Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:03584


This item is only available as the following downloads:


Full Text
Anno de 1839. QuintaFeira
Tudo agora depende de nos mesmos; da notsa prudencia, madera.
cho, e energa : continuemos como principiamos e seremos apuntados
com admiraco entre as Nares roas cultus.
Proclamacao da Assemblea Geral do Brazil.
4
Subscreve-se para esta folha a 3j*ooo por quartel pagos adiantados
ncsja Typografia, ra das Cru/es U. 5, e na l'raca da Independencia
D. 37 e 58, onde se recebcm correspondencias lega'lisadas, eannuucios;
nsinndo-te estes gratis, sendo dosproprios assignantes, e viudos assie-
ados.
Partidas dos Correios Terrestres.
CidadedaParahiba e Villas de sua preter-co...................\
Dita do Kio Grande do Norte, e Villas Idro...................L
Dita da Fortaleza Villas dem......................., iO-'gundas Stxtas Fciras.
ViIIh de Goianna........................,...."" /
Cidade de Ulinda..................'...'.'.'.'.'.'. .'.'.'.'. '. *. Todos os lias.
V. la deb. Antao ....... .....................-.Quintas feiras.
Uita debanaiihiiiu e Poyoac,o do Bonito....................U,as lo, e ,4 dec.rta me.
Unas do Cabo, bennliaem, Rio Formozo, e Porta Calvo............dem 1 11, e at dito d
Cidade das Alagoas, e Villa de Macei.........................dem dem
Villa de Paja de Flores.................................1(JcB j^ d(0 i
I odos os Corretos partera ao meio din.
Agosto. a8.
Londi js......
I- >iioa.......
CAMBIOS.
31 por Ifooo ccd.
90 por a/a premio, por metal offerecido.
F'anca..... 3io a 315 res por tranco nom.
hio de Janeiro 3 por 0/0 de premio.
DURO -- Moedat de 6040o rs., Velua toffioo
n !,U' ., .. Novas i5#ooo a
Hitas le Wooo rs., 8^oo a
Patacrs iiaiileiroi ----... l}65o.a
Pezus*Coltimnarios ........ i^tito a
di>os Mexicanos-------...... i|4o a
Premios das Letras, por mez I i/S por loo
PRATA
ir
F/f'ico
1 #0X0
tgcy,
|I600
Dias da Semana.
a6 Segunda
Y] Te'ra-------- -
a8 Quilla-------
19 Quinta-------
30 Sexta---------
31 Sabbado -
1 Domingo-
8. Zeferino P. M.--------------
S. Joze de Calasans-----------------
S. Agostinho II. Dout.--------------
Dego iro da S. Joo Haplisla -
S. Hoza de Lima V.------------
S. H.iymuiiilo Nonato Card.-----
N. S. da Penba. -.........
. Se, da Tbez., e Aud. do 1. de O. dai. r. de aa.
-----Uelar.'.o, Audiencia doJ.deD. dji.v.dem.
- Sesso da Thezouraria Publica.
-----Sesso la l'hex., e Aud. do J. de D. da a. vara.
-----SessSo d* Tbez. c Aud. do J. de D. da t, vara.
- Quarlo ming. aos a j miu. da tarde.
Mare chela para o da I9 de Agosto.
As 9 dorase 18 minuto; d maub.As 9 horas e 4? Minutos da tarde.
PERNNAMBUCO.
GOVERNO DA PROVINCIA.
expediente do dia 6 do corrente.
Officio Ao Commandante das Armas, pa-
ra fazer dar baixa ao recruta Antonio Joze
Becerra, porserfilho nico de viuva.
.Dito Ao Inspector da The/ouraria das
Rendas Provinciaes, significando-lhe, cm'res-
posta aoseuofficio de vi do corrente, que ;
Presidencia compete execulare fazer ex ecutar
as Leis, e epiepor tanto deve elle cumprir as
ordens, quelite foro expedidas em officio do dia
a'2 a cerca da arreeadaco os imposlos sobre as
sacas de algodo e caixas, feichos, e barri-
cas de assucar nao obstante as rasos que
pondera no seo dito officio as nuaes todas
ibro previstas, e tivero a devida conside-
radle qnando a Presidencia quiz consiliar
os i 11 terecos do Commercio c da Fazenda
Publica cpm aexeeuco dos Arligos j8 e ig
da Lei Provincial numero 7 1.
Dito Ao Commandante Geral do Corpo de
Polica, sigoificando-lhe em resposta ao seo
officio dcsla .ita, que pode demittir o Cali
da terceira Companhia Manoel da Silva Ca-
valcanti, visto nao poder continuar a ser-
vir, em consequencia das molestias que pa-
dece.
Dito Ao Inspector do Arsenal de Mari-
nba, communicando-lhe, que havendo sido
jaldada improcedente pelo Juizo da primeira
-vara do Crime dcsla Comarca, a domnela
dada pelo Promotor Publico cintra Nicolao
Joze da Silva (liabas dono do Patacbo Por-
tuguez Providencia, contras pessoas viudas
a bordo do mesmo Navio em consequencia
d haverem indicios de que se empregavo
no Commcrcio illicito de esclavatura ; or-
dena-lhe quemando entregar o referido Pa-
tacbo ao seo respectivo dono, o qual deve a
pagar qualquer despega que se tenba 'eito dos-
de que 'fot apresado.
I lito Dr Ao Ju'iz de Di r cito da a. p Vara
doCrime, declarando-lite que nao con
do as rea oes que remtleu com o seu oficio
de 11 do corrente mez, todas as decJaracoes ex-
igidas na Portara de 9 de Mato do anno pas-
sado, enos modellos que aacompanharo, a
fim de que a vista dolas se organizem os Map-
as Geraes do oslado da Administradlo da
ustica Criminal da Provincia, como tanto
he raister para conhecimento da Presidencia ;
e nao tendo esta julgado valiozas as rasoes que
o mesmo Juizapprosenjou em seo dito officio
para nao dar os mappas dos trabalhos da Ses-
so uos Jurados a que presidio pela uruiu
determinada na dita Portaria e modellos ;
lbe taz a Presidencia reverter as ditas rela-
ces informes e Ihe ordena que cumpra
xaclamenle quanto sobre este objecto lhe tem
ido determinado tanto na dita Portaria co-
mo em officio de a6 de Janeiro deslean-
no Quanto ao pagamento desordenado de
que trata, cumpre que recorra em forma
sequer ser attendido como for
cipando-lhe a determinacao do Thezouro Pu-
blico Nacional cm data de iH de Jullio p. p.
para a Tbezouraria desta Provincia promover,
o arrecadar aquantiade 762,001 rs. do sal-
do do espolio do ezembargador Antonio l'e-
lippe Soares de Andrde Brederode recebi-
do do mesmo Thezouro em 7 de Marco de
Mi em consequoricia da mesma quanlia ja
baver sido paga em i8a8-, alim de recolher aos
Col res al portancia.
da aa.
OfficioAoExm Presidente da Provincia
informando o requerimento dos Negociantes
desta Praca,
Dito Ao Inspector do Arsenal de Marinlia
pedindo o orcamento da despeza que poder;!
ser feita pelo mesmo Arsenal no anno finan-
ceiro de (S j 1 .1 s
da al
OheioAo Contador da mesma Tbezou-
raria com a ordem do Tribunal do Thezou-
ro Publico Nacional de 15 de Julbo p. p. sob
num. 8J.
I itoAo mesmo partecipando-lbe em con-
sequencia de oommunka< o loila j>elo atxm,
Prezidente da Provincia queoGoverno Im-
perial por Avizo da Secretaria do Estado dos
Negocios da Fazenda de 1H do mez passado ,
approvou o concert dos armazens d'Alfande-
ga desta Cidade e a construc o dos doui
felheiros para se rccolherem os gneros de
Estiva ; bem como a resoluca de se arren-
dar aigtim armazem ou Trapixe no caso de
nao baver (piom os portenda allandejjar
Tribunal do Thezouro Tublico Nacional d<
i5 de Julhop. p sub n. 83 marcando o
modo porque se deve executar a Tabella que
se refere o artigo t" da 1 ei de ao de utubro
de 188 sob n 60.
1 ortaria todos os ( ollectores de Diver-
sas Rendas da Provincia remettendo-lbes por
copia a ordem de que trata o precedente olli-
cio.
THEZORARIA PROVINCIAL.
piritodo Reglamelo das Alfandegas acerca
das mercadorias reexportadas ou baldiadas
art. a to ; e fora de outro modo impossivel
prevenir a fraude e certo que se assim nao
he dove-se concluir que s os que liebem
sao obri;ados ao consumo por uanto os do
mais esto no mesmo cazo dos Supplicantes o
seria do mister adevinhar ,' para se exi-
gir esse imposto : que quanto ao argumento
dos Supplicantes, deduzido du difficuldado
da restitu a. no cazo d reexporta o por
quanto sendo diversa a pessoa que reexporta ,
ficarao os Supplicantes por indemnizar pois
que a esse reexporlador be que o Arrematan-
te hade restituirdirei que apar da duvida
dero os Supplicantes a solnco que se outro
be o reexportador ao outro cabe a indemn-
zaco e nao aos Supplicantes be deeviden-
EVPEDIESTE no DIA DO CORSEB TK
Officio Ao lllm Inspector da Tbezouraria
da Provincia requizitando 20 ooollooo de rs.
por con la do I eficit Provincial, consignados
pela Lei no corrente anno financeiro
Dito Ao mesmo exigindo a Portaria de
ao de Marco pela qual o Exm. Presidente cia mais que os Supplicantes fiquem por in-
mandou abonar por emprestimo a Cmara Mu- demnizar. tao extranho quanto be volito ,
nicipal de linda t :9c) Uooo reis por que foi que no preco da venda j; l vai incluido o
arrematada a tapagem do atierro dos arrom-j imposto que cm ultima analize toca ao cim-
bados. I sumidor ; e na verdade se a restituieo s
lllm e Exm. Snr. Com a resposta in- be devida'no cazo de os Supplicantes reex-
cluza do Dr Procurador l i sea l informo a V. 1 portarem mas se ellcs n3o reexportarb a
lx-. sobre a pretenco dos Negociantes im- vendorao a outro para consumo como queri-
prtadores de bebidas espirituozas nesta Pro- o a restituico ? 6. finalmente que gran-
vineia tendo somente a accressentar : 1. des vantagens rezulto a Fazenda de se fazer a
rjue bumaarrematavo solemnemente feita por cobranca pela maneira contractad as quaea
virtude e forma de bu Lei, e approvada sondo oBrias escuzado be referilas e que ,-
pelo Governo em cumprimento de bu oulra adniittir-se. oque pretendem os Suppli'-an-
Lei por estar inteiramentc conforme com os tos a percepeo deste Imposto trar romsipo
principios de Direito de modoalgum pode en travs nao pequeos, e embaraces para po
ser alterada cm ncnbu de suas, parle: 2." der ser bem fiscalizado e arrecadado, bran-
que be muito recomendado pelo Alvar de do mesmo assim siijeitos ; infalivel extravii,
DitoAo mesmo partecipando-lhe baver 9 do aneiro de 1789 que se nao deve por I .'eos (iuarde a V. Ex. Tbezouraria das*
0 Regente em Nome do Imperador por Pecreto modo algum olfender a f publica d ellas Rendas Provinciaes de Pcmambuco 1.* de A-
do '8de'unho do corrente anno nomeadoao f por isso mister he serem sustentadas por goslo de 18ci. lllm. e Exm Snr Francisco
1 outor Antonio Peregrino Maciel Monteiro -que do contrario poder-se-bo seguir graves do Reg farros Presidente da Provincia, O
para o lugar de Director do Curso Jurdico de inconvenientes que de ordinario revertem em In-pector da Thezouraria Joo Raptista Pe-
Olinda determinando cm Avizo de ao de oetiimento e prejuizo da l'azenda Publica: reir Lobo Jnior.
icio era .1 que qualquer altera o ou mudan a d; Officio A Doutor Procurador Fiscal da
diroilo ao Arrematante ou de podercncam-. The/ouraria para proceder como limito for
pr o contracto, ou de pedir indemnizaces contra Laman Joze de Albuquerque avista
ascendo d'ahi perda certa para a mesma da conta incltiza


Julbo ultimo que continu no exercicio
que se acha o actual Diieclor interino.
DitoAo mesmo remettendo-lhe com offi-
cio da Cmara Municipal da Villa do Limo-
eiro a relaronominal de algumaspessoas, que
Fazenda 4 *Jue ^ contracto foi arrema- PortariaAo Thezoureiro das Rendas Pro^-
competente ,
* dejustica,
THEZORARIA DA FAZENDA
EXPEDIENTE DO Dli DO COnntHTE
OfficioAo Commandante das Armas com
o requerimento do Capito Vlanoel Joaquim
dOlneita para emiltir a sna opinio a res-
peilo da preten a6 do mesmo
DitoA 1>. Mara de J^inbo f orges perte-
assentos competentes e exlrabiras contas pa-
ra a cobranca menos a do devedor Joao Ca-
valcanle d Albuquerque por ja baver saptis-
feito o seu debito em 1 do corrente.
DiloAo mesmo partecpando a nomecao
feita pelo Exm < residente da Provincia na
pessoa do bronel 'o/e oaquim Coelbo para
o lugar de Director do Arsenal de Guerra no
impedimento do Major Joze 'arlos Teixeira
I MOiO VicatiiG pa'cvipaiiuO*nC
Regente do Imperio por Avizo da Secretaria
de Estado dos Negocios da Guern de 5 de Ju-
nho do corrente anno apnrovado a obra a
qne se mandn proceder dehum Trapixe no
Arsenal de Guerra e a nomeaco feita pela
Presidencia desta rovincia na pessoa de Jo-
aquim ( arneirodo Sotua I acerda para adian-
tar o registro do referido Arsenal.
CitoAo Inspector da Aifandega com hum
officio do Inspector da Thezouraria do Hio
Grande do Norte e mais documento, que
oac ompanbara para vista delles mandar
extrabir huma conta do prejuizo que se~
freu a Fazenda Publica com os direi tos que
i ranea <\ < omp. deixoude satslzer de varios
barris da plvora que remetteu pa a a<|uel-
la Provincia consignaco de Francisco RkV-l
lieh S Comp.
DitoA Administrador da Meza do on-
sulado remetteodo-lhe por copia a ordem de
se acho devedoras a fazenda Publica pelo tado por pre o to subido, sem duvida ha vinciaes ordenando que pague aquartois adi
Inspector da Siza a fim de mandar fazer os isso devido fcil cobran a de tal impozico ; antados ou a mozos vencidos segundo com-
5 que tendo os gneros importados apre- petir aos Professores e mais Empregados
sump o de se destinarem ao consumo do Haiz do Liceo desta Cidade aos Professores a
e com mor for a de razo aquellos queja mais, Empregados do Seminario de Olinda ,
pagaro na Aifandega os direi tos respectivos e de Gramtica I atina da Provincia contera
a importa, o para consumo o dola sal:iro piados na respectiva Folha do corrente anno
he bem fundada a percepeo do imposto financeiro.
Provincial do consumo de bebidas esperituozas Dita~kAo mesmo para pagar na mesma con
assim despachadas dependendo por conse formidade cima aos Professores de l'rimeiras
quencia d parte daquelleque reexporta a Letras da Provincia-idem
* preva cm contrario ; sen/lo certo qne da qtiil- Dita-Ao mesmo para pa^ar a mezes vend-
i que as mais das vezes accontece he que dos aos Juizes de Direito romotores, e
se tira regra : que ;i prevalecer esse argumento Empregados da Chancelheria-idem,
de possibilidade da reexporta ao para que os DitaAo mesmo para pagar na mesma con-
."uppicantes nao paguem o imposto, ello pro- formidade aos Empregados da vacina e For-
varia que o imposto s deve ser pcrcebidO nr-cedor dos prezos pobres e bem assim os
d'aquclle que efectivamente behesse, por soccorros de Beneficencia idem.
que podendo o Taherneiro reexporra 1
r tambem
o Tarbeneiro est no mesmo cazo dos Sup-
plicantes : que nao he novo que os gneros ,
que tem aprezump o de se destinarem ao
consumo paguem no todo o imposto e que
este ao depois se restitua quando ao faci ce-
de aquella prezump o, quando se mostra
que nao foi consumido mais reexportado
que assim o determinas os Regulameutos do
Governo Imperial de-8 de Marco de i8J8a
respeito do Gado no Municipio da l orto o
Regulamenlo de 18 de Abril de 18J8 Tarti^os
rt e o sbreos aoporcento d agoar-
dente do mesmo Municipio que tal he o es
I litaAo mesmo para pagar ta mesma con-
formidade aos Empregados da l refeitura e a
os Caicereiros das Cadeias-idem.
DitaAo mesmo pra pagar na mesma con
formidade aos \embrosda Assemblea I egisla-
ttva Provincial caos Empregau* da Secre-
taria da mesma Assemblea, e aos da Secreta-
ria da Presidencia-idem
Dita Ao mesmo para papar na mesma
conformidado aos Empregados da Thezoura-
ria, e o solicitador da Fazenda, e aos da Me-
za de Rendas Internas Provinciaes-idem
mi a.
OfficioAo Escrivad a Administrador da


DIARIO JD K PlitNAJB CO
BH
nansa
Meza de Rendas Internas Provincia** para in-
formar'sobre a reprezentaco do tclojoeiro
Kissel
Dito-----Ao Director do Liceo desta Cidafle
accuzando a recrpco do seo ornco e parteci-
pando-tbe ter mandado pagar a conta apre-
tentada rite Lirros que ltimamente eomprou.
|>ivelxm ltt'f>,i!Mlt; W '' ii i- i .......------------------
ALFAIVDEGA DAS FAZE.NDAS.*
- A Pauta be a mesma do numero i83.
MF.tA LO CNSUL K DO.
C A Pauta he a mesma do numero t8a.
CQRRFIO.
Autos existentes no Correo ('eral desta C ida-
de vindos do !iio de Janeiro abaixo decla-
radlos
Autos rm nue SIS pnrtfj* jRcje5 CtmrrcrrS,
e Francisco Indas*.
Ditos dilb Antonio ti* Silva e na sullicr
com D. Mara FraOisoK d AlttiPda.
I los dito Joze I-rancheo du Cruz e Lui/a
Mara da Ccncei ao.
i tosdito o Padre I-'ram-isco aIvp Bistava
de Veneres e >erafim francisco da Silva
Antonio Joaqtiim iodrignea Lima, <-. onlros
ooin Joze Joaquina i errcira
i tos dito iViaoel Joze i ibeiro fran-
cisco l udgero da Paz,
UfeH dllo Joze Antonio de Sow* Masado ,
e Carlos \Umoel Noguoira Campos.
tilos dito H lro Francisco de Vello c O.
Mara Hila do i armo de Mondn a e onlros.
I itos dito Matice! de Curvalho liies de An-
tlrarfs (1 azunda-'JNacional.
Vapor Todos Santos recebe as mnlus
para Laida a Maceit to dia ji do car rente
a* < i horas da maaha
PREFEITURA.
raTBSO 01* 8 DI ISOSTrt.
Ulna a ExHt. Sor Das partes boje reeebi-
das* consta somente que forao prezos honten
niinha ordena c tiverao hoje deslino :
.Vanoel l.oureuco Ponciano do Nascimento ,
pri'to Manoel Uenrii(ue Monteiro branco ,
Alejandre Francisco de Santa Auna preto
e I rancisca Maria branca pelo Sub- re-
eito de S Antonio o primeiro por ser en-
contrado com um sacco conlendo aleas varas
de MadapoUo a fioofei que disst ter a-
chad e eslava destribuindo rom oulros seos
companheiros o jor ler dado xodo sobre* fon te de un seo companbeiro ,
calando ambos no Arsenal de Marihha, de
cuja pancada Se acba o ofendido em fisco de
vida o teroeiro por quei\a de um sugeito de
ler elle dezencamiuhado Urna sua escrava fe
estar as circunstancias de ser recrutndo e a
Ultima, por ter de costume insidiar a vizinhan-
r e provoral ; dezordem ; e Vanoel Joze
dos Prazcres, pardo, pelo Sub-Prefeilo da
I'oa-vista por-ler espantado a Manoel Antonio
do Nascimento
I'eos Guarde a V. Exc. Prefeitura da Co-
marca do Becife >8 de Agosto de 'HJq. lilm.
e tima. Snr. Fifcncisco do Kgo Barros Pre-
sidente da Provincia. Francisco Antonio de
S Brrelo Prefeito da Comarca.
;s sabias inspiracoes d'6 riuSn iUnstrada
Que differenc entre umfktwaiiiilbarbaro, e
um povo Hluminado! Os Romanos devera
a sua humanizaco, e a sua paz a invento do
devoto unaa e nos o debemos i verdade da
nossa Constituio que a riotsa verdadeira
Ejjeria.
Em quanto nos traduzim* 0 pe da letra o
Sen sentido ; em quanto formos ficis observa-
dores de seus preceitos ; em quanfb os nossos
coracps nao aspirarem subir mais neni se
conU'ntarem com menfls do que ella nos cortee
de Seremos felices. Alguns inimigos do so-
cego publico, que a poueso se (|ueixava de
que a Constiluico nao dava ensanchas a liher-
culdude cima mencionada: porrptftito deter-
minando o nosso odlgo Fundamental no &tl.
15 a creaco do Tribunal dos Jurados, a sua
abolicoenvolve derogado do art. onst. pa-
ra o que neetssita-se Be mandato especial. Se
desejad os representantfes Tribunal especial
para os revoltosos, iulgando que d'est'arte a
punico Ser mais Ffectiva, tmhem a este
Tlilmnul resiste o $ 17 do art. 179 da mesma
Coimiituk-fio pois que alem das cansas ; por sua natlireza pertencem a Juisos particu-
lares ^ nohavera foro previ legiado, e ncm
C-Ommiisocs especiaesnas causas cireis du cri-
BCBU0 O 1I1UII UIJJUU UlIjBUU 11 I'UIIIU Ulllt lili --U|>ii
si estada a A.ssemblfa o Se lemhrando el- lagrir
les j.i. qtto h causa da {tuerra civil de a foi a due \x
i- i.__-_ .i_ r<___.:...._ ______.1_____ J_. ;.'.
mes. ,
E digno de admiraeo ver a Baha queixar-
Jade, de que digno o povo do Ika/.il lioje jtedo-Sstoem qesacha pela falta de puni-
mndarafi a forma do eombate; ellcs TaSlrea a (So dos revoltosos de 7 de Novembro. Com
ndole d'alguns Brazileiros, e lhesfazm cref, jsinceridade confessamos foi sempfe o nosso
que as des^jiacas do Imperio se devem i gran-pensar, que penas injustas no Tribunal do
deliberdade da Constituico; homens, que J Juryapparneessem visto que aquellas que se
dezjavaocsfolar vivo a Pedro i de'seja agora l-etiravao do c inipo da batalha oceupavao 0!
ver ii seu Filho o Sr. D. Pedro l. j com'lugar d Juiz Pot-em 0 exfcss qu temamos
dude de empunhai a espada para delr por ioi combatido pelo integramente opnosto. A-
tprn, dlM>m piles, a esta cmara optlea',"quelie5qnenfojpmnrn6oCotnmerrit) daqurlla
fet'nttohiaistgaObhjeModobuidogumedes- Capital; que deixarn envollas nolul*a3
el- lacrimas a tantas viuvns e misorrimo orflS ;
uncara deadavci(*.n Campos (W Pira-
diaoluco daConstiluinte, e que alguns dos j;i, omharao das acciuacoea 4 e akrdeao de
nossos representantes devem a sua cleico a os seus crimes CJuem melbor do que os Haba-
rogos dfeMtt mCsmos, s pas chapas, os nos, poderin punir aos seclnrios da faccioso
scus partidos &c. nfecessario pois, que o F. S. Alvcs da Rocba \ ieira i' A culpn existe
l>ra/il se poli ha alerta, e declare guerra a tu- inegavelnx'nte da parta dos Juizes os quacs
de quanto bao foresta Consttuicao: --Menos agora como arrependidos recorran ao Poder
do que ella erro ; mais do que cllw 6 louca- para remediar os seos devaneios
ra 5 como nos tem mostrado a experiencia : e O descontcnlair.ento que se manifesta em
contra n experiencia que valem bellas theorias, a representa .o para com as Cmaras ba-
e felicidad! s imaginaras ? ,seadoemraso e juslica o quev BrasiU-iro al-
Scjamos por tanto surdos como temos sido, gum nao poder negar a menos que nao seja
aconselbos, prejudiciaes a os nossos inters- guiado pelo espirito departido, ^ulgava-se
ses particulares, e honra da JN"ac5o Brazilei- que a maior parle dos males do Brasil tivesse
ra que nos seremos incancaveis em publicar termo nesla Legislatura, pois que a Cmara
altamente o estado de paz era que iazemos ; est composta das Capacidades da Nacao : po-
nssim o podessemos faer com todas as Provm- rcm longos eloqtientes e infelizmente ex-
cias do Im|>cro; porem ao menos decaoamos j temporneos discursos e debates all appare-
a os nossos Lcito'res que sao infundados os cem. A Cmara temporaria julga-se consti-
boatos, que seespalba de que o Cear es- tuida nicamente para responder aovoto.de
tti em desordera, gracas e o Senado a questionar que o minis-
terio A foi melhor que o ministerio B. O
Exm. Sr. B. P. .de Yasooncellos nao apresen-
4ou Projectos de reforma as hs penaes, por-
que nao se disculcm ? Mandatarios fiis, cis o
que nos convem-
O A. Bahianno.
Conimunicado.
Em um dos nmeros do Diario de Pernam-
buco foi transcripta do Correio Mercantil una
representaco que ia ser endereoada ao Ppder
Legislativo pela Provincia da Baha median-
te a qual pedan os representantes prompto re-
medio no mal, que dizem ameacar aquella
Provincia. Muito nos doia que em urna eun-
ir Cmara fosse lida urna representaco es-
Corrcspondencas
.....r....... ............" '" "............ ........-
Srs. Redactores.
Como son muito devoto de i\. S. do Carmo,
la pinna da imprudencia c precipita- 'ronsepni adiviuhar que hoje havia aparecer no
cao, e que se dira conter as asignaturas dos seo Diario o Officio que me dirigi o Exm.
prucipaes habitantes daquella famosa Provin- Presidente da rovincia com data de ati do
ca: porem com praser ouvimos que ialuiao rorrente E para previnir qualcpuer juizo
as presuppOstas assignaturas, representa- disfavoravel a minha conducta rio exercicio das
cao cabio. uneces do meo Cargo peco-lhes a insercio
Taxamos de piecipilada a represen tac?.0 e a do que lhe remetto que In? o mesmo que se
reprovamos, conbecendo todava verdades in- refere aquclle: e isto para que os seus leilores
contrastareis ali exaradas. Exigan os repre- conheca, e julgwm se sao ou nao valio-
fentnntes reformas as leiseleitoraes, no Ju- sns os rasoes que nce apresento para no
ry &c.~ devendo todo ceituar-se este an- azer as relaces exigidas na Portaria de o de
no. Pede-se o que nao possivei ao que Maio doannopassado cOnTorme os modcllos,
resslem artigos Constituooiaes. Tmlano que a acompaubaraS. Scr-lbe-; por isso
primeira mente das Eleicoes, con1)ece-se que muito obrgado o seo constante Leitor
a prinripal rbforma que exigem tafes leis 0 Mendos,
ugmoiilo di randa que deven do teros vo- lllm eExm. Sr. Van as infonuacoes
tantes : ora os artigos 91 5 e cp $ i" da relativas o penltima Sesso do Jury, que
( or.st 1 luieAo apeando estas rendas nao podo- presid, de ronfbimidade com a Portara de
f re lamente ser alteradas. wra qUe seja rcfoimadososarligossupfacilados porempa- pletamente satisfiz ao seo objeclo, nfio em
ra isto laN-m-se miater as formnlidade* pres- quanto aos mtsdcllofe porepaequer V. Ene, que
triptas. pelo artigo 174 do nosso Cod. Funda- seja fcitos 5 porque assefluro a V. Exc.
mental consequentcmente preciprtacio que ignoro a un tal ponto a arle d fazer mo-
imprudencia oquerer-se 11 esta Sesso aquillo uellosd'aquelle genero que anda o etrido de
que nVlk lia total inlbicorie fwr-sc. Ain- 1 annos a respeito me deixara tao i(piorBiite
da jr.ais estamos persuadidos de que a pedida comoelou; *." porque rom quanto me eouste
iK'l'orma nao do modo pratico das Eleicoes qne alguna hoja que os aha larir consta-
visto que nao Cdaqvn que parlen) os nossos me tamlem que cusa isso d inicuo >:ns l-
males ; nicamente o que o Poder Lcg- ea-me \ Exc a iustiea de crer que en nctual-
lalivo pode derogar sem especial faculdede mente (gracns 00 6r. Leos das x iserieordias)
dos Eleitores., pois qne urna lei rognlamentar vivo da caridad nllxiu ; pois qne a quasi (\
quero tal marca, a iaot do ai l. 97 do Coos- mezes nao recebo cinco res de Ordenado e
d'a razo illutrada trlhtt oeaiiiinlio por tituico. indo hontem por elle a Thc/nnravia das Ren-
(Mtdo devedirigii-se ao termo de mgrende/a, PastanSo no Jiu-y, observa mos que os Ba- das Provinciaes fui dalli brbaramente despe
e fclicidade os eserip toree HOparciaes Ihetri- Itianos t( meroses de seren novamente bxpos- dido com as mos vasias juntando : lome qne
hulao sinceros, e Vetdadeitus elogios; aeu t te* non imrrorae tfumfr* civil, lemettem-se levata a iiidq^nacoium qi'-\uiei pela ne;a-
soene ouvido com respeito, e veturaceo ; <.-. afiiictaftfic Peder fin de quefeea cessar tao- li\a que solri contra a Lquidadc itlural,
parece, que Leus mewnc 6t inclina paia eoq-, tes m:Ios dm' . iderar a Mfi obra, c sea taz t< k-a Uilo. jfuflt, o sUi^nia ^wmdiria, que citaea l'ioxii ra cu- j bao < r; in.-pnini ncia trer-se ullia re|>re- um poneo solire a delorora sitnaco de nm
- o nosso Le- cnipregndo,--cujo subsistencia esl alsolula-
10 Exm. Se- mente miuzida as forcas do seo ordenado e
consagrau i i'onencs ot-1 naaor o nr. b. i'. Qa \ estonorlleE acaba ndo ^j 1 1 Til. 1.1
de i^tiJ e Decre-
Diaro de Pcrnaaibiico
Na Circular de 5 d'Agosto de 18 H), folln
do Rio de Janeiro, enripia em Itigha lemos o
artigo 6eguinte Sentimos que a* iiosSis in-
formacoes acerca das Provincias do Par;, Go-
yaj, cat da Babia noiseja tao satisfato-
iiib como desejamos ; em quanto a Peinam-
Luco contina a ser O padro do palriotismO,
traoquilti filando uin -povo amesttiado pela exper
eneja, e conduzido pelos salutaies pri!ei)(s quero tai marca, oaos doait. 57 do Coos- mezes nao retebo cinco res de Ordenado ,
4wm enu que ceumossa 1 i* 11 a ou- *>uo s< ra in;pr\n.ciicia zei>-Be
tr'ora objeclo de crilica paja sabios esripiore, eenttao neslesoitulo queiido
lOJeescoiniadam*ua poltica merec osen- gisludor, o Lcpiskdr Brasileiro
eotnios que se lhe consagra i Pcd-mcs di- i hador o Sr. B. P. de YastonocHi
|>aa, ^'Oosl^que/iciaB-wiafelicilide; masiJoryc* i
TajsKnii *m*mt*, fu safan so tan
natural deque O Ceo foi servido enriquecer o
Coracao de V. ExC. que se fosse esta occasio
de pedir persuado-me que se nao demorara
dous minutos o seo respeUavel Despacho or-
denando ao Inspector da Thezouraria que
cmprisse a Le pagndo-me os'meos ordena-
dos : Emittindo o meo juiso sobre* a juslica,
ou inti6lica das decisoes do Jury como or-
dena V. Iac. no art. 4* da sobredita PoWaria
apenas pbssO dizer; que com quanto todas nao-
parecao fundadas ; julgallas pelas provas offe
recidas nos Autos e debales oraes todava re
putaado-as Blhas da consciencia dos Jurados-
supponho-as todas muito sabias c mullo jus-
tas. Bespondendo anda ao preceito do 4."
Art. informo a V. Esc. que sao os Reos,
(lijos errmes por seren inafiancaveis nao forn
submelldos ao Jury: n-spondendo ao *
Art. tambem informo que todos os crimes jul-
gados na t. Vara deste Jnizo interlocutor ,
e definitivamente de qif coristaO asinforma-
ces, que remeti sao do corrente arino e
somente dous dos annos anteriores forao suh-
meftidos ao Jurv de Accnsaca c s5o ambos de
penprisjflnWHdada. He 8 que lentn de infor-
mar a V. Ex. Dos -Guarda a V. Exc.
Berife >* d'AgOBtO de i*5. t)r. Manoel
Mendes da Cunha Azcvedo.
Sis. Bedactores.
Nopossover, Srs. BB., sangue fro,
defender-se a um m.o Empregado, princi-
palmente quando a defeza he desenvolvida por
um pessimo Advogado e rechead de adula.-
ces liein como a Coiiespondenci inserta
no seu Diario de sexta feira a, 18a assigna
da = a Lira.
Muito se tem ella esforcado para canonisar
o seu Cliente, o Prefeito do LimOeiro Joo
Mauricio Cavalcante da Bocha Wanderlei m-
xime na ultima defesa que lhe fee porem fe-
lizmente expichou-se ria forma do estilo.
A analyse feita pelo Habitante do Limo-
eiro ;s Instruceos daquelle Prefeito acha-
se to bem deduzida, que- a Lira nao lho
metleo o quei.xo contentando-se nicamente
com dizer, que se guardava para occasio
masopportuna. Se a Lira estivesse em seu
perfeilo juizo se envergonhara de defender a
um Empregado contra quem existe um clamor
geral nao dos reos de polica como ella diz ,
mas sim dos priineiros proprietarios daquella
Comarca por causa da pessima arbitrara e
dispotica administrarlo policial do seu Amo,
o Prefeito Wanderlei
Basta para conhecer-se esta verdade laucar
as vistas sobre as citadas Instrucces onde se
encontra o honradissimo, vigilante e pti-
mo Prefeito -decretando o recrutamenlo para
-os mal casados dissolutos, gauderios zsn-
ges (formaes palavras) mendigos e vadios I
V-se mais' o tal Prefeito aulborisar carcereS
privados mandar espingardear.os animaes a-
panbados naslavouras puniros cavallos com
os porles deofFicios e viagens do servico publi-
co ,' e finalmente ordenar o engajamejilo (art.
t < a ) de Orfos de ambos os sexos em des-
peito do que se acha disposlo na Ord do L. 1'
Til. >- 8 ^ l "*, alem d'otilras arbitrariedades
semclhanles que fasem o desespero e desjr-
ca dos opprimidos habitantes do Limoeiro ,
as quaes e/11 lempo competente aniso levadas
ao prelo para conhecimento do Publico e do
(iovemo entao veremos o que responden n -
Lira Conoluirci Srs. Bit., a minha ar< n-
ga afiancaudo a Lira ou a quem eonvier ,
que o Prefeito Wanderlei acha-se mudado pa-
ra Natuba Comarcado Brejo d'Areia Pro-
vincia da Paralaba desde o ttiez de wlaio p. p.
onde reside com sua familia e s vem a Vil-
la do Limoeiro de ez em mee e as vezes
passa-se dous mezes e mais sem ali ap|*arecer,
como suecedeq em Mao e Junho do conwBte
anuo, (asendo as suas venes o Sub-1'rcfeito
I.ui' T'hootonio Be/erra a quem dexa offi-
cios assignados em trauco segundo disem.
Sou sua veneradora o crearla
tabee*.
MftlCUS I<>TliAJN"GEIfiAS
HrSPAiNHA.
Pai li ipoces oflif aes.
\ nleiieia. O cortimandautc intei no da bri-
dada da Babira L), Agostiuho (^ursada ,
]iai'ticipp de Lilia em dala de't) docorrenle,
que o uiniigo qtie ua larde aiilror havia
oceupado o povo de Morincscom tres batalbts
e *oocavallos, evacuara esta poyoacona na
nb seguinte dirgndo-se a Alcublas ; e que
SUtattes dj,unas loreas nossas na estrada des-
te ultimo povo se encontraram com os dous
primeiaaa latalhes tscciosos e aiiula que
estes oceupassem -ymatajosas posices, logo que
avistaroasnossas tropas, nioobstante a es-
curido da noifce, o vivo logo que laziam e
a Stya quadrupla suierioriuade em numen* ,
tonaniajo dnsnk^aaV twsoueta deisando
ILEGIVEL



m
DIARIO
D E
PRUNA M BUCO


i
no campo algnus morios e 17 cavalgadnras
carregada* de vveres e monicoes havcndo
peta nossa parte s i morlo c i torillo. !>_
teriormente se soube que com a confusao abau-
donaram os facciosos o reto das cavalgaduras
carrejadas que traziam em "numero do mais
de oe A caliindo estas em poder dos mora-
dores daquells novos.
FrtMiteiras de I ranea. -O haverem os car-
listas abandonado Balmeseda ,-Amurrio fe ou-
tros pontos fortificados he um dos primeiros
etnais importantes resultailos da oceupacao de
Ordunha o da tnesma sorteque se derra-
mare una sgota do precioso sangue de nos-
sos va ten tes soldados, fyao sao menos apre-
ciaveis os iolros que *e eUiom como fruclo de
hern combinados movimentos estratgicos ,
que os dcancadw no campo da balalha.
fcsta retirada de Balmeseda ordenada por
Maroto odia e e leituada no dia seguin-
t surprendeu algnm tanto os nimos puis
que as noticias doquarlel general de I). Car-
los annuiwiavo a rcsoliicao de defender Ral-
maseda a todo o ,nusto ; porein parece que
Mal-oto se lhe oppoz e a sua opinio preva-
lecen. .
O carlistas desterrados que por aqui se a-
chodizem que o plano de Maroto lie ir aban-
donando powco a pouco todas as pMJaOu im-
portantes at obrigar D. Carlos a encerrar-so
as Anezcuss depois negociar prra si e ara
os ofliciaes do scu partido com o poveruo de
Madrid.
Outro ^ac, importante destes dias sao as
mstiluices dadas aos cammandantes da ma-
rinba francesa sobre as nossas costas que pras-
tein toda a qnalidade de auxilios as nossas
tropas, c alejara a tacarem se o julgarem
conveniente, os lories sobre a costa que se a-
cbao em poder dos carlistas. Esta noticia es-
palbada ao mesmo tempo em ambos os canr-
pos produzio tanto contentamento em o nos-
so, qiiunto foi o desalent que causn em o
inimigo, principalmente porque far desvane-
cer as palranh&s, que nestes ltimos dias os
cheles rebeldes tem fcito circular entre os sens
da prxima entrada de um exercilo franecz
para cooperar com el les.
Com a ebegada de Cabrera a's mmediaces
de Tarrazona com urna divisan de infantera
ealgumacavalleria, teve o general Len de
demorar a sua empresta sol-c Estell para
cobrir Tutella ; porem Cabrera naosedemo-
rou muito lempo naquelles contomos, sem
duvida porque a surprera de Sao Mateo pelas
nossas tropas chamou outra vez a sua attenco
para aquelle lado.
" Inglaterra.
Londres. E' com rtazer que, acabamos de
saber que o Chancelle r do Ex-cheguer esta
para apresentar um bil ao parlamento que
declara permanente a lei que concede aos kan-
queiros e oulras pessoas a faculdade de dimi-
nuir o descont que lhe agradar sobre todos os
valores ou biihetes nao tendo mais de l*
mezes a correr. A nrimeira tentativa qe foi
fcita contra as leis relativas ; uzura lew logar
emiXii, em que se introdaz urna clausula
no bil da constituidlo do banco declarando
rjue em ful uto sera olhado romo legal lomar
toda a especie de descont mesmo cxcedcmlo
5 por cento sobre Os valores nao tendo mais
de 9 i dias acorrer. Acha-se que este ensaio
bom c no anno ultimo t fez um novo a-
doptandouma lei que devia fizer foreae vigor,
durante um anno, e que collocava todos os
Tabres e biihetes n5o tendo mais qie i a
mezes a correr no mesmo pe que os biihetes a
pS dias.. O tempo em que esta lei expira
est; rbegado e em ronsequencia se vai de-
mandar do parlamento de a tornar permanen-
ser desgracade que contra elle se cons-! Quando, souberes ler do mundo a historia ;
pirem chanceller e governador 5 pois que j Dos dous hroes, que tomo por cnvpfeza,
era milito bastante a maldad* de hua t para Veris, a minha, e mais a vossa gloria,
lhe fazer muito damno se uns, eoutrosno Humililes quanlo ao ser da nalureza ,
livcrem reu 1 Ilustres as accoes ; e esta memoria
Dos Guarde a vossa excellencia como dase- E' s'quem pode dar-vos a grandeza,
jo. Lisboa a7 de Marco de i } 44 Alexan- (Toleraute' da Babia).
drdeGusmSo. *, 1____________________
Para o Dezembargador
Quinlella ,
1
' do Snr. .JW de Menezes Jnior ; Ra do Ca-
httjja dos Sm-s. Antonio Joze l'andcira de
Mell o .Toffo Moreira Marques-,-Ra do Li-
vi-amento do Sur. Jos Antonio do Carmo ;
Ana das Cinco Ponas do Senbor Manoe
de Jc7iis- Prafitta ; e no Pateo da Matriz da
Bo a-visra do Senbor Jos Ignacio do Moa
le.
S. M. me manda advertir a Vm.
Ignacio da Costa
Formullade hum remedio contra as dores da
garganta,
a vm. que as Este remedio, empregado por Mr. Rrasson,
leis costumao ser feitas coin muito vagar, em Vichy com o mais feliz resultado be o .hendedura do encana ment das aoas para'
i gocego, ervinca devem ser executadas cora segninte ta Cidade sao chamados para realisaren
asselleraco ; que nos casos crimes sempre a- Tume-se Mel branco.....tres oncas.
ineaco mais do que na reaJidade. mando : Nitro.em p.,.. duas olla vas.
e devendo os ministros exceutores deltas mo- Mistura-se o nitro com o mel, e da mistura
COMPANHIA DO BEBIRIBE.
Os Srs. Accionistas da Companhia empre-
e-
para realisarem 4
n. 0/0 (por eonta da primeira prestaco) so-
bre o valor das acce> que su!crevera5 : em
horas da manila as
p
todos os dias uteis das X
difical-as em tudo o que lhes for possivel prin- enche-se urna colbcrsinha de ch <|e se intro- 4 da tarde no Escriptorio do Sr. Antonio Jos
ci|>almcnte com os reos que nao tiverem par- duz na boca. Engoie-se o liquido o mais de va- Pires. Caixa da Companhia na praeinha do
tes |x>rque o Legislador mais empenhado gar que for possivel. Livramento I). ; onde continuar a ins*
na conservaco dos vassallos, do que nos cas- Esta receita ensinou-a a Mr Brasson Wr. I cripcao para o restante das acedes que t
tifjos da Justica. e nao quer que os ministros Lucas, que a receben da duqueza de Berri,' achao distribuidas. [Jodia o de Selemhro
jirocurem adiar as leis mais rigor do que a quar a trouxeda Alemanbaonde tinba visto emdiante sefar chamada nominal 1 los Srs.
ell i impoem como Vm pratica ; dcsle mq- experimentar. | Accionistas que nao realisarem a referida cn-
(Gazeta Commercial da Babia.)
'Ib-
do de proceder ordena S. M. se obstenha e
que esta lhe sirva de aviso.
Dos Gnarde a Vm. Paco so de Janeiro de j PUBLICAC YO DE UM INDITO.
17'5 Alexandre de Gnsmo. j Entre as poucas obras escripias acarea do
Para o governador d'Angolla, Brasil na primeira melade do seeulo XVI ex-
iste urna medita, por ventura a mais bjte-
J-rei nosso senbor esta' cabalmente infor- ressante eintiga, aquallem at; agora jazido
mado que vossa excellencia governa esse rei- incgnita pois. que o saibamos aindu nao foi' ,
no a maneira dos bacli.s da turquia cujos commemorada em bibliographia algma ; o
procedimentos sao contrarios a graca do pro- Diario do que fez a armada, que em i53o:
I trada dentro dos o dias marcados nO art.
dos Estatutos,
Bento Jos FernaiTdes Barros ,
i* Secretario.
Avisos Diversos.
i7
C?
vimento dogoverno, que foi feito a vossa ex- navegou para a trra do Brazil como se llie convida pela segunda vez aos Socios damos
cellencia sem preceder donativo. Pelo que enlo chamava, sob a capitana-mor do cele- para se reunirem na Salla de suas SesSoea
_ bre Martim Affonso de Sousa ,(
apr'vaco dos Estatutos na certeza de
< S. M. servido ordenar que faca
qi
vossa e\-
O Secretario da Sociedade Apolnea
sma
i na
pois Segunda l'eira do prximo futuro mez para
cellencia justica x favoreca o commercio, res- foi governador da India), e estabelleccu em aprvac.l.) dos Estatuios na certeza de que a
|xtlea religiao, e procure favorecer os inte- S. Vicente a primeira colonia regular do lioe Sociedade decidir difinitivameule sobre o ob-
roces sem prejuizo do estado, abstendo-se da- Imperio do. 1 ra/il. jecto que ha a tratar com os membros queso
qui em diante de todos os procedimentos que Este Diario escripto pelo tambem conheci- acbarem presentes a esta reunido.
possao condu/.ir queixas ao trono. j do Pero Lopes de Souza que acompanbou BJT O annuncio inserido segunda vez no
Dos Guarde a vossa excellencia como deze o. nesta expedicao, c na narracao trata o eapitao diario N. 1H1 do Capitao 011 Consignatarios
Paco 11 de Marco de f]L\"] Alexandre de mor por seu irmao, que era. da Barca ingleza Lod Cockrane, conten hum
Gusmo. A genuinidade de tal obra nao para con- engao erro, ou malicia quando nos ob-
ParaoMarquea de Aloma vice-rei da In- testar vista da ingenua singeleza da narra- celos, queoflerece hypolna dos dinhei-
dia. cao, da menco quedella faz um escriptordo ros, que pede e precisa para concertos de-
| Brazil do mesmo sceul, e das tres copias que clara frete e carga ; como se estes estives-
. AS. M. se queixarao alguns negociantes conferimos, sendo que urna deltas em carcter sem sugeitos a baratera doCapilo, eav-
gentios vassalos e moradores nesse estado, como romano-restaurado (de J. P. Bibe.iro ra simples, oeeasionada Barca por mera
que vossa excellencia vendia e estancava os existe na Bibliolbeca Real, e nos ministra mina do referido Capitao : para prevenir pois
pitao : para prevenir pois
lucros do commercio com o prejuizo evidente aos escrupulosos, toda are. rualquef, que se pmponha a adiantar esses
dos sobreditos e por isto ao mesmo tempo que A edico sera to nitida, quanto leja {KSSi- diuberqa, declranos nununciantes carre-
chcgouaS. M. a noticia das heroicas aeces vet de hum papel, typo bello e claro e gadorea de huma porcao de gneros que el-
qiie vossa excelloucia obrara em honra e o formato 8. francez. Ser ncompaubada i].-.; Ico nao consentii 10 hipoteca sobre a respectiva
defeza do estado ; e porque convem a conscr- huma copia do retrato de Martim Alfonso, carg.; que alli tem 5 c a respeit da qual
va ao da nacao para servir de exemplo aos que esperamos, tirada da salla dos Gover- tracen) em jui/.o com o Capitn Consignata
que serveni no reino, e dei'ondom a (x>roa nadores em Goa, se nos chegar a lempo assim ros lide derivada do competente protesto.
(|iie vossa excellencia seja presentemente re como da sua biographia. Tirar-se-ha ape- Nnno Mara Sei\os.
munerado, agradecido, assim o praticou o as hum numero de exemplarcsproximamen-; Joaquim L. Monteiro da Ffanoa.
mesmo senbor fazendo a vossa excellencia a le equivalente ao dos assignantes : o preco para; 135" No Recife ra da Cruz D. taconli-
mcrc e dando-lhe os agradecimentos que estes sera' de c/io res recebidos s no acto nua-se a vender barricas com lrelos por preco
bao de constar das cartas regias do secreta- da entrega de cada excmplar. Se reslarem al- muito oommodo.
rio d'estado ; porem nao esquecendo o con gunsexemp. serao vendidos pelo menos ?.5 por tj"OH'erece-se urna parda honesta, e de Loa
leudo nadita quei.Va manda lembrar a vos- cento mais caros que o preco da assignalura. conducta, para cosinliar. engomar., a ta-
sa excellencia qnpno abuse da bondade com O praso da recepcao das assignaturas fe- zer lodo 6 mais ser vico do interior de qual
q uc agora procede em todo o referido e tam- char-se-ha com toda brevidadn ; e em Lisboa, quer casa de homem solteiro-. quem se qui-
Lem se nao esqucca.de ter prsenle, que a vil,
e torpe ambtco de Sohiak. esouraeep na esti-
ma ;ioda> gentes as grandes e heroicas areoes
que havia obrado na guerra.
I Vos Guarde a vossa excellencia. Paco G
de Rascce de 17 8 Alexande de Gusmao.
Para o secretario d' estado Pcniro da Molla!!
I, Porto, Coimbra receber-se-hao as tojas do ser ulilis.ii- do seu pfestimo, dirija-sc ao Al-
coslunie.
(Peridico dos Pobres no Porto).
ANCDOTA,
improvisador de nota entre
trro dos APTogadus D. a do lado da Ca-
punga.
Os CredoreS do fallido Ignacio Lores
da Silva sao convidados a nppresenlar suas
contas correntes ou titulos das dividas al o
do
em casa
Ccrlo improvisador denota entre nos a-, dia i. dcSetembro prximo
ciando-se em presenca de hum ancio sin- abaixo assignado para receberem os dividea-
A S. M. tem sido (>rczentes os grandes in- cero mais de tacto fino entre muitas Iiis-'dos.
commodos, quesenlem as,pessoas, que pro- lorilas que contou disse que achando-sc em '' L. G. Ferreira & Mansfletd
curto despachos peto expediente de vossa ex-.Portugal (onde nunca foi) vira n'uma quinta,
rgo de que nao resolve um repollio de tamanba grandeza, que as-
u nao novos despachos, sombrava sufficienremente um bataTlio em
ceitencia, e sem endia
Ufara se houvoro ou nao novos rtesp*
sonipre servido ordenar columna, noque Ilie C7-
Administradores.-
Offcrcce-se nina mulber para
com esle motivo
com
de ama em caza de
engoma e co/.inba
bomem solteiro
dirija-so a ra
servir
a qual
da i e-
tc pois que olla foi replala de interesse e queeu advirla a vossa evcollencia em como os ar muito sisudo ; isso nao admira ponpie pas- nba D. ? defrontc da Sachrislia
vantajoSa aos brfnqueiros. Por este meio as lias foiiJo fe i los para o traba I lio, e as noites sando cu pela ra dos aldeireiros vi fabri-' No dia 'o n> porta do Snr
classes commcrciaes srro Kvres de todos os itara dormir, e que lhe parece muito mal que cando-se urna caldeira maior que osla cidade meira Vara do ("ivel se hado al
..: -..i-
o'"
cas
emharacos", que resultare para ellos das leis
relativas usura que comtudo ficarao em
.!:_______.-___------------ 1-------.u
.uiliuilllill^ UU3 St^'UlUO C lilil'!'
Assim os interesses lirritoriaes conser-
vai\o a proteceo dos que lem necessidado
aem gravaros inleres-ifl oommerdais. ('Gl.)be.)
(Nacional de Lisboa.)
Variedades.
AJVTGUr'A'E.
Carta M gcATrnador do Porto.
Sendo presente n S. M. que o dezembar-
gnor tWlUSftBf deJU relaco laM prender
i Vlanocl Joze Vicga? por urna MpfOSta Cul-
pa, com q'o Icat na [irisao perhi fe seis mozos;
e que ha\-endo-o mostrado livro lhe man-
dara vossa exoelleneia abrir assento a sua or-
dem para o conservar na prtsao -em obsequio
do mesmo cbanceHer s E' S. M. servido que
vossa exceltencia otnande teo nltafr ; e que.
fique advertido qne nwibrrm homem dns des-
trctoe dcaia relaife), e ^iwemo preowi para
Jui/ da pr
|tara dormir, e que I lie parece muito mal que cando-se urna caldeira maior que esta cidade meira Vara do t ivel se aue arrematar por
vossa excellencia queirl alterar eslaordemda Li disse o improvisador, que caldeira ao venda urna morada do caza lenca construida a
nalureza como supposnS motivo de que el-rei que tornou o vclho ; nao se espante por quan- moderna, cila em
pffn itrigirVl ; mim \ a lardanca dos des- 10 foi encommendada para cozinhar o
pacaos penosa, muito mais o sera' dai-em- potbo.
(Tolerante da Babia )
re-
s os desengauos e resposla la pela meia noite
jidiante
Dos Guarde a vossa evcollencia como de-
jo. Paco o de agosto de 17 j-Alexandre
e G usnio.
Sendo criticado Alovandre de Gusntao por
baver posto a seos filhos os nonios ile Yirialo
um eaoutro Trajano respoudeo no se
uiute
SONETO,
sto nao vaidade desengao,
Que dou ao vosso errado ptns;hnento,
Dei-vos o ser, edou-vos documento,
Para fu gires dasoberba aodamno.
Csta vaidade, com que o mundo en;;ano,
I ni da fi>rtun errado mnvimento ;
Sub, mais livebuaiilde nasciineoto,
THEATRO PLRLICO.
na ra do Paco
' astiihiio pertencente a ;ozo Antonio de U
liveira e Silva por execu ao que llie moro
Frederico llonrique Lutbeos
\z~ Al ligaSfi no beco do Noronha 01.'
andar com aljpims at ugar deriga-se o
nulia : quo>ii o poitondor
Quinta feira aq do corrente em beneficio de 1 Trapixe da Atfandega Velha.
Joaquim Fidelis 'de Castro, Empregado do | VJr' O abaixo assignado faz sriente aspesse-
Theatro se representa agrande Peca -Oslas que lem em seu poder I iannos para ron-
Seis Degraos do rime que pela sua gran- certar q' em o dia vinte e seis do corrente
dezanao |Kide admiltir Far a rematando o
ExpectaCuto com um dos melhores Piictos.
A*Ma6u Varate asrm Trajano.
DO LIVRAMTNTO.
venda os biihetes da pri
LOTERA
Acbao-se
meira parte da quarla Loteria concedida a
favor das obras da Igreja de Nossa Senbom
do Livramento as casas segnhitcs Ra ta
Ca.loia do Recife dos Snrs. Francisco Anto-
nio Vieirada Silva, Cardozo Ayres, e Joan
Jue de Carv*lbo ^lorae* 3 Ra do Collegio,
se lhe tazendo pinliora em es bens adiados
cm sua tonda entre os mais que leva rao taftY-
bem ferio os piannos por mais esforros que
fez dizendo nao lhe pertenciao .- por-isso raga
aos meamos Srs queirft) aprezenfar por donde
iio senhoros dos mesmos paia os re elierem
e entendendo-s<: com o Anunciante milbor lhe
dir ; assim como os mais trastes que em
sua icnda se achilo isto com breviduie.
Hiplito Laveavar.


ur
assi-
exami-
luscreverem-
Domingo primeiro de Setembro na sala
lia Sociedadc Apolnea se ha de instalar pelas
i o horas da manh Gabinete Literario Per-
nambncano. As pessoas que para elle
nardo e aquellas 'que quiserem
para to til estabeccimento.sirvac
comparecer no referido lugar a fin de
narem os respectivos estatuios e
se no vio competente.
...,- Precisa-rsesaber se nesta praca existe
alruma pessoa procuradora de Jos da Silva
Bnnoela Legal boje morador na Cidade da
Babia, vindo do Para, se existir dirija-sc a
fora de portas a fallar rom Antonio Jos dos
Rds ou annuncie.
3_;/- Precisa-sede urna aun de leite capaz,
forra ou captiva e | mc-
zi-s para una casa estrangcia ; ra da Crui
do Recife D. 4.
XLT Qaem precisar de um preto para ser-
vente* de qualquer obro, ou mesmo para qual-
quer.Mitro servico aqui nesta piara, dirija-se
a ruadoQucimado U. .
Of- Precisa-so de urna barcara le de i a at i caixas e estoja capaz de na-
vegar ; quem a tiver annuncie.
tg- O Advogado Joto Baptista Soarcs,
visa a os seus clientes, e mais pessoas, que
de seu presumo se quiserem servir, que se
acha mudado para delraz do Carino em as ca-
sas terreas junto ao sobrado de Joaquini Jos.'-
Fernandescoma Frentepaao meib da ponte
da Boa vista.
Mr. Moraa pintor franeet temi de
se demorar algum lempo nesta provincia, pro-
poem-se a exercer nella a sua prosso; assim
como a dar licoens de de/.enho as casas narti-
culares, as pessoaqueseouisercm dedicara
essa arle importante qutffaz por assim dizer
o complemento de urna boa educaco. queirao
,li.i,-ir-se na praca da Independencia, na loja
do retoioeiro Mero/.. .
S^- Precisa-se de cem mil rs. a premio de
dois por ceuto ; quem quiser dar annuncie.
E Antonio LuizRibeire de Bnto arrenda
a casa e sitio cm que mora, coin bastantes
commodo e arranjos com uveiro de peixe ,
i para citor ditas para pelos erlnba-
ira K avallo*, COxeira, um quntala
ten
SS^" Na run Dlrcita sobrado de um andar ,
ao p de um de dois ditos de varandas doura-
das D. 15, se faz bolinbos de varias cuali-
dades c sobre mesas de bom gosto por prc-
concorrer co commodo,
o-se de'
Avisos Martimos.
de excellente gosto : na ra da Alfandega ve- i blicado nesta Cidade', e destinado ao uzo de pes
jjja a Q 1 Soas que queirao ter conhecimento deste es-
VST mrefeem bom estado; no largo de tudo polo metbodo mais breve possivel e prin-
N. S. do Terco venda I). G. cipa mente ao uzo dos alumnos de escolas pn-
q ue a diantarao muito com este com-
6 e lia ra
martas
na p
murado lude,
sa dentro para cria So. t
1
PARA O PORTO o Brigue Portuguez
Ventura Feliz, Capilo Antonio Francisco
dos Santos; quem no mesmo quiser carregar .
eu ir de passagem dirija-sc ao mesmo Capito,
ou a sen consignatario Jos Baptista Ribeiro
de Paria.
PARA LO ANDA o Brigue Brasileiro Uni-
o segu com toda brevidade possivel ; quem
nd mesmo quiser carregar a pequea quan-
lidade de carga que lhe falta dirija-se aoseu
capitio ou a seu proprietario Elias Baptista
da Silva.
PARA LISBOA o Brigue Brasileiro Cons-
tante no dia /i de Setembro; quem no mes-
mo quiser carregar assucar por aoo rs. a arro-
ba ou ir de passagem para o que tem ex-
cedientes commodos, dirija-se ao Capillo na
praca, Manoel Marciano Ferrcira, ou a Tho-
maz de Aquino Fonseca.
S35- Ou afora-se perpetuamente terrenos na _
passagem da Magdalena entre as duas ponles, pendi pdo rasoayel preco ^ ? > rs. cada
e abeira da estrada com arvores *
de Inicio ,
a tratar cem seu proprietario Jos Joaquim Bi-
zerra Cavalcanti.
525- Um violodcmuito boas vozes e por
proco commodo ; na ruadas Flores D. b,
8Q9 Salsa parrilba mpito boa ; no escri-
ptorio do Coronel Menezes ra do Vigario
n. i5. "
Um escravo para fora da provincu
PARA LISBOA O Brigue Portuguez S.
Joo Baptista segu viagem com toda brevi- s se vende na ra nova escriptono D. tq
dade de primeira marcha forrado e enea- \j- Duas escaras mocas engommd, co-
vilhado de cobre por ter a maior parte de sua zinho e cosem ; urna molala de idadede o
carea prompla ; para carga, ou passagem | annos rom as mesmas habelidades ; um mo-
para o que tem excelltntes commddos | trata- ; leque de (> a 18 annos de idade ptimo pa-
se com os consignan ios Mondes i Olivcira ra todo o servico ; urna morada de casa terrea
ra do Vigario L). 45 ou com o Capilo do com sotijo sita na ra de agoas verdes bo-
no atierro da Boa vista D.
do Collegio botica D. *>.
xgr Joo Francisco Santos de Siqueira o
seu sobrado que tem no monteiro q qual alem
de ter um pequeo sitio que vai a margem do
rio capibaribe tem todas as mais proporcoens
d quein tem bom gosto com estribarla para
seis ou mais cavallos, senzalla para bastantes
escravos coixeira no sef.uiment do sobrado
de bonita figura ; na' ra da Conceico da Boa que adm.lto dois carros cu:o predio so se
..;,.....m cau do MaealhScs defroate do arma- veade a quem souber dar o yerdciro valor o
"*.""t> a" sitio be todo murado e tambera se vende com
sera do Itoiino. I ,,. u j l
X^ Ungento Santo ebegado ltimamente toda a bob.l.a que he de bora gosto, que
de Lisboa proprio para queimaduras eri- existe no mesmo sobrado e se vende um ou-
das, ouchagas em latas de quart at libra, tro sobrado mais pequeo cora urna olaria a
A grande exracco que o mesmo ten, lido faz margemdo mesmo rio a qual he sema me-
lembraraquemdell est lazendo uzo, que horduvida urna das melbores e ma.or qne
aindavenbo a precisar de mais algum para x.sle neste Rec.fe e tem todas as proporcoens
queseprevino'poisque resta urna, pequea para quem neste negocio.se quiser establecer,
adverte- -"lo predio so com a vista se lhe sabera dar o
verdadeiro valor; quem de tudo pretender ou
itenda-se com o annunc
de manh al as 8 horas
porco presentemente ; assun como
seque ia o falsificado eilo nesta como
mJmonome de ungento santo; o verdadeiro em sepa nulo cntenda-se com oannunciante ,
na ra vdha demanha ale as 8 horas -
e a
tando os fundos para a ra de Hartas ; a' tra-
tar na ra de Agoas verdes casa terrea dci-
ma 3^.
Hf Manteiga em barra 000 a libra em rc-
'ooemais
referido lrigue Antonio Pedro de Figuei-
redo.
PaRA MACEIO' e Babia o Vapor Na-
cional Todos os Santos parle no dia trinta
e um doeorrente ; quam quiser carregar ou tallio a oe i o bichas grandes a fioc
hirdepas*agem dirija-se a os consignatarios pequeas a Rosas \ Braga defronle do Corpo Santo. as que nao pegarem
PARA O CEARA' a Sumaca Harmo-
na tem o seu carregamenlo quasi completo ,
sabe at (i de Setembro anda recebe algum*
carga, os pretendentes dirijo-sc- a Manoel
Joaquim Pedi da Costa ra da Cadeia nu-
eoutros minios gneros
larde at as 57
_r Ka ra do Vigario n. ; portas e ja-
nellasja servidas.
i^r- Ameixas em caixinbas ; na ra da ca-
deia velba n. 17.
i^~ Barris de manteiga ingleza muito en-
conta ; nas S pontas t). ti.
s^y Urna morada de casa terrea na ra de
S. Thcresa D. 9 ; e duas ditas no atierro dos
affogados c urna dellas Ira vejadas para sobra-
do defronle do sobrado do Silvestre : a tratar
trocar na rua t' Fagundes D. 3.
i^r* Por preco commodo varias madeiras ,
lo: na rua larga do Rosario travs de i > a 40, encbames de mero
PaRA MACEIO'a lancha Bom Sucesso de I aria.
dente de todo o sitio, coin ca- com a brevidade possivel; quem quiser tarre-1 V~r Lima grande propriedade de casa ter-
melhores I gar, dirija-se a rua da Cadeia n. i a casa de rea de pedia e cal boa galana, n. C, BO
'flauta de apil que d para dois ca- Manoel Joaquim edroda Costa. que pode a comodar tres moradores por terem
altosnodoo auno: unem o prete.ub'r trate) PAR A O HAN RE a Barca France/.a Hen- repartimeulos suficientes com dois grandes
como aimntantea meao propriedade no rique e Lui'.a de primeira classe saldr al portoensaos lados, com ard
doaaffogadca. odia i5 de Setembro ainda tem lugar para
Mr. Kissel rlojoeiro Francer noat- 4oo sacas; quem quiser carregar
por preco eoinmorlo n.i n (. >- ^~~~.~
na quina defronte da Igreja O. 5. duas.traves de fm d?ze l.,olatk*' l,r S,cr
j- Bichas muito boas, chegadas prxima- preciso rel.ra-las do porto da rua nova onde
mente do I orto; na rua da Cadeia do Recife se achao no porto das .
casa junto ao \ ieira Cambista, 110 segundo
andar que mora o Sr. Jos Baptista Ribeiro
armasem de apia*
Escravos
"Fgidos
atterro
memo ae q
atado
i
vende rclo-
alq
assim como compra e
adeakbeirade segunda mo.
J tsf O Secretario da Sociedade Jmnertina ,
onvidaaossociosdamesma parase reuiiirem
boje -ic) do crranle na sala de suas sessoens as
horas do costume. .
^T >'o bairro da Boa vista alia/, da IVIatm
primeira casa a esquerda do Sr. Hercunpd Al-
veadaSilva, tres Senhoras solteiras, ensi-
,-noaler, escrever, contar, doutruia cbriMta,
coser, bordar marcar fazer flores tanto de
penna como de panno
riolao : OS Sis. pas
suas (ilhas
. musa,.tocar piauno
de familia que quise-
as quaes serafi bem.
e
im e sistema ,
que conserva agoa de chuVa pai-a to ou hir de e bom quintal murado com arvores de fructo ,
ao
ai adouro de
'4.
na rua do
fronlaco com
>5 lomladas. muito velleiro e novameute o oitodo sobrado de Antonio Serpa I). J
forrado de cobre ; os pretendentes dirijb-se a tratar na rua de S. I'om Jess das creoulas
a casa de Johnston Pater i Companhia na com Marciano de Espirito Santo.
rua da Madre de Leos. T elo nico motivo de nao querer ser-
vir a seu Sr urna escrava de naco, de
agradavel figura de idade de if annos co-
zinheira de profissap engommadeira (iel-
CT Que faz o Correlor Olivcira de um 'mente se a fianca nao ter vicios ; tres e=eravas
bom sortmenlo de fazendas Ingezas e Frao- de bonitas figuras, todas com habelidades ;
ITi" Fugio no anuo de 18 i4 um moldto de
idadede 10 annos baixo', grosso, cabeca re-
donda nariz chato testa curia, beicos am-
bilados cara larga com urna costura sobre
a junta da mo esquerda cujo molato ja an-
dou no cerlo c sahe-se com certeza que an
lado'de *'a ll'as Anto ; reiro atraz da sacrista dos Martirios que se
pagar toda a* despesa, e ter de gratificaco
fio ooo*
tsy No dia it doeorrente fugio um negro
de nome Manoel cabra cor fulla estatura
Xj e i 1 fi o
, incluindo, porco de sedas de gosto, dois molcquesde i. a 15 annos de idade mu aut|'10rid.ldl,s |
bem baixa, de idade que representa 56 annos,
levoa vestido camisa de baeta encarnada e
seroulade panno de linho, cujo escravo anda
bastante doente de una perna c pucha iior
ella ; quem o pegar leve a praca da Boa vista
D. 3.
SST Roga-se a os Srs. Sub-' refeilos dcsta
e mais Comarcas Commandante do registe e
cos ,
na rua ,
e Vww ,
rem mandar
Hatadas, dirijo-se a mencionada casa;
mesmo se aceeito seis pencionistas.
OT Alugo-se duas pretas mocas sem vi-
cozinno o diario de urna (asa vendem
el'azemtodoo mais servico; na rua
das Flores I), (i. ,
l_r Roga-se ao Snrs. Jos Raimundo da
Costa Menezes, e Francisco Xavier Paes Bar-
reto quciraoailnunciars suas moradas, para
se Ibes entregaren) urnas cartas do Havre.
tt^. Aluga-se um negro bom bolieiro ; na
rua Neta loja 1>. 5 e sabe bem impar car-
y Desapareceo do porto da ribeira do pei-
xe no dia do corrente urna canoa aberta ,
rom < palmos de boca e qnarcnla e tantos de
comprjdo ; quem della souber parteeipe a Jo-
tHiginode Miranda que recompensar..
12/- No pateo do Collgio loja de allaiate
junto da loja do Sr. Gusmo precisa-se de urna
ra de leite ...
s^r Oucn precisar de um. perteito cor.i-
pkiio e pasleleiro Italiano para administrar
qualquer banquete oujanlar, dinja-sc a v< n-
2a defrootod theatro.
r-y Alu'^a-se um grande armasem no porto
das canoas no Recile quem o pretender din-
uree a rua dp Crespo l). .
J |0- Man".! Pedro da Fonseca precisa
iual(
i. v urna casa t.T.ea em qual.jur.
no-Vdomuitoesquesita ; quema tuer
enda-eww1 uncante.
roa
ercira defronte da escadinba
ccrrenle as 1 o libras da manh.
C o 111 p r a s
-r O Commandante do Corpo de Policia
com"pra cavallos para o esquadro de primeira
linba e remontada companhia de cavallaria
do mesmo Corpo ; quem os tiver *ompareea
na secretaria respectiva todos os dias das nove
horas as duas da tarde.
Z3~ L m capote de barragana em meio uzo ;
na rua l ireila l>. 70.
tsy Dois selins inglezes em bom uzo ; no
paleo de S. edro loja de livros.
do!retalho, sa patos de coiro branco para bomem
a duas patacas ditos pretofl de duas solas a
3uatro patacas algodaozinho brim ina-
apolo el 1 isa azul dita com llores encar-
nadas e estopa a 00 a vara cariusas de ma-
dapolo fino a qualro patacas ; nu rua nov
/* 1. ,__1___.,!_.'anareceonp da nodo corrente; o mande le-
armasem ao pe da ponte aonde se venden
uartinas.
Vendas
andar, das seis as oito
c das duas as qualro da
ST3" Cento e cincoenta garrafas vasias. pro
prias para engarrafar vinho ou licores a
jircco de trez vintens cada urna ; na rua birei-
la 1). 5 primeiro
horas da' manh
larde.
S?" Um refe com trassado urna banda de
l t urna barretina com apparelbo do Rio de
Janeiro tudoem muito bom estado, e por
preco commodo ; na rua I ireila sobrado de
um andar do lado do nascentc I). 58.
L'arris coin apparelhos de louca fina, e
c pessoas particuia-
an-
1-
-se
i-
lhos
umaea
dos nariz mais afilado do que chalo boca
grande, beicos grossos peitos batidos, de
idade de 23 annos julga-se ter sido seduzido
1 embarcar levou vestido calsa de lirim
pan
branco e camisa ,/jaqueta de chita azul des-
li Ua IHilIU- QUUUC K IUIU1.I.
' 1 var na rua aob. (jonsalo a entregar a Manoel
q"sapatosdeb;errofrancezparahomemlElia! de Moura V gratificar gonerosa-
a ab'o ditos a iioo, botins Irancezes a ;ooo
sapalos de marroquim pretos para senhora a
1000 ditos deduraque a aoo ditos de I is.
boa a 8^0 tudo de superior qualidade ; ra
praca da Independencia 11. 37.
tf Lm canario de imperio, um rorin,
e tres bicudos todos cantadores e em boas gai-
olas na rua do muro da Penhr casa defronle
do nindio ila Assum|)co.
tLf Na praca da Indejiendencia loj n. 11
e i4 talins com chapa na frente com o dij-
tico da Pedro Segundo, bandas de officiaes, 4c
superior qualidade choroens talins de cal-
mucas barretinas para officiaes sargenloi,
e soldados cordoens de todas as qualidads
para as ditas e plumas e urna par de dn-
gonas para segundo lente de artelheria ap-
parelbo para barretina da G. N. e de cavi-
lada vid ros de poz antebeliosos de MaroeL
Lopes tudo chegado do Rio de Janeiro.
Movimento do Porto
NAVIOS ENTRADOS NO DIA a8
BAHA ; 6dias, Braca de Vapor Nae. To-
dos os Sai 1 tos de la tonel. equip i<, M.
Jdo dos Santos carga diversos {eneros ;
Rosas & Braga; P. um Sardo um Franca,
dois l'orluguezes um Brasileiro com 1 (i-
lhos menores e dois esclavos.
RIO DE JANEIRO; dezdias, Tolaca Hes-
panhola Malvina de 169 tonel equip. ti,
M. Thomaz Fabugas em lastro ; Joo
Pinto de Lemos.
OBSERVACOENS
Seguio para o Sul a Barca Hamburgueza Joana
quetinha lundiado 110 lameiro no dia iti.
er Resumo de geografa recenterneuie pu- RftClFE fA TYP. DC M. F. DE F. 18S9.
<


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID E64H7CGQS_OZPD8H INGEST_TIME 2013-03-29T15:00:10Z PACKAGE AA00011611_03584
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES