Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:03675


This item is only available as the following downloads:


Full Text
-a-
Anno XXVIII
Terca feira 1
DIARIO DE
de Junlio de 1852.
N. 121.

rnrqo a a svaoaivqlo.
PlOaKINTO ADtlHTlOO.
r trimestre............ 4/000
roriemestre............. ,?.?
Por wno..... i..... 1VuOO
P.ooDeinao DorimiaTxi.
oi rruartel............. 4/500
wotioias so m-cnio.
,i.....j7 de Marco Minia... 2 de Mio
Marmbao de Abril S.Paulo. 9 de dlia
Cetra- 7dediio. .R. de 1.. 14 de dito
p.rahiba '21 if^ain. Habla... 19 de dita
DA.: DA IIK1. AUDICNClAs.
31 Seg. ** I. Citaval Jal** OrpM
S. Petronilla. f, e5. '0 boni.
I Tere. >J< 2. OltlvaJ I. varado civil.
S. Crapailc. 3. e 6. ao melo-dla,
'.' Ou.ir I S. I'landin I. Fallada.
a Qulut 8 Ovidio, 1.(6. i 10 horai.
4 Seit. S Querlno. i. vara do civl.
5Sab. .S Pacifico. 4. etabadoiao melod.
6 I)(mii Da SS. l'rin- KalfA:
dade. Tercas e itbadot.
imniiH,
Creicernte i 34, ai horaae 28 mlautol da t.
Chela a 2 ai 4 horas e 7 mlcutoi da urde.
Mlngo.me i!l, aoi 40 minutos da Urde,
ova n, ai 2 horai 28-minutoi da Urde.
ratasii m oj
Prlmelra ai 3 horas e 41 minutos da tarde.
Segunda i t horai e (i minutos da manbi.
rtBTiDii OI OOKakBloa.
OiUUi e Parahlba, i segundas seitaa-
fclrtrt).
RIo-Ci-ande-do-Norte e VIetoril ai qulatai
felrai
BoDttojKaruaru, e Oaranhum no l'e 15 de cad>
mil.
Floral, Ouricury, Eiu e Boa-Vlita 13 e 28.
Ollnda, todos oa dial.
Todoi os Corrrioi parlera ao melo-dia.
aroTioiaa airranariBAa.
Portugal II de Abril.
Heipanba 1" de dito
Franca .. i3 de dito
Blgica... S de dito
Italia.... 3 dedito
Aleroinha. 4 de dito
Praiiia ... dedito
Dinamarca 'o de Miren
Huilla... 3l dedito
Turqua. 'Medito
Austria., i de Abril.
Saina.... i dedita,
Snecla... aSde Marco
Inglaterra 7 de Abril
E.-Unido 28dt Fevr
Mxico... 31 de Jiur
California 2 de Marco
Chill. 2 de Petr.
Huenos-A. ti dr Maicn
Montevideo 5 de Ma'o.
caatnlOl r 39 D MAIO
Sobre Lonitre a !7 por d. i/OOO
Parla, 345
I' Lilbo, r00 por centn,
ITAU.
Ouro.Oncas beipanhniaa....-.:.'.'.:. 2a/0O0
Moeda de 6/400 relhai......... lb/OdO
. de o-lOO oova......... 16/000
. de 4/000..........4..... 9/00
PraU.PaUeSeibraiileiroi........... l/ii'ifi
Peaa-columnarloi............ 1/!M
Diaairtaalasiuii.............. 1/800
PARTE OFFICIAL.
(Jommando das armas.
Quarlcl general na cidade do Rtcife 31 efe mato
de 1852
O.DRM DO DU N. 98.
Determina o Sr. marecbal de campo, Antonio
Correa Sera, cominandanle das afinas, que
lumanhaa do da i1 de junbn, paaaein revista
de inoitra eiu seus reipecllvoi quarteis, os cor-
po do exercito e de polica existeutei neila
guirnlco, pela maneira irguluie : o 4. bata-
ili.ni de anilliaria 4 p, al 7 liorai da inanha ;
o 9.a de infantaiia. i8 ; o 10" a meiina anua,
e m recrut s em depolito no quartel do Hoipi-
caragua e de 1er dado a ennbecer la exiliis*
ca. At boje, ai anllguldadei da parte sp*
tentrlonal da America do ceotro nao linh**-
ido explorad*! e nao eram conhecidas s
lo. al 8 l/J ocorpodepoliciapeloreipecilroi ISC0
do. ai 9 ; acompaobia de vallarla,||or|lldo o antlgoi poroi iodloi do Mxico
indrgetus em lempos remotos tinhim oc-
cupado vastas cidades, ehsviam chegado a
urna clvlsa^io comparavel a dos Mexica-
nos. Mr. Squier demonstrou com proras
pn..o.oglc.2.out^
xicana exislia em Nicaragua na CP" ,u ,ntlgaa divlndadea e occuliam tudo o c
descoberta do pan no seculo 16 havtam-ae sabcm diU|| Muteio e d, ,u, exutencla.
j suspeitado, isao nSo aero esclarecer osi Aquelleaquedlicreve o nono viajante lee
fados. I aottrldo muiui iiiuiilacoea, causada! pelo xa
II, ir multa importancia popular,ao de i irllgluao doi conquistadores. Parece qui
Nicaragua par cama da grande quantidade de estei oDjectoa dlflereiu entre al quaoto aogri
familias de saneuc indlino puro ou mixto, deiuaautiguidaae, mas que uj ba razAo d
emnregad .
s 9 l|. ; e a de artfices, i 10.
Candido leal Ferrelro,
Ai qualidadei que tlnham suppdr que nao veuham dai naedel que id
.. poroi indloi do Mxico, da teem apoderada do palc. Al comirucdes em
America ceniral e do Per capazei de vir a aer que, ou aobreque elle eitavam collocadoi na)
uacdei c*vllisadas, nao eitam extioctai, e pa- orlgem, erain provavelinente de tnadelra, e
como em Londre, api" i gado di polic a, apoiad na f i'i;i publica,
pesio sensilas e mes fot muitn b"nelica uaiiii -silos ln^.irus. tu n np-
. [tameiilu ilt'hmi liram-sn ler ildo o prlmelrjl,,.,, ordinarias de tranquil-
,.....,.,en tu, de HI- ,,Jideede _
Na segunda comarca o pensamento do gn-
verno fui genuiname.nle iraduzido, entendi-
do.e realittido pelo digno juiz d direito Dr.
Francisco de Asis Pareira Hucha, que ha-
bilitei com meios confenienles, e autoriaei
a dar as providencia que os rapidua e va
iados suecnaaos exigissem, cimmtinican-
do-mesem demora oa acontec menlos e us
remedios applicidus l.a. lie verdade, dis-
turbios appareceram em algumas villas;
a as autoridades ostentaras-*, o seu ca-
rcter publico, e, coadjuvan lo-se recipro-
camente, Conseguirn, chamar o povo a o
tiedio icia, perdoan'lo-lne esses desvarios
80 criminoaos, dus qmes 48 de morte, com- para ser cauturadp-
Ajudante de ordena encarregado do deulhe.Ir((c*em con,ervid e deienvolvldaa de novo grandea obrai felua de barro, ornoot Hoca-jjff,^0.^** &*jJ!rVJS!L
!>a^^a^HMiii^^^i^^B^f.^HM> em proporcan do predomi.iiu du aanRue Indio |,i do Mxico, at.l eitavam juotai. Mr Squlcrl^"-8- I rdoar u erro d( povo, esquirro
^^^rv^rTZZn sobre o a..gue nespaohol. O Indioi do NI- narra ue urna maneira interesante o modol** lijicocriminoso enthusiaamo pelia i-
EXTERIOR.
NICARAGUA, POR E. C. S'QUIIER.
(Aflig Iraduzido do ingtez )
Muitn causis concurren, para dar grande
importancia aos eslados da America central.
Su IVrlilidade, sois vantagens naturae, o
comtn*"Cio no mar Pacifico, e o ouro da Ca-
litornia ciiamam no mas alto grao, a atlen-
raodoshomens imprehen tedores n dos pu-
liticos. A apparicSo de um trabsllio com-
pleto e intere.sante sobre o Nicaragua vem
por tanto mullo a proposito. O autor qua-
Idica-se de ex-eucarregado dos negocios
dus Estados-Unidos jnnlo das repblicas da
America central. Sua posicjlo aflicial p<)de
evl Icntemenlo p-lo om oslado do obter
militas inforniaQfles que, de outro modo,
no poderiam seroMas. 6eu nome de-
veu urna honrosa celebridad eulre os etb-
i niuji-ias i- os aniiquarios, assuas invs'ti-
^iei'u's sobre a historia dos monumento!
indgenas dos Estados-Unidos, c ao seu En
saio curioso, se bem que um pouco phan
caragau ao"nolavele por aua aclivldade e docl- porque i caca do> dolos. Ideas de lber Jada nunca aggredlda, nSo
iilade; ellea lao diicretos, hospltilelroi. lira- Urna lecco de leu lvro he consagrada alpersegul-lo com procesos o oulios vcxn mes,
vos. mas nao RUerrelros, por feleci-lade dellei. uina dmertacAo culdadoia lobre o projecto d<
Sao bons soldados, porem nao teem gosto ex- canil ioter-r-ceanico, illuslrada alein dnto porl
ceaiivo pela prouao militar. Os homeni sao urna excejleme carta. Ene capitolo ie recomen^
agrlcultore, ai mulhere aecupam-se em te- da a ludis, as penoai inlereisada na i|uesto'
cer algudao, e luon tecldos de boa qualidade uceo qu abi ae encontr, como em outrai
e de lindoa deienhoi. He cuiiuio achar em multai partes, indcceniei alaquel contra os
anal oliiclnaa a lindura de'Tyro; elln a ex- iogieiea.
traem de urna expecie de saurex que habita as; Como viajante dlvirlido, como antiquario
margena do mar pacitilco. Kllaa traxein o al- -elozo pode-ae reoder completa nouieoagein a
godlo para a beira do mar, onde, depois de ,,|r. Squier: por Uto a locledide doa antiqua-
terem reunida uina quantidade auificleote de rioa de Loudrea o uoineou um de leus lueui-
conchlnbas, deixam correr com paciencia oros honorario!.
eS
( AYonidur.)
INTERIOR.
sobre o algodo ollnilo colorante, extrabido
transparente e Ittcoluio de cada animal.
Ao principio o algodo he de cor aiul des-
matado ; porem licaodo expoato ao ar, torna-
se da cor de purpura deaejada. Esta cor he
t.io estimada que o lio de purpura tinelo pe-
loa metbodos inenoa despendilos e mal
prouiploi traiidoi da Europa, nao podein ven-
cer o producto iodie.ni.,. 'mi na economa
e com -.o i iinoi iiiiii.uie ordinarias, as opera-
rla!, tornam outra vez a por ai concbiuliai
seu ele,nenio natal, drpoii que eitas teem
_Jdo o preciso licor que ellai reolheraiu.
.,; ,.h a (vmhln da loenenm n a a.lSo tambein o Indio! que fabrican) excluii- ijva provincial,
[.suco, sobre o .ente e ._vainenlc wlr r(id, e redel, que faxem | Ercumpr.mento da loi venho hoje vos-
de pltelia e lio hibel como icui pata no U- brlco da louca de barro. ..... vincia, os sarvicos que a admimsliaO-o ha
empregos, na Igrja como no e.lado. Ibes es- quer outros Tactos que dignos sejam da vot-
lao abertoa. Eutre ellei ba homeo de U- [sa attengao e solicitud*. Agrader0 O Cea
lento. No ponto de vina physlco, he urna o favor que me concede de poder communi-
raga maii pequea e maii plida que os Indios i Car-vos que a preciosa saude de S. M. o lui-
do! eiudo! unido......i 1A0 beiudeieovolvi-l peeadore de sua augusta familia continua
dose vlgoroxus. Suas inulbere lio em geral jna|iaravel ; que o imperio goz actual
lindas e quando ao moras iSo bem lenas.
doraco dos principios recprocos da nalu
rez na America. A ten lencia e aextoncffu
de seus ostudos fazom dello um investiga-
dor muito competente das antiguidadesdo
Nicaragua. Como mullos archeoiogos e his-
toriidores americanos, Mr. Squier he pro-
penso a estimar tudo oque altala a anti-
tuilade dos indgenas do novo mondo. Se
bem o coroprehendomos, elle revindiea pa-
ra os mesmoi urna origem independente.
Sua ethmologia he da escola romntica. El-
le tem muila imiginar,3o para circumscre-
vnr-se rig-irosam -til s p-'Squizss scientili-
cis. Elle he mas litlerato que philosopbo;
por esta rasSo seus escripos so muito rte-
leilaveis; poim cu npre consulta-Ios com
precaucSo ; os fados devem ser desodos
das phantasias com as quaeselle os confun-
de, se por ventura quizermos sorvi-nosdel-
I--S debaixo do ponto de vista da scien-
cia.
Os homons de iraaginac9o amamoua-
borreccm com ardor. Nosso Americino he
-.lo apaixonad i dos encantos das damas
ijiie nSo pln pass-ir junto de tima linda jo-
ven sem escrever em seu lbum do viagem
urna Dola que imptime depois augmenlan-
ilo-lbe expressdes de ;i Imiraivlo. Seu amor
i'AH\iiim.
Extracto do relatorio do Exm. preitdentt An-
tonio Coellio de sr e Albuguergue, por orea--
liio da abertura da aaiemtila legi-lativa
da mesma provincial, na sesito do presente
anno.
Senhores membros tl'assembla legisla-
Kelizmente em Nicaragua nao te reconbece
dlstioccfies de estas, ou ae ai ha, Bis) tcein
nenhuiua Inlluencia.
Aquellai pessoaa que pretendem ler de pu-
ro singue liespanbol pariecipain ai mal daa
veiea, com evidencia, de alguma origem in-
diana. O Samboi. lilhoi de pas indio! e ne-
groi, lio urna bella rifa mullo inail forte e
inulto ni o.r que ol indio!
Ai mulhere de Nicaragua oceupam-ae em
fumar, coi moilrar um lindo pe calcado de um
apalo de letlinquando vao A Igrcja e quaudo
voii.im. Ao anoltecer, ellas faieiu veilua e
e acontece acharein-se reunidas pessoai dos do-
l aexoi na mesma casa, Improvisain-iedansai;
oabaile regularea sao raros c ceremoniosos.
Eii iqui como Mr. .-ipner ducreve -ni danca.
n Vimos urna Krliilia ein nossi propia caa
na segunda noiie depoit da minha cliegada,
tendo-ie reunido por acaso uina dtula de
(s damas nSo p le sor compara lo seoSo leonoras, oa mancebos que eilavam uaa aaca-
com sua averso aos inglez s este injusto das propoxeram dansar; aendo acolhida a pro-
senlimento apparece a Csda pag.n, e p le polla, ellea le demeraaram para Ir prourar
ser que mas t.rdn Ih inspire pezares. El- ma.a peijoaa e inoaicoa. "' or"
|Seq fascina a respeto de seus comu.trio- tt^&SK.*S+
tas como se engaa sbreos inglezes : as- c!,lnara* oi hoien> do outro. Isio pareca
fim o passoq ie elle censura vivamente as Dtante aD'eclado, e eu coinecava a temar
auesles da Inglaterra relslivament-) a Mos- .j,,.- Uma tertulia nao fosae grande couxa.
quito, prediz alguma cousa como a annexa- Todava um priineiro par levanlou-se a nm-
cJodn toda a Amrica-central aos Estados- zicafei-ae ouvlr, e a dama dlrlgio-se urnas
llnldoai Te,e* Para u,n lido d c'""r* e u"" v*"'
0 pai'z de Mosquito he um. porclo, poaco pjJJ p^lt^4.-S
povo.d.i insalubre las costas atinlicts da ^7,,'^,". d.iermin.v. aquelle. que de-
America do centro. Vain daoiar juntoi. Assim toda a sociedade
Elle ha habitado por uma rara mixta de lu, lr.,illla ,; ,,,. della, e vi depoia que ai
Indios e de Negios, que se supoeti gover- tertulias princlpiavain deite modo. Drpula do
nados por individuos meio rivilisaios.-os finida prunelra dama, os cavalberos podein
quies lomam o Ululo de re dos Mosquitos, faier sua esculha. A medida que o laroavin-
bliita-Io eiulitn para uma nova vida de
idadfio brazileiro amigo da ordem e de seus
'dadeirus liileretses.foi o meu pensamea-
Caatigar aquellas que armados olnram
ata para os movimentos como para u-
i faeil idade de commeller, coro esperance
"aiponidade, crimes individuies, Julguel
i dever. Cousintireis que eu consigne
jalo meu recunlu cimento pelos un,-or-
ates sarvicos prestados pelo benemrito
lOMiaoiianie Superior da cidade d'Area
il Martina Cazado em prol da ordem
lica. O delegado da mesma cidade Nu-
aed*s de Miranda Heorique, o juiz mu-
s Dr. Conspiro Antonio de Miranda
riques, o sudelegado Jos Preira Coj-
, o delegado dn Alagoa-Nuva Antonio
tato do Almeidt, Mendon^a e outrosmui-
dtslinclos cidadaos daquella comarca
aram-su dignos da oslima do Governo
luf relavantes serviros feitos em defeza
lei : lamento que eu nao possa.sub pena
toroar fastidioso este relatorio, 'registar
por um os nomos dos defensores da or-
n neses di-s decrise ; mas deixoao vos
cuidado a agradavel larda de Ihes leste
unhardes em todo lempo o met e o vos-
reoonhecimeuto.
' Na terceira cotnmarca os movimontos po-
pulares nSo eulraram, e os povos daquelles
losares tilo distantes desia capital 4erfn.
contra a especlativa geral, utn exetAplo lo-
vavel de moderarjao de respeto as losado
psiz. Na coostituicioeocout.-aram os telo*
logitimos de maufeslarem os seus desgos
tos contra urna lei o.o muito accommotiaae
mettldas pela maior parte em annos anterio-
res, 10 de ferioentos, S de tentativa da
mor l". 6 de fuga de prezos, 3 de lorio da e.
tallos e o restante por crimes menos gra-
vea. Esses algarisaios demon-itram que a po-
lica tilo estove nativa durante a quell<
lempo, e que ae igual actividade for desdb
brada para o futuro, a cifra dos diminuios
ba dedecreecer con-i leravelmenle. No cr-
rame anno at o ultimo de mareo lijo sido
Capturados 15 rriiniuo/os de morte.
HdComelTiKii assombroso o algiristno dos
assassinos captura los na provincia, em 6
mojes, e nello esta a explicac^lo do comple-
ta ausencia desngursoca individual, de que
se ressentia a provincia. ACresce que al-'
guns desses afamados sicarios que illudindn
as diligencias da polica naopuderam ser
capturados, aclum-se hoje em provincias
eslrinhas, aoude as suas presencia slo lao
ltaos, como a propria morte. Entra estes
su distinguen) ns famigerad >s Miguel l'erei-
ra e Arsouio de tal, contri os quaes nlo t,a
nho cessado de emp'egar diligencias dis-
pendiozas n dillirei, as quaes infelizmenie
tem sido at hoje sem frucio, Um benefi-
cio tenho conseguido com os meus esforcos.
Ha 10 mezes est-'S facinorss nao derramam
o sangue parahybano, o que he um boto fra-
co consol para o coraffio parahybano ver-
daderamente humano, po>s que o sangue
do cidadao hra/ileiro vai sendo copiosa tren-
le derramado por essas feras nos lugares,
ion le se acham homisia ios.
As minhas pTovIdencias, secualadas pe-
las da polica nao conseguirn) que naquel-
les 6 mezes a vida uflo fosse ron ha la ao ci-
dadao pelo ferro assassino mas foiam raros
esses casos, o os sssassiiios pela maior parle
ac:ia n-ae prezos, insinuados os respeclivos
proscessos, e leudo j alguna respondido
pelos seus actos parante us tribunaes do
paiz.
Como sabis, senhores, n'uma sociedade
pormaisbnm policiada que seja, por oasis
adiantada que est ja a sua clvilisacao, a su
sencia completa dos crimes n3o passi de um
s uilio ; mas nessa sociedade modelos cri-
'ii...../os .,lo perseguidos, prezos e punidos
segn lo is formulas da lei, e a actividad* e
elo das auloiidades, e a cirteza da puni-
(3o reduzem o algarismo dos crimes e dos
criminozos. Evitar o crime nem sonpre lie
possivel; mas puniros cmninozos he rigo-
roso dever das autoiilades; he o grande
escopo ds minha admiuistiacao. 0 estado
I- seguranza individual para onde hia c.mi-
nino lo a provincia o anno passado era 10o
Ritongeiro, que durante o mez de oulubro
mi so morte nSo bouve(oa provincia intei-
mente de paz interna o externa ; e que fi-
nalmente chegou ao seu termo a lula em
queaoSul do Imperio o nosso brio nacio-
n 11 eslava empenhado. O despoia das r.e- dispersao da popularlo por immensas ola-
publicas do Prala, que tantas olTensas nos telas no nosso paiz, a nutras circurM. ra,e no mez tle novoinbro apenas houve um
fez, fo debellado nos campos de Morn, tanoissembaracosasreconhecl las posterior- '
abandomnlo vorgonhosamenle a ierra mente na execuc.So da mesma le. Algums^
que elle tantas vezes ensopou com o sangua mfcnlcipalidsdes e autoridades daquelles lu-
iiinocents de victimas desg'acadas. Nussas i gsha represenlaram a este governo a cerca
armas cobrira n-se de glo la nesse trium- deVrtvs dilllculdados na prauca do regula-
mente para assegurar-so de uma quantida- i;ed"ra"dera'in ooxe hoiai, crelo que nao vi
le sulllcienle de madeiras rijas desse paiz. ja,n,|s Ullia reuoo lao annimada.A polka,
pho oiiii iui,-u causa da civilisigu eda li-
beraade contra o despotismo e a barbaria.
Tranquilidade publica.
Muito lisongeira foi esta parte de meu re-
lilorio o anno passado ; hoja infelizmente
nao cont a mes na ventura, e tenno d,- oc-
cupar a vossa altencSo com a narrar;3o de
factos que altamente depoem contra a civi-
lisicao de um povo. A Iranquillidade pu-
blica pormaneceuinalteravel nesta provin-
cia at o principio do correte auno. Al
essa poca o espirito publico iflteniava or-
den), e ninguem, por mais vjziouario que
fosse, receiava alteracSo na 8 guraoga pu-
blica ; infelizmente porem a execugao do
regulamenlode l8dejunho do anno psssa-
do.qno baixou com o decreto da mesma da-
la acerca do registro dos nsscimenlos e bi-
tos, servio de pretexto ao povo para amuti-
nacOes, ea ordem publica foi perturbada
em alguna pootos da provincia.
A idea de que o captiveiro dos Mo-
mento; in i.s en data anterior eu ja havia
tomado algumas providencias, e com ellas
a lei foi executada tinto qusirto era possi-
vel, licaudo illesus mquellas paragens a
tranquilidade publica e o respeto devido as
autoridades.
Emittir um juizo seguro e reflectido
cerca desses movimentos, atirar sobre os
verdadeiros autores dos-es males um pesado
(-ligua e a devida culpa he tarefa muito
delicada e difiicil, e certo eu prescinderia
della, se me n3o julgisse oDrigado para com
vosco, para con a provincia e para com o
paiz intuir A pronunciar o meu pensa mon-
to. Pelo estudo que fiz dos acontecimontos,
pelas nformac.0es ofllciaes e exira-olllciaes
quo colbi no meu gabin-itc e nos proprios
lugares, que ulitmameiile vizilei. eslou con-
vencido de que os movimoutos populares
nesla provincia, embora em alguna lugares
figurassem como provocadores bomens do
politica distincta da do governo, nSo loram
_ ssinato.
t 'Tenho dividido em duas epochas o lempo
Je minha adniui-lrarjlo oii reanlo segu-
ranrja iadlviuaaiV-i pumeir at o fim do
fin) iMattifaif n a^B^r* fi flflja"*a|rn do cor-
ronte anno ate hoje. Aprimeira como vos
tenho dicto, foi de ventura para a vossi
socie 'ade ; a segunda infolizmeuto nflo ba
sido tilo venturosa, e durante ella o sangue
parahybano ha cupiosame .te corrido. E
por ventura hei sido menos solicito pela se-
grame de vossas vidas .' 10 por ventura o
digno chefe de polica e as suas aulori-iades
abdicaram os seus deveres no |>rocuraiido
perseguir, capturar e processar os crimino-
zos ? NSo nem uma nom outra cousa. A
Causa fatal dessa mudanza esta nos movi-
mentos |xi.'ul ues, dos quaes me uccupel
no tpico anterior relativos tranquillidade
habilitado entSo com
No da 39 de feverairo no destricto d'A-
Ihiadra fora awaciaada JJicencia Mara das
tarea par Joaqun) lose dj?8ini Anna, que
foi iinmadialra ceses do.
No da 7 d etdado d'Area urna
diligencia) policial procuriu-'o capturar ,0
infeliz Antuoto da Molla, otn dus desrdet-
eos iesistou'ts da Cuarabir, contteeido pe-
lo nome de Antonio Pedra, foi este ero r*8rs-
teneia mono pelo soldado de polica Rozan-
do Francisco da Costa, o qual acha-se prezo
n proeessado.
No JU 8 de marco no termo da Indepen-
dencia, no lagara-Caicaran po'toguez sep-
i iig--iiano Jos Vicente da Silva fora asas-
sinaaAa.com um tiro, son lo o motivo desse
atroz delicio o possuir elle alguna bens da
fortuna, que levaram um seu sobrinho tam-
ben) po togunz de nome Francisco Comes
Calado, a antecipar ou A scautelar com a
monedo infeliz lio a posse de sua fortuna.
(I mandante e os doua mandatarios Manuel
de Pinito e Manuel lio Ifigui s de lllivcira en
ulincido por Manoel Garapu. turara prezos :
mas infelizmente os dou priaSaaros con.se-
gurain e.vadir-so da pruSo. chefe do po-
hri i di'Uriiiuiuii que p faga fosse pro
cessada, a fim de seTenf ponidos oS protec-
tores della, se protectores liverem havulu.
No da 2 do abiil o infeliz sexagenario vi-
gano ii fregueMa da Taquara Jos Flix
Pnreira, vindo de Gaianea para a sua fregue-
zia soffrude embuanaia ao tiro, do qual
sucumbi no da (.>< Bate Irorniroso lten-
la lo commettidu costra s resiieilsvcl pes-
soa de um velho ministro da Religi.lo veio
ao ineti ronheriinenlo ne da 9, quando en-
trei nesta cidade de volla de minha viagem
a alguns pontos da primeuii o siigiui la co-
marca. l'rufuodaaiBOte conlrisluu-rne, e
tenho dado todas as |*ovidencias allm de
que a auturidadene MMaga(3o des-o l-rln
possa marchar comsegurinea e (elici tarje .
julguei coiivenienle, entre outras medidas,
restabelecer a subdelegada da freguezia da
I a inar.a que havia silo extinola por porta-
ra desle governo de 31 do oulubro do an-
uo passado i nomeei subdelegado della ao
capitflo de polieu Severiaoo Hzio da Souza
i .omr-a, que tito distinctos'aMwoos havia da-
do de sus COrageui, tino e zato na freguezia
de N tolia em cargo igual. Es-e oapilSu por
motivo inperioso de molestia ngo pode par-
tir sem demora para o sru destino, pelo que
me vi ol te da subdelgalo ao lente de polica .Mo-
desta Honorato Vctor que para la seguiu
com um destacamenlo de polica. NSo des-
cansare! no propotito de descobrir e punir
oauclor ou aclures da morte do infeliz Pa-
rodio.
No di i 30 de mirto no termo de Pianc o
delegado 3* supplente Joaqun) Canuto da
Silva, pretendendocapturar alguns crimi-
nozos da aiorlo que publie-mente'passea-
vam no lugar Caxoeira, marchou daquella
villa com uma fo equando j vultava, nenio infructfera a
diligencia, encontrou enguerrilhados em
lugares inespugnaveis nSo so os assassinos
que procurava capturar, como outros cri-
minosos que a lies se reuuiram sob o com -
mando de Jos Antonio Purera, Josquim da .
I'onseca A i.-i ojo e Jlo de Araujo Fonseca.
A loi ea legal, oii calculando a aggresso,
vinha mal preoarada para romper um obs-
tculo lao difiicil. e depois de sustentar por
a 1*11111 lempo um vivo fogo, prudentemente
retirou-se coma perda ou ti guardas nacio-
n ir- morios e 14 fe-idus, conlaudo-se entre
estes 3 soldados do desiaramenlo de poli-
mons de cor era o fim do registro espi- todava o resultado de um plano poltico
1 hu.-se, e em alguas espiritos fracos su-iSnteriormenle concebido e meditado, ecal-
bio aluna do fanatismo. Nos primei- culadimenle oxecutado. Se he certo que
ros das de Jsneiro Uve communcac.es e-
pistolaresde que na provincia do Pernam-
bucoo povo armado oppunha resistencia i
execu^So do dito decreto, commetlendo em
seu desatino atrocidades contra homons pa-
nucos, desobedecen lo formalmente s au-
.suiucienw ue iiiauuuaa rij.s tar. y.,i. iain.|, Ullia reuniau lao annnnaoa./ pu.., \. .;, rl*aniio nutnia aeloa de lou-
A Amenca central aprsente uma guper- va|S1, bolero e outraa damas *^^\v^i^*^j^^J^'^^
licie de 50,000 milhas quadradas. No lem- beu.conbecldaifora.il dansadaicomgracaecoiu cara e selvagcrii. Consid.rando que esta
po do dominio hespanhol, ella estava divi- vJvaddadc, Alein disto depola de muitoi rogoa
Oda em as provincias de Cu.temuls, llon- obtivemu. uma J'";'' C"" ia*Tll-
dur.s S30 Salvador, Nicaragua e Co-ta .(,- en,, ecom P"-^ -q". no a ddsau conv.c^
ce. Estas prov.ncus lornar.m-se indepen- ,%a??'m *,. ,.i excepto a aria
denles em 18X1 e depois unirsm se para for- uaciooa| axuauMU com lorca e vivacidadc,
mar a repblica da America central. Ellas nada leuho que olier da cantoria. Durante todo
seperaram-se outra Vez em 1839 em tantas 0 sanio, aa janellaa eitavam guruecidas de
outras repblicas distinctss. Nicsragua, criados, e aa portas chelas de espectadores, o
Honduras e 8. Salvador confederaram-so quaes quindo eiiavam particularmente con-
recenlemente. A regiSo nloira da America lentea, ippl.udinn ruldoiainenie. como ae tu-
central .presenta c.r.cl.-res phys.co, mui- ^"J- peTo. """p Ucu'q'uV-
lo notareis e inspoi tantea, como Mota grao- %%$5S*X2*% genh.i ..opu.ario.de
de planicie a 6,000 ps ( inglezes) cima do lo,ercedeniro por elli para nue Ibea foue
nivel do mar, na qual est assentsda a cida- iecael,aa rlcarein. Noi ballei mal regulire
de de Guatemala ; a sita planicie que forma que forain dados depoia, h.vlaiu auld.doa
o centro de Honduras e uma parte de Nica- cm cada pona os quaei aOaitaviin a uiulii-
iigui, e o pan elevado de Cosa Itica. Entre do.
os dous ltimos esta a baca dos lagos de| Na eaUcao dai testas, o habitante! de
Nicaragua com vastos declives ondulantes e; Nicaragua tem alguns coituinei curiozoi que
verdejsntes, rompidos por cones volcnicos, reinouum provavclmente a um anligo culto
uor algumas fileira un collims ao longo ;pago. .... t .
pur igumiio .i P i a fetade Santo Andr foi celebrada com
das prs.as do Pacifico Dos dous grandes la-1 comuiaj n os.o mnspegoeno, Managus, est a 156, a pa|ai|a por uali d.nia doi diaboi. O dia-
les o o maior a 128 pes cima dooceanu Pa- -
fideo. .
O primeiit) tem 50 a 60 milhas de compri-
n.- uto sobre 33 de largura, e o segundo
inals de 100 milhas de comprimen! i sobre
60 de largura. as ma/gens occidenlses ou
peno dellss esto ss principaes ci-lsdes do
paiz. Enormes cones volcnicos solados
levantam-sos uma altura de*, a 7,000 pos
lias visinlia nr-s tiestas cidades OU lias ilhas.
Numeosos restos da antquidade ruinas de
templos, dolos monolethicos abandonados,
"13o importancia so Siiu recinto e a paisagem
he grande e importante. A nica correte
eegoa he a de Silo Jo8o, magnifico lioque
corte da extremidade tuesta do lago Nica-
ragua para o Athanlico em uma extenco
de perto de 90 milhas O clima he geni-
mente sSo, pnncplmenle do lado do mar
Pcnico. Nicaragua he habitado por uma
PopulicSode perto de 360,000 inlividuos,
los quaes a melada pelo menos he coinpos-
is de rafas mixtas; o maior numero eBo In-
dios em gran le parle civilisados; depois os
hrmeos ero numero de qossi 35,000 e finsl-
metite perla de 15,000 negros.. O solo he
muito frtil e pode cooter ums po.ulacao
muito mais forte. Os recursos naluraes de
Nicaragua parecen ser muito consideraveis.
homens opposicionistas apparec-ram no nu
mero dos amotinados, ou estiveram em per-
boa vlnhain venidos de urna maneira toda
Blianiasllca, trazlain caras e loogai barbai.
ni del.el vestido de preto moitrava uina
cavelra debalxo do vio enire-aberlo e toma-
va parte na muclca com um par de verdadei-
ros olios. Crelo que a oaoia era imitada doa
jiidcos; o inenno luccedia a respeto da inuil-
ca,
lie impossivcl deicrever os estranhos instru-
mentos desia msica. Uin dellei cunsiitta ein
uma grande cbaca, lobre a qual eit csteudi-
d. a pille de uin .nliu.l, qu.odo ae bate ein
cima, aabe della um aom sordo e trate coieao
rugido abafado de uina beata feroz, e longoi
cano! produilain urna aorte de gemido como o
do liomrui na ago&ia de urna morte vilenla.
Oa danos panavam correndo pelai pr.uclpaei
ruai, seguidos de uma multido que loliava
gritos, e entravain nal prlncipaei cimi, onde,
depois de lereui damado nos pateos, eipera-
vain |he desseuialguus reales,oualgumasgotas
de agoardeote. Urna outra clane de danaadores
adornado! de uina grande quantidade deouro-
pel/masquc naoaspiain ahonrade ler dlaboi,
apparecein nairuaiuodiada fetidecertomn-
toi, e viilum todas ai casas, nai quaei o che-
le das familias tem o nome de aanto, eaperando
que ae Ibea dar dinbeiro ou licor em recoia-
ueiiaa daa provas que do de seu talento.
Em algumas cidadeado Nicaragua, especial-
mente em Lelo, a perniciosa prallca de en-
terrar o morios no recinto das igrejas da
publica. Q governo
puucos meios de represso, as autoridades
um pouco devassadas e enfraqueciJas pela ca que la seacnava ao mando do lente
audacia dos amotinados, a populacho em Dellino Horoira Lima. S-gundoas iuforu.a-
grande parte armada e provocadora, outras r,es do delegado essjj ofilc-al torooti-se dg-
circumstancias anda que deixo do cnume- no de sua banda e da confianza do governo
rar, por que s3o de vosso "perfeto Conheci- pelo seu comportameoto durante a aceto,
memo, concorreram ponderosamente para Osaggressorestiveramimortos, ignoraudo-
que noj qualro mezes do correte anno a se o numero dos feridos.
seguranza individual lenha sido t3o desres- He doloroso para muii fazer narrifao de
pellada. Asseguro-vos porem que meus es- um faci 13o extraordinario e deploravel.
forros serio mais activus eenrgicos, oque Aa"mar-se o criminoso, engrossar as suas li-
sa w-rri pauta-lus pels necessidade da pro- ieiras com outros criminozos, tomar po-
feitss relacfles com elies, se he anida cerlo vincia. Se o anno passado batalbe, e venci zc3o hellica, disputar a forca do govorno a
que quasi na totalidade osilludidose fana-|n'um campo lio desiguale difiicil, eslean- execu(3o de sua diligencia, e atirar sem
ticos acceilavem doceis a ascendencia dos no espero nSo ser menos feliz ; ese for lis- pieladesobre os soldados da le, he mais do
homens da o posicio, nflo he lamboin mo- bilitado, como cunto, pelo governo impe- quo crime
rial com o poderoso suxilio ue maiur forca
publica, terei talvez s fo tuna de estabele-
eer a seguran;a individual sobre bazes
mais solidas e duiadouras.
No da 8 de a gosto do auno passado fora
assassinado com um tiro ni cidade da Aiea
Ignacio Connives daSiIra por Antonio Co-
mes, que loi logo prezo, e p-ocessado. In
trigas particulares deram causa ao couteci-
rrtcnto.
Na noite do da 5 de setembro na Cruz do
Espirito Santo um destacamento de polica
procurando desarmar Ms*noel de tal, co-
nliecidopor Mano-I Banqueiro, esto dispa-
rara um tiro sobre um soldado d polica,
quepereceu pouCAS horas depois, licaudo o
assassino lambcm nimio de outro tiro. O
juiz municipal processou o acontecimento.
nos certo que os homens mais distinctos e
considerados que represeulim a opposicilo
provincia eslava muilo proximade Per-'reprovaram ostencinameute esses exc.ta-
nambuco, e queem lo.las as pocas umaaf | mentos, embora no remanso de seus gabine-
fiiidide muilo pronunciada do pensamen-1 tes e no seio de suis familias e amigus, fol-
ios e inloressos se na mostrado entre os ha- gsssem com os embarscos do governo. Crer
hitantes das duas provincias, acredlei fa- que o preconceito n3o viveu vigorosamente
cilmento quo os molius populares de Per- no espirito do povo he recuzar a verdade
iiamburo .-en.ioi aqu prom pa monte reper- aos facos; acreditar tambem que n3o havia
cutidos. I-; con eil'eito poucosd.aa depois da parte de certos homeni inleresse em
chugaram-me communlcafOes ofllciaes de conserfar o poro nesse erro e precouceito,
que as villasdo Inga.Campioa Gfaude.Ala- inleresse que pz termo o temor da puni-
goa-Nova e AUgoa-Gran le, o pavo desres- ci, oe imbecili lade; mes atirar sobre nm
peiando as autoridades, reunido em grupos partido poltico inteiro a imprudencia e des-
uns ou menos numerosos, commeina de- man-los dealguns de seus metubros distinc-
sacatos conlra a lei e coutra as sutoridade. i tos, o inleresse calculado de outros menos
Naturalmente a-oigo do povo, e u ais con- importantes, e a ignorancia e flaqueza de
duido de sou erro do quo des-joso d-sua .espritu de minios, be abdicar a justica,
psrsegui^io e msrljirio, mandei instruc- dsn loo seu lugar ao capricho.
(Oes as diferentes autoridades no sentido Eis como explico a origem desses movi-
do ser uest-uido esse fatal prejuiso com o memos
emprego do meios brandos e suazonos In- | ll-je felizmente j nSo existen) disturbios
felizmente porm em alguns lugares o em- populares, edelies s resta a fatal recorda-
prego deises meius uo loi sufllciente, e as (So, que Dos permitta sirva para sempre
autoridades judiciosamente interpretando de aviso tidos os brazileirosde queos po-
asinstruc(Oes qnede accordo como chefe I deres constitu Jos do Estsdosio os verda-
de polica iransmitti-lhes, fizeram uzo o- deiros oelTensores dos uireitos do povo, e os
dorado e prudente dos meios de forca, e seus legitimo e si eros amigos,
conseguira! restabelecer a ordem publica Seguranza individual,
j gravemente alterada. A primeira e a mais palpitadlo necessi-
Na villa do Inga a casa do delegado e de dade da provincia, quando em julho do sn-
oulros distinctos cidadSos amigos do gover- no passado tomei posse de sus administra-
no, for.m invadidas por bandos de emoli- ci era a segranos individual. Compre- cessados o asssssinos li
nados, que estregaran) assuas mobilias, e hend enlSo qoe era indispensavel srmar possivel a captura -los acelralos,porque se
pieticaram outros actos de eatupids vigao- contra o crime uma verdadeira cruzada, da haviam evadido apenas commett.do o delic-
ca. Por ordem minha, e munido do ins qual o mais activo e corajoso campiio fosse to ; mas o processo fe organisado, e elles
truccOes cunvenieules, o digno juix do di- o governo. I.evei a elTeito o meu pensa- acham-so pronunciados, leudo piocurado
reilo da I.'comarca dirigio-se aquella vil- meuto, e folgo de dizer-vos que nos 6 me- coito en provincia eslrauha, para onde ja
la, termodesua juriadicao, e fez servicos zes decorrilos ateo ultimo de Dezembro o foram requisltadas as suas pnzOes.
de grande ment. Deixou a populacao da- estado da provincia em relacio seguranca | No da 36 de Janeiro foi assassinido no si
que He lugr quieta ; mis as idis ds epo- individml lornou se lisongero, e fez-me to Olho d Agua destricto da Allian-
cba eram de nquietac.So. e as promessasde al acreditar que na provincia estavam em dra, Vicente Ferreire. O subdelegado, ape-
socego foram depois de pouoos das todas vogaMasum pouco exactas a cerca de cri- as soube do aconleciniento dingiu-seao
esquecidas. Eolio fiz parlir desta cidade m< e de vlrlude. A eaz do governo sempre lugar do delicio, mas n8o conseguiu captu-
pirala ochere de polica com um deslice- alta e viva, os seus esforcus sempre activos raro assassino, que o3o he conhecido. Ig-
ornto de 70 pravas de polica e de 11 ma ao e incanaaveis em favor da seguranca indvi- nora-se o molivo que deu lugar esse tra-
manlo do vleme militar o major da 3." dual, calaran indignados nos nimos dos gico aconlenmento.
classe do exercito Antonio de Dos Costa, protectores dos crimes, aterrsrsm os crmi- No da 5 de fevereiro foi i
Aiiuaiiiii-iic.in do seto ti lo a soi dar; mas
sel que a lei pede uma satisfac(3o medida
pela magnilude da offensa, nunca esqueci-
dos no calculo o damno dos otTendidos e
qualidade dos oOensures.
A communicacSu desse acontecimento ti-
re no da 6 do correte na villa de Bananei-
rs aondeentSo me achava. Sem demora
doi providencias para que o major Antonio
de Dos Costa que estacionava na villa do
Inga com um forte destsment de polica e
iinha bem equipado niarchasse para a villa
do Pianc auxiliar o delegado na perse-
guirlo Capture daquelles criminosos : en-
tendi-me tambem com o Exm. presidente
dePernambuco para que o desls-'ameuto
estacionado em Paja de Flores coadjuvasso
as minhas autoridades de Pianc, providen-
No da 36 do mesmo mez foi gravemente ca queja o chefe do polica desta provinci
ferdo no desirilo do Livramenlo Joaquim
Jos de Freilas por Antonio alendes da Silva
e son lilno Joo tiendes da Silva, e outros.
Foram prezos e processados os criminosos.
No da 13 de dezembro foi assina lo em
casa de um moru'or do engenlio Tab da
freguezia de Taquara o infeliz Pedro Jos
por Flix Moma i e Manoel Leocadio. Ape-
nas chegou ao mou conhecimento a noticia
liz sem demora arlir para o lugar do delic-
io o juiz municipal do lermo e o promotor
publico da commarca com uma escolta de
Cavallaria a fim deserem captura los, e pro-
Infelizmente nao fui
ra a proteccio dos cidadios. A presenca do mezes de que trato foram capturudos, como Ho; o cnminozo acha-se processasuo, e nao
circumspeclo e zeloso msgistrsdo encerr- rereis do mapps junto do chele de policis, I sido feitas as necessariss recommeodasOes
lin'in. eui inuilia tiu/.i'.i ca, solicitado de seu
collega de Pernambuco. Minhas riquizices
eas ds polica foram promptamente ss-
tisfeitas.
NSo tve participarlo* ulteriores de Pian-
c ; mas acredito que os selerat.s que tan-
to ouzaram acham-se hoje fora do termo, ou
nelle cautelozameiite escondidos. O pro-
cesso esta sendo instaura lo, ehavendocui-
dado e energa da parte das auturidsdes um
dia.cedoou larde, a merecida puniSo ca-
ima sobre essas caberas criminosas. Como
sabis, na 3" comarca muito poucas vezes a
piimcSo legal casligou o crime. As minhas
diligetirins conseguirn) espantar e -dester-
rar al o fim do anuo possado esses crimi-
nusus. que mais criminozos anda ae turna-
ran) por essa inqualificavel aggressio ; mas
infelizmente os movimentos populares fize-
ram aci editar sus acelerados que era che-
gado o lempo de jubileo por seus crimes, e
e armadus de sua amiga feroc lade, reto-
maran) os seus amigos covis, u'sonde ou-
tr'ora tantos estragos fizeram.
A freguezia da Barra de Nituba, cuja his-
toria foi sempre de sangue at apresenca al-
l du circunspecto capiSo de polica Seve-
riano EllziodoSouza Govea na qualiladede
subdelegado, tem gozado daquella poca
al hoje de perfeita paz, senjo sompre res-
peitadasss vidas e propriedades dos cds-
dioi. ...
FauHia firoviactal. -
Senhores. Grandea e de natureza bem gra-
ve, foram ai dimculdadei e embari,oi da toda
'
a
L
i
a-

-

I .
X


o arnero coia que laiel a atsimlr aaainlnls-
utio du provnola, rcHMjrtmeaM o MU
'^rtt"'de de.pe.a, pabilo., v.aeldo. ,
adulado per meui anicceatvres, uOTi lu-
mediaiaweoie vencer, urna divida .altiva di
nao pequea Impertannla, ludo onorinenieAie
nesava aobre o colre provincial, e obscureca o
futuro da prevlaela i a a que ba tuaia, aeafre
iir.H-nui.il achava-te quasi completamente ex-
hauslo, a con multa dimculdade aii.la/i.i ai
despeas correal*. Ene estado de couiaaan-
da conllnuou por todo o anno linda e lie bem
saludo, que tal ponto chegarau! a clrcutns-
taucia critica do cofre, que raeiiiio 01 subsl-
dlo dos inetubros dcsla aiseuiblca delxaram
de er pagos em da, c nlo hara uielo regular
de occbrrer ao dispendio publico.
Fol urgido por laes circunstancias, e pela
necessidade etn que meachava collocado de sa
llsfaier certas despeas, que mala alto Claras-
vatn e que nao podlam eupportar espera, qaa
ni. delioerel, sb inlnha responsabilldade, visto
que Irgalineme me ola achara sulorisado, 4
contrahlr uin empresClinj por canta das i eml as
provinciaes. Feliameote mesmo nesta praea
pude realliar dito euiprestliuo em I Idean-
vembrodo anno nasudo da manelra aialtcom-
in.i-l i i- nial viirajoia i renda 4a p'Dvincla-
O negociante Fraueitco Aire de squsa Carra-
lito, queja por diller entes Tetes tem adlanlado
seus capitae. em beneficio do colra provincial,
como vos inulto beiu sabis, a cu lelo tos rea-
torios de ineus antecessores, fol o inestno
quem por esta re anda ine dirig, e que Can
a melhor vmiade feaoempresilina. que Iba ha-
vla eu solicitado, de 1:000/, Aereoeudo-se pa-
ra realliar inaior asnpreatiino, aa de usalor
quantia e houvesae inlster. Salva a obrigacio
em que flcou a fatcud prnvlocial da etnbulia-
lode aeu principal sem juros quando a corno
inesina fateuda foise mais comtnodo, a luda o
ualsrcnunclou o dito negociatiie cota genero-
sidade.
E pols, senhorcs, ao momo pasio que vos
peco que approveis este acto; que fui Indmido
p'r.i i. ai pelos tnotlros que vos hri relatado,
periuitti-ine que approvelt.ndo-me de occa-
si.iu lio soletnue, dirija a ease generoso nego-
ciante os devldos agradecitnculos pelos, servl-
cos que ha prestado provincia, c particul r-
mente I mlnha admlaJltraco c conhec.in to-
dos que o guveruoprovioclal sabe aquilatare
apreciar devldamente os serviros que ao fritos
a publica administrariu> em qualquer tus raaos
do servlco publico, w
Felituiente, stuuores, esss triste quadra ral
plisando: lodos os credore por contracto de
obras publicas se achara pagos em quasi tola-
lldade de seus crditos, os luncelouarios pro-
vinciaes, a forca policial t lodos osinais ramos
de despeta acham-se era da; edes.e empics-
tlino de que vo teaho ocoupado, aumente re-
la a fateuda provincial a quantia de 2:400/rs.,
que espero multo em breve sara sailsfeliti por
encontr, em despachos inarillino de e.porta-
rjo, que ordeuei fosse frito na admiiil.iracao
do rendas provinciaes cora o referido uegociau-
tc. .titula porew pesa sobre a provincia essa
divida pas'iva liquidsda c inscripta, de que dei
psrte a esta asseinblea era su ultima sess.io,
sOJ preeeUoi, nunca viols-los; pois
qulier que vl Dio lraJ*seis por tal as ro-
al peltiquMl me devaiae dirigir na ro-
ittlf;lii) de Iguaes casal, ou concedendo-mo
autonsaejo pira contrahlt m pretil moa, oU
para per qualquer outre (fleio fazer alguma
ameeipaelo da Mr4aa ftovinciiML
A riparilclo-di adminlatriclo de renda
provinciaes, por onde s*s Mi arrecadacSo
e a distribuir-do dii rendas da provincia
conlintli com toda a regularilade ; nao
obstante ella ae reaasnta da algum atraso
na eicrlptuncflo de alguna livros, como fui
i ufo mis ilo pelo respectivo Inspector. Esti
lepartlcSo at o presente se tem regulado
pea h'i geral de 4 de outubro de 1831 o
mais leii e regulamontus de fazenda genes,
cgundo foi determinado polo ariigo 10 da
resoluto provincial de 10 da dezembro de
1814 Tendo si Jo porm essa loi e regula-
mantos ravogadua palo decreto Dumero73G
da 90 de tiovemhro de 1850 que reformou o
thesouro publico nacional e as Ihesourariis
das provincia.--, e que prlnciplou vigorar
nea'a provincia no crreme anno, en en-
lendo queda-se nina parfella anomala, so-
ngo iini disservico publico em continuar
linda em vigor essa lei no que diz respelto
ao provincial, temi Ji perdido toda i aua
forca moral, e sendo reconliecido, pelo acto
tle ana revogacAo, que nSo prehenchia com-
[ilclaini'iitc o seu lim. Attendenilo pois So
que tica rxposto, e tendo em consideradlo
os melhoramentos que o dito decreto fe il
thesourarias, convir que seaielhan'emente
confeoeioneis ama le refortnindo i actual
n ImioistracSo de rendas provinciaes. Se to-
maruespor modelo o referido decreto, nlo '
davereis aceitar todas as suas dispusieres
as quaes alguma alteracdo dar aer fena, .
lendo-se vista o duplo carcter que esta
da i uta lugar ocoalto, saado que neste angus-
tioso trajelo paideu inteiraniantc os sentidos.
ral nesse ejcoadrijoque uin aluiocrve oen-
uonlrou, quaaalo Ja baria toreado a ai a par-
lindo luforiilir dooccorrldaaa Sr. Francisca
fat Brrela, praprletarlo do tagrnho vislnho,
ste a fol Oomtuilr caridosaanaue para sua ca-
sa, flndc aluda tIOje si acha gravemente enfer-
it)i parata lia aarlga da vida tesando A
eiarae a que procedeu o medico que o fol vl-
ilar.
A chovas foraiu-nos propicias nesta semana,
pols que continuando serapre a rtfreicar o
iioaso iolo, nao nos drram todava oulrs mina-
da, como a da lemaoa traniacla. Grecas a Pre-
videncia Ji a terrlvcl calor aoa vat dalsandu, e
coin a sua retirada esperam, mullos que asaude
publica inelhorar.
A este beneflelo, que nlo he pequea, aulro
tambera de consideradlo dever leunir-se*
vtm a ler, a futura colbelia, que abundante-
mente prometiera os campos, oeguudo iufur-
inacdrs daalguinas pessost a salra do assucar
deven aar a mais rloa i atientas aa grandes
plantaron que se lein felto, e o estado de vi-
to em que se achara as canas. Asslm, permita
Ueos que ludo se reslise a medid dos nosso
desejus a das nonas eiperancaa.
hiitraram duraste a semana II embarcacSes
e sahlram la,
lleuden a alfaadega 57:805,112 rs.
Fallecerain na semana 40 peasoas.
flesuDio da exl'aoo ilol prt gairln part da u/ala nova Mina a bene
lelo da lijreja de Nona (MllAora do Liftt'
ment txlrahtta em H9 de maio de IBM.
I n. I5J0....................... 5:rjoo/u(X)
2
reparti;9o prrhenclie: o de thesoursrls eo 504 de. ..
tle mesa do consulado. Ou outio cunceJel- .
me aulorisa(3o para fszer easa reforma, su- ;
ji-ilando-a I vuasi approvacilo na prxima
futura sessflo desta assembla. Km o mez i
tlenovembro do ntio lindo leve lugar na i
administracSo de ren las a arrematacSo do
< 117..........................
I 434................"........
8 a 381-571-. 715.............
6 a ii- 58-043- 821- 1361
1414........................1
8. 77- 8i- il7- 3j'J- 840 i
'JlD -lu.'lllii-i.............I
10 de.
Pernatnbuco 30 de malo de 1852,
i MtMDM
ftlnJ/.ifJO
auu^uoo
I00/000
50J0O0
liiifinlO
10/000
Coiiiuiuiiicadu.
A capital de Pernatnbuco, urna das mais bel-
las cldades, se nlo do mundo, p< los menos da
imposto de" 2,000 rs. sobre o gado d con- JAmarlca embora nao lenha aioda locado
sumo, para cuja arrecadaefio dei 0 regula- ;Pon' ^ afurinaseameaio o acelo, com que
ment de ,, do Janeiro -o corran,, auno. .^^iWAW S
que estou convencido trar vamigen l LrapulJa, eu porto.su. .ciivid.de cmiSer-
rondss provincises em vista da pruteceflo e ctaal. a urna papulacao, que eresce, petar da
garantas que di aos arrematantes des'e tantas e to desuladoras crises, porque lera pas
Impuslo. Gala arrema'ifSo ptoduzio
quantia de 18:712,000 rs. superior a do anno
antecedente em lis 8:972,000. Ultimamen-
sado, ludo concorrer, para que un da ella se
cubra na America do nouie respeltuoso d glo-
ria e bellexa, que outr'ora coube a Venen do
te proced'U-se arremat.cao dos dizlmus """> 'uuudo Haa, quando chegarl e.te da da
,1,, i. ,, r-vallar da nrovlncla A amanaa gloria l Que luilro, ou que .aculo, se
do gado vacum sr a pr el, e ,ucct,aerill tludl u, po.siveld.iermlnar
.-lulo iIi/it-viis que o lusiiiinlo do que se
olil -ve da importancia de tis 19 268,uoo foi
inferior ao do anno lindo em ris 25:768/
com acerlo ; purera he inegavel, que a approxl-
in.i.,;in desle dia multo depende de pax e pros-
perldade de seus habitantes e da sabedorla, pa-
Algumas causas concorreraui para dar-se trlolisino e genio creador de seus adinlulstrado-
prmacc'cudo na aua snesina import.nci. cou 'esta dimlnulQo e fpram ellas, segundo1".. Estes inulto Ihe pddem legar, e o estado
a diminu(iu apaaaa de uina pequea paicelia
como veris do quadro demoosiratlvo de seu
estado, que val apanio ao batanen da receilae
despea do anuo Sudo, p.rcella que jalguei
convenieole mandar sailater alguna credo-
res, autorlsado pela ultima liarle do art. (i da
le provincial u. 18 de 7 de oulubto do anno
pastado.
A medid, que lio sabiamente decretaste* pe-
| 11; i.arl. j. da citada lei, para a aiuortisaclo
dea divida e de seusjuros, acha-se em eve-
cucao, e anteado que, a ser continuada as lela
que confecciooardes na prsenle sesso, pro-
dutlr o beneiieo letultado de livrar a provin-
cia de.se pe.ado onua, aera maior sacriHclo do
cofre provincial, e lio mal. curio e.paco que he
iosslvcl, comparando a receita provincial da
iroviiicia coin a Importaucl da divida. Para
i-x.-i uc.io detsa lei deiertntici por ollicio ad
minlsiraeo de rendas provinciaes era M de fe-
verelro do correnle auno, que o saldo que se
realltasse no flu de cada semestre foSse appli-
cado ainortitaco dos juros da divida passiv
c que pelo excedente que bouveise fosse amor-
mado o principal da inesraa divida por nielo
de uin raleio procedido eulre todos os credores
era pi lumi -..i do valur de aeus cunhcciiiiculot;
e bem assiiii que aquelle. do. crtdorr., que
delxasseiu de comparecer no prazo rilad, para
a amortls.cao, neiu por lito perderiam o dlreito
dciecebcr asua quarla parle, fcando aaia em
depoaitopara aer-lliea eulregue todo o lempo
em que a procuressem, nao percebeodo pu-
rera Jurus pela parte do conhccitiienio amorti-
zada. Cntendo aenhore, que com eila provi-
dencia tenho distribuido luteira justlca aos ere*
dores da fazenda provincial, fatendo cesiar ai
queitas e reclamacdcs que se poderlam origi-
nar da arbitraria appllcatiio do saldo, que se
realltasse, quando raesiuo esse arbitrio lusse
lutidado na justlca e na equida.ie ; e me parece
que por eM in.ii,ci ni lilil., |n-i Ir it.i iii.-n le coin-
prebendulo o espirito do legislador piovincial.
Das pecas que vos apieseuto cuuheceres que
foi reteil. do anno lindo da importancia de
ris io'.l:irSjJbj. e adespeza de rls iti:7 ."Jjii.
appareceudo por cousequencia uin saldo da
quantia de ris 12:449/840, que passou para o
correule anno : Nao vo liluilals portn, senho-
rcs ; nem ess. receita foi real, nein enVecliva es-
sa deipeta. O aereadme que observis nestas
cifras be produtldo pelo jogo dos muviiiicutos
de fuudo. Tambera puuco e pode coalar cun
u saldo meuclouado, visto ler passado todo so-
brecarregado dos encargos que nos legou o an-
no nodo, A divida activa acha-se hoje redu-
tida quantia te tls IS:228/s04, a qual ei
em poder do procurador liacal para promover
asua cobruca pelo inrlo execuiivosj coin
excepeo daquella que be proveniente de sup-
priraculos que a cana geral deixou de fater
provincial era anuos era que taessuppriinento
son informado ; 1.a a mi prodcelo do gado
no atina lindo; 2' o baito pnco que tem
dado os gados rundidos na (eir de Pedras
de Fogo, sendo isto proveniento, como be
gcralmenle reeonheciJo, da permanencia
do contralo felo n i cnla lo do Itccifc para a
venda das carnes verdes; 3".' linalmenle te-
rem-se suppnmido na lei do oirameoto vi-
-nii' os pontos dos dizlmos do g.do vacum
era vallar, sendo os mesmos coiislaoleineo-.
te laxados nos anuos anteriores.
Une milico "lo a neresii lado de um regu-
lameuto, segundo cujas disposicOes'fossein
feilss as niN-iiiii.u.i'i -i das retidas provin-
ciaes, confeccionei em 15 deabril Ando um
rrgiilamento, aogundu o qual ja foram pro-
cedidas as ultimas ancmata^Oes do imposto
de 2,000 rs. sobre o gado de consumo. Vos
julgareis da justiea e utilidade dd suss dls-
posifjOes.
Annexa administraco de rendas pro-
vinciaes acha-se esla'Lelecida a insp.-ccSo do
ass.ic.ii e algudOo, que Ihe he subur liaada,
e considerada romo umi seccSo. Esta re-
partlfSo oompoe-se de dous Inspeciores n
um pesador e marcador, sendo aquolies en-
carregados de examinar e classilicar as qua -
lidades do assuc como cotiferentes A formar a pauta dos g-
neros do paiz, que pag-m direitos deex-
poiiiico; e este incumbido do peso do
l-o l.io, e es Tiplur-c,"! i dos linos, sendo
tambem porteiroda casa. Por esta reparti-
cilo entraran nos nove mezes quedecone-
ramdo primeiro de jullto do anuo pass.do
a 31 de ni- 20,000 saccas de algodSo, de maneira que
su nao p le esperar, calculando-se razoa-
velmeme a ent que a entrada do Crrente anno iguale a do
atino lindo. Esla diminuirlo, ata de ou- mtlbor futuro,
preiente de nutro brllbo seria, ae lanos nao se
livr.sem succedido uus a outros, sem o menor
traco d.ix.reiii quealie.tatsem ao menos lotea-
(des beiietios sobre seus desliaos futuros. A
uus leu sobrado voulade de mullo faterea par
gloria de si e dell. ; oulrot porm reratn-ee
coin o mesmo ludlllerenlisino, cora que appare-
ceram. Isto multo tem cuncorrldo, para que
esla capital anda se uo*aprsenle ulau.i pela
bellexa e mageitade de seus ediiiclos, e pelos
comniudot e aceio.a que aua pelelo e existen-
cia lile da o diifilo.
Uina deulce mullas preciedes urgentes, que
lew asta capital, ba ser circundada por caca,
que se opponham a iiiudetn a paaseios suas
bellas margen, boje anda deposito de pulrl-
dot eatulboi, que asas cuntribuem para infec-
cionar a airauspliera, que se re.pira.
U Kim. bario da Hoa-Vin., penetrado de ta-
maoba neces-idade, fol o que inaior Impulso
deu a este genero de consirucAo eulre nos; e
dapois de sua adiuiulstracao, apenas o F.tui.
caoselbairo Carneiro Leo mleutou reaoim.-
lo; mas sua duracao na gerencia desia aprovia-
cla foi toperturbada.e transitoria,que.....I po-
de dar priuciplo ao caes da Couceico, fatendo
os diversos proprietarios, dos terrenos em ae-
guiuieuto. a coraproinetterein-se na continua-
f o do mesmo, al eucontrar-se com o do Apol-
lo, lloje acba-.e coucluldo aparte, cujo fail-
in.'uio cuubc a admlnislracao publica ; e oslo
bcon o caes, poi* j tcuuo curiIdo quasi seis
metes sobre o praso lindo quelle que o de-
n.iiii continuar, al buje estes nenbuiu indl-
cin .la i, para o cuuiprlineulu de seus de-
veres.
Est, pols, as inios do Kim. presidente ac-
tual coagir a dilos proprielailus, a executarem
o seu coiuprotuisso, levando assim ao flin tinta
citicacu lo couveulenle a salubrldade pu-
blica, quanloueceisana ao dicoro e importan-
cia .1. i.i bella, populosa e opulenta cid.de.
Fatemot votos, para que o tune, presidente
desla praviuci. lance para ene ladosuas vistas,
e mostr seu inlereiie e euipenbo por nosso
m, 1 caixa chapeo* de liba; a Viow Can-, rorj do ainireslo, t Da '**"i< _
dlno&Kiih.s. ^ I t caixi.iamBfUlholllvrol, 40 ain.slr.l ft.io "J'' J^ >
,c.lx.p.pel,5dlt.s.urot Preparados, -iUtia,7l aogM -!:. P'S0f-. ^'"o. 1 dita miudesas, 12 dilll estricto de ib- OOIWUUtiO GbKAI.. u.ioesplaadoa .,,.....
syntho ; a E. Ilolll. Rendimeatado dli 1 118, 41:189.911 Diiodeoa|...........
2 fardos panno da Ui, 6 caliaa taoldos de dem do dll 21 ....... l2l,4M[vees na calda
seda, 97 ditas ditos da algodflo, 8 fardos di-
tas da dito, I dito da lia, I eaixi ameixaa,'
15 ditas sardinhss; a J. Keller & Companhia. (
3 ratxss tecidos diversos, 4 ditas c.lsado
71110,711
DIVERSAS PROVINCIAS.
< pedes, 40 barris c -20 muios dilos man- Rendimentodo dii 11
triga ; aordem. dem do dia 29.
I caixa tecidoi do seda ; a C. Kollcnann.'
8 c.ixas eg farJos tecidos deilgodlo, 5
caixas ditos diversos, Squartolas viuho 1
caita bijouteria, 15 cestos champagne; a
Schaffeillia&Tobler.
2:578,058;
Dito da fluala .
Dito teaao .....
Estopa nacin.I .
Farlaha de mandioca
Feijao
Arroba
Libra
Um

Libra
. Arroba
Alqueir.
a
Arroba
Expoi-tac&o.
Porto, galera portugueza Brachrense,
10 barris vinho, 3 ditos elo; i F. Coulon. de lote de 379 toneladas, cooduzio o se-
1 caixa bijouterii; i C Gsmeer & Com- guinte:
ptnhu. | 782 barrlcss, 1820 saceos, 9 cunbetrs e
4 caixas drogas, 1 dila vidro., IS barr- 2 barriqulnhas com 15,182 arrobas e 96 li-
cas tintas ; i liartholomeu Francisco de bus de aasucar, 40 saecus gomma, 8 em-
Souza. hrulhos e 6 CalxOes doce, 9 barris niel, I
18 caixas teci los diversos, 9 ditas fitas, iacoa com 4 arrobaa a 8 libras de arroz, 2
2 ditas couros preparados, 4 ditas tecidos dilas com 4alqoeires de farlnhi.
de algodSo, 7 ditas ditos do seda, 3 dilas Valparaso, tingue sueco Sophla, condu-
panos ; aKaUcmann Irmflos. zio o aeguinte :
9 caixas miudexas, I dita chapeos de sol, 9,750 saccas com 15,408 arrobas e 24 1:-
1 dita quinquelharias, 1 dita objaeloi de brsi de assucar, 2,0(10 echas de lenha.
ehipeleiro, I lira i ratos de fetro, 2 birris Genova, polaca sarda Theresa, conduzio
Untas; a Cesar Kruger. 8,120 sarcos eoiu 15,800 arrobas de assucar.
71 barris e 66 meios ditos mintelga a Le RECEBEUURIA DE HENDAS INTERNAS CE-
8reton Schrimm. RAES DE PERNAMBUCO.
4 caixas couros, 4 ditas movis eobjectoa Itendimento do dii 29..... 299,503
de coziufis ; a 11 Didier Aln. CONSULADO PROVINCIAL.
. Fumo boro .
"'* | Dito reitoll.0
Tco. iomn.............. Alquere
2:588,97 GemKlbra ...........Airob.
I^anha de acli.s ..,.... Cenio
Hit de loroa ,.....
Pnncli.s de mar, Dita 'le l.iiir.i.........
Cuitado de amaiello de 31 a 4o
p. de c. 2 '/, de I......
DllO dllO IISU.il'-. .......
Cosi'dinho de dito .......
Soalho .le dil- ,........
Forro da dito ,..... .
Costado de louro.......
Coiladlnho dedtio......
Soalho .le ilii.i.....,
Forro de dito .....' a
Dito, de cedro
I etnbrulhoamostras de calcado e figuri- Rendimentodo dia 99.
nos; a Octavisno de Souza. i RENDIMENTO NO MEZ DE
i caixas pannos j a llosas Brigi A Com- DE 1852.
panliia Direitos de 3 por eruto
1 ditl livros ; a I. /. de Miranda. Direitos de 5 or ceulo
2 ditas ditos; I E. B. da Silva. Upalaua de.320 rs. por sacca deal-
1 dita lamoeOes a E. II. Wyatt. nESa*___ai.
I burra de ferro,' 40 barr. 90 meios di- ttlutVl^oY''"''
los mantelgt ; a Antonio da Almeida Ro- Novoa e velhos direitos
drigues Jnior. Sello de beraoca e legados
I Cala couros preparados, 100 dilas ve- Escravoi datp.chados
las ; a Ia. O Bieber & Compsnhia. Passaporles de polica
1 diti bolos doura'dos ; a L. Schuler & Matriculas
Comoanhla. Tinte por cenlo do coasumo d'aguar-
desile
1 ila boldes de seda e metal; a Jules & JES!, a. 3
l'omnaiihla
Multas
Companhl.
1 fardo chapeos de palha ; a J. Saponii. jru,
I caixa louca de porcelana ; i Manoel Joa-
quim Rsmos a Silva.
I meii quarlola vinho, 3 caixas objectos
de modas ele.; a Millochau,
1 dita um retrato ; ao BarSo da Boa-Vista |
2 ditas tecidos de algodao, I dita ditos
diversos ; a L- llruycre.
1 hurra .'a ferro, 50 balas de papel, 2 bar
por, oento
418.209
MA'O
16:451,13?
5:983,5i7
977.600
4:142,1
1:8-24,000
!' .,,'lSl
1110,58
850,I)OU
15,000
10,00o
130.00o
783,720
56,215
5,886
31:895,469
Mesa do cousulado provincial, 29 de maio
de IH52.--0 e.crivao da priineira seccao,
Joao' Ignacio do ttt/o.
PRACA DO IIECIKE 2 DE M.tIO DE
1852, AS 3 HORAS DA TARDE.
Revista semanal.
ricas cimento, 3 harria vinagre, 80 caixas Cambios- --- Os saques da emana efl'ectua-
erara decretado! por leis geraes, montando es-
la divida em ris 10.0681630. A divida passiva
uao inscripta moni iva al o ultimo de dezera-
bro do anuo panado era ris 21;MS(Uui ; mas
pelos psgainemos que lera sido realitados uu
crreme anno, acha-se redutida quauliade
rls 5.-!?.'i/'"a. Teuho esperaiifa de que ser
paga etu divida com os recursos ordinarios da
fairnl. provinci.l. Eslr algarlsiuo, tenhores
anda vos farlembrar os euibaracua pecunia-
iloa com que lulei auno passado A receita
tras caos.s, parece procedeate de ter este
genero procurado em maior qusnliadeo
hit -a lo do l'ci nan,lii.ro ; por quaoto s
nos nove mezes decorndos tem entrado pe-
la agencia daquella provincia procedente
i esta 6,111 s.CCdSdealgolSo, quando a en-
tra la de lodo o anno anterior lei apenas de
4:831. _________________________
m^Bguamstmtmst^mimmmtBmsammw^s
PERNAMBUCO
Q fiscal popular.
I.I-XIKL 38 l)K MAIO DK 1852.
S 6 ll'iRAS DA T4RUE.
RXTROSPEOTO SEMANAL,
0 vapor inglrx Tevio, que chrgou da Rio de
Janeiro no da 23 u correnle, uada, para beiu
duer, de impui lame adiaotou ao que j *abi .-
mos pelu \'tnift\ w. chegado duui das aulea, Aa
clin. t. m legi>Uiivai aluda nu tinhain encelado
o grande irabalbo da dlacusso da falla do Ihro-
un, r, etcepcao de uina interpellaco felta pe-
lo Sr. I). Mauurl no senado aotir. uilulstro da
fiienda acerca da recomposico uilnliierlal, ne-
iiIiiiim.i oulra uccurrencla ooiarel baviam eilat
i iii'Kiiin. UBIo da Prala lamben! nada -
noru'cu da la la, TtVaTLul .,"4.,,eda''i*- '' Pblldo, por nao ter cbeg.do.m
?r"l. .ziWRirtl ,' c,d"l"" de;Darcatoa|gulI1.Uopouco lempo, que medluu
,.M, dr raS&MHI n'1,"? c,,c.UI- Ul IBIraa salilda doaduu. referidJ vapore.
"\t..... a! ??.*Iff"i.?!?'f. Pore <"" e."e Uessaburida io.elr....ente leria p.'s.ado
saldo tem de ser muilo diminuido,alteudcndu-
se que no orc.>mcmo d. de.pct. .c nao consig-
na quantia alguma para a imprtame verba
das obras publica!, alm da gralilicajao que
he flaada por lei ao engenhelro proviucial: no-
tai mais, que no or;ameuto da receita ic estima
em urna renda nao mili dimiuul. a da arread i-
fo do lmpolodtcieudo pela le n. M de 30 de
rtembro do auno panado, cujo rcgulainento
por linio ccinfeceionado julguei conveniente
pastado a se-
mana, se a chegad. do vapor de guerra brasi-
leiro Amasonas, ao uosio purto, procedente de
Livrrpool, uo ilresse proporcionado a faminta
curiosid.de publica um tenue, mar .ottrlvel
.lmenlo, vapor ac.b.va de ser construido
naquella grande e cominercial cidade da logia-
Ierra ; er. proprledade brasilelr. que cusira
a nacao os seut 364 conlus de ris peno de 365 ;
ti ha o inagesloio noine, com queOrellano bap.
tisava o inaior rio do globo, e devia por Isso cor
_. .. .- .-------- a ---- --------------" l lisava o maior rio un iiiuou, e urvia iior isso cor-
Er...^ e"c"fa.0.';uno1.,,,1ou,raP'r,e"'*1' rr.pouder-lhe de alguma sarta lia. pols, ou-
l.irciinrutr vo-ln itire l.m i,...,... ......,... "
largamente vo-lo dlrei: linalmenle' atlcndei
que todas a. despetas que se achain oreadas,
sao certas e infallivei, porque impoilain o
cuinprliiiento de leis suterlores, ao inesuio pas-
ao que a renda oreada lie toda dependeuie de
diversas clrcumslancia e eventualidades, que
multo podem inlluii em sua alterac.o. Prcvi-
Mi-vid pols, senhores, conira este tildo apre-
icntado, e nao cahiaes depois em fuueilas de-
cepefles na decrelacaodas desperas, loiiiaudo o
'".un clleciiv", quando elle est subordinado
untas eventualidades. Allendcl ao estado da
provincia; reilringi-vos aoque for iniciramen-
te indlspcnsavel, tendo connanca que o gover-
no vos coadjuvara em, benedclar a provincia,
nem aferroihaudo inulilmenle os aeus tbesuu-
ros, nem esbanjando-os,
Eu espero, s-nhores, nflo su que a recei-
ta ordinaria do crrente anno poasa fazer
lace a despoza decretada, como que o mes-
mo acontenta no anno futuro toas nam
tudo he dado prever-se j circumstancias
polam occorrer quo invalidam lodos os c ouloa mais bem formados, e contra estas
ciicumalancias devemus estar acautelados.
Ja o anno passado ciroumstancias extraor-
dinarias obrigaram-o-e a contrahir um em-
prrslimo, e o liz fra d. lei, e hoje digo-
yoj que todas as vezas que exigir o aemeo
publico, eu nSo hesltarei em proceder da
mesma maneira, lomando sobre mim a res-
I insabilidade de urna semelnante medida.
Itespeitatlor porein da lei a do dlreito, co-
mo sou, eu smenle desejo cumprir os
troi tanto aBiuinplut, sobre os quaes recahlo
arquiosamenie a converaacio geral, e que al-
trahir.in um nlo pequeo numero de cuucur-
rentet visitar o novo vaso, que vlnbaenrique-
cer a.....o,h i brasilelra. Quinto as suas dl-
mcusoes, a seioe bom arrauj >, nada temos que
aceres.colar ao que ja> publlcainus a respelto,
restando-nos aumente eucummendsr a Nep-
iiiiiii, que nos fade bem rico e elegante Ama-
zonas,
A huropa Meara tranquilla, e sera nenlium
desses eilraordlnarlos successos, da que Ire-
qucnlementa tem sido Iheatro. S. M. a Ralada
de 1'.rtugal linha comC(ado a visitar as proviu-
rla do reiuo.
bui materia de seguraoca petsoal temos lof-
fridolultliusmente bem bonsabalos. Dentro ein
um curio espaco de lempo haveinos lldo a des-
dir de referir dous barbaras assas>lnatos, e J
boje ( i9 J publlcou a nossa folba um alternado
da mesma oalureta, que feliimeata we mallo-
grou. O Dr Duarla Coalbo da Albuquerque
Mello, advogado na villa do Cabo, escapou ml-
lagrosaiucnie ao furor homicida, no di. 28 do
correnle. Ao que jl publicamos' a respelto de
lio uegro crliup. resta-no aluda accresccntar
que, tendo a lufelii victima do bacamarte, ca-
bido do cavallo logo que ae tenlio ferio, pode
couhecer o seu assassiuo, pois que estse diri-
gi eniao para elle ooru uina laca em punho,
fin de examiuar sea sua empreza eslava ellec-
Uvainente concluida, e de acaba-la,caso nao ea-
livesie. Em lio aperlada conjuoelura,fingludo-
te de lodo morto, leve o Dr. Duarte de aottrer ot
e.amfi do setl algor.,o qual, suppondo icr con-
sumado o crime, o arraatrou para fra da eslra
CQMMERCIO,
PnAQA DO RECIFE 2 DE MAIO AS
S IIOIIAS DATAIIDE.
coTtcss orricitas.
Compras de ilgodSo no Aracaty : |,a sorte
a 5,800 rs. aarrobn.
Acgus da bauco to p. c. de premio.
ALKANDEA.
itendimento do dia S9. 10:003,794
Deiearregam hofe i. dijunho.
liares porluguezi S. Mantel II. tristes
e aebollas.
Galera ingleza Reender merca dorias.
llrigoe inglez 'aiil -- Idflm.
Patacho porluguet -- Destine-- iJem.
nENDlMENTO NO MEZ DE MAIO DE 185..
Rcndlmeolo total 191:975.901
Rcalltulr,det 825,250
Rls 191:150,711
Direitos de consumo l8i:0!,53l
Dito de I por cento de reexporta-
fia para os porlos estrangeiros 18,201
Dita dito para os port is do Imperio lio,]!*
Expediente de 5 por cento dos g-
neros com carta de guia 250,995
Dlto^ de 1/2 por cenlo dos gneros
dopalt 462,691
Dito do i 1/2 por cento dos gene-
ros livres 87,722
Amisten.gem de I por cento das
mercaduras 4:202,1-44
Dita dita da plvora 851.IM
Premio de l|2 p. c dos assignados 2:ti6'4,3t7
Mullas calculadas nos despachos 3 i,279
Dilas diversas 3)1,580
Sello lixo 22,480
Patentes dos despachantes geraes 130,000
Feilio dos ti tu loa doi mesmos, dos
calartroi despachantes eajudantes
do despachantes 2,400
Emolumentos de cerliddes 21,aun
Ferro de Suecla-
Mantelga
Xas seguales espeoies.
Dluhelro 8t:888,uo2
Assignados 105:282,049
Depusilos.
Em bataneo no ultimo
de abril 30:044,86a
Entrados no correle
mez 4:911,722
Sabidos
Esistenlea
Ao. ugumtsi especies.
ITlnbelro 873,234
l.etlr.ii 31:155,948
191:150,711
34:938,8>0
977,412
Ris 14:029,112
Alfandeg de Pernatnbuco. 29 de malo de
I8.i2. O escrivSo luierruo, Francisco de Pau-
la Uoncelvts da Silva.
liu|ioi*tas,i;uA.
(larca franceza Pernambuco, inda do
Havre, consignada aJ. R. Lisserre & Com-1 Vllelli.
nbii, maoiPastou o seguala: < fardo gangas amarillo ; a Jos Teixein
1 caita tecidos de seda, 1 fardo ditos de J Bastos.
qtieijos, 2 quartolts Tlnlv, 5 barricas fari-
nli, 800 guos btalas, 80 barris e 50 meios I
ditos ma.iteiga ; aos consignatarios. j .
I caita litas, 8 ditas linos impressos, a.*1*-0"0-
ditas ditos em branco, 6 ditas chapeos para
hotnem, 1 dita merceana, i djia flores arti-
ficias!, a ditai bonets rocco & Compa-
obia.
I diti livros, lencos, neias etc., I caizi-
nha ditos; ao Dr. Joaquim Aqulno Fon-
seca.
1 caita objectos de chapeteiro; a A. L.
Strsnss.
I voiiitno um pi mu ,- a J. Vignes Ain.
50 cestos champagne ; a Me. Calmootoi
Compsnhia.
I caita casaca", a ditis lecidos diversos,
a ditas modas, I dita escoras, prrfumirias
etc., I dita roupa e fazenda de llntio e seda;
a L. Autonio de Siquelra.
3 caitas lecidos de 18a, I dita ditos de al-
godSo, a ditas ditos de s-di, 4 dltis merca-
do-ia, 7 dilas papel, 3 ditas chpeos pin
homem, 1 diti iiitos de sol, I dila caira lo,
I dita perfumaris, I dita chapeos e benga-
las, 1 dita louca, 1 dita cafeteiras de folna,
1 dita urna prensa, 4 -litas agoa de Colonia,
I dita papel deVitlro, 1 dita brelas, a ditas
conservas, I dita mostard, t oHa objectos
de t'hapeleiro, I dita toucas para enancas,
10 ditas sardinhss, I dita quinquilleras ; a
Avrial & Irinti.is.
II dilas lecidos diversos, 3 dilas rr-les de
sellns e couros pra os ditos, I dita courus
prei'irsdos, 1 dita tecidos de Illa, I dila
mercearia, I dita candelabros, 9 ditas cha-
peos para homem, a dilas dilos psra senho-
rs, 3 ditas vidros, a ditas espelhos, 1 dita
agoi de Colonia, 2 ditas chpeos de sol, 5
ditas diversas mercadorias, I dila pregos;
a F. Sauvege & Companhia.
4 difas tecidos de algodSo, 1 dita ditos de
19a, 4 ditas dilos diveisos; a J. II. Gansley
V Companhia.
a quartolas vinho, 8 bsrris entofre, t dito
sgoa-raz, 4 voluntes gesso, 6 barricas el
cuta, drogas diversas, 1 dila verniz, I dita
azeite, 1 dita Vidros, 1 lardo papel; a J.
Soutn.
esnas couros preparados, I lita tilcn
sis domsticos, 1 dila rolhas, I dila roupa ;
a De mease L. & Companhia.
2 dilas perfumarla, 2 ditas chpeos para
homem, 1 dita bonets e denles artillases,
I dito couros e chapeos. 120 barris e 60
meios ditos manteiga ; a Os & IrmSos.
3 caitas candelabros e catioioiros, 5 ditas
mangas de vidro, t dila bonets a perfuma-
rla, etc., I dita agoa do Colonia; I A. Ilo-
bert.
8 ditas mercesria, 10 ditas perfumarla,
poicelana, ele.. 7 ditas vidros, chapeos para
homem, e agoi de Colonia ; a Feidel Pinto
& Companiiia.
6 fardos ettrsto de absyntho ; a G.
Balmm.
Ferramenta e oulros objectos pertencen-
tes a ferreiro a Albert Joaeph.
3 caitas couros preparados, 6 ditas ch-
peos para homem, a ditaa dilos de sol, 1 di-
ta inslmmanto de muiics, 9 ditas calcado, 1
lita papelto, 3 ditas objectos para aelleiro,
I dita aviamento para corrieiro, 3 voluntes
vir.es, e pns para carro, a raizas areles
pira selins, 5 ditas vidros, B dilas drogaa, a
dilas quinqullliarias, 4 ditas obras ileflan-
drea a vidros, 3 caitaaaporceiana, a ditaa te-
cidoa de 18, I dita dita de seda, a ditas bi-
jouteria, I dita modas, 1 dita objectos de
chapeleiro, I dita caporal de ferro; a J, P.
Adour & Companhia.
19 embrulhus aoioslras ; a Diversos.
Patacho portoguet Destino, vindo de Lis-
boa, consignado a Ttiutnaz de Aqulno Foa-
oeca & Fi Um, manifrslou o seguime :
18 pipes, no barris, 8 ancorelas vinho, 10
pipas vinagre, a oaitaschl; aoa consigna-
tarios.
10 pipas vinho, 1900 molhos ceblas; i
Fraiioisro Severiano Rabello Filho.
5 pipas, 13 barriz vinho; a Oliveira Ir-
mloaot Companhia.
a barriz vinho, 3 ditos carnes; a los Fran-
cisco ll.'lt'm.
'2cana*lampos e latos de madelra para
Violas; a JoSo Jos da Crut.
3 caitaa drogas ; a Polycarpo los I.iyne.
8 pipis, 10 barriz Viono; a Joao Lucio
Mantea.
a barricas temen ; i Feliciano Jos Co*
mes.
1 birrici, 7 calta, a fardos drogas, 3
caitas papel, 1 barrica cavada, 1 dita grSos
debico, 1 dila cera branca, I pacota penet-
ras du arame;a Viceutejos de Brillo.
I barrica, 1 fardo, 1 caita drogas, 2 dilas
vidros; i Moreira & Fragoso.
1 caizote livrss ; a Manoel Ignacio de Oli-
veira.
50 canastras batatas ; a Antonio Alves
ram-ic a 27 d. por 1 rs., buje
Tourbs de l.lajuba Quintal
Van. de pirreir......, fjuii.
Dn.. de agullb.das -
Unas de quiria.........
Itoilas ce si Hplr. para carros Par
Ellos de dit.sp.ira ditos ...
Mrl em pipas .. Una
a quartolas.........Canad
barril!..........Um
Mllbo.............Alqurre
Pedr de amolar.......
Dilas de Ultrar ....'...,
Ponas ,ic hu........Cenlo
Piassaba............Mlho
Sola .'...........Mel
H.rv'a panjllia........ Arroba
Tapioca ....,*.......
Uolia de boi.........Cenlo
(.unos de oabra....... ..
A afl. da c.rrpato......Canad
7110
!.501
S,5u
as
lia
15000
24 o
2oo
4t>0
1,oon
1,100
4 uon
7,nti)
'00
',"00
2.510
1,600
O.noo
I'.OOo
7,000
0,00a
10,000
.OiO
-\0n 1
3 SM
0,000
S.VIIO
3,100
2.300
2,000
1,6110
f ,180
l,00
Olio
40 000
18 00
2>,>)00
110
5,0 0
1,000
1,001
6 (HU
a,2ou
JIHI
I.OI'O
18,1'OH
I.SfO
20
18. M
600
Movimento do porto.
1 '
/Vnfro entrado no dia 38.
Lisbol a6 dial, patacho purluguez Desti-
no, de 86 toneladas, capillo Joaquim Jo-
s de Mesquila equipagem 8, carga vi-
nho e mam genetos ; a I'liorna* de Aqu -
no Fouseca Ce Filho. Passageiro, Jos Mu-
niz de Coulo.
Navios taidos no mesmo dia.
Barcelonabrigue bespauhol luvancivel,
rapitSo Francisco Maristany, cerga-ilgo-
d.1,1 n couros.
Porto pela Psrahiba -- brigue portuguez
Bom Pastor, c,pililo Jos Gomes da Silva,
ssucar e couros.
5/200 po
fez-se venda de urna paitida
do Aracaiv a bfi"0 rs. por ar-
roba : suppde-se que estes
Ere;os no se podem sustentar,
ntraram 669 sacas,
Asaucar O mercado fol mala animado,
e aa vendas regularan*; urli-
co tercefra surte superior de
2/100 a 2j.iii0 por arroba; dita
regular de2/080 a 2II&0, quar-
la de 1/9M) a 13, quinta e sex-
ta de 1/750 a 1/80U o masca-
vado eacolhido de i/aiO a 1,'OO
e o regular de i|4.0a i|150
por arroba. Nlo ba do Oran -
co de prlmcira e segunda
sorte.
Amandos- Venderam-se a 6/ por arroba
de casca mole.
Azeile*doca dem a 11750 por galo.
Bacalho Retalhou-se de 9| a9|00rs.
or barrica, e flearam em ser
000 barricas.
lautas-----------Veuueam-.e a ifOO por gigo.
Carne lecca dem de 3/ a af i.'W por arro-
ba da do itio Grande do sul, e
lira 1 un cm ser desta &S,(i0o ar*
robas ; e de 1/aOO a 2/200 rs.
or arroba da do ilio da Prata,
a qual eiiale hoje 3i,0oo ar-
robas.
Carvao Retalbou-sealllpor tonelada.
Comlnbos Venderam-se a 5j rs. por ar-
roba.
Ghi-ilvsson Veudeu-se de l#50oa 1/650 por
libra.
Kar. de trigo A eiisiente monta a 6,00o bar-
ricas; lendo-se vendido a-10/
da de Rhlcbeiuond, a 14/a de
lialilmore, de 14/ a 15/da de
Phil.delphia e a i7/6oo de
Trieste 3s8F.
Vendeu-sc de 9/a 10/ rs. por
quintal.
- dem de 140 a 57 rs. por libra
da Ingina, c de 630 a Mi da
franceta.
Papel ----- dem de 2/ a a/2tlo a reama do
florete e a 800 r. do de einbru-
Iho marca pequea.
Pastas ----- dem a 4| por cana.
Queljos dem de 40 a l/ioo. os fla-
mrngos.
Sabio ----- dem a 180 rs. por libra do do
Mediterranio.
Vinagre dem a t.nj por pipa do de Por-
tugal.
Vlnbos O de Lisboa marca Joao de
Brillo e outros sutores, ven-
deram-se de It9/ a liOj por
pipa; o da Flgucirade at/a
11O/, o de Malaga de 100/a
110/, o de One a M/, a da
Taragona a 4/.
Velas A. de etpri mcele foram ven-
didas de Ooa 000 rs. por libr.
e das de coinposicae de eu a
080 dila.
Fretes P.ra Marselha a 38 s. e cinco
por cerno para G1br.1lt.1r, e
para receber ordans no Canal
a 40 a. e cinco por cenlo.
Dlsconlo- Rebeteram-se leliras a ven-
cer al o liui de fevereiro de 8
a 9 por cento de premio ao
anno.
AceOes do banco-Venderaia-ae a 220| rs. cada
uina.
Flearam no porto 58 embarcacfle: sendo
28 brailleiraa, 2 dioamarquetas, atrncelas, 1
hamburguesas, I hespaobola, 13 inglcias, 6
portuguesas, 4 sardas e I sueca.
sucar e mais gneros. Passgeiros, Ma-
noel Ribeiro da Silva Jos de Mor.es
M.ia, Manoel Eduviges, com sua f.milia,
Tnereza Maria de Jess, Antonia Maria Ca-
valcanli, Maria Francisca da Concedi, c
49 eacravos a entrevar.
rtui'toi tahidoi no dia 30.
Vsl Paraso -- brigue sueco Sophia, capitn
K. Ahlborg, carga assucar.
lam barca ingleza JamesStusrt, capi-
tn George Caldwell, carga assucar.
Genova por Marselha --polaca sarda There-
zs, capullo Barlholomeu Prev, carga as-
sucar.
Observado.
No dia a9 do passado, 11O0 ontrou, nem sa-
hiu embaicatau. ____
EDITALT
-. ti lllm. Sr. inspector Ja thesouraria da
fazenda provincial, em cumprimenlo da re-
solucao do tribunal adminisUativo de 27 do
corn-nle, Blanda fazer publico, que no .11.1 3
de juoho protimo viodouro pelo meio da,
per.nle o mesmo tribunal se h dearrematar
quem mais offerecer, por lempo de Sanos
e,.ntrdu 1." de julno do correnle anno, a
30 de junho do 1855, o imposto da tata ds
haireiras das ponlesabaito de-Iaradas.
Motocoiomb, avaliada novamen-
le por anno em a:449f003
Bojary avaliado annualmente
por Mfuuo
,\s pessoas que se proposerera a eslas ar-
rematacO-s, compa-eam na sala das sessoes
do mesmo tribunal, no dia cima indicad
competentemente habilitadas.
E para constar sa maiidou alltar o prsen-
le e publicar pelo Diario.
Secretaria da thesouraria da Tazenda pro-
vincial de Pernambuco 28 de maio da 1852.
U Secretario.
Antonio Ferrelra da Annunclacao.
. ._. ------'"'
Declaraijoes.
Aisucar el. c. broco I. qual. Arrob
. 1. a
a mase. 1
har. a aac branco.....
a m msc.....
refinado......
Algodio em pvavaa de i* quil. a
DI10 .:....:.. i l
Olla........... a
AaVardenie eatic 20 prlos. Pipa
, ...
Pauta
dos preqot eorrentes do assucar, algddo,e
Mas Bwtsror do pait, til deapaeAain na
tesa do consulado de Pernambuco, na te-
mana rte* de taio a 6 de Junho de 18 ,2-
1,000
l^nS
l,Mi
i, 100
l,4ee
1,M0
*,IJoO
5.O0
4,8.11
i, 000
250
jj.oeo
loo
18,000
;0
ta
400
no
400
4,000
10,00o
3,100
I,.00
4,000
4,toa
I,5n
s,2"o
,
l,M
1,400
it
Dita decanna .
Dita.......
Dlt resillada ...
Dita........
Genebra.......
1)11...........
Licor '........
Dita.........
Arrea pilado2 rob.
Arar...........
.ralo.
Can.da
.- Pipa
. taad.
. Criad.
Cauada
. Botij.
. Caad.
. Garr.r
um Alqi.era
. Um.
Dm
Cu .f aios..........."
olaeiia............' Arrob
Hitcolto.
Caf lallll
Ditor.stolfco .
Dito comease.
Carao secta .
Cocol eoin Caei.
Charutosbons .
Ctnlo
' Nos dis 2,5 e 8 de junho p. viodouro
estarfloem praca no paco da cmara muni-
cipal desta cidade as obras dos atierros a fa-
zer se o estrada nova da Capungi. junto a
pnnie, e na ra da Aurora, prximo a pn-
(i.otii ponte do mesmo nome. Oaorcamen-
losaof anqueaiao I quem os quizor ver.
Pela segunda seccaoda mesa do consu-
lado provincial se faz publico, que do da 2
do corrente roez se principia a contar os so
das par. o pagamento, a Loca do cofre, da
decima dos predios urbanos desta cidade, e
freguesia dos Affogados, e qne lindo o pr.so
marcado incorrem na mulla de 3 por cenlo,
Tobre o valor de mu dbitos os P'opneta-
rios que deitarem de pagar, e serSo etecu-
-- Pela thesouraria de fazenda desta pro-
vincia se faz publico, que rr9m,,l"an0'1l*
reparos da cotia grande da companhia de
cava.l.ria, annunciada para hJM*'
inconvenientes transferida para o da 1. de
junho seguinte. Secretaria d. thesouraria
de fazenda de Pernambuco 29 de maio de
1859. O ollicial maior interino.
EmilioXavier Sobraira de Mello.
Banco de Peinambuco.
O conselho da direcsSo iviai ioi 8n. ic-
cinnistis que a segunda prestacao de sua s
acoes tem de entrar desde o dia ti a 30 do
correnle mez de junho.
Banco de .'ernamburo.
O banco no 1.' dia til de cada mez nao
descont letras,o que publica para conheci-
inento de quem interess.r.
Administraclo do patrimonio dosorphao.
Perauto a administraclo do patiimonio
dos orphSos aa u.111 de arremaltr a quem
mais der, e por tempo de 3 annoa, que bao
de ler piincipto do 1. do jullio do presente
annu. a 80 de juoho de 1856, as rendas dos
aeguintes predios, e nos dias abaito de-
clarados :
Km 3 de junho futuro.
Roa das Larmgeiai.
N. 17 casa terrea.
Rui do Rangel.
N. 88 ditl dita.
Ra Velhe.
N. 32 ditl dita.
Ra de S. Concalo.
1. 32 dita dita.
Rui do Sebo.
N.S ditl dila.
lina do Pires.
N. S meia-agoa.
Ra da Cadeia do Recite.
N. 81 casi de 1 andar e luja.


Mi

s jg ,m de 9 ditoa o dita.
j7dila dilo dil.
K 41 dita dito dita.
* .Ruada Medrada Daos.
. 9 casa de I andar toja.
,'t jai de S ditoa edita.
28 lila dito dita.
^jidiadel dito dita.
\'t casa terrea.
Em 9dejunho.
Ra da Madre de Daos.
s Ocasa terrea.
v |8 .uta dita.
\. ib d'ta dita.
n, 14 dita dita.
j. ia dita dita.
pj. io .lil dili.
y 8 daa dita.
.(dita dita.
v. dita dita.
. 4 dita dita.
Ra do Torrea.
S. Itcaaa de9 andares e loja.
pj. 16 d>ta dilo.
Y 18 dita dito.
Em 17 de junho.
Ruada Lapa.
I. II caaa terrea.
N,19 dita dita.
Ra do Codorniz.
V t casa terrea.
N. 3 dita dita.
Ra da Moda.
v 17 caaa terrea.
Y II dita dita.
Y 43 dita dita.
I. 45 dita dita.
Ruado A mor m.
Y 56 casa terrea.
N. 54 dita dita.
Y 52 dita lila.
\ 17 dita dita.
Y 45 dita dita.
Y 43 dita dita.
Y SI dita dita.
as pessoas que se propoaerem a arrema-
tar ditas rendas podarSo comparecer na caa
.las sessOes da administradlo, nos das ci-
ma indicados com seus liadores.
Secretarla da administracfto do patrimo-
do dos nrnhflos 98 de maio de 185-2.
A. J.deOiiveirs.
O vapor braaileiro Peinamtiucana ,
coinniindante Otten, defe clie(tr dos por-
tos do norte en>5dejunho prximo, o se-
guir para Macelo, dahia e ftio de Janeiro
no da seguidle ao da aba entrada.
Aviaos martimos.
*. i ii i i i i
Para o Ro de Janeiro sa-
be al o da 6 do corrate o
brigtie braaileiro Vencedor, anda
pode receber aigutna carga, osera-
vos a fete e pasaageiros : trata-
se com os consignatarios Novaes
& Companhia na ra do Trapi-
chen. 34.
Para o Aracaty
Sahe com brevidade o bem conbecido hie-
la Novo Olioda para carga a tratar com o
seu consignatario J. J. Taino Jnior.
la reara.
Vende-se, por prego commodo, a linda
barcaca Viajante Feliz, ora, ba pouco cons-
truida no Pilar das Alagoaa; ha mullo bem
finta e multo veleira, de 2* a 94 calxaa:
ver 00 Forte do Mallos, e a tratar na ra do
Crespo n 13.
Para o Aracaty.
Sahe com brevidade o ltale Flor do Curu-
ripe : a tratar-se na ra da Cadela do Recite
11 49, segundo andar.
Para o R> Grande pretende sabir com
broridade o tingue Marcial, capitao Joa-
qun Francisco uo Espirito Santo, o quai
pode acceitar algum frele. Quem no mes-
lo quizer carregar pode entender-se com
os consignatarios, Amorim & Irmllos, ra
da Cruz. n. 3.
Para o Cea rae Para. j
A escuna nacional tmilia, cuja oxtraor-
de Itecie, onda virio ter as respostas das
me roas.
Pargunlaso ao Sr. Osea! dos affogadoa
Joaqun Jos Bello, e o da Boa Vi.ta,
est em vigor o art.8.*, Jo tit. ti daa postu-
ras da 1444, que a Ulm. Cmara por ella sa
rege,a qual pronibea venda de garepa e de
bebidas que possam arruinar a saude. No
caso de afirmativa qual a razio de nSo le-
rem vedado que ae veodam as taes bebidas,
na Paasagem da Magdalena e no lugar da
Tremp, como faz cei lo o Echo Pernambuca-
no n. 74, pelo aviso importante nelle trarfs-
oripto. A Therea.
Roga-seaoSr. A. 1. ('.., a(lm de que-
rer vir nu mandar pagar a eonta que nao
deve ignorar, na ra larga do hozario, es-
quina que volts para o becco do*Peixe Fri-
to, se nao quizer ver o seu nom por exten-
so nesta folha.
-- O procurador da cmara municipal da
cl'lade deOImda, tem por varias vezea avi-
sado que quem tiver negocio com elle a res-
peitodadita cmara, que o pode procurar
na ra do Paaaeio Publico, no Recite, na
loja n. 3, ou entilo emsua casa na ra da
San/sla do Desterro, em Dunda, casa da es-
quina com muro, que a tiente ulna para o
Collegio dos orphioa; f acon'ecendo n'a-
quella occaaiSo olo o achar na dita loja ou
em su casa, podero delxar por escriplo o
que querern, que proin,lamente ir saber, e
tambero pagaren os aaus aluzados que es*
t3o devendo, puis do conuano o dilo pro-
curador uaar dos u.eius que a le llie c.m-
cede, como asaim o tem feto por vezas,'
visto que o mesmo piocurador nu cessa
de exigir dos devodor-s os seus dbitos.
Cidade de Oiinda, 96 de maio de 1839.
Coolinua a estar fgido o muleque
Comoolllm. Sr. Dr.Theo-
philo Olegario de Andrade e Oli-
veira, residente em Oiinda, se nao
naja dignado comparecer na ra
do Vigarion. 7, para que foi cha-
mado por este Diario, do novo se
Ihe repete o mesmo pedido, ro-
gando-lhe de, para negocio de seu
interesse, comparecer all com to-
da a urgencia, e isto antes da paa-
sagem do vapor Pernambucano
para o Sul, que do Norte se espe-
ra at 6 do vindouro jnnlio.
Manuel Aires Guerra Jnior compra
acedes do bauco desta provnola 1 na ra da
Cruz n. 40.
Precisa-so alagar urna prea captiva ,
para lodo o servico de una casa de muilu
pouca familia : quem livor, dinja-se a ra
doa Quirteis n. 94, que se dir quem pre-
cisa.
Ueseja-se fallar ao 8r. Antonio Martina
Vianna na ra da Cadeia doReoife, loja n.
5, e ao mesmo tompo enlregar-lhe urna car-
ta que >hi tem, rinda do Porto, e como ae
ignora o lugar daaua residencia, por issose
Ine roga o obsequio de apparecer na loja
indicada.
O propietario da coxeira
do Forte do Mattos avis
por meio d<-sle sos seus
freguezes, e juntamente as
pessoas que precisaren) a-
lugarcarroa, que para Ibes
poupar o trabalbo de irem a coxeira, pJem
diilgir-se a ra da Caaoia, loja n 94.
O cngenlieiro Mam-el do Barros Brrelo
formado na escola central das arles,e manu
fallirs do Paria, encqmbe-se de dar O risco
e dirigir a conalrucco, e coilocafio de
Sualquer machmiamo ou aparelho emprrga-
o pelo syalema actual no fabrico do asssu-
car, comu larri bom pelos recenlemeuleaper-
feooados de que se uzfio na Europa para
^7.Vi^n".Trt n e levem a ra Auguala o meamo fabrico, ou para qualquer outra
da-se com os seus consignatarios T. de A-1 g Na" *Mmt MM ge quer alug r8UJia manufactura. As pessoas que quizerem u-
"*_2_4lU!S*^
osportos doCe.ra e Para; e para os mes- -; d b
mus propOe-.e. receber .gas ep.ss.gei-, "f^Jj "...Ta de c,bell0 como ,M
u-.inia. Elle costuma vender em um labo-
leiro grande, envemizado de encarnado, e
urna bandeja grande ja usada, poiem ja
tem sido visto sem nada, e a nuite pelas
ros: para qualquer dos objectos trata-so
comocapilo, ou na ra da Crnz n. 13, i
armaseiti de J. C. Augusto da Silva.
Para o Pono segu com brevidade a
%Zl?^^^ZfS\??!*l pS H__2 *.Ji*fi_8
THEATRO
DE
S. IZABEL.
45." Recita d* assigniiura.
Quinta-jeira 5 di junho de 1859.
GRANDE ESPtCTAl.ULU LYKICO-DRA-
liepois da execucjlo de urna brilhante ao- 8,eia .Reindeer.
verlura, pela orche-tra, subir acea o I
a ra Augusta
quino Fonseca & Filho, oii com o capito o! "" ?3, _,
Sr Jn* Thomav de I ima na nraca i prela OU muleque, quo > -....,, v
M L"p*'n' p*^ ___ 'que nSo seja vicioso; assim como tan-
f .. bem se da venda a quem quizer ir tuinaf
jLoiloCK. pagamlo-se por pataca SOris.
_________________ Christovo Guilherme Biekenfeld, mu-
I.eilo. QUC fazem Machado dou su '"Jade raiendas, da praca da 10-
n. xi dependuucia n 39, para a ra do Crespo
& Pinlieiro, por intervengo do n\b "
OSr. Antonio Maximiano da Costa,
dirija-se a esta typographia, A neguciu da
seu interesse.
oir-iTC.--se urna ama para criar de le
te, ou para servicu interno : a tratar na ra
do Cullegio n. 16, .trreeiro andar.
Amia est poralugar a casa deeobra-
do, de Adelo Jus de Mandones, aila us
Cuelhus, com muitos commodos pira gran-
correlor Aliguel Carneiro no da
quarta feira 2 do corrente as 11
horas da manliaa, no armazem do
Sr. JoSo Tavares Cordeiro, tra-
vessa da Madre de l)eo, de 70
caixa com queijos tlamengos, che-
(jUCIIIUO, Wlll UlUlll*. wilioiwuu. p-i. Bi.i.
gados ltimamente na galera in- de ramilia: a tratar cum o mesuio Meudon
leza Beindeer s* "',u* Augusta, ou na casa de balanca
- J. J. Tasso Jnior faz leilo de 65 f.r- ^.cougu. ^Bmffg^ p.r. ,,.
e'nteTmag Oco dr.m. "em *7X> -- com fumo em .olb. e, lotes a vonlade -- M --.r^n.- reur.-se par. .ur.
oSado de cantS "JC ZffiZZmVSnt -*''" P>> >" do obr'"
Avisos diversos.
A parte da MARITANA ser desempenhada (
pila aclilz Mana Leopoldina. eade-MAlt-
O'JEZA DF. MONTE-FIORpela actriz Amalia _
" iiIcmo. Jos Antonio d Silva Jnior, rorsn-
Terminar o espectculo com o muito do-se para Lisboa, leva no intimo do cora- _
pplaudido drama em 9 actos, nrnado de to gravada a lembranQa de seus amigos Bua-Visia n. 53.
canto
COS1MO
ou o
PRINCIPE CAA DOR
Com a represenlaclo dos dous dramas
residentes nesta provincia, aos quaes olTe-
rece S'u diminuto prestimo na iresina ci-
dadn onde v So nlo pfldecump'ir com seus deveres, des-
pedinJo-sn pessoslmeote (l'aquellas pessjas
a quem Vota va amisade; fiendo cerina que
.mima mencionados, satisfaz o arnprezario se nSo o fez foi porque seus preuaralivos
pessoas quo imlaram pela sua repelico, devlagem o impediram ; porm cuja falti
sendo eata a ultima vez que os lenha di re- cm parte releva, di'igimlo-llies um adoos
presentar neste theatro, por isso que he es
la o ultimo mez da sua empreza.
Cu" .-cura as 8 horas.
Osbilliotes acham-se A venda no lugar
do costume. _______
Sahbado 5 de junliode i85a.
Brilhante espectculo em beneficio da ac-
triz Mara Leo ol lina Itilu-iro Sandios.
Di-pois que o Senhor director da orelies- cel(', 0 conhecerem.
Ira e mais professores, execularero em ob- .. Qg absixos assignados autorisam ao-Sr
icquio a beneficiada, urna nova ouverlura, Domingos da Fonseca Suzano, para cobranfi
-mua escena ( pela primeira vez oeste ,|e todas as dividas da loja da ra Novan
por nielo da imprensa. Pernambuco t de
junho de 1859.
O Sr. Joaquim Domjngucs de Souza
( presentemente em Maceio; se souher tra-
tar com homens, queira mandar pagar
a Antonio Carneiro da Cunha a im ortao-
cia doaalugueis ula casa em que mora sua
ni "ii desde 98 da setembro; e sn dormir,
direi mais elguma cousa para os de Ma-
tilisar-se do seu prestimo, i'Oicu dirigir-ae
pessoalmenle, ou por meio de carta ao en-
geuho Macug( fregue7ia do Jaboalo,^ uu
nesta cidade a Antonio Baptista Ribeiru de
Faria : na ra da Cadeia do Recife n. 9.
-Flix Pereira da Cruz porlugne: vai a
MaceOa aeu negocio.
Aos senhores de engenho.
O redactor do Almnale da provincia, de-
sejsndo mencionar no mesmo Almanak, o
nomo dos propietarios e rendrlros dos en-
genhos, roga aos meamos senhorrs se dig-
oem mandar a sua luja de livros na praca
da Independencia ns. 6 e 8 os aeus nomos, o
mimo do engarnio, a freguezis, villa e co-
marca a que pertencer; e ae fr rendeiro, o
seu nome e do propneaiiu.
- Precisa-se de urna auia para o servico
de compras e eogomaiado, de urna casa de
duas pessoas de familia : na Ponte Velna
?****
m Paulo Cinlguoiix, (icnii-iu a
^ fi-uii(/. "Iti'i'iir sin iirisli-
iid no |ii'li-o pui'a todos os
niisteres de sua pi'oflsso :
pudo ser i"'.- iu-a;li a qiiul*
quer lun-ii '-ni aun i-a-u. na
rualargadolto-tirlo, n. 3,
-ixiiihI" millar.
^4#a.anw#*iaJ*ff.a8#4i
Na ra de Vigario n. 17 ,
na toja do mesmo sobrado; adverle-1 precisa.8e de odiciaes de latoeiro e
se quOfO so aluga a rapaz solleiro. ; .. .
~ DSr. I). G. de atur.es Jnior, antes que lUnileiro.
se reine, duija-ae ao atierro da llua-Visia -QQ&Q%QQQ?-0lt&9'$9& O*
n-^r;ur.VT7in,;h0ei:rn'-8, fabrica!I Companhia de Bebenbe.
de chooulale honicoooslhico, preciaa-se alu- X O caita da companhia de 9
g'-r-U. ^ve-M. do Veras, na Bo.-VisL.'g Beberibe acha-se at.torisado j
n 15, ha 3 escravos para alugar, para qual- ^ a png-ir O Oltavo
padaria pur baixu du n.esmo sobrado.
Precita-se fallar com o Sr. Joaquim
Luiz Viraes, a negocio: na ra do Crespo
n. 19.
-- Precisa-se de um caixeiro, de idade
de 19 a 13 annos: na ra do Rozerio da
s
- Aluga-se o torciiro andar com solio e
cuzmha da casa n. 91 da ra do Crespo : a
Ira lar
?
Lotera do Kio de Janeiro.
quer servico ; ven J- -so una bonita escrava |
moca, que sae bem engoinmar, de naci
retira- aos ao:ooo,ooo e 10:000,000 de as
Na prora da Independencia n
i3 e t5, loja de citado do Aran-
Antonln Francisco, portuuez
se para Portugal.
Nanoite do dia 26 do corrente, lu la-
ram do sillo do Sr. I)r. Antonio Vicente do
Nascimenlo Feilusa, em Belm, dous caval-j tes,
los, um russo podre, o capado, de oilo an-
e na ra da Cadeia do licci-
fe n. V. loja de miudezas de Jos
Fortunato dos S.intos Porto, veo-
nru.Nov.-n.17, par, liquld-eflo de.ua, BSKSSmW 'ESZSZZ dem'SC ^''V" ^^ mei0!,,
Catharna lloward. eonias; n.certeza de q..e?em dado orden. J^J0 g^ 0 1?."",^ de quatloa oiUvoa e vigsimos da
''cr' Albuquerque Mello. quarta lotera, a beneficio da nia-
dasaspel.m.neir. seguinte: n.mouco a. uu u.a.o uo .,.--... ..amos .. NeCessit.-se de um peque.io par. urna j (; Grande cuja lista
Manrique VIH, re de Inglaterra --o S. Bi- & Companhia. loj, demiud.zas: fallar na ra larga do u' v.amiio san- j
/em. U Ur. lraz Florentino lien- Rosario n. 35, loja. t,e espera no da 4 ou 3 ue junno
Ktheiwood, duque deDireham --oSr. Cer- rque8 e Souza mndouasua resi- Precisa-se de urna ama de leite, pre- vndouro pel vapor da compa-
manu. \" fere-sesem flliio, e |aga-se bem: na ra da, .. K r 1. ._;_.
o conde deSusscx-Oir.Amodo. dencia do pnmeiro para o segn- cacimba n. n. nhia brasileira, e as lojasacima
sul.na escena 1 pea pnanir. '""'" de todas as divi las da loia da ra ova n Il0 e oulro ru>so o.rdHo, Inleiro, de sele
fheairo ) o melhor dos dramas do illa* ra- 6,que Ibes pertenceu; e pedem aos ditos seus ,nn'0. ,mLo, co,n peladuras no espinhaco :
00 cscnplor franoez, A.Dumaa, em 5 aolos, devedores quelram dirigirse ao dito Sr., auemdfl|e, tBr noticia os queira lovar ao
na ra Nova n. 17, para liquidarlo '-
[oward. conlas; nacertoza de que tem dado
Sr-ndo pelo sanbor empresario distribu- para serem eieculados nmissos. .<--.- A|buqUKrqui,M,
nambuco 31 do maio de 1859. -Ma.a llamos .. vecessita-se de um pequeno para urna
larga do
sirJuhnScot de Thiraisttne, entbaixsdor Jo andar da casa da ra Nova n.
sr Va^T.rcViKr.'-.rc.tapo de C.n- 4, e ahi olTerece de novo o seu
lurbery o Sr. Cebra I
Jick Fl-miog, Alchimista-o Sr. Coimbr.
diminuto prestimo, como advoca-
do, aos que o quizerem honrar,
confiando-lhe a deezn dos seus
diretos.
Jos Josquim da Silv, subdito por-
luguez, vai Portugal; o faz publico que
ja se mesma venda nesles qualro das
para ser pago. ,
1 i)claro que a Mira desencaminhada
de 914,600 ris, a vencer no dia 8 de junho,
seacna paga pelo endossanle, o Sr. Joo da
Cunha Iteis, pelo que Pica si-m effeito al-
Recife 81 de maio de 1859.Francis-
0 Lord Camarista o Sr. Pereira.
0 presidente da cmara dos Pares--o Sr.
Peieira.
11 duque de Norfolk -- o Sr.- lia y mundo.
Um sacerdote o Sr. Rosendo.
OExecutur o8r. Alves.
i'm guarda da torres de Londres n Sr.
Montoiro.
Willians dem.
1 .itharina lloward A BENEFICIADA.
A princlza Margarida a setihora D. Car-
mela.
Kennedy as'nhora D.Amalia.
Damas, pagens, senhores, etc. '
Rematando o espectculo coma graciosa
comedia em 1 acto, .inda no vista mata 0umnlonio Corie< Cardoj0.
piovincta Manoel Ignacio da Silva Teix ira. parte-
U secretario e O COZnheiro. cipa que deu socielaJea aeu lilhoMauoel
Com este divertimento fulga a beneficiada |g,Cio da Silva E-ixiira Jnior em aua pa-
agradar a aeiia proieclores, e ao resoeitavel j,,4 no largo da Santa C publico Pernambucano, a quom ser eterna- sobrado n 106; desde 1 de maio de 181-2,
mente agradecida, debaixo da firma, e razSo de Teixeira fi-
f_^ restan e dos bilhetes de platea, a- jn0| (m.-mentejios negocios em que ven-
i-liam-se desdeja a venda em cisa da bene- ,el, snciedade,e o mesmo seu lilno he o en-
liciada, ra da Florentina n. 5, e no dia do carregado de receber o que deven aoannun-
ciante que para se retire por algum lempo a
Portugal a tratar de sua saude deixan lo
por seus procuradores aos Srs. Manoel Anto-
nio dos Santos Fonlos, e Mano-I Antonio da
Silva,o ao diio-aeu f i I rio Manoel Ignacio da
Silva Teixeira Jnior, e aproveila ao oca-
Islaopara pedir que o descuidera por no so
#9 podar despedir daquellaa ,passoas a quem
por mu tos respeito na agr lecido, tributai
eternamente sua g-atidao e eslima. g
HioFormoao.
0 bacharel formado Aolro Manoel de He-
delros Fartado, realdente na cidade do Rio-
Formoso, ew cuja comarca se acba exeicen-
do a pronasao de advogado, incumbe-sa do
tratar das demandas, ou de qualquer c-
branos, errecadacto, ou diligencia que por
ventura lenham dali fazer promover as pos-
(Oasaqui reaidentes ; prometien 10 haver-o
em qualquer dessas incumbencias, com to-
do o esmero e ssaiduidade: aquella que qui-
zer informar se do credilo quepossa inspi-
ro ancuncante, dirija ee soaescriptorlos
dos Srs. Drs.Moraes e Silva, e Aleo orado.
previne a aoaunciante, ejue as peajOia que
se Ihe qaeiram dirigir, podero eutrogar
sosa sartas oa loja de fszendss do Sr. Ma-
noel Goacaives da Silva oa ra da Cideia
mo, ra do Queimado, ra Direila, Cadeia
dr/llerife, e do Santo Antonio,'un dos Quar-
teis, ra larga e eslreila do Rozario.ou mes-
mo no bairro de S. Jos, sendo em boa ra :
quem tlver anniincie.
Ai ron u-so urna casa da dous andares,
. na ra do Amparo, em Ulinda, onde morou
a venda da ra doliaaiche, 11. 30, nao me Q fln,d0 bispo D. Thomaz, mediante a con
perlence mais, e que bem que pense naaa ,,,,,, .,;..,,.., i ..,,i0i.rin
dever, se alguem >o julgar seu credor din
Aluga-se urna casa terrea ou sobrado, j mencionados naga-sc sem descon-
comcommodos para pequea familia, que, _,___, ,'i -nalnrlar nre-
lenha quntale cacimba, na ra das Cruzes.jtO algum todo e quaiqu
Livramenlo,pracinhado dilo, paleo do Car-i mi0 qUe 11 clies sahirein.
_.. .... i 1........... i.. .... ii,...i.. 1-..1..1..
Bilhetes
Meios
Quartos
Uitavos
3 3,000
11,000
5,5oo
2,800
Vigsimo t,3oo
- Preoisa-se saber se existe nesia cids-
dicSo de ser concertado pelo arrendatario.) suburbios, ama mulher, por
levan do-se em conla os concertos : na ra Hozi Mtrt j,,,,^ qu9 _
da Lua n. 64.
i's.cclaeulo no escriplorio do 1 h tro.
Comecara s 8 horas.
l'ublicacab litteraria.
ELEMENTOS.
DE
tros commodos para grande familia: mm- ia Jnior, expoz a venda em suu
mazrm da ra Nova n.7 O pnmeiro an-i. f),-.-..
d.r do sbralo da ru. das Agu.s-Verds, loja n. 87 A, na ra do yueima-
n. 48, muito fresco, com grandes commo-i 0f junto obceco da Congrega-
dos : no mesmo armazem cima. 's_ .. ._... K,ll,_a i-n nnn rm .
-Pelo presntese nnuncia e faz publico, S os seu '* a "'00"- \
que os doutores May e Matet ompareceram'meiosa 11,000 rs., quartos a o,doo
peranteo Sr. consol de 8. M Brltannica, e nitavos a a.800 rs e iges-
no respectivo consulado nrala cidade, afiro I ra_t.
deannuliaremolr.to, qo* ntreos meamos, mos a i,oo rs., da quarta lotene
exista relativamente ao exercico de auas'j. u:0 je Janer.> da mfctriz de
iflOMOEPATHIAf
2 SAHIO A IDZ AS E ULTIMA PARTE
r deslaobraacoropoltaperoprofeasorde
2 l'omcBpalflU Gossel Bimon Custara
2 5/000 a obra inteira al 30 de junho,
da em que flcer cncerreda a asslg-
* natura Esta obra he til, tanto para
* os 11 clicos que se dedicaren ao es-
9 ludo da nova medicina, como para
* todas as pessoas da boa vonlade que
* quiserem convencer-se porexaerien- i
% cas da verdad* Jeata doutrina, por %
* ser ella multo clara, e a ntelligencia f>
* de lodos,
% No consultorio homcepathieo ra gj
* daaCruzea o. 98.
erla
do Uio de Janeiro da matriz do
prollssfles n edica-cirurgica, e que.de mu- n j_____-1 ,,..^.,, .,
tuu consenso, o deram po flndo inteira- Campo (.rande, a qaal corren no
mente, subscreven lo esla drClaracSo em Ja a|t ou aa? e deve chegara lis
presenca, e de conformidade com o eerlifl* .-. _._.-_-, -mili-
ado, compolentemente sellado, do refer- t* do da 3 do mez que Vem em til-
do Sr, cnsul. ante : o mesmo vendeu em sua lo-
Jubo Aolon'o Carplnteiro da Silva,ten-
do de se retirar para Portugal, roga as pes-
soas quo tem pontior.s em sua mfiu bajan)
de oa resgatar no praso de 15 diaa, do con-
trario serlo vendidos para seu pagamento,
assim como as pessuas que Ine de vem hajam
de pagar no mesmo praso, e os seus credo-
res de Ihe spesedlareai anas comas cor-
re 11 tes.
Alnga-se urna boa casa de podra ecal,
na Capunga, por menos alguma cousa, urna
vez que pague adiautado aeu arreo Jmen-
lo : traa-se na ra ua Cruz a. 99.
Carlos Messarschmidl ratira-sa para to-
ra da provincia,
Offereee-se um rapaz braaileiro, para
caixeiro de loj', ou cobrancas, o qual di
llador a sua conduela : quem o pretender,
dirija sea ra Velba n 56
ja o meio bilhete n. Siga, ao qual
sabio 400,000 rs ,bem como em bi-
I he tes- e cautelas outros nmeros
com premios menores convida ,
pois, eos possuidores a virem re-
ceber oa seus respectivos premio*.
Traspassa-se ou faz-so alguma tran-
mentodo engrnho.-para moenda,taxes, ani-
maea, a fez upprimentos ao mtssso i-uge
nho ; o que ludo coalla da bypotbecs, eTe-
tras pagas, e da cunta coi reme, approvida
uelo nypolhecant*. Os juros que luna de-
corrido a um e meio por cont ao me, com
o principal, at aula data ffefazem a quan-
lia da ra. 9S;tOS,lM. Todo o engenho, seus
pertenos, e mala bens possuidos, e por ha-
ver cstJo comprehendidoa oa escriptu'a de
nypothrca, lavrada no carlorio do labelifio
Guilherme Patricio, em II de setembro de
1850, eregistada na comarca do Cabo: o
negocio faz-ae com sciencis, e approvacfio
do mesmo hypotheranta, o qual nenhuma
JobjeccSo oppOe em vender dito engenho,
para desonerafto desta bypolheca i oulro
sim o mesmo abaixo aaaignado fari lani-
bem qualquer transaefao com as oilo letras
que possue, aceitas pelo actual rendeiro du
engenho Barbalho, na comarca do 1 alio,
esiandu seis vencidas desde 1847 al ao cor-
rete anuo, e duaa a vencer em 1853 a 1854,
00 valor principal, ejuros, de um por cenlo
ao mea, al esta data 15:007,000 : quem pre-
tender dirija-se a ra do Hospicio, a fallar
com Jos Marques da Costa Soares.
A pesaos que aonunciou no Diario Je
98 do crrenle, que precsava de um caixei-
ro para estar com ouiro, annuncie a sua
morada ou dinja-ae a ruado Raogel n. 43.
Antonio Francisco da Vioha, subdilu
portuguez retira-se para Portugal, a tratar
ale aua sad le.
- Precisa-se alugar um oscravo para o
Servico o diuano de padaria : nu paleo da
Santa Cruz, debaixo do aobrado o. IOS.
Desappareceonodia 97 do crreme, a pra
la de nomo Juanna. de nacSo Angola, oalalu-
ra balsa, cara b-xigosa j levou Vealido de
chita roxa e panoo ui Coala : quem a trou-
xer na ra larga do Rolarlo o. 91, aer gra-
tificado.
Precisa-se do ama ama qaesaiba co-
tinhar, 1 ara casada familia : no atierro da
Boa-Vista n. 58, loja. .
-- Precisa-se de um bom foroelro, desem-
baiacado no andamento desto aervioo: na
ra larga do Hozar io n. 39 se dir quem pre-
cias.
-- Precisa-se de urna ama, forra ou cap-
tiva, para o servio de urna casa de pouca
familia : tratar na ra larga do Ruzario,
loja n. 48.
- OS crodores do Dr. Malel, queiram
comparecer no armaien do correlor geral
M-giiol Carneiro, at o dia 2 de junho pr-
ximo futuro, aflm de tratar-se a respeito du
pagamento.
Previne-se aos vendedores e pagadores
dos bilhetes das loteras do Rio de Janeiro,
que nao paguem, nem trot|uem dous meios
bilhetes, cujos suppoem se lerem o n. 9,007
pert-ncentes s urna destaa duas ultimas lo-
teras que vieram as lisias no torrente mez
de m>iu, pois us ditos meios bilhetes se
acham assignados as costas com a firma de
Jozuino F-rreira da Silva e J. C Ayres
Precsa-se do urna ama para o servico
interno de urna casa de familia : nos Qua-
tro Cantos da Boa-Vista n. 5,
- Precisa-se alugar urna ama para o ser-
vico interno de casa du familia, preferindo-
se escrava : no becco do Sarai-alel,'sobrado
n. 16, de andares, que tem olarupefiojun-
to a poita.
Os senhores Lourenco Jos de Csrva-
Iho, e Francisco Alvos de Carvalno, com-se-
ntiores do engenho Una, quriiam entender-
se com o Sr. Burgos no engenho Agoss
Claras de Uruc, ou na ra Direita, vi-oda
n. 11, a negucio quo muilo Ibes Inleress
Lino Jus de Casl|p A-aojo, compra
um escravocarplnleiro: na ra da Cruz nu-
mero 34.
.- Francisco Jos da Cunha Vianna, val a
Portugal tratar de sua saude.
o Sr. JoSo Marcal de Almclda, morador
o-n Oiinda, quaira ter a bondade de vir pa-
gar 6,500 rs., que deve, na loja da ra do
Crespo n. 10.
Ka ra da Praia, sobrado n.
i,;precisa-se alugar una prela pa-
ra servicio interno.* a quem con-
vier dirija-sa a mesma casa ou an-
nuncie.
Madama Houtier, modista liante-
za, ra Nova n. 58,
acaba do recebo' de Franca, pelo navio
aConteRoger a os olijectosseguinles : um
grande sonimenlo de cnapos de montarla
da ultima moda de Pars, pulsairas, cha-
peosinhos de sala e tic pal lia redondos para
meninos a meninas de um a sois annos,
com abas l das as cr-s, vost los para baptisar, tur-
bantes ocapollas, ricos chapeos de soda de
todas ss cores, manguitas de bico, da ulti-
ma moda, randas e lucos de blun le, muito
rios enfeitos de cabeca, para bailes e thea-
Iros, grvalas de veludo, ricos oapotinhos
e 111 un nietos muito eufeitados, toucados do
|.'u i-ara senhoras e meninas, es^iartlhos,
t'sncaa hranc s oom alnfarea, litas de ve-
ludo de todas as cores cm sua competente
fvella, baldea, lafela de lodaa as cores para
ihapoa e vellidos, camisinhas com aber-
tura e bordado, ditas coogoliohas borda-
das e com lucos, casaquinhas brancas bor-
dadas para meninos; na mesma loja fiem-
as vestidos de casamento, de ba, Usado, tou-
ca oa menino e de senhora, caputinhos de
todas as qualidades, com perfeicSo e prerjo
commodo; recebem-se tolos os mezes fi-
gurinos modernos, que empresta a seus fre-
gueica.
? _MB*#SieaTe'ffS_!
ja) Alugam-se e vendem-se bizas na ? prar-a da Independencia n 10, con- A
? fronte a ra das Cruzas. *
aa>^r*-^?r**.a>^a>a>a>ar'*a>f>^~.a^
O Sr. Jos Goncalves Braga,
queira mandar pagar o que deve
ao abaixo assiguado, e em quanto
nao o fuer ver o teu nome neste
Diario. Antonio di Cunha Soa-
res Guimaraes.
U Sr. Jos de Oliveira Cam-
pos, queira vir, ou mandar pagar
390,000 rs., importancia.de f>zen-
das e dinheiros pedidos a Joaquim
de Oliveira Maia Jnior quaudo
encarregado da minha loja n. i5 ,
da ra do Crespo, e que recebi
porbalancn, e em quanto nao pa-
gar-m* ter* de ver o seu nome no
Diario. Antonio da Cunha Soa-
res GuimarSes.
- Precisa-se de bm cosinhelro 1 na ra do
llosuicio casa do general Ceara.
1
-- Compra-s ama casa terrea pequea,
lechaos proirios, livre desembaragada,.
"que esteja rm bom estado : ns ra Augusta
n. 30, a* dir quem compra.
Na ra da Senzalla Velba, defronte de
Sr. Montoiro iilntor.compra-se todas aaqua-
lidades de ferros velhos e niela es de todas
aa qualidades assim como ourelos de panooa
linos.casomiras e todas ss qualidades da mu -
tambos que serviram par fazer papel : as-
sim como cabos velhos, lonas ote.
Compra-ae urna prela, que saiba cozl-
nbar e eogommar, que seja forte e nSo te-
lilla vicios, agradando paga-aa bem: na roa
do Amorim 11 95.
Compra-sa urna fronha para casados,
e paga-se bem, mas que seja toda aborta :
na ra da Cruz n. 40, primairo andar.
Compra-so um cordRo de ouro de lei,
oom 98 oitavaa, em bom estado e sem fai-
no : na ruada Cadeia do llecife loja o. S.
i'ompra-se una casa terrea em qual-
quer das ras de 8. Jos, 011 S Antonio, quo
estela em bom estado, e tenlia quintal e ca-
cimba : na ra do Lvranieulo n. 38, pri-
moiro andar, su dir queat pr> tende.
Compra-ae urna teboadinha alngela, pa-
ra cartiar uiilhas : na ra direila n. 36, 8.*
andar.
Compram-ae ( varaa de bicoo Isrgo.tara
toaiha, em bem alado : quem liver auiiun-
cie para ser procurado.
Compra-sc um preto, de 16 al 9* an-
nos, que seja forle, para aervico de casa, *
que n3o teoha vicios, nem achaques: na roa
do Amorim n. 93.
Vendas.
Venda-sa por lodo o proco urna parle
do aobrado de dous andares, da ra da San-
lalla Velhan. 196.
Vende-ae, por todo preco, urna parla
do sbralo de doua andares, di ra da Sau-
zal Vela o. 196
Vende-se um lindo muleque de 90 an-
nos da idado, perito ullicial desapaloiro, e
ptimo para pagem : na ra do Crespo, lu-
ja da esquina u. 16.
Vende-se
Queijos do serlSo, de superior qualidade,
e por preco commodo : no caes da Alfande-
ga, armazem de Antonio Annes Jacome
Pires.
Vende-se urna bonita esca, moca, pa-
rida de piucos das, aera cria, com bom
leite e muito carmhosa para criar, e sabe
bem engoinmar e ouzmbar o diario : na ra
do Cotavelo n. 75.
Vende-se cn byson, a 1,600, 1,990 e
9,240 manleiga ingleza a 560 e 600 rs.
queijos novos a 1,190: nopales do Carino
d. 9, venda nova.
Nao ha melhor
llap de Lisboa, chegado ba 8 das, a 40 rs.
a oitava, e 3 oitivaa por 100; dito Paulo
Cordeiro e Me ur.....a ao ra. : na ra da Ca-
deia Veiha n. 15.
Vendem-se 9 escravos sendo: 8 ne-
griuhas de idade 18 anuos, com principio
do costura o engoamado ; 9 casis do es-
cravos de servico decampo; S ditos, sendo
I mulecute oflicial de carpina, 1 mulata de
lodo servico interno de urna casa : na ra
Diroita n 3.
- Vende-so urna cadeira da arruar, cm
bum uso : na ra do Crerpo, ao p do arco
de Santo Antonio, loja n. 3.
Loja amarelia de quatro poitas,
no atierro de 15 u- Vista n. 6o,
Vende-se lencinboa de chita com figuras,
lindos pumos a 80 rs. ; cortes de riscado
franco/, com um loque do avalla de uloo, de
10 covados, a 1,600; alpacas de algodSo
covado 200 ra.; riscadinho para lulo o sor-
vico o covado 140 ra.; pecas de algudSosi-
nhos com IS jai daa, multo encorpaJa*. a
2,560 e 9 940; risoaoinhos franco/es, muilo
largos e linos, a 320, 980 e 200 rs.; lencos
com bico, brancos, com cercaduras de cor,
a 320; um sortimento de nhit-s escuras de
cures Dxss a 200, 910 e 160; e mais Uzea-
das por precos coiumodos. ,
Lotera do ftio de Janeiro.
Compras.
-- Compram-se quatro moradas de caaaa
terreas, sendo em bota ruaa, e estando em
eJussara; he da boas Ierras, malas, e do Direila n.3.
muila projucelo: iimiior parto daa ter- -- Compra-se ua eacravo moco, meri-
ras comprada pelo dilo bypolbeeario, que nhtiro, eque seja crelo: quem liver an-
forueceu dinbeirospara coufeoeao, levanta- nuocie.
Aos ao:ooo,ooo de rs.
Na loja de miudezas da praca da
Independencia n.4, vendem-se bi-
llieles intuiros, meios, quartos, 01-
tavos e vigeaimos a beneficio da
quarta lotera da fregurzia do Cam-
po Grande, espera-se a lista no dia
3 a 3 do corrente : na mesma loja
recebem-se bilhetes e cautelas pre-
miados do Livramenlo, em troca
dos do Uio, que tem a venda e
mostra a lista
Vende-se chumbo de mui-
rn, grosso e lino, de todos os n-
meros, e em qualquer porco .' na
ruu do Trapiche n s6 casa de
Manoel Duartc ftodrigues.
Vende-se urna loja, uo pas-
seio Public n. i3 A, muito are-
guezada : a tratar na mesma.
Surtes a 30 rs.
Na lvraris da prsc.a da Independencia n.
6e8, vende-se papel em sortea impreasos,
para homens esennoras, muito lindas ea-
propria las, para OS das de S. Antonio e S.
Jlo, a 90 ra. cada um papel.
Sortea-
Para S. Antonio, S Jlo o S. Pedro, folbaa
de papel coji moilo bonitas sortea, para ho-
mens e senhoras. a 40 rs. cada folha : na II-
vraria do pateo do Cullegio n. 6, do Jlo da
Costa Duursdo.
Antonio Ferrera Lima & C,
ra Nova n. 3, vendein muilo superiores
bolaxinbas de soda e exposcSo, presunto
ingl'-z, qii'-ijo lundrino, cunae'vas, chega-
do ltimamente peta barca Sordflehe.
Loteras do Uio de Janeiro.
Aos ao:ooo,ooo
Na casa feliz
dos quatro cantos da ra do Queimado n.
90, venden se oa muito relizes bilhetes,
meios, quarlo's, oilavos e vigsimos da 4."
lotera das malrizos de Campo Grande, cu-
ja lista ebega do da 3 a 5, a ellea que esto
no resto, esequerem tirar bons premios.
Vende-se um cavallo preto, ainda no-
vo, de muito bonita figura, oom todos os
andares e muilo bom esquilador, selado o
enfreiado, com lodos os arreios novos, con-
formo conver ao oompr-dor; para ver na
ra do Raogel n 7, e tratar no pateo do
Collego n *.
Para senhora.
No atierro da Boa-Vista n. 74, loja de
calcado de Antonio Pereira da Coala ma, vendem-se sapatos do tpelo para se-
nhora a 800 rs. o par e para homem a 1,000
e outras qualidades de sapatos tanto para
aennora eoaio para meninas e meninos,
ludo calcado da trra, o mais em tonta pos-
sivel, a elles antas que se acabem.
Vlnho de Champagne,
a superior qualidade: vende-se no arma-
zem Kailtmanu Iruiaoa Rus da Cruz, n. 1a
.* !
% I

a
3
I


e

m
Deposito geral do rap
Gasse do Ro de Ja-
neiro, n ra da Cruz
n. 23.
ACABA DE CHECAR A ESTE HEP0SITO
BOA PITADA DO RAPE1
Grosso. meio grosso fino
Telos precos j sabidos .le I ,80 as duas pri-
meiras qualidades. e 900 rs. a ultima, sendo
de S librasparaolnn. Escusado ne enfadaro
publico eooi a descripcBo da hondada do ra-
p desle fabricante ; a aua antigutdade a
atiesta, e em verdade pela limpies o sauda-
vel composicflo colloca os tomantes urna vez
habituados em no o poderem substituir
por utro. Comparem pois os amantes da
boa pitada a qualidade deste rap com a des-
s< mullidlo de novos raps, e o seu eHaito
os resolver a tomar deste ou daquello.
Vendem-se elogios de ou.
ro eprata,patente inglez: na ra
da benzalta Nova o. 4a.
- Vendem-se quatro bonitos
escravos j despachados para o
A|4iio deJaue'ro : na ra das La-
angeiras n. 14 segundo andar
4.
* Na loja Pernombucana, ra
S do Crespo n. II. m Veodem-se caaemiras franezas mo- a
m dernsa e de excellenles qualidades e
* padrOes, pelo baralissimo preco de
>> 4,000 rs. o corle, para cuica
Jeposito de cal virgem
Conba cz Amoriui, na ra da Cadeiado
necite, n. 50, vende-se barris com supe-
rior cal em pedra, chegada pelo ultimo
navio de Lisboa, por menos preco do que
em outra qualqner parte.
AttencSo.
Vende-se na ra estrella do Rozario n. II,
amaras mullo nova, sendo cada caixinha a
600 rs. e maiores a 800 rs., estrelmhe a 320
rs. a libra, bolachinba de Lisboa a 360 rs. a
libra.
I*'arinlia de mandioca.
Vendem-se saccaa com farinha nova, che-
gada ltimamente do Cear*, a 2,000 rs. e
om lotes de 10 siccas para sima, a 1,800 rs.,
cada urna sacca : no armazem do J, J. Tas-
so Jnior: narua do Amorim n. 35.
-- Vendem-ae os verdadeiros selins m-
glezes, patente, de molla e sem ella : na
rua de8ozalla Nove n. 42.
Vendem-se no becco do Concalves, ar-
mazem de oeane Voule & Companhia, meias
barricas com superior r-rinha de trigo.
Cortes de brinide linlto, a i.,a8o,
,i4 e a,ooors.
Vendem-se corles de brim pardo, de li-
nlto puro, a 1,480 rs.; ditos de cores com
listras debomgosto, a 2,340rs.; dilos de,
bnns amarellos, a 3,000 rs.; corles de calsa.
de riscado de linho de listras, a 720rs.;cas-
8*8 oscsmpinadaa para cortinados, com 8 1|3
varas, a 2,40 rs. a peca.
Armazem de vinho.
Na ra da Semalla Velha n. 48,
vendem-se vinhos de Lisboa e Fi-
gueira, dos mais superiores que ha
no mercado pelo diminuto preco
de 300 e a4 rs- a garrafa,e i,5oo
a i,8oo rs. a caada : para confir-
mar d-se a provar, e para ver da-
se a beber ; he baratinho, a elle
frcguezes que he bom vinho.
Novo sortimento de panos Pinos e
casimiras de todas as quali-
dsUMi
Na ra do Crespo, loja da esquina, que
roltu para a Cadeia, vendem-se panno pre-
to, 8 2,800, 3,300,3,500, 4,000 e 5,000 rs. O
rumio; dito francez, muilo superior, a
6,000 rs.; dito.verde, a 2,800 rs.; dito azul,
8 2.800, 3,500 4,000 rs.; dito cor de rap,
a 2,800rs.; cortes de calsa de casimira pre-
ta infestada, a 5,000 e 6,000 rs. ; dita fran-
ceza elstica, a 7,500,8,000, 9,000, 10,000 e
11,500 rs.; sarja preta.a 2,400 rs. o covado;
dita hspanhola, a 2,800 rs., nutras mu-
tas fazendas por precos comn.odos.
Farinha de trigo
SSSF.
Fontana.
Galega.
Hait.
No atmozemde J. J. Tasso J-
nior, na ra do Amorim n. 35.
Sinifto de Mantua a
800 rs.
Vende-se a historia de SimSo de Mantua,
a 800 rs. : na livraria da praga da Indepen-
dencia n. 6 es.
CHA FRETO.
Vende-se superior cha prelo,
em caixas de 3o libras cada uma :
emcasadeJ. J. Tasso Jnior, na
ra do Amorim n. 35.
Taixas para engenho
Na fundico de ferro de Bow-
man 5c Me. Callum na ra do
firum, psssando ochafariz, conti-
na a ha ver um completo sorti-
mento de tainas de ferro fundido e
batido, de 3 a 8 palmos de bocea ,
as quoes acham-se a venda por
preco commodo e com prompti-
dao, embarcam-se, ou carregam-
se em carros, sem despezas ao com
prador.
-- Veride-se Rezina de angico de muilo
superior qualidade em arrobase 5,120 rs.,
em libras a 320 rs. : na ra da Cadeia do Re-
cite loja de ferrageus n. 53.
l'otassa ameiicans.
No enligo deposito da cadeia velha, n^
13 existe uma pequea porco deputassa
americana, chegada recentemente que por
superior rivalisa com adallussia: vnde-
se por preco razoavel.
-- Vendem-se dous excellenles terrenos
proprios, na Boa-Vista, ra dos Pires, junto
a caixa d'agoa, de um eoutro lado, tendo o
do lado do Norte um bom alicerce na frente,
com este, em estado ile ruina mas be ca-
paz de sobre elle se levantar qualquer so-
brado de dous andares ; lean este leo pal-
mos de frente, e de fundo 125, o do lado do
Sul, da caixa d'agoa tem 66 palmos de Tren-
te, e 125 de fundo : a tratar dentro do mes-
mo sitio com Manoel Joaquim Carneiro
Leal.
ACUDAN!
Acudarn A innocencia, gritava um pobre
miope, que por affectesao aodava sem
oculoa, de bracos aberlos o olhos no co.
correado pelas ras para aparar um vesti-
do de menina que, engommado s<) tinha
despregado de una alia varanda, e vinha
caindo discrigo do vento i maoeira de
maquina, julgando ser uma enanca que por
descuido se tinha precipitado de alguma
janella baixo, al que os mulequea o
desenganaram pelos assobios e cacoada que
lhe lizeram. Kis ao qoe se expoom to.ios
aquellos o*e, neoessitando de oculoa, an-
dam sem riles ; *e l he perfectamente
um diccionario vkw de asneiras, se com-
prmanla he ordintriamanle a quem no
conhece, ao anda na ra, acontec-lhe des-
tas e outras retadas. He por isso que se
lhe avisa que quem os quizer va na ra lar-
ga do Rozario, n. 35, luja, que os achara
bons e baratos.
Novosortimelo de fazendas ba-
ratas.
Narua do Crespo loja da esquina quevol-
ta para a Cadeia Yendem-se pecas de mada-
pollo largo muilo Pino com pequeo toque
de avana a t#500 a pega,ditas lulipas a 2,400
rs., pegas de. cnittde cor flxa a 4,5u0, 5,000
5,500 e6,000,riscado de linhu a ISO is. oco-
vado, lencos brancos de cassa a 160 rs., dilos
de cambraia de linho Tino a 400, 500,600 rs.
cambraiasde cor lixa pedroosmodernoscom
7 varas a 2,500 rs., merino prelo superior a
2,800, 3,000 e 3,800 rs ditoselim a 3,600
rs. o covodo, e outras multas fazendas por
prego commodo.
Bom e.barato.
Vendum-se pelo diminuto prerjo na ra do
Crespo n. 10, luvas cumpridas de pelica en-
feiladas' para senhora a 2,000 rs. o par,pega
de bretanha de puro linho com 5 varas a
1,800
Carnauba.
Vende-se a ma is superior cera de carnau-
ba, que ha neste mercado em porcSo e as
saceos de 2 a 6 arrobas, no armazem de cou-
ros de D. R. Andrade ft Companhia, rua da
Cruz n. 19, junto da casa amarla,confronto
o chafanz. ,*
Vende-se na rua do Livramento luja o.
II, sapatos deduraque preto para senhora a
900 rs. ao par, obra muito boa, assim como
esleirs muito grandes.
Deposito de cal virgem (cabeca de
carneire.)
Na rua da Cruz n. 23, armazem
de assucar da Viuva t'ereira da
Cunha : vende-se superior cal, a
mais prpria do fabric de assu-
car, e por preco rasoavel.
UI. ALI'ARCATAS
Assim andaria a classe media desta cidade
a nSo ser a apparifSo dos estimaveis sapa-
(os do Aracaly, feitos a capricho, quehoje
sem duvida rivalisam depois de engranados
com o melhor calcado da Europa. Elles se
tornnn recommendaveis j pela sua longa
duragSo, ja pelo seu diminuto preco; emais
quotuJo por seren de industria nacional,
que deve ser animada : quem os quizer va
a rua larga do Rozario n. 35, onde se ven-
dem a 800 rs. o par.
Bom e barato.
Rua do Pssseio Publico, loja n, 9, de Al-
bino Jos Leilc, vende-se meias cruas mui-
to linas para homem, a 200 rs, o par, em du-
tial 2,200 rs., chila para coberle, ( boa fu-
yenda ) a 140 rs. o covado, ditas para vestido
a 140,160e200 rs o covado, chapeos deso
asteas de balea, a 2,000 rs., ditos de junco, a
1,440 rs., grandes c fortes, proprio para o
tempo presente, chales de 19a de ricos gustos
a 1,000 rs., dilos docilita roxas a 500 rs., di-
tos brancos a 800 rs., ditos de larlatana a
800 rs.," grvalas ricas de cassa a 120 rs.,
lencos de bico rodeado a 320 e 440 rs.; ditos
pequeninos proprios para enancas a 120 rs ,
ooites de colele fuslflo a 640 rs., rends da
trra a 120 rs., a vara, cassa bordada pr-
pria para cortinados a 320 rs. a vara, casto-
res para esles a 200 rs. o covado, ditos pe-
le aodiabo a 360 rs., lirios de linho azul o
de cores a 300 rs. o covado, corles de cassa
chita, a 2.0U0 rs., e outras muitas fazendas
que agradaran a os compradores
' Vendem-se 2 mulatas, sendo uma do

>
>
*
a]
*
m
1
Admira 93o.
Na loja da rua do Crespo n.10, vendem-se
pelo diminuto prego de 1,500 rs. cada um ;
luidos chapeo deso depaniiintio bem en-
filados, para meninas, obra prima ; a el-
les antes qoe te aeab-m.
ff f ff fff f f Wfff f f f Vff
Mitidezas e ferrwgens
No atierro da Boa-Vista, luja n.
46, de J. S. de Henezrs, tem um 4
grande sortimento defermgens de
todas as qualidades, luvas le seda
para senhora, de todas escores, di-
tas rletorcat, lencos para grvala de
padroea muito ricos, Illa de tellu- "
do para grvala, dilaa.de seda, la- *
vradis e lisas, linhas de 200 jardas,
ditas para marca, eanivrtea elhssou- 2
ras asmis finas que pdem hsver.le-
ques finos, aguiriaa portuguezas, di-
t>s franceaas, baupejas Unas, bas
de lodus os lmannos com diversos
J desontios, tapete dp esparto, couro
* de lustro e marroquim, bezerroi,
S| meias para senhora, ditas cruas para
J homem, e outras muitas fazendas
a> que sevendem muito baratas, assim
a> venham i'reguezrs
AA*AAA*A*i*A*AA AAA A
li lio-lo 1I11 liilirlca ilo linios os
Santos na Balita.
Vende-se,emeas* deN. O.Bieber&C.,
na rua da Cruz n. 4, algodSo transado da-
qunlla fabrica, muilo proprio para saccosde
assucar eroupa de escravos, porprecocom-
modu.
Deposito de cal e potttsta.
No armazem da rua da Cadera
doUccife n. 13, ha muito supe-
rior cal de Lisboa, em pedra, as-
sim como potassa chegada ltima-
mente, a precos muilo rasoaveis
Agencia de Edwin Maw.
Na rua de Apollo n. 0, armazem de Wc.Cal-
munl&i Companhia, aeha-se conatanlemente
buna aorllmenioa de miza de ferro coadoe
batido, tanto raaa como fundas, moendaa In-
eliaa todaade ferro para animaea, agoa, etc,
dltaa para armar cni madeira de lodoa os la-
niaolioa e madelloa o mala moderno, machina
burisootal para vapor, com forja de 4 caval-
los, clico, paaaadelraa de ferro eatanliado
para caaa de pulgar, por meooa preco que os
de cobre, eacoveoa para oavloa, ferro iogles
tai, tono barras como em rcoafolhas, eludo
por barato preco.
AGENCIA
da fundicSo Low-Moor.
RUA DA SE.NZALLA NOVA -Y 42.
Neste estabeleeimento conti-
na a lio ver um completo sorti-
mento de moendaso meias moen-
das para engenho, machinas de
vapor, e taixas de ferro balido e
coado, de todos os tamaitos, pa-
ra dito.
Moinhos de vento
com bombas de repuxo para regrar hortas
o baixas decaplm na fundicSode Buwmaux
& SI. Calhem: na rua do llrun ns. 6, 8 e 10.
~ Vende-se um terreno na rua da Aurora
rom 50 palmos de frente e 280 de eitensSo,
tundo caes de lijlo a beira mar, Meando en-
tre as casas dos lllms. Srs. Gustavo Jos do
llego e Francisco Antonio de Uliveira : os
prelendentesdirijam-se a ruadas Torres n.
8, primeiro andar.
Deposito de panno de algodSo da
febrica Todos os Santos da Ba-
nhia.
Vende-se por pceo commodo
o bem condecido panno de algo-
A 9,56o rs.
Vendem-se cortes d meie casimira, de
superior qualidade e goatos bellisalaos, pe-
lo mdico prego da 9,540 rs. o corte : ni
roa do Crespo n.5.
Vende se um carro pequeo de 4 ro-
das, para I e2cavallos, lodo pintado e for-
rado de novo, vende-se em conl :' a tratar
na rua doQueimado, luja n. 10. *
Wo passeio Publico n. 17,
vendem-se cortes de cambraia com barras,
excedentes padrOes a 3,300 rs.; ditos de cas-
sa chita a 2,000 rs.; chitas para concitas bo-
nitos padres e corea fizas a 200 r*. o cova-
do ; chalas de Illa e aeda a 3,200 rs. ; ditos
de 19a a 1,000 rs.; cortes de coletea de isa e
seda a 640 is. ; riscadinhos de linho pro-
prios para palitos a 240 rs o covado ; meias
a menea as muito finas a 2,300 rs. a duzit ,
0200 rs. o par, eoulras muitas fazendas de
cujos precos oa pretendemos soagradarfln.
-- Vende-se um sobrado de 2 andares,
com muitos comnodos e em boa rua: a tra-
tar na rua do Collegio n. 15, piimeiro
andar.
Vende-se uma escrtva de meia idade,
que lava e engomma bem, o preso lio bara-
to por estar cum um dos olhos alguma cou-
sa inflammado : Da rua Nova n. 16.
- Vendem-se amarras de ferro: na *>ia da
Senzalla Nova n.42.
Fio para sapateiro.
Vende-se fio para sapateiro a
600 rs. a libra : no aterro da Moa
Vista, loja n. 58.
^J'^P'W'l^aw >^Wa^W^^rt^aW>"J I^ff^W ^aWr>n^*W^W.^aV^r^rvmiHV
Charutos superiores.
No aterro da Boa-Vista, loja n. 46 t
de J. S. de Menezes, chegaram oa W
muito superiores charutos da' Baha I
que t em por tituloquem fumar n
aabera, chaira-flores e primorosos; 9
cor isso se convida aosamanlesdestes t
cbarutoa, o lodus quantosgoatam de M
de t'agar uma bOa fumaca, cneguem fi
a elles que estilo l'resquinluis : na
mesma loja se vende uma porfSo de
charutos muito em cunta. Q
"^jaguan ^^aMifi#^aHiai ^^^te^^^Hj^u^MaiaMaiaM a
rj(lUm*'WlWwmW MajuivaxWSW WW m
Ha para vender, na loja de
funileiro de Jos Baptista Braga
Vende S" a verdsdeira graxa american
de Ja mea Masn em latas. Esta graxa he
a nais prompta eeconomica para limparo
calcado, torna-lo micio, de maneira a nlo
encommolar oa calos ; assim como em
tumpos chuvosos, impede a humidadr, ten
do a virluda de lustrar o celfado molnado,
qualidade esta que nSo se encontr em ou-
tra qualquer graxa. He a nica usada nos
Estados Unidos, Mxico e oulros estados do
Nort'America tendo ltimamente tido tal
aceita gao na Europa que seu autor no
duvida ser logo quasi a nica usada : ven*
de-se oo armazem de Vicente Ferreira da
Cosa, na rua da Madre Dos, e de J. J. Tas-
so Jnior, na rua do Amorim.
Vende-se um molequfl* creoulo de 30
ennos; na rua de S. Francisco, casa apala-
cada.
Vende-se por seu dono se retirar, al-
punas obraaquasi novas,romo sejam o dic-
cionario de Napolen Lind, o diccionario
de medicina por chrrnovix, o panorama
completo, a revista universal, dita popular,
a galera das ordens religioas, e oulros
msislivros: na rua do Queimado, loja de
fazendas n. 21 A.
.. Vindem-se queijos do reinos 1,120:
na rua Direita n. 14.
- Vendem-se lingoicas do certo a 200
rs. a libia : as Cinco Punas n. 31.
Aviso aos amantes da boa pitada.
Vende-se na loja n. 2 do arco da Concel-
cSo, lac de Lisboa a 40 rs. a oitava, dilo
Paulo Cordeiro o meurou a 20 rs.
Vende-se um cabriol descoberto, mui-
to forte: na rua na Cruz n. 40, primeiro
andar.
Vendem-se as melhores redes alcoxoa-
das de coros lindas : na rua do Crespo, loja
dio desia fabrica ; em pessa, a
vontade do comprador: no escrip-
toriode Novaes&Companhia, na
'rua do Trapiche n. 34.
Arados de ferro.
Na f 11 ndic3o da Aurora, em S. Amaro,
vendem-se arados de ferrode diversos mo-
delos.
1'ecliincii.i.
Na loja da rua do Crespo n.10, vendem-
se chitas, com um pequeo defeito, ruida do
cupim alOOis. o covado ; ditas limpas
120,140 6 160 rs.
itefreacos e xaropes a 5oo
ris a garrafa
Sendo, de espil, tamarindos, orchala, gro-
selles, laranja, lim5o, vinagre, gamma e
outros muitos: na Iravotsa da MaJre e
Dos n. 4 e 6.
mm'tmmmww mmmmmmwmmm
Bicos finos.
H No atierro da Boa-Vista, n. 46, lo- -t
ja de J. S. de Menezes, ha um grande A
r sortimento de bicos de seda e algo- A
dao, de diversas larguras, que se A
|j vendem por prego* cum modos.
rnmummmmmu mmmmmmmumm
Chupeos do Chyle.
Venlenvse chapeos do Chyle, finos e
grossos, grandes e pequenus por prego
muito barato : na rua do Crespo n. 23.
Algodo para rottpa de escravos.
Vende-se algodio muilo encorpa lo, pro-
prio para roupa de escravus, com pequeo
toque de avaha, a 149 rs a jarda ; dito
limpo a 180 rs.: na rua do Crespo n. S.
Diccionarios da lingua portugueza,
por Constancio, em ptima encadernacn,
figura, e coa, lubili ladea ; tngomma
cuse e cnzmha : na rua larga do Rozaiio
n. 23, SPgutido andar.
Vende-se um preto de menor idade,
muilo proprio para servigo de campo: na
rua dos Marlyrios, cssa torrea 11. 19.
Caf superior.
?>" Nu atierro da Boa-Nista, loja n. 46,
0 de J. S de Menezes, tem caf o piis tj)
A superior, de Caravellas, qne se ven-
*; de por 4,500 a arroba.
a alambiques por 00,000 rs. cada squ' quevolia para a da Cadta.
, ,r ^ Vende-se uma escrava moca, de linda
um, em tudo iguaes aos que se -
vendem por 600,000 e 700,000 rs.,
em lugar de carapuca tem colum-
na, e alguna melhoramentos que
concorre ass para o producto das
garapas.
Na livraria da rua do Crespo n. 11,
vendem-se os seguidles lvros : trezeoaa de
|8anlo Antonio, Casos Reservados no bispa-
dodApernambuco, umjogo de Breviarios
Romanos, encadernaco rica, Rossi, direito
tena I, ediecdode 1850, novo, geometra de
acroiX, Euclides, Calheoisroos das ver.la-
des calliolicas, eucaderuidos, Director Es-
piritual, SermOes de varios autores, Cathe-
cismos para-meninos que andam na escolla,
cartas, taboadas, romance histrico, D. Se-
bastiao, Ensaios e geraeflo do mundo, Ver-
dades etlicas, polticas e cannicas, de va-
rios autoes. Triste vola de caizeiros, cria-
dos e tutores, Peleija havida entre o diabo,
uma alma e S. Miguel, calhecismos de Fleu-
ry, umMagoum Lexicom, Zelres, procura-
gOes eapudautas, selladas e por sellar. The
Seasors, Burro de Salustio e Horsclo; e
tambem se vende cartas francezes selladas,
Elixir Inico
Anti-fleumatico,
Pelo Sr. Dr. Cuillie, medico da faculdsde
de Paris, membro de Varias sociedodrs
medicas, assim nacionars cumn e-tran-
geirss, cavalbeiro da real ordem da Le-
giflo de Honra &c.
(Dupont, pharmaceutico, em Paris,
rua Tiquetonne n 14.)
O nico deposito verdadeiro desle elixir
he esta tieleci 10 pelo mesmo sutor na botica
do Sr._Jo.sii da Rocha l'aranhos, rua Direita
n. 88,'em l'ern.mbuco.
O elixir antt-fleugmatico he essencial-
para a rapaziada se ntrete; as horas va- mente tnico, reanima o principio vital e
gas. j da torga as fibras, destaca os humores vis-
PLANO. I cosos, os precipits em baixo, aviva o >pe-
Para a extravio da ttreeira quarla parle ,da tile efonifica o estomago.
tercena lotera a fovor dat obrat da tgrela Pde-se adminis'r.r na mais tnre Infan-
deti Senhora do Retara da Boa-Villa, con- ca como na velhice; nada he mais doce
cedida pela lei provincial n. 92 de 8 de que o seu effeito: funde, dissolve Os u-
maiode 1841: I mores e Ihes d sabida sem alguma agita-
2,000 bilhelesa 8,000......16:000,000 c)o, sem suspender as oecupagOcs, nem
12 por cento para as mudaros hbitos: se pode turnar deste elli-
obras da igreja. 1:920,000
2,000 verbas de sello
para o thesouro a
150rs........
t.
1.
a.
4.
5.
10. ,
21. ,
545,
589
411
2000
400,000.
200,000.
100,000.
40.000.
20,000.
8,000.
* ABADOS AMERICANOS.
9 Vendem-se arados ame- 9
*>' ricanos, chegados dos Esta- A
' dos Unidos, pelo barato pre-
*> 90 de 40,000rs. cada um: na *
i{ rua do Trapiche n, 8.
Muitas fazendas por pouco diuhei-
ro na rua do Crespo n. 6.
Corts de brim escuro do puro linho a
1,440 rs,, ditos de listr de bom gusto a 2,noo
rs dito amarello a 1,800 rs riscado du li-
nho proprio para caifas e palitos a 200 rs. o
covado, panno fino preto a 3,000 4,000rs. o
covado,pessas de chitas escuras com 38 co-
vados a 4,5'io. 5,000 e 5,500 rs., cambraia de
filos cum 81|3 varas a 2,400 e 3,500rs. a pes-
sa, lengos de cambraia de linho a 400, 480,
e 560 rs. proprios para milo, riseadoa absen-
tados em algodSo muituencornado proprios
para escravos a 160,180 e 200 rs. o covado,
zuarte azul com 4 palmos a 200 rs. o cova-
do, e muitas mais fazendas tor preco com-
modo da loja cima referida.
Atiencao, com dinheiro.
------.--_.-.----- ... i.uiMianuiu, um upiiain micsucnipcan,
30 annos, boa figura e lubil para qualquer por f col'moito ru, do So| nv ,
semco.ea ou r. de6annus. muito linda e em ,_,_, tUls B lisl, d, _,,,
propna para oducar-se, a p tmeiraser pre- Livros baratoa
frula a venda pa>a fra da proviuci
para engenhu : na rua da Cruz n. 34
Vende-se um sobrado de um andar com
muitos commodos para grande familia, e
tem terreno para um gran le quintal : a tra-
tar com Manoel Luiz da Veiga.
Um caldeiro.
Na rua da Cruz o. 13, eompra-se um cal
Febre amanilla, sua historia, symptomas,
natureza, causas, cotit;gio,tratameplo,etc ;
alian ks populares e universaes, revista
universal ; dita militar; jornal de idianna-
ci,i; catecismo de doutrina porUrculu; his-
toria de Portugal; da de llespanha ; uni-
verso piorescd; romances diversos, liespa-
fihoes, com muilo boas gravoraa : illuslra
deirilo de cobre ou ferro, em bom uso, e cSo hespanhola com dttss, e varns outras
laque nSo seja milito pequeo : quem o tivcr puljlB||OeS moderdas : defronto du Trapl-
e quizer vende-lo dirija-se ao mesmo lugar, ctf) Woiq, cas n. 6.
ou aiinuncte.. I Emcasa ae J. R. Lasserre & Companhia
-- Vendem-se pas de ferro nuilo lories, na rua do Trapiche n. 11 tem para vender
lodas direitas, pro.rias para se abrir vaia- osseguintes artigos : cabos de linho e roa-
dus : na rua da Cadeia do Rrcife, luja de nilha de todas as grossuras, champagne
ferragons n. 53. a retalho oem duzaa. I marca estrela, sardinhas em Islas de varios
Miii'iiiliiM superiores. tamanhos.penaa de ago, velas dscomposi-
Na fundigSo de C. Starr la> Companhia, cSo e garrafOes vaz os, o que ludo se vende
em S.-Amaro, acham-se a venda moendas porcommodo prfeo.
de canna, todas de ferro, de um modeloe rliquissimas luvaa de pelica, pro-
cazmente uma colher domanliaa em jejum,
particularmente no invern e nos temos
hmidos.
. 300,000 3:230,000 s asthmaticos, golakos, hydropicos,
-------= aquellos cuja fibra he molle, ficam satis-
13:780,000 feitos'do seu uso; bem como os quo sof
, 5:000,000 frem deflluxao catarral do peito, zedomes
1:500,000 do'estomago, syncopes e pii, iiugi-s do
800.000 coraco, clica, empingens, catarro da be-
.800,000 xiga, apoplexia cirrusa, rlieumatismo, flu-
500,000 xus alvos, doengas de leile as senhoras,
400,000 indigestSo, vermes intestinaes as en angas,
420,000 outras muitas enfermtdades quesera Ion-
4:360,000 13 780,000 go euumerar.
Este medicamento salutar tem produzido
Ios ma favoraveis cfT itos nos casos, para
assim dizer, desesperados. Desta sorte,
di-sde seis annos fui proscripto por todos os
mdicos Ilustres, o os surcessos quotidia-
nos quo obtem, tanto em Franga como nos
paizes eslrangoiros, formam o melhor elo-
gio que deste possa fazer-se, e a prova des e
he a grande sabida que este marsvilhoso
remedio tem lido as provincias do Brasil,
principalmente na Balua e Rio de Janeiro,
onde lia tantas illuslracoes medicas,
AVIS ES-iKNCiaL.
Deve-se smente inteira confianza as gar-
lafas que leem uma marca que leva a firma
do autor, scmelhante aquella que se v em
tiaixo. Emlim, para evitar o perigu das fal-
siflcag0es,os accidentes que po lenam acon-
tecer, e araastar a colnga dos falsificadores,
o publico he prevenido quo cada garrafa
deve ser acompanhada d'uma inlruccSo im-
pressa que iudica a maneira de empegar
[este medicamento, compilado peloSr. Guil-
lie com a sua firma, e impreso om Paris por
o Sr. Goetschy; caracteres esseuciaes para
evitar a rau ie.
Arados da fabrica dos Srs. lanos-
me e May
Proprios para plantar ealimpar canna de
Jillerentesmodellose feitos na mais acredi-
tada fabrica na Inglaterra sendo muito su-
periores a qualquer que tem viodo a este
mercado,e proprio para plantaren) qualquer
terreno e de qualquer largura, por tur um
arranjo proprio para abrir fechar a aiveca.
O bico, aiveca o sola destes arados pasiam
por um proensso que da-lhea consistencia
deseo temperado da maneira que sSo de
milita duraco, alm de que tem bicos de
sobie-exceliente: na rua do Trapiche n. 14.
100,009 rs. de gratilicacSo.
A quefli apprehender a prela abaiio dp
elarada.
Contina a estar fgida a prela" Fahci,i.,|0
desde O da 17 de mano prximo passadn '
tem o Signaos 3eguintes:es(aturareiri||ar'
tem falla de dentes na frente, marcasde PID'
no no rosto, cor nSo muito prela, muito pro"
zista. levou vestido de chita ja deshotaa
panno da Costo usado, um taboleiro peque-
no em que andava vendendo, tem por eos"
turne ter ropa fra e mudar quandosai"
tem sido vista muitas vezos, unas no Mon-
tetro, e outras em Bebiribe, lavando ropa de
ganho, edizendo que por mandado deaua
aennora; lem sido encontrada junto com um
canoeiro, que navega para Ohnda, ella tern
a mfll no engenho 8. Cosme : roga-se, nor.
tanto, ss autoridades po1lciaesocepitaf!l|
campo, a sua captura, inda mesmo ella di-
zetido qoe nSo est fgida, e a levem a ,__
senhora, na rua da Cruz doRecife n.3s-
assim como se protesta contra quem a tiv,,r
nceultado e onbrar-se oa dias de aervigo.
No dia 10 de maio, desappareceu a re-'
ta Joaquina, de nago Cassange, representa
ter 35 a 40 annos, baita, cheia docorpo
senJo regular, cor fula, olhos pequeos
cum carne sobre elles, tem uma costura na
cara noladoesqurrdo, porm moitoapaga-
da, que mal ae percebe, nariz chato, coa
falta de alguna denles, de ume nutro la l0
be feia, leu uma empinge no rosto, qus
parece ser bexig, peitos muilo pequeo fl
inu'xos, tem alguaiss sicalrizes de reino
as costas, tem as nadigas empinadas pata
tras, he bem fallante, reprsenla sor creo 1-
la, ltimamente estovo oceupada noserrico
decozinha, lovou diversa ropa, que sean
sabe da que usura-, coslumava andar sujae
ombriagar-se, quando foge tem por cuatu-
me andar pelos arrebaldes desta praca.qui
tandando elevando rOpa, intitulando-,,, ,1,,
forra ; desconfla-se que ealeja servindo ero
alguma casa como forra : aa pessuss que eslam servindo della na boa f, queiram
Jenunciar, do contrario se usar dosmeios
que concede a lei: roga-se as autorilades
policisesecapitSes decampo, oua qualquer
possoa, que a apprehenda, ou a faca appre-
hender e leva-la a seu senhor Domingos da
Silva Campos, na rua das Cruzea n. 40, que
serio gneros.mente recompensados.
Ddsapparecaram do engenho do meio,
orop icilade de Francisco de Carvilho Paes
de Andrade, na madrugada do dia 12 de mar-
go, oa seguintes escavos : Manoel pardo, de
idade 45 a 50 annos,corescura,barba preta.e
bem foliada,costuina usar somenle de meias
suissas e lont um pequeoaignal preto qua
si na migan do rosto ; Alexand'e tambem
pardo, pouco mais escuro que o sobre lito,
idade 20 a 25 annus, estatura alta, espadau-
do e bem feito de corpo, tendo panos pretos
pelo rosto e por lodo o corpo; Miguel, creou-
lo, estatura baixa, reforcado de corpo, rosto
quasi redondo e ja desceido, idade 38 a 40
annos. Os dous primeiros se dizem irmSos,
e sSo de Paj do Florea; mas aqui manda-
ram forjar uma carta, para lhesserir depas-
saporles, a qual foi dirigida para Inhsmuns,
e talvez para ahi fossem, ou pera as vizj-
nhancas.
5os*ooo.
prias para noivas
Na rua do Gabug n. 6 ven-
dem-se as mais ricas luvas de pe-
i
cunstr uegao muito superior
Bom 3 barato.
Na loja Ja rua do Crespo n.10, vendem-
se palitos casaeas de brun de linho a 4,000
rs ; chales de seda a 4,000, 5,000 e 6,000 rs.; 1:.. ___ _; .._, anr.a.m.; i_ L*~
cassa* par. bab.do a 240 rs. a vara ;' !!'. ". I 81U' l?m BPPa"ilo, COm
uhas de seda para menina a 640 rs. cada riquisstmos enfeites de llores e re-
^\t^:V^^uri^^mRn' PrPras P"anoivas, por
que seveodem_por todo prego. precos com modos.
~ No deposito de doces da antiga fabrica -- Vande-ae uma prela de meii idade, sa-
Na ma Nova n. SS, loja de alfaiate de Bla-f da viuva de Manoel Ferreira Piolo, vende-se lie fazer todo o arranjo de uma casa, lava
riano& Tinoco tem para vender-seum com-(doce de lodas as qualidades, seccoede cal- muito bem de varrela : para ver tratar, na
pleto sortimeniu de palitos de panno fino ida em barrilinhos bem enfeitados.e em bar- roa do Crespo n. 10, primeiro andar.
preto, dito de panno verde meseladu, sendo || ril o de caldf, e latas com gela de goiaba. Sebo purificado,
debruados de fita muilo fina pelo precofe iraca mais bom feta do que em outra Na rua Di relia n. 59, vende-se sebo purlfl-
dc 20,000 rs. cada um.
[qualquer parte.
cado por preco muito em conta.
Ficam aujeilos os premios de um cont de
ris, aos 8 por cento pira o thesouro na for-
ma da lei.
Approvo.--Palacio do governo de Per-
nambuco 30 de selembro de 1851.YMor de
Qlioeira.
US bilhetes desta lotera achSo-se a ven-
da na butica do Sr, Moreira Marques, pisca
da Independencia, loja do Sr. Fortnalo,
largo do Livramento botica do Sr. Chagas,
atierro da Boa-Vista loja do Sr. Venato. O
thezoureiro desta lotera espera fazer currer
as rodas por todo o mez de jullio.
Wf V? f f Vf ff 1 f f ?*f f
farinha de mandioca *
Vende-se, por preco rasoavel, la-
0, rinba de S. Matheus, a mais nova, ^
; > que existe neste mercado : na rua ^ajl
9- da Cruz n. 34, detronte da I ingoeta. <; |
AAAAAAAAAAA AAAAAAAAAAA
-- Vende-se uma mulata de 20 annos
linda figura; urna nrgriiiiia do 10 annos,
muito linda e esperta ; uma negra da Costa
mofa, boa veudedeira de rua; mas tres no-
gris mofas, sem habilidades; uma negra
de meia idade, boa- cosinheira; e qualru
pretoa bons trrbalhadorea de eoxada : na
rua larga do Rozario n. 32, segundo andar.
Vende-se urna prela crela, muito bo-
nita, de idade 16 annos, e um mulatinbo
muito lindo, de idade de 4 annos: quem
pretender dirija-se ao becco do Peixoto n.
19, que se dir quem vende.
- Vendem-se por preco commoJo os se-
guintes gneros; chapeos do chile, linha de
rons e de Cu maraes, panno de linho, cera
om velas muito Dom so'timenlo : trala-se
oa casa de Novaes & Companhia, oa rua do
Trapicho n. 34.
Vende-se a typographia do
Diario Novo, propriedade da Viu-
va orna a qual est montada ,
tanto de bons tjpos, como de pre-
los, e de tbdoa os utencis necessa-
rios a uma boa typographia : tra-
ta-se com a proprielaria na rua
da Praia n. 55.
Vondem-se por prego commodo os se-
guintes gneros, fumo em lolha para cha-
rutos, el virgerh de Liaboa em barris, fa-
rinha de mandioca, superior vinho do Por-
to em barris de quarto, quinto, e oitavo,fei-
xaduras de porlBo, fbuces de rogar; a lis-
tar no armazem du caes da lfaudega n. 7,
Escravos fgidos.
Desappareceu no da 8 do crrante mez,
um preto oe nomo Jacinto, que representa
70 anuos pouco mais ou menos, cum uma
l'ilido no oliio direito, alto, corpo regular,
pernas alguma eouza abarlas, ps grandes e
mal feitoa, falla dedentea na frente, pouca
barba, levando omisa de algodloziniio ve-
lha, caifa de brim de quadroa miudos ja ve-
lha e palito de chita parda miuda ; escravo
3ue loi do fallecido Manoel da Cunha mora-
or no aitio da fazenda junto a Barita, e
liojo 110 Giquia donde fugio: quem o pegar
leve-o ao mesmo lugar, ou a rua Nova luja
de chapeos o. 53.
No" dia 36 de malo desappareceo a ne-
gra crela de nome Manuela, de idade de
IS annos, pouco mais ou menos, baila e
cheia do corpo, roalo redondo e nariz cha-
lo, com falta de dqus deutes na frente ; foi
vestida com vestido de chila roza, panno da
de Jos Joaquim Perelra de Mello, ou com i Costa cim listras azuea e brancas : quem a
Novaes & Compaubia, na rua do Trapiche I pegar leve-a A ruada Madre de Dos n. 38,
n. 34. 1 loja de tamanqueiro, que ser gratificado.
Psga-se50/<000aquem Irouxerum esern-
vo de nome Manoel, de nagSo, bonita figu-
ra, cor preta, altura regular, xeio do corpo,
com um signal ao p_ do olho esquer lo, cu-
jo signal he uma rodinha mais preta que
a pr-opria cor do escravo, desppareceu no
dia 2 do corrente mez,tem sido visto na ri-
beira da Boa Vista, passsgem da Magdalena,
roga-se is autoridades policiaes, ecapiU>es
de campo, que o capiture, a tragam narua
do Crespo loja amarella n, 4.
Desappareceu no dia 23 do corrente o
moleque Ciaudino, escravo, que foi deJo.sc
Josqutm de Mesquila, e hoje da viuva do
mesmu, de idade pouco mais ou m'nos de
14 annos, tem uma cicatriz saliente em uma
das faces e perto .do' queixo, he magro, de
rosto redondo, olhos grandes, pernas finas,
o parece mu simples no fallar: roga-se as
autoridades policiaes ou a quem couvier de
o prender e leva-lo i rua de Santo Amaro
n. 6, que ser recompensado.
No dia 23 do corrente fugiram do en-
genho Novo do Cabo os escravos creoulos
seguintes: Luiz, carapina, he mestre do as-
sucar, alto, refurgado do corpo, cara des-
carnado, quasi sem barba, oreihas peque-
as com recortes, ps e mllos grandes.
Benedicto, carreiro e cargueiro, alto, re-
furgado do corpo, pouca barba, nariz chato,
falla meia fanhosa, com falta de dentes na
frente, ps emSus bastante grandes; am-
bos s.lo de 20 a 28 annos; sSo un,los:
quem os pegar leve-os ao dilu engenho quo
sera bem rrcompedsado.
Desappareceu no di' 94 do corrente,um
preto,denome Bertoldc,de nagflollenguella,
que representa ter 24 anuos, pouco mais ou
menos; hedu boa allura,cheio do corpo,cor
preta ; tem os ps. pernas e brscus grossos,
levou vestido calca de ganga azul, e camisa
branca de algooMozinho, chapeo de palha, e
talvez tenha mu lado a lpa; suppo i-su an-
dar pelo hai-ro de S. Antonio, ou Boa Vista:
roga-soaquem o pegar, leva-lo a casa de
seu senhor, na rus uo Amorim n. 25 que
era bem recompensado.
-- Est fgido desde domingo o moleque
Africano, de nome Antonio, bem couheci-
do por vendedor de tapiocas, grudes e do-
Cds; levou camisa de chita azul acalca de
algoiiflo mesclado tambem azul; do aso do
taDuleiro elle tem uma falla de cabellos
comu uma cora; levou um taboleiro gran-
de com ps envrrnisados de encimado e
uma bandeja grande; he natural queja te-
nha guar a 10 ido, e ande sem nada; por-
tento pede-se aos capities de campo o pe-
gqem e levem A rua Augusta n. 33 Na
mesma rasa se carece aluitar uma preta ou
moleque para vender, que nlo tenha icios;
e se da venda as proles que quizerem, pa-
gando-se 80 ris de veodagem, em pataca.
No da 26 do corrente (desappareceo da
casa da abaixo assignada a sua escrava de
nome Bernardina de sena, crela, de idade
de 30 annos, baixa, cheia do copo, cor fu-
la, tem em um braco o nome escripto, geu-
givas pretas, lem dusa cssluras na cara,
sendo uma na funte o outra na face, e pa-
dece de rotura na bexiga ourinaria ; cons-
ta que esta escrava est occulla por um ca-
bra com promessa doalfurria, e protesta-se
usar de todo o rigor das leis contra quem
a oceultar; e roga-se as autoridades poli-
ciaes e capitSes de campo a prehendam e
levem a al'ano essigna la, narua daMntii/
da Boa-Vista, casa do Sr. Jos Candido do
Barros, que-ser recompensado.D. Marta
Benedicta Po'.ce de LeSo
Desappareceu no da 26 do corrento, o
escravo Benedicto, preto, creoulo, deis a
20 anuos, pouco mais ou monos, alto, no
muito ciieio ,1o corpo, nariz chato o falta de
dentes na frente, .levou calcas, de algodilu
de listras e camisa de riscado ja disbotado :
quem o pegar, leve-o a rua d* Madre de
Daos, luja a. 16, que ser recompensado.
50/000
A quem aprehender e levar A rua da Moeda
n. 7, terceiro andar, o parda Leonardo,
que fugio no dia 7 docorrente, ten oa sig-
naos seguintes: baixo, e o peno alguma
cousa nietti-to para dentro; fui escravo de
1). Joanaa Mana dosPassoa; e coslumava
vir vender leile todos os dias no Recife, vin-
do da uro sitio da l'assagem.


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EK6WMY6TZ_7YKSYW INGEST_TIME 2013-03-29T16:05:38Z PACKAGE AA00011611_03675
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES