Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:03669


This item is only available as the following downloads:


Full Text
. i i, ____...... LM
CAMBIOS.
Dezembro 17.
Londres so. l)s. St. por ifooo ced.
Lisboa por 100 premio, por metal. Nora.
Franca 3a5 a 33o Rs. por franco. e
' Rio de Janeiro mo par.
Moedas defjj4oo H#4oo ns velhas novas lijlroo.
> 1. 4^ 8^000 a ojj 100
/Pasos Columnarios i$'(iio a :jJ'3o
Vitos Mexicauos i#iqo a i^tioo
atiices tiasileiros ijjlfioo a i#6io
V reimos das Letras, por mez 1 a i4 por 100.
'Cobr ao par
PARTIDAS DOS CORREIOS TERRESTES.
Cidade da Paraiba e Tillas de sua pretenco ....
C;d*ded MaGraude do Norte, e Tillas dem } .. ,.
Cdade da Fortaleza e villas dem....... [ Segundas e bertas tetras.
Villa de Goianna ...'......... 1
Cidade de Olirida............ Todos os das.
Vida de Santo Anio........... Quintas feirss.
Dita deGaranbuns e PovoacSo So Bonito..... |)a 10, 14 (Itm.ln mi.
Dillas do Cabo Serinhaem, Rio E01 moso, 4 Porto Calvo dem 1 11, e ai diltoduio.
Cidade das Alagoas e Villa de Macci....... dem ideiu.
Villa de Pajan de Flores. /...... dem 13, di lio d Uto
Todos os correios partera ao raeio da.

18 DE DEZEMBRO. NUMERO a75.
Tudo agora depende de n6s mesmos ; da nossa prudencia
moderacao e energa: continuemos como principiamos,
e serenes apontados com admira cao entra as Naces raais cul-
tas.
Proclamaco da Assemblca Gtral do Brasil.

Subscreve-se para esta folha a mil res mensaes pagos adl-
antados tiesta Typograia, ra das Cruzas D. 3, e na Praca
da Independencia D. 37 e 38, onde se recebem correspon-
dencias legalisadas eannuncios: insimulte estes gratis
sendo .dos propiios assignanles, eTindosassignados.
DAS DA SEMANA.
17 Segunda S. Bartholoineu deS. Gerrainiano. Aud. do Juiz do erime de t. e sesso da T. P
18 Teica N. S. do O. Ketaco de manda aud. do J. dos Or. de tarde,
ty Qua.rU Temp. jej.iin S. Fausta. Sesso da Tliesouraria Provincial.
ao Quinta Jeinm >. Domingos de Silos Ab. Relaco de niah. c aud do J. dos orlaos de tarde.
? Seita >f. Temp. jejum S. Ttioin Ap.
v> Sabbado Temp j.jum S Honorato M. Relaco de manha e aud. do V. G. craOlinda.
a3 Domingo .3. do Advento S. Seivulo.
Mar cheia para odia 18 de Dezembro.
As 6 horas 6 minutos da manh As 6 hora 3o minutos da tarde.
PARTE OFFICIAL.
PERNAMBUCO.
COMMANDO D\S ARMAS.
Espediente do dia 10 de Desernbro de
i838.
Officio Ao Exm Presidente rerat
tendo-lbeo requer ment do Tenenle A-
ju Jante Joa Ignacio Ribeiro Ruma que
a S. M I. pedia Ihe maud isse contar a
antiguidade de 27 d* Abril 'le i8-3 data
da proposta que o elevou a este Posto e
informando que nao s pelo espirito do
Decreto* de i3 de Setembro de i83i co-
mo pelos exemplos 'que apontava mi seo
requerimento o jutgava no caso de ser
favor.tv. luiente difin.i >.
Dito Ao Inspector da Thesouraria ,
lembrando-lte a remessa das guias do
Mscr Jcsc Gabriel de \ ora es May-r, e
do Quariel Mestre do extincto 4- Bata
lli' de Milicias Braz Ramos Chaves .
pedidas em 2 e 3o de Outubro deste
auno*
Hilo A o Tenente Coronal Inspector das
Obras Publicas diseodo-rbe que tiesta
data se ihe apresentaria o Capillo do 4-
Corpa de Artillieria Joa Baplista do Ama-
ral e Mello "que bia ser empreado na
sua Repattico em lugar do 1. Tenen-
te Joao R'beiio Pessoa de Lacerda.
Dito Ao Major Graduado e Com-
mandante interino d* Co apanina de Arti-
Hiena das Alagoasjtespondendo ao seo ofii-
cio de 8 de Novembro ultimo e discu-
do-lbe que com quanto da entrega do
Aviso de 7 de Julho do correte anuo se
deprehendesse que tal Compantiia perten-
cia a esta Provincia todava que nao seria
nella contada sem expressa ordem do Go-
vt-i no Imperial a quem se a a res pe t o pe
didu esclarec meo loa j porissoq'a Pnsitb'n-
cia eo Commandante. das Armas nao ti-
nha conbtci ment dos AviS'S posteriores
sode i3 de Agosto de 1341aos quaes
te refera o Exrae Ministro d.. Guerra
Portara. Ao Capito Com mandante
interino do 4- Coi pu d'Artiliiei ia, man-
dando dar demicao aos soldados da Goru-
panliid d'Arlihces por terem acabado oseo
le arpo como voluntarios, e nio quererem
continuar no servico Mauoel Antonio do
Aoiaral Francisco J sa dos Sautus Gri
gorio Fcsrreira Joaqmm l!> no da Paz,
Lu'z Jos de Castro e Forte e Aulonio
traucisco Pereira.
THEZORARIA DA PROVINCIA.
I
Conlinuafo do Expediente do da iJ
de Dezembro de i838.
Oficio Ao Inspeclor da Thesouraria
a Provincia do M1Uas Garaes acusando a
recepcao do otficio que acompmhiu as
rel.cueos das Asiaatirios dis Notas do
Novo Padrao emittidas na mesma P,roTn-
cia para a substituica do papel moeda e
resgate das olas de 5oi' rs.
Dito Ao Inspector da Alfandega declu-
rando-lhe que o art 14. da Le do Orca-
menlo de 20 de Outubro ultimo deve
em conformidade do Decrelo de 1 % do mes-
rao mez ser posto em execuco no 1. do
prximo mez de Janeiro de i83o e nao
o i. de Julbo prximo futuro, como
Ibe foi communicado.
Dito Ao \dministrador da Recebedoria
de Rendas Geraes internas com um exem-
piar do Rngulamento de 20 de Outubro p
passado para execuca do 3. Ai De-
creto de 12 do mesmo mez, q' estabelecco o
Imposto le i|2 por cento do anno sobie o
valor das Letras que se pedir em Juiso :
e prevenindo-o que os artigas 11 e iq."
da Le do Oicamento de 20 do dito me/,
de Outabro dnvcm s- r pistos em execu
cao no 1. do prximo mez de Janeiro,
e nio no 1. de Julbo prximo futuro
como Ibe foi eommunicadoi
Expediente do da i5.
OHcio Ao Contidor da mesma Tlie-
souraria com as copias das ordens d bunal do Thesouro Publica Nacional nu
meros ti5 c), 7 1 72 74 ;5 7G,
77 e 7H do correte auno.
Dito Ao Inspector da Tbesourar'a da
Provincia do Maraubo aecusamio a rece-
pcao do officio que acompnnbou a/eliacn
das peatoas qua eonlinaarao a .issinar as
Nolis do Noto Padrao da mesma.
Dilo __ Ao Inspector da AUandepa re-
metiendo Ibe em additamento ao officio
de l3 docorrente mez acopia da ordem
do Tribunal doTliesuuro Publico de 10 de
Norembro ultimo que d diversas dis-
posieoeni para a melhor execuca da Li
do Oicamento de 2o de Outubro antece-
dentt
Portaria Ao Tbesoureiro d* Fasenda
mandando entregar ao Tbesoureiro das
R ndas Provinciaes a quantia de io:ooos
! is por conta do suprimento autborisado
pela Carta de Le; de 20 Outubro docor-
rente anno.
Dita Mandando carregar em receita a
o Tbesouri iro das Rendas Rrovinciaes a
ooantia cima relerida.
Dia Ao dito Thesoureiro da Fasenda
mandando acceitar e pagar no dia d<> ven-
cimento buma Letra de 12:000.000 res
sacada pelo Tbesoureiro Geral do Thesou
ro Publico a favor de Me. Calmonl S
Comp.
Dita Ao dito m miando acceitar e pa-
gar oulra Letra de i3:ooo.ooo res sacada
pelo mesmo Tbesoureiro Geral do Tbe-
zouro Publico, a favor do referido Me.
G'lmonl l Comp.
Dita Ao Encarregado da Contabili-
dade Militar para remetter com toda abre
vidadea Mesada mesma Tbesouraria a
Guia do Cirurgio mor reformado Manoel
Jos de Faria.
) i versas Reparticoens.
O Brigue Ingles Lady Sarali vindo de
Halifax entrado em 1 5 do crtente Cap.
Jone Grante consignado a Me. Calmonl
& Comp-
Man festn o seguinte.
3o Barricas com potaca, i5oo ditas
com Bacalh.o, 128 meias ditas com dito.
Fora do Manifest.
2 Jarros com conservas.
MEZA DO CONSULADO.
A Pauta he a mesma do num. 271.
OBRAS PUBLICAS.
Os OlB'-iaes de Carpina que se quise-
rem em pregar as obias dos Quarteis e
fortifioacio apresentena-se ao Inspector
Geral das Obras Publicas na respectiva
Reparliao ou ao Sur. Teen e Joaquim
Jos de Faria Neves para tratarcm do
ajuste.
InspercaS das Obras Publicas 17 de De-
seaibrode i838.
Maraes Ancora.
Pela Inspecco Geral das Obras Publi-
cas convida-ae aos Oliicias de (Jarpina que
se quisrrem em pregar as mesnras ibras a
appresentarem-se ao Inspector CeraJ dellas
na respectiva R.'pariico, para tratarcm do
ajuste.
lospecc -o das Obras Publicas 17 de De-
sembto doi85u.
Moraes Ancora.
PRFEITRA.
Parte do dia 16 de Di-sembro de i838.
Illra. e Exm. Snr. Das partes boje
recebidas n'esta Secretaria consta so-
meule que fotop'esos hontem a minba
ordem os individuos seguintes os quaes
tivero destino : Joaquim Pinto da
branco pela 1. patrulha do dstricto
ra iNova p-.r infrarco das Posturas da
Cmara Municipal ; Florencio de Barros ,
pardo pelo Comntandante da Guarda do
Sello, por estar m desordem na frente da
mesma ; Caelano preto escravo de Ig-
nacio de tal, por bum paisano por ser
coniveiite no l'urt de buma barrica de Ba-
calbo ; e Antonio t.nulvni preto es-
clavo de Manoel Lourenco pelo Sub-
Prefeito da Freguegia da Boa-vista por
Ibe ter fallado o espeito.
Dos Guarde a V. Exe. Prefeitura da
Comarca do Recife 16 de Desernbro de
1838. Illm. e Exm. Sr. Francisco do Re-
g Barros Presidente da Provincia.
Francisco Antonio de S Brrelo Pre-
feito da Comarca.
I\.ite do dia 17.
Illm. e Exc. Sor. Foro presos hon-
tem a minha ordem e tivero destino ;
Jo.-i5 Mara pardo e Luis Cardoso ,
branco pela 1. patrulha do dstricto da Ma-
dre de Dos este por insulto a mesma e
aquelle por estar ebrio e em desorden ;
Luis Januario, pardo Rosa preta es-
crava de Vicente Alves Cavalcante, Felip-
pe Gomes de Oliveira pardo Mara dos
Praseres prela Mara das V irgens, par-
da e Estevo Nunes da Rocha branco,
pelo Sub Prefeito da Freguesia de S. An-
tonio o i. ea 2. por eslarem em de-
sordem pelas 11 horas da noite em termos
de se le iiem ,- o 3 por ter sido encon-
trado perto de meia noite encostado a urna
porta no beco de Serigado causando as-
sim suspeita ; a \. e5. por estarem em
desordera as a horas da manhia no largo
da Ribeira ; e o 6. por ser conivente no
furto da escrava Mara que fora appre-
hendida em urna casa no Pateo do Carmo
na noite do dia i3 do corrente mes -, e Ma-
noel Botelhs, ti Antonio Duarte Tarares
da Cruz brancos pelo Commaodante da
Guarda Principal por briga.
}'.' o que consta das partes boje recibi-
das nesta Secretaria.
Dos Guarde a V. Exc. Prefectura da
Comarca do Recife 17 de Desernbro de
i83, &c.
CMARA MUNICIPAL DA CIDADE
DO RECIFE.
Sessa do dia 23 de Outubro de i838.
Presidencia do Senhor Barros.
Comparecers os Snrs. Pessoa Ma-
mede Souza, Chaves e Oliveira 5 fal-
tando com cauzaos mais Senhores.
Aberla a Sesso, e lda a Acta da ante*
cedente foi approvada.
O Secretario dando conta do expedien-
te mencionou os segurntes officios.
Um do Fiscal deste Bairro informando,
que dndose a casa de Francisco Jos do
Reg o alinhameulo marcado 00 seo of
ficio nltimo, recuaria a casa 8 palmos;
dando-se o da casa D. i5 a do Lobo,
podia recuar 7 palmos dando-se o da ca-
za D. 12 ou o da casa D. 8 recuaria da
um lado 4 e i|2 palmos do lado da Matriz
e 3 e i|2 do lado do Pateo do Carmo e
que oliaohamento mais consilialorio vem
a ser o da casa D. i5 a casa D.7 cuj
defferenca escapou-ihe pois faz desman-
char a grande parte t do convexidada da
curva existencia na ra das Ti inxeiras :
inleirada.
Outro do Fiscal do Recife exigindo a
quautia, de 6,400 res, que se Ihe est a
dever por 2 corridas de saude que si-
tiefez ao Dnulor Felippe Neri feitas no
dia 2o e 22 do corrente ; se pacasse man-
dando.
Despachara se algqns requerimenloa.
E por ser dada a hora levanton-se a Sesso
e mandaio faser a presente em que assi-
gnaro* E eu Fulgencio Infante de Al-
buquerquee Mello Secretario a escrevi.
Barros,' Pro Presidente. Pessoa, Mame-



de Snsa Chaves Oliveira.
EDITAL.
O Doutor FIm Peixoto de Brilo e Me".
Juude Direito interino da i. Vara do
Crirae na Comarca do Recife de Per-
narobuco, &c.
Faz ssber, que tendo Francisco Go
mes Monira arrematado a aervicos da
Affricana Clara o Doutor Promotor Pu-
blico 8 Curador Geral me requere* que
fosse a mesnia Africana, hoje com huma
cria tirada do poder de seu arrematan-
te peto mu tractamento que d a dita A-
fricana como provou com o aulo de visto
ria e como ten de ser arrematados os
servios da dita Africana a outrem que a
trata como deve por este Edital avisa aos
pcrte.ndent. s que taes lervicos queira ar-
rematar a)resentem seus requerimentos
no p-MO de oito das a contar da dacta
deste Edital, que seja publicado pela lm-
piensa.
R*cife 14 de Desembro de 1838. Jos
Alfonso Guede Alcanforado Escrivio que
o esrrevi.
Felij P.xoto deBnto e Mello.
gene,., re.hou c.p.r.fio de o. 5 ^^ "" iiAm M ,'
Ibes foraapahhadas, tendo sido hura def-
les balleado por se oppor nao sendo po
em de perigo a ferida. Os ouze que an-
da falli prender pretendo em bre-
ves dias remettel os a V. Es. pois que os
meus vlenles guardas nacionaes unidos a
mim prometiera nio detamparar a ddigon-
ria em quanto se nao effeciuar a prizlo to-
tal desemelhates rebeldes acto este em que
toda a provincia
que na villa ue o. i.gur. nio se acojhem
farra pos. ^ .
(Diario do Rio de 8 de Novembro)
RIO DE JANEIRO.
Recebemos o Bemfasejo de Santa Ca-
tbarina do qual fasetnos os seguintes extra-
ctos :
Hontem entrou n'este porto o patacho
nacional Olalia, vindo do Rio Grande com
dias de viagem ; trouxe a seu bordo o
major Paula Alano e dous officiaes de
cavalari.i do exercito.
Pelas cartas particulares e officios sa-
bemos, que a columna da margena de S.
Gonsalo secompe de perte de quatro mil
homens, dos quaes doui mil e oitocentos
sSo de bem disciplinada tropa incluindo
mil e quinhentos de cavallaria : o resto
sao recrutas a quem Sus Exc. tem dado
dos mais habis officiaes para os instruir
que em breve estarlo capases de entrar
em campanha ; e anda se ex pera mais
gente.
Escrevem alguns que os rebeldes se esta-
vao reuniudo no Jaguaro com intento de
atacarem a nossa columna, e apoderar-se
da barra *, mais isso he quererem muito e
o mais certo sera' nao em prebenderem
nada deste lado de S. Gonsalo. O espiri-
to da tropa he o melhor ; est bem far-
dada armada e paga, e na maior sabor-
diaacio e disciplina.
O chefe da sublevacio abordo do pa-
tacho Patagnnia, o intitulado cadete Rosas
ja se echa prese, e mais dous, que se
comprometterio ainsinaronde esta vio ou-
tros da sucia, e por is so anda nio esta
vo fasendo companhia aos que sfacbio
abordo da escuna Itaparica ; mas em bre
ve esperamos essa lerceira remessa vindo
assm a faltar poucos que, ou por mais
peitinases morrerio no mat, ou por mais
espertos terio podido escapar-se a vigi-
lancia do incancavel Senhor Varella, Juiz
de paz do municipio de S. Miguel.
Recolheu-se da diligencia o capitio
Vieira com mais 5 dos sublevados, e cons-
ta nos que o incancavel juiz de paz Varel-
la tem agarrado mais dois, e que pelas
providencias por elle dadas nio sera' fcil
seapar se o resto.
O seguinte he o extracto de hum ofi-
cio com data do primeiro de outubro,
do juiz de psz de S. Miguel ao presiden-
te :
Illm. e Exm. Sor. Accuzo a recep-
co do cfficio de V. Ex. datado de hoje
e i iletrado do quanto V. Ex. ordena (de-
pois de render-lhe o mais respeitoso agr
deesmento pela honra com que V. Ex. se
uigna louvar-me e assim pelo agradeci-
mento que faz aos meus fiis, e promptos
guardas nacionaes) concordando com o ca-
pitio Joio Vieira da Silva, visto que a
loica de seu commando s torna agora a-
qui (para oefleito ) desnecessaria, sentamos
que, nio obstante nio estar a qui a dili-
gencia concluida pode-se retirar toda a
torca, visto que tal gente nio pode ope-
rar nos mallos : os quaes lnho cheio de
patullias nos diversos lagares por onde
os rebeldes podem intentar evadireavse, e
outr*s em continuo giro, a fim de os faser
D^ Aurora do sexta feira p. p. copia-
mos useguito : -
Illm. e Exm Sor. general em chefe O
Fructuoso Rivera. Pelo alferes Bu bosa
meu ajudante de ordens, mando compri-
mentar e felicitar a V Ex. e a todos os
bravos peta batalha de iG de junbo t o
ra e gloria aos bravos, que dirigidos por
V. Ex., em porfa com o* irabdhos epri-
vaces, salvaro a patria. O imprevisto
revez do Rio pardo tem atrasado a cauri
da legalidade e mais que a irap tencia
dos inimigos, nio tem servido se nio p-
ra acotinuco das maldades e do
ficio 3o seu paiz. O governo ceir l e.n-
penhad na pacificacio da provincia p6e
em accio seu9 mmensos recursos;
dia-
riamente recebemos reforsos de infantina
Eu me acho no commando de huma devi-
sio de dous mil e quinhentos homens das
tres armas. Porto Alegre est guarnec
do dei.aoo; o Norte com 5oo; e o Sul
com 8oo. Em fins de setembro contamos
ter, alem daqAellas gnarnices, 5,ooo ho-
rneas, sendo a principal forca da >nfanta-
ria, com que abriremos a campauha na
primavera. Oque necessitamos he caval-
laria e cavalhadas para dar o golpe deci-
sivo com urna s mass abandonando os
detalhesata esta hora erradamente segui-
dos. Agora, que V. Ex. oceupa buena
forte attitude offeosiva e que esta' a con-
cluir a questio se he que a nio foi con-
cluida, podia permittir que o coronel Je-
rnimo Jacinto e mais chefes legalistas
brasileiros que com seus soldados hio a
judado a V. Ex. na lula venho prestar
servicos a sua patria. O brigadeiro Cal-
dern e o coronel Jos Rodrigues, estio
encarregados de reunir nossos emigrados
nessa frooteira e eu espero que V. Ex.
Ibes prestara' todo o auxilo, que forpos-
sivel. Os farrados fasem correr a noticia
que tem de V. Ex. huma decidida prove-
ci, a fim de animar seu partido ; po-
rem nos utios conheccemos o carcter de
V. Ex. e sabemos que jamis podera' trau
sigir com osassasinos do* infeliz coronel
Osorio e dos outros cidados em \rapa
hy e que, promptos como vassallos de
Oribe, espertvio o sucesso de Yucutuy.i
para, em caso de ser infeliz, desarmvlo e
persegui-lo. Permita-me V. Ex. rogar-
Ibe que fecilite em meu nome os Snrs.
geoeraes Lavalleja., Martnez, Medina ,
aos demais generaes, e ao Sr Lama. Cont
V. Ex. comoamigo que llie dezeja conti
nnadaa veuturas,e q'hecora a rnaiaor eslima
e consideraco de V. Ex. atiento servidor
e amigo obrigado. Filippe Nety de Oli-
veira. Canudos 18 de Julbo de i838.
Est conforme
Manoel Vioira de Lima.
Resposta de D. Fructuoso Rivera.
Snr. e amigo. Agradeco sobre manei-
ra as felicitaces que V. S. me dirige em
sua carta de 18 de Julbo, pela batalha
que gaohon sobre Oribe o exercito do meu
commando em S ha posto no cSso de perfeitameete eonecer
a meus amigos e inimigos, para saber-me
conduzir. Pela relacio q' V. S. me faz, vejo
q'as forceado imperio devefl alcancar em
setembro a io,ooo, como se v decen-
foi midade com o que vou repetir. V. 3.
commanda hum.< deviso de i.5o h<>mens
das tres armas : ha em Podo Alegre i,oo,
no Norte 5oo, no Sul 8oo, e em fins de
de setembro alem desta guan ces, deve
haver hum augmento de 5,ooo homens.
Nio possoporvm combinar esta potencia
nfre^guns miis tivessem vindo p"a
meu Udfcom forcas oque nio be exacto.
Poroutra parte logo queo coronel Jernimo
e os outros a qUem se refere a sua precia
da earta, dependen do exercito imp-rai
'como officiaes do raesmo nada lem elles
5ne inlroaseiter-se em hu i queslao es-
trangeira e para que podessem faser algu
ma couza, seria necessario que pnmeiro
dessem bsixa e marchassem depoi como
particulares a servir onde q.nsessem Va
mos a g -ra a outro as umpto : Tambem
disse V S. que o brigadeiro Caldern e o
coronel Jos. Rodrigue Barbosa, estao en-
carregados de reunir gente na fronteira
e eu suppo'.ho que esta commissio deve
dimanar do presidente EHsario. Sobre este
particular m occorre huma idea que Ihe
direi : o Snr presidente Elisiario a o ex
pedir semelhantes ordens para a reunio
degeutr'd^qne V. S. me fala, acredita-
va sem duvida que estes Srs. vinhio
d alguma aldeia de CWroas, por que de
outra maneira n m-' po persuadir qu-
levasse o desaforo ate o ponto de dar or-
dens em hum Estado que, conhece seus
direito* a deveres ; e que tem hum chefe
que com as armas n e outra couza. Assim, poi< Snr. coronel
nio so farei sahir o Snr. Caldern dos
logares para onde havi. sdo destinado pe
l.i presidente, como anda passo a expedir
ordens terminaoles a "tacuaremb pM
que o primeiro que tiver a ousadia de que-
rer cumprir huma dispOthpio que ni.e
mana da minha autoridade .seja emedia-
lamente conduzido ao exercit onde se
lite fara' sentir o peso do seu atrevimento.
Qanido ao roai>que contem a sua carta,
creio ser escusado entrar em contestacoes
Os Snrs. generaes L*valeja, Martine/, e
Medina agradecen! a V. S. seus cumpri-
mentos, e nio obstante oque assima disse
aV S. deve est^r certo que tem em mim
hum bom amigo, &c &c Fructuoso Ri
vera, Copia do original. Aoiies. -- Do
peridico -- O Povo.
(Jornal do Commercio de n de Novemb.)
Msenlo te pense qrfe estes Pernambu-
*ans nio tem embicado em seu projeclo
n" por Talla dos conbecirentos ecessarios pa-
una ^"forcesparairajuda-waw^ ra miinlr.8e uai ,H1 estabelecimento. Nio
de certo. Encontrad-se par* islo mtfiloS ,
a grandes obslaculos. A carestia dos man-
timeotos que absor-equase todo o pro-
ducto das meiisalidadesj a falta de urna ca-
sa que tenha as proporco s necessrias ;
a falla de bons mestres pois os bons que
exislem. nao se querem sujeitar por um
diminuto ordenado ; e a raensilidade de
aos', ou a5J nao chega para grandes cou.
sas; Pernambuco cora alguraas exeep-
ces, ainda nio tem verd filamente um
espiito de associaeio tu Jo siO desejos ,
ludo planos, e pouco ou nada de reali-
dade; em fim a falta de coadjuvaco da
p .re do Governo : bem que e6ta a nica,
que se pode considerar como remediada -,
porque a edue Co da mocidd um dos
objeclos em que S- Exc. mais tem em-
pregado as suss vistas.
Porm tu metenho algm t nto desusa-
do do fim principal, a que me propua ,
que fasen'do a defeza do. Vl^sties desta
Provincia prvar, que o indicado artigo
contem em si muita odiosidade Diz o ar-
'go:
Huma mult'do de meninos atravessao
lodosos dias as ras da Cidade para
ire'm receber o educacio imperfeita ;
que temos destribuida por diff-rentes
casas,- nem huma delhs organisada ,
segundo os principios lumin sos dos
homens destnelos, que se hio 0C6U
pado da inst!U;c<< publica 5 tu mhu-
ma oceupada al hojeem formar o co-
recio dos mancebos para os tornar rao-
H r'gerados, e vigorosos; poucas apie-
sentando outra garanta senio a do _
a calculo material e o capricho dos
mestres, e quasi todas o resultado
a provavel d'huma direccio viciosa.
Sou de opmiio contraria. Os Mestres ,
coro poucas exc pc*s, < umprem xacta-
menle os seas deveres, pondo lodos os
meios para formar cidadios uteis a si, e a
sua patria: se nem sempre alcaoceo fim ,
a que se prope outras 'so as causas de-
que nos deveremos queixar. A immorali-
dade, e s a immoralidade a causa desses
males, tio lameotados nesse artigo. ()f
iiovos, e principaes instituidoriisr da moa-
dade diz Heivetius sio a forma do go-
verno, debaixo da qual se vive, eos
costumes que esta forma de governo
d urna naci. Mestres, ediscipalos ,
tudo submisso a taes iostituidore.
Q -e aproveita tenra mocidade ouvir ,
por espaco de duas ou quatro horas li-
c5es de urna moral pura se em lodo o
1 estante do da tem de assistir j nio di-
go por essas ras, onde se odve, e mes-
mo se v o que faz corar as faces d vergo-
nha a o homem bem educado mas ern sua
propria casa aosexemplos de intriga 0-
dio, roa f crueldades, e deboches ?
Que aproveita tenra mocidade ouvir
n'aula por espaco de duas ou quatro
horas explicada a licao que devedar-se
n'out.-o da se em casa nio tem os alum-
nos lempo de estudal-a nem >s pas lempo
par obrigal-os isio ? O nosso esludaiite
boje nao estuda a licio, purque vai paiaa
Apcllinea umanhi para a Eulerpina na
quarta vai lomar sorvete a o bolequim do
bec do thealro, ejogftr a bagatela, na
quinta ha feriado, na sexta vai para um
b:ile onde por chegar a varanda dtpois
de ter daucado oestrondrAo galope, apa-
nhou urna constipacio que o priva de ir
no sbado assistir ao menos sabatina. Os
pais d.iquelloutio estudante fazem de sua
parle o quanto podem : elle passa as nuiles
banca do voltarete- ou do gago ella
visitar a prima Doudon comadre Cbi-
quinha &c. em quanto o pobre filho vive
convivendo com os prelos na cozinha de
quem aprende boas lict-s de civilidade e
de moral.
l).senganemo-nos de que toda a educa-
Communicado.
O Artigo Educacio Publica,, inserto
em on. *56 do Diario de ti do passado
mez pareceo-me assaz molestoso a os Per-
nambucaOos, queseoecupao na educacio
da mocidade ; e tio differente daqnella
moderacio, que deve ser peculiar do es
criptor e pela qual Vms. se tem constitui-
do merecedores da acceilaco publica que
cei lamente mais rao parece obra enconi-
raendada do que livre producciu da sab -
doria o prudencia que os distinguen.
Na verdade em um pai onde ha lautos
Lentes de preparatorios um Lyceo tin-
tas escolas publicas e particulares como
a beneficio de um s homem (saja elle
quem for) apparece esse artigo em que se
encontra o elogio de um, e o vituperio de
todos ?
Embora se elogiasse ao Sr. Soares d'A-
zevedo mas sem que se doestasse a corpo-
raco a que elle vera associar se. Se o
Sr. Soares d'Azevedo tal qual o pinta est?
artigo e eu .ingenuamente o creio elle
raesmo desapreciara um elogio tio guinda-
do
Excessivos desejos de instituir, em for-
ma um Collegio para a educacio da mo-
cidade tem tido alguns Pernambucanos,
nao s com a niencio de serem uteis 4 sua
patria, mas, in primis t-t ante om
nia com o filo de tirarem disto a sua
subsistencia ; porque (fallemos com aquel-
la ingeuuidade coiu que, dizem falla va
Adam com Eva) isto de bem publico his-
toria iguala d'El Re D Sebastio, QQJl
apparico tem sido '.ao fallida e prometli-
da desde i5j8, e a, boje esiio lodosos
Portuffuerc- com olhos no caminho. (1)
fc __ ,-------------------------------------
(1) -Grande porera adiflerenca, diz
o artigo que ha ah entre o educador qu*
.^ faz do seu officio um officio e aquelle
que o considera como a mais nobre missio
a que o homem possa ser chamado depois
da do Evaugeiho.
cao vai perdida se os pais e os mestres
nio sio unsonos era tudo quauto podi. |-
zer a sua perfeicio. A famosa Cornelia .
roi doGracbos, diz Fillassier creou
seus filhos com tanto cuidado que j ',','-
va-se, t,erem Un* mais devtdores da BOU-
cacio, que os distingua, do que as felicse,
dsnosices, que elle., baviuo recibido da
nalureza. A celebre Pulciana encarre-
gada da educacio de Theodozto II, seu
i... ni.


DIARIO %EPERNAMBUCO

iriHo, nao ousou confiar a ninguem una
empreg" (i<> importante, Point de imro ,
point d'nfint diz Rosseau. %.
S' Sparta Lacedemonia #e Roma se
eloria dos Aristides das Soln dos C-j- Vavtjlfo prximo fiAuro para ter nTure'-
toas dos Camilos, e de outros que 6ze-
r. a felicidade da patiia e a ad.iiirico
dos vindouros procuremos ansio desse*
fenmenos moraes n> moralidade geral des
sis naces. Qaando R una de todo se
corrompeo apparecerafi os eros osCa-
liguba e os Domiei mos.
Al'in disto tu lo est sujeito moda at
a ni'sma eduracio. Hoj nao h dio (fue sirva ; nao ha meihodo agrade 5 nao ha mestre que saiba ; na 1
ha dnheiro quecbegue pira ordenada.
Entre uatoainda hoje a pparecera os bons
resultados das aulas ant gas, nao s era
ciencias, como era co.turnes; e, se na-
quelles lempos nao se via, como boje, no
vos, e mais espantosos Virndolas .ipreu-
derem em Hez mr7.es quatro lingoas e
mera e em oulros Untos todas as sci
, nejas de modo que sao capazes de sus-
tentarem concluses de omni icibili, .0
menos nique.lle tempo sabia se com perfe-
cao o pouco que se aprenda.
Antgamente os paes escolhiao os mes
tres que conhecia capazes sem que estes
se d ssem a otrabaiho de elogiarem-se a si
me mus leinbrados Ilio a respeito dos que se louva. lloje ,
com algura culbem a os mestres. E' digno nao se,
se de rio ou se de lastima ver appre
sentar-se em urna aula um menino assim
dos seus nove, ou de* anuos, com botins
de rex regs; cnm urna panlalona to
justa, e amarrada por baixo dos botins,
que o priva de curvar as pernas como se
as tivesse de pao; com urna casaca to jus-
ta que mal poda move os bracos ; com
um molbu de cabellos, repartidos pela es-
trada da bberdade que Ibe cobre a ore
Iba e ooHioesquerdo ; tendo um palbito
na boca urna pitada de rap na mo es-
querda e um charuto detraz daorelba di-
reita e se Deus consente um punbal
entre a camisa e ocolete. Entra o nosso
esludante faz urna meia cortezia saca da
algibeira um lenco de seda embalcamado
em essencia de rosas limpa-se e pede
ser matriculado, porque, diz elle, o
mestre. que de!xe uso tem um metilu-
do de ensmar ; e sabidas as contas, el
le foi o que nao leve bom meihodo de a
prender. Os que por sua necessidade ,
vivera de ensinar qaejulguem se min-
io ou exagero.
Mas se alguem pelo que venho de di-
z'er me jolgar inimigo do novo meihodo
de nStrucco saiba que erra no que
pensa. Eu sou amante das boas institu-
ces ; respeito as ideas modernas quando
ellas nao sao falsas ; sei qu o espirito
humano capaz de grande desenvolvimen-
to ; masesiimina que a. pessoa que re-
digio o arligo, fizesse o elogio do Sr. Soa-
res d'Azevedo sem meuoscabar o merec
ment dos ^cluaes Prolessores desta Cida-
de. &
Na'o foi o desejo de doestar a os Snrs.
Professores desia Cidade a causa, que
produzio o artigo de que trata o Corn-
municado que etisirimos ; mas arrastados
pelo excessivo amor que consagramos
nossa patria e desejosoa de vermos reali
laidas lentas to grandes promeasas d>
Sr. Soares d'Azevedo, lomos por ventura
precipitados na pub icac.o desta noticia e
por isto um pouco obscuros no modo de
enunciarmo nos. Pode por tanto capaci-
tarle o nosso Correspondente de que sa-
bemo couhecer e fazer apreco do grande
m< rito da rauior parte dos actuae-> Piole
sol es. Os RR.
Vossa Senh#ra do tivraraeoto .^a pfexi
midaded Festa e aos muilos Das Santos
qriot&aj o presente mez, e Das tfe Fes 1,1
ln dt J^ejuif rejfolveu raaicir o da 4
torivelme^ile principio o andamento (J.is ro** **' D 9.
d/s da 1* Parte da 3' Lotera cohcePda ftvor das obras di soa Igrej asseVer'n
do aorepeitavl Publico q ie se antes do
.eferida da ib concfuir a venda-do resto
dosBilhetes, *o sobredito andamento das
rodas era tamb-m eleituado com muia
antecipaco ao precitado da 4-
Avisos Divorsos.

LOTERA DA M. DA BOAV1STA.
O Thezoureiro da Matriz da lioavist.
principia a pagar hoje 110 Consisiorio da
fnesma das nove horas da manli ala a-,
duas da tarde. O inrsmo Tbezoureir" ja
lera posto venda os bilhetes da 1. paite
da 5. Lotera nos lugares do costume.
LOTERA DO L1VRAMENTO.
Atleudi-ndo a Meza da Ir mandado de
_ Antonio Rodrigues Samico actual
arrematante da Imposico de ao p 0/0 so
bre o Consumo das Agoas-ardentes de pro-
duccd Hrasileira faz certo aos Colleet id fl
do mesmo Imposto que no presente naz d
Dezen bro principia a cobranca na c.
sua residencia no Pateo la Matriz da Stnto
Antonio D g ; como tamben fas eerto o*
Collectados do Hai;ro dos Afogdis oqu
cima fica lito e que 'findo o dito rmz
nroced^i contra os que dauarem de satis
faz^r ; e para que ctr gue a<. coih:cimen-
to de todos mandou publicar o piasen!".
_ Antonio FfincifCO dos Santos I3r
roca, tendo de retirar-se desta Provinei > .
para r al Macei d'ond>' breve v.ilt^ii j
e nao tendo podido despidir-se p*soal-
ni-nie de todos os seus amigos, e de..!
gumas pessoas com quena tem trans'ices ,
pela brevidade do sua shida ; o faz pelo
presente meo assegurando que breve se
tornar a achar n st Praca para continuar
a tractar de seus negocios, como Ibe cum
pre.
_ Precisase de hum homem para so-
cio de huma hospedara, com casa de pasto .
alnrcos de caf echa. A casa he htim
sobrado de a andares com hum sol.- e
tem dous logoes inglezes 5 quintal com boa
cacimba surficienies cmodos para este
estabelecimento. Existe ais hum bom
bilhir armado com todos os seus utensi
los prompto a trabalhar. Quem faz a so-
ciedade offerece gratis o servico da mobilia
abaixo transcripta : a duzias de cadeiras ;
e mais algumas uzadas ; duas mezas gran-
des redondas e mais 5 ditas pequeas ,
todas com gavetas e chaves ; a bancos gran
des, a mouchos 1 ramap 1 manga de
vidro, a casticaes a lampees par. esca-
da 1 garrafes, 4 bules com cazaes de
chicaras manteigueiros e assucareiros 3
garrafas brancas com alguns copos a cli-
ces de vidro. O homem que se pretende
para socio devn entender deste estabeleci-
mento ou amanear outro que tome conta
da casa, para ficur dehaixo de sua adrai-
nistracao : assim como lamb m se vende o
Bilhar e a mobilia ou para tirar da ca-
sa e no caso de querer tambem se ce
de o 1. sobrado onde existe o bilhar ou
toda a ca-a : quem pretender fazei dito ne-
gocio dirija-se a ra Oireita sobrado D ao.
onde existe hum bilhar a fallar rom A
n.islario Jos dos Passos dono do dito hi
Ihar e mobili 1 e o podeiio procurar das
10 horas do dia em diante.
_ Quem precisar de hum Caixeiro pa-
ra Rng-nho o qu.'l tem bastante pratica ,
a n n un ce.
_ 'eideu se huma Letra de Frs p'f>,.
saccaila de Parz por Jos Lucio Cjrreia t
contra o Sr. VI. A. de Macedo pagav!
em casa dos Srs. Jos dos tanto* N^v.- &
C. e endicada a Joo Pinto de L naos ,
0 qual previne a quem a tiver adiado de I
entregar em sua casa visto que os nsesinof
Srs. Neves & C. jase acb prevenidos
pama nao pegareis seno u aununcian-,
le.
_ Quem annnnciou ao Da- io de quar
la fera querer comprar huma olafia a
maigem do RioCapihai ib'- diriji se a ra
do Palacete a traiar rom Antonio Brasilino
de Olanda Catalcanti.
_ Precisa se de kuma am i deleito es
.cravaou foira: <|uem estival aasta* eir-
cunstsncias dirija-se i.s 5 Ponas loja*D.
a5- .
_ Quem annuncioo querer cem mu
is. a juros de dous por ceulo ao me/ com
(ii mas a contento dirija-se a ra da Ciuz
ma casj em Apipucos a margem do rio Ca-
piharibe, com os cmodos seguioles; duas
salas quatro quartos ,. coziuha fura e
bum bom cupiar : quom a prelender di-
rjja-se ao paleo da Matriz de Santo Auto
_ Precisa-se de quatro contos de reis
*a premio dand -se grande seguranca em
um predio : a quem convier annuncie.
Quem precisar de hum homem para
admipistrad-ir de algum engenho e que
.ftmbem pode ensinar .is primeiras letras a
alguns "pequeos o qual u:> faz ajuste al-
gum se nao dep is de empreado vis
11 do seu comportamento e servicos : quem
delle piecisar annuncie e nessa occasio
a. c niiecimenlo de si
Quem tiver e quizer allugar huma
casa terrea ou svbrado nos bairros de
Santo Antonio, e do Kectfe para pequea
lamilla ; quiia anuunciar por esta f dha ,
para se tratar do ajuste dndose iidor ,
j; ;.ndo-se al adiautaJo alguns mezes ,
cboforase conviajr ao aiugidor.
_ Para H desua carga prwiupto a sabir o mais b'eve
el, ib m cono mida barca Himbur-
gueza Cilbaniia Dorathea muito vellei
i".* : qm-.in mili qmser canegar ou hir d''
i).i -sigem dirija-se oa seus Consignata-
rios N. O. Biebel & C. ra da Cruz D.
63.
Quem quiser comprar huma negra
moca de bonita figura s;be cosinhar en
gotar lito e cozer chao, a qual se vende
por preco cmodo ; assim como tambem s^
teiniein barril cmi potassa da Russia igual
mente por como'o pncoj dinja-se a ru
das Cruces arm zem i), i).
Quem quier comprar lmm< escrava
moca, que sube cosinhar, lavar e engo-
mar cozer soiiivelmente, e he hbil para
ludo o servico de liorna casa ; dirija se a
ra da Cade i a do Recife casa de Joo da
Cu 1.lia iViagalhies
Quem quiser comprar huma arma-
e*5 de uverna com todos os seus .ssesso
rios e por preco cmodo dirja-se aos
n Hiibaii >s e no mesmo lugar a fallar com
Manuel Joo de Lima.
O 'Feudo eu abaixo assignado ,
alguma amisade com o Senhor Antonio
Llocadio Paes Barreto pioprietario do
Engenho ;Arandene, do Cata, e sendo
tambem amigo de seus filbos os Senho-
res Antonio Marinho Paes Barreto e Jo-
o Mariuho Paes Barreto e Genro o Sr.
Antonio Jos Mara Pa<-s Brrelo : procu
rou-me o Snr. Antonio Locadio, eme
pedio para que consentice que ein meu no-
me se fisesse exeouco nos b^ns de seu ca-
za! promovendo-se aecao contra elle e
mais luid in s pelas dividas que dito ca-
zal deve a Francisco Antonio da Oliveira.
viuv.iC'sta & Filhos Joh Manuel de"
Uarros Vandeilei Luis, e Joio Autouio
de Castro disendu me que ja tioha pro-
posto ist" mesmo aos ditos credores, e que
ellea annuio a qu^ ssim se fisosse : que
procarava est rrcurso para faser menos
despesas judiciaes ou rustas ao seu cazal
po> (|ue em lugar de quatro execucoens pro-
ra >via-ae so' huma e que slo Ibe era in-
despencavfl pa'a ppder concluir o Inven
torio Oi-nU' I'.liecida tnulher edar par-
ttlli 1 aos l.eideiros rezervando-se bens
para pagsrornto das dividas do dito razal;
acbei eu t o lasoavel e jista esta preten-
p6 do Sur. Ant >iin L'ocadio poique
etendo que be do dever de todo o ho-
mt-m de bm procurar todos os meio- de
pagar a quem deve que fV*ncam-nto Ibe
respond que n<; tinhaduvida Jom figurar
o taiiti) que fo>se elle mesmo o
ecaregad de todo o negacUt porqus eu
n*5 dava um s pass" a tal respeito, e
nem fsia despesa sl^uma com o que
se conforaaou Filialmente passaro-me
os ditos ciedores peitence em seus docu
menlOS, e passei-lhes eu huma eaulella a
cada iiom de persi em que d^clarei que
as quSotias constantes em r. ff-iidos do-
cnmenlo me nao perlencia eo motivo
o.taque se fasi* aquella tranzacao ; fiz
tajdo wto por me pe coadir de que quera
se habijM p''ra pe dar comproraette-se a
paj'ar ; porem esle mt'U proced meto inno-
cente foi chocar o espirito de algum dos
ditos Surs. herdeiroa e o fez percoadir
e que eu tiuha comprado aquellas divi-
d s. para fica,r com o Engenho do casal
Arreda se pelo lempo da FesU bu- [un pagamento della*, e embodo nesle ce-
g modo de pensar Dacrelou logo que eu
l nao entrara e. eu me juigava
na raso d ",e merecer outra considera-
cao muito defirante porem nada medu- ^
ve ciuzar admiraco. Podem par tanto os
ditos Snrs. herdeiros ficar cortos de queeu
nao quero ler Engenho, e .quando o
ijuize^so nunca pe tendera Arndepe do
Cabo e para que qudqer u;n de.sses Srs,
se capacite melhor de que u que teuho ex-
pend do he a verdtde pqra pelo presen-
te annuncio declaro qu nao quero mais fi-
gurar coa;o propietario das ditas dividas,
e desde ja renuncio o (iir.io que rae foi
concedido, ficando os ucu.i- -a ;, perten*
cendo a seus originaes e auligos possuido-
res, da mesma forma que antes ibe per*
teucic ; e declaro mii que ico cissados
todos os poderes de qudqucr procuracao
assignada por mim que em jui-o possa a- -
parecer para piomover qu.alquer aeco
contra o casal do Snr. Antonio Liocadio
Paes Belo pelas reffmd is dividas e*
por isso ser nullo ludo quauto se fi*er da
boje em diante em meu norae com as
I-tras dos menc onados credores. Josa
dos S-ntos Neveg.
- Precisa-se alugar urna casa terrea no
Bairro de Santo Antonio nao se olha pre-
co nem ra com taulo que tenha quintal
com sabida e cacimba orno tixb<:.a 4
quaitos .* qu'in a tiver annuncie.
Qaem precisar de urna mulher par-
da pura ama de casa de homem solteiro ou
casado com poma familia a quil cosiuha ,
lava e engoma : quem a pertender au-
oruncie
Um menino Brasileiro de idade 12
para i3 anuos que escreve econta
soffi ivelmeiiie, se offerece para Caixeiro
de qualquer arrumac): qu-m de seu
prestini' se quiser ulitis ir annuncie; ad-
verle que d fiadora sua condurta,
t^ Quem quiser comprar han terreno
na ra da praia com 60 palmos com ati -
cerces na frente e. dos lados, e tambem se
vende, e s melade, com todo o material,
que existe no mesmo a tractar na ra da
praia Serrara do Cardi.d, junto ao tan-
que'de Agoa. Na mesma parte ha mais
para vender iti ^m^j de amacollo para
assucar grandes TP^SLi feitas e faz-se
mais algum is de encommendaa 8U000.
D-sea premio de dous por cento ao
mez 8oo,j res al um cont sobre penho-
res de ouio ou prata, por sois meses mais
ou menos, e mesmo menor quantia, quem
quiser tractar este negocio, intenda-se com
b Senhor Jos Bernardo de Souza em fo-
ra deportas.
Certo Sor. que nao se sb? se por en-
gao levou da asa de J J. N. da C. M.
um par de esporas du prata qaeira ter
a bondado de entreg.r na rus de Malhias
Ferreira ao estudanle JoaquimCordeiro da
Rocha, edo comrario lera' de ver seu nome
publicado.
-- Quem qaiser comprar a cvalos bons
carregadores, e gordo., sendo uiacaug
nhoe outro ruco, ambos novos, vootV
da raatta e se acha na caval rico do A-
lemio do Forte do qaebra pratos. dirijo-sa
ao mesmo forte ou na ra do Rosario D.
8 at ti horas da manh.
Pncisa-se de hum rap^z doschegados
ltimamente do Porto, de 11 a 14 anuos de
idade; que saiba ler escrever e contar, e
d algum abono a sua coniueta. Adven
-eque he para Macei. Alractar no Porte
do Maitos com Firmino Jos Fellis da Rosa.
Quem quisercomprar urna negra sem
achaque algum, de idade dedoseahuos,
cose chao, cosinha o diaria de urna casa, o
lava de sabo, v a ruido Raogel D. ia,
segundo andar.
-Na ra da Cruz numero 3a, ha'.
para veuder-se ham bomescravo'de lodo o
servico, bom cosinhero, e de bonita figu-
fura ; a vista do comprador se dir o mo
tivo da venda.
-- Precisa se allugar huma casa .terrea,
no bairro de Santo Antonio, para peque-
na. familia nioexcedendo o seu alloguer
a 8U000 reis: nesla Typografia se dir'
quem aquer.
_ Precisa-se allugar huma casa terrea
com cmodos para pequea familia tendo
tambm quinlalje cacimba ; nao exceden-
do porem s< u alluguel de oilo mil res
mensaes embora seja em ra menos pu-
blica : quem liver para allugar annuncie
para ser procurada.
#
^


DIARIO DE PE
BBMnasBnaBnpftnBsa
Mr. Kissel reloiopiro france* no
aturro da Boa vista acha-ee prompto a
concertar qualquer elogio que I he v]
confiado pelo msis cmmodo preco ; elle
obriga-se a restituir o dinieiro que tiver
ecebidoem pagamento de qualquer con-
cert que nao for bera executado.
- Perdeo se no da 16 do corrente 1 co
rases de braco de menino engrazido ero cor-
varios enfeites, e tem um bracinho de
unicorne encastoado, tbi perdido ni roa
da Florentina 1 quera o achou querendo
restituir, dirija-sea mesma ra na qaarta
nsa indo da praia que Ihe dar o im-
porte dos mesnos comes.
A pessos que Ihe fallar um escaler,
poder procura lo no porto das c no s da
Tuanova, que l'ue ser entregue por An-
tonio Alves de Castro cu jo escaler esta va
a travessado na ponte da Boa vista no da
1- do corrente.
Os Srs. assignnntes do Jornal o I a-
norama, podem ir recebaros seus compe-
tentes nmeros no escriplor.o de tran-
cisco Severiano Rabello no forte do mal
!. Desapan ceo do poder de um preto no
dia sexta feire 4 do corrente pelas 5 horas
,ii tarde urna barrio com b c.lho c m a
marca de tinta D CG pede-se a quera
dita barrica for offerecida ou della soober
da participar no pateo do Carato venda d
Narciso Jos da Costa, que ser recompon
sado com melado de valor da dita barraca.
Precisa se de urna ama que tenha
bom leite, pa criar um menino de me
011 bir de passagem drija-se a 111a da
Crnin 6, escritorio de Jos R tmos de
Oiiveira ou ao Capita- a bordo, todos
os dias al as 10 horas da mandil.
C o m pras
-- Um cavallo para carrinho : na ra da
Cru/. n. 1.
Um pnlileuo de prata usado; Mm
caldeirio dederreler breu : na rus da"Flo-
rentina no sobra'to novo.
-- O seguinlcs livros em bom uzo : o
\estre francez Telemsco e um diccio
nario de Costa e S d<* portoguez para fran
opz ede flancos paia porluguez : annun
ci.
_. W''g tiver annuucie.
Ve n (1 as
Pi
e almanak completo, e de
dre ,' todas impressas tiesta Ty-
pografia, em bom papel e ptimos
Tvnos; e hem conhecidas pela
bom lene, par-c.i. .."...... -~ -- lJI'U3' ~
zes : na rua das larangearaa por cima da certeza do Calculo e redlgias
refinaco de assucar.
._ Oab ixo assignado avisa ao resprtta-
vel publico que leudo receliido em paga-
mento no serto do Assu' na Villa de S.
Anna do ojallo umi ,a,ra de Joi? ('arnP-
ro da Cunha acceita por lia 1 da Costa Vil
lar da quanlia de 9008000 n qual letra
dev'ia se vencer no hm do correnle ; tendo
presentado dita letra ao aceitante no lu-
par de pedras de fogo juntamente cora
urna carta de ordens na qual mandava-o
entregar a quanlia 37^000 e que o
restante ficaseeT*^ *rtre a* ral5 d"
dito Sr. Joo da Costa Villar t que por
o sacador Ihe fosse reclama Jo tendo rece-
bido dita qautia passou o recibo na letra,
e segui a sua viagem para esta prca c
achando-se noengenbo das hgca, dconor
falta da dita letra, inmediatamente voltou
e fez scente do acontecido ao dito Sr Juay
da Costa Villar, para nao pagar a p^ssoa
slruma a dita letra peante l stemunjias .
e o raesmo aviso f ao sacador e como
esteiio d'acordo ficatlla de nenl.um ef
leilo e caso alguma pessoa a tiver adiado
poder entregar ao annunciante na ra do
sebo que recompensar. Pedro An-
tonio Victoriano MosReis.
._ O abaixo assignado fu sciente ao
respeitauel publico que se propon i en
sinr Grammatica latina para cu jo Sai
lodos os Paes de familia que se quisem mi
lisar de seu prestimo o podero procurar
na ra velha da Boa vista sobrado D. Si
Porfirio da Cunha Moreira Alves.
Avisos Martimos
PARA MARANIIAO' por todo o roez
de Janeiro o Brigue Escuna Laura ve-
leiro e de reconhecida marcha quera qui-
xercarrgar, ou bir de passagein para o
que offerece magnficos coramodos trata-
se com o capillo ou com Firmiuo Jos Fu-
li da Roza, no forte do raatto.
PARA O ARACATY a Sumaca Con-
ceicfo Flor do Ma<- M. Joaquim Jos da
Silveira^ quem quiser cirregar ou bir de
passapem dirija-se a Antonio Joaquim de
lotiza Ribeiro.
PAR O RIO DE JANEIRO segu
f.om brevidade o bem condecido Patacho
ISiciooal Paquete do Riu ; quem quiier
eaitgat ou hir de passagem, dirija-sea
'j. A. deBirros, pruciiihi doCorpuSan-
t# D. 07, ou aoCapilo M a noel Francisco
d.i Silva a bordo. o Biiumn jc i^... ,.-^- .- --........
PiRA ANGOLA rom Pcala por Ban- taboado grosso para estacada, um grand
pulla, segu viagem com brevidaUe a Es- telheiro no ceittro df terreno: a tratar na
cuna portuguesa Esperanca, de lote de a68 ruadas Cruy.es no ultimo sobrado dr
t meladas de primara maicba pregada andar do lado oposto da Typogmfia.
i f jrradi de cobre : quom quiser ca regar,
R N A_m"b l C O
iilubTmJi i Taimia'HBii iVY~
urna cor.i,.ha o diario de urna casa en-
gomma c h* quitandeira; e a outra n'o-
pria pira todo o servioo,-: na m < do N'j
gueira D. 3 das 6 as o horaria naaoba
- Jo alqupires de cal b anca tfe ciar .
por m.nos 'tw de qualquer ^u!-o qu *M
da : na'rua da Florentina no ultimo sobra-
da novo, ,
Urna mesa de Jacaranda de mpfo de
Jalla, por preco cormiodo : na camboa do
Carm < O 8.
' _. B chaschfgadas nllimam^nte do por-
to de muito boa qualidade l na ra do
collegio D. i3vend.dA. M' Ramos.
Lonas brins da Russia de primeira
qnalidade, lencos de seda, e setim de VI*.
cao: noescriptoriod- L G F. & MflDS-
6eld.
Urna propriedade d" casa terrea com
um sitio sita na ra da S. Cruz ; queqa a
quiser annuncie.
Nove obras dr) Guarda livro moderno
e as odes de Horacio vertidas < m portu-
gues com ns suas notas : na ra do Colle-
gio boliea D. 5.
Botins de Lisboa meios ditos sa-
patos a bolinados de bom bezerro sapatos
vy Folhinhas de porta de (
aklbetra ede Padre, para O de duraque para Srnhora* e meninos, di-
nnA.iP ift'n n-los nreCOS de t09 decordavo ditos de doraque setim,
nnoile irJ.59 p^ios precos ae em am.riinCMegj botiosohoae sa-
na /i/ porta UOZe----- -u:_-t Un.
pataca as de
a
seis vintens as de
as de algibeira e
pela primeira pessoa que em Fer-
nambuco fez folhinhas: as de al-
gibeira alem das noticias do cos-
to me conten urna tabella chronolo-
gica dos principaes fados desta
Provincia um ensaio Topogr-
fico da mesma segundo a divi-
sao das novas Comarcas e um
Almanak completo : na praca
da Independencia lftja de Ivros
n 37 e 38 ra do Cabug loja
do Sr fianleira no Recife ra
da Cadeia loja do Sr. Quaresma,
rua da Aladre de Dos deronle
da Ig'cja venda que lbi do He-
zende na Boa vista botica do Sr
Joaquim Jos Moreira defronte
da Matriz e em Olinda na botica
da rua do Amparo.
- List.s da L.le ia da Matriz da Boa
vista : na pra?a da Independencia n. 3^ p
}i e na botica da ma do Amparo em
Olinda-
-- Prata velha, e ouro em diversas o
!) .s a peso : na rua doCiesp) loja De-
c mi 6
Urna canoa que carregfl 30 pat&os
d'ago-: ; quem a quiser aunonnie.
Urna venda :ia rua do .ragSa ten-
do a dita venda enramados para fimilia e
um grande quintal e dentro do mtfStno
urna casa grande que serv de armasen! e
muito p-opria para pidaiia ; quem a qni
ser annuncie.
-- Um bom cavallo de estribara : no
atierro da Boa vista loja D. 10.
-- Umpretoainda meco, proprio pra
tudo o servico : no alten o da Boa vista lo-
ja D 10.
Um sortimento do mrias para h>>mem,
mulher, e meninos, luvas de II de diffe
rentes co'res chapeos de castor ganga-.
zoes entransadas m.iita largas ^ suspenso
rios de homens e minos madapol^es finos
e largas boas cassas lizas e de quadros ,
xillas e riscados paiB calsas, e ootras coi-
sas muilo ha. atas : na rua da Conceic.ao da
Bou vista defronte da Igreja.
__Um terreno na rua nova de S. Ama-
ro com o/ palmos de trente e 216 de
fundo at a rua do sol, com grandes ali
retes pedra lavrada para urna casa com
6 milheiros de lijlos pouco raais ou menos
palinhos p.ira meninos, chinelas para ho-
mem sa palos de bezerro francez de sola
finaegrossa, chapeo do Chile de todas as
qualidades e bichas de boa -qualidade ,
tudo a prrxocommodo: na praca da Inde-
pendencia n. 6, 7, e 8.
Urna escrava de naco bonita figu
Ou aluga-se e troca-se diariamente
velhs de cera de meia quarta &l wuehei-
ros pif prec'i commodo: na rua do Ran-
gel D 9 sobrado de um andar.
'-- Lima negrinha de idadede 11 nnnos ,
com principios de costura chistante gei-
|;sa para tudo o arraigo de um casa: na
rua de II1: t s subradu junto a Igreja dos
Martillos.
- Cera brjtnca em poico de cem libras
pira cima : no escriptorio dos Srs. Lunoir
UesuchetiSi Pugei a fallar com Jos Li
zary.
-- Urna escrava de naco de idade de a4
a a5 annoS de muita bonita figura, e
cozinha o diario de urna casa : na na Di-
teita pass^ndo a venda do finado Jos da
Penha no sobrado D. ao.
Escravos Fagidos
No dia 16 do corrente fugo urna es-
crava negra de nome Joaquina a qual ja
andou vendendo fazendas alta, cara com-
prida SCCa do corpo ps grandes le
vou com s'go urna correnle na qual eslava
presa ; roga-se a qualquer pessoa que a
pegar que a leve a rua Direita sobrado de
m andar com loja de miudezas por baixo ,
ou na^ 5 poutas ao primeiro fiscal dj con-
trato.
O preto Manoel de nacao angola, bas-
tante ladino bem moco de estatura rae-
dianna dentes fallos adianto da ;,arle do
cima pernas finas ps mal fetos, com
sobrado de um andar cora mirante.
Camas cadeiras e bancas de meio
de salla, tudo de conduru': na rua Direita
D. Jo l-tdo do poente.
Duas escravas de naco loanda de
idade de 17 a 8annos de lindas figuras,
sem vicios nem achaques o que se afianca ,
e fazem todo o servico de urna casa, e urna
dita de idade de ao annos perfeitissima
engoramadeira e cozinheira : passando
a Igreja dos Martirios no primeiro anda
do primeico sobrado.
Cartas finas pa*a vollarete, dita-
portuguezas iap de Lisboa e massaro
ca d<> Rio de Janeiro e ditos de todas -s
nutras qualidades : na rua do Cabug loja
lo Bindeira.
Uma padaria com lodos setas perten-
osa sita na rua Direita defronte da ven-
da do tallecido Jos da Penha ; e dota (]
artos cjm gangalhas e ca^ambas : a tratar
na mesma.
-- Chape'S de seda para Senhora che
fados prximamente e de muilo bom goa
to plumas crespas para ornato de cabeca
de Senhora-. na rua nova casa de Mr. Te-
ard D. 16.
Um molato proprio para pagem ou
outro qualquer servico : na praciuha do
Livramento D. 31
__\J-a excellent'-sobrado de um andar
com C'mmodossufiri ntes para urna gran-
de fimilia sito no lugar do varadouro
junto ao bildo sendo este o ultimo sobra
do do lado esqOPrdo por preco commo-
do : na rua dos Quarteil D. 5.
-- Uma casa terrea sita na rua de Ago-
as verdes D a5 : a tratar na rua dos Qu-
arU is D 5.
Duas negras do gentio de angola, uma
he engomm .deira lavadeira e costurei-
ra e 1 outra pira todo o servico : na Boa
vista venda por baixo do Sr l'erete.
A potas de 15o palmos de um Ierre-,
no alagado no leguiraento da rua da auro-
ra pagando, do foro 3o rs. ao palmo, e
rom l5oo de fundos : a tratar na rua d
S Gonsalo I). 11 da 6 horas da manh
as 8, edasidatside em diante; assim
como uma propriedade de casa terrea com
um grande quinl il cacimba lerri-no na
frente p ra edificar-se a grandes casas ,
lita na solidado junto ao sobrado da viu-
va do M.rtins.
Uma canoa acabada de set fabrica-
da, que conduz 5oo lijlos de alvenaria
grossa e lamiera se troca pelos mesmos :
eiueiro no reiuru u> n ich .. y,-------,-----------------------------------
uadaa Cruzes no ultimo sobrado de um na rua de S. Gonsalo, ou na reparti^ao das
" ir do lado oposto da Typografia. obras pubhcis a tratar rom Marcelino Jo-"
Duas escravss de nsto mocas s Lopes.
..Uma escrava de naco, bonita figu- caiador 'qea 0 pPgar leve a
r. de id.de de a5 annos, boa lavadeira rua Direu 0 9e Hdo andar do sobrado
e quitandeira a raoleqaes creoulos de ^
e ,o annos bonitos e proprios par, a- 'J9 aosSrs# Sub-Prefoilos, mais
prender qnalquer cffico cujos es ravos au,hoaie ll|iciaf as pullC0.
so se vendem para o mallo: na soldale ^^ rfe,tJ eFmais ...c.. hajio'de em-
pregar suas vistas sobre uro escravo creoulo
de nome Eduardo, de 18 a ao aanos de
idade official de sapateiro altura regu-
lar secco do corpo cara lisa denles al-
vos quando falla gagueija piincipalmente
quandoesl mentindo muito fila, inti-
tula se forra e muda o nome para outro
qualquer quando anda fgido, e gosta mul-
to de montar a cavallo pois tem sido encon-
trado varias vezes na estrula do manguinho
ruado Rosario e Olinda cujo escravo
fui do Sr. Thomaz Ferreira Ramos e lio-
j he de justinino Candido Mndelo, mo-
rador no Biejo d> Madre (e Dos 5 quem o
pe-;ar leveao foit'-do matto prenca de al
godfo a entregar a Elias Francisco Mendeio,
ou no Rejo a seu Mr. que ser gratificado.
Fugio no dia g do corrente um preto
de angola de naqo c-bum!a de nome
Antonio baixo e grosso do corpo dbe-
cicomprida, lera um calo Da cabeca de
carregar peso bonita figura em porpor-
co de sua esL.tura bebe bastante agoa-
aidenle : ps pequeos pernas curtas ,
beicos grossos, olhus grandes l<*vou ca-
misa de biela encarnada e calsa de brim
branco ; q iem o pegar leve a rua da san-
ia velha a padaria do Antonio Jos Gomes,
ipie gratificar.
Moviiiiento do Porto
NAVIOS EN IRADOS NO DIA i5.
PARAIIU5A ; 2 das Escnin Lebre, Com-
mandanteo primeiro Tenente Jesuino
Lamego Costa traz de passagem o ex-
P.esldeote da mesma com ua familia.
S \HIDOS NO MESMO DIA.
LISBOA,- Brigue Portuguez Veriato, Cap.
Antouio Gomes da Slva carga assucar.
015SERVAC0ENS
Entroa arribada a Eicuna l'ortugueza An-
dorinha, M. Henriquede AraujoJordo,
carga lastro proprietrio J s Francis-
co de A/evedo Lisboa ; diz o Cap. que
na Utitude 5 10 35" se Long. a E de
Londres 10 4 foi roubado oe toda carga
que trazia por um Bngue Escuna les-
panbol levando Ihe todos os depachos,
deixando to smente o passaporle-
No dia it nao enlraio nem sahiro emb r-
cac s___________________________m
Per, m Tip. de u..oZX. i838
MHBKdam*


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID ESTAHFONU_7AKY8B INGEST_TIME 2013-03-29T16:36:25Z PACKAGE AA00011611_03669
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES