Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:03664


This item is only available as the following downloads:


Full Text
AflNO DE i838. QUARTA FEIIU
CAMBIOS.
Dexemhro 10.
Londres 39 Os. St. por ifooo eed.
Lisboa 90 a q5 por 100 premio, por metal. Non*.
Franca 335 a 3,o Ri. por franco.
Rio de Janeiro o par.
Moedas de 614o 15|000 af velhas novas i*f5ot>.
ifooo 8/000 a nf ion
Pasos Colurnnarios 1^610 a i|63o
Dillos MeticHoos ifb >o i|6ao
Pataches BVasileiros ijjf6ip i|63o
Premio* das Letra*, par mex 1 i|{ por IDO.
Cobre 2 p. c. disconlo.
PARTIDAS DOSCORREIOSTERRESTES.
12
DE D2KMBI.0. NUMERO 270
Turlo agora rl*pende de nos hiesmos ; da ncssa prudencia
moderaco e energa: continuemos como principiamos-,
* aeramos aportado* cota adruiracXo enir* as N'afoes mais tul-
las.
Prociarairco da Asscmbrea (Jaral do Brasil.
CMade da Paraiba e villas de sua preteucSo ....
(idade do Rio Cvrsvvle do Norte, e villas dem j
t dade da Fortaleza e villas dem.......
Villa de lioianna............I
Cftjatte de Ol inda............
Villa de Santo Atrita...........
OiU de (arardiuna a PovoaCilo do Bonito.....
Oitlas do Cabo Se- aliaero, Kio For-ooso, e Porlo Calvo
JitUdedas A|HMas,*e Villa de Macei......
Villa de PajaVde Mores.........
Todos os crrelos partera ao meio dia.
Segundas Sextas feiras.
Todos os dias.
Q lintas feiras.
Das 10, e 4 decada mes.
dem 1 11, e 11 dittpdido.
I.lem idem. ,
dem 13, dillpditto
Subscreve-s para esta folha a mil reto tnnsaes pagos edl-
antados nesia 'l'vpografa, rtia das Ctisos D. 3, e na Praea
da Independencia I). 37 38, ande so rerebem correspon-
dencias lega usadas eannuncos: insirindo se estas gratis
Sendo dos pi-oprios asSignanlts, e VitVdOs asignados.
DAS DA SEMANA.
10 Segunda S. Melquades. Aud. do Juit do criine de tarde e sessSo da Thek. P*
11 Terca S. Dmaso P. Retaceo de manbfi aud. do J. dos Orf. de larde.
ri Ruarla S Justino M. Sessq da Tbesouraria Provincia}.
|3 > linta S I.iizih V M Relajo de manh. r audiencia do j. dos orlnos de tarde.
SesU S. Augelo Ab Sesso da Ttiez Publica, e aud d,> Juiz do Civel de tard.
i5 Sabbado S Euzehio B. M RelaCod* mahh eand.doV. G.eniOlnda.
16 Domingo 3 do Advento As VV.de frica.- La nova h. e 5a min. da t.
Mai cheia para odia tlde Deisrnbro.
Al t horas a8 minutos da manhS As 1 hora 4a minutos da tard%.
HE
wiam
PARTE OFFICIAL.
RIO DE JANEIRO.
CMARA DOS SENADORES.
Sessio em 28 de Setembro de i838.
Pressiderreia do Sor. Mrquez de Bae-
pendy.
Feita a chamada e acharado-se presente
numero legal dos Snrs. Senadores, o Sr.
Presidente abre a sessio, o lida a acta da
anterior heapprovada.
O Sor. primeiro secretario da' cont do
expediente.
Orden do dia.
Continua a segunda discussio y sddida
em 19 du crreme da resol ticio que au-
toras o governo a remuerar os servidos
do sargento mor Pedro Pereira C.rreia de
Sena, conjuntamente com a emenda do
5nr. Alves Branco, apoiada na mesma ses-
I9
Acbando-se na ante cmara o ministro
da r.sendd, o Snr. presidenU decltra addia-
da a discusso.
Sendo introducida o ministro nom as
formalidades do estilo, toma assento ,
e continua a segunda discusso, adiada
pela hora, da propusia do governo, sob e
o ornamento da receita e despesa do Im-
perio para o annu finaceirode 1839 a
1840, cojudamente com as emendas ap-
provadas pela ornara dos Snrs. depu-
todos.
Comecando-se pelo artigo 10. da pro-
posta, tica adrado para ser discutido no fim
da le, bem como o ai ligo 11 ddlivo das
emendas da oulra carona,
Segu se a discussio do artigo m. ad-
ditivo das dilas emendas.
O Snr. Hollanda Cava lean ti o (Te rece os
seguiutes arligos para sor ero discutidos
qttando os forem os das de pesas geraes da
ledo orcamento.
I. O governo he aoturisado decontr. c
tar porarremmatacio, p r espaco nunca
maior de tres annus, algum ou alguns ra-
mos de renda publica : sempre que assim
ntenda conveniente fiscalsagio das mes-
na rendas ; e que desse contracto nao
possa provir hum accrescimo menor da 10
por ceoto de renda, ou rendas dessa natu-
esa, arrecadadas nos Ires anuos anterio-
les.
a. He igualmente autorsado de contrae-
lar ademercacao de huma ou de muias
provincias do imperio por meio de con
ceseo desesmarias ; nao podendo exceder
-ssas conce-ses a quatro leguas quadradas
por cada cem que forem demarcadas Es-
tas demarccSes comprehenderio a collo-
caclo de marcos perdursveia, nos pontos
pnncipaes das inangulaces ; e as crias
topogrficas da provincia, e municipios
(paradamente.
emqualquercbjecto di administrado do
servir publico na corte e capitaes das
provincias, excepcio dos escravos da fa-
senda publicas, e doi condemnados por
sensenca : salvos os contractos anteriores a
presan?. lei
Sao apoiados, e vio a imprimir com ur-
gencia.
D.sentida a materia he pprovado o
artigo 1 a addiltivo das emendas.
Os artig'ts addilivos das emendas da ca-
maia dos Snra. depulados lia 16, sio
approvadus, tShitido o ministre da sala to-
das s vesi-s que se ia volar.
Passa se a discutir o artigo 17 d*a sobre-
ditas em-ndas e vem a mesa o seguidle:
1 O artigo 17 seja subdituido pelo se-
gtiinle t
O producto da recita do sabredito no-
aro imposta sera* applicado para amortsa-
cio do meio circulante deduxindo se ,
desde ja, acuantia necessaria pira prehen-'
cher o setn.strH addiantado de juros e a-
mortisacio da divida externa, que na con-
ifnrmidade dos contractos tem dd existir
effecti va mente em Londres. Mirqui-zde
Barbacena.
He apoiada e retirada a requerimento do
sen lltor.
Approva-s<-o artigo 17, bem como o 18
da emeuda Gcando addiada a discussfo
do "9
Depois de relirar-se o ministro o Snr.
pres'deute di para ordena do dia as ma
terias dadas
Levantou-se a sesslo as duas horas da
tarde.
CMARA DOS EPUTADOS.
Sesa de 28 de S,.temb-o.
Presidencia do Sur. Araujo Vianna
Logo que se rene numero legal de de-
pulados, heaberta a sessaS, lida e appro-
vad a acta dt Anterior.
O Senli -r primeiro secretario da' coota
do expediente.
Ordem do dia.
O Snr. Ramiro tem a pilavra pela or-
dem. f observa que a provincia de S**rgipu
de El Rei est ameacada de ficar sem re-
prese.lacio, o que poderia accarretar
grande discredito a esta cmara; nota que
nao haobjecto imis mportanta de que a
cmara se de va oceupar do que este e
pirisso propu a urgencia para que se dis-
cuta o parecer da cunamsio especial so-
bre as eleiv'fs de Sergipe.
A urgenc>a he apoiada e entra em dia-
cussio.
O Snr. Marcelino de Brito pronunciase
contrae urgencia, declarando que este ne-
gocio he ruui'o importante, e corno nio foi
dado pira ordem do da, porisso julga que
nso (leve entrar em discusso pois que pre-
cisa ser muito meditado pelos Srs. depu
tados.
Julga-se discutida a urgencia, e posta a
votos he approvada,
Entra por consequencia em] discusso o
parecer.
Suscita-se quastio de ordem, em que
tomo pirte os Snrs. Andrada Mtchado,
Crneiro Lelo, concluin lo o primeiro pe-
ilind.j que enlre em discusso oprecer do
Snr. VI.ic, lino de Bnto ; pois qrt os ou
tros esto prejudicados.
O Su-. Presidente -- A discussio nio
pode progredir de,ti maneira. Eu eoten
do que este trabillio he todo novo, que
a camrnissio podit repeltir o mesmo que
se tu.lii feito; disto ha precedentes na
casa e mesmo de commiss5es a quem se re-
mettem certos nbjeclos para novo pirecer
eque.disem que nio podem dar outro dif-
ferenle do que ja derio ; entretanto vou
offerecera qne>lio de ordem proposita pe
lu Snr. Andrada Mtchado.
Alguns Snrs. Nio ha cjss,
O Snr Presidente Como nao ha nu-
mero suficiente de Snrs. deputados nao
posso offerecer ao apoiameol esta questao
de ordem.
O Snr. Vianna (pela ordem) Vencu-
se a pouco, a urgencia desle negocia, mas
nfo sei se sou contradilorio, pedindo o adi-
amentodelle...
Alguns Snrs. -- Nao ha casa.
O Snr, Vianna Mas he porque se veio
tratar desle negocio V. Ex. o deu para
ordem do dia, V Ex. vio que liavio 6t
e tantos Snrs dentro da salla ; mas aptnas
entruu esta materia em discussio. sahirio
da sala muito* de sorle que nio pode-
mos tomar deliberacio alguma. Sem du-
vida que he este hum dos negocios m importantes, qu-i pode dos tratar, mas se
a cmara niooquer...
Alguns Snrs. Nio liea cmara, sao al-
guns membros.
O Snr Presidente Os Snrs. deputados
que eslo p-ese oles no edificio derlerio
que nio querem entrar para o salad le-
vanto por tanto a sess .5. A ordem do dia
he a mesma.
He meio dia.
PERNAMBCO.
GOVERNO DA PROVINCIA.
Continuacio do Expediente do dia 5 de
Dezembro de |838.
Officio Ao Inspector do Arsenal de \la-
rinba ordenando Ihe avista da partecipa-
co que fez ero leo orficio de 4 do corrente
de Iiiv.t ceitado o ole.rerinienlo que o
Negociante Jos Francisco de Azevedo Lis-
btufez, sem ex'gir p cao nlguma de um Bergantim de sua con-
ignacC para ne||e depositar se o Trem
e Guarmca do lliigue de Guerra Con tan-
ca em quinto este dava principio a limpe-
r.a de que necessila ; que ugradeca da par-
le do Governo ao referido Negociante o
ser vico que ac bi de prestar, poupando a
Nac*5 as despesas que provavtlmente fa-
riauom o aluguel de urna oulra Embirca-
co para o mencionado fim.
Portara Nomelndo para Sub PV*
feito da Freguesia da Boa-vista ao Capillo
Francisco Antonio Xv er.
_ Iguaes Nomea'coens for > felas du
Major J0S4 S-vero Granja para a Fre-
gnsia do Ex de Francisco Gomes de S
paraa de ('abrob e de Mioo'l Ricardo
da Paixo para a da Assump.io.
OhHcio mu Ao Pr- feito da nova Comar-
ca da It >a vista communicando-llie as
precedentes N.imeab(iens e envando-lho
os Ttulos dos Norneados pira os faser en-
trar logo em exercicioi
COMMANDO DAS ARMAS.
Expediente do dia 5 de Desembro de
18J8.
Officio Ao Exai Presidente disen*
do-llie q u em com primen to ao seo offi*
ci de 7 de Novembro ultimo havia dado
a ordem addiccin ti qut por copia Iba
remetlia e qu^ em execuco a ella se di-
solver no da 3 do corrente o Corno de
Kngajados, e se organisara o Baialbio
Provisorio de Cassadores de Primeira Li-
nlia cuja foici conslava do mappa que Ihe
transmuda. Qu os Engajados das Fon
lalesas luo Sei despedidos a medida que a
ellas lossem chegando os deslacament \ Corpa d'Artilheria que maicharlo
na manlia do referido dia i a substituiros:
Uto Ao Commandante interino da
4. Corpo d'Artillicna C mmuniCando-
Ibe que ficava dadas as orden ao Ar-
senal de Gut-.rra para que fossem ferro-
piados os soldados J toinmo Jos dos Sm
tos, eJose Alv^sda Silva .julgados pela
Junta de Justici, incursos no srt. nico
do titulo 4 da Ordeiianca de 9 de Abril
dei835.
Dito ^. Ao Capitio Commandante inte-
rio do Btt'lhio Provisorio de Cassadores
disendo Ihe em iesposta ao seo officio desa-
la dada que na5 devia ser incluido no
mappa do Batalhio ; por isso que era no
4. Corpo contado como prac delle ; que
devia tur na relaciu de musir notando
na obset vac.6 que perlencia a 8. Compe-
t nia do 4 Corpo e que interinamente
ss acbava encerregado do Commado do
Batalha, e finalmente que tendo o Ba.
talhio de mudar de uniforme, poda usar
do novo fardameiito-
Portara- Ao Commandante inteiino
do 4* Corpo d'Artilheria, mandando
dar dem ci ao soldado Joio do Rosario
p>r nio estar segundo a L-i. as circuns-
tancias de servir na Primeira Linha.
TlEZORARIA DA PROVINCIA.
Expediente do dia 10 de Dezembro de
1838.
Officio _. Ao Inspector das Obras Pu
blicis accusanaV a recepelo do seu officio
de as do paasado ? disendo-lhn que h
vendo a mee#a Tbesouraria tomado no-


2
DIARIO
-*^
SUffl
-
vameote a del.beracia de conservar o Es
crivuS interino da deraaicacfio dos terrenos
de Marinba em consequncia desle se
prestar ao servico gratuitamente fica sera
e Afeito ludo o que se Ihe liavia communi
cad* emofikio de ododito fe
Dito Ao Director do Arsenal de Guer-
ra y com aconta. Factura, e documen-
tos teUtivos as Espadas Pistolas e ca
potes du ncommtinda fe la aos Negoci-
antes Me. Calmon & Comp. (jue se ach
rebolluda ao mesmo Arsenal .fim de
mandar pagar aos ditos a sua impoiUnei*
iq-84a,5i6 reis.
Dito Ao Provedor da Saade par
mandar receber conforme a sua .requisi-
ca5 quantia de 3o,o>o reis imp artaiicia
das pinturas que se fisero ni mesma Rh-
particio, | j>
Dito Ao Director do*Lce.o com o r*-
querimento de Ignacio Jcome Cav.lc^nti
da Silva para informar com o seu pare-
cer' r>- l J
Dito Ao Administrador Fiscal das
Obras Publicas com o requenmento de
Francisco Pereira Thom para informar
acerca da sua pretenco.
Dito Ao Tbesoureiro da Lotaria a fa-
vor do Seminario de Oliudacom o reque-
rimento de Flix Francisco da S I *a para
informar se o bilhHe premiado de que o
mesmo pede s<*r pago se confere com o
respectiva talj.
Portara Ao Tbesoureiro da Fasenda
mandando entregar a Fredirieo Suioders
procurador de Me Calmn & Comp. reis
35:7Q5,9a6 impoitancia de urna L-tM 1
qm aaccoua favor do Thesouro Publico
Nacional.
Dito Ao dito mandando ent N. O. Bifber a5:546,99reis, importan
da di ama Lei que tambes sacou a fa-
vor do Tbesouro Publico Nacional.
Diversas Repartigoetts.
TRIBUNAL DA RELLACAO'.
Sesso de 11 da Dezembro da i'iS.
Na appellflco Crime do Jaiso de Dii ci-
to desta Cidade |%Mjmt*'rUitfin Alves
de Miranda Varejio ,e appellado Justino
Pereira de Paria Escribo P sthumo ;
nio temario conhecimenlo do Recurso a
vista Legislacao em vigor.
Na appellacio Civel do luiso dos Oaos
da Villa de S Jos de Riba mar do
Aquoiaz Comarca do Sear appellante
Ealaneslo Marques de Oliveira como Tu
tor deso filho Antonio Jacinto de Olivei-
ra e appellada Claudina de Rocha Maci
el j se julgou nullo todo o Processo.
MEZA DO CONSULADO.
_A Pauta he a mesma do num. a5o.
CORREIO.
Existe no Correio as Cartas seguras pa-
re as pessoas abtixo declaradas,
Felippe Duate Pereira. Onofro Jos
Costa. Antonio Luii Goncalves Fe reir.
Alendes & Oliveira. Mi noel Joqum Ra-
mos e Silva. Luiz Angelo Vctor N.
Crespo.
OBRAS PUBLICAS.
Nos das i5, 17 e 18 do correnle
reez ir a praca para ser arrematada a ree-
difica ci da ponte sobre o rio Tracuuhaem
ua estrada de Goianna avali.di em reis
i:5u5,34- Os Licitante devem enmpe
tentemente habilitados de Fiadores idneos
eosaparter nos wferidos das ao meio
dia 4 a dar os seus lances na Reparlicio
das Obras Publicas, aonde est patente o
tespectivo orcame.nl pelos Perleadentes em qualquer (lia til as
horas do expediente.
Inspecco das Obras Publicas 10 de De-
zembro dei83.
Moraes Ancora.
Pela Inspecco Gera das Obras Pub
cas convida-be os Olcias d~. (Jarpina qae
lequiscrem eropregar nas meara* bras a
apresentarem-se ao Inspectoi Caral delVas
na respectiva Reparlicio, para tratarem do
ajuste.
Inspeccau das Obras Publicas 10 de De-
sembr dei838.
Moraes Ancora.
PRFEITURA.
Parte do dia 9 de Desembro de 1.838.
Illm. Exm. Snr. Forio presos hon-
tem a ninha ordem e tiveiio dasiinp
Jos, pelo, escravo de Manuel Joaqt'm
de Mendonca pelo Sub Prefeilo guesia de Santo Antonio por estar ehiio;
josc tamben-preto escravo de Joaquim
(ionc.lves Pereira Goimaraens por hum
!ah > do Corpo de Polica por ter c rrido
arayallo pelas ras desta, Cidade ; B.ii-
dicta dos Praseres tambera p:eta p-!o
Oraeial de Estado do mesmo Corpo por
ter furlado de oulra preta 3os' reis ; Ji
mes Thoniaz bi*nco, inglez pelo Cora-
mandante da Guarda da Freguesia da Bja
vista, por tei espancado a iimi roulher ;
VTarcolino dos Reis Lina pardo que jJk
ser escravo de D. Auna Joaquina Vander-
ley Lins pela 1. palmilla de CavalUrja
do districto do Manguinho, por estar ebrio,
e ter escondido no mato hum cava lio era
que vinha montado fasendo-se assim
suspeito ; e Jos Antonio Bizerra semi
bronco, pelo Commandanta da Guarda d..
Ribeira porqueixa de Antonia da Penha
de ter elle morto a seo filho no lu-^ar da
Marcacii Freguesia de \lurilxci em
Janeiro do coi rente anno.
E' -i que constadas partes boje recibi-
das nest 1 Sec tina.
Dos Guaide a V. Exc. Prefeituia da
Comarca do Recife 9 de Desi-mbio de
l838. Illm. e Exm- br. h'rancisi: do Re-
jo Rirros ,. Presidenta di Piovien-ia
Francisco Antonio de Sa
feito da Comarca.
Exterior.
Brrelo Pi t;-
Parte do dia 10
Illm. e Exm. Snr. Forio presos hon
tem a blinda ordem e liverau destino :
Joaqoim Jos dos Smlos pardo trigueiro,
e Joaquina Maria da Conceic 5 india .
pela 1. patrulha do districto de lo'* 'fe
Portas por estarem esuancindo a noite a
um soldado rio Ralalhao Provisorio (JUS
se achata ebrio ; Jos e Rosa pretos
escravos de Jos Roberto da Silva por hu sollado de Polica, por hriga ; Crlostain
bera preto escravo de Antonio da Cosa
por outro soldado do mesmo Corpo por
estar iugido Miguel dos Wijos Cavalc^n
ti pardo por mira por andar correndo a
cavallo pelas ras publicas Eitolan i Jus-
tina da Silva larab-m parda pelo Sub-
Prefeilo da Freguesia de Santo Antonio,
por ter recolhido a sua casa e nao que-
rer declarar o nome do individuo que
quiz tentar contra a vida do Guardiio de
S. Francisco ; Antonio Francisco Alves ,
tambam pardo por mim por ser coniven-
te no mesmo crime ; e Jos preto es-
cravo da Manuel Cardoso da Fonccca po-
la a. patrulha da Baa vista por estar f-
gido.
Tenho a coramuuicar a V. Exc. que
acab de reali-ar-s* nesla Secretaria ter si-
do o pardo Joao Jos do Carmo na noite
do dia 6 do correnle foi preso pelo Sub-
Prefeito da Freguesia da Boa-vista, o pro-
prio autor doassassino feito no dia 2 do
mesmo mez nos 4 Ingleses 110 lugar do
Corredor do Bispo.
E' o que consta das partes boje rec- bi-
das nesla SecretarH.
Dos Guaide a V. Exc. Prefeitura da
Comarca do Recife 10 de Dezembro de
1838, &c.
BRITISH CONSULATE.
The subscribe"s to ihe Bsiiish Prot.s-
unt Chmcb Establishment ni Pernambu
co nnd (hose Resideuls who are desirons
to b-come subscrihers thereto are irni-
teu^tj meet at ihe Cbapel in ihe Ra de
Aurora 011 Friday Ihe 21 st. instml al oq
o Rock iu Ihe afternoon that |(iv may
selet the Pews they wish to oceupy.
HF.S~PA.NFIA.
Occurrencia de Zaragoza.
10 de Outubro. Varios nacionaes que
chegaraS qili'hojitem depois das 4 lio
rsala raed*, acab*ra6 de assuslar 01 ni-
mos i.basunl^aobresalladoscoro a relac o,
queWr5> de ter sido surprendida a po
Joei de Urrea pela fc,o de Cabrera ,
pela. 8 huras da manha diqueladla.
As chamas qa estes avislarao d alto das
montanhas canfirmavaSas noticias quecor-
ria de ter sido incendiado o poro depo.s
deassassinadosos infelizes cac.onaes que
tirerao a desdita de cahirem nas maos dos
vndalos que em numero de mil Hilantes
e Gicavallos tin'na ocrupad. a p >oa^q.
Os Sarajocaos, visla dos fugitivos
rdous dos quaes vinhap flidos) se aman,
toara na praca da Constituido augmen-
Itndo o concurso a milita e Mcolhlda gen-
te que vop.va di passeio brilhante como
nun sitio, altrahida pcl> cu piravao as animad dlscuss is que tivera
lugar cora o general' S Miguel sobre as me-
didas <|ue cOBtioba tomar em taes circuns-
tancias criticas na verdade e que fa/.ta
portanlo esss espinhoso qualquer partido
que se qVttBV adjptar.
Entre utras consas sr pediu que se fe
(hassem as porlas de fura pa'a que nio
fngissem as pessoas conhecidasi por su 1 a-
dhesio ao partido inimigo a fin dse
proceder ulte iormenle sua prisio para
servirem de represalias ou refens, que
contivessem os ex.craveis excessos do san-
guinario Cabiera.
Emeonsequencia disto se rennira pela
huma lora da nuile em casa* do exm. sr.
eenaral o ajuntamenlo a deputacao pro
vincial chele poltico e intendente; sen-
do o resultado farmar-se huma li&la de 8
pessoas d^ ambos os sexos que foi repar-
tida pelos capiles da milicia naciona', os
quaes procedern a estas pri-es d<.; preven
oso ; frenle dos henemeiitos milicianos.
Os sugeilos apoutados nas Istis fbMcon-
'.u7.idosai castello dla A'l*ieri.t obser-
vando os nacionaes que os guaidavao o de-
coroso silencio e moderaco que .lairodes
tingiKcn os vrdadeiros aia^onez'-s, ao
mesmo lempo que alguns delles com snas
maneias altivas e petulantes nascidas das
successns anteriores pafeciao desaliar a
ii)(li;;i>co de nassoa soldados.
Na manhS de hontem circulavs vnr:os
migles de ffente pela piaca S Fian
cisco : a cidade eslava em grande gitaco,
pinlando-se em lodos os rostos o maior de-
sassocego a sira como a anciedade e im
paciencia de por termo a esta agilacio.
Pelas 11 horas as v07.es s armas e o to-
que de chamada dissipara logo os ajunta-
mentos e torios os nacioiies correra ao
spu posto. Em meia hora estavi formados
os b.ilalli.'s no sitio que .< cada 'hum cor
responda sabendo-$e se achava nas immediac-js desta cidade ,
vendo-se depois desfilar pelas 1 horas da
larde na distancia de huma legoa em direi-
tuia a Fuentes. Ao mesmo tempo que a
milicia guarneca a muralha e hateras,
parle da mesma percorria a cidade conti
iiuaiido a fczer pi ises e maniendo a or-
dem que nao foi alterada hum momento
Doii prisioneiros da divisio do infeliz
Pardinhas que poderao fugir da ficco ,
apiesentando se nesla cidade hontem pelas
quatro hora da tarde der 5 noticias de
que os iniudgos hia pernoilar em Fuen-
tes
da naciona
aiimi.
Coniinua aiuUa boje as pri'es. Se
nio apparece n 05 individuos marcados nas
lisias st-rao presas al urnas pessoas de
suas familias.
Entieos presos ha conegos presbteros,
propietarios empr?(ados e artistas.
As poucas roulbeiesque hia designadas
perieucem quelle pequeo numero cojo
carcter impetuoso a dominante f recea
que com ^eus discutsos podessem promover
l}uma desordera esperando litar delta
pulido.
INGLATERRA
Mr. Maceoni tscieve ro Globo
-, lasao poique se niandou retirara guar-
, ficando s hum balalho em
para
desmentir o rumor esptlhado ha poucos
dias de que os principes Luis Nipoleo, e
Achiles Mural tem sollicilado azylo e soc-
corros na Russia e na Prussia. O ultimo
lestes principes diz mr. Maceroni ha-
bita ha inultos annos huma casa de campo
que possue nas visiuh Micas da Nova Yoik,
. L .11d.es iy de Selembro. Nesle mo-
mento os nossos negociantes se entrelera
mui'o com a fiolitica do nosso governo re-
lativamente Russia e com os exforcos
qae faz e| imptrio para Cf>nsgui.r o aeu
engrandecimento territorial Em lodos os
districlos fabris e anda na Escocia s
inieressaS fortemente uesta pol tica. A
conduela do ministerio abri os olhos -
quella parte da populacfio qne d've contar
com u continuaco da paz para achar
meiis.de subsistir. Parece que niiiguera
da cidade quer especular.
(Moming Herald)
O Times desmenle as ri#ticias dadas pe-
los peridicos a'leniii-s de hiirn noffibale
entre as ironas inglezas e as do Sbtkesle
rhoque que nao pode ter logir porque ds
Ingl/.es nio oceupa mais do que a ilha de
Rarail que nio.perleaee Persia.: esta
posico que o Shah nao pode aiaci-, tem
sido occupadaunicamenie com o fia de ob-
servar as intrigas da Russia e 6s movi-
mentos do Shah.
Annuncia as nQticias recebidas de Man-
chester, isla raanh que nio bavia .oc-
crrido variac alguma n quella cidade, queseacha era hum esta-
do completo de decadencia ; as en.comen-
das de mercadorias sio em menor numero
do que fora uestes ltimos lempos: os
precos nao teem tido alleracao.
.. FRANCA.
Pa is 4 de Outubro. No tractado de
commerciu que ha pouco se renovou por
lo anuos entie a Sueci ea Russia nao
se falla a-favor d-sta ultima a respeito da
hberdadn de impoitar liigo faiiuha e ou-
tras pioducce (btqnelle paiz, de modo
que as Huras potencias especialmente a
Inglaterra nao se queixarao pr o diane
Uesta especie de privilegio. Nio ha duvi-
da, o commt co entr os povos deslas
duas ir...Heronas sepiemlriouas de lal mo-
do descanca sobre leis fundamenlaes na na-
lurtza que nao se necessita nenhuma es-
picie de estimulo para mantera actividade ;
e a Russia ero raso da sua proxiradade e
da f icilidade de dar sabida a seus gneros ,
sem contar com a hondada dos niesmos e
comiDodidadc dos precos sempre^evara a
vanlageiu na Suecia s dentis nacot-s j ha
sm'ii ..> que dura o commeino entre os
dous povos sem que nao obstante o im-
perfeilode sua legisl ico teuli havido a
menor desordem.
A exprdicao Franceza nos mares do polo
rtico di- gou segundo parece ao lira da
sua caiieua. Sabe se coiff effeito que a
crvela Recherche depois de ter permane-
cido 10 dias n'hum poito de Spitzberg,
vendo-se amencada por enorme niontanhas
de gelo se retirou a Hammeifesle onde
todos os navios que lounav. o a expedico,
i'iitrara a a de Agosto em milito hora es-
lado. A aa devia f .zer-se de vela para
Francaiseon tocar na Islanda pois os po-
vos das zonas temperadas tem a este paiz
poi mais espantoso e fro que o Spitzberg.
Ao paso que a cidade de Stockolmo se
aclia agitada pelas turbulencias que affligem
o corsea.) do veneravel Monarcha goza se^
aqui do maior socego e a unio sincera
qu^- reina entre lodas as classes da popula-
cho, naoseacha perturbaba pelisassem-
bleas eleitoraes preciosa vantagem que
devenios tanto ao respeito s leis como
fusao de todas as classes.
Na Suecia, pailicularmenle eda Sto-
ck-.imo os militares esli ii.teiramente
separados das classes medias milito ma.s
da do povo, porque lodos os officiaes pei-
tencem a nobreza <>uadquirem esta dq;-
nidade pelo sen grao : errtre nos acontece o
contrario ; tudo he do povo eseropre se
conserva no mesmo estado, lano pelos
Ucos que nnem as familias como pelo ha-
bito emethodo de vida eeisaqui como
devem explicar-se os alboroto* quo iffligem
Sioclv.-imo e a paz que reina em Chtis-
liania.
Nio se pode occullar que tambera tem
havido entre nos ignacs de descontenta-


DIARIO DE PERNAMBDCO
5,
taenie*, roas estes s os raanifestarso al
guns paiticulares mas nao huma classe
inteira de cidadios. Heverdade, qu-se-
gundo tem demonstrado o profes iens esta fusao to vantajosa por huma
parle, prodm o inconveniente de nao po-
der, distinguir fra dos actos do servico os
offi'-wes das pastores os juizes e os pre-
vostes huns dos outros ; mas nao experi-
mntanos os desagrada veis resultados que
de tal d stincclo se seguiran. Em parte
alguna o soldado de guarnico est encer-
rado d'bum quartel; habita entre o paisa-
no quem presta todo o genero de ser-
vicos empreando o durante odia como
trabalhador donde resulta huma grande
"vantigem para ambos. Os cadetes teem a
loj melos particulares ou vivem com al
guma familia respetavel da classe do povo,
qaie exerce ao mesmo tempo sobre a sua
moral huma influencia lo feliz quanto in-
conles,t*vel. (Monitor universal )
dem. dem. Pessoas bem informa-
das affirm5 que a carta di>igida ao rei pa-
lo arcebispo de Colonia publicada ha
pnuco lempo nos peridicos esl fielmen-
te copada. Ha algum tempo que o prela-
do est enfermo e as dores qu-j sofre. na
regio gstrica inferior, sao cada dia mais
acudas por cuisa da sua extrema gordura,
pelo que ser Ihe hia mui conveniente o ex-
ercicio. Mr. Drosl de Vischering fez pre
set ao rei que o preso ha mais de dez
mezes v que a sm saude se deteriora de
da em dia pelo que pede que o julguem.
P'i.s deseja se termine quanto antes o seu
negocio, Diz-se que o ministro Alienstein
responder ao prelado em nome do rei ,
que, se a falta de exercicio era prejudicial
>ua saud, S. M. consentira com muio
gusto em que se trasladas*? a Munster com
sua familia exigido Ihe, nao obstan
te a promessa de nao |er a menor commu
nicico com o partid -(exaltado p d vol
ta/a Minden sua pn-so primeia in
sinuacio que sb Ihe fizesse. O .ireehispi
recu ou prestar-se a taes coridieoes p >is
ufo he huin prazo o que elle sollicita mas
sim huma terminar legal e jurdica do
s"ti propesso, puis lnimtimi'ia medida n i
o satisfara. tk Nao peco gruc aceres
ceu.iaelle; reclamo nicamente jusliea d
F/ederi.coo Justo. Nestes termos se diz
qiWJ conclu* a.sua resposta. Se o arci-bis-
p,i tem entablillado esta sillicilacio tem
Hxpressado o yqtJ de muitos milhares de
fiis que desej5 assitn como o prelado ,
ver terminado este assumpto por meio dos
tribunaes.
Ignoramos as noticias que podem haver-
so, communicado ao governo de Berln
cerca do estado da nossa provincia e da
de Westphalia ; mas se as authoridades en-
ea/regadas de fazerem roanilexta a verdade
a possos govertiafiles eslo cegas deveria
emim abi ir os olhos quandoem ionio del-
tas ha tantas circunstancias que provao a
necessidade de sair de huma situaco pe i-
gosa para que se observen) as leis.
DUAS SICILIAS.
aples ag de Setemhro. A festa an-
imal da virgem de Pie de Grotta que se
verifico hontem foi animadissima. Acha-
va-se reunidos em aples trinta mil ho-
rneas de tropas sem contar a guarda de
honra ; e a guarda cvica chamada di sicu-
rezza interna que he comraandada pelo
Principe de Saterno. Pela manha desfila-
do pela frente do palacio real onde se a-
cjiaya o Rei e toda a corte 5a batalhes
de infantera a5 esquadies decavalla-
ria emais de loo pec-s de aitilheria To-
das estas tropas commandadas pelo Tenen-
le General Srlvaggi formarao depois ao
longo das ras de Santa Luza e de Chieja.
Dez navios de guerra napolit>n>s emban-
derados tinha se collocado de [rente
junto maigem de Chiaja onde eslava
formadas as tropas.
As cinco horafl da tarde o Rei e toda a
corte fora visitar a Vifgrm de Pie d
Grulla; a artilheria dos fortes den s com-
planles salvas e correspondida pelos na-
vios.
(Nacional de Lisboa )
Noticias de Non te video.
Temos viati carUs de Monte-video
rindas pelo ullimo navio que todas con-
cordo no que *e acha expendido em o se-
guinle extracto que lasemos de urna deltas.
Monte-video a-/ de Outubro.
.... A mais profunda tranquilidad'
succedeo aos desastrosos das da adminis
traca de Orib-*. O novo presidente l'e
reiru que ja o foi em poca anterior e
que goza da melhor opioiao em rasio de
seus servicos relevantes do seu patriotis-
mo e da lirandnra df tefl carcter, fo>
saudado pelos habitantes desla capital no
dia d i sua inauguracao com gritos de ju
hilo o entliusi ismo quecontrastavo com
as circun>Iancias queassignilarao o dia da
sabida de Oribe, em que se manifestou da
maneira menos equivoca o odio que Ihe |i-
nliio as innumeraveis familias que durante
sua presidenci. tivero de lamentar a mor
te priso ou desterro dos seu membros
mais distioctos e o povo que tanto soffreo
rom a intil e tyrannic* resistencia militar,
opposta ullimameute ao exercicio constitui-
cional.
,, Espera -seanciosamente a appiricao do
general Tivera a quem sua clemencia
para com os vencidos lera grangedo todos
os coraca ens. Al agora, nenhum indi-
vi luo soffreo a menor perseguicao pur cau-
za dos acontecimientos passados.
,, Por ordem do almirante fiancez foi
detida a escuna Luiza qua Cafrtwo'de
p-tr'ohos de gurra ss diriga para liu-
nos-Aire levado a seu bod> varios
emigrados, oque constitua' huma *er-
d..d.'ira tentativa de violadlo do bloqueio ;
porem o almii unte se limilou a fiser vol-
tar a escuna para o porto donde proceda
O novo governo resolvoo sobre este parti-
cular que se recolhesse toda a propriodad
perlencente ao estado que condusia a em-
liarcaco detida ; e em quanto aos emigra
dos que os deixassem seguir livrt-mentt
para onde qnizesspm t estes no momento
em que esc evo ainda estao na capital ;
mas he provavel que saio com brevida-
de. "
ESTADO ORIENTAL.
Montevideo, ao de outubro.
D'JC< jando o Exm. Snr. Presidente da
i ('publica hiigadeiro general I). Manoel
Oribe, e o Exm. Snr. general em chele
do exercito constitucional. I). Fluctuoso
Rivera, dar paz nacao. nomearao para
concordar nella ou rus suas bases a s.ber:
Si Ex o Exm.Sr presidente, por seus com
missarios, os Snrs. D. Ignacio Oribe ,
lirigadeiro general; doutor D. Julia Al-
vares, presidente do supremo tribunal de
juslica ; D Francisco Munhoz. collctor
geral,* e os cidadt-s D. J. Francisco Gir e
D. A'exandre Cbocarro ; e S Ex. o Exm.
Sur. general em chefv, como commissariws
ad hoc, os Srs D. Santiago Vasquj, seu
secretario do interior, exterior e fasenda,
D Henrique Martnez brigadeiro gene-
ral e secretario de guerra e raarinha, D A-
nacleto Medina, brigadeiro general D
And' Lamas, auditor geral de guerra ; e
o cidadx D Joaquina Soares ; o quaes ,
depois de terem trocado e examinado os se-
us poderes respectivos, comeen rao as con-
ferencias sobre o desempenho das suas
commisses, e conviera5 as estipulaces
seguintes :
i. O Exm. Snr. general em chefe do
exrrcitP coostiiucional reconhece e res
peita as garantas que a constituica e ns
leis outorg'5 as pessoas propriedades e
empregos
a. O Exm. Snr. Presidente actual da
Repulica resignar a ^a autoridade imme
(iiai.mente : aqnal continuando a ser ex
eicida pelo quedeve substituil o fica a paz
inicuamente restablecida.
Por firmes do que, nos. os commissa
rios de SS. Exs. firmamos de no>sos pu
olios aprsente, que vai sellada rom osci-
lo de que uzamos. Mar(;ns de Migue-
bte si de outubro du 1838. (Seguem-se
s assiguatur s.
Eiu cans qtiencia dc-ste convenio acei-
tado nelo S'.'.r. P.esidente. resignon este o
oidi.da na pefsoj >) presidiste do Senado
pomo determina BeonatitaifdS^ i- perla hu
ma horado dia de hontem, se emlrcou
com sua. coniHivu para Jiutucs Aues.
posr scRiPtrjvi.
Depois de estar no prelo este numero, o-
btivemos a seguidle.
PROCLAMAgA.
Dj vice presidente da repblica.
Habitantes de Montevideo! Tarminon
finalmente a resistencia armada de que
tostis victimas. ReUbleceu se a paz, e
desde hoje ides entrar na fruicao de todos
os beneficios da ordem publica e de to-
das as garantas qua vossas leis, vos ou-
torga
Habitantes do Montevideo Reparai
com tranquilidade os maltes da guerra ;
ninguem vos roubara' de boje avante os
momentos qae deveis consagrar ao aug-
mento de vossas fortunas, ao cuidado de
vossas familias ; nignem allantara' impu
nimente contra vossos direitos ninguem
vos sogeitara' a novas penurias.
Montevideanos.' O triumpho do p^o
oriental deve ser com > elle, grande e ma-
gnifico* qurm se altrevera mancha lo com
a mais pequea desordem, com a minim-*
cxplosaS de odio ou de vinganca, sera' re-
primido com toda a severidade.
Montevideanos! O governo viga por
todos e nos seus esforcos plo vosso bem
conta com a'ronperacaS de hum exercito
virtuoso e valente que presa da mise-
ria jamis desmento a alt missi foi imposta. Estai tranquillos.
.M,onlevido, i\ de outubro de 1838
Gabriel A. Pereira ^
(El Universal).
( D) Desp'rtadoi de io e 13 de Novbr.)
LOTEERIA DO SEMINRIO.
A dos hilh'les da Loteria do Seminario Epis-
copal de Ooda, o Reitor do mesmo Se-
minario convida aos amantes ueste diverti-
mentoa compra do resto dos referidos bi
lh"tes e Ibes promete que com a raaioi
brevidade |ossivel m>rcar? o dia imprete-
riv< I do andamento ilas rodas, afirmando ,
que ellns correr brevemente.
A vsos i)i versos.
O Sr. Ignacio Joaquim Lopes queira
annunciar a sua moradia que se Ihe dese-
ja fallar.
_ Precisa-se de hum liomem aocii .
e pacifico que tome conta d'hum arm^zem
quem estiver as circunstancias dirija se ao
beco do Porto das Canoas venda junto da
casa de Pasto.
_ Huma meca orf de Pai e Mi que
sabe co^er engomar e cosinhar ; ofe
rece-sea ir para huma casa capaz prestar
os seus servicos com a condicio de Ihe da-
rem o comer e vestir : quero precisar an
nuncie.
Precisa se de hum menino portuguez
chegado ha poue tempo do Porto que
saiba bem ler e est-rever na ra do Rosa-
rio larga D 8.
_ Quem precisar de hum cread por-
tugutz para qualquer servico, ou mesmo
para pagem do que tem bastante pratica
tanto para fora como para a praca din
a-sea venda da Ribera da Boavista que
alii se dir quem he.
_ Quem precisar de hum pardo capaz
paia fazer alguma viagem aoSerta, ou
para ir de companbia servindo de guia
para qualqui-r parte do centro desta Pro-
vincia, oqual dar couhecimento de sua
conducta com abono de pessoas capazes
que o conWcem ; cni.uocie para ser pro-
curado adveitindo que o seu ajuste ser
r isoavel
_ AHuga-se hum priroero andar qui-
nao exceda de qualorre mil res, ou m.9t
, c.s, le rea aerido em qualquer das
ni seguules : das Ci u/es Cad
legio Ligamento, Pir.cuiha d ni-Mno .
- i'u do l^uMmad,) u. m tiver |ra alu
i^ar, dii ija-se a e-la l'y>. (|ue se du qorni
nertende.
^ Hum api/. } rlugn.7. d boa condu
ia te fferece para caterro de venda da
.|U.I '.-o. !- ^ ""' ;'"1 ca on anda mes
bu para padana >u para fol'l da praca
o qual d fiador sua conduta : quem pre-
cisar annuncie a sua morada para ser pro-
curado, ou dirija se a Praca da Boa vista',
na venda junto a botica de Ignacio Jos de
Couto
_ Precisa-se de cem mil res a premio
de a p >r cento ao mez dando-se penhores
de ouro ou hypotheca n'lium escravo ,
cunfoi me eonver pessoa ,' que quisur dar
dita quantia : annuncie.
{^> Anda se continua a aforar os
dous terrenos situados na estrada da Soli-
dle para o Manguinho, defronle mesmo
da ponte e da parte da estrada que se-
gu do Manguinho para a Igreja dos Af
(lelos comecando logo do fim da caza
nova do seu propietario o esembargador
Thomaz Antonio Maciel Moiileirn con-
teudo o fundo de cju palmo aforado tan
palmos ditos e n^Tsu de 3ao res cada
hum palmo: advertindo porem q> e hum
e outro terreno he todo enchuto e bene-
ficiado, e prompto para logo se edificaren!
propriedades, independente de outro qual-
quer trabalho quando pelo contrario su.
cede Com outros terrenos por aq (tilas me-
dincoes em lamacal que se tem aforado
pelo mesmo preco : os pretendentes enten-
dai-se com o EscrvSo Almeda em seu
Carlorio na ra das Trncheiras que est
munido de poderes para fater taes afora*
mentos.
_ Manoel Cardoso da Fonseca faz pO
blico pelo presente annuncio que n dia i3
do corrente as i i horas da roanhS se bao
de porem leilo todas as f'azendas da loj a
da i na ilo Crespd D. i a pertenCentes a
M.-sa Calida da casa de Silva Lisboa',G.
de que o annuuciante he administrador.
_ Arrenda-se o armazem e 4 andar da
casa da ra da Moeda N- ltimamente bem
reedificada : 'ru do Vigaro N'. 12.
_ Precisa-se allugar huma casa terrea
com cmodos para pequea familia tendo
tamb-m quntale cacimba nio excedan'-
d > porem s- alluguer de oito mil reis
men3aes', embora seja em ra menos pu-
blica : quem tiver para alfgar -nnuncie
para ser procurado.
_ Pirante o Juiz da segunda Vara do
Civcl vai ser arrematada em ha.ta publica
nos dias |3, e 17 do corrente huma
casa terrea em Fora de Poitas atraz da I-
greja do Pilar D 67 e a parte d'oulra na
C dade d'Olinda na ra do Aijube D. Hk
No Beco, que alravesse da ra d
Rangel para o Liceo casa terrea que
fica no meio de dous sobradinhos tem
urna ppssoa que d almoco, jantar. e
ceia com muito bom aceio nao sna p'ro-
(ii ia casa como mandando levar ras mura
d. to dos mesmos fregueses por prco
mdico.
- Quem quiser comprar urna canoa de
carreira nova muito bem pintada carre-
ga 6 pessoas ; e tambem urna Espingarda
de espoleta de dous canos da mais mo-
dernas e muito boa de xtimhi : quem
perlender urna ou outra cuuza dinja-se ao
Coelbo a falar com Antonio Carneiro da
Cuoha
_ Precisa-se de -.oos res em ono'hadil
para se pagar com arroz pilado por todo'o
mez d Janeiro de 183q ; poi-- esta pessoa
que oflerece trm 80 alqueiies de atroz ero.'
casca e percisa deste supriinento para o
poder pillar : quem quiser faser este ne-
gocio annuncie sua morada para se hir
traelar deste ajuste pessoal e da-se com
perda de mil res em cada Iqueire por
se ter muila percisaO de o pilar.
_ O PrprreUro do sitio da ra do
Seba continua a vender na ra do Cotovel-
lo terrenos para se edificarem casas e tao
bem terrenos de urna roa nova que perleo-
de abrir desde a Trempe at o sitio de
loanna.IcsPassosa s hr na ru do Coto-
vello, em" terreno tem 180 emais pal-
mos de fundo : os que qniserem comprar
p .di in contratar este negocio com o lllm.
Snr. Biigadeiro Automo Rodrigues de
Almeida v morador n > Praca da Boa vista
que tem o poderes necessar6s para ven-
der.
__ O Snr. Manoei Jos de Sou/a Braga
d rijo-.se o p do Aico de Sanio Antonio
1 casa de M noel Jos Gonclves Braga pa-
g 1 para reeeber urna carta vinda da Baha
que por pessta de igual nome foi tirada do
(oreio, f vendo que Ihe perteoce por
i-so taz o presente.


DIARIO DE rERNAMBUCO
Alufja-.se urna casa pira passara festa
na estrada Rodrigues de Miranda j quem a pretender
dirija se a roesroa casa.
O famig*rado e nunca assaz louvado
pelos camelos ; isto he cen roo migue-
lista na quinta essencia-: aind* nio disse
bero, o mandinga, mendigueiio estu
pido e malvado, baveodo sido iusperio por
um camelo de bom tamanh do que seu
Snior D.A'iguel eslava prximo a subir
ao Throno vende casaca* de moito bom
panno constitucional a todos aquelles que
quiser pela mdica qutntia de iooi'000 ..
que serio-pagos logo que bou ver nolrcL
de-sua exaltacio. Como anda Ihe rosti
Iguns cortes do tal panno, previne-se a >
publico, para que nio desprese lio b II <
como til occasizio de l^rasacas de mofo.
Chegas f reguezes, que onom m be per ,
feito Sebastianisla ou Meguelisti. A mu
lo chega a estupideza / O Amb-oiio.
A pessoa que annuncou no Diario de
i i do corrente ter pagar alug-r urna preta
de todo o servico, dirija-se ao Correio
para tratar do juste.
To dia quarta feira 5 do corrente
acbou-se um quartu em cangalhado
quem for seu dono diija-se ao Arsenal de
Guerra a fallar com o Guedes que dan-
do os signaes certos du quem o tem ;
assim comosenio responsabelisa por qual
qoer coisa que a conteca.
Precisa-se de alugar tima casa terrea .
ou sobrado de um ou dois andares em qual-
quer ra do Bairro de S. Antonio ou Boa
vista : na fu de floilai D 4;.
' Francisco Manoel da Silva Tavares ,
declara que a casa terrea do Snr. Bernardo
Fernandes Gama sita na ra da S Cruz
da Boa vista, Ihe est hjrpothecada.
Alaga se urna casa no principio da
ra do cotovelo lado da sombra com
senquintai, cacimba-, e cozinha pnxada ,
pelo precode lo'ooo; quem a pretender
dirija-se a ra do cbug taja de iniudezas
de Francisco Garca Chaves.
*
Avisos Martimos
PARA O RI DE JANEIRO, segu
COS brevidade O beiu Tuolirvnju 1 ni.-ciiU
Nacional Paquete do Rio ; quem quiser
cargar, ou bir de passagein, dirija-se a
(i. A. de Curros pracinh* do Corpu Sin*
to D. 67, ou ao Capilo Manoel Francisco
da Silva a bordo.
PARA O PORTO segu videro at
dia 20 do crreme o I', lacho Po>lugnez
Primavera de que he Capit Jo Carlos
Ferreira Soares por ter maior parle de
seo carregamento prompto ; quem 00 mes-
mo quiser carregar ou bir de pasaagem ,
para o que tem excedentes commodo, di-
rija-se aos seus consgnete ios MeuJes t
Oliveira ou ao mes mu Capitio.
Le i J o
Quinta feira i3 do corrente, as 10
horas da mauha faz-se le.lio de jo bar-
ris de verdete e 4 > ditos de alvaiade em
p na ra da Cruz D. 48.
Compras
Urna Olarira que seja situada a
margem do Capibanbe 5 quem a -er un-
nuncie.
Esclavas pretal ou pardas de ida-
de de 13 a iti aunos com algunas* fide-
lidades : na ra do Colegio bulca D. i de
Cypriano Luis da Paz.|
Um sobrado de um andar sendo .m
boa ra quem ti ver auooiicie.
Um sobrado de um andar leudo b->3>
quintal, e sendo as ru >s principaes de. S
Antonio ou Boa vista quem liver an-
uo ocie.
Ve ndas
Bugias pernambucanas, de cera de
carnauba iguaes as de Lisboa superior
as que t agora lem aparecido, por '\8j
a libra que tem seis velas : na ra larga
do Rozaiio luja de miudezas D. 7.
- Brilhmi s de meio tamanbo : na
Braca da ludepead ;ncia loja de ourtves do
Sr. S boia.
Carne secca da nava saTra em maio-
res e menores p"COs, a pr ro a bordo do B'igue Amparo aorado
na v lia d > o'te do mallos, ou a tratar
cono SMitos Biaga ra da moeda n. i^t
-- Um cano de 4 rodas novo e che-
gido a ponco de. Lcsidres, anda porextn-
r : no armasen do segeiro Miguel no at-
ierro da Boa vista dolado esquerdo passan-
do a pona o mesmo dir quem vende
Uro excelente sobrada cm commodos
suficientes para uma grande lamilla, con-
leuda duas loja gr mde q liulal com bi-
nbeiro de pedra e cal, purto ao la lo si-
lo no lugar do varad >uro junto ao hiido :
a tratar umi dos Ourtes D. 5 ; assim
com {>( b micas var-ias americanas p/otu-
pias para assucar. .
- C-ilT de A pipos a iS) a libra : no
armasem de capiui e madeiras no porto das
canoas da roa nova ; assim como cubro de
Su e de 4 > pdmus e ensarnes de louro ,
e de ouli .0 i|u .lida les.
Um escravo de roeia id ule, tr-bi-
ihador de enchada, e ptimo para sitio p>r
estar isso costumado ; na iui das Flores
D 6.
Ou alugi-se e troca-se diariamente
vellas de cera de meia quarta al twuchei-
ros por prego com moda: u ra do Run-
jel D t) sobrado de um andar.
-- Una propriedada decusa de um an-
dar oro mullos bous commodos t >da
ratificada de novo quintal murado, tam-
bem de novo e bstanle grande e i*&i
proprios sita em urnas das melhores ras
desla Cidade : no largo de N. S. do Ter^a
no s-guudoandar do s.brado junto o do
Andi de M. d-'iros Coito Largo.
Uiis a-reos para urna parelha de ca-
vallos pua carrinbo eufeilaJos de lati;
ervllits. saidinbas, e auliuz em conser-
va vinbo de chmapagnbe e tambero em
meias garras dilo de Bordeaux e cha-
rutos d i todas as qualidades : na ra da
cadeia velba di Lente da rasa de uere ,
D "
Urna cabra minio boa de leite, e com
dois cih ilinhos : no atierro da 15 >a vista
casa de fonilriro D. 33.
Urna i-scrava nuc opt'mi quitan-
Undeia e propria para todo o servico:
no atierro da Boa vista JJ.
-- A olaria a beira do rio da ra e
da ponte da passagem da Magdalena com
todo o seu terreno de cem ou mais pal nos
de frente e i55de fundo i a tratar com
> seu pioprielario Jas Joaquina Ib-zeira
Cavalcanti no mesmo luj, que o lerieno be iroprio.
Urna prela de bonita figura e bem ro-
busta para todo o servico : na ra da Flo-
lenlina venda D 8.
A posse de cem palmos de terreno
llagado em fora de portas detraz do pilar :
.1 trotar com J.io de Brito Correia 110 es
taieiio detraz da ribeira do peixe.
- Urna preta dd costa : na ra do Ro
ario eslieita no primeiro andar do sobra-
do I). Si.
-'- Urna preta de naci cambinda, que
reprrseula 3o annosde idade a qual salve
cozinhar o diario de urna casa he lavadei
ra boa quilandeira e lambem serve pa-
ra o servico doompo por ja ler nisto pra-
tica : na ra do Livramcnto do ladi da ra
Direita no lerceiro andar do sobrado De-
cima 18.
. Dois coiijs e om papa capim lo-
dos bous c .11 lujros : na ra de llnti
D '7-
-Potasa Rassiana de primeira sorte ,
em b.irri< pequeos : no escriplorio do Co-
ronel Menez :$, 1 ua do Vigario n. 15.
Um laqueiro de bom gusto castiga-
es de prala caixas para rap um apare-
Iho para tha biiaCal de fil.igr abolua-
duris pr.tlinbos com lisoura periqueen
cenes tos caslicaes, e urna escrivaniuha ri-
ca e duas salvinbas ludo de g<-sto mo-
derno : ua ra do Livramento i). 19.
Um m.ilequede idade- de 1 J a annoS
de bonita figura e official de sapateiro :
na iua doQueimado D 6.
Pus Ue mangue de a8 a 3o palmos :
por detiaz de S. R-t casa do Vianna.
- Ou arrendare pelo lempo de (esta,
um sitio com uficient casa para pouca fa-
milia no lugar do Barballo em direcio.ao
Caxang com hanho perto bous are,
e"com differentes arvores de frucios e lio
bem arrendar-se-ha somente a casi; na ra
do Queimado D 8.
- Kssencia de aniz: na ra da cadeia
velha D 57
Um sitio na estrada de Joo de Bir
ros confronte ao sitio do Sr. Manoel Men
des com frenle para o nascente contesta
com o sitio da fallecida D Joanna no po-
ente trm urna excellente casa de pedia e
cal com suficientes commodos para duas f-
milias ; os prelend ntes dinjo se ao pri-
meiro andar do primeiro sobrado passando
a Igreja nos Marliiios.
Um escravo ceoulo de idade de as an
nos sadia de btnita figura cano'iio ,
e de servico de cunpo : na ra das Tiiu-
cbeiiHs I) a5.
-- Bigiis (lesera de c rnauba a 4>0
libra na rita das Trincheiras Decima 4 do
ladodireito hindo pira o paleo do Carino.
Esc ra vos Futidos
No dia 8 do corrente fugio uro mole-
que de nome Benedicto de idade de i5
annos pouco mais ou menos o qual lem
os signaes seguales : rosto redundo, olhos
bastantes vivos milito experto creoulo ,
levou vestido calsa de esloupinha e ca
misa de algodiozinba e lem pi-lis costas
e bracosalgumas sicatrizes de chicle prove-
niente de 6U is expeiiezas ; rogi-se aos Srs
SubPrefeilos e authoridades de polica
sendo que seja apandado queiio mandar
a Cidade de Olinda rui de S. 15 ni., casa
do secretario da Cmara Municipal que
ser g'atific.ido o portador que o conduzir.
Fugio no dia primeiro do correte 1
preto de nome Di de rede e meslre camaroeiro bem co-
ubecido pelo mundo novo dos mais cama-
roeiro* e a 8 me/es venda pao p b Re-
cife e agora venda pi pela passagm-4
Magdalena de boa estatura e quando
falla olha para o chio, c*lsa e camisa de
brim transado de algodio ejulga se andar
peia passagem e casa forte ; quem 0 pegar
leve as 5 ponas paitara D. i que .ser
generosamente recompensado.
.- Modia 17 du p. p. desaparecen urna
escrava de nome Mua de naci rebol-
lo com os signaes seguidles levou ves-
tido saia e camisa de brim trigueiro, seca
do corpo tem na testa urna l >r da sua
Ierra a perna direila meia zamba os pea
bem maltratados de bixos altura propor-
cionada rosto comprido, e com marcas
de bexigas meias a pagadas e he de meia
idade; quem a pegar leve a ra da Cruz
D.5i.
Fugio desde o mez passido um es-
cravo de nome Joaqun) naci baoguela,
de idade de ao ann<>s pouco mais ou me-
nos estatura regular cor bastante preta,
o |.; direilo inflamado o> dedos do mesmo
alguma couza khertos fugio levando ves
(ido urna caLa de limli a velha esse eacravu foi do finado Joa
quim dos S mos Ferreira do engrnho co-
lunguba boje acha-se embargado pela
Senhora D. Joaquina Ylaria Pereira Viana,
sendo depositario delle Pedro Ignacio de
de Miranda consta que o referido escra-
vo acha-se a coiladoem urna casa no lugar
denominado l'o d'Alho os Srs. Sub-I're-
feito Commasarius de polica e p-ssoas
paiticulares de o apprehender e levar a
mado LiviamentoD. a, que serio grali
Sudo.
No dia a3 do p. p. fugio um mole-
que de naci qoelime estatura regular ,
espigado do corpo idade de 18 annos de
nome Antonio bt-ro preto orelbas pe-
quenas tem calor de figulo as peros.
la.la embaiassada be carnceiro ; levou
vestido caisa de hrim transado trigueiro ,
coro um remend de e-lopa na quadra ,
camisa e seroula de algodio chapeo de
plba com um lento azul inda novo di-
zom que foi valo no barro vermelho) quem
o pegai leve ao alieno dos affogados em
cas de Victorino Francisc dos Santos,
que gratifcala com 20,000.
Fugio no dia ao do p. p. da Villa de
Serinhacm um negro creoulo reprsenla
4o anu >s pouco mais ou menos esta-
tura regular, barrigudo, rosto desca na*
do una Mcalriz que Ihe toma todo o na-
riz pela paite de cima e os ps apalheta-
dos levou vestido seroula e camisa de al-
g-idio urna japona cor de rap ja velha ,
porem desconfia-se que lenba mudado de
traje; quem o pegar leve a Villa de Seri-
nhaem a casa de Henrique Jos da Silva,
qu seij generosamente recompensado.
- Na noite do dia aa para a3 do pasta-
do fugiiio do pateo do TVic .-obrad.i n,
17 trez escravos vestidos de cil a de
riscado e camisa de brim 5 de nomes Ru-
fino Jos e outro Miguel ; a pessoa que
os prender leve a mencionada casa que com
milito generosidade ser pago.
No dia 8 do corrente fugirlo do bafr*
ro da Boa vista dois escravos pretos com
os signaes seguidles : um de nome Vcen-
le angico bastante ladino, estatura re
guiar, tost C'mp ida e bastante st-cc do
corpo, e tem ou dedos d->9 pds uns mai-
ores e mais levantados que o natural; o
outro Benedicto crioulo b lixo e grosso ,
rosto a boc- tedo e lem 39 pernas um tan-
to aiquiadas o primeiro lera 14 annos de
idade e o segundo de ao a al ; quem os
P'girleve a ru-i da cadeia velha loja de
Antonio Gomes Psssoa quesera bem re-
compensado.
Roga se encarecidamente aos Snrs.
I'refeilos e Sub PrelVilo desla e mais Co*
marcas, que souberem ot\ virem urna ne-
gra cranla de nome Agostinha que fgo
10 dia 6 de S-tembro 18\~] com o si-
gnaes seguntes alta stec., beicos gros-
sos olhos grandes com falla de lodos os
denles na frente da paite de cima ja com
alguna cabellas brancos ; de a mandar ap-
prehender e Itvar ao seu Sr. Joio Ignacio
Rodrigues da Costa na solidado na estra-
da que vai para o manguitiho sobrado de
um andar com mirante.
No dia 16 do p. p. um Cabra escuro
de nome J 4o de idade de 36 annos es
taiuia regular secco do Corpo cilios pe-
queos maclas do rosto alias com o si*
gnal de uma pancada no aobr'olho direito ,
ijue anda al lera limado sua cor natural
bracos finos e tem no esquerdo ignal de
uma colilrdi unto a monheca ml>s e de-
dos seceos perna* flnas e tsm a sica*
ti iz da uma chaga junto ao trnatelo da di-
reita bem fallante official de carpin*
enculca-se por forro e quando fugio es-
lava irabalhand no chora menino, e por
isso p le conduzir toda ferrametita jul-
ga-se estar ira balhand em algum sitio jun-
io a Olinda sonde tem um irmio ; quem o
pegar leva na estiada nova a seu Sr. Man e|
Thomaz de Barros Campillo que g atifi-
cara
No dia 7 do corrente se auzentou 1
moleque creoulo por nome Ma'tmlio c.ipti*
vo de Manoel Ferreira Chaves com os
signaes seguntes : serco do corpo, cor "
fut 1 beicos grnssos, boca grande levou
vestido calsi preta camisa de chila azul ,
aqueta de brim preto liso e ja vi Iba, e mais
uma calsa de algodf ozinbo cujo moleque
se rictiava trabilhandu nos aff>gados; quem
o pegar Lve ao atierro da 15 ja vista loja de
seleiro.
Mcivimentodo Porto
NAVIO ENTRADO NO DIA 10.
s
ANGOLA; at das, Patacho Columbio
de 153 Tonel Cap. Antonio Jos dos
Smos Lipa carga cera e lastro : a Il-
defonso Ignacio Meuezes \ passageiro
v anoel Bernardo Vidal Jos Mana
Pinto, com um criado subdito portuguez.
S \HIDOS NO MESMO DIA.
BAHA ; Crvela Nacional 7'de Abril.
BAR.KLONA; Biigue Hepanhol BdO"
Iones M. Francisco llovera carga al-
godio
OBSERVACOENS
Segoiooseu destino o Brigoe Hespafthol
lun Ades, entrado arribado a eble por-
to no dia 9.
PEa. a Ti, os m. r. di *i838#


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EU65I4TPA_VWELXE INGEST_TIME 2013-03-29T16:34:18Z PACKAGE AA00011611_03664
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES