Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:03621


This item is only available as the following downloads:


Full Text
*
Anno UYIU
U
mmmmmmtm
Sexta fcira 16
de Abril de 1855?.
N. 85.
Dll'Hiri)S.PiiRi\liaHI0
aroo a auaoiurolo.
PzOlHIflTO AD11IST1DO.
Por trimestre............
Por ..mostr ...........
Por inno........>.....
, PiOOD.NTSO DU tllMIITlI.
ro qtiartel.............
OTIOI Aa DO lMPinlO.
Par....; i de Marco Minas... 4 de Marco
Miranhi. Mde dilo
(.rara... 77 de dito.
Parahiba. if Abril
4/000
8/000
1VU30
4/T.OO
S.Paulo. 4 de dito
II. de 1.. 23 de dilo
Babia... 3o de dito
das da m>.
12Seg. >.*. I. Olala.
S. Victor e Venia.
13 Tere.* 2. Oitara.S.
Hermenegildo.
H tiuarf.S Domniaa.
15 Qulnt S. Kiithiipiio
16 arit. S. Engraca.
17 Sab.S. Aniceto.
18 Doiii. I. depois dal
Paichoa.
AUDIZirOlAg.
Sutodi OrpkSo
. e5. as 10 horas.
I. rara rln civel.
3. c6, ao melo-dla.
faunia.
3. e 6. i 10 boras.
2 rnra rio culi.
4. e sbados ao mel-
Relleno.
Tercas e sitados.
aaM
PARTE OFFICIAL.
1 Art. 3. Fica revogado, nost parlo a-
!monto, decreto d. 309 do 13 de junho
do 1843
MINISTERIO 1)\ JUSTINA. | Eusebio de.Queiroz Coutinho Maltoso C-
Uatlda S. M. o Imperador, p^la secretaria mar, do meuleonselho, ministro o secre-
de estado dos negocios da justo}, remoller (ario de eitsdo dos negocios da juslica, as-
juntado commerclo da provincia de S. sm n tenha entendido e fic,a exeoutar.
Piulo a inclusa tabella assignada polo ofH- palacio do Rio de Janeiro, em 5 de marco
Cill roaior da mesma secretaria de estado, de (852, trigsimo primeiro da independen-
marcmdo os emolumentos que provisoria- C|a e d0 imperio.Com a rubrica de S. H. o
mente dverSo ser cobrados pel secretaria imperador. Ensebio de Queiroz Coutinho
da referida junta ; a qual poder propor as maiolg Camarit.
modifleaedes na dita tabella que a pratica
mostrar seren convenientes.
Palacio do Rio de J.neiro, em de marco
de 185 Euscbio dc Queiro: Coutinho Hallo-
so Cmara.
M. B. Idenlleas se eip;il>em s juntas
GOVERNO DA PROVINCIA.
EXPEDIENTE DO DAS DE ABRILDE
I8M.
Offlclo Ao commando das armas, comuni-
al. V. luenucas ao m^u... -. ,-...-. nicaodo ue ,fUDdo conslou de aviso do mi
do eommerclo das provincios do Maranho |,terlo J, guera de 07 de fevereiro uliimo,
Rio Grande do Sul. se espedlo ordem para aeguir para esta pro-
Tabella a que se refere a portara supri, vlncla.afim de .r convenientemente emprrga-
dos emolumentos que devetn ser cobra- do, o segundo clrurglBo alteres do corno de
dos provisoriamente pelas juntas do com- S^iJf&m^fc%
m,,CI0- 1 fa ir 111I11.
1. Por qoaesquer termos, cada lauda, nito Ao mesmo, lntelrando-o de haver-se
1,500. espedido ordem a pagadorla das tropaa da cor-
2. Por quaesquer eerlidoes, cada lauda,' IP, aeguudo foi communlcado em aviso da re-
1,500. psrlivao da guerra de i.'i ue marco ultimo, pa-
3. Por cada busca, cada um anno, 400 rs. ra se abonar do prlmriro do correle em dl-
A titulo de busca nunca se Cubrara maiS de ante a quanlia de DUaOOOrs. mensae. aos doiis
. -- filhos do tenente-coronel da terceira classe Uo
'.A ..-.i... ..A. l.l. estrello, Antonio Pedro de S brrelo, por as-
4. Por quaesquer registros cada lauda, jjln o ba'ver pedldo 0 ineimo lfnrBU.connei.
4,500. Cominunlcou-se a thesouraria de hienda.
5. AO Bical, Cadl OfliCiO 1f. Dito Ao mesmo, communicando que, se-
6. Pelo registro dos documentos que OS gundo fol drelarado em aviso do ministerio da
commerciantes malriciilidos sSo obrigados gurrra de 11 de marco ultimo, permittlo-se
ainscreverno registro publico do com- que o lente reformado do ejercito, Francis-
mercio.e pelo dos d*s embarcace hrai- co Joaqulm Perelra Lobo, continu a .er em-
Jeiras destinadas navegacao do alio mar, E&<~^?1SmJS2**
Cid. Isu la 1,500. thesouraria dc fazenda.
7. Pelas cartas de mitnculi das ditas cm-, D|,0 Ao memo, transmittindo por copla
barcac,0-s cubilr-se-hSoos seguiotes emo- 0 lv|<0da rrpa.tico da guerra de 2J de marco
lutneotos : 'ultimo, no qual ae communira haversido lude-
De urna escuna para cima, 15/.
Assignalura, 4/.
De sumacas, 7.500.
Assigualura, 21.
De lauchas, 3,750.
Asignatura, I/.
Pelas averbacOec futuras I/.
8. Rubricada lluro, 40 rs. cada orna.
Distribuidlo e asignatura, 1/.
Tu' mus ds abertura e
800 rs
Sacretiria de estad
tica, am 4 de marco
Natcimento Silva.
ferldo o requerimento tm que o segundo com-
', mandante de companhia do corpo de policia
\ desta provincia, Jos Aflbnio dos Santos Bas-
tos, pedia o pagamento das vantagens que Ibe
jcompelem por ler servido de ajudante de or-
'dens da presidencis, visto nio haver elle mos-
trado o direito que Ihe assistia para recetar lael
[vantagens. Igual copia reinetteu-se a thesou-
raria de fazenda.
I Dito Ao mesmo, remetiendo copia do avi-
ourerramonlo, so do ministerio da guerra de 22 demarco ul-
timo, mandando aeguir para o corpo a que per-
0 dos negocio, da jus- tr^X'^ZlT^0 ^"'^ ^
1 de f852.--.rM.no do uito Ai. inspector da thesouraria de fateo-
da, para que, a vista de sua lnformaco, a que
velo anneio o requerimento que devulve, man-
AVISO DE 4 DE MARCO DE 1852. de abonar ao trrcelro com.nandanle d. corpo
Declara que na gu-roa nacional nSo se con- dcp0|,ciai Sebastlao Antonio do Reg, que ae
ta como lempo de servico o pissado no acha no ejercicio de ajudante de ordens da
exercito. presidencia, os venciineutos que lhe compeli-
MinisliTio dos negocios da jusli;a. Rio rein nos termos ds circular Jo ministerio da
deJaneiro, em 4 de marco do 1852. guerra de 11 de agosto do aono'passado.
Illm. e Exm. Sr.-Respondendo ao ofllcio 'f ''".....iranumiiiniiuoa aviaos le
de V. Ex datado d.< 28 Uo mez ultimo, m- duas'eltrai na importancia de ':""
, ",",,-.|.j. ..._, sacadas prla thrsouraiia de hienda da provln-
formando a pratanclp do tente da l'com- cildo '|o Gr|nde do Nor, ,UDrc a desta, e a
panhia do b* batalhao da guarda nacional favor dc xhomaz Comes da Silva e Francisco
de scu commando Luiz Anlanio Lscombe, jf Gomes. Participou-se .1 tu preal-
pedindo que le Ib 1 corito u lempo que sur- dent? dai|tiella provincia,
vio coruoolDcial w> xercilo, tenho a deca- Dito Ao mesmo, remetiendo copla do avi-
rara V. Ex. ques-ndo o servio no exarcito so do ministerio do imperio de 2> de marco al-
denature multo di-tincla do da guarda limo, do <|ual consta trr sido jubilado na pri-
naciooal, riSo he possivcl conlar-se como melracadelra doquloio anno do curso jurdico
,e,npode.nguiJsPden.mesm.gu.rd,na- i^KJ.YJr.r"* ^^
cioual o passado no eiTCito. ou v.ce-versa. 1 Ao m i,e|nd0.0, ,i\,n de que
Dos guarde a V. EX.--Eue5io de Qaeiros f,ca conslarao Inspector da alfandega e ao ad-
(.oulinho Valllo Cmara. --Sr. Manuel ds j ministrador dmela do consulado, de haver
Konseca Lima e Silva. resolvidoqueos despachos de plvora e de ou-
m .i [tros objrctos compiehendidos na prohibicao
.,..,-,, ...ni, r,- ,,,,-,, ,,i; isjta 'oonitantedoolBclo de7de Janeiro ultimo, se-
DBCRBTO N 92a DE 5 DE MARf I DE IW. jjm nrecldido dc Ucen^ ua policlai clll0 ja
''' - -1 armas que os regulamenlos nao permittein,
Cria promotres pblicos as coma
Maranbao, Psrenahybi e Carolina,
provincia de Goyaz, e marca ordenados
tanto a estes como aos dts oulras comar-
CM.
Hei por bem em exeCucSo da lei do 3 de
dezembro de 1811, e tendo altRncSo a pro-
posta do presidente da provincia de Goyaz
decretar o seguidle:
Art. I. llavera um promotor publico nis
comarcas do ,M,i raniifin, Paraimhylia e Caro-
lina, na provincia de Goyaz, vnneendo o or-
denado annual de 500/cada um, mrno o
da Cornarca.de Carolina, que vencer annu-
almenti o ordenidode 300|.
Art. 2. Os promoloris pblicos das co-
marcas da capital, Sarita Cruz, Portn Impe-
rial e Cavalcanti, na mesilla provincia, ven-
cerflo o ordenado animal de 500|.
regu
conlinueiii a ser observadas suas disposiccs.
- Neste sentido ofnelou-se ao chefe de poli-
cia e ao couimandanle da (ortalea do llrum.
Dito Ao mesmo, transmittindo por copia o
aviso da teparlicSo do imperio de 33'de marco
ultimo, no f|iial se coinmunica a nomeaco de
Innocencio Serfico de Assts Carvallio para pro-
fessor de rhelorica do collrgio das artes do cur-
so jurdico dc Olinda, e bem as^im a de Leo-
nardo Augusto Ferrelra Lima para substituto
das cadeiras de ingles e francez do mesmo col-
legio.
Dito Aomesmo. Em respesta ao officio
de V. S. dc 3 do correnfe, em que pede di.pen-
sa do servico ordinario da guarda nacional-pa-
ra o alferea da quinta companhia do quarto ba-
talho drste municipio, Emilio Xavier Sobrei-
ra de Mello por seachar eierceodo o lugar de
olncial-malur da secrrtirla densa thesouraria,
llsyiiiundo, da qual miuha inullier nunca ser
mais que um paludo forro, que urna copia apa-
gada.
E lodavia fiz eiforcos Incrivels para seguir 01
conselbos de madama Itaymundo, procure! ser
disvelado junto dc Albina, mas nao pude fingir
inulto lempo, nada sinto por ella; o que tente!
dizer-lhe de ainavel e terno me pareca um fur-
to Ir i to a madama Raymubdo.
Nao pude mais continuar semelhanlepapel;
a cada instante faltavain-me o coraco e a pa-
lavra.
Nao me i Iludo sobre as consequencias desta
rolla i minba aollga frleza para com Albioa,
ella deve Hcar lanto mais olfendida, tanto mal
huinilhada disso, quanto tinlia a principio sin-
ceramente correspoodido s mlnhas demous-
Iraccdes: seu constranglmento la desappare-
cendo, e ella pareca contente com a mudanca
que seoperava em intin, procurav* agradar-me
a seu tumo, e estuu certo de que s quera
amar c ser amada! .
E cisque de repente me torno par com ella
mais fri, mais glacial anda ds que no passado.
l'odavia al aqui ella nada ha revelado de srus
ressenlimentoa..,. Nao importa, a dissuinula-
co he propria do seu carcter.... Ah! que
bella occaiiao para Joo ... Nunca crerel que,
apeiarda sualndilTerenle apparencia, vivendo
na hu i.nladr de urna mullo moca e linda, e
tendo notado itrn duvida a miaba frieza para
com ella, e o despeilo que ella deve por isso
sentir, elle nao cuide em approvcilar as cir-
cunstancias.... Ah/ meuDeos! que elle apro-
veileque mal me faria issu? porventura cuido
eu em miuha mulher? Nao tenho mais lempo
para ser cioso, e alm disto nunca o fui seno
pororgulho; toroei-me Insensivel ao recelo da
deslioura e do redlculo; todas as Torcas vivas
do ineu coracao estilo concentradas na ininha
loiicapaliao e emprrgo todos os recursos do
ineu espirito em occulta-la a todos os olhos,
mormente aos dc madama Raymundo. Julgo
conseguir i.so, lodavia vinte veses uina confts-
litoe sua belleaa?: Que me importa isso, Al- ..o me lem rindo aos labios; mas o inedo me
bina nada me Inspira, fol preciso alocoocebi-j lem retido..,. Eu coolieco agora bem a inada-
vcl influencia, a especie de faclnaco que na- lina Ra;inundo epoiso advinuar dessejasua
dama Raymundo eserce" sobre mlm para levar-jresposla; ou;o-a dizer-me sein colera, scui
me a pruinetler-llie sinceramente (eu era sin-desdeui, e mesmo sorrindo, como lima mulbcr
FOLHTIjM.
OU
MEI710 RAS DE Uffl MARIDO.C)
(roa idmio iji.j
XLVI.
Continuas/jo do diario.
Eu enlonqurco.... ininha saude que eslava
quaal intriraiiieule rcatabeleclda ba dous me-
ses, altera-se .profundamente; vivo aempre
com frbrr e sujrlto a una eicilacao continua;
durino mal ese adorieco, a imagem encaola-
dora de madama Raymundo vera perturbar o
ineu rrpouso ephemero.
Em ves de parar no cainfnho fatal onde 1 lor-
ie me i muelle, cedo ao atlrativo de minha crga
palaao; ella produzir algum eslrondo lerrl-
rel....
Nao se plisa da nenhum no qual eu nao des-
cubra um novo eucanio em madama Raymun-
do guanta graca, quanla fineza ella mostrou
nesia leltura de Cellracnes, e a larde quando
tocuu plano, que gosto que alma em sua eic-
cuc.o !
llimamente lemns o Cid de Cornelio e dina
fbulas de La Foniaine, nao sei o que mais me
Itnpreislonou, se o modo de ler dessa inulher
eilraordlnaria, se a delicadeza e elevacao do
leu julio lobre Cornelio e La Foolaine... e aem-
pre lio encaoladora, tao bella.
Slm, bella, lao adoravelmente bella nao obs-
tante a iua Idade, que a desejo com lanto ar-
dor como ha ooze anuos....
Abl para que veui ella fallar-me de ninha
inulber? e gabar-ine sua mocidade, seu espl-
cero eolo) que mudarla de conducta para com
niinlia iinillicr, que me f ira amar della, pro-
curarla einfim ternar-me seu amante.
(lu momento aen que disso dependa a feli-
ridade, a salvacfo do met futuro, c laivez qur
eu tivesse cuuiprldo miuha palavra, se nao ti-
vene lodos os diaa dianie dos olhos a madama
F.<< o Diari, n. 84.
boa e honesra que tem pledade de um nlioi.. .
de um insensato ... Elal un 11 charo Mr.
Duplessis, por favor deiie desses gracejos;
poupe um p,,ucoa modestia de una pobre re-
ina de quareola cinco anuos, que tem um II-
llioque he mais velho que Vine.; prometa-
me nunca mais fallar-me em aemelhaniea lou-
curas; volte para sua encantadora mulher, a
qual be a nica digna do amor que Vmc. me
FHMXBISII.
Creiceale i 27, ai 5 horas e 41 mlnuloi da t{
Chela a 4 aoi 5 minutos da m.
Mlngoantell, ai 6 hora e 41 minutos da 1,
Hora i "i ai 9 horas e 26 mlnutoa da in,
ra ama a m o 1 w
Prlmelra i 2 horas e 6 minutos da tarde.
Segunda s 3 horas e 30 minutos da manhla.
e nao poder por isso emprrgar-se naquell
servico. lenbo a dlierlhe que o artigo 25 da
iei de 25 de oulubro de 18I1 nao me parece ap-
idicavel aos umeiaes da guarda nacional, cu-
ja dispensa do servico activo ciearia una lilla
de reserva desconhecida pela lei; rJmala se
concederla urna palenle a qunn nao davesse
perlencer a lilla de acllvldade, sendo pulanlo
nrcessario que o referido oficial prca primel-
ramrnle dispensa do poslo, para, na qualidade
da simples guarda nacional, poder ser dispen-
sado do servico ordinario, quando assins o exi-
gir o servico publico nos termos da eluda lei,
e V. S. tenna em vista, que aos emprrgados que
lili.un a auareparlicao por estsrem presos eaa
consequencla de lerem drizado de cumprir al
obrigaces relativas a guarda nacional, nau se
abona loeaida.
Dito Ao director do collrgio dos orphaos,
inlrlrando-o de haver em vista de sua lnfor-
maco, deferido o requerimento, em q> e Flo-
rinda Maria do Espirito Santo, pedia licroca
para seu filho Flrmino dc Moraes Navarro,
educando daqurllc collrgio, pastaros tres d-
as sanios dapascoa com a supplicante.
Dito Ao director das obras publicas, In-
lelrando-o de haver em vista de sua lnfor-
maco, defirido o requerimento, em que o ar-
rrmalanle da obra do 23 laoco da estrada da
Victoria, Jos Gavaicami Ferrz de .Azevedo,
pedia prorrogaco por tempo de dous mezei
do prszo que Ine fura concedido para conclu-
so da rrferida obra, -- Coinmunicou-se a
tbeaouraria da fazenda provincial.
Dilo Ao inesmu, corumunfeandohavero
inspector do arsensl de m.i Inha declarado que
a pedra vinda de Fernando no patacho Piapa-
asir, ja foi entregue a cmara municipal desta
cidade, mas que em sendo otTereclda ao refe-
rido arsenal o lastro de algum navio, nenhuina
duvlda tem o mesmo Inspector em ceder a re-
partido i cargo de 8. me. a canoa de pedra
que requlsilou.
DEM DO DA 8.
Officio A thesouraria de fazenda, para que
informe qual a verba por onde corre a desprza
que le faz com os srssenta e sete afilcanos
emprrgados actualmente no servico do arse-
nal de guerra, segundo consta do officio e rc-
laco que remelle, declarando ao mesmo lem-
po' como foi autorisada a referida despesa.
Dilo Ao inspector do arsenal de marinlia,
inleirando-o de haver deferido, em vista de
sua informacao, o rrqueriinenlo, era que Apo-
linario Jos dos Santos Andrade pedia que fus-
se considerada semeHVIto a fianca, que prca-
tou naqueile arsenal para ihe serrn entrrguel
as 17 caooai de atnareltoque Ihe foram appre-
bendidai.
Dito A thesouraria da fazenda provincial,
para quede confonnldade com a sua Infoima-
co, mande adiantar tres meses de sold aos
destacamentos do Urejo e Caruaru, contar
do 1 do corrate au ultimo dejuuho futuro, sen-
do essa importancia entregue ao ipajor com-
mandante interino do corpo de polica, con-
forme requisita o inarechal comraandantedas
armas. Cointnunicou-ie ao mesmo inare-
chal.
Dito A mellos, inleirando-a de haver In-
difirldo o requesSsJJIento do Joaqulm Padro Br-
relo de Mello Reg, e exigindo que informe
desde quando est trabalhando a commisio
encarregada da revlso das cuntas da calin-
da thesouraria das rendas provinclaes; quan-
tos sao os seus membros, quantas horas traba*
Iha por da, que trabalhos lem apieseotado;
qual o resultado delira; quanto tempu julga
que serainda preciso para se concluir o ca-
me de laes contal; c que despeza se tem ja
feito com a dita coiumisso, e finalmente
qnanto vence cada um de seus membros.
Dito Ao director das obras publicas, auto-
risaudo-o vista de sua informacao, a mandar
fazer, de confonnldade com o orcameoto que
rcmelteo, os reparos de que nrcessita a cober-
ta da casa du lyceo desta cidade. -- Cotnmunl-
cou-se ao director du mesmo lyceo.
Dilo Aocoinmandante superior da guarda
nacional dol muuicipius de Olinda e Iguarass,
reco'mmendaudo a espedicao de suas ordens
para que o commandanle do Io balalhao da
guarda nacional daquclla cidade mande postar
em frente do convenio dcS Francisco da ines-
m 1 cidade do da 9 do correte s seis hars
da tarde urna guarda de hoora para acompa- 1
nbar a procisso de enterro. Comiuuiii-.
cou-se au juii e mal mesarlos da vencravel or-
dein do referido convento.
Dilo Ao delegado do termo do Brejo, de-'
volvendo a coma em duplcala da despeza fei-',
la desde 2a de novembro de i85l at 11 de fe-
vereiro de-te auno com 01 presos pobres dal
cadeia daquclla villa, afina de que seja iilii-
felta requisico do Inspector da Ihezourarla
da fazenda provincial, cunstanle do officio que
remrtie por copla.
Dilo A cmara municipal desta cidade de-
clarando que deve solicitai da assembla legis-
lativa proviocial a autoisaco que pede para
continuara fazer aa despezas, que forera oc-
correndo pela verba de evenluae.
fiaTinii oa ooaajuoa
Boiaana e Parahlba, l segundas iftaa-
1 felrai. '
lo-Grande-do-Norte,t"das as qnlatai-felra
' ao mel dia.
baranhuna e Bonito, i 8 e 23.
ioa-VIsta, e Flores, 13 e 28..
Victoria,i quintaa-feiras.
linda, odos 01 das.
aVOTIOIAS HTBNOtmll.
Portugal 13 de Marco Austria
Hespanha. 8de dilo
Franca ... 7 de dito
Blgica... 3 de dito
Italia.... 4 de dito
Alrmanl'a. 3de dito
Prania ...3dedito
Dinamarca 28 de Pevr
Russla... SO de dito
Turqua. a4 de dito
i de Marco
Sulisa.... Sdedlto.
Suecia... .6deFevr
Inglaterra 0 de Marco
E.-Unidoi 25de Fevr
Mriico. .. 31 de Janr
California 21 de dilo
Cliili. 2i de dilo
Huenoi-A. GdeMaico
Montevideo 10 da dilo
OAMBIOl DB 1CDKABBZL.
Sobre Londres, a 27 a 60 d.
a Paria, 355
a Lisboa, 0 por canto.
tTJtl.
Ouro.Oncii beipanholai...;7rr
Hoedaa de 6/400 relhaa.....
a de 6*400 nova.....,
> de4/000...........
Prata.PalacSeibraiilelroi.......
Peana columnarlos........
Ditos mesicanoe..........
16/OdO
16/000
9/1OO
l/'.r20
1/920
1/800
DEM DO DIA 7.
Offiicio Ao commando das armas, reme!
ndo, fin de que lenba oconvenlrnle des-
10, o deieitor Honorio Jos da Bocha, que
capturado pelo subdelegado da frrguezla
Afocadaa. Communlcou-ie ao chefe de
,llcla.
Dito Ao mesmo, para mandar por em II-
irdadr o recruia Joaqulm Jos Mariano, que
\ recalhido ao deposito com o nome de Jo-
liiim Jos Aleandre, vdto haver prvido
nao legal. Communicou-se ao chefe de
lela para fater constar a aulorldade que o
ilurou.
Olio- A thesouraria de Taseoda autorizando
lista de ana Informas00, amandar abonar ao
ilor das obras pobllcsii aqtlanlla de660/
rns para pagamento das despezai feilaa com
a obra do palacio do governo, devendo a re-
ferida quanila aer entregue depoli que o the-
Suurelro pagador das obras publicas liouver
rrcolhido aquella thesouraria a lomma de
499/930 reis, em que Importaran, algun obje-
Cloi da mrsnia obra vendidol emconiequen-
cia de aulorlsafao da presidencia. Commu-
nfcou-se ao mesmo director.
Dito A iiicsma, para que em vista de sua
ioforinaco, mande abonar ao lente coro-
nel commandante dn rO batalbno de infama-
rla, a quantia de 2:400| reis mencionada no
recibo que remelle, flm de que o mesmo l-
enle coronel possa occorrer ao pagamento
dosvenclmentosdas pracas do refeildo bala-
Ibio, que se achara destacadas em dillereniei
pontos da provincia. (ommunicou-se ao
commando das armas.
Dito A Ihezourarla da hienda provincial,
dlzendo que vino nao haver Inconveniente,
emaer iilisfelto o pendo que remelle, na Im-
portancia de 10:71/reis, a autorlsa a maudar
abonar ao thesoureiro pagador das obras pu-
blicas a mencionada quanlia que pelo respe-
ctivo director fol requisltada para occorrer as
despezas das obraa que esli em andamento.
Inteirou-se ao mesmo director.
Dilo A mesma, Iransinlllindo para seu
conhecimento, copia do contrato celebrado
com Manoel Figuelroa de Farlai editor e pro-
pietario da Tyi'ographia do diarlo de Prrnam-
huco, para Impresso da obra intitulada--,
Enssio da eitaliatlca de Pernambuco. |
Dilo Ao 1 subtiluto do Juiz de orphaoi
desii cidade, duendo que, para poder ser 1
alistado na companhia de prendiies do ane- |
naide guerra, conforme reque.lla o chele de
polica, o menor orphao Antonio Alves dos
Sanios, fai-sc necessarlo, que S. me. mande
bvrara termo, de que traa o artigo > do
regulamenlo n. 113 de 3 de Janeiro de 184 \
officiou-se ao director do mesmo arsenal para
depois de lavrado o termo mandar alistar o
menor na referida companhia, e communlcou- (
se ao chefe de polica. 1
Dilo A directora do collrgio das orpbaas, |
inlelrando-a de haver, em villa de sua Infor-
macao, deferido o requerimento, era que Ro-
a Maria dol Reis pedia liceoca para sua filha
Alczandrina, educanda daquelle collrgio, pas-
sar em companhia da suppbcanle os olas sao-
los da pascoa. Coininuiilcou-se a adminil- :
tiaco do patrimonio do nrphSn,
Portarla "meando o bacharel Joie Soa-
rri de Aievdo, para revisor da obra, que lera
por titulo -- Ensaio da estastica de Peroam- '
buco: cuja impresso acaba de ser contrata- ,
da com o edllor e p>oprietario da typograpbia
do Usarlo Manoel Figuelroa de Parias veo-
cendo o referido bacbarel por lodo o trabalho
da revisa a gralilicacao de Un), -toinmiini-,
cou-se a theaouraiia da fazenda proyhicial__
EXTERIOR.
.locara raa da indisciplina; e na ultima vsm as srssflf 'l constituir-se definilivs-
iris" minisftrial, o conde Derhy, chamado menta o novo gabinete,
pare f.rmir um gabinete, issentuu n ver contar com elle. sua obra, e desgoslosa do giro que lomam
0 rinde projectp financeiro do novo os negocios pub'icos, qniz protestar anteci-
cbsncrller 'lo Exchrquer consiste em dyni- psdsmenta contra os pitaos que se altn-
nuir ou abolir as conlribuifOes Ineses que buem ao ministerio.
posam sobres propriedade na quanlia de (RrvolucXo deftUmbro.)
129 mllhOes de cruzados.
Duvida-se, lem embargo desss 01 ino,
que repule rs'a occasiBu oppo'luna para
fazer tal reforma; e ainda mais seduvida
que seus collegas participen) desuis opi-|
niOes. .2.
Wr. HeTries. enenrregado da direccBo dos
neeocios da India, he um conservador da) .
intiga eschola. pofto que lamliem militassel cu interino, o pardo Joflo, escravo do
n'oulros lempos as flleirss do p,rtido''le''m''"Bdor Firmino Antonio de S0U70,
whig. Em 1827 e 28 foi chsnceller do requisicSo de seu senhor; a ordem do
Exchequcr no ministerio de lord Gode-
PERNAMBUCO
he'iaiiico da Policia.
PARTE DO DIA 13 DE AUl',11 .
Foram 1 re.'os: ordem do che'e de poli-
fas a insigue huura de o'erecer-iue, e liqueiuos
bous amigos. -
Sisas cis o que ella me responderla a mcnAs
que rae nao dissesse com ura despreso cruel :
Senhor, Vmc. faz-iue pagar mullo charo a
hospitalidade que nos cuncedeu em Ulna ho-
ra teremos drizado a aua casa.a
Eu sinto, eu sei que he assim que serla acco-
Ihidaa minlia conrissio; e todava nao posao
liupedlr-me de ama-la, de deseja-la com bri-
da c, com furor
Que farei ? que resolvere!? Tremo ao pensar
que esta paiso he daquellas, que nlugueui
confessa mulher que a inspira, e que lodavia
nao para mesmo em face do imposslvel........
Oh,' quanto soilro, ineu Deol I quanlo sof-
fro!
Eu eslava bem certo que cedo ou tarde suc-
cumblrla a esta reigonhoia lenlaefo.... Que
ganhei cora isso ?
Ah! ene preicenlimento queme vea se rea-
usar I esta palzo furiosa terminar em
algum abomlnavel cstroudo..
rlecorderaos as nolsas leiubrancas. Talvez
que veudo-as escripias, materialmente Iradu-
sidas, eu me envergunbe de miin mesmo, e pa-
re no declive do sbysmopara oqualcurro.
O quarto oceupado por madama itayiDUodo
oU'erece uina disposi(o particular; unidos
palneis de tapecaria cora que he f rrado, pode
.i voulade correr e descobrir assnn una estrel-
la passagem por oude urna pessoa pode secre-
tamente introduzir-se no quarto de dormir de
madama Kaymuudo. Esla passagem termina
u'uin lougo corredor, cuja saluda eiterior cun-
munica cuiu uina especie de escada paiticular.
Deaignando a principio o quarto das laprcarits
para ser oceupado por madama Itaymuuuo, eu
llnhai-uidado sobre tudueiu aloja-la assl 111 co-
mo a Joo e Charpeulier, na parte mais relira-
da da casa, e n'um quarto que oerecia, gra-
tas ao corredor aecrelo, uina sabida mu ulll
uo eitrerao caso em que tendo-se ludo desco-
berio, viessem a uiiuba casa para prender os
ineu hospedes.
A' medida que cu ceda ao altrativo de ineu
amor, a lembrauca dessa coinmunicaco secre-
ta riiiua-iue, man grado meu, ao peoaainenlo.
Eiufiu esta manba sabendo que madama ftay-
oiumio ti istia aabido cora Albina, alravenei o
corredor; chegando au painel movel certlfl-
quei-me que elle se Inlroduzia livremenlc uo
eHtalhe; depois por raelo de moa impercepll-
vel abertura pralloada na tapecaria ao longo da
bordadura, achel o ineio de ver e ouvir ludo o
O Constitucional, follia de Madrid, rrt
seuinte biographia poltica do ministerio
inglez. Eil-a
a A'sua frente figura lord Stanley, conde
de Derby, chefe do partido proteccionista
na camsra dos lords, desde queem 1846 se
se retirou do gabinete Peel ara nlo sccei-
tsr s respousabiiidade da derogscBo dss,
luis dos cereae. I
Nos primeiros annos da sus cirreira pol-
tica, lora Stanley alistou-se sob ss bandei-
rss do partido whig, al 1810 em que se se-
parou delle con sir J. Craham, para passa-
rem ambos para os conservadores. O conde
Derby he um dos mais emitientes oradores
do psrlameoto britinnico, e tem rival na
cmara dos lords.
Mr. d'lsreeli. apesar do seu tslcnto orato-
rio ede escriptor, nunca poude conseguir
ser acceilo como clmfe de partido na cana-
re dos communs. O proteccionislas cen-
surim-no de falta de carcter, de ser ho-
mem mais de expedientes que de princi-
pios, e de compromelter assim a causa coin-
mum. '
Mr. d'lsrai-li ha indwpndente a ponto de
quesepassava no quarto de dormir de raada-!
ma Raymundo. 1
Esta nolte, segundo o meu costme, acompa-
nhel os meus hospedas al porta do seu
quarto, e depois de ter reconduzldo minha
mulher tambera ao seu, voliel para o meu.
Ao cabo de urna hora, duraute a qual o cora-
c.iu me baieu cera veses mais violentamente do
que na minba prlmelra entrevista amorosa, se-
gu s escuras o corredor secreto. Pelo ligei-
ro ralo de luz que passava atraves da abertura
praticada na tapecaria reconhecl que madama
Bayinundo linha entrado no aeu qaarlu depois
de ler Ido, segundo o seucostuiua, conversar
algum momentos com leu filho. Para o quar- |
10 deste sulila-se por uina pequea escada que
lermlnava n'um grande gabinete dependente
do quarto de dormir de madama Raymundo.
Do lugar em que eu eslava occulto via tre
lados dt.se aposento; no fundo a alcova, ero
face a chamln, e no outro lado ai janellas que
davam para o parque.
Em p diante do espelho da chamioe, mada- ,
ma Ravmundu, comecou por llrar um bonet
mu ilirlplri que Irazia, desatacou depois o leu
vestido prcto, o qual cablodo-lbe aos ps, del-
lou-lbe mis o eolio, o pello, os hombros e o
bracos. Flquel deslumhrado.. O mais bello
inarinorc grego nao loria tanta alvura, nem
mais puros contornos; porm o que o marino-
ra uio irm, e o que eu ainda nao tinba visto
era inulhar alguma, era urna pelle tu fresca e
lio asseiinada que livesse o lustre, o pulido
brilliante, que o epiderme conserva..,._ por um
instante, quando acaba ue banliar-se n agoa.
A luz resplandeca e briucava sobre esse lar-
go e firme peito, sobre esaas bellas espadoas
cheia de cuvlohas, sobre esaefbracos encanla-
doiei, lio frescamente lustrlos, como le ma-
dama Raymundo houvene sahido do banbo uin
minuto ames. Nada mais delicioso do que a
curva disse eolio alvo e nacarado onde se pren-
da sua magnifica caoelelra loura enrolada por
tras da cabeca em trancas espesaas de relictos
dourados. Nao sel ae madama Raymundo ei-
periuienluu um scuiliisent lovulunlario de
orgulbo, ao va>-aa too bella Inda, mas parece-
me que em p dlante do eipelho com ambos
os bracoi levantado! lobre'a eabefa para ajus-
tar a colfa, ella lorrlo um momeulu a iua Ima-
gem.
Ficando depoii logo pensativa em vez de
eontlnuar a drsplr-se, tendo anda vestido um
colele de fusilo, e a saia, ella asseotou-se
n'uiua cadeira d brafos com oa pszinhos es-
lendidos e os bracos cruzados lobre o seio co-
mo te tivesse obdecidu aura Instlocto de pudor,
c lncllnou 1 cabef a sobre o peito-
Vich.
Deslo a reforma cnmmercial do sir Ro-
bert Peel tem sido na cmara dos communs
um dos mais lirmese mais enrgicos ad-
versarios do fre trade (liberdadedecom-
mercio).
O duque de Northumbrrlaod gozan do-
plicado previlegio de ter um dos mais i Ilus-
tres mo.es de Inglaterra e possuir urna ri-
queza das mais considerareis, lio urna das
columnas do parlido tory, inimigo mu an-
imo de toda a reforma poltica, o ISo acor-
rimo hoja niste ponto, como quando a sui
vehemente opoosicSo ao bil de reforma
rleitorsl cm 1832 ihe attrahia mmifesta-
coes ameacadoras da parte do povo amoti-
nado.
O novo lord chanceller, sir E. Sug-
den, he um dislinrto jurisconsulto : des-
empenhou o impoitanle cargo do chancel-
ler da Manda no uliimo ministerio do Ro
bertoPeel.
Mr. Ilenloy, designado para presidir a re-
panifSo do commercio, lem-s* distinguido
mas pela sua fogosa intolersncia de pro-
tesiinlo do que como homem especial n'um
ramo.
As aboba Jai de Exeter-Gall resoaram fre-
quenlemeiitocom suis decliracfles contra o
papismo.
O conde de Lonsdsle, presidente do con-
selho, ja fez no partido conservador um pa-
pel multo importante, com o titulo de lord
Louther Formou parte do gabinete Peel
na quaiidide de director geni do cor-
reios.
Mr. Walpote, no anno passado, tonino na
cmara dos communs uoia psrte mui prin-
cipal na discussfto do bil sobre titulas ec-
clesiaslicos, e nBo foi por falta de vontade
sua que deixaram de ser aggravadas is dis-
posicOes ptmaes
A aua collocacBo i testa da repartiefio dos
negocios interiores parece i idicar que o no-
vo gabinete nutre inlencOeade execular ri-
gorosamente essa odiosa lei.
O conde de Malmesbury, que succede a
lord Granville no ministerio dos negocios
estrangeiros, he herdeiro de um nome mui
condecido na diplomacia. Prssnalaienle
nlo se tem feito novel scno por slguns
discursos pronunciados na ca ara dOa
lords,
Consi Icram-no aiTeicosdo s tradicOes do
conde Aborden, n eslas tra licrjO s s3o urna
garants do muderac.lo as r^lacOS do uo-
vo minislirio nom os gabinetes rstran-
geiroi.
Tal he a composirjBo do novo' gabinete
inglez, tory puro, e no qual acham-ae ru-
pados os nomes mais siguilicalivos despar-
tido opposiciooisla.
Algun jornaes inalezes dizem que o con-
de Derby Uve idea de associar a sua admi-
nistrc3o lorJ Palmerston, na qualidado de
minist'O dos negocios estrangeiros; mas
que este julgo no dever acceitar as indi-
csrje* que so Ihe lizeram.
Ainda nada consta das inloncOes do chefe
do novo gabinete; pnrem a opioiBo mais se-
guida cm Londres he que no propora por
ora nedida alguma importante, oque de-
pois de ipprovados os orcamentos obter
da coroa a dissolucBo do parlamento
Todava, persuadimo-nos de que antes de
se aprovare n os orcamenlus ba de encon-
trar difilculdades as cmaras, onde lord
Jonn Russel foi recebido com applausos no
dia 23 ao apriscntar-se a dar cotila de ler
sido acceila a sua demissilo, e de que se adia
delegado do pnmoirg di-tri to dei-te termo,
o piTluguez Anlonio Joaqulm Marques dos
Santos, por i .solios; ordem do subde-
legado da freguezia do Sin Fre Pedro Gon-
cslves, Sehasiiiio Francisco Comes, por bri-
da, o prcto Jos, escravo de Miguel Joi-
quim da Costa, por ter silo enconlrado
com um i-arel-, os portugueies Jaciutho de
Souza, e Julo Anlc nio llaioso, por infrac-
q&o de postura municipal o msultarem a pa-
trulba quo os prendeo; ordem do mbde-
legado da freguezia d Santo Antonio, fot
quim Rodrigues de Motira, sem declarscBo
do motivo; a ordem do subdelegado da fre-
guezia ilr San Jos, Maria R.ymunda dos
Anjos e Mara Francisca, por insu tos; e
do subdoleg-di> da fraguezia da Boa-Vista,
o pir'o Jos, escravo dobarSo de Suassu-
11:1, por uso de armas, o preto Feliciano,
esersvo, oor se suppor fgido, e Tertuliano
Francisco Marques, sem doclsracflo do mo-
tivo. __________________
DIARIODI PERNAIBUCO.
RECIFE 15 DE ABRIL DE I8S2.
A assembla approvou o parecer da com-
misso do poderes, corca do diploma do Sr.
Francisco JuSo Carneiro da Cunha quo fui
admiltido depois de prestar o juramento, e
bem assim um requerimento do Sr. Maciel
Monteiro pira que de novo fosse impresso
o projoctu n. 17 acerca de calcsmento das
ras ; e outro do mesmo Sr. pedindo que
se requisitasse da presidencia o relatorio da
directora geral dos estu los. Mandou im-
primir Iros projeclos ; adiou at ao m da
terceira discuaSo do orcsmenlo um pare-
cer da commissSo de orcamentu de cmaras,
sobre o regulamenlo irado pela cmara do
Recit caica da arrecadacBo do imposto de
lojas, entrando na ordem do dia, discuti o
art. 14 do projecto de orcamento provin-
cial, com urna emeoda do Sr. Paes Brre-
lo, cuja discussBo ficou idiida pela hora.
A ordem do dia be a conlinuauno do do
boje. ________-

Correspondencia.
Senhores redactores : Leudo o seu jor-
nal n. 83 d'esle anno, deparei com um in-
terrogatorio fi-iio pelo delegado do Po'to-
Calvo, o Dr. Jacintfio Paes de Mandn;*, a
pnta Irronima prezs em meu engrnho
i.'iv.i da Onca, e da Icitura do dito interro-
gatorio cumclul, que era ch'gada para mitn
urna u'rssas epochs diiceis cm'que tudo
parece conspirar contra aqueile que, victi-
ma de suas opiniOes polticas, he volado
em sacrificio ao odio do immigos rencoro-
sos, que nBo poupam meios, por mais iguo-
li-is que sfjiin, para leval-oa um completo
nniquilamenlo.
Sun ; ja me no 1 resta duvi la, quo os
meus implacavcis inimigos nBo farSo esco-
llia de armas para eggredir-me ; desde o
mais vil embusto at a mus revoltaote ca-
lumnia, ludo sera empregado para descoo-
ceituar-me na opiniBo publica, .aviliar-me
ptnnleo paiz, e tornar-me Impotente para
triumpbsr da perversidade de miseraveis
para quem a honradez o a probidade sSo
chimaras.
Eutrctanlo imploro a indulgencia do res-
peitavel publico, a lim de que suseenda
qualquer juizo acerca de minha moradade,
em quanto vem as mtnhas mBos o papel de
. compra da escrava interrgala, com MU'I
C1 f Jrain uilinsaueoTs' dc ",idi"i diouuez, em ludas a sua. normis con equcu-
nund u ". ante ..ni quarto de hora talvez ida. i nulaiti caa ...... calino e qui. ar-
r la nerraaneceu ne.sa allllude, nao sei I .rependido do passado ; ludavia por mal. srgu.
us grande, i.Ib. azue, MIavan, h.oa no va rj horlJi e prep.r. ,e par.
Quacs
Ray
que
paisuu a niSo sobre os olhoa molhados.
Sera duvlda cuidava em seu marido, morto ba
multo lempo. ... .,
Pouco dcpoii deu mela nolte. A este tonudo
sonoro, madama llaymundo teve um ligelro
sobresalto, estreuieceu levemente, repon ac-
bou de despir-se, e....
Aqu o meu diario estava inierrompido e la-
cerado. Eslava inierrompido, porque os acon-
leciinentossesuccederara tao precipitados, lao
graves, uuc nao pude contlnua-lo senao inulto
lempo depois de.sa pocha.
Este diario eslava lacera o, porque depois de
ler debusadO cora irecos de fogo as ultimas
lembrancas dcsia uolie fatal, despedace! esa
folha desesperado por nao podar tambera apa-
gar da minba memoria a ardeule l.uigein que
a oceupava... '.
Depuls de huma hora pastada em espiar tao
vergonbosa e traidoiameute a madama Ray-
mundo voliel para omru quarto perdido, ebrio,
loucu de amor e desejo...
Logo pela madrugada suonlel acavallo pre-
leiiaudo ler que fazer urna lunga viagem e ter
que Iralar ceno negocio em Chatnbly. Man-
de! prevenir a miuha mulher de que so voltaria
hora d.JanUr, e talvcs mais larde. Eu es-
perara duraute este d.a de solidao ebegar a ic-
frear-ine pela refleio. Senta uina eapecie de
vergouna por ler de appareceroutra vedlante
de inadaina Rayinundu, depoi de havee, aloda
que sera es-ber, indignamente profanado o
azllo em que ella se tuina vmdu refugiar.
Eu nio me illudla, lieha-me.ido preciso urna
forca sobre humana para nao cnirar no quarlo
dc madama llayinuudoioin risco de um eslron-
do lerrivel; porque Joo, e Charpeolie. eata-
vain inulto pello ; eu seulia que .e fosse ha.-;
lanir insensato para espor-u.e segunda ves a
semelhaute lentacio, cederla a ella, aconlece-
eesse o que acoowcesse....
A' forca de faligar-ine sobre esle pensainento
Infame, acabefpor encara-lo cm toda a ma na-
ta de novo?
Recelo ter desmerecido a conSanca de
meu amo..,.
Que quer dizer com liso?....
Mas pelo menos lerei em parte reparado
a minha falla....
Espllque-ar, madama Claudia.
Eu liaba j notado que a senhora escre- ,
vi. .. vezes loug.a carias Interrumpidas fre-
quenleinente ; por liso agora reprebendo-me
de uio ter avisado disso a meu amo....
Minha mulher escrevia sua mal semdti-
vida?
Nao, senhor, pols as canal que ella tem
rscripto a senhora sua mi....eu souencarrega-
da de leva-lis ao correio.
E as cartas de que falla ?
Nlo sel a quem, nem por quem a senbora
as tem enviado al aqu; mas esta nolte antea
de deiiar-se a senrnra rae disseMinha chara
111ada.ua Claudia aqui ella urna carta que Ihe
peco leve manba pela manhia ao crrelo,
Vine, niesiuo, enirude... Vine.mesmo,e...aho-
ra accre.ceotou-a be iuulil dizer a nenbuma
pessoa da casa que eu a encauego desta ouin-
toIssAo. _
E a quem dlrlgiu ella essa caita?
Essa carta esla aqu, senhor respondeu
madama Clauaia tirando a carta da algibelra,
I oinei vivamente a carta : ella ti una por so-
brescripto A madamesella Htrmaneia de Wil-
liers, ra d'Anjonn. 17 em Pars.
.Nao esqueuerei e.u prova do .eu selo,
madama Claudia, tico euteudido qu. ae ininha
mulher a anear regar de oulras cartas....
Eu as trarela meu amo, como esta.
Madama Claudia oblo e eu II a caria le-
guintc -.
fC'im J


5

i marca A S 9808.
poderei cooTencer, mesmo sos incrdulo), billUrd & C. 1 dita com
da legituimidade do dominio, que exer^o aoi meamos vindai pelo mesmo navio mw
sobre dita escrava. molbos de rotlm vindoa pela barca HuneaU
Com eate papel e oi.tro docommtlos eu em 10 de Juntan de- 1851, a DeanYo ule &
i publica de q_.
conflo que o publico sensato me tara jus
tifa.
Quera publ
nhor redactor,
justi'icar ose_ .
Antonio Pae$ da Silva.
Pernunliuco, 14 de abril iSil
hiite Pernambucano em 90 de oovembro de
1849, i Antonio C. de Mello, e 1 emhrulho
publicar estas pouc.s linhas. Se- vindo pelo,0",%.?.?len .''1
h^i^TcZTso pode 2b^:^o,p.e,ur/or^r:sR.ebe]iov?
o seu Tenerador mido. ^.^ com hMn f|n^ or per.
nambucana em 1 de miio de 1850, a Hen-
rlque & C.; 1 pacote com lelreiro vindo pe-
lo vapor Bahiana em 19 de junho do 1850,
'a Antonio Jos de Amorlm ; 1 embruiho
com letreiro a Novaos & C. vindo pelo va-
por S. Salvador om 19dejulho de 1850 i
'caixote aem marca vindo pelo vapor Ba-
' diana em 16 de oulubro de 1850, a Prospero
COMMERCIO.
PIUCA DO RECIFE, 15 DE ABRIL, AS
2 HORAS DA TARDE.
cotacOis orncUM. ,
Cambio sobre Londres: a 37 d. 40 das de Francisco imz ;1 darril sem marca vindo
praao. pelo vapor S. Salvador era 98 (le outubro
Dito ditoia 97l|9lelras de 60 diaa. 'de 1850, a Ernesto Facundo C. Menezes; 1
Descont de letras : de 4a 8 metes 6 1|3,8 caI0le com letreiro vindo pelo vapor Im-
u 7|8 p. c. ao mei. 'parador em98 de outubro de 1850, a Rs-
ALFANDEGA. mua Ido Antonio de Seltas; 1 dito oom le-
Rendimento do da 15 18:536,399 ireVo a Jos Joaquim Udulfo vindo pelo
Detcarreoam hoja 16 de abril. vapor Pernambucano em 16 de novembro
Brigue Ingle Suian-mercadoriase ferro. je jgjoj i lata com letreiro, a A. A. de Al-
Barca americana Eldourado farinha. i buquerque vlnda pelo vapor Paraenae em 7
Patacho americano -- loper idom. de fevereiro de 1853,no armazem n. 6,~
Barca frauceza Cleopatra mercadorias. pBg, je ferro ae machiiiismo com a marr
Brigue brasileiro Animo sabio e fogo C1 m viuda pelo brigue John peler em II
da china. I de novembro de 1818, a A. S Johnston & G.
lniportncnA. 'no armazem n.7,-1 caixa sern marca
Barca sarda Aflonco I, vinda de Halaga e Vlnl|, pel0 brigue Veloz em 1 dedezembro
Mirseillo, consgnala a Oliveira Irmlos & de 1847, aThomaz de Faria; 1 embruiho
Companhia, manifestou o aeguinta : I S601 marca vindo pelo brigue Beaujau em 4
J50 volumoa vinho, 1,506 caixas paasas, de Janeiro de 1850, a Didier Colombior; 1
50 dila figos, 50volumea amendoaa, 50 bar- embruiho com letreiro vindo pelo brigue
risalphti, 1 caixa sarja, 900 ditas enxofre, piinhem 4 de Janeiro de 1850, a M Calmoot
4 volumes contando onie caixas chapos de g, c.; \ fardo com a marca M n. 298 vindo
palha, 5 ditos burras de ferro, 9 ditos per- mn 35 ,i,. j,neiro de 1850, a Redegway Jam-
tenceg para as mesmas, 9 caixas dous pia- [gon& c. ; 1 embruiho com a marca KP B
nos, 5 rlilas tecidoa de seda, 9 dits, 30 sac- ,jD ,0 pe|0 brigue Magnet em 33 de inar^o
cas drogas diversas, 9 caixas caifa lo, 163 de 1850, a Kalkmam Bro.hers ; 1 dito com
fardos, 185 caixas papel para ecrever, 16 a mlICI lg vindo pelo mesmo navio, a
barra oleo de lindaba, 90 fardos alfasema, Au,mson Houwei, no armazem n. 8,1
1 caixa guardanspoa, 974 ditas massas, II caixa com letreiro vinda pelo brigue Lancasl
volumes conservas, 1 caixinha coral, I ca- wilch em I* de dexembro de 1849, a Heory
xa brdanos e rendas, 8 ditas tmaras, 18 cb80n ; I fardo da marca G vindo pela bar-
embrulhos caximboa ; aos consignatarios. Ca Swordfishem Sde dezembrode 1849, a o
Brigue americano George Ois, vindo de capitfludo mesmo navio; 1 embruiho com
Beston, consignado a Foster & Companhia, letreiro vindo pela barca Eslher-Anna em
manifestou o seguinte : |l8de dezembro de 1819, a Jamos Crabler fi
210,000 libras geto, 99 paos para ver- ,c t gjg0 com letreiro vindo pela bare
gas, tuObarrilinhos, 8 meias barricas ma- columbus em 93 de Janeiro de 1850, a M.
cas, 13 arados, 48 ponas para os mesmos, cimontii C ; 1 sacco com a marca I V I
35 barnlinhospregos, 1 embruiho sapa los,
1 lata azeite de motoc, meia barrio fari-
nha de trigo, 1 caixa arenques, 1 lina sal-
mOes, 1 machina e faccoes, para corlar ca-
pim, I lata, 1 caixa ignora-sa: aos meamos.
Brigue nacional Animo, vindo do Rio de
Janeiio consignado a Luiz Jos de Sa Araujo,
manif' stun o seguidle :
200 cuntidas fogo da china, 145 siccas
caf ; a alachado & Pinheiro.
30 ditas dito ; a Manoel Alves Guerra J-
nior.
50 ditas dito ; a ordem.
70 ditas dito ; a Francisco de Paula Dias.
800 caixas sabio ; a J. J. Taaso Jnior.
II,11 le porluguez Voador do Mondego, vin-
do da Ftgueira, consignados Itabello & Fi-
Iho, manifeslou o seguinte 1
50 pipas, 6 meias ditas, 41 barricas vinho,
4 sarcas amondoas, 9 caitas passas ; a Jos
dos Santos Pereira Jardim.
- 30 pipas, 6 meias, 38 barril viudo ; aos
consignatarios.
30 pipas, 40 barril dito ; a Manoel Joa-
quim Ramos e Silva.
7 pipas, 18 barra dito ; a Le Bretn Sch-
rainm & Companhia.
6 barricas sardinhas, I sacca feijSo e cea-
tanhas ; a Manoel Alves Cardozo.
i barril vinho ; a Domiugos Francisco Ta-
vires.-
CONSULADO GERAL.
Ilendimentodo da 1 a 14.. .38:487.181
Ideui dodia li. .1. .,. ..039,078
33:519,359
DIVERSAS PROVINCIAS.
Ilendimentodo dia 1 a 14..
Idemdo dia 15. .. > ..
1:895,683
413,173
9:307,856
l. Kportaco.
Porto, brigue portugus S. Manoel de 255
toneladas conduzio o seguinte : 20 cai-
xas, 113 barricas,1620 saceos e 2 lascas com
10,409 arrobas e 18 libras de assucar, 84 sir-
cas algodocom 445 arrobase I libra, 128
toros talajuba 92 quintaos i|9,1 embruiho 2
arrobas call, 6 barricas farinha de mandio-
ca, 31 caixote doce, 2 saceos e 1 emhrulho
arroz.
RECEBEDOflJA DE RENDAS INTERNAS GE-
RAES DE PERNAMBUCO.
Rendimiento do dia 15..... 621,874
CONSULADO PROVINCIAL.
Rendimanto do dia 15.....3:396,684
Movimento do porto.
Navios entradas no (fia 15.
Baltimore 31 dias barca'americana El
Dorado, de 182 tonela las, capilSo I. Hit
cbberger, equipagem II, carga farinha e
tnaia gneros ; a Deano Youlle & Com-
panilla.
Montevideo." 3S dias, polaca sarda RaM-
lina, de 253 toneladas, capillo Jlo Bap-
tiaiaSolen, equipagem 13, carga guano;
a Saporite.
Mal-ga e Martelha -66 dias, barca sarda Af-
fonso I., de 196 toneladas, capilSo M.Car-
melita, equipagem 13, carga vinbo o mala
gneros ; a Oliveira & IrmSos.
S. HalheuS"32dss, patacho brasileiro A-
racaty, do 40 toneladas, mestre Antonio
Francisco [tabello Padilna, equipagerr 7,
carga farinha 1 a Maooel Dias. Passagei-
rus, Jos Maria, e Mathias Mendes.
Rio de Janeiro 20 dias, escuna ingloza Ar-
go, de 133 toneladas, capillo George Dex,
equipagem 8, carga carne secca a Viuva
de Amorim &Filno. ____
EDITAL.
Pela inspectora d'alfandega se faz pu-
blico que exislem nos armazens da mesma
alero do tempo marcado no regulameoto,
os volumes abaixo descriptos, e pelo pre-
sente s;io avisados os respectivos donos pa-
ra os despachar no praio 30 das conta-
dos d'esta data, Bodo o qual serlo arrema-
tados em basta publica >le coolormidade
com o diaposto no art. 374 do regula .nenio
sem que em tempo algun sa pussa recla-
mar contra oeuVilo d'asu venda a saber:
no armazem n. 1, 1 embruiho cjm letra
vmdo pela barca Leoni em 7de fevereiro de
1850. a Kalkmam Freir; 1 dito vindo pelo
brigue Franciscu Xavier em 9 de marco de
1850, a Kalkmam IrmSoa; 2dilus viudos pe-
lo brigue Eclipse em 3 de abril de 1850, a
Kalkmam Irmio; 1 dito vindo pela barca
Louise em 5 de julho de 1850, aos mesmos ;
1 dito llama ci L B vindo pelo brigue Ada-
mastor em 13 de Janeiro de 1851, a ordem;
50 gigos com a marca W T viudos pela escu-
na Phenixom 31 de inrco de 1*51. a C.
J. Aslley & C.; 1 caixa com a marca H T n.
968 vinda pela galera Bonita em 12de maio
vindc pela barca S. Gru em 12 de junho de
1850, a Jo.lo Pinto Reges de Sduz ; I dito
sem marca vindo pela barca Luzilana em
2 de outubro de 1850, a ordem ; 4 birrs da
marca L vindos pela barca s. Cruz em 31 <-
novembro de 1850, a Mel luis Vieira; 90
barricas com a marca M viudas pela mesma
barca, ao mesrno; I dita da marca V vinda
pela mesma barca, ao mes 110 ; 1 caixa com
a marca a JQvinla rea mesma barca, a
J0S0 da Silva C>stro;6 barucas com a mar-
ca P C vindas pela barca Flor da Maia em 6
de dezembro de 1850, a Manoel Francisco
Marines; 1 caixa com a marca C H vinda
pela mosma barca, a Jos d'Azavelo Cana-
rio; 1 caixa da marca A S vinda pelo brigue
i:ezarem 31 de Janeiro de 1851, a J0S0
Soumu;! barricada marca G viuda pela
galera Columbusem39 do Janeiro de 1851, a
ordem ; 10 rollos de cuuib > com a marca M
C vindos pelo mesmo navio, a M. Calmont &
C.; 3 barricas com a marca C & II vindas pe-
a Darca Dania era 27 de Janeiro de 1851, a
C. J. Astley & C.; 2 caixas com a marca S
indas pela barca Ligeira em 17 de feverei-
n de 1851, 11 J.i.io S-ininm ; 1 barril com a
marca C vindo plo brigue 8. Manuel 1* nm
-1 un .11 lien de mil, a Joaquim da Silva
Castro; 1 lonel cora a marca D Y& C vindo
pela barca Eogenier em 8 de abril de 1851,
a Deane Youle & C.; 52 pee.sa de esbo vin-
dos pela barca Island em 8 de abril de 1851,
a Francisco Gomes de Oliveira; 9 caixas
com marca O vindas pelo brigue Fortuna
em 2 de julho de 1851, a C. J. Aslley & C ;
I caixa com marca F V vinda pelo brigue
Finnieem3de julho de 1851, a Fox Brothers
& C. 1 dita marca S vinda pelo mesmo na-
vio, a Antonio Francisco da Silva (larriro;
100 ditas marca triangulo irovrcflo viudas
pelobrigQe Fortuna em 5 de julho de 1851,
a.C. J. Astley Je Companhia; urna dita
marqa>L & G vinda pelo mesmo navio, ao
mesmo; um barril marca C DL vindo em
26 de julho de 1851, a ordem; quarenla rol-
los de fumo vindos em 7 de novembro de
1851, a Elias Ignacio de Oliveira pelo bri-
gue D Alfonso,no armazem n. 9,-1 em-
ni nido com letreiro vindo pelo brigue Ven-
tura Feliz em 8 de outubro de 1849, a or-
len ; I r-aixi ton marca vinda pela barca
Kanella em 6 de novembro ds 1849, ao cn-
sul inglez ; 3 barricas marca S vindas pelo
brigue Mara Joaquina em 15 de dezombro
de 1849, a Joiquim da Fonseca ; 1 embruiho
marca I) vindo pela barca Bonita em 19 de
fevereiro de 1850, a vv. Killy; 6 barricas
marca P C vindas pelo brigue S. Maooel Io
em 92 de outubro de 1850, a Manoel Fran-
cisco Marques ; 1 barrica marca O vinda pe-
la barca Swordfis.'i era 13 de novembro de
1850, a Francisco Gomes de Oliveira; 5 cai-
xas marca O vindas pela mesma barca, ao
mesmo; 1 caixa com letreiro vinda pala
mesma barca, ao Dr. Mallet; 48 caixas mar-
ca A B vindas pela galiota Fany em 99 de Ja-
neiro do 1851, a Brander a Brandes & C.;
11 canastras marca L vin las pelo brigue
Flor do Pono em 29 de marco de 1851, a
Manoel Luis Vieira ; 20 barricas marca V
vindas pelo mesmo brigue, ao mesmo; 3
caixas marca M vindas pelo mesmo navio, 9
Joaquim da Silva Castro ; 2 botes vindos
pela barca Bonita em 16 de marco de 1851,
o capilSo do mesmo navio ; 120 molhos de
ps marca J P viudas pela barca Seralloa em
30 de mato de 1851, a James Paln & C.; I
barrica e 5 caixas marca J P vindas pela
menina barca, ao mesmo; 13 barricas marca
J P vindas pela gafara Columbus em 17 de
junho de 1851, a Jones Patn C.; 5 em -
hriilhos vindos pela barca S. Cruz em 18 de
junho de 1851, a JuSo Pinto Regia deSouza
1, a Antonio Fernn les do Carino, 1, e 3 a
Antonio Valentim da Suva Barroca, e 3 di-
tos mai, marca J, ao mesmo Barroca; 50
barricas marca A viodas pelo brigue Jean de
Locquenghi-n era 3 de agosto de 1851, a C.
J. /istiey & C.; 15 barricas marca MU vin-
das pela ba ca Genevieve em 9 do agosto de
1851, a F.f. de Moraes ; 1 barrica marca i
& C vinda pela barca MargariJa em 7 de
outubro de 1851, a Veriato de Freitas 'la-
vares.
Alfandega 13 de abril de 1852.
O inspector interino.
Benlo JosFernandes Barros.
- Pela subdelegada de S. Jos do Recife
se annunoia que oram apprehendidos os
pardos Manoal e Benedicta,com um fllho me-
oor.de 10 metas, de nome Jaolotho, que oe-
clarou o primeiro serem eaerav/os de Gon-
eslo Rodrigues Marinho, senhor do engonho
RiachSo do Paco de Csmarsglbe: seu legiik
mo senhor compsroce, qua prestando os la
gltimos ttulos de sua posse e dominio, Ido
serSo entregues.
Parante o conselho da adminlstrasao
naval tem de comprar-se pera foroeciment
dos navios armado oa seguintes gneros ;
carne devscca salgada em barris, e farinha
de mandioca ; pelo quo convida-se a quera
convier dita venda a comparecer no dia 17
do correle as 12 horas do dia na sala de
suas sessOes com suss amostras e proposlas,
declarando oliltimo preco. Sal das ses-
sOes do conselnoda adminiatracSo naval em
Pernambucol4deabrildel853. O escrirSo.
Christovio Santiago de Oliveira.
O vapor brtsileiro S. Salvador, com-
manlante o primeiro tenente Antonio Car-
los Aze.edo Coutinho, espera-se dos porloi
do norte al 17 do correnta o seguna para
Macei, BhiaeRio de Janeiro no da ae
guinte da sus chegsda.
Pela administrado da mesa do consu-
lado, se faz saber que no dia 17 do crran-
te se ha de arrematar em basta publica, a
porta da mes na, 30 esleirs de perperi, no
valor de 4,800 rs. apprehendidas pelo guar-
da conferenle Joao Bsptista de Araujo. Ma-
sa do consulado de Pernambuco, 13 de abril
de 1852.O administrador,JoSo Xavier Car
neiro da Cunha.

i
2
THEATRO
DE
S. IZABEL.
55. recita da assignatura
SABHAIIO, 17 DE ABB1L RE l85a.
Depois ds execucBo de urna brilhante ou-
vertura pela orcheslra, subiri a scena, com
todo o aparato, a grande e excellente trage-
dia em 5 actos, do nosso mui bem condeci-
do literato, olllm. Sr. Dr. Domingos Con-
nives de MsgalhSes :
OTELO

O Mouro de Veneza,
PERSONAGENS.
othelo Germano.
Hedelmonda D. Maria Leopoldina.
Hermanee D. Amalia Monleiro.
Oialberto Coimhra.
Loredano -- Amodo.
Pezaro Bizerra.
Moocenico, dnge de Veneze Pinto.
Senadores, ofllciees, etc.
Terminara o espectculo com a nova e
mui graciosa comedia em t selo :
o gastrnomo
OU
O Aventureiro das tabernas.
O Sr. Monleiro acha-se encarregado do dl-
verlidissimo papel de gastrnomo ao
qual dar todo n deaenvolvimenlo e natu-
ral dado, que.so Um reconnece.
Personagens.
D. Cleofas, o Gastrnomo Monleiro.
D. Judas Raymundo.
D. Manoel Amodo.
D. Gaspar Bizerra.
D. Pascoal da llibelra Coimbra.
Luiza D.Carmela.
Simplicio Pinto.
Zapata Joaquim Jos Pereira.
Un raeirinho Cabral.
Mors, trabalhadores, etc.
Comecar as 8 horas.
Os billtetes schara-se a venda no lugar do
costume.
O administrador empresario tem a satis-
facAode annunciarao publico, que asenho-
ra D. Maria Leopoldina, acha-se completa-
mente restabelecids, e quo os espeetteulos
conlinuarSo em sua marcha regular, sem
iiitt)rrnr>c.io nos das ja designados, quartas
feiras esabbados.
Acham-se em ensaios os dramas -- Joan-
na de Flandres e os Jesutas, ou o Btslsr-
do d'EI-ilei, que subirlo i sceaa esle cor-
rente mez.
THEATRO DE APOLLO.
HECITA EXTRAORDINARIA.
EM FAVOH DO ARTISTA DRAMTICO
Francisco de Salles GuimarSese
Cunha.
SABBADO, 17 DE ABRIL DE l85l.
Depois de urna nova ouveriura executada
pela orchestra, sob a direcelo do hbil pro-
fessor o Sr. Pedro Nolasco Baptists, subirs A
scena o excellente drama em 4 actos
Joan na de Flandres.
Seguir-s-ba urna jocosa farrea, depois ds
qual asenhora D.Carolina e o Sr. Culina-
rias { em caricato) cantarlo o mullo a pplau-
diilo duelo, _
1 m\ licaO he muzica
ou
Bravas, met bem, est de tremer.
No Um do drama o artista, em cujo pro-
veito sa di esta recita, ii pelos camarotes
roceber aquillo, que Ibe quizerem dar.
O actor Cu 1 maraes, coola a i oda esta vez
encontrar a beoevolencia a protegi de que
o publico Ibe tem dado tantea provas.'
TRATAMEKTO HOMEO-
PATHICO.
DAS MOLUTUS Vl'ERltS,
conselhos aos doenles pars se onrarem ,
si mesmo, sem preeliarem de medico,
. pelo professor liomcBopatha
Gomt-Bimont.
Sahlo a luz e seba-se a venda no consul-
torio bomoeopathico da roa das Cruzes n.
88. pelo preco da 1,000 rs.
.. r-
Diclarayot s.
PuhlicacSes Iliteraria.
Historia Universal
II'sumida para uso das escolascommuns
dos Estados-Unidos ds America do norte
por Pedro l'orley, traduzida para uso das
escolas do Brasil pelo desembargador L011-
renco Jos Ribeiro : subscreve-se na lina-
ria da praca da Independencia ns, 6 e 8, a
cinco mil res por cada exemplar encader-
nado.
ELEMENTOS
DE
Bomaopatkia.
Sabio a luz a segunda parte desta obra
composta pelo professor bomesopatha Gos-
set Iti .11001. Recebem-se asaignaturas para
a obra ioteira a 1,000 rs., no consultorio
bomoeopattiico da ra das Cruzes n. 28. De-
pois da publicarlo da terceira parte, o pre-
co aera elevado* a 8,000 rs. psra squelles
que nlo tiveremasignado. No mesmo con-
sultorio, acha-aea venda lodo qua rito he
necessario para o esludo e a pralica da bo-
mceopathia, comu seja : livros impressos
psra historias de doenles, regimens apro-
Competentemente autorisado, declaro .
que este arsenal de guerra nada dee a bo- priados para a provincia de Pernambuco, e
ticadoJSr. Jos Maria Goncalves Ramos, e ancarrega-s ede mandar fornecer qualquer
iS
nem a Sra. D Maria Francisca de Souza Ra-
mos.F. Serfico de A-sis Carvalho.
REAL COMPANHIA' DE PAQUETES 1NGLE-
ZES A VAPOB.
No dia 30 deste mez, espera-se
dos porlos do Sul, o vapor Se-
vero, cummandante Vincent,
o qual depois da demora do
costme, seguir para a Europa:para passa-
al Ijk;
de 1851, ao capillo da mesma ; I caixa com
a marca QKSn. 496S vinda pela galera Se-' gem, dinja-se a casa da agencia
radas em 30 de maio de 1851, a Richard Ro- Trapiche Noto n. 42.
encommenda da medicamentos homceopa-
thicos, tanto avulaos como em caixas, em
glbulos como em tinturas.
No prelo : paiAojeniia dos medicamen-
tos brasileiros.
Eleinintoi di anatoma o fhitiologia com es-
tampas, paraos curiosos em bomcoopathia.
Roga-se aos senhoroa assignantes o ob-
sequio de msndar recebor sena exempla-
a ra do' rea no consultorio bomoaopalhico da ras
das Cruzes n. 98.
Avisos martimos.
O brigue nacional llio Avej
sahe para o Rio de Janeiro no Rm
da presente semana : recebe al-
guma carga miuda, escravos a ir-
te e passageiros, para os quo.es
tem bons commodos : trala-se com
os consignatarios Novaes 6c Com-
panhia, na ra do Trapiche n. 34
Para o BO de Janeiro, vai
sabir com a maior brevidade pos-
sivel, o bem conceitaado e veleiro
patacho nacional Valente ; ainda
recebe alguma carga : qtiem no
mesmo quizer carregar, embarcar
escravos, ou ir de passagem, en-
tenda-secom os consignatarios No-
vaes & Companhia, na ra do Tra-
piche n. 34 t com capilSo
Francisco Antonio de Lima na
praca do Commercio.
Para o Rio de Janeiro, vai
sahir com a maior brevidade pos-
lvcI, o veleiro patacho nacional
Confianca : quetn no mesmo qui-
zer carregar, embarcar escravos ,
ou ir de passagem dirija-se aos
consignatnrios Novaes & Compa-
nhia, na ra do Trapichen. 34.
Freta-se
Para qualquer porto,at a Babia, ou at era-
ra o hiate Cajnc loso de 37 toneladas, mui-
to veleiro e seguro de construcelo ; lratar
se na ra da cruz o. 31.
Para o Cear
Segu no fim da presente semana o hisle
Ligeiro ; psra carga trata-se na ra do viga-
rio n 5.
O brigue brasileiro Sagitario sahe para
o Rio de Janeiro no dia 16 do corrrnte ; re-
cebe nicamente escravos a fretn paia o
que tem excellentes commodos: a tratar na
rus do Collegio n. 17, segundo andar.
Para o Aracaty
Segu por estes dias o hiate Capibaribe;para
o resto da carga trata-se na ra do Vigario
n. 5.
Para Lisboa sahe com brevidade a bar-
ca portugueza Ligeira de que be capillo An-
tonio Joaquim Kodrigues, tem parte da car-
ga prompia; para o resto ou passageiros tra-
ta-se com o mesmo capillo ou com F. S. Ra-
bello & Filho.
Cear AlaranhSoe l'arit.
O bem condecido brigue escuna Craclnso,
chegado da Babia, com a maior parte do seu
carrafa ment, seguir em mui poucos dias
para aquelles portos; recebe carpa, e tem
ptimos commodos para paassgeiro* : tra-
l-eo com o conagnatarimt B. da Fonseca
Jnior, na ra do Vigario n. 33, ou com o
capillo na piara.
Para a Parahybs
Pretende sahir por toda esta semana o
biate Parahlbano, tendo a maior parte da
carga prompta : trata-se com o mestre a bor-
do, ou na ra do Vigario n. 6.
-- Para o Porto sahe com muita brevida-
de a galera portugueza Bracharense, de pr<
meira marcha ; ainda recebe carga e passi-
geiros para os quaes tem excelentes como-
dos .* trata-se'com Jos Moreira Lopes ns ra
do (.inclinado, ou com o capillo Rodrigo
Joaquim Correia na praca do commercio.
Para o Havre.
A barca franceza Comte Roger, pretende
sahir at o dia 30 a 35 do crrante mez; ain-
da recebe alguma carga e passageiros, para
os quaes tam excellentes commodos.
Para o Maranbio segu oestes oito diss
a escuna S. Jos, forrada e pregada de cob o
para o resto da carga,trala-se na ra da Cruz
do Recife n. 34.
Para o Rio de Janeiro, segu com a
maior brevidade a galiota S. Trindade 1 re-
cebe carga, passageiros e esrravos, tendo
para ludo bons commodos: trata-se na ra
do Vigario,escriptorio n. II, primeiro an-
dar, ou com o capillo Maia.
Fara a Babia.
Segu com a Maior brevidade possivel a ve-
leira e bem conhecide escuna brasileira Ade-
laida : quem nella quizer carregar dirija-se
a ra do Trapiche Nova n. 16, segundo an-
dar, ou na ra da Cadeia do Recife n. 83.
Para o Cear sahe com muits brevida-
de por ter parte da carga prompta a sumaca
brasileirs Flor do Angelim forrada e prega-
da de cobre, mestre Bernardo de Souza:
quem oa mesma quizer carregar ou ir de
passagem pode entender-se com o mesmo
mestre ou com o consignatario Luiz Jos de
Sa Arauio, na ra da Cruz n. 33.
Fara o Kio de Janeiro sahe
com brevidade o brigue brasileiro
Animo, capito Domingos Anto-
nio de A,zevado, por ter parte do
carregamento protnpto : quem no
mesmo quizer carregar, ir de pas-
sagem ou embarcar escravos, que-
ra entender-se'com o mesmo ca-
pito ou com o consignatario Luiz
Jos de S A.raujo, na rna da
Cruz do Recite n. 3'3.
corretor Migoel Cvrnelro, e em presenta do
chanceller do consulado de Franca de sua
caixa com tfi pacasde setim da China com
avsria, vinda pela batos franceza Cont Ro-
ger na sua recenta vlagem.
O Corretor Miguel Carnelro, far le-
ISo no dia sexts-feira 16 do crreme as 10
horas da manhla no aeu armazem na ra
do Trapiche n. 13 de diversos trastea novos,
auzados, piaonos,quadros com ricas estam-
pas, louca, vidros, candieiros e o.utros mui
toa objectos : assim como so meio dia em
ponto nir a leillo charutos de Havaos, e
um cavallo deselle.
Avisos diversos.
Leudes.
A. O Nicolle, estando prximo a re-
tirarse para a Franca, far leillo, por In-
tervsncio do corretor Oliveira, da mobilia,
etc. do seu uso, a mor parte quasi nova ;
conaistiudo em cadiiras usuaes, ditas de
bataneo, mesas de meio de sala, marque-
tas, mesa elstica, banquinhas, guarda-
vestidos e goarJaroupa, um rico espeiho
grande de jcarand cumeoramoda, lavato-
rios, armarios decanto, gu logio de parede, dito de algibeira e corren-
te, randleiro de globo, lodo para casado,
banh'iro com poi lenes paraaquenUr agua
co heres depr.la, g ndese pequeas, to-
dos os arranjns de um acougue francez con-
aisliodo em ferramenla, mesas com pe ira,
excallente balanca, folie, cepo, etc., etc. ;
urna armaclo grande completa para arma-
zem de bebidas; vinhos, licores, e diversas
qualdsdos da e urna porfo da lijlos de marmore, e outrus
muitos objectos, saxta-feira, 16 do corre-
te, ss 10 horas da maobla, na ra do Tra-
piche Novo, a. 38.
O ibaixo assignaio declara ao Ilustre
escriplor da chronici semanal publicada no
Diario Novo de 14 do crrante; que a lem-
bianfa do ruge-ruge, que precedeu a pro-
cisslo dos fugaios, nlo foi sua, e sim por
elle sdoplada porque he este um instrumen-
to que apparece em todas as parles onde a
mencionada procisslo se faz com regulari-
dades decencia; regularidade o decencia
que nlo fallaran) na da Conoeiclo dos mili-
lares.
C lapientiuimo chronisla aem duvida ig-
nora a signilicujSo mstica desse instrumen-
to, a que chama corrupio, allusiva a piislu
de Chrislo, procure quem o instrua, ese
lr do ii o id religioso (o que nlo parece) nlo
hade para outra vez estranhar o ruge-ruge,
nem o seu ronco som incommodar t: nto
aos delicados ouvidos do illustre chronista.
Falsa e calumniosa he a proposiclo que
avaucou, quaodo disse que a pessoa que
fazia ayrar o que elle chama corrupto, apro-
sentava gestos obsenos; ssa pessua era um
honrado pai de familia, um negociante que
t por eaplrito de peniteocia se aujeilou a
este trabslho. Burlesco e nauzeabundo he o
cynismocom que o tal chronista cscreve
para o publico.
O abaixo assignado entrega so maior des-
prezo, ou faz reverter para o seu autor o ri-
diculo que Ihe quiz lancar o chronista,quao-
do disse que Fr. Capistrano (*) ia adame de
casaca o capa do Espirito Santo meneando
urna matraca. O abaixo assignado nlo se
deshonre com o frei; mss ninguem ignora
que ha dous aonos ella se seculsrisou : bem
conhecido ho o fim a que atlingio o chro-
nisla calumniador.
O abaixo assignado concede ao sapitntuti-
mu chronista licenga para delle dizer o que
Ihe sugerir a sua escaldada imaginario, e
protesta nlo perder lempo em responder as
suas sandices.
U padre,Jo.lo Capistrano de Mendonca.
Como .101' varias vezes so tinha cha-
mado por este Diario o Sr. F. P. P. C. para
por meios dren los ir ou msndar pagara
quantia de 10,750 rs. que deve.a maisde
cinco aonos no pateo do Terco n. 18, e o
mesmo senhor nlo tenhadadoa menor sa-
tisl.rilo a tal respeilo, julgo que nlo se po-
derescandalisar sa por meios judiciaesse
mandar oxecutar.
Al te rica o.
Precsa-so de raelsde de um andar de al-
guma casa de sob'rado no bairro do Recife:
a quem convier alugar annuiicie ou deixe
carta nesla typogrsphia cum a letra ini-
cial Z.
Pede-se ao Sr. A. B. P. que venha en-
tregar o Pereira e Souz<, leudo ordem para
isso, desde 1849, 00 praso de 5 das, do con-
trario vera seu nome por extenso e toJa a
historia.
Jos Paulo da Fonseca, cidadlo brasi-
leiro, retira-se para Portugal. ,
Precisa-se alugar um primeiro andar
ou urna sala cota 3 quarlos, nara residencia
de um homem sulteiro, sendo da ra do Li-
vramento at n terco : quem livor annuncie
para ser procurado.
Roga-se ao Sr. A. N. o favor de mandar
entregar os 8,000 rs. que recebeu do Manoel
Baptista ha muito lempo, do contrario vera
seu nome por extenso nesta folha.
Cstharina Maria da Concedi, parti-
cipa ao respeitavel publico queseo marido
Jlo Pedro da Rocha Carneiro, se acdajol-
gado prodigo, pelo juizo d orphlos desls
cidade o ella annunciaute nomeadj sua ca-
radora, pelo que qualquer negocio que com
elle fizerera he nullo.
Precisa-se de um feitor para o engenho
S. Paulo, fregurzia dos Afogsdos, e que te
oha baatanto pratica dos servidos le campo
e d dador a sua conducta 1 os pretendentes
dirijam-se ao mesmo engenho.
precisa-se de um caixeiro para venda,
de iOa 13 annos.dos chegados ltimamente
do l'ni'io : na ra da Seuzalla Nova n. 1.
- Aluga-se urna ama de portas dentro,
lavadeira, engommadeira e cosiuheira : na
ra da Aurora n. 36.
mnibus na carreira de Olio la.
0 mnibus vai principiar suas viagens pa-
ra Olinda logo que tenna numero suflicien-
le do assignantes: ss pessoas a quem inle-
res>ar podera diriglr-se a cocheira da ra da
Cadeia de Sahlo Antonio n. 13.
--Antonio Ricardo do llego.embarca para
o Ri de Janeiro os aeguiilea escravos : Jo-
rnia, parda, Innocencia, cabra, Herculano,
cabra, Rodrigo, creoulo
Manoel Ribeiro Bastos, embarca para
o Rio de Janeiro a escrava Luiza.
O bacharel formado Luiz Correia de
Queiroz'Birros, encarrega-se de qualquer
questlo judicial na comarca de Sanio Aullo,
onde advoga prometiendo desempeuhar
com zelo e sclivilade lodus os negocios de
seus comitentes : as pessoas que se quize-
rem ulilisar do prestimo do aonunciante
poderlo dirigir-se a elle pessoslmenle ou
em carta fechada.
O abaixo assignado, fsz ver ao respei-
lavel publico a a lllma. Sra. I) Mara Fran-
cisca de A'ouzt Ramos, q jo nenlmma quan-
tia deve ao casal de seu-marido o Sr. Jos
Mara Goncalves Ramos por se achar quite
com o meamo desde 1850, e desta data para
ca nenhuraa transac;lo mais leve com o
mesmo, islo como mostrara "se preciso fr
da cunta com recibo que tem em seu poder.
Manoel Buarque M. Lima.
Hoja haver sorvete no bilhar francez
_j ra ,\ova, e continuar todos os das das
6 113 horas da larde : as pessoas que l fo-
rem serlo servidas com asseio e prompli-
do, o sorvete sera sempre das melnores
fructas.
Haver de hoje em diante sorvete uo
bolequim dos arcos, junto ao thea.ro de S.
Francisco o continuara todos os das das 6 e
meia doras da larde: os freguezes serlo
servidos com asseio e promplidlo, osdrvele
sera aempre das melhures fructas.
No dia 30 de marfo p. p. desappareceu
da leuda de marciueiio do Sr. Luiz Fernan-
dos na ra de lloitas, um par lindo de nome
.Manoel, de llannos de idade, bastante cla-
ro, gago, de estatura regular e cheie do cor-
pu:quemo encontrar quera conduzi-lo a
ra da Praia, terceiro andar do subrado n.
55,quesera recompensado.
Dlo-se pequeas quanlias a premio ,
sobre peotiores de uuro e prala : na ra do
Queimado, loja n. 36.
Aluga-u urna casa no Manguind, pas-
sandoa ponlezinha dolado esquerdo, com
3 jaoellas e I poila de frente, com 3 quarlos
o sollo : oa ra da Cadeia do Recife o. 30.
(*) Esle nome, Ilustro chronista, he Ca-
Saxta-feira, 16 do crrante, F. Sauvay pistrano, e nlo Caprisiano, como Sme> es-
tt Companhia farlo leillo por intermedio do. creveu.
- Sabbado haver aorveta no boteqoim
de Santa-lzabel, e conliouar todoa os dias
de espectculo j adverte-se aquellas pessoas
que costumam levareorvetee para os cama-
rotes e l deixarem aa bandejas e copo<,qua
hajam de nlo conlinuarem com semelhsnte
brncadeira, do contrario deixaro de serem
servidas; osorveta aera semre das melboe
res fructas, e serlo servidos com asseio -
promptidlo.
Desappsieceu da porta de um armazem
no Corpo Santo, um cavallo castaobo, com
estrella ns testa, mo calcada; e urna can-
galha com ioquirideraa, cabresto.a rabixei-
ra de corda : quem o tiver apanhado leve a
ra do Rangel n. 3.
No dia 10 do corrente desarna recen O
escravo, pardo, de nome Jos, offlcial de sa-
pateiro, de idade 35 annos, pouco mais ou
menos, pertenrente ao bacharel Alfonso
Jos de MendonQa ; estatura regular, secco
do-1 corpo, e bastante barbado; lenvando
alm de alguma roapa do uso urna jaqueta
de 1 isoado azul j desbotado, outra de alpa-
ca preta, um par de sapalOea de couro d
lustro e dous ohspeos, um preto de maca e
outro branco sem pelo : roga-se portanto as
autoridades policises eepitles da campo
queoapprehanderem,queoconduzam a ra
da Palma, sobrado da quioa, ou a ra do
Queimado n. 33, que serlo recompensados.
O abaixa assignado declara que nada
devea mulher do Sr. Jos Maria Goooarves
Ramos, por quanto a ridicula quanlia da
1,350 dos remedios que tomou em sua oasa
ha mais de dous aonos que pagou, como
consta dos livros do mesmo Sr. Goncalves
Ramos.
Antonio Pedro de Figueiredo.
Manoel Pereira Limos, responde ao ao-
nuncio da Sra. D. Maria Francisca do Souza
Ramos que nada deve ao sea marido o Sr.
Jos Maria Con sal ves llamos, e menos a an-
n uncante, nlo obsUnle, avista de qualquer
documento ou conta legal serSo inmedia-
tamente pagos.
D-se de vendagem azeite de csrrapato:
na rus d*s Trincheirss, sobrado de um an-
dar n 40.
Na ra das Agoas Verdes, obrado n.
100, lava-so, engomma-se, e coze-se com
perfeirjlo.
Preciss-se alugar um moleque, creon-
lo, de 18a 30 annos d idade, de boa con-
ducta, para servido de copeiro em orna casa
ingiera : a tratar na ra do Vigario n, 3.
Trocam-se pordinheiro 700garrafiohas
nequenas de meia garrafa : na ra larga do
Rozario n 37.
Ramos & Companhia, embaream para o
Rio do Janeiro os seus escravos, de nomes
Cosme, creoulo, Marcelina, parda, Claudina
parda, Florencio, creoulo.
100,000 rs. de gnlMicseBo.
Desappareceu ou foi seduzida no dia 19
de fevereiro p. p. urna pardlnba de nome
Arcdanja, de idade 13 annos, com os .sig-
nis seguintes: cabello cortado reate,olhos
meios vesgos e pequeos, levou Vestido de
chita com listras brancas e cor de caf, e
ramage encarnada, as orelhas grandes meia
inclinadas para fra; esi escrava veio do
Limoeiro para Santo Antlo, e de l veio para
o Recife aoSr. Luiz Gomes Silverfo: roga-
se as autoridades poiiciaes, opitlea de
esmpo, e pessoas particulares a captura del-
ta ; julga-se que estara acuitada, dizendo
que he forra, em casa de alguma aenhora
que nlo lea Diario: quem a pegar ou der
noticia certa della na tua da Cauea do Re-
cife n. 17. segundo andar, recebera 100,000
rs. ; e prutestn-ae contra quem Ihe dercou-
to, e os prejuizos causados,
OfTurece-so um rapaz brazilheiro para
qualquer eslabelec ment : quem preleuder
dirija-se no pateo do Terco n. 139.
Precisa-se de um c.ixeiro que tenha
pratica de deposito : quem pretender diri-
ja-seao pateo do Torro o. 44, casa de Jos
Baptista Cuto.
Jos Martms da Silva embarc para o
Rio de Janeiro o seu escravo creoulo de
menor idade por nome Jacob.
U abaixo assignado declara
que nada deve a casa da Sr, Jos
Alaria Goncalves Hamos.
Jos Baptista Braga.
O abaixo assignado declara que nada
deve ao Sr. Jos Mana Goncalves Ramos ,
por isso que saldou suas contas com o mes-
mo senhor, no anno de 1849.
Jos Rebello Psdilha.
Preciss-se de urna ama de leite, que
seja sadia : no pateo do Carnio, loja de lar-
larugueiro n, 3.
A pessua que deseja saber a morada de
Julo Jos do Reg, procure-o no sobrado n.
18, da ra do Queimado; o qual be com ef-
feto o procurador do Or. Luiz de Boa Ven-
tura Saleroo.
O morador da ra do Livrameoto n.
15 declara que as iniciaos D. A. F nlo se
enlende com o Sr.Decio do Aquino Fonseca.
Fazem-se holiohos eenfeit bandejas dos mesmos, para qual iuer ban-
quete : na ra do Caldereiro desta c lado
n.44.
Dlo-se pequeas qusntias a premio, so-
bre pe 11 do res lio ouro.e prata : na ra da So-
ledade sobrado otigo n. II, a qualquer ho-
ra do dia.
Henrique Jorge declara a lllin". Sr*. D. Ma-
ria Francisca de Souza Ramos que nada deve
a seu cisal, por ter pago a su marido Jos
Maria Goncalves Ramos o que Ihe devia.
Para que a Sr*. U Mara Francisca de
Souza Ramo', possa licar na inlelligencis,
de que nada devo na botica do Sr. aeu ma-
rido, Jote Maria Goncalves Hamos ; msndo
transcrever o recibo seguinie que me pas-
sou dito Sr., quando com elle sildei minbas
contas. Francisco Joaquim Pereia Lobo.
Recife 1. de selembro de 1850.
Olllm. Sr. Francisco Joaquim Perei-
ra Lobo Deve
Importe de suas receitas de 1818 at
boje 54,100
de coi o importe cima, e Acarnos saldos
at hoje. Recifa 30 Je selembro de 1850.
Rs. 5I8IOO.
Jos Maria Goncalves Ramos.
Ao publico.
O actor Pedro Baptista de Santa Roa de-
clara ao respeitavei publico, que o espect-
culo em seu beneficio lera lugar no Tneatro
de Api.lio. na noile do dia lerca-feira 90 do
enrente, com o Vau Joville -- O Camoes do
RociO programna deste mesmo espect-
culo anounciar com minuciosidade todo o
divertimento, que vai acea.
A pessua que deseja arrendar um si-
tio por anno, que tenha arvores qne dem
fruclos,e que pretendo nlo s tratar dos ar-
vorxdos existentes cono plantas novos,
declare a sua residencia para ser procu-
rado.
OfTerece-se urna mulher para ama sec-
ca de caaa de pouca familia ou homem sol-
miro, para todo o servir; de portas a den-
tro : oa ra do Rangel n 34, loja.
Precisa-se de urna ama, que
saiba cozinhar, para ama casa de
familia: no aterro da Boa Vista ,
loja de calcado n. 58.
Precisa-se alugar urna preta escrava ,
que saiba cozinhar, para urna caaa da dimi-
nuta familia, agradando paga-se bem: a tra-
tar na ra Nova, loja de ferrageos n. l.
Jos Joaquim de Carvalho, brasileiro,
vai a Baha.
**


.
.
O procurador di camsr rounlcip.l
desta cidade do Reclfe, ff publico tod.
is pesso. que llverem i u cargo e h Ierra -
ment de cadveres do cemlt-rio publico
que e dirijam o pasto da mesma otmin
todo o olaa otei dtf horts da manhSa
as 2 da tarde para obter-m as guisa que a-
companham o cadveres, e das 3 as 4 e nos
dias saatos e domingos, na ra do Sebo
f t? Wf ? Wf f
* Botica homopathica. ^
S8 RA DAS CHUZES 28,
JJ Dirigida por tm pharmactutico J
JJ appruvado. ^
* Este estabelecimento possuo todos
> os medicamento at agora experl- <
mentado, tanto na Europa como no
* Brasil, e preparados pelas machinas J
da inveocSo do Di. Mure. 2
W PRF.COS.
S. rfas earttirm homopatMcis. ^
3. Emcarteira de 12 tubos grandes la/ *-.
5" 24 a a 80/
> a 34 pequeos 15/ W
a> Tubos escolhidos (cada umj 1/ *
*" Tinturas de medicamenlos em J
t frascos de i pionca (csds umj 81 3
T Ha mal, alem destis, outras multas ^
5, caixascom Rlobulo e tintura por ^
> precos variaveis, conforme o tama-^
nho ea qualidade da oaixas, e
> quantidade do remedros e assuas
s*> vnamisacoes, etc.
# aviaO-se gratuitamente
5 para oa pobres, todas a receltas que "*
- para ali maad.r qualquer profe.sor.
* *******************
- Pri-clia-se de um ealxeiro, de 18 a 20 Preciaa-se da urna ama de leite forra
mno de idade, que enienda de tendal em ou captiva para urna casa de muito pones
s-r
merca dor de pratos, res
ponde ao rocciro Manoel Caldas
Brrelo, que na sua loja da ra ds
Cadeia numero 6 he que Ihe de-
ve mandar satisfazer o seu de-
bito, pois ahi he que o contraio ,
e nao emS. Amaro Jaboato no
engenho Macuj, como declara no
seu annuncio de i3 do corrente.
0900 O095J0OOOO
O Segeiro.
5} Alberto Prevosl segeiro tem a hon- q
2? ra de prevenir ao respeitavel publico
2 quefslabeleceu-e nobeccodo Tam-
O bi defronte do chafarU da praa da-^
9 Boa-Vista.primeiracocheiraaesquer- v/
O da onde as pessoas que do seu W
O preatimo precisarem, o acharSo seta- V
O pre prompto para serv i-as com bre- O
O vi lade e preco commodo. 0 mesmo
encarrega-e ae qualquer conceiti Q
q ledente ao seu offlcio. 0
ooooooooo oooooooo
___ O thesoureiro da irmandade
do Divino Espirito Santo pede a os irmSos
que tem cipa em seu poder, que hsjam de
as mandar enlreg.r, poi muito nec-saita
deltas para escolber as que pertencem a ou-
tras corporacoes para as entregar, visto que
ellas precisara para os seus actos.
Da-se dinheiro a premio ate seis ce-
ios mil ris, com penhores d* ouro, ou Ar-
mas a contento : ua ra >lo Cabug n. 3.
__Precisa-se de urna ama que lenha bom
leite, para criar urna crianca escemnsscida,
paga-se bem : na ra da Crui n. 50, segun-
do andar.
Prerisi-se alugar uma prela, que co-
zinho eengomme, eque se afliance a con-
duela, para o servico de uma casa de peque-
a familia : na ra da Cruz n. 50, segundo
andar.
O general Sera, precisa de um bom co-
zinheiro.
Oeseja-se comprar a cas terrea n. 100,
da ra de Hurtas, pertencente as-nhora I)
Rita Mari do C-rmo : quem se julgarcom
direiio a dita case.Waja de declarar por es-
ta folba, no praso de 8 das da dala desle
O-s 1:000,000 rs a juros a um por can-
to aomn sobre hypolheca em predio livre
e desembaracado: na ra Dirnta n. 59.
T' ocaram um chapeo velho por um no-
to, na igreja do Terco, no da da procissSo
de enfermos, o freguez que tal fez, se lem
cooscienaia, ( o novo peilence a um pobre
boma) queira reslilui-lo ao respectivo sa-
chrislao, e delle receber o casquete.
No dia primeiro de abril do prsenle
snno desappareceu um escravo de nome
Thomat, de necio Congco, de idade pouo
maisou menos25 annus ; estatura baixa,n9o
inulto gordo, rum falla de dent s na renic,
e consta que no da da fgida passou a noi-
te em um sobrado na ra do Livraroento :
poi tanto roga-se as aulorida les policiae e
i- iniles de campo que o (onduzam ao pa-
teo do Paraizo n 30, ou na Boa-Vista na ra
do Kozario n. 60.
Desappareceu do pinto do Eiras no
Mundo Novo, uma canoa pequea de c.rrei-
i.i j usada e pega de 6 a 8 prssoss; tem uma
corrente de ferro na popa i quem della sou-
ber e der noticia na ra larga do Kozario,
padaria n. 18, ser gratificado.
Um hornern solleiro se offerece para ad-
ministrador de engenho, do que tem bas-
tal.te pralica, ou mesmo para distilac3o de
qualquer apparelbo, iprea maulo algumas
vanlagens que em presenta se explicarSo;
o sua conducta lie mancada : a quem con-
vler annuncio ou procure na ra do Vigario
n. 13.
-- No dia 13 do corrente a noite furtaram
um cavado russo cardSo, carnudo, com os
seguiules signies: he inteiro, tres ps cal-
cados de preto o um de branco, fi-rro U, an-
dador, ca regador, e esquipado': quem del-
le souber dirija-se a ra do Livrament", loja
de ourives n. 28, que ser rocompensedo
Uma prssoa com as necessarias habi-
lidades, so propOe a promover qualquer co-
braoca, tanto na cidade como no interior da
provincia, meJianle ajuste razoavel, para o
que d garanta : na la eslreita do Rozario,
armszem de trastes de Jos Moreira.
-- Fernando Joto da Bocha Pinto, exporta
para o Rio de Janeiro o seu escravo Luir,
i-abra.
-- Prtcisa-se alugar um moleque para o
servido de uma casa de pouca familia : na
ra Nova n, 36, loja de uutileiro.
Precisa se alugar uma ama forra ou
captiva cara o servico de uma casa de pou-
ca familia : oa ra Nova'n. 36, loja de cuti-
leiro.
Scasso, vai lezer uma vi-
agem.
Pede-se ao Sr. J. J. S. S.
queira mandar pagar a quantia de
5o,ooo rs. importancia da sarja
pretu de seda, comprada einabiil
do anno prximo passado, ni ra
do Crespo.
Sr. Lui Pires Ferreira ,
queira mandar, ou vir pagar a
quantia de38,5oors., iniportin-
cia de j covados de panno verde ,
comprado em marco do anno pr-
ximo passado na roa do Crespo
Prrcisa-sede uma mulher, qua esteja
ro caso de dirigir urna cata do familia :
quem estiver nestas circumslsnrias, pode
arocurar na roa Nora, sobrado o, 5f.
" l*""MMHaaala>aaaaaanss(^Bjaasjaajn
Fra de Portas, na ra do Pilara. 145.
-- Precisa-se de um feitor de- boa con-
ducta, para um sitio pertoda otaca : oa ra
da Cruz n 2.
- Precisa-se de 1:500,000 rs. a premio ,
por um anno, dando-se duas casas terreas
nesla prac; por garanlia, livres e desempe-
didus: quem tiver, rnounoie para ser pro-
curado. ? ,
Boga-se ao Sr. (andino Lo-
pes, ex-c.iixeiro dos senhores Ui-
dier & Companhia, que venhp, ou
mande pagar aquanlia de al,ooo
rs., de fazendus que comprou cm
setembro do anno de i85o, na ra
do Crespo.
Boga-se ao Sr. Jos Joa-
quim Soares, quevenha, ou man-
de pagar a quantia de 16,000 rs.,
importancia de fazendas, que com-
prou na ra do Cresro, em no-
vembro do anno de i-85o.
- Russell Mellors & Companhia, muds-
ram seu esenptorio e armazem de fazendas,
da esquina da Lingoeta, para a ra da Ca-
deia do Reciten. 36.
Napolen Gabriel Bez embarca para o
Rio de Janeiro, os seus escravos seguiotes :
Alberto, Cerina, Luixa, de 8 anuos, Marcel-
lina, Lu/, Benedicta, Archsnja, Ludgero,
e Josepha, creoulos.
Antonio Marques, subdito portuguez
retira-se para o Par.
AOS DENTES.
J. A. S. Jane, o bem conbocido dontista,
nesta pre$a a 12annos,pode ser procurado
na sua residencia rus Nova n. 14, primeiro
andar, para todos misteres dn sua arte, no
so em sua casa,como tora della.
O Jardim das Damas.
Sabio i luz o quarto numero deste peri-
dico contendo como os tres primeiros ma-
terias de instruccSo e da recrelo. Acompa-
nha a este numero um estampa grande
cheia de lindos riscos de bordados impros-
sos em tinta azul sobre campo amarello. A
asignaturas recebem se na ra larga do Ro-
-/.ario i). 35, primeiro andar, A raz.lo de 2j
r. por serie de seis nmeros.
-- O abaixo sssignado, professor particu-
lar de pnmeirss letras, residente no segun-
fanulia : i>o paleo do Terc.0 n. 90, primeiro
indar.
- Di-se 9 a 3 cnnlos de rs. prtmio, sor
ss condi(Oes*que se exigirem : quem pre-
tender, diiija-se a ra du aterro da Boa Vis-
ta n. quit'r nHfTJ '-
NCO DE PEKNAMBUCO.
A directora do banco de Per-
namb'j"n annuncia ao| senhores
-- Arrenda-seum engenho distap'.e desta
prafa 9 lagoas, com moito boas trras de
platitacOe, e crcelos, moante corrente,
vende-ae na mesma occasiflo em queseflter
gos 3e 5dos estatutos, no dia i5
de abril prximo vindouro, eina-
lisar o recebiinenlo no dia 3o do
me-niomez. Os senhores subscrip-
tores de acc5es, que as tem cedi-
do a outras pessoas, Ibes passaiao
um titulo de transferencia, que a
pessoa dever apresentar na occa-
siloetn que vier fazer entrega do
dinheiro e o mesmo titulo deve
vir reconliecido por um tabellio.
Em tempo se annunciar a casa
onde se devem dirigir. O secre-
fo^T-tlU' IZTmT: .r,m: tsrio da dir.ccao, Manoel Ignacio
prensa de muzica, ra Bella n. 28. ,|e Uliveira.
-. O abaixo asignado Taz scienteao res-; ^__'JJ am I' I,..
peitavel publico que ninguem faca negocio ItuTKiacie Sem limite!,
com a casa sita no Monteiro pertencente ao Cpnra cPm nrvleO.
Sr. Jos Comes Portella cuja casa se achahy- OCietlCia Seiil puvuc^iu.
otecada ao abaixo assignado e pra nao Francisco de Paula Carneiro
Leao, reside no aterro da Boa Vis-
ta a. t6 onde offerece-se para
..:. : ..T1Z.__i_ ;'o arrendamenlo, alguns escravo, fra ,
aceiomstas, quesubscreverarn ac- ortidit bol,, m'olio (,., crro, e todos os
cSes, que tem deliberado princi-lmaisutencilio inherentes e uccegsarios pa-
.,b- n..L o nrlm.ira uroala Ira eonlinuscBo do roeamoestahelecimen
piar a receber a primetra presta- l0( e n9o n, dvuvld, dB8ef,zer lodoequsl-
eflo, conforme determina os arti-
bubre t.'u o luuu .0 gira
Todos doriDem com descanco
So meu peito he quem suspira
Com mais tres quadras.
Posi de ums senhora: a modinha cima
haver dunda faz o presente annuncio.
Antonio Rodrigues Brrelo.
Precisa-se de alugar uma negra par
todo o servico de uma ciss e que venda na
ra: a tratar no pateo do Carmo yenda curar homeopticamente as se-
n. is. giiintes enfermidades e nao cu-
an- ti r. l
- nenlium
Na ra do Vgsrion. I, primeiro
e nao
medi-
d.r.oVoT.rgo da ...embica n. 5, arm.I rando n3o tem direito a
zom de lanoeiro, junto a cocheira, ha para pagamento sendo chamado tojo
vender a superior cal virgen, de' M M principio da molestia,
gada agora no briguo Conceicao de Mana. i
Na ra do Vigario n. i*, primero an- tomando o doenle nennum
dar, inda lem para vender-se ceia em gru- cament0 alopathico eTmesmo ca-
rne em barricisassim como Hanella, e uma r ii j.
pequen. porcSo dos superiores vinhos en-seiro. I'enmentos de bala, ou de
garrafados, Porto, Carcaveilos, Setubsl e qujaesquer outros instrumentos
doce par senhora em porcoes a vonlade. i / ___ i.. __
OlTerece-se uma mulher, psra ama, tan- grandes quedas OU pancadas por
to do exterior, como do interior de uma ca- nia0res que seiam, respirando a-
t.parr^dreeK;on.rr'e ,0 LeCC* inda o paciente; pleunzes, M .
Aloga-se uma sala com dous quartos agudos e violentos ; febre amarel-
ecomdnas vistas, na ra do Livramento : a ,

i
*
ttffSSUSJST' ^aWS7*^^ rheumati-smos agudos, e emgera.
Jos Maria Machado de Figueiredo. -- thesoureiro da irmandade de-S. Jos tocias 8S mais enlermidades em
.- 0 bacharel Abreu e Lima vai a Europa, da Agonia convida a lodos os irmaos da mes- nossam ser curadas.
Deixacomprocu'acflobastsnte para tratar ma que tem em seu poder capas ou tarjas lempo que pussam ser
dos negocios de sua casa de commercio os pertencente a mesma que as vennain en- Grande labrtca de chapeos deso,
Sr Joaquim Antonio de Faria Barboza, Ju- tiegar para a mesma fazer sua entrega. je j ]faiqUe iua j0 Collgcio
lio Fernandino da Silva Mello, Dr. Joaquim, ,\ Unirn. *
Baptista Moreira, e Goveia & Leite. N0 primeiro baile masqu no thestro de "*. .,,hoipPmi,ntn rpeelieu-se
-- Sr. JoSo Nepomuceno Ferreira de g ^ perjeu.je u bolsiuha de re- esto novo estabe ecimenlo reMDeo-M
Mello, lem um. c.rt. na prae. da Indeden- f^0Ira,ue.P1Ilirc..i.J,goo3n.o^i..h.. un, novo e^ZXXVX^l
dencia, livrari ns. 6e8 de prata roga-se porlanto pessoa que a Sol dos ltimos olo*. auto.le seda como
AO PUBLICO. tivePr.chadodeaeutrc,ar nesla lyoogra- de pai nho pa Itome ose senhora s. de ar-
- Um moco brasileiro, vjuvo, sem hmi- phai visl0quede nada Ine serve a ecepSao "?0.!1?. !
Madama ,out.er modista ranee-, --; r u fe em ^ ffl^ ..-..-...a.
za, na ra Nova n. 58. de uI0 Um qu-rtao pedrez quem S ve..demem poieflo o a rel.lbo por preco
Pelo navio fr.ncez Cont Roger, recen- rorgeu do,nno p0le .rocur.r no m^s-i.osi- quo agrad.ra.os freguezesa vista daquali-
temei.te ch-gado do Havre, rcebeu um va- lJ0 qued,nduos s gnaes cerlos Ihe scren- dale.
nado sortimento das ultimas modas de Pa lrfg0R Casi de mo las lrancezas de nues-
riz, a ,ber reos chapeo de oda do todas. y'b,cnsre, fl)rm, 0 jo Joaquim de jUdlocheau no aterro da
.coresosmaisl...dosericosposs.vns,man-l nU ,,.,, iesideilie ua corte do Rio de "rd iUUIOcneau no aierro
Bna-Vi>tii n. i.
vmcia de I', rnamuuco o seu preauniu v* Pelo nivio francez Cunte Roger, recen-
t>atar de qualquer negocio, quer tendente tmente chegado do llavie, recebeu um va-
a o foro, quer a alguma secritanas de riado soilimento das ultimas modas escolhi-
eslauo, quer a outo qualquor negocio, me- da9 vor prssoa de goslo apurado o vin lo di-
di.Ote urna gratilicaco : as pessoas desta recta.nente, o que prometa vc'nder mais
piovincia do Pornmhucoque doseu prest- em coala. E^tl) sortimento compOe-se dos
Dio jo quizorem utilisar podero dizeruin- 0|ij>clos seguintos que se farSo patente .os
gas da ultima moda, capellas de flroresde .,.,l0fftIOoo ao tlablUDlM d'St pro-
larangeira para noivas, esparlilhos, mullo ym,u e ,., ril,|)uCo o seu prestimo para
rico endites do cabeca pra bailes
thea-
tros, trancas branc.s com aljovres, Titas de
veludo de todas as cores com sua competen-
te Bvela para o pe^oco, morabus pequeos
muito finos proprios para enfeiles de cabe-
ea de senhora, ricos espolinos e mantele-
tes pretos ce groz de aples muiloenfeila- emCarl. fechada o quo querem, pro- compradores : ciapeos de palla enditados n
dos, bicos de seda e de blomle, penna mu- |n,.llcn(ll, 0 annuiu ianle amprugar to 10 o ,| si; i,, para senhoras os mais lindos e ricos
lo ricas para chapeos e enreites de cabeca., n(.llvda,|e ,. presteza no cumplimento nogjivel, chapeos de meninos o meninas ri-
Na mesma loja lazem-se vestidos decaa- I obrigacOes. O aiinunciai.lo resi le eos eneitos para cabeca. turbante o capel-
"' no largo ,1. Ajuda n. 5. las, romeras do bico, Mbec.orsdeb.coed.>
,t3> m cussuLTomo CRNTnAt hoMcbopitiiico W> da, MpOliohoa de rede de retro7, de seda de
t db rEBNMucs. V cores os nicos no Becife, luvas de pelica
5 Deriqiaopelo r. Sabino Olegario /.urf- '# moda nova, capellas e flores de laranjeira
(T, yro Pinho. 9 P" noivas, corpinhos o \
^ Ra do Trapiche Novo n. 15. $
a>< Todos os dias uteis se daro consultas
mo ao publico para todos os):" remedios de grac aos pobres.desde 9
misteres le sua piolssao_: | IZ ,, ln,nha, ,t asdu.s horasdatar-
poilis.i procurado a lu-# | # quer hov* e sua ensa, na PZ s0e poderflo ger dirigidas verbal- >
% na largadoBo^arlo, u. Jo, a>!^ mente, ou por escripto, devendo o ki
segundo andar. #m doenle indicar primeiro: o nome, a 0
ment, de baplisado, loucas de meninos o (
de senhoras, capulinhos do todas as qusli-
da les com lerieico e preco commodo, re-
cehoin-se tollosos mezes Tigurinos moder-
nos, que empresta a seus licgui-m-s.
e**t3aj|l#>^*.*fc''*iSv1
Paulo Gaignoiix, dentista
frunce/.. olTercce seu prest* ,v
branco e preto, ricas capellase floresirnaes
das ditas para enfeitar vestidos, ricos corle
de vestidos do baile e de casamento, chales
de rede.de retroz de cores, trancas e franjas
de tolas as cores, plumas, um grande sorti-
mento de bico de linho, rondas e bicos de
Lloude, mantas de cabeca para miss, pul-
ceiras de lita de perolas o ou lita de veludo,
cambraia de linho trans-
mezes, com o descont de 0 por cento ao
anno, at o di. 2 do corrente e doste dia
em diante receberA moeda legal at o fim do
mez Aa operaedesgeraes do banco princi-
pi.ro no di 1,* de maio prximo futuro
esou oxpedicnte.ser ds9l|2 hor.s d. ma-
nha at as 2 d. t.rde, na ru. do Trapiche
ii. ja. 0 Secretario do Banco.
M I. de O.iveira.
Jo Alves Bsrboza vai a Europa a tra-
tar de sua saude.
Tinturara franceza
No aterro da Boa-Vista n. 17, tingem-se to-
da e qualquer fazenda, seda, l, Igodao e
linho, tanto em obra comoom peca, e com
muilo aceio; assim como se limpam casa-
das eoulra qualquer roupa do panno que ti-
ver nodoas, pondo-se como novas e por pre-
C-is muito c iiunodos.
Attencio.
Na nova fabrica de chapeos de sol no
aterro da Boa-Visla n. 22.
Neste novo estabelecimento recebou-se
um novo e lindo sortimento do chapeos de
sol do ultimo gusto tanto de seda como de
psnninho p.ro homem e senhora,oor menos
preco do que em outra qualquer parlo;
grande sonimenlo de panninho e seda cm
peca de todas as cores para cobr'irarmacOes
servidas', concerta-se qualquer chapeo e por
menos que em outra parle. .
-- Na Trempe, ao vollar para a Soledade,
lado do poenle, terceira casa depois lo so-
brado, se precisa de uma amasecca que sir-
va para comprar na ra.
Precisa-se ai rendar por anno um sitio
que leuha arvocesqu deem fructos, ombo-
ra a esa de vivenda no seja muito boa;
para uma familia morar, e que pretende nao
S tratar dos arvoredos existentes, como
plantar oovos : prefere-so do Manguinnoa
seguir al o Monteiro.
Precisa-se alugar um primeiro ou segun-
do andar de aobiado, que lanh. commodos
para familia, e que seja n.s ras do Vigario,
das Boi.s, do Apollo, do Bruto, d. Guia par.
o arsenal, e largo da assembla : quem ti-
ver annuncie.
\
*f fi*?fail.r*otr?SiTr*coTSSr os d.Vios de modas de l-.ri. e f.z-se con-
na ra da Gloria n. 83, da. 6 horas da ma- uista.
nhSaatas7, do contrario deixando o.eu Madama IVosa llardy modista Dra-
onde e?o na mesma rus o. 81, aliindeser
procurado.
quer negocio : a tratar no aterro da Boa-
Vista n 43, primeiro andar.
-- No pateo d. Ribeira de S. Jos, sobra-
don. 15 na loja, lavase e emgoma-se,
com toda pcrfeifflu e acei<>, e por preco
commodo.
g Consultorio 1 inico- J
pnthico.
liua do Collegio n. '5, pr- 9
meiro andar.
O Dr. P. A. Lobo Mosco-
ai so d consultas gratis aos
li pobres, todos os dijs das 8
# as 11 horas da manlia. Pra-
S tica qualquer operecao de ci-
9 rurgia, ou de partos. Rece- #
be escravos doentes para tra-
e^ tur desuas enfermidades, ou
fazer qualquer operacio, por
t, preco commodo.
--Osabaixos assignado. nioradorb na ci-
dade da Parahyba do Norte fazem sciente
ao respeitavel publico o especialmente ao
corpo de commercio d'e nambuco qua.chandoi-se em 11 i u i. 11 q l i de
suas contas afm de ilis-olvcrem a socieda-
de que tem n'esla cidade em o estabeleci-
mento de fazendas que gira sob *a llrma de
vluva GuimarSes oc C. e tendo pago todas
as dividas pertencente i mesma socieiade
se algue.n nao obstante se julgar credor da
mesma, aprsente assuas contas legalisa
das dentro do prazo de vinte dias A contar
da dati deste lindos as quaes os abaixos as-
signados seiio respons'bilisain por divida
alguma. Cidade da Parahyba II de abril
de 1852, Maria Umbeliiia Fernandos.
Jng de Azevedo o Silva.
-- Aluga-ac uin armasein, oucasa lerrea u.n
ras segulnlea : traveaia da Madre de Oeua, A-
.....i.....Motl i, Lappa.ou Coala; .fallar nolar-
gu da asseiubla n. 9.
I'rrcisa-so de um ciixeiio para venda,
que desse negocio tenha bastante pralica
e d dador sua conduela : quem qu>zer
ippareca na venda da rila larga.do Bozano,
n. 46, que achara cun quem lrtar.
Entr. ga-.-e nuil venda do sociodade
em urna das principies ras desta cidade
e bom lo -al, com fieguezia do mato e com
ns fundos que tiver dentro, a uma pessoa
que entro tambem com alguns unidos: a
quem rouvier esti negocio annuncie por
este Diario a.
todos o. melhor.mcntos (alguna delles no-
vo, e originae.j da quo a experiencia de
muito auno- lem mostra lo A nece.aidade.
Machinas do vapor de baixa e alta pre.-
sHu, tachas de todo tamauho, tanto batida,
como fundidas, carros d mlu, e ditos par.
couduzr formas de assucar, machina, para
moer mandioca, pren... psra dito, fornos
de ferro batido par. farinhs, arado, de fer-
ro da mais approv.d. construcfHo, fundo
par. .lambiques, crivQ e portt. para for-
nalhas, e urna iulliii.dado de obras de forro,
que ser infadonbo enumerar.
No mesmo deposito existe uma pessoa in-
telligente e habilitada para iecci-or todas as
encommendas, etc. etc., que os annuoci.n-
tes, contindo com capacid.de de sua of-
flnas o oachinismo, e pericia de seus ofll-
claos, se compromettem a fazer execular,
com a nij um presteza, perfeicllo, e exacta
conformi lado com os moJtlos, ou dese-
nlio, o iuatiuccois que Ihe forem forne-
cidss.
Compras.
sileira : na ra Nova n. 34t
caba de recober de Franca pelo navio Con
te Roger os oujoctos seguintes : um grando
sortimento de chapeos de seda da ultima
moda para senhora o para meninos da idade
de 9 anuos a 13 de todas as cores, riquissi
mosenfeitos de cabeca para bailes o thealro,
Na l\ua do Al airan, n. l2,~ Se- lindas pulceiras de veludo com Ovejas, ri-
f: quissimas capellas de flores de laranjas pa-
gundo andar, copia-se com perle- gj noV(ls,rCUc.poiinhos pretos do groz de
cao qualquer papel cm muito boa aples mullo enfeitados o de cores para se-
.. nrecn commodo. nho" e menin.rM roz do aples fur-
lor pre$0 commoao. ta-core, cortes de vestido branco para noi-
Ciiltgrittiit
eltra e p
Vh, tMnsasTde seda branca e de cores par.
enfeit.r vestidos, bicos de seda e de blon le,
ricos cabeedes para talho de vestido.mantaa
de seda preta ecabec 0 de pelica branca.
Sao grecas que cuslo a sollrcr.
Desappareceu a cousa de um mez uma
cachurra grande.de agua sendo br.nc. com
o pello bastante gran le com umsign.l ama-
rello do lado da barriga e asnoulas das o-
relhas, tendo dias ames parflooilo caciior-
rinhos; os qu.es morrerSo por falta da dita :
roga-so ao engr.cado que lem presa, o f-
Jb" de soltar, oj- quem souber onde ella
exisle, de dar parte na ra da moed. n. 21,
queseri recompensado, equedezeja conhe-
cer o esperto.
ttoga-se aos Srs. Manoel
ayier
Compeli ,
a 80 rs. a pataca: bem como.rmam-se o.n- _______._._ _. |-j
dej.scom muito'gosto, por PreCo m.is em o ob equio de apparecerem na loja
eonta do que em outra qualquer parte. n. 6 da ra da Cadeia do ivecile,
Ignacio l.uizde Uno Tabord, n9o
quizera mais chamar a attencfo de
seus ileve-lores pelo jornal, m.s oes-
quecimenlo dos mesmoso fazem no-
vamenle lancar mllo deste meio de
que n id quizera usar, e porlanto ro-
ga a t'idos os devedores do tinado
Anlouio da Cunha Soares GuimarSes,
Jos Joaquim de Freilas GuimarSes,
e Viuva rrelias GuimarSes, vciilnm
solver seus delnlos.iA o flm de ahrll
pro>imo,no lim do eujo praso passa-
r a publicar seus numes pur exten-
C, e uzar de seus direilos; e nessa
ucc.siSo uSo po lera nenlium dos di-
tos deveres spiesentar molivo de
queixa por alegaoSo de ignorancia
es

Prccisa-se de uma ama para a cria- 4
ijj) c^odeum menino,com tanto que seja +
aj muito s.dia, e quo leuha muito bom -4
f* lene, e ao mesmo tempo bom modo; 4
1 paga-se bem : na ra do Vigario o. 9, f)
ty au di a quoin precisa. (Q
*A-*40>*./>*# --i **.*& ***
Previne-so a todas as pessoas que de-
vem a extinta loja de Francisco Concalves
da Silva Peieia sita na ra da la lea do Be-
c fe 11. lii.und" nuil 'ora fui a do Sr. loaquim
Goncalves Cselo, hajam de vir ou mandar
pagar na mesma ra, loja de miudezas n. 7,
isto no preso da 8 di^s contados desta dala,
eos quo assim n.lo comprirem, lindo este
praso.serSu chamados por este diario,decla-
rando-Be seus iKimo quantias, e moradas,
ludo por exlenso, visto nSo lor podido re-
ceber particularmente.
Precisa-se de uma mulher
forra, que queira acompanharuma
familia pequea em servico, para
uma das provincias lo Norte, alli-
ancando a sua conducta : a tratar
ne.ta typographia, ou no Hospi-
cio, primeiro sobrado depois do
quarlel, olTerecem-se boas, condi-
gno no ajuste.
' OcautelistaSalustiano de A-
quino Ferreira, avisa ao respeita-
vel publico, que as suas cautelase
billu tes da a3. lotera do theatro
deS Pedio de Alcntara, e di 3o.
lotera do Monte Pi, estSocxpos-
tos nicamente a venda, na pra-
ca da Independencia, loja de cal-
gado n. i3 e 15, do Arantes, e na
ra da Cadeia do Hecife n. l\G ,
loja de miudezas de Jos Fortuna-
to dos Sanios Porto esperam-se
as listas de ambas as loterias, no
dia 19 do corrente mez, pelo va-
por da companhia brasileira, e no
dia ao pelo vapor inglez Severn ;
as rodas da a3. lotera do theatro
andaram no dia i"] do passado, e
da o. do Monte P.>, flcavain a
correr no dia 6 a 7 do presente.
Paga em continente sem descont
algum.todo c qualquer premio que
s ihii- no- bilhetesemeios, vendi-
dos as lojas cima mencionadla
logo que receber asustas.
Bilhetes inteiros 32,000
Meios 11,000
Quartos 5,5oo
Oitavos 2,800
Vigsimos i,3oo
AA**A*A**Afc*AAA**l> rVlH.. H8,i KranrUrn Xi
Na ra das Agoaa-Verdes, sobrado do Caldas brrelo, francisco A. i
omamlar n. U, dao-se bolos devendagem ajameiro da Cunha Campell
C. Starr & Companhia,
Respeiloca mente annunciam que no seu ci-
lanco estabelecimento- em Smtn Amaro,
conlinuaafabricar.com a roalor perfeicSo
e prompliJSo, toda qualidade de machinis-
mo para o uso'da agricultura, navegacSo e
manufactura, e que. para raalor commodo
de seus numerosos treguezes e do publico
em geni, tem .berto em um dos grandes
armaaeos do Sr. esquita n. ru. do Brum,
atraz do arsen.l de marinh, um
Deposito de machinas,
onstruilas no dilo seu oslabelecimento.
I All acbarSo os compradores um comple-
to sortimento demoendas de caima, com
Compra-se un mobilla para sal. Je
pAo d'olio ou amarello em bom uso, e um
.pp.relho fino par. cha : na ru. Nova, ar-
mazem n. 67 se dir quem quer, ou annun-
cie para ser procurado.
Precisa se de 2 ou 3 escra-
vos crioulos: quem quizer vender,
diriji-se a ra do Trapich n. 36,
segundo andar.
Compra-se um preto que seja bom bar*
beiro, e sangra lor, para Tora d. provincia,
aendo bom se pagirA bem : na prac do
Commercio o. 6 esenptorio de Manoel Igoa-
cio deOlivetra.
Compram-se eacravos de ambos os se-
xos de idade de 6 a 23 annos, paga-se bem :
na ra das Larangeiras n. 14.
Compra-se uma negra de 10 a 40 annos
de id.de sem vicios nem achique, com algu-
ma habelidade : na ra larga do Rozarlo lo-
ja de miudezas n. 26.
Compr.-se uma estante par. livrns, a
um gu.rda-roupa : quem ll ver anuuncie ou
dirija-se a ra da Cruz n 34.
-- Compra-so o melhodo fcil de escrip-
turar os livros por Degrauge, em bom esta-
do : no pateo do Carmo n. 17, ou annunoie.
Compra-se um pardo ou cabra de 13 a
13 annos, ten lo bonita ligara que be para
pagem i na ra da Crnz n. 34.
- Compra-se ums preta que saiba cosi-
nhar o eogommar bem, o que tenha boa
conducta: na praca da Independencia, loja
0.3.
i s..L -----
Vendas.
Lotera do Rio de Janeiro.
Aos 20:000,000 de rs.
Na loja de miudezas da praca da
Independencia n. .', ven icm-se bi-
lhetes inteiros, meios, quartos, oi-
tavos e vigsimos, a beneficio da
i. lotera do theatro de 5. Pedro
de Alcntara; ditos inteiros, meios,
quartos, oitavos c vigsimos da 3o
lotera do Monte Po, que vein as
duas listas no primeiro vapor do
Rio de Janeiro; na mesma loja re-
cebcin-se bilhetes premiados em
troca dos que tem a venda e mo-
Ka-se as listis.
fiejouterias.
Kalkmann IrmSos ra da Cruz n. 10. rece -
h 1 111 pelo uliimn vapor inglez um no-o
sortimento de obras de ouro o mais bello
que lem viudo aqui como sejam ; inteiros e
meios aderecos, brincos, alnete, e brace-
letes com perolas, e sem -lias de tolas 9
qualidade], botdes para camisa, odeles,
1.....ni -s para relogio, anneis, caetas,com
lapis e peonas d'ouro,delaes, voltasebrin-
quinhos de cores, vidro e ouro proprio psra
meninas.
Faz admirar ver linhas de 400 jardas o
carriel.
Ven lem-su linbasdo 400 jardas a 140 rs.
o carrilel de todas a- gros 1,600; o lem de 200 jardas muito fina a
100 rs, linhas de todas as cores, oaTilel,
novelloseoutras muit s cousas; assimeo-
mo grampasem caixinhasa I00rs.,agulhei-
nnhos de metal com agultias lrancezas a
140 is., o l.iiiliniii eu caixiuhas a 280 rs :
na ra doCabuga, loja de Costa Fajozes.
Vendo-se uma flauta de bano com 6
chaves da prsta, em Imu estado e por prefo
commodo: na praca da Independencia 11.12.
Veude-se rezuia de angico em ooredes
e a libras, multo barata : na ra da Cadeia,
loja de JoSo Jos de Carv.lho Mor.es.
Aos advogados e acadmicos.
Vende-se a colleccSo da legislaco porta-
giiHz pelo desembargador Delgado, excal*
lenlemenle encadernada e completamente
nova, por 80,000 rs., cumpondo-se de 8 vo-
luntes, inclusive os dou supplemento :
quem pretender dir ja-so .1 esta lypog>aohia
das 10 horas ao meio dia. que ahi se dir
quom vende.
- Vende-se um relogio de sala : na ra do
llospirlo n 21, da 6 as 8 da manhSa, e das
as 6 da tarde.
-. Vende-so urna parelha de carillos .l-
zaos, j ensllalos pira crro : na coebeira
lo i.ourcnco no flm da ra da Guia, ou na
ra da Cadeia do Recife n. 42.
Vendem-se 2 casis terreas, contiguis
um a outra reedilloedas o com gran-
des commodos cada uma em chSos pro-
prios sitas na ra dos Pires do bairro da
Boa-Visli : a fallar na ra da Gloria do mes-
mo bairro sobrado n. 7.
Farioha de mandioca.
Vende-se saccas com superior farioha de
mandioca a precos rasoaveis: a tratar com J.
J. Tasso Jnior ru. do Ainorim n 3S,
Vende-se na travessa do Rozarlo n. 18,
os seguinles livros, anda em muito bom
estado e muito baralos: Direilo das Gentes
por Kluber,^ Elemento de Direito publico
do llr Auiran.
-- Vende-se um bonito moleque da 13 so-
n de ida la, coiiuna o diario de uma casa
e com principios de eogommar: a tratar ua,
ua do Crespo n. 18, loja da es |uin.
-- Vende-se utx cabriolel muito maneiro,
com iodos os seus bous apirelhos: a fallar
co n Jos Pires ds Morsas, ra da Cadeia Ve-
Iha,loja iie ferrageos.
-I Na ra da Seuzalla Velha n. 94. vnde-
se uro bom esoravo orioulo.e bom for-
neiro.
fffttffftftffffffjpm
4 epoeitode tecidos da labn- 3
ca de Todos os Santos, ?
* na Baha. -
Vende-se em cas. de Domingos Al- ^
* ves Matheus, na ru. da Cruz do Re-
* cifen.52, primeiro nd.r, IgodSo
tr.ns.dod.quell.fabrica.muiiopro- 2
*" orio otra ..ecos e roupa de escr.- -
vos, as.im como lio proprio para re- ^
desdepescar e pivios para tollas,
. oor preco milito commo lo. 4
i
ILEGIVEL



4
. Vendem se estajos, para es-
tudos de nutica e mathematica ,
por prego commodo : na ra do
Queimado. leja de ferragensn. 5i,
Piesuntoa do Porto a 3ao lis
a libra.
N ra do Collegin, tend n. 12, vnde-
se muito superior presunto a 310 ris a
libra.
Vende-se um rico relogio horisonlal, proprio pira tenhors : quem o
pretender dirija-se i ra >lo Hozario d Boa-
Visia, n.2, que li se dir quem vendo.
Vende-se a casa do becco dos Burgos
n. 1 ;tem 2 andaros e solio por preco mui-
to commodo, por ordem recebida de Portu-
gal de seu proprio dono; o preco porque se
d he de randa vanlagom visto ella render
por mez 22 00 rs.: quem a quizer dinja-se
a ras da Praia n. 2, ou na ra do Collegio n.
17, terceiro andar. ...
Vendem-se na livrana do jaconheoido
barateiro da ra do Crespo n. II os livros se-
guintes;e lrica deQ. Horacio Flaco, poeta
romano trasladada litteralmente em verso
portugurz porElpino Duriense, 2 volumes;
oracOesde Cicero, grammatlca de Burgiin,
piloto instruido da ultima edicefio de 1851
comquitro estampas, muzeo piloresco, en-
ciderniclo inleirs, 2 volumes; r'lacSo his-
trica, stalisticae medica da colera murbus,
por Francisco de Assis Soma Vas, thesouro
da mardade portuguezas ou a mural em ac-
CSo por J. I. Roquete, F.vaugellios de Jess
Christo segundo S Malheos com suas com-
petentes notas a 640 rs., o elemento de geo-
metra por Lacrois em portugus e francez
a 3,000 rs., historia da vida de Jess Christo
por Beroirdmo Freir de Figueiredo Abreu
e Castro, 2 volumes a S.OOOrs. ; breviarlum
romauum a obra completa em um s vol-
me, 7,000 rs.; virgih-jni a 2 e 3,000 rs., ora-
cio novo 4,000 rs James Thomson a 1,000
rs., salustio enesderna lo 8.000 rs. traduc-
ido de portuguez e l.tim, selecta e salustio
a 640 ra., memorias histricas da provincia
de Pernambuco, 3 volumes, 2,000 rs ; poe-
sas do Sr. Barros 2,000 rs., SebistiSo,
romance histrico em 6 cantos e outras poe-
sas' 80 rs.,enssios sobre a ereacSa do mun-
do, por Manoel Rodrigues dos Passos a 60
rs.,cattiecismos a 320 e 80 rs., cartas e ta-
S. Flix
Chegtrtm os verflsdel'os charotoa de 8.
Flix e vendem-se na ra do Queimado, lojs
Vende-se um ortimo csvallo para car-
ro; na ra do Hospicio, venda do Lefio
d'Ouro.
No passeio pub'ico n. 17
Vendem-se por preco commodo as seguintes
obras o panorsma, 8 volumes com ricas es-
tampas, o museo universal, Jornal das fami-
lias brasileiras, 3 volumes com estampas,
colIcccSo de dramas, 2 volumes, alorna.poe-
sias, 6 volumes, descrpeflo do Brasil, 9 vo-
lumen, archivo poeticu, 2 volumes, Jorge ou
capitfio dos piritas, 1 volume, geographia
pelo abbade Gulter, 1 volume, poesas de
Manoel Fonseca do Medeirot, 1 folheto, gri-
to dss almas no purgatorio, 1 volume, vida
de Nossa Senhor a, os misterios do povo en-
requecidos com estampas finas, o espetro
ou a baroneza de Gai (poema), a Marmota
Pernambucana, 1 volume encaderoado.mag-
1 ti ir lexicn, grammatica franceza, salus-
tio, horacio e Virgilio.
Vendem-se lingoas do Rio Grande mul-
to boas e preco commodo : na rus da Moeda
O. 35 ; na me ama cisa se dir quem vende
ulna taberna com poucot futidos e se faz to-
do o negocio.
Vende-se um sobrado de um andar na
ra Augusts : a tratar na ra da Moeda
0.25.
~ Vendem-se 2 escravo* de ser vico de
campo, 3 negras com algumas habilidades,
1 dita de servico de campo, 1 parda de boni-
ta figura, que coze.engomma, cosinha e az
doce de-todas as qualidades,
1 esersva de
meia idade : na ra Direila n. 3.
Vnde-ae o deposito de assucsr sito na
ra doCodornlm. 18: quem pretender di-
rija-te ao mesmo deposito.
-- Vendem-se cordaa de tripa e bordflss
psra rabeca, rabeefio, violSo, papol pauta-
do, para msica de varias qualidades, tildo
da superior qualidade: na praca da Inde-
pendencia, loj demiudezaa n. 3.
Vende-se u nacomp ela farramenta de
carpins, com seu competente banco, e lu-
do em bom estado; atraz da matriz da Boa-
Vista, n. 91.
Aos amantes dos bons charutos.
No aterro da Boa Visa n. 46,
Lotera do Rio de Janeiro.
Aos 20:000,000, 10:000,000, 4:000,000 ,
9:000.000 e 1:000,000 de rs.
Ns loja da Viuva Vieira & Filhos, na ru
da Cadeia do Recife n. 24, anula arham-se
a venda um reato debilteles o cautelas da
23 loteria do theairo de S. Pedro de Alcn-
tara : como bem novos bilhetes e cautelas
da 30. loiuria do Monte Pi Geral, cujas lis-
tas esperam-se pelos vapores, da carreira e
ingloz: os precos silo os soguintes:
boadas; e na mesrna se encarregs de mandar |0,a Je ferr8gens, chegOU umeran-
encadernar toda a qualidalo ue livros por ,J I .,,, ,1..
precos comoiodos. Alm dos livros cima de sorttmento de charutos dos
mencionados tem mais Cours de Oroit Com- mais superiores, que ha na praca
mercial, parJ. M. Pirdessus Iroisieme edi- n ____..' 11lj,ia(|,>
lion, por 3.-000 cinco volumes. i <** Baha, assevera-se a qualidade
Vende-se urna morada de casa terrea1 ser verdadeira, e nao falsificados,
sita Da ra de Santa Thereza n. 25, com rnmn l: Bni,flrl,Mm assim
duas salas, dousquartos, cosinha fra.quin- como Por olu apparecem ssiin
tal com portSo e cacimba : a tratar na ra como vendem-se mais barato do
do Hospicio n. 17. que se dir quem vende. a qUc,lqi,er parte, a-
Vendo-su a venda sita no becco do Pe- > _
xe-Frito, n. 5. afreguezad, fazse todo proveitem potsa occasiao que as
negocio; a tratar na mesma, com o dono/ qualidades sao asseguintes :
Fazendas baratas, no atierro da' boa fl|naj cata flore(lj prm0rosos,
Boa-Visto, loja de quatro por- emiyiOS finos, superfinos, fama da
tas, n. 60.
Vende-so pecas de slgodfiozinlio tranca-
do, de 17 varas, com toque de averia, a
2,000; dito liso, com 16 jardas, multo on
Baha, llora, regala, quem fumar
sa ber, fama vda.
~ Vendem-se os verdadeiros selins in-
corpado. a 2.240; madapuUo muito fino a glezes, patente, de molla e sem ella : na
3,600 n 4,0:i0; ri-c idiniios francezes, mui- ra daSanzalla Nova n.42.
to no, miudinhos, a 280 rs. o covado; e8i|>f;^t^* ditosdechitaal40el60; ditos cscossezes, t> a|\ALK>S AMERICANOS.
pairOrs escuros, s 140; e outros dilos a y j j
chapeos deso a 1,000; lencos de
OJ
Vendem-se arados ame- 9
ricanos, chegados dos Esta- 9
dos Unidos, pelo barato pre- .4
90 de 4<>,ooo caa*a um: na 2
ra do Trapiche n. 8.
espatos do Ar.caty a 800 rs; superiores lu- Jjeposto de panno do algodo da
vas de pelica, para senhora a 1,600 rs. o par; r, \ o 1 Q
ditas para homem, muito novas, de ponto lubrica lodos OS Santos da Ba-
I0O rs
chita a 14> ditos de seda a 1,280; e outras
muitas fazendas por presos comoiodos.
Aterro da Boa Vista, loja de cal-
cado n. 58, junto ao seleiro,
vendem-se sai-ai s francotes, de courode
lustro, da ultima moda a 5,600 rs. o par
ioglez a 2,000 rs ; dilas a 800 rs. o par ; es-
cvas para denles linas ; potes de porcelana
com lunlia; frascos com cheiro; luvas de
nhia.
Vende-se
por preco commodo
torcal; cortes de tapete; sa petos de dito para 0 \jem conhecido panno de algo-
I,omeo);s.p.t0es Je lustros 2,500 rs. o par;, ... .
peile de lustro a 9,400 rs. ; sssim como sa- d5o des'a fabrica; em pessa, a
patos para senhora, tanto de marroquim | vontade do comprador." no escrp-
" torio de Sovacs&Companhia, na
ra do Trapiche n. 34
paiz, o que ludo se vende muilo cm cunta
alini de apurar-so dinheiro.
jupaloes de lustro, para meninos
de 6 a 13 anuos,
no aterro da Boa Vista, loja de
calcado n. 58, junto ao seleiro,
vendem-se sapates francezes de
courode lustro, para meninos de
6 a ia annos.
Vende-se, por preco muito
commodo, cal virgem de Lisboa,
em liarris, muito bem acondecio-
nada ; fumo em folha para capa
de charutos; papelao para fabrica
d chapeos : truta-.se noarmazem
de Jos Joaquim Pereira de Mel-
lo, no caes da Alfandega n. 7, ou
com Novaes&Companhia, na ra
do Trapiche n. 34.
Farello de Lisboa.
Ns ra da Cruz n. 13, armazem de J. C.
A. da Silva, vende-se excellanle farrello de
Lisboa, em saces.
Na ra da Cruz, armazem n, 33 de Luiz
Jos iie Sa Araujo, vende-sc em suecas de al-
queire familia de Santa Catharina e S. Ma-
lheos, quem levar a sacca Oca muilo barato,
slo para se fechar coalas.
Superior larinha de S. Matheose
muito nova,
Vende-se a bordo do hiate Caprichoso, fun-
diado em frente do caes do Ramos, e na ra
da Cruz n. 34.
Vende-so
Urna preta. creouls, de meia idade por
280,000 rs.; cosinha bem, coze, e faz renda,
lie ba enfermeira, e faz o mais servico com
perfeicfio, isto porgue morreu sua senhora
e os hurdeifos querem parlilbar; urna par-
diuha moca habilidosa o quantoJie possivel
se-lo urna mumDanda, a qual lo se vende
nara a praca 1 or ler aqu seus parantes, e
ter urna irrepreensivel conducta; urna outra
parda de vinte e tantos annos que coze, faz
renda, cosinha e engomla liso, e com bom
coivo para servico; urna outra parda para
fradesta provincia por estar grvida de 5
niezes, a qual em habilidades, figura, he
modelo, assim como urna prela que tem al-
gumas habilidades por 400,000 rs., tudo na
ra larga do Hozario n. 35, lojs.
Vende-se rap vindo do Rio de Janeiro
feilo pelo processo da fabrica de Lisboa. Es-
ta rap he igual ao de Lisboa, venham ex-
perimentar antes que ae acabe que nSo dei-
xarSodecomprai pela qualidade e por 1,600
rs. a libra : na ra do Queimado, loja n. 19.
Vende-se superior sal do Ass, a bordo
do hiato S. Joflo, por preco commodo : a tra-
tar a bordo, ou na ra do Vigario n. (.
Farinha barata.
Vende-se a bordo da escuna Mara Firmi-
111, fundiada defrunte do Caes do llamos,su-
perior farinha de manJioca de S. Mamos,
por proco commodo para acabar: trala-se a
bordo com o capitBo, ou com Luiz de S
Aiaujo, ua ra da Cruz n. 33.
1 ||>|V op e n.n.1,1 lllinhl! 'f
oofap '9-iriiji P ujnbtp uiiizaujii
u : iii-'ia e oji.iii'ni|> 'imji:-' apeo -1 n.i'.'r- ep
'.ihl'hj ,i|i uquijej jouodog
Antigo deposito de cal
virgem.
Na ra do Trapiche, n. 17, ha
muito superior cal nova em pedra,
hegada ltimamente de Lisboa:
lambem se vende poUssa da Hus-
sia, novae de superior qualidade.
4,ooo
Vende-se rap de Lisbs, chegado lti-
mamente, vindo de encommenda, cousa '
superior, e responssbilisa-se pela qualidade 1
na ra da Cadeia do Recife, loja de JoSo
da CunhaMagalhSes, n 51.
AlteDCflo.
EstSo i venda 3 escravos creoulos; I osBra
de 25 annos,1 negro de 30 anno*,e 1 negra de
26 ; todos robustos e de boas figuras: na ra
da Cruz n. 14, ou no pateo do Pilar, casa da
csquiua, so dir quem vende.
Barateiro do Ivecife.
Na ra da Cadeia do Recife loja n. 50, ven-
dem-se corles de magnificas sedas pretas,
lavradaa, recenlemente chegadas, corles de
chitas achamulotadas, manteletes pretos
chales de seda de cores, grandes e pe-
queos, mantas, de seda, sarjas pretas, lu-
vas pelas de torca I, e de seda de cores pa-
ra Sra., ditas ue seda, e pelica para homem,
grvalas prelas, coleles de casimira, cain-
timas delinho muito fina, tudo moderno e
bom, assim como outras muitas fazendas,
que atroco de dinheiro se ven lem por ba-
ratissimos precos, bem como pannos azul,
verde e preto para casaca, palitos, e farda
de 4,000 a 6,000 rs. o covado, ditos mescla-
dos psra palitos e para acabar a 1,800 ra. o
covado, e cortes decasemira de cores a 4,000
e 5,000 ra. o corte.
--NoPasseio Publico n 15, ven saceos com alqueire de millio, pelo Paralo
prego de 1,700 rs. cada um.
A ti cuca o.
Vendem-se na ra estreita do Rozario n.
bolachinhas muito finas de leiteem la-
Bilheles 22,000
Meios 11,000
Quartos 5.500
Oilavos 2,800
Vigsimos 1,300
Deposito da fabrica de Tollos os
Santos na Ilahia.
Vende-se, em casa dcN. Biebor &C.,
na ra da Cruz n. 4, algodSo transado dl-
qunlla r'abrica, muito paopno para saccoade
assucor e rou pa de escravos, por p recocom-
modu.
Farinha Fontana,
chegada ltimamente: em cssa de J. J. Tas-
so Jnior, na ra do Amorim n. 35.
Cobertores de algodo.
Superiores cobertores do algoilSo de di-
ferentes cores, lecdos a dous los, muito
grande, tem todaapplicaco em urna casa de
lamilia, por servir para meza de engom-
mado e forrar camas e mesmo para escra-
vos, pelo diminuto preejo de 1,410 rs.: ua
ra do Crespo n. 6.
No armazem da ra da MoJa n. 15 ,
vende-se cal deLlrboa em pedra, a mais no-
va que ha no mercado, chegada no crrente
nez, no brigue Laya ; assim enmo mercurio
toce em caixinhas de libra cada urna, tudo L'
or menos prec,o do que em outra qalquer
parte.
'Vendem-se relogos de ou-
ro eprata, patente inglez : na ra
Ja Senzalla Nova n. 4a.
Moinhos de vento.1
com bombas de repuxo para regrar hortas
e baixas de caplm na fu 11.1 ic.lu de Bowmaux
S U. Calhem: na ra do Brum ns. 6, 8 e 10.
Banana e goiaba.
Vende-se superior doce d'aquellas frurtas
do mais lino que ha : na venda da- ra
da Cadeia do Recife defronte do Beco Lar-
go n. 25.
-- Vende-se mais barato do que em ou-
tra qualquer paite, ricos msnteletes pretos
e de cores : na ra da Cadeia do Recife, lo-
ja 11. 18.
lie to barato,
Que Idz animar ;
Quem vir a pechincha
Nao deixar de comprar.
Na ra do Crespo loja da quina que vira
para a cadeia, vende-se panno fino preto, a
3,000, 3,500, 4,000 4,500, 5,000 e 5,500 rs.
o covado; dito francez muilo superior, a
6,000 ra. ; dito azul, a 2,600, 3,500, 4,000 e
5,0M)rs. ; dito verde.a 2,800, 3,O00e6,O00
rs.; dito cor de rap, a 2,600 rs. ; casemi-
ra preta, a4,800,000, 7,500 8,500e 10.000
rs. o corte; sarja preta deseda muito su-
perior, a 2,500 rs. o covado ; merino preto
muito bom, a 2,800 e 3,200 rs. o covado cor-
tes de cassa chita muito bonitos, a 1,920
rs. ; e oulras muitas fazendas por preco
cjmmodo.
Vendem-se ricos espedios ,
com molduras douradas de 4 o 6
palmos de altura ; vinho clnin-
pagoe de excedente qualidade a
4o,ooors. o cesto: na ra da Cruz,
casa de Avrial lrmaos.
Baratissimo.
Vende-se um terreno na ra 4a Aurora j
aterrado, tendo fundo at a ra do Hospi-
cio, efrente 55 palmos: lambemscver.de
s a ra da Aurora: a tratar na praca da lu-
dependencia n. 17.
-- No escriptorio de Manoel Joaquim Ra-
mos a Silva, na ra da Cadeia do Recife,
vunde-se por preco commodo cal virgem de
l.ishoa chegada no ultimo navio, bezerro de
lustro, mercurio, linha de Roriz.relroz, fei-
rliaduras do Potto, pannos e cssemiaa
de 13a.
Vendem-se, por preco com-
modo, superior vinho do Porto ,
em barris de qnarto, quinto e oi-
tavo : no armazem de Jos Joa-
quim Pereira deMell no caes da
lfandega armazem n. 7 ou
com Novaes & Companhia, na ra
do Trapiche n. 34-
Pechincha.
Na loja do Paaielo Publico n. 15 vende-
se superior cal virgem, chegada ltimamen-
te de Lisboa, por preco muito commodo pa-
ra acabar.
Velas de espermacete.
Vendem-se velss de espermacete, em cai-
xinhas de 20 libras: na ruada Cadeia do
Recife n. 48.
- Vende-se lons americana de algodo,
muilo encorpada, propnas para volas de na-
vio,rodas e denles pertencentos a bolintes,
escovens e gollas tudo de ferro coado: na
ra da Cadeia Velha n. 37.
Grande sorlimento de fazendas
baratas.
Panno fino preto a 3,000 rs.; sarja preta
hespanhola, de superior qualidade a 2,500
rs. o covado; selim preto macto, muito su-
perior a 4,000 rs. o covado; alpatca, muito
Ana a 610, 800 e 1,00 rs. o covado; cassas
do Dores brancas, propiias para corlioadoa
de cama.com 8 l|2 varas a 3,500 rs. a peca;
cassss chitas a 2,000 ra. o corle; lencos de
cambraia delinho, para homem a 480,560 e
640 rs.; riscado assenladoem metim, pro-
prios para rps de meninos a 200 rs. o cova-
do, e oulraa muitas fazendas em conta : na
loja da ra do Crespo o. t.
!-iniiio de JNantua a
800 rs.
Vende-se a historia de Similo de Nantas,
a 800 rs. : na hvrsria da praca da Indepen-
dencia 11. tic 8.
l'otassa americana.
No antigo depoaito da cadeia velha, n.
12 existe urna pequea porcJo de potaasa
americana, chegada recenlemente que por
superior rlvalisa com adaRuasis: vende-
se por preco razoavel.
tiaric Faulo Cordeiro.
recentemente chegado do Rio de Janeiro :
ende-se na ra da Cadeia do Recife loja n.
50, deCuuha & Amorim.
Deposito de cal virgem.
Cnnha & Amorim, na ra da Cadeia do
Recite, n. 50, vende-se barris com supe-
rior cal em pedra, chegada pelo ultimo
navio de Lisboa, por menos proco do que
em outra qualqner parte.
.Irados de ferro.
Na fundicilo da Aurora, em -S. Amaro,
vcudem-searadosdeferrodediversos mo-
delos.
Moendne superiores.
Na fundicilo de C. Starr & Companhia,
em S.-Amaro, acham-set venda moendas
de
Chitas finas de coreo fixas, com to-
que de avaria, a 4>5? 5,00o e
5,5oo rs. a peca.
Vendem-se,na ra do Crespo, luja da es-
quina que vira para a Cad'la, chitas finas,
AVISO AO PUBLICO.
Na botica da ra do Collegio n. 18, conti-
nan-te a vender as verdadeirat e bem
conceituadas pilulaa para bobas, cravoi te-
cos, e dores venreas, por mais antigs que*
sejam; cojos bont eteltos confessam todos
OUII uur .ii lio a l,U'in, ) Illas 1 OBi --.-.---.--.------------ _.,_-. j
de cores fix.se bons padroea-toom Pequeo 1UB Mi" """ .r"lo,-V0,iC'im; 'n it.
toque de av.ria,. a 4,500, 5,000 e 5,500 ra. a Pharmacelico 8ebasli8q Jos de Oliveira
D '. [Macedo; e para conhecimento do mesmo
--Vende-se ummoinho de moer caf cora I Pub"co e Principalmente de algumas pes-
seu competente lorrador e fogSo anda no- ?" "ue nSo etejsm ao alcance, o conlle-
vo : na ra larga do Rozarlo, padaria 11. 48,
ou troci-se por oulro qualquer objecto.
Grande porcSo de fazendas baratas,
na ra do Crespo n. 14, loja de
Jos Francisco Dias, a 160 rs. o
covado !
Vende-se urna grande porrjSo de chitas
muilo lilas,-de novos padirjes, cum um pe-
queo toque do mofo, a 160 rs. o covado ;
ditas escuras cOres de caf e de vinho, e ou-
lras maiscres muito lizas, a 200 rs. oco-
vado ; ditas as mais finas quo lem appare-
cido no mercad, tanto em pannos, como
as tintas, fazenda do ultimo gosto, a 240
rs j riacados francezes de quadros, fazenda
muilo fita, a 200 rs. o covado.; coitos de
chita francezes, com barra, a 3,000 ra : ma-
rinos pretos de superiores qualidades, e
1,800, 2,500, 2,800 o 3,200 rs.; linissiuia al-
palta prela e de cores fazenda propra pa-
ra palitos, a 640 rs. o covado; algolSo azul
muilo largo, a 160 rs. o covado; pecas de
bretanha de rolo, com 10 vara), fazenda
muito encorpada, a 1,800 rs. a eca; assim
como existen) outras muitas fazendas, por
precos mais baratos do que em outra quaU
quer parte: de ludo se liarSoainostrai
deixando aeua competentes penhores
Taixas pura engenhos
Na fundicao de ferro de Bow-
man & Me. Callum na ra do
Brum, piMando ochafiriz, conti-
na a haver um completo sorti-
menlo de taixas de ferro fundido e
batido, de 3 a 8 palmos de bocea ,
as i|o.es acham-se a venda por
preco commodo e com prompti-
dao, embarcam-se, ou carregam-
se em carros, sem despezas ao com-
prador.
Novos cobertores de tapete a
i,44o rs.
Na ra do Crespo loja da esquina que
cimento das verdadeirss pilulaa, te faz pu-
blico por asta aviso.
Cantois l'ailhetck CompanhiaS
Continua-ae a vender no deposito*
V geral da ra da Cruz n. 52, o excel-
B l"ntee bem conceituado rap areiaB
I prelada fabrica de Cantois Pailhct &S
Companhia da Baha, em grandes ejg
pequelat porcoes pelo preto eatabe-tf
lee Mo, Q
mmmimmimiefmmmwimmmmmwm
Vendom se amarras deferro: na ra
da Senzalla Nova n. 42.
Arados da fabricados Srs. Ranso-
me e Mar
Proprios para plantar e alimpar cama de
iJifferentesmodellose feitos na mais acre li-
tada fabrica na Inglaterra ; tendo muito su-
periores a qualquer que tem vindo a este
mercado,o proprio para plantaren qualquer
terreno e de qualquer It'gura,'por t*r um
arranjo proprio para abrir e fechar a aiveca.
O bico, aiveca e tola destet arados patiam
por um processo que da-lhe a consistencia
do ac temperado da maoeira que sao de
milita duracSo, alm de que tem blcos de
sobre-excelleute : na ra do Trapiche o. 14.
Vendem-se saccas com fari-
nha de Santa Catharina a a,a4o
rs. : na ra da l'raia de Santa Hi-
ta, venda defronte da ribeira do
peixc, n. I.
Oa-rtUIO!V. una IIIOv as canna, todas de ferro, de um modelo e J/'1,1' P" J'. SuSftLSSSSR
strucSo mui.osuperior Capto, Vrndm boniioa. pelt>dimindiu
tas de 8 libras e a rctalho, vindat lie Lisboa,
proprias para almoc,o de clia.ligos em calla,
pastas muilo grandes, a.mcixas do tres qua-
lidades muito peiloral, e na mesma se dir
quem vende 100 espanadores muito bem
Icilos.
,\s mais superiores velas de car-
nauba, que lem apparecido no
mercado.
Vendem-se velas do ctrritaba, viudas l-
timamente do Cear, dAuprior qualida-
de, em caixas de 33 libras, a 2,000 e 10,000
rt. a cnxa : na ra do Crespo, loja da ea-
Azeite de carrapato da fabrica de
Araujo & Filho, no Fenedo.
Acaba de chegar mais desteja conhecido
azeite, o mais proprio e econmico, para
uso decsndieirosde sala, tanto pela sua du-
rac,So, como limpeza, e continuar a haver
sernpre um depozito para auprimento regu-.
lardos freguezes : no armazem de J. J.TaS-
so Jnior: na ra do Amor i ti n. 35.
Loteria de N. S. do Lirramento.
Aos 5:ooo,ooo de rs.
Na loja de miudezas da praca
da Independencia n. 4 > vende-
se um resto de bilhetes inteiros
meios, quartos, decimos e vigsi-
mos a beneficio de N. S. do Li-
vramento.
Bilhetes inteiros
Meios
ronslruccSo muito supe
(jasa de commissio de escravos.
Vendem-se escravos e recebem-
8Q de commissio, tanto para a pro-
vincia como para fra della, para
o que se olTerece muitas garantas
a seus dooos ; na ra da Cacimba
n. 11, primeiro andar.
-- Vende-se fuo da trra de superior
qualidsde e por prego commodo : na ra da
Cruz n. 34, taberna.
Deposito de cal e potassa.
No armazem da ma da Cadeia
do Recife n. 13, ha muito supe-
rior cal de Lisboa, em pedra, as-
sim como potassa chegada ltima-
mente, a preos muilo rasoaveis.
Tachas de ferro.
Na fundidlo da Aurora em Santo Amaro,
e tambem no deposito na ra do Brum logo
na entrada, e defronte do arsenal de mari-
iiiia ha semprn um grande sorlimento de
tachas tanto de fabrica nacional como es-
irangeira, batidas, fundidas, grandes, pe-
quenas, razas e fundas ; o em ambos os lu-
gares exislem guindastes, para carrrgar ca-
noas ou carros, livres de despeza : os precos
sSo os mais commodos.
Agencia de Edwin Maw.
Na ra de Apollo n. 6, armazem de tic. Cal-
innniSi Companhia, acha-ae conaiamemeale
liona ortiincnios de talla de ferro coado e
hatldo, tanto raaa como fuodas, moendas in-
eliaatodaade ferro para animaea, agoa, etc ,
dilas para armar em inadelra de lodos ot ta-
maitos e mAdelloa o mala moderno, machina
liurisonlal para vapor, com forca de 1 caval-
lus, coucoa, paaaadeiraa de ferro estanhado
paia caaa de pulgar, por menos preco que oa
de cobre, escorena para naviog, f>ro inglez
prego de 1,440 m. ;em qualidade sjo os_me-
ntores que tem vindo no mercado, por isso,
recommenda-se aos Srs. de engenbo que
quizerem comprar da pichincha, n!io se de-
moren, porque j ha poueps pela estrado
que tem lido.
-- Vende-se na ra do Cal Icireiro n. 42,
urna escrava de meia idade que sabe cosi-
nhar e vender na ra.
Vende-se um excedente ca-
vado, por preco muito commodo:
na ruado Aragio n. 3i.
Vende-se um cairo, dos me-
Ihores que se tem feito nesta cida
de, lano no esmero do trabalho ,
como na forma, que he urna das
mais elegantes : para ver e tratar
do ajuste, dirija-se a praca da bo
Vista oflicina de carros do Sr.
Fruncois Coutet.
- Vende-se urna casa terrea, no bairro da
Roa Vista : quem a pretender, annuncie por
este Diario, para ser procurado.
Vende-se urna bonita escra-
va creoula, de 20 annos, bonita fi-
gura, recolhida, muilo bem pren-
dada, e I'1 z tudo que he necessario
em urna casa: na ra Impeiial de-
fronte dochbfariz n. 37.
f^* Tres libras o meia de marmelada
por 1,000.
Na ra estreita do Rozario n. 43,existe um
pequeo numero de latas para se vender por
1,000 rs. cada urna.
jtS* Carnauba superior a rctalho.
Na ra estrella do Hozario n. 43, contina
a vender-se carnauba em grandes e peque-
as porrjffes por prego de 6,000 rs.
tautoem barraacomoem arcos folha, etudo {diviso importante para a rapasiad".,^*
por barato picn.
AltencSo.
Na ra do Rosario estreita travessa para o
Queimado, deposito de Jo9o Jos Mondes da
Silva n. 39-A-, continua-se a vender lalas de
araruta muito supperior como he sabido;
g'lia muito fina a 320 rt latas e blscoiili-
nho de araruta a 320 rs., bolachinha ingleza
a 200 rs., dita quadrada a 240, faim e bis-
coutos mais inferiores em libra a 200 rs ; o
anda vendo urna peqnena por;9o de biacou-
los de renns que para acabar ven lem a 480
rs. um embrulbo contendo 1 duzia, vende!
O dono da confeitaria da ra estrella uo
Rozario, faz sciente a rapasiada que chegoit
o suspirado gelo para o fabrico dos bel'os
sorvetcs, havendo todos os das das II horas
do dia as 10 da noito pelo barato prego de
160 rs. ; o mesmo adv^ite a rapasiada, que
vende-se em librase 400 rs., bolachioha, re nao deixe de lomar 2 calix pelo menos por
dia, porque no s refresca os intestinos,
como Bfugenta a peste da febre amanilla.
Vende-se a verdadeira.agoa mineral,
chamada Selles Wasscre urna pequea por-
efio de charutos da Baha : em casa ele L.
Schuler ti Companhia na ra da Cruz n. 49.
Vende-se um sobrado de um andar, na
tambem cestanhas e amendoas por cmmo-1 ra da Calcada, por 2 000,000 de rsj rende
do oree, poitanto oa freguezes devem pre- 20,000 rs. mensaes, o qual est rcelifi-
ferir, a vista do preco equalidade. caito : a tratar na ra das Larangeiras'
Vende-se um sobrado de um andar e ao- j n. 18.
18ono principio da ra do Hoapicio, cons- Vende-se un.a canoa aberta de mlhei-
truido ha pouco tempo com toda solidez e i ro: quem pretender dirija-se s ra das Trin-
perfeiro, cum cantara de Lisboa ; grande f heiras n. 12 das 3 as 6 horas da tarde,
quinlal murado e plantado de arvoredo ; es-1 -- Vende-se feijo molatinho em saccas de
tribaria o cacimba : na mesma ra cima, | alqu 'iro mui novo, e mais barato do que em
Escravos fgidos.
Continua a estar fgido a preta crioula
de nomo felicidade desde o dia 17 de marco
p. passado tem ossgnsetfguintet: estatu-
ra regular, magra, tem falta de denles na
Irenle, algumat marcaa de ipanoa no rollo,
cor nilo muita preta ; levou vellido de chita
un tanto detbolado, panno da Cotia azul
ja uzadoe um labolairo pequeo em que an-
da ven -.leudo, mais tem por costuma ter rou-
pa guardada fura e quando sahe costuma
mudar, oa teut ptsseos s9o constantemente
pelo Quartel do Hospicio, Solidado ou pelo
engrnlio S. Cosme onde lem a mSi : roga-se
portanio as autiioiidades policiset e capi-
t3es de campo que a prendSo e levem na ra
da Cruz n. 35, que serllo recompensados,
assim como se protesta contra quem a tiver
oceulta o pagamento dos diaa.
- Em 4 de marfo docorretite anno, de-
sappareceu do engenho Primavera da co-
marca de Nazarelb, o rscravo, preto, creou-
lo, de nomo Severino, de idade pouco mais
ou menos 22 annos, bastante fulo, e quando
anda arqueia as pernas para fra, estatura
regular, o reforcado do corpo: roga-se as
autoridades policiaes e capilfies de campo
do o aprehender e levar no mesmo engenho
ou nesta praca a Manoel Ig.iaciu de Oli-
veir.
No dia 28 de fevereiro desapptreceu do
engenho Cajabussu' o escravo creoulo de
nome Mariano, bem preto, altura regular,
com falta do denles, temar alegre, ha noli-
ca certa de ler seguido para a freguezia da
Cacada, e ter ficado por abi mesmo: quem
o pegar leve ao aterro da Boa-Vista o. 43,
ou no mesmo engenho cima que recebera
100,000 rs. de gralificac3o.
Cm principio do anno passado desap-
pareceu o muleque creoulo de nome Anto-
nio Caiana, representa ter 16 a 18 annos,ps
e milos grandes,bucea ententes grandes,tem
em cima de urna orelha adobra cortada, ba
probabilidad de andar na freguezia da Ca-
cada: quem o pegare levar ao aterro da Bua-
Visla n. 43, ter 100.000 rt. de gratiltcacSo.
Desappareceu de burdo do patacho bra-
sileiro Astrs, fundiado junio a ponte do
Recife, um preto creoulo natural desla pro-
vincia, com os signaes seguintes: estatura
baixa, baiba serrada, algumat marcaa de
bexigas, os testculos juchados, ropresenta
ter* 3- a 40 annos de idade, e he um pouco
pernostico; trajava caifa e camisa de ganga
azul e barrete, e levou ferro ao pescoco,que
podo ser o tenha fello tirar : quem o apre-
hender leve-oa burdo do dito patacho, ou
a ra da Cadeia do Recife, armazem n. 12,
que ser gralificado.
No mez de marco desappareceu do en-
genho r'erricoza uo termo do Porto Calvo o
moleque de iium'o Nazarip, idade 10 para
12 anuos, com os signaes seguintes: rosto
curto com as mages um pouco altas, olhos
pequeos, nariz chato, baca pequea, buico
pendurados, falta de um denle na fenle, cor
fulla, pernas zambia e linas, ps chatos
rheio de verrugas,e mesmo pelasmSos, bra-
cos finos, e os dedos das mos alguma cou-
sa compridos, aspessoas que o pegtr po-
deiilo dirigir-so a ra do Livrair.onto n. 26
que serSo generosamente gratificado, pje-
se por tanto as authoridades policiaca a
capilfies decampo touda a deligencia em
semelhanle escravo.
Desappareceu na noite de sabb'ado, 27
do passado um moleque, creoulo, de idado
II a 12 annos, de nome Cypriauo ; o qual
tem urna fenda en urna das peinas junto do
tornozelo, e urna cicatriz no rosto ; tebava-
te V- ttido com caifa e cemita de riscado
azul. Deaooofia-se que fora furtado porque
leodo vindo as S l|i horas da ttnli da es-
tbenla do lefio de ouro, junto ao quartel. outn qualquer parle, peles de cabra a 20 e, Uncu ao Recife buscar unt remedios na
Cemento ovo a n ooo rs a barrica 22.000 conl- *" boa.cen de carnau- noliea do !>r. Bravo, eaendp aviado ai 6 no-
7oc ca- b.'prime.ra sorle.a 5,000 rs. arroba em'sac-; ras nfio tem apparecido ateo presente : ro-
cas : na ra da Cadeia do Recife n. 49, se- "-* a todas as autoridades policiaea e ca-
gundo andar. pitfies de cajnpo de descobrirem o referido
Vendem-se relosiot do ouro e prat de moleque e trazaren a ra da Cruz n. t, ou
10,000
5,000
2,600
1,100
6oo
quina, quo volla para a Cadeia
Vinio de Champagne,
eauperior qualidade: vende-se no arma--com muitoscommodbs para ra'miiis: na ru
Jem Kalkmann Irmfios Ra da Cruz, n. 10[ Direila n. 55.
Quartos
Decimos
Vigsimos
CHA PRETO.
Vende-se superior cha preto,
em caixas de 3o libras cada uma :
em casa de J. J. Tasso Jnior, na
ra do Aniorim n. 35.
Principios geraes de economa pu-
blica e industrial.
Vnnde-seestecompendio.approvadn para
as aulas de primeiras letras, a 4H0rs.: na
placa da Independencia, livraria n.6 es.
-- Traspsssa-se a chave, vcnde-ae a arma-
c.lo, e mais objectos de uma loja de couros ,
No armazem do Antonio Annes, no caca
Allan-Jdega.
AGENCIA
da fundicSo Low-Mooi.
RA DA SGZALLA NOVA .1. 42.
Heste estabeleeimento conti-
na a haver um completo sorli-
mento de moendas o meias moen-
das para engenho, machinas de
vapor, e taixas de ferro batido e
coado, de todos os tamanhos,pa-
ra dito.
Vendem-se superiores boli-
linhos em caixinhas e embrulhos,
proprios para cha e caf, chegados
tiltimament) do Havre preco de
4oo rs. cada-um : na ra da Cruz
do Recife, armazem n. 62,
Deposito de doces.
Vende-se doce de todas as qualidades, se-
co e de calda em caixinhas de todos ot ta-
manhos bem enrolladas a vontade do Com-
prador e de cal la em barrilinhos mais bem
feilo do que em outra qualquer parle na ra
da Lingueta n. 5.
Vende-se um terreno na ruada Aurora
com 50 palmos de frente e 280 de extunsflo,
tondocaes do lijlo a boira mar, Picando en-
tre as casas dos lllms. Srs. Custavfio Jote do
llego e Francisco Antonio de Olivoira : os
pretenden tes dinjam-so a ra das Torres 11,
8, primeiro andar.
patente auitso, do melhor autor: em rasa
de Schafheitlin & Tobler, 01 ra da Cruz
n. 38.
ao sitio da Estancia, junto ao do Sr; Jufio
Carjoso Ayres, que sera recompnsalo.
Est fgido deade segunda
-- Vende-se uma carros nova para boi--re:ra Z An carretil* nesor.,.,. ,1
6 cadeiras ds Jacaranda modernas.uma por, i ,elra2 ,. corren?> escravo de
ello de caihros, uma'mulata de 18 annos, jnome r elizardo, corpo relori^a 'o,
na ra da Cadeia de Santo Antonio n.Li: cara |arga e grande, picado de be-
armazem.
-- Vende-se uma carrosa com nm boi
grando e bonito : quem precisar dirija-se a
Capunga nositio doSr. Uuhurquo.
tr* llvasexccllcnles de Itamaraca.
Na ra estreita do Rozario n. 43 contina
a ter sernpre uvas frescas para so venderem
por preco commodo.
CLit EM VELAS.
Vende-se cera em velas', das
melhores fabricas de Lisboa e do
Rio de Janeiro, sorti lientos mui-
to vaiiados e a piceos commodos :
na ra do Vigario n. 19, segundo
andar, escriptorio de-Machado ck
l'inheiro.
PLANOS.
Vendem-se em casa de Kalk-
mann IrmSos, na ra da Cruz
sigas, talla demulher e descanca-
da; roga-se as'autoridides poli-
ciaes e cjpitacs de cumpo, que o
apprehendam e levem-o na ra
Imperial n. 3j, que ser recom-
pensado.
Desappareceu na noite de 13 para 14 do
correnlo um escravo por nome Jofio ( criou-
lo) levando uma c.Iqb de brim braoeo com
listra ao lado, 2 caifas ue citemira de cor, 2
colletes de seutn preto, 2 ditos de fusilo de
cur.chapro preto de massa n cemita de ma-
dapoln; o escravo tem oa tigmet teguinles:
cor lulla,altura regular, rafor^adu do corpo,
uma fenda na poma uireitt du lado de fora,
um pouco cima do lornozello, representa
ler de idade 30anuos poucu man ou mi nos:
roga-te as autoridades policiaet e mais ca-
pilfies de c 1 tupo 1 captura da dito escravo,
e de o levar ao engenho daa M mas 1 leu Sr.
Antonio de Paula Suuza Lefio, ou a ra do
*
10, TICOS pianos de Jacaranda, Com I Vigario n. 9,aruiasemdeCarneiro& Ramos,
excedentes vtzes chegados haHue88.""fe' geuerosameute.
pouco tempo. ]
+
m


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID E6R4FOSVC_05JCJV INGEST_TIME 2013-03-29T18:24:11Z PACKAGE AA00011611_03621
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES