Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:03540


This item is only available as the following downloads:


Full Text
A \s _ri
~-J C\ D1J A ***

Tildo agora depende de nos mesmos; da nossa prudencia, modera-.
eo, energa: continuemos co.no principiamos e seremos aponlados
om admiraco entre as Sar.oes mascullas.
Proclamadlo da Asscmblta Geral do Brasil,
ns3H^9-t<
Suhscreyc-se para esta follia a 3j?ooo por qnartei pagos adiantados
pesia Tjpografia, ra das Cruzcs D. 5, enaPracada Independencia
os. J7 e 3^i onde se receben coires|)ondcnciaslc;aiisaiiHs, eanutiucio,
nsirido-se estes gratis, sendo di s proprios assignantes, e vindo aja-
nado*.
Partidas dos Correios Terrestres
> n?
^^^^^^ffr.

__ _.--*
>Seg. e Sexta* lenas.
. Todos os dia;
Cidade da Parahiha c Villas de sua pretenco ....
[jila do Iiio Grande do Norte, e Villas dem ....
Pila da Fortaleza e Villas dem...........
Villa de (ioMiina...................
fjilade de (Jlinda...................
Villa deS. .Mu io.................v .
i>iia de Garantiuns ePovoacio lo lionito.........lo, e 04 de cada mci
pitas do Cabo, Serinbeem, liio Foriuozo, e Porto Calvo. 1, 11, e i dito d lo
Cidade das Alagoas, e Villa de Macelo............dem Mea
Yilla de l'aj.-i de Plores....................dem i.S, );; cil
Todos os Corrcioi partan ao meio din, .
PHASES DA LA NO MEZ DE JDLIIO
Quart. cr-sc. a 6 as 11 li. e 45 m. da larde
La Chela a 14-as 3h. o 10 m. detarne
Quart. minga a 'ja as 4 h. e 5 m. da lardn
La Nova a i>i as 7 b. e 8m da man.
Alare ehci para o dta / de Julho.
As 8 horas i ji minutos d* maulla.
As 8 orase 5 minutos ta tarde.
CAMBIOS. Jui-ito 3,
Lot.dre...... 30 d. por .'fcoo ced f
1. ,H..... 70 a o premio, por metal puerecidO
V anca.......igi res por franco,
el..... par,
OUttU Woedaa de 6|loo rs., Velbas i*#7im a 14*001
,, Dil is .. Novas 1, > 1 o
Ditas dt <-..... 1 oa 00
PRAfA1 Bt ''<'....... 1660 a '";>,
t> 1 1 n-.n (,:i!iiinn.:'.> |
Ditos Mexicanos* ---------- 5o a l#67o]
N ida--------------- -----------':'' o a i^o
Do'-Vento i!a Bilhetes d'Afan lega 1 1/8 i> > loo an tnci.
IdemdeLeuas |4 por onhrma*oU.uo.
Meada de cobre '> por 100. de disc.
Das da Semana.
99 Segunda Hf S Pedro e S. Paulo A p ......
00 Terca S. Austtlclijno Sacerdote. -- Relaco e Audiencia do Jns de !). \i
1. Vil 1.
l.deJulha uarta S. Teodorico Ab. Audiencia do Jure de Dir l '
a Quinta Vizitaco do N. Scnliora. -- Audiencia do Juil de Direita da
5 SexwS. lacintho W. Audiencia do leu le Direito '> 1. yare.
4 Sabbado S. Iz;il>el IUiuim. -^KeTac.'o e Audiencia do Jun de 13. da '
vara.
5 Domingo S. naatacio M.
^f^R3>
m%
RIO 5)E .JANEIRO.
CMARA DOS SUS. SENADORES.
SessSo cm i3 de raaio de i84o.
como huma m'na rica e milito urera. O
nubre orador ealeude que ella deve sei equi- cutio esta
parada de Cocaes c manda ; mesa huma
que nfio tendo estado na casa quando sedis- Feorador entrado ser sufficienle a con
cutio esta materia nao lem os dados nefes- de f\ legons, nSo se concedendo a pruneiri
serios nava lormaroseojuiso. sismaiia de huma legoa^sem que a sociedada
emenda para que em ve* de lu por ceoto se OSnn NFello e Mattos entende necessria introdua na provincii ron cas es pelo roe-
diga i5 porcenlo. a apresentaco do contracto por nao haverdu- nos, e nesle sentido mande huma emenda
Heapoiada. vida 9 >re as suas palavms mas sobre a ; mesa
Presidencia do Snr. marques de Paranagu. | O Sur. Saturnino dizque pelo contracto SIU Dtelli^encia. Vota a favor da resolncSo, Heapoiada.
primittivo se estatu q'a companbia deve pa- ,. por suppor cric a ci.mpa.diii tem Imm OSr, Umeidae Vlbupaerque echa preci-
Approva-se a acta e le-sc o expediente. jrar mais 5 por cento-do que as nacionaes, e direito rig iroso diminuido do imposto, pilado o tomar-se huma d*libsracli a res
Pruuede-se a nomeaco de hum membro aue nioaS, e por isso entende que pagando as m,% por equidade, allendendo aos servicos peilosem se ouvir o presidente dd provincia e
(alia commisso do cdigo do commercio nacionaes 5 por cento devia esta cbmpanhia que ella tem prestado ao pa. assemblea provincnl. .
-----------:fJ.....r.,.nr..in *- q Snr Oveira vota contra a emenda, por OSur. Helio e Mattos observa qne muilp
que nos apuros das nossas Rnancas nao se convem promover a eotontsaein por |ulger
deve prescindir de tuda quanto tendea aug- este negocio rouito serio. F.ntende que a
mentar as rendas publicas 1 i'1' "1"1-' "'* '"':' !,i'",U "" .'"
O Sur. Almeid e Albuquerque entende presenlon seu plano ero o montante dos
que tendo-se diminuido o imposto primitivo seus fundos o pir isso deve-ae addiar a
cTnrimeiro o respeito que consagra a conslitu-! qnesiSo foi muito debatida, que o director laucado sobre as companhias nacionaes por resoluco al q ella teorganise. O no re
.1___......., ..i;, ,....> J.______u:- ........1:. -...,. r,..:, .,.,-; ocm...........1...............................;,.;.. .. .,..:_ n-idjr manda ueste sentido luna requeu-
ito a mesa.
.. ap iad > o ad liamenl .
Pallaos ibreo ad liam -atoos Sur*. AJencar,
.1 o e M a 11 is, Almei la e Albuqu rque .
OhMrvaqu'quadovoa embarazos apre- pagVrem. ObserVa'que'nSo desconhece' o qerqwi tiolUiida Cwalcanti, VelUsques PaaU
sentados lodos os das pelo estado excepcional beneficios
.........................1
esabe eleito o Snr. Araujo Vionna. carregarcom o imposto de 10 po/ cento No-
() Sur. Holli ma Cavaleante diclara que ha ta os grandes beneficios que ella tem presta-
muitoqueum pensamento magestoso se apo- do ao paire a pontualidade com que tero pa-
dera delle orador sempre que considera no pagos imnostos que Ibrmo huma quanlia
desempenho dosseus deveres (dous obstacu- muitoelevada
)os porcm o tem retardado a manifesta-lo : O Snr. Ferreira de Mello observa que
ir 1
d lulrin 1
o o Sr.
vaiiti .1
preseotaco do seu pensamento alteiideudo oimpostodeaS por cento, irais to soroente Entra em segunda disctuso a resoiu?-. ^
l que se nao pode tratar d.i consorcio da au- 5 por cento mais do que pagao os nac.. 11 tes ,8 rj concedendo trras a sociedade de co- w ndo re,|etir-se sobre esta cir-
milia orinetsa imperial sem que pnmeiro se- Nota que o argumento apresenlado sobre a loni*aco doCeara. ... ,.,,,,,....,
rkX!'ulo a n'aioridude di S.'r l'e- companl.ia de''ocies nao pude aproveitar, O Snr. Oliveira entende T.e .0 legoas cunstancia antes de .e approva, a
Hra II. Onobreorador mandaamesa osse- porque nao existe 10 contracto dessa com- quadrad is sao rao legoas e he preciso saber da ;..";" *' .. .;; il;l .1(ll)
i les oroiectos. pinbia amesma cumula que no da cimpa- os fundos da companhia, o numero dos colonos lc 1 ,.^
A Assen bia Reral legislativa decreta : tibiado Gongo-Soco Julga que o estad das ,jue quereid ntrodutir no pea, semoque nao prest lente m o
a ipo nico O Snr. Pedro II. m- nossas finangas nunca deve legitimar o que- pode estar pela resol 1 1 |essao.
.r.dor colisiilucional e deffensor perpetuo do bramento dafc dos contractos. j O Snr Smurnino di; que 10 logoasd.ua- __J----------------------r_
r \ be decl mido rnaior desde a. O SnT I Vn. Ira Se Mtl observa que iodos aradas sao 10 veses Ituma legua \i idrad 1, 11*
p1' o groado, i3 de roaiode t84o. os argumentos offerecidos contra a sua eroen- l0 he mata quantldade composta de 10 t
i?n Francisio'de Paula HollandaCaval-' da repouso, nao noverdadeiro contracto, dades. cada hiima das quaes corr
IllOUiU ,..-_ I. _...........'.alanalmiitinlIpSll llcllllMli 11S ..... I...............i..l.
PEK i A M ICO.
quaes corresponde a u-
ra a facili-
saber a sua
GOVERNO DV PROVINCIA.
Ai loiro riat.cis- o de rauta tloliauua _av.ii- u ib(wuv ... .-.....----- ............ uauca. wu.i.u.u.u.Jr.v.v-----
.i de Albuauerque. Jos Martiniano de mas no que existe na imaginacSo de quem os ma lt,, a ,,ua(lrada.
o. l-runeisco de Paula Cavaleante de nroduzio. Entende que para o argumento 0 ar Almida Albuq censu.........
'VunC" ,1 W 1 irrrira de Md- p.occder preciso era citar e analysar o.r- daie. coro qcScedem trras sem se saber a sua Espediente do d.a 3o d.pmado.
^>U^TV^oT^l^r^-- ligodoconlVactoem que elle se funda Nin-.^elidade, por qu.nld poden, ser em pan-l Officio-Ao Inspector d, tar.rad.
l0'"t? al^eVfelloe^a nais deseja qe o governo &t arisca |oi. -J. est systeroa de se conceder Faxenda n-raYuer roelter a bordo do Br,-
n^^H^c^^^^o. i ut.,eil(! atAdosos lucros proveui-:!, ^ qoadradas nao equivalem a .00 le- Beua da Muribeca.
Paco do senado, li de jo de^ ^le, da companhi. do Gongo-Soco perisso JJ \y nobre orador entende que se deve Uito --AoPrefe.to da Comarca, eommu-
An,on.ol:ia.c.*t.dePau.a, ul an^l -a I i|lo- ,, ctaresaV -'l"r nicando-lhe a demtssaosnpra.
canli de Albuquerque. Francisco del a Saturnino observa que ao haven- 3'a, & Tomando em co,ns,deracfio o qe
lllm Sr. Tomandoem consideraco o qne
e a expressio! representa o Exm. Presidente da Provincia
t Sur. aaturnino observa que nio haven- Bn>bpaco.
Cosa errer J.e Martiniano de Alen- lena. est definida e -
Vanoel Ignacio de Mello e Souz.
1>II'l" uu II 1. l_ -------1----*.. f: .I1......I ,,li na nada n-.l
o Snr. Mello e Mano, e,ede ,. P>* J.;r ^,- j- ; ^ f J*- ......Ato4.*S ProncU ,
(li,iu,do do podo for .pro..d., >-o ^_H2.Su. ",,'. call ... como I...U sM. .uoriMd. ;,,,.,.;..
isstrem dessa
I 5 ,, lamis companhio .loque O Snr. Saturoloo Mki em qoe ha.coo mu,... d.jeo...l.a.oec l"e,,e lo,oel,eJuS.o,P1,oli.|ol;,.ra- ta-ri. *.. *jf.. cooU- d. ..Jos-______,,,,,(;.,,;;,,, o U^-tarH" Ju, HoU,,r
MUTILADO


r
i
DIARIO DE fERNAMBCO
IgSEgBaag^^gESSZa^fer.: L-;-.'->tat'tt*!^ew"T -~n
le ser depois de visto npresentado em Uantesujeito ao.pagamento dos Direitos. Al-
fcssfioda inania Junta, fandega 3 ,1,- JuUiodft >8o.
F)l(o -r- Aos Ajenies da Companhia dos Pa- Vicente Tliomaz Pires de Figueredo Ca-
quetesde Vapor, respandendo-lhcs que o margo.
qu'-.i^Mi- ,i|)ur ro-p !ii(ien;io-iiirs (
Vapor S. Sebastio podo hoje mosmo scuir
Ma vi igefln para o^ Porlos do Noite.
Dito-Ao Cfrurgio Rucar rf^ado da Vaccina,
para reraetter Secretaria da Provincia alga-
mas laminas de pus vaccinieo da millior quali-
dade afim de sereno enviadas ao Exm. presi-
dente das Alagoas.
Dito Ao Juiz de Hireito Jn'enno da t. rt
Vara do Civel nomeando-o para continuar o
acto de prcdder o andamento das rodas da Lo-
tera do Eivramenln ,. visto ter adoecido o Ju-
iz da 3. Vara que eslava presidindo.
I)i;o -- Ao Escrivam da Loteria do Livra-
roento comrounicando Ilie o conteudo no
precedente offlcio,
PortariaNorneando o Racharel Forma-
do Manoel Jo/'- (la Silva Neivu para Juiz.
Interino da 3.a Vara do Civel durante o im-
pedimento do Racharel Formado Felis Pei-
xoto de lirito e Mello
.diido Ao Presidente da Rellaco com-
municando-llu1 a nomeaco supra.
, Illm. e Exm. Sur Ten lio presente o of-
ficio que \. Eva. me enderessott, firmado
em 10 do rr.e/. em eoiilendo pa>so a responder; que V. Exa.
em quanto presido a Provincia das Alagoas
nao requesitou vez alguma a entrada de Agen
tes Policiaes desta Provincia n'aquella e
antes fui esta Presidencia, q ensislio na urgen-
te neces-idade de semelhante providencia ,
tanto assim que deinorando-se V. Exa.' em
responder o meu primeiro otliciode 18 de Sc-
tembrode itMg, constante do documento n.
i torm i a ofticiar a V. Exa. em dalas de <3
de Dezembro do mesmo anuo e io de Janei-
ro do corren te ensislindo na providencia
lembrada como se v dos documentos n-
meros -i e 3 : que o motivo que live para
fazer tal requesico naseeo smente da con-
vieco em que estaba de que nao era possi-
vel a captura dos criminosos a pesar de toda a
vigilancia da oficia em quanto eltes tives-
sem certeza JistriclOb em que linho commellido os di-
mes e na necessidade de compmii a audau-
cia dos mesmes ede por termo a perpetracao
dos crimes na Comarca de Garanhuns, onde
forjo mais frequcnles o anuo passado: a
ponto de ficar ameacada a aeguranca piran-I Snr. : PC| Suh-Prefeito dos Affogados o
quilidade publica segundo me tes ver o Pre- Pai'do Manoel Anaslacio, por ser vadio e
fcilo da dita Coiuaicacm v-.i ios oficios. e final- arblenlo; fil0u detido no Calabouco ; e
MEZA no consulado.
A Pauta be a mesma do num. i3i
O Arcn ai de Guerra compra perco de
brim da Kussia sola, e bala de qualquer
cor nao sendo encarnada os vendedores
compareci amanbfi nesla reparlico pelas 11
horas do da. Areeual de Guerra 3 de Ju-
llio de lijo. O Dereclor Coelho.
Nao tendo sido encluidos no ultimo an-
nuncio leito por esta Repartidlo os objectos a
liiixo declados que igualmente fazem parte
(io fornecimento dos navios da Armada e
Arsenal : em consecuencia o Illm. Snr.
Inspector manda fa/er publico que taes gne-
ros tem de serem postos em arremataco em o
dia 4 de ulbo do corrente airho pelas 11 boros
da manba pelo lempo de tres meze*. As
pessoas a qtiem cada un do fornccimcnln
possa convir sao convidadas pelo mesmo
Illm. Senbor Inspector a npiezeutarem
as suas propostas em caria feixada at o dia e
ahora indicada, de darn lo nellas o me-
nor preco por que podem fazer o fornecimen-
to e bem assim os nomesdos seus fiadores
Inspecam do Arsenal de Marinha de l'er-
naoibuco 3o de Jonbo de 1840.
Alexandre Rodrigues dos Anjos.
Secretario,
Relacam dos gneros.
Vinagre Azeite doce Racalho- Arroz -
Feijo Lenba Toucinlio Azeite doce or-
dinario proprid para Iur.es Dito de carrapa-
to i'ape almasso Uito de pozo ou meia
Holanda Tinta d'escreverLapes Pen- quanlo 11S0 estiver exange nao ser esfolada ,
as. -
mam
TITULO II.
Da;PoIicia Sanitaria da Cidadcc scus subur-
bios.
Art, 1. D'ora em (liante as casas ou ar-
masen* de carnes, vulgo do Cear e de pe-
Jxes salgados e bem ntaira de couros e de
bauleiros s sero pennillidos em as mas
que nao'forem orincipa.es. A Cmara Muni-
cipal designara previamente por Editaesap-
provados pela Presidencia quaes sejo as r-
as principaes. Os contraven lores sofreraS a
pena de despeja dentro de qtiurpnla e oiti ho-
ras e 3oUooo rs demola. Depois da pu-
blicaco dos referidos Editaes cincedem-se
dotis mezes improrogaveis para a mudanca
d aquelles armazens que actualmente exis-
(irem em as roas que orem designadas como
principaes. Os contraventores desta ultima
dsposi;a*u ficas sugeito as penas supra
Art. 2. A matanca do"gado ser. f'eila des-
de o i. de Abril at o ultimo de Solembro.
pela manba das seis at as dez horas e a tar-
de das qnatro at as seis ; nos oulros mezes
meia hora antes de manba e a larde meia
hora depois : os contraventores sfrerd a pe-
na de ^Uooo rs. de multa e 8 dias de p iso,
e o duplo na reincidencia.
Art. 3. O Fiscal do respectivo bairro e
na sua falta hum Vedor que para isso deter-
mine, presidir a malinea do gado e fara
apartar aquellas rezes que apresentarem
simplomas de qualquer molestia : os contra-
ventores sofreraS a pena de jooo rs. de mul-
la por cada cabeca de gado a que nao assistir
o Fiscal ou Vedor por elle autborizado por
eseripto : as rezes mortas sendo queesllves-
sem doentes, ser interradas a cusa dos con-
traventores'
Art. .\ -A rez ser bem sangrada e em
-ir- r *"-TfnnT 'TTTrmni nmvtiT
de Nosso Senbor Jes 11 Cbristo Sao Tiago da
Espada e Silo Rento de Aviz, as quaes Nos-
sos Augustos Progenitores de-de remolos lem-
pos Tem constantemente honrado e eno-
brecido: Ilei por bem e Me praz por estes
respeitOS C;nferir-Vns a Handa de Grao Cruz
das tres referidas Meaes Ordens Militares Por
lujtuezas cujas Insignias Vos sero com esta
Minha Carta apresentadas.
Serenissimo Principe Real, DrQir Dr. fjLK,-
c.4nc\ l)om Pedro d'Alcntara Alaria Fer-
nando Miguel Iiafaei Gabriel Gouzaga Xavi-
er Joao Antonio Leopoldo Vicior Francisco de
Asss Julio Amelio Saxe Cobourg (ioba de
Braganga e Bourbon Meu sobre lodos Muito
Am 1 lo e Presado Eilbo. Nosso Senbor II ija
a Vossa Augusta Pessoa em Sua continua
Guarda. Escripia em Lisboa no Paco das
Necessi Jades aos quatro de Abril de mil
oito ceios equarenta Vossa Extremosa
Mi MARA. Rodrigo da Fonseca Ma-
( Diario do Goveruo. )
galhes.
Uorrcspondiicias
Alexandre Rodrigues dos Aojos.
Secretario.
PR EFEITUR A.
Porte do dia 5 do frrente.
Illm. e Exm. Snr. Forao hontem presos
pelo Sub-Prefeilo da Fregue/.ia do Recife o
pardo Jos Antonio para recruta de Marinha;
remedido ao Inspector do Axcnal de Mari-
nha : pido meo ordenanca o prelo Jos es-
cravo de Joao Gomes Martins porterfur-
tado urna cabeca de peixe ; foi entregue ao
deixar a
mente que pouco antes de V Ex.
Presidencia daquella Provincia /ui q,,e re-
ebi um olicio ue V. Ex, cora data de t de
Janeiro deste auno era que parceipava ter
expedido as suas ordens para a captura dos
criminosos., e desordeiros, (jue cometiendo
os seus aticiiiados tm Garanhuns se fossem
acollar as Comarcas de AtaUia Anadia, e
Penedo, o que aggradeci lego a V. Ex. por
n.tio do olcio da copia numero 4, por ter V.
Ex. deita maneira prestado uin relevante ser-
vico a bem d ordem publica, e da boa admi-
mstraco da Polica. SatislAsendo assitn ao
que V. Ex. de roim exige em seu supra
mencionado officio de to do torrente e de-
sejantio (pie esta minharesposla possa mostiar
que foi as^as iufundada a aecusaco que se fez
a V. l'.x. na Cmara dos Sms. depuiados pe-
lo laclo em questo ; aproveito esta occasio
para renovar a v. Ex. os meus protestos de
eslima e considerar pela pi woa de \ Ex Ue-
oe Guarde a V. Ex. Palacio do Governo de
Peinan bu;o ao (le Juuhu- de it^o. lili.
e h,\ni, Snr Agosliubo da Silva fveves, Pre-
bidenio da Provincia da Puraiba. i1 lamis-
co do Regq Lanos.
Di versas Keparu^oens
. ALFAISDEGA DAS EAZENDAS.
Editl.
Viccne Tbomaz Pires de Figueredo Ca-
margo Inspector d Alandega, faz saber (pie
no dia segunda fieira 6 (do crrenle se hade
arrematar em -basta publica e na porla da
mesma, ao meio dia, duas caixas com 72 res-
mas de papel no valor de I^aUSoo reis im-
j uguada pelo Feitdr Conerenle Joaquim
Le naido de Figueredo no Despacho por
Factura de Lenoir Puget Companhia, i.u-
ma caixa com seisLarioens com llores no
valor de HQOOO reis no espacbo por Fac-
tura de Adoui Eompanliia, impugnada pelo
mesmo l'ei.'or Eonferente : seis caixas com
conservas, no valor de 5o\Uooo reis, impug-
nadas pelo Amanuense Goncao Jos da Cosa
S.i Jnior no Despacho por Factura de Lco-
nir Fugele o: Companhia sendo o Ariema-
por um Soldado de Policia o nreto Estevao
Jos da Conceicao por Ihe querer dar una I
cabecada ; foi solt.
E' o que consta das Parles boje recebidas,
A CMARA MU MCI" AL DFSTV Cf DA-
DE O RECIFE, E SEO TERMO &e.
Faz saber que sub sua proposta a Assem-
bla Legislativa Provincial tem decretado as
Posturas addicionae- abaixo declaradas as
quaes passfio a ter de bora em (liante vigor co-
mo nHas se crin tem.
A Assembla Legislativa Provincial de Per-
namhuco sob Proposta da Cambra Munici-
pal da Cidadedo llecil: Uecreta as seguin-
tes Posturas.
TITILO!.
Da Policia Sanitari dos Templos,
Art. 1. Todas as portas ejanellas internas
c externas dos Templos existentes na com-
prehenco desle Municipio sero a bertas to-
dos os dias as seis horas da manlii 6 assim
se conservars pelo menos at ao meio dia
e*ccptuo-se desla disposico os dias em (ue
segundo o Ritual ecjstumes Religiosos, de-
vem os Templos conservar-se feixados cele-
brem-se nelles ou nao os actos Religiosos'.
Art. a. Depois de lindar o toque de reco-
Iher nenhum Temploser ou se consrvala
alierto : excepluao-se 1. As Matri/.esi' Ca-
pel las curadas para os casos de administradlo
dos Sacramentos : 2. As Igrejas em (ue se
celebrarem as Missas de Madrugada e as do
Natal a meia noite, comopermide a Contitui-
co do Bispado. Wesses dias poini em taes
Igrejas serao abertas todas as portas ejanel-
las quer internas quer externas ao r do
Sol 3 Os Templos em que se celebra-
rem na Semana Santa os actos dos Misterios da
Iledempio.
Arl. 3. Todos os enterros se far das seis
horas da manba as sele da tarde.
Arl. 4- Os Contraventores de qualquer das
disposices ordenadas nos ai ligos antecedentes,
seja qual for sua quaiidade ser multados
em ts000 rs. e as reincidencias no duplo ,
e 4 dias de prizio. No caso de r.ao poder o
contraventor pagar a pena pecuniaria sera
esta comuiulada cm 4 dias de piizo e seis
na reinciJencia,
e esquartejada ; o Fiscal ou o Vedor asisten-
te vigiara1 sobre a fiel execuco do presente ar-
tigo : os contraventores sofrera a pena esta-
belecida no artigo antecedente.
Art. 5. Todos os acougues se feicharo as
seis boras da tarde ; sob pena de 4D000 rs de
multa e 4 dias de erizan: e ter5 em lugar
de portas inlei'icas portas de grades.
Art t. A Cmara designar por Editaes ,
os lugares onde se devero estabelecer os ma-
tadouros., com que prevencoes econdic&es.
Art 7. Nao se podero estabe'ecer pada-
rias dentro da Cidade e snenie nos seus
arrebiddcs excepto as existente eujos Cor-
nos foremenllocados nos quintaes e mostra-
rem por exame da Saude e Fiscal do Bairro,
que nao encommod.io a visinbauca com calor e
lumo ; as retinaras deassucar, easdestil-
la.es de aguas-ardentes e uniros espiritos ,
Surs. Redactores.
Nao me possivel deixar em silencio o,
que comigo se passou era o dia 23 do crren-
le Junbo ; por que 6396 acontecimenlo ver-
dadeiramente extraordinario ao mesmo lempo
que patenteia o carcter de um Emprcgido
Publico que se oceupa de intrigas e vindictas
particulares antes que de seus deveres re-
vela a nem urna seguranca pessoal do Cidado
entre ni. Rodolfo loo Barata d Almeida ,
Fiscal da Cmara Municipal desta Cidade ,
meu inimigo por motivo* que innutil e fasti-
dioso seria narrar acluu no exerciciodo seu
Em prego seguro meio de vingar-se de nossas
antigs desavencas e no predilo dia a3 ao
meio dia appareceu na minlia venda de mu-
llidos na Rui do Caldeireiro acompanliado
do Cumicarioe tropa corren-a com dita for-
ea armada ; dpprftnbendeu trinta e sincodu-
zias de fogos sollos vulgarmente buscapeis,
que nessa occasio eslava eu escorvando ; e
fez-me conduzir por ordem escripia do Pre-
teito da Comiuarca que entao ine foi inti-
mada Cadeia desta Cidade onde prezo
eslive por vinle e quatro floras : foi o motivo
da ordem da minha prizao o fabrico de bus-
caps !!!!! Nao admira que o Fiscal da C-
mara dando largas seus raneares, procu-
rasse contra min <|ual quer meio de vinganca
to ignobil
como este ; admira porera que
nem tal desaguisado fosse protegido e secun-
dado por aquelles, cujo cargo deve de estar
a publica seguraiica e tranquilidadedos Cida-
dos!
(Jomo Snrs. Redactores esbulbado de
(ico em ludosujeilos as mesmas disposices.
Os contraventores sero multados em voUoao SUa propriedade e conduzido Cadeia uai Ci-
. alm dademolicaodos lomos a sua [cusa, dado'Rr.uileiro sem culpa formada sem in-
rs
( Coutrauar-se-hdJ
Noticias jEstranocirs.
SECRETARIA DE ESTA DO JDOS NEGO-
CIOS DO REINO.
Serenissimo Principe Real, Duque de Rra"
gancu Dum Pedio de Alcntara Maria Pee5
nando Miguel Ralan Gabriel (onzava Xavi-
er Joo Antonio Leopoldo Vicior Francisco
de Assij Julio Amelio Saxe Cobourg Gotba de
Braganca e Rourbou Meu sobre todos Muito
Amado e Pasado Filbo. Eu DONA MARA
por Graca de Dos e pela Conslituico da
Monarchia Rainb\ de Portugal e dos Al-
garves etc. Vos Envi muito saudar como A-
quelle que muito Amo e Preso.
Nao Podcndo Eu Pateniear a Minha satis
faco pelo dia de boje de tanto jubilo para
Mim como para a leal Naco Portuguesa .
de urna maneira que mais grata o aprasivel
Me seja do que Dando publica e solemne pro-
va do ntimo e Maternal Amor, que Vo*Tri-
buto eda Subida Consideracao em que Te-
nbo a eminente e sublime jerarebia a qu o
Vosso Nascimento Vos elevou ; jerarclua na
qual como Confio na Divina Providencia ,
I lavis de Mostrar-vos Digno Herdeiro das
Virtudes de Vossos Avs Tomando por al-
vo de vossos cuidados, e Tendo por vossa
maior e mais pura l'elicidade quando Su-
bir-dea ao Tin 0110 o Fazerdes em um Rei-
nado Sabio e Iluminado pelo respeito Lei ,
e Liberdade legal a ventura dos leaes Por-
luguezcs e a piosperidade e independencia
desta Monarchia ; e Comprazendo-Me tambem
em Comecar ao mesmo lempo desde a Vossa
Infancia a Excitar em Vos afora outras Vir-
tudes proprias dum Principe de Sange Real ,
o amor as armas desenvolvido na devoco pela
Religio Caliiolica a cuja defeza contra os
inimigos deNossa Santa F foram dedicadas
as tres Reaes Ordens Militares destes Reinos ,
dicio de crime inaliancavel sem ser adiado
em flagrante eso pelo ftil pretexto de fa-
brico de buscaps ? Onde a lei que impoetn
a pena de perda desse fjgo lubricado e de
prizo ao fabricante ? O i'it-. 8. das Postu-
ras da Cmara Municipal que regula esta
materia, apenas nobimpoena mulla de
aoL rs. aos fabricantes de fogos arlificiaes
dentro da Cidade e no 7 a multa de $U
rs. aos i|iie largan fogos sollos ou buscaps.
Ora si nao ha lei alguma escripia que au-
tborisar possa a lomada do meu logo e a mi-
nina prizo segue-se que a seguranea, in-
dividua! e de propriedade entre nos urna
quimera eque a sorle do Cidado Pernain-
bucauo pende nicamente do capiixo e abso-
luta voulade do Prefeito da Convire 1.
E' anda de notar que se nao pode attri-
buir similbanle violencia excesso de zelo do
Fiscal e do Prefeito da Commarc por que
nao fui eu o nico <|ue fabricou fogos sollos
ou buscaps para o da de S. Joao como to-
dos sabem ; enlrelantoque nem um sollreu a
mesma oppressao e arbilrariedade nem lal
vez um s fosse imposta a mulla da Cmara ;
entretanto que loguelefros de proisso lubri-
co fogos arlificiaes dentro da Cidade sera
que de leve seio encommodados pelo fiscal
e per isso tanto mais detestavel o niquo e
criminoso procedimento, que comigo bou-
vero.
Espero Surs. Redactores que VV. ins
atteudeiido modestia com que hei fallado em
desabafo de tamarilla oppreaso eaodireito
que me assiste ooino Cidado Brazileiro e par-
licuiarmeute ollendido nao duvidaro pu-
blicar pelo seu Diario esta breve e fiel exposi;
c-o com o que agradecido Ibes ficar o
Seu assinanle e creado
Joz Maria d'Amorim Jnior.
Snrs. Redactores.
Acbando-se prximo o concurso para o pro-
vimeuto das Freguezias vagas e conslando-
ine que aqui se acho doi Padres que pa-


. __________ n T A ti i o
1111......".........Mnjm'\mmmjLULuMKjmim^................. .......M
rrr.-'rr.s
PP-I.Nl M r't) C o
o recrrante romo
dos documentos
podia o recorrido negarIhe i
Va elle perlendem concorrer cujos conhe-
timentosdeTheotogia Moral milito (topa-
ra desejar-se ; uncilo esioo por saber de se-
us" brilbanles exames. Milito confio as
excelentes qualidades, que orno o nosso di-
gno Prelado, e por isso nao ouso Fazer algu-iantes cumpria-lhe indagar se o
ims reflecta sobre a prezente materia. He- linha as finalidades e sumeiencia
cilej deJuIhode 1840,
O amigo da Religio.
imo praticou e se man Testa 1 dita Academia r
f.e f., de maneiri alguma deira satisfaeo lli
por
e pm testemunho da verda-
e passatDOS o presente Di-
ploma que assipjnamos. Rio de laneiro 17
Srs. Redactores.
Terseguidoeu e alropelado de injustos e
Tiolentos despachos do Km. Delegado de S.
Ex. lima. tudo a fim de dspojar-me dos
Direitos de minlia Igreja e u/urpar-me a re-
gala de nomear os meus serventuarios to-
wei a triste deliheraco de recorrer ao Tribu-
nal da Relaco deste Districto que cntao se
cotnpunha do Kxm. Presidente quatr > liims.
Dc/emburgndores e dous Juizes de Direilo.
Foi despachado este Recurso rom vista ao llim.
Dezembargador Procurador da Coroa ; cuja
decidida, eincontestavel resposla lie a que se
v adianto transcripta; Mas nao sei porque
fatalidade embirrou contra o meu Direito o
Dezembargador Juiz Relator e com elle os
3 Juizes de Direilo ; ... volando com tudo em
meu iavorosoutros2lllms. I)ezs.,que seassig-
jiara vencidos he assim pois que pela
dilerenca de bum simples vol Toi negado o
Pro\ imento ao meo Recurso.
Perdidas minhas esperancas nesla Relaco ,
puquiz logo recorrer ao Supremo Tribunal
da Revista ; mas, sendo aconselhado que pri-
meiro devia tentar o ultimo recurso, que era
de embargar a Sentcnca assim o fiz ; e
qliando ji eslava a cabir as mos dos Snrs.
Juizes de Direilo, (eu fallo com honrosas ex-
ceptes) e ser novamente sacrificado ao Ca-
pricho de bum Ecclesiastico injusto eisque
rhegaraa esta Provincia irez sapientissiinos
JJezembargadores homens prohos honra-
dos e imparciaes embarcando-se ao mesmo
tempo para o Rio de Janeiro o dito Dezem-
bargador Juiz Relator que naquelle Tribu-
nal disse de n.inba causa o que I he veio a
cabeca como muitw bem se ve das mesmas
rases em que se fundou o Accorda contra
mira proferido. E qual foi 11 resultado desta
inopinada mudanca i' Aquello mesmo que
diz o Rifoantigo : Tirada a causa cessa o
efeiio Tuilos unnimemente votara em
meo favor e o Accorda fot logo reformado ,
como se v do segundo AceoreJ adianto tran-
scripto.
Viva pois a Relaco de Pernambuco quan-
do he assim regid" por Magistrados sapientis-
simos probos honrados, e independentes!.'!
Kpaiaquc a noticia deste (acto cingue a
lodos os meos Collegas, e nao suifra elles
taes violencias e usurpaces daquelles D-
reilos que sao inseparaveis de seo Ministerio,
rogoaVms. Srs. Redactores, queirao lera
bondade de inserir em bum de seos* Diarios
nao s estas linbas, como lambem a sapien-
tissima resposla ao Illm. Dezembargador Pro
curador da Coi 01, e Accordo, acuna men-
cionados pois que he esta a nica consoluco
que me resta de tantos Irabalbos Fadigas ,
perdas e dainos que tenho solfrido e que
talvez nao pezem ao Am. Delegado au s
por ter obrado sem odio algum como anda
pelo privilegio extensivo do Texto Theoiogi-
co [i\ infrmala conscienlia,como em
sua resposta alegu a seo favor Alas co-
mo quer que lor seja tudo pelo amor de
Dos. Eu sou com respeito e alta conside-
ro. e Vms'
Muitoalt." ven. e servo obrigadissimo
Joo Lavalcanli de Aibuqueique.
Resposla do Illm. Dezembargador Procura-
dor da Coroa,
A violencia pralicada pelo recorrido con-
tra o reeorrente est sobejamenle pi ovada pe-
los autos. Tendo-se auzentado o reeorrente
da sua Igreja por lempo indeterminado com
permissao do Ordinario por causa justa co-
mo manilesta o documento a f. 53 fora de
duvida he que Ihe compele nomear por es-
cri po Sacerdote idonr o, que com licenca do
mesmo rdiuario laca suas vezes durante a
esta faculdade aue confere ao
motivos oeeullos ou ex infrmate conscien- de Jnnbo de i838 Assignados Felis F.mi-
lia como fez elle em seu olh'cio a f. 49 v. lio Taunay Director. Porto Alegre, 7,a.-
apresentado firino, Ferrar, Magalhes Moler, Corte
s declaradas Real, Rodrigues de S Alcntara-Secreta-
na mesma Const. do Arrebisp L, 3 II. 26 e rio
verificadas ellas conceder a licenca ou en- O grande acolhimcnto que Mr. Vallv rece-
lo ne(jar por nao ter taes, elaes requintos bco dos 1 Ilustres e honrados Pernambucanos ,
semprecom expressa menco delles por serem que depois de 17 recitas completas aimla o
cousas prejudiciaes e competir aos prajudi- deseja d; urna ideia clara de quantn nesta
cadosadefeza de sua repulaco. Por tanto Cidade dp Pernambuco se faz justica ao ver-
parece-me que o recorrido comelleo injusti- dadeiro mrito.
ca e violencia eque o reeorrente leve ser ACompanhia de Actores desempenbar a
prvido, Mandando-se que o recorrido ou bellissima peca denominad 1 -
confirme a nomeaco feita pelo reeorrente ou AMOR E PATRIOTISMO ,
declare expressamcnle as causas de sua recuza, ou
limitadas a capacidade do inmundo, 6 nada A INDEPENDENCIA AMERICANA.
mais. Recife 2C) de Julho de iHjt) Os Cima roles e Hi Miele? se achaS unica-
O Dezembargador Procurador da Cora e mente na mi do Sr. Z'bedeo Cezar Bilhe-
Fazenda Belmoiit. leiro do Thealro a quem os pretendentes se
deveraS nicamente dirigir a fim de evitar
Accorda. qualquer monopolio ; pois que he j sabido o
Accordo em Relaco etc. Que recebem preco tanto.das Cimarotes como dos Bilhe-
e juljja provados os Embargos f. 80 pera o tes: na porta grande doTheatro, das 8 al
fim de reformarem como reforman o Accor- s 1 >. da manila e das 4 as ei da tarde,
da embargado. Porquanto sendo o Embar-
gante Reeorrente o Vigario Collado da fregue-
ucenca
a elle
li.
Avisos Diversos.
zia do Cabo e estando de
compela nomear o seo Coadjutor como o
mesmo Embargado reconhece, dependendo
esta nomeago da aprovaco do Ordinario, CJ" Tendo sido necessario aos abaixo as-
que deve declarar os motivos porque nao signados alguna dias para prepararen! as dif-
aprova a fim de poder seroutro no-neadocom ferentes pecas que de'iao figurar as repre-
todosos requizilos que faltar no primeiro sen taces que tencionava dar de lantasmago-
e poder este se justificar, e nunca negar ex
infrmala conscienlia podendo alias seresse
motivo mui ptrticular e por conseguidle ex-
istir em outro qualquer que lor nomeado.
Por tanto de conformiJade com o parecer do
Dezembargador Procurador da (Jori, com-
pelindo ao Reeorrente a nomeaco do seo Co-
adjutor segundo a Const. da rcebispado L.
ria &c. acontecen que qnando tudo j; esla-
va quasi promplo ebegou a esta cidade uiu
artista bem conhecido co Sr. Gamboa mi-
gando talver fazer mal aos abaixo aignados ,
apresou-se em tratar com esse artista ; lendo
tamben por intermedio do seo procurador ,
tralado ja verbalmente rom osles; mas sem
curar disso significou-lbes que si) acceitaria
Embacudo as cusas. Recite ^o de Junho de
1840.
Maciel Monteiro P. Fui presente Bel-
monl. Libanio. Ramos. Punce.
Peixoto. Amarall
LOTERA DO SEMI VARIO
i. U. 3o 543, e tciido-o este nomeado as suas proposices quando acabassem as re-
lieve o Recorrido Embargado ou aprovalo ou presentaeoes do novo artista ; e como os abai-
declarar os motivos porque o nao faz limi- xoassignadosnSo possa assim esperar a boa
tando se a capacidade do nomeado a fim de I vontade do Sur. Eraprezario e ibes nao
que o Reeorrente Embargante possa nomear seja possivid esperar que Ibes ebegue a sua
outro, que os te.iha e pague o Recorrido ve/. vo retirar-se desta provincia. F co-
mo ulguem que devem dar urna salisfaco ,
aquellas pessoas a quem tinham prometido
continuar com os seos diveriimentos acha
0~ nao podis fazer melhor do que declaran-
do os actos que os impediade cumprir com
asuapalavra. Os abaixo assignados apro-
veita esta oecasio,pnra faterem suas despedi-
O Reitor do Seminario de Olinda convida dase sgradecem a lodas as pessoas que honra-
ans amantes de Lole ias a comprarem os bi- rao os seus espectculos asseverando-lhes ao
Ibetes da primeira parle da 17 l.oteria do i mesmo lempo que o tratamenlo civil que re-
mesmoSeminario, que seacliad venda no ceberasera iirn estimulo de saudade para
Bairro '-lo Recite ruadaCadea, nalja del Koberte Madame Roberl.
cambio do Sr. Vieira 5 em Sanio Antonio na i HT Os mesmos annnncia a todas as pes-
111a do Cabug, toja do Mr. liandeira ; na soas que liuhi j tomado e pago camarotes
Boa-Vista, delrouteda .Matriz, botica do Sr. para a sua represenlacjo teoha a bondade
Joaquim Jos Moreira. de mandarem receber as quantias que derafi.
' m__________ trj- O abaixo assignauo tem dividido em
Cautel'asos Bilheles dos Ns seguintes da pri-
LOTERIA DA M. DA BOA-VISTA. n>eira parte da terceira Lotera do Theatro e
O Tliesourciro da Lotera a benehcio das primeira parle da .7. Lotena do Seminario
Obras da Matriz da Boa-Vista, declara que de Olinda em Dcima e Vigsima parte:
os hilbeles eslo venda nos lugares do costu- N. ol/' lo'5' aoi 297. *$* a9 a5t>
me; eque as rodas andad impielerivelmente 'J5, V07, aoS.iio, 3i8, 3r6^ 3_ii, 3i5,
nodia.ullimo do corren le Jullio. oii, 'o4 2o^ 2o2, 3i/|, aoj, 5i3, 3n,
__________ 30| 386, io;(j, laoa. 1219, 12*0, 13a,
iv-Ji, ii45> la57, 1279, 1 arfo, 1387 ; sen-
LOTERIA DO THEATRO.' do o preco das do Tlieatio a 5oo rs e 1000 rs ,
As rodas da'primeira parte da terceira Lo- e as do Seminario a 700, cujas acha-se a
tena do Theatro auda imprelerivelmente no venda nos lugares ja annunejados por esta In-
dia i3 de Julho crrante, e os respec- Iba. Nunes Correa,
tivos Bilheles acha-se ;i venda n bairro do CT Perdeu-se urna correte de prata com
Rccile em as lojas dos Srs. Manoel Ooncalves 5 chaves desde a ra da Cadea de Santo An-
da Silva e Vieira Cambista na ra da Ca- Ionio al ao principio da ponte da Boavisla ;
deiavelha; e no de Santo Antonio as dos quem achar quereudo pode entregar junto
Srs. Manoel Al ves Guerra ra JNova e ao Thealro caza do Se. Cunha Machado no
Basto & Costa na Pracinha do Livramento. primeiro andar qne se gratificar.
________ t^ Precisa-se de dous contos de res a
THEATRO. juros de um e meio [>or cento ao mez dando-
Domingo 5 do crrante. -- Mr. Vally che- se por seguranca urna casa de sobrado de um
pado a est Cidade pelo Vapor, no (lia arf do andar em urna das ras principis desta cida-
p. p. tem a honra de comprimentar a todos de ou qualquer outra seguranca que se quei-
os filustres Pernambucanos que tanta hon- ra exigir.
ra e eslima Ihe grangeara no auno de io37 : "*-OT Eslao na Typografia Imparcial de Lu-
a instancias de muilos sen horas que logo no Ignacio Ribe.ro Boma impnBndo-se as
mando Poezias de Joao de Barros ralcao d Albu-
m quizer oitenta mil reisa juros a
to dando penbores de ouro ou
rija-se ao beco das Barreiras n pri-
ia.
aspassa-se o arrendmenlo dihi
da ra do Rosario estreita D. 16, defronte
da Igreja f rom sua armaco propria pira
I qualquer eslabelecimenlo; o< per tendentes
podem fallar na ra do Ro'.ario D 6 e ah
se ilir quem vende ) canarios do imperio
por preco cimmodo.
Vcnde-sc urna escrava crioula de i-
dode 2o a 22 annos sem vicio cosinha o
diario d'nma casa cc.gomma li*a l)em de
sabio e qditandeira ; a vista do comprador
ledlr o motivo da venda: quema pretender,
dirija-se a roa de S. Goncalo casa do falle-
cido Joo Baptista Branca a filial com Ma-
noel Elias de Moura demaubi at ;i> horas, edasduas da tarde em ilianle.
\ ende-se itns corazes obra de preci-
zidade de bom gosto p por mdico preco :
n'esla Typograpbia se dir quem os vende.
Vendo-M irei caeaes de pombus, ,0
boas qualidades, e por preco commodo ; nes-
la Typogranhia se dir quem os vende.
-----O Commandar.te do Deposito precisa
de quatro canoas d rea lirada da margeno do
rio Monteiro para as cacimbas do quintal do
Hospicio ; quem Ihe convierdirija-sg ao mes-
mo ouaocapit Antonio Paz Cortes para
tratar de seo ajuste.
-----Jernimo Jos* do Valle e Baptista ,
patro-mor do Arsenal do Maranho anona-
da ao Publico que na occasio de embarcar
para aquella cidade se Ihe exlraviou un
carleira de vinbatico com 3 palmos ducom-
prido pouco mais ou menos : em a qual vi-
nha todos os seus papis inclusive seu diplo-
ma de patrio-mr, ecirtas para o iivm.
Presidente daquella provincia do Maranho j
se alguem a descubrir queira entrgala nesta
cidade a Jernimo Francisco daCuulia, na
ruado Azcile de peixe N 1.
-----O Cipito que ollcreceo duzenlos reis
de cada palle decmetro pode vir buscal-as
ou oulra qualquer pessoa ao assoujue de-
lroute da cadea.
-- Quem se julgar senhores de dous es-
cravos que s'nchoem oengenho Calende,
os quaes ainda sao bussaes apresenlasdo os
fjignaes sero entregues, certifican I entre -
lano o abaixo nssignado que nao se respon-
sabilisar pela luga ou raorte dos releridos
escrawos.
Francisco Antonio Perein da Silva.
t;^ Qualquer Sr. que precisar d'um hbil
Professor para aprender, ou mandar eusiiur
Rlictorica Philosophia Latim e Fraucez :
dirija-se a ra da Cuia JV 5\) onde achara com
quem tratar. Adverle que suas lices po-
dem ser presenciadas por qualquer curioso o
que promette em pouco leaipo mostrar o seu
desvelo.
Precisa-se alugar um sitio que seja per -
to desta Cidade s quem o ti-ver j e convierta!
negocio, annuncie 011 dirija-se a ra Di-
reila primeiro andar por cima da paderia
do Machado.
A nardinha que nos Diarios de Quinta,
e Sexta feira annuneiou querer ser una do
porlas a dentro de casa de pouca familia ,
queira aununciar sua moradia pira ser procu-
rada.
-----Recebem-se asssi^naturas para o Jor-
nal do Commerciodo Rio de Janeiro em caza
de L. A. Dubourq na ra do Vigario n, 10.
O prego da asignatura he de. j(is rs. por au-
no pagos adiantados-
-----A pessoa que tivercm seu poder urna-
letra da quantia de Rs. 835$' rs. saetada por
Jos Teixeira da Cimba e acceita por Juo
de Mello Aziklo queira apresenlalla no Es
criptorio de A. Scliramm para ser satis
l'eita.
cy a refinaca da ra da Senzalla VeUia
D. 3o que foi do Nascimenlo, continua a
refutar com toda a perfeieo e por preco
muito eommudo tanto em porc&o como a
retalho. Wa mesma caa acim 1 precisa-se a-
111 jar um preto inda mesmo de idade com
tanto que sej 1 robusto e lambem se compra ,
Horadando os seus ser vicos.
23" Aluga-se urna pequea casa pagndo-
se seis mezes adiantados: a fallar ua ra de
Santa Thereza D. iJ.
-----Traspassa-se a chave do armazem da
ra da Madre de eosN. -i ; os pretenden-
tes dirija-se a loja de fazendas defronte do
dilo arma/.em anude acharo a chave e
com quem tratar.
i^- Aluga-se a casa da esquina do beco do
Marisco propria para venda por ser em muito
bom logar no largo de N. S. do Terco e
vende-se a armaco que tem dentro por preco
commodo : os pertendentes podem dirigir-se
a ra da Senzalla Velh 1 relinaco D. 3o.
- Quem liver urna meza e duas mangas
devidro, que queia negociar, por serem
stgunda mo dir.ja-se a ra das Trinchei-
ras vinle sete cm uma loja que tero ur
ma porta so.


DIARIO DE PEftNAMBUfl
C^ O Ador Joo Machi de Oliveira faz
Sciente a lodos os seus protectores que llie
tomaiao camarotes ebilhelesde pa a para
seu beneficio no da 5 do correte, que trans-
iere o dito seu beneficio para o dia la do cor-
rente por ter chegado Mr. Vally e ter de
trabalhar no mesmo dia 5 em que comeco os
espectculos gymnasticos.
ssy- Aluga-sc duas escravas mocas sem vi-
cios nem achaques que cozinho o diario de
urna casa : na ra nova D. f\.
tST Da-se 60,000 a juros sobre hvpotheea
em um escravo para o servico de sitio por
3 ou (i me/es ; na ra do Rozajio casa de
Francisco Anlonio'de Carvalho Siqueira.
ss^" Francisco Antonio Ferreira Oas, mu-
dou a su; luja de Fazendas da ra da .Madre de
Dos para o alterro da Boa vista D. 10.
%S7" Urna pessoase propea dar almocos e
juntares por preco muilo commodo e se
bria a Inundar levar as casas d persea?
que quiserrm ; nesta Typognifa se dir.
BT Aluga-se um preto para o servico de
um botequim e tasa de pasto ; na ra da
Aurora por baixo do Sr. Dr. basto, ou an-
n uncir;
tST O aTeridor do Municipio de Olinda
faz sciente a todas aslpessoas que uzo de afFe-
rir pesos e medidas que no dia primeiro do
correte prucipiou a aflerir.'e a revisar no
lagar dos anombados atraz do convento de
S. Thereza*
SST Quem precisar de um rapaz para rai-
xero de armazem loja ra ou para fora,
que d fiador a sua conducta dirija-se a ra
do Nogueira D. 9
S:2r Arrenda-se um terreno proprio para
vender agoa por ser em um dos melhores lu-
gares desta Cidacle por estar inuito atregue-
zado a mudos anuos ; quem o pretender au-
nuucie
S3T Frecisa-sedemafpessoa para traba-
lhar em urna rcfinaco forra ou captiva ; na
ra dimita refinaco de assucar D. 6.
Cr Precisa-sede urna ama de leite para
criar ; na ra nova loja. de brederico Cha-
ves D. 5.
t2S- Perdeo-se urna canoa no dia 28 do p.
p. com os signaes segoinlcs ; tem al o meio
urna lahoa do fundo e para a poupa he n-
terissa sendo mais larga na proa pintada
tfeencarnada por dentro e por fora, e sem
banco na proa 5 quem della souber dirja-
se a ra da senzalla velha D. 1. > que scia
rcccmpeiua lo.
S2T Arrenda-se um sitio com casa cacim-
ba tanque estribara com varios arvore-
pos na estrada da casa forte 5 quem o pre-
tender dirija-se a iua do Livramento D. 12
Jado do nascente.
tr Quem precisar de um preto alugado
at/jopordia para servente de pedreiro ou
oulro qualquer servico *~dirija-se ao largo de
3N. S. do Terco venda D. /\.
S2F" A pessoa que quiser alugar prepara-
torios para armaces de festividades caixOes
de damasco libres para prelos carracas pa-
ra 1 oudu/ir corpos e mais armaces tundie-
res dirija-se ao pateo do Hospital ci Pa-
raso D ig.
S^~ Um portuguez idozo casado se ofie-
rece para administrar qualquer obra para
o queda fiador a sua conJucU ; quem pre-
cisar anriuncie
SST Quem precisar de um homem portu-
guez para armazem ou padaria, e d fia-
dor a sua conducta annuncie.
HT Qualquer pessoa que quiser sentar
praca por oulro dirija-se a fortaleza das 5
pomas que achara com quem tratar.
37" Tresescravos sendo um moleqne de
idade de 16 anuos un preto di costa de ida-
de de 5o annos e urna preta moc 1 atada bu-
fe ; na ra nova I). 3.
XSF~ Quarta (Vira 8 do correnie as 10 horas qb- ])n as escravas de idade de 16 a 50 an-
manhJ cnntimia-se a 7enda publica emoniSl cozinho engcmmo cosem e urna
no armazem de Manoel Antonio de Jezus ,
por detraz do Theatro.
Consulado de Franca em Fernambco
da
armazem de Lenoir Puget & Companhia na
ra da Cruz de varios artigos salvados do na-
vio Franeez Provence naufragado em Luce-
na sendo os principies como se segu ; mo-
vis mui bous conservas em latas objectos
da moda fitas de militas qualidades agoa
de colonia e de lavanda, licores, quadros, e
o mais que se possa despachar.
C o ni p 1* a s
XST" Urna gaiola de papagaid una caxa
de prata para tabaco o regul&mento militar
do Conde Lippe com 03 artigo de guerra,
urna medida de al fjate com nmeros embo-
ra indo esteja usado ; na ra por detraz dos
Martirios sobradinho D. 2.
tSF" Urna casa terrea que lenlia quintal ,
e que seja as p'ncipaes ras desta Cidade ,
nao excedendoo preco de 4:000,000 nesta Ty-
pografia se dir.
2P" Osdous volnmes das sessoes do Con-
cilio Tridenlino, temi os dous textos latino
e portuguez ; a fallar com o deslribuidor do
Diario em Olinda.
S2F* Um cadello de fila de boa raca inda
mesmo pequeo na loja de Joo Mara Seve
S^" 70 oitavas de prata velha a izjo; quem
tiver annuncie.
55^ Um fiteiro para miudezas ; as 5 pon-
tas D. 31.
Vendas
deltas he recolhida dous prelos mocos mu
robustos, dous moleques de u a 14* annos,
urna negrinln de ia anuos una casi terrea
na rua do Cddereiro ,, e urna meia agoa na
travessado pocinho ; na ra de agois verdes
casa terrea D 37.
CT 4 travs de 46 palmos de comprido ,
10 a 11 polegadas de face e 8 a 9 por oulra
de massarandba, esapuciia de pilao, di-
tas de 37 palmos por face palmo e torno por
outrodecamassar e pitia, toditas palmo
e torno em qua 1ro 46 palmos de comprido
de pao d oluo postas no Recife ; na roa
alrazdos Martirios D. 33 a fallar com Miguel
Moreira de Souza iiaia.
Zir Urna negra de angola cozinba o dia-
rio de urna casa e he quilandeira ; na ra
do Cahuga loja de miudezis L) o.
tjJf Urna escravu de nacj angola mora,
propra para lodo o servico ; na padaria da
ra do Peixolo I) 77.
y Duas cabras bichos ; na ra da aboba-
da da penda }J, 'it.
i_y* Qualro fiteiros e 8 vidrassas, tudono-
vo
po L). 5 lado do sul.
SS" Fiodevella dito porrete boi'ms do
Porto feixaduras singedlas e de broca gran-
des nici.uis e pequeas pregos de varias
para homem a 1G00 I uvas dncamurca ama-
reis botoes dourados para guardas da alFan-
dega ditos para marinha bichas ltima-
mente chegadas, e'outras mullas miudezas
por preco commodo j na praca da Indepen-
dencia numero 20 e na ra dos Quarteis
D. i.
tsr Tres escra rase um escravo; na nrf
dos Quarteis i). 2.
%z^~ Boas canoas novas de 35 at 5a oli-
mos de comprido, e 3 a 4 e meio de boca; na
ra larga do Hozarlo i), ti.
Escravos Fugidg
, na legraba de miudezas da ra db cres-
S2f Fugio no dia 1. do correle um mo-
leque creoulo, de nome Ccsme lendo liiilo
vender pao em um panicum pelas partes da
Varzea ; he bistante secco do corpo, ps apa-
IbetadS, marcas de queimaduras de forro un
lado esquerdo do rosto e no peito he muito
regrista ; quem o pegar leve a ra direita pi-
dari.i i). 'S, que ser recompensado
zzj~ rugi no dia a do correte um mo!e-
que de na o benguella de dide do o a 11
anuos altura de cinco palmos cideca gran-
de olhosecua grande, reforeado do cus-
po ps direitos anda meio apressado, levou
vestido camisa de m ulipolo fina e co.npiid
e de nome Joo ; quem o pegar leve a ra di
senzala velha n rjj.
W No dia 3odo p p. fugio um moleqne
de nome Joaquim de idade de i5 annos
tem ambas as orelh is furadas o ps xeios
de era vos rosto redondo nariz eli.ito
qualidades e o.Uros varios gneros Cbegados lera Ullia inai'-'a de um (albo entre os peitos ;
ltimamente do Porto por preco commodo ; 1ue,n PeSftr leve a rud ds Martirios sob.ra-
110 ra da cacimba defroute do beco nue vai dojuntoa lgreja, no 1. andar, quesera re-
HT Cautellasda Sociedade Fortuna Ty-
pografia da Lotera do Theatro ganhando
a vigsima parte dos premios caliendo na
serte de 6 000 000 reis tresenlos mil rc'is a
preco de 4^o ; nesta Tipogrfica na praca
da Independencia n. uo e na ra larga do
flozario loja de miudezas 7, e na ra do
Collegio lija de relojoeiro.
8^ Lbnaa da Bussia prmeira sorte ;
em casa de Hermano Mehrlens rua da Cruz
numero a i.
tSF" Una preta de naco cozinba o diario
de urna cara, engomma liso, e he boa quitan -
deira e duas canoas una feixada e oulra
ahertta no beco das baneiras na prmeira
olaria.
t^" Potassa nova da Russia em barra pe-
queos por preco commodo 4oo ped as da
marmoreda Suessia ; em casa de N O. Bie-
ber & Comparhia na rua da Cruz n. 6i.
SS9" Duas ncgi inhas de naco, de idade
de 10 para 1 1 anuos .' mnito limpas e
que vai|*"*J'"""*0,M~i "" qi
para rua do Vlgario. compensado.
I5j- Um carneiro manco boin para me-; VJ* ^ dia 28 do p. p. fugio um moleqne
nio montar por ja estar acostumado e anda crepu' de nome Placido, muito esperto,
pelo
tambem atraz da gente ;
na rua do Collegio
D. 7 lerceiro andar.
OT Urna escra?a do gento de angola ,
ptima para lodo o servico por 3oo,ooo ;
quem quiser annuncie.
iw" Charutos da Cacboeira de milito boa
qualidade ; na praca da Independencia nu-
do idade de 11 anuos, tem sido visto
I fiecife a Santo Antonio; quemo pegar leve
a seuSr. .VJanoel Antonio da Silva Molla
que recompensar*
ssr Roga-se a os Srs. Sub-Prefeicos e au-
tbordadea policiaes e pessujs particulares a
aorehenyo de um escravo do> signaes 1
guiules ; fugio no dia mj do p p. de no
se-
nie
mero 1 e a a.
i^r Urna preta de idade de 38 annos. de ioio de na^0 ngola es'tatura" regular ,
bonita figura, naco eambinda he boa qui-: Uislailte preto, ebeodo corpo de idade de
landeim ; na rua do Cubug loja de iniude- "j'annos aobr^ncelbas bastantes ideadas,
/as junio a bolica '"Ui regulares beicos dobrados, denles al
limad;.
pro-
na i i
Avisos Martimos.
PARA O RIO DE JANEIRO segu im-
prelerivelmente no dia .i do cor rente a Gale-
ra Flor do Rio Grande forrada e pregada
de cobre recebe carga pelo menor frete pos-
sivel e passageiros, por ter bons commodos,
trata-se rom A. F. dos Santos braga rua da
ivjoedi i4i.
Jjeila o
cy Que laxem Russell Mellors & Com-
panbia por intervencSo do Correlor Olivei-
ra de um ptimo sorlimento de fazendas in-
glezas Terca feira ) do correnie as des horas
da manh no seu armazem da rua da cadeia,
adveite-se que este leilo he a continuaco
do principiado em o primeiro do correnie
Cy Heniy ForstercSc C. fazem Leilo por
coala de quem pe lencer e por intervengo
do 1 orrelu Oliveira de cerca de cento e se-
tenta barridas de farinba de trigo avariada ,
a bordo da escuna americana Rienzi na
sua viagem de Boston atte porto ; Segunda
eir t J correnie s onze horas da manh ,
prias para todo n sprvco de una ca
ve!h 1 no primeiro sobrado a direita indo da
ponte velha para a S. Cruz.
XHT lrides de tarrata e de copoja marello
de muito boas qualidades por seren muito
leves; na rua nova loja de Ferreira e Braga,
S3T i3oo cocos com casca proprios para
embarque ; na rua de Manoel coco na resli-
lacao
S2y Ricas caxinhas de cbaron para guar-
dar cha com |is dourados, indispensveis
tambem de cbaron propios para senhoras
trazerem no campo tudo de muito boro gos
lo ; ua rua do A(iola no Recife porto das cano-
as segundo andar do sobrado onde tem ar-
mazem de assucar o Sr. Ajudante Lobo.
ET Diversas msicas para pianito com
methodo para cantona por Rodolphe com
acompanliamer.to dito para apiender pian-
no collecqenS de operas de Russiue e Beliue,
overturas de duase 4 mosde ditos quadri-
llias novas nao s para piannos como para pe-
quenas orquestas valsas modernas overtu-
ru do Pirata fantasas de merendante Erez
e Adam, e oulras msicas modernas chegadas
de franca pelo navio Provence que hio pa-
ra o Rio de Janeiro, tudo por preco com-
modo ; na rua larga do Kozario loja de miu-
dezas 7.
C?" Um moleqne de naco canoeiro de
idade de ici anuos na rua enreda do Roza-
rio loja de encademador
Hr- Urna cabra bicho betn preta e grande,
com duas cabrinhas parida de ao dias, mui
boa de leite por preco commodo ; na estra-
da de Joo de Danos ou de Celem sitio de-
fronte do Sr. Manoel Bernardino.
Pecas de bretanba de rolo com 10 va-
w Um molequecreoulo de idade de ia "ose umaocw maoso ps pequeos sendo
anuos ,'ptimo para aprender qualquer offi- P^omi*1 aigoalem se brigaudocom ellefi-
cio pois be bastante esperto e tem prnc- car bastante bicudo e frangirs sobrance-
pios de pedreiro ; no largo de S. Pe tro 10- *^M leVU veslu! camisa de madapoln e
brado da quina da rua do lo:;o so dir o Cttlcas de br"n l,nuu0 tran :ado ; quem o pe-
'eve a rua da cadeia loja de chapeos n. 4 i
ras a aooo meias da escocia tatenda finssi-
ma a 1000 o par lencos de quadrinhos a
1 o e panno de algodo da trra em porco
a 240 a vara ; na rua do Crespo D. 1 a c na
rua do Queimadoo U a.
ts?" Em tonta um cavallo melado de bom
motivo.
*^r Barris grandes cora vinho tinto do
Porlo o malvasia e barricas com pregos
caixaes algumas com pouca avariu, o dous
arados de ierro patente inuilo leves e duas
rodas fortes para carro ; na rua da cadeia ve-
lnalJ. 10
i_j- Urna preta creoula de idade de a4 an-
uos j na rua largado Rozara D. 9 priaieiio
andar.
$zr Um moleque muito gil para todo o
servico, e coziuha o diario de urna casa, e
urna porco de piala de bom -lo jue e um
berco de coudui ; naso ponas D, 20 onde
tem lampio.
_j" Urna armaco anda nao servida, pro-
pria para qualquer esUbelecimeuto : na rua
DiieiU i-'. j.
SB*" Um preto de bonita Ggura de ida-
de de ji anuos para todo o seivico una
preta coziuha perieitamente tanto de (orno
tomo de lug 10 eng^mmadeiru, e costuaeira,
nina dita muito leiorcr.da j faz todo o ser-
vico de urna casa e ubi moleque de idade de
12 anuos, urna preta muito limpa para una
da leite e com cria ; na rua do logo ao p
do Kozario D. a5'
OT Um escrava creoulo de idade de 28
anuos bom ollicial de sapateiro e eoziuhei-
10 ; no atierro da to^ vista U. 7b.
t^- Rap rolo llamburguez em garrafas
de libias e meias ditas diloareia preta, di-
to do Lima e Varejo, cha isson de pr-
meira sorte, dito perola em libras, e em
caixinlias de duas linras e meia por 4oo, tin-
ta de esciever prela encarnada a ito o pote
dita a/.ul a 1*40, peales de tai taruga para mar-
ralas ditos de massa para cuc ricas lisou-
rinlias finas e inglezas para unha pentes de
marlnnde tirar ,)ioliios ditos de tartaruga
para alisar, escovinbas para denles c para
escobar pedras u 111 rico sorlimento de bicos
largos e estreitos blancos e prelos superiores
mantas de bico de hlom para senhoraa e me-
ninas a 3aoo e 4800 lencos de ditos prelos
ebrancosa 12K0 um rico sorlimento de fi-
tas de gaita largase estreitas ricos aderecos
gar
quesera recompensado.
W" Domingo a8 do p. p fugio- aa negro
de naoo camudongo, de nome Jos, de idade
de ao aimos levou vestido cubas de brim
bruno, e camisa de algodo tranpado cata-
lura regular sueco do corpa he alguma
cjii/.a vergado da cintura e das co;tas
quem
o pegar leve a ru direita padaria U 4, qua
ser recompensado,
i^r r\o dia i3 pira lde Abril p, p. fu-
gio OU furlaro um escravo de nome Domin-
gos, de idade dd 43 anuos, amia bucal,
pouca barba alto, reforeado o corpo, nei-
COS grosSua olhos gran es com signal de
ventosas ei cada fon te ; quem o pe.;ar leve
na rua dos tanueiros armazem do sello que
sei recompensado.
t^> Fugio a dous anuos um preto de no-
me Joo altura regular magro de ida-
de de 4o anuos para mais de naco mocam-
bique tem no rosto urnas marcas de ierro e
entre ellas urna has,ante grande na fela de
lunudura de cavallo 5 quemo pHger leva ao
escripiorio de Me. Lalmont & Companhia ,
que ser recompensado.
OVilllIto (io i'tiVtO
NAVIO ENTRADO NO DIA
i."
m ; ti
tamanho novo e com bons andares ; na rua de lilagr prelos ditos de contas lapidadas e
da senzala nova D. 1. Iborzcguins pura sen hora a 2D00 galocha,
RIO GRANDE; 3o dias Rrigue Brasileiro
Feliz. Destino de ao; tonel. Capilo Luiz
Comes de Uigueiredo equip. 10, carg 1
carne secca : passageiros os soldados toui
baixa Pedro Gmesela Silva \Jaia Anto-
nio Soares de Andrade e Benedicto das
Lliagas.
SAHIO NO MESMO DIA.
TRIESTE; Calila Ilollandeza Ilarlingen ,
Capilo J. J. Dyli carga assucar.
LISliOV; Patacho Portuguez Paquete da
Terceira, Cap. Joaquim Alaria da Silveira,
carga assucar.
Sat'i JX A 4'YP. DE Al. F, DV F. if


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EQ1JEYXSE_DH3L1D INGEST_TIME 2013-03-29T17:25:00Z PACKAGE AA00011611_03540
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES