Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:03651


This item is only available as the following downloads:


Full Text
7

ANNO DE i838. SEGUNDA FER1
-- -- ~ ,
CAMBIOS.
Setembro ai. .
Londres a8 s. St. por igooo ced. efectivo.
Lisboa oo por oo-prainio, por metal. Nom.
Franca'34o a 545 Rs. porranco.
Rio de Janei to aopar.
Moedas de 6#4oo iojJooo ns velhas novas i4#8oo.
4#Oo8/jfiooa 8#ioo
Peso Columnarios 1$090 a i-]oo
Dittos Mexicauos 1/5(080 a rjffjgo
Pntacoeo Brasileiros 17J690 a ttf&jS
Premios das Letras, pjr mez 1 a 1 e ira por 100.
Cobre a per cento de pesconto
PARTIDAS OOSCORREIOSTEft&ESTS.
Cidade-da Parail>a e villa de sua pretertco ....
Cidad do Rio brande do Norte, e villas dem j sft f-
Cidade da Fortaleza e villas dem...... Raudas c Sextas t,u..
Villa de Goanna.......'....,. 1
Cidade de Olinda............ Todos os dias.
Villa de Santo Anto........... Quintas feiras.
Dita deGaranliun............ Da 10, w decada me
Drttai do Cabo Scrinliaem, Rio Formoso, Porto Calvo dem 11, e ai diilodido.
Pajan'de Fieras............ dem 17, dillo dilt
Todos os corrcios paftem ao meo da.
fk
>4 DE SETEMBRO NUMERO *&
*
Tudo agora dependo de ros inesmos ; da nos prudencia,
moderaro e energa: continuemos como principiamos,
e seremos aponlados vom aduiiiro entre as Nacei mais cul-
tas.
ProclamacSo da Assesablea Geral du Brasil.
Soliscreve-se para esta folha a mil reis mensaes paqos ad-
anladoa nesta Typogralia, ra; das Cruzes I). 3, e ua l'raca
da Independencia 37 e J8, onde se recebem correspon-
dencias Ic^asadas e anuncios : i"Miiiuio se estes gratis
sendo dos proprios assiJrnaiitcs, e viudos assignados.
DAS DA SEMANA.
a4 Segunda V. $. das lrca. Atid. do Juizdo crime de larde e sesso da Thcs. Prov.
a5 Terca S. Firmo hispo. Heladio do manbaud. do J. dos Orf. de larde.
a Qnarta S. Cypriano M. Sesso da Tbesouraria Provincial. Quartos crescenle as 7 borne
4 111111. da Urde
97 Quinta S. Coime e Daraio M. Relaco de madlil e audiencia do J. do< orfos de tarde.
18 Serta S. Venceslao Sesso da ThesOuraria Pub. eauil. do Juiz do Civel de tarde,
a 9 Sabbado 19 S. Miguel Arcanjo.
jo Domingo t, Jernimo Dr. dalgreja.
Mar ebeia para o dia a4 de Setembro.
A 9 horas 18 miuutos da maulla As 9 horas ya minutos da tarde.
PARTE OFFICIAL.
PRANMBUCO.
GOVERNO DA PROVINCIA.
Expediente do dia 19 de Setembro de
i638.
Oficio Ao Juhs de Direto do Crimo
da Comarca do Limoeiro, devolvendo Ihe
os dous mappas que acampanharo o seu
officio de 1 a do corren:e a fim de que os
faca organisar na conformidade da or-
dem expedida en 9 de Maio deste anno,
e Ibes faca as observacoes de que trata os
artigos 3., 4* e 5. da mesmaordem, fasen-
do igualmente escrever no nvippi relativo
ao primeiro Conselho dos Jurados os no-
mes dos onze reos, que Ibes foro remet-
tidos alem dos dous nellis mencionados, e
informando qual o motivo porque soman-
te "um criminoso foi julgido pelo segundo
Conseibo constando alias pelo dito raap-
pa que reos bavia pira sereai por ee
julgadoi.
Dito Ao Juiz de Direito do Crime da
Comarca do Goianoa, respondendo aoseu
offico de 15 do mez pissado acompa-
11 ha do da reluci de todos os processos jul-
gados na segunda sesso do Jury com
a declaracao da nao serorganisada na con-
formidade da ordem de nova de M do des-
te anno por anda Ihe nao tereai sido re-
mecidos os modelloa ; que da ve org misar
dita relaco bem como a dos processos
iuigados na primeia sessait ordinaria que
leve lugar naquella Con re 1 dsntro do
torrente anno na canfarmididi dos refe-
ridos modellos dos quaes a esti horajt
deve estar de posse.
Dito A AdministraciS dos bens dos
orfaos, respondendo ao seu officio'de 28
de Novembro do anno passado acompanha-
do do requerimento do Padre Laureo ti no
Antonio NIoreirade Carvilho em que pedia
o pagamento da diaria que a Lm de 9 de
Dssembro de i83o muida dar aos mim-
bro da extincta congregaco de S: Felp-
pe Neri ; que tendo sido ouvi lo o procu-
rador Fiscal interino di Fasenda fi pe-
la Presidencia indeferid o citado requeri-
mento tanto por nao ha ver o supplicinte
mostrado que efectivamente conservara o
habito du mesma Congregaco at a sua ex-
tioccio como exige a referida lei, como
por nao ter sido appellada ex-officio a jus-
tificaco por ella dada para a* Relaco do
Districto conforme determina o artigo 9 a
da lei d 4de Outubro de i8Jt.
Dito Ao Director do Liceo commu-
nicando-lhe, queattendendo a Presidencia
ao que Ihe repreaentou O Padre Vicente
Ferrerde AlbuqOerquer Prpfessor da ca
deira de Latim da villa do Pao do Albo,
Ihe mandou passar provisto para ter ex-
ercicio na Cadeira da comarca de Santo
Anto vaga pela jubilado do respectivo
Professor Tiburtino Piulo de Almeidi.
Expediente do dia ao.
Officio Ao Comtnandante das Armas
eoTando-lhe os proceisot dos Soldados
Joaqun Francisco Biptista de Mello O-
xal, Manoel Claudino Guimar-js, e An-
tonio Jos Rodrigues, julgados pola Junta
de Justica, a im de qae faca executar as
respectivas sen tencas.
Dito- Ao mesmo, communieando.lhe
haver o Regente interino em Nonte do
I mperador par Decreto de a8 de Agosto
deste auno reformido na forma di lei,
aos officiaes do ejrcito perteaceutes a
guarnico desta provincia e eanstantes
da fdllacaoque por copia se Ihe remelle.
Dito-* A o Inspector da The-oararia,
communicando-lbe o coateudo no prece-
dente officio.
Dito Ao nnini), para tn com^ri-
meuto ao Aviso expeJij pala Secretaria d.:
Eat-ido das Negacim di Justici de ai de
Agosto prxima :\3, infirmar com ur-
gancia que despesa se est faseii lo men-
salmsnte cam a imtruccio da Guarda Na-
cional.
Dito Ao mesmo, para enviar a Pre-
sidencia com a paisivel hrevidale urna no-
ti dt importancia das dividas activas que
fiem (urte da receita provincial, especi-
fenlas noa j J. a \. d > artigo a8 di lei
proVtnciil immfotj, daclaCinda o< mo-
tivas puqm a collectoria g'ral nao tem ef-
feicttido a cobrarle 1 dis mismas divids,
ou os embaracos qua para esse im tem en-
contrado.
Dilo Ao Jiti do Dimito do Crime da
Comirc da Fiares, ree a.nm :n I m Ij l!ie
(jueacellere quinto for passiv! a acusa^o
dos facinoroio Joio Antonio e seu* seqm-
sas, presos pelos horrorosos acontecimeu-
tos da Sarra Talluda conforme deter-
mina o Imperial aviso de 8 de Agosto do
crrante aneo.
Portara--Ao Inspector do Arsenal de
Mirinhii, para faser entregar aoCommau-
dante do Navii que segu nesta data para a
Corte do Rio de Janeiro os despachos que
se Ihe remetiera.
Dita Ao Director do Arsenal de Guer-
ra para mandar receber, e conservar em
boa guarda os materaes pertencentes a o
bra do Hospital Hegmental do Bitalhau
stimo de cassadores os quans Ihe se-
rio remetiidos por huma commisa'o d
que he Presidente o Tenente corouel F,
H de VI. Aneara.
Dita -- Ao mesmo, para mandar caiar
e pintar a primeira enfermara do H spi -
tal IbgimentaV, e o quirtO que Ihe Pica
contiguo e serve de arrecadaco.
Oticio Ab Commandante das Armas,
commuoicando-lhe aespedicio da otdem
supra.
Portara Ao Director do Arsenal de
Guerra para faser aprontar c entregar
a disposico do Coronel Chcfe da Legio
da Guarda Nacional de Santo Antio, ama
bandeira e dons Clarn,' que o meamo
Chefedo Lego requosta.
Oficio Ao Coronel Chcfe da L'grSo
di Guarda Nacional de Santo Anto com-
mullicando -Ihe a expedico da 01dem.su-
pru.
COmsI.VNDO DAS AHNlas.
Expediente do dia 19 de Selembro da
j838.
Officio-Ao Esa. Vice-Presdente, d-
sendo-lhe, que tendo nomeiado urna Com-
misso para tomar contas ao Major F. 1'.
P., encarregado que foi da Administra-
cao da Obra do Hospital P.gimental, con-
vinhi, queS. Ex. desse suas ordena ao
Director do Arsenal de Guerra, para que
recebece do Presidente da mesma Gum-
mi ss o todos o i materiaes que se achavo
a cargo do dito majar, purteocenles ao
Haspital, afim da seren depositados na
competente EstaCo.
D.lo -'- Ao mesmo Exm, Sor. disendo-
Ihe, que estando ja relelbada a primeira
enfermiria doHospitil Regimentad fasia-se
mistar para que os doeotes passassem a el-
11, e evacUisscm a segunda que devia ta
bam ser repirada que fosse a primeira
caiada e pintada. Que ta bem convinha
aertiaiado o quarto contiguo a esta enfer-
mara, que serve da arrecadaco que os
dous porto.-s do quartel do Hospicio, assim
como urna das jaoelUs araeacavlo ruina, e
devia ser concertados, eque S. Ex. hoa-
vesse de d ir mas ordrjns a esa* im.
Dito Ao Inspector da Thsourara,
disendo-llie, qUe no podendo, ter por a-
gora lugir a demisso,do Rcrota J. F. B.
de M. Ual., ni consequencia de reclama-
cosm. houvesse uc mindar-lhe restituir
os 4', r<;'s em ti do mer. prximo pissado.
Dito Ao Major Director do Arsenal
d Guerra, respondendo an seu officio da
17 do crrante, e sgnificando-lhe que
aoCommindante interino do quarto Cor-
po deArtilheria, bavia expedido as neces-
sarias ordena para que os Obreiros da
Companhia de Artfices nao fossem disv-
ados dos trabalbos de suas respectivas of-
ficinas.
DitoAo Capito Commandante inte-
rino da 4 Corpo d'Artilberia ordenan-
do Ihe, que par entermedo do Comman-
dante da Companhia d'Artfices. fosse en-
tregue tolas M semanas ao Director do
Arsenal da (iuerra um mappa do estado
effeclivo da mesna cocapanliia, e orna no
ta do augmento, ou dimintu'vSo dos o-
perarios, sempre que por ventura isto se
verficasse ; que as licengas dos individuos
desta Compsnha serio privativas do Com
mando das Armas sobre informaces res-
pectivas, e finalmente que os camarades dos
oficiaos da sobredila Companhia, serio ti-
rados das de pasico.
Dito Ao mesmo, ordmando-lbe, que
mandasse apreaentar na Secretaria Mili-
tar as 10 horas da man lia do dia va do
1 crvenle o Padre Capello Jse Percira da
Sil*.
Dito -> \-y CipelUo do eStfncto Hopita!
Militar Padre Bernardo Lucio Peixoto,
para que Ihe viesse fallar na Secretaria
Militaras 10 horas da aun ha du dia aado
correte.
Dito--Ao Commandante inlerno da
Fortalesa do Huraco, disendo Ihe em res-
posta aO aeu officio de |3, que nao ha vendo
por hora calceta que fosse paraali manda-
do em sbslitu'icao ao que findisou a sen-
tenca, que devia faser o servino da lim-
przi do forte o que ali anda se conserva-
va ate qur. se providenciaste /es pe i t o.
>
DIVERSAS REPAUTIGOENS.
TRIBUNAL DA RELLAGAO'.
Sesso de 20 de Selembro de 138.
Na Denuncia de Manoel Lu'z da Vefga
contra o Doulor Juiz de Direto da i."
VarndoCivel desta Cidade Martnianiio
da Roxa Bastos Escrivo Posthumo;
nao foi o Denunciado pronunciado e con
demnado o Denuncian te nbs cusas.
Os Embargo* de Francisco Xavier do
Soccorro contra Antonio Alves Eerreira ,
opposlos ao accordo proferido na causa da
appellacai) Civel do Juiso de Direto desta
Cidade ', Escrvo Chaves ; foro dspresa-
dos e condemtaados os Embargantes as
custas.
Na appellaco Civel do Juso de Direto
da Comarca de Nazsreth appellante Fian-
csco da Silva Santiago Jnior e appella-
do Francisco Casado Lima EscrivSo Cha-
ves ; se julgou pela confirmaco da sen-
lene 1 recorrida.y
Na appellicio do Juiso de Direto do Ci-
vel desta Cidade appellante Alexandre Lo-
pes Ribeiro appellada a Fasenda Nacional
Escrivo Rehello ; foi julgada pelconir-
macio da senlenca appellada.
Os Embargos de deelaraefio de Jos Isi-
dro da Silva contra Francisco Jos de Mefc
lo, na caua de oppellncio Ciyel desta Ci-
dade Escrivo Rebllo; foro dispresa-
dos.
Na nppellacode Anecleto Jos de Men-
"donca em que be appellulo Felis da Cu-
nha Navarro I.ih do Juiso de Direitoda
a. Vara do Civel desla Cidade Escrivl
Chaves ; foi julgida pela reforma da sen-
tenca.
a appellaco Civel do Juiso de Direilrj
da I. Vara do Civel desta Cidade appellan-
te Antonio Leocadio Paes Barreto e p-
pellado o Senador Jos Carlos Marink da
Silva Ferro Escrivo Ferreira ; foi jul-
gada pela confirmado da senlenca.
Na causa de Revista'Civel em (pie slo
Recurrentes Joo Pereira e sua mulbor e
Recurrido Miguel Goncalves de Carvalho,
Escrivo Chaves,- foi julgada a favor dos
Recorrenles.
ALFANDEGA DAS FZENDAS.
O Brigue Escuna, Americano New Ea-
gtad, vindideCelte, entrado em ao (W
i -



DIARIO D F*ktfA>IB UC %.
co
correte Capilio John Crooker ,
nado a A. Schramm.
Manifestou o seguinte.
as 5 Pipas coa vinho, a6 me! ditas
com dito 4o barricas com dita i eaixa
estampas t barrica com verdete, 4 isas
com garatas da flor do laranjas, i fardo
rolbas, 2 caixas com miudesas.
MEZA DO CONSULADO.
O Administrador da Mesa do Coosula
do em cumprimenio as ordena da Tbesoe-
raria tera da comprar uo EscaUer de qa-
tro remos de boa coustrucio, por isso con-
vida quemtiver algum qaequeira ven-
der baja de comparecer na sobredita Adrai-
nislracio em qualquer da til das 9 horas
da manhia as duas da tarde.
Meza do Consulado ao de Setembro de
i838.
Miguel Arcanjo Monteiro de Andrade.
__ A Paula he a mosma do num. ao5.
CO&REIO.
O Correto qne segno par Geranbun ,
Bonito recebe a mala boje 24 ao meio dia.
ARSENAL, DE GUERRA.
O Arsenal de Guerra compra era por-
cio caogalhas, e esleirs para cavarlos,
'eleli branco e de cores areia de moldar ,
o seis paus grandes de jangada.
Arsenal de Guerra ai de Setembro de
1838.
Jos Carlos Teueira.
Director.
OBRAS PUBLICAS.
Pela Admiustracio Fiscal das Obras
Publicas m hade vender em asa publica
a quem oais dor urna porcio de madeiras
velhas liradas da ponse autiga da Boa-
vista na conformidade do Regulamento
art. 33 avaliada peto respectivo Mestro
Carp n teiro em 3 5,000 res : os porten -
denles podem concorrer na Salla da dita
Admioistraco Fiscal no dia ab" do corrente
mee de Setembro, do meio dia as duas ho-
ras } pudendo desde agora hir ver no
armasem de Palacio velho a dita naadi
ra para o que faiara ao Mostr Carp -
na que ali se acha na oficina para lhe
mostrara dita madeira: sendo o paga-
meuto no mesmo acto, logo que se con -
clua dita arrematacio ; declarando que se
vende toda a urna s pessoa e nao era
porcoens.
Amaro Francisco de Moura,
Administrador Fiscal.
PREFEITURA.
Parto do dia ai de Setembro de i838.
Illm. e Exm. Sor. Forio presos hon-
tem a minha orden e tiverio o compe-
tente deslino ; Benedicta preta liberta ,
pelo Sub-Prefeilo da Freguesia do Recite,
por turto de 16 patacas, 8,000 reis em co-
bre e uma peca de madapolo ; Antonio
Jos Moreira, branco, Felippe Jos da
Silva preto ManOel Mana Leito ,
Francisca Manoela d Jess, Marianna
Jcaefa da Conceico e Mara Manuela,
pardeo, peto Sub-Prefeito da Freguesia
de'S. Antonio, o i." por conlravenco das
l'osturas da Cmara Municipal, o a e 5.
por estarem brigando e armados de c-
celes na porta do Theniro o a 4* 5. e
6 por estarem em desordem o proferin-
do palavra* obscenas na travesea do mes-
mo Tbeat/o, com detrimento da moral
publica j Rafael de Carvalho e Manoel,
pretos esteeaeravo de Antonio Mondes ;
pelo Commandante da Guarda do Seo ,
por briga ; Antonio Barro*o do Souza ,
pardo, por bum soldado de Polica por
furto de um copo ; e Josefa preta, es-
crava de Joe Ferreira Cali por uutro
soldado por briga.
E' oque consta das partes heje recebi-
da* n'esta Secretaria.
Dos Guarde a V. Exc. Prefeitura da
Comarca do Reoife ai de Setembro de
1838. m. e Exm. Snr. Francisco de
Paula Cavalcanti de Albuquerque Vice-
Piendent da Provincia. Francisco An-
tonio do Si Barrlo, afeito da Comarca.
Parte do dia al.
Illm. e Ex. Sor. Forio presos hoh-
tem a minha ordem e livorio destino s
Braz Antonio da Rocha, pardo, n*'0 Sub
Prefeilo da Freguesia de.S. Pedro Martyr
Eor ser occo-so ; Leandro Nones sem -
raneo Manoel Joio, indio, e Antonio
gado, este por ter ferido a outrem na c*
beca, o a por se* desertor de 1 Lnba ,
eo 1. por lhe tere sid aprehendidas
una pistola e urna faca de ponta.
Parlecipo a V. Exc. que hoja appareceo
aberta a pprU da taberna de Joaqun
Francisco d'Alera no Forte do Nattoi1,
tendeos ladrse n'eHa entrado pe telhado
que arrombario, assm como urna cartei-
ra que ali existi cTonde tirario varios
papis de importancia e que se procedeo
a respailo.
E' o que consta das partes boje recebi-
das n'ege Secretaria. ,
Dos Gu*rdo a V. Exc. Prefeitura
eo Comarca do Recife a a de Setembro
de 1838, &c.
ED1TAL.
A Cmara Muoicipal da Cidade de Olioda
em virtude da Lei, &c.
Faz saber a quem cenvier qe no dia a6
27 e a8 do carrente se had arrematar
por quem mais der os contratos seguinte,
que devana ter principio no 1 de Outu-
bro do corrente auno.
O Contrato das Balancas pequeas de
pezar assuoar nos trapixes do Pilqirinho ,
Alfandega velba, novu, e Companhia da
Cidade do Recife arcado na quanlia da
i:4oo,ooo.
O Contrato da Afilacio e reviso dos
'pesse medidas deile Municipio oreado na
quantia de 426,000.
A Renda das casinhas da Ribeira desta
Cidade oread 1 na quanlia de 146,000.
O Contrato do repeso dos acogea desle
Municipio oreado na quanlia de 3o,3oo.
O Contrato do so'bsidio dos parcos de
aoo reis por cabece oreado na quanlia de
9,100,
, O Contrato das medidas do mercado ,
e carros que enitro nesta Cidade oreado
na qutntia de 17,000.
O Alugoel dos dous arousens por bai-
xo da casa da Igreja de S. SebastiaS orea-
do na quanlia de aoU reis.
A Renda da casa que foi da plvora no
lugar do Manguinho oreado na quanlia de
3b,54o.
N. B. Por quem manos fiser o supri-
mento de azoite, agoa e torcidas pira
as lu&es das nrisoens da Cideia desia Cida-
de oreado na quanlia de 4<>.ooo.
Os 'Arrematantes coraparecerio h ib hita-
dos na forma da Lei no dia apresado.
E para que chegue a noticia a todos se
passa o presente que vai assignado pelo
Presidente da Cmara e sello da mssma
e publicado pela impreosa.
Olinda em Seaso de i de Setembro
de 188.
Jos Joaquim de Almeida Guedes.
Presidente.
Josa Joaquim de Figueiredo,
Secretorio.
bilidade desle em adan lar em sen prove-
to, o desasir do Rio Pardo o que prova
para com elles o faeto do Rei Pyrro, qOe
se lomaren a vencer com boma tio gran-
de perda ficard pa/a sempre perdidos.
Temse aqu espilhodo que arribara ao
Rio de Janeiro hume des embircaees que
condoli ocootiefente de pracas para o
BaUlho7ecoromadadas pelo MajorMa-
yer, e que este mesmo he o que se acbava
branco Manoel Joao, maio, e aqu*" j y ---------- .
Jose do'Amarante braneo Cabo de Cor- no R,o de J.neu-o W^ld
no de Polica pelo Sub-Prefeito doa Affo- nlreUes de embarcacoes no J.do C. e mes
1 '1 ,rz*_____.- -. -. roo procurando a nencao deste facto em
todas as gasetas nio o encontramos pelo
que o julgamos apcrifo. .
J demos em nossas collumnas da folna
de Sabbido a declaraco do Senador o Sr.
Padre Fejo, facto verdadeiramente nota-
vel senio para a sincerdade e dever do ho
mem probo, ao menos para a confusio e
desanimo de algeas visionarios philoso-
phantes, que com certos no raes preten-
den) aothoiisarseus onhos, o inlroduzir
saus principios.' San dnvid, que a de-
clarado do Senador Brazileiro dave ser
condrada ewito marssinoera, muito
mais verdadeira rauito oWis orthodoxa
do que a do famoso Tltefriind quo.re-
conheceo a verdado quado ja nio se po-
da alimentar do erro. Honra e moita
honra seja feita ao Exna. Sr. Senador Dio-
go Antonio Feij io deslustras o er-
ros seno quando nelles se prosista a des-
peito da verdade: ou quindo pira ultirntr
bum papel ridiculo como o Prncipe de
Benevento se d de rao as opinies,
qmndo j nio temos opinio, isto he
hora da morte.
Entre ai diversas noticias que referen)
osjoruaes da Corte, faz-se uolavel o n.#
de assassinatos de que tazara mencio, e
mutlaces horrorosas.
DIARIO D PERNAMBUCO.
A gizetas do Rio qua de aa de Agosta
chega ao da t de Setembro nio 0011 lem
fa.ctos de maior magnilude, que alteren)
os quadio que havemos dado antecedente-
oienle do andamento dos negocios interio-
res 00 imperio ; quanlo < enai relaces
exteriores., ooesas gazetas mui raramente
iratao de tal bjeeto, se exceptuarmos o
que diz respeilo-osnegocios do Ro Gran-
de era relaco com o estado Oriental: so-
bre este tpico dos negocios otemos ja
copiemos em nossas columnas, o que mais
saliente encontramos nessas gazetas. Q as-
pecto que aprsenla o corso da guerra he
laimador para a Legtlidade tanto pelo
Discurso que na sesjo de 7 de Agosto, dis-
cutmdo-se a admissio de uilranjeiros no
Exercito, pronuocou, era reiposla aa
Sr. Aodcada Micbado
O Sr. Carneiro Leio. O iljustre di-
putado que combateu esta medida (o Sr.
.-Vudrada Machado) para entrarem no Im-
perio ,00o eslraogetros e virem fazer
parte do nosso exereito disse que quera
qua u Brazil se abismme antes do que per-
der a honra. Ora como eu julgo qua a
maior desttoura que pode cahir sobre o
Brasil he dilacerar-se reeonhecer esta-
do indapendente a provincia do llio Gran-
de do Sul, e assm virem a apptrecer re-
guos e dictadores qua deslrua o uuico
systema que, segunda a opiniio mesma
do nobre deputado, s pode fazer a feli-
cidade do pai, divirjo da opiniio dq no-
bre deputado. Paree j que elle liga a hon-
ra do paiz nicamente vi idea de nio se
terem introduzido foreas eslrangeiras,
embora se dilaceren) as provincias se di
vida o Imperio, e caa aconstituicio. A
honra seria nesta cuo bum norae vao;
nem julgo que seria honra alguraa sujeitar-
uos a laes consecuencias; pelo contraria,
eutendo que devenios tazer tudo quantu
poderraos para evitar o eattirmos era seme-
lhanle abismo.
Sr. presidente, nio reputo a admissio
de estrangeiros intil, carao o nobre de-
putado sustentou. Elle nos disse que o
xito da campauua ni provincia do Rio
Grande do Sul estar decidido antes da
chegada das foreas estraugeiras. Sa assm
for que mal pode provir da medida? Al-
gumt despaza intil <* Mas quantas despe-
zas inutei* fazemos, temos toito e poda-
remos fazer anidar" E podar taxar-su de
intil esta medida quando ella de atgu-
raa sor te vai dar ao governo foici moral,
spela possibilidadd, em que se achar
de em pregar certa parca o da tropas disci-
plinadas, ctpazts de resistir forc 1 dos re-
bel le no Rio Grande do Su t
Mis Sr. preside ti te como pode o no-
bre deputado suppr que a carapanha es-
tar terminada dentro de 8 ou 10 mozes,
em que esta forca estrangeira pader estar
no Brazil ? Que rasao lem elle para o sup-
pr? Ti vera j, no anoo plisado huma
poca em que estiremoi anda em peores
circunstancias do qua aquellas em que nos
echamos, e neut por isso houve decsio
_m.u_ ri4-i nAn9-k**a rmt*a aa iit**ulii'i
mos dzem que de rebeldes lera foreas con-
sderaveis : o nosso recrutaraento he tardo
e moroso -y nao poderemos pos, ter,
em muito breve, foreas em campaoha pa.
ra fazor face aos rebeldes, com probibili.
dade de os vencer. Arriscar os nosso con-
cdadios em emprezas que nio dio probi-
bilidade de vencimento tendera a cora*
proraetter-nos mais, e sacrificar intil-
mente grande numero de horaens de quo
temos tanta preciso. Supponho, portan-
te, que o nobre deputado nao lega dados
para poder asseverar que a questio ser de-
cidida at daqui a 10 mezes en) que po-
dem estar no Brasil as foreas eslrangeiras.
Dado porra que tivesse razio para o
dizer, nem por isso deviamo deixar de ad-
mittir a medida, porq' nio he senio facultati-
va e nao obriga o governo a engajar forca
estrangeira, se entender que pode pacificar
a provincia do Rio Grande do Sul sem in-
tervenco desta torc. Nio pode pos ,
resultar perigo alguna da existencia deste
artigo, e pelo contrario se o numero
de foreas nio for sumiente teremos de
carregar com a responsabilidade de nio
termas facoltad os meios ao governo para
suffocar aquella rebellio que j dura ha
tanto lempo.
Disse-seq og. nio deti inforraacioalgu-
ma a este re-peito nos rotatorios da guerra
e da marinh'i. A respeko do relatno da
marnha nio sei como o nobre deputado
assm pense. Ao contrario sabendo pe-
las leis deixac[o de foreas que a nossa mi-
rtnha contera grande numero d estrangei-
ros empregados nos nossos vaso de guerra,
nio vemos quo o Sr. ministro da marnha
peca medida que embarace a introdu-ci
de estrangeiros nos nossos vasos de guer-
ra. O nobre deputado sber que no Pa-
ra existem anda 5oo estrangeiros m inda-
dos vir pelo ministro da marnha, em con-
sequencia da autorisa^io qu9 lhe fra da-
di. Quanto ao relatorio da reparticio da
guerra, j era nutra occasiio se disse que
foi a presentido antns do desastre do Rio
Pardo; nessa occasiio poda o governo
presumir que s com a for$a ordinaria de
12,000 horaens pideria reconquistar a pro-
vincia do Rio Grande; mas depois daquel*
Id desastre poda mudar de opiniio.
Alera do qua do relatorio e das nfarma-
coas dadas pelo governo, consta que ttnha-
mos 8,000 homens de primeiru linha,
suppando que o recrutaraento tenha con-
trabala nc)do a perda no desastre e ten ha-
mos 8,po hamens admitlida a probabil-
dade, bem que nio evidente para mira ,
de se recrutarera neste inlervallo os 4.000
homens necessarias para completaros la
mil que o governo julgava conveniente
maoter no anno da lei, podar com a mes-
ma ficlidade que se recrutaS 4.000 ho*
meos, recrutar 7,000? Logo qu9 estabe-
leceraos que i5,ooo homens sao precisos,
nacessario he occorrer com ootros meios
para o governo preencher esta forc*.
m outra occasiio ji se nos disse que
estas tropas eslrangeiras era pergozas no
paiz. Parece-me que nem 10 vejes mais
seria cap-izes de conquistar o paiz c0,Jtr*
a opinio da m-io. ados Brazileiros. Ad-
mittir, por lanto, a posdbilidde do o
paiz poder ser conquistado por 3,ooo ho-
mens estrangeiros, he ir contra toda a ra-
zio. Parece-me inteiraraente banal o ar-
gumento tirado dos livres que falla con-
tra as tropas estrangeiras, e dzem que da
sua admissio sempre vem perigo nao jul-
go quu tenhi applicacio ao nosso caso
porque nos nio nos entregamos exclusiva-
mente i tropas estrangeiras pilo contra-
rio elevamos a forc nacional a 12,000
homens. Nao pode haver por tanto,0
menor perigo ; e se a tropa nacional no
fosee suficiente para nos garantir cintra o
perigo da admissio de 3,ooo horaen *"
trangeiros, erjamos na verdada, mui_
fracos o qua vai de encontr opmo
dos Srs. que* apresenU este aigamt
protega os rebeldes, como pela impossi-#
desmoronamento do Governo Oriental que contra nos. Mas pensara que se decidir
___...;.....lij. o^m.. ...j iwut!. i nnwi favnr ? Todas as noticias quo te-
a nosso favor? Todas as noticias que te-
contra a medida, pois quesustentao q
o Brasil lem for?a para conquistad o w
Grande do Sul sem auxilio estranho.
O orador defeede a miioria da increp -
co de votar por esta medida, nao pe
cooviccio, mas porque 0 governo a d -
ja. Mustia que o Sr. Andrada Miebadj
deve fazer a juslica de reconhecer ([^
membros da maioria sio movidos unje
mente pela connc$So deque '*me"
ha ulil e ventajosa ao paiz; e quo tea '* '


DIAKO de pin Xnf isijo
U independencia da carcter quanu deca-
rou ter o Sr. Andrada Machado.
Parece-lhe qoe avista da conviccio
era que se moatrou estar do pongo da fa-
zer revivar rivalidades o odios contra cida-
dos nascidos em Portugal, oSr. Andrada
Machado obrara conforme boa razio ,
se, em logar de empregar argumentos pro-
prios para concitar paix5es contra estes ci-
dados tratasse ante de acalmar esaea o-
dios, perniciosos ao paiz.
Nao admiti o exemplo trazido de Jac-
quesll, a respeito dos applausos queden
aos loglezes que vencera forcas eslrangei-
ras em pregadas pasa o restabelecar no
ihrono ; primeiramenlc, porque islo po-
derla ser hum estratagema de que elle Un-
case mo para tornara ganbar aaffecio
Tos tnglzes; e em a. lugar, porque
nenhum corarlo brazileiro bem intencio-
nado e animado da verdadeiro patriotismo
Ijiieria applaudir victoria dos rebeldes
contra jorcas estrangeiras que coadjovaa-
sem as oac'ionaes; pois que o resultado
deste tri'urapbo seria a destruieo do rgi-
men mooarchico constitucional, eo esta-
belecimento da lyrannia oda dictadura.
Desejarei lamban de alguna i sorte descul-
par a administradlo de huma imputaco
que pareceu fazer Ihe o mesmo nobre de-
putado, filiando de algumas correspon-
dencias em que tem sido atacado com
acrimonia e mesmo com iniustica a seus
conhecimentos em literatura e historia.
O nobre deputado, em outca ocoasio ,
desculpou a administracio de ataques se-
meihsntes feitos por alguns Srs, da opposi-
c o. Ora se o nobre deputado justifica*
a administracio naquellas circunstancio ,
parece que nesta nao haprobabilidate al-
guma deque os ataques podessam partir
da administracio, tanto maU quanto o
nobre deputado mesmo reconbeceii que a
administracio tem siso. Se ella tem siso,
e se o nobre deputado, que Ihe fez esta
imputaco, a tem defendido em militas
circumstancias, como se pode admittir
que huma administracio que tem siso des-
ees a fazer ataques lo indignos a esse
mesmo Sr. deputado.' Nao creio por tin-
to que teuha rasio alguma da imputar a
adminiBtracio hura procedimeuto tio in-
digno. ,.
Nio concorda com aquelles Srs. que ui-
zem que as tropas esliaogeiras alo muleis,
porque no Rio Grande do Sul h* previsto
de cavallaria, e he provavel que na Eu-
ropa. n*0 ven,ia senI inl*uWri** km
priraeiro lugar, lembra que o meamos
Srs. deputados que ssim opioarao, reco-
nhecera a pos^ibilidada da seengajarca-
vallara na America, hem que nao ad-
rotaS, por julgar que he deshonroso,
ni que o orador nao concorda, porque
nao se persuade que seja deshonroso o ad-
mittir porengajamento, no nosso paiz,
estraiigeiros que pertenc-5 a este ou aquel-
te partido} pois que a isso nao esla o Bra-
zil ligado por lei u tratado algum, nem
iria coadiuvar o partido rebelde contra o
legal; e em a lugar, que nao be exa-
cto dizer-se que a infantera nao pode
prestar servico*, pois que Napoleao tez a
campanha do Egyplo eo cora infantera,
lando de combater cavallaria tib inlelligeu-
tae valerosa, como a do Rio GraiiUe do
Sul. O que Ihe parece necessano he que
nio seja erapregada contra os rebeldes gen-
te bisonha, ha pouco recruUda naoacos-
turnada aofogo; mas sim gente discipli-
nada e habituada ao servico das armas.
Vota contra a emenda de suppressio.
(J. do C. de 8 de Agosto.)
menta buscar no beco junto a Igreja doa
Martyrios beco qna vai para a praia.
Em Fora de Portas caza terrea ao
p do sobrado de hum andar, defronte do
beco do Valadares vendem-se ostias para
Missa e tambera para pilulas ; bem co-
mo obreias de todas as cores, omito bem
feitas e-de boa qualidade sendo de no-
va estampa, e se vendera por preco como-
do a quatro pies por 4 "
_ Precisa-se de huma caza na Boaviala
cora cmodos para negocio o para mora-
da de pequea familia naa roas do Ara-
gao da Conceicao, Atierro Praca ou
no pateo de Santa Cruz: quem a ti ver pa-
ra allugar annuncie.
_ Deseja se saber se existe em Per-
nambuco algum filho da Sr." D. Anna Pes-
soa de Mello., e de seu marido o Sr. Jos
joaquim Pereira da Silva Pimentel, mo-
radores que forr era Santo Amaro, fre-
guezia da Boa vista : na Pracinha do Cor-
po Santo D. 67.
Hum rapaz brazileiro, de dezenovo
annos de idade r sabendo lar, escrever e
cootar oferece se para caixeiro de qual
quer armazn ou loja da fazendas, por
ter bastante pratica era comprar e vender
tanto para esta Praca como para fra del-
ta : da fiador a sua conducta : quem o
AVlZOMIMVIfilLtfUrf.
_Manda-se conduair material do por-
to para a obra por preco cornudo : a tallar
na ra Direila padaria D. 34*
_ Perante o Sr. Juiz do Civel da .*
Vara se ha de arrematar nos dias %\ e
17 do correte a uverna sita ein Fora de
Portas N. ai, que se acha embargada a
requerimento de Manoel Antonio da Silva:
os pretndanles podem dirigir-so nos dias
annunciados pelas 5 horas da tarde ra
Nova porta da residencia do Sr. Dr. Na-
varro.
Quera precisar deeotulho para at-
terrar algum terreno pode mandar hre- )
pertender dirija-se a ra Direita 0.5o, da
parte do Terco, loja de Caldeireiro.
_ Alluga-se huma caza terrea construi-
da moderna com muitss comodidades,
sita na rita Nova, qua f ai para a Trompe:
fallar com Jofo Sebastiio Peretti.
_ Hoje, petas 4 horas da tarde, as-
sim como quinta fera 37 do corrente, le-
ra tugara arremaiacio de huma escrava,
que foi da finada Brigida Mara Soares da
Cunlia : esta negra he multo fiel, obedien-
te lava de sabio e varrella o he propriu
para todo o servico da huma caza ; nesse
mesmo dia ae ha de arrematar hura rico
bale de prata que tem $*& oitavas, obra
do Porto, e de ultimo g jso ; o humas o-
bras de ouro; quem em alguma destas
cousas quizer laucar tenha a boodade de
ilirigir-se a ra Nova, Praca do Sr. Dr.
Navarro.
_ Continua-se a dar dinheiros pre-
mio sobre boas firmas ou sobre penhores
de ouro ou prata, na ra estreita do Roza-
rlo no 3. andar do sobrado D. *g.
Rogase aoSr. Proprietario da Ierra
da roa de S Joz ou a quem saas vezes
fizer, que baja de annunciar sua moradia,
para ser procurado, ou queira vir a
ra da Guia D. 16, dentro destes 3 dias.
ASenhroa D.Feliciana CirneBran-
dio queira annunciar sua morad*, para
ser procurada negocio de seu inleresse.
Na ra do Raogel, venda D. 9 0-
xiste huma carta vinda de Lisboa pira Jo-
s Jacinto Pavio, a qual foi tirada do
c jrreio por outro de igual nome e como
llie nio pertence aviza a quem for seu
dono para a ir receber.
O abaixo assignado, aviza a seus
freguezes que mudou a sua residencia e
oravimda ruado Arago para a do Livra-
ment, na caza qoe faz quina cora o beco
do Padre onde qualquer dos mesmos
Srs. seus freguezes, que tiverem em mi
do annunrianta algum instrumento de seu
ollicio, para preparar, queira mandar
procurar oflferecendo igualmente o seu
pequeoo presumo no indicado lugar.
Goocato Alves Tavares.
.- Quera precisar de i:5oo,f rs. na
Cidade da Babia, o queira dar o dinheiro
em sedlas para l receber n mesma espe-
cie dirija se a A. S. Martin na quina da
ra do Cabug que volla para a das Tria-
xeiras. ,
_ Quem precisar de um moco Brasilei-
ro para Caixeiro de qualquer casa de ne-
jrocio : drija-se a ra dj Cabuga na toja
de fasendas de Venceslao Machado Freir
Pereira da Silva.
_ Perdeo-se um meto bhete de nume-
ro 1629 da primeira parte da da 15. Lo-
tera eoiiodida a favor do Seminario do
Olinda cojo bilhete tm no verso, per-
tence este a Gervasio Luiz do S Carneiro ,
e Brigida Mara Soares da Conha ja as
ounciado a ai de Maio deste aono pelo
que se rogvao Sor. Thenoureiro- da isvs-
a qoe sendo este tire algum premio nao
entregue se nio ao cima mencionado.
_ Quem precisar de a meninos para
Caixeiro de loja de fasendss ou feriaga
os nuaes dio meses pare aprenderem; oa presumido. Espera-se do mesmo Reve^
ra da Alegra Casa D. 4 perto do beco da rendissimo Sr. Dr. Vigario Geral baja de
., ..._J~. ..i:, ciinlu-i nata nrimnira a lll-
rna vrlho.
_ Precisa-se de aoo,ooo reis a juros
com bypolheca : annuncie.
Quem ennunciou querer comprar
garrafas vasias: dirija-se a Soldade em
um sitio defronte do Reverendo Snr. Fr.
Manoel o neste mesmo sitio tambem se
vende um horco de enanca ja usado e
urna manga de vidro solleira das G horas
da manliia ate as a da tarde.
Precisa-se arrendar um sitio que seja
na Soldade e tenha boa casa e bstanles
arvoredos de frutos ; na ra de S. Rita
nova D. 18 tado da Igreja.
_ Engoma-se roupa com perfeicio e
por preco cmodo r na roa do cano D. 11.
_ O Sar. F., qoe a dois annos deva
17 gao; reis dio fasendas que comprouaJ.
A. O. S. e que nio tem respondido a
nenhuma das cartas que seo credor Ihe tem
escripto a respeito queira no praso de 8
dias hir saptisfaser a dita quaotia do con-
trario se publicar seo nome per extengo ,
e todas as mais circunstancias, pois rhe Pi-
car moito disairoso, visto o annunciante
nio ter ootro recurso.
Quem quiser dar juros hum cont
de reis hjpolecaudo-seum sitio, ou cora
firma segura correndoos juros de a por
cento: annuncie.
_ Precisa se de alugar um pret) para o
servico de um liatica e que seja fiel,
eu moleque piga-se 10,000 reii par me/.
da-se comedoi ia : na ru do 11 ario es-
treita Bilica deJoa Pereira da Sitvera
pintado afrente de anwretlb.
M Quera liver para alugar um sitio qua
tenha capacidade para ter vaccas d leite; e
prefere-se o que liver banho: annuncie.
_ O abiixo assignado ja anunciou no
Diario n."tai do da 9 de Junho da
1837 e fcgora o torna a faser de novo ,
ou segarida vez qua ninguem compre,
troque negocie a escrava Joaquina de na-
caoangoU captiva do Majar Francisco
Joseda'Vteneses Amorira Instructor Ga-
rat na Villa do Liraoeiro e morador no
mesmo l'gax por Ihe estar hypothecadi,
e obrigada pela quintia de 107,600 alem
dos juros vencidos, constantes de titulo ,
que est em puder do Annunciante afim
de ninguem se chamar a ignorancia, quan-
do se lionver do comprador a quantia por
que esta hypotecada e obrigadi visto
que a cousa passa com seo encargo e pa-
ra constar se publica este segundo annurt-
cio. Jos Maris Schefler Juoior.
_ Kaz-se publico a actual Mjss da Ir-
tnandade da Sanhora Santa Anna erecta
na Igreja da Madre de Dos e que en-
trar que est eleita desde 1837 e ree-
leita em l838 que ha quem de um con-
t j de reis de rend. annual por lampo de 6
annos, pelo corredor couliguo a mesma
Ipreja, e que lera estado o, cupido pelas
Obras Publicas e Guarda d'AUaodega e
agora se va i maudar eolregar a dita lr-
manJade: o pertendente se obrig1 pelo pre-
zeote anouncio a faser boa a dita quantia
para o que sendo preciso prestar fian-
es doea e no caso das referidas Mezas
nio allugarem se nio parte do sobredi lo
corredor o annunciante tio bem quer ser
ouvido s beneficio da rmandade por isso
que qualquer arreodamento que se haja
de faser dever ser em plena Meza, pre-
cedendo annuncio por este Diario : e pi-
ra couliecimoto das referidas Mesa, do
publico e do Sur. Juiz da Capellas faz o
presente. Um Irmio.
Furtaro 4 esvaitos na noite de quar*
U feira para quinta ao do corrente do si-
tio do Sr. Rocha na Solidada dos quaes
tem um preto um mellado ambos cora
o mesmo ferro e dais castanhjs, com
ferros differentes; quem dalles souber e
der noticia certa ser generosamente re-
compensado v ssirn cora protesta contra
qualquer pessoa que os liver oceultos ou
que os comprar : dirja-se ao armasen de
porta larga do paleo Ua Matriz de S. An-
atender a esta suplica, pata primeira e ul-
tima vez.
__ Aluga-se para passar a fesla casas na
Cruz de Almis com commodos para
graude familia, tendo urna capim, ecoixei-
ra : e na eapunga com os mesmos commo-
dos e prximas ao rio : a fallar com o
Major Jos Carlos Teixcira.
Arrenda-se um sitio na estrada do
agoa fria com sofrivel casa urna por-
caodepsde coqueims e terreno par
plantar capim ; quem o pretender diri-
ja-se a ra da Cruz n. 4 "o segunde an-
dar.
Faz-se cente a qualquer pessoa
que quiser comprar o sitio que foi de Do-
mingos dos Passos que coube ao preto
Antonio da Costa Passo que o dito ja es-
t adiaotado 110 arrendamento do mesmo
sitio com 3oo.ooo, e para nio baver du-
vidas faz u presente.
Na ra da iVtaJrc de Dos sobrado
D. a4. primeiro and^r, ensiuao-se meni-
nas a ter, escrever contar, doutrina, co-
ser e lavariolar pelo preco de rail reis
mensal; tambera se receben meninas pen-
donistas a dez mil reis por mez.
Algum Snr. que precisar de um mo-
r1eque de a5 annos para cosinheiro, com-
prador em saboa e eogoma com aceio o
perfeicio ou para algum botiquim por sa-
ber faser bem caf com leite simples e
x e tamban atias e pao torrado, o
mulo vivo para receber dinheiro : na ra
Direila sobrado D. 11 1.* andar*
Aluga-se urna casa na beira do rio
Cap bribe no lugar de Santa Anna da Oli*
veira cuja casa fica defronte do sitio do
S'ir. Gibnel Antonio e estrema com o si io
do Snr. Antonio da S.lva & Comp. : na
ra da Madre de Daos pree de algodio
de Joio dos Santos Porto.
_ Aluga-se urna grande casa terrea ,
nova com commodos para grande familia ,
com quintal murado, cacimba sita na ra
da Alegra da Baa-vista : quem a perten-
der dirija-se a praca do Corpo Santo no
armastm de assucar pegado a inspecio db
assucar ,afalar com Joio Antones Gui-
mares. .
_ Joseph T. Gillmer, cirargiao dentis-
ta de Philadelfia tem a honra de annunciar
ao publico de Peroambuco, que elle pa
denles artificies por um novo melhodo o
imitando parfeitamenle os naluraes pela
semelhanga e solidez. Tambemos chum-,
ba por urna maneira simples e sem dor
eqaemosnservaat.
seas que se quiserem ntilisar do seu pres-
umo podem dirigir se a ra do Trapixe
D. i3 das dez at as-quatro horas da
tarde.
_ Alluga-se huma casa de campo com
muitos bons cmodos para huma ou duna
familias, cita na capunga : quem a preten-
der falle com Manoel Antonio Gonsalves
ra do Cabujja loja de ourives D. 1, para
o ajuste. .
i. Os andares, armasens da c.sa da
ra da moeda, ltimamente reedificadu,
pintada e preparada
juntos ou separados ;
ia
com todo o aceio;
a tractar na ra do
indo munido de fiadores
ionio, ou no mesmo sitio a cima.
Rogs-seao Keeerendissimo Sr. Dr.
Vigario Geral, que por favor caridade ,
e justica : queira quantos antes na con-
forraidado da lei sentenciar os autos do
Reverendo Vigario collado da Escada que
se achio naconclusio a porto de tres me-
tes, pois que etsa de.longa parece ser feita
4e proposito e assira muitas pcswai o tera
Vigario D.
idneos.
_ Arrenda se por anno ou para passar
a festa, um cilio na passagem da Magdale-
na com sofrivel casa de vivenda, banho, ca-
sa para pretos, estribara para dous cavallos:
quem o pretender dirija se a pracinha do
Livramento D. *4 p ,r,clar doseuli-
precisa-so a premio cem mil reis, dan-
do-se penhores ; quem os ti ver e quiser
dar annuncie a moradia para ser procu-
rado .
Quem quiser comprar urna escrava
crioula com alguas habelidades, dirija-se
a rna da Gloria D. 48-
Roga-seao Snr. Thesoureiro da Lo-
tera do Siminario haja de nio pagar quan-
tia que por sorte sahir em o meio bilheto
numero a 18 assignado no verso por Joa-
quim de OliveiM Maia Jnior e Jos F.
Coelho, se nio a algum dos dous, pois que
o dito meio bilhete toi desencaminhado por
brocadeira, eapessoa que o levou nio
tracta de o restituir. Ayer-se para maior
clares que o dito meiobilbeie tem no ver-
so adata do dia em que o mesas fo com-
prado.



.*

rf
4
m X~K* O DEPEH N A M B UC O.
-

Aluga-se una casa no poco da panel-
la', defronte da Igreja, com commodos
para grande familia com arvoredos no
quintal e cacimba com boa agoa para be-
ber : a fallar com Jola Goelho de Carva-
Hio ra estreta do Rozurio D. 3a se-
gundo andar.
Precisa-se de urna cata terrea no
Btirr de S. Antonia, sendo pequea ,
que he para pouca familia e qwe o sen
luguel nao exceda de 8000 mensaes pre-
ferindo-se as roas de Hurtas Palacete ,
Martirios S. Theresa Agoas verdes ;
qaem liver annuncie.
Precisa-se de uro feitor par. um si-
tio perlo da prac.t sendo obligado halhar e prefere-se4a porluguez : naiua
daCrtti n. iti.
Nodia 8 do corrente ha de ser a
primeira praosda arremaiaco da otara,
sequestrudaao ez-colector Antonio Moiei-
ridaCosla sita d margem do rio cipi-
biribe toda cubera de telba e com bar*
ropropiio, cuja arremataeo se far pe-
ante o Juo dos feitos da fazenda Naeio-
ual.
Quem annunciou querer comprar ,
urna bomba de ferro, querendo urna de
cobre dirija se atrae dos Martirios casa de
3 fotulas verdes.
Aluga-se um sitio com casa suficien-
te psia qualquer familia p.-issar a festa,
com agoa boa para lodo o mister e omi-
tas fructas b-*rto da estrada do Montero,
quem o pretender dirija-se ao mesmo si-
tio a fallar com Maooel de Albuquerqoe
Barros*
Aluga-se um armasemTcom duas
portas de frente, e com um bom embarque
e desembarque na ru que fica por de-
trazda ra do Fagunde* a fallar como
Vianna na mesma casa.
Quem qo-iser 5oo prcas a i5,4o<,
fdlle a Jos MaiU Gi. aldea que dir
quem tem.
Perdeo-se no da sbado aa do cor-
rente no bairro de S. Antonio ai 000
em sedulas, sendo duas de ao,ooo urna
de 10,000 e outrn de um mil rs.; quem
as ti ver adiado o quiser restituidas, diri-
ja-se a r.ua do Cabug segunda leja do la-
do direto.
___Qoem annunciou querer comprar
tim quarto de sella, querendo um ala-
zib capado, e furta passei 10, dirija-se a
ra do Vigario n. ai no segundo andar ,
onde tamben se venden doi poidros e
-umcavallo pequeo de efla, en meias
carnes.
A pessoa que annunciou precisar de
um ciixeiro para fora da praca sendo
anda o queira tHrija se a ra da alfan-
deg% velha no segundo andaT do sobiado
1). i.
J0S0 Antonio Baptista Muniz e sua
mulher Mariana Francisca de Oliveira ,
fazem sceote aquellas pessoas moradores
nesta praca, que tenbocontas com o mes*
no casal as apresenlem no praso de 8
das na sua serrara na ra da praia.
' Precisa-se de um menino de ra a
l aunos de idade para caixero de venda ,
anda mesmo nao leudo pratica : no beoo
do pexe frito venda D. 4-
- Perdeo-sn no dia 17 do corrente,
pm embrulho de msica da anella da
ordem tercera de S Francisco, o qual
continba um aria duas ou.tres roodnhas
embrulbadas em papel pautado ; quem o
achou -dirija-se a ra do Figo casa D.
aa, que s^r recompensado.
Ensini-se particularmente Geome-
tra, as pesso.s que quiserero aprender, di-
njao-se *o paleo da S. Cruz, botica de Jo-
s Mara Freir Gameiro, que dir quem
usina.
Precisa-se de um rapaz de. 16 annos
de idade, para caixeiro de venda, que
disao tenha pratica, a de. fiador a sua con-
ducta : no beco largo venda de garapa, ou
annuncie. ,
"Precisa-se de um feitor que entenada
de borla e que trabilhe de cuchada pa-
ra tratar de um pequeo sitio na ponte de
Uchiu ; qoem estiver tiestas circunstancias
dirija-se a Manoel 'Antonio da Silva Mota,
11a ra da Cadsia velha n. (i.
Aluga-se um casa lerrea no correr
da Gloria pegado o primeiro sobrado : na
ra da Madre de Dos 11. i{.
Pede-seaoSr. Joj Antonio Vieira,
par* rj03 iw-nhi sfc?fldadv ds dirigir a
roa nova no segundo andar du sobrado De-
cima 3.
Precisa-se de urna ama que tenha
bom leite, dando conhecimenlo de sua
pessoa preferindo se sendo eserava: nes-
ta Typografia.
AVISOS MARTIMOS.
PARA LISBOA segu viagem o Bri-
gue ortuguuz Africano 110 dia primeiro
de Outdbro ; quem quiser carreg^r ou r
de passagem falle com o Capifo na
praca, ou ao seu Consignatario.
PARA O HAVRE a Galera Fraceza
Alhalie Capillo Saillard sahir at o
da 7domezde Ouluhro ; quem quiser
hir de passagem, para o que lem ptimo
commodos dirija-se aos seus consgna-
nos LenoirBesucht S Puget, ra da Cruz
numero 5.
PARAOASS', segu viagem o Bri-
gue Nacional Constante ateo dia 27 do
crrente impreterivelmenle; quem no mes-
mo quiser carTegar ou r de passagem para
o que tem excellntes commodos dirija-se
a Machados Santos, 00 forte do Mallos.
LEIL AO.
>* I *^ !! I ...... I
Que fazem Aime Fradel e Dangla Frere
ooescriplorioda ruadaCruz D. 61 ter-
ca feira *5 do correte de um grande aor-
limento de fazendas francesas e bijouleri-
as orno eotdea doarados coracSea, cru-
m* brincos con pedras de filagr ditos
de coralinas, rosetas de orelhu fivellas
para cintos de muitos padroes botdei,
pulceiras, conlas dourades atues, e pre-
taa, iudspenaaveis de misnngas, ledo-
para lencos de fil de 3 ponas los pre-
los e brancos de lioho bordado pannos
finos, setina, sedas para vestido, groa de
n o pies, bicos pretos e brancos risca-
dos chita* vesfidos de fil e de cassa ,
brm para cabs* taretpreto fondos de
carobrai*, casticaes de casquinha chico-
tes copoe para agoa e licor chapeo de
sol, ditos ie popiline pistolas grandes, e
para algibera, espiogarda, b zerros mui-
o finos peales grandes de chifre, dito
de tataruga para moca* eslrivoa, bridas
de ferro e de lat, eaporas mentas de
sliro, e outroa muitoe artigoa) princi-
piar as 10 horas da man ha.
COMPRA.
Barricas vasiae do farinia do reiiio,
que sejo boas ; quem tiver annuncie.
Urna cabra b*o que aejn parida
de penco lempo, que tenha bastante le-
te e, paga-ae o que merecer : na ra da
cadeia do Recife toja n. 48.
VKNAI.
Urna cama de casado (fe Jacaranda
com seus competentes enxergies duas
coberlas de damasco milito ricas forradas
de carmesim, duas bandeijas de ruito
bom goato, um sof di Jacaranda, um
apaielhoda India qara cha ludo per pre-
cocommodo: na ra das Floresnume-
ro 1?..
Uma casa terrea na ra do Padre
Floriana, cum muito bom quintal, e em
optilim'o lugar para se por qualqaer es-
(abelecmento como venda por ser ra
de transacao : a tratar na ra por detruz
dos Martillos D. a6*
Uma bonita eserava de idade de l/\
a'a5 aunos, com boas habelidadea : na
ra Oreita 30 do lado da Igreja du Li-
vranealo.
Ou aluga-se um sitio na campia da
casa furto da parte da sombra em tr-
ras proprias con boa casa de tapa, mui-
to fresca, e teso bastantes commodos,
cu jo sitio est bem plantado de boas, e
novas arvores de fruetos, e tem cacimba
de pedra e cal de muito boa agea de brber:
a tratar ua ra de calderero sobrado Deci-
mal 5.
-- Bichas relas de muito boa quafi*
t *
dade sacas com farinha do Rio de Janei
ro : na praca da Boa vista venda D. 9.
Terrenos para se edificar casas no si-
tio da passagem da Magdalena abeira da
estrada com i85 palmos de fundo ou
4oo e pelo lado da camboa da pontezinha
com 5oo ou 4oo palmos de fundo con-
form o gosto f e circunstancias dos pie-
tendentes, a vista da planta,*que ser
apresentada : a fallar com o prbprietano
Jos Jeaquim Bezerra Cavalcnti na tra-
dessa de ^So Jos, so'nado de a an-
v*res nos dia otis das 'i as 5 horas da
tarde ; assim como tarobem se afora per-
tamentf do lado da camboa.
- Um cavallo rucilho escuro bom
esqnipador, carregador e passeiro : na ra
doAragSo D. 3j.
Tijolos de alvenaria e'telbas mui-
to boas, posto na obra por preco commo-
do, tambem se d troco de uma canoa ,
que seja nova ou cora pouco uzo bem
construida, e que pegue em mil tijolos:
annuncie.
Uma eserava 'de naci angola mo-
ca perltima engommadeira cozinba e
faz doces de todas as qualidades ; e um
moleque de idade de 10 annos ; pastando
a Igreja dos Martirios no primeiro andar
do primeiro sobrado.
Um' negro de idade de 36 annos ,
bom canoeiro e proprio para todo o ser-
vico : nn atierro da Boa-vista terceiro so-
brado da parte do sul junto a ponte.
- Uma venda com poucos fundos : a
tratar defronte do Palacio, venda de 6
portas.
uma canoa grande, que carrega mil
e aoo tijolos : na ra nova D. 9
Um pian no Ioglez'de muito boas vo-
zes e em muito bom uzo ; na ra nova
D. 35, o p da ponte.
Portadas de boa pedra bem lavrnda :
na ra do Litrmenlo no armasen de lou-
ca D. 4>
Ou trocfl-w por um negro sem offi-
cio, um moleque' sapateiro: na ra da
Oidem Tercera de S. Francisco sobrado
numero 4>
4 (nos de Breviarios, o um dito
de formato pequeo, por preco commodo:
as 5 ponas D. 19.
Na ra da Alfndega velha D. 5 ,
laxa de ferro coado, grande, e tambo-
res antigos para engenho por preco coca-
modo.
- Lonas largas de bamburgo de boa
qualidade as pecas a dinheiro por preco
commodo ou por junto com algum praso;
vinho do porto em pipaa e meias pipas: na
ra do Viga rio n. 17, residencia de Joa
Vieira Lima.
--- Muito bom espira de planta na
lara de S. A Una defronle do engenho da
Torre a 16 > a arroba e tambem se dei-
ta a porta do freguez, de enverno e verb a
a4o ris.
Praotoes de sedro de 3o, e 4o
palmos rfe coraprdo, e largura de dois a
i palmos : na ra da praia serrara de Ja-
cinto da Silva.
Uma loja de miudesas com pouco
fundos, sita no atierro da Boa vista u. ai.:
a tratar na mesma.
Uma venda nova com 'poucos fun-
dos a dinheiro,, ou desobriga : a tratar
no paleo de N. S., do Terco, com Antonio
de Almeida Braga.
As obras de Morceaux Choiss de
Fenelon a rmraitacfo de Jezus Cbristo ,
ambas em francez e ncadernacSo rica :
na ra das Ti incheiras no cartorio do Es-
crivio Almeida.
A obra de Theologia Moral do Padre
Mestre Monte, nos lugares ja annui.-
ciados.
- IJma preta crioula de idade de ao
annos, coso engomma, e coziuha: na
ra da eadeia nova D. 4.
ESC KA VOS .FGIDOS,
Roga-se as aulhoridadp pohciaes ,
pessoas particulares e capities de cam-
po mandem prender os seguntes escra-
vos : um molatinho de idade de i&annos,
cbelos louros tem na testa uma marca de
um couce de cavaHo e quando anda pisa
sobre os calcaObares. Uma radeque de
nome Ancclmo erionlo barro e gro$se
"o corpo cora a orelha esquerda furada
cabeca grande e beicudo. Um raolequ
de nome Jos, dejaco cora os dentes
para fora eostmna lomar bixos nos p>;s.
Um negro de nome J0S0, de naci pp0.
promeite-se dar uma boa gratificacio
quemos levara ra do Jardiro no sobrado
novo de dois andares e trpeeira.
- No dia 16 do corrente desaparejo
um molatiriho da cor escura de idade de
qualorze aunos cim os signaes segua-
t : cabeca grande e mal feita, cabel-
lo? um tanto estirados olhos grandes o
netos zarcillos nariz um tanto afilado
boca grande, beieos finos, os dentes prio-
cipiando apodrecer orelbas bastante praa-
des e moles baixo, grosso, e barigU(j0>
mos mal fetas e speras tem alguna,
sicalrizes de dentadas de cao junto ao jo-
dhos, cas meSmas nos trazeiros, ps gran-
des e apalhetados fugo com orna cami-
sa d estupa ja suja de azeite de carra-
pato que anda va vendendo calsa de
panno da costa ja velha e com o flndes
de azeite, o di o he natural da barra
grande', e foi escravo de Joana Francisca
da ConceQo viuva de Antonio Gome Be-
cerra tambem naluraes da barra grande
e presentemente he escravo de Miguel Goo-
salves Franca morador no beco que fica de-
fronte do beco do carcerero ; quemo
pegar leve ao seu Sr. no dito lugar qua
sfer gratificado.
No 5 do p; p. fugo um esciavo de
nome Benedicto naci angola de dade
de a8 a 3oannos baixo do corpo; po-
rem reforcado cabeca grande, testa al-
guma coisa franzida obos meios verme-
Utos, nariz chalo boca larga barba t
envolta do queixo falla muito desemba
rassada que parece ser erioulo e em
seus ditos he bastante pronostico tem so-
bre e lombo esquei do 5 ou 6 sicalrizes de
ventozas .que levo be cabelludo por
lodo o corpo principalmente na barriga e
pernas, levou vestido camisa e calsa de
brim branco e fugio com um ferro no
pesco.o o qual ja poder ter lirado, he ser-
rador, e foi ganhadnr de ra e ltima-
mente eslava Irabalbando em padaria ;
quem o pegdr leve a ra da sanzalla velha
D. 49, que ser generosamente recom-
pensado.
Fugo umanegrioba de idade de :o
annos com vestido de' chilla azul rosto
comprido, o lulla olhos grandes ps
apalhetados, e com bastante bixos de
nome Claudina ; quem a pegar leve a roa
de S. Tbereza D. aa que ser bem re-
compensado.
M0V1MENTO DO PORTO
NAVIO ENTRADO O DIA ai.
.
LISBOA; 35 das, Patacho Portuguez
Flor de Lisboa de 135 Tonel. Capillo
Vicente Antonio Rodrigues, carga g-
neros eslrangeiros : aOCapto; passa-
geiros Porluguezes D Mara do Carmo,
Jernimo Jos e seu IrmSo Jernimo
Francisco Gomes e Jos Sares de Oli-
veira,
SABIDOS'NO MESMO DIA.
LIVERPOOL : Brigue Inglez Cognac
Paket, Capilo Th jolhumt cjrga l-
godio.
ASSU" ; Brigue Ingle* Daos Te Guarde ,
Cup.to Domingos da Silva tMotla car-
ga lastro de areia.
PENEO; Sumaca Brasileira S. Mara,
M. Manoel Antonio Co tinbo, carga ga-
eras do piiz; pass3geiros Brasilei-
ros 4-
RIO DE JANEIRO; Paquete do Rio Vi-
Francisco da Silva carga gneros do
paiz ; passageiros Brasi.'eirs Jos An-
tonio Moraes Joaquim Jos de MalU
Portugoez Jos Antonio de Souza Ma-
chado.
OBSERVACES
No da ai do correte, fez-se d* vellido I*-
mnirio a Escuna Inglesa Jbseph que
tinba fnndiado n da 18.
No dia ao nao entrarlo nem sabro "*
barcices- ______________^
Perk, ha -Ti, db ,83a'


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID E6VOC7W4N_26UAA5 INGEST_TIME 2013-03-29T15:15:49Z PACKAGE AA00011611_03651
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES