esta *r-
5.a Para ludo mais, que nBo estiver de- romatscSo, comparecam nt sala das sessOes
frminado as presentes clausulas, seguir- do mesmo tribunal, uo di* icima indicado,
so-ha o que dispoem respailo a le pro- competentemente habilitados.
vincial n. 286.Conforme.-Osecretario, E para constsr se mandou ifixiro presen.|<:sss terreas n. M, l, 15, ia e a ue i an
Antonio Ferreira da AnnunciacBo. te e publicar pelo diario. Secretaria da Ibe- dar n. 17,18 e 14.
de ter principio do 1.de julho do correnle
ano. a 30 de junho de 1855, as rendas dos
predios seguintes, e nos das abaixo de-
clarados :
Em 17 de junho.
Largo do Collegio.
N. 1 o segundo *n Rus disLarangeiras.
N. 17 cieleirra.
Una do lia ligo I.
N. 58 dila dita.
Rua Vaina.
N. 82 dita dita.
Rui de S. Concalo.
N. 22 dit* dita.
Rua do Sebo.
N. 3 dit* dita. -
- Bu* da Madre de Dos-
Casas Irrese n. 20, 10, 8.e 2.
Ru* do Torrea.
Casa Ierre* o. 18.
Ruad* Lapa.
Casssterreis n. lie 12.
flus do Codorniz.
Casss terreaa n.I e 3.
Rua da Moda.
Casss terreas n. 17, 41,43 e 45.
Rua do A ii o im.
Caaas terreas n. 5, 54. 58. 47, 45, 43 e 21.
Em 13 de junho.
lina do Amorim.
Casis terreas n. 24 e26.
nua do Azeile da Peixe.
Grande espectculo
Depnisde urna esculhida ouverlura, pala
nrciiest's subir scena o inlereisanle
drama em 5 actos, ornado de muzica:
AultiUA DEDEOS.

l'erronagens e actores.
Lanatalut o Sr Coimbr*.
O comaiendador o Sr Germano.
Omarquez Arlhur deSyviy o Sr. Bizarra.
0 cura o Sr. Pinto
Pedrinho, cabreiro das ruontanhss -- o Sr.
Monteiro.
Jacob oSr Monteiro.
Fanchet -- o Sr. Hozendo.
Cnarlou -- o Sr. Cahrl.
Mari* a seobora Manuela.
Magdalma a senhora D. Amalia Monteiro.
Chonchn -- a senh<>ra D. M. Leopoldina.
A seiihur* d'EIbu a senhora N. N.
A marques* de Syvry senhora D. Car-
mel!.
* Terminar o espectculo, com a graciosa
Tarca
O RecrutamentO na Aldea,
no qual hiveri o engrifado terceto
O LUNDU DE MONBOY,
dirigido pelos artistas Monteiro, Manoell e
Amalia.'
iii,ooo para os -asignantes.
A intercs-anti-sima obra
de
MEDICINA UOMEOPATUICA.
DO
Dr. 6. II. G. Jark.
traduzida em portuguez
pelo
Dr. Pedro de Attahyda Lobo Moscoso.
Arha-se nos lelos ds Typogr*phia com-
mercial do Rvm. Sr. Padre Muir llenrique.
Esta obra he indispenssvel ludas as pes-
soas, que querem estudar, e praticar a ver-
iladeira medicina a homeoptica : nen-
hum elogio por mais pompozo, que seja, he
sulllciente pan encarecer o mrito della :
o nume de seu a u Inoro Dr Jsrli he todu o
seu elogio : lem sido ella fonlo, onde b-ni
bebido sua insliuccBo os melhores mdicos
e autores lio ncopilicos. 0 tiaductor po-
llera f.zer um resumo mais ou menos per-
feito desli obra, miis nBo querendo a pre-
sentar como seu n trsbilho dos oulros, re-
solveu vri to- |a para o poriuguez, procur.n-
dosero mais fJul possivol natrsl.da(,1o do
i ens uiiento do autbor. NBo estando com-
pletamente eslu.'aio grande iniim: n dos
medicamentos, que vem consignados em
dita obra, o tradutor resolveu appresen
os cen medicamentos mas bem estudados-
e experimentado na prilira, os quaes com-
porflo o 1,6 volume. A obra ser ci mposta
com excedente typo, e ntidamente imprij-
saemmuilo bom papel, para o que nBo se
poutarfio despezis. Assigna-se par* esta
obrs no consultorio Homeopapthico da ru*
do Collegio n. 25, primeiro sndar dirigido
pelo traductor. Em consequencia de algu-
ma diminuit,3, queconseguimus impreco
da impressBo, podemos reduzir a 16,000 rs.
o cuito para as pessuss que se dignarem as-
signar ; devendo ser pag* esta quantia na
entrega do primeiro volume, que sabir s
mais breve possivel, sendo inmunda,la 15
dias anl-s, e ene -rraudo-sii a sssigiiiiiu-
ra no di* da entrega. Espera-se que todos
OS amigos da-',livmal iin-dicina homeopa
muito o
Slanoel da Silva Santos far
leilao, porconta e risco le quem
pertencer amanha 16 do cor-
renle de ()o j.iczes de balatas ,
vindas do Hio de Janeiro,na barca
Firmeza.
Avisos diversos.
Consulloiiullimeopslliico ru do Colle-
gio n. 25 Io andar, em 7 de alo il de 1852.
Publicado eommemal.
Publica-se todas as segumlas-feiras nesta
typngraphia um HOI.K1 IM COMMERCIAL em
bom papel eoptimos lypos ; cuolendo os
precus correntes dos gneros de Importacfio
e exporlaijao. em portuguez, fraticez e in-
glez, coofendos por um correlor ds praea ;
declararlo das despezas e direllos dos mea-
mos, e do porto i entradas, saludas e carre
(jmenlos dos navios ; cambios; moedas;
freles, comparacBo dos pesos e medidas, re-
lacio dos navios existentes no i orto, e urna
revista semanal das vendas e mais mov me-
los do mercado: subscreve-sw a I2/O00poi
anno ni livrsria n. 6 e 8, da prara aa Inde-
pendencia. ____________________
Avisos martimos.
MUTILADO
- Para Lisboa pretende aegoir at 20 do
corrento mea, o veleiro brigue Eugenio, o
qual lmente recebe passageiros para o que
t-m bons com modos; quem pretehder pOde
enlender-se com o capitSo a bordo, ou com
os consignatarios Amorim & iraiSo.*, ni rua
di Cruz n. 3.
. Para o Aracaly
Segu em poucos diis o hiate Capibaribe,
pregado e Torrado de cobre; pan o relio
da caiga trala-se ni rua do Vigario u. 5.
Fara o Hio de Janeiro, suhe
com n maior brevidade possivel, o
lindo e veleiro hiale brasileiro l'ie-
dade, forrado e pregado de cobre,
tem bons commodos para passa-
geiros : para o resto da carga e
esernvos a Irele, trata se com o ce-
|iii5o, na praca do Commercio, ou
com os consignatarios Novaos &
Companhia, oa rua do Trapiche
n 34.
Para o Aracaty
Sahecombrvidadeobemeonhecldo kis-
te Novo Ollndi pin earg* a Irattr com o
seu consignitirio J. i. Tasso Jnior.
I
Roga-se as autoridades poliriaes s pri-
sBo do escravo Hanrique, que se acha rte-
sappareci lo a 10 dias, levando duas carni-
zas, urna branca, outri izul.'duas eilcas,
umi de listra, outn azul de panno com vi-
vos encs> nados, cha.ro de paltu: tem a es-
tatura um pouco baixa, he grosso, com urna
cicatriz na testa em um dos lados, tem un-
altos e baixos na cabeca de urna c be natural do millo, idide trinta o tanto,
annos; a quem o pegar muito se sgradece
pagandn-se o portador generosamente: na
rua da Peaha n 5.
Desappareceu no dia 13 do corrente da
cidade de Olinda, de urna casa na rua de S.
Rento, um moldo de nome Benedicto, alto,
magro, olhos pequeos, caripinhi alta, den-
les de cii a limados, muito farcoh, e qu 1
j nBo lie moco; levou vestido ealc branca,
camisa branca, jaqueta preta, e chapeo de
ralha, veio do Maranhlo ueste ultimo va-
por aroiipanhando seu senlior o eommeii-
da lor Joaquim da Costa Barrada, que rsia
hospeda lo ni ditl casa, o m-smo escravo
tem pinli io no braco esquerdo um imn-
(lxo, e no direito um B.: quem o legar e o
entregar a seu senhor, ou a seu filno,- Joa-
quim da Costa Barrad* Jnior, estudite da
axademia, ser pago do seu traballto.
Apessoa que annunclou no Diario n.
132 de 15 do crranle, precisar de um cai-
xi-iro que tenha pratica de v mli, e d Ma-
dor a sus conducta, querendo diriji-se a
travessa da .Madre du D os n. I, taberna que
ah adiar com quem tratar.
Roga-se aoSr. Cassiaoo Alberto Pimen-
I*, que ven na resgslaroseupenhor, ha mui-
to vencido : oa tua dol.ivramento n. 10.
Lino Ferreira da Silva, retira-se 1 ara
fon do imperio.
Em nova fabrica de chocolate ho-
n.ii'iipaihiri, na 111a das Trincheiras n. 8,
precisa-se slugar um preto
O abaixo asignado deixa de vender be-
bidas espirituosas de produrcBo hraailelta,
na sua taberna s>l* na rua do Rangel n. 81
desde o dia 1 de julho de 1852 Jus Igna-
cio de Arruda.
Deseja-sc saber se nesta cidade existo
Feliciano de Campos, ou alguma pessoa quo
por elle so inleresse, sobre urna Inranra em
Purlugal: djrij-se a rua du Cabugl 11. 4.
Precis*-so de um esliveiro ladino, for-
ro, para se viro de nina cas estiangeiri:
na rua da Aurora, casa junto ao collegio das
orpliBaS.
Do engenho de Santo Amarinho da fre-
guezia da Varzea, desappareceu a ISdocor-
renlo um molecole, Eufujio, com os sig-
na.-s seguintes : re. re-enta 21 1 22 annos,
nBo sito, bem preto, mefio n-oc-inhiqur,
niriz nBo chalo, be um tanto arrebita lo, bem
feito do corpo, ps pequenos : quem o pegar
leve ao sobredilo engenho, que ser! bom
i;r;i hcado.
lia fabiica docaldereiro da rua do Bruui
11. 28 lusenlaram-se, no di. 10 do c rn ule,
o preto Aiiliinio de ntcBo Cabinda, estatura
regular, cabellos unjuuuco brancus, cbeio
do corpo e muito csWlludo no* peilos, ros-
to ca< regado; rustum* em so** fugldas fre-
3uenl>r a Solida le, Manquinho e Afoga-
os, e em sua uili'i a fgida foi pegado no
engenho Cuca d sii ietn do Rio Kormuso: e
nu da 13 du crreme o preto Alexandre, de
nico S. Tbom, alto, Curpo refurcado, e
abgre, e ja foi escravo do 8'. Buhy e do
frincez Mrlequar, mondor no Rio Doce, lu-
gar que omesmoescravu costuma frequen-
lar nas diversa* fgidas que ha feito :
.loga-seis autoridades i-oliciaes e s quem
quer que driles der noticias, diriJBo-ro a
mestna fabrica que sera recompensado.
Esl desapparecido o moleque africano
de nomo Antonio, que costuma vender ti-
blooa, em um isbobiro grande em vemiza-
dode encimado; levou camisa izul de min-
gas curtas, e caiga lambem azul com listris
p- cins muito miu las : quem o pegar, leve-o
a ru* Augusta n. 33.
Manelta Lan la, vai para fura da pro-
vincia, levando em sua companhia urna li-
Iha menor de 2 annoa.
A pessoa que annunciou por.este Diario
pircisar de urna pessoa para o servico de
urna csa e par* engommar: dirija-ses rua
do ArsgBo n.l.
O tal tiapalhada
ia I policia ver se rom i-tTolo o tal material
linha respoiisabilidade,mas como nfiose
achas-o com anin o de seguir em tua publi-
ca, tomou beira na praia ; e como nerla
encontraase grande opposicflo, rrcuou ; e
dentro iie casa rio dizer que a lil pila'vr*
significa dos a* crealurase que,eeiquan-
to esta lite lemhrar, em oulra nlo se turna *
esbarrar. O vigilante.
OSr. Silvano Thoms de Souza ajaga-
Ihles, tem nma caria na botica d* rua do
Quetmido a. 18, que se desoja euUegsi
pessoalmeote."


O'engenheiro M. de Barros
Btrrlo,
rumiado na escols central d.a artes e nu
iiii curas de Paris, Incumbe-so "da dar o
risco e ili'lgir a construcco de qualquer
m.chinisi'O ou apparelho emprcgado pelo
syslaina aciu.l o lbrlcu doasaucar, como
mnhem pelos recnlemenie'eperfeicoados,
da quo se usam ne Europa para o mesmo
fabrico, ou para qualquer outra manufac-
tura. As pes'oat que quizerom ulilisar-se
de >eu presumo, podem dirigir-se posaos!-
niente, ou por meio de cirla, ao engenho
llacug (fregoezia de JabnatSo ou nesla
cil.de a Antonio Raplis a Itibeiro de Parla,
ra da C-deia do Recite n. 9.
O malo; Antonio Barbosa Cordelro de
Joaquina Jos 4 Coala, Portuguez, re-
lira-se Rara Portugal, a tratar da sua saude.
Pracis.-se ne um caixeiro, que lenha
alguna, pralica de venia, o que de fiador a
aua ronduclai que sttiver noatss circums-
tanci., anouncie.
' f- AfUga-seume prela, que cose, lava ,
engomma, n3o tem vicios e lie liol : na ra
do Collegio n. 15, primeiro andar.
-- precisa-se de una pessoa habilitada,
para enslnar lata, na comarca do lllo For-
mo-*.-) : na ra das Trincheira's n. 17, em
casa do baeharel Ivo Mlquilino da Cunhs
Souto Malor, dir-se ha o lugar os tormos
do contracto.
Alberto Lagar Ir, cagados a poneos
diaa de Franca, pela barca l*ernaoibuco,
l'-m estabulandoua ofllciiia de senalheiro
i, osmio, senhor du engenho Purgatorio, do je ferreiro, na rus da Sonda de n. II, na qual
le-mo de Iguarass, aua deve nq>la pra^a, esto promptoa a imcumbir-se de qualquer
obra que seja tendente aoseu olllciu, lantu
para carroa como para oaaaa, como aejfl :
varan-las, Corr aicS, runas, marqu.-zas
o nem tSo pouco do engenho de que h* pro
uiietano; todava icnsndo-se nests cids.le
c r-lirando-ae nestes tras das, (Sede a quel-
nuer pessoa que s-- julgB' seu cedor o de-'cadeiras da ferro, purles para cilios, etc.,
clare por esta jornal no dito prazo, o bem as pessoas que sa dignaren) Incumbi-los de
assim a naturea do delito. {qualquer obra serio servidas com exacti-
O abaixo aSS'gnado declara ao pnbli- dfio o em demora,
co quetendu-lh sido remellido do Arsca-; Precisa-so de urna preta para vender
lv' pelos Srs. Cmiohs &Fiinos, urna caria na ra ; quem a quizer dardealuguel, din-
i-o'iii tres lettraa dentro, acceltas o firmadas a-se a tratar na ra larga do Rotarlo, loja
oelos mesmos sennores; esta cariase desen- n. 38, ahi o diz quem precisa de urna
caminhree com ell* as supecit.das ledras ama para casado puuca famili", que faca as
sendo urna de 507,412 ris, a 4mezes ; urna compras.
dita de 586,562 ris, a 8 metes ; e urna dita PiopO-se a administrar qunlquer en-
de 90 oorf a mezas: e em consequencis genho, urna pessoa mullo habiltale,por ler
disto provine o abaixo assigoa o aos qies- sido empregado ueste ser-ico a mals de 10
mus 'similores accaitanies de ai nao pa- nnos;enlendo perfeitsmenle do nicthudo
ciar aua morada para ser procurada, le-
nle, 14 de junho de l839.-J.iao Fernandos
Prente Viauua.
Fa*-S bolo d9 S. JoSo e enigma de n*
milho verde, multo bem reilus; na ci lade J
do Oinda, atrs do Amparo. P_"
.- Aciiou-se na matriz de Santo Antonio, J
dia da festa de Corpu de eos, uma pulsei- .
ra de cpbellos eocaoloada mu ouro : quem *.
Mr iloua da mesma, mande ra do Livra-
m-nto, sobrado n. 8, que Ihe ser entregue >
dando ossigo-es coitos. C
Tendo sanid no Diarlo de 2.' Tena, jn
14 do crrante, um annunc o com as letras **
J L. U, oabaixo assignado espera qui o J
Sr. relactor declare positivamente com
quem so entende dito annuncio, para que
de-la maneira nao baja alguna suapeila
eom o abaixo assignado. Jo* Luiz Guataco.
-- ral se entende com o Sr. Gu.cj.--Os
Redactores. .
-- Duas palavras ao observador, indivi-
duo ridiculo, ridiculo ex-c ix^iro e vizi-
nho doanciSo Trapslh-de, no Passelo-Pu-
blico. Ouares tu, oh observador, que te
deem a s.guificacflo, mas cora eloquencta e
pieosidade da paiora maiorial neale
pail civilisadoe habilaJo por CltiislSos, la-
so he para honra e crdito do observador
quadrupe imite i'
___ Em das do mei de novem-
l.i-o do auno prximo passado
Botica bomopatliic i.
28 KU DAS CllUZES 28,
Dirigida por um pliarmaetulicn
approvado*
Esteestabelecimento possuo
todos "
os medieamnntos al agora experi- j
montados, tanto na Eu-npa enroo no a
Brasil, e preparados pelas machinas ^
da invonco do l)r. Mure. o
precos. -m
dat earltirat homiopaticat. 4
Emcarleiras de 19 tubos grandes 12/
., a 24 80/ *
a a < 24 a pequeos 15/ *
Tubos cscolhidos (cada um) 1/ S
Tintura s demedicamenlos em ^
frascos de l|2onc,a (cada umj 21 ^
Ha mais, alem dests, nutras umitas ^
caixascom Rlobulos e tinturas por
presos variaveis, conforme o tama- -ag
V nho ea qualidado das caixas, e a H
0- quantidade dos remedios e assuas <|
t> dvnamlsacOes, ele.
> AVIAO SE GIIATUITAME.NTE J
W para os pobr-s, todas as receitas que 2
ff para aii manjar qualquer profesaor. ^
N. Vii. Vision, eipostos e relatadoi eilea au-
tos clveUi enire partea, recrrante Joo Frao-
cko Hegis Cocllio e a irinaadade do Sautisal-
Para vhihos fraco.
'9

assaaaaj
rleSencaminhou-,e do t.apici,. do ~ffig^fiLC0Ul.dliol,,...
l|"0(lo UIIl CaixSOZjnllO COm mlU- or de aua mullirr, concedem a rcvlala pedida,
_. .., ii i I ,lKna. nel injualita notoria, com que no accordaoa,
dezUS, COm a marca Vj l U, UCSpa dequc'fcrrcurre>e,enirnta por elics amlcnia-
nliadO Dura a Parallibi O que 8e da,aejulgounulloolcauii.enlon.4.n3oae
i nano |iui j -i vcilficaiido doa auloa, provadoa oa motivos ale-
lulea, que por engao eninarcasse gadotl |,,r.i ui nuiuuade, somo reconiiecea
.i,o nrnvinria v'17'nillrt infama sentenca de fl. 135 v. e nem devendo
para Iguana provincia vizinna ta,llliemeoil,,Jerai.5(.nUii0,oolccionado ic.
or isao rOBB-se 80$ sennores uineuio, pela aubatliulo henleira. a innan-
I Made do Sanllaalwo Sacramento da fregueala da
meslres de barco, ou Darcaca, a- n,ot.yi,Ui visto que tai inssiiuifcao nao teve er-
nniJp Pile tenha id, de O restituir frllo, V depnrter. de coudlefoas, queaeno
onue ene leiuia aui uv vcriBcam. Hcinellam-e por laala ol autos a
lia loia de mlU Jetas, na rila O r,|acio do Marauhao, que dolgnain para reyl-
_ .J f- lio e novo julgamenio Rlo3n de abril de l8i.
MLieiinado n. IJ. Duartr, peaidcnle. Nabuco. Piulo.
- .<".- Pecanha, Siqueira, vencido. Almeida.
15,000 rs. de gralllicatao Cerquelra Lima. Veig. Ponce. Corne-
Auuemaehou umacadoia de relogio com u Franca. Caatro. Mascarenhaa. 1
sei, oitavas .le peao,lev.ndo-a na ra do l.i- Gaieta do t'lbu.iaes do Rio de Janeiro de 13
vran.enlon. 14. A mes i a gratificado d-si de malo de18S2 n. i\ i.
a quem diaser a peatoa que a tem. IllSlruccao puDlICJ.
--Piecaa-se de uma ama fuira para o o abaixo assignaiio, anda que nflo resta-
servijo 'inernode uma casa ; na ra do Kan- be|ec]0 perfeitamente da enfe mida le, que
gel n. J5. por 8 das fez cessar os eieicicioa deseo es-
aos senhores de engenho. tabeiec.monto, participa aos seuhores paes
A vardsdelra escardante de vinho com
3S graoSi vinda da Europa, a unipa reconi-
mendada para cuoiporos mesmos que eite-
jam arruinados a fjcarem. superiores con
uma pequea despera assim como para di
versosremedioa que semells, senfio pode-
nam lazar ou entilo nilo produziriam o effei
lo dezejado.vende-se nicamente emc>za de
B.iro & Macedo, na ra Direlia n. 17. -
-- Preciaa-ae alugar uma prela, que seiba
aerfeitamente cozlnhar : a quem convier
aluga-la, dirija se a ra do Vlgario n. 3.
-- Precisa-so de um copeiro activo, e de
uma ana engommadelra, ambos forros ,
brasileiros, ou estrangeirs i na rus da Au-
rora, casa junto ao collegio do< or h'os
-- Aluga-se o segundo andar esolBo, da
osea n. Su, na ra da Cruz, com bastantes
coiiitoius : a tratar na n.csma.
aS DEN TES.
J. A. S. I no, o bem conbecido dentista
nesla praca a 12 anuos,pode ser procurado
na aua residencia ra Nova n. 14, primeiro
andar, pea lodos mistares de sa arle, n3o
a em sua casa,como fora della.
-- Precias-ae de um feitor, que queira en-
carregar-se de plantacOes em um sitio, dis-
tante da praca uma legoa, na estancia : r
tratar com o Dr. Bredero le.
Vai'a pra^a no dia 16 do corrente mez
a casa n. 81 na ra das cinco Ponas, com
comniodos lerieno piopriu, quintal gran*
de, cacimba meeira, alm do quintal um
ler i-i no pertenernt" a mesma casa, que faz
frente para a fortaleza aun le se pode edifi-
car outra csa : a rcqueiimento do testa-
menteiro e enventarinite para cumplimen-
to de legados, pelo juizo da segunda ra.
-- oilerere-se um rapaz brasileiro, casa-
do, que sabe ler, oscrevrr, e oontar, com
exame de lingoa nacional, o principio de
lingo latina, liabilitaio para oiisinar p
meiras letras fra desta cidade, ou mesmo
um qualquer engenho : quem quizer nlili-
sar-se db seu prestimo, dinja-se a ra do
Itangel n. 46, priini iro andar.
Aluga-se por preco commodo a loja do
aterro da oa-Vista n. 38.
ltenlo
Jos Francisco Dias, com loja na ra do
Creapo n. 14, roga a lodoa oa Senlfores que
teero conlas amigas ou lellias vencidas na
sua loja, que as vonharo aatisfazer, os da
praca al 15 de junho do conente anno, e
os do malo al 30, ahtn de ee nSo ver na
dura necessiJade de os chamar cum osseus
nomes por extenso por esta folna, o que fa-
r sem excepcao de pessoa, e entregara
suas conlas ao procurador paia receber pel-
los mtios quo Iho facultadlas leis do paiz.
-- O Sr. Amonio Maximiano da Costa,
dirija-se a eala lypqgraphia, a negocio ue
sen interesse.
Na ra de Vigario n. 17 ,
precisa-se de olliciaes de latoeiro e
lunileiro.
.- precisase de uma sms para o servico
de compras e engdmmado, de urna casa de
nuas pessoas de ramilla : na Ponte Velba
a* Alugam-se e vendem-se b-ixasna aj
f| praca da Independencia n 10, con- ff
9 fronte a ra das Cruzes.
Na roa do Livranunto n. 10, sobrado,
se dir quem da dinfieiro a juro e que n ven-
de varias obras de ouro e prala, relogios e
crenles para os mesmos ; na mesins casa
vende-se por tolo prreo urna- parte do 10
bradoaruadaSei.zella Velba n. 126, um
piano, uui oavallo para carro com arelos, e
um carro de quatro rodaa para um edous
CarallOS. .
Segunda feira 14 do corren, *s 4 lio-
ras da tarde, ptraiite oSr Dr.juiz dos or-
pliSos, na sua residencia ru das Flores, se
ho ue arrematar os bens seguimos : um
terreno na ra do Brum, dofionte da fun-
dicio, 4escravos, alguna ubjeclus de ouro
e prala, cujos bens sao perleuceules ao ca-
sal de Manual Jo.quim Pedro da Cosa, e
vSoa praca a. requer-lenlo do lulor Uos or-
pblOi para pagamento dos Credures.
Precisa-se alugar urna escrava para o
servico de uma casa de pouca familia, de
hornera viuvo a tratar na ra jo Tiapiche
Novo 11. 41, ou quem a liver annuncie.
aiasaiaianiiiiwa as*^a*t*
AO re.peiiavel publico. $
Jos Aneclelo, deslala sang'ador, sjj
5 boai conhecido, cominua de agora M
m em dimlo a exercrco promptiuio |
neme doengenno
- anilla aU I us u fr8HUe'nVa.frn g-sV.cion.l eVancVia, sendo oslas duas
marca a que ueitencer; e se frrendeiro, o |lilnBS desciplioas leccionadas fteluSr. Jo-
seu nomee doproprleailo. ... Bernardinu oebonzs Pexn, convoniente-
- abaixo assignado, 1 rocurador do Sr. ui0rsado. Jos Xavier Faustino
Antonio Jos de Souza. professor publico ",e"le
ero Baixa-Vcrde, faz sciente ao reapeitavel! \_ pVeOllS-M deum caixeiro que tenha
publico, que o su coi.stiluiiile naiia ueve, nrilics de loi, de miudezas. da-se-lhn bom
Acln-se justa a contratada, a compra
de aloradas da casas, sitas na Cananga ,
perlencenies a Viuva heroei'os do Calecido
Francisco da Silva Hedei'OSl porissoqua,
le siguen se julgar com direlto, por hypo-
throa,ou ou tro qualquer titulo as uitas na-
sas haja da aonunciir por ste Diario
dentro em 15 dias.
abaixo asignarlo phirma-
ceutico approvado trsnsferio os
estabelecimentot de pkarmacia e
drogas, que linlia abertos, na ra
da Crui do Hecife, e na rus estrei-
ta do Hnzario, psra a ra Diieita
n. 88, onde continuar a prestar-
se aos seus freguezes. e aquellas
pessuns, que o quizerem honrar
com sua confianca no desempenho
dasfunces de sua arte. U mesmo
abaixo assignado tem um compi-
to sortimento de drogas e tintas
para aviar qualquer encommenda,
nao so da provincia, como para
fra, o que promette fazer por pro-
cos, 1 asoaveis e com promptidao ;
tendo como seu administrador no
mesmo eslabelecimenlo ao Sr. Joa-
qun) Jos Moreira, bem conbeci-
do nesla cid-ule pelos seus conbe-
cimentos de pbarmacia o qusl
est tumhein aui n isado em ausen-
cia do abaixo assignado a fazer as
suas vezes em qualquer objeclo
tendente ao mesmo eslabelecimen-
lo. O mesmo abaixo assignado pro-
mette publicar brevemente uma
relacao de todo o sorlimento que
tem com os seus ltimos precos.
Pernimbuco, a7 de abril de i8Sa.
Jos da Rocha Faranhos
Aluga-se o sobrado de um andar na*rua
Augusta u. 94, que faz quina com o viveiro
do Uuaiz, cum basianii-s commotlos; a tra-
tar oa ra daa Cinco Ponas n. 89.
o abano assignado, ex-encarregado
do hrigue escuna Legalniade, preaeniemen-
le desembarcado pai a seguir para a corte no
primeiro vapor que para ahi argir, faz
acieute ao rrapeitavel publico deata capital,
quenada deve a pessoa alguna; porm se
algueui ae julgar fre lor, pete anuunciar
1 ui.'liilhas da provincia, fim de ser Satis-
feto. l-.i i-isn de UMveira Uorgea.
5 uio.ouo l
Oli ; olho vivo com o tai freguez que estt
gastando o dinheiro de voisos geneoscom
cspricboaaa denuncias.
Coaaedorias.
Na ra da Senzalla Velha n. 126, confron-
te ao bureo do Campello, aprompla-se co-
medoiia todos os dias de alionen e jaotar
por prec,o commodo assim como-m9o de
vacca o cale, tuocom muita lione/.
A pessoa que se.quizer encanegar de
aterrar um pequeo alagado no becco das
ll.neir.-is da Boa-Vista, dinja-se ao arma-
ii'in da ra Nova n.67.
I'erdeu-se um Irancelim de ouro de lei
com vara c q .arla de comprido e seis oita-
v- s de pero, desdo a ra Inreita at o becro
do Sarapalel, no dia 12 do correle ; loga-se
a pessoa quo o achar lonha a boudade de o*
restituir no becco do Saiapalel, casa o. 1,
ou ni ra da Praia de Sania Hita, venda n.
1, que sers generosamente recompensado.
- li- seja-su fallar com Joanna Maria da
Conee en, coiihecida por Juanua dos Pas-
sos, ou cum quem faca suas vezes ; na ra
estrella do Rozarlo n. 36, a negocio de seu
i ulerease.
-Aluga-se para qualquer negocio,e por pre-
co commodo, a luja do aterro da Bua-Visla
0. 38.
A inda se conserva o terceiro andar do
sobradu da praqa por alug.r, milito fresco,
com commodos para grande familia, e ricas
salas fo.radas de papel,.com tres salsa e 14
quaitus ; 11a ra Nova n.67.
frecisa-se de um homem sol-
teiro, ou casado que lenha pra-
lica dejirdim e borta, para um
engenho em Serinhem : quem
Pede-sa ao 8r. Francisco Falialano Ro-
drigues Sette (j que S. 8. alo tem morada
ceita, a pareen vivar como orubu' que aonde
anuit. ca ahi he SUS casa ; tenha a bondad'
de vir ressir os seus tres vales vencidos ha
muito ; na padaria da ius da matriz da Boa-
Vista n 26.
, J. E. Bataille, cidadto francez, val a
Europa.
Precisa-se de ama ama de leite, que
saja boa e Je bons coslumes, para criar : na
ra Nova n. 31).
-- Luiz Jos-Rodrigues deSouzs, subdito
brasileiro, vai a Europa.
Precisarse de um feitor que enteuda
de todo servico de engenho l no aterro da
Boa Vista n 43.
Cata da fortuna, ra Direita n. 7.
Pagam-se as cautelas da lotera e Nossa
S.-nln-ra do L vrainenlo, e rslfio a venda 2
cautelas e bilbetea da lotera de Nossa 8e-
nhora do Rozarlo, cujas rolasandarao no
dia 33 do cimente, e paga-ae no dia 34,
quartos 2,-200, decimos 1,000 rs., vlgecimos
500 rs.
T. Nash, subdito de S. M. Britnica,
retira-se para Inglaterra.
No paleo de S. Pedro, n. 34, roze-se,
lava se eengomma-se com Inda a pcifeicBo
e acein, e pur preco muito commodo.
Esta justa e contratada a compra de
orna casa de laipa, na Oponga Nuva, em
Ierra piopria, com Gabriel Maria Velloso,e
como esta Ierra fosse de Joo Slgalo de
Castro Acioly que em ouiro lempo a la y
pon con a 1/aliol Mari* do l.vranifhlo, de-
sojs-se saber se ha algum impeJmei lo por
parte da mesma aenhora, nu nutra qualquer
pessoa que se achar com direilo, annuncie
11 -i pi'-s de ] dias contados da deja (leste.
-- Na noite do da S para ( do corrente
' 111 r 1.1 ram da Estrada-Nova, do rancho de Ma
noel jin.rm, um cavallo caslanho escuro,
com uma estrella na testa, tem o cabo nm
pdo, duas bexigas no espinhaco, com o
iferro-O-no quaito dirireito, anda bem bai-
xo, esta gordo, esto ferro he do engenho
iCovas, do capitSo Jos de A mujo. Pnheiro,
\s quem se podera all leva-lo, ou no lleci
I fe, i loja do Sr. Firmiano Jos Rodrigues
Fo'ieira, que se -gratificara generosamente.
Compras.
rSes, Jnanunn Francisco da SilviA'evdo.
O abaixo aasianado, prufessor jubilado
< m 9 9
- Perdeo-se no dia 2 do correle, um
acturlmeute enslna Istim, f 1 anee j, 1 helor i- gundo
ndar, quo scrS recompansado.
bacbairl formado. CbiatOvSo de
ca egeog.a.hia, para oque ofitevedoExm. _- lach.iel lorm.uo. mmai1
Senhor Souza llamos quando presdanle Barros Lima Monte-Raso, rcsidenlenav.il,
desia provincia, a licenca do que tracta o < Po u'Alho, ad.oga no corlenme, as
a 1 ligo 38 do regula ment de 12 de malo do P'""" que quizerem utihsar se de seu
anuo prximo p-ssadb. O mesmo abaixo aa- peslimo podem pronora-lo pesoalmeiile
signado recebe pensionislas 20/000 meo- diiig|r-se-lha por meio de caria.
saes pagos adiantadoa. no dando ruupa la- Joflo JoscPereira avis. aos seus freguc-
vaoa e engommada e dandp-a, 25/000 zea que ja se achs restsb. lecido, otando
m-ios pentioinsias 15*000. e alumnos ex- mudado a sua loja da ra du v.garfb n 21
turnos de l-tim a 4/000 e dequalquer oulro P" os fundos da mesma, na ra doa Bur-
pop.rato.ioa 5/OuO. Oa paes de familia, os; ofTerece as pessuaaquede seu1 prest 1-
quequ.seremnialriculsrsetisfllhos, podem mo precisaren quo o schsrsosempre prum-
,i.igir-o so mesmo collegio a qualquer ho- Plu P'? sorvi-ls com brevdsde e, preco
r. do dia, cerlos de que o mesmo a bailo as- commoio. O mesmoncarreg.-seidlensi-
signadose exorcara qu.nlo em si cuber o seu ofllcio a qualquer menino ou os-
por bem dosenn.enhar .rdua n.issao. de cravo, e all mesmo recei.e.
que se encarrega. Affonso Jos de Oli- Boa gralincjqJo.
veira. 1 CsliOca-10 com genorosidadn a quem
- Prrcisa-so- de uma ama, para casa de aprehender um mulequo crilo por nome
pouca familia, que er.gomme e cozinhe, pa- Miguel, de idade de Ii a 16 anno, que fu-
ga-sebem; uueiu quizer, annuncie 1 ara ser gio desde sexta-le ra 28 de malo prximo
procurado. passsio, levan lo um taboleiroem quo ven-
-- p.eci'ss-se alugar um preto, ou mole- d>a laranjas, mandioca e uiacaxoira, e ves-
que, que seja fiel, p>ra o servico externo de tldo com camisa de algodSosinho branco,
uma esa de pouea familia : na Iravessa do mang.s curtas, calcas de algoiso deriac.-
Qucimado, venua ni. 'lu '. f 'nJ' .CUD1 8a"ch0 *2i
-J P.Adour ACompanhia, mu.laram da pnn.eira fgida ; quem o pegar o pode
Heucscriplorioearmazemdefazendas, pa- levar a seu senhor, Jps Saporii 1,110 sou
laurua. a Irma 47 lo no principio da estrada dos A IB dos,
- Pnc'.:s." um bom forn.iro, e que a qualquer hora, ou na ru;ido Tr.p.en,1N0-
seja desenil.araca.lo: na la eslreita do Ho- vo 11. 18, segn Jo andar, das f da mam.
"^S^oe^aulaBorgr., va. a I. ^H^^ajtSptfC
de S Miatuel. a neieocio seu. "> Oo T'P'C|> '* t""1? ,n,1*r> ,on"
--pK.edTum.Tma, para servico depde ser procui.do a qualquer bo,-. do
a'r.cB^o?Md'OU0, hm,i':M "eC0 >t Preci..-.. .lugar uma.m., que lenh.
--Irecis...edeum rapaz, par. caixeiro. bom lete e sem flibo. s^s^toiM oaajlMt:
qu. d fiador a su. conduela : na praca ds quem Z22?St^?JtiS2fc
Poa Vala n. 7. Na mesrtla veade-sa um de- ou dirija-sss ra da Matriz d. Ho. Vi.ts nu-
pozito de tsouesre m.ls coasas. mero 16.
ru,,cc.es JefJ"^1,dV1uVd,h0;2 pretender fazer tralo, OU fifia-
m ras da manhaa ale as seis da urue, e Jfj r b 1
S noi domingos si o meio da, pelo g meato, dinja-se a ra das l ruzes
I prcSo o mais commoio que poder primeiro andar.
preao o mais commoio que poder ^
com tudos que de seu presllmo se ~
qulzeiem ulilissr, lauto em sua casa p
n 7 no largo do Hoz.rio, bairrode
Santo Anlunio, como fOra dell,
mandando Ihe poresciipja, em indi- V
CatSo celta do lugar, nome da ra, g
-- Aluga se uma prela que sabe cosinhar,
lavar de sabSo e varrrla,compra e faz o mais
arranjo de uma casa, e lamben) se vende.
Inven in quem a queira comprar quem a
pretender iliriji-se a ra do sol n. 7, quo
c.qa i--'. -"--' B chara com quem Irat.r. Na mesmacas.se
numero os cas. con. o nome domo- fc H^ ^
l ^SZASSftX 5 viso nternSeexternoJdeum. cas.depone.
g tamente os dentes da frente, sangra K '""
hem eapplica bem venlosts,sarjadas p aluga-se um sitio nos *f-
SMmm**W*Wmwmmi 1iclsi o primeiro e otei ceiroan
-s E.U justa o contratadas eoespr. d. u- ^ do sobrado n. 6 do aterro da
berna, na piscada Boa-Vi>ta n. lOpeilen- Boa Vista, e O terceiro andar (lo
cunte aosseoho.es Pinto tcarvaiho: quem 80|jra(1o z do aterro da Boa Vis-
liver alguma cous. a reclamar dinja-sea "" t
quem os pretender, queira
iie-iii taberna nesles tres dias.
Na ma
ta
adrugada do da 4 do crranle dirii .-se ra do Trapiche n. 36 ,
deas 1 paieceo do engenho (.onreipSo, de
Muiiheca, de Jos Roocrio de ttpr.eaSilva, segundo and^r, tratar com 3*-
uni ilbeo. levando fuitado, alm da ru.spa |Ustiano de .Sqiiino Ferrrira, das
com uuo fol vestido, um cvallo com os sg- ..____1 .
na.sseguinles: cas-aobo, gr.nue, gor.,3, 7 hor.i ate 88 11 da inanhaa.
c.sirado, cteos rasos, priuciesluienle os O Sr. Jos Correa de Mendoncs, lem
dasmSos, com umaest ella na lala ( salvo urna caita na livraria da pra^a da Indepen-
0 engao) carregadur de baixo a mais ue dencia, n. 6 e 8.
meio, ^sado I espoia e si|, com signsl Preciss-se de uma lavadeir. de varella,
deumasubiecana, aireiado com um selim que dconnecimenlu de sua conduca : na
iuglez aindr no>o, com a-sento bordado, ra de llorlas, sobrado deum andar n. 70.
manta de panno fino azul, e cabreadas de O Sr. Joao Antonio de Saboia lem uma
couro de luatro, com brida de pomas em- caria na livraria n 6, e 8, da praca da iude-
bolidas em lalSo. Oiiheooonsta oseguin- pendencia.
te: b.ixo, secco, rosto comprido, nariz ~ No aterro da Roa-Vista, loja demiude-
afilado, olhos grandes, cabellos caslanhos zas 11 72, se dir quem Ja a premio com hy-
e corridos, pouca barba e esta grande, ida- polheca em cas. ierre.,a quanVde sun/ is.
de de 20 para 24snnus, poucu mais ou me- -- Deseja-se fall-rcom a senhor.. Victoria-
nos; levou vestido iiine de criado; a saber, na Maria do EspiritoS>nto, viuva do falle-
c.ka de panno fino azul, jaquel, do mes- culo Alexandre Coa ne Damio.a negocio de
mu cOm bo.Ors amarelloa, Colele ne casi- s-u gr.nde in|. resse, e pur is-ni a mesma
mira amarella com bolO.s da mesma cor, senhora haja de .nnunci.r por est. folua a
cii,i,-) do Seda preta com g.lflo de ouro, sua morada, ou diiija so ra Imeita, so-
gravata prt-t., bolas con CanhOesamarolloS biado n 6, plimeiro aodar,
e raporas ucaco; e levou lambom fuitado -- Precisa-se deum moleqoe ou preto,
um chapeo de sul, nnv.i azul furta-cres, que s ja fiel para o servico de uma caga de
Cum barra ; no mesmo dia 4 fui o dito ilheo f.mili ; na ruada Crut 11. 48.
uiiConliadu na estrada de Sanio Amaro em Urna mulher viuva se offerece para
seguimonto p ga-se ts autur.dijes policiaes, e a qul- dentro; quem precisar dirija-.e a ruada
quer pessoa que o rneont ar, hajam de o Penha n. 13.
aprehender e os ohjecios referidos, .e en- Alugam-se ou vendom-so dous pretos,
leudei-se no engenho cima, e nesta prnca propiioa para o servico de campo ; os pre-
a ra Diroii, aob .do de dous andares ten-ieuies dirijam-se so aiterrods Boa-Vis-
contiguas igreja do Terco. la, aaaa n 61.
Alfonso Alvea do R-go, desde odi.lt Alugam-se dous negros para todo o
docoireule, ueixou ue ser caixeiro do Sr. servico ; na ra do Sol n. 25, se dir quem
Francisco Jua da Costa Campello, a quem lem.
agradece, e a aua senhoa, o bom tralamen- -- O Sr. Joflo Luiz Viaona, queira dirigir-
lo que semine Ibes mrreceu. ae 4 iraca da Independencia n. 6e8,aoque
Precisa-se de um preio para o servico sabe,
ordinario de uma casa; no paleo da Sania --OSr. Francisco de Paula Andra le Mon-
Crui, padaria o. 101 Na mrama casa se te-Negro, tem gaya carta de Golanna na II*
ven lem mergulhos de parrelra para plant.r vr.ri. n. 6 e Wa praca da Independencia.
I MUTILADO
Compram-fe para engoiiho.escravna d
ambos os sexos, sendo aquellos de 15 a 30
anuos, e estas at 25 ; no armazn, da ra
Nuva n 67. -
Cnmpram-se 4 ou 6 c.r'inhos de mo,
em meio uso ; na la Nova n. 67.
-- Ciimpra-se um lelogio de cima de me-
sa ou do parede, que regule bem e esteja
pe le lo ; noarmazom da ra Nova n. 67
Com rase urna I. -hinca romana, es-
lando em bom uso, que pozo at 500 libras ;
na ra da Cadeia do Recite n. I.
Compra-se urna escrava que saiba co-
sinhar, e ensaboar, ainda mesmo do mei
idade ; no becco da Vircflo n. 39.
- Comp'am-se para urna encommenda
do Rio de Janeiro, duas escravaacrenulas ou
pardas, de 14 a 30 annos, que tenham b>as
figuras, um muleque de 14a 16 annos; na
-ra Nova n. 16.
-- Compra-se um mulatinbo de 14 a 16
annos de idade, assim romo um prelo de 18
a 21 anuos.robusto e proprio para lodo ser-
vico ; a tratar com Luiz Gomes Ferreirs, no
M.nego.
- Compra-se uma escrava preta ou par-
da, at 12 annos de idade: na rusfda Cruz
n. 45.
Comprase uma venda em bom lugar, e
que tenha alguma freguezia : na ra da
Roda n. 52, se tilia quem compra.
Comi.ram-se 4 escravas, ou cscavo-
para o servico de campu: na ra Direita nu
mero 3.
Manoel Alves Cuerrs Jnior, compra
cees do banco desta provincia : na ra da
Cruz n. 40.
-- Na ra da Senzalla Velha, defronie de
Sr. Montoiro 11111(01,compra-Bo todas asqua-
lid.de.-i de ferros velhos e metaes de todas
as qua Ii dades assim como ourelos de pannos
linos.casem i ras e lodaa as qualidadea de mu
amhosque servirem pa>a fazer papel : as-
sim como c. boa velhos, lonas ole
-.,Compra-se um escravo para servico de
casa, que nfio tenha vicios nom achaques,
e que tenha boa figura e seja forte, de 20
at 26 annos: lis ra do Amo'im n. 26.
abaixo assignado compra duas creou-
las, ou pardas, prendadas de boas figuras,
na ra da Cruz n.40 Manoel AlxesCuurra,
Vendas.
Lotera do Bio de Janeiro.
aos 10:000,000 de rs.
Na loja de miudezas da praca da
Independencia n. 4 vendem-se
quartos,oitavos e vigsimos a bene-
ficio da 3i. lotera do Monte Fio,
!espera-se o vupor que traz a lista no
dia 18 1 g : na mesma loja rece-
beni-se bilbetes premiados do Hio e
do Livramento, em troca dos que
tem a venda.
Vendc-se um preto de boa figura, e sem
vicios nem achaques, hbil para qualquer
seivicojo mutivo se diri ao comprador : a
tratar nos quat o canloa da ra do (Jiieima-
nliili. em diaule.
Von.le-sn um escravo craoulo, do idade
de 30. a 33 annos, pouco mais ou menos,sem
vicios, nem defeitos ; o qual cosinha o diario
le uma cas*, he vendido pnr precsilo: quem
pr. tnder, dirija-se a ra do Rangol n 50,
que acmra com quem tratar.
(Joov pequeo toque de mofo.
('.hilas escuras de cores fixas e bonitos
psdrOes s 160 rs. o covado e a peta a 5,500
rs., i-ufI-s ne iMinlir.i i;i de salpicos brancoa,
e de cores a 4,500 e 4,800 rs na ra do
C'espo loja da esquina que vira para a Ca-
deia.
l\ovo e variado sortimento de bros
de cores de linho puro.
Na roa du Crespo loja da e.-quin* que mi-
ta para a Cadeia.vendem-se curies de bnm
da lisl'ss e quad'oadopuro linho e deboni-
108 adiOes a l,6V0, 9.810 rs., dUo pardoa a
1,280, e2,0u0rs., liscado de linho de Iralraa
a 720 rs. o corle, algndSu mesolado de lia-
tras bem eucorpado propnos para escravoa a
220 rs. o co-ailo, cortes de camb ai. de co-
res fixssa S.SuOrs ,lenco de Cambraia de li-
nho para nHo a 400, 5n0, lino rs melas pa-
ra meninas de lodosos tamaitos, e outras
muilas faiendas pur piuco commodo.
3,000.
Vendem-se cortes de brins trancados es-
culos de puro linho a 2,000 rs., dito de pele
do diabo a Olio OU 240 rs. o covado, corles
de caminis de salpicos de cores e brancos
com seta varan a 4,500 is. o corta, e 720 r*.
. v.r. : na rus do Cu si o, loja n. 6.
, Ve ide-se um prelo de trite a qusren-
ta annos, proprio para soivico ue campo por
ja ler pralica e ser do mato : a tratar na ra
Augusta n. 66 al 10 horas do dia, e das 3 da
tarde em dimite.
Ventea para atar cabellos.
Vendrm re, na ra -'oCapug*, loja n. 6,
pentes para star c.bellos Imil.ndo tartaru-
ga, por 1,280 rs. eada um ; ditos mais infe-
riores s 500 is.) dilos ditos pretos s 280 rs ;
ditos pata alisar a 380 ra., e ditos linos de
arfim a 820 rs.
Vendem-se as lanudas se-
guintes, cheg^das ho pouco a
barca Pernumbuco: casimiras mui-
to linas, pretas e de cores pa-
di fies novos neste mercado ; pan-
nos fnoa de diferentes cores ,
e crep de todas as cores ? no es-
criptorio de Jos Candido de Bar-
ros, na roa da Gru n. 66.
Marroquins.
Na ra do C.buga n. 6, v ndem-se pellas
da iiiarrmiuim a 1,500 rs. cadl urna.
-- Vende-se um terreno com 107 palmos
de frente, e 90 da fundo, sito nm lora de
Portas a l.ejra mar. iin dito com IOO pal-
moa de frente, e 500 de fundo, sito na Pas-
sagem da Mand-lene,abaixo da ra publlea,
entra aa duaa pontea ; e que tem no fundo
ouir. ru. que d. despejo psrs a oamboa d.
ponte pequea ; um dito com 100 pal noi de
f ente e'suo de fundo at a mesma emboa,
e que tem uma ru. na frente, e outra de um
lado, que he aquella queda despejo rara a
mesma Camboa, Dous dilos, com 50 palmos
de r-e te, cada um, e 300 de fondo, alea
mesma camboa : na ['raciona do Livramento
loja n. 57, ae dir quem vende.
Vendem-se um lindo moleque de 15 an-
nos, proprio para pagem por aer multo bo-
nito, um mualo iiflicial de serrad', dous
negros para irah-lhu de ensata, du.a escra-
vas de mei. idade por preco eommodo,e um
negro velho, proprio psr sitio na roa lar-
ga do Rozai io n. 22.
Vende-se limsgem de a{o: na rus Im-
perial n 80.
Vende-se um guarda-roupa com eseri-
vaninha ; na rus do l.ivran.enlo n. 14.
Vendem-se aereas com o mais superior
caf que ha no merca lo t a tratar na ra da
Mueilii, Hima/.'.'in de Luiz Antonio Vieira &
Companbia.
lia na ra Nova n. 67, segundo andar,
um piano inxlez d boaa vozes.duzi. e meia
de ca ieiras, um sui, dous consolos, e uma
mesa de meio de s- la nom pedra brnca,tu-
llo da Jacaranda e de hom gosto. um louca-
dor, um guarda -vestidos, uma mesa de jan-
tar de abiir enm quatro tboas, ludo de
ama re 111,11111 par de ja. ros dourados de mui
lo bom goslo.e dous psrea de laniernas com
p de bronze; sdvenindo que esls tudu no-
vo, e por preco commodo.
No buhar da ru. t>ova n. 69, bs para
vendrr-se halas desaislo.
Vende-se lin.agem de ferro e deseo :
no sierro dos -\fogados n. 80.
.. Vcde-se seda de excallepte quah
dade para forro de carros, e g>loes para
guarni(,9o dos mesmos: na ra da Cadeia
Velha 11. 24, prim irn n.lar.
C'ollarinbos.
Na ru. do C.bug n. 6, vendom-se collar.
nboaa1,80 rs. a duzs.
Un.vdtns de mola.
Na ruadoCsbugn 6, vendem-se gra-
vsl sde mola, muilo linas s 1,600 rs cada
uma.
I'ira* franjas e trancas,
Na ra duCabuga o. 6, vendem-sa res
f'anjas pretas para man- leles, assim como
um sortimento de trsncaa largss e estraitas.
lambem pretas ludo baralo que ad-
mira.
Brinquedos para meninos.
Na ra do Cabog n. 6 vendem-se brin-
que tos para meninos, muito bsrstos, por
se querer acabar.
Fitas de velludo.
Vendem-se. ns ra do Cabuga n. 6, llt's
de velludo abertas e fechadas.com ilvel.s de
madeperola e douradss, por preqos mullo
baratos.
Linhas de carritel.
Na ra do Cabug n. 6, vendam-sellnhas
de carritel de 200 jardas, a 9u0 rs. a duzia ;
ditas de ditos, com 100 jarlas, s 320 rs.; as-
sim cuino um sortimenlo de ditas de no-
vello, mu.lo baratas, a vista d comprador
se dir o preco.
ticos largos.
Na ra do Cabug n. 6 vendem-se bicos
muito finos, com um palmo|da largura, e
1,289 rs varaj ditos ditoaa 640 rs. ; ditos
com meio pslmo s 560 rs. ; dilos de 4 dedos
>240rs. ; ssim com um sortimento deb-
cusesiieitos, muito finos, mais barato, do
queem outra qualquer parte.
liutocs de msdreperola.
Sa ra do Cabug n. 6, veodem-st) bolees
de msdrepe>ola, muito tinosa 560 rs. a gro-
za ; ditos prelos para palitos de meninos s
500 rs. s grozs.
l'esouras inulto-linas.
Na ra do Cabug n. 6 vendem-se te-
souras muito fins, 1 ara costuras, a 500 ra.;
ditas maio.es s 640 rs.; ditas para unhas a
800 rs esniv tes de 2 fo has cabo de cbifre
de viado 11 800 rs.
Uiquissmas litas lavradss.
Na ra do Cabug n. 6 venJem-se ricas
fitas de sarja e setim de neos psdrOes ; di-
tas muito encornadas, estrellas com ricos
bordados, proprias para cintos Je meninas ;
dil.s lisas sem pona, de largura de 4 dedos
600 rs. a vara.
Capachos.
Na ra do Cabug o. 6, vendem-se capa-
chos a 560 rs. Cada um.
Cartas para voltarele a 5oo rs.
Na ra do Cabug u. 6, vendem-se cartas
ps>a vollarete a 500 rs. cada um barslho.
(J barateiro-da ra do Cabug.
Na ra do Cabug n. 6, vendem-se ricas
caixa. douradss, propias p>ra guardar
joias, pelo diminuto preco de 800 rs. cade
uma.
He barato que admira.
Na ra do C-buga n. 6, vendem-se calas
decolxetes a 60 rs. eala uma ; agulneiros
cum agulhas a 80 >s ; caixas com .utas mui-
to finas a 300 ra ; ditas curtas para alf.iatc
a 40 rs. cada papel.
Ol que pechincha.
Na ra do C.bug n. 6, loja dos baratoi-
ros, vendem-se luvas de pellica muilo no-
vas, de ponto ingle*, a 1,280 rs.; ditas para
senhora com ricos enfeiles, proprias para
noivas, por preco commodo, assim como
um grande sorlimento de ditas delorcal, a
truco de 800 a 1,000 rs. o par.
Meins cruas para homem.
Na rus do Cabug n. 6, vendem-se meias
cru.s, muito oncorp das a 3,000rs. ornas-
so; di'as de linho a 4,000 rs.; ditas con) lis-
tras, muito linas a 3,200 rs.; dilss brancas
para senhoa, muito finas a 5 000 is. o rosa-
so ; ditas para meninas s 3.400 rs.; ditas de
menins s 2,800 rs.; s ellas freguezes que se
estilo acabando.
Cordas para violo. -.
Na ma do Cabug n. 6 venJean-se cor-
das para violto, muilo novas e fortes, por
preco muito commodo.
Senhores namorados attencio.
Vendem se, na ru. do C.bug n. 6, ricos
c.itOescom ricas folh.a de papel bordadas,
pelo precd de2,000 rs. cada um.

a"
P
f
P
n
:
r"
as.
l
i


L
1


v?,'
"!E

!
Deposito de cal virgen.,
Cunha & Amorim, o ru di Csioiicw
Recite, n. 56, veade-se brris con supa-
rior cl em pedra, chegada pelo plUSSO
navio de Lillioi, por meOOl prego do qo
em outra qualqner parte, f^
Farinha de mandioca.1
Yondom-sa neis em firinha noviche-
gada ullimimeote do Cauri, 2,000rs. e
em lo'es de 10 saccas rara sima, 1,800 rs.,
cada uma sscca : no armazem de J. J. Tas-
so Jnior: narua do Amorim n. 35.
"Vendem-se os verdadeiros sellos in-
glezes, patente, de molla e sen ella : n
ra daBsntalU Nova n.4S.
Armazem de vinhos.
Na ra da Se nial la Velha n. 48,
vendem-se vinhos de Lisboa e Pi-
gueir.i, dosmaissuperiores que ha
no mercado pelo diminuto preco
de aoo e a4o rs. a garrafa, e i,5od
a i,8oo rs. a caada : para confir-
mar d-se a provar, e para ver da-
se a beber ; he baralinho, a elle
freguezes que he bom vinho.
Novo sortimeato de panos finos e
casimiras de todas as quali-
dade*.
Na ra do Crespoa.loj diosquini, que
Volta par a Cadeia, vendem-se panno pre-
to, a 9,800, 3,200, 3,500, 4,000 e 5,000 rs. O
covado; dito francez, milito superior, a
5,000 rs.; dito verde, a 2,800 rs.; dito azul,
a 2,800, 3,500 e 4,000 rs.; dito cor do rap,
a 4,800rs.; corles de caria de casimira pre-
ta infestada, a 5,000 e ,000 rs. ; dita fran-
eeta elaatira, a 7,500,8,000, 9,000, 10,000 e
11,500rs.; sarja prela, a 2,400 r. o covado;
dita hespanhols, a 9,800 rs., e nutras mul-
tas fazendas por prego ooairr.odos.
Farinha de trigo
SSSF.
Fontana.
Galega.
Ilaxal.
No armezerrrfle J. J. Tasso J-
nior, na ra do Amorim n. 35. .
*.uio de jNarihiH
800 rs.
Vende-se a historia do Simio de Mantua,
a 800 rs. : na livraria da primada Indepen-
dencia n. 6e8.
CHA FRUTO.
Vende-se superior cha preto,
em caixas de 3o libras.cada uma :
em casa de J. J. Tasso Jnior, na
ra do Amorim n. 35.
Taixas pura enyenlios.
Na fundicao de ferro de Bow-
man & Me. Callum na ra do
Brum, p.ssando ochafariz, conti-
na a haver um completo sorti-
mefto de taixas de ferro fundido e
batido, de 3 a 8 palmos de bocea ,
as quaes acham-se a venda por
preco commodo e com prompti-
do, embarcam-se, ou carregam-
se em carros, sem despezas ao com
prador.
1 ARADOS aMBRTcANS. i
JJ Vendem-se arados ame- j
ricanos, chegados dos Esta- 1
* dos Unidos, pelo barato pre- a
*' 90 de 40,000rs. cadaum: na 9
$ ra do trapiche n. 8. Z
#l%v#o*a *#*?
Multas fazendas por pouco dinhei-
ro na roa do Crespo n. 6.
Cortes de b'im escuro do purolinho
1,440 rs., ditos d e I istra de bom gustu a 2,<>00
rs., dito smarello a 1,800 rs. riscado de li-
nho proprio para calcas e palitos a 180 rs. o
covado, panno fino preto a 3,000 4,000rs. o
covado, pesias de chitas escuras com 38 co-
rados a 4,500,5,000e 5,500 rs., cambraiade
llores com 81(9 vara a 2,400 e 3500 rs. a pes-
sa, lomos de cambraia de linho a 400, 480,
e 560 is. proprios para mSo. riscados asen-
tados em algodSo muitoeocorpado proprios
paraescravo 1*0,180 e 200 rs. o covado,
zuarte azul com 4 palmos a 200 rs. o cova-
do, e muitas miis fazendas por prego com-
modo da loja cima referida.
l'otassa americana.
-- No anligo deposito da cadeia velha, n.
12 existe uma pequea porg3o de potassa
americana, chegidi recenlemente que por
superior rlvalisa com adaitussii: vende-
se por preco razoavel.
I>e psito da rubrica Santos na Itnliia.
Vendo-se,cuicas deN, O.Bieber&C,
na ra da Cruz n. 4, algodio transado da-
quollafabrica,oiuito proprio para saccosde
assucareroupa do escravos, porprogocom-
moau.
Deposito de cal e potassa.
No armazem da ra da Cadeia
doKecifc n.frta, ha muito supe-
rior cal de Lisboa, em pedra, as-
fim como potassa chegada ltima-
mente, a precos mullo rasoaveis.
Agencia de Edwin ftlw.
Na rua de Apollo a. 6, armazem de Me. Cal-
moBlfc Companbla, acha-ae conaianlemeoie
bou aortimcnlos de ulia de ferro coado e
balido, tanto raaa como fundas, aaoeodaain-
ehaatodasde ferro para anlmaea, agoa, etc ,
ditaa para armar em madetr de lodos oa ta-
maitos e madelloa o mala moderno, machina
Iiorlaontal para vapor, com (orea de 4 caril-
los, couco, paaaadeiraa de ferro ealanhado
pira casa de pulgar, por roenoa preco queos
decobre, escoveoa para navios, ferro inglez
tinto em barrakcoiuq em trcoafolhaa, eludo
por barato preco.
Moinhos de venlo
coro bombas de repuzo para regrar hortat
e baixai decaplm na fundigSode Bovrmaux
Ol M. Calheui: na roa do Brum ns. 6, 8 e 10
Vendem-se relogios de 011-
ro eprata, patente inglez : narua
da Senzalla Nova n. 4a.
AGENCIA
da fundicao Low-Moor.
RA DA SENZALLA NOVA N. 49.
Noste estabeleeimento conti-
na a haver um completo sorti-
mento de moendas o meias moen-
das para engenho, machinas de-
vapor, e taixas de ferro batido e
coado, de todos os tamaitos, pa-
ra dito.
B=5

da
Algodio para roupa de escravos.
Vende-se algodao muito encorps'do, pro
|rHo para roopa do escravos, cota pequeo
toque de avaril, a 140 rs. a Jarda ; dito
Hftpoittors : na roa do Crespo n 5.
WfffffW ?f? fff.ffff ff
Farinha de mandioca
jt Vende-se, por prego rasoavel, la-
rinha de S. Mathcvus. a mais nova ,
que existe Oeste merca lo na rua
da Cruz n. 34, del roa da I ingoeta. ,
.fc*A**AA6\ AJ.**AAA
Deposito do pinito de algodo
febrica Todos os '9ntos da Ba-
nhia. *
Vende-se por preco commodo
o bem conhecido panno de algo
d2o desta fabrica em pessa,
vontade do comprador no escrip-
torio de Novaes & Companhia, na
rua do Trapichen. 34.
Arados de ferro.
Na fundic'Bo da Aurora, en S. Amaro,
vendem-se arados de ferrode diversos m-
jelo.
Soi tes a ao rs.
Nalivraria da praca da Independencia
6e8, vende-so papel em sorles impressos,
para hornesesenhoris, muito lindas ei
propriadas, pra os das de S. Antonio e S
Jobo, a 20 rs. cada uta papel.
Vende-se a typographia d.
Diario Novd, propriedade da Viu
va llama a qual est montada
tanto de bons types, como de pre
los, e de todos os utencis necesita
rios a uma boa typographia : tra
ta-se com a proprietana na rus
da Praia n. 55.
Moenttns superiores.
Na fuudicSodeC. Starr& Companhl .
em S.-Amaro, acbam-se a venda moendas
de canna, toda deferro, e um modelo 1
construecSn muito superior
Vende-se um bonita esc, moc, pa
rida de ponco* dias, sem cria, com bou
leite e muito carinhosa para criar, e sabe
bem engommarc cozinhar o diario: na ru-
do Colovelo n. 75.
cementes de horlalicc
de todas as quali lades, muito novas, vin
das de Luhn, e por menos que em outr
qualquar parte: na rua da Cruz, atrs
Coipo Santo, n. 62.
Vende-se uma cabra muito boa do le
te, com dous lilhos, uma cabrita ja taluda,
e um cabrito, um carneiro grande que podo
servir para um menino, e uma ovelha com
douscameirinhos muito bonitos ; no prin-
cipio da estrada dos Adlidos, primeiro sitio
do lado direito.
Vendem-se asseguintes sementes:
nabos,rbanos.rabanales encarnados ebran
eos, tobla, couve trinxuda alface ala
moa, repulliuda, chicoria, senoulas, feijao
cairapalo de tres qiialidades, erviltia loria e
direila, fava, coentro de touceira, salea, tO'
mates grandes, repolho, couve lombarda
sabma, e musiarda : na rua da Cruz 11. 46
defronte do Sr. doutor Cosme.
Mercurio.

Vende-so mercurio de primeir sorte; ern
casa de Augusto C. de Abieu : narua da
Cadeia do Kecife n. 48.
Vende-se um sobrado de um andar 1
sot.io, em uma das melhores ras da Dos
Vista, construido, ha pouco tempo, com
toda a solidez e perfeic,8o com cantara de
Lisboa, grande quintal, murado e plantado
de arvorrdos, estribara e cacimba : na rua
da matriz da Boa-Vist n. 26.
Finissimas navalhas.
Vendem-se pavalhas linas para bsrba, as
melhores que tem vindo a este mercsdo.por
preco commodo; na luja de ferrgensn.56
A de Antonio Joaqnim Vidal, na rua da Ca-
deia do Itecife. .
Vendem-se lonas, briozSo, bnns, e
meias lonas da Kussi ; no armazem de N.
O. Bieber & Companhia, na rua da Cruz
ri. 4.
lnteressante para osproprtetarios
de navios.
Vende-e um negro moco, ro-
busto, de bonita figura e perito ma-
rinheiro : na rua do Trapiche No-
vo n- 16, segundo andar.
Srgnranca para portas.
Vendem-se fechaduras com muita segu-
ranza ecommodas proprias,pr< porlas.car-
leira, gavetas e armarios, ludo o melhor
que tem vindo a este mercado, por preco
commodos; n IMa de ferragens n. 56 A de
Antonio Joaqun) Vidal, na rua da Cadeia do
hecife.
9#*9*99 ##99
9 Vendem-se chapeos envernisadoi.va- *
tj 18o de ouro e prata para os oiesmos,
iV por commodo prego ; na piaa da In- _
dependencia n. 17.
#i8IM9Nli
Vendem-se linhas de roriz do Torto,
mercurio de Lisboa, ludo de superior qua-
lidade, por preco commodo : na rua do A-
pollo. armazem n. 18, de Tarioso & Com-
panhia. ,
Fazendas e miudezas baratissimas.
Na loja da rua larga do Roztrio n. 44, ven-
dem-se luvs depelica, para homem ese-
nlinra a 500 r. o par; ditas decores a 1.000
rs.; capadlos compridos e redondos a 480
rs.; pulceiras de gosto muito modernos, e
oulras fazendas por diminuto preco.
Attenrfui.
Na nova fabrica de chapeos deso,
no aterro da Boa V!sta n. 33,
oeste estabeleeimento recebeu-so um novo
e lindo sortimento de chapeos de sol do ul
timo gosto, tanto de seda, como de panni-
nho para hornero ; ricos chapeos de seda ,
para senhora, do ultimo gosto, e vende-se
por meos preco do que em ou 1 ra qualquer
parte; assim como um grande sortimento
desedas e panninhos de toda as crese
qoalidides, para quem quizer mmi.r co-
hrir-armaces servidas; tamben) vendem-se
hlelas para vestidos de senhora, e concer-
lam-se chapeos velhos esteja em que estado
eslivrr.
Na rua do Colleeio, loja n. 3, existe
ima porcfio de litro*, em portugoaz e fran-
cs, oa quaes se vender por peco extraor-
dinariamente barato, a quem as quizer corn-
il rnr por junto.
Chapeos do Chyle a 5,5oo e
f),5oors.,
na loja de 6 porlas em frente do Livramen-
10, vendem-se chapeos do Chyle, muito fi-
nos, chegados do Rio de Janeiro, pelo ulti-
mo vapor.
Vende-se urna morada de casa terrea
em chaos proprios, a qual tem duas salas,
dous quartos, e quintal murado com cacim-
ba so, alta na rua direita dos Afogados. A
dita casa lem armaees para venda que tam-
bero se vende t, ou com a mesma casa; lu-
do lato por prego muito commodo : na rua
Direita D. 63.
4t
Bom e barato.
Ra do Passeio Publico, loja n. 9, de Albi-
no Jos Lelle,
vendem-se raos chales de lila-a 1,000 ra, ;
dito de taratana a 1,000 r ; dilos hrancos
do cS-a 8n0 rt.; loncos do grvala de cas-
aa, padrfles bonitos a I20r. ; indias eruas
par homem superiur qualidade a 2,200 r. a
iluzi. par 900 rs.; los de linho brancos a
5,000 rt.; corle decissa chita a 9,000 rs. ,
e outras muitas fazendas em conta.
Vende-se um rico piauo de jacarandi,
de mesa, novo e de escolente vozes, lima
duza de cadeiras de mogoo be bom goito,
uma mesa de engommar com gaveta, urna
cama nova de amarello com traveceiro, e
competentes colirios, anda nflo servidos,
dous pares de mangas de vidro bordadas o
lis., dous pares de jarros de bom gosto,
um candieiro inglez de nrio ile sala, muito
rico, sem ser servido, um tocador de Jaca-
randa, tudo por preco commodo; na rua
das Flores, casa n.91.
mmmmmmmmmm vmmmmtmmm
Borne barato.
PalitOs feitos, verdes e prelos.
Na rua Nova, n. 96, lem para ven-
der palitos de panno a 20,000 rs., eo-
1 letes iie setim prelo de Mario 5.000 9
rs., fazenda muito fina, ditos de fus-
18o a 2,560 rs. cada um. ____ ____U
- Vende-se o engenno Canoa Rachada,
na Ribeira ele Una, com 1 legoa de fundo,
emoia de frente, distante.do embarques
legois, moente ecorrente, com mui o bou
obrs, moe cora agua e bo de uma p/oduc-
cfni c-traor linaria : a pessoa que o preten-
der, dirija-se ao engenho Boa Sica, ou ao
engenho Souza da mesma ribeira de Una
Vende-se na rua do Livramento, luja n.
11, sapalos do duraque preto. france7, para
senhora a 900 rs o par; esteiras muito gran-
des, uma me e uma c.ixa de pinlio.
Bolo de S. J080.
Ricas formas de diHerenles gusto*, e pe-
neirasde metal branco proprias para pee-
rar ni-ssas, e 6 mais preciso para a mesmo
(im : tudo por precos commodos na loja de
ferragens da Antonio Joaquiro Vidal, rua da
Cadeia do Reci fe n 56-A-.
VdliXDEDKPAULS.
M-fM?4k
Hua do Dollegio n. 4-'
J. Falque, dono da fabrica cima mencio-
nada, participa ao respeitavel publico de
Pernambuco, e principalmente a stus fre-
guezes, que elle recebeu pelos ltimos na-
vios, viinjos da Franca, um grande e rico
soilimento dos roelhures chapeos deso d-
seda, que tem vin lo a esta prafa, proprios
para a eslagilo do invern, c parasenhores
do engenho, por seren muilo forles ; sor-
timento de cnapeos de sol de seda dedilTe-
renles qualidade do 6,000 ra. pira cima,
lindo sortimento de olispeos de sol do seda
para senhoras, de todos os fnitios o lma-
nnos, que vende mu lo em conta ; dilos de
panno para meninos de 1,500 a 3.000 rs.; di
los para homem de ferro e de balea de
9,000 rs. para cima ; ditos de junco de 1,500
rs. para cima; granUe e escolhido sortimen-
to de chamaloles, sedse pannos empega,
pan cobrir armagOr servidas, balei.s de
lodasas larguras e lmannos, para vesiilos
e espartilhos para senhora ; fa'zem-seum-
bellas para Igreja; concerla-se toda e qual-
quer qualidade ue chapeos de sol, tudo por
muito menos prego do que em outra qual-
quer parte. Vende-se em porgSo e a reta-
dlo. No rtiesmo estabeleeimento acka-se
um bonito sortimento de bengalas.
Vendem-se amarras do ferro: na *ia da
Senzalla Nova n. 42.
Vende-se uma pedra para filtrar agoa:
na rua da Aurora, loja de funlleiro n. <2.
Vende se marmolada nova, vinda l-
timamente de Lisboa : na rua da Cruz n.
46, defronte do Sr.Dr. Cosme.
A 3,56o rs.,
corles do meia casimira, de superior quali-
dade e go.'lns bellissimos, pelo mdico pre-
go do 2,560 rs. ;o corte : narua du Cres-
po n. 5.
Vende-se
um bom qmrlo, bom carregador, serve
para ambas asselas, por prego commodo:
na rua da ConceigSo n. 60.
Aos fabricantes de velas.
Vende-se superior era de carnauba, e se-
bo refinado, em porgOes e a relalbo, por
c.imii-n o prego: no armazem de D. R. An-
drade & C, rua da Cruz confronte ao cha-
farii n. 19.
Vendem-se dous vjoloes, um rico, ou-
tro de menor prego, com sus competentes
eaixa, uma collecgflo de estampas lytho-
grafa las,i! urna caixa para rano, de laitiru-
ga, feita em Lisboa ; no segundo sobrado dn
casa n, 89, na rua Direita, de manhSa, deade
a 9 horas at ao meio da.
Vende-se ou permuta-so por acgOes da
companhia de Bebiribe um sobrado de dous
andares, silo na rua dn Caldeireiro, chioa
oroprios, e ten 10 no fundo duas casas ter-
reas e uma cocheo a: quem o prrtnnderdi
rijs-se rua cstreita do Rozario, cas n. 10,
segundo e lerdeiro andar.
l'ajits.
Vendem-se na loja da rua do Crespo o.
10, excellentes palitos de paono e casimira
pri tos e de cure, por monos prego do que
em outra qualquer parle, dito de briro de
linho a 4,000 ra.
Vendem-se tres ou quatro escravos,
proprios para todo servco decampo ao qu<-
ja 1 stilo bastante habilitados: na rua da Cruz
n. 8, terceiro andar.
-- Vende-se um escrvo da coala, que re-
preseula cincuenta e tantos annos, robusto,
com uma canoa de carroira, que conduz pa-
ra mais ue dose pestoas, e serve ta o bem pa-
ra condugSode trastes o gneros, a qual se
acha CilafQlada, e pintada de novo : quem
pretender, dirija-se a rua de Hortaa n. 140.
Farello.
Noarmaiem do Dias Ferreira
na escadinha da Alfan lega, ven-
de*-se Lirello, chegado ltimamen-
te pelo preco de 5,000 rs. ct>da
sacca.
Vende-es uma armac'o ffova para ven-
da : nada rua l'rm n 22.
Vende-se um casal de escravos sendo o
eacravo bom serrador, e a escravo de bonita
ligura e muga, 9 ditas que lavam e venden)
na rua, 1 dita oe meia idadf, que cosinh.
pe fetamenlee lava, um preto de meia ida-
de bom parn sillo, 1 muleque do 14 auno
na rua ua Cacimba n 11, onde morou o fi-
nado vigariodo Recite.
Vendo-aeum carro novo de trabalhar
na alfandega com preto, bem constru lo e
com boas ferragens: oa rua do Vigario n.
20, segundo andar.
Ulo especifico para curar a
caspa, contina a vejjder-se, na
rua do Hangel n. G4-
Vendem-se na praoa da Indepen-
dencia n. 13, pormetadedo seuj
valor, os seguintes tivros:
SALSA PARRILHA
DE
Tratado dos testamento por A. J. Gouveia {Kfc gfi| T9m Uuv CV
Pinto, 1 volume,2.5Hr.; Rogron Coles lfiiJM W lie inslrulion crimiiiaile,! volume.1,500 rs ; Aa DUmorosis experiencias feltis corno
Defense de* constituimos por Adams, 2 vo- ug0 t ,| parrilha em toilaaasenfarml-
lumes, 2,000 rs.; Cours do Droit naturel por jalBS originadas pela impureza dosangue,
PQrtr-ts. I voiume. 1.500 ri. ; Traite de la 0 u'om exito oblido na eorte pelo 111ro.
volunt por D. do Trac)', 1 voiume, SOOrs.; Sr ri, sigaud, presidente da nen lemia i m-
1* m liilni itm Imtala ill a_____I_____- I___ .'. I___a__1 i" -. I\n
Tratadoada legislagSu civil e pin<1 por IS n-
Iham, 6 volumes, 4,500 rs ObservagOes
obre a conslituign do imperio do Brasil e
penal de medicina, pelo (Ilustrado Sr. Dr.
Antonio Jos Peixoto em su clnica, o ero
sua afamada casa de saude na Gamboa, pe-
sobre a carta constitucional de Portugal io |||mi sr. Dr. Saturnino de Oliveir, me-
por s. I'inliniro Fe,reir,l voiume, 1,od0 rs.; ,|,Co do exercilo aporrarlos outros medi-
11 universailoouDevair de L'homme C08 permittem hoje de proclamar altamente
Morali
pelo bar jo de llolback, 3 volumr, 3,000 ra.
Vendem-se por menos do
seu valor 3 bombas de repudio ,
com muito pouco uso, proprias pa-
ra levarem agoa ao segundo andar,
s3o muilo recominciiriaveis por sua
construccao simples e duradoura :
na rua d Queimado, loja de fer-
ragens n. la;
-- N rua do Crespo n. 10, terceiro andar,
vendem-se duas escrava muito boa figu-
ras, viudas doserlfio.
-- Vendem-se dous escravos, de bonitas
figuras, por grego commodo : no paleo do
Carmo n 1.
Vende-se uma negra e um molequo do
servigo de campo : narua da ConceigSu da
Boa Vala o. 14, todos os dias al 9 hoias.
Jos Luiz Pereira, decididamente ven-
do a sua lo) de ferragens da rua Nova n.
16, a praso, com firmas a comento, a em
nhecida por estar prenha.com a barrea I,.,
tanle grande, foi com un vellido d,liit,
sala de Ma preta a paono Bno, e lamhcm
uma trouxa com alguma roupa.descouli.
so estar em certa casa oceult, portanlo ail
verie-o a esta pessoa que a mande enir'ee.r-
na Passagem. casa terrea entre a do Sr JoJ
dos Ssntos Nunes de Oliveir, e a ei'ihur
D. Ignacia, do contrario se proceder com
todo o rigor das lei, e adverte-se lamboma
polica e capitSeS de campo que a le-ern an
sufradilo lugar quesera recompensado
-NodialOde maio. deaapparece,, pr.
la Joquina, de nagfio Cataange, representa
ter 34a 40 annos; baixa. chaido corue
sondo regular, cOr fula, olhos pequeos
com carne sobro ellos, lem uma costura 'na
cara no lado esquerdo, porm muito aps,
. da, que mal ae percebe; harii cnato, cun
Sr. Jos Haria Gongalvos Ramos : roa dos ''ta da algnns dente, de um e outro lado
a virtudes cllicacs da
SALSA PARRILHA
DE
EbVJbdH .amaSS'-BW.-ajLJPaW-^^
Nota. Cada garrafa cntcm duas libras
de liquido, e a salsa parrilhade Brislol he
garantida, puramente vegetal sem mercu-
rio, iodo, potassium.
Vende-se* 5/000 rs. o vidro na botica do
AI ten cao.
.Na abite do 13 do correle, des-ppareo,,
uma mulata por oome M.riana acompa
da de orna ua filha de 7 anno., por ,.
Constoota, a mulata reprsenla ter ao ,
nos. sita, clara, rosto descarnado esem,".
denles de Trente, tem os cabello grami-
qua oa coatuaa amarrar, e fai-se maisco
Quarteis pesada ao auartelde polica.
Ganlois Pailhetck Companhiag
Conlinua-se a vender do deposito*
* geral da rua da Cruz n. 52, o excel-
tantee bem conceiluado rap areiaB
m preta da fabrica deCantois l'ailhel B
Compaoliia da Babia, em grandes eff
i pequelas porgues pelo pregoeslabe-y
Em casa de J. K.eller quanlo nSoeffecluar, vende qualquer ob-;panhia, acha-se a venda vinagre
jecto de ferragens, ou miudezas, pelo pre- '
coque Ihe cuataram, o que mostrar aos
compradores; lamben.) roga pela ultima
vez a seus devedores, queiram saliafazer
sous dollos, at o lim do correte mez,
pois deseja evitar disgostos.
- Vende-se, na rua da Senzalla Volha, lo-
ja n. 36, uma porgan de madeira de Jacaran-
da da Baha, de piimeira qualidade.
Vendein-se 3 portad de rotulas, mui-
to bem l'eitas : na rua da Senzalla Velha n. '
126, confronte ao becco do Campal lo |
Vendem-se gigos cum champagne do
bem acreditado autor Perrier, pelo com-
modo prego de 20,000 rs cada um : na rua
du Trapiche n. 11.
Voiide-s vinho branco superior de
Bucellas em barris de 5", superior vinho ue
Campagne, a prego cmodo, em casa deJ.
Ke le 6 < omnajilua.
t^ Ubjeclos baratos.
VenJo-sem na rua.estreita do Rozario n.
43, um rico espelho, uma carleira, I2cadei
ras americanas, cinco mesas de p, e mai
alguns objectos, por procos comino Io; a
quem esteannuncio interessarapparega que
o prego o ha de animar.
~ Vendo-se um terreno sild na rus dos
Prazeres, no Coel'io, com principio de ali
cerce e cacimba de boa agoa de pedra e cal;
quero pretender dirjanse a rua Direila n.16.
Vende-se uros escrava parda de 20 an-
nos, com um lilho do 10 mezes, corta o faz
camisas de homem, vestidos de senhora,ves-
te o penleia muilo bem urna senhora; na
rua do Collegi n. 21, pnm-iro andar, so
dir quem vende.
Veode-se mandioca dura emole, para
os bolos de S. JoSo; oa estrada do JoSu de
Barros, quina do becco do Espiohelro,slio
du Palricio..
i,6oo.
Vendem-se coles de cambraia de cores
fizas, pelo baratissimo prego de 1,600 rs. ca-
da um ; na leja nova da rua do Rangel n. 8.
-- VendaS.se um mulato de idade de 17
annos, proprio vaia pagem, por ter uma fi-
gura muito bonita ; um molequo do II an-
uos, e duas pretas de idade 18 annus, com
bonitas figuras; quem pretender dirija-so a
rua do Peixoto n. 19, que se dir quem
vende.
Elixir looic
Atiti-lleumalico,
Pelo Sr. Dr. Guillle, medico da tacuiUde
de Paris, memoro de varias sociedades
medicas, assim naciunars como estran-
geiras. cavalheiio da real ordoin da Le-
giflo iln.lloni-a &C
(Dupont, pharmaceutico, em Paris,
rua Tiquetonne n 14.)
O nico deposito verdadeiro deste elixir
he estahelecldo pelo mesmo autor na botica
do Sr. Jos da Rocha Paranhos, rua Direita
n. 88, em Pernambuco
O elixir anli-fleugmatico he essencial-
mente tnico, reanima o principio vital e
da tilica as fir>rag| destaca os humores vis
cosos, os precipita em baixo, aviva o ape-
tite e tonifica o estomago.
PJe-se adroinisirar oa maistenra infan-
cia como na velhice; nada be mais doce
que o seu efteito: funde, dissolve os -u
mores e Ihes d sabida sem alguma agita-
c*o, sem suspender as oceupages, n>>m
mudar os hbitos: se pode lomar deste cfll-
cazmenle uma colher domanhSa em jejum,
pancula i ni rulo no invern e nos lempos
hmidos,
Os aslhmaticos, golosos, hydropicos,
aquellas cuja fibra he mulle, licam satis
feitos do seu uso; bem como os que sof
frem defiluxSo catarral do peito, azedumea
do estomago, syncopes e palpitagOes do
coragSo, clica, rmpingens, catarro da he-
xig, apoplexia cirrosa, rheumatismo, flu-
xu alvos, doengas de leite as senhoras,
indigestao, vermes intestinaes nateriangas
outras muitas enfermidades quesera tun-
go enumerar
Este medicamento salutar tem produzido
os mais favoraveis effeitos nos casos, para
assim dizer, desesperados. Oesla sorte,
desde seis annos fui prescripto por todos os
medico Ilustres, e oa suecessos qaotidia-
nos qua oblero, Unto em Franca como nos
paizes eslrangeiros, formam o melhor elo-
gio que deste possa fazer-se, e a prova deste
he a grande saluda que este maravilhosn
remedio tem tido as provincias do Brasil,
principalmente na Baha e Rio de Janeiro,
onde lia tantas illuslragfles medicas.
AVISO ESSENCiAL.
Deve-se smente inleira conflanc is gar-
rafas que teem uma marca que leva a lima
do olor, scmelhaote aquella que se v em
balxu. Kmfim, para evitar o perigo das Tal-
ificag0es,os accidentes que podenam acon-
tecer, e arrastar a cobiga dos falsificadores,
o publico he prevenido que cada garrafa
deveseracompanhada d'uma inslruccilo im-
pre-sa que indica a nuneira de empregar
esle medicamento, compilado pelo Sr. (ruil-
lie com a sua firma, e impreso em Paris por
o Sr. GoeUchy; caradores essoocites pira
evitar a frau ie.
Arados da fabrica dos Srs. Ranos-
mee May
Proprios pira plantar ealimpar canna de
lifferenlesmodellos e feilus na mai acredi-
tada fabrica na Inglaterra ; sendo muilo su-
periores aqualquer que lesa viudo a esta
meroado.e proprio pa ra plantaren) qualquer
terreno e de qualquer largura, por ter um
arranjo proprio para abrir.e fechar a aiveoa.
O bico, aivecae sola destes arados pss.am
por uro processo que da-lnea consistencia
de ago temperado da manaira que alo da
mnila duragilo, alero de que tero bicos de
sobre-excellenle: ni roa do Trapiche n. 14.
branco, superior de Nantes, em
barris de 3t medidas.
CLBA EM VELAS.
Vende-se cera em velas das
melhores fabricas de Lisboa e do
Kio de Janeiro, sortimentos mui-
to variados e a precos commodos :
na rua do Vigario n. 19, segundo
andar escriptorio de Machado &
l'inheiro.
- Vende-se vinho de champa-
nhe legitimo e de superior quali-
dade : em casa de J. licller &
Compaa"'. na rua da Cruz n.
55.
Vendem-se sacras com fari-
nha de Santa Catharina a 3,340
is. : na rua da Fraia de Santa Hi-
ta, venda defronte da ribeira do
peixe, n. 1.
I.ivros em branco.
Vende-se em casa de Kalkinann Irmilos ,
na rua da Cruz n. 10, livrus em branco che-
gados pelo ultimo navio.
Molduras dooradas
de todas ss larguras : vendem-so 110 arma-
zem de Kallkmann IrmSus.ruada Cruz* n.10
frensas para farinha.
Na fundicSo da Aurora em San-
to Amato, e no depozito da mesma
na entrada da rua do Brum a-
cham-se vetilla machinas para
mprensar larinhade manJioc, e
outras para espressio do oleo de
mamona, de uma invencao intei-
ra ni o o le nova. Os annuncianles
naohesitam em publicar, que es-
tas machinas de sua invencao sao
superiores a tudo, quanto al aqui
tem apparecido neste genero, re-
unindo agrande fr9i depresso
a maior siinplicidade de construc-
cao, e facilidade na operaco, o
que faz com que diffcilmente se
possam dejarranjar.
Tachas de ferro.
Na fundigSo da Aurora em Santo Amaro,
o tambem no deposito na rua du lituin logo
na entrada, e defronte do arsenal de mari-
no lia sempre um grande sorlimenlo de
lachas tanto de fabrica nacional como es-
trangeira, batidas, fundidas, grandes, pe-
quenas, razas o fundas; e em ambos os tu-
garos existem guindastes, pra carregarca-
noas ou cirros, livres de despeza : os precos
s8o os mas; commodos.
Verniz le gotnma copel ,
continia vender-se a 1,600 rs. ,
a garrafa : na botica da rua do
Bangel, que foi do linado Sebas-
ttao Jos de liveira Macedo.
Gesso.
VenJe-sa gesso em barricas, chegado l-
timamente : em casa de I. KellertSi Compa-
nhia, na roa da Cruz n. 55.
ttemedio especial para bou-
bas e cravos seceos contina a
vender-se na .botica da rua do
Kangel, que foi do fioado Sebas-
tio Jos de Oliveira Macedo.
Escravos fgidos.
Iiessppareceu tfj dia It do correnle I
muleq*iO por nom Floriano, muito conhe-
cido pela alcunha de curinga, de idade de
3 i 14 anmis, seco do coriio, olhos vivos,
nariz chato e ps 11 11 pouco grandes, he na-
turalmente muito ligairo em todos os seus
movimentos, poim ajianhado de surpreza,
torna-se muito songo, sahio snoi chapeo,
clevou raiga de riscadinho azul, chamado
americano, e urna blouse, ou camisa larga
da riscado dequadros, j desbotado. Este
moleque seguio um boi, qu< aeossalo por
diftnrente pessoas, passou pela estrada dos
Aljelos, e depois disto consta ter andado
m companhia de outros moleques, pelas
Cinco PoAtss e Ribeira de Santo Antonio,*
quem o pegar, ou dille tiver noticia diri-
j<-se ao sitio da lamaiinheira na estrada dos
Aflicto; ou a rua da Cruz n. 65, que ser
gratificado.
>o da 10 do crranle mez de junho
desapparercu um escravo creoulo, de nome
Luiz, estatura baixa, retorcido do eorpo e
espadaudo, com nariz chato e beigos gros-
so, tendo sobre o beigo sueerior um golpe
que ainda eat por fecharles gnudes e lar-
nos, foi vestido com caiga de briol pardo, e
camisa de algodSo trancado azul, e consta
que ja fui visto com nalga e jaqueta branca,
todi e qualquer pessoa qneder noticia e le-
va-lo a aeu senhor, no primeiro sitio ao la-
do do engenho da Torre ou na serrarla, na
rua da Cadeia em Saoto Antonio n. 19, sera
generojimeoto recompensado, pagando-se
toda a qualquer dospeza qua se tiver feto
com o mesmo escrito.
he feia ; lem urna empigem 1 elo rosto, nUB
parece ser boiiga, peilo muito pequeos,.
mrenos; lom algumas cicatrizas de relho
as costas ; lem as nadegaa empina las para
tras ; he bem fallante, representa serereou-
I, levou diversa roupa que sondo sibe do
qua usar : ltimamente estove occupadi
no sci viro de cosinha, costumava andar suja
0 emhriagar-sa : quandn foge tem porros-
turne andarpelosinebildes dea ti pnga.qui.
tandando e lavando roupa, intitulando-,,.
de forra. Ilescoiifia-se que esteja serrn lo
em alguma casa como foira i as pessoas que
se estao servindo dalla na boa f, queiram
denunciar, do contrario se osar dos meios
que concede a lei. Iloga-seas autoridades
policiaes e capitSes de campo, ou a qual-
quer pessoa queapprehendaoua faga ipure-
hender e leva-li 1 seu senhor Domingus da
Silva Campos, na roa das Crazas n. 40, que
serao gi-nerosimente recompensados. '
Desaupareceo no da 8 do correnle um
prelo de nome dias, de idade de O anuos
pouco mais ou menos, altura regular, eor-
po serco, lem uma pequea core indi, ros-
to machucado, tem os dedos mnimos do*
pos muilo mais pequeos fra do commum,
tem oflicio de senador o de pescador, en-
tuma sempre indar limpo e com a roupa
remendada: quem o pegar leve-o rua es-
trada do ItOaiio n. 43, segundo andar, que
s-r pago do seu trabalbo.
Andaro fgidos na poucos dias os es-
cravos seguintes ; .Manoel, rouUto.allo, do
idade 24 annos, jwiieo msis ou menos, ves-
tido Com esmisa e carolas de algodio, la-
vando em sua cumpanhia a mulher de nome
i: nriiiriu com um filho pequeo de nome
1'nuil]", de* idade pouco mais ou meuosde
uminno, 1 mulher he mulata clara, de ca-
bello corradlo o de idade 23 annos, pouco
mais ou menos, estes mulatos frim aqui
agarrados por ja terem fgido a leu senh >r,
ediqui io mandados ao mesmo em uma
barc.ca, o tornirim fugir em S. Miguel dos
milagros, e all furianm um pagele de
quitro paos, e consta que nolle seguirn)
para o norte, e taivez quo-andom para o
nono desta provincia, e qua se intitulen)
forros, a mulata sabe andar em barcc-i, e
jangada ; recommenda-se a todas as auto-
ridades policiaca e capeles da campo para
os mandar agarrar onde apparecerern, e
manda-Ios conduzir a seu senhor Congillo
llodiiijios Marinlm, no geu engenho ilu-
chao, em Cimaragibe, na nrovineii das Ala-
go., e nesla rundo a Manoel 1.naci de
Oliveira, e em Macei ao Sr. Sacavm;que
ero qualquer lu^ar que forero entregue se-
rio a.m recompensados.
Desappareceu na noite de 12 do cr-
ranle da casa do abaizo assignado, o seu es-
cravu, creoulo, de nome Ignacio, que repro
senla ler 32 anuos de idade, baixo, refurgt-
do, pouca baria, risonbo, lem um pequeo
taiho sobre o omo direito; o annunciante
coinprou este escravo no da 28 de maio pr-
ximo passado, a Antonio Gongalves da Con-
ceigSo, morador em I pojuca, que tendo-lhe
fgido havia tres mezes para esta cidide,
inlitulando-se forro com o supposlo nome
de Jos Francisco; Tora preso no dia 6 de
miio para averiguagOes polieiie 1 ordem
do lllm. Sr. subdelegado de Santo Antonio,
leudo sido, reclamado pelo dito Concigau,
foi-lhe entregue no dia em que o annunci-
ante o comprou ; para melhur esclarecera
quem possa interessar, declara-se que o re-
ferido escravo foi vendido nesla cidade em
1851 ao dito ConceigSo por Jos Francisco
do Moura, em cuja poca achava-se. hypo-
tiiecado a Joao Xavier llibei'o de Andradc,
consta mais, que duranle o tempo que es-
tove noata n ia le com o ti lulo de forro, ede
quando possue o annunciante at o evadir
se, trabalhava na escadinha da alfandega ;
recommenda-se as autoridades policiaes e.
capitfies de Campo, giatillca-se a quam o
pegar o levar a casa do abaixo assignado,
01 rua do Vigario n. 23, segundo andar.
Jos Biptisla da Fonsec.
No di 13 Jo correnle, iusentanm-so
2 prelos tendo os signaes seguintes : -
Joaqun), cinoeiro o paiiciro, de nag.lo Ca.
ginge, reprrsonli ler 95 a 30 anno, estatu-
ra regular, cara rotonda e cor um pouco fu-
la, nariz chato, mais todo repudiado cm
vulta, que parece ter sido queimado, po'm
he dofeito de boxigas, das quaes anda tem
bastantes signara em todo o rosto, lem pou-
ca barbare he quebrado da venilla esquer-
Ja: Francisco, padei.o ( eitesoda pelo no-
ine-de Chico ) le nacSo Benguella, tito, rn-
Lireseiilii ler 40 anuos, mais ou menos, ros-
to comprido, testa bastante larga, entrando
nos cantos para o cenlru da cat ga; olhos
nugalliuilos, e vista bastante estacada, ral-
la uro pouco embancada,'tem o aniar das-
cangado e levanta mais a parea esquerda ,
quando delta a passafli; o primeiro levou
camisa dealgodio americano e caiga com-
prida por cima de outra maia velha a chipan
lo teda prelo j usado, e o segando levou
camisa do maino algudo cima, e caiga
curta da mesma fazent: roga-sn a qual-
quer pessoa particular e capitiesde campo,
OU autoridades policiaes, o f.Vur de OS mili-
dir capturar o entrega-Ios, 111 rua larga do
Hozrio, padaiia o. 18, quoSo gratificara ge-
nerosamente
Esta fgido um moleque creoulo por
nome Miiiuol de idade 15 a 16anuos, levou
um taboleirbem que venda laranja, man-
dioca e macaxeira, o vestido' caiga d algo-
dAode listras azues, e camisa de algol.lo
branco de mangas curtas, elinda com um
gancho no pescogo da primeira fgida :
quem o pegar e lavar a seu senhor, m s-u
sitio 00 principio da estraja dos Afilelos,
a quilquer hora, ou ni rui lo Tripicue No-
vo o. 18, segundoaodar, das 9 da maohai
al as 3 da tarde, ser* recompensado com
generusidade.
Uasappa oceu da povoaco de Tabatin-
gi, comarca de Iguarass, no dia 3 do cor-
rente, um prelo de nome Miguel, creoulo,
de idade 22 annus, estatura regular, grdsso
do corpo.coiu urna cicatriz no Drago esquer-
do, cor bem prela ; lovou camisa a aerouli
de algudaosinno, o chapeo de palha : quem '
o pegar leve-o ao lugar cima declarado a
seu senhor Jos da Silv Oliveira, ou nesla
praga, na rua da Cruz n. 39, que seri bem
ricjinpeiisado.
PSRN. : Trp. de M. F. os F*au, 1852.
MUTILADO L


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EDR10H7VG_RWMSJH INGEST_TIME 2013-03-29T15:03:16Z PACKAGE AA00011611_03687
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES