Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:03666


This item is only available as the following downloads:


Full Text
ANNO DE i838. SEXTA FE1R.1
CAMBIOS.
Decembro i5
Liodres 19 Us. Su por i#ooo ced. .
Lib<.w <) a 0,5 por 100 premio, por metal. Rom.
Franca 335 34o l\s. porfranco.
Rio de Janeiro aopar.
Moedas de6*4oo i5jfooo as velhas novas i{jf5oo.
>t 4(ooo 8^ono a ojjioo ,
Pesos Columnario lfSio a if63
Dittos Meticauos i^fj.io a 1^010
Pataches Brasileiros ijjttio a ijjf63o
Pre-nios das Letras, picnem i|4 por 100.
Cibreap. c. disconto.
PARTIDAS DOSCORREIOSTERRESTES.
Cidadfl da Paraiba e villas de sua preteucSo ....
Cidade do Rio Uran le do Norte, vitlas dem s d1 e Sextas feras.
Cidade da Fortaleza e villas dem.......I
Vdla de (ioianna............'
Cidade de linda............ Todos os das.
Villa de Santo Anto............ Quintas tetras.
Dita deGaranhuns e Povoaco do Roiiio. ... t>is 10, e ^4 decada mes.
Dittas do Cabo Serinhaem, Kio Formoso, e Porto Calvo Idain 1 11, e ai ditto dijo
Cidade das A lagoas, e Villa de Macei5...... dem idem.
Vdla de Pajau' de Flores.......... dem i3, ditto ditto
Todos os correios partera ao meio efia.
i4DE DEZEMBRO. NUMERO 272.
Tudo agora depende de nos tr.rsmos ; da nossa prudencia
rooderaco e energa: continuemos como principiamos,
e seremos aponlados com admirado entre as Naces inais cui-
tas. ,
Proclamato d Assembtea Geral do Brasil.
Subscreve-se para esta falla a mil res mnsaes pagos adl-
antados nesta Typografia, ra das Cruzes U. 3, e na Praci
d--< Independencia D. 5j e 38, onde se recebem correspon-
dencia! legalisadas e,annuncios :, insirindo-se esit pa lis
' sendo dos proprios assignanles, c vindos assignades.
DI AS DA SEMANA.
- "
10 Segunda 8. Melquades. And. do Juit do crin de tarde e sesso da Tbes. P*
t Terca S. Dmaso P. Kelaco le rnunli aud. do J. dos Or. de larde.
la OuaVti S. Justino M. Sesso da Tliesouraria Provincial.
i3 O.iiiitn S I.u/.ia V M Kelaco de matili. e audiencia do J. dos orlaos de tarqe.
i4 Sexta S. Angelo Al> Sesso da Ther. Publica, e aud. do Juiz do Civel de tarde.
i5 Sabbado S Buiebig U. SI. HelncSode manlia eaud.doV. (>. emOlinda.
it Domingo 3. do Advento As VV*de frica. La nova li. e 5a luin. di -
M.ar cheia para o dia 14 de Dezembro.
As a lioras 54 minutos da mnliS As 3 bora 18 minutos da tarde.
-' --
PARTE OFFCAL.
RIO D JANEIRO.
CMARA DOS SENAD0RE5.
Sesso em i de Outubro de 1838.
Pressidencia do Snr. Mrquez de Be-
pndy.
Feita a chamada e achando-se prsenle
numero legal dsSnrs. Senadores, o Sr.
Presidente abre a sesso, e lida a acta da
anterior he approvada.
O. Snr. primeiro secretario da' coota do
expediente.
Orden do da.
Achando-se na ante cmara o ministre)
da fasenda h introducido com as
formalidades do estilo, toma assento .
e continua a segunda discusso, adiada
pela hora, da proposla do governo, sobre
o orcamento da recrila e despesa do Im-
perio para o anno finaceiro de l83g a
1640, coiijunctamente cpm as emendas p-
provadas pela cmara dos Snrs. depu-
lados.
Cume'cando-se pelo artig 3a, addilivo
das emendas da uutra cmara he offere-
cida esta.
No caso de passar o artigo 3a seres-
cente-se no fim submeltendo tudo a np-
provac-o do corpo legislativo. Mrquez
de Paronagua'.
Htfopoiada, e dndose por discutida a
materia approva se o artigo 32 com a e-
njend-i do Snr. Mrquez de Para nagua'.
Os artigos additivus da Cmara dos Srs
deputados de 33 a 3(3 sao approvados,
retiraiido-se ministro da sala todas as ve
sus que se ia votar.
SSo igualmente approvados o artigo Zn
dis emendas, subsliluitivo do ia.d.i pro-
posta, e o 58 das mesmis emendas, que
Le o l 3. da proposla.
P^ssa se a discutir o artigo n, additi
vo das emendas da outra cmara e be
iipnrovado, bem como a tabdli a que se
refere.
O paragrapho 14 addilivo das emendas
ao artigo 9 da proposta julgase preju
dicado. (
Sao approvados os paragrapbos 5o e 65
das emendas ao artigo q da proposta ; e, i-
gualment os artigos 1. e 8. da mesma
proposta na confurmidade do vencido.
Entra em discusso o artigo 1. addilivo
das emendas do Sr. Holanda Civalcanli,
appoiudas em 28 do miz passado, e be
poiad* esta emenda:
Ai ligo f,-addilivo. Accrescente-ae no
fim com excepe das qun forero rrfca-
riadas as capilaes das provincias. J. I.
h .>rges.
Posto a volco o dito arligo 1. nao
passa, (ira 11 do preju dicada a emenda.
O* artigos 2. e 3. do Snr. Holanda Ca-
?ilcanti nao passo e approv'n-se a pro
posta com as tuas etnend.fs, para passar a
ILAD"
terrera discusso.
O Snr. Borges pirtecipa nao ter podido
a,coramissao no curto et-p^ci de temp)
que lem decorrido, dar p>recer sohre o
crdito pedido pelo governo e que, na
iliscu-sao, apresentaria a sua opima >.
Decide-se que na primeira sesso entre
em discusso com assistencia da minisiro
da fasenda.
Tendo-se este retirado, o Snr. primeiro
secretario l a carta imperial de senador
do imperio pela provincia de Minas do
Sur. Antonio Augusto Monteiru de Br-
ros. A' commissio de constituido com
urgencia.
Sao lidos osseguines pareceres de com-
missode co'nstituico.
Dous propondo, que sejo convidado
para tomar assento no senado os Snrs. Ber-
nardo P*ereir d Vasconrellos, e Aftionio
Augusto Monteiro de Barros, nomeados
senadores pela provincia de Minas, visto
eslarem le^aes, os diplomas das su nO-
meacS-s. Approvados.
lum para quee.nlreerri discusso a pro-
bosipo da cmara dos Snrs. depulados,
prorogando, por mais lium unno asus-
penco de garandas na provinciana 5. Pe-
dro\ Fica sobre a mesa.
O Snr. presidente di para orderu do
dia as materias dadas, e, em chegando o
ministro, a discusso do crdito.
Levanto-se a sesso as duas horas da
fjrde.
CMARA DOS DEPUTADOS.
S^s^aS de 2 de Outubro
Presidencia do Snr. Araujo Vianna.
Logo que se rene numero legal de de-
pulados, heaherla a sessa, lidaeppro-
vda a acta da anterior.
O Senhur primeiro secretario da1 conla
do expediente.,
Ordem do dia.
Entra em discusso a seginte reslu-
co :
A iissemblna geral legislativa resolve :
Ai ligo i. Nos curs' s Jurdicos de^S
Paulo eOlinda os exames de inglez de
geografa e historia, r sro exigidos
a'is .-suidanti s quando se habelilarem a
lser o exame do quinto auno
Ai ligo '< Os eslud.mtes que por fslta
dos Mibieditos eximes, nao se matricu
liro no primeiro unno, mostrando qoc
tiverau as respectivas eulas a frequen-
ria que se exige aos matriculad s, sirio ad-
mitidos a ultima maln'cula pira exime,
pagando a propina da primira.
Arligo 3. Ficao revog'adas as le em
contraiio.
Po do Senado, em 3 de agosto de
838. --Mrquez de Biependy, Presidente
-- Conde de Valenca, primeiro secretario,
Luiz Jos de Oliven a, segundo secre-
r'0, *
O Snr. Paula Candido ouerce a segin-
te emenda.
Os exames de inglez, geografa e
historia ^ fp sero exigidos no G.n do
terceii'o anno, antes do exsme respectivo.
He apoiada e entra em discusso
O Sur, Clemente Perreira dicorro so-
brea materia, e concorda com o projecto
vindo do senado.
Julga-se discutida a materia do primeiro
arligo, o qual, posto a votos, he reg- talo.
A emenda he regeitada, e bem assim 0
aitigoa da resoluco '
A lequerimento do Snr. Brrelo Pedro-
so entra em disrusso a se^uint resolu-
co.
A assemblea geral legislativa 'resolve ;
r(igot. O governo he autorisado pira
conlract.r com Conrado Jacob d? Niemey
er. e Pedro de Alcntara Br.llegard, a era-
presa da demolico do morro do Castello
da cidade do Rio de Janeiro, por meio d
huma rom'panhia (endo por base do con-
tracto as seguintes condices :
1. Os trabadlos da o''ra deverSo corrie-
C'r dentro d..hum anno contado da
*' b^o-ifi^.j, d"hxo da pssa de na!-
lidade ; e (i cara o ultimadas nopraso, e de-
b ixo da multa que no mesmo contracto se
eslipolarem.
a. Os nlinharoeftos, armamentos, e ni
velamentos das luis e precas que convi-
er abrir, srrao determinados no contracto
sob a planta approvada pe/o governo, que
nao podera' ser a/ierada no fucluro.
3. A companhia snr obrigada a dei-
xai hura rua de oilenta pdmos de largu-
ra em loda a cxtenclo da frente que al-
terrar obre o mar, semque por isso pos-
si ex'gir inderanisaclo alguma ncm pelo
valor do terreno que for oecupado com as
ras e pracas, que na conformidad da
condicos-giinda se houverem dab>-ir.
4. A companhia sera' obrigada a can-
servar eflVcSivameile emprtgado nos
traballvos da obra hum numero de bracos,
pelo menos igual ao duplo da prestaco
mensal abaixo d signada : e se faltar a es-
ta condieco immediatamente se lhe man-
dar suspender o pagamento da mesma
prestaco.
Ai ligo a. Em compensaco de suis das-
pesas gozara' a companhia das seguintes
conces''-s.
I. Todas as propiiedade nacionaes ex-
istentes no morro do Castello entraro no
dominio da companhia.
a. Podfcra'desappropriar todos os pre-
dios e propriedades de deminio particular
existentes no mesmo moi ro esum fraldas,
que lorem ir.dispensaveis para txecnclo da
.na indi'mhisando previamente os pro-
prietsrios, pus termes da caria de le do_
i de t etmb'ro de 1 826
3 Kieara' a companhia na pln pro-
prL'dade de todo o terreno cedido, ou
desappropriedo, e bem nssim do que por
suas obras poder adijuirir sobre u mar,
com excepeo somente do que se dislinar
para roas e pracas
4. O thesouro publico pagai' a compa
"ulna huma prestaco mental de tres eoli-
tos de rtfls por espaco de oilo annos a con-
tar do da eui uuea mesma companhia der
principio a obra nos termos d* coodico
quarta.
5. Os edificios que se constrirem no so-
bredito terreno da companhia serio i-
sentos do pagamento de decima urbana o
sisa por lempo de vinte anuos.
Paco da cmara dos diputados, a5 de
agosto de 1838. Joio Antonio de Lemos
- A. C. Corra. B Q. Torreo.
O artigo 1. e scus sao approvados ser
debate.
Entrando em discusso o artigo a. oSr.
Clemente Pereira manda a mesa as seguin-
tes emendas, que sao appoiadas :
Ao primeiroaddite-ae --Comexcepeo
somente do edificio por acabar levantado'
pelosextinetos Jesutas para a nova igie)'a
de seu collegio, ci;jo materiaes fie dtdos
a Santa casa da Misericordia para conlinu-
aco das obras do seu hospital.
Ao a. Depois das palavras suas
Tradas addile-se e todos os mais edi-
ficios e terrenos que ficarem entre o mes-
mo morro e o terreno que a companhia ad-
quirir c<>s ses atierros sobre o uiar, wi
excepeo somente dos edificios e terrenos
da Sania casada Misericordia e'da capella
de Santa Lusia. Fie entendido que pe-
la desapropriacoque acompaubia fuer se
nodeve sisa.
Ao 5. s terrenos que a companhia
vender ser.) igualmente sentos da sisa no
acto da primeira venda, e as mais que se
verificar nos 20 annos seguintes.
Tarabem he apoiado o seginte artigo
addilivo, do mesmo Snr. que fica reser-
vado para depois da volacu do artigo di
rcsoluco.
A cmara municipal mandar levantar
a planta da frente dos edificios quo se bou
verem de construir nos sobreditos terreos,
nao consentindo que.o risco por ella dado
seja alterado nem que nos mesmo* terre-
nos se edifique cassas terreas.
Toms'o parle na discusso os Snrs. Car-
ne i ro Lco, Clemente l'erira, e Rescude.
Da-se a materia por discutida e sao ap-
provados os 5 5 do artigo a. das emendas
rio Snr. Clemente Perreira, he approvada
a ultima parte da offerecida ao a., a qual
diz : Fica entendido que pela desapro*
priaco que a companhia fiaer se nfo de-
ve sisa. Tambem he approvada emenda
do mesmo Snr. ao 5.
Eutro em dicnsso o.irt;go addiltivo do
Snr. Clemente Pereira, ja apoiado, e o
seginte do Sor. Carneiro Leo :
A companhia se obrigara' aindemni-
sar a uaco das propriedades nacionaes que
lhe forem dadas, ou a restitu las quando
nioleve a xito a empresa S. a R.
Depois de falarem osS-m. Carneiro Le-
o e lVarreto Pedroso, os Srs. Clemente
Pereira e Carneiro Leo retirio os seus
artigos, e a resol ocio he adoptada comas
emendas ap'provadas.
O Snr. Vanna pede que com preferencia
se trete do projecto que cria coireios ur-
banos, ou d privilegio a hum iudividu
quedeseja estabelecel os.
Indo o Snr. presidente consultar a ca -
mar sobre a approvacoda urgencia pedi-
da pelo Snr. Vianna para se tratar dop.ro-
reto relativo ao cstah

reos uibmos, verifica-se fallar hua mim-
bro para formar casa.
Rm consequenoia disso o Snr. presiden-
te levanta a sesslo pela huma hora da tai de
depoii dehavordado par ordem do da e
mesroa de. boje, e mis os proj-ectoa nume-
ro i4< do aiino passado, e. ifae 170 des
te uno, principiando pelo numero 81
teste auno concedendo hum privilegio
para oavegacjo por vapor a Robmt Coats
"PERNAMBUCO.
Diversas RepaFticoeijs.
.;--------------~ :~;~"Ti""'i~"i" r '"'-------
TRIBUNAL DA RELLACAO'.
Sessfio de |3 deDezembrode i838.
Nalappellaclo Civel do Juiso de Direito
da 3. Vara desta Cidade appellante Anto-
nio Goncalves da Lu, appellado Manoel
Goncalves Serrina Escrivio Chaves ; fo
julgado pela confirmacio de santones re--
corrida;
Oa Embargos de J0S0 Carneiro da Cu-
nha e Albuquerque oppostos ao accor-
da5 na cauta de eppellacttS Civel do
Juiso da 3. Vara deata Cidade Escriva
Rphello ; foraS dispresados mandando-se
cumprir o accordto embargado.
Na appellac5 Crime do Juiso dos Jura
dos da Cidade do Natal appellante Mano-
el Jos Cardoso e appellado Jos Tho-
maz de A quino Escriva Posthuraoj
naS fomarao oonhecimento da oppellacaS
Os Embargos do Padre Jos Gomes Flo-
res Francisco Gomes Flores oppostos
ao arcordaS a favor de Caetano Moreira
da Costa e sua mulber na ceura de nppel
lca Civel dps.ta Cidade Escriva Cha-
ves 5 for6 dispresadas.
Os Embargos da Joa5 FredericQ d'Abreo
Reg opostos ao accord a favor de Pon-
che! Frere & C. na cauta de ap
pellicaCivel desta Cidade, Escriva Re-
bello; se julgou pel despreso delles.
f^Na cauta do dia de apparecer do Juiso
desta Cidade a requeriraento da appellada
Paula da Cunha contra a appellante Fe
liria Coelho da Silva Escriva Chaves ,
jo ju'gO!! pCSa GCZSry no 3ppru5-u.
.".'.s Embargos de Rento Luis de Carva-
Iho oppostos ao accordf o contra elle pro-
ferido na causare appellaco Civel do Jui-
zo de Direito desta Cidade em que (he he
parte Goncallo Jos da Costa e S Es-
criva Rebello ; foro os mesftos des-
presados mandando-se comprir o accor-
do embargado.
Na appellaco Civel do Juiso de Direito
da Cidade da portales* do Sea' appel-
lante Jos Antonio dos Sanio* e S
e appeJiado Joaqun .da Silva Santiago ,
Escriva Ferreira ; se julgou por a con-
firmaca da sentenca.
Na appellaco Civel do Juiso de Direito
Os Embirgos de. Jos d. Coala lUptiaJ |
mitra Antopin Tcixeir Mariolio na CKI1Z(|
da appellaco" Civel de Maqei Escriv'
Rindeira; foro despresados
Na appellaxo Civel do .luizo de Direito
desta Cidade, appellante Antonio Pinte
Lopes 8 app-lla B*ndira se julg>u pela confirmacaS d*
sentenca.
Na cauzi de Dia dV npparecer do Juiso
dests Cidade appellante D. Una Joa-
quina Vanderley Lint contra Felieio Co-
,.|ho d Paz Escriva Rebello ; foi julg.i
da sppellaco diserta e nao seguida.
ALFANDEGA DAS FAZENDA-S.
A Eseu/if Ipgles An.n vjpda d,e Ter-
ra Nova entrada em i3do con ente Ca
pitfio Edware Sag consignada a Diogo
Cockshott & Comp.
Manifettou o seguinte.
|o6 Barricas con Bacalho.
Fora do Manifestor
1 Csixa com patacoens.
MEZA DO CONSULADO.
Pauta do Preco correnle do assucar, e al-
godo, e mais gneros, que se despa-
chas na meza do consulado de Her-
nambuco, na semana dei3ao 19 do
mez de Dezembro de i838.
Ass. B. N.
> >>

1,609 M
'l "
>
T.
a..
3.
4.
5.
6.
sor te. -......
*.
5...........
,, .......
........ f..
DitoveUioi. sorte,
a.
*
i,3oo
M
.

Ass. M. N.
i,aop
3.
4-
9.
6.
1.
a.

sorte
M-
Dito velho
Algodio
1. sorte
2- ,f
1......

1.
3,
soi te
5>
aUgoo
2U800
aU7o.o
aU55o
2UJ00
aUiSo
aU6op
aU5oo
2U400
225o
aU 100
iUg5o
lU7PO,
lUtioo]
i.Uoo
iU3oo
7U.100
XJo,
5400
aspreseniarem-se ao Inspector C?ral dellas
ni respectiva &eparlic.ip, para tratarem do
ajuste.
InspeccvS das Obras Publicas 10 de De-
s.embru dein..
Jlnracs Ancora.
Qt Oldaes dn Carpint que s* quise-
rcm em|>re;iir na* obas dos Quarteis e
oOi^'Jtcip Hpre.sentm-se ao Inspector
(i^al, das Obras Publicas na respectiva
irlic&o ou ao Sur. 'l'enen e .loa-inim
Jse de Faria Neves para tratarem do
ajuste.
InspercaS ds Obras Publicas 10 de Di?-
zembrod 1838.
Morans Ancora.
PRFEITURA.
Parte do dia 1a de Descmbro de. 1838.
Illm. e Exm, Snr. Foro presos bon-
tera a minha ordem e tiverp deslino :
Ignacio Jos de %fi&o d'Agwr bra-uco <,
e Manoel da Vera1 Cnw paflo pelrf I.
pMrulba do dislFJCtp d Cor.^o Santo, es te
por suspeita .de estar armado, e ter in-
sultado a ditapatrulha na occasio de ser
ella corrida eaqu.lle, por Ihe ter sido
apprehendido um btcamaite o qual de
puis de examinado achou se estar descon-
certado 5 Antonio R beiro de Medeiros ,
branco, pelo Sub-Pr de Santo Antonio, por ter tentado ferir
a Francisco Feriar. Machado j Miguel,
prelo escravode Manoel Buarque p. lo
mesroo Sub-Prefeito por ter sido en-
contrado em urna casa de couto com hum
egerava de outro Snr. ; Antonio jan
Jos Alfonso Ferreira.
Antonio Rento Ff' ".
Fe i lores e conferenUs,
ARSENAL DE MARNELA.
Tendo do CiveVda Villa de Goiana appellante| quanlidade de tijollos de alvenaiia pfir b
Joa dft Costa Rebeiro e sppelUdo Cos-
mo Robrigues Ventura e outros Eacn
vio Posthumo ; foi julgada pela copfirma-
^aS da sentenca appellada.
Na appellaco Civel do Joiso fle Direito
desta Cidade, appellante Thome Ribeiro
Gomes dos Santos e appellada Quiterio
Maria da Conceicio Escriva Ferreira ;
'oi julgada pela confirmacio da sentenca.
Na appella^ Civel do Juiso dos Resi-
duos dt Villa de Goiana appellante Luiz
Romn?,, e outros, e appellados Francis
co de Paulo Norberto de Andr.ide, e ou-
Uos ; Escrivro Rebello; se julgou pela
confirmacio da sentenca appelltda.
O Embargos de Antonio Trialo de
Serpa Brsndio contra Manoel Thomaz
de Sejiza Lea6 na Cauza d appellaco Ci-
vel desta Cidade Escriva Ferreira se-
"julgou pelo despreso dellea mandando-se
cumprir o accorda embargado.
Na Revista Civel do Supremo Tribunal
de Juslica, Reo. Berd." Frai c kco de Aze-
vedo e Recorrido Mano. 1 Autopio de
Caoargo, Escrivio Bandeira ; se julgou a
favor do Recorrido,
Os Embargos de Manoel Jos da Silva
na cauza de appellaco do Juiso do Civel
da Cidade d" Parahiba contra Jo
ze Frandsoode Athaid Mello Jnior Ei-
crivp Bandtira ; forao julgados despre-
ajo's.
obra do caes da libeira ; o Inspector do
Arsenal de Marinba convida pelo presente
a todas as pessoas que tal genero queiraS
vender, c mparecaS nesla In'specco em
qualquer dia til das nove as duas bpras
da tarde, para tratarem do ajuste.
Inspecco do Arsenal de Nl.irinha de
Pernambuco i3 de Dpzerobro de i838.
Francisco d'Assiz Cabial e Teive
Inspector.
OBRAS PUBLICAS.
P
Nos dias i5, 17, e 18 do correte
mez ir a praca para er arrematada a ree-
dificaco da ponte sobre o rio Trecuuhaem
na estrada de Goianna, avallada em reis
i:5a5,34- ^s Licitantes devem comp
tentemente habilitados de Fiadores idneos
omparecer nos referidos dias ao meic
dia a dar os seua Isnces na Repaitico
das Obras Publicas aonde est patente c
respectivo orcamento para ser examinado
pelos Pertendentes em qualquer dia til as
horas do expediente.
Inspecco das Obras Publicas 10.de De-
zembio de i83i>.
Moraes Ancora.
Pela Inspecco Geral das Obras Pub
cas convida-se aos Oilicias de Carpina quf
se quise rem empregar as mcsms < bras a
bem preto escravo de jse Juaquim de
Misquita p-da i.'ptlruha jo dislrico do
SS. Sancramento por le-o encontrado
lora drt horas e suppol-o fgido ?- lose
Flix Caya.Icante br anco pelo Sub-P
da Freguesia de IgUtrat^i, por ser o as
sassino de Cosme Joaquina Biserra ; e Ma '
noel de Jess pardo pelo Sub-Piefeilo
da S por estar na circunstancia* de
ser recrutado para a Primen a Ludia.
Nada mais consta das partes boje recibi-
das nesta Secretaria.
Dos Guarde V, Exc. Prefei'.vs d?.
Comarca do Recife la de Detembro de
i838. Illm. e Exm- Sr. Francisco do Re-
,70 Barros Presidente da Provincia
Francisco Antonio de S Brrelo Pre-
feito di Comarca.
CMARA MUNICIPAL DA CIDADE
1)0 RECIFE.
Ses$a do dia 18'de uiub-o de i838.
Presidencia do Senhor Barros.
Comparecers os Snrs. Rios Pcsaoa,
Souza Chaves, liveira ; faltando com
cauza os mais Senhores.
Aherta a Svtsio da a Acia da ante '
cedente foi a.pproVada.
OSecietaiio dando conta do expedien-
te me.ncionou os seguioles eracios.
Um do Tenente Coronel de Engenliei
ros Firmino Heiculano de Moraes Anco-
ra remetiendo o prpjerto de arruamenlo
para terreno comprehendido entre a di-
recclo da ra da Aurora e a do Hospicio
terminando na estiada .travessa do Pooobal
a propondo um canal de 3o palmos de lar-
gura na ra do meio queda da Aurora
se derige a do Hospicio ficando no* lados
dellecaes de 35 palmos, o que se poder
adoptar encurta'ndo. ao palmos nos quar-
teiroens adjuntos : a Cmara approvou o
projecto na conformidade do olhcio men-
cionado e resolveo qu quanto antes o
Fiscal respectivo o fisesse balisar.
Outro do Inspector do Arsenal de Mari-
nba exigindo que esta Cmara bouvesse
dar as convenientes ordens a fim de que
o Fiscal respectivo consentisse. Luiz,Go-
mes da Paz tirar do lugar do Pina os iooo
palmps de pedia de cascio de que a
qufella Reparlico muito necessitaya : deli
berou a Cmara que se oficiasse disendo,
que nao poda ser saptisfeita a requise*1,
que fasia a vista do titulo 8 4 4*
Posturas Municipaes.
Outro do Jbz de Direito interjno da 2.
Vara do Crime desta Comarca remetien-
do o termo dos Juises de Facto que foio
multados na ultima Sesso, |*r naS com-
parecerem nem jmlificarem s suas fal-
tas c a rellac[o dos que foraS plo Jury
(liminads dos despensados dos qufc
foro chamados para formar casa o que
sjiNio t o fim da Sea sao -para que es-
ti Camaiu fca tirar da urna os mimes
destes e lana/os daquellts ; a Cmara
ficando inteirada resolveo (|ue se fisessa
o quese costwna vat;ar em taes ci>so$<
Oulro olKcio do Fiscal deste Ihnro exi-
gindo que "se mande pgar ao l)r. Felip-
e Ne'i qu.tntia 4fi .bP rp'8 importan-
cia das con idas feilas no dia 6 e 11 do cor-
rele mez que prodnziro nove tufrnco -
etis ; isw'l como se mande pagar tiesJu.) liipti>ia Fernpndrs e J;ose de
Mattos Silva que examinaio com dito
Fiscal no dia la do referido mez 6 pro-
piedades constantes do termo junto : que
se pacaise mandados e se icmetia os ter-
mos ao Procurador para uzai dos meios ju-
diciaes.
Outro do Juiz de Direito interino dn 1.
Vara do Crime desta Comaica de.-igoando
o dia 5 do viudouro.mez paia dar pnneipio
a 5. Sesso Judiciaria p< las 10 horas do
dia : delibeou a Cmara que se ymcias-
se, para vir boje mesmo o Dr. Promotor
lser extraco das 60 sedulas do Ju-
rados que devem formar a presente Ses-
M
Outro do Cidado Manoel Elias de Mou-
ra'pedindo que este Cmara houve.sse de
mandar eliminar da lisia ds pessoas quali-
Ticadas Jurados por ja se adiar elimina-
do pelo Juiy desta Cidade, como prvido
Documento que junlou : que fosse elimi-
nado pondorae nota po hvro compe-
tente.
Outr.o d< Procufador Prxedes da^ ton-
ca Couliuho inf-o
...formando, que esta Cma-
ra se achava a dever ao E^crivo da a. Va.
ra do Crime iose Alfonso Guedes AlcaQ|
forado a quanl.a de 379,569 reis proveni-
ente d 18 ptocessos pertencentes a este
Municipio, que o Dr. Promotor Publico
tinha nelles, aecussdo, os qnaes estavo
contados pelo ie>pectvo Contador e a
Municipalidad* CQndemnada as custas ;
pelo Juiz competente : delibeou Cam-
,a que se pacasse mandado do que se es-
tava a dever sendo vencido o Si. Verea-
dor P.ios e tende-se dado por ssspsjts o
Sr. Chaves.
Outro do Fiscal deste Bairro parteci-
pando que tendo Francisco Jse do Re-
g de edificar na ra das Trinxeiras, -
no lado do Leste om sobrado, par.eciae
Ihe que devia desmanchar a grwide curva
que \m neste lado tragando um recia da
quinadreiti da retaguarda da casa onde
inora Joa 'Baptista Pereira Lobo a quina
Psquerda da retaguarda da casa que faz
quina para a ra do Rosario 5 por isso pe-
dia a Cmara que bouvesse de nomear
urna ComroissB para examinar o que leva-
va expendido : deliberou a (.amara, qUe
o F.scal drs.se urna informac5 mais cir-
cunstancia la para a v.stadella poder rc-
zolver.
A CommissaS encarregada de examinar
aa conta* do Procurador do 3. tiemestre
do coi rente auno financeiro ,e spresentou
seo parecer para que fossem approvndas,
visio esUrem cpnforme.
Compareceo o DoUtor Promotor e fez a
extiaccio das 60 sedulas dos Jutados que
deveo compora 5. Sesso Ordinaria 1.0
da p da Novcmbro prximo vindouro:
deliberou a Cmara que se fisesse publi-
co por Ed i taes os nones dos mesmos.
Snr. Vereador Chaves fiz o M-guinte
.equerimento q>e foi approvado :
Requeiro que te declare no aulo de ar-
reioaJaco das casas das pracas dos mer-
cados dos Bairres da Roa-vista e Santo
Antonio que o arrematante ser obriga-
do dar quanlia "de 40O>O0 re'9 t ftff
desleito o seo contracto todas as vpstp ,
que faltaste alguma das copdicoens men-
cionada no me-mo auto.
Despacharas se alguns requerimentos.
E por ser dada a pora levantou-se a Sesso
e mandaio faser a presente em que assi-
.naro- E eu Fulgencio Infante de Al-
buquerque e Mello Secretarlo a escreyu
Barros, Pro Presidente. Ros, Pesspa,
Souza, Chaves Oliveira.
BRITISH CONSULATE.
The subssrtbersloihe Brilish Proles,


^^^
*fpppfp^>aaaaaaHBaaBaeaaa>eaaaMaa;
lunl Gh'Jidi Esta blis lira ni at Peratmbu
<. i, and thase II >i<( miKvvUu are desiroos
t> lcame subicih ;r* l Itere ti aj-e invi-
f. J ij mcet l the GlispeJ in the Ra de
Aurora oh Friday lh ti si, in&Iint al ooe,
oCipck i !&* eft,erioo ili.t t>"V ,n\y
select. tha Pevtr.i tfeej wish 10 oecupy.
Diario de Pernumhuco.
Recebemos folhas da Capital ate" t? do
pasaado mez de Novembro, de cuja leilura
foi o resultado conhce,rmos que o estado
das- Provincias do Imperio rmitnuava o
roesmo, cora pequeas difiVencas. A
G jpiif.l gtnia pelo" agio do cobre ; os gne-
ros- dj primis-a neceasidade esiam pr
presos enormes 5 o. papel ia deprecndo-
te o pobres, que eni toda a part' b'-n>
se p >dem chamar, os filiios bastardos da na-
tureta, viviao curvado vqntade doi mo-
nopolistas o tfe,vesador.es de geaeros, e
da tnoeda de cobre.
Q desastre do Rio Pardo tem dividido as
opyiOes sobro o boto ou roo resultado
do* ntjgocos do Rio Grande. Uns prophe-
tisa q-.ue a causa da Eegalidade cedo ou
tarde m4 ser, aniquilada p.-Jo partid dos
rebelde ; outros dizero,, que bavendo ener
g este, a p^-aar de &u esperten e *o
tividide sempre serio raanieudos ao victo-
rioso qarro da Legaljdade.
Na mbia da ranamo modo dfseja.se d'um
lado o total aniquilaraento dos insurgentes
d'ou'ro j.do apenas a fustica garosa-
mente vai levantando o braco milharrs de
m;|idio6es r*cabeoj sobre os seos ejecuto-
res. Kua fin oshooieiia sjo aempre os
meamos. Guiados da paixes, qde os
predomina*} mureba seropre pela estrada ,
que Ibes pareoa, r (nalutr ao logar., a
qutasptra; veno seropre: os.abjectas com
oolocido desuas nai.***, lm que a
erd.ad seja_um*s, os humos fnzem-na
com duas caras como J mocio %,ra os orRpiaea Militan da Ii.ha
e Rio Grande tem creado aJgoos descootan-
tes. Gjwasdp veremos aos Brasileros sa-
crificaren! osseus interesar* sobre o altar
sagrado.,da patria? (tundo oovos Cinei-
::3Jo5.df>pic^j pea a n liga charra t-r-
rat, escrevs, fiados, e gradmc-sr1 Es-
sa epqca aera a poca d nossa verdadeira
independencia ; essedia era o da d nos-
sa completa victqria, A auspicio e o a
mor da patria sao de naturezas slem d
heterogneas, oppostas- Poderemos nos
unir Inr. cora as trevas a verdade com a
mentira ? Assim se poder amalgamar a
ambicia e o pilriotismo. Aquelle no co-
r.ico humano similbante a Puliphemode
qoenj dit o beroico .Latino qiw estendi-Jo
na covatomava toda a sua exlenco.
O Pata continua empa*, bem que se
diz (nao sabemos se com raso) qtie as ar-
litri.riedades do Andreas inantar urna
nova revolucio E n* para que os nossps
Irfitores entrera na analtica indagiclo do
<|ne expomos continuaremos a dar por
arligosos extractos destas folbas.
Exterior.
HESPANHA.
Recebe os folbas e cafta.s de Madrid,
As noticias que nos trazem limtU se
"IfiJoaacios do novo gabinete. Tuiha
se humeado huma coramissio composta de
homensde luzca e instrucco para darem
o seu parecer sobre os recursos extraords
"nos qae se precisan para fa/er face s
despeza da-guerra e proporem igualmen-
'osmeio deosobter. O ministerio ii-
'ina procadrdoa algumas novas nomea^es
de.enpregados as quafs nao encontrara
" S'mpatbia da ipren*a peridica qu<-
c9'ttiHbea considerando o ministerio Fi s
,:" lxl|:, por I be faltar a forca iqa e moral
P^8a;ctise actual em que se atoa a -s
psiiha. A quasi geral opinio be actual-
enw4eiDs bomeus do progresso como ps
Proprioa para ,om,r as redM ,j0 gOTetO0<
(j Pnmeira sem duvida a maior difficul-
^l lie obtcr promptps recursos para
iisf^ier r-egu'.trineote s exigencias do
Estado e be de es|wrar das luzes e patrio
tismo dos membros que compe a com-
j-misso para is*o nomenda que tomaro
este negocio na ma d* que depemle a trro naci da guerra ci
vil que ha nncs assola o reirjo vismlio.
O marque/. d* Ponte jos ch-fe politicu
'le M.idrid t.inba pedido a cua di-misso.
dando por motivo o oo con formar-se com
a poli ti en e conducta do aclu I governo.
lim nossa orrespondeijcia particular ve-
ro nossps leitqres o* nomes das pescas no
meadas para membros d commiss de
que cima fallamos bem como, os daquel
lS qne ltimamente fora agraciados pelo
governo.
Parece que. o. governo desapprvou alju-
mis medidas (! neessidade e jifstica pro-
postas pelo gpperal Vald par cimpli-t,ar a
pacificacSo.daGilbza nio obstante os as-
sassip.alos e crueldades commettidos pelos
facciosos em G^strar Santa Eulalia e ou-
tro$ muitos p-mtos. Em consoquencia dej-
ta negativa parece que o genmal podiu a
sua.(|ptnssio.
Por. noticias da Ffonjteira consta va que
na tarde de 4 tinha Maro'.o cjiegado a Eor-
rio com seu, num/ir.oso estado maior no-
tando se nelle o principe do S. h.\v irz<>m
b^ra, qu? por sua d'^^" colisa do ab
soliitisfo ubteye bum^rau elevado Ma-
roto deve patsiar Navar-a onde se ase-
gura tem tenc5"S de reunir huma divi.'o
d 20 batalbues e r s ca vallas.
Em qtinnto, ao cura Mrino: vai e vem
sem que ninRuem o inquiete : grrciS a Es
psrtero. Dqiois de baver equipado paite
desua gen<, que ae, achava no estado
ma^Jastimoso sapip de Durango em y
frente de >. batolhpes e 6io cavallos.,
deste s 4n0 s* bons. Nao pode suppor-
sequ*" 09 caulistas inteptem enviar hyma
expdi,cfl.formal ; G~.stella por^m tracia
dn.fome.ntar a insuireicao as montanbas de
Stqtaridft e de estabelecer huma linha
b--tsla^te.fqrtq.pa V-ivar.ra para ton ir quar-
teis de. invrrvo Gastar ficou em lialmase-
dp com Gl'Hlalho'-s, e toda a artilbaria que
'Varolo bayia c/indnzido para o v^le de
IVTen..
Ero I o espera vaG D. Carlas em EsteMn.
O general .Leon marebou cum sua divi
*o a sqccorre.r h Lurobi^r, amc-cido pelos
carlistas, e ,se espera que ainda chegue a
tempo ainda que a divisao de Garca pro-
duzio hum raovimento na mesina direc
cao,
Sentirao muito os carlistas a perd d
fabrica de plvora que incendiaran onr.e
d*:s.seus passados para as fileiras da rai-
nlia. Nao os privou do grande deposi-
o de munico-s, que ali Unluo mas os
deich.oasem bum estabelecimento que pro-
veja s n^cessidades do sen exercito.
O conde de Luchana tinba entrada no
dia io em Lo' roo com o seu estado maior
e cpihece.do,r do plano que os carlistas ten-
ta |ir co be de esprar que elle seiba Iludir to
das as tenl.i|ivns daquelles malvados.
Agoa mnis qu- nunes cum pie baver
iirnao e^itre os bberars e vigilancia., ppis
que o nimiga.hiim pouco reanin>ado com
Seus ephemeros lru'0|)bos, perten de alear
o col, empreando toda a ati|dadp e
energa p unan que reina entre os fiis subditos du
rainlia Isalicl II. Unio forca e vigi-
lancia, coro todosos recursos n^cesjarios
bastarn a fazer abortar todos aquelbs pla-
nos IIk rieidas e a consolidar o tbrono e
bberd'de.
Por ccHsiao da nomeaco do general Pfer-
va< 7. a outro d<'Stii0 elle fez a sua d<*si>e
dida que abai.xo transcrevemos; e igual-
mente o diseuiso do general Nogueras ao
encarregnr-se do remmunlo de la Mancha
e de Toledo.
iMunngorri tinba novamente proclamado
aos seus a cuja preciamacao damos tam-
A Mincha responden ao r.iamamento .
que be fiz: era noiqe da nac/j e d.cUrou
com gosto com enlhu/ijs. no e coi|viccap
al'iieda Europa que rusta provincia mo-
ran a honra fl dfciso o valor e todas ns
virtudes que dstmgucm os poWOS livres :
os fictos n confrrmao Manchemos : toilos
viiaslen a nrnpunhar as armas paro lefender
otlirouo, c vossas fortunas da rapia dos
vndalos, qii" e.a vossa constancia bastaru para'fJzer feliz
es.te solo que foi victimo de desgr;icidos
specessos
S quando a minba autboridade se viu
"brigada castigar o delicio e premiar a
vii;tude appsreci romo forte nos tmidos .
a experiencia demonstrnu que o meu svs-
te.ma se fundava na necesaidade.
Mapchegos : conip'ai o ssngae que se
verteu coro as inumeraveis victimas ntie
fora sacrificadas por 4 annos de desg'n
cs e vos convencereis de que estas gotas
de sangue evilarao grandssraas torrentes
emo as que sp.ter derramado a temp' SSngOo neessa
fio, porm o sangue que corren foi o de
crimino.s,os : roippar.d o vosoe.'-tado actual
com oque hn ppuco evperimentavei.s,
cualificareis da justjca o que muitos cln-
m.-'o rigor.
Maucbegos", o vosso (omp.orta-nento foi
nohre, patritico, e altamente liberal: eu
vcsugradeco pelos singulares favores qn-
vos devo, e se conseguir de vos o doce no-
me de amigo e compatriota est pneenthi
da a unir arnlmo de g-neral Ramn
'Vfaria Narvaez Quart. I general em Alma
gro 4 de Outubro.
(Nacional de Lisboa.)
f^iscurso do general Nogueras no enearre-
Rar sedocoramando da Mancha e To-
ledo.
Mancbegos : S. M. s dignnu nomear
me ommandnite gem-ral deta provincia ,
ibeatro que f..| <|e desgracas e crimej os
msis liorriveis ate" que o distmcto general
D Ramn Mana Narvaez aqu' ebegon com
osen brilhante exrltO, vencen os r'Usa-
dns jqirnigo, den ali-nfo e proteccSo os
fiis, ntc ron os traidores n node-se di-
zer que poz termo a tantas desgracas. Esta
gloriosa. mudan ca devida 9 justica pre-
vi-ao e firmeza, com que nbrnti aquelle il-
lostre general, rae moslra o caminho que
***{5!Jr?> inviolavelmente : assim o declaro
para vosso governo.
Nacipnaes ao vasso valor e deciso est
confiado em grande parte o total exterminio
das quadrilbas de ladies que ainda i'\i-
tero tenta renovar seus proj*-ctos crimi-
nosos Soldados virtuosos e poerreiros vn-
lenlrs guvrnficem vossas povoac-s, e com
os seus exforcos auxiliados pelos vosso,
daris patria os novos dias de gloria e de
tranquiilidade rjue vos dseja o comman-
dtyitp geral da Mancha e Toledo Agos-
linlio Nogueras. ( Id.)
/.ira unio, a resucitar escrupulosamente
as propriedades, apagar (juanto nn4 d..-
veiu a no pedir contribuid) nlgum.) a
inconiin.od' b.tintes ; finabnent a prescindir de fodis
is f-pinies polticas, e a estender hura
roo amiga a todos se|5 carlistas ou chris-
linos. .Assim ver o que procedemos'd lipa
l ; apreciarn a differenca da nossa con- '
docta a dos partidos contrarios.; assim co-
nliecerio que se levamos armas tifo he pnri|
fazer a ninguem guerra mas para nossa
defeza pessoal. D^ste modo conseguire-
mos conquistar os coraco"s e aiciricare- '.
moso consentimento dos que devem con-
tribuir ao trinmpho da nossa caitsa.
(.ompanheiros : vai a comecar bu ni
nova era e nos outros estarnos destinados
a funda la- A H'espanh inteira e solare
ludo a Navarra e as provincias Vastonga-
dns estb caneadas de padecer. Neste
ultimo piiz temos grandes sympathias e
nbssos i maos nao espera mais que a nbsse
chegada para unir-se a nos. Dirij^G pis
nossos pasaos nobreza e lealdade e gran-
d"zi d'alma de que sempre se ha"o Jct-
dj os Vascongados. Facaroos ver ao Bonn-
lo inteiro qu- se noss carcter lie firme
e enrgico quando proclamamos a guerra,'
nao o h menor quando tratamos con
quistar a pac e os Toros.
Cmpanheres e amigos ; nio oVivido'
que continuareis observando a misma con-
moniaque at aqu. Por minh* parte
cont com os meios necessartos pata pagar
puntualmente como at' <> preserite vo**
sas respectivas assignace< sem gravar em
nada opaz: cont tana bem com poderosos
prolectores, e com a influencia e Otilio
de todos os bons Vescungidoii. Ne ha
pois neubuma rosio para separar-se da ti-
nba de que vos lenbo tracado ; porem M-
contra minba esperanca se-de-svias-e a I guin-
de \s me Vera precisado por hum de
ver rigoroso a castigal o com a'frnxttiR. nc
cessaria para a salvaco ra causa que temos
abracado. Sara a5 de Stembrode :8d8.
J A. de Munagorri. ( Id).)
Avisos li\versos.
bem publicidad.e.
Despedida do general Narvaez aos Man
cnegea.
Mancbegos : O mandato da augusta rai-
nba de Ues|,anba e o seivico da patria me
aQdSta de entre vos. Quando fui encar-
regado [>or S. M. do honroso porem ar-
duo logar que me confiou para pacificar
estas provincias ped a cooperaco dos
povos; nao fitn'iei de balde as minbas es-
peroncasera lo grande bjecto.
Nov praclarnaco de Munagnni a s^us
soldados.
Companheiros da causa fia paz <* foros :
desde que vos reunistes debax da coinba
bandeira o meu coraco est penetrado
da mais viva satisf-ico nao s pela con-
ducta regular que habis observado,, mas
porque es'se porte desirve as maligns asser
cOes dos que vos bao pintado como huma
quadrilbn de homens pervertidos e por-
que he a mflhor aegaranca doqn* podenj
esperar de vos outros era futuro os hab
(antes das provincias onde desenvolvere-
mos dentro em pouco lempo 110*80 estan-
darte coma divisa de paz e-foro.
Entretanto convem repetir-vos e incul
car-vos, para quando chegue esse caso ,
quo importante be por o prompt > c feliz
dpsenjace de nossos planos de pacificaco .
persever.-r ero nossa conducta porque a
puhlicaco das melhores mximas nao serve
de nada quando nao corrpspondcm s ac-
co"s e porque be ircposivi-| u-ar alsvras
pomposas para ridiculariza las d--pois s-m
cair immediatamente em hum completo des
crdito. Assim pois nos outros que te-
mos proclamado a paz qoe tem-'S inscrip-
to em nossa bandeira es*a pal.-vra lo grata,
devemos lev.al-a gravada ern nossos cora-
ces. e modvbir por ella noss.-s nrc*s
Nossa conducta deve dirigir e a inlr<-du-
_ Sabio o N. 8i do Eeho e vnde-
se na Preca da Independencia n. 5y e
_ Arrenda-se pelo tempo da festa huma
cz em Apipucos a margem do rio Gtpi-
baribe com os commodos eguintes i duna
saljas, qu tro quartos, cosinh fera, e
hum hom cupiar : quem a perlender dr.*
ja-sea run do Rosario laiga.
Alagase huma casa terrea acabada
de novo e com excelentes commodos aii
ta no Mondego, ao correr do EscrivdRe-
gp quem a pretender dirija ec a Praca
da Boavista botica D. to.
__ Ouem precisar de bum pardo capaz,
pata fjzer alguma viagem ao Serta., oa
para ir de companbia se.rvind de guia
para qualqiur parte do centro desta JJro-
vineia o qual dar conhecimenlo de sua
Ninducta, com abono de pessoas capazos
que o couhecera ; ennuncic para ser ..pro-
curado advertindo que o sen ajuste seso
rasos ve I.
_ Bernardo Fernn des Gama fl pu-
blico que a ?ua casa da rui da Santa Cruz
D 19 se acha hypothecada ao Sr. Frencisr
Manoel da Silva Tavares, isto fa7 O n-
nUnCiants por suppor que o Sr. Tarares
teulia .-Igum cartorio de bypotbeca.s parti-
cular onde se nSo possa lur ver se existe ,
ou nao tal bvpolheca.: outro sim faz pp-
blico o mpsmo annunciante que elle preten -
de vender a dita casa e quem a quizer
c.mprar dirtja-se eo mesmo ou anrmn-
cie.
_ Aluga-se a loja do sobrado de 3 anda-
res sita na ra do Livraraento, ao entrar
d.-i ra Direita D. 18 : dirijaJS se a ra do
Vigario D ia.
__ Aluga-se huma casa na Gasa ferie a-
do d- sombra ltimamente bem reedificada,
envidracada pintada p*ra se passar a
f.sta. ou annualmepte: a' ra do Viga/io,
b. ii.
_ f'recisa-se sle bum padeiro e iiu*^
mareiro que sendo peritos nie se p'b* PU
unco: na Padaria da ra do Pci.O'o ?H
Si neo Tontas.


wsm
*
t> i A RIO Dfc PE kNfofetJCCr.
A mofa orf de fl Mi que se
offerecp a servir en uto bala dirija-be a
ra do Hospicio a casa do Coronel Jo de
Barros FalcSo de L cerda.
Precis-se de dois a 5:oooooo a pre-
mio por lempo de un anuo, e da-se por
garanta firmas rnuito a contento: na* 5
ponas D. 3i.
-- Precisa-so alugar um preto qnesaj-
fiel, para todo o ser vico de urna casa d
familia, pagando se 105000 por me
comida: dirija-te a Mesa do Consulado ,
das9em vante, que achai o pretndanle.
Precisa-se de uma pessoa cipaz que
tome conta da roupa de um homem solte*
ro para lavar e engommar, morando no
Recife: na ra do zeite de peixe 11. 4 '>
assim como se vende uma porco de gai ra-
fas devlnho do porto da colbeila do 8ao.
Na casa de pasto da ra d i alfcnule-
ga velha continua a ter pronipto alna eos,
jantares e reas tanto em casa como pa
ra fora e tero mo do varea todos os d-
as ; assim como se vende urna cama de
armaclo propria para casado,- gingihrra ,
e nmacalsa.de montara forrada da burra-
eba e a collecco dos Diarios dos ultimas
t meses do corrente anno.
Oferece-se para escripturar os liyros
de qualquer casa de negocio, por partidas
singellas ou dobradas um homem mul-
lo capaz e intelligente quem precisar an
nuoce.
A moca orf de Pai e Mli q>" an
nuncou querer hir para umi casa c*paz,
prestar os seus servicos dirija-se a ra
da cadeia do Recife n. 12, prestando os
servicos que annuncion alem do que re-
querse Ihedar um ordenado igul aosse-
. us servicos. #
Um mo?3 brasileiro sobeiro se
olferece para ensinar fora da pr;ica as
priraeiras letras contar, e principios de
grammatica latina quem precisar animo
ci.
Aluga-se pelos 3 mezes de testa nm
sobrado com rrtuilos comniodo's, na tul de
S. Bentoem O.inda ; quem u pretender
dirija se a casa do escrivSo do colector na
ra dos 4 cantos 011 no Recle beco do
A dique as 5 ponas casa D 5.
Posto que pela oposicao de Jos ^ e-
nancii) Pimenta de Caivalbo a execuco .
que contra os berdeiros do fallecido Cap
to Mor Antonio Jos So uto e sua mu-
lher encaminbo os Administradores dos
fundos da exlincta companbia Geritl desta
Cidade ficasse interrumpidos os pregos
para a arremataco da csa do Theatro
desta Cidade, coratudo pe la sessio que. fez
esse Senhor de sua oposicao se aclia no
vameute em praca a referida casa, e sii.i
arrematada findo os das da li a quem por
ella mais dar, coja arremalaco lera lugar
pelo Juiso do Ci.vel da segunda vara.
A moca orf de Pai e Mi que an-
nuncion querer bir para urna nea cipaz,
dirija-se a ra da Gloria casa lenea euvi-
drassada defronte de um sobrado que se
est azendo.
-- Um padero francez que sabe f;i7.er
bem pi e, bolax e sabe dirigir uma pa-
daria se offerece para este trafico; quem
precisar drijs-sea ra nova it.
A pessoa que quer fH*r ao I)r par-
roso dirja-se a ra es'.reita do Roza rio
D. al defronte das larangnras em casa
doBacharel Gervasio Luiz de S.Carneiro.
Precsa-se de uma negra dtf aluguel
para o servico de uma casa de pouea fami-
lia ; quem tiver annuuee.
A moca orf de Pai tMl'i que se offe-
rece para servir a urna casa dirija-se c
ra Uireita botica jolito a Igreja de N. S
do Terco. .
.- A moca orf de P*i e Mi que se.olj-
rece para servir a urna casa, dirija-sa
ruada cadeia velba n. 5.
Arrenda-se por umou mais ann.s a
proptiedade denominad liba, sila em Ier-
ras1 do antigo engenho Apipucos : rio atier-
ro da Boa vista a fallar com Manoel de
Azevedo Maia.
-- O Director do Collegio deS. Boa ven
tura, instalado na fregu* de N. S da
Saude do Poco da Panella d as ferias
em" o dia ao do corrente conforme os r<-
gulamenlos do mesmo Ccllegio ja pulid
cadot, desde sua insluUtiu. O mesmo
Director, tema honra de convidar ao* no-
brflS Pas de familias que quUervm uli-
"lisar-se do referido Collegio para cdui.au
ele seus oros Rlhinhos os podero m Uri
cula-los por todo o mez de Janeiro do
auno prximo para trenJ principio as
lieos em i.de Fevereiro.

A.visos Martimos
PAR\ LIVERPOOL, s-hircom teda
b-evidade a superior Galera liigleza Diy-
,-, Capito Hamiltons ; quem quiser
carregar ou hir de passagem dirija-so a
Me. Calmont Si Companhia.
FRETASE para qualquer porto da Eu-
ropa o superior Brigue I.iglez Mary Ann ,
de lote de 179 toneladas de segunda vi-
agpm Capito L* (iros a tratar com Me.
Calmont iSl Companhia.
PARA ANGOLA com escala por Bm-
fuella segu v-iagem com brevidade a Es-
cuna pirtugu-'za Esfisranc, de lote de 208
toneladas de primera marcha pregada
e forrad 1 de cobre : quem quiser carregar ,
ou hir de passagem diiiii se a ra da
Cruz n G cscriplorio de Jos Ramos de
Oliveira ou ao Capili a b^rd.) todo
os diasat as 10 horas da manhi.
FRETA-SE o superior Brigue Ingles
Arelboaa de ble de aog fneLd as di- pri-
meiraclasse, Capito 7Fal;efierd ; quem
o pretender dirija se a Me. Calmont.
PARA O PORT segu vngem al
dia ao do corrente o Patacho Porlugrtez
Primavera de que he Capilio Jos Carlos
Ferreira Soares por ter maor parle de
seocarngimento prompto $. quem no mes-
mo quiser carregar ou hir de passagem,
para o que tem exeellenles commodos, di
rija-se aos seus consignatarios Mendes e
Oliveira, ou ao mesmo Capito
C o m p ras
- Sacis vasios e saos e nao rotos pa-
ra farinha ; e um barril tambem vazio pa-
ia azeite de arrpalo $ quem tiver uuun
ce.
Ecav's prelas oii pardas de ida-
d de ti a t anuos com 'Ignmas habi-
lidades : 11* ra do (Colegio bolita i de
Cypriano L' da Paz.
V e n (1 a e
*j^- Folltinhas de porta de
algibeira e de Padre, para b
armo de 18.^9 pelos presos de
seis vinlens as de porta doze
os de 'algibeira e pataca as de
alinanak completo, e de l'a
dre ; todas itnpressas uesta Ty-
pogralia, em bom papel C ptimos
fypos; e hetn conhecidas pela
certeza do calculo, e redimidas
pela primera pessoa qne em Per-
namtiiico fez folltinhas: as de al-
gibeira alem das noticias do eos-
tumecontem ntna tabella chronolo-
gica dos principaes factrts de.^la
Provincia m ensato Topogr-
fico da mesma segundo a divi-
so das novas Comarcas e 11 m
Alinuiik abreviado : na praca
da Independencia loja de livros
11 37 e 38 roa do Cabug kja
lio Sr Bandeira no Recife ra
da Cadeia loja do Sr. Qtiaresma,
ra da Madre de Dos deronle
da Igreja venda que oi 4 He-
zeude na 60a vista botica do Sr.
Joatjttim Jos Moreira deronle
da Matriz e em Olinda na botica
da ina do Amparo.
-- cna negia de nnco mucamhique, d
idadedeaoa azanns, tem bous prieci
pos de c txinha e lava roupa : na rui de
liarlas sobrado de um andar D. 5.
Uma p-rti de bou ts figura svm vi
cios: ni ra do ciespo D. if.
Por preco commodo urna porcSo de
estupa muilo propria para fazer sacas: em
casa do N. O. Bieber.
Sil da Lisboa a bordo do Brigue Por-
trlRez Folia Destino: a falar com Francisco
Seveliano Rubsllo
Duas moradas de casas terreas uma
sita no atierro dos affogadas qrta devide
pela parte do norte com a casa dos berdeiros
do fallecido Jos Francisco Ferreir-a da Pe-
nha pelo sul com a casa de Manoelde Je
2us Prafitas e a outra na ra de S. Tliera-
sa D. 18 : na tua do Collegio D. 3 botica
de Cypriano Luiz da Paz.
-- Um silio na estrada de J0S0 de Bar-
ros confronle ao sitio do Sr. Mrtnoel Men
des com frente para o naseenle contesta
com o sitio da fallecida D. Joanna no po-
ente t-m Urna excellente casa Ir pedia e
cal com suficientes commodos para duas f>-
milias ; os pretend ntes dirijo se ao pri-
meiro andar do prmeiro sobrado passando
a Igreja ilos Nlarliiios.
A otaria a beira do rio da ra e
da ponte da |)a5sarem da Magdalena com
lodo o seu terreno de cem ou mais palmos
de frente e i55de fundo: a tratar, com
o seU troprietario Jos Joaquim Bezerar
Cavalcanli na mesmo lujir advorle-se
que o terieno he proprio.
-. Romances de Voltaire, traducidos
pelo Dr. Antonio da Cosa Paiva obra
muito inleressante e por prtco commodo :
na ra do Vigario D. la.
Um ornamento completo para se d-
zer roissa entrando calis patena e m
frontal : na bottcj de Antonio Pedro das
Neves, se dir.
Nd sitio Chatn ao pe* da casa furt ,
capados gordos de "varios lamanhos por
preco commodo ecapim en:o para em
bardue.
. Dois moloques de nsfco loanda de
idade de 11 annos de lindas figuras e
urna escrava perfeitissima cozinheira e
livadera e uma moleca de la annos, co
zinha solrivtlmente se veodem por pre-
ciso : passando a Ifreja dos Martirios no
primeiio andar do primeiro sobrado.
. Superidies chapeos de castor da ulti-
ma moda ( bastante altos ) b'anos e rfretos.
e de iriassa pira hornera e meninos ditos
de c*lor branco e pardo, com abas est: t-
tas pilo mais rommodo preco : n ra
nova loia D 5 de Fredcrico Chaves.
Uma venda com poneos fundos na
mi de Minoel coco que travessa para a ra
de S. Jo.v D. ii e tem commodos para
l-.mili 1 : a tratar na mesma.
-- Urna preta de nacSo cambinda, que
reprsenla 3o aiinosde ida-ie a qual lrfe
iozinhar o diario d uma casa he Uvadei-
ra boa qu indura e tambrm serve pa-
ra o servico do campo oor ja ter nisto pra-
tiei : na ra do Livramcnlo do lado da ra
Direita no terceiro andar do sobrado Do-
cima 18. '
-- Dois coriji e um pipa capim to-
dos bons c'antsdoros : na ra de Hortas
I) 17.
- Potassa Russiana de primera orle ,
em barra pequeos : no cscriplorio do Co-
ronel Menezss ra do Vigario n. i5.
Um faqneiro de bom gosto castica-
es de prata caixas para rap ,, um sparo-
Iho para cha luincos de filagr ebotua-
-luras pnlmhos com tisoura pertenetn-
cenles aos cistiyaes, e uma escrivaninha ri-
ca e duas slvinhas tudo de g>sto mo-
derno: na ra do Livramento D. ig.
Ou arrendare pflo lempo de testa,
lm sitio com suficiente casa para poca fa-
milia no lugar do Barhalbo em din-co ao
CaxangA com banho perto bons ai es ,
c com dilferents arvores de fnn tos e lio
hem arrendir-se-ha somentea casa: fia ra
do Qiieini.ido D 8.
-- Sjcxs para a'ssucur de mdeira
de boa ouulidade, bem construidas e mui-
to em coma, e uma porco d verdete em
bai i cas : na ra da taala nova D. 1.
-- U'n,a tipoia : na ra de Dorias so
lirado f). 70.
Uma porco de coiiros de cabr: n
iui da Cruz u. 8
v Cera de carnauba e agrandes cano-
as de amarello com o com primelo de
a 70 polinos batanle grosjas e nropri-
U para baicaca: a fallar <: m .Manoel Fian-
csc da Silva em sua fija na pracnha do
Livramento.
-- Um tifg.ro ciioulo piitimo oftacial
de sapateii-o e optuno cozinhelro, de ida
de di -id ann: s sendo pira fora da pro-
vincia : na pracnha do Livramento D. 11
diri O motiv.
-- Urna escrava de naci de idade de 24
a 9.5 anuos de muito bonita figura o
cozinha o di-fro de uma casa : na ra Di-
reita passmdo a venda do finado Jos da
Penha no sobrado p. ao.
Ese raVos Fgidos
Fogio no dia g do corrente um preto
de angola de naco cabund de nome
Antonio baixo egrosso do corpo cibe-
ca comprida, lem um calo na cabeca de
carregar peso bonita figura em porpor-
cio de sa estatura bebe bastante 'agoa-
ardente : ps pequeos pernas curtas ,
beico* g^ossos, olhos grandes, levou ca-
misa de baeta encarnada e cal de brim
branco ; quem o pegar leve a ra da san-
aa velha a padaria de Antonio Jos Gomes,
que gratificar.
No dia 9 do rorronte fugio de Olinda"
um moleque crioulo de nome Aoastacio ,
de idade de icjannis teni no rosto urna
marca, que parece talho na face direita
abaixo do olho levou xestido camisa de
algodiozinho remendada as costas, ecal-
sa de brim ja velha e suja ', quem o pegar
leve a povoac5 dos affogados na rus do
motocolomb a Jos Francioo de Paiva ,
no Recife ra do Qoeimado D. 8 a Manoel
PereiradeS, em Olinda ra da cadeia a
Jos de Paiva Jnior que ser recompen-
sado.
Roga se encarecidamente aos Snrs.
Prefeitos e Sub Prefeito desta e mais Co-
marcas que souberero 00 virera uma ne-
gra creoula do nome Agoslinha que fugio
no dia 6 de S;lembro d<* 187, com o si-
gnaes segu ntes alta secca beicos gros-
sos, olhos grandes com I alia de todos os
denles na frente da paite de cima. ja com
alguns cabellos brancos ; dea mandar p-
p'ehender e llvar ao seu Sr. J0S0 Ignacio
Rodrigues da Costa na solidade na estra-
da que vai para o manguind sobrado de
um andar com mirante.
Malheus creoulo do MaranbaS donde
veio para ser vendido estatura lia bem
fallante quebrado dizem que anda pira
as bandas da passagem da Magdalena, le-
vou uma t'ouxiuha com roupa o comedo-
rja j quem o pegar leve a rUa do Vigario
D. a.
Moviuiento do Porto
NAVIOS ENTRADOS NO DIA a.
TERRA NOVA 5 3o das, Escuna Ingleza
Aun de 179 T. VI. Eduard Sigsr, car-
ga bacalho : a J. CocKchott & Compa-
nhia pasagero o Capito Tenente da
Armada N-icioual e Imperial -Jorge Bro-
om
NOVA ZELANDIA : ig das Barca A-
mericana Rajak de 'a4g Tonel M.
West, carga azeite vem refrescar e
fun-li'iu no lamerio.
S. CA TH A RIA j io diaa Patacho Nic.
Francelma de o3 Tonel. M. Jos da
Silva NevFS carga farinha : ao Mestre.
S CATWARINA } 3o das. Patacho Nac.
Rumbados Anjos de iGa Tonel. M.
Manoel Pareara de S carga farinha :
a Viuva Gonsalves Ferreira ti Filhoa.
SvHIDOSNO MESMO DIA.
ARACATY; Sumaca Felicidade M. Jo-
s Rodrigues Pinhfi.ro carga varios g-
neros ; passagpiros os brasileiros Domi-
gos da Silva N.bus, Cipriano Jos da
Costa Severino (i odencio Furtadn
de Mendonca, com 1 filhoe um escravo ,
Francisco Xavier de Miranda com um
escravo, Miguel Alves de Mello Luu
Antonio Duarte (ieraldo Marques da
M'va, Jos Raimundo da Silva, Vicen-
te Ferreira da Silva coro um escravo.
Peh. ha Tr*. DE iDEf.'-i
838.


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EO0ZL81G0_2XMHI0 INGEST_TIME 2013-03-29T17:43:11Z PACKAGE AA00011611_03666
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES