Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:03662


This item is only available as the following downloads:


Full Text
ANNO DE i838. SEGUNDA FEIRA.
CAMBIOS.

( Dezembro 7.
Londres ao. Ds. bt. por ijfooo ced.
Lisboa 90 a q5 por 100 premio, por metal.
Franca 535 a 3 Rio te Janeiro aopar.
Moedas de 6#4 lofooo as albas novas 1
, 4lu0 8^000 a 'Pasos Columnarios 1^610 a iI63o
Dittos MeiicHuos f/bio a iffbio
Pataces Brasileiros ijJ(6io a i#63o
Premios das Letru, pjr mez 1 a i|< por 100
'Cabr a p. c. disconto.
Nora.
<|5*.
PARTIDAS DOS CORREJOS TERRESTES.
[o DE DEZEMBKO. NU&ERO 268;
Tudo agora depende de nbs mearnos ; da nossa prudencia
moderaco e energa: continuemos como principiamos,
e seremos apontados cora admiraco entre as Naces ma* cul-
ta.
Proclaraaco da Assemblea Geral do Brasil.
Segundas e Sextas feiras.
Todos os das.
'Cidade da Paraiba e villas de sua preteneo .
'Cidade do Hio 'Cdade da Fortaleza e villas dem......
Villa de Goianna...........
^Cidade de linda...........
Villa de Santo Anto........... Quintas feiras.
'Dita deGaranbuns e Pvoacb do Bonito. .... Pas 10, e ai decada mez.
"Dittas do Cabo Sernhaem, Kio Formoso, e Porto Calvo
'Cidade das Alagoas e Villa de Macei. .
Villa de Pajau'de Flores. .........
Todos os correios partera ao raeio da.
dem
dem idem.
dem 13, dittoditta
e ai ditto dido.
Siibscreve-se para esta folha a mil res mensaes pegos adl-
antados nesta Typograi, ra das Crines I). 3, cus Praca
'da Independencia D. iy t 58, onde pe recehem correspon-
dencias cgalisadas e anrrancios: insirindo se estes gratis
sendo dos proprios assignants, e vtulos assignados.
DAS DA SEMANA.
10 Segunda S. Melquades. Aud. do Juiz do crime de tarde e sesso da Tbes. P'
ii Teica S. Dmaso P. Kelaco de manb aud. do J. dos Uif. de tarde,
i a Ouai ta S. Justino M. Sesso da Thesouraria Provincial.
3 Quinta S Luza V M Relacio de manh. e audiencia do J. dos orlaos de trele.
i4 Seita S. Angelo Ab Sesso da Thez Publica, e aud do Juiz do Civel de tarde.
i5 Sabbado S Euzebio B. M. Relacode manila eaud.doV. (>. em Ulinda.
16 Domingo 3 do Advento As VV.de frica. La nova Ii. e 5a rain, da t:
Mar cheia para o dia g de Dezembro.
As ii horas 4a minutos de manhl As ta hora 6 minutos da tarde.
PARTE OFFICIAL.
RIO )E JANEIRO.
CMARA DOS SENADORES.
Sesso em 26 Je Setembro de 1838.
Pressidencia do Snr. Mrquez de Bae-
pendy.
Feita a chamada eachando-se presente
numero legal dos Snrs. Senadores, o Sr.
Presidente abre a sesso, e lida a acta da
anterior heapprovada.
O Snr. primeiro secretario da' cootado
expediente.
Ordem do dia.
So ;pproTid, em t-gn uiscusso,
para passar a terceira, a resoluca que de-
clara o vencimento que deve perceber Jo-
s Antonio de Miranda Ramalho aposen-
tado 110 orticio de juiz da bataneada al-
Tandega desta corte 5 e em prirneir.i discus-
so para passar a segunda a resol uco
qae approva a peusio concedida a Dona
Custodia Joaquina do Sicra ment.
Entra em piimeira discussSq a resolu-
cio da outra cmara, approvado a apo-
sentadora concedida a Jos Alves Pinto
Campello, conjunctamente rom o parecer
e menda da commisso de fasenda : e o
Senhor presidente declara addiada a dis-
cus-o a fiin dse discutir o orc-tment.
Tem lugar a segunda discussio do arti-
go 7. e paragripho 1. da proposla do
governo sobie o ornamento da recrila e
despesa do Imperio para O auno Guceiro
de I839 a 184o.
Julgaudo se discutida a materia, he ap-
provado o dito paragrapbo I. e igual-
mente os deste o a, at o 17 como ha-
vio sido emendados pela cmara dos Srs.
depulados ; sendo tambem approvado o
17 additivo das emendas referidas, sobie
a indemnisac,io do cidadio Jos Joaquina
d.i Rocha.
A requerimento do Sor. Borges, fica
addiada para o Gm da lea discussio do
i'8. additivo. '
Dada a hora, o Snr. presidente declara
addiada a discussio, e d para ordem do
dia as mesmas materias dadas para boje.
- Levanlo-se a sesso as duas horas da
tarde.'
CMARA DOS DEPUTADOS.
Sessa de 26 de Setembro.
Presidencia do Snr. Araojo Vianna.
Logo que se rene numero legal de de-
putados, heaberta a sessad, lidaeappro-
rada a acta da anterior.
O Senhor primeiro secretario da' conta
dO expediente.
Ordem do dia.
Continua a discussio o parecer da com-
misso do oicamento sobre ocredito de 4
mil e seiscentos coutos pedidos pelo go-
verno.
Sao apoiadas as emendas impressas da
commisso a proposta :
O Snr. Navarro /pela ordem) manda
a meza a seguinte emenda que be apoi-
ada.
Emenda a proposta :
Artigo ly O governo he autorisado a
despender aquantia de 3,980 contos a-
lem da despeza fixada para o crreme an
no fnanceiro pela |e de i 1 de outubro
de 1837 n. 106 a saber ;
Pelo ministerio do Impe-
rio....... 5o:oooUooo
Pelo dito dos negocios s-
trBngeiros ..... iG3,375Uooo
Pelo dito da marinha 8a6.8a4Uooo
Pelo dito da guerra qaa i5MJono
Pelo dito da 1 -senda 1.817 <>46 00
Artigo a. A despesa coro a amorlisacio
da divide interna sera' feita com p-
lices pertencentes ao cofre do deposito pu-
blico.
Artigo 3. Nao tera' accio em juiso o
credor por letra de que nao haia pgo
hum sello na raso de i|a por cento, ao
auno do respectivo valor ; e o governo da-
r o necessario regulamento para a cobran-
ca dete imposto, que fica aplicado ao pa-
gamento do presente crdito.
nico. Nenhuroa letra pagara' me-
nos de ioo reis de sello. -- Navarro.
Tom'o parten? discussio os Surs. Cal-
mon, Vianna; e NaVano.
A discussio fica addiada pela hora.
O Snr. Presidente d para ordem do
dia a mesma materia de boje.
Levanta a sessad depois das duas horas
da tarde.
importancia dos Direitos nella declarada
se acha conforme.
Dito Ao Administrador da Mesa do
Consulado remetiendo Ihe copia do artigo
8. da Le de 6 dPOutubro de i835 e
7.0 da de 11 de Outubro de 1837 para fi
car na intelligencm de que as moedas de
cobre de 80 \o e 20 reis em algarismo
podem correr independente de carimbo
por metade do sen valor, verificndose
terem o peso legal e baverem sido cu-
nhadas na Casa da moeda do Rio de Ja
neir.
I)iio_ Ao Coronel Manoel Cavalcanti
d'.Ubquerque e a Nuno Maria de Seixas
commuuicaudo-lhes haverem sido nomea-
dos pelo Exm. Snr. Presidente da Pro-
vincia pira Mambros Suplientes da
Commisso das Maquinan.
r ifitefino do Curso
Diis
_ Ao Directo
Jurdico de Olinda saplisfasendo a requi-
/.ipa que fez a respeito d.is Cartas dos
Bacli.neis com o omdo do Administra-
dor da Rectbedoria de Rendas Internas.
Portara Ao Thesoureiro da Fasenda
mandando entregar a quantia de dez con-
t de reis ao Thesoureiro das Rendas Pro-
viuciaes por couta do supnmento manda-
do abonar pelo Exm. Snr Presidenie da
Provincia a Gm de coiitr)iu*r o pagamen-
to das despesas Provinciaes a sen cargo.
Dita Mandando carregir em Receit;*
ao dito Thesoureiro das Rendas Provinci-
aes a rtfeiida quantia de dez contos de
reis.
PERNAMBUCO.
THEZOURARIA DA PROVINCIA.
Expediente do dia 6 de Dezembro de
1838.
Officio Ao Exm. Snr. Prezidente da
Provincia pedindo para expedir as or-
dens o Com mandante do Biigue de Guer-
ra Nacional Treze de Maio para no caso
dee demorar ueste Porto at i3 do cor-
rente mez comparecer na Secretaria no
dia 1 a para tomar conta e levar para o
Tribunal do Thesouro as Sedulas e Co-
nhecimentos das extinctas operacoens do
troco da moeda com as Notas do Novo
Padro que sobrario das diversas substi-
tuicoens nesta Provincia.
Dito _u Ao Inspector d'Alfundega, coro-
municando-lhe ter o Exm. Snr. Presiden-
te da Provincia nomeado para Memhros
Suppleutes da Commisso das Maquinas
ao Coronel Manoel Cavalcanti d'Albuquer-
que por parte d Agricultura e a Nuno
Mara de Seixas pelado Commercio-
Dito Ao dito com urna conta do que
pela mesma Tbesouraria se deve a Me.
Calmont &Comp. para informar se a
Diversas Rparticons>
TRIBUNAL DA RELLACAO'.
Sesso de 6 de Dezembro de 10*38.
No requerimento. de Manoel Pinto pre-
zo na C.idi-ia desta Cidade pelo Juiso de
Direito da a. Vara do Civel a requerimen-
to de seo credor Thom Ribeiro Gomes dos
Santos em que pede Habeas Corpus lhe
Coi a mesma concedida por Accordio.
Os Embargos do Senador Manoel de
Carva.ho Paes de Andrade ao accordio
proferido a favor de Francisco de Paula
de Carvalho Paes de Andrade e outros na
Cauza de appell.co Civel desta Cidade ;
forad despresados mandando-se cumprir
o accordio embargado, Esciivio Ban
deira.
Na appellaco Civel .Jo Ju so de Direito
da Comarca do Rio Formoso appellante
Pedro Alexandrino da Silva Paes Brrelo,
e outros, e appellado Francisco Ignacio
dos Saotos Escrivio R-bello ; se julgou
pela cnnGrmaco da sentenca appellada.
Os Embargos oppostos por Antonio Ta-
vares de Lira ao accordio a favor de Jos
(iomes dos Praseres na Cauta de appellaco
da Comarca do Brejo d'Areia Escrivio
Ferreira ; forio di spresados mandndo-
se cumprir o accordio embargado.
O Embargos oppostos por Jos Vieira
Brasil, e outres ao accordio proferido a
favor de Virginio Antonio Rodrigues Cara-
pello, na appellicio Civel desta Cidade ,
Esciivao Ferreira ; forio recehidos e re-
formado o accordio era'b-trgado julga'ndo-
se nulla a vend feita da amuTtde do em-
bargo contrassude. ,
Os Embargos de Manoel Fernandes da
Cruz e Joaquim da Fonceca Soares de
Figueredo oppostos ao accordad a favor de
Joio Francisco dos Santos Siqueira na Cau-
za de appellaco Civel desta Cidade Ks-
envao Ferreira ; forio recebidos e julga-
dos provados reformado o accordad em-
bargado.
Na appellaco Civel do Juiso de Direito
da Comarca do Rio Formoso appellante
oJuizoe appellado Manuel Goncalves da
Silva Esciivio Posthmo se julgou pela
conrmacio da sentenca,
ALFaNdG DAS FAZENDAS.
A arrenatacio annunciada das Caixi-
11 lias vasias para pilulas no (lia 1.
do correle, lica transferida para o dia
de hoje.
Adandega de Pernambuco 10 de Desem-
brodei838.
MEZA DO CONSULADO.
A Pauta he a mesma do num. a5.
OBRAS PUBLICAS.
Nos dias i5, 17 e 18 do correte
mez ir a praca para ser arrematada a ree-
dificaco da ponte sobre o rio Tracunhaem
na estrada de Goianna, avahada em reis
i:5a5,34- Os Licitantes devem compe-
tentemente habilitados de Fiadores idneos
comparecer nos referidos das ao mei
dia a dar os seus Luces na Reparticio
da- Obras Publicas, aonde est patente o
respectivo orcamenlo para ser examinado
pelos Pertendentes em qualquer dia til as
horas do expediente.
Jnspeccio das Obras Publicas 6 de De-
zembro de iBili.
Mora es Ancora.
Pela Inspercio Geral das Obras Publi-
cas convida-se aos Omcias de Carpina que
se quisrrem ero pregar as mesmas < bras a
apresentarem-se ao InspectoJ Geral deltas
na respectiva Reparticio, para tratarem do
ajuste. -
Inspeccao das Obras Publicas 6 de Do-
sembr de-j85o.
Mores Ancn.
Os Officiaes de Carpina que se quise-
rem empregar as obras dos Quarteis
forliGcacio apresentem-se ao Inspector
G'al das Obras Publicas na respectiva
Reparticio ou ao bnr. Tenen'e Joaquim
Jos de Faria Neves para tratarem do
ajuste.
Inspercao das Obras Publicas 6 de De-
zembro de 1838.
Moracs Ancora.


9
DIARIO
D E P R R N A M B C O
5
PRFEITURA.
Parte do da 7 de Desembro de i838.
lllra. e- Ex*. Snr. Fora presos hon-
tem inha ordena e liverio destino :
Manoela Joaquina da Santos preta pe-
lo SubPrefeUo. da Freguesia de S. Antonio
por queixa do Francez Marcelino por llie
ter ella furtado quatro p> cas de bico de
tinho de grande valor; Jos Fiaooisco,
pardo por una soldado do Corpo Policial
por estar bastante ebrio 6 era desordem ;
Manoel Jos dos Santos tambera pa-do ,
por un soldado do mesmo Corpo por Ibe
ter sido aprehendido um caivete d'estal>:
Antonio Bandeira tambera p.irdo poi
outro soldado do mesmo Coi po por de
imncia de ter une faca de ponta comsigo ,
qual Ihe foi apprehendida em u a ca
xa no conrea de sua canoa ; Joo Xavier
Vital branco preso por mira por ter
dado una bofetada em outrem ; Joo J se
do Carmo e Joaquim de Torres Bandei
ra pardos pelo Sub-Prefeito da Fre-
guesia da Boa-vista, este por Ibersidoap
prebendida un faca de ponta, e aquelle
por suspeita de ter sido quem ferira os 4
Ingleses na noite do dia 2 do correutc
mee.
Pelo Sub Prefeito da Freguesia de San
to Antonio forioapprehend.dos tambera
oiitem em casa do Ctpia de Valo Manoel
Pedro, 2 Africanos que elle huvia encon
Irado e recolhido a sua dita casa para os
vender s>* uodo a denuncia dada ao
mesmo Sub-Prefeito ; cojos Africanos ti
verio o competente destino.
O Sub-Prefeito da "Freguesia da Boa-
vista partecipa, que honlem pel da noitn no lugar dos Coelhos fora grave
mente ferido no rosto o pardo Antonio de
til pelo preto Victorino escravode An-
tonio Rodrigues de M ores cujo preto
nao foi preso por nao ter s do encontra-
do por baver logo fgido.
E' o que consta das p*i tes boje recebi-
das nesta SeCr. tari*.
Dos Guarde a V. Exc. Prefeitua da
Comarca do Recife 7 de Desenhio de
1838. Illm. Exm. Sr. Francisco do Re-
g Barros Presidente da Provincia.
rancisco Aniomo do Sa
feito da Comarca.
n.
1 >\ */
u.
ANNUNCIO.
O Illm. Snr. Prefeito Interino da Co
marca do Rio Formoso o Bacbaiel luir
Duarte Pereira manda faser publico que
pelo Sub-Prefeito da Freguesia de Ipojuca
fora aprehendido no di.i a5 do corrente
no lugar denominado Porto de Galianas ,
e recolhido ao Qoartel de Polica desl
Villa um mulrfiinho de iome Joo com 7
a 8 anuos de idade que diz ser escravt,
de Jos Joaquim de Mosquita morador no
Recife.
Rio Formoso 27 de Novombro de 1838.
Joaquim Aurelio Waodeiley.
Amanuense.
CAVIARA MUNICIPAL DA
DO RECIFE.
CIDADE
Soasad do dia 8 de Setembro de i838.
Presidencia do Senhor Barros.
Comparecers os Snrs. Rios Souza ,
Chavea, Oliveira e Viauna -, faltando
com cauza os mais Senbores.
Aberta a Sesso e lida a Acta d.i ante
cadente foi approvada.
O Secretario dando eonla do expedien-
te menciou os segaintes emeios.
Um do Exm. Vice.lTesid. da Provincia,
parlecipando nio poder approvar arie-
mataca que esta Cmara pretenda fase
dascasiiihasda Praca do Mercado do l5-.ii
ro da Boa-vista com a condica de pude-
ren ser alugadas pelo arrematante a quem
Ihe apparecer quando nio baja quitan -
deiras, pombeiras &c. que as o cupe ;
por quanto nao convem dar as ditas casi
uhasd-stino diff-renle daquelle para qu<-
fora feitas : a Cmara ficou inteirada e
resolveo ; que se posessem em Prac as
R boiras dos Uairros de S. Antonio e Bw-
visla com cundido de se nao appbcar as
caainhai a oulco fira para que nao fora
ctiadas.
Outro do mesmo Exm. Vice-Presidenje,
disendo que nao convem quo as lajas
da Prac da Independencia de nmeros
15 18 21 en tenha urna avalic
menor no prec de seos alugueres, sen que
sejrt primeiros despejadas e abandona
pelos ctues iiiquilinos : deliberou a C-
mara que o Procurador quanto 'antes
fi*'ss> com que fossera disp-jsdas as refe
ridas lojas para serern postas em arrema-
tar;
Outro do Piefvito desta Comarca par
lecipasdotero Tribunal do Jury desli O
dadedecidido qu;- .Antonio da Si'v 5l
Comp fosse eliminado da lista dos Jura
dos era consecuencia de SUa avansadi
idade e molestias : a Cmara fie mi i n ta-
rada e resolveo que se fisesse a nota no
com plente Livio
Outro lo FlsCtl da Boa vista rem rellaca das pessoas multadas naqu-|!e
Bairi-o nos meses de Julh Agosto, e Se-
tembro p. p. que importo 11 em 121,$ rs.:
inteirada.
Outro do mesmo Fiscal exigiodo a quan-
tia de 3200 rs. que despendwo com o Dr,
flisputavam com mi armada o predomi
nio na provincia he para nos de ne-
nhuma duvida qoe se f presenca de um hornera da tempera do ge-
neral Andreas, que a huma yontade de
ferro rene espirito forie incapaz de
dobrar-se a qualqner oceurrencia, tendo
sempre recursos para obviar o mal re-
cursos que emprega sem hesitar, em-
i'ora nao estejam marcados as leis, em-
bota sejao entra ellas.
Paia nos temos que um homem tal co-
mo o presidente Andreas he o mais pro
prio para impor as faec-*" armadas o ju
go da lei sufocar, as rebebo* } ras lo
go que as armas foram depostas log qu
os nimos esto purificados hura homem
como o general Andreas be hura principio
? revolta e de novas guerras de novas
calamidades. Os habitantes do Para' que-
rem ordem queirra paz; longis soffri-
mentos Ihe eisioaram o que se deve espe-
perar de commoc^s polticas : todos que-'
rem reabililar suas fortunas ; mas alten -
da bem o governo a estas nossas pal ivras.
si continuar # syfe'ra de compresso em
Kelippe J\eri p>r urna corrida de BHude"# mo no P*ri*, os PiMenses ainda erb
que c>>m o mesmo fez no dia 29 de Agosl"
do correte anno : que se pacasse manda
do.
Outro do Fiscal desle Bairro exigiodo a
quintia de 2,240 reis, qu" despe ndeo com
2 enterramentos de 2 corpo constantes dos
documentos que juntou ; que se pacasse
mandado. ^
Outro do Fiscal dPFreguesia dos \(-
fogados exigindo a quantia de 11 ,o4
reis, que d-p-ndeo com a bmpesa da pon-
te daqunlla l'reguesia nos meses di- Julbo.
Agosto e S. tembro e com o enlerra-
raento de um cadver: que se paetsse man
dado.
O Snr.* Vareador Oliveira requeo,
que se ofBciasse ao Pr<-feito desta Comaica
emettendo a rellaca dos lugares marca
dos paia venda de defiranles objectos pa-
ra dar suas ordens afim de faser com
que as pessoe* que costumo vender pe-
tas ras desta Cidade se recolbio os luga
res marcados por esta Cmara.
O Sr. Vereador Obveia requereo que
se nomeasse urna Commissio p ira deri
gir uma represnniacao o E> Miiusf da
Justica pedindo esciar cimento a respeilo
das cusas que por Lei paga esta Ca
mar aos Escrives do Crime naquelles
Processos em que decabe a aecusaco do
Promotor assim como sobre a exigencia
do mesmo Promotor a respeilo das cusas .
que lambem exige da Cmara quando
dfcabea sua ccusicio; requereo mais qu"
o Procurador tivesse um bvroemque tan-
casse as cusas que lem de pagar aos Es-
iw iraens d<> Crime sendo nomeado para
a Commisso os Senhores S uza e Dou
tor Cintra.
Despacliara se alguns requerimentos
E por ser dada a hora levantouise a Sesso
e mandarlo faser a presente em que assi
gnario- E eu Fulgencio Infante de Al-
buquerquee Mello Secretario a escrevi.
Barros Pro Presidente. Rios Souza ,
Cbaves Oliveira Vanna.
O PARA'. .
Huma palavra sobre esta malfsdida pro
vincia do imperio. Quando pretende o
ministerio demitiir o presidente Andreas
e dar-lhe successo na presidencia ? Nio
entendemos aecusnr a qui o general Andre-
as de prevaricador 00 concussionario;
nao o conhecemos, mas pessoas que nos
meiecem inteira c .nfianca abonara su>
probidade : nio he por t.nto por essejado
qoe nos parece dever-se demilir o presi
dente do Para'mas nao basta, paia ser bora
administrador de huma piovincia, o ter
probiddde, he de mister tambem confiar
as leis do paiz nio as suppor fracas e
inca pases de conter criminosos.
O Para' soffreu uma comro< cao violen-
tissiina, as fa cedes sucrediam se as faeces-,
ninguem pd' resistir forga circuostan
cas, todos os que -perm.meceram na pro
vincia quer obrigados, quer por sympa
th'S, entraran) na guerra civil ali- que
caneados da lutta, sem fortuna sem e
uergia deposeram ns armas. Enquanto
luttavam o partidos em quanto certas
castas, cerlss familias, cercos individuos
forca ainda achaif energia para ern;iu-
nharem as armas e enfio ai do governo,
ai do Brasil .' A bracos com a revolta do
Rio-Grande onde se discute laucadas a
vida ou morte do imperio si huma outra
provincia se rebellar,si o governo liver
de distrabir sua,alteocio e su dous pontos diversos a rebelli>> certo
ganbara' fe< renos, e nos teremos de deplo-
rar sobre a sorte da Naco.
Deixe o governo as intriguinhas da cor-
te, desprese esses manejos que IIih oo
do gloria era forca e cuide seriamente
do paiz O Rio de Janeiro na > he o Bra-
sil ; nio he nos pequeos circuios dos sa
les ministeriaes que se devera discutir os
destinos do imperio. Oica os seus amigos
nao os tenha por nimgos\ |ue elles s de-
jara s querem ver coberlo do gloria o
ministerio que a tanto cusi tero sustenta-
do. O Para' quer paz, querorde>n ; o Rio
Grande quer guerra, quer forca: d'o
governo a paz ao Para faca a guerra no
Rio Grande ostente toda a sua foroa,
mostr que huma faegiode boma provin
ca nio podera* iazei-o sucumbir ; ivrs
se o ministerio actual do tmulo em que
jasem sepultados os ministerios passados.
Terminaremos este artigo com as se-
guiutes palavrasde Sully, que deixamos
consideradlo do go erno : Nao be nun
ca por gusto de atacar que o povo se suble-
va mas por impaciencia de sotfrer... Os
ambeciosos coriesios favoritos* trabalb
para a ruina dos estados e cauza as le
velaces.,
- Fui approvado na cmara dos depu-
lados o projeclo qe autorisa o governo
par. contractar com Cobrdo Jacob Nie-
meyer e Pedro Alcntara Bellegarde a em-
presa da demolilo do ajorro do c istello
do Rio de Janeiro. Parabens aos habitan
le do Municipio, neutro .'
(Do Cronista).
O Correio de Minas.
Em o numero 56 foi transcripta a emen-
da adoptada a 78 de ulbo na Cmara dos
Diputados alterando o seu Regiment e
pensamos que vista das disposices e do
systema icintosu da opposico em procras
linar as discussdes das medidas mais celu-
lares para o paiz se julgaria geralmenle
proficua aquella providencia poi- que a-
inda nos restava esperancas de ver passar
este auno as iudispeusaves refoimas dos
Cdigos Criminal, e do Processo a legis-
lacio sobre o meio circulante ,- a interprc-
(aco do Acto Addicional, mil oulras
medidas, sem as quaes nio vemos salvaco
para o Brasil. Ao termos porem as folbas
da opposico, vemos qun nos engaamos
ledondamente em nossas previses e dan
do-se.lhes crdito, hura grande golpe de
eslado teve lugar no dia 28 de Julbo (dia
em que fui adoptada a Emenda ao Regi-
ment) a Inania ministerial impoz silencio
a 80 e tantos Representantes da N 910 e
e o terrivel systema do regresso dehum s
passo anniquilou nossas insliluices e o-
brigoua que passassem sera exame todas as
medidas rninisieriaes, e a que seja appro-
vado d'anlemo todo e qualquer proced
ment que os ministros tenh- lid o du-
rante sua administraco. *
Vendo taes aecusaces repetidas com em-
phase e tenacidade pela Aurora e Parla-
mentar echoados pelo Universal e seu sale-
lyte o G N nossos cabellos se arripira ,
e temendo pela Libjrdade qu de coraci
amamos, temendo tnesn.o pela gloria ,
considerncio e solidez da administraco ac-
tual a quem por principios e c> nvicelo
temos prestado uosso fiaco apoio e qu
de certo nio poderla sustentar se ii'em pro-
mover a felicidade do Brasil com taes me-
didas, procuramos entrar na iudag.-ico
exacta do que na Cmara dos Diputados
leve lugar nesse di.a sempre ufoslo para a
opposico; combinamos as ditloientes fo-
lbas que nos dio extractos das Sesses, vi-
mos mesmo o que n3S*dizem as folh-j da
opposico, ahsl'raindo-no-i das repetidas
decla-mai*RS e o resultado v lodo esie
exame foi hum balsamo salutar que, la-
zendo-nos conhecer covevidencia o v. zio,
ea falsidade de taes imputacos tranqui-
lisou osso espirito e nos restituio con-
panc* que tiuliamos na administraco
esperanca nd maioria Nacional que quisi
tinbau ido abaladas, avista de lio fortes
aecusaces *
Foi diz-se, tumultuaria, e Ilegal
huma tal deliberacio examine se porem
esta .rguico e nao se achara ao menos
em que se ella pissa fundar : o Regiment
interno de c*da huma d*s (amaras be hu-
ma deliberaco s sua, filha nicamente
de su.asopmies, e convicu em que ella
se acba sobre a melbor maneira de dar an-
damento a seus tmblboa : parece-nos mes-
mo quo o actual Regiment interno foi vo-
tado por aclamacio, e a elle se tem addicio-
nado as delib--races que se toma quanto
aos casos occorrentes (1) e salvo o querer a
opposico ao p esente conceder a Regi-
ment interno o privilegio especial da in-
alterabilidad*, nio descobrims ondees-
leja a illegalidade da reaolucio da Cmara*
A ex maioria clama-se, fot mais geue-
rosa ella repeli de si este pi*ojeclo. A-
iuda nisto ha inexactidio a ex maioria
nio repeli ; c.intenlou-se em nio deci-
dir e nio s.-bemos se foi mui generosa
marcha <|ue eniio adoptou do silencio e
de roanoaaer ; spposic" d'enlio com a
simples volacio simblica : nio queremos
entrar no exame dos motivos que a ex mai-
oria teve para nio adoptar essa medida,
Vrtcillando sempre sobre sua propria exis
tencia nao confiando en bum governo
que sustenlva s por amor da ordem e te-
mor de ver repioduzirem-se as f-eces e
sedices ; poderiamos mostrar fcilmente
que estas razes bastando segundq sua
convicc&o', para dever conceder ao gover-
no o que era necessario para que se elle
mant.ivesse nio podia ser suIScienles a
animal-a a tomar medidas en 1 gicas e pa-
ra as quaes he preciso confiar na adminis-
traco ,- fcilmente provariamos que a mai-
oria se achava como alada e impedida de
marchar de acotdo com hum M nislro
que inlilulava a Cmara de bando de pi-
ratas com bum Ministro qoe mas
seiia necessario enlrar na analise do proce-
der da administrfco, e como julgamos
dever adoptar neste caso o parce sepul-
tis concluiremos que foi essa pouca con-
fianca na admiuisiruco que exist., loi a
necessid..de de nao mais addiar medidas de
urgente necessidade cuja execuca se nio
animava a enlregar-lbe que trouxeo
19 de Setembro.
Accuza se ainda a deliberacio do dia.28
de Julho de limitando as vezes q' qualquer
orador pode falar e permittiodo o encer-
ramiento da discusso quando 12 Diputa-
dos tenha orado, lirar assim a palavra
* mais de quatro quintos dos Representan-
tes Ua Naci que ali existem e fazer pas-
sar pelo silencio do despotismo as exigen-
cias dos Ministros ; mas esta aecusaco ca-
bii tambem quando se observar que tal
deliberacio- he igual para lodos, como ja
tivemos occasiio de d.zer e que o encer-
ramento da discusso s pode ter logar de-
pois de pronunciados iguaes nmeros de
discursos pro e contra o que be em pr-
juizo da rn-ioria por issa que coola roaior
numero de oradores; alem disso nio
(1) Prescindimos dos cisos ouissos
Regiment e que sio regulados por preca-
deuies.


DIARIO DE PER N A M BUCO
5
tle obrigaco que os la Diputados como
parece querem fazer cre- Eicri plores da op-
posicio Seja5 sempre os mesoi-s sendo
alias poucos os que tomad a palavra sobre
todos os blelos era discussio: a opposi
co pois que aproveiteem qmsi todos elles
a verhosidade interminavel do Sr. Monte-
zuma ea inegavel h^bilidadedo Sr, Lim-
pode Abreuem fugr dos pontos da qu<*-
tio que Ihe nao fazem conta em procurar
ferir seus adversa^ ios com brilliautes dis-
cursos: faca islo aoppisico, eomtenha
0 frenes de fallar do Sr. Alvares M icha
do, que Dio pouco ganhar ; u maioria
por sua parte aproveitai ag mas das vetes
os seus mais distioetns oradores e a Caza
dar semprs con prazer a palavra a dis
tinelos parlamentares taes como os Srs.
Andradas, eiubora votem elles por hura
outro lado embora segundo suas convic-
cea prestem seu apoio quelle lado onde
julguem encontrar seus principios : Bssim,
ns queslps sero suficientemente esclare-
cidas e os votos serio igualmente filhos da
canviceio e nao da surpreza como ariei-
ramente se quer figurar j poi quanto a dis-
cussio oflerece anda todas as garantios
precisas especialmente existindo duasCa
maras e haveudo entre n liuma liberdade
d'iroprensa que a mesma oppos9o reco
nhece Ilimitada.
Pareos termos demonstrado que a pro-
videncia adoptada pela Cmara dos Depu-
tados para adiantar as discussSes das leis
vrtaes, que o paiz pede, j com impaci
eucia nada lera de Ilegal, oppressora ,
ou oppostas nossas Insliluicoes, resta-nos
examinar se fot til.
A maioria no principio da Ses-o quiz
ser extremamente generosa e decidi que o
voto de gracis fossa discutido por perio-
dos; qual foi porem o resultado? discus-
ses rnterminavris, repelicoes fastidiosas
que para nao absorverem ioda a Sessio,
foi preciso a final voltar-se sobre a delibe
raco tomada e concluirse a discu-siq em
glubo. Durante estes debales e os mais
que se Ihes seguirad, a opposicio de-
moiistrou confessou mesmo, com espan-
ta do Brasil, que s quera atrapalhar e
que nao podendo fazer vencer o seu pensa-
niei.lo contra o da maioria Nacional, ella
quera antes que nada se ieesse mje ce-
der dos seus capricSos Esta opinin anti-
brasileira huma vez adoptada e sustenta-
da com erbperramento nunca visto deu os
rebultados necessarios ; tres mezes qmsi
era passados e pouco, ou nada se h,avia
feito para o melhoi amento do Brasil 5 e
conviria que a maioria com os bracos cru
zados te resgoasse pacientemente vendo
passar o temposem se tomarem as medidas
precizas paia salvar o paiz ? ou caropria-
lbe laucar mi dos recursos que as leis fa-
cul lativos que er5 precizos buma vez que
icvtstidos fossem de todas as fo.mulascon
stilucionaes ? No primeiro caso o Brasil
Ibes dira vos tivestes o poder de salvar a
Naci, tivestes huma administrarlo em
quem confiaves; hum numero suficiente
de Representantes esclarecidos para adoptar
vossas medidas : e a foic.i moral precisa
paja Ibes dar novo vigor; a maior parte
das notabilidades brasildras fazia causa
commum com vosco ; as eleicea do Brasil
todo sustentava5 o go>erno de vossa con-
fianca ; e entretanto com lodo este poder
que Tuestes ? A anarebia no Rio Giande
do Sol continua a augmentar o numero de
suas de.-gracdas victimas; o nosso exei
cito existe desorganisado sean poder pres-
tarse .0 que a patria delle exig ; o Acto
Addicioual continua a ofivrecer em sua in-
teiligencia duvidas que podem arrestar fu
iiestus consequencias ; em fim todos os me-
1 lio ramea tos que o Brasil exiga e que t-
nl tttreito d'esperar ficara inda procras
tinados e porque ? porque temesles ferir
o amor proprio d'alguns borneas, temesles
perder buma ephemera popularidade e o
exemplo anterior nao foi bastante para mos
trar-vos que os Brasileiros sensatos querem
a UNIAO' DO BRASIL, A MONARCIII*
CONSTITUCIN \L, A LIBER* DE
LEGAL, A FIRMEZA DE NOSSAS INS-
TITUI^OENS e querem tudo islo com
von.lade firme e anda cusa dos maiores
sacrificios! a opposicio que boje grita ,
tirannia! oppressio golpe d'e- do.' si-
lencio do despotismo etc. etc. sera a pri-
man a a recriminar a maioria e a lancsr-
Ihe em rosto o nao ter cumprdo suas pro
messas Por tanto he evidente que a C-
mara dos Depulados ou a sua maioria
lancou mi por tanto do recurso que Ib?
restava para salvar o Brasil sem ferir as
leis sem ferir as nossas Instituidles.
Cesse pois a opposicio de queixar-se sem
motivo; o silencio a que voluntariamente
se tem querido reduzir pode talvez ser
til ao Brasil, mas be desairoso mesma
opposicio, e faz-lhe pouca honra : elle re-
vela hum grande pensamento a oposicio
nio quera discutir e esclarecer mas sim
atrapalhar o crear ernbaracos adminis
tracio ; nio podendo satisfazer esta volita-
de ella cede d'aquelle direito n deixa
de cumprir bum dever sagrado deixa de
cumprir o seu juramento ; o Brasil para
ella nada vale S'ja desacreditado o Mi-
nisterio, embora a Naci marche su*
ruina Eis a legenda da opposicio de
18J8.
LOTERA DO LIVR\MENTQ.
As rodas da Lotera devera andar no
correte auno por estar j mu adiantada
a yenda dos respectivos hilh* tes e para
que se possa com seguranca e bievidade
possivel marcar odia imprelervcl do an
damento das ditas rodas faz-se preciso que
concordos amadores desle jogoa darem
prompta extraeco aos referidos bilbetei
comprando os qoe resta por vender. O
novo plano convida e os premios de que
se ellecompoem assegur.-.5 huma festa van-
la josa a quem ti ver'a ventura delles Iho cs-
brem em sorte.
LOTERA DA M. DA BOA VISTA.
-- O Thesoureiro da Lotera an Boa
vista faz sciente que as rodas da mesma
correal mpretervelmente n dia 011
ze do prximo mez de Desembra, e por is-
so o mesmo Thesoureiro roga aos amantes
destejogo, para que compres o restante
dosBilhetes iuteiros, que seacha a venda
nos lugares do costume.
Avisos Diversos.
_ Precisa-se de quatro contos de res a
premio de hum por rento ao mez e d se
por hypntheca huma grande propriedade
na praca sendo a mesma a retro fexado 1
annuncie.
_ Perante o Juiz da segunda Vara do
Civel vai ser arrematada em hasta pubtica
nos das 10 t3 017 do' corrente huma
casa terrea em Fora de P01 tas atraz da I -
greja do Pilar D 07 parle d'outra na
Cidade d'Olinda na ra do Aljube D. ix
_ Agostinho Henrique da Silva faz sci-
ente ao respeilavel Publico, e com especia-
lidade aos Srs. abaixo declarados que no
aaoitecer do dia primeiro, do crreme au-
no Ihe foi fui t do da roargem do rio Ca
pibaribn e no lugar do Poco da Panella
hum bauzinho em que levava algumas eos
turas bicos e outras mudezas e dentro
delle em hum Anides algumas le'ras a
outros papis de circunstancia e para que
se nio faca negocio c >m ellas e nem com
os ditos papis annuncia para ficarem en-
tendidos por is*o va por este mejo (ero
quanloo nio faz individualmente) parteci
par aos acceitantes das ditas L- tras para
Ihe fazerem obsequio de as reformar, fir-
mando outras de novo, ficando aquellas
fuadas iiiulilisadas.
Roga o annnnciahta a qualquer Sr. que
dos ditos papis, e Lelras tiver noticia ou
caso por a gura accidente lhu venha ter
mi com elles fique para Ibes restituir ,
e promeite gratificar b-m a quem dellas Ihe
fi/.er entrega sem que exija saber de don
de Ihe vero isto pela grande falta que Ihe
lazem os ditos papis sem que possao uli-
lsar a quem 'os tiver em seu poder. Que-
rendo restituir o podem fazer aoannunci
ante, hoje esideiite no Poco da Panella
ou a seu ir mi J^a< Heniiquea da Silva ,
ceg, na ra do Crfspo, e a Gabriel An-
tonio, na ruado Lvramento. Aos S>s
M-.! Pereira Guimaries & Como, e aos
Administradores da sua raza : Woaquim
Pereira da Mendjnca, Antonio Pereija
Murriz Brrelo, herdeiros de M moel Fer-
nandes da Poreiuncuia herdeiros de Jo-
s Joaquim Jorge Goncalves 1 Joio Fran-
cisco de Araujo Jos Bento da Costa <_
Jos Alexamlre Ferreira Antonio Ma-
chado Das e Joaquim Machado Das E-
liss Coelho Cintra Jos Alves Bizerra Ca-
valcanti J.-s Thomaz da Silva Manbel
''arnero da Cunha e Antonio l.ournco
Tavares Jnior __ Joio B-rnardes da Si-
queira Francisco Jos da Costa _- Fran
cisco Graldes Moreira Temporal Jos
Burli Thomaz Antonio Maciel Monteiro
Jos Maiia Giraldes e^oio Vaz de O-
liveira por estarem certns das Iransarces
que com o anunciante tem. Como al-
guna do- ditos Srs. sio moradores distan-
tes desta Cidade do Recife o aiinunci nte
protesta justificar os seus dbitos caso s preciso, fazendo-lhe ceito que alguns dos
papis ou Letras podem ser negocia veis,
ou mesmo p*ga, por nio terera endoces
por forma alguma.
Quem precisar de hura pardo capaz
para fazer alguma viagem aoSerta, ou
para ir de companhia servind de gua
para qualquer parte do centro desta Pro-
vincia o qual dar conhecimento de sua
conducta com abono de pessoas capazes
queo copkecem ; nnuncie para ser pro-
curado advertndo que o seu ajuste ser
rasoavel.
_ Precisa-se allugar huma casa terrea
om cmodos para pequea familia tendo
lam) m quintal e cacimba ; nio exceden
do porem su alluguer de oito mil res
meiisaes embora se ja em ra menos pu-
blica : quem tiver para allugar nnuncie
para ser procurado.
S^^ Anda se continua a aforar, os
dous terrenos situados na estrada da Soli-
dle para o Manguinho, defronle mesmo
da ponte e da parte da estrada que se-
gu do Manguinho para a Igreja dos Af
Hielos comecando logo do fim da caza
nova do seu propretario o Desembargador
Thomaz Antonio Maciel Monteiro, con-
tendo o fundo de caza palmo aforado 120
palmos ditos e na raslo de 3ao reis cada
bum palmo: advertndo porem que hum
e outro terreno he todo enchuto e bene-
ficiado, e promplo para logo se edificaren)
o impiedades inde pendente de outro qual-
quer trabalho quando pelo contrario su.
cede eos outros terrenos por aq ellas ime
diaces em lamacal que se tem aforado
pelo mesmo preco : os pretendeutes enten-
da5-se cora o Escrivio Almeida em seu
Carlorio na ra das Trincheiras que est
munido de poderes para fazer tacs afora-
mentod.
_ Alluga-se bum primeiro andar, que
nio exceda de quatorze mil reis, ou mes-
mo casa terrea sendo em qualquer* das
ras segundes : das Cruaes, Cadea Co-
legio Lvramento Pracinha do mesmo ,
e-tiu do Queimado : quem tiver para alu
gar, dirija-se a esta Typ. que se dir quem
pertende.
_ Quera annunciou querer comprar
urna meza de meiode salla; querendo urna
de Jacaranda com multo pouco uzo dirija-
se a Solidade casa terrea junto ao sobrado
do Snr. Francisco Goncalve da Rocha.
_ Precisa-se de*6 serventes para o ser-
vico de pedreiro em buma obra na Boa vis-
ta : qxiem os tiver quena ir ajustar na ra
da Cibz N. 56.
Na ra da Madre de Dos casa junto
a l"|a de ferragem defronte da Guarda se
vendem sorvetes de todas as qualidades e
muito bem feito e com todo o asseio a
preco de cento e vinte reis onde achar
pronto a qualquer hora.
Francisco de Sa' eSouza, que traba
Iba em tartaruga no alterro da Boa vista,
passoo se para a ra da Santa Cruz casa
terrea encarnada de duas portas e janella no
meio confronte os fins do oitio da mes
na Igreja. e continua no mesmo tra
balho e com brevid ide apronta toda e qua1
"bra nava, e consertos e compra tartaruga
e pentes velhos tizos.
Na noite do dia n do corrente, per-
deu-se da Matriz da Boa vista ale a ra
das Cruzi huma carteira de msrroquim,
com quarenta mil reis em edulas, a sa-
ber : huma de tinte, tres de cinco, dus
de dous, e huma de hum : quem a tiver
tundo qneira por sua benevolencia trasei-
a esta tipografa, que alero do reconbeci-
mento dar' de alvcaras a m; rancia da
metade das mesmas sedulaa.
Quem tiver para allugar buma casa
no Bairro de Sioto Antonio, que tenha
commodo para pequea dando* se de al-
luguer de seis a oito mil reis ; na staTyp.
se dir'
Hum menino habel, deseja ser em-
pregado de caixeiro, l bem, escreve me-
Ihor, e conta soffrivelmente, de conducta
sem igual e he vivissimo, quem o precisar .
annuncie.
Achou-se un cavado castanbo no lu-
gar do Manguind : quem for seo dono ,
drija-se a Casa Forte a falar com Joio
da Silva Lopes que dando os signaos cer-
tos ser entregue pagando as despesas
que o mesmo tiver feito.
No Beco ,. que atravesse da ra do
Rangel para Liceo casa terrea que
fica n<> meio de dous sobradinbos tem
urna pessoa que d alraoco, jantar, e
ceia com muito bom aceio nio s na pro-
pria rasa como mandando levar uas mora-
das dos freguezes tudo a satisfaco e gos-
to dos mismos fregueses e por preco
mdico.
Quem tiver hum preto ou preta ,
para vender pi, pagando-se-lhe aven*
dagem e ja ha freguesias para a pas-
sagena da Magdalena : dii ija-se as Cinco
Ponas lado do nascente D 32.
*. Quem precisar de urna mulher, par-
da de idade para ama de casa de ho-
rnero solteiro, ou casado com pequea fa-
milia annuncie a sua morada para ser pro*
curado.
__ Um rapaz Brasileiro deseja-se arru-
mar em alguma esciipturacaS ou Cai-
xeiro de ra o qual d fiador a sua con-
ducta : quem se quiser ulilisar do.-eo pres-
umo; pois promette desempenhar qual
quer dos dois lugares com cuidado, annun-
cie.
_ Quero precisar de Caixeiro Portug uez
para o matto : annuncie.
Huma pessoa que tem pratica de es-
cripturaci. boa letra e conducta, dan-
do fiador a esta se oflerece para caixeiro
de qualquer arrumaco nesta praca : quem
do seu prestimo precisar anuncie a mo-
rada.
-- Todos os propietarios de sitio ia col-
ectados ou por collectar, afim de se Ibes
impor Decima nao tendo os mesmos si-
tios casas situadas em algum dos anu-
mamentos desta Cidade e alinhadas pela
Cmara Municipal do Districto ; queren-
do assignarem na representacio que so-
bre aquelle objecto se vai levar ao conhe-
cimento do Snr. Inspector do Tbesouro
Nacional, podem comparecer na ras Nova
na loja por baixo do novo sobrado de
Francisco Manoel da Silva Tavares tk 6
em qualquer dia e a hora que na mes-
ma Ihe ser a presentado o requer ment a
respeito por ser assim mais commodo t
doquesobr escadas como do primti O
inniucio.
t^p Quem quiser comprar hum terreno
na ra da praia com 60 palmos com al-
i erees na frente e dos lados, e tambem se
vende, e s metade, com lodo o material
que existe no mesmo, a tractar na ra da
praia Serrara do Cardial, junto ao tan-
que de Agoa. Na mesma parte ha mais
para vender 16 caixas d ama 1 ello para
assuear grandes e bem feitas e faz-se
mais algumas de encommenda a 8U000.
- Tioca-se urna Imagem de Sanio An-
tonio que nio exceda na altura de palmo
e meio ou de um palmo leforcado: quem
a tiver, e quiser trocar, annuncie para
ser procurado.
_ Quem acbar urna caixa de rap de
praia dourada de molde moderno e rom
ba>tante peso e quiser restituir leve a a
roa Nova a casa do Dr. Paula que dando
os signaes certos receber, e giatificai ,
ou annuncie. <
OH- rece-se para caixeiro de leja ea -
armasen hum rapaz porluguez, d fiador
a sua conducta, e tem de idade i5 a 16
anaoa sabe nem ler |. e-cever a
contar quem o pertender v a ruado L-
vramento venda do ( ardial.
e^. Precisa-se comprar hum preto pa-
ra capinhero, servco de cilio eqoesai-
ba carregar Palanqun, e que nio seje de
mais que estatura regular, dando prefe-
rencia aos da Cosa da Afnoa ; quem o ti-
ver annuncie por esta foi ha para ser pro-
curado.


4
m
DIARIO DEPRNAMBUCO;



Precisa-se saber onde mora Manoel
Domingues por alcunho o Caneca e Jo-
to Fernandes Rodrigues Paranho o pri-
meiro natural da Freguesia de Barqueiros,
e o segundo do lugar do sobrado Freguezia
de S. Clii istovo do rio nto, arabos do
Arcibispido de Braja no Reino de Portu-
gil s na praca da Independeucia D i.
Acha-se desocupado e piompto uno
Sacerdote para selebrar as missas desde o
dia de S. Tbora at o dia de Rcis em qu >l
qer parte que a conlecer ; quem delb,
Civer necessidade dirija-se a ra de lioitas
D. 35 quazi junto a Igreja dos Martirios.
-- Aluga-se poi todo tempo da festa
urna casa na povoacio de Bebiribe estri*
baria para dois cavallos cora o rio por de
Iraz d mesma casa : a fallar com o ladre
Jote Cira na mesma povoacio.
- Hypotheca-se nm sitio no heco das
bmeiras de Rento de Barros Falcio se
existe pois algum eml> irassado de oulra
bypotbeca, ou piiboia pede-tse que de
clare por esta folha no praso de 4 dias.
Quem annunciou querer comprar
um palanquim uzado querendo un dr
molde antigo dirija-se a casa de Antonio
Vicente Guimaries no largodoCollegio un
jo a loia de livros fl > Sr. Pinto.
Aluga se una casa terrea que tenha
grande quintal, no bairro da Boa vista,
quema liver dirija sea ra do Crespo D.
8 ouannuncie. #
Precisa-se di alagar um casa frrea ,
I nuuma lji da Praca da Boa visti at o
pateo da S/Croz ; quemtiver annuncie.
O Snr. Jos Francisco Frazo dos
Reis e Jos Marques Pinto e Jws Al
ves da Silva Guimaries podem procurar
urnas cartas n b-co da Lingoeta venda dt
Joaquina Jos Rebollo.
Aluga-se para se passar a Testa ou
animalmente, urna casa de pedra e cal .
ratificada a pouco com muito bons com-
rnodos bcm assiada sita na ra da casa
forte do lodo da sombra e em muito boi
posico : a tratar na ra do Vigario Da.
Arrendase as lojas do sobrado de 3
andares da ra de Livramento D t8 la-
do da sombra e propria para negocio : a
tratar na ra do Vigario D ta.
Precisa-se de um caixeirode io a \>
anuos ( chegadoagora do Porto: na ven-
da fio O-dial, ou annuncie.
O Sr. Francisco Jos da Silveira ,
que veio da Cidade da Baha encarregado
por Francisco Al ves GuimarSes para as sit-
as ccbrancas, queira aparecer no escriptorio
de Francisco Goasalves da Rocha ra da
Cruz n. 7.
Quem quiser para caixeiro um me
nio portu^uez o qual ja tem principios
de toja de fazendas; annuncie.
Qfferece-se um rapaz eslrangeiro pa
ra qualquer casa para ser criado : na ra
nova D 36.
- Quem annunciou querer comprar um
palanquim dirija-se a solidado subrado
de um andar com mirante.
Pegou se um gorupde embarcacio ,
bindo pelo rio abaixo ; quem for seu dono
dirija-seao telheiro di fronte de S. Fran-
cisco para se Ihe entregar.
Arrenda-se urna casa terrea na ra
Direila lado esquerdo bindo do Livramen-
to O. 17 ; os pretenderles dirija se a ra
do Crespo D. II.
Aluga-se um andar com muitos com-
modos : na ra nova D. 11.
Avisos Martimos
^___ ....
PARA O PORTO segu viagera at
dia ao do correle o l.itacho Portugus
Primavera de que he Capito Jos Cario*
Ferreira Soares por ter maior parte de
aeo carregamento prompto ; quem no mes-
mo quiser carregar ou hir de passagem ,
para o que tem excedentes commodos, di
rija-so aos seus consignatarios Mendes e
Oliveira ou ao mesmo Capitio
PARA O MARANHAO' Segu via-
gem com toda brevidade o Brigoe Escuna
Duarte 3. Capitio Jo* Metido de S011-
za ; quem no mesmo quiser carregar ou ir
, de passagem entenda-se com o Capito na
praca do commercio ou com Joio Vieira
Lima, ra do Vigario n. 17.
PARA O PORTO segu viagem a Bar-
ca Beiia Peruniiibncana Capito Manoel
Francisco' Ram-lbo, sahir c,m muila
brevidade ; quem nella quiser carregar ou
hir de passagem dirija-se ao mesmo Ca-
pito ou ao seu consignatario Minoel
Joaquim Ramos e Silva.
Compras
-- u aluga-se um moleque de iS a 17
anuos para o servico de urna casa : na ra
nova i). 11.
Vendas
Romances lo Dr. Antonio da Costa Paiv* obra inte-
ressante por preco cjmmodo na roa do
Vigario D. 1*.
Polassa Russiana em barris pequeo*
ch'egados prximamente; e barriquinh.is
de salitre refinado : 00 armasen! de Luiz
PereiradeFaria na rui das Cruzes De-
cima 9
.-- Um escravo serrador de idade de
zo annos de bonita figura e sein vicios :
na ra de Agoas verdes n. a5.
Essencia de A : na ra da Cadeia
vetba L>. 57.
JNa ra do Rozario quina do beco do
peixe frito, nove quartos com cangalhas,
uu sera ellas entre tiles alguns propiios
para sella ; assim como mallas e todos os
arraftjos propnos de viag-m do sertio.
-- Go moios de sal cbegdos agora de
Lisboa : em casa dd N. O Bieber ruada
Cruz n. 63.
Meios Bilhetes da Lnteria da Boa vis-
ta, a 3^700 cada um : as 5 puntas venda
D. 9.
Urna preta de naco cambinds, que
representa 3o annos de idade a qual sabe
cozinhar o diario de urna casa he lavadei-
ra boa quitmdeira e tambem serve pa-
ra o servico do campo por ja ter nisto pra-
tica : na ra do Livramento do laduda ra
Direita no terceiro andar do sobrado De-
cima 18.
No atierro da Boa vista n. a3 na c
onde mora o eslrangeiro Kmilio um ca
rinho para enanca e por pre90 commodo.
-- Moa conjs um p'"p> capim io-
dos bons cantadores : na ra de Hortas
D 17
Bilhetes e meios da Lotera da Boa
vista que corre a 11 do correte os in-
teiros a 7000 e meios a 4000 : na rua ('a
cadeia do Recife n. 55.
Msicas chegrtdas de prximo pra
piannoe violo sinfonas de Rossine. "Se-
mi rimes Trancredo Cenorentola, Bar
beirode Sevilha Armida Ottello. Tor-
va Ido e Dorlisca, Cruzeiros, Scip o em
Carthago, cassada de fienrqe 4- Cegos
de Toledo e outras militas moderno : na
p>acinha do Livramento loja D. ao.
~ Meios Bilhetes da Lotera da Boa vis-
ta que vai cerrer no da 11 do corren'te
a 3'8oo: na praca *da Independencia n. 4
Potasa Russiana de piimeira sorle ,
em barris pequeos : no escriptoro do Co-
ronel Meneas roa do Vigario n. i5.
Meios bilhetes da Loleria da Boa vis-
ta : na rua do Cabug Toja de Francis-
co Garca Chaves.
Urna escrava de naci boacozinliei
ra, lavadeira sem vicios nem achaques,
urna dita de naci bangueila propri 1 para
qualquer servico urna raoleca creoula de
Loanda de idade de i*z Annos c >se so-
frivelmente um moleque da mesma ida-
dee nago, proprio par/aprender qual-
quer officio, ambos de agradavel figura :
passndo a Igreja dos Martirios no primei-
ro andar do primeiro Sobrado.
Um quarto em boas carnes t na rua
larga do Rozario venda D. 8.
- Exct-llente vinho da Figueira em
pipas e barris : no Recife ao p do arco
da Conceico, armasem de Jos Rodrigues
Pereira.
Um quarto : na rua da Conceico
da Boa viit loja de miudezj junto ao
armtsem do sal.
Por preco commodo um relogio de
por em cima de meza que d horas e
meias horas e com sua manga de vidro :
na la das flores D. 8.
Um piaano novo e de boas vozes; na
rua nova D. 11.
Um completo sortimenlo de meias.
para hornera mulhr e menina, pretas,
e branc.s curta, e compridas; assim
como bons chapeos de~ castor e outras
f.izendas muitos enTconta: na rua da Con-
ceico da Boa vista caa defronte da
Igreja.
-- Dois escravos possante um da costa,
e ooutro de angola sem vicios nm acha-
ques, vendem-se por nao serem precisos ao
Sr. : na trempe sobaado de um andar de
Manoel Jos da Silva Guimaries.
*B>cos finos e rendas largas, eestrei-
tas ditas mais ordinarias para enfeites de
vestidos ricas fitas de guarnilo de bom
gosto di|as mais estreilas penles de tar-
taruga para marrafis estojos de duas n<-
valhas, e tisourinhas para unh e inglez pentes finos de maifim para tirar
piolhos escoiivas para tientes c-iixinhas
dejogode loteria chamado vispora paia
deveitimento da festa, tinta deeScreveren
carnada dita preta, calungas de varios ta
manlio- muitos jocosos e proprios para pre-
zepios boles de vidro de varias quilida-
des para coleles as vrdadeiras pillas da
familir em fra-cos de 100 e de 5o, e bi-
chas superiores tudo muito barato : na
praca da Independencia n. ao e na rua
dos Quarteis D 3.
Botina de Lisboa meios ditos, sa-
patos abotinados de bom bezerro sapatos
de duraque para Senhoras e meninos di-
tos de cordavio ditos de duraque setim,
emairoquim/r.mcezes botinzinhjs e sa-
patinhos para meninos, chinelas para ho-
mem sapatos de bazerro francez de sola
finaegrossa, chapeo do Chile de todas as
qualidades e t>ich ia de boa qualid*de ,
ludo a preco commodo; na prac da. Inde-
pendencia n. 6, 7, e 8.
Esc ra vos Fgidos
Jos naco angola estatura ordina-
ria reforcado docoi po O qu.l tem m
grande lobinho no concivo do p direito
junto ao calcanhtr -, calsa de brim e camisa
deestoupa cora um remend as costa; foi
vender fructas e levou ara taboliro, o qual
fu-gio no dia 3 do correnle ; quem o pegar
leve as patee de cccgio csa d-j cirurgiuu
Arrea.
_ No dia 5 do correnle Dezembro fu-
gio lia,ai negro de nome Matheus esta-
tura alta seco bem ladino he que-
brado natural do Maranho donde veio
para ser vendido dizem que rinda na
passagem da Miglalna levou huma pe
quena trouxinbu com roupa ou comedo-
iaa : quem o pegar leve-o a rua do Viga-
rio D. ia, quesera recompencado
No dia 5 do correnle por as 8 ho
ras da noite ; se auzentou hurh escravo
de Silvestre Joaquim do JNascimento no
principio do Aterro dos Affogados o qual
foi desencaminhado por hura Sedhor 5 o
qual pode quanlo antes mandar o dito es-
cravo para casa de seu Senhor e do con
trario veja que a> ordens estio dadas e
as espas e apenas se verefique com mais
huma testemunha ser punido ; e para
que nio saia por mar ou por Ierra o
dito preto' lera os signaes seguintes boa
estatura, bem preto, groco do corpo pa-
rece crioullo ; bonito de cara Cara com-
prida naris finoe direito ; quando anda
he bem tezo, pernas grocas ps bem fei-
tos ; naci Mossambique quando falla
ludo o que diz, sim meu Senhor he la-
dino porra falla bem ; porm nao muito
dezembaracado como crioullo ; quem o pe-
gar tem a gratificaco generoz.
Manoel nago angola fgido a 7 de
Oulubro de l838, d'estatura alta corpo-
lento, pouca baiba e com as pernas finas
representa ter 4o tantos anns d'idade,
comprado no anno de 1816 no lugar dos
Mocos a Agdstinho de Freitas IN unes coro
huma preta de nome Maria sua mullier ,
a qual he morta e entre a roupa levou
hum cobertor d'algudo transado e nu-
merado Com letra de cunta cujo nume-
ro ignora-se : Paula de naco Congo de
estatura baixa cor preta pouca barba ,
e com huma ftridaem huma das canellas
das pernas representa ter 3o annos fgi-
do 00 dia 7 de Onfubro de iR38 : Gnn-
calodeJiaca Angola official de serrador
fugio em dias d'Agosto de i836 com os
signaes seguinles altura regular, olbo's
vermelhos pouca barba e com huma
marca da huma fstula qu leve em hum
dos lados do rosto e he quebrado d'uma
vera ; Nicolao de na<;o Angola fyigio '
em dias de Setembro de 1837 altura or-
dinaria cara redonda bstanle barbado ,
pernas finas e com algumas cotiladas na
cabeca e em hura i das orehas, estes es-
cravos quem os prender leve a Antonio
Germano Rigueir.i Piolo de Souza pro-
prietario do Engenbo Rozario lreguezia d
Serinham que he seo Senhor ou a Ma-
noel d'Azev-do Maia no Aterr.o da Boa-
vista D. 19, que gratificar com cera
mil reis.
_ No dia 14 do mez pass vembro fugio do Engenho B mito destric.
to de Goianna hum mulatinho de nom
Mauoel Feliz; de idade 18 annos pouci
ma ou menos com os signaes seguintes,
cara vermelha sem barba dentes limados-,
cibelos alguma couza corridos e pouco pe-
gado ao casco naris piqueno e a filado os
p grandes pelo corpo que tem seco do
corpo tem hura lalho na lesla procuran-
do cavallo falla milito manso, e descansado,
foi encontrado era Oiinda em procura do
Padre Manoel Thomas de Oliveira mo-
rador na mesra t Cidade o qual he de seo
couhecimento e por isso se roga ao mes*
mo Senhor Padre afira de o segurar as-
sim com se p-dea quilquer Aulhorida-
de ou Cipilo de campo afira de o pegar
e leva-lu ao dito Engenho ou nesta praca
a Joaquim Pereira de Mendonsa, morador
a diente da Ribeira do Peixe no sobrado
novo de i andares do lado da roar que
era generozamente gratificado.
- Fugiro Irea negros hum no mez
d Jiinho p. p. do nome Manoel naci
Angola o qual he coziuheiro, baixo e
groco, bastante baibado, e muito cabello
nos peiloS falla manco e milo desemea-
do ha des'c rifiancas que embarcou para
fora oulro por nome Ignacio, fgido-em
Setembro, baixo j de idade e bastan-
te barbado pernas zambas falla bastante
arrogante, outro de nome Joio, tamben
de noci Camondongo o qu.il representa
ter de idade 3o annos bastante atrapalha-
do no fallar que parece novo fugio nd
dia 2 do uoneiiiee pedo? todas as Aulho-
ridades e Capites de campos outra qual-
quer pessoa que o pegue e leve a seu Se-
nhor Joaquim Pereira de Mendonsa, a di-
ante da Ribeira no sobrado novo no lado
da mm.
- Na noite do dia aa para a3 do passa-
do fugiro do pateo do Terco sobrado n.
27 trez escravos V**+*du de cal a de
riscado e"camisa de brim ; deNi^jme Ru-
fino Jos e outro Miguel ; a pessfl que
os prender leve a mencionada casa que-cora
milito generosidade Ser pago.
- Fugio no dia -20 do p p. da Villa de
Serinham um negro creoulo representa
ter 4o annos pouco mais ou menos esta-
tura regular barrigudo, rosto descama*
do una >icatr/. que Ihe toma todo o na-
riz pela parte de cima e os ps apalbeta-
dos levop vestido seroula e camisa de al-
godo urna japona eor de rap ja velba ,
poremdesconfia-se que tenha mudado de
traje; qem o pegar leve a Villa de Seri-
nham a casa de Henriqu Jos da .Silva,
que ser generosamente recompensado.
Movimento do Porto
NAVIO ENTRADO NO DIA G.
LISBOA ; 45 dias Patacho Sueco We-
gelance de rao Tonel., Capito J. C.
Cornelius," carga sol, e gneros do pa^:
a N. O. Bieber.
ENTRADO NO DIA 7
RIO DE JANEIRO ; 18 dias Galera In-
gleza Rudockisy de 3ir Tonel Cap.
Huglis em lastro : a Crabtree & Com-
panhia.
OBSERVACOENS.
Fundiou no Jameiro pelas 5 e meia da tar-
de do dia t um brigue Ingle mercante*
Pfctir. NA llP, DI li*'. DM T.
I
8J8'
'


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EQ82JGBXT_APB0F8 INGEST_TIME 2013-03-29T15:00:54Z PACKAGE AA00011611_03662
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES