Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:03552


This item is only available as the following downloads:


Full Text
A ivo de 1840. Sadb\do
1.

Tudo agora depende de nos meamos; da nosu prudencia, modera-
Cho, a energa : continuemos como principiamos e seremos aponlados
cora admiraco entre as Races mas cultas.
Proclamacho da Assemblta Geral do fraiil.
H m i
Suhscreve-sc para esta folha a 3j?ooo por qnsrtel pagos adjuntados
nesla Typografia, ra das Cruzcs D. 3, enaPracada Independencia
ns. 37 e 38, onde se recchem correspondencias legalisadas, eannuuckw,
mirindo-ae estes gratis, sendo dos proprios assignantes, e viudosassig-
nadoj.
Partidas dos Correios Terrestres
Cidadeda Parahiha e Villas de sua pretenco.......\
Dita do Rio Grande Jo Norte, e Villas dem........Seg. e ScxtaslCeiras.
Dita da tortalcza e \ das dem..............1 D
<_! ddc de Goianna...................../
Cidade de Olinda......................Todos os dias;
Villa drS. Anto...................... Quintas (piras.
Dita de (laranlmns e Povoacio do Itonito.........lo, e 1^ de cada mer
Ditas do Cali, Scrinliacm, Hio Formczo, e Porto Calvo. 1, II, e ai dito d:lo
Cidade das Alagoas e de Macei............dem dem
Villa de Paja de Floros.....................dem 13, dito dito
Todos os Correiot parlem ao meio din.
G^v.
'
r
1

18 nr Jvuiol Numt.ro 155
s

Londres.
Lisboa ..
Franca..
hio' OCHO -
PilATA
Descont
dem Moeda de
IB
PHASES DA LA HEZ DE JULIIO
Quart. cresc. a 6 as 11 b. e 43 m. da man.
La Cheia ai4-as 5 b. a 10 na. da tarde
Quart. iniug. a -ti as 4 l>. ei5m. da t.-,rri
La .Nova a i as 7 li. e Sin. da tarde
Mart ehtij para o dia iS de Julho.
As 7 horas e 4a minutos da MMNihSj
As 7 Horas e (i minutos da tarde.
CAMINOS. ~ Julho 16,
..... 30 d. por Ifcxi Ced
..... 70 a -3 por ojo premio, por racial eflorecido
,.... tpS res por franco,
neiro ao nar.
- Hoedaa da 6loo rt., Vellias i'J5oo a HJToi
Ditai ,, Novas i4>o a l4f5oo
Itims de <#oio rs., 8/0M a
I'atacnes BiPtili ro-----------IfJo a 1" >
PeaosColnmn^rioi------------- ifSffo a i68o
Ditos Mexicanos- --f------:#6so a lfflo
Miuda ------ --r--------- if440 a i'ia
le Rilhetas d'Afandega 1 1/8 pet loo ao mes*
/iras i| por boa* firmas olironlo,
cobre 3 por 100. de disc.
Dias da Semana.
i3 Seguira S An.iclcto P, M. -- Audiencia do Jais de Direito d t. r.'
14 Terca 8. BoaveatUra --Kel.icio e Audiencia do Juiz ie Direito da
1. vara.
5 (Ruarla S. Cimillo de Lellis Audiencia do Juiz le Direito di
3. vara
ili Qainta S. Triunfo da Sjnla Cruz Audiencia di Juiz de Direito la
2. vara
17 Sexta S. Alcixo. -- Audiencia doJuis ile Direito da 1. vara.
18 Sabbado S. fnarinha V. Relacio e Audiencia do Juiz de I), da g
vara.
19 Domingo O Anjo Custodio do Imperio.

*^^^ $&k
kskklt-
i !
CMARAS DOS SRS. DEPTADOS.
Sesso era 21 de mato de i8o.
Presidencia do Snr. Marcelino de Brilo.
As 10 horas da manlia faz-se a chama-
da, e reunidos em numero legal os Snrs. de-
putados abre-se a sesso, le-se eapprova-sc
a arta da antecedente.
O Snr. segundo secretario servindo de pri-
meiro d conta do Expediente, lendo os se-
guintesoicios: r
Do ministro dos negocies estrangeiros
parteiipando que o Regente, em nome do
Imperador, por decreto de .8 do corrente
houve por hem nomeal-o ministro e secreta-
rio (ie estado interino dos negocios do imperto.
Fica a cmara inteiradS
Do actual ministro interino do imperio ,
qtiesalis'nsendo ao que Ihe foi requesttado
por oidem tiesta* cmara parlecipa quedes-
de o 1. de Setembro do anoo passado nao tem
orneado ofhriacs addiilos, 011 amanuenses pa-
ra a secretaria de esludo, tendo em virlode da
lei de aode ODtubw de i838, que autorisa
o governo para a reforma das secretarias si-
do nicamente nomcado por aviso de a de
abril prximo findo Ildefonso Joaqnim Bar-
bosa de Oliveira para na qtialidade deaddido
ter excrcicio namesma secretaria de estado
com a gratificaco de quarenta mil reis men-
saes pela necessidade de occorrer ao ex-
pediente d'aquella reparlicao onde j ex-
islio quatro addidos nomeados anteriormen-
te ; sobredita autorisaeo. A' quem fez a re-
quisicao. .
Lo mesmo ministro remetiendo o omcio
do presindente da provincia de Pernamhuco,
acompanbando orequerimenlo que o* princi-
pacs negociantes d aquella praea dingem ;i
assemblea geral legislativa pedindo que se-
ja isenta de di-cilos de importacao a cantara
y inda da Europa. A' commisso do orcamen-
to da fasenda.
Do minislto da guerra, que satisfasendo a
requisicao desta cmara remelle umarelacao
dos olltciaes que nao sendo da prime-ira li-
nha lorio remunerados pelo ministerio Irao-
jacto em virtude da lei de |6 de de agosto de
10JS. A'quem fez a requisicao.
Do mesmo ministro, participando que de-
rois do primeiro de setembro do anuo passado
toi nomeado oficial da secretaria de estado
dos negocios da guerra como respectivo ven-
cimenlo, Libaofo Augusto da Cunha Mattos
que esuva addido desde .4 j? fe'eiro de
, e foi tniprcgado como adido Jos an-
onio de Calaians Rodrigues, sem vencimen-
10 sendo a lei que autorisa as Has uomea-
cesadUodeoulubiode.Bm A' quem
^oTulf ministro, transmiltindo as con-
nS. doconselho suppremo m.biar sobre
os feres Silvestre lka.int.es Piulo, eJo-
ZtZiVM da Silva. A queu, le a >c
qUDosecretario do senado remetiendo urna
yo secrtuuiu ......jo autonsando o
proposico do mesmo ^ a roilCt.der
missSodejuslicacivel .irle cmaras mnnj-
cipaes a representaco da cmara muni-
cipal da villa de Nossa Senbora da Concei-
cSode Uabaeaminha ; e a terceira coramis-
sao de fasenda o requerimiento de Theotonio
Jos Lopes Brasil.
Le-se, e approva-se a redaccao da lei do
orcamento q' tm de subir a sanecao imnerial.
Le-se, e entra emdiscussfo a redaeco da
resposta a falla do throno
() Sur. Moura Magalhles offerece a se-
guinte emenda de redacefio.
Em logar de rendu grapas diga-se -da
gracas. Eliminetn-se dous adverbios -lti-
mamente e actualmente.
E' a poiada, e depois de breve discussao, a
resposta posta a votos tal qualseaclia redi-
gida eapprovada, (cando por consecuencia
preiudicada a emenda.
Segunda parte da ordem do dia.
Entra em dlscusso a seguinte resolucSo
Sao nullas as elei,es primarias (eilas no
anuo de i84q as parochiaa de Pianc, e
Sonsa da provincia da Paratba e bem assim
a eleicao de deputados provinciaes.que teve
lugar nos colegios da dita provincia em os
dias a5 e a8 de outubro e ia e 3o de no-
vembro do dito armo. O governo far pro-
ceder a novas elleicoes na forma da couslitui-
Ico e das leis.
i Paco da tmara dos deputados, t?. de se-
tembro de iHq. II. II Carneiro Leao.
O Snr. Vega J'essoa, depoUde hum cur-
to exordio que nao ouvimos diz que, upe-
zar do respeilo que tributa ;ios membros t(a
commitso que assignaro o parecer. e bem
assim ao nobre autor do vol em separado ,
Ihe hfode permitir que francamente manifes-
t a sua opinio a respeito das eleices da Pa-
rahba. Admira-se que os Snr. da mairia
da commisfSo depois de terem bem exami-
nado a representa! o pie se acba sobre a me-
cstes e oulrcsconli'-tos si' nasccm d m n
lellijjencia que se Ihe d; o uisto concorda
com Imm nobre deiutid 1 Entende qu
sendo a consiituicio a lei fundamental nella
std o reme li 1 a Iodos os males; esta idea lam
bem a'foi emittida |>elo mesmo nobre depu-
tado que cit iu e acba nelle orador tdn o as-
lentitnento comtuii) quea constituicSo nao
seja interpretada conforme cada um quer en
tender.
O nobre orador depoi> ileTljumas refle-
sSes observa que quando fallou em ocorp
legislativo annullar as eleices nSo qulz com
si > di?er que o corpo legislativo ou qualquer
outro poder tenba ingerencia as eleices,
porque ento esles poderes fariSo os deputados
a seu bel pra>.er. Nota que as eleices ;
vista dos tactos que se praticro esiao uul-
las ; eque huma ve/, provados, ao corpo
legislativo geral compete declarar que us an-
nulla.
O nobre orador dizque nao tratar; dos fa-
clos praticados nocollegio da villa da Bana-
ueira comoesse do roubo da ac das elei
coens, como esse da suspensao da cmara
municipal, para ser substituida por outra ,
afimdeque o presidente del la nfluisse as
eleicoens nem mesmo da forca emprega 11 na
occasio lo collegio porque entende que la-
es actos s5o os que n dem competir as assem-
!)'.' is provinciaes tomarem conlieciment d*l-
les. Entende que lie essa a sua attribuicSo ;
porem os factos commetlidos for infraecesde
leis geraes pelas mesmas autoridades a quem
a lei incumbe a sua execuio como foi a or-
dem espedida pelo presidente pira que as e-
leicnens fossem feitas em duas pocas to dis-
linetas como fosseo lii i\ de outubro c o
dia vio le novembro accrescendn q" bouvero
collegios q'li/.erao no dia 8de Oul., e i de
Nov vindo assim a serem feilas as eleicSes em
matro pocas lnlim como o laclo de da-
uirnir.
O roquera"10 de J0S0 Nuueivac
a comr
auo a reiiieseiiimau juc ^<- .>-" ^-~.....~ -,------,
za da maioria dos deputados da assemblea da rom os parocbos bum extraordinario numero
provincia da Parabyba na qual se relato as! de fogos pie nao leen fras freguezias, contra
ille^ulidadescommeitidas na occasio emque'a sua mes.ua fe* alias sendo os mesmose as
senrocederao as eleices para deputados cmaras a quem a mesma Jei^confia a sua exe-
assemblea legislativa da mesma provincia da CUCo ceriamenle que taes Iict is nao podem
Parabyba, eque tem deservir na legislatura deisr de competir ao corpo legislativo geral
actual apresentassem em ultimo resultado o seu conlieciment.
que se devio annullar as eleicoens paroebiaes Continuando a unalyzar o p-.recer da coai-
daa freguezws de Piance da villa de Souza : misso nula que esla se engaara quando
mas parece-lhea elle orador que, vista de .disse que medidas se tomaran para evttara
taes iactos que se praticaro nao be si este o ; iotervent ao da cmara municipal na validado
remedio para que os aulores de semelhanles ou nullidadc das eleices : poli que a nica
laclos sendo bum o ter-se augmentado per ; medida que o governo leu foi mandar por
trez vezes o numero dos eleitores) deixem de ; bum aviso que a cmara refurmasse o seu a-
eontinuar a pratica-los e de erlo continti- [ co de e.\ luir soberanamente OS collegios que
ar, sendo esla huma circumstancia tal, que enlendeu deveria excluir.
\c\n tambem entra na questfodo conlieci-
ment dos eleitores, porque a respeilo destei
pode causar graves males nao si'i a provincia
da Parabyba mas a lodo o imperio. .......- -
>ota acamara que a maioria dos deputados ja h cmara firmou o precedente, quando o
que represeiitio he a da legislatura q' Gndou.jannp p. anoullori os eleitores quefizerloo
Sola niais que os Ilustres membros da com- senador por Sergipe, declarando que so a ella
missonoderSo*o parecer pira que fossem competa tomarcoiihecimentodelles, peloque
nullas tedas as eleicoens lalvez por entenderem ', nesla parte a C immisso nao fez mais do q se-
que o poder legislativo geral nao tem poder guir o queja es reconhecido por esta cama-
de annullar as eleices de deputados prvin- ra. .
ciacs; mas se isto be assim di*oorador, seo A esterespeitoobiemqua de mister be
poder leaiskliro, aquelleque be o primeiro definir o que seja verificaco de poderes,
que est eitcarreg ido de velar na execuco da Portento o parecer d w d ns illu tres mem-
constituivao e das leis nao tem. poder de an-j broa anoullandoas eleiyes paroebiaes das
uullar as eleicoens de buma assemblea pro- duas referidas freguesas nao pode mais eu-
vincial .qualquer que seja eolio digo que trar em questao j he voto corrente da casa,
aconslituicioniouresla, nem pode prestar ale- mesmo com a provincia da Parabyba ,
no Brasil :'< nesse caso ou he preciso re- quando em 18J8 se annuliarao as eleirnens de
lorma-a ou o systema representativo lie tal- | varios col egios e com esta parte tambem d is
so, he Ilusorio. Mas o nobre orador est elei dedoUdos provinciaes que es-
persuadido que a couitituico he boa, c que livero por anuo e meio pendentes da cLu;J-
es geraes. Qnanto mais que desde que o
acto-addiconal delerminou que os deputados
das assembleas provinciaes fossem ii s pe s
[eleitores geraese pida mesma roanein |U6
I as eleicoens geraes amis podem essas aj-
sembleas tomar conneciment denles eleito-
res ; e por isso jamis podem tambem an-
, millar suas eleices.
Mas os Sus que sostento a opinio deq'
s a ellas compete huma tal attribuico fun-
do-se nicamente no principio da veri fica cao
de poderes ; porque em verdade preciso ho
definir que cousa he verificaclo de poderes,
o que be muilo vago.
Se he por verificaco de poderos como lie
que esta cmara annullou os eleitores que li-
serffo o senador de Sergipe. Que direito ti-
nha avista do artigo 11 da Constituico '
1 ais o direito que be para esla cam ira tvu
bem be para o senado ( bi o artigo ), Se he
i por verificaclo de po leres tambem os con
Ihos geraes de provincia podio approvar ou
desappfovar as suas eleicoens ; pois qu o ar-
tigo 70 t imbem Ibes d es m;.'s no direito do
conhecr da legitimidade dos seus membros.
Porem ninguem dir que taes consehos ti-
uliii 1 huma tal altribuipSo. Edemais, mo b ; possivel que a pielles que nao si > de-
putados por huma manifesla infracca Ja l,i,
si i i os mesmos que ten bao de conhecr de
taes Ilegalidades r A lei nao polia dexar
de querer quee'la fosse primeiramente c\e-
< ulula para enlao b iver humn autoridade le-
gal pie con beca de sua execu ffo? O contra-
rio be hum absurdo, que be o pie te d no
caso em questo. Se est provado por ess 1
documentos que se nao executrlo as forma-
lidades la lei, como suppr que -i > deputa-
dos esses i is essas turbulenci-
as ? Nao lie possivel. lio iiuin delirio que-
rerqueesies mesmos que foi lo os autores
de todas essas desordens as eleicoens afimde
terem huma maioria dep lis de reunidos di- /
gao-nos pie lomos os aulores de lodos esses
actos: devenios eonfessar que ludo isio esl
nu lo. Pois a cmara ou al^uem quer -se il -
ludir a si mesmo? De certoquenfio,
Senlinrcs a lei nao p<5 le deixar de querer,
no caso de Igunia nollidade em qualquer cor-
po electivo que tqaha de conhecr de si mes-
mo que baja huma maioria legal para co-
nhecr 11 roiuoria Ilegal. Islo he o que se
leve, entender a respeito desla cam na em
que sempre se leve contar huma maioria le-
gal. Mas o mesmo jase pode dire.n huma
assemnla provincial. Porque esta C im ira he
com posta de hum numero le deputados mui-
lo mjior e das deputaces de todas as provin-
cias, em que as influencias s|o mui diversi*;
e >to laz que seja inuito difficil apparecer n "s-
la cmara huma maioria milla. Mis as s-
semblas provinciaes pode aparecer cuno | i
tem apparecido aindt mesmo lora destocas 1
de muili.i provincia huma maioria milla. 1.
conceden.o mesmo que nesta cmara appare-
ca huma maioria nulla eu ahina vejo4lum
recurso, que be o do poder moderador'! Po-
de este dissolver esta cmara manilestando
anaci islo mesmo econvocar outrs. He
este o correctivo queeu vejo ; mas oegando-a*
ao poder legislativo o po ler de annullar as e-
teices para deputados provinciaes, ''ll a
assemblea geral ler cima de si hum on'r> po-
der (jue em tal c.iso Ihe sene decorrect v >,
p 11 fm as issemblas a nao leo E po (,ra -"
admillir huma temelnante intelligencia ? Me
parece ser absurda. Certameote nio po lia h
constituicio)>querer huma scmelhanlc inielli-


BIAOIO. B PERNAMBCO
^rriar"'A^^':r-'-'"r^""'--J='1:::rrz:'Ki^"
wmmmtmmm
Jenna. \ E' apoiado oseguinle requerimeuto d ad-
Senhores, deflna-se nqup he verifirarao' diamento 5
de poderes c na le das elcices consagra-so Requeiro que a represcntacao de que se
de que nanrira ilcvc ser 'entendida essa altri- i trata se remettida n eommisso compettente ,
I nicao a respeilo das assemnlas pro. infiaes i a qual leudo em vista os papis que apre-
........ ^.., -- ...r ------------------------ |"%/-B|| un..' ^ | u | Un I ttTMttU "Sil Uin V.J |)u j 1S | .. uinv-
e I or essa lei extreme-so as allrihuiccs da sent d um novo parecer a resjieilo, Coe-
assembla geral daquellns que podem ficar llio Rastos.
competindo :s ditas assmblaa e ah tere-
roos tudo em harmona. Poim no lia duvi-
da que qualquer que soja ossa definie.no ,
ella tem de ser smente conforme com o
E'apoiado osegunte.
Para oue o addiamento seja com urgencia
V< ifja Pessoa.
----------- i,.........
as ; e ein minha opimao ate! a organisadfo dos
oollegios. Em Bra Denbores, se o poder le-
gislativo geral nao pode nnnullar aseleicftes
dedepntados sassembla* provineiaes entao
nuiilo menos o podem essas Nao vejo na
tonstlluicao lium s principio para se poder
sustentar clara e srm controversia huma se-
melliantc inlelligcncia : eaquelles dos senso-
res que me o mostrarem pela eonstitui< o ,
t'iilao setSo para mina eminentemente sabios.
Ainda outras razocs me fazem convencer
ue estas eleicoes devem ser nullas pelo cor-
po legislativo geral e oaV> pela mesma as-
sembla provincial. Supponha-se que esta
assembla ou oulra qualquer tambem milla
pe-se em hoslilidade cero o presidente da
provincia. Como este presidente lia de fune-
cionar com a mesma assembla ? Nao ha de
ejla coubecendo a sua nullidadeem sua ori-
$em pr-se em bostUidade com este presi-
dente ? Nao ha de ella exceder-se ? One
roia sao as Itis provineiaes ? Nao sao os seus
actus sanecionados pelo presidente ? E que-
ler l.um presid nte |legal sanecionar actos de
huma assembla que elle contare milla em
sua orgem ? Nao ba de esta assembla fazer
os>ce-presiden t>*s? Rdevera o governo su-
premo estar por laes autoridades? Nao podc-
i.i succedei que laes aul irdades com huma
tal sssembla .- proclan em independen tes? E
L'guiKld discusso o projecto so-
coionisaco.
l'assa-se a discutir o artigo i. que do
seguinte
A assembla peral legislativa decreta.
Artigo i. O governo na corte e os pr-
ndenles as prnvincicas 6co autorisiulos
ilesliiliuir porcompanbias de naciontes ou-
estrangeiros, a ttulos dsaforameulos quaes
quer terrt-nes da nico que exislo nevolutos
as proximidades das cidade e villas, que
ventajosamente possffo ser applicados para
nelles se estaheliecerern colonias agrenlas OU
industriaes e qu nao sejo preciosos para
fornecimeuto de madeiras de oonslruecao ou
para fabricas e estabele'cimenlos nacionaes,
com as rondicoes segnintes.
i. Que essas companhias pagara ; na-
co na foroannual rasuavel e conven-i
clonado segundo a natnresa e. iocaliade dos
terrenos, pago adiantedarneute no i. e a.:
auno.
i. Que em dous annos da data do contrae- ;
to ero que sempre intervir na cono o pro-
curador da corva, soberana, e Fasenda na- I
eional e< as provincias os procuradores fis-
caes serio as ditas companhias obrigadas a \
povoar com colonos os terrenos aforados na
proporcia de so'cssaes por meia legoa de ter-
reno sol) pona de hVar de neuhum effeito
^ o contracto ede>perderem oao so o foro que
que devei fu/ir o corpo legislativo en tal liouvcrem pago adiantado, como quaes-juur
; ha de ajmnlUr huma tal assem-lbemfeitprias que ja bajio feto.
blea ? Dp certo. E pode em lium caso, e nao I Ogoverno porem. eos presidentes das.
podeemoulro? Por todas estas rarcoes. Sr. provincias poderlo prorogar este praso por
pjesidente nao pode deixar de |ierteneer ao mais umanno, seas companhias por justo
corpo legislativo geral a nolltdade destas e ou- motivo nftotiverm podido povo.ir os lerre-
n ii- ----------
iras eleicoes em que se lenbSo commetlido
crim.es que as tornero nullas.
nos aforados.
3. Que nesses terrenos s serlo {dimitidos
Emftm, que estas eleicoes sfio millas, nlo colonos que por documentos dos agentes di-
ha duvida : os actos constantes dos docu-1 ploroalicos e cnsules brasileiros, provem
incides que se achao unidos a essa ttpresen- ser agricultores, ou industibaos ebemmo-
.o provo. rigeiados .
Os facto.de convocar o presidente da proy. 4. Que em taes colonias nao se admitta
daParahyba de entao to anticipadamente escravos. nem colonos os posso ter por.qual
a assembla provincial, isto be, em setembro quer lit lo que seja, sub pea de serem jul-
de ib3b' quandella linba de reunir-so em a- gados livres.
bril do auno corrente mostra exuberant-
5. Qne essas companhias. antes de eslabe-
roenle que convocou-a j-de m f e que lecerem as colonias uos terrenos^ sobredi tos ,,
quera crear hura partido l para os seus li-s, I se nao obrigados a construir nellas casas li- ;
e 1 i 61 testa dela. Quant mais que temi geiras, -mas seguras, e saccadas para nelles
elle man do duaspocas to distantes huma \ aloiarem cada casal do colonos divuidido o
, _.. t:.......i ..,-,:. 1..1,..-.,. o ;..,1,.:^ .; ........ ,'.. m ,l< .m as casas linutiu o mais
terreno de modo que as casas iiquiin o mais
contiguas pOSSvel arruadas, e eni termos
de formarem para o lu. turo urna villa e que
cada casal lenta de liento e de fundo Ierro-
no somciente para cultora, criaefio ou oulra
qualquer industria.
1 allao sobre a materia os Snrs. Silva 1 on-
tes, e Henrique de Reneende e he spoiada
urna emenda do Sur Silva Pontea, que o-
e n
da onlru fasendo assim falsear a ndole do
systfma representativo he nullidade que
,,u.: 1 t-m a pode sanar. Accrescea reinciden-
tia decrimeacomraeltidos por eisas duas fre-
as, que devm ser punidos, afim de
taes hon ens nao continuem a roubar o di-
reiiode loda mi s. proiucia apresentaodo
uro num. ce eleitotea q t ia lei ellas nao po-
1 ero Em S36 a fregueaia do P;anco oeu i5a ,
c da villa deSouiadeu loo, FoYao nullas
e,tfl el toes poi buma portara, no lempo Sr. presidente da paraordem dodiaai
ua regencia do Si si ..ador Feij que em Da de boje, e levanta a sussao pelas duas no-
minha opinSo nao podendo annullar en- ras da larie.
leudo todava que fo'r mqito bem determinado _____ -------
que sefisesse novas eleicoes. Pelo que p s- -g LnSTju TTM V O O .
seo a fregueria do Pianc a dar 101 e a de 1 M -** xt ^_*^______._------
jd.i.-. essas i i. 5es rossem i*x|]EZCjUIlARl ^ l'ltN IWLlAL.
EolTL*
Peror.tea The?oura..a de Fa/cnda dcsta
Provincia se ha de vender em hasta publica a
mine algumas palavras do artigo 1
Adiscusso hca addiada pela hora,
sou a m(J
Soua (.0 : e como lod
millas, passouagora nestaa que eslao presen-
lea a dar primara 6J e a segunda ^o. Mas ,
Sr. 1 residente nao posso deixar de eslra-
,.;,,,! que os lustres merobros que derfioo
sa vonlade de tee* boroeos autores desles lllfS1(lJ1 Thezouiaiia asonse horas da manfl
Mimes. Portento tu mando Huma emenda doda xillU, ^ bum do crreme met.
e V. 1.x. lea abundade de mandar ter Secretaria da Tbexouraria de Faaeada de
e voto pela resoiucao que aiinulla toda a ele- punaiuLuC0 4o de Julbo de ib.,0.
,o e-se So pasear, volara eolio pelo pa- Joaqun. Francisco liasios.
rew, que-^iblla em parte, pora coro a
ininha emenda.
I ,-se a ser,u;i.le crrci.da, que he appoiada: JJ
*" i,.....,.!., I.I.V1W
tJflitial tVlaior.
er pode comparecer no dia ir do corrale pe-
las 10 horas da manhS no mesmo Arsenal.
Faria Neves ; Director Interino.
O'""Arsenal de Marinh recebe as pessoas
livres que se queiro empregar na qualidade
de Serventes apresentando'-se para esse fim
ao] Illm. Snr. Inspector, d'orJem de quem
se az o presente annuncio. Inspecco do
Arsenal de Marinha de Pernamhuco t/\ do
Juino de 18 >.
Alexandre Rodrigues dos Alijos.
Secretario.
PR EFE I TUR A.
Parte do dia 17 do corrente.
Illm. e Exm. Sur Foro bontcm pre-
sos ; pelo Sub-Preeito de Santo Antonio
Germano Ferreira I^ita branco d'ordern
d'esta Preeitura a requisicfo do Prefeito de
Goiana por denuncia que leve do ser elle
conivente no roub> da Capella do Sur dos
Pasaos d'aquella Cidade: foi reculhido Ca-
deia ; e pelos meos ordenancaos pardos Joo
Andr do Valle, e Antonio Rodrigues da
Silva por Iho terem appreboudido duas
Clavinas : forao sollos.
JNo consta ter occorrido novidade.
EDITAL.
Lu'u Francisco de Mello Cavalcante Escri-
vSo e Administrador da Me/1 de Rendas
[nternas Provineiaesdesta Cidade, 61c.
Pelo presente faz.constar a lodos os propi-
etarias dos predios urbanos dos Irez airros
desla Cidade e dos Allegados que
lendq-se ultimado no dia o do prxi-
mo passado raez de Junbo o praso mar-
cado por lei para pagamento a boca do Cofre,
do semestre Bnanceiro da Decima Urbana
vai proceder esecutivamente na conformidade
da Le contra aquelles 5 que ainda nao sap-
lUfzero a relerida imposico nao sii do se-
mestre ltimamente iudocoroo au bem doi
annos antecedentes.
ftic/:; de Rendas Provineiaes i5 le Julho
de lt>4o.
Luii Francisco de Mello Cavaloauli.
Annuncio.
O Col lector da Ueci na emais Impostes do
Municipio de Uiinda manda fazer publico,
que acha-se compeienlnmenle autborisado
pela Thezqurarta das lleudas Piovinciaes para
contratar por avenca as passagen* dos ltios
Cardereiro, c Marta Feiuha, por. lempo
de umanno; as pessoas que Iheconvier tii
dos contractos comptreco ua casi d.v llamara
da mesma Cidade, nos das utes das 10 ho-
ras da mauba as a da tarde para a fcsta das
condices, se e'ecuar dito coniraclu.
Collecloria d'Ohnda lodeJuihode 18jo,
O Escrivo.
Joao GoilCalves Rodrigues Franca.
CONSULADO DE PORTUGAL.
Os Credores do fallecido Joo Jacinto de
rus Subdito Portugus sao convida-
dos para comparecerem na Cl>4ncellaria d es-
te Consulado no da aodo crrenlo polas 11
horas da manha para traCtarem do.que mais
jualo, e conveniente for quanto ao espolio
tic dito fallecido.
Consulado de Porlugd era Pernambuca aes
1 y de Julbe de io.o.
O Cnsul.
Joa quim Raplista Mqreira,
DIARIO DE PE UN AMRUCO
Vagas (para nao chVrmos inventadas), mas
aterradoras noticias so tem espalhado entre
nos de que a facciosa rusga de Taquaritinga se
dirige a ns polticos querendo-se desse modo
Obligar a provincia a dedarar-se a favor do
sistema da maioridi.de de S: M. I Cada par -
tido ve naquella reuniode criminosos o prin-
cipio de sua felicdade, e alguns esptnts
turbulenles que seachavo abafdos pelo
poder da lei, parece, quererem ja ir respi-
rando o ar pestfero da revolucio Masen-
gano-se. Aquella l'ac.ao ale boje nao tem
apresenlado oulro carcter que nao seja o
que por nos foi pintado em o nosso numero
Dolosamente se diz que pessoas gradas
da provincia e hornen- de honrado carcter
fomento-oa para oirodedeclarar-se maior
desde j 3. >1. 1. o que nao podemos crcr, pois
o mesmo lempo, em que este sistema acaba
de cabir na Assembla G. Legislativa, como
pessoas d,-e carcter podero tomar armas
contra a Constituido, e o Governo i i>ao per-
tendemos emiftir nom opino a favor, ou
contra essa maioridade si) dizemos que, se
assim 6 (o que duvidamos) o meio criminoso,
de'qu se pretende laucar mao de certo nao
! honra sos que oseguem: antes far desme-
recer muio e muito de sen briibanlismo*
Apresentarero-se em campo c^ra as armas ns
inos ea bostilisarem-se, um partido deja,
e oulro de logo, quererem ambos, que sur-
ja um terceiro que nos espreita pira re-
eeber o louro a que anciosamente aspirao ,
das raaos de nossa ignorancia, e da nossa le-
vo/. O partido, que deseja a maioridade
de S. M. I. deseja no meio de tantos mie-
les, que allligein o Brasil, ver, se nelle
encontra um remedio efficaz ; e por tanto es-
to bem certos de que nao do meio da anar-
qua aue nos resurgir a ordem; nao com
novas f'eridas que haremos curar as no->sas
anti"as chagas : nao com o sangue humano ,
que havemos estancar a,esse saague, que a
tanto corre nossas provincias mais desgraca-
dis, que a nossa. Basta vermos, quaes os
Rrar.ileiros que na Asseiidilea encetara esta
quesiio para de todo ficarmos convencidos
da falsidade de taes boatos. <-
Mas concedamos que alguns bomens-, que
costuma.r> tirar partido das deagraaw da patria,
so ahalancem a querer : loica d'armis, o
que os homens debem os honradts Braailei-
rosdseja por meios-Constitucin es quem
ignora ', que a iTestdenca tem a seu dispor
forca mais que. sufficieate para fazer entrar no
caminbo daordem eda raso a algunsdes-
vairados que quizreo Iranstornar-nos os
nossos negocios pblicos, que quuerem a
nossa nteicidade ? A lorca facciosa de Ta-
I quarilinga, quaudo muilo moota a Ire'.en-
1 tos homens. (*) e a que tem marchado contra
i de mais do mil ; pois j l e.slao .joo de liaba ,
' e too de Guardas iNacionaes dobaixo do cora-
mando do ilustre lli igadeiro o Sr. Jos Joa-
I quim Coelbo e breve seibo reunir utra
loica de 400 a 600 homens.
Mas dir alguem : Para que tao grande
forc 1 t se nada h que temer ? A experien-
cia a noya mesira. As desgracas de Ma-
ra tibio nevera o seu naseimento a reuniode
1 pessoas. Que'foi a nossa caballada em
principio? Mas a forja, que tomou este mal-
vado partido nos bem o sanemos. Alora dis-
to o espato de 4" legoas, que dista desta pra-
: ca o foco daquella tace io o ser ai|ueile logar
errao, e cercado dmelos, ludo convida pa-
ra aii crear-se i nova cabanada i'or lanto
necessario acautellar ; pois um grande nu-
mero de bomens honrados e probos diLil
untar ; mas os malvados com l'aciiidade
1 se uera ; pois de laes reuuioes uessas
es da rebelda e uo crime que estes
esperad bens que nunca imaginaras possuir:
6, quaudo unidos-, e em massa similluu-
IM .t lempesluosa torrente leva de rojo tu-
do o (ue encontrad.
Pernambucanes tlescancae no Governo da
Provincia e sede cautelosos cora o que se vos
cuida.
Noticia JEsIrangeiras.
Ensaio da guilholino em Constantinophi
Acaba de ter l gar em Constantinopla o en-
saio da guilhtina* -
Os moradores do arrebalde prximo ao mer-
cado, tinbam por algum lempo observado u-
nra especie de pedestal de i- a i5 ps de ele
vaco, que acaba de colocar-e no meio da
praca ; largos e^uaves degraos conduziam
plataforma calcada de maimore encarnado
usual igualmente ir.\;:ini notado urna laiga
bai.ia da mesma pedia terminada em figura de
pia e virada para o puente: jalgavam que se
tratava d'uttia fonte mas difficilmente expli-
cavamadesla ceiba ou baca pegada ao mo-
numento a oito |s de a llura.
Um crime se linba commetlido havia alguns
mezes cujas circunstancias, sao bastante curio-
sas. Na enrrozilhada do grandecetitexio ha-,,
va um cabetleireiro que linba ao mesmo tem-
po urna salla de banhos situada em um peque-
uc ardim plantado de louieiros e cypresles.
Ali-Kaf, era o noroe deste ba'beiro de urna
repulacao a toda a prava : elle sabia adogar 1
gravidade ordinaria de ma loquacidade fina e satyrisa: seu naris de
Sguia seus ollios prelOS e penetrantes guar-
necidos de urna sobrancelba movel como a do
galo sua boca pequea rodeada de urna bar*
.ba negrae cerrada formavam urna phisiono-
uiia gttlbarda e feliz que nao eslava comludo
() E>:te numero temos ouvido d alguns
homens do campo que por ali tem passado ,
e nao o sabemos por parte cllicial ncra por
[corrrespondeocia algua parlicular, que nes
mereca fe.


n I A R I o r> R p R R N a n roo .>____
i 'i fTTT"i i -*]~rn r ii iii iiMiiiiiniiiMmi minan im mammi miiiii i sw^^aix .TgT.TgT"."^.-WwaiM
x indo aos infernas. Rile extraordinario ex- I -- O ahaixo assigna 19 leudo c ra su
ereicio muilo aRradar ao respeitavel Pu-lsao aonnuncio filo no Dtaiio uumero :>,',
blic
-').
Avisos Di versos
isempla de ura carcter de m.ildade. Entre levanlou ligeiramente a caneca como quem
os seus mais assiduus (Vegueres se contara diz- aqui esiou Depota voltarido seos olhos
Ar/oulmen-ked homem rico deunsqua- pira o Cutello encolheu 09 hombros cora um
renta aunes mas a quera a perjla de urna es- sorriso lalso que Fcilmente se tradutia p .1
posa favorita bavia do til sorte a Afectado que NSo maiaque to Bem depressa a pran-
o seu moral e physico tinham rerebido um cha fatal qual o li'nham ligado jogou leu
grande abato. Ao principio AU-Kaf se diri- horrvel balooco o (Cutello entrou cono nrpi
gia de tres etn tres das a casa de Arzouf pira dez precipitando ohliqhamente de cima para
arraniar o seu toilete mas em pouco tempo baixo su a exlreroidade amis condensa, a Qaem precisar de om mesire m
passou o Scnhor a procurar o ce.id. cabeca cabiu no cesto. Em seguida e.,le cesto neiro estranReiro qoe'trabal 1a de toi n ibo .
Era isto o costume era amisade! elle ia! foi levado por um negro que tirando delle a tiza da facutdade dos reta'oulos respe to aar-
assiduadamenle ollerecer sua canece ; navalha cabeca e suhindo urna escada a foi espe ir na quitectura, e que pode fa er e conrert irquil-
do galhai do qne Iheconlava as grandes noli- ponte da agulha de um dos dois globo* de-la* quer maquina dirija-se a ra Velha junto a
cas, a pequea Ch roica, sazonando ses to. Entao de repente sabio agua da urna tor- Santa Cruz O. 5
perfumes cera algumas variedades Orientaes neira de cobre e encheu a bacia onde mer- or No dia 16 do cor rente furtaraS nma
Ora urna nova pastilba decheiros combinados, | gulharam a cabeca de Armenio e donde foi rarteira com trinta e oito mil reis em sedul i> romo ni 1 h 1, em a pi 11 i 1 >
, |Q |.; dt '' !ll) ) r,;:i l
1 nP(i
Ider por hura Iho eonbero
[: iiai lil ia qu su 1 1 I
> mai, nio de pi avenir ao
iie n 1 lia com
o fm >! eviur ; i > par 1
\ a .1 1 dito Campa
Qmresra Ui> m h He >-
i ). \ elle n 1 ''.. 1 i 11 p 1 le
1 '-- i -i-, q 1 sen -
tone 1 !"' X II!
nao occuUo que nao havenJo nti'.iiiada ,
ora uro novulade.em Shadi sobre as rosas e
as eaiiellasem amor emfim AU-Kaf, era
para o boin Arzoufnm jornal completo con
tambara lirada pira faier symelria aquella de vindo em urna canoa da Cidade '!.' Olio la e
Au-K.fl '< ".; su ) qiieixT-o ri); 1 ao Sr. que vi) rom
O nutro supplicio que ordinariamente nSo til de wmpanhia baja de entreor a dita car-
sobre suas encimadas peritas, Irauquillamen-
le sentado em um pequeo salSq Arzouf esculava a lugarella de seu barbe:ru ,
encostndo seu braco esquerdo sobre o hom
lno de seu filho Hafiz de 11 anuos de ida.le.
O pequeo tango de ter pelo uosso barbeiro ,
a mesma syrapatoia experimenlava tenor a-
peaas com a sua \i.--ta, e. quando seu paio
quria reprehender aroeacava-o chalacando
com a grande navilha de Alt- K if.
llavia alguns mezea que Arzouf aborrecido
da nobre Conslantinopla desejava retirar-se
para um canto do Arcbypelago, a cuy) rea-
peit consultou seu favorito que seoppoza
este proieclo de misantropa porem elle eom-
bateu com vigor as concluses de Ali-Kaf, e
no dia seguinte devia"Arzouf lrazerrlbe urna
parle das suas oas para 1 tdu/.il-as a ouro com
um Armetiio amigo do barbeiro.
Nodia seguinte pois pela tarde, ebegou
Arzouf co'o l ''" a ca8a (^e AU-Kaf, e nao o
encontrando na loja, alravessou ojardim *
entrou lia S-dla baixa dos banhos uonde 110
meiodeum labyrintbo do pequeas columuas
estavam collocadas profundas tinas de marino-
re verde. Nb o encontrando tambem ah
sentou-se delronle de um brazeiro em que ar-
da um resto de kyoim. HaHz leudo posto
diarle de si o cofrcziubo que encerrava as
Joias accendeu o Cachimbo de seu pai e de
pois sentou-se ao lado debulhandotm os den-
tea urna roma e deitando as cascas 110 chao
Hafiz disse Arzouf, s ujais* o tapete
roma. ah vem Ali, foge --<_)
r;i jamis a partillu e tpenas al luvi-
d.i le i> s m m- ros Ihe c 1 >
.m ratei 1 es -..>.. cu -
t. que desde que a pi:*ilha passoa em cou-
sa oleada, acadi uindos I > aqul-
Iransiiiu o do iwio ;.. is,
Ihe foro dados; o que livre ai
laya ua iiumers .0. A mullidlo estupefacta scieute para a'n&opagar; pois sendo queo sonbor ila cauza dispor deb, e ilieoal-a.
veio em comnanhia nodsolu- Nio servir pois de tropeco < luelle aouui
a polmica noticias do dia, lollietim, annun Itraz a morte instantnea senSo quandoaagoa leira e mais urna le'ra da quantia decenio
cios ele. Com seu graude cachimbo cabido toca a boca fio paciento le/, esubelecer esta dif- ecincoenta e cinco mil rent 1 e quarenta reis,
Reaenca da baca ou do cesto O Armenio que sscca>ta por Bcnto Goncalves eacceiti [r>c nlioados se
era menos culpado que Ali-Kaf bavia obtido JooCavalcantede Mendonca o (mi aesta que
da
com a
rapaz levantou-se a tremer, ecorrenuo para
urna lina sallou de repente para deutru e a-
gachou-se no huido.
Arzoui riado stU medo quando cnirava o
barbeiro acompanhado de Armenio. Abrio-se
o cofre e em quanlo se lialava do j-reri) Ali-
K .1 preparava-se para cortar a cabe?a de Ar-
2Uf,__. Ouve =c um espantoso grito.
lltiz levanlou-ije e logo suaudo tornou h
agacbar-se para o tundo ao baubo. O Arme-
nio linha voliado para Iraz a cabega de seu
pai, segurando-lhe na Loes urna loa 1 ha em
quanlo 4110 Ali-h.afcom mos ensauguen
tadas se laucva com violencia sobre elle. J/oi
istooqueoiapaz vio como um relmpago :
d'ah a pouco percebeu allastarem-se os .
sinios : eulo sabio do banhu e saltou para o
jardimpor umaj mella baixa. Algum lempo
depois vio osdois homeus carregando.o c
ver do pobre Arzouf diiigirero-se para ofun-
dodojardim. Escondido entre es Cyprestes
com a barriga no chao, onvio a Ali-Kal que
passava pealo d'elle, dizer ao Aro.enio
l>Htm comera aquella roma ? Sena o ilito ?
___Elle ui 11 medo respoudeu o Armenio,
e ouvtia gi itado O rapaz passou i noite no
pidim e foi j multo de da quando os
ire uezes iam ciiegaudo que pide sabir.
telas suas revelaces que se descobrioo
crioie, e que Ali-Kal eo Armenio fJram con-
ducidos lio lugar do mercado para sefazero
ensaiodohovo supplicio. A mullido era
immensa e todas as vistai se dingiam para
maquina que acabava de planlar-se Os dois
brajos d guilheiinha susliuham urna especie
deCornea, nasdaa extremidades da qual
brilliavam dois globos do lato em que se so-
brenuubamum-sagulhasdeleiro. O Lu,,.,
da lrma de urna mobili uosa ouce cortada por
debaixodopunhoy linha quasi o dobro do
e silenciosa Hcou bastante lempo girando i ro- dt Sr que veio em compa
da da guilholina e em sua iieioooittia bem j cao deste negocio o seu oome ser publicado.
como na de Ali-k.il ao apparecer no Cadafal-
sc podia ler-se, NSo be majs que isto.
Do iNacionil ile Lisboa)
CAMBIOS.
Ro ue Janeiro de Jolho,
Cambios sobre Londres. .oa i/|
u Caris 318
Hamburgo.. l>8>
. 27(5:'. a ai 700
Uobrues hespanboes .
da patria .
l'e/os hespanhoes .
da p liria. .
Pecas de (> |oo velhas.
m i) novas .
Vloeds de .jooo .....
Prota..........
A plices de 6 por, cenlo .
(.o. na
, 2- 5o j a >.-5do
. I720 a 1 ~j io
. 1690 a 1700
. it.io a ,ioo
. Joo a 14 \oq
. 7900 a Booo
. 7 i/sdivi
' do Cominc
nem impedir a vend <\ os ..;.>
BB- No dia i5 do corrente furtara5 da! pretendemfaser tnicamente para
praia do Rangel ura poltra castanho con a manio como referido Quaroim i e co.ues-
primeira muda escamando para fazer a se- si uommuniSo queslea reiterad.11 pois [ue
guada, com a fronte aberta ale os beifos, e at em urna partilha car:.I ,-
o
b:
e ap esqi
obeico da parte inferior com urnas pintas luiz imparcial, e_probo aclu m-iti ftpirauo-
rancas auca de porco cornelinas prelas vas arengas. b rdocisca Vlaria Ribeiro
aparadas sem cauda, o p esquerdo cal Camgos Lumachi, Jacomo Gerar lo Vlaria L\: -
endo orelhas um tanto grandes; quem sou- machi de til.
ber onde existe procure na ra Augusta, casa W" Precisa-e de allugar In-.vi casa ler-
da esquina confronte so beco do Peixolo. rea, ou mesmo algum andar de 1 no
CT* OSr que nnunciou querer entregar bairro de Santo Antonio, na excedendo
', 11 na carta viuda ,1o lio de Janeiro em mo o seoolluguel de dose mil reia ; q l 1 tivef
propria a Illm. Sra. O. Maria Oarbora de anuncie ou dira-se a ra da Floi se-
Carvalho Andrada dirija-se a casa de seu timacasa, vindo da mir ladoesqu do.
I Procurador Jos Rernardes de Souza morar- ^ Hum rapaz brasdoiro se o para
dor em Fora de Portas iro largo da Igreja do caixeiro dfrua, q qual tea bislante prali 1
" i< isy Apessoaque annunciou em o Diario u Mesadas diversas rendas, qnein delta pn-
rci) de n do rorrele mez querer arrendar um si- cisar annuncie.,
lio que tenha capacidade de teT vacas deleite, sar Aluja-seo segundo andar do so
quemado arrendar um grande rom diversos D. 4 na ra do Rozarlo estrella por ci-
I\!)\ M. DA BOA-VISTA. arvoied* de frutas, e bastantes ierras, e ma do marcuieiro, oqual lem coma los
O Thesoureiro da Lotera a beneficio das campo para ter seis ou mais vaccas deleite, para pequea la.mli
Obras da Matriz daBoa-Vista, cujas rodas bom pasto com casa de vivenfla de taipa e pnmeiro auna
andar impreterivelmente no di., ultimo do rio de goa doce no logar da Ibura deuomi- bradode
correte Julho declara que os bilheteseslao nado Estiva por pre9o commodo, dirija-se
venda oes lugares segumtes : noltecifo, naooitq da Matriz de Sauto Antonio 7 ,
loja de cambia do Sr. \ ietra e na de Mano- que ''" adiar com quem irat ir.
el Cardoso Aires \ mi Santo Antonio, loja Despachao-se navios tiraS-se p ssa-
de Menezes Jnior ra do Colegio e na portes e guias de escravos por^irecoeomao-
botica de )oo Moreira Mai ques ra doCa- do, e com presteza j na ra do Vigario venda
bug ; e na Roa-Vista no Atierro, loja de .apsedir. I
Manoel de Soura Rapozo \ em rujas lugares l T Qualquer Sr. qu
tambem se trocad por oulres premiados.
LOTERA DO LIVRAMENTO. d.
Adverte, que suas lices po- tratar doajuste.
a |uem der em ir iuco uui sj -
andar u 1 mesra 1 ra.
jy O Secretario da Sociedad.- i
por oidem do Sur. Dire 1 r convida os S 1
para a sessoextraordinaria da memi
l do o:ie;ite as Uorasd 1 costume.
,.- Da-se ee.n mil reis a prerai 1 so! re pi
nhores do ouro ou prata: na ra 1 1).
se dir quem os l.
vy Prectsa-se de hum hornera |-:r.: !'!( :
Piofessor para apren ler ou mandar ensmar do hura sitio o que seja portu ;uez e
rica, Phtlosophia.Latim, eFrancez: leuda do Agricultura, quen, qu.
,-se a ra da Guia N. 5a onde achara cora ra estrena do Rozara Venda a i para
Tendu cessado a afluencia de cobradores de quem tratar
premios, o respectivo Thesoureiro faz publi- dem ser presenciadas por qualquer curioso e
co que d ora emdiantefir o pagamento dos que prouielle em pouco lempo mostrar o seu
que restan nos dios Quartas, eSabbadoa em disvelo.
a ... a d i sua residencia das o horas da ma- ------D se .nitro mi! reis de ; ati cacao
.- Aluga*se huma caza terr 1 -que te-
nhacommodo suficiente 110 liairro le An-
tonio ; quem a liver annuncie.
CP* A pessoa que annuuci.iu precisar .
de t;
ni.ai as a da tarde.
SOCIEDAJ lE NaTALENSE.
Sessao extraordinaria.
O primeir Secretario convida por va do taja do relojoeiro que sera gralihcado
nte annuucioaosl Ilustres Soeios parase O Sr. que annunciou no Diario de
reuren sabbado(iH) petas 7 horas da ur- Sexta feira 17 da corren ir um hornea
de na casa alraz da ribeira de Santo Antonio, pera ir receber dividas em Oaranhuns uuui.i s
pertencente ao Sr. Cardeal. Bem 'como os'.-i- bondade de annunciar por esta mesma loltaa a
en tifien ue q' os Irabalhos da Sociedade conti- sua
uuao de ora cm diante na mencionada casa.
:. { ii.,i i-.,,,..,,, inm homem pira ir a Comarca de sra-
a miem near um papagaio tallando Irancez e n iw 1
"'i'""' '. ,. 1 hii.t iiin o nial dj sua coudncu, dui-
poftiiffuez, que lugio quarta leira mo da 'i1111
correle, com um bocado de cadea era um ja-se a esta iypo0rani.
Loue.iu. -a*. Recebem-se assignaluras para o Jonnl
n ouem o ne'ir leve-o a ra l>ova t). l a-v __1
1 1 ." ... 1 dnr.nmmercio do Rio do Janeiro em caza do
Jo Cominera
I,. A. Dubourcq, na ra do Vigario ... 1
11 preco d 1 assiguatura he de 1 bj 1 -s p^r au-
no pagos adiantados,
____Precisa-se deaiugar um casa ture*
nn ii.irro de Santo Antonio, para pequea fa
morad 1 liara ser procurado, pois ha nonairrwuo .1 ,
- """""i 1 '.i i {.em ver para alugar anuuucie para
qqem pertenda e com Instante pralica desse n
Lin.re.;.).
rad.
THEATRO.
Espectculo Gimnstico Amanhl -r)
ser procuraao.
, pessoa que annunciou querer com- cr Na estampara, que foi do U
nramobr do Padre Tbeodosio de Almeida q or* esubellecid. na rqa da Floreiiti-
I -itecreaco FUosofica -mora no na na carreira de Joao Zurncb $. caza vin-
vendem-se Cartas di [. we .
liiiiiuiuta
I'.xnectar.uio ijimnasiico Amanna TQ. ni.ni.i-- ,.,,,, a,.,!, m ,,e.
Mr. Valli sumraamente agradecido Ocres- Recita, roa da Senzalla velha, na poderla dodamar ,
rem desempenliad 1 a primeia overlura a
to mil reis nwnsaes ; quem o liver annuncte
Comnanhia Dramtica representar a bellsri- a sua morada pa se procurar,
ma peca do outhor Antonio Xavier imitla- Previne-so aosS. que j^ods
da-OMA AMICO -- Finda arepresen- superiores charutos n. 1. da lawica ue .
tacao.Mr. Vall dar principio oosseusexer- Oros, que j vierao da B*hia ,
comprimento do espantoso triangulo: naba-
da Je marmore encamado suspensa po bai-
xo da pranclia de bataneo eslava collocado um
atoleitodetirasdtfciiscadert.maira. Os
doiscondemnados tom asmaos a
re.ee-
00
se
cicios pela moneiro seguinte Ter a bou- procurar ni ra da Lruz W '
radedistinguir-seesta noite com urna quan- BT ma creoula de l>oa conducaoQere
lidade de eitercicios nunca visto prometten- se para ama de casa de homem somato,
do exceder suHsproprias forjas. a As pira- casado com pouca familia 5 nesia iyp.
mides -i Os i hdmeiis as d'ias cadeiras. dir.
, forca de Hercules. 5. As pos, Xa rui da S.nt, Cruz f\, Boa-V,.ta .
omaoas -6.As pernas de ac. r 7 A 'eo- caza defronte da teiida que fazesquina para
umnaherospliena.-o Mr. Valli se destn- a na da Alegra, faz-se econcerta-se toda a
le atroz de terror e toj ^\Z el e uindo com a lau.o, 1 prova llercuios b ,i- quer outro.
prometi desempenhar com a mai ir limj
possivel.
ijq?. Auzentou-sc no dia (;. ; ro, um
prelo d? nome Antonio con'.u ido Fof -
tuna de naci cacange de dad le an-
uos altura proporcional, bem fallante, pa-
rece crdulo e por isio he de presumir
ss intitule forro lem pianos pelos r.i 1 e
pescoco e as nadgas uns 1
ddos de asoutes por causada mesma
ca que tem de fugir quaido falta
alguma cousa especlaieate tndo ra va e
foi visto a 11 ilns em Olinda ; ;
Sub-Prefeilo e Capites de "-
nu Cidado hajao deop
vama Magdalena tiliu -l -"'
de Miranda, quesatisfar toda 1 w*
isid id.1.
i'a. Tcndo Cxam'irido


.rfsra*^^^***^*'*
DIARIO
SjrNo da i4 (lo frrenle perdeo-se a quan-
lia de 67:^000 cm edulns sendo t de 100,000
qua'ru de 0000 oma de 2ooo, e urna de 1000
quem achou queiendo restituir dirja-se a
pngando-se qualro vinlens por cada palaca de
vendajem 5 quem quiser annuncie.
SST OThesourciro da Sociedade Aspiran-
te aos 6:000,000 da Loteria do Tlieatro era
esta TTPOcnfia que rereber 700,000 de gra-l resposta no annunciodo Diario de liontem 17 ,
lificaco, ese hcari eternamente agradecido.' em que se quer saber de quanlos socios se
_ 1 .- ____-.._____... .-,,;, 1,ii> < nnpm sao. ue-
tST. Da-se a premio qnalquer quanlia com
pinhores de metoes preciosos; na travessa do
Oueimado para o Rozarlo loja n, 10 se dir.i.
MT lm porluguez se offereee para caixei
rodelqja de ferragens ou miudezas, que
lem bastante pratica ; quera precisar annun-
cie sua morada
8^ A pe'ssoa que precisar de um rapaz
de 21annos pura caixeiro de esrriplono por
1er alguma pratica ou mesmo para cobran-
ras, tanto para despachar na alfandega, como
nos diversas rendas, o ouira qnalquer oceu-
paca : quem precisar annuncie.
S3p Os abaixo BSS,igoadoS avis.io :i os Snrs.
que comprarlo bilbetes da rifa do Cardial e
Valiro hnjao de levar os bilbetes que com-
prarao a quem liies vendeo, pia a dita rila
nao se eoncluio, Antonio Diasda Silva Car-
dia! Francisco Vicente Valim.
US* Quem precisar de urna ama para ta-
y, r ledo o ser vico de urna casa dirja-se a ra
de Elortas casa junio an pintor D la
tST (tiem annnnciou ter um menino de
10 annos para caixeiro de loja dirija-se ao
largo do Terco D. 8
tST >'o se podendo concluir arremalaco
da loia de attodezas na ra direita I). 5 que
eompe a mesma sociedade, e quem sao. De-
clara quede 67 Snrs.be ella composta em
cujo numero entra o Sur. perguntodor e se
mais alguma conta quer saber pode dirigir-
se a ra do crespo D. 5 no primeiro andar ,
que Ibe dar os esclarecmentos necessarios
qualidades -4.5, e 6000 na loja de alfaiate
de Manoel Joaquim Venancio de Souza no
atierro da Boa vista
ssr Resmas de papel de peso azul, e mi-
Iheirosdepennas de escrever ; na praca da
Independencia n. 3c).
ehequitandeira; na ra do Caldereiro casa
Decima 3o.
jp" No escriptorio de Jos Antonio (jo-
mes Jnior na ra da Cruz no Recile D. 12 ,
barris com mel. ,
S2T Travs de mangue de 3o palmos de
Avisos Martimos.
l, serve comprido, e um em quadro"; as 5 ponas
XST Urna negra lava de sabio serve i 1
bem a urna casa e vende na ra; as 5 pon- *_ ^/ grandes cora vinho tinto do
tas D. 3 onde lem laropigo. p e malvasia e barricas com pregos
X3T Taboadodcpinhodetodas as larga- ^g ^ ^ ayaria) e d
ras e comprimentos e chegado prox.mamen- ^ ^ ^ ^ ^ ^.^ leve3 f e duas
te: a traz do tbeatro armazern junto acis rodas forles ara Cfirro na ra da cadew ve--
hradodoSr. Manoel Antonio, -o pieco ue ^ Q (g
PARA O PORTO segu viagem o Brigue,
Feliz Uniao Capitfio Joo Jos da S.ilva ,
ainda pode receber alguma carga e passa-
geiros ; quem quiser carregar, ou ir de pas-
sagem dirija-se ao mesmo Capillo ou ao seu.
consignatario Va noel loaquim Ramos e Silva.
PARA LIVERPOOL o muito velleiro Bri-
gue Ingle* Chose do primeira elasse Meslre
james Relcber ter; pouca 011 nenbuma de-
mora por ter a malar de sua carga prompta;
quem quiser carregar dirija-se a os consigna-
tario! na ra da Madre de Dos Jobnst P.
Companhia.
Eseravos Futidos
40 rs. o pe.
tZT Urna negra com muito bom leite pro-
pria para criar meninos com urna ciia de 10
mezes; quasi andando e muito esperta, CO- ^ Fugionqdi i2do eorrente ama ej-
zinbaelava roupa com perfeicio na ra crava molata escura de mome Antonia de
^.i 1 1 1 1 c -..:.,. iii:i alia, lom
nova D 16 casa de Mr. Thtard
!*(! lll'M'H.l OVWIH 7 ^---------
idade de 2fi annos muito robusta alta, lem
L e I ft o
X3rO Corretnr Oliveira vender pelo maiir
preco que se oTerecer no sen armaiem da
fui do CapilSo Manoel Francisco da Costa roa da CoBceicro n. 3 pnme.ro anar se-
C o m p r .1 s
101 no vapuleo oiantiei 1 ihiiksc < -.uoi ru uuu%h....... 1
Lobo, emodia quima feira de. novo se gundt feira W dn crente as io horas na
convida as pe.^soas que nella qui/.erem lansar manba urna grande pofrfo dt twenoaa ne
a comparecen! no dia uo do correte pelas il Rosto, P lindos objectos da china vindns pelo
horas do da na mesma ra e casa, pois be Btigne Hespanbol sabido desto porto ha ajas,
n ultima praca e a loia poneos fundos tem. I sendo as principase >mo se segu ; botas de
^y Perdeo ?e um colar no dia do cor- marfim leqnea de prata de marim .0 011-
rente coro varias emendas, e cohetes duas tros finos, bahoa je alcanfor, lazendis de
comelinasencasloadasem ouro, e urna sedu- qnadros tafel.a sedas lustrosas, damascos,
la de toco, tudo dentro de urna bocetrnha ,' mantas de m.uil> nnefoipe.didodesdearoa do Rangel al a ks bordados ditos estampados, nuqmns ,
oa vista: quero acbou leve ao paleo da ri- livros de pinturas. JOROS de damas, ternns
ir.. i), 5 de Lcelas ditos de porta garrafas ca.xas
CT O Primeiro Secretario da Sociedade de marfim para tabaco jarros esteras para
Natalicia convida a es socio! da mesma reu- janelas, figuras de manilha e da china se-
hirero-sesegunda'eirasodo eorrente as il das para mosquiteiros, ce tas e pratmhos de
horas e meia da manhS a firod-ae comprir o charlo chales e maulas de palia mudo n-
parafirapho 37 dos nosso estatutos como de- eos. e variedades de ouiros ob|ectos ; awim
mina O Director- I como um completo sorlimento de fazendas in
1*7" O abaiso assignado para desmentir o glezhs o lian rezas,
falco annuncie de Manoel Jos da Silva Mar- 1 vr Que faz Lenoir Puget & Companhia ,
nuesinserto no Diario n. i5J basta dizer or intervencao do Correlor Oliveira. terca
que deo balanco no dia l do correle em fi-ira-H do eorrente as 10 oras da manl.a
rrevnra de testemunhas e delle consta ter a no sen armazern da ra da Crui de grande
caiadoabaixoassignado envolvendo lodosos porcSo de far.endas, e minios outros objectos,
l^nsa quanlia de j:na,n5, comtando e entre os quaes havera nquisstmas sedas para
lo somente o sen debito envolvendo todas as vestidos cordes domados bezerros U-
dividas ero 4:088,140 Gcanol) assim o abaixo. nho champagnbe e clrele, cognac, he|ou-
a.-sign do como saldo a seu favor de .'i:o31.979 lerias falcas, lerragens nvaas de seda, e
dfixando por esta forma desmentido o an- encordnacoens para pianno
nuncio doSr. Marques leudo agora o abaf-,
\o awignado a rogar a seu credores de virem
cm sua casa que acharo patente o balanco e
demonslracSo da verdade que cima a lega,
declarando de novaroente que deixa por seus
procuradores bastantes aos Sis Amonio Do-
m i ligues Pinto para primeiro, e Jos Anto-
nio Correia Jnior para segundo ; para eu-
tervir em todo o sen negocio se ja de que qua-
lidadelor.-Ji?o Antonio da Silva Azevedo.
tsr O abaixo nssignadoannuticia que ven-
de o engenbo Abreiw sito na fiegueiia de 'I ra-
eunbaem termo de Waaarethda Malta, mo-
nte e eorrente coro todos os seus assessonos
em ponto grande boas termsde canas. e to-
d:s as lavouras com planta feria para o au-
no de 1841,'COUl urna legoa de fundo e
meia de testada ; os pretendenlesdirijo-se a
Joaquim.Francisco de Mello Cavalcante pes-
ia Prata ao Capilo Joo Cavalcante de Al-
buquerque no seu engenbo Monjojie, ou 'a-
nmtaripe de flores. Joaquim Francisco Ca-
valcante de Albuquerque.
ft^. Precisa-se de um bomem com bre-
vidade para ir at Garanbus, robrar unas
dividas dando conheciroentoa sua conduca;
qnem eslher nes'as circunstancias annuncie.
1 tOT Troca-se urna excellenle casa terrea
sita na rpa do Amparo da Cidade de Oliuda,
COTO don-- (nanos na lenle qualro camari-
i.ias, sUa dejaular, conho, e bomquin-
1ai por nutra casa no bairro de S. Antonio ,
desta Cidade inda (ue seja menor e mes-
ir.o loitando-Sfi alguma coutf 5 dnijao-se a
este TjpograJla que se dir.
or Dro rapas brasiieiro casado c de bons
ccsluroes, seueice |ara caixeiro de ra,
ou fabrica e chapeos do que tero bastante
pratica. en.om<> inuius an.isades potieudo
por iste meio aoquerir mullas rrcguesias e
nao duvida dl Badoi a sua conduauj quem
u,i,l< nmi -dirija se a ra do Culovcio U 91,
Ou annuncie* .
tST La-tloucade barros para vender,
nova \> tc> casa ue ir. nw mane uc *u mus i..-------
O- Canoas deamareUo bem fornidas, en- n0 rosto osignal de um talho levou vestido
calhadas no porto d0 trem ; a tratar na loja do chita ; quem apegar levearuada cadea
da quina defronte do arco de S Antonio do Recife n (Ja que ser gratificado.
t^- Tres moradas de casas de. peVlrA e cnl ,-y. J7UT0 n0 dia -x de Fevereiro um es-
si las nos afiogxlos ou hvpotbeca-sM quem cravocrenulo de nnme Manoel, cor retinto,
quiser annuncie. cara redonda e com alguns signaes de be-
tar Urna venda na Cidade de O'unda em chigas este escravo veio da k'arahiDa e su-
optimo lugar, com poneos fundos adinbei- p6e-se ter fgida para aquelle lugir na com-
ro : quem'(|uiser annuncie : jianhia de um cabra capitvodo Sur. brancis-
L' roaescravade idade de 21 annos, coMartins de Lemos, que ugio tambera no
cozinba engomma cose faz varias qua- mesmo dia 5 quem o pegar leve a ruada ca-
lidades de doces e renaassucar, na ra di- deia casa de Me Calmont & Companhia, que
reita D. ao lado do Livramento. [gratificar generosamente.
tsr F.mcasade N O Bieber & Compa-| s^Pelas 7 boras e meia da noite do da ia
nbia ra da Cruz n. 6, em porces gran- do correnle desapareceo um moleque de nome
des e pequeas a superior sarinba da marca Domigos de idade de 13 annos, figura a
SSSF SSF. proporeao da idade be de angola mas parece
t2J* Um pianno Inglez de boas vozes, de 'creonlo bem parecido boca pequea, den-
umdosmelboresauhores ; na praca da In- tes largos olbos grandes e bem claros lal-
dependencia n. 37 e 38 se dir. |la apressada cor prela levou camisa de
tST Tres pardos de idade de 10 a q5 annos ;;anga azul calcas brancas ja velhas e ven-
um com principios de carpina outro 9Di- di azeile do carrapato j quera o pegar leve
teiro e o terceiro alfaiate sendo todos pro-
prios jiara pageos ; na ra do Vigario nu-
mero 7.
SSF" Tres negras e um nerrro de boas
a ra Augusta casa do Tenente Almeida, que
gratificar
ts&" No dia i3 do correte fugiraodus es-
nr,;.... .. -----, era vos um de nome Andr ,-pardo eseuro ,
figuras, e em conta; na ra do Vigario ar- de idade de ifi annos baixo ebeio da cor-
mazem de assucar par baixo da casa do mes-lp0i um tanto a brotado no fallar, levou se-
tr'e Joo Verissimo. roula ecamisi Je brim suja ha desconfian-
SST Rap Hamburgus em garrafas ?a que fosse para o serlo em companhia de
roelas ditas, rap areia preta de Meuron & algumeoraboeiro o outro de noma joaquim ,
Companhia tinta prela de escrever e en- j-preto de idade de i3 annos altura regular ,
carnada, caixas com espoletas de primeira. 1 bem parecido e f.ill.mlp, qnandn anda d-
qualidade bicos em pecinhas de 10 varas a ; ,a os (,;, um tlnr0 para lora ; quem os pegar
200, 3oo e 4oo. ditas de o varas a 4oo, 600, |jeve a rua da cadeia no bairro de S. Antonio
e 800, filas de setira e de garca de todos os sohrado I). 1 onde lem fabrica de chapeos,
. ... ^-'.i ,..",1l,1ri.'. nnr nrP.v _.._ ___.,' ...... ..* i.-l
nmeros e outras muilas miudezas por pre-
co commodo -, na rua dos Qurrteis l^- 3
que ser recomjiensado
svr No dia 14 do eorrente fugio um negro
- ss- Panno de linho entestado, lencos dejan;C(, f de nome Antonio, canoeiro tem
seda prcta t decores, panno de linho aber- talhos ha carft abo, sem barba cara com-
es- Tres quarios, preferindo-se capados,
que estejo em boas carnes embora sejao v-
lhos e nao sendo caros dando-se em |ia-
gamento lijlos de alvenaria e telbas ; an-
nuncie.
CT A libada de Homero em portugtiez ,
ainda mesmo uzado e libras de tartaruga de
fa'er jier.tes.
S3j- Vareas de leite com bezerro novo ,
quem tiver annuncie.
SS3- Um caxorro de filia ou de casta a .tra-
veseada ; na rua da cadeia n. 4^"
ssr Umacarteira pira duas pessoas, na
praca do < ommereio a fallar cora Jos J7ian-
cisco Ribeiro de Souza.
Vendas
tST Caulellas da Sociedade Fortuna Ty-
pografica, da Loteria da >.da 8o vista ga-
nhando a vigsima parte dos premios, caliendo
na sorle de 4 000 oou reis dusentos mil ris, a
preco de 3ho 5 nesta Typografica na praca
da Independencia n. *o e na rua larga do
Rosario loja de miudezas D. 7, e na rua do
Coliegio loja de idojoeiro
" tT Listas geraes dos premios da primeira
parle da terceira Loteria do Theatrojna pa-
cada Independencia loja de livros n. 5- e 38.
%ry Um escravo propriopara o servico de
campo ; na rua do coliegio 2.
C3~ Lina cadeirinha nova e sera uzo, for-
rada de seda com franja de retroz e com |l|a
coro ptenle caita ; na rua de S. Amaro co-
brado da (juina.
"^ SJST Casacas de panno preto e de cores a
a6 8 e 3o,ouo sobreasacb ditas a a8, 3o,
e 36,000 aquelaa ditas 10 4 e ltj 00
laidas de i-.. iN. a ib e 18,000 calcas de
panno 14 ,e 16,000 ditas de caslinari
doblado a 9000, coletes de sarja de varias
topara babados de lene oes e toalhas meias
cintas de linho chapeos de sol de seda com
cubo de osso um viveirocom 20 e tantos ca-
narios de imperio uma-caxa de prata com
jiouco uzo ; na ruado Livramento loja de fa-
; zondas dfronte do beco da Congregaco D-
cima it.
IjrTres pretas mocas do boas figuras co-
zinbao engommo e lavo roupa e nina
deltas tambero cose dona molequesde idade
dolannos, urna negrinha da mesma ida-
ide e um negro bom conbeiro ; na rua de
[agoas verdes casa terrea D. ij *
ijy Urna parellia decuxixos, urna ue bi-
I codos e uraa de coris cujos passaros sao
dignos de quabjuer apaixonado os possuir
pela suas qualidades j na rui do Cflbug lo-
ja de miudtzas D. 3.
ZZT Urna venda com poucos fundos, e
com commodos para familia na travessa de
ib Jos I), i-, a tratar no" mundo dO'O venda
que foi do Vianiia.
\y Panno dealgodaoda ierra muito su-
perior a '40 a vara sendo era porco 5 na
rua do crespo 1 2.
I3g- Uiua banca de amarello era bom uzo ,
propria para advogado 5 na rua da larangei-
ras no primeiro andar defronte do nincho.
cyA Escuna Americana Butterfly de lole
de 114 toneladas novo, de marcha supe-
rior, forradoecavilhada de cobre, prompta
a seguir viagem para qualquer porto ; a tra-
tar com os seus consignatarios na rua do tra-
piche 11. I?,
l_Wolassa Americana e Russiana de pri-
meira soi te, em barris pequeos; no arma-
zern de Santos ISruga rua da IVloeda n. 141.
s_j- Lu escravo mui robusto de idade de
o anuos com principios de co/.inheiro, por
jo.ooo na rua da cadeia do Recite n. li.
SST Urna armaco propria para loja de
couros, com seuscairilbos, na rua do Li-
vramenlo confronte a sacrislia ; a traiar uo
primeiro andar do sobrade por cima da mesma
KST Tres |iipas piopridb para enciier ; em
lora de portas venda D. o
SST Lima prcta de idade de 18 annos, de
bonito ligura coziuba o diario de una casa ,
prida de idade de 10 anuos tem um signal
de mordidella de caxorro o p de urna orelha ,
que pfrece um carrapato tem o cabello um
lano grande eemeimade um fonte tem o
cabello aparado por cauza de urna pancada que
levou, que ainda deve estar de fresco; quem
o pegar leve ao beco da lingoela venda de Joa-
quim Jos Reidlo que sera recompensado.
tST Luiz creonlo represen'a ter de idade
20 annos estatura ordinaria eorpo secco ,
cor bem preta pello spera bei.os grossos,
oliios grandes e por ser bastante atacado de
hemorroidas conserva u:n panno no interior
das calcas hunda embinada loma taliaco ?
e he olbcia! de alfaiate ; quem o pegar leve
a seo senhor Antonio Francisco do llego Bar-
ros no engenbo Ginipapo que lera de gra-
tificado com 5o,000. ___
Moviiiieiit do Porto
NAVIO ENTRADO NO DIA 16.
RIO DE JANEIRO ; 10 das lirigue Bra-
siieiro S. Manoel Augusto de ii tonel.,
Cap. Manoel SimGes, equip. 17, carga
varios gneros ; passageiros Manoel RiptiS-
ta de Fdiia e Manoel da Silva Neves.
SAlllUONO MESMO DIA.
BAHA; Sumaca B/asileira Conceico Via-
jante M.Jos Bunio Pereira carga di-
versos gneros passageiro Terbis Dans.
AMERICA; Urigue Americano Wulsahen ,
LapitaoM. lrer, carga caff ,' passagei-
ros a.
BARCELONA; Cahiro Hespanbol Nomen-
tina Cap. l'aulo Alvino carga algodo ,
e agoa ai dente.
1.ISAOA ; Barca Portugueza Bella Pernam-
bucana Cap. Manoel Francisco Ramalbo,
carea assucar.
Ol'.SERVACOENS
Da II nana u Brigue Hespanbol Joao Dias de
148 tonel., Caj. Silvestre Pires, carga
assucar e agoa ardente, passageiros 10, es
te Brigue veio arribado, e segu pera Mon-
tevideo. ^________________________
R Xt iW T P. Lit. m. F. DE F, if 4o


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EX03E7HTD_WXQTH6 INGEST_TIME 2013-03-29T18:17:08Z PACKAGE AA00011611_03552
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES