Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:03670


This item is only available as the following downloads:


Full Text
AUNO DE i838. QUARTA FEIRA.
CAMBIOS.
Dezembro iR
Londres ao, Os. St. por 1 Jooo ced.
Lisboa 00 por Franca 3a5 a 33o Rs. por franco.
Rio de Janeiro o par.
Moedas de6jC4oo Ufoo as velhas novas i<,ftoo.
4jfooo 8/000 a df>oo
Pesos Columnario i^6ioa i#63o
Diltos Meiicauos i#5qo a ifboo
Pataces Brasileiros i|6oo a >|6lo
Premios das Le Ira 1, por mes, 1 a i|{ por 00.
Cobieaopar
PARTIDAS DOS CORREIOS XERRESTES.
19 DE DEZEMBRO. NUMERO a76.
Tudo agora depende de no* mesroos ; da nossa prudencia
raodeaco e energa: continuemos como principiamos,
e seremos apontados com admiraco entre as Macoes nmis cul-
tas, a)
a> proclamacSo da Asscmblea Geral do brasil.
Subscreve-se para esta folha a mil reis mensaes pagos adl-
antados nesta Tipografa, ra das Cruies I). 3, c na Praea
da Independencia D. 37 e 38, onde se recebem correspon-
dencias legalisadas, eannuncios: insirindo se estes gratis
sendo dos proprios assignanles, e vindos assignados.
DAS DA SEMANA.
Cidade da Pamba e Tillas de sua pretenco ....
Cidade do Rio 'rau-ie do Norte, e villas dem ... I
Cidade da Fortaleza e villas dem........
Villa de Goianna............ '
Cidade de Olinda............
Villa de Santo AntSo...........
Dita deGaranhuns e Povoc3o do Ronitu.....
Dittas do Cano Serinhaem, Rio Formoso, e Porto Calvo
Cidade das A Ugoas e Villa de Macei......
Villa de Pajau' de Flores..........
Todos os correios parlem ao meio da.
Segundas Sextas fciras.
Todos os das.
Quintas feiras.
Das 10, "e 1 de cada rae,
dem 1 11, e ai dato di Jo.
I.leni dem.
dem 13, dittoditte
lessio da T. P.

17 Segunda S. IWtMomeu deS. Germiniano. Aud. do Juis do crime de t.
18 Terca N. S. do O. rtelacfio de utaulia aud. do J. dos Oif. de tarde,
ty Odi.il.> Temp. jej un S. Fausta. Sesso da Thesouraria Provincial.
*u Quinta Jejun >. Domingos de Silos Ab Relaco de manli. e aud do J. dos orf os da
1 Seita /f Temp. jejum S. Tnom Ap.
,.? Sabbado Temp ji-jum S Honorato M. Relacode manila e and. da V. ti. e
a3 Domingo 3 00 Advento S. Seivulo.
Mai chela para odia iQde Dezembro.
As O doras 54 minutos da manh As 7 dora 81 minutos da larda.
tarde.
Olindi
PARTE OFFIGIAL.
RIO DE JANEIRO.
Ministerio da Fasenda.
Migutd Calmon da Pin Alm-ida, do
conseho de sua magestade o imperador ,
ministro e secretario de estado dos negocios
da fasenda e presidente do tiiho
nal do tbesouro publico nacional, pa-
ra execuclo do artigo tg da le de ao
de outubro do correte auno, numero Go.
ordenVia, se obsrvenlas saguiules instru-
cedes.
Artigo I. Naj cidades do Rio de Janei-
ro, B.hia. e Pernambnco, pigaiio o im-
posto de 60U000 reis aun 11 es todas as
&33S do COiueiCI, Sllll liaCIOH-ies lilil')
extrangeiras, que tiverem eslabelecidas
dentro dos limites marcados para o lanca-
ni'iito ordinario di decima urbana e li-
veren mus de um raixeiro extrangeiro.
Artigo a. as capitaes das outras pro-
vincias do imperio, pagarlo o imposto de
3uU >oo reis annuaea as casas de commer-
cio as circunstancias do artigo aotece
dente.
Art'go 3. Entender-se-hio comprehen-
didas debaxo da denomin cao de-- casas
de commercio todas acuellas que sao es
pacificadas nos paragrapbos 1. a. |. ,
4 e 5. das instrueces de 5 de maio de
1837.
Artigo 4. O laocamento deste imposto
tei feito do mesmo modo e no mesmu
lempo em que se fiser o do imposto esta
btdecido pelo artigo 9. pargrafo 4 da le
de aa de outubro de i836. Far-se ha um
lancamento extraordinario e expecial para
se cobrar melade do impolo pelo lempo
decorrido desde o 1. d<- Janeiro ale o ulti-
mo dejunho de 1838, e depois de qual-
quer lancamento faiio os lanzadores e col-
lectores os addicionamentos que forem
precisos, secrescer o numero dos cullec-
tados.
Artigo 5. Serio considerados caixeiros
para effetto d lancimenio iodos os que,
as casas mencionadas no artigo 3. se em-
piegarem na escripia ou no ser vico inter-
no nu externo dallas e f se reputarlo
socios e interessados as catas os que ap
presentaren) escriplura publica da socie-
dtde.
Ailigo 6. Serio bavidos por extrsn-
geiros para o mesmo f Hito cd<>s aquel-
les que, suido reputados como taes pe
los lanzadores ou colleclores, nio mos
trerem sercidadot brasileiros, por do-
cumentos autnticos expedidos pelos jui-
*es de paz dos respectivos dislrictus.
Att. 7. Ficaro obrigados.jao pagamento
do imposto todas as caaa que em qualquer
lempo, no decurso dos primeiros seis me
zes ou dos anuos futuros depois dos lanc-
nenles, admilirem caixeiros exlrangeiros,
alem de um que Ibe be permettido.
Rio de Janeiro em 12 de novembro de
1838 Miguel Calmoit du Pin e Al-
meida.
(Dj Cbronista d.i i5 de Novembro).
- IUm. n Ex na Sur. Tenho a honra| hnm prisma de 5 > palmos de altura en-
de remelter a V. Ex. um exeinplar da Dis- j jas bases seja quadrados de 90 palmos do
cripca do Farol de Itacolumin, constru- I lado ; um troco de pirmide com 10 palmos
PERNAMBUCO.
GOVERNO DA PROVINCIA.
OFFICIOS.
Tenho presente o officio. que essa C-
mara dirigi a esta Vice presidencia em
7ti de Junho do corrente anno pedindo
providencias sobre o arrombamento que
a 18 do mesmo mea leve lugar no atierro
contiguo a Povoacio dos arrombados em
consequsncia das clieias do Rio Beberibe ;
n em resposta eumpre diser Ibe, que a vis-
ta d artigos 4, 4' e ^6 pargrafo 6 da
lei do i. de outubro de H'.'rj que incumbe as
Cmaras o tratar da consarvacio, e reparo
das estradas, caminhos e mai-. obras publi-
cas do s*u municipio ; a essa c. tence > dar as neeesssrias providencias so-
bre o arrombamento mencionado, como
tem sido pratica, despendendo no spu
conse'to, e na conformidade do que dispo
em o artigo 4" da lei de sua creacio as
rendas qu Ihe tem sido consignadas pela
Assemblea Provincial Legislativa.
De<>s Guarde a Vms. Palacio do Go-
verno de Pernambuco 1. du Outubro de
18)8. Francisco de Paula Cavalcanti de
Albuquerque. Snrs. Presidente e Vena-
dores da Cmara Municipal da Cidade de
Olinda.
Respondendo ao officio que Vms. diri-
girlo a esta Presidencia em data de 1 1 de
Outubro p. passado curopre diser-lbes
que tenho expedido ordem ao inspector
geral das obras publicas para orear a des-
pesa, que se podera' faser com o melho-
ramenio do (.lleno da Povoacio dosarrom-
hados remetiendo o orcamenlo a Vms a
fim de pioaeguirem nos mais termo da
Lei, e tiaclaiera com brevidade de dar
principio a tal obra, como convem ao tran-
sito publico, e a commodiJade dos habi-
tantes d* sse Municipio.
Dos Guarde a Vms. Palacio do Go-
vernode Pernambuco 3 de Novembro de
1838. -- Francisco do Reg Barros.
Sms. Presidente e Veriadores da Cmara
Municipal da Cidade de Olinda.
Requisitando a Cmara Municipal da
Cidade de Olinda um oficial Engenbeiro
pai a fazer o orcamenlo da despesa com o
mellioramento do alterro junio e Povoa-
cio dos Arrombados: ordeno a V. S que
-edirija ao lugar indicado e passe a fa-
ser o orcamenlo da despesa que se pode-
ra' faser com tal obra ; devendo remelter
o orcaroeulo a mencionada Cumara Mu-
nicipal.
Dos Guarde a V. S. Palacio do Gover-
no de I-rrnarebuco 3 de Novembro de
1838. -- Francisco do Reg Barros. ~ Sr.
Inspector Geial das Obias Publicas Fir-
ruino Herculano dv Moiaei Aneora.
do na costa deta provincia, e quu deve-
ra' acender-se em o 1. de Jmeiro prximo
futuro a fim de que V. Ex. se digne
mandar Ihe dar toda a possivel publicidade
pela imprensa, na provincia que digna-
mente administra.
Dos Guarde a V. Ex. Maranhio 3t de
Outubro de t838. I'lm e Exm. Sur.
Presidente da Provincia de Pernambuco.
Vicente Vbomaz Pires de Ftgueiredo
Camargo,
Para conhecimenlo da Navegaclo e Co-
mercio S. Exc. o Snr. Presidente da
Provincia manda faser publico a discrip-
co do novo Farol enllocado no Morro do
Ilacolumi, Costa da Provincia doMaranbo
o qual se accendera' no 1. de Jmeiro do
anno prximo vindouro.
Secretaria do Guverno do Marenbio em
8 de Outubro de i838. Anselmo Fran-
cisco Perelti.
O morro de Itarer na costa do Ma-
raoso, entre <>s Iguaraps do Retiro, e
deCaneratina, eonliecido dos navegantes
pelo nome de Ilacolumin, e que secundo o
15 iro Roussain, jaz na I titude S il de a,,
9' e na longetude de 44 *4 a O es,e
de Greenwii b, he o agregado de diver-
sos montculos de arsa povoadjs de aibus
tos, e di>postos sobre urna barreira que
tem i2o p-dmos de altura cima das mai-
ores agoas, com entro de talude a qual
he formada 11-s suas carnadas superiores de
saibro menos, e mais avermelhado ; as
medias du tena argilosa esbranquicada ;
e na sua raz, de pedra envolvida nesta ul-
tima materia. Este aggregado de mont-
culos coroeca de enchergar-se do mar, pa
recendo hum corpo, entre a embocadu-
ra da baha deCumam, ea pona Pira juba,
qaando abarreira aobre que elle se b earha, como disen os Martimos, alaga-
da 1 mas porque nenbum dos ditos mon-
licolos truU* uemeapacidade nem solidez
para huma obra permanente, sobre a
barreira na sua parte mais alta, e mais
saliente a a5o bracas ao nascencente do 1
tscolomin se esl edificando, o farol do
esmo oome.
Esle edificio, que tem cem palmos de al-
tura, e que dista da beira da barreira 4o
bracas, he todo de pedra e cal; lem qu-
tro fbces, queolhi-i para os quatro pon-
tos capitaes doGloba, otferetendo um dos
ngulos aos ventos, que soprio ali ordi-
nal umente do quadranle de Nordeste. O
Navegante, que de balravento de manda o
MaranhSo o observa pelas faces boreal ,
e oriental contiguas ; e primeiramenle pe-
la boreal se vem de sotavento. O larol ,
olhado por qualquer das suas quatro faces,
represntara' a reuniio dos seguintes cor-
pos geomtricos todos quadiangulares, e
recios superpostos un* aos outios de ma-
neira que os centros de suas respectivas
bases (iquein na roesma vertical, alem do
laralltlisnio dos lados dismesmas bares j
de altura sendo sua base inferior com*
mum com a superior do prisma qu, Ihe
fie iu subtoposto, e a superior um quadrado
de 4 2 palmos de lado ; um prisma cujas
bazes sejio expressas por quadrados de 4a
palmos de lado, leudo por altura quatro
palmos : um tronco de pirmide com a al-
tura de :o palmos, teodu por bases qua-
drados -de 53 e j4 palmos de lado um
prisma de i5 palmos de altura com ba -
zes de 24 palmos por ladj ; finalmente u
ma pirmide cuja baze he um quadrado
igual a um dos dous antecedentes lendo*
por altura oito palmos, e ficando sobre seu
vrtice urna esfera armilar.
O primeiro destes corpot be um bello
sobrado *, cimalhas, columnas c relevos o
enfeila; d ai*<>mndac5e9 para um bom
destacamento no pavimento inferior pa-
ra o commandante no superior: uro e
outro pavimento, alem do que ocupadas
escados, conlem 16 cazas 01I0 de 38 pal
mos de comprimento sobre desenove de
largura e outra oilo com o comprimento
e largura cammuns de 19 palmos; ose-
gundo corpo he formado pelos quatro pla-
nos inclinados do lelhado ; o terceiro he o
parapeito que contorna um terraco lagea-
do d'oude se poderlo limpar exteriormen-
te as vidracis ; o quarto representa a bazo
da casa de vidracis ; o quinto a mesma ca-
a dentro da qual girad por meio de urna
maquina bem acabada da Fabrica de MMs.
Robinson 61 Welkins 18 candieiros divi-
didos em dois grupos iguaes ; osalo a
lectura da caja de vidracas ; e o stimo fi-
nalmente he o zingamocho ou remate do
edificio. Teremos a planta de qualquer
dos dous pavimentos com* a constiuccao
seguiute : imaginero se trez quadrados con-
cntricos, e p.nalellos cojos lados seja
9a, 4' e >H palmos ; paralella mente a
estes inscreva se outros trez q uadradoa
concntricos, cujos lados sej'6 8a 3o, e
6 palmos; imaginem-se prolongados os
lados do segundo quadrado primitivo o
para'ellamenle a estes prolongamentos que
devetn acabar na primeira linha que to-
carem, descreva-se internamente rectas
com o intervallo de 3 palmos ; os interval-
losentie cada quadrado, e, o seu visi-
11 lio entre cada proloogamento e su
paralella serio asgrossuras das paredes,
ubi se observarse as casas em que a cima
fallamos entre o 1;* e o a.* quadrados, Pi-
cando entre o a* e o 3.* seis leos doces
de escada, que dio ascesso a todo o ede-
ci v 3.* quadrado representa a seccio da
alma da torre central ao longo da qual
tem lugar o dessenso da cadea que sus-
pendeu o pezo motriz da maquina ; a es-
pcssnra de 6 palmos que tem as paredes
da segunda torre deutio da qual esli
disposias s escadas d lugar ao teressso
lageado; finalmente uinii coleada de ao
palmos de largura por-todas as quatro fieu-
tes do edeficio abriga os seus fundamentos
das aguas pluviaes em quanto a pal.nos
de diflVrence deuivel eolia esta calcjda
>.


i*-
a
D I A
R I O
DE PIRUAM.BOO
0 pivimento terreo preserva seus abitado-
As da bcoo higromeltica do sclo.
O facho luminoso deste farol que fica
pela altura da birreira addicionada com a
do edefico M ao fuco di lu a 190 pal-
mos a cima domar, lera sua primeira ap
parco no i.# d* Janeiro de 189 ora de
cor natural da luz ora de unn cor aver-
roolhdi avendo eclipse da a minutos de
duraci entre a appsiicio de urna eoutiu
cor; pda disrlusicio dis ramos da-rvo-
re dos ctiidieiros serio iscronas a presen-
ta 6 a ausencia da luz.
A lurnode Lesnoideste do farol na
distancia de dan mtlhas ao p >co ni.-
nos existe um formidivrl rochedo, de fi
gura sensivelmiMrte cnica, dtaida p 0vm9
o nomo ao morro de que tratamo, porqu.
be a este rocbedo que anda oja os r.aiu
de ao de Oulubro p p., para ficarem na
inlelbgencia d> que este Ibes incumbe.
D.to Ao Inspector di Alfandega par-
tecipando-lhe ler sido prerogada pelo Tri-
bunal do Thesouro Publico por ans qua-
renla das a I cenca concedida ao Ama-
nuense da mrsmi Alfaudiga Manoel da
Fonceca Silva.
D.lo A' dilo par.! dar cumprim-nto
ao>-dn> d' Tribunal do Tlu'S'Jura nume-
ro 84 d> correte anuo que manda (*
it-r diversas diclar.icoens na> cvrlidoen*,
que *> pas:rem as AUan lvj;ai di- ni r-
eaor'ns estrangeiras j 1 v urnas unas
Aif-mdegas do Imperio.
D to __ Ao Administrador da M-> do
'oasul di clin cpia d orrtenj do Tttbu-
nal <|.. Thrtwnro no W do e n*it an-
no .-, tyf d varias d apoaieuenf acerca da
lie a este rocneuu ^^ j- no-, raes do Paiz chamad haeuluuiim ou mu X(, .,.j., m M ..-'es.! >> e Guias '1
precisameiiU ltaculu ni M d*M termo I mi,rC!l i.j.ls ,J s ii.a i .s f;un- >" pu
lia fpedra)eCurumin (menino; dos Ind-
genas. Este rocbtdo cobre* intetramen-
le na preamar das novilunios, e plenilu-
nios, deixandocomtudjsignaes evidentes
da su* existencia ma>as" oulres pilases
da La elle be visivel de h m moga pe.
forca de proveci cora que .< ;u.s per-
culrindo o, se elevad. E-ilre elle < Ier-
ra existe om canal para bngu s e o es-
treno que s permitte navegsr par* aola
vento, por fora db rocliedo, pore.n ba
outro canal mais laigo e'mais undo m
que a". p.-Mle bordejar : vio anl>"S parale!
lamente bhia ie Curoan de.xando en
tresi a pequea ilbi qu^fici na boca da-
quellabdiu, c^n o nome decoro* Uos
ovos. A quem esl no delicio t aprsen-
la usahoiizonle de 19) graoa entre as pun-
tas dos Atina, e l'.rajub, dianle das
quaesbranquejaseus perigosos bmosde
a a 3 legos de salienoia.
Acatado qiiesejao edefici. de que Ira
tamos daremos a s'ua liisioria cmplela e no-
taremos entio alguma alteraco, que poi
Ventura tenha de solrer na yelocidde da
machina rotatoria ou em alg.nna de suas
partes constitutivas.
3o Joaquim Rodiigues Lo.pes.
Capillo do 1 CoipodeEnyenbeiros
THEZOURARIA DA PROVINCIA.
Expediente do dia 17 de Decem||ro
|83.
Oficio AoEtm.Snr. Presidente da
Provincia com a Guia do <'irurg5o-mor
de Primeira L nba leformsdo Manoel Juse
de Faria.
Dito Ao mesmo Exm. Snr. infor-
mando o requerimento do a. Escri-
pturario da Contadaria da m-sma Tbesou-
raria Joio da Mala de Miranda Castro.
Dito Ao Inspector da Thesouraria da
Provincia da Parahiba para cotnmunicar
porqu-i quaulias se podera f'Ser sobre a
mesma Tbesouraiia pelas sobras da riaa
Receila Geral es saques determinados p--
las ordens do Tribunal do Thsouro de 37
de Oulubro e8,eio de Novernbro do
torrente anno-
Dito A- Inspector da Tliesouraria da
Provincia do Cear ao mesm> re^pfito do
precedente oficio.
Dito Ao Contador da meima Theson-
raria para mandar orgnisar rom toda u
brevidade a conla que exige o Tribunal do
Tbesouro das despesas fe-tis por esta Pro-
vincia por conta dos dfiVrente3 Minate- peHada.
nos com a revolupfodo Kart de*de q. ^<'s Emb^r^s de Uvz Pernra do f,n,
leve luearoassassinioduPrasrdenie Ber- opportoa an accortUo contra rile prolenVo
nardo Lobo de Souza. na app.ll cao Cvel da Coja.ca do ...
Oito- Aotn-smo com as copias da Grawle.do Norte que
lr<.s l'ortoa do Impeli
Dito A;o Administrador da l c l>
doria de K uidias mi rpas eom 6 a mpla-
ns das lint de? ens de i a 4b trreaite pa<
r* cjiTicv) do iirlig 19 I.' d '
Ou'uli'O iiUirr" ii. (i j id dar u.i m di'
lamente cump imer.to.
Portuia ( uculaf I los os C He
ciurel I- Diaeraas Kendjis com un tiem
,,ln de l gulamento, o a> de Outuh'O
iiliimo pira xuco do J 5.- do lic-i
de iad>n!'!nv> m>s que anda arree*
:\*r t imposto d" !|a vr rento ao a no o
sobre o valor ds LtMs qua f'Oin s
Dita A> Thetoureiro da basenda
mandando entregar ao f hesoureiro das
Rendas internas a <|ttantia de 519.311 is.
pira pagamento los ordeljatio e poico
tsgewft ds Empreados, do no*a de No-
vembro ultimo.
3>iversas Repartyoens.
-, M -- ,, 1 ,_ -X- -----------^*- 111 umimm* 111
TRIBUNAL DA RELLACAO'.
Sessodei8 de Dezembro de ic38.
Na appellaeiSCivel do Juiso de Direitn
desta Cidade tppellsnte Joag Fiat>cisco d-
SoUItPeixe.e appell.do Francisco Jos
de Paula Carneiro Escriaafi Ponhitmo ;
s- ju'gou pelH#confirroavio da senlanca re-
to rida.
Os Embargos opposlos pOT Domingos
Bizerra Cavaicante de Albuquerqu 'C-
rnrdioa f-vor de Manoel Tii'.maz de Sm
H Leso na cauza de app-IUco desla Cida-
de Escrivao Rebello ; fo'io os mesinos
dispresados. .
NaappellacaSC.imecb Juiso de Dire.lo
da a. Vara desta Cidade appellante Lucas
Remigio e appellado Antonio Jo e Ro
drigues, Escrivio Ferrt-na ; foi julgada
pela confirmaco da sent Ci recorrida.
Na cauza do Da de appaiwcer do Juiso
de Dimito do Civil da Cm-nca de S.nt
Anla a ivquerimeiili) de Fi >-r Machado c.onlra Vicente' Correo de
Queros, Fsciivio B.i.iK-iia ; foi jo'gadu
iinproeedenly <- Iuslrum-nio de Da de ap-
parecer.
Na app^llncao C iv--l do Jui'-O de I)i''l>
doCivel d Villa d. Su") Reinaldo nrppel
Un- Ai'OU Gomes de Fieita 'ppj
Antonio Gomes da Si!veii.a Ecnvo R-li-l-
u>; aejalgOU pela 1 forma, a sinlenda ap
ordena doTribunal do Tbesouro Publico
Nacional nmeros 7a 79 80, 8a 85,
86 87 88 61 e 81 do corren!"
anata.
D.* \o m"' partecipando ler o f'nm. Sr
Presidente da Provincia nomrado e.n
umprimento do disposto no Impe-
rial Aviso de 19 de Novembro ultimo
expedido pela Secretaria de Estado dos
Negocios da Guerra ao Capita 'Pnenle
Joaquim Jase. Ignacio para Inspector in-
tnino do A1 seal da Marinli', que servi-
i depois 'le partida do actual Inspector
para o Maranhao at que chegue o novo
nomeado.
Dito Circular _, A todos na Juires do
Civel rom um excmplar do Regulameulo
Jo<> Rernardinn Peves Escrivio Cuevea,
se julou p'lo r-cebimento dos Embargos
refitf-mand -s" u scc i.i Semhargado.
Na app'll.ico Civ.1 do Juiso .1* Cwl
dest.i Cidad- appcUaQie Febc-ano Au
de \ascoi.cf los v eapelladiJ .1"- T. '"'
da Gama Escriv li bo ; i< jo g u p l('
ronfim-ca! da seiileoQa.
ALFANDEGA DAS tAZENDA?.
EDITA L.
alanoel Zefiino <\* S ntoa Inspm-loe da
Alfandega pelo Regente em Nome do
Imperador.
Faco saber a todos a quem convier que
do primeiro de Janeiro em diante nao se
despichar genero algum daquelles cujo
despacho se deve faser sobre goa e dos
mencionados no Art. 177 do Reguhmento
deoutra maneira quinao seja a determi-
nada no mesmo ^rtigo ; o que presente-
mente nio pode ter lug^r com o ferro por
virem boma mesma I va renga ferro de
d.versas pe^as, a fim de que seja arquea-
das por (n.lo erobarcaesens de menor gran
deza para (|ue en <: son ferro peitencente aquila peasoa qoe
.juiser (st o despicho.
K pa que cingue noticia da todos a
OJuem istn inters S" ftt pulrico pela ulti-
ma vea |"H eat*" meio.
Alfaiideg 18 d- I)'.-.mio de |83'5.
Manoel Z fllno^dos Satttos
MEZA ;>CO\SlJ.A!)0.
_ A Paula be a mesma do num 17a.
ARSENAL DE GUERRA.

Tend. o Ars**1 d- (iu'" 'lo f-1
conducir < o K-g--i'b, Cq<.i urna p< y* ''
bronze deCabii < convida que 11 d<
'i., o u luci > a au 'ira mar regir que s<
denj-i ao mesmo Arsenal para nadar d
ajuste.
\ oal de Guerra 18 de'Deseonbro d-
.18J8.
fesfl (lados Teixcia.
Director^
OBRAS PUBLICAS.
Oj Offieiaes de Cernina qu" quise-
rem empregar iras ib as do Quarleis e
fortificado spres.ritem-se ao lospeclOi
Garaf da Obras Publicas na respi'diV'
Repartoslo ou ao Snr. Teen e Joaquim
.lose de Faria Noves para trataren) do
ajinle.
Inspecca daa Obras Publicas 17 deDie-
zembrude 1838.
Moraes Ancora.
Pela Inspercio Gral das Obras Pub'i-
cas convida-se aos Oilicias do (larpina que
se quiserem"empregar ns mesma < bra a
aporeseniarem-se ao Inspector Cer| deP.as
na respectiva Repulicao, para trat+reni do
ajuste.
Inspecci das Obras Publicas 17 d Da-
sembro dei85.
Moibps Ancora.
PRFEiTORA.
Parte do dia 1 8 de Desemhro de i838.
Illm. e Exm. Snr. Fora presos hon-
tem a minba ordeni e t ve rio destini :
Aiilnniode Araujo Gomes *ioi-branco .
Manoel pelo escrav de Antonio J^sr
deAlmeida.e Isidoro Francisco Lopes,
l niib Antonio ; o i. por attapeita d ser de
seriar o a. porinr ferido na cabeca "
urna p ela ecruva e o ullimo por ti r
insultado nm soldido de Polica ; Lucas
da Asanipca tamb'in prelo, ppdo Sub-
! refeitO'da Roa-vista pr eslar ba-lantr
'b'io, e querendo lsi-r des.-.rdem; e M-
noel Lourenco latnbvffl (>reio p' lo Sub
P I !o de Teg'cops'po por se Ungir ca-
pliyo, deix 1 se v#nd*r pvra> odm o
seo veti(i"il..i i.pnln o seo impor|e co
ipo por v. s l'iu p-alicado.
E' O que consta I s parles boj WC bi
' is nesia Secretaria.
|)tOS Guarde .1 V. F\e. Prt-fe'tu a da
irc llm. e, iivni. Sr. I-Vancisc -do l
gq Ranos ['residente da Provincia
iseo Antontn de S Karrefo Pie-
feto di Comarca.
C I -\ V a UM OM, DA CDVDJ
DE O 1N.;A.
6 Sssio Ordinaria d- 8 de Agosto pl
iR38
Pr O Presidenta ab'ion Sess.10 estando pre-
7.ec.le os Siiis V^icadoies Fwrretra Laag.
Linior M|ciel Monleiro e Figeiredo 5
tallando cum cauza os mais Senliores.
Lida a Acta da antecedente foi appro-
vada.
O Secretario dando conta do expedien-
te nio meneionou oficios por os nio ba-
ver recibido.
O Snr, Prezidenle propoz que tendo
vocalmenle repreeotado o Sub-Prefeito da
Freguesia de 5. Pedio. Mariyr dsta Cida-
de que o sino da Cadeia se acbava em
mo estado fasendo-se preciso bum con-
cert, punba a votos para se deliberar o
que se deve faser a tal respeilo; foi resol-
ido que se ordenassn ao. Piocurador para
ni nilar faser o concert; iguilmente que o
Proeurador fornccVsse o Carceieiro bum
Pole Couco ,. um Candieiio para s
prisoens da m sma po-r assim b ver reque-
rido dito Carcereiro ; resolvi inais a C-
mara qu" se offioUf^e ao Piocurador Di-
n? para dar es contsi para se podar dar
principio ao balanc.i.
IJ..uveiao raiios i> querimentos de par-
t-s que se despacharlo e por ser dada a
iiora o i'n-siili-nle ii vantou a S-ssao. De
,j-|.- ,, earui'' eoj q' assignatao Eu Jos
Joaquim !>'" FlgUer<-i|y SmhU.1i') O $-
ncvi. C.uedis, Pioidtnte. Ferreira ,
I piel !\bi.Miv> L,..;;e .lunior A'.bu-
(Hieique Figueied-i. K>(a conlorme.
O Secietriio.
Jos J laquim de Fig n iredo.
A BAHI\.
Nio serio lalvez sem al um proveito as
observecoes, q.\e ntertp i,ou>eiilQ-nos sug.
g. ie a provincia da Baha.
Asabs.dvives qU'-ojU'Y d'esta cida-
de ltimamente lera dado i alguns dos que
tomaia parle muilo activa pa rtbelliio de
s.le de nov.embrO, tem hincado profundo
d-scontentame.oto nos coracoes do bons
l^in.nos. 0>p'opnelari>s, oa capitalis-
tas eeassusla com lio escapdalosa tropuni-
dde: nao vm para o fuluro garanta al-
guma contra as desordena; e lodos que
tem que perder com semelbantes comino-
coe, reijjprocamente sp pergunsa ; On-
de esti a espada dajus|ic,a? onde esl a
lei P onde e*i a aeguta,nca das nsss for-
tunas r* Todo. os mants da rdem pu-
Idies dizem una aoa outros : Onde est a
s.guwnca di^* npssas vidas ? E re*
pofita que todo dao ao os signaes do
manir desgasto pelo que tesjemiinha.
Drvem qerlamente estar mui contentes
05 qiM'QO.m $uas perigosas dclamac6es pre-
paira aqui aaa scena assustadora de im-
iiu"dde qu" secomeca a representar na
Babia. A' processos em parte, informe*,
i certas vipgancas mesquioha> s.eguip-e a
absolvicio completa de bomens que te
empenhia com todas as suaa forcas em
perpetrar as desgracas, que por mats de
qualro incoes .in homens que andara com aichoies incen-
diando a cidade !.... _
Oh .' e nio seria uma crueldide crimi-
nar-- um i.iuocei)l padre i>f. Waria cp-
nbecido vulgarmente pilo appellido d.er
Rudnt Banell ; horneen celebre pelas con-
linuad* necoes veijionhosas, que plati-
ca ? !... Tanta a coufianca que es de-
fensorea dos anarquistas nista corle inspi-
rara4SBS rebeldes d,. Babia e seos cpm-
pliocs, que algum dos muilo envolvidos
na revolia como um Sjcopira, e outros,
q.-.e seaehavaO bomisiados, se leal ido
prseoUr; poique contad com uma-ubsql-
viiao oerJn!
Em ve.dade m*fi criminosos nao sao m-
1. s dos que muUos dos que acaba de ser
.bsnlvidos p.bs juris. A maior parcia-
lid.de tem ali uumamente manifestado rs-
tribu,;.! Em quanlp r^s de grandes
Ciilpa..p.-*sea hv B*. ^0 c.ndemnados I-
nos que apeoaa foraS instrumenta9f
evttm da levwlla; 011 n'ella tomarao
mu pequea paite l Entielanto que *s
r^ralidkdftl plantadas pela sep'cao vo ten-
rioleniv. I mtieinenlo ,..
i\. s lolbas pub|(i.s daqurlla provincia ,
que nos Db*r s m-s ulumomente,
ai.riuncios v moa te vend-.S de pr.q"i-'
*> e outros bens de rajz pedencenl:s a
UMSMa, que se.re.lir-) para lora. Eplre
An Hsaea anniiuciios appitrce oo V< .
de do Rm Ve.ioelbo que trata de vender
odo os seos predios rsticos e u,b-uQJ*
porque muda-se da provincia C que f
faz tratad de faaer pidos.


1> I AR O D K fr-R K A M BU C O
Eporque que lanos homens estabeleci-
vlosquerem retirar-se para fofa da Babia'?
\E' porque te,mem na sem alguna < rasa.) ,
que a impunidad*, que observa, traga
nova catstrofe daqual com antecedencia
procur nao ser victimas.
As doulrinaa exageradas de ambiciosos
desagrados,, que, pila maior parle na-
da tem que temer, como tamben a irapu-
nidade, mormente dos sediciosos, unda
o defeto do algunias da^ nossas leis tem
obre o Brasil cond'jzido grande somma d"
males: essas mesmas *aus.as o abismar
de todo, si sal uta res conectivos se nao (o-
rem levando tantos principios de desorga-
nisaco social.
Ah / com que susto nao receamos pelo
futuro da Baha era face do que n'eila a-
gora se p is- /....
Mas nao ; no meio do maior desalent
uma ceotelha de esperance nos reanima a
respeto da prosperidade futura d'essa pro-
vincia. Nos confiamos moito na prepon-
derancia moral de que gosa a parle sisuda
e -si dos lnliiari'is : estes que se deve i
dtrUcio da lebeldia; e em qualquer lem-
po que .a ppa recio perversos que se arro-
jpm a attenl a contra o bem estar commum ,
riles com denodo os comhater.
H ainda na Babia grande quanlidade do
anarquistas, desmasearados una encober
tos outros ; mas lia tambem para sopeal os
urna grande massa de homens Ilustrados,
e amigos da ordem que ludo arrisca ,
deade que, as emergencias publicas orela
ma (e-, h pouco dera disso cxemplo) ;
e proraptos academ ao lado dapat'ia ero
peigo- E' por isso que apenar de todos
os escndalos que a impunidad-' tem offe
reeido. na Babia, nos temos confia nca que
os desordeicos uto triunfarn amis li :
roas nao podemos deixar de lamentar que ,
em vez de presisjirem entre os seos conoi
dados par faierem btrreira quiesquer
que tenlem contra a aciti -I ordem de coi-
sas, algn homens influente, desgosto-
sos preparein se a deixar a provincia e
outcos se mustien desanimad -s, O dever
do patrila que de coraco ama o seo
chao natal, lete ser.outro : o verdadeiro
patriota nunca se deve aterrar dianie (re
demagogos. Cada un que defende a or-
dem publica defend sua propria fortuna ,
seos lares sin propria causa. Oremos,
purera, que poneos seguirn o exemplo
pernicioso dealguns como dicemos des-
gostosos e desanimados; e qde a Babia
seguir firme no c aminlio d'aquella pros-
peridade para onde as chama as rique-
zas do seo solo e s vantogens de sin posi-
lio geogrfica.
Nao os Balitarlos nao se deixar pos-
auir de terrores, que nao dever existir
si JIM forem como ce*tamente sei de
oca em diante suidos nos agitadores e .ios
anarquistas, que acaba de patenlear ao
Brasil inleiio as da ainadas inlences que
os dirigeiii, quandose fingen adoradores
da liberdade e idolatras da prosperidade
publica.
J que tratamos da Rabia seja este o
lugar de ponderarme* ainda ao geverno
quanto necessarioj para bem da juslica ,
qtieseja devidanente gaiardoados aquelles
cidadfos que na lula com a rebelda tanto
tedislinguira u'essa provincia prestando
servicos eminentes ao trono constitucional,
" liberdade que elle nos garante. Si se
fratasar do seivirmos todos pitra sem
nsnbuma recompensa^ que seria mu i li-llo-
porq patria devemos ludo) eolio, bem,
co,mo o galarda de todos eslava na gloria ,
que. a cada um resultassedos proprios feilos.
ninguem teria de que queixar-se.
Mciades desbaratando o enorme exer-
cilo dos Ptrsas us campos de Maraiona ,
leve smenle pur premio ser ero uro qua-
dro, em que a heroica victoria dos Athe-
nii.nses lora desenliada retratado i fenle
dos dez pretores ou generaes alheuien-
ses que se acb ar;>5 n esta gloriosa tifio ,
com uma coroa de loiro Una tal recom-
pensa era a maior que llie podia dar os
seos concidadios que assim o distingui
cmo o prinieiro dos Albeoienses na guer-
ra.
Mas boje.nao basta rnente os louvo
rea ; nao basta smenle laea honras : bo-
je h outras honras para galardoarem os
servicos, ba dignidades, ha outros dis-
linctivos para designaren! o mrito de ca-
da urj. Scudo ju^Unfteiilc premiados uns,
mas injustamente esquecidos outros com
iguaes ttulos s honras de que sao priva-
dos iufalli velmente o ressen ti ment e o
d-sgosto bao de apparecer ; porque todos
temos amor proprio em maior ou menor
grao.
Certamente um Argollo, cujas ptimas
qu'alidades nos sao de parlo condecidas ,
um Rodrigo Antonio cidadio que sem
pre se acha dolado da autoridade legiti-
ma ; um Luiz da Franca que si foi ib
ludido por falsos protestos de seos irmos
de armas que llie orava a maior adhe-
so s autoridades legitimas para o trai-
rem logo soube depois mostrar que de
coracao aborrecia a causa dos rebeldes ,
um Lima, que desde a independencia se
tem mostrado amigo sincero do Brasil ;
um Cid; e outros deer estar resent
dos; nao porque oaccesio IIiks trouxe.sse
maior sold; porquanto todos elles sio ri-
cos ou pos*uom bens sufficienles para tra-
tarem-se com dignidade ; mas porque o
accesso ll qa| o merecera deveria
ter, duva uma prava de que seos sffrvicos
tinha sido dividamente avallados pelo go-
vero.i supremo.
Ja que se trata de recompensas, compre
que todos aeja recompensados com Justina.
As promoces feitas na regenc a do Exm.
Sr. Feij alienarado seo governo qui-
tos cidadios honrados; noijueira os ac-
unes governanles alienar i.imli-m de si
muilos espirito com promoc s nao liem
pensadas.
Nao somenle a' favor dos afir.iaes da
Babia que fallamos mas tambem dos do
Rio Grande. E'boje sabido que as pro-
moces d'esta provincia causara grandes
descoiilenimenlos ; e cumine exling'iil-
os. __ Talvez seja isto ainda objecto de no-
vas reflxes do Cincinato.
(Diario do Rio de J )
Renuncia de Oribe-
Monte Video, 3 de Outubro.
Exterior..
ESTADO ORIENTAL.
Desejando o Exm. Sor. presidente da
repblica;, brigadeiro general D Manuel
Orib e o Exm. Sor. geueial em ebefe
do exererto coiisliiuicional brigadeiro ge-
ral D. Fructuoso Rivera dar piz naci
noinean. para convir uell-i ou em sua base
a saber :
S Ex. o Sr. presidente por seos com -
missarjos aos Sis. brigadeiros general D
Ignacio Oribe presidente do supremo tri-
bunal d juslica D. Jiiliao \lv.res col-
lector geral D Francisco 3. Muoz e
o- nviadi.es D. Jeo Francisco Gii D.
Aleebadre ( hucarro.
E S Ex. general em ebefe, como com-
missario- ad hoc os Snrs. D Vasques ,
s,eo secretario de nego.ci.os interior, eileri-
dr e fasirndu bngadeii general D len-
i iques Martins ; mi- tro da guenv mari-
nlii brigadeiro general D. Aitacleto Me-
dina auditor geral I) Andre Lamasy ,
idadio, I). Joaquina Soares os quses ,
depois de haveiem examinado >eos respecti-
vos poderes entrara cm conferencia so-
bi e o desempenho de seos encargos, e
convierto as seguinles clausulas.
i.* O Exm. Sur. general ero chefe do
exercilo coostilucional leconhece e es
pella as garantas qua a consliluc e as
leis outoiga as pessoas propriedadas e
empregos.
z. Exm. Sor. presidente actual da
repblica resignar su aa,uloridade iium -
ditamenle e c.>m a posse d'aqoelle que
Ibe deve substituir fica a paz inleiramente
rtttabelecida.
Pnra firmesa do que nos os commissa-
rips de S. Ex. o Sur. piesidente da r pu
blica eos commissarios ad hoc de S. Exc.
. general em chele firmamos a presente
com os nosso9 punhos fizemos por-lhe o
si lio de que uzamos. Maigens do Mi>jue-
iete a s viole e um dias do mez de tu-
mbto'de i83i. Igoaoio Oiibes Julin
Alvares. francisco Joaquim Mu
noz. Joo Francisco Gir. AKxandie
Chucarro. Santiago Vasques. Henriqne
Marlins. Adelo Medina. Andre La-
mas. Joaquim Soares.
Convencido o presidente da repblica
que a su permanencia no goveino he o u-
nico obstculo que se aprsenla para o res
tabileciineoio da tianquidade e da paz,
do qu- lauto necea tita o paiz ven pe-
ranie V. H. rethmar a autoridade que cono
orgios da naci Ibe baveis coiifiado.
Neste mona nlo nem be til nem
decoroso entrar na exiilicac' d is cai>
qu me obriga a dar esle pasto e
deve bastar vos o saber que assim o exige o
socego do paiz e a consi-ierci de que os
sacrificios pessoaa sao um holeseattro de-
vid a conveniencia geral.
Dignai-vos pois honrados senadores
e representantes admitir irreaogavel re-
nuncia que faco neste momento do posto de
que eslava encarregado |e conoeder-me .
alem disto assim como aos ministros que
me queiito seguir uma licenca tempo-
raria para nossepirar-mos por algun l-m-
!>> d'este paiz, pois assim o aconsetha a
nossa posicto. Manuel Oribe.
O senado e cmara de repreaentates da
repblica Oriental do Uruguay reunidas
em assemblea geral, decreci :
Att. I. Admitte-se a renuncia que, faz
do cargo de presidente da repblica o bri-
gadeiro general I). Manu-I Oube.
2. O presidente do senado entrar no
exercicio das funeces do poder exeeut'VO
em conformidade do artigo 77 da consli-
(uipa.
3. Concede-se ao Sr. ex-p residente da
repblica e aos cidadiosque I"rio seo
ministros licenc para sairem do territo-
rio pelo lempo que julga-ren necessa-
rio.
4* Chegado este caso urna commisso
da assemblea geral nomeada pelo seo
presidente pas deiro general D. Manuel Oribe at o ponto
onde se verifique a sua partida, e agra-
decer Ihe ao mesmo lempo em noroe da
mesma os dislincloa servicos que tem
pieistado n repblica.
5. Commuuique se e publiq'ie-se.
Salla das sessoens em Monle Video 24
de Outubro de 1838 Lorenzo J. Prez,
vicepresidente. Luiz Bernardo Gavia, se-
cretario.
( Do Diario do Rio de Jim i m )
estabelecimenlo. Evste mais bum bom
bilhar armado com todos os se'us utensi-
lios prora po a trabalbar. Quem faz a so-
ried ule oflV'rec'e gratis o servico da mobilia
abaixo transcripta : 2 duzias de cadeiras ;
e mais algunas uzadas 5 doas mezas gran-
des redondas e mus 5 ditas pequeas ,
todas cora gavetas e chaves ; 2 bancos gran-
Avisos Diversos.
Companhia do Bi beribe.
_ Inslala-se no da Quinta feira 20 do
correte mez de Dezembro pelas 11 ho-
ras da manhi-i na S^ciedade Apolnea.
_ Quem annnnciou no Diario de hon-
tem le huma casa terrea coro hum sitio na
. ua da Sania Cruz para vender procure na
ra Direila 2. andar do sobrado D 53.
_ O Sub Prefeilo da Freguetia de S
Antonio aviza a quem Ihe faltar huma
sevtda que se enl nda com elle visto tr
sido 0or hum prelo entregue ao mesmo
Sub Prefeit 1 e adverle que nao entrega-
ra sem que no se Ibe d os signaes eer-
tos.
_ A pessoa que offereceu-se ha dias
pelo Diario para criado queren^ > ainda
dinja-se a caza de pasto da ra dos Quarteis
D.8
__ No armazem de Antonio Joaquim
Pereira, defronte das Escadinhas da Al
fandega vndese por preco milito como
do os seguinUs gneros : saces com fari-
nha de Mag jigo com batatas, saccas
com feijao mulatinho bom espermasele ,
ctixinbas com t II. de milito bom cha.
. Precisa-se deceni mil reisa juros da
p'raca por e-paco de hum anuo e hy-
potheca-se huma morada de. cazas de pedra
ecal, 6la na ra d<> Amoaro D. 6: quem
.squiser dar annuncie por esta folha para
ter procurado.
__ Quem quiser comprar bum escravo
roteo, de bonita figura e ptimo official
decamleiro, por preco Cmodo ; uinj.i
sea ra doQueimado bolica D. 8
_ Precisase de bum hornero para so
co de huma bospedaria com casa de pasto .
alinocos de caf echa. A casa he hum
sobrado de 2 andaies com bum soto e
tem dous log-s inglezes ; quintal com boa
cacimba safficientcs cmodos para este
les 2 mouebos 1 eamap 1 manga de
vidro, 2 casticaes 9 lampees para esca-
l'i 2 g irrafes, 4 bules com cazaes de
chicaras manteigneiros e assucareiros 3
garrafa brancas com alguns copos e cali-
res de vidro. O b mein que te pretende
para socio deve entender desta estabeleci-
mento ou affiancar outro que tome conta
da casa, para ficardelmixo de sua admi-
nislracio i assim como lamb-ro te vende o
Bilhar, ea-viobilia, ou para tirar da ca-
sa e no cato de querer lambeta se ce-
de o 1. sobrado onde existe o bilhar ou
toda a e-8 : quem pretender fazer dito ne-
gocio dirija-sea ra Direila sobrado l). 20,
onde existe hum bilhar a fallar com A-
naslacio Jos dos Passos dono do dito bi-
lhar e mobilia e o podero procurar das
10 horas do da em diaute.
_ Quem quiser comprar huma arma-
ya de tuverna com todos os seos assetso-
rios e por preco cmodo ; dirija-se aos
\n imbados e no mesmo lugar a fallar com
Manoel Joto de Lima.
Q.iero precisar de uma mulher par-
da pira ama de casa de hornero solteiro ou
casado com pouca familia a quai cosinba ,
lava e engoma : quem a pertender ao*
nuucie
' Um menino Brasileiro de idade la
para i3 anuos que le escreve e conta
sofl'i ivelmeuie, se offerece para Caixeiro
de qualquer ai rumacio: quem de sea
prestimo se quiser utihsar annuncie; ad-
verfe que d fiadora sua condurla.
-Precisa-se allugar huma casa terrea,
no bairro de Santo Antonio, para peque-
a familia, nioexcedendo o seu alluguer
a 8U000 reis: netla Typografia se dir'
quem tquer.
Na ra da Cruz numero 3a, lia'
para vender-se hum bom escravo de>lodo o
servico, bom cosiiibeiro. e de bonita figu- .
gura; a vista do comprador se dir o mo-
tivo da venda. ,
-- Pede-se ao Sr. A. S. F. queira ir pt-
gir a qnantia de tres mil e dusentos reis na
ra do Collegio', a Joaquim Alves de Cou-
to do contrario passar pelo desgosto de
ser o sen rime publicado por extenco.
t^k Quem quiser comprar hum terreno
na ra da praia com 60 palmos com ali-
corees na frente e dos lados, e tambem se
vende, e s metade, com lodo o material
que existe no mesmo, alractar na ra da,
praia Serrara do Cardiid, junio ao tan-
que de Agoa. Na mesma parte ha mais
para vender it caixas de ama 1 ello para
assucar grandes e bem feitas e faz-se
o tis algumas de encommenda a 8U000.
-- ()fle#ece se hum hornero poriuguez
para caixeiro de armasem ou cobrancas,
e que tem instante pratica de negocio do
paiz; quem o perrittr diiija-se a ra no-
va D. 16 antes de ebegara poote da Boa-
vista, que se Ihe informar quam o an-
nuncianle.
Precisa-se de han rapa: doscbegadoi
ltimamente do Porto, de 11 a 14 annos de
idade; que saiba ler escrever e contar, c
dalgum abono a sua conducta. Adverle-
seque he paia Macelo. A traclar no F'ortf
do Mallos com Firmino Jos Fellis da Rosa.
Da-se a premio de dous por ceid ad
mez Hoos reis al um corito sobre penho-
res de ouro ou praia, por seis meses mais
ou menos, a mesmo menor quanlia, quem
quiser traclar esle negocio, inlenda-se rom
o Senbor Jos Bernardo de Souza em So
ra de portas.
Quem quiser comprar 2 cvalos bons
carregadores, e gordo-, sendo um costa-
nhoe outro ruco, ambos novos, vindos
d.i malla e se acha ua cavahrice do A-
leroo do Forte do quebra prato, dirijao-se
ao mesmo forte ou na ra do Rosario D.
8 ai 11 horas da manh.
D tejase fiar ao Snr. Francisco
Zumbland Mmeida Pires ; ou a pessoa qoe
suas veses fizer ; annuncie a sui morada
a negocio.
_ Precisa-se de qualro conlos de reis
a premio dando-se grande seguranca em
um predip : a quem convier annuncie.
J


DIARIO 1)E PRNAMBUCO,
-- 0 Sr. que annunciou querer falla i
com oj herdeiros do finado DjoieVEduar-
do Rodrigues G'ij, dirija-se a rua do
Fagundes D j. .
-- Roga-seao Sr.Z L. G. F. queira ir
pagar a quantia le 3s8oo, que deve na iu<
do Crespo na loja D. 5 lado do norle do
contrario passa.apelo denosto de er seu
nome por extenco publicado nesla folha
Quem precisar de um homem idoso
para o servico externo de urna casa din
ja-se a rna do Fagundes D. i.
Quem iver e quiser lugar um prelo
para o servico de urna caa de pouca fami-
lia dirija-sea piafa do Corpa Saoto sala
do Commercio.
Precisa-so de urna ama para casa de
ama Senbora porem qin aiba. engom-
mar : na rua das Trincheira l). 5.
pesoa que annunciou querer s*b?r
aorada do Capitio Manoel Joaqun Paz
Sarment dirija-fe ao Quarlel do Hospi
ci.
- I'iecisa.se de ama criada pan lodo o
servico de urna cusa de pouca familia : as
5 ponas D 9.
Aluga-se ama mulber forra ou escra-
va'para o servico interno, e externo, e qued
saiba coiinhar o diario de urna casa de pe-
quea fam lia : a fallar com o Coronel Jo
t de Barros Falcio na rua do Hospicio.
O abaixo assignado f*z sciente ao
respeitavel publico que'se propa a en-
sinar C.rammatica latina para COJO fim
todos os Paes de familia q' se qu9erem u'i-
lisar de seu prestimo o p >derio procurar
na rua velha da Boa vista sobrado D. 33
Poifirioda Cunha Mon-ira /Uves.
Q-Snr. Antonio Jos Mendes baja
de aparecer na rua do Livramento trenda
do Cardial para coocluir o negocio da
agua ardente vislo que lera fallado ao que
tratoa pois por varias vezes se tem pro-
curado e deix ido-se dito em sua venda
di rua do Rozario por meio d ste se avi-
sa ao mesraoSr. para que seno chame a
ignorancia, para que no praso de 3 das v
concluir dito negocio do contrario se far
toda* us despesas que forera precisas a sua
coste*
.. O Meirinbo Geral deste Bispado .
pela terceira vez faz sciente ao respeitavel
oublico que se acha em sen po.ier um
escravo, o qual nio sabe duer quem seja
seu Sr.; portanto quem for seu dono di-
rija-se a Cidade de Olinda atraz da Igreja
do Amparo casan. 10, que dando os si
gnaes Ibe ser entregue, adverte-se que
no caso de extravio do dito escravo, o ao
nunciante nao se responsabelisa.
Um rapaz porluguei cliegado a pou
co da Europa pertende ensinara ler, es
crever contar. Grammatica latina fran
ceza, filosofia &c. ; assim como se offjre-
ce paraalgum engenbo ; quem o preten-
der drija-S6 as 5 ponas D. 3i.
Precisa-sede 3;ooo,ooo a premio por
tempo de um auno da-se por garanta es
cravos ou firmas a contento; quem qui-
aer dai annuncie.
Q'.ietn annunciou querer comprai
urna otaria a margem do rio capibaribe ,
sendo queira arrendar urna das melhores
que existe a margem do m- smo rio pelo
tempo que mellior Ibe convier nunca me-
nos de 3 anuos e por escriptura dirja-
te ao Monleiro a fallar com Joio Francisco
Santos Siqueira ou na ponte velha em sua
cata.
Meatre Jos Joaqtiim Alves; quem na mes-
ma qu ser carregar ou hir de passsgem ,
dirija-sea An'onio Jaaquim de Soua Ri
b iro ou ao dito Mestce a bordo.
FRETA-SE o superior Brigue lnglez
ArethuM de lote de aoq toneladas d meira classe Capitio Falnfield ; quem
o pretender dirjase a Me. Calmont.
Compras
O numero 67 do Panorama, ou
mesmoos de todo mez de Agosto deste an-
no: na roa do Queimado toja de 3 portas
defionte do bero da Congreg'Ci D. 16
Avisos Martimos
PARA LOANDA segu vigem com
toda brevidade o bem con herido Brigue
Porioguez Josefa, tem de fazer somente os
precisos reparos e deve saliir al i5 de
Janeiro : a tratar com o seu Capitio .Manu-
el dos Paisot Gomes e Oliveira ou na rus
da Cruz D. 57.
PAB\ LIVERPOpL, s hircom teda
brevidade, a superior Galera inglezu Dry-
ope, Capillo iiamiltons ; quem qniser
carregar ou hir de passagem dirija-so a
Me. Calmont & Companhia.
FRETA-SE para qualqoer porto da Eu-
ropa o superior Brigue lnglez Mary Ann ,
le lote de 179 toneladas de segunda v-
agem Capiio LeGros a tratar com Me.
Calmont dt Companhia.
PARA O CEA KA', a Swnicj Delmira,
Vendas
^y Folhinhas de porta de
algtbeira e de Padre para V
atino de 1839, pelos precos de
seis vintens as de porta doze
os de algibeira e pataca as de
adnanak completo, e de l*a
dre ; todas impressas nesta Ty-
pografia, em bom papel e ptimos
Tvpos; e hem condecidas pela
certeza do calculo e redigidas
pela primeira pessoa que emi^er-
nambuco fez folhinhas: as de al-
gibeira alem das noticias do cos-
t ume con tem urna tabella chronolo-
gica dos principies factos de-ta
Provincia um ensaio Topogr-
fico da mesma segundo a divi-
s5o das novas Comarcas e um
Almanak completo : na praca
da Independencia loja de livros
n. 37 e 38 rua do Cabug loja
do Sr Bandeira no ttecife rua
da Cadeia loja do Sr. Quaresma,
rua da Madre de Dos defronte
venda que foi do
da
1 ~.
8'
Ke-
eja vcuua ijue fui
zende na Boa vista botica do Sr.
Joaquim Jos Moreira defronte
da Matriz e em Olinda na botica
da rua do Amparo.
O Numero 7o do Carapuceiro : na.
prca d Independencia loj 1 de livros n.
37 e 38.
Instituios oratorios de Mr. Fabio
Qoililano ; histoi ia geral dos animaes cas
sificadus segundo o sistema de Cuveir, por
Jos Satornino da Costa Pereira ; recrea-
co moral e scienliGca ou bibliotheca da
juvenlude dedicada a S. AI. I. o Sor. D
Pedro a. relalorij dos acontecimenlos
dos memoraveis dias i?, 14, "5, e 16 de
Marco de i838 da Cidade da Bahia manda-
do puhlic.r pelo Vlarecb! Jcio Chrisosto-
mo Calado Gpneral em Chefe do exercilo
restorado* ; Grammalica partug^za com-
posla por Antonio de Moraes e Silva ; Ca
thecismo da diocese de Montepillier ; leu-
hel ou o desterrado deSeberia : o filho de
minba mulher -, Di-ho coixo, Numa Pom-
pilio ; viagens de Gulliver ; VI. Colin
Clara de Albas ; as duas desposadas ,- o re
negado; Joaninha ou a engeitada generosa ;
D CJuixole; Saint Clairdas Jtha ou os des-
terrados il 1 na Hha da Barra ; Solitario -,
cart<8 de urna Peraviana ; piolhn viajante;
ludo por preco commodo : na rua nova lo-
ja de Frederico Chaves D G.
Duas moradas de cisas terrean, sendo
urna na rua por dttraz da Igrrja de S. Jos
O. i4 com 3 quartos grandes duas sal-
las, e cj7nha (Va quintal murado com
cacimba e portio para a mai ea outra
na rua do fugo D. 3 com quintal e cacim-
ba ambas em moilo bom estado: a
tratar na rua do Crespo D 7.
Wedgewoods Writing Machms : na
rua da Cruz n. 7.
Rap tlamburguez chamado rolo :
na rua n<.va loja de iVlanoel Alves Guerra,
D.6
Um escravo de bonila figura pro-
pro para todo o ser vi90 : na rua do Viga-
rto D. ia.
Urna prta de naci : engomma co-
zinhabem, faz bolinh s e com princi-
pios de costura: na pracioha do Livramen
lo no sobrado por cima da loja do Sr. Her-
culano.
-- Um relogio de sbonete de prata, com
o mostrador de prata, e ponteirosdeoro ,
um anelo moderno com 4 oitavas e l di-
amante e um rico alfinete muderno com
um grande diamante : na rua doQueima-
do na Typografia Fidedigna se dir.
Duas escravas de naco, urna de to
annos boa engommadeira cocinheira ,
e lavadeira ; e a outra de -5 anno com as
mermas habelidades e com urna filha de
3 annos ; e um preto de bonita figura ,
de 20 annos ptimo para todo o servico,
e ptimo cinoeir : no pateo de S. Pedro
sobrado deum andar D. 8.
- Dois cirros muilo bons e com bo-
nitos arreios, sendo um de 4 roda., e o
outro de duas : no atierro di Boa vista em
casa do segeiro defronte do Sr, Dr Peixo-
to ou com o seu dono Joio Francisco
Santos de Siqueira na ponte velha ou no
Monleiro
Um escravo de meia idade trnbalba
dor de enchada e proprio para sitio por
estar a isso acostumado : na rua das Flores
D 6.
i5 sacas de aroz branco pilado e de
boa qualidade : na rua Direita sobrado de
3 andares por cima da botica que foi de
Ignacio Neri, ni segundo andar D. II.
- Um cavado de sel I muito bom para
passar a festa e por preco commodo : na
rua do Livramento na segunda loja da casa
nova de 3 andares.
Sacas com boa farinha Je S. Cathati-
na com um alqueire da medid 1 velha ca-
da urna, por preco muito commolo: na
praia do Collegio armasem de Francisco
Joaquim da Costa.
Ou arrenda-se pelo tempo de festa,
um sitio com oficente casa para pouca fa-
milia no lugar do Brbalho em din cao ao
Caxang com baoho perlo bons ates ,
e com differentes arvores de fructos e lio
bem arrendar-se-ha somente a casa; na rua
do QueirnadoD. 8.
- Um bonito mo'ecote ptimo serra-
dor e de boa figura : na rua nova D. 3o.
Muilo superior e nova salsa parrilba
rbegada prximamente; no Recifeemcasa
de Manoel Francisco Pontes.
Selins inglezes tanto de montara de
homem como de Senbora : na rua da tan-
zalla nova ni.
Metas barricas de familia de trigo,
chapeos de sol de seda do porto pecas de
panno de iinbo, condecas e bichas : na
1 na estreila do Rozario padaria D. 17.
-- Emitas sardinhas e autras em
conservas vinho de Bordeanx dito de
champagnhe de primeira qualidade, e lo
b9ro de meias garrafas zeitedoce engar-
rafado e charutos de todas as qualidades:
na rua da cadeia no primeiro andar do so-
brado D i7.
Um sitio na estrada de Joio de Bar-
ros confronte ao sitio do Sr. Manoel Men-
des com frente para o nascenle contesta
cora o sitio da fallecida D Joanna no po-
ente t<-m urna excedente casa le pedra e
cal com suficientes commodos para duas fa-
milias ; os pretend ntes diiijo se ao pri-
meiro andar do primeiro sobrado passando
a Igreja dos Marti 1 ios.
Potasra Russiana de piimeira norte ,
em barris pequeos : no escriptorio do Co-
ronel Menez-s rua do Vigiiio n. 15.
Urna negra sem achaque algum, de
idadn de doseannos, cose chi cozinha o
diario de orna casa, e lava de sabio : na rua
do Rangel 1). 91, no segundo andar.
Urna canoa hem construida e sahida
a pouco do estalheiro de carga de 800 li-
jlos : na rua doQueimado D l3.
Do as escravas de nac*o loanda de
idade de 17 a 8 annos de lindas figuras,
sem vicios ero achaques o que se a flanea ,
e fazem lodo o servico de urna casa, e orna
dita de idade de ao annos, perfeitissima
engommadeira e cozinheira : passando
a Igreja dos Martirios no primeiro andar
do prirneico sobrado.
Urna padaiia com lodos seus perten-
ces sita na rua Direita defronte da ven-
da do fallecido Jos da Penha ; e dois qu-
artos com gangalhas e cacambas : a tratar
na mesma.
Bugias pernambucanas, de eer* de
carnauba iguaes as de Lisboa sup eric-
as que at agora tem aparecido, por 480
a libra que tem seis velas ; na rua larga,
do Rozario loja demiudezat D. 7.
-- Urna bonita escrava com a5 annot de
idade ptima coznheiro de ludo nsi-
gna lavadeira eengomma bem liso; na
rua Direita pastando a venda do fallecido
Jos da Penha sobrado D ao.
Escravs Fugidos
Fugio no da 15 do corrente orna ne-
gra creoula de nome Joanna de idade de
4o annos levou vestido de chilla azul ja
sujo, e panno da costa de listras encarna-
d.it tem um dedo do p sem unlia um
braco aleijado que o nao pode eslender,
e levou 11ra ferro aopescoco. .Vele nvs-
raodia fugio. um moleque creoulo de no-
me Severiano que representa 14 a i5 an-
ni.$ de idade, cor fulla levou vestido cal-
sa e camisa ja su ja e Iras tambera ferro
no pescoco e corrente no p tem os dedos
das mos algnma coisa enculhidos ; quem
os pegar leva a rua de Hurtas sobrado jun-
to a Igreja dot Martirios que aera grati-
ficado.
No da 15 do correnle fugio um esc ca-
vo de nome Joaqu m de naci ango estatura regular olhos vermelhos po uca
barba cara comprida nariz bem chato ,
e cor bem preta orelhss pequea p r-
nas e biacos finos e 1 s pequeos e al-
guma coi.-a epalheitados levou mis e
calsa branca e chapeo preto f,ca muilo
apresjada, e anda prevenido de a guns pa-
pis o que he falso quem o pngJr b ve
rua do colovelo sitio do falboido Quaresma
- Nodia 15 do correnle fugio urna cre-
oula de nome Therrza baixa cheta do
corpo beicuda, ps apalbeilados, peitot
grandes o maior signal qne tem he um
lallio as costas, levou vestido de cbila ver-
de e um 1 saia de chita preta ; quem a pe*
gar leve a fora de portas n. 307 que is-
r gi tfica do.
- Fogio no ultimo de Dezembro do an-
no p. p. urna negra da costa ja idosa de
nome Catharina, alta um tanto tulla, que-
brada de'ambas as verilhas miando anda
deit.t os peitos para fora ; quem a pegar le-
ve a iua do Aragio D. 37 quesera grati-
ficado generosamente.
No dia 16 do corrente fug'o urna es-
crava negra de nome Joaquina a qual ja
andou vendendo fazendas, alta, cara com-
prida sercado corpo ps grandes le-
vou com sigo urna corrente na qual eslava
presa ; roga-se a qualquer pessoa que a
pegar que a lev a rua Direita sobrado de
um andar com loja de miudezas por baixo ,
ou na 5 pontisoo primeiro fiscal du con
trato.
- O preto Manoel de naci angola, bas-
tante ladino bem moco de estatura me-
dianna denles faltos adiante da parle de
cima, pernas finas ps mal feilos, cora
officio de caisdor; quem o pegar leve a
rua Direita no secundo andar do sobrado
Moviiuento do Porto
(NAVIOS fciVI U A DOS NO l A 17.
GENOVA; 5. dias, BarcaSardaA. Bil-
la F.milieta de 37oTenel.f M Jernimo
S card em l .su o : a Joio Pinto de L-
mos.
MAKANHAO'; 43 dias Crvela R-ge-
neraco Commandiite o Capito de
Fragata Jos Joaquira Raposo.
Errata escapada a correccio lypogrophica
nocommunicado supplementar ao n. 373
deste Diario.
Li.ihas 1, 7, 24. 5eoutras em Iugsr
de apparescer apparescidos &c. ; la-se
apparecer apparecido. Na linha 7 da
segunda columna em lugar de dt-z.-piedade;
lea se desapiedade. Na linha 11 em lu-
gar de expixar ; la-se espichar. Na linha
21 em lugr de carangueijo ; li-se caran-
gufjo. Na 4 linha da segunda parle, em
lugar de raerescidas e mais adiante roe-
escimenlo ? outra* ; lea-so merecidas,
e mi-K cimento &c. Em fino na 3o linha da
penltima columna em lugar deainda mais
peor; la-se anda peor. __
Pa. Mi Ti*. DB M. DEF t&M'


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EX9G1YS73_COJ9VA INGEST_TIME 2013-03-29T15:01:34Z PACKAGE AA00011611_03670
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES