Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:03603


This item is only available as the following downloads:


Full Text
AnnoXJLVlII
Sabbado 22
leMaiode 1852.
N. 114.
DIARIO D
i-reoo sBonit-rjio.
PlSlHIHTO ADUHTIOO.
,, trimestre............
poreinetre ..........
Por anoo........1.....
PlOOMNTaO DI. IIHHTII.
ro rjuartel.............
OTIOIAl OO 1HNRIO.
,,. ,.,.a7de Marco Minas... li de Abr
Uutabfa UeAbril S.Paulo, dedico
Cera 7 de Jilo. R. deJ.. 25 de dito
l'H.liilu 10 leMaio lahla... I de Malo
4/000
8/000
15/d0
4/500
mu iiMini. iDTiMon,,
17 Seg. S. Panchoal
I Tere. S. Velando
i.....mi i. s. Pedro Ce-
Judo da Ornada
t, ti. a 10 boraa.
1. varado eivel.
estlnop. S, I vu I':.'I. e 6. ao meio-dia.
50 Qulnl S Aneo
cao doSenbor.
2l Seat. Si. Manto*,
tasenda.
J. 8. a 10 hora.
2 vara do civel.
>2Sab.S Rita dcCas-4. e sbados ao meiod.
ala viu. Relstco.
13 Doin.S. Raleoarr|Tercas e sanados.
m
Creaceite 26, a i hora e 2o minute da 1.1
Chela a 3 aa 6 horai e 4 minuto da tarde. '
Mlngoante i I o, aa 0 hora e 4 minuto da t.
Nova i 19, aoa 47 minuto da ni,
raiiaiaol ion
Prlmelra s 7 horaa e 12 minuto da rnanhaa. '
Segundas 8 horas e 6 minuto da tarde.
nnriD ana cmannos

Golaana e Parahlba, 4a segundas aeitas-
fclras.
Blo-ranrte-do-Horte e Vlctorli aa qulataa
lelrai
Bonito,Caruaru,eOaranhuna no ie lajaae cada
Baja,
Flu, Ourlcurr, Eu e Boa-Vlala i 13 e 2.
Ollnda, toitot oa da.
Todos os Crrelo parte.n ao melo-dla.
arorioiaa Hirfronim,
Portugal 13 de Abril : Austria .
Hespaoha lo de dito Sul
Franca ... 8 de dito
Blgica... 2 de dito
Italia.... 3 dedito
Alemanba. 4 de dito
l'rimia ... dedito
Dinamarca 30 de Marco
Ruada... 3l de dito
Turqua. 15 dedito |
1 de Abril.
1 dedito.
a5 de Marco
rra 7 de Abril,
dos 26 de Fevr
31 de i.iHi-
2 de Marco
2i de Fevr.
l Montevideo Jt de dito
Sobre Londres, a 27 a 27 '/> d.
> Paria, 355
Lisboa,i por canto.
atBTAKa.
Ouro.Oncas bcsnanholas.. ..7.T..T*. So/000
Moedaa de 6/400 velhas......... liiJKXiO
de 640(i ora.......... 16/000
de4/000................ */"*"
Pfata.Pataceabrasllelros........... l/lr2n
Pesos columnarlos............ 1/920
Di'Ot me tic-nos.............. 1/HOu
PARTE OFFlClAL.
rain promovido para o batilbo 15 de Infan- [, Conforme, Libaaio Augusto da Cunta Mottos.
taria .
Para alfere ajudaote, o sargento-ajudanto
r Alberto Knaul.
Para alfares-secretarlo, o segundo aargento
, Rodolfo Dottger.
Para alfere. quartel-meitre, o tegundo ar-
r genio Ado-Hagen.
i Para altere de lilcia, o aargento quarlel-
ineslrc Augusto Witte, eos primeiro sargentos
l-i ni mi-1" Mchmidt, Uenrique Mayer e Guilber
SESSAO' PIPBIIUL DA AHK.RTII1A OK AS-
SEMBI.EA GEIIAI. I.EG1SHTIVA, KM 3 DE
MAIO DE i85S
Preiidncia do Sr. Cassiano Spiridiio de Helio
Mallo.
Ao yieio-dia, reunidos no p*r i do senado oa
Sr. deputadoa c senadores, o Sr. presidente no-
inca para drputacao que deve receber a 8.1 ine"'ajer,' c O'eVudo~dii'o"(;arlos lli7 "
M. n Imperador o Brt. deputados Vasconcel- Secretarla de estado do negocio da guerra,
Ins. Hclisario, Rocha Wanderlry, Santoa e Al- em 4 dc lna|0 ae 1852.--/.icWo Augusto da
melU, FUuelra de Mello, acariaa, Marcell.no tWm ,.
ili: (rito, Mendes de Ahiicidi, Pedrctra, Pus de n .i_ t*
Carvalho, Antonio Jansrn, Mon.cnhor Sllvelr,, Relajao dos olTle aes de arlllharla promondo.
Atambuja, Lima e Silva. Albuquerque e Mel-! P,r Jc"" ?e,u ?fV,. ,
I... V.aaocio Lisboa. M.gaihe. Vaairo, Miran- ''"'aero mtalhdo de orttlharU a p.
,1.1, Fernande. Vlelra, Randelra dc Mello, 11,-1 Para prlme.ro-lenente ajudante.
Wa, Peretl, e Almeida Coulo; e o Sr. enado- ', 'Rundo-tenenle-ajiidan e do mesmo bala-
res Danias, Limpo, Joblro, vlsconde de Abran- ln,, -"""do Mana da Silva Bltancourt.
Irs.OlirelraCoutlnho, Araujo lllbeiro, Mon- Para pruneiro tenrnie-quarlel mealre.
xilina. Mendesdoa Santo. Clemente Perelra. O segundo-tenenlc do .egundo batalhao de
lliillinda, 1;.,1.I11 Vaacoocellos, e Caralcanti de "r'l"','l P l-"'' Anlouio Perelra de Ma-
ldecida ; e para a deputaf o que lem do rece- ccdo- .
li.ra .S. M. a lmperalri, os Srs. deputados Jo-1 Para capilae.
,c Jansen. riaennde dellaepen.lv, Gomes lli-l primeiros-tenente do mesmo katallian
bclro, c Nunes de Agular, e o Sr. leadores anoel Jos luchado da Costa Jnior, para a
marques de Valene, e D Mannel. aet companbia : Joo Antonio Nolasco Perel-
A uina liora da tarde, annunclando-ae a che- r* daCunha, paraa qoarta companhla, e An-
gada deSS. MM II.. aahein aa deputajde a ci- ,onin Jo, do Amaral para a leicelra compa-
|iera-los porta do ediliclo.
1 mi nuloS M.o Imperador na aala, he abi
recebido pelo Sr. preaidente e aecrelarioa,
oii|Uae, unlndoie a deputa;o, acoinpanhaiu
o mesmo augusto Sr. at o throno, no quai lo*
na asiento. S. M. manda asseiitarem-e oa Sra.
ilf|iutado e senadores, e prununcia a ae-
guiute
FALLA.
Augusto edignisaimo Sra. representante
da nafo.
O vivo praier que sinto lempre que he clie-
gaiU a poca de abrir as vossas eessdes. lor-
nd'SC mi' ni mu quando posso annunciar-
voiqneo imperio goza dc tranquillidade.
i, U i,,.. il 1 1...... 1.1. aeasao legislativa era,
piir terlo, inutncicnte para que podessel to-
i,i.ir cin conairierafiio e resolver os vasto c
compllcadoa asftumptos que recommcndei ao
10 roo illustrado patriotismo na ultima Talla
de abertura.
- Conlio que proseguiris com vigor novo
na dillicil e gloriosa tarefa que eniao vos lem-
brei.
O meu governo continua e continuar a
reprimir o trauco, o quai depois da ultima ses*
sito legislativa anda tem diminuido. E
nbia.
Para primelros-tenente.
Os segundos-tenente do mesmo batalho Jo-
s Hara de Alencastro. Jote Joaqulm de Lima
e Silva, Cario Jos da Costa Plmentel, Jerony-
iim Francisco Coelho, Antonio Paulino Limpo
de Abreu, Alonso Llmpode Abreu, e Jos Tbo-
1111'. de Almeida Pereira Valentc ; e o segundo-
teneote do corpo deailicesda cArtc, Manoel
Ualbino Nolaco Perelra da ( imh 1.
Segundo batalha de arlihari*.
Para major.
O capitao do tercelro b.iialbao da mesma ar-
ma Joaquim Victorino dc Souza Cabral, por
autit!.uidade.
Para piimeiro tenentc-ajudante.
O segumlo-tencnte-ajudanlc do mesmo bata-
lilao Eloy Manoel deOlivrira.
Para priineiro-lcnente-quartcl-meitre.
O c^undo-tenenlo do terceiro batalho da
incsma arma IteUrmino Jacome Doria.
Para eapitea.
Os primeiros-teoentes do mesmo batalha]
Joao fcvangrllsta Mery da Fonseca, para a pri-
inrii.i conipaohia, c Emiliano Rosa de Sena, pa-
ra a segunda companhia ; c
O 111...... tenente do primeiro batalha da
W. K. A prouiocao lus prlineiros-tenerttes
artilharia Miguel Mara de Noronha FelUl
Ennea Ernesto da Fonseca e do segundo-tene
te da mesma arma Miguel Ignacio Leal Brui
dependen! do resultado doconsciho de inqul
rlf.lo a que se maudou proceder sobre sua con
ducta. .
Libanio Augusto da Cun/ia ttattot. I
MINISTERIO DA M.MIIMIA.
Por decreto de 30 de abril ultimo foria
prorooTidos ao posto de aeg indos teneotal
da armada os guarda marinhss:
Ernesto Ignacio Cirdim.
J 11.111 Rodrigues do Souza.
Carlos Ramel.
Alvaro Augusto do Carvalho.
i. 1111111 r ini> Jos Pereira dos Santos.
Francisco Peroira Dutra.
Pedro David Durocher.
Augusto da Silva Teixeira,
Por decreto do Io do crrente foraro pro-
movidos ao posto de rapitllo-tenenta gra-
duado, contandonliguida lo desle 13 de
mar(o prximo passado,os Srs piimeiros-
tenentes Cnristiauo Benedicto Oltoni, Fran-
cisco Jos de Amaral, oHumenegildoBsrbo-
4i de Almeida.
iu leguiauva ainaa icn aimiuiinio. t ,ie, medanle o vigor e atleneao que elle em- I m",n* """ Aa*aHo >'" P""". P"
-..-.^ ...-..... 1 1.1 lin i'irii'i.....1.111I111
prega nesla tarefa, desappareccro* dc todo
poiicas c indignas especulacdcs com que a ovi- I
iler. do lucro procura embarafa-la. Cont sem-
pre com a vossa inteira coadjuvagao para to-
das as medidas que a eipeiicncia aponte como
uecessai las para a completa eatinc9o de liio.
iliiuiiiiav I commercio.
.1 Oimperio acha-se em pai com todas as po-
tencias eslrangeiras.
Para a expnlso do general Oribe do ter-!
nuil da Repblica Oriental, e inanter sua
independencia, contrahi urna allianca com o
seiigovemoe oa Estados de Entre-Rlos e Cor- '
n id le j, leu Jo este retirado eu poderes que ha-
viam coulerldoa D. Joao.Manoel de Rosas pa-
ra os representar no exterior.
- As defecedes sollndas pe 1 general Oribe,
a iinpossibiiidade em que eslava de resistir as
torca alliadas, accelcraram a sua queda, e o
levaram a capitular com o general D. Justo Jo-
t de Urqufza-
a Turnio o governailor de ,'liii'iins-Ayr<
1 '.un 1 1 ente declarado a iniencilo de la?cr
a guerra ao Brazil, contrahi com a repbli-
ca Oriental e com os estados de Entre-Kios
e Corrientes urna nova >l nnrj, em virtude
1 i'iil llios prestei auxilios aliin de, des-
liuir o poiler pessoal do mesmo gnvorna-
d'ir, cconstituida o organisadra confedera-
{Do Argentina, cultivar com esla aquellas
relacfg polticas e de boa vizinhancs que
imito convena ambos os paizes, e qu 1 o
avalenta, vistas e precedentes uo ja mencio-
nado governmlur lomaram impossiveis.
A victoria coroou nxplendiJanente as
raas do exercito alijado, e o pdenle D
Ju.lo Manoel de Ilusas lerminou na batilha
de Monte Casetos.
Com a mullir ufana declaro em vossa
presenca que o nosso exercito, tanto a pri-
meira linlia como a guarda nacional, se
Imuve incontesUvelmente co'n o maior
I nuil ili-ri|ilnu,i: que a livislo qunassis-
lio li 1 lalha de Monte Caseros adquiri pa-
ra si e paio o sen paiz uiha gloria que nun-
ca lia de perecer.
A'pericia e valor da nossa num-ln caoc
11J0 menor paite em tflo feliz resultado. A
.i-mi do Tonelero lie um feto brilhan-
te que a historia ha de registrar.
a Com o govci'iio oriental, cntSo invest-
dude todas s faculdades pela ausoncia de
outros poderes S pela neceasi ladi suprema
de salvar a Repblica, foram Celebrados os
finco tratados de 19 de outubro prximo
I .issadii, que voaerilo prsenles.
O governo oriental novamenle eleito
lem posto a validado desses tratados duvl-
das provenientes de n:ln naverem obtioo a
approvaflo da aasembla legislativa. A
qucslSo est pendente, e ha razoe para erar
que vira a ser resolvida salisfatoriamentn.
Lm todo o caso fare valer com firmeza os
nossos diri i'ns.
Pelo I a lonco da receila e despeza que
vos ha de ser presente veris que a renda
publica contina a augmentar progressiva-
niente.
Augustos e dignissimos senliores repre-
sentinles da nrllo I Cotilo com a vossi
rnadjuTacSo P'" tudoquanto for len alirmarea desenvolver c.da vez maisaa
nossas insliluicOe ; a lanzare a dirigir o
IIoho paiz no caminho dosgrantlet mellio-
' 111 untos sociaes; o a dar-lberquella im-
portancia e explendor a que a immensidade
du seos recursos naturaes o destina.
'' Esl alieila ascssSo.
Terminado esle acto, retira-sc S. M. o
Imperadores M. a Imperad iz com ornes-
010 ceremonial com quehaviem si lo rece-
l'ido-, e imaiediatamenle o Sr. presidonle
livanta a sessSo.
MIMSTERIO DA GUERRA.
Por decreto de 21 de abril uluuio fol reforma-
do no tcrnioida le, o leneuie-geoeral grada-
do Antonio Eliearlo de Miranda e Hrilo, conti-
nuando no eiercicio de conselbeiro de guerra.
Por drerelo de 30 do referido mes foraui
proinovidos o brigadelro Joao Frederlco Cald-
wrll a marecbal decampo, e a brigadelro, o co-
ronel do corpo de engenbeiroa Pedio de Alcan-
Uia Uellrgarde. -
Por imperial resolucio do 1" de malo corren-
le foi reformado no posto de brigadelro o coro-
nel do corpo de engenbelros Jos da Costa e
Arevedo.
O marecbal de campo Joao Paulo dos Santos
Baricto iol promovido t graduacao do lenen-
'ogtntial por decreto de I do dito inez de
MM.
Por decreto de 30 de abril/proximo Sndo fo-
ra a terceiracompanhia.
Para primelros-tenente.
O segundos-tenentes do mesmo batalho
Antonio Jos da Costa, Manoel Jos Coelho de
Freilas, Luis lienrlque de Oliveira Evrbank, e
Joaquim Antonio Xvler do Valle.
O segundo lente do primeiro regiment de
arlilhariaacavallo IVorberlo AugusiaSLopes.
O egiindo-tenenle do primeiro batalho da
mesma arma, Luis Carlos da Costa Plmentel,
Os segundos-tenentes da companhia de art-
fices de Pernambucol'rajano Alipio de Carvalho
Mendonca, e i.. corpo de artitices da corle 1110-
luaaGoncalves da silva.
Ttrcctro balalua de artitkaria a pe.
Paia major
O capito do primeiro batalho da mesma ar-
ma Hermenegildo de Alhuquerquc Portocar-
reiro, por incrccimculo.
Para primeiro-lenente-ajudante.
O segiindo-tenenie-ajudantedo corpo de ar-
tfices da corte Lu/. Francisco llenriquea.
Para capites.
O primeiro-tenenie-ajudanlc do mesmo ba-
talho Joao da Gama l.-b 1 llonlcs, para a pri-
111, 111 compauliia.
0< primeiros-tenenles do primeiro batalho
da mesma arma Antonio Jos Fausto Garriga,
para a terceira companhia, c Jos Pedro olas-
co Pereira da Cuoha para a oilava companhia.
Para priineiros-lencnle.
O segundo-tenentc do primeiro batalho da
mesma arma Joaquim Finnlno Xavier.
Os seguodos-ieneiites do segundo batalho
da mesma arma Francisco Nune da Cunha, Ti-
burcio Hilario da Silva Tavarcs e Joaquim da
Gama Lobo d'Eca.
Os segundos-tenentes do quarto batalho da
mesma arma Hralsllio de Amorini Uezerra c
lienrlque dc Amoriin Uezerra ; e
O aegundo-tcoente do primeiro regiment
de artllharia a cavado Albino Adolfo llarbosa
de Almeida.
Ouarlo balal/ia de artllharia ave.
Para major.
0 capito do meiino batalliio Alejandre Go-
mes de Argollo Perro, por mereclmento.
Para primeiro-teente-sjudanle.
O legundo-tenente-ajudantc do mesmo bata-
lho .Manoel Deodoro da Boatseca.
Para primeiro-ienente quarlel-meatre.
Oaegundo-teoenlaquariel-mestre do mesmo
batalho Caetauoda ailva Parauho.
Para capites.
O primeiros-tenenles do mesmo batalho
Francisco Primo de Souza Aguiar, para a se-
gunda companhia; e Joo Alaria de Almeida
reli, para sella companhia; e
O primeiro-tenente do primeiro batalho da
mesma arma Joo Carlos Villagrau Cabrita, pa-
ra a quinta companhia.
Para priineiro-tenenle.
Os segundos-tenentes do uiesiho batalho Fe-
liciano de Soma e Aguiar, Jos [guaci Coiin-
bra e Jos Angelo de Moraes Reg.
Os segundos-teuenles do primeiro batalho
il. mesma arma Antonio LuU Duarte Mues,
Jos Antonio da Fonseca Lessa c Ayrcs Antonio
de Moraes Ancora.
Os segundos-tenentes do segundo batalho
da mesma arma A pollonio Perea Campello Ja-
come e Jos de Cerquelra Lima,
Primeiro regiment de artilhaiia a cavallo.
Para pnmelro-teneiite-ajudanie.
O aeguudo-lenente-ajudante do mesmo re-
giment 1.111/ Fernaudes de Saupaio.
Para prlmeiro-lenenle quartel-mestre.
Osegundo-tcnente do mesmo regiineuto Jos
da Costa Horis.
Para capito.
O primriro-tcnente do quarlo batalho de
artllharia a p Severiano Martina da Fonseca,
para a texta companhia.
Para primelros-tenente.
O segundos-tenentes do mesiiio regiment
Eduardo de S Parelra de Castro, Manoel de
Almeida Gama Loto d'Eca, Joaqulio da silva
Maia, Trajanu Antonio Goocalve de Medeiros
e Manoel LuU de Araujo.
Cor/io de artit/utria do MattO'Groiso.
Para primelro-lenenle-ajudanle.
O seguudo-lenente do primeiro regiment
de animarla a cavallo Joaquim da Coala Reg
Monteiro.
Para primelro-lencote quartel-ineatre.
O aegundo-teneute do tercelro batalho da
moma arma Candido Joa da Coila.
Paracaplte
Oprlmeiro-leueiite do mesmo oorpo Joaquim
Jos Ferreira Souto, para a primelra compa-
nliia ; e o prlmrlro-tenenie doquario haialuo
de artllharia a p R enedlto Mariano de Campo,
para a quarta companhia.
Para pr nuciros (cuentes.
Os segundos-tenentes do mesmo corpo Fran-
cisco Luii da Trlndade louza e Lula benedicto
Pereira Lelte.
Os segundos-tenentes do segundo batalho
de artllharia a p, Francisco i'ias da Costa e
Luir francisco Teiseira.
Palacio do Rio dc Janeiro, em SO de abril de
1852. JfAnoe Feliiardo de Souza e Mello.
TltlBUNAL l>\ KELAC40'. !
SESSAO DE S DE MAIO DE 1 *'.'..'.
Presidencia do l-.x.m Sr. eonsellulro Azeuedo
As 10 lloras da mantiSa, estando presentes
os Srs. dosembargadores Villares, Bastos
Le.'in, Souza, Relieilo, Luna Freir, Telles,
Pereira Monteiro, e Valle : o Sr. presidente
declara abena a ses$3o.
JULOAMBNTOS.
Appellante, o promotor publico; appellado,
o pardo Rento, escravo. Foi julgada im-
prucedente e confirma la a senlenga.
Appellantes, JoQo Francisco Regs Coelho o
sua imilior; appellados, D, IzabelMaria
do Mello e seus lilnos. Jjlgou-S'j por
sentenrja a disislencia.
Appellante, o vigario Jos Alexandre Cor-
ris de Menea^s; appellailo, Antonio For-
reira Lustosa. Foram desprezados os em <
bargoi.
Appellante, Alfonso Jos de Alboqueique e
Mello; appellado, a irmsndade dasalmas
da matriz de S. Fr. Pedro Goncalvesdo
Recife. MandOu-se Juramentar o advo-
gido Camello para vir por parte dos me-
nores habilitando*, e depois com vista ao
promotor de capellas o residuos.
Appellante, Filippe Santigo Vieira da C-
ulia appellado, Thomaz Lins Caldas.
Foram desprezados os embargos.
Appellantes, D. Candida Agostinha do Bar-
ros e outros; appellado, Jos Candido de
Carvalho Medeiros.-Mandou-se ouvir os
inleressados.
Appellante, o indio Manoel Francisco Pe
queno; sppellado, o juiz d direilo do
As>.
Passaram do Sr. desembargador Rebollo
ao Sr. desembargador Luna Freir as se-
guintes appellafoes em que so :
Appellante, liento Jo> da Coata; appella-
do, Jos Joaquim Itiznrra Cavalcanti.
Appellaole, o r. Joaquim Jos da Fonsec,
como curador da preta Maiia ; appellados,
Manuel da Stlva Naves e outro.
Appellante, Francisco Jos dos Santos;
appellada, a jtistica publica.
Pss-oo do Sr. desembargador Rebello
ao Sr. desembargador Villares a seguiute
appellaco emque S0o:
Appellaoles, Frsnc seo Concalves da Medei-
ros esua mulher a.ipellados, Andi Bar-
boza de Miranda e Sa e sua mulher.
Passaram do Sr. desembargador Luna
Freir ao Sr. desembargador Telles as se-
Kuintes appellaces em quesSo:
A| pi'IUnt-, Jus-plia Mara da ConceicSo ;
appellado, Ignacio de Arrouxellss GalvSo.
Appellante, o juizo dos feitos da fazenda ;
appellado, Manoel do Nascimentn Po ites.
Appellaole, o juizo de ausentes dest cidi-
de; appellada, Auna Mara Muniz.
Passaram do r. desembargador Luna
Freir ao Sr. desembargador Pereira Mon-
leiro asseguintes appellacOes nm que silo :
sima viagom ligue o Rio do Jaueiro a um
dos grandes purtos do Mediterrneo sera
poisda rnainr otilidade.
Essa luna, estimamos poder anuuncia-lo
apparecer muito provtvelmento dentro de
puuco tempo. Em Marsalha csi ja. organi-
sail.t urna companhia quo para leva-la a of-
feito com o auxilio promiltulo pelo gover-
no francez, aguara smente as informa-
(Oes do agente que mandou a esta cortee
que regressa Europa no paquete deate
moz muito satisfeilo, segundo nos infur-
mam, enm o resoltado de seus trabadlos.
Ocapilal desta companhia he de u.oou.ooo
de francos dividido em 900 ac;0"s. Destas
foram eseivadas 3oo. parf ata eavit>lista
brazilniros, o consla-nos que W neat praga
est ja toma lo a sua m>ior psrte.
O servido aer feto por cinco vapores da
lotacgo cada um de j.OUO toneladas e da Tor-
ca de 300 i-v 111 os, com urna marcha media
de dez milhas por hora.
A viagem de Marselln ao Rio de Janeiro
dever ser feila em 34a 25 das, tocndoos
vapores em Lisboa, Uadeira, Gotea, Per-
uimbuco e Dabia.
(Jornal do C ommercio)
Rio 10 de maio de 1851
Muito bem, meu bom Liborio Aqui me
leus de volta das Agoas Virtuosas, e dn um
Appellantes, Manoel Pires Ferreira e JoSo giro de vadiaco pela provincia de Minas,
Pires Ferreira ; appellado, Domingos Cal- onde muito me valuram as recommendi-
das Pires Fcrroira. jcOes daquelle figurSo, de que muito le fal-
Passaou do Sr. desembargador Telles ao le as minhas anteriores, e onde ia saber
Sr. desembsrgador Pereira Monteiro a se
guinte appellacSo em que silo:
Appellante, Jos Thomaz Pereira ; appel-
lado, o juizo.
Passou do Sr. desembargador Telleaao
Sr. desembargador Villaies a seguinle
appellacfis em quosSo:
Appellante, Jodo Manoel de Barros Wanler-
ley l.ins, tutor dos menores lllhos do lina-
do JoSo Carlos da Silva GuimarSes; ap-
pellados, Manoel Ignacio de Oliveira, D.
Izabel Mara da Costa e outros.
Passaou do Sr. desembargador Pereira
Monteiro aoSr. desembargador Valle a se-
guitite appeilacjlo emque silo:
Appellante, Manoel Jos Soares; appellados,
Dousley ce Companhia.
tantas cousas. Chegando achei essa familia
desolada e incapaz de consolarlo por causa
da morte de um nico e muito esperanzoso
Olho.
Em Minas psssei um vijoi barba longa,
e s me allligia o nilo receber noticias luis,
o nlo saber so havias recobido alguma das
tres, que d'ahi te dingi. Emfim como ton>
passddo, t e os nossos boles da provincia.'
Nao sei se entendes, apezar de seres donato
vellio, esta expressSu: pergunta a algum dos
ex-provinciaes, definidores, etc., etc. En,
( 11,lo era preci-o dize-lo) eslou de cachafo,
e dij,' i-n l que feijOes com touQinho e fub
de milho nio ho c msa boa ? Esconde isto
do Figueira, que no v olla por no Diario,
que pode muito bem ir ler a Minas, e levan-
tarcontra mim aceleuma, que su levtnlou
Passaram do Sr. deiombargfdor Valle ao
Sr. desembargador Villaros as seguimos ap- contra cerlo visganto Iraocet, a quai apezar
IH'll'ii;n < em que so : da apologa do Sainl-llaire, ainda sen3o des-
Appellante, 1). Anna Izabel de Souza LeSo vaneceu de tolo : os mnenos so boas gen-
l'or si e con.o totora do seus lillios me- tes, sinceros, ho'pitaleirns, c lem, vaina ;i
ores ; appellado, Manoel Joaquim Ramos verdade, muitos homens illustrados.
o Silva. Vim em companhia do denutado Paula
Appellante, Antonio Jos Soaraa Avellar; Santos, que lano tem de feio, como de bom.
appollados, Antonio Germano Itigueira O pobre homem achou que sua seohora, que
Piulo de Souza e outros. aqui deixara, liavia mo>rido a cinco das das
Appellante, o juizo de ausentes; appellada,'Appellantes, a vuva e lllhos de Gaudino malditas febres, e sua dor seria sem limites,
Atina Hara da Coiuvicflo, Coiili-maraui j Agostinbo de Barros; appellado, Jos senSo Iho enviassem ao coracilo palavras
a seutenca. '-- < '........... fltlairu consoladoraa nuisde mil-itbras deoiroem
Appellante, o juizo de ausentes; appellado, I Appellante, o juizo ; appellado, Jos Car- p, que dizem trouxera em sua companhia :
Manoel Jos1 da Costa Reg. -Conlirma-
raui a seiiii-iicii.
Appellante, Manuel Alves Guerra ; appella-
dos, Jos Nicolao Kigueira Costa e sua
mulher.Heformaram a si-nieofa.
Appellanle, o juizo ex-ollic o ; appella lo,
J i'io Manoel da Cosa. Couliriiiaiaiii a
senleuga.
Appellantes, Manoel Rodrigues da Silva e
sua mullinr; appellados, Azevedo t Ir-
ma ".sForam desprezados os embargos,
Appellante, Manoel Ro Irigues da Costa;
appellados, George Kenworlhy & Compa-
nhia.Confirmaran) a sentenca.
Appellante, JoaquHn Antonio do Forno;
appellado, JoSo Lopes dos Santos.Con-
lii-iiiarnu, sen lo pago os das de servirlo
depuisda litis cootestacSo.
Ap.o liante, o jui/o ; appellado, Joaquim
Francisco de Alm por si, e como tutor I
de seu lilho Antonio Francisco de Alm. I
Cunfirmaram a sentenca.
poder arranjar um c puz, e ter o geito que
D'os me deu.
Piem que volt para ah o segundo de ar-
li I ha iis,que va i desfalca lo, e por tanto ir re-
fazer-se abi. Um officia! aesse oorpo, com
quem falei a respeito dos soldados estrangoi
ros, contou-me cousas berrt desgracadaa,
menos no que respeit a Brmea do cm-
bale Muilo poneos cntraram na divisllo,
que fez parta do exercito alliado, oitenta a-
penas em corpo. alguns oulrm dispajrtjos po-
los outros batalhOes ; sin in (onducla em
outras occasiOoi, e na marcha parec que
iiisni-ava nouca conflanca.
Como ofiiuza Ramos enlrou para o nn-
n'sterui il 1 jistn; 1. lieou n vicn presidente
Maciel Monteiro na presi lencia da ramara,
natural he que na eleicAo do mex que
vem, seja elai'o presidente. Disseram na ca-
aa do meu c imvalido protector, que a depu-
lic.lo de Pernambuco nilo ficara aatisftita
i'u n a entra la du Souza Ramos no ministe-
rio, nas quo o Euzebio asseverra, que a-
quelleSr. nenhuma inilisposicSo tem con-
tra Pernambuco, e que disio a deputa^So
teria a prova.
Dizem que esla circumstancia pSem ern
perign a perten;Ho da ilepuiaco do Cesr,
que dizem vir disjosla a pro.iora annulia-
code n 111 CunlraCtO.que all ha de carne ba-
rata. Ouvi tratar dessa questSo, e c se-
gn lo o meu besluntoemendo queninguem
ic 11 du cito a obligar a populscfio do Re- '
cife a comer carne de doze, desasis, e vin-
le patacas ; e nirguem he obrigado a
vender o gado da su fazenda por preco
mais baixo, do que o que esta acostumado
a pe lir c reciber, lambem ninguem he o-
brigado a compra-lo por mais do que Ihe
couvern ; e nislo tico se>n mo cotnprometter
nessasquestOcs do economa poltica, por-
'| ni'iii ah, iieiri aqui ouvi nunca os nos -
os padres m> stres insiuareui isso : a ou-
vir onsinar, que cunsnirar para vender caro
ao povo oa gneros de primeira necessi li-
le he pi'cci lo.
Dice te que a entrada do Souza Ramos pa-
ra o ministerio pOem em pmigo a-perten-
C'lo da ileputaQSo do Cear porque dizem
ter sido elle, quom fez esse contracto como
oresidente dessa provincia, e que a depu-
lacan de pernambuco, nSo que en Hi excitar
a suscoptibili laile do novo ministro apoie
taivez e.-se contracto como ronaequencia de
um 1 delibi-raQ.to da sssemblea provincial.
non 11 lo a urim.meoboiM Liborio,qoe sou ma-
caco velho, emendo, que em lanto porigo
les a preteiic/10 dos Cearenses. como o con-,
tracto, porque he possvel que a deputacilo
pern e o p rnaiiiii ico, enm o Souza Ramos en-
tenda dever fazer-lhe cocegas apoiando os
Cearenses : tudo faz a poltica, e o pobre
paiz, o pobre povo he sem jre quem P'gi as
cns'as. Ora dize-me he cerlo, que depois
do eslabelacimento da futrica do cemiteno
INTERIOR.
RIO DE JANEIRO 10 DE M ilO DE 1852.
Consta que S. M. o impeador, anuuindo
s reiteradas instancias dos seus ministros
se dignar acceilar a demissSo que Ine pedi-
r.nn. Acciesse. ia-sn qne o Sr. conselheiro
Pntenla Bueno fra chamado ao paco da
Boa-Vista para ser encarregtdo da organisa-
(9o do novo gabinete.
dem 11.
O Sr. ronselheiro Pimenla Bueno que,
como annunciamos honlem, fora chmalo
para eucarp-gar-sd da organisagao do ga-
binete, pedio a S. M, s ilignasse dispnsa-
lo desia tarefa.
S M. I. achou attendiveis as razfies apr-
senla las pelo Sr. l-i nenia Bueno; e lendo
Appellantes, Bernardo Jos dii Cmara e seus' mndalo chamar o Sr. Rolrigues Torres,
lilnos; appellado, Lioo de S Teixeira oncr"ROu o da formago do ministerio,
Lima.-Foram desprezados os emb.rgos. 1U8 "cou reorganisado da seguiute ma-
DILIGENCIAS I "Ola I
Appellante, Antouio da Silva Gusmlo; ap- Presidente do conselho o ministro da Ta-
pellado, o juizo dos feitos da fazenda anda, o Sr. senador Joaquim Jos RoJn-
desta provincia.Foram com vista aoSr. ,^ue,' 'orres-
desembargador procurador da coro, so-! M|nistrodoi negocioi eotrangeros, o Sr.
beraniae fazenda nacional. 1 senador Paulino Jos Soares de Souza
Appellanle, Antonio Monteiro Pereira ; aj>-' M,"lslro da guorra, o Sr. senador Manoel
pallado, o juizo de ausentes.Mandarn. Fahzardo deSOjia e Mello.
com vista ao curador geral, e depois ao MmMrudo imperio, o Sr. senador Fran-
desombargaior procurador da coroa. cisco Gon^alves Ma tina..
DBsicnacEs. I liiiistio da juanea, o Sr. deputado Jos
Appellante, Antonio Rodrigues de Souza ; Ildefonso de Souza Eamos.
appellado, o juizo. I WWlfO da ma/inna, o Sr. deputado Zt-
Appellante, o promotor publico; appellado, c,r,M de Coose Vasconcellos.
Manoel Francisco do Nsscimenlo. | Eorrou honl'ein "f0 jo ,)a Pfa,a
Appellante, Joaquim daaUoaa Timbauba ; ,0 ng|ez ,,rlnce Traz uala) de Moilf7,Jeo
apHJada, a justica. a[ 5 a de Due-Ay.-es at 2 do cbrente
Appellante, Antonio Joaquim dos Santos 0 Sr. conslhe.ro de esta lo Carnei o
An.rade; appellado, Joaquim Meudes ^jo eslaVil era Buenos-Ayros. S. Exc. di-
Freir. rigio-se aquella capital pair-se do
Appellantes, e appellados, Francisco Anto- general Urquiza. e era aduanado em Moo
nio da Silva t.avalcanHeAnton.0 da Silva Bovido no dia 8. Cria-A ge.aimente que
rarrelra. 'apenasS. Exc. r'egressase teram satisfac-
Appell.nte.D Anna Delph.naP.es Brrelo; torja sol Jo as q8,e5luea pen lentes entre
appellado, Francisco Juse da Costa, Q iinperi0Ve repblica OreoTal.
Aopell.nte, o uizo ex-oll.cto appellados,, a Buenos-Ayros alcanca as dalas, como
Johnston Pato. & (.ornp.nh.a como liqui- djjsemos> 2 do correte.
d.tarlOl da casa de Alexandre Malk.y No pliineir0 installou-se a sala dos
Appen.m".'"Antonio .,.. a....-*-. 'represenUnles, e por unanimidad* de vo-
appellado, Monii.il
los da Silva Caaella. en niloas pude bisparem caminho, misel-|os frades ani nSo lom oque comer l Pelos
l.evantou-se a sessoas 2 horas da tarde, les sabem arranjar estas cousas. I >'e c respo ido eu aflirmativamenU'. Pois
B>YJBajaaaBBBMjaBjjBssaBjsnaaai chei O meu prolector ( aqui na corle nao se | lura do 12, 16, e 20 patacas, e verSo que fra-
falla s em doencas e morte em casa doseles, freirs, el o rigola o povo, ludo andar
anojados; tamhcni se falla fresco para des- com a barriga noesplahaco, faces fundas,
trahir a magoa } pudo coilier, que havia cri-ie odios encova los Porm o quo fazerP
seminislerai: cida um conlava soa bisloiia Pecamos a li-os mizericordia, que lie s
de individuos chamados para uiganisar o quem nos pd* valer,
gabinete, o quo no aceilaram ; aloJor-' Adeus meu amijo, al outr vez.
nal do Commercio do boje 10 uoticiou o cha-!
mmenlo do Pimenla Bueno ; porm logo
se soulu', a u rleixar materia de duvida, 1
O Irmao' \ndr.
{Carla particular )
am o ministro Torres, com o Paulino lidra 'DEM.
.......a.,ia,ia,..,..a,r,a,lr.9a .ruaran,. Rtumo ta txlraecao (/. pTirniu da 7
encsrregadn dossa recomposi(Ho, e me cons-
ta que logo na cmara dos deputados os de-
ferentes grupos andavam no ruge-ruga para
quo cada um tivesso um ministro da proviu-
e a, e ouvi jurar do pedra e cal, quo seo
Tenreiro Aranha aqui eslivess', um pelo me-
nos lluvia de ser do Rio Negro. Eu ca decla-
ro, quo como os dinheiros s Serven para
contratar urna canlo'a, queja foi, por 01-
lenta mil francos por anuo, o mais certos
biquinhos ; um teuor por Unto, e um pin-
tor, perianto, e nunca ha de chegar para
rehabilitar o clero sccolar o rejfjilar, quo vai
em decadoncia, declaro, digfifue pouco mo
importa que os ministros s j mi tnouros, ou
juleos.
IIFinalmente apparcceu hoje reorganisa-
do, ou recomposlo.como dizem o ministerio,
entrando para a reparlicOoda jusliQaoSuuza
Ruino-, '[U" foi presidente dessa piovincia ;
para as do imperio o Goncalves Mariins, pre-
sidente da llilii i ; para a da marmita o de-
putado Zacaras, licando nos seus amigos
aostos o Torres, o Piulino e o Manoel Feli-
zardo, que a annos atarracnotl-so na poltro-
na ministerial como S. Joige na sella do seu
cavallo, e ninguem ha que dali o possa ar- 1800 de
ranear : verdade lie que os outros sahirain,
/ole-
r/a concedida a empresa da estilara ate amo-
reirase eruciodo bic>io ilaseia, em Io de
maio de 1852.
II. 483...........20:000*000
.690...........lOtOOMMO
31159........... 4-MMUOO
3032........... 8:000/000
1727-4720I76-2-.507.-5KM | ,:000;t00u
3sl- i0it0--2i/j-'-22.M--2806(
m\ 3 l a5iSS20 5591
5501180 -I7i3--i88U-:080i
21152140- 2H73 -29U73753 (
390j4il42-4005-4tJ4-5U49 (
5211 542.V-54705908 -5949
143- 306- 392 401 445\
493- 5>2- 578- 039 784
804- 885- 1)08 Ol 984 I
1.041 >S81'22412961508/
Iiu6-l58l--lt.-i743-.778f
2051 -20582370- -J53426!l
2688-2985301331115-3084/
3i.6- 3440-35633584-4I50L
41834312- 4333-43,044911
450945584621-4857-48.9 1
49M- 4f9i--504752.64389 I
5120"5463--5475"557t5943 I
100 de..............
l
1
1 >
6
10 a
20
60 a
400/000
200/000
100/000
HNH
211/000
rrn i *. 'represntame.", o por unaoim.dade. de vo-
pI',. n?" N,z",,no' los decidi qu.* se denominara legislatura
t-a va mas. |de ,852 na jo a 5uppor quB
Appellante, o juizo de ausentes; appellado, rec,lecia as salas de Ros.,. '
Jus t.oncalves dol, So dlI 8 tencioniva parlir 0 genera, r.
n .. i.e i _. j .,-u quiza para S. Nicols, afim de presidir a
Passaram do Sr. desembargador V.llares *emit0 ao goerna,0e das provincias
ao Sr desembargador Bastos as seguiotes convocad, pal o dia 85.
appellacoos emque sao: lt resto/monaes do m.rlyr D. Florencio
Appellante, Marcelino Jos Lopes; appella- Vrela foram Irans.ortados de Montevideo
do, Ou.Iherme Soa.es Bololho. ltenos-ayres' O goveras) e ..o,ula-
Passaram do Sr-desembargador Bastos J. iplnlia,.0j pra.a os receberaa com
aoSr. desembargador Leao as seguimos ap- ?e|lgifiso recolhimenlo
pellaces emque sao: O general Urquiza, em nome da confe
Appoll.nio, o ju.zo; appellado, Fraoc.SCO de.acflo argentina, reconheceu a indepen-
dos Sales dos Res. dencia do Paraguay. He um triumpho da
Appellanle, D. Mara lilismiiu do llego Go- no ilieadn Bra.il
mei; appellados, Joaqun. Aurelio Perei- I-1*" Bjf!:-----i----------
ra de Carvalho e sua mulher. | As empresas que tendem a approximar o
Appellanle, o juizo dos feitos do Ceara ; Brasil dos grandes centroa da civilisaco e
appellada, D. Izabel Ignacia de Men- do commercio, e que assimencurtamas dis-
doin,a. Uncas que delles nos separam, s3o sempre
Passaram do Sr. desembarga lor I.eSo ao saudades com prazer e esperan;, er-ali-
Sr. desembargador Souza as seguintes ap- san urna das grandes condnjOes do progres-
peliacOos em que s3o : so qoe todos anhelamos para o imperio.
Appehaole, Joao de Souza Barros; appella- Apar dos paquetes a vapor de Southamp-
do, o juizo. ton organisa-se outra empresa que \\>s tra-
Appellante, o preto l.uiz por seu curador r* novas vantagens. Tolos sabem quo o
Dr. Fil.sirdo Toscaoo de Brilo; appellada, commercio do'Mediterrneo e do Levante
Joaquina Robera da Conce.c3o. he de i inmenso futuro para nos, que ali po-
Passaram do Sr. desembargador Souza ao demos achar vasjisimos mercados a abas-i
Sr. desembargador Kebelloas seguintes ap- tocer rom os nossos productos Urna linha
appella(0es em que sBo :
porque qu.zeram, o Monte Alegre, cuja re- l^> premios. ,..j. .,.
nunli. .'muitos todos esper.v.m ; u Euze- J^gp^^SSSk^
bio, porque |a nflo poda mais aguent-r; o do ,,,,,,, Antunl Iva da Sil
lotera pria-
escriptorio
__ Silva Pinto
Tosa nao sei porque, tslvezpela mesma jun|or, r, d. Qoii.mda n. H.-O escrivfc, Ro-
rasao. ...... que Antonio Coideiro,
PERNAMBUCO
Pense, meu quori lo Liborio, que para
tudo se requera natulitacOes u muito mais
para ministro de esta lo ; agora conlesso -le,
que treno por mili mesmo, quemo nao a-
garrom ah para urna pasl, quando o Sr.
Torres, declararan I parador, como o Sr.
Paula Souza ( tioi Iho falle n'alma J que no
seu parliJoeaiao esgotados os homens : a
quem hade o Imperador chamar ? :-. porque
um dnalo esperto e vivo como eo, nao po-
dar servir para ministro da marmita ? Jai itendimento do patrimonio
(Jornal do Commercio.)
BALANf.ETE DO COFRE DV ADMINISTRA-
CAO' DO PATRIMONIO DOS ORPHAOS.
VERIFICADO DO I. DE JANEIKO A 31
DbtMARCO DE 1852.
RECEITA.
nao navegue dussvezes pelo mar de lles-
panha na uiinha ida e viuda de Minas ,-' gue
mais navios vio do que eu teuho visto, o de-
putado AnlBo :' Se o nariz dosto parlamon
lar da visos de proa de navio, o meu da bem
ares de urna popa, que ambos so dizem,
ni ns,.i'iis.ive;s pegas de arquitectura naval
Nenhum outro mrito Ihe contieno, que o
lorne prefenvel a imin. Qaanln a Zicarial
de Goes, sera elle um giaudo n.ag.slra4J|
porm, ollic.al de marinua, cipiiao do por
to, inspector, intendaala, miuisiro da 111,1-
riulia em lim, quem quizer, que o crea, a
1180 ser que tambein ou su va. E o Sr. Tosts,
dirs l, nao foi um bom ministro i* Nao sei
se o foi, demos que sim ; mas o que prova
islo P Une mo alo precisas habiuucOes, e
que eu estando muito no caso de ser agar-
rado para urna pasta, ealou em termos de
vollar para aa A Oque admira he dizer-seque o Montesu-
ma, el). Manoel passaram pela maior das
logracOes : lenliiui paciencia,o partido sa
quaroma ainda u3o esla esgolado, o ultimo
serei eu, e anda entre mim e o Zacaras lis
centenas de militares. I'oisja estaes ho-
mem poltico, pergunlars tu ? Meu amigo,
de vapores que regularmente e com brevs-lum Donato tem cara para ludo, o ciso he
Sobra do collegio do orpbaos
Dito dito das orphas
Reposi(dea e restituirles
Deposituf.
Entregue pela direciorla do collegio
das orphaas Importancia da cos-
turas fellas por diversa orphaas de
Janeiro do anno passado deiem-
bru do meiino aono, que na ror-
ma do artigo 3 dos respectivos es-
tatuios i.e recolbida ao cofre desta
aduiinittracao
Supi"iineuto fello pelo actual Ihe-
soureiro neste trimestre de Janei-
ro a marco de 1847
8.7:i 1,152
58,218
208.030
.00,000
11,750
275,422
7:580.072
DESPEZA.
Jdminislracio.
Ordenado aoa einpregadoa 3i2,50
Diaria aos eitlnclo congregados 'Yl'TSf.
Concert do predio do patrimonio <>2.4I>0
Deipezasjudlciaes 0.0OO
Deapezas inludas aa.tzo
Collegio dos orphaos.
Ordenados aos einpregadoa S-i'San
Jornaes.aos lerventes i r*
Diarlas aoa orphiios e einpregados l:1M,JZO
Rounas IWI,270
ij.eu.is I40.O00
1


<
1

.



Medicamento V un ana vascldo
em desenibro
Obraa, concert e pintura
Ordenado traprefinaa
Jornaes M lefventee
Diarlas a erplilea empr.gadaa
Medicamento como cima
Painuento do auptImeoto felto pelo
actual theourelro no irlinealre de
outubro a detembro de 1851
S.360
,290
J9,0S*
sti.iho
I:3t2,:i00
t9,64e
7:,t82,S23
197,849
7:580,072
OtseivacSo.
de arrhicloioa, que o amarraramos oporto
da esecralo publica, para que todo o inundo
ospodesse oonhecer tae quaes ellei lio. Nao
falla remla nona promana SereniO pon-
luaei e constantes em daiearolar o ludirlo pa-
voroao aob que fervem al mais horrenda uia-
cliliiacc.es contra o> dogma! de vertUdelra sorU
abllldade-faiedio-lo por que l"0 no Imprlle
dever de eld.daosi por qu Uio aea arrae*
ira ojualo recelo de aennoi eiprobradoi na
poitendade pelo alinelo que por ventura
guardanemoi ante eaie drama de perfidia, e
de transformaron profundas que projeclo o
Inlinlgos da lclajdane. o plagiarlos da revo-
lucSo frauceta, _o partldliUi Bell do coliiuiu-
, Jipar
Plcou por arrecadar dos rendlmenCoi do pa-
Crimon.o a qu.nt,. d. 1:4581536 beodo por
pagara de 84l#45l ra.nendo l3v/ra. -
lindo congregado! d. do.i mesesde sua dli-
rias veocidaa em feverelro ultimo, 444f4&i n.
ao empregadoi e lervcnles do collrgio do. or-
phaoa de Igual lempo de eu ordenadol e 173/
i, a adiuinutracio dos ealabelecimenloi de
carldade de dous CrimesCre do alugucl da caat
do colleglo daaorphaaa em 15 do presente mes.
Secretarla da administrado do paCrlmouio
doi orptalos, 31 de marco de 185*.
Oiecretirlolnierlno,
Manitt ose de San'An/i* nujo.
0 theourelro,
Jartaolomeii Frawiieo de Souza.
DIABIQ DE PBBMAMBCO,
HKCIFE 81 DE MAIO DE 1853.
Polo Yapor Pavietue, ntralo boje do sul,
recebemos jornaes do Rio de Janeiro com
datas al 12 do corrento, da Bahii e Macci
Em outro lugar deixamoa transcriptas va- hl,do al),orloade. do Rio formoio. pela
riaj noticias, que colligimos do lonial i/a muiaciaaat lirerao de escullir no naiccdouro
_ *. a. 1____ i' 11__>_ > i ___. li i' u I..., na m >>r to
nlsmo e de loflBeiiaa aellas rallcallstas e
phrcnellcaa quejuieacao de inortc o loros da
nronrleda e, os wnerandoi lacos da familia,
vrrdadelro dlrello de cldade dos lempos anil-
Sos e moderna*) *a pbraae d'olro do grande
e Lamartine,
Em poltica, como em ludo o mal, nao ha
glrla mal ignobil do que a da hj/pocrlila
4.1 iicroiintai pagina! do F.vangeluo eslo
chelas de filinluacOea Iremendaa contra ene
decesCiTel vicio, que, se perlgoao n_ um lo
Individuo, torna-ie perlgoilniino n urna as-
suciacao de homens por que o engao de um
be mala fcilmente coottascado, do que aquelle
que resulla da comblnacio de mullos; e dtil
a oeceaildade de naior alforjo para conibale-lo
em luuas aa sinuosidades c rodeloi da hypocrl-
art. de fundo que se II no orgSo demag-
gico de 18 do crreme osTerece tre aspectos
a considerado d.t critica slsuda, i cujol ralos
nao podem eicapar o manejoi vil que all le
empregan. .
O I, aipecto reela-ie por uro deipedlr Tu-
rioso de Injuria, de calumnia!, e de recri-
min.ii oes inaensaua conlra o grande partido
constitucional: o 2. eonilite n urna pomposa
pruleitaclo da sincero atierro a loicilulcoei
dainonarchlaTe o. Ilmila-ae um novo ex-
tribuaar contra o Enn. adminlilrador da pro-
vincia, por nlo haverdeiiliuidoe reiponiah.-
Comiiurcio, a entroillasa da moJilicaeSo,
quesuirreu o roinisleno,
No da 3 do crtenle leve lugar a abertu-
ra da assemolea geral legislativa, que estuve
a ponto de nlo veriflear-se pela
Sis. debutados. A (illa du throno
a deixaoios exarada bj lugir compe-
tente.
A meza da cmara temporaria foi organi-
ssda do modo seguinle :
Presi lente o Sr. Souzi Ramos.
Vico-presidente o Sr. Maciel Monteiro
I. secretario o Sr. Paula Candido.
3.'secretario o Sr. Bahis.
3. secretario o Sr. Araujo Lima.
*. secielario o Sr. Paes Brrelo.
A da cmara vitalicia como so segu i
Presidente, o Sr. Candido Jos de Araujo
Visnni.
Viee-presidenle, o Sr. Cissimo Kspiri-
di.i" de Mello Mattos.
1" secretario, o Sr. .Mafia.
2 secrttario, o Sr. Fern .n les Torres.
:r seeretano, o Sr. Dantas.
4.* secretario, oSr. Vallasques.
Foram eleitos para a commtsso de reaposCa
a falla do enroo oesta os senhores Liinpo de
Abren, vheonde de branles e Lope Gama e
n'aquclla oa leohore Aprigio, Vctor de Olivel-
i.i e Pereirada silva.
Fol agraciado com o titulo de barao de Belin
0 Sr. brigadelro Bodriao Antonio Falco liran-
do, e o Sr. Dr. Domingo! F. Sarniento, um
dos escrlptores mais disilnctos dai rrpubllca
do iul o foi igualmeotc com o offlclalato da or-
dem da Rosa.
O brlgue Ingles Juira.icapllao Tbomai Mou-
rant, em viagem para o IWo com varios gne-
ros, Incendiou-ie na uolle de i do paaiado, e
perdeu-se completamente em lalitudc de 21, 41
norte, e longilude 20, 10 oeale, sendo salvos um
passagelro. o capilo c toda a equipagem pelo
navio Inglet Titania em viagem ileNew-CaslIe
para Calcul, que os desembarcou em Santiago
no dia 8 do dito inei.
A Irbre amarella tem reapparecldo nllima-
inente com alguina intensidad! ua corte, r'alle-
oeram della, entre outras pessoas, o Sr. Eme*
lo de Jony, addido a legacao franceza, e um li-
1 bo nico do Sr. visconde de Olinda. O mal pa*
recia ler recritdcacido debila da ebegada all de
varios navios do Porto com grande numero de
passageiros.
L-se no Diario do \iode Janeiro de 6 do cor-
rente:
ConsCa-nos que S. M. o Imperador, saben-
do que o paslor proteslinle da colonia de ne-
crpolis eslava gravemente doenle, e por falla
de meios nao se relirava para esta corle como
llie lua aconselhado pelos senhores doulore
LuU liarlos c Cunda, alim de farer-se-lhc a
operaclo de que careca, enviara aodilo paslor,
que be tambem aeu ineaire de lingoa allrina,
um bilhclc felto de ie pro|irio punho, o quat
c-ontloha denlro a quaulia de 5:un0/ de rs. pa-
ra occorrer aadespezasdo sen curativo.
Quinto aos negocios do Itio da Prata po <
conos resta accrescentar do imprtame
ao que so l em o pequeo artigo do Jor-
nal do Comniercio, quo dciximos trans-
a hydra ""sediciosa que l Gafa levantar o clo
na ueIU cidade 1 ...
Uso he escarnecer demasiado do bom lemo
nublicol Os demagogos por escellencfa, o
hlu dos !" I"",i0 cn"""e homenigem ao iero-
f .,^ i Mo principio da llllmllada aoberanla das
lamnotn !,_ eltl ,l,iude de cujo principio pro-
clamao incesiauleiuenle noi peridico! e noi
clubs a necesildade de reformai tadlcaei ni
cisencia do lysiema adoptado pela nacao,
sao os inesinoi que no luibillionar de icui de-
lirio! ngein mudar de bordo !
Ue o dlabo felto ermitau I
Como acreditar em lio repentina Cranimu-
Cacao: como respellar urna crenfa cao ruda
e aein raii?
Engao!
Ilypocilsla !
t*. homeus que Cantos eclipses bao lineado
sobre o diadema Imperial, que Canto Crin
eniovalhadoo ihrono com vileai lem conlo,
nao podem jamaii reverenciar o principio mo-
narchico, cuja erradlcacao he o fiui supremo
doi seui eiforcoi /
Slm!
Os lu me ni do progresso rpido, os neroei
dai iropeliaallberaes, os aposloloi da consll-
luinle soberana, oa agicaores doi clubi, o
partldiitai do dlrello reaccionarlo, os eicravoi
dai paixdei ruliu, nlo querem, nena podem
querer o throno, lobre cujaa ruinas aipi.av
a levantar os ensargueoCadol Crophoi de luaa
ambl[dea deiregradasl
Sao uiul conhecidoi no palz. Escao intelra-
meute Ueaiuaacarados. A opinlo publica os
sabe avallar com Jualica. A maiorla da nacao
os detesta, porque a inaioria nao partidla oa
seus principios de desorgaoliaco, e de odio
proluudo contra o raajo auguilo da cata de
oragauca ^'v
Miseravels! .
Estao denunciando a ina Inepcia e traqueas I
Desanontados no labyiinlbo das dceepces, bu-
mllhados sob o peso da reprovacao publica,
ei-los enCregues mil farca ridiculai ora ma-
nijando iutrigai, ora appellaodo para o Cbro-
no uue solapain; ora liualmence invocando
urna coma, que ellei laulo deacredilam a
conititulcao do Imperio!
Mas, ainda iato nlo he tudo.
O bom he v-los adrar-ie sobre o nomeni
da ordein como furlaa do averno!
Realmente he rebalsar a um ponto estraor-
11 n.ii io a critica, o deicer i ese campo de tor-
peas, em que se injuria um partido mieiro, no
qual, sem injuslica lie iuipoisivel desconhecer.
que se acba lepieseulada em grande maloria a
mtelligencla, a pioprledade, o coininerclo e a
induslr.al
He o mji'o sumurn da perversldade!
Husqurin. poim, lollunsr ns acoutecimen-
los ; i ii v .l.iiii as Intencdel como quizeram ;
anproximem poeal Inlinitamente aH'astadas
na sua importaucia; comparem circumscinciaa
absolutamente diversa! entre li; cuulutaUm
ludo a leu bel pra . menen. ni Codo o iniiiio : condemncm lodo o
prref no seu Julio Din certa conciliar;Bo(
porqu" este so recusar, com o fundamento
de se DBo sellar sugeito illaposiSo da le,
deixira de proceder nos tormos habis,con-
tra um tal desobediencia Banda, em no-
mo do imperado-, que V. Ele. extranhe a-
quellejuit pel condescendencia, que Uve-
ra com 0 referido prelado, em menoscabo
ta jurisdlQBn e autO'idade, quelhe fol con-
ferido pelo seu reimento, artigo 9 da lei de
15 de outubro de 1827, quanBo excettua ci-
dadflo slgum por malor que aeja o emptego
de que goze ns sociedade.
Dos guarde a V. Exc. pilicio do Rio de
Janeiro, em 19 do jineiro da 1833. Diogo
Antonio Feij, Sr. presidente di provincia
m
de l'eflmbuco.
COMMERCIO.
ALPANDEUA
Rendimanto do dia 31. 6:025,367
Duearrega hojt 22 d" mato.
Brige portuguez -- Tanjo meicadorias.
liii|>ortKvuO.
HrigueporluguezTaruJol, vlnde de Lisboa,
consignado a Manuel Joaquim Ramos c Silva,
manlfestou o seguinle:
26 plpai e 41 binls vloho, 1 calile penen-
ce para igreja. S fardoi capaioi, 4 eaislnhal
cera em vela a T. de Aqulno Fouirca & Fllho.
S pipas, 4 nielas ditas e 8 barril vlnlio ; 1,500
molhos ceblas; a Francisco Severlaoo Habello
st Fllho.
J calile! chapeo!; aCunha t Amorlm.
10pipas e 2 barris vinliu, Apipas vinagre ; a
Caelano lavares Crlela do Monte.
132 pipas e 158 barrls vinbo, 14 pipas r >
meiai ditas vinagre, 1 caliles chapeos, I dito
vldros, 40 barril carne ensacada; ao consigna-
Cario.
1 cala llvroi; a Miguel Joi Aires.
i barricas cal, a Oliveira 1 r mam.
30 barril vlnbo; a Joi Marlioi da Silva.
I calite panno de linhu e oulrai mercado-
rlaa, i ucea favas, I pacole panno de llnbo; a
Joao Jos do Monte.
4 caitas, I barrica, 6 barrls e I fardo drogas
diversas, 4 fardos pendras, > calas vldroi; a
Polycarpo ./oee Layne.
I cana vldros, 1 barril, 4 caita! c 1 lacea dro-
gas dlveriaii a viuva Cunba dt C
0 barrica! farello. I barril vinagre; a Joi
Perelra da Cunba.
I calile bracoi de balanca; a Machado i Pi-
nheiro.
1 fardo drogas, I embrulho tarjas para boti-
ca ; a Moreira A Fragoso.
2 fardosprnciras, I embrulho msica manui-
cripca; aJooSouo.
i barril vlnbo; a Cesar Kruger.
1 cala bracos de balanca ; a Joaquim Do-
mingues da Cnnha,
16 barrls vinho; a A nlonio Joie Colmbra Gui-
maraes.
1 barril Vloho; aCarvalbo at li inao.
B saccas favas e se me ules de acafrao; a U.
Joaquina Autonia Florencia Beasone.
I esleir para forrar sala; a Antonio Joaquim
Vidal
I barril vinho; a Antonio Jos de Slqueira.
10 fardoi cpalos, 2 caliles drogas diversas,
I dlio cartas dejogar, 4 ditos chapeos; a Au-
gusto Ceiar de Abreu.
Fra do manifest.
1 laiaiemeuces, > aaaoos legumei; a Ollvelra
lrmos.
I pacole Imprenoi; a Miguel Jos Alves.
I laca luvas, I canasCra coiu 4 coelhos; a Fe-
liciano Jos Gomes.
I encapado llvroi; a Francisco Jos de Mi-
galhle Riscos.
I pacole msica impresia ; a vluva Gaudino
ti Fllno.
3 saccoa dlnhelrn ; a diversos.
CONSULADO CEKAL.
Rendimentodo dia 1 a 20. 33:895,057
dem do dia 21........3:549,351
16:444,408
DIVERSAS PROVINCIAS.
Ron di meato do dia 1 a 20.;
dem do da 21.
1:636.072
279,797
1:915,869
RECEBEDORIA DE RENDAS INTERNAS GE-
RAES DE PEHNAMBUCO.
Rendimento do dia 21..... 750,862
CONSULADO PROVINCIAL.
Rendimentodo dia 21.....1:658.033
posado glorioso do parlldo oidelro; rldlcula-
risem ni seus bonicos nolavels; elevem a
qucildei polticas o Inlereise de faccao
santiliquem ol resenCimenloi penoaei, e al
aun lusplracoes, como razao de eilado, que
i.i.i de coiher em provelCo de codo ene lidar de
infamia arepuCacaoe de homem Ireuelicos, e
^fftffS* reuni*em Monte- ^^^^TS^uS^ video, em sessflo secreta, a issemblea le- | r haverem alcunhado de crlme oque ole be;
gislstivs para discutir proposta, em 4)Ue |,ar haverem chamado periegulflo e opprei-
o poder execulivo pedia um voto do con- iiao u, aclo, alias mu Heico, qual oque prall-
liani;a para ajuslsr todas as questOes pen- Icsram ai aumrldadei do Rio-Formoio, por cu-
dentes com o imperio. Nada 80 sabis do 'ja ocoorrenoa nao ceinin di vociferar, ja
que occorrera a res jeito, mis dizia-gj geral- contra o Eim. prendante da provincia, J con-
mente que o negocio fo a adiado. !" oa seus leaei amigo. | prava "^erante de
Reinv. entreunto grande ..luel. na- ^^aT^'o^ori'aV^iZ^
quella cidade, seudo a prova eiuherante !;" do cu'ntraai t. filiaet da demagogia!
della urna tempestuosa setsSu, que na nolle Quanto mals alarido liierem por ene acto
19 tere lugar na cunara dos represen- heroico, lano mal recoohecemoio 6eu
les, e de que daremos depois nolicii cir- m ilcance; e praza ao co que codal as
de
tantos,
cumstinciad.
No dii 31 chegou all o Sr. Dr. Pena, en-
viado exiraorliiiarin e niinislro plenipoteu-
cuno do Buenos-Ayros junto aosas corte,
o (iu'1 tere ordein para olloreoer osseus
bonsservicos na i-on loucia cxislenle entre
os dnus governos, imnerial e oriental e
msis que, tambem a tirera psrs declarar a
este ultima que, no caso de n9o chegar a
um aCCOrdo cun y nosso gabinetu devia
contaramonte com os saus recursos, puis
que a coiifederatjlo argentina guardarla na
qust3ua mais perfeica neulralidade.
O exercito brazileiro tioha pesiado o S i li-
ta Luzta em marcha para a fronteira de A -
repaliy.
- ua Rabia nadi ba de imporlanti. A-
clia-so ns administra(So da provincia o
Exm. vice-preaidenle Dr. Alvaro Tiberio de
Moiicorvo Liuis. Falleceu no dia 14 du cor-
renle o llvm. conego Dr. Manuel Jos4 de
Souza Cardozo, vigario da matriz de N. S.
da ConceicSo oa Praia.
De Macelo nada temosa mencionar.
RATlbiCAiyA'.
No artigo de fun lo hontum publicado, na
psg. 2", columna 1", linhas 13, ., e o logar
ile um privilegioleis-seesse previlegio ;
ns mesma columna, liniia 78, s em lugar de
inseparaveis barreirasUia-se insupera-
veis bsrreiiss; na 2* columna, linhaa 16, s.,
em lugar de completa com este outro p' inci-
pio... dfloacoiibecer bem claramente.'
leii-se -o completa ooin este outro princi-
pio ....d, com elle a oeahecer bem ca
ramaots!; na mesma eulumtia, linhas 84, s.,
em lugar de se encaminhar-seleia-se -- se
encaiiiiubasse ; ni mesma columna, liohas
40, d., em lugar de urna ligaleia-se essa
lina_____________________________
meri-
auto-
rldadei da provincia laibam Imitar i do Rio-
Forraoso na sabia reolufo de dissolver esses
ajunlinientol febril, eiseiconluloiauarchicol,
onde le levedamas palidei populare! concra a
aancidade dai noliai ioaliluicdei! Negar o
uerlgoi denes foco de turbuleucla he deaco-
nhecer ol deploravel reiultadoi do jacobinis-
mo na Franca, e da propaganda apostlica na
cartas de pessnss lidedignit serrescentam Hespanha. Verdades alo estas, que ie itham
estampadas em caracterea de aangue as pagi-
nas da historia, cuja medicaca remellemos
o/Mmilsraaoootuuiuuicador do Diario de Ver-
namoueo n. 104.
O (janeo do rapilnUo.
Comiiuiiiicado.
Saint populi suprima lex.
A lalvacao publica be a lei auprema.
Dissetnos que eslivamoi de puse de lodos
os planos da faccao connilulule prometicinos
(Toe havlamoa de revela-loa francamente ao
palz, arrancando aoi hypocrilai e traidores a
mascara que os encobre- promeileinol que
Tasgariamos d aleo aballo o veu laocado sobre
o mais negros captulos da historia dene grupo
Pubhcagoes a pedido.
Lina liuTliuii Mobre o tmulo do
II lu. Sr. Joio Prea fc'ericlra.
De honrlas, caras cimas ao jaiigo
Co'a fui, alie a todos paleatea |o nada,
Me ouia o/i desenaano : en vou comligo.
( Bocoi. )
O loin leruo dol ais ol are! fendem ;
Noi espacos reboam tristemente
Os echos funeraes do campaoario.
He tudo confusio, dr e suspiros!
lia familia querida o pranto amargo
O choro dos amigos verdadeiros
8ue tristes o prauteam cutre solucos
e seusroitoideilliain contristados,
Ko derradeiro adeoa ao homem probo
JU'a carreira lindou do! dial seus.
Do caro cidadao, prratanie, hoaeito.
Do poso el em seui deveres,
D'uin pal zeloao e leruo com seus iilboi I.'
Quein pode pencrutar de DOS ai vistas I! /
Coulriclo uapretenca do leu DOS,
Dos peccados implora o seu perdo.
b entre as allliecoes da cruel morie
O nome do Sartuoa puit.a e.n seus labio!.
g la alma no duro passamenlo
Cercada d'anjos mil fol encerrar-sc
No icio da feliz inaNiuaot.
Josoui'm Jos Raymundo de Mcndonca,
Movimento do porto.
Cim 13horas da msnhls do referido dia
competentemente habilitados. Secretsris
ds theiouraria de fazende de Permmbuco i9
da malo de 1859.-0 ofliclel malor Interino,
Emlio Xavier Sobrrira da Mello.
O Ulna. Sr. inspector da tntsnunria de
fazenls, manda fuer publico que ausdias
I, 8 15 da Junno, prximo vlndouro, iro
praca, peranto a mesma thesouraris, pira
serem srrematados quem mais der, por
um tnonlo que comecar contsr-se do i.*
de jiilini seguinle, a renda dos predios
ahaixo declarados, perlencentes sos pro-
prios nicionaes: ss pessoas que quizerem
linear compireesm nos referidos diss s 12
luirs da insulina, com seus lladoiet compe-
teniomente babilittdos.
Secretsris ds thesouraris de fizen la de
Peroambuco, 18 de maiu de 1852.
O ofilcicial-maior interino,
Emilio Xavier Sobreira de Mello,
lielacat doi predios a que se refire o
edital supra.
I casi de sobrado na ra Direils, de dous
an lares e loja.
I dita terrea na rna de Santa Tberesa,
numero 31.
1 armazem no Forte do Mattos.
I cassterre na ra das Aguas-Verdes.
I dita dita na ra de Santa Theresa.
O lllui. Sr. inspector da thesouraris da
lazenla provincial,emcumprimento da or-
den) do Exm. Sr. presidente da provincia,
manda fazer publico, que nos diss 35, 36 e
37 do correle ir aprafa para ser arrema-
tado parante o tribunal administrativo da
mesma theiouraria, a quem por menos flzer
a obra do 3* lauco da estrada da Escada,
avaiiadaem 13:911,810 rs.
A arrematacBo sera feila na forma dos
artigos34 e 37' da lei provincial n. 286 de
17 do malo de 1851, e sob ssclausulas es-
peciaes abaixn copiadas.
As petsoss que se propozorem a osls ar-
rematadlo romparegam na sala das sessOes
do mesmo tribunal, nos diss aciua men-
cionados i olu meio-dis, competentemente
hibelitadas.
E psrs constar se mandou aluxar o pre-
sente e publicar pele Diino.
Secretarla da fazenda provincial de Per-
mmbuco I* de mam de 1852.
O secretario.
Antonio Ferreira d'A'inuncaYao
Ciautulai especiad da arremotac&o.
1 As obras do 3' lamo da estrada da
Escada serao feitas de conformidade com
o orcamanto e planta aporovados pela di-
rectora em conselho o'esta data, e apresen
talos a appiovsrjuo do Exm. Sr. presidente
da provincia, tudo na importancia de
13:911,810 rs.
2. O arrematante comecar as obras no
praso de um mi z e concluir no de um an-
uo, contado da dala da assignatura do con-
tracto.
3. A importancia desla arrematarlo se-
r paga pola forma determinada no art. 3!
da le provincial n. 286.
4. Para tudo o mais que no estiver de-
terminado as presentes clazulasseguir-se-
lia o que dispOe a lei provincial n 286 de
17 de maio de 1851 Conforme.
O secretario
A. F. d'AnnunciscSo.
O lllm. Sr. Inspector ds thesouraris da
fazenda provincial, em cumprimento da re
aolurjSodo tribunal administrativo de 6 do
correnle, minda fazer publico, que nos diss
25,36 eS7do mesmo ao nieodia, peranto o
mesmo tribunal se ha de arrematar a quem
mais oiTerecer, por tempo de 3 annos a con-
tar do 1. de jiilliodo corrente tuno i 30
de junhooe 1855, o impottoda taxa das
barreiras das estradas e poutes abaixo de-
claradas.
Ciqui, avsliada annualmentepor 7:101,000
Magdalena dita dita dito 4:450,000
Molocolombdita dita dito 2:721,000
Cachang dita dita dito :ioo,o0u
Tacaruna dita dita dito 641,000
Bujary dita dita dito 641,000
Ai pes.oas que se propozerem a eilaa arre-
matacoee, comparecam ua aala dai sesses do
mesmo tribunal, nos dial cima indicados com-
petentemente habilitadas.
E para constar se mandou a litar o presente e
publicar pelo Diario.
Secretarla da iheionrarla da fazenda provin-
cial de l'crnainbuco 7 de malo de 185*.
O secrelario,
Antonio Ferreira d'Annmciafao'.
Fico sciouce aoj credores do fallido
Nuno Mara de Seixas, herdeiros do i.andi-
no Agoslinho de Barros, llennque Jorge,
herdeiros de Theiesa Marii de Jess, Minoel
Fernandos Cuidas, D. Maria Lumschj,Fran-
cisco Alves da Cunt, Joaquim da Silva Cas-
tro, Lima, Dr. Feitoza, Antonio Josquim de
Souzs Rmeiro, Jus Francisco Pereirs ds
Sil va, herdeiros de Manoel l.uiz da Veiga,
Norberlo Joaquim Jos Guedes, Francisco
Muir. Tavares, Jos Jeronymo Munleiio,
desta prat;a ; Domingos Pacheco Pereirs, do
Aracaty ; Msnoel Csetsno de Gouvs, do
Ceir; Castro & C, doPorlo; Manoel An-
tonio dos Santos, do MaranhSo; Ezequiel
& Senas, de Lisboa; D miel Ley, de Furlh ;
Jlo Pereirs de Andrade, do Rio de Janei-
ro; Antonio Marlins de Carvallio, e consu-
lado I. ancez ; para que no dia 22 do corran-
te, a II horas da mantilla, comparecam,
por si ou por seus procuradores, em casa da
eflo nlo pode s* dada Apenoa que sej de-
vedor ao fallido, oem tW masmo procura-
dor representar por doM diversos oradores,
RecireiT-de mllo d 1852.
O eiorlvio Interino.
Manoel Joaqnim Biptisti.
KI.Ra'a.
No edilal do Dr. JosHaymundo, sobre a
execui}Bo de Francisco no Prido & Com-
panhii, em lugar de 4080#l6l-digi-se
180/161 rs.________________.
/Tatiloi entrados no dia2\.
Rio de Jmflro --8 dia*, brigue inglez Wil-
liam Bayb y, de 198 toneladas, rapitSo
John Retidle, equipag-m 7, em lastro ; a
Itostron Rooker & Cumpanhis. Ficou de
quarentena por 6 das,
Genova o Cibraltar 6t iss, polaca ssrla
Destino, de 161 ton latas, capitSo l.ou-
reiiijii Guastaviiio, equipagem 12, carga
lijlos 0 msis gneros ; a ViuvadeAmn-
rtm & Fili'Os. Pass-geiro JoSo Pinto de
Franca, e Joseph Touve.
Rio de Janeiro, pela Bahii e Macei -8 dias
e 18 horas, e do ultimo porto 16 horas va-
por brasileiio Parense, de 200 loneledas,
comandante o capitn de fragata Costa
l'ereira, equipagem 30, passagairo len-
te quarli'l meslro Joaquim Jos Pereira,
Joaquim de Almeida Pinto, o escrivilo da
armada PedroSimoes da Fonseca, Fran-
cisco Castro, e Antonio dos Res Pereirs,
4 soldados, e 5 ex-pra;as, e yariis pracas
que obtiveram baixa doservico, eseguem j feJidencia' do Dr. Jos Raymundo da Costa
para o norte. iMenezes, juiz municipal supplente da se-
Navios tullidos no mesmo dia. 'guma va'a e do com coerci, na ra da Ma-
raal --escuna ingleza Marina cipilSo dre,ieDoos, primeiro andar n. 1, no bair-
Declara5es.
II.y, carga assuc.r
Liverpool gilera ingleza Empress, capi-
tlo Scott, carga assucir e algodlo. Pas-
rodollecife, alim do continuar na veriOca-
c;o dos cretlilus, formar-se o contrato de
uiii.1t>, e de proceder a nomeicsii de admi'
sageires, o cnsul da Sucia F. A. Zietz ,|l9tradores; Ocando os msanos credores
com sua familia, e Geraeno Lins Win- a(jvt,rlllju9) qUe no serlo admiitidos por
derley.___________________________ procurador se esto nlo tiver poJeres espe-
mtwtwtmmtwtTt^tmmtwatWmt^kimfsi^tmitmiwsai ciaespiri o acto, e que a procuradlo nlo
INDITA B^v. p0118 er d,da pb88* ('U8 ,r>* de"a ,0'a 10
fallido, nem um mesmo procurador repre-
REI'ARTICAO DOS NEGOCIOS DE JUSTICA-
lllin. e Exea. Sr. -w Constando a regencia,
que o juiz de paz da freguezia da S deO-
linds. tendo feito nol llcar ao bispO eleito e
vigaru capitular dessa diocese, para com-
- Pela inspectora da alfandega le fez sentar por dous diversos credores.
publico, que no dia 2* do corrente, depois llecifo, 18 de msio de 1852.
do meio da, se-ba rfesrremstar em hasti O escri'o,
publica, pona da mesma repartidlo, 200 *f,?;.-j
asROtadores de mideln, valor arbitrado Fajo ento aos credores do fallido
erri 80 rs.. total 16,000; 100 gamellinhan L'opoUo Josida Costa Araujo, Viuva Amo-
dedita, valor arbtralo urna 80 rs tolsl rim & Hlho.Olivo.rs IrmSos & (.., Amonio
8,000 rs.; 50 pus de dita, valor arbitrado Igoiolo deMeJeiros, Joao Tsveres Cordeiro,
urna 80 rs total 4,000 is ; 1 friso de vi-, Amorim & irmUo, Jlo Leite Pita Ortigue -
dro. eom pertenees para bter chooul.te, ra, Manoel Concalves da Silva, Russell Mol-
vslr arbitrado 4,000 rs.; 46 copos lisos, lorst C., Jos Rodrigues l'ereirs, Desne
de fundo grosso, valor conforme a t.rifi. Youle & C, Antonio Francisco da Silva C.r-
duzia 2,300 rs, total 8,430 n.: apprehen- rico, Antonio Joaquim de Souza Ribeiro,
didos pelo aldanla do guirda-mr, l.uiz Nuvaes & C, Manoel Joaquim Ramos eSil-
Gomes Ferreira, bordo da galera sustrla- vs, Msnoel Jos Ribeiro, Jos Cypriano de
os Nila: sendo a arremataco livie de di- Morana Lima, Jacmlho Eltsbilo, -ese ano da
reitos ao arrema'anle. I Costa Moreir, desta praca. I
de
Bento Jos Fernandes Barros.
Administra!So do patrimonio dos orphfot.
Perant a idmimstracSo do patrimonio
dos orphSos se hlo de arrematar a quem
mais der, e i or tempo de tres tnnos, que
hlo de ler principio do 1.* de julho do cor-
renle snno a 10 de junno de 1833, aa rau-
das dos predios seguintes, e nos diss abai-
xo declarados.
Em 87 de msio correnle.
Ra do Queimado.
N. 83 loja grande
N. 33 dita pequea.
Ra do Collegm.
N. 33 csa de dous sndares e loja.
Largo do Paralzo.
N. 4 Os dous andares.
N. 4 a loja.
Ra das Larsngeiras
N. 17 caaa terrea.
Ra do Rangel.
N. 58 dila dita.
Praca da Bda-Visti.
N. 13 cisa de dous andares e loja.
Ra Veliia.
N. 33 cisa terrea.
Ra de S. Concillo.
N. 32 casa terrea
N. 34 dila dila
Ra do Sebo.
N. 3- casa terrea.
Rus do Pires.
P. 39 meia-agus.
Ra do Rozario.
\. 60 casa terrea.
Em 3 de junlio.
Ra da Cadeia do Recife
N. 61 casa do um andar e Inja.
N. 59 dita de dous ditoa e dita.
N. 37 dita de dous ditos edita.
N. 44 dita de dous ditos e dita.
Hua da Madre de Dos.
N. 9 casa de um andar e loja.
1. I dita de dous ditos e dita.
N. 26 dita de dous ditos edita.
N. 24. dila de dous ditos o dila.
N. 22 casa trros.
Em 9 d9 junho.
Ruada MsdredeDcos.
N. 20 casa terrea.
N. 18 dita dita.
N. 16 dita dila.
Y 14 dita dita.
N. 12diti dila.
N. 10 dita dita.
N. 8 dila dila.
Y i dita dita.
Y 4 dm dita.
N. 3 dita dita.
Ra do Torres.
N. 14 casa de i andares.
Y 16 dila dita.
N. 18 dita dila.
As pessoas que se propozerem a arruma-
car ditas rendas poderlo comparecer na
casa das sesses da mesma administraclo
nosdissgcima indicados, as 4 horas da Ur-
de, coina"seus fiadores.
Secretaria da admioistracBo do patrimo
nlo dos orphaos, 21 de maio de 1852-
A. J. d"Ulwtira.
__Faco saber a quem convir que echan-
do-so vsga a cadeira da substituidlo de rhn-
torima potica, geographia e historia, do
collegio das artes tlesli academia jurdica,
est posta concurso a dila cadeira, cujo
prazo ser tres mezes contados da dala des-
le. E para quecnegueaoconhecimento de
lodos mandei allixir este nos lugares du
costume, e publicar pela imprensa.
Olinda, 18 de maio do 1852
0 director interino.
Dr. Antonio Jote Coelho.
Constando a esta directora que os
certificados impressos, de que se tem usa-
do t agora para fazer-se libero resulta-
do de qualquer exime preparatorio dio lu-
gar a falsilicacOcs, e que minios teem sido
impressos pedido de pessoa particular; e
na estando o uso detaes cenilicados au-
lorisado ror lei, resolve a mesma directo-
ra, prohibir, e com elTeito p>ohibe desde j
o seu uso. Oque rom numen ao secrelario
interino, o qual, depois de registrado este,
o tra publicar pela imprensa.
O director interino,
Dr. Antonio os Coelho
COHBEIO
0 vapor Psrsense recebe as milis psra os
portos do Norte hoje as 4 horas da tarde, as
correspondencias deverlo sor entregues at
as 2, e depois dessa hora pagirloo porte
duplo. ______
THEATRO
DE
S. IZBEL.
45. recita du assignatura.
Espectculo monstro lyrico-
dramatico.
SABBADO, 22 DE MAIO DE 185a.
Depois da oxecucSo de urna escolhids
symphonis, subir a scena a bella comedia
en 2 actos, ornada de canto,
1'OMIHO
ltl'3 4\J i oiiio n si. i---------- *a*i_ t
AUandegaade Pernambuco, 31 do maio Souza Pereira Brillo, de Lisboa, Antonio
, 1g52 i Ferreira da Silva Santos, do Haranhao, flo-
O inspector interino, vaes & Passos, do Rio de Janeiro. Araujo
va
[Carvslbo, d Bahia, Manoel Ferreira dos
- Pelo r," Dr.luTz'd"o'c^veVda"primeira Santos Magano, de Santa Calharina, Antonio
ara, se lia de arrematar na sais das audieo-1 Ferreira da Silva, de Santos, Jos de Souza
eia's pelo meio dia 5 moradas de easas ler-, Gomes, Manoel Jos Rodrigues Valladares,
reas, de taipi.com as frentes de pedrse el,'eTrancisco Jos da Cusa Araujo, do Rio
ciusnosafogados ns ruado Bom Cosco n. Grande do Sul. e Antonio Gomes, e Jos An-
19 21. 33 25. 27; penhoradas a Thomaz Ionio da Cnnha & Irmlos, para que no da
Ca'etao da Luz Barabu e Francisco dj Paula 81 do corrente mez pelas 10 bons da manlil
por execuclo de Pedro Das de Assis. eompareijam por si ou por seus procuradores
- O lllm Sr. lospecior da thesouraris de' em casa da residencia do Dr. Jus Raimundo
fazenda manda fazer publico, que, em cura da Coala Menezes.juiz municipal supplente
nrimonlo dourdemdoExm. Sr. presidente da 8 vara o do cuinmercio, neniada Ma-
da prorincia, birlo a praca no dia 83 do dre de Dos andar n. I, no balrro do He-
correnle perante a mesms ttieiourari, para cfe, efJm de ae continuar na verincacSo dos
serem arrematados a quem pormenor preco crditos, se deliberar sobre a concordata
flzer os reparos quo tem de ser felos na coapresont.ds pelo Taludo, ou formar-sao
xia grande da coropanhia de civallana se- contrato de uniBo.e de proceder a nomeacno
gundo as clausulas approTa'das pelo mesmo de administradores; licando os mesmos
Exm. Sr., que serSo francas nesta secretaria creJores advertidos que no serlo admilti-
t pessois que as quizerem examinar: os dos por procurador, se este nao liver pode-
prelendenlosa esta arremalaco compare- res especiaos para o|sclo, e que a procura-
0 PRINCIPE (MADOR.
I.ogo que termine o inlervallo compelen-
te, que ser prehenchido por urna bella ou-
vertura, representsr-se-ha a escolente ope-
ra bnsileira em 3 acios,
(I FA..TASJILRRASCO.
Terminara o espectculo com a mu lo ap-
plaudida farca lyrico,
O Tulineiro enredador.
Tres diiTerentes dramas em urna s noite,
he por ce to um espectculo monstru 1 A
empreza lisonges-se de haver delienado um
diverlimento que julga satisfar, linio aos
apaixonados dodrirralico, como aos dilec-
ta nte : ella igualmente previno aos amado-
rea dos bailes lusscarados, que se vio pre-
parando para os dias 29 o 31, dias da Pas-
eboa do Espirito Santo, em que lodos de-
ven) estender a canella as quadrilhas e go-
aarem do innocente prsxer dos mascsrss e
suas distraCcOes.
Comecar s 8 horas.
Os billetes acham-se a venda no lugar do
costume.
pOe para a ilha de S. Miguel quem no mes-
ajo quizar carregar ou ir de passagern, di-
rija-te com antecadencia aos seus consigna.
lirios T. de .quino Fonseca & Filho, nirui
do Vigario n. 19, primeiro indar.
Para o Rio Grande do Sul, ssi domin-
go, 83do correnle, o pitachn nacionil Eu-
lerpa, cipilio Jlo Connives Reis, s pode
rsceber slgum passageiro, pira o que ira -
ta-e na rus do Apollo, armssem, n. U,
ou com S Araujo, na rui da Cruz n. 33.
-- Para o Rio di Janeiro.sahe no dia 25 do
correnle o b'igue Recife.para o restante dt
carga, escravoa a frete.ou passageiros, pira
os quaes tem bons cnmmodot: trata-se ni
ruido Collego n. 17, segn lo indar, ou
com o capitlo Msnoel Jos Ribeiro.
Para o Porto aegue com brevidadei
barca \ ortugoeza Olimpia : quem na meim
quizer cirregir ou ir de passagern, rnten-
da-se com os seus consignatarios T. de A-
quino Fonseca & Filho, ou com o cspitlo o
Sr. Jos Thomix de Lima, na praca.
Para o IWo de Janeiro vai sa-
bir com a maior brevidide possivel
o brigue nacional Vencedor,para o
resto da carga, passageiro e escra-
vos a rele; trta-.e com o capitao
Gleto Marcellino Gomes da Silva
ou com os consignatarios LNovaes &
Companhia : na ra do Trapiche
n.34.
Para o Arscsty.
Sahe com brevidade o hiale Flor do Curu-
ripe : a tralar-se na ra da Cadeia do Recife
n. 49, segundo andar.
Seguir pira a cidade do Porto, ale o
fim do correnle mez, o brigue portuguez
Bom Paslor, de primeira marcha, forrado o
encavilhado de cobre, tem metade do seu
carregamento prompto, recebendoo resea
frete, e tambem passageiros, psrs o quetem
mui excellenles commodos : trata-so com
Bsltar & Oliveira, na ra da Cadeia do Reci-
fe, armazem n. 13.
Bahia, segu no dia 27 do corrente o
patacho Santa Crui, para o resto ds c,ii;,
e passageiros trata-se ao lado do Cor,m
Santo, loja de mssssmes n. 25.
Leiloes.
-- O Dr. Mslet, tendo de se psssar da sua
casa de campo para o Recife, far leilau por
iiitnrvon<;.m do corretor Miguel Carneiro.no
dia segun.la-feira, 2 do corrente, as 9 ho-
ra| da maohaa em ponto, no seu silio na
Passagern da Magdalena, do sua mobilu,
consisti.lo em ricos sofs, esdeirss, mesas
com pudra, dita para jamar queadmitle 20
pessoas,guarda-roupa, piano de Brosdword
ete. etc.; assim como mappas geographi-
cos, livros, instrumentos de msica, espin-
gards para caca.um grande viveirocom pas-
siros, deliciosos vinhos engarrafados, um
reglo americano, um cabriolet inglez cot
arreios, ecavallo excedente trotador, e um
bote com velas.
O corretor MiaTuel Carneiro, far lel-
ISo, no dia quarta-feira 26 do corrente, ao
meio dia em ponto, no armazem n. 25 na ra
do Sol, de urna porclo de telhas, tijollus
do lalrilho, jarras, potes, pinellas, ludo
de bario : sssim como urna porcSo de cn-
bros.
O corretor Miguel Csrneiro, far Ici-
ISo, no dia quinti-feira 27 do corrente, as
10 borss da manhla, no seu armazem na
ra doTripicne n. 12, de difiranles tras-
tes novos e com pouco uso, urna rica cama
com Cortinados, cortinados para salla, car-
i-iras para escriptono, looca, canlieiros,
quadros com estampa, um rico estojo cou-
tendo qualro pistollas com todos os per-
teneos necessarioi para ss mesrnss, relo-
gios patentes inglozes e algumas obras da
ouro, >tc, etc.
Avisos diversos.
Avisoi martimos.
-- Espera-se por estes das do Lisboa o;
patacho portuguez Deslino, o quil se pro-1
-- A irmandade de N S. da Bi Hora,
erecta na igreja de M. S. do Rozario do bair-
ro do Santo Antonio, faz vor ao respeitavel
publico que no dia 23 do corrente, pelas
4 horas da madrugada, levantar a handei-
ra da mesma Senhora ; pelas 9 horss do dia
se celebrar a sua festa rom tola a pompa,
e pelas 2 da lar'e satura a Senhora em pro-
ciss9o, percorrendo as ruis seguintes: lar-
ga do Rozario, pnca da Independencia,
Cruzes, O-dem Terceira, Cadeia, Ponte, Cs-
deia do Recife, Cruz, Lingueta, Corpo San-
to, Vigirio, Amurim, Madre de Daos; so
voltar, Collegio, Queimido Livramento,
S. Pedro, Aguis-Verdes, Cinco-Pontss, Im-
perial, Augusti, Hurtas, Cirmo, Camb',
Nova, Tnnxeiras e eslreiti do Rozariu.
Pede, porlanto, a mesma irmandade to-
dos as devotos que faeatn limpar ss ras
cima; e por aquellas que nSo esliverem
limpas nlo pissar a procis'So.
-- Precisi-se de urna eserava, para lodo
.1 s(tvii;o do urna casi: no atierro da Ba-
Vista, n. 77
Rita Maria le Mours, convida a todss
as pessoas que sejulgarem credorss do sen
finado fllho, Jlo Rodrigues de Moura, a
comparecer", munidas do seus titulo,
em sua casa ni ra Augusta, psrs tralarem
resueito, no prazo de 15 dias.
No uia do correnle desappareceu da
rus da Sanzalla-Velha, S.casa lerea.a pre-
la Maria.de idade de 30 annos, ponco mais ou
menos, baixa, acornuotauito priti, cheia
do corpo, lem um carimbo em cima do pel-
eo direico, nariz chato, bocea grande; tem
urna marca na maca do rosto, da parte es-
querda, os dedos das mos curtos, os pes
apalhetados, foi vestida com um vestido de
assento enesrnado, pmno da Costa de lis-
tra azul e branca ; levou nm tsboleiro po-
queno em titulo de fazer negocio : quem a
pegar leve-a sua senhora, Juliana Mina
da ConceicSo, na casa cima declindi, ou
na ra do Crespo, n. II, que ser bem re-
comaensodo.
Na ra Novs, n. 18, loja de M. A. Ca-
j, ha elTectivamente um sortimento de
obras feitas d'alfeiati', do todas as qualidi -
des, como saja, ricos palitos de casimira
d< cores e prelos, ditos de pannos, de meri-
nos, d lias o debrins, chapeos francezes
muito ruperiores, lencos de seda psrs grs-
vata e algibeira, chapeo de sol de seds e de
panninlio, camisas brancas e de cores niut-
to finas, meias cruas muito superiores, bo-
netes par montana de senhora, ditos para
liomeiis o meninos; limbem tm fazendas
psra se fazer qualquer obra com prompli-
dlo, como soja, pannos fios prelos e de
cores, morins de cores e pretos, casimira
de cres.brins trancados brancos muito unos -
ditos de cores, ricos fustas para colle, e
as lindas gangas francazas muito proprias
para palitos; conlioua a haver os afama-
dos charutos norma, ftma-vi e Havana,
vindoa da Bahia. .
D-se de 500.000 ris para baixn, a
premio, sobre pinhores de ouro ou piala i
na ra Direlc, n. *, segundo andir, se di-
r quem da.
-- Na rui do l.ivraroeoto, n. 10, sobrsno,
se dir quem d dinheiro a premio, e quem
vende ou aluga I pisno, 1 cairo de qualro
rodas para um e dous ravallos, 1 cavado
com os competentes arreios, I ponteiro de
ouro, 1 relogio de patente, 1 corrente pan
o mesmo, 1 dita para senhora, medilhas.
trancelins, cordOes, brincos, anneles, vol-
tas, alfloetes, I adereco, 8 colheres ue ti-
rir sopa, I par de casticaes e outra obras.


-aut-
h-
*T
i. i i
.. o abaixo asiigntdo, retponde poli ul-1 O 8r. Jo Goeatlves Ferrtiri Silv*
ni vez ai Sr. Jos da Almeida Birreta u5o mindou o aviaoqoo mencin*. Os fi'
Busto, nurios, ou nnuca se comprou, ou ja e Ihe tar em pr.ca publica do Dr. juiz do (Jirel da
,ou qe *l"ga o* aeua credores, eo prlmeira Tara urna ca* Ierro no beeo do
?r insto, n3o temdinhero para pagar, pe- 'l.lma levada a praea por exeeucao de D,
' rnisencordi. ; porm nunca negu a- ( Constanlina Jacinlhi da.Molla contra Ma-
imia
lio que deve, porque isso he so proprio noel de Almeida Lima.
.
I',', caloteaos o miseraveis iguaea ao
Disto*, senlo recebo judicialmente he por- #
aun o Sr. Basto* nada ten em que eu poca ag
rstirara minha divida ; porm fique de- 9
caneado, queeu esperarei uceasilu oppor- >)
tuna, porque nem sempre ha de andar com 0
i trouxa debaixo do braceo, devendo diierao V
Sr. Bastos, quoesse molo de industria he #?
s proprio da sua pessoa, c para justificar ff
melhor aaua capacidade eu Ihe lembru as V
divida que o Sr. Cuilberme Augusto Rodri-
gues Selle Ihe entregou para o Sr. Hastoa w
receber, e que conla deu deisaa divids ? o
resultado foi recebe-las, e au depois *-
liioar uma letra ao Sr. Selle dessa quanlia,
qual anda est devendo, por cujo lim ful
c lamado, ha pouco por este Diario, a ra do
Queimado n. 91, ae o Sr. Bastos, precisar de
provas.eu francamente Ihas ofTerecoro* aeus
precedentes sao bem condecidos nesla ci-
dade; por sao, o publico qae ajulze. Jos
Joaquim de PnhoMendon?..
i-se
Sr. *******
Companhia de Beberibe.
N5o se tendo reunido nu-
mero suliciente de accionis-
tas da companhia de fieberi-
be, pira poder haver sessSo #
da asscmbla do dia 17 do
corrente, ficou transferida a


reuniao para o dia a5, e s3o
de novo convidados os mea-
rnos senhores accionistas, pa-
ra que hajam de comparecer ?
nesse dia, no escriptorio da Z
companhia pelas 10 horas j
j da inanhSa. O
. #**
P.ga-se generosamente a Aluga-se a casa terrea, na
quera trouxer uma escrava, cor ra Augusta n 6q, com commodos
abra, baixa, corpo secco com para grande familia : a tratar na
cabello grande repart Jo, de no- ra do Queimado n. 46, primeiro
me Verdiana fo escrava do Sr. 'andar com J080 da Cunha Soa-
Francisco de Carvalho Faes de rea (uimarfies.
Aodmde comprada ao Sr. Jo.s Jardim das Damas,
l'erera Vianna: quem a achar le- Sabio luz o quinto numero des-
ve-a ao segundo andar do sobra- te peridico contendo, como todos
don. 38, ta ra larga do Hoza- osoulros, materias de instruccio
no, por sm da loja de louca, ao e recreio ; he nrompanhado de
.ni senbor Joao Valentn) Villela. 'uma modinba com acompanha-
OSr. Jos de liveira Cara- ment de pian, pelo distincto ar-
pes, queira vir, ou mandar pagarlista pernambucano, o Sr. Fedro M*j> Cl
- Queaa annunciou no Diarlo da terca
feira, 18 do correle, querer comprar uma
toalha de labyrinto i roda, dirija -se ao bec-
00 largo do Recite, s'gundo andar do sobra-
do n. I, que achar una toalha da melhor
goslo que he posslvel encontrar-ie oeste
genero, tanti em benifeitor ia, como o ms-
aimo esguiso em que eati estampado,e pot
commoiio prer;o.
-- Aa pesaoas que tiverem contas com o
Dr.Halet, queiram apresanta-las em 8 disa,
contados da data deale, afim de serem ve-
rificadas, que depoia de lindo os 8 dias ,
nenhum* conla sera ren.nlieci.ia : no ar-
mazem do corretor Miguel Carnelro, na ra
do Trapiche n. 13.
*'
Na Gamboa do Carmo, casa
n. 6.
Cozem-se vestidos de qualquer f-
zenda ou foilioque suas donas pre- 9
tenderen), e tamben) palitos, capoti- 4
m nhoa e manlrletes,mesmo costura de 4
*,' alfaiate, enfeila-aechtpeo* de palbi-
a> nha uudeselim, ludo com prtatelo d
*>. e prornpiid3o,por presos inleiramen- <
aj le commodos,e se oll'creco a garanta A
tt proc Sa. 0
- Joflo Teixeira de Souza Lima exporta
para o Ro do Janeiro seu eacravo. pardo,
de idade 92 a 94 annos pouco maisou me-
nos, de nomo [.ni/..
[Nao ignore
Sr. Jos de Almeida
dar
5
Barre to
cumpri-
liastos queira vir
ment a um vale assignado por
Vmc. desde 76 de junho de i85o;
nao se contando o lempo Bul que
contrahio tal divida, que espassou
alguns mezes at qne para se ver
livre de tantas exigencias passou
o mesmo.
-- I)eseja-se fallar sos Sra. Antonio F. Ro-
Jos Felisberto Gama, Joa-
390,000 rs., importancia de f das e dinheiros pedidos a Joaquim ceber-se assignaturas para este pe-
de Oliveira Maia Jnior, quando'riodico a ratao de 3,000 rs. por
cncarregado da minha loja n. 15 serie de seis numero, na ra lar-
da ra do Crespo, e que recebi'ga do lloznrio n. 35.
por balanco, e em quanto nao pa-i Traspasss-se ou faz-se >lgv
Irn
q
teresse : na ra Nova n. 6.
Urna mulher de bons coslnmes se ofie-
reco para ama do iuterior da uma casa de
familia : na ra da Calcada n. 12 loja.
-- Chegsndoa noticia ao Dr. Pedio Bizc-
ra Pereira deAr.ujo BeltrSo, que seu eicra-
vo pardo de npnie Joaquim que se acha pre-
cadeia da cidado de Goianna, fet par-
OSr. JosGoncalves Hraga, ejussara; he ue Doas ierras, maiaa, o ao '.! Curn,raes di llenrque, remollera para
nnpira mandar Datrar O aue deve muileproduccSoj ea m.ior parlo daster- Rj d gu,sdu,s escravas, Paua
queira mandar pagar o que aeve compr,d,s pelo d.to hypolhecano, que P "' br, de 22Bnos e jo.qumacreoulode
ao abaiXO asslgnado, e em qtiantO Torneceu dinheiros para confeccSo, levanta- iJade i6 inS
nao oizer ver o ^eu nome neste meDlodo/-nBen^JLl7 "'l,t;:'"*?,.i!!" Prec.s.-e'dc um rapaz para caixoiro
, maes.e fez sui.primenlos ao mesmo enge- ., ld, a|KUnl,roui brasi-
iano. Antonio da Cunha fcoa- ho o que tudo consta da nypotheca. e lo- a
res GuimarSeS. tras pag.s. e da cunta-coi rente, approvada
-ti 1 neto hvuothecanle. Os juros que le m de-
-- Precisa-ae de um cosinheuo : na ra do E "eca 2
los ..icio as do general Ceara.
corrido a um a oaeio por canto ao mez, com
o principal, at esta data prefazem a quan-
leiro, ou portuguez : em Fora de Portas, pa-
teo do Pillar 11,91.
Drsapparec^u um cavallo no dia 13 pa-
ra H do corrente, com os signaev seguidles :
ou'cndo seu prestimo se qui)er autoris.r. TfSl^SRSSUSnjitVSSm """ o dinja-se a toda hora do di. que achara com ^^700 V em vender dito enRenho dor cid,d0de ln'l' ro* 'lod",',S peS"
uuem tratar. objec?flo op.Oe em venderjhw enBn"'> (0 que tem lenhores em seu poder, que
V_. .^------------------------k: para desonerao dest. hypotneca outro qj ve?lll8m resgHi,r no prl,0 de 15 das, da
data ueste, e passado este praso serflo ven-
lem tratar. desoneracao desl hypotneca 1 outro '"'
- Os abaixo.asignados eon.prar.in o bi- ^SSStM astlgido fara Um- .
eto.nteirou. 1224 da 55.'lotera da S.u ,, trn?acc!lo com .s o.to letras d
Iheto
casa
ilas senhorag Jaciniha Pires de Mor,es, Mara
Pires de Horaes, e Jos Alves de Moiaea.
Guerra & li ni tu.
los par. seu embolso, Hondo obrig.dos
que possue, aceitas peio .ciu.i renueiru uo -. .',,.,.
engenho Barbalho, na comarca do Cabo, p n ul ,.innB M.tlmUnn rl
esiando seis vencidas desde 1847 at .0 cor- <-> 3r. Antonio Diaximiano aa
eduaa vencer em 1853 e 1854, (,'o-la, queira vir, ou mandar pa-
gar, a quantia de 76,000 rs., im-
portancia de fazendas e dinheiros
Medulosa Joaquim de Uliv. i. a Maia
Jos Goocalves Fu, reir e Silva ^0 primeiro andar do sobr.do P
or.dvi\7o7^-\Kiorl?:-Lu%^.d^ d. ru. do Apollo n. ,6: tr.i.-se n. r. Di- Junior,quando encarregado da m,-
u.d-A.or.n.9, podan, dirigir-se aquel- rc'.1.'Ss "b".,xo a.sign.do, fazem sciente a nha loJa "v'5' da.rU.a do CresP-
squesediguareinhonral-ocomsuacon- quem pS8a jntereSjar que no di. primeiro e que recebl por balanso e em
*Btn Sr Francisco Alv.s Monteiro tem de maiouo crranle tnno apartaran, amiga- qUdllto nao O fizer ver O seu nome
-U sr. rrancibco aivis siomeiro lom ,mente scedade que linham na vend. lv.
ma encommenda vind.de Braga : na ru. dl ru, da ,;ruI n. 37 0,ndo o socio Jl.noel neste Diario,
rj tauuga loja n. 4. de M.noel Joaquim Con.,|vl.8 de Azevedo Hamos obrigado ao Precisa-se de uma aras, tara todo o
11 ni
d
llias ce Castro.
Achuu-se uma ctrteir. com 89,000 rs.
'Idilio, na estrada que p.ss. em Su.ssun. :
quem for seu dono diriji-se ao engenho Pe-
iMii'iufo, em casa-de Silvestre umlas Lima.
-- O Sr. J0S0 Chunco Fernandos Cav.l-
rjnti,queira ter bond.de entender se com
uKbaixo assigoado, no praso de 15 dias se
iio quizer ter algum dissabor.
Jos de liveira Ramo e Silva.
OSr. Antonio Jos* Ouelhoue Barros Vali-
da ultima moda de Pars, pulselraa, cha-
peosinhos da seda e de pallia redondos para
meninos o meninas do um a seis annos,
com abas largas de lindos enfeites e d lo-
das as cor. s, vaatdoa para baptsar, tur-
bantes n espolias, ricos chapeos de teda d>
todas ss cies, manguitas de bico, da ulti-
ma moda, rendas ebicos de blondr, mullo
ricos enfeites de cabeca, para bailes e Ihea-
tros, grvalas de veludo, rico* capotinho-
e manteletes multo afeitados, laucados de
lila 1 ara senhoras e meninas, esaartlhos.
trancas hrancs com abofares, litas de ve
ludo de todas aa corea com sua competent
flvella, baleas, t.fcta de lodasas cores par
chapeo, e vestidos, camisinrias com.ber
tora e bordado, ditas con golinhas gorila-
das e oom bicos, cssaquinhas brancas bor-
dadas para meninos; na mesma loja r.zem-
se Vestidos de casamento, de bai tisado, lou-
ca ce menino e de senhors, rapotinhos de
todas as qualidades, com perfeir;9o e proco
commndo ; rocebem-se todos os mezes fi-
gurines modernos, que empresta a seus fre-
guezes.
ATTENCA.
Fabrica de chapeos de aol, no alterro
da li.-Vista, n. 22.
Neste novo eslabelecimento recebeu-ae
um novo e lindo soriiuento dech.pos de
sol do ultimo goslo, do seda e de p.nninho.
para homem, dn arinuciio de balnia e de ato,
os quaes se vrn'em por menos prer;o ele
que em nutra qualquer parte; e um grande
soilmenlo de sedas e panninho de todos as
cores o qualidades, para quem quizer man-
dar cubrir .sa>mac.O'S servidas, tamben, se
venden. hls para vestidos de senhoras, e
se coocertam chapeo velhos, estejam no es-
tado em que esliverem.
-- Aluga-se um arinazem no Forte do
Mallo, na ra do Amorim n. II : a tratar na
ra do Apollo, ven la n. 19.
GABINETE PORTUGUEZ
DE
LEITRA.
Por orieiu do III 11. Sr pruaidenle da as-
sembla ger.l, se convocam o accionistas
rara reuniSo ger.l, no da 23 do corrente.
pelas 4 horas da tarde, para se proceder a
eleic'i do conselho deliberativo. O se-
gundo secretario, M. J. d. Hucha.
Na ra do Vigario n 17 ,
precisa-se de ofliciaesde latoeiro e
funileiro.
Jos de Almeida fiarreto
Bastos nao deve cousa alguma ,
na rui do Queimado n. 2o.
do Becco I argo de virem pag.rseu dbitos,
e comopoucas posso.ai) lenh.mfeito; por is-
se se roga novamente.e pela ultima vez em ge-
ral a lodo*,de virem pagar aeua dbitos at o
H'm do corrente mez de m. io.oa carlez. de que
aquella, que o nSo llaerem lerdo de ver aeus
nome* publicados por este Diario esa prooe-
lera nos termos da lei, por quanto gneros
comprados a praso de 2, 3 e 4 nieze,o mais,
nflo he para se fiar por 3, 4 e mais annos.
Coneja....__.---------- ------
activo e passivo tendente ao mesmo estalle- servico de uma cas. de punca familia : no
lecimento.Lulz Jos de Si Araujo, Mu ni ate 10 da lloa Vista n. 78, loja de miudezas.
Goncalvcs de Azevedo llamos Joanna Mari, da Concedo, fazscien-
Uuem precisar de um pretn, escr.vo, to ao respeitav 1 publico, que ninguem f.-
bom cosinheiro, preferin lo-so oas. de ho- ca negocio algum com Jotqiim Crea, mo-
mem sollelro por aluguel.pde enleoder-se rador em Taqu.r, sobre os bens do falleci-
com S* Araujo, na ru da cruz n. 33. do vigario de Taquara, Jo Flix da Fonse-
As pissoas herdeiraa do lio.do Anto- c, por liaverem her leiros, e no terem a-
nio Mauricio Du.rte, que tiverem partero inda os ditos bens sido inventariados,
sitio denominadoGrandena estrada do No p.leo da llibeir. dcS. Jos, sobra-
loja, lava se e emgom.-se
e aceo, e por prerjo
commodo.
M.noel Ignacio de Oliveira compra ac-
edes do lia neo do Poma mbuco : n. Praga do
commercio n. 6
U thesoureiro da lotera do
uoaouut.-iaoue.rrosv...- Arr,,| jjgnem.8e enlender-ne com o ab.i- do n. 15 na loj,
derley.que.ra andar pa^ar aoabaixoassig- ,(',? n, ru, do queimado, segundo com toda perleicao
nado o aoppnn.entos que ha dous anuos H* *0 90b'r,j0 Q. 18,
mandou pedir.e at o presente nSo tem nem "'""' "" "u Jo3o j08 do Re.0
respouui.o as curia que se ihe tem esc- ip-
lo;emquanio 1180 pagar loias, ha de ver Perdeu-se quarU-feira, 19 do corrente,
^eu iiooie ueste Diario. da ra .Nova at a ra larga do Huzario, de-
jse de Ulieira Ramoi o Silva. ronle do beccodo,ieixe Frito, um brinco
-- Roga-seao digno empresario dothea- de ouro com um diamantea quemo tiver | Livramenlo, faz sciente 80 respci-
l>o de Saut.-haDel a repelido do bnllianle adiado querendo restituir, leveo a ra do ,, latera corre
diaroa-^iteuoHomicVj.o-anies do.bai- ftozario da Boa-Vista n. 46. que sera re- avel publico, que a lotera corre
les mascaraJos. compensado, e rog-se bem pela alu ; o as- mpretenvelmente no da 29 do
-- Alug.-se um preto pa'l lo lo serviijo de sim esper.-se de quem o achou por bond.- ajnda mesmo que r1(.Uem
tasa e ue ra, o coaruha o diario: quemo de c conciencia o e.itregue. ...... -y i
OSr. D>mingos Jos de Oliveira Ribei-
ro tem um. cari* a entregar : no pateo do
Collegio, loja do hvro azul.
-- Guimarfies & Oliveira, commerciante
villa de Porlo Calvo, avisan. .o piihlic.i,
Souza & Mello, esla-
pretender dinja-sea ra do Sevo, primen a
1 .i-a terrea le sollo.
* -* AoSr. Germano
lloga se, queira repetir quanto antes o n
muilo elogia jo uraniaNoile no llooici- que devendo aos Srs
dio islo deseja os que o 1180 vuain i.or helecidoa no trro da Bo.-Vist. 11 quanlia
causa da chuva. de 356,000 rs. em uma lelra passad. por el-
- Mo dia 22 do corrente se deve arrema- les na dala de 4 de novembio do 1851, pro-
lar om pr.es publica do Dr. juiz municipal ximo passado, e que ae venen em 4 de mar-
da segunda vara uma Casa terrea de renda codal M; os mesmos Srs. Souza Mel
armu.l por lauto lempo quanto for bastan- receberaniopagaraeiitodesla lelre.remeludo
te para pgame to da exeCurao de Jos Vi- em carta com o eixo de8 do mesmo mez de
rente Ferreira B.rros, contra a irmandade marco o que aquellos senhores accusar.m
de S. Domingos de CusmSo. em .-111 carta com o fexo de 16 do meucio-
O 10." numero do Apolllo do NorU nado mez terem rccobido, nell. doran, qui-
sair inf.llivelmenle no di. 30 do curenle, lacjiodepag. mesma letra, de que Um-
no formato do fli'ario Nodo. Couvm que bem colisa alguma sedevia.como declaram,
aquella* pe.-soas que poderem pag*r adiau- o que no remeltia r. a letra paga por des-
tado no heaitem, avistado recibo impres- conanca do portador, a que com avista
-u e aasign.do. Ser uto um peuhor de nos enireg.na ; porlanto, pess,oa alguma
Bonerosi ladeo patriotismo ; ,.orqie do con- receba dila letra por qualquer tr.nsaccflo,
irario havera muila dilllculdude na driC-,ou negocio.porque ja est pigi.e os aunun-
t.ui nubremen- cianle nao estSo obrigado*, a malicia
cao est heroica empieza,
le inlei.tada.
-- OSr. M.noel Ferroira Costa, tem uma
estaa travs*, do Tieni, n. II, ru* da
Prtia.
Ni Soled.de, cas. n. 7, se iluga o
liom conhecido molequo Junas, acoalumado
erir em oasas eslrangeiris ; cosinha, lie
I- ni comprador, Del, muilo doligeute, e nSo
tem vicio*; outro para qualquer servico,
mesmo de sitio, he bum trabalhador. Tam-
l'i'ni se veudem 1 es des.poli, de l.rcnj* tim-
bea, e ni tras plantas, assim como lamben,
semen'e deervilua*.
Aos senhores d engenho.
O redactor do Almanik da provincia, de-
Mjando mencionar no mesmo Almanak, o
Hume doa proprietarios e rendelro* dosen-
yenlios, roga aos meamos senhori* se dig-
nem mandar i u loj* de livros n. pr.?.
la Independencia ns. 6 e 8 o seus nomes, o
iif>m do engenho, a freguezi., villa e co-
n are. que perteneer; e te fr rendeiro, o
*U tome e do proprlel.iio.
l daquellos senhores ; eo mejaio aconte-
cer* aquello que tiver, e (presentar.
--O ab.ixo .asignado vem por este meio
agradecer os benvolo* favores que leve du-
r*nte o lempo que eslevo em ctaa do Sr. Ta-
bord* e o Sr. .Mendonca e mais Srs. em ge-
ni e como nao podease se despulir pela
hrevidadede sua vi.gem, por isso pede dis-
culpa de qualquer falta, e ae otTarece par* o
que Ihe for preatavel no Rio de Janeiro on-
de he su* residencia. Antonio Jos Mi-
bero Bastos.
Arrenda-ae um sitio na estrada do Re-
medio n. .contiguoao do rallecidoUuei.oz
Fonseca, com boa casa de vivenda, casa de
feitor, cocheira, e estribara eird, bem
planudo: para ver no meamo sitio, a 1 ara
tratar na ra da Moe.la n. 95.
O Sr. Jos de Almeida Brrelo B.slos .
quaira vir pagar a quanlia de 26/ rs., de que
he devedor, lia 3 annoa : na ra do Uueima-
do n. 20, to proveniente de bilhete da lo-
tera do Hio, em quanto e-n8o lixer ver o
seu nome neste Diario.
bilhetes por vender, o restante dos
bilhetcs ioteiros, muios, quartos,
decimos e viget>lmos, est-iin expos-
tosavenda, na loja de miudezas
da |irn;.i da Independencia n. \.
Bilhetes inteiro 10,000
Aleios 5,ooo
Quartos 2,600
Decimos 1,100
Vigsimos 'loo
- Precisa-ae de uma ama p.ra o servico
de compras e engommado, de uma cas* de
duas pessoas de familia : na Ponto Velb*
n. 14.
A'uga-ge o primeiro andar da esa da
ra da .Muja n. 7 : a tratar no segundo an-
dar da mesma.
O abaixo assignado, fu sci-
ente aos seus devedores, que at
o lim de nidio, queiram vir liqui-
dar o que Ihe devem, e lindo este
pra-o, entao nao liaver queixa na
ulilicacao dos seus nomes. An-
tonio da Cunha Soares GuimarSes.
Putilo i;nliniii\, ilenttata 0
frunce/.)offerece sen preatl- #
mo o piililieo |in ru todo* ns *j
mis!, r. s de sua pi-oflasao 1
pode ser procurado a qual- #
qucr nova e ui ana casa, na *)
i-ualai-gadoHozarlo, n. 30,
.f aeguudo andar. aj
#>#*> *!)
.ilailam Itoutier, 111 odista france-
za, ra Nova n. 58,
calta de receber de Franca, pelo 11.vio
a Conlo Roger > o objeclo* seguale* 1 um ...
grande onimento de cbipo de montara da da rus da Cadeia do Rooife n. si.defronie
BUWMAN & MC. CALLU.M eiiKenhnei
ros machinistas e fundidores de ferro, mes
respeitosmente *nnuncm sos senhor e
proprietarios de engenho*, fazendeiros, 1-
ao respeitavel publico, que o seu eslabele-
ciraento de ferro movido por machina de
vapor, na ru* do Brun,, paseando o chafa-
rl/, contina em effectivo eiercicio, eae
acha completamente montado com appa
relhos da primeira qualidade para a per
feita confecfSodas maiore* perjas de ma-
chinismo.
Habilitados para emprehender quaes-
quer obra* da sua. arle, Bowman 6t Me.
Callum, desejam mais particularmente
chamar a attenflo publica para as se-
guintes, por terem dellas grande sorti-
.....uto ja proinplas, em deposito na mesma
luii iii.'.io, as quaes construidas em sua fa-
brica pdem competir com as fabricadas
em paiz estrangeiro tanto em preco
como om qualidadeda materiae* prima* e
mflod'obra, saber :
Machinas de vapor da melhor cons-
truc^Ao.
Moendas de canna para engenhos de
lodos o* tmnhos movidaa^ vapor por
ag, ou animaos.
Rodas d'agoa moinhos de vento e
ierras
Manejos independentes par* cavallo*.
Rodas dentadas.
Aguilhoes, bronze* e chunuceira*.
Cavilhoes eparafuso de lodo* o* l-
mannos.
Taixas, peres, crivo*eboccs do or-
Ilalha.
Moinhos de mandioca, movidos mao
ou por animaes, e prensas par* a dila.
Chipis de fog3o e frnos de farinha.
Cano* de ferro torneras de ferro o
de bronze.
Bombas para cacimba o de ropucho ,
movidas a m3o, por animaes ou vento.
Guindastes, guincho* e macaco*.
Prensas hylraulicas e de parafuso.
Ferr.gens para navios, carros eobr*s
publicas.
Columnas, varandas, grados o portos
Prensas de copiar carias e sellar.
Camas, carros do mSoe arados do fer-
ros, ele ele.
Alm da superioridudc das suas obras,j
geralmente reconhecida Bowman d Me.
Callum garanlem a mais exacta conformi-
iljido com os moldes e dezeoho* rontellidos
pelos senhores que se dignarem de fazer-
ll.es pncommendaa, aproveilando a occa-
sin para agradesreui aus seus numero-
sos amigos e freguezo* a preferencia com
que leeui sido por elle* honrados, e asse-
guram-lhesque nSo pouparao es furtos e
diligencias para continuarem a merecer a
sua conanca.
?????? i'+fc* &&9i9)9&9 9 9
ConsuLTo.io c.KTait aonceoPiTHico V
OB PHRNAMBUC*.
Derigiaopelo Dr. Sabino Olegario I.ud-
i/tro l'inho.
Ru* do Trapiche Novo n. 13.
Todo os dias uleis so darn consultas
e remedios de gr*c* aos pobres,dos le
pela ni.nilili, .t as duas horas da tar-
do. As correspondeuci.se iniforma-
008 poderflo ser dirigidas verbal-; *>
mente, ou por escriplo, devendo o ?*
9) dnenle. indicar priimiro: o nome, a #
tti id.de, esUdo, prulissao, e coostitui- 4
0 eo ; aguado: *( molestias, que Um 9>
|| tido, e o remedios lomados; tercei-
S^i ro : poca doapparecimento Ja mo- *B
j lostia actual, o descripQSo miuucios., 0
0 dos signaos ousymplomas quesolTrer 9
Cali^iatta
Na hua do Arag5o, n. i2, se-
gundo andar, copia-se com perfei-
rao qualquer papel em milito boa
eltra e por preco commodo.
Attentao.
Tendu-se por v*es rogado aquella pe*-
aoaa que asilo Javeodo contaaantigaana ven-
DAURORA
ti. Starr & Companhia,
iiespi.|iii.,,i, ,-nto annunci.m que no seu ex-
tenso estabeleciment em Santo Amaro,
continua a fabricar, com a nalor perfeicao
e promptidflo, toda qualidade de machinis-
mo para o uso d. agricultura, navegac,3o a
manufactura, e que para malor commolo
de leu* numeroso* freguezes e do publico
em geni, tem iberio em um dos grandes
rmazens do Sr. Mwquiu na ru* do llrum,
tr.z do arsenal de marinh*, um
Deposito de machinas,
construidas no dilo seu eslabelecimento.
All acharSo os compradores um comple-
to aortimento de moendas de canna, com
todo* os melhoramentos (alguns dalles no-
vo* e originaos) de que experiencia de
multos annoa tem rnostra lo oecessidade.
Machinas de vapor de baixa e alta pres-
sSo, tachas de lodo tamanho, tanto batidaa,
como fundidas, carros d* m3o, e ditos para
conduzr formas de assucar, machinas para
moer mandioca, prensa* par. dito, Torno
de ferro batido para farinha, arados de fer-
roda mais anprov.da construccao, fundos
para alambiques, crivos e porl nallia-, e uma innidade de obras de ferro,
quoser infadonho enumerar.
Nomesinu deposito existe uma pessoa i ti -
telligente e habilitada para recchor todas as
encommendas, etc. etc., que os annuncian-
les, condado com a capacidade de suas of-
linas e macliinismo, e pericia de seus ofll-
cites, *e compromrtlom a fazer execular,
com a maior presteza, perfei(3o, e exacta
eniiiiirini IiiId com os moJelos, ou dse-
nhos, o iustructes quo Ihe furem forne-
cids.
N. ra das Agoas Verdes, sobrado de
um andar n. 14, ongumina-so e l.v.-se, to-
da qualidade de topa; boin comocose-se to-
da costurbanlo de alfaiate, como par. se-
ahora, com perfeic,8o e gosto, tudo por pre-
co nnis coinuiodo, do que om oulra qual-
quer parle.
Hotel lenle, ruado Trapiche
Tem salas o quartos preparados com decen-
cia p.r. receber hospedes.
Al mogos e janl.rcs a vul ;os a qualquer hora.
Vinho de tojas a qualidades, servoja, re-
frescos etc. etc.
Kornece com lodo o aceio o proviraenlo dia-
rio para mesa de qualquer iodividuo ou
familia.
Emcunibe-se de faz** jantaros par. for.,
dando louca, vidros, ele. etc,
Di camilla por assignatura mensal, Unto
no esU beleci ment como fora dalle.
Tudo pelo mais commodo prego possivel,
com limpeza e promplidSo.
fJffVVft^fr|,:fflf^|l!ifff W


s> Este eslabelecimento possue todo*
ia>
W
>
Botica homopathica.
28 RA OAS CHU2ES 28,
Dirigida por um phat maceulico
approvado.
i>
>
4
*
1


m
os medic.mentos at agora experi- *
montados, tanto na Europa orno no ^
Brasil, c preparados polas machinas ^
da inveneflo do Dr. Mure. *,
PRECOS.
das carltirat homopallUcit. ^
Emcarteiras de 12 tubos grande* 12/ *
24 20/
aa > 24 pequeo* 15/ 2
*" Tubos escolhido (cada um) 1/ ^
~ Tintura s demedicamentos em ^
frascos de 1|2onc;a (cada umj 2? M
lia mais, lom destas, outr.s muita* caixs com globuloso Unturas por
presos variaveis, conforme o tama-
nho ea qualidade das caixas, o a
q 11ani 1 lado dos remedios o nssuas
iiynamisaces, etc.
AVIAO SE GRATUITAMENTE ^.
P para os pobr s, tudas .sreceitas que ^
J p.ra ali mandar qu.lquer professor. <;
AAAAAA4i Garidude sem limites,
Sciencia setn privilegio.
Francisco de l'aula Carneiro
Le3o, reside no aterro da Boa Vis-
ta u. 16, onde olerece-se para
curar homeopticamente as se-
guintes enfermdades e nao en-
rando nao tem direito a nenhum
pagamento sendo chamado lojo
no principio da molestia e nao
tomando o doente nenhum medi-
camento alopathico e mesmo ca-
seiro. Kerimentos de bala, ou de
quaesquer oulros instrumentos ;
grandes quedas ou ptncadas por
maiores que sejam, respirando a-
inda o paciente; pleunzes, os mais
agudos e violentos ; febre amarel-
la, desenteria sangunea, bexigas,
sarampo, e sarnas inda as mais in-
tensas e rebeldes, erisypellas, to-
da molestia venrea ousyphlytica,
bobas, soja de que carcter forem;
t-heumatismos agudos, e em geral
todas as mais enfermdades em
tempo que possam ser curadas.
AOS DENTES.
J. A. S. Jane, o bem eonboeido dentista
neat* praca a tannos.pode ser procurtdo
na sua residencia ru* Nova n. 14, primeiro
andar, para todo* mistare* da sua arte, nao
em sua casa,como fora dalla.
999990000 009909000
Segeiro. g
q Alberto Provost segeiro tam a non- q
ra de prevenir ao respeitavel publico q,
S queraubeleceu-se no becco do Tam-
Y bl defronte do chafariz da praca da J*
9 lio.-Vista,piimeira cocheira. esquer- W
9 d. ululo as pessoas que do sea t
^ prestimo precit.rom, o*ch*r3o sem- v
3 pre protnpto pra servil-as com bre- Q
O vidade e prego commodo. O mesmo O
9 encarroga-se de qualquer concert O
A lendenle ao seu oOlcio. O
QOOOOOOOOO99O9000O
Compras.
-- Na ra da Cruz do Recife n. 18, tercei-
ro andar, compra-se uma escrava, qu* seja
da boa conducta, e entenda bem de costura,
cozipha e engommado, prefere- se parda.
Na ra da Senzalla Velha, defronte de
Sr, Montuiro oinlor,compra-ae lo las as qua-
lidade* de ferro* velho* a melaea de toda*
a qualidades assim como ouralos de pannos
linos,esem 1 ras e toda* a* qualidade* de mu-
lamboque servirm para fazer papel : as-
sim como cabo* velho, Ion* ule.
Compri-se um sobrado de um andar
com bons commodos, que seja no bairro da
Ro. Vista : .nouncie ou dinja-se a ra do
Hospicio ca n. 17, que se dir quem
compra.
Compra-ge duas escravas crioula* ou
pardas de 12 a 20 annos, a que tenham bois
llguria : na ra Nova n. 16.
Compra***
casas terreas ou sobrado de um andar, em
le'iis ras: quem as liver dirija-ae ru*
das Aguas-V, r.les. l.vern n. 48
Compr.-so um diccionario de francez
para portuguez de Roquetl, que ealeja om
meio uso : 110 cae di alfandega, ai inazuu.
grande, defronte da escadiuha.
Compr.-se um oculo de alcance, no de-
pnsilo da fundigao da Aurora i na ra do
Brun so dir quem. __________
Vendas.

C'oii-ullorii) hoiueo
pathieu.
lina do Collegion. 25, pri-
meiro andar.
O Dr. F. A. Lobo Mosco-
so d consultas gratis aos
pobres, todos os dias das 8
as 1 a horas da manhSa. Fra-
tica qualquer operacSo de ci-
rurgia, ou de partos. Rece-
be cscravos doentes para tra-
tar de suas enfermdades, ou #
fazer qualquer operagao, por *
commodo.
a preco commodo. #-> t
Uculos com arma^o de tartrruga,
pelo iieco do 2,000: na loj. de miudezas
da ra i-i:a do Rozario, junto botica do
Sr. Bartholomeu.
Vcndcm-se uns poucos de
cavados dsela : no armazem do
sal, na ra da ('onecicao da Boa
Vista.
-- Vonde-so 1 balcSo por prepo commo-
do : na ra do Livramcnto n. 21.
Vendse uma loalha de laberinto tendo
uma pequea parte de panno no meio, o es-
tampadaem finissimo esguiao heomais bem
le lo, de melhor goato que he|possivel e por
prei;o commodo : no Beco Largo do Rectfa
seguado andar, n. t.
No pasaeio publico loj. de fazendas n.
17.ven iein-ae cortes de cambraiacom barras,
e excellemes padrOe a 3.200 rs., ditas de
ca*** chita a 2.000 rs., chita para cobertas,
cores flxa<, a bonitos padre a 200 rs. o co-
v.do, ma par. vestido 100, 129, 160 e 200
rs o covado, chales de 13. e sed. a 3,200 rs ,
dito* dala* a 1,000 rs corles de coleta dn
131 e seda a 6)0 rs., lenciuhos trancos com
bico em volla a 360 rs., ditos pinl.dinhos a
300 ra. muas cruas un- rieau.s muito finas,*
2 200 para 200 rs aluodSo americano com
algum toque de av.ra a 120 r*. vara, e
outr.s multas fazend.* de cujo* presos os
prelundentes se agradarSo.
Ven ii-so urna cisa do lijlo e cal, e li-
neada a modcrn, cita n. ra do Motocolom-
b, dos rogados, quem a pretender dirija-se
a ru. imperial n 31; na mesma casa vnde-
se um qu.rtao decangalba, russo, em boas
c.rnes.
Ao Srs, compradores de escravos p.ra fora.
Veude-se um. mu bonita e ssdia escrava,
que cose, tece, borda, lava, engomma, a
cosinha o diario de uma casa, tudo muito
bem, tem 18 annos : Uata-ae ora Ulinda, na
casa do 6 jaimllas e porlSo no centro, no Pi-
sa, dofronte d es. dos Orfflos em S. There-
z*. n3o sj vendo p.r. a R.bia, ou Peroim
buco,
Vende-se um aflato moco, o carrei-
ro : na ra das Cruzesn. 40.
l'ecliiiicia .
Vende-se na ra da Cruz n. 50, primeiro
aodar, uma escrava, cr.oula, moga e de al-
gua as habilidades.
-- Vende-se uma oegra de meia idade,
muilo sala, co*inha e l.v* muito perfeiU-
inente 1 n* ru* do Livramonto, 11. 38, veuda.
Aovo e l'oiti
rape de Lisboa a 3o \s. a oitava :
na ruada C'adea do Recite, a. i5.
Ven le-- dous negros, bonita* figuras,
idade* de 20 .25 anuos : quem pretender
comprar dirij*-se .0 paleo do Cirmo, ven-
ia n I, ual.r com Amonio Joaquim Per-
reir d Souza.
AVISO AU PUBLICO.
Na botica da ra do Collegio n. 18, conti-
nu.m-se a vendar as verdadeiras a bem
conceiluadas pillas para bobas, cravos se-
cos, e dores venreas, por mu* antigs que
sejam ; cujo bous cuellos confessau. todos
que dola tem felo uso. Com^osi(3o do
iiliarmacouiico bebasliSo Joa de liveira
M.cedu; e p.r. conheciaMolo da mesmo
publico e principalmente de algum.s pes-
soas que no eslejam ao aloance, o couhe-
cimenlo das verdadeiras pilulaa, se faz pu-
blico por asta aviso.
-- Vende-so a melhor farinha de -S. Ua-
liieos, e chegado lia pouco bordo do pa-
ladio Aracaiy, e en. pori;ao : a balar com
Manuel Ui.sna ra do Vtgaiio u. 14, Urcei-
ro audar.
3Gantois l'ailhclck Companhia
Conlinu-*e vender 00 deposito,-
# ger.l d. ru d Cruz n. 52, o excel-*
i l'Mitne bem conceituado rap areiaB
prcla da fabrica deCaotoia l'atllict <\J
Companhia d. Babia, em grandes eS
cquelas porcocs pelo preco cstabe-j*;
ecido. ii
wmmmmmmmmmwmnmymmwm
Cht EM VELAS.
Vcnde-se cera em velas das
melhores fabricas de Lisboa e do
hio de Janeiro, sortimentos mui-
to variados e a precos commodos :
na ra do Vigario n. 19, segundo
andar escriptorio de Machado &
Pinheiro.
Vende-se a verdadvira agoa
mineral chamada Selters Was-
ser e uma pequea poroao de
charutos da Babia : em casa de
Le Schuler & Companhia, na ra
1:
1.
i


Pertences para escriptorio e repara
ticdea publicas.
P.oel de peio, dito almaon, incluindo
umpequeni qointld.de; d'uma marca
mior. propria pira de.p.chos Upia. liara
cTc.r.So preto, brala, de diversas cft-
r. om ixinh. de p.pelSo. papel mala-
borrSo. nvchinas para copiar cartas, lint*
orrta de escrever, papis oleados, livros
com ndices e papel em resmas, proprios
para os roesmos, balanQas para pesar carias,
ole etc. ludo recebido ltimamente de
Ingte-ra, de superior qualidide, e por
pr eos commodos: no escriploriode Eluar-
doH. Wyatt, ra do Trapiche-Novo, n. 18.
Linhas de novello.
de rouito boa qualidade, e varioasortimen-
tas por precoa multo commodos, noescrip-
torio de Eduardo H. Wyatt, ra do Tnpi-
cha-Novo, n. 18.
Bicos 8 rendas.
Hicos sorlimentos, em ciixa de papelfio
enfeiladis, por precos muito em conta : no
escripturio de Eduardo H. Wyatt, ra do
Trapicbe-uvo, n. 18.
Fio de vela.
Minio superior fio inglez, ltimamente
recebido, por preco mdico: no escripto-
rio deE. H. Wyatl, ruado Trapiche-Novo,
n. 18. ,
- Em c*s*de Roth&Bidoul*c,n ruido
Trapiche Novo o. 1, vende-sc um piano.
Jioni e barato.
Na loja da ra do Crespo n. 10 vendem-
mi palitos e casacas de brim a *,000 rs.; cha-
les de seda a 4,000, 5.000 e 6,000 rs ; cassas
para baados* 24ors. avara; ricos man-
teletes de seda prela e de cores, de menos
preso do que em oulra qualquer iarte,
mautiohas de seda, para menina a 40 rs.
cada urna, o outras muilas fazondss, que
ai vendem por todo preso a dioheiro a
vista.
Pechincha.
Na loja da ra do Crespo n. 10, vende se
chita com um pequeo defeilo.ruida do cu-
pim a 100 rs. ocovado; ditas limpas a 120e
160 rs. o cu va do.
Admiracao.
Na loja da ra do Crespo n. 10, vende-sa
pelodiminuto preso de 1,500 rs. Cada um ,
lindos chapeos de sol do panuinho bem on-
r.'itado-, para meninas, obra prima; a elles
antes queso acabem.
Vende-se, ou arrenda-se um engenho,
distante dosla prasa 3 legoas, rcoenlo e cor-
rente, com boas torras de plantsno, todas
as obras e mais proporsoes: quem qnzor
examinar, dirjase a travessa doQueimado
n. 1, primeiro andar.
Vcudein-se a 160 rs. o covado.
Chitas linas f'ancezas, de gosto moderno
e de cores litas, asmis finas que lem ap-
parecido ueste mercado : na ra do Cros-
po, loja amarilla n. 4, de Antonio Francisco
Pereira.
Vendetn-se a 30,000 rs.,
palitos de panno e casimiras de cores, forra-
dos de setim de maco, os melhores que
tem appar^cido no mercado: na ra do Cres-
po, loja amarella n. 4, de Antonio francis-
co Pereira.
-- Vende-se na ra da Senzalla Nova n. 4.
urna preta de naso, e ao comprador sa dir
o motivo por que se vende.
Deposito ge ral do rap
Gasse do Rio de .la-
neiro, na ra da Cruz
n. 25.
ACABA DE CIIEGAR A ESTE nEPWPTO A
BOA PITADA 1>U RAPE'
Grosso, meio grosso e fino
Pelos presos j sabidos de 1,280 as duas pri-
moiras qualidades, c 900 rs. a ultima, sendo
du 5 libras para cima. Escusado he enfadar o
publico com a dcsciipsflo pe desle fibricmle ; a sua anliguidade a
atiesta, ecm verdade pela simples e sauda-
vol composisSo enlloca os tomantes urna vez
habituados em nflo o poderem substituir
uor outro. Coinparem pois os amantes da
boa pitada a qualidade desle rap com a des-
sa mulndSode nuvus rapes, e o sen elTiilo
us resolvers lomar desle oudaquelle.
Vendse urna bonita paroa, escura.de
18 anuos, sdia, que maica, cote, engom-
nia, faz labyrinto, corla camisas do homem,
as mais modernas e fa-las, corla veslilos
de senhoras os mais dilliceis com molde e
fa-los, a qual so sefende pura a presa pela
sua exemplar cunducta. Una oulra parda
do bonita lisura clara, habilidosa, e moc,",
grvida de 8 mezas, para engenho ou fra
da provincia. E urna oulra parda, quo cote,
engomma, cosinha ; todas tres em conta,
que sBo para saldar antigos dbitos: na ra
larga do Kozario n. 35, loja.
Ni nova luja de miudozas, em frente
do Livrament, alm de outros novos sorli-
mento? de quinquelharias, lem meiascruas
para senhora a 400 rs. o par, fazenda de
niuila durasu ; ditas lisas e abertas ; lu-
vas de algodSo, a 240 rs. o par ; dilas de
pelica, a 1,000 rs.; ditas du seda preta e de
cures; papel perlina, de peso, meto hollan-
da, paulado, dilo e peso dito de cores ;
ehotoaduras douradas euvadas, mostrando
a c ihi's.i de diversos animaos da Europa, e
outras muitas fazendas mais baratas do que
em nutr qualquer parte, isto para liqui-
dacSo de cuntas.
Na ra Nova ja de Jos
Uaptit-ta Braga lia para vender
por .'|oo,000 rs. cada utn, dous a-
lambiques de columna e carapu-
9a novos e muito bem acabados ,
e em tudo semelhantes oos que se
vendem por 600,000 c 700,000 rs.,
isto porque se deseja concluir essa
tran.sacc.3o.
|)cvoc,an do mez Mariano.
Recebeu-se de Paria urna pequen* porsfio
de tersos, engradaitos em rame lino, com
um crucitixo em televo. mostrando os mar-
tyrios, que por nos padeceu Nosso Salvador,
por isso se lorinin recommendaveis para os
devotus, porserem feitos com toda a deli-
cadeza, digna do tilo pia devosSo : vendem-
se na nova loja de miudezas em frente alo
Livramenlo, a 1,200 rs. a duzia, el28r*.
i
um.
i99999M99999t%^9%9ww9
* Na loja l'ernumbucana, ra
2 do Crespo n. 11.
f Vendem-se casemiras franczs mo- ajr
m deroas e de excellenles qualidades e
t padrOes, pelo baratissimo preso de
> 4,000 rs. o corte, para cal;*
099&9&999)9>9*&9>%i9999
Sedas, no atterro da Boa vista
loja de calcado defronle da bo-
neca n. i4.
Vendem-se as mais superiores sedas fur-
tacores e de helissimos padrOcs de dif-
rerente* cores,pnr preso que muito agradar*
ao comprador, em rszSo de se dezejar liqui-
dar; assim como um novo e completo sorti-
mento de c*ls*dos de todas as qualidades. .
-- Vende-se um escravo muito sadio, de!
idade de 22 annos, e muito bou cisinhoi-j
ro : na ra doQueimado n. 32, loja. /
CalcadosJt, 3
3,000.,
V5o, 1,000, a,5oo e
no aterro da Boa Vis
ta n. iq, deIYonte da boneca,
h* chegada o bem conhecidos sipatOss do
Aracaty 750 rs., edeorelha a 1,000 rs, de
lustros 2,500 rs., e os melhoras que tem;
vindo da Baha a ,000 rs., o os bem conhe-
cidos sapalfles de lustro e de bizerro de
Nantes, muito proprios par* a estacan pre-
sente; assim como um novo o completo sor-
timento de calcados francezes e de Lisboa
de todas as qualidades, tanto para homem,
como para senttya, meninos e meninas, tu-
do por preso fflGiio commodo. fiin dse
apurar dinheiro.
Deposito de cal virgem.
Conh* & Amorim, na ra da Cadeia dn
llecite, n. 50, vende-se barra com supe-
rior cil em pedr, chegtd* pelo ultimo
navio de l.isbo*, por meno preso do que
em outra qualqner parte.
Altencao.
Vende-se na ra estreit do Rozario n. II,
tmaras muito nova, sendo cada caixinha a
600 rs. e mtiores s 800 rs., oslrelmh* a 320
rs. libra, bolachinht de Lisboa 360 rs. *
libr*.
Grande fabrica de chapeos de sol,
de J. Falque ra do Collgeio
n. 4.
Neste novo estabolecimonto recebeu-se
um novo e lindo sorlimento de chpeos de
Sidos ltimosgoslos, Unto do sed como
de paoinho para horneas e senhoras, de ar-
m*sdo de b*leia e de *sso que se vendem
por menos preso quo em oulra qualquer Dar-
le ; grande sorlimento de chanialole, sedas
e paninbos em pesa de todas as cores e qua-
lidades para as pessoas que quizerem m*n-
dar cubrir rmasoes servidas. Completo sor-
limento de baleaa para vestidos cspartiltios
par* senhoras, fazem-se umbellss de igreja e
conceita-seqnalquer qualidade de chapeos
de sol:todos osobjectoscima mencionados
se vendem em porsfio e s rctalho, por preso
que agradar aos freguezes vista da quali-
dade.
Carinlia de mandioca.
Vendem-se saccas rom familia nova.che-
gada ltimamente do t'.eara, a 2,000 rs. e
em lo'.es de 10 saccas para sima, a 1,800 rs.,
cada um* sacca : no nrmazem do J. J. Tas-
so Jnior: na ra do Amorim n. 35.
Chapeos de rol.
Vende-se um bonito sorlimento de cha-
peos de sol desuda, com cabos de bom gos-
to: em casa do Eduardo II. Wyatt, naiua do
Trapiche Novo u. 18.
Vendo-se feijlo mulalinho, mullo no-
vo, em saccas de alqueire, mediu> velha, a
9,000 rs. a sacca : na ra da Cadeia do lle-
cife n. 49, segundo andar.
tasa de commissao de escravos.
Vendem-se escravos e recebetn-
se de commissao, tanto para a pro-
vincia como para fra della, para
0 que se olTerece muitas garantas
a seusdonos narua da Cacimba
n. 11, primeiro andar.
Vendem-se os verdadeiros selins in-
glezcs, patente, de,*nolla e sem ella : na
ra da Senzalla Nova n. 12.
Cbeguem antas que ge acabe.
Vendem-se capachos de todos os lma-
nhos a 560 is. cada um : n* ra do Cabug
n. 6.
K. 39 A.
Vendem-se na ra cstroila do Itozario,tra-
vessa para o Queimado, deposito n. 39 A,
latas da moilo acreditada bolachinha de
raruta, pelo diminuto preso de 2,100; tam-
bero continua-se a vender biscoitinhos, fa-
lias e bolachinhas de araruta.a relalho.tudu
muito lino e que se pode apresentar em urna
mesa do cha sem escrpulo ; vendem-so
biscoilos doces o aguados de boa farinha e
de ditferentes lmannos ; lamhem as muito
boas bolachinhas americanas quadraclas das
pequeas e lambem maiores para 240 rs. a
libra, bolachinhas do regalia e de leite e
maisdivorsas, tudo por commndo preso.
Transpawntes para janella.
N* loja de GuJmsr&es & H'iiriques, ru do
Crespo n. 5, vendem-se transparentes chegs-
dos uHimamenle de Franfa ; esta fazenda
esl sendo preferida as Venesianas lan\o pe-
la sua boa qualidade cumo pelos lindos de-
senhos com vistas pitorescas. Vendem-se o
mais barato possivel, quo a vista da ra/enda
os protendentes nao deixarilo de comprar.
Lindas de carriteis de 200 jardas.
Vendom-se lincas de carrileis de 200 jar-
das de todos os nmeros a 90 ) rs. a duzia,
ditos de 100 jardas a 3J0 rs.: na ra do Ca-
bug n. 6.
I.'epsito de cal e potassa.
No arraazem da ra da Cadeia
do Hecife n. 12, lia muito supe-
rior cal de Lisboa, em pedra, as-
sim como potassa chegada ltima-
mente, a precos muilo rasoaveis.
v Agencia de Edwin Maw.
Na ra de Apollo n. 6, arinazein de Me. Cal-
mont& Companhia, acha-ae conaiantemente
bona aortlineotoa de laia de ferro coado e
balido, (auto raaa como fundas, moendaa ln-
eliaatodaade ferro para antinaea, agoa, ele,
dtlaa para armar em inadeira de todos os ta-
manhoa e madelloa o mata moderno, machina
hiirlaonlal para vapor, com forca de 4 caval-
tul, coucoa, pasaadeiraa de ferro estanhado
pai a caaa de pulgar, por menos preco que os
decobre, cacovena para navios, ferro ioglez
1 u ii.riii barraacomo em arcoafolhaa,eludo
puf baratu preco.
-- Vendem-se amarras do ferro: na "'la da
Senzalla >nvi n. 42.
iiiiiciiicdu- para menino).
Vendem-se na ruado Calinga n. 6, brin-
quedos para meninos, baratos que a Imira :
a elles que he para acabar.
AGENCIA
da fundicSo Low-Moor.
RA DA SENZALLA NOVA N. 42
Neste estabeleeimento conti-
na a baver um completo sorti-
mento de moendas o meias moen-
ilis para engenho, machinas de
vapor, e taixas de ferro batido e
coado, de todos os tamaitos, pa-
ra dito.
Deposito dn fabrica do Todos os
Sanios na Baha.
Vende-se,em casa deN. U.Bieber&C.,
na ra da Cruz n. 4, algodSo transado da-
qnella fabrica, muito proprio par* saccosde
assucar eroupa de escravos, porpresocom-
modu.
Moinhos de vento
com bombas de repuxo para regrar borlas
ebaixas decaplm nafundisflodeBowmaux
cV M. Calhem: na ra do Bium ns.6, 8 e 10.
Vende-se um terreno na ra da Aurora
com 50 palmos de frente e 280 de extensSo,
tundo oes de tijolo a beira mar, (cando en-
tre as casas dos lllms. Srs. GustavBo Jos do
llego e Francisco Antonio de Oliveira : os
praiendentesdirijam-se a ruadas Torras o.
8, primeiro andar.


Deposite de panno de algodSo da
febrica Todos os Santos da Ba-
nhia.
Yende-se por preco commodo
0 bem conhecido panno de algo-
dio des'a fabrica ; em pessa, a
vontadc do comprador: no escrip-
torio de Novaes & Companhia, na
ra do Trapiche n. 34.
Mercurio.
i vendo-so mcrcu'io de primeir* sorle : em
casa de Augusto C. de Abreu, na ra da Ca-
' deia do Recife n 48.
Cartas finas para voltarete.
Vendom-se biralhos de cartas a 500 rs.
Iproprias para voltaiete : na ra du Cabug
O.I.
Vendem-se no becco do Connives, *r-
1 nia/cm de neane Ynnle Companhia, lucias
barricas com superior farinha de trigo.
Arados de ferro.
Na tundisSo dt Aurora, em S. Amaro,
vendem-so aradosdeferrode diversos mo-
delos.
Cortes de brim de linho, a 1,280,
2,240 e 2,000 rs.
Vendem-se corles de brim pardo, deli
11I111 puro, a 1,280 rs. ; ditos de cores com
lislras de bom goslo, a 2,240 rs. ; dilus de
hrins amarellos, a 2,000 rs.; corles do calsa
deriscadode linhode Jistras, a 720 rs.; cas-
sasescampinadas para cortinados, com 8 i|2
varas, a 2,400 rs. pesa.
? ?^?^?^^???^?^^^^^^^
Na loja pernambuctina da
ra do Crespo n. 11
Vendem-se ptimas scdts furla-co-
ajj res de bellissimos padrfles e differen- 4
* tes larguras, pelo diminulissimo pre- "
f SO do 1,000, 1,500, e 2,000 rs. o co-
Novo sorlimento de panos finos e
casimiras de todas as quali
dadei.
Na ra do Crespo, loja da esquina, que
rollu para a Cadeia, vendem-se panno pre-
to, a 2,800, 3,200,3,500, 4,000 e 5,000 rs. O
covado; dilo francez, muilo superior
6,000 rs.; dilo verde, a 2,800 rs.; dilo azul,
a.800, 3,500 e4,000rs.; dito cor do rape,
a 2,M0Ors.; corles de calsa de casimira pre-
ta infestada, a 5,000 e 6,000 rs. ; dita fran
cez elstica, 7,500,8,000, 9,000, 10,000 e
11,500 JS.; sarja preta, a 2,400 rs. o Covado;
dita hespanliola, a 2,800 rs., e outras mui-
tas fazendas por presos comrr.odos.
- Vendem-se na ra do Cabug n. 6, te-
souras muilo linas, proprias paia costura a
320 rs. cada urna, ditas maiores a 400 rs., e
ditas grandes para corlar costuras 480 rs.
cada urna.
.Armazcm de vinhos.
Na ra da Senzalla Velha n. 48,
vendem-se vinhos de Lisboa e Fi-
gueir, dos mais superiori-s que ha
no mercado pelo diminuto preco
de 200 c 240 rs. a garrafa,e i,5oo
a 1,80o rs. a caada : para confir-
mar d-se a provar, e para ver da-
se a beber ; he baratinho, a elle
freguezes que he bom vinho.
farinha de trigo
SSSF.'
Fontana.
Galega.
Ilaxal.
No armazemde J. J. Tasso J-
nior, na ra do Amorim n. 35.
Vende-se a typographia do
Diario Novo, propriedade di Viu-
va Koma a qual est montada ,
tanto de bonstypos, como de pre-
lus, e de todos os tttencis necessa-
1 os a urna boa typographia : tra-
ta-se com a proprieUria, na ra
da l'raia n. 55.
Fran i as para cortinados.
Vendem-so n* ra do Cabog n. 6, franjas
de belnlas a 4,000 rs. cada peen, dilas sem
hellas a 3,000 rs., ditas estrellas para toa-
II11 100 rs. a vara.
Cordas para violo.
Vendem-se n* ra do Cabug n. 6, corda
naraviolfio, muilo novas, por presos com-
modos.
Bicos de largura de palmo
Vendem-se na ra do Cabug n. 6, bicos
de largura de palmo e mais largos 640 rs.
a vara, ditos pouco mais estreilo a 500 rs.,
ditos de largura de meio palmo a 320, ditoa
de 4 dedos a 240 a vara.
I.nvas fio da Escocia.
Vendem-se na ra do Cabug n. 6. loja
do baraleiro, luvas fio da Escoc* 300 rs.,
sem mofo slgum.
Oh que pechincha.
Vendem-se na ra do Cabug n. 6, luvas
de Irocal a 500 rs. o par, ditas dilas a 726,
ditas ditas cum belotss a 1,000 rs., ditas de
ponto inglez para homem a !,6 do dito de cores proprias para montaria a
1,28.1, e com um loaue de mofo a 1,000 rs.,
dilas ditas com requifes e hellas para se-
nhora a 1,500 o par.
licrf.s fitas de veludo.
Vendem-se na ra do Cabug n. 6, fitas
de veludo lisas e abortas a 1,280 rs., assim
como um sorlimento de fivclas para as mes-
mas.
U barateiro da ra do Cabng.
Vendem-se na ra do Cabug n. 6, luja de
nfiudezas, os mais r iros penles de coco imi-
tando 1 tartaruga a 1,380 rs.. ditos mais in-
feriores a 720 rs.,dito ditosa 280, ditos para
alisar a 326, ditos de marfim a 3u0 rs.; a el-
les que se eslSo acabando.
Hicas franjas c trancas para
manteletes.
Vendem-se na ra do Cabug n. 6, loja
do birateiro, franjas e trancas pretas de to-
das as larguras por presos mais commodos
do que em outra qualquer parlo.
Hicas charuteiras.
Vendem-se na ra do Cabug n. 6, ricas
charuteiras* 2,000 rs. cada urna, dilas mais
ordinri*s 480 rs., dilas pedjuonas 1 240.
Meias cruas.
Vendem-se na ra do Cabug n. 6, masos
de meias cruas a 3,000 rs. cada um, ditos de
lislras a 3,200, ditos muito linos para senho-
ra a 5,000 rs., assim como um sortimenlode
ditas de meninos e meninas por presos mui-
to commodos.
Panno mesclado.
Vende-se panno mesclado a 10,000 rs. o
corle de palitos, com 21|3 covadus : na ra
do Crespo n. 6.
Vende-se taberna, sita na ru* do Ca-
4
Aos senhortf agentes dos bata-
Ihoes.
, Nolterro dBo*-Vista loja de miudozn
Vendo-se a historia de Simio de N*ntu,' n w Tende-se um gunde porsfio de bolo*
trJOOrs.': najivran d* pr*?da lndepen-|,,0M0 braaeose preto* para calca e j-queis
s de 240 rs. a groxa, preso que a-
Siiii&o de Nantua a
800 rs.
dencia n. 6 e8.
Na loja pernambucana da
ra do Crespo n. n. j
A Vendem-se a 13,000 e 14,000 rs. cor-
$ les de riquissimas sedas furla-corrs a)
aM para vestidos de senhoras. a
?ti
Vendem-se n* ru* do Cabug n. 6, bo-
Ies de madreperola, muito linos 560 rs. a
groza, assim como um sorlimento de miu-
dezas, proprio para boceleiras o mscales,
todo por presos baratos que admiram.
I 'ii casa de eane Yuule & Companhia,
vende-se algodSo entransado da llalli j
Pannos finos.
N* ru* do Crespo n. 5, loja do passo, ven-
dom-se pinos Soos, pruv* de limfio, *
3,500, 4.000 o 5,000 rs., e muito fino limes-
te 8,000 rs.; dilo verde a 3,000 e 5,000 rs.;
dito cor de caf muilo superior s 5,000 is:
Vcnde-se Itezin* de ingico de muilo
superior qualidade em arrobas a 5,120 rs.,
em libras a 320 rs. : na ru* di Cidei* do Re-
cife loja de ferrageus n. 53.
CHA PKKTO.
Vende-se superior cha preto,
em caixas de 3o libras cada urna :
em casa de J. J. Tasso Jnior, na
ra du Amorim n. 35.
Algodao para ropa de escravos.
Vende-se algodSo muito encorpado, pro-
prio para rOpa de escravos, com pequeo to-
que de avaria 140 rs. a jarda ; dilo limpo
a 180 rs.: na ra do Crespo n. 5.
Moenrlns superiores.
Na funilicjo de ('.. Marre; Companhia,
um S.-Amaro, acham-sea venda moendas
le caiinn, todas de ferro, de um modelo e
construcsSo muilo superior
Taixas para engenlios
Na fundicao de ferro de Bow-
nion 8c 31c. Callum na rua do
lirnin, p.ssanilo o chafariz, conti-
na a haver um completo sorti-
menlo de taixas de ferr*j fundido e
batido, de 3 a 8 palmos de bocea ,
as quaes acham-se a venda por
preco commodo e com prompti-
do, embarcam-se, ou carregam-
se em carros, sem despezas ao com-
prador.
Vinlio de Champagne,
o superior qualidade: vende-se no arma-
zem Kalkmanu IrmSos Rua da Cruz, n. 10
Caixas para sabonetes
Vendem-se na rua do Cabug n. 6, caixas
douradas o praliadas com um sahoneto mui-
lo fino, pelo diminuto preso de 800 rs. cada
11 mu ,! ditas de pao a 400 rs.
I'otassa americana.
No antigo deposito di cadeia velha, n
12 existe urna pequea porc.in de potassa
a menea na, chegada recen tenienle que por
superior rivaliaa com idiHussia: vnde-
se por preso razn ve I
\a loja pernambucana da
rua do Crespo n. 11
Vendem-se loucas de La para se-
nhora eenfeiles pera cabes* ornados
de retroz.
Carteirinhas para algibeira.
Na frente do Livramenlo. loja de miude-
zas, lem as mais lindas carteirinhas, que se
lem visto de buflo, macnctado de ouro
francez e forradas de setim, com duas ci-
las, muito proprias para as senhorss guar-
dareis mor l.s de ouro, OU prata.
Chapeos do chily pequeos re-
/ guiares.
Nafrante dn Livramenlo, continua 1 ter
sorlimento de chapeos do chily, pequeos e
regulares, a 4 e 6,000 rs. um.
-. Vondc-se para lora da Ierra, ou para al-
gum engenho, urna escrava com habilida-
des, lind* moga, sem vicios, nem sciaques:
no Manguinho, taberna junto ao. Sr. Iler-
culano.
Pcntesatarlarugados degomos pa-
ra cc.
Na loja de miudezas, defronte do Livra-
menlo, j tem 1 nucos destes escissos pen-
les enlrancadns para cc, vendem-se por
1,000 rs cada um.
-- Vendem-se dous excellenles terrenos
proprios, na Boa-Vista, ru* dos Pires, junto
a caixa d'agoa, de um e outro lado, tendo o
do lado do Norte um bom licerce na frente,
com esl", em estsdo de ruin* mas be ca-
paz de sobo elle se levaatar qualquer so-
brado de dous andares ; tem ote i0 pal-
mos de frente, e de fundo 125, o do lado do
Sul, da caixa d'agoa tem 66 palmos do fren-
te, e 125 de fundo : tratar dentro do mes-
mo sitio com Minoel Joaquim Carneirn
Leal.
Vendem-se rclogios de ou-
ro e prata, patente inglez: narua
la Senzalla Nova n. !\i.
Muitas fazendas por pouco diuhei-
ro na rua do Crespo n. 6.
Cortes do brim escuro do puro linho a
1,440 rs., ditos de listra de bom gosto a ,"0"
rs., dito amarello a 1,800 rs. riscado de li-
nho proprio para calcas e palitos 200 rs. o
covado, panno fino preto a 3,000 4,000 rs. o
covado, pessas declinas escurasen n 38 co-
vados a 4,500, 5,t00 e 5,500 rs., cambraia de
lilscom 8 1|2 varas a 3,400 e 3,500 rs. a pes-
sa, tensos de cambraia de linho a 400, 480,
e 560 rs. proprios para mSo, riscadoa assen-
tados em algodSo muito encornado proprios
para escravos a 160,180 e 200 rs. o cuvado,
zuarle azul com 4 palmos a 200 rs. o cova-
do, e muitas msis fazendas ^orproso com-
modo da loja cima referida.
J'aia os senhores de engenho.
Encerados de lona muito bem feitos
grandes, promptos, alcatroados, para ro
brir cargas de assucar, pelo barato preso de
4,000 rs. cada um : na ru* do Trapicho No-
vo n. 18, scguudo andar, a fallar com Jusc
Saporite.
-- Ven lo-se ou permuta-s por escravos,
um* lego* de Ierra em quadro no termo da
vita de Sennhaem, junto ao rio Pirangi,
com excellenles malas de madeir* de cons-
trucsSo, pruoria para levantar engenho :
quem quizer dirija-se a rua Augusta, es-
ao p de urna que se esta edificando, ou an-
nuncie.
- Vende-se um ralogio de prat* piten-
_ inglez muilo bom regulador; como lam-
iein uta galo de campin* bom cantador: n*
rua do Rangel n. 38, segundo indar, se dir
quem vende.
Chaves de parafuso.
de andalo
grada ao comprador.
Vendo-se um prelo de idade 35 anuos,
sem vicio nem molestia, oroprio pira o ser-
viso do campo : quem o quizer comprar,
procure ni Soledide, casa n. 24, defronle do
qusitel.
-- Vendem-se duas carrosas, sendo um*
de boi eoutr* par c*v*llo,assim como urna
Oles* grande de aaiirellu deps torneados,
tudo por oreen commodo: no aterro da Boa
Vista n. 27.
a*ajSA9 m4MW)*1fl!*)W ARADOS AMERICANOS.
y Vendem-se arados ame-
9 ricanos, chegados dosEsta-
S dos Unidos, pelo barato pre- S
?' 90 de 40,000rs. cada um: na 9
0 rua do Trapiche n. 8. ^
Vonde-se um ovallo, bom andador; no
Manguinho, cas* junto a padaria nova.
ACl-D AM!
Acudtm innocencia, grilava um pobre
miope, que por affertaso andava sem
neulos, debrasos iberios e olhos no co. Desaprareceu no dia 7 do crrante uoii
currando pol-s ruis para pirar um vest- Prpta di Cosa chamada Anni Rita, levando
Pentes de tartaruga
P*r coco por 3,500, e novissimas Mu,.
duras douradas pa'* osic* : na |njt j.
miudez**, junto a botica do Sr. Birtholo.
meu.
Attendei e vede,
que o maior ceg be aquello que no
quer ver.
Miopes I mocos de vista cansarla, velhos
que oto enchergais um palmo diante do na-
riz ; (Mudantes que erris porta d'aula e
ides eabarrar n'oina das esquina* d< rui do
ti gentes que peds dinheiru cmprcsli-
doi um desconhec do suppon loseraeupai
vinde. vinde fer que o remedio para tudo
isso he
He do melhor /rosto.
Riquissimas pulseiras de fita de velludo
de seda com IIvelas e franjas de madrepor0.
la. Tollas de fila do velludo para pescieo
com muito bonitas livelas de nnir......1,,
de metil doorido, d'um modelo inteiramen-
to novo, lind* nSo visto tiesta provincia:
a senhora que se qui'er apresentar no maior
rigor da moda pela festa do Espirito Sinto
nflo deixrr, porcerto, de as comprar na luj
de miudem di rui larga do Rozario, juulo
i botica do Sr. Ital IllOloilieu. lian-.a |t
amostras.
Escravos fgidos.
1I0 de menina que, engoinmado si tinia
des.aega o do una illa varanitl, o vinha
caindo disrriQilo do vento 1.....mu de
maquina, julgando ser urna ci laen que por
de-.....lo se linha precipitado de alguma
janella baixo, ale que os muleques o
descngaiaram pelos assohios e casoada que
Ihe lizeram. Kis ao quo s- expdem to ios
aquellos que, necesitando do oculos, mi
dam sem elles ; so l he peifeitarnente
um diccionario vivo de asneiras, se com-
primentt he ordinariamente a quem nflo
conhecc, se en la na rua, iconlvce-lhe des-
tas e outras raladas. Ho 1 or isso que se
Ihe avisa que quem os quizer v na rua lar-
ga do Rozario, n. 35, luja, que os achara
bous e baratos.
Alpacao para palitos.
Vende-se esta rica fazenda pelo mdico
vestido escuro,panno da Cosa com listas en-
carnadas, e tem tres carosos as costas,s n-
doum igual a urna goiaba; cor Tul,o osla-
dlos do rosto sfln destarrados : roga-ia
as autoridades policiaes ou a quem 111-
teresaarde a prender elevar a ruada Senz|.
la Nova 11. 4, quesera reompensado.
100,000 rs. de gratdicacao,
A quem apprehender a preta abaixu de-
clarada.
ContinaaeslirfugidiipretaFelicidarle
desde o dii 17 de rna^o prximo passadn '
tem os signaes seguintes:estatura regular'
tem falta de denles na frente, marcas da panI
no no rosto, cor nSo muilo preta, muilo pro-
zista, levou vestido de chita j desbolado
panno da Costo usado, um taboleiro peque-
no em que andara vendendo, tem por eos-
turne ter ropa fra e mudar quandnsai'
pceo de (i|u is. o covail 1 111 rua do Crespo: tem sido vista muitas vezes, urnas no Mnn-
n. 5. I leiro.e outras om HeLiribe, lavando rp* de
Vende-se urna salva de prat* par* dosej gsnho, edizemlo que pnr mandado do sua
copos, gosto moderno, esem leilio no altor-, sen ora; tem sido encontrada junio com um
ro da Bui-Visla luja do miudezas e cals>do cmoeiro, que niveg para tiln,la, ella Um
n.74.
Oh que lindos batizinhos o
800 rs.
Vende-se lindos bauzinhos de vidro,
com e-pe li ', proprio para senhoras guirda-
mili no engenho 8. Cosme : roga-se, v,-.
lanto, as autoridides policiaes e capilrs de
campo, a sui captura, indi mesmu ella di-
zondo que nSo esl fugid, e ilerem a sui
senhora, na ru* da Cruz do Itecifo n. 3) .
ssim como se prtesis contra quem a Uver
rem jolas a 800 rs. cada um ; Un los ugulliei- occulladn e oohrar-se os dias de serviso.
ros de metal com todo sortimontn dn agu-' Nos fins de outubro do anno passtdo,
Ihas a 140 rs., s o igulheiro vale o dinhei-: desappareceu doabaixo assignado o escrav
ro, csxinhas de agulhas francczsscom 4 pa- j creoulu, de nomeMamede, com idade de 16
peis 11. 6, 8, 10 e 12 a 380 rs. s caixinha, di-, annos, bem parecido, lricos um tinto gruj-
as rom 4 papis n. 9,10, 11.12, todas mu- sos, olnosgrandes,e tem os pese mSos gran-
lo linas a 300 rs. 1 caxinha, tocadores do'des; elle costuma gaguejar muito pouco,
jcarand a 2,400 rs., ditos de madeia bran-
ca 1 1,200 rs,, espeihos par* algibeira a 80
rs., 100 rs., e 120 rs., lindas de pezo xeias a
60 rs. a miadinlia, pontea finos para alisar a
3-20 rs., o outras muitas couzas na rua do
Cabug Inj. n. 3.
I'fchinclia.
Na padaria da rua Imperial n.
quando lem me lo ou riivt; rog*-se pois a
todas ss autho'idides da provincia, visinhas
ea Indos que delle souberem que o fa,; m
prender e levs-lo ao abaixo assignado, mu-
ra Jor na rua Imperial, que pagar toda a
despeza. Antonio da Silva GusmSo.
No dia 10 de mam, desappareceu a pre-
ta Joaquina, de msSoCassange, representa
ter 35 a t) annos, liana, ctieia do corjo,
37, deronte do chafariz, e na rua ondo regular cor ful olhos pequeos, e
.' ,1 1 1 com carne sobre elles, lem urna costura na
do Hangel, deposito de OOlaclia n.'carn noladoesquerdo, porm muito apaga-
13, na esquina do becco, que vai da,que mal se percebe, nariz chalo, cum
_. 111- falta de alguns.denles, de ume outro lado,
para o trem, vendem-se bolachSes hc feiai le(n u'ma empinge no rosto, que
e brotes feitos de tnilho muito bem parece ser bexiga, pellos muito pequeos o
feitos a 1 180 rs a arroba nro- ma'xns< ,em 'gumas icitruas de ralbo
leitos, a 1,180 rs. a arrona pro- n8SC(lsl,S| tem as nidigMempimdis pera
prios para emba cadico em por- t's, he bem fallante, representa ser creou-
cao e a retalho, assim'como se fa- !?,ul,'.T;m?B!,i?J!"ecip*d'"0M,T
de coznh, levou diversa ropa, que senao
zem recommendaveis aos senhores sabe da que usura, costumav aodar sujae
que quizerem dar substancia a seus oi.brigar-se, quando foge tem por custu-
1 j me andar pelos arrebaldesdesta pras*,qui-
la 11 lando e lavando ropa, intitulando-sede
1 forra ; desconfia-se que esleja servindo era
ilguma casa como forre : as pessoas quo se
esiam servindo della na boa fe, queiram
denunciar, do contrario se usar dos meiui
' que concedo lei : roga-se as lutorilados
policiaes e capilfles decampo, ou a qualquer
possoa, que a apprehond, ou a laca appre-
hender e leva-la a seu senhor Domingos da
Silva Campos, na rua das Cruzas n. 40, que
escravos.
("aitss de jogar
Vendem-so cartas linas frincezas para
voltarete a 500 rs. n baralho, e a duzia a
5,800 rs. : na rua do Cabug, loja n. 3.
Vende-se urna cadeirlulK do arruar;
gosto moderno, ricamente dourada, com 3
vnlros e tamhem grades, as correas do mar-
roquini, debutadas de amarello, librea para
os pretos ; a cadoira tem o seu complanle
caixflo para a guardar: quem a pretender di- 8erfio generosamente recompensados,
rija-se ao atierro da Boa Vala n. 2, no pri- ESCRAVOS FGIDOS DO RIO
meiro andar que ahi se dir quem vende. i DE MNEIIIO.
Novosortimelo de lazendas ba-,n.EnJ 8''0 *bril do crreme anno, fugio do
Rio de Janc-ro o escravo crooulo de nome
ratas Theodosio, olliciil da ferreiro, oqualhena-
Na rua Jo Crespo loja da esquina que vol- turril da provincia de Pernambuco; t-m
ta pan a Cideii vendem-so pesas de unida- i puuco mais ou menos vinto annes, he cheio
1 nio Isrgo muito fino com pequeo toque do co'po, tem as mSos grussas e com ma-
do av'ha a fOU a pesa,di tas li ipas a 2 409 jcas de fugo, rosto choio, nar s grosso eclia-
rs., pesas de ciiitade cor flxa a 4,500, 5.000 to, e beisos grossos : consta que este escra-
5,500 c (i.niui, 1 aseado de linho 180 rs. oco-| vu veio rom o titulo de forro, e com o no-
l
vado, lonsos hraeos de cessa a 160 rs., dilos
de cambraia de linho fino a 400, 500, 600 rs.
cambraiasde ebr fiza padrOesmodernoscom
7 varis 2,500 rs., merino prelo superior
2 800, 3,000 e 3,800 rs dito setim 1 3,600
rs. o covodo, e outras muitas fazendas por
preso commodo.
Alambiqus mgicos
para em 5 minutos fazer caf; pirdce impos
-ivi I que possa existir semcLiante inven
SSo: mas felizmente he tSo Tardada que
quem liver 4,000 rs. pdc possuir um; com-
ni. ndo-n na rua larga do l'.o/ai 10, loja de
miudezas, junto butica do Sr. Barlholo-
meu.
-- Na rua das Cruzes n. 22, vonde-se um
lindo moleque c-eoulo, de 13 aonns, e urna
preta creoula, chegados prximamente do
mato, e silo proprios para todo serviso.
Sebo purificado.
Na rua Direita n. 59, vende-se sebo pu-
rificado, por preso muito em conta.
Veide-se um carro pequeo de 4 rodas
para um e dous cvalos, lodo pintado e for-
rado de novo, vende-se em corita: a Iratar
na rua doQueimado, loja n. 10.
Vende-se um escravo, perito padeiro :
quem o pretender dirija-se a casa de Lima
Jnior & Companhia, na ru* da Cruz n. 28,
segundo andar.
-- Vende-sc um sitio na estrada l.i Ci-
punga Nova com 2 casas, 1 ltimamente
acaba le, e de muito bnm gosto.e I salva de
prata: os prelendentes dirijam-se a boiiea
da rua do Livramenlo n 22.
Vende-so superior erva-mate, chegada
ltimamente a 240 rs. a libra : na ru* d*
Moda n 35
Aviso em tempo.
A illuitiissim* senhora pernambucana,
que se quizer spresentar no suspirado e
memnravel dia ue seu casamento, com um
vestido digno de l.o magnifico acto, queira
mandar comprar na loja, abaixo desigoada,
as mais rica* franjas de seda branca e de to-
mo trocado, de pissugem nu vapor S. Se-
basliSo, que naufragou na altura dcMacei:
o qual oscravo perleuce a Sra.D.lgn>Ca Ma-
ri* Valentina de Lomos, do Rio de Janeiro ;
e por isso roga-so todss as autoridades
dos diversos dislrictos, e cspitSes decam-
po ou outras quaesquer pessoas que noticia
tiverem Jo mesmo escravo oprendam cu
m n tem levar na ru* da Cadeia do lenle,
a entregar a Joflo Jos da Carvalho Mur e-,
que s- responsabilis* por todas as despezas.
Desappareceram do engenho do me r.
propriedade de Francisco de Carvalho l'aes
de Andrade, na madrugada do dia 12 de mar-
co, os seguintrs esciavus : Manoel pardo, de
idade 45 i) anuos, cor escura, barl preta.e
bem femada,costuma usir sanente de mea
suissas e lem um pequeo signal preto qua-
si na masan do rosto ; Alexandie tambero
pardo, pouco m*is escuro que o sobre lito,
idade 20 a 25 annos, estatura alta, espadan-
do e bem feito de corpo, ten lo panos prelus
pelo rusto e por lodo o corpo; Miguel, creou-
lu, estatura baixa, retorcido de corpo, roslu
qoasi redondo e ja deacahido, idade 38 a ID
annos. Os dous primeiros se dizeni irmflus,
e silo de l'.jc do Flures; mas aqui manda-
ram forjar urna carta, para Ibes ser-ir de pas-
saporles, qual foi dirigida para Inhamuns,
e lalvez para ahi ossem, ou para *s vizi-
n lianzas.
Desappareceu, ha quinze dias, um*
prela escrava, de nomo Hollina, representa
t ir de idade quarenli annos. suppde-so
estar oceulta em algum lugar; levou dous
vestidos de chita, um de riscado e ulro
pintado com marca prela, li alta e magra
levou um pe liso de panno da Costa, r in-
di s vezes venden lo agua e fruclas. Ro-
ga-se todas as autoridades e espitaos do
campo, ou qualquer pessoa que liver noti-
cia della a prendara e mandem levar na rua
do Apollo, em cas* do Sr. Norberto Joaquim
Jo.' Guedes, que ser recompensado
Desappareceu do engenho Noto do Cabo
8 dias o escriTO creoulo de nome Bento, of-
junto bofe, do sr. B.rtnolomeu. f,|u de Je|llM freole quem pegar |e.
ilettantis
Vende-se chaves inglezas proprias piriIcompni os sobefB'as harmnicos de 20a 2t ipensado.
veo ao dito engenho, qu ser bem recom-
no n. 3, com poucus fundos e bem (fregu larrachar porcasde carros : na rua do Quei-1 chaves, por 15 a 20,000 rs.: ns loja de miu-J <
zada para a pr*s* : a tratar na mesan. kraido n. 14. Ideza, junto botica do Sr. Birlholomeu.'


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID ETMKLWT9I_2Z2PLM INGEST_TIME 2013-03-29T15:01:58Z PACKAGE AA00011611_03603
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES