Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:03562


This item is only available as the following downloads:


Full Text
Anno de 18 O. Sexta Frba
^Tudo sport depende de ns mesmos; da nossa prudencia, mndern-
eo, a energa continuemos como principiamos c seremos aponlados
eom admiracoentre as JN'nres mascullas.
Proclnmaco da Assemblta Gtral db Brazili
cti----
Sohscreve-se par esta folba a ?>j?ooo por qnarlel papos adiantados
nesta Typograia, ra das Cruces ). 3, e nafrara da Independencia
n. 5? e 38, onde se rrcclicm corrcs>ondenciaslep;ilsr'(!s, eani.iiRcios,
i -.si: indo-te estes gratis, sendo dosproprios ussi^nantcs, e vindosa&sip-
. .nados.
Partidas dos Correios Terrestres
(Gidadeda Paraliilia e Villas de su pretenco.......\
Dita do Uto Grande to Norte, c Villas dem.......f u_ ,. r .
Dita da turuleta e \ illas dem..............Sc"* c Sc5,a, fe,r*s'
Cidade de Goianna...................../
Cidade de Olinda...................... Todos os das;
Villa de>. Anto...................... Quintas fciras.
Dita deGaranhuns e l'ovoaco do Bonito.........1o, c i de cada me:
Ditas do Cabo, Serinhacm, Hio Formoxo, e Porto Calvo. 1. 11, c. ti dito d lo
Cidade das Alagoas, e de Macei............dem dem
Vida de I'ajn de Flores...........i.........dem 15, dito dito
Todos os Corre 01 partera ao meio dia.
31
nr. Jvtnol NMRtti) fi

CAMBIOS. Jvino 3o.
I '.-..-. .. M d. par tfooo eed. *
1 ....... Franca.......).> rek por franco.
t.i.i de Janeiro ao par.
DORO ~ Momias de fi;?!oo rs., Velhaa i Dital ,, Mvil i.o) a |i?5o
Diiaa de t?o r<., ":> a 8|wo
PLATA l'ataeow lliatileiros.......I#6l0 iJBaO
., Petos Columnarioa.......- iffoo a tfio
'!-* Mexicanos- -- -- :#6oo a
Minda -...........i?M ''"''
nlconto de HiUietes d'Afandega I i/S pe tOoaomei.
dem He Letras i|4 a t :|< poi boas linos olfarcjdo.
Moada de cobre 3 par 100. da disca
M
Das da Semana.
PHASGS IA LA K MEZ DE JDLIK) j Segunda 8. Pantalio Medico-- Audiencia do^Joit de de flireito la 1. r.'
Ouart, rese, n (i as 11 h. e 43 m. da man.
La Cheia ai4-as 3 h. e 10 m. da tarde
QuarLming. a n- as 4 li. c a5 m. da lame
La Nova a-id-as 7 li. e 8m. da tarde
Mare chela rara o dia 5i de Julho.
As 6 horas e 6 minutos da manhS.
As ) uoiase 7o iuiiiuum 1! tarde.
ao Terca S. EnnocenciO P. RelacSo e Audiencia do Juii de Direito da
. vara.
7f| Quarta S. Martla V. Audiencia da Juii d Direito 5n Quinta S. Rufino M. -- Audiencia do Juia de Direito da 1. \
3i Sexta S. Ignacio de lovola -- Audiencia do-Juiz de Direito da 1 va 1
1. Sabbodo S. Pedro ad vincula. -- Kelaco o Audiencia do Juil de Dii
i 1 s. vara
5 Doraidgj N. S. do Aojos.
IUODE.IANEI
CMARAS DOSSRS. DEPUTADOS.
Sesso de 3 re Junho de iSlo.
Presidencia do Snr. Marcelino de Brllo.
A's 10 lioras da manh faz-se a chamada ,
p reunidos em numero legal os Snrs. tlquita-
(los abre-se a sessSo, le-se e approva-sc a
acta da antecedente.
O Snr. primetro secretario da corda do ex-
pediente leudo os seguinles oflicios.
Do ministro do imperio, remetiendo a res-
posta dada pela cmara municipal desta ci-
dade relativa ao requeritnenlo de Ltiiz de
Metieses Vasconcelos de Drumond e sa-
lisfazcndo assim aoquepor p.irte desta c-
mara I he fui solicitado em ofhVio de i5 de a-
hril deste anuo A' commissao de cmaras
municipaes.
Do mesmo ministro, remetiendo o oficio
datado de a 1 dnnoslo do anno prximo pas-
sado, e copia a que se refere, no qual o di-
rector do curso jurdico de S. Paulo pede
por deriso da CongregacSo dos respectivos
'cnles a revogacSo do artigo 2. da reso-
lticao de 19 de agosto de i857, a fim de que
tt asaemblea geral convenientemente resolva.
A* commissao de instrueefio publica.
Do ministro da justica. partbpando rpie
n'nquella dala (1. de junho) se lem orde-
nado ao presidente da provincia do Cear ,
eme do as providencias necesarias a fim de
cine nao continu 0 pioresso formado pelo
^iiiz de paz da cidade da I'orlaleza contra o
deputado pela solnedila provincia Jos Fer-
reira de Lima Sncupira na conformidade
do que resolver esta cmara. Tica a c-
mara iteirada
Do naieistro da guerra, dcvolvendo o rr-qne-
rimenloemais papis dos KgOnaos lenles
ilo coi pode engenheiros Jo.se Joaquim de A-
viia, e Joao Pedro de (tismao Vasconcellos
IHaric, que acompanbaro o' dfficiu desta c-
mara de iSdemaio passado, un que se Ihe
solicitou esclarecmpntos sobre a liceuca que
pedem para ir i Europa eom o fim de adqui-
lirem conlucimenlos urlicos, ele. A toro-
niisso de marinha e guerra.
Do ministro da fazenda transmitlindo os
lclarctimeiitos exigidos por esta cmara em
ullicio de l de maio ultimo, sobre a remo-
cao da thesouraria da provincia das Alagoas
liara Macei. A' quem feza requisico. ^
Jolga-se objecto de deliberaco e rae a im-
piimir o projecto da rommissfio depensea
o ordenados, que approva odecieto de Jo de
deiembro de ifSi, pelo qual se concedi
mellioiamento de aposentadoria eom o or-
denado de i;aoi.U res a Joaquim Ignacio
Lopes, escrivo deputado da junta dalasena
da provincia de S Paulo.
Le-se o egoinle parecer.
Acamara municipal da villa deliahaia-
ninha da provincia de Seigipe, pede :. assem-
blea feral legislativa providencias para que
Ihe seja restituido urna porco de terreno ao
,;orle do rio denominado Kcal o qual diz
pertencer-lbe mata de que est depowea
>illa da ALadia da provincia da baha.
A commissao de cmaras munipacs. a quem
htntaio veioremeUida, julga quo
enviada de. estatislica no
Uocio j. a ella se acba alTeclo desle a passada
legislatura.
Salla das commmisses i. de junho de iR4->
J. I. Vaz Vieira. J. Antunes Crrela -
Lopes Gama.
Depois de algum debate, em que tomao
parte os Snrs monseiiMor remandes da Sil
veira Vaz Vieira. Ilenrique de Rezende,
Hoto, e Moura Magalhacs, o parecer dh com-
missao poslo a votos capprovado.
Julga-se objecto de deliberacSo, e vaca
imprimir um projecto da terceira commissao
de fazenda que autor isa o covemo a man-
dar pagar ao capilSo Jos rerreir Guima-
res a quantia, virtude da sentcnca oblida contra a lasenda
nacional.
Le-se. enpprovase um parecer da com-
missao de cmaras municipaes, emque ful
j'a que a represenlacao da cmara miinicmal
ca villa do Presidio provincia (Ifl Minas Ge-
rses, deve ser remedida a commissao de
commercio c agricultura, c de estatislica e ca-
iheqoese,
lido e approvado o seguinte requeri-
menlo.
Requeiro que se pergunte ao governo se lem
engajado ulguns oheiaes estrangeiros a.lmil-
lindo-os nos rorpos do exercio e nesteeaso
quAes os engajados e eom que con lie cV-s
de engajamenlO e se em concurrencia as
vantagens de promoees eom os olli iaes bra-
sileros.
Ipnlmenle que remeta a esta cmara ;is
nstracedescol q' mandou lser na Europa o
engajamenlo de estrangeiros para que Ib i o
governo nulorisado.
Paco da cmara dos diputados 1 de junho
de 1840. Garvalho de Mcndonca
Primeira parle da ordetn-do dia.
Artigo. Se no decurso da apira fio ou lo-
fo de pois de findar se requerer, e for deter-
minada a verificacSo de um toreo de voto dos
eleilores presentes, se prora lera a ella $ sen-
do n este caso lidas as *edulaspor um raem-
hro da mesa lirado serse d'entre os seis que
escreverSo e os votos do? mesmos individuos
lomados por dille rentes memhros da mcsi,
Fioda esla segunda apUraco se conronta-
r; eom a primeira coiT;indo-se os erros
que se verificaren).
Artigo, Nos cotlegios eleltoraea finda a
apurag.io, elavrada a ac'a no livro respee
tivo seextrahin immediatamenta una co-
pia que ser verificada e assignada por todos
os memhros da mesa, e remettida directamen-
te pelos presidentes dos collegios ; 'cmara
muncipal da capital.
Artigo. A copia das acias das eleices nos
circuios cleiiorr.es at boje tirada pelos se-
cretarios dascamaras municipaes, ser do-
ra vante extrahtda em sessao das mesmas
cmaras o assignada por l'nlos os venadores
ules.
Artigo- As ramnrns municipaes das capi-
taes naapttraco geral confrontaro as copias
remettidas directamente pelos presidentes do
colegio eom as que forem temetlidas pelas c-
maras dos circuios eleitnraes: adiandodiffj-
renea poderlo requisilrao presidente o li-
vro das acias das eleices ; e oeste caso pde-
la o presidente da provincia addiar o dia da
apurarlo geral. -*- Pessoa de Mello.
) Snr. Monlesiima obtem a palavra pela
ordem. edechra que julgi oppoi tuno pro-
por .-amara que se desligue O projecto de
addiamento das elevos dos artijjos addilivos
e mais emendes devendo ser estas
temetlidas a urna commissao pira sobre ellas
dar oseti parecer. Entende pois que o re-
ferido projecto (leve no entanlo ser adoptado, e
Fallo os .'"n'-s ministro da guarro .
Carneiro Lefio, c a discussfio fiea ad liada I
hora
F.vm. ministro relira-se eom a messoa
fromalidade eom que entrou.
P.leicao da me/a.
Procr-de-se : eleicfio de presidente p wbe
pleito o Sur. Marcelino de BrllO, tm 8
votos. ,1
Sabe eleito vice-presidente o Sor. Hcnn-
que di; Remude, eom 76 rotos.
Sahem eleitos para primeira secretario o
Snr. Alvares do Amaral eom 8 votos; pa-
ra segundo o Sor. Ferreira Penna, eom 61 -
para terceira o Snr. Marinbo, eom 57 5 e
para quarto o Snr, Navarro, eom i;. Sup-
plentes os Snrs. Gomes Ribeito, eom |l vol ,
e Olveira eom .
O Snr. presidente d pra ordem do da.-i
mesma de liaje, e mii a resol 11 \> numero
ii/j do anno passado sobre as eleicSeSda l a-
raiba 5 o projecto numero 10 deste anno ; v
levanta J a sesso pelas duaa horas da
tarde.
isla icprt
,li\c ella ser
.pofqucdianspeito divisSo deterrilono
entre duas promncMS, linfio porque estene-
Contlnua a discussfio addiada das emendas enviado ao senado parase seguir t-s tramites
e artigos additnros acerca daseleicoes de de- respectivo
putados para a prxima legislatura, c mais 1 O Snr. Moura Magalhfics offerece a cans-
asseguintesemenWjapoladas. |deraCfioda cmara o segu.nie requerimento
Fiea prohibido o recebimento de listas nos de addiamento.
collegios wrocbhes dos votantes que nfio Proponboq.ie as emendas relativas ao-au-
compareeerem pcssoalmcnte. l'cixotu de A- gmento da depulacfiode algumas pnmiicias
lencai. sejo remeltidas
JSo artigo addilivo do Snr. Sotrza Franco, ; de csuiislica para
urna commissao especiu, e
sobre ellas daiem o seti
que diz e as paroebias em que se nSo pro- parecer.
edeo elcica para a legislatura de i896, E'apoiado, e entra em discussfio.
etc. arrescente-se ~ para a legislatura de! l' igualmente apoiado o .eguinte requeri-
1831 a 183:. Veiga Pessoa. ment de addiamento do Sor. Monlesuma
Jodas as provincias rio imperio darSa para Proponbo que todo, os artigos addilivos ae-
a futura legislatura tantos deputados mais fio remillido acommissfio reapeetiv para os
atern dos acloaes quantas veres liverem harmonisar, e concorndo na raxfio de 100 soldados paran cer, segoindo a revogaefio os tramite
resiabelecimento da ordem. C*unea Ma- gimento
c,,ado< 1 Depois de discutida a materia do adnenlo
'Sepassar a emenda que prohibe que os em cuja disciiasao lomo pai.[. o> Snrs. C*r-
guardas nacionaes estando aquaileHados, elneiro Lefio Moura .
bs municipaes votem, se)a tambem prohib-|ma, tanto um como
do que votem nos piesidentes as provincias regeitsdos*.
em que goeerufio-Carneiro da Cunha Coi.li.Hia pw cpnsegutole a chscussao c
Ai iir.. As mesas elekoraes serio compos-1 artigo* addttivos eerneudas, que tica aaoiaua
tas alei do presidente, de i secrtanos, e pela boia. .....
4 escrutadora ; um tirado a so.te d'entre os 1 Annuncu-se aebar-se .... ante-sala I an .
,, lera' as sedlas junto ao presidente, Sor. ministro da guerra, que receui
binando-a. ,ra o seuUo de naneiraqim do comas form.kd.des do estilo, e oecupa O
pessao ser vistas pelo mesmo e pelos assistentes compctenle lug^r.
oue uueiro observar. Entre os seis sera- ..
dores se d.vidiroas letras do alfabeto em Seguo la parte da ordem do d.a.
tres classes perlenceudo cada cl.sse dous, Fixaco de forjas de Ierra i
sendo cavlos de cada um dos candidato, som-
nudos, e. aonunciados por dous .Membros da CoBlinua a discuato d
mesa, upi depois dooul.o. posta.
do re-
diamento
irs. U.ir-
Mopte. .1 -
oulro addiamento
los :
Oontinneo da Pastoral do Ex. o Re-
verendissimo Hispo Capellio-Mor do Itio
de Janeiro.
VI.
Diri"imo-nns, depois dos llevaren los P.i -
renos a todo os Reverendos Sacerdotes
nossos limaos em J. C ecommeeamos a (al-
iar Ibes pedas itltimis nalavras qno aa-
queltes endcreeamo< ralatieas a instruc.-fio
do Clero. Sim. nl dissemos que lodo?
OS meio que se po lem e COStumo empr
..-ir pira conseguir um tal fim nos os piri -
amos ema.flo e as*im desde j vos annun-
eiamos, dileclissimos Irmos, e comosco
nos felicilamoa porque brevemente tei
um fcil e seguro meio de. augmentai' os
vosos connecimenldS e do adquirir noios;
meio, que dala da mais longo antiguidadu
ecclesiastica sempre em uso as ioceses
melbor regidas da Europt, e que 1 ni pro-
dusido nsiRnes obras (.)'; o mesmo, que
se lem pralicado em outras Diocesas deste
Imperio, e particulacienle nosta do Riode
Janeiro, lesde o tercwrj a:e pcnultimb
ao nossos IHuslres Predecessores (5o), bo-
je em vigor na Igrpja Metrpoli ni 1, gratit.9
ao lelo do digno Prelado, que a dirige, e
que mis iguahuenle, eom o favor do Cea,
pretendemos, estabeleeer ; faHamoa dasCon-
lerencias Ecolesiaiticae.
Outra 11 > > podia ser a nossa conducta es
lando persuadidos, e eremos que eom toda
,1 raz e ualica que as letras sao to necea
serias ao Clero como os bous costunaes. 1.
est no Antigo Testamento o preceilo do .He -
nlior, e O terriv-cl aoiliiem.'i contra a pele-
ios Nossos Irmos Sacerdotes, que re usar 1
instruir-se (i) ; 8 mi INovo bem catacte-
risado o que t tm (levemos ser pela scieo 11
e.p-.da virtudes, vos cslis lu/uuind. ( > )
O Apostlo S. Pedro manda que eslejumos
Miooie iiiie'diados para salisf-izer al la
(4^) Por exemplo, as bem conlieodas C n -
(ere.ices d'Angers } Casus Conscientta liei
di'li XIV ele.
(:,oj V'.de Pizarro Memor. Historie, do
Rio de Janeiro, Tom. /, liv. 4 le liv. S cap 1.
(/>,; Malach. 7. Oseas,4 $4


pwwai
DIARIO DE PERNAMBUCO

m
fuelle que nos pedir razio da esperance. ,
peito de lodos com qunnta maior razo o
nao ser a cerca do Sacerdotes ? El les, que
tero por officio pregar eensinara F expli-
car efazer observar a lei do Senhor, defen-
der e sustentar aquella contra os aiaques, que
continuamente llie ollerece a heresia e a im-
liicdade manter e conservar a lei contra a
lelaxaco dos mos Christos ; que devem di-
rigir as consciencia esciarecendo as destes ,
firmando as d'aauelles as de un* tranquil-
usando e as de oirtros pondo em alarma ; os
Sacerdotes em urna palabra que sao cha-
mados por forca doseu ministerio, exer-
cer urna poderosa e salutar influeuvia sobre os
rostumes dos Fiis ? Como- possivel, que to
elevadas edilliceis funeces, ou para billar
com um sanio Padre a mais diracultnsa
dasarles, sejadesempenhada .pas debis
roaos da ignorancia? Lilleri? carens saciis
non potesl esseaptUS olliciis (5 i) dizem os
Sagrados Caones. Assim nciihiim deleito
ten elles combatido mais fnrteinrnie no Cle-
ro do que o da telenda Excusado citl-
os aqui porque neni vos os ignoris e me-
nos tomo sup|>omos estis Comprehendidos
nelles.
Os raesmos Caones par da scieneia ,
recommcndo e ordeuo os costumes e uem
outra cbnsa era possivel. ^o Antigo Testa-
mento vos o sabis carissimos limaos no
AutigoTestamento figura do Novo era-
jos Ministros m.iie.'ivo apenas pobres e fla-
cos e!i mentes (55), emolanlo nos temos a
ventura de entrando no veidadeiro Sancta-
sanctrum tocar as proprias cousas celeslia
es j a santivlade, a pureza e todas as vir-
tudes proprias do Sacerdocio se exigan nessa
poca. *' Sede santos db.ia o Seubor aos
antiguS Levitas, srde santos porque eu
tumbemosou ** 1.56) A' vista disto o que
devenid ser oa Mjni&U'Osdo Novo Testamento ?
Nada menos d a(uilo ,qe Ibes recomraenda
S. Paulo : '* Excmplum. lidelium. .
n verbo, in conversatione, in chntate, m
iidu in caslitaie (5;). Que as snas palo-
vras seioaa que conten um delegado de
de
a
d'oulras admeestaroes que nao as das vossas
proprias consciencias e do conhecimento dos
vnssos deveres para praticardes aquelle, que
sabis ser um dos prineipaes. Pedir-vos-he-
mos entretanto que leiaes e meditis a (Dra-
que as dilacerad e applicar o necessario re-
medio tem de advertir de ensinar decor-
rigir deexbortar, de reprehender-, e sem
consideraces e respeilos humanos, que a Re-
ligio os nao conhece ; e notai meus I raaos.
rao 5. de S. Carlos Borrme;) ao Synodo que toda esta vossa tarefa para, nao ser bil-.
Chrislo na lena, palavras de viilude
sabedoria e de edificarlo ; a mentira
Diocesano 11. na parte que comeca: "Qun dada
carnalibus ffeditatibus immergitur inaptos
fit omiiino ad Divina et spiritualii ; mnibus
proferto bominisbus sed spirituali huic mi-
liii.T. adst-riptis potissimum vinum et mulie-
res auferunt cor &c. (til).
Parece nada mais ser preciso para provar-se
a neressidade de bons costumes no Clero ; se
porem alguma cousa ainda se devesse accres-
cenlar nos eremos que bastara por tudo
recordar aqui duas prineipaes funeces do Sa-
cerdocio o Sacrificio da Missa ea adminis-
traco do Sacramento da Penitencia. Que ha
na Religio, que mais augusto'e divino soja ,
q' esse grande mysterio, q ha igSeculosse
obrou em urna cidade da Palestina, e boje ^e
renova ainda e su renovar para sempre
era todos os lugares da tena desde
o nasciment at o occaso do sol (6a) ?
Sacrificio de urna Victima pura e in-
nocente que se immolou sobre um i cruz c
cujo sangue corre sobre os noss isa llares pira
a remisso dos peccados ; mysterio onde a
vo* do Sacerdote ou antes por forca d'aquel-
la omnipotente palavra que cbamou do na-
da este universo, desee Dos do alto dos Cos,
pe-se sob especies sensiveis occullo aos o-
Ihos do corpo mais piesente e manifest aos
do espirito e da f e por um prodigio de a-
mor permanece entre nos e faz-nos par-
ticipantes da*sua propria substancia. Ha,
nodizemos na antiguidade profana mesmo
nessas pocas da verdadeira Religio que
precedro o Christianismo lia mysterio ,
sacrificio que se possa comparar com o Eh-
charistico que todos sobreleva tanto, quan -
lo a realidade figura ? E* o altar de que
falla S Paulo, propriissimo dos chnslaos ,
e de que nao pdem participaros queservem
ao tabernculo (6i). Entretanto para ser-
vir este altar para participardesta meza
elestial, que os Sacerdotes sao destinados ,
, e vaos os vossos esforcos e palavras ,
deven ler por base o exemplo tnico que
responde Iriste objeesso que obsta a tantas
converses : Medicuses, cura le ipsum.
Tem em fim de pronunciar urna sentenca,
que ha de ser ratificada no Co ligando a
esle e desligando a aquelle conforme for o
mrito dos peccadores. Que costuraos nao sao
para isto necesarios ? Hmnildide paciencia,
piedade caridide.jnstica, valor, brandura,
tudo, tudo se exige em um Confessor. Fe-
liz elle, se ainda urna s ovelWa desgarrada
trouxer ao arprisco do grande Pai de familias ;
produ/.ir nessaoccasio urna alegra inc-
narravel as manses celestiaes(ti7). Mas se por
desgraca sua.e dos q'o busca > mil se houver na
admmstracoda Penitencia que iofelicidada q'
tormentos des le esta vida ? Appellamos pan
a consciencia d'aquelles, que se Uvanlo do
tremendo lugar nao leudo cabalmente pre-
enebido o seu dever principalmente se. a-
qv.ella a ultima confissao que o penitente
t'.ir e cujas faltas em consecuencia nao
podero ser remediadas; que digan esses
pre este assumpto (7^). E nao teria ella jus-
tas rasoes para o fazer ? Que se veja a
m
iiue
em tal caso para tallar a linguagem de
um Santo Padre dro urna sentenca que
a si Ss ligou e nao desligou o penitente ;
digo se esle remorso os nao fere no mais
intimo d'alma ? Sim parece, que desde es-
ta vida o Senhor pede das mos do Sicerdote
homicida o sangue da sua ovelha : Sangui-
ueiu aulem ejus de manu tua requiram (6rt).
Mais longe poderiarao levar estas co^isi-
deraces ; porem ao depois nesta mesma
Pastoral tornaremos ao Sacramento da Pe-
nitencia. Concluiremos esta exborlacao ao
Clero da nossa Uiocese recordando um faci,
us^
as
ais nolaveis classes da Sjiedade, e se nos
#diga se alguma ha, que para exercer certas
unoces, nor tenba seas vestidos proprios.
Ento o respeilo e a veneraco dos povos as ac-
rainpanba'. que o homcm de tal arte cons-
tituido, que se leva pelo que sensivel.
Tanto era neces sario dizer para combater o
escndalo, deque fallamos ; contamos que el-
le desapparecer para sempre do meio do nos-
so rebanho ; o/ie um espectculo tootfensivo
da Religio e da Igreja se nao continuar a
dar nos nossos Templos. Nos assim o espera-
mos. Nenhuma indulgencia haver da nossa
parte, as>im como'cerca deste respeito do
qualquer outro abuso, que bajamos de notar,
e ao qual coub'er em nossas foreas remediar.
Cumpriremoi risca a nossa obrigaco, que
nao ha de eos permiltir, que aos amitos pe-
ri'os, de que nos vemos rodeados em razo do
nosso posto, a juntemos mais o d^s condescen-
dencias e das conlemplagoes. Aproveitamos
esta occasio para prevenir respoilo o nosso
Clero (e o mesmo acerca das nossis outras o-
velbis) ; lero todos em n um Pastor benig-
no, caridoso ; um Pai, <|ue os ha de trictar
com todo o amor respeito e bnndura, sem-
pre que marcharem no caminho dos seu de-
veres, como esperamos na .lisericordia dj Se-
nhor se o contrario porein iniulizmente suc-
ceder enconlrar en nos um rigiij Censjr,
um Jui/. iutlexivel.
Tendo assim fallado ao Clero Secular e fei-
lo aquellas exiiortayes, (|ue julgamos mais
urgentes, ler-nos-liumos lambem dirigido ao
Clero Regular, se nao t'osse sabido, pie esta
inleressaule parte da milicia cbri>t est lora
da nosst urisdiecio, esujeita outros Pode-
res, dequem deve receber a direce e ins-
trueces couveuienU'S para alluigir aos fins da
sua insiiluicao. Sem querer po.- tanto entrar
na economa e goveruo dos ditleremes t^orjios
que alias bem nos pe/.a relatar aqui e la/.en- Regulares desta ioce,e, a cargo dos-respeetj-
do as rellexoes que elle justamente merece 5 vos arelados e do Soberano 1 ontihee, e so-
que nao permitie dever do nosso Ministerio, mente considerando-os peo lado, em ,,jw to-
aochaniadds Que idea de pur desa.i-I cante ao ie.pe.to ,
i,lade nao excitar;', em nos esta consideraco ?, d.sposnoes com
iiiutmuiaco a calumnia jamis se oucaen-
tie tes e evitein mesmo cellos propsitos ,
por indiferentes ou innocentes que pareci
.ser e que em \udade laes set na boca dos
seculaies ruis que na dos Saceidotes diz
S. Bernardo sao piolanaces sao blasle-
mias (H). O stu liado seja benigno e affa-
vel, puros e irrepiehensneis osseuscoslu-
mes modestos nos seus vestidos regulados
e honestos em todas as suas ac oes indile-
rentes scousas do mundo esoecupadoa
das do Co, Irabhlbando sem essar na pro*
niia, cnasalvaio do prximo A sua t
seja exemplar inanilesla sobieludo nos arlos
do seu Ministerio para inpiraUa e cummu-
nical-a aos que o vera aos que o liequentao.
Principalmente lailb oSacerdcie pela cari-
dade soecorra o indigente consol o idito,
sustente o fraoo visite o enfermo e iodo*
preste os cuidados do seu Ministerio ; imite ,
em i-umma a Aquelle ; que poderoso em o-
bras e em palavras andou no meio de nos fa-
jeado o bem (5_q;.
Alm destes oulro exemplo exige de nos o
A pesilo : *' Jncaslitate. '? Nao podemos o-
mitlir aqui urna viilude, que o Evaugelho
muilo ccommeiula que tantos elogios mere-
reu ao Apostlo le quem se riela o qual
desejava tr possivel que ludos a prati-
ias*en. orno elle (to) ; que a Jgieja lundada
em lo pias quo graves razes preceiluou-
a aos seus Alinislros e que nos todos em
consequeiicia, uesse solemne da em que nos
consagramos aosemeo do Senhor juramos
peanle Elle guardar 5 virlude que as pai-
xes groseias dos homens e a relaxacao
sempre creseente dos lempos tem procurado
banir do Sanctuario ajudadas desse espirito
Mblil e maligno da beitsia que uml,-ie a
fhlititissina iclaiao desta viilude cun u dig-
* mdadee importancia do Saeeidocio e a des-
te toro toda ationomia da Religio ; e lal a
virlududa conlinencia. Quereiiaraos derao-
tar-nts ueste poni ; mais ueui o lugar pro-
prio e n'-.ni pe milla i>tos que vos caiecais
(5J) l'arali seni| er ad salislaciionem om-
i,i ioieuU vos raliontm de a qulb in nobis
tA spe clr' ** *'']
(bi\) L>IS' ~t>. *
Lji; Ad Galat. 4-9
{JO) LeiU J , ,- ) .. ad Tinolh 4- "
tb) t>ut in "le laui un! nng
a, um i)<.udulis sunl blasplu-uia:.
l:,l,. S. Luc. 2' ;). *< 1. ad.
((,.; 1 u LOiUMB 7. 7.
ISA i e iidiniiuslrar a I enileucia.
quali sisinsigiulus honore quau .
Al"uus dos nossos lrmaos sacerdote era
hbitos seculares sobre elles tomo as sagra-
das vesles e assim soliem ao aliar para fazer
o Sacrificio da .Ylissa utro sim nos mes-
it: ore
(
sao
1
Cogila ,
mensa Iruans (6/|). Cora que respailo com
que decencia, com que apparato nao (juera
Igeja que se celebre to grande mysierio '
Que preparaioes, queleitnras piedosas que
oraces cheiasde tanta unco e de fervor que
ritos lo expressivos e tocantes nodevem pre-
ceder acempanhar e seguir-se celebra-
co da Pascboa Cbrist ? K ludo isto pura
que seno para despertar em nos para nos
lazer produzir acedes de morabdade ? T01I0
o respeito toda a devoeo toda a modestia,
e compostura .as nossas ao oes celebrando o
tremendo Sacrificio da Missa ; todo o vagar
mesmo aue indispensavel para preenclier-
se Iodo o rito e que necessario dar-se de-
voeo dos que nos assistem fim de que 0-
rem comnosco tudo isto e mais exige de nos
a honra e o dever de sjci ificadores da nova al-
lianca : *' Cogita quali sis iusignilushono-
le. Se alguma cousa pode deslustrar to iu-
sij'iie aeco ser smente a muneia indevo-
ta com que nos deslembrados do nossooffi-
lio bajamos de celebral-a ; l eos nos chame
aos nossos deveres e nao permilla jamis
que imitando os filhosde Heli que pelo mo
desempenho das funeces Sacerdolaes, relra-
hio os Israelitas do .Sacrificio do Senhor (o5),
como el!es,desafiemoscotra nos a colea do C. .
'Ah! Ueos nos preserve desie grande peccado.
E' seguramente para verter-se lagrimas de
sangue que o Saceidote trete indignamen-
te o Corpo e o Sangue de J C commet-
tei sem duvida hum horrivtl sacrilegio;
mas ao menos se nao escandalisa aos fiis ,
s a sua consciencia lei compromeltido e
pela d<- nenhum do seu prximo responder.
Ser porein assim se liver a inlelici.lade de
mal administrar o Sacramento da Pendencia ?
Que tremendo que esle tribunal Que qua-
lidades que virtudes se exigem nos seus Mi-
nistros ? Tem o Sacerdoie deouvir urna se-
ne de peccados suj>re os (juaes devora geuier,
e cercado elle mismo de enermtdaae (titi) ,
pedir perdi Dos |>or si e pelos peniten-
tes } tem de perscrutar ao menos em cortos
casos, e respeito de certas pessoas as cons-
ciencias dos que elle se chego para co-
nhecer a grandeza e prolundidade das cbagas,
que nao perra
que o difiramos para outra occazio. Tem
elle relaca coiu o qu8 acabamos de dizer to-
que (femanda e s sanias
que se deve celebrar a Mis- qU>M* U V*""* luiidddoes hab-
ca Igreja particular, onde eslo eslabeleci-
dos, taremos breves retlexes. O eslabeleci-
meulodeslas Associacoes 110 meio das eidades,
vez do seu carcter ou ordena sento-se 110
conlessionario para ouvir confissoes E segu-
ramente t onde se |iJe levar o desprezo e
abandono do seu estado a inobservancia das
leis ecclesiaslicAs e a irreverencia s cousa
lavaoo leiiro e a soiido ; o carcter sacerdo-
tal de que lodos os Uegulares sao boje re-
vestidos, mis do quilo nao erad os primea-
ros Monjes, ijiihsi todos leigos ; as dola:es ,,
oue Ibes leui liuerahsado a piedade e devoeo
e mesmo os
1 ..:.. 1..1 dos liis para a sua man uleueo.
mos hbitos e sem nenbuini insignia, tal- UUSUL"l'
seos instituios, que-os Uzera vaujjuo auxi-
liares e subsidiarios do Clero Secular, tudo.
isto pede e lecl.uiii dos Regulares funeces
eis
as
proprias do seo estado actual, em beneficio da
a.L>reja e da Sociedad. A conservaco, de-
diais sagradas
(r.1) Eccles. 19. 2.
(bt) ilalach. 1. 10e 11.
{6S) Ad Ilebr. i3. 10
((4) S. Joan. Ciysost. Hoiu. 60 in pop-
Alilloc b.
(O.i) I. Rej. 7. 17.
1<;V Ad Ikbl. 5. 'i e '<.
e ousamos duel-o por
a abominacao no lugar santo. Taes So. erdo -
tes levelo pelo* seus trajes a deformidade
das suus almas e des seus costumes para
laliaimoscom S. Bernardo (64)5 e sao os que,
como diz o Lonc. Trideut. pedes in diver-
sis iionunt unum in divinis, alterum in car-
nalibus (70). Temos alguma noticia dos
Sagrados Caones que de ha muilo obrigao
os Sacerdotes trazerem habito lalar, e de cor
preta ; conbecemos alguuias modicayes ,q ao
rigor de taes Caones se tem feito,e permillido
tolerar era cerloscasos, e jior cerlos motivos; e
tencionamos mesmo, logo que um mais ampio
couhecimeiilo e experiencia do Bispado nos
habilito urna medida tomar acerca desl ma-
teria. Confes-amos porem que na hyputhe-
se de que se tracla dos Sacerdotes que
celebro Missa ou ouvem confissoes nao lia
exemplo e nenhum que appareceo lbi ja-
mis lolcrudo, que taes funcies se fizessem
em hbitos seculares seria de mister para
isto riscar lodas as regrar toda a liturgia da
Igreja que al para as confissoes segundo o
Ritual Romano e praxedealguns Bispados ,
exi"e que os Sacerdotes as ouco de sobre-
pelliz sobre a solaua e cora estola (7 i,).
A maneira, com que sedeveui celebrar os
acta religiosos mesmo na parte relativa aos
veatidos, iHinca poder parecer indierente ao
Sacerdote, que rellectir, que fora o mesmo
eos quera no Amigo Testamento regulara
esta parte do cubo exterior (7a) ; e que a 1-
reja, deiiosilaria da sua vonUde, e dos seus
j)Odeies, urna grande importancia dera sera-
cencio, e esplendor do Cuito ; a pregacao, a
ailuiiuislracjaj dos Sicranienlos, o eusiuo da
Religio e das silencias ; actos de caridade c
o exercicio d'oulras virtudes proprias daqnel-
les, que teiideui ao mais jierleito e se com
promeltrad a pralica dos conselbos ev ingeli-
coi, eis aijui o (jue os bous Religiosos obser-
vara era todos os lempos, os beneficios, que
derramad era urna populacao. que ts ami e
respeita e as virtudes COtn que bourAO a Re-
ligio, eedilicao a Sociedade. Islo, e nada
mais, pedimos, e esperamos do respeilavel
Corpo Regular que, para bem da Igreja, a-
inda se conserva, assim como nesta, era ou-
tras ioceses deste Imperio, a despello dos vo-
tos e eslorgos de COI los homens, que lazeui
crua guerra ludo quauto lera o sello e carc-
ter augusto da Religio. Mauleulia os Re-
gulares entre si a paz a unio o Iralernida-
de, que o caracterstico de laes assocuces ;
abslenba-se, segundo o precedo do Apostlo
^74), nao s do nial, como das suus npparen-
uiaS, jara nao darem occasio du escndalo
aos liis ; taij.io um jno e louvavel uso lias
suas .rendas i cumpiuoem urna palavra, as
sanias regias dos seo* Fundadores e jamis
se deslisein debas, para nao chainarein sobre
si a ira do Senhor. a semelbanca do povode
Israel, (juando abandonava os preeeilos que
iVioyss loe dura ; facao isto os Regulares
viviru ; i,ue aos luipios lallar ura thi;ma
para us su.is eternas deciamacocs e um pre-
texto us suas euijiie/as sacrilegas ; e o Senhor,
zumbando dtl iucredulidade e da ineligiao,
nao na e pernnltir, que aos seos golpes caia
(67) S Luc i5. 7
{oo) Ktech. 3. ib.
(oq) Deconsiderat. ad Eug. 3 lib. cap. 5.
(,70) Sess. 14 dereformat. cap. ti.
(71) Sujiperpellceo. et slola violacei colors
i.iaiui, prot tempus vel locorura leiel con-
sin ludo I Til. 5 de Saciara. Pceuileni cap.
i.H*9] ...
(7>; \ idc Lxod. 8 c Levit. o.
(7 i) To grande importancia, que se con-
tad at Ireze Concilios geraes, desoito Papas,
cen'loe cincoeula Concilios Piovinciaes, e mais
de trezentos Synodos, tanlo da Franca, como
d'outros reinos, que ordeuia aos Clrigos
Uazcr vestido talar ( Bergier Uiccion. de
Thcolo" ait. Hbil Cleiical ou lv-cU'jyst.-
que).
L7 4 J 1. ad Titnulh. 5. a a,


n t A r
I o
mer?*-a
D E
P R R N A M R l) C O
um dos fortes esteios da Fe" e dos costumes.
[Continua ]
PEliN AMB GO.

Diversas Reparticoens
PRF.FEITURA.
Parle do da ao, do corrente.
Illm. e Exra. Sur. Foro hontem presos
pelo Sub-Prefeito d'esta Freguesia os pretos
Sebaslio Anlonio Gomes Antonio Joaquim
da Silva Rodrigues e Ilario Goncalves, es-
J^r cravo do Uezerobargador Ramos ; oi.para
recrula ; ficou detido para averiguaco oj.0
por desobediencia ao Cpalas do Porto foi
sollo; c o ultimo por se ter introducido em
urna casa sem ceusenlimento de seo dono :
loi remullido seo Sur.
E' o que consta das Partes hoje recebidas
nesta Secretaria.
Dia 3o.
Illm. e Exm. Snr Foro hontem presos os
prelos Antonio e Felis aquele escravo do
ingles* Comber, por um G. N. ; requisico
de seu Snr. para ser recolliido a Cadeia e
esle de liita do Carnio por um Comniissario
de Polica por tel-o encontrado as 11 e lia
boras da noile : ica detento nu Callabouco a
pedido da mesmq Sin a.
Nada ni ais occorreo.
de Fevereiro de 1H40. A rogo du Margar-
as Jozefa. Manoel JoaoThaumaturgo.
Estavo as firmas reconbecidas.
(Folba commercial do Para.)
Avisos Diversos.

Correspondencias
Srs. Redactores.
r Nao quero deixar as obscuras trevas do es-
quecimefito um acto de bondade e impaiciali-
dade do Snr." Preeitu da Comarca comido
praticado por occasio dos seis dias da minha
prizo por infraeco de Postura da Cmara
Municipal O documento unto a prova
desse rasgo do craco magnnimo do Sr Pre-
eitu da'Comarca devido sen d 11 vida i ser eu
chele de numerosa familia, ter prestado
serviros ao Estado mesmo em su comp-
nhia noacampamento de l'anellas como Te-
nente de1 Guardas Nacionaes ; e do desejo ,
talvez de me ver bem obsequiado pelos fac-
cinorosos mais de dois annos o lugar de Pelcgadu do
Juiz de Paz, e ser muitu de presumir, que
aindA aliexista presos de deligencias minhaa
fcyloque loca ; Jegalidade ou illegalidade do
procedimento do Sr. Preleilo .Jeixo a sua
deciso ao recio e prudente juizo dos entende-
dores da materia. Se me do Srs. Redado
res um cantinho no seu jornal estas rabis-
cas e documento annexo muito agradecido
Ibes licar o seu assignaule e obrigado servo
Jos .Vlaria d'Amorim Jnior.
Jos Vidal Nuues, actual carcereiro
das Cadeias desta i.idade por o Regente em
JN'ome de S. M. I.C q' Dos Guarde ic Certi-
fico que revendo o livro competente delle con-
sta ten m sido recolhidos em todos os anuos de
18J8 i8c) al a du mez de Julho corrente
cincuenta e oilo pie/.os por infraeco de Postu-
ras das Cmaras Muuicipaes e nao consla
que 11e11hu.11 destes lese para a prizo do se-
guro por ordem positiva de uullioridade algu-
na apenas o Supplicanle que lambem entra
no dito numero pie por ordeno do Preleilo da
Comarca fui deiiado para a priso do seguro
JNada mais consta dos rele i los assentos aos
quaes me reporto. Passada nesta cidade do
Recit em a cadeia da mesma cidade aos-j
diasdornez deJulho de 18^,0. -Jos Vidal
iNuiies.
de dar um Espectculo Mr. Valli aprovcilou. po por me achar fura da Cidade. ParV 10
este oflerecimento a que o Sr. Lima se presta
graciosamente a fim de obsequiar a Mr. Valli.
e fazer mais brilliante este seu beneficio.
l>epois de executada a primeira Overlura ,
a Companbia Dramtica representan! a Peca :
CAMILLA NO SUBTERRNEO. No fim
desta o Sr. Lima offerecer a Mr. Valli -
um combate de gladiadores da maneira se-
guinte : 1 Os dois eombatentes. a. Toma-
rem-se reciprocamente e atirarera-se de urna I cy A abaixo assijjnada mulher de Rernar-
outra pane do Theatro. S. Tomar-se o dio Anlonio Vieira proprielaria do engenbo
adversario e le-o de urna mo seguro no ar Ferreroza faz certo ao Publico que ella se re-
a braco estendido. 4. O grao salto do guer- tirou desla praca para seu engenbo para vver
reiro. 5. O giupo dos dois gladiadores. tJ em companbia de seus filhos'menos aftlicta do
Alucia, Gcando um a pruroo do outro de que vivia pela continuada perseguido de sua
cabera para baixo e ps para cima. 7. O jogo asssignatura para venda do engenbo por meio
da sereia. 8. O combale de langa e sabr. de urna procuraco que seu marido del la exi-
9. Alcidese o gladiador.-10. Alcides venci- ; gia e que nao consegindo, est forjando
do.-11 A pirmide e o bomem orizoutal -; dividas fantsticas a fim de se penliorar e ar-
ia. Ascenco de Mr. Valli ao templo da glo- rematar-se o engenbo. A annnnci ante lar.
ra. 13 Rematar o expectaeulo o Sr. Lima, toda a barreira provando a falsidade das di-
o qual terS a bonra de otlerecer ao respeilavel vidas ; pois be impossivel que um bomem
Pui)lico diferentes exercicios de (brea? agi-l nadatipha', nada devia, e que
lidade, eGymuastica em i|ue I ara por me-
recer de seus coneidudos o titulo de Novo
Hercules Rraziiciro.
lie
nao
negocia
rommodos na rua do Fagundes l). lo.
Pde-se a (piem manda vender leite
ao Publico*em urna rasa no pleo de S. Jos ,
que de providencias nos que condusom o diio
leite que n.\o deitem tanta agua.
Um que jjustou sua meia pataca e nao al-
raocou.
*2'" lUg-se urna prela captiva com mili-
to bom leite pira criar; qnem a pretender
dirija-se a Olinda ra do Balde casa ter-
rea V. 24.
S^- Urna senhora de maior se o'.Veroce pa-
ra ama de caza de bomem solteiro, ou du
inca familia sujeitarido-se a todo s.'rvico
intern ), excepto en jomar ; na loj do x.^uii-
do sobrado a mj direila pissando a Lgreja
dos Martirios para o Palacete.
t^? <> Snr. que aununct>u prerisir de
mandar receber divids no se, t io smlo que
anda precise lano para o sert-io com ) para
qualqUer OUtrO lugir Ceifka a bondade de
annunciar porcsla Folba- para ser procurado,
pois lia quem se proponba a isso, o que j; tem
bastante praiitM desseembrego.
C^ A pessoa queannunciou querer 5oU rs.
a premio dando pinbores d'uuro aniuincie a.
sua inorada para ser procurado.
i^" Un moco brazileiro de idade de 1 \ mi-
nos olferece-s--para Caxeiro deqnalqner
oceupaco quem lelle per.eid r armnci.
OT" lv)uem qui/er alu ;ar lium negro nim-
io possanle bom c.irreiro eptimo pira
andar com c.irrocas ; dirija-se a ra d'Aguis
verdes sobrado I). 10.
S3r Ouem annuiuiou querer sote centoi
mil reis a premio, cjm bypolbeci em obra*
d ourd ; dirija-se cata 11. 5 \ defrdiile da
lgreja do Corpo Santo primeira andar.
l3~ Quem quiter lomar a seu Cargo lavar,
engomar com perfeiclo a roujia deiim mo-
co solteiro : dirija-se ;\ mesma ci/a a cima.
ly Preiiza-se de um bomen, queenten-
da de plantaces, para um sitio p -rio da pra-
S0C1EDAUENATALENSE. *" -se quiuhentos mil reis a uros de ca que se(a Portuguez ou Urazizeiro ; di-
O primeira Secretario scienliica aos Illus- 3 l)01*canXo ao ,ne/- sul"' |enhores de ouro 1 rija-se a ra do Rosario larga 1) t.
tres membros que no dia i de Agosto lia ou prata ou sobre bypoteca d'alguma pro- j^ Bngoma-se perfeilamenle da Praca
sesso ordinaria e Ibes raga liaja de com- priedadedeaembaracnla : n'esta Typ Sedir da Boa-vista caza terrea indo para a na
parecer as cinco e raeia boras da larde iuipre- cy'. Q,lt,m nnunciou querer selecentos mil do Aragio, pussaudo o beco do vr.i, por pre-
terivelmenle para que fiudia mesma Sesso rieisa UIS dando por seguranea penhores 190 cmodo.
PUBLICACAO' LI ITERARA.-
O
echo d\ nEi.iciVo E do [HPRI0.
Jmpresso na Typographia IrH>arci em formato de folio.
Subscreve-se na mesma f'ypograpbia : na
Praca da Independeucia 11. -jo e loja de li -
vroi i-] e O no Recife loja de livros do Snr.
(leva lauto em to pouco lempo pois inda nli
I izcm tre me/es que leve logar o seu infeliz
casamento. Anna J iai|uina Accioli.
VT Aluga-se um sobrado de i andares e
loja com commo los sufficientes para fami-
lia ; assim como urna boa loja para qualqucr
esubelecimento, cujo sobrado e loja be na
ra Nova, aonde esteve o allaiate fiancez ;
adverlindo-se que se aluga ou tudo ou si
a loja independentfl dos andares : a Iralar na
ruada Cadeia Ve iba, loja de fazendas por
baixo do Sr. Correlor Oliveira.
l^T Francisco Hibeiro de Brito fez publico
que no seu engenbo .Vlacbado apparecera um
Cardoso A y res l e esto authorisados a rece- '^"avo bucal que nao sabe dizer queche
ber subscriptores as pessoas encarregaJas de
fazer a destribuico. Preco merisal da assig-
natura ~4oo- reis.
seu seuuor a quem 1 lio fallar dando OSSg-
naes, e a qnem o comprou se entregara ,
declarando que nao se responsabilisa pela sua
fuga.
\^T D.i-se quiubcntos mil reis a juros de
a porcento ao mez sobre penhores de ouro .
continen) os mais Irabalhosda Sociedade. A- do ouro procure na loja de Joaquim Jos de
trazda ribeira de Sanio Anlonio, caza per- Oliveira de f ron le do beco da Congregado,
tencente ao sr. Cardeal. que se Ibe dir quem os d.
DT Adverte-se a M. K. C P. que nao
Publicaco pedido
COnsinta a sua companbeira fazer o escandalo-
so ajuutamenlo de pessoas em sua porta em
ver publicada o seu nome por extenso por esta
folha e de ser considerado como connivente
em tal devassido.
%ST Precisa-se de um administrador para
O abaixo a
do allacado I
Ca e leudo ludo a Portugal para ahi lser
uzo das Caldas como tambem para consul-
tar os difiranles Facultativos ; que suas es-
perancas foro baldadas e que regressando
a esta Provincia em peior estado cliamou o
Snr. Manoel Domingues Barboza i.Cirur-
gio de N. da Armada o qual 110 fim de
sessenla dias me pos livra de lodos os encom-
modus que antes Minia tanto na cara, como
as extremidades superiores e inferiores ,
(cando assim restabelecidu e para que che-
que ao cunbcimento dos infelises c|ue sollrem
esta (enivel infeiniidade ,
claraco.
Joz Acacio Corroa. uas dmJa "se ll rua Eu abaixo assignado, Cerifico que fui que ah achara com quem tratar.
acometido de urna molestia de pille com os .-----Precisa-sede urna preta forra oucap-
s.V.uaes Je Elepbantiasis e iquei inleira- t,va para vender lazenda : a tratar no sobrado
BT llogi-se pela terceira vez Ao Illm. Sr.
Joo Candido de Brito baja por obsequio de
declarar o lugar da sua residencia a lim d
se entregar
urna carta Viuda da Cidade da
Porto.
tT A pessoa queannunciou querer dos' rs.
ssignado declara que tendosi- detrimento das familias honestas, que por ahi a juros de dois por eenlo dando pinbores d ou-
ia mais de seis annos de Etefan- oraS, do contrario passar pelo dissabor de r ; dirija-se ao beco da barreira na primeira
otaria.
tW O.Terece-se para ciixeiro d'algumj loia
de fasendasou miudezas hum minino Portu-
gus de idade i.{ a i5 annos o qual j, lem
lio perto da praca porem que j;i j alguma pralica OU anda mesmo para fura
tenba exercido esle em prego e que tenha
praiica e conhecimeiitos de agricultura e en-
tenda dos mais misleres desle estabelecimenlo.'
(^uem se achar nestas circunstancias dirija-se
a rua da Cru/. do lecife 11. 6
-----Precisa-se de um bomem que cntenda
da Provincia : annuiicie sua morada para ser
procurada.
VBT Na casa que morava o Padre Felis Jo-
zed'Araujo, Ierras do EugnliO da Torre,
se recebe vacas para se ter 110 paslorador, pois
tem boas bailas 6 bastante pasto ; quem pre-
do planlacio e trabilhe deeuxada para um I tender dirija-se a dila casi pira se Iralar.
ISJ'' Alugo-se prelas ou molequ"S para
ac a presente de- \{**' V*'** da parca anda mcs.no
com idade : quem esiivci nestas cucunstan-
ASSOCIAC V.O (O.MMERCIAL
DE PeI'.NAHBUCO.
No dia 3 de Agosto prximo pelas 11 boras
da inanb, lera lugar a reuuio dos Socios em
Asseuiblea Gera! na Salla das Scsses da As-
Sociaco para se proceder eleicao da nova
Meza de Uirecco para o que sao convocados
os Socios pelo presente annuucio. Jos Je-
rnimo iViOiiteuo Secretario.
vai po
ro de 1840.
Jos Ferreira Machado.
AV1Z0 COMMERCIAL.
A escuna Emilia sabe para a Balda boje 3i
do corienle Corresponden le Manoel tian-
CSOO f'unles rua da Senzalla Velha.
A barca Elia Johnsloii, teixa a malla para
Liverpool ainaiih, as 5 horas da tarde
Coriespondente Johuston Pateri C ruada
da Mache de Ueus.
phanliasis ; e leudo sido radicalmente curada
THEATRO "' !'e,l de anuo e meio pelo Sur. Manoel Do-
minguesi Barbosa 1. Cirurgio da Armada ,
Ultima Funccfio de Mr. Valli t seu beneficio, e recehendodo mesmo Snr. allie os inedica-
omuuo de ArosIo 11 culos gratuitos : tomo esta occaio oara
Ha nodo-se apreaenlado a Mr. Valli um Sr.
que be ilaiuu AUxandic- Lima ,< que preten lummigo visto uo le leite isiou mais tem-
-----O Padre Felis Jos de Araujoe Albu-
querque lem hypolheca especial em um sitio
Eu abaixo assignado Certifico que miaba de Jos Bernardino Leal, esui mulher ; as-
Sobriuha Lourenca Manada Conceico a sim como hrpollieca geral nos mais sitios e
perlo de doze annos sofreo de Elepantiasis bens de raz doz meamos devedores por es-
e Leonnina em ultimo grao e ja estiva dis- criptura celebrada a 18 de Juuho de i8jy j e
forme e sendo chamado o Snr. Manoel Lio- para que nao acouleca a alguem por ignoran-
mingues Barboza 1. Cirurgio da VJariuha ca contracUr sobre os inesmos bens, que
para tratar da dita minha Sobnnha este no sempredevem passar com onus eobrigaco
espaco de oito mezes a curuu restando lo da bvpotheca : las O prsense aniiuncio
smenle aquellas sicatrizei propriaade enfer-j tJ- (^uem precisar de um negro alugado
midade e por me ser pedida e ser verdadei- para trabaIhar ou carregar algum taboleiro de
ro o referido passo o presente. Para 10 de azendas dirija-se u roa da Piaia armazem
Fevereiro de 1840. Celestino Pedro Chaves. ; de Manoel de Souza Guimares.
Margar ida Jozefa Jo^o ao Snr. Mauuel j ar Joaquim Francisco de Oliveira roga
Joo Taumaturgo por eu nao saber 1er nera pela ultima vez ao Sr. J. V. S. queira dar
escrever para que baja por mim fazer a se- cumprimento ao tracque com o uiesuio lem
guiule dielaracao que leudo sofndo huma de eectuar at o li ai do coi rente i certo de
enlermidade de pelle, conheeida [ior Ele-1 que o nio faseude, oannuncianle usar dos
meios que as lea facultad a tal respeito.
jt ijueta (juiser comprar una venda nos
AflogaduS na rua de vlolocolomb ; dirija-
se a casa do nicslre marciueiro na mesma rua
-----Tira-s pasMOUrte, tanto par* o Im-
perio, oomo para lora ddlc, e correiu-se fo-
11 culos gratuitos ; tomo esta
agradecer esmola c caridade que leve para
Ibas com presteaaf e acrklade, c pui ,,.j< ,.h,.i.1Ji. uuUffCM.
venderem na rua pagando-se mensalmenlu
doze mil rs. ; na "rua do Livrameuto i), a.
1. anda defronte do oilo da dita lgreja.
IT A pessoa que anuunciou precisar de;
cincoenla mil rs. a juros sobre pinbores de
oiro; sendo queira dirija-se a rua do Raogel
U. 4 m"" 5e '''r'' 'il!l"' os ''''
ff^9> Aluga-se duas crioulinhas mucam-
las huma de onze anuos e outra de quator-
auibas cozem xa e huma faz bein lava-
rinloe he milit deligenle no servico interno
de urna caza e sem vicio, por preco commo-
do : no armazem da rua Nova ; na mesma
se vende hum selim em meio uzo com lodos os
seos pertences.
i_- No Pateo de S. Pedro D. 5 do lado
da rua da Viraco alugao-se caixes para
defuntos, e para Anjos vestindo-se os mes-
mos com todo o aceio c promplido, de qual
quir vestuario que seja conforme o gosio da
quem os encomendar por preco mais com-
modo do que em outra qualquer parte.
-----Precisa-se.de pretos para o servico do
campo: quem os (iver dirija-se ao Corredor
do bispo 110 sitio que lem porlo cora Jam-
peo dcfroiile do sitio dor. Bispo, ou n
rua do Livrameuto venda doCirdeal.
t3T Precisa-se allugar um casa terrea ou
andar de Sobrado para pequena familht,
dando-se de alugner at Ujoo reis, sita
no bairro de Santo Anlonio ; quem a tiver
auiuiucie a sua moradia jur esta tulla ou
dirija-se a rua da Florentina seliraacasa viu-
do da mar.
kdr llu.ua Senhora de bous co>luTies5 se of-
le.eee para ani i de hoiUCiU iJlieiro j quo.U a


V-
DIARIO DE PERNAMBUCO
%ST Fmtarnna noile de 29 para 3o do
corrale a Vicente Ferreira Longuinho re-
sideuie no rancho do *r. Rufino, na ra da
Concecio da Boa vista 180,000 em sedulas,
wma laca de non te de Parnahiha aparelhada
urna das principacs ras, por um sobrado de
un andar ou mermo casa terrea com J a
4quarlos, e nao sendo em becos : Irata-se
na ra estreita do Rosario D 29 primeiro an-
dar.
(Vvisos Martimos.
xnii.i i-ic.-i uc puna je rarnemna apaieiumiii uai.
de lalo ; este furto suspeita-se fora feito por' $35- Precisa-se de urna casa terrea para
um portugus de nome Joaquim baixo, sec- | pequea familia no bairro de S Antonio
o muito descorado cara comprida e (al- vm (jualquer ra e Ha-se dous a 5 mezes a
la embarazada, cabellse barba branca le-' diantedos nao excedendo o seu aluguel de
vando chapeo de couro o qual desapareceo t a 8000 ; quem tiver annuncie.
na mesma noile do furto tendo-se agregado | t9 Quem precisar de urna preta para
ao annuncianle a titulo de ir para o serto ; ama de leitedirija-e a Olinda ra do Balde
ni -m souber do mcsmohoniem e del le der casa terrea n 74
noticia ao annuncianle ser generosamente
gratificado-
S3T Arrenda-seum sitio na Magdalena ,
< oro commodos para ler vaccas de leite poco
cotn-egoa de beber e urna grande casa os
preter.lentes dirijo-se na estrada do Monde-
gO'sohrado passandao sitio da cap-ella.
SJy* Antonio Joaquim da Silva Porto re-
t ra-se para lora do Imperio.
' 523" Desapareceoda praia do G)llegio no
die :> do corren!^ urna canoa de carrea, com
:: falca toda piolad) de varias cores, tem farra-
jem para leme banco de encost no meio ,
1 ...a lorie ule de ferro um eseutilboztnho
pura guardar a mesma com triiiL almos de ,
mplldo-J quem della souber ou der noticia.
iiiija-se a rua.do Rangel venda da quina
que olla para o trem D. 4 fallar com Lui
. os Marques que ser recompensado-
S27"0s herdeiros do casal de Joaquim l'ran-
i-isco Cavaicanli de Albu|ucrque venJo o
PARA O ARACATY impreterivelroen-
le no dia Maio com a carga que tiver a seu bordo os
carregadores dirijao-se a Joaquim Gonsalves
Ferreira na ra da Cadeia do Recita ou ao
Capilao do mesmo Jos Ignacio Piraenta a
bordo.
PARA O MARANHAO' segu al o da 70
de Agosto o bem conbecido Brigue Escuna
Laura primeira, por ter a maior parte de
seu cirregamento prompto; para carga e pas-
i ageros trata-se com o Capilao LutZ Ferre-
Silva Santos ou com FirminO Jos
rada
Felis da Roza na ra da moeda D.-l4'-
O BRIGUE Portugus Triunfante forra-
do e encaviibado de cobre segu para o seu ,------
deslino ja annunciado e ba de saliir defin- superior qualidade e por preco commodo; no
tivamenle at 70 de Agosto acba-se com roajs forte do mattos no arrr.azem do Vianni.
de agoas verdes D. 7 a tratar na prensa do
Rrilo.
^_tssr Panno de linbo de toloes e nojes de
muito boa qualidade feixaduras lisas e de
broca, encbadas fiodcvella, botina, hnha
de rom e cabeca encamada ludo por preco
commodo ; na na do encantamento defronte
do beco oue vai para a ra do Vigario,
S33>- Seis bois mancos de carro-, no enge-
nbo angadinha.
th" Urna morada de casa de dous andares
e soto sita na ra de senzalla velha n. 48.
em chaos proprios ; a tratar com Joo Yaz de
Oliveira, na ra da cadeia do Recife quina
que vai a ra da Madre de Dos.
cr Excellente farinba de trigo america-
na por preco commrdo *, no armazera de
Joo Malhers pordeiraz dotheatro.
S2T Urna preta de idadede 'i5 anqos, boa
cozinheira e lavadeira de sabo e urna ne-
grinba deidade de 12 annos, ptima para to-
dooservico; na ra nova n. ro3. #
ts&" Urna canoa construida dp novo que
carreja 1000 lijlos de alvenaria ; na ra da
praia serrana do Cardial.
sss~ Urna negra de idade de r4 annos, com
principio de costura engommado e cozt-
nba ; na camboa do Carmo D. 8.
>W Taboadode pinbo de di fferen tes g ros -
suras e larguras ; dito da Suecia de urna a
i polegadas de grossura dito de forro de
meia pologada a 'i\i de grossura, tudo de
nnuncio do Sr. Joaquim Francisco de Mel- de metadedeseu carregamento a bordo; quem
lo Cavalcanli no qual ollerece a vend o en* quiser carregar ou ir de passagem para o que
gento Abreus, julga de seu dever azer pu- tem encllenles commodos d i rija-s ao Ca-
blico, que dito mgenho nao oi vendido, by- pitando mesmo on na ra do \ gario De-
pol becado nem por outra alguma maneira cima i5.
..lidoaodiloSr. Mello Cavalcanli pelos an-I PARA O RIO E JANEIRO ,a Sumaca
murciantes, anles esto^esles dispostos a sus- S Domingos, Capilao Jos Pedro dos Sanios, j lbo ludo muito bom ; na olana do atierro dos
Untar o justo dominio e posse que tem so- forrado de cobre e de boa marcha sahira aflbgados 5 assim como duas pipas de mel de
bi eo mesmo engcnbo do qual niuguem 110- com leda brevidade ; quem quiser ca regar ou furo.
dedispor, senaode,,ois do inventario, que ir de passagem dirija-se a Gaudino Agosti- 0^ Me.as de linho para hornera : na ra
lem de proceder por morle da mulher e mai nho de Marros atraz do Corpo Santo 1). G; do Queimado Io|a D. 7.
dos anr.unciantes, or consenlimculo e ap- 'ou ao Capilao a bordo BT Urna casa terrea no beco das Carvalhas
SSF" Por preco commodo laboas de pinbo
do porto proprias para tampos e fundos de
barricas ; na ra da Cruz no Recife n. i4-
SS7* Um boi manco e ptimo para carroca ;
no Mondego defronle de Luiz Gomes.
SS~ Urna porcao de telha e lijlo de ladri-
niuvaco dos mesmos annuncianle e com
Ulborisaco do Juii de orphos visto que
ha menores; lazum pe o presente nnuncio
;>-*ra que nuiguem se chame a ignorancia, e
uem laya negocio algum com o br. Mello Ca-
ralcan e desde ja prole^iu os anuiincianies
de uzar de seu direito para cooservacu do
que uilamciiie Ibes pertence.
t~r O Sr. Manue Morcira Pinto de Arau-
jo rjucira dirigir-se a ra da cadeia D. lO.pa-
L. C t O
e um moleque de idade de 16 annos ; na pra-
ca da Independencia n. 2.
SZ3" Urna arm'aco de venda sita no porto
costura de boa figura e sem vicios : em ca-
sa de Manoel Gonsalvcs Braga junio ao arca
de S. Antonio.
S25" Um sitio com casa de sobrado no lu-
par denominado Parnameirim de S. Anua,
cujo sitio offerece grandes vantagens em ra-
zo de ter grande baixa para capim e muito
prximo ao rio capiharibe tem um grande
pomar com raais de 5oo ps de arvordos tudo
a ra e plantado de novo e algumas arvores
estrangeiras ; a tratar na ra da cadeia velha
Decima 3o.
t^- Por preco muito commodo 6 calcas de
brim mui hern l'eitas pelo Sr. Mestre alfaia-
te Jos de Souza Monteiro sj oque tem he
muitas emendas entre pemas: no pateo do
collegiono arniazem de Trocito de Souza
Campos.____________________,___,
~Escravos Futidos
tJ- f.eilao que faz Fernando Jos Rraguez das canoas : a tratar na p^aca do Commercio
boje 31 do corrente a porta de seu armasen botequim do Almeida.
no p do arco da Conc< i, o de urna porcao 1 E de cabos de linho, panno e mais apielexos o dito ; na praca do Commercio defronte da
de um navio que deo a costa na Parahiba Igreja 11. 4 primeiro andar,
por tonta e ris"o de quem prelencer. >. m? Pecas de brelanlio de rolo de 10 varas
t5- O correlor Oliveira continua a vender a 1800; cobertores de algodo ti {o pecas de !
ra tetber urnas encomendas viudas de por- particular, no seu arm^em ra ,1a cassa de quadro ,80, ditas de algodao de 70 '
Conccicao n. 34 primeiro andar em porcoes jardas 2800 5 ditas de chilla i^o o covado ,
,- vontade dos compradores Sedas iuslrosas o a retalho 160 dito, rtscados de cores que
tu-a
o
S*ST Precisa-se de urna burrinha para dai
lcile diariamente a um doenle pagando-se o
lie se convencionur para se ler em um lu-
^ar aonde lem pasto ou mesmo nundar-se
buscar o leile onde ella esliver ; quem tiver
dirija-se ao i. andar da casa junto da do Sr.
Joo Pinto de Lemos no Recile.
se- O primeira Secrciaiio da Sociedade
Euphrosina avisa aos socios da mesma que a
Coinmisso adminisirativa os couda a reu-
jirem-se cm sesso boje as t horas da tarde ,
para se tratar de objectos impuilanles a sucie-
Uade.
SS&" Quem precisar de um caixeiro paru
"loia do que tem pratica dirija-se a esta
Typogralia.
"tSf Quem precisar de urna ama para o
servico de urna casa dirija-se a abodada da
perda soto por cima da venda.
Sur Antonio Lurz dos Santos .comprou
de socittade com Joao Augusto olonleiro da
Cmara morador em Laiangeiras o bilhele
ii. ityi da segunda parle da Lotera da
xVialriz da Roa viste que corre boje.
XST Um menino liasileijc de idade de i2
se ollerece para caixeiro de luja d fiador a
suri conducta ; quem precisar aununcie.
tS^ Perdeo-se da ra direila a ra Au-
gusta de cima de urna carroca dous peda-
eos de crlenle de o palmos cada um ; quero
iichou queiendo resliluir dirija-se a roa Au-
gusta quesera recompensado.
iSST Precisa-se de umn ama que saiba co-
zinbar e engommar ; uo sobrado da quina da
ra das larnugeiras no segundo anuar por ci-
ma do relojowro.
Si*" Pitcia-se de um menino portuguea
riue enha 12 a it annos de idade para cai-
miiio de toja de fazeudas eui urna \ illa pello
itsta irata ; na ruado Calinga luja D. O ,
imito ao leilo.
r Ouem precisar de urna ama para o ser*
viyo de una casa iiirija-se a ra de Hurlas
D.li junto auCaelano pintor.
S-y Aluga-se o segundo andar do sobrado
7). ao dama vellia j <|uvru pretender duija-
bcao piiHicim asidas uo mesmo.
ss^ *| ioc-s.um primeiio andar rom cx-
,iknus u;iup>edMi par gniude fawilis um
para vestidos ditas de quadrinlros tafels nao desboto 180 largos, chitas Ibo 1H0,
encarnados, e verdes, moropeileiros de se- e moo rs o covado fazenda de la para calcas
da, pannos decanto chales de palpo bor-: a immilaco de casemira tiio O covado dita
dados mantas de tonquim e de palha len- !de algodao de dierentes qualidades j8o, 3ao,
eos de pinturas, laques finisstmos, e mais ,e 36o o covado, panno de linho aberto pro-
inferiores ditos de xaro caixas de marfim prio para guarnicoes de toalhase lences hi-
para tabaco caixinhas de costura de xaro eos dedifferentes larguras, e outras muitas
hcelas, ceslinhos, e pratinhos de xaro l'azendas por preco commodo j na ra da ca-
I____- ,1.. ..,.,..^11,.,,.! I... ,,,..._ <\ \ I hln'l flua tral i'l n T1
jarros de |>orcellona bonecos da China ,
quadros, bandejas e urna (lauta ele. ; a
maior parle destes objeclos fora do brigue
bespauhol arribado a esle porto, na sua via-
gem da China para Santander,
tST Que lazo Correlor Oliveira de cerca
de i5o sacas de farintiu de milho, muito pro-
pria para cavallos e para pao sendo pene-
rada Terca feira ,1 de A,;osto as 10 horas
da manh a porta da casa de sua residencia ,
ra da cadeia n. 34.
C o mpr as
US" Todos os dias urna porcao de bom
leite e que venba bem sedoj na casa de ne-
v do beco do ihealro*
***3r Os 4 meses do Panorama de Janei-
ro a Abril do anuo de j83b' e do contrario
o auno inleiro ; quem tiver anauncie
^ Um quadranle ; quem tiver annun-
ciesua morada.
Vendas
lado do l.ivramento.
tij~ Urna negra mui sadia hbil para to-
do o ser vico cozinba ensabda e engom-
ma liso ; na ra da cadeia n. ati
isr Urna libra de reros sortido da india ,
pelo preco de 12,000 leques de papel com
varas de charo lambeni da india a j'loo
cada um j na ruado Apolo no Recife porlo
das canoas, segundo andar das casas onde tem
armazem de assucardo Sr. Ajudanle Lobo.
tST Urna prela de naci, corpulenta bo-
nita figura', cozinba o diario de urna casa, e
3 portadas de pedra da trra conforme as
posturas-tte cmara ; na ra direila D. a4
confronte o oitlo do Livramento.
Sy Uro moleque de idade de 1 annos ;
na ra Uo crespo D. ti
Sr" 400 garrafas vazias a 60 rs. cada urna,
una porcao de sal do As itoo o alqueire ,
cba isson 19*0 a libra e sag de primeira
sorle aodita ; delroole da Alalrii.da Roa
visU venda d a portas D. 39
SST Ou troca-se por urna esclava de a5 an-
nos de idade de boa conduela que saiba la-
ser o serVico regular de urna cua urna mo-
%2T Caulellas da Sociedade Fortuna Ty-
porafica, da Lotera da M. da Roa vista ga-
nhando a vigsima parte dos premios, caneado
na sorle de l\ 000 000 res dusenlos mil res a
preco de o 5 nesta Typograca na praca
da independencia n. ao c na ra larga do
Kozano lo ja de miudtzas D. 7, e na ra do
Coilegio luja de relojoeiro
SSr Una cscrava de nacao Renguella de
idade de %i annos com urna cria de 10 me-
/es leudo bstanle leite e ja esleve cuando
ero casa duSr. loao AiaiiaScveque pudera dar
algur.s Mitrmacde* a reqieito \ 'iu Ulinda
ra de iN.atliiis Ferreira 11 o se d
deia velha n. 55.
ssy Uns cabos de facas de prata com 79
oitavas e meia ; na pracinha do Livramento
loja D. 2;.
IS^ Rap ihegado ltimamente de Lisboa,
am sorlimento de libras e meias ditas por
preco commodo ; na rui do Vigario D. i5
casa de Mendes & Oliveira.
3* Um cavallo russo bem novo com
todos os andares 5 na ra da praia armazem
de Manoel de Souza Guimaraes.
Sy Duas escravas de naci de idade de ao
annos, en;ommo. cozinho o diaiio de urna
casa c lavo de sabo : na ra direita D. ao
UT Roga-se a todas as authoridades po -
liciaes, e pessoas particulares a aprehendi
de urna escrava fgida no dia sabbado de Al-
leluia deste anno com os seguintes signaes ;
Getrudes de naco angola de idade de 4
annos, ja lm cbelos brancas, estatura re-
gular rosto miudo peitos regulares car-
po seco, o p esquerdo mais largo que o di-
reito e tem no peilo do p esquerdo urna si-
catriz redonda do lamanho de urna moeda de
4 vinleus de prata no queixo de cima da
parte esquerda falli-lhe um denle na frente t
e a frente dos mesmos he aberla menos os a
da lenle ,'na p esqu'erda tem urna sicatriz
de duas polegadas de comprido procedida de
urna sipoada em ambas as pernas tem gran-
des marcas de bechigas e sarnas levou um
vestido de chamalote amarelio com listras ,
outro dilo de chita amarella com listras e flo-
res encarnadas camisa de algodao biela o
saia preta um taholeiro esia preta he bas-
tite ladina, e foi escrava do fallecido Gama
da Roa vista desta Cidade consta que he ca-
marada de um cabra de nome Benedicto sa-
pateiro cscravo que foi do mesmo fallecido
Gama e boje do sogro do Sor. Jos Fran-
cisco de Ranos do engenho Carauna ; quem o
pegar leve a Manoel Jo* Gjnsalves braga ,
junio ao arco de S. Antonio que receber
urna generosa gratificacao,
ssy l'ugio a dous annos um prelo de no-
me Joo coro os signaes seguintes 5 altura
recular magro de idade de 4o anuos para
mais de naco mucambique tem no roSll
timas marcas de ferro e entre ellas urna bas-
tante grande na testado feitio de umalerradura
de ca vallo ; quemo pegar leve a na da ca-
deia a casa de Me. Cal moni & Companhia ,
que ser generosamente recompensado.
tSW Qualqucr "Sr. encarreg ido de polica ,
ou capites de campo peder prender um es-
cravode naco cacange bem alto e prelo ,
secco do corpo bem espadaudo, de idade de
55 annos auze itou-se des'a Cidade no au-
no de 1837 e foi vendido daCidade da l'a-
rabbft't quemo pegar leve ao trapiche novo
casa de Francisco Augusto da Costa Guima-
raes que gratificar.___________________
iVluviuieiito do Porto
NAVIO ENTRADO NO DIA a.
MARaNHAO' ; 19 dias i Brigue Escuna
Laura de 164 tonel. Cap. Luiz Ferreira
da Silva equip. al, carga varios gneros.
SAH1OS NO MEMIO UlA.
GENOVA ; Rrigue Americano Commissary ,
Cap. lienry Suailh carg assucir.
CEARA' ; brigue Infiel Hymison Gap.
iieury Havthon carga assucar.
EVi'RAOSrNODlAg
RALTIVIOhE ; 42 dias Barca Americana
Mary dh 55 tonel., Capilao R. ClaieL,
equip. 9, carga faiinha de trigo, a Heu-
rique b'orsler.
ENTRADO NO DIA 3o.
NUVILAN ; 70 dias Galera Americana
Factor de 33 tonel. ,Cap. Bolland, equip.
23 carga azeile ^ ao dilo Capilao.
SAlllLONO MESMO UlA
RIO DElAiNEIKOi Patacho Americano S
Cap. Joeat Diwing carga a mesma que
trouxe.
NEW YORK : Escuna Americana B. Ca-
pilao A. R. carga assucur.
P0S-SCR1PTUM.
Pela Escuira Laura chegada do Maranhd
com das de viagem, nao livemos gazelas, nem
nos consta viessem apesar das deligencias
que lizemos ; porem vimos cartas parlicula-
u, que nada dizein, donde inferimos, que o
negocios polituos daquella Provincia tero lo -
nado um* face mais lisonjeira. __ ____
RbCll'T T ^ H, DE Al. i D E F. 1H o

1


Hifase /i propricdades c diversos premios em diuhciro;
sendo hum grande sobrado e cilio ancixo dentro da
Cdade do Hccif: Bairro de Santo Antonio Ra Im-
perial do Aterro do A (Togado, Sobrado N. 51, e as ca-
zas terreas N.* 5*2 55, c 5o Indo conforme o plano a
baixo declarado, sendo regulado pela 1.* parte da 17
Lotera do Seminario, (cando obrigado o proprieta rio
a passar escritura dos predios a quem Ibe sabir, depos
de paga a eiza por quem tirar, e os bilhetes vo assig
nados pelo proprietario, c o respeitavel thezoureiro o
lllm. Sr. Angelo Francisco Carneiro,
SoooBilhetesa 15#ooo6*S:ooo$ooo
Premios da Lotera do Seminario Premios que Uie corresponder.
I Premio 4:ooo5ooo Reeeb era hum sobrado e si lio N. .31 em 5o:ooo$ooo
1 di lo 2:ooo$oou dito huma caza terrea N, 33 em 3:ooo#ooo
2 ditos l: 2 ditos 5oc$oon dito dito ft I5o$ooo 3oo$ooo
4 ditos 25u#ooo dito dito a loo#ono 4oo#coo
5 ditos 2oo#ooo dito dito a 6 l$ooo 32r$ono
r lo di los loojfooo dito dito a 36ooo . .'3bY'#ooo
2o ditos 5o#ooo dito dito a 3o$ooo 6ock$oi 0
25 di los 4o#ooo dito dilo a 2J#ooo 600$000
4 o ditos 25$oo dilo dito a 18^000 720500o
5o ditos 2o#ooo dito dito a IJ#ooo 7oos$ooo
1. ultimo Graneo dito Ha caza tonta N. 35 cm .3: lo.\$o<;o
dito dito IJHa dita dita N. 32 eoi *3:2oo#ooo
162 Biliietos Premiados.
lis. 65:ooo#ooo
Peni ; na Tyvographia de M. F. de Faifa 18/,o.


NB. O sobrado e citio que no verso trata he o milhor que se pode ma
ginar ; tem i' palmos de frente e 190 de fundo, cozinba de lium lado in-
di pendente dita largura, o fundo con 60 palmos de cumplido; feito tu-
do com o milhor gosto e perfeicao possivel com 5 sallas ; sendo todas bas-
te grandes e huma dellas com 6;> palmos toila envidra9ada somen-
te teudo paredes a onde nao pode deixar de ter por segurar a coberta 1.3
(piarlos huin grande sailao eni baixo casca para p re tos dita para feitor ,
estribara para 8 Cavados cocbehu para 2 carros 1 quintal que tem du-
x -utos palmos opu amarado com caza dentro para criaeao dormir hum
excelente e lindo jardn) ; tanto em risco cotilo em mo de obra o cilio tem
1.35o palmos de eomprdD e 4oo de largo todo amulado menos u fundo ,
que bota para o l\. > que tem estacada bastante forte reforjada com pe-
dra por tora da estacada obra multo secura o muro dos 3 lados tefti tres
mil e tantos palmos,- te lui) excelente viveiro, tanto em grandeza, co-
mo em bem fitb, e inuito abund.inte de peixe tem as mdlioies arvo-
resde inicios, todas principiando a dar, notando tem ipiareuta e tantos
CO'-jueirs lodos dando e muilo novos ; baixa para capim porto de embar-
que na frente ; e atrs com excelente bauho : Axa-se na mao do Thezou-
reiro documento assiguado pelo proprielario e sua muier em que se
obrigao assignarem a Escritura a quem tirar os ditos predios : os bilhetes
eslao a venda as lojus dos segu 11 tes
Rccife.
fienhorea Joao Carduzo Aires Ra da Cadcia.
Francisco Antonio Vieira da Suva Llua da Cadeia.
Joo Mara Seve Ra da Cadera-,
Antonio I'edro das lleves Arco da Conceico,
Santo Antonio.
JooIIenriqnesda Silva Arco de Santo Antonio.
Antonio da Silva Gusmo Una do Queimado.
Joo Moreira Marques Boticario Ra do Cabug.
JVlanoel Alves Guerra ... Uua Nova,
Chardon Uua Nova.
Aterro da Boa-vista.
Manoel Joze Soares A velar,


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID E257IB6AU_HWJHVB INGEST_TIME 2013-03-29T16:50:43Z PACKAGE AA00011611_03562
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES