Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:03674


This item is only available as the following downloads:


Full Text
Afilio DE .i838. SABBADO
CAMBIOS.
Dexembro ?4
Londres > O. Si. por ifooo ced.
Lisboa qo por i oo premio, por mul. Nom.
Franca 5*5 a 33o Rs. por tranco. %
Rio de Janeiro ao par
Moedas de 6goo i4#{oo velhas #ovas i4foo.
i. 4J000 8^000 a 8/f'oo
Pisos Colnmnario i/jf6ioa ijj(63o
Dillos Meticauos i#io a 1 jfoo
Petaces Ui asilen os ijtion a infijo
Premio. das Letras, pur niez 1 a i|{ por loo.
"Lobie a o par
PARTIDAS DOSCORREIOSTERRESTES.
29 DE DEZEMBKO. NUXEBO a8o
Tudo agora depende de nos rr.r smos ; da n< s*a prudencia,
roodeaco e energa: continuemos cunto principiaiooe,
seremos apontados com admiraco entre as Nacocs mais eul-
lal.
Proclamaco da Assemblea Geral do Brasil.
uhicreve-?e para esta follia a mil res mensaes pacos all-
antados nesta Typogralia, ra das Curies I). 3, na F'ica
da Independencia I) 37 e i8, onde se recebem correspon-
dencias legalisadas eannuncios: insirindo se estes gralia
sendo dos proprios asignantes, e viudos assignados.
DAS DA SEMANA.
Segundas Sexta* fcirai.
Cidade da Paraiba e villas de sua pretendi ....
Cidade do Kio 'irairie do Norte, e villas dem ,
C'dade da fortaleza t villas dem.......
Villa de lio-amia ............
Od*.le de Olinda............ Todos os das.
Villa de Santo Anto........... Quintas taires.
Dita deGaranhuns e Povoaco do Bonito..... |)as l0| e 24 decada mei.
Dittas do Cabo Serinhaem, Itio Formoso, t Porto Calvo dem 1 11,' e ai ditto dido.
Cidade das lagoas e Villa de Macei...... I.lem idein.
Villa de Pajau de Flore.......... dem i3, ditto ditto
Todos os correios partero ao meio dia.
? Segunda Jejum S. Gregorio M. Aud. do luir do ci iiue de t. e letso
ai Terca -%-iff N.scime lo de N. S. Jess Clnisto.
no QuartH >< 1 i-iiava S EstrvSu Protomartir.
37 Quinta ^e 1. mta S J.i Ap.
58 Seata $? 3 H-ia Oiantot Innocentes.
o) Sabbaiio S Thotnax Are. Kccude manila e aud. do V. G. m Oliiula.
5o Domingo S. Sabino B. M.
Mar cheia para odia aode Dezembro.
Asi horas 4 1 minutos da manila As 1 hora 45 minutos da tarda.
da T. P.
PARTE OFFICIAL.
RIO DE JANEIRO.
DECRETO.
O Regente em Nome do Imperador o
Sor. D. Pedro Segundo Decieta o se-
guiule regula menlo.
Artigo l. Falleeendo alfumas d.is pules
litigantes depois de terem subido os uto
ao Tribunal Supremo de Justica pira a
deci/iodo recurso da revista qne hijim
ioterposto nao ter lugar a hnbelitaco de
lierdeiro em quanto esverem 00 mesmo
Tiibuqal.
Artigo a. Depois de concedida a revista
aera' a lubelilacao frita peraute a Relu-
ci rev^oria..
Bernardo Pe ira de VascOncellos, Mi
nistro e Secretatio de Estado das Negocios
da Justica, o ten ha as un entendido e
fca execular com os despachos net'essa-
los.
Palacio du Rio de Janeiro em a de A*
brildei838. Dcimo stimo d- Indepen
dencia e do Imperio Pedro de Araujo
'Lima. Bernardo Pereira de Vaseoucel
los. (Stllede Abiil.)
Ministerio da Fasenda.
Miguel Calmon du Pin e Alrorida, pre-
sidente do 1 ilmn .1 do therouro publico na -
cional, regulando execucio do paragra-
|>bo 3. do decreto de 12 do cortete m.i,
. ordena se observe o seguidle.
Artigo 1. Nenhum rredor, por si 011
por seu procurador sera' admiltido em
juiso a demandar o seu di vedor de lettias
1 de qulquer naluiesa quesejam por meio
de utTes ordiuaiia ou summaia, sera que
appresenteiu essas letras de. que provier a
divida, com as veibis de haverem pago,
alem da laxa ordinaria do sello eslabe
lcida na confoimidade da tabella annexa
a lei de 8 deoutubrude i8J3e instrucedes
de 13 de Dezembro do mesmo enno, o
'imposto creado pelo de.ieto de 12 do cor-
rente roez.
Artigo 2. 0j juises municipaes e de di-
reilo estos ecnvaes Gran encarregados
do cumplimento do artigo antecedente,
dt li io da mais restricta respousabilidade.
Au go 3. Este imposto ser pago na ra
lio de meio frorcenio ao anuo do respec-
tivo sralor das letras atteiidendo-ae aos
prasns di,s seus vencimentos de manei-
Ta qu das letras a praso de un anuo se
pg*ra o sell> de meio por cento do seu
total valor, e daquella cojos pra-sos forem
de mais,,u menos de hum snno se pagara'
- I**'0 <"li>'uma quanti > corresponden^ a es-
*s prasos ua dita r^so de meio por
eeoto au ,iino : nao se pagando porem de
'gumaa d ellas menos de 3oo reis por
n-is ptqu.no queseja o seo valor e limi-
tado plazo.
Artigo 4. O pagamento sera' regulado
pelo vlor nominal du letras, quando ti
ver sido exprs ado em moeda nacin .I,
ou pelo que llie corresponder na mesmi
moeda, confoime o cambio estipohdo as
mesmas letras 011 o corrente do dia na
falla de estipul co quando o valor ti-
ver sido expressado em moeda extran-
A feita as mesmas estages de fasenda e pe-
lo mesmo modo poique actualmente
se cobra a taxa do sello dos papis; a sua
escripturaco pi.iem se far com toda a
distineco eclareas em livro especialmen
te desiinr.do para esse im abeito, nu-
merado rubricad. e encerrado n.i mes*
ma forma que os das mais contribuicps
Rio de Janeiro em 'o de oulubrn de
188 Miguel Calmon du Pin de Al-
meida.
(Do Clironista )
PERNAMBUCO.
GOVERNQ DA PROVINCIA.
Expediente do dia 12 de Desembro de
1808.
Officio Ao Presidente da Relaclo. co-
municando Ibe que o Regente em nome do
Imperador Hjuve por bem conceder li-
ceiifa ao D sembargador da mesma Rela-
c querque, para peimanicn' na Corle do
Rio de Jai ei o at a prxima ses^So da
\ssemblea Geral L gislaliva da qual he
\Unibra, perc-. bi-ndo lodos os seus venci~
mentos.
Dito- Ao Inspector da Thesuuraria ,
iransmitiodo-lhe a ordem do Tribunal dj
Thesouro Publico Nacional numei o n 1 de
8 de Novembrto prximo p>ssdo, man-
daudo supfiiir a Ttteaoalhiria da Provin-
cia do Rio (r.id do jX.irte com ..s quan-
lias nectssaims para as despesas con o mis
lento e reiueasa doa itctutas para o Pa-
s'.
Dil* Ao Prefeilo da Comarca de Ni
/red respondendo-lbc que teiido a
i'iefidencia concedido 2 mean da ftssnajN
ao Amanuense de sua l'n leitura Jos Car
los de S.Pedro para tratar de sua saule,
nao podo poiisso ler tugara sua demissSo
devendo pur tanto o rTefeito em quinto
durar o impedimento do dito Amanuense
empregar no Expedienta algum dos Pra*
Vas do Destacamento de Polica que fui
mais li-hil, e quando bouves>em trabalbus
que txijo segredo chamar alguma pes-
aos de Ma confiuica que sean ouvid- nao
deisara' de prestarse gratuitamente ata I
te servido.
Dno -- Ao Commandinte do Bigue --
Cuiistanca respondeiido o seu ofiacio eo
que pede aulorisavo para proceder a cer-
ios airanjos nos Paies do r ferido liti-
gue ; que a vista da informaca do Ins-
pector do Arsenal de \lannha e das ter
minantes oidens da Sfcretaiid de Estido
des Neg.cios da Marioba de 1 5 e 22 de
Outubro e5 de NoTembro destoaono as
quaes recommeii'la a mai.ir economa nos
Navio da Armada estacionados ueste porto
fino de que com este ramo do servico nio
exceda a qoantia marcada, nio pode por
ora ter lugar os sobieditos arraBJua, de
vendo resrvalos para quando Se fiser o
grande concert que pnci-;i o mencionado
Brigue.
Expediente do dia i3.
I
Offirio Ao Inspector da Tbezourarii,
transmittlndo-lhe a ordem do Ttiezouro
Publico Nacional, sob n. ^78 concedendo
mis 4o difs de licenc' com vrneimento de
ordenado ao Amanuense d Alfandeg-i desla
Cidade Manuel da Fonccae S Iv.i pira
tratar de sua saude.
Dito Ao mesmo, communicando Ibe
que adiando se o mesmo lospecior mtii
rulado no Monte Po Ge.ial dos Servidores
do K,taoV svRundo purt-cirn .o~resp'clio
I elor fm elhcio de 18 ir Outubio do
corrente anuo, Ihe envia-a nota de sua ma-
tricula, a BiB^* que proceda aos devulos
desc Oos la mrma das ordens que Ibe tem
sido dirigidas aceica dos mas coutnbuia
tea.
Dito -- Ao Presidente da Directora do
Mjn4e Pi G.e'*l do- Sc vidoies do Esta-
do cornniunjcarido-the a expedico do of-
ficio sopra.
D pirteeipanilo-Ili" que a Presidencia tem ap-
provadi a n'OTieaco fe la pela Cainai
Miinicipil da Villa do Bonito, de Joaquim
.1 ./' de Ohvejra Calaees para Cirurgio da
Vacoina d-quelle Municipio.
Dito A' Cunara Municipal do Bonito
fa/.eriiJo Ihe igual partecipuco a do officio
1 supea.
DitoA Cmara Municipal da Villa de
fi.11-una. fxigindo pata rurr)pri;u"nlo de
ordens do G vernodeS. M O Imperador,
que envi Com urgencia a Presidencia urna
copia auilyi'lira do Titulo de sua creacao,
e dos ir rinos que entio fo'o mateadas pa
ra Destricto di sohredita Villa.
Duo A Camard Mumcipal de Iguaras
mi determinando a vista do que repreren-
tuii sobre a casa di mesma Cmara e da
infn'macV que m sidencia prlo Inspi'ctor Geral das obras
Publ cas, que mude demolir o lado do
Sl do m smo Edificio visto operigo e
mnenle que ame*ca \ e arremate em has-
ta publica o mate, i ti existente das partes
desmorona ', n o que h>>uver agora de Se
exliair, a excepcio de toda a pedra de en
lar ta que faia' por a boin recato al no-
va ordem ; dando de tudo cunta e presi-'
dencia.
Portara A< direelur do Arsenal d-
Guerra, ordeb^ndo que f.ca aprontar
q 1. to Cornetas de toque para seitm re
meltiAn >a prirneira uccasiio ao EfQV
Presidente da Provincia do Rio Grande do
Norte, que as icquesila, para o destacamento
ali extaciunado.
Expediente do dia i..
OfficioAo Comm-ndania das Armas,
communicand )-lbc que por Avizo da S-
rretnia di Gjerra de i3 de Novrmbr
findo D terminou o R gente em Nome do
Inprador, que su passasse guia aoCi-
rii'giao M se de
Frfiia fim de que IJie s" 6 pagos os seus
venc mentas pela Piovinia de S Paulo on-
de a< tualmenlereside.
Di lo A Inspector da Thesourara,
communicando Ihe o conleiidu no prece-
dente olli io e ordenando Ihe que faca
passar a guia referida e a remeta a Se-
e.ieria da Presidencia.
D'io Ao Commandunte d-.s Armas,
pirlecpando-lhe, que o Regente em Nome.
do Imper.dir. por Avizo da Secretaria da
Guerra de\ 4 de Novembro pp d< teruiiunu
que por esl.a Provincia se binasse 00 pM-
ni. i-o de M neo prox. fuellirn em d'.Uile a
familia doCc'pitao MnoeJ l.iui TV"*"**
de Aibuiiueriid'' MariiibaS doan mil reis
men>aes por conla do vencimenlo do refe-
rido (licial.
Dilo -- Ao Inspector da Tbesouraria ,
comunicando Ihe o conleudo no pr rden-
le 1 Hiri, e ordenando que txpeca as con-
venienlus ordeus par. que se tlfcctue o
refrido abono,
Duo -- Ao mesmo partecipando Ibe qu4
lendo o Rr-g-nle em \ome do I operador
por Decreto de 5 de Novpmbro ultimo re-
movido o Capno de Alai- e Guerra p'ian-
cco de Asis Cabral ib- Teivo do E-npiepo
de lospeclor do Arsenal dd M-i mha desla
l'iovmcia para ii servir Empree idenli -
co na do Maranboj cumnre que Ihe mn-
de i,bonar a i^uaolia de 16 Uooo reis para
ajuda oe cinto como dt termina o Impe-
rial Aviso da S cietaria da Vlariuba de 19
uo referido mez
Dito Ao nieamo tran as segninles o'deus do T- btioftl d.i Tbe-
zouro Publico Nacional seb niim. 79 exi-
gmdo urna conla circunslanciada de todas
asdespes.s fetas por es'.a Piovincia por
cunta los diferentes Ministerios com a re-
vuluc. 5 do Pai de-de que teve lugar O as-
aassino do Presidente Bernstdo Lobo d
S.uu lano cjm a remessa de dinheito
como de Tropas e p-tr ebos bellico.
S b DUID. 80 atoinpinbando 2o rxem-
plaies das Inatrucom ns de 12 .e Novembr--
11 o (Mrente armo p.ra exteuc- do arl. 19
da Lei de 20 de Outubro ultimo sob o N>
00.
Sob num. Ji3 dando vairai disposicea
acerca d^expedifao dos M .infestos e Gui-
.is de luercadoriaa destiuadas de uns pata
oulros Pollos do Imperio.
.Si b num. 84 determinado que as
cerliUoens que se passarem uas Alfandeg*-
de nificauori.-s Eslrangeira que hi ha-
ja entrado viudas das nutras Alfand.ga
do Impeiio se faVa express decUrac 6 do
lereui vindo acuropan..adas de caria da
Guia.
Dilo _Ao Pr.feito da G marca do Re- N
cife, communicanuu Ibe, qUe kudo mOo
lemettido para esta Cidade pelo Preleilo
da Comarca d Limouru o Reo Joao Alvea
da Rocha condemnado a 7 anuos de priso,
iufoimaudo ao msmo Pr.letto, quo '


BUllO DI PENAMBUGO
Cadeiadaquella Comarca nao lera anecessa
ria seguranca; cumpre que conseiveo Jilo
Reo na Cadeia desu Cidada a fim de que
se possa cumprir a disftozicao dos Artigo*
47 e 4^ do Cdigo Criminal ficando na
inlelligencia de que devei reenviar o
mencionado Reo pua aquellt Comarca ,
logo que se conclua a obra da respectiva
Cadeia.
Dito Ao mesmo communicando-lrn:
que tendo a Presidencia em vistas as cali-
zas que leve o mesmo Prefeito para nome-
ar interinamente a Bernardo Jos Martins
Pereira para Fornecedor dos Presos Pobres
de Justc< da Cadeia desta Comarca segun-
do declara em seo officio de i a do corren-
te ; tem demittido a Thome Ribeiro Go-
mes dos Santos do referido Erapreg > no-
meando para o substituir ao mencionado
Martins Pereira.
Dito Ao Inspector da Thesourari* ,
communicando-lhe o conleudo uo prece-
dente offici".
Dito Ao Commandante Superior da
Guarda Nacional do Recife, respondendo
ao seoofficiode 12 do corrente acompa
nhado da parte que dra o 'Pnente Coro-
nel Chefe do i. Hiiilhjo contra os
Guardas Nacionaes Joa Jos Oa ves e
Manoel Jos Xalaca Jnior pela insuhordi-
naca que praticara na Panda do Da a;
que os referidos Guardas devera ser puni
dos em conformidade da Le de ib* de A-
gosto de 1831 e do Decieto de a5 de
Oulubro de 185a : e quanto as insubor-
dnalo s que tem praticado alguns Offiea-
es Superiores a Presidencia sent bastan
te que o referido Commandante Superior
as ten lia dtiado passar sem fazel-as punir
como manda a Le e exige a urdem e
regulandade do servico da Guarda Naci-
onal.
Dito Ao mesmo communicando Ibe,
que constando pela informaco que se I lie
enva do Commandante do E-quadfio de
Cavalaria deste Municipio que < mandantes dos Corpos de Infantaria das
Legies de seu Commando dspenso de
todo o servido aos G. N. respectivos, urna
vez que tiles concorrlo com certa mentali-
dade para tusieniacSu das mmiras uqun he
evidente abuso de suas atlribuices e me-
rece ser reprimido com as convenientes pro-
videncias ; cumpre que informe sobre este
obiecto ludo quanto lem occorrido.
Como o Aviso de 19 do pascado mez
de Novembro, comunicando-rae le sido V.
S. removido por Decreto de 5. do mesmo
mez do Em prego de Inspector do ArcnI
de Marinha desta Provincia para ir exer-
cer Emprego idntico no Maranli o orde-
na-me que o faca quanto antes partir para
mencionada provincia e Ibe mande abo-
nar a quantia de los'ooo reis para ajuda
de cusi ; determino a V. S. que se a-
prompte para seguir ao seu destino na 1. -
Emba cacao Nacional que der a vella pa-
ra aqueile Porto, fcaudo na inlelligencia
de que te-ubo expedido a Tbesouraria a ne-
cessariaordem para o pagamento da dita
quantia e que nesla data bei Horneado ao
Capitn Tenente Joaquim Jozc Ignacio pa-
ra o substituir nesse Arsenal depois da sua
partida, eal que chegoe o seu sucessor.
E como durante a uimba Presidencia se
portou V. S. com zelo inteligencia e
actividade do desernpenho dos seos deveres
e de todas aa Commisses que por este Go-
verno I he lorio encarregadas principalmen
te quando leve este Governo de remetter
expedices de tropas para diversos pontos
do Impeiio, nio posso deixar de aprovei-
lar esta oecasio para o elogiar e dar-lhe
este publico teslemunho da minha satisfa-
zlo ; esperando ao mesmo tempo que rede
brar anda os seu* bons esforcos 110 novo
Encargo para que o Governo Imperial hou-
ve por bem cbamal-o. Dos Guarde a V
S. Palacio to Governo de Pernambuco
14 de Dezembro de 1838. Francisco do
llego Barros Sr. Capita de Vlar e Guer-
ra Inspector do Arsenal de Marinha Fran-
cisco de Assiz Cabra I de Teive.
Illm. Sr. Tenho presente o Officio,
que V. S. me derigio a 3 do correte mez
requesitando as convenientes ordens para
ser desembarcado de Bordo do Brigue
Cnst.inca -- o Mrinheiro Sardo Jos An-
tonio Rosso que sendo recrutado na Corte
do Rio de Janeiro, seguia immedmtamen-
te para esta Cidade sem que o respectivo
Consol tivesse tempo para fazar as devidas
renlamacss. E em resposta devo signifi-
car a V. S. que nio pode ter lugar o das-
embarque do referido Mrinheiro, a vista
do Imperial Aviso de 11 deOuttibro deste
auno, tletorminando que esta Presidencia
nao possa fazer desembarcar dos Navios,
que aportarem ou se acharen) estaciona-
dos neste Porto sem expressa Ordem
Secretaria de Estado dos Negocios da Mari
nlia senio as Praca* que aqui forem re-
crutadas, cumprindo me anda aecrescen
tar que V. S. foi menos bem informado
quando afirma ter mencionado Marinhei-
ro seguido immediatameote para esta Cida-
de depois de seo recrutamento, porquan-
to sendo elle remedido no da l.deOutu-
bro deste anno para bordo do Constanca a
partida somente verficou-se no dia 7 como
me informa o respectivo Comandante.
Agradeco a V. S. os protestos que faz
de sua estima e consideradlo a minba pes-
soa eapproveito a occaziio par renovar-
Ido os roeus. Dos Guarde a V. S. Palacio
do Governo de Pernambuco 1 \ do Dezem-
bro de 18 38. Francisco do Reg Barrea,
Sr. Vce Cnsul da Sardenha uesta ^Pro-
vincia.
Portara Mandando ptssar Provises
de Inspectores do Algodo a Domingos
Lourenco Torres Galludo, e a Mauoel B-
zerra Cavalcante.
COMMANDO DAS ARMAS.
Expediente do dia 17 de Dezembro de
1838.
Officio Ao Exm. Presidente disendo-
Ibe que da Provincia d Parahiba viera
recrutado, e se acliava com praca n l'n-
Inlhio Provisorio de Cassadores Vicente
Ferreira que contando a penas i3 an-
uos se lornava por isso intil para o
servico. Que nao podendo ser comp-l-
lido a servir na Primeira Linha e nao
salisfasendo o fim para que fora recrutado
S. I'.vc. bouvesse de he mandar dar demi-
cao ououtro''estino.
Dito Ao Commandante. interino do
IVitMli.io I'tovisorio nrlrniino-lli'-, que
fisesse marchara ser presentada ao Com-
mandante da Fortaiesa de (amarar urna
jaco! la de 10 bomens Com mandados por
um Inferior hbil tica nao na inlelligen-
cia deque cinco destas pracsa ficaria ali
destacados em lugar de entras qus se
mandara recoiher, e que as outras cinco
com o Inferior voltarilo 110 fim de 3 das:
da va otitias disposicoens sobre as pracns
destacadas e vencimentos que devio le-
var.
Dito Ao Commandante da Forlalesa
de lunar ua ,' cotnmunieando llie a mar-
cha da escolta mencionada no anteceden-
te officio, mandando castigar com 5o pran
clmdas a urna das prapae ali existentes por
insubordinada, e tender a oais qualro,
iju devia ser conduzidas pela oesrai es-
colta da qual licaiio cinco soldados d>s-
tacudos em subslituicaos que se uian-
daro tender
Dito Ao Commandante Gial do Cor-
po de Polica disendo-lhe ter mandado
assentar praca aoa| Individuos, que pa-
r.i esse fim Ihe havia remettido com seo
officio desta dat.
. Dito AoJ Inspector da Tbesouraria .
requisitandn as es de ollicio do Capita
Graduado do Imperial Corpo d'Engenhei-
ios Sebastia do Reg Barros e do Ca-
pitn do 4.Corpo d'Artilheria Francisco
do Reg Barro-.
Dito Ao Commandante interino do
4. Corpo o'Artilheiia communicando-
lhe ter mandado render ai cinco pracas do
Corpo do seo Commando, que estava des-
tacadas em Itamatac e castigar a huma
deltas com 5o praochac'ai por insubordi-
nada ; e recommendando que nao s so-
bre esta como sobre as outras devia estar
em observaca a espeito de suas condu-
ctas.
Dito Circular J A todos os Coraman-
dantes das Fortaiesa recommendando-
Ihes a leilura dos Artigos de Guerra e
Ordenanca de 9de Abril de i8o5 as pra-
cas de suas guarnicoens nos das de paga-
mento e que devia em pregar todo o seo
zelo e cuidado na manulenc5 da Decipliua
sera a jual Tropa se tornara intil.
Portara Ao Commandante interino
da Fortaiesa de reamar en dando-lhe va-
ras disrvisicoens acerca do dcstacameolo ,
que ali fasia o serviej.
Diversas Repartiyoens.
ALFANDEGA DAS FAZENDAS.
O Brigue Inglez Herona vindo de
Liverpool entrado em a4 do corren te
Capita Jonp Jos att consignado a H.
L.thini k Hibli-.-rt.
Ma*nifestou o seguinte.

3 Fardos com fasendas de algoda ,
i55caixas com ditas 7 fardos com dita
de la 5 eaixas com ditas, i5 fardos com
ditas de linho 5 eaixas com dita l dita
com miudesas ia birricas com ferra-
gem 34o birricascom manteiga 100 di
tos com chumbo to gigos com I ruca ,
3o barricas coro louca, 1 caixole com dita.
Fura do Manif-sto.
9 Embrulbos com amostras j caixoti-
nlio com ditas.
MEZA DO CONSULADO.
_ A Pauta he a mesma do num. a78.
ARSENAL DEMvRINHA.
O Inspector do Arsenal de Marinha a-
viza a todos os proprielarios e consigna-
tarios de Embircacoetis que o fretamen-
to da Embarcaco qu se tiuha de ftelebrai
poro mesmo Arsenal fca transferido pira
o dia a de Janeiro vndouro p r nio se
ter concluido boje a4 do corrente.
Inspecco do Arsenal de Marnhi d"
perna mbuco a4 de Desembro de i838.
Francisco de Assis Cabral e Teive.
Inspector.
PRFEITRA;
Parte do dia 23 de Desembro de i838.
Illm. e |Exm. Snr. _Fora presos hon-
\ Manoel Jos da Cruz pardo soldado do
liatalho Provisorio, pela 1. patroUia do
districto de Fora de Portas por estar es-
pancando a um maruio ;. Benedicth pre-
to escravo de Manuel Crrela Baptista
Nihips pela 1. palmilla do districto di
ra Nova por ter querido forcar a huma
pela em sua casa ; Manee-I tambera pre-
tu escrato de Manoel Caetano Soarts ,
por um soldado de Polica por estar fui
lando urna tahua ; e Miguel Arcanjo de
S, Tiago, lambem preto, pela 1. m-
tuillia da Santa Cmz por biiga.
E'oqueconsta das partes boje recebi-
das nesla Secretaria.
lieos Guarde a V. Exc. Prefeitura da
Comarca do Rerffe a3 de Desembro de
1838. Illm. e Exm. Sr- Francisco do Re-
g Barros Presidente da Provincia
Francisco Antonio de S
leito da Comarca.
Brrelo Pre-
Parte dia 24*
Illm. e Esm. Snr. _. Fora presos bon-
tem a minba oidem e tivera destino:
os preos Manoel, Francisco, Jos escra-
vos de Joa Xavier Domingos escravo
de Martinho Jos- de Souza Antonio, es-
cravo de Joo Rodrigues da Silva Anto-
nio Mocambique, escravo de Jos Ber-
nardo e Antonio Joaquim escravo de
Joa Izidro pelo Sub-Prefeito da Fre-
gursia de Santo Antonio por estarem re-
unidos em um grande batuque na ra da
Concordia e rauitos alaridos ; Manoel
iniz da Boa-viagem pardo menor, e
llanbhrislin Jessen marujoDnamnrquez
pelo mesmo Sub Prefeito este requisi-
ca do respectivo Cnsul por desobedi-
encia e aqueile por ser desordeiro, e
faquisla ; Jos Antonio de Alrneioa, bran-
ro pt-lo Official d'Eslado do Corpo Poli
cial por ter ferido com urna faca de ponta
a um pelo; Jos Joaquim de Santa An-
ua pardo, pelo Commissario de Polica
da Freguesia do Recife por furto de um
par de brincos de fila grana segundo a
queixa de Rita Mari* da Penha ; Joanna,
preta eicrava de Manoel Luiz da Vega,
Clara tambera preta, eterava de Ma.
noel Domingos pelo Sub-Prefeito da Fre-
guesia de S. P.-.dro Mrtir por suipeta
de.estarem fgidas.
Nada mais^consta das partes boje recela-
das r^>ta Secretaria.
Dcos O>rde a V. Exc. Prefeitura da
(>mai; 1 do Recife 1 \ de Desembro da
i838 &c.
PROMOTORIA PUBLICA.
Denuncia perante V. S. o Promotor.
Publico desta Comarca do pardo Alexan
d re Zacaras de Barcellos preso na Cadeia
desta Cidade : funda-ae a denuncia em
haver o denunciado furtado no dia 11 de
Novembro p. p. o preto Caetano escravo
de Joa Jos Altes o qual foi ppreben*
ddo na da 1 \ do sobredito m 'z. A. e J.
esta com os Documentos juntos dgne-se
V. S. de mandar notificar as Testemunhas
a margem c proceder como he dn direito.
Recife t de Desembro de i838.
Jote Thomaz ISabuco d'Araujo Jnior.
Denuncia perante V. S. o Promotor Pu-
blico desta Comarca contra Manoel da l'ai-
xa pardo e o indio Simo presos na
Cadeia dla Cidade e consiste a denuncia
us lacios horrorosos que se seguem.
Matou o i. Denunciado ajudado do
a. e por paga no anno de i83a no lugar
da Birra da Catuama Freguesia de Tegi-
eupapo desta Comarca com hura tiro de
Infamarle e trez facadasa Jos Jernimo
de Macodo branco solteiro morador
que foi na Praia de Mara Farinba : este
crime foi acompanhado de um baibaro sa-
crilegio: anda semivivo o infeliz os De*
nunciados o en tena rao dentro da Capella
do sobredito lugar cuja porta arrombaro
* ah sem remoraos e temor de Dos ,
arremedara o funeral Religioso deno-
minando-se Vigario o l. Coadjutor o
a. Denunciado exclamando em altas vo-
zes que era agoa benta a ourina que verti-
do sobre o cadver da sua victima. Teste-
munhas os Individuos de nmeros 1 al 5.
Malou o 1. Denunciado rom hura tiro
de bacaraarte no lugar de Atapuiz Fre-
t;tiodia do S. I -o uro nao de Tedien papo ,
no auno de ]8a8 o pardo claro, casado,
morador no mesmo lugar de nome Manoel
Jos, por alcunha Perna-gorda, delicio
que nao prsete veo pois que se nao deo o
requisito de assistencia sem inlerrupcio
dentro do termo conforme o art. 5t do
Cdigo do Processo. Testemuubas os In-
dividuos nmeros 6, 7, 8 da Rcllaco
junta. ^
O mesmo 1. Denunciado lento 11 matar
no dia i5 de Julbo de i8a8 co 11. huiu tiro
de bacamarte que dispaicu mas que por
acaso naaceitou 1 parda Mara de An-
drada na l''r temunhas es Individuos nrmeros 9 10 da
predila Rellaca.
Ateutativa de um parricidio, e pancadas
na prnpria Mai saos dms ltimos crimes
commetlidos pelo 1. Denunciado. Sao
Testemunhas os Individuos nmeros 11 ,
12, 13. A.e J. esta com os Documentos
juntos digne-se V. S. de mandar notifi-
ear as Tealemunhas e proceder ao Cor-
po de delicio indirecto sobre cada hum
crime e aos de mais termos do processo.
Recife i9 de Desembro de i838.
Jos Thomaz Nabuco de Araujo Jnior.
CMARA MUNICIPAL DA CIDADE
DE OLINDA.
Sessio Extraordinaria do 24 de Setembro
de 1838.
Presidencia do Senhor Guedes.
O Presidente abri a Sessa estando pte-
zente os Snrs. Vereaddres Dr. Roielles ,
Laage Jnior Albuquerque e Figuei-
redo ; fallando com cauza os mais Se-
nhores.
Lida a Acta da antecedente foi appro-
vada.
O Secretario nao mencinou oficios por
os nao haver recebido.
O Presidente declarou qoe havia marca-
do a presente Sessa para efjeilo do Pro-
curador Antonio Pereira Diniz apresentar
suas contas do trimestre 3.* do corrente
anno financeiro que tem dixado de o fa-
zer para o que fora partecipado por officio


..' ''
DA RO DRPERNAMBUCO
o
i
de ao do correte para comparecer na Ses-
s*5 de hoje e como n5 comparecsse :
resol veo a Cmara que se officiasse ao Ad-
vocad j da isesma para requerer no Juiso
competente para seren notificados dito
Procurador e seo fiador Jos Ferreira C<-
ta6 para assistirem ao bataneo que se v
proceder contra o dito Procurador para o
que por veses tem sido avisado e fofa sus-
penso pelas faltas eoroiss^ en que tem
cabido*
Nesta Sesseo andou em Praca os con-
tratos d > Patrimonio pira serem arrema-
tados e tsrero principio no i. de Outu-
bro do correte auno.
Houvera varios requerimentos de par-
tes que se despacbaio e por ser dada a
hora o Presidente levantou a SessSo. De
?: fiza present' em q' assignaraG. Eu Jos
oaquim de Figueredo Secretario o es-
crevi. Guedes Presidente. Laage J-
nior, Bozelle Albuqueique e FfcUe-
redo. Est conforme/
O Secretario.
Jos Joaquim de Figueiredo.
Diario de Pernamhuco.
E'-nos assaz doloroso o nao podermos
dar a os nossos Leitores lisongeiras noticias
sobre o aclui I estado deste Imperio, roas
sim reiterar as que temos dado no curso do
correte anno; accrescentando de mais
nio s o disgosto, com que vio o Brasil
encerrada a i3-' Sesso da Assembla Ge-
ral como tambem a vergonha que pa-
decen) os bons Brasileirus de verem o ex-
cesso com que contra o Governo se por
la algumas foihas, que se dizem orgos
da opposicie.
Por opposicio entendemos nos e en-
tendem todos o acto, pelo qual alguna se
oppa s determinares do Ministerio.
piando ellas fio de encontr felicidade
publica, ou mesmo, nio se dando esta
circunstancia, quando se pretende, que
se elucidera as questss, a fim deque
verdade se d-ixe ver em toda a sua pure-
za. E'a opposiro a garanta dosuver*
nos Constituciouaes.
Mas quo difirante da opposico nao
a satyra mordaz que vemos apresentada
por esses Esciiptores a os olhos do publica ,
como filo nicamente de se ver pi i vado o
Governo da forca moral, tio necessaria
para o bom andamento da c.iusa publica ?
Pennas taes cortamente nao sao dirigidas
pelo amor da libedade: lal mbico quem Ibes dirige a mi ; e o de-
monio da intriga o smodeo, que os
oonduz sobre r.s lectos das cazas a fim de
examinaren at o que se passa no interioi
d'cllas. Naodissemos bem : o demonio
da intriga quem Ibes inspira as palmares
lalsidades que contra o Governo diaria-
mente se urdem.
A obrigacao do escriptor publico dizer
a verdade: e como o encarregado d'uma
inissio tio nubre pode aviltar-s a o ponto
de usar d'uma pbrase mais propria do de
bochado soldado e do ebrio marinhuiro .
do que digna dos fillios de Minerva? E'
mesmo u.u preceilo mui vulgarisado entre
os alumnos d'um Collegio que se devero
corobater as oppinio-a sem que se moles
lena as pessoas, que as seguem. O con
trario destd mxima philosophica prova cla-
ra, e evidentemente os efleitos do odio ,
eda vinganca ; ms nio a effuzio d'uma
alma verdaderamente patritica ; e qui-
zessem os Ceos, queelles, para felicidade
do Brasil, e mesmo para crdito de seus
escrip'ores, tivessem sempre viva a |em
branca das palavras de Rulilio. Este lio
mano, lendo sido injustamente desterrra-
do, leve um dos seus amigos, que para
consolal-o Ihe di.se M que brevemente se
elevara urna guerra civil em Roma e
que pelo favor desta desordem geral todos
os desterrados seriao logo chimados do
seu desterro. Que mal te tenho eu feito ,
respondeo immediatamente Rutilio para
me deaejares urna volta ainda mais triste ,
que o proprio desterro ?
Quando os Brasiieiros serio Rutilios !
Quando o Brasil dar a o inundo estas li-
cdes.de patriotismo !
Em um Governo Representativo tem o
como dos Ceos d'onde elle espera todo o
seu bem e toda a sua felicidade; et ele-
vatis oculis in r-mlum unde venit auxi-
bum nobis bem pode dizer elle. Mas
qual nio o seu desalent quando v
frustradas suas esperances.
Em ao de Outub o enceirou-se l3*
Vssio sem que nada ou quasi nada de
til se colhesse de tantas formalidades, de
lio innuteis discussdes, e de tanto dinhei-
ro gasto Naci. Mas teremos de ser sem-
pre engaados em nossas esperancas em
quanto a caballa nio for Torosamente
castigada, e em quanjo a permutacio
dos votos na occasiio das elekas nio
for coociderada como um acto illegal, e
opposto ao fim a que ellas se dirigem ,
que escolberem os cidadios pessoas vir-
tuosas e sabias em quem depositen) suas
esperancas. E'lamentavel, (fallamos ago-
ra de Pernambuco^ e digno da sensura do
patriota sisudo, ver, as vesperas das e-
leices cruzaren) se as cartas em que se
encontra quasi a seguinte phrase Ami-
go si qu mo pode a sua influencia nesse
Collegio ; por tanto espero que trabalhe .
para que seja votados era mencionados na
chapa inclusa fiendo certo de que V.
S. eo minba lista e. as dos meus amigos etc.
etc. Ora assim como a permutacio
nocommercio prova a falta de numerario ,
assim as eleicSes tem sua rasio sulli -
ciente na falta de patriotismo.
Leamos agora um pargrafo que extra-
amos d'um Commuuicado assiftnado por
P. B. que vem inserto em o n. 86 do Cor-
reio de Mioas.
Vergonha, opprobrio a esses homens ,
que nio p >derau sofrer quinze dias de tra-
bilbo quando o Brasil reclama lio u>gen-
te os servir. as de todos os seus fillios O
Rio Grande est em armas, epede soccor-
ros de todas as parles ; o Para clama por
tranquilidade : a Babia existe em sustos ; e
todas as mais provnolas do Imperio pedem
paz e ordem copsolidacio das Inslituic-
es segura rica do Tbrono da Constitui-
dlo e da intpgridade da Monarcbia : um
imposto dn sanp,ii* f ili ilinli.-iro p.>st oo
bre- a Naci : e neste momento que os
deputados abandonio a Cmara, recolhem-
se a suas casis olhio com indifferenca
para aj Causa Publica / Vergonha op-
probrio aos egostas aos interesseiros, ans
filbos'degenerados do Brazil. O exemplo
fui dado pelo Sr. Paula e Souza ; mas foi
bem seguido : esse Nobre Senador pode a.
plicar a si as palavras da Esciitura : Exem-
plum dedi v.Ius ut quem idinodum ego
feci ita et vos fsciatis.
O Brasil niose salvfrn d'este modo. "
A Providencia permita que dias mais
bonancosos nos traga o anuo de l8<); e
que cm-4ju.uito o sol gira pelo circulo ,
que llie tracou a mi do poderoso Archi
lecto do Universo, o Brasil se nio aparte
daquelle que Iba raarcou a Constituicio ,
que felizmente nos rege.
-r*~.
do lugar de J[iz doCivel de Porto-Ale-
gre .' Btsts proferir o seu nome, hasta
lembrar que foi elle o Promotor di Cid id
de Nilheroy para que o Publico o conheca
bem e possa avalar esta infeliz uomea-
cio Muitoa outros Bscharei* se preter
rao, que a eu favor tinh -6 teda a espacie
de mereeim outros de mitras para ser despachido o
prente do Sr. Aran jo Lma Ss tivera
mereoimeulo !.... mas todos sabem que
nio.
Nio censuramos o Regente : estranho aos
actos dos Ministros sao estes os responsa-
vei$ par semelliantes nomeaces Se o VIi-
nisterio.continua em seroellianie carreira .
se os empregos vio ser proptiedade dos a
li Indos, dos prenles e por fim dos in-
dignos ... ai do Ministario .... ai do
Brasjl!,,.. (Sele d'Abril.)
Urna pergunta seria.
Tend pugnado at boje pelo crdito
dos Mirtslros acluaes julgamos-nos com
le pergontar Aurora : qual foi
d's gavrrnanteso que em altas vozes e ter-
mos pduco comedidos lomou a liberdade
designijcar a sua irritacio ; porq' urna das
Augusta Piincezas tardou em comparecer
sua reoepcio ? A accimcio be to gra-
ve que aker verdadeira nio deve pezar so-
bre todas os Ministros indistinclamente ;
e a ser falsa o nosso collega ter de passar
por liura baixo calumniador.
Mais (las pahvras. O red ctor d'Au-
roraa pretexto de responder ao Cbronista ,
trata con) muito pouco recato a Pessoa do
Mooarcba, das Augustas Princezas, e
quanto 1 h diz respeito. Pelo delicado da
materia os temos abstido de fallar n'ella .
se tom verdadeiro amor ao Monarcha e eo
Paiz deve ter mais tent : nio confunda
o Mordomo da Casa nem mesmo o Tutor
com os tres nicos Penbores da nossa exis-
tencia politica. O Tutor la na Pss.a dn
Monarca mas e t muilo longe dVlle. E
que diremos do Moderno ? !.... (Id.)
J
LOTERA DO LIVRAMENTO
As Rodas desta Lotera andao morete-
rivelmente no dia 4 de F<-verero do an>o
vindouro, ou antes, se antes se concluir
a venda do pequeo numero de B-
Ihetes que resin.
O novo Juz de Direilo de Porto Alegre.
Temos al hoje procurado defender,
quanto o permiltem nossas forcas a Ad-
mini-.trac.ao de 19 de Setembro : persuadi-
dos que os Ministerios, devem ser avahados
oio por actos isolados, mas pela soma dos
bense males que produzem temos julgado
o actual digno de nosso fraco apoio : nem
todos os seus a tos nos tem agradado ; mas
nio temos julgado vantagrm nenhumaem
enfraquecer um Poder alias j tio fraco:
um fado porem apparece sobre o qual jtal
games nio poder guardar silencio n que
faz cair a Adminislracio em grave censu-
ra.
O Rio de Janeiro se lembrar todo do
queaqui se dsse sobre a ida de um Bcba-
rel para o Rio-Grande, at como que cUn-
destinamente para nio dar nos olhos a
fm de ali ser despachado. Nio quizeroos
acreditl-o: o sujeito era de tal natureza ,
que apezar de prente do actual Regente ,
nunca suppozemos que alguem se leinbras-
se d'elle para um lugar de Juiz de Direito ,
e sobre tudo em urna Provincia, que se
acha em circunstancias tio melindrosas ,
como o Rio Grande.
E todava fomos illudido! o Sr. Jos
povo (o pobre povo j pregadas as sua) Pereira da Costa Motta acha-se despachado
vistas na Assembla Legislativa; d'ali fe empossado, por nomeacio do Governo,
Avisos Diversos.
_ Precisa-se dp hum horopm para so-
cio de huma hospedara com casa do pasto ,
almocos de c*f echa. A casa he hum
sobrado d -a andares com hum sotaS e
icm d'.us fogoes ingb-zes ; quintal coro boa
cacimba, sufficentes cmodos pra este
esiab' lecinenlo- Existe mais hum bom
biibar armado, com todcs os seus utensi-
lios promjto a trabalhar. Quem faz a so-
ciedade of'erece gratis o servico da mal).lia
abaixo transcripta: 'i duzias de cadeiras,
e mais llamas uzadss ; ilins mezas gran-
des redondas e mais 5 ditas pequeas,
(odas coro gavetas e chaves ; bancos gran-
des, a monchos, 1 canap. 1 manga de
vidro, acaslicaes, 2 lamproes para esca-
da, a garrafes, 4 bules cora cazaes de
chicaras manleigueiros e assucareiros 5
garrafas brancas com alguns copos e cali
ees de vidro. O hornero que se pretende
para socio deve entender deste estabeleci-
mento, ouaffiancar outro que tome conta
da casa, para ficar drbaixo de sua admi-
nislracio : assim como tambem se vende o
Biibar, e a mobilia ou para tirar da ca-
sa, e no caso de querer, tambem se ce-
de o 1. sobrado onde existe o biibar, ou
toda a casa : quem pretender fazer dito ne-
gocio dirija sea ra Direita sobrado D. ao,
onde existe hum biibar, a fallar com A-
nastacij Jo- dos Pasaos dono do dilo bi-
ibar emolulia eo ptfdero procurar das
10 horas do dia em dianle.
_ H para vender'Carlas finas para vol-
ta re te ditas portuguezas x superior ,
rap de Lisboa ltimamente chegado dito
massaroca do Rio de Janeiro e outros de
diversas qualidades : na ra doCabug lo-
ja D. 4-
Quem ti ver pira alugar huma casa
terrea com cmodos para pequea familia*
emalguuia ra que seja no centro do bair-
ro de Santo Antonio, cujoaluguer nio ex-
ceda de oitomil reis, annunci*.
Perdeu-se desda o Corpo Sinto %\
a Pra da Boa vista no dia 18 do corrente,
huma caixa de pratadourada a quil esla-
va ebeia de rape : quem a tiver adiada an-
nuncie sua morada pa caso de a querer restituir e promette dar-
se O valor (Lila de recompensa.
_ Precisa-se de quatro conlos de reis
a premio dando-se grande snguraocs em
um predio : a quem convier aununcie.
Quem precisar de urna parda forra
de idade para ama de casa de harneen sol-
teiro para fazer todo o servico de portas
dentro o excepcio de engomar ; quem pre-
cisar de seu presumo, a;nuncio para ser
procurado.
_ Precisa-se de hum rapas para ca-
viro no Mato : quem estiver nestaa cir-
cunstancias aununcie.
_ Quem q\iiser comprar huma escrava
moca, que sabe cosnhar lavar e engo-
mar cozer sofrivelmenle, e he hbil para
todo o servico de huma casa ; dirija se a
na da Cadeia do Recife casa de Joio da
Cunha M-igslhies.
_ Quem quiser comprar huma negra
moca de bonita figura sabe cosinbar en*
; mar lizo e cozer cbio, a qual se vende
por preco cmodo ; assim Como tambem se
vendem barris com potassa da Russia igual-
mente por cmodo preco; dirija-se a ra
dasCruzes armazem D. g.
_ O Sub Prefeito da Freguezia de S."
Antonio aviza a quem Ihe faltar huma
sevada que se entenda com elle, visto ter
sido por hum preto entregue ao mesmo
Sub Prefeito e adverte que nio entrega-
r sem que nio se Ihe d os signaes cer-
los.
Offerece-se hum hornero portugus
para caixeiro de armasem ou ('"brancas,
e que tero bastante pratica de negocio do
paiz-, quero o percisar diiija-se a ra no-
va D. 16 antes de ebegara ponte da Boa-
vista, que se Iba informar quem o an-
nuncianto.
Alluga-se huma casa no lugar do
Manguind pequeo quase defronte da
casa de Francisco Antoniode Oliveira,com
frente para a estrada, fundo para o rio do
Capibaribe ecom cmodos para grande fa-
milia ; a fallar ao major Josa Carlos Tei-
xeira.
Precisa-se de hum rapsi doschegados
ltimamente do Porto, de 11 a 14 annos de
idade; que sai ha ler escrever e contar, e
d algum abono a sua conducta. Adverte-
-eque he para Macei. A lradar no Forte
do Maltos com Firrino Jos Fellis da Rosa.
Precisa se allugar huma casa terrea,/
no bairro de Santo Antonio, para peque-
a familia nio excedendo o seu allugucr
a 'Uooo reis: nesla Typografia sa dir'.
qu<-ro aquer.
Q iein se echar na circunstancias da
tomar conta de huma loge d miudesas por
b Janeo na rua.do Queimado queiraan-
uunciar a sua moradia por esta folha para
se procurar.
Quem precisar de huma para oasa, an-
nuncie.
_ Quem precisar de um Brasileiro do
idade de 5o para mais annos para qual
3uer arrumacao dando fiador a sua co-
uda : dirija-se a na da Gloria D i4 ou
annuncie ; advertindo que o dito Brasilei-
ro 1 -ereve sufrvelmente e conta.
Quem precisar de um minino Bi asi-
eiro para Caixeiro de loja de fasendas :
anuuncie.
Precisa-se de urna mulher forra para
o servico interno de urna casa de pequea
familia: quem estiver nestas circunstanci-
as annuncie.
_ Precisa-se alugar um sobrado de doig
andares no Bairro de Santo Antonio':
quem o tiver annuncie sua morada para
ser procurado*
Perdeo-se no dia a4 d"e Desembro
da Ponte da Boa-vista at Fora de Portas
urna Carteija contendo duzentos mil reis
em sedulas sendo 8 de 10 huma de ao
urna de 100 mil reis: quem achou a
quiser ter a bondade de a restituir a mu
dono annuncie sua morada que ser jsns- ."
rosamente gratificado.
f I


i
DIARIO
D
PRNAMBUCO.
- .A.
ita*
A Juvf utude Estudiosa
O Bacrel Antonio MariaCbaves e Mrl
lo. desejindi a'-lguma roaneira con-
tribuir com o limitado cabedal de soas for-
catpara odrsenvolvimfnto inletlectual d
Jentu le de cuja illmlrico depende
essensialmente o progreso da civilis'co ,
e o augmento a s< ciedade ha coiiiebi-
do o designio de abrir n'est* Cidade do
Recifa, duna aulas, em que pretende en-
btnar as si-quintes di>cipliias.
I.Graroinatica e lingos latina.
x. Philosophia Racional e Moral.
O logar designado para estas aulas a
casa que fui ( vulgarmente f liando ) da
nev na ra da cad' ia no Recife.
A Matricula acha se aherU defronte da
Igrejado Corpo S.nlo D. i\ pnraeiro an
dar.
A abertura das aulas sera imprelenvel
mente por todo m.-z de Janeio p-oxuno
futuro oque se far publica pelo Diario
Osque ffequeiitarem a piimeira aula
pagaio nieosalmente a mdica quantia de
4,ooo os que frcquentsiero asegunda pa-
gai5o5,ooo. > '
Posto que pela oposico de Jos % e
nancio Pimen a de Catvalho a exicucio .
que contra o herd'iros do fallecido Cap-
to Mor Antonio Jos Soulo sua mu-
Iher eacaminlio os Administradores dos
fundos da extincla companhia Cidade ficasse iiiterrompido os pregSes
para a arrematacio da esa do Tbe im
desta Cidade, comtudop-la sessao que fe/
esse Senhor de sua oposico se acha no
vamenle em praca a referida casa e ser
arremetida lindo os dias da b a quem por
ella mais der coja arrematacao ter lugai
pelo Juiso do Civel da segunda vara
Offerece-se um estrangeiro para cai
xtiro de engenlio ; quem pieciaar dirija* B
a 111a do tainbia n. 18.
.- Precisa se de alugar um sobrado in
da mesmo com poucos com mudos por
ser para pequea familia nao se ollnnd"
a prreo e senJo as seguiotes roa : lar-
ga do Ri'zario Queimado ds Cruzes .
Rangel Livram>alo, Direita e'eslreita
do notario.
Mr. Kssel r< lojoeiro franee* no
atierro da Boa vista acha-se prorapto a
onceitar qualquer relogio que Ihe s confiado pelo mais c->mroodo preco ; elV
obriga-se a restituir o dinbeiro qun live
recebidoem pagamento de qual<|Uer con-
cert, que nofui bem execulado.
Desaparecen u suppe-se que foi
furtado do caixio de urna boceteirt um
par de b i neos de ouro do porto, cem iinni
pedra encamada as rosetas roga-sn por
tanto a todos os Srs. ourives ou mais
pessoasaquem for cfferpcido para rom
prar 00 nao compren e quem o live
achado querendo restituir o leve a ra
Direita no segundo andar da casa I). 5 1 ,
que lera metade do seu valor
-- Desej ,-e aloyar un casa tarrea em
bom estado e com quintal preferiudo-
se as sDguintes ras-' Tiinchei'as, cam
boa do Carino das flores 011 por detona
da ra nova como ra da Roda e imrne-
diaces ; da-se 6 mezesadianlados, ou lu
vas a hlguem que queira ceder um.. caza em
qualquer destes lugares quem tiver au
nuncio.
Avisos 3Iar>irnos
PAR* LOANDA segu vi-g-m com
toda brevidade o bem onhecido BrigOe
Portuguez Josefa, tem de. fuer smente os
precisos reparos edeve sabir at i5 de
Janeiro : a tratar com o seu Capillo Mana-
t dos Passos Gomes e Otiveira ou na ra
da Cruz D. 57.
PARA LISBOA com toda brevidade
por ler a miar parte da carg certa o bem
coaceiluadoe condecido Br gue Portuguez
Esperto deque he ( apila. Joio Amonio
Vieira; quuui quiser carregir ou ir de pas
gagem para o que tem encllenles comtno-
dos dirija-se a > seu consignatario Fran-
cisco Severiano R.bellj ou ao Capito na
praca do Corameroo
PARA MAR AMIA O' por todo o me/,
fie Janeiro o litigue Escuna Laura ve-
leiro e de recon decida maicba quem qui-
ercarregar, ou bir de passagem para o
que offerece magnifico commodos trata-
se com o capitio ou com Firmino Jos Fe-
hs da Roza, no lorie do multo.
C o 111 p ras
Urna morada de casa terrea em qual-
quer das ras do b iirro de S: Antonio ,
quem tiver an
yr^- FalliirTias ^3e porta de
Igibeira e de Padre, pira o
anno Je i83) -pelos grecos de
seis vintens as de -porta doze
rs de algibeira e pfftaca as de
almanak completo, e de l*a
dre ; todas impressas nesta Ty-
pografia, em bom papel e ptimos
Typos; e lem conhecida) pela
certeza do calculo, e redimidas
pela primeira pessoa que eei Per
nambuco fez folliinhas: as de al-
gibeira alem das noticias do eos-
tumecontem nina tabella chtonolo-
<;ica dos principaes Faclo de^ta
Provincia, um ensaio Ioj)ogra-
ftco da mesla segundo a divi-
sa das novas Comarcas e 11 m
Almanak completo : na praca
da Independencia loja de livros
n 37 e 38 ra do Cabng loja
da Cadia loja do Sr. Quaresma,
ra da Madre de Dos defronte
da Igreja venda que foi do Ite-
zende na Boa vista botica do Sr
Joaqnim J'is M-oreira Jei'r-onte
da M >t' iz, e em Olinda na botica
da na do Amparo.
Ameixas a librn a 6o e em po'co
mai< baritas sacas com milbo a 6oo ,
litas com fr-ijoa Jioo IViws do
hlllOS
piesu^los para fiambre dito poitugue
z.. marmelada, p^ssas (lia per ciixinliasde % libras, dito bisson em libras,
nozes e caix*s com charutosa 17^; na
ra nova venda D 33.
.- Urna preta rauito robusta para qual-
quer servico e um preto de meia idide ,
pira o s'Tuni de campo : na ruadas Ciu
zes D. 18.
____fjm tranclim de ouro, re tas de
ouro cortadas b rris de presuntos de cal.
do ditos de sal e tambera se vfnde aot>
qu -i I >sa 330 rs. a libra : os b pm-tas De
Cima >4-
Um g'ande sorlimento delcalungds
de h.vr.i mnio i)"|>iios para presepios ;
noallerrod* l?oa visti n ib".
Uma escrva de naca o de dade de
ii anuos : em Olinda ra de Mat|iias Fer
reir n. 3.
Urna puderu com todos os J^us per-
tenc s sita na ra Direita defronle d-
venda do fallecid > Jos du l'enlia um ca
vmIIo com cangalha ; e um p>r ds c.i\.-ru-
has : a tintar na mesroa
5 caixas para assucar do tamanho e
altura do costme pelo commxlo pre^o
de 5ooo cada uma : na la da praia serra-
ra do Caniial.
-- IJnii benita escrava de nacSo rebolo ,
de idade de ao annos be engommadeira ,
abe ensaboar cozinha o diario de um<
casa e cose cha a vis>a do comprador
se dir o motivo : na ra de to tas no pe-
nltimo sobrado antes de cuegar a Igrja
dos Martirios D 70.
-- Orna bonita escrava com l5 annos d-
dad" ptima cozuiheira de ludo insi
gna lav-ideira eeng nma bem lis > : ns
1 o 1 Direita passando a venda o tallecido
Jo.- di Penda s brado D ao.
Botina de Lisboa meios ditos sa
patos a bol nidos de bom brzeno sapa tos
de duraque para Senhoras meninos, di-
tos de co. davjj ditos de duraque selim,
emarroquim/'raiicezeii, botinzinhos e sa-
palinhos p rnera, aa palos de bezerro francez de sola
finaegrossa, chapeo do Chile de todasas
quilidades e bic.'na de boa qualidade .
ludo a preco cora modo: na praca da nde-
pendeician. 6,7, e 8.
a,].. Um rtlogio de su bonete de prata, coro
o mostrador de pr.Ua, e poiitriios deoiro ,
um anela'o moderno com 4 oitavas e l di-
amante e um rico alfinne moderno com
um grande diamante : na ra do Queima-
do 11 Typog'af'a Fidedigna se dir.
Um si|p na estrada de Jtfo de Bar-
ros confronte ao sitiado Sr. Mahoel Meo
des com frente para o na*cente contesta
rom o sitio da fallecida D Joanna no po-
ente tm urna excellente casa cal com suficientes commodos para duas f -
milias; os pretend ulesi dirijq se ao pri-
meiroandar do priaeiro sobrado passando
a Igreja nos Martii ios.
.. Duas escravas de naci loanda de
idade de 17 a 8 anuos de lindas figuras,
aero vicios ero achaques o que se afinc< ,
e fazera todo o servico de uma casa,' e uma
dila de idade de ao annos, peifeitissima
pnfommideira e cczinheia : passando
a I-neja dos Mai tirios no primeiro andar
do primeico sobrado.
.. Bicos finos e rendas largas, e estrel-
las ditas mais ordinarias para eufeites de
vestidos ricas fitas de guarnirlo de bom
rosto, ditas roais estrellas p< -riles de tar-
taruga para marrufis estojo* de duas n
vidas., e tisourinhas para unh'S tudo fino
* inglez pentes finos de maifim para tirar
piollios, esc mvhs para denles, cixinlus
dejogode loleiia chamado vispora paia
deveiliroeutda fesla, tinta deescrpveren
carnada dita preM, calungas de varios la
mandos rouitos jocosose propios para pTe-
zepios boles de vidro de varias qualida-
des para coleles as verdaderas* pilulas d!i
familia ero fra>Cos de 100 e de 5o e b
chas superiores tudo muito baralo : b
praca da Independencia n. ao, e na ra
dos Qtiarteis D 3.
Um faqeiro de muito bom goto ,
om aparrlho para cha uma rica rscriva-
.n.l.a lu. ilvindaa dois pares de Btte
ticte e um mais pequeo proprio pra p
anno, pr tinhoe tisoiira peMencente aos
mesroos castica.s caixas para rapalvotoa
duras e brincos tildo obra do porta: na
tua do Livramento D. 19.
-- Potassa de superior quilidade, > aoo
a libra ; em casa de Me. Calmont & Curo-
panhia.
- Potas Russiana de primeira sorte ,
em barris pequeos : no escriptorio do Co-
ronel Menezes, ra da Vigaiio n. i5.
- liogias pprnambucanas de cera de
carnauba iguaes as de Lisboa sup e a swue ai i;oii tem .'parecido, por 48'
a libra qu-tem sf is v-|a> ; na ra laigi
do Roza lio luj de miudezas D. 7.
Muito Superior e nova salsa panilha
rh-gada prximamente : em casa de M.i-
noel FrancisCu Pontea.
Ou aluga-se e troca-se diariamente
vellas de cera de meia quaita at t- uebei-
I' por prec> commodo: us ra do Rah
gel D 9 sobrado de uro andar.
Cera branca em porco de cem libras
pTH cima : no escriplorio dos Sr*. Lenoir
liesuciiet (i Pugei a fallar com Jos Lt
zary.
Botinsde Lisboa, meios ditos, sv
pitos a botiiiadus ditos de orelda de bom
b'terro ditos de corda vio de uma sola,
ditos de marroquim francezes pira hornero.
bollos para meninos sa patos de marro-
quim para Senhora a 64o ao par ditos de
llanque prelo e de cores ditos de marro-
quim e de duraque francezes sapatinhos
para meninos de a a 9 anuos ludo por poi-
co commodo *. no alieno da Boa vista loja
D.9.
junio a um dos canlos da bnc, qnal e$.
crava ha noticias de andar lavando roupV
de gando pela Cidade de Olinda e po-
co de panella sseverarrdo a todos que he
Tona e que deo por si 3-o'ooo ; roga-se
prtanlo a todos os capitn de campo qu'
delta liver noticia que h^ja de aprehen-
de la e levar im fura de portas caga con-
finte qutsi o arsenal de Marimba que
ser generosamente recompensado.
-c Na noite de aa do orrente d'supare-
ceo da paderia de Jos Marques Vimna y
no.mundo novo, e spe-se ter sido for-
jado unreseravo de nome Benedicto coto
os signaes seguinles, baixo do corpo r>
andar apilhetddo falto de de rites corn-
il cabeca pellada e com marcas de sica-
11 iz levxucamisae sercul. de esioupa ,
representa ler 3o annoa de idade e tem a
rall muito embarassada quem o pegar
1,-ve ao mundo novo ii. tu.ide S. Amaro,
a intrigar ao seu Sur. mencionado que
gratificar.
-- Fugio no dia 15 do correte uma ne*
gra creouU de n me Joanna re idade de
4o annos levou vestido de c\ la a/ul ja
sujo e panno da c sta de ristras encarna-
das tem um dedo do p sero unha um
braco aleijado que o nao pode estender ,
e levou um lerio aope-coco Me-te mp-
mo da fugio um moleque creoul de no-
me SeveiiflQO, que n presenta i4 a ian-
us de idide, coi fulla levou vestido cal-
sa e camisa ja soja e (ra tambero ferro
no pescocue carient" no p lem os dedos
das raaos aiguma roisa ene-, lindos ; quem
os pe;ar leva a ra de Hortas sobrado un
loa Igreja dos Martirios que aera giali-
ficado.
- No did 15 do correnle fugio um escra,
vo de nome J.aiiu m de naci angloa ,
estatura regular olhos vermelhos pouca
barba cara coroprida nariz bem chato ,
e cor bem preta orellias pequeas, per*
uase b acos finos e | s pequeos e ai-
guma coi-a apalbetados levou camisa e
calsi branca t chapeo preto filia muito
apressada, e anda prevenido de aiguns pa-
pis o que he faUo quero o pegd r lt ve a
tua do cotovelo sitio do falhcido Quaresma
*"-------::-------------------------------:------------t ttt --------------------
Moviiiieiito do Porto
Esc ra vos Fu o dos
- Em 15 de Ouluhro desapareci des-
ta Ciilad'- uma parda escrava de nome Lo-
1/.1 1.1I11'.al d* Piuvinca do Ciara com
os signaos seguintes : baixa secca do cor
po ja velin e um lano corcovada das
cosas, o rosto jaeuiugado, odos peque-
nos e naiiz um tauto grande e grosso ,
leudo um dos denles da frente de menos ,
Navios SAiiiDos no da .
ANGOLA i 19 dias, Biigne Brasileiro
Paqurle de Pernambuco de 309 Tiinel ,
"Capito ManoelJosde \iev-no Smiios,
caiga pedia- : a Leopoldo Jo da Qm<
ta Araujo ; passageiro o Biasileiro Jos
Pedro di CosU Rodrigues.
LIVERPOOL; 4i dis, Biigue Io.glez
Tlioinaz Balteroly de 3-a3 Tonel. Cap.
.I lu Laihch em lastro : a Diogo
CrabUee.
DITO ; 48 das, Brigue Iuglet Thomsz
Lwch de 188 Ton. I. Cap Caroll, car-
ga di\era.os gneros ; passagi-iio Hcroard
Alemaof
S HIDOSNOMESMODIA.
B(STON i Bngue Americano Leadu ,
Cap. Euolh Gen ti b cnrga couros e
asnear.
TRIESTRE Polaca Austraca Barn Pas-
colem Cap. Ah-xandre Boxicille car-
ga assuor.
EiNTRADO NO DIA a3
MACEIO' ; 4 das Paiaclio Nac. e Im-
perial Conceico, Commadaete o pri-
meiro Teuente Joaqnim Jos de Aguiar,
caiga madeiras para o Arsenal; pssa-
galios os Brasileiros Manoel Duaile Fer-
rtna Ferro, Francisco Jo> Rodrigue
Sac-.vem eGuilhfime Jos da Graca.
LIVERPOOL; 36 di-a, Brigue Ingle*
Heioine de 17 Tonel. VI. Jolrn Jealf^
caiga fazendas : a Latham.
SAHIDOS NO DIA a3
RIO DE JANEIRO; Patacho Nac. Paque-
te do Rio, M. Manotl hiancisco da
Silva carga viudos e agoa ardente -y
pas>geiros o brasileiro Fredenco Cir-
ios de N.'ionha com uma esciava O
Suissn Mallo Laze.
LIVERI'O. L; Patacho Inglez Tampiro
M. R-btitC. carga algodo e assu-
car.
Pern. ha Ttp de u. r. de r -- 1838.
-.
t


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EDJ9PR8PB_S2E07I INGEST_TIME 2013-03-29T16:59:41Z PACKAGE AA00011611_03674
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES