Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:03582


This item is only available as the following downloads:


Full Text
Anno de
lJgA FeIRA
h <
i
\\
(
_Tudo agora depende de ns mesmos; da tiossa prudencia, modera*
fco, e energa : continuemos como principiamos e seremos acontados
com admiraco entre as Narues mas cultas.
Proclamaco da Assenbha Geral do Bratil.
Subscrcve-se para esta folha a 3fooo| por quartel pagos adiantados
nes'a Typogrsia, ra das Cruzes O. 5, e na Praca da Independencia
D. D7 e d8, onde se receben correspondencias legalisadas, eannuucios
Snsirindo-se estes gratis, sendo dosproprios assignanles, e vindos assig-
nados.
Partidas dos Correios Terrestres.
CidadedaParahiba e Villas de sua pretendi...................\
Dita do Ro Grande do Norte, e Villas dem...../.............(c__,,!. c..,. :..
Dita da Fortaleza e Villas dem..........................Segundas baxtas Feras
Villa de Goianna...........,.................,.....)
Cidade de Olinda............".......'. .............Todos os das.
Villa deS. Antio....................... .'..........Quintas feiras.
Dita de Garanbuns e Povoaco do Bonito.....................Ditas lo, e a4 de cada mez
Ditas do Cabo, Serinhaem, Rio Formo), e Porto Calvo.....".......dem 1 11, e ai dito dito
Cidade das Alagoas, e Villa de Maceid...............,.........dem dem
Villa de Paia de Flores................................' dem 13, dito dito.
Todos os Correios parttm ao meio da.
de Acost. JVMEgor ro.
CAMBIOS.
Agosto. 26.
Londres...... 3l por Ifooo ced.
Lisboa....... 90 por 0/0 premio, por metal oflerecido,
Franca.......3ao a 3-j5 reis por franco noin.
Lio de Janeiro 3 por 010 de premio.
LRO Moedas de bjfJoo r Velbas i.'i/jhoo a fySoo
B'1 1, m Novas iMooa a i5jjraoo
Lulas de 4#ooo rs., ?$4oo a ttoo
PRATA Palacors iatileiros 1 'foo a 180
#, Pezos Coiuninarios WifJo l'fopo
Uilos Mexicanos 'tyo a iGoo
Pimios das Letras, por mez I 1/8 por loo
Das da Semana.
a6 Segunda-----S. Zeferino P. M.-------.......-Se.. da Tbz.,'e Aui do I. de O. da a. y. den
57 Terca--------S. JozedeCalasans--------------------Relacio, e Audiencia do J. de D. da 1. v. den.
ao Qua'rta------S. Agostinho B. Dout. ---'---------Sessfio da Thezouraria Publica.
ag Quinta Degolacio de S. JoJo Bptista -------Sesso da The., e Aud. do J. de D. da a. vara.
30 Sexta---------S. Rota de Lima V.------------------Sessfio da Thez., c Aud. do J. de I), da 1. vara.
31 Sabbado-----S. Raymundo Nonato Card.----------Quarlo ming. aos a5 iniu. da Urde.
Domingo----N. S. da Penha.------------.-----
Mar* cheia para o dia I7 de Agosto.
As 7 horas e 4a minutos da maub. As 8 horas e 6 minutos da Urde.
PERNNAMRUCO.
GOVERNO DA PROVINCIA.
xpediente' do dia a do corrente.
Officio Ao Insjicctor da Thezouraria da
Provincia para -mandar pagar ao Prefeilo da
Comarca de Garanhuns ou ao seu Procura-
dor a importancia da despeza hila com um
recrula por elle remeido.
Dito-Ao Inspector da Thezouraria das
Rendas Provinciaes significando-llie que
tomando a Presidencia emconsideraco oque
represcutarao os Negociantes desla Praca,
queixando-se do estorvo que lhe causa a no-
va forma de arrecadaco de certos Direilos
l'rovinciaes que danles se cobravo pela
Meza do Consulado e pelo Artigo 3o. da lei
Provincial numero ^3 passaro a ser pagos
na Meza das Rendas Internas Provinciaes ; e
1 cinld em vista as informaces dadas pelo
Administrador da Meza do Consulado Pro-
curador Fiscal, e delle Inspector da Thezou-
raria ; lhe determina, qne em quanto a As-
sc.uiblca Legislativa Provincial, nao resolver
o contrario, a arrecadaco dos Impostos sobre
as caixas feichos, sacas, e barricas de assu-
car e sacas de algodo continu a ser feita
pela referida Meza do Consulado e recolhido
o seu producto aos cofres da Meza das Ren-
das Internas Provinciaes, cujo Thezoureiro
dever ir, ou mandar pelo seu Fiel, Sema-
nal, ou inensal mente receher o dito prodc-
elo do Thezoureiro da Meza do Consulado,
dando-se a este as* necessarias cautellas e
levando-se-lhe cm conta na respectiva The-
zouraria as quanlias nellas indicadas ; pois
quedesta maneira se facilita o ex|)cdiente a
Fazenda nao vem a ser prejudicada, nem o
Commcrcio acha entraves no seo giro.
. Dito Ao Administrador da Meza do Con-
sulado cummunicaudo-lhes o conteudo no of-
ficio supra.
Dito Ao mesmo, respondendo ao seo of-
ficio de 7 do corrente acompanhado de urna
represen lacio dos Inspectores do assucar, na
qual fazem ver, que tendo as canas destinadas
para inspeccao do Assucar, um palmo de com-
primento nao podem alcancar o amago da cai-
xa, e della extrair asssucar para a Inspeccao
dar-lhe a verdadeira qnalidade e que por
isso vem a ser prejudicada a Fazenda, eosdo-
nos das caixas visto que o assucar prximo
a madeira da caixa sempre se torna peior do que
na realidade he.; que nenhuma providencia
se pode a tal respeilo dar, visto que a Presi-
1 dencia se nao acha auctorisada para alterar
adisposico do artigo 8. da Le Provincial
numero 73, que determina a maneira por
' que devem ser inspeclada as caixas e leichos
le assucar.
>j Dito Ao Inspector Geral das obras publi-
!>licas exigindo o resultado do exame da
Ponte do Anjo em Serinhaem e a remessa
do orcamento da despeza que se poden fazer
com a obra que elle necessita visto que elle
' al o presente o nao tem feito como lhe foi
ordenado, o que dever cumprir com a pos-
.sivelbrevidadc aliento o estado de ruina em
que se acha a dita Ponte.
Dito Ao mesmo, enviando-lhe um reque-
rimento dos Directores da Compahia doEn-
canamentodas Agoas para esta Cidade acorapa-
nhado de duas memorias conteudo a descripcao,
e orcamento da obra, a funde que de accordo
coni'oEngenheiro A. Hersting a quera loi
expedida a conveniente rominiinicacao c
tendo em visla a planta da moma obra baja
de dar o seu parecer a fim de que possa ser
approvada pela Presidencia no caso de o
merecer na conformidade do paragrapho 1.
Artigo 2. da Lei Provincial de i4 de Julho
de 1837-
Dito Ao Engenheiro Augusto Hersling,
communicando-lhe o conteudo no preceden-
te officio.
ciados ao trabalhp das mesmas Joaquim dos
Santos Raymundo e Alcxandre Jorge, per-
tencentes a guarnicp das Alagoas.
Dito Ao Administrador Pical das obras
publicas,spara que em vista das ordens que
lena recebido lio Exm. Presidente acceilasse
e empregaase nos irabalbos de sua reparticae
os RR. de terecira deserco j; sentenciados,
Dito-Ao Director Interino do Arsenal de Joaquim dos Sanios Raimundo, cAlexandre
Guerra respondendo-lbe que nao pode
ter lugar, encarregar-se o Inspector da The-
zouraria compra da sola precisa para o
mesmo Arsenal, pois que a elle Director com-
pette fazer comprar esse e os mais objeclos
preciaos*
Di lo- Ao mesmo, para admillir no nume-
Jorge.
THEZOURARIA PROVINCIAL."
expediente no dia 17 de jiti.ho.
Officio Ao Exm. Presidente dando parle
ro dos Educandos a tres orlaos do Col ledo de das ordens expedidas sobre a veriuina c cana
^.- 1 ii.____-______ j_. __i_ _"_i............r.......1' ..:___ r.....j>________ .,
Olinda, quelbeserao enviados pelo respec-
tivo Director.
Di lo Ao Director do Collegio dos Orlaos,
communicando-lhe, a expedieco da ordem
supra.
Dito-A Cmara Municipal de Cimbres,
para o furo das eaixas, c fexos d'assucar c a
medida de a libras bem como das duvidas
que por ultimo pnconlrou-se sobre a aTerija
da dita medida e pedindo providencias.
EXPEDIENTE DO DIA l8.
Officio Ao Contador da Thezouraria trans-
respondendo ao seu officio em que pede ser es- mittiiulo jior copia o officio do Governo de i3
clarecida de onde deve ser tirada a despeza do corrente ordenando que selao extencivas
para o tombamento do seo patrimonio quedo 4 esta Froviin'ia as ordens do Tliczouro de ap
seo rendimento deve ser tirada a mencionada de Marco, e f) Julho de l836 tambem por
despeza,poisqueembora para elle nada se bou,- copia, a respeito da avaliaca annualdo u?u-
vesse fixado na Lei Provincial numero 79 fruclo legado.
todava pido Artigo a5 das Dis[K)sices Ge-i Hilo Ao Doutor Procurador Fiscal fazen-
raes da mesma lei, as Cmaras seachao auc- do igual remessa.
tomadas a fazer sob sua responsabelidade as Dito _, Aos Collcctores de todos os Muni-
despezas nao fixadas cuja desposico nao cipes da Provincia- idem.
pode deixar de ser extensiva para o presente expediente do da ip.
cas0. Officio Ao Escrivo e Administrador da
Dilo A Cmara Municipal do Brejo, res- Meza de Rendas Internas Provinciaes trans-
pondendo-lhe que determinando o'Artigo miltindo por copia o Ayizo do i. de Agosto
81 da Carta de Lei do i. de Outubro de de 1H08 sobre os despachos, e passajiortes
i8a8 que os Procuradores das Cmaras r%-r dos ^Navios com as dcclaracoes que exigi e
cebero 6 por cento de tudo que arrecada- huma Tabella do imposto das Patentes dos
rem, nao pode ter lugar alem destes venc- Officiaes da Guarda Nacional organizada com
mentos agratificacb de mais 1 a por cento as dispozices das Lcisem vigor,
que exige o individuo que se offerece a ser-| Illm. eExm-Snr. Transmillo incluzo o
vir de Procurador da dita Cmara ; e como requerimento de Fortunato da Silva Rabello
esta a firma que o grande atrazo de sua re- Caneca em o qual se queixa le que negoci-
ceita he devido a ommisso do actual Procu- ando com fazendas e tendo pago no Muni-
rador, cumpre que o faca activar no cumpri- cipio do Bonito o imposto de aooo res, de
manto de SOM deveres por meio do respec- novo lhe tem sido exigido em todos os Muni-
tivo Fiscal como determina o Artigo 85 da cipios por onde tem passado sobre o qual
citado Lei. e quando para isto nao seja suffi- mandou V. Ex. que informasse : ouvido o
ciente a inspeccao do Fiscal deve a Cmara Dr. Procurador Fiscal deo o parecer que tam
coagir o mesmo Procurador a entrar nos seos bem incluzo remetto bem que me n5o possa
deveres, com penas cominadas em suas postu-j conformar com ellesem algum escrpulo, as
turas conforme o disposto no Imperial Avi- cido nao s da exorbitancia do imposto, quando
so de vq de Marco de 183o'. \ devido em todos os Municipios da Provincia ,
Dito A Cmara Mnnicipal d Cabo, de- como parece a vista da Lei, mas pirque_ sen-
clarando-lhe eiu resposta ao seo officio de >4 fc femfan mitr'ora esse imposto Municipal ,
do corrente que compettindo a mesma Cmara ou arrecadado em cada Municipio a ordem do
pelo artigo 4i da caria de Lei que lhe serve de Thczouro Publico Nacional de ao de Outubro
Proprielario do Kngenho Uarapu p
aconslruccao da ponte que se faz precisa so-
bre a levada que atravessa a estrada real que
entra para a villa visto que semelhanle le-
vada -.(iineiiic a elle he proveitosa ; ou d a es-
ta urna outra direceo de maneira que pao
embarasse o transito publico.
COMMANDO DAS ARMAS.
Espediente do dia ai do corrente.
Officio Ao Major commandante do Depo-
sito, onleiiando-lbeque reiiiellesse COBl guias
aserem apresenlados ao Administrador Fiscal
das obras publicas os dous soldados senlcn-
s<; ainda vigora aquella Portaria ou >c ella
(adiicoii a vista das expresses em que be
concebida a Lei Provincial.
Dos Guarde a V. Ex. Tbezouraiia das
Rendas Provinciaes de Pernambuco 19 de Ju-
lho de 1839. Illm. e Exni.Sr. Francisco do
Reg Barras Prezidenle da Provincia. O
Inspector ta Thezouraria Joo Bptista Perei-
ra Lobo Jnior.
EXPEDIENTE DODIA O.
Ollkio lo Exm. Presidente remetiendo
o ReguJamento para execuco do ari. 8." da
L,-i provincial 11. 73 de que foi no\ mente in-
cumbido para Cucr la mudanzas da medida
para balan.a.
Portaria* Ordenando ao Thezoureiro das
Rendas Provinciaes a entrega de 5ooUooo rs.
ao Thezoureiro da Meza de Rendas Internas
pira a cobranca execntiva da divida activa
Provincial,
Officio Ao Escrivao c Administrador da
Meza de Rendas Internas parledpaudo terj'x-
pedido a ordem supra.
Dito Ao Administrador da Moza do Con-
sulado transmlttindo por copia o officio do
Exm. Prezidenle, pelo qual disslvendoa du-
\ ida que patera o Procurador da Cmara na
all'eric.io da medida de 2 libras mandn que
cm vez de huma medida de capacidade se u-
zasse de urna batanea.
EXl'KIlIENTE DO DIA aai
Officio Ao Dr. Procurador Fiscal da
Tlie/ouraria remetiendo o Livro de Termos
d'arrematar oes para ver o do imposto de 4
rs. do consumo (las bebidas que pedejfbr copia.
bxfediBhtb Do da aJ.
Officio Ao Contador da Thezouraria re-
metiendo por copia a Tabella las quantidades,
e avala io dos gneros para <> sustento dos
presos pobres desta Comarca no corrente an-
uo hnanecro.
EXPEDIENTE DO DA ifc
Officio Ao Adminsliador da Meza do
Consulado para informar com urgencia sobre
a representaco dos Negociantes desla Prica ,
a respeilo da arrecadaco das Tatas quo foi
incumbida por Lei a Meza de Rendas Inter-
na*.
Dito Ao mesmo em soluco das duvidas ,
e embaracos que expoz acerca da conlinuaiao
dos pagamentos das despezas que se azio pe-
la sua Rejiailiio ordenando que o The/.oii-
rciro fafa hum pedido da quantia que julgar
necessaria para as mesmas, aprezcnlando no
fim do me/, a conta legalizada como d antes
pralicava.
Dilo Ao Juiz de Direito do Crime desta
Comarca e Presidenle do Jury, fazeudo ver a
falta irreparavel dos dous Em pregados da Me-
za de Rendas Internas na actual sessao se-
gundo o officio do respectivo Administrador
que transmit! e pedindo baja de propor a
dispensa de hum delles.
Dito Ao Administrador Fiscal das Obras
Publicas determinando em conformidade'das
ordens do Exm Presidente, que pda ,sua Re-
parlicao continen! a ser feilosos fornecimen-
los d'agoa e luz e objeclos do expediente
para as liarreiras das Pontes da Magdalena,
e Carvalhos, devendo ser distincla a sua clas-
sificacao.
Dito Ao Escrivao c Administrador da
Meza de Rendas interna? parfecuSid a 01
dem supra e que fica sein elTeito a Porta-
ra de 5 do corrente.
Dilo Ao mcsmoiparlecipando ler levado
ao conheciment do Exm. Presidente a sua re-
prezenlacio em que peda huma nova nume-
rario dos predios e Iransmiltindo por cop l
a Portaria pela qual o mesmo F'aiii Snr. neo
as providencias que julgou a respeito, cuja
ex 11 ao lhe incumbi.
Dilo Ao Contador da Thezouraria pa'r
lecipando ler incumbido ao Administrador da
Me/a de Rendas internas a execu o da Por-
taria rpie transmitti por copiapcla qual o'fixm.
Predenteestabelecep as bases pan a nova
numeracao dos predios desta Gdade
i:\ci un;\ n no da 3o.
Oficio Ao Administrador Fiscal djH O-
bras PuBlicas transmttindo |>or copia a or-
dem do Exm. Prczid nic pela qual determina
qu se entregue dispouco do Ficleito da
i MUTILADO



D
------------ ------------------v.----------------------------------------------------------------------.-----------------
I ARIO DE PERN.AMBUCO
Comarca de Garanhuns i;oooUooo de reis para
o concert da Cadeia.
\' ortaria Determinando ao Administrador
Fiscal das Obras Pblicas em xirtude do of-
ficio do Exm Presidente de 11 do mesmo, que
faca entregar a dispozi' a da Cmara de Go-
ianna toooUooo de reis para a continua'o da
obra da Cadeia.
lllm. e Exm. Snr. Devolvo a V. Ex. o
requiremenlo dos Negociantes desta Praca m
que reprezento acerca do pagamento do im-
posto frorvincial das caixas, e lechos, bar-
ricas, e saccas de tancar, e das saccas de al-
godo na Meza de lleudas Internas Provin-
ciaes, e pedindo hu providencia que exonere
o Commercio de tanta violencia, e embaracos,
sobre o qual V. Ex. manclou que en infor-
masse P ottvindo o Doulor Procurador Fiscal,
e o Administrador do Consulado dero os Pare-
ceres que tambem iocluzo remeti. Na ver-
dade lem pouderozos me parecem os lutida-
mentos da reprezentaco e bem que os em-
taracos se nao poss:To remover no todo se nao
com a derrogaco da l.ei que incumbi o
sobredito pagamento e arrecadacao a .Meza
de Rendas Internas, toJavia em parte pndem
ser elles obviados mandando-se que as Ta-
xas das caixas e fechos, barricas saceos
veren de expoliar sejao pagas na sobredita
Meza de Rendas Internas avista de certifica,
dos passados pela Meza do Consulado do
numero, e qual idade dos volti mes extral.i-
dos dos competentes Manifestos exigindo-se
somente na ultima conferencia o eondecimen-
todaquclla Pepartico Provincial como se pra-
uca a respeito das dems pagando as que
forem despachadas para consumo o mesmo im-
posto a vista das Guias do coslume. He este
o meo parecer que a concideraco de V. F\c.
submetto
feos Guarde a V. S. Thc/ouiaria das
Rendas Provinciaes de Pernaiuluieo 26 de Ju-
lliode i8.fg. IHm e Exm Snr Francisco
ilo Reg l'arros Presidente da Provincia. O
Inspector da Tbezouraria Joo Baptista Pe-
icira lobo Jnior.
r.XI'hUIhNTR DO DlA a^.
Officio_ Ao Uoutor Procurador Fiscal man-
dando proceder como direilo fbr contra Flix
Va/ da Silva avista da conta que remetleo
c\ ti aluda pela Contadoria.
lllm. Sur. Rccebi o seo olficio de 26 do
corrcnle com bum papel de venda pelo
qual se v que Antonio Goncalves de Azevcdo
eompron em n de Junbo prximo findo a
Francisco Joaquim da l osla dois escravos
dos qraes nao pagou a competente meia si/.a
no prazo de 3o dias marcados pela Lei Provin-
cial num. j'i de 3o de Abril ait. fo porque
julga V. S. o comprador. e vendedor inclusos
no g. do Al vara de 3 de Junbo de 1K09 e
pede que ao sobredito papel cu d o deslino que
convier : cumpre-mc devolvendo a V. S o
mesmo papel delerminar-lhe que admita o
pagamento da respectiva meia si/.a por quati-
to o prazo de 3o dias que o sobredito art. fixou
somente corre 6 mezes depois da publica, o da
lei o que se evidencia nao se' das express
es do art 4a findo este grazo que se re-
fere as antecedente* 6 mezescomo lani
bem da dispozi' ao do art 4 i que exigi huma
especial publica a do inesino art 41* Por
meto d Editaes que ci-culasseni em toda a
rrovincia sendo alias certo que para tal
circula {o he mistar e razoavel o pra'.o de
seis mezes.
Dos Guarde a V. S. Thezouraria das
Rendas Provinciaes de Pernambuco %j de Ju-
lho de l83p. O Inspector da Thezouraria
rovincial Joo Rapllsla Pereira LoboJunior
I lint Sur. I.uiz ranciscxi de Mello Cavalcan-
te Escriva e Administrador da Meza de
Rendas Internas Provinciaes
Dilo Ao (Contador da Thezouraria remet-
tendo por copia o ofticio do Exm Prczidente
pelo qual ordena que se paguem adianlado a
meces desodos as pfecm que marchan para
Santa Anto ,-pagando-seo que se Ides esli-
MEZA DO CONSULADO.
- A Pauta be a mesma do numero 18a.
OBRAS PUBLICAS.
Orfps se hade arremattar a quem mas der as,
rendas do sitio do Rozarinho ; as pessoas que
as qu2erem arremattar poder comparecer na
caza das Sesses da mesma Administraca no
lllm. Snr Em respbsta ao Officio de V. | dia 18 do corrente mez as 4 horas da tarde com
S de 15 do corrente em que trata do saldo seos'fiadores.
de 1 :a igUo24 reis que deixou de ser recoldi-
Salla das Sesses da Administraca do Pa-
trimonio dos Orfaos 24 de Agosto de 18 <.
J. VI. da Cruz.
Escripturario.
Diario de Pemambitoa

do como bavia determinado a orderade i5 de
Junho do anuo passado tenha a dizer o se
guinte.
Achando-kse eslabellecido at por huma or-
dem do Thezouro Publico como be' sabido
para as desperas despachadas em dias v g de
Abril nao poderem entrar as contas de Mar-
co qua'ndo recebi a predi la ordetn de i5 de
Junho, apareeeo na forma docostume o em-
baa' o de se poder entrar com o saldo do dito
anuo nnaticeiro por isso que todo coin pe-
quea deferen a eslava despendido em dias
de Julho ; sendo com tud despezas perte-
centes a Junho : ueste cazo lembro-me. que
vocalmente fiz ver a V. S, como Contador e sentenca de tanild "sSo doje infelizmente ex-
creto que mesmo ao Snr. Joo GonCalves da >ilva, como Inspector do Tbezouro esta de- Lei Provincial de Jo d'Abril, art. 36 a4 ,
liculdade que apareca para poder entrar o que manda pagar imposta-de 4o ri*par ca-
saldo em dinheiro quando elle eslava ja em nada em bebidas espirituosas de consamo,
toldas pagas : isto posto das depois dice- Dous sao os males, emanados dessaLei, o
me V. S que tendo tratado com o mesmo desfalque das rendas publicas eadiminuieo
Snr. Joo Goncalves a este respeito assenta-] na riqueza dos particulares: o que se pode
rao em nao entrar o Saldo visto que nao mosirar atc evidencia, a fira de que os nos-
podio ja remover aquellas difliculdades e que soS Legisladores liajade tomar em considera-
se dariao os provideucias para que ellas nao cao o clamor geral do respeitavel corpo do
occoircssem no anuo seguirte j commercio que se tem altamente queixado
Espere por essas providencias certo no dos males provenientes da citada Lei.
quedespoemoart 34 do Hegulamcnlo desta Sempre a nossa cidade conservou um depo-
Hepart a ; eslas no aparecera ; e cbea- slo c vnios pelo qual se facilitava a o
A LE PROVINCIAL DE N D ABRIL EM OPPO-
SICO A OS INTERESSE8 BA TROVINCIA.
Nao se pode opprimir p commercio sem
que se veja compromettida a. tortuna publt-
ca. e a riqueza geral. : os effeitos desta
Mas a auzeucia que deste porto tem feito e
bao de fazer os gneros de importadlo s<5 tra-
r5 estas pendas s rendas publicas e ri-
queza dos commerciantes ? Nao certamente. _
Toda a Provincia se ressente d'ella, princi-
palmente a agricultura. A concorrencia dos
gneros importados quem d a os do paiz o
maior valor que estes podem obler e por
consequenoia logo que falta aquelles, tem
o paiz de perder no valor dos seus productos :
o que temos visto com a baixa do algodo,
pela auzencia das trez einbarcaces e cora .
ella perdee a Provincia nos direilos perdeo
o agricultor no valor do genero, perdern os
negociantes como cima fica- dito.
Se pois do concurso dos consumidores que
pjovem o augmento no valor dos gneros ; se
Teste augmento provem a riqueza ; e
se finalmente essa .riqueza o elemento neces-
sario para o engrandcimento deste Provinoia,
d esperar. qu| os nbssos Legisladores a
quem nao falta patriotismo, ho de levar de
brio livrar a Provincia deste imposto ; e que,
em quanto isto se nao faz S. Exc. o Sr. Pre- f 't
sidente far quajito poder para minorar esses j
males.
NOTICIAS PROVINCIAES.
SARTA CTHAR1NA.
Proclamaco.
Catharihenses Acontecimerrtos desastro-
zos que qo me hera dado evitar com os ineios
que tinha a minhadispozico, dero cauza a
que a Villa da Laguna, nao obstante lodos os
meus exforcos e deligencias, da energia e pa-
triotismo de seus dignos habitantes, e bem as-
sim da tropa e marinda de sua guarnico, es-
I
aupuMu. .UC..XC p,,.uc..-se u uics.no que no, me^mo menor, que d antes era pela carestia, ;n'^ 'Aa nar mihlica e
:z azt:T^x:lTdeTTs uao ique ssubi,,do, rse~com ^augmento SSS w- *#
^^^XZ^^os^^PT' CPela verao forao os mesmos me occorrerao no anuo I \ri>7 pr-i..^-xM A~. a. ..ul:.r.'cauza', aonde por desgraca dominao._ Para tao
'o I Prez embarcaces, depois da publicaco ilutares fins cont que a vossa coadjuvacao me
desta Le, ja tem fgido do nosso porto a pro- no faltara. Sobra-me provas da vossas leal-
antccedenle
dos
os quaes nao tendo sido remov
raTintamom^f^1^ armazenagem ,_pK,mp.amenle os commercian- ainda temos forcas de trra e de mar, que tendo
sfnSSS^SjS. n. -i.fi. r S ,ar?ariao a comPra do rregamenlo j mandado postar convenientemente, e ainda to-
do f mesmo nffi^5!' q T r u *V ^ T ^ I f&+. aS >i'ciinsla- mos em aitoio destas forcas briozos guardas na-
.Z! i7,qS Sald em^mm%' tiranaelles grande inters- cionaes, cuiosebefes to decedida addezao tem
so cxiMcem dinneiro 43,90 res, e mesmo se: e os vindns sendo ropvunrialne i>.ra 1 tJ 1 j j
i.m r> fnlKno em i o lomas despachadas c pagas em das de aualuuer das Provocas Har-lheciar a #-nn j }i
Iii]|1nBuln/nm.,Jn,i Jo H uaiijuii uus i loviucioh aar-ines-iao acn- do exercilo para nos aiudarem com sua expen-
Juido sendo com ludo despezas pertencentes ao veniencia de oilo nu dez mil naia ;,,, ri '.
mp, H l,,Kft vi-iiH.ni.Ki 'tuiu, ou utz mu ets empipa, enca: Unamo-nos pois: unidos aprezenlare-
-ercado da praca mos ao inimifio dumVbarreira invencivel e lhe
PREFEITURV
portaco, vo ser arrecadados em ouira mais de 189.-----Joo Carlos Pardal.
teliz que a nossa a esse respeito : e porque ? 1 __________
parte no da 4 de acost.
lllm. e Exm. Snr. I'oro prezos donlcm ;
minda ordem e verao boje destino :
Francisco Joze 1-uiz branco peJa palrulba
do Recife por ter sido encontrado com um va- o imposto deixaria na Provincia de direitos
so comlinfa apintaras portas das cazas ; A n- e armazenagem adeiona I alem d'oultas van-
consequencia perde a Provincia, e perde o liticado Imperio, eoseu acto addicional!-
(om)me|lc,'. Vivao os Catharinenses defensores da integri-
Ferde a rovincia porque os direitos que dade do Imperio! Palacio do Governo da
deveriaoncaraqui, se aqu se fizesse a im- Provincia de Santa Catharina, 97 de Julho
peto: e porq
Por um diminuto proveilo de j; 00 rs. em pi-
na
quando esta mesma pipa nao exislindo recebidas hontein
ver a dever
l'ito Ao Exm. Presidente parlccipando
ter sido arrematado o furo das calvas e fechos
de assucar por Ignacio Antonio Bornea peo
lempo que decorrer atofim de Junbo de i*4o
pelo pre o animal de ."> -^Uooo reis offerecemio
por seo fiador o Coronel Gaspar de Menees
Vasconcellos de Prumdnd comas condices
que transmilti e pedindo ao mesmo lempo a
sua approva< ,7o para ser ultimado.
JJivrrwHS Keparlicoens.
Sentimos ter He annunciar que as noticias
de Santa Catharina sao de
natureza tal que produzirao na Cidade urna
penosa sensacao.
Os rebeldes do RioGrande entrara na Vil -
la da Laguna no dia a3 do mez pp. em forca ,
segundo se diz de too homens. O Teen le
Coronel Villas-Boas commandanteda colum-
na legal que devia dlender aquella Villa,
abandonou-a no dia 21, mal soube que os far-
rapos se aproximavad deixando todas as mu
Rcnl lozelemrtil ,nr lim :-------" "",'' "" 5 H""Hut! nices de guerra mochilas dos soldados &c.
Jio s^;yrs tt- ZEBttfsz ~^ I^bfe^c^^
SosAogado? poftS; 5'U-!r "m rmU> ^ e"Cn,rar *,a amr deSlC a Villa -"va abandonada %Zgt
^uSK^^ZSTSlSiSt1 i;T SS '^l^'^o; porque alem de rao sen. dar um so tiro 5 Herando-se de'
n-to SurSfeito d OlnH ^rdo V ,mda 6^1'arem nesta especulaco ten, contra ,odoo trem de guerra que aliluivia, e de al-ft
inda, pelo mesmo s. o empate ,lo dmheiio dado aporta da al- gun.as lanchas armadas.
torno tizeria de Sa pardo, pelo Sub-Pre- tagens 'para mais de 35,rs. Aqui estamos nos
Icio de Samo Antonio por_ encont.al-o entre reduzidos a o estado dos selvaijensque corla a
cluas pretas e fazer-se assim suspeito e es-!arvore, que Ibes poderla dar mutos fruclos
lar as crcunslanaas de ser reculado; Jos era differentes estaces sopara que, gozan-
Franasco Martina branco por un. Inlenor do dos presentes satisfaca a preciso de mo-
do Lorpo ohcial por ter Indo armado de mentos.
urna faca de ponta caza de Joaqun, Rafael i Isto que temos visto com trez embarcaces,
Anuyo Francisco, preto escravo do Coronel | ver-se- pralicado com muitas oul.as porque
l-ins. por um soldado do os commerciantes tendo de paKar un. imposto,
-.r~ j ^..rhigido ; Manuel An-
ioiuo Ca
'
I
SuliPrefeito de
motivo ; Joao Valentim da

Roch
preto
ALFAxMiEGA DAS FAZENDAS.
'- A Pauta de a mesma do numero i83.
. .faudega, |para pagan, culo do imposto: eir-
Manoel Antomo dos Sanios pardo, pelo Siib- constancia esla que sei;undo o ,Vso enlen-
Prelei.o de Iguarassu por tercm assassmado' der tamben, onerosissima a o commercio ,
a um escravo do Tenerte (. oroncl Ilcnr.que e por ventura opposla a o espirito da Lei. Se
I onpe t.irao. a Lei Provincial como ptalaui us seus im-
1 das partes boje recebidas postos ser collados na Alfandega, que Oa re-
\ P'irticao onde s se cobra as re niias geraes ;
Prefeilura da Co- pois as Provinciaes tem a sua cstaco compe-
marca do Recife *4 de Agosto de 8 ip. lllm. tente e propria ? Alem d'isto que intelli-
e Lxm. Snr. Francisco do Reg Barros Pre- gencia se pcde dar ;i '
sidente da Provincia. Francisco Antonio de
S Brrelo Prfeito da Comarca.
nesta Secretaria.
I'eos Guarde a v
Exc.
Administraca do Patrimonio dos Orfos.
Perante a Administraca do Patrimonio dos
- lelra da Le (piando
diz : Sendo esta arrecadacao feita nos Muni-
cipios do Recii e Oliuda ? ., Destas pala-
yrasclaramenl. s( onliecc, que no foi da
intcncao dos Legisladores que o rendimento
do1 impostofosse cobrado na Alfandega, pois
Olinda no tem Aliandega.
No dia a6 correuv
na Cidade do Desterro que os rebeldes se'
acdava j em S. Jos ; mas no dia *j do cor-
rente sadida do barco que traz estas noti-
cias sabia-se que linha apparecido alli a^
penas qualro ou cinco desordeiros, e queja'
se bavia retirado. Villas-Boas acba-se pre-
so a dordo da escuna de guerra Piraj por or-
dem do presidente.
A forca legal com que Villas-Boas adando-
nou a Laguna ficava no morro dos < avallos ,
commandada pelo Major edegado prxima-
mente da Badia e o Coronel Neves eslava
reiniindo o batalhao de G. Nacionaes de S.
Jos para ir eneorporar-se aquella forea.
I Quando hontem de manda edegoo a noti-
cia deste desagravel aconteciinento, eslava
)
r
MUTILADO



r,;
DIARIO
DE
PER NA Bl BU C.O

s
-
a barca de vapor Correio Brazileiro,
l conduz o ( ommandante das torcas navaes
tacionadas em Santa Catharma e alguma
tropa. O governo expedio logo -ordens para
que fosse demorada, e por estes tres dis a -
r sahir com mais dous vasos de guerra, le-
vando 3oo homens e o general Andreas se
a enmarados Srs. deputados, como de es pe-
ra i,consentir q' este v alent e digno official se
-afste do seu seto para ali prestar ao paiz no-
vos e relevantes serv eos. Em Santa Cathari-
tiaexiste'j urna torca de trra respeitavel. e
os seguintes vazos de guerra : Brigue Escuna
'Andorina com dous rodiziosde calibre 18 -
Patacho Patagonia, com um rodizio 18. e
4' caronadas do mesmo calibre Escuna Belli-
co um rodizio de calibre ia, e duas carona-
das de 9- Escuna Bella Americana, quatro
pecas de calibre 6 Esc. Piraj (i carenadas
de calibre 18, e a pecas de la Esc. Come-
ta i rodizio.
Entretanto o presidente de Santa Calharina
deu todas as providencias que eslava ao seu
alcance e que reclamava5 as circunstancias ,
estimamos poder concluir este artigo assegu
rando que toda a populaco da ilha se presta-
ra voluntariamente, e com o maior entnuzias-
mo a empunhar as armas em de'eza da legali-
dade. (J. do Commercio de 8 de Agosto).
Tractado de Paz e amizade entre o Vexico e a
Franca.
Em nome da Santissima Trindade o Presi-
dente da Repblica v exicana, e S. M. o rei
dos Francezes, desejosos de terminar a guerra
que desgraciadamente tem reinado entre ambos
Repblica do Vlexico os Srs. Manoel Eduardo
Gorostiza, ministro dos Negocios Estrangeiros,
e Guadalupe Victoria genera! de divisao ; e
S. M. o rei dos Francezes ao Sr. Carlos Bau-
din contra-almirante e official da ordem real
da legio d'honra. Os quaes depoisde trocados
reciprocamente seus plenos poderes, e adiados
em devida forma convieram nos arligos se-
guintes :
Artigo t. Haver urna paz constantemente
e amizade perpetua entre a repblica do VJexi-
code urna parte e S. M. o rei dos Francezes,
seus herdeiros e successores da outra e entre
os cidados dos dous Estados sem excepeo
de pessoa nem de logares.
Art. a. Com o fim de facilitar o prompto
restabelecimento de um aFecto mutuo entre am-
bas as naces as partes contractanles convie-
ram era submetter deciso de urna terceira
potencia as duas questes relativas a saber : i"
se o Mxico tem direito de reclamar da Franca,
quer a restituico dos vasos de guerra mexica-
nos apresados pelas-forcas francezas depois de se
render o forte de Ulna, ou urna indemuisacao
pelo valor dos ditos vasos em caso que tenha
delles dispotos ogoverno francez : a* se ha lu-
gar a conceder as indemnisacoes que por urna
parte reclamem os francezes pelas perdas que
teni sullrido em consequencia da lei da expul-
sao e por outra parle os mexicanos pelas
3ue tambem tem experimentado em resultado
as hostilidades posteriores a at de Novembro
ultimo.
Art. 3. At que as duas" partes possam ce-
lebrar um tractado reciproco de commercio e
navegacao, que arranje diffinitiva e vanlajosa-
menle para o Mxico e a Franca suas rela-
jees em futuro, os agentes diplomticos e con-
sulares os cidados ae todas as classes os na-
vios e mercadorias de paiz respectivo conti-
nuaro disfructando no outro as franquas ,
previlegios e imninidades quaesquer que
sejam que se tem concedido ou possam se-lo
etin futuro pelos trctados ou uso estabeleci-
do naco estrangeira a mais favorecida e
gratuitamente, se a concesso gratuita
potencanos a saber S. Es. o Presidente da embora digo que elle regalada quer comer
Repblica do Mxico aos Srs. Manoel Eduardo o ordenado de perninha em trra em quan-
'Gorostiza ministro dos Negocios Estrangei- to os mais sem obrigaco nem pagamen-
tos e Guadalupe Victoria general de Divisao; to vio metter de barra dentro e botar fe
eS. M. orei dos Francezes o Sr. Carlos Baudim, ra os. vasos do Estado, que importa assim o
contra-almirante e official da ordem real da devem fazer, e rauito man porque elle sem-
legiao d'honra. Os quaes depois de trctados pre he mor e elle sao practicosinhos.
reciprocamente e approvados seus plenos po- i Bem est Manoel respond eu antes seja
deres convieram nos artigos seguintes: assim porque como sso nao he comigo possp
Artigo i. A fim de satisfazeras reclama- respirar mais livre irra com o tal berro ,
coes da Franca respeito aos prejuizos experi- cuidei que a derradera liuha chegado !
mentados pelos seus nacionaes antes de a( Sahi d'alli, e anda o Patro-terreraoto ve-
de Novembro de 188 ,* o Governo Mexicano ciferava : mus por tomar fresco vollei pelas
pagara ao Francez urna quantia de seiscentos cinco da tarde ; acbei no trapixe para o
mil pezos fortes em metal, cu jo pagamento se mesmo fcn que me levava huma roda ,
efectuar em tres praeos de duzentos mil pezos senlei-me e o orador da sucia eslava di/.en-
cada um pelo administrador principal da al- do: olbeiu la ; lira do relogio, Vms. bem veem
fendega de Vera Cruz a dous quatro e se- sao cinco horas e agora lie que atraca o es-
is mezes data desde o dia do presente convenio, caler e nao querern Vms *, que eu afine a"
Feitos estes pagamentos o governo da republi- rebeca ; assim be que se serve o Estado o
ca ficara livre e desembaracado respeito homem que ha poucas horas quasi consom-
Franca de qualquer reclanuco pecuniaria ve o pobre do Francisco Eusebio, por nao
anterior a *6 de Novembro de i 838. i ter podido atracar a corveta meUido n'huma
mentatio Sero boje Surs. Redactores as
circunstancias de Pernambuco as mesmas que
ero quando o rei de Portugual passou para
o Brazil em 1808 que criou esta Repartico ?
Estarlo hoje os mantimentos a moradia, o
vestuario, e tudo mais que he ndispensa-
vel pelo preco de cnto ? Haver hoje em to-
do o Brazil algum empregado, que ainda
perceba o mesmo que percebia naquelle tem-
po ? Por certo que nao ; como pois s devem
jazer no abandono, no slatu quo os in-
felices Guardas da Saude com 4 reis di-
arios, vendo que at os serventes esto ele-
vados pela presidencia a 8oo reis por dia, os
serventes que vo ao seu servico com o p dis-
calcado toscamente vestidos com 8oo reis ,
e os Gualdas de Saude que devem compare-
cer calcados de cazaca e descenles, com 4o
reis estes devendo saber 1er escrever e
contar e aquel les sem nada deverem saber ?
Nao ha Guarda da Alfandega r Consulado,
Porteiro Continuo, ou Correio de qualquer
Repartico com menos de 4ooU reis e s os
Art. a. Aquestode seos vazos mexica- unha de velha e para prestar hum servico, Guardas de Saude o de ter 4oors por da, como
nos e suas cargas sequestradas durante o ble que somonte a elle lhe compette ; tendo a vis-
qui e postenomente apresados pelos franco- tado a corveta huma so s cinco he que
zes em consequencia da declaraco de guerra i chc;,a quando tundeada ; Vms. bem vi-
devem ser considerados como boa preza para i reo ho foi em bote nem as lanxinhas do ga-
os prehensores se submetter ao arbitrio de
urna terceira potencia segundo se estipulen no
artigo a* do tractado de data d'hoje,
Art. 3. O Governo Mexicano se obriga a
nao suscitar nem premittir que se suscite no
futuro nenhum obstculo ao pagamento pono- mor vai para bordo dos mercantes L isso
tual e regular dos crditos francezes que se
reconhereram e esto em estado de liqui-
darse.
os paizes nomerao ou por seus respectivospleni- Art. 4. O presente convenio se rectificar serem bestas, de si se queixem; pois o Patrao-
potenciarios a saber S. Ex. o Presidente da com as mesmas formalidades e no mesmo ter- nr tem tanta authoridade sobre elles, como,
mo que o tractado de paz do dia d'hoje a que
ir junto.
Feitona Cidade de Vera Crnz & C. Bau-
din -M. E. GorostizaGuadalupe Victoria
( Nacional de Lisboa.)
Correspondencias
foro criados pelo rei velho no lempo da a-
niorosa! O Secretario da quella Repartico,
e o Professor foro augmentados, s os pobres
Guardas o deficar com 400 reis, ua0 ten-
do Domingo nem dia santo, e sendo at obri-
gados a ir morrer de peste a bordo das Embar-
cacoens, que a trascm ? E poder continuar
a ser iudeferente ao to sabio, quam activo
Presidente, que por fortuna temos, urna tal ex-
cepeo, quaudo a Lei he igual para todos ?
Nao, nao conlinnar mais: os Exms. Presi-
dentes esto autorisados a faser tudo, que for
justo; nada mais i usto que i gualar os Ordena-
dos dos Guardas da Saude, ao dos mais Guar-
das lodos; elles podem augmentar, .e deminuir
sobre os praticos do mar vermelho. Mas que! numero dos Guardas, logo podem igualar os
nho mas no escaler da Naco e com gente
doblada : mas como nao ha-de accoutecer
assim, se os basbaques de alguns prcticos vo
por elle fazer o servico em navios de guerra ,
quando na mesma occasio o tal Snr. I'atro-
tornou outro nao deve merecer sensura
he entendido nos seus interesses taz muito
bem promovellos, quoni tem culpa dos praticos
me diz Vm. percepeo ainda continuada, e
depois de abolida por ordem superior dos a
mil reis de cada navio mercante que entra? re-
plicou o orador da rebeca. Ora essa he boa ,
est no mesmo caso da minha primeira refle-
xo, o homem estima os seus interesses m-
da-lhe osdois mil reis a casa, seria hum
mal creado se regeitasse o que lhe manda, e
de mais no receber nao h engao. Assim
tambem eu sei elogiar continuou o orador,
Ordenados de lodos; porque est visto que
o espirito da Ley que os Guardas nao tenho
menos de 4 reis; e assim o fica espe-
rando.
Hum infeliz Guarda da Saude.
Snrs. Redactores
Retirando-mc para minha caza no dia aa e nao me diga agora que eu sou o rebequista, j protecao.
do crrante e passando defronte do trapixe da todos Vms. afina bem e toca melhor; e se
Naco, porque moro fora de portas, sinti assim nao i'ra, bem mal que eu soubesse o
tremer a trra, fiquei sossobrado e quasi que sei, e que estes sonsinhos que elogian
peco misericordia e sem atinar comigo corro ao prximo, rematando com o recommendavel
ao trapixe para me lancar ao mar ; porem nao, porem me !em ensinado, Pois como
sentindo a continuaco do terremoto e obser- gostade me ouvir eme puxa pela lingoa ,
vando como as faculdades o hio permittin- dir-lhes-hei, que nunca efagiarei ao Patro-
do que ninguem corria antes tudo quedo mor em querer estar de perninha em quanlo
e de boca aberta attendia com profundo respei- exige que os mais sem estipendio desempenhem
to a hum homem, que gritava com voz de as obrigaces a que elle s est sugeito pelo
Stentor parei echegando-me ao Manoel da seo emprego e ordenado que percebe; que
Prima, que devia. conhecer aquelle homem, nunca julga rei licito perceber dois mil reis
lhe perguntei ; Manoel que foi isto que eu de cada embarcaco mercante que entra
THEATRO PUBLICO.
Hoje a7 he obeneficio a favor das obras
da Igraja de Nosia Senliora do Terco. Es-
pera-se dos habitantes desta Cidade toda a-
em-
sent estando essa laxa a-
cracio
r;
razo
que
remotes
que esse tremor .
que elle deo e se a Ierra tremeo l fora que be mais irritante quando se lembrarem que o
?i- Patro-mor alem dos t'oaU rs., eas honras
THEATRO DE OL1NDA.
4 Feira a8 Se representar a muito in-
signe Peca Nova
CLEMENCIA E VALDEMAR.
Duelo e a Farra O Cassador ou olri-
unpbo das mu Hieres.
Avisos Diversos.
-No dia i a para i3 do crrente mez fur-
taro de casa de Francisco Manoel da Silva
Tavares na ra Nova sobrado D. 7, quatro
aneis e um par de botoes de puuho de ou-
ro cortados
a sabor sendo um anol de
Advirta Vms.*, que o que digo
Faria a bordo em seu lugar e porsua auho- avullada c 1
ridade ; o fraealhio do Eusebio se havia de nao precisar
pedir ao Patro mor hum escal
benta
com as mesmas compensaces se condicional.
Art. 4- No momento em que se entregue
ao plenipotenciario francez o tractado original
do prezente tractado e do convenio da mesma
data devidamente rectificados pelo Governo
Mexicano, 0 forte de Ulna ser restituido ao
Mxico com toda a sua ar ti Ib aria no estado
em que se encontra.
Art. 5. O prezente tractado ser rectificado
na forma constitucional pelo Governo Mexica-
no no termo de 12 dias a contar desde esta
^data ou antes sepossivel, eporS. M. o
rei dos francezes nos quatro mezes seguintes.
Fcilo na Cidade de Vera Cruz a q de Mar-
co do anno do Senhor de 18^9. Carlos Ban-
dn. M. E. Gorostiza. -Guadalupe Victoria.
Convenio.
Em nome da Santissima Trindade. O Pre-
sidente da Repblica Mexicana e S. M. o re
dos Francezes desejosos de terminar a guerra
que desgracadamente tem reinado entre ambos sefim
paizeTnomeou por seus respectivos plem-1 ooLooo
que sentio foi hum berro cao alguma
i a trra Ir
rio seria neste pobre trapixe meu aanigo
o quasi derrocado. Elle tem raao e eu lhe de Tenente de Marinha tem a mina ren-
conlo o caso. Avistou o Patro mor huma dosa das lanxinhas, e tem a praticageni a sua
da tarde de hojea Corveta dois de Julho escolba das meUiores embarcatoes que cnlra ,
mandou logo o practico Francisco Eusebio de o que tudo unido ao ordenado faz huma soma
que o poe as circunstancias de
commetler indignidades. Al-
, foi n'buma to la tornei eu, nao he tanto quanto
aixa de rohollo nao pode agentar com o Vm. diz; porque ainda hoje ouvi defender
mar, voltou sem chegar corveta ; o Patro muito ao Patro-mor e eu que nao gosto de
mor vA-o chegar sem que sua o'rdem sobe- ouvit fallar mal quando mesmo he verdade
ranna fosse saptisfeita ao mesmo passo a cor- j o que se diz quanlo mais quando estou
veta ferra d fundo e atira pedindo nracti- persuadido que nao he assim como ouco. O
co 1 ora Snr. Pancracio na verdade que, tal orador empertigon-se, dous ou trez, se
hum caso semelhte era para o Patro-mor, poserao de sua parte, eeuque nao souva-
evar-se com razo a extremos, ainda mais, lenuo, e nao quizchupai alguna soci| uo
terriveisdo que fez !!! Berrou quasi arre-| taes marmanjos fui batendo a retirada as
fez tremer oCeo a Terra eo Mar j regras dizendocomigo para que hei de a-
r panbar por cansa do Patro-mor, que nao
conheco mando isto para o Diario, e l se
mais pequeo es-
tre nbo por ser s a cravaco de ouro com
pequenos diamantes em todo o circulo outro
tambem mais pequeo porem largo, o do
ouro lavrado tendo tambem 0111 loto circulo
pequenos brilhanles em lodo o cireutfl i\o
meio cravado no inosiiio ouro o os (Ujs cir-
cuios dos lados (ingindo podras ; porem corta-
do : quom souber ou lhe tor olloreeido leve a
caza a cima que lera 0111 recompensa o \alor
das mesmas peas so for pettot <|no esteja
no caso de recebar ou queira
profundo e o caso era para isso se fra ca
eu nao me limitara a exclamar como frade
barbadinho contra irreverencia desleixo ,
falta de respeito desobediencia e anarebia ,
como elle est fazendo ; c eu esteja certo ,
esfolara em vida o covarde do practico Fran-
cisco Eusebio. Deixemo-nos de coisas o seu
a- seu donno onde estiver o Patro-mor ,
devem andar com o chapeo na man os taes
practicosinhos e deixem-se de candongas ,
pois nao Ibes toca seno obedecer e fazer o
que lhes mandar o Patro-mor embora di-
go elles que o Patro-mor nao he seu supe-
rior que elles nao tem obrigaco de faser o
servico por elle Patro-mor, que este para
Mm m he pago pelo Estado que lhe d
reis, e nada aos taes practicosinhos;
avenha se quiser o Patro-mor com os taes
sugeitinhos, chame-os ao Jury imponha-
Ihes as penas da lei, se he alumnia o que
dizem ou cale-se se he verdade.
Para meu desafogo pois dignem-se Srs.
Redactores de enxerir a presente no seu Dia-
rio com o que obrigar seu
Conslanle leitor
O Pancracio.
Snrs. Redactores Sirva o seo estimavel
Diario de echo a presento lamenlaco para
ver se ella retumbando nos ouvidos de quein
compete, move a piedade sobre os infelices
Guardas da saude deste porto. 3 Incipit la-
_K)is so be
contente e satisfeito em ser djscoiwrlo o la-
dro seja de seus cscravos 011 de fora.
tsy No dia 3 do prezeiito m 'na guarda
principal perdeo 011 furlarao do dedo de
umdos individuos quando dorma qin .n-
!ava de grda no &OSB6 higa m nnelo de
ouro lodo lavrado e com dous coraces
unidos dentro do circulo posto no lugar em
que se bota firma : pede-se a quera for offere-
'cido que o nao compre : pois pretondo-se pro-
ceder contra a pessoa em cuja mo se adiar.
Assegura-se ao Snr. que esl deposse do dito
anelo que se crestituir se lhe guardara >e -
gredoda graca. ou antes da fraqueza. em que
cahio; a pessoa que trocer o referido anelo
nesla Typ., recebera 4Uoooreis degratifica-
co.
5^- Oirerece-so um moco Brasileiro que
tem bastante pratica de negocio para qual-
quer oeeupaco ou administraco que lhe
seja possivel dormir em sua casa aonde
tem familia para determinar ; quem precisar
annunce 0.1 di.-ija-se a ra Nova ao o da
ponte armasem a onde se vende quai tmhas ,
e fasenda barau.
i



DIARIO DE PERNAMBCO

CT OSr. que annunciou querer comprar para passar a festa e aluga-se ontra junto a
$aint C'erdas libas sendo qneira um novo
por 3 0 200 dirija-sc ao ptco de S. Pedro
toja de n'ademador.
SS?" Quem achar urna canoa meia nova com
9 palmos de l>oca e 4o e tantos "parlecipe a Jos Higino de Miranda que pa-
gar o adiado.
OP" Descneaniinhou-se da loja de Antonio
da Cunha Soai-es Guimares un biihete da
Alfandega da quantiadcRs. *Si.l3S* vencido
em ai de Jullio, aceito por Bordes Freres
Adour& Companhia; pedo-sea quem achou
e quiscr restituir dirija-sc a mesma loja na
corteza d que os aceitantes ja ost.io prevenidos
nara o nao pagarom seno ao annunciante.
Mr* A pessoa que annunciou querer cem
mil rs. a juros a dois por cont ao mez o por I se qtie
tcin[x>dc seis ino/.cs dando boa firma dirija- mesmo
se a praca da Boa vista venda que foi de Pedro s se v
Ignacio da Cunba.
t-J" Precisa-se de urna ama de leite forra
ou captiva ; na ra de Florentiria sobrado
novo ao p da mar.
EJ- A pessea que annuciou querer 3oo,ooo
a premio de a c meio por cento dirija-se a
Solidado no primeiro sobrado passando a trem-
pe ou annuncie
U" Francisco Antonio das Chagas previne
ao Sr. Tbosoureiro da Lotera do Seminario ,
que comprando dois meios bilboles da lotera ,
que est eorrondo, de n. tro/ mil se extravi-
ou um meio bilheite e caso saia premiado o
nao pague seno ao annunciante que entao
mostrar ser propriedade sua.
l_r O Sr. que annunciou ter para copiar
.urnas poslilbas dirija-se a ra das Cruzes
CJ~ O* Secretario da Sociedadc Terpsicho-
re avisa-sca os Srs. Socios da mesma que
lio je sesso.
Avisos Martimos.
PABA O HAVRE a Barca Franee/a Came-
lia Capito Guillehcrt; quem quiscr tratar
de lelo dirija-se a seo consignatario L. A.
Duboureq ra do Vigario 11. 16.
PaRA O RIO DE JANEIRO com toda
brevidade o Patacho Nac. ero, Capito Can-
dido Jos Francisco Cuitarte forrado de co-
bre ede boa marcha ; quem quiser carre-
gar ou ir de passagem dirija-se a Gaudino
Agoslinbo de Barros detraz do Corno Santo
D. 07, ou ao Capito a bordo.
L SST Que faz o Corretor Oliveira de um
bom sortimento de fazendas lnglezas e Fran-
cesas incluindo porco de sedas de gosto ,
Quinta feira apdo corrente pelas 10 horas da
manh no seu armasem ra da cadeia de-
cima J4 n0 primeiro andar.
C7* Que lazemCrabtree Heyworth e Com-
pauhia por intervencae do Corretor Glrveira,
d urna porco de lilas, duraquese ect. cu-
as fazendas ser vendidas sem reserva de bolieiro e cozinheiro de profisso ; urna ne-
gra da costa muito boa quitandeira, todos
estes escravos se do a contento e fielmente so
dir as suas habtlidades: na ra de agoas ver-
des D. 38.
ey Selins Inglezes de patente Abocadas
brancas redondas ditas Irancezas talins o
cananas para officiaes tanto de cacadores, como
para cavallaria barretinas para G. N., para
cacadores e cavallaaia bol i ns e sapatos de
bizerro para homem galochas de todas as
qua I (lacles para senhora espadas de roca o
sem ella selins para cavallaria promptos do
tudo tudo chegado prximamente, e por
preco commodo ; na ra nova na loja de An-
tonio Ferreira da Costa Braga decimas lie
4- '
SST Urna moleque de idade de 8 anuos ,
muilo esperto proprio para pagom ; no
sobradinho que lem armasem de sal defronte
greja com commodos para urna grande fa-
milia ; a tratar no mesmo lugar.
SST Urna nadara urna das principaes ca-
sas deste ostabelecimento, a dinheiro ou a
praso sendo boas firmas ja tena muila fre-
guesia e se acha trabalhando desmanchando
por dia nma barrica a barrica e meia de fari-
nha ; quem pretender annuncie.
t!g" Ungento Santo chegado ltimamente
de Lisboa proprio para queimaduras feri-
das ou chagas em latas de quarta at libra.
A grande extraeco que o mesmo tem' tido faz
lembrar a quem delle est fazendo mo que
ainda venho a precisar de mais afaim para
gue se previnopois que resta 11 ra pequea
porco presentemente ; assim coma adverle-
ja o falsificado foito nsta, como
nomede ungento santo 5 o verdadeiro
vende na i*ua nova escriplorio D. 19
5ST Um moleque da costa dejdade de 18
annos boa figura com officiode pedreiro ,
cozinha bem o diario de urna casa ao com-
prador se dir o motivo ; na ra Direita pa-
daria I). ii.
S3y Urna cabra bicho propria para criar
meninos por ser muito mansa e mergulbos
de pareira bons para plantar ; urna preta com
urna cria de 4 annos propria para tomar
conla de urna casa ou troca-se por outra
voltando-seo que for justo ; 6 flandes urna
cartola arquiada de ferro para azeite de carra-
pato ; um temo de medida de pu ; e azeite
de carrapato a 1 a8o atraz dos Martirios de-
cima 96.
tsr Urna canoa chegada hontem do Sul
propria paracarreira ; na ra do Fagundes
decima 3,
S7- Urna rede de palhade muito bom gos-
to feita no Para e excellente para lipoia;
na rua Direita padaria de 3 sobrados, deci-
ma 15.
CT Urna preta de idade de 18 a ao annos
com algumas habelidades ; em fora de portas
casa terrea juuto ao sobrado do Sr. Adelino.
13?" Duas escravas mocas engommo, co
zinho e cosem 5 urna molata de idade de 10
annos com as mesmas habelidades ; um mo-
leque de 16 a a8 annos de idade ptimo pa-
ra todo o servico ; urna morada de casa terrea
com soto sita na rua de agoas verdes bo-
tando os fundos para a rua de llortas ; a tra-
tar na rua de Agoas verdes casa terrea deci-
ma 37.
C9" Uma'parelha de cavallos muito lindos
paracarririlio ; no quartel do Bom Jess.
S2T Urna molata de 1 a annos de idade ,
cose cozinha o diario de urna casa lava de
sabo ; e urna e9crava de naco de idade de
16 anrios com as mesma? habelidades 5 na rua
Direita venda que foi de Jos da Penha de-
cima 9 se dir.
t3f Cinco escravas todas com habelidades ,
entre elles urna perita engommadeira e co-
zinheira de idade de ao annos ; dois mole-
ques de 14 a 15 annos o maior muito lindo ;
um negro muito fiel de idade de trinta annos ,
I
imites terca feira 37 do corrente pelas dez
horas da manh no seu armasem do forte do
mattos.
grandes para condueo de cargas com canoeiros
mesmo para aterrar qualqer propriedade e
dar 1 i jotos a obras ; no principio do atierro dos
atFogados armasem do Silvestre Joaquim do
Nascimento.
tsw Na rua nova decima 11 no tereciro an-
dar trez livros em hranco, com capa de cou-
10 e pautados sendo diario, cenias corren-
tes e abeedario e igualmente duas redes de
de varandas.
tsr Na praca da Independencia loja n. 11
e 12 talins com chapa na frente com o ds-
tico de Pedro Segundo*, bandas de officiaes, de
superior qualidade chocoens talins de car-
rancas 2 barretinas para officiaes sargentos ,
e soldados cordoens de todas *as qualidades
para as ditas e plumas, e urna par de dra-
gonas para segundo lente de artclhcria ap-
parelho para barretina da G. N. e de cava-
laria v id ros de poz antebeliasos de Manoel
Lopes tudo chegado do Rio de Janeiro.
S/* Um escravo ganhador, de naco congo,
hastantedeligentee proprio para servente de
pedreiro do que tem bastante ortica ; no beco
do azeite do peixe casa terrea dcima 38.
13"* Arroz hranco novo em sacas e a retalho,
dito vermelho dito de casca latas com sag'
de primeira sorte, ditas com cha isson ,
ditas com fariha de tapioca feixes de aba-
nos terrinas de varios lamanhos a cinco pa-
tacas agoa ardente de franca engarrafada ,
barris do vinho hranco e tinto com duas cana-
das e meia e outro muilos gneros tudo de
boa qualidade; no principio da rua do Rangel
quina que volta para o trem.
O* 10 canoas de todos os laman bus ; quem
as pretender dirija-sc a casa de Constantino
Jos Raposa na rua da praia.
SS** Ou Iroca-se por lijlos de alvenaria,
e mesmo algum de ladrilho urna canoa mui-
to forte ccompouco uzo, carrega aaoo ti-
jolos de alvenaria ; na rua da cadeia do Recife
n. 6 a tratar com Manoel Antonio da Silva
Molla.
S2T Urna molata de bonita figura, de ida-
de de ao annos cose lava de sabo e en-
gonimaliso: no principio da ruada Gloria
.6.
C3*- Um jogo de bancas de madeira angico ,
por proco commodo : na rua das Flores D. 8.
DT Urna casa terrea travejada com 101
ialmos de fundo e 27 11 i de largura com
>om armasem e bom porto de embarque sita
na rua da piala lado do nascente ; e se alu
ga duas canoas para se abrir urna de 5o e
tantos palmos e outra de 4o com bons en-
colamenlos e urna dita de 900 tijolos novas
e bem construidas ; a tratar na rua da praia
serrara do Cardial,
C*" Um escravo de naco angola,, de ida-
de de ao annos, bonita figura official de
marcineiru, torneiro, c he distilador ; na rua
de S. Gonslo na propriedade do fallecido Jo-
o Baptista Branco a fallar com Manoel Elias
de Moura.
tsw Por preco commodo varias madeiras ,
r
uD-
fronV
prximamente de Hamburgo a preco comr
do ; no armasem de Antonio Joaquim del'roi
te da escadinha da alfandega.
i^- Pao de linho de boa qualidade em>
pecas de 17 varas por preco commodo ; na
loja de cabos defronte do Corpo Santo.
ET Urna escrava de naco, bonita figura,
18 a ao annos engoma lizo, coze chao, cozi--
nha o Diario de urna casa ; da-se a contento do
comprador para ver as habelidades ; na rua
direita D. ao lado do Livramento.
- ... -. ....... .......- m
Escravos Fgidos
X3F No dia a4 de Julho fugio um negro>
de nome Jos de naco camodongo de boa
estatura sem barba ps um tanto grossos -f
Iuem o pegar leve a rua do cabug D 1 loja
e miudesas que ser recompensado. .
S2^" No dia aa do corrente desapareceo um
escravo ladino de nome Miguel, de boa esta-
tura cor quasi fulla, tem no queixo da
parte esquerda procurando o pescoco bastan-
tes costuras de grandulas e algumas por
feichar o escravo he de boa conducta e
desapareceo sem se saber do motivo estando
no trabalho de servente de pedreiro e por
issosejulgao terem furtado na form da
moda, que infelizmente est a nossa provin-
cia ; quem o pegar leve a Antonio da Silva
Gusmo, na rua do Queimado que ser
recompensado.
t!F o dia 11 do corrente fugio um negro
de idade de 5o annos pouco mais ou menos ,
tem falta de cabellos estatura regular de
nome Francisco ; quem o pegar leve a Anto-
nio Joaquim Pereira no forte do mattos rua
da moeda ou no seu armasem defronte do
desembarque da Alfandega que ser recom-
pensado.
tST Roga-se a os Sub-Prefeitos e mais
agentes de polica appreendo urna escrava de
naco Baca de nome Mariana, que ja foi
escrava do Sr. Samuel e ltimamente ven-
dida pelo Sr. Bacelar he de estatura baixa ,
bastante cheia do corpo denles aparados,
olhos um pouco vesgos levou vestido de chi-
ta azul e uma saia preta e sem baela ; e
manda-la levar a rua da Penha D. selle.
C7" Fugio no dia a3 do corrento uma escra-
va de nome Joaquina alia secca do corpo,
rosto redondo, e bem preto levou vestido
de chilla azul e outro d chita preta; quem a
pegar leve a rua do Queimado sobrado D. 19,
que ser recompensado.
tsw Domingos 18 de Agosto fugio nm ca-
breta de nome Severino estatura baixa al-
guma coisa grosso
do
corpo
cara lar-
ga denteL alimados e um quebrado, tem
uma marca na caneca do lado esquerdo ps
largos, e na junta do pdireito tem tres go-
mas aberlas, levou vestido camisa de chila
azul, coalsadila, jaquetade riscado amar-
lo ; quem o pegar leve no sobrado D. 5 pateo
de N. S. do Terco que ser bem recompen-
sado.
travs de 33 a"40 enobunVdt 36,*4o, '., *p", FlIS0 no ann0.de 8a4 m molato de
C o m p r a s
CF" O Commandante do Corpo de Polica
compra cavallos para o osquadro de primeira
linha e remonte da comjKinliia de cavallaria
do mesmo Corpo ; quem os livor f-ompareca
na secretaria respectiva todos os dias das nove
horas as duas da tarde.
ST OCarapuceiion. 44^6 i834 ; na rua
da Florentina na ultima casa junto ao sobrado
do Eiras ou annuncie.
i5* Algumas portas e janelas ja servidas,
mas que estoja em bom estado ou mesmo
novas ; na rua da Cadeia do Recife n. seis ,
011 annuncie.
t r* A Irriim rclor'io lylez de banc? des
concertado ainda falto de alguma jieca; nesta
Tipografa ou annuncie.
Vendas
tu' Resumo dos Elementos d'Arithmetica
c\lialiidodo varios autores, contendoasqua-
tro oporacoons dos nmeros inteiros decimaes,
complexos proporcoens e regras que des-
1as(o|Hiid ni ; pelo preco de uma pataca. Es-
to lawmn o mais proprio para as aulas do
pnineiras letras pois o resultado da exjie-
rioii(iatle um professorque ba>lanies annos se
loin cH'oiipado no onsino primario; na praca
da Independencia loja de livros n. 37 e 3f. '
tjy Maperioies queijos do sertio do Sirid,
lano grandes, con poquenos; na rua do
Kangd ti. i4- ,*"...
tsr Una cwa no lugar do Remedio boa
s Uma cabra por nao querer acompanhar
a senhora para o serto sabe cozinhar o dia-
rio de um casa cose sofrivelmente faz ren-
da t lava de sabo e compra na rua tudo
quanto se precisa para uma casa ; os pre-
tendentes fallm ao Sr. Jos Francisco do Re-
g Rangel na rua do Livramento.
XZf Urna venda no principio do atterro das
cinco pontas decima 4 > com poneos fundos .
e commodos suficientes para familia ; a tratar
na mesma.
tsr Uma negra de naco de idade de a6
annos cozinha o diario de uma casa lava de
sabo e \ arrola. estando ganhando d 400 rs.
por dia : na na docotovello U, 37.
1/ Ou Iroca-se por um preto caneeiro ,
una om rava [larda de bonila lisura com
boas habelidades sabe vestir senhoras cose ,
engonima e cozinba e aluga-se 4 canoas
duas travs de 3a com doze polgadas por ser
preciso retiralas do jiorto da rua nova onde
se achao ; no porto das canoas da rua nova ,
armasem de capim.
S3" Un negro de naco proprio para todo
o servico e sem vicio: no penltimo sobra-
do y do Peixolo.
tSJ" As dividas cobraveis ou nao cobra-
veis do fallido Ignacio Lopes da Silva im-
portando en Rs. fe 15*1,580 ; quem pretender,,
e quiser saber dos ttulos dirijase ao escripto |
rio dos Srs. L. G. Ferreira & Mansfield al
o ultimo do corrente mez.
&_./ Um moleque de idade de a6 anuos de
muito bonita figura propriopara pagem, he
bom cozinheiro e sapateiro nao lem vicios
de qualidade algum e nem achaques ; uma
preta boa quitandeira por preco commodo ;
e outra com a mesma qualidade e lavadeira ;
na rua larga do Rozario D. 7.
t- Linaou duas duzias de taiheres de
firata caixoens com bom doce dogoiaba, agu-
das deu. 1 au, linbas inglezas as libras e a
retalho sapalos de coiro branco para homem
a duas patacas ditos prelos de duas solas a
nuatro patacas algodozinho, brim ma-
(lapolo cbisa azul .dita com flores encar-
nadas e estopa a aoo a vara, camisas de ma-
dapolo Gno a qualro patacas ; na rua nova
armasem ao p da ponte aonde se vendem
quartinas.
' |S^ Uma molata de idade de 18 [anuos, com
algumas habelidades ; e uma negra do meia
idade boa engommadeira e sofrivel cozi-
nbeira : na rua do Queimado casa de Antonio
da Silva Gusmo.
hj~ Saltillo de Quinine por preco com-
modo : na rua da sonzaHa vellia fallar com
Manoel Francisco Ponte.
*ET Sacas grandes com farelos chegadas
idade de 10 annos baixo
cabeca rc-
, grosso,
donda nariz chato testa curta', beicos ar-
b i lados, aira larga com uma costura sobre
a junto da mo esqnenia cujo molato ja an-
dou no cerlo e sabe-se com certeza que an-
da trasendo gado para a villa de Goianna e S.
Anlao ; quem o pegar leve na rua do Calde-
reiro atraz da sacrista dos Martirios que se
pagar toda a desjiesa, e ter de gratincaco
de 5o,ooo*
K3" No dia dez do corrente fugio um ne-
gro de'nome^Joaquim bem feilo de corpo,
estatura regular tem os ps um tanto gran-
des representa ter vinle annos de idade le-
vou vestido camisa e calsa de brim ; quem o
pegar leve a rua da cadeia do barro de S.
Antonio D. um que ser recompensado.
X3" Fugio no dia 19 do corrente o cabra
Pedro serrador de idade de toe' tantos 1
annos algum tanto calvo estatura medi-
ana bastante barbado grosso do corpo ,
pucha por uma perna quando anda jior a,
ter quebrada ; quem o pegar leve a rua Di-
reita sobrado de dois andares junto ao qu*
que ser gratificado^
'I
foi do Jos da Penh
rioviiiieiHo dp Porto
NAVIO SAHID0 NO DIA a5
MARANHAO'; Crvela dois de Julho, Com*
mandante o Capito de Fragata Angelo Pi-
tra Bitancourt.
ENTRADO N0DlAa6
TRIESTE; 60 dias Barca Hamburgueza Jo-
anna do a47 tonel. equip. a M. Peter
Maie, carga farnha de lligo; N. O. Bie-
ber.
RECIFE NATYP. DE AI. F. DE F. 1839.

MUTILADO


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID E390TFGZF_FQI4FE INGEST_TIME 2013-03-29T16:13:52Z PACKAGE AA00011611_03582
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES