Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:03680


This item is only available as the following downloads:


Full Text
Anno XXV1I1
?Segunda fera 7
ai PiatalCTO UUDTIM,
dr trlmettre............
jor teinetlre .............
Por aneo -.5
PiOOOKHT.0 DUIIIMIITIB.
fot au.rtel.............
OTIOIAI SO 1MPIHIO.
far.....'7 de Marco
Maranbio 7 deAbnl
Cera 7 <> dito.
Parshlb. 34 i ""alo.
Minas
S. Paulo. a
a. deJ.. 15
,Bah... !
4/000
8/O0O
15,000
4/500
de Malo
de ilii.i
de dito
de dllo
DI-. DA mi, AtTBIXMOIAs.
7Seg. Roberto. JuIboi OrfM*
8 Tere. S. Maximino. >, e5. as 10 horas.
9Qu.it S. I'rlagla I. tara do civil.
lOQuIut S. ** F..-3. e 6. ao melo-dla.
la d-i 8. Carp C. Panada.
11 Sol. S Barnab. ,1,(11. l 10 borai.
liSal). S Joio de S. 2 rara a"o eioel.
r.cundo. t. eiabadoaao melod.
|3 Doin 3 depoil do1 Mtlttc.io.
Espirita Sanio. |Tercai e ssb.dos.
.'.'......n
Creante i M. s hora je 2H. ralate da 1.
Chala a 2 aa 4 boras e 7 minutos da iar.lt.
alinfb.nte '9, ao. 40 minutos da tarde.
"va IT, aa 2 horas 28 minutos da tarde.
nilallll 0a
Prtmelra i 8 horas e 30 minutos da manbaa.
Segunda s a horas e 54 minutos da Urde.
deJunlio de 1852.
N. 126.
PEMAMBMO.
.ti** o oobsiioi.
a Parahlba, ii seguida. lextaa-
./
rande-*o-Horte t Victoria as quiata.
'
.Cirusra, eOaraahuns no le 15 de cada
a, Oitrlcujf, Exu e Boa-Vista IS a 28.
a, todos o. dlat.
t os Correio! p.rtem ao meio-dia.
OTioiaa xiTBiasxiaal.
Portugal
Hrspanha
Franca ..
Blgica...
Italia....
Aleraanha.
Prnssia ...
Dinamarca
Ru.tl....
Turqua.
II de Abril.
lo de dito
13 de dito
: de dito
3 de dito
4 de dito
! de dito
30 de Maten
31 de dllo
a6 de dito
Austria .. i. de Abril.
Sulasa.... 1 dedito.
Suecia... ladeM.rco
Inglaterra 7 de Abril.
E.-Unidos 26 de Ferr
Mxico... 31 de J.nr
California 2 de Marco
Chili. 2t de Peer.
Kuenos-A. 6 de Marco
Montevideo 5 de Ma o
C1BIIOS DI S D* JDMHO.
Sobre Londres, a 27 por d. i/ooO
I Parla, 315
i Lisboa, 100 por cento.
mu.
Ouro.Oncaa hespanhola.............
aoedaa de 6/400 velhae......... lo/OtO
. de 6*400 aovaa......... 16/000
a de4/000.......i........ 9/000
Prata.Patacoeabraailelroa........... 1/V20
Pesos columnarioa............ 1/910
Ditos meiloanna.............. 1480"
PARTE OFFICIAL.
MINISTERIO DA GUERRA.
l.ifilo dos afumaos da escola wiliUr' pinon i,
dot a altera a/uanos para a arma di arli/nnria-
por aVcrslo delta dala.
Soldado do 1 b.Mlhao de Infantarla, Ry-
mundo Nonato Gurjo.
Soldado do batalhao do deposito, joJo Ro-
berto da Cunda Hacell.r.
I'arltculsr do 1 batalhao de artilbaria a p.
I, ni" Jos Rlbeiro Sobr.gy.
1" cadete do r batalhao de artllharia a pe,
Pedro Claudio Suido.
f. cadete do .regiment de c.v.H.r... An- "-"- ^ffS^ a.nd.
da nacional destacada n.quell. commarc.
Dito.Ao delegado do Pao o'Alho devol-
venou para atr eanado portnl^a^e1ftt"','
c
ven. onexs a conta da despe
Fraucisco Gomea de Sauza.
Cadete do 1 batalhao de artilbaria a p, Do
mingos Jaa Rodrigues.
Palacio do Rio di Jatiiro, em IS d moio di
liii -. Manm-I feliaido de .Soma C Millo.-
Contorna, Libanio auaaiio da CanAi Mallos.
do exerclto.
INTERIOR.
(.OVERNO D\ PROVINCIA.
EXI>EIE^TE DO DA 19 DE MAlO
ODicloA thesourarla de faienda Inteiran
do a de haer approvado o contrato que pre-
tende faier o paisano Francisco rerrelra da
Costa Cabral, para aervir no eaercllo por olio
auiios. e recoinmfudando que mande abonn
ao referido paisano, na forma das ordens da
presidencia, o premio de 180/que Ihe lo I pro-
posto pelo inrrechal conmiandante das arinas.--
i )iiiiiiuuicuii-se ao mesmo marechal.
lino.-Ai mesmo, trausmilllndu o aviso de
tres letra na importancia de 1:606/ saca as
prla thesourarla da provincia do Rio Grande de-
Norte sobre a dena e a favor de Alanoel Ferrcl-
ra Nobre Pelinca e Francisco Jos Gomes.Par-
utipou-se ao Exin. presidente daquclla pro-
vincia. .
Dito.-Ao administrador do correio desta cl-
t).i prudido o agente do crrelo da villa dp Ourlcu-
iv, Manoel dos Santos Rrgo.e encanegado pro-
visoriamente da agencia a Mauoel Francisco de
Soma Peixe. .,.,., ,
Dllo Ao commando da colonia de Pimenlei-
ras, Intelrando-o de haver aluciado nao s a
thesourarla de lasenda para irmaki a Smc. os
linos de que iratam os arla. 4 e W do regula-
memo n. 20 de 12 de seiembro de 1851, e as
, ,i un-nas mencionadas na relacao que re-
melle, mas tambem ao commandante das ar-
mas no sentido de faier seguir para alt um o!-
licltl de serrelbelroda companbla de ailiBcea ;
e coucedendo a autorisarao que Smc. pedio pa-
ra comprar duasjuntas de buls de cairo e man-
dar faier a telha necesaarla para as casas de
que fat menco, deveodo prestar cnnlas na
quantla que para essaa despeas receben do
thesourarla. ....
lYe/acau a que se re/ere o ojficio A cuna.
lercados para o mato >G
Machado J
Polen
Kniadas -
Jugos de ferramenta de carpina completo 1
Ditadepedr-lro ;
Dita de serra para errador
este enlido expedlram-se as convenientes
ordena.
DEM III) IIIA 21.
Oflicio. Ao commando das armas para
mmetter um mspp* demonsl'ativo da oiga-
inascSo actual ilooorpode polica com de-
rlrar;ao do n. do praijas de cala companhia,
e bom assim urna relacSo nominal dos olll-
cmes.espccilicando osda primeirs linlisdc
qulquer das clssses com declarsr;3ci do pos-
to que oceupam o da commisaio que lem
no un sino corpo,
Dilo. A thesouraris de fazenda intet-
ranlo-a de tiare'r aulorisado o marechal
coinmandanlfi dassrmss scceil.r o offere-
ciinetil quo liiersm as pravas de primeira
linha indicad; s na ola, que remelle, pira
conliituaretn servir no exercito, e recom- deaccordo todooministeuo, mas que con
inr-nd.ndo, que, de conformilade com as sideraudo que poJeii parecer poucogene-
natos, eir vez liessrs padres mestrea impro
visajos, e Drclenciusos, crtio que s>ria me-
llmr aconselhad nu pedera gr*r;s, se
nionlra repugnanli ised, ou pedi-la-hi
por si mrsmt, e com .-toda a elTusflo de seu
rroprio cdVa,c)rO; No meu modo de enten-
der ilonalaj um pdldb de r'aca nSo he urna
redamacaode dlrisitos, e jlftlC* IIIIS tnbu-
naes, onde toda va curppro exigir com de-
coroso respeito. >
Dizem que os tratados feilos com Monte-
video lem sido finalmente ratificados : Dos
o permita : sera rsso o ullimo sello so es-
tado de piz.
O Suma Humos di-clerou na cmara dos
depulados, qu o actual ministerio era con-
tinuador da poltica, do interior, o que deu
ocsasiga^i^ Sjmiiji. (fABCo perguntar-llie
q^iTpwWea^m (al casopertendi. seguir a
hBfo d polica, o oflicio de s. me. i que're.peito de Pernambuco, se a dos prrsl-
eio aonexa a conta da despeza feila com os denles Sotiza Ramos, Viclor, ou a do ao
iranamiltindo um oflicio do juii municipal
supplenle do termo do Rio Formnao e mis
papeita que elle se refero, a fin de que
mande examinar os oielhoramentos que po-
de soflrer a cadeia tl'squelle termo, e infor-
me com o que occorrer, enlendndo-se com
a aoturi tade policial do districto, ou sobre
s mudanca da prisBo para oulro lugar, apre-
sentando S. me. oto quslquer caso do res-
pectivo ornamento.
Dito Ao commaodaole interino da le-
gifio da guarda nacional do municipio do
Cabo eovi remetlida pelo director do arsenal de guar-
do
lllustracao, tem sino um magistrado lo In- jio de carne e po pelos presos da cadeia r | de novo e fazer processar aquella assasaino
|TO, e he de una booratidade tal, que ne- qiAitel da policia, tornando-se apenas dlbna de la a0 ju|z ,ie direito di comarca para cunhe-
comlgo trm conversado que irparo a maneira porque ful cooduslda -
presos pobres da cadeia daqutlla villa. Inhor llibeiro. Em verdade o caso era un
Dito.A cmara municipal de anda, de- pouco delicado para o mililitro, mis nao he
volvendo, de conformidade com o que re- para o pobre Ir. Andr um osso to duro de
solveoasssen.bla leaislaliva provincial, o roer: porque ninguem lem culpa,que esss
requerimento do secretario diquclla cam- padres meslres da conatituiote estejaoj a dar
ra, a que se refere o parecer, que lemelle sempie com o pena pea comodtzum la poi
por copii, da commissSo da mesma a.-sam-. ess.s sertoes, e fseam desespersr.e arrepen-
bla, eencarregada dos orea mentos ecoulss der-se iquellrs mesmosque a pretexto de
municpaes, sfim deque a referida cmara alargaras bares procuravam antma-los.Por
mande satisfazer ao sobredito secretario o isso finiendo segundo pudo pescir ns tal
quarteldeordenado.queselneeslaaderer. casa, que a poltica doSr. Ribeiro sera a-
nos termos do menciouido psrecer. poiada pelo sciual ministerio.
Portara__Ao sgente da com,anbia das ] Ble parece que urna larga prorogicSo se a
barcas de vapor para mandar dar transpor- indeclinavel,porque os dignissimos quer da
lepara o MaranbSo em algiioi dos lugares vitalicis, quer da temporaria estilo com
psra passsgeiros doealadu, que esteja vao mnita preguica de trabalnar : uns diis nao
uo vauor que se espera do sul.e na Taita co- se abro sessao por ralla de gente, otilros
mo passageirodogoveruo, so ortico da es- das levatiia-se hura e meia ames da hora
Iracao .io Noria, Podro Francisco Poreirs. porque os dignissimos fizerim ablativo de
Communicou-seao commaudante do vapor viagam ; o que todava, a verdade saja dita,
Guupiass. senio entendecom todos. Que isso icou-
Uila.Ao mismo para insudar dar pissa- t-ca com os vitalicios, nSo admira, porque
gem.por couti do govoino, para o Ce.ran- a piopoicSo que teimam a viser, Ihas val
vapor que se espea osui, a Fraucisco An-;dsndo o caruiixo. e certo bixo, que muito
toniodeoliveira. qoe teve baixodo seiv.co faz relar aos nossos padres piovinciaes ;
l -v .'. .^v .. t h>sf> ..-,.-mu-- lln aiu r iici n 1 fifi
prssoa comlgo tem conversado que
aa trnli.i declarado favoravelmente sobra mola ( em especies de andor o nadus com fo
nomeacio, e que por ella nao louve o go- Ihas verdes). p^r enlendeiem multo que a ca-
o imperial. ridade nao se compadece com a menor aparen-
ul appareceunodla 8 deate, um novo pe- cia de oatentacao, e que s fica lllez a sua
ico com otillo de Uaimoui, e, eegunuoa purea quandolareodo o. beneficio occulta cui-
iao de multa gente boa, esse Omnilm s dadosamente a mao.
ga lama que allra sobie horneo haoes- Em o convento de t. Francisco tambem nos
e procura por esse aerviyo ganhar dlnbei- diaeui que loda a fesilvldade foi celebrada com
*e que mullo precisa: lto be declarado odevldo arelo e magnificencia,nio seodo de
elle em seu progiama. Esse pelourlnho esperar meos do-ielo dos leapccilvos rrllglos
.joce a opposlcan. aos, que escodadas unioameme na devocao do-
icabam de diicr-me que volou-ie hnje na fiel, conseguein todava rivapaar mullas veses
bla, em lercelra dlsctisso, o orcamen- na decencia e brllbanlismo das us olrinnlda-
rovim-lal, tendo sido nelle comprebendl- de com a das igrejas mais favorecidas por
das todas >s medidas nao s reclamada pela cus patrimonios.
prasMrncia na sua falla de abertura, como No dia 31 terminaran! os pCjHosos eierclclo
Daacvaferenciaa que levo cosa a ,inmls.o de do Mrz Mariana, que o noaso uom jiuvj abra-
fateooV acredltei temprc que serla esse o pro- cou com lio fervorosa Jevocao. Aneznr de sen
cedimcoto da arsembla, e nao me enganei. inieiraiiienie invernoso o uiez de maio, em ns-
l orno f.llona asseuibls, devo dizer-lhe que da airefeceu esta circunislaucia o seu aidor, e
pela legulsrldade com qne tem ella marcha- era para admirar o afn, com que homena e
do, pela multas medida de intereaie que vo- inulherc concorriam a igrejas pela madruga-
tou, e pela economa com que se houve, tor- da espostos a Intemperie da eaiacio, sendo que
nou-se digna dagratidao e das bencaos deite nada Penha lmente em dou das deisou o
boui povo minelio. concurso do povo de enche-la completamente,
( Carla particular. ) por ler sido incesaanle e rigorosa a ebuva. He
nolavel e digno dos maluras elogios o compon.t-
mento serio e respeiloso, que em todo esse lem-
po, e em todas essas grandes reuoie, appre-
sentaram os fiel devoto da 5. S. Vigem, nao
l'beraba >8 de marco de 1862.
porm os temporarios; 13o vivarachos, iSu
robustos, tSo rijos o valemos, quaudo se
trata de eleicOes! !....... Mas para ludo ha
sempre mui boas rabes que apadrlnham
velhos e moc,os e aqu entre nos, vi urna
de donilo: os nsvios, tu bem ssbes, ons a-
trS^ftfftSXSMSSgl des .o choro, nemna,lo,nem no b.ixo :
podem ser prejudicados por uiscussOes
solelrar na ninina sella : e o q
presidenta do cousclho respondendo no se- ***" ZLSSJ ralla nem
nado ao Houioauna d.sse que tres dos anli- fij"" "2" JXJTmu^Sm cm"
gosm.ni.lros havi.m jof x.n.jr.l m.t.llr. %&-te*JlMVTo^Ta" cjTn-
do-te saude e gordura.
O IrmSo Andr.
pela sus dimissSo.e a Anal obtido-i do
perador: o osso me pareceu duro de roer.se-
niio no que respeila ao velho Monte Alegre,
ao menos a respeilo dos tious rap>gdes Eu-
zebio.eTosti, ambo florenls actales el ai-
cades ambo mullo Fiusa dice que este
l.tim Iha paiecia torio, po-m va ass.m do Sr. r. Vl.nna, par.
mesmo. And.va eu com o tal osso. r.ves- g JJ ", ,dmD,lltlIo provicl.,
Sido na garganta, e v.i.seufioquado vejo .,or ler ue retlrar-ie para eiaa coite a lomar,-
no outro juriml resposla do Euzebio ao ,s,e0|0 na cmara temporaria o nosso presl-!'1
(Carla Varticular.
MINAS GERAES.
Ouro-Pretu i de malo de 1?:.2.
Na miaba ultima corta notlclei-lbe que por
No da 2o do correte parti daqui paraOu- tendo Jamisoccorildo entieelles mrnoidesa-
ro Preto parte da forca de permanente com o renca, escndalo ou iiumodesiia, multo prin-
recrutas vlndo d. Hagaje as ordena do alferes cipalmente na fgreja que mencionamos, a res-
Carrllhn de Caalro, que leve ordem do Com- pello da qual temos as |mal exactas Informa-
uiaudante do corpo para recolber-se ficaodo coes, e cojos desvelos pela decencia e clrcums-
.inda o resto a ordens do alferes Soares. peceo religiosas sao de tudoa reconhecido
A Dagsjem acha-se em socego, sendo concer- Prata aoaCeo <|ue t-o pia devo^o appiovflte
vada a pulida prlo delegado do patrocinio ao nosso poso, e que, impressiouado pelas vlr-
Francisco Mefndim, nolaudo-se s o estar tudess euiineuteda Vbgem, se coinprnclre elle
mullo despovoada. porque a inaior parle do da oecessidade de iiniia-la aborrecendoo lor-
povo tem sabido. pes vicios, que desfelam o seu cspiilo e cor-
No din 25 ao anolteeer foi assasiinado um rompem o seu coiaco. Urna missa ulemne
eacravo do capillo Manoel Mello de Carvalbo pela uiadiugada, outta pelas II horas do dia,
com urna facadaqu Ihea Iraspassou ocoracao. preencbldo o iuicrvallu por missaa esadas de
dada por outro eacravo deJoanna Rosa da bora^em hora, a conununho de ceica de du-
Concelco, que cooaeguin evadir-te foi isto zentas pes>oas, e linaliueute um Te-Deum. fo-
prosedido a ler o assassluado dado alguna bofe ramos ltimos actos, que uo Hospicio da l'eolia
Idea em urna Iruiaa que linba relacea com o encerr.ram o Mez Mariano,
ass.ssino. be geralmenla slntida amorte, por Velo fiualineute a fallecer no da 30 do pissa.
que o .issasainado era que. tuitentava e tiaiava do, no engeuho Alulinote o Sr. Dr. Duarte Cue-
seu senhfJMJMnem nonegenano, e que ha Iho de Albuquerque Alello, do Uro que as pro-
mais deSHKos vive eotrevado no fundo nulidades o mesmo recebera. Cooaumraon-
dc utn rjvHPMilo, leudo s por companhia o se o nelaiio intento do assassino Diversas sao
dilo esclavo e una Irma, louea, ficando a gora as versrs que coriein cere, d. oilgem de to
tem ler qtiem o ampare. abomioavcl e negro ciiine, maa nao tendo ra-
No da 20 urna miilhcr dro luz a 3 enanca, sao sufficienle para aliiibuirmoa f Iguuia a
que inda poderam ser baptizadoi. citaouaquella, nada aventurar mosa espeilo.
Nao ha duvida que a rrpressSodo traffico AJaUlca publica que se compenetre d. su.
(em de engrandecer o Nrazil, proporcionando- musan, arme-se vigi pela nosia srgurauca
Ihe mrios mals segursemais faceia de riqueza, lio forlrmente estremecida, desconchando so-
Lonje vi, e que nao volle o 48, que togia- bre a cabrea do culpado o golpe salutar, que
Vado aluda esisic na memoria do abitantes fulmina lei.
desttenlo, que unto sotfreu com Inlro- Bo dia 3 do corrale chegou da Europa o v-
duccao de rscrav.lura, e anda alguna lasen- por ingle/. Tur, e nada de eilraordioailo nos
deiros eo inesuio cuinerclo boje olaao se re- trouxe, como viram os lelioreada nossa folDa,
tenlem. excepto o terremoto que enebeo de consterna-
ao erfeitot de 4 de letetnbro de 1850, e seu clo ilb. de San Miguel, arruinando muilot
rrgulamento de deoulubro do mesmo anno, dos seus edificio, Ojjazendo perecer alguna do.
o systema decorpora^ea que ulliinaiuenle se cus habitantes cin "vallas localidades. *5. M.
lem desenvolvido, e a ene ivtlema ae deve o a r.ioba de Portugal continua as soas visitaa
ter-se oigsnisado a sociedade de uue consta o pelas provincia,do reino. Em Fraoca espera-
de eset' d 8s7de i8de dezeiubro de l85t para vm iodos pfa graudlusa fest. miliur, que le-
cer da lomad, delle, dn faci, e pjuredor
contra seus autores na forma da lei.
Dos Guarde a V. Exc. Secretaria da po-
lica de Pernambuco. 4 de junho de 1839.
Ilim. e Exm. Sr. Dr. Francisco Antonio Ki-
heirn, piesidenm d. provino. Jos* Nico-
lao lleguei'-a Costa, chele de poliria interino
oa mesma.
DIARIO DE PERNAMBUCO.
RECIFE DE JUNHO DE 1852.
. ezploracio do rio Araguay. Segundo Infor- ra lugar no da 10 do pastado, e bem que mui-
idete a riqueza de {tos suppuse.tein ter esU a ocesiao aguardada
luacesdali colhidas, he ev
ouro e diamantea daquelle no e eus aflluen- pelo piesidente para proclamar-se Imperador,
les. Para Ir ininerar um detse. afiluenies ( o eram lodavia Infundadas lars suppoaif rs. pols
Csiap } est-se aqut apronptandu ulna cara- que o mesmo principe declarou que lal fest.
vana de diversas pessons que pretende sabir | nio faria avancar urna boraao impeiio. l-.-t.
por todo o mez de abril prximo fuluto, nao escriplo que Lui Napulro ser imperador
obstante a auloriaacao concedida pelo citado1 quaudo quizer, eso elle sabe quaudo deve que-
decrelo o. 817, onde consta li.ver riquesa^ de rer
si-iiio na cmara temporaria o
Antonio Ba
que at cuto curativa,
ourue diamantes em inaior abundancia. As-
tea .ventureiroi como
SouMFra'ncin. cam.'ra dos depulados di-, dente'o Sr. Dr- liz Antonio Barbota: cm.!'c;lece,0!;d_*["'''.-
_a___l_ _.. ^...11 i ...., aaoa s i Ifa isa ,1-. _<*-*_ Bullis ,. n l a*d unin Pul
zeudo qu a multo lempo os ministros de- effeiio reallsou-se
uiiltdos ver.do a org.nisafilo ante-pstla- com difiere, ca porein de 6ue nao velo na qua-
meuHr do minsterioporh.ferem emeo m. IMa* de vicepresidente ein lugar, eilu
nit-rossen. .ores, e s um deput.do tinharn -&*>& Tel^ZTe L'^rJaKa
querido pedir a ua de.issfio, enlsio e-Uva peranle', ..co^lc provincial no
lili HC'l'lltilii I n (II fl til 1 II Ik\ > I lll IIIH IIIIC P.HI1' .. .4 ______>. .____ al. >._ ola a. .lia
urlensda presidencia, manda abonar isra- roso e nobre, legsr seus successore as
feridis pr.cas as gr.liflcaiJes mencion.uis duas comilicxjOes, que se podemni ilizcr
endita ,el.C.o.-Communicou-s-.ornes- por elles lev.DUd... mignaram- conli- .. ^^^ todo uia, afilll de que
io ti- lenhaiiioi de volt, apena se eucerrem o.
!;'.. tr.balhvs legislativos, poli a nosaa provincia
dia
gada a esta capital.
No dia 13 recebeu das mao do Sr. Barbosa
a- adininistr.cao da provincia, pretendendo
este seguir par. ess. no di. ib. Dos o acom-
Tem-se conservado o thermomelro estes ul-
timo seis das entre 81*. e8D. Fabrenheit.
( dem.)
(Jornal do Comercio)
RIO DE JANEIRO.
1 do correle, um dia depon de tus che- Resumo da eztraccao dos premios aa ton-
tera toncedida para as obras da igreia ma-
a Bt si/ata volunt, bene venena uvant.n
Entretanto a expoliaco da familia Oilca,n
eitava prestes a realltar-te; a independencia
do poder judici.rio tlnh. sido invadida, e o se
nado legislativa u decidir sobre aque.laode
proprtedade!
Mullo se estomagaran! oa inolequet e vadiot
portennu fallado as tunes e nos repiques dos
sinos, e uin delies, que mais se posu-inon, tai-
vez porque em outra occasiao Ibe livesaemos
par.lcularinenie Csinagado os bicl-os, ardeudu
anda com a dor, envocou os manes de Terra
des maisusdoFigueir.que tamhem tem o regulamenio da me.a das renda, equei-
muitsespinh.. Hade ler su. gr.Q. ver um ^.".V^^
donato do gr.vsta io pescocopara Uparos acha.,e oranad. aquella repanicao,
furos da goeh. Mss vamos ao caso | ,edo o governo procedido por ul forma ue.-
Muitns peusam comigo que. respost. do ia |,fa que tem merecido louvoret deGre-I
Torres h- Frac, e impropria, e nao se acre- g0. e Tioyanot. E na verdade id neila empre-l
dita,que homens que alr.vest.r.m .nnos DO gou pestu.t iutelligentes, e epates de desem-
metu de tantas difflculdades, viessem por penb.r s funeses que Ine aao incumbidas,
caneados deixar as pastas na abertura das tem procurar distinguir qual o lado poltico a
c.m.r... no meio de tsnlos V iumph,.,. ^^^^S^\\^ 'aS-v. S
qu.ndu ludo annunc a urna id.de de ouro, J">'5 nao cofr,bulodo poicop.r. l.to.ex-
qusndo s plicesest.v.m a como o nove, I u"c io de U|I11 C<|11 cbid de depsitos, e
os rondn hr./ileiros em Londres em urna j pr t.. cuuhecld. pelo noiue de c.ix. mgica,
altura nuoc. vista, o resu.le d. divida re- | poi dispeosado do cargo de inspector o Pev.
mo marechal." uutr, mis que tendo cess.do essts c
Relata' aqu se refere o tfficlo cima. citfl-s com honra e gloria do imperio
*.* batalhao de artilbaria a p. nh.m instado e obtido su. domissao. Or ^ ^ quc a ,ea de ,ua adln|ta(i0
Cabo de esqu.dra. Benlo Rodrigue-. g considers, em que apuros .e v o pobrelrm. e|ltja h011ielll do ,eu quil.te. para colber
unos 280,000 Andr em Vez de um osso imanado, com 0, beneficio. que tem dlreilo pelas riquezas
Cibo de'esqu.dra. -- C.simiro Jos dous Quintos furos.aero precizos para na,Ure.que po.sue.
il i-rfiel --8 nnos -- 240,000 exlr.hir dous ossos? A Andre. Andr, T.mb.iu Iheommunlquel ultim.raenle que
9 batalhao de infamara. quera le m.ndou ler jorn.es Nao me m.n- h.via o presidente da provincia conlecclonado
C>bo de esquadra. Joo Ferreira
Leile. -8 nnos.-- 260,000
Msico. -- Torqulo llonriques J.
Silva. annos.-- 150.000
Dito. -- A meam p.r. que, de conrormi-
ihile com su. nl'iirni.cao, mande entre-
gar ao administrador do correio desta cda-
do a quanti. de 300,000 rota para pintura e
ceio do edilicio em que se scha colloc.d.
a musm. .drhinistr.cao.lnteirou-se .o re-
rerdo administrador.
Dilo. -- A mesma dizendo que, vislo h-
ver crdito, segundo consta de sua inror-
maco p.r. p.gamenlo da qu.ntia de
11,101) res, que desnendeu o alferes M.noe)
> i'riii-lro Machado Freir com aluguel de
t avallo* para condcelo de aua b.g.gom
desta cidade para a comarc. de Naz.retn,
conforme se evidencie dos documentos que
aconio.ob.o o oflicio que remelle do ma-
rechal commandante das arm.s, a autoras
a n andar satisfazor a refer la quantla.
Communicou-se ao mosmo m.rechsl.
Dito. Ao juiz de direito d. comarc do
rabo declarando em resposte ao seu oflicio
de 23 de abril ultimo, que j se expedirsm
as convenientes ordens para sera ctdeU
l'aquella tilla guarda i. por pr.c.s do des
uetmento de N. S. 0', e quanto aos reparo,
de que ella precisa se providenciar oppor-
lunamente com os recursos deque dospo-
zer presidencia segundo lei do orc.meu-
lo provincial.
Dito. A thesouraris di rizeed proviti
fin inleirando-a de haver a ssemble le
oblativa provincial, segundo coustou do or-
licio que remelle por copia, nomeando o
icspeclivo primeiro secretario para receber
.'aquella thesotir.ri. a qu.ntia destinad,
ni lei do oretmento provincial do annu ti-
nsneeiro vindouro de 1852 a 1853 para as
desp.7s da cis. e secretaria da mesmi as-
stml.lei. .
Dito. A mesms remetiendo por copias
os oresmentos. que approvou, dos concer
los, ne que necvasitio as pontos do Recile e
Magdalena, Bm de que pui.h ja em rre-
ru.ttr.ao os referidos uonceilos.Communi-
cim-se io director das obras publicas.
Dito. Ao contador de marinh. psra
mmder proceder o .juste de conlas do se-
pundotenetiteda armada, Manoel Antonio
Vital o'Oliveira.al o ullimo de abril proxi-
t:o ptss.do, flm de se Ibe pager o sold e
m.is v.ht.gens que tem deixado de re-
ceber. ...
Dilo. Ao director das obras publica
,.,._..... r_._.._,.*,'_ anda com a dor, envocou os manes ae ierra
In: do Lamp> Grande, extrantda em 22 NoT, e deoulro leu p.icclroconhecido por c-
de molo de 1852. mrtzlnbo, que outi'oi. aqu extlio, e ishio-
1 H. 1381...........20:0001000 te com um chonllho de vertol, euique, faten
111:111111^111111 doadelezados iguaes, levantajuizoa leinera
4-UOP/iillil ros, doesia-nos c calunlauos froiefe-o a vil
2:000/000 e esfanapad. capa do aoonymo, que de ordi-
87 74tU3S1178-41731 ,.nnn,llAn n.rlo occult. algumadessas torpezase iufamiaa
52J0...........j,,uuu*uuu que, semclhnte as chagas ptridas, tres.nd.m
mas nao querein que as des
1826
lO
1313
10 a 169.-ll72-3096--2302--3.r30i
38z4-4494-505O~!i 109-5566 j
20 2o-t45i--l5l4~l7l6-20u8,
2267-2482-2543- -33T3-3834
37H7-4207-4388-45l4-47li8 (
477l-5004-&ilO-o6?9 -57;I5'
60 46- 84- 127 3g4-- 425\
474- 57lOltJ1031177 1
1290-1309-1351 1424I5l5 I
1516-1557i6l41615-16621
1966-1989-20352376-238-21
2469-2563-25742585-2682
2R00-29I829663010-3277
3622- 3653-36573747--3803
31)72-4011-4187-4218 4220
4231 -4298-4299-1568-4689
4740- 4816-50215033--SO73
6l39-5l45-5472~5709~5851
100 d...............
400/000
200/WW
100/000
na Cas. vi gante de vulto b..>tanlo emb>-
racada, e diziam que mais antep.ilamen-
t.r o que til organis.co do ministerio,
vislucoaio assim tiuh. elle vivido tanto e
apezar de ludo, eso na ano tura do p.rla
meulo Ihes Mtou a vi la, o que ufio p.reci.
inuilo p.rl.mentar deil'do uulros o respon-
der.-m por elles em lempos to solemnes.
Alm di-lo,dizia o dono a. c.s. que he su al-
mamente inp.rl.ment.rsemelhinte motivo,
sendo. Coro, pela coustiluiffio librrima
naascolh. dos ministros, querer esl.bele-
cer corno regr.,que o aiinislerio deva ser or-
g.nis.do com numero de sen.dores, e de-
pulados, ou mesmo que ntJo poss dmitlr
oulros homens he coartar as prerogaliv.s
d. cora n. escull, dos miuistros. Tudo
isto alcanc,. qu.lquer c.beca de donato, e
.dmira que polilicos;veteranos se explicas-
sem por tal rorma. Bem dizia eu la em ci-
ma, no choto lio se d3o mutss sill.ha l.s
Mi ouvi dizar que um tal Lopes Nelto que
l se en preso por cusa d. t bandeir.
da conslituinte pedir amnista, uvera
por deapteno Requeira em termos e
procurando eu com minh. costomeira cu-
riosid.de ssbar c.usadetsl dea.bnmen-
to, quaodo oulros tsLvez muilo m.isculp.-
dos tinh.mobiido r.cllimo perdflo, e mais
algom. cous ; diaseram-roe, que o requeri-
meute nio vinlia sssignadu por elle,e que a-
lm disto constar, os inconvenientes mane-
jos empreg.dos psr que elle conseotisse em
que Iguiis inlromeltldo, que no er.m
pai. nem m8, mulber nem lilhos flzessoro
essa pedido de greca. Seeise Sr. Lopes Nat-
o honrssie com a sua .miz.de alguns ao-
l.c.ineulo Iurao. apcn.s 3. Vej. como te men-
te....
Julgo que ainda nao tab.r ( porque eu met-
mu que aqu estou sOmente hoiueui soube),
que o governo desta provincia, fez seguir o
capilao do corpo policial Fr.ncitco de Bous.
I.u.ia em diligencia, p.r. capturar no muni-
cipio de l'nusii Alegre, oode se. .ch.v.m acou-
t.dus, os a.s.ssiuus do infeliz senador Jos
liento, cuja morie tanto ae procurou fazer re
cahir sobre pessoas respeif.veit do lado pol-
tico que boje domina.
Se bem me record, niorlc daquelle lea-
dor leve lugar em 1843, e durante todo o lem-
po decorno de 1843 ei 1848, em cajo periodo
dominou .gente cun que elle te chava liga-
do, ueubuma dellgcucla ae fez para a captu-
ra dos criminosus, coiuquanlo multo ae grl-
tasse contra pestuaa re.peit.vels, sobre qum
se procuiava f.xer caiiir respons.belidade
daquell. co : e s gora, que o.-r. Dr. H.r-
oo. procurou viog.r a justica, be qne se con-
segu que .quede, assmlaa. fusaem presos
consta.me que um dalles (o que deu o tiro
no senador Jqult reitillr A fute, que o tr.t.va
de prender, e aess. resistencia Iba resulluu
gr.ve lerisn.ulo que o pus em pe igo de vid.
O capillo Luna, de que .clin, fallo, he o
mesmo enjo que eni 1841 b.teu, com niel, du-
zi. de pr.(, um. forca bem consid.r.vel de
rebeldes, que se .chava de emboscad, na er-
ra .lo ilendanba, no municipio da Diamantina:
merece pelo modo porque ae bouve na dili-
gencia que Ibe foi incumbid, oa niaiore elo-
gio. .,
fcsquecia-me dlzer-lbe que no inetmo dia
em quepretlou juramento u Sr. Vl.nna, apre-
seotou-te tambem o Sr. Dr. Joaqun. Dellino
Rlbeiro d.Luz p.r. prestar juramento do car-
go de 0. vlce-pietidenie : u Sr. Dr. Joaqun.
Dellino, comquanlo multo moco, pottue t.n-
(Jortul do Commercio )
PERNAMBUCO
RECIFE DE JUNHO DE 1852.
AS 6 HO.iS OA T1ROE.
biiboshcto HtaAarAX.
A. fest.s du Espirito S.nlo for.m o objecto,
que cptlvou lience. dos babitautea desta
cidade uo domingo 30 uo correle, di. todo ale-
gre e praseuteiio. A devocao para uns, o inte-
rrtie da dlttr.ccao t diverliu.ento p.r. oulros,
lizer..i. altluiraus templos, em que o. Peten-
colte. foi sol..misado, um extraordinario ron-
curso de povo. o qu. I vido e pre.turoso bus-
cava fruir a delicia., que no ineimo Ihe es-
t.v.m reservada. Na igreja da Couceico dos
ni.litares, segundo nos Inlurmam, foi a fesla
preparada com o malor brilbo e esplendor, e os
esforcos.que para esse lio. einpregou a Irnian-
dade do Divino, parecern) bciu corresponder a
espectalivae gosto do publico.
A ar.naco do templo, ricamente acabada,
oflerecia aos olbosdosaasiateaies variado pon-
loa de recreativa conteuipUcao ; a profusao das
luzes e os barmoniosos coocerios de una boa
orebeatra, era que tambem ae fez ouvlr a cano-
ra a .rgealtu. vo; da tsimia Lauda em alguna
.oto do (iloria di uilis, Uautpurter.in mais
de Din deuire elle essas regloes deicannecl-
d.l, que 10 i.nagiuacao povo., f.zendo-lhei
lembrar ot iniuiitave-it versos do poeta:
por toda a parte.
cubram, e porisso i-ar/s retro com o bichosu, o
qae de certo nao acontecera se ousaste deteu-
brir-tc,-porque entao detapiedada.nenie lite ta-
beriamot liuipar ot pt, tiraodo-lhe ot veunet
que o corroem, e tambe... in.it Iguu.a cou-
.a. Os golpe, de um. .lina cobarde c perda
.e atienielll.lll .1 Hechas ai reu.essau.is de cui-
te ; ellas lee.n a lodosludistiucl.iue.nle, e nao
b. sendo toUre-tat, nao leudo possivet o evi-
ta-las.
* Eniraram durante semana 12 einbarcacdei,
.abir.iu 7.
Ilendcu a tlfandega 64:i0./0'J2 ra.
F.llecer.m7 horneas, II iiinllie.es e 18 pr-
vulos livres; 3 homens, 7 omitieres e 3 prvu-
lo, etcr.vot. Total 13 petsoas.
licpartit ao de policia.
Ulm. e Exm. Sr. Das palles recibidas
nesta reparticBo consta terem sido presos:
a ordem do delegado do pnmeiro dlstncio
deste lermo, o preto M .Unas Samico, por
enme do rcrimenlos, Manoel Gongalvet de
Maraes, sem dedarscjlo do molivo; i or-
dem do subdelegado da fregjieza de S. Fre
Pedro Gontlves do ReoTe, Eustaquio Joa-
q ii i ni Izidio, por uzo de armas uefezss, e
Louren^u Calislo de Souza, sem declar.-
cSo do mol o; n a do subdelegado da fre-
goeza da Bo.-Visls, Luii Couslanlino de
Siqueir. M.ciel, por se tornar su.peito, eo
portugiiez Antooio Erancisco Viunas, por
Insultos. I'or con mutiic(So do referido
subdelegado, que me fui trasmittida pelo
delegado do primeiro dit< icio desle termo
em ollicio de 2 do corrrnle, consta que le-
las 8 huras d. noite do da 31 do mez pr-
ximo ptss.do, .pp.racer. incendio em um
qu-rio ne una cas. da ra do Hozarlo da-
quell. fregu.zi, doquvl resull.il smen-
te arder urna porefio de rouua que se .cha-
va nelle esp.lhaua. leudo silo logo apaga-
do pelos meios que empregou o mesmo sub-
delegado e a'ljjuus cidadaus que all concur-
re r-.m.
O delegado de policia do termo de G.n-
niiuns p.rlicipou-me, em oflicio de 23 do
mez prximo p.ssado, que no dia 13 do Ua Hsh,a naa, ha de toieresae.
mesmo n.oz no silio denominado Trea Ria-
chos, da freguezia do Uuique, fOra ssan-
Entrou bontem dos portos do sul o vapor
liahiuna tr.zendo-nns jo'n.'S do Rio de Ja-
neiro, que alcanctm a 25 do paseado e da
Baha a 2 do correlo.
Todas as provincias licaram em tranquil-
lidaao.
Nenhuma noticia li.via na coile cerca
dos negocios do Prata.
S. M. o Imperador tinha sido acommetti'lo
de ii ni accesso de lelitc.inas a sabida do va-
por j se .chava livre delle.
No dia 94 do passado foi spprovadn empii-
meir. di.cussSo, no senado, o proj'cto de
resposla a fulla do Ihrono, e no di. 35 de-
vi. ser apresenlado o da ornara dos depu-
tsdos.
A r miara vitalicia approvou em ultio.
disc ssSo, no di. 19, lesoluco d. cmara
(.-n.p.ir .ni, que abre um crdito de ris
77:453,997 p.ia pagamento de exercicios fin-
dos, c bem .ssiiu, como urna emenda, a re-
s ilu.ili. .la mesms, que luturisa o governo
Conceder cartas de nluralsavSo a 1303-
lreiigeiro9, passmio depois a discutir em
primeira outr. resolucAo da dit. c.m.ra,
que aller a de 34 de setembro de 1845, so-
bra afor.meutos de terrenos diamantinos.
A cmara qiialrien.l regeitou no dia 18
em e-cuiiinii aerret, por 38 votos contra
19 um. emenda do senado autoris.ndo o go-
verno conceder liceo;., com os lespecti-
vos vencmentos. ao Dr Joi.aihas Abbott,
lente da escola de medicin. d< Baha, e a
Jo.quim Gomes de Souz, lente substituto
d. escola militar, pr irem s Europ. entu-
d>r os progressos te i tos pelssscienci.a, que
pruiessam; por 49 vulos contra 11 o artigo
additivo do mesmo senauo aulorisaodo
igualmente o governo a conceder liceuca
por dus .nnos ao c.pitflo do calado m.iur
Jos Bernardo Fernandos Gama p.ra ir a
Europa, perceb-ndo o ordenado de um Con-
t de lis, alm de .judas de custo, .flm de
colher documentos, que possam inteicssar
a historia do Brasil.
O Exm. Sr. Paulino Jos Soares de Souza.
ministro e secretario de estado dos nego-
cios estrangeirus, loi condecorado porS. M.
el-rei de Dinamarca com a grao-cruz da or-
dem de Dannebrogue.
OSr. D Francisco de P.ul. Souza e Mello
foi ii.iii oa lu |i. .neiru ddidu a legarlo biv -
sileira em aples.
0 Sr. Ernesto de Merol. lo i nome.do en-
ea rregado de negocios de Parma junto a cor-
la do Brasil.
0 Sr Dr. Anlonio Jos Peixolo foi nomot-
do membro d. sociedade das scienci.s me-
dicas do Lisboa, por ler apreseulado a
mesma urna memoiia sobres rebre ama-
relia.
O Sr. Dr. Jos Coelho Moreir. de Souza foi
nomaado segundo cirurgiao alferes do cor-
po de s.uda do exeicilo.
Todas as antigs pecas de 6,400 e 4,000 re.,
actualmente rucebid.a no lor correle de
16,000 e 9,000 rs., que ex.stem ou te rece-
ben) na thesour.ru geral do thesouro, tem
sido ii-iin tit.i-s p.r. a casa da moed., onde
estOo se recunh.ndo em peus de 30,000 o
lo.ooo ra.
A rebre am.rella ainda continua a lavr.r
no Rio, tendo fallecido victima della, no
di. 33 do pasa.dooSr. Ll'di, pintor sceno-
gra,h.cu do inealro'provisorio, o artista de
nao vulgar merec monto. II.vi. 15 tli.s que
cnegar. a corle qu.ndo f.lleceu.
L-se na Rca/ita Martima trasleira :
Km o di. 8 du correute. estando prsenle a
coinilllss.o dos u.elhoimenlos do material d.
..imada na furlalez. de Villegalgnon, lee lu-
gar etperlenci. dos fogueles incendiario,
(yslcm. de CougreveJ ra.nul.ctur.du. pelo ui-
gl.z W.lliam Hale.
a l.auearam-sc olto fogueles, distando o alvo
l,o5u bracas. Nao foi cale verdadelrameote
tocado, maa em leu lugar um navio toR'ieria
estragos. Sao tutcepilveii de adquirir m.ior
veloclda.il-, dando se inaior forc. Ulna mola
para este flm de.imada, e nao he quanla s.de-
sej.. certeza d.. ponuri.s. Sobie u. ata-
jos, .ppllc.co na mannba ouvimo. opiolde.
d.Itrenles de pessoal eotendld.t.
Du*. pecaa de bronse, calibre II, fun-
dida, uo arsenal de mal..lia desta corle, dJ<-
putio eotre st o merecluienlo.
Ada desenho do engenbeiro Grundj pes.
JO arrolia, e 10 libras, lem de comprmanlo d al-
ma, Inclusa acamara cnica (syalema Ingle.) 5
palmos e I polegada. Carregada pelo modo ur-
dio.rio p.r. as e.peiieuola cur.ou a distancia
de sele amarras pouco malt ou menos.
O cabio obuz de moni.nii. (deienho do
leme coronel Luis Manoel Goucalve) pe. 8
airob.se 2i libra., tem de comprimeoio d .1-
nia inclusa a cmara cylindrica com olear-
cordemenl 4 palmo..
N. eapeneoclo (segundo o etlylo) m.ndou
o projecill pouco in.i ou menos uo longo oo-
inii o da primeira pee..
Depol. deste proces.o sendo ambas exami-
nad. minuciosa.nenie, ucubuiu. alter.(ao ae
Ibea encunirou.
A carga ordinaria da primeira He malor
que a da segunda.
Nao queremos rvor.rmo-no. em juitet
emu.ua cuntenda tSo bem siisienuda.
Os trabalhot do Sr. Gruudjr e do Sr. Gon-
calvet merecem elogio.. Este Jenbore. tem
bastante intelligeoci. e mod.aiia par. conbeee-
reui e reliflc.rem .Iguo. defeilo. que por vea-
tur, exisiam ou oa.uund.ncl. de metal na pe-
ca do primeiro, ou no calculo da. lea. n. do
"!'O cauho obux do Sr. fioocilvet que tam-
bem irve para bala c, be evidentemente
mal m.neiroe com effeilo mu til n.t pequ-
is eiub.rc.cdese em c.mp.nh'.a
L-e no Mercantil de z_7 do pastado :
Sahlo na trguod felr. a Urde barca br-
*. IIII.', ti" .v*ww.<<- T ~l -- ------------ i r.i i > i 1.1- -----
sitiado com um tiro BeiU.rdo de tal. mor.-'-slleir. Sem Igual que se destina pesca aa ua-
mado do poder da gu.rd. que o vigiav. por
Candida, iniucti miratur limen Ofynipi, f d d ou doz norJien3 s8nilo
iubpcdtbu.qH.rtdctHutjese.s.dcraJjaphnu. 0 ^ ^ ^ ^^ Q me8|nu de|e.
Nometmodi.30, Kgundo o co.lume, fez g.do rcommeod.ndo-lhe que empregue to-
refeiida lrm.nd.de um. buud.utc dettrlbui- dos o meios .o seu alcance para capturar
dopbarul, o qu.l acbaodo-a corrate deliou
seguir p.ia oseu deitiuo. Deveru ponanlo 11-
car descaucadoa ease que cul.v.m os cruza-
dore, conir. ab.rc. Sem Ifual, eiper.ndo v-
la entrar dentro de Igum luetei com um bom
MUTILADO
i

i'-
a
I



;
V


producto de seu lrblhq, e qus multa .sllsfa-
ri cu verdaderos nalgas da prosperidad, de
Brasil. _______________ _______________.
Coiiiuiunicados'.
Acaba de portar a termosa plaga de Ca-
bral o u .>or T*, nelle t oouuiidora ir
lista Manuela Caetana Luco, de volta da
>;. n que fi'Z a Liabua. U louvavol nbjec-
ln,"que a cooduiio longe da noasa cidade,
nSo he ignorado por quasi passos lUuim.
A aua viuda fealiar matilha de cfie* go-
zos, que procurara minchar a sua-ep..ta-
Su, movidos pela Inveja, j ao seu rarisaimo
lento dramtico, Ja a replanlo elerada
qu" gota entre as pessoas sisudas. Agora,
iurau.es o invejosus detractor.'!", estilo lin-
dos us vossos manejos de vil intriga i balxa
calumnia. Agora pudels lanzar os olhos so-
bre a encantadora artista, e a veris cerca-
da d'aquellea a que mais se deve amar, alm
da Criador patria. Sim, laneai voaaoa
nlboa sobre ella aaverea rodeada de leu
pai, ajti e irmflos, nicos objeclos que a
induzTram a abandonar 01 Pernambuoanos
por alguna metes. Agora, aem que nos
possala replioar, nos vos dizemos cumo o
soblioMi Bocage..... eilreuueei, rug, mor-
il ti-val
Aproteitamos a occasiSo para orererer a
gentil recem-chegaJa urna poesa que do
hicj da nosaa m>l apparada peoa sabiu, ao
saber que ella de novo se achava ua nosaa
Veoea Americana.
SONETO.
Se tungos das de cruel saudade,
Passar "ueste eos leus admiradores,
Agora, com mais gracas e primores
Aportaste i gentil nossa cidade.
Vio temas asaos ministros de impiedade,
Que odam-te abocanhar, pois detratorrs
AitenijSo nSo merecem. Os louvores
Meus recebe, da scena divindade.
Contina qusl d'sntes a mostrarlo
Na acea, que j tanto abrilhantaste
E nos jura, jamis dalla ausentarte
Que este povo a quem tanto arrebataste,
O alieno que moatrou, ha de mostrart
rtanjo que ao Recite boje aportaste.
Ternambuco 3 de junho de I8SJ.
_____A. C. P.
Acba-sc ua Oabia, oade acaba de str apr.lau"
dldo, e apreciado, como Igualmente o foi na
corte, o diitlucto artista e compositor Achules
Malavaze, que breve lera de visitar eita capi-
tal, segundo .1 >lli nos avisa um amigo.
O Sr. Malavaie na sua frauta metlica de
Hoehin admira e arrebata pela suavldade doa
sona, e inimilavel gosto de aua execucao, e ex-
cedente escollia de pecan, todas cumpostaa por
elle sbre moiivos e cantos das inelhores e luais
apreciadas operaa italianas.
Tudo quaato poderlainos diier emfavor de
t.'io distlncto artista, aerla pouco, 4 vista das
lofurmacdes, que nos transmlltein da Baha, e
do que acerca dril* eicreveram tanto 09 jornaes
dalf, como os da corte, onde leve a honra de to-
car em preaeoca de Sua lagestade, sendo logo
uomeado msico iie aua caprlla.
U Sr. Acliillra Malavaie pelos movimentoa
polticos da Italia, sua patria, vlo-se obrigado
acorrer Ierras; e depoia de ter-se feito apre-
ciar in Portugal e Hrspaulia, se resolveo vl-
altar o Hrasll, pela certeza do acolhienenjo fa-
voravel, e da proteccao decidida que aqu en-
oontrain todas aa pesaoaa do seu mrito. II
alem de tudo um completo cavalheiro pelo aeu
porte O'.bre, atlabilidade, educaco apurada, e
inulto apreciaveis qualdadea. fc-speremo-l,
pas, e pussa elle ter de di-ver ao brioso Per-
nambuco o hospltaleiro acolhiinento, que en-
contruu na Habla, e 00 Rio.
.
punbo, tendo que nopassa de amanece-
dad, de uaoa vardadeira sindico o sin mar
o 8r. Haitoa, qu no Hiode Jsneiiajso nSo
prwia altn(fio annutuioa de aemeliianto
ordm. 4
Km qu'nio i misoraval historia da 089
entrega do al por a aahar etn nosaa casa,
uur lar a Sr. Distas condado en uusii
boa lo, lile diremos,' que ei>sa labia nSo uo le
pegar ; porque se elle ja nos mvii pago, e
si' tuina occorrido o que despejadamente af-
ll'ma, era natural, que em outra qualeiUT
uccasiSo procurasse chamar 1 si o aau titu-
lo da divida, e enlo ser-lhe-ia o mesmo
ntregue ; mas porque o nlo fez ? porque
uSo cbamou-nos a juno para o tiui de obri-
gar-nos a entregar-lhe o val urna vez, que
segundo diz, elle ja havla aido pago T
Em una palsvra a evasiva oo Sr. Beatos
lie do tal ordem, o escapstorio a que soc-
correu-ie he t3o pouco digno de um homem
honrado, que o publico sensato nSo podar
deiiarde repelii-lua, e defszerde sua mar-
e umi ideia bem triste e deploravel, a m
ja nlo tratamos de o desroascarar em julio,
ne por que sua Uc. mais avisado e sagaz a-
pressou se a dar as gambias para o Rio de
Janeiro; do entanto se tivermos a fortuna
de qu o Sr. Bastos volle a esta prava, mus-
irar-lhe-emos persnteas justicia uVlla.au
S. Me. nos lie ou nfio devedor da qusntia
que exigimos fundados no val, rujo paga-
mento falsamente diz ter sido feito.
Por ora limitar-nos-emoa psra conheci-
meulo do publico d'esta prafa e da do Rio
de Janeiro a fater publicar estas linhas, pe-
din Joaoaseuhores redactores, que as nsi-
ta m no seu bem conceiluado jornal com o
quefarlo esp';ial favor a
Vtetia ?tira i Filhhs.
ti- Uitsi
fcm
maitolempo qiaoproprio mi'-.M*gtJ. ti- Uit reilUada ... .....Pij^i
nhacomoit-uerUdo.a uro nlmdiceivallarii.dt non." Jtarachoj nfio ha i *"'b..... S"
muitoi muz qua oproprnub-delogada. L1"'r.........-.' tmd
panoou ecutiloua Domingoideial, how#. Dll8' .' .' '*,'*.. \\\ o.r.-U
forro mof io no engenha)u coronel Fran-fArro* pHado-2 a.^b. m Altera
Urna
Um
Arroba
1
O SEGUNDO ANIO DO Mtt MARIANO NO
KNGEN1I0 >()HI K(.\.
Para le confie* er quania be a efficacla e ex-
celencia da Mal de Deo, junto ao ilirono fio
Cordeiro linmaculado, basta allender as auai
Tirtudrs,
Apeiar tnejmo da iiniiioraldade da pocha e
da tendencia a Irrelfglio em ceitos homens das
luzes ; o nosso |>ovo aliamenlc confesa que
aem rellgio, e a ernm doi seua malorea. ja-
mis pode ser feliz. Cmn ellVilo, nos o presen-
ciamos, nos o temos observado nos dous anuos
successivos da teroa devocao de Maria, O ir
bu na I da penitencia fol lavado pelas lagrimas
de nimias christ.'ios arrependidos, a S.iui t Mhsa
frecuentada pela numerosa aisistencia de inul-
to* flhos da igreja.e havendo urna estac vcftios-i, os caminbos intransltavels no inez de
malo, nioemporio, asslm inesmo o povo aecu-
dio ao chamado da Crombeta evanglica. O-
coslumea mudaiam-se iuteiraineote, j parece
baver urna trantmutacao, uiua nova ordem de
vida naquelles, que a pouco se confessavam ci i-
uilaosos, hoje convertidos -.. Continuemos sem
frarjuesa o mais po, o mais doce, o mal* edifi-
cante, o mais proveitoso de todos os eierclclos
da Mil de De os.
1______/m morador do mesrno engenho.
Correspondencias.
Senhores redactores. No momento de
sua partida para o Rio de Janeiro fui, que
Sr. Jos de Almcnla I r rol o Oastos leve a
triste, e miseravel lembranfa de escree
algumas linhas a resp ito dos annuncios.
que lizemus n'este Diario, pedmdo ao mas
ino Sr. que nos pagasse a quantia de no-
venta mil res, importancia de umval, que
nos passdu em 6 de junho de I8S0, e com
q ua 11 to elln intendesse, que com aquolla es -
Reciede desped la, s prooria de sua pes-
st-a, nos diriamos pur salisf titos, e pagos da
referida quantia todavia assiin nSo acn-
tece,e ju|gamos do nosso devrdizeralguma
rousa sobre o aeu annuneio incerto nu io-
rio n. 18 do sexta feira 4 do corrente.
OSr Bartos po'un modo, que muito o
desabona, e que do sua boa fe sincaridade
da urna i lea desgrafadissima, nega ser-nos
levador da quautia cima indicada, e com
um despejo nqualiBctve! diz, que ja nos
achiraos pagos U'aquella quantia, por issu
que recbenme um crdito do Sr. Jos da
Costa Albuquerque Mello de maiur valor pa-
ra nosso psgamento, e accrescenta, que se
ai oda em nosso poder existe o val, que sua
Me. nos psssou, h->, porque ni occisiSo em
qup nos pagou, Ihe disemos, que elle esta
va em nossa esa, e que Iho entregaramos
na prime-ira o -ra.i.iu, sendo que a isso elle
nnuira, porque confiara em nossa boa re.
Suprehen le na rerdade ver a audacia, a
aem ceremenia, e mesmo o de-facam. coiti que o Sr. Bastos quer esuecuhr com
noscu. IIj exacto que elle nos dera um*
conta e um recibo do Sr, Albuquerque Mel-
lada quantia de cento e ouie mil e tantos
ruis, uizendo-nos, que msndasse-moa rece-
bar aqu-lie iliiineu o ; mas tambero he cer-
t 1, que u"ni (i dito Sr. Alnuquerque pagou
at liujii, nein ciiutrahimos a ohrigacJo de
estarmos pela boa ou mi cabranca da pre-
dica cunta prlo que he vi-to, quo nada la-
nos Com ella, e qua o Sr, Bastos nos he de-
vo.for da impoitaneia do ra, ,j,,,. ,,, plg.
sou. Diga elle puis o, que quizer a respai-
lo do Sr Alb iquerqu', ae enteuuo que oto
tem sido ex-elo 00 seu pagam uno. mas nlu
negu a divida a que nos h obrigado, por-
que lato he muito feio, he muito indigno,
he muito improprio de um homem, que
presa sua honra ; e j que fallamos em hon-
ra, nfio pjenos dispensar-nos do dzer ao
Sr, Bastos, que os anouucios s3o to apre-
ciados na praqa .|o Rio de Janeiro, como
.ni qualquer outra civiliaada, una vez que
Srs. Redactores.O facto .acontecido co-
migo na villa do Cabo no da 37 do pioxirno
passado mez causa horror, he o ficto o mas
escandaloso que se pode imaginar praticido
porum agente da polica, o sub-delegado
Jniquim .Marques da Costa Soares : e para
que o respeiiavel publico ajuize em que des-
grana so cha a freguezia do Cabo, ontre-
kiic a polica a um subdelegado domine pre-
verles ior, passo a eapor fielmente tal qual
ellesepassuu, e foran teslemunhas pessoas
dignas de le. Estando eu em miuiia casa
naquelle da chegou-me um portador na car-
reira avisando, o infelie aroniecnncn-
10 na pessua do lr. buarte Coelho de
Albuquerque Mello, juiz m unc pal suppleu-
ledaquelle lugar ou n3o s pelo lago de
smisada, mas pelo espirito de culiega, cumo
advogado, e mesmo por uindeverque nua
he imposto pele lei, (1/ partir iminediaia-
menie um portador a participar ao delega-
do Jos Antonio da Rocha, aquello aconleci-
mento ; pedindo-lhe etpeoisse suas ordens
para a captura do assassinoquesediziaaatar
omisiadu as matas do lugar do delicto,
muito perto desta villa ; o digno delegado
ao rec-lnT esta miaba commuuicaf9o, man-
duu-medzer que eu diceaae ao sargento
do destacamento que guarnecida a cadeia
aaguisaecum a foroa para o lugar do acon-
tecimanto, alim de ver se era capturado o
asssssino, encarregando-me deigir a-
quella deligenci.; e que ja vinha pa-
ra villa dar ordem por escripto; ao roce-
bereste recado pela neceasidade eprumpti-
dSo qu o cazo pedia fui ao quirtel e dei o
mesmo recado ao sargento ; e logo me pus
em caminho nara o lugar, e ali cneguei, e
depois de duas horas chegou o tal subdele-
gado, e pouco depoisodestacamento,echa-
mando-me oss'gento cumunicou-ine que
odito sub-del'gado Ih havia em caminno
preguntado porque ordem hia elle em se-
guimento do assassno, eque elle Ihe res-
ponder que por orden So delegado, e que
elle Ihe pedir a orJem.eoaa-gento Ihe res-
pondera que a ordem tinhi racebldo vocil
de mim por um recado do delegado, e en-
tflo o sub-delegado furioro o reprehender
destratando-mn com palavraa insultantes:
quando 11 sargento acabava mo de cootar o
laclo .lado entro aquello subdelgalo, este
chega em urna das janellase repele as mes-
mas palavraa a meu resuello, ainds assim,
Ihe respond que a ordem era do delegado
para um caso de flagrante; estas minhas
pa la vas fura ni recohidas pelo doudo do Sub-
delegado como urna offenfa e dengio-me
ui. ti os tantos Insultos propnus d'um desas-
sizado ; e orno aquelle sub delegado nem
como aulho'idade, nem como particular
me poda insultar, tanto mais por um Tacto,
que era para ser por elle louvado, resoon-
di-lheao peda letra a seus insultos, pas-
sou s ilesaflar-me, eu iceitei o desalo para
onde rilo quizesse : dom isto acent'i aban-
donar a deligmcia e nada mais proseguir;
flearam lodos parados, e eu sub a aseada da
casa do Sr. Francisco l'aes Brrelo, em cujo
lugar eslava o rorpo do infeliz lie. Iloaite;
quando Biub-delegado me toenou i insultar
tornei A rsspuTder-lhe, a cuj resposta lau-
cn elle mi de urna cadena e,botou-se para
mim, e como seja a dereza natural tambein
lancei nulo de urna faca,.sem que outra ao(So
mus fizesse, acudiram lugo pessoas e apar-
taran!, sendo elle agarrado por varias alge-
mas, e ao passo que eu me conservara para-
do ; furiozo grita o doudo ao sargento que
me prendosse pois o quera matar, subi o
sargento e logo por mim Ihe foi entregue a
faca ; e nSo obstante o doudo gritava que
me prendessem -, me arrastas.se n pelas osea-
das, eu Ihe disse que obe lecia a lei eque esta-*]
va urezo, mas que nfio obedeca a doudos ;
ordenou ao saigento que me conduziss ex-
cnltado, e como o sargento saben lo cumpnr
suas ourigacAes nSo sa quis prestar a vin-
ganfas de um bruto prevaricador, tem pro-
testado que o smenlo e todo o destaca-
mento hade ser demitido, eainda mais fu-
rioso licou quando o destacamento o des-
meollo no ju'amento que deram e outraa
lestemunh.s igualmenle por elle apontadas,
com excepto .le um seu domestico a este
mesmo o enclacmu em parle. Nlo obs-
tante ter eu oli recido liador idneo o Sr.
francisco Pies Brrelo, o bruto recusando
aceitar o Oidor olrerecido prosegua as
suas^ furias, recolhi-me a cadeia para mais
confirmar o insulto feito ao Sr. Francisco
Pies, digno cidadSo daquella comarca; bou-
t.'in po.em fui inis'u u n liberdade, por ter
prestado (isnea. Eisaqul Senhores Redac-
tores o estado miseravel di comirc do Ca-
bo 111
Todos estes icontecimentos tenho levado
a respe tavel presenta o Exm Sr. presdeme
da provincia, edo Sr. chele de polica e coa-
liado na sabe lona, a jualica das primeiras
ai.llion.lados da provincia, spero que nlo
llque impune semilhante aiUalado prati-
cado por aquello sub-de|egado. Sou n-scnlo
e criado na comarca do Cabo, aoode tenno
rezidido l-j annos, sou muito cnnhecidu pe-
las primeiras pes.oas daquelle lugar, e um
prevericador nAo me pudo fa/.er per ler
aquillo que com custo leubo adquerido. Os
crimes deque se acha carregadu aquelle
prevaricador aSo tantos que ja a muito de-
vera elle estar fora da polica, pois alo ha
pussvel que policio quem merece ser poli-
ciado.
Os criminosos passelsm da publico nesta
comarca, zombam da juanea; ha poucosdias
dous bumens p e/o- em fligrante com fe-
ri i.enios graves, vindus remettidoa pelo co-
mandante da fortaleza de Nazaralh, eslive-
ram 5 dias na cadeia, nSo se fez corpo de
delicto, aem processo, e nem coun algums;
Araras
illas
aelia.
Bsenlos .....
Caf uoia......
Dito raatolbo ....
Dito comeaaca ....
Ca na secta.....
Cocos com c taca .
Charutos boas
Ditos ordinarios ,
Pito segaba e primor ,
Cera de Carnauba .
l
Culo
Arroba
cisco Jos da Guata ; nSo ha amitos diasqu
pruprii lulhoridide maudou proadsr lu'pii'i
ascravo do Julio francisco Comes pan se,001.1c
pagar de 150,000 ra. que aquella niisoravel
Ihe devia, sem uzir dos meios judicl.es,
sem couss alguma ; 10 que ote oppux, e
jl'onde proveiojuma das intrigas que aje
consagra o prevericador; nSuba muito lem-
po que mandou prender um menino a o
q"z casar com orna prostituta e como o
pai aa oppuzesse o recrutou ; nlo estando
elloem cercunslancias disto; nBohs pouco
que prxndeu ao carcareno da ca lea aarn
ser em flagrante, e orecolheo a cadeia a aua
orJem e oomeou novo carcerelro; sen ne-
nhciina santisfacfli dar ao delegado, e este
I ha estranhando aquelle procoJimenti tere
em resnoat. un ullieio atrev lo.
. Todos estes crlmrs tem cometlido aquella
subdelegado e plssa Impunemente, arrogan-
doa sijuridlsilico que ih nlo compelo;
passi passaporloa a criminosos sem blha
coirids, sem aouaa alguna, morando o do-
legado na freguexia; tem reorutaa na cadeia
**)e maia diaa; da tudo lato o dalegaJo ja,Dli.sda toroa
oommunicou au Sr. Dr. chafa de polica aale-. Prauclcaa de amar, de 2 cmia.ia Um
Gouros de Hoi salgados . Libra
Dito apilados....... . l)m
Ditodaonc.*........ tt
1) cea na calda , . Libra
Dito de Guiaba .......
Dlu seoco..... . 9
Kstopa nacin!....... , Arroba
Frinha de raandidea .... . Alqualra
Fv-ijao.....'...*:
fumo bora ..... . Arroba
Dito estoibo . a
Gumma 1 ,......... . Alquere
Geiniclbre .......... . Arroba
Leuha de achai ....*. , (Jema
eessordoSr. Dr. Riguelra Costa, enenhema
providencia houve ; nenhuma part>cipac9o
communica ao delegado, nem paito se-
manal, aem cous algutai. finalmente aquel-
la sub-delegado lera a odiosidide de la a
populaijSo na freguexia nSo poda ali ser
conservado, pelo que tenho toda esperanza w
queoExm. presidente como zolador da lai,' Costadloho de dito ,
hoje sabedor deatos faetos hade po-lo r-:Soalbo de dita .
ra da polica, com o que farajustica ao po-1 Forro da dita ,, .
vo daquella freguezia. Queiram, .Senhores U*'10' ^ C,J'
Redactores, enserrem na sua conceiluidi jouroi da uujubi
fulhae.lisraal trcalas liabas pala exclare-!"'",dfJ^SS .'
o cenlo da variad) que muito obrigado u .daiC
Ditas na lauro
Lunado de ama.ello do la a40
p. de c. 2 /, a 1 da I. ...
Dito dito uanaes. .......
Cos .ducho de dito ...,..,
Soalho iledlio.........
Forro da dito.........
Oilado de louro
a

lie ficari O seu venerador t criado.
Jos Paulo I lo II-go Brrelo.
COMMERCIO.
ALFANDECA.
cien di monto d o da 5 de junho 13 466,758 u'ilalde|
Duearregam ht>i 7 ft junho. Ponas de bol
Barca portugueza S, Manoel II. mer- p,assaba .
cadorias. Isolla.....
Brjgue inglez Fleut dem. i-arca parrilha
Brigue inglez Barkil bacslho. Tapiuca .
Patacho imericino -- ulhunl larinha de u
trigo.
Polaca napolitioa Geari'iJa merci-
doriil
CONSULADO CERAL.
Rendimento do da 1 a 4 12:762,501
dem dodia 5 ......
Itodas casi apira para carros
Ki 1 .> de ditas pea dltoa .
Mal cu pipas .. .
a quartolsa.........
c. I. 1 1, -. ... ,.',,,
Mciho-.............
I'edr. da amolar.......
Couros de cabra
A.eile atacarrapalo
Quioutl
Duiia
Par
a
Uina
Canad
Um
Alquire
Cento
Mdlho
Mel
Arroba
a
Cenio
a
Canad
II,0H0
J,0
l>0
400
110
00
4,000
10,000
1,000
a, sao
s.ooo
4,200
2,500
a,2oo
i.'"'0
I.000
1,40a
2,500
4,.yo
IOS
lia
I a.oaa
240
2n0
4U0
1,000
l,10u
4,000
7,000
;i,.i "i
J.i'ill
2,5i'0
I.OtiO
9,000
11,000
7,000
20,00o
10,000
7,111 di
.'i,"""
3 too
11,1111"
IJoo
,0
2,200
2,000
1,100
i.iao
I, lilil
o
40 000
Ig 000
24,000
140
S,0 0
1,000
1,006
6 0
3,20ic
2.0
I 9.0
18,000
1,101c
>00
18,000
600
at,---------imiJ ......i .-jJi
Mov ment do porto.
DIVERSAS PROV
Rendimento do dia 1 a 4 f
dem dodia 5 ', ,
14:335,620
,V 805,742
' .J |pp:i2,ti:m
938,380
Exnortac&o.
Buenos-Ayres, brigue dinimerquez Dttj
rothea, de 330 toneladas, conduzio o a.
guinte :
200 pipas agurdente, 700 barricas e I
barriquinhss assucsr, 310 fuicas com 829:
arrobas o 5 libras assucar.
Liverpool, galera ingieza Rendoer,
426 toneladas, conduzio 1,900 saceos com'
9,500 arrobas de assucar.
Falmouih, escuna ingieza Tocken, de 164
loielalas, conduzco 2,320 saceos eom 11,600
arrobas de assucar.
Gihraltar, brigue inglez Willam Bayley,
con limo 4,200 saceos cum 2,100 arrobas
de ssucr.
Liverpool, galera ingieza Swnnliicli, de
52t toneladas, conduzio o seguinte :
90 couros salg-dus Com 2,938 libras, 1620
saceos Com 8,100 arrobas de assucar, 1,475
saceos com 7,952 arrobas e 9 libras de si-
go 13o.
KECEBEOOR1A DE RENDAS INTERNAS GE-
RAES DE PERNAMBUCO.
Rendimento do dia 5..... 606,562
CONSULADO PROVINCIAL.
Rendimento do dia 5.....1:440,832,
ellea tennam por lim se.nielar o publico J nSo ha muitoa dias que na villa do Cabo
contra um mo pagador, que sem reapeitoj dentro das ras duas mulberes brigiram, e
aos seus contractos naga dividas provadasj quebraram aacabessaa, a ofendida foi-aeque-
dor documentos firmados de seu proprio|ohir e nenhuma providencia boave; nSo ha
PRAGA DO RECIFE 5 Ol JUNHO DE
1852, AS 3 HORAS DA TARDE.
RtvMa umunal.
Cambios- Os eaqttes de que fol portador
o Sword fitk, foraiu negocia-
dos a il d. por 1/ rs. aobre
Londres,e355 p. I. sobre Paria.
Asiucir O mercado foi menos anima-
do, e aa vendas rrgularam aos
precos aeguinieai branco ter-
oeira sorte superior a 2/aciO
for arroba, terceira dita regu-
ar a 2/200 ra., quana a 2#i0o,
quinta c sella de l/S>0a2/i o
cnaacarado escolhldu a l/oOO,
e regular de 1/450 a l/48o por
arroba.
Algodio- ntr-ram 484 saccas, asjquaes
foram veodidoa de 5//0 a
,')|7S0 prlinelra aorte e mes-
111 o dlt-seque bouveram ven-
das a 5/800 rs. por arroba.
Arroz ----- Vendeu-ae de 1t 2/200 por ar-
roba,
Bacalbo rletalhoa-ie de 9/500 a lOf por
arroba; e ficarainein deposito
4,000 barricas.
Caf Vendeu-se a 4/ por arroba do
vendo da Babia.
Carne aecei dem de 2/ a jJ ton por arro-
ba da do Rio Graude do sul, e
de l/70o a >/ a de Hueoos Ay-
res: a eilsteute monta a 70,000
arrobas.
Chi-Uyison- dem a 1/500 por libra.
Far. de trigo Veudeu-se um carregamento
chegada de Haltiinore de 14/
i r, cima, licuido etn
,000 barricas.
Farellos- Idee a 5/500 ra. por aaeao.
Lou(a----------- dem a 245 por ceolo de pre-
mio aobre a factura.
Mantelja Fol vendida ama porcia da
Inglesa viuda pala Hahia a S00
rs. por lua.
Vinagre 0 de Lisboa obteve nj per
pipa.
Viahoa-----------Vcudeu-se de K'0/ a 120/ por
pipa do de Lisboa marcas or-
dinarias, e de i2oj a 144/ por
pipa da demarca Uritto, c ou-
tros autores de igual quall-
dade,
Disronto- O banco discontou a 7 por ceo-
lo ao anuo, c os particulares
da 7 i|i a 9 por cento lentas
por mata da seis ineies.
Ficaram ao porto ai esnbaicacoes: saneo
I americana, 32 brasileiras, 2 dioaiuarqueas, 2
francezas, 1 hamburguesa, 1 haaoverlaua, 9
iogletas, 1 napolltaoa, 5poilDgsKiase4 sardaa
ic i su aa.
fafioi entrados no din 4.
I14H,|1 Bihii e Rio de Janeiro -- vapor inglez Tay,
commandanle Moss. Passageirua, Jos
Izidoro de .sa Brrelo, Bernardo Domingos
*Silva Araujo, G. A. Pursou, llr. Carlos
PerdigSo e aua senho>a, Jos Almeida
lia 1 reto Bastos, C. G. Lima, C. J. Astley e
sua senhora e 1 criado,Francisco Jos alo-
rene, Francisco Antonio de Santa Hita,
lir. II. J. V. M. da S Iveira, J. II. Newhall
Baha Patacho brasilero Santa Cruz, Ca-
piao Manuel Joa Pieestrello, csrga va
jjus gneros.
Navios entrados na dia 5.
Rio de Janeiro eportus int-rmodos10 disa
e 18 horas, vapor brasileiru Bahaos,cuu>-
audanlu Luiz Corren de Mello. Passa-
eiros, Francisco Cuelho da Silva, D. Ma-
ja Bez, Dr. Jos Joaqui o Firtnino, Jus
oaquim de Oliveira, t praija de pretal
deapeucoiro di armada.
Barcelona 40 da', brigue hespanhol Chu-
lo de 911 toneladas, capilo J. Ferrer,
equipagem 13, em lastro; a ordem.
Rio de Janeiro II diaa, brigue bespanhol
Pepe Je 265 toneladas, capillo PeiroHa-
rcstiuy,equipagem 15, car^a vnliu, sabSo
e mais gneros; a Viuva de Amonm e f-
lhos. Ficou oeQuart-nlena por 6 dias.
Nomos sahidos no mesmo dia.
Liverpool pela Parahyba Galera ingiera
Remdeer, capitao C. H. Ilunl, carga as-
sucar.
Faluiemth escuna ingieza Token, capitfio
D, Le Geyt, carga assucar.
Glbrstal brigue inglez Bayley, cipitSo
John Rendle, caiga assucar.
Liverpool galera ingieza Swordfisk, cipi-
lil'. Iteclianl Groo, carga asaucar.
Os credoret do fallido Leopoldo Jos da
Costa Arauln, rwldente nesla praqa, viuva
AmorimdtViiho. Oliveira Irmlos dr C, An-
tonio Ignacio da Medoiroa. JiauT.vtits Cor
lleno, Arnorim 4 Irmlo, J080 Leite Pita Or-
tigueirs, Manoel Gouqalves da Silva, Itusael
Mellora t C, Jos Rodrigue Pereira, Iieana
Youla & C Antonio Frinoisco da Silva Car-
rito, Antonio Joaqulm da Souza Rlbelro,
Nov.es & G Manoel Joaquim Ramos e Sil
va, Manoel Jos Ribelro, Jus Cypeiauo de
Morar Sima, Jicintbo ElisbRo, Caeuno da
Costa Moreira, Jur Antonio da Cunta &
IrmSo, e Antonio Gomes, Marcelino de Sou-
za Pereira de bruto em Lisboa, Antonio Fer-
reira da Silva Santos no Maraohlu, Novaes
ii Pasaos no Rio da Janeiro, araujo & Car-
valho na Baha, Manoel Ferreira doa Santos
Magano em Santa Cathanna, Antonio Fer-
reira da Silva em Santos, Jos de Souza Go-
mes, Msnoel Jos Rodrigues Valladares, a
Francisco Jos da Cosa Araojo no Rio Gran-
de do 8ul, comparecam por si ou por seus
procuradores bastantes no da 7 de junho
prximo leguofe pelea II horas da manha
em ceaa da residencia do Dr. Jos Hay mun-
do da Costa Meoezea, juiz municipal suplen-
te da seguuda vara edocummercio na ra
da Madre de Dos n. 1, primeiro anlir do
balero do Recife. i hm de so continuar na
veriQcaqlo dos crditos, se deliberar sobre
a cundir lala apresentada pelo fallido, OU
fo'mar-se o contrato de uniSo, ase proceder
a nomeaijSo d'.dminisiradores, Dcaodo ad-
vertidos que no serlo admitlidos por pro-
curador e este nlo a presentar procurando.
bstame com poderes especiaos para o acto,'
a que 1 procurado riSo poda aer dada a
pessoa que sejs devedor ao fallido, nem um
mesmo procurador representar por dous di-
versos eredore*.
Recife 29 de maio de 1852.
OeiciivSo interino.
Miooel Joaquim Beptiita.
O lllm. Sr. inspector da thesourana de
fazenda, manda Tazar publico que nua dias
I, 8 e 15 de junno, prximo vindouro, iro
a praca, parante a mesnia theaouraria, pira
lerem arrematados quem mais der, por
um momo que comeesr contar-ae do !.
de jullio seguale, a renda dos predios
abano declaradus, pertencentes sos pro-
prios nscionaes: as pes-o.s que quizerem
laucar comparecam nos refe>idos diss i 12
nons di mantilla, com seus liadoies compe-
tentemente babilitadoa.
Secretaria da thesouia'ia de fazendi de
Piroambuco, 18 de maio de 1852.
O ollicicisl-maior int- rio,
Emilio favicr Soireira de Helio.
lielncuo dos predios a que se refere o
eital sufra.
I casa de sobrado na ra Direils, de dous
an lares e luja.
1 dita terrea na rus de Sinta Tberesa,
numero 21.
1 areiiizein no Forte do Mattos.
I casi tarre na ra das Aguas-Verdes.
I dita dita na rus de Santa Theresa.
O lllm. Sr. inspector da thesouraria da
fazenda provincial, em cumplimento da or-
dem do Exm. Sr preaiiteota da provincia,
manda fazer publico, que nos dias 7, 8 o 9
dos orpMos aa hsm de arrernatsr a qiicnt
Oais dar, e por tempe de 3 annos, que bj,,
de leapflnclaio do l.dajullio do crreme
lono/lSOdelonho de 1855, as renda dU5
aeguiutea preaios, nos diis ibaixo de-
clirida :
Km t de junho
Ra diiLaringeiris.
N. 17 cia terrea.
Rui do Riogil.
N. 58 dita dita.
Ra Velhi.
N. 32 dita dita.
Ra da S. Gncilo.
N. 22 diti diti.
Rui do Sebo.
N. Sditidila.
Rui da Madre de Dos.
Casas terre n. SO, IS, 16,14, 12,10, .
6, 4 e 2.
Ra do Torres.
N. 14 casa de 9 andares e loja.
N. 16 dita dito.
N. IHditadile.
Em 17 de junho.
Ra da Lapa.
N. 11 casi terrea.
Y 1:1 dita dita.
Rui do Codorniz.
N I casa terrea.
N. 3 dita dita.
Ra da MoJa.
N. 17 casa tarrea.
m. 41 dita dita.
N. 43 dita dita.
N. 45 dita dita.
Ruado Arnorim.
Cana terreas o. 56,54. 5t, 47, 44, 43 a 21.
Em 93 de junho.
Rui do Arnorim.
N. 94 casa le i rea.
N. 96 dita dita.
Ra do Azele de Pelxe.
N. 91 casa terrea.
N. 15 dita dita.
N. 13 dita dita.
N. 18 casa del an Jar e loja.
N. 14 Jila de l dito edita.
H. 64 casa terrea.
, Ra da Cacimba.
N. 5casa de 9 andares e luja.
N. 12 dita dita.
N. 10 dita dita.
Rui dos Burgos.
N. 18 casa terrea.
N. 21 dita dita.
As pessoas que se proposerem amania-
tar ditas rend.s podero comparecer na cisi
(lis sesses da administradlo, nosdasaci-
ma judenlos com seus fiadores.
Secretaria da administracAo do patrimo-
nio dos ornbfios 4 de junho de 1852.
A. J. de Oliveira.
Pela recebedoria de rendas interna*
geraes.se U/. pul-I ico, que, em rumprimrn-
10 clu artigo nono do rrgulamento de II de
abril de 1812, he o coi rente mez de junho o
em que os donos e administradores dos rs
cravos, suittlos ao pagamento da taxa an-
imal, d- wrio fazer e tnzer recebedoria
declaratOes isaignidas e justilicidas, issim
dos que adquinrem de mais por niscimen-
; to ou oulro meio, coa o uos que deissrem
WDirAK.-s.
Pauta
dos freces correntes do assucar, algo dio,e
mais gneros da pala, qu se dtspacnam na
meta do contulao 4 Ptmmmbuco, na sa-
man* de la ti de Junho de I82.
Assucar een c. brai.co 1. qual. Anertia
a.
maso.....
. bar. a sac. braneo..... "
nlaac..... a
a refinado.........
Algnd.o em pluma de 1* qual.
Dito :.........2
Dito............4. a
Ago'ardente cauca 20 ,-eaos. Pipa
Dita............. Caaada
Ditadeeanna.........Pipa
Dita.......... Canad
2,000
I.6..0
1,10
7,.'Ico
1,600
2,1.10
4,800
5.400
S.O.co
45,000
250
5i,aoo
aoo
-- 0 lllm. Sr. inspecturda thesouraria da
fazenda provincial, em cumprimeieto da le-
Miim.au do tribunal administrativo de 27 de
maio prximo passado, manda fazer publi-
co, que nos dias 15, 16 e 17 do crrante, pa-
rante o neesmo tribunal, se ha de ariemalae
a quem por menos liz-r o foroecimenlo dos
medicamentos e ul-nsis para enferma i.
da cadeia decta cidade, pelo lempo de um
atino acornar do I.' de julbo do coi rente an-
uo a M dejunhodo 1853.
As pessoas que se propozerem a esta ar-
rematado comparecam na sala das sessOes
do oieamo tribunal, nos diaa acuna men-
cionados pelo meio-die, cumpetentemente
na hi i liadas, que ah aeharBo o formulario e
condiccOes de arremataf9o.
E pira constar ae maodou afllxir o pre-
sen le o publicar pelo Diario.
Secretaria da thesouraria da fazenda pro-
vincial de Pernimbuco 4 de juobo de
1852.
O secretario,
Anlonio Ferreira d'Annunciaflo.
O lllm. Sr. inspector da thesouraria da
fazenda provincial, em cumprimeoto da re-
soluto do tribunal administrativo de 27 de
m. io prximo passado, manda fazer publi-
co, que nos dias 15,16 e 17 do correte, se
ha de arrematar em haala publica peranleo
meamo tribunal, a quem por menos User o
serrico da capalasiq do ilgodo, avallado em
2:500,000 por auno.
A arrem.t.gilo seti frita por lempo do 3
annos, a contar do I." de julbo do correte
aunu a 30 de junho de 1855.
Aa peasoas que ae propozerem a eataa arre-
enaiaccs, comparecam na sala da. sesses do
mesmo tribunal, no. dias cima indicados com-
petentemente habilitadas.
E para constar m mandou alisar o presente e
publicar pelu Diario.
Secretarla da tbasonrarla da fazenda provin-
cial de l'ernainbucu 4 de junho de loo.
O secretarlo,
Antonio Ferreira d'Aonuneiacfio.
O lllm. Sr. Inspector da theaouraria da
fazenda provincial, em cuoeprimento da re-
solano do tnbunal administrativo de 97 de
maio prximo lido, maneta fazer i ublico,
que pera ote o mesmo liibubal, sa lia de ar-
rematar aos dias 15, II e 17 do corrente, a
.jucen por mano lizer aa imptesaOea doa ira
balhos das repartiera provincuea, avalla-
dos annualmaate em 9:646,000 rs.
A arruenatae;ao sera feta por lempo de um
anno, a contar do 1.a de julho do corrente
anno a 30 de junho le 1853
As pessoas que ae propozerem a esta ar-
reoataqAo comparecam na sala das sessOes
lo meamo tribunal, nos diaa icima men-
cionados pelo neiu-dia, computenlemenle
Habilitadas.
E para constar so mandou afiliar o pre-
sente e publicar pelo Diario.
Secretaria da thasouraila da fazeada pro-
vincial de Peruambuco 4 de junho da
1852.
O secretario,
Antonio Ferreira d'AnnuncifSo.
. ... '" "u u.iii o cien'v, i;o.
do corrente iri a praca par ser arrem.lado dB B0,guip p0r,|forr, ,|ien-ao ou (),i0.
parante o tribunal administrativo da mesnia cenldw de baptismo ou bito, e os e.-enp-
..!5SL*""Tr'.T01? a.0b, los de 'iherdade, compra, venda, do.co
'XZr'.? P ,UdoRec,re-v"l,,,1,tn,,.tc.,devem aer ap.esentsdos coo doce-
ouu.juors. mentes justilicativus de taes didarscOes.
an.'ol 07 C ? i'. ?3 ">n'a, d!'S q"e Tirio averb.doanolevrodamatrid.la
l.m tr.n-.,'a-'2'.TVmC'!1 "'.u" n0 rleficado de que trata o artigo oitavo!
.p ah.eaVr. "i I "a C,*UM,1, e,pe"| TeiMO a thesouraria de nzenda JCMi
ciaea abano copiad.. I provillcia eB) cu lirimtal0 d oraen do
r i. SSS! 8B >ropozerfn.a wU "- Exm. Sr. presdanle, de compraros gneros
rematacao comparetam na sala das sessOes coostaetesda relQao.ba.xo, mandaoillm,
mJSSE ibUB ?.4dlM """,' men- Sr. nspeclor convidar as pessoas que qu i-
Clonados pelo meio da, compe-tentemenie ZBrem vender ditos gene-os, p.ra que spre-
tiaoiiiiadas. senlem na mrama theaouraria ate odia 8 do
5,L. ?,?'" ,e.m'"d0U8nlX'r Pre" crreme suas proposlas em carta tobada,
arniee publicar pelo diario. com irnSln|, dospue9e propozerem for-
Secretaria da tliesoura-i de fazenda pro- C1. declarando o menor proco por que o
vincialdePernainbuco|0dejnnhodel852. ,, im de 9Brom iB,li",1,MI CCa.
, O secretario. sl3o B, ua mtli vanUjosas forem
Antonio Ferreira a'.\nnunciai;IIo. 2eilda
Clauaulas especiaes para arremalaco. J9 SliC(.0J de f,rjnni de manijo,.,.
1. Os reparos desta ponte serSo execu- a ha.ric de dita da trigo,
lados de conrormidado com o oremente garrobas de sssucar branca,
n.sla data aprasuntado a approvagao do i MCOi da lrros.
Exm Sr. pr sedente da provincia na impor- t |jD,a> de cha
UC.lV' *0'000 "' a I barril do azeit'e doce para illum.natao.
2 Efl r.'p,roS M?alI,Ml?,,d2! no 6'esmas de papel,
prazo ce 15 das e concluidos oo de sessen- a^, penuis,
''^i"."- .* a .a i Slibr.sdegalhe.
3.' A importancia desta arrematado seri diu dec.n,rroa.
paga em omaso presis^o, quando forem dil. degumma-arabia.
concluidas ditos reparos. 100 ench,8aa,.
4. Para talo mais que nSo estiver deter- 2 jec,bos ,,e manilha.
minado as presentes clausulas seguir.se- 4 KJ de gUCupra de ,6 paln)0!,.
provm- 4 jt(lg d0 05 p|mo.
s fa-
lla oque eiispnem a res.rilo a lei
cisl n. 286.
Conforme,
O secretarlo.
A- F. d'Annunc'C.1n.
l)(.'<-lariu;o('s.
6 ditos de 12 dilos.
4 ditos de pao d'arco ou sucupirs de 19 dito
2 rodas para carro
Pela subdalegacia da S, em Olinele,
acha-se rrcolhido a cadeia um negio, quo
- diz ser escr.vo de KstevAo Semonete.do Bio
-O srsenal de Marinha comen qualro- cnnde do Norte; masque fu gira no ultimo
ceios alqueires de cal preta, postes em urna de m,0 fn ,0 d, CI1S, d0 portUKUer Benlo
das rampas do caes do mesmo arsenal, ain- de tt| mur,dor no Recife.pira onde seu so-
coei.U pesas de lona alva mglea.estreila de nhor 0 tinha mandado para ser vendido:
piimeiraqualidaeladen.1, o 2, trinta peta quem se julgar com direito compareca ua
de cabo de l.oho fino d.Russia. .zoilo doce tesina subdelegaca com a competente jus.
do mediterrneo, ptela que se coicvcacio- ijncacio
n.r, e 1 ama-r. de ferro de 7|8 do grossura. .. >erante o conselho da adminlstrica-o
As pessoas que tiverem estes gneros co o- n,val tem de cont.alar-se a eomora de .1-
piresam na secreta, la da inspeccao do roes- .|qaires de farinba de mandioca e
mrgiiio arsenal no da 8 do correte ao meio fe,iao p,ra fornecimenlo doa navtea arma-
il,a,munidas de suas propost.s em carta re- dos pelo que co.jda-se a quem convier
chada, e das competentes amostras. S ce- dit, TeDdi a comparecer as 9 horas do dia
lana de inspecsSo do arsenal de marmha de 7 j0 correte, na sala das sessOes com as
Pernimbuco 4 de junho pe 1852.-0 secreta- .mo5Uag e proposlas, declarando o ultimo
rio, Thome r.maules Madeira de Casiro. _,..
pi ce^u.
Associacao conimercial. .. pela segunda secqlo da mesa do consu-
A dircctBo desta associao querendo con- Isdo provincial ae raz publico, que do dia 2
correr quanlo em si couber para o incre- do corrente mez se principia i cootar os 30
ment da agricultura desti provincia, com- dias para o pagamento, a boca do colrc, di
mnica aos senhores de engenhos, fazendei- dcima dos predios urbanos deala cidade, e
ros e lavradores que na sala da mesma asso- frrguesia dos Affogados, e qne lindo o pnso
ciacio se acham modelos de maquinas no- marrado incorrem na mulla de 3 por cento,
vas para n fabrico do assucar, para descaro- sobre o vslor de s-us debites os propnela-
car algodio e ouiros, que ligutaram na ex- ros qnedeixarem de pagar, e serlo execu-
posi(8o de Londres, tudo remeltido pelo tados.
iiieanejBvel u.iiigu dos melhoramentos do ^^_________
lirasil, o lllm. Sr. Stur cnsul hrasileiro em I ~~"~~~~"~~"^
Berlim, e eocarregado pelo nosso governo
de assistir I dita exposicJIo; e estes objec-
tos podem sil s- r vistos, eopi dos, on por
outra qualquer forma propagidos, lodos os
dias uleis das 10 horas da manh at as 3
da tarde, pin o que se fsz o presenta -
nuncio.
Banco de Perntmbuco.
Por ordem da direcejlo se faz publico, que
o descont das lltras para a semana pre-
sente he de 7 por cento ao anno.
De ordem do lllm. Sr. director geni da
instruc(3o publica, favo saber a quem con-
vier, que S Exc. o Sr. pr sidenle da provin-
cia heuve por bem matear o dia 14 do cor-
rente para o concurso a cadeira de instruc-
e,So primaria de Serra Talhada.
-- Pela sub lelegacia de S. Jos do Recife,
se annuiiria que fina recolhido i calis
desta cidide por su lar fgido o pralo cre-
oulo de nome Luiz, que declarou aer escra-
vo de Joto Jo.- de Sanl'Anna do t.oila; quem
lr seu legitimo dono,compareeja oeste mes-
ma subdelegaca, que prevalido o dominio
e posse, Ihe ser ent'egoo.
Cartas seguras viudas pelo vapor Bi-
biana, para Joa Pedro Velloso da Silveira,
Luiz di Costa l'oi to-oarreiro, Jos Ricardo
Coelho,Dr, Francisco de Firias Lemose Joio
Evangelista tlaitins.
Administradlo do patrimonio dos orpbSos. I Terminar oespectirulo, cun giicio-a
Pente i administrado do patiimonio Jeome lia em I icto,
THEATRO
DE
S. IZABEL.
46. recila da assuguaUru.
tbb9a feiba ,'8 di junho de
i85j.
pF.NT(lADA DA PR1MEIRA DAMA
MANOEL A CAETAhA LUCC1.
Depois da ex'-eucilii de urna dasoeelbores
ouvertaras, p- la orchest'a, aubir scena
o escolenle drama en I acius,
(Cabrilla
ata
A CORO.. DUCAL DE PAMA.
ILEGIVEL
laBBBBBBBBBBBBmBBBBBBBBBBBBBBBBBBBBBBl
MUTILADO


,-
O SECRETARIO
1E3
Cometer as 8 hora..
0> h huios ictum-M t renda no lugar do
rostume.
Avisos martimos.
Carreira de vapores entre Liver-
pool e os portos do Brasil.
Attenc'o.
O Sr. carioso, possuldo da Unta hondada,
que sedignou lirar da edminisiraslodocor-
reio un ombrulhode Jornaea do Commer-
cio viudo do nio neale ultimo ipor, com
mu irl'eiro a Jlo Ferneades Parante Visn-
na, 'imura fazer o obsequio de mandar en-
trega-loa ao meamo Vianna o. aua lujado
feragen. da iub Nova n. 20, se antea nlo
quizar ver aeu nome patentado em letras
maiusculas piT alguna jornaes desta eldade.
Adverle-se ao me.elissimo curioso que se
aprupria doquelne n;lo perteiiee, illudinJo
desi'arle os emprega ios do correio,le nlo
tomar mait grsluilarjieiite este incommudo
que sobrem.neir. llie agradece o annuiici-
anle.
l'rocif a-se de ara caiiriro portuguei de
I820nnos de Hade, que tenha pr.tic.
de venda, dando Qador a sua boa ou ma
conduca; tialar na praga da Boa-Vista
n. 9.
Aluga-se uma grande casa e sitio com
toJas as commodidad-s, com bastantes ar-
voredoa de fructo e lio es, teudo rio no
fundo na povo.slo du Mooteiro ; a tralar
com Jlo Jos de f.arialho Muraos, ns ra
da Ctdeia do Recita.
Attencio.
Como nem todos ilo entendidos nos de-
A companhia Angln-Br.silelr. avisa an pu-
blici que por contrariedades encunlradas no
acabamento do vapor Cleopalra, o m-snio
nlo polo sahir dn Liverpool como foi an-
nunciado, maa sim em 26dejunho p. i. : -
calcula ae que o dito vapor cheg.ri a este w^Te"pVrrni"."wS-ii I81 ""
porto pelo melado do mezdojulhopf.: so- uevr i..t-sPro conileclmento se digne eaea-
nvn.e.e terminad a ..i. vi.gem vollara do evB ger lriUlIo. un,
RIO de J.ne.ro con, rtest.no a Liverpool Je' "fl^ lril, seu tio e-p.-
5 de agosto p. f. i tazando escala para Baha, estpido, mand.-lhe fallar m.is
donde partir em 9 do mesmo nuz par. Per- %.n> J d0 vni BlUr 0m sua es., e o
nambuenem 12 o maispa- d prejudicar em uma eacrav*.
raS. Vicente ae a ralla de carvo o eligir) Vi" v '
lioalmeute para Lisboa. -Andam ausentes doosescravosdeManoel
Me. Calmonnt & Companhia. Liy*e.nl| ,,,,, drt A(buquerque, ...,bo.
. Agentes, i joaquim e cabrea um quaa. negro,
- Quem qu./er fret.r urna b. caca que J u|l majs trigll,ro tou, 0
carrega 46 caix.s, bem segur., sendo para briC,djrelCrl,dn, oconal, ler si lo en-
os portos do sal.t M.ceio,dir.ja-seo Caes B V do Hamos,, tratar com o mestre Hennque, ou Rl0 0 m,li full
ou na ra da Pr.la, serrana do Crdeal h chronica na perna diralU,
- Seguir* em pouooa das para o Rio JJJjyj % por alcunh0 he conhecido
leve-os so Seu
erosamen-
*-m r- i ti u u uuaia rcrreir. esta
TraU.ien.ru, *"*3**** "- resoons!el per.nteoprovedor dos residuo.
' 3de Bailar ft Uhveira. 4o uoUbooW de Jos Nunes
Para o Aracaty |vieir., assim nSo sepdeietirar desU pro-
hibe com bre>idade o hiaU Anglica : a tra- vincia.
l,r na ra da Cadeia n. 49, segundo andar. I a pessoa que annunciou para ser ama
___ Para O KO (le Janeiro sa-'de esa eslrangelra, diiija-ae a ra do Sol
, ,. c lo. 21, aue ach.ia coin quem tratar.
he Ble odia O do crreme, 0| .. ues.pparecer.m do dia 20de maio pro-
Alug.-se um .prelo psrs .rtico deen-
chada ou outro qu.lquer,para nm sitie perto
da prisa; quom pretender dirlja-se a ra es-
lielt. do Rolarlo n. 28, segundo andar.
Em re.posi. .0 aiu.uncio de hoje, 4 do
co'rei.U, respondo quo prlo oolivn de ven-
der-.. luja nlo me tornei de pote, e eslei-
r ou vagabundo como se depret.ende d. Ul
...nuncio; mo'O na roa Velh. n. 119 que
qualquer pessoa podis dizersosnnuncian-
U; e de mais he para admi ar chamar-se
uma pessoa para cumprir um iralo a ven-
cer-se em 12 do ?indouro, aqu cabe dizer-
ss"que o ladrlo julga que toJos o Slo.
Jos Anastacio de Albuquerque.
Alluga-se un. cu.redor, com asuaar-
me(lu cndracada, propria para miudezas :
na ra do Quoimado n. 11.
Troca-se uma vscca de leite por um bni
manso de carrosa, que seja novo e gordo :
a quem cuuvier este negocio anouncie por
e.-ta folhu.
Allega se urna boa cas*, acabada a
pouco, com 5 Dort.s de f.ente, grande so-
to, igusl s um aodar, copiar fra e com-
modos suflicientea al para du. familias,
murada na frente con. por lio de ferro, alta
n. ra 00 Giqula: quem pretender podo
Miar com Amaro Gonslves dos Santos, no
mesmo Giqui.
(juein precissr de uma ama secc para
cozlnhar, eigommar, e todo o arranjo de
uma casa, d.rij.-ss i ru. do Senhor Bom
Jess das i.reuul.s 11. 14.
Faustino Ma.lins Bastos, capillo do
brigue nacional Duque daTercelra, retira-
se para o Rio de Janeiro e RIO da Pr.la, le-;
ya.ido em aua cjuipannia sua senhora, D.
Innocencia Bernardina Alves Pirinola, e 1
sua e.cr.f. de nome Theresa, de idade de
21 annoa, creoula.
08erece-ae uma mulher parda para !
ama de porta d-nlro, para uma casa rst^an-
geira de pouca fa billa, ou hornea, sollriro: |
uo pateo do Terjo n. 17 se achara com quem
tralar.
Bio Formoso.
bacharel formado Anlro Manoel de Me
3
Bos gratlfleaelo.
Graliflca-se com genero.ldade a quem
aprehender um muleque crilo por nome
Miguel, de idade de 16 a 16 anno*, quefu-
glo desde seit.-te.r. 28 de maio prximo
passado, levando um Uboieiroem que ven-
da laranja., mandioca a meeaxeira, e ves-
tido com camisa da algodlosinho branco,
mangas curtaa, calfaa ae algodlo deri
do azul, eaind. com gancho ao pesclo,
da p.imeira fgida; quem o pegar o pode
levar a aeu senhor, Jos Saporui, no seu
sitio no principio da estrada dos All dos,
. qualquer llura, ou na ra do Trapiche No-
vo 11. 18, segundo andar, d.a 9 da mandla
al ss 3 da laida.
?fffW'ftfffffJ
Botica homopathica.
28 HUA* DAS OIIUZKS 28,
'. Dirigida por um phartnaceutico
1 approvado.
Esteest.belecimento possue todos
os medicamentos t agora experi-
mentados, Unto na Europa como no
I Brasil, e preparados polas machina,
da invenclo do Dr. Mure.
PRECOS.
das earleirai homofalUcit.
a* Emcarteiras de 12 tubua grandes 21/
i
< 24 e 20/
a a S a pequeos 15/
Tubos escolhidos (cada um) i/
Tintura demedic.mentoa em
frascos de l|9onfe (cada umj SI ^
Ha mala, alem destas, outras muitas
Caixas com glbulos e tinturas por ai
presos v.riavei., conforme o tama- <
. nho ea qualidade da. caixas, 1 <'
a- quantid.de do. remedio, e ea.ua* *
dynamls.ces, etc. 2
g AVIaOSE GRATUITAMENTE J
J para ospobr a, todas as receltas que ^
J para aii mandar qu.lquer professor. ^
AVf> ftUS.
I. A, S. Jane, o bem conbocido dentista
deirua KurUdo, resideuto na cidade do Rio- nesta prnca 19.nooe,pode Mr procurado
Formoso, em cuja comarca se acba exeicen- na sua residencia na Nova n. 14, primciro
do a proQsslo de advogado, incumbe-ae de :an lar, pa>a todos misteres de su. arte, nlo
tralar das demandas, ou de qualquer co- so em sua casa,como fora della.
branfa, arrncadacto, ou diligencia que por BJ^*j)Jaaj)9Jt>(j>#C%<%9$
ventur. teuh.m d.lif.xer promover .a pos- *J Alug.m-se e vendem-se bix.s na |
soas aqu residentes; piomeltenuo haver-se pras da Independencia n 10, con- 9
em qualquer dess.s incumbencias, com to- SJfi fronte a ra das Cruzes. -,
do o esmero eassiduidade : aquella que qui- 9ajj)>J)}*jKj)ft*j)9(Ca>Sa7ef #
zcrinformar se do crdito que possa inspi- -- Na nolte do dia 26 doro/rente, ruita-
rar oaii-unclante, diriia-ae aosescriplonos rain do sitio doSr. Dr. Antonio Vicente do
dos Srs. Drs. Mor.es e Silva, e Aleo orado. iNasciineiito Feitosa, em Beln, dous caval-
de oilo
1 Permuta-so por um. eas. torre, boa, T Compr.-so nm mulstinho de! 14 a 16
nova e 1 m boa roa n'um dos bsiros d. 8. '.nnoa de idade, assim romo um prelo de 18
Antonio, S. Jos, ou Bos Vista, um excel- 21 annos,robusto e proprio para lodo ser-
enle sitio ns estrada de J080 de Barro., o' vico; tratar com Luiz Gomes Ferreira, 00
qual tem grande e boa casa de vivenda, eslri- Mondego.
baria e easa de pretos, todo de pedr. e c.l; Compra-se um. cano, de earreira que
excedentes lar.ngeir.s e outras muit.s ar- leve 6 ou 8 pessoa. ; na ru. Uo Queimado,
vorvs de IVucio.muito novas,tem ama excel- luja n. 10.
lele egrande baila d-ceiim para o verlo, j Compra-se2escravascreoull. ou pir-
e cacimba com boa agua de beber. Esto si-, das de 12 a 20 anuos : na ra Nova n. 16.
lio divide com o doSr. Sebaalilo Br.ga,e no Compra-se um .elogio patente, com
qual mora o Sr. capillo Paiva Os preten- caixa cobeita, em segunda mo ; quem o ti-
denles dlrijam.se aloja de Calendas dn Sr. ver e quizer vender, dijja-se ra largado
commeudador Manoel Consalve, d. Silva, Rozano, cas. n. 53, venda de CaeUno Aga-
rua da Cadeia do Recife, que.hi liiedir.10 pilo de Souza, que ahi achara com quem
com quem se devem entender. I tratar.
- Desspp.receu no di. primeirodo cor-j Compra-se ama escrav. quesaib. bem
rente a 1 ou 2 hora da Urde, da loja do ul- engomm.r e cozlnhar, e que nlo teha vi-
tlmo sobrado no aterro da Bua-Visla,do lado'ciua nsm .chaquet, oque lenha boa (gura,
da matriz, um c< vallo al.slo caboclo,celado agradando paga-se bem: na ra do Amo-
e enf'elado.e com man, branca,o qual leo lim n. 25.
os signaes seguintes: frente aberta, dous ou ^^^^^ ^^^^^__
tres ps csls.dos, bastante cabello na cau- *'' aaaffaaiBvaiiHgajajBi
da eclln.; consta que um molequeou me- Vcndll8
ninoandira toda tarde to dito cavallu : -~
assim, e pessoa que souber ou tiver appre-
hendido.o poder! entregar na >aa da Sania l.nUrin rio Rio re Janoiro
Cruz.em esa doSr. Iloflno JoaCorro, de lj0,r ao Kl d Jnro.
Almeid.,quesrn bem gratificado. *os ao:ooo,000 K 10 000,000 BE RS.
A os senhores de eogenho. Na praca da Independencia n.
O redactor do Alm.n.k da provincia, de-' i3 e l5, loia de caira lo do A raii-
sejsodo mencionar no meaoio Alniaoak, o j 1 1
nome do. proprielarios ereudeiros dosen- ^s' e na fua da Cadeia do Recite
genhos, roga aos mesmos senhores se dig- n. &6 loia de miudezas de Jos
nem mandar sua loja de livros na ortca l_ > .J^ 1 u ai
da Independencias/6 esos aeusnomes, o tor"na*" ^03 dantos Porto es-
nomedoengenho, a freguezi, viiu^ co- 15o expostos a vendo, bilhetes in-
marcaaqueMOitencer; e so lr rendeiro, o ta-ipo mio nnulrla. AWVtnRC'
seu nome e do propriea.io. leiros, meios e cautelas da t. 10-
-OengenheiroManceldeflarros B.rreto 'eria a beneficio do Monte l'O,
formado na escol.cenual das..tes, eoianu-^quecorreu no dia Sdejunliodo
f.lur.s do Pars, encumne-se de d.r o risco J ,. ,
e dirigir a construcslo, e coliodsHo de corren te e espera-se a lista da
qualquer m.chinismoou aparelhoemprega- me.sma to dia 30 do corrente, pe-
do pelo sy.-tema actual no fabrico do asasu- i_ _. j t_- a. -i
car, como lambem pelos recentemeiito.per- l0 VBPor da compsnhia brasileira,
fesoadosde que .e uzlo na Europa para OU no dia II do (lito mez, pelo va-
o mesmo fabrico, ou para qu.laucr outra___:.. -1- T. j
.n.nuf.ciura. A.pessoasquequizerem, u- Pr "gW" ay ; 830 p.gOS todoa
tili.ar-se de seu prestimo, podew dirigir-se os premios que nelles sahirem sem
pessu.lmenle, ou por meio de carta ao en- descont alaum.
bnatii, ) ou ; 9
genho M.cug( fregu?!, de Ja
nesta cidade a Antonio Bautista Ribeir de'
Kana : n. ru. da Cadeia do Recife n. 9.
- Precisa-.e de uma ama u.ra o ser vico
do compras e engomruado, de umac.aadei
duas pessoas de familia : na Punte Velna I
n. 14.
briffUC brat-ileiro Vencedor, kinda Sino lindo, do engeoho Quitinduba, dous i Previne o anounc.ante, que as pesso.sque los, um russo padre, o capado,, de o.lo .11-
onguc uraeuc. u > oscravos creoulos. ambo, mocos, um de no-fse Ihe queir.oi dirigir, poderlo entregar nos, e outro russo cardlo, mteiro, de selo
pode receber alguma carga, escra- Beri..b cor fula ; oulro de nome Agus-I.u.s carias na loja de f.zendas do Sr Ma- lannos.amhoa con. peladuras noesp.nh.so:
-1 I a 1 ir. __. 1 f' I _. .. a 1 i i 1 .1 ..... ...^ lli.. ..,., i< ..I ni 1 nu niiuiea lanas 1
trata- t,nho.aem barba; quem os aprehender man- [ nuel Coosalves da Silva, M ru. da Cadeia quem delle tiver noticia os queira levar ao
\nuaoalde-os eiitrea.r no mesmo engenho.quesersi do llecile, oude virio ter as reeposlas das seu dono Joaqun Jos de Boa serrano,
7 recompensado por seu senhor Jos Ces.r de meso,... na ra do Cullegio, esa do Sr. Jo.guim de
,. __.t.n_< _!. ...i ......I*. JakaKiO- lili, ..nnmiiiii llullo
vos a frete e passageiros
se com os consignatarios
, *S rT |ITCUIHllOIIOauu ,'U" owm ouiiiiw, ........ mm
& Companhia na ra do l rapi- uu||0 Marinho F.lclo, ou por seu pal o Sr.
citen. .'l'|.
Para o Aracaty
S.hc com brevidadeo bem conhecido hia-
to Novo Olind. para carga a trat.r com o
seu consignatario J. J. Tasso Jnior.
Para o Ar-c.ty.
Sshe com brevid.de o l.iale Flor do Curu-
ripe : a tratar-se na ra da Cadeia do Recife
u, 49, segundo andar.
Para o Porto segoe com brevidadea
Imca portuguezaOlimpia : quem na mesma
quizer carregar ou ir do p.ssag'm, enteii-
d.-se com oa seus consignatarios T. de A-
.'iino Fonseca & Jilho, ou com o capillo o
Sr. Jos Thomaz de Lima, na pras*.
I'ai a a liba de S. Miguel n palacho por-
luguez Dr.tinn; para o que tem a maior par-
te da caiga p.o.i.pl.. Uuem no mea.noqui-
zer carregar ou ir de passagem, dir.ja-se
quanto antes .0. consignatarios Thomaz de
Aqumo Konscca & lilno 1 11. ra do Vigario
l). 19. 1 andar.
-- Anda est por alflg.r a cas. de sobra-
Jos Antonio Mu.nz. 1 do, de Anaclnlo Jos de Meodonca, sita nos
OSr. estrangeiro, que por este Diarlo Coelhos, com muitos commodo. para gran-
de 4 do corrente, annunciou querer alugar de familia : a Ir.lar com o nesnio Meodon-
um casa de campo, dir.ja-se a ru do Ca- ;a na ra Augusta, ou n casa de balansa
iinga n. 3, aoode achara InfurmasOes de um uo asougue das Cinco-Pontas.
sitio, bem perlo da pras.,com todas as com-
Albuqoeique Mello.
-- Na ra do Limnenlo n. 10, sobrado,
se dir quem d diol.eiro a juro e quem veo-
de varias obras de ouro e piala, relogios e
crrenles par. os mesmos; na mesma casa
vende-sepor todo pr,co uma p.rte do so
modidades exigidas em seu annuncio.
O abaixo assignado comprou a venda
sita n. ra do C.no, perloncenle a Jos Pi-
res de Carvalho, com consenlimento dos
ciedores,
Preois.-se fallar co.n o Sr. Jo.quim bradodaruad.Senz.il. Velha n. 126, um
Luiz Viraos, a negocio : na ra do Crospo puno, um c.vallo para carro com arreos, e
, 12, o ni cario de quatro rodas para ume dous
AttencSo
Jos Fraociscollias, com loja na ra do
es, ao'esentados pelo mesmo, que rrespo n, j^ roga a todos os Senhores que
slo os Srs. C.mpetlo, Antonio Jlo, Jos N. leem conl,s antigs ou letUss vencidas na
S., Tasso, candido, Miranda ; declara MU sua |0a que a8 yenham salisfazor, os da
o abaixo asi.ignsdo que apparecendo algum a( ,5 d(,j.,nho do cor.enlo anno, e
credur irlo eiuender-secom o Sr. Carva ho Jjd>0 mal0 l 30( anm de se nSo Ter na
visto o rnesoio Sr. s apresentar o. credo- durg (.eeajjjd.de de os chamar cum os seus
Leila.
J J. Tasso Jnior faz lellSo de cerca de
300 sacos com f.rinha do mandioca cheg
da do 1 cara, as qu.es se venderlo pelo
maior preso pa>a fexar conlas, tersa fcir 8
do corrente as II da mantilla na ra da Ma-
dre de Dos n. 5, armazem de Clemente Jos
de Lim o i da hot te. ingleza. ___
a~* 1 j a BJ|
Avisos diversos.
Ao Sr. Germano.
Pede-se queira levar scena na recita de
trsa-feira 8 du correnle O BEHO, pois que
tem sido applaudido por lodos aquelles
que bem o apn ca : istn Ihe 1 ede
Um apologista.
Em virtude dos|annunclos de Antonio da
Co.U Ferreii. publicados no Diarlo de Per-
-imhuvo '!' 4 e 5 do correnle de que se
lelir par Portugal, se previno s respecti-
vas autoridades para oa effeilos convenien-
tes, que incontinente se vio iusiallar em
juizo s icsOes competentes, nio s p.r.
que Antonio da Cosa Fe.reira justifique, e
comproveas contaa arbitrarias, que a,ipre-
senlou da admiuistiaslo das piop edades,
e m.is negocios de que ficou enc.rregado,
quando Jo-e da O si llour.do ae relirou
paia Portugal cm 1836 p.ra 37 em cuja Cun-
ta esto incluid.s verbas inteiramente ima-
ginarias e porconseguinte inabonaveis, co-
mo clramete se mostrar ens juizo, alem
de, sem auctorisaslo, antes h.vendo expres-
sa pronibislo, ter levantado dinhelros, que
se .ul. .va em poder da c.m.r. municipal
'i"sta cidade; m.a tambem p.ra que pres-
te as conlas devidaa dos ren limemos e ju-
ros do patrimonio da orfla de quem era tu-
ter ; por qu.nto lendo prestado uma coma
por forma de sua tutora, nella somente faz
nienclo do principal, que quasi todo he ab-
1 ivido pela, despez.s, que diz lisera Com
n mesma orfil sem que mencione us ren li -
mentos de duas propiedades quo allega ler
comprado para i orfla, nem os juros da
i|U.lili de seis COOlOS de res que sn com-
prometieu a p.gar perante o respectivo con-
- '11111 de familia, quanto Ihe pedio aulorisa-
S .Milpa'a pndr por no giro do com mi rcio ess
mu.nlia soh sua leponsabilida le ; aceres-1
sendo dem.is que ten lo apprrseni.do um
pequeo saldo a favor da orfla, es.e mesmo
anda o retem emsi, qu.nlo intenta reti-
rar-so com tanta brevidade ; em vista do
quo em oonformidade com o espirito do art.
li do regumamento de po.icia, nlo poJe
conceder-se-lbe pasa.porte par. fora d" Im-
perio, logo quesoap'esentem Uo. embara-
zos ; o que se faz publico para conhecimeu-
to das aecloridade* quem lor requerido
passaporte.
50,000 rs. de gratific.slo.
Alm de ...r-.e. graiificaclo cima,flear-
se-ha el' mmenle grato a qusai UajWrl
ra da Auroia ri. 94, primeiro andar, ama
earleira pequea de nt.rroquim rouxo.orla-
ds de lallo, queie perdeu no di. do cor-
rente, rontendodu. noUs do banco desla
piuvnei, de KiO.OOO rs. cada uma ; um
dita ce 50,000 ra ; alguna b.lhet'a de lotera
Un Rio de J.nejio j extrabidaa.nlo premia-
dos; qual.o vigsimos d.quell cuja lisia
Iruuxe o Bakrao., e vajjua p.pei. cujo cn-
leudo a ninguem pode aproveilar. O dono
la mencionada caiUira aoppOe te-la perd
do na prasa da Independencia, i porta da
minies por extenso pur esta fula., o que fa-
ra sem vxcepslo de pessoa, o entregar
suas conlas o procurador paia receber pel-
los meios quo Ihe facultam as leis do paiz.
o abaixo assignado, mora nr nss Cin-
co-Ponas n. 4, faz publico a todas as pes-
soas que liverem pinhoios cm seu poder,
carelios.
Faz-se publico que a cass Avrial Irmlos
d Compan'iia nlo se encarregaram de t-au-
sa.'i;;io alguma pe.lencenteao Sr. Jos An-
tonio da Silva Junior,que a pouco parti pa-
ra Europa, tanto na sua estada aqu, como
di pois ue su. pa tida.
Quem precis.r de um cabriolet com
seus api a.cilios quasi novos, muilo leve,
moderno e usado; pelo que, he necess.rio
cobrir-so de novo : procure na Passagem da
Magdalena, penltima casa le rea do lado
di.nlo, .ni' s da ponte granate.
-- Na ra do Mondego, casa n. 72, nego-
cia-se uma letra de 250,000 rs. ha muito
cparatiHios, a, ,.. iIpsIh tn di.s do contrario se v. n- *uiuu0 rs., o pelos juros que n. receoer,
res cima. Jos Alves da Cruz.
A Sra. D. M-ria Carlota do F guoiredo,
(em uma caria do Rio de Janeiro, na ra
do Trapicho Novo n. I9.(
OfTerece-ee um rapaz para criado, que
sabe bulear: quem precisar annunr.ie ou
di ija-so i ra larga do Rozarlo n 26.
Um rapaz brasileiro, quo tem
le lingua naci.nal e varios prep
offarrce-se para onsinar primeiras i.u ^1 dera para pagan enlo do q
cas.s particulares; e quem do seu prest- noel j0,qum pinto Machado Cuimarles
mo sa quizer utilis.r procure-o por este Dn- .. QUem prf cs,r Je um p^queno, de'
rio, ou na ra da Concordia n. 3, subiado itflle ,)e 1t annol de boa conducta, sabe
d'um andar. 1.-,-. escrever e coutar bem, para c.ixeiro
-- Roubaram um relogio deooro, suisso, ',i0 |j, je fazendas, ou isciiptorlo, .inda
sem caixa, com um tr.ncelim fino dec- (mesmo pelo sustento, annuncio para se Ihe
helio; pede-so ti passois a quem se olrere- r||ar
cer p.ra o comprar que o enirrguem na | .. Qaem precisar de algum dinheiro
venia da ra do Collegiu n. 25, que ser iDrOI| sobre penhores de ouro ou praU, di-
ecompens.do. rija-se so becco da Viraslo n 39, que se di-
Precis.-se de 1:500,000 rs. apremio, ra qUem d.
por um.uno, dando-se duas c.sas terreas, rjesejs-se fallar ao Sr Antonio Brasi-
nest pras. pera aua segurarls, o pagan- ||M UH Holanda Cavalcante, a negocio de
lo se o premio porquarleis de 3 mees ; seu meresse, i>a ra do Araglo n. 10.
quem tiver annuiicic para ser procurado. Antouio Frailesco X.vler de Vascon-; .aendiz arl.sr-m-ae
Precisa-.e alugar urna escrava para o ce||08i snor o engenho Pilangueira, no ,e Antonia, as quaes diz acliarem-se
serviso do um.es. de pnuca fan-dia. de termoja Pao d'Alho, previne aos aeo.eor legitimadas, com1) filhae de An-
nomem viuvo a tralar n. ra do Ti.piche r0JOnd^nte', e a todaa as pessoas p.ra com i.- i_. J.flr.B iinfo .* M.
.Novo n. 44, ou quem a tiver .nnunc.e queFm fur ao,edii.do quo nlo p.guem oow Jo*e Ooares lorges rte Me
Rog.-seaoSr. Hypol.ioGadoultoobse- qu,ntia alguma de aua ordeu>, ou .vieni ineze,adiando se A ntOllia em com-
quiodedingir-se a ra do Auolio, venda encommend.s suas; quanto as ordena 1.80 L-takU de ma m5i, e Maria casa-
n. 19, a negocio que nlo igoora. foiem assignados por seu pruprio punho. ou r .. .
--Aluga-se um sitio na Pa.sgem da Mag- gemquecom eile se entendam primeia- da com Manoel ternanes de Mel-
/i pessoa a quem convier este oegocio pode
dnigir-sea referida casa.
Offercce-se uma mulher par. ama de
casa de portas a dentro : quem quizer diri-
ja-sea ra de lionas n. 17.
- Manoel Francisco Coimbra, mudou o
seu csiabelecimenlo deaif-iate da casan.
49 para a de n. 57 na mesma ra Nov, quasi
delicile da ra de Santo Amaro.
A pessoa que annunciou que-
rer saber, se existe nesta cidade ,
ou seus suburbios, Ito.sa Mxria da
Conceicao, com duns lidias, Alaria,
dalena, junio ao sitio dos Srs. Amorim & ment.
Irmlos: a traUr na ra de S. Francisco,; ..Antonio da Costs Perreir retira-se
casa apal.sada. para Poilugal, e deixa por seus procur.do-
I'iecisa-se alugar orna ama para o ser- rM os srs_ Antonio de Almena Comes, Jo.-
viso de urna dasa 1 ns pr-sa da Independen- lU|Z Cuaiacu e Antonio da Cusa Ferreir Es-
cia n. 38 se dir quem quer.
Amia esto para se alugarem os escra-
vos da ra Di eita n 24, sao tres e muilu
bnns para coxeira, botequios e mesmo para
sitio. -,
cautelista Saluetiaoo de
Aquiuo Ferreira faz sciente ao
respeitavel publico, que vendeu
na pra?a da lndepen.deo.CH n. i3
i5, loja de rajado do Arantes ,
e na ra da Cadeia do Itecife n.
^6, loja de miudezas .le Jo; For-
tunato dos ShiiIos Porto os pre-
mios seguintes da quarta lotera a
beneficio das obres da matriz do
(Jam: o Grande, s3o em conti-
nenle pagos todos os premios n.
loias cima mencionadas, a saber :! Almosos e j.nures avu-os a qualquer hora.
1 .:iu-.. .-.fi onn nnn Viohode lodas H qulidades, serveja, re-
trelia.
--Aluga-se o primeiro andar d. casada
ra do Apollo n. 16 : Irala-se na ra Direila
n. 25.
Desappareceu no dia
3o de maio p, p., do
lugar da Capunga um
cachorro de raca, j velho, cabel-
los coiupiidos orellias grande*,
com mallias brancas e cor de caf,
quem o adiar e quizer restituir,
dirija-fe a rna do Trapiche n. 11,
que ser bem recompensado.
Hotel Hecife, ruado Trapiche
n.5
Tem salas e qus'tos prepirados com decen-
cia par receber hospedes.
mtios bilhetes ns. 1716, aoo,ooo
rs.; 475 100,000 rs.; 547a, loo,^
r.; qtiartos 4816, 10:000,000 de
ra.j 248 j ,200,000 rs. ; 477'
aoo,ooo rs., a38j, 100,000 rs. ;
3oio, loo,ooo rs.; 4568, 100,000
ra. ; oitavos u35, 1:000,000 de
ra.; 333o 400,000 rs. ; 1716 ,
200,000 rs. ; vigsimos 3787 ,
2oo,ooo rs
Precia-se de um feitor que entenda
de todo serviso de engenho : no sierro da
Boa Vista n 43.
Aluga-se um muleque de 20 anuos,
muito fiel, ptimo cosinheiro : na ruado
Itangel n 44
Uma mulherl1r.11.es, qu* d conheci-
oient 1 da aua capacid.de. ae ohVece para
u|ama de casi de homem solteiro, p.ra cosi-
nhar e m.is ar.anjos de poitaa adentro :
!'quem precisar, dlrij-se a ra da Cadeia do
'ar.
ama de leite, pre-
se bem: na ru. de
rhndo.
frescos etc. etc.
Fornece com lodo o acelo o r-rovimeoto dia-
rio p.r mesa de qu.lquer individuo ou
familia.
Emcu'i.be-se de fazer jantares para fors,
dando Iihii;.', vidroa, etc. rte,
D co ni la pur asignatura inensal tanlO
no estalielecimento coinn fora delle.
Tudo pelo mais commodo preso possivel,
com llmpcza e promptidlo.
O Sr. Antonio Maximisno da Costa,
dirija-se a eela typographia, negocio ue
.en inierease.
- Na ra do Queimado n. 16, existe uma
carta p.ra Domingoa Ferreira, vinda de Por-
tugal.
Na ra de S. f.onc.Ho, casa n. 12, exis-
te uMseser.va par alugar-se, on em casa
estrangeir. ou da pouca familia.
preclsa-se de ama pessoa, para dar II-
SO"s de escripia a um menino em cass
trata-se na ra d. Cruz n. 2.
Alnga-se ama prela, para o serviso de
casa : na ra do 80I n. 1.
Quem precisar de um rapaz brasil iro,
do mato, par. alguma nr umiQo, sendo de
venda melhor, por ler algum pr.tica, diri-
ja-se a Fra de Portas n. 92, 011 annuncie
par. ser procurado.
lo : dirijase ma do Encanta-
mento n. 4 terceiro andar ou
annuncie sua morada para ser pro-
curada.
-- Roga-sn ao Sr. Jos AnasUcio de Al-
buquerquo baja de dicla'ar aonde he mo-
rador, e a que horas pone ser encontrado ,
ou de dirigir-se a roa do Collegio n. 25,
terceiro andar, para tratar negocio, que
muilo Ihe interessa, alini do nlo ter de
jqueixar-se do proce lmenlo que se Uvera
leu respeito.
Precisa-sede nm an asador de padaria,
sendo bom paga-se bem ; na ra Imperial
n. 37, defronle do chafariz.
Olferece-ee p.r. o serviso interno de
uma casa rst'augelra. uma mulher branca
e ue buns costumrs qne sabe cum muit
peife>slo engommar, cosinhar,lavar e fazer
o mais serviso de portas a dentro, e .flan
Sa-se sua capacidade : quem a pretender
annuncie por esia fulh para ser procurado.
Um estrangeiro deseja alugar um. casa
de campo que tenlia haslanUs commodos
a.a familia, estribarla e cocheira ; a casa
deve ter sitio sulrivel com ivoiedos e flo-
res; quem tiver annuncie.
-- OSr. Manuel Ignacio Pereira da Silva,
lem uma ca la vind. de fra : no terceiro
andar da casa n. 30, da ra larga do Ro-
zarlo
Quem pretender alugar usa pardinho
para o serviso de urna casa de pouca fami-
lia, o qual nlo tecn icio do qualidade algu-
ma, dirija-ge a ra das Cinco Ponl.sn. 71.
Ka ra do Vigario n. 17 ,
precisa-se de ofliciaes de latoeiro e
funilciro.
O r. Bfajj Florentino Hen-
riques de Souza mu Ion a sua resi-
dencia do primeiro para o segun-
do andar da casa da ra Nova n.
4i, e ahi ofTerece de novo o seu
diminuto prestimo, como advoga-
do, aos que o quizerem honrar,
confiando-lhe a defeza dos seus
dircitos.
-- Anda se precisa alugar uma prela, es-
crava, que saiba engommar e ensalmar, para
11 --a casa ingleza de pouca familia ;a pessoa
qae tiver dirija -se a ra do Sol o. 21.
9*>il>fafll(l9#>ii1**fi
Pitillo Gnlxnotix, iiciilUtu
frailee/,, o (Te re ce en pve.ii.
? mono pii'iiico pma todosos
nii-.liti'-, a* lia proflsso i <#
JiimIi-cr pa'Ocurmio n njual- 4
qiicr iim ni su easa, na a
. un InrguiinRozii-io, u. 3t, 9
segundo andar* m
f'li#t)'*Sfe.a-?fc-59lJ44iJJ|
Aluga-.n o terceiro andar da casa da
ra do Queimado ti. 9 : a tratar na loja.
Para vinhos Trucos.
A verdadeira agnardente de vinho com
36 graos, viuda da Europa, a nica recom-
tnendada pa.a cmipor us mesmos que oste-
j.m arruinados e Qcarem superiores com
uma pequea despeza; assim como para di.
versos remedios que sem ell., se nlo piule
riam fazer ou enllo nlo produziriam o elTei-
to -'cu jado.vrnde-se nicamente em c ti- ii'.in & M.cedo, na ra ireila n. 17.
ijiiim-S" alug.r uma cas. terrea, cm
qualquer dos b.icos de Pernambucu, com
Commodos par familia,e que lenha quintal
e cacimba : a fallar 00 deposito de machinas
de C. Slarr o Companhia, na ma do Drum.
Precisa-se fallar com a senhora D. Ma-
ra do Carnio Itolim Accmly, a i.rgicio de
Seu nii'-ii's-o ; na rus da Aurora n. 26.
ODorcce-se um rapaz bras.loiro, casa-
do, que sabe ler, escrever, e contar, com
examn de lingo, nacional, o principio de
lingo, latina, habilitado para enainar pri-
ineii'..s letras fra desta cidade, ou mesmo
em qualquer engenho : quem quizer r/tili-
sar-se de seu preslimo, dirija-se a ra do
Itangel n. 46, primeiro andar.
Aitencao.
Prccifa-se de 2;000,00d rs. a premio, con-
forme o estado da puse, ou o que se pos-
sa convencionar, i or tomen de 12 mezes;
d.ndo-se por segur.nsa uma famosa mora-
da de casa, nova e em muito bom lucal,
com cinco quartos, tres salas, coiinha f-
ra, ter mos para hurtas, independenle do
quintal, e oulrus mais; e escravos com
habilidades de cozinha c para 1 ui, ludo II-
vre e desembaras.do, emOlinda, e os que
forceo indicenles p.ra cubrir o valor da
dila quautla : quem quizer fazer rale ne-
gocio annuncie para ser procurado.
Precisa-se saber se existe nesta cida-
de, ou seus suburbios, um mulher, por
nome Hoz. Mara da Conceislo, que lem
duas fllhas, de nomes Mara, e Anlo oa, aja
estas lilhas se arhan legitimadas, como II-
Ihas de Antouio Jos So-res Borges iiellc-
nezes, ecaso assim existam, publique por
este jornal no praso de 30 das, alias perde-
rlo todo direito qualquer reclamaslo a
respeito.
-- precis.-se de um copriro forro brasi-
leiro ou esirangejro .- na ru d. Aurora,casa
junto ao Collegiu das nrphlas.
O abaixo assixn.do, professor jubilado
na c.dera deCeographia ehialoria do Lycu
desla cidade. lem estabelecido um collegiu
denominado Santo Affonso na ra da Cadeia
dobairrodeS Antonio sobrado 11 13, onde
actualmente ensina latim, francs, rhctori-
os e geograidiia, par. o que oblevedo Exm.
Senhor Souza llamos qu.ndo presidente
desl. provincia, a licensa de que tracla o
artigo 38 do regulaaienlo de 12 de maio do
anuo prximo p>asado, mesmo abaixo as-
signado recebe pensionistas 20/000 men-
s.es pagos adiantadoi, nlo dando roupa l-
vala e engommad. ,e dando-a, 25/000
meios pentioniatas i t5juoo, e alumnos ex-
ternos de latim a 4/000 e de qu.lquer outro
peparatoiio a 5/uuo. Os pi es do familia,
que quiserem ni.lncular seus (ilhos, podem
dirigir-so ao mesmo collegiu a qualquer ho-
ra d<> dia, certos de que o mesmo abaixo as-
signado so exfurs.ra quanto em si cuuber
por bom des 1111 enh t a nina misslo, de
que se encarrega. Alfonso Jos de Oli-
ve ir..
bilhetes inteiros
Meios
Qtiartos
Uitavos
Vigsimos
Compras.
Compra-se um eervo mogo, mari-
nheiro. oque seja crelo: quem tiver an-
nuncie.
Na ra da Senzalla Velha, defroote de
S'. Mooteiro ointor,compra-se todas as qua-
lidade de farros velhns e met.es de todaa
as qualidades assim romo ourelos de pannos
lin-is.casemiraso tudas as qualidade.de rou-
lamhosque servirem para fazer papel : as-
sim como cabos velbos, lonaa ote.
Compra-se um cordlo de ouro de lei,
com 20 oitaV'., em bom estado e sem fei-
tio : na ruada Cadeia do Recife, loja n. 5.
Manoel Alvrs Guerrt Juniur, compra
scfOes do b.uco desta provincia : n ra da
Cruz n. 40.
Compra-se um tranceln pera relogio,
sendo lino sem fellii, e urna estante pan
livros : na travessa d. concordia n. 5.
Compra-fe um escravo para serviso de
casa, que nlo lenha vicioa nem achaques,
e que lenha boa (igura e seja forU, da 20
at 26 annos: n. ra do Amo'im n. 25. I
23,000
11.000
5,5oo
2,800
i,3oo
- WWeF^*J!*
Vi ndem-se chapeos euveriiisados.sa- 19
? lio ''c ouro o pr.la para os fainos, A
h por commodo prfso ; na piafa da lu- <
4 dependencia n. 17. 0
Vende-.se peh, diminuto preso de 1,000
rs., \. h'-a ..1 's de syntixe o sylabas da
grammalc latina de J. V. G de Muur,para
o. estuiant.-s 1 rni'ipi-iit-s ap enderem
com mais facilidade; na eitcaJernisIn par-
ticular do becodo Sarapalel.
I (un do Crespo n. 26
Vende-se panno prelo ede cor-s,muito pro-
prio para p.lils, por ser muilo leve o boni-
ta, cores, pelo preso de 2,000 rs. o covado
com du.a larguras.
Vndese uma morada de cas-a terrea
em chin, propiio., o qual tem dtPM.lt.,
dous quai tos e quintal murado com cacim-
ba s, S'U na ra direila dos Afogados; a
dit raaa lem armslo para venda que tam-
bem se vendo s.ou com a mesma casa,lu lo
isto por preso muito commodo; n ra Di-
reila 11. 63.
Conliniia-se
A vender sempre boiu e fresco rat de Lis-
boa a 10 rs. a dita va, o 3 oitavas por 100 -s :
na ra da Cadeia do Recito n. 15.
Miudezas baratas.
Vendo-se na ra larga do Rozarlo, luja n.
44, um grande surt monto de miudezas, as-
sim como rendas e hicos muilo linos, tran-
sas de seda par enf ites, e alguns pares de
1 ulceras de transa com lio* dn ouro de mul-
to gosto, esta no resto, touham antes que te
acabe, esper.m os dono, desle csiabeleci-
menlo a prolecsSn dos fregueses, a quem
promettem srvir bem.
Vendem-se na ra da Senzalla Velha,
armazem n, 100, bsrriscom iiar.iuhas mui-
lo nov. s por preso commodo.
Ven le-se urna cabra (bicho) boa le let-
ra e acommodada ao pasto : na ru. do. Pes-
cadores n. 39.
Vende-se orna casa terrea sita na Sen-
talla do Desterro am Olinda, junto a cata do
Sr Callo, a qu.l tem du>s salas, quaits,
cosinha f-a, quintal murado, o um teireno
contiguo ao meamu quintal ; os pretndan-
les podem dirigir-se a loja n. 6 da ru da
Cadeia do R efe, onde se trata desla venda.
Rom e barato com dinheiro vi.U.
Vendem-se na taberna nova do aterro da
Boa-Visl, pintad, de azul o. 49, e n. ra
da Aurora n. 32 o seguinle :manteiga in-
gleza a 640 rs. a li tira,cha do me hor a 2,240
ri., dito a 1.920, dito proio a 1,920, tem t.es
embrulhog chinezesa libra, o emlnulbo por
6(0 rs as-ucar retinado a 100 e 80 rs., cho-
colate de Lisboa a 320 rs.. caf a 160, esper-
macole a 680 e 640 1 s., dito de composisflo
a abo rs., velas de carnauba a 300 rs cas'
lannaa piladas atOOis, nze. ai20, arruz
a 100 rs., leu ia 320, ansies 240, ettre-
linh. e leu i. Un. piopiii p.r. sopa a 400
rs sevada a 100 rs sevadinha a 160, tapio-
ca a 80 rs., araruta a 120, bulachinha ingle-
t quadrad a 240, diti grande a 200 1.., do
araiula a 480, sabio am.relio muito duro a
120 rs., toucinho a 160, alpiste a 800 ra. a
cuia, cha hyson a 560 n., e outroa mu tus
olijecios por diminuto preso ; de ludo su d
a amostra sos freguezes que liverem volita-
do de comprar.
-- Vende-se salitre reliu.du em barricis
de tros arrobas e mei, ea retalho, por pre-
so commodo : na botica d. ru. DireiU
n.88.
Bogias de cera de Lisboa
Vende-se bogias de cera de Lisboa, d.
melhor qualidade que tem vindo, de 4, S,
6 e 7 em libra, pelo dimiuuto preso de
1,280 rs cada libra : ua ra do Itangel, loja
de cera n. 1.
Vende se uma taberna com pouens fun-
dos e commodos para ramilla, o juntamen-
te um terreno no atierro dos Afogalos:
quem quizer diiija-se a ru. Augusta venda
0.31.
Vende-se uma rica cadeira
da H.illia, com pouco uso : na ra
lo Crespo ao p do arco de S. An-
tonio, loja n. 3.
,mmmmmmmmmmmwmmm
(Gantois iVilhetrk Compenliiaii
2 Continua-.e a vender ou detoaitoP
2 geral da ra da Cruz o. 52, o excel-j.
Motee bem conceiluade rap arei.it
preta da fabrica deCaoloia Pailhet &B
Companhia da Baha, em grande oj|
Jpequetia porses pelo preso estabe-jfc
lecido. I
mmwmmwKnm**wmmmm%
Charutos da Babia.
Vendem-se charutos da Babia,
de diFerentes qualidades : no ar-
mazem de Kalkmann Irmaos, na
ra da Cruz n. 10,
*
1-


Deposito de oal virgem.
Cunta & Aanorim, ni rua da Cadeia do
llecite, n. 50, rende-se birria com supe-
rior cal em podra, cbegadi pelo ultimo
mriodeLiiboi, por menos-progo do que
cni outn qualqner parle.
farinha de mandioca.
Vendem-se sancas com firinbi nova, che-
gada ltimamente do Ceari, 9,000rs. e
om ln'i's de 10 sacos para sima,a 1,800 rs.,
cada urna saces : no armazem as J. J. Tas-
so Jnior: mrui do Amuriin n. 35.
Vendem-se os verdadeiros selins in-
gieres, pstente, de molla e sem ella : Da
ra da Senzalla Nova n. 42.
J Deposito de tecitlos da fabri-
ca de Todos os Santos,
* na Baha.
a> Vende-se em casa de Domingos Al-
Sves Matheus, na ra da Cruz do Re-
cite n. 52, primeiro andar, algodflo
* transado diquellilibrici, muNopro-
g prio para sacos e rnups de escra-
S ros, assim como lio proprio psra_re-
w des de pescar e parios para relias
a> por prego muito commodo. ?
A 4AA4&A* A&AA AA A A AMA*
Armazcm de vinhos.
Na na da SenzalU Vellia n. 48,
vendem-se vinhos de Lisboa e Fi-
gueira, dos maiasuperiort-s que ha
no mercado pelo diminuto preco
de 2oo e 340 rs. a garrafa,e i,5oo
a 1,800 rs. a caada : para confir-
mar d-se a provar, e para ver da-
se a beber ; he baratinho, a elle
freguezesque he bom vinho.
Novo sortimento de panos finos e
casimiras de todas as quali-
dade*.
Na ra do Crespo, loja da esquina, que
roltj psraa Cadeii,*rendem-se panno pre-
to, a 3,800, 3,ano, 3,500, 4,000 e 5,000 rs. o
corado; dito francez, multo superior, s
6,000 rs.; dito verde, a 2,800 rs.; dito azul,
a 2 800, 3,500 e 4,000 rs.; dito edr do rap,
a 2,800rs.; curtes de calsa de casimira pre-
ta infestada, a 5,000 e 6,000 rs.; dita fran-
ceza elstica, a 7,500,8,000, 9,000, 10,000 e
11,500 rs.; sarja preta, a 2,400 rs. o corado;
dita pespanhol', a 3,800 rs., eoutras mui-
las fazendis por pregnscomn.odos.
Farinha de trigo
SSSF.
Fontana.
Galega.
Haxal.
No armazem de J. J. Tasso J-
nior, na ra do Amorim n. 35.
Ni luto de iNantua a
800 is.
Vende-se a historia de SimSo do \antua,
800 rs. : na livraria da pracada Indepen-
dencia n. 6e8.
CHA FRETO.
Vend-se superior cha prelo,
em caixas de 3o libras cada urna :
em casa de J. J. Tasso Jnior, na
ra dn Amorim n. 35.
Taixas para engenhos
Na fundico de ferro de Bow-
inan &C Me. Callum na ra do
Jirun, passando ochafariz, conti-
na a haver um completo sorti-
mento de taizos de ferro fundido e
batido, de 3 a 8 palmos de bocea ,
as quaes acham-se a venda por
preco commodo e com prompti-
dao, embarcam-se, ou carregam-
se em carros, sem despezas ao com-
prador.
f ARAUOS aMR.COS."
. Vendem-se arados arae-
<* ricanos, chegados dosEsta-
* dos Unidos, pelo barato pre-
* 90 de 40,000 rs. cada um: na
* ra do Trapiche n. 8.
*
Multas fazendas porpouco dinhei-
ro na roa do Crespo n. 6.
Cortes do bnm escuro do purolinho a
1,440 rs., ditos de lislr.de bom gusto a 2,00
rs., dito amarello a 1,800 rs fiscado de li-
nlio proprio para ciltas e palitos* 180 rs. o
covado, panno lino preto a 3,000 4,000rs. o
covadu,pessas de chitas escorasco n 38 co-
rados a 4,500,5,000e 5,500 rs., cambraiade
flores com 81(2 varas a 3,400 e 3500rs. a pes-
ss, lencos de cambraia de linho a 400, 480,
e 560 rs. proprios para mSo. riscados issen-
tados em algodSo muitoencornado proprios
paraescrarus a 160,180 e 200 rs. o covado,
zuarte azul com 4 palmos a 200 rs. o cova-
do, e multas miis fazendas por prego com-
modo da loja cima refer 1.
l'otassa americana.
No aoligo deposito da cadeia vellia, n.
12 existe urna pequea porcSo depotassa
americana, chegada recentemente que por
superior rivalisa com idiRussii; vnde-
se por preco razoavel.
INovosortimelo de fazendas ba-
ratas.
Na ra do Crespo loja di esquina que vol-
ts pan Cadeia vendem-se pecas do mida-
polSO largo muito Uno com pequeo toque
de av.ru 14f500 a pega,ditas limpas a 2.400
rs., pegas de cuita de cor fiza 4,500, 5,000
5,500 e 6,000,riscado de linho a 180 is. o co-
vado, longos brancosdecassaa 160 rs.,djtos
de cambraia de linho linos 400, 500, 600 rs.
cambraiasdecor fiza pidiOes modernos com
7 varas a 2,'500rs., merino prelo superior a
2.800, 3,000 e 3,800 rs., dito selim a 3,600
rs. o covodo, e outras multas fazendas por
prego commodo.
Bom e barato.
Vendem-se pelo diminuto preco ns ra do
Crespo n. 10, luvas compridas de pelici en-
feilatlas pua senhora a 2,0110 rs. o par,peca
de bretiuhi de puro linho com 5 varas a
1,800
Moendus superiores.
Na fondico deC. StarrA Companhla,
em 8.-Amaro, acham-se a renda moendas
de canoa, todas de ferro, de um modelos
coostrucgto muito superior
Deposito de cal virgem (cabeca de
carneiro.)
Na ra da Cruz n. 23, armazem
de assucar da Viuva Fereira da
Cunha : vende-se superior cal, a
mais propria do fabrico de assu-
car, e por preco rasoavel.
Vendem-se relogios de ou-
ro eprata, patente inglez : na ra
da Senzalla Nova n. !\i.
Vendem-se no]bieeo do Congalves, ar-
mazem de neme Youledt Companhia, meia
barricas com superior familia de trigo.
Bom ; barato.
Ns loja Ja ra do Crespo n. 10, vendem-
se palitos eessaeas de bnm de linho 1 4,000
s ; chales de seda a 4,000, 5,000 e 6,000 rs.;
cassas para babado a 340 rs. vira ; manii-
obas de seda para menina a 640 rs. esdi
umi; corles de gambriOes de cores para
caiga a 1,000 rs., e nutras muilas fazendas
que se vendem por todo preco.
Admiracao.
Ni loja da ra do Crespo n.io, vendem-se
pelo diminuto preco de l,500rs. cada um ;
liado*chpeos deso de psnninbo bemen-
hilados, para meninas, obra prima ; a el-
las antes que se scabem.
Deposito da fabrica do Todos os
Santos na Baha.
Vende-se,emcisi deN. O.Bieber&C.,
01 ra da Cruz n. 4, algodflo transado da-'
quolla rabrica, muito proprio para saceos de
assucar eroupa de escravos, pnrpregocom-
Deposito de cal e potassa.
No armazem da ra da Cadeia
do Hecife n. ia, ha muito supe-
rior cal de Lisboa, em pedra, as-
sim como potassa chegada ltima-
mente, a precos muilo rasoaveis.
Agencia de Edwin Maw.
Na ra de Apollo n. 6, armazem de Nc. Cal-
munl&t Companhla, ichi-ae conalantemenie
bona aortlmentos de taiaa de ferro coado e
balido, tanto raaa como fundaa, moendas In-
edia (odas de ferro para animaea, agoa, ele,
dltaa para armar eui inadeira de todna o ta-
mandoa e inudclloa o mais moderno, machina
horlaonlal para vapor, com forca de 4 caril-
los, coucoa, paasadeiras de ferro catanhado
aia ciaa de pulgar, por menoa preco que os
ecobre, escovens para navios, ferro Inglez
tatitoem barraacomo em ircosfolhas, eludo
pur barato preco.
AGENCIA
da fundica Low-Moor.
RA DA SEZAIXA NOVA N. 49.
Neste estabeleeimento conti-
aa a haver um completo sorti-
mento de moendas o meias moen-
das para engenho, machinas de
vapor, e taixas de ferro batido e
coado, de todos os tamanhos^pa-
ra dito.
l'arinha de manlioca
Vende-se, por prego risoarel, li-
rinha de S. Malheus 1 mais nova ^
que existe neste mercado : nn rus .43
da Cruz n. 34, delronte da I ingoeti. -g
AA*AAAAAA*AAAAAAAAAAA
Algodao para roupa de escravos
Vende-se ilgodSo muito encorpalo, pro-
prio para roupa de escravos. com pequeo
toque de averia, a 140 rs. janla; dito
limpo 1 180 rs. : na ra do Crespo n 5
Moinhos de vento
com bombas de repuxo para regrar hortas
o baixas decsplm na fundigSode Rowmaux
de U. Calhem: na ra do Brum ns.6, 8e 10.
Deposito de panno de algodo d
febrica Todos os Santos da Ba-
nhia.
Vende-se por preco commodo
o bem conhecido panno de algo-
dSo desta fabrica ; em pessa
vontade do comprador: no escrip-
torio de Novaes& Companhia, na
ra do Trapiche n. 34.
iiefrescos e xaropes a 5oo
ris a garrafa
Sendo, decapit, lamarindos, orchala, gro
selles, laranja, limSo, vinagre, gonima e
nutros muitos: na traversa da llaJre de
Dos n. 4 e 6.
Em cssi ae J. R. Lasscrre& Companhia
na ra do Trapiche n. II tem para vender
osseguintes irligos: cabos do linho e mi-
nilha de -todas as grossuras, champagne
11 urea estrela, sardinlias em litis de varios
tamaabos.penas de 150, velas decomposi-
580 e gsrnfdes vazios, o que tudo se vende
por commodo preco.
Chapeos do Chyle.
Vendem-se chapeos do Chyle finos e
grosios, grandes e pequeos*, por pre{0
muilo barato : na ra do Crespo n. 23.
Arados de ferro.
Na fundi{Bo di Aurora, em S. Amaro,
rendem-se aradosde ferrode diversos mo-
delos.
Sortes a 30 rs.
Nalivnrii di pnca da Independencia n.
6e8, veude-se papel em sortes impressos,
para homens esennoras, muito lindas ea-
propriidis, pan osdias de S. Antonio eS
J0S0, a 20 rs. cada um papel.
A 3,56o rs.
Vendem-se cortes de meia casimiri, de
superior quslidide egostos bellsimos, pe-
lo mdico preco de 2,560 rs. o corte : ni
rui do Crespn. 5.
- Ha para vender, na loja de
funileiro de Jos Baptista Braga ,
i alambiques por 400,000 rs. cada
um, em tu !o iguaes aos que se
vendem por 600,000 e 700,000 rs.,
em lugar de carapuc,a tem colum-
na, e alguns mehoramentos que
4
Feeliineha.
Na loja da ra do Crespo n. 10, vendem-
se chitas, com um pequeo defeito, ruids do
cupim a 100 ri. o covado; ditas limpas
120, lo e leo rs.
Vende-se urna bonita ascra, moga, pa-
rida de poucos dias, sem cris, com bom
leite e muilo carinhosa para criar, e sabo
bem eng'immar e cozinhar o diario: na ra
do Cotovelo n. 75.
Vende-se chumbo de muni-
Maximiano .Lopes Hacha-
do proprietario da serrara do
Monteiro, nSo podendo continuar
com o sen estabeleeimento por
Ihe ser prohibido o serrar ama-
tello e outras madeiras, em vir-
tudedo aviso de 14 de Janeiro do
correnle anno vende o dito seu
93o, grosso e fino, de todos.os nu- estabeleeimento, corrente e appa-
meros, e em quslquer porcao : na
ra do Trapiche n 36 casa de
Manoel Duartc Rodrigues.
Sortes.
Para S. Antonio, S J0S0 o S. Pedro, folhas
de papel co.n muito bonitas sortea, pin ho-
mens esenhurss, 140 ra. cada folha : na li-
naria 00 pateo do Collegio n. 6, de Jofio da
Costa Dourado.
Vende-se muito superior
farinha de Sonta C'atlieiina a dona
mil rs. a sacca : na ra da Fraia,
aimazem He carne n. 10,
O ENCONTR
MODIMI C* >V"'\K MANADA
4 == \
t I ilH.JIi
0000' 0
h'i: ; :
i-
Cena uiouumene miel,
Crasas taos como ss que tinha,
Nunca mais encnnt'irei.
Quindo me vio.
Ueu-me umi llr,
E dentro delli
Soprode amor.
Esta molinha tem Squadras, e pira cada
urna seu estribillio dilTrrnnle. A muzics hn
do insigne artista pernamhucann, o Sr. I>,
N. Baptista. Vende-se ns imprensa de muzi
ca ds ra Helia n. 28, para piano a 640 rs. 1
para violSo a 500 ra.: nesta imprensa se un
prime com peifeicfln qualquer obra dees-
lampara, como sejam, letras, conhecimen-
tos, csrlOes de visita, tarjas, registos, etc.
Vende-se superior carne salgada de
vacca em barrilinhds de 50 libras : no es-
criptorio de Matheus Austin & Companhi
na ra du Trapich n 36.
Vinho do l'orlo.
S um apreciador de delicado paladar
podrr dar verdadeiro mcrecimenlo a urna
excellenlissima qualidade de vinho do Por-
to, de particular marca, que para amostra
chegu recentemente na barca Olimpia.
He 1S0 generoso que pude chamar-se un
elixir : vende- si: na ra da Cadeia do Recife,
armazem n. 12.
i-filiado como se acha : aspessoas
que o pretenderem pdem dir-
gir-se ra das Cruzes n. 18, ter-
ceiro andar.
Vende-se marnela ln nova, rinda l-
timamente de Lisboa : na ra da Cruz n.
46, defronte do Sr. Dr, Cosme.
Compendio doloroso.
Vonde-se o com pendi doluroao,quo contm
o nfllcio de Nossa Senhora das Dores, modo
deresareoflerecera eoroa,setenario, e nu-
tros muitos ezernicios de piedade e devo-
qSo.s gundo o uso dos lili. PP. Capuxlnhos,
a 320 rs. caa um : na llvraria ns. 6 0 8 da
praca da Independencia.
vende-se um alambique-meiSo em bom
estado, sacadas de pedra do Rio-Formnso,
emchames. travetas, e urna canos que cir-
rega 1500 lijlos, ou se aloga um moleque
creoulo de 20 an nos .sem vicio nem achaque,
e se di a contento; na ra de S, Francisco,
casa apslacada.
Vende-se umi obra muilo boa delei-
te, com dnus fllhos, urna cabrita j taluda,
e um cabrito, um carneiro grande quo pode
servir para um menino, e urna ovelha com
doua carneirinbos muito bonitos ; no prin-
cipio da estrada dos Alftictos, primeiro sitio
do lado direito.
Vendem-se asseguintes sementes :
nabos,ra baos, rabaneles encarnados e brac-
eos, sobla, couvu trinxuda lfico ila-
ma, repulhud, chicoria, senoulis, feijao
cairapato de tres qualidades, rrvilha torta e
direita, fan, coeotro de touceiri, sal(i, to-
mates grandes, repolho, couve lombarda,
ssboia, e mostafita : na ra da Cruz n. 46,
delronte do Sr. doutor Cosme.
Veode-se o melhorcna preto de pona
branca.que tem vindo a este mercado, em
raizas de 13 1|3 libras, s-im como se ren-|
de um oculo de rer ao longe ji usado, mas do Sr. Js da tocha Paranhos, ru
com muito bons vidros : na prici do Corpo 88, em Pernambuco.
Santo n H. 10 olizir anli-flengmatico he essencial-
Loteria de Nossa Senhora do I ?.e?!9 lm'Cn'J.re,ni,ma. principio vital e
da rorca as Hr"as, destaca os humores ris-
nozario. { cosos, os precipita em baixo, arivs o ape-
Os bilbetes desta lotera acham-se a venda tito e fonilica o estomago,
nos lugares seguintes: botica do Sr. Horeira Pde-se admiaislrar na maistenra infan-
. SALSA PARRILHA
D
As numerosas experienciasfeitas como
uso di salsa parrllha em todas as enferml-
dades, originadas pela impureza do singue,
e o bom xito obtido na corte pelo lllm.
Sr. l)r. Sigaud, presidente da academia im-
perial de medicina, pelo lllustrido Sr. Dr.
Antonio Jos Peixoto em aui clnica, e om
sua afamada casa de saudp na Gamboa, pe-
lo lllm. Sr. Dr. Saturnino de Oliveira, m-
dico do exercilo o porvanoa oulros mdi-
cos, permittem hoje de proclamariltmenlo
is virtudes eftlcues di
SALSA PARRILHA
DE
Jat WST 9 ML m
Nota. Cada garrafa contem duas libras
Vende-le a rerdidein grii. americana
de James Masn em lilis. Esti gr, "
1 mais prompta eeconmica para limnarn
calcado, torni-lo micio, de mineln ..
r os calos ; assim como era
tempos chuvosos, impede 1 humidide t.n
do a rirtude de lustrar o cilcado molh.d0'
quilidide esla qoa nUn se encontra em nu'
tra quslquer grata. He 1 nica usada no"*
de liquido, e a salsa parrilha de Bristol he Estados Unidos, Mexiro e oulros estados 1
ginnlid, purimeole regetil sem mercu- NorfAmerici, tendo ltimamente ti ti 11
rio, iodo, potassium. aceitifRo ni Europ que seu iutor nt
Vende-se 5/000rs. ondro ns botici do durida ser logo quasi a nnica usada v
Falitos feitos.
% Continua-sn 1 vender pililos feitos 4
t de superior pinnoe di ullima moda, a>
t por prego muito commodo : ni roa
aj) do Queimado, loja do sobrado ima-
?. relio n 29.
$^a$AiS Vendem-se tor pieco commodo
Sacadis de grsnito e de pedrs, umbreira
vergss de pedn pan port-s e janellas, *
quaes eslSo depositadas na estrada nova di
Sanio Amaro, defronte da fundicSo dosSrs!
C. Slarr & Companhia : para tratar, a falla)
na ra da Cruz n. 51, no armazem, ou nc
primeiro andar da dita casa.
Na ra do Cabug, loja de
Duarte, vendem-se colleccoes dos
quadros de Nossa Senhora,que so
distiiliiiiiMtn no mez mariano da
Conceico.
-- Vendem-se sapalOes da couro de lus-
tro pelo barato pre^o de 3,000 e 3,500.ditos
de entrada baizi da couro de lustro a 2,000
rs.: ni rui nov n. 26.
Bom e liaraln.
Vende-se queijosflimengosos miis novos
deste mercado pelo barato prerjode 1,000 rs
cada um : no atierro da Boa-Vista venda
n. 75.
Vende-se um toucador novo, urna ca-
deira do piano com muito pouco uso; e
compra-se bico da trra, da largura de
meio palmo, lino bem Teito: na ra larga
do llozario n. 28, segundo andar, se din
quem vende e compra.
Sementes de hortalice
de todas as quilidides, muito novas, viu-
das de l.isbo>, e por menos que em nutra
qualquer parte: na ra da Cruz, atrs do
Coipo Santo, n. 62.
Vendem-se 3 escavos creoulos, sm-
bos muito mocos, sendo um anda mole-
que, sem vicios e nem achaques: na ra do
Rangel n. 56.
Sr. Jos Maria Goncalves Ramos : ra dos
Quarleis pegada aouoarlelde polica.
9,800 rs.
A' nova loja n. 35 da ra Nova, chogaram
muito boas meias finas para senhea, as
quaes se vendem pelo diminuto preco de
3,800 rs. a duza, 1 o pir 940 ra.; a ellas
meus senhores, intes que se scabem, pois
ja silo poucas.
4,000 rs.
Ni cisi nova n. 35 da ra Nova", vende-se
meias finas para senhora, pelo diminuto
preco de 4,000 rs. a duzia, he urna pechin
cha que multo agradar io compradores
pela sua boa qualidsde e finura, avi-ia
faz f.
Elixir inico
Anti-fleumatico,
Pelo Sr. Dr. Guillie, medico da faculdide
do Piris, membro de vsriis sociedades
medien, issioi nacionus como e-ti-.n-
geins. caralheiro da real ordom di Le-
gillo de Honra &c.
(Dupont, phirmiceutico, em Piri,
ra Tiquetonne n 14.)
O nico deposito rerdidciro deste elixir
he estabeleci.10 pelo mesmo autor na botica
Direita
Marques; aterro da lioa- Vista, loja do Sr. Vi-
rlato, praca da Independanria, loja do Sr.
Fortunato; e largo do Livramento, botica
do Sr. Chagas. As roVJas sndarSo por todo o
mez do julho, porm se 1 rend for conti-
cii como na velhicn; nada ne mais doce
quo o seu efieito: funde, dissolve os no-
mores e Ibes di sihid sem ilguaaa agita-
cao, sem suspender as orcupicOes, nem
mudar 04 hbitos : se pode lomar deste effl-
numdocom influencia que tem lido oes- cazmente urna colher domanhJa em jejum
tes dias, o thesoureiro marcara o dii 33 do particularmente no invern e nos tempos
correnle mez para o andamento das mesmas hmidos.
rodas; s depende da prompta venda do Os astlimaticos, gotosos, hydropicos
reslo dos bilbetes.; e por isso pede o thesou- aquellas cuj libra he molle, ficam satis-
reiro aos amantes deste jogo queconcorram feitos do seu uso; hem como os que sof
a comprar o restante dos mesmos bilhetes, flvm delfluxao catarral du peito, azedumes
aflm de que se realise o novo projecto;cer- Jo estomago, syncopes e pilpitatvs do
lo de quo com ello teremos dinhelro fresco cora^So, clica, empingens, catarro da be-
pin podermos festejar o glorioso senhur S. *ig". apoplexia cirrosa, rheumatismo, flu-
J080 Baptista. xos alvos, doencas de leite as senhoras,
- Na ra do Crespo, loja n. 12, ha para indigest3o, vermes intestinaes as crianzas,
vender um casal de escravos. <-' outras muilas enfermidides quesera Ion-
- Vendem-se ni rui Augusta, tiberm de go enumerar.
Victorino Jos Correia de S, queijosdo rei- Este medicamento salular tem produzido
no os mais Irescaes que ha no mercado, por os mais favoraveis cIT. i tos nos casos, para
1,000 rs. cada um. assim dizer, desesperados, fiesta sorte
- Vende-se um preto moco, de boniti fi- desde seis annos foi proscripto por todos os
gura, proprio para qualquer servido : na -mdicos Ilustres, e oa suecessos qaotidia-
rua das Cruzes n. 30. nos que obtem, tanto em Franca romo nos
-- Vendn-sc bezerro branco e amaMIo P'izes eslrangoiros, formam o melhor elo-
pari cinhOes de boles, chegado ultima- gi que deste possi fazer-se, e a prova deste
mente de Franca, por prego muito com- ne a. g.r,n le sahida que este maravilhoso
modo: na ra Nova n. 5, loja deselleiro, remedio tem tido as provincias do Brasil
deDiogo Jos l.eite Guimsraes. principalmente na Bahia e Rio de Jineiro!
Vende-se um ssbii multo cantador, onde lia tantas illusirscfles mediis,
um bicudo muilo bom ; vendem-se porque o AVISO ESsENCaL.
dono se retn pira Portugal: 111 ra do Li- Deve-se sement inleira confimei as gar-
vramento n. 38, venda. ufas que teem urna marca que leva a firma
' Vendem-se duas carrocas novas, sen- do autor, semelnaote aquella que se m-em
do umi de boi e outn pira cavallo, atsim t>* como umi mesi grsnde de amarello, de ps siliceQes.os accidentes que po lean icon-
torneados, e urna commoda grande, lam- tecer, e arrastar acobija dos falsificadores,
hem de amarello, tudo bem construido, por o publico he prevenido quo cada garrafa'
preco commodo: no atierro di Boi-Visti deveseracompanhadad'urpa insIruccSo im-
n. 27. pressa que iudica a niaiicira de emprngar
- Vende-se na ra da Cruz, primeiro an- este medicamento, compilado pelo Sr. Cuil-
dar n, 28, urna preti creouli de meia idade lie com su* "rmi, e impreso om Paria por
Novo livro de sortes. S&flStoB car,cleres essoo<=i""> M
Vende-se um novo livro de sortes com mu- VBr,A BO ;, j .1
lo lindase engrasadas sortes par iS noits V.e.nde-se vmho de champa-
de Santo Antonio, s. J0S0, es Pedro: na "be legitimo e de superior quali-
nateodo Collegio n. 6 de Joflo da dade : em casa de J. Keller &
Companb'i na rua da Cruz n.
Costl Dourado.
Madama Theard, modista france-
za, na rua Nova n. 3s.
Madama Theard acaba de receber hoje, 4
55.
Tachas de ferro.
concorre as.-s para o producto das
garapas.
Vendem-se imams de ferro: ns "11 da
Senzslla Nora 0.42
-- Vendem-se por prec.o commodo os se-
guintes gneros chapeos do chile, linha de
rons e de GuimarSes, panno de linho, cura
em velas muito bom sortimento : tnta-se
ni cisi de Nones & Companhii, 111 rui do
Tupir lie n. 34.
Vende-se a typographia do
Diario Novo, propriedade da Viu-
va liorna a qual est montada ,
tanto de bons lypos, como de pre-
los, e de todos os utencis necessa-
rios a urna boa typographia : tra-
ta-se com a proprielaria na rua
da Praia n. 55.
Us 15 voliimes dos Miste-
rios do Povo por E.
Mie, a 800 rs. cada vo-
lume.
Vende-se na lirraria do pateo do Collegio
n. 6, deJoSoda Costa Dourado.
lie muito fresco.
.Rap de Lisboa, chegado ltimamente, a
40 rs. a oitara : na praca da Independencia,
loja n. 3.
Caixas pira rap.
Vendem-se as bem condecidas caixas de
chifie do Ancily, i mitn 10 is de tartarug
e por muito mais commodo prego : na rua
larga do Rozarinn. 20.
Vondem-se lijlos de todas as qualida-
des, e telhas, Lotando-seem qual4uer porto
da obra bem como canoas com ereia ; tudo
por prego commodo: a tratar na rua do Li-
vramento n. 35.
Aiicnctio ao barateiro.
Vende se fu>in a de MaranliSo a 80 rs. a li-
bra, vinho do Estreito, muito bom a 200 rs
a garrafa, eem caada a l,440,dilo a 160 rs.
a garrafa, e em caada a 1,100, dito da Fi-
gurn e Lisboa a 980 rs. a garrafa, e em
Crinada 9 240, dito do i'oito engarrafado
500 e 640 rs., binhi do porco a 480 rs. a
libra, arroz pilado do HaranhSoalOO e a 80
rs.,ch brasiler a 1,800 rs. a libra, dito
liyson da India a 2,000 e a 2,560, sevada a
120 rs. a Ilota, sevadioha a 240 rs. a libra,
ssgu' 1 400 rs. s libra, preiuntos 1 480 rs. 1
libra, e sendo um presunto intoiro a 400 rs.
cada libra, paios a 280 o a 320 rs., viuagre
de junho.um grande sortimento de fazen- '^''A' Ku em s'n Amro.
das modernas o de muito bom gosio. ricos e l,m,bem no deposito na rua do Brum logo
cha peo, de sed. par. senhora, doYr'/don- ifnh".d'rnrdefrnte do rs9D,11 de m"'"
dosde sel. par. meninas, muito ricos co- 21-MEP2 rum ."".orlimento de
leles dechamalote branco bordados, grande ,l!f"Ii,nl?.d1e, '*"' ."looal como es-
sortimento de flt.s e pennas para checa, i"5****"?? ""d"1*. gandes, pe-
noresebicos de Monde e de linho mullo J?'"";'"^'t [?"jf* e mbosos lu-
modernos, muito ricos vestidos de blonde 6resoxislem guindastes para carregar ca-
para noiva, capellas brancas e de corea n"ou C8rros.l'vresdedespeza : osprecos
muilo ricos cabecees bordados sem fitas s3 os ?!1,,1."miBi?,u,-wr. .0
de um bico to de linho, um grandesorli- LLKA LM VLLAS.
ment de litis de veludo, e fivelis de mar- Vende-se rprA pm v*Ia* ,1-..
deparla, e luvas de tod.s.. quilidides. I mii, /, ,
Vende-se por barato preco, umi por- memores turicas de Lisboa e do
eso de tiboas de louro. e ensarnis; na ven-, Rio de Janeiro, sortimentos mui-
daque so desmanchou ni ro do Ar.go a_ :,j .
o. 43. 6 ;to vanados e a precos commodos :
-- Vendeoi-si 4 pipis arqueadas de ferro, na rua do Vicario n. lo, secundo
propnas para deposito de agurdente, por&nA.r -.rPiAr j_ il.-l.-4-
]i estarem conidia deste liquido: na reiti- escr,Pl<>riO de Machado &
laco da rua do Rangel n. 54. 1 l'tiihciro.
1 piano de boas vozes e em Nl |0j, je ei, poit
Continua-se a trocar por sodulas, fazen-
logo qoisi nnica usada : v
de-se no irmizem de Vicente Ferrein di
Costi, na rua di Madre Dos, e dej J Tan
so Jnior, na rua do Amorim.
frensas para farinha.
Na fundicSo da Aurora etn San-
to Amaro, e no depozito da roesmi
na entrada d* rua do Brum a-
cham-se venda machinas para
imprensar farinha de mandioo, e
outras para espressSo do oleo de
mamona, de urna invencio intei-
ramente nova. Os annonciantes
nSohesitam em publicar, que es-
tas mnebinas de sua lnven?So sao
superiores a ludo, quanto at aqu
tem ipparetido neste genero, re-
unindo grande fdr9a de presso
a maior simplicidade de construc-
9S0, e facilidade na operarao, o
que faz com que difficilmente se
possnm desarranjar.
Vende-se om ptimo carillo pira car-
ro : na rua do Hospicio, venda do LeSo
d lluro.
Livros em branco.
Vende-se em casa deKalkmann IrmSos ,
ni rua di Cruz n. 10, livros em branco che-
gados pelo ultimo navio.
Bejouterias.
Kalkmmn IrmSos rua da Cruz n. 10. rece-
berim pelo ultimo npor inglez um noo
solimento de obris de ouro o mais bello
quo tem vindo iqui como sejam ; inteiros e
meios ulereos, brincos, alflnete.., e brace-
letes com perolas, e sem ellas de todas as
qualidades, botdes para camisa, eculetes,
correnles para relogio.anneis, caetas para
lapis e penas d'ouro,dedaes, voltase brln-
quinhosde cores, vidroe ouroproprio.com
meninas.
Arados da fabrica dos Srs. Ranos-
mee May
Proprios para plantar ealimpar caona de
difrerenteamodellose feitos na mais acredi-
tada fabrica na Inglaterra sendo muito su-
periores a qualquer que tem vindo a este
mercado,e proprio para plantaren) qualquer
terreno e do qualquer largura, por ter um
arranjo proprio para abrir e fechar a aiveci.
Obico,liveciesoii destea arados pis-im
por um processo que da-liio 1 consistencia
de ico temperarlo da maneira que s8o de
mniti duncSo, ilm de que tem bicos de
sobre-excellente: na rus doTripichen. 14.
AVISO AO PUBLICO.
Ni botici di rui do Collegio n. 18, conti-
nuam-se a vender as verdsdeins e bem
conceiluadas pillas para bobas, cravos se-
cos, e dores venreas, por mais antigs que
sejam cujns bons elTeilos confessam todos
que dellas tem feito uso. Com osigiio do
pharmaceulico Sebastio Jos de Oliveira
Macedo; e para conhecimento do mesmo
publico e principalmente de algunas pos-
soas que n3o estejam ao alcance, o conhe-
cimento das verdadeiras pilulas, ae faz pu-
blico por este aviso.
Vinlio de Champagne,
e superior quslidide: veode-se no irmi-
zem Kiikmmu IrmSos Rui di Cruz, o. 10
-- Veode-se Rezioa de angico de muilo
superior qualidade em arrobas a 5,120 rs.,
em libras a 320 rs. : na roa da Cadeia do Re-
cife loja de ferrageus n.53.
Vende-se a verdadeira agoa
mineral chamada Selters Waa-
ser e urna pequea porcao de
charutos da Baha : em casa de
Le Schuler & Companhia, n3 rua
fa Cruz n. 4fJ.
Molduras don radas
de todas as larguras : veodem-so no arma-
zem de Kallkminn Irmaos.ruidi Cruz- o.10
Gesso.
Vende-se gesso em barricas, chegado ul -
tintamente : em casa de I. Keller & Compa-
nhia, na rua da Cruz n. 55.
Vendem-se saccas com fari-
nha de Santa Cath'arina a a,a$o
s. : na rua da Praia de Santa Bi-
ta, venda defronte da ribeira do
peixe, n. t.
vozes e em
travesa da
Vendem-se por preco commodo os se-
Iguinles gneros, fumo em lolha para cha-
irlos, cal virgem de Lisboa em barris, fa-
rinha de mandioca, superior vinho do Por-'de Liaboa superior a 160 rs a garrafa,e sen-
t em barril de quino, quinto, e oitavo.fei-; do em cana la a 1,000 rs., dito a trra a 80
Zidurai de ponto, fouces de rogar ; a tra- rs. a garrafa; todos estes gneros da melhor
tar 110 armazem do caes da alfandega n. 7, quilidadee prego, e outros muitcs mais que
de Jos Joaquim Pereln de Helio, ou com olhando o prego e quilidide favorecem o
Novaes & Companhia, na rua do Trapiche comprador: defronte da matriz da Boa-Vis-
' o. 34. la, quina que vira pira o Hospicio.
boro estado por 150,000 rs. : na
Concordia sobrado n. 5.
Na loja de seis portas.
Troca-se por se dulas alguns alcaides que
quer acabar-chitas a seis viotens, sete, e
meia paiaca, o covado; tamhcm vende-se
1 doustustOes, chitas propnas para o uzo
de cisi, sendo bonitas e de tinta segua-
riscado francez a meia pataca, o serado
lengoi brincos com flores nos c.ntos 1
dous lustOes, proprios pan mto de aenho-
n, e meninas ; loncos de seds peleos pa-
ra meninos a sellu; cha pelmas de palha
franceza para enreitarcom filas, a sinco pa-
iscas, eoutras muilas fazen Jas que uuer a
cabar. ] 7
Na loja or. n. 35 da rua Non, rende-
so pipel ilmico muito encorpao, bastan-
temente nrocurado pira carlorios e repar-
liees publicas.
2.400 rs.
Vende-se pelo mais diminuto preco, qual
o de 2,400, a resma de papel branco de ma-
china, na loja nova n. 35, da rua Nova,
5.000 rs.
Nada melhor oeste genero; as mala finis-
simas meias de algodSo, i imilacJo de se la
chegar.m i loja nova o. 35 da rua Nova, as
quaes se vendem pelo diminuto prego de
5,000 a duzre"; quem donara de comprar
ao meaos um masso pin sua Eva ?
3,600 ra.
Meias finas, cruas, sem costuras, pan
homem; vendem-se na loja nova n.35, da
rua Nova, pelo diminuto preco de 3.600 rs I
ziaa du.
das mais em contado.que em ouira qual-
quer loja. Vende cassa de quniros a 200 rs.
avara, alpaca de quadros propria para pa-
litos a 400 rs. o covado, cassa preta a 120 rs.
o covado, lengcs brancos para mSo de se-
nhora a 240 rs chitas 1 140 e 160 rs., e da
m ostras.
Charutos de Ilavana.
Vcndem-se os mais finos cha-
rutos de Ilavana : no armizem de
Kalkmann Irmoi, na ruada Cruz
n. 10.
Grande fabrica de chapeos de sol,
de J. Falque 1 na do Collgeio
n. 4.
Neste oovo estabeleeimento recebeu-se
um novo e lindo sortimento de chapeos de
Soldoi ltimos goslos, tanto de seda como
de pinlnho pan homens e aenhons, de ir-
magtodebilea e da isso que se vendem
por meos prego quo emoutra qualquer par-
te; grande sortimento dechamalote, sedas
e paninhos empega de todas as cores e qua-
lidades para as pessoas que quizerem man-
dar cobrirarmagOes servidas. Completo sor-
tmenlo de balelas para vestidos espartilhos
para senhoraa, fazem-se umbellas de igreja e
concerta-seqnalquerqualidade de chapeos
de sol: todos os objectos cima mencionados
se vendem em porgto e a retalho, por prego
que agradar aos freguezesi vista di quali-
QI6.
Escravos fgidos.
sta fgida desdo 24 de abril ultimo,
a creoula de nome Joaquios, de idade 25 an-
nos, pouco mais ou menos, com os signaes
seguintea: estatura regular, corpo ebrio,
falla fina, e urna costura sobre a caixa do
peito, bastante grossa; foi vista em Ierras
da rreguezia do Cabo.onde prorurou a Fran-
cisco Alv> s de Miranda Varejlo para a com-
prar. Roga-ee a apprehensto da mesmn es-
crava, e a la enlreg no engeoho Pintos,
00 ni rua Direita desta cidade o. MI, a pro-
mette-aa generosa gmificacto.
56/000
A qoem aprehender e levar a rua da Moeda
' \' ,0rCe''0 an lar, o pardo Leonardo,
que fugio no da 7 docorrenle, e tem os sig-
naes seguidles: baixo, e o peito slguma
cousa mettido para dentro; foi escravo de
D. Jonoa Hara dosPassos; e costumsv.
vir vender leite todos os diaa no Recife, vin-
do deum sitio da Piaaagem.
-- Esta fgido um moleque creoulo por
nomo Miguel de idide 15 a 16 anuos levou
um tiholeiroem que renda lirn.ja, man-
j!>0C! mac,x,''ri Vestido caiga de algo-
dSo do listraa ames, e camisa de algodSo
branco de mangas cu/tas, eaiftda com um
gancho no pescogo da primeira rugida :
quem o pegar e ierar a seu senhor, no s?u
sillo no principio di eitn jn doi Allelos,
a qualquer hora, ou ni rui lo Tripiche No-
vo". '8,segundoindir, das 9 da maoha
ate las da tarde, sera recompensado cum
geoerosidide.
PSN. :Ttp. DEM. F. de FaRu.--.1852.


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID E8O2A5GYD_D927F5 INGEST_TIME 2013-03-29T18:40:55Z PACKAGE AA00011611_03680
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES