Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:03567


This item is only available as the following downloads:


Full Text
ANNO DE 1839.
Agosto 5.
Londres SO pe ifooo seo.
Lisboa po por 100 premio, por metal, offerecido.
Fianca 5ao a 3a5 reis por franco.
Rio de Janeiro 3 por oo p.
Moedas de 6*oo i5|6oo as velhas, noval i5/5oo.
4J000 8|oo 8fSoo.
Pesos Columnarios 1I700 a i#7io.
Dittos Meicaos if64o a t66o.
Pataces Brasileiros if68o a 1^700.
Premios das Un as, por mes 1 i/4 a 1 i/a por 100.
TT^XJ l-J
Tudo acera depende de a6% sesmos ; da nossa prudencia
moderaeo e energa: continu*! coaio priiicijffainos
sereios apoulaos cora admir-tco entie as JWoes mas
cultas.
PioclumacSo da Assembtea Geraldo Brazil.
PARTIDAS DOSCORREI0STERRKSTE&
Cfriade da Ptraiba e Villas de sua pretencfo 3 3 3 2.
Cidide de Rio 'irande do Norte, e Villas dem 3 3 j
Cidade da Fortaleza e villas dem ......
Villa de Goianna.....3 3 2 3 3 2 3 1
Cidade de Olinda 3.32333:233
Villa de Santo Anto : ... 3 S i 3 2 3 3
Dita deGaranhnDS PoToaeo do Bonito: 272
Dittas do Cabo Serinhaem, Rio Formoeo, e Porto Caito
Cidade das Alagoas, e Villa de Macei. .3.33
Villa de Pajao'de Flores, i .3 2 3 3 2 3
Todos os correios partera ao meios da.
Segundas e Sextas fera.
Todos es dias.
Quintas feiras.
Dias io, e a{ de cada mes
dem 1 11, e 11 ditte dittoj
dem dem.
dem 13, ditto ditte
Suhscreve.se para esta folha a 3ooo por quartel pagos adi
anlados nesta Typofcrafia, ra das Cruzes U. 3, ,e na Praga
da Independencia D. '7 e 38, onde se recebeio correg >n-
dencias legalisadas, e naonatas| iu>irindo-se estes ralis,
sendo dos proprios assignantes e vindos assigoados.
DIAS DA SEMANA..
Seminda N S. das Neves. Se, da Thes. eaud. d-)J.de D. da v. de m.
6 Terca Traiisieuraro de Christo. M. Re. e audiencia do J. de D. da 1. vara dVmauh.
Oua'rta S < aelano'Taineo. Sesso da T. P.
QuinU 8 Ciraco M. Re. e aud. do J. de D. da 1 v. de man.,
g Sexta jej. S. KoraSo M. Ses3o da Tea. a aud. do "* de A i-
10 Sabbado >5< S. Lourenco M.
11 Domingo S. Tiburcio e Susana Mm.
Mari chela para o da 6 de Agosto.
Asi horas e 5\ minuto) da mant. As 3 horas e 18 minutos da tarde.
3
vara de iav
PERNAMBUCO.
COMMANDO DAS ARMAS.
Fxprdiente do dia 1. do corrente.
Officio_ Ao Exm. Snr. Presidente, rein
viando-'he, t iuformando o requeritnento de
Tberesa de Jezuz que pedia fosae despensa-
do da re a relia ou demiltido seu filho Jlo
Victoriuo Ceiar Cabo do segundo Bata'bo
Provisorio de Oradores, allegando lerjado-
us filbos rom praca no Exercito, un na Pro-
vincia do Rio Grande do Sul e outro na do
Maranhfo.
Dito Aonvsrao Exm. Snr., reinvitn-
do-lhe cornpellentetnente informado o reque-
rimento de Joaquina Maris do Espirito San-
to, que pedia fosse dispensada da marcha
seo 6lho de criscio e seu un>co arrimo, sol-
dado Vicente Ferr rt da Costa.
Dito Ao Commandaile interino di For-
talrs de Taraandar, commnnicando-lhe ,
qua a guarnicio da mesma bia d'ora em
dianle ser mensalmente feita por uro. desta-
camento da Guarda Nacional composto d 1
Inferior, i Cabo, e so Saldados estabele-
cendo a fflaneira porque deveriio ser co-
brados os vencimentos dos destacamentos,
recommendando que elles fossem ns e-
pocas competentes dispedidos na melhor or-
dtm.
No mesmo sentido, e data se officiou sos
Comm ldanles da Fortaleea de Itamaraca',
a Forte de G bu' rom a di fa renca de que
o destacamento dado para a primera s-ria
composta de um Inferior, um Can, edesas-
seis soldados, para o segundo de dos cabos
e 10 soldados.
Ditos Ao Commandantrs dos Fortes, Pao
Amart-Ho e Buraco communicando-lhes ,
que os destacamentos que fasio a guarnica
dos meamos Feries, hilo ser d'ora em dian-
te rendidos por outro de igual torca da G.
W. dtvendo a respeilo de.seus venrimn-
ios praticar as rearas a' aqu estAbelecidas,
aumente com a di fe re oca que a Guarda Na*
conal venca como infantera e nio como
Aitilheria.
Dito Ao Doutor Presidente da Jnnta de
Saud-, a visando-a para comparecer na Sa-
rretaija Militar as 10 horas da mnhi do dia
a a 6m de iospecionar varias pracas de
primeira linba.
No nit-smo sentido se officiou ao Djutor
Francisca Xavier Pereira de Biito Miembro
da Junta de Saude.
Dito Ao Commandante interino do ter
ceiro Batalbio de Arulheria ordenando Ibe,
J.__<. .. uantiv ni C ..ril 1*1
uuc miiuao ppicjcui.r w*.v.~.-. =
litar as dei horas da m.nbi do dia i os
Facultativos Militares Membros da Junta de
Saude.
Dito Ao Commandante do segundo Ba-
talho Provirorio de Cavadores, mandan-
do considerar segundo Cadete ao soldado
Francisco 'ahorma Bandeira por ja ter
Tiesta qualidade servido no A\ Corpo d'Ar-
tilhena h-je leiceiro Bat.lhio, em conse-
queucia de juitincacio que ali dera.
Poitaria Ao Comm.ndante interino do
teiceiio Batalbio d' Artilberia mandando
d'ordem do Eim. Sar. Presidente dar de-
mias. aos bold-dos Francisco Antonio Mon-
teiro Jos Antonio Mmoal, e Manoel Fran-
c.sco 0' Uaveir. que lendo sido inspeccio-
nados, fo.o pela Junta de saude julg.des
inca pases do settico.
pila Ao Mjor Comicaodinte do Depo-
sito, mandado por igual motivo dar bsi18
ao recrata Manoel Lepes Go/marfes.
Dita __ Ao Commandante do segundo Ba-
talho Provisorio de Creadores mandan-
do Helo mesmo motivo dar demici ao Ca-
bo Pedro Jos d s Santos.
Dita AoCommaudante interino do ter-
ceiro Bit.liio de Artilheria remetiendo Ihe
o Consellro d' Aviri^uaco feito ao sol-
dado Augusto Lal Ferreira, e determinan-
do que elle fosse reconhecido segundo Ca-
dete na forma da Le.
Dta Ao Major Coinmand'nte do De-
posito mandando excluir do mesmo, e i e-
metier com guia de passagem para egu ndo
Batalho Provisorio o recruta Francisco
Lourenco de L.ima recjlhendo a > Djpo?i-
io o recruta Lourenco Justinianno Tatares
que por portara de a5 teve para o mesmo
Batalbio passagem.
Dita_ Ao Commandante do segundo Ba
talbfo Proviaoiio comrnuncando Ihe o ex-
posto.na precedente Portada, e ordenando o
recebimeuto do reornla Lima, e entrega do
recruta Tarares.
THEZORARIA DA PROVINCIA.
Expediente do dia 31 de Judio.
Offirio Ao Exm. Presidente da Provin-
cia pedindo em con'equencia de requisica5 do
Inspector da Alfandega para expedir as soas
ordena para que os armasens p*oximos a mes-
ma Alfaodega que se acio oceupados pela
1 ReparticaS das Obras Publicas sejo desocu-
! pados a fim de nelle se recolberem os ma-
1 teriies das obras e eoncertos a qoe ult mi-
; mente se mitlfibu proceder na mesma Alfan-
deg<-
Dito Ao Inspector da Thesoursria da
Provincia das Al'g-as secusando o ieceb-
ment do seu officio de la do corrente em que
: partecipnu achar-se de novo no exercicio do
mesmo Emprego.
EDITAL.
Peante a Thesouraria de Fasenda se
ba de por em hasta publica, para ser arrema-
tada a quem maior preco cFerecer a ren-
da da rasa de doos andares e lo ja cita na
I ra Direita desta Cidade D. 3. do lado do
nasceote pertencente a Fasenda Publica a-
, vahada emeentoe setenta mitris por anno,
! pelo tempo que de< correr do diaem que se
lavrar o Termo desta arrematado depois que
for approvada pelo Exm, Sr. Presidente dt
Provincia ao ultimo de Juuho de i 84a.
As pessoas qoe se proposerem a licitar ,
Utrvcu Co'AJircivCcr na o-ii uj ucasucua U
mesma Thesouraria nos dias a3 VJ e
3o de Agosto prximo vindouro.
Secretaria de Fasenda de Pernsmbuco 3o
de Jolbode 1839.
Joaquim Francisco Bastos.
Offcial Maior.
Diversas Iteparticoens.
MBZA DO CONSULADO.
_, A Paula be a mesma do numero i56*
CORREIO.
A Sumaca Delmira, recebe a mala pata o
Aracaty boje 6 as 4 borii da larde.
PREFEITRA.
Parte do dia 4 de Agosto."
Illm. eExm. S^r- ForSo presos hontem
a minha ordrm e tiveraS boje destino:
Vicente, preto escravo do Dipoiitario Oli-
liveira Maciel por um Agente das 01>r< blicas por ter forido a outro preto de nme
Matbiis tambem escravo de Henrique Jjr-
ge; Geraldo, e Gregorio, tambem pretos ,
e icravos este do dito Henriqua Jorge o
aquelle de Antonio liermano pirum solla-
do do Corpo Policial por terem insultado a
nmsugeilo; Antonio dos Santos, branco,
por um C>bodo mesmo Corpo por ser fu-
gitivo da Cadeia do Rio Formoso; Jacinto
Affcnco Bolelho timben branco peloSub
Prefeito da Boa-vista por tentar conlra a si-
da de Innocenrio Gomes .Pinto ; Januario
Francisco, p*rdo, pelo mesmo Sub Prefei
topo-estar as eircunstiDcias de ser reci-uudo;
Manoel Joa de Mitos indio, pela patru-
Ihi de Cavallaria de Polica por ser encon-
trado tarde da noito em camisa ; e J;sa Ma-
laquias Pereira Luir de Franca Gomes Mi
ooil Ignacio Francisco do Carino e Joa-
quim Jos de S. Auna pavdcs pelo Sub
Prefeito dos Aflojados por estarca as cir-
cunstancias de serem recrulados.
O Sub-Prefeilo da Freguesii da S. Anto-
nio partecipa que hontem pelas seto e meia
horas da noite estando o Francez Chametoo
em sua loja fora ferido 00 rosto com lnm
tiro da pistola que Ihe dispara um sugeito ,
que elle diz ser o mesmo, que ja o baria es-
pancado cujo sugeito nio foi presa por ter
fgido logo que perpetrou simelbanle dit".
E' o que consta das psriei boje recebid.
nesta Secretaria.
Dos Guarde a V. Exc. Prefeitota da Co
marca do Recife 4 de Agosto de r83g. I'U.
Exm. Snr. Francisco do Reg Birros Pre-
sidente da Provincia Francisco Antonio de
S Brrelo, Prefeito da Camirca.
Parte do dia 5.
Illm. e Ezm. Sr. Fora5 presos hontem
minha crdem, e tivera boje destino: Laiz
Francisco da Concedo, preto, e Pedro Fran-
cisco, pardo, pela i." Patrulha do destricto
do corpo Santo, por serem desordeiros ; Feli-
cianno Jos d'Olivei-a, branco, Florencio D-
as L'm8, Manoel Bened co, Luiz da Silva de
Jess, e Estevi5 Marinhodos Santos, pardos
pelo Sub-Prefeito de Freguezia deS. Anto-
nio, 01. e a. por eitarem em deboches
na porta do The.tro, o 3. por ser c'e pessi-
ma conducta, e o 4. e 5 por larval no
aterro !oj Affogados convidado aoulro pirdo
je DOID9 Msnoel Francisco, ( que se achava
em casa de seu pa) para irem urna bi inca-
deira em etta de seu sogro, e succ-d r quo
pouco depois fosse ferido gravemente na ca-
beca eom um tiro de clavinote ; Manoel, preto,
escravo de Domingcs Pires, Frencisco, tam-
bem preto, escravo de D.Cecilia, Felipe, e
Joio, tambem pretos, escavjs da Santos Bra-
ga, e Jcio, tarxbem preto escravo de Jcaquim
hit Estoves, pelo Sub-Pi'efeito di Bea-fiaU,
o i. por ser encontrado com urna faca com
pona nua, empunhada ; o a. por ter inju-
riado a um cidada, a quem offendeo tambem
em urna das mos com urna pedrada, que Ihe-
deo 1 o 3 e 4. por se terem armado de
pao, indultado, e amacdo os Cabos de
QiiarleiraS, e Saldados de Polica, que us fo-
ra prender : a o ultimo a requerimen'.o de
seo senbor; e Jase das Virgens Costa, branco,
pelo Sub Piefeito dos Affogtdoi pt* *ervir
em primeirs linbi.
He oque consta das partes boje racobidas
nesta secretaria.
Dos Guarde a V. E. Prefe:tuTadi Comar-
ca do-Aecife 5 de Agosto de 18J9
Illm.e Exm. Sar ele
Administraca do Patrimonio doi O.foi.
Persnte a Admioistraci d > Pal'lmoMa
dos Oraes S'i hada imprelerivelmentt.' .rrtv
matar no da 7 do correle meza qoem maia
der as rendas dos doui anJa'ei e Ijm <.u
casas umero a3 na ra da Mi !i dd D "os ,
em que mora Gonci'o Josa da Costa eS o
numero 'j\ do Amorim era que morcu Lu-
iz Pedro de Mello Seabra ; as peisoas que as
quiserem arrematar poder comniref-r na
d'a as 4 boras Ja tarde e na casi da mu-m
Administraco coro s?os (ijdores.
Salla.das Sesses d'Administrlo do P
lnm. nio dos Otfas 2 de Agosto de iS }.).
J. M. da Cruz.
Euripturatio.

I
Discurso do Sr. S"iiudor Vascono^s nt
diiciissaj da interpreU<;io do acto
addicioual.
" A primeira djvdi he relativa ao ^ j
" do 't. 10. em que sn auloiisa as as-
' semb is provine aesa legislir sob e i crea-
' cao e suppressio di tmpr'gos p'ovincia-
' es. ,, Eis o obj"ctod art. a lo pro-
jectodaesmara dos depntadcs qua ora estl
fin dUCMsfo, Contir i a I :r :
" ste tem Igoos entendido que 1
14 assemb!e>s provincij'j podem cvaran.-
" tlioridides 11 vas e dewanheeidas ns leis
" geraes reonlncendo lambdiu .] ie po-
" dem supprir outres que as oaesmes lei*
" tinlo eslabelecido; outiOi pelocon-
" trario entendem qoe alta f " penas se limita a augmantar 00 diminuir
' o numero daquelles empregis provinciei
" que sao eslabeiec les pelas m-;i;ns I is
" geraes. A intelgeocia do governo be a
" segaoda por sera nica conciliavc-l cem
" aconstiluico e com a misma lei di re-
" forma; no entreanto, be da miior im-
" portancii tlxar Juma regra inconlesiavel
*' a este respeito. ,, Esta era fx^Uma o
orador, a intel'iger.cia do ; v:r.o, dt
regencia trina e este projeeto nfo fii s9no
hora plagio d; commis-,io da ci.onra (ios di-
putados qua to.mou estas tJ<-is 1I0 n bre mi-
nistro da jus'ka. m Pasia a ler o sezndla
trecho, quo he extromament.; nolavel, tan-
to ptlas ic'.is quo contui, como ni b mlnelra
em que ;o xprimidas ; ju'g) que o b jrcrui
mais profundo na doulrina al rfajresso x>>
se poda exprimir com mais elorueucia ao
mesos 110 meo conceito.
" Asegundo duvida he reUtivaao mrsmo artJ 1
lo 11, que di > asseuib'rs provinciits Otfi
reito de legislar sobre os cifos e froia por
que podero os presidentes riom-.ir su-p :-
ti e inda mesmo demittir os empregadd
provineiaes. D-ste ^ combinado cora o 7 ,
diverses presidentes entonce ao estar auto/i
-ados a nomear suspender e aioda mesmj
demittir os juizes d-i direito. O governo ,
nio obstante as pala vi as da nova leS nio pe-
dia annuir inteiramente a huma inteliigencia
que deitava por Ierra Iguns arligos dacoo-
titui: o geral qaa nem ao menos haviio si-
do proposlos para reforma e, por isso ,
resolvej approvar proTisotiamcijt lacs no?
MUTILADO


DA
2.
!
PERflAMBUC
..*-,. \/JAt-
maeea em quftnto a >$probl i ge-sl nio
til .l.f- -.-8J O r< i.Iiario'. Sfilcil pois COin
toda -i urgencia a llenrio da cunara a este
rvapeito rruiti principalmente qnando de
alj'UTi-i pr.v uriai repr.s-tilio ca presiden-
lei Tiltil He barbareis a quera non erro ; e ,
.1'cut as oue ha grande mcessid.de da re-
mover alguna pare fra.
" A terceira he relativa ao ari. -; onde
sin auin-isada* as usertl'V-.j p ovinciaes a
adsaittir os magistrsdoa contra qufm honver
qneixi de responsabilidad-. Des'e lera
algons entendido que nio eo os julzes de di
reitode p> imaira instancia craoste de se-
gunda iciem ser derailtidos pelas asiera
b's provincia^ e-too persuadido que nio
dri.x.Tis de ser til entre vi a appc.clo do
principio da constitueio inglesa e americana,
de serrn julgadoa os juizes pelos represen*
tsntes do novo das provinciss e do imperio ;
toas ivfl. ctindo que nena a constituic u,
nem os lefisadores que propoieiio a sna re-
forma reonlierro essa utilidade, duvido
que tal (echa sido a ntecclo da sssembla
geral muito prineipalmedte quando he
i vidente que a sujeico dos juixes de segunda
instancia nio assemb'i geral mas
provinriaes tendo a destruir tuda influen-
cia do governo geral dentro d-s piovincias ,
eabra fianoo cammiio supremaca de fac-
tOss e partidos em damno da m fica e industriosa e
Indubitavelmeute da T>aneile em que t- edfJr que o estado em que se arha> de grave
ubi sido felto ondas balancas em q'se pe-
por conseguate a
desordens edissulucl) do imperio.
. Sr-nitores eu errio que a oMeta a fe-
lieidade do imperio d va esultar dt satis-
cio dos interesas puramente Iscaes e dos n
teri'Sfe geraes : cumpria pois estabelecer
guardas de buose outroa para que, con-
trabalanoadus nenhum dominasse absoluta
ment e vesse a ser nocivo ao outro. ViS.
tendes satiafeilo aa provincias neste ponto ,
dando-Ibes as assen 1> .is legislativas ; mas
onde es:so os guardas dos interesses geraes
d* umo ? Srrio elles rajas autoridades
cha midas do geral, e que se entregio dis-
curro das a.sembleas e dos presidentes ? Eu
ao o pesso crer ; e como tarobein estou eoo-
vencido d que a assembl geral nio dih'co
nhecea necessidade da un ii brasileira es-
pero que fuaudo a inlelbgencia desse ari go,
o declara limitado p^los da cunsiuuicao que
nio friojulgados reforaveis. "
Eis pois diz o iracjor adoutrina dopro-
jecto e interprttacio apoiada na opioiio
lo nebro senador tx-minst o da jusvica da
regencia tnua mas nao foi h este ministro
que fallou esta iinguagem : es ministres da
regente do acto audicin! nprimiic-ie da
oaenrra forma : disse o Se L mpo da Abren ,
no sru relatorio de 36 como ministros do
j ntica :
-Continua.
zara a carne. 'Besponde-se a paimeira objee-
ca5 que sem duvida -a porclo de
cbre-que se mistara cora a comida be por
via de regra mu demindta mas tad bam
algnmas vetes he avultada e que esss par-
c5 grande ou pequea nio ae mistura
com ella a ventado do xozinbeiio, e que
?aria segundo a especie de alimentos ; sendo
meior as comidas accidas, e mioma as
que nfo o forem.
Alem di-so quem ouzsr effirmsr' que pe
quenas dones de oxido de cobre tomadas di-
ariamente e duas ou trez vr-zes ao dia ,
nio tem arela na eccoromia animal e nio
cauzeru pelo tempo adiante alguma pertur
b'cio as funces vitaes .' Nao he couza sa-
bida que todas as preparacSes de cobre slo a-
gentes mui enrgicos 5 sa6 venenos mais,
00 menos violentos ? E se a medicina ho-
meopathica nio be bum sixtema vio e hum
embelico de parvos devenios ter grandis-
simo recejo dos vasos de cobre. Sabe-se com
ifftiio qne os Mdicos homeopalhistss fa
em meravillus com medicamentos enrgicos,
reas entaS fraess dozes que s<5 a imagiuacio
as pode conceller. Assim no sentir de taea
Mdicos quanto menor fusse a porcao de
cobre que se tomasse mais bsveris que
recalar.
Quinto a segundo objecelo r< sponde-j-
que se os a'imentos contera naturalmente co-
bre por iaS9 mesmo nio se lhes deve acres-
cent deste metal.
Nada ha por tanto, milhor para previnir
hum envenenamento lento ou subtaneo do
que deixar d- utar de louca da cobre.
Aqu, naturalmente entra huma qusilfo
importantsima de polica medica. NaS po-
derla luver urna Lei que prohibase as ton-
cinbeiros, elchioires, cortsdores, o uzarem de
axos de tal especia, de modo que de prepa
molestia" o privasse da gloria de deixar inte-
rinamenle o confmndo da Escuna em que a
mais de 4 annos tem prestad) relevantes ser
vicos. Quciiio pois lio brisos Omciaes de
nossa Manaba recebar eacce'tar os nossos ras-
peitos quajasta e sinceramente nos e todos os
Cearents lhes tributamos.
(Do Desecris de Desembro. )
Noticias Estranfferas.
HESPANHA.
eorpo eleitoralda Capital.
A cintradanca que o ministro do Interior
tem effrctuado com os Chafes poli ticos re-
movivndo-os tem merecido amargas censu-
res. Est visto que cada ministro que entra
se figura que a naci sua propriedade e os
empregados seos lacaios, a quem pode remo-
ver e nomear a seo arbitrio ou melhor OS
da sua pandilba.
( Da Nacional de Liiba.)
Variedade
I
Correspondencia
Sors. Redactores. .Parte.sni iajportan-
tissiiua a publicaci do scguinte -artig.r- ,
que extrahi do Panorama do mez do Abril do
crrante aooo ; e por isso rogo ihes qu-ira
inseril-o em sua folba para desegano d'a-
quellej, quesinda snpe, que vasilhas de co-
bie bU*ncm, torneiras Ac ba produzCm
ddmno a haude Publica.
Seo ffectooso venerador e criado.
R. J. Barata d'Almeida.
Peiigos da leu9.1 de col r>.
No Jornal dea Conbecimentos uiuaes (to
tno 19 ) se encontrad observacoeos mui ai-
jud.is acerca do tizo da louca deceba as
cozioli s ou pura-ter agua : quer seje para
comioa quer atara btber e de tal gravi
d -sr.igo- que a pscscs qs. ifZu
mente.
Os casos fattes succedides em vrlude du
pouco asseio das vanlhas de c< bre emprega-
t as em oirersos mixteres de coaioia sao
multiplicadisiimos : mas anda huvendo gran-
de limpesa graves datnos tem em resul-
tado, t por se deixarem guizados tempe-
rados com vinagre depositados por
urna ou duas borasem cacarolas ou pa-
neiias de cobre e nos Amaes deHvgienna,
e de Medicina legal se encontrad innume-1
ravtis exemplos d'anvenenamentos.
Est boje demoostrdu que os alimentos
prep.radosem vazbaa de ctbre anda que
seja estn badas con tem sempre mais ou
menos quantidades mnimas d'aquelle ma-
jal. Mr. Llievreul membro do Instituto,
ebegou a acba-lo em caldo posto que em
lu diminua p o rea 5 iu> la eatava. O*
'.unit prefinba esta cvbre ?
arem oellea os objectos de seo Commerc;o
nio rezultasse damno a Saude Publica assim
como nio he permettido sea Boticarios e
Dn gustas venderem a pessoas oaS eonbe-
cidas drogas aeneoozas?
Nao ha a menor duvida em que o Governo
cuja misslo be proteger os interesses de to-
los possa tomara inici-tva nesta importante
queatto, pe'o que respaila aa casas de
veud< venda visto que nio pode ,
sem violar a liberdade individual iropor a
mesraa reslriccs sos particulares. Para com
estes a acca d aulhoridade reduz se ao ejem-
plo que Una pode dar osa couzas que esta5
a seo cargo como hospitaes ranchos de
Regirnenloa ele* Aos escriptores publiroi
p lem incumbe dar boos conselbos sobre es-
ta materia e aponlar os factos desgraca-
d mente taQ vulgares, dos envenenamrntos
produzidog pela leuca de cobre.
P. de-senos a poblirrcsS do seguinte.
Sstisfriro com oestsdo em que achei a
F.scuna de sea Commando com o aceio ,
bem trato e ordem que riot-1 e oxpedi-
c-5 no exercicio, que perante mim man-
dn proceder devo declarar Ibe a conside-
raes que me merecera tantas ciicunstan-
cias dignis de reconhecimenlo o que fa-
go como pequenarenumertco do aTan com
que V. M. e seos officiaes zelio a respei
io os objectos do servico do Estado.
Ders Guarde V. M. Palacio do Gover-
no do Ceai em 3o de Abril de l83g. Jo-
6 Antonio de Miranda. Sor. Capitio Te
nenie C-etano Alaes de Sousa Comman-
daate da Escuna de Guerra Victoria.
J que temos fallado da Escuna de Guer-
ra Victoria he opportunidade de pagarmoa
US fribalo 1 endeudo os devidos elogios de
sio credores seo dign, Com mandante o Snr.
CapitaSTeneute Caetano Alves de Souxa e
toda a tai Cfficialidade a tripalicao. A dis-
ciplina tio cusios de msnter na epocha pre-
sente anda nes mais regulares corpos do ex -
ercito de tena he um babito suave na tri-
pulacada Escuna Victoria ; de tal aorte que
no espseo de oito meses que estove estacio-
nada neste I orto nam a mais leve desordena
foi pratieada pergenie da sua guarniese) ; os
cidadlos de todas ss cUsses, as mesmaa Aotori
dades smpre o contempla ao com a estima e
respeto devido ao seo exemnlar comporta-
meoto e o que be anda mais para nctar-a
em todo etaeespaco de tempo penas um na
rinbeiro desarton o que he mais urna pro
va da habilidad e prudencia doourdo Com
mandante que manUndo em todo o rigor a
disciplina militar lem sabido gauhar a tfiei-
ci a amor dos ates lubordiusuos. tJepar*
Temos folhss a cartas de Madrid que al-
cancam at lA* (' correntia Junho inclusive.
As ultimas noticias do exercito do Norte se
limi'am a assegurar que as tropas da Guarda
real ae haviam movido para Durango; que o
ataque principal se dirigir sobre Balrnceda e
Durango para completar a liaba projeclada.
O General Len parece que sa acba sob^e
Santa Barbara.
O General Ayerbe com aa divisoes segunda
de Reserva e a brigada Parra ae achava em
Muniesa e Cortes. A fcelo se tinlta esten-
dido sobre Montalban, e retirado a artilheria
sobre segura. No dia a pela tarde linha a van
cado aquelle general con as tropas do seu
commando psra o Cabeco de Aliaga- A fac-
co se achava do outro lado de Montalban ero
f. rea de 10 batalhSes : ju'gsva se que 00 dia
lo seria stacidos em suas posices.
Segundo noticias da Fronteira pareee que
o ioimigo est em grande apura respeito a re-
cursos pecuniarios : os Sars. Franciiesin e
Tastel agentes um francs e outro aoglo bes-
panhol, que se havia offercido psra contrae*
lar um emprestitno ou ao menos a procurar
de prompto alguns fundas com que occorrer
ai necessjdades as mais urgeotes da f.-ccio ,
119 poderam conseguir nada. Maroto pede
dinbeiro gente a Eli >, este faz o mesmo a
Maroto. As Cortes do Norte lio pouco pa-
receos qae dio a Don Car'os mais que bons
dasejoa eaympathias parecida s de Slr. Mu-
l ao psiso que Luiz Felippe, melhor ac-
conselbado parece que expeda stricta or-
dens para que se prepare urna esquadrilba
deat nada a impedir o contrabando d'armas,
municSes a vveres t que sa tem estado vari-
6cando pelas costas de Haipaaba. Km Na.
vana bouve urna especie' de sediclo as tro-
pas carlis'as por falta de prets e vveres, e o
general rebelde se vio cm grande embarsco
paracoulela Negri jora ; Maroto ameaca lella'saris'a nnica causa do rir, oque ornes-
O RIR.
Um Astrlogo Italiano o abbada Dimasca-
no poblicon em 66a a brochura d seis
fobas impressa em Orleans na qual tinha
dist'nguido os temperamentos doa homens pe-
los seos differentes modos de rir. Segundo
esle tratado bitarro o hi, h, hi prti-
cular aos melancdl coa; o be he ha
o modo de rir dos biliosos ; o h < ha, ha --
o dos phlegmaticos ; e o lio ho ho
o modo de rir proprio dos sanguneas.
Outra pequea brochura assac rara im-
pressa em 1768, lem por titulo : Tratado
das causas phisieas, e moraea do rir relativa-
mente arte de excital-o. Attribue-sa esl
tratado a Poinsinet de Si vr y. O auctor coota,
que el e foi inventado em un jantar em casa
de Tilon du Til'et, conbeeido na repblica
das letras por ter manda-o levantar us mo-
numento de bronce que reprssentava o Par-
naso Francs que se v na biblioteca do re.
Em o numero dos convidados encontrara s
muilos homens celebres entre outros D st ju-
ches Ponteadle, e M ntes.jai u Pjr oc-
cisj d'i 1 grande gargalhada de riso p>ra
cujo mcvimeato nada de jocoso havia appare
cdo deo-se piiacipio divisio das causas do
riso, e logo se estabeleceo i cootroversia em
forma entre os trez escriptores que ae bimos
de nomear.
Destucbes fallou primeiro. Elle refutou a
definicio do ridiculo que Aristteles tem da-
do ao rir quando o chama u 1 deformidade
sem dora e esforcou se era p>ovsr que o rir
tem a ana causa em < alegra rasoavel. a
Fontenelle loma deto a apalavra, e com-
bate a opioiio de Destoncbea. Seo rir, dis
elle, fos-e urna consequencia necesaria da
alcgiia, elle aasceria com ella ; o que nam
sempre succede ; ella excitara o rir (odas as
vezes e todo o lampo, em qae ella ttvesse lo-
gar 5 o que desmentido pela experiencia ; M
com novas victimas; os soldados comecsS a
aborrec lo, e Don Carlos cujo poder ora es-
t completamente abatido depois da contra
proclamacio que Iho exlorquiram era Villa
fnoca arraatt sna miseravel existencia entre o
despiezo, a apimadversio de ims eoutros
chamados de seu vsssalos; fiualmeate o
mo Deste-bes nio ad nidia. Depais desle
argumento o auctor dos mundos fa netsr, qae
ha muitoa occaaioes, em que a rasao au ieni
paite al^uuia no rir, e qae maitas vezes nos
rimos a despeito da mesma rasao. Cita o ha-
bito em que estamos de 1 ir de ciesis, qua
conforme a rasio devem tgir-noj; nei
as diffjrmidades, os erros os accidentes as
quedas, a estupidez ttc. Depois de ter as-
sim criticado contra o sistema de sea adversa-
rio kbaUnca-se a propor outro sistema. Ss-
gundo a opiniio deste sabio, o rir, longe da
asseer d'um .rincipio rasoavel, alo outra '
cousa mais que um acetado passageiro i'a ou-
cura maia ou menoa caractensida. a V i
perlendeis, d,z elle, que este movimento
nasca da alegra ; julgai vos mismos, se ella *
Ibe e similbanle/ Elle traca um quadro
phisico do hornera que ri, seguudo as obser-
vacces reunidas de muilos mdicos. Esta dia-
cripfio, ou mebor esta disseccio do rir,
ass.z singular, e por islo digna du ser repro-
duzca : se vi cooaiderardes o rosto do que
ri, veieis que a testa se calende, as sorn-
br.no- has se abaixaS as palparas se aper-
t" mais para o canto dos ollas e toda a pe-
le que us ceica se coin de rugas. Os o-
Ihos opprimidoi, e meio frisados sio offus-
cados pela bumidade 5 aqueles mesmo 1, que
nio chorad pela dor sio obligados a chorar
por csusa do rir. O nariz se fra ze e se ter*
mina em poiita, mais ou manos aguda; os
hriecs se separad e se alonga ; os deotea se
descob em ; as faces ae tlea5, e se eattnd m
pea violancia dos msculos, cojos intervalos
ou coetraceo forma esses differentes molde,
agrad.veis em algae pe>soas, e difformes em
outrss. Aboca, obrigada a sbrir-ae, deixa
ver a lingoa suspensa e saja cessar agitada
de vilenlas agiuifies. A vos una aoro 10-
terrompido as vezes vivo e agudo, outras
fraco, e triste. Entre tanto o pescoco se a-
l'rgs e se eslreit.1; todas aa veas mcb.5
se alonga; eosangoe, qae corre em tumul-
to para ca vasos, os msis delgados da epider-
me, imprimes, bre o rosto um varmelho ro
xeado signal vi.-inho da suTJf.caca. Mas
ludo ato nada em comparacio do que *e pis-
lo qae ble de ser o prograam do I ss as outrss psrts do orpo. O peito se a
1
y
quarlel real de Durango est em urna paifeita como a brbedice a surdea as imperf'..'ices *i
barafunda.
Assegura-se ler sido inlerreptada urna car-
ta que o rebelde Ngri diriga ao Cabrera ,
na qnal llie pintara o estado de a batimento em
que se acba e exercito de Don Carlos pelas vic-
torias d'Espartero, e conclua pediodo Ibe que
ame&casse M'diid a fim de ver ae este exercito
linha que abandonar suas ope'aces e marchar
em socorro da Corle. Tambera se dissa que
se inteiceptara urna correspondencia muilo in-
teressanta que o conseibo de Doa Carlos diri-
ga aos tyrannos do Norte.
Segando noticias ulteriores no da 11 deria
todo o exercito donarle produzir um movi-
mento para aput de Amnrrio,eodese situar
o quarlel general. Em A n ur 10 se est ons-
truiudo um grande furte na venda que fica
situada na coi flaenle duscaminhos de Bilbau,
Victoria e Balmaceda.
Continuamente ae estarn sp asentando em
Orduna toldados facinoras, e todos man fes-
Um o (jisaienio e demmissio qae reas as fi-
lenas do Pretendente.
A comearlo de E-putero, com o titulo de
Grande da Hespanha da 1. Ordem e duque de
Victoria tem merecido geral df-s>provacio ;
pois que todcs consideran! ou antes nio dio
aos Inumpbcs de R.males e Guardamino ou-
tra importancia qae a de um principio felix
d'operacoes, nem concede nclles ao Gener.l
Espartero outro titulo que o de Valenle que
j linba adquirido.
Assfgura-ae que o Bario de Meer entrega-
ra efJeclivatneale o Commando ao General
Buerecos e sccrescenU-ae que em Barcelona
ae quizer'am fomentar desordens para aervi-
rem de pretexto so General Bretn pera per-
seguir prender e acutilsr os liberaea.
Tinha bando em M.crid ama reunio da
600 elleitores qne diacutiram appr'ovaram
com alguma modificacao 1 i pfoposlis peta
ILEGIVEL



DIARIO D E P F, R N A M BC O
gha Cora Unta impetuosidade que nfo miis
possivel resprarsb nem diaer-t* spi-
l'Vra } i dor agnda appvrece as libar gis j
parece, que ti entranbts ae dspedaca, e
que is costellas ses e lodo o corpa dobrar-s, e lorcer-se. At
niTT se lanca loBre os costellas e aperto-
ms vivamente. O too? spbe o rosto, a voz
e perda cornos solucrs. e respiracio cora
suspiros aba fados. Algas wii o excesso
desu egtacio produx os mesmos effeiios que
iir bebida morlal ; desloca os omos raasa
sincopes, e occisin a roorta. Todo o tem
po ro que dora eu especie de supplicio a
cabe 9 os bracos sofrt-m os mesmos abaios ,
queopeilo, e as ilbargas. V* os vede- ao
principioflgitarem-ie com precipil<- p de*
orden ; depois cahirem de repente sera vigor.
As mi os ficaS frouxas, as peroas debis: e
toda a marh na ciheem nm estado de desfa
lecimenlo. __ O homem ri raras Vetes, cr mi-
nos Fontenelle, qoandoestaf a quando ,
raiis rrcolt.ido, applica -se a consultar o ora
calo da riaio t toas un otjeelo iropravisto ,
ou algfii id'a tid di|rahil o t o ervo da al-
lanero se ff.-oxs a rasio su desvia o rir es
ca(,a e esta commocio sensivel dos o gaos
Dio mtif que a oritinmcio rxterior da
d-o deui tnlitja e di derrita secret do
principio inteliigeote. Isto um principio
recenhecido mesmo pe'os espirits va gree,
linda que d'um modo obscuro. Diz-se con
mummente : Eu tenho rido com um loo
co ; quarito mtis lenco o homem mai ri i
tve louca vontade de rir etc. O conde
Ose sliern iem dito : O rir a Ircrnbsta da
l.urura.
Apenas Fontenelle esgoton todos os recur
sos de su espirito pira sustentar este parado-
xo, Montesquieu discorreo anda mais, e
rniis seriamente. Sea primeiro caidado foi
destruir as dootrnts emittidas antas delle.
O rir, dista alte, nao seguramente am effeito
da alegra} pelo contrario onlro ph*nome-
no difierente. Elle on mais demorado, on
mais pissagero,muitis vates mesmo elle a pre-
cede. Elle se mostra iodifferentemente an
tes depuis, on ao mesmo lempo qae s Ion-
rara. De entro latnoj, a loucura anda sen-
do passageira nio iberia ser considerada ,
como fu causa con tanta do rir. Nu rir do
hornera racionare! sespro existe um signal de
jato, qae 0 distingue do rir dos insensatos
A propositan seria awi bem defendida,ie noa
contentassemos rom direr, qae o rir toma a
sua naseente em fu certa loucura que Ihe
picpria ; mas eolio seria neesssaro especificar
este genero de loocara eipor a sua analse ,
e d'stiitgoil-a da toda a sorle de desratio.
E' o que fez Mcntesqaiea, e ella chegou a
concluir, que o principio misten* ao do rir
o orgalho ; ufo tuda a so te de orgalho nm
quisa sempre o orgulho que se spprova, Ai
acedes, cem qun ca homens excitad o nosso
rir, nio sfo rediculas sent pela cond ccio de
apparecerem nossa vista com certa inferio-
rdade. Esti comparicio presompcosi c al-
eas viies mu rpida ou mui raga para po
der ser analisida fcilmente} alia o nio
menos no fundo do nosso peassmento. S-
rimos por cuvirmot algans di cursos 4 por
qae elle eepalluS o ridiculo sobre entro mas
lio sobre ri; ou poique i vaidsda secreta
nca ft encontrar a notsa avantagem em ap
preval-ja, em approveitt.1 os. linchamos de
rir d'i comedia onde cremoa ver nella of-
fendidot a ios, ou a nos-os amiges etc. etc.
Montesquieu enumera 10 depois is diffe-
rentes especies de rir ; estas slo : o rir de-
gella sola, ourir indecente-, o rir gra-
cioso ou o surrir o rir de dgndade f
ou de prole-co o rir simples qae ne-
cassaro distinguir do rir ingenuo o rir a
vantajoso ou de pura vaidtde_ o rir de
civilidade de convenci ou de uso o rir
penalissdo ou detdanhoso __ o rir franco ,
sincero ou serio que ae espilba por toda a
pbysionomia o rir hipcrita ou simu -
lado que tanbein sa chama rir por baixo de
cipa rir maligno, ou rir surrateiro anda
que este ultimo deve ser dis'nclo do rir ma-
ligno o rir cjustrsngido ou o que se faz
violencia para occnlur o rir forcado ou
maquinal, occajionado por cocegas excesi-
vas por feridas do dupbragaia por certas
btb.das &c. O rir amargoso, excitado pela ra-
va vinganca indignadlo e rnesturado
com cirio priaW combinado com o orgulho :
este i ir, a o rir forcado vstio comprehendi-
dos debaixo do nome con mam de sardnico-
Emlim o rir eatxlinguvai, da que falla H j-
me.ro ou o que se nio pode fuer parir, e
qae suscita em uossss eutrmhas em nosa
garganta t em todas as pessoas fia convalsio,
que nio podemos senborear.
AapnxSes, que sa ijunlie como causa*
a*cuudaf iss ao orgalho n aperacia darir,
slo numerosa v. Ui dar molas as mais letivas
e surpresa. O auetor do tratado cita, de-
baiio do nome de Montesquieu m ni tos mo-
dos de excitar o riso pelo concurso d sorpre-
sa _. pelo imprevisto por contradieeaS noa
t-rmos por contrtdicclo subiotendids
por superabundancia por contra 'enso _
por desraramrnto _por disparale por re-
incidencia por contradiccio nos usos por
contridiccio consequente por emprego dos
meamos termos por exigertcs5 por in-
Ierpretact6apartada do sentido por a-
buso dos termos por ajuntsmeato incohe-
rente de duas expresso-rs M
mf. Elle para apoio deataS regr*a cita am
T-.-nde numero de > x mplos tirados dos poe
tigueses briss*m i E'i'on am caminho com tanto que a mnsma annunciinte prefera
^*\ n lona
esta
brochu'
Tlsr 809
caja analisa
htvemos
Se
dado nao' satisfaz a raaao' completamente,
ao menos lsonga a itnagioacao', excita a ca -
riosidade e convida a meditar aobre um dos
phenomenos msis singulares de nosss nata
reza.
(Tradazdo do Migas n Piltoresque.)
LOTERA DO SEMINARIO.
O Reitor do Seminario Episcopal de O
linda avisa ao respeitavel publico qun a
rodas da Lotera concedida beneficio da ins-
trur;a5 em o mesmo Seminario anda im
preterivelmente em o da a6 do corrento no
Consistorio da Igreja de Nossa Senhora do
Rosario.
para a India, pelo cibo c Nio a depois da
* Boa Esperanca.
O Director dos CosmoramS continua a ra
eeber sobscrpoSes para esta psasi teso po to u
til carao aradavel; caria subieriptor pode
trsser sua senbora e tem direito a ver sero
painei dilTerentes pagando porisso seis
mil res. Igualmente svisa ios antigos subs
criplores qae poderlo continuar a visitar o
Gosmorama mediante urna retriboicio de
dous mil reis (is'o al quecheguem as novas
vistas de Franca ) como umi indnmnidade
pelo excedente dos paineis que tem visto e
continnio a ver. A hora be a mesraa,das6
as 9 di tarde.
THEATRO PUBLICO.
O Beneficio do actor J 'lo Francisco de
Bulhes sera' na quinta f. i5do corren'e, a-
pexar de algans bilhetes terem designado o
dia at.
COSMORAMA.
Mudanca da Paineis;
Desde abado ptssado qae exislem em ex-
posicio os paineis segointes que serio subs-
titaidos por outros sahbido 10 do cor-
rente.
O Jirdim do pilscio Renl em Psriz, pisseio
apregoado por iodos os viajantes como am dos
mais helos da Enrepa.
As ruinas da Igreja de S. Wandl na
Normanda este pain! torni-se digno da
atenfio dos amantes das betas artes, pela rigi-
dez do estilo gothieo que anda mostra pe-
la fiel illoslo qae a p-esenta o sol penetran-
do no templo por entra as vdrscas de cores
ate.
A prsca do commercio de Lisboa, bella em
todas as SOSS proportes, e fundacco do gran
de Pombal-, Veem-se a estatua equestre de
D. Jos, as seberbas russ sugosta to
ouro, e da prata e os'dous mignificos zim
borios que Ihe ;ervem de frontespico
A b-'liante easetta do Nigara, lio co-
ahecida dos que viajarlo ro N. re Ameri
ca ; esta psitel a presenta a vista toda a
verecidade dasta terrivel catarata precipi-
tando-se d' ame altura extraordinara, e
perdendo-se por entre o eevoeiro qne for-
ma a sua queda,
Um dos ruis pitorescof, e enesntadoras
v-les da Suissa tbesouros dos artistas oes-
te genero.
O trbaml da inquisiclo de Hespsnha } es-
te painel posto que terrrivel pelo espectculo
dos tormentos que scffrem os padeceutes, be
digno de ser notado neste paii, qua a Pro-
videncia perseveroa de bum tsl xw-
gello;
A passsgem do monte Sio Bernardo pelo
xeteito de Nopolefo; a sabida ingteme
desle monte os pricipicios e o gelo fisilo
suppor impossivel til pissagem a bum exerc-
to moderno; mas o genio do grande homem,
sopperou todas >s dificuldades.
Volladallha de Elba: isto be Nipolelo
depois de ter deixido a FraDca volta guia-
do pelo descontonlamento do poro e
principia a grande bitilha dos cem das a
qae soban pela catastrophe deWaterloo-
Ve-se o exercito que deta combatar contra
Napobio dar-lhe viv.^f e, para prov-
rem que Ihe linhio conservado fideldade ,
(irarem do paito os topes, a a aguia Fran-
cesa.
O Circo em Roma ou a Arena, onda o
gladiadores te batilo at parecern ou am-
bos dando assim um esaeetscolo de pra.er
aos Senhores do mundo, nsquellts eraa ru-
dea.
Vaoexs } vista geral detta cidide, cha-
mada entigamente a rainba da Adritico : e
una Jaa ttai aaesaa**, iaiei tjs.e aa par-
LEILAO*,
Qne faz o Corretor Oliveira por conts de
qaem perlencer de Qaartolss d'Agoarden
te de Franca de ptima qulidide a dei5
hirrlx de carn salgada de porco Tec feirs
6 do carrete pp'o meio dia : no armszem
dos Snrs. RuJ?el Mellors e c*tO., na Roa da
Cadeia.
-0 Snr. qu prder hura estrilo no e-
ro dos Afogidos Domingo, procura na ra
Direita psdaria do Mtchado.
- Percisa-sede hum bom Feitor, qne an
tenda de am todo pprtenceote a Cilio t quem
estiver net^s circonstsncisw drijs-*se a Pra-
cnha do Livraaento loja do Burgos.
- Percsa se allugar boma casa terrea no
Bairro da Santo Antonio ou Boa-vista, e pa-
ga se os quirteis adantado : qaem a tiver
annooeio
- Quem precisar de nm Caixero porto-
guei para loja de faaenda, tendo d'isso bas-
tante pratca, queira annancar a sua mora-
dia.
-Precisa-se allogir bom andar da sobra-
do", sendo no Bairro do Recfe, on Santo
Antonio, annunce.
- O abiixo -asignado tendo feto seus Pro-
curadores sos Snrs. Juiz de Paz de Pedrss
de FogO Marisnno Ramos do Mendonc ,
Lua Ignacio Pessoo de Mello, e Pedro da
Mello e Silva faa sciente ao respeitavel pu-
blico qne Sea tem vigor as mesmas Procu-
rscoes garaea e cartea d'ordans. R^cife 4 d
Agosto de i83g. Jlo Carlos Pereira de
Burgos Ponce de Len.
- Quero anouncicu querer comprar am
faqueiro de duaia em bom uzo, tendo quei-
ra um de meia duzia annunce a mora-
dia.
_ Quem precisar de 3ooU mil res a pre-
mio de a por cantos ao mei, dando ninha-
rs de ooro e prata, a tambera sa da' em
pequeas qusntis, dirijlo-sa a Olinda nos
quatroCantoa D. 18, qua sa dir quem os
d.
-Quem precisar de huma ama de leite
procure na Boa vista do asseagne Velho
voltsndo para Santa Cruz em csa de Fran
cisca Creoulo.
- Precsa-sa de hum Feitor qae tenbi to-
da a capeeidade, e que seja soltero prefe-
rindo-se porluguez para bum Enganho
distante dasta praca seis legoas, os nestas
ircuustancias, dirj-se ao Engenho S. Jos
ci.~.--------------, -v
da Malla a falir com o Sr.do masmo Knga-
tih ... i
- Da-se bum nilheiro de lijlos por
ao tsboas de louro ou pinho inda qde so-
ja de ndame nio tendo peds50S ;
anuuncie.
- Precisa-se de urna mulhsr ptr* o ser-
vico de una cus de pones familia na
raado Fsgundes D. ai.
M O secretario dasociedsds Lubanlina de
Biberibe convida aos senhores socios para a
settioeitraordiusiia da mesma ao dia iodo
correte pelas 11 horas da nanhi para ae
procedet a eleicio da nova comnitslo adminis-
tradora.
- Quen qaiser comprar boma ca-
nea de Amarello que pega ass caixas, bem
construida, dirija-sea ra da Laraagera ca-
aa D. la, da parte do Pocote, que achara
coro quem lrelar.
ri Plo Juiso da terceira vara do Cirel se
hs de arrematar no da n do eorrente a quem
mais dar a esersva Isaael, conatante do escri-
to qua cita na nio do Porteiro a qnal vai
ar arrematada a requerimanto de Claudio
Jase doa Santos a perteocente a Mara do
Naseimento.
_ Offarcce te para ana da eaaa a lser o
ttrvieo de fiel criada de poita deatro huma
pardinha da ididade aa matea, oifia de
Pai a Mil, a adunada can baw costanaa
nma can da una Senhora cazada ou viava;
e por i,so promete desempenhar tudo com
o maiov Bailo e linpesa do qae for do sea tra-
fico t e adverle-se que a mesma annanciante
coae perfeitamenta cosnba o diario de una
casa, e engoma com toda apefarca, e fax
renda : a pessoa qua se quiser utilisar de
en presumo debaixo das condicoens cima
ditas prestando fiador a sua conducta podo
drigir-se a ra da Laraojeirae eaaa D. I
da parte do nascente para tramar do tea a-
jasle.
Qaem quiser bum Profenor para eoei-
nar primelraa letras Grammatica latina ,
Rhetorica a Msica em algn Engnho, ou
scsjc co ocria : anouocie.
O Snr. que tm o habito ou bom cus-
ame de mondar pelos seos eserivos fu-ir as
canoas alhea com varromis pira saciar a sua
cubica ou ambica baja de se cohibir de
tal procrd ramio ; poij qae o jus qua se ar-
rog para assim obrar lamben ontro qual
quero mesmo direito tem ; Erando positiva-
mete cerlo que c tndido na5 be filho da
Europa ( como a plebe costurm ehamar gees
teiramente ni rinlieiro ) e assim nio te cohi-
ba, o uzar-se ha dos meamos msios d que se
sarviu proprhs de pessoss sen edacaca5 a
vil coudiceG.
A peisoa q-ie annuQciou querer com
prar um vioo quarendo um cint'.o bom con
boas toses e de regra certa : dirija-tea ra
estreita do Rojario Bjtica pintada afrente
di amarello.
Arrenda se un sitio muito grande tm
Beberibe de bsixo com eaaa de vivenda es-
tribara para cavados, varios arvoredos d
fructo, urna grande bixa deeapm de planta,
pasto para vacas de leite : arrenda.te para
paasar a fes'a on annualmente por proco c-
modo : quem a pretender dirija-te a ra do
_ A Irmandade doSr. Bom Jezus dis Do-
res da Igreja de S. Goncallo da Boavista, a-
vizaaos devotos, e litis Chrislio'/q' sellndo-
se pronta a Capella-mor e dourados os alta-
res da mesma Igreja o qua exigi trabalho ,
e despezas que imped rao de ser festejado o
seo Padroeiro durante dous snnos, tem de-
terminado benzer aquella milagrosa imagetn ,
sendo urna deltas o Sr. Bom Jezus dosPobtes
Afilelos, e m. divarsos aliares em o dia i do correnta pe-
las quatro horas do tarde peto quo convida-
os a desafiarem-se mutuamente em seu fer-
vor ; abrillantando o acto com suas presea-
eos e coadjuvando a festividade com suaa
esmolas poi quanto em o dia a5 deve tsr lu-
gar a festa e esta ser tanto mais solemne ,
quanto maior for o auxilio doa na>a devotos.
Tbeotonio Tiburlino Corodaata
Provedor.
_ O abaixo aasgoado partecpa aos Se-
nhores Paes da seos Alumnos que tem mu-,
dado a sua Aula de Prmeifas Letras para a
mesma ra da Cadeia no primeiro andar da
cazan. 54, onde moraoSr. Pinto. Outro
simque, visto ot commodos que ofierece a,1:
mesma ciza prop5-se recebar al o numero
de seis meninos pensionistas que seos Paea
houverem de confiar, ti-actindo os con todo
o disvello como se fossam seus proprios filhos.
Poiycarpo Nunes Con.
_ Joo Antonio Carnero, morador na
roa das Agoas verdee n. 6. annuncia que
quem tiver penhores empenhidot em mi de
sua mulher Joanna Fianci-ca de Menezet,
e os nio for tirar por espaco de vinte das ,
a dita Senhora os vendara', pois precisa de seo^
dinhsiro.
O rendero e Socio do engenho U noa,"
faz sciente a quem convec que d'ora em
dintese cobrar no Trapiche do dito enge-
nho 64o rs. por cada urna caixa que ali sa
recolher, e 961 por aquelUa qae foiem re-
tardadas em raslo de seos donos as manda-
ren conduzir em suas proprias embarcacoes, 1
ou por outro quslquer motivo occasionaio {
pelos ditos Senhores, visto qae o retarda-
da ment he sempre em prejaizo do Trapicha,
Nao devendo occationsr aos ditos Senhores i
menor sensscio por este procedmento jus!
do annunciante, por ter ette o preco geral
em todot ot msis Trspicbet da nosta Coala ,
alientas as mollas despezss que se fem en
dito estabeleeimento, o os graves prejuisoaj
qae se sofrena.
. O Padre Jlo Jos da Costa Ribero j
avisa ao respeitavel pablieo, qo *
abena a ua iuU de prrneiras letras, os rsj
Paes de fanilia qne Ibe qoiaeren coonar "
seus filhot, dirijio te ao forte do raattoa,
ale Codorniz, primeiro sadar do sobrado di
froala da ruada lapa.


4
DIARIO DE
- Can m n k-r
PESNAMBUCO
i

5
Jos Anacleto da Silva sangrador e
dentista estabelecido coa toja de barbeiro na
tu* estrella do Rotario defronte da ra da
L.rangeira, D. ao, partecipa ao respetare!
publico que est prompt a qualqoer casa
que o chame, nssegurando que desempenha
esias artescom a maior peifeicio possirel,
tanto no sangrar, como cm tirar denles as
pessoas que de seo prestio se qu seren uti-
Ksar poden o procurar no mensionado lugar
i toda bora do dia.
_ Pelo Diario de P. de 18 de Nove mino
i83i fallecida D. Carolina Branca Cati-
i.lio viuva do fallecido Ricardo Fernindo
Catando, fez publico em 1 annuncio a manei-
ra lesiva e injusta porque foi espoliada de
seo sitio na passagem da Magdalena o qual
foi contra Direito arrematado por Joaquim
Avelino Tavaref a requerimentode urna in-
culcada e nulla administracfo nomeada a
casa de seo fallecido marido, protestando igu-
almente uzar dos direitos que a ella e acs
seus Glbos menores competiio de anular a
dita arrema lacio e reivendicar seu sitio e
prevenindu que nioguem comprasse o dito
sitio a Avelino. Ratificando-so o menciona-
do annoncio se fsz do novo poblico que
existem herdeiros do casal do fallecido Caa-
nbo que bem icconseihados do direito que
Ibes assiste pretenden desf te aquella escandalosa e irrita arrematarlo,
e facer spparccera verdade que tem estado
recula a multas pessoas. Portanto, para que
ninguem por ignorancia se comprometa com
a rompa de ts4 sitio debaixo ce inleira sin-
ceridade e bonra fe faz este annoncio.
~ Aluga-se 6 a 8 trabalbadores de encba-
da para trabalbarem em um sitio perto da
praca : na ra da cadeia do Fucife n. 6.
O Reverendo Sr. Sacerdote que quiser
ser Coadjuclor da Freguesia dos affogados ,
f ntenda-se com o Vigario da mencionada Fre
guesia no pateo de S. Pedro D. 9.
O a raizo sssiguado faz sciente ao res-
peiiavel publico principalmente aos ere-
dores do Sr. Joio Antonio Friar sogro do sn-
nunriante, que esteva estabelecido na Cidade
de Olinda e como delerminou mudar-se
para o Recife faz publico que o mesmo es-
tabeleciraento que tinha, entregou ao dito
seu sogro visto o dito nio qnerer vir para o
Recife cujo he o seguinte : urna venda com
todos rs generes e utencilics ; gneros e
pertences de urna padaria dois eacraros o
mais alguna trastes de casa, o que o anoun
ciante provar em Juiso se for preciso, Ma-
noel Martins de'Caivall.o.
_ Na roa Direita padaria D 33 prfcis-se
de om peiito fomeiro pagar-se-ha bom sa-
lario e vendee urna moleca criou'a de ida-
de de 14 annos com principios de coatura, i
_ Pelo Sr. Dr. Juiz do Civele Oiiosda
segunda vara na pona de sua residencia na
ctoa : a tratar coas o Fiscal Barata.
Urna medida velha de alqueire e urna
balanca pequea com os aaus competentes
pesos at 8 libias : na ra do Crespo loja D-
cima ib.
As cartas de Cubbet sobre a reforma
protestante ; qnem tiver aanuncie.
Os compendios de fiUzopliia por Pone)
la : na praca do Commereio no primeiro
andar do sobrado por cima do botequim do
Sr. Patricio
Vendas
_ Excellentea cartas de A b c tanto de
letra redonda como manuscripta taboadas
com algarismo modo de ass<.ntar dinheiro
&c. &c. ; conhecimentos para embarque; le-
tras de differentes modellos ja com premio;
cathecismos de dontrina ebrist 1 primeiros
conhecimentos para os meninos que comeco
a |er. (Este compendio de grande ulilidade
pelo mclhodo com que faz conhecer a os me-
ninos muitas coisas que igoorio at pes-
soas adultas ) Ezpozitor portugaez os pri-
meiros rudimentos da lingua materna 5 eco-
noma da vida umana ; economa industrial;
novo alfabeto portuguez ; gramnutica porlu-
guaza; catbecismo de Fleuryj excellentes tres-
lados ; diarios nuticos 5 mappas para os Vi-
garios Juizes de Direito, e Prefeitos : na
praca da Independencia loja de livros nume-
re 57 e 38.
__ Superiores pannos finos preto e azul a
5coo o covado, rap de Lisboa, e Baha, pen-
oas para eserever boas bande ps botins e
sspatos para hornero sapatoi rancezes para
Senhora papel alrmsso e de peso, relogios
de differentei qaalidades rcuito bom cha ,
tinta para eserever superfinos estojos de
navalhas e outras muitas faiendas : na pra-
ca da Independencia loja n. 4 e 5.
_ Urna canoa de vella que carrega 5 ca-
xas precisa de algum concert por sso
se vende mais enconta ; na ra do crespo
D.6.
Urna negiinha de nacfo j de idade de
i5 annos bonita figura con principios de
boas habelidades orna moleta de idade de ao
annos cozinha engomma e cose urna
negra de 35 annos por 35o,000 cozinha ,
Uva roupa e he boa quinlandeira : na ra
de agoas verdei casa terrea D. 37.
Um sitio com casa de sobrado com
bastantes commodos (em pomar e varios
arvoredos varzea de massap bsnaneii-al
trras bastantes para roca, e proporces
para urna engenboca junto a povoaco de
Bebiribe e tem urna levada com egoa annu
tea muss pratica de vestir urna Senhora ,
engomma com perfeico cozinha e f*c al-
guna doces : no atierro dos affogados sobrado
de Silvestre Joaquim do Nascimeato.
Um sitio com caza de pedra e cal'na
estrada da ponte d'Uchoa com onze quar-
tos, tres salas, cosinha fora, estribara
para seis cavallns senzalla para negros e
caza toda envidracada duas baixas para
capia bastante terreno para plantaces ,
ou vacas de leite, arvores de fVucto de toda
a qualdade; quem o pretender dirija-se
ra Direita D a : na mesma se arranda ou-
tro mais pequeo com a caza tambem de
pedra e cal, e terreno para plantaces, r
arvorea de frurto.
_ Boas chitas a 16), 180 e a 2oo rs. o
covado cassas de cordiozinho de diversos
padies a 3ao o covado cortes de chadrezes
para vestidos tintas seguras, o corte a 144
eo covado 180 bicoa de meia largura a 140
al 900 a vara cortes do cassas de listras de
Avisos Martimos
PARA CEARA'e Acaracu' segu viagem a
.Sumara Hannonia, tem parte do carrees-
lento prcmplo ; quem quiser carregar diu-
ja-se a Mantel Joaquim Pedro da Costa, na
ra da Cadeia u. 1.
h
al : a tratar na ra doQueimado D. 18.
Um relegio de or o por preco com
ra da praia D. 3 se ha de arrematar em pra- rn< do 1 nesta TypograGa se dir,
ca publica a quem mais der, dois pretos de Urna estola : na ra Augusta na primei-
|f naci ambos mead-es de itfinar assucar, ra casa terrea vindo do viveiro do Muoiz.
da lindas figuras robustos e sadios com "" Um escravo de naci mucambique de
26 a 3o annos de idade ptimos para en* I idade de 35 annos de bonita figura e sem
genho de assucar ou ootro qualquer serv-1 T'c' na ra do Nogueira sobrado do um
co os quaes sao pertencentes aos menores andar D. 6.
do fallecido Antonio Henrique da Costa e Um cachorro da trra muto novo : no
eua muiher Alexsudrina Candida da Silva, 1 atierro dos affogados n. 17.
sendo a piimeia praca no dia 4- feira 7 do Muito boas bichas de Himburgo, che-
corrente por ser iudos os diss da le. g*das ltimamente e tambem se alugo mu
lo enconta : na ra estrella do Rosario De-
cima 22.
Um negro de bonita figura e proprio
para u servico de campo : na quina do eco
do Ouvdor no segundo andar.
' Urna escrava coinba engomma be
doceira e refina assucar; na roa Augusta
em casa de Francisco do Cabo de manhi
t 9 horas e a tarde das du.ts em diante.
Um meleque peca de idade de 14 an-
nes de naci cassange de linda figura ,
cozinha e faz todo o servico de urna casa ,
cm dito de i2 annos urna moleca de 11 an-
nos muita tobaste e boa cozinbeira urna
moleca de idade de 18 anuos, propria para
runmbanda, estes escravos se dio a contento,
e se afiance boas vendas: na ra de agoas
MiLs 110 primeiro andar do sobrado D. 38.
_ 7 arrobas de doce de caj : na ra d*
ordem Teaceira de S, Francisco D 5.
Urna casa terrea na ra de Agoas ver-
des acubada de edificar a moderna ; e um
bom cavallo de estribara : na ra dos (uar-
leis D. 4-
Um escravo de meia idade de boa
conduela e sem vicio e entende de servico de
pedreiro : na ra do Crespo D. 4 **do do
noile. u ,
Urna batanea grande ; com as compe-
tentes conchas, e varios p sos grandea e pe-
queos ; uas 5 ponas D. 36,
Urna cabra de bonita figura muito
boa rara aervic* de urna casado familia, e
.Leilo
_ Qne fasem Alexandre Mackay & C.,
Ipor iniervencio do Conetor Oveira de
un completo sortimenlode Fasendas Inglesas
kacsistindo em pannos madapoles de varias
Kualidades, bros, chitas, lineados e mui
tes culrag ftsendas de prompta txtraccio;
quinta feira oilo do correte pelas 10 horas da
manhi no seu srmasem da ra da Cruz.
V oifip ras

_ E era vos de ambos os sexos, que nio
eiu icio>os e l|vres de qualquer penden-
1: na ina de agoas verdes D. 38.
_ Quaesquor pedacos de pedra que te-
bao de 6" primos pat* cima, e que sej re-
cor a 1380 cada um meias de algodio para
meninas e Senhora e outras muitis fizeodas
por preco commodo ; na ra do Crespo loja
D. 1a, segunda loja ao virar para a do Quei-
mado.
U Na ra da bica de S. Pedro em O'inda
D. 4> os seguintes livros : tratados de legis-
laciocevile penal par VI. J. Bentham di-
reito natural par Felice dito por Puffen-
dorf, dito por BurUsnaque a traducj de
direito das acedes e diieilo natural por Lo-
er.
Urna preta ladina de idade de 18 a ao
annos cotinba engomma e um moleque
de 15 annos de idade com officio de alfaite :
na ra da Croz venda n, 3a.
m Um escravo de muito boa conducta ,
ganhador e trabalhador de enchada umi
molda e urna negra que sabem fazer todj
o servico de urna casa : as 5 ponas D a3
Cassas de cores a4o rs. o cu vado bi-
cos largos a4 a vara ditos estreilos a 4o rs.
cortes de vtslidos de cassa de cor a 3aoo ,
cambraias lisas a aa4o a a88o macedona
a 720 chitas de coberta aao o covado, cha-
les delanzinha muitj superiores, de novos
dadrSos a bonitos : na ruado Crespo D. 5
loja que foi do Sr. Pinto B.ndeira,
_ Urna porcia dd caixas vaziai: na ra
da cadeia velba D. 17.
Urna escrava parda de idade de a3 an-
nos parida da poucos das com 3 fi|hos
seinibrancos tendoo maior 4 p*ra 5 anus ,
oplima para criar fas renda cose e en-
gomma muito bem ensaboa e cotinha al -
guma coisa ao comprador se dir' o motivo:
no Recife junto ao arco da Concecio o. 3i.
"~ Urna boa casa de pedra e cal oa povoa-
co do Monleiro fronteiraao oitio da Ig-e-
ja, com 4 tallas, seis quitos, sotad cozi
nha lora, casa para pretos, e un grande quin-
tal ou meio sitio com diifereutes arvores
de frucie ; a trotar na Boa vsta no sobrado
do largo da S. Cruz que faz quina para a ra
do Ruaario das 3 boras d* tarde em dianle,
00 na ra do Crespo loja do Sr. Jos Francis-
co de Andrade.
_ Urna molata de 1% annos, de bonita
figura cose bem engomma e cozinha ;
urna dita de la anuos de bonita figura, com
principios de costura ; urna preta moca, co-
zinbeira engoir.madeira e quitandeira 5
urna dita cozinbeira e boa lavadeira orna
moleca de 10 annos da idade e 3 negros pe*
fas proprios para todo o tervico : na ra lar-
ga do Rozaiio D. 7 no primeiro andar.
Urna preta de nuci de idade de 17
annos com principios de engommar 1 a
mada cadeia no segundo andar do sobrado
por cima da loj< do Sr Quaresma.
__ Urna esciava de afio bonita figura ,
cozinha o diario de urna caa e lava de sabio
e he boa quitandeira : na ra da Peuha D-
cima 7.
_ Urna venda com poneos fondos no
atierro da Boa vista : a tratar na praca da
dita D. 7.
Uma negra de nicio angola de idsde
de 14 anuos coziuba eus.b ja, e tem prin-
cipios de engommado : na ra daCiuznume
ro3S.
Um moleque creoulo de idade de la
annos com principios de cozinha; que ji
quiser annuncie.
-_ Urna escrava preta da costa, de idade
de 3o a 40 annos boa lavadeira de barrella ,
e oplima ensaboadeira nao beba e nam foge:
no paleo de S. Pedio sobrado de um andar
D.8.
Por prefo commodo j ornamentos no-
vos paia Miasa brancos com sebasto encar-
nado e roxo com sebaste verde 5 assim como
dois ditos com pouco uzo branco e encarna-
do roxo e verde tambem estelas roxas ,
< brincas par* adminisltacij do Sacramento;
na Solidade sobrado contiguo a Igwj M*
lar com o sacriilio da mesma,
A metade de urna casa, sita na ra do
faguudes : a tratar na serrara de Jolo Baptis-
ta Muniz.
Escravos Fgidos
Em os primeiros diss do passsdo tnet
de Jalho fugio orna preta da nome Izabel ,
do gento da angola bastante ladina de es-
tatura proporcional orpa alguma coisa re-
fo'ctdo e preto representa ter ao e tanto
annos de id'de e es s p:n!s d* uuba do
dedo junto ao polgar da mi esquerd* hergoi-
do para cima aplira.se a lavar de roupa, e
levou vestido de chita camisa d<> bretanh*
ou algodiozinho, panno da costa alem de urna
baeta encarnada a mais faci que levou pa-
ra o seu uzo consta que anda pelos arrebal-
dps dos Remedios piranga e Magdalena ,
pauzando continuadamente palo sitio do Sr.
Joio Jacinto no citado lugar dos Remedios ;
quem a pegar leve ao piteo da Matriz ?o lar
eeiro andar do sobrado, entregar a seu Sr. Jo-
ze Lopes Roza que gratifcala.
_ No dia 16 do passado fugio um ne-
gro de 18 a ao annos da nome Joio Elisbo
official de pedreiro, alto, mtgro cari com-
prida denles limados dedos das mise ps
compridos bastantes tem urna ferida 11a per-
os diraile o p direito mais grosso que o
esquerdo levou calsa branca e jaqueti de
chilla verde o qual se mandando cobrar 4
semanas que mportava em a3 das do mes-
tre Luiz de Franca Correia a quem elle traba-
Ihava nio vollou mais para casa, nem o mest-e
Ihe deoo dinheiro, al hoje segundo infor-
mi u o mesmo medra ; quem O pegar leve ao
Teuenle Coionel Varejio qua recompensara';
adverta-se que o dito anda trabalhando em
obras do dito officio debaixo da direccio de
algum meslre a titulo de forro.
mS) Desapsaeceo do sitio da liba porten*
cen te ao Engenho api pucos na noile do dia
3i do passado, dois escravos de mcio an-
gola sendo um de nome Francisco e a
outra de nome Joans he gorda, e reforcada,"
o uegro tem p nica barba naris afilado e
tomio ambos tabaco ; quem os pegar leve
ao dito sitio ou oesta praca a Maaoel Becer-
ra Ckvaloanli, quesera recompensado.
_ No dia a do correle fugio urna negra
de naci angola e julga-se ser congo re-
presenta a4 >nnos de idade de nome Anto-
nia alia espadauda chela do corpo ,
olhos grandes tem um sigaal da naci qua-
drado e com salpicos ,. signal do tu* nac6 ,
tem urna sicalriz no meio do peito e outra
na canella ievou vealido de cbila azul, ca-
misa de algodadzinln e panno da o>sla ja
uzado ; quem a pegar leve a praca da Inde-
pendencia u. 30 que rer gratificado.
_ Manoel de naci angola fugio a 7 do
Outubro de i838 de estatura alia, corpo-
lento pouca barba as pernas finas repr-
senla 4 aunos de idade camprado no anno
de i8at no lugar dos Mocosa Agostiuho de
Freitis Mues com urna preta de nome Ma
ria aua mu lier a qual be marta entre a rou-
pa levou um cobertor de algndio transado ,
numerado com letra de con w cujo numero se
ignora. Paulo de afio congo, estatura bal-
sa cor preta, pouca barb com urna fe-
rida m urna canella representa ter 3o an-
nos fugio no da 7 de Outubro de i838 cm
companlna daquelle. Nicolao de naci an-
gola ugio em das de Stlembro de 18.7,
altura regular cara redonda bastante bar-
bado, pernas finas ecomalgumas otiladas
na cabeca e em urna das orelhas atea esca-
vos quem os pieuder leve a AuIolo G.tuih-
no ite^ueira Pinto de Souza prop islario do
eugeuho Rozarlo fregueaia de Serinbaem ,
que be seu Sr. ous Mauoel de Azevedj
Maia c\ Companbia no Hierro da lija vista
D. 19, quesera gratificado com 100,000 par
cada um.
lUoYnjeiito do lJorto
NAVIO SABIDO NO DIA 5.
ACARACU'j Brigue Escuna D. Francisca,
M. Patricio Jos da Silva carga varios
gneros ; passageiros 7.
No da 4 nio eulrario n*m sabirio embarca-
ces.
ERRATAS
No n. 168 psg. a col. 1. buba 83 imobili-
dide_lia-se mobi idade.
PtR, N4 XYP, DE M, t, Dt FAttlA 1M9,


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID ECBIQCBFA_JM9OUA INGEST_TIME 2013-03-29T16:52:58Z PACKAGE AA00011611_03567
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES