Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:03673


This item is only available as the following downloads:


Full Text
AUNO DE i838. SEGUNDA FE1RA
CAMBIOS.
*
Dezemhro at
Lond.es > Os. Si. pefs#ooo eed.
Lisboa 90 par >oo premio, por metal. Nora.
Franca 3i5 a 33o Hs. por franco.
Rio de Janeiro ao par.
Moedas de 6'#4oo 14/400 as velhas nota I i4f<>e*.
Pesos Columnario* ijjuioa i#63p
Pillos Mexicanos i|5oo a ijj'boo
pataccs Hiasileiros i|(6oo a l|6lO
Premios das Letra 4, pjr me* i a t(4 por t0-
Cobre ao par
Partidas doscorreiosterrbste8
4 DE DEZEMBKO. MJlfcfcO **k
Tpdo agora deptqde de n{>s mesmot da nossa prudencia
tnodciaco e energa: coritihuemoi como principiamos,
seremos apontados cni admirecio antre as flauta man el-
proclamacJo da Assemblea Geral do Brasil.
Cidade d Paraiba e villas de su prelencao '.
Cidade do Rio tiran le dx Norte, e Tillas dem .
fcdade da Fortaleza e villas dem .'......
Villa de Goianna...........
Cidade de Olinda............
Villa de Santo A rrlo i -........
Dita de Gara ilium e Poyo-c*o do Benitw. ....
Uittas do Cabo Serinhaem, Rio Por-noso, e Porto Calvo
iJidade das A |goas e Villa de M acet......
Villa de Pajau' de f"lprei..........
Todos os correios partero ao meio da.
Segundes SetUs feins.
Todos ot *Vi
Quintas fei'*s.
Das 10, e 14 de
bleB 1 it, *
dem dem.
dem i3, ditto dille
';$.
m.
dido.
vobsereve-se para esta folba a mil reis meosaes paeosadi-
aiuadoa nesta Typberatia, ra das Cruces 3, e na Pra.fi
da Independencia U. 37 38., onde se recebero correspiMv-
dencias lega usadas eannuncios: iMir.indo se e$Us frlfl
sendo dos propiiog asignantes, evintlesassignados.
OAS DA SEMANA.
1
,? Segunda .lejnm S. Gregorio"'M. Aod. do Juit do'crine dtt. e seaao da T. P
a Trra j?>jf NasCimento .oe^l. *S., Jess Chnslo.
96 (ut.ru 4< 1 eilava S K>tt:vio Protomartir.
f] Quinta f< 1. nita S J Su Ap.
38 Seila iff i- d.ta Q. Santos Innocentes.
>q Sahlwdo S Thonuii Are RelaeSode manfla e aiiil. doV. G. e Olinda.
3o Domingo S. Sabino B M.
Mar clieia para o dia ?4 de DezembrO.
Al 10 horas 54 minutos da raanb Al il hora 4'i minuto! da larda.
_si
-*------t.

PARTE OFFICIAL.
RIO DE JANEIRO.
DECRETO.
O Regente rm Pime do Imperador o
Sor. D. Pedro Segundo ten sanecionado,
e manda que se execute a seguinte reso-
lucio da Assemblea Geral Legislativa.
Artigo 1. O Governo he autorisado para
despender a quantia de 3 70 cantos de res
elem da despesa fixad para o crrante an-
uo financeiro, pe lei de 11 de Oulubro
de 18^7, numero loti, a saber :
Pelo Ministerio do Imperio 5o:oooUooo
Pelo dus Negocios Estian-
genos i i6i i-j5U >oo
Pelo da Marinba 8j8iUooo
Pelo da Guerra q ji: iSdLjoo
Pelo da Fasenda 1,81,6 6 jUooo
Artigo a. Para supprir a defficencia das
rendas ordinarias, o Governo I -ra' ai re-
cadar, do l.c de Janeiro prozima em.di*
anle, quaesquer imp<*ic s que tenhio
sida decretadas na lei da O cimento pira
o atino (inanceiro de i8Jg a 184a, anda
que sejo acompanhadas da clauiili, ae
cerem cobradas desde a su pubJicaiao.
Artigo 3 Menhum efedor lea' accao en
juiio por letra, de que ua tenh pago
iim st-lio na rasio de l |a por 100 ao auno
do respeclito Regulameuto para a cobran
9a d' esle imposto, que Pica applicadoao
pagamento du presente crdito.
nico. iNt-nliuma Ittia pagara' menas
de 3uo reis de sello.
Artigo 4 Durunte o inno fnaneciro
desla lei, continuara' aioda suspenta a/a-
raoiliscao dos emprtttimos brusileircsem
Londres ; e para* a amortisacio da divida
ioletna fu ao applicdas a pulices perteo-
cenes sos coftVes dos depsitos.
Aitigo 5 Quando nao bwftiiii para
pnbenclier a >uma desle ciedito as rendas
titeretadas nosartigos antecedentes, o Go-
verno podea' iiav.-r eswa f^lta pelo pio-
ducto da venda de 4plices de fundos pu
Micos de 6 por ioo, que fica autborisadu
a eruitlir tu qual.juer mercado que oQe-
reca maiores vantagens. iom a condico io-
rem de serem pagos os juros dellano Rio
de Janeiro pela cnix de Amoriisacio in-
dependentemenle da ap^esentacau das mes-
Di; fioiido para ene fim soOn ule reTi>ga
das as di;posices em cont'aiio da le de 1 5
de iSovembio de 183?. O Goernodar'
os regulamenlos precisos para a boa execu-
co deata medida.
Aitigo 6. Fica tamben o Governo aulo-
risado a aceitar proposta de possuidores de
apolices da divida externa que queirlo re-
ciber no Uio de Janeiro o equivalente dos
juro* deltas.
Miguel Calmon dn Pin e Almrida, do
Couselbo do mesmo Augusto Senhor,
ministro e secielaiio de estado dos negocios
da fasenda e presidente do tribunal do tbe-
ouro publico nacional, o ten tu assim co-
lendido n faca execulsr oom os despachos
neC'.8%arios,
Palacio do Rio d Jmeiro em 12 de ou-
lubro de 188, de.imo elimo d* Inde-
pendencia e da Imperio Ped o de A'&u
jo Lima. Miguel Calmon du l'iu do Al-
tneida. ____ _r||^
-----------;----------1----------------------
PERNAMIIUCO
GOVERNO DA PROVINCIA.
Expediente do dia 10 de Desembro de
* 1838.
Oracio AoCommaudante das Armas,
i'ominunicando-lbe que fui nooaeado para
servir ha Provincia deMatlo G'osso n se-
gunda Srgenlo Pailicuhr do qusrto Cor
o de Artilberia Juio Pinheiro Guedes
eoufoim a partecipaclo fela em Aviio
da Secretaria da Guerra de a3 de Outubio
p. p e que em cosequeucia expec precisas ordens paia que o referido t.
Sargento sej desligado do mencionado
Corpa.
Dito Ao Inspector da Tbesouiaria ,
psileci|ando-lbe que o Regente em N-
me do Imperador por Aviso dr Secietaiia
da Guerra d<- y de Novembro ultimo II.m
ve por bem Diei minar que do prineiro
de .M nci do fucturo aouu em dianle se
hIi >ne meii-almente por-esta p'OTincia.ao
fil'no d ) Majoi Jjo da Gama Lobo de Ari
xers, ou a sen piocurador a quanda de 3 >U
reis, q'ie sera' disconlada no Para' dos
venciments do'meMSO M lauto expeca as c .Tenientes ordens para
que lenlu lugar semelbante ati no
D to Ao mesmo, enviinl i-Mia a or
dem do Tbesouro Publico INicioinl sol)
numero 60 de 19 de Oulubro deste anuo,
que o aulorisa pira disnender por cont
do crdito votado pJs Resolnco "da As
semblea Geral Legislativa'de la d9 sobre-
dito met alein das simas dnslioadas para
as despesar do presente anno fnanceiro poi
Aviso da Reparlicii da.Mirinha de 3o de
Marco, a quantia de 4 ':oooU reis e exigM
que d contas de quaesquer despesis orde-
nadas pela Presidencia da provincia eque
exceden a couaignaco mental correspuu-
deules assoUMBas que sao deslinadas para
O ser vico daquella R partic/o.
Dito Ao mesmo transmil(indo-lhe a
ordein do referido Tnbunal sob numero67
a qual acompanha 3o Exemplares da Ail
dilamento a Pauta d.s avaliai'5<-s d. cadonas fmto pela 1. 3. e 8. scelo da
respectiva Commissin ; a fim du ser posto
em pratica nesta Provincia.
Dito -- Ao mesmo enviando-lbo irrinl-
meiitc outra ord-m; do IribunaJ do The
souro Publico seb o numero 64 de 13 de
Oulubro deste ,.nno mandando informar
sobre oiequerimento de iMnnoel Claudio
de Queiroi, que pretende i pagamento do
ordenado de medidor da AH'audega desla
Provincia desde que foi demittido do
Lugar de primeiro Ejcrplurario da mes
ma Alfndp{^.
Dito AoInsp'Ctor do Arsenal deMi-
iiiiha ordenando Ihe avista d^ stia in-
formaco que faca sair para a Provincia
das Alagoas, cotn a possivel breVidade o
Patacho Conct-icia a fim de conduxir as
mandeiras encommendadas para o mesmo
Arsenal, que se acharem promptts.
Dito AoCommandaote da Corveta
Selle de Abril,enviando-lhe um otbcio para
ser entregue o Exm Presidente da Bi-
lii t e disendo Ihe que p -de curaprir o
que Ihe determin as suas instrueces.
Expedieute do did ti.

Officb Ao Commandanle das Armas.
lordenandoem resposla ao seu otficius de 7
do conenl reez, que manda dar baixa ao
recnita Quirino Juliio vislo ser julgado
incapaz do servido Militar.
Dito -- Ao mesmo, comunicando Ihe pa
ra sua jt eligeuia que leudo a P.esi-
dencia sugeiladu a drt-islo do Governo Im-
perial em oflicio a.ob iirtiero, 77 a duvida.
por o uiesmo Commindanle das Armas a
presentada sS^Vre putencer ss Presidencias
ou *o* Comniandantes das Armas o direito
de conferir baixas e lnvendo o mesmo
Lioverno conformado-se com a opiniSo da
Presidencia, de que o Commaudante das
Armas so poden dar bsixas 1. aos recrufa-
t..(loi e volunlarios qua (iverem conclui-
do o lempo de servico a, quando os
recrutas e mas pracas se mostrar- m in-
avalidos e iticapases de servir havendo
precedido parecer da Junta Medica, e din-
do dep ,is parte a Pres'denC'a como ver
do Irpperial Aviso de 3 de Nnvenbro expe-
dido p>-la Secretarla da Guerra o qual
determina q'ie a mencionada opiniio se-
|i levada a etfeilo ,esirva de regra com
a modifiMrin porem de que ire-mo nos
casos de impossbilid de uic. das pracas
que devio ser demiilidas., nao possa o
Commaudante das Armas verificar a s*a -
za tem ordem di Presidencia, a queni com-
H-Ue sefppre inlervir uestes negocios corno
P.imeira Atoridade.
Dito Ai* Inspector da Thesouraria,
transmitindb-lhe a ordem do Tribunal
do Tbesouro PubUco Nacional i.mero 68
de a4 de Oulubro deste anno acompanha-
da de Irinta exeuiplares do R-gulamehtO
de ai do mesmo mez para execnco do pa-
rgrafo 3. do Dicreto de 1a do mesmo ,
-fin iie ser posto em pralica nesta Provin-
cia.
Dilo Ao mesmo. Iranmitlindo-lhe i-
gUaloente a ordem do referido Tribunal
sob numero69 de ao de outubro, parte-
cipando arhar-se com licenca o Desem
bargador Francisco de P. Atbuquerqne para residir na ('orle al a
piuxima sessio da Assemblea Geral Legis-
lativa percebendo todos os seus venciinen-
los.
Dito Ao mesmo, enviando-lhfl outra
ordem do mencionado T> ibunal sob nome-
76 de lo de Novembro u timo, acompanha
da de vinte exempLies da Lei de 30 de
Outubro deste aono numero 6a e dando
algmas'disposicoes para roelhor execusso
da mesmn Lei. ,
Dito Ai m pito o, ordenando para
cu ir. pr i ment do Imperial A*izo.de aO de
Outubro ultimo expedido pela Sc-creiaria
da Jusiica, que informe com a possivel
I) evidade qu-nlo rusta a despesa animal
feilacom o Telgrafos nesla provincia. (J
Dito -- Ao mesmo ,, communicando Ihe
que o Regento em Norte: do Imperador .
Anuirido a Supplica do Viajar Manuel Mi-
chado da Sdva S-miago que rai servir
11a provincia do Mallo Gr-sso, H >uve por
bem determinas:, que os sidos que este o(-
ficial houver fBrencer do 1 def^enubro
ultimo em dwnle sejao pagos por est*
Provincia a eus filhos, que deverio para
isso apresenlar proenraco j eque porlan-
to expeca as convenientes ordens para que
se cumpra esta Imperial Deteiminacfo. <-
Dito Ao Inspector do Arcenal de Ma-
rinha romtnuiircando-lhe que constando
das mappas dos opeaiis do mesmo Ar-
senal que o lespecliv.. Cunstitclor. nea-
clia orcuptu no risco o- urna nova Esru-
na ; cumpreque faca sobrestar na conslru-
cao desle navio ; applicando se a Escuna
Gurarapes as madeiras que para ella set-
virem casoalgumas ja estejio destinada!
para a Emhucacio em cuja riscoso occ-i-
pa o referido Constructor. vist<> assim o
Determinar a Regente em Nome do Impe-
rador em Aviso da S cretaria da Marinha de
1% de Oulubro deste anno
|),to Ao Cammaudaute Superior da
(iu ida Nacional do Rc fe, resp.owlo-lbe
que o Commaudante da segunda Lgia*o
durante os tres meses de iiceuca de que
vai gn/.ar o respectivo Chefe .Manuel Tho-
mz Rodrigues Carajiello deve recahir no
Tenente Coronel mtis anligi.
DitoAo Tenente Co dantedo Bilalh di Guarda Nacional de
(limb-es, communicando Rut qne aitenden-
do a Presidencia ao qie I lie representou o
Aiudanle do mesmo U'lalhao Louren^o Bi-
serra de Siqueira Cav^lcanle Ihe conceden
demissio do referido Posto visto nao po-
der por suas molestias continuar a servir)
devendo por tanto assim faser conslar-lhe,
e remetter a proposla" de quem o substita
no referido posto.
COMMANDO DAS ARMAS.
f
Expediente do dia i5 de Deumbro de
i839.
Officio Ao F.xm. Presidente ponde-
rando a uecessidade de lium Facultativo
hbil para o er vico do 4* Cofpo d'Ar-
hllieiia e II-snilal Heg mental ti Tltp
nao poder um so CirurgiaS Ajv.dante dar;
conta d<> que por Lei he incumbido % aera
grave delnmento rio servico e dos doen-
tcs que actualmente'HicisteiB um nio. pe-
queo num'-r -, lembrando um Keii!ia-
iivo que a este ser\ ico se sugeitav me-
dianle uma gratificaca e pediudo final-
mente providencia* a respailo.
Dito Ao mesmo Exm. Snr.^ pedin-
do-lhe a expediccao de siha ordene, pera


DIARIO DK PBRflAMBUGO
-
que fossem demittidas ai pracas que davi-
a sido jugadas imitis 'para o ser vico do
Exercito na Sessio da Junta de Saude de i5
deste mez.
Dito Ao Cirutgis Jos Francisco
Pinto Guimaraens, pira qiiecomparecease
na Secretaria Militar afim de concluir
cono os trabalhos da Coromissa de que fa-
sta parte.
IJito Ao Prefeilo da Comarca acco-
zando recibido oseo cilicio de i 5 do cor-
rele e o soldado do 4.0 Coi po de Arli-
Ibe que preso o acompanhara por desertor
e disendolbe que procedidas as necessa-
riis iudsgacoens o contrario se conbecera.
Diversas^ Reparticoens.
MEZA DO CONSULADO.
_ A Pauta he a mesma do num. 278.
ARSENAL DEMARINHA.
Tendo de frerar-se huma Embircaca
de i5o a 180 toneladas para hir a Fer
nando o Inspector do Arsenal de Mari-
uha convida pelo prsenle a todos oa pro-
pietarios ou consignatarios que tal fre-
lamer.lo Ihes convier compaero nesta
Repartica as 12 horas do da a.{ do cor-
rente para tral.r do ajuste.
inspecca do Arsenal de Marinha de
Pernambuco 2a de Desembro de 1838.
Francisco de As-is Cabral e Teive.
Inspector*
PRFEITURA.
Parte do da 2: de Desembro de 18.38.
Illm. e Exm. Snr. _Fora presos hou-
tem a minlia ordem e tiflfcio destino :
Mara da Conceic> branca pelo Sub-
Prefeilo da Freguesia de Santo Antonio ,
por andar offsrecendo a venda urna Cruz
d'oiropor baixo prrco, oque deo motivo a
desconfiar d'ella ; Jos preto escravo de
Manoel Xalaca pela 1. patrulba dodis-
tricto das 5 Pontas por se ter apresenta-
do no beco do Lobato perante familia em
esisdo de jf>']"'!'" 1 e .Inanna Antonia
Alves india, Felippa Maria da Cnncei-
cao preta por uin soldado do Corpo Po-
Anna manso e pacificamente em casa de
Miguel dos Afijos morador no lugar de-
nomdo a Estancia Freguesia de Maran-
guape, ahi entrou denunciado violenta-
mente e sem as formalidades legres a 1
hora da tarde dn da i 4 de Ouiubro p.
p. ; seguido de urna patrulha armada de
bacamartes e de espadas e mandou dis-
parar sobre o dito pardo as armas de fogo
asquas Ihe acertara e prodozrlo os fe-
rimentos graves que descreve o Corpo de
delicio junto. A. eJ. esta dgnese V
S de mandar notificar a* Tesleraunhas a
margena e proceder com he de direito.
Recife (i de Desembro de i838.
Jos Thomaz Nabuco de Araujo Jnior.
nior Roielles Maciel Monteiro Albu-
querque. Est conforme.
O Secretario.
Jos Joaquim de Figueiredo.
ContnuacSo dos Documentos publicados
no Communicedo. do Diario N. 278.
e a a.
e ul-
licial a 1. por estar ebria ,
tima por briga.
E' o que consta das partes boje recibi-
da! nesta Secretaria.
Dos Guarde a V. Exc. Prefeituia da
Comarca do Recife 21 de Desembro de
1838. Illm. e Kim. Sr- Francisco do Re-
g Barros Presidente da Provincia.
Francisco Antonio de S Brrelo Pre-
feilo da Comarca.
Parte dia aa.
Illm. e l'xm. Sor. Fora presos hon-
tsm a minda ordem, e ti vers deslino:
Jos da Cunha Corto pardo pelo Com-
mandante da Guarda da Alfandega por
ter atirado duna eslocadas sobre huma mu-
Iher ( Felippe e Custodio pretos, es
era vos de Antonio da Silva &Comp. pe-
lo Sub-prefeilo da Freguesia de Santo An-
tonio a requi.-ica de seu senhor por
desobediencia Joaquim pardo mencr ,
por seu proprio Meslre Vicente Ferreira de
Barios por Ihe ter feitg varios furtos ; e
Tdeodora Maria de Jezus, e Eugenia Ma-
ra da l'aixHo tasa be m pardas, pelo Com-
missaiio de Polica do d slriclo dos AlFo-
gados esta por estar em desorden ., e ser
cosiumada andar armada e dar facadas;
eaquella por ter dado avisos uns desor
dtros de que lies hiio ser presos.
Nada mais consl das partes boje recibi-
das nesla Secretaria.
Dcos Guarde a V. Exc. Prefeitura da
Comarca do Recife aa de Desembro de
1838 &c.
PROMOTORIA PUBLICA.
Illm. Senhor Doutor Juiz interino da
. Vara do Ciime. Denuncio perante
V. S. contra Antonio Joaquim de Azeve-
do morador no Rio Doce Freguesia da
S de Ohnda e ah Commissario de Po-
Den unci perante V. S. contra o prMo
Julia, escravo de Lhz Jos Cavalcanle de
Albuquerque preso era fligranle e reco-
Ihido Cadeia desta Cidade : consiste a
denuncia em>ver dado o denunciado mui-
tas pancadas na preta foira Rosa Maria da
Annunciacio as quaes Ihe produsirk as
coutuzoens que descreve o Corpo de deli-
cio junto as 5 horas da tarde do dia 21
de Novembro do corrente anuo na nova
estrada de S. Amaro. A. e J- digne se
V. S. de mandar notificar as Teslemunhas
a margem e proceder como he de direito.
Recife 6 de Desembro de 1838.
Jos Thomat Nabuco de Araujo Jnior.
Denuncio perante V. S. contra Jos de
tal, Alexandrede tal brancos casados,
Francisco de Araujo e francisco Antonio
pardos casados moradores em trras do
Engenho Caiai Frrguesia de S. Lou-
renco da Malta ; e consiste a denuncia em
que ; tendo sid preso no dia 22 de O11-
tubro p. p. pelo Sub-Prefeito da sobredita
Freguesia o pardo Ignacio de tal pelo
crime de furto de cava I los e por elle re-
metlido ao Prefeilo da Comarca e entre-
gue a un pitru ha de 3 domens em ca-
rninho sahirio os denunciados ao encon-
tr e lomarlo o preso do poder da pa
trulha e o matara cruelmente. A. e J.
esta com os Documentos juntos digne-se
V. S. de mandar notificar as Teslemu-
nhas a maigem e proceder como he de di-
reito.
Recife fi de Desembro de l838.
Jos Thomaz Nabuco de Araujo Jnior.
Illm. Snr. Doutor Juiz de^Direito inte-
rino da 1. Vara do Crime.Uenuocio pe-
rante V. S. contra Mana Candida do Ho-
zarlo presa em flagrante e recolhida t
Cadeia desta Cidade: e consiste a denun-
cia em haver a denunciada dado com hum
pao ditas pancadas na pard.i Luisa Fran
cisca que Ihe prodosiro as contuzoens que
descreve o Corpo de delicio junto na 1 ua
de Fora de Portas no dia 2. de Novembro
p. p. A. e J. esta digne se V. S de man-
dar notificaras Teslemunhas a margem e
proceder comu he de direito.
Recife 6 de !) serob o de |838.
Jos Thomaz Nabuco d'Araujo Jnior.
CMARA MUNICIPAL DA CIDADE
DE OlINDA.
Sesslo Extraordinaria do i3de Setembro
de i838.
Presidencia do Senhor Guedes.
O Presidente abri a Sessao estando p>e-
zente os Snrs. Vereadres Dr. Rozelles ,
Laage Jnior Maciel Monleiro e Al-
buquerque ; faltando com causa os mais
Senhores.
Lida a Acta da antecedente f-oi appro-
vada.
O Secretario dando ronta do expedien-
te mencionou um orado do Exm. .Snr.
Viee-Presidente em que manda que fique
em vigor as Posturas que actualmente
existe al decisa da Assemblea Ptoviucial:
tnleiradn.
Nesta Sessio tomn posse e prestou o
juramento a Profesnora Publica dePrimei-
ras Letras desta Cidade D. Rosa Mria
Fonreca de Albuqueique.
Iloiivcra vatios requerimentos de par-
tes que se despacharlo e por ser dada a
hora o Presidente levanten a Sessu. De
q' fis a presente em q' assignara. Eu Jos
Requeripienlo.. Os abaixo assignndos.
requerem que se iranscreva na Acta o se-
guinte. Existindo no comeco da pre*
zeiite S'.-sss huma minora capnxoza que
a vessa e denominada mesmo por si ini-
miga do actual Administrador da Provin-
cia curava s de protellar as mais acertadas
medidas propostas e reconhecidasassimpela
maioria : tanto mais quanto sendo a mais
saliente, e premordul aseparaca das Ren-
das Piovinciaesflkue se aclio englobadas
com a Adminislraca das G<>raes, e sendo
mais notavel que fossem cOmbatentes desla
medida recoohecida necessaria p*lo .
4-doart 11, do Acto Addiccional ,
os proprios Empregadns de Fas^nda agra-
ciados com uma graiiicicio Provincial ,
resultando desse. com bate al-m do degar de
seus aulhores perda consideravel dos in-
teresses da Provincia que confiada nos
seus talentos e virtudes nio observava a
pratica destes, e nem o bom uzo d'aquelles;
e a ninguem mais compeliodo evitar abusos
tantos e a vergonha mesmo que resulla
va aos delegados do povo com a continua
cao delles se nio ao mesmo Administra-
dor da Provincia segundo Ihe onthorga o
2. do artigo if\ do me mo Acto Addic-
cional mxime sendo-lhe essa mesma me
dida lembrada por alguna da minora aira-
palhadora : por tudo isto entendem os a-
baixo assignados que o adiamenlo deter-
minado pelo Exm. Presidente da Provin-
cia foi legal, justo n>cessario e ben con-
cebido da maneira que foi ; por quanto
extranhavel seria que usa Presidente sem
motivo rasoavtl e declarado exprestamen-
tu no acto pelo qual exerce o poder des
cripcionario confirmado no art. 1 \ 2.
ja citado se a ogasse o uso delle neste
caso longe de se Ihe faser juslica se Ihe
poderi5 irrogar senistras e mal entenci-
onadas desposicoens que nada menos
importava do que a privaco da continu-
aca do uso de um Direito Poltico : as ra-
zoens e o motivo pois que moverlo ao
Exm. Presidente da Provincia ,Decretar o
adiamentod'Assemblea fo mos annunciados por elle condecidos e
verdadeiros pelos abaixo assignados e por
algumas Cunaras Municipacs que por es-
se acto exultarlo de Jubilo, e neste sen-
tido (lcie;irao ao Exm. Presidente as mais
sinceras demonstracoens de reconhecimen-
to e gratid.
Paco da Assemblea Legislativo da Pro-
vincia da Parahida uj de Novembro de
tr38. Joad Coelho Bastos Antonio
Henriqaes de Almeida Henriqoe da
Silva Ferreira Rabillo Manoel Fran-
cisco de Oliveira e Mello Luiz Vi-
cente B >rges Jos Jernimo de Albu-
queique Burborema, Antonio Sebastiade
beta; cusiste a denuncia em que ; ai dan- Joaquim de Figueredo Secretario o es-
do-ie pardo claro Joaquim Egidio de S. j ere vi. Guedes Presidente. Laage Ju-
chegue ao lugar de seu destino.
A Pessoa de V. Exc. Guarde Dos por
muilos nnos. Secretaria d* Prefeitura da
1. Comarca d.i Parahiba i3de Desembro
de 1838. Illm e E\m. Snr. Doulor Joa-
quim Teixira Peixoto de Albuquerque ,
Ex Presidente da Provincia da Parahiba.
O Prefeilo Manoel Francisco de Oliveira
e Mello.
Illm. e Exm. Snr. O respeito que
consagramos Pessoa de V. Exc. a ami-
zade que Ihe temos ; a gratidlo que Ihe
de vemos filh-i nicamente d'uttenclo e
bonomia com q' V.Exc. nos tratou nos im-
poem o rigoroso dever dj derigit a V. t."
os nossos agradecmentos ja pelos inn-
meros beneficios qu V. Exc. f*z a esta
Provincia _. governando-a de huma manei-
ra sabia, e prudente, ja peloacalhimen-
to que prestou aquelles que sempre em sea
apoio tiverlo a Raso a Le e a Jusli-
ca. Permita a Providencia que V. Exc. no
regasso da paz e da tranquilidad dis-
fructes-mpre mil venturas, e no seio de
sua virtuosa familia Ficando cerlo que
ficamos saudosos pela ausencia de V. Exc.
a qUem Dens Guarde por muilos annos.
Secretaria do Governo da Parahiba 11 de
Desembro de i838. Illm. e Exm. Doutor
Joaquim Teixeira Peixolo de Alduqu-rque
l'.x Presidente da Provincia da ParuliUn.
Dr. Jernimo Vilela da Castro Tav^res ,
Secretario da Provincia. Antonio de 0-
liveira OlEc.ial Maior.
Illm. e Exm. Snr. Honrado cara a
escolda que V. Exc. de mim fez para o
Emprego de Juiz Municipal desta Capital eu
seria alem de ingrato injusto por nio
patentear a V. Exc. o m< u mais sincero
elogio o relio e pericia actividade e
inieiresa com que V. Exc. se Manteve
n'Administraca desla Provincia.'. Sim
Exm. Snr lodo Parabibano justo e
sincero nao pode deixar de lecer o mais
dem merecido encomias boas qualidades
com que V. Exc. he Ornado : e ja que a
sorte nos forca a urna nio merecida s^pa*
raca5 d'Administmcio de V. Exc. sirva-
Ihe ao menos de gloria o ter sabido m anter
a Ordem- e a Par da Provincia com nao
pequeo sacrificio 5 e ter d^ixado penbo-
rauos -lent-fiorio.i u 1 ar.iiusns usura-
dos .' Receba pois V. Exeas minhas sau-
dosas despedidas tributo da ra is sincera
*roiade gratidlo e respeito Pessoa de
V. Exc.
A quem Deoa Guarde por dilatos annos.
Parahiba 12 de Desembro de i838. Illm.
e Exm. Snr. D ulor Joaquim Teixera Pei-
xoto d'A buquerque. II tinque da Silva
Ferreira K. bello. Juiz Municipal da Cidade
da Parahiba do Norte.
COMPANIIIA DO BEBIRIBE.
Araujo com re&triccfi quanto a delibe
rf-co do adiamenlo somenle Manoel Sim-
plicio Jacome Pessoa, sem restricaS alguma.
Joaquim B i|ili-ti Avundano Joaquim da
Silva Medeiros Joa5 Francisco Brrelo ,
Se ver i no Jos de Araujo Jote Luiz. Lo-
pe: Bastos Francisco Xavier Monteiro
da Franca.
Illm. e Exm. Snr. Eu fallara de
cerlo a hum dos'meus mais rigorosos deve-
res si deixasse depois de haver V. Exc.
de posto as Redeas do Governo desta Pro
vincia de test'munhai-Ihe como Para-
dibano o meu reconhocroento pelo bem
que V. Exc. se houve na Administrado
desta Provincia, mxime sendo eu na
qualidade de Prefeilo da 1. Comarca tes-
temouha ocular dos exforcos de V. Exc.
[iel.1 felicidade dos Povos confiados ao seu
Governo ; manutenca da Ordem Publica;
amor e aitliesio a Pessoa Augusta de Sua
Mugislade Imp rial e do Sistema Consti-
tucional que effectivamente nos rege e
para mais prnmpla obediencia as Ordens
do Governo Geral; confessa pois ; e cer-
lificando quanto fica exposto cu rogo a V.
Exc. queira acceitar esta franca, e leal de-
ca racio. Queira os Ceos conceder a V.
I Exc. muilas felicidades e que inclume
Aeha-se install.-di a Companhia do Be-
benbe, e fora elleitos para o Conseibo
deliberativo <>s Srs. Jos Ramos d'Oliveira ,
Manoel Coelho Cintra Bento Jos Fernn-
des Barros Bento Jos da Cosa Bento
J >s Alves Francisco Manoel da Silva
Tavares Joi" Pinto d Lentos, Manoel
Goncalve ua Silva e Antonio Jos Pires,
sendo o ultimo designado o Caixa. >
Esli destribuidas mais de 5:ooo ac-
edes e a iiiflcripc*o continua no 1. andar
da caza amarella defroute da Matriz da
Boa vista das 6 as 8 horas da manda
das 4 6 da tarde ; onde eslar patente
a plaa orea ment e exposicio das obras.
Adverle-scaos Srs. que pedira para se-
rero contemplados na li-la dos Accionistas,
eque ainda nio assignara no regisiro
competente que o devem fszer quanto
antes a fim de nao serem excluidos.
Transcrevemos o discurso recitado pelo
Sr. B J. Fernandes Baos na installaco
da Companhia do Bebiribe assim como
urna ex pos i ci do Sr. Engenheiio Boyer ,
e a acta da installacio a fim de que o
Publico leuda conhecimenlo do estado em
que se echa a mesma Companhia e con
corra a lomar as aeces que restad.
Senhores
Entre os muilos e grandes beneficios de
quetiecessitioos habiuute desta Cidade,


DARO t) B P E R N A M B U C O
sem dnvda alguna uro dos mais urgen-
t"S o forneciment commodo e fcil de
boa aga potare! e propria pira lodos os
deraais utos da vida domestica. Ni > po-
dem ser maioras nem mais rasoaveis os
clamores que diariamente se fazem con-
tra a conduelo de agoas por canoas mmuii-
das estagnadas por das em reservatorios ,
sobre os quaes nenhuma polica existe, e
d.'onde nfalivelmenle devera resultar mu i
tase graves molestias. Recondecendo os
inconvenientes deste modo de fornecer ao
povo um genero de primeira e mais urgen-
te necessidade; reflitindo na utelidade de
alivis-lo, dentro de um limitado praso ,
do pesado tributo que presentemente paga
' aos dorios das canoas ; e dea-jando animar
os que pertendessem empredender novo
melhodo a Assembla Provincial Legisla-
tiva decretou a benfica le n. t\5 pela
qaa| autorisoo o Governo contractar coro
urna ou mais pessoas, nacionaes ou eitran-
geiras o forneciment d'agoa potavel pirt
esta Cidade d-baixo das vantagen* que jul-
gou pioprias convidaros interessados em
urna tal empresa. Mais de um anno de
correo depois da publicarlo da lei e nem
um s emprehendedor se havia p-esenta-
do contractar o privilegio quando, pe-
sar de nossa posicio penco favorayel to
mamo* sobre os nosaos hombros o pesiado
encargo delevarrnosa eff-iloas patriticas
vistas dos nossos legisladores \ e grapas aos
bins desejos a acolhimento animador do
Etna. Vice-Presidente o Sr. Francisco d
Paula Cavalcanti d'Albuquerque au ze-
lo ardente e Ilustrado do E\m. actual Pre-
sidente oSr. Francisco do Reg Barros a
respeito de ludo quanto tende ao aumento e
prosperiiade da Provincia este contracto
foi feito e assignado em 11 do correnle
inez e o que agora vos apreseutado.
Tambera vus presentado o orcamento ,
que nos serviu de base para calcularraos
o capital da Companhia em 4oo:o00?'000 i
a planta das obras que tal vez tenha de ser
Iterada se certo que em uin ponto ,
pouco distante e a cima da povoapio de Be-
biribe, pode comecar o encanamenlo sem
precisao de elevar as ag jas por meio de va-
. por ,- e finalmente a exposieio do Sr. En-
genheiro Boyer quem encirregonos es-
e trabaIho eque pela boa vontade rom
que se ptestou eosdjuvar-nes nesls em-
presa sem a menor retribualo expondo-
se cjta mcansavel actividad- aos rigores de
um clima ardente a que anda nao eslava
acostumad merece os maiores encomios ,
e o reconheciment e estima dos habitantes
desta Cidade. A pesar de estrangeiro o
Sr. B >yer tomou rusta empreza o interesse
que tena qualquer filho do paiz pelo bem
deste. Tanto bes forpa do su cosmopo
litismo .' Honra e gloria aos homens que
sabem ser Gdadios de todo o mundo !
Pelo que temos exposto se que o obje-
cto desta reunio nao outro aenlo rea-
lisar o contracto, organisando a Companhia
que deve contribuir com os fundos neces-
saros para a conslruccio das obras contra-
ctadas ; e segundo os Estatutos provisori-
os de que ja vos foi entregue um exem-
plar poniendo as ob< igacSt-s dos Erapre-
gados dos Accionistas, e ludo quaolo
diz respeito a Companaia -, advirlindo que
'se aduntamo este trabalho, foi para que
por eil.js nos regul*sera.o at que a Coin-
paohia em Assembla geral, uiscuia e a-
proveoutrs mais bem concebidos e organi-
smos. E como pelo art. 6. dos meamos
Estatutos a Companhia pode ser insultada
logo que tenha desli buido um terco da
iccoes que prefazera o seo capital, preci-
so verificar se esli destribuidas mais de
i,6oo aeces assignando cada um dos Srs
que se acha presentes o numero das que
II.- convier a fim de se eleger o Cooselho
Delrberalivo que deve lomar a gerencia
da CompaNida o* forma do art. 9. Sobre
I a meza veris a lista das pessoas quo se com-
t promeltera a tomar aeces e a compare-
cer esta reunio. m
Pelo acto da nslallaplo n fasemos
Companhia trar.smissao do previlegio e do
Contracto celebrado com o Governo re
servando, para lempo opportuno o acto es-
pecial que devemoa firmar com o repre-
sentante d'ella; e prasa aos Ceo lser
prosperar um estab-lecimaiilo que Unas
ventagens prometa ao publico desta Cida-
-de e que mpv germen de novas empre-
sa* m ulitis da l'i
des'a sorte seremos compensados de todos
os nossns exforpos, e conseguiremos o ni-
co premio que havemos sollicitado.
Srs E' doce ao patriota Ilustrado ver
que o espirito de associapio e empreza ,
que lanos prodigios tem feito apparecer
em outros piizes vai igualmente desen-
volvendose entre nos sab os meldores e
mais saudaveit auspicios. E' sensivel ver
que os Cidadios de todas as classes dev-
didos talvez pelos odios de partidos, e es-
quecendo os no altar da patria, s* reu
nem na mellior pz e fraternidade e com
i>s seus cpitaes accumulados, ou com os
fruclns de sua constante economa, con-
curren para a realisacio de urna empreza,
que Ihes permita por um lado lucros pro
porcionados e por outro eommodidades a
todos os habitantes desta grande Cidade.
E' finalmenle doce o ver j no futuro os
a formse* mentos notareis, que vai reeeber
sa nossa Ierra com a elnvacio de elegantes
Chafarizes; a faclidade de ter, coma
bundancia e profu/a a ag a que nos for
necesssria lio pura e lmpida como se fose
colhida n sua propria origem ; a destrui-
pio do-pesado imposto que lodos pagamos
aos homens que se tero incumbido de for-
necer-nos agoj por meio de.Canoas ; eta-
fim a diminuicio de militas molestias cau-
sadas sem duvida pela m qualidade da que
presentemente usamos.
E*te risonho quadro Srs. a vos. per-
lence realisar e concluir assim como fos
teis os primeiros em animar urna tal em-
presa com vossos otos, e a concorrer para
ella cornos vossos capitaes. Se a lei nao
offereceu suficientes vantagens e garantas-,
se o Contracto nio foi lio favoravel como
poderia ser nio desanimis com lude na
incelada carreira; pois que toda ana Iju-
vapioeappio devemos esperar da Assera-
bla Provincial Legislativa e do Governo
Presidencial ; a quem podis requerr o
que vos parecer bem da Companhia e
para a couclusao.de urna obra que vos
far credor da gratidao de vossos contem-
porneos e do reconhecimento das gera-
c5ts futuras.
Projtclo para o enes ame rito das agoas do
liio Bebribe ao centro da Cidado do
Recife pelo Engenheiro Boyer.
(Tradcelo.)
Antes de expormos a serie dos trabalhos
que devem encaar para o centro da Cida-
de do Recife a agoas do Rio Beberibe jul
gamos conveniente patent<*ar quaes os mo-
tivos que nos determinara5 a preferir as do
riacho do Monteiro.
As agoas do Rio Bebribe consideradas
relativamente a sua comp )scao Chimica ,
sao superiores as do Monteiro ; porque
lancand/>-se ne-tas hum pouco de nitrato de
prata, e peiohloruse de Baryle manifes-
ta-se com suma fncilidade precipitados
alcalinos esbranquicados, o que nio se
oberva naquellas ; ancresce alem disto ,
que a experiencia pratica ensina aos Capi-
ilesde Navios a escolher antes a agoa de
O indi, porque se conserva por tempo
indefinido.
A eonfiguracio do solo, tambem nos fi-
zera inclinar a batanea em favor de Olio-
da. Desde a Cidade al ao ponto marcado
para Caixa d'agoa o terreno be plano de
fcil seavacio e arenoso, por iss> mu
proprio pata laes constrtirp5e ; o mesmo
porem nao acontece no transito que deve
ria percorrer as agoas do acude do Montei-
ro. Anda mesmo suppondo que nao en-
trasse em Unha de conla a distancia quin-
tos obstculos nio encontraramos para Ira
zer as goas por hum terreno accidentado
de altos e baixos e em algn lugares pe-
dregoso Que trahalbo, que furca nio se
de.veria empregar para vencer estes obst-
culos / Que das de seryieo, e que lempo
perdido, para destruir taes obstculos e
quando quisesse-mos illudil-os nao teria-
mo- outro meio, senio rodeando os mor-
ros! Inda mesmo suppondo por hum mo-
mento que as agoas veuhaS descobertas ,
pela estrada do Arraial, atea cruz das Al-
mas neste ponto o declivio para a Cidade
do Recife j nio he bastante consideravel
para dar ao repudio das fontes a fo'pa suf
liciente e eolio linearamos mo dos
meis facticios que se devem ,em.pregar para
teiramente intil toda a despeza que se fi-
Aqueductos.
Fallaremos agora dos Aqueductos. He
incontestavel que este modo de conduzir
agoas, he lio scgu'ocomo elegante; po-
rem tambem O mais dispendios. Nm-
guem deve besa lar em lanpar milbes n'liu
m< empreza collocal antes de poder pre-
sumir d'hum moda certo e seguro qual o
fin dos trabalhos comecados r. sendo estes
de longa execupio nio se podem certament
emprehender em um paiz. onde lia falta de
bracos, e sobre lio grande extensio como
a que nos conduz ao acude. O aqueducto
de S. Tbereza no Rio de Janeiro off*re-
cia menores drfficuldades porque linba
smente a percorrer a distancia de algu
mis bracas que separa a Cidade do en me
da moutanba percorrida pelas agoas. En-
tretanto, nio qneremr-s diser com isto que
o encanamento das agoas do acude do Mon-
teiro seja irapraticavcl, mas somente que
a despeza, eo lempo que tal obra de-
manda he quanlo nos 4 yezes maior
que a do encanamento das agoas do Rio
B-biribe.
O Plano que .temos a honra de submet-"
ter a vossa approvacio compoem-se de 4
partes mu distmcl-is entre si. Hum Canal
de 5oo braca* de exlenpio sobre 4 de lar-
go, e de a ou H de profundidad- na maxi
ma altara dever ser aber'o lesde a con-
fluencia do leito natural do B-biribe com
o leito formado pela descida das agoas da
Camboa de Belem e do riacho Agoa-fria.
As agoas tomadas neste ponto aonde a
velocidade he assaz rapdi Irro muilo mais
pureza do que as da Varadouro d'Olinda ,
que tem percorrido por entre pantanos hu-
ma distancia dupli ; por tanto este Canal
he destinado a reeeber as agoas remudar-
do Rio B bribe e do riacho d'Agoa fria e
a coudu7.il as al a Patsagem na estrada
da Soledad- onde "Se encontra huma vas
la planide destinada a conslruccio d'um
tinque repr-sadur das agoas trasidas pelo
Canal, e aonde se construir lamb^m a
Caixa d'agoa e a caa destinada a eouter
duas maquinas de vapor motoras de 2
bombas aspirantes e comprementes que
elevaren "S agoas 60 ps cima do nivel na-
tural ; sobre esta casa o reservatorio que
deve contar a agoa que diariaments se hade
fornecer a Cidade.
Do grande deposito partirs os tubos de
ferro fundidos de i5 polegadas de dame
tro sobre 10 ps de comprimento e 3|4 v
d-jjrossura, os quaes conduzira as agoas
por baix'i da Ierra at as prapas da Cidade,
d'onde ellas corrern c-m grande potencia
por elV-ito da sua elevscio na casa do depo
sito. as principaes prapas da Cidade se
construir hum Chafuriz de estilo rico e
elegante, e nos pontos menos importantes
rami6cacesd'arteria principal levar as
agoas fontes mais simples.
Quanlo direceo dotrahalho; nos a-
doplaremos hum systema especial a fim* de
economisar quanto for possivel o lempo ,
e os materiaes : hum curto numero de offi-
ciaes ter para <>s ajadarem hum numero
duplo' de srvenles; os obreiros se-
rio repartid dirigidas por hum fetor responaavel pelo
trahalbo, e sngeilo a liuma mulla de s-u
salario, n< caso de resultado nao sal fato-
rio. Oilo feitores dario conta de seus tra-
balhos a hum s apontador, igualmente
responsavel pela boa di recelo de seus ad-
ministrados ; os apontadores dever pre
s-ntar-se diariamente ao Engenheiro para
Ibes darem conta dos trabalhos executados
durante o dia e recebrem suas ordens pa-
ra o seguinte da. Todas as vezes que o
Engenheiro apparecer no lugar das obras ,
os apontadores o procurars e llie entrega-
rs o ponto dos obreiros e deludas as
mais circunstancias do trabalho dos mes
'rovlucia ; OOIS que
locados equidistantes por toda a linda dcV
trabalhos nio temeremos confusio por hum
lado, e ganharemos por outro economa
de tempo fase'ndo marchar em frenta 8
ao mesmo tempo tuda a liuha das liabalba-
dores. /
Nos temos dado to smente destes traba*
Ihos, huma idea geral ou talvez hura es-
hoco como conven a hum prnjecto % po-
1 em quando se, tratar de por em execupio ,
entio nos apressaremos a dar mais minu-
ciosos derribes e orcamentos mais explci-
tos das despezas que se devem facer para
traser bella Cidade do Recife as agoas
que ella-errama com todos os seus votos.
Querd nio ambicionar a gloria de desviar
o curio d'hum ribeiro para regar esta joven
flor B asileira, plantada em arenoso Ierre-;
no debaixo d'hum clima ardente !
P-rnarohuco 10 de Setembro de 838.
Conforme o original, oflertado por Mr.
Boyer.
Cintra;
Acta da Installapao da Companhia do
Bebribe.
Aosvinte de Dezembro de i838 nestt
Cidade do Recite os casa da reunio da
Companhia do Brhinbe, achando-se pre*
sent numero de Accionistas representantes
de mais de um terco das acpSes marcadas
no artigo dos Estatutos provisorios, foi
por um dos empr-hendedores da Compa-
nhia, BentoJos Fernandes Barros-recita-
do um discurso no qual tez sentir as van-
tagens da Companhia; e ani seguida so
proi-ed-u p ir acclamacao na eleipio da Me-
za para reger os irabilhos da reunio sen-
do elle i lo para Presidente o Sr. Jos Ra-
mos d'Oliveira para 1.* Secretario Bento
Jos Fern*ndes Barros, para a.* o Sr.
Bento Jos AI ves, e para Escrutadores os
Srs. Dr. Jos Bento da Cunda eFigueire-
1J0 e Manoel Coeiho Cintra. Depois do
que aprovados provisoriamente os Estatu-
tos que foraS apresentados, passou-se a
ustallar a Companhia, e a elleger oa mem-
hi iis do Conse'ho deliberativo a forao
os Srs. Manoel Coeiho Cintra com 85
votos. BentoJos Fernandes Barros com
484; Bento Jos da Costa com 463. Bento
Jos Alvescom 437 Jos Ramos d'Olivei-
ra com 43'J Francisco Manoel da Silva
Tavares com Sg Jlo Pinto de Lemos
com 3i3 Manoel Goncalves da Silva com
197 e Antonio Jos Piras, que foi desig-
nado Caixa cpm 46 votos. A vista do
que assentou o Presidente da Maza que fos-
sem convidados os membros elleitos do
Cpnselho Deliberativo para tomarem posse
e entrarem em seus trabalhos. E por nio
haver mais nada a tratar se levantou Me-
za. Eu B nio Jos Fernandes Barros 1.
Secretario elleilo por acclamacio escrevi.
Jos Ramos d'Oliveira Bento Jos Al-
ves Jos Bento da Cunha e Figueredo
Manoel Coeiho Cinlra Bento Jos Fer-
nandes Barros.
Pipada tornando m por conseguinle tu- nvor pon.vtl, po. quanlo ,d,v,d"io. e pof
mos.
A vigilancia tanto dos apontadores ro-
mo dos feilores consiste ero faser com
que antes de se comeparem os trabalhos di-
arios, cada tu* roa de obreiros leu ha os
iDuleriaes necesarios qu *\levem empr-gar
as horas do trabalho. Huma organsapo
rigida severam-nte conservada far phiei
em poucos das resudados que em vio se
esperaras de obreiros que irabalhassem
muuos mezes sem disciplina nem vigilan-
cia. O numero dos obreiros riever ser o
Avisos Diversos.
A Juventude Estudiosa
O Bachare Amonio Maria Cbaves e Mel-
lo desejando a'alguma naneira con-
iribnir com o limitado cabedal de suas for-
pas para o desenvolvimeoto ntellectual da
Juventude de cuja illustraco dependo
essensialmenleo progresso da emtaselo,
e o augmento da scciedade ha conebi-
do o designio de abrir o'esla Cidade do
Recife, duas aulas, caque pretende ea-
sinar as segunles disciplinas.
I. Grammatica e lingoa latina.
a. Philosophia Racional e Moral.
O lugar designado para estas aulas a
cssa, que foi ( vulgarmente f. liando ; da
nev na ra da cadeia no Recife.
A Matricula acha se aberta de fronte da
Igreja do Corpo Santo D. 4, priaeiro IQ1
dar. .
A abertura das aulas aera impretenvel-
roente por lodo mez de Janeiio prximo
futuro oque se far publico pelo Diario.
Os que frequenlaaem a primeira aula
pagado mensalroente a mdica quantia a
4000 os que frequentsiem a segunda pa-
garo 5,000.
_ Aviuva Fapisna de Barros Jf^ro-
moote, pele presente fa publico que, too


DIARIO D PERPtallCO;

u
delermhoU ro'consentid, nd soube e
nena covera na simulad* venda jj*-e SPU
lllio'Antonio Francisco do Reg li-rros ,
dos escravos Chrislovi- Jos, Benedicto,
Antonio, Simy Lonrenco, Roberto,.
Justa, Rosa, e Jos Francisco da an-
nuncanle a Jos Candido ou a Jo-e! Lttrl
Bellrio Mavignier pe valiendo se para es-
se acto repro vuelo, de huma prncuracin ,
que por meio defoica, e com ameacas fez
a annuncianle firmar quando elle.quiz f^
ser a ungida venda do Eugenho Caxoeira ja
Tendido por ella annu>.ciante a Joaquina da
Silva Pe reir a annuncianle tem provea
coucluden'.esp-ira mostrar a simulaco e
nullidade deesa venda dos ditos escravos e
protesta mar de seu direito devidamenle
contra o comprador e contra qii-rn roais
no contrato ti ver figurado e rnesmo cen-
tra aqueita ou aqu is pessoas a quem
' faes escravos se transfeiirem: e de* le ja
adverteque neohuma pessoa compre, ou
por qualque.1' outr Iransacia accetle os'su-
breditos escravos.
_ N> Di..rio de ao do corrente, rl i a-te estar no Engenho Araripe de Imixi,
ii um esofavo \ se for cabund e que le-
presenle i4 pra i5 anuos, e r< ito do
corpo, de nome Joo fuhido fin i4 de
No embro desle auno nio parece ladino .
cheio e baixo do corpo, cor preta sem
barba, denles afinados, olhos vivos, le-
vou carniza de recado azul e ST'ula de al
sodio ; o seu S-nlior mora na ra d < Cruz
I). 5a, o e-t prompto a p gr todis as
despecas.
Il para vender Cartas finas para vol
trete. ditas portuguesas l superior ,
rap de Lisboa ltimamente cli< gado dito
massaroca do Rio de Janeiro r outros de
diversas qualidades : na ra doCabug lo
_. Quem tiver para alugar buma casa
terrea com cmodos para pequea familia,
emalgunia rui que seja no centro bat-'
ro de Santo Antonio cujo algucr nio ex-
ceda de oito mil r*-i*, anuncie,
Offerece te bum honnm portdgue*
para caixeiro de armasera ou cobrancas,
e que tem bistanle pratca de negocio do
pai/. ; quem o percisar diiija-ae a fu no-
va D. 16 antes de chegara ponte-di Boa-
vista, que se lbe afondar quera oan
nuncianto.
AMuga se huma casa no lugar do
Manguinho pequeo quse delronle da
casa de Francisco Antonio de Oliveira com
frente para a estrada, fundo para o rio de
Capibnb ecom cmodos para grande fa
miliaj a fallar ao major Jifee Culos Tei
juira.
_ Quero precisar de um R asil iro de
idade Ue 5 > para mais aunes para qual
quer afromaca, dando fin! >r a >ua con-
ducta : dinja-se a ra da Oloiia D \f\ ou
annuncie ; advertindo que O dito Bra&ilei
ro escreve sufrivelmente e coma.
_ PrfCisr-S'* alugar um sobrado de dois
.andares no Bairro de Santo Antonio]
quem o tiver annuncie sua morada para
ter procurado
Precisase de urna mulher forra para
o servico interno de urna casa de pequea
familia : quem estiver tiestas circunstanci-
as annuncie.
' Quem precisar de ns minino Brasi-
eiro para Caixeiro de luja de fasendas :
anuuncie.
Precisarse de hu o rapi: doschegados
ltimamente do Porto, de i i a 14 anuos de
idade; que seiba ler escrever e contar, r
dalguro abono a su i Conducta. Adverte-
seque he para Macelo. A 'radar no forte
do Mallos com Firmmo Jos Fetiis da Rosa
_ Piecisa-se de hnm rapaz para cu-
tetro no Mato : quem eslivef nstas cir-
cunstancias annuncie.
Precisaseallugar bum preto para
servente de pedieiro : annuncie.
Quem precisar de urna parda forra
de idade para aula 'de casa de hornero sol-
teiro para fazr todo o serico de portas
denlio a exeepco de engom r : quem pr- -
cisir de seu prestalo, aluiuucie para sur
procurado.
_a l'eideu-se desde o Corpo Santo al
a Pra da Boavitta no dia 18 do corrente,
iiuma cala de prata dourada a qual esta-
va'cliefa'de rape" : quem a tiver a. hade an-
nuncie sua morada pau se procurar, no
caso de qterer test i luir ,' e pro melle dar
* o valor d.Htfde feearupeiiM.
-- Posto que pela opos'co de Jos Ve-
nancio Pimen'a de Catvalho a execucfb .
que contra o herdeiros do fallecido Cap-
lo Mor Antonio Jos Souto e sua mu
Iher eiicimiuhao os Administradores dos
fu 'dos da extiucta c impanhia, Geral desta
CidaJe ficisse interrompidos os' pregos
pi a a arrematadlo da ctsa do Tle
desta Cidade, comtudo p-la sessio que ez
esse Senhof de sua oposicao se cha no-
va mente ero praca a referida ca.sa e sera
arrematada lindo os dias da lei a quem por
ella mais der coja arrematacao ter lugar
pelo Juiso doCivel da segunda vara.
OCferece-se uro estrangeiro para cai-
x ird de engatillo ; quem precisar dirija, se
a na do lamba a. |8.
No dia ao do co'rente entreg-ndo-se
a uro preto ganh >d >r urna baca de rame
cora 4'J I'bras e i|< sendo a diti baca
entregue na rila nova para o preto levar ao
armgera de capim da rui sol e como o
dito nearo desapareceo ro;a-se a qUem
for.offerecida a dita bicia de a tomar e le-
var ao mencionado ar masera que ser re
compensado.
_ l'iec.sa-se de quatro contos de res
a pr-mio daudo-se grande seguranca em
ura predio : a quem convier annuncie.
-- Piecsa se d alugar um sobrado in-
di rnesmo com poneos commodos por
ser para pequea familia nio se ulliaiido
a prreo e sendo as seguntes roas : lar-
ga do Roz^rio Queimado das Cruzes .
Rangel Livram' uto Direita e estreila
do Rozario.
_ O Sub Prefeit'j da Freguezia de S
Antonio aviza a quem Iba fdtar huma
sevada que se ent nda com elle visto ter
sid > por hura preto entregue ao mesmo
Sub Prefeit. e adverte que nio entrega-
r sem que nio se lbe d os tignaes cor-
tos.
Precisa se aliugir huma casa terrea,
o bairro de Santo 'Anlouio, para p^que
na familia nio excedendo o su allugucr
DU.itio res: nesla Typogr..fia su dira'
qu m a quer.
- Quem tiver e qniser alugar um preto
nara o se' viCo de urna casa de ponca farai-
li dirija se a praca do Copo Santo, na
saLi do Cornmemo
m A pessoa que annuncioo querer com
prar urna botica com dmbeiroa vista aii
nuncie sua morada.
Precisase de om oaixeiro para reqe-
berumalojade miudesas por ha la rico e
dando Onhecimenlo desaa conducta, di
rija-se a roa da cadeia do R'dife t n. 4
Na rui do VigarioD. 99 defronte d >
Cnsul Francs conlinua-se a despachar
navios, tirar passapoi tes e guias de es-
cravos tudo por precn mdico.
Mr. ftisset relojoeiro francet po
atierro da B-w visla acha-se prompto a
concertar qualquer relogio que lbe seja
confiado pelo miis c nuuodo pr< co elle
obliga-se a restituir o dinhero que liver
recebidoem pagamento de qualquer con-
cert, que naoforbem executado
Tendo o te&tamenteiro d* fllecido
Antonio Manoel de Oliveira > > oca de
arranjar o inventario do lado de sua casa
precisa que o Sis. Credores com quem o
mesmo tiulia coritas hajo de presnta-
las no praso de oito dias a Gm d serero
conferidas pe s seus livros sendo estas
conlrahidas at fim de Outubro paasado ,
nouco roa>s ou menos por isso que elle
fallecido penhumi ransaco f-z rnait, fia
pois desta data as quaes cotilas devem
ir entregu's na botica da ra do C bag
D. 5
OSr. Jos Loa renco Juslniano da
Silveira ten ha abondade de lirlgir-ae ao
atierro des atfogados casa D. a5 p^>a re-
ceber uma caria viuda do Rio Grande do
Norte.
ponceiludoe conhefdo Brigne Portu'guer
Esplto fe qW he Capilo Jlo Artonio
Vieiraj quem quiser carregar ou ir de pas
sagem para oque tem encllente* commo-
dos dirija-sea seu consignatario Fran-
cisco Severiauo R.bei ou ao C*pilo na
praca do (,'ommereio
PARA MARANHACr por todo o mez
de Janeiro o Biigue E*runa.Laura te-
le iro e de reconlr-cida maicba quero qut-
zercirregar, ou hir de pasagein para o
que uff-rece m^grii6cos corannodos tr^a_
se com o capitio ou com Firmino Jos Fa-
ll da Roza, no forte do matto.
Compras
to no sobrado por cima da loja do Sr. rer*
culano.
-- Rugas p>rna'mbuc.inas, de cera d
carnauba igu'aes as de Lisboa sup er r
as que a igora tet aparecido, por 483
a libra que tem stis velas ; na ra latga
do Rozario loja de miurfezas D. 7.
Mullo Superior e nova salsa p.irrilba
ch-gada prximamente : era casa de Ma-
noel Francisco Pon fes.
Ou luga-se e troca-se diariamente'
vellas de cera de mei quaria al twuchei-
per preco comraodo: na ra do Ran-
.Urna botica com dinbeiro a vista
quera liver annuncie.
Vendas
Avisos Martimos
PAR\ LOANDA segu' >gm coro
toda brevidadl o bem conhecido Brigu-
l'oriuguez Josefa, tem de fazer somente os
precisos reparos e deve *ahr at 15 de
Janeiro : a tratar cosa o seu Capillo Mano-
-I dos Passos Gomes e Oliveira tuna rus
da Cruz D. 57.
PARA LISBOA com toda brevidade
por ter a maior parte da carga certa o bem
Folliinhas de porta de
algtbeira e de Padre, para o
atino de 1839 pelos precos de
seis vinlens as de porta jdo^e
as de algibeira e pataca as de
alinanak completo, e de Pa
dre ; lodas impressas nesta Ty-
pografia, em bom papel e ptimos
Tjpos; e bem conhecidas pela
certeza do calculo, e redigidas
pela primeira pessoa que em Per-
nambuco fez folliinhas: as de al-
gibeira alem das noticias, do cds-
tumecontem tuna tabella cltronolo-
gica dos principies fados derla
Provincia m cnsaio Topogr-
fico da mesma', segundo a divi-
do das novas Comarcas, e om
Almanak completo : na praca
da Independencia loja de vros
n< o"] c jo ra do C'uUg* l'j<
do Sr Bandeira no Uecife Tua
da Cadeia loja do Sr. Qoaresma,
ra da Madre de Dos de fronte
da Igreja venda que foi do Ke-
zende ,' na Boa vista botica do Sr
Joaquim Jos Moreira defronte
da M itriz, e em Olinda na botica
da rua do Amparo.
-- O Numero ji do Carapuceiro : na
praca da ludependencia lojasde livros o
370 38 *
-- Uma paderia com lodos os seus pe- -
tence sita na rua Direita defronte d>
venda do fallecido Jos da l'enlia um ca
vallo com cangalha 3 e um par de catam-
bas : a tratar na mesma
5 caitas para assuear do tamanho e
altura do costme pelo comraodo preco
de 5ooo cada uma : na roa da pmia serra-
ra do Cardial.
Uma bonita escrava de naci rebolo ,
de idade de ao anoos he engommadeira ,
sabe ensahoar cozinha o diario de um-
casa e cose chi a viaia do comprador
e dir o motivo : na rua de Hoitas no pe-
nltimo sobrado antes de chegar a Ir.j
dos Mar tirio D 70.
Uma esciava de m annos d* idade,
de naci angola : em Olinda rua do coixo
a fallar com o agente do correi j do niesmo
lugar.
Uro negro ladino aqalo fiel de
naci angola hbil para lolo o servico ,
idade de aS a 3o anuos ; na rua da sauzalla
velba D. 1.
Um cjvallo de bo tamanho e de
boa cor e de bons andares : na rua do
Queimado loja D. 7.
Urna bonita eterava com a5 annos r
idade ptima cozmhera de ludo nsi
gna lavadera eengomma bem liso: na
rua Direita passando a venda do fallecido
Jo< da Peoha sobrado D ao.
Uma preta de naco : engomma co-
zinha bem, faz bolnh-js e com princi-
pios de costara: na praciaba do Livramen
ro
ge| D g sobrado de uro andar.
- Cera b-anca em poitio de cem lbria*
pira cima : no escriptorio dos Sr>. Lenoir"
Resuciiet i Puget a fallar com Jos L\
zary.
-* B tinsde Lisboa me ios ditos sa-
pilos a bol nados ditos de orelba de bont
be/.erro ditos de corda vio de uma sola ,
ditos de marroqu m fraacezes pifa homem,
Ixiiins para meninos sapatos de marro-
quim para Senhora a \o ao par ditos de
duraque preto e de cores \ dito de marro
quiffl e de duraque francezes sapatinhof
para meninos de a a 9 annos ludo por pre-
co commodo : no atierro da Boa vista loja
D.9.
-r Duas escravas de naci, orna de 10
annos boa pngommaddira c zinheira ,
e lavadera ; e a oulra de j5 annos com as
ni '-mas habelidades e com um& (liba de
i annos ; e um preto de bonita figura ,
de -jo anuos ptimo para todo o servied,
e ptimo canoeiru : no pateo de S. Pedro
sobrado de uro andar O. 8.
Ou arrettda ->.e pelo lempo de festa ,
um sitio coro uficienie casa pata pouca fa-
milia no lugar do Barbatho em din cao ao
Casanga com banho perto bous aiea ,
e com differeutes arvores de Lucios e lio
bem srrendar-se-ha somente a casa: na iua"
do Queimado D B.
Ou troca se por oulrq, um mol- qua
de idade de 17 annos bonita fig na, mu
gil e sadio, ptimo para p..g--m ou
oulro qualquer servido; na rua Direita D-
cima 4?.
.,-.-' ** /---------------1----------------.'
Escravos Fn idos
_-----------1------------------i---------1-------.--------,-------------------^-------------M------
No dia 15 do corrente fugio ura escra,
vodeaoome Joaqu ni de naci angloa ,
estatura regular olhos vermelhos pouca
barba cara comprida nariz bem chato >
e cor bem prt orelhes pequeas per
as e b acos finos e ps pequeos e ai-
guioa cota apalbeladoi, levou camisa e
caLs branca e chapeo preto filia muilo
apress.\da, e anda prevenido de atguns pa-
pis o que he fl>o quem o p-; t r U ve a
ius do coto velo sitio do fall cido Quaresma
Mvimeiito do Porto
NAVIOS SAHIDOS NO DIA ao.
MARANHAO'; Brigue Escuna Nac. Du-
arle 3. M. Jor Vleudes de Souza, car
ga assucar ,- passageiros F.ancsco Car
valbo Passos Com do>s escravos, o
l3 escratos de ambos os sexos a eutre-
NTRADO NO DIA ai
fTERRA NOV \ ; 61 das ,, Bfigue Ii.gfe
Ara b de 108 Tonel. VI. Jobo Cuyos,
raga b.cilho : a Faque.
SAHIDOS.NO DIA ai .
BALTIMOR ; Hiate Americano Shaks ,
VI. F. Fesivill carga assucar.
PORTO j Patacho Portugus Primavera ,
\J. Jo Carlos Ferteira Soates, c*rga
assucar ; passageito O portUgUSZ Jos
Francisco dsfdilv-a Guedes.
OBSERVACOENS
No da ao fundiou no lameiro o Brgus
Sirdo S Jus Follona de 377 T., in-
do de Genova em 63 dias M Simo
Sarde carga azeite vinhos e massas:
ao mesmo MeStre. ^^^^
Pbbn. ma Tt*. di m. r. db r. -- i838


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID E6S3IF8LA_SHG8RC INGEST_TIME 2013-03-29T14:52:48Z PACKAGE AA00011611_03673
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES